Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FALECEU MÁRIO WILSON – UM AMIGO DO MINHO E DOS MINHOTOS!

O Dr Mário Wilson deixou hoje o nosso convívio. Contava 86 anos de idade. Era natural de Lourenço Marques, como então se designava a cidade de Maputo ao tempo colonial. Foi em vida um dos mais consagrados jogadores e treinadores do futebol português, dispensando-se qualquer apresentação da sua biografia.

10298687_635454989868351_5000618674927063246_n.jpg

Porém, não queremos deixar de registar a amizade que o ligava ao Minho e aos minhotos, tendo ainda em 11 de maio de 2014 marcado presença numa festa levada a efeito pela Casa do Minho em Lisboa, nas instalações da Academia de Santo Amaro. E, é precisamente dessa ocasião que em jeito de homenagem, o BLOGUE DO MINHO deixa aqui o registo fotográfico.

10302539_635456469868203_4122982727178216277_n.jpg

16942922_3Gdc5.jpeg

CLUBE DE RUGBY DE ARCOS DE VALDEVEZ PREPARA-SE PARA A PRÓXIMA ÉPOCA

Sub-18 em Jogo de Preparação para a Nova Época

O CRAV cedeu as suas instalações, no passado fim-de-semana, para um estágio da equipa de rugby CDUP, do Porto, a qual aproveitou para realizar vários treinos. De forma a preparar a nova temporada, realizou-se um jogo amigável entre ambas as equipas. Este jogo decorreu no passado domingo, no Estádio Municipal de Rugby.

CRAV e CDUP.JPG

Momentos antes do início da partida realizou-se uma palestra sobre as novas regras implementadas no novo regulamento, dirigida pelo árbitro internacional Paulo Duarte.

Ambas as equipas aproveitaram este jogo, para delinear estratégias, estruturar a equipa e sobretudo preparar fisicamente os atletas.

A equipa técnica do CRAV deu as boas vindas aos seus jogadores, com a esperança que o grupo se mantenha coeso como em épocas anteriores, e deu-lhes palavras de incentivo para que alcancem êxitos desportivos na nova época que se aproxima.

Por seu lado, a equipa do CDUP agradeceu a forma como foi recebida, o tratamento e instalações cedidas.  

FESTAS DAS COLHEITAS CONDICIONA TRÂNSITO EM VILA VERDE

Corte temporário de algumas Ruas e Avenidas na Sede do Concelho de Vila Verde a 08 e 09 de outubro

A Rota das Colheita traz ao coração do Minho uma grande diversidade de iniciativas turístico-culturais promovidas pelo Município de Vila Verde em colaboração com as Juntas e Uniões de Freguesias, Associações Culturais, Agentes Turísticos, Comércio Local e outras Instituições. Uma convergência de interesses, um trabalho conjunto e harmonioso com vista à valorização das potencialidades agrícolas do Concelho, das tradições e da riqueza da cultura popular.

Neste contexto, realiza-se de 4 a 9 de Outubro do corrente ano, a XXV Feira Mostra de Produtos Regionais – FESTA DAS COLHEITAS -  um dos maiores eventos dedicados à Agricultura, Artesanato e Gastronomia,  sustentada na promoção de uma oferta integrada para atrair  visitantes, convidando-os a vivenciar emoções únicas e sensações irrepetíveis da excelência dos sabores e saberes tradicionais.

Neste âmbito, informamos a população que o decurso do evento irá implicar ao corte temporário de algumas Avenidas na Sede do concelho de Vila Verde.

- Dia 08 de Outubro (sábado)

Avenida dos Combatentes da Grande Guerra Colonial - entre as 11.20 horas e as 12.15 horas entre a antiga adega cooperativa e a rotunda da Praça das Comunidades – Desfile de animais, no concurso pecuário, organizado pela CAVIVER;

- Avenida Professor Machado Vilela,entre as 8.00 horas de sábado e as 20.00 horas da tarde de domingo dia 9,  entre o entroncamento com a Avenida Bernardo Brito Ferreira e o  entroncamento da Praça da República (Farmácia da Misericórdia);

- Dia 09 de Outubro (domingo)

Avenida Bernardo Brito Ferreira – entre as 11.00 horas e as 20.00 horas (domingo), entre o entroncamento com a Avenida Marechal Humberto Delgado e o entroncamento com a Avenida Abade de Priscos;

Avenida dos Combatentes da Grande Guerra Colonial – entre as 14.30 horas e as 15.30 horas, entre a antiga adega cooperativa e a rotunda da Praça das Comunidades.

ESPOSENDENSES PROMOVEM PRODUTOS LOCAIS NA GALIZA

Produtos de Esposende com destaque na Galiza

A Associação de Cidadãos de Esposende arrancou a 2ª Fase da Divulgação Internacional do Concelho de Esposende num local emblemático da Cidade de Vigo.

vigo1.jpg

Foi no “Almacen” que dezenas de pessoas se reuniram para degustar entre outros Queijos da Empresa Lacticínios das Marinhas e Vinhos da Quinta de Curvos.

Depois do sucesso da primeira edição a Associação de Cidadãos de Esposende iniciou o contacto com empresas locais o que permitiu levar produtos de excelente qualidade até Vigo.

A Associação tem logrado estabeler várias parcerias com Empresas e Associações Galegas, com o obectivo de divulgar o Concelho de Esposende e os seus produtos, de recordar que Vigo tem perto de 300 mil habitantes, e a Galiza representa um turismo de proximidade com mais de 2 Milhões, pelo que estas acções terão continuidade ao longo de 2016 e 2017.

As Próximas deslocações estão agendadas para os dias 10 e 22 de Outubro.

vigo2.jpg

vigo3.jpg

vigo4.jpg

INATEL ORGANIZA CONCURSO DE COMPOSIÇÃO PARA ORQUESTRA DE SOPROS

znat.jpg

Concurso de Composição para Orquestra de Sopros Fundação Inatel – Banda Sinfónica do Exército 2017

Regulamento

1 - Definição e Objectivos

Com o intuito de fomentar e valorizar a escrita musical para Orquestra de Sopros, foi instituído um concurso de composição para esta formação, através de uma parceria entre a Fundação Inatel e a Banda Sinfónica do Exército, aberto a autores de todas as nacionalidades residentes em Portugal, sem restrições de idades.

2 - Prémios

Ao vencedor será atribuído um prémio monetário no valor de € 2000, bem como a edição e publicação da partitura da obra vencedora, sendo que não serão atribuídos prémios ex-aequo.

No caso de existirem menções honrosas estas serão premiadas com um fim-de-semana para duas pessoas numa unidade hoteleira da Fundação Inatel, à escolha, em época média, e ainda com a edição da partitura. O valor do prémio considera-se como pagamento dos direitos de autor da obra vencedora e de aluguer da partitura e partes instrumentais.

3 - Requisitos Essenciais

3.1. A composição deverá obedecer à instrumentação para Orquestra de Sopros, com a seguinte formação: 1 Flautim, 2 Flautas, 2 Oboés, 1 Corne Inglês (opcional como 2º Oboé), 2 Fagotes, 1 Clarinete Eb, 3 Clarinetes em Bb (cada uma das partes executada por 4 instrumentistas), 1 Clarinete Baixo, 1 Clarinete Alto, 2 Saxofones Alto, 1 Saxofone Soprano, 2 Saxofones Tenor, 1 Saxofone Barítono, 4 Trompas, 5 Trompetes (podem ser divididas em Trompetes, Cornetins e Fliscornes), 2 Trombones, 1 Trombone Baixo, 2 Eufónios, 2 Tubas, Tímpanos, Percussão (5 executantes com o seguinte instrumental: Marimba, Xilofone, Vibrafone, Glockenspiel, Sinos Tubulares, peles e acessórios standard), Violoncelos, Contrabaixos, Piano.

3.2. Cada concorrente deverá apresentar, obrigatoriamente, uma peça de concerto (excluindo peças a solo) com a duração compreendida entre 10 (dez)  e 15 (quinze) minutos.

3.3. A composição a concurso terá de ser inédita, que nunca tenha sido tornada publica por qualquer meio, nem premiada noutro concurso.

3.4 Quaisquer futuras execuções, edição da partitura ou CD da obra vencedora, deverão obrigatoriamente incluir nas notas de programa a menção: Obra vencedora do Concurso de Composição Inatel - Banda do Exército

4 - Entrega da Composição

4.1. A composição deverá ser assinada sob pseudónimo e acompanhada de um envelope fechado e lacrado, contendo a identificação (fotocópia de cartão do cidadão), endereço, contactos telefónicos e e-mail do autor. No exterior desse envelope deverão constar o título da peça e o pseudónimo.

4.2. A composição a concurso deverá ser entregue na Banda Sinfónica do Exército, Regimento de Artilharia Antiaérea nº l, Largo do Palácio 2745-181 Queluz, ou enviada pelo correio para a mesma morada até ao dia 28 de Fevereiro de 2017.

4.3. Deverão ser entregues 3 (três) cópias da partitura geral impressas, uma cópia de cada parte de instrumentista, bem como o respetivo suporte digital da partitura geral, partes em formato pdf e um ficheiro midi da composição.

5 - Condições de Participação

5.1. O Concurso está aberto a todos os compositores nacionais ou estrangeiros, cujas candidaturas obedeçam ao disposto no presente Regulamento.

5.2. A participação no concurso obriga à aceitação de todas as cláusulas deste regulamento.

6 - Nomeação e Funcionamento do Júri

6.1. Para apreciação das obras a concurso, será constituído um júri, composto por 3 (três) elementos, de mérito musical reconhecido:

Chefe de Banda Militar convidado

Professor de composição

Chefe Titular da Banda Sinfónica do Exército.

6.2. O júri fará a seleção de uma máximo 5 (cinco) obras semifinalistas que serão objeto de ensaio a realizar com a Banda Sinfónica do Exército, para a seleção final de um máximo de três obras, que serão presentes a audição final. 

6.3. Não podem ser nomeados para membros do Júri, quaisquer concorrentes.

6.4. O Júri decidirá por unanimidade ou por maioria simples, lavrando em acta a sua decisão.

6.5. O Júri reserva-se o direito de não atribuir o prémio, se a qualidade das obras apresentadas assim o impuser.

6.6. As decisões do Júri são inapeláveis.

7 - Exclusões

As candidaturas que não obedeçam ao disposto nos artigos anteriores serão excluídas.

8 - Divulgação dos Resultados e Entrega de Prémios

8.1. A Fundação Inatel e a Banda Sinfónica do Exército divulgarão os resultados até ao dia 20 de Março de 2017.

8.2. Os prémios serão entregues em sessão pública a realizar para o efeito, em local e data a determinar.

9 - Situações Omissas

Todos os aspectos omissos neste Regulamento serão apreciados e decididos pela Fundação Inatel e pela Banda Sinfónica do Exército de cuja decisão não haverá recurso.

CACHAPUZ É PATROCINADOR OFICIAL DA EQUIPA DE FUTEBOL FEMININO DO SEPORTING CLUBE DE BRAGA

As 'gverreiras' do SC Braga somem e seguem na tabela da Liga Allianz em primeiro lugar e a Cachapuz não hesitou em prestar o seu apoio de 'peso' por este plantel promissor ao sucesso.

Durante a época 2016/17, a Cachapuz apoia as ‘Gverreiras’ do Sporting Clube de Braga (SC Braga), incentivando a prática do desporto rei no feminino e demonstrando uma atitude dinâmica para com os desafios que lhe são apresentados. Esta é mais uma forma de apoiar a ambição do SC Braga que promove o desporto como atividade exemplar no que toca ao desenvolvimento de competências como o espírito de equipa, a liderança e a determinação no alcance dos objetivos a que se propõe. 

sc braga (2).jpg

Nasceu este ano a equipa feminina como resposta ao convite feito pela Federação Portuguesa de Futebol para integrar a Liga Allianz juntamente com os clubes que militam no principal escalão.

A liderar a equipa está João Marques com um plantel que conta atualmente com 21 jogadoras, constituindo uma das equipas promissoras ao sucesso na Liga Allianz, encontrando-se atualmente no topo da tabela com 3 vitórias em 3 jogos, totalizando 14 golos marcados.

Com este apoio ‘de peso’ surge assim mais uma referência desportiva no SC Braga que levará o nome da Bracara Augusta, a sua cultura e história de garra a todos os pontos do nosso país e além-fronteiras.

sc braga (4).jpg

EMPRESAS DE FAMALICÃO PRODUZEM COMPONENTES PARA ÓRGÃOS DE TUDOS DE TODO O MUNDO

Sintonia empresarial gera mini-cluster único

Funcionam como uma orquestra. Cada um toca o seu instrumento, contribuindo todos para a mesma música. É o que acontece nas freguesias de Landim e Avidos com três fabricantes de componentes para órgãos de tubos de grandes marcas alemãs que estão presentes nas catedrais, igrejas e salas de espetáculo de todo o mundo. Cada um produz elementos diferentes para este imponente, valioso e singular instrumento musical. Peças que, no entanto, se complementam, o que faz com que exista em Vila Nova de Famalicão um verdadeiro e único mini-cluster industrial de empresas organeiras.

image48968.jpeg

“Esta relação empresarial é magnífica e surpreendente. Vila Nova de Famalicão é um concelho empreendedor e exportador, mas poucos imaginariam que no sector organeiro tivéssemos uma concentração tão forte, crítica, criativa e com tanta qualidade”, salientou o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no final da visita a três empresas organeiras, na jornada desta manhã do roteiro Famalicão Made IN.

A JF Organpipes, a Bom Organum e a JMS Organaria funcionam assim “numa ótica de cluster” permitindo que o cliente possa ter acesso a uma resposta completa e integrada. “Mais um sinal da diversidade do concelho num sector que, estou certo, tem uma enorme margem de progressão”, frisou Paulo Cunha.

Aliás, para o autarca há um outro facto a destacar: são mais três contribuintes líquidos para a bolsa exportadora do concelho. De facto, em Famalicão cada vez mais se produz à escala global. E quando se trabalha com qualidade, como acontece neste sector, essa ambição é muito legítima. O know-how que aqui está concentrado é, porventura, inigualável. Não é por acaso que a Alemanha vem cá para que os seus órgãos sejam produzidos ou reabilitados”, ressalvou.

image48959.jpeg

Afinadas pelo mesmo diapasão

Separadas por poucas centenas de metros, as três empresas, mais do que se complementarem, estão afinadas pelo mesmo diapasão. A JF Organpipes produz tubos metálicos flautados a partir de estanho e chumbo, a Bom Organum tubos e outros acessórios em madeira e a JMS Organaria palhetas, consideradas registos especiais do órgão. Exportam tudo o que produzem. 

Tanto a JF Organpipes como a Bom Organum são de administração alemã, lideradas, respetivamente, por Bjorn Fitzau e Gerhard Besenreiter. A JMS é gerida pelo casal Joaquim e Celeste Silva. A título de exemplo, o maior tubo metálico que a JF Organpipes já produziu tinha 10 metros de comprimento e 30 centímetros de diâmetro; pesava 120 quilos.

Mestre organeiro alemão trouxe indústria

O mestre organeiro alemão Georg Jann, agora com 82 anos, foi o responsável pela construção do grande órgão de tubos da Igreja da Lapa, no Porto, o maior da Península Ibérica, inaugurado em 1995. Depois de ter alcançado reconhecimento em Portugal, Georg Jann deixou a Alemanha e fixou-se em Portugal para ficar perto daquela que classificou como sua obra-prima. Decidiu então fundar uma oficina de órgãos de tubos nas proximidades de Landim, tendo desta forma dado início ao desenvolvimento desta indústria no concelho famalicense.

image48956.jpeg

ESCRITOR GONÇALO CADILHE ESTEVE EM MONÇÃO E DEU VOLTA AO MUNDO EM DUAS HORAS E MEIA

O escritor/viajante Gonçalo Cadilhe esteve em Monção para um encontro com os seus leitores na Biblioteca Municipal de Monção. Falou dos projetos passados, dos desafios futuros e das peripécias vividas nas viagens. No final, todos saíram felizes e com o “Planisfério Pessoal” mais preenchido.

Cadilhe 01 (Large).JPG

Júlio Verne escreveu em 1873 “A volta ao mundo em 80 dias”, romance de aventuras que inspirou milhares de viajantes. Na sexta-feira à noite, na Biblioteca Municipal de Monção, o escritor Gonçalo Cadilhe proporcionou ao público presente a mesma viagem em apenas duas horas e meia. 

Com a experiência de dez livros de viagens publicados e três documentários filmados, o escritor viajante natural da Figueira da Foz, que arrancou as primeiras viagens escritas na revista “Grande Reportagem”, abordou um pouco dos seus projetos passados e revelou alguns dos desafios que abraçou para os próximos tempos.

Cadilhe 02 (Large).JPG

Com carinho, nostalgia e simpatia, falou da exposição “Um dia na terra”, projeto que percorreu várias cidades portuguesas no ano passado e que reúne um conjunto de registos fotográficos feitos, segundo ele, no momento certo e no local adequado com a luz precisa.

As fotografias, visualizadas em tamanho grande com ajuda do projetor, mostram a disparidade da natureza humana e a beleza natural de lugares tão distintos como os Himalaias, Índia, Tânzania e Afeganistão. O objetivo central, sintetizou, assentou na procura de lugares pouco comuns e na transmissão do sentido humano de cada viagem. 

Quanto aos desafios futuros, Gonçalo Cadilhe referiu-se à publicação “Nos passos de Santo António”, cujo enfoque é colocado nas viagens do “doutor da igreja”, falecido em 1231, em Pádua, e canonizado pela Igreja Católica alguns anos mais tarde. O livro será lançado antes do Natal e, em 2017, será produzido um documentário para a RTP.  

Neste encontro com o público monçanense, Gonçalo Cadilhe trouxe à memória algumas das peripécias ocorridas durante as suas viagens. Umas relacionadas com as dificuldades de envio dos seus trabalhos para as redações. Outras decorrentes de situações do quotidiano.

Por exemplo, o taxista, estilo Rambo, que venerava Alá, o padre com uma igreja sumptuosa para apenas sete paroquianos, o chefe de estação que adorava ser subornado, ou a idosa tailandesa em voto de silêncio que, quando podia, disparava palavras em todas as direções.

Relatos do dia-a-dia que completam a ideia de viagem defendida por Gonçalo Cadilhe. Como disse, as viagens tem de ser sentidas com aquilo que vemos mas também com aquilo que vivenciamos. Por isso, acrescentou, provocar situações e fazer acontecer coisas são parte integrante do roteiro de qualquer viagem.

A expedição pelo mundo estava do agrado de todos mas não podia acabar sem um conselho importante do autor. Qual o melhor país para se visitar? Gonçalo Cadilhe apontou três: Africa do Sul, México e Itália. E traçou um conjunto de virtualidades destes territórios que se podem resumir no slogan “Todo o mundo num país”.

Ficou a sugestão. Que pode ser seguida apenas por alguns. E uma noite bastante rica com um interlocutor fluente na palavra e nos gestos. Esta sim ao alcance de qualquer pessoa. Sem encargos financeiros, apenas emotivos. Compareceram cerca de trinta. Saíram felizes e com o “Planisfério Pessoal” mais preenchido.

Cadilhe 03 (Large).JPG

FAMALICÃO DISPONIBILIZA TRANSPORTE GRATUITO AOS JOVENS QUE PARTICIPAM NO OFF SUMMER FEST

Festival realiza-se esta sexta-feira, dia 7, no Parque da Devesa, com a atuação dos Expensive Soul

A juventude de Vila Nova de Famalicão despede-se esta sexta-feira do verão com o Off Summer Fest’16 e, para que ninguém fique de fora, a Câmara Municipal vai disponibilizar transportes gratuitos até ao epicentro da festa – o Parque da Devesa. O festival de música, que terá como palco o auditório ao ar livre do maior parque urbano do concelho, tem como cabeça-de-cartaz a banda portuguesa Expensive Soul.

Off Summer Fest decorre esta sexta-feira no auditório do Parque da Devesa.jpg

Para que os jovens viajem em segurança, dentro do concelho serão 7 as linhas de autocarros gratuitos que irão garantir o transporte até ao Parque da Devesa, com saída das freguesias de Joane, Pedome, Riba D’Ave, Fradelos, Gondifelos, Arnoso Santa Eulália e Portela, pelas 18h30 e 20h00. O horário de regresso às freguesias está marcado para as 23h30 e 01h30.

Para além dos autocarros, os jovens até aos 18 anos poderão ainda optar por viajar gratuitamente de comboio, graças a uma parceria entre a autarquia e a CP – Comboios de Portugal.

O bilhete especial de ida e volta é válido para os Comboios Urbanos do Porto, com origem em qualquer estação das Linhas de Braga, Guimarães, Marco de Canaveses e Aveiro, com destino a Famalicão, e pode ser levantado a partir desta segunda-feira, dia 3 de outubro, em qualquer bilheteira CP, mediante a apresentação do Cartão de Cidadão.

A participação no festival estende-se também à restante população, tendo o bilhete de comboio um custo significativo de 2 euros, ida e volta. Para quem vem de comboio, a autarquia famalicense garante ainda o transporte entre a Estação da CP de Famalicão e o Parque da Devesa.

Recorde-se que o duo português Demo (MC) e New Max (cantor/produtor) é cabeça de cartaz da iniciativa. Para além dos Expensive Soul, cujo concerto está marcado para as 21h00, o Off Summer Fest´16 conta ainda com as atuações dos All In Djs (19h30), Meninos da Vadiagem (22h30) e DJ Alive (00h00).

O Off Summer Fest é uma iniciativa dos pelouros da Juventude e Educação do Município de Famalicão e vem na sequência de um conjunto de ações desenvolvidas pelo executivo autárquico para estimular o envolvimento dos jovens para com o seu território e para elevar a sua satisfação em pertencer-lhe.

BRAGA RECEBE ELITE DO KARATÉ MUNDIAL

Copa Ibero-Americana realiza-se no Sábado

No próximo Sábado, dia 8 de Outubro, a Copa Ibero-Americana de Karaté traz à Cidade de Braga alguns dos melhores atletas mundiais da modalidade. A iniciativa que decorre no âmbito da Capital Ibero-Americana da Juventude (CIAJ) é organizada pelo Município de Braga em colaboração com a Federação Nacional de Karaté, a Universidade do Minho e a Associação Wado Internacional Karaté Portugal, envolvendo cerca de 150 agentes desportivos oriundos de dez países das respectivas selecções do espaço Ibero-Americano, estando garantida a presença de vários campeões do mundo.

CMB03102016SERGIOFREITAS0000002840.jpg

“Este é um evento criado de raiz no âmbito da Capital Ibero-Americana e vai trazer a Braga alguns dos melhores praticantes da modalidade. Nos últimos anos Braga tem tido um incremento desportivo muito acentuado e o Karaté é das modalidades que mais cresceu quer em termos de eventos realizados, quer em número de praticantes”, referiu Sameiro Araújo, vereadora do Desporto e Juventude do Município de Braga, durante a apresentação do evento que decorreu esta Segunda-feira, 3 de Outubro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Braga.

A competição, que irá decorrer na Universidade do Minho, vem “cimentar a ligação e o apoio do Município Bracarense a todas as modalidades, de forma a tornar Braga uma cidade cada vez mais ecléctica, tanto em eventos desportivos como em modalidades praticadas”, salientou a Vereadora, lembrando que “aquando da realização da Carta Desportiva de Braga, em 2014, esta modalidade tinha cerca de 420 atletas federados, e desde então esse número não parou de crescer e com resultados desportivos muito positivos, facto que nos deixa muito orgulhosos”.

Numa altura em que o Karaté vive efusivamente a inclusão no programa Olímpico de Tóquio 2020, este evento assume-se de grande importância para o seleccionador nacional da modalidade. Segundo Joaquim Gonçalves, a Copa Ibero-Americana irá atingir “um nível de excelência, muito por fruto da qualidade e características dos atletas que vão competir”.

Como explicou o seleccionador, “no próximo Sábado estará em Braga a elite do Karaté Mundial e, uma vez que o Campeonato do Mundo da modalidade irá decorrer no final do mês, na Áustria, algumas selecções vão permanecer na Cidade até 23 de Outubro e farão a sua preparação para a competição aqui em Braga. Nesse sentido, foi criado um centro de treino em parceria com a Câmara, com a Universidade e com alguns ginásios da Cidade, de forma a dar todas as condições para que estes atletas possam prosseguir com os treinos”, concluiu Joaquim Gonçalves.

Esta Copa Ibero-Americana de Karaté contará com a presença de 105 atletas do escalão absoluto oriundos de Portugal, Espanha, Andorra, Nicarágua, El Salvador, Chile, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana e Equador. Marrocos também estará presente como país convidado, fruto das fortes ligações com países do espaço Ibero-Americano e do nível de excelência dos seus praticantes, que são uma referência a nível mundial.

CMB03102016SERGIOFREITAS0000002841.jpg

CMB03102016SERGIOFREITAS0000002843.jpg

VIZELENSES SOLIDÁRIOS COM OS BOMBEIROS

O rendimento do evento ‘Vizela Solidária’ foi esta tarde entregue aos Bombeiros Voluntários de Vizela, nas instalações da Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela.

entrega BVV Vizela solidaria.jpg

A entrega foi efetuada pelo Presidente da Câmara Municipal, Dinis Costa, pela gerente da Multiopticas de Vizela, Elsa Teixeira, e pelo administrador da Extrunorte, Rafael Sousa, ao Presidente da Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela, João Ilídio Costa.

De lembrar que o ‘Vizela Solidária’ teve lugar no passado dia 10 de setembro, na Marginal Ribeirinha de Vizela, cuja receita, no valor de 1.106,20€, reverteu integralmente a favor da Real Associação dos Bombeiros Voluntários de Vizela.

O evento resultou de uma parceria entre a Câmara Municipal de Vizela, a MultiOpticas, o Bar do Rio, a Extrunorte, a Cerdisa e a Super Bock.

A organização desde já agradece a todos a colaboração neste evento, nomeadamente aos artistas responsáveis pelas atuações musicais.

AMARES VIRA CAPITAL DA COLUMBOFILIA

Amares foi o concelho escolhido para acolher Gala de Distribuição de Prémios de Columbofilia

A Associação Columbófila do Distrito de Braga realizou ontem, em Amares, a Gala de Distribuição de Prémios da Campanha Desportiva 2016. A iniciativa juntou centenas de amantes da columbofilia, num evento que distinguiu os melhores columbófilos, pombos e coletividades.

IMG_6801 (1).JPG

Presente na cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, congratulou-se com o facto de Amares ter sido o concelho escolhido para acolher esta iniciativa.

“É claramente um motivo de orgulho para Amares receber esta gala que trouxe até ao nosso concelho cerca de 250 columbófilos. É uma forma de, por um lado, conhecermos um pouco melhor acerca desta modalidade que apaixona tanta gente e de, por outro lado, nós darmos a conhecer a riqueza do nosso concelho, o nosso património e a nossa excelente gastronomia”, sublinhou o autarca, que ofereceu aos homenageados lembranças do Município.

CERVEIRENSES QUEREM HOMENAGEAR DANIEL BARBOSA

UF de Lovelhe e Cerveira propõe alteração toponímica para homenagear Daniel Amorim Barbosa

Com a conclusão da obra da ligação e pavimentação do Lugar da Serra à Formiga, na União de Freguesia de Lovelhe e Vila Nova de Cerveira, e após aprovação em Assembleia de Freguesia, foi remetida à Câmara Municipal a proposta para aquele acesso passar a ser designado de ‘Rua Daniel Barbosa’.

IMG_9015.JPG

Por ser um anseio da população local com mais de 40 anos, a União de Freguesias de Lovelhe e de Vila Nova de Cerveira criou um novo arruamento, na zona mais alta da freguesia, numa extensão de cerca de 600 metros. A conclusão desta via suscitou ainda a uma reflexão sobre a toponímia e, mediante proposta apresentada pelo executivo da freguesia e aprovada em Assembleia de Freguesia, de 28 de setembro, cabe agora a análise e aprovação pelo órgão competente, a Câmara Municipal.

Pessoa distinta a nível pessoal, associativo e político pelo grande sentido de responsabilidade social e humanitária, Daniel Amorim Barbosa, natural da freguesia de Lovelhe, partiu abruptamente com apenas 56 anos de idade, deixando um rico legado de intervenção na cidadania. Dirigente de várias associações, das quais se destaca a sua ligação à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, fazendo parte da direção, Daniel Amorim Barbosa era um homem de causas públicas, e foi na vida política que mais deixou a sua marca, tendo assumido o cargo de vereador municipal e posteriormente membro da assembleia municipal. No pós 25 de abril de 1974, enquanto vereador sem funções e, posteriormente em regime de permanência, na Câmara Municipal foi responsável por um intervencionismo construtivo inigualável e um espirito de mobilização da comunidade cerveirense e do seu despertar para a participação politica.

PAN MARCA PRESENÇA NO GREENFEST CONSIDERADO O MAIOR EVENTO DE SUSTENTABILIDADE DO PAÍS

  • Centro de Congressos do Estoril - 6 e 9 de Outubro - Economia Circular será tema âncora desta edição
  • Plataforma de partilha de ideias e experiências para abordar tendências para um futuro melhor
  • Modelos alternativos que permitam inverter a cultura económica e social de produzir e consumir sem ter em conta os limites do planeta: Desperdício Zero

O PAN – Pessoas – Animais – Natureza vai marcar presença, pela primeira vez, naquele que é considerado o maior evento de sustentabilidade do país. O Greenfest regressa ao Centro de Congressos do Estoril, entre 6 e 9 de Outubro, tendo a economia circular como tema âncora da nona edição.

Banner1_960ÔÇå+ùÔÇå960.jpg

Esta iniciativa pretende celebrar anualmente o que de melhor se faz ao nível da sustentabilidade nas suas três vertentes ambiental, social e económica. O Greenfest posiciona-se como uma plataforma de partilha de ideias e experiências para abordar tendências envolvendo empresas, autarquias e cidadãos que querem contribuir para um futuro melhor. Encontrar novas soluções para o desafio do crescimento, coesão e integração social, poupando o ambiente e todos os seus recursos naturais é o desafio a que este festival se propõe.

Os objetivos do Greenfest cruzam inteiramente as causas que o PAN assume como prioritárias e pelas quais tem orientado o seu trabalho. É fundamental garantir que os ecossistemas se mantêm em equilíbrio e que a diminuição do uso dos recursos se torne uma realidade a curto prazo.

Neste contexto é imperativo repensar novas formas de Economia que permitam internalizar fatores até hoje têm sido tratados como externalidades negativas – custos ambientais e sociais, como a emissão de gases com efeito de estufa, desregulação climática, destruição de habitats, poluição de aquíferos, contaminação e desertificação do solo, desflorestação, etc.

A política ecológica não pode ser remetida para o longo prazo, ela é a condição de uma mudança profunda. Não se poderá resolver o problema social sem resolver a recessão ecológica que vivemos.

“ É muito estimulante perceber que é possível encontrar uma ética de colaboração, de consensos e de compromissos, públicos e privados, em torno do bem comum. Felicitar o Greenfest e todos os parceiros por esta iniciativa e agradecer a possibilidade de podermos estar presentes e colaborar para estas trocas de aprendizagens e de pontos de vista que só enriquecem o processo de transição para uma economia de energias realmente limpas e renováveis que promova a independência e a eficiência energética, bem como a soberania alimentar dos cidadãos e das nações.”, explica André Silva, Deputado e Porta Voz do PAN.

MUNICÍPIO CERVEIRENSE CONGRATULA GOVERNO POR DESBLOQUEAR IMPASSE DO CASTELO DE CERVEIRA

Na sequência da apresentação do programa Revive e do conhecimento da integração do Castelo como um dos edifícios prioritários para intervenção, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira endereçou ao Senhor Primeiro Ministro, Dr. António Costa, uma congratulação por atender ao anseio dos cerveirenses de dar dignidade aquele monumento.

14555949_10154530462024134_305647520_n.jpg

Na missiva enviada, o edil cerveirense refere que este desfecho resulta na concretização de mais um compromisso que o Senhor Primeiro-Ministro, enquanto candidato, expressou aquando da sua deslocação a Vila Nova de Cerveira para visitar a XVIII Bienal Internacional de Arte, na qual manifestou disponibilidade para ajudar a desbloquear este processo, colocando aquele conjunto edificado ao serviço dos cerveirenses, da economia local e dos inúmeros turistas que elegem o Castelo como um dos ex-libris do concelho.

“Para Vila Nova de Cerveira, este programa de valorização do património do Estado representa o desbloquear de um processo que já se arrastava há sete anos e comprova a atenção do atual Governo para com o património e a sua utilização em prol do desenvolvimento económico local e nacional, como de enorme potencial turístico-cultural”, afirma Fernando Nogueira.

O programa Revive, articulado pelos ministérios da Economia, Cultura e das Finanças, e liderado pelo Turismo de Portugal, visa concessionar a privados 30 imóveis históricos que se encontrem degradados, para que sejam recuperados e possam acolher projetos diferenciadores de âmbito turístico. Numa primeira fase, que deverá decorrer até ao final do ano, irão ser concessionados 12 edifícios, encontrando-se entre eles o Castelo de Cerveira.

CELORICO DE BASTO REDUZ IMI

Município de Celorico de Basto desagrava a carga fiscal dos celoricenses com redução do IMI

O executivo municipal estabelece para 2017, uma redução para 0,32% nos prédios urbanos, e aprova a redução do IMI familiar, com taxas fixas, em função do nº de dependentes.

_DSC3968.jpg

É objetivo, com estas medidas, “aliviar a carga fiscal sentida pelos celoricenses melhorando a sua qualidade de vida. Em simultâneo pretendemos atuar no sentido de promover a fixação de população no concelho e incentivar à criação de empresas e à sua sustentabilidade” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva. O autarca realçou a necessidade de dar continuidade a uma política que beneficie as pessoas e o crescimento económico do concelho sem descurar o equilíbrio das contas municipais. “As dificuldades económicas sentidas por muitas famílias, sobretudo com agregados numerosos, são uma preocupação deste executivo municipal por isso, atuamos no sentido de mitigar essas dificuldades e fomentar a melhoria das condições de vida das famílias. São medidas que irão diminuir consideravelmente as receitas auferidas por este Município mas tudo faremos para, com uma gestão rigorosa, manter o equilíbrio financeiro”.

Para 2017 o executivo celoricense aprovou a proposta de redução no Imposto Municipal sobre Imóveis de 0,33% para 0,32%. Foi ainda aprovado fixar a redução do IMI a cobrar pela Autoridade Tributária e Aduaneira, durante o ano de 2017, referente a prédio ou parte de prédio urbano destinado à habitação própria e permanente do sujeito passivo, atendendo ao número de dependentes que compõem o agregado familiar.

Foi proposta e aprovada uma dedução fixa. Assim, para um dependente a cargo a dedução será de 20€, dois dependentes a cargo a dedução será de 40€ e três ou mais dependentes a cargo a dedução fixa ficou definida em 70€.

No mesmo sentido, foi aprovada a isenção do imposto de derrama.

As propostas aprovadas foram submetidas a reunião da Assembleia Municipal de Celorico de Basto, para entrarem em vigor no ano de 2017.

_DSC6253.jpg

CERVEIRA INAUGURA REDE LOCAL DE INTERVENÇÃO SOCIAL

Vila Nova de Cerveira conta, desde este sábado, com um novo equipamento de atendimento social. Fruto de um protocolo de cedência e colaboração celebrado entre o Município e a Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira, foi inaugurada a RLIS - Rede Local de Intervenção Social no concelho, no antigo edifício do Quartel dos Bombeiros Voluntários.

IMG_9078.JPG

É a resolução de um prolongado impasse que se vivia em Vila Nova de Cerveira, quando já oito dos dez concelhos do Alto Minho, tinham este serviço em funcionamento. O Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social (SAAS), integrado no projeto RLIS de Vila Nova de Cerveira, foi inaugurado este sábado, no Dia do Município, numa cerimónia que contou com a presença do Diretor do Centro Distrital da Segurança Social, Dr. Paulo Órfão.

A Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira, gestora da Rede Local de Intervenção Social, e a Câmara Municipal enquanto parceira, formalizaram um protocolo de cedência e cooperação, no qual se referencia o funcionamento deste equipamento no antigo edifício do quartel dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, onde se inclui a antiga casa do Quarteleiro.

Durante a cerimónia de inauguração, o presidente da Câmara Municipal destacou o início de mais um serviço ao dispor dos cerveirenses, após um percurso difícil para a entrada em funcionamento “Só Vila Nova de Cerveira e Viana do Castelo é que não tinham a RLIS em funcionamento, e só com muita insistência e boa vontade de todas as entidades envolvidas, nomeadamente da Secretaria de Estado da Segurança Social e do Centro Distrital da Segurança Social, é que foi possível concretizar este objetivo que será muito útil para cerveirenses menos favorecidos”, disse Fernando Nogueira.

Agradecendo às entidades que contribuíram para debloquear este impasse, e à Câmara Municipal pela parceria de cedência de espaço e das obras de adaptação do mesmo, o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira, Rui Cruz, frisou um “dia de festa para a Misericórdia de Cerveira, com esta nova unidade de apoio social que se pauta por uma intervenção de proximidade, transversalidade e inovação social”.

Por sua vez, o diretor distrital da Segurança Social, Dr. Paulo Orfão, enalteceu o trabalho incansável da Santa Casa e da Câmara Municipal para tornar uma realidade a criação da RLIS no concelho, “exemplo de como se trabalha em prol dos que mais necessitam e só por isso será certamente um caso de sucesso”.

A RLIS constitui-se como um instrumento privilegiado no atendimento e acompanhamento social, promovendo uma estreita articulação entre as várias entidades multissectoriais, com vista à implementação de diferentes estratégias de ação em resposta às situações de maior vulnerabilidade social.

Com três técnicos, nomeadamente um psicólogo, um assistente social e um assistente da aérea educação, o Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social (SAAS) consiste num atendimento de primeira linha que pretende responder eficazmente às situações e crise e ou emergências sociais. Pretende, igualmente, efetuar um acompanhamento social às pessoas e famílias, destinado a assegurar o apoio técnico, tendo em vista a prevenção e resolução de problemas sociais.

O horário de funcionamento da RLIS de Vila Nova de Cerveira é de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 17h30, sem interrupção para almoço.

PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA NOVA DE CERVEIRA DIRIGE-SE AOS CERVEIRENSES

Presidente_da_C_mara_Municipal_com_gravata_1_350_2500_1_980_2500.jpg

Discurso Dia do Município – 1 de outubro de 2016

Estamos hoje presentes para comemorar um dia muito importante para Cerveira e para a identidade cerveirense.

Comemoramos os 695 anos da atribuição do Foral pelo Rei Dinis que, em 1321, deu origem à VilaNova, começando a ser construída a identidade cerveirense que hoje muito nos orgulha.

Mas a história de Cerveira é rica e muito mais antiga, pelo menos desde a Idade do Bronze que estes locais junto ao rio Minho foram povoados, e a primeira fortificação de Cerveira, segundo reza a história, ainda encontra alguns vestígios no Monte do Crasto, onde hoje está implementado um dos nossos símbolos municipais, o imponente Cervo, da autoria do saudoso Mestre José Rodrigues, ao qual presto aqui a minha singela homenagem.

Voltando ao Dia do Município, lembramos o grande monarca que foi D. Dinis, fundamental para a consolidação do conceito de nacionalidade nos mais diversos domínios, desde logo nas letras e na cultura, na agricultura e nos famosos pinhais que mandou construir, parecendo prever um futuro brilhante para Portugal, já que foi a partir dessa matéria-prima dos pinhais se construíram as naus que deram origem à epopeia portuguesa dos Descobrimentos.

Mas também em Vila Nova de Cerveira, com a sua visão e o seu legado de autonomia, o rei D. Dinis atribuiu um foral que criou direitos e privilégios, deixando-nos as bases daquilo que é hoje a identidade cerveirense e o que são as bases da nossa joia da coroa do concelho, o Castelo de Vila Nova de Cerveira.

Por falar em Castelo, há boas noticias que até o D. Dinis estaria orgulhoso delas, pois finalmente olhamos para o património e temos boas perspetivas de vir a recuperar um dos ex-libris do concelho, após o recente lançamento pelo Governo do Programa Revive que visa a intervenção em vários monumentos, dos quais se destaca o Castelo de Vila Nova de Cerveira que para nós é motivo de orgulho e satisfação.

Num momento histórico como o é o Dia do Município, que se celebra com mais dignidade e relevo desde 1984, é obrigatório relembrar e destacar figuras, factos e momentos que sobressaíram no nosso coletivo e nos impulsionam para o futuro que queremos brilhante e risonho.

Atendendo a esse facto, quisemos dar destaque à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, cujo o seu corpo de bombeiros está a comemorar o centésimo aniversário, pois foi fundado a 31 de outubro de 1915. A Associação Humanitária é muito mais que um interveniente na defesa de pessoas e de bens, e tem prestado relevantes serviços a Cerveira e aos cerveirenses, e até às populações limítrofes de um e do outro lado do rio Minho.

Hoje damos especial incidência ao seu corpo de bombeiros que está a comemorar o seu centenário, daí sob proposta da Câmara Municipal, a Assembleia Municipal atribuir a Medalha de Honra do Município.

Mas este ano procuramos dar uma especial atenção às nossas empresas e empresários, motores do recente desenvolvimento concelhio pois, mesmo em contraciclo com o que se passa a nível nacional e mesmo internacional, as nossas empresas cresceram, mantiveram os postos de trabalho, consolidaram a economia e, no concelho do Alto Minho mais pequeno, em território e em população, mas enorme em alma e vontade, conseguiram colocá-lo nos primeiros lugares de importância no âmbito regional, através de um saldo altamente favorável nas importações e nas exportações e criando riqueza.

Graças a este empreendedorismo, Vila Nova de Cerveira tem registado ao longo dos últimos anos uma taxa de desemprego média bastante abaixo da média nacional, facto que mais uma vez tenho de agradecer às empresas e aos seus empresários aqui presentes. Sublinho que, do universo de cerca de 40 empresas sedeadas no nosso perímetro industrial, estão aqui representadas 9 empresas e 2 empresários, e só essas são atualmente responsáveis por 2600 postos de trabalho diretos, demonstrando bem a vitalidade da sua ação.

Vila Nova de Cerveira, nos anos 80 e principalmente 90, foi precursor no Alto Minho da mudança de paradigma, e de uma região completamente rural passamos para a industrialização e para o desenvolvimento industrial. Pelo que, mais uma vez, queremos que Cerveira esteja na linha da frente, e nós não descuramos esse objetivo, até porque planeamos, a criação de uma nova frente de instalação de empresas no único local público que o PDM nos permite, em Sapardos, já que a atual disponibilidade de solo para uso industrial é de âmbito privado e sem grande margem de manobra para a intervenção municipal. Mas enquanto outros, e bem, procuram a instalação de novas empresas, queremos como anteriormente disse, estar um passo à frente e proporcionar às nossas empresas, aos nossos empresários e aos nossos trabalhadores, melhores condições de trabalho, valorização profissional de forma a promover a inovação e desenvolvimento, factor chave para reforçar a internacionalização.

Para isso, queremos criar uma rede e parcerias que nos ajudem neste desidrato, alicerçados em algumas das excelentes instalações que o nosso perímetro industrial possui, pois hoje o principal problema dos nossos empresários é a falta de mão de obra para puderem como é sua vontade ampliar as suas empresas, associada também á dificuldade ao nível da oferta habitacional em Vila Nova de Cerveira e nas freguesias próximas ao perímetro empresarial de forma a poder fixar trabalhadores, principalmente jovens casados, que assim evitariam deslocações de outros concelhos. O sucesso das nossas empresas e dos nossos empresários, representa o nosso sucesso coletivo.

Em dia de reconhecimentos, não podemos esquecer a cultura e cidadania, e reconhecer vultos que marcam e marcaram a nossa história recente. Desde já, o Pintor Henrique Silva que, com a sua sabedoria e experiência, já reconhecida anteriormente, foi um contributo fundamental e essencial para o êxito da XVIII Bienal de Arte, o maior evento cultural do concelho e da região, contribuindo de forma decisiva para com os pucos recursos financeiros realizar uma grande bienal.

Também porque estamos no limiar das comemorações dos 40 anos das primeiras eleições do poder autárquico democrático, queremos deixar uma nota a esse respeito, e prestar uma homenagem aos autarcas de freguesia e aos vereadores que, com o seu trabalho nas Juntas de Freguesia e Câmara Municipal quer na oposição, quer em funções executivas, muito contribuíram para o desenvolvimento de Vila Nova de Cerveira. E especialmente os vereadores, pois apesar de serem peças fundamentais na equipa de governo municipal, são as figuras com menos visibilidade, pois ados presidentes todos vem e falam, para o bem e para o mal. Presto aqui uma sentida homenagem a um grande cidadão e a um excelente autarca que foi o saudoso Senhor Daniel Amorim Barbosa que mudou o paradigma de atuação dos vereadores na Câmara Municipal, sendo lembrado como o vereador das causas sociais, querendo nele homenagear todos os restantes autarcas.

No presente contexto de comemoração municipal, também lembramos aqui as nossas associações que muito contribuem para o nosso desenvolvimento social e cultural, e aproveitamos para destacar, neste momento, duas que recentemente comemoram 15 anos de existência. E ainda os nossos jovens, pois quando pensamos em jovens pensamos, entre outras coisas, em desporto e atividade física. Assim, na figura de quatro jovens desportistas que se destacaram pelos resultados obtidos, saudamos todos os jovens deste concelho e que sirva de incentivo para as boas práticas do seu dia-a-dia.

Sem atribuição de qualquer galardão, mas de igual relevância pelo trabalho que desempenha, também lembramos a Unidade Local de Covas que, graças a uma excelente iniciativa da Junta de Freguesia local e de uma associação local, tem prestado ao longo dos últimos anos um relevante serviço à freguesia e aos concelhos. É pena que estes bons exemplos não tenham réplica pelo país fora.

Finalmente, e porque em qualquer organização os recursos humanos são a peça mais importante, na autarquia não é diferente, até porque os políticos passam mas os trabalhadores ficam. Temos de reconhecer o excelente trabalho que a equipa de trabalhadores municipais vem desempenhando, e que todos vemos, aos quais hoje aqui fazemos justiça à fidelidade e permanência ao serviço da autarquia, já que o reconhecimento que hoje lhes é prestado não é para distinguir mérito uns dos outros, mas para assinalar o seu tempo de serviço público.

Porque queremos um futuro cada vez melhor para Cerveira, estamos empenhados em continuar a dar o nosso melhor por um projeto vencedor em prol da causa pública.

Um obrigado muito especial a todos.

O Presidente da Câmara Municipal

Fernando Nogueira

PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VILA NOVA DE CERVEIRA DIRIGE-SE AOS CERVEIRENSES

z-vncam.jpg

Sessão Solene Comemorativa do Dia do Município - 1 de outubro de 2016 - 15h00 – Fórum Cultural

Vila Nova de Cerveira celebra hoje o seu “dia do município”.

O “Dia do Município” é um dia de festa, um dia de celebração; mas também um dia de reflexão sobre o significado deste pedaço de território, sobre o sentido desta comunidade que nos dá abrigo; e sobre as grandes causas que nos devem mobilizar.

O “Dia do Município” é ainda um dia de reconhecimento. De reconhecimento às Instituições, às Empresas e aos Cerveirenses que em diversas áreas mais se destacaram na promoção e desenvolvimento do concelho.

Todos concordaremos que “um concelho que não valoriza o seu passado é um concelho sem futuro”. Felizmente, o nosso passado é repleto de muitos sucessos, onde muitos Cerveirenses se distinguiram e distinguem nas mais variadas áreas.

Foi graças a todos eles que Vila Nova de Cerveira tem uma identidade forte e se orgulha da sua história.

Neste dia especial, permitam-me, assim, começar por recordar 3 dessas referências históricas.

A primeira referência é diretamente para os senhores e senhora presidente de Junta de Freguesia.

Como sabem, este ano comemora-se o centenário da publicação da Lei que aprovou a designação civil de "junta de freguesia” e aboliu a designação de “Paroquias civis”.

Ao longo destes 100 anos as Juntas de Freguesia sempre se caracterizaram pela relação de proximidade junto das populações. Podemos mesmo afirmar que as Juntas de Freguesia são o governo mais próximo dos cidadãos, onde sobressai uma relação de vizinhança, atenta às necessidades da comunidade, que permite resolver de forma prática e eficiente os problemas das populações.

É justo, pois, recordar todos os autarcas Cerveirenses que nestes 100 anos generosamente dedicaram parte das suas vidas ao governo das suas Freguesias.

A segunda referência é para o quadragésimo aniversário da Constituição da República Portuguesa, que em 1976 consagrou a autonomia da administração local (freguesias e municípios), e a democracia como regra no funcionamento dos respetivos órgãos.

Na comemoração dos 40 anos da Constituição importa evocar aqueles que contribuíram para a construção de um Estado Constitucional, e ajudaram a que a autonomia das autarquias locais fosse uma realidade.

Como terceira referência histórica gostava de recordar o exemplo de um homem que dá nome a uma das ruas mais tradicionais da sede do Concelho. Refiro-me ao Político e Poeta, Gaspar de Queirós Ribeiro.

Há 121 anos o concelho de Vila Nova de Cerveira foi extinto por decreto real e as suas 15 freguesias repartidas por Caminha e Valença. Queirós Ribeiro fica na nossa história por volvidos 3 anos ter conseguido a revogação da decisão de extinção do concelho. Não sendo natural de Cerveira, mas cá residindo na Casa da Loureira (Gondarém) com fortes laços familiares, foi graças a um seu discurso emotivo e apaixonado, proferido na Câmara dos Deputados, que se decretou a restauração do concelho de Cerveira, com todas as suas freguesias.

Minhas senhoras e meus senhores, despois da viagem por estes 3 exemplos históricos com significado para Cerveira, regressemos ao ponto de partida

Foi no dia 1 de outubro de 1321, que El Rei D. Dinis atribuiu o primeiro foral a Vila Nova de Cerveira.

Hoje, à distância de quase 7 séculos desse acontecimento, pode dizer-se que Vila Nova de Cerveira é um concelho com bons níveis de desenvolvimento, com qualidade de vida, boas infraestruturas e paz social.

Mas Cerveira também enfrenta dificuldades e desafios que urge ultrapassar.

A começar pelo inquietante desequilíbrio demográfico entre as freguesias do litoral e do interior; A acentuada quebra demográfica; As dificuldades no desbloqueamento dos fundos comunitários; e A falta de recursos humanos e de técnicos qualificados para satisfazer a procura das unidades empresariais. Estas são apenas algumas das questões que estão em cima da mesa de trabalho.

É insustentável assistirmos às dificuldades por falta de pessoal de muitas das unidades empresariais cá instaladas e, simultaneamente, vermos muitos dos nossos jovens partir porque cá não tem oportunidades de emprego.

Temos de ser capazes de combater estas aparentes contradições.

Felizmente, estamos cada vez mais conscientes que só através de uma verdadeira rede de parcerias é possível conhecer a raiz das dificuldades e estabelecer compromissos para tirar melhor partido dos nossos recursos.

É claro que boa parte dos problemas não se resolvem por decreto, não dependem só de nós, nem se solucionam de um dia para o outro, mas temos de ter a capacidade de mobilizar todos os intervenientes que são parte da solução e aplicar a energia necessária para que haja avanços.

É isso que nós, em conjunto, temos de saber construir, inspirados até, perdoe-me a comparação, pela mesma paixão que animou Queirós Ribeiro na defesa do concelho de Cerveira.

Estimados Cerveirenses.

Nós, todos nós – Câmara, Assembleia Municipal, Juntas de Freguesias, empresas, escolas, associações, instituições, cidadãos… – somos entidades construtoras de futuro.

Mas o futuro construi-se todos os dias, pois há sempre matérias que temos de continuar a afinar para reforçar o desenvolvimento do nosso concelho.

Enquanto autarcas, a nossa missão é servir bem a população de Cerveira. É um trabalho estimulante, mas cada vez exigente em face da crescente tendência para o centralismo que se observa no nosso País.

Lisboa está cada vez mais opulenta e cada vez mais o resto do País tem de usar soluções mais diferenciadoras, tem de usar aquilo que tem mais disponível.

A única forma de ultrapassar as dificuldades e enfrentar os desafios é concertar os interesses dos decisores políticos, operadores económicos e da comunidade local num trabalho em conjunto que permita desenvolver iniciativas diferenciadoras e virtuosas para potenciar a atratividade do concelho.

Nesse sentido, veja-se o recente exemplo da 2.ª edição do “Crochet sai à rua”.

As palavras serão sempre escassas para enaltecer a dedicação e o trabalho de um grupo de voluntárias que passaram meses a fio a tricotar maravilhosos adornos, autênticos pedaços da memória coletiva, fidedignos efeitos etnográficos, num conjunto harmoniosamente alinhado para nosso deleite e deslumbramento dos muitos milhares que nos visitaram.

Tratou-se de uma iniciativa diferenciadora, que gerou riqueza e funcionou como polo de divulgação e atração do concelho.

Foi um ótimo exemplo de união profícua de esforços que pode servir de modelo para o futuro.

Presidente_Assembleia_Municipal_Sem_gravata_1_880_2500 (1).jpg

Minhas senhoras e meus senhores, para terminar recordo que

Faz hoje exatamente um ano que referi que: “o que nos liga a esta terra onde nascemos, trabalhamos e vivemos não é só a sua beleza natural, o seu património e a sua vocação cultural, mas são sobretudo os laços afetivos que nos unem e o sentimento de que aqui fazemos parte de um território e de uma comunidade com história e oportunidades de futuro”.

E que melhor maneira de celebrar este feliz acontecimento que distinguir as Instituições, as Empresas e os Cerveirenses que mais recentemente contribuíram para valorizar o nosso território.

Estes bons exemplos reforçam a identidade da nossa comunidade e dão sentido a dias festivos como o de hoje. Por isso, Muito obrigado a todos.

Bem-haja! Viva Cerveira!

Vila Nova de Cerveira, 1 de outubro de 2016

Vitor Nelson

CERVEIRA HOMENAGEIA ESPÍRITO DE CIDADANIA

Dia do Município homenageou empreendedorismo, cidadania, cultura, desporto e serviço público

Vila Nova de Cerveira assinalou, este sábado, mais um Dia do Município agraciando um conjunto de entidades e personalidades pelo papel preponderante no desenvolvimento e afirmação do concelho nas mais diversas áreas de atuação. Bombeiros, empresas e empresários, cidadãos, associações culturais, desportistas e trabalhadores municipais foram reconhecidos pelo Município em sessão solene.

IMG_20161001_153313.jpg

Perante uma grande participação de cerveirenses, as comemorações que assinalam a atribuição da Carta do Foral do Rei D. Dinis a Vila Nova de Cerveira, a 01 de outubro de 1321, iniciaram com o hastear das bandeiras nos Paços do Concelho, ao som do Hino Nacional pelo Coro Infantojuvenil e Coral Polifónico de Vila Nova de Cerveira, perante a guarda de honra dos Bombeiros Voluntários.

De seguida foi entregue, no quartel dos bombeiros Voluntários, a medalha municipal de bons serviços a 18 elementos do Corpo Ativo dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira que completaram 15 e 25 anos de serviço, tendo sido reconhecida a dedicação e o altruísmo de cerveirenses que se dedicam à defesa dos seus conterrâneos.

O período da tarde ficou reservado para a cerimónia solene de imposição da Medalha de Honra do Município à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, o mais prestigiado reconhecimento municipal, e a entrega de Medalhas de Mérito e Menções Honrosas, nomeadamente a nove empresas sedeadas no concelho há mais de 14 anos e com mais de 100 postos de trabalho; dois empresários no ativo, com mais de 75 anos de idade e 40 anos de serviço; dois cidadãos com contributos meritórios na cultura e causas públicas; duas associações que completaram 15 anos de existência; quatro jovens atletas com resultados meritórios; e os trabalhadores municipais que completaram 35 ou mais anos, e 25 ou mais anos de serviço, de acordo com a lista de antiguidade publicada anualmente.

Na abertura da sessão solene, o presidente da Câmara Municipal destacou a visão e legado de D. Dinis, ressalvando que a identidade cerveirense, apesar de muito antiga, mantém a sua riqueza através de uma forte ligação ao presente, recordando o Mestre José Rodrigues e as boas notícias em torno do desbloquear do impasse do Castelo de Cerveira.

Em dia de comemoração, o Município de Vila Nova de Cerveira decidiu destacar figuras, factos e momentos que sobressaíram no coletivo e “que impulsionam para o futuro brilhante e risonho que todos desejam”. “Este ano procuramos dar uma especial atenção às nossas empresas e empresários, motores do recente desenvolvimento concelhio pois, mesmo em contraciclo com o que se passa a nível nacional e mesmo internacional, as nossas empresas cresceram, mantiveram os postos de trabalho, consolidaram a economia e, no concelho do Alto Minho mais pequeno, em território e em população, mas enorme em alma e vontade, conseguiram colocá-lo nos primeiros lugares de importância no âmbito regional, através de um saldo altamente favorável nas importações e nas exportações e criando riqueza”, explicou Fernando Nogueira, referindo ainda que: “Graças a este empreendedorismo, Vila Nova de Cerveira tem registado ao longo dos últimos anos uma taxa de desemprego bastante abaixo da média nacional. Do universo de cerca de 40 empresas sedeadas no nosso perímetro industrial, estão aqui representadas 9 empresas e 2 empresários, e só essas são hoje responsáveis por 2600 postos de trabalho diretos, demonstrando bem a vitalidade da sua ação.

Sublinhando que “um concelho que não valoriza o seu passado é um concelho sem futuro”, o presidente da Assembleia Municipal afirmou que “felizmente, o nosso passado é repleto de muitos sucessos, onde muitos cerveirenses se distinguiram e distinguem nas mais variadas áreas”. Vitor Nelson Torres da Silva salientou ainda que “à distância de quase 7 séculos da atribuição do Foral por D. Dinis, pode dizer-se que Vila Nova de Cerveira é um concelho com bons níveis de desenvolvimento, com qualidade de vida, boas infraestruturas e paz social”.

O vasto programa de comemoração do Dia do Município, que encerrou com um encontro de grupo corais, no Cineteatro, contou uma vez mais com uma grande participação dos cerveirenses.

Lista de homenageados:

Medalha de Honra do Município atribuída à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira

Medalha Municipal de Mérito

Empresas

Grupo Antolin Lusitânia – Componentes Automóvel, SA

ZF – TRW

Brunswick Marine – EMEA Operations, Lda

Gestamp Cerveira, Lda

Ezpeleta Portugal – Móveis de Jardim Lda

Fundilusa – Fundições Portuguesas Lda e Ilhapor – Linhas de Transmissão e Propulsão Lda

João Pires Internacional Transportes, Lda

Tintex – Tinturaria Têxtil de Cerveira, SA

Pralisa – Produtos Alimentares e Pescas, SA

Empreendedorismo

Senhor Rui Gomes Carpinteira

Senhor Aristides Jesus Ramalhosa

Cidadania

Pintor Henrique Silva

Senhor Daniel Amorim Barbosa – A título Póstumo

Associativismo

Associação de Artesanato do Vale do Minho

Rancho Folclórico e Infantil de Gondarém

Menções Honrosas

Bruno Jorge Andrade Matos

José Rui Leal Romeu

Ana Filipa Conde Fernandes

Daniela Rego do Paço

Medalha Municipal de Serviço Público

56 funcionários

VALENÇA REALIZA JORNADAS DE MARKETING

III Jornadas de Marketing realizam-se a 27 de Abril

As III Jornadas de Marketing de Valença, que contam com o apoio da Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESCE-IPVC), irão realizar-se no dia 27 de Abril de 2017.

Após duas edições de enorme sucesso, as Jornadas de Marketing de Valença, onde profissionais das mais diversas áreas marcam presença, partilhando experiências e testemunhos diferenciados, com contributo de elevado valor qualitativo, estão já a ser preparadas. As III Jornadas de Marketing é um evento organizado por alunos da licenciatura e mestrado do curso de Marketing da Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESCE-IPVC), contando com o importante apoio de docentes e outros profissionais na ESCE-IPVC.

As anteriores edições contaram com diversos nomes, como Vasco Marques ou Ferrão Filipe, e marcas, Vicri e Remax, presentes no mercado nacional e internacional. Nesta próxima edição a organização pretende que a mesma seja mais um passo rumo ao sucesso. 

MINISTRO DA CULTURA VISITA CABECEIRAS DE BASTO

O Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, visitou no passado sábado, dia 1 de outubro, o concelho de Cabeceiras de Basto, passando pela Casa da Música, sede da Banda Cabeceirense, e pela sede do Rancho Folclórico de S. Nicolau, na freguesia de Cabeceiras de Basto, uma jornada dedicada à Cultura que contou com a presença dos presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves e Eng. Joaquim Barreto, respetivamente, de vereadores e presidentes de Junta, entre outros eleitos, convidados e público em geral.

Ministro da Cultura na sede do Grupo Folclórico de S. Nicolau (2).JPG

Tendo como presidente da direção José Manuel Silva, a Banda Cabeceirense foi fundada em 1820. É atualmente composta por meia centena de músicos e dirigida por Paulo Nunes. É a mais antiga coletividade do concelho e a de maior implantação cujo dinamismo ao longo dos tempos tem sido decisivo para a aprendizagem e para a divulgação musical em Terras de Basto, por aqui tendo passado várias gerações de Cabeceirenses. Foi em 1986 que esta filarmónica fundou a Escola de Música e em 1999, na sequência da grande afluência de jovens, ‘nasceu’ também a Banda Juvenil Cabeceirense, composta por jovens executantes que desde tenra idade têm brilhado em encontros de Bandas Juvenis e na participação em diversos concertos.

A sua Escola de Música que tem como diretor artístico o professor Armindo Nunes é presentemente frequentada por 38 alunos (21 em formação musical – iniciação; 14 em formação musical – instrumento e 3 jovens em Classe Conjunto – Banda) e tem sido um verdadeiro ‘viveiro’ de grandes músicos que se têm destacado no panorama nacional e internacional, como Adriana Ferreira, Hélder Gonçalves, Casimiro Almeida, Pedro Teixeira, Eugénio Leite, entre outros. Há mais de 180 anos que a centenária Banda Cabeceirense, com sede na Casa da Música de Cabeceiras de Basto, participa nas maiores romarias minhotas, promovendo a música, o talento, os valores e o nome desta terra.

Depois do vice-presidente e presidente da Banda Cabeceirense, José Manuel Silva e João Pacheco, respetivamente, darem a conhecer a dinâmica e o funcionamento da instituição, o Ministro da Cultura expressou: “que melhor forma de comemorar o Dia Mundial da Música que estar aqui no seio de uma agremiação que promove a música. Gentes capazes de desenvolver o ensino da música e de formarem músicos notáveis”, disse o governante, destacando a “extraordinária capacidade de iniciativa e de coesão. Um exemplo de cultura notável. Aqui se afirma na nossa identidade”, concluiu.

Ministro da Cultura na sede da Banda Cabeceirense (1).JPG

Na sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, afirmou ser “um gosto e uma honra” participar na visita que o Ministro realizou à Casa da Música de Cabeceiras de Basto, “um espaço que, em tempos, a Câmara Municipal recuperou e que em boa hora permitiu que aqui se instalasse a Banda Cabeceirense, a instituição mais antiga do concelho que em 2020 completará 200 anos. A Câmara Municipal, Cabeceiras de Basto e os Cabeceirenses orgulham-se desta instituição que tem sido embaixadora da nossa terra e da nossa cultura por onde tem passado”, sublinhou.

“Em Cabeceiras de Basto temos apoiado a cultura, seja a música, de que é exemplo a Banda Cabeceirense que tem uma escola de formação que envolve tantas crianças e jovens; seja o teatro e, a este propósito refiro, o magnífico trabalho que o Centro de Teatro da Câmara Municipal tem feito na divulgação desta arte a partir da recolha da nossa história e da sua divulgação. Um projeto inclusivo que envolve tantas cabeceirenses; seja o Património de que é exemplo o NOSSO Mosteiro, o Mosteiro de S. Miguel de Refojos, um Mosteiro beneditino que decidimos, em finais de 2013, candidatar a Património Cultural da Humanidade. É certo que não tivemos a felicidade de o ver, neste ano de 2016, incluído na Lista Indicativa de Portugal ao Património Mundial da UNESCO, mas não baixamos os braços e vamos continuar a aprofundar os estudos e o conhecimento da sua história, bem como a apostar na sua valorização e reabilitação para que, no futuro, isso possa vir a acontecer. Com efeito, vimos recentemente aprovada uma candidatura a fundos comunitários no valor de cerca de 2 milhões de euros para a realização de obras de beneficiação e promoção cultural, projeto que mereceu o apoio da Direção Regional da Cultura do Norte”, destacou, aproveitando a oportunidade para convidar o Ministro da Cultura a voltar a Cabeceiras de Basto e a visitar o NOSSO MOSTEIRO.

Ministro da Cultura na sede da Banda Cabeceirense (2).JPG

A finalizar, Francisco Alves deixou uma palavra à Banda Cabeceirense na passagem pelo seu 196º aniversário, reconhecendo o “excelente trabalho” que tem desenvolvido, manifestando igualmente à Banda o seu apoio.

Na oportunidade, o presidente da Assembleia Municipal, Eng. Joaquim Barreto, na sua alocução, disse ser “importante que o Governo e os seus membros conheçam os territórios, especialmente estes de baixa densidade”, referindo que “este ato tem muita importância e também muito significado”. Evidenciando que “a escola de música é também um espaço de formação cívica”, Joaquim Barreto certificou: “há aqui muito voluntariado, expressão da nossa cultura”.

Visita à sede da Associação do Grupo Folclórico de S. Nicolau

O Ministro da Cultura visitou também, no passado sábado, a sede da Associação do Grupo Folclórico de S. Nicolau, em Cabeceiras de Basto, uma coletividade fundada no ano de 2000. Desde então, este grupo concelhio tem vindo a empenhar-se na salvaguarda, promoção e divulgação dos usos e costumes desta terra de Basto através do folclore, da etnografia e das belas danças e cantigas com que habitualmente se apresenta ao público, sendo atualmente o presidente da direção Manuel Pacheco.

Na oportunidade, o presidente da direção fez um histórico da agremiação, falando da construção da sede, das dificuldades que sentiram mas também dos apoios que receberam, agradecendo “a dedicação de muitos que colaboraram na construção da sede”.

O presidente da Junta de Freguesia de Cabeceiras de Basto, José Carlos Rebelo, também presente nesta sessão, demonstrou a sua disponibilidade para “continuar a apoiar a associação” que tem contribuído para o desenvolvimento cultural da freguesia.

O Ministro elogiou a ação deste grupo evidenciando que o folclore e a sua alegria conseguem criar laços de união entre as pessoas, contagiando os povos aquém e além-fronteiras.

Ministro da Cultura na sede da Banda Cabeceirense (3).JPG

Ministro da Cultura na sede do Grupo Folclórico de S. Nicolau (1).JPG

VILA VERDE É UMA DELÍCIA!

Chocolate com Pimenta apresentou dois novos bombons inspirados na época das colheitas

Do primeiro fim-de-semana agosto ao último de novembro, o pulsar genuíno do mundo rural e a autenticidade da tradição minhota sentem-se com intensidade redobrada e a celebração das colheitas tem inspirado a criatividade de muitos talentosos artesãos. É o caso da Chocolataria Artesanal – Chocolate com Pimenta, que este ano se associou à programação turística do Município de Vila Verde com a apresentação de duas criações de chocolate – Edição Rota das Colheitas, que decorreu no dia do segundo aniversário desta casa vilaverdense, 01 de outubro, pelas 17h00. A noite foi dedicada à cultura, com um excelente espetáculo de música ao vivo protagonizado pelo artista Hugo Torres.

DSC_1223.JPG

Desta feita, o multi galardoado mestre chocolateiro Pedro Sousa inspirou-se numa recente tendência da agricultura vilaverdense, com explorações de grande qualidade na área dos mirtilos e pequenos frutos. A Chocolate com Pimenta efetuou o pré-lançamento de produtos que prometem ser um dos sabores diferenciadores de todos os visitantes que visitem Vila Verde e a Festa das Colheitas, o Bombom de Chocolate Negro com Licor de Mirtilo e os Cacos de Chocolate negro com pimenta rosa e mirtilos desidratados. Esta última criação pretende aliar o forte carácter do chocolate negro e o irreverente toque da pimenta a um dos mais emblemáticos sabores locais.

A noite foi dedicada à música, com a atuação do Músico e Compositor de Braga, Hugo Torres. Um estilo musical “Pop” semelhante a grandes nomes da música nacional que encantou a plateia com os êxitos do disco “TRILHOS”. Os interessados podem provar os novos bombons durante a Festa das Colheitas – XXV Feira Mostra de Produtos Regionais de Vila Verde (que decorre de 04 a 09 de outubro), bem como os produtos do campo, o fumeiro, a pastelaria, os vinhos e as melhores iguarias da gastronomia regional. Participar nas recriações de práticas ancestrais, visitar a exposição de artesanato e assistir aos espetáculos de música ao vivo. Um total de mais 50 iniciativas, durante seis dias consecutivos, que trazem ao coração de Vila Verde o pulsar genuíno do mundo rural e a força da tradição minhota.

DSC_1331.JPG

DSC_1420.JPG

DSC_1459.JPG

FAMALICÃO VAI FICAR MAIS VERDE

Paulo Cunha lançou projeto “25 mil árvores até 2025” com o nascimento do Berçário Municipal

 “25 mil árvores até 2025” é o novo desafio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão que quer reabilitar aproximadamente 25 hectares do território concelhio através da plantação de 25 mil árvores e arbustos nativos da região em áreas urbanas, espaços rurais, ao longo das linhas de água e em montes e serras.

DSC_1597.jpg

O projeto que será concretizado nos próximos nove anos foi lançado na passada sexta-feira, pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, com a criação do Berçário Municipal, onde foram plantadas as primeiras 1.400 árvores, com a ajuda de crianças e de várias associações e instituições do concelho. A ação contou ainda com a presença de representantes do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas e da Quercus, entre outros convidados.

“É muito importante envolver toda a comunidade neste projeto, principalmente as novas gerações, sensibilizando-as para a preservação da natureza e do meio ambiente”,salientou Paulo Cunha, referindo que “rearborizar significa devolver vida, proteger a natureza, criar condições de futuro para a comunidade”. E se hoje temos espaços arborizados foi porque “alguém há muitos anos teve precisamente o gesto de plantar árvores, como hoje estamos a fazer”, sublinhou.

De resto, Paulo Cunha foi dos primeiros a contribuir para o Berçário com a plantação de um Carvalho português (Quercus faginea). Por sua vez, as crianças do Centro Social de Bairro ofereceram 50 árvores de várias espécies autóctones. Estas primeiras árvores e sementes irão agora crescer até à altura de estarem prontas para a reflorestação.

Além da reabilitação e promoção da floresta autóctone, este projeto visa também a educação ambiental, através de ações de sementeira e plantação e manutenção dos espaços arborizados, levando a uma cultura de responsabilidade ambiental. Paulo Cunha destacou ainda a importância deste projeto na “minimização os efeitos nefastos dos incêndios”.

Para isso, serão plantadas uma média de três mil árvores por ano, sendo que o plano de ação está estruturado em torno de dois grandes eventos anuais, o Dia Mundial da Floresta, que se assinala a 21 de março e o Dia da Floresta Autóctone, 23 de novembro.

Refira-se que as árvores autóctones são uma aposta deste projeto, nomeadamente carvalhos, medronheiros, castanheiros, loureiros, azinheiras e sobreiros entre outros. Para além da forte ligação à história da região, estas espécies estão mais adaptadas às condições do solo e do clima do território, por isso, são mais resistentes a pragas, doenças ou longos períodos de seca ou chuva intensa. Embora de crescimento mais lento, são também mais resistentes aos incêndios florestais, constituindo o refúgio e abrigo de muitas espécies de animais, levando a um aumento exponencial da biodiversidade.

Isso mesmo sublinhou Pedro Sousa, representante da Quercus, que aproveitou a oportunidade para enaltecer este projeto da autarquia famalicense “na promoção das espécies autóctones numa região tão fustigada pela plantação do eucalipto”, realçou.

O projeto “25 000 árvores para 2025” inseriu-se na Semana do Crescimento Sustentável, que decorreu no âmbito do programa Famalicão Visão’25 – Marcas do Futuro.

DSC_1553.jpg

GUIMARÃES APOSTA NA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

ENCONTRO INTERNACIONAL

Boas práticas ambientais de Guimarães apresentadas durante conferência em Nantes

Mais de um milhar e meio de participantes, provenientes de 140 países. Guimarães deu a conhecer o caminho que está a percorrer para a sustentabilidade ambiental.

Guimaraes_Nantes.jpg

Guimarães participou na Conferência Internacional “Climate Chance” em Nantes, França, evento que reuniu alguns dos principais atores não estatais que participam na luta contra as alterações climáticas, como autoridades locais, empresas, associações, sindicatos ou a própria comunidade científica, demonstrando a importância de uma ação conjunta nesta missão.

Na cimeira, com a presença de 140 países e mais de 1.500 participantes, Guimarães co-organizou um workshop subordinado ao tema da “Mobilização e Sensibilização para as Alterações Climáticas”, no qual teve a oportunidade de apresentar o caminho que está a desenvolver para a sustentabilidade ambiental, com um conjunto de projetos, investimentos, mas também programas e atividades de consciencialização e sensibilização ambiental.

A presença em Nantes foi ainda aproveitada para um encontro entre a comitiva vimaranense e os seus homólogos daquela cidade francesa, Capital Verde Europeia em 2013, numa reunião que serviu para conhecer a sua experiência, mas também para partilhar o caminho que Guimarães tem trilhado na preparação da sua candidatura.

A cimeira juntou igualmente, num grupo de trabalho, algumas das cidades que conquistaram o galardão de “Capital Verde Europeia”, como são os casos de Vitoria-Gasteiz (2012), Nantes (2013), Copenhaga (2014), Ljubljana (2016) ou Essen (2017) e, curiosamente, a cidade sueca de Umea que, mesmo sem ter atingido o galardão, apresentou já por quatro vezes a sua candidatura. Este foi mais um momento para Guimarães, além de dar a conhecer uma vez mais o seu projeto, conhecer algumas das decisões implementadas por estas cidades, bem como as medidas que contribuíram para obter o título de “Capital Verde Europeia”.

A “Climate Chance”, considerada como um World Summit para as Alterações Climáticas e um evento chave para a sociedade civil, serviu igualmente para preparar a COP22, em Marrakesh. O mote foi dado pelas palavras da Presidente da COP 21 Ségolène Royal e do Ministro do Ambiente e Energia francês. Os dois responsáveis aproveitaram para sublinhar o efeito das ações climáticas no futuro do planeta, referindo ainda a importância das decisões tomadas aquando da última Cimeira do Clima.

Guimaraes_Nantes2.jpg

EMPRESA SUÍÇA INSTALA-SE EM PÓVOA DE LANHOSO E DÁ EMPREGO A UMA CENTENA DE TRABALHADORES

Presidente da Câmara Municipal congratula-se por investimento privado de 24 milhões

O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, anunciou com satisfação a instalação no concelho de uma empresa suíça, num investimento de 24 milhões de euros, que irá criar, numa primeira fase, cerca de uma centena de postos de trabalho.

Presidente da Camara Municipal da Povoa de Lanhoso 1.JPG

A informação foi transmitida no decorrer de mais uma sessão da Assembleia Municipal, realizada na passada sexta-feira, dia 30 de setembro, à noite, no Theatro Club.

O referido investimento, da parte de privados, será da responsabilidade da Solar Transparency, que irá construir a sua unidade industrial de painéis fotovoltaicos de terceira geração já no próximo ano.

Segundo o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, esta entidade irá dar emprego, inicialmente, a cerca de 100 pessoas, sendo grande parte mão-de-obra muito especializada.

Trata-se do culminar de negociações demoradas, com a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso a participar de forma ativa no processo de instalação desta unidade industrial, que irá nascer nas antigas instalações da “Pré-Ave”, em Arcas, freguesia de Rendufinho.

BARCELOS: JAZZ AO LARGO CHEGOU AO FIM COM CASA CHEIA

Atuação dos britânicos Get The Blessing encerrou 1ª edição do festival Jazz ao Largo, na passada sexta-feira

O auditório do Teatro Gil Vicente tornou-se pequeno para acolher o elevado número de espectadores que procuravam um lugar para ver a banda de jazz-rock liderada por Jim Barr, baixista dos Portishead. As condições meteorológicas desfavoráveis impediram a realização do concerto no local previsto, o Largo Dr. Martins Lima.

zjazz.jpg

O espetáculo marcou o culminar da programação, a cargo do músico barcelense Pedro Oliveira, que contou com quatro concertos de bandas tão distintas como Alexandre Coelho Quarteto, Ensemble Super Moderne, TGB – Tuba, Guitarra e Bateria e, por fim, Get The Blessing.

No total passaram pelo Jazz ao Largo cerca de 800 pessoas. O evento, organizado pela Câmara Municipal de Barcelos e pela Associação Burgo Divertido, assinala o regresso do jazz ao espaço público da cidade e marca a política de oferta cultural do município.

zjazz2.jpg

O TEATRÃO – OFICINA MUNICIPAL DE TEATRO DE COIMBRA APRESENTA EM PONTE DE LIMA A PEÇA DOM QUIXOTE

4 de Outubro – 22h00 e 5 de Outubro – 16h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Dando continuidade à vasta e diversificada programação do Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, neste ano em que se comemora o 120.º Aniversário da secular sala de espectáculos limiana, serão apresentadas duas sessões do espectáculo Dom Quixote (de Coimbra), pela companhia O Teatrão – Oficina Municipal de Teatro de Coimbra, com encenação de Isabel Craveiro, num espectáculo criado a partir da obra de Cervantes, com excertos das versões de António José da Silva, Monteiro Lobato, Yevgeni Shvarts e Orson Welles.

dom_quixote_4x3_.jpg

Atendendo ao facto de se tratar de um espectáculo para maiores de 6 anos e que se adequa também a um público infanto-juvenil, na prossecução dos objectivos que o Teatro Diogo Bernardes pretende atingir, não descurando qualquer tipo de público, haverá uma segunda sessão na tarde do dia 5 de Outubro, feriado nacional, às 16h00, possibilitando que as famílias se desloquem ao teatro e aproximando miúdos e graúdos  do equipamento e das artes do espetáculo, neste caso concreto, do teatro.

“Voltar a explorar o terreno fértil do sonho e do encantamento de Quixote e companhia expressa uma vontade teimosa de tomar os desejos por realidade. Por ele nos ensinou a fórmula que pode misturar a ficção e a realidade, resgatando de cada uma o que for melhor e mais feliz. Em 2009, quando se habitou pela primeira vez a OMT e a adaptação de Jorge Louraço ao texto mítico de Cervantes, a apropriação foi um convite a entrar por todas as portas que uma casa pode ter e, assim, tomá-la por completo e a meias com o público. Hoje, com a vontade renovada e o ânimo espicaçado pelo caos recente e pelo que dele sobrou (sobreviveu, mas um Cavaleiro Andante não geme), abrem-se outras tantas entradas e caminhos que dão gosto à urgência e à actualidade de ser Quixote num mundo de Moinhos de Vento. Porque voltar a este texto? Porque é prazeroso, é divertido e mais que isso. O Cavaleiro da Triste Figura, o tal Fidalgo de la Mancha (ou de Coimbra? resta a dúvida) é cada um de nós. Hoje, como sempre tem sido.” Isabel Craveiro

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA:

Dramaturgia Jorge Louraço Figueira

Encenação Isabel Craveiro

Elenco Dinis Binnema, Inês Mourão, João Castro Gomes, Margarida Sousa

Elenco de Apoio João Amorim, João Santos

Música Original Afonso Rodrigues, Filipe Costa

Desenho de Luz Jonathan Azevedo

Dispositivo Cénico e Figurinos Helena Guerreiro

Adereços e Construção/Montagem Cenário José Baltazar

Fotografia Carlos Gomes

Vídeos Promocionais Bruno Pires

Design Gráfico Studio Dobra

Comunicação e Assessoria de Imprensa Margarida Sousa, Mariana Pardal

Cabeleireiro Carlos Gago

Costureira Fernanda Tomás

Direcção de Produção Cátia Oliveira

Produção Executiva Carlos Pinto

Operação de Luz e Som Jonathan Azevedo

Duração: 75 min.

Os bilhetes encontram-se à venda no Teatro Diogo Bernardes (2,00€) e todas as informações podem ser obtidas pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

dom_quixote_mupi_.jpg

BRAGA E TORONTO EXPLORAM OPORTUNIDADES DE PARCERIAS

Ricardo Rio reuniu com responsáveis da cidade Canadiana

O Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, foi recebido no City Council de Toronto, capital da Província do Ontário e uma das principais cidades do Canadá, pelo Mayor John Tory e pela Vereadora luso-descendente Ana Bailão, tendo sido convidado na ocasião para assinar o livro de honra da cidade em que reside uma importante Comunidade Portuguesa.

Tor1.jpg

Segundo o autarca Bracarense, “o Mayor John Tory mostrou-se bastante conhecedor do nosso País, tendo expresso o seu particular interesse em poder ir também a Braga numa próxima visita a Portugal, ao passo que a Vereadora Ana Bailão se assumiu como uma visitante regular do Minho e do Norte de Portugal”. 

Relativamente aos resultados destes contactos, Ricardo Rio frisou que as ligações entre as cidades, seja através de acordos de geminação ou outras formas de parceria “não podem ter um cariz meramente alegórico”. “Hoje, o mais importante é potenciar a partilha de boas práticas nos diferentes quadrantes da gestão municipal e a identificação de oportunidades de colaboração em projectos concretos”, garantiu.

Daí que o mesmo se tenha mostrado particularmente satisfeito pela disponibilidade expressa pelos responsáveis de Toronto para trabalhar em conjunto com Braga em áreas como o desenvolvimento económico, a educação, as políticas de juventude, a mobilidade ou a cultura. Neste âmbito, realce até para a possibilidade de desenvolvimento de acções conjuntas no quadro das respectivas Noites Brancas, dado que na mesma linha de afirmação da criatividade e do potencial cultural da cidade, teve lugar este fim-de-semana a “Nuit Blanche” de Toronto.

A outro nível, os responsáveis da cidade de Toronto reiteraram o seu especial compromisso com o apoio à Comunidade Portuguesa aqui residente e, de igual forma, com a colaboração com as suas Associações mais relevantes, como é o caso do Arsenal do Minho de Toronto, tendo a Vereadora Ana Bailão lembrado que o City Council promove o reconhecimento anual dos Portugueses que mais se destacam no meio associativo pelo seu trabalho voluntário em prol da cidade e da integração dos imigrantes.

Ricardo Rio visitou LiUNA 183

O Presidente da Câmara Municipal de Braga aproveitou também esta deslocação a Toronto, a convite do Arsenal do Minho e por ocasião do 30º aniversário desta Associação, para visitar a delegação local do LiUNA – Laborer’s International Union of North America , um dos principais sindicatos da América do Norte, com especiais ligações ao sector da construção civil.

Só na delegação de Toronto, cuja estrutura directiva conta com vários portugueses, entre os quais os responsáveis máximos Jack Oliveira e Bernardino Ferreira, o sindicato conta com 50.000 associados, dos quais 60% são portugueses.

Ricardo Rio mostrou-se extremamente impressionado pelo trabalho desenvolvido pela LiUNA e pelos apoios disponibilizados aos seus membros e familiares, quer no decurso do seu exercício profissional (com planos de formação, apoio jurídico, serviços financeiros e cuidados médicos integralmente gratuitos – incluindo medicina dentária e oftalmologia), quer pelo plano de pensões a que os mesmos têm acesso, sendo que só esta delegação gere fundos de vários milhares de milhões de dólares.

Segundo Jack Oliveira, o primeiro português a guindar-se a um cargo de topo na organização central da LiUNA, um dos méritos desta estrutura sindical é a forma como é respeitada pelo sector empresarial e pelos gestores públicos, jamais deixando de assumir um papel de relevo na ligação às comunidades, através de múltiplos projectos de responsabilidade social junto das associações locais e até de iniciativas realizadas nos países de origem dos seus membros.

Por sua vez, Ricardo Rio lembrou a especial importância do sector da construção civil na cidade de Braga e apontou a oportunidade de partilha de acções de formação para os trabalhadores e a identificação de oportunidades para as empresas portuguesas no mercado canadiano, atendendo ao elevado volume de investimentos em curso neste País, quer ao nível de infra-estruturas públicas, quer ao nível do investimento privado no sector imobiliário.

Tor2.jpg

FAMALICÃO REVIVE TRADIÇÕES COM A FEIRA GRANDE DE S. MIGUEL

Milhares de pessoas participaram no evento

O tempo é de colheitas e de vindimas e no ar sente-se o cheiro a caldo verde, a broa de milho e a presunto. Bebe-se pela malga o vinho que pinta a boca e come-se o pão com chouriço ainda quente. Há que ganhar forças para dançar ao som das concertinas e mais tarde fazer a desfolhada. É o fim-de-semana da Feira Grande de S. Miguel e Vila Nova de Famalicão recuou vários séculos na história e trouxe o campo à cidade a reboque das mais genuínas e populares tradições.

1 (4) (1).jpg

Foi assim por estes dias na cidade famalicense, com milhares de pessoas a visitar a Feira Grande. E não faltou nada. Trajados a rigor, os mercadores trouxeram consigo os melhores produtos do seu quintal, acabados de colher. Lado a lado com os agricultores e artesãos estava o gado bovino e equino, grandes protagonistas deste evento. E por todo o lado desfilavam os cantares ao desafio e o folclore minhoto.

Para além do mercado, o evento ficou marcado pelo já tradicional concurso de gado, pela vacada, pela gala equestre, pelo desfile de charretes e pela desfolhada minhota. A exposição de gado bovino e equino conquistou a atenção dos visitantes, principalmente dos mais novos.

Famalicão voltou assim a cumprir a ordem dada Rei D. Sancho I, em 1205, quando concedeu o Foral às terras de Vila Nova e ordenou que aqui se fizesse uma feira como forma de estimular a atividade comercial. Hoje, a Feira de S. Miguel continua a fazer-se e, para além da importância comercial, ganhou uma importância cultural e turística, sendo um dos eventos mais marcantes da história e da identidade de Vila Nova de Famalicão.

Para Paulo Cunha, esta é melhor forma de “prestarmos a nossa homenagem aos nossos antepassados e de recordarmos, de forma genuína, esta nossa tradição que faz parte da memória coletiva famalicense”, referindo que “é fundamental preservar esta nossa identidade na construção do futuro”. O autarca acrescentou ainda que “com a Feira Grande de S. Miguel pretende-se perpetuar estas tradições,  transmitindo-as de geração em geração”.

1 (9).jpg

1 (19).jpg

DSC_0950.jpg

DSC_2069.jpg

ANTIGOS ALUNOS DO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO RECEBEM MENÇÃO HONROSA PELA PARTICIPAÇÃO EM CONCURSO DO LICOR BEIRÃO

Jovens Empreendedores da ESCE-IPVC recebem menção honrosa em prémio da Licor Beirão

Antigos estudantes da Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Viana do Castelo receberam uma menção honrosa após a participação no concurso Carranca Redondo, da bebida Licor Beirão.

Um século depois do seu nascimento, o Prémio Carranca Redondo quis honrar a criatividade dos que fossem capazes de fazer o mesmo que ele fez pela divulgação do Licor Beirão, a nível comercial, publicitário ou de relação com os clientes. Estes jovens empreendedores, que se encontram a preparar a abertura de uma start-up, com o apoio da ESCE-IPVC, através das suas salas de incubação, decidiram arriscar e o resultado foi receber uma menção honrosa pelo trabalho elaborado.

O projeto denominado Loading – Marketing Consulting é responsabilidade de três jovens que estudaram na ESCE-IPVC. Cláudio Cunha, Soraia Lopes e José Raposo decidiram avançar com esta ideia de negócio por, segundo Soraia Lopes, “querermos aplicar o que aprendemos na licenciatura e mestrado, e porque no Alto Minho existe uma lacuna muito grande face à gestão de marketing, já que, frequentemente, apenas se evidência e valoriza a sua vertente comercial restringindo todo o potencial de otimização dos negócios empresariais.”

A ideia que conquistou a menção honrosa representava um propósito de divulgar a marca Licor Beirão em todos os restaurantes do país e bares, tornando-a uma bebida que pudesse marcar presença nos mais variados pratos e bebidas de Portugal.

O próximo passo destes jovens é levar a Loading – Marketing Consulting a tornar-se uma empresa de sucesso no Alto Minho e ser um exemplo para outras start-ups que possam aparecer na ESCE-IPVC.

TERRAS DE BOURO ASSINALA DIA INTERNACIONAL DO IDOSO

O pólo do Gerês do Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro comemorou, no passado dia 30 de setembro, o Dia Internacional do Idoso junto dos idosos do Centro Social e Paroquial de Vilar da Veiga.

tbour (1) (1).jpg

Considerando que o concelho de Terras de Bouro se apresenta demograficamente envelhecido, com a realização destas atividades pretende-se contribuir para um envelhecimento ativo dos idosos, assim como desenvolver atividades que permitam um maior contacto entre as gerações mais jovens e as mais idosas, que se assume como uma das estratégias para a promoção da solidariedade intergeracional, desafiando as comunidades para um futuro mais animador onde as gerações convivam umas com as outras.

Para assinalar a data, o Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro, contou com a colaboração de uma esteticista, a Maria João Sousa que prestou alguns cuidados de estética aos idosos daquela instituição de solidariedade social.

As técnicas do centro de valências também elaboraram uma flor, com a qual presentearam todos os idosos do Lar, assim como os idosos que se deslocaram ao centro e que se encontravam nas ruas da Vila do Gerês.

O Município aproveita para agradecer à esteticista Maria João Sousa pela sua colaboração na dinamização desta atividade.

tbour (2) (2).jpg

tbour (3) (2).jpg

tbour (4) (2).jpg

tbour (5) (2).jpg

tbour (6) (2).jpg

ARCOS DE VALDEVEZ JÁ TEM ASSOCIAÇÃO DOS VINHOS

Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez foi formalmente constituída

Foi formalizada, no passado dia 20 de Setembro, através de escritura pública, a AVVEZ – Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez.

constituicao_associacao_vinhos_avv (3).JPG

A associação tem por objeto promover, desenvolver e defender a produção vitivinícola e os produtos artesanais locais, em particular a do Concelho de Arcos de Valdevez. De igual modo pretende promover a promoção da cooperação entre produtores e demais agentes e instituições; Promover ações de formação e aperfeiçoamento das profissões ligadas aos produtos artesanais locais e em particular ao vinho e enoturismo; Lutar pela tipificação, criação de marcas e pela qualificação dos produtos; realizar prestação de serviços e informação aos produtores e demais agentes; Organizar, promover e explorar eventos tais como feiras, exposições, congressos, seminários, entre outros; Promover ações de formação, ateliês ou outro tipo de ação pedagógica que melhore o tratamento do vinho nas atividades de hotelaria, restauração e bar; fazer a promoção de atividades que relacionem o património imaterial, com património construído, artesanato e vinho.

O Municipio apoia o setor vitivinícola do concelho através da organização e participação em certames da especialidade, nomeadamente o “Festivinhão”. João Manuel Esteves, Presidente da Câmara Municipal considera que a constituição desta associação irá ajudar a promover os excelentes vinhos verdes da região. Lembra ainda a qualidade do vinho verde e o importante papel que este setor exerce na economia local, sendo também um excelente meio de promover o concelho e todas as suas potencialidades turísticas e gastronómicas.

A constituição desta associação é um dos resultados do apoio da Câmara Municipal ao setor. Durante um ano discutiu-se com os produtores um programa de ações que os envolvesse diretamente e aos seus vinhos. Este projeto envolveu a caracterização dos produtores, das suas quintas e vinhas, das suas adegas e instalações de receção a visitantes e dos seus vinhos.

Em simultâneo realizaram-se um conjunto de atividades de representação, divulgação, promoção dos vinhos e comercialização em eventos no Município e fora deste, nomeadamente aproveitando as sinergias da rede de Municípios do Vinho, a que se aderiu através da AMPV - Associação de Municípios do Vinho. 

GRUPOS FOLCLÓRICOS DEVEM DIVULGAR ARTESANATO POPULAR

O folclore constitui a sabedoria popular traduzida nos usos e costumes populares, perpetuados ao longo de gerações por meio da tradição e manifestado nomeadamente através do traje, das danças e cantares, mas também dos contos e lendas, dos jogos e provérbios, da gastronomia e da doçaria, da religiosidade e dos dialectos e ainda do próprio artesanato, porventura a forma de manifestação artística que melhor exprime o talento e nível de desenvolvimento de um povo.

Aos grupos folclóricos, enquanto entidades que possuem como missão conservar e divulgar o património cultural do povo, cabem também promover o artesanato local como uma das manifestações vivas do folclore do nosso povo.

Vem isto a propósito da tendência que actualmente se vem verificando relativamente às características das lembranças que nos tempos mais recentes têm servido para presentear grupos folclóricos e outras entidades que participam ou colaboram na organização de eventos de cariz folclórico.

Trata-se de peças que, pese embora o seu valor artístico, são produzidos em materiais sintéticos na maior parte dos casos, frequentemente em acrílicos, com recurso às novas tecnologias que permitem a impressão e recorte em toda a espécie de materiais, mas que nada têm a ver com o artesanato tradicional, aquele que constitui a criação mais genuína do nosso povo, na latoaria e cestaria, na cerâmica e na tecelagem entre outros.

Sem desprimor para a qualidade e generosidade das lembranças que os ranchos folclóricos geralmente oferecem aos grupos participantes nos seus eventos, seria adequado que procedessem a uma reavaliação dos objectos escolhidos para o efeito e passassem a dar primazia a produtos característicos das regiões que representam, mormente peças do artesanato local, encarando isso como uma forma coerente de promoverem a sua região e o respectivo folclore.

VIANENSES CAMINHAM PELOS "PASSOS DA MEMÓRIA"

Dia 22 de outubro, realiza-se mais um percurso “Passos de Memória”, com a designação de Trilho da Chão (PR8), integrado na Rede Municipal de Percursos Pedestres do Município. A Rede Municipal de Percursos Pedestres de Viana do Castelo é mais do que uma ementa de trilhos de mar, rio e de montanha. Pé ante pé, leva o caminhante ao encontro de si mesmo, através da relação com a natureza e com as idiossincrasias das comunidades locais.

Este percurso situa-se na Serra de Santa Luzia e Carreço, no concelho de Viana do Castelo e revela a riqueza paisagística, ecológica e cultural, destacando-se os seguintes pontos de interesse: Vértice geodésico 1ª categoria (550 m); Alto do Mior (Miradouro das Bandeiras); Planalto da Chão; Calçadas antigas (Costa de Paçô; Costa de Carreço), entre outros.

Informações adicionais sobre o Trilho:

Nome do Percurso: Trilho da Chão - Carreço (PR8)

Data de realização: 22 de outubro 2016

Ponto de partida:  Sociedade de Instrução e Recreio de Carreço (SIRC)

Coordenadas: 41º 44’ 58.97’’ N  8º 51’ 50.55’’ W

Hora de encontro: 9h00

Localização do Percurso: Serra de Santa Luzia / Carreço

Tipo de Percurso: PR (Pequena Rota)

Distância a Percorrer:  19,9 Km

Âmbito do percurso: paisagístico/ ecológico/ cultural

Duração do Percurso: 6h00

Grau de Dificuldade: Moderado

Entidade Promotora: Câmara Municipal de Viana do Castelo, SIRC – Sociedade de Instrução e Recreio de Carreço e Live Out Life, Lda

Inscrição:

A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição até ao dia 14 de outubro (caso não atinja o limite de inscrições antes do dia 14/10), através do e-mail: sturismo@cm-viana-castelo.pt, devendo indicar:

Nome do participante:

Data de nascimento: (formato: dd/mm/aaaa)

Concelho de residência:

Contacto:

E-mail:

Inscrições limitadas.

Mais informações através do telefone: 258 809 350 do e-mail: sturismo@cm-viana-castelo.pt

Os percursos, que são um excelente modo de conhecer o património cultural e natural do município, além de promover o exercício físico, permitirão conhecer locais com paisagens deslumbrantes. Use sempre equipamento de acordo com a estação do ano, como impermeável, chapéu, calçado e vestuário adequado. Privilegie a água e a fruta nos seus mantimentos.

VILA VERDE DÁ A PROVAR OS SABORES DO PATRIMÓNIO

A fama dos Sabores da Terra de Escariz extravasou as fronteiras do concelho e do distrito!

A reputação dos genuínos ‘Sabores da Terra’, de Escariz S. Mamede, já extravasou as fronteiras do concelho de Vila Verde e do distrito de Braga. A edição deste ano não foi exceção e, no passado fim-de-semana (1 e 2 de outubro), chegaram a Escariz visitantes de toda a região para recordarem os saberes e sabores da tradição minhota, numa iniciativa que se assume como uma fidedigna montra do que de melhor e mais tradicional a freguesia tem para oferecer.

DSC_0162.JPG

A maior enchente registou-se na tarde de domingo, que começou com um autêntico hino à música popular portuguesa, num encontro que juntou mais de 200 tocadores de concertina vindos de vários pontos do país (Gouveia, Vila Nova de Gaia, Ponte de Lima…).

A rainha do Minho animava um recinto repleto de atrativos. Nas imediações do palco decorria a feirinha tradicional, onde se comercializam os viçosos produtos agrícolas caseiros, cultivados de forma artesanal e colhidos da terra pelas mãos calejadas dos produtores escarizenses. Não muito longe, a tasquinha regional brindava vilaverdenses e visitantes com algumas das mais apreciadas iguarias da gastronomia minhota, em que assumiu lugar de destaque o famoso Pica no Chão. Apesar dos vários motivos de interesse, a estrela maior do evento continua a ser o trabalho artesanal de ornamentação da igreja paroquial com arranjos de produtos agrícolas. Um trabalho de minúcia, dedicação e muita criatividade, em que se produzem autênticas obras de arte inspiradas na época das colheitas, que dão um brilho renovado ao templo escarizense.

Preservar e promover a identidade cultural

O presidente da Junta da União de Freguesias de Escariz S. Mamede e Escariz S. Martinho não escondeu a satisfação pelo sucesso de um evento que “registou uma afluência popular acima das expectativas”. Adelino Machado deixou uma palavra de apreço para todos os habitantes locais que ajudam a dar vida a uma iniciativa que, além de ser autossustentável, ainda permite anualmente angariar receita para algumas obras da freguesia. Impossível não salientar também o talento artístico evidenciado nas obras que ornamentam a igreja local, com o tema ‘O Ano Mariano’. Este ano a decoração foi acompanhada pela exposição de um artesão local, o que ajudou a enriquecer o programa e a visita dos milhares de pessoas que passaram por Escariz durante os dois dias da festa.

Adelino Machado prosseguiu sublinhando que, uma vez mais, se cumpriu o objetivo de preservar a identidade cultural e valorizar o património imaterial da freguesia e a da região, divulgando os saberes e sabores da tradição Minhota.  A iniciativa Sabores da Terra é organizada pela Junta da União de Freguesias de Escariz S. Mamede e Escariz S. Martinho, com a colaboração da paróquia local, e insere-se na programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde.

DSC_0333.JPG

DSC_0386.JPG

DSC_0433.JPG

DSC_0627.JPG

DSC_0752.JPG

BRACARENSES DEBATEM ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

Orçamento ‘Tu Decides!’ com 18 projectos em votação. Exposição e votação decorre até 20 de Outubro

Arrancou hoje, 3 de Outubro, o período de exposição e votação das 18 propostas apresentadas no âmbito do Orçamento ‘Tu Decides!’, que prevê uma dotação orçamental de 75 mil euros.

tu decides (1).jpg

Promovida pelo Município de Braga em articulação com o Conselho Municipal de Juventude, esta é uma iniciativa que se assume como um dos principais meios da participação cívica dos mais jovens na construção da sua Cidade.

Segundo Sameiro Araújo, vereadora da Juventude e do Desporto, o ‘Tu Decides!’ tem como objectivo não só criar “uma maior aproximação aos cidadãos mais jovens dos órgãos de decisão autárquicos, mas também promover o exercício de uma cidadania activa e participada junto dos jovens, o seu desenvolvimento pessoal e social, fomentando a educação para a cidadania e o diálogo entre os jovens e os órgãos de poder local”.

Em votação estão 18 projectos que abrangem as áreas da educação e formação; emprego e empreendedorismo; desporto, saúde e bem-estar; participação cívica; voluntariado e inclusão social; diálogo intergeracional; cultura e criatividade. As propostas do ‘Tu Decides!’ estão desde hoje, 3 de Outubro, a ser submetidos à votação dos jovens em escolas secundárias e profissionais, no gnration e nas universidades de acordo com o seguinte calendário:

  • 3/10 – Escola Secundária Alberto Sampaio;
  • 4/10 – Escola Secundária Carlos Amarante;
  • 6/10 – Escola Secundária D. Maria II;
  • 7/10 – Escola Secundária de Maximinos;
  • 10/10 – Escola Secundária Sá de Miranda;
  • 11/10 – Colégio D. Diogo de Sousa (9h30-12h00);
  • 11/10 – Conservatório de Música de Braga (14h00-17h00);
  • 12/10 – gnration (horário a defininr);
  • 13/10 – Colégio João Paulo II (9h30-12h00);
  • 14/10 – Escola Profissional de Braga (9h30-12h00);
  • 15/10 – gnration (horário a definir);
  • 17/10 – Esprominho (9h30-12h00);
  • 17/10 – Externato Carvalho Araújo (14h00-17h00);
  • 18/10 – Externato Infante D. Henrique;
  • 19/10 – Universidade do Minho;
  • 20/10 – Universidade Católica (9h30-12h00 na Faculdade de Teologia; 14h00-17h00 Faculdade de Filosofia).

De referir que as votações da manhã decorrem entre as 9h30 e as 12h00, enquanto as da tarde realizam-se das 14h00 às 17h00.

Os jovens poderão votar presencialmente nas propostas que desejam ver implementadas, mediante a apresentação de identificação e comprovativo de residência/estudante/trabalhador no concelho de Braga. Cada jovem poderá votar apenas uma vez e unicamente num projecto. A apresentação pública dos projectos mais votados, até perfazerem o limite do valor atribuído, acontecerá até ao final de Outubro e serão incorporados no Orçamento da Câmara Municipal de Braga para 2017.

Os 18 projectos em votação podem ser conhecidos em pormenor no Portal da Juventude de Braga, através do link https://goo.gl/PG3rOL, onde está também disponível o calendário da votação.

Tu decides2.jpg

DESEMPREGO ATINGE MÍNIMO HISTÓRICO NO CONCELHO DE ARCOS DE VALDEVEZ

IEFP mostra que nos últimos dois anos e meio, o número de desempregados diminuiu 43%

O número de desempregados no concelho de Caminha atingiu um mínimo histórico no mês de julho. As estatísticas mais recentes, publicadas pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), apontam para 594 pessoas sem emprego, registadas naquele centro. Este é o mais baixo número de desempregados registado desde dezembro de 2009, um motivo de encorajamento e um fator que vem confirmar que o concelho está a seguir a estratégia adequada.

As estatísticas de todos os concelhos do país são registadas e publicadas mensalmente pelo IEFP e o último boletim, referente a julho, confirma a tendência que se vem registando, ou seja, uma clara diminuição do número de desempregados no concelho de Caminha. Assim, no último mês de julho, como referimos, Caminha atingiu um valor que corresponde ao número mais baixo de desempregados desde dezembro de 2009. Ainda segundo os dados do IEFP, em julho estavam registados 594 desempregados do concelho de Caminha o que representa também o valor mais baixo dos últimos seis anos e meio.

Recorde-se que, em janeiro de 2014, o número de desempregados ultrapassava as mil pessoas. Nessa altura, o IEFP registava para Caminha o número 1036 desempregados.

Nos últimos dois anos e meio, o número de desempregados diminuiu 43% graças à dedicação das famílias, ao esforço das empresas e às políticas seguidas.

ARCOS DE VALDEVEZ RECUPERA REGADIOS TRADICIONAIS

Cerca de 1 milhão de euros para recuperar regadios em Arcos de Valdevez

Considerando a tipologia da propriedade agrícola existente no Concelho, os regadios tradicionais assumem uma importância crucial para o desenvolvimento da atividade agrícola. Os regadios tradicionais são ainda importantes pela preservação de características de comunitarismo e entre ajuda entre os agricultores que urge preservar como marca indelével da cultura Minhota.

No âmbito do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial vai ser publicado muito em breve um aviso para abertura de período de apresentação de candidaturas para a melhoria da eficiência dos regadios tradicionais existentes.

A este aviso podem candidatar-se as juntas de regantes pré-selecionadas e legalmente constituídas e homologadas pelo Ministério da Agricultura.

No concelho de Arcos de Valdevez vão ser melhoradas as condições de 6 regadios tradicionais, no valor global de 900 mil euros. Estes investimentos contam com financiamento de 85% por parte do FEDER.

VIANA DO CASTELO RECEBE OS DEOLINDA

deolll.png

Os bilhetes para o Concerto dos DEOLINDA, a realizar no próximo dia 29 de outubro, no Centro Cultural de Viana do Castelo encontram–se disponíveis para venda.

  • Locais de venda: Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira (segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00; em dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00); sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

www.ticketline.sapo.pt - Fnac - Ag. Viagens Abreu – Worten – A.B.E.P – Casino Lisboa – C.C. Dolce Vita – C.C. Mundicenter – El Corte Inglês e SuperCor – Galeria Comercial Campo Pequeno – MMM Ticket – Uticketline – CCB – Time Out Mercado da Ribeira – Shopping Cidade do Porto – Forum Aveiro – Ask Me Lisboa e INFORMAÇÃO RESERVAS: ligue 1820 (24 horas)

  • No dia do espetáculo, se a lotação não estiver esgotada,poderão adquirir bilhetes na bilheteira do Centro Cultural entre as 18h00 e as 22h00.
  • Classificação etáriaM/6 anos
  • Custo do bilhete: 10€ (plateia) | 10€ (bancada)
  • Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt, com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.
  • Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.
  • Não há lugares marcados.

PONTE DA BARCA ASSINALA DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO

Uma caminhada, a construção da Roda dos Alimentos e a formação de um Coração Humano foram as atividades promovidas sob o lema 'À Procura de Um Coração Mais Saudável'

PBARCCC (1).jpg

Para comemorar o Dia Mundial do Coração, a Câmara Municipal de Ponte da Barca promoveu um conjunto de atividades que começaram bem cedo na manhã de domingo, na Praça da República. Os vários participantes que se juntaram para assinalar a data foram convidados a fazer uma sessão de alongamento e aquecimento, seguindo depois para uma caminhada pela zona ribeirinha. Durante o percurso, tinham à disposição um 'estendal' de perguntas e respostas que viriam a ser usadas, posteriormente, na Praça da República, altura em que todos preenchiam a Roda dos Alimentos ali disponível, com alimentos naturais.

A manhã terminou em cheio com a formação de um coração humano, numa iniciativa que teve como objetivo alertar e sensibilizar a comunidade barquense para a prevenção das doenças cardiovasculares que atingem cada vez mais pessoas em todo o mundo, reforçando a importância da prática de atividade física e de um estilo de vida ativo para um melhor coração e uma vida mais saudável.

PBARCCC (2).jpg

PBARCCC (3).jpg

PBARCCC (4).jpg

FESTIVAL HIP HOP REGRESSA A BARCELOS

Às 3 Pancadas está de volta: 7 e 8 de outubro, na Central de Camionagem

O Festival de hip hop “Às 3 Pancadas” regressa a Barcelos, nos dias 7 e 8 de outubro, na Central de Camionagem.

Às 3 pancadas cartaz.jpg

No primeiro dia, sobem ao palco Jimmy P, Kaines dj Walk e a barcelense Fábia Maia. No dia 8, é a vez dos Rebeliom do Inframundo, dos Quartel 469 Zulu e do dj Pulso fazerem sentir as batidas da sua música.

Ao longo dos dois dias há lugar para workshops de grafitti e beatbox, concursos de MC's e beatbox, assim como desportos radicais. A novidade deste ano é o BATTLE BBOYING - 2 VS 2.

Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal de Barcelos que pretende distinguir positivamente a cidade, através da ação dos jovens e da dinâmica cultural.

CAMINHA CELEBRA DIA MUNDIAL DA MÚSICA COM MARATONA MUSICAL

24 horas com música foi a proposta do município

O Município de Caminha celebrou o Dia Mundial da Música com uma maratona musical. O Valadares, Teatro Municipal de Caminha foi palco do “24 horas com Música” e recebeu, ao longo de 1440 minutos, dezenas de artistas do concelho.

3M1A1289.jpg

Foram muitos os que acorreram ao Valadares, Teatro Municipal para celebrarem com o Município de Caminha o Dia Mundial da Música. Para além do público, foram também muitos os grupos que aceitaram o repto do executivo caminhense e contribuíram para que esta maratona musical fosse possível.

Do tradicional ao rock à música tradicional, pelo palco do Valadares passaram os músicos convidados do Entre Margens, Ricardo Gomes; SulfurGiant – PsychedelicStoner Blues,DJ Pedro Pereira – Clube Alfândega, DJ Byte – Clube Alfândega, Academia Música Fernandes Fão – Ensemble de Clarinetes, Classe Prof. Gaspar Lima; Banda Musical Lanhelense – Quarteto Clarinetes; Cantares Tradicionais – Argas; Academia Música Fernandes Fão – Contrabaixo, Classe Prof. Rui Morais; “Intenso Acústico” - Marco e Evita Brantner, Tuna Universidade Sénior Rotary Clube de Caminha, Academia Música Fernandes Fão - Piano, Classe Piano, Prof. Alberto Varela, Academia Música Fernandes Fão. Guitarra, Alunos Joaquim Ribeiro e Joana Martins/Canto - Classe Prof, Marta Santos, Academia Música Fernandes Fão – Ensemble de Guitarras. Classe Prof. Sérgio Echeverri, Academia Música Fernandes Fão – Violoncelo, Classe Prof. Nuno Cruz, Dawn:Bird – Indie/Folk, Pierre Chacal – La ChansonFrançaise, Ana Marta & Eva Mina – Rock e Paulo Baixinho.

O cinema esteve também em destaque nesse dia. Filme Control, de AntonCorbijn - Locus Cinemae; Filme Control, de Anton Corbijn - Locus Cinemae, Filme Buena Vista Social Club, de WimWenders – Locus Cinemae, Filme Buena Vista Social Club, de WimWenders – Locus Cinemae e Filme-concerto Pulse – PinkFloyd, de David Mallet foram os momentos em questão.

3M1A1299.jpg

3M1A1315.jpg

3M1A1425.jpg

3M1A1469.jpg

3M1A1525.jpg

3M1A1573.jpg

3M1A1621.jpg

3M1A1665.jpg

3M1A1719.jpg

3M1A1757.jpg

3M1A1758.jpg

3M1A1796.jpg

3M1A1860.jpg

3M1A1935.jpg

NOITES DE JAZZ VOLTAM A FAFE

No próximo dia 7 de Outubro, sexta-feira, às 22h, André Sarbib actua no Teatro Cinema de Fafe num espectáculo muito especial que faz regressar o Jazz aos palcos da cidade.

cartaz-jazz-2016-AF-WEB-01.jpg

André Sarbib é um dos mais prestigiados músicos de Jazz do panorama Português. O seu nomem como compositor e instrumentista, é amplamente conhecido além-fronteiras, contando com a colaboração com músicos como Joe Lovano, Barry Altschul, Ivan Lins, Carles Benavente, Ruben Dantas, Alice Day, Jorge Rossi, Paulo de Carvalho, Leonardo Amuedo, entre muitos outros.

André Sarbib é actualmente o pianista do músico e compositor brasileiro Ivan Lins. É pela profunda ligação do músico aos ritmos latinos que surge o convite para abrir o Jazz em Fafe. A ideia é, em conjunto de quarteto, com os músicos Filipe Teixeira (Contrabaixo), Cláudio César Ribeiro (guitarra) e João Cunha (bateria) abordar músicas de grandes compositores brasileiros como Tom Jobim, Chico Buarque ou Ivan Lins.

No Sábado, dia 8, os alunos da Escola de Jazz do Porto atuam no Club Fafense, a partir das 22h.

Recorde-se que os concertos têm entrada gratuita.

FEIRA INTERNACIONAL DE LISBOA REALIZA FESTA DE NATAL

NATAL É NA FIL de 7 a 11 de Dezembro!

O NATAL É NA FIL é um evento de Natal que inclui o Mercado de Natal, o Mercado Outlet, o Mercado do Chocolate e a FIL Diverlandia.

image001fil (1).png

Um conjunto de iniciativas, com comunicação e layout próprios, que apelam à compra associada ao Espirito Natalício e à experiencia de um conjunto de actividades alusivas à época, prova de algumas iguarias características da época, muita diversão e excelentes prendas para toda a família. Solução para todos os gostos, desde pequenas prendas criativas a produtos de Outlet ou as melhores delícias de chocolate.

A simultaneidade das iniciativas tem como objectivo criar sinergias e atrair à FIL cerca de 40.000 pessoas.

O evento FIL DIVERLÂNDIA – A Sua Feira Popular Indoor, cuja apresentação se anexa, decorre de 7 de Dezembro 2016 a 8 de Janeiro 2017 e acolhe todos os anos cerca de 150.000 visitantes.

Destinado a fabricantes, representantes ou distribuidores de grandes Marcas, o Mercado de Outlet pretende distinguir-se do comércio local pela qualidade versus preços imbatíveis em produtos dos sectores da Moda e Acessórios, Casa, Desporto, Livros, Brinquedos entre outros

O Natal é por excelência uma época de doces iguarias. O Mercado de Chocolate é um espaço de venda a quem não resiste a bom chocolate, bem como para transformar este produto em excelentes prendas de Natal. É também um evento para experimentação, aprendizagem e lúdico através de workshops, exposições…

Uma oportunidade para, num espaço único, transformar os seus produtos em prendas de Natal, independentemente do tipo de produto ou target a que se destina. Um evento multissectorial, alternativo ao comércio tradicional que se deve distinguir pela singularidade e criatividade dos produtos.

 

 

 

JOGOS DE TABULEIRO POTENCIAM RACIOCÍNIO LÓGICO E TRABALHO DE EQUIPA EM ALUNOS

Os jogos de tabuleiro ajudam a ampliar a memória e a desenvolver o raciocínio lógico em crianças e adultos.

board-game-933165.jpg

Vários estudos comprovam o benefício deste tipo de atividade em jovens em idade escolar, podendo mesmo potenciar o gosto por áreas como a Economia, a Engenharia e as Ciências Naturais.

Ricardo Biscaia, docente e investigador da UPT na área de Economia, salienta ainda o caráter lúdico dos jogos de tabuleiro.

“Está nos genes da criança a necessidade de se divertir de forma descomplexada - algo que nós adultos temos já dificuldade de fazer. No entanto, os jogos de tabuleiro possibilitam esta diversão enquanto fortalecem o raciocínio lógico e criativo da criança, o que certamente trará dividendos ao nível escolar; e enquanto promovem a sua interação com outras crianças e adultos, o que entra em contraciclo com uma era em que temos cada vez mais crianças e jovens adultos incapazes de encontrar diversão e interação social fora do tablet, do telemóvel ou do computador", refere o docente.

Já Pedro Silva, presidente do grupo Boardgamers Porto, realça o desenvolvimento de competências no âmbito da cooperação, do trabalho de equipa e na tomada de decisões.

“Os jogos de tabuleiro funcionam como um ginásio para o cérebro onde, consoante o tipo de jogo, se podem desenvolver diferentes competências. Por exemplo, nos jogos de estratégia desenvolvemos o raciocínio lógico, enquanto que os jogos de personagens potenciam o trabalho de equipa”, salientou o responsável.

No sentido de potenciar o interesse por este tipo de jogos, a Universidade Portucalense acolhe, entre os dias 7 e 9 de outubro, a 10ª edição do InvictaCon.

Este encontro nacional de jogos de tabuleiro, organizado pelo Boardgamers Porto, a decorrer durante sexta-feira e sábado das 10h00 às 02h00 e domingo das 10h00 às 20h00, é destinado a todas as faixas etárias, numa iniciativa que promete divulgar centenas de jogos, desde os de estratégia modernos, passando pelos clássicos e pelos de personagens.

De entrada livre, a participação no InvictaCon pode traduzir-se num momento lúdico, ideal em família ou com os amigos, onde o único requisito será pensar um pouco para divertir-se muito.

No final do evento, o Boardgamers Porto irá doar uma ludoteca a uma instituição de apoio social a crianças.

A Universidade Portucalense Infante D. Henrique (UPT) é um estabelecimento de ensino superior cooperativo que iniciou a sua atividade em 1986.

A UPT funciona exclusivamente na cidade do Porto, no pólo Universitário da Asprela, ministrando cursos nas sete áreas seguintes: Direito, Economia, Gestão, Informática, Psicologia, Educação, Turismo e Hospitalidade, Património e Cultura.

primage_17246.png

FAFE ASSINALA IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA COM SESSÃO SOLENE

Município de Fafe apresenta Livro “Fafe no Parlamento”

O Município de Fafe vai comemorar o 106º aniversário da Implantação da República, no próximo dia 5 de Outubro, com a sessão solene evocativa da efeméride e a já habitual Festa do Desporto.

Na terça-feira, dia 4 de Outubro, Fafe celebra o Desporto com a Gala de entrega de prémios que consagram os melhores atletas do concelho, bem como os mais disciplinados. A Festa do Desporto tem início marcado para as 21h30 no Pavilhão Multiusos de Fafe.

No dia 5 de Outubro, as comemorações arrancam às 09h00, com a Alvorada de Morteiros, seguindo-se, às 10h15, o Hastear da Bandeira no edifício dos Paços do Concelho, com o desfile da Fanfarra dos Escuteiros de S. Gens.

A partir das 10h30, tem lugar no Auditório da Câmara Municipal de Fafe, a Sessão Solene evocativa da efeméride.

Durante a sessão, para além das intervenções do Presidente da Câmara Municipal, Raul Cunha, e do Presidente da Assembleia Municipal, Laurentino Dias, vai ser apresentado, pelo historiador, Dr. Artur Coimbra, o livro “Fafe no Parlamento”.

FAFE INAUGURA CENTRO DE CONVÍVIO DE IDOSOS EM MOREIRA DO REI

Foi, ontem, inaugurado, em Moreira de Rei, um Centro de Convívio para Idosos. 

A cerimónia contou com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Pompeu Martins, os Vereadores Vítor Moreira, Eugénio Marinho e José Baptista, entre muitos populares residentes na Freguesia.

DCS_3377A.jpg

Depois de feita a bênção das instalações pelo Padre José Maria, o Presidente da Junta de Moreira de Rei, Diamantino Lopes, destacou, no seu discurso, a necessidade que a freguesia tinha, já há muito tempo, de ter um espaço destinado aos seniores e à promoção de um envelhecimento ativo e saudável.

“A nossa freguesia está, felizmente, muito bem servida no que concerne à infância e juventude. No entanto, carecia de um espaço destinado à terceira idade. Embora a Câmara Municipal e a Junta promovam, ao longo do ano, diversas iniciativas de ímpeto social, dirigidas aos nossos idosos, temos consciência que em Moreira fazia falta um espaço que desse resposta ao apoio social dos seniores.

DCS_3400A.jpg

Foi com essa intenção que criámos este Centro de Convívio de Idosos que entrará em funcionamento a partir de amanhã e que conta já com algumas inscrições que esperamos ver crescer em breve.

Melhorámos as condições do edifício, na expectativa de criar todas condições para o bom funcionamento do espaço. É um investimento do qual muito nos orgulhamos!

Da nossa parte, tudo vamos fazer para proporcionar o melhor aos utentes que vão frequentar este Centro.”

Pompeu Martins destacou a importância deste espaço na promoção do contacto inter-geracional entre crianças e idosos.

“Este projeto tem uma particularidade muito especial. Foi feito ao lado de uma pré-escola e é aqui que reside uma das grandes riquezas deste centro de convívio e espero que todos a saibam aproveitar.

Este espaço vai permitir o contacto e uma relação próxima entre pessoas de mais idade, pessoas que viveram mais, cuja experiência é uma lição de vida, e crianças que ainda dão os primeiros passos e tanto têm para aprender com os mais velhos. Esperamos que este Centro seja um ponto de encontro entre gerações.

E, por isso, o desafio que, hoje, aqui deixo é que se promova esse encontro, essa partilha de experiência e conhecimentos tão valiosa. Para os mais novos, os pequeninos que estudam na sala ao lado, o conhecimento dos seniores será, com toda a certeza, uma mais-valia.

Da parte do Município, poderão também contar com o apoio necessário. A promoção deste género de centros de convívio faz parte do nosso compromisso eleitoral por acreditarmos na importância enorme que representam para um envelhecimento ativo e saudável da população.

Termino, felicitando a Junta de Freguesia por este projeto, agradecendo a presença de todos e com a esperança de que, daqui por uns tempos, hajam cada vez mais pessoas a frequentar este Centro de Convívio.”

O Centro de Convívio de Idosos funcionará de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 18h00, assegurando refeições e transporte para todos os utentes.

DCS_3415A.jpg

ÉRIUS TRAZ MAIS EMPREGO PARA FAMALICÃO

Paulo Cunha inaugurou nova unidade produtiva em Riba de Ave, nas antigas instalações da Filobranca

Mais emprego em Vila Nova de Famalicão. A Érius Têxteis escolheu o concelho para concretizar um ambicioso plano de expansão internacional, aproveitando a capacidade instalada na Filobranca, declarada insolvente em 2014, e inaugurou nesta sexta-feira, 30 de setembro, uma nova unidade produtiva, em Riba de Ave, num ato apadrinhado pelo Presidente da Câmara, Paulo Cunha. 

image48941.jpeg

Empresa de José Vilas Boas Ferreira, administrador do Grupo Valérius, a Érius Têxteis adquiriu há dois anos o património daquela que foi uma icónica fábrica têxtil nacional – dois imóveis, um em Riba de Ave e outro em Mogege, e as máquinas –, num investimento superior a dois milhões de euros, e resgatou do desemprego muitos dos seus trabalhadores, tendo ainda em formação mais três dezenas. Uma nova vida não só para a unidade fabril e para a indústria têxtil da região, mas também para 120 operários, na maioria mulheres, que voltaram a colocar em prática um saber-fazer acumulado ao longo de anos, agora para tornar a Érius Riba de Ave num braço imprescindível do poderoso grupo têxtil barcelense. 

“A Érius tinha mesmo que vir para Vila Nova de Famalicão”, afirmou José Vilas Boas Ferreira perante as centenas de pessoas que marcaram presença na cerimónia de inauguração – entre empresários do sector, entidades civis, religiosas, públicas e privadas, e colaboradores –, apontando como fatores decisivos para o investimento as instalações e a mão-de-obra qualificada disponíveis, bem como o apoio dado pela Câmara Municipal através do Famalicão Made IN. “O acompanhamento e encorajamento manifestados desde a primeira hora foram muito importantes, Senhor Presidente. Esperamos continuar a contar com a sua intervenção pronta e atenta”. 

“Nestes novos tempos, mudou o paradigma e para se ser competitivo no têxtil é preciso ter qualidade, serviço, flexibilidade e, acima de tudo, apostar na requalificação permanente dos recursos humanos, que são o pilar da nossa atividade”, disse ainda o empresário, que encerrou o discurso dizendo a todos os trabalhadores: “Queremos que todos sejam felizes”.

Paulo Cunha não escondeu o seu regozijo por este novo projeto empresarial, mais um resultante das políticas municipais de estímulo ao investimento privado e apoiado com incentivos fiscais ao abrigo do Regulamento de Projetos de Investimento de Interesse Municipal – Made 2IN. “É sempre gratificante para um presidente de câmara ver o seu território ser escolhido para receber projetos de grande envergadura”, reconheceu, acrescentando: “A empregabilidade é o aspeto mais importante do apoio que damos às nossas empresas. Criar postos de trabalho, melhorar a massa salarial, dar mais estabilidade aos vínculos laborais são fatores centrais da nossa governação autárquica.” 

O autarca salientou ainda que este investimento representa mais um contributo para que Vila Nova de Famalicão seja cada vez mais notado como o mais relevante eixo da indústria têxtil nacional.

Especialista na conceção e produção de vestuário em malha circular, a Érius exporta 100 por cento da sua produção e fornece marcas de luxo como a Versace, Baldessarini, Diesel, Fendi, Roberto Cavalli, Karl Lagarfeld, Moschino e Tommy Hilfiger.

image48953.jpeg