Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ILUMINAÇOES FESTIVAS DA CAPELA DE NOSSA SENHORA DA BONANÇA ATRAEM FORASTEIROS A VILA PRAIA DE ÂNCORA

Vila Praia de Âncora está em festa. A capela de Nossa Senhora da Bonança, Padroeira das gentes do Mar, encontra-se iluminada. No largo, o Almirante Ramos Pereira vigia de perto o presépio no qual José e Maria cuidamo Menino Jesus. Pelas ruas da vila, ouvem-se os cânticos graciosos característicos da quadra natalícia – os tradicionais cantares dos Reis – magníficamente entoados de porta em porta pelos componentes do Etnográfico de Vila Praia de Âncora. E, apesar de não se encontrar em época balnear, Vila Praia de Âncora não deixa de receber visitantes, incluindo da vizinha Galiza, atraídos pelo seu encanto e afabilidade das suas gentes.

sdr

“Situada no centro histórico da vila, tem a sua frontaria virada para a Praça da República. Edificada em 1890 sobre uma outra antiga capela oitocentista, esta capela neoclássica de planta longitudinal é formada por nave e capela-mor retangulares, sendo esta mais baixa e estreita. Com acesso por uma escadaria em granito de cinco degraus semi-circulares. Tem em anexo a torre sineira à sua esquerda.

A fachada em empena recortada é rasgada pelo portal em moldura reta sobrepujado de um frontão curvo, que abriga o símbolo das iniciais da Família Medeiros. Este está encimado por uma janela de arco perfeito. É rematado por pilastras jónicas que suportam o entablamento clássico, terminando com fogaréus.”

Fonte: https://www.visitarportugal.pt/

sdr

sdr

Img_181229180557469-1

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CAMINHA REÚNE SEXTA-FEIRA EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Última sessão do ano decorre em Vila Praia de Âncora

A Assembleia Municipal vai reunir esta sexta-feira, dia 14 de dezembro, em sessão ordinária, pelas 21h00, no edifício do Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora, com diversos pontos em agenda. Esta sessão pode ser acompanhada em direto, online, através do sítio do município e nas redes sociais a ele associadas.

centro_cultural e social VPA

A Ordem de Trabalhos começa com o Período de Intervenção do Público, seguindo-se o Período de Antes da Ordem do Dia. No Período da Ordem do Dia será apreciada a Informação Escrita do Presidente em Exercício da Câmara sobre a Atividade do Município e a Situação Financeira do mesmo.

A Assembleia vai votar as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2019.

Os deputados municipais vão pronunciar-se sobre a Alteração das Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2019 – Plano Plurianual de Investimentos.

Da ordem de trabalhos faz parte o lançamento de uma derrama relativa aos lucros tributáveis de 2018.

Os membros da Assembleia vão manifestar-se sobre a fixação das taxas do imposto municipal sobre imóveis.

A Assembleia vai votar a participação variável no IRS relativa aos rendimentos do ano de 2018.

Em discussão estará também a taxa municipal de diretos de passagem.

Os deputados municipais vão votar a autorização para assunção de compromissos plurianuais.

Por fim, está a votação a autorização de contratação de empréstimo de curto prazo – exercício económico 2019.

VILA PRAIA DE ÂNCORA: EMPREITADA ‘INFRAESTRUTURAS NA RUA MIGUEL BOMBARDA E LUGAR DA ERVA VERDE’ ENCONTRA-SE NA RETA FINAL

Investimento superior a 70 mil euros, em Vila Praia de Âncora

Dentro de alguns dias, os ancorenses contam com mais uma obra concluída. A empreitada ‘Infraestruturas do Loteamento da Rua Miguel Bombarda e Lugar da Erva Verde’, em Vila Praia de Âncora, está na reta final. Executada pela Câmara Municipal, esta obra pôs fim a vários problemas que subsistiam há algum tempo. Esta intervenção deverá estar concluída na próxima semana e está orçada em mais de 70 mil euros.

obra

A obra‘Infraestruturas do Loteamento da Rua Miguel Bombarda e Lugar da Erva Verde’ orçada em 72.592, 96€ + IVA está a poucos dias do fim. Os trabalhos em falta são a marcação da via e a colocação da sinalização.

Do caderno de encargos fizeram parte a conclusão do arranjo urbanístico do topo norte junto à Rua Miguel Bombarda, que incluiu a colocação de passeios, em microgranito,o ajardinamento do canteiro central, e a execução do estacionamento.

A Câmara também executou toda a envolvente ao Lote 3, no topo sul, cujos trabalhos incluíram passeios, infraestruturas e estacionamento. A Câmara ainda procedeu à pavimentação da segunda camada em tapete betuminoso da faixa de rodagem do arruamento central.

VILA PRAIA DE ÂNCORA: PATRONATO NOSSA SENHORA DA BONANÇA LANÇA CAMPANHA SOLIDÁRIA

O Patronato Nossa Senhora da Bonança, IPSS de Vila Praia de Âncora, à semelhança dos anos anteriores, lança a sua quarta Campanha Solidária de Natal, desta vez denominada “CADERNO SOLIDÁRIO”. Esta tem como objetivo angariar fundos a favor da missão do Patronato na educação e na infância, sendo um forte contributo para apoio dos serviços e atividades que são prestados pela instituição às suas crianças e famílias.

patronato

A campanha do ano 2018 consiste na venda de cadernos de capa dura, tamanho A5, (estilo "moleskine"), com dois tipos de ilustrações diferentes: um desenho realizado pelos meninos de creche e outro realizado pelos meninos do jardim-de-infância. 

Os cadernos estão disponíveis nas seguintes cores e tipos:

- Cor verde, vermelho, azul e preto, disponíveis em folha lisa e folha pautada;

- Cor rosa, laranja e amarela, disponíveis em folha lisa.

Em anexo, enviamos o cartaz da campanha e fotos dos cadernos disponíveis, para que possam ficar com uma melhor ideia dos produtos em questão.

Os cadernos solidários estarão à venda a partir do dia 26 de novembro, na própria Instituição e em vários locais do comércio tradicional (Piscinas Municipais de Vila Praia de Âncora, Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora, Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora, Herança Minhota, Loja Tirones, Tânia Cabeleireira,  Retrosaria Casa Helana, Hotel Meira, Coviran Afife, Stand Fap Car - Afife, Teatro Valadares - Caminha), bem como em diversos eventos da programação de Natal do Concelho de Caminha.

Ao aderir à Campanha “CADERNO SOLIDÁRIO”, está a apoiar a educação e o desenvolvimento saudável e feliz de 85 crianças dos 3 meses aos 6 anos de idade.

CONTAMOS COM A SUA COLABORAÇÃO!

azul_amarelo

laranja

linhas

verde_rosa

vermelho_preto

verso

POSTAL ILUSTRADO MOSTRA "GRUPO DE BANHEIROS” EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Vila Praia de Âncora, no concelho de Caminha, é porventura a mais afamada e concorrida estância baldenar do Minho.

20431633_1026890574080198_4053623527823901577_n

Um postal centenário dá-nos conta de um "grupo de banheiros” junto à lage da Praia Norte, a qual ainda lá existe. O postal deverá ter sido editado antes de 1911 em virtude de ainda utilizar a grafia em vigor antes da Convenção Ortográfica imposta pelos republicanos naquele ano ou seja, pouco tempo após a implantação do novo regime.

Por outro lado, a gravura mostra um grupo de banhistas e não de “banheiros” – estes vestiam-se de forma diferente e encontravam-se ao serviço do Real Instituto de Socorros a Náufragos - o qual, apesar do Alto Patrocínio da Rainha D. Amélia, após a mudança de regime passou a designar-se simplesmente por Instituto de Socorros a Náufragos, assim se mantendo na actualidade.

Trata-se, pois, de pessoas da região que porventura resolveram ir a banhos, transportando eventualmente um delas o merendeiro numa cesta de vime coberta com um pano. Os fatos são os que à época se usavam pelos banhistas e a boina muito usual das gentes minhotas e galegas.

Com vista a despertar um maior interesse comercial e recorrendo a um expediente muito comun nesta profissão, o editor do postal muito provavelmente juntou pessoas de diferentes estatutos sociais e profissionais que ocasionalmente se encontravam na praia sem nenhuma relação familiar entre si, nomeadamente um pescador e uma família de banhistas de origem citadina...

Não esquecer as origens galegas dos pescadores de Vila Praia de Âncora… e, finalmente, convém não correr atrás do primeiro “boneco” que aparece quando pretendemos identificar o traje tradicional!

CAMINHA COMEMORA ARMISTÍCIO DA GRANDE GUERRA

“Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais”. Homenageia mortos da Grande Guerra. Ponto alto do programa acontece já no próximo domingo

De 11 de novembro a 14 dezembro Caminha vai promover a iniciativa “Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais”, composta por múltiplas atividades, com destaque para a Homenagem aos Mortos da Grande Guerra, que decorrerá no dia 11 de novembro. Esta iniciativa tem como objetivo assinalar dois factos históricos, o Armistício e o Assassinato de Sidónio Pais.

Armisticio_Cartaz (1) f

A coincidência de calendário faz com que ocorra em finais de 2018 o centenário de dois eventos relevantes da vida política nacional de inícios do século XX, com destaque para o Armistício, que em 11 de novembro de 1918 pôs fim à Primeira Guerra Mundial iniciada quatro anos antes e que sacrificara milhões de vidas humanas, entre as quais muitos militares portugueses, incluindo dezenas de jovens do Alto Minho. Era então Presidente da República Portuguesa o major Sidónio Pais, nascido em Caminha, que pouco mais de um mês depois, em 14 de dezembro, jazia assassinado após um ano de polémico governo. 

Assinalando estes dois factos históricos e o impacto que ambos tiveram no município, na região e no país, a Câmara Municipal de Caminha e o Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, com o apoio da União de Freguesias de Caminha e Vilarelho, o Centro de Formação Vale do Minho e o Locus Cinemae-Cineclube de Caminha, organizaram um vasto e diversificado programa de eventos dirigidos ao público em geral e à comunidade escolar em particular, que inclui cinema, exposições, conferências, mostra bibliográfica e colóquios, e tem o seu ponto alto na manhã de 11 de novembro, domingo, com uma solene homenagem aos combatentes e mortos do concelho na Grande Guerra.

Embora o programa arranque efetivamente no domingo, dia 11 de novembro, com uma série de iniciativas, de que se destaca a homenagem aos mortos da Grande Guerra, pelas 10H00, numa cerimónia no “Largo dos Combatentes”, no dia 9, terá lugar a exibição do filme “Cavalo de Guerra”, de 2012, um drama na categoria de “guerra”, de Steven Spielberg. Trata-se da história de Ted Narracot (Peter Mullan), “um camponês destemido e ex-herói de guerra. Com problemas de saúde e bebedeiras, batalha junto com a esposa Rose (Emily Watson) e o filho Albert (Jeremy Irvine) para sobreviver numa fazenda alugada, propriedade de um milionário sem escrúpulos (David Tewlis). Cansado da arrogância do senhorio, decide enfrentá-lo em um leilão e acaba comprando um cavalo inadequado para os serviços de aragem nas suas terras. O que ele não sabia era que seu filho estabeleceria com o animal uma conexão jamais imaginada. Batizado de Joey pelo jovem, os dois começam seus treinamentos e desenvolvem aptidões, mas a 1ª Guerra Mundial chegou e a cavalaria britânica o leva embora, sem que Albert possa se alistar por não ter idade suficiente. Já nos campos de batalha e durante anos, Joey mostra toda a sua força e determinação, passando por diversas situações de perigo e donos diferentes, mas o destino reservava para ele um final surpreendente”. O filme será exibido pelas 21H45, no Valadares, Teatro Municipal, com o apoio da Locus Cinemae.

Homenagem aos Mortos da Grande Guerra

Domingo, dia 11, o dia começa com a Cerimónia no “Largo dos Combatentes”, em pleno Centro histórico de Caminha, pelas 10H00, seguida da inauguração da mostra bibliográfica ‘A Livraria do Coronel Júlio Torres’ e da exposição “Da Batalha de Lalys ao Armistício”.

‘A Livraria do Coronel Júlio Torres’ poderá ser visitada durante um mês na Biblioteca Municipal de Caminha. Trata-se de um espólio que foi constituído ao longo da vida do Coronel e que o terá acompanhado pelas diversas residências, designadamente, Braga, Porto, Lisboa ou Caminha. 1876 e 1949 são as datas extremas que as edições apresentam. Os temas predominantes nestes volumes são: literatura portuguesa e estrangeira, sobretudo francesa; história; geografia; política; filosofia; estratégia militar e viagens. Os autores são de renome e alguns já raros ou muito ausentes nos catálogos do sec. XXI.  

A exposição “Da Batalha de Lalys ao Armistício” poderá ser visitada no Museu Municipal de Caminha.

À tarde há cinema e muito atual. Desta vez, o filme a exibir é “Soldado Milhões”, de Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão da Costa. É uma produção deste ano, destinada a maiores de 12 anos. Acompanha o percurso do soldado Milhais, que valia milhões, através das suas memórias da guerra.

Cinema, conferências e colóquio marcam o programa

Dias 12 e 13 de novembro volta a ser exibido o mesmo filme, no Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora, com sessões para alunos do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais.

Sexta-feira, dia 16 de novembro, pelas 18H00, “A Maçonaria e a Loja Ancorense Vedeta do Norte” é o tema da conferência com Paulo Torres Bento e um convidado da Maçonaria. Sobre esta temática, Paulo Torres Bento (Professor de História e historiador de temas locais e regionais) escreve ‘por meados do mês de novembro de 1914, em dia incerto e lugar desconhecido do Vale do Âncora, reuniu-se um grupo de indefetíveis e históricos republicanos ancorenses para constituírem um Triângulo maçónico, que em poucos meses evoluiria para uma Loja com o sugestivo nome de “Vedeta do Norte”. O momento era dramático para o Grande Oriente Lusitano, a mais antiga e principal confissão da Maçonaria portuguesa, que tinha sofrido uma grave dissidência em meados desse ano, mas a nova oficina veio reforçar o movimento maçónico na região, afirmando-se nos tempos conturbados da República como uma das três únicas lojas de todo o Minho. A recente oportunidade de estudar parte do seu espólio documental proporcionou que se possam agora começar a revelar os seus segredos’.

Na semana seguinte, a 23 de novembro, também pelas 18H00, decorrerá a conferência “A Pneumónica no Concelho de Caminha”, com Aurora Rego (Doutorada em História, investigadora da História das Populações, Comunidades Marítimas ou Relações Transfronteiriças, privilegiando o território do concelho de Caminha e do Alto Minho) e Luís Belo (diretor do Hospital Particular de Viana do Castelo). ‘Considerada a última pandemia da Humanidade, a pneumónica ou gripe espanhola produziu efeitos significativos na evolução da população do concelho de Caminha. Que conjuntura socioeconómica lhe está associada? Que impacto teve a sua incidência nas diferentes freguesias? Que segmentos etários e profissionais foram mais atingidos? Como responderam as autoridades locais e assistenciais durante a sua erupção e contágio? O quadro geral encontrado no concelho de Caminha corresponde ao do território vizinho?’ são alguns dos aspetos a ser desenvolvidos na presente comunicação.      Doutorada em História, Aurora Botão Rego tem-se dedicado à investigação desde há uma década em estudos relacionados, entre outros, com a História das Populações, Comunidades Marítimas ou Relações Transfronteiriças, privilegiando o território do concelho de Caminha e do Alto Minho.

Colóquio “Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais” com José Santos, Paulo Torres Bento, Armando Malheiro e Fernando Rosas

No dia 8 de dezembro, terá lugar o colóquio “Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais”, composto por dois painéis “O CEP e os Militares do Concelho de Caminha”, orientado pelo sargento José Santos e Paulo Torres Bento, e “Sidónio, a Guerra e a Política”, com Armando Malheiro e Fernando Rosas. Esta formação dirige-se a todos os grupos de professores e educadores.

O colóquio terá inicio, pelas 10H00, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha, cuja abertura está a cargo de Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha; Maria Esteves, diretora do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, e Jorge Oliveira Fernandes, diretor do Centro de Formação Vale do Minho.

O painel “O CEP e os Militares do Concelho de Caminha” apresenta as comunicações ‘Os militares do concelho de Caminha a e Brigada do Minho na Flandres’, por Paulo Torres Bento (Professor de História e historiador de temas locais e regionais) e ‘Na pele do soldado Português na Grande Guerra: necessidades e realidades’, com José Manuel Alves dos santos (Sargento Ajudante do Exército, historiador de temas militares).

O painel e “Sidónio, a Guerra e a Política” encerra o colóquio com as intervenções ‘Portugal na 1ª Guerra Mundial, o quadro interno e o quadro externo’, a cargo de Fernando Rosas (Doutor em História, Universidade Nova de Lisboa) e ‘Sidónio Pais, o Sidonismo e a 1ª Guerra Mundial’, por Armando Malheiro da Silva (Doutor em História, Faculdade de Letras da Universidade do Porto).

OBRAS NA SANDIA – VILA PRAIA DE ÂNCORA ARRANCAM A 5 DE NOVEMBRO

Mais de 1,2 milhões de euros de investimento na requalificação urbana mais importante dos últimos anos

A intervenção estrutural na zona da Sandia, em Vila Praia de Âncora, arranca dentro de menos de uma semana, a 5 de novembro, e deverá prolongar-se por cerca de um ano. Trata-se de um investimento de larga escala, orçado em mais de 1,2 milhões de euros, que permitirá requalificar um espaço amplo da Vila e resolver questões de escoamento de águas pluviais. Para o presidente da Câmara, “esta é a obra de requalificação urbana, em zona residencial, mais importante dos últimos anos, quer em Vila Praia de Âncora, quer no concelho de Caminha. Estamos a falar de uma zona importante de Vila Praia de Âncora que cresceu sem planeamento e que apresenta graves problemas de infraestruturas e de ordenamento de trânsito automóvel e pedonal”.

Trata-se de uma obra desejada por todos ancorenses, em especial pelos moradores da zona da Sandia, tendo sido uma intervenção amplamente participada e que teve em atenção as preocupações da população, que se arrastavam há longos anos. A obra em causa custará 1.220.113,30€.

A área inserida no projeto, designado “Ação de Reabilitação Urbana – Sandia – Rede Viária e Espaço Público, Acessibilidade a Pessoas com Mobilidade Reduzida” compreende as ruas Luís de Camões, Sandia, António Aleixo, Vista Alegre (desde o topo Norte até ao entroncamento com a Rua António Aleixo), Eça de Queirós, Gontinhães (desde o topo Norte até ao entroncamento com a Trav. 5 de Outubro) e Rua Júlio Dinis (desde o entroncamento com a Rua da Vista Alegre até ao entroncamento com Rua Eça de Queirós).

Serão contempladas redes hidráulicas de Águas Pluviais nas ruas: Luis de Camões, Sandia, António Aleixo e Gontinhães. Prevê-se a reformulação das redes de drenagem de Águas Residuais Domésticas nas ruas Luís de Camões, António Aleixo e Vista Alegre.

Prevê-se também a construção da passagem pedonal e clicável erguida sob a EN 13, para ligar a Rua 25 de Abril e a Póvoa ao centro da vila, através da Rua Luís de Camões.

Os trabalhos têm a duração prevista de 360 dias e visam promover a melhoria do ambiente urbano e do espaço público, através da melhoria do mobiliário urbano, da pavimentação de arruamentos e passeios, condução de águas, da introdução de elementos arbóreos, da eliminação de barreiras arquitetónicas e visuais.

“Batalhamos durante anos para ter esta obra e ela arranca finalmente! As pessoas da Sandia e da Vista Alegre merecem este investimento, há anos que são castigadas com enxurradas de água, são vítimas de inundações, andam em pisos maltratados e correm riscos de atropelamento”, refere Miguel Alves.

Sublinha ainda o presidente que, “estas obras não são tão visíveis como outras que se possam fazer no centro ou na praia, mas são obras que vão resolver problemas de décadas a centenas de pessoas que vivem ou passam férias na zona norte de Vila Praia de Âncora”.

A empreitada é financiada por duas candidaturas denominadas “Rede viária e espaço publico (Sandia)” e “Acessibilidade a pessoas com mobilidade reduzida (Sandia)”, submetidas ao Aviso Planos de Ação de Regeneração Urbano do Programa Operacional Regional do Norte – NORTE2020.

SÉNIORES DE VIEIRA DO MINHO DIVERTEM-SE NA QUINTA DO CUZEIRO EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Seniores Vieirenses em convívio na Quinta do Cruzeiro

Cerca de 400 utentes dos Centros de Convívio e Lazer, das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS´s) e da Universidade Sénior de Vieira do Minho rumaram, ontem, a Vila Praia de Âncora para participar num convívio sénior.

DSC_8132

A  iniciativa foi organizado pela Câmara Municipal de Vieira do Minho com o intuito de promover o convívio e a confraternização entre a população do Concelho.

Do programa constou um almoço na Quinta do Cruzeiro, em Vila Praia de Âncora. A promoção de um convívio saudável num arraial minhoto repleto de alegria, muita música e boa disposição foi o objetivo da iniciativa promovida pelo Município proporcionando um dia diferente, destinado a celebrar o bem-estar da população.

A atividade contou também com a presença do presidente da Câmara Municipal, António Cardoso, que fez questão de acompanhar os seniores neste dia.

Neste convívio, o autarca vieirense salientou a importância desta iniciativa lúdica, no sentido de garantir o bem-estar da população sénior, já que para muitos deles, os convívios são os únicos momentos para se divertirem.

Estas ações assumem especial importância por permitirem aos seniores preencher o tempo livre e possibilitar a convivência entre todos.

Foi com certeza um dia inesquecível e de franca confraternização, onde os laços de amizade, afeto e sociabilidade saíram fortalecidos.

Esta iniciativa foi concretizada em ligação com todas as Juntas de Freguesia e IPSS’s e é apenas mais um momento que se insere num vasto conjunto de iniciativas que o Executivo Municipal desenvolve para promover uma inserção ativa dos seniores.

DSC_8205

ETNOGRÁFICO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA É UM DOS MAIS LÍDIMOS REPRESENTANTES DO FOLCLORE DO MINHO

O ÂncoraFolk é um dos mais prestigiados festivais de folclore que se realizam no Minho, numa iniciativa do Etnográfico de Vila Praia de Âncora

O Etnográfico de Vila Praia de Âncora foi fundado em Março de 1976 por um grupo de Ancorenses, onde assumiu papel de destaque o saudoso José Augusto Brito Meira. É um grupo que representa o Alto Minho, com especial destaque para a vertente poente da Serra d'Arga considerada a região de Portugal mais rica em folclore e etnografia. É considerado Instituição de Utilidade Pública e está filiado no INATEL. Foi membro fundador da Federação do Folclore Português.

Etnográfico 2

Mar, rio, longo areal, verdes campos cultivados, pinhais verdejantes!

Região povoada desde os alvores do Mundo.

Ao longo da praia encontram-se os “picos Ancorenses” do período paleolítico, marca inconfundível dos primeiros homens que a pisaram. No sublime e mágico Vale do Âncora onde corre o nosso Rio Âncora, surge-nos na entrada o Dólmen da Barrosa, sobrevivência do Megalítico. A Idade Média e o seu fervor religioso são assinalados pela ermida de S. Pedro de Varais, românica, que nos contrafortes da Serra de Arga espreita cuidadosamente o Oceano Atlântico.

Vila Praia de Âncora é uma Vila repleta de tradições e encantos que acolhe os seus visitantes de braços abertos, oferecendo-lhes lições de História viva e uma Praia de encantar, a Praia das “Crianças”.

Etnográfico 4

Ao longo destes 42 anos de intensa actividade ininterrupta, o grupo tem levado o folclore do Alto-Minho, da vertente poente da Serra de Arga, a todo Portugal Continental e à Ilha da Madeira, bem como, a alguns países Europeus como é o caso: Espanha, França, Andorra, Bélgica, Alemanha, Suíça, Holanda, Itália, Jugoslávia, Hungria e Áustria.

Organizou e organiza festivais de folclore nacionais e internacionais de elevado sucesso, entre muitos outros eventos.

O Etnográfico organiza-se em três sectores: Tocata, cantata e dança. Os instrumentos utilizados na tocata são: Concertina, acordeão, viola, cavaquinho e ferrinhos. A cantata canta os temas tradicionais da região e na dança pode-se apreciar danças como o vira, a gota ou a chula entre outras. Outra da riqueza etnográfica são os trajos, onde assumem destaque os de “Festa” e os de “Trabalho”.

O Etnográfico apresenta-se também, sempre que solicitado, numa outra vertente tradicional que tem a ver com o mar e os pescadores, tendo feito uma recolha dos cantares, danças e trajos vareiros usados em Vila Praia de Âncora, uma justa homenagem aos Homens do mar.

Conquistou inúmeros prémios nacionais e internacionais e desde 1989 por despacho do então Primeiro-ministro Prof. Doutor Aníbal Cavaco Silva, é considerado Instituição de Utilidade Pública.

O Etnográfico de Vila Praia de Âncora é uma verdadeira explosão de fogo-de-artifício, dado o colorido dos seus trajos, a alegria dos cantares, a vivacidade das suas músicas e a subtileza dos seus dançarinos – eis o Etnográfico de Vila Praia de Âncora!

Etnográfico 5

Mas, sendo o Etnográfico de Vila Praia de Âncora a entidade organizadora de um dos mais grandiosos e conceituados festivais de folclore do nosso país – o Âncora Folk 2018 – não podíamos deixar de referir aqui esse grande evento que todos os anos se vem realizando junto à capela de Nossa Senhora da Bonança, a Padroeira das gentes do mar desta linda terra.

Tal como foi dito, o Âncora Folk é um festival organizado pelo Etnográfico de Vila Praia de Âncora e tem como principal objectivo divulgar e celebrar o folclore, dando a conhecer outros grupos, outras músicas e sonoridades, danças, trajes, em suma, outras culturas.

A própria palavra folclore, significa isso mesmo, o saber do povo - FOLK (povo) e LORE (conhecimento) ou seja, o folclore é parte essencial da cultura de cada povo.

Esta iniciativa conta já com 4 anos de existência e, pela qualidade dos grupos que cá tem trazido, é hoje considerado um evento de excelência em franco crescimento, no sentido em que procura ir sempre mais além, e é nesse espírito que alargou fronteiras e saiu do concelho de Caminha.

Este ano, como o BLOGUE DO MINHO oportunamente noticiou, o Âncora Folk´18 contou com a participação do Servia – Associação Cultural Laza Nancic; Roménia – Grupo folclórico FIII CAMARASULUI; Espanha – Asociación Cultural XINGLAR – Zaragoza e, naturalmente, o anfitrião Etnográfico de Vila Praia de Âncora.

O prestígio deste evento tem vindo a ser de tal ordem que, para além do incondicional apoio da Câmara Municipal de Caminha, contou ainda com o apoio da Câmara Municipal de Ponte da Barca, da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora e ainda do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais de Caminha, sinais indicadores da sua rápida expansão a toda a região.

Etnográfico 1

27173823_1581656808555509_4942603461074005132_o

27024003_1581655051889018_7804516707496644073_o

Etnográfico 3

EXECUÇÃO DA REDE DE SANEAMENTO DE VILAR DE MOUROS APROXIMA-SE DO FINAL

Valas já estão a ser pavimentadas

A execução da rede de saneamento de Vilar de Mouros aproxima-se da reta final com os trabalhos de pavimentação das valas nas principais artérias da freguesia. Trata-se de um investimento que ronda os 800 mil euros e que vai garantir a qualidade do serviço prestado às populações e a sustentabilidade dos sistemas.

vilar de mouros (5)

Esta obra prende-se com a construção das infraestruturas em “Baixa” do Saneamento da Freguesia de Vilar de Mouros, da “EE 01, EE02 e EE03 e conduta elevatória e emissário “em alta” que coletarão as redes em causa, transportando os efluentes até à EE de Lanhelas.

 A execução da Rede de Saneamento da Freguesia de Vilar de Mouroséfinanciada pelo POSEUR em 85% e o restante pelo Município de Caminha.

Dotar as freguesias do concelho das infraestruturas necessárias para melhorar a qualidade de vida dos munícipes é uma das apostas do executivo caminhense. São muitas as obras já efetuadas, como por exemplo: execução da rede de drenagem da Ribeira das Preces, em Moledo; rede de saneamento zona Sul Vila Praia de Âncora, Vile e Riba de Âncora; execução da rede de saneamento da Meia Légua em Moledo; execução da "Infraestrutura em "Baixa" do subsistema de Aspra, Viso e Currais - 1.ª fase", na freguesia de Âncora, entre outras.

Para além da execução da Rede de Saneamento de Vilar de Mouros, outras obras estão a ser realizadas. Exemplo disso são as empreitadas de construção da rede de saneamento e sistemas de interseção e elevação de Argela e de Aspra, Viso, Currais e Igreja, na freguesia de Âncora. Estas obras são financiadas pelo POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos