Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO TEM GENTE NOVA!

Presidente da Câmara entregou mais 13 apoios à natalidade

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, entregou ontem à tarde, dia 17 de julho, mais 13 apoios de incentivo à natalidade no Salão Nobre do edifício dos Paços do Concelho, num total de 6.500 euros.

Presidente da Câmara entregou mais 13 apoios à natalidade.JPG

Acompanharam o presidente da Câmara nesta cerimónia vereadores e presidentes de Juntas de Freguesia.

O incentivo à natalidade traduz-se num apoio financeiro no valor de 500 euros, sempre que ocorra o nascimento ou a adoção de uma criança. A verba de 250 euros é entregue de imediato e os restantes 250 euros serão entregues mediante a apresentação de documentos de despesa realizada com os bebés.

Este apoio surge em consequência da crescente intervenção do município no âmbito das políticas de ação social com vista à melhoria das condições de vida dos estratos sociais mais carenciados ou dependentes, fomento à natalidade e à fixação da população.

PONTE DE LIMA PARTICIPOU NO CONGRESSO EUROPEU DE ENOTURISMO

Município de Ponte de Lima no Congresso Europeu de Enoturismo “Cultura, Património e Vinho”

O Município de Ponte de lima foi convidado a participar no Congresso Europeu de Enoturismo que decorreu nos dias 27 e 28 de junho, em Torres Vedras.

65198065_605148136661870_4957946505169207296_n.jpg

O congresso, organizado pela Associação Internacional do Enoturismo - AENOTUR, contou com a participantes oriundos de Portugal, Itália, Espanha e Brasil.

O Município de Ponte de Lima é, atualmente, a primeira e única sede em Portugal do Itinerário Cultural do Conselho de Europa – ITER VITIS – Os Caminhos da Vinha. Por essa razão, coube-lhe a apresentação das ações estratégicas que estão a ser planeadas no âmbito desse projeto e que pretendem afirmar o enoturismo como uma prioridade para o desenvolvimento turístico sustentável a nível local.

Durante o evento foi ainda dado a conhecer a alteração da designação da Associação Internacional do Enoturismo – AENOTUR para Associação Mundial de Enoturismo – AMETUR, cuja presidência, até então a cargo de Ivane Fávero (Brasil), passou para José Arruda (Portugal).

BARCELOS APOIA ESTUDANTES

Câmara Municipal de Barcelos comparticipa fichas de trabalho dos alunos do 1.º ciclo 

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou a comparticipação das fichas de trabalho de Língua Portuguesa, Matemática e Estudo do Meio aos alunos do 1.º ciclo (1.º ao 4.º ano de escolaridade) das escolas do concelho, para o ano letivo 2019/2020. Esta medida tem um valor estimado de 100 mil euros e insere-se nas prioridades do executivo municipal na ajuda às famílias no âmbito da educação.

CapturarBBARC.PNG

Para usufruir deste apoio, os encarregados de educação deverão levantar uma credencial no Agrupamento de Escolas respetivo, emitida pelo Município e, na posse desse documento, poderão levantar os materiais em qualquer livraria que, por sua vez, enviará ao Município as credenciais recebidas acompanhadas de fatura para serem pagas.

Ainda no âmbito da educação, o executivo municipal aprovou um subsídio no valor de 2.500,00€ ao Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes como comparticipação nas atividades das comemorações dos 50 anos desta escola.

Na área social, foram aprovadas vários apoios e parcerias, entre os quais: um contrato de comparticipação com o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), tendo em vista a atribuição de uma comparticipação financeira ao Município de Barcelos (no valor de 23.616€) para custear a aquisição de uma prestação de serviços de acompanhamento técnico, no âmbito do Programa de Apoio ao Acesso à Habitação; um acordo de colaboração com a Associação de Pais e Amigos das Crianças (APAC) destinado a estabelecer as condições de utilização gratuita das piscinas municipais na época de verão por parte das crianças daquela instituição; um acordo de colaboração com o Centro Social de Aguiar, que conta com uma comparticipação financeira de 5 mil euros e que tem em vista a realização de atividades de promoção gradual da autonomia pessoal e social da pessoa idosa, bem como um trabalho comunitário de intervenção e dinamização social e que conta; um acordo de colaboração com a Sopro – Organização Não Governamental de Solidariedade e Promoção, para a concretização do plano de atividades desta entidade e que inclui uma comparticipação financeira do Município no valor de 10 mil euros; um acordo de colaboração com a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens, tendo em vista a afetação de meios humanos por parte do Município (disponibilização de um elemento técnico mediante à CPCJ de Barcelos) mediante comparticipação financeira da Comissão.

Ainda na área social foram aprovadas as seguintes propostas: a atribuição de um subsídio à Associação Social, Cultural e Recreativa de Chorente, no valor de 15.000,00€, para comparticipar nas despesas inerentes à sua atividade; a aquisição de serviço de transporte para o IPO do Porto, no âmbito do programa de rastreio do cancro da mama; o apoio à renda a 13 agregados familiares.

A destacar também nas restantes deliberações, a atribuição de um subsídio à Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz, no valor de 5.500,00€, destinado a comparticipar na realização dos tapetes de flores naturais; a atribuição de um subsídio, no valor de 1.000,00€, à Paróquia de Santa Maria Maior, como comparticipação nas atividades da equipa sócio-caritativa; a oferta de um galo de grandes dimensões à comunidade barcelense residente da cidade de Toronto, Canadá.

FUNDAÇÃO ANTÓNIO JOAQUIM GOMES DA CUNHA DINAMIZA PLANO DE CAPACITAÇÃO NO ÂMBITO DO PROGRAMA PORTUGAL INOVAÇÃO SOCIAL

A Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, com o apoio da Junta de Freguesia de Cabeceiras de Basto, irá dinamizar um Plano de Capacitação para criação de um Ginásio Terapêutico de Reabilitação, com Terapias Holísticas e Medicinais. Esta iniciativa conta com o apoio do Programa Portugal Inovação Social, POISE, Portugal 2020 e União Europeia (Fundo Social Europeu).

20190510_152959 (1).jpg

Com a implementação do Plano de Capacitação pretende-se dar resposta a um problema social, em concreto o desemprego e as dificuldades de inserção em pessoas com deficiência/incapacidade seja ela física, deficiência mental, de duplo diagnóstico (deficiência mental associada à doença mental) e outras do foro mental, com maior impacto social e melhor custo de oportunidade dos recursos utilizados. Pretende-se, ainda, melhorar as competências organizativas e de gestão da Fundação, necessárias ao desenvolvimento do Ginásio Terapêutico, colmatando lacunas e preparando a Iniciativa para atrair e aplicar investimento social.

A inserção deste publico alvo, acima referido, será concretizável através de formação ao nível pessoal, social e profissional, de forma a serem integrados na vida ativa, através de Medidas de Reabilitação e Inserção do IEFP, que constitui também um dos desideratos do projeto em questão.

Neste enquadramento, através de uma intervenção estruturada e multidisciplinar, pretende-se alavancar a criação de valor partilhado, com o apoio do investidor social, promovendo a avaliação do impacto social, como condição para o investimento.

O Plano de Capacitação é composto por cinco etapas: realização de uma análise económica do modelo de negócio do Ginásio Terapêutico; desenho de uma análise estratégica; definição de um plano de comunicação; realização de ações de formação para capacitação dos recursos humanos e elaboração de um sistema de informação.

Estas fases antecedem a criação do Ginásio Terapêutico de Reabilitação, com Terapias Holísticas e Medicinais, sendo que a constituição desta Iniciativa dependerá dos resultados obtidos ao longo do Plano de Capacitação.

FEIRA MEDIEVAL DE CAMINHA REALIZA-SE DE 24 A 28 DE JULHO

De 24 a 28 de julho, Caminha regressa à Idade Média, com a realização de mais uma edição da Feira Medieval, subordinada ao tema “CAMINHA MONÁSTICA”. Cortejos inaugural e de enceramento “Caminha Monástica”; exposições “Caminha e as ordens monásticas/os conventos caminhenses”; “Aves de Rapina” e Acampamento Medieval”; espetáculos equestres; torneio medieval; acampamento medieval; animação de rua; mercado medieval e um programa de animação convidativo vão dar o mote a esta edição.

IMG_2947.JPG

Em Caminha, já se ‘vive na Idade Média’. As ruas já estão decoradas para acolherem aquela que já está entre as 5 melhores Feiras Medievais do país.  Esta edição traz muitas novidades. Destaca-se a exposição “Caminha e as ordens monásticas/os conventos caminhenses” que vai dar a conhecer as comunidades monásticas que o concelho de Caminha acolheu ao longo da Idade Média, como são os casos do Mosteiro de São João de Arga, beneditino, fundado em inícios do século XII, e o Convento de Santa Maria da Ínsua (1392). A exposição estará patente nas Arcadas dos Paços do Concelho.

De realçar os cortejos de abertura e encerramento “CAMINHA MONÁSTICA” que vão mostrar a vida monástica através da representação de: “O Mosteiro como Unidade Económica” – Apanha de Bivalves (lapa, mexilhão) para alimentação / cal hidratada para construção civil / Apanha de Algas (Sargaço), Camboas para o Peixe, Salinas; “O Mosteiro e a Componente Religiosa e de Festa Popular” – Ranchos de Peregrinação a S. João D´Arga e Sta. Bárbara; “O Mosteiro e a Caridade” — Enfermaria, Apoio aos Pobres e Acolhimento de Peregrinos; “O Mosteiro como Centro de Cultura e Educação” – Oficina dos monges copistas, códices, iluminuras (scriptorium); Escolas monásticas; a Regra de São Bento. Os cortejos ainda contam com a participação das Juntas de Freguesia, Associações e Grupos do concelho de Caminha. Além dos figurantes, cavaleiros, músicos, alquimistas, trovadores, malabares de fogo, gentes do povo e nobres em cortejo.

Na Feira Medieval de Caminha, o mercado medieval é atrativo, composto por mercadores, taberneiros e artesãos. Aqui, o visitante vai encontrar os mais variados petiscos medievais, produtos aromáticos, bijuteria, artesanato, couro, brasões de família, brinquedos medievais, entre muitos outros artigos.

As aves de rapina, um dos polos de atração da feira, darão ‘vida’ ao Terreiro. Aqui, o visitante poderá admirar a exibição de aves de rapina diurnas e noturnas, materiais de falcoaria artesanal, exposição de ovos reis e plumas de variadíssimas espécies

O Adro da Igreja Matriz vai servir de cenário ao acampamento medieval, completamente diferente de edições anteriores. Vai ser recriado o quotidiano de um acampamento medieval, com os seus ofícios e as lavouras do dia a dia, assim como as atividades de treino na lide das armas.

Durante os cinco dias, a programação é convidativa: animação de rua contínua com alquimistas, teatro de rua, exibição de voos de aves de rapina, danças orientais; espetáculos equestres, espetáculos de fogo, torneio medieval, danças do povo, são as pospostas para esta edição.

Na quarta-feira, a partir das 18H00, a animação é constante. Destacamos o Cortejo Inaugural “CAMINHA MONÁSTICA”, pelas 22H00.

Na quinta e sexta-feira, a animação a partir das 18H00 é constante.

No sábado, o ponto alto é o torneio medieval com cavalos e cavaleiros, nas Muralhas do Convento.

A feira encerra domingo, com o Cortejo de Encerramento “CAMINHA MONÁSTICA”.

“CAMINHA MONÁSTICA”

Feira Medieval 2019

CONTEXTO HISTÓRICO

O concelho de Caminha albergou ao longo da sua história secular, com destaque para a época medieval, diversas comunidades monásticas, masculinas e femininas. Do primevo Mosteiro de São João de Arga, beneditino, de fundação incerta em inícios do século XII, aos conventos franciscanos na vila-sede do município, Santa Clara (1571) e Santo António (1618) — este último prosseguidor do Convento de Santa Maria da Ínsua (1392) —, sem esquecer o mais recente convento das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras (1898), que subsiste a meia-encosta de Santo Antão.

O mundo monástico, apesar de traduzir na origem uma opção de recolhimento espiritual e de fuga ao mundo, evidente nos locais isolados e inóspitos dos primeiros cenóbios, de que a Serra de Arga e a ilha da Ínsua são bons exemplos, evoluiria depois para uma relação mais próxima do século. Para além das conexões económicas — dos produtos da terra cultivados nas suas cercas à exploração dos frutos do mar nas camboas e mexilhoeiras —, a caridade e a assistência religiosa, o magistério das letras e a prestação de cuidados de saúde, constituíram-se como fortes elos de ligação entre regulares e populações locais.

Os conventos de Caminha foram ainda albergue de peregrinos a caminho de Santiago de Compostela — alguns notáveis, como o rei D. Manuel I, em 1502, ou o príncipe italiano Cosme III de Médici, em 1669 — e, à imagem de tantas outras localidades conventuais, alfobre de manjares e doçarias, como os “deliciosos papos de anjo ou pastéis de Santa Clara”, que perduraram até finais de oitocentos. Receitas esquecidas, mundos perdidos, resta hoje da Caminha Monástica do passado a sua rica e fecunda história, estudada em recolhimento nos arquivos ou celebrada em festa nas ruas.

Departamento de Ciências Sociais e Humanas — Grupo de História

Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, Caminha

HORÁRIO

Qua, Qui e Sex 24, 25 e 26 julho: 18H00 – 01H00

Sáb. 27 julho: 11H00 – 01H00

Dom 28 julho: 11H00 – 00H00

QUA 24 JUL

OUTORGA DO FORAL DE CAMINHA PELO REI D. DINIS

 

Caminha recebe o seu primeiro Foral a 24 de julho de 1284, outorgado por D. Dinis, que atribui a esta Vila um código de privilégios, obrigações e liberdades que vieram aplacar diferendos e servir como instrumento de luta contra a ambição e poder senhorial e eclesiástico nestas terras

QUA 24 JUL | 18H00

ABERTURA OFICIAL DA FEIRA MEDIEVAL DE CAMINHA

O clérigo de Santa Maria de Caminha declara a abertura das Portas do Reino

EXPOSIÇÕES

CAMINHA E AS ORDENS MONÁSTICAS | OS CONVENTOS CAMINHENSES

Arcadas do Edifício Paços do Concelho

Conheça as comunidades monásticas que o concelho de Caminha acolheu ao longo da Idade Média, o Mosteiro de São João de Arga, beneditino, fundado em inícios do século XII, e o Convento de Santa Maria da Ínsua (1392).

“AVES DE RAPINA”

Terreiro

Exibição de aves de rapina diurnas e noturnas, materiais de falcoaria artesanal, exposição de ovos reis e plumas de variadíssimas espécies. Informação ao público sobre falcoaria, como centro de reprodução e recuperação de aves.

Acampamento Medieval”

Adro da Igreja Matriz de Caminha

Este espaço recria o quotidiano de um acampamento medieval, com os seus ofícios e as lavouras do dia a dia, assim como as atividades de treino na lide das armas.

TERREIRO

Quarta

18H30 | Exibição de voos de Aves de Rapina

19H00 | Danças do Povo ao Som da Música Medieval - Minho Dança

00H00 | Espetáculo de Fogo – E tudo o fogo ateou…

Quinta

19H00 | Exibição de Voos de Aves de Rapina

21H00 | As Pêgas da Corte – Provocadoras Cortesãs enfeitiçam os Homens do Reino

Sexta

19H00 | Exibição de Voos de Aves de Rapina

20H30 | O Misterioso Caldeirão da Bruxaaprendizes de feiticeira evocam o acordar da Bruxa

21H30 | Feios e Mal Cheirosos – Personagens Medonhas intimidam as gentes

22H00 | Os Seres da Floresta, Fadas e Magos da Floresta deambulam entre sonhos e magia

Sábado

12H00 | Exibição de Voos de Aves de Rapina

15H00 | Exibição de Voos de Aves de Rapina

16H15 | Alforria – A vida numa Carroça

19H00 | O Misterioso Caldeirão da Bruxaaprendizes de feiticeira evocam o acordar da Bruxa

20H00 | Danças do Povo ao Som da Música Medieval

21H30 | Os Seres da Floresta, Fadas e Magos da Floresta deambulam entre sonhos e magia

Domingo

12H00 | Exibição de Voos de Aves de Rapina

12H30 | Alforria – A vida numa Carroça na Praça do Reino

16H30 | As Nobrérrícas, Marquesas e baronesas espalham encantos pelas gentes do reino….

19H00 | Exibição de Voos de Aves de Rapina

21H00 | Danças Orientais

23H30 | Goblins do Fogo – Espetáculo de Fogo

ADRO DA MATRIZ

Quarta

19H30 | Cavaleiros em Desfile pelas ruas do Reino

22H00 | Cortejo Inaugural - Caminha Monástica

O Mosteiro como Unidade Económica – Apanha de Bivalves (lapa, mexilhão) para alimentação / cal hidratada para construção civil / Apanha de Algas (Sargaço), Camboas para o Peixe, Salinas;

O Mosteiro e a Componente Religiosa e de Festa Popular – Ranchos de Peregrinação a S. João D´Arga e Sta. Bárbara

O Mosteiro e a Caridade — Enfermaria, Apoio aos Pobres e Acolhimento de Peregrinos;

O Mosteiro como Centro de Cultura e Educação – Oficina dos monges copistas, códices, iluminuras (scriptorium); Escolas monásticas; a Regra de São Bento.

Acompanham Cavaleiros, Músicos, Alquimistas, Trovadores, Malabares de Fogo, Gentes do Povo e Nobres em Cortejo

Percurso:  Adro da Igreja Matriz, Rua de Meios, Terreiro, Rua das Flores, Terreiro, Rua do Vau e Adro da Matriz.

 

23H30 | Espetáculo Equestre no Acampamento Medieval

Quinta

18H30 | Desfile de Cavaleiros pelas ruas do Burgo

23H00 | Espetáculo Equestre no Acampamento Medieval

Sexta

18H00 | Cavaleiros em Desfile pelas ruas do Burgo

23H00 | Espetáculo Equestre no Acampamento Medieval

Sábado

Espetáculo Equestre no Acampamento Medieval de hora em hora

Domingo

Espetáculo Equestre no Acampamento Medieval de hora em hora

22H30 | Cortejo Inaugural - Caminha Monástica

O Mosteiro como Unidade Económica – Apanha de Bivalves (lapa, mexilhão) para alimentação / cal hidratada para construção civil / Apanha de Algas (Sargaço), Camboas para o Peixe, Salinas;

O Mosteiro e a Componente Religiosa e de Festa Popular – Ranchos de Peregrinação a S. João D´Arga e Sta. Bárbara

O Mosteiro e a Caridade — Enfermaria, Apoio aos Pobres e Acolhimento de Peregrinos;

O Mosteiro como Centro de Cultura e Educação – Oficina dos monges copistas, códices, iluminuras (scriptorium); Escolas monásticas; a Regra de São Bento.

 

Acompanham Cavaleiros, Músicos, Alquimistas, Trovadores, Malabares de Fogo, Gentes do Povo e Nobres em Cortejo

Percurso:  Adro da Igreja Matriz, Rua de Meios, Terreiro, Rua das Flores, Terreiro, Rua do Vau e Adro da Matriz.

LARGO DO POÇO

Quarta

19H15 | Salt’Aqui, Salt’Acolá, Bufons Malabaristas dispostos animar as gentes do Burgo  

00H30 | Goblins do Fogo, Espetáculo de Fogo

Quinta

00H30 | E tudo o fogo ateou… - Espetáculo de Fogo

Sexta

19H30 | A Arte da Adivinhação, gentes nómadas espelham sonhos e alegria

20H00 | Danças do Povo ao Som da Música Medieval

23H30 | Goblins do Fogo – Espetáculo de Fogo

Sábado

11H00 | As Nobrérricas, Marquesas e Baronesas espalham encantos pelas gentes do reino

12H15 | Malabares Dançantes Vagueiam pela Praça

14H30 | Os Vendedores de Chagas, pobres leprosos deambulam a vender os seus remédios caseiros

18H00 | Dançantes e Malabares inundam as terras do reino

23H30 | Goblins do Fogo – Espetáculo de Fogo

Domingo

11H30 | A Trupe “Os Almeidas” deambulam pelo Burgo

14H00 | Os Vendedores de Chagas, pobres leprosos deambulam vendendo os seus remédios caseiros

16H00 | Burlões Trapaceiros espalham truques e ilusões na Praça d’El Rei

19H00 | Danças do Povo ao Som da Música Medieval

MURALHAS DO CONVENTO

Sábado

22H00 | Torneio Medieval com cavalos e cavaleiros

RUA DAS FLORES

Quarta

18H00 | Malabares Dançantes animam o Burgo

20H00 | Danças Orientais

Quinta

18H15 | Malabares Dançantes vagueiam pela praça

Sexta

18H00 | Os Vendedores de Chagas, pobres leprosos deambulam a vender os seus remédios caseiros

19H15 | Dançantes e Malabares inundam as terras do Reino

21H00 | A Trupe “Os Almeidas” deambulam pelo Burgo

Sábado

11H30 | Trocadores de Flores e Plantas Medicinais transmitem Sabedoria e Esperança

14H00 | Dançantes e Malabares inundam as terras do reino

18H30 | Salt`Aqui, Salt`Acolá, Bufons Malabaristas dispostos animar as gentes do Burgo

20H00 | Danças Orientais

Domingo

11H15 | Feios e Mal Cheirosos – Personagens Medonhas intimidam as gentes

14H30 | “A Fuga“ da Trupe os Almeidas

18H30 | Salt’Aqui, Salt’Acolá, Bufons Malabaristas dispostos animar as gentes do Burgo

21H30 | Os Seres da Floresta, Fadas e Magos da Floresta deambulam entre sonhos e magia

LARGO DO HOSPITAL

Quarta

21H00 | Salt’Aqui, Salt’Acolá, Bufons Malabaristas dispostos animar as gentes do Burgo

Quinta

19H15 | As Pêgas da Corte – Provocadoras cortesãs intriguistas tentam os homens do Reino

Sexta

18H30 | Agostinho e Felicidade, Trocadores de Flores e Plantas Medicinais transmitem sabedoria e esperança

19H00 | Burlões Trapaceiros espalham truques e ilusões na Praça d’El Rei 

20H00 | A Trupe “Os Almeidas” deambulam pelo Burgo

Sábado

11H00 | Cavaleiros em Desfile

15H30 | A Trupe “Os Almeidas” deambulam pelo Burgo

17H30 | A Trupe “Os Almeidas” deambulam pelo Burgo

20H30 | Salt’Aqui, Salt’Acolá, Bufons Malabaristas dispostos animar as gentes do Burgo

Domingo

12H00 | Desfile de Cavaleiros pelo Burgo

13H30 | As Pêgas da Corte – Provocadoras cortesãs enfeitiçam os homens do reino

17H30 | A Trupe “Os Almeidas” deambulam pelo Burgo

20H30 | Vendedores do Oriente, espalham pós milagrosos, tecidos e perfumes vindos de outras terras

RUA DE MEIOS

Quarta

18H00 | Salt’Aqui, Salt’Acolá, Bufons Malabaristas dispostos animar as gentes do Burgo

Quinta

18H00 | As Pêgas da Corte – Provocadoras cortesãs enfeitiçam as gentes do reino

20H00 | A Arte da Caligrafia Medieval - Oficina de Aprendizes

Sexta

19H30 | A Trupe “Os Almeidas” deambulam pelo Burgo

20H00 | A Arte da Caligrafia Medieval na Oficina de Aprendizes

20H15 | Burlões Trapaceiros espalham truques e ilusões na Praça d’El Rei

Sábado

11H15 | Burlões Trapaceiros espalham truques e ilusões na Praça d’El Rei

13H00 | A Arte da Caligrafia Medieval na Oficina de Aprendizes

15H00 | Os Caçadores de Ratos, deambulam pelo Burgo

19H30 | A Trupe “Os Almeidas” deambulam pelo Burgo

Domingo

11H00 | Dançantes e Malabares inundam as terras do reino

13H00 | A Arte da Caligrafia Medieval na Oficina de Aprendizes

17H00 | Trocadores de Flores e Plantas Medicinais transmitem sabedoria e esperança

19H30 | Os Vendedores de Chagas, pobres leprosos deambulam a vender os seus remédios caseiros

RUA DO VAU

Quarta

20H30 | Malabares vagueiam por terras do reino

Quinta

20H15 | Dançantes e Malabares inundam as terras do reino

00H00 | Goblins do Fogo – Espetáculo de Fogo

Sexta

18H15 | Malabares Dançantes vagueiam pela praça

20H00 | Os Vendedores de Chagas, pobres leprosos deambulam a vender os seus produtos caseiros

21H00 | Danças Orientais

00H00 | Espetáculo de Fogo – E tudo o fogo ateou…

Sábado

11H30 | “A Fuga“ da Trupe os Almeidas

13H30 | Vendedores do Oriente, espalham pós milagrosos, tecidos e perfumes vindos de outras terras

16H00 | Feios e Mal Cheirosos – Personagens Medonhas intimidam as gentes

19H15 | Os Vendedores de Chagas, pobres leprosos deambulam a vender os seus remédios caseiros

Domingo

11H30 | A Arte da Adivinhação, gentes nómadas espelham sonhos e alegria em troca de algumas moedas…..-

15H00 | Dançantes e Malabares inundam as terras do reino

18H00 | Dançantes e Malabares inundam as terras do reino

20H15 | O Misterioso Caldeirão da Bruxaaprendizes de feiticeira evocam o acordar da Bruxa

GRUPOS DE ANIMAÇÃO:

Curinga, Sons da Suévia, Lôa Trovadoresca, Gaitas Sirigaitas, Trabucos, Cetrería Aurélio, LePersilNoir, Os Almeidas, AGAPE, Boca de Cão, Kinessis, Porta de Cena.

Com a participação das Juntas de Freguesia, Associações e grupos do Concelho de Caminha

VIEIRA DO MINHO REALIZA FEIRA DO ASSOCIATIVISMO

Feira do Associativismo, este fim-de-semana, em Vieira do Minho

Este fim-de-semana, Vieira do Minho acolhe a feira do Associativismo do concelho. A iniciativa é promovida pela Câmara Municipal de Vieira do Minho.

associativismo.jpg

A Feira do Associativismo decorre de 19 a 21 de julho, em frente aos Paços do Município e pretende, uma vez mais, promover e divulgar o trabalho desenvolvido pelas Associações concelhias.

Durante os três dias de certame, as coletividades vão expor os trabalhos, os trajes, os troféus e as atividades desenvolvidas, no sentido de dar a conhecer o trabalho e a força do associativismo, dos artesãos e dos produtores locais.

Durante a iniciativa estão, ainda previstas atividades recreativas e de  animação como folclore, filarmónicas, colóquios, cantares ao desafio, concertinas, cavaquinhos, ginástica rítmica, bombos e muito mais.

A cerimónia de abertura do certame está agendada para as 18h00, de sexta-feira conta com a animação do Grupo de Bombos “ Os Trampolineiros de Vieira” e Coro Juvenil de Vieira do Minho.

De salientar que nesta mostra vão participar  cerca de 43 coletividades.

Tratando-se de um evento de reconstrução social e cultural que merece ser enaltecido e olhado com carinho, a Câmara Municipal de Vieira do Minho convida todos os Vieirenses a visitarem o certame, incentivando e estimulando as Associações Locais pelo papel e trabalho desenvolvido em prol do desenvolvimento do Concelho.

De referir, ainda que paralelamente à feira Mostra do associativismo decorre também a Festa da Rádio Alto Ave.

APRESENTAÇÃO PÚBLICA DO CD “MEMÓRIAS” DA BANDA MUSICAL DE MONÇÃO

A Banda Musical de Monção apresenta esta sexta-feira, 19 de julho, pelas 21h30, no espaço exterior da Biblioteca Municipal de Monção, o novo CD da bicentenária filarmónica monçanense, denominado "Memórias", em referência à história de Monção e à Banda Musical de Monção.

BMM.jpg

Além da apresentação pública do CD, o evento cultural engloba o lançamento do cartão de sócio,  um mini concerto com diversos elementos da BMM, sessão de autógrafos e dedicatórias, terminando com um pequeno convívio entre todos os participantes nesta noite de enriquecimento musical.

A entrada é livre.

Convidamo-lo(a) a assistir a este momento cultural.

Vídeo de apresentação: https://youtu.be/8teEYfgvJX4

CORPO, ABSTRAÇÃO E LINGUAGEM NA ARTE PORTUGUESA – OBRAS DA SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA NA COLEÇÃO DE SERRALVES PARA VER NO MUSEU MUNICIPAL DE CAMINHA

Exposição inaugura sexta-feira, pelas 17H30

O Museu Municipal de Caminha vai acolher a exposição “Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa” – obras da Secretaria de Estado da Cultura (SEC) na Coleção de Serralves, no âmbito do acordo de integração do município de Caminha como Fundador de Serralves. A cerimónia de abertura está agendada para sexta-feira, dia 19, pelas 17H30.

Exposição Serralves.jpg

Esta iniciativa integra-se num programa de exposições e apresentação de obras da Coleção de Serralves especificamente selecionadas para os locais de exposição, com o objetivo de tornar o acervo acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.

“"Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa” reúne obras da Coleção da Secretaria de Estado da Cultura (SEC) em depósito na Fundação de Serralves. A exposição representa, por um lado, os primórdios da constituição da Coleção de Serralves e, por outro, uma perspetiva muito singular sobre a arte produzida em Portugal entre as décadas de 1960–80.

As obras escolhidas atestam os diversos níveis de diálogo e confluência formais que os artistas portugueses souberam estabelecer entre si e com o contexto internacional a partir do pós-guerra. Uma das particularidades mais notáveis da arte portuguesa neste longo período de consolidação das práticas artísticas em Portugal foi a relativa indiferença ou o recurso instrumental aos aspetos mais conceptuais e performativos da arte, não obstante alguns artistas se terem dedicado a eles, como Graça Morais, António Palolo e José de Carvalho, ou até terem sido incontornáveis e essenciais em períodos específicos das carreiras de Alberto Carneiro, Ângelo de Sousa e Julião Sarmento. O que esta exposição procura verificar é o modo como a pintura e a escultura enquanto meios resultaram primordiais a todos estes artistas e às suas indagações artísticas e filosóficas. Quase todos os artistas selecionados para esta mostra estudaram e iniciaram as suas carreiras no difícil ambiente da ditadura portuguesa em que a censura e a repressão política e cívica conduziu vários deles à prisão, caso de Júlio Pomar e de Nikias Skapinakis, ou ao exílio mais ou menos forçado e permanente, como aconteceu com António Dacosta, Jorge Martins e Paula Rego. A partir da segunda metade dos anos 1950, vários dos protagonistas da arte portuguesa do último terço do século XX tiveram a possibilidade de realizar estudos no estrangeiro, quase sempre em Paris ou Londres, com pontuais estadas em Munique ou Nova Iorque, como foi o caso de Lourdes Castro, René Bertholo, João Vieira, Jorge Martins, Alberto Carneiro, Ângelo de Sousa e Eduardo Batarda. Tal permitiu aos artistas desta geração absorverem as pesquisas modernistas desenvolvidas pelos artistas da geração anterior, como Júlio Pomar, Fernando Lanhas, Nikias Skapinakis e Joaquim Rodrigo, articulando-as com os questionamentos plásticos e estéticos que se processavam nos centros artísticos internacionais.

Para estes artistas bem informados acerca dos caminhos da arte europeia e norte-americana na exploração da diluição das fronteiras entre cultura erudita e popular, no interesse pelas diversas manifestações da realidade e da comunicação mediática, na desmaterialização dos objetos artísticos, a opção pela pintura e pela escultura foi motivada pelo imperativo de desfazer um regime de imagens dependente da propaganda ideológica do Estado Novo, vinculado à representação dos valores conservadores e populares de uma sociedade que se queria estática, e reelaborar novas formas de ver e imaginar a realidade, consonante com a visão dinâmica de um mundo em transformação”.

A exposição pode ser visitada de terça-feira a domingo das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00 e a entrada é gratuita.

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE IGUALDADE

Município arcuense promove Sessões da Igualdade

A Câmara Municipal promoveu Sessões da Igualdade dirigidas a públicos estratégicos das áreas do Emprego e Formação; Educação Cultura e Desporto; Ação Social, Saúde e Bem-estar; Violência, Segurança e Justiça.

arcus (1).jpg

Estas sessões enquadram-se no trabalho que vem sendo desenvolvido ao nível da igualdade de género e não discriminação que iniciou em 2017, com a realização de campanhas, ações de sensibilização, caminhadas entre outros e advém da necessidade de elaboração do Plano Municipal da Igualdade.

A elaboração do documento pressupõe a realização de um diagnóstico concelhio sobre a situação do Município face às questões da igualdade e não descriminação, tornando-se para isso necessário, ouvir diversos setores da população e agentes locais. Foi neste âmbito que se realizaram mais quatro sessões, as primeiras foram desenvolvidas em diversas freguesias do concelho, durante o passado mês de março.

arcus (2).jpg

COCKTAILS DE ALVARINHO? – DÊ UMA NOVA DIMENSÃO AO SEU VERÃO

Soalheiro desafiou Escolas de Hotelaria e Turismo de Coimbra e de Viana do Castelo a criar cocktails vínicos, únicos e irreverentes, que permitissem dar uma dimensão arrojada dos sabores do terroir da Origem do Alvarinho: Monção e Melgaço.

Os resultados? Surpreendentes…

Capturarsoa1.PNG

Alunos e Professores das Escolas de Hotelaria e Turismo de Coimbra e de Viana do Castelo aceitaram o desafio da primeira marca de Alvarinho de Melgaço, Soalheiro, e criaramcocktails vínicos irreverentes e que desafiarão o seu paladar este verão. Propostas descontraídas que permitem reinventar o Alvarinho e dar uma dimensão arrojada dos sabores doterroir da Origem do Alvarinho: Monção e Melgaço. Os resultados? Surpreendentes…

Capturarsoa2.PNG

Orientados por Eduardo Vicente, em Coimbra disseram Allo aos cocktails vínicos. A interpretação do Soalheiro Allo, onde o Alvarinho confere estrutura e o Loureiro a distinção aromática, levou à criação de três propostas que exploraram o terroir de forma distinta: o Allo Passion – o aroma floral do vinho ligado à acidez do maracujá e aos sabores do xarope de especiarias, o Allo Infusion – os sabores do Alvarinho e do Loureiro acentuados numa infusão com Erva Príncipe e Tomilho Limão e o Allo Red – uma explosão de frutos vermelhos e xarope de hibisco, numa excelente harmonia com o vinho que lhe serviu de inspiração.

Capturarsoa3.PNG

Em Viana, o Soalheiro 9% - um Alvarinho com 9% de álcool pleno de acidez e com açúcar residual - foi a inspiração. O 9% NHR, incorpora elementos extraídos dos aromas presentes no vinho como os frutos tropicais (maracujá) e os citrinos (limão) e contempla 2 texturas distintas: a base da bebida e uma espuma feita também à base do Soalheiro 9%. A composição foi pensada e executada pelo aluno Flávio Marinho com a supervisão do formador de bar Albano Pereira.

Capturarsoa4.PNG

AMARES REALIZOU FESTIVAL DO BACALHAU

Centenas de pessoas visitaram o Festival do Bacalhau em Amares

Caldelas convidou à boa gastronomia naquela que foi o IV Festival do Bacalhau. A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal de Amares em parceria com a União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, recebeu a visita de centenas de comensais que não quiseram perder a oportunidade de se deliciarem com o bom bacalhau e as mais diversas melhores iguarias confecionadas à base deste petisco rei, acompanhadas pelo arroz fresco de feijão e regadas pelo refrescante vinho verde do concelho.

DSC07494.jpg

“O Festival do Bacalhau é uma iniciativa que não pretende ter uma grande dimensão, ou seja, é um tipo de evento de verão, que oferece ao visitante um espaço de convívio e de boa gastronomia num conceito mais familiar e ao estilo dos bons arraiais, se quisermos, e que é um formato que tem resultado muito bem e que este ano voltou a resultar”, referiu o vice-presidente da Câmara de Amares, Isidro Araújo, em jeito de balanço.

Mantendo o mesmo formato dos anos anteriores, a iniciativa apresentou-se com uma praça de alimentação ligeiramente maior e uma loiça especialmente criada para o evento – um kit que continha todo o material necessário para que os visitantes pudessem usufruir da sua refeição.

“Este é um festival que está consolidado e que traz já muita gente de fora, nomeadamente, de Braga. O balanço é, neste sentido, muito positivo”, referiu o presidente da União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, José Almeida. “O bom ambiente e a boa gastronomia, fizeram desta edição mais um sucesso e é de destacar também a implementação dos kits para as refeições que funcionou muito bem em termos de organização”, concluiu.

Este ano, o Festival do Bacalhau contou com a participação dos restaurantes: O Correia, O Vale do Homem, Quinta do Côvo e Torres.

VILA VERDE ABRE INSCRIÇÕES PARA A FESTA DAS COLHEITAS

Inscrições abertas para a Festa das Colheitas 2019 de Vila Verde!

Estão abertas, e prolongam-se até ao dia 06 de agosto, as inscrições para a ‘Festa das Colheitas 2019 – XXVIII Feira Mostra de Produtos Regionais’ de Vila Verde nos seguintes setores de atividade: Artesanato, Produtos Agrícolas, Máquinas, Utensílios Agrícolas, Pastelaria, Panificação, Enchidos, Queijo, Vinho, Licores e Festival Gastronómico das Colheitas. Inscrições e mais informações através do endereço de e-mail festadascolheitas@cm-vilaverde.pt.

43053200_1940682442713366_1673850129364287488_o.jpg

Não fique de fora deste autêntico hino ao mundo rural, com cinco dias (09 a 13 de outubro) dedicados inteiramente às raízes da cultura minhota que vai levar os participantes a conhecerem e, se assim o desejarem, experimentarem na primeira pessoa os hábitos, costumes e tradições da região.

De 09 a 13 de outubro, Vila Verde pinta-se com as cores das mais genuínas tradições locais. As recriações fiéis de práticas ancestrais, a gastronomia, o artesanato, os produtos frescos do campo, os espetáculos de música ao vivo… E muito, muito mais. Não faltam motivos para visitar Vila Verde e embarcar numa emocionante aventura à (re)descoberta da herança cultural do Minho.

Recorde-se que a Festa das Colheitas é a iniciativa rainha da alargada programação turístico cultural ‘Na Rota das Colheitas’, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobra em mais de quatro dezenas de iniciativas de celebração e homenagem ao legado cultural do concelho e da região.

VIANA DO CASTELO: O SEU SANGUE É DO TIPO SALVA VIDAS, NO ESTAÇÃO VIANA SHOPPING

Dias 19 de julho, 29 de agosto e 6 de setembro das 15h00 às 19h00

É já nos próximos dias 19 de julho, 29 de agosto e 6 de setembro, das 15h00 às 19h00, que vai decorrer uma campanha de recolha de sangue e de registo para medula óssea, em parceria com a Associação de Dadores de Sangue de Meadela e o Instituto Português do Sangue e da Transplantação. Os doadores interessados devem dirigir-se ao Piso 1 do Centro.

image_processing20190717-22725-1ubnlpc.jpg

Estação Viana Shopping, nos últimos anos, tem vindo a promover esta iniciativa e, assim, associa-se a uma causa com o objetivo de sensibilizar os seus visitantes e a comunidade local para a importância de salvar vidas, mostrando que um pequeno gesto pode fazer toda a diferença para aqueles que mais necessitam.

Esta campanha de recolha de sangue e registo de medula óssea irá decorrer nos dias 19 de julho29 de agosto e 6 de setembro das 15h00 às 19h00 no Piso 1 do Centro.

Inaugurado em 2003, o Estação Viana Shopping é a superfície comercial de referência na cidade de Viana do Castelo e na região Minho litoral. Com 92 lojas, distribuídas por três pisos, tem cerca de 19.182 m2 de Área Bruta Locável (ABL). A arquitetura do Centro é única, com a linha do comboio a atravessá-lo. A par com as lojas de roupa, acessórios, sapatarias, decoração, telecomunicações e serviços os visitantes podem usufruir da zona de restauração e dos mais de 600 lugares de estacionamento. O Estação Viana Shopping oferece ainda aos visitantes uma esplanada panorâmica e o vianamini, um espaço infantil gratuito, inspirado na temática dos comboios e destinado a crianças entre os 2 e os 9 anos de idade. A par da experiência única de compras e de lazer que oferece aos seus clientes, o Estação Viana Shopping assume a responsabilidade de dar um contributo positivo para um mundo mais sustentável, trabalhando ativamente para um desempenho excecional nas áreas ambiental e social. Todas as iniciativas e novidades sobre o Centro podem ser consultadas no site www.estacaoviana.pt e na página de Facebook disponível em www.facebook.com/estacao.viana.

FEIRA DO LIVRO DE PONTE DE LIMA ABRE HOJE AO PÚBLICO

XXIV Feira do Livro de Ponte de Lima abre hoje as portas ao público a partir das 18h30

De 18 a 21 de Julho de 2019, a Feira do Livro de Ponte de Lima está de regresso, e traz consigo o melhor da literatura portuguesa e estrangeira.

Feira do Livro 2019 programa.jpg

De livro em mão, o recinto do Pavilhão de Feiras e Exposições percorre-se a passo lento, para que se assimile esta enorme montra de literatura. 

Das revisitações de clássicos, às contemporâneas “estreias absolutas”, perde-se a conta às novidades desta edição, em que são as crianças quem mais fica a ganhar.

O ciclo de programação antecipa o que de mais relevante vai acontecer no evento, com mais editoras e novidades.

Com uma série de propostas que equilibram as forças entre o livro de papel e as ferramentas digitais, a 24ª edição da feira mostra-se consciente do facto de que o negócio livreiro cada vez está mais diversificado, e como tal, dá atenção redobrada às expectativas dos colaboradores, e em particular dos visitantes. Neste sentido, são várias as linguagens artísticas que, ao longo da feira, entram no espaço cultural. Destaque-se AMFF in Concert 2019, o concerto pela Academia de Música Fernandes Fão, num tributo ao Festival de Vilar de Mouros com início às 22h30 do primeiro dia de evento.

Por entre maratonas de contos, conversas com autores, encontros de escritores, insufláveis, tertúlias, ateliers, espetáculos de ballet, concertos literários, e diversas outras atividades lúdicas, desenrolam-se os quatro dias da 24ª Edição da Feira do Livro Limiana.

A cultura a baixo preço, e a oferta diversificada e acessível, atraem anualmente milhares de visitantes à feira, que pretende bater recordes de visitas.

O evento tem inauguração oficial agendada para as 18h30 de amanhã, dia 18 de julho, seguida por um Verde Literário, estando de portas abertas nos seguintes três dias. O programa completo do evento pode ser consultado através do site oficial do Município de Ponte de Lima, ou das suas redes sociais.

A XXIV Feira do Livro de Ponte de Lima deve a sua organização ao Município de Ponte de Lima, estando a cargo da Biblioteca Municipal, em parceria com a livraria União, a Universidade Aberta, a Universidade Fernando Pessoa, o Centro de Estudos Regionais (CER), o Centro de Informação Europe Direct do Minho (CIED Minho), a Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua (ALAAR) e a Associação de Escritores, Jornalistas e Produtores Culturais de Ponte de Lima (AEJPCPL).

Programa Dia 18.jpg

Programa Dia 19.jpg

Programa Dia 20.jpg

Programa Dia 21.jpg