Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIZELA QUER ACESSO À A11

Presidente da Câmara de Vizela reuniu com grupos parlamentares para sensibilizar para acesso à A11

No seguimento da reunião solicitada, o Presidente da Câmara Municipal reuniu hoje na Assembleia da República com os grupos parlamentares do PS, PSD, CDS/PP, BE e PCP, especificamente com os deputados eleitos pelo distrito de Braga e deputados da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, com o objetivo de os sensibilizar para a importância e necessidade de criação do nó de acesso à A11 em Vizela, tendo apresentado um anteprojeto com a respetiva viabilidade de execução do projeto e os custos financeiros da obra.

fotovizzel.jpg

De destacar que neste momento se encontra em discussão na Assembleia da República o PNI 2030, o instrumento de definição das prioridades de investimentos infraestruturais estratégicos de médio e longo prazo, nos setores da Mobilidade e Transportes, Ambiente e Energia.

Neste sentido, e tendo em atenção o timing, entendeu o Presidente da Câmara Municipal ser o momento ideal de sensibilizar os partidos políticos para que tenham atenção a esta problemática do Concelho de Vizela.

De destacar que Vizela é um Concelho composto por cinco freguesias, possuindo uma área de 24 km2 e 24.000 habitantes, sendo um dos três concelhos do distrito de Braga com maior densidade populacional, dos únicos concelhos que não tem acesso à autoestrada, é atravessado por uma autoestrada e que tem um nó com o seu nome, mas localizado no concelho vizinho.

No Concelho, onde predomina a indústria têxtil, verifica-se, ainda, a existência de um desenvolvido comércio. As empresas existentes estão, essencialmente, ligadas ao ramo têxtil, vestuário e calçado, cuja produção está direcionada, quase exclusivamente, para o mercado externo.

Sucede que, para além da sua área territorial, Vizela, por questões de proximidade, serve, ainda, mais freguesias de outros Concelhos, que utilizam vários dos seus serviços, designadamente serviço de finanças, serviço de segurança social, notário, conservatória, correios, centro de saúde, entre outros, o que significa que, diretamente, e por estas freguesias se encontrarem mais próximas do centro de Vizela do que do centro das respetivas sedes de Concelho, Vizela serve, ainda, mais 23.048, perfazendo, assim, um total de 47.048 habitantes diretamente servidos pelo concelho de Vizela.

De realçar ainda que, ao longo deste mandato, por entender que o turismo é uma área com enorme relevo para o desenvolvimento económico, o Executivo da Câmara Municipal tem implementado um conjunto de políticas voltadas para o desenvolvimento turístico do Concelho.

Assim, entende-se que não é possível ao Município de Vizela desenvolver políticas de desenvolvimento económico e de atração de empresas e investimento sem que se verifiquem as condições necessárias para o mesmo, neste caso a construção de um acesso à A11 em Vizela.

Importa ainda acrescentar que o Município de Vizela não dispõe de condições para, por si só e sem o adequado apoio do Governo, conforme se verificou nos concelhos limítrofes, proceder à execução da referida intervenção de construção de um acesso à autoestrada A11.

Para além dos grupos parlamentares, o Presidente da Câmara Municipal reuniu ainda com o Presidente da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, o deputado Hélder Amaral.

Assim, no seguimento da reunião no final de maio com o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos e com o Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, o Presidente da Câmara reuniu agora com os grupos parlamentares com o objetivo de tornar realidade a obra de acesso à A11 em Vizela.

O Município de Vizela fará tudo o que estiver ao seu alcance para que a construção de um acesso à A11 em Vizela seja uma realidade, colocando-se, desta forma, ao lado dos Vizelenses em mais uma luta pela defesa dos seus interesses e dos interesses do Concelho.

VALENÇA DESCOBRE SANTUÁRIO DE ARTE RUPRESTE

Valença Tem um Dos Maiores Núcleos de Arte Rupestre. Nova Rota Vai Valorizar Gravuras

Em Valença foram descobertos 115 afloramentos rochosos, com gravuras, sendo um dos maiores núcleos da Arte Rupestre no Noroeste Peninsular, segundo especialistas da Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho.

valençarupreste.jpg

Neste conjunto estão incluídas algumas das mais belas e importantes composições da Arte Rupestre Atlântica, as quais foram classificadas como Imóvel de Interesse Público (IIP).

Algumas das gravuras remontam à Idade do Bronze – Ferro (1800 a.C. - 218 a.C.), tendo sido identificadas, catalogadas, fotografadas e decalcadas pelo Serviço Municipal de Arqueologia, no âmbito da Carta Arqueológica Municipal, em parceria com a Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho.

115 Rochas com Gravuras

Os 115 afloramentos rochosos com gravuras, em Valença, estendem-se pelas freguesias de: Verdoejo com 23, Taião com 15, Sanfins com 17, Ganfei com 24 e Gandra com 37.

Valença vai integrar a Rede Nacional de Arte Rupestre (RNART)

Valença vai integrar membro da Rede Nacional de Arte Rupestre (RNART) que tem por objetivo «promover, valorizar e capacitar os recursos patrimoniais e humanos das entidades da rede, potenciar o impacto e a missão dos sítios detentores de arte rupestre e instituir mecanismos de partilha de recursos físicos e humanos»

Esta rede conta com o respaldo técnico e cientifico da Fundação Côa Parque, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Rota da Arte Rupestre

Paralelamente, a este projeto RNART, o Município de Valença, em parceria com a Ventominho, vai implementar circuito interpretativo e didático de visitação / interpretação as gravuras identificadas no Monte dos Fortes, na freguesia de Taião.

Esta é a oportunidade para dar a conhecer este importante legado, tornando-o visitável a todo o público, nomeadamente o escolar, reforçando a oferta de turismo cultural / patrimonial do concelho.

BRAGA: ARTISTAS DO PROJECTO “ENERGIZARTE” APRESENTAM PROPOSTAS À COMUNIDADE

Assembleias comunitárias de apresentação de propostas dias 28, 29 e 30 de Junho

O Município de Braga e a Fundação EDP, no âmbito do programa Arte Pública Fundação EDP, vão realizar, entre os dias 28 e 30 de Junho, assembleias comunitárias de apresentação de propostas artísticas relativas ao projecto ´Energizarte´.

Energizarte.jpg

Este projecto visa a implementação no Concelho de intervenções artísticas de arte pública em meio rural, particularmente em territórios de baixa densidade, como instrumento de inclusão social. O projecto irá realizar-se nas freguesias do Concelho: Padim da Graça; Merelim S. Paio, Panoias e Parada de Tibães; Palmeira e Crespos e Pousada.

As assembleias comunitárias de propostas artísticas têm a seguinte calendarização: 28 de Junho, às 21h30, no Centro Cívico de Palmeira; 29 de Junho, às 15h00, na Sede da Junta de Freguesia de Merelim S. Paio e às 17h00 na Sede da Junta de Freguesia de Crespos e 30 de Junho, às 10h30, na Sede da Junta de Freguesia de Padim da Graça.

Juntando artistas consagrados (João Martinho Moura, Sebastião Peixoto e José Pedro Santos) com artistas locais, o projecto consiste num processo participativo com a população local, de forma a dar corpo a um conjunto de intervenções artísticas, tendo por base o património cultural, as tradições locais e as situações sociais concretas.

Relembre-se que as primeiras assembleias comunitárias se realizaram em Abril. Após as mesmas os artistas reflectiram e elaboraram as suas propostas criativas, de acordo com o feedback obtido no contacto inicial com a comunidade, e farão agora a apresentação final das intervenções artísticas a executar.

Desta forma, incorporam-se diferentes estímulos numa nova relação com o espaço e o contexto envolventes, únicos e intransmissíveis. O ´Energizarte´ funcionará como instrumento de inclusão social, envolvendo a população local, em particular quem se encontre em situações de risco e/ou de exclusão, promovendo o acesso à arte e aumentando, desta forma, a auto-estima das comunidades.

O programa Arte Pública Fundação EDP já realizou projectos similares em Campo Maior (Mayor.art), no Algarve (WATT?), em Trás-os-Montes (Voltagem), no Ribatejo (UniArt) e em Vila Nova da Barquinha (ARTEJO). A iniciativa está agora a ser alargada ao Minho (Braga) e à Beira Baixa (Fundão).

MONÇÃO REALIZA FEIRA DO ALVARINHO

A Feira do Alvarinho de Monção, certame destinado a promover aquele produto vínico singular e nobre da nossa região, realiza-se nos dias 5, 6 e 7 de julho, no Parque das Caldas, apresentando uma programação destinada a todos os públicos, complementada com provas de vinho, conferências temáticas e animação musical.

Alvarinho - Mascote Oficial 01.jpg

O certame assume-se como um espaço de divulgação da atividade empresarial e associativa da região e como uma “montra” para a dinamização do mundo rural através da apresentação, valorização e comercialização de produtos e artigos locais e regionais. Representa um instrumento estratégico para a promoção e rentabilização económica do concelho.

Alvarinho - Mascote Oficial 02.jpg

Pelo presente, vimos solicitar a melhor colaboração do vosso órgão de comunicação social para a divulgação deste evento relevante para o nosso concelho que, todos os anos, recebe milhares de pessoas num ambiente fantástico e amigável marcado pelo convívio e muitos brindes.

Juntamos informação referente ao evento, nomeadamente, nota de imprensa, cartaz, banner, programa, fotografias da mascote oficial “Alvarinho”, registos fotográficos e vídeo da edição do ano passado, dois vídeos promocionais da presente edição e vídeo para última edição.

cartazmudalv.jpg

RICARDO RIO AFIRMA QUE "BRAGA NÃO ACEITA NENHUM RETROCESSO NO NÍVEL DE QUALIDADE DO HOSPITAL"

Sessão alusiva aos 10 anos da Parceria Público-Privada no Hospital de Braga

O Hospital de Braga e a José de Mello Saúde promoveram hoje, dia 26 de Junho, uma sessão alusiva aos 10 anos da Parceria Público-Privada (PPP). O evento, que decorreu no auditório da unidade hospitalar, contou com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, assim como de vários colaboradores do Hospital de Braga e várias individualidades que, ao longo de uma década, acompanharam de perto a história do Hospital.

CMB26062019SERGIOFREITAS00000019716.jpg

No dia 31 de Agosto termina esta PPP e a unidade passa a ser gerida pelo Estado, constituindo-se como uma Entidade Pública Empresarial (E.P.E.). Sobre este tema, o Edil afirmou que ´Braga não aceita nenhum retrocesso no nível de qualidade a que o Hospital habitou os Bracarenses´ nos últimos anos.

“Braga está muito satisfeita com o seu hospital, com a acessibilidade aos cuidados de saúde e com o serviço de excelência que é prestado pelos profissionais que dedicam todo o seu esforço em prol da população”, referiu, elogiando a qualidade dos colaboradores, das infra-estruturas e equipamentos disponíveis e a capacidade de gestão que tornaram esta unidade de saúde ´numa das melhores, ou mesmo a melhor, do país´, indo ao encontro das melhores expectativas da comunidade.

CMB26062019SERGIOFREITAS00000019699.jpg

O Autarca adiantou também que a importância do Hospital de Braga se torna ainda maior considerando que se trata de um dos maiores empregadores do Concelho e por ser o ´viveiro ideal´ para a aposta da Universidade do Minho na Escola de Medicina e no Centro Clinico Académico, com quem tem ´ligações fortíssimas´. “A isto juntam-se uma intensa união com a comunidade e os inúmeros projectos na área da saúde e bem-estar desenvolvidos com agentes da Cidade e da região, como é óptimo exemplo o Projecto Pimpolho, desenvolvido em parceria com o Município de Braga”, disse.

Durante a sessão foi ainda apresentado o livro “Hospital de Braga: Uma Década de Parceria no SNS”, que relata, com factos e testemunhos, a história da década de existência deste hospital, que, em 2011, veio substituir o hospital de São Marcos e conquistou um lugar de destaque no Serviço Nacional de Saúde.

CMB26062019SERGIOFREITAS00000019717.jpg

IDOSOS DE AMARES RECEBEM CERTIFICAÇÃO NA ÁREA DE INFORMÁTICA

Certificados de formação do projeto 'Clic@r na melhor idade' foram entregues a 9 amarenses

No âmbito do projeto 'Clic@r na melhor idade', 9 pessoas da freguesia de São Vicente do Bico receberam os certificados de frequência desta formação que promoveu, ao longo dos últimos meses, algumas competências digitais ao nível da utilização básica do computador, da navegação na internet e na utilização responsável do email e das redes sociais junto de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, que ainda não tinham um contato muito forte com o mundo digital.

Clicar.jpg

Os certificados foram entregues pelo presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira, pela vereadora da Educação, Cidália Abreu, e pelo presidente da junta de freguesia de São Vicente do Bico, Fernando Soares.

“Aprender não tem idade e este projeto é disso um exemplo. A Sra. vereadora da Ação Social e Educação implementou esta iniciativa com a qual me congratulo porque tem possibilitado aos formandos um contacto mais próximo com as novas tecnologias e, consequentemente, com os seus familiares no estrangeiro”, referiu o presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira.

“Esta é uma das muitas iniciativas que temos vindo a promover com o intuito de promover o envelhecimento ativo, associado à aprendizagem de novos conhecimentos, e à qual muitas freguesias e IPSS´s do concelho aderiram e que tem tido uma excelente recetividade por parte dos formandos, que se tem mostrados muito satisfeitos”, acrescentou.

Isso mesmo corroborou Maria Augusta Tinoco, uma das formandas, que diz ter sido uma experiência “muito útil e agradável” porque agora se sente “mais perto” dos filhos e dos netos que estão no estrangeiro e pelos “bons momentos” de convívio e partilha de experiência que trocou com os colegas.

Também o presidente da Junta de Freguesia de São Vicente do Bico, Fernando Soares, mostrou o seu contentamento com o facto de ter acolhido este projeto que, na sua opinião, “só pela forma como desperta o envolvimento das pessoas da freguesia e possibilita aos formandos manter a mente ocupada ao mesmo tempo que os dota de novas aprendizagens vale por si só”.

Esta ação, promovida pela Câmara Municipal de Amares em parceria com a INCoDe 2030 e em articulação com as juntas de freguesia e IPSS´s do concelho, conta com 8 freguesias e 4 IPSS´s que integram o projeto.