Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA REFORÇA LAÇOS PARA DESENVOLVIMENTO DO TURISMO RELIGIOSO

VI Congresso Internacional das Cidades Santuário

Braga foi uma das Cidades presentes no VI Congresso Internacional de Cidades Santuário, que decorreu no passado fim-de-semana, em Fátima, e que contou com a presença de mais de 250 participantes, provenientes de 18 países de vários pontos do mundo.

cidadsant (2).jpg

Este evento internacional, organizado pelo Município de Ourém, em conjunto com a Junta de Freguesia da cidade de Fátima, a ACISO – Associação Empresarial Ourém-Fátima, e o Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria, debateu os desafios e experiências das cidades-santuário no que diz respeito à peregrinação e ao turismo religioso, assim como a necessidade de aprofundar a cooperação entre os diversos actores.

António Barroso, membro do Gabinete de Apoio à Presidência do Município de Braga, sublinhou a importância de reforçar a notoriedade de Braga e a cooperação com mais parceiros nacionais e internacionais no âmbito do turismo religioso. “É em momentos e iniciativas desta natureza que temos que apresentar o que somos, o que possuímos e onde estamos, para incrementar a nossa presença nestes circuitos. O projecto ‘Shrines da Europa’ tem 20 anos e congrega os municípios dos principais santuários marianos europeus. Braga tem no Santuário do Sameiro o segundo maior santuário mariano do País, depois de Fátima”, afirmou o responsável, que moderou o painel ‘Desafios e oportunidades para as comunidades de acolhimento’.

“Neste grande debate tivemos a oportunidade de apresentar os nossos principais atractivos no âmbito do turismo religioso, nomeadamente o Santuário do Sameiro, do Bom Jesus, o Mosteiro de Tibães, casa mãe dos beneditinos portugueses e brasileiros, a Sé Catedral, a mais antiga de Portugal, assim como as dezenas de igrejas e capelas da nossa Cidade”, referiu António Barroso, não esquecendo os eventos religiosos que ocorrem em Braga, como a Semana Santa, Presépio de Priscos, “entre outras riquezas e atractivos patrimoniais e religiosos”

Relativamente ao tema em moderação, António Barroso lembrou que “o aumento dos fluxos turísticos e a diversidade de objectivos dos visitantes impõem, por parte dos responsáveis dos locais de acolhimento, novas formas de gestão, de cooperação e de constante procura dos modos criativos para manter e incrementar uma actividade económica que surge como uma das poucas áreas em que a oferta de bens e serviços gera riqueza e cria empregos”, afirmou acrescentando que “o trabalho em parceria com a Igreja e com os empresários são a semente para proporcionarmos as melhores experiências a quem nos visita”.

Braga na primeira linha da futura rede de cidades santuário

Neste congresso ficou patente a possibilidade de ser criada uma rede alargada e de âmbito mundial de cidades santuário. Paulo Fonseca, presidente da Câmara Municipal de Ourém, apelou à união, lembrando um mundo global e digital onde os povos têm que se unir para conseguirem progredir em conjunto. “Nós temos entre mãos os condimentos para fazer um caso de sucesso”, frisou, num discurso que apelou ao trabalho colectivo, ao “derrubar muros, em prol de um objectivo comum que é a promoção do turismo religioso, integrado numa rede que possa trazer mais atractivos ao viajante.”

Uma ideia vista com bons olhos por Braga, uma vez que “é objectivo do Município acompanhar o trabalho desta futura rede que será muito importante na dinamização e desenvolvimento do turismo religioso a nível mundial, onde Braga quer estar desde a primeira hora”, referiu António Barroso.

Este congresso internacional contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, que apelou à união entre sector público e privado, para que partilhem os seus conhecimentos no sentido de criar projectos mais amplos.

cidadsant.jpg

EMPRESAS MUNICIPAIS DE BRAGA PAUTAM-SE PELO RIGOR DA GESTÃO

Empresas Municipais destacam-se pelo rigor na gestão e cumprimento do serviço público. Executivo aprovou contratos-programa no valor de 7,2 ME

Foram aprovados hoje, dia 14 de Novembro, em sede de Reunião do Executivo Municipal, que se realizou no Salão Nobre dos Paços do Concelho, os contratos-programa relativos às empresas municipais Transportes Urbanos de Braga, Theatro Circo, InvestBraga e BragaHabit.

CMB14112016SERGIOFREITAS0000003550.jpg

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, as empresas municipais têm cumprido exemplarmente a sua missão, cada uma dentro do seu âmbito e das especificidades dos sectores que actuam. “Se olharmos para a realidade destas empresas face ao passado, vemos evidentes melhorias do ponto de vista da gestão e dos resultados financeiros e há que destacar o serviço público prestado à população em cada uma das áreas de intervenção, que tem superado as expectativas”, afirmou.

No total, o Município irá transferir para as referidas empresas o valor de 7,2 milhões de euros em 2017 - os TUB recebem 5.159.251 euros, o Theatro Circo 747.853 euros, a BragaHabit, um milhão de euros e a InvestBraga 311.250 euros.

Na ocasião, o Edil sublinhou que, no que se refere à InvestBraga, o valor aumentou face a 2016 devido ao facto de a actividade do Parque de Exposições estar condicionada em 2017. “Sempre que a actividade das empresas gera recursos que financiem o serviço público que prestam, diminuímos a verba transferida em contrato-programa. Era isso que estava a acontecer na InvestBraga, mas, no próximo ano, a actividade das feiras e exposições será fortemente condicionada pelas obras de requalificação que o espaço irá sofrer”, explicou.

Relativamente à BragaHabit, o Edil afirmou que o Regime de Apoio Directo ao Arrendamento é agora atribuído directamente pela Autarquia, sendo que à empresa compete a tramitação administrativa dos processos. “Passamos de um apoio de 300 mil euros para mais de 500 mil financiados pelo orçamento Municipal, o que permitiu reduzir significativamente o período de espera. No restante, mesmo perante as condicionantes socias e legais com que a BragaHabit se depara, as necessidades dos cidadãos estão a ter resposta”, garantiu.

Quanto ao Theatro Circo, Ricardo Rio salientou que o equipamento, que tem apresentado uma dinâmica extremamente importante no Concelho, tem neste momento a sua situação económico-financeira regularizada após a alteração introduzida pelo Governo na lei das finanças locais. “Esta estabilidade permitirá o desenvolvimento natural da actividade do Theatro, a concretização de projectos e a optimização do funcionamento”, referiu.

Por fim, no que diz respeito aos TUB, o Autarca lembrou a ´realidade única´ da empresa no panorama nacional devido ao facto de ter vindo a registar um número crescente de utilizadores, ao mesmo tempo que mantém uma política de preços reduzidos e apoios sociais.

Serviço de teleassistência a idosos combate o isolamento

Na reunião do Executivo foi também aprovado o regulamento do “Braga +65”, que pretende ser um referencial na intervenção, combate e prevenção da situação de isolamento e protecção social aos idosos que se encontrem em situação de vulnerabilidade social.

O programa disponibilizará o acesso a um kit - serviço de teleassistência - para os idosos que vivam sós e/ou isolados, ou em agregados familiares com vulnerabilidades sociais e carência económica, assim como o acesso a uma linha telefónica de apoio aos Munícipes que usufruam do kit.

O serviço de teleassistência dará uma resposta célere no apoio ao idoso em situação de emergência. Será um serviço de atendimento permanente, 24horas por dia, 365 dias por ano, num sistema de gestão de alarmes, permitindo a comunicação de voz bidireccional entre o utente e o(a) operador(a).

Após a recepção das chamadas e a elaboração da triagem será accionado o serviço mais adequado como resposta de auxílio, nomeadamente o atendimento e acompanhamento de situações de emergência, envio urgente de médicos e enfermeiros, solicitação de serviço de ambulâncias, bombeiros e polícia ou contacto com familiares ou terceiros.

O sistema de teleassistência fixo está desenhado para poder operar eficazmente numa área de até 200m2, assegurando a comunicação com o Utente independentemente da existência de paredes e/ou portas. O botão de alarme pode ser utilizado no pulso (tipo relógio) ou como medalhão pendurado ao pescoço.

O pedido para recepção do kit de teleassistência para os Munícipes que integrem o perfil deste projecto deverá ser feito através de uma ficha de inscrição, solicitada e entregue no Balcão Único e posteriormente encaminhada para o Gabinete de Apoio à Pessoa Idosa (GAPI).

De acordo com Firmino Marques, vice-presidente do Município, esta é uma ´resposta importante´ para que se possa estar cada vez mais próximo das pessoas que residem em situação de isolamento. “Esta relação com os seniores tem como maior preocupação os serviços de saúde e vem no seguimento de um vasto conjunto de medidas que têm por objectivo melhorar a qualidade de vida da população sénior”, disse.

CMB14112016SERGIOFREITAS0000003551.jpg

CABECEIRENSES CANTAM AO S. MARTINHO

Encontro de Quadras de S. Martinho juntou vinte grupos

Vinte grupos apresentaram-se ontem, dia 13 de novembro, ao 16º Encontro de Quadras de S. Martinho, uma iniciativa organizada pela Basto Vida e pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, em colaboração com a União de Freguesias de Arco de Baúlhe e Vila Nune, um convívio de S. Martinho repleto de animação, onde não faltaram as castanhas assadas e o vinho novo.

Encontro de Quadras de S. Martinho (1).JPG

Ao evento não faltaram o presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, os vereadores e presidentes das Juntas de Freguesia, entre outros autarcas do município e das freguesias e público em geral.

Felicitando todos os participantes no Encontro de Quadras de S. Martinho, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, enalteceu a realização de mais uma edição do Encontro de Quadras de S. Martinho, uma iniciativa que dá visibilidade às freguesias e à cultura local.

Elogiando o trabalho, empenho e dedicação de todos os grupos que subiram ao palco, Francisco Alves agradeceu o envolvimento de todos nesta iniciativa afirmando que esta “é uma tradição que não devemos perder” como forma de preservar o património cultural imaterial concelhio.

Mais de 300 cantadores/tocadores em representação das associações, coletividades e instituições do concelho de Cabeceiras de Basto subiram ao palco do Pavilhão Desportivo do Arco de Baúlhe e interpretaram músicas e letras originais ou adaptadas alusivas à época, revivendo a tradição e estimulando a defesa do património cultural que são as cantigas populares.

O encontro teve como principal objetivo a apresentação de cantares de quadras inspiradas em São Martinho, nas suas formas mais genuínas e autênticas, proporcionando ao mesmo tempo uma jornada de convívio entre as associações/coletividades do concelho e o público em geral.

No final da tarde, realizou-se o já típico magusto com castanhas assadas, caldo verde e vinho novo para todos os presentes.

Encontro de Quadras de S. Martinho (2).JPG

Encontro de Quadras de S. Martinho (3).JPG

Encontro de Quadras de S. Martinho (4).JPG

VIMARANENSES CORREM PELO PATRIMÓNIO

INSCRIÇÕES ABERTAS

Guimarães promove “Corrida pelo Património” nos 15 anos da classificação da UNESCO

Largo do Toural é o local de partida e chegada de um evento desportivo e cultural que inclui passagens por monumentos emblemáticos de Guimarães. Participantes serão surpreendidos com evento no interior do Castelo.

Guimaraes_Corrida_Patrimonio.JPG

As inscrições para a segunda edição da “Corrida pelo Património”, que se realiza em Guimarães no próximo dia 13 de dezembro, pelas 21 horas, estão abertas até ao dia 09 de dezembro. Integrada nas comemorações do 15º aniversário da elevação do Centro Histórico a Património Cultural da Humanidade, a Câmara Municipal de Guimarães e o movimento “Guimarães Corre Corre” vão organizar um evento que terá no interior do Castelo um dos momentos altos do percurso.

A iniciativa, com a duração estimada de uma hora e meia, não tem características competitivas e está aberta à participação de todas as pessoas. O itinerário, com 7 quilómetros de extensão, percorrerá cerca de meia centena de ruas e vielas do centro da cidade de Guimarães, com passagem pelo interior de monumentos e espaços públicos, como é o caso dos Jardins do Palácio de Vila Flor, Instituto de Design / Fábrica da Ramada, em Couros, Museu de Alberto Sampaio ou Castelo.

Este ano, o Largo do Toural foi o local escolhido para a partida e chegada deste evento desportivo e cultural, com inscrição gratuita, mas limitada a um número máximo de 1.000 participantes. A organização garante o seguro de responsabilidade civil a todos os intervenientes nesta iniciativa, que tem o apoio da Tempo Livre, Bombeiros Voluntários de Guimarães, Polícia de Segurança Pública, Paço dos Duques de Bragança, Museu de Alberto Sampaio e Centro Cultural Vila Flor.

As inscrições devem ser efetuadas através do website da Câmara Municipal de Guimarães, Balcão Único da Autarquia ou na Tempo Livre. O kit do atleta, composto por uma t-shirt técnica, terá de ser levantado até às 17:30 horas dos dias 12 e 13 de dezembro, no Welcome Centre, situado na Rua Paio Galvão, mediante a apresentação do comprovativo de inscrição.

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS DIVULGA PROGRAMA DO CONGRESSO

Federação do Folclore Português

Congresso Nacional de Folclore

«Folclore: entre o material e o imaterial»

Nos próximos dias 10 e 11 de dezembro, realizar-se-á o Congresso Nacional de Folclore, no Teatro José Lúcio da Silva (cidade de Leiria), promovido pela Federação do Folclore Português com o patrocínio da Câmara Municipal de Leiria e a colaboração do Conselho Técnico Regional da Alta Estremadura e bem assim dos grupos de folclore da região da Alta Estremadura e sócios auxiliares em nome individual da Federação do Folclore Português.

14991870_1108715572511398_819571476813994511_n.png

Mais uma vez, o movimento folclórico nacional encontrará um espaço de reflexão e debate sobre algumas das temáticas que ocupam, hoje, um lugar de destaque no panorama da cultura tradicional e popular portuguesa e a sua salvaguarda. Esta edição do Congresso estará subordinada ao tema «Folclore: entre o material e o imaterial» e insere-se no plano plurianual de atividades da Federação do Folclore Português. Assumese enquanto momento reflexivo da abrangente temática que envolve a ação dos vários agentes do movimento folclórico nacional e que com eles interagem.

Objetivo geral do congresso:

A realização do presente congresso consiste em analisar e debater as relações entre as vertentes material e imaterial do património cultural, no âmbito do folclore, visando delinear uma visão clara desta problemática justapondo e confrontando as perspetivas institucionais da FFP e da UNESCO.

No contexto nacional, tem-se assistido, recentemente, ao surgimento de diversos projetos de classificação patrimonial da humanidade, no âmbito da UNESCO, respeitante a manifestações culturais tradicionais e populares. Também é conhecida a emergência de novos projetos/intensões a este respeito dispersos um pouco por todo o território nacional. Entender este fenómeno, analisar a viabilidade de tais projetos, discutir os processos que estes implicam, estabelecer uma eventual relação direta com o campo de ação dos grupos de folclore e descortinar prováveis benefícios/oportunidades inovadoras que a promoção do património imaterial poderá assumir no contexto das comunidades e das suas forças vivas parece ser uma temática de crescente interesse para o movimento folclórico nacional e que vale a pena explorar.

De igual modo, nesta sociedade pós-moderna em que vivemos, testemunha-se a emergência de um novo fenómeno social entre as crianças e jovens da era digital. A sua manifesta falta de interesse pelas temáticas do património cultural imaterial é uma realidade profundamente sentida no quotidiano dos grupos de folclore. Pretende-se explorar esta problemática encontrando ferramentas que atenuem, ou mesmo contrariem, esta tendência nefasta para a transmissão dos valores e da matriz identitária nacional para as futuras gerações.

Objetivos específicos:

1- Debater os conceitos do património cultural imaterial à luz da FFP e da UNESCO.

2- Identificar pontos-chave/fortes que cada forma de entendimento poderá oferecer à outra.

3- Compreender o modo como cada área pode beneficiar a outra de forma sustentada e frutífera.

4- Promover, incentivar e divulgar o debate e desenvolvimento de novas ideias e conceitos sobre a exploração do potencial do património cultural imaterial, nas suas diversas dimensões, pelas associações culturais (grupos/ranchos folclóricos ou etnográficos).

5- Refletir sobre o processo de valorização da cultura tradicional e popular na perspetiva do artesão.

6- Conhecer a opinião e auscultar os participantes em relação ao seu entendimento da relação que deva existir entre os grupos de folclore e o património cultural imaterial.

7- Debater e propor ferramentas e mecanismos de sensibilização e mobilização dos jovens no processo de salvaguarda e divulgação da cultura popular e tradicional.

Data: 10 e 11 de dezembro de 2016

Local: Teatro José Lúcio da Silva - Leiria

Organização:

- Federação do Folclore Português

- (CTR Alta Estremadura)

- Apoio: Câmara Municipal de Leiria

FOLCLORE: ENTRE O MATERIAL E O IMATERIAL

10 de Dezembro de 2016

08:30 - Abertura do Secretariado

Monitor de Continuidade: Rodrigo Sousa Martins

Apoio: Ana Rita Leitão & Dinis Correia Mateus

09:00 - Acolhimento dos congressistas e convidados

09:15 - Sessão solene de abertura Presidente da Assembleia Geral da FFP | Inspetor António Lopes Pires

09:45 - Alocução ao congresso

Presidente da Federação do Folclore Português | Fernando Ferreira

10:00 - I PAINEL

Dualidades entre o material e o imaterial

Moderador: Dr. António Gabriel (Vice-presidente da FFP; Conselheiro Técnico Regional, Conselho Científico e Conselho Técnico Nacional da FFP)

Comissão Nacional da UNESCO em Portugal - Dr.ª Clara Bertrand Cabral

Federação do Folclore Português - Doutor Daniel Calado Café

11:15 - Intervalo

11:30 - Debate

13:00 - Almoço | Estádio Municipal de Leiria, Dr. Magalhães Pessoa

- II PAINEL

Procedimentos de Inventário e de Classificação

Moderador: Dr.ª Ana Rita Leitão

(Mestre em Política Cultural Autárquica; Vice-presidente da FFP; Diretora de Zona e Conselho Técnico Nacional da FFP)

Direção Geral do Património Cultural - (Divisão do Património Cultural Imaterial) |

O Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial - Procedimentos de Inventário e Registo de Bens Culturais

Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial - Palitos de Lorvão |

Município de Penacova, Grupo Folclórico “As Paliteiras” de Chelo e Grupo Etnográfico de Lorvão

Património Cultural Imaterial classificado pela UNESCO - Desafios da pós-inscrição - Dr. Paulo Lima | Casa do Cante de Serpa| Antropólogo; coordenador das candidaturas do Cante e do fabrico dos Chocalhos

16:00 - Debate

16:30 - Intervalo

17:00 - III PAINEL

Abordagens Complementares ao Património Cultural

Moderador: Dr.ª Maria Emília Francisco

(Folclorista; Sócia Auxiliar da FFP; Conselheira Técnico Regional)

ADXTUR | Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto - Dr. Rui Simão

Ecomuseu de Albergaria-a-Velha | Rota dos Moinhos - Dr. Delfim Bismarck

Artesanato em tranças de palha | Rancho de Sto André de Vila Boa de Quires | Marco de Canavezes

18:30 – Debate

19:30 - Jantar | livre

21:30 - Serão - Ciclo de (con)vivências estremenhas | Teatro José Lúcio da Silva 11 de Dezembro de 2016

08:30 - Abertura do Secretariado Monitor de Continuidade: Rodrigo Sousa Martins Apoio: Ana Rita Leitão & Dinis Correia Mateus

09:00 - Acolhimento dos congressistas e convidados

09:15 - Sessão solene de abertura do ato eleitoral pelo sr. Presidente da Assembleia Geral da FFP

09:30 - IV PAINEL Criação de novas memórias assentes no património

Moderador: Doutor Daniel Calado Café

(Mestre e Doutor em Museologia; Vice-presidente da FFP; Conselheiro Técnico Regional, Conselho Científico e Conselho Técnico Nacional da FFP)

Trajar do Povo em Portugal - Virginie Vila Verde

Memórias Fotográficas - Adélio Amaro & Miguel Narciso

10:30 - Debate

11:00 - Intervalo

11:15 Motivação: instrumentos para encarar e abordar o património cultural - Dr. Alfredo Leite

12:30 - Encerramento do ato eleitoral

13:00 - Almoço | Estádio Municipal de Leiria, Dr. Magalhães Pessoa

15:00 - Apresentação do resultado do ato eleitoral

Leitura das conclusões do congresso nacional

Sessão solene de encerramento do congresso

DEPUTADA SOCIAL-DEMOCRATA TERESA MORAIS COM MULHERES FAMALICENSES PARA TERTÚLIA COM CHÁ

Dia 19 de novembro, às 16h30, na Fundação Castro Alves

Feminista assumida, Teresa Morais é o rosto principal da primeira iniciativa do Movimento das Mulheres Social Democratas de Famalicão. A deputada pelo PSD à Assembleia da República participa no próximo sábado, 19 de novembro, a partir das 16h30, na Fundação Castro Alves, em Bairro, numa ‘tertúlia com chá’ subordinada ao tema: “A participação da mulher na vida pública e cívica – fragilidades e oportunidades”. Teresa Morais tem um longo currículo nesta matéria. Basta recordar que na última legislatura foi Secretária de Estado da Igualdade e depois Ministra com essa pasta, tendo-se dedicado principalmente à luta pela igualdade de género em meio laboral e ao combate à violência doméstica.

Movimento é coordenado por Maria Manuela Martins.jpg

“Verificamos um aumento da representação das mulheres em cargos públicos e na vida social, contudo, ainda estamos aquém do esperado, pelo que o Movimento das Mulheres Social Democratas de Famalicão quer pôr o dedo na ferida e discutir este tema entre mulheres e com os homens da sociedade em geral”, explica Maria Manuel Martins, coordenadora deste movimento apresentado publicamente a 24 de outubro último.

A tertúlia estará assim centrada em dois objetivos: refletir sobre a intervenção das mulheres na vida pública e motivar as mulheres a participar ativamente na vida pública e social do nosso município.

Programa

16h30 – Boas vindas e visita ao Museu da Fundação Castro Alves, 212 – sala 14

17h00 – Chá

17h30 – Tertúlia com a presença de Teresa Morais

Confirmação de presenças através do endereço: psd@psdfamalicao.pt e por telefone 252 323 794

MUNICÍPIOS DE GUIMARÃES, PORTO E ÉVORA REÚNEM COM O GOVERNO

Municípios passam a ter competência para definir IMI nos Centros Históricos classificados

Medida entra em vigor no início do próximo ano. Reunião com Governo realizou-se esta segunda-feira, no Ministério das Finanças.

Governo_Reuniao_Centros_Historicos_IMI.JPG

O processo de reconhecimento de isenção do pagamento do imposto municipal sobre imóveis (IMI) nos centros históricos classificados pela UNESCO vai ser transferido para os Municípios a partir de 01 de janeiro de 2017. A decisão foi confirmada esta segunda-feira, 14 de novembro, durante uma reunião realizada em Lisboa entre o Ministro das Finanças, Mário Centeno, e os Presidentes das Câmaras Municipais de Guimarães, Porto e Évora, na qual também participaram o Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, e o Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel.

Com esta decisão, será introduzida uma alteração à Lei das Finanças Locais, com a entrada em vigor do novo Orçamento de Estado. As Câmaras Municipais com centro histórico classificado vão criar um regulamento de âmbito municipal, passando a definir a isenção e estabelecer as exceções, num processo administrativo de identificação dos prédios, em estreita colaboração com a Autoridade Tributária.

Os Municípios de Guimarães, Porto e Évora entendem que a forma como alguns serviços tributários têm vindo a interpretar a Lei – em Évora desde 2009 e em Guimarães e no Porto desde 2011 – tem causado sérios prejuízos a munícipes e municípios e com grave compromisso do desígnio da reabilitação, muito exigente no perímetro dos centros históricos. «A isenção de IMI representa um modo justo, equilibrado e proporcional de corrigir uma diminuição dos direitos de propriedade», considera Domingos Bragança, Presidente da Câmara de Guimarães.

Além desta medida, que há anos vinha sendo reclamada pelos municípios com centros históricos classificados, o Governo comprometeu-se também com uma maior transparência fiscal para com os municípios, que passarão a conhecer melhor a coleta do IMI. «Trata-se de uma medida importante acerca da qual tenho vindo a intervir, já que sem um conhecimento mais profundo da coleta não é possível aos municípios criarem conscientemente incentivos dentro das suas cidades. A informação fiscal é fundamental para que possamos avaliar os resultados das medidas de isenção e redução que venham a ser aplicadas», frisou Rui Moreira, Presidente da Câmara do Porto.

Refira-se que a forma como a Lei tem vindo a ser interpretada criou uma situação confusa e litigante quanto ao reconhecimento da isenção. Entendem ainda que a forma como os proprietários de imóveis existentes nos centros históricos classificados têm vindo a ser confrontados com a cobrança de IMI – quando, anteriormente, estavam isentos – representa uma quebra do princípio da proporcionalidade, tendo em conta as expetativas legitimamente criadas e as sérias restrições a que estão sujeitos aqueles prédios.

VILAVERDENSES MATAM A CEBA

 

Lage cumpriu a tradição minhota que garante provisões para enfrentar o inverno

A Lage voltou, no passado fim-de-semana (12 e 13 de novembro), a cumprir a centenária tradição minhota da matança da ceba, a que se seguiu uma rejoada e um magusto tradicional.

DSC_0038 (1).JPG

A freguesia recriou uma prática centenária que costumava juntar famílias inteiras e garantir as provisões necessárias para enfrentar o rigor do inverno, já que, diz o povo, ‘do porco tudo se aproveita’. O animal chegou ainda vivo ao Lugar da Goja ao final da tarde de sábado (12 de novembro, onde recebeu uma descarga elétrica que o atordoou e adormeceu, garantindo uma morte sem sofrimento, ao contrário do que sucedia na prática centenária em que o processo era conduzido a sangue frio.

O anoitecer trouxe consigo uma descida abrupta da temperatura e ficaram reunidas as condições ideais para fazer cumprir a tradição. A palha em chamas é utilizada para a queima do pelo e a cora da pele. De seguida, a lavagem do animal precede o desmanche, em que tanto as vísceras como a carcaça são avaliadas de forma escrupulosa pela veterinária municipal, que acompanha todo o processo para garantir as condições higieno-sanitárias e o cumprimento de todas as normas legais em vigor.

No dia seguinte, 13 de novembro, foi tempo de repartir a carne por todos quantos quiseram juntar-se a esta celebração da tradição do Minho. A sede da Junta de Freguesia da Lage recebeu um almoço convívio, a Rejoada, que juntou a comunidade em torno de uma mesa farta, num convívio alegre e animado à boa moda do Minho. A animação continuou pela tarde dentro, com um magusto tradicional organizado pelo agrupamento de escuteiros local. 

As sopas de cavalo cansado, a matança da ceba, a rejoada e o magusto tradicional foram os principais atrativos de um evento organizado pela Junta de Freguesia da Lage, com a colaboração do Agrupamento de Escuteiros local, inserido programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobra em mais de 30 iniciativas de divulgação e promoção da genuína tradição minhota.

DSC_0070 (1).JPG

DSC_0080.JPG

DSC_0087.JPG

DSC_0130.JPG

MONÇÃO TEM REDE VIÁRIA VALORIZADA E CASA MORTUÁRIA QUASE CONCLUÍDA

Augusto de Oliveira Domingues deslocou-se a Trute para visitar os investimentos feitos pela junta de freguesia liderada por Agostinho Fernandes. Um percurso que mostrou trabalho e vontade em servir a população local.

DSCF6680 (Large).JPG

Nesta visita de trabalho a Trute, Augusto de Oliveira Domingues teve a possibilidade de verificar no terreno os últimos investimentos efetuados pela junta de freguesia liderada por Agostinho Fernandes, bem como os principais objetivos do autarca socialista até ao final do mandato.

Acompanhado pela Vice-Presidente, Conceição Soares, e pelo Vereador das Atividades Socioculturais, Paulo Esteves, Augusto de Oliveira Domingues encontrou-se com Agostinho Fernandes junto à igreja da freguesia, ponto de partida de uma visita muito construtiva.

Naquele local, constatou-se, de imediato, o trabalho de melhoramento do adro da igreja. Uma área ampla “coberta” na totalidade com calçada à portuguesa que dignifica todo aquele espaço de envolvência religiosa, onde paredes-meias se encontra o cemitério da freguesia.  

Nas imediações, a menina dos olhos de Agostinho Fernandes: a casa mortuária da freguesia. Concluída por fora, faltam alguns trabalhos de pormenor no interior, o respetivo mobiliário e os arranjos exteriores que, sendo também em calçada à portuguesa, vão permitir um acesso direto ao exterior da igreja.

Este espaço, apoiado pela autarquia monçanense, reveste-se de grande importância para a freguesia, contribuindo para acriação de uma área com vocação religiosa constituída por igreja, cemitério e casa mortuária. Algo que agrada a Agostinho Fernandes: “Estes espaços, que dizem muito à população local, ficam juntos e com ótimas condições”.

O périplo pela freguesia de Trute continuou comdeslocação a vários locais objeto de investimento público nesta freguesia do Vale do Gadanha. Particular destaque para o melhoramento da rede viária. Tanto nas ligações entre os lugares da freguesia como nas ligações às freguesias vizinhas.

Entre estas, a Travessa de Campos, numa extensão aproximada de 300 metros, que “obrigou” ao alargamento, pavimentação e construção de muros de suporte. Também a Travessa da Breia, em fase de execução, cuja intervenção de alargamento englobou o “corte” de parte de uma casa.

Durante o percurso, umas vezes feito de carro e outras a pé, a comitiva interagiu com vários populares, parou para apreciar a toponímia e numeração de polícia da freguesia e teve ainda a oportunidade deverificar o cuidado da junta na limpeza das bermas da freguesia.

DSCF6690 (Large).JPG

DSCF6703 (Large).JPG

DSCF6710 (Large).JPG

ASSOCIAÇÃO DE REFORMADOS DO VALE DE VIZELA INAUGURA SEDE NA CASA DAS COLETIVIDADES

Resultado da aprovação em reunião de Câmara do protocolo de cedência de instalações na Casa das Coletividades, a Associação de Reformados do Vale de Vizela inaugurou as suas novas instalações no passado sábado, dia 12 de novembro.

ass. prot. ass. reformados.jpg

Na cerimónia, que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Vizela, foi assinado o protocolo de cedência de instalações na Casa das Coletividades à Associação de Reformados do Vale de Vizela, pelo Presidente da Câmara, Dinis Costa, e pelo Presidente da Associação, José Eugénio Gaspar Sousa.

Esta cerimónia contou com a presença de vários associados e convidados que se juntaram à coletividade para assinalar esta data importante.

A Associação de Reformados do Vale de Vizela, é uma entidade cívica, apartidária, sem fins lucrativos e de âmbito regional e tem como principais objetivos, representar os seus associados na defesa dos seus direitos e interesses perante entidades públicas e privadas; estabelecer relações de cooperação com outras associações de fins similares; apoiar os seus associados na velhice e invalidez e criar condições para o bem-estar dos seus associados e respetivas famílias, através de instalações condignas para que possam promover atividades lúdicas e culturais.

A Autarquia pretende, desta forma, continuar a apoiar e dinamizar todo o movimento associativo vizelense.

De salientar que o apoio da Autarquia vizelense, às associações da Casa das Coletividades, não se cinge apenas à cedência de instalações, mas também na responsabilidade em assegurar todas as despesas inerentes a água, luz e limpeza do edifício. 

Atualmente, são quinze as associações que se encontram sediadas na Casa das Coletividades.

VIZELA PROMOVE SAÚDE VISUAL

Autarquia vizelense e Opticalia assinaram protocolo para atribuição de óculos a munícipes carenciados

Resultado da aprovação na última reunião do Executivo, o Presidente da Câmara Municipal de Vizela, assinou hoje o protocolo de colaboração com a empresa Deusa Passos Pereira Lda., relativa a um projeto a desenvolver, durante o período de Natal, designado de “Opticalia Solidária”.

ass. prot. Opticalia.jpg

O referido projeto visa melhorar a saúde visual de pessoas residentes no concelho de Vizela através da atribuição de material ótico (armações e lentes) a indivíduos em situação de comprovada carência económica. A articulação será efetuada entre a referida empresa e o serviço de Ação Social da Câmara Municipal.

Esta iniciativa vem dar continuidade à política de apoio aos munícipes em situação de vulnerabilidade social.

YMOTION PREMEIA CURTA EXIBIDA NO FESTIVAL DE CANNES

“Lux” de Bernardo Lopes e Inês Malveiro venceu o “Grande Prémio Joaquim de Almeida”

A obra “Lux”, a única curta-metragem académica portuguesa selecionada para a edição deste ano do festival de Cannes, foi a grande vencedora do Ymotion – Concurso e Mostra de Cinema Jovem, cujos premiados foram conhecidos no passado sábado à noite, em Vila Nova de Famalicão.

DSC_4165.jpg

Para além do principal prémio do festival - o “Grande Prémio Joaquim de Almeida” - a curta-metragem dos jovens cineastas Bernardo Lopes e Inês Malveiro, que retrata o desespero de um escritor à procura de inspiração para a sua escrita, arrecadou ainda o galardão de “Melhor Banda Sonora Original” e “Melhor Direção de Fotografia”. 

Para Bernardo Lopes, finalista do curso de Cinema da Universidade Lusófona de Lisboa, este é um reconhecimento “importante e motivador”. Satisfeito por sair de Famalicão com três prémios na mão, o realizador elogiou ainda a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Casa da Juventude do município pela realização do festival. “Infelizmente os apoios não são muitos e para nós, enquanto futuros profissionais da área, festivais como o Ymotion são o melhor alimento que podemos ter nesta altura”, disse. 

Satisfeito estava também o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que não escondeu o agrado por ver que nesta sua segunda edição, o Ymotion voltou a reunir trabalhos de grande qualidade, oriundos de vários pontos do país. “É um sinal da adequação do projeto, que nasceu no concelho de Vila Nova de Famalicão, mas que de ano para ano vai reforçando a sua dimensão nacional”. 

Na plateia e a assistir à gala final do Ymotion estavam alguns dos jurados do concurso, como o argumentista Tiago Santos e o produtor Vasco Josué. A noite ficou também marcada pela atuação de Jorge Palma, que num curto apontamento musical recordou alguns dos temas mais marcantes da sua carreira.  

“Pronto era assim” de Patrícia Rodrigues e Joana Nogueira venceu nas categorias de “Melhor Curta de Animação” e “Melhor Realização”; “Alice” de Bárbara Araújo arrecadou o prémio de “Melhor Argumento” e a curta “Livre” valeu a Pedro Nogueira o “Prémio Público” e o “Prémio Escolas”. 

Refira-se que o Ymotion é dirigido aos jovens entre os 12 e os 35 anos,  procurando promover a criação, produção e divulgação do cinema jovem português e fomentar sinergias entre escolas secundárias e instituições de ensino superior.

image49292.jpeg

PONTE DA BARCA CRIA REDE DE BIBLIOTECAS ESCOLARES DO MUNICÍPIO

Câmara Municipal e Agrupamento de Ponte da Barca oficializam Rede de Bibliotecas Escolares do Município

Foi na passada sexta-feira, nos Paços do Concelho, que decorreu a cerimónia de assinatura do Acordo de Cooperação entre a Câmara Municipal e o Agrupamento de Escolas, que veio oficializar a Rede de Bibliotecas Escolares do Município de Ponte da Barca.

P1370951.JPG

“Um protocolo que, em parte, mais não é do que formalizar uma parceria que é de longa data', salientou na ocasião Vassalo Abreu, Presidente da autarquia barquense. “Consideramos que, ao longo destes anos, tem tido resultados muito interessantes e positivos. Com esta assinatura podemos promover uma parceria ainda mais significativa, sempre com um objetivo primeiro: a promoção da leitura e da literacia”, destacou ainda Vassalo Abreu.

O protocolo surgiu tendo em conta o trabalho desenvolvido nos últimos anos, tornando-se necessário regular a relação entre as entidades cooperantes, uniformizar procedimentos e rentabilizar recursos, num efetivo trabalho de cooperação, que permita uma intervenção integrada, a nível local, em prol da leitura.

Lembrando que Ponte da Barca dispõe, desde o ano passado, de uma biblioteca da rede pública “ao nível do melhor que há no país”, o autarca barquense entende ser muito importante “colocar estes investimentos e equipamentos ao dispor das populações”, enaltecendo o “trabalho em parceria, com o objetivo final de servir as populações, neste caso as crianças e os jovens”.

O Presidente da Câmara Municipal esteve acompanhado, na cerimónia, pela Vereadora da Cultura, Turismo e Desporto, Sílvia Torres, pelo Chefe de Gabinete da Presidência, Sérgio Oliveira, bem como do Bibliotecário Municipal, Arsénio Dias, e Inês Araújo, também colaboradora da Biblioteca Municipal. Do Agrupamento de Escolas esteve presente o Diretor, Carlos Louro, os Professores Bibliotecários, Luís Arezes e Renato Ferreira. A sessão contou, ainda, com Raquel Ramos, Coordenadora da zona Norte da Rede de Bibliotecas Escolares.

P1370953.JPG

P1370955.JPG

FAMALICÃO DEBATE ARQUIVÍSTICA DIGITAL

Famalicão debate os desafios para os arquivos na era digital, no próximo dia 21 de novembro

O arquivo Municipal Alberto Sampaio, em Vila Nova de Famalicão, acolhe no próximo dia 21 de novembro, o seminário dedicado ao tema “Que desafios para os arquivos na era digital” coorganizado pelo município famalicense e pela Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (APBAD).

Arquivo Municipal Alberto Sampaio (1).jpg

O seminário tem como objetivo principal refletir sobre as oportunidades e os desafios que atualmente se colocam aos profissionais da informação no que se refere a garantir o acesso e a preservação da informação digital a longo prazo.

As inscrições devem ser efetuadas até ao dia 14 de novembro. Para mais informação deve-se contactar o site http://apbad.pt/ o email formacao@bad.pt

REIS DE ESPANHA VISITAM GUIMARÃES

Os Reis de Espanha, Felipe VI e Letizia realizam uma visita de Estado a Portugal, entre os dias 28 e 30 deste mês, com passagem pela cidade-berço.

A visita de Estado começa no Porto, numa sessão solene nos Paços do Concelho e segue-se um jantar oficial oferecido pelo Presidente da República no Paço dos Duques, em Guimarães.

marcelo-e-reis-de-espanha-JN-e1476912788376.jpg

No dia seguinte, dia 29, os Reis de Espanha regressarão à cidade do Porto, para uma visita à coleção Miró na Fundação Serralves e à Universidade do Porto, onde irão conhecer o Parque de Ciência e Tecnologia (UPTEC) e o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (I3S). Segue-se um almoço com empresários, no Palácio da Bolsa. No final, os Reis seguem para Lisboa, onde serão recebidos em sessão solene nos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Lisboa, seguindo-se um jantar oferecido pelo Primeiro-Ministro no Palácio das Necessidades.

A visita oficial termina dia 30, altura em que Felipe VI e Letizia serão recebidos em São Bento pelo Primeiro-ministro, seguindo depois para a Assembleia da República para participar numa sessão solene. De acordo com o Gabinete da Presidência da República, o programa inclui ainda uma receção à comunidade espanhola na Embaixada de Espanha em Lisboa e uma visita à Fundação Champalimaud.

Fonte: http://maisguimaraes.pt/

S. MARTINHO TROUXE BOM TEMPO, CONVÍVIO E ANIMAÇÃO A MONÇÃO

O habitual magusto anual promovido pela autarquia local encheu o Mercado Municipal de muita gente tanto da vila como das freguesias. Castanhas, vinho tinto e animação musical marcaram a tarde de muitos monçanenses.

DSCF6792 (Large).JPG

O S. Martinho nunca falha. Na comemoração do seu dia, o bom tempo fez-se sentir e as pessoas, da vila e das freguesias, ocorreram ontem ao Mercado Municipal para a celebração do magusto anual da autarquia. Castanhas, vinho tinto e animação musical marcaram a tarde de muitos monçanenses.

Juntando o útil ao agradável, o espaço renovado junto ao Campo da Feira e acesso ao centro histórico de Monção disponibilizou também um “Mercado de Antiguidades”, iniciativa da Associação de Artesãos de Monção – Post`Arte que apresentou diversos produtos e artigos “made” na nossa terra.

O relógio assinalava 14h30 e o recinto já estava composto. Gente nossa e poucos galegos. Para estes, ainda era cedo. Entre outros, já lá estavam a Dona Maria, o senhor António e o senhor David. Todos tinham provado castanhas este ano mas, por tradição, não costumam faltam ao encontro promovido pela autarquia local.

“Já venho há muitos anos, tantos que lhe perdi a conta” confessou a Dona Maria, fazendo alusão “ao espirito de festa e animação do magusto”. Opinião semelhante tem o senhor António: “Encontro amigos, trinco uma castanha, bebo um copo e faço a festa”. “Também eu” atirou o senhor David, satisfeito com “um tempinho bom para a festa”.

Os postos de entrega de castanhas e vinho, com funcionárias da autarquia, estavam prontos para servir. A espera foi curta. O toque de partida foi dado pela Vice-Presidente da Câmara Municipal de Monção, Conceição Soares, que desejou aos presentes uma tarde bem passada:“Desfrutem com uma castanha e um copo de vinho tinto. E convivam ao som dos nossos grupos. Tenham uma boa tarde. Divirtam-se”

Começaram a circular as primeiras tigelas com castanhas e copos de vinho tinto. Também os primeiros comentários. Todos abonatórios.Com a subida ao palco dos grupos “Sons do Gadanha” e“Flores da Terra”, o Mercado Municipal encheu-se e os brindes sucederam-se. Em honra de S. Martinho mas também da amizade e do convívio.

Apesar dos vários magustos agendados no concelho no dia de ontem, o habitual encontro anual promovido pela autarquia por ocasião do S. Martinho contou com muita gente tanto da vila como das freguesias, possibilitando mais uma jornada de confraternização da população local.

DSCF6795 (Large).JPG

DSCF6811 (Large).JPG

DSCF6814 (Large).JPG

DSCF6827 (Large).JPG

DSCF6844 (Large).JPG

DSCF6863 (Large).JPG

DSCF6872 (Large).JPG

DSCF6876 (Large).JPG

DSCF6894 (Large).JPG

CIÊNCIA REGRESSA A BRAGA AO GNRATION

‘Sábados h(á) Ciência’ regressa ao gnration. Primeira sessão decorre a 19 de Novembro

A Ciência está de volta ao gnration com mais um conjunto de sessões do projecto que conquistou as famílias Bracarenses. ’Ciência às cores ou a preto e branco?’ é o tema desta edição do ‘Sábados h(á) Ciência’, uma iniciativa promovida pelo Município de Braga em colaboração com a Fundação Bracara Augusta e com ‘O Laboratório da Li’. A primeira sessão está agendada para o próximo Sábado, 19 de Novembro.

CARTAZ CIENCIA nov.jpg

Já pensou na razão pela qual surgem os arco-íris? Ou porque é que as cores nos parecem diferentes, dentro e fora de casa? No ‘Sábados h(á) Ciência’, os participantes são desafiados a explorar o mundo que nos rodeia e, através de experiências, perceber melhor a luz e as cores que vemos todos os dias à nossa volta.

Como habitualmente, as actividades decorrem entre as 15h00 e as 16h30, no gnration, tendo como público-alvo as famílias. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser realizadas presencialmente no gnration. O custo da actividade é de 15 euros para o conjunto de adulto + criança ou de 20€ no caso de levar duas crianças.

Recorde-se que o projecto ‘Sábados h(á) Ciência’ tem como objectivo estimular o gosto das crianças e jovens pela ciência, através da realização de actividades e experiências científicas acompanhadas por muita diversão.

Com este projecto, o Município de Braga alarga a oferta lúdico-educativa, ao mesmo tempo que promove a ciência e o convívio inter-geracional. O projecto tem proporcionado às crianças uma verdadeira viagem pelo mundo da Ciência através da realização de diversas experiências científicas com actividades totalmente práticas, onde os jovens podem ficar a conhecer várias ciências.