Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA NOMEADO PARA EUROPEAN BEST DESTINATION 2019 – MINHOTOS: VOTAI POR BRAGA!

Votação online decorre de 15 de Janeiro a 5 de Fevereiro e irá decidir o destino vencedor

Braga é o único destino Português que figura entre os 20 finalistas nomeados para o prémio ´European Best Destination 2019´. O período de votações para escolha do melhor destino turístico em 2019 inicia-se amanhã, dia 15 de Janeiro, e prolonga-se até dia 5 de Fevereiro. Para votar basta aceder a http://vote.ebdest.in.

Braga EBD 2019.jpg

O apoio de todos é fundamental para que Braga se afirme ainda mais no contexto turístico internacional.

Braga é o único destino nacional nomeado para receber esta distinção em 2019, dado que acaba por confirmar o crescimento da marca Braga e a qualificação da oferta turística disponibilizada. O destino vencedor e os nomeados beneficiam de um aumento do número de visitantes e da visibilidade internacional.

Criada em 2009, a European Best Destinations, organização sediada em Bruxelas, promove a cultura e o turismo na Europa e distingue, desde 2010, as cidades mais modernas e atraentes para visitar na União Europeia. Este é considerado o maior evento de e-turismo da Europa.

Graças a este prémio os destinos beneficiam de um crescimento significativo do turismo (em média mais 15% com alguns picos de mais de 40% para alguns destinos como Zagreb, eleito o Melhor Destino de Natal em 2016 e 2017). Este título europeu também oferece ao destino vencedor uma importante cobertura mediática no momento dos resultados mas também ao longo do ano (mais 74% da cobertura dos media para Bordéus, eleito o melhor destino europeu).

O impacto positivo deste prémio ainda é sentido vários anos depois de os prémios serem atribuídos (mais investimentos em hotéis, novas companhias, atração de novos investimentos etc.). O destino vitorioso também é mais anunciado por linhas de cruzeiro e operadores turísticos.

MONÁRQUICOS EVOCAM CENTENÁRIO DA MONARQUIA DO NORTE

A Real Associação do Porto, em parceria com a Causa Real e as Reais Associações de Lisboa, Braga e Viana do Castelo, vai promover a evocação do Centenário da Monarquia do Norte.

49897833_2118767744859545_1142029403119681536_n.jpg

No próximo dia 19 de Janeiro, Sábado, no Ateneu Comercial do Porto, pelas 18h00, haverá uma Conferência subordinada ao tema “Cem anos da monarquia do norte – uma história de resistência”, na qual serão oradores os historiadores Dr. Carlos Bobone e o Prof. Dr. Nuno Resende.

A conferência é de entrada livre, seguindo-se um Jantar sujeito a inscrição prévia até quinta-feira, dia 17 de Janeiro, ambos limitados à lotação do espaço.

O contributo para o jantar, no valor de 25,00 €, deverá ser efectuado por transferência bancária ou multibanco, para o nosso:

NIB: 0033 0000 0011 1128 3420 5

IBAN: PT50 0033 0000 0011 1128 3420 5

Agradecemos o envio do respectivo comprovativo para a nossa sede ou, preferencialmente, por email para realporto@realporto.pt, impreterivelmente até ao referido dia 17 de Janeiro.

Pelo interesse do tema e pela qualidade dos oradores, temos a expectativa de poder contar com a vossa presença!

TERESA RICCA INAUGUROU HOJE EM BRAGA EXPOSIÇÃO DE PINTURA E FOTOGRAFIA SUBORDINADA AO TEMA “A PEDRA DAS MINHAS RAÍZES”

Teve hoje lugar no Palácio do Raio, em Braga, a cerimónia de inauguração da exposição da artista Teresa Ricca contou com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Braga, do Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Braga, e do respectivo Presidente da Mesa da Assembleia Geral desta instituição.

49241549_593901981039734_7164297902641119232_n.jpg

De acordo com a artista, esta exposição de pintura e fotografia apresentou “detalhes da minha cidade, da cidade que me viu nascer, da cidade que me formou, da cidade que vejo mudada dia após dia, mas que ainda conserva muito do meu mundo. Trabalhos em que misturo o real fotografado com a pintura das minhas emoções.”

A vida de Teresa Ricca começou em Braga nos anos sessenta. A formação artística, pouco depois, no curso de “Desenho têxtil e arte dos tecidos” na Escola Carlos Amarante. A actividade criativa tornou-se imperiosa e leva-a, eleger as tintas e os pincéis, e mais tarde a máquina fotográfica, como canais privilegiados para o seu trabalho. A dominante comum a todo o seu percurso está na constante procura de formas e recursos técnicos.

Durante muitos anos, o seu trabalho fechava-se em espaços particulares, mas desde 2009 com o primeiro convite para integrar a bienal d’ArtVez que se tem apresentado de forma regular em espaços públicos, quer por participar em iniciativas colectivas quer com exposições individuais tanto de pintura como de fotografia.

49828850_245136086378724_1748965061512134656_n.jpg

Apoiando a sua mais recente obra nos espaços saudosos da infância – mas sempre presentes na vivência da cidade bimilenar – Teresa Ricca quer partilhar com o público a “Pedra das minhas raízes”, título que dá o mote à exposição.

Solicitadora por formação, a primeira incursão artística foi com o curso de “Desenho têxtil e arte dos tecidos”, na Escola Carlos Amarante. A actividade criativa tornou-se imperiosa e levou-a a eleger as tintas e os pincéis, e mais tarde a máquina fotográfica, como canais privilegiados para o seu trabalho. A dominante comum a todo o seu percurso está na constante procura de formas e recursos técnicos multidisciplinares.

Durante muitos anos, o seu trabalho fechava-se em espaços particulares, mas desde 2009 que se tem apresentado de forma regular em espaços públicos, quer por participar em iniciativas colectivas quer com exposições individuais (tanto de pintura como de fotografia).

Desde 2017 é membro da Direcção da Cooperativa Artistas de Gaia e responsável pelo Polo de Braga da 3ª Bienal Internacional de arte de Gaia.

Presentemente, a imaginativa e polivalente artista bracarense frequenta a licenciatura de Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas, no Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Destarte, será uma honra contar com a presença dos V/ profissionais, no dia 12 Janeiro, às 15h00, permitindo que o Palácio do Raio partilhe com o mundo as cores e as imagens da cidade Augusta.

Percurso da artista plástica Teresa Ricca

2018 – Artista convidada para o Instantes – Festival Internacional de Fotografia de Avintes. Participação em exposição individual com o título “HÁ MUITO MAR, EM TERRA”.

2018 – Artista convidada para o projecto/revista anual PELÍKULA – Exposição/lançamento - no Teatro Nery - Matosinhos.

2018 - Participação na Exposição coletiva de fotografia “Para lá do muro há vida” – Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa - Braga

2018 – Participação na Exposição coletiva “Biblioteca” – Artistas de Gaia – Biblioteca Municipal de Vila Nova de Gaia

2018 – Participação na exposição de artes plásticas da “Divesexcity” - Galeria Geraldes da Silva, Porto

2018 - Exposição individual de pintura "Mulheres com história(s)" - Casa Museu de Monção / Universidade do Minho

2018 - Participação por convite na 16ª edição "ARTIS" - Casa das Artes – Seia

2018 - Participação por convite com quatro trabalhos na colectiva 30x30, Galeria Geraldes da Silva, Porto

2018 - Participação na colectiva de fotografia "modos de ver" – Porto

2017 - Artista convidada para a Bienal “d’Art Vez”

2017 - Participação na colectiva de solidariedade por Pedrogão Grande - Casa do Desenho / Fundação Júlio Resende – Gondomar

2017 - Exposição dos sócios da Cooperativa Artistas de Gaia - Biblioteca Municipal de Vila Nova de Gaia

2017 – Artista selecionada na ART-MAP moving curatorial project – Braga

2017 – Artista selecionada na 1ª Lethes Art – Ponte de Lima

2017 – Artista selecionada na 2ª Bienal de Gaia – Vila Nova de Gaia

Trabalhos expostos na exposição/concurso e nos pólos de Vila Nova de Cerveira, Barcelos e Figueira da Foz

2017 – Distinguida com Menção Honrosa no IX Concurso de Fotografia “Semana Santa, Braga”.

2017 – Artista convidada para integrar a exposição colectiva (fotografia) “O Douro não é um rio” – Quinta do Ervedal – Mezão Frio

2017 – Exposição individual “PERSONAGENS” (pintura sobre xisto)

- Maio/Junho na Casa Museu de Monção / Universidade do Minho

2017 – Artista seleccionada para o projecto/revista anual PELÍKULA – Exposição/lançamento - Ordem dos médicos – Porto

2017 – Exposição individual “PERSONAGENS” (pintura sobre xisto)

- Março/Abril no Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim

2017 – Participação na exposição colectiva 30x30. Galeria Geraldes da Silva – Porto

2016 - Participação na ART-MAP moving curatorial project, Ponte de Lima

2016 - Participação na exposição colectiva "Arte na Galeria" Organização da Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa, Galeria Vieira Portuense, Porto

2016 - Participação na exposição colectiva "Arte na Raia", organização da galeria Vieira Portuense, EcoMuseu de Montalegre.

2016 - Participação no "6º Salão Internacional de Arte em Pequeno Formato - 20x20" , organização da AAAGP, Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz.

2016 - Participação na exposição colectiva "VISITANDO SETÚBAL", organização da AAAGP na Galeria Artiset, Setúbal

2016 – Distinguida com medalha de prata no Prémio Mário Silva, Centro de Artes e Espectáculo, Figueira da Foz.

2016 – Participação na exposição colectiva "I Solidarte" inaugurada a 29 de Abril na Casa das Artes, Porto.

2016 – Exposição individual “PERSONAGENS” (pintura sobre xisto)

- Março na Casa das Artes, Porto.

- Junho a Outubro, no Museu Abade, Baçal, Bragança.

2016 – Artista selecionada para a representação da “d’Art Vez” na vila do Soajo

2016 – Participação na exposição/venda solidária “A Arte pelo Tiaguinho”, Fundação Escultor José Rodrigues, Porto.

2015 – Artista convidada para a Bienal “d’Art Vez”.

2015 – Exposição individual “PERSONAGENS” (pintura sobre xisto)

(https://sites.google.com/site/personagensdeteresaricca/)
- Setembro/Outubro no Museu D. Diogo de Sousa, Braga.

- Novembro/Dezembro na Fundação Dionísio Pinheiro, Águeda.

2015- Participação no “5º salão internacional de arte em pequeno formato 20x20” organizado pela Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa, integrando o grupo de artistas representados pela Olga Santos Galeria – Figueira da Foz

2015 – Participação no “Vera World Fine Art Festival” integrando o grupo de artistas representados pela Olga Santos Galeria- Cordoaria Nacional, Lisboa.

2015 - Artista convidada para a exposição colectiva “Água e Fontes Naturais” – Agosto, Termas da Curia, Anadia.

2015 – Artista convidada para integrar a Exposição Colectiva de fotografia “Olhar a Arquitectura” – Galeria Olga Santos, Porto.

2015 – Distinguida com Menção Honrosa no Concurso de Fotografia “Semana Santa, Braga”.
2014 – Artista convidada para integrar o projecto “Porto on the roof”. Exposição colectiva de fotografia na Galeria Diagonal – Vila Nova de Gaia.

2013 – Exposição individual de Pintura “Emoções a óleo”, na Galeria do Restaurante Vindouro – Lamego.

2013 – Artista convidada para a Bienal “d’art Vez”.

2012 – Integrou o projecto “Braga on the roof”. Exposição colectiva na Galeria do Hotel Turismo / Mercure – Braga.

2011 – Participação na Exposição colectiva de fotografia “Movimento”, na galeria Queiroza / Bar Vintage - Arcos de Valdevez.

2011 – Exposição individual de Fotografia “Para além dos limites” na galeria da Junta de Freguesia da Sé – Braga.

2011 – Artista convidada para a Bienal “d’art Vez”.

2009 – Artista convidada para a Bienal “d’art Vez” (ainda sob o nome Maria Teresa Silva).

49900053_1212411388913707_923021362769952768_n.jpg

49938702_648854185590461_6258013640876621824_n.jpg

GUITARRA DÁ FESTIVAL EM BRAGA

O Festival de Guitarra está de regresso à Cidade entre os dias 17 de Fevereiro e 5 de Março.

Nesta 4.ª edição teremos a formação instrumental, Fatrio, que interpretará versões instrumentais de temas do imaginário coletivo português em versões instrumentais com guitarra portuguesa, guitarra clássica e contrabaixo.

50074661_1609333372432223_7031858737778262016_n.png

O festival apresentará ainda várias propostas com formações de música de câmara como o Mikro Duo, que a acaba de editar o seu segundo trabalho discográfico; o quinteto 5G5C, projecto peculiar formado por profissionais dos cinco conservatórios públicos e o ensemble Surunyo, encantadora formação de música antiga que interpretará temas do Barroco Bracarense numa formação com guitarra barroca, baixão e vozes mistas.

De destacar ainda as propostas a solo com Tilman Hopstock, guitarrista de irrefutável reconhecimento internacional, e Arturo Tallini, especialista Italiano em música contemporânea para guitarra. Paralelamente, na componente pedagógica do festival, haverá a proposta de um conjunto de quatro conferências, uma masterclass sob orientação de Tilman Hoppstock e um concurso internacional de música de câmara com guitarra, pioneiro a nível nacional.

Coordenação e Direcção Artística: Vítor Gandarela

Organização: Município de Braga e Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga

CANTORA LÍRICA BRACARENSE CRISTIANA OLIVEIRA RECEBE APLAUSOS EM TODO O MUNDO!

A cantora lírica portuguesa que ENCHE salas internacionais

Por Cristina Amaro

Entrou discreta. Num vestido longo, de cauda e num vermelho a condizer com as Estrelas de Natal que coloriam o palco. Foi apresentada pelo meu amigo Mário Augusto, jornalista que todos conhecemos dos programas de cinema, como uma voz que nos iria deixar sem fôlego. Pediu-nos para a ouvirmos com atenção. E desafiou-nos a dizer, no final, se ele tinha ou não tinha razão...

n5jpw4dpucnn5dppnitgt.jpg

As palavras elogiosas do Mário, a que se juntaram as do Maestro Osvaldo Ferreira, ao longo da atuação de Cristiana Oliveira, nem precisavam de lá estar...evidente que é o talento da nossa cantora lírica bracarense. Mas sim, fizeram a diferença e ainda deram mais vida ao Concerto de Ano Novo que há vários anos a marca SEAT gentilmente me convida para assistir.

Rendi-me ao talento desta jovem mulher que, arrisco-me a dizer, poucos conhecem em Portugal. Acompanhava-a em palco a Orquestra Filarmónica Portuguesa. Acompanho-a eu, a partir daquele concerto de ano novo, para a vida!

Herdei do meu pai o gosto pela música clássica, pela ópera e pelo canto lírico. Cantei alguns anos, quando era pequena (diria alguns anos, mesmo...) mas nunca me arrisquei neste tom. Ficou da infância a sensibilidade aos sons, a forma como me toca cá dentro a música. Neste dia senti saudades do meu pai. E partilhei isso com a Cristiana numa mensagem privada. “Se o meu pai fosse vivo ontem teria chorado a ouvi-la. Ele adorava canto lírico e dizia que era uma pena Portugal não ter ninguém de nível internacional. Partiu sem a conhecer...mas eu “levo-a a ele” desta maneira”, escrevi-lhe logo após o concerto esperançada que a humildade que o maestro referiu me permitisse ter dela uma resposta. E tive. Nem 2 horas depois a Cristiana respondeu-me.

Chegara a minha vez de a desafiar a ela a partilhar convosco quem é “a mulher do norte” a que se referiram o apresentador e o maestro. Porque há pessoas com quem me cruzo que valem a pena vos apresentar, aqui vos deixo este enorme orgulho para o nosso país. E partilho as suas palavras, na íntegra, porque são elas que vos dão a dimensão desta mulher. A tal humildade aliada a um talento que está a encher muitas salas de renome internacional e a levar um nome português aos 4 cantos do mundo. Fiquei fã. Vocês também vão ficar...

Uma palavra de elogio também aos músicos e ao Maestro Osvaldo Ferreira que nos ofereceram um concerto memorável! Naquela noite fizeram-me dançar a valsa com o meu pai...em memórias que guardo dele e que me deram tanta saudade...

Porque a vida é feita destes pequenos momentos, aqui ficam alguns para também vocês me dizerem se tenho ou não razão. Foram gravados excertos espontaneamente com o meu telemóvel. Numa sala escura. Têm por isso qualidade de “amador” ;-)

Valem o que nos fazem sentir. Não a qualidade da gravação. Deixo a ressalva. E deixo alguns momentos para apreciarem. Em silêncio. Porque é assim que valem a pena sentir...

Quem é Cristiana Oliveira. Aos olhos da própria

“Nunca tinha pensado ser cantora! Para ser muito honesta nem gostava muito daqueles seres que conhecia no conservatório como cantores e que nos davam cabo da cabeça quando vinham cantar connosco. Connosco refiro-me à orquestra, porque eu, como estudante de violino, era sempre da orquestra, nunca tinha sequer cantado no coro do conservatório.

Foi por mera sorte ou azar, ainda não sei muito bem... que numas férias da Páscoa, quando estava a participar nos masterclasses de violino da Academia de Vila do Conde, a nossa sala calhou ser ao lado da sala onde decorriam os masterclasses de canto pelo Prof Oliveira Lopes, que era o Prof de Canto da escola Superior de Música do Porto (ESMAE).

Já me tinham dito que eu até tinha voz (...) quando me punha a trautear para exemplificar excertos musicais nas conversas entre músicos ou a imitar (por brincadeira) os tais seres muito afetados que eu conhecia por estudantes de canto. Enchi-me de coragem, fui bater à porta dessa sala e pedi ao Prof para me ouvir e dizer sinceramente se valia a pena eu ter umas aulinhas de canto como já várias pessoas me tinham dito para ter.

Ele ouviu-me e disse:

“- Minha linda, não sei se toca bem violino, mas acho que devia ponderar mudar de instrumento...”

Ainda tentei resistir dizendo que não queria, que já estava a acabar uma licenciatura e que não queria fazer outra, mas ele insistiu e....

Aconteceu tudo como uma bola de neve! Entrei nesse mesmo ano para o Curso Superior de Canto. No último ano, ganhei o concurso de interpretação do Estoril e, depois, um Prémio em Milão. Seguiram-se os estúdios de ópera em Nova Iorque e Barcelona e os primeiros convites para papéis em óperas.

O momento do “é isto” acho que foi numa das minhas primeiras Traviatas, quando no final da ópera ficou tudo em silêncio, deu-se aquele momento mágico em que toda a sala fica em suspenso e o público não consegue começar logo a bater palmas.... parece que o tempo pára e por alguns segundos sentem-se 3000 pessoas a suster a respiração ainda completamente imergidos no que acabou de acontecer em palco, antes de começar o barulho ensurdecedor dos aplausos. É uma sensação indescritível!

Sobre salas e projetos futuros, acabei agora de fazer a Maddalena na ópera Andrea Chenier, no Teatro Massimo Bellini, onde tinha estado já anteriormente a fazer a Magda da ópera La Rondine de Puccini por convite do Maestro Gianluigi Gelmetti.

Nos próximos meses tenho convites para audições em Teatros como o Covent Garden, Deutsch Opera Berlim e Bayerische Ópera, vários galas de ópera para cantar e muito estudo para fazer! Em Novembro parto para Helsínquia onde fico até Janeiro de 2020 para a minha primeira Musetta na La Boheme de Puccini e em Fevereiro de 2020 vou para Wiesbaden onde faço a minha estreia no fabuloso papel de Leonora no Trovador de Verdi (um sonho tornado realidade!)

Deixo o convite para se quiser ir assistir.”

Escreveu-me Cristiana. Não quis mudar uma vírgula ao seu texto pelas razões que já vos expliquei. Acrescento apenas que farei tudo para aceitar o convite. Quero voltar a fechar os olhos a ouvi-la numa sala onde a sua voz ainda vai ser MAIOR! 
Apaixonam-me as pessoas cheias de talento e humildade.

Fonte: https://cristinaamaro.pt/

555892_552985201440367_204848858_n

QUEM É A BRACARENSE CRISTIANA OLIVEIRA – UMA DAS MAIS NOTÁVEIS CANTORAS LÍRICAS PORTUGUESAS?

Cristiana Oliveira é natural de Braga, cidade onde iniciou os seus estudos musicais de piano e violino.

De acordo com a sua biografia oficial que se transcreve, Cristiana Oliveira é licenciada em Canto pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, nas classes dos Professores Oliveira Lopes e Margarida Reis.

Frequentou vários cursos de aperfeiçoamento e masterclasses com Ana Paula Matos, Patricia MacMahon, Enza Ferrari, Paulo Ferreira, Marc Tardue, Mme Dechorgnat no Conservatório Internacional de Paris, Gabriella Morigi em Bolonha e Palmira Troufa com quem estuda regularmente.

Em 2010 foi aceite no curso intensivo do Estúdio de Ópera de Nova Iorque onde interpretou o papel de Yaroslavna na ópera "Prince Igor", de Borodin.

Em 2011 obteve uma Menção Honrosa no Concurso Nacional de Canto Luísa Todi.

Apresentou-se em vários recitais de Lieder e Oratória em Portugal, Espanha, Itália e Estados Unidos da América.

Na ópera interpretou Dido em "Dido e Aeneas", de Purcell, Gretel em "Hansel e Gretel", de Humperdink nos Teatros de Tomar e Ourém e Helena Sá e Costa e recentemente Ivette em "La Rondine", de Puccini e Nita na Zarzuela "Los Gavilanes", no Teatro Nacional de São Carlos.

Há dois anos fez a sua estreia no papel de Violetta Valery de "La Traviata" de Verdi no Atelier de l'Opera, Centro de Alto Aperfeiçoamento Operático de Barcelona e no Festival de música de Sant Pere Sallavinera com aclamadas críticas.

Em 2012 obteve o 1º Prémio no Concurso Internacional de Interpretação do Estoril.

Em 2013 ganhou o prémio especial "Concerto a Milano" no Concurso Internacional de Canto Maria Malibran em Milão.

Do seu repertório fazem parte as grandes heroínas para soprano lírico/spinto de coloratura.

480200_481345925270962_1014206373_n

CULTURA É PILAR DE AFIRMAÇÃO DE BRAGA E DA EURO-REGIÃO

Braga recebeu passagem de testemunho da Capital da Cultura do Eixo Atlântico

Ricardo Rio defende que a Cultura “será um dos grandes pilares de afirmação da Cidade de Braga e da Euro-região, traduzindo-se num factor de qualificação da população e de competitividade económica”. Durante a cerimónia de passagem de testemunho da Capital da Cultura do Eixo Atlântico - título que Braga irá ostentar em 2020, sucedendo a Santa Maria da Feira -, o Autarca Bracarense explicou que o próximo ano servirá como ‘balão de ensaio’ para a candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027.

CMB11012019SERGIOFREITAS00000017195.jpg

“Queremos que essa candidatura seja euro-regional, onde todo o Eixo Atlântico se reveja e que seja capaz de agregar todas as cidades e os seus agentes culturais”, adiantou o presidente da Câmara Municipal de Braga, garantindo que com o título de Capital da Cultura do Eixo Atlântico, Braga “vai continuar a afirmar-se como um território de Cultura e de desenvolvimento, onde o património se conjuga com a inovação criando dinâmicas para potenciar a expressão artística dos seus cidadãos”.

CMB11012019SERGIOFREITAS00000017194.jpg

Na sessão que decorreu esta Sexta-feira, 11 de Janeiro, no Salão Nobre da Câmara de Santa Maria da Feira, Ricardo Rio explicou que Braga está “fortemente empenhada” para assumir este projecto cultural do Eixo Atlântico, salientando que a Cultura “é uma peça fundamental do desenvolvimento dos territórios e o motor do progresso de cada uma das Cidades que compõem esta associação transfronteiriça”.

Desde 2014 que a Autarquia Bracarense tem procurado participar activamente em todas as dimensões de intervenção do Eixo Atlântico. Nesse sentido Ricardo Rio lembrou que, ainda este ano, Braga será a sede dos Jogos do Eixo Atlântico, irá acolher a Expo Cidades, além dos vários contributos no domínio da agenda urbana, da valorização do ambiente ou da criação de oportunidades para os jovens. “Em vários contextos Braga tem dito presente e continuará a fazê-lo porque o Eixo Atlântico é uma realidade territorial com a qual nos identificamos e que se assume como um dos motores do desenvolvimento dos dois países e de qualificação dos nossos cidadãos”, referiu o Autarca Bracarense.

CMB11012019SERGIOFREITAS00000017191.jpg

Na presença de Emídio Sousa, presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, Ricardo Rio enalteceu o trabalho desenvolvido por esta Autarquia ao longo do ano transacto que se traduziu “num bom exemplo de como se deve trabalhar um projecto desta natureza, ao envolverem os agentes locais para corporizarem uma programação de grande qualidade, que teve o condão de mobilizar e projectar a cidade além-fronteiras”.

Também Lídia Dias, vereadora da Cultura do Município de Braga, referiu que este título é “um importante passo” para a Cidade e uma oportunidade para o futuro. “Queremos que a Capital da Cultura do Eixo Atlântico seja um momento de afirmação da nossa identidade, que contribua para aumentar a dinâmica e o envolvimento da comunidade e dos seus agentes culturais”, sustentou.

CMB11012019SERGIOFREITAS00000017187.jpg

A responsável explicou que a programação será apresentada em Junho mas já foi possível levantar um pouco do véu. Certo está o regresso do jazz a Braga, numa das iniciativas propostas, além de um evento centrado exclusivamente na arte urbana, que tem como pretensão levar a Cultura às periferias. Entre as propostas previstas está também o programa “Braga no Eixo”, que tem como objectivo levar os projectos culturais Bracarenses em itinerância pelos 42 municípios que integram a associação transfronteiriça.

Braga pretende também criar um legado permanente desta “capitalidade” através da criação de um Jardim devotado ao Eixo Atlântico, além de uma galeria onde estarão expostas todas as obras premiadas das sucessivas edições da Bienal de Pintura do Eixo Atlântico.

CMB11012019SERGIOFREITAS00000017189.jpg

CMB11012019SERGIOFREITAS00000017190.jpgAlém de Santa Maria da Feira, também Vila Nova de Gaia em 2009, Viana do Castelo em 2011, Ourense em 2014 e Matosinhos e Vila Real em 2016 acolheram a Capital da Cultura do Eixo Atlântico.

BRAGA CONDICIONA TRÂNSITO NA VARIANTE SUL

Condicionamentos à normal circulação de trânsito

O Município de Braga informa que a partir de Segunda-feira, dia 14 de Janeiro, devido à realização de trabalhos de repavimentação parcial da Variante Sul, haverá condicionamentos de trânsito na referida variante, sendo os limites da intervenção compreendidos a Sul pelo início da Av. Miguel Torga (UF Nogueira, Lamaçães, Fraião) e a Norte pela intercepção da Av. Frei Bartolomeu dos Mártires com a Av. Padre Júlio Fragata (excluindo-se a passagem inferior de intersecção com a Av. João Paulo II).

Os trabalhos prolongar-se-ão por um período estimado de 30 dias e iniciar-se-ão na via de sentido Sul/Norte (Av. Miguel Torga/Av. Frei Bartolomeu dos Mártires), sobre a faixa direita, garantindo-se a circulação de viaturas, de forma condicionada, através da faixa esquerda.

BRAGA REFORÇA OFERTA FORMATIVA PARA A POPULAÇÃO SÉNIOR

Inscrições abertas para nova edição do 'Ciclo do Conhecimento'

Em 2019 o Banco Local de Voluntariado (BLV) do Município de Braga irá dar continuidade à iniciativa “Ciclo de Conhecimento” que em crescendo de adesão vai já na sua quinta edição. Este é um projecto dedicado à Comunidade Sénior e que se insere na linha da promoção da longevidade e combate ao isolamento da população idosa do concelho de Braga, problemas que afectam este grupo populacional, influenciando a sua saúde, uma vez que esta conjuga o estado de completo bem-estar, nomeadamente físico, mental e social.

Cartaz    Ciclo Conhecimento 2019.jpg

Existem várias causas que podem levar ao isolamento de idosos e a sentimentos controversos como a solidão, tristeza e depressão. O objectivo é que a longevidade esteja associada a uma boa qualidade vida. Neste sentido e a par das diversas iniciativas que o Município tem em curso, a “V edição do Ciclo de Conhecimento”, inicia-se com uma sessão de abertura, a decorrer no Auditório da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva no dia 30 de Janeiro às 15h30 direccionada a pessoas residentes no Concelho de Braga com mais de 60 anos.

A oferta formativa deste “Ciclo do Conhecimento” abordará as áreas das Novas tecnologias (TIC´s), Inglês, Espanhol, História e Histórias de Braga, Filosofia para a vida e Alfabetização.

Os interessados devem-se inscrever, contactando o Banco Local de Voluntariado: na sede - Rua Dom Frei Caetano Brandão 161, por telefone – 253 274 204 ou por correio electrónico blv@cm-braga.pt

As inscrições já decorrem e encerram com o preenchimento das turmas, respeitando a ordem de inscrição.

BRAGA TEM PROJECTO EDUCATIVO LOCAL

Projecto Educativo Local apresentado e debatido em sede do Conselho Municipal de Educação

O Conselho Municipal de Educação de Braga reuniu esta semana com a finalidade de analisar a documentação referente ao Projecto Educativo Local, desenvolvido pelo Instituto de Educação da Universidade do Minho, em articulação com a Divisão da Educação do Município de Braga.

CME3.jpg

O documento em causa pretende ser instrumento de trabalho de apoio à gestão e decisão, com apresentação de informação referente às várias iniciativas que visam complementar a actividade diária desenvolvida nas escolas e respectivos planos anuais de actividades, tendo por base o necessário enquadramento nas orientações legislativas nacionais, na Carta das Cidades Educadoras, nos eixos estratégicos definidos na Carta Educativa Municipal e numa política de articulação com vários parceiros, em vários domínios de actuação.

Como explicou Lídia Dias, vereadora da Educação do Município de Braga, trata-se “de um dos maiores desafios” a que o Município se propõe. “Abraçar um Concelho nas suas semelhanças, no que é diferente, é criar uma linguagem comum que faça sentido a todos os intervenientes”, referiu.

O objectivo é bastante claro e consiste em conferir sentido estratégico às dinâmicas educativas desenvolvidas no território, através da promoção atempada dos projectos educativos, contribuindo, em conjunto com os estabelecimentos de ensino, para a concretização dos seus projectos e para a superação dos respectivos objectivos.

Leonor Torres, docente do Instituto de Educação da Universidade do Minho e coordenadora científica do Projecto Educativo Local, sustentou que “as dinâmicas educativas locais, se enquadradas numa lógica de rede colaborativa, podem contribuir para a democratização da educação e foi a partir deste pressuposto, aparentemente elementar, que desenvolvemos um conjunto de referenciais que suportaram o desenvolvimento deste projecto”.

De salientar que o Projecto Educativo Local se fará acompanhar de um documento informativo, que se encontra organizado por áreas temáticas de modo a facilitar a leitura e a escolha dos projectos que cada estabelecimento de ensino pretende acolher na sua planificação anual.

Desta forma, este é um meio de facilitação do processo de obtenção de informação, de divulgação de iniciativas, agilizando agendamentos e disponibilizando contactos das entidades organizadoras, ao mesmo tempo que será reduzida a quantidade de abordagens aos estabelecimentos de ensino, com vista à adesão/participação dos mesmos nas diversas actividades propostas e executadas durante todo o ano.

Após análise e debate sobre os diversos documentos disponibilizados, e atendendo à respectiva estrutura, metodologia e conteúdos, o Conselho Municipal de Educação de Braga deliberou, por unanimidade, emitir um parecer favorável à aprovação da proposta apresentada.

CME1.jpg

MECENAS DE BRAGA APOIAM THEATRO CIRCO

Renovação de parcerias de mecenato é sinal de confiança no projecto do Theatro Circo. Primavera BSS, Navarra Alumínios e Grupo DST são ‘patronos’ da programação cultural

O Theatro Circo pretende continuar na senda de crescimento e qualificação da programação cultural que se tem vindo a verificar nos últimos quatro anos e renovou a parceria de mecenato com as empresas Primavera BSS, Navarra Alumínios e Grupo DST. Estas três empresas Bracarenses são, segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, o “testemunho vivo” da vantagem para as empresas em se associarem ao Theatro Circo e a renovação do apoio mecenático é a certeza de que a centenária casa de espectáculos Bracarense está no caminho certo, pois continuam a depositar confiança neste projecto cultural que é já uma referência na região e no país.

2 (1).jpg

“O mecenato é hoje uma forte mais-valia para as instituições e para as empresas, aproximando-as em objectivos comuns. Actualmente ser parceiro de uma entidade como o Theatro Circo - que tem cumprido de forma exímia a sua missão enquanto equipamento dinamizador da actividade Cultural -, é também para as empresas uma enorme vantagem”, referiu Ricardo Rio durante a cerimónia de assinatura dos protocolos que decorreu esta Quarta-feira, 9 de Janeiro, no Salão Nobre do Theatro Circo.

2018 foi o ano em que o Theatro Circo atingiu o maior número de receitas próprias e alcançou a marca dos 101 mil espectadores, um dado que reforça o crescimento notável nos últimos anos.

“Para nós é uma grande vantagem poder contar com mecenas que tornam mais fácil a missão que todos assumimos de ter uma programação ambiciosa, ecléctica, que actualmente marca a diferença na região e no país e que tem vindo a dar passos fortes na internacionalização”.

Para o futuro, Ricardo Rio pretende que o Theatro Circo continue a “apostar na diferenciação e qualificação da programação” e, para isso, espera que mais empresas possam seguir o exemplo e se tornem mecenas.

Já Cláudia Leite, administradora do Theatro Circo, considerou que “o apoio dos mecenas tem sido determinante para a melhoria crescente da qualidade da programação, para a promoção de projectos de referência em diferentes áreas artísticas e para a criação de públicos”.

8.jpg

9.jpg

10.jpg

11.jpg

12.jpg

BRAGA CONDICIONA TRÂNSITO NA RUA DA PONTE PEDRINHA

Condicionamentos à normal circulação de trânsito

O Município de Braga informa que, devido à realização de trabalhos de rectificação da passadeira em calçada na Rua da Ponte Pedrinha, haverá um condicionamento de trânsito na referida via entre as 09h00 e as 17h00 desta Quinta-feira, dia 10 de Janeiro.

ponte pedrinha.jpg

CONSELHO ESTRATÉGICO DA INVESTBRAGA INTEGRA NOVOS MEMBROS

Novos membros integram o Conselho Estratégico da InvestBraga

Decorreu esta Terça-feira, 8 de Janeiro, no Altice Forum Braga, a reunião do Conselho Estratégico da InvestBraga, um fórum de discussão e aconselhamento estratégico para o desenvolvimento económico e atracção de investimento do Concelho de Braga.

CMB08012019SERGIOFREITAS00000016876.jpg

A nomeação de Carlos Oliveira e de Manuel Caldeira Cabral como novos membros do Conselho Estratégico foi um dos pontos centrais do encontro que contou com a presença de Ricardo Rio, presidente da InvestBraga. Nesta reunião, o Conselho Estratégico decidiu igualmente propor a adesão do Centro Regional de Braga da Universidade Católica e do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave como membros deste órgão, convite que será agora formalmente endereçado a ambas as instituições de ensino superior.

Em análise esteve também o papel do Conselho Estratégico no horizonte 2019-2021 para reforçar a competitividade das actividades económicas, atrair investimentos e impulsionar o crescimento económico e para continuar a colocar Braga no radar do investimento da economia nacional e internacional.

Nesta primeira reunião do ano, o Conselho aprovou a revisão do Plano Estratégico para o Desenvolvimento Económico de Braga, que contava já com 80 por cento das suas acções concluídas. A revisão do plano teve em conta as alterações conjunturais e estruturais registadas nos últimos anos em Braga, Concelho que possui agora “uma economia de futuro, assente na inovação, no capital humano e no conhecimento enquanto motores deste crescimento económico que gera riqueza e bem-estar”.

Na ocasião, Ricardo Rio sublinhou o trabalho realizado pela InvestBraga que se tem materializado com a captação de investimentos, a criação de postos de trabalho e com a criação de novas empresas. “Braga tem estado a crescer e isso é fruto do trabalho das empresas e da colaboração entre todas as instituições que integram este Conselho Estratégico”, referiu o Autarca, notando que a InvestBraga assume-se actualmente como “a principal ferramenta no apoio ao desenvolvimento económico do Concelho”.

Segundo o Autarca, a afirmação da capacidade económica de Braga tem sido possível graças ao trabalho de parceria e de auscultação dos diversos agentes. “Com base numa visão sustentada e com consciência dos passos a dar, percebemos as aspirações e objectivos dos agentes do território e temos conseguido articulá-los num ambiente propício para que os resultados positivos surjam”, notou o presidente da InvestBraga.

Com perspectivas de crescimento “muito optimistas”, neste novo ano “Braga espera ter o mesmo ritmo de crescimento do emprego e um volume mais acelerado dos negócios e exportações, com os cidadãos a beneficiarem de oportunidades económicas reforçadas e de um mais fácil acesso ao mercado de trabalho”, garantiu Ricardo Rio.

CMB08012019SERGIOFREITAS00000016881.jpg

BRAGA REALIZA CONCURSO ECO-NATAL

XV Concurso Eco-Natal envolveu mais de 600 alunos das escolas do Concelho

O Município de Braga entregou esta Segunda-feira, 7 de Janeiro, os prémios relativos à décima quinta edição do Concurso Eco-Natal, distinguindo assim a criatividade dos alunos das escolas e instituições do Concelho.

CMB07012019SERGIOFREITAS00000016860.jpg

Nesta edição, estiveram a concurso 22 trabalhos de 20 instituições e que envolveram mais de 600 alunos. “O nosso objectivo não é ter vencedores nem vencidos. Sobretudo, esta é uma iniciativa de sensibilização da comunidade educativa e dos mais novos, para a importância da reciclagem”, referiu Altino Bessa, vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Braga, durante a cerimónia de entrega de prémios, que decorreu no Salão Nobre dos Passos do Concelho.

O júri do concurso atribuiu os seguintes prémios:

Categoria EB1:

  • 1.º e 2.º Prémios – EB1 de Real
  • 3.º Prémio – Colégio Luso-Internacional de Braga

Categoria EB 2/3:

  • 1.º Prémio – Externato Infante D. Henrique
  • 2.º Prémio – EB 2/3 de Cabreiros
  • 3.º Prémio – EB 2/3 de Gualtar

Categoria ATL:

  • 1.º Prémio – Centro Social e Paroquial de Sobreposta
  • 2. º Prémio – ATL da EB1 e JI de Garapôa - Celeirós
  • 3.º Prémio – Centro D. João Novais e Sousa

Nesta cerimónia foram também entregues os certificados de participação às restantes instituições que participaram neste concurso. Os trabalhos estiveram em exposição junto ao Posto de Turismo e na Casa dos Crivos.

CMB07012019SERGIOFREITAS00000016861.jpg

CMB07012019SERGIOFREITAS00000016862.jpg

CMB07012019SERGIOFREITAS00000016863.jpg