Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PARTIDO "OS VERDES" CONFRONTA ANTÓNIO COSTA COM EXPLORAÇÃO DE LÍTIO EM MONTALEGRE

Hoje, no debate quinzenal com o Primeiro Ministro sobre políticas ambientais, de ordenamento e de valorização do território, a Deputada Heloísa Apolónia questionou António Costa sobre a exploração de lítio em Montalegre.

A Deputada de Os Verdes acusou o Primeiro Ministro de declarações contraditórias em matéria de exploração de lítio pois o Governo afirmou que não haveria exploração em áreas classificadas. Ocorre que em Montalegre, em área classificada como Património Agrícola da Humanidade pela FAO/UNESCO, há um contrato assinado de exploração de lítio sem sequer haver avaliação de impacto ambiental.

Os Verdes lamentam que esta matéria tenha ficado sem resposta por parte do Sr. Primeiro Ministro e, como tal, comprometem-se a confrontar novamente sobre esta situação.

Heloísa Apolónia, Deputada do PEV, levantou ainda, neste debate, questões sobre mitigação e adaptação ao fenómeno das alterações climáticas, com foco na floresta, prevenção de incêndios e fim da expansão do eucalipto.

Veja aqui a intervenção completa da Deputada Heloísa Apolónia: https://www.youtube.com/watch?v=gV0VcvEgcM8 (tema “lítio” ao minuto 3:40).

O Grupo Parlamentar Os Verdes

ARCOS DE VALDEVEZ FESTEJA S. JOÃO DA VALETA

Arcos de Valdevez prepara-se para celebrar o S. João nos dias 22,23 e 24 de Junho

Os festejos do S. João estão a chegar, e, Arcos de Valdevez, vila com grandes tradições Sanjoaninas, prepara-se para voltar a viver dias de muita animação e folia, sendo a parte histórica da Vila, nomeadamente o Largo da Valeta, o ponto de encontro de centenas de pessoas que para lá vão à procura de muito bailarico, marteladas, marchas populares, sardinha assada e manjericos.

IMG_5621.JPG

Tal como nos anos transatos o programa será repleto de animação, começando as festividades no sábado, dia 22, pelas 14h00 com o Torneio Internacional “Arcos Touch Rugby” no Complexo desportivo de Arcos de Valdevez; às 22h00 decorrerão as marchas Sanjoaninas na Avenida Marginal (Junto à Rádio Valdevez) e às 00h30 a atuação do grupo Show Band, no Largo da Valeta.

No domingo a festa tem início pela pelas 22h00 no largo da Valeta com a atuação do Grupo Carlos Rodrigues e às 00h00 terá lugar a sessão de fogo-de-artifício na Praia Fluvial da Valeta.

Na segunda-feira, dia 24, o dia começa pelas 09h00 com alvorada por um grupo de bombos; às 10h00 saem à rua as marchas dos infantários e IPSS, com desfile no Largo da Valeta; às 19h00 decorre a Eucaristia na Igreja da Lapa e às 22h00 a atuação da Orquestra Microsom, no Largo da Valeta.

As festividades do S. João contam com organização da Folia – associação responsável pela organização das várias festividades do município – em parceria com a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez.

ESPOSENDENSES COLABORAM COM AÇÃO CÍVICA DA GNR

Município de Esposende colabora com GNR em ação cívica

Durante o ano letivo 2018/2019 decorreu em todas as escolas do concelho de Esposende o concurso promovido pela Guarda Nacional Republicana – “O Papel da Guarda Nacional Republicana na Sociedade”, com o apoio do Município de Esposende.

gnr 1.jpg

Este concurso visava mobilizar várias entidades públicas e privadas, assim como os alunos das escolas do concelho de Esposende, sensibilizando para o respeito e noção de autoridade e pelo cumprimento e respeito das Leis. Com alcance mais amplo, a iniciativa procurou sensibilizar a população para os valores da cidadania e do civismo.

Houve três categorias a concurso: “Desenho”, “Fotografia” e “Filme”, tendo os alunos vencedores recebido um prémio atribuído pelo Município.

Para além dos prémios atribuídos, as turmas com alunos vencedores da categoria “Fotografia” e “Filme” fizeram uma visita ao Quartel da GNR de Esposende, enquanto os alunos vencedores da categoria “Desenho”, tiveram também direito a participar numa “operação stop com mini-fardas”.

Através da promoção deste evento, o Município está a contribuir para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, designadamente Educação de Qualidade, Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

gnr os.jpg

gnr os1.jpg

FOLK MONÇÃO “O MUNDO A DANÇAR” TRAZ NOVIDADES E A QUALIDADE SUPERIOR DAS ANTERIORES EDIÇÕES

Com organização do Grupo Folclórico da Casa do Povo de Barbeita, o Monção Folk “O Mundo a Dançar”, a decorrer entre 27 de julho e 4 de agosto, promete voltar a encantar milhares de pessoas nos espetáculos a realizar no Alto Minho (Monção, Barbeita, Melgaço, Valença, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Arcos de Valdevez e Ponte da Barca) e na Galiza (Salvaterra de Miño e Vilanova de Arousa).

Folkmonca.JPG

Na presente edição, marcam presença neste festival, um dos mais reconhecidos a nível nacional com certificação CIOFF desde 2006, grupos oriundos dos quatro continentes (Benim, Bolívia, Chile, Croácia, Filipinas, Japão, México, Portugal, Rússia e Sérvia), envolvendo cerca de meio milhar de participantes e mais de uma centena de voluntários.

Em conferência de imprensa, realizada na passada sexta-feira, no Palácio da Brejoeira, Boaventura Rodrigues revelou que o festival deste ano promete a mesma qualidade de anos anteriores, apresentando duas novidades. Mudança de local, passando da Praça Deu-la-Deu para o Parque das Caldas, e o arranque da iniciativa “Noites do folk e da gastronomia mundial”.

Desta forma, além das galas de abertura e encerramento, no Parque das Caldas, e da aliança, em Ponte de Mouro/Barbeita, Monção vai ter animação todas as noites, entre 27 de julho e 4 de agosto, assegurando uma dinâmica cultural forte complementada por uma oferta gastronómica diversificada e adequada a todos os paladares.

Boaventura Rodrigues explica: “Vamos juntar grupos monçanenses com um grupo estrangeiro e, nesse dia, apresentar a nossa gastronomia juntamente com a gastronomia do grupo convidado. Os espaços de restauração da Feira do Alvarinho (5 a 7 de julho) ficam no local para garantir esta possibilidade que, estou certo, encaminhará muita gente para o Parque das Caldas durante a semana do festival”.

O autarca monçanense, António Barbosa, que na anterior edição desafiou a organização a ir mais longe, congratulou-se com as duas novidades anunciadas, referindo que ambas vão permitir maior diversidade e dinamização do festival, bem como a fixação das pessoas na nossa região durante um período mais longo de tempo.

Quanto à mudança de local, afirmou que “o Parque das Caldas vai possibilitar que um maior número de pessoas possa assistir aos espetáculos, estando previstos 4 mil lugares sentados”. Em relação às “Noites de folk e gastronomia mundial”, ressalvou “a presença de grupos monçanenses no mesmo palco que os estrangeiros e a partilha dos sabores locais com os internacionais”.

Na apresentação do festival esteve também a nova alcaldesa de Salvaterra de Miño, Marta Valcárvel Gomez, a qual revelou que o festival é um momento extraordinário de dança, música e partilha entre os povos. ”Este ano, vamos ter mais um grupo no nosso espetáculo. Fico satisfeita porque a nossa gente gosta muito das atuações e do espirito que rodeia o festival” afirmou.

Além dos espetáculos e das “Noites de folk e gastronomia mundial”, o festival apresenta ainda ateliês de dança e desfile pelas ruas de Monção (1 de agosto, quinta-feira, feira semanal), sendo visualizado por dezenas de milhares de pessoas. Os participantes ficam alojados na EB 2.3 de Monção em beliches nas salas de aulas.

VOLUNTÁRIOS LIMPAM ARCOS DE VALDEVEZ

Eco Valdevez: Centenas de voluntários limparam vários espaços do concelho

No passado fim-de-semana, dias 15 e 16 de junho, centenas de voluntários juntaram-se à ação de sensibilização Eco Valdevez levada a cabo pela Câmara Municipal, em parceria com 21 Juntas de Freguesia do Concelho.

62548054_2446980592027891_4601364018014191616_n.jpg

Pretendeu-se com esta ação sensibilizar a população para as questões ambientais, nomeadamente a manutenção e preservação dos espaços públicos e património natural, promovendo comportamentos ambientalmente sustentáveis.

Mais de 500 pessoas limparam áreas sinalizadas em diversas freguesias, como trilhos, caminhos ou largos para chamar à atenção da população para as questões ambientais e a proteção do ambiente.

Esta iniciativa foi um sucesso, pois contribuiu para a limpeza e melhoria de vários espaços públicos e surtiu efeitos em todos aqueles que participaram, já que apesar de muito já ter sido feito, ainda há um longo trabalho de sensibilização a realizar junto das populações.

O concelho de Arcos de Valdevez destaca-se por trilhar um caminho de valorização do património e de promoção do equilíbrio entre o Homem e a Natureza, sendo certo que o que “fizermos hoje é determinante para o que teremos amanhã”, afirma o Presidente da Câmara Municipal, João Esteves.

A Câmara Municipal encontra-se a levar a cabo diversas ações em prol do ambiente, como sendo ao nível da Educação e Sensibilização Ambiental, o Programa Eco-Escolas, School4All, Mercado Municipal Circular, e tem projetos em curso no Parque Nacional da Peneda-Gerês como o Plano de prevenção e recuperação de habitats naturais e o Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas.

Tem em curso a construção na Porta do Mezio do Parque Biológico da Porta do Mezio; a criação do Museu da Água ao Ar Livre do Rio Vez, do Centro da Biodiversidade do Alto Vez em Sistelo, e ainda a realização, pela Câmara e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), de obras de Reabilitação e Requalificação dos Ecossistemas Ribeirinhos e a futura execução do Parque urbano com resiliência às cheias no baixo Vez.

Nesta ação o presidente da Câmara apelou ainda a todos os participantes para contribuírem “para a promoção do desenvolvimento sustentável da nossa Terra. “

63213612_2446980815361202_1528515273655582720_n.jpg

64223979_2446980898694527_36894941598711808_n.jpg

64391368_2446980222027928_1911844420538335232_n.jpg

64444984_1177082199162913_4416075684300980224_n.jpg

64564270_1335728429915485_2854036537337708544_n.jpg

64761516_1311274065697745_7138133906766692352_n.jpg

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE GUIMARÃES REALIZA ESTÁGIO DE ORQUESTRA EM VIEIRA DO MINHO

Estágio de Orquestra, hoje no Auditório Municipal

O Conservatório de Música de Guimarães - Polo de Vieira do Minho promove, hoje, dia 17 de Junho o Concerto Estágio de Orquestra.

O Momento vai ter lugar, no Auditório Municipal de Vieira do Minho, pelas 19h00 e vai contar com a presença da Orquestra dos Alunos e do Coro do Conservatório.

Não perca esta oportunidade. Venha assistir a este magnífico concerto e ver o trabalho desenvolvido pelos jovens músicos vieirenses. Esta iniciativa marca o encerramento do ano letivo.

conservatório.jpg

FAMALICENSES ASSISTEM CINEMA AO AR LIVRE

Cinema Paraíso: o cinema ao ar livre gratuito está de volta a Famalicão. 20.ª edição da iniciativa decorre de 10 de julho a 21 de agosto com 9 sessões de cinema

No Verão, em Famalicão as luzes do cinema viram-se para os parques e praças da cidade.

DSC_2491.JPG

A chegada das noites quentes anuncia mais uma edição do Cinema Paraíso, uma tradição com já 20 anos do Cineclube de Joane que com o apoio da Câmara Municipal propõem sessões de cinema ao ar livre gratuito em vários espaços públicos do concelho, durante os meses de julho e agosto.

Para além das noites de cinema no Parque da Devesa, o programa deste ano do Cinema Paraíso vai ainda passar por outros espaços do concelho, descentralizando assim a iniciativa às freguesias de São Simão de Novais, Cabeçudos e Lemenhe, com propostas que chegam ao grande público e que prometem surpreender os espetadores, com cinema popular de várias proveniências, do presente e do passado.

Todas as sessões têm início pelas 22h00 e são de entrada livre.

A primeira sessão arranca já no dia 10 de julho, na Devesa, com o filme “Bohemian Rhapsody”. No dia seguinte, dia 11, o filme “Dumbo”, de Tim Burton, é exibido na Praça Jerónimo de Castro, em Novais. Segue-se o filme “Cinema Paraíso”, no adro da Capela de Santa Catarina, em Cabeçudos, no dia 14 de julho. No dia 17, o cinema regressa à Devesa com a exibição do último filme da sequela Missão Impossível – “Missão Impossível – Fallout”. Dia 24 de julho, o Cinema Paraíso passa na Devesa o filme “Homem-Aranha: no universo aranha” e no dia 26, no adro da Capela de Nossa Senhora do Carmo, em Lemenhe, o filme “O Rio do Ouro”, do cineasta português Paulo Rocha.  

A partir daí todas as sessões decorrem no Parque da Devesa, com a versão portuguesa do filme “Uma Aventura do Outro Mundo” no dia 7 de agosto; “O Carteiro de Pablo Neruda” no dia 14, e “Ou Nadas ou Afundas” no dia 21 de agosto.

Refira-se que o projeto itinerante de cinema ao ar livre decorre já desde 1999. A partir de 2013, com o Parque da Devesa, o Cinema Paraíso ganhou condições de excelência para a sua realização, acolhendo várias centenas de espetadores.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “a longevidade do Cinema Paraíso, que este ano assinala a sua 20.ª edição, é a prova de que este é um dos programas preferidos dos famalicenses para as noites de Verão”.

DSC_2464.JPG

CINEMA PARAÍSO | PROGRAMA

PARQUE DA DEVESA

10 de Julho | Bohemian Rhapsody

17 de Julho | Missão: Impossível - Fallout

24 de Julho | Homem-Aranha: no universo aranha (versão portuguesa) 

7 de Agosto | Uma Aventura do Outro Mundo (versão portuguesa) 

14 de Agosto | O Carteiro de Pablo Neruda

21 de Agosto | Ou Nadas ou Afundas

ITINERÂNCIA PELAS FREGUESIAS

11 de Julho| São Simão de Novais (Praça Jerónimo de Castro) | Dumbo

14 de Julho |Cabeçudos (Adro da Capela de Santa Catarina) | Cinema Paraíso

26 de Julho |Lemenhe (Adro da Capela de Nossa Senhora do Carmo) | O Rio do Ouro

DSC_2453.JPG

VIEIRA DO MINHO REQUALIFICA LARGO PROF. BRÁS DA MOTA

Obras de requalificação do Largo Prof. Brás da Mota

Arrancam, hoje, dia 18 de junho as obras de requalificação do Largo Prof. Brás da Mota.

Esta intervenção que implica um investimento de aproximadamente 410 mil euros resulta de uma candidatura submetida pela Câmara Municipal ao Programa Operacional Norte 2020 e tem por objetivo requalificar e revitalizar este espaço.

brás_mota.jpg

A empreitada vai contemplar a criação e o alargamento de zonas de estacionamento, a ampliação e criação de espaços verdes e de lazer, a colocação de novas iluminarias e mobiliário urbano.

Refira-se, ainda que, a intervenção vai proporcionar a ligação da Praça Dr. Guilherme de Abreu ao Largo Brás da Mota, tornando-se esta um complemento da Praça Guilherme de Abreu, no que toca a realização de eventos.

O Município de Vieira do Minho espera ver a obra concretizada num curto espaço de tempo, sendo certo tratar-se de uma intervenção que vai beneficiar os seus utilizadores.

ESPOSENDE REPÕE AREIAS NAS PRAIAS

Prossegue alimentação artificial de areias nas praias de Suave Mar e Cepães

No âmbito da empreitada da Sociedade Polis Litoral Norte de alimentação artificial de areias nas praias de Suave Mar e de Cepães, no concelho de Esposende, e verificando-se que ainda não foi possível atingir os volumes de dragados/areias previstos para reposição nas praias, os trabalhos irão prolongar-se durante a presente semana, podendo causar alguns constrangimentos ao nível da utilização da praia de Suave Mar neste início de época balnear.

praias 1.jpg

Em articulação com o Município de Esposende, a Agência Portuguesa do Ambiente e a Autoridade Marítima, e tendo em consideração as previsões climatéricas para os próximos dias, entenderam permitir a continuação dos trabalhos, possibilitando, desta forma, melhorar as condições de utilização das praias em questão.

Apesar dos condicionalismos verificados, a vigilância das praias será assegurada pelos nadadores salvadores, agradecendo-se a compreensão dos concessionários de praia que veem assim atrasado o pleno funcionamento das suas concessões balneares e solicitando-se a todos os que utilizam estas praias, o cumprimento das normas de segurança e a maior precaução na utilização dos locais em que decorram trabalhos e/ou circulação de máquinas e viaturas.

Esta postura enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, nomeadamente os referentes a Ação Climática (ODS 13), Proteger a Vida Marinha (ODS 14), Proteger a Vida Terrestre (ODS 15) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

praias 2.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE REALIZA ROTEIRO DAS FREGUESIAS

Benjamim Pereira visitou União das Freguesias de Fonte Boa e Rio Tinto

A União das Freguesias de Fonte Boa e Rio Tinto esteve, ontem, na agenda do Presidente da Câmara Municipal de Esposende. Benjamim Pereira prossegue, assim, o roteiro de visitas às freguesias, com o objetivo de elaborar o próximo Plano de Investimento e, num contexto mais abrangente, avaliar com os eleitos locais a definição de projetos estruturantes para o futuro para cada uma das freguesias.

_DSC0004.JPG

Depois das visitas às Uniões das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, e de Belinho e Mar, Benjamim Pereira e os seus vereadores dedicaram o dia de ontem a Fonte Boa e Rio Tinto onde, juntamente com o executivo de Carlos Escrivães e Fernando Martins, avaliaram as necessidades destas freguesias e a possibilidade de execução das mesmas.

O Presidente da Câmara Municipal relembrou a importância de definir quais os projetos prioritários, na medida em que os recursos financeiros são limitados. Salientou, contudo, que o Município e as Juntas e Uniões de Freguesia estão focadas e empenhadas no cumprimento do programa sufragado, o qual reflete as aspirações, necessidades e anseios das populações.

Em Fonte Boa e Rio Tinto foram abordados, entre vários outros assuntos, intervenções no plano da rede viária, de modo a garantir as necessárias condições de segurança, a beneficiação de equipamentos, entre as quais das instalações de Fonte Boa da União de Freguesias, e a criação de espaços de estacionamento em lugares onde se afigura necessário. Para melhor aferir cada uma das situações, os autarcas deslocaram-se ao terreno, tendo tido também oportunidade de contactar com a população.

Benjamim Pereira refere que “estas visitas ao terreno têm-se revelados bastantes positivas, uma vez que permitem uma melhor avaliação das situações, de modo a estudar a solução mais adequada para cada caso”. Acrescenta que o objetivo do Município é que as obras possam avançar tão breve quanto possível, sendo certo que a sua execução carece do prévio cumprimento dos procedimentos exigidos.

_DSC0012.JPG

_DSC0056.JPG

_DSC0077.JPG

VIEIRA DO MINHO FESTEJA SANTOS POPULARES

A Praça Guilherme de Abreu engalanou-se, este fim de semana, para celebrar os Santos Populares.

MARCHASPOPULARES-12.jpg

Mais uma iniciativa do Município de Vieira do Minho que envolveu mais de 300 figurantes e trouxe à Vila de Vieira do Minho a alegria, a tradição e o cheiro tão característico da sardinha assada.

A festa contou com a participação do Rancho Folclórico Os Passarinhos da Ribeira, Rancho Folclórico do Mosteiro, Grupo de Concertinas da Botica, Trampolineiros de Vieira, Grupo de Bombos Alvoradas da Cabreira, Centros de Convívio e Lazer e Projecto Escolhas- Jovens ao Leme.

E como não podia deixar de ser, em época de Santos Populares, as sardinhas assadas e o caldo verde também fizeram parte da festa .

As marchas populares assumem-se como uma festa de cariz popular que visa proporcionar momentos de convívio entre os Vieirenses bem como ir de encontro aos diferentes públicos, envolvendo as várias forças vivas do concelho.

O Presidente da Câmara Municipal, António Cardoso, esteve presente durante toda a tarde e referiu a importância de manter viva este tipo de tradições que adicionalmente promove também o envolvimento da comunidade .

VIZELA PROMOVEU TURISMO TUREXPO NA GALIZA

Vizela promoveu turismo Turexpo, Galiza

No seguimento da estratégia de consolidação da imagem e identidade do Concelho de Vizela enquanto destino turístico, a Câmara Municipal participou na feira Turexpo – 9º Salão Turístico da Galiza, nos dias 8 e 9 de junho, a convite da Entidade Regional de Turismo Porto e Norte de Portugal.

Turexpo Vizela.jpg

A feira decorreu em Silleda, na Galiza, e de acordo com a organização do evento estiveram presentes 128.000 visitantes, 710 expositores, realizaram-se mais de 200 atividades num espaço com cerca de 17.000 metros quadrados.

Portanto, números significativos que sustentam a importância da feira e a relevância da participação do Município de Vizela para promoção e divulgação da oferta turística vizelense na Galiza, um mercado de proximidade.

Assim, depois da participação na feira INTUR (Valladolid, Espanha), na Xantar, destinada à divulgação da gastronomia e onde Vizela participou com o Bolinhol, os vinhos verdes e o bacalhau à Zé do Pipo, na FIT Guarda e na Expocidades em Braga, concretizou-se agora a participação na Turexpo. Em setembro, a Câmara Municipal de Vizela vai participar na Termatalia, em Ourense, feira destinada ao termalismo na qual será dado o devido destaque às Termas de Vizela.

Deste modo, e dando cumprimento ao previsto no Plano Municipal de Turismo, que considera de enorme importância a promoção de Vizela através da participação em feiras de âmbito turístico para potenciar a captação de público, a Câmara Municipal de Vizela mantém a aposta na consolidação da imagem e identidade de Vizela.

CLUBE DE RUBY DE ARCOS DE VALDEVEZ COMEMORA 38 ANOS AO SERVIÇO DO DESPORTO

38.º Aniversário do CRAV: Rugby arcuense esteve em festa e premiou atletas que estiveram em evidência

A comemoração do 38.º aniversário do CRAV – Clube de Rugby de Arcos de Valdevez decorreu na noite do passado sábado, dia 15 de Junho, na Quinta de Parada, com a presença de cerca de 280 convidados.

cravalrcval (1).jpg

Foi uma jornada de fervor clubístico entre os mais novos e os veteranos, mas também de muita amizade, servindo, ainda, para estreitar laços de amizade entre amigos de longa data que serviram o clube, muitos dos quais se deslocaram de outras localidades para rememorar velhos tempos.

A recepção aos convidados era feita por dois “ardinas” que ofereciam o jornal do clube, de periodicidade anual “O Ensaio”, o qual faz referência aos últimos títulos conquistados pelo CRAV e algumas entrevistas e notícias ligadas a esta instituição.

O presidente, Fernando Manso, deu as boas-vindas e salientou a importância da data festejada deixando bem vincado o lema que encimava o palco: “Todos Somos CRAV” e o desejo de que o clube de rugbi arcuense “continue a prestigiar a terra e o Alto Minho, como o maior e melhor embaixador desta modalidade”, e fez referência aos atletas que conquistaram títulos nacionais para o clube e à atleta feminina do clube, Júlia Araújo, pela distinção recebida, o troféu “O Minhoto” e agradeceu a presença e o apoio dos patrocinadores presentes.

Seguiu-se o presidente da autarquia, João Manuel Esteves, e, como curiosidade, citou que nas suas visitas efetuadas à diáspora arcuense, é questionado, muitas vezes, pelo facto de em Arcos de Valdevez se praticar este desporto, em representação da região norte, com conquistas assinaláveis. “Por isso a aposta do município vai continuar nesta e noutras modalidades que existem no nosso concelho. Parabéns CRAV”.

O momento seguinte foi de exaltação para com os atletas que mais se distinguiram. Atleta do Ano Sub-16: Gonçalo Cordeiro, que recebeu o troféu do empresário arcuense, Manuel Teixeira; Atleta do Ano Sub-18: Alexandre Veloso, por Joaquim Rodrigues (Caixa Agrícola); Mérito Feminino: Jessica Barros, por Fernando Manso, presidente do CRAV; Prémio Revelação: André Esteves, pela empresária bracarense, a arcuense, Maria Teresa Soares; Jogador do Ano: Rui Pedro Aguiam, pelo presidente da câmara, João Esteves.

Seguiu-se a entrega do Prémio Júlio Faria, atribuído a título póstumo ao malogrado antigo atleta, João Puga, entregue a sua esposa, Cristina Puga (que ofereceu ao CRAV um quadro com a foto do marido), pelo também antigo atleta e treinador do clube, Júlio Faria.

No intervalo da refeição foi apresentada a equipa técnica que orientar a formação sénior do CRAV e que é constituída por Renato Rodrigues (treinador), Ricardo Alves (adjunto), Miguel Rios (preparador físico) e André Fernandes (fisioterapeuta).

A noite já ia alta. Era tempo de se cantar os “Parabéns ao CRAV”, partilhar o bolo, e de se brindar a um futuro de sucesso, com muitas conquistas, mas sempre com a exaltação dos valores que norteiam aqueles que fazem e fizeram parte da família rugbista.

cravalrcval (2).jpg

cravalrcval (3).jpg

cravalrcval (4).jpg

cravalrcval (5).jpg

cravalrcval (6).jpg

cravalrcval (7).jpg

cravalrcval (8).jpg

cravalrcval (9).jpg

fil-tickets-20190606095754.pdf

Gonçalo Cordeiro.jpg

Jessica Barros.jpg

João Puga.jpg

Rui Pedro Aguiam.jpg

Alexandre Veloso.jpg

Andre Esteves.jpg

 

INSTITUTO DOS REGISTOS E NOTARIADO VISITA INSTALAÇÕES E SERVIÇOS DE REGISTO E NOTARIADO DE VIZELA

No seguimento o pedido de reunião da Câmara Municipal à Ministra da Justiça, no seguimento das diversas queixas relativas às instalações e serviços de registo e notariado de Vizela, no próximo dia 2 de julho, uma delegação do Instituto dos Registos e Notariado, chefiada pela Presidente do Conselho Diretivo deste Instituto, Dra. Filomena Rosa, irá deslocar-se à Conservatória dos Registos Civil, Predial e Comercial de Vizela, com o objetivo de, in loco, avaliar as condições de instalações e de funcionamento deste serviço.

De destacar que tem sido notícia as longas filas de espera nos serviços a nível nacional, devido ao enorme volume de pedidos e renovações.

Contudo, em Vizela, para além das longas filas de espera, junta-se o problema da exiguidade das instalações e a falta de instalações sanitárias.

Apesar de não ser da sua competência a resolução deste problema, a Câmara Municipal está atenta a toda esta situação, tendo assim solicitado uma reunião à Ministra da Justiça para expor esta situação, no sentido de a alertar para uma maior atenção para esta problemática e os seus bons ofícios junto das entidades competentes, no sentido de diligenciar para que num curto período de tempo sejam criadas condições condignas nestes serviços.

A Câmara Municipal de Vizela fará tudo o que estiver ao seu alcance para assegurar o bom funcionamento dos serviços prestados às populações e empresas do Concelho de Vizela, colocando-se, desta forma, ao lado dos Vizelenses na defesa dos seus interesses e dos interesses do Concelho.

S. JORGE DESAFIA A COCA - MONÇÃO MANTÉM A TRADIÇÃO!

CORPO DE DEUS/COCA DE MONÇÃO: DE 20 A 23 DE JUNHO

O Corpo de Deus/Coca de Monção, festas concelhias, é um dos momentos mais relevantes do calendário cultural do concelho de Monção e um dos principais motivos de valorização da etnografia popular e afirmação da identidade coletiva do nosso povo, do nosso território.

MoncaoCosaSJorg (6).JPG

O programa é diversificado e apelativo, destacando-se, no primeiro dia, 20 de junho, feriado nacional, a arruada da Coca (10h00), a Eucaristia e Procissão Solene (17h00), o tradicional combate entre S. Jorge e a Coca (19h00), no Anfiteatro Natural do Souto, seguido do Momento da Celebração, onde todos, em ambiente de festa, celebram o final do combate.  

Após o percurso pelos lugares do costume, a procissão recolhe à Igreja Matriz e as pessoas deslocam-se em massa para o local do combate. O povo dispõe-se em redondel enquanto o cavaleiro S. Jorge, representando o bem, e o dragão Coca, representando o mal, tomam posições no terreno.

O combate demora o tempo que leve ao cansaço dos participantes ativos ou à vitória de S. Jorge que, para tal, tem de introduzir a lança, por três vezes, nas goelas da Coca e, com a espada, cortar-lhe uma orelha. Reza a história que, caso vença S. Jorge, haverá um bom ano agrícola com muito e bom Alvarinho. Se a vitória sorrir à Coca, aproximam-se tempos adversos e difíceis.

O dia seguinte, 21 de junho, sexta-feira, é totalmente dedicado aos mais pequenos com a atividade “Ninho da Coca” (9h30 às 12h30 e 14h00 às 18h00). Nesta atividade, que se prolonga no sábado e domingo, na Praça Deu-la-Deu, os mais pequenos podem dar largas à imaginação, participando em oficinas de trabalho e construindo uma instalação coletiva.

No sábado, 22 de junho, está prevista a entrega dos prémios do concurso de desenho “Era uma vez….O Foral”, pelas 10h30, na Praça Deu-la-Deu, continuando o programa deste dia com as atividades “Dragonologia”, pelas 11h30 e 16h00, e “Ninho da Coca”, entre as 16h00 e as 20h00. À noite, com início às 21h30, decorre o espetáculo “O Despertar do Dragão”.

O último dia, domingo, 23 de junho, engloba o Peddy Paper para famílias “Na Pegada da Coca”, pelas 11h30, na Praça Deu-la-Deu, e o Cortejo Etnográfico das Freguesias, pelas ruas do centro histórico, com início às 16h30. Além da sonoridade característica das nossas aldeias como bombos, concertinas e cavaquinhos, mostram-se algumas vivências de ruralidade como a prática da pastorícia, o trabalho do granito, as vindimas, a malhada do centeio, ou a desfolhada.

MoncaoCosaSJorg (8).JPG

Nas margens do rio Minho onde as veigas verdejantes da Galiza se alcançam em duas braçadas, as gentes minhotas do concelho de Monção mantêm um velho costume que consiste em celebrar todos os anos, por ocasião dos festejos do Corpo de Deus, o lendário combate travado entre S. Jorge e o Dragão. A luta tem lugar na Praça de Deu-La-Deu cujo nome consagrado na toponímia local evoca a heroína que com astúcia conseguiu que as forças leonesas levantassem o cerco que impunham àquela praça. Perante uma enorme assistência, a coca - nome pelo qual é aqui designado o dragão! - procura, pesadamente e com grande estardalhaço, escapar à perseguição que lhe é movida por S. Jorge que, envolto numa longa capa vermelha e empunhando alternadamente a lança e a espada, acaba invariavelmente por vencer o temível dragão.

MoncaoCosaSJorg (19).jpg

O dragão é representado por um boneco que se move com a ajuda de rodízios, conduzido a partir do exterior por dois homens e transportando no seu bojo outros dois que lhe comandam os movimentos da cabeça. Depois de o guerreiro lhe arrancar os brincos que lhe retiram a força e o poder, a besta é vencida quando S. Jorge o conseguir ferir mortalmente introduzindo-lhe a lança ou a espada na garganta, altura em que de uma bolsa alojada do seu interior escorre uma tinta vermelha que simula o sangue da coca.

Esta tradição que representa a supremacia do Bem sobre o Mal encontra-se intimamente ligada às lutas travadas pela soberania nacional, sendo notória a utilização dos símbolos portugueses por parte de S. Jorge. Com efeito, este culto foi introduzido no nosso país pelos cruzados que vieram combater nas hostes de D. Afonso Henriques nomeadamente a quando da tomada de Lisboa aos mouros. A sua invocação em forma de grito de guerra começou contudo durante o reinado de D. Afonso IV e teve como objetivo demarcar-se da invocação de S. Tiago que era feita pelos exércitos leoneses. Mas foi sobretudo a partir do reinado de D. João I que este culto veio a adquirir verdadeira dimensão nacional, passando a partir de então a sua imagem a integrar a procissão do Corpo de Deus. Ainda hoje, a sua simbologia é empregue nos meios castrenses, principalmente para representar o exército português.

O culto a S. Jorge que ainda se pratica em Portugal e cuja festa da coca que se realiza em Monção constitui um exemplo do seu cunho popular, possui as suas origens em antigas tradições da Síria segundo as quais, S. Jorge foi um valente soldado da Palestina que, por ter confessado a sua fé cristã, veio a ser feito mártir. Na Idade Média vieram a criar-se numerosas lendas à sua volta, uma das quais relata ter existido em Silene, cidade da Líbia, um terrível dragão ao qual o povo oferecia sacrifícios humanos.

Tendo em dada altura caído a sorte à filha única do rei, S. Jorge, que acabava de chegar àquela cidade na altura precisa em que a vítima ia ser imolada, prestou-se para a libertar, o que conseguiu. Uma vez derrotado o dragão, rei e povo converteram-se de imediato ao cristianismo. O folclore não se resume à reconstituição das danças e cantares de um povo, do seu traje ou da exemplificação de alguns costumes ligados ao trabalho ou à festa. Ele constitui a história não escrita do povo e engloba toda a sua cultura não assinalada na sua história e na sua religião. Por outras palavras, o folclore ocupa na história de um povo um papel semelhante ao que o costume, ou seja, a lei não escrita, ocupa em relação às leis codificadas.

De origem saxónica, o termo folclore teve o seu aparecimento pela primeira vez há século e meio e quer dizer a ciência ou o saber do povo. Considerada como uma das variantes da Etnografia e frequentemente confundindo-se com esta, o folclore estuda as tradições populares isto é, o traje, as canções, as danças, as lendas, as superstições, os jogos, os adágios, as festas, a religião e até a medicina, nomeadamente a sua própria representação. Estas fazem parte da identidade de um povo - são raízes de Portugal!

Carlos Gomes in http://www.folclore-online.com/

64229807_2565073596846071_2814503510861676544_n.jpg

VACA DAS CORDAS CORRE AMANHÃ EM PONTE DE LIMA - ESTE ANO A VACA É UM TOIRO DE 450 QUILOS!

Existe deste tempos remotos na vila de Ponte de Lima o peculiar costume de, anualmente na véspera do dia de Corpo de Deus, correr uma vaca preta presa e conduzida pelos ministros da função que assim procedem com o auxílio de três longas cordas. Esse divertimento cuja verdadeira origem se desconhece mas que ainda se mantém e parece ganhar ainda mais popularidade, atraindo à terra numerosos forasteiros, era outrora executada por dois moleiros que a isso eram obrigados sob pena de prisão, conforme determinavam as posturas municipais. Muitos desses moleiros eram oriundos da Freguesia de Rebordões-Santa Maria, localidade que possuía numerosos moinhos e que, com a sua decadência, os moleiros da terra emigraram para o Brasil, fixando-se muitos em Goiás.

61466443_2712676128807394_6121785782282747904_n (6).jpg

Ao começo da tarde, uma vaca preta é presa ao gradeamento da igreja Matriz, aí permanecendo exposta à mercê do povo que outrora, num hábito que com o decorrer do tempo se foi perdendo, por entre aguilhoadas e gritaria procurava embravecer o animal a fim de que ele pudesse proporcionar melhor espectáculo. Invariavelmente, às dezoito horas, lá aparecem os executantes da corrida que, após enlaçarem as cordas nos chifres da vaca, desprendem-na das grades e dão com ela três voltas em pesado trote em redor da igreja após o que a conduzem para a Praça de Camões e finalmente para o extenso areal junto ao rio Lima. E, por entre enorme correria e apupos do povo, alguns recebem a investida do animal aguilhoado e embravecido ou são enredados nas cordas, enquanto as janelas apinham-se de gente entusiasmada com o espectáculo a que assiste.

Quando soam as trindades, o espectáculo termina e dá lugar aos preparativos dos festejos que vão ocorrer no dia seguinte. As gentes limianas decoram as ruas com um tapete florido feito de pétalas e serrinha por onde a procissão do Corpo de Deus irá passar.

Com atrás se disse, desconhecem-se as verdadeiras origens deste costume antiquíssimo. Contudo, uma tela de Goya que se encontra exposta no Museu do Prado, em Madrid, leva-nos a acreditar que o mesmo era mantido noutras regiões da Península Ibérica. De igual modo, a tradicional corrida à corda que se realiza nos Açores sugere-nos ter este costume sido levado para aquelas ilhas pelos colonos que as povoaram a partir do continente.

Em meados do século dezanove, o cronista pontelimense Miguel dos Reys Lemos arriscou uma opinião baseada na mitologia, a qual publicou nos "Anais Municipais de Ponte de Lima" e que pelo seu interesse a seguir reproduzimos:

"Segundo a mitologia, Io, filha do Rei Inaco e de Ismene - por Formosa e meiga - veio a ser requestada por Júpiter. Juno, irmã e mulher deste apaixonado pai dos deuses, que lia no coração e pensamentos do sublime adúltero e velava de contínuo sobre tudo quanto ele meditava e fazia, resolvera perseguir e desfazer-se da comborça que lhe trazia a cabeça numa dobadoura.

Ele, para salvar da vigilância uxória a sua apaixonada, metamorfoseou-a em vaca: - mas Juno, sabendo-o, mandou do céu à terra um moscardo ou tavão, incumbido de aferroar incessantemente a infeliz Io, feita vaca e de forçá-la a não ter quietação e vaguear por toda a parte.

Io, assim perseguida e em tão desesperada situação, atravessou o Mediterrâneo e penetrou no Egito: aí, restituída por Júpiter à forma natural e primitiva, houve deste um filho, que se chamou Epafo e, seguidamente, o privilégio da imortalidade e Osiris por marido, que veio ter adoração sob o nome de Ápis.

Os egípcios levantaram altares a Io com o nome de Isis e sacrificavam-lhe um pato por intermédio de seus sacerdotes e sacerdotizas: e parece natural que, não desprezando o facto da metamorfose, exibissem nas solenidades da sua predilecta divindade, como seu símbolo, uma vaca aguilhoada e errante, corrida enfim.

Afigura-se-nos que sim e, portanto, que a corrida da vaca, a vaca das cordas, especialmente quanto à primeira parte, as três voltas à roda da Igreja Matriz, seria uma relíquia dos usos da religião egípcia, como o boi bento, na procissão de Corpus-Christi, é representativo do deus Osiris ou Ápis, da mesma religião. E esta foi introduzida com todos os seus símbolos na península hispânica pelos fenícios, aceite pelos romanos que a dominaram, seguida pelos suevos e tolerada pelos cristãos em alguns usos, para não irem de encontro, em absoluto, às enraizadas crenças e costumes populares.

É que essa Ísis, a vaca de Júpiter, a deusa da fecundidade, teve culto especial precisamente na região calaico-bracarense, na área de Entro Douro e Minho; no Convento Bracaraugustano, ou Relação Jurídica dos Bracaraugustanos (povos particulares de Braga), de que era uma pequeníssima dependência administrativo-judicial o distrito dos límicos, prova-o o cipo encravado na face externa dos fundos da vetusta e venerada Sé Arquiepiscopal, - cipo que a seguirtranscrevemos inteirado, conforme a interpretação que em parte, nos ensinou e em parte nos aceitou o eruditíssimo professor do Liceu, Dr. Pereira Caldas:

ISID · AVG · SACRVM LVCRETIAFIDASACERD · PERP · P ROM · ET · AVG

CONVENTVVSBRACARAVG · D ·

INTERPRETAÇÃO
ISIDI AUGUSTAE SACRUM; LUCRETIA FIDA SACERDOS PERPETUA POPULI ROMANI ET AUGUSTI, CONVENTUUS BRACARAUGUSTANORUM DICAT

TRADUÇÃO

"SENDO LUCRÉCIA FIDA SACERDOTISA PERPÉTUA DO POVO ROMANO E DE AUGUSTO, O CONVENTO DOS BRACARAUGUSTIANOS DEDICA A ISIS AUGUSTA (OU: À DEUSA ISIS) ESTE MONUMENTO SAGRADO"

Acredita-se porém que, no local onde se ergue a igreja matriz de Ponte de Lima existiu outrora um templo pagão onde se prestava culto a uma divindade sob a forma de uma vaca representada num retábulo, o qual era trazido para o exterior e efectuava as referidas voltas ao templo. Em todo o caso e atendendo à elevada importância deste animal na economia doméstica de uma região tão propícia à sua criação em virtude dos seus pastos verdejantes, é perfeitamente natural que a vaca tenha aqui sido venerada como símbolo de fertilidade e de abundância e, desse modo, sido prestado-lhe o devido culto. Não é completamente injustificada a frequente representação deste animal nomeadamente no artesanato da região minhota, ao qual a barrista barcelense lhe deu cores e vivacidade que o ajudaram a tornar-se famoso em todo o mundo.

Vaca das Cordas