Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CASA DA JUVENTUDE DE ESPOSENDE ACOLHE EXPOSIÇÃO DE DESENHO E PINTURA DE JOVENS ARTISTAS DO CONCELHO

exposição6.jpg

“Olhos nus Olhos” é como se intitula a Exposição de Desenho e Pintura patente na Casa da Juventude de Esposende, até ao final do mês de julho.

A mostra reúne obras de diferentes estilos e técnicas, da autoria de jovens artistas do concelho que integram o atelier Oficina das Artes do Centro de Estudos Compêndio, e constitui um tributo aos 50 anos do 25 de Abril, data marcante e inolvidável para a sociedade portuguesa.

Na sessão de abertura da exposição, o Vereador da Juventude, Rui Losa, realçou o talento dos jovens artistas e agradeceu o seu contributo para a dinamização da Casa da Juventude, contribuindo para a dinâmica cultural do concelho, em articulação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.  

A sessão registou uma considerável afluência da comunidade esposendense e contou com a atuação especial do jovem músico Tomás Teixeira, constituindo uma oportunidade para apreciar o talento e a criatividade destes jovens.

A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 19h00, e ao sábado, das 9h00 às 13h00, sendo a entrada gratuita.

exposiçao1.jpg

exposiçao2.jpg

exposição3.jpg

exposiçao4.jpg

exposição5.jpg

exposição7.jpg

ESPOSENDE ACOLHE PEREGRINOS DO CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA NO DIA DE S. TIAGO

Dia S. Tiago (1).jpg

À semelhança de anos anteriores, o Município de Esposende vai assinalar o Dia de S. Tiago, que se comemora a 25 de julho homenageando o padroeiro dos peregrinos, dos alquimistas e dos cavaleiros, através de iniciativas direcionadas para os peregrinos que percorrem o Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela.

Com a colaboração da Associação Via Veteris e da Delegação de Marinhas da Cruz Vermelha Portuguesa, o Município terá um posto de receção aos peregrinos, junto à Ponte D. Luís Filipe (a chamada Ponte de Fão), com oferta de fruta e água, assim como de postais alusivos à data.

Durante o dia 25 de julho, será também possível visitar, no Centro de Informação Turística de Esposende, a exposição “Ecos do Caminho de Santiago”, da autoria de Vitor Machado, uma fusão entre a arte contemporânea e a tradição milenar do Caminho de Santiago.

Ao final do dia, pelas 20h00, no Albergue de São Miguel de Marinhas, será proporcionado aos caminheiros e amigos do Caminho um lanche/jantar, gratuito, que incluirá uma pequena tertúlia e finalizará com a “Queimada Galega”.

No dia 27 de julho, sábado, será realizada uma Caminhada entre o Marco do Caminho de Santiago, em Fonte Boa, e Castelo de Neiva, com passagem fluvial pela Barca do Lago. A concentração terá lugar a partir das 8h00, junto à Igreja de S. Tiago de Castelo de Neiva. As inscrições são gratuitas e limitadas, e poderão ser realizadas através do portal de turismo www.visitesposende.com

No âmbito do trabalho de promoção e divulgação do Caminho Português da Costa, o Município de Esposende está a desenvolver uma campanha de sensibilização junto dos peregrinos que atravessam o percurso no território concelhio alertando para questões de segurança, nomeadamente para os perigos em que incorrem ao caminhar fora dos itinerários certificados. Esta ação é reforçada com a colocação de sinalização especifica para o atravessamento de vias rodoviárias perigosas, na Estrada Nacional 13.

O Caminho Português da Costa está certificado e assinalado em Esposende por vários marcos, placas e setas indicativas do itinerário em território do concelho. Tendo sido usada a Via Veteris, na Idade Média, como forma de chegar a Compostela, foi somente na Época Moderna que ganhou relevo o Caminho Português de Peregrinação à cidade de Santiago, onde jazem os restos mortais do Santo Apóstolo. Por este caminho circulam atualmente milhares de peregrinos que, movidos por diversas formas - a pé, a cavalo, de bicicleta ou até mesmo de barco - seguem as "setas amarelas" sem olhar para trás. Por caminhos esposendenses passaram, quiçá, também alguns monarcas: D. Afonso II, a Rainha Santa Isabel e o rei D. Manuel I, tendo atravessado o Cávado pela Barca (Gemeses - Fonte Boa) rumo a Santiago. Não é por acaso que ainda se observam, em quantidade, as marcas da devoção e evocação deste espírito de peregrinação, patentes em igrejas, alminhas e cruzeiros, um pouco por todo o concelho, nos seus vinte quilómetros, desde Apúlia até Antas. Nomes como "Estrada Real", "Estrada dos Cavaleiros" ou "Estrada Velha" (Karraria Antiqua ou Via Veteris) estão ainda bem presentes e indicam sempre um mesmo sentido.

Desde a sua abertura em maio de 2011, o Albergue de S. Miguel, em Marinhas, tem registado uma procura crescente, ao longo dos anos. Até ao final do 2023, acolheu um total de 41.432 peregrinos, maioritariamente estrangeiros e oriundos, sobretudo, de países como Alemanha, Itália, Espanha, Chéquia, França e Portugal, entre outros. No ano transato registou-se um novo crescimento nas dormidas com um total de 6.290, mais 16% de pernoitas em relação ao ano anterior. Também o Centro de Informação Turística de Esposende tem registado um aumento de procura, com um registo de 5.837 peregrinos em 2023, que se traduz num crescimento positivo de 49% face ao ano anterior.

Os Caminhos de Santiago são cada vez mais procurados, tendo batido todos os recordes no ano passado. Em 2003, acorreram à Oficina do Peregrino, na cidade de Santiago de Compostela, 74.324 mil peregrinos, e, vinte anos mais tarde, em 2023, o registo é de 446.035 peregrinos, na sua maioria espanhóis (cerca de 200.000), seguidos de norte-americanos (cerca de 32.000), italianos (quase 29.000), alemães (24.000) e portugueses (20.968).

O Caminho Português da Costa, qua atravessa o concelho de Esposende, é o terceiro mais percorrido (mais de 52.000 peregrinos) e, em pouco mais de cinco anos, superou os Caminhos Inglês, Primitivo e do Norte.

A estratégia do Município relativa à promoção e divulgação do Caminho Português da Costa insere-se no Plano de Ação para a Sustentabilidade, Crescimento e Competitividade do Turismo em Esposende 2023_2027, cruzando-se com o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

Dia S. Tiago (2).jpg

Dia S. Tiago (3).jpg

Dia S. Tiago (4).jpg

Dia_S.Tiago.jpg

RICARDO DIAS E SARA DUARTE VENCEM 6ª CORRIDA ESPOSENDE MARGINAL À NOITE

EMN24_100.JPG

Esposende voltou a estar no centro das atenções em termos desportivos, no passado sábado, 6 de julho, com a realização da sexta edição da corrida Esposende Marginal à Noite, organizado conjuntamente pelo Município de Esposende e Run Porto.

O evento contou com cerca de 1500 participantes, que fizeram a tradicional prova de 8 quilómetros a correr ou a caminhar, fazendo desta uma das noites mais iluminadas do ano, marcada por cor, música e bastante animação.

Em termos classificativos, no escalão masculino, Ricardo Dias, do C.A. Olímpico Vianense, foi o grande vencedor ao fazer a prova em 00:24:56, tendo sido acompanhado no pódio por Daniel Pinheiro, do PAC Running Academy, com o tempo de 00:24:59, e por Rui Pedro Silva, do CDS Salvador do Campo, que se classificou na terceira posição, com o tempo de 00:25:19.

Já na competição feminina, a primeira a cortar a meta foi Sara Duarte, do SC Braga, que completou o percurso em 00:26:33, seguida de Mónica Silva, do CDS Salvador do Campo, que fez a prova em 00:28:01 e, no terceiro lugar, classificou-se Patrícia Caldas, do SC Braga, com o tempo de 00:29:44.

A campeã olímpica Fernanda Ribeiro e o Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Esposende, Rui Losa, deram o tiro de partida da prova, sendo que a entrega de prémios coube a Rui Losa e Bruno Lemos, representante da IAT, patrocinador do evento.

Esta sexta edição repetiu o sucesso de anos anteriores, tendo sido marcada pela alegria e animação, era notável os sorrisos nos rostos dos participantes e as ruas da cidade brilhavam com as camisolas refletoras e as luzes que foram oferecidas a todos os participantes. Bruno Soares Sax ajudou a criar um ambiente ainda mais animado com a sua música, desde o aquecimento aos momentos que antecederam a cerimónia de pódio.

A corrida Esposende Marginal à Noite integra o calendário de eventos desportivos 2024 do Município de Esposende, enquadrando-se no Plano Estratégico de Desenvolvimento Desportivo de Esposende (PEDDE). Sob o mote “Esposende Naturalmente é Desporto”, o Município prossegue esta aposta estratégica, que alia o fomento da prática desportiva à promoção do território concelhio e à dinamização da economia local, visando ainda o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

EMN24_8.JPG

EMN24_13.JPG

EMN24_45.JPG

EMN24_70.JPG

EMN24_71.JPG

EMN24_74.JPG

EMN24_96.JPG

EMN24_158.JPG

EMN24_189.png

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE PROMOVE MAIS UMA FEIRA DE ADOÇÃO ANIMAL

feira adoção animal.JPG

13 de julho – Parque Paulo Gonçalves

No âmbito do Plano Municipal de Bem Estar Animal, o Município de Esposende vai realizar no próximo dia 13 de julho, sábado, mais uma Feira de Adoção Animal, que decorrerá entre as 14h30 e as 17h00, no Parque Paulo Gonçalves, em Esposende.

A iniciativa visa promover a adoção de animais, incentivando a população a acolher, de forma responsável, animais recolhidos das ruas, depois de devidamente esterilizados, vacinados e microchipados.

Para além do Gabinete de Proteção Animal e Veterinária do Município, estarão presentes associações de animais e centros de atendimento médico veterinários. Haverá, ainda, espaço para a demonstração de exercícios de obediência canina, entre outros.

Este evento constitui mais um meio para sensibilizar para o bem-estar dos animais de companhia e para a adoção responsável. Assim, estarão disponíveis para adoção alguns animais, bem como outra informação relevante para todos aqueles que pretenderem adotar um animal.

Em matéria de proteção e bem-estar animal, o Município tem vindo a desenvolver um vasto e amplo trabalho, tando ao nível da sensibilização como relativamente à adoção e esterilização. Relativamente ao ano 2023, foram recolhidos 112 cães e 116 gatos, tendo sido concretizadas 82 adoções de cães e 44 de gatos e esterilizados 67 cães e 93 gatos. Os dados dão ainda conta de 149 gatos intervencionados ao abrigo de programas CED – Captura, Esterilização e Devolução e, relativamente a cães, há registo de vacinação antirrábica a 310 animais, de identificação eletrónica a 86 e de emissão de 195 boletins.

Toda esta intervenção reflete-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Agenda 2030 da ONU, Saúde de Qualidade (ODS 3), Educação de Qualidade (ODS 4), Cidades e Comunidades Sustentáveis (ODS 11) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

feira adoçao.jpg

ESPOSENDE E A ROMARIA DE SÃO BARTOLOMEU DO MAR – FOTOS DE LUÍS EIRAS

CapturarEIRAS2 (3).JPG

“A origem do nome não é consensual entre os investigadores. O primitivo nome era S. Bartolomeu de Vila d’Atam – antropónimo da Reconquista. Por volta do séc. XIV este nome cai em desuso e no início do séc. XVI aparece referenciada como S. Bartolomeu das Marinhas (atividade salineira). Em 1572, na Carta Régia que D. Sebastião elevou Esposende a vila, já vem referenciada como S. Bartolomeu do Mar.”

“Desde o século XVI que a Romaria de São Bartolomeu do Mar é conhecida pelo transporte do pito preto pelos pais e pelas crianças dando três voltas à igreja e que passem outras tantas vezes por baixo do andor. O acto seguinte leva que vão à praia furar as ondas do mar num número impar, naquele que é chamado o banho santo.

Esta é uma das romarias maiores do norte do país com uma procissão que apesar de ter apenas dois quilómetros que leva da igreja à praia e o percurso inverso demora cerca de duas ou três horas tendo centenas de figurantes que reconstituem episódios bíblicos.

Todos os dias de festas é registado um magnifico fogo de artifício pela meia noite antecedido por concertos de grupos musicais.”

Fonte: Câmara Municipal de Esposende

CapturarEIRAS5 (12).JPG

PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ESPOSENDE INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO DO CENTRO PAROQUIAL DE S. BARTOLOMEU DO MAR

_DSC9631.jpg

Benjamim Pereira anunciou novos investimentos no território concelhio

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, presidiu hoje à cerimónia de inauguração das obras de requalificação do Centro Paroquial de S. Bartolomeu do Mar, para as quais o Município contribuiu com 100 mil euros.

Numa altura em que se prepara para dar início a um périplo de visitas às freguesias do concelho, para aferir no terreno os projetos em curso e avaliar as necessidades das populações, Benjamim Pereira avançou em Mar a concretização de um conjunto de investimentos que se juntam a outros concretizados recentemente, nomeadamente o apoio à obra hoje inaugurada, à requalificação do Pavilhão do Centro Social de Mar e da Rua Adfora.

Em resposta aos responsáveis da Junta da União das Freguesias de Belinho e Mar, o autarca assegurou que o Município está disponível para concretizar a tão ambicionada intervenção de ligação do adro da Igreja ao Centro Paroquial, criando o exigido e necessário estacionamento, cuja carência se faz sentir com particular incidência por ocasião da romaria de S. Bartolomeu do Mar.

Benjamim Pereira garantiu também que será concretizada a obra de alargamento do cemitério e a requalificação da sede dos escuteiros e anunciou que o Município está ainda empenhado na concretização do projeto da ecovia litoral. Neste sentido, afiançou que, caso não consiga obter financiamento para a execução do troço em falta, entre Antas e Rio de Moinhos, em Marinhas, a Câmara Municipal concretizará, com recursos próprios, o percurso da ecovia entre Mar e Rio de Moinhos, e aproveitou para apelar à colaboração dos proprietários dos terrenos atravessados pelo trajeto. Em sintonia com o executivo da União das Freguesias de Belinho e Mar, o Presidente da Câmara Municipal realçou a importância da criação da ligação rodoviária da Estrada Nacional 13 à Estrada Real, considerando que configura uma “via estruturante”, pelo que o Município se empenhará também na sua concretização.

Assinalando que “Esposende é um Município em forte desenvolvimento”, Benjamim Pereira referiu que, a par destas intervenções, há projetos transversais a todo o concelho e, por conseguinte, que beneficiam toda a população, como é o caso dos centros de saúde e da Escola Secundária Henrique Medina que serão alvo de forte investimento proximamente. Apontou, ainda, a concretização do ensino superior em Esposende (IPCA) e os projetos previstos para o Forte de S, João Baptista e para a Estação Radionaval de Apúlia como determinantes, impulsionando o desenvolvimento e engrandecimento do território concelhio. Uma estratégia alinhada com o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

Relativamente à requalificação do Centro Paroquial, Benjamim Pereira expressou orgulho pela obra concretizada e pelas sinergias criadas em torno do projeto, notando que representa “um exercício de colaboração entre todos para o bem comum”. Neste sentido deixou palavras de reconhecimento a todos quantos tornaram possível a sua concretização, particularmente aos membros da Comissão de Obras e do Conselho Económico e Paroquial, liderado pelo Pároco Domingos Sampaio Viana. Manifestou particular agrado pelo facto de ter sido dada nota pública de todo o investimento realizado, das receitas às despesas, reflexo do rigor da boa gestão que tanto aprecia, como tem amplamente propalado. O autarca saudou ainda as opções técnicas da obra e, neste particular, felicitou a intervenção e trabalho de Carlos Lima, representante de Mar na Junta da União das Freguesias de Belinho e Mar e do Conselho Económico e Paroquial de S. Bartolomeu do Mar.

O Presidente da Junta da União das Freguesias de Belinho e Mar, Manuel Abreu, expressou satisfação pela melhoria concretizada, um edifício “indispensável” para a comunidade de Mar, e felicitou a Paróquia pela iniciativa de avançar com as obras, saudando também o Município pela ajuda financeira que disponibilizou. “Que todos se sintam orgulhosos do trabalho que aqui foi feito”, rematou.

Na mesma linha, o Pároco Domingos Sampaio Viana agradeceu ao Município o apoio concedido e a colaboração da Junta da União das Freguesias de Belinho e Mar, particularmente a Carlos Lima, que desenvolveu o projeto de requalificação do edifício, cuja construção remonta a 1974, e que “foi o motor e a alma” das obras. Agradeceu ainda o empenho e entrega da Comissão de Obras, que tornaram possível a concretização da empreitada, cujo custo final rondou os 250 mil euros.

Carlos Lima falou num projeto “moroso e exigente” que visou dotar o edifício de condições para funcionamento da catequese e de outros grupos da Paróquia. Detalhou os trabalhos efetuados e os custos da intervenção e afirmou que “o Centro Paroquial é de todos e para todos”. Discreto, mas dinâmico, aproveitou a oportunidade para lembrar a Benjamim Pereira a premência da concretização do projeto de ligação do adro ao Centro Paroquial, “imprescindível para resolver os problemas de estacionamento”.

_DSC9555.jpg

_DSC9568.jpg

_DSC9572.jpg

_DSC9580.jpg

_DSC9589.jpg

_DSC9599.jpg

_DSC9609.jpg

_DSC9620.jpg

_DSC9650.jpg

_DSC9659.jpg

_DSC9677.jpg

ESPOSENDE: ROMARIA DE SÃO BARTOLOMEU DO MAR ATRAI MILHARES DE PEREGRINOS DE TODO O MINHO E GALIZA

0001_M

É de origem remota a tradição do Banho Santo que se celebra na Romaria de São Bartolomeu do Mar, no concelho de Esposende, que a cada ano atrai maior número de visitantes àquela localidade minhota plena de tradições.

A romaria de São Bartolomeu do Mar aparece documentada desde o século XVI, muito embora evidencie marcas de ancestralidade, devendo muito provavelmente ter tido a sua origem nalgum culto a uma divindade numa época anterior à cristianização dos povos peninsulares. De resto, a associação do cão à representação do diabo remete-nos para a figura do cão tricéfalo guardião do Hades que nos é descrita pela mitologia clássica.

Com efeito, tudo leva a crer que estas práticas têm a sua origem mais remota nos ancestrais cultos pagãos em louvor das ninfas e outras divindades pré-romanas das águas ou ainda em rituais dedicados à deusa grega Ártemis – Diana na mitologia romana – cujos templos situavam-se geralmente junto a cursos de água. Ou ainda a Alfeu – deus do rio e filho de Oceano na mitologia grega – e a Posídon – Neputno, deus do mar na mitologia romana.

A tradição do Banho Santo ligado a rituais de purificação que têm na água a sua função primordial, é porventura aquela que confere maior significado a estas festividades e muito provavelmente a que se encontra nas suas origens mais remotas. De resto, a água está associada aos ritos do baptismo e às peregrinações a Santiago de Compostela. Mantido ao longo dos tempos pela devoção popular, tais práticas foram sujeitas a perseguições desde o século IV à época do imperador Diocleciano até à Idade Média. Acabariam, porém, por serem aceites pelo Cristianismo.

À semelhança de outras festas cíclicas, os rituais do Banho Santo tendo por objecto a purificação e preservação da saúde de pessoas ou animais levados pelos pastores, predominam em regra no meio rural, junto ao mar, a rios ou outros cursos de água. Para além da tradição em São Bartolomeu do Mar, no concelho de Esposende, temos ainda entre nós o “Banho da Degola” em louvor de São João da Degola que se realiza em Vila Real de Santo António, em Lagos, na serra de Monchique e os banhos de ano novo em Carcavelos e noutras localidades.

Com o decorrer do tempo, é possível que tenham ocorrido influências de várias culturas relacionadas com a presença de comunidades religiosas distintas, originando mesmo um certo sincretismo. É o que se verifica nomeadamente com o ritual de exorcização com recurso à galinha preta que muito provavelmente terá sido originado de uma influência mais tardia, muito provavelmente de raiz judaica.

Quando em 1496, o rei D. Manuel ordenou a conversão dos judeus ao Cristianismo sob pena de expulsão, existia em Barcelos uma comunidade judaica, à semelhança aliás do que sucedia noutras localidades minhotas como Braga, Viana do Castelo e Ponte de Lima. Refira-se que, à altura, o território que atualmente faz parte do concelho de Esposende era parte do termo de Barcelos, apenas tendo sido elevado à categoria de município com a atribuição do foral pelo rei D. Sebastião em 19 de agosto de 1572. Terão então os judeus conversos ou seja, os cristãos-novos que habitavam a região, adaptado a sua prática religiosa às que eram geralmente mantidas pela Igreja Católica a fim de serem tolerados no seio das comunidades locais, atitude aliás comum à generalidade dos judeus que permaneceram no país.

O Yom Kippur constitui uma das festividades mais importantes e solenes do judaísmo, destinada ao arrependimento e ao pedido de perdão, correspondendo ao Ano Novo no calendário hebraico (Rosh Hashana) e coincidindo geralmente com os meses de setembro ou outubro do calendário cristão. Nos dias que antecedem o Yom Kippur, praticam os judeus um ritual de expiação dos pecados (Kaparot) que culmina na matança de milhares de galos e galinhas, preferencialmente de cor branca como símbolo de purificação. O ritual propriamente dito consiste em elevar o animal sobre as suas próprias cabeças, dando com eles três voltas enquanto murmuram :“Esta é minha mudança, este é meu substituto, esta é minha expiação”, sendo de seguida degolado com recurso a faca de lâmina rigorosamente afiada, cumprindo-se desta forma o sacrifício.

Com efeito, para além das semelhanças existentes, a altura do ano em que os judeus praticam o Kaparot é praticamente coincidente com a realização da romaria de São Bartolomeu do Mar, da mesma forma que se constata terem os primeiros registos desta festividade surgido pouco tempo decorrido após o início da conversão forçada dos judeus ordenada pelo rei D. Manuel I, fatos que nos levam a acreditar na possível relação entre ambas as tradições.

Os romeiros levam os filhos transportando consigo ao colo uma galinha preta, dando três voltas em redor da capela antes de nela entrarem procederem á oferenda sacrificial, após o que colocam na cabeça a imagem de São Bartolomeu. Uma vez cumprido o ritual, encaminham-se para a praia onde terá lugar o “banho santo” das crianças nas águas gélidas e purificadoras do mar – aonde o diabo regressará ao anoitecer – que, com a ajuda do sargaceiro, é imersa por diversas vezes, contadas as ondas sempre em número ímpar.

Todos os anos, por ocasião da festa litúrgica a São Bartolomeu que se celebra a 24 de agosto, vão as gentes Esposende em romaria à igreja do santo padroeiro da freguesia de Mar – São Bartolomeu do Mar – para invocar a sua proteção contra o medo e outros males atribuídos ao diabo como a epilepsia e a gaguez. Reza a lenda que, nesse dia, São Bartolomeu solta o diabo que durante o resto do ano traz preso, simbolizado num cão que mantém com uma trela.

Fotos: Alfredo Cunha / Arquivo Municipal de Lisboa

MUSEU MUNICIPAL DE ESPOSENDE APRESENTA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA “URDIR O JUNCO”

_DSC9411.jpg

Afirmando, uma vez mais, o seu propósito de salvaguarda do património concelhio, o Município de Esposende procedeu hoje à abertura, no Museu Municipal, da exposição fotográfica “Urdir o Junco”, que retrata o labor artesanal das esteireiras de junco de Forjães.

Uma mostra de “cores e texturas”, como referiu o autor das fotografias, o conceituado fotógrafo Juan Pablo Moreiras, cujo trabalho tem ilustrado numerosas exposições e publicações, nomeadamente do Património Mundial da UNESCO, bem como reportagens em prestigiadas revistas internacionais como Time, National Geographic, BBC Wildlife, Sunday Times, The Daily Telegraph, Sydney Morning Herald, L'Internazionale, Traveller, Diversity, Der Spiegel, Berliner Zeitung, Paris Match, Marie-Claire, La Vanguardia Magazine, El Mundo Magazine, entre outras.

“Adorei, obrigado” foi desta forma que iniciou a sua intervenção, agradecendo à Câmara Municipal o convite que, decorridos trinta anos após o primeiro trabalho profissional, o deixou encantado pela oportunidade de poder tomar conhecimento da arte do junco e registar o trabalho das artesãs, cumprindo, assim o propósito de um bom fotógrafo: “entender, compreender e mostrar”. Assumindo que este foi “um trabalho terapêutico” que lhe deu bastante gozo fazer, Juan Pablo Moreira deixou o convite a que visitem e desfrutem da exposição.

Álvaro Campelo, Comissário Científico da exposição, destacou o novo olhar que tem incidido sobre a arte do junco, o qual tem permitido dar a conhecer e conferir beleza e valor ao que antes eram vistos como “objetos utilitários que foram sinónimo de dor e de sofrimento”. A propósito da mostra, referiu que a imagem traz conhecimento, que transporta histórias de vida e se reveste de emoção, destacando, assim, a “relação a relação emocional com a arte e o património”.

Louvou o trabalho do Município na promoção e preservação da arte do junco, a exemplo de outras vertentes culturais e patrimoniais, como é o caso da apanha do sargaço, Álvaro Campelo expressou confiança no futuro, considerando que “os mestres têm muito a dizer às nossas escolas”, ou seja, na transmissão do conhecimento e do saber fazer.

Concluiu a sua intervenção com agradecimentos a todos quantos contribuíram para a exposição e vincou que sendo este um trabalho de um “fotógrafo excecional, tão consagrado, já é uma internacionalização” da arte do junco.

Esta exposição acolhe, em complemento, peças da mostra "Água Terra Fogo", que resultam de trabalhos produzidos ao longo das últimas quatro edições do projeto académico “‘Design’ e Território” da ESMAD (Escola Superior de Media Artes e Design, do Instituto Politécnico do Porto). Com curadoria de Abel Tavares e coordenação de Olívia Marques da Silva, é uma viagem entre as terras raianas do Nordeste Transmontano até às ardentes paisagens do Baixo Alentejo, passando pelos juncais no prado salgado do Cávado.

Na sua intervenção, a Presidente do ESMAD, Olívia Marques da Silva, destacou a importância da ligação do ensino superior às regiões, “pela relação que se pode estabelecer entre as diferentes áreas da escola com a comunidade”, no caso concreto o contacto dos alunos com os artesãos. Referiu que a exposição evidencia, de forma particular, o trabalho artesanal associado ao junco, onde sobressaem as mãos, e destacou a intensidade das cores, elogiando a mestria do fotógrafo. Em jeito de convite, exortou o Município a levar posteriormente a exposição ao Instituto Politécnico do Porto e a realizar um debate sobre o tema da arte do junco. Olívia Marques da Silva lançou, ainda, o desafio ao Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, para Esposende acolher residências artísticas nas vertentes do audiovisual e do cinema. Agradeceu, de resto, a disponibilidade do Município para a parceria estabelecida no âmbito desta exposição, notando que “nem todas as Câmaras Municipais estão disponíveis para tal”.

Na resposta, o Presidente Benjamim Pereira manifestou total disponibilidade para dar seguimento a quaisquer projetos que possibilitem “projetar para o exterior aquilo que de bom temos”. Vincou que o Município tem feito um enorme investimento nas áreas da cultura e do património, por se tratar de “um ativo financeiro para o desenvolvimento do concelho”.

Sobre a exposição “Urdir o Junco”, referiu que “é uma espécie de complemento do Centro Interpretativo de Arte do Junco”, sediado no Centro Cultural de Forjães, um equipamento que decorre da estratégia cultural do Município de valorização e preservação do património imaterial, de que são exemplo a arte do junco e a apanha do sargaço, que motivou a criação do Museu do Sargaço, em Apúlia.

Benjamim Pereira reiterou a intenção de criar um Museu dedicado a D. Sebastião e anunciou que o projeto da Casa-Museu Manuel de Boaventura se revestirá de uma maior abrangência, abarcando também a vertente da etnografia. O objetivo é não só homenagear e divulgar este escritor e homem de cultura esposendense mas também preservar e evidenciar toda a vivência da época e daquela casa em particular.

O Presidente da Câmara Municipal sublinhou que, apesar da sua dimensão, Esposende assume-se como um território ambicioso, inovador e diferenciador, que beneficia de um património natural e patrimonial de excelência e de uma qualidade de vida excecional.

Todo o investimento do Município contribui para o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente a valorização da diversidade cultural e a contribuição da cultura para o desenvolvimento sustentável, bem como a consolidação dos esforços para proteger e salvaguardar o Património Cultural. Proporciona igualmente o desenvolvimento de novas dinâmicas ao nível artesanato e do turismo criativo, para além de continuar a constituir um elemento distintivo e exclusivo do território de Esposende.

Como complemento à exposição, foi editada a publicação “Urdir o Junco | As mulheres esteireiras de Forjães”, com fotografias de Juan Pablo Moreiras e textos de Abel Tavares e Telma Enes Oliveira, de Álvaro Campelo e de Paulo Guerreiro, financiada ao abrigo do PROVERE, no âmbito da candidatura NORTE-06-3928-FEDER-000021 – Touring Cultural – Artes e Produtos Tradicionais.

_DSC9259.jpg

_DSC9262.jpg

_DSC9263.jpg

_DSC9272.jpg

_DSC9337.jpg

_DSC9355.jpg

_DSC9357.jpg

_DSC9363.jpg

_DSC9396.jpg

_DSC9423.jpg

_DSC9431.jpg

_DSC9450.jpg

_DSC9461.jpg

_DSC9469.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CERCA DE 500 MIL EUROS NA BENEFICIAÇÃO DA RUA PRIOR ANTÓNIO NOGUEIRA NO CENTRO HISTÓRICO DE FÃO

O Município de Esposende vai intervencionar a Rua Prior António Nogueira, em Fão, num investimento previsto de cerca de 500 000 euros, intervenção reivindicada há décadas pela população local.

Para tal, já lançou o concurso público da empreitada para a beneficiação desta artéria do centro histórico de Fão, com uma extensão de aproximadamente 220 metros.

A via, que liga a Rua Prior Gonçalo Viana à Avenida de S. Januário, encontra-se pavimentada em cubo, que se apresenta muito degradado. Assim, a intervenção prevê a substituição integral do pavimento, mantendo-se o cubo de granito, estando igualmente prevista a reformulação das infraestruturas hidráulicas e elétricas, bem como a instalação de papeleiras. A intervenção abrange também a Travessa Álvaro Castelões, cujo pavimento em betonilha se encontra bastante deteriorado. Os trabalhos têm um prazo de execução previsto de 9 meses (270 dias).

Esta intervenção enquadra-se na estratégia de beneficiação da rede viária do concelho, tendo sido priorizada no âmbito das intervenções a executar pelo Município neste domínio, de acordo com o plano definido pelo Município, em articulação com as Juntas e Uniões das Freguesias do concelho.

Situada em pleno centro histórico, a Rua Prior António Nogueira faz parte da rede viária principal da Vila de Fão tornando-se, pois, fundamental dotá-la das melhores condições tanto para a circulação automóvel como para os peões.

“O Município continua a dar cumprimento aos compromissos assumidos com as populações, dando resposta aos seus anseios e aspirações”, refere o Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, notando que “esta intervenção possibilitará dotar a Rua Prior António Nogueira das necessárias condições de circulação e segurança, dignificando também o centro histórico de Fão”.

Através da execução do plano de investimento nas freguesias o Município dá também cumprimento aos princípios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

rua fao.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CAPTUROU CERCA DE 1500 VESPAS VELUTINAS ESTE ANO

Vespas.jpg

O Município de Esposende tem desenvolvido um importante e determinante trabalho no que toca ao combate à vespa velutina.

Este ano, durante o período compreendido entre fevereiro e junho, foram capturadas preventivamente 1493 vespas, sendo que deste 1111 eram vespas fundadoras. A este número acrescem as capturas de todos os apicultores e alguns particulares, que não estão aqui contabilizadas.

Este é o resultado das 102 armadilhas para captura de vespa velutina colocadas em todo o território concelhio, correspondendo a aproximadamente uma por cada quilometro quadrado. O objetivo desta ação é a captura de novas fundadoras, visando, consequentemente, a diminuição de novos ninhos.

As armadilhas atribuídas à autarquia decorreram da candidatura apresentada pela CIM do Cávado, ao Aviso POSEUR-15-2021-02, designada por "Plano Estratégico de Deteção e Controlo da Vespa Velutina na NUT III Cávado".

Sem prejuízo das capturas preventivas agora terminadas, todos os ninhos detetados devem ser comunicados às Juntas de Freguesia, ou à Câmara Municipal para promover a sua destruição.

O combate às espécies invasoras, nomeadamente à vespa velutina, enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre e ao ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

armadilhas_20220330140133525.jpg

BENJAMIM PEREIRA VISITOU OBRAS DE BENEFICIAÇÃO DA ESCOLA PROFISSIONAL DE ESPOSENDE

_DSC9198.jpg

Autarca abordou projetos da Zendensino com o novo Conselho de Administração

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende visitou, hoje, o edifício sede da Escola Profissional de Esposende (EPE). Benjamim Pereira, que se fez acompanhar da Vereadora da Educação, Alexandra Roeger, foi recebido pelo Presidente do Conselho de Administração da Cooperativa Zendensino, João Figueiredo, e pela Diretora Pedagógica da Escola Profissional de Esposende, Alexandra Vilar.

A visita teve como propósito verificar o andamento dos trabalhos de substituição da cobertura da Escola Profissional de Esposende e abordar os projetos da Zendensino, onde o Município detém a maior representatividade.

Correspondendo a um investimento próximo dos 158 000 euros, as obras em curso visam a beneficiação das instalações onde a EPE se encontra em atividade desde o ano 2000, um edifício centenário a necessitar de intervenção, no sentido de melhorar as condições de conforto e de trabalho para a comunidade educativa. As obras decorrem a bom ritmo, devendo estar concluídas, tal como previsto, no próximo mês de agosto, não condicionando, portanto, o início do novo ano letivo.

Os responsáveis da Escola Profissional de Esposende tiveram oportunidade de discutir com o Presidente da Câmara Municipal algumas questões relativas à obra em curso, bem como a necessidade de realização de outras melhorias, a concretizar numa próxima intervenção.

Na visita foi igualmente abordada a questão da instalação do Centro Tecnológico Especializado (CTE) na área de Restauração e Alojamento Hoteleiro, a concretizar no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Em causa está um investimento de aproximadamente 1,6 milhões de euros, mais IVA, que possibilitará concretizar a requalificação de um edifício para criação de novos Restaurante e Cozinha Pedagógica, bem como a remodelação e renovação do restaurante e cozinha pedagógica existentes, sendo que a intervenção contempla também o apetrechamento destes espaços, no que se refere a mobiliário, equipamento, hardware e software. Está igualmente prevista a criação de quarto/alojamento piloto e receção, de cinco estúdios de aprendizagem para os cursos profissionais do CTE e de uma sala de aplicação prática - usada para demonstrações práticas, showcookings, palestras, apresentações, seminários. O financiamento engloba, ainda, a modernização da infraestrutura tecnológica e a melhoria das condições de acessibilidade com rampas de acesso e plataforma elevatória.

O Presidente da Câmara Municipal reforçou a importância da instalação deste Centro Tecnológico Especializado, que, a par do da Escola Secundária Henrique Medina, possibilitará aumentar a capacidade de resposta do sistema educativo e formativo no território concelhio.

Benjamim Pereira saudou o excelente trabalho que está a ser desenvolvido pelo recém-empossado Conselho de Administração da Zendensino, liderado por João Figueiredo, contribuindo para o engrandecimento da instituição e para uma maior e melhor oferta educativa da Escola Profissional. Manifestou, de resto, total confiança na equipa que assumiu a liderança da Zendensino, onde se insere também a Escola de Música de Esposende, considerando que “Esposende, enquanto Município Educador, cumpre o seu papel fulcral no desenvolvimento sustentado do território, contribuindo, assim, para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

João Figueiredo agradeceu a Benjamim Pereira a confiança em si depositada e na restante equipa e agradeceu o “apoio do Município, determinante para a execução dos projetos traçados, que contribuirão, certamente, para a construção de um concelho mais desenvolvido e atrativo”.

_DSC9207.jpg

_DSC9208.jpg

_DSC9226.jpg

_DSC9239.jpg

_DSC9244.jpg

_DSC9247.jpg

PRIMEIRA EDIÇÃO DO CLUBE DE RUA DINAMIZA CENTRO DA CIDADE DE ESPOSENDE NO PRÓXIMO SÁBADO

06jul_CLUBE-DE-RUA.jpg

Esposende vai acolher no próximo sábado, 6 de julho, a primeira edição do Clube de Rua, um evento promovido pelo NICE - Núcleo de Intervenção Cultural de Esposende, com o apoio do Município de Esposende, que promete imprimir à cidade uma empolgante dinâmica envolvendo toda a comunidade.

A iniciativa pretende celebrar, a partir da rua e pela cultura, a comunidade, o comércio e a vida das pessoas no contexto urbano. Um dia em que a rua passa a ser a festa. O evento conta, ainda, com a parceria da ACICE – Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende, o Cardume Colab Caffé, a Ofício Collective, e a Portilame

Tendo como epicentro a Rua da Senhora da Saúde, junto aos Paços do Concelho, a manhã começa com vários workshops dedicados às crianças e, em particular aos bebés e mães, entre as 10h00 e as 11h00, orientados por Luísa Coelho e a Terra Pura. Durante toda a tarde, decorrerá um mercado com vários convidados, mostrando trabalhos de vários âmbitos, desde gastronomia, moda, design, ilustração, entre outros.

A Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura acolhe, pelas 15h30, uma conversa sobre a rua e as suas histórias, com o convidado José Felgueiras, assim como o lançamento do livro “10 anos a ser NICE”, que se assume como uma retrospetiva de uma década de atividade do Núcleo de Intervenção Cultural de Esposende ao serviço da cultura, da comunidade e dos artistas locais.

O programa prevê também concertos e show cases em lugares inesperados, como o exterior da “Casa do Arco” (Biblioteca Municipal), ou as antigas instalações da Esposende Rádio, contando com os artistas e coletivos Semivitae, Ibo, Penumbra e Márcio Góis, e um dj set ao final do dia, com António Bandeiras, que acompanhará um jantar no meio da rua.

O evento contará, ainda, com exposições na rua e em espaços comerciais, com trabalhos dos artistas Diogo Meira, Ricardo Azevedo, Rute Garcia e Joana Moher.

Toda a programação poderá ser consultada na agenda on-line do Município, através do link https://www.municipio.esposende.pt/viver/eventos/evento/clube-de-rua

Esta será a primeira edição de um evento desenhado para ser itinerante, podendo acontecer noutras ruas do concelho ao longo do tempo, explorando todas as particularidades de cada lugar. Ao associar-se à iniciativa, o Município está a contribuir para o cumprimento dos princípios plasmados nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

CTT DE ESPOSENDE ACOLHE EXPOSIÇÃO DE PINTURA “AS RAÍZES E O CÁVADO” DE VÍCTOR FERREIRA

Bom Jesus 2.jpg

Durante o mês de julho, o Centro de Informação Turística (CIT) de Esposende acolhe a exposição de fotografia “As raízes e o Cávado”, da autoria de Victor Ferreira.

Natural de Almada, Victor Ferreira reside atualmente em Esposende, sendo que através desta exposição pretende homenagear a mãe, natural do concelho, nomeadamente da freguesia de Gandra.

Dedica-se à Pintura Artística, gosto que nutre desde criança, sendo um autodidata e sem formação na área. Tem desenvolvido a sua arte e já conta com obras incluídas em coleções particulares no estrangeiro e com diversas exposições no país.

Como pintor figurativo/realista transpõe para as telas a sua visão de monumentos nacionais e imagens que contemplam o ambiente marinho, os pescadores e toda a vida envolvente às lides do mar, influenciado, certamente, pelo facto de ser bisneto de um grande Herói do Mar da Póvoa de Varzim, o Patrão Lagoa, no qual pensa estar a sua verdadeira fonte de inspiração.

Esta exposição pode ser visitada até 31 de julho, no horário de normal funcionamento do Centro de Informação Turística, sito na Av. Eng.º Arantes e Oliveira, n.º 62, de segunda-feira a sábado, das 9h00 às 17h00.

Esta ação enquadra-se no Plano de Ação para a Sustentabilidade, Crescimento e Competitividade do Turismo em Esposende 2023_2027, entroncando nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas.

IMG_2739 (2).JPG

IMG_2767 (2).JPG

IMG_2774 (2).JPG

IMG_2778 (2).JPG

Montijo 2.jpg

ESPOSENDE: MARCHAS DE VILA CHÃ, NORTE E SUL DESFILAM NA FESTA DE S. PEDRO – FOTOS DE LUÍS LEIRAS

449246293_8062795157116816_1868284823493310336_n.jpgS. Pedro é um dos santos mais populares entre as comunidades piscatórias de todo o país e nomeadamente no concelho de Esposende. Natural da Beltsaida, uma pequena povoação pesqueira a nordeste do Mar da Galileia e a viver em Cafarnaum, também ela uma póvoa de pescadores que lhe ficava próxima, Simão – chamado Pedro – era pescador e possuía uma pequena frota de barcos de pesca em sociedade com Tiago, João e Zebedeu. E foi durante uma faina no Mar da Galileia que conheceu Jesus, a qual é relatada na Bíblia como a “pesca milagrosa".

Gente de Fé, os esposendenses veneram S. Pedro e, no dia que lhe é consagrado, saem à rua com a sua alegria e marchas coloridas, cantando e dançando, em representação dos seus bairros castiços.

448928520_8062794193783579_4160013292262697728_n.jpg

448932434_8062788423784156_3968167559523733648_n.jpg

449106684_8062792193783779_562941996682508806_n.jpg

449190222_8062783387117993_8624314836997555293_n.jpg

449190537_8062785370451128_3977042020887599252_n.jpg

449190945_8062785990451066_560295334195667502_n.jpg

449190995_8062783413784657_4753662044310820473_n.jpg

449191495_8062793650450300_7060237267058987162_n.jpg

449191717_8062791377117194_299984009232223219_n.jpg

449343255_8062790057117326_1268836250820912062_n.jpg

449390343_8062791757117156_3829986083627821780_n.jpg

449391039_8062790833783915_1644417602108728614_n.jpg

449416960_8062783670451298_533053419691658171_n.jpg

449433890_8062793490450316_2460347012000786082_n.jpg

449434003_8062783150451350_910675760587628900_n.jpg

449434495_8062794623783536_6003245192868849682_n.jpg

449434860_8062785057117826_1608653757792448052_n.jpg

449435406_8062791070450558_6988493497236010986_n.jpg

449435591_8062793217117010_2586718845337300691_n.jpg

449442758_8062782800451385_1473530859050240537_n.jpg

449464706_8062783990451266_5335149839528193683_n.jpg

449480091_8062794263783572_5873237277530950490_n.jpg

449487473_8062782840451381_8286876016580455184_n.jpg

449529430_8062794700450195_5572530545198534707_n.jpg

449621323_8062785287117803_3203837614118281104_n.jpg

ESPOSENDE: GRUPO FOLCLÓRICO DE PALMEIRA DE FARO DANÇA NA PRAÇA NO PRÓXIMO DIA 2 DE JULHO

446871931_968056215320895_3956730266057452563_n.jpg

De acordo com a programação “Folclore na Praça” que levará ao Largo Dr. Fonseca Lima todos os grupos folclóricos do concelho de Esposende até ao próximo dia 30 de Julho, cabe ao Grupo Folclórico de Palmeira de Faro atuar no próximo dia 2 de Julho.

Este grupo Folclórico e constituido por cerca de 50 elementos, sendo a sua grande maioria jovens.

Foi constituído em Abril de 1956 quando um grupo de Palmeirenses se juntaram na Feira Franca e Festa Agrícola do Concelho de Esposende para ai representarem e dançarem algumas modas da freguesia de Palmeira de Faro.

447774922_7913026882094508_4613801310148294547_n.jpg