Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIEIRENSES CAMINHAM PELA SERRA DA CABREIRA

Decorreu, este domingo, mais uma caminhada promovida pelo Município de Vieira do Minho. Desta feita, o percurso realizado foi a Caminhada dos Moinhos do Ave.

IMG-20190722-WA0009.jpg

Este percurso permitiu explorar uma parte da margem direita do Rio Ave e apreciar os moinhos e pontes que surgiam ao longo de todo o percurso.

Tratou-se de um percurso difícil, não circular, com a extensão de 5 Km que proporcionou aos participantes o desfrute de uma paisagem verdadeiramente idílica e o contato com património cultural da aldeia de Agra.

Refira-se ainda que a atividade contou com a presença de três dezenas de participantes.

De referir que as caminhadas  prosseguem, no dia 9 de agosto, com a realização de um percurso noturno, no perímetro urbano da Vila de Vieira do Minho.

Os interessados em participar, devem efectuar, gratuitamente, a sua inscrição em através do emailanimacao.turistica@cm-vminho.pt, ou no posto de turismo de Vieira do Minho.

IMG-20190722-WA0013.jpg

ESPOSENDE A DANÇAR... É UM GRANDE BAILE!

Esposende a Dançar de 26 a 28 de julho

Integrado na programação do verão 2019, o Município de Esposende vai promover mais uma edição do evento “Esposende a Dançar”, nos dias 26, 27 e 28 de julho, no Largo dos Bombeiros. Os espetáculos decorrerão a partir das 22h00, com entrada livre.

_DSC1770.JPG

As escolas e grupos de dança do concelho, nomeadamente a Academia de Bailado de Esposende, a PraxiStudio e o Centro de Estudos Às do Saber, apresentam-se em palco, dando a conhecer o trabalho artístico que desenvolvem, proporcionando espetáculos repletos de energia, cor, ritmo e alegria.

A abrir a edição deste ano, no dia 26, o Centro de Estudos Às do Saber apresenta o espetáculo “As músicas que mudaram o Mundo!”, convidando a uma viagem pedagógica, reflexiva e memorável. Através da dança, o Às do Saber propõe-se “agarrar” diversos temas musicais históricos que, ao longo de várias gerações, provocaram mudanças de mentalidades, rompendo preconceitos, dogmas e poderes instituídos.

No dia 27, a PraxiStudio apresenta “Tributo ao Urban Dance” e, a encerrar o evento, no dia 28, a Academia de Bailado de Esposende dança ao som do conto “O Feiticeiro de Oz”, de L. Frank Baum, que aborda temas como o amor, a coragem e a inteligência.

Através da realização do evento “Esposende a Dançar”, o Município dá visibilidade a esta atividade artística e aos grupos de dança concelhios, proporcionando espetáculos de grande qualidade e beleza artística tanto a residentes como turistas e visitantes. Concretiza-se, nesta ação, o cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU “Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade”.

_DSC2174.JPG

_DSC2557.JPG

ESPOSENDEDANCAR.jpg

VIEIRA DO MINHO APRESENTA CICLO DO PÃO

Ciclo do Pão, uma viagem pela tradição

Sábado, dia 27 de julho, Vieira regressa à tradição com uma viagem pelo “Ciclo do Pão”.

ciclo do pão (3).jpg

Neste dia, os turistas vão partir do Posto de Turismo em direção ao Forno Comunitário de Campos para conhecer a história de uma das mais antigas tradições de que há memória, o fabrico do pão.

In loco, os participantes nesta atividade vão poder conhecer algumas curiosidades sobre a origem e a história do pão e manusear alguns dos utensílios associados à sua confeção.

Para além da vertente cultural, esta atividade prima também pela partilha e pelo convívio que gera entre os participantes.

A atividade inicia pelas 14h00, com a receção aos participantes no posto de turismo de Vieira do Minho, rumando depois para a aldeia de Campos , Aldeia de Portugal. Para além da recriação do “ Ciclo do Pão”, o programa integra, ainda uma caminhada ao moinho tradicional da aldeia, prova e degustação da broa confecionada e porco no espeto.

Para além da parte cultural, esta actividade também vai contar com animação musical.

ciclo do pão (2).jpg

MONÇÃO LANÇA PROGRAMA DINAMIZAR FORTALEZAS

A Câmara Municipal de Monção e o Turismo de Portugal, I.P procedem ao lançamento do Programa Dinamizar Fortalezas – Fortalezas de Fronteira, que terá lugar no Baluarte dos Néris, Fortaleza de Monção, no dia 23 de julho, terça-feira, pelas 15h00, contando com a presença do Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e da Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

FORTALMONÇ.png

Este programa pretende promover, de forma integrada, o acesso a exemplares únicos de arquitetura militar do passado e a sua fruição pelas populações locais e seus visitantes, procurando ainda a sua preservação e transmissão às gerações futuras.

A primeira fase do Programa Dinamizar Fortalezas são as 62 fortificações desenhadas por Duarte D’Armas – escudeiro do rei D. Manuel – no Livro das Fortalezas, no séc. XVI, às quais acrescerão, mais tarde, outras, com data de construção posterior, também na linha de fronteira.

Objetivos:

. Contribuir para o reforço de atratividade das respetivas regiões como destinos turísticos, gerando riqueza e criando postos de trabalho, e também novas dinâmicas económicas;

. Combater os desequilíbrios relativamente às regiões do interior, contribuindo para a coesão económica e social do país;

. Descrever a geografia de um país com base no legado das fortificações da linha de fronteira de Portugal com Espanha;

. Divulgar o legado patrimonial existente em toda a linha de fronteira luso-espanhola, uma das mais antigas do mundo;

. Transformar estes espaços únicos de história e cultura, em locais dinâmicos de visita e de conhecimento do país, e em particular, da região e cultura raianas;

. Agregar e divulgar a informação disponível sobre as fortificações abrangidas;

. Promover a ação articulada entre municípios e outros agentes públicos e privados na estruturação do produto, da criação de rotas, itinerários e programas turísticos.

VAUDEVILLE RENDEZ-VOUS ARRANCA QUINTA-FEIRA EM BARCELOS

Mais influente festival de circo contemporâneo do país

Barcelos recebe já na próxima quarta-feira o primeiro espetáculo que marca a abertura da sexta edição do mais influente festival de circo contemporâneo do país, o Vaudeville Rendez-Vous – que decorre entre 24 e 27 de julho em Barcelos, Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão, cidades que integram o Quadrilátero Urbano.

Capturarvaudevillebarcelos.PNG

Com uma programação repleta de propostas que espelham bem a frescura do que de melhor se tem produzido nacional e internacionalmente ao nível do circo contemporâneo, “A Simple Space”, dos Gravity & Other Myths abre a sexta edição do Festival, no dia 24 de julho, às 22h00, no Largo da Porta Nova, em Barcelos. Esta é uma das seis estreias nacionais que vão marcar o evento, sendo a primeira vez que o festival conta com a participação de uma companhia australiana. Sete acrobatas executam uma performance “crua, frenética e delicada”, apresentada de forma intimista.

O grupo ‘Coração nas Mãos’ apresenta-se em Barcelos com a peça “Chá das Cinco”, no dia 25 de julho, às 19h00, no Largo da Porta Nova, numa performance que conta com quatro amigas, e mais uma que não chega, que bebem chá num ambiente pouco pacífico. Ainda no mesmo dia, às 22h, Elvis Mendes – vencedor da primeira bolsa de criação Vaudeville Rendez-Vous, em parceria com o Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC) –, apresenta “A Fábrica da Mentira”, também no Largo da Porta Nova.

No dia 26, às 11h00, há lugar para um “Showcase”, no Theatro Gil Vicente, que irá permitir aos criadores emergentes apresentarem os seus projetos aos programadores que marcam presença no Vaudeville Rendez-Vous. Mais tarde, às 19h00, é a vez da dança acrobática “Zoog”, de Amir and Hemda, que representa o amor e o ódio numa relação, assim como a rotina e os altos e baixos de uma história íntima, apresentar a sua performance, no Largo da Porta Nova. Ainda no mesmo dia, o grupo francês Cirque Exalté põe em cena o espetáculo “Furieuse Tendresse”, que liga a polimórfica e multidisciplinar cultura underground do circo dos anos 60 e 70, às 22h00, na Praceta Francisco Sá Carneiro.

No último dia do festival, a companhia portuguesa Dulce Duca traz, ao Largo da Porta Nova, às 11h00, o espetáculo “Um belo dia”, baseado nas memórias do autor, que coloca a artista no centro do palco a representar emoções. A última atuação do Festival em Barcelos cabe a “Pelat”, de Joan Català, que concilia dança, circo, teatro e performance, e promove uma interação única com o público. Esta interpretação tem lugar, às 19h00, no Largo da Porta Nova.

O Vaudeville Rendez-Vous – reconhecido pelo júri internacional do Europe For Festivals/Festivals For Europe, com o selo EFFE Label 2019-2020 – tem como missão a sensibilização da comunidade para as artes circenses e a formação de novos públicos. A última edição daquele que é considerado o mais influente festival de circo contemporâneo do país reuniu mais de 15 mil pessoas em Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão e contou com mais de 60 artistas portugueses e internacionais.

Criado e organizado pelo Teatro da Didascália, o evento, que em 2019 conta com um total de nove estreias – seis estreias nacionais e três estreias absolutas, com entrada gratuita -, afirma, mais uma vez, o seu compromisso de valorização e projeção do circo contemporâneo. É a partir da força regional que o festival pretende dinamizar a internacionalização da cultura e dos artistas portugueses, através das redes europeias que o festival integra – CircusNext e Circostrada.

Este projeto é cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte, Norte 2020, através do Portugal 2020 e do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

FUNDAÇÃO CAIXA AGRÍCOLA NOROESTE APRESENTA PROJETO ARTISTAS QUE A ESM VIU NASCER

A Escola Secundária de Monserrate é uma escola com 130 anos, de grande cariz técnico e artístico, que cedo se afirmou como uma mais-valia para os seus alunos, quer pela qualidade dos cursos que ministrava, quer pela qualidade dos Mestres que nela empenharam todo o seu saber e dedicação.

Artistas que a ESM viu nascer é um projeto que visa contribuir para a construção da memória coletiva desta Instituição, para que estas novas gerações tenham consciência da honra que é pertencer a esta escola que continua a ser, apesar das adversidades, um motivo de grande orgulho para toda a Comunidade Educativa.

Artistas que a ESM viu nascer é uma série de 10 filmes documentais alusivos à Vida e obra de artistas que, de uma forma ou outra, se encontram intimamente ligadas à história da Escola Secundária de Monserrate e à cidade de Viana do Castelo. 

Este projeto é uma parceria entre a Fundação Caixa Agrícola do Noroeste e a Escola Secundária de Monserrate.

ARRANCA CONSTRUÇÃO DA VIA CICLO-PEDONAL DE FAMALICÃO

Obra vai ligar Famalicão à Póvoa de Varzim através do ramal da antiga linha férrea. Auto de consignação é assinado amanhã, 23 de julho, pelas 11h00, em Outiz (junto ao antigo apeadeiro)

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, procede à assinatura do auto de consignação que marca o arranque das obras de construção da Via Ciclo-Pedonal entre Famalicão e a Póvoa de Varzim (empreitada de Famalicão) em cerimónia a realizar amanhã, terça-feira, 23 de julho, pelas 11h00, em Outiz (junto ao antigo apeadeiro ferroviário).

DSC_7970.JPG

A obra foi adjudicada à empresa DACOP – Construções e Obras Pública pelo valor de 1.994.842,42€ euros e um prazo de execução de um ano. Com verbas aprovadas no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), assinado entre a autarquia e o Programa Operacional Norte 2020, o município tem garantido um cofinanciamento FEDER.

Aproveitando a plataforma da antiga linha do caminho-de-ferro, entre Vila Nova de Famalicão e a Póvoa de Varzim, proceder-se-á à implementação de via dedicada à circulação pedonal e ciclável, funcionando como canal de ligação entre os núcleos urbanos adjacentes e o centro da cidade.  A intervenção tem como principal objetivo requalificar e revitalizar o percurso com 10 quilómetros de extensão de forma a dotá-lo de vida e de utilidade própria, potenciando-se a sua utilização como infraestrutura de mobilidade através da utilização de meios suaves de transporte.

À intervenção realizada em Vila Nova de Famalicão junta-se a empreitada de natureza semelhante realizada no território da Póvoa de Varzim o que perfaz uma via ciclo-pedonal com cerca de 30 quilómetros de extensão.

CÂMARA DE CAMINHA PROMOVE PERCURSO PEDESTRE INTERPRETATIVO “PELAS MARGENS DO RIO COURA”

Atividade vai decorrer no dia 27 de julho e a participação é gratuita

A Câmara Municipal de Caminha vai promover o percurso pedestre interpretativo “Pelas margens do rio Coura”, na Praia Fluvial das Azenhas, em Vilar de Mouros, no dia 27 de julho. A participação é gratuita.

Praia Fluvial das Azenhas - Vilar de Mouros (1).jpg

O ponto de partida do percurso interpretativo está agendado para as 10H00, na Praia Fluvial das Azenhas. “Pelas Margens do Rio Coura” está inserido nas atividades de Educação Ambiental Praias 2019 que o Município está a levar a cabo no âmbito do programa Bandeira Azul da Europa.

Esta atividade tem como objetivo a realização de um percurso pedestre interpretativo sobre a biodiversidade das margens do rio Coura, com orientação de Carlos Venade.

Como foi referido acima, a participação é gratuita, mas a inscrição é obrigatória. Assim, os interessados em participar deverão proceder à respetiva inscrição através do email cisa@cm-caminha.pt .

MÁRIO LAGINHA E MAIS 300 MÚSICOS ENCERRAM CONCERTO "SENTE A HISTÓRIA" EM PAREDES DE COURA

dom | 21 jul | 16h00 | Paredes de Coura

Mário Laginha, Augusto Canário, Carlos Azevedo, Telmo Marques, o maestro Afonso Alves e mais de 300 músicos divididos em nove coros e uma banda filarmónica dão corpo este domingo, 21 de julho, a partir das 16h00 em Paredes de Coura, ao concerto que encerra o programa “Sente a História”, que nos últimos 15 meses levou 30 concertos a 30 locais históricos em 10 concelhos do Alto Minho.

Sente a História.jpg

Promovido pela CIM Alto Minho e envolvendo os municípios de Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira, nesta Gran Finale irá decorrer a audição completa das 10 canções das lendas do Alto Minho, que foram encomendadas no âmbito do projeto “Sente a História”, bem como o Hino do Alto Minho e o lançamento do respetivo CD: “Canções das Lendas e Hino do Alto Minho”. As letras das canções que invocam as lendas da região foram escritas pelo cantor repentista Augusto Canário e as músicas são da autoria de seis compositores de referência do jazz à música erudita: Afonso Alves, Eurico Carrapatoso, Carlos Azevedo, Fernando Lapa, Mário Laginha e Telmo Marques.

No concerto deste domingo, Mário Laginha, Carlos Azevedo e Telmo Marques vão improvisar individualmente ao piano sobre uma das composições de sua autoria após apresentação por um dos coros. Já o maestro Afonso Alves, que é o compositor do Hino do Alto Minho, vai dirigir o tutti final com nove coros e a Banda Filarmónica de Estorãos (Ponte de Lima), que juntos interpretarão o Hino do Alto Minho naquela que será a sua primeira audição absoluta. Augusto Canário, por seu turno, promete apresentar um momento musical surpreendente.

Os nove coros que vão interpretar os temas são os seguintes: Cantadeiras do Vale do Neiva, Coro de Câmara Viana Vocale, Coral Polifónico de S. Teotónio (Valença), Orfeão Limiano, Coral Polifónico de Cerveira, Coro de Pais da Academia de Música de Viana do Castelo, Viana Vocale, Coral Polifónico de Viana do Castelo e Orfeão de Vila Praia de Âncora.

Também este domingo, pelas 18h00, a iniciativa “Sente a História” realiza aquela que será a sua última visita guiada e animada ao património dos 10 municípios que constituem o Alto Minho, com uma passagem pelo Museu Regional de Paredes de Coura, onde está patente a mostra ‘Impressão Digital em Terras de Coura’.

Visita ao Museu Regional de Paredes de Coura

‘Impressão Digital em Terras de Coura’ propõe um olhar sobre o território, a paisagem e a vida em Paredes de Coura nas últimas décadas.

Através de histórias na primeira pessoa, evocam-se vivências no passado e no presente. Ensaiam-se caminhos de futuro.

O território tem várias faces que coexistem e se entrecruzam num mesmo tempo, em que cada geração traz sempre algo de novo, deixando a sua impressão digital, a marca que cada um de nós deixa sempre num lugar.