Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CRAV REGRESSA ÀS VITÓRIAS

A equipa sénior do CRAV recebeu e venceu o S. Miguel no passado domingo, dia 18.

No Estádio Municipal de Rugby de Arcos de Valdevez assistiu-se a um jogo equilibrado, com o S. Miguel a demonstrar ser uma equipa organizada e competente.

CRAV005.jpg

O CRAV foi superior no jogo aberto, conseguindo várias vezes furar a linha defensiva dos lisboetas, mas em muitas dessas jogadas por falta de apoio não conseguiram transformar em ensaios.

O S Miguel, num bom movimento ofensivo marcou primeiro, tendo marcado pela segundo vez um ensaio já no final do jogo, graças a uma falha coletiva do CRAV num pontapé de recomeço, depois de concretizar uma penalidade, onde ainda conseguiram assustar os minhotos.

De acordo com a análise da equipa técnica do CRAV, a equipa da casa não conseguiu concretizar em pontos alguma superioridade que teve durante o jogo, muito devido à má tarde dos seus avançados nos alinhamentos. “Foram muitos os alinhamentos desperdiçados no meio campo lisboeta”, declaram. Por fim, atribuem uma nota positiva ao jogador das linhas atrasadas, Mário Aguiam, autor dos 20 pontos do CRAV (2 ensaios convertidos+2 penalidades) e a Miguel Sousa pela boa arbitragem.

SUB-16 E SUB-18 DO CRAV CARIMBAM PASSAPORTE PARA A FASE FINAL

Os sub-16 do CRAV receberam e venceram, neste sábado, o RC Lousã por 38-29.

Após uma vitória com um resultado expressivo no fim-de-semana passado, desta vez, os jovens arcuenses sentiram mais dificuldade em ganhar o jogo, como manifesta o resultado.

sub-16 crav vs lousa.jpg

Num jogo bastante disputado, o CRAV manteve-se sempre na liderança, logo desde o início do encontro, saindo para intervalo a vencer por 26-10.

Durante a segunda parte, a equipa adversária pressionou muito, mas os jovens arcuenses não cederam e assim garantiram a passagem à fase final do campeonato nacional, com mais esta vitória.

Por sua vez, os sub-18 do CRAV receberam e venceram também o RC Lousã, por 24-17.

Os jovens arcuenses entraram fortes no jogo, demonstrando que em casa são eles que mandam.O jogo resume-se basicamente a uma forte pressão por ambas as equipas, pois encontravam-se a disputar o primeiro e segundo classificado, sendo que nenhum queria perder o confronto. No entanto, o CRAV começou por delinear a vitória logo nos primeiros instantes da partida, vencendo ao intervalo por 12-5.

Na segunda parte, o sentido de jogo manteve-se, com a equipa local sempre à frente do marcador. Os sub-18 garantiram também a passagem à fase final do campeonato nacional, que retoma novamente em janeiro, após um período de férias.

sub-18 crav vs lousa.jpg

ATLETAS DE PALMO E MEIO DO CRAV PARTICIPAM NO TORNEIO DE NATAL NA TROFA

As equipas sub-8, sub-10 e sub-12 do CRAV deslocaram-se à Trofa para participar no convívio Regional de Natal aí organizado no domingo 18 de novembro.

Com uma excelente adesão dos jovens, sempre identificáveis pela sua energia e entusiasmo, a participação teve um saldo extremamente positivo pela forma como os jogos decorreram e belo excelente espírito presente na competição, em que só houve vencedores, pela experiência vivida e por mais um episódio na sua formação desportiva.

foto sub 8-10-12 Trofa.jpg

FEIRA LOW COST DECORRE EM AMARES ATÉ 24 DE DEZEMBRO

O artesanato, o comércio e os produtos locais, bem como as tradições, estão em destaque até dia 24 de dezembro na Feira de Natal Low Cost, instalada em plena Praça do Comércio, em Ferreiros. A iniciativa, inserida no programa “Animação do Comércio Amarense”, promovida pelo Município de Amares em parceria com o CLDS 3 G da Valoriza, animou os dias frios que se fizeram este fim de semana, com um conjunto de atividades, que trouxeram um pouco de magia e do espírito natalício a amarenses e visitantes, através de música, workshops e exposições de presépios, entre outras iniciativas.

DSC00135.jpg

Até ao próximo dia 24 de dezembro, visite a Feira de Natal, onde comerciantes, produtores e artesãos divulgam os seus produtos, mostram o que de melhor se faz em Amares e a preços low cost. Mas as surpresas não ficam por aqui, a “Animação do Comércio Amarense”prossegue dia 26, e com a parceria da Farmácia do Mercado, a tarde é dedicada aos mais novos, com a “ Festa da Criança”, a proporcionar aos pequenos uma matiné muito animada, com insufláveis, dança, pinturas faciais e animação musical.

No dia 27, realiza-se a “Festa dos Idosos”, com o apoio dos comerciantes do Mercado, num momento de partilha, com animação musical à mistura.

A encerrar esta programação e a fechar o ano de 2017 em beleza, no dia 31 de dezembro a boa disposição vai invadir a Praça do Comércio, com a “Festa de Passagem de Ano”.

DSC00137.jpg

DSC00140.jpg

VIANA DO CASTELO REALIZA WORKSHOP AGRICULTURA BIOLÓGICA E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL

Museu das Artes Decorativas

A Agrobio, Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, vai estar em Viana do Castelo, no Museu das Artes Decorativas, no próximo dia 5 de Janeiro com o Workshop “Agricultura Biológica e Desenvolvimento Rural Sustentável”. A iniciativa acontece numa parceria com o Município de Viana Castelo que demonstra grande disponibilidade para a divulgação do setor na região.

O Workshop “Agricultura Biológica e o Desenvolvimento Rural Sustentável” acontece no âmbito da Campanha + Bio e tem como propósito levar os participantes a entenderem o caminho para a conversão em Agricultura Biológica, o impacto desta no meioambiente, as possibilidades da política agrária comum para o desenvolvimento de uma ruralidade sustentável e a aprendizagem direta com um produtor Bio em diferente áreas de produção.

A Naturena estará presente para testemunhar a experiência da produção biológica assim como um conceito multidisciplinar que envolve a agricultura biológica e diferentes áreas tais como saúde, turismo, entre outros.   Este Workshop estará em digressão pelo país, em parceria com diferentes municípios e diferentes instituições: Quercus, DRAP, Bolsa de Terras e diferentes produtores. A iniciativa insere-se na Campanha + Bio, cofinanciada pela comissão europeia.

Folheto Wsdesenvolvimentoruralvcastelo850px.jpg

CERVEIRA DESTACA-SE NO RANKING DAS ESCOLAS

Ranking das Escolas: Escola Básica e Secundária de Vila Nova de Cerveira com evolução positiva

O Município de Vila Nova de Cerveira congratula o Agrupamento de Escolas do concelho, com especial ênfase na Escola Básica e Secundária, pelos excelentes resultados alcançados no Ranking de Escolas 2015/2016. Destaque para a 12ª melhor média nacional a Português, num universo de 639 escolas.

IMG_8731.JPG

De acordo com Ranking das Escolas do Ensino Secundáriopublicado pelo Jornal Público, a Escola Básica e Secundária de Vila Nova de Cerveira apresenta uma média dos oito exames nacionais de 11.01, verificando-se uma evolução positiva comparativamente ao ano passado (10.18). Para este resultado, em muito contribuiu a 12ª posição registada na média nacional do exame de Português, num total de 639 escolas, o 40º lugar em História A, em 626 escolas, eo 41º lugar em Biologia e Geologia, de entre 702 escolas.

Os resultados das oito disciplinas sujeitas a exame nacional colocam a Escola Básica e Secundária de Vila Nova de Cerveira em 130º, no conjuntodas escolas do país (das 590 avaliadas pelo Jornal Público), quando em 2015 ocupava a 360ª posição. Mas, se a esta lista retirarmos 102 instituições de ensino privado, a escola cerveirense surge em 66º de 488 estabelecimentos de ensino público.

Fazendo uma análise distrital, o concelho de Vila Nova de Cerveira é o terceiro do Alto Minho a figurar no mapa de escolas públicas bem posicionadas no ranking 2015/2016, atrás de Viana do Castelo e de Ponte de Lima. Ao nível de escolas, a Escola Básica e Secundária de Vila Nova de Cerveiraafirma-se como a sexta melhor escola pública do distrito, num total de 16.

Perante esta avaliação, a autarquia cerveirense diz-se manifestamente reconfortada porque o investimento na Educação traduz-se, na prática, na obtenção de bons resultados, que só são possíveis conjugando a aposta, o empenho e a parceria de várias entidades, nomeadamente a Direção do Agrupamento, Corpo Docente, Alunos, Associações de Pais e Encarregados de Educação, Autarquia e outras Instituições.

“Estes bons indicadores comprovam que a formação dos jovens cerveirenses está bem entregue”, assegura a Vereadora com o pelouro da Educação, Aurora Viães.

FAMALICÃO AMPLIA CEMITÉRIO DE GAVIÃO

Concluída a 1.ª fase das obras de alargamento e modernização do cemitério de Gavião. Paulo Cunha participou na cerimónia

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, esteve, este domingo, na cerimónia da bênção do cemitério de Gavião.

AFS_8202.jpg

Com a primeira fase das obras concluída, o autarca lembrou  que se trata de “uma intervenção complexa, que precisou de algum tempo para ser concluída”. Paulo Cunha salientou que “o mais difícil foi conseguir arranjar o espaço necessário para fazer a obra”, acrescentando que foi “com satisfação que chegamos até aqui, com o apoio e interajuda de várias instituições e forças vivas da freguesia”. Neste âmbito, salientou “o papel relevante da Junta de Freguesia”.

“Está cumprida uma ambição desta comunidade”, referiu ainda, lembrando o objetivo principal destas obras: “honrar a memória de quem parte e dar condições às populações para viver esses momentos com dignidade”.

Também o presidente da Junta de Freguesia de Gavião, Joaquim Rodrigues, se mostrou satisfeito com a conclusão desta primeira fase. “Esta é uma obra que deve ser aumentada, é a primeira etapa de um grande projeto”, disse, sublinhando que com esta intervenção “estão criadas as respostas para as próximas gerações”.

Refira-se que as obras de requalificação do cemitério de Gavião inserem-se no âmbito do Plano Municipal de Alargamento e Modernização dos Cemitérios e contou com um investimento municipal de cerca de 30 mil euros.

Para Paulo Cunha o objetivo deste Plano é dar resposta a uma das necessidades mais prementes das populações destas freguesias. "É fundamental dar essa dignidade aos cidadãos e honrar a memória dos que partiram”, refere.

AFS_8214.jpg

MUNICÍPIO ARCUENSE REFORÇA SOLIDARIEDADE

Câmara Municipal amiga das famílias: O Município, atento às dificuldades das famílias e jovens do concelho reforçou um conjunto de medidas de apoio social e que contemplam uma solidariedade mais efetiva.

A Câmara aprovou o IMI familiar, ou seja, todas as reduções de taxas do imposto municipal sobre imóveis que vigorarão no ano de 2017, a aplicar ao prédio ou parte de prédio dos sujeitos passivos com dependentes a cargo, sendo que com um dependente a cargo a dedução será fixa em 20€; com dois em 40€ e com 3 ou mais em 70€.

IMG_3917.JPG

Também aprovou a redução de 50% da taxa de ligação de água e saneamento.

Os jovens continuam a usufruir da isenção de IMT nas aquisições de casas e também foi aprovada a fixação das taxas para liquidação e cobrança,bem como, do IMI em 0,35% para os prédios urbanos avaliados.

Procurando contribuir para a fixação de jovens, a Câmara está a reabilitar um edifício para 4 apartamentos, destinada ao arrendamento jovem.

Ao nível do apoio habitacional para famílias carenciadas tem promovido e irá continuar a apostar, na melhoria das condições de habitabilidade através da recuperação de casas próprias ou realojamento em habitação social.

Ainda ao nível da melhoria das condições de vida das famílias mais necessitadas, o Município tem apostado também num conjunto de medidas que passam pelo pagamento de dívidas de rendas de casa, água, e bens de primeira necessidade.

A educação também tem sido uma prioridade do Município, que tem promovidoações de promoção do sucesso escolar das nossas crianças e jovens. Exemplo disso, é o incremento de todos dos apoios aio nível da ação social escolar, ou seja, reforço do apoio nas refeições escolares e nos transportes escolares, designadamente ao nível do pré-escolar;o apoio aos alunos do ensino básico na atribuição gratuita de livros e fichas de trabalho; a realização de atividades de enriquecimento curricular (AEC`s) com oferta de material didático; o reforço da componente de apoio à família para o pré-escolar nomeadamente através do prolongamento do horário; a atribuição de bolsas de estudo aos alunos do Ensino Superior ea promoção da mobilidade e intercâmbio juvenil.

A Câmara também aderiu ao Cartão Jovem Municipal, dirigido aos jovens residentes no concelho, com idade entre os 12 e os 29 anos (inclusive) que concede várias vantagens ao nível da aquisição de bilhetes para espetáculos na Casa das Artes e outros equipamentos municipais.

De referir que também foi celebrado um protocolo com a Associação de Pais e Encarregados de Educação visando a redução de 30% na utilização da Piscina Municipal.

Ao nível da população sénioro Município, desenvolveu um Plano Municipal do Idoso que comtempla um conjunto de ações, as quais se iniciaram em 2015 e se prologam até 2017. De entre essa atividades, destaca-se a promoção do exercício físico, através do projeto “Séniores + Ativos”,OlimpíadasSéniores, caminhadas e passeios culturais; a promoção do convívio e lazer, através da realização do Festival Sénior e, ainda, a promoção da mobilidade e conforto habitacional, através da  a eliminação de barreiras arquitetónicas nos espaços públicos e nos domicílios.

Em 2017 será criada a Comissão de Apoio à População Idosa, a qual terá como principal missão a intervenção junto de idosos em situação de vulnerabilidade social.

O Município também tem dado particular atenção às pessoas com deficiência, através da promoção de políticas e ações, que se traduzem em respostas facilitadoras da sua inclusão social, tais como, acessibilidade e mobilidade e integração em respostas sociais.

Ao nível das acessibilidades o Município investiu, na eliminação de barreiras arquitetónicas em habitações de pessoas com deficiência, as quais, permitiram uma melhoria da sua qualidade de vida e do seu conforto habitacional e ao nível da mobilidade, tem investido em transportes para a frequência nas respostas sociais que mais se adequam ás suas necessidades.

Estas medidas beneficiam centenas de famílias no nosso concelho e ajudam a criar condições que promovam o desenvolvimento económico e social de Arcos de Valdevez, aliviando particularmente a carga fiscal sobre as famílias, um sinal concreto de sensibilidade social e política. Contribuem também para o aumento das disponibilidades do orçamento familiar dos arcuenses e para o fortalecimentoda intervenção social, cultural, recreativa e desportiva no Concelho.

dia_mundial_da_criança_2015_10.jpg

festival_senior_2016 (10).JPG

imagem_casa_arendamento_jovem.jpg

CARLOS MOEDAS MOSTRA-SE ENTUSIASMADO COM CENTRO DE COMPETÊNCIAS EM FAMALICÃO PARA O AGROALIMENTAR

“É das melhores ideias que eu já vi e assumo ser seu embaixador"

“Em termos europeus, esta é uma das melhores ideias que eu já vi e pode ter muito futuro”. A frase do Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, diz respeito ao Centro de Competências do Agroalimentar para o Setor das Carnes que está a ser desenvolvido a partir de Vila Nova de Famalicão e foi proferida na abertura do Roteiro da Ciência que está a decorrer hoje e amanhã no Minho, com particular incidência em Vila Nova de Famalicão, Braga e Guimarães.

AFS_9680.jpg

O Roteiro da Ciência consiste na visita de Carlos Moedas às cidades portuguesas mais inovadoras e ativas na produção científica de excelência e o facto de ter encontrado em Famalicão um projeto de conhecimento para o agroalimentar que envolve a autarquia, universidades, centros de investigação, empresários e suas associações representativas, foi “uma boa forma de começar esta jornada”. “Fico contente por saber que vou ter aqui um parceiro para o sector do agroalimentar, que é  uma das quatro áreas que definimos como prioritárias no nossa política de ciência para a Europa”, salientou o Comissário Europeu.

Para além do presidente da Câmara Municipal e do Comissário Europeu e dos empresários famalicenses ligados ao setor das carnes, marcaram presença na cerimónia o presidente da CCDR-N – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, os reitores das Universidades do Minho, do Porto e de Trás os Montes e Alto Douro, os Eurodeputados Nuno Melo e José Manuel Fernandes, e o presidente da Agência Nacional para a Inovação, José Carlos Caldeira, entre outros responsáveis.

“É importante que estejamos unidos na defesa da ciência e do conhecimento e este é um dos temas que mais desafios vai conhecer nos próximos 10 anos.” Por isso, Carlos Moedas assume, desde já, a sua disponibilidade em servir como embaixador deste projeto na Europa e para trabalhar com o presidente da Câmara Municipal na obtenção de fundos. “Tenho muita esperança que possamos ter aqui um projeto de excelência”, concluiu.

As palavras de Carlos Moedas agradaram naturalmente ao autarca famalicense, convicto que “o sucesso deste Centro de Competências será uma fantástica notícia para o país”. Paulo Cunha lembrou não existir  nenhum outro concelho de Portugal onde esta infraestrutura tenha mais cabimento, dada a tão grande concertação de empresas do setor das carnes que abrangem toda a fileira do sector: investigação, abate, transformação e comercialização. Para além disso, o autarca salientou a bem sucedida experiência do CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, “que foi responsável pela modernização e inovação do têxtil no país, como um trunfo maior do concelho pela dinâmica, experiência e  força já existente à volta da investigação e da interligação entre empresas, centros de investigação e escolas”.

Recorde-se  o setor agroalimentar é identificado como prioritário na agenda do plano estratégico concelhio, perante o carácter distintivo do conhecimento, do saber-fazer resultante de uma longa tradição histórica e empreendedora no concelho e da forte presença de inúmeras empresas do setor no mercado nacional e internacional.

Vila Nova de Famalicão quer assim reforçar o seu posicionamento como epicentro regional de base altamente tecnológica e inovadora na área do têxtil e do vestuário, e colocar-se no mesmo patamar no âmbito do setor agroalimentar. Para isso, ao CITEVE e ao CENTI a Câmara Municipal está a juntar em Famalicão um Centro de Competências Agroalimentar. Este passo está devidamente alicerçado na existência no território de um conjunto de empresas altamente competitivas e tecnologicamente avançadas que fazem já de Famalicão um dos mais relevantes municípios neste setor e com as quais o município está devidamente articulado.

AFS_9393.jpg

FILHOS DOS COLABORADORES DO MUNICÍPIO DE AMARES FESTEJAM O NATAL

O Parque Aventura Diver Lanhoso foi o local escolhido para acolher a Festa de Natal dos filhos dos colaboradores do Município de Amares, que viveram no passado sábado um dia muito divertido e especial.

Entre sorrisos e brincadeiras, o tão esperado Pai Natal e o executivo municipal brindaram os mais novos com presentes natalícios, fazendo as delícias de todos.

À semelhança do que tem vindo a acontecer, anualmente, esta festa foi organizada pela Associação de Funcionários da Câmara Municipal de Amares, a quem o executivo municipal deixa uma palavra de reconhecimento pelo bonito momento proporcionado.

IMG_8488.JPG

IMG_8501.JPG

IMG_8521.JPG

MUNICÍPIO DE GUIMARÃES PROMOVE FESTA DE NATAL COM IDOSOS DE INSTITUIÇÕES DO CONCELHO

ESTA TERÇA-FEIRA, 20 DEZEMBRO, NO MULTIUSOS

Evento natalício reunirá 27 instituições de âmbito social de Guimarães. Mais de 700 pessoas são aguardadas no Multiusos.

Guimaraes_Festa_Natal.JPG

A Divisão de Ação Social da Câmara Municipal de Guimarães e a cooperativa Fraterna organizam esta terça-feira, 20 de dezembro, uma festa de Natal que vai reunir no Multiusos de Guimarães mais de sete centenas de idosos pertencentes a 27 instituições de Terceira Idade do concelho. 

O evento principia às 14:30 horas, com uma intervenção do Presidente do Município, Domingos Bragança, seguindo-se um programa onde prevalecem momentos alusivos à quadra natalícia. Os Rufos de S. José, do Centro Juvenil de S. José, e a Tuna da UNAGUI – Universidade do Autodidacta e da Terceira Idade de Guimarães são os grupos musicais encarregues de animar a tarde desta terça-feira. 

Com o apoio da cooperativa Tempo Livre, a iniciativa, que tem igualmente com a colaboração do Centro Juvenil S. José, Lar de Infância e Juventude e UNAGUI, tem hora de encerramento previsto para as 17 horas com uma intervenção da vereadora da Ação Social da Autarquia, Paula Oliveira.

INSTITUIÇÕES PARTICIPANTES

Camélia Hotel Sénior & Homes

Casa de Caldelas

Casa do Povo de Briteiros

Casa Povo de Creixomil

Casa Povo Fermentões

Centro Comunitário de Solidariedade e Integração Social de Tabuadelo

Centro Comunitário Paroquial de Gondar

Centro Social Brito Centro Social D. Manuel Monteiro de Castro

Centro Social da Irmandade de S. Torcato

Centro Social Padre Manuel Joaquim de Sousa

Centro Social da Paróquia de Polvoreira

Centro Social e Paroquial de S. Cristóvão de Selho

Centro Social e Paroquial Mascotelos – Santiago

Centro Social e Paroquial Nossa Senhora da Conceição

Centro Social Nossa Senhora do Carmo

Centro Social Paroquial de Ronfe

Centro Social Recreativo e Cultural de Campelos

Encontro de Saberes Fraterna

Fundação Casa do Paço

Lar Beneficente de S. Jorge

Lar de Santo António Real Irmandade de Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos

Santa Casa da Misericórdia de Guimarães

Venerável Ordem Terceira de S. Domingos

Venerável Ordem Terceira de S. Francisco

CELORICO DE BASTO APRESENTA AS MAIS BELAS MÚSICAS DE NATAL

Os Coros de Natal do Celorico a Mexer, uma das atividades de Natal que conta com os idosos como protagonistas, decorreram, na sexta- feira, 16 de dezembro, no cineteatro dos Bombeiros Voluntários Celoricenses. Pelo palco passaram as mais belas músicas de Natal cantadas melodiosamente pelos idosos que integram o programa.

_DSC7376 (1).jpg

“Os Coros de Natal do Celorico a Mexer apresentam-se como mais um momento de convívio entre os idosos do nosso concelho. Trata-se de uma ação recorrente que procura valorizar sempre e cada vez mais estes “jovens”. De facto, este Município desenvolve ao longo do mês de dezembro uma série de iniciativas voltadas para a quadra natalícia. Promovemos eventos direcionados a todas as faixas etárias” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva.

Pelo palco do cineteatro passaram 13 canções de Natal ensaiadas nos locais de animação pelos professores de educação musical e pelos animadores. A coordenadora dos Serviços de Ação Social e Saúde do Município, Helena Martinho, fez questão de salientar a importância destes mecanismos de pertença numa altura tão sensível como o Natal. “Vê-los assim felizes, integrados, a cantar com alma e coração, a serem os protagonistas desta festa dá-nos a certeza que estamos a ir no caminho certo. Hoje, tivemos 13 grupos a subir ao palco mas poderíamos ter 15 ou 20, mas é a necessidade de fazerem coisas em conjunto que mais sobressai e se eles gostam de trabalhar uns com outros grupos, nós só temos que incentivar e arranjar mecanismos para que isso seja possível”.

De facto, a maioria dos coros eram compostos por mais do que um grupo que preferiram ensaiar a música em conjunto. Pelo palco passou a música “Linda Noite”, “Alegrem-se os Céus e a Terra”, “Nasceu Jesus”, “Já Nasceu”, “É Natal de Jesus”, “Ó Luz de Deus”, “É Natal é Natal”, “Vamos ao Presépio”, “Cantemos à porfia”, “É Natal”, “Natal de Boas Festas”, “Natal” e por fim, “o Menino do Tambor”.

O cineteatro encheu para assistir aos Coros de Natal do Celorico a Mexer.

_DSC7272.jpg

_DSC7316.jpg

_DSC7332.jpg

_DSC7345.jpg

BOLETIM MUNICIPAL DE FAMALICÃO DESTACA ONDA GIGANTE DE INVESTIMENTOS NO CONCELHO

Publicação é distribuída gratuitamente a partir de amanhã em Vila Nova de Famalicão

O Orçamento Municipal para 2017 e a enorme frente de investimentos estruturantes previstos para o próximo ano são o grande destaque da nova edição do Boletim Municipal de Vila Nova de Famalicão que a Câmara Municipal começa a distribuir nos próximos dias.

AFS_9731.jpg

A aposta na água e no saneamento, na melhoria das vias de comunicação e na modernização e requalificação do parque escolar do concelho são apenas alguns exemplos destas novas frentes de trabalho que vão trazer mais e melhor qualidade de vida aos famalicenses e que estão agora “em foco” na edição de dezembro do Boletim Municipal, onde constam ainda conteúdos informativos referentes aos vários domínios da ação autárquica, desde o desporto à cultura, do empreendedorismo às freguesias, entre outras.

Conforme refere o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no editorial que abre a publicação, “esta edição do Boletim Municipal é um bom reflexo da dinâmica transversal e pluridisciplinar que atravessa todo o concelho”

“Em 2017 manteremos a ambição e o rigor que nos são característicos. Será, pois, um ano de mais afirmação territorial, de mais obra infraestrutural, de mais dinâmica multidisciplinar. Queremos que Vila Nova de Famalicão seja cada vez mais um município que orgulhe os famalicenses e que cada vez mais seja fonte de atração de mais pessoas e de novos investimentos”, acrescenta o edil.

Refira-se que o Boletim Municipal é um dos meios de comunicação utilizados pela autarquia para manter os famalicenses informados sobre as várias dinâmicas que acontecem diariamente no município. Com uma tiragem de 20 mil exemplares, é distribuído gratuitamente, de forma não endereçada, no território concelhio. Quem não o receber em casa, pode facilmente levantar um exemplar nos diversos organismos municipais dispersos pelas freguesias do concelho e inclusivamente nas próprias Juntas de Freguesia.

O Boletim Municipal pode também ser consultado a partir de hoje no portal do município em www.vilanovadefamalicao.org.

CENTENAS DE PESSOAS PARTICIPARAM NA SÃO SILVESTRE DE AMARES APADRINHADA POR TELMA MONTEIRO

“Eu, tu, nós, juntos corremos Amares” serviu de mote à São Silvestre de Amares. A prova disputou-se ontem, ao final da tarde, com centenas de participantes (cerca de 1400) a vencerem as baixas temperaturas e aventurarem-se entre as distâncias de 12 km (corrida) e 6 km (caminhada). Jorge Santa Cruz, em masculinos e Sara Carvalho, em femininos, venceram a IV edição desta prova, abrilhantada pela presença de Telma Monteiro.

DSC00157.JPG

Uma plateia numerosa assistiu à partida e à chegada na Praça do Comércio, em Ferreiros, encorajando e aplaudindo os atletas, que correram os 12 km, em duas passagens de 6 km, pelas freguesias de Ferreiros, Prozelo e Besteiros, Amares e Figueiredo, bem como, os participantes da caminhada.

No final da corrida, o presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, que também se aventurou na distância de 12 km, congratulou-se com o sucesso desta prova que, pelo quarto ano consecutivo, reverteu parte da receita a favor da Cruz Vermelha de Amares e dos Bombeiros Voluntários de Amares. “Foi uma prova muito participada o que me deixa muito orgulhoso. O percurso era duro mas penso que para atletas bem preparados nada mete medo e a prova disso são os cerca de 1400 participantes que aqui se juntaram”, começou por referir Manuel Moreira.

“Espero que para o ano se repita ainda com mais gente. Esta prova começa a estar já bastante vincada no panorama do distrito de e estou convencido que daqui a meia dúzia de anos alcançaremos as 2000 participantes, o que é muito bom para a dimensão do nosso concelho”, sublinhou o autarca.

Quanto aos vencedores, Jorge Santa Cruz repetiu a proeza das duas últimas edições, alcançando a vitória na corrida de 12 quilómetros, no tempo de 39.17m. Na segunda posição ficou Bruno Carvalho e Rui Gonçalves cortou a meta em terceiro lugar.
Já na categoria feminina, a vitória coube a Sara Carvalho, com o tempo de 46.8m. Na segunda posição ficou Marlene Borges e na terceira Daniela Alves.

Numa organização conjunta entre o ginásio Pro Energy, o Município de Amares e a Pimentel Soluções Publicidade, a edição deste ano da São Silvestre de Amares contou com o ISAVE como patrocinador oficial.

CAMINHA CONCLUI PROPOSTA DE REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL

Documento será votado em reunião do Executivo

A proposta de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) vai estar em cima da mesa na próxima reunião do Executivo, que decorrerá esta quarta-feira, dia 21 de dezembro, pelas 15h00, no edifício dos Paços do Concelho. O presidente da Câmara vai propor aprovar a submissão do documento à Assembleia Municipal, dando-se assim um passo decisivo para que o território de Caminha possa ter finalmente um instrumento de planeamento adequado e ajustado à realidade e que virá substituir um PDM “velho”, com mais de duas décadas, que devia ter sido revisto há 11 anos.

O PDM é, como referimos um instrumento de planeamento /ordenamento territorial de natureza regulamentar, verdadeiramente estratégico, que vincula a administração e os particulares, cuja elaboração é obrigatória e da responsabilidade do Município. No documento define-se um modelo de organização espacial do território municipal.

Recorde-se que o PDM de Caminha estavaem revisão desde fevereiro de 2006, tendo este Executivo assumido o assunto como uma prioridade, estabelecendo-se que a conclusão da revisão do PDM seria um dos objetivos a cumprir ainda neste mandato.

O atual PDM, aprovado em 1995, com 21 anos, está desajustado da realidade, com graves lacunas técnicas e politicamente desajustado dos tempos presentes. O processo de revisão foi desenvolvido em diálogo com as freguesias, tendo a Câmara promovido reuniões com todas as Juntas de Freguesia, ao longo de vários meses. Foram ainda realizadas duas sessões de esclarecimento no âmbito do processo, em Caminha e Vila Praia de Âncora, durante a fase de discussão pública. Nestas sessões, abertas ao público, participou toda a equipa técnica que tomou parte na elaboração do PDM e que foi coordenada pelo vice-presidente do Município, Guilherme Lagido, que esteve também presente nos dois momentos.

A proposta do Plano Diretor Municipal cria todas as condições para que o concelho possa crescer, até de forma substancial, mas sem comprometer os requisitos que garantem a qualidade de vida e a sustentabilidade do território de Caminha.A Câmara optou por uma equipa técnica interna, coordenada pelo vice-presidente, Guilherme Lagido, profundo conhecedor deste tipo de processos.

Na reunião de quarta-feira integrarão ainda a ordem de trabalhos três importantes protocolos: Protocolo de cooperação entre as Infraestruturas de Portugal, S.A. e o Município de Caminha para a construção de passagem inferior pedonal na Travessa do Teatro em Vila Praia de Âncora;Protocolo entre a Câmara Municipal de Caminha e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora para a utilização do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e Protocolo de cooperação entre o Município de Caminha e a Autoridade Tributária e Aduaneira para a definição dos termos e amplitude da cooperação no âmbito da liquidação e arrecadação dos tributos cujo produto constitua receita própria das autarquias.

O Executivo vai ainda pronunciar-se sobre a proposta de avaliação do desempenho para o biénio 2017/2018 – objetivos estratégicos para o ano 2017 e de concurso público para arrendamento de um espaço destinado à instalação de um estabelecimento comercial – loja número 3 – sito nas Piscinas Municipais de Vila Praia de Âncora, entre outros assuntos.

CASA DO CONCELHO DE PONTE DE LIMA: QUE FUTURO?

Trinta anos após a sua constituição, a Casa de Ponte de Lima está à beira do seu desaparecimento

Dentro de pouco mais de um mês, passam precisamente 30 anos sobre a data da fundação, em Lisboa, da Casa do Concelho de Ponte de Lima. Na tarde do dia 2 de Fevereiro, um grupo de nove limianos celebrou no 21º Cartório Notarial de Lisboa a escritura de constituição daquela associação regionalista.

img293

A obstinada recusa por parte da Casa do Minho em aceitar a constituição de um núcleo de limianos nas suas estruturas foi determinante para o surgimento da Casa do Concelho de Ponte de Lima. Em 1986, o autor destas linhas viu-se coagido a abandonar o cargo de vogal da Direcção daquela entidade para, com o apoio incondicional do então presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Dr. Francisco Maia de Abreu de Lima, dar início ao processo de constituição da Casa de Ponte de Lima. A publicação em diversos jornais do Minho de uma “Carta Aberta aos Minhotos que Residem em Lisboa” veio desfazer mitos e despertar consciências para uma nova realidade.

A Casa do Concelho de Ponte de Lima nasceu, pois, da vontade expressa dos limianos que residem em Lisboa em constituir uma associação que os congregasse e, através da qual, pudessem divulgar e promover as potencialidades do Concelho de Ponte de Lima.

578087_442609552486230_1187675705_n

Com efeito, dois meses antes, decorreu nos arredores de Lisboa um almoço de confraternização – o 2º Almoço Limiano – durante o qual foi realizado um inquérito escrito no qual todos os presentes foram convidados a manifestar a sua opinião acerca da criação de uma associação regionalista. À falta de outra entidade que representasse o Concelho de Ponte de Lima e reunisse à sua volta os limianos, todos os presentes se manifestaram positivamente por essa iniciativa.

Caracterizou-se a primeira década da sua existência por uma fase de imparável crescimento que teve o seu auge entre os anos 1994 e 1997, com uma vasta e diversificada programação cultural que entre outras iniciativas incluiu a realização de conferências, edições em livro e, sobretudo, as quatro edições da “Festa de Portugal” que atraíram ao Pavilhão Carlos Lopes e ao Parque Eduardo VII milhares de pessoas para assistir anualmente a perto de duas dezenas de representações da cultura popular das mais diversas regiões do país.

7129174_68ZMd

A partir de então, a actividade parou de crescer, virando-se cada vez mais para dentro, acabando por entrar numa fase de acentuado declínio, jamais contrariado até ao presente. Desde há vários anos que mais se assemelha a uma taberna do que propriamente a uma verdadeira casa regional. Todas as iniciativas que deram notoriedade ao regionalismo limiano – incluindo os almoços limianos! – deixaram de realizar-se e, aos poucos, os sócios foram deixando de acompanhar as suas actividades.

O relacionamento com as casas regionais congéneres degradou-se e a sua preponderância no movimento regionalista apagou-se. Resta a arrogância pela qual são os seus actuais responsáveis reconhecidos pela comunidade minhota em geral!

Em desespero, os próprios estatutos foram alterados para permitir que elementos estranhos a Ponte de Lima pudessem assumir as responsabilidades directivas reservadas aos limianos. E, por fim, passou a servir objectivos estranhos ao próprio concelho de Ponte de Lima.

Por outras palavras, a Casa do Concelho de Ponte de Lima já não observa a natureza e fins para que foi criada, apesar de se encontrarem consagrados nos seus próprios estatutos.

img693

No que às suas instalações diz respeito, decorridas três décadas desde a sua fundação, a Casa de Ponte de Lima debate-se com um problema que, apesar de previsível, a sua resolução foi negligenciada pelas sucessivas direcções: o prolongamento do “corredor verde” que liga o Parque Eduardo VII ao Parque Florestal do Monsanto vai implicar a requalificação da área da rua de Campolide onde a sua sede social se encontra instalada.

Para além das demolições já efectuadas – as quais não incluíram ainda as instalações da Casa de Ponte de Lima porque estas servirão de apoio à empresa e aos seus trabalhadores enquanto as obras durarem – os trabalhos deverão arrancar em força já no começo do próximo ano e ficarem concluídos até à realização das próximas eleições autárquicas.

Trata-se da execução do projecto concebido pelo arquitecto Gonçalo Ribeiro Teles que já era do conhecimento dos fundadores e da primeira Direcção desde 1987, incluindo o destino das instalações cedidas pela Câmara Municipal de Lisboa à Casa do Concelho de Ponte de Lima.

Em meados da década de 90, iniciaram-se os contactos com a autarquia lisboeta a fim de atempadamente se encontrar uma solução de futuro para a Casa de Ponte de Lima que previa a construção de novas instalações, na expectativa também da expansão das suas próprias actividades. Tais contactos foram suspensos em consequência de uma atitude infeliz do então presidente da Direcção que comprometeu o apoio que estava a ser dispensado pela Junta de Freguesia de Campolide. E, desde então, nunca mais se reiniciaram os contactos, passando as sucessivas direcções a abrir a porta com a mesma despreocupação de quem está convencido de que a situação se iria manter por tempo indeterminado… até à chegada das escavadoras!

DSCF1793 ccpl-grafiti (7).JPG

A situação em que actualmente se encontra a Casa do Concelho de Ponte de Lima exige uma rápida resolução do problema das suas instalações. Não será certamente a mais desejável uma vez que a solução terá em linha de conta as suas reais necessidades mas é seguramente a que viabilizará a continuação das suas actividades, sob pena de ficar condenada à sua extinção.

Mas, numa altura em que esta Instituição regionalista mais precisa do empenho de todos, a começar pelos seus responsáveis, estes preferem enterrar a cabeça na areia e enganar os seus associados acerca do destino que está traçado para as instalações, procurando da frontalidade com que retratamos a situação fazer o bode expiatório dos seus falhanços e incompetência. Como se fossem os fundadores e não eles próprios, que pelos sócios foram eleitos para tomarem os destinos da associação, os responsáveis pelo seu próprio falhanço.

E, receando as tormentas que se avizinham, eis que os ratos começam a abandonar o navio!

Carlos Gomes

QUINTA DO SOALHEIRO APOSTA EM ALVARINHOS DE PERSONALIDADE FORTE

SOALHEIRO CLÁSSICO 2016 MOSTRA O ENORME POTENCIAL DA COLHEITA DESTE ANO

Elegância aromática e persistência de sabor são palavras chave no seu caráter

A Quinta de Soalheiro lança agora a versão 2016 do Soalheiro Clássico, um vinho elegante aromaticamente e persistente de sabor. Perfeita como a colheita anterior, contudo diferente, a colheita 2016 é mais elegante e de álcool mais moderado, os aromas são citrinos e tropicais, destacando-se o sabor pela enorme persistência. ‘Não é habitual ter duas colheitas perfeitas seguidas, 2015 foi excecional e 2016 segue pelo mesmo caminho...’ afirmam os produtores da primeira marca de Alvarinho de Melgaço.

image002soalhe (1).jpg

SOALHEIRO CLÁSSICO 2016

As uvas de Alvarinho utilizadas no Soalheiro clássico são provenientes de diversas vinhas de pequena dimensão implantadas em solo de origem granítica entre os 100 e os 200 metros de altitude e localizadas em microclima muito particular. Exclusivamente da casta Alvarinho, são colhidas manualmente em caixas de pequena capacidade e transportadas para a adega num curto espaço de tempo. Após a prensagem, o mosto obtido decanta durante 48 horas, segue-se a fermentação, a temperatura controlada, usando leveduras pré-selecionadas para o efeito. O engarrafamento efetua-se após a estabilização do vinho, sendo seguido de um estágio em garrafa. A vinificação do Alvarinho Soalheiro está direcionada para obter um vinho que concentre a qualidade das uvas e permita uma boa evolução após o engarrafamento.

O Soalheiro Clássico 2016 tem uma personalidade forte, cor amarela citrina e aroma com perfil elegante e tropical com notas minerais.

Sugestão Gastronómica:

Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves.

DIAS QUENTES E NOITES FRIAS PERMITEM A MANUTENÇÃO DE

AROMAS FRESCOS E FRUTADOS COM UMA ACIDEZ PRESENTE, MAS MODERADA

Melgaço, a região mais norte de Portugal, está protegida por um conjunto de serras que permitem um casamento perfeito entre a pluviosidade, a temperatura e o número de horas de sol necessários à melhor maturação das uvas da casta Alvarinho. A precipitação no inverno foi baixa e inferior à média. Em janeiro a precipitação aumentou e foi muito elevada com temperatura média do ar também mais elevada que o habitual. Globalmente, o inverno foi quente, o que induziu um abrolhamento ligeiramente precoce com rebentação regular. A primavera foi chuvosa e fria essencialmente nos meses de março, abril e maio, o que induziu irregularidade e atraso no ciclo vegetativo. A floração ocorreu com o atraso de cerca de duas semanas e diminui o vingamento, permitindo uma melhor repartição da produção em cada videira com o consequente incremento de qualidade. A partir de junho, a precipitação diminuiu drasticamente e as temperaturas médias subiram. Os meses de julho e agosto foram quentes e muito secos, com temperaturas médias elevadas e praticamente com ausência de precipitação. O setembro seguiu a mesma tendência contribuindo para uma vindima precoce, a começar na primeira semana, mostrando que o atraso verificado na Primavera tinha sido claramente recuperado. Esta caraterística climática durante a maturação está muitas vezes associada ao microclima de Monção e Melgaço, que alterna dias quentes com noites frias, permitindo a manutenção de aromas frescos e frutados com uma acidez presente, mas moderada, bem ao estilo que definimos para o Soalheiro.

SOALHEIRO CLÁSSICO 2016

As uvas de Alvarinho utilizadas no Soalheiro clássico são provenientes de diversas vinhas de pequena dimensão implantadas em solo de origem granítica entre os 100 e os 200 metros de altitude e localizadas em microclima muito particular. Exclusivamente da casta Alvarinho, são colhidas manualmente em caixas de pequena capacidade e transportadas para a adega num curto espaço de tempo. Após a prensagem, o mosto obtido decanta durante 48 horas, segue-se a fermentação, a temperatura controlada, usando leveduras pré-selecionadas para o efeito. O engarrafamento efetua-se após a estabilização do vinho, sendo seguido de um estágio em garrafa. A vinificação do Alvarinho Soalheiro está direcionada para obter um vinho que concentre a qualidade das uvas e permita uma boa evolução após o engarrafamento.

 Soalheiro Clássico 2016 tem uma personalidade forte, cor amarela citrina e aroma com perfil elegante e tropical com notas minerais.

Sugestão Gastronómica:

Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves.

DIAS QUENTES E NOITES FRIAS PERMITEM A MANUTENÇÃO DE AROMAS FRESCOS E FRUTADOS COM UMA ACIDEZ PRESENTE, MAS MODERADA

Melgaço, a região mais norte de Portugal, está protegida por um conjunto de serras que permitem um casamento perfeito entre a pluviosidade, a temperatura e o número de horas de sol necessários à melhor maturação das uvas da casta Alvarinho. A precipitação no inverno foi baixa e inferior à média. Em janeiro a precipitação aumentou e foi muito elevada com temperatura média do ar também mais elevada que o habitual. Globalmente, o inverno foi quente, o que induziu um abrolhamento ligeiramente precoce com rebentação regular. A primavera foi chuvosa e fria essencialmente nos meses de março, abril e maio, o que induziu irregularidade e atraso no ciclo vegetativo. A floração ocorreu com o atraso de cerca de duas semanas e diminui o vingamento, permitindo uma melhor repartição da produção em cada videira com o consequente incremento de qualidade. A partir de junho, a precipitação diminuiu drasticamente e as temperaturas médias subiram. Os meses de julho e agosto foram quentes e muito secos, com temperaturas médias elevadas e praticamente com ausência de precipitação. O setembro seguiu a mesma tendência contribuindo para uma vindima precoce, a começar na primeira semana, mostrando que o atraso verificado na Primavera tinha sido claramente recuperado. Esta caraterística climática durante a maturação está muitas vezes associada ao microclima de Monção e Melgaço, que alterna dias quentes com noites frias, permitindo a manutenção de aromas frescos e frutados com uma acidez presente, mas moderada, bem ao estilo que definimos para o Soalheiro.

image002soalhe (2).jpg

VIZELA INCENTIVA HABITAÇÃO JOVEM

Espaço Jovem de Vizela apoia instrução de candidaturas ao Programa Porta 65 

O Espaço Jovem de Vizela está a apoiar a instrução de candidaturas ao programa Porta 65 –Jovem, que decorrem de 15 de dezembro a 10 de janeiro de 2017.

Teve início no dia 15 de dezembro, o novo período de candidaturas ao Programa Porta 65 Jovem, programa que apoia o arrendamento de habitação para residência permanente, tendo como beneficiários jovens com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 30 anos, jovens em coabitação, jovens casais ou em união de facto.

Os jovens interessados em apresentar candidatura, exclusivamente online, no período de 15 de dezembro (10:00) a 10 de janeiro de 2017 (18:00), poderão solicitar apoio (esclarecimento de dúvidas, articulação com o IDPJ, digitalização de documentos e submissão de candidatura) do Setor da Juventude da Câmara Municipal de Vizela.

Para tal poderão deslocar-se presencialmente às instalações do ESPAÇO JOVEM, sitas na Rua da Portela nº 25 1º Dto. 4815 - 648 Vizela  ou contactar o serviço através  dos números 253582300 / 253489630 ou ainda por correio eletrónico: juventude@cm-vizela.pt.

Importante:

Antes das candidaturas serem formalizadas os candidatos deverão:

- Confirmar se a morada de residência registada nas Finanças é a mesma da casa arrendada. Se não, deverão atualizá-la;

- Já ter a declaração de IRS relativa ao ano anterior a que diz respeito a candidatura entregue nas Finanças;

- Ter senha de acesso para entrega das declarações eletrónicas, obtida junto dos serviços das finanças ou através do site http://www.portaldasfinancas.gov.pt/

- Ter e-mail pessoal. 

CANDIDATURA DO ESTUÁRIO DO MINHO A PAISAGEM CULTURAL DA UNESCO JÁ FOI APRESENTADA AO GOVERNO PORTUGUÊS

Presidentes de Caminha e A Guarda reuniram com o ministro da Cultura

O presidente da Câmara de Caminha e o alcaide de A Guarda reuniram, no final da semana, em Lisboa, com o ministro da Cultura, Luís de Castro Mendes, para apresentar a candidatura “Estuário do Minho Caminha - A Guarda” a Paisagem Cultural da UNESCO. No encontro participaram também os dois peritos que estão a trabalhar com os municípios caminhense e galego. É mais uma importante etapa no sentido do reconhecimento mundial de um património comum.

foto 1sonsdov.jpg

 

“Foi com muita alegria e sentido de responsabilidade que apresentamos ao Governo português o trabalho que temos vindo a desenvolver no último ano para candidatar o estuário do Minho a Paisagem Cultural da UNESCO. Alegria porque estamos a meio de um percurso que honra o nosso concelho e a nossa região, a meio de uma ambição universal para a nossa terra e porque o Governo português soube acolher de forma muito calorosa o nosso trabalho e o nosso desejo. Responsabilidade porque sabemos que temos toda uma comunidade luso-galaica por trás, séculos de história e convivência e a expetativa de um povo comum que nos empurra para darmos voz universal ao nosso rio e à nossa cultura”, disse Miguel Alves.

“Entregue a candidatura junto do Governo de Portugal, cabe a este decidir, depois de ouvidas todas as instituições, se a nossa proposta tem mérito e deve ser colocada junto da lista indicativa da UNESCO. Temos um nervoso miudinho mas muita confiança de que Portugal e Espanha possam assumir esta candidatura que cremos ter todas as condições para sair vitoriosa”, explicou ainda o presidente da Câmara.

Da parte do ministro Luís de Castro Mendes foi reiterado que o Governo de Portugal vê com muito interesse e entusiasmo esta candidatura transfronteiriça sustentada em História, património e beleza natural.

Recorde-se que Miguel Alves e António Lomba Baz assumiram como objetivo comum dos dois municípios que representam a valorização do Estuário do Rio Minho, tendo assinado em finais de 2015, um memorando de entendimento com vista à candidatura do “Estuário do Minho Caminha - A Guarda” a Paisagem Cultural da UNESCO.

Miguel Alves e António Lomba Baz acreditam que a riqueza histórica, cultural, paisagística, ambiental, económica, etnográfica e humana desta zona comum são condições suficientes para o sucesso do projeto que então se iniciou e que se tornou possível graças às excelentes relações entre A Guarda e Caminha e ao espírito de colaboração.

De então para cá, muito trabalho foi realizado. Em março deste ano, os presidentes das câmaras de Caminha e de A Guarda assinaram um protocolo de colaboração com o Laboratório de Património e Turismo Cultural da Universidade de Barcelona e Ibertur - Rede do Património, Turismo de Desenvolvimento Sustentável, com vista ao desenvolvimento da candidatura.

Como é sabido, a Universidade de Barcelona é de facto o parceiro ideal para este projeto, uma vez que integra o grupo restrito de cinco universidades, a nível mundial, que têm convénio com o Centro de Património Mundial da UNESCO.

Entretanto os dois municípios realizaram já eventos em conjunto, nomeadamente de valorização do Caminho Português da Costa.

FESTIVAL SONS DO VEZ DISTINGUIDO PARA OS IBERIAN FESTIVAL AWARDS

Sons do Vez volta a ser nomeado para os Iberian Festival Awards

O Festival de música moderna Portuguesa Sons de Vez, que regressa em 2017 na sua 15ª edição, é um marco no panorama musical nacional e um momento de celebração da nova música portuguesa, nas suas várias sensibilidades e gerações; considerado “o primeiro festival do ano”, volta a ser nomeado pelo segundo ano consecutivo na categoria de Best Indoor e Best Small Festival, no âmbito dos Iberian Festival Awards, integrados em mais uma edição do Talk Fest, um fórum internacional sobre os festivais que decorrerá em 2017 nos dias 9 e 10 março em Lisboa e no dia 16 em Barcelona.

Esta escolha volta a atestar a qualidade deste festival levado a cabo pelo Municipio há já 15 anos, reafirmando que se trata de um projeto que tem trazido para Arcos de Valdevez e para todo Alto-Minho o que de melhor se faz na música Portuguesa, com música para todos os gostos e em formato intimista.

Os concertos decorrem na casa das Artes de Arcos de Valdevez, entre os meses de Fevereiro e Março de 2017.

Vote no Sons de Vez:

https://pt.surveymonkey.com/r/VJJY7DL

AMOR ELECTRO ACTUA PELA PRIMEIRA VEZ EM FAFE

Mercado de Natal animou o fim-de-semana em Fafe

Durante o fim-de-semana, foram vários os visitantes que passaram pela tenda gigante, onde está instalado o Mercado de Natal, no centro da cidade de Fafe.

DSA_2275.JPG

Durante o fim-de-semana, foram vários os visitantes que passaram pela tenda gigante, onde está instalado o Mercado de Natal, no centro da cidade de Fafe.

O espaço reúne dezasseis expositores, em representação de diferentes áreas de atividade, desde a gastronomia ao artesanato.

O Mercado é um espelho daquilo que se produz em Fafe, expondo produtos tradicionais e de comerciantes locais. No espaço, os visitantes podem comprar doces e guloseimas, compotas, vinhos, broa, bombons, artesanato e até sandes da famosa vitela assada à moda de Fafe, na banca da Confraria do produto gastronómico tão típico da região.

Durante todo o fim-de-semana, Fafe foi palco de animação natalícia, que relembrou a época festiva.

Na sexta-feira, na inauguração do Mercado de Natal , o Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, recordou que “o Mercado de Natal continua a ser uma aposta do Município e este ano conta com várias melhoras. Temos procurado, todos os anos, criar, alguma inovação, reforçar o espírito de atracção, na expectativa de que tenha impacto na economia local e receba vários visitantes.
Esta ideia da Fafe Cidade Natal vai já na terceira edição e está a dar passos muito positivos, atraindo visitantes a Fafe, dinamizando o comércio local e criando uma dinâmica interessante na cidade.”

No final da noite, a Orquestra e Coro da Academia de Música José Atalaya subiram ao palco para um fantástico espetáculo.

No sábado, a animação ficou a cargo das colectividades locais que aproveitaram para mostrar as suas atividades ao longo do ano. À noite, foi a vez do grupo Four Armil animar os muitos visitantes que por lá passaram.

Também no Teatro Cinema, o espetáculo foi garantido pelos Amor Electro que atuaram, pela primeira vez em Fafe, e arrebataram uma sala cheia.

Marisa Liz, vocalista da banda, deu o mote para um fantástico espetáculo, destacando os muitos músicos portugueses que passaram por aquela sala.

"Este é um teatro lindo, onde tantos músicos portugueses já passaram, os melhores do nosso país.

Tão bom que é ver Fafe a apoiar a música portuguesa. E tão bom que é ver famílias aqui todas juntas.

Obrigada por trazerem os vossos filhos, os vossos pais e amigos!

Obrigada por esta é energia e emoção!"

Durante mais de duas horas, os Amor Electro brindaram o público com os temas mais conhecidos da banda, e também aqueles com os quais deram os primeiros passos.

O dia de Domingo contou com o já habitual Desfile de Pais Natal pela cidade e, na tenda, com o Concerto da Orquestra de Fafe.

Relembre-se que para os próximos dias, segunda, terça e quarta-feira, estão programados encontros de Coros Natal no palco do Mercado, às 21h30.

A animação continua até 22 de Dezembro, com diversas actividades e um conjunto de expositores que mostram o que de melhor se faz em Fafe.

DSA_2310.JPG

DSA_2500.JPG

DSA_2675.JPG