Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DE LIMA PROMOVE ARRENDAMENTO NO CENTRO HISTÓRICO

Incentivo ao Arrendamento no Centro Histórico de Ponte de Lima. Período de Candidaturas até 15 de outubro. Programa Centro Com Vida.

Está aberto o período de candidaturas ao programa Centro Com Vida, 3ª fase do ano 2016.

Centro Com Vida_outurbo.jpg

O programa Centro Com Vida é uma iniciativa do Município de Ponte de Lima que visa incentivar o arrendamento no Centro Histórico de Ponte de Lima, com três períodos de candidaturas por ano, março, junho e outubro.

Ao promover este programa o Município incentiva a dinamização, gestão e conservação do parque habitacional do Centro Histórico de Ponte de Lima através da promoção do arrendamento privado para cidadãos com idades compreendidas entre os 18 e os 40 anos que aí queiram passar a residir.

Entende-se este incentivo como um auxílio importante para a conservação e manutenção do parque habitacional privado, numa perspetiva de médio e longo prazo, contribuindo ainda para a melhoria do desempenho ao nível das respetivas funções habitacionais, económicas, sociais e culturais.

Podem candidatar-se ao projeto Centro com Vida cidadãos com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 40 anos; casais não separados judicialmente de pessoas e bens ou em união de facto, com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 40 anos, podendo um dos elementos do casal ter idade até 42 anos; e ainda cidadãos em coabitação, com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 40 anos, partilhando uma habitação para residência permanente dos mesmos.

Consulte o regulamento em http://www.cm-pontedelima.pt.

Para mais informações contate através do seguinte endereço eletrónico: centrocomvida@cm-pontedelima.pt.

PASSOS COELHO DESTACA EM VILA VERDE IMPORTÂNCIA DA AGRICULTURA

Líder nacional do PSD realçou a importância económica do setor agrícola em visita à Festa das Colheitas de Vila Verde

O líder nacional do Partido Social Democrata esteve ontem, 08 de outubro, de visita à Festa das Colheitas – XXV Feira Mostra de Produtos Regionais. Pedro Passos Coelho deixou rasgados elogios à iniciativa promovida pelo Município de Vila Verde e realçou a posição determinante que o setor agrícola desempenha na balança económica nacional, contribuindo para o harmonioso e equilibrado desenvolvimento do território, lembrando que o Governo que liderou ajudou a transformar uma agricultura de subsistência numa agricultura mais produtiva.

A14 (1).JPG

O programa do penúltimo dia começou com o habitual Concurso Pecuário Regional e Concelhio, que juntou mais de uma centena de animais de gado bovino de toda a zona Norte do país, enquanto, em paralelo, decorria o Concurso de Raças Avícolas Regionais. Duas iniciativas que premiaram os produtores nacionais e fizeram o pulsar genuíno do mundo rural sentir-se com ainda mais intensidade.

No final do concurso os animais de gado bovino seguiram em cortejo por uma das principais artérias vilaverdenses, em direção ao Campo da Feira, e regressaram depois ao ponto de partida. No final ganharam todos. Os vencedores tiveram direito a um prémio monetário, mas todos levaram para casa um saco de ração e a certeza de que o Município de Vila Verde e as associações locais, AMIBA e Cooperativa Agrícola de Vila Verde, encetam esforços no sentido de promover e valorizar o trabalho que desenvolvem no setor agropecuário.

A tarde começou com mais um hino a tradição minhota na XVIII Feira Tradicional – Reviver o Passado. A recriação de uma feira tradicional em que não faltaram os produtos do campo, os pregões e os trajes de outrora. Uma atividade emblemática da Festa das Colheitas, que voltou este ano a gozar de forte adesão popular. Nota de destaque ainda para o habitual Concurso da Broa e para o concurso ‘Rainha das Colheitas, uma iniciativa que se estreou este ano no certame. A tarde terminou com dois espetáculos musicais de grande qualidade, com a mestria a que a Academia de Música de Vila Verde já nos habituou e com a animação do grupo Popular ABB Show.

DSC_0042.JPG

DSC_0098 (1).JPG

DSC_0626.JPG

DSC_0632 (1).JPG

NOITE DE CAMPEÕES ENCHE FAMALICÃO DE ORGULHO

Pavilhão Municipal esgotou para receber a I Gala do Desporto do concelho

Vila Nova de Famalicão assistiu ontem a um verdadeiro desfile de campeões. O Pavilhão Municipal esgotou e vestiu-se a rigor para receber a primeira Gala do Desporto do concelho e aplaudir os cerca de duzentos atletas e equipas famalicenses que na última época se destacaram nas mais diversas modalidades e competições.

Gala do Desporto (1).jpeg

Luís Silva foi a grande figura da noite. O atleta de Boccia levou para casa o “Famalicense D’Ouro” da categoria “Prémio Excelência” e foi aplaudido de pé pelas cerca de mil pessoas que este domingo, 9 de outubro, marcaram presença na cerimónia organizada pela Câmara Municipal.

Galardoados foram ainda o Atlético Voleibol Clube – Famalicão AVC, na categoria “Associação/Clube Desportivo do Ano”, João Pinheiro, do Núcleo de Árbitros de Famalicão, na categoria “Árbitro do Ano”, Pedro Faia, do Grupo Desportivo de Natação de Vila Nova Famalicão, na categoria “Treinador do Ano” e Francisco Paiva, do Futebol Clube de Vermoim, na categoria “Dirigente do Ano”.

Ana Beatriz Martins, do Grupo Desportivo de Natação de Vila Nova Famalicão, e João Oliveira, jogador do Sporting Clube de Portugal, venceram nas categorias de “Atleta Revelação do Ano”.

O público elegeu as “24 Horas BTT de Famalicão 2015”, prova organizada pela Associação Amigos do Pedal, como o “Evento Desportivo do Ano”, depois de uma votação online que contou com mais de dez mil votos.

No final, a opinião era unânime: o desporto famalicense já merecia uma noite assim!

O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, aproveitou para agradecer o apoio de toda a comunidade famalicense no percurso dos atletas, associações e clubes do concelho, sem o qual “seria pouco provável chegarmos aos resultados que são conhecidos e reconhecidos”.

O edil referiu ainda que a Câmara Municipal tem procurado apoiar o desporto de forma“intransigente e persistente”, tendo como meta a sua massificação, diversificação e democratização. “É convergindo estas três máximas que conseguimos fazer de Famalicão um concelho reconhecido pela sua prática desportiva”, disse.

No final, Paulo Cunha deixou ainda a garantia de que a aposta no desporto é para continuar. “Vamos continuar a apostar nas modalidades, a apoiar as associações, a acarinhar os nossos dirigentes desportivos e a criar condições para o mérito”. E acrescenta: “o muito que temos feito é sinal do muito que ainda podemos vir a fazer”

Gala do Desporto (2).jpeg

Gala do Desporto (3).jpeg

Gala do Desporto (4).jpeg

BRAGA CONSOLIDA IMAGEM DE AUTARQUIA PARTICIPATIVA

Experiências Participativas de Braga em destaque no II Fórum Participativo de Águeda

O Município de Braga marcou presença no II Fórum Participativo, subordinado ao tema ‘Modelo de Governação e Inovação de Base Loca’”, promovido pelo Município de Águeda e que reuniu especialistas de renome nacional e internacional. Nesta sessão, Braga esteve em destaque apresentando e debatendo as suas experiências de dinamização da participação dos Bracarenses.

1braggga.jpg

Este fórum teve como objectivos discutir a importância de uma democracia participativa, dos modelos de base locais seguidos por diferentes autarquias, assim como a partilha de boas práticas de âmbito transgeracional, a nível nacional e internacional.

António Barroso, em representação da Câmara Municipal de Braga, integrou o primeiro painel, subordinado ao tema: ‘Democracia Participativa como processo de educação transgeracional’ onde apresentou o leque de iniciativas de estímulo à participação como o Orçamento Participativo, o Orçamento Participativo Escolar, o Orçamento Jovem ‘Tu decides’, o ‘Nós propomos’, o Parlamento Concelhio dos Jovens, bem como as reuniões descentralizadas dos órgãos autárquicos, a provedoria do munícipe, o atendimento aos munícipes por todo o Executivo Municipal, os diversos órgãos consultivos criados e dinamizados, entre outras iniciativas.

António Barroso referiu que “o reconhecimento das práticas participativas de Braga é muito gratificante. No entanto, é importante ter a oportunidade de partilhar com outros parceiros nacionais e internacionais as nossas experiências para melhorarmos as nossas iniciativas, servirmos de inspiração e absorver outras acções desenvolvidas que possam incrementar a participação dos Bracarenses, par que cada vez mais sejam agentes activos do desenvolvimento do Concelho e do país".

Este encontro realizado em Águeda revelou-se de grande relevância para a partilha de boas práticas participativas, principalmente pela presença de representantes de autarquias e organismos internacionais como Alistair Stoddart da The Democratic Society de Aberdeenshine na Escócia, Kathleen Glazik da Community Empowerment Unit do governo escocês, de Jezz Hall da PB Network, rede independente de promoção e dinamização de orçamentos participativos no reino unido e de Paolo Spada da Universidade de Southampton que ofereceram a perspectiva das acções desenvolvidas noutros países.

Projectos vencedores do Orçamento Participativo de Braga 2017 apresentados a 14 de Outubro

Na próxima Sexta-feira, 14 de Outubro, o Município de Braga dá a conhecer os projectos vencedores da edição do Orçamento Participativo 2017, numa sessão pública a ter lugar no auditório da Companhia da Música, no Mercado Cultural do Carandá, onde serão divulgados os resultados das votações duas fases.

Recorde-se que esta edição do Orçamento Participativo foi a que registou o maior número de votantes, com 11.939 Bracarenses a exercerem cidadania activa e a escolherem o destino a dar aos 750 mil euros que o Município de Braga alocou para esta iniciativa, sendo que parte desta verba, 100 mil euros, destina-se ao Orçamento Participativo Escolar.

Das 103 propostas apresentadas na edição deste ano do OP, 67 deram lugar a projectos levados à primeira fase de votação, passando 30 para a segunda fase, abrangendo diversas áreas de intervenção Municipal.

Ecologia, ambiente e energia; turismo, comércio e promoção económica; equipamentos e espaços públicos; cultura e património; solidariedade e coesão social; e trânsito, mobilidade, acessibilidades e segurança rodoviária, são as áreas que agregam, cada uma, cinco projectos para intervenção em diversas freguesias do Concelho.

PONTE DE LIMA REQUALIFICA LARGO DO TERREIRO EM SÃO MARTINHO DA GÂNDRA

Câmara Municipal de Ponte de Lima aprova a “Construção e Conservação de passeios e outros espaços públicos _ Requalificação do Largo do Terreiro – Gandra

O Município de Ponte de Lima continua a promover a política de Requalificação Urbana às zonas centrais das freguesias com espaços de cariz coletivo e social, tendo aprovado a requalificação do Largo do Terreiro, na freguesia de S. Martinho da Gandra.

Gandra_ Largo Terreiro (Small).JPG

Trata-se de uma empreitada que visa requalificar o emblemático Largo do Terreiro, zona central da freguesia, espaço no qual estão concentrados os comércios locais e os prestadores de serviços, onde se reúne a população e o palco de grande parte dos eventos, quer religiosos, quer culturais da freguesia.

A obra com um prazo de execução de 210 dias, vai ser comparticipada a 100% pela Câmara Municipal de Ponte de Lima. Considera o Presidente do Município de Ponte de Lima, Eng. Victor Mendes, que se “pretende requalificar um espaço nobre da freguesia de Gandra, uma obra importante a favor da população, não comprometendo outros investimentos”.

A intervenção a efetuar consiste na repavimentação e ordenamento viário, no sentido de ordenar a circulação e estacionamento automóvel, criando melhores condições de vivência e usufruto pela população e visitantes.

O executivo de S. Martinho da Gandra demonstrou a sua satisfação, pela “grande obra que se vai realizar aqui no Largo do Terreiro, um espaço central para que todos os Gandarenses possam desfrutar” sustentou o Presidente da Junta de S. Martinho da Gandra, Ernesto Pereira.

A proposta de intervenção inclui ainda a execução de passeios na EN206 uma via de circulação automóvel que representa um acesso importante para o centro da freguesia de Gandra e o centro da vila de Ponte de Lima, pelo que, suporta diariamente uma carga de tráfego muito intensa. Pretende-se assim corrigir essas irregularidades e diminuir os riscos diários, propondo a definição de uma faixa de circulação automóvel.

No geral, a presente proposta respeita as condições específicas estabelecidas pela Delegação Regional de Viana do Castelo da Infraestruturas de Portugal, S.A.

Gandra_ Largo_Remodelação (Small).JPG

ARMANDO SILVA CARVALHO VENCE 1.ª EDIÇÃO DO GRANDE PRÉMIO DE POESIA ANTÓNIO FEIJÓ APE/C.M. DE PONTE DE LIMA

Um júri constituído por Cândido Oliveira Martins, José Manuel Mendes e Rita Patrício decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Poesia António Feijó APE/C.M. de Ponte de Lima ao livro " A Sombra do Mar ", de Armando Silva Carvalho (Assírio & Alvim).

Municipio_MPL12.jpg

A acta sublinha que “… A Sombra do Mar" destaca-se pelo rigoroso domínio da arquitectura poética, considerada quer ao nível da composição de cada poema, quer na organicidade da sequência de poemas que constitui o livro.

Num diálogo constante com vozes tutelares da poesia em língua portuguesa, muito em particular Pessoa, a poesia de Armando Silva Carvalho caracteriza-se pela permanente ironia, a vigiar um lúcido e comovido olhar sobre o tempo, pessoal mas que também reconhecemos como nosso.

Poesia do quotidiano, nele Armando Silva Carvalho descobre a matéria possível para a leitura do mundo, feito de terror e alegria.

Nesta 1.ª edição do Grande Prémio de Poesia António Feijó, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Ponte de Lima e da Caixa Agrícola, foram concorrentes as obras publicadas no ano de 2015.

O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 10.000,00 (dez mil euros).

A cerimónia de entrega do prémio será oportunamente divulgada.

PÓVOA DE LANHOSO EXPÕE “MADRINHAS DE GUERRA” NO CASTELO DE LANHOSO

Assinalando-se a 7 de outubro o Dia Nacional dos Castelos, o município da Póvoa de Lanhoso, através do Pelouro da Cultura, associou-se à comemoração com a abertura de uma exposição alusiva às Madrinhas de Guerra, no Castelo de Lanhoso.

Abertura expo Madrinhas de Guerra.jpg

"Neste que é o último evento que marca as comemorações dos 20 anos do Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso, o Município tinha como objetivo aproximar este baluarte nacional, que simboliza a defesa do território, às batalhas mais recentes que o país enfrentou. Muitos Povoenses, infelizmente, tiveram e têm casos de familiares ou amigos que passaram pela Guerra Colonial e podem aqui sentir um pouco daquilo que a história, por vezes, se esquece de contar”, salienta o Vereador da Cultura e Turismo da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, André Rodrigues.

Este trabalho, além da contextualização histórica da Guerra Colonial, pretende retratar o significado das Madrinhas de Guerra, enquanto movimento feminino que, através dos Aerogramas, prestava apoio psicológico aos soldados que estavam longe das suas casas e dos seus familiares. Alguns destes casos resultaram em verdadeiras paixões, dando origem a casamentos.

Esta exposição encerra um ciclo de propostas culturais, que tiveram início em maio e tiveram como objetivo a comemorar os 20 anos do Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso. Já o Dia Nacional dos Castelos foi instituído em 1984, pretende promover atividades nos castelos, valorizando estas fortificações medievais que foram determinantes para delimitação e consolidação das nossas linhas de fronteira.

Patente até 6 de novembro, a exposição das Madrinhas de Guerra pode ser apreciada de quarta a domingo, das 10h00 às 12h30 e das 14h30 às 17h30.

Expo MadrinhasDeGuerra 1.jpg

MadrinhasDeGuerra2.jpg

FAMALICÃO APRESENTA CASOS DE SUCESSO EMPRESARIAL

“Empresariato” revela casos de sucesso empresarial. Livro reúne casos de treze empresas nacionais, oito famalicenses, e envolveu académicos

As boas experiências na internacionalização de reconhecidas empresas portuguesas, maioritariamente famalicenses, são reveladas no livro “Empresariato – Casos de Sucesso Empresarial”.

Apresentação livro_1.jpg

Apresentada publicamente no passado sábado, 8 de outubro, na FNAC do Norteshopping, numa sessão que contou com a presença do edil Paulo Cunha, a obra resulta do projeto Empresariato desenvolvido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, através do Famalicão Made IN, e tem a chancela da Idioteque.

Pretende ser uma ferramenta elementar para gestores, académicos e empresários, bem como para estudantes universitários. Envolveu 24 académicos de várias universidades, institutos politécnicos e suas escolas superiores. A coordenação é de João Abreu, cujo currículo é longo, sendo o fundador e atual diretor da Academia das Emoções.

O livro explica o sucesso no campo da internacionalização de treze empresas de vários sectores industriais – entre as quais as famalicenses Continental Mabor, Salsa, Vieira de Castro, Riopele, Primor, Amob, Louropel e Meia Dúzia – que, realça o autarca famalicense,“muito bem representam o poder industrial de Vila Nova de Famalicão, com um ADN empresarial reconhecido, dinâmico e cada vez mais forte”.

João Abreu diz, por seu lado, que as empresas que o livro aborda “abriram portas a um trabalho de inegável valia e que se dirige a todos os que procuram um manual de apoio à gestão e ao estudo com casos práticos, concisos e portugueses”.

“Diferentes estilos de gestão perpassam histórias riquíssimas. Diferentes estados e estádios de desenvolvimento estratégico dos projetos empresariais, processos de sucessão, orientações de marketing, opções de mercado. A internacionalização faz sentido, mas não tem sentidos únicos e isso é-nos revelado neste conjunto de casos”, salienta ainda o coordenador.

“Empresariato – Casos de Sucesso Empresarial” está à venda nas principais livrarias do país. Em Famalicão encontra-se disponível na Livraria Municipal, na Casa do Território.

Apresentação livro_2.jpg

GUIMARÃES TEM INICIATIVA INOVADORA NO ACOMPANHAMENTO AOS IDOSOS

Guimarães é o berço do primeiro projeto europeu no acompanhamento permanente dos seus idosos

Apresentada a primeira fase de um projeto que tem por objetivo cobrir a totalidade das situações de isolamento identificadas no âmbito do programa “Guimarães 65+”. Dispositivo, que poderá ser usado ao pescoço, permitirá aos idosos estarem sempre comunicáveis.

Guimaraes_3000_Projeto_Social.jpg

A prevenção e deteção de quedas, a localização de pessoas ao cuidado e cuidadores, a definição de zonas de segurança, o registo automático de incidentes e sua resolução, a realização de pedidos de entreajuda e reencaminhamento de ações entre cuidadores são funcionalidades que a solução tecnológica “Guimarães 3000” disponibiliza no acompanhamento permanente de idosos e que será estreado no concelho vimaranense, no âmbito do programa social “Guimarães 65+”.

Este projeto, resultado da celebração de uma parceria estratégica com a “Oncaring”, uma empresa do grupo Critical Software e da Abel Ribeiro da Silva SGPS SA, promove uma prática de cuidados individualizados que irá dotar toda a Rede Social de Guimarães – parceiros sociais e cuidadores, formais ou informais – com uma solução de base tecnológica visando tornar mais eficiente o acompanhamento de idosos que vivem sós ou em situação de isolamento.

A tecnologia utilizada é 100% portuguesa e será explorada de modo a cobrir, no espaço de três anos, a população idosa de todo o concelho de Guimarães, onde será criado um polo especializado em tecnologia avançada para o acompanhamento de idosos com diferentes tipos de autonomia.

O projeto pretende «demonstrar que o recurso às mais recentes tecnologias de apoio aos cuidados formais e informais fornecidos em regime domiciliário é o caminho que deve ser decisivamente trilhado para benefício de uma comunidade», conforme referiu a vereadora responsável pelo Departamento de Ação Social da Câmara de Guimarães, Paula Oliveira, acompanhada na sessão de apresentação pelo CEO da Oncaring, Luís Neves, e pelo Presidente da Abel Ribeiro da Silva, SGPS, Abel André Ribeiro da Silva.

De acordo com os registos estatísticos dos Censos 2011, estão identificadas em Guimarães 21.647 pessoas com idade igual ou superior a 65 anos, 6.695 residem sós ou com pessoas do mesmo nível etário e 2.995 vivem em situação de isolamento. O perfil do idoso que beneficia do Programa “Guimarães 65+” tem entre 75 e 85 anos (33,87%), pertence ao sexo feminino (68,97%) e não frequenta nenhuma atividade social (64,77%).

TELEVISÃO LEVA FESTAS DAS COLHEITAS DE VILA VERDE PARA O MUNDO

Festa das Colheitas encerra com seis horas de emissão televisiva em direto para todo o planeta

Durante seis dias, Vila Verde mostrou ao país e ao mundo o genuíno pulsar do mundo rural com mais de 50 iniciativas de promoção e divulgação da tradição minhota, num cartaz turístico-cultural que trouxe dezenas de milhares de pessoas ao coração do Minho. Ontem, 09 de outubro, a Festa das Colheitas – XXV Feira Mostra de Produtos Regionais encerrou em apoteose. Mais de quinhentos artistas no encontro de tocadores de concertina, largas centenas de espectadores no Estádio Cruz do Reguengo para ver a Corrida de Cavalos, a TVI a transmitir em direto para todo o planeta e largos milhares de pessoas que se dividiam entre o recinto, a Praça de Santo António e as principais artérias e pontos de interesse da sede de concelho.

B (6)2.jpg

O último dia do programa de 2016 da Festa das colheitas começou bem cedo, com muita energia e saúde. Pelas 09h30, começava o passeio de cicloturismo, prom0vido pelo Cicloclube de Vila Verde, e meia hora mais tarde o desporto e a solidariedade caminharam de mãos dadas na Mega Aula de Zumba, organizada pela Rede Social do Município de Vila Verde, cuja receita reverteu a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro. À mesma hora começavam as chegar as máquinas para a Concentração e Desfile de Carros Clássicos. Em tempo de colheitas, manda a tradição minhota que se agradeça à terra o sustento e, por volta das 11h00, a igreja paroquial de Vila Verde recebia a Missa das Colheitas.

B (16).jpg

Seis horas em direto de Vila Verde para todo o planeta

O período vespertino trouxe consigo um mar de gente que inundou a Sede de Concelho. O banho de multidão formou uma imensa moldura humana que contribuiu dar ainda mais brilho a um programa extremamente atrativo. A azáfama começou logo ao início da tarde. Às 14h00, a TVI arrancava para uma emissão de seis horas em direto a partir de Vila Verde. Tal como o público, os apresentadores do programa ‘Somos Portugal’ dividiram-se entre o recinto e o centro da Vila para dar voz aos atores locais. A excelência da gastronomia, o talento dos artesãos, a vivacidade dos produtos do campo, a alegria da música popular e a força da tradição expostos numa montra privilegiada. Uma campanha massiva de promoção do território, numa transmissão que levou aos quatro cantos do planeta o que de melhor se faz no concelho, com especial incidência na riqueza da tradição da cultura popular minhota.

B (22).jpg

Mais de 500 participantes no XX Encontro de Tocadores de Concertina

Por volta das 15h00, começava uma das mais emblemáticas iniciativas do certame. O XX Encontro de Tocadores de Concertina bateu todos os recordes, contando com meia centena de grupos oriundos de vários pontos do país e um total de mais de 500 participantes. As melodias alegres e contagiantes da ‘rainha do Minho’ tomaram conta do recinto, num autêntico hino à música popular, que, como vem sendo habitual, arrastou um autêntico mar de gente ao recinto. Em simultâneo, as bancadas do Estádio Cruz do Reguengo estavam a rebentar pelas costuras com largas de centenas de pessoas que não perderam a oportunidade de assistir ao vivo à adrenalina e emoção das tradicionais Corridas de Cavalos, uma atividade organizada pela Associação Cultural dos Amigos do Cavalo de Passo Travado.

B (66).jpg

Mais de 50 iniciativas em seis dias consecutivos

De 04 a 09 de outubro, o concelho de Vila Verde transformou-se numa verdadeira máquina do tempo e transportou dezenas de milhares de pessoas ao longo de décadas de história, numa viagem à descoberta da herança cultural da região minhota, com mais de 50 iniciativas em seis dias consecutivos. Vila Verde assume-se como um concelho que se orgulha da sua herança cultural sem descurar os ritmos de evolução e de progresso, que encontrou na valorização dos saberes da cultura popular minhota uma nova forma de alavancar a economia e promover o território, procurando, em simultâneo, preservar e divulgar os saberes da cultura popular. Uma aliança harmoniosa entre tradição e modernidade que tem projetado o território vilaverdense em todo o país e no estrangeiro.

B (75) (1).jpg

FAMALICÃO DANÇA SOMA ÊXITO ATRÁS DE ÊXITO

Brilho, cor e ritmo, muito ritmo marcaram a terceira edição do Famalicão Dança que este sábado, 8 de outubro, reuniu no concelho famalicense cerca de 200 pares de bailarinos nacionais e internacionais.

O par espanhol Guillem Pascual e Rosa Carne.jpg

O evento, organizado pela Academia Gindança com o apoio da autarquia, ficou sobretudo marcado pela realização de três grandes provas do circuito internacional de Dança Desportiva - a Taça da Europa de Latinas, a WDSF Internacional Open Standard e Latinas.

O par espanhol Guillem Pascual e Rosa Carne arrecadaram o primeiro lugar do pódio da Taça da Europa de Latinas, onde estiveram representados 22 países europeus. Nesta prova destaque ainda para a classificação do par português Telmo Madeira e Vanessa Ferrão que conquistaram o terceiro lugar.

Já na WDSF International Open Standard os grandes vencedores foram os irlandeses Alessandro Bosco e Laura Nolan. O primeiro lugar do WDSF Open Latin foi para o par croata Mateo Cvenic e Aliia Shakirova. Os portugueses Joel Marques e Sara Lourenço e Vítor Fernandes e Luisa Lima arrecadaram o segundo e terceiro lugares da prova, respetivamente.

À semelhança dos últimos dois anos, o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, fez mais uma vez questão de marcar presença no evento. “Ficamos muito felizes por voltar a receber tão prestigiada iniciativa no nosso concelho. É um orgulho ter aquilo que de melhor se faz, a nível europeu, nas Danças Latinas em Famalicão”, referiu o autarca que felicitou ainda a Gindança pela “excelente organização”.

Famalicão Dança 2016 (1).jpg

Famalicão Dança 2016 (5).jpg

CERVEIRENSES VOTAM ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

OP 2016: Votação das propostas finalistas já arrancou

Através da plataforma online ou de modo presencial nos Paços do Concelho e nas sedes das Juntas de Freguesia, já se encontra aberta a fase de votação dos 12 projetos admitidos no âmbito do Orçamento Participativo 2016 do Município de Vila Nova de Cerveira. As propostas podem ser consultadas em http://op.cm-vncerveira.pt/. O período de votação encontra-se aberto até ao próximo dia 5 de novembro.

Press - OP 2016 Votação das propostas finalistas já arrancou.jpg

“OP: A Sua Ideia – O Nosso Compromisso – O Futuro de Cerveira”. É sob esta premissa que a Câmara Municipal está a dinamizar a segunda edição do OP, que se encontra agora em fase de votação. No total, são 10 as propostas do Orçamento Participativo Geral e 2 para a vertente Jovem.

Segundo a vereadora da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Aurora Viães, este é “um mecanismo de incentivo à cidadania ativa em prol do desenvolvimento sustentável do concelho”, pelo que a edil apela ao registo e votação da população cerveirense neste processo de democracia, sublinhando que está a ser colocada nas mãos dos cidadãos a possibilidade de selecionarem e aprovarem projetos para o desenvolvimento do Município.

O processo é aberto à participação de pessoas com idade igual ou superior a 15 anos, naturais, residentes, trabalhadores ou estudantes no Concelho. Cada participante tem direito a três votos, não se podendo votar numa mesma proposta mais do que uma vez. Os jovens com idades entre os 15 e 35 anos têm, também, a possibilidade de elegeruma proposta do Orçamento Participativo Jovem. A participação no OP exige o registo na plataforma online, mesmo que já o tenha feito em 2015 pois, devido aos problemas técnicos do portal, detetou-se que os utilizadores já inscritos foram eliminados, não sendo possível a sua recuperação. Para se inscrever basta aceder a http://op.cm-vncerveira.pt/, clicar em registo e preencher os campos obrigatórios, ou, em alternativa, dirigir-se aos Paços do Concelho e às sedes das Juntas de Freguesia.

De lembrar que o OP resulta da vontade da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira em envolver mais os cidadãos nas decisões sobre o Município e no quadro dos valores da democracia participativa. A dotação orçamental total é de 100 mil euros, sendo 90 mil para o Orçamento Participativo Geral e 10 mil para o Orçamento Participativo Jovem. Os resultados serão comunicados a 7 de novembro.

FAMALICÃO REALIZA ENCONTROS CAMILIANOS

Encontros Camilianos prosseguem no próximo fim-de-semana em Caçarelhos e Miranda do Douro. Evento termina dia 18, em Lisboa, com o lançamento de “A Queda dum Anjo” em Mirandês

Miguel de Seide foi nos últimos dias o ponto de encontro de cerca de duas centenas de “camilianos” nacionais e internacionais, que mais do que debater e refletir sobre o universo de Camilo Castelo Branco partilharam os cenários do escritor, provaram os sabores da época e vivenciaram o ambiente. Foram assim os primeiros dias da 3.ª edição dos Encontros Camilianos de São Miguel de Seide, que arrancaram na sexta-feira e prosseguem no próximo fim-de-semana em Caçarelhos e Miranda do Douro terminando no dia 18, em Lisboa, com a apresentação da obra “A Queda dum Anjo”, em mirandês, na Biblioteca da Assembleia da República. O romance está a comemorar 150 anos e tem sido o mote destes Encontros.

A Queda dum Anjo em mirandês.jpg

Dos vários eventos que decorreram no fim-de-semana, destaque para o lançamento do segundo volume das Obras de Camilo Castelo Branco, que junta “Coração, Cabeça e Estomago” e “Aventuras de Basílio Fernandes Enxertado”, numa publicação da editora Glaciar.

Prefaciado por Pedro Mexia, a publicação tem fixação de texto de Sérgio Guimarães de Sousa e João Paulo Braga. Na capa, reproduz-se Camilo pela mão do mestre Júlio Pomar.

Refira-se que até 2025, ano em que se celebrará o bicentenário do nascimento de Camilo, a Glaciar propõe-se publicar a totalidade das suas obras. Em volumes que se querem irrepreensíveis a todos os níveis – de fixação de texto, grafismo ou acabamento editorial – com um prefácio de uma personalidade de reconhecido mérito.

Para além das livrarias, também será possível adquirir as Obras de Camilo Castelo Branco, na Casa de Camilo, em S. Miguel de Seide ou através da Livraria Municipal.

Para o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, a autarquia e a Casa de Camilo “estão cada vez mais empenhadas em promover Camilo e o Património Camiliano, seja através do lançamento das obras, na criação de uma rota turístico-cultural camiliana, ou no desenvolvimento de projetos que valorizam a memória do escritor”.

Encontros Camilianos prosseguem no próximo fim de semana.jpg

JAZZ REGRESSA A FAFE

Jazz regressa este fim-de-semana a Fafe

A série de concertos da 2ªedição de Jazz em Fafe continua. O segundo concerto vai ser tocado no dia 14 de Outubro, às 22h00, e apresenta Morning Rain, o disco de estreia de Mariana Vergueiro, cantora emergente no panorama do Jazz português.

capa-FB.jpg

Este trabalho, apresentado recentemente na Casa da Música, emerge entre a combinação da música indie e abstracta. O palco vai ser partilhado com quatro dos músicos, Bruno Macedo (guitarra), Pedro Neves (piano), Nuno Campos (contrabaixo) e Nuno Oliveira (bateria).

Também no dia 14 de Outubro, será organizada, na Academia de Música José Atalaya, uma Master Class com o Pianista Paulo Gomes, um dos pianistas mais importantes do nosso cenário musical e actual professor do Conservatório de Música do Porto. Esta é uma iniciativa direcionada a todos os jovens músicos que pretendam aprofundar os conhecimentos de técnicas de piano na área do Jazz e tem inicio marcado para as 17h30.

No sábado, dia 15, é a vez do Café com Letras receber, pelas 17h00, os alunos da Escola de Jazz do Porto.

Recorde-se que estes concertos têm entrada livre.

MARIA JOÃO APRESENTA-SE EM CAMINHA COM O PROJETO OGRE (TRIO)

Concerto decorre no sábado, dia 15 de outubro, pelas 22 horas, no Valadares, Teatro Municipal

Caminha vai receber uma das divas do jazz já no próximo sábado, dia 15 de outubro. Maria João vai subir ao palco do Valadares, Teatro Municipal de Caminha com o seu mais recente projeto OGRE. O concerto é às 22 horas e os bilhetes estão disponíveis nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora.

maria joão.jpg

“OGRE é a mais recente aventura de Maria João, um híbrido musical que mistura o jazz com a eletrónica. Uma banda com instrumentação invulgar e uma abordagem artística singular, que leva o público numa  travessia  pelo  mundo  dos  sons,  saltando  fronteiras  entre  o  digital  e  o analógico. A voz de Maria João indica o caminho!

No OGRE, a voz inconfundível da cantora Maria João, junta-se a uma base essencialmente instrumental eletrónica e digital - o Fender Rhodes e sintetizadores de João Farinha, o computador e teclados de André Nascimento, a bateria híbrida (digital e acústica) de Joel Silva e o piano de Júlio Resende Música que não se limita aos elementos lusófonos, que a perfumam, nem ao jazz, que a segura, nem à eletrónica, que a guia. Transforma todas estas abordagens em outras realidades, outras experiências, no fio da navalha, combinando referências à música popular de diversas origens.

Trata-se de música fresca, de um projeto sem paralelo em Portugal que extravasa qualquer rótulo, mas que caberá, segundo a norma, na música de fusão. Drum'n'bass, dub, «electro», «8-bit music» e eletroacústica são algumas das vertentes sonoras exploradas, tendo como base não só composições originais como também adaptações muito próprias de conhecidos temas da música pop/rock e do jazz”.

Os bilhetes já se encontram à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora e no dia do concerto no Valadares, Teatro Municipal.

CORDEIRO À MODA DE MONÇÃO: PRIMEIRO FIM-DE-SEMANA COM GRANDE AFLUÊNCIA DE PÚBLICO

O nome “Foda à Monção” mexeu com a curiosidade das pessoas mas o sucesso deve-seà qualidade na confeção e no atendimento, a cargo dos empresários e cozinheiras locais. Milhares de portugueses e galegos passaram por Monção para deliciar-se com um repasto trabalhoso no fazer e extraordinário no sabor.

cordeiro 06 (Large).JPG

O primeiro fim-de-semana dedicado ao Cordeiro à Moda de Monção, conhecido popularmente como “Foda à Monção”, foi um sucesso com muita gente nas degustações, feitas em espaço coberto na Praça Deu-la-Deu, e nos restaurantes aderentes ao festival, terceira edição.

Puxados pelo nome brejeiro e bem-disposto do prato e pela qualidade na confeção e atendimento, a cargo dos empresários e cozinheiras locais, milhares de portugueses e galegos passaram pela nossa vila para deliciar-se com um repasto trabalhoso no fazer e extraordinário no sabor.

O primeiro contacto dos visitantes e munícipes com o festival tinha lugar na Praça Deu-la-Deu, sala de visitas de Monção, onde decorreram as diversas atividades do programa como workshops, tertúlias e animação musical, bem como as degustações deste prato tradicional.

cordeiro 07 (Large).JPG

Pelo preço simbólico de 2,00 €, podia-se adquirir um pequeno alguidar de barro com arroz e uma febra. Uma primeira aproximação sensorial ao paladar do cordeiro que depois tinha continuidade nos restaurantes participantes nesta iniciativa promotora da cozinha tradicional monçanense.

No périplo feito pela restauração, constatou-se a forte adesão da gente ao festival com salas cheias e pessoas à espera na porta ou nas escadas dos restaurantes. Em declarações à Radio Vale do Minho, os proprietários mostraram-se satisfeitos com o festival e aplaudiram a ideia do município de prolongar a iniciativa a dois fins de semana.

cordeiro 08 (Large).JPG

O sucesso destes dois dias de promoção da culinária local é revelador da importância social e turística que a gastronomia tradicional, condimentada com cheiros fantásticos e sedutores, representa para as regiões mais distantes dos grandes centros urbanos.

Nos últimos anos, tem emergido novas roupagens gastronómicas, mais contemporâneas e contidas ao olhar, contudo, os sabores típicos que atravessaram gerações ainda marcam a diferença na hora da escolha.Na gastronomia ou na vida, o clássico nunca deixa de ser chique.

O festival regressa no próximo fim-de-semana, prevendo-se que o resultado volte a ser o mesmo. Muita gente atraída pelo requinte da cozinha tradicional da localidade e pela forma simpática e hospitaleira como todos os monçanenses recebem quem nos visita. 

 

cordeiro 11 (Large).JPG

cordeiro 13 (Large).JPG

cordeiro 14 (Large).JPG

cordeiro 17 (Large).JPG

cordeiro 19 (Large).JPG

cordeiro 21 (Large).JPG

cordeiro 23 (Large).JPG