Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MAGIA DO NATAL ILUMINA BRAGA

Luzes brilham até 16 de Janeiro

A partir desta Quarta-feira, 7 de Dezembro, e até 16 de Janeiro, Braga está embelezada com a luz, cor e alegria tão características desta época natalícia. A cerimónia de inauguração da iluminação decorreu na Praça da República e teve vários momentos de animação, com os Bracarenses a aderirem a este momento simbólico.

CMB07122016SERGIOFREITAS0000004018.jpg

São milhares de luzes em cerca de 50 ruas, 6 edifícios e 12 rotundas, com uma ornamentação que engrandece ainda mais o programa ‘Braga é Natal’. A árvore de Natal, localizada na Arcada, tem cerca de 25 metros e aproximadamente 55 mil lâmpadas Led.

Este é já um cartão-de-visita da Cidade, que nos últimos anos tem presenteado os Bracarenses e os visitantes com inúmeras actividades para toda a família e animação no período natalício, fazendo de Braga – especialmente do Centro Histórico - uma passagem obrigatória nesta altura mágica do ano.

“Esta é uma excelente forma de projectarmos a Cidade durante uma época muito importante para o comércio e para o turismo da Região, sendo que nos temos distinguido pela qualidade e criatividade da iluminação”, referiu Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, garantindo que as luzes natalícias “trazem um brilho diferente à Cidade e criam um ambiente mais agradável e atractivo para a população local e para os visitantes”.

Ricardo Rio desafiou os cidadãos a “disfrutarem, em família, de toda a programação preparada no evento ´Braga é Natal´, esperando que esta seja “uma quadra de ouro para a Cidade e para os Bracarenses”.

Por fim, o Edil explicou ainda que, face à incapacidade demonstrada pela empresa originalmente contratada para proceder à instalação da iluminação natalícia, o Município foi obrigado a substituir essa empresa, o que provocou um atraso de dois dias relativamente à data inicialmente programada para ligar as luzes – 5 de Dezembro, Dia de S. Geraldo.

Sobre a hora tardia de acendimento das luzes de iluminação pública, que têm provocado constrangimentos em algumas zonas da Cidade, Ricardo Rio referiu que a Autarquia tem efectuado diligências junto da EDP, entidade responsável, para que o problema seja resolvido e as luzes acendam mais cedo. “Temos contratualizado com a EDP que as luzes sejam ligadas pelas 17.00 horas e, nesse sentido, estamos a efectuar todos os esforços com a empresa para corrigir o problema".

CMB07122016SERGIOFREITAS0000004020.jpg

CMB07122016SERGIOFREITAS0000004024.jpg

CMB07122016SERGIOFREITAS0000004028.jpg

MINHOTOS EM ANDORRA CANTAM AO MENINO

“Cantares Natalícios portugueses vão ser ouvidos em Andorra

No próximo dia 10 de Dezembro, sábado, às 19h30 o “Poblet de Nadal” de Andorra la Vella irá acolher pela primeira vez uma audição de cantares de Natal em português a cargo dos elementos do Grupo de Folclore ‘Casa de Portugal’.

Cantata_GFCasaPortugal.JPG

A iniciativa insere-se na mostra de cantares de Natal “Nadales” que organiza o Comú (Câmara Municipal) da capital do Principado de Andorra e que irá mostrar diferentes vertentes dos cânticos natalícios.

O primeiro encontro de Cânticos de Natal composto por 13 grupos corais e 10 grupos de musica e de folclore, está inserido na Aldeia de Natal situada na Plaça del Poble formada por casinhas de madeira com diversos produtos alimentares e de artesanato alusivo à quadra natalícia assim como uma pista de gelo para os mais pequenos.

Os cânticos ao Menino e de Natal serão ouvidos através de peças do cancioneiro português como: “O menino está dormindo”, “Foi na noite de Natal”, Ó menino Jesus”, “Natal de Elvas” e “Entrai pastores, entrai”, repertorio escolhido para ocasião pelos elementos do Grupo de Folclore ‘Casa de Portugal’ que concluem o ano 2016 repleto de atividades para celebrar duas décadas de cultura e amizade nos vales de Andorra.”

15284968_1833572456857870_2851658717516791096_n.jpg

INATEL APOIA O ASSOCIATIVISMO

“Programa de Apoio ao Associativismo 2016”, dirigido a Centros de Cultura e Desporto  (CCD), filiados na INATEL.

O “Programa de Apoio ao Associativismo 2016” é uma iniciativa promovida pela Fundação INATEL, com o objetivo de apoiar a atividade desenvolvida por Centros de Cultura e Desporto nos planos do desenvolvimento cultural, desportivo e social das regiões e comunidades em que se inserem.

Sobre esta iniciativa, devem os interessados considerar:

  • O regulamento enviado em anexo, através do qual se comunicam os princípios que conduzem a iniciativa.
  • A data limite para a apresentação de candidaturas: 21 de dezembro de 2016.
  • O canal para a apresentação de candidaturas:

o   A apresentação de candidaturas deve ser realizada através do preenchimento de formulário eletrónico criado para o efeito, disponível através da seguinte ligação: PAA 2016.

As candidaturas rececionadas através do formulário referido serão reencaminhadas ao cuidado das Unidades Locais a que respeitam.

Também, salvaguarde-se que:

  • Cada CCD apenas poderá apresentar uma única candidatura para atividades que decorram até ao dia 30 de Junho de 2017.

o   Quando seja entregue mais de uma proposta, considerar-se-á apenas a primeira recebida.

  • Também, apenas serão consideradas as candidaturas apresentadas por CCD que tenham a sua filiação regularizada com a INATEL, quer à data de apresentação da candidatura, quer à data da atribuição do apoio.
  • Não serão aceites, fora dos prazos estabelecidos, a entrega de candidaturas e de documentação anexa a candidaturas.
  • Não serão aceites candidaturas que não sejam acompanhadas de toda a informação solicitada em regulamento:

o   Identificação e descrição do projeto candidato ou do plano de atividades a desenvolver ou dos materiais a adquirir.

o   Datas de execução do(s) projeto(s);

o   Nº de beneficiários;

o   Destinatários / beneficiários do(s) projeto(s);

o   Previsão orçamental;

o   Valor solicitado como apoio;

o   Identificação de outras entidades participantes do projeto e indicação de eventuais comparticipações que o CCD venha a angariar ou tenha angariado para a execução do projeto / plano de atividades ou dos materiais a adquirir;

o   Principais intervenientes no desenvolvimento da(s) atividade(s).

  • As candidaturas apresentadas serão alvo de uma avaliação por parte das Unidades Orgânicas Locais e, posteriormente, pelos Serviços Centrais da Fundação INATEL. De seguida, serão comunicadas aos CCD’s proponentes as deliberações que as candidaturas mereceram por parte do Juri;
  • Em caso de deferimento do pedido de apoio, os CCD’s terão de entregar à Fundação INATEL o respetivo recibo e o IBAN até ao dia 28 de Dezembro de 2016;

NEGÓCIOS EM ESPOSENDE SUBIRAM 20% NO VERÃO DE 2016

250 pessoas foram contratadas, devido à excecionalidade da época balnear

Esposende está acima da média de crescimento nacional, revela um estudo recentemente publicitado pela Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende (ACICE). Os resultados confirmam o quão assertivas têm sido as opções da Câmara Municipal de Esposende, conciliando a programação de verão com a dinâmica comercial local. A provar esta tese está o facto de o mês de julho ter sido aquele que registou o maior aumento do volume de negócios, precisamente porque o Município alargou a esse mês a sua programação de verão.

Ana moura. público.jpg

Para além da importância que estes dados refletem na economia local, deve atender-se a um fator social de maior importância. Os empresários entrevistados dizem ter contratado mais empregados, por via do aumento da procura e, apesar de sazonal, 250 pessoas foram contratadas, tendo 20% dos empresários revelado intenção de manter esses novos trabalhadores.

O estudo foi efetuado junto de 115 empresas associadas da ACICE que atuam na área da hotelaria e restauração, comércio alimentar e não alimentar, confirmando as “tendências” trazidas à evidência pelos agentes que atuam no concelho de Esposende. Os dados revelam o crescimento de 20% no volume de negócios, durante a época balnear de 2016.

Este inquérito trouxe à evidência a correção da estratégia adotada pelo Município de Esposende que, na ACICE tem encontrado um aliado para muitas realizações, como o caso da Feira Medieval ou a Festa dos Anos 80 que assumem grande preponderância na programação de animação de verão.

80% dos empresários inquiridos afirma, taxativamente, que o volume de negócios registado no passado verão foi superior ao verificado em período homólogo de 2015 e, para além dos benefícios diretos, destacam o impacto positivo que esse crescimento tem no negócio. 83% dos questionados afirma mesmo que os eventos de verão têm grande impacto na economia local

Esta consulta feita juntos dos empresários esposendenses permitiu auscultar as opiniões de quem acolhe o público. Por isso, durante a realização do inquérito foi frequente ouvir expressões como “foi o melhor verão dos últimos anos”, Esposende nunca teve tanta gente como neste verão” ou “este foi o melhor verão desde o início da crise”.

O programa “Esposende Verão 2016” projetou mais de cem eventos de animação, cultura, desporto e lazer, distribuídos pelos meses de julho, agosto e setembro. Este programa inseriu-se no Plano de Desenvolvimento Turístico e, consequentemente, económico, para Esposende, na medida em que vai ao encontro das estratégias que visam afirmar Esposende como um município turístico, confirmando-se pelos dados agora revelados.

“O nosso objetivo visa criar no concelho um movimento catalisador de novos públicos, que vão trazer certamente novas dinâmicas ao comércio e aos serviços locais. É uma oferta cultural que pretende também assumir junto dos turistas um motivo forte para optarem por Esposende como um destino de férias”, sustenta o presidente da Câmara Municipal de Esposende.

MUSEU BERNARDINO MACHADO CELEBRA 15 ANOS DE EXISTÊNCIA

Homenagem a Elzira Dantas Machado e Júlio Machado Vaz marcam comemorações

Elzira Dantas Machado e Júlio Machado Vaz, esposa e bisneto de Bernardino Machado respetivamente, vão ser os grandes homenageados nas comemorações do 15.º aniversário do Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão.

Museu Bernardino Machado.jpg

O equipamento cultural que está localizado no Palacete Barão da Trovisqueira, bem no centro da cidade famalicense, celebra no próximo dia 15 de dezembro, quinta-feira, 15 anos de existência, evocando duas grandes personalidades da sua história. Elzira Dantas Machado será homenageada com a atribuição do seu nome à praceta contígua ao Museu, entretanto requalificada, enquanto o nome de Júlio Machado Vaz será atribuído à sala de conferências e exposições temporárias do Museu.

“É uma homenagem justa e oportuna que reaviva a memória daqueles que estando próximos de Bernardino Machado contribuíram para a criação do Museu Bernardino Machado e para o seu reconhecimento nacional”, afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

O programa comemorativo que vai decorrer a partir das 15h00, contará com as presenças de Elzira Machado Rosa, neta de Bernardino Machado e Elzira Dantas Machado, e de  Júlio Guilherme Ferreira Machado Vaz, filho de Júlio Machado Vaz e bisneto de Bernardino Machado.

Refira-se que Elzira Dantas Machado teve um papel de grande relevância na sociedade portuguesa e na defesa dos direitos das mulheres, tendo sido uma das fundadoras da Liga Republicana das Mulheres Portuguesas, em 1909, e mais tarde, em 1916, presidente da Associação de Propaganda Feminista. Com o eclodir da 1.ª Guerra e a participação de Portugal no conflito, ajudou a criar a Cruzada das Mulheres Portuguesas, cuja principal missão era apoiar os soldados e as suas famílias.

Por sua vez, Júlio Machado Vaz, médico e professor, foi um dos grandes entusiastas da criação do Museu Bernardino Machado, tendo doado o seu riquíssimo espólio documental, correspondência, fotografias e postais ilustrados legado pelo seu avô ao município de Vila Nova de Famalicão para a fundação do Museu.

Ao longo destes 15 anos, o Museu Bernardino Machado tem-se afirmado no país como um centro de investigação histórica de referência, sendo reconhecido nos meios académicos nacionais. Para além da divulgação e valorização da figura de Bernardino Machado, um famalicense por adoção que foi Presidente de Portugal, por duas vezes, durante a I República, o Museu tem vindo a destacar-se na organização de diversos eventos e na produção de documentos que têm sido essenciais para investigadores e historiadores.

VIMARANENSES ASSINALAM DIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

ESTA QUARTA-FEIRA, NAS RUAS DA CIDADE

“Caminhada Inclusiva” em Guimarães assinalou Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Gala intitulada “Diferentes Vozes: Por uma Vida Digna para Todos” encerra programa no dia 14 de dezembro. Evento promovido pelo Fórum Municipal das Pessoas com Deficiência realiza-se no CCVF.

Guimaraes_Caminhada_Inclusiva_2016.jpg

Utentes, familiares, colaboradores, dirigentes e agrupamentos de escolas participaram na quarta edição da “Caminhada Inclusiva”, que percorreu esta quarta-feira, 07 de dezembro, as principais ruas do centro da cidade, no âmbito do programa de comemorações do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que Guimarães está a celebrar ao longo de duas semanas e que termina no próximo dia 14 de dezembro, às 10 horas, com a realização de uma gala no Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor. 

O espetáculo, intitulado “Diferentes Vozes: Por uma Vida Digna para Todos”, envolverá duas centenas de utentes em palco, pertencentes a sete instituições de âmbito social, encerrando o programa “Por uma Vida Digna para Todos”, que a Câmara de Guimarães, através do seu Fórum Municipal, deu início no final de novembro. A gala incluirá apresentações da Associação de Paralisia Cerebral de Guimarães, Cercigui, CAO/Lar Residencial Alecrim da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães, Associação para a Integração e Reabilitação Social de Crianças e Jovens de Vizela e dos agrupamentos de escolas de Abação, Fernando Távora e João de Meira.

«Estas iniciativas apenas são possíveis devido ao trabalho e ao amor pela causa que todos vocês, dirigentes das instituições, professores e monitores dedicam a estas comemorações. Daí o nosso reconhecimento e gratidão, pelo estímulo, contributo, entusiasmo e paixão que devotam a estas pessoas tão especiais. É o vosso empenho e dedicação que fazem estes jovens tão felizes, como se consegue ver pelo rosto de cada um deles!», afirmou Amadeu Portilha, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, em representação do Presidente do Município.

Paula Oliveira, vereadora com competências delegadas na área da Ação Social, considerou que «estas ações permitem sensibilizar a comunidade, embora saibamos que todos nascemos com direitos iguais! Há um caminho a percorrer e estes jovens também merecem uma vida feliz, digna e realizada», disse, na receção aos participantes da Caminhada Inclusiva, no Largo Cónego José Maria Gomes.

A quarta edição desta iniciativa partiu do Paço dos Duques de Bragança em direção ao Largo Martins Sarmento, Rua Serpa Pinto, Av. Alberto Sampaio (Muralha), Alameda S. Dâmaso, Largo do Toural, Rua de Santo António, Largo dos Laranjais e Largo Cónego José Maria Gomes. Na chegada ao edifício da Câmara Municipal, foi lido um Pregão subordinado ao tema da inclusão e efetuada uma largada de pombos pela Sociedade Columbófila de Guimarães.

BRAGA FORTALECE RELAÇÕES ECONÓMICAS COM UCRÂNIA

Protocolo de colaboração viabiliza geminação com Ivano-Frankivsk

Os Municípios de Braga e de Ivano-Frankivsk, da Ucrânia, assinaram um protocolo que, após aprovação dos respectivos órgãos autárquicos, irá culminar na celebração de um acordo de geminação. A cerimónia protocolar, realizada hoje, 7 de Dezembro no Salão Nobre dos Paços do Concelho, aconteceu no âmbito da ‘Semana da Ucrânia’ que decorre até à próxima Sexta-feira, dia 11 de Dezembro, em Braga.

CMB07122016SERGIOFREITAS0000004017.jpg

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, lembrou que Braga mantém uma “forte relação com a Ucrânia”, tendo sido cidade acolhedora de alguns milhares de ucranianos ao longo dos últimos anos. “São cidadãos perfeitamente integrados na nossa sociedade e elementos muito valiosos para o enriquecimento daquilo que é a diversidade cultural, social e económica que Braga ostenta”, salientou o edil, na sessão que contou com a presença da Embaixadora da Ucrânia em Portugal, Inna Ohnivets, e do presidente da Câmara de Ivano-Frankivsk, Martsinkiv Ruslan.

Com o estabelecimento desta parceria, Braga passa a ter na Ucrânia um “pólo de angariação de potenciais visitantes, mas também uma oportunidade para fortalecer as relações de cooperação no plano económico”, referiu Ricardo Rio, sustentando que “existem oportunidades que têm que ser potenciadas e que, estamos convictos, serão aproveitadas pelos empresários dos dois países ao longo dos próximos tempos”.

Um dos pontos altos deste primeiro dia da ‘Semana da Ucrânia’ foi o Fórum de Negócios Luso-Ucraniano, realizado no Museu D. Diogo de Sousa, onde foi dado a conhecer o contexto empresarial e económico das Cidades de Braga e Ivano-Frankivsk. Para Ricardo Rio, “é importante perceber que há regiões na Ucrânia que estão perfeitamente estabilizadas, com potencial de crescimento económico muito significativo e que podem merecer o investimento por parte de empresários Bracarenses”. Segundo o Edil, “existem já empresas Bracarenses com forte presença na Ucrânia, mas o nosso objectivo é, ao longo dos próximos meses, reforçar esse capital de investimento e atrair potenciais investidores para no nosso Concelho”.

A ‘Semana da Ucrânia’ inclui um conjunto de actividades culturais e económicas que visam aproximar a comunidade ucraniana da sociedade Bracarense. A par da mostra de pintura de artistas ucranianos, patente ao público no Museu D. Diogo de Sousa, o programa inclui amanhã, dia 8 de Dezembro, uma homenagem às vítimas da guerra na Ucrânia, junto do Monumento "Nebesna Sotnya», no Parque de S. João da Ponte, pelas 14h30. Também nesse dia, o Museu D. Diogo de Sousa acolherá uma Feira de Artesanato e, no dia 9, o destaque vai para os workshops com as Escolas de Braga sobre a Ucrânia e sua cultura. A ‘Semana Solidariedade Ucrânia’ termina com um concerto Luso-Ucraniano, no Museu D. Diogo de Sousa, que juntará artistas dos dois países.

CMB07122016SERGIOFREITAS0000003978.jpg

CMB07122016SERGIOFREITAS0000003983.jpg

CMB07122016SERGIOFREITAS0000004001.jpg

CMB07122016SERGIOFREITAS0000004008.jpg

FAFE AJUDA FAMÍLIAS CARENCIADAS

Câmara Municipal apoia mais um grupo de famílias carenciadas para obras requalificação nas habitações

O Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, apoioi, em nome do Município, no âmbito do Programa Municipal para melhoria de habitação de agregados familiares carenciados, mais um conjunto de famílias, representando um investimento total na ordem dos 22 mil euros, distribuído por seis famílias que receberam um apoio financeiro para proceder a obras de remodelação e reparação nas habitações.

DSC_6494A.jpg

Este programa pretende ir ao encontro de famílias que vivam sem o mínimo de condições de habitabilidade e sem recursos económicos para efetuar obras de reparação nas respetivas casas.

Foi lançado em 1998, pelo então vereador com o pelouro de Ação Social, Raul Cunha, e mantém-se até hoje, sendo que já apoiou mais de 600 famílias, num investimento superior a 5 milhões de euros.

Na entrega deste apoio, o Presidente da Autarquia, Raul Cunha, reforçou a importância de um programa que conta já com 18 anos, mais ainda numa altura de crise como a que o país atravessa.

Este é um programa de sucesso, não só porque ajuda famílias que necessitam de obras urgentes nas suas casas, mas também porque estimula a economia, ajudando também pequenos empreiteiros. Esta ajuda é muito importante e a autarquia não pode alhear-se dos problemas”, explicou.

O Presidente da Câmara deixou ainda claro que este apoio é um direito que as pessoas têm, reforçando que não se trata de caridade.

Este programa não é caridade, nem um favor, este apoio é um direito e, como tal, quem cumpre os requisitos e precisa de ajuda não deve deixar de a solicitar. É um contributo que o Município dá para que as pessoas vivam com mais qualidade e conforto”.

Nesta entrega de cheques, as famílias beneficiados já terminaram as obras nas suas habitações e receberam, por isso, o segundo e último pagamento.

Estamos sempre ao vosso dispor”, colmatou o Presidente da Câmara Municipal de Fafe.  

Neste programa, para além do apoio financeiro, a autarquia presta ainda apoio técnico, de projeto e fiscalização de obras. 

FAMALICÃO ESTÁ DE MÃOS DADAS COM AS FAMÍLIAS

Mais uma viagem, mais uma bandeira. O Município de Vila Nova de Famalicão esteve esta quarta-feira, 7 de dezembro, em Coimbra, para receber pela quinta vez, a bandeira de “Autarquia Mais Familiarmente Responsável”.

famalicão 2fami.jpg

A autarquia liderada por Paulo Cunha voltou a ser premiada pelo Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis como um município amigo das famílias, vendo assim reconhecida a aposta que tem feito no aumento da qualidade de vida dos seus munícipes, nomeadamente com a implementação de medidas particularmente dirigidas para os agregados familiares, com apoios transversais a vários domínios, desde a educação ao desporto, passando pela ação social, ambiente e cultura.

A cerimónia de entrega do galardão decorreu esta quarta-feira à tarde no Auditório da Fundação CEFA, em Coimbra, onde Vila Nova de Famalicão se fez representar pela responsável do pelouro da Família, Sofia Fernandes.

Para a vereadora da autarquia este é mais um “motivo de orgulho” para Vila Nova de Famalicão, sobretudo, explica, “quando esta bandeira representa a continuidade e o reforço das políticas que temos vindo a desenvolver em prol da qualidade de vidas das famílias famalicenses”.

Recorde-se que esta é a quarta vez consecutiva que Vila Nova de Famalicão é reconhecido pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas pelas políticas municipais amigas das famílias e por isso o município vai voltar a receber a “Bandeira com Palma”, símbolo maior da organização que distingue não só a prática referente ao ano de atribuição do prémio, mas igualmente a permanência ao longos dos anos no território de políticas amigas das famílias.

O reconhecimento de Famalicão pela excelência das políticas sociais e de apoio às famílias, é justificado pelas medidas implementadas pelo município em várias áreas. Na área da educação, sobressai a existência de um terceiro escalão social de apoio às famílias com crianças no pré-escolar e 1.º Ciclo de Ensino Básico (que acresce aos dois escalões nacionais), a oferta dos manuais escolares gratuitos para os mesmos níveis de ensino - Famalicão foi mesmo o primeiro do município a introduzir esta medida que aplica desde 2001 -, o Banco de Livros Escolares, os transportes gratuitos, o apoio à aquisição de material didático por parte das famílias mais carenciadas e as bolsas de estudo aos estudantes universitários do concelho.

Na área social destaca-se o Programa Municipal “Casa Feliz” que ajuda as famílias mais carenciadas do concelho a realizarem obras de renovação das suas habitações e que apoia as famílias que mais precisam no pagamento das rendas, assim como os descontos e isenções nas tarifas de água e saneamento para as famílias numerosas e para as mais necessitadas.

Em matéria fiscal, é uma reconhecida mais-valia para as famílias a estabilidade fiscal do município ao longo dos anos, a fixação da taxa do IMI próxima do mínimo legal (0,35%) e a existência de um IMI familiar, que atribui um desconto no pagamento do imposto de 40 euros para as famílias com dois filhos e de 70 euros para as famílias com três ou mais dependentes.

O acesso das famílias à fruição cultural e à prática desportiva tem também merecido uma atenção especial da autarquia que tem instituído o Cartão Jovem Municipal, o Cartão Sénior Feliz e o Cartão do Voluntário com descontos significativos em diversas atividades e no acesso aos transportes públicos no concelho, para além de outros benefícios.

Recorde-se que o Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, em parceira com Instituto da Segurança Social, tendo como principais objetivos acompanhar, galardoar e divulgar as melhores práticas das autarquias portuguesas em matéria de responsabilidade familiar.

PONTE DE LIMA REPRESENTA PORTUGAL NO LONDON INTERNATIONAL HORSE SHOW

Ponte de Lima – Destino Equestre Internacional presente no London International Horse Show

Considerando a marca “Ponte de Lima – Destino Equestre Internacional” como uma estratégia de desenvolvimento que visa a dinamização de projetos que potenciam os recursos endógenos, o Município de Ponte de Lima integra a delegação portuguesa que vai participar no London International Horse Show, a decorrer de 13 a 19 de dezembro no Olympia, em Londres.

Draft6-01 (Medium).png

Portugal, representado pelos Municípios de Ponte de Lima, Beja, Golegã e Alter do Chão, apresentar-se-á por um conjunto de 16 cavaleiros com os seus lusitanos, neste que é um dos maiores eventos desportivos equestres internacionais, onde se realizarão as Taças do Mundo de Dressage, de Obstáculos e de Atrelagem.

Com um stand para exposição do melhor que se faz e produz em Portugal, ao longo de 5 dias, a delegação portuguesa terá uma posição de grande destaque, sendo o dia 13 dedicado a Ponte de Lima.

De realçar que o Município limiano apresenta uma mostra de produtos endógenos, desde os enchidos, fumados e o tradicional Vinho Verde, para além de material promocional que promove as potencialidade turísticas do concelho.

Já referenciado como o maior e mais prestigiante evento desportivo equestre, tem captado a atenção internacional, sendo esta uma oportunidade única para promover Portugal no setor turístico e atividades económicas com ligação ao mesmo, prevendo – se que o evento conte com a presença de meios de comunicação social de todo o mundo.

De referir ainda a realização de 11 espetáculos, onde o Cavalo Lusitano será o ex-líbris, sendo apresentado como “O Orgulho de Portugal”.

JOÃO LAGARTO DÁ EM FAMALICÃO “LIÇÕES DE DANÇA PARA PESSOAS DUMA CERTA IDADE”

Peça vai estar em cena este sábado, dia 10, no grande auditório da Casa das Artes

 “Lições de Dança para Pessoas Duma Certa Idade”, assim se chama a peça que o ator português João Lagarto se prepara para apresentar este sábado, 10 de dezembro, no pequeno auditório da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.  

João Lagarto 1.jpg

O espetáculo, uma adaptação do romance homónimo do escritor checo Bohumil Hrabal, tem como centro da ação a personagem Jyrka, um experimentado contador de histórias e antigo sapateiro a caminho dos 70 que, sentado à mesa de um bar, dirige-se diretamente ao público feminino na sala.

“Recorda episódios do seu tempo. (…) Aproveita para ir também dando conselhos às damas, mas estes são sempre ilustrados com exemplos concretos da sua vida profissional, da sua estadia na tropa, idas ao médico, conquistas, educação religiosa, numa sequência sem fim e sem ordem, como se diz das cerejas na conversa”, pode ler-se na apresentação da peça.

A peça começa às 21h30. A entrada tem o custo de 8 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Mais informações no site oficial da Casa das Artes de Famalicão, em www.casadasartes.org

FICHA TÉCNICA

“Lições de Dança para Pessoas Duma Certa Idade”

Tradução, Encenação e Interpretação: João Lagarto

Produção: Alice Prata

Desenho de Luz: José Carlos Gomes

Coprodução: João Lagarto, Câmara Municipal de Almodôvar e Casa das Artes de Arcos de Valdevez

PARTIDO "OS VERDES" ESTÁ PREOCUPADO COM A MORTE DE DOIS LOBOS NO MINHO

O Deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente sobre a morte de pelo menos dois indivíduos da espécie lobo-ibérico por ações humanas na Serra da Cabreira e em Vila Nova da Cerveira.

O lobo-ibérico, classificado no livro vermelho dos vertebrados como em perigo (EN), que beneficia, em Portugal, de legislação própria específica de proteção desde 1988, Lei n.º 90/88 (que teve por base um projeto de lei do PEV), continua a estar fortemente ameaçado e a ser alvo de perseguição e abate pelo homem, ou vítima de acidentes como atropelamento entre outros pelo que Os Verdes pretendem saber que diligencias estão a ser feitas para se apurar a causas e culpados das recentes mortes de lobos aqui relatadas.

Pergunta:

Recentemente vieram a público notícias que relatam a morte de pelo menos dois indivíduos da espécie lobo-ibérico (Canis lupus signatus Cabrera, 1907) por ações humanas na Serra da Cabreira e em Vila Nova da Cerveira.

Os animais mortos apontam para um juvenil de lobo-ibérico morto por envenenamento, encontrado no dia 13 de novembro, na serra da Cabreira, em Vieira do Minho e um segundo caso de atropelamento, em 21 de novembro, em Vila Nova da Cerveira, na freguesia de Covas.

A ser verdade estes atos são proibidos pelo Decreto-Lei n.º 54/2016 de 25 de agosto.

O lobo-Ibérico é um dos grandes carnívoros europeus, classificado no livro vermelho dos vertebrados como em perigo (EN), que beneficia, em Portugal, de legislação própria específica de proteção desde 1988, Lei n.º 90/88 (que teve por base um projeto de lei do PEV) mas continua a estar fortemente ameaçado e a ser alvo de perseguição e abate pelo homem, ou vítima de acidentes como atropelamento entre outros.

Ao longo dos anos as dificuldades de coexistência entre o homem e o lobo têm sido

permanentes e perduram até aos dias de hoje. A área de distribuição do lobo-ibérico no nosso território representa hoje apenas 20% do que já foi no início do século XX, segundo o Livro Vermelho.

As populações de lobo no mundo, na Europa e em particular em Portugal estão profundamente fragilizadas. No nosso país são variadas as causas para essa fragilidade, desde a destruição e fragmentação do habitat natural, nomeadamente por atravessamento de grandes vias rodo e ferroviárias, barragens, aglomerados populacionais ou atividade agropecuária, a grande falta de presas naturais aumenta o conflito direto com o homem, para além de que ainda hoje persiste na cultura popular uma imagem negativa em relação ao lobo. São frequentes a caça ilegal, envenenamento e armadilhas e os atropelamentos etc.

Não é alheio a este estado, o facto de as indemnizações previstas na lei, devidas aos ataques a rebanhos, demorarem a ser pagas aos proprietários de gado em território de lobo.

Assim, ao abrigo das disposições regimentais e constitucionais aplicáveis, solicito ao Senhor Presidente da Assembleia da República que remeta ao Governo a seguinte pergunta, para que o Ministério do Ambiente me possa prestar os seguintes esclarecimentos:

1 – Tem o Ministério conhecimento destes recentes casos e que diligencias estão a ser feitas para se apurar a causas e culpados das recentes mortes de lobos aqui relatadas? Que outros casos têm ocorrido e quais têm sido os procedimentos seguidos para que situações destas deixem de ocorrer?

2 - Que meios tem o Ministério afetos à proteção do lobo-ibérico, nomeadamente equipas de vigilância, equipas no terreno para reconhecimento no local de ataques de lobo-ibérico, esclarecimento e formação à população, nomeadamente criadores de gado, fornecimento cães de gado ou implementação de medidas para recolhimento e abrigo do gado nomeadamente ovino e caprino e equino? Considera este ministério serem os meios suficientes?

3 – Em caso de ataques a rebanhos qual o tempo médio que demora a análise da ocorrência e o pagamento de indemnização prevista na lei, em caso de se provar o ataque ser provocado por lobo-ibérico?

4 – Existe algum esforço dos serviços para reintrodução de presas naturais do lobo em territórios onde este ocorre?

5 - Em que estado se encontra atualmente a população nacional de lobo- ibérico em termos de número de indivíduos e sua dispersão no território? Há perceção do seu crescimento ou regressão nos últimos 30 anos?

6 - Quando pensa o ICNF ou o Ministério do Ambiente ter aprovado e pôr em marcha o Plano de Ação para a Conservação do Lobo-ibérico?

O Grupo Parlamentar “Os Verdes

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE PONTE DA BARCA DEFENDE REVOGAÇÃO DA LEI ADMINISTRATIVA TERRITORIAL AUTÁRQUICA

Vassalo Abreu a favor da revogação da Lei que extinguiu as freguesias

O autarca de Ponte da Barca esteve na Assembleia da República a defender a revogação da lei imposta em 2013 e na vigência do governo PSD/CDS

IMG_5737.JPG

Vassalo Abreu, Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca, foi um dos oradores convidados da Comissão Parlamentar da Assembleia da República, na passada segunda-feira, em que se discutiu a revogação da Lei que impôs a redução do número de freguesias, no âmbito da Reforma Administrativa Local, levada a cabo em 2013 e na vigência do governo PSD/CDS.

O Autarca de Ponte da Barca é a favor da revogação desta Lei que, explica 'extinguir as seculares 'paróquias' de Portugal foi um ato extemporâneo e que teve custos sociais e políticos que não foram compensados pelo relativamente reduzido impacto orçamental desta medida'. Defensor, desde a primeira hora, da não aplicação desta Lei, Vassalo Abreu entende que 'nestes processos delicados, é preciso sentir as realidades históricas, culturais e geográficas, ouvir as pessoas, saber das suas tradições, dos seus costumes', propondo que, a haver alterações, 'sejam as Assembleias Municipais a decidir'.

MELGAÇO EXPÕE “OFÍCIOS E TRADICIÓNS POPULARES DA GALIZA”

Um leque de trabalhos que retrata as atividades etnográficas do mundo rural galego

A Casa da Cultura tem patente uma nova mostra de arte: até 30 de dezembro é possível observar a exposição ‘Ofícios e tradicións populares da Galiza’, da autoria do galego Adolfo Fernández Dafonte. As peças, realizadas em argila, que compõem a coleção são uma homenagem ao mundo rural galego onde desfilam afiadores, emigrantes, barbeiros etc. Figuras próximas, feitas para serem entendidas por todos os públicos e por detrás das quais se esconde um árduo trabalho de pesquisa.

Exposição OFÍCIOS E TRADICIÓNS POPULARES DA GALIZA  (5).jpg

Trata-se de uma mostra em que o autor trabalha o barro com as mãos: ‘As minhas obras são figuras representativas das mulheres e dos homens do mundo rural galego, desempenhando as suas tarefas agrícolas, muitas das quais já inexistentes’, considera o autor.

Adolfo Fernández Dafonte nasceu em 1964 em Ourense. É um escultor autodidata e investigador de técnicas ancestrais de cozedura do barro e do uso de fornos milenários. Trabalha o barro com as mãos para criar peças mais singulares e únicas, barro esse maioritariamente extraído da zona da Baixa Limia.

A mostra já esteve patente em diversos concelhos de Lugo e de Ourense, e agora, pela segunda vez, em Portugal. Pode ser visitada durante o horário normal da Casa da Cultura: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 (segunda a sexta-feira), e aos sábados das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 18h00.

Exposição OFÍCIOS E TRADICIÓNS POPULARES DA GALIZA  (1).jpg

Exposição OFÍCIOS E TRADICIÓNS POPULARES DA GALIZA  (2).jpg

FAMALICÃO RECEBE O PAI NATAL

Pai Natal recebe prendas na Cabana Solidária até 24 de Dezembro. Solidariedade e partilha no Natal de Famalicão

Em Vila Nova de Famalicão, quem recebe as prendas é o Pai Natal. É na cabana Solidária montada na Praça D. Maria II que todos os dias chegam dezenas de presentes tendo como destinatário o Pai Natal. A situação parece contraditória mas o objetivo é nobre.

Aldeia Natal 024.jpg

A iniciativa é promovida pela Câmara Municipal, em parceria com a Unidade de Gestão do Centro Urbano, e desafia os famalicenses a doarem géneros alimentares e de higiene, bem como gorros, cobertores e mantas, que depois serão distribuídos pelas famílias carenciadas do concelho, através da Loja Social de Famalicão.

Todos os dias até 24 de dezembro, entre as 10h00 e as 12h30, as 14h30 e as 18h00 (nos dias de 20 a 23 até às 20h00) duendes e Pai Natal recebem os visitantes e para os mais novos há pinturas faciais, modelagem de balões e muita animação.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha “o objetivo é recriar o ambiente natalício no centro da cidade, puxando pelo espírito solidário dos famalicenses”.

É também imbuída deste espirito de partilha que a Associação Milho D’Oiro lançou o concurso de Cachecóis de Natal.

Para já, cerca de uma dezena de instituições e muitos famalicenses aderiram à iniciativa criando o seu próprio cachecol. Por estes dias, nos infantários e lares de idosos do concelho não tem havido mãos a medir na confeção dos adereços. Agora entre 18 de dezembro e 14 de janeiro, os cachecóis ficaram em exposição no Museu da Indústria Têxtil, altura em que decorrerá uma mega troca de cachecóis.  

Cabana Solidária.jpg

RUI VELOSO ACTUA EM VIANA DO CASTELO

Informa-se que os bilhetes para o Concerto de RUI VELOSO, a realizar no dia 11  fevereiro 2017, no Centro Cultural de Viana do Castelo, se encontram disponíveis para venda.

ruivelos.png

Locais de venda: Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira (segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00; em dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00); sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

www.ticketline.sapo.pt - Fnac - Ag. Viagens Abreu – Worten – A.B.E.P – Casino Lisboa – C.C. Dolce Vita – C.C. Mundicenter – El Corte Inglês e SuperCor – Galeria Comercial Campo Pequeno – MMM Ticket – Uticketline – CCB – Time Out Mercado da Ribeira – Shopping Cidade do Porto – Forum Aveiro – Ask Me Lisboa e INFORMAÇÃO RESERVAS: ligue 1820 (24 horas)

No dia do espetáculo, se a lotação não estiver esgotada, poderão adquirir bilhetes na bilheteira do Centro Cultural entre as 18h00 e as 22h00.

Classificação etáriaM/6 anos

Custo do bilhete: 15€ (plateia) | 15€ (bancada)

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  emailtmsm@cm-viana-castelo.pt , com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

Não há lugares marcados.

ESCRITORA MARIA AREAL APRESENTA CONTO DE NATAL EM CERVEIRA

Autarquia cerveirense apoia lançamento de oitavo livro de Maria José Carvalho Areal

“Carro Vermelho” assume-se como um conto de todos os Natais e para todas as idades. Publicado pela Chiado Editora, o lançamento deste livro da autoria da Profª Maria José Carvalho Areal está agendado para o próximo domingo,11 de dezembro, pelas 15h00, na Biblioteca Municipal de Vila Nova de Cerveira.

Cartaz apresentação livro Carro Vermelho.jpg

O Município de Vila Nova de Cerveira associou-se, desde a primeira hora, a este lançamento, não só por se tratar de uma escritora muito querida para o concelho, pela entrega e dedicação aos jovens e idosos em torno da leitura, mas porque a temática do conto se enquadra nos objetivos pedagógicos e na quadra de magia natalícia que se avizinha.

‘Carro Vermelho’ é umconto/novela para todas as idades “que desliza pelo tempo de se fazer maior na mensagem, arrastando inquestionavelmente essa forma provocatória de remexer e agitar o mais íntimo de cada um de nós”. Levantando um pouco a ponta do véu, a autora realça que a história se desenrola em torno de uma criança chamada João, de um homem comum, e de duas personagens femininas, a Matilde e a Joana. Cada um, com a sua personalidade e modo de ver e viver a vidamas, por causa de um carro vermelho, tudo pode acontecer.

A autora não é, no entanto, estreante no mundo das letras, tendo já editadas sete publicações. As três primeiras obras publicadas versaram a sua veia poética, com ‘Pedaços de Mim’ (1999), ‘À Deriva’ (2004) e ‘Sabor a sal e a mel’ (2006). Em 2009/2010, foi coordenadora e coautora dos Vol. I e II de histórias de vida intitulado‘Pedaços de Memórias – Itinerários no Tempo e no Espaço’. Revelando uma transversalidade de temas e conteúdos, Maria José Carvalho Areal edita, em 2015, mais um livro de poesia, o ‘Há dias que não sei de mim e outros que pouco de mim sei’ (2015), e duas obras de contos, ‘Na Eira dos Pardais’ (2013) e ‘Rendas do meu decote’ (2016).

A sua mais recente obra, ‘Carro Vermelho’, é lançada, este domingo, às 15h00, na Biblioteca Municipal de Vila Nova de Cerveira, com apresentação pela Dr.ª. Isabel Lima.

BRAGA CONDICIONA CIRCULAÇÃO DE TRÂNSITO

Condicionamentos à normal circulação de trânsito

O Município de Braga informa que, por motivo de realização de trabalhos de limpeza, haverá restrições de circulação no túnel que liga a Avenida António Macedo à Avenida da Liberdade.

Assim, a circulação no referido túnel estará condicionada entre as 22h00 do dia 11 de Dezembro e as 06h00 do dia 12 de Dezembro.

“LEXY, O MENINO VEGANO” DA ANCORENSE BÁRBARA MAGALHÃES VAI SER APRESENTADO EM VILA PRAIA DE ÂNCORA E CAMINHA

Da parte da manhã a autora estará na Ludoteca Vila Praia de Âncora e, da parte da tarde, na Biblioteca Municipal de Caminha

A apresentação do livro infantil “Lexy, o menino vegano”, da ancorense Bárbara Magalhães, vai ser um dos destaques no concelho no próximo fim de semana. Estamos perante a primeira obra sobre veganismo para o público infantil, em Portugal.  O livro ilustrado por Tânia Bailão Lopes vai ser apresentado pela prof. Isabel Lima Martins no sábado, dia 10 de dezembro, pelas 10h30, na Ludoteca Vila Praia de Âncora e, pelas 15h30, na Biblioteca Municipal de Caminha.

14606339_903051229824781_6860422353722472915_n.jpg

Bárbara Magalhães, natural de Vila Praia de Âncora, formada em Psicologia, desde jovem evidenciou preocupações profundas quanto ao abandono e maus tratos de animais, prática de touradas e outras manifestações, resultando daqui uma adesão à alimentação vegetariana e, posteriormente, à adoção de um estilo de vida vegano. Este pressupõe uma forma de viver que exclui, tanto quanto possível, produtos/práticas em que animais são usados ou explorados de alguma forma.

O livro “Lexy, o menino vegano” sobre o veganismo é “um livro para crianças, que os adultos podem (e devem) espreitar”. A autora encontrou a inspiração para escrever este livro na sua experiência pessoal como vegana e mãe de um menino vegano. O objetivo é ajudar os mais pequenos (e também os pais) a entender que não há nada de errado ou solitário neste caminho, que é saudável, ético e ecológico.

Na verdade, a autora pretende normalizar um assunto que deixou de ser prática de uma minoria e que é hoje a realidade de milhões de pessoas em todo o mundo. Assim, através de ilustrações maravilhosas e rimas simples e divertidas, ela mostra-nos como é possível seguir um caminho, em que o respeito se expande e abrange, da mesma forma, animais humanos e não-humanos.

A autora convida “Vamos acompanhar o Lexy numa viagem pelo mundo do veganismo, de A a Z”.

ARCOS DE VALDEVEZ VIVE MAGIA DE NATAL

De 1 de Dezembro a 7 de Janeiro

Em Dezembro Arcos de Valdevez transforma-se para viver em pleno o espírito do Natal.

Feira dos Doces e do Chocolate - Frente.jpg

A Vila veste-se a rigor com as múltiplas decorações alusivas à época, a iluminação natalícia, a sonorização e animação das ruas. As montras do comércio também surgem mais bonitas e iluminadas, ajudando a compor o quadro da Magia de Natal que se vive.

Situado a menos de uma hora do Porto e Vigo e meia hora de Braga, o concelho convida os arcuenses e visitantes a viverem uma época natalícia inesquecível, com as múltiplas e sugestivas propostas de animação que farão as delícias de todos, tanto adultos como mais pequenos.

Para além da exposição na Praça Municipal das árvores feitas pelas IPSS´S e associações concelhias, a iluminação, a música nas ruas, para alegrar o espírito, e toda a envolvente que compõe a Magia de Natal, realizar-se-á de 8 a 11 de Dezembro, a Feira dos Doces e do Chocolate, onde se poderá provar a excelente doçaria arcuense como o bolo de discos, os charutos de ovos ou os rebuçados dos Arcos. Na Feira Artesanal de Natal, de 17 a 18 de Dezembro, os arcuenses e visitantes poderão adquirir as suas lembranças de Natal, únicas por serem realizadas artesanalmente.

De 19 a 23 de Dezembro o centro histórico ganhará nova vida com a diversa animação de rua e atuação de grupos corais e musicais.

Nesta altura, os mais pequenos também poderão divertir-se no Campo de Férias de Natal da Porta do Mezio, de 19 a 30 de Dezembro, e com as Aventuras de Natal no Paço de Giela, nos dias 21, 22, 27 e 28 Dezembro.

De realçar ainda a emissão do Programa: “Somos Portugal” – TVI e as comemorações da Passagem de Ano a 31 de Dezembro, no Campo do Trasladário, e o Grande Concerto de Ano Novo pela Banda da Sociedade Musical de Arcos de Valdevez a 7 de Janeiro, no Auditório da Casa das Artes.

A Campanha - Magia de Natal 2016 é organizada pela Câmara Municipal e a ACIAB - Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca, com o objetivo de promover o que se faz em Arcos de Valdevez, dinamizar o comércio local e Turismo, bem como a recreação da população, tanto a mais jovem como a mais adulta.

Feira dos Doces e do Chocolate - Verso.jpg

jn5.jpg

jn7.jpg

magia_natal_2016 (1).jpg

 

PAN QUESTIONA MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS SOBRE CAPTAÇÃO DE INVESTIMENTO DO GRUPO TESLA EM PORTUGAL

  • O fabricante norte-americano surge com um potencial industrial disruptivo com vista a uma economia descarbonizada
  • Assumir a captação deste investimento externo como prioridade nacional
  • Envolver no processo negocial os municípios interessados e os representantes do sector industrial Português

O PAN - Pessoas-Animais-Natureza questionou o Governo sobre a promoção de esforços para garantir o investimento do grupo Tesla em Portugal, nomeadamente em redes de supercarregadores, centros de inovação tecnológica e na construção de uma Giga Factory.

 Nas questões apresentadas ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, o PAN pretende saber que compromissos estão a ser adotados para que a captação deste investimento possa ser colocada no topo das prioridades a nível nacional. O partido pretende ainda confirmar que entidades estão a ser envolvidas no processo negocial, assumindo que o processo beneficiará dos contributos dos municípios interessados, dos representantes do sector industrial Português e da sociedade civil.

Portugal acaba de assumir audaciosos compromissos e objetivos, na COP 22, com vista a ter uma economia descarbonizada já em 2050 e que precisam ser acompanhados pela implementação e expansão da 3ª revolução industrial.

Com um sector automóvel com forte peso na economia, uma plataforma logística reforçada pela sua, bem posicionada, rede marítima e uma excelente plataforma de captação de energias renováveis como a solar e a eólica, Portugal tem excelentes condições para reunir consensos e Know How em torno deste desígnio nacional que é a transição energética e industrial e que pode representar uma posição de liderança no ramo da ciência, da investigação e da alta tecnologia.

ELEMENTOS DOS CORPOS DIRECTIVOS DA FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS DIRIGEM CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA DIRECÇÃO

13615131_1012431938806429_4843877617134149738_n (1).png

Carta aberta dos órgãos sociais da FFP ao senhor Fernando Ferreira

ELEIÇÕES NA FFP

Senhor presidente da FFP, Fernando Ferreira,

Foi divulgado um documento enviado pela Lista B (intitulada “Federação Maior e Melhor, Agora”), candidata às eleições da FFP para o triénio 2017/2019, que merece algumas considerações que permitam desmascarar a vacuidade do texto, a vacuidade de ideias e a vacuidade de propósitos assim como a nossa profunda indignação relativamente a toda a atitude demonstrada ultimamente por si relativamente aos elementos dos órgãos sociais da FFP e por si escolhidos.

Referiremos apenas meia dúzia de questões.

Vejamos:

— O presidente da direção proposto por esta lista B é o mesmo que ainda é hoje o presidente da direção. Por que razão só agora a Federação vai ser maior e melhor?

— Por que razão não aproveitou os últimos três anos e os anteriores e os anteriores... para fazer o que diz que agora vai fazer?

— Quem o impediu de realizar mais e melhor? Diga os nomes de quem lho impediu para que o movimento folclórico fique a saber a verdade e possa julgar em consciência.

— Em boa verdade, o senhor presidente não fez mais e melhor porque não quis ou não soube. Ninguém lhe levantou dificuldades. Pelo contrário, os seus colaboradores diretos fizeram tudo para o apoiar, em todas as circunstâncias, como o senhor muito bem sabe. Trabalharam dedicadamente em todos os setores da vida da instituição, incluindo no prosseguimento de propósitos definidos pelo senhor presidente da direção. Lealdade e trabalho nunca lhe foram negados.

— Se a lista B ganhar as eleições – tudo está nas mãos dos associados – o que vamos ter é mais do mesmo. E quando vierem novas eleições lá teremos o mesmo choradinho: Agora é que vai ser! Vamos virar tudo do avesso!

Passemos àquilo a que chama a “Carta de Compromissos”.

Avaliar:

Ficamos estupefactos. Então o senhor presidente, há tantos anos à frente da instituição, ainda vai avaliar o que deveria saber de cor e salteado?

  1. Condição financeira da FFP. Não a conhece? Que tem então andado a fazer? Dirige uma instituição e não sabe da sua condição financeira? O senhor ainda é o presidente…
  2. Analisar a condição do corpo diretivo da FFP. Para quê? Então os colaboradores que o senhor próprio escolheu ainda vão ser analisados? Talvez para vir a dizer deles o mesmo que agora diz dos atuais, esquecendo toda a lealdade, esforços e trabalhos que lhes deve.
  3. Realizar um inquérito de diagnóstico e avaliação ao movimento folclórico nacional no seu todo. É de pasmar. Como é possível que alguém que é presidente, e que quer continuar presidente, precise do tempo de após eleições para fazer um inquérito para conhecer a sua instituição? O que o movimento precisa é de um presidente e de uma equipa experiente e qualificada que conheça a instituição, que já saiba do que ela precisa e que tenha capacidade, competência e disposição para fazer o que é adequado para a dignificação e eficiência da FFP, no que respeita aos seus objetivos já bem e oficialmente definidos.

Estruturar

Não vale a pena apreciar caso a caso, porque todos eles são apenas conjuntos de palavras ocas e sem sentido prático. Era preciso que em cada alínea se dissesse como é que se vai proceder. Citamos apenas dois exemplos, suficientes para se ver o crédito que merecem estes e os outros:

Definitivamente ativar e dinamizar o Conselho Científico da FFP. Para se poder acreditar nisto, era obrigatório mais uma vez, que dissesse COMO o vai fazer. Respondam-nos entretanto: O Conselho Científico não tem funcionado... Que fez o presidente da direção para lhe dar vida?

Criar o cartão de sócio da FFP para todos os associados e conselheiros técnicos regionais. É espantoso! Ou as pessoas estão desmemoriadas ou pretendem esconder-se atrás do fumo. Ou atirar areia para os olhos... Então não consta do Regulamento Geral Interno (n.º 2 do Art.º 16) que os sócios têm o direito de receber o diploma de associado de acordo com os modelos aprovados pela direção. Se a lista B, quando eleita, vai fazer inquéritos, como diz, então faça já um inquérito a todos os associados (efetivos, auxiliares e aderentes) para ficar a saber quantos e quais são os que nunca viram tal diploma. Porquê pensar em cartões quando ainda não cumpriu a obrigação dos diplomas?

— E pensamos que sobre a apreciação do documento chamado de “Carta de Compromissos”, não é preciso ir mais além. Quanto ao seu valor de compromisso estamos conversados.

E para terminar esta conversa que já vai demasiado longa, perguntamos ao senhor presidente, candidato a presidente:

Como é possível que alguém que agora se diz tão empenhado no futuro da Federação do Folclore Português, que promete salvá-la, agora, sendo o presidente legítimo da sua direção, a tenha abandonado completamente sem uma palavra de explicação aos seus companheiros, ou aos órgãos sociais desde o dia 27 de agosto, passado?

Não vai às reuniões…

Não responde às solicitações mesmo quando urgentes…

Não se demitiu do seu cargo mas demitiu-se, efetivamente, das suas funções e obrigações estatutárias…

Atropela os diversos organismos (como o Conselho Técnico Nacional) através de procedimentos irregulares e à sua revelia...

Tudo isto é profundamente lamentável e inadmissível!

Uma última pergunta: Que fez o senhor presidente para a realização do próximo Congresso de Leiria? As preocupações com a dignidade e o prestígio da FFP onde estão?

Lá o esperamos em Leiria para o discurso de abertura, como lhe cumpre.

Os elementos dos órgãos sociais da FFP.

MONÇANENSE CRIA “CABAZ DA SAUDADE”

“Um cabaz com o gosto da saudade”

Carla Sá Pereira, enfermeira de profissão, vianense por nascimento e monçanense por opção, vila onde reside há uma década, lançou recentemente o 'Cabaz da Saudade', sendo apresentado publicamente este sábado, 10 de dezembro, pelas 15h00, no Museu do Alvarinho.

Através do portal www.cabazdasaudademoncao.pt é possível encomendar um cabaz com produtos exclusivos da terra. Entre estes, o cliente pode encontrar vinhos, licores, mel, compotas, doçaria, fumeiros, chocolates, roscas e artesanato diverso. O tamanho do cabaz varia entre o grande, o médio e o pequeno.

Para a concretização desta “ideia empreendedora”, a responsável desenvolveu parcerias com vários produtores e artesãos do concelho. Com o projeto em andamento, o objetivo passa por promover Monção e espalhar os sabores monçanenses pelos quatro cantos do mundo. Ou seja: “O melhor de Monção, em sua casa”.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CAMINHA REÚNE SEXTA-FEIRA EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Sessão vai decorrer, pelas 21H00, no Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora

A Assembleia Municipal de Caminha vai reunir sexta-feira, dia 09 de dezembro, pelas 21H00, no edifício do Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora. À semelhança das anteriores, esta sessão pode ser acompanhada em direto, online, através do sítio do município e nas redes sociais a ele associadas.

Depois do período de antes da ordem do dia, os deputados municipais vão analisar a informação escrita do presidente da Câmara sobre a atividade do Município e a situação financeira do mesmo.

Da ordem de trabalhos faz parte a apreciação das Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2017. O documento reforça a ideia de coesão estratégica deste executivo, quer na contenção da despesa, quer na previsão da receita, tendo por base a análise dos últimos documentos previsionais desde 2014. Para Miguel Alves, este é um orçamento "amigo das famílias, porque mantém em baixa a carga fiscal, porque apoia as pessoas com políticas educativas ativas e políticas económicas geradores de emprego - amigo das empresas - porque investe mais, criando novas oportunidades para as empresas, sejam elas do ramos da construção civil ou reabilitação urbana, sejam as que estão ligadas à promoção do turismo através da aposta na hotelaria, restauração ou eventos - amigo das instituições - porque incrementa os apoios às instituições sem fins lucrativos e articula atividades com o associativismo cultural, desportivo e social - amigo do futuro - porque não hipoteca as novas gerações, mantém um nível de contenção e responsabilidade elevado e investe de forma virtuosa na Educação, no Ambiente e na Economia". Em relação ao Plano Plurianual de Investimentos (PPI), que crescerá também neste ano de 2017, o orçamento prevê um aumento de investimento nas Funções Sociais na ordem dos 9.5%, do qual se destacam as obras de requalificação e ampliação da Escola Secundária Sidónio Pais em Caminha e Vilarelho e as obras de saneamento e de beneficiação de infraestruturas de rede que tem em vista fortes investimentos nas freguesias de Âncora, Argela, Moledo, Seixas e Vila Praia de Âncora e Vilar de Mouros. Prevê também um aumento de investimento em Funções Económicas de mais de 35% (reforço de quase 300 mil euros), prevendo que a aposta em acessibilidades e arruamentos nas freguesias possam atingir um incremento de 42% face ao exercício anterior. "Estamos aqui a identificar várias intervenções no território, das quais destacamos as seguintes: pavimentação da rua da Bargiela em Âncora, a requalificação do Nó da Erva Verde em Vila Praia de Âncora, a intervenção no Caminho dos Tornicos e do Agrelo em Vilar de Mouros, o apoio na requalificação da Avenida da Liberdade em Lanhelas, o alargamento do Caminho do Pinto na freguesia de Gondar e Orbacém, uma intervenção na Rua de Santa Marinha em Argela, a beneficiação do Largo da Igreja em Riba de Âncora, a beneficiação da Avenida Barão de S. Roque na freguesia de Venade e Azevedo, a intervenção na Avenida de Santana em Moledo", concretiza-se no documento. O orçamento prevê ainda um aumento 69% no investimento em Comércio e Turismo, "disponibilizando mais de 115 mil euros para uma área tão importante no contexto do concelho de Caminha. De referir que, ao orçamento e ao PPI, junta-se um Plano de Atividades Municipais (PAM) que prevê uma despesa de 884 mil euros. Aqui se juntam as mais importantes atividades levadas a cabo pelo Município de forma isolada, algumas vezes, mas também em conjunto com as instituições do concelho ou através de parcerias empresariais. O PAM elenca distintos eventos e organizações que não esgotam a atividade da Câmara Municipal, mas que deixam clara a aposta feita na Educação, na Cultura e no Desporto, áreas de eventos e atividades por excelência.

A Assembleia vai pronunciar-se sobre o Mapa de pessoal para 2017.

Da ordem de trabalhos faz parte a aprovação do lançamento de uma derrama de 1,5% e isenção da mesma para as empresas que tenham criação líquida de postos de trabalho; novas empresas com sede em Caminha e criadas no Município e, ainda, sujeitos passivos cujo volume de negócios no ano anterior não ultrapasse os 60.000€.

Os delegados municipais vão apreciar a participação variável no IRS relativa aos rendimentos do ano 2017 fixada em 1,5%. Vão igualmente pronunciar-se sobre a Taxa Municipal de Direitos de Passagem.

A votação estarão sete contratos interadministrativos a celebrar entre a Câmara Municipal de Caminha e as Juntas de Freguesia de Âncora, Dem, Riba de Âncora Vilar de Mouros, a União de Freguesias de Gondar e Orbacém, a União de Freguesias de Moledo e Cristelo e a União de Freguesias de Venade e Azevedo no montante de 93 mil euros, para transporte dos alunos do 1º, 2º, 3º ciclos, secundário e vocacional para os respetivos estabelecimentos de ensino.

A Assembleia vai ainda deliberar sobre os contratos interadministrativosa celebrar entre a Câmara Municipal e o Agrupamento de Escolas Sidónio Paisno âmbito do programa de generalização de fornecimento de refeições escolares aos alunos do pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico, no montante de 172.636,80€. De igual modo, vai pronunciar-se sobre oscontratos interadministrativosa entre a Câmara Municipal de Caminha e a Junta de Freguesia de Dem, no valor de 10.431€, para implementação do programa de generalização de fornecimento de refeições escolares aos alunos do pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico. O objetivo é assegurar uma alimentação saudável, equilibrada e com qualidade, a um preço uniforme a todos os alunos do 1º ciclo e pré-escolar.

Por último, os delegados municipais vão votar um contrato administrativo a celebrar entre a Câmara Municipal de Caminha e a União de Freguesias de Moledo e Cristelo para a atividade de Animação e Apoio à Família.

ARCOS DE VALDEVEZ REALIZA APRESENTAÇÃO PÚBLICA MAGIA DE NATAL 2016

Realizou-se, dia 5 de dezembro, a Apresentação Pública da Magia de Natal, no âmbito da Campanha de Natal 2016, promovida pela ACIAB, Câmara Municipal de Arcos de Valdevez e Comércio Tradicional de Arcos de Valdevez, são várias as ações que se realizarão durante o período natalício, onde a aposta se centra na promoção dos produtos locais, para dinamização das empresas, para atrair visitantes e promover a economia local. Desta forma, Arcos de Valdevez vai estar repleto de ações alusivas ao natal, como animação, sonorização, decoração de ruas, iluminação de natal e muitas outras ações. 

Natal16_primeira.jpg

João Manuel Esteves, Presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, falou sobre as ações integradas na Magia de Natal, em parceria com a ACIAB, que iniciou com a iluminação nas ruas de Arcos de Valdevez, no dia 25 de novembro e que se prolongam até dia 7 de janeiro. “Esta parceria com a ACIAB e as associações do concelho, transmitem um sentimento de partilha, promovendo o comércio, atraindo assim mais turismo a Arcos de Valdevez”.

No âmbito da Magia de Natal, realizar-se-á de 8 a 11 de dezembro a Feira dos Doces e do Chocolate, no Campo do Trasladário, na qual estarão presentes os doces típicos da época natalícia, assim como muita animação alusiva ao Natal. Para a passagem de ano, estará presente o Programa da TVI “Somos Portugal”, que terá início às 14h30 até às 20h00 e que fará reportagem em vários locais do concelho.

Natal16_segunda.jpg

António Marques Campos, Presidente da Direção da ACIAB, falou da importância destas iniciativas no concelho de Arcos de Valdevez, uma vez que promovem o comércio, “A iluminação de Natal cria um ambiente acolhedor, os empresários preocupam-se cada vez mais com a decoração das montras, de forma a receber o consumidor, os turistas e os emigrantes”. Afirmou ainda que a parceria com o Município é de extrema importância, porque os empresários sentem-se mais apoiados, o que dinamiza o tecido empresarial, tornando-o mais atrativo, criando assim mais riqueza para o nosso concelho.

Francisco Peixoto Araújo, Vice-presidente da Direção da ACIAB, fez questão de realçar que este tipo de iniciativas fazem parte dos objetivos da ACIAB, com o intuito de atrair pessoas de outras regiões e turismo, de forma a fomentar a economia da região, através de um conjunto de iniciativas, eventos que promovem as nossas empresas e a região. Salientou ainda, que a Iluminação de Natal iniciou mais cedo e que abrange mais ruas, pois para o comércio é relevante este tipo de eventos trazendo mais vida e animação embelezando mais  ruas e centro histórico. 

Referiu ainda, que à semelhança dos anos anteriores, a ACIAB aposta no Sorteio de Natal, tendo aumentado o número de aderentes e patrocinadores a esta iniciativa, cerca de 200 empresas aderentes e 35 empresas patrocinadoras dos concelhos de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca.

Francisco Peixoto Araújo, lançou um desafio ao Município de Arcos de Valdevez, parceria entre as duas entidades na realização de eventos e ações para 2017, para promoção e dinamização do tecido empresarial e região.

Ao longo do ano, a ACIAB tem apostado na realização de diversas iniciativas, passando a mensagem de que comprando nas nossas empresas promove-se a região, aproxima-se os clientes do comércio, dinamizando o tecido empresarial e a região. 

Natal16_terceira.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE APROVA VERBAS PARA REABILITAÇÃO URBANA DE APÚLIA, FÃO, ESPOSENDE E MARINHAS

Quatro milhões para reabilitação urbana de Apúlia, Fão, Esposende e Marinhas

A Câmara Municipal de Esposende acaba de ver aprovado, pela Comissão Diretiva do Norte 2020, o Plano de Ação de Regeneração Urbana (PARU), no valor que ultrapassa ligeiramente os três milhões de euros, mas que pode atingir os quatro milhões, mercê das bonificações decorrentes do cumprimento dos prazos e normas estipuladas. Esta medida beneficiará as zonas urbanas de Apúlia, Fão, Esposende e Marinhas.

Esposende. aérea.jpg

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, este plano que contempla a recuperação de imóveis, nas zonas de maior densidade urbana, significa “dinheiro para investimento público, com todo o proveito para os privados, em condições vantajosas, pois contempla vasta isenção de taxas”.

Tida como componente indispensável ao desenvolvimento socioeconómico e urbano local, o programa insere-se num plano mais alargado, decorrente do novo regime jurídico da reabilitação urbana que veio estabelecer novas regras às autarquias locais. Desde logo, a possibilidade de delimitar e assegurar a promoção das medidas necessárias à reabilitação das áreas urbanas que dela careçam.

Face aos desafios do novo quadro comunitário (Portugal 2020), à importância conferida aos centros históricos e frentes ribeirinhas, nomeadamente espaços urbanos e verdes de utilização coletiva, equipamentos, atividades económicas e infraestruturas correspondentes, as ARU são um importante instrumento de ordenamento do território.

O Município de Esposende “arriscou” a elaboração dos quatro projetos de reabilitação, colhendo agora os frutos de tal estratégia de renovação urbana, ganhando vantagem na submissão de candidaturas a fundos comunitários. Particulares e entidades privadas que queiram fazer obras ficam, também, abrangidos por benefícios fiscais aplicáveis nas operações urbanísticas a desenvolver.

O Município de Esposende definiu as áreas de Apúlia, Fão, Esposende e Marinhas, por serem espaços urbanos consolidados, com relevante interesse patrimonial e que apresentam alguns problemas de degradação física dos edifícios. De resto, esses locais têm estado na base de outras medidas de reabilitação urbana, adotadas pela Câmara Municipal de Esposende.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, as áreas constituem um “instrumento fulcral de planeamento, pois determinam uma intervenção integrada de reabilitação, a qual trará também benefícios para os particulares, nomeadamente de natureza fiscal”. Benjamim Pereira sublinha que este trabalho de planeamento urbano será desenvolvido em articulação com as respetivas Juntas de Freguesia, abrindo também a discussão à comunidade.

VIZELA INCENTIVA A GERIR IMAGEM PESSOAL

"O Produto és tu" com casa cheia

Cerca de 200 jovens vizelenses responderam positivamente ao desafio da Câmara Municipal enchendo por completo o auditório Luís Lopes Guimarães.

O Prdoduto és tu.JPG

“Transforma a venda do teu Produto! Qual Produto? O Produto És Tu!”. Este foi o mote da palestra que teve lugar, ontem, no auditório Luís Lopes Guimarães, em Vizela, promovido pela Câmara Municipal de Vizela, em parceria com a empresa de gestão de recursos humanos e consultoria “Alento”.

Este evento contou com a presença da Vereadora Dora Gaspar que, na abertura da sessão, referiu a importância destas iniciativas no sucesso da procura ativa de emprego.

Perante uma jovem plateia em transição para o mercado de trabalho, Artur Moura Queirós da ‘Alento’ interagiu com o público, focando algumas pistas importantes, nomeadamente como elaborar um plano pessoal de marketing e comunicação; a importância do networking; como gerir a imagem pessoal e profissional; técnicas comportamentais em entrevistas/reuniões de trabalho.

Esta foi mais uma iniciativa da Câmara Municipal de Vizela, no âmbito do serviço prestado pelo Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento Jovem para a Empregabilidade Total (GADJET) e que se enquadra na promoção e desenvolvimento junto dos jovens de um conjunto diversificado de competências que os ajuda a encarar, de forma pró-ativa e assertiva, os desafios da (re)integração no mercado de trabalho.

O GADJET resulta num trabalho efetivo de parceria com o Gabinete de Atendimento e Acompanhamento Social (GAAS) da Santa Casa da Misericórdia de Vizela, os Estabelecimentos de Ensino, Educação e Formação do Concelho e o Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP).

GUIMARÃES INAUGURA RUA “S. NICOLAU DOS ESTUDANTES” NO DIA DO PADROEIRO DOS NICOLINOS

CERIMÓNIA DECORREU ESTA TERÇA-FEIRA, 06 DE DEZEMBRO

Toponímia vimaranense enriquecida com ligação do Largo Conde de Arnoso, no Campo da Feira, ao Parque das Hortas. Que terá um novo nome a partir de abril do próximo ano. Passará a chamar-se Largo da República.

Guimaraes_Rua_S_Nicolau_Estudantes_Inauguracao.jpg

A requalificação urbanística e funcional efetuada pela Câmara de Guimarães no Parque das Hortas e da sua área envolvente, que deu origem à nova rua “S. Nicolau dos Estudantes”, hoje inaugurada, «acrescentou cidade à cidade», considerou o Presidente do Município, Domingos Bragança, no dia em que a ligação rodoviária e pedonal entre o Largo República do Brasil e as Hortas passou a ter a denominação do padroeiro dos estudantes do ensino secundário de Guimarães, falecido no dia 06 de dezembro.

«Esta rua, que está num dos locais mais bonitos e emblemáticos de Guimarães, representa a nossa gratidão para com todos os nicolinos que nos antecederam e para com os que mantêm hoje viva esta tradição de Guimarães! As Festas Nicolinas são sentidas por todos os estudantes, mas está também no coração de todos os vimaranenses, que as vivem com emoção e afeto numa cidade que se afirma cada vez mais no presente e no futuro», disse o responsável pelo Município, que anunciou uma nova denominação para o Parque das Hortas a partir do dia 25 de Abril de 2017, passando a chamar-se Largo da República.

Domingos Bragança referiu também que está a «trabalhar no sentido de encontrar uma sede» para a Associação de Comissões de Festas Nicolinas. «Será um espaço nobre e um local de reunião onde terão a possibilidade de disponibilizar o seu acervo», acrescentou. Recentemente, o Presidente da ACFN reuniu com o Presidente da Autarquia. Em dia de «festa e especial», Rui Silva agradeceu a colaboração da Câmara e lembrou que, depois da Travessa da Senhora Aninhas, madrinha dos estudantes, os nicolinos passaram a ter agora uma rua. «Um dia teremos uma avenida…», disse, entre sorrisos, numa cerimónia onde Nuno Guimarães, Presidente da Comissão de Festas 2016, enalteceu o «marco importante» da inauguração.  

Na sua intervenção, o Presidente da Câmara destacou igualmente o trabalho desempenhado por Augusto Costa à frente da Associação de Antigos Estudantes do Liceu de Guimarães (AAELG), que concluiu um mandato de 18 anos enquanto Presidente da Direção dos “Velhos Nicolinos”, sucedendo agora a José Ribeiro. «Merece o nosso reconhecimento, porque deixa um bom legado e transmite o testemunho a uma pessoa também apaixonada pelas Nicolinas. Esse é um princípio para que tudo corra bem!», afirmou Bragança, que realçou a importância da Irmandade de S. Nicolau, agora liderada por Carlos Sousa, pelo «sentimento de religiosidade» que confere às festas.