Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

TRAJES DO MINHO VÃO AO CONGRESSO INTERNACIONAL DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

Entre os milhares de congressistas que este fim-de-semana enchem por completo o Estádio da Luz, em Lisboa, para participarem no Congresso Internacional das Testemunhas de Jeová, contam-se também um considerável grupo de minhotos que marcam presença com os trajes tradicionais da nossa região, mormente o chamado traje à vianesa.

CapturarTJ1.PNG

Congressistas dos mais diversos países apresentaram-se com os seus trajes típicos, fazendo desse modo assinalar a diversidade de culturas e povos ali representados numa celebração que se pretende de concórdia universal.

FOLKLOURES’19 JUNTA VINHOS ARINTOS DE BUCELAS E PONTE DE LIMA E CONTARÁ COM A PRESENÇA DE JOÃO MIMOSO DE MORAIS, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE PONTE DE LIMA

O FolkLoures’19 inclui no próximo dia 6 de Julho, uma prova de vinhos arintos de Loures e de Ponte de Lima, a que se juntam os confrades da Confraria dos Vinhos de Bucelas do qual Teotónio Gonçalves – Presidente do Grupo Folclórico Verde Minho – também é membro. Espera-se que idêntica iniciativa venha a ter lugar oportunamente em Ponte de Lima.

42504761_1778212945560802_3400862517809905664_n.jpg

Trata-se de uma iniciativa que celebra a amizade entre os dois concelhos – Loures e Ponte de Lima – que através de eventos como este e a promoção do arroz de sarrabulho com rojões, estão a caminhar no sentido de uma estreita colaboração e, quem sabe, na geminação dos dois municípios.

A iniciativa contará com a presença, além de outras entidades, do Presidente da Assembleia Municipal de Ponte de Lima, sr. João Mimoso de Morais em representação da autarquia limiana.

Cartaz-2019 (34).jpg

PROF. DOUTORA TERESA SOEIRO VAI AMANHÃ A LOURES FALAR SOBRE “O CORPO DE DEUS EM PENAFIEL E A SINGULARIDADE DOS SEUS BAILES”

FOLKLOURES'19 COMEÇA AMANHÃ COM A REALIZAÇÃO DA CONFERÊNCIA

A conferência insere-se no programa do FolkLoures’19, numa organização do Grupo Folclórico Verde Minho que conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures

“O Corpo de Deus em Penafiel e a singularidade dos seus bailes” é o tema da conferência que a Prof. Doutora Teresa Soeiro vai proferir amanhã em Loures, a partir das 15 horas, no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, local onde habitualmente reúne a Assembleia Municipal de Loures.

Capturar3CONF19.PNG

Por sua vez, o Município de Penafiel far-se-á representar pela Dra. Rosário Marques, Coordenadora do Serviço Educativo e de Gestão de Colecções do Museu Municipal de Penafiel, que há vários anos tem acompanhado o processo de recuperação dos Bailes do Corpo de Deus.

Entretanto, para além das suas danças e cantares tradicionais, o Grupo Folclórico de Penafiel traz no dia 6 de Julho, ao FolkLoures uma das tradições mais genuínas e pouco conhecidas da sua região – o Baile dos Pedreiros!

Natural do Porto, Prof. Doutora Teresa Soeiro é Licenciada em História e Doutorada em Pré-História e Arqueologia, com Pós-Graduação em Museologia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde exerce a sua actividade docente desde 1981, leccionando diversas disciplinas nos cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento em Arqueologia e Estudos do Património.

Professora Associada do Departamento de Ciências e Técnicas do Património da FLUP, é actualmente investigadora integrada do CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória”.

Foi Directora do Museu Municipal de Penafiel entre 1985 e 2007, e Chefe de Projecto requisitada pelo Ministério da Cultura para a Estrutura de Projecto do Museu do Douro de 2001 a 2004.

Ao longo do seu percurso profissional e académico tem-se dedicado às áreas temáticas do Património relacionadas com a Arqueologia, a Etnografia e o Património Imaterial, sendo autora de livros e artigos científicos publicados em Portugal e no estrangeiro, tendo igualmente comissariado diversas exposições permanentes e temporárias em vários espaços museológicos.

Dirigiu e participou ainda de escavações arqueológicas no Norte de Portugal e na Galiza, com particular destaque para o Castro de Monte Mozinho, das quais foi Directora Científica entre 1981 e 1999, e Coordenadora do Projecto de Valorização e Dinamização do Parque Arqueológico de Monte Mozinho

Recebeu várias distinções ao longo da sua carreira, nomeadamente o Prémio de Valor e Mérito, atribuído pela Associação de Amigos do Museu Municipal de Penafiel em 2015, o Prémio Pedrón de Honra 2014, atribuído pela Fundación Pedrón de Ouro (Galiza), a Medalha de Honra da Freguesia de Eja e título de Cidadã Honorária atribuído pela Junta de Freguesia de Eja em 2014,e a Medalha de Ouro do Concelho de Penafiel, proposta pela Câmara Municipal e aprovada por unanimidade e aclamação na Assembleia Municipal de Penafiel, em 2000.

Cartaz-2019 (34).jpg

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS APRESENTA EM VIANA DO CASTELO A EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA "DIVERSIDADE DE OLHARES"

Abertura da exposição de fotografia “Diversidade de olhares”

No próximo dia 1 de julho (segunda-feira) realiza-se a abertura da exposição “Diversidade de Olhares”, com trabalhos desenvolvidos pelo Clube de Fotografia da Academia Sénior do Centro de Estudos Regionais, no Estação Viana Shopping (piso 2), às 17.30 horas.

Diversidade de olhares é uma exposição de fotografia, resultante do trabalho desenvolvido no âmbito do Clube de Fotografia da Academia Sénior do Centro de Estudos Regionais. Cada autor apresenta um conjunto de fotografias que, pela diversidade de temáticas, opções estéticas e cromáticas, evidenciam olhares múltiplos sobre a realidade.  

A Academia Sénior do Centro de Estudos Regionais é um projeto do Centro de Estudos Regionais que visa a dinamização de atividades culturais, sociais e educacionais para maiores de 50 anos. Com quinze anos de existência, a Academia Sénior proporciona atividades formativas em áreas muito diversas.  Entre elas, mantém um Clube de Fotografia. Constituído por amantes da fotografia, que se reúnem periodicamente, procurando desenvolver os seus conhecimentos e competências, o Clube de Fotografia tem exposto os seus trabalhos em diversos espaços, nomeadamente, na Galeria da Santa Casa de Misericórdia de Viana do Castelo, na Delegação da Ordem dos Advogados de Viana do Castelo, no Convento de S. Domingos, na Residência BellaVida Viana e na sede do Centro de Estudos Regionais.

A sessão de abertura da exposição contará com um momento musical executado pelo Coro do Centro de Estudos Regionais.

A exposição, de entrada livre, não tem fins comerciais. 

A direção do Centro de Estudos Regionais

Viana do Castelo, 28 de junho de 2019

APRESENTAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL PERCURSOS DA MÚSICA DE 16 DE JULHO A 13 DE AGOSTO DE 2019

O Municipio de Ponte de Lima apresentou à imprensa a Programação do Festival Percursos da Música 2019.

A presente edição completa este ano 10 anos, decorre de 16 de Julho a 13 de Agosto em vários locais do Centro Histórico, a saber, Avenida dos Plátanos, Largo da Picota, Rua Cardeal Saraiva, Rua Formosa, Escadaria da Capela das Pereiras, Largo de S. João e Largo da Alegria, na Além da Ponte – Arcozelo, juntando-se aos mesmos neste ano o Largo de Camões, a Praceta do Paço do Marquês e o Teatro Diogo Bernardes, para a realização de um workshop/seminário.

fest_percursos_musica2019.png

Estão programados mais de 40 concertos e momentos ligados à música, neste festival que se apresenta como um conjunto de espetáculos de música clássica, erudita e contemporânea, todos gratuitos, realizados em locais de referência do Centro Histórico de Ponte de Lima.

O Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Eng.º Victor Mendes, considerou que estes 10 anos do festival “consolidam o que é de facto a nossa oferta cultural, dinamizando o nosso Centro Histórico ”. Classificando-o como “um bom exemplo e que tem contribuído para a dinamização cultural do nosso país, é também uma grande oportunidade para jovens artistas, e um projeto de inclusão, nomeadamente, com a AMFF – Academia de Música Fernandes Fão e a APPACDM - Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental Centro de Reabilitação  – Ponte de Lima”, disse. O autarca revelou que este projeto implica um investimento de 70 000€, prevendo-se que Ponte de Lima “receba cerca de 10 mil pessoas para assistir a este festival, sendo já uma referência a nível nacional.”

Confira o Programa do Festival Percursos da Música 2017

16 de Julho – Terça-feira – Largo de S. João – 22h00 | Heribert Koch, piano. Estudou nas academias de Cologne e Karlsruhe e mais tarde com Peter Feuchtwanger em Londres, o qual teve uma importância substancial no seu desenvolvimento artístico e com quem frequentemente trabalhou como assistente nas suas masterclasses. O encontro com artistas de renome como Tatjana Nikolayeva ou Mieczyslaw Horszowski proporcionou-lhe inspiração adicional. Actualmente, lecciona na University Musikhochschule of Muenster (Alemanha).

17 de Julho – Quarta-feira – Largo de Delfim Guimarães / Escadaria das Pereiras – 22h00 | Sara Braga Simões, soprano e Luís Pipa, piano. Sara Braga Simões venceu vários prémios nacionais e internacionais e é convidada regular das temporadas do Teatro Nacional de São Carlos e apresentou-se já nos principais teatros, salas de concerto e festivais de música portugueses. Tem-se apresentado, também, em Espanha, França, Inglaterra, Eslovénia, Andorra e Moçambique. A Opera Now descreve-a como uma cantora com uma extensão excepcional e a Opera Magazine destaca a intensidade da sua interpretação.                             .
Luís Pipa é hoje um dos pianistas Portugueses mais completos da sua geração. À originalidade das suas interpretações associa-se uma grande solidez conceptual, fruto de uma sólida formação académica. É professor de piano e música de câmara na Universidade do Minho, ocupando atualmente os lugares de Presidente da European Piano Teachers Association (EPTA) - Portugal e Vice-Presidente da EPTA internacional. Vem citado no Marquis Who is Who in the World, tendo sido considerado um dos ‘Top 100 Educators 2012’ pelo International Biographical Centre.

18 de Julho – Quinta-feira – Rua Formosa / Pereiras – 22h00 | Ensemble Med – Diálogo Interculturas no Mediterrâneo Medieval, com Daniela Tomaz, direcção artística e flautas, Mariana Fabião, voz, Sérgio Calisto, viola d’amore a chiavi e moraharpa e Rui Silva, percussão histórica. O Ensemble Med apresenta “Diálogo Interculturas no Mediterrâneo Medieval”, uma viagem em torno do entrecruzamento estilístico entre as culturas coexistentes na Península Ibérica antes do séc. XVI – legado sefardita, mouro e cristão, passando pela sua posterior diáspora a oriente, na actual Turquia.

19 de Julho – Sexta-feira – Teatro Diogo Bernardes – 15h00 | Workshop de Adufe, por Rui Silva. Este workshop/seminário, ministrado por Rui Silva, um dos nossos maiores especialistas em percussão histórica, será gratuito e limitado a 20 inscritos. Esta formação tem como objetivo dar as ferramentas básicas necessárias a cada participante para poder tratar o adufe por tu, abordando os princípios básicos da sua execução, desconstruindo-os em exercícios criativos, simples, progressivos e em grupo, que visam igualmente o desenvolvimento da independência e coordenação psico-motoras.

19 de Julho – Sexta-feira – Largo de S. João – 22h00 | Concerto Final da Masterclasse da Epta Portugal, piano. Apresentação pública dos alunos que irão frequentar a Masterclasse da EPTA Lusa – Associação de Pianistas e Professores de Piano, que se realiza anualmente em Ponte de Lima.

20 de Julho – Sábado – Largo da Alegria (Além da Ponte) – 22h00 | Duo Jost Costa. Sonoridades sensíveis, virtuosidade requintada e um gosto por programas originais são características do duo de pianistas criado em 2006 pelos pianistas Yseult Jost (França) e Domingos Costa (Portugal). Vencedor do Concurso Internacional «Grieg» para piano duo em Oslo, Noruega, no ano de 2008, o duo de pianistas Jost Costa tem vindo a apresentar-se com projetos musicais inovadores por toda a Europa e em Ponte de Lima apresentará obras para dois pianos e outras a 4 mãos. Na temporada de 2018/2019 o Duo foi convidado por Nike Wagner, bisneta do compositor Richard Wagner, para o prestigiado festival Beethoven Fest em Bonn (Alemanha), projecto que se realizou igualmente no México. Para além disso, o Duo efectuou um recital comemorativo do centenário do final da primeira guerra mundial em Veneza, na Casa da Música, entre outros concertos agendados na Suíça, França e Alemanha.

21 de Julho – Domingo – Avenida dos Plátanos – quatro espectáculos

11h00 e 15h00 | Arruadas pela AlmaDa Street Band, que também percorrerá algumas artérias do Centro Histórico. AlmaDa Street Band é um grupo de animação musical diferente e divertido, inspirado nas bandas de universidades e liceus americanos, conhecidas como “Pep Bands” e com repertório ligeiro e variado, com influências de funk, reggae e pop.

15h00 | Vencedores do Concurso Internacional de Sopros do Alto Minho – AMFF / Academia de Música Fernandes Fão. O presente concurso internacional, que se realizou de 20 a 23 de Junho, tem o apoio e o patrocínio do Município de Ponte de Lima. Os vencedores foram João Daniel Pinho Ribeiro, clarinete e Luís Duarte Dias Moreira, trompa, cujos concertos serão acompanhados ao piano por Bernardo Soares.

16h30 | TT Syndicate. Ultrapassar as barreiras nacionais, ter a hipótese de levar a sua música além-fronteiras é o sonho da esmagadora maioria das bandas portuguesas. Muitos investem o que têm (e não têm) para marcar presença nos mais significativos eventos internacionais, centrados na captação de talento, como o South by Southwest ou o Eurosonic, na esperança de terem aí a oportunidade que tanto anseiam. Quando acontece o inverso é, no mínimo, estranho. Quando uma banda deste pequeno canto periférico consegue levar a sua música a palcos de toda a Europa, por muito que isso tenha a ver com o facto de se moverem num nicho muito específico, e é completamente desconhecida no seu próprio país, é absolutamente contranatura. Só há uma coisa que os espera, por esse mundo fora: crescimento e consolidação do muito que já conseguiram, à custa de talento puro e duro. Chegou a hora de lhes fazermos justiça cá dentro. Para isso basta deixar-nos levar pela sua música de alta qualidade…

21 de Julho – Domingo – Largo de Delfim Guimarães / Escadaria das Pereiras – 22h00 | Coração Brasileiro – António Guerra, piano e Silvério Pontes, trompete. “Coração Brasileiro” é um álbum que nasceu a partir do encontro entre duas gerações da música instrumental brasileira. O trompetista Silvério Pontes e o pianista Antonio Guerra uniram-se para celebrar o cancioneiro e os géneros populares. O disco nasceu para contar um Brasil gaúcho, chorão, sambista e forrozeiro, exaltando a diversidade do povo brasileiro. Silvério e Guerra jamais poderiam imaginar que um encontro fortuito de trabalho entre eles fosse estabelecer de imediato uma parceria tão original quanto produtiva. Durante algumas sessões de ensaios, entre choros, maxixes, valsas e jazz, esses dois craques de gerações e formações distintas descobriram uma afinidade musical inesgotável.

23 de Julho – Terça-feira – Largo de Delfim Guimarães / Escadaria das Pereiras – 22h00 | Homem em Catarse. A aventura de Afonso Dorido também conhecido como Homem em Catarse, começou há uns anos atrás quando decidiu enfrentar as estradas e caminhos de Portugal munido da sua guitarra elétrica e dos seus inúmeros pedais de efeitos com um único sentido: colocar em música toda a beleza do nosso país dando a conhecer ao seu público pedaços de estórias e lugares que passam mais despercebidos. Para além de Viagem Interior, Homem em Catarse EP de 2014, Guarda-Rios de 2015 chega agora, em 2019, com o primeiro disco ao vivo, gravado pela plataforma Porta 253, disponível em vinil numa edição exclusiva e limitada.

24 de Julho – Quarta-feira – CIPVV | Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde – 22h00 | Há… Jazz no CIPVV | “Herbie Nichols”. O Município de Ponte de Lima tem várias parcerias com instituições ligadas à música, como é o caso da Escola de Jazz do Porto que, duas vezes por mês, se desloca ao CIPVV e ao Teatro Diogo Bernardes. Desta vez, iremos apreciar temas de Herbie Nichols, interpretados por Francisca Oliveira, voz e criação das letras, Joana Carvalhas, violino, Tiago Luz, guitarra eléctrica, João Quintanilha, contrabaixo, Gaspar Ribeiro, bateria.

25 de Julho – Quinta-feira – Largo da Picota – 22h00 | Old Jerusalem apresenta “Chapels”. “Chapels”, o sétimo álbum de Old Jerusalem, é uma colecção de canções imediatas e sem adornos. O que se ouve é praticamente a primeira fixação gravada de cada um dos 10 temas que compõem o disco, em interpretações ainda intimamente associadas ao processo da sua escrita e deixando a nu os alinhavos de arranjos e as primeiras sugestões de caminhos melódicos e harmónicos. Pretendeu-se que cada canção veiculasse assim o seu primeiro ímpeto criativo e a urgência da sua comunicação. Ante a impraticabilidade de construir “catedrais”, segundo o autor, escolhemos com este disco erigir e apresentar canções que são como “capelas” – coisas modestas e imperfeitas, mas construídas para a interioridade, evocando, reflectindo e celebrando as grandes fragilidades e pequenas alegrias, e bem assim, as pequenas fragilidades e grandes alegrias de que todos comungamos por sermos pessoas que hoje vivem.

26 de Julho – Sexta-feira – Rua Cardeal Saraiva / Largo da Matriz – 22h00 | CriArte – Encerramento das Residências Artísticas | APPACDM de Ponte de Lima. O projeto de nome CriArte realiza-se de 23 a 27 de Julho na Vila de Ponte de Lima pelas mãos da APPACDM – Delegação de Ponte de Lima e cofinanciado pelo INR. Integrando o programa dos Percursos da Música, este será o primeiro espectáculo, o qual resulta da Residência Artística que decorre durante aquela semana contando com a presença de participantes de vários pontos do país e de um grupo de Itália.

26 de Julho – Sexta-feira – Rua Cardeal Saraiva / Largo da Matriz – 22h00 | Forró Miór e Jabu Morales apresentam AYOM. Barcelona e Lisboa, cidades de efervescência multicultural, são palco dos dois projectos que compartilham a pesquisa e a paixão pela música popular brasileira e afro-latina. As suas vozes trazem a mestiçagem expressiva do Brasil, as suas mãos tecem a poesia melódica do Mediterrâneo, os seus pés a ancestralidade musical da África e a energia dos ritmos da América do Sul. O resultado é uma música mestiça sem fronteiras que vagueia pelos ritmos populares brasileiros (forró, samba, maracatu, carimbó, ijexá) misturados com ritmos oriundos da diáspora africana (cumbia, calypso, merengue, funaná, guaguanco). AYOM conjuga a energia explosiva de Forró Miór com a força poética da voz da afro-brasileira Jabu Morales, propondo uma inesquecível e surpreendente viagem sonora pela fusão de harmonias, ritmos e melodias de vários horizontes.

27 de Julho – Sábado – Rua Cardeal Saraiva / Largo da Matriz – 22h30 | Tendências em Confronto – Em Movimento, da APPACDM de Ponte de Lima | CriArte. Melhor do que falar e discutir a inclusão, é praticá-las de todas as maneiras ao nosso alcance e a parceria da APPACDM com o Festival Percursos da Música será para manter e no presente ano, para além do já divulgado, teremos um espectáculo em que aquela instituição assumirá o todo da noite. O espetáculo de encerramento – Tendências em confronto – resulta da parceria com autores de diversas áreas (moda, música, dança, artes plásticas). Nesta IX edição, com base no tema Confrontos, onde o Eu se cruza na alma do Ser, numa crescente harmonia entre os sonhos, as expetativas, os desejos de ter, ver, mudar, arriscar. Partindo deste imaginário, surge a criação artística, que emerge numa esfera de confrontos, onde eu sei quem sou, mas anseio encontrar-me.

28 de Julho – Domingo – Avenida dos Plátanos – quatro espectáculos

11h00 e 15h00 | Arruadas por Brassica Rapa, que também percorrerá algumas artérias do Centro Histórico. Brassica Rapa é um grupo de música popular, nascido nos finais do 2017, que procura dar uma volta ao conceito de charanga. Formado totalmente por mulheres, tocando instrumentos de sopro (metais) e percussão, criam uma atmosfera alegre com a sua música, de repertório conhecido e fresco, pelo que a festa está sempre assegurada. Dois trompetes, dois trombones, um saxofone alto, uma tuba, uma caixa e um bombo compões a formação, que pretende reivindicar a presença da mulher neste tipo de agrupamentos.

15h00 | Shaduf. Catarina Valadas, voz, flauta transversal, Paulo Barros, piano, Albano Fonseca, baixo eléctrico, Mário Gonçalves,  percussão, Hélder Costa, produção, composição, arranjos, elementos de vários projectos distintos como Xícara, Retimbrar, Let the Jam Roll e Orquestra Fina, reuniram-se para formar Shaduf, formação que se identifica como um projecto dentro da world music, que alia a música tradicional portuguesa a influências do jazz, sempre com espaço para a procura de novas sonoridades.

17h00 | Sete – Outra Voz. O colectivo vimaranense Outra Voz está de regresso com um novo objecto artístico que colocará em cena cerca de 120 intervenientes. Com encenação de Sandra Barros, esta será uma celebração com música composta, colectivamente e em exclusivo, para a nova criação. A cenografia ficará a cargo do artista plástico Daniel Costa e a acompanhar estará um ensemble de sopros, percussão e gaita de fole, sob a direção do músico vimaranense Rui Souza e um grupo de jovens cantores da Academia de Música de Guimarães, dirigidos por Marisa Oliveira, num cruzamento geracional que irá dos 6 aos 80 anos. “Sete” é um espetáculo que parte do que faz de cada um de nós um ser humano absolutamente único e incrivelmente semelhante a tantos outros. Andamos entre cá e lá...entre o preto e o branco, o bem e o mal, o medo e a coragem, a luz e a sombra, a multidão e a solidão, a memória e o tempo que corre veloz...e pelo meio, desprendemos o som e a voz, como quem deixa migalhas pelo caminho para saber regressar.

28 de Julho – Domingo – Praceta do Paço do Marquês – 22h00 | Cinema ao Ar Livre – “Bohemian Rhapsody”, de Bryan Singer. Alargar o Festival Percursos da Música a outras áreas artísticas e testar o gosto, a adesão e a formação de mais públicos continua a ser um dos nossos maiores propósitos. Iremos fazer a exibição de uma sessão de cinema ao ar livre e escolhemos “Bohemian Rhapsody”, de Bryan Singer, o premiado e muito apreciado filme de drama biográfico britânico-estadunidense, de 2018, sobre Freddie Mercury, vocalista da banda de rock britânica Queen.

31 de Julho – Quarta-feira – Largo da Picota – 22h00 | Helena Sarmento, fado. Helena Sarmento editou em 2011 o seu primeiro disco, Fado Azul e em 2013 o segundo, Fado dos Dias Assim, qualquer deles editado também para todo o mundo pela prestigiada Sunset France – acontecimento raro, no que a um primeiro disco se refere. Em Abril de 2018 editou Lonjura, o seu 3º álbum (disco Antena 1, com chancela do Museu do Fado e da Fundação GDA). É nas palavras que canta que Helena Sarmento se encontra e se reinventa e é nelas que se condensa, desde Fado Azul, a coerência que persegue na construção de um universo original, próprio e identificador do seu projecto. Neste concerto, além dos temas de Lonjura, revisitará também o repertório mais emblemático dos dois discos anteriores. Será acompanhada por Samuel Cabral, guitarra portuguesa, André Teixeira, viola de fado e Ginho, no baixo.

1 de Agosto – Quinta-feira – Largo de Camões – 22h00 | Gala Internacional de Folclore de Ponte de Lima. Este tão procurado e conceituado espectáculo que traz ao Largo de Camões, anualmente, centenas de pessoas, terá no presente ano a novidade de passar a ser uma Gala de Folclore Internacional, uma vez que contará, não quatro grupos, mas, pelo menos, oito grupos internacionais, para gáudio dos apreciadores de folclore. Este ano em Ponte de Lima podemos verdadeiramente apreciar “O Mundo a Dançar”.

2 de Agosto – Sexta-feira – Largo da Alegria (Além da Ponte) – 22h00 | Álvaro Cortez, percussão e Isabel Romero, piano | Híbrido”. Híbrido pretende ser um jogo entre o erudito e o popular, o clássico e o ligeiro, o formal e o informal. Num vaivém constante de influências e cruzamentos, surge uma música inusual, mas atraente. É um produto “misto” que não se compromete com nenhuma categoria. Ganhando vida num palco pleno de utensílios, aparelhos e, como não poderia deixar de ser, de instrumentos musicais, para vários gostos e feitios, promete não ser sóbrio nem muito menos estático…

3 de Agosto – Sábado – Largo de S. João – 22h00 | Ana Aroso, harpa & Isabel Anjo, saxofone. Com mais de cinco mil anos de história a separá-los, a harpa e o saxofone têm origens, viagens e características muito distintas. Em 2018, na cidade do Porto, a harpa de Ana Aroso e o saxofone de Isabel Anjo encontram-se e enamoram-se. Desta união resulta um dueto inesperado e pouco convencional de dois instrumentos que se fundem vincando a sua distinção. As duas instrumentistas e intérpretes procuram explorar e incentivar a criação de repertório para esta formação original, contando já com peças de Fátima Fonte, Tiago Sousa, Nuno Peixoto de Pinho, Nuno Torres Marques, Kate Moore, Ana de Ataíde Magalhães (entre outros), compositores com quem mantêm frutíferas ligações artísticas. Incidirá a verdade sobre Arvo Pärt. Músicas. Sobre tarde. Sobre dor. Como ferro em taurino. Canção de amor espanhola. Não há espectáculo que encante. Insónia que se avista já Maio. Livre e Maduro. Tenho harpa branca e boquilha dourada. Tenho pés descalços e caminhada. Substrato angelical em terra profanada. Hipertensão sonora. Compasso que demora. Dorme meu menino. Viajantes apressados é silêncio que não se consegue. Não é forma, nem estilo. Nem pretensão de embalar. É fim e princípio. É alma e seu sublimar.

4 de Agosto – Domingo – Avenida dos Plátanos – quatro espectáculos

11h00 e 15h00 | Arruadas por Quinteto Impossível, que também percorrerá algumas artérias do Centro Histórico. Pedro Heitor, saxofone, Octávio Inácio, guitarra, Pedro Santos Rosa, saxofone barítono, João Sousa, clarinete, João G., percussão. Projecto com influências na música dançável. A sua vertente acústica liberta-os.

15h00 | Galip “Cale” | Tarde Porta-Jazz. Numa parceria com a Associação Porta-Jazz, esta tarde de domingo, na Avenida dos Plátanos receberá duas formações de excelência no contexto do jazz nacional e internacional. Galip nasce de uma encomenda feita ao vibrafonista Eduardo Cardinho para o 8.º Festival Porta-Jazz, em que teria carta branca para realizar um concerto com músicos que admirasse. Desta forma, Cardinho convidou os músicos Portugueses José Pedro Coelho no saxofone tenor e o contrabaixista André Rosinha, o pianista Catalão Xavi Torres e o baterista Holandês Jamie Peet. A química entre os elementos do grupo foi evidente e decidem seguir com o projecto, gravando o seu primeiro disco com música original, editado com o Carimbo Porta-Jazz, com o nome “Cale”. A formação para Ponte de Lima é constituída por Eduardo Cardinho, vibrafone, Zé Pedro Coelho, saxofone tenor, Óscar Marcelino da Graça, piano, André Rosinha, contrabaixo, Jamie Peet, percussão.

16h30 | Jeff Davis “For Mad People Only” | Tarde Porta Jazz. Jeffery Davis Quinteto foi concebido, primordialmente, devido à necessidade de Jeffery Davis se exprimir como compositor e com o intuito de demonstrar que o vibrafone pode ser utilizado de forma inovadora num contexto de ensemble e de composição. A sua utilização enquanto instrumento melódico mas, igualmente, como harmónico, é aquilo que define, em grande parte, a sonoridade do projecto. Os membros deste quinteto de jazz foram cuidadosamente selecionados devido às suas características sonoras, harmónicas e melódicas, a saber: Jeffery Davis, vibrafone, Óscar Marcelino da Graça, piano, José Soares, saxofone alto e soprano, Francisco Brito, contrabaixo, Marcos Cavaleiro, bateria. Atente-se ainda que o álbum “For Mad People Only”, o mais recente da formação, foi apresentado em meados do presente mês de Junho.

4 de Agosto – Domingo – Largo da Alegria (Além da Ponte) – 22h00 | Galandum Galundaina. Galandum Galundaina faz parte da genealogia de uma região com um património musical e etnográfico único, que durante muito tempo ficou esquecido. Ao longo dos últimos 20 anos o grupo contribuiu para o estudo, preservação e divulgação da identidade cultural das Terras de Miranda, Nordeste Transmontano. O seu trabalho de investigação e recolha, junto de pessoas mais velhas com conhecimentos rigorosos do legado musical da região, a par da formação académica na área da música, concretizou-se num sentido renovado no modo de entender as sonoridades que desde sempre conheceram. Com a sua música não procuram criar novos significados, mas antes descrever os lugares e a vida; encontrar as raízes que permitem que a cultura se desenvolva.

6 de Agosto – Terça-feira – Largo de S. João – 22h00 | Mano a Mano. Os irmãos André e Bruno Santos são dois dos guitarristas mais activos do panorama nacional, com vários discos editados em nome próprio e participação em projectos variados (Maria João, Carlos Bica, Rita Redshoes, Salvador Sobral, entre outros). Além da actividade enquanto performers, são professores na escola do Hot Clube de Portugal, sendo o mano mais velho, Bruno, director da escola há uma década, com outros 10 anos a leccionar na licenciatura e mestrado da Escola Superior de Música de Lisboa. Juntos, formam o duo 'Mano a Mano'. O duo edita agora o seu disco Vol. 3, em que o repertório é composto quase na totalidade por composições originais, ao contrário dos volumes anteriores cujo enfoque era maioritariamente em versões de canções que os dois irmãos partilharam ao longo do seu percurso musical. A outra grande novidade deste volume é a inclusão do Rajão, cordofone tradicional madeirense, que assim se junta ao Braguinha, outro instrumento tradicional da ilha, e a toda a parafernália de efeitos e guitarras já existentes em Mano a Mano.

7 de Agosto – Quarta-feira – CIPVV | Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde – 22h00. Há… Jazz no CIPVV | “Dexter Gordon”. Atendendo ao referido anteriormente, a Escola de Jazz do Porto apresentará temas de Dexter Gordon, interpretados por Francisco Rodrigues, voz e criação das letras, Ricardo Couto, guitarra eléctrica, Joana Anacleto, piano, Ricardo Costa, baixo eléctrico, Miguel Barrete, bateria.

8 de Agosto – Quinta-feira – Rua Formosa / Pereiras – 22h00 | Mário Franco “Rush”. Mário Franco, um dos músicos e compositores de referência nacional, apresenta o seu último projecto, “Rush”, editado pela Nischo Records. As barreiras entre as diferentes narrativas musicais são transpostas pela irreverência desta abordagem, aqui mais crua e sem receio de despojar a música dos seus ornamentos linguísticos. “Rush” é uma homenagem ao movimento, à continuidade. Celebra a própria natureza criativa do artista, que tem naturalmente explorado a mutação das suas composições ao longo de todo um percurso de uma vida, enquanto instrumentista, compositor, arranjador para obras que encontram muitas vezes em articulação com o teatro e a dança, entre a formação jazzística e a clássica. Numa formação em quinteto, Mário Franco, contrabaixo e baixo eléctrico, faz-se acompanhar por Sérgio Pelágio, guitarra, Óscar Graça, piano, Luís Figueiredo, sintetizadores e Alexandre Frazão, bateria, este projeto vem inundar o palco de uma energia que dança entre a estrutura do jazz, cruzando-a com outras forças musicais. Uma exploração concreta, que convida a uma viagem comum.

9 de Agosto – Quinta-feira – Rua Cardeal Saraiva / Largo da Matriz – 22h00 | Diogo Carlos, guitarra clássica e Ashkan Layegh, piano. O repertório escolhido para este concerto engloba obras dos compositores J.S.Bach, William Walton, Isaac Albeniz, Astor Piazzolla, J. Brahms, N. Bärtsch e Joaquin Rodrigo tendo como objetivo induzir o ouvinte numa viagem sonora diversificada e enriquecedora. O espectáculo terminará com o Concierto de Aranjuez, que é o concerto mais emblemático e que define a estética musical de Rodrigo, expressando os sons e as imagens da Espanha mais tradicional. Por conseguinte, o repertório apresentado elucida os ouvintes para a diversidade e riqueza musical que se espera do agrado de todos.

10 de Agosto – Sexta-feira – Largo da Alegria (Além da Ponte) – 22h00 | Ricardo Toscano Quarteto. Algo se passa na cena jazz de um país quando, em simultâneo, vários jovens em início de carreira revelam qualidades muito acima da média até num músico maduro. Vem acontecendo isso com Ricardo Toscano, João Guimarães, João Mortágua e Francisco Andrade, exemplos de uma vitalidade nada comum. O primeiro é já considerado, aos 21, a nova coqueluche da música nacional. Não apenas uma “esperança”, mas alguém que está a ter impacto no presente. Quando se deu por ele tinha apenas 17 anos e depressa se espalhou que havia entre nós um sobredotado saxofonista alto. Hoje, é líder de um dos mais entusiasmantes grupos em actividade, o Ricardo Toscano Quarteto que acabou de editar o seu primeiro e tão aguardado disco homónimo. A formação é composta por Ricardo Toscano, saxofone alto, João Pedro Coelho, piano, Romeu Tristão, contrabaixo, João Pereira, bateria.

11 de Agosto – Domingo – Avenida dos Plátanos – 11h00 e 15h00 | Arruadas pelos Irmãos Esferovite, que também percorrerão algumas artérias do Centro Histórico. Os espetáculos dos “Irmãos Esferovite” são uma aventura musical e circense. Quatro palhaços que contam histórias disparatadas sobre o quotidiano dos dias. Oferecem sonhos em troca de sorrisos. O público é convidado a entrar neste mundo poético e clownesco e a participar activamente. As apresentações dos Irmãos Esferovite são momentos únicos e irrepetíveis. Os espetáculos são pensados de acordo com o ambiente e com o espaço determinado. O humor surge aliado à música e ao circo. Um turbilhão de emoções… Direção artística e clown, Pedro Correia, tuba. Marco Freire, percussão, Luís Almeida, saxofone, Pedro Cardoso, sinos, gaitas e outros ruídos, Pedro Correia.

11 de Agosto – Domingo – Rua Cardeal Saraiva / Largo da Matriz – 22h00 | Ton Risco / Jacobo de Miguel Duo – vibrafone, percussão e piano. O duo formou-se em Março de 2006 através de um encontro fortuito. Desde então, começam a trabalhar no projecto, acrescentando composições próprias de ambos, a par de standards de jazz. Em 2007 gravam o seu primeiro trabalho, intitulado “Dúo” e iniciam uma série de concertos nos principais festivais da zona noroeste de Espanha, como o o Iberojazz, Festival de Jazz 1906, Imaxinasons ou o Festival Arte en la Calle de Gijón. A música é na sua maior parte original e os concertos têm a intimidade de um duo com a singular sonoridade da mistura do vibrafone com o piano. Podemos afirmar que é a exploração da música de câmara jazzística, numa formação tanto singular como particular, que surpreende pela ampla gama de matizes que conseguem nos concertos ao vivo.

12 de Agosto – Segunda-feira – Rua Formosa / Pereiras – 22h00 | Les Saint Armand. Em Fevereiro de 2019, os Les Saint Armand lançaram o seu novo álbum de originais, Na Memória da Paisagem. Os seus elementos são artistas associados da companhia A Turma e este vínculo artístico entre a música e o teatro tem marcado um percurso de dez anos que agora se oferece em disco, reunindo novas e velhas canções não-editadas. Assumindo o português, privilegiando o valor da palavra e uma essência acústica, a sua música tem raízes na folk e na canção de autor de dimensão coral, incorporando influências do jazz, bossa nova, rock ou pop. Les Saint Armand gravaram o novo álbum no histórico Convento de São Filipe Nery, a culminar uma residência artística em Trás-os-Montes. Eleitos pelo público como Banda Revelação e Melhor Concerto no Festival Bons Sons 2017, os Les Saint Armand são constituídos por Luís Barros, bateria, José Aníbal Beirão, contrabaixista e um trio de vozes e guitarras compostas por André Júlio Teixeira, António Parra e Tiago Correia.

13 de Agosto – Terça-feira – Largo de Delfim Guimarães / Escadaria das Pereiras – 22h00 | Sensible Soccers. Os Sensible Soccers estão de volta com o seu terceiro longa duração, “Aurora”. Se em “Villa Soledade” trabalharam sobre o imaginário das estradas nacionais, de um país real e por cumprir, esquecido e alienado, em “Aurora” evocam um Portugal pessoal e optimista, da infância e das memórias inventadas: as férias com os pais, as visitas de estudo, o sul de Espanha, as distâncias maiores e o tempo distendido, os Setembros melancólicos, os singles pop e o FM estéreo, os primórdios do topless e as discotecas gigantes, as coisas que se imaginava que aconteciam em sítios onde não se ia. Com nova formação, os Sensible Soccers abordam cada uma das dez faixas do álbum como uma aventura à procura dos fragmentos de uma espécie de mixtape construída em retrospetiva, onde a guitarra expressionista dá lugar a um coro de três cabeças, composto de baixo, percussão e sintetizadores. Os Sensible Soccers – Hugo Gomes, Manuel Justo e André Simão –  contaram em todo o processo com a colaboração de Sérgio Freitas, teclas e Jorge “Cientista” Carvalho, percussão.

EPATV NA LIDERANÇA DA EDUCAÇÃO DE ADULTOS NA EUROPA

O dia 21 de junho é uma data histórica para a Educação e Formação de Adultos em Portugal, com a eleição de Susana Oliveira, da Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), para a vice-presidência da LLL (LifeLong Learning) Platform – Plataforma Europeia para a Aprendizagem ao Longo da Vida, em Bruxelas.

susana oliveira.JPG

Na Assembleia Geral houve eleições e, pela primeira vez, Portugal assume a Presidência, através de Luís Costa, da ANESPO (Associação Nacional das Escolas Profissionais) e uma Vice-presidência, através de Susana Oliveira (representante da EPATV na European Association for the Education of Adults — EAEA). 

Esta Plataforma Europeia reúne as diversas instituições europeias sectoriais numa função de lobby e de promoção de políticas europeias numa base integrada.

Por sua vez, Susana Oliveira, que representa a EPATV na EAEA desempenhando neste momento a função de Vice-Presidente daquela associação europeia, foi agora eleita para Vice-Presidente da Plataforma Europeia para a Aprendizagem ao Longo da Vida.

A Plataforma de Aprendizagem ao Longo da Vida reúne 42 organizações europeias ativas no campo da educação, formação e juventude. Atualmente, estas redes representam mais de 50 000 instituições e associações de ensino, abrangendo todos os sectores da aprendizagem formal, não formal e informal, beneficiando vários milhões de cidadãos europeus.

epatv 2019r.jpg

BARCELOS APOIA ASSOCIATIVISMO

Câmara Municipal de Barcelos apoia associações desportivas e culturais do concelho. Valor dos contratos e acordos ascende a mais de 255 mil euros

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou contratos-programa de desenvolvimento desportivo com 20 associações do concelho, que incluem comparticipações financeiras por parte da autarquia, no valor global de 135.531€.

Paços do Concelho (3)-002br.jpg

A aprovação destes mecanismos foi deliberada na reunião ordinária de 28 de junho e destina-se a apoiar as atividades e instalações das coletividades, bem como a inscrição de atletas em modalidades não profissionais, como atletismo, BTT, canoagem, montanha, natação, orientação, pedestrianismo, trail, ténis, hóquei em patins, judo, futebol, columbofilia, ténis de mesa, patinagem artística, ornitologia e automobilismo.

As coletividades apoiadas são: Associação de Montanhismo de Barcelinhos, Associação Clube de Ténis da ESAF, Associação Desportiva de Barcelos, Associação Desportiva e Cultural de Manhente, Grupo de Futebol Clube da Pousa, Sociedade Columbófila Barcelense, Associação Desportiva de Carreira, Casa do Povo de Alvito, Cávado Futebol Clube, Clube Desportivo Juventude S. Pedro, Clube Futebol Os Ceramistas, Granja Futebol Clube, Clube Cávado Patinagem Artística, Judo Clube de Barcelos, Grupo Desportivo Águas Santas, Associação Ornitológica de Barcelos, Futebol Clube de Roriz, Motor Clube de Barcelos, Núcleo Desportivo Os Andorinhas, Sporting Clube da Ucha.

Apoio às atividades culturais

Na mesma reunião, a Câmara Municipal de Barcelos aprovou um conjunto de apoios às atividades culturais, desenvolvidas pelo vasto movimento associativo do concelho, sob a forma de acordos de colaboração.

Na área do teatro, os acordos de colaboração incluem comparticipações financeiras do Município, num valor global de cerca de 70 mil euros, sendo apoiadas as seguintes entidades: Associação de Teatro Experimental dos Feitos, Associação Só Podia – Teatrices & Companhia, Associação Amigos do Pato, Grupo de Teatro da APACI, Grupo de Teatro Amador Os Pioneiros da Ucha, O Branselho – Grupo de Teatro Amador da pousa, Vamos a Isso – Associação de Desporto e Cultura, TPC – Teatro Popular de Carapeços, A Mó – Associação Vale do Neiva, Associação Cultural Recreativa e Desportiva Futebol Clube Lírio do Neiva, Teatro de Balugas – Associação Cultural, A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos. 

Ainda no âmbito dos apoios às atividades culturais das associações concelhias, a Câmara Municipal aprovou sete acordos de colaboração que incluem comparticipações financeiras no valor global de cerca de 42 mil euros, repartidos pelas seguintes entidades: Associação Cultural, Desportiva e Recreativa de Lijó; Associação Desportiva e Cultural de Manhente; Grupo de Danças e Cantares da Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Campo; Associação de Moradores do Bairro da Misericórdia; Associação Coral Magistrói; Associação Cantoral e Atonal de Barcelos; Associação Cultural Zoom.

No contexto do apoio às atividades culturais, o executivo municipal aprovou a atribuição de um subsídio no valor de 10 mil euros à Associação Cultural e Recreativa de Roriz, como forma de apoio ao festival “Soutorock”.

JOVENS BRACARENSES PARTICIPAM NA SOCIEDADE

 “Apresentação de propostas ao ´Tu Decides!’ decorre de 1 de Julho até 1 de Setembro”. Iniciativa visa promover a participação dos jovens na sociedade

O Município de Braga promove, pelo quinto ano consecutivo, o ‘Tu Decides!’, uma iniciativa que visa promover uma maior participação dos jovens e aumentar o seu contributo para o desenvolvimento do Concelho. O período de entrega de propostas arranca Segunda- feira, dia 1 de Julho, prolongando-se até 1 de Setembro.

O ‘Tu Decides!’, promovido em cooperação com o Conselho Municipal de Juventude, é dirigido aos jovens residentes, estudantes e/ou trabalhadores no Concelho de Braga, com idades compreendidas entre os 14 e os 35 anos. Contempla uma verba total de 75 mil euros, sendo que cada proposta não deve ultrapassar o valor de realização global de 25 mil euros.

As propostas a apresentar devem inserir-se nas áreas de competência do Município e ser direccionadas para as seguintes áreas: educação e formação; emprego e empreendedorismo; desporto, saúde e bem-estar; participação cívica; voluntariado e inclusão social; diálogo intergeracional; cultura e criatividade; desenvolvimento sustentável.

Após o período de apresentação de propostas - de 1 de Julho a 1 de Setembro - e após a análise e validação das mesmas, segue-se o período de votação, que decorrerá entre os dias 7 e 31 de Outubro.

As propostas serão expostas on-line e em diferentes datas e locais da cidade, nomeadamente nas escolas e no edifício gnration, estando prevista a votação presencial e no portal em participe.cm-braga.pt/otd. As propostas mais votadas serão apresentadas publicamente numa sessão com data e local a designar.

As propostas deverão ser entregues em formato digital, através de formulário disponível no portal participe.cm-braga.pt/otd.

O “Tu Decides!” pretende aproximar os jovens dos órgãos de decisão autárquicos, promovendo uma maior aproximação das políticas públicas às necessidades e objectivos dos jovens, mas também promover o exercício de uma cidadania activa e participada junto dos jovens, o seu desenvolvimento pessoal e social, fomentando a educação para a cidadania e o diálogo entre os jovens e os órgãos de poder local.

Todas as informações relativas ao ‘Tu Decides!’ estão disponíveis no portal participe.cm-braga.pt/otd.

TU DECIDESbra.JPG

ESPOSENDENSES BRINCAM COM COISAS SÉRIAS

 “Brincar é coisa séria!” decorre este fim de semana em Esposende

A terceira edição do evento “Brincar é coisa séria”, promovido pelo Município de Esposende, em parceria com a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) e o Centro de Intervenção Psicológica e Terapêutica de Esposende, arrancou esta manhã, com o Seminário “Pensar o Brincar”, que decorre, ao longo de todo o dia, no Auditório Municipal de Esposende. Amanhã e domingo, na Zona Ribeirinha de Esposende decorre a Feira do Brincar e do Brinquedo.

BH6A9391.jpg

Na abertura dos trabalhos do seminário, o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, realçou a importância do brincar no crescimento das crianças e na sua formação enquanto cidadãos. Em jeito de reflexão, comparou o brincar de hoje com o de outrora, partilhando algumas das suas memórias.

Manifestando alguma preocupação com o “abandono nos afetos” que se constata na sociedade atual, mas esperançoso nas gerações que serão os “homens de amanhã”, Benjamim Pereira referiu que a realização deste tipo de eventos é extremamente importante, na medida em que possibilita a reflexão sobre temáticas da maior relevância, que interferem diretamente na sociedade. Enquadrou, assim, esta iniciativa no âmbito da responsabilidade que, a este nível, cabe aos municípios.

BH6A9359.jpg

A Presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Esposende, Alexandra Roeger, destacou a vantagem das parcerias e do trabalho em rede na concretização de iniciativas de maior relevância e eficácia. Sublinhou a relevância da iniciativa “Brincar é coisa séria”, nomeadamente na sensibilização da comunidade para a importância do brincar no desenvolvimento infantil.

“Cuidar das brincadeiras das crianças é tão importante como olhar a saúde, o ensino e as carências afetivas; é uma forma de contribuir para desenvolvimento integral do ser humano”, referiu, sublinhando que “brincar é algo muito sério e importante para as crianças formarem ligações entre o seu mundo interno e externo, desenvolver relações afetivas e sociais e aprender a viver no mundo das ideias”.

Ana Ribeiro, Diretora Clínica do Centro de Intervenção Psicológica e Terapêutica de Esposende, saudou a Câmara Municipal pela organização deste evento e pela preocupação com a saúde física e mental das crianças e jovens, considerando que se mostra “sensível e atenta aos desafios do quotidiano”.

“Debater o brincar não é futilidade, é necessidade”, afirmou, referindo que esta iniciativa pretende, por um lado, refletir sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil, abordando, igualmente, a forma como o brincar tem evoluído ao longo do tempo e quais as implicações dessas mudanças, aliando-se, ainda, a promoção de formas mais saudáveis de Brincar.

“Com pequenos gestos podemos construir e levar a brincadeira a sério”, considerou o Presidente do Conselho Executivo do ACES Barcelos/Esposende, Fernando Ferreira, para quem esta iniciativa se reveste de particular importância, pela partilha e reflexão que proporciona e pelos contributos que daí resultam.

Num primeiro painel, intitulado “Do atual paradigma do tempo na vida dos pais e dos filhos ao tempo para brincar” e moderado por Fernando Ferreira, Presidente do Conselho Executivo do ACES Barcelos/Esposende, houve oportunidade para ouvir o testemunho de Pediatra e Professor Universitário Mário Cordeiro, e as apresentações “A importância do brincar”, por Cátia Felgueiras, Médica Interna de Formação Específica de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Hospital Dona Estefânia, e “Tipos de brincar, cérebro, movimento e bem-estar, por Ana Rita Fonseca, Neurocientista e Representante da Associação 1,2,3 Macaquinho do Xinês - Defesa e promoção do brincar

Ainda no período da manhã, decorreu o painel “Do brincar livre no exterior, ao brincar virtual: suas implicações”. Sob a moderação de Alexandra Roeger, Presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Esposende e Vereadora da Saúde Pública da Câmara Municipal de Esposende, Carlos Neto, Professor Catedrático da Faculdade de Motricidade Humana, falou sobre “Literacia Lúdico-motora e Literacia Digital” e Teresa Sofia de Castro, Equipa Portuguesa “Eu Kids Online”, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas UNL, abordou a temática, ”Brincar entre ecrãs: contextos, competências e mediações”.

Já no período da tarde, decorreu o painel “O lazer e os tempos livres no quotidiano da vida dos jovens: estilos de vida saudáveis”. Fábio Botelho Guedes, da Equipa Aventura Social, falaou sobre “O lazer dos jovens portugueses - Resultados do estudo HBSC 2018” e Teresa Freire, Psicóloga, Professora da Escola de Psicologia da Universidade do Minho, abordou o tema “Do Brincar ao Lazer!…. Pensar o desenvolvimento positivo de crianças e adolescentes”. A moderação esteve a cargo de Paula Gaio, ETR Norte Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens.

“Brincar para promover e prevenir” foi o tema do painel seguinte, no qual Otília Monteiro Fernandes, Psicóloga, Professora do Departamento de Educação e Psicologia da UTAD, apresentou o tema “Irmãos a sério, mas (par)a brincar” e Andreia Azevedo e Tatiana Homem, Psicólogas da Equipa do Projeto Para a Promoção da saúde Mental “ Anos Incríveis”, apresentaram a temática “Tu brincas, eu brinco nós brincamos: Pais e Filhos e a Incrível arte de brincar”. A moderar o debate esteve Eduardo Carqueja, Presidente da Delegação Regional do Norte da Ordem dos Psicólogos.

Eduardo Sá, Psicólogo e Professor na Universidade de Coimbra e no ISPA - Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida, proferiu a conferência de encerramento, com comentário pela Jornalista Helena Gatinho.

Para além deste espaço de reflexão, o “Brincar é coisa séria!” proporciona às famílias e à comunidade em geral a oportunidade de experienciarem diversas atividades lúdicas, na “Feira do Brincar e do Brinquedo”, que funcionará na Zona Ribeirinha, amanhã, 29 de junho, das 14h00 às 18h00 e, no domingo, dia 30, entre as 10h00 e as 18h00.

A iniciativa “Brincar é coisa séria!” enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, Saúde de Qualidade (ODS 3), Igualdade de Género (ODS 5), Reduzir as desigualdades (ODS 10), Cidades e Comunidades Sustentáveis (ODS 11), Paz, Justiça e Instituições Eficazes (ODS 16) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

BH6A9293.jpg

PINTOR MUTES EXPÕE EM PONTE DE LIMA

Pintor Mutes expõe na Bienal Internacional Art´in Lima

Art’in Lima é um projeto cultural promovido pelo Município de Ponte de Lima que visa, na senda de outros projetos anteriores, atrair anualmente a produção artística contemporânea a esta antiga localidade portuguesa.

oo.jpg

Põe em contacto artistas de múltiplas proveniências, nacionais e estrangeiros, intérpretes de novos movimentos e tendências artísticas, que criam conceitos inovadores e exibem, na diversidade das técnicas e suportes utilizados, os seus trabalhos em monumentos históricos e museus desta vila. Esta exposição estará espalhada por vários edifícios da vida de Ponte do Lima, nomeadamente na Capela das Pereiras, Centro de interpretação do território, Museu do Brinquedo Português, Centro de interpretação e promoção do vinho verde e no Museu dos Terceiros (Mute). O pintor Arcoense Mutes é um dos Artistas entre vários, a expor nesta Coletiva pelo 3º ano consecutivo. A abertura da mostra de arte contemporânea Art’in Lima-Sob o Signo de Baco, a realizar em Ponte de Lima, decorrerá no próximo dia 29 de junho (sábado), às 18h00, e contará com a presença do Senhor Diretor Regional de Cultura do Norte, Doutor António Ponte. A sessão terá início na Capela das Pereiras e terminará no Museu dos Terceiros, onde será servido um Verde de Honra.

FEIRA INTERNACIONAL DE ARTESANATO ABRE HOJE AS PORTAS

A maior feira de artesanato da Península Ibérica promove o artesanato nacional e de várias partes do Mundo

Inicia-se este sábado, dia 29, e prolonga-se até dia 7 de Julho, a 32ª edição da FIA – Feira Internacional do Artesanato, a maior feira de artesanato da Península Ibérica e a segunda maior da Europa, na FIL. Durante nove dias, a feira abre portas às 15h00 e encerra às 24h00, com três pavilhões ocupados e mais de 600 expositores.

59777647_2487428084603717_8944555666375180288_n (6).jpg

O convidado especial desta edição é o Município de Caldas da Rainha, cidade com história e famosa pelo seu artesanato único no país, que foi uma escolha óbvia da organização da FIA: “enquanto centro de produção artesanal, o Concelho das Caldas da Rainha apresenta o melhor do artesanato popular, possuindo no seu património diferentes tipos de peças que são reconhecidamente do agrado dos portugueses, seja pela sua conotação humorística ou pela simbologia de reacção ao sistema”.

Caldas da Rainha estará assim destacada no pavilhão do artesanato português, que reúne 235 entidades, empresas e artesãos a título individual, com o objectivo de promover e divulgar o que de melhor se faz no artesanato português e servindo de montra para os artesãos portugueses mostrarem o seu trabalho. As entidades regionais do Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve estarão igualmente representadas, assim como a Região Autónoma da Madeira e dos Açores.

A FIA, enquanto feira promotora do encontro entre culturas, apresenta também artesanato de todo o Mundo. No pavilhão internacional estão reunidos cerca de 40 países da América do Sul, África, Ásia e Europa, num total de mais de 300 expositores.

Promover o artesanato é também possibilitar ao visitante a hipótese de comprar peças únicas a preços exclusivos, sejam echarpes, biquínis, tapeçaria, tecidos, bijuteria, marroquinaria, peças de vestuário e de artesanato, entre outras. O factor distinto e personalizado destaca-se, uma vez que na FIA é possível adquirir peças feitas ao gosto pessoal do visitante.

Complementariamente à oferta de artesanato, a FIA é também gastronomia. No terceiro pavilhão da FIL encontra toda uma variedade de produtos gastronómicos das diferentes regiões do país e os visitantes podem ainda almoçar e jantar em restaurantes regionais dentro da feira! Ao todo, são mais de 40 expositores que se dedicam às delícias gastronómicas, desde as alheiras de Mirandela, às cerejas do Fundão, ao presunto e queijo da Serra, aos ovos moles de Aveiro passando pelo pão de Mafra, os enchidos do Alentejo e terminando com alguma doçaria algarvia, entre outros.

A grande novidade é a introdução de uma área intitulada “Peixe na FIA”, que segue a linha de promoção, não só do Património Artesanal, mas também do Gastronómico Regional, cada vez mais um importante atractivo turístico-cultural e um factor impulsionador do desenvolvimento e da riqueza local e nacional.

Pavilhão da Gastronomia com entrada livre entre as 12h30 e as 14h30

A FIA está aberta todos os dias e 29 de Junho a 7 de Julho das 15h00 às 24h00 – o pavilhão 3, da gastronomia, está aberto a partir das 12h30, com entrada livre entre essa hora e as 14h30.

Os bilhetes podem ser adquiridos online, a 7€, com desconto em relação aos bilhetes adquiridos nas bilheteiras da FIL. Existe também desconto para jovens e seniores (apenas se comprados nas bilheteiras físicas, por ser necessário comprovativo de condição) e packs familiares de 3 e 4 pessoas (se comprados online).

APRESENTAÇÃO DO NOVO EQUIPAMENTO DO VITÓRIA NO ESPAÇO GUIMARÃES

3 de julho | 21h00 | Piso 0

O centro comercial Espaço Guimarães, gerido pelo Klépierre em Portugal, convoca todos os adeptos do Vitória Sport Clube a marcarem presença na apresentação do novo equipamento da equipa de futebol, no dia 3 de julho às 21h, no Piso 0 do centro comercial em frente à loja oficial do Vitória SC. Se é um verdadeiro adepto, não vai querer perder este momento.

Espaço Guimarães_Apresentação do Novo Equipamento do Vitória.jpg

Visite o Espaço Guimarães para assistir ao evento onde o clube revela todas as novidades do seu equipamento para a nova temporada. Terá a oportunidade de demonstrar o seu apoio ao Vitória para a época 2019/2020 e ver alguns dos seus craques favoritos a desfilarem. Se quiser realmente “vestir a camisola” do seu clube preferido, passe na Vitória Store onde encontra o merchandising oficial.

Mas a animação não fica por aqui! Antes da apresentação, assista a um curto espetáculo de hip hop que contará com muita dança, música e diversão. Garanta o seu lugar na primeira fila e não perca este momento entusiasmante.

No final da noite, os jogadores estão disponíveis para uma sessão de selfies e autógrafos onde poderá conhecê-los pessoalmente.

Descubra o novo equipamento do Vitória em primeira mão e torça pelo seu clube no Espaço Guimarães!

SOBRE O CENTRO COMERCIAL ESPAÇO GUIMARÃES

Centro comercial localizado na zona oeste da cidade de Guimarães e inaugurado em novembro de 2009, é atualmente gerido pela Klépierre. Com uma ABL de 48.000 m2, distribuídos por dois pisos, o espaço disponibiliza 130 espaços comerciais, lojas e restaurantes de referência nacional e internacional, incluindo 11 lojas âncora como Zara, H&M, Sport Zone, New Yorker, entre outras, para além de um hipermercado Jumbo de cerca de 16.000 m2. O Espaço Guimarães tem ainda um parque de estacionamento gratuito, exterior e coberto, que oferece mais de 1900 lugares de estacionamento. Recentemente inaugurado, o centro comercial conta com uma unidade do Trofa Saúde Hospital, com uma área total de quase 4.000 m2, oferecendo serviços de saúde de qualidade incluindo análises clínicas, imagiologia, fisioterapia, medicina dentária e mais de 30 especialidades médicas, cirúrgicas e complementares.  O Espaço Guimarães posiciona-se como um centro comercial moderno e de última geração, com uma originalidade arquitetónica que agrega dois formatos complementares: um Centro Comercial e um Retail Park de 7.000 m2, que permitem ao visitante ter acesso a uma zona de lojas de maior dimensão e, simultaneamente, uma maior diversidade de ofertas de qualidade. Para mais informações consultar www.espacoguimaraes.pt.

VALENÇA RECRIA INVASÕES FRANCESAS

Recriação Histórica em Valença no dia 13 de Julho na Fortaleza

Parada, acampamento, exercícios, fogo de artilharia, a defesa e o ataque à Fortaleza, o baile oitocentista... vão recriar a vida militar da Fortaleza de Valença, na época da 2ª invasão francesa, sábado, 13 de julho.

210 Anos Depois a História Recorda-se

210 anos depois a Fortaleza de Valença vai reviver os momentos históricos das invasões francesas e das lutas entre os portugueses e as tropas napoleónicas.s.

Programa da Recriação Histórica

11H30 - Içar da Bandeira Nacional e Hino, na Praça da República

14H30/17H

- Animação cultural e histórico-militar do acampamento histórico e zonas envolventes;

- Exercícios histórico-militares de infantaria e artilharia;

- Demonstrações de disparos de mosquetes e de peças de artilharia;

- Colocação de rondas e sentinelas e marchas pela muralha;

- Interação com o público, em contexto didático e pedagógico.

17H30/18H30 - Baile Popular Oitocentista, na Praça da República

19H - Arrear da Bandeira e Hino Nacional, na Praça da República

A Praça-Forte Que Demorou a Conquistar

A história dos assédios das tropas francesas à Praça-Forte, a partir de Tui foi longa, a que se seguiu o cerco a 9 de Abril de 1809, a capitulação da praça a 10 de Abril de 1809 e a saída do exercito francês a 17 de abril de 1809.

Esta é uma oportunidade para reviver o espírito, os principais momentos da invasão e os oito dias da ocupação de Valença, a pressão militar, a vida da Praça ocupada e a defesa inteligente do governador, Custódio César de Faria.

A iniciativa é do Município de Valença e Grupo de Recriação Histórica do Município de Almeida e integra-se na candidatura da Fortaleza de Valença a património mundial junto da UNESCO.

ESPOSENDE: FILIPA MARTINS RECEBEU PRÉMIO LITERÁRIO MANUEL DE BOAVENTURA

O Município de Esposende entregou hoje o Prémio Literário Manuel de Boaventura à escritora Filipa Martins que concorreu com o romance “Na Memória dos Rouxinóis”. A cerimónia decorreu no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, em Esposende, na presença do presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira e da vereadora da Cultura, Angélica Cruz e dos membros do júri, Sérgio Guimarães de Sousa, da Universidade do Minho, e André Correa de Sá, da Universidade de Santa Bárbara, Califórnia, Estados Unidos da América. Em representação da família de Manuel de Boaventura marcou presença João Armando Boaventura e Silva.

Prémio Manuel Boaventura 1.jpg

“Aposta sublinhada e contínua na defesa da obra cultural”, assim percecionou a própria galardoada, Filipa Martins, a ação da Câmara Municipal de Esposende que, nesta segunda edição do Prémio Literário Manuel de Boaventura, contou com a apresentação de 110 obras a concurso.

O presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, lembrou que a ideia subjacente à criação deste prémio literário “teve dois objetivos específicos como fundamento: a vontade de homenagear e divulgar o autor que deu o nome ao prémio - Manuel de Boaventura - e a necessidade de incentivar a criatividade literária e o gosto pela escrita e pela leitura”. Porém, este prémio insere-se, ainda, na política de desenvolvimento cultural do Município de Esposende, nomeadamente na ação associada à leitura, reforçada com o Plano de Combate da Iliteracia, em curso no concelho.

Prémio Manuel Boaventura 2.jpg

A escritora Filipa Martins defendeu o papel da memória – fio condutor da sua obra -, enquanto aliada da humanidade, para recordar que “na 2.ª Grande Guerra, registaram-se 45 milhões de refugiados e, de 2015 até hoje, registaram-se 33 mil pessoas refugiadas e 12 mil morreram na rota migratória. Um continente que foi ajudado vira agora costas à ajuda”, advertiu.

Filipa Martins entende que “as memórias ligam-se umas às outras por caminhos insondáveis”, razão pela qual estabeleceu o paralelismo com Manuel de Boaventura “que foi reprodutor de lendas e narrativas e o meu romance tem a linha condutora do esquecimento”.

Sérgio Guimarães de Sousa, do júri, destacou “a originalidade do enredo, num romance escrito com muita minúcia e domínio do estilo”. Já André Correa de Sá apontou o “domínio muito correto da narrativa, por parte da autora, ficando como lição deste livro a ideia que podemos encontrar sempre mecanismos de autocriação”.

João Armando Boaventura e Silva revelou “gratidão e uma profunda emoção, pela iniciativa do Município de Esposende que perpetua o nome de Manuel de Boaventura na memória coletiva”.

O Prémio Literário Manuel de Boaventura foi criado com o intuito de homenagear e divulgar este escritor e homem de cultura, natural de Vila Chã, Esposende. No valor pecuniário de 7 500 euros, o Prémio tem periodicidade bienal, contemplando a modalidade da criação narrativa de Romances ou de Contos da autoria de escritores de língua portuguesa. A cerimónia foi complementada pela atuação de alunos da Escola de Música de Esposende.

Esta postura enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, nomeadamente Educação de Qualidade, Cidades e Comunidades Sustentáveis.

Prémio Manuel Boaventura.jpg

7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL: VOTE NAS ROSCAS DE MONÇÃO – LIGUE 760 107 005

Os 140 doces (7 doces por distrito e regiões autónomas) votados por um painel de especialistas na segunda fase, entram agora na terceira fase com a votação do público. As Roscas de Monção fazem parte desta listagem deliciosa, sendo o único doce do Vale do Minho em concurso. As votações estão abertas. O número de apoio às Roscas de Monção é 760 107 005.

roscasmonç.jpg

Os doces que passam à fase seguinte são escolhidos pelo público, sendo divulgados em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, entre 2 de julho e 16 de agosto. As Roscas de Monção participam no primeiro programa, 2 de julho, juntamente com os restantes seis doces eleitos pelo distrito de Viana do Castelo.

O doce mais votado em cada programa passa às semifinais do concurso. Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, o qual será responsável pela repescagem de oito candidatos. Assim, aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, juntam-se mais 8 repescados, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Em sorteio, serão divididos pelas duas semifinais, a realizar nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal, serão apurados os 7 doces com mais votos contabilizados, perfazendo um total de 14 doces que chegam à final.

Nesta fase, os sete elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os doces. A final decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre, elegendo as “7 Maravilhas Doces de Portugal”. 

Roscas de Monção

Preparada a massa com farinha triga e água, ao qual se junta manteiga, açafrão, fermento, sal e açúcar, fica a levedar durante duas horas. Depois, as mãos das doceiras moldam as roscas que são colocadas em tabuleiros e polvilhadas de farinha triga para não "apegar".

Posteriormente, vai ao forno de lenha, com porta sempre aberta, até apresentar um aspeto alourado, sendo “adornadas” com açúcar refinado. Com sabor inconfundível e textura única, é o doce perfeito para acompanhar um Alvarinho elegante e aromático. 

A confeção das Roscas de Monção, parte integrante do rico património gastronómico local, tem passado de geração em geração, estando, desde sempre, associada à celebração de romarias e a ambientes festivos realizados no concelho de Monção.

Nos últimos tempos, fruto da grande procura deste doce caraterístico da nossa terra, as Roscas de Monção, como os papudos, têm sido confecionadas para serem comercializadas na feira semanal da localidade, todas as quintas-feiras. As “Rosqueiras” apresentam esta doçaria sobre belos panos de linho, em grandes cestos de vime, vendendo-a à unidade ou em grupos de meia ou uma dúzia.

LIGUE 760 107 005. VOTE NAS ROSCAS DE MONÇÃO.

Na nossa Mesa, só nos falta a sobremesa.

MUNICÍPIO DE CABECEIRAS DE BASTO APROVA VOTO DE LOUVOR A DIOGO GRAÇA

Piloto cabeceirense reconquista título de Campeão Nacional de Motocross MX2

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto, na sua reunião desta sexta-feira, dia 28 de junho de 2019, aprovou, por unanimidade, um Voto de Louvor, Congratulação e Regozijo ao piloto cabeceirense Diogo Graça, pelos extraordinários feitos conseguidos nos últimos anos no desporto motorizado de motocross e supercross de que se destaca por agora, neste ano de 2019, o título de Campeão Nacional de Motocross MX2, título que havia já conseguido em 2016 e 2017.

Foto Diogo Graça - direitos reservados.jpg

A Câmara Municipal manifesta assim grande satisfação e orgulho por este cabeceirense ter atingido no desporto motorizado tão alto patamar a nível nacional, reconhecendo que este feito honra Cabeceiras de Basto.

O Voto de Louvor, Congratulação e Regozijo aprovado apresenta o seguinte teor:

“Diogo Emanuel Teixeira da Graça, nascido em 1998, na freguesia do Arco de Baúlhe, deste concelho de Cabeceiras de Basto, piloto de motocross e supercross, conta já com nove títulos nacionais e muitas outras presenças nos pódios das provas em que tem participado. Iniciou a sua carreira com apenas 4 anos e aos 5 anos participou no seu primeiro campeonato regional. O gosto pelo desporto motorizado revelou-se assim bem cedo, tendo o seu pai um papel fundamental no seu acompanhamento pelos montes de Cabeceiras de Basto logo a partir de tão tenra idade.

Depois de ter subido ao pódio por diversas vezes entre 2005 e 2010, em 2011 sagrou-se Campeão Nacional de Motocross Iniciados, facto que a Câmara Municipal distinguiu na altura com a atribuição de um Voto de Louvor, Congratulação e Regozijo.

Em 2012, Diogo Graça sagrou-se Campeão Regional Norte de Motocross MX2.

Em 2015, foi Campeão Nacional de Motocross MX2 Júnior e Vice-Campeão Nacional de Motocross MX2.

Em 2016, foi Campeão Nacional de Motocross MX2 e MX2 Júnior e Campeão Nacional de Supercross SX2.

Em 2017, Diogo Graça repetiu a proeza do ano anterior sagrando-se Campeão Nacional de Motocross MX2 e Campeão Nacional de Supercross SX2.

Em 2018, sagrou-se, pelo terceiro ano consecutivo, Campeão Nacional de Supercross SX2, ano em que participou no Motocross das Nações, nos EUA.

No passado dia 23 de junho do corrente ano de 2019, Diogo Graça reconquistou o título de Campeão Nacional de Motocross MX2, novo feito que muito orgulha e honra Cabeceiras de Basto e os Cabeceirenses.

Considerando os excelentes resultados obtidos nos últimos anos nesta modalidade tão exigente, bem demonstrativos de uma enorme dedicação, disciplina e entrega ao desporto motorizado e de uma forte vontade de vencer, a Câmara Municipal, hoje reunida, delibera:

  1. Atribuir ao piloto cabeceirense Diogo Emanuel Teixeira da Graça um Voto de Louvor Congratulação e Regozijo, em sinal de reconhecimento do seu valor consubstanciado nas inúmeras participações vitoriosas de que se destaca, por ora, o título de Campeão Nacional de Motocross MX2 conquistado em 2019, feitos extraordinários que têm contribuído para a promoção e valorização do desporto em geral, mas também para a promoção do nosso concelho, ao mesmo tempo que tem reforçado o prestígio e a imagem de Cabeceiras de Basto. 2. Proceder à entrega do galardão em cerimónia pública solene a realizar em data oportuna.”

MUNICÍPIO ARCUENSE MANTÉM CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE

Entre os dias 17 e 18 de junho decorreu auditoria realizada pela APCER à Câmara Municipal, uma ação que serviu para verificar e analisar o Sistema de Gestão da Qualidade. Durante estes dois dias a equipa auditora verificou o funcionamento dos Serviços Municipais de forma a avaliar a garantia do cumprimento dos requisitos legais e regulamentares e a capacidade de o Município providenciar serviços orientados para satisfazer as necessidades dos Munícipes e partes interessadas, tendo identificado várias oportunidades de melhoria.

reunião_qualidade_2019.JPG

 A equipa auditora concluiu que a Autarquia dispõe de um Sistema de Gestão com capacidade, estrutura e recursos adequados para atingir, de forma consistente, os objetivos definidos.

No relatório elaborado, foram ainda referidos pontos fortes do sistema constatados no decurso da auditoria, dos quais se destacam:

O envolvimento e comprometimento evidenciado pelo Executivo e Chefias;

O empenho e competência técnica demonstrados pelos elementos participantes na auditoria;

A competência técnica da organização;

A orientação para a satisfação do cliente;

A organização dos serviços Informáticos.

Assim, tendo sido evidenciado um sistema de gestão da qualidade estruturado de modo a assegurar o cumprimento dos requisitos aplicáveis, de acordo com a norma de referência NP EN ISO 9001:2015, a manutenção da certificação foi recomendada.

Desta forma a Câmara Municipal pretende melhorar de forma contínua a qualidade do serviço que presta e a proximidade com os arcuenses.

SARDINHADA EM PARIS (DRANCY) JUNTOU 2500 LUSO – PORTUGUESES

Consideradas já uma referência na comunidade portuguesa radicada na região de Paris e um pouco na França, (numa organização de um grupo de nossos compatriotas e Pontelimenses que dirigem a Associação dos Amigos de Portugal de Drancy), a qual foi responsável nos dois últimos fins de semana por festividades que reuniram milhares de luso – portugueses, os seus eventos sucedem-se uns aos outros!

27062019-2.jpg

Assim, no Sábado 15 de Junho, aquela instituição representativa de tradições lusitanas naquele município que dista uma dezena e meia de quilómetros de Paris, participou na Festa da Cidade, no Parque da Duquesa. O programa repartiu-se entre cantares e comida portuguesa, designadamente grelhados de carne e peixe, tudo regado com vinhos verdes e maduros, para as centenas de participantes que responderam ao convite.

Mas, uma semana volvida, e eis nova e vincante Festa da comunidade lusíada, em comemoração do mês popular junino!

O Sábado 22 e o Domingo 23 do corrente, juntaram no Ginásio Auguste Delaune e exterior, mais de 2500 pessoas, na sua maioria luso – portugueses, oriundos do Minho às Beiras.

Como manda a tradição, o ponto alto dos festejos foi a sardinhada, com duas centenas de quilos do peixinho assado nas brasas. Para completar as escolhas de menú, também não faltaram enchidos, fumados, vinhos, doces e demais iguarias, na sua maior parte encomendados em Portugal.

Na animação, há a salientar a noite de Sábado animada por Carlos Pires e sua Banda, e na tarde de Domingo, principalmente os anfitriões: o grupo folclórico Romarias do Minho, dirigido pela conterrânea Glória da Silva, natural da freguesia limiana da Seara.

Mas, o calendário de eventos de Drancy para o corrente ano prosseguirá com outros, marcantes, para a lusofonia.

Para o Domingo de 6 de Outubro, está agendado um Encontro para saborear o que é bom das nossas terras, especialmente com cheirinho a Ponte de Lima e Minho, cujo programa será tornado público em Agosto próximo.

Tito Morais / https://www.luso.eu/