Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA ADERE À REDE NACIONAL DE MUNICÍPIOS AMIGOS DA JUVENTUDE

A Câmara Municipal de Vizela integrou a Rede Nacional de Municípios Amigos da Juventude, uma iniciativa da Federação Nacional das Associações Juvenis (FNAJ).

Foto MAJ.jpeg

O convite partiu da FNAJ e foi prontamente aceite pelo Município do Vizela, que entre as outras vantagens desta adesão destaca o acesso a uma rede nacional com partilha de boas práticas municipais em matérias de políticas de juventude; a criação de sinergias, contactos e partilha de informação privilegiada num grupo restrito; a participação prioritária e acesso a seminários e cimeiras sobre “Associativismo e Juventude”, assentes em processos de educação não formal e diálogo jovem e ainda, o acesso ao “Selo de Município Amigo da Juventude”, personalizado a cada município, enquanto símbolo e garantia de uma autarquia que privilegia e se preocupa com os jovens.

A adesão da Câmara de Vizela à Rede Nacional de Municípios Amigos da Juventude, mais precisamente no espaço político para as Políticas de Juventude de Base Local, parte do dogma de que as políticas de juventude devem ser encaradas e despoletadas pelo Município através de um processo de cocriação, coprodução e cogestão entre os/as jovens, as organizações e a autarquia, num equilíbrio que preserve a iniciativa jovem e as determinações dos agentes políticos.

Recorde-se que o município desenvolve vários projetos, programas e apoios municipais destinados à juventude vizelense, entre os quais o Orçamento Participativo Jovem; Concurso de Curtas-Metragens; Ciclos de Capacitação em torno de temas tão atuais e pertinentes como, Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, Direitos Humanos, Empregabilidade e Participação; o apoio ao associativismo local; Festa da Juventude, Eco Challenge, Concurso de Bandas, Made in, Mobilidade Juvenil – com projetos de voluntariado internacional, entre outros.

Refira-se ainda, que a FNAJ conta atualmente com mais de mil associações juvenis na sua rede nacional, envolvendo cerca de meio milhão de jovens.

DECORRE PROGRAMA DE VOLUNTARIADO VIZELA + VERDE

Iniciou, no passado dia 1 de julho, o Programa “Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas” – Vizela + Verde, que vai decorrer até 15 de setembro, envolvendo cerca de 40 jovens voluntários.

voluntariado 2021.JPG

De destacar que o Município de Vizela, através do Gabinete Técnico Florestal, viu aprovado o seu projeto ao Programa “Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas” – Vizela + Verde, promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, um programa direcionado para jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, que vai decorrer entre o dia 1 de julho e 15 de setembro de 2021.

O projeto Vizela + Verde visa a preservação dos recursos florestais e seus ecossistemas através da prevenção e deteção de incêndios florestais, incentivando o voluntariado ambiental de jovens, preferencialmente residentes no concelho de Vizela, com vista à sensibilização, promoção e vigilância, nomeadamente na valorização da floresta e na diminuição dos riscos de fogos florestais.

Pretende-se assim, efetuar a vigilância fixa em dois pontos estratégicos do concelho de Vizela, no Monte do São Bento e Alto de Penabesteira, para deteção dos incêndios florestais e sensibilização das populações, ficando vigiada a totalidade da área do Concelho de Vizela.

Este projeto traduz-se em mais uma medida de planeamento municipal, com o objetivo de acautelar uma intervenção mais rápida nos incêndios na sua fase inicial, para assim se limitar o seu desenvolvimento.

Assim, a Câmara Municipal, em parceria com várias entidades, como os Bombeiros Voluntários de Vizela, a Brigada de Sapadores Florestais, e a empresa contratada para o trabalho de gestão de combustíveis/limpeza florestal, estão no terreno, tendo em vista a preparação do período critico de incêndios rurais/florestais.

De destacar que este Executivo Municipal definiu a área de proteção civil como uma prioridade tendo implementado uma nova política, não apenas ao nível da reorganização do serviço municipal de Proteção Civil, nomeadamente na aquisição de equipamentos para reforçar a sua operacionalidade no terreno junto das populações, mas também no trabalho que tem sido feito em parceria com os Bombeiros Voluntários e a GNR de Vizela.

FAMALICÃO: ROTEIRO PELA INOVAÇÃO NA ITA PARA MOSTRAR QUE A DIFERENÇA PODE SER UMA MAIS VALIA

Visita à ITA – Indústria Têxtil do Ave amanhã, quinta-feira, 29 de julho, pelas 15h00, em Lousado

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, visita amanhã, 29 de julho de 2021, pelas 15h00, no âmbito do Roteiro pela Inovação de Famalicão, a Continental – ITA que desenvolveu um programa de inclusão social direcionado para as pessoas com diferentes tipos de necessidades especiais.

AFS_4408.jpg

O Presidente da Câmara Municipal quer mostrar que as pessoas com necessidades especiais são pessoas válidas e podem ser uma mais valia em empresas e organizações, como o demonstra a experiência da ITA e do próprio  município.

A Indústria Têxtil do Ave (Continental-ITA) está sediada em Lousado e pertence ao Grupo Continental. Definiu como um dos seus tópicos estratégicos, a aposta na sustentabilidade e na responsabilidade social. Assim, a Continental-ITA recebeu quatro pessoas, proporcionando-lhes um estágio de doze meses em contexto industrial, com postos de trabalho adaptados às características de cada uma delas.

Durante o período de estágio, estas pessoas integraram-se no dia-a-dia e assumiram, por completo, as funções que lhes foram propostas. Desta interação diária, a Empresa e as Pessoas, em conjunto, tiraram ensinamentos valiosos para o seu futuro. Os ensinamentos colhidos por todos, e o facto de duas destas pessoas serem hoje membros efetivos da “família C-ITA”, permite à empresa afirmar que esta iniciativa terminou com um balanço positivo e benéfico para ambas as partes, sendo, simultaneamente, inspirador para integrações futuras.

PRESIDENTE DA CÂMARA DE VIZELA VISITOU OBRAS A DECORRER NO COMPLEXO DESPORTIVO DO FUTEBOL CLUBE VIZELA

No seguimento da estratégia e os objetivos definidos no programa Vizela Cidade Desportiva, o Presidente da Câmara Municipal, acompanhado pelo Presidente da direção do Futebol Clube Vizela, Eduardo Guimarães, e pelo Presidente da SAD do FC Vizela, Diogo Godinho, visitou as obras a decorrer nas instalações do Clube.

Visita FCV2.JPG

De destacar que o Município de Vizela tem implementado um conjunto de medidas necessárias à execução de políticas que visem o desenvolvimento e o crescimento da prática desportiva e pretende ver criadas condições de excelência para a prática do desporto no Concelho, nomeadamente através do apoio à construção e/ou requalificação e melhoria de instalações desportivas.

A requalificação das instalações desportivas do Clube contribuirá para atrair população para a prática desportiva, sensibilizando-a para os benefícios que a mesma promove na saúde e na sua integração social, sendo objetivo continuar a ser um dos principais pilares na formação, captar mais jovens/atletas para a prática do futebol e manter/fixar os atuais, assim como, consolidar enquanto instituição desportiva como parceiro fundamental do município, junta de freguesia e outras associações desportivas do concelho na formação e desenvolvimento desportivo.

Foi tendo em atenção todas estas razões que a Câmara Municipal de Vizela aprovou a atribuição de apoio financeiro ao Futebol Clube de Vizela – Futebol SAD para a reconstrução/beneficiação do complexo desportivo, através da concessão de transferência de € 150.000,00, num investimento global que ronda os 800.000,00€.

De destacar que neste momento estão a ser executadas as seguintes obras:

  • Colocação de cadeiras em todo o estádio
  • Novo relvado natural com sistema de drenagem
  • Reforço de iluminação
  • Construção de uma nova plataforma de apoio à TV
  • Remodelação da zona dos camarotes
  • Criação de uma nova zona de imprensa
  • Construção de novos acessos
  • Criação de estacionamento da logística para a TV
  • Construção de muros de suporte de terra e criação de um novo espaço de aquecimento para os jogadores
  • Tratamento da estrutura da bancada
  • Reabilitação das casas de banho
  • Remoção das cabines e construção de uma estrutura em betão armado para os bancos dos suplentes
  • Abertura de uma nova entrada para emergência médica 
  • Reconstrução do túnel de acesso dos balneários ao relvado
  • Adaptação do estádio para o VAR

De realçar que o Futebol Clube Vizela subiu recentemente à I Liga e é um clube que tudo tem feito para prestigiar o nome de Vizela, e que ao longo da sua história alcançou vários momentos de glória, que se traduziram em enormes alegrias para os vizelenses.

A Câmara Municipal tem estado sempre ao lado do Futebol Clube Vizela e vai continuar a apoiar, para que o Clube seja uma porta de entrada para os jovens no mundo desportivo e para que possa continuar a projetar o nome do concelho de Vizela.

A Câmara Municipal de Vizela reconhece o extraordinário esforço que o Clube tem feito e deseja que continue com o bom trabalho, desejando os maiores êxitos para a próxima época desportiva.

BRAGA FOI O MUNICÍPIO QUE MAIS CRESCEU NA REGIÃO NORTE

Censos 2021 mostram crescimento de 11.839 mil habitantes face a 2011

O Instituto Nacional de Estatística divulgou hoje, dia 28 de Julho, os resultados preliminares do XVI Recenseamento Geral da População e VI Recenseamento Geral da Habitação - Censos 2021.

LVI_9645.jpg

Braga foi o Município que mais cresceu na Região Norte. No que diz respeito à variação da população residente nos 10 municípios mais populosos do país, os dados mostram que Braga foi também o Município que registou o maior crescimento no número de habitantes, perfazendo agora um total de 193.333 mil cidadãos residentes.

Estes números equivalem a um crescimento de 11 839 (+6,5%) habitantes face aos dados obtidos nos últimos Censos, que datam de 2011. Também no número de habitações existentes no Concelho se registou um aumento, passando de 84,648 mil em 2011 para 89,343 mil habitações.

Dentro da estatística dos municípios mais populosos do país, Sintra, Cascais, Almada, Loures e Vila Nova de Gaia são os restantes municípios que apresentam ganhos em termos de habitantes. Já Lisboa, Porto, Matosinhos e Oeiras perdem população.

A nível nacional, os Resultados Preliminares dos Censos 2021 revelam que a população residente em Portugal é 10 347 892, um decréscimo de 2,0% face a 2011. Portugal registou ainda um ligeiro crescimento do número de edifícios e de alojamentos destinados à habitação, embora num ritmo bastante inferior ao verificado em décadas anteriores.

Os Resultados Preliminares estão disponíveis até ao nível geográfico de freguesia e acessíveis na Plataforma de Divulgação dos Censos 2021 – Resultados Preliminares, disponível em censos.ine.pt.

FAMALICÃO CRIA "COMÉRCIO COM HISTÓRIA" COM BENEFÍCIOS ECONÓMICOS E RECONHECIMENTO PÚBLICO

Programa Municipal é assinalado simbolicamente esta sexta-feira, dia 30, pelas 10h30, loja centenária Alcino Freitas, sita na rua Adriano Pinto Bastos

A casa de comércio Alcino Freitas & Filho; a Casa Marinheiro, a Chapelaria Oliveira, a Confeitaria Moderna, entre tantas outras lojas, cafés, ourivesarias, restaurantes…, são apenas alguns exemplos do comércio de Vila Nova de Famalicão que já faz parte da história do concelho, que acompanhou a evolução dos tempos e preserva em si marcas da identidade coletiva do território.

DSC_0568.JPG

Com o objetivo de promover e salvaguardar o comércio tradicional do concelho nas suas dimensões patrimoniais, históricas, culturais e sociais, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão criou o programa municipal “Comércio com História”, do qual fazem já parte 23 estabelecimentos, nove localizados na cidade, 4 na freguesia de Antas, 4 na vila de Joane, 3 na vila de Ribeirão e 2 na vila de Riba de Ave.

Quem passeia habitualmente pelas ruas comerciais do concelho de Vila Nova de Famalicão já reparou certamente na colocação de placas identificativas em vários espaços comerciais que sinalizam o “Comércio com História”.

Esta sexta-feira, 30 de julho, pelas 10h30, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, assinala a colocação das placas identificativas, através de um momento simbólico, que irá acontecer na loja centenária Alcino Freitas, sita na rua Adriano Pinto Bastos.

Para além do reconhecimento público e valorização destes espaços comerciais, o programa municipal “Comércio com História” associa-se ao inventário nacional promovido pela Direção-Geral das Atividades Económicas, e consequentemente os estabelecimentos reconhecidos beneficiam das medidas de proteção previstas na Lei n.º 42/2017, de 14 de junho.

Neste sentido, outros estabelecimentos que se enquadrem nos critérios de reconhecimento de interesse histórico, cultural ou social local, previstos no Regulamento Municipal da Urbanização e Edificação, podem apresentar a sua candidatura através do preenchimento de formulário disponível em https://www.famalicao.pt/comercio-com-historia

DSC_0564.JPG

CENSOS 2021: CAMINHA É UM DOS CONCELHOS DO ALTO MINHO QUE MELHOR RESISTE À PERDA DE POPULAÇÃO

Dados provisórios indicam que aumentou o número de agregados familiares e de habitações no concelho de Caminha

De acordo com os números provisórios do CENSOS 2021 divulgados na manhã do dia de hoje, todos os concelhos do Alto Minho perderam população, acentuando-se a litoralização da população no distrito e em todo o país. Conforme se poderá constatar pela leitura do site www.ine.pt o concelho do distrito que melhor resiste à perda de população é Viana do Castelo (-3,2%), seguido de Valença (-3,5%), Vila Nova de Cerveira (-3,5%) e Caminha (-5,3%). Todos os restantes concelhos tem perdas superiores, com destaque para Melgaço que perdeu 15,6% da população relativamente a 2011. Toda a região Norte perdeu população (- 2,7%) bem como o país (-2,0).

Caminha tem agora 15.828 habitantes, sendo a maior parte Mulheres. Na comparação com 2011, o concelho de Caminha tem menos 856 indivíduos registados. A freguesia de Âncora é a única que tem mais população hoje que há 10 anos atrás. A freguesia que mais perde população é a das Argas, com um decréscimo de 23,6%.

O concelho de Caminha apresenta contudo, vários dados positivos neste último CENSOS. O número de agregados familiares cresceu 1,9%, o número de habitações aumentou 2,9% e o número de edifícios é superior em 3,1% quando comparado com os resultados de 2011. De facto, passada uma década do último trabalho censitário, o concelho de Caminha regista mais 120 agregados com crescimento assinalados nas freguesias de Âncora, Dem, Seixas, Vila Praia de Âncora, Vilar de Mouros, Vile e Caminha e Vilarelho.

Estes são os primeiros resultados oficiais dos CENSOS 2021 e têm um carácter preliminar, na medida em que são baseados em contagens resultantes do processo de recolha e divulgados antes do final do processo de tratamento e validação da informação recolhida.

A disponibilização dos resultados definitivos dos Censos 2021 está prevista para o 4º trimestre de 2022, existindo ainda uma apresentação de resultados provisórios até fevereiro do mesmo ano.Os resultados provisórios serão divulgados até ao final deste ano de 2021 e os resultados definitivos, com todo o detalhe de informação e já com o processo de tratamento e validação da informação recolhida integrado serão divulgados no segundo semestre de 2022.

"VAAMO SHARE OQUE É BEIRO PATEIRO" CHEGA A BARCELOS

Espetáculo inclusivo, coproduzido pel’A Oficina – Centro Cultural Vila Flor, realiza-se, na sexta-feira, 30 de julho, às 19h00, na Praceta Dr. Francisco Sá Carneiro

"Vaamo share oque shop é Beiro Pateiro", a peça da coreógrafa Vera Mantero, acompanhada pelo Grupo 'Dançando com a Diferença', é apresentada esta sexta-feira, 30 de julho, às 19h00, na Praceta Dr. Francisco Sá Carneiro, em Barcelos.

Imagem 1barrc.jpg

O espetáculo, uma coprodução da A Oficina • Guimarães – Centro Cultural Vila Flor, é a proposta de Guimarães, no âmbito do projeto Quadrilátero Cultural, projeto financiado por Fundos da União Europeia.

Um espetáculo inclusivo que se posiciona na frente de várias batalhas, entre a estética, a beleza e os diversos tipos de barreiras sociais trabalhando o movimento, a dança e a arte, nos limites da capacidade dos corpos.

“Esta peça é sobre o quê? Mais do que ser “sobre” algo, ela deixa-se viver sob um regime de associações livres e frequentemente não-verbais que são para mim um retrato muito fiel de tudo o que vivi e vivemos no seio deste grupo. É isto o " Vaamo share oque shop é Beiro Pateiro”" afirma a coreógrafa Vera Mantero.

Depois de ter estreado em Guimarães e de ter passado por Braga e Famalicão, o espetáculo é agora apresentado em Barcelos.

A entrada do espetáculo é gratuita, mas sujeita a reserva. Reserve o seu bilhete na bilheteira do Theatro Gil Vicente, ou através do contacto telefónico 253809694 ou do e-mail tgv@cm-barcelos.pt

BRAGA: ESTAÇÃO ARQUEOLÓGICA DE SANTA MARTA DAS CORTIÇAS VAI SER MUSEALIZADA

Assinatura do protocolo de valorização, musealização e adequação à visita da Estação Arqueológica de Santa Marta das Cortiças

10af156df7a8c60e148cee080d3c7a0b.jpg

O Município de Braga procede amanhã à assinatura do protocolo de valorização, musealização e adequação à visita da Estação Arqueológica de Santa Marta das Cortiças, em cerimónia que terá lugar na Estação Arqueológica de Santa Marta das Cortiças.

O reconhecimento do valor histórico, cultural e científico da estação arqueológica de Santa Marta das Cortiças, a par da percepção do seu elevado potencial de valorização, motivou o Município de Braga, em parceria com a Junta de Freguesia de Esporões e o Conselho Económico da Paróquia de Esporões, a promover um projecto de estudo, conservação, valorização e divulgação da Estação Arqueológica de Santa Marta das Cortiças, concretizando-se deste modo, a garantia da sua conservação, o seu acesso público e a criação de condições para a sua integração no Roteiro Arqueológico de Braga.

A iniciativa contará com a presença do presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio.

a4eedce12c219cba06aed18bf6a7b06c.jpg

Nota Histórico-Artística

A segunda metade do século XIX assistiu, entre nós, a uma autêntica explosão de interesse pelas, então, denominadas antiguidades nacionaes, seguindo os trilhos desbravados além-fronteiras por insignes precursores dos estudos arqueológicos, antropológicos, etnográficos e etnológicos.

Com efeito, o conhecimento destas práticas, fosse indirectamente, através da bibliografia que chegava até ao país, fosse pela visão de algumas personalidades ou, ainda, pelo contacto directo mantido nestas esferas por parte de certas individualidades, investiu Portugal de estabelecimentos científicos que, apesar das polémicas nas quais foram pontualmente envolvidas, exerceram uma actividade fundamental para o desenvolvimento ulterior destas jovens disciplinas. Disso são bons exemplos, embora com graus de relevância assaz diferenciados, a Commissão dos Estudos Geológicos, a Real Associação dos Architectos Civis e Archeologos Portuguezes, a Sociedade de Geographia de Lisboa e, por fim, o Muzeu Ethnographico Portuguez. Eram, contudo, organismos lisboetas. Não obstaram, porém, à formação de outros espaços culturais em importantes cidades portugueses, antes incentivando-as. Foi o que sucedeu em Guimarães, com a Sociedade Martins Sarmentos, da iniciativa do escritor, historiador e arqueólogo vimarenense Francisco Martins de Gouveia Morais Sarmento (1833-1899), a quem se devem algumas das descobertas mais notáveis da Arqueologia praticada ao tempo entre nós (veja-se o caso da Citânia de Briteiros), e com quem privaram individualidades que haveriam de prosseguir o seu caminho.

Foi o que sucedeu com Albano Belino (1863-1906), infatigável indagador do passado minhoto, em geral, e bracarense, em particular, enquanto se correspondia com personalidades marcantes dos estudos arqueológicos portugueses de finais de oitocentos, dos quais se destacava, sem dúvida, o nome de José Leite de Vasconcellos (1858-1941), mentor e primeiro director do actual Museu Nacional de Arqueologia, entre 1893 e 1929.

Deve-se-lhe, na verdade, o reconhecimento de várias estações arqueológicas datáveis da Idade do Ferro, nomeadamente castros - ou citânias -, temática bastante grata aos investigadores da época, quer por se enquadrar na linha geral de investigação conduzida noutros países sobre a expansão celta, quer por se revelar um meio de acentuar as particularidades da região nortenha ancoradas nesses tempos e nesses lugares.

Não surpreende, por conseguinte, que os castros povoassem desde então, tanto o imaginário colectivo da região, quanto o interesse intelectual de sucessivos investigadores, acabando por identificar exemplares desta tipologia arqueológica. Foi o caso, entre outros, da "Estação arqueológica de Santa Marta das Cortiças", localizada numa plataforma superior do Monte da Falparras.

Dotado de um sistema defensiva composto de três linhas de muralha erguidas com pedra solta de grande dimensões, o povoado possuía diversas estruturas habitacionais de planta predominantemente circular, na área interna definida pelo muralhado, elementos datáveis do primeiro momento de ocupação do sítio, ou seja, da Idade do Ferro.

Entretanto, as escavações arqueológicas conduzidas na estação já na década de cinquenta de novecentos permitiram localizar os alicerces de uma construção constituída por ábside semicircular e três naves, erguida entre os séculos V e VI d. C., enquanto o final dos anos setenta trouxe à luz do dia um número considerável de sepulturas romanas de incineração com bastante espólio associado, identificadas pelos investigadores nas proximidades deste mesmo edifício de tipo basilical. Uma realidade que reafirmava, no fundo, a possível reutilização deste espaço ao tempo da conquista romana, a julgar pelos materiais de construção recolhidos no local por A. Bellino, entre os quais tegulae - telhas rectangulares - e imbrex - telhas em forma de meia cana.

[AMartins]

Fonte e fotos: http://www.patrimoniocultural.gov.pt/

ebf4aefa4d3316d2a9e98cb6437a6273.jpg

CONFERÊNCIA ANALISA POTENCIALIDADES SÓCIO-ECONÓMICAS DO CAMINHO DA GEIRA

As potencialidades do Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, são o tema de uma conferência marcada para Berán, a localidade galega localizada precisamente no quilómetro 100 do itinerário jacobeu.

Conferência Caminho da Geira e dos Arrieiros Judi

“O Caminho da Geira e dos Arrieiros por Berán: Oportunidades e potencialidades sócio-económicas do caminho de peregrinação”, é o tema da conferência a proferir por Judit Rodríguez Caride esta sexta-feira, dia 31 de julho, pelas 20 horas, nas antigas escolas - paço de Berán, na província de Ourense.

Judit Rodríguez Caride é mestre em Valorização, Gestão e Proteção Cultural pela Universidade de Vigo.

A iniciativa é promovida pela associação fundadora do Caminho da Geira e dos Arrieiros, em colaboração com a Entidade Local Menor de Berán [equivalente a junta de freguesia].

A oradora “vai analisar as oportunidades que tem este percurso para Santiago de Compostela ao nível económico, cultural e social, ao passar pelo núcleo de Berán”, explica Abdón Fernández, presidente da associação organizadora (ACJMR) e porta-voz da Plataforma Berán no Caminho, adiantado que a palestrante é  também “investigadora do fenómeno do turismo e desenvolve atualmente diversos projetos na área”.

O encontro integra a  programação anual de atividades que pretende “a promoção e divulgação deste trajeto”, adianta Abón Fernández.

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi apresentado em 2017 em Ribadavia (Galiza) e Braga, reconhecido pela Igreja em 2019, reconhecido pela associação de municípios transfronteiriços Eixo Atlântico em 2020 e é um itinerário oficial da Peregrinação Europeia de Jovens do Ano Santo Jacobeu 2021/22.

Este percurso de 240 quilómetros destaca-se por incluir patrimónios únicos no mundo: a Geira Romana e a Reserva da Biosfera do Gerês/Xurés. Além disso, o seu traçado é um dos escassos cinco que ligam diretamente à Catedral de Santiago de Compostela.

Conferência Caminho da Geira e dos Arrieiros.jpg

Conferência Caminho da Geira e dos Arrieiros BER

Conferência Caminho da Geira e dos Arrieiros ABDO

30ª EDIÇÃO DO JAZZ NA PRAÇA DA ERVA INICIA HOJE NO CENTRO CULTURAL DE VIANA DO CASTELO

A 30ª edição do Jazz na Praça da Erva inicia hoje no Cultural de Viana do Castelo, prolongando-se ao longo de quatro noites. Os concertos iniciam sempre pelas 20h30 e o bilhete diário tem um custo de 5 euros.

AF_Cartaz_Jazz_2021-01.jpg

Assim, a 28 de julho, atuam O Gajo e Yamandu Costa. No dia 29 de julho, sobem ao palco da principal sala de espetáculos do concelho Pimenta Caseira e Yanagui e, a 30, Par Azar e João Cabrita. A fechar esta edição, a 31 de julho atuam Grey City (Augusto Baschera & João Bernardo) e À Espera do Futuro (trio Beatriz Nunes / Paula Sousa / André Rosinha).

Tendo o Jazz na Praça da Erva surgido em 1992, esta é a 30ª edição do evento, mas em contexto de pandemia o festival não acontece no local habitual que lhe deu o nome pelo segundo ano consecutivo. O Presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, defendeu que, “sendo esta a 30ª edição, procuramos celebrar o aniversário com artistas de grande qualidade e procuramos um espaço que garantisse todas as condições de segurança”, com 400 lugares disponíveis.

Já David Martins, promotor do evento, assumiu que, sendo este o segundo festival de jazz mais antigo do país, tem sido marcado “pela persistência em situações adversas”. O responsável assegurou que “a decoração que foi montada é algo inédito, bem como o posicionamento do palco”, que levou “à adaptação da sala em termos acústicos e de montagem de equipamentos”.

Os trinta anos de evento justificam uma programação alargada a quatro dias e de grande qualidade, com dois concertos consecutivos por dia e um total de oito bandas e projetos musicais. Os bilhetes podem ser adquiridos na BOL – bilheteira on-line, na bilheteira do Teatro Municipal Sá de Miranda e, nos dias dos concertos, no Centro Cultural.

"DE VOLTA À PRAÇA" REGRESSA A ARCOS DE VALDEVEZ

1 de agosto no Jardim dos Centenários

Parceria com o Coliseu do Porto e o Teatro Nacional São João

O projeto de Volta à Praça vai regressar a Arcos de Valdevez no próximo dia 1 de agosto para dois espetáculos no Jardim dos Centenários, de entrada gratuita.

223451483_348846573385287_2433374411189342458_n.jp

Às 18h00 estará em cena a Companhia Erva Daninha, a qual tem como missão a criação de circo contemporâneo explorando o diálogo entre diferentes expressões das artes performativas.

Este grupo irá apresentar o espetáculo “Trator”. Um novo espetáculo para espaço público e alternativo. Um projeto coreográfico que coloca os corpos e um trator em diálogo através do cruzamento das técnicas de circo e da dança. Uma pesquisa acrobática onde se procura investigar sobre a simbiose máquina-homem, a relação do corpo com o objeto e com o espaço. Um espetáculo que procura ser poético, abrangente e com uma dramaturgia abstrata e simbólica que trabalha um trator e dois acrobatas num espaço circular, um confronto simbólico associado à identidade do território.

Pelas 22h00 atuará no mesmo local a companhia de teatro Palmilha Dentada.

O Teatro da Palmilha Dentada tem no café-teatro uma das suas linguagens de eleição, aquela de que mais vezes se serve para abordar e provocar o público a exercícios de reflexão mais exigentes, tornando-se marca de reconhecimento. Em “Indefensável” retoma essa gramática, aliada ao vaudeville e ao teatro de revista, ao humor visual, ao circo e ao concerto musical, num espetáculo por quadros, onde se compromete a defender o indefensável. É um espetáculo, para todas as idades, falantes ou não da língua portuguesa, sem moralismo ou moralidade, onde é exposta a defesa de situações indefensáveis estimulando o sentido crítico da audiência no confronto com o indefensável. Fica ao público a decisão de se revelar, de se manifestar, ou, se preferir, continuar a aceitar como peculiaridade cultural a xenofobia suave dos sapos à entrada dos estabelecimentos comerciais, a insistir que entre marido e mulher não se mete a colher. O café-teatro sempre foi uma das vertentes criativas do Teatro da Palmilha Dentada, esta proposta junta teatro, circo, música, humor visual e absurdo num espetáculo para toda a família. Este é um espetáculo pensado para tenda e uma praça calma, jardim ou descampado.

O projeto de Volta à Praça é um Programa Saltimbanco que salta de concelho em concelho com espetáculos de circo com teatro e dança à mistura. O Coliseu Porto Ageas e o Teatro Nacional São João fazem-se à estrada para levar os seus melhores programas a várias localidades do Norte do país.

Acompanhados pela Orquestra Circo Coliseu, com música original de Filipe Raposo, e apresentados pelo mestre-de-cerimónias Rui Paixão, os artistas presentes neste cartaz fazem uma síntese entre o circo clássico e o contemporâneo, com números devedores a ambas as tradições. Entre nomes incontornáveis e famílias que se dedicam ao circo há várias gerações, o Circo do Coliseu Ageas dá também o palco a novos e novíssimos artistas e números, sempre numa perspetiva da procura do inédito e singular enquanto procura afirmar as facetas mais alegres das nossas vidas.

VianaFestas LANÇA EDIÇÃO DA REVISTA "A FALAR DE VIANA"

“A Falar de Viana” lançada com textos, testemunhos e poesia de 37 colaboradores

Foi lançada mais uma edição da revista “A Falar de Viana”, editada pela VianaFestas, e que reúne textos históricos, testemunhos e poesia da autoria de 37 colaboradores.

ABELO6471_presidente.jpg

A publicação, com coordenação de Rui Faria Viana, integra textos sobre acontecimentos e Viana do Castelos e das Festas em Honra de Nossa Senhora da Agonia em 1921, bem como registos sobre Santa Luzia e o Santuário do Sagrado Coração de Jesus, entre outros.

“A Falar de Viana” inicia com o habitual texto de introdução pelo coordenador da revista, Rui A. Faria Viana, bem como com um artigo da Presidente da Comissão de Honra da Romaria d’Agonia deste ano, a atriz Melânia Gomes. A edição conta com a colaboração de autores que abordam temas diversos, que nos dão a conhecer mais sobre Viana do Castelo, sobre a história, sobre os usos e costumes, representando um repositório de sabedoria e um instrumento fundamental para o conhecimento da cidade, do concelho e até do país. Para o autarca vianense, José Maria Costa, esta revista apresenta-se como uma janela rasgada sobre a história de Viana, que desvenda a cidade o concelho.

O lançamento da revista “A Falar de Viana” é sempre um dos pontos altos da programação da Romaria em Honra de Nossa Senhora da Agonia e um momento marcante para o concelho de Viana do Castelo pela partilha de trabalhos de investigação e documentos históricos.

ABELO6249_livro.jpg

ABELO6256_livro.jpg

ABELO6311_antonio_cruz.jpg

ABELO6342_mosenhorJPG.jpg

ABELO6369_geral_publico.jpg

ABELO6412_presidente.jpg

ABELO6202_rui_viana.jpg

ABELO6218_rui_viana.jpg

ABELO6225_livro.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO ASSINA PROTOCOLO PARA APOIAR RESTAURO E CONSERVAÇÃO DOS ALTARES INTERIORES DA IGREJA DA MISERICÓRDIA

O Presidente da Câmara Municipal assinou um protocolo de colaboração com a Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo para apoiar com 50 mil euros as obras de restauro e conservação dos altares interiores da Igreja da Misericórdia, no âmbito do programa “Reabilitação e Valorização do Património”.

ABELO5986_assinatura.jpg

Durante a assinatura do protocolo, o edil vianense, José Maria Costa, considerou a Igreja da Misericórdia “um exemplar lindíssimo a nível nacional e internacional”, reconhecendo que o trabalho de restauro necessário “é bastante e muito técnico”.

Já a Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo, Luísa Novo Vaz, indicou que a empreitada vai iniciar a 1 de outubro e visa “conservar, preservar e divulgar o património”. “A Igreja da Misericórdia é a joia da cidade, ouro sobre o azul dos azulejos”, frisou a responsável pela instituição com 500 anos de história.

De acordo com o protocolo, o Património Cultural de um território constitui a mais importante marca identitária do mesmo. “A conservação, recuperação, valorização ou divulgação deste, torna-se um imperativo e também um dever para com os vindouros na transmissão de uma herança verdadeiramente fundacional, para além de desempenhar um papel elementar no desenvolvimento policêntrico dos territórios e na coesão territorial”, assegura o documento, realçando que, nesse sentido, o Município de Viana do Castelo lançou um programa abrangente de valorização de Património construído, designado por “Reabilitação e Valorização do Património”.

Assim, a Câmara Municipal de Viana do Castelo apoiará a realização das obras de restauro e conservação dos altares interiores da Igreja da Misericórdia, património da Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo.

Em contrapartida, a Santa Casa disponibilizará a igreja, para fruição cultural, à comunidade para a realização de 3 concertos musicais por ano, pelo período de 5 anos.

ABELO5901_presidente_mesa.jpg

ABELO5910_presidente.jpg

ABELO5936_presidente.jpg

ABELO5951_luisa_vaz.jpg

ABELO5961_assinatura.jpg

"TRAGA PILHAS" DA EPATV PREMIADO PELAS ECO-ESCOLAS

PARABÉNS à Escola Profissional Amar Terra Verde pelo prémio no projeto GERAÇÃO DEPOSITRÃO no escalão escolas com ensino secundário, profissional e superior.

EPATV - Traga pilhas_4.jpg

A Escola Profissional Amar Terra Verde associou-se mais uma vez à Geração Depositrão, no projeto “Constrói o teu Traga Pilhas”. Esta atividade consistiu na construção de um equipamento de recolha de pilhas, usando a reutilização de materiais com criatividade e originalidade.

Num enquadramento de uma aprendizagem baseada em projetos, os alunos RECOLHERAM e REUTILIZARAM componentes eletrónicos de anos anteriores, e criaram um sistema eletrónico que permite a interação do TRAGA PILHAS com as pessoas que dele se aproximem e/ou coloquem pilhas para a reciclagem, por exemplo, a contabilização das pilhas permitirá efetuar uma estimativa da quantidade de produtos perigosos que se irão RECILAR.

Com a construção do TRAGA PILHAS os alunos adquiriram conhecimentos acerca da importância da reciclagem de pilhas e da reutilização de equipamentos – A ECONOMIA CIRCULAR.

A participação nos desafios lançados pela ECO-ESCOLAS promove nos alunos da EPATV a “consciência e responsabilidade ambiental e social, trabalhando colaborativamente para o bem comum, com vista à construção de um futuro sustentável” (Perfil do Aluno – domínio do Bem-Estar, Saúde e Ambiente). 

A RECICLAGEM é fundamental e as escolas representam um papel muito importante na informação, formação e educação dos adultos de AMANHÃ!

EPATV - Traga pilhas_2.jpg

PRESIDENTE DA CÂMARA DE VIZELA VISITOU OBRA DA NOVA SEDE DO AGRUPAMENTO DE ESCUTEIROS DE S. PAIO

O Presidente da Câmara Municipal, Victor Hugo Salgado, acompanhado pelo Vereador das Obras Municipais, Joaquim Meireles, pelo Presidente da União de Freguesias de Tagilde e Vizela S. Paio, e pelo Chefe dos Escuteiros, Fernando Salgado, visitou a obra de construção da nova sede do Agrupamento de Escuteiros de S. Paio.

De destacar que o Município de Vizela tem implementado um conjunto de medidas necessárias à execução de políticas que visem o desenvolvimento social, cultural e de juventude nas diversas freguesias do Concelho de Vizela, nomeadamente através do apoio à construção e/ou requalificação para a melhorias de instalações das associações vizelenses.

De realçar que o Agrupamento de Escuteiros de S. Paio, com o número 567, iniciou a sua atividade em 1923, tendo vindo a desenvolver ao longo dos anos diversas iniciativas locais. Este Agrupamento, pertencente ao Corpo Nacional de Escutas, sempre demonstrou um grande dinamismo, mostrando-se capaz de desenvolver atividades de índole social, cultural, muitas vezes em parceria com a Câmara Municipal, mobilizando a população jovem vizelense. O trabalho desenvolvido pelo Agrupamento de Escuteiros de S. Paio contribui para a educação dos jovens assim como para o seu desenvolvimento social, intelectual e humano, despertando nos jovens o respeito pela interculturalidade, tornando-os verdadeiros cidadãos do mundo.

Nesse seguimento, o Executivo Municipal atribuiu um subsidio de 60.000,00€ ao Agrupamento de Escuteiros de S. Paio para a edificação da sua nova sede própria, criando, assim, condições que permitam desenvolver, nas melhores condições, as atividades escutistas, educativas, culturais e recreativas, propulsionando aos jovens melhores valências.

FAMALICÃO: ESCRITOR BRUNO VIEIRA AMARAL FOI O GRANDE VENCEDOR DO PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

Escritor premiado com a obra “Uma Ida ao Motel e Outras Histórias”. Bruno Vieira Amaral refere “honra e responsabilidade” na hora de receber o Grande Prémio Camilo Castelo Branco

“Um dia ofereceram-me o livro “A Queda de Um Anjo” de Camilo Castelo Branco e foi uma das experiências de leitura mais intensas e fascinantes que tive na minha vida. A obra é um dos grandes monumentos literários do humor literário em Portugal e que até hoje me serve de inspiração, mas também de frustração por não conseguir escrever assim”. O episódio foi relatado esta segunda-feira, por Bruno Vieira Amaral, o grande vencedor do Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, com a obra “Uma Ida ao Motel e Outras Histórias”.

DSC_8189.jpg

Na sessão da entrega do galardão promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, em colaboração com a Associação Portuguesa de Escritores (APE), o escritor abordou a admiração pelo “génio” Camilo Castelo Branco e a importância do prémio para a sua carreira literária. “É uma honra enorme, mas também uma responsabilidade”.

“Este prémio dignifica o ofício de escritor” disse, destacando a relevância do galardão para a profissionalização dos escritores. “Tendo em conta a dimensão do nosso mercado cultural, os poucos e fracos hábitos de leitura, estes prémios têm muita importância. É um dos prémios fundamentais para haver mais escritores a dedicarem-se exclusivamente à escrita”, referiu Bruno Vieira Amaral.

Com o valor monetário de 7.500 euros, o Prémio de Conto Camilo Castelo Branco vai já na sua 29ª edição, sendo um exemplo de longevidade e sucesso.

Isso mesmo salientou o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, que louvou a colaboração com a Associação Portuguesa de Escritores. O autarca salientou ainda que o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco tem como finalidade “ao mesmo tempo estimular a escrita, evidenciar e ajudar os escritores em português, mas também perpetuar a vida e a obra de Camilo Castelo Branco”. O autarca referiu que o município tem apoiado a cultura e a criação literária, mas que “são necessários mais projetos de promoção da escrita e da leitura. Temos como objetivo de, a partir de Famalicão, dar um sinal ao país do que pode e deve ser feito para que a cultura, e particularmente a escrita, sejam promovidas”.

Por sua vez, a vice-presidente da APE, Isabel Mateus valorizou o exemplo dado pela autarquia de Famalicão na promoção da escrita. A responsável afirmou que “Bruno Vieira Amaral é um legítimo herdeiro de Camilo Castelo Branco”.

O presidente do júri, José Cândido Martins, apresentou o percurso literário do escritor desde o seu primeiro livro “As primeiras Coisas”, lançado em 2013. Sobre a obra vencedora “Uma Ida ao Motel e outras Histórias” José Cândido Martins disse tratar-se de “uma obra notável a vários títulos, que não só demonstra enorme capacidade literária do seu autor, na sequência de uma obra reconhecida amplamente, como também se mostra uma obra digna do patrono que dá nome a este prémio, Camilo Castelo Branco”.

“Uma Ida ao Motel e outras histórias”, de Bruno Vieira Amaral é uma coletânea de 30 contos anteriormente publicados no Expresso Diário, e “é para gente grande”.

Refira-se que nas 29 edições do galardão foram distinguidos os escritores Mário de Carvalho, Teresa Veiga, Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa, Maria Judite de Carvalho, Miguel Miranda, Luísa Costa Gomes, José Jorge Letria, José Eduardo Agualusa, José Viale Moutinho, António Mega Ferreira, Teolinda Gersão, Urbano Tavares Rodrigues, Manuel Jorge Marmelo, Paulo Kellerman, Gonçalo M. Tavares, Ondjaki, Afonso Cruz, A.M. Pires Cabral, Eduardo Palaio, Hélia Correia, Ana Margarida de Carvalho, Francisco Duarte Mangas e Bruno Vieira Amaral.

DSC_8102.jpg

DSC_8156.jpg

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ APRESENTA VALORIZAÇÃO DOS FORTES DO EXTREMO (SÉCULO XVII)

O Município de Arcos de Valdevez apresentará ao público no próximo dia 1 de agosto, pelas 9h00, a sinalética de visita dos Fortes do Extremo, datados do século XVII, resultantes do projeto de conservação, valorização e divulgação destas importantes estruturas patrimoniais, que a Câmara Municipal, em parceria com a Universidade do Minho, implementa desde 2018, coincidindo com as intervenções/campanhas arqueológicas e os levantamentos científicos realizados.

Forte Bragandelo.JPG

A intervenção incidiu maioritariamente no Forte de Bragandelo, o melhor conservado dos dois existentes, tendo recebido sinalética interpretativa, com modelos tridimensionais e informação gráfica de apoio ao visitante, permitindo uma experiência nova e única no seu género em todo o território nacional.

Estes Fortes, enquadrados no período da Guerra da Restauração da independência portuguesa do século XVII, representam uma mais-valia para o turismo e a cultura do concelho e da região, uma vez que são exemplares únicos no contexto de toda a Península Ibérica, não só pelo estado de conservação, mas sobretudo pelas preciosas informações que trouxeram sobre esse conflito histórico e a importância do Extremo no contexto dessa Guerra Peninsular.

extremo_logo.jpg

FAMALICÃO: LAURUS NOBILIS REGRESSA EM FORMATO "HANGOVER" NO PARQUE DA DEVESA

Concertos decorrem nos dias 31 de julho e 1 de agosto, pelas 19 horas, no recinto do Anima-Te

Laurus Nobilis está de regresso com “uma ressaca de bons e intensos concertos que conta com nomes fortes do panorama nacional da música alternativa. Após um interregno forçado em 2020, devido à situação pandémica, o festival de metal regressa, enquadrado no programa de animação sociocultural de verão – Anima-Te, com os concertos de Godiva e Downfall of Mankind no sábado, dia 31 de julho, pelas 19h00, e VËLLA e Lhabya no domingo, dia 1 de agosto, à mesma hora.

1_Godiva.png

Godiva é uma banda famalicense, criada em 1999, que lançou a sua primeira gravação, em formato de CD promocional, com o nome “Tales to be Untold” no ano 2000. Seguiu-se a EP “Traces of irony”, em 2002, gravado nos Estúdios Rec n’Roll e produzido por Rui Danim e Luís Barros (Tarântula), revelando-se um trabalho significativo para a afirmação da banda. Cinco anos mais tarde, em 2007, lançaram o álbum “Spiral”, gravado no Ultrasound Studios e produzido por Daniel Cardoso (Anathema), que reuniu críticas positivas a nível  nacional e internacional. Após um concerto memorável, em 2019, no Vagos Metal Fest acompanhados por uma orquestra de cerca de 50 músicos, e logo a seguir um concerto esgotadíssimo no Hard Rock Café Porto, os Godiva estreiam a nova formação no recinto do Anima-te, no próximo sábado, pelas 19h00. Neste mesmo dia, haverá o concerto dos Downfall of Mankind, que apresentam o seu slam deathcore sinfónico: “The Path of Human Existence”.

Já no dia 1 de agosto, o destaque vai para os VËLLA, um quinteto lisboeta de metal alternativo, criado em 2019, que apresenta o seu álbum de estreia “COMA”. Lançado pela Raising Legends Records, o disco foi bem recebido pelo público e pelos críticos especialistas, sendo considerado um dos melhores álbuns lançados em 2020, na sua categoria. O concerto dos VËLLA tem início pelas 19h00, e será sucedido pela atuação dos Lhabya, uma banda de rock intenso e agressivo, fundada em 2008, que já conta com um tour pelos Estados Unidos. Com apenas um EP editado, encontram-se a finalizar o processo de lançamento do primeiro disco, com o nome “Nymphonic”.

Recorde-se que os espetáculos inseridos no palco do Anima-te, instalado no Parque da Devesa, ao ar livre, junto ao lago, têm entrada gratuita, com levantamento obrigatório de ingresso no local do evento no período das 2 horas que antecede o espetáculo. Cada pessoa poderá levantar até 6 ingressos. O recinto está preparado para receber cerca de 882 pessoas com todas as condições de segurança.

É de acrescentar que, na Praça da Cidadania, encontra-se instalado, até ao dia 29 de agosto, o Mercado Artesanal e Street Food, com o objetivo de divulgar os produtos e produtores locais, bem como promover experiências gastronómicas.

Programa completo da edição de 2021 do Anima-te disponível para consulta em www.famalicao.pt.

2_VELLA.jpg

3_Downfall of Mankind.png

4_Lhabya.png