Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

RÉPLICA 3.1 FAZ ESTREMECER FAMALICÃO

CLOSE-UP – Observatório de Cinema com mais propostas

Este mês, a cidade de Vila Nova de Famalicão será abalada por uma réplica de intensidade 3.1 na escala cinematográfica aberta, seguida de tsunami cultural. Trata-se da primeira réplica do terceiro episódio do CLOSE-UP – Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão que se realizará nos dias 19 e 22 de janeiro, na Casa das Artes.

image001.jpg

Recorde-se que entre 13 e 20 de outubro, em vários espaços da Casa das Artes, projetou-se o terceiro episódio do CLOSE-UP – Observatório de Cinema de Famalicão, com 40 sessões comentadas, sob o mote do Lugar, cruzando cinema contemporâneo com trilhos pela história do Cinema (ver www.closeup.pt).

Agora, nos dias 19 e 22 de janeiro, serão apresentadas, como a primeira réplica do episódio, quatro sessões, com propostas para as escolas e para o público geral.

Para o público geral, continuamos a percorrer lugares, no cruzamento da curta A VER O MAR – destaque para a presenças dos realizadores – com a longa COLUMBUS, documentário e ficção, pessoas e personagens em diálogo com paisagens marítimas e cenário urbano; voltamos à secção Infância e Juventude, com uma das bandeiras da nova vaga japonesa, a segunda longa de Nagisa Oshima, CONTOS CRUÉIS DA JUVENTUDE, a dar corpo ao desencanto da juventude japonesa no pós-guerra.

Já para o público escolar, a mitologia celta da Irlanda na animação A CANÇÃO DO MAR é dirigida para alunos dos 1.º e 2.º ciclos; o humanismo do finlandês Aki Kaurismäki, com a crise dos refugiados na ordem do dia, em O OUTRO LADO DA ESPERANÇA, está apontada para os alunos do 3.º ciclo e do secundário.

Programação

19.Jan – 15h00 – Pequeno Auditório – COLUMBUS de Kogonada + A VER O MAR de Ana Oliveira, André Puertas e Sara Santos (secção O Lugar), com a presença dos realizadores de A Ver o Mar

19.Jan – 18h00 – Pequeno Auditório – CONTOS CRUÉIS DA JUVENTUDE de Nagisa Oshima (secção Infância e Juventude)

22.Jan – 10h00 – Grande Auditório – O OUTRO LADO DA ESPERANÇA de Aki Kaurismäki - sessão para escolas (3.º ciclo e secundário)

22.Jan – 15h00 – Grande Auditório – A CANÇÃO DO MAR de Tomm Moore (versão portuguesa) - sessão para escolas (1.º e 2.º ciclo)

Atenção: As inscrições para escolas terminam a 16 de Janeiro

A Canção do Mar (1).jpg

A Ver o Mar (1).jpg

Columbus (1).jpg

Contos Cruéis da Juventude.jpg

image002.jpg

O Outro Lado da Esperança (1).jpg

FAMALICÃO REJEITA COMPETÊNCIAS SEM GARANTIAS

Câmara vai rejeitar transferência de competências proposta pelo Governo para 2019

 “Porque se tratam de tarefas e não de competências e ainda por cima desacompanhadas das indispensáveis garantias para a sua execução”, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai recusar assumir em 2019 a transferência das competências para as autarquia locais veiculadas pelos 11 diplomas sectoriais publicados.

DSC_7762.jpg

A proposta para a não aceitação das competências propostas pelo Governo por parte de Vila Nova de Famalicão faz parte da agenda de trabalhos da próxima reunião do Executivo Municipal, agendada para quinta-feira, 10 de janeiro, e deverá ser aprovada pela maioria que suporta a coligação encabeçada pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

“Uma questão de coerência connosco próprios, mas acima de tudo de respeito para com a nossa comunidade”, adianta Paulo Cunha, afirmando não poder aceitar que o “Estado despeje tarefas nas autarquias sem lhes garantir as condições para a sua execução”.  Paulo Cunha lembra que a “aprovação da Lei-Quadro de Descentralização aprovada no ano passado, pressupunha a aprovação dos decretos-lei sectoriais e os envelopes financeiros associados a cada autarquia com a identificação das verbas por área de competências, o que ainda não aconteceu de uma forma clara e objetiva, para além de ainda não terem sido promulgados todos os diplomas previstos”.

“Pedem-nos que passemos um cheque em branco, o que vai contra os mais importantes princípios que temos que respeitar enquanto autarcas. O compromisso que temos para com a nossa comunidade é da máxima responsabilidade e aceitar estas tarefas nos moldes em que nos são propostas seria uma irresponsabilidade da nossa parte”,acrescenta o autarca famalicense.

“Defendemos a descentralização de competências há muitos anos e estamos perfeitamente cientes que as autarquias locais reúnem todas as condições para fazer um trabalho de proximidade e de rigor com mais e melhores resultados para a população do que tem acontecido até agora com uma administração publica demasiado centralizadora, mas numa matéria tão importante, não podemos entrar no jogo do faz de conta.”  

As competências em causa nos decretos-lei que o município vai recusar para já são multissectoriais e abrangem domínios como as vias de comunicação, estruturas de atendimento ao cidadão, habitação, património imobiliário público, justiça, apoio aos bombeiros voluntários e estacionamento público.

Quanto às competências de natureza intermunicipal, que prevê a transferência para as entidades intermunicipais, o município famalicense remete para a Assembleia Municipal a decisão quanto à sua aceitação, conforme decorre da legislação. Estão neste lote competências como o domínio da promoção turística, justiça, projetos financiados por fundos europeus e programas de captação de investimento e apoio às corporações de bombeiros.

FAMALICÃO REÚNE AUTARCAS

Autarcas famalicenses renovam compromisso de cumplicidade comunitária. Jantar de autarcas reuniu representantes de todas as freguesias do concelho

Porque uma família precisa de se reunir à sua volta para estreitar cumplicidades, reforçar compromissos e afinar afinidades, a família autarca famalicense não arranca para um novo ano sem se juntar sobre si própria. O momento de confraternização e partilha entre autarcas das diversas juntas de freguesia famalicenses decorreu na passada quinta-feira, 3 de janeiro, no habitual jantar de Reis, que decorreu em Calendário.

AFS_6019.jpg

A anfitriã Estela Veloso, presidente da União de Freguesias de Calendário e Famalicão, falou num momento que inspira “paz e amizade” entre os diversos elementos do agregado autárquico, “condições essenciais para conseguirmos fazer mais pelas nossas comunidades”.

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, falou igualmente num momento de cumplicidade entre uma “família que está cada vez mais próxima, disponível e aberta para uma ação autárquica concertada”“Sabemos as dificuldades que nos esperam ao longo do ano e os meios de que dispomos, sendo importante reforçar a coesão para concretizar a gestão do ano autárquico”, acrescentou.

Paulo Cunha renovou a disponibilidade da autarquia em prosseguir com o reforço de competências para as juntas de freguesia e para as comunidades locais através das Comissões Sociais Interfreguesias na sequência do Plano de Desenvolvimento Integrado em curso, mas garantiu que a “Câmara Municipal nunca delegará responsabilidades nas juntas, ou quaisquer outros movimentos associativos do concelho, sem assegurar os respetivos e indispensáveis meios e condições para o seu desenvolvimento”.

AFS_5980.jpg

FAMALICÃO APOIA DESPORTO

Câmara de Famalicão canalizou em 2018 mais de 2 milhões para o desporto. Números referentes aos apoios e subsídios aprovados nas reuniões do executivo municipal

Mais de dois milhões de euros. Foi este o valor atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão em apoios e subsídios a associações desportivas, clubes e atletas do concelho durante o ano de 2018.

Apoios aprovados abrangeram as mais variadas modalidades.jpg

Depois de ter terminado o primeiro semestre do ano com mais de um milhão de euros aprovados para o desporto famalicense, nos últimos seis meses de 2018 o executivo municipal liderado por Paulo Cunha deu continuidade à aposta que tem feito na área desportiva com a atribuição de mais um milhão de euros. 

Os apoios ao desporto aprovados nas reuniões de câmara entre os meses de julho e dezembro abrangeram as mais variadas modalidades – dança, futebol, futsal, hóquei, basquetebol, ténis, atletismo, ciclismo, entre outras – e destinaram-se, entre outros fins, ao desenvolvimento das atividades e formação desportiva dos clubes; ao pagamento de inscrições federativas e seguros de atletas; à organização de eventos desportivos; à concretização de obras de requalificação e de manutenção de espaços e equipamentos desportivos, à constituição de novas coletividades.

Destaque, por exemplo, para o apoio financeiro, no valor de 160 mil euros, para as obras de beneficiação das instalações desportivas do Riba de Ave Hóquei Clube, e para os apoios destinados à organização de vários eventos desportivos no concelho, como são disso exemplo a 5.ª Meia Maratona de Famalicão, a São Silvestre de Famalicão, o Famalicão Extreme Gaming, a Especial de Riba de Ave, entre outros.

Uma aposta que, diz Paulo Cunha, é para manter. “As coletividades desportivas desempenham um papel importantíssimo no dia-a-dia da nossa comunidade. Por isso, esta é uma aposta que se deve manter, ampliando e cuidando do nosso parque desportivo, estimulando o crescimento e o sucesso das nossas associações, clubes e atletas e apoiando a organização de eventos em todo o concelho”, disse o autarca.

FAMALICÃO INVESTE NA ILUMINAÇÃO

Famalicão reforça segurança nas passadeiras com instalação de sistemas inteligentes de iluminação. Autarquia investiu mais de 300 mil euros em 2018

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão está a desenvolver um reforço da segurança das passadeiras que atravessam as estradas do concelho, através do desenvolvimento de um Plano de Segurança Rodoviária assente na instalação de sistemas inteligentes de iluminação, no aumento da iluminação vertical e horizontal e na sobreelevação do piso, abrangendo todo o território municipal.

DSC_2216.JPG

As medidas a aplicar são ajustadas em função do contexto de localização da cada uma das travessias pedonais e procuram garantir por um lado uma maior visibilidade ao condutor da existência de peões na travessia e obrigar à moderação da velocidade na proximidade das mesmas.

O objetivo é, de acordo com o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “reforçar a segurança dos peões nos atravessamentos, tornando as vias do concelho mais seguras para todos”. Neste âmbito foram colocadas recentemente no concelho 84 passadeiras com lomba, 102 passadeiras com sistema de iluminação LED e painel solar, 2 passadeiras eletrificadas e 4 passadeiras com eletrificação inteligente, perfazendo um investimento superior a 300 mil euros

A Avenida de França, na proximidade da zona escolar, por exemplo, está agora equipada com um equipamento tecnológico que transforma as passadeiras de peões sem gestão de tráfego, em passadeiras seguras e inteligentes, através de um sistema inovador, que alerta os condutores quando um peão vai atravessar aquela passadeira com recurso a sensores. Também na Avenida Marechal Humberto Delgado já é possível perceber o efeito deste esforço com a eletrificação das passadeiras  que a atravessam,  tornando-as muito mais visíveis aos condutores do que o eram até agora.  

O programa vai continuar a ser desenvolvido durante o ano de 2019, prevendo-se novos investimentos com vista ao reforço da segurança das pessoas, reforço que tem sido assegurado também através da execução de um vasto conjunto de obras na requalificação de vias municipais com melhoramento de pavimento e criação de passeios para peões.

“As estradas são tanto dos veículos como dos peões.  A nossa grande preocupação é dotar as estradas de condições de acessibilidade para que todos as possam utilizar com o máximo de segurança possível , refere o Presidente da Câmara Municipal Paulo Cunha.

FAMALICÃO: OPERÁRIO FUTEBOL CLUBE INAUGURA SEDE EM FAMALICÃO

O sexagenário Operário Futebol Clube continua a crescer. Clube famalicense inaugurou este sábado, dia 5, a sua nova sede social

“Com passos seguros, construímos o futuro”. A frase visível numa das paredes da nova sede do Operário Futebol Clube é uma espécie de lema para o clube famalicense, que este fim-de-semana viu concretizado mais um sonho de longa data.

image59597.jpeg

O clube de Mões inaugurou no passado sábado, 5 de janeiro, a sua nova sede, um espaço construído com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e que, para além dos serviços administrativos, conta também com uma sala de troféus onde estão alojados as centenas de galardões conquistados pela coletividade ao longo dos seus quase 60 anos de existência.

image59600.jpeg

Este novo equipamento, cuja construção contou com um apoio municipal de 50 mil euros, vem, segundo Paulo Cunha, fazer jus à importância social que o Operário Futebol Clube representa para o concelho.

“É um clube com muitos anos de história, com pergaminhos, conquistas e resultados e com um histórico muito importante ao nível do dirigismo associativo. O Operário foi percursor no concelho na aposta na formação e nas infraestruturas. É um clube notado no concelho e no distrito e tenho a certeza que estas novas instalações vêm reforçar esta instituição, dando-lhe maturidade e condições para continuar com o processo que iniciou há quase 60 anos”, disse o autarca.   

Refira-se que o clube aproveitou ainda o dia de festa para homenagear um dos seus ex-dirigentes, José Gomes, atribuindo o seu nome à recém-inaugurada Sala de Trofeús.

O atual presidente do Operário, José Augusto, fala num sonho tornado realidade e aponta já novos desafios para o futuro da associação. “Vamos agora dedicar-nos a outros projetos, como é o caso da necessidade premente que temos de substituir o nosso relvado sintético”, disse.

Sobre a nova meta do clube, Paulo Cunha garantiu o apoio por parte da Câmara Municipal.“Sabemos que os relvados não são eternos, temos vindo a proporcionar a manutenção devida para que tenham a maior longevidade possível, mas se realmente chegarmos à constatação que o piso chegou ao seu término, cá estaremos para apoiar como sempre o fizemos”, garantiu.  

Refira-se que o Operário Futebol Clube, associação desportiva sediada na freguesia de Vila Nova de Famalicão e fundada a 1 de janeiro de 1960, tem vindo a dinamizar a atividade desportiva junto da população desta freguesia e de freguesias vizinhas, dedicando-se, especialmente, à modalidade de futebol, na qual disputa competição federada com todos os escalões de formação e uma equipa de seniores.

image59606.jpeg

FAMALICÃO SOMA E SEGUE NO PÓDIO DAS EXPORTAÇÕES

Publicação do INE confirma Famalicão com uma “locomotiva económica” de Portugal 

Em matéria de exportações nacionais, o município de Vila Nova de Famalicão mantêm-se imbatível a Norte, continuando a ocupar o pódio dos maiores exportadores do país. A publicação recente da edição 2017 dos Anuários Estatísticos Regionais por parte do Instituto Nacional de Estatística (INE), revela um novo crescimento das exportações famalicenses na ordem  dos 2,95 por cento relativamente ao ano anterior e mostra que Vila Nova de Famalicão por si só assegura 3,6 por cento das exportações nacionais.

DSC_0017.JPG

Com um volume total de exportações colado aos dois mil milhões de euros (1.998,077), e um volume de importações ligeiramente superior a mil milhões (1.156,366), o município famalicense mantem a proeza de exportar muito mais do que aquilo que importa o que mantêm também neste índice no pódio dos municípios com a balança comercial mais favorável do país.

A performance de Vila Nova de Famalicão impressiona ainda mais comparados os números da sua prestação com os números totais dos oito municípios da NUTIII Ave, com o município famalicense a assegurar praticamente metade das exportações globais desta sub-região estatística portuguesa a que pertence. 

A força exportadora do município famalicense não é propriamente uma novidade, mas “o crescimento constante ao longo dos anos, inclusivamente na altura da maior retração económica provocada pelas crises nacionais e internacionais, aponta para um força económica perfeitamente solidificada e em inovação constante” refere o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “muito orgulhoso do tecido empresarial famalicense e dos recursos humanos que o território empresta às empresas e as faz alavancar para estes registos fantásticos”. Refira-se a propósito que entre 2012 e 2017 as exportações famalicenses subiram todos os anos, representando um crescimento global de  27,5 por cento. 

Recorde-se que a tendência de crescimento do ímpeto empreendedor de Vila Nova de Famalicão ficou também recentemente bem patente nos dados provisórios lançados  pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) relativos aos primeiros nove meses do ano passado (2018), que confirmaram um saldo positivo de 199 novas empresas criadas no concelho (nasceram 309 e fecharam 110), numa média de 34 por mês.

Também ao nível da taxa de desemprego, Vila Nova de Famalicão tem-se mantido sempre abaixo da média nacional.

Para estes resultados contribui um vasto universo de empresas multifacetado, com particular incidência no têxtil – a cidade assume-se mesmo com a Cidade Têxtil de Portugal em virtude de um cluster completo existente no território -, no agroalimentar e na metalomecânica.

Vila Nova de Famalicão é sede de algumas das maiores e mais conceituadas empresas a produzir em Portugal, como a  incontornável Continental Mabor – a 4.ª empresa mais exportadora do país, a ROQ  -  empresa mais rentável entre as produtoras de bens - a Têxtil Manuel Gonçalves, a Coindu, a Leica, a AMOB, a Riopele, a Primor, a Porminho, a Aco Shoes, a Salsa, a Olbo & Mehler, o grupo RNM e a Tiffosi, entre tantas outras. Muitas destas empresas têm sido notícia frequente pelos produtos e projetos inovadores que têm apresentado ao mundo a partir de Vila Nova de Famalicão.

FAMALICÃO: OPERÁRIO FUTEBOL CLUBE INAUGURA NOVA SEDE

Este sábado, dia 5 de janeiro, pelas 18h30, com a presença de Paulo Cunha

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, inaugura este sábado, dia 5 de janeiro, pelas 18h30, a nova sede social do Operário Futebol Clube, nas instalações do clube, sita na Rua Manuel Trovisqueira, em Mões.

IMG_0200.JPG

A construção do novo equipamento de apoio do clube famalicense contou com um apoio municipal de 50 mil euros e, para além dos serviços administrativos e sala de reuniões, terá também uma sala de troféus.

Refira-se que o Operário Futebol Clube, associação desportiva sediada na freguesia de Vila Nova de Famalicão e fundada a 1 de janeiro de 1960, tem vindo a dinamizar a atividade desportiva junto da população desta freguesia e de freguesias vizinhas, dedicando-se, especialmente, à modalidade de futebol, na qual disputa competição federada com todos os escalões de formação e uma equipa de seniores.

FAMALICÃO: BIBLIOTECA CAMILO CASTELO BRANCO CATIVA BEBÉS ATÉ AOS 2 ANOS DE IDADE

Bébeteca com mais de 25 sessões de “Letrinhas para bebés” durante o ano

A Bébeteca, o espaço da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco de Vila Nova de Famalicão destinado a bebés até aos 2 anos de idade, retoma em 2019 as suas atividades com as “Letrinhas para Bebés” em mais de 25 sessões ao longo de todo o ano. A iniciativa é destinada aos berçários e creches do concelho (habitualmente duas quintas-feiras por mês) e às famílias (um sábado por mês).

DSC_8582.jpg

Em Janeiro, irão decorrer três sessões de “Letrinhas para bebés” inspiradas no livro “Não abanem o barco”, de Sally Grindley. A obra conta a história de um gato que queria chegar ao aniversário do Burro Cenoura e pelo caminho, encontra montes de animais que lhe pedem para ir. Mas ele diz sempre: “Não abanem o barco!”. Os animais cada vez vão abanando mais e deixam o gato preocupado porque ele odeia água.

A primeira sessão acontece já no próximo dia 10 de janeiro (quinta-feira) e as outras duas a 24 de janeiro (quinta-feira) e a 26 de janeiro (sábado). As atividades decorrem na sala de leitura infantojuvenil, pelas 10h15, e têm entrada gratuita sujeita a inscrição e confirmação.

As restantes obras exploradas ao longo do ano são “Vamos à Caça do Urso” de Michael Rosen; “Viva o Peixinho” de Lucy Cousins; Capucinho Vermelho; “Não é uma Caixa”, de Antoinette Portis; “Oh, As Cores!” de Jorge Lujan; “Bentinho, Dentola, Dentão”de José Fanha; “Elmer e o Grande Dia” de David Mckee e o “Sonho de Neve”, de Eric Carle.

O espaço Bebéteca é um serviço da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco destinado a bebés até aos 2 anos de idade, devidamente acompanhados por um adulto responsável. Este espaço, especialmente pensado para esta faixa etária, dispõe de mobiliário colorido e de uma coleção de livros apropriada a este público, que permitem estimular, desde cedo, o gosto pela leitura e pelo livro transformando-o num objeto do quotidiano dos bebés.

A Bebéteca tem como missão motivar, desde cedo, as crianças para a linguagem oral e escrita de forma harmoniosa, envolvendo os bebés no contato com o livro impresso, através da leitura de histórias em voz alta, da exploração de imagens e do manuseamento dos livros.

A Biblioteca dispõe de uma programação vasta e diversificada para todas as faixas etárias, desde a tenra idade como é o caso da Bébeteca até à terceira idade com uma programação repleta de atividades e iniciativas promovidas ao longo do ano.

DSC_8655.jpg

Programa para 2019

NÃO ABANEM O BARCO, DE SALLY GRINDLEY

Berçários e creches

10 e 24 de janeiro, 7 e 21 de fevereiro, 7 e 21 de março

Famílias

26 de janeiro

VAMOS À CAÇA DO URSO, DE MICHAEL ROSEN

Famílias

23 de fevereiro

VIVA O PEIXINHO, DE LUCY COUSINS

Famílias

23 de março

CAPUCHINHO VERMELHO, SEM AUTOR

Berçários e creches

4 e 18 de abril, 2 e 23 de maio, 6 e 20dejunho

Famílias

6 de abril

NÃO É UM ACAIXA, DE ANTOINETTE PORTIS

Famílias

18 de maio

OH, AS CORES!, DE JORGE LUJÁN

Famílias

15 de junho

DENTINHO, DENTOLA, DENTÃO, DE JOSÉ FANHA

Berçários e creches

10 e 24 de outubro, 7 e 21 de novembro, 5 de dezembro

Famílias

19 de outubro

ELMER E O GRANDE DIA, DE DAVID MCKEE

Famílias

16 de novembro

SONHO DE NEVE, DE ERIC CARLE

Famílias

14 de dezembro

Horário | 10h.15

DSC_8656.jpg

CRIANÇAS E SÉNIORES DE FAMALICÃO CELEBRAM OS REIS

Na próxima segunda e terça-feira, dias 7 e 8 de janeiro, duas mil crianças e seniores famalicenses celebram os Reis

O Dia de Reis assinala-se este domingo, 6 de janeiro, e em Vila Nova de Famalicão a tradição cumpre-se na próxima segunda e terça-feira, dias 7 e 8, com o já habitual e tão esperado “Cantar dos Reis”, este ano protagonizado por perto de duas mil crianças e seniores do concelho.

image56015

Os mais pequenos são os primeiros a afinar a voz para desejar um bom ano a toda a comunidade famalicense.

O Cantar dos Reis Infantil vai decorrer na próxima segunda-feira, ao longo de todo o dia, e durante a manhã de terça-feira, no grande auditório da Casa das Artes, com perto de 1100 crianças do pré-escolar e 1.º Ciclo do concelho.

Participam neste momento as seguintes instituições educativas: Centro Escolar de Antas, EB 1º Ciclo de Mões, Associação Gerações, Creche Mãe, EB 1º Ciclo de Valdossos, Creche e Jardim de Infância Sra. da Lapa, Creche e Jardim de Infância Nossa Senhora da Guia, EB 1º Ciclo Conde S. Cosme, Jardim de Infância ACB, Mais Plural, Associação de Moradores das Lameiras e Centro Escolar Luís de Camões.

Já o Cantar dos Reis Sénior decorrerá na terça-feira, 8 de janeiro, a partir das 14h30, no Pavilhão das Lameiras. No total, participam na iniciativa perto de um milhar de seniores, provenientes das várias instituições sociais do concelho.

Recorde-se que o Cantar dos Reis é já uma longa tradição promovida pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

image56045 (1)

FAMALICÃO VAI TER CENTRO DE ATLETISMO

Centro de atletismo de Famalicão ganha forma. Obra deverá ficar concluída em meados de 2020

O final do ano trouxe boas notícias para o desporto em Vila Nova de Famalicão, com o primeiro contacto dos atletas famalicenses com o futuro Centro de Atletismo, que está a nascer em terrenos municipais no lugar do Talvai, zona norte da cidade.

AFS_3753

Numa das últimas semanas de dezembro, as associações do concelho com a modalidade de atletismo e vários atletas acompanharam o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e o vereador do Desporto, Mário Passos, numa visita ao local, onde constataram a aproximação da conclusão da primeira fase das obras. Uma fase que acabou por tornar-se bastante mais demorada do que o previsto em virtude “da complexidade técnica para que as  condições geológicas do terreno remeteram”, como explicou o vereador Mário Passos.

Neste momento, contudo, já é possível antever a forma e a localização precisa da pista de atletismo através dos muros de suporte construídos. O equipamento está a ser construída em estreita colaboração com as associações locais e com a Federação Nacional de Atletismo e, de acordo com os responsáveis, será “uma das melhores do país”.

Com um investimento municipal que deverá se aproximar dos 2 milhões de euros, a infraestrutura será construída em duas fases, sendo que a conclusão da obra está agora apontada para 2020.

Refira-se que a infraestrutura desportiva é composta por pista de atletismo e edifícios de apoio aos atletas e público, onde serão respeitadas as exigências técnicas do Instituto Nacional do Desporto, estando preparada para competições nacionais e internacionais, obedecendo aos requisitos de ordem técnica prevista no Regulamento da FIAA - Federação Internacional de Atletismo Amador. A Pista de Atletismo é constituída por oito corredores em piso sintético, um campo interior em prado para a prática das diversas disciplinas do atletismo e uma área adjacente para lançamento de martelo, disco e pesos. Todas as modalidades poderão ser praticadas em horários noturnos pois existem 4 torres de iluminação. As bancadas foram redimensionadas para 750 e 350 espetadores, coberta e descoberta, respetivamente. O edifício de apoio à pista será constituído por dois pisos.

Do projeto global faz ainda parte a construção de um Centro de BTT, com um edifício de apoio de um piso e uma área de manutenção de bicicletas com equipamento adequado e localizado numa zona coberta. Na praceta que serve de receção ao centro de BTT está localizada uma pista de Pump Track que servirá de apoio à formação e iniciação do BTT bem como ao aperfeiçoamento da técnica.

Paulo Cunha realça mais uma vez a importância desta infraestrutura para a“democratização desportiva no concelho e para o fomento do desporto profissional em Famalicão, numa área onde já registamos grandes atletas”. Por outro lado, com esta obra“a Câmara consegue reabilitar uma zona até agora desocupada, que dará mais amplitude à cidade”.

1 (15)

FAMALICÃO: RIOPELE ADQUIRE CAPITAL DA IOTECH

Riopele adquire 10% do capital da IOTech

A Riopele acaba de adquirir 10% do capital da IOTech, startup tecnológica instalada na incubadora Famalicão Made IN, em pleno ambiente empresarial proporcionado pelo próprio gigante da indústria têxtil nacional, em Pousada de Saramagos, Famalicão.

IOTech (1)

Esta aquisição atesta não só a qualidade dos projetos da incubadora, mas também os bons resultados da aproximação das startups famalicenses à indústria, objetivo central da criação desta estrutura de incubação e aceleração de ideias de negócio, em 2015, pelo Município de Famalicão, numa parceria com a Riopele.

A IOTech, que desenvolve soluções inteligentes e inovadoras e com valor acrescentado para a indústria, despertou o interesse da Riopele no showcase de apresentação de startups à indústria, perante uma plateia de empresários, mentores e potenciais investidores, em outubro passado, promovido pelo Famalicão Made IN.

“As conversas entre a Riopele e a IOTech avançaram e, na última semana de 2018, foi confirmada a aquisição de 10% do nosso capital pela Riopele”, explica Filipe Portela, CEO da IOTech, cujo grupo de acionistas passa assim a ser constituído pelo próprio Filipe Portela (90%) e pela Riopele, na pessoa do seu administrador Bernardino Carneiro, (10%).

Portela agradece a “confiança depositada” e vê a entrada da Riopele na estrutura da startup como “benéfica para ambas as partes”, porquanto possibilitará “mais cooperação, expansão de clientes, abertura a novos mercados e uma maior oferta de serviços”.

“Neste momento, falta apenas concluir a alteração da denominação social para IOTECHPIS - Innovation on Technology, Lda”, conclui o jovem engenheiro.

IOTech (2)

FAMALICÃO APOIA CONSTRUÇÃO DO NOVO CAMPUS DE ENSINO PROFISSIONAL E ARTÍSTICO

Câmara apoia Artave na construção do novo Campus de Ensino Profissional e Artístico. Equipamento vai nascer nas instalações da antiga Cegonheira, no coração da zona escolar da cidade, pela mão da ARTAVE

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai apoiar em quase dois milhões de euros a construção de um Campus de Ensino Profissional e Artístico do concelho que vai nascer no coração da zona escolar de Famalicão, nas instalações da antiga fábrica de metalomecânica Cegonheira.

AFS_6665

A obra, que totaliza um investimento na ordem dos 6 milhões e 500 mil euros, será executada pela ARTEMAVE – Associação de Promoção das Artes e Música do Vale do Ave, entidade proprietária da ARTAVE - Escola Profissional Artística do Vale do Ave, e pelo INFORARTIS – Instituto de Formação Artística do Vale do Ave, entidade proprietária do CCM – Centro de Cultura Musical.

Na prática, a atribuição deste subsídio, aprovado na última reunião do executivo municipal, no passado dia 20 de dezembro, prevê a transferência da verba que atualmente o município despende com o aluguer das atuais instalações da escola, na Rua Adriano Pinto Basto, para o novo equipamento, onde vai nascer, entre outras valências, as novas instalações escolares da ARTAVE/CCM.

Por isso, a verba aprovada vai materializar-se em tranches mensais de 8 mil euros, ao longo de 232 meses, e terá efeito a partir do momento em que a ARTAVE e o CCM passarem a ocupar as novas instalações, o que significa que a autarquia vai garantir um novo equipamento educativo e cultural de excelência e com uma instituição de ensino de referência internacional associada, sem pagar mais por isso.

No fundo, explica o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “aquilo que a autarquia está a fazer é a aprovar a continuidade do apoio financeiro que atualmente já damos a esta escola profissional e artística do concelho, mas a redirecioná-lo agora exclusivamente para a construção das suas novas instalações”.

O protocolo prevê ainda a cedência do espaço da Antiga Cegonheira adquirido por parte da autarquia, em regime de direito de superfície, à ARTEMAVE e ao INFORARTIS pelo período de 50 anos.

Com este processo, diz Paulo Cunha, “ganha a Artave, que passa a ter condições de excelência para continuar a consolidar o seu projeto educativo, mas ganha também todo o concelho que passa a ter um novo espaço cultural, um novo auditório e uma zona nobre da cidade reabilitada”.

Refira-se ainda que o executivo municipal aprovou também a celebração de um protocolo de parceria entre o Município e as duas entidades com vista à criação de um polo da incubadora Famalicão Made IN nas futuras instalações do Campus do Ensino Profissional e Artístico.

Apoiar empreendedores no processo de desenvolvimento e concretização de ideias e projetos de negócio na área das indústrias criativas ligadas à música e artes é o principal objetivo deste futuro polo de incubação e coworking.

Composto por salas de aula, zonas administrativas e zonas de auditórios, o novo Campus do Ensino Profissional e Artístico abre-se à cidade com um espaço de receção amplo e acessível que preserva vários elementos históricos do edifício relacionando-se com as pessoas e habitantes de Famalicão.

Imagem 3D Campus

EMPRESA FAMALICENSE INVESTE NA RECICLAGEM

Sasia investe dois milhões em nova linha de reciclagem

A Sasia investiu dois milhões de euros numa nova e moderna linha completa de reciclagem, que não só aumenta em 20% a sua capacidade produtiva como ainda melhora a eficiência energética da empresa.

Sasia

Esta nova linha de reciclagem entrou em funcionamento no início deste mês de dezembro e não contou com qualquer financiamento comunitário.

Fundada em 1952, a Sasia dedica-se à reciclagem de desperdícios da indústria têxtil, que transforma em ramas nas cinco linhas de reciclagem da sua fábrica em Ribeirão, Vila Nova de Famalicão. A unidade fabril, que ocupa 15 mil metros quadrados, acolhe 30 trabalhadores, em três turnos.

“Importamos de todo o mundo América Latina e Ásia incluídas, resíduos pré-consumo de algodão ou fibras artificiais que desfibramos e reciclamos em ramas destinadas a segmentos de mercado muito diferentes. Tanto podem ser usadas na construção de pisos de autoestradas, no fabrico de algodão hidrófilo e colchões, ou como matéria-prima pelas fiações”, explica Miguel Ribeiro da Silva, administrador.

A empresa foi uma das parceiras da Riopele no projeto Tenowa, vencedor do Prémio Produto Inovação 2018 atribuído pela COTEC. “Temos sido muito solicitados a colaborar com o nosso know how em projetos sustentáveis. Os consumidores estão cada vez mais preocupados com a escassez de recursos e as empresas procuram corresponder a essa preocupação. A economia circular está na moda, mas nós já somos sustentáveis desde 1952”, sublinha.

A Sasia prevê fechar o exercício de 2018 com um volume de negócios de cinco milhões de euros, dos quais cerca de 50% feito na exportação.

FAMALICÃO DÁ AS BOAS-VINDAS A 2019!

Famalicão brinda à chegada de 2019 com Ciclo de Concertos de Ano Novo Nos dias 5 e 6 de janeiro, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão

Três bandas, três concertos, três boas-vindas ao novo ano que aí vem.

Ciclo de Concertos de Ano Novo (2)

Em Vila Nova de Famalicão a tradição ainda é o que era e manda que se entre em 2019 ao som dos acordes de três das mais prestigiadas bandas filarmónicas do concelho – a Banda de Famalicão, a Banda de Música de Riba de Ave e a Banda Marcial de Arnoso.

Nos dias 5 e 6 de janeiro, sábado e domingo, o muito esperado Ciclo de Concertos de Ano Novo regressa à Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

A Banda de Famalicão, dirigida pelo maestro Armando Teixeira, é a primeira a subir ao palco do grande auditório do espaço cultural famalicense, no sábado, dia 5, pelas 16h30. Para o mesmo dia, mas às 21h30, está agendada a atuação da Banda de Música de Riba de Ave, dirigida pelo maestro Hugo Ribeiro. A Banda Marcial de Arnoso, conduzida pelo maestro José Moura, encerra este ciclo de concertos no domingo, dia 6, pelas 16h30.

Todos os concertos vão ter lugar no grande auditório da Casa das Artes e têm entrada gratuita, sujeita à lotação da sala e mediante levantamento de bilhete a partir desta quinta-feira, dia 27 de dezembro, na bilheteira da Casa das Artes.

Ciclo de Concertos de Ano Novo (1)

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO LANÇA CONCURSO PARA NOVA ACESSIBILIDADE À NACIONAL 14

Nova artéria fará a ligação entre a nova rotunda no Lugar de Santana, em Ribeirão, e a Rua de Montoito, em Lousado

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou, na reunião do executivo, que se realizou na semana passada, a abertura do concurso público para a construção de uma nova ligação entre a EN14 e as áreas de localização empresarial de Famalicão Sul, intervenção que irá complementar a obra de alargamento e beneficiação da Estrada Nacional 14, que a Administração Central tem em curso em Vila Nova de Famalicão mediante protocolo assinado entre as Infraestruturas de Portugal (IP) e o Município.

Intervenção vai complementar a obra que está a ser realizada na Nacional...

A nova via terá uma extensão de cerca de 1200 metros e terá como objetivo servir uma zona com bastante ocupação industrial, onde se encontram implementadas empresas como, entre outras, a Continental Mabor e a Leica, permitindo uma maior fluidez de tráfego pesado.

O valor base do concurso é superior a 1,2 milhões de euros, apontando para um prazo de execução de 365 dias e para o arranque dos trabalhos em 2019. A via fará a ligação da EN14, na rotunda a realizar pelo IP, à Rua de Montoito, na freguesia de Lousado.

Com a realização desta obra estará dado mais um passo para a resolução do problema do estrangulamento da Estrada Nacional 14 em Vila Nova de Famalicão.

Recorde-se que a intervenção em curso nesta via estruturante da região está a decorrer entre a rotunda sul da Variante Nascente a Famalicão e o lugar de Santana, em Ribeirão, num valor próximo dos 4 milhões de euros. Nesta nova obra, o município assume os custos da empreitada, ficando o IP com a responsabilidade pela construção da rotunda de Santana que fará a ligação entre a EN e a nova artéria, num investimento estimado de 600 mil euros.

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE FAMALICÃO VISITA DOENTES NO CENTRO HOSPITALAR DO MÉDIO AVE

Paulo Cunha levou palavra de esperança aos doentes do hospital em nome da comunidade famalicense. Autarca associou-se à tradicional Festa de Natal do Centro Hospitalar do Médio Ave

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, levou ontem, 19 de dezembro, uma mensagem de apoio e esperança aos doentes internados no Centro Hospitalar do Médio Ave de Famalicão. Mantendo a tradição de há muitos anos, Paulo Cunha, juntou-se à direção do Hospital, profissionais e responsáveis hospitalares, na tradicional festa de Natal daquela instituição de saúde.

DSC_1508

A iniciativa arrancou com a celebração de uma eucaristia na Capela do Hospital pelo capelão, Pe. Vitor Agostinho, e desenvolveu-se depois por uma visita aos doentes, altura em que o autarca fez questão de deixar a cada um dos doentes os votos de rápidas melhoras e de boas festas, desejando-lhes um célere regresso para junto suas famílias. Na ala pediátrica, Paulo Cunha distribuiu presentes pelos utentes mais novos.

“É um momento de grande significado e simbolismo, em que, em nome da grande família que é Vila Nova de Famalicão, procuramos estar juntos daqueles que passam por uma situação mais frágil e lhes deixamos uma palavra de conforto e de amizade”, refere a propósito o autarca.

Na próximo dia 24 de Dezembro, Paulo Cunha, vai deslocar-se novamente ao Hospital de Famalicão no âmbito da quadra natalícia, respeitando a tradição que ele próprio iniciou há alguns anos de cumprimentar os profissionais de saúde que vão passar a noite de consoada a cuidar da saúde dos famalicenses.

DSC_1510