Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO ENTREGA CERTIFICADOS E DIPLOMAS DE QUALIFICAÇÃO

Presidente da Câmara na cerimónia de ‘Entrega de Certificados e Diplomas’ do Centro Qualifica de Basto

A convite do coordenador do Centro Qualifica de Basto (CQ de Basto), o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, marcou presença no passado sábado, dia 14 de setembro, na cerimónia de ‘Entrega de Certificados e Diplomas’ aos candidatos que concluíram os seus Percursos de RVCC (Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências) através daquele Centro.

Presidente da Câmara na cerimónia de ‘Entrega de Certificados e Diplomas’ do Centro Qualifica de Basto.JPG

A sessão pública designada ‘Celebrar Sucessos’ promovida pelo CQ de Basto, da responsabilidade da Mútua de Basto/Norte, decorreu no auditório do Mercado Municipal.

Estiveram, igualmente, presentes nesta sessão o presidente da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng. Joaquim Barreto, ele que é também o presidente da direção da Mútua de Basto/Norte e demais dirigentes e técnicos da Mútua; o vice-presidente da Câmara Municipal, Dr. Mário Machado; o vereador Eng. Pedro Sousa, o presidente da Junta de Freguesia de Refojos, Outeiro e Painzela, Leandro Campos; a Dra. Fátima Martins, em representação da Diretora do Centro de Emprego do Médio Ave; bem como o coordenador do Centro Qualifica de Basto, Dr. Belarmino Costa.

Durante a sessão, dois dos diplomados deram o seu testemunho, partilhando com os presentes as suas experiências, bem como as expectativas para o futuro.

No decorrer da sessão usaram da palavra o presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves; o presidente da direção da Mútua de Basto/Norte, Eng. Joaquim Barreto; o presidente da Assembleia Geral da Mútua de Basto Norte, Eng. Carlos Duarte; a representante do Centro de Emprego do Médio Ave, Dra. Fátima Martins; e o coordenador do Centro Qualifica de Basto, Dr. Belarmino Costa.

Todos foram unânimes em destacar a utilidade da aquisição de conhecimentos e competências, tão importantes à valorização profissional e pessoal das pessoas. “Vale sempre a pena investir na formação e na qualificação”, concordaram.

Para além de ser valorizado o empenho de todas as pessoas que concluíram os Processos de RVCC, foram igualmente reconhecido o trabalho dos dirigentes e técnicos do Centro Qualifica de Basto e da Mútua de Basto/Norte na valorização do potencial humano da região.

De salientar que, desde abril de 2016 a setembro de 2019, o Centro Qualifica de Basto teve cerca de 2.000 inscritos e 110 certificados.

ARCOS DE VALDEVEZ REQUALIFICA PALÁCIO DA JUSTIÇA

Concluída a obra da segunda sala de Audiências no Palácio da Justiça de Arcos de Valdevez

Ficaram recentemente concluídas as obras da Reorganização Funcional - Sala de Audiências do Palácio da Justiça de Arcos de Valdevez, levadas a cabo pela Câmara Municipal em articulação com o Tribunal Judicial da Comarca de Viana do Castelo.

sala de audiencias.JPG

Esta obra, realizada pelo valor base de 50.000 Euros, visou a criação de uma segunda sala de audiências e pressupôs a reorganização funcional de um conjunto de espaços, cujo desenvolvimento se prolonga para o piso superior.

Foram criados gabinetes de serviço de apoio e sala de espera e a sala de audiências foi dotada de todas e necessárias infraestruturas ao seu correto funcionamento.

Com esta intervenção o Município pretendeu contribuir para a melhoria da qualidade das instalações e, consequentemente, das condições de funcionamento dos serviços.

Com esta intervenção para criar uma segunda sala de audiências, a Câmara Municipal está a contribuir para aproximar os cidadãos dos serviços de Justiça em Arcos de Valdevez.

sala de audiencias2.JPG

sala de espera.JPG

SOCIALISTAS APRECIAM VINHO ALVARINHO

Partido Socialista reafirma importância da produção de alvarinho e da proteção da natureza no desenvolvimento do Alto Minho

Tiago Brandão Rodrigues afirmou a importância da produção de vinho Alvarinho e que “o País já entendeu que esta sub-região é um território que tem de ser acarinhado e bem tratado”.

psvianalvar (1).JPG

O cabeça de lista do PS pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo às eleições legislativas de 6 de outubro proferiu estas declarações à margem do roteiro que os candidatos socialistas fizeram este sábado pelas vindimas de Melgaço e Monção.

O setor do vinho Alvarinho fatura mais de 40 milhões de euro anuais, com uma taxa média de exportação de 25%, que ultrapassa os 50% nalguns produtores. O sucesso desta sub-região, cuja produção aumentou cerca de 60% desde 2014, com mais de 3 milhões de litros comercializados anualmente e a perspetiva de novos investimentos, é tida como um caso de estudo e uma referência a nível nacional e internacional.

Nesta ocasião, os candidatos socialistas, acompanhados por Manoel Batista, presidente da Câmara Municipal de Melgaço, tiveram a oportunidade de conhecer o projeto do Centro do Conhecimento do Vinho Alvarino, uma parceria entre autarquias, produtores e instituições de ensino superior, nomeadamente o Instituto Politécnico de Viana do Castelo e a Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro, que visa reforçar o cluster do Alvarinho, através da melhoria do conhecimento científico sobre esta casta, da inovação tecnológica e da capacitação de todas as áreas de negócio ligadas ao setor.

A valorização do território foi outro dos temas de destaque do roteiro socialista deste fim-de-semana. Na companhia da campeã de atletismo Manuela Machado, mandatária distrital e de Rui Sousa, um dos mais notáveis ciclistas portugueses e Presidente da União das Freguesias de Barroselas e Carvoeiro, os candidatos socialistas percorreram parte de Ecovia do Litoral Norte no domingo.

Esta ação visou afirmar a importância que o PS atribui à proteção ambiental, promoção da mobilidade suave e à sensibilização para os hábitos de vida saudáveis.

Além do contacto com as pessoas ao longo do percurso foi ocasião para ouvir Ricardo Carvalhido, vereador do Ambiente, Biodiversidade, Ciência, Inovação e Conhecimento da Câmara Municipal de Viana do Castelo a apresentar a Rede de Ciência e Apoio à Investigação e Conhecimento concelhia e o projeto do Geoparque Litoral de Viana do Castelo.

psvianalvar (2).JPG

ARCOS DE VALDEVEZ REÚNE EXECUTIVO MUNICIPAL

REUNIÃO ORDINÁRIA DE 13 DE SETEMBRO DE 2019

     PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA:

  • No período antes da Ordem do Dia o Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, referiu-se à eleição dos Charutos dos Arcos no concurso das 7 Maravilhas Doces de Portugal e agradeceu o apoio a todas as pessoas, aos arcuenses à fantástica CLAQUE, aos comerciantes, associações e entidades parceiras pelo apoio e mobilização em torno da eleição do "CHARUTO DOS ARCOS", uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal.
  • Também foi dada nota da participação da Rainha das Vindimas arcuense, Juliana Rodrigues, da freguesia de Padroso, na eleição da Rainha das Vindimas de Portugal 2019, realizada no Peso da Régua.
  • Também fez referência às festividades em honra da Nossa Senhora da Peneda decorrida de 31 de agosto a 8 de setembro, na Gavieira, Arcos de Valdevez, uma festividade de cariz religioso e cultural, muito procurada a nível local, nacional e internacional.
  • O Sr. Presidente informou das festividades em honra da Senhora da Porta, que decorreriam de 13 a 15 de setembro no largo e na Igreja da Misericórdia;
  • Deu conta do arranque do ano letivo, este ano pela primeira com as obras da Escola Secundária totalmente concluídas.
  • Informou que em outubro se dará início ao processo de candidatura às Bolsas para o Ensino Superior a atribuir pela Câmara Municipal;
  • De igual modo informou que estão concluídas as obras da segunda Sala de Audiências do Palácio da Justiça de Arcos de Valdevez, levadas a cabo pela Câmara Municipal pelo valor base de 50.000 Euros, em parceria com o Ministério da Justiça;

RENOVAÇÃO DE PAVIMENTOS BETUMINOSOS EM VIAS MUNICIPAIS - 2019/2020: foi aprovado o relatório final de adjudicação do procedimento referido em epígrafe, adjudicado à empresa PREDILETHES - Construções, Lda., pelo valor de 326.785,98 euros, sem IVA, bem como a respetiva minuta do contrato (Lote1) , bem como o relatório final de adjudicação do procedimento referido em epígrafe, adjudicado à empresa Martis & Filhos SA, pelo valor de 349 917.85€, sem IVA (Lote2).

transporte de pessoas com deficiência: foi aprovada a renovação do protocolo com a Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez para o apoio ao transporte de pessoas com deficiência, atendendo à necessidade do mesmo para todos os utentes que frequentam o CAO e diariamente necessitam de transporte.

     Através do presente protocolo o Município atribui, à Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez uma verba de 97,60€ diários para o transporte de 14 utentes que frequentam o CAO daquela entidade.

AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS PARA CONTRATAÇÃO DE DOCENTES PARA AS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR - ANO LETIVO 2019/2020: - foi aprovado o relatório final de adjudicação do procedimento referido em epígrafe, adjudicado à empresa Egor Consulting – Desenvolvimento de Pessoas e Negócios, Lda., pelo valor de 44.901,09 euros, sem IVA, bem como a respetiva minuta do contrato.

PARU – PLANO  DE AÇÃO DE REGENERAÇÃO URBANA DE ARCOS DE VALDEVEZ - ALTERAÇÃO: foi aprovada a proposta de alteração ao Plano de Ação de Regeneração Urbana de Arcos de Valdevez, que se traduz numa alteração ao respetivo Programa de Ação, que integra uma nova ação de intervenção “Espaço Valdevez (Em Memória de Félix Alves Pereira).

EDIFÍCIO ESPAÇO VALDEVEZ – REABILITAÇÃO E ALTERAÇÃO FUNCIONAL: foi aprovado o projeto de execução relativo à empreitada de “Edifício Espaço Valdevez – Reabilitação e Alteração Funcional”, com a estimativa orçamental de € 70.501,00.

Aquisição de bens para fornecimento e montagem de equipamentos áudio visuais - Agrupamento de escolas de Arcos de Valdevez: foi aprovado o projeto de decisão de adjudicação do procedimento referido em epígrafe, adjudicado à empresa Beltrão Coelho (Minho) – Sistemas de Escritório, Lda., pelo valor de 17.482,42 euros, sem IVA, bem como a respetiva minuta do contrato.

EXPANSÃO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA A MIRANDA (DEVESINHA, PONTINHA, SOUTELINHO, CENDUFE, CARVALHEIRA): foi aprovado o auto de consignação relativo à empreitada referida em epígrafe, adjudicada à firma Electro de Terra & Pedra – Terraplanagens, Lda., pelo valor de 24.985,59 € e prazo de execução de trinta dias.

Ampliação da rede de saneamento básico - Arcos de Valdevez (S. Paio) - Tramo 2 e 3: foi aprovado o relatório final de adjudicação do procedimento referido em epígrafe, adjudicado à empresa Martins & Filhos, S.A., pelo valor de 118.812,00 euros, sem IVA, bem como a respetiva minuta do contrato.

EXECUÇÃO DA INSTALAÇÃO ELÉTRICA E DE DETEÇÃO DE ALARME CONTRA INCÊNDIO DA PISCINA MUNICIPAL E DA CASA DAS ARTES PARA INDIVIDUALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES DE UTILIZAÇÃO: foi aprovado o auto de consignação relativo à empreitada referida em epígrafe, adjudicada à firma Electro de Agrelos – Montagens Elétricas, Lda., pelo valor de 36.900,00 €, e prazo de execução de trinta dias.

REABILITAÇÃO, CONSTRUÇÃO E BENEFICIAÇÃO DE VIAS MUNICIPAIS - EXECUÇÃO DE TRABALHOS DE DRENAGEM, PAVIMENTAÇÃO E OBRAS ACESSÓRIAS - CABREIRO, COUTO E RIO FRIO: foi aprovado o relatório final de adjudicação do procedimento referido em epígrafe, adjudicado à empresa J. S. Gomes, Lda., pelo valor de 74.406,26 euros, sem IVA, bem como a respetiva minuta do contrato.

Reabilitação de Espaços Urbanos - Requalificação da Rua Félix Alves Pereira: foi aprovado o relatório final de adjudicação do procedimento referido em epígrafe, adjudicado à empresa Martins & Filhos, S.A., pelo valor de 156.065,20 euros, sem IVA, bem como a respetiva minuta do contrato.

Reforço de Pavimento Betuminoso num Troço da EM523 – Vilafonche: foi aprovada a abertura de procedimento concursal pelo preço base de 55.000,00 euros, e prazo contratual de 30 dias;

PROTOCOLO DE APOIO FINANCEIRO À FREGUESIA DE SISTELO – REPROGRAMAÇÃO DE PAGAMENTOS: foi aprovada a proposta da Presidência de alteração da calendarização de pagamento do protocolo celebrado com a junta de freguesia de Sistelo, em 5 de julho de 2019, no sentido de que a prestação no valor de € 10.000,00 seja processada com a prestação prevista para o mês de setembro no montante de € 20.000,00.

Aquisição de viatura nova, de tipo furgão ligeiro de passageiros, de 9 lugares para transporte escolar: foi aprovado atualizar o valor do preço base para 28.000 euros com base na consulta informal já atualizada.

APOIO – RATIFICAÇÃO: foi ratificado o despacho do senhor Vice-Presidente da Câmara e Vereador Substituto da Presidência, a autorizar a transferência do valor de € 7.500,00 para o Atlético dos Arcos – Associação Desportiva, por conta do contrato-programa de desenvolvimento desportivo a celebrar.

CONTRATO DE URBANIZAÇÃO: foi aprovada a minuta do contrato de urbanização, a celebrar com a empresa J.S.Gomes, Lda, prevendo que o pagamento da compensação devida pelo não dimensionamento dos espaços verdes e de equipamentos, da área de 802,50 m2 , no âmbito da operação urbanística a que respeita o processo LE-EDI 117/2018, cujo projeto de arquitetura e licenciamento da operação urbanística, foram aprovados nas reuniões camarárias de 21/12/2018, 10/04/2019 e 19/09/2019, a  que corresponde o montante a pagar de 41 088,00 euros, seja feito através de  compensação em espécie,  com a execução de obras de urbanização, nos termos do disposto no n.º 4 do artigo 44.º do Decreto-lei n.º 555/99, de  16 de dezembro, e suas alterações e do artigo 71.º do Regulamento de Liquidação e Cobrança de Taxas Municipais do Município de Arcos de Valdevez, e de acordo com a deliberação camarária de 19 de julho de 2019. 

OBRAS MUNICIPAIS

PALÁCIO DA JUSTIÇA DE ARCOS DE VALDEVEZ – REORGANIZAÇÃO FUNCIONAL – SALA DE AUDIÊNCIAS: foi aprovada a "substituição do desconto para garantia do contrato, no valor de 4.994,62 euros, por certificado de Seguro Caução n.º CA 003325-00001.

Centro Interpretativo do Barroco/Igreja do Espírito Santo – OBRAS DE REABILITAÇÃO, CONSERVAÇÃO E RESTAURO: foi aprovado o valor da revisão de preços definitiva, no montante de 10.859,26 euros, valor apurado a ser pago ao empreiteiro.

requalificação do campo de rugby – CONSTRUÇÃO DE BALNEÁRIOS: foi aprovada a homologação do auto e a liberação de mais 30 % da caução inicial.

Arquivo Municipal de Arcos de Valdevez - Acervo Histórico: foi a aprovada a homologação do auto e autorizada a liberação de 100% da caução total, por terem decorrido 5 anos completos desde a recção provisória.

Aquisição de equipamentos para o projeto Rochas que Contam Histórias: foi autorizado que o prazo para este procedimento seja reduzido para 90 dias, sendo este comunicado no âmbito do procedimento concursal a decorrer.

REFORÇO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA AO SISTEMA MEZIO A PARTIR DE ERMELO- AUTORIZAÇÃO PARA ASSUNÇÃO DE COMPROMISSOS PLURIANUAIS: foi aprovado solicitar à Assembleia Municipal autorização para a assunção de compromissos plurianuais, ao abrigo das disposições conjugadas do artigo 22º do Decreto-Lei nº 197/99, pontos 8.3.2.2. e 8.3.2.3. do POCAL e artigo 6º, nº 1 alínea c) da LCPA e artigo 12º, nºs 1 e 2 do Decreto-Lei nº 127/2012, relativos ao contrato de empreitada nº 53/2019, - REFORÇO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA AO SISTEMA MEZIO A PARTIR DE ERMELO, celebrado em 19 de julho de 2019, com a sociedade Sebastião da Rocha Barbosa, Lda, com a seguinte repartição de encargos:

     - Para o ano de 2019 – € 338.167,41;

     - Para o ano de 2020 - € 623.131,88.

FAMALICÃO DESENVOLVE PROJETOS DE TURISMO

Tourism Up e Taste Up com oficinas de divulgação em Famalicão

Os Territórios Criativos e o Turismo de Portugal estão novamente em roadshow nacional para apoiar projetos de empreendedorismo no setor do turismo, da gastronomia e do enoturismo, através dos programas de aceleração Tourism UP e Taste UP.

À semelhança do ano passado, o concelho de Vila Nova de Famalicão vai acolher uma das cinquenta oficinas de capacitação e divulgação que vão percorrer o país de norte a sul, nas quais serão apresentados os programas de aceleração e dinamizadas sessões de formação sobre Oportunidades e Tendências no Turismo, Turismo Gastronómico e Enoturismo, e Empreendedorismo e Proposta de Valor.

A sessão no concelho famalicense vai decorrer no próximo dia 24 de setembro, entre as 10h00 e as 12h00, na Casa do Território.

Posteriormente, os projetos selecionados terão a oportunidade de desenvolver os seus negócios através da participação em dois bootcamps, cada um constituído por dois dias de mentoria e formação, nos dias 25 e 26 de outubro e 22 e 23 de novembro. Os programas culminam no dia 5 de dezembro, numa apresentação pública, onde serão selecionados os vencedores.

Os programas disponibilizam 5 mil euros em prémio monetário e 500 euros em SEO (Search Engine Optimization) para o 1.º lugar, 1000 euros para o 2.º lugar e 500 euros para o 3.º lugar.

As inscrições decorrem online em www.territorioscriativos.eu/

ARQUIVO MUNICIPAL DE FAMALICÃO RECORDA CONDE DE ARNOSO

O Arquivo Municipal Alberto Sampaio de Vila Nova de Famalicão acolhe na próxima semana, 19 de setembro, pelas 18h00, uma conferência dedicada ao “Conde Arnoso (1855-1911) a “heroica personificação” da Honra e da Fidelidade” com o orador convidado, o historiador Abel Rodrigues. A entrada é livre.

AFS_8227.jpg

Senhor de finíssimo trato, Bernardo Pindela – assim conhecido até receber a mercê do título de conde de Arnoso, em 1893 – era, também, um intelectual, um cultor das Letras. Dos despojos da Monarquia Portuguesa, persistiu a figura da “heroica personificação da amizade, respeito de fidalgos e de homens de bem, de honra, de valor, de coerência e de fidelidade, lição dos seus contemporâneos e glória da sua raça”, como, um dia, o definiu Ramalho Ortigão.

Abel Rodrigues é licenciado em História (Ramo Científico), Mestre em História Moderna e Contemporânea pela Universidade do Minho. Presentemente, integra o projecto “Vinculum” desenvolvido na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Tem desenvolvido investigação na área dos Arquivos Pessoais e Familiares e, também, em História Moderna e Contemporânea de Portugal.

MONÇÃO OFERECE TRANSPORTE GRATUITO PARA TODOS E OFERTA DE FICHAS DE ATIVIDADES AOS ALUNOS DO 1º, 2º E 3º CICLO (7º ANO)

A entrada no ano letivo 2019/2020 vai custar menos aos bolsos dos monçanenses. O governo alargou até ao 12º ano, a entrega gratuita de manuais escolares. A autarquia garante transporte gratuito a todos e oferece as fichas de atividades do 1º, 2º e 3º Ciclo (7º Ano) aos alunos do ensino público.

educação mais.png

A Câmara Municipal de Monção está apostada em reforçar as condições de funcionalidade e aprendizagem nos estabelecimentos de ensino do Agrupamento de Escolas de Monção, assegurando um conjunto de medidas para implementação no ano letivo 2019/2020.

Além do apoio para a aquisição de material de limpeza e cedência de material escolar aos estabelecimentos de ensino, o Município de Monção vai garantir transporte escolar gratuito a todos os alunos e oferecer as fichas de atividades do 1º, 2º e 3º Ciclo (7º Ano) aos alunos do ensino público.

Além de constituir um importante apoio financeiro para os encarregados de educação, a oferta das fichas de atividades, que acontece pelo segundo ano consecutivo, contribui para a rentabilização da economia local, uma vez que o levantamento das fichas apenas é possível nas papelarias do concelho.

O transporte escolar gratuito abrange todos os patamares de ensino público, havendo a preocupação da autarquia em definir trajetos que permitam aos alunos sair mais tarde e chegar mais cedo a casa. Uma vantagem para quem vive nas zonas mais afastadas da sede do concelho.

Referência ainda para intervenções estruturais no parque escolar do concelho, tendo decorrido trabalhos de beneficiação em vários estabelecimentos de ensino do concelho, visando receber os alunos, professores e auxiliares nas melhores condições de comodidade e funcionamento.

Destaque também para a comparticipação na alimentação dos alunos com escalão, prolongamento de horário com atividades extracurriculares, distribuição de fruta, hortícolas e leite e apoio na frequência do ensino superior público com aprovação de 15 bolsas de estudo para os jovens que frequentam aquele nível de escolaridade.  

Neste capitulo, sublinhe-se ainda o Projeto School4All – Monção, o qual visa desenvolver uma ação concelhia inovadora no combate ao insucesso e abandono escolar precoce, promovendo a igualdade de acesso a um ensino de qualidade. Pretende ainda fortalecer a participação das famílias e da comunidade no desenvolvimento integral dos alunos.

“Apostamos na valorização do ensino público, proporcionando condições adequadas a todos os intervenientes no processo educativo (alunos, professores, auxiliares e encarregados de educação) e garantindo uma verdadeira igualdade de oportunidade para todos” Natália Rocha

ANO LETIVO 2019/2020: MENSAGEM DA VEREADORA DA EDUCAÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE MONÇÃO, NATÁLIA ROCHA

Na qualidade de Vereadora da Educação, dou as boas vindas a toda a comunidade educativa do concelho de Monção, desejando que o ano letivo 2019/2020correspondaaos objetivos do Agrupamento de Escolas de Monção, bem como aos anseios e sonhos dos alunos e encarregados de educação.

natalia Rocha.png

As férias já passaram, iniciando-se agora um ciclo de vida diferente, o qual acarreta algumas mudanças em alunos, professores, auxiliares e encarregados de educação. O quotidiano de cada um de nós altera-se, adaptando-se à realidade escolar com novos horários, responsabilidades e vivências.

Na Câmara Municipal, em constante colaboração com o Agrupamento de Escolas de Monção, procuramos que o regresso às aulas seja feito em total e perfeita normalidade, valorizando o parque escolar concelhio e apoiando as famílias nos transportes, alimentação e material escolar.

O nosso objetivo é colmatar fragilidades e superar adversidades para, em conjunto, construirmos uma escola de qualidade com respostas positivas para todos. Com isso, queremos garantir um projeto educativo alicerçado no respeito, na igualdade, na confiança e na credibilidade.

Deixo uma palavra aospais dos alunos que iniciam agora o seu percurso educativo. Sei que os “pequenos” entram com um nervoso miudinho, a expetativa de uma escola grande, e a ansiedade daquilo que vão encontrar. Quero dizer-vos que, da nossa parte, tudo faremos para que a integração seja a melhor e mais rápida possível.

Enquanto uns vão frequentar o ensino pela primeira vez, outros concluíram o secundário e iniciam uma nova fase de aprendizagem. A quem conseguiu o ingresso no ensino superior, endereço os meus mais sinceros parabéns e desejo que tenham sucesso nos estudos e na sua vida profissional.

A quem não conseguiu “entrar”, quero deixar uma palavra de encorajamento e incentivo para que não desistam. Encarem esta dificuldade como uma motivação e não como um obstáculo. Nunca desistam. A educação é o grande motor do desenvolvimento pessoal e a garantia de um futuro melhor para todos.

Como disse Nélson Mandela, presidente da África do Sul, de 1994 a 1999, e Prémio Nobel da Paz, em 1993, “É através dela (educação) que a filha de um camponês se torna médica, que o filho de um mineiro pode chegar a chefe de mina, que um filho de trabalhadores rurais pode chegar a presidente de uma grande nação”.

Não esqueçam este ensinamento desta voz que inspirou milhares de pessoas e procurem fazer da educação uma ferramenta imprescindível no dia a dia. Além da valorização pessoal e profissional, estarão a contribuir para uma sociedade mais justa, solidária e consciente dos seus deveres e obrigações.

Como referi no inicio, desejo a toda a comunidade educativa um bom ano letivo. Contudo, quero aqui destacar os docentes que ensinam na nossa terra pela primeira vez. Para dizer-lhes que estar em Monção é como estar na sua própria casa, com a sua família.

Somos um povo simpático, aberto, hospitaleiro e atencioso. Não sentirão qualquer dificuldade de adaptação à nossa terra. Dentro de dias, já serão monçanenses e, tenho a certeza, em pouco meses sentirão Monção como a sua terra de adoção.

Para todos,

Um excelente ano letivo 2019/2020.

Natália Rocha

Vereadora da Educação, Juventude e Recursos Humanos

educação mais.png

CERVEIRA APOSTA NA MOBILIDADE

Cerveira adere à Semana Europeia da Mobilidade envolvendo escolas e público em geral

É com ações personalizadas para a comunidade escolar e para o público em geral que Vila Nova de Cerveira se junta, pela primeira vez, à rede de municípios aderentes à Semana Europeia das Mobilidade, que se assinala entre 16 e 22 de setembro. Objetivo da efeméride é suscitar a reflexão sobre a necessidade de mudanças de comportamentos em relação à mobilidade.

Cartaz Mobilidade_2019.jpg

Tendo como tema inspirador “Caminhar e Pedalar em Segurança”, e sob o slogan “Caminha Connosco”, os cidadãos europeus têm a oportunidade de gozar uma semana inteira dedicada à mobilidade sustentável, contribuindo para a qualidade ambiental das cidades.

Apesar de, ao longo dos anos, já incorporar algumas medidas com vista à criação de novas formas de mobilidade e de novos corredores ecológicos no concelho, é a primeira vez que o Município Cerveirense adere a esta campanha oficial a nível europeu, com iniciativas para a comunidade escolar e outras para o público em geral.

Está prevista a realização de ações de segurança rodoviária dirigidas a 170 crianças (1º e 7º anos) do Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cerveira e que visam ensinar a “caminhar e pedalar” em segurança; e na sexta-feira, dia 20 de setembro, os cerveirenses são convidados a conhecer in loco o percurso da Rede Ciclável Urbana, com cerca de 1,5 quilómetros que fará a ligação entre o Fórum Cultural e a estação de comboios, um projeto integrado na estratégia da Mobilidade Suave de Vila Nova de Cerveira, desenvolvido pelo CI-ESG\ Centro de Investigação da Escola Superior Gallaecia. O ponto de encontro será às 11h00, junto ao Fórum Cultural de Cerveira.

A adesão de Vila Nova de Cerveira à Semana Europeia da Mobilidade culmina no domingo, dia 22 de setembro, com o Dia Europeu Sem Carros, durante o qual o acesso ao Terreiro estará interdito, uma prática recorrente aos fins-de-semana, de forma a proporcionar a residentes e visitantes um desfrutar total do centro histórico num ambiente mais saudável e agradável.

A Campanha Nacional da Semana Europeia da Mobilidade  partilha os objetivos europeus para a recuperação da qualidade ambiental das cidades do Velho Continente, nomeadamente encorajar o desenvolvimento de comportamentos compatíveis com o desenvolvimento sustentável e, em particular, com a proteção da qualidade do ar, com a mitigação do aquecimento global e com a redução do ruído; consciencializar os cidadãos para os efeitos que a sua escolha de um modo de transporte, terão na qualidade do ambiente; proporcionar aos cidadãos oportunidades para se deslocarem a pé, utilizarem a bicicleta e os transportes públicos, em vez do automóvel privado e ainda, promover a intermodalidade; e disponibilizar aos cidadãos uma oportunidade para redescobrirem a sua cidade ou vila, os seus habitantes e o seu património, num ambiente mais saudável e agradável.

BARCELOS RECEBE CICLO DE CONCERTOS

“triciclo” regressa com três meses de música em Barcelos

O ciclo de concertos “triciclo” está de volta para mais três meses de programação transversal, a decorrer entre outubro e dezembro, e que conta com o Conjunto Corona, Krake + Adolfo Luxúria Canibal e Ruído Vário.

triciclo_cartaz.png

Este ciclo itinerante de concertos, promovido pelo Município de Barcelos, volta a contar com a componente de “serviço educativo”, bem como showcases e workshops surpresa e inicia no dia 5 de outubro com o trio punk Deaf Kids. A banda de São Paulo regressa a Portugal e traz uma sonoridade psicadélica e pesada à blackbox do Teatro Gil Vicente. Para terminar o mês, no dia 30 de outubro, Adolfo Luxúria Canibal junta-se a Krake para repetir um espetáculo que foi criado e apresentado para o Zigurfest deste ano. O vocalista dos míticos Mão Morta e o baterista barcelense vão apresentar um espetáculo experimental e ainda desconhecido para o grande público, mas com o selo de qualidade que os dois músicos carimbam em cada projeto que integram.

O ciclo musical prossegue no dia 9 de novembro com os portuenses Conjunto Corona e os barcelenses Solar Corona. Uma noite entre o hip-hop e o stoner rock que acontece na sede do Gil Vicente FC. O Teatro Gil Vicente vai receber os belgas Slumberland, liderados pelo cineasta e músico Jochem Baelus, a 21 de novembro. Secadores de cabelo, agulhas de tricô, câmaras super 8 ou máquinas de costura são alguns dos instrumentos improváveis utilizados pelos Slumberland.

No último mês de programação, o "triciclo" vai juntar O Gringo Sou Eu e a escola de música da Banda Musical de Oliveira. O músico brasileiro vai preparar um espetáculo original com os jovens alunos desta banda com mais de duzentos anos existência nascida na freguesia de Oliveira, em Barcelos. Esta iniciativa insere-se no projeto de Serviço Educativo do triciclo, que tem como objetivo a aproximação de comunidades, assim como a formação pessoal e artística de jovens locais. A apresentação ao vivo decorre a 14 de dezembro, no Theatro Gil Vicente.

O encerramento fica a cargo de Ruído Vário, projeto de Ana Deus e Luca Argel que aborda a obra de Fernando Pessoa. O espetáculo foi criado a convite da Casa Fernando Pessoa em 2017 e vai ser apresentado na Biblioteca Municipal de Barcelos, a 21 de dezembro.

Os bilhetes estão disponíveis no Theatro Gil Vicente e em www.bol.pt.

OldCare FAMALICÃO REALIZA RASTREIO GRATUITO DE ALZHEIMER

Dia mundial da doença é assinalado a 21 de setembro

A Clínica Oldcare vai organizar um rastreio gratuito da doença de Alzheimer, todas as manhãs desta semana, nas suas instalações, na Rua Ernesto de Carvalho, Edifício Turim, loja 9, na cidade de Vila Nova de Famalicão.

Clínica Oldcare _ Rua Ernesto Carvalho _ VNF.jpg

O rastreio é uma forma de a Oldcare sensibilizar a comunidade famalicense para esta doença do foro neurológico, aproveitando para o efeito o facto de o próximo sábado, 21 de setembro, ser o Dia Mundial da Doença de Alzheimer. O nome da doença deriva do médico alemão Alois Alzheimer que, em 1907, a identificou.

A Clínica OldCare dispõe de equipas multidisciplinares que atuam na prevenção e na prestação de cuidados de saúde em enfermidades como o Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas relacionadas com a demência. “O nosso objetivo é colaborar para um envelhecimento o mais saudável possível, acrescentando qualidade aos anos de vida”, explica Susana Dias, gerontóloga e diretora-geral da OldCare.

A OldCare dispõe de uma equipa experiente e especializada que vai aos domicílios prestar cuidados personalizados às pessoas que precisam de assistência, seja de forma temporária ou permanente.

Não foi ainda descoberta a cura para o Alzheimer ou outras doenças neurodegenerativas. Mas os tratamentos, feitos com recurso a terapias e fármacos, ajudam a atenuar os sintomas e a atrasar a progressão da doença, melhorando a qualidade de vida do doente.

“As terapias são de fundamental importância”, refere Susana Dias, salientando recursos como estimulação cognitiva e fisioterapia, que “ajudam a preservar a memória, mantêm o paciente ativo, colaboram para a sua autonomia e autoestima, sendo de grande ajuda para a reabilitação”.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Alzheimer é responsável por 60% a 70% dos casos de demência – grupo de doenças neurodegenerativas que causam a perda de habilidades intelectuais e sociais.

Portugal é o quatro país do mundo com maior incidência da doença. A estimativa é que existam cerca de 60 mil portugueses com a doença de Alzheimer. Estima-se que há 35,6 milhões de pessoas com doença de Alzheimer no mundo, e que este número irá duplicar até 2030.

LIVRO DE ALEXANDRA PEREIRA DE CASTRO

Resgatar bracarenses do breu da ingratidão

  • Costa Guimarães

O Hotel do Elevador, no Bom Jesus do Monte, acolheu hoje à tarde a apresentação do novo livro de Alexandra Pereira de Castro que se assume como um gesto de homenagem a “Grandes vultos de Braga dos séculos XVIII e XIX” que se libertam do breu da ingratidão e  a “cidade desamou”.

IMG_2226.JPG

A sessão, promovida pela Confraria do Bom Jesus do Monte, decorreu  numa sala Cónego José Marques, repleta de amigos e convidados e enriqueceu a celebração deste Património Cultural da UNESCO.

Trata-se de uma obra com mais de 250 páginas que evoca a vida e obra de Manuel Rebello da Costa, grande benfeitor do Bom Jesus, e de outros bracarenses que se libertaram da lei da morte através de obras valerosas: D. Jerónimo José da Costa Rebello, Bispo do Porto, e os Comendadores Joaquim José da Costa Rebello, Barão da Gramoza, e José Narcizo da Costa Rebello, Cónego de Braga.

Braga tem uma grande dívida de gratidão para com estes benfeitores” que foram monárquicos liberais, proprietários abastados mas solidários com inúmeras instituições da Cidade dos Arcebispos — acentuou a autora da obra

IMG_2199.JPG

Na sala podiam-ver-se o Reitor da Basílica dos Congregados, Paulo Terroso, o director adjunto do Colégio Dom Diogo de Sousa, AntónioAraújo, o ex-ministro da Economia, Manuel Braga da Cruz, a mãe e irmã da autora, César Valença, ex-director do Museu Nogueira da Silva, Luís Costa, director do Lar D. Pedro V, e Varico Pereira, vice-presidente da Confraria do Bom Jesus do Monte, a quem coube a  tarefa de apresentar o livro e a autora.

Quanto ao livro, Varico Pereira definiu-o como “um tributo aos benfeitores e antepassados que foram membros da Confraria do Bom Jesus do Monte, o que constitui um motivo de inspiração para o futuro”.

O Vice-presidente da Confraria destacou o “eminente relevo desta obra para os bracarenses, para a nossa Confraria e para Braga”, enquanto a autora agradeceu a oportunidade dada pela Confraria do Bom Jesus para acolher a apresentação deste livro, ganhando mais relevo porque foi escrito antes da Declaração do Bom Jesus do Monte como património da UNESCO. Recorde-se que o Hotel Elevador era um antigo quartel destinado a acolher os romeiros do Bom Jesus.

Depois, Alexandra Pereira de Castro apresentou uma síntese da sua obra que é mais um esforço para trazer o passado ao presente e fazer com que os  antepassados estejam connosco, numa tentativa de falar antecipadamente do futuro — parafraseando o Padre António Vieira.

IMG_2211.JPG

Com uma bela encadernação, a obra tem o valor inexcedível de reproduzir a cores dezenas de fotos que estavam escondidas em arquivos particulares e de instituições, às quais acresce a numerosa e vária documentação que confere a este trabalho um rigor científico inquestionável pelos críticos mais eruditos. Foi um esforço para que os bracarenses não conheçam estes seus antepassados “apenas de retrato” mas os conheçam “de verdade” como se o sangue deles bulisse no sangue bracarense.

O prefácio do livro é da autoria de Artur Anselmo Pereira de Castro faz-nos viajar a um tempo em que duas facções que, “além de se digladiarem, ultrapassavam pelo ódio mútuo a civilidade e a tolerância”, em que o “esbulho dos bens, a prisão, o assassinato, a convocação da turba para por e depor eminências políticas, o exílio dos sucessivos derrotados, satisfaziam à época, o ideal do domínio e da vingança” (cf. pág. 13).

É neste tempo, da rainha D. Maria II, que se verifica a ascensão de três grandes vultos e irmãos, D. Jerónimo, Bispo do Porto, Barão da Gramoza e Cónego José Narciso da Costa Rebello, cuja vida o prefaciador resume, lembrando que na génese destes três grandes vultos se encontra Manuel Rebelo da Costa, que “foi tão só o segundo benfeitor e zelador do Santuário do Bom Jesus do Monte, nascido ainda no século XVII e falecido no século seguinte” (cf. p. 16) porque o primeiro foi o Arcebispo D. Rodrigo de Moura Telles.

A ele se deve um vasto conjunto de obras naquele Santuário e assim se “compreende o carinho e orgulho da Autora no destapar do esquecimento de tão relevantes antepassados, benfeitores, religiosos, políticos e escritores que a cidade de Braga desamou mas que deixaram obras e benemerência que se estendem muito para além da memória menos grata da cidade” (cf. p.17).

Esta é mais uma obra de historiografia da genealogista bracarense e Membro da Academia de Letras e Artes de Portugal,  Alexandra Maria Ferreira Braga de Sousa Louro Pereira de Castro que, nos últimos sete anos ofereceu aos bracarenses as obras “História e Genealogia Familiar — Famílias Convergentes do Visconde de Vila Nova de Famalicão” (2012), “Memorial do Cemitério de Monte d'Arcos de Braga — Arte Tumular e seus eméritos” (2016), “Jerónimo de Sousa Louro — In Memoriam — e o Monumento de S. Frutuoso de Montélios” (2018).

Alexandra Pereira de Castro não esconde que esta investigação apresenta um tronco da sua família que não “estava totalmente estudado e que passa agora a estar reunido numa só publicação” e resulta da sua dedicação à Genealogia.

Nesse trabalho, a autora descobriu que, no século XVIII, um seu antepassado “foi uma figura respeitada e importante nesta cidade de Braga, não só por ser um abastado proprietário, mas também por ter sido o segundo maior benfeitor do Bom Jesus do Monte”. Foi um “tesouro encontrado que me deixou emocionada e orgulhosa” — assegura a autora, na página 20.

Trata-se de Manuel Rebello da Costa, um dos grandes temas deste livro, que, apesar de ter tido “dezoito filhos também teve a infelicidade de ver falecer prematuramente nove deles e os outros nove seguiram a vida religiosa”, pelo que a descendência deste rico ramo não foi devidamente assegurada.

O livro abre com um capítulo dedicado ao tronco comum da família bracarense descendente de Manuel Pinto e de D. Antónia Costa, onde se incluem os nomes que dão corpulência ao livro: Manuel Rebello da Costa, D. Jerónimo José da Costa Rebello (Bispo do Porto), Comendador Joaquim José da Costa Rebello (Barão da Gramoza), Comendador José Narcizo da Costa Rebello (Cónego de Braga), António José Pinto da Costa Rebello (1.º Visconde da Gramoza), Joaquim Augusto Pinto da Costa Rebello (2.º Visconde da Gramoza), Joaquim Guilherme da Costa Rebello Cunha Reis (3.º Visconde da Gramoza), D. Maria Adelaide Justina da Costa Rebello Cunha Reis (Senhora da Casa das Goladas), Dr. César da Costa Araújo Valença (Senhor da Casa da Sarola de Baixo) e a autora, Alexandra Maria Ferreira Braga de Sousa Louro Pereira de Castro, proprietária da Casa de Juste (Santa Lucrécia de Algeriz) e co-herdeira da Casa de Galvão (Melgaço).

Os capítulos seguintes são dedicados aos “grandes vultos bracarenses”, sempre bem documentados os aspectos pessoais, profissionais, testamentários e solidários de cada um deles, sem cortes e bem contextualizados.

Alexandra Pereira de Castro pretendeu apenas “relembrar filhos de Braga”, sem manifestar alguma pena “que a cidade  não os valorizou e esqueceu”. Deu exemplo de uma cidade brasileira, Tiradentes, perto de S. Paulo, onde existe uma rua com o nome do Barão da Gramoza, enquanto em Braga nada existe, apesar de ser verdade que, “sem eles, a História de Braga e desta Confraria não ficaria completa”.

IMG_2228.JPG

ESCRITOR, BISPO E COMBATENTES

Nesta sequência são lembrados os filhos de Manuel Rebello da Costa, como é o caso de José Rebello da Costa, Cónego secular que se notabilizou na escrita e insubstituível para conhecer a História do Porto e da Região de Entre Douro e Minho, no século XVIII, ou avó e mãe da autora.

A vida e obra de D. Jerónimo José da Costa Rebelo, Bispo do Porto, está espectacularmente documentada em 52 páginas com documentos e fotos que nos elucidam sobre os tempos difíceis que se viveram no século XIX.

Ficamos a saber que a escadaria da Capela de Guadalupe  — “Água de Lupe, sítio mais lindo de Braga” — foi custeada pelo 1.º Barão da Gramoza, Comendador José Joaquim da Costa Rebello, nascido em finais do séc. XVIII, tornando-se um abastado proprietário, capitalista e fidalgo Cavaleiro da Casa Real. Morava numa casa do Campo de Sant'Ana (hoje Avenida Central), antigo hospício dos Religiosos Capuchos de S. Frutuoso e foi Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Braga e ocupou o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Braga, em 1846. É um dos beneméritos do Bom Jesus do Monte e da Ordem Terceira de S. Francisco (cf. p. 157) mas o seu testamento é a prova eloquente da sua generosidade com inúmeras instituições, familiares e amigos (cf. pp. 160-167).

Dotado de uma personalidade de combate, surge-nos o Comendador José Narcizo da Costa Rebello, cónego da Sé de Braga, nascido em 1791, merecedor do tratamento de “Senhoria” pelo Rei D. João VI, mas nem isso evitou ter sido preso político, passando vinte dias na Cadeia do Aljube do Porto, em 1830. Em 25 de Agosto “foi absolvido por não haver prova necessária para a condenação” (cf. p. 175).

Foi nomeado Cónego da Sé de Braga em 1826 mas teve a Oposição de outros capitulares que lhe negaram a posse. O Arcebispo teve apresentar queixa ao Rei que censurou e obrigou os capitulares opositores a darem-lhe posse. O testamento mostra a sua grandeza de alma, sendo singular a disposição de doar três mil cruzados para a Câmara Municipal de Braga construir uma estátua a D. Pedro V, na Alameda de Sant'Ana (cf. pp. 193-207).

Estranhamente, em 1913, a Câmara Municipal de Braga “desrespeitou o testamento e transferiu a estátua para o Campo Mouzinho de Albuquerque” — sustentou Alexandra Pereira de Castro, antes de uma animada sessão de autógrafos.

As páginas finais — coroadas com índice onomástico — são dedicadas à família de Costa Rebelo da Cunha Reis, a partir do Coronel Caetano Maria da Cunha Reis, filho do Senhor da Casa Grande do Campo das Hortas e das Casas de Alvação e Torre de Alvite, em Cabeceiras de Basto, sempre na perspectiva de olhar para a posteridade, inspirada na experiência dos seus antepassados.

IMG_2241.JPG

QUEM É A AUTORA?

Monárquica assumida, Alexandra Maria Ferreira Braga de Sousa Louro Pereira de Castro, nasceu em S. João do Souto, Braga, em Outubro de 1963.

Esta investigadora na área da Genealogia, é Dama de Mérito da Sacra e Militar Ordem Constantiniana de S. Jorge e membro da Associação da Nobreza Histórica de Portugal e da Academia Portuguesa de Ex-Libris, sendo Delegada no Minho desta Academia.

É também membro da Associação Portuguesa de Genealogia, do Instituto Português de Heráldica, da Academia de Letras e Artes de Portugal e “Academico d'Onore” da Real Academia Sancti Ambrosii Martyris de Itália.

No seu curriculum consta ainda a filiação no Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (Brasil), e Confraria dos Vinhos Verdes. Nos últimos sete anos, brindou os bracarenses e amantes de temas históricos com quatro livros.

IMG_2245 (1).JPG

VILA VERDE: DESFOLHADA EM PARADA DE GATIM FOI UM VER SE TE AVIAS...

A vontade era tanta que o milho ‘evaporou’ na desfolhada minhota de Parada de Gatim

O recinto estava repleto de canas de milho e dava a sensação de que a tarefa seria demorada. Dos mais novos aos mais velhos, os populares juntaram-se em círculo e meteram mãos ao trabalho para remover as desejadas espigas. A vontade era tanta que, vinte minutos depois, o milho já tinha ‘’evaporado. Com muita animação, alegria e música popular à mistura, o evento levou as pessoas a reviverem uma tradição local. No final, não faltaram ‘comes e bebes’ no Lugar da Igreja, em Parada de Gatim, para recuperar forças e fortalecer o convívio entre o público. A Desfolhada Minhota decorreu ao início da noite de ontem, 14 de setembro. Foi organizada pela Junta de Freguesia de Parada de Gatim, e integrou a programação Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde.

A (2)gatimp.jpg

Natural da freguesia de Parada de Gatim, Francisco Rodrigues é um ‘velho conhecido’ da arte de desfolhar. “Da sementeira à desfolhada são, em média, uns quatro meses”, afirmou. Semeia-se em maio e colhe-se por volta de setembro/outubro, “dependendo do ciclo do milho”.  Experiente nestas andanças, confirmou que a recriação decorreu “de acordo com os tempos antigos” em que as pessoas se juntavam em círculo para desfolhar o milho, ao som de muitas cantigas para alegrar a festa. Para além de “educar as crianças”, a desfolhada também permitiu reviver velhas memórias. “Lembro-me que, em 1974, eu estava cá de férias da guerra do Ultramar e assisti a 13 desfolhadas”, contou Francisco Rodrigues.

Cultura da desfolhada enraizada em Parada de Gatim

Aos poucos, o recinto começou a encher e compôs-se uma bela moldura humana no Lugar da Igreja. José Dantas estava na plateia e saiu da desfolhada satisfeito: “Foi bonito, gostei do que vi. Acho muito bom para a freguesia e para a nossa cultura podermos reviver estas tradições”. Natural de Parada de Gatim, tem a cultura do milho bem enraizada. “Nos tempos em que era mais jovem, vi os meus pais a desfolhar muito milho e a fazer muitas copas de milho”, disse José Dantas, acrescentando que é “importante manter [a tradição] nos mais novos, que não viveram esses tempos”.

“Vontade de desfolhar” fez o milho desaparecer em 20 minutos

Quem também saiu contente do evento foi o presidente da Junta de Freguesia de Parada de Gatim.  “Estamos contentes com a iniciativa, correu muito bem”, afirmou Pedro Rodrigues, visivelmente satisfeito com a participação popular. “Sinto que as pessoas gostaram e notei um certo entusiasmo e vontade em desfolhar, tanto que o milho desapareceu ao fim de 20 minutos”, referiu. No final da desfolhada, houve uma merenda para recuperar energias e fomentar o convívio. A festa seguiu noite dentro com a animação da música popular e houve mesmo quem não resistisse a um pezinho de dança.

Atualmente, “não se fazem desfolhadas com tanta frequência como há 10 ou 15 anos atrás”, frisou Pedro Rodrigues. Contudo, o presidente da Junta não esconde o orgulho em poder “recordar e relembrar tradições típicas de Parada de Gatim e educar os mais novos sobre a cultura da freguesia”. No final das contas, o balanço é positivo. “As pessoas divertiram-se e passaram bons momentos”, frisou o autarca, acrescentando que “Parada de Gatim deu o seu contributo com o cunho daquilo que é a freguesia – uma terra de desfolhadores”.

A (1)gatimp.jpg

BRAGA PROMOVE-SE NA SUÍÇA

Município participa em prestigiada feira de Lausanne

Braga está a participar na Comptoir Helvetique, uma prestigiada feira de negócios e turismo, que se realiza de 13 a 22 de setembro, em Lausanne, na Suíça. Portugal é o país convidado desta edição e o seu pavilhão foi organizado pela Câmara de Comércio de Indústria e Serviços Suíça-Portugal, que convidou o município de Braga a estar presente com um espaço próprio.O Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, foi um dos convidados da inauguração, tendo destacado que "a Suíça é um país muito interessante para a nossa cidade em várias dimensões e foi esse o motivo que nos levou a participar nesta relevante feira de turismo e negócios ". Além da grande comunidade portuguesa que reside na Suíça e particularmente nesta região francófona, é de destacar o seu potencial económico e tecnológico, que pode ser de grande importância para o nosso país e que motivou esta visita de dois dias do autarca Bracarense a Lausanne, que foi acompanhado por Gary Heath, Diretor Executivo para a Inovação do INL.

Image-1brsuiç.jpg

A participação de Braga nesta feira tem dois importantes objetivos e que estão espelhados nos conteúdos em exposição. Em primeiro lugar, divulgar toda a oferta turística que a cidade tem para oferecer, numa altura em que "Braga vive um momento de grande euforia, com dois acontecimentos de grande impulso turístico: o mais relevante, a elevação do Bom Jesus a Património da Humanidade da UNESCO, mas também a escolha como Segundo Melhor Destino Turístico Europeu", realçou Rio. A outra dimensão é a dinamização económica e a promoção de Braga como centro atractivo para a captação de investimento. "Além de toda a informação sobre as vantagens económicas que temos para oferecer através da Invest Braga e Startup Braga, temos também um espaço do INL, pois é importante demonstrar todo o potencial tecnológico da cidade. Aliás, o INL tem sido fundamental neste início de relações com a Suíça e a sua presença nesta feira vai reforçar esta dinâmica que está a ser criada. Braga representa o Portugal de futuro, que é moderno, empreendedor, inovador e tecnológico e é isso que estamos a aqui promover em Lausanne", destacou o autarca Bracarense. Ricardo Rio disse ainda que a participação nesta feira inclui-se num esforço mais vasto, pois "estamos a criar uma relação especial entre Braga e Lausanne e esta presença aqui vai reforçar as nossas intenções". Nesta feira está também uma empresa de Braga, o Grupo Bernardo da Costa, que tem um espaço de exposição próprio e que está a apostar no mercado suíço.

Nesta inauguração participaram ainda o Embaixador de Portugal na Suica, António Ricoca Freire, bem como diversas autoridades Suíças, como o ministro das Finanças do Cantão de Vaud, Pascal Brollis, do presidente da Câmara Municipal de Lausanne, Gregoire Junod, da deputada federal Ada Marra ou da presidente da Câmara de Comércio e Indústria e Serviços Suíça-Portugal, Marina Prevost.

BRAGA E LAUSANNE (SUIÇA) DE MÃOS DADAS NA INOVAÇÃO E NO DESPORTO

“Foram fatores pessoais, institucionais, científicos, económicos e desportivos que impulsionaram o estabelecimento de um novo patamar de cooperação entre as cidades de Braga e Lausanne, para o qual auguramos um enorme sucesso no futuro próximo” – Foi assim que o Presidente da Câmara Municipal de Braga explicou a abertura das duas importantes cidades de Portugal e da Suíça para a implementação de projetos futuros conjuntos, tendentes a afirmar ambos os territórios entre os espaços mais inovadores no contexto europeu.

69765721_1398715093618429_7574068813818232832_n.jpg

As declarações de Ricardo Rio foram produzidas após um encontro com o seu homólogo de Lausanne, Grégoire Junod, na qual participaram também a Presidente da Câmara de Comércio de Indústria e Serviços Suíça-Portugal, Marina-Prévost Mürier, e o Diretor Executivo para a Inovação do INL – Laboratório Internacional de Nanotecnologia, Gary Heath.

No Cantão de Vaud, que integra a cidade de Lausanne, a comunidade portuguesa representa quase 13% da população, entre os quais muitos cidadãos com fortes ligações a Braga e a esta Região. 

Por sua vez, o INL tem em curso diversos projetos de parceria com a prestigiada EPFL – Escola Politécnica Federal de Lausanne, uma das instituições de ensino superior mais prestigiadas à escala global nas áreas das ciências e da tecnologia, com uma comunidade académica que agrega mais de 120 nacionalidades.

Um exemplo destas parcerias foi o acordo recentemente celebrado entre o INL e a empresa suíça IPROVA que passou a juntar Braga (e o INL) às suas anteriores localizações em Londres, Cambridge, Califórnia e Tóquio, desde o passado mês de Julho, com visto ao desenvolvimento de projetos na área da inteligência artificial e “machine-learning”.

O objetivo do INL e da Câmara Municipal de Braga é alargar este tipo de parcerias a outras empresas e startups suíças, trazendo também fundos de capital de risco para investir em startups de Braga ou do ecossistema da Startup Braga.

Na conversa entre Rio e Junod ficou também assumido o empenho de ambos em estabelecer ligações entre o polo de inovação de Lausanne na área do desporto, para que muito contribui o seu estatuto de cidade-sede do Comité Olímpico Internacional e de diversas Federações, com projetos de empreendedorismo na área do deporto e saúde a desenvolver na cidade de Braga.

Nesta deslocação a Lausanne, Ricardo Rio teve também oportunidade de contatar com diversos membros da comunidade portuguesa, entre os quais os luso-eleitos Sandra Pernet e José Martinho. 

A breve trecho, a visita será retribuída por diversos responsáveis do Município de Lausanne e da EPFL a Braga.