Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

AXIS WELLNESS CUIDA DA SAÚDE AOS MINHOTOS

Axis Wellness Viana do Castelo: há 8 anos a tornar a população do Alto Minho mais saudável

saudv.jpg

EVENTO: 8º aniversário do Axis Wellness Fitness & Spa / Festival Party

DATA: 24 setembro de 2016

LOCAL: Viana do Castelo / Hotel Axis

O Axis Wellness Fitness & Spa, uma empresa 100% portuguesa que opera desde Setembro de 2008 na área da saúde, exercício e bem-estar, está a celebrar este mês de Setembro o 8º aniversário. Com instalações localizadas no Axis Viana Business & Spa Hotel, em Viana do Castelo, e no Hotel Axis Golfe em Ponte de Lima, o AW promete realizar no dia 24 de Setembro aquele que vai ser o festival mais activo do ano.

Durante toda a tarde/noite (16h00/00h00), o Axis Wellness Fitness & Spa vai abrir as portas a todos os interessados em participar num festival que pretende pôr todos a mexer (ver programa no final desta página).

Os inscritos habilitam-se a ganhar um fim-de-semana. Também os sócios não foram esquecidos e, durante todo o mês de Setembro, habilitam-se a ganhar 8 mensalidades grátis (tantas como os anos de vida da empresa), bastando, para isso, participarem nas aulas e inscreverem-se.

O Axis Wellness Fitness & Spa destaca-se pela excelência dos serviços, cujo foco incide na qualidade técnica, humana e organizacional, totalmente orientados para as necessidades do cliente.

A inovação e o profissionalismo são o resultado do trabalho de equipas técnica e academicamente altamente qualificadas, mas acima de tudo apaixonadas pelo que fazem. O capital humano é, desde a sua génese, o bem mais precioso do Axis Wellness. Assim sendo, valoriza-o, apostando na formação e na melhoria contínua tanto dos seus processos internos como do seu capital humano. O sucesso do Axis Wellness passa pelos seus recursos humanos.

Actualmente em Portugal, o AW é uma referência na área do exercício, saúde e bem-estar pela inovação, profissionalismo e qualidade dos serviços que oferece.

Em tempo de aniversário, as metas estão em mente, com o futuro do Axis Wellness Fitness & Spa a passar por uma aposta contínua no desenvolvimento das suas equipas e serviços, no sentido de superar as expectativas dos clientes e estreitar cada vez mais a relação do exercício com a saúde.

Axis Festival Party

PROGRAMA

24 Setembro: 16h00/ 24h00 – terraço hotel Axis Viana

RPM - 16h00

CXWork + Localizada - 16h00

B.Step + B.Pump - 17h30

Fit boxe - 17h30

Axis Kids - 16h30

Jantar/Festival Party - 19h00 DJ João Enes

Magic Moment - 20h30

Os inscritos para o festival habilitam-se a um fim-de-semana OFERTA

Nós vamos ao festival mais activo do ano. E tu?

8 anos- 8 mensalidades de oferta

6 Set – 10h30 – aula localizada

14 Set – 07h15 – Cxworx

16 Set – 11h00 – Pilates

19 Sete – 12h45 – RPM

20 Set – 16h30- TRX

23 Set – 18h15 – Cxworx

29 Set – 20h15 – Body Pump

30 Set – 19h00 – Sala de Exercício

MUNICÍPIOS DO CÁVADO JUNTA ESFORÇOS NO COMBATE À VESPA AFRICANA

Associação Intermunicipal entregou equipamento de controlo e destruição de ninhos

A CIM do Cávado procedeu hoje, 9 de Setembro, em Braga, à entrega de equipamento de controlo e destruição de ninhos de vespa velutina aos municípios de Braga, Amares, Barcelos, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde.

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001842.jpg

A aquisição deste material surge na sequência da participação da CIM Cávado no projecto ‘GESVESPA – Estratégias de Gestão Sustentável da Vespa Velutina’ através do qual se pretende desenvolver acções para o estudo, controlo e combate à vespa velutina (também conhecida como ‘vespa asiática’) no noroeste português.

Na ocasião, o presidente da CIM Cávado, Ricardo Rio, lembrou que o combate à vespa velutina “é um trabalho que tem de ser desenvolvido em conjunto, conciliando esforços entre diversas entidades”, sendo que a participação neste projecto “corporiza o espírito que tem presidido a actuação da CIM do Cávado em responder às necessidades concretas dos municípios e das populações que integram esta Associação, e de potenciar o trabalho que estes desenvolvem nos mais diversos sectores de actividade”.

Como explicou o Autarca Bracarense, o projecto, que decorrerá até Dezembro 2017, representa um investimento global de 411 mil euros, envolvendo a parceria de entidades como o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, a CIM Cávado, CIM Alto Minho, CIM Ave, CIM Tâmega e Sousa, universidades, centros de investigação e a Federação Nacional dos Apicultores de Portugal.

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001845.jpg

No entanto, Ricardo Rio considerou que este financiamento, resultante do quadro de apoio comunitário POSEUR, “representa uma pequeníssima ajuda para o trabalho que os municípios têm que desenvolver, uma vez que grande parte do combate está a ser suportado pelas autarquias sem qualquer tipo de contrapartida”.

Além da concretização do Plano de Acção para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina em Portugal, o projecto GESVESPA visa estudar o impacto da vespa sobre os ecossistemas, a análise do comportamento biológico da espécie nas áreas de disseminação/ocupação, o desenvolvimento e testes de boas práticas de controlo e de erradicação da espécie e a divulgação da problemática associada à introdução da espécie em Portugal.

Para atingir estes objectivos, o GESVESPA propõe um conjunto de actividades integradas a serem desenvolvidas de forma colaborativa entre os todos os parceiros, e que se encontram estruturadas em 5 acções: identificação e caracterização ecológica; Monitorização/vigilância; controlo sustentado; impacto na apicultura e biodiversidade; informação/disseminação/divulgação.

A CIM do Cávado e os seus municípios participam directamente na acção de controlo sustentado, tendo para o efeito procedido à aquisição de equipamento de apoio à destruição e controlo de ninhos de vespa velutina no território do Cávado. O equipamento inclui varas de alumínio, kits de incineração e de aplicação de insecticida, fatos de apicultor com chapéus, máscaras e luvas, serrotes e moto-serras, entre outros materiais.

De referir que em 2015 foram destruídos 504 ninhos de vespa velutina no Concelho de Braga, 392 em Barcelos, 267 em Vila Verde, 161 em Esposende, 104 em Terras de Bouro e 52 ninhos em Amares.

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001847.jpg

CABECEIRAS DE BASTO ESTÁ NO ROTA DO MOTOTURISMO

Duas centenas de mototuristas de catorze nacionalidades passaram por Cabeceiras de Basto

Mais de duas centenas de mototuristas de 14 nacionalidades visitaram esta manhã, dia 9 de setembro, o concelho de Cabeceiras de Basto naquela que é a terceira edição do ‘FIM Mototour of Nations’, evento que arrancou ontem e termina domingo, dia 11 de setembro, realizado sob a égide da Federação Internacional de Motociclismo e da Federação de Motociclismo de Portugal, com organização do Moto Clube do Porto.

Duas centenas de mototuristas de catorze nacionalidades passaram por Cabeceiras de Basto (1).JPG

O evento contou com o apoio da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto na passagem por esta terra de Basto.

Os mototuristas foram recebidos em frente aos Paços do Concelho pelo presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, que cumprimentou e deu as boas-vindas a todos os participantes. Antes de se fazerem de novo à estrada, os mototuristas tiveram, ainda, a oportunidade de visitarem a Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

Nesta receção, acompanharam o presidente da Câmara o vereador Alfredo Magalhães e o presidente da União de Freguesias de Refojos de Basto, Outeiro e Painzela, Leandro Campos.

O Norte de Portugal recebe, assim, um dos maiores eventos mototurísticos do mundo, com mais de 200 participantes oriundos de países como a Bélgica, Dinamarca, Inglaterra, França, Canadá, Croácia, Irlanda, Noruega, Suíça, República Checa, Grécia, Itália, Espanha e Portugal.

Durante estes quatro dias, os experientes viajantes terão a oportunidade de descobrir paisagens deslumbrantes, apreciar sabores ímpares, desfrutar de uma história riquíssima e conhecer gentes verdadeiramente únicas e hospitaleiras.

Duas centenas de mototuristas de catorze nacionalidades passaram por Cabeceiras de Basto (2).JPG

Duas centenas de mototuristas de catorze nacionalidades passaram por Cabeceiras de Basto (3).JPG

Duas centenas de mototuristas de catorze nacionalidades passaram por Cabeceiras de Basto (4).JPG

Duas centenas de mototuristas de catorze nacionalidades passaram por Cabeceiras de Basto (5).JPG

“HÁ FESTA NO CAMPO” EM MONÇÃO

Inserido no 3º DOC.COM, cinema documental e comunitário, o Cine Teatro João Verde recebe amanhã, sábado, pelas 16h00, o documentário “Há Festa no Campo”, de Tiago Moura e Pedro Pires. Com duração de 60 minutos, a entrada é gratuita.

montea.jpg

Inserido no 3º DOC.COM, cinema documental e comunitário, o Cine Teatro João Verde recebe amanhã, sábado, pelas 16h00, o documentário “Há Festa no Campo”, de Tiago Moura e Pedro Pires. Com duração de 60 minutos, a entrada é gratuita. Depois da sessão, segue-se uma “troca de impressões” com os realizadores e criadores deste projeto.

“Há Festa no Campo” conta-nos que a arte pode desempenhar um papel ativo na sociedade. Uma história “encontrada” em quatro aldeias do interior de Portugal – Barbaído, Chão de Vã, Freixial do Campo e Juncal do Campo – onde “Há Festa no Campo” é também um projeto de desenvolvimento destas aldeias através de práticas artísticas.

Neste documentário, revela-se o desenvolvimento deste projeto, dando corpo a uma experiência comunitária e tornando possível a replicação da mesma noutros territórios. Desta forma, o 3º DOC.COM, presente nos cinco municípios do Vale do Minho desde ontem até domingo, continua com vontade de mostrar outros projetos comunitários e/ou em rede espalhados pelo país.

MONÇÃO: CENTRO ESCOLAR DE MAZEDO PRONTO PARA RECEBER PROFESSORES E ALUNOS

Trabalhos de pintura no interior, redimensionamento espacial na biblioteca e melhoramento do piso no exterior estão concluídos, tornando os espaços intervencionados mais funcionais para os professores e mais seguros para os alunos.

Mazedo 01 (Large) (1).JPG

Proporcionar espaços funcionais e condições de trabalho adequadas a alunos e professores no arranque do ano letivo tem sido uma preocupação do executivo monçanense que, nestes últimos anos, tem investido na valorização do parque escolar concelhio.

Com o ano letivo 2016/2017 à porta, decorrem diversas intervenções pontuais para que nada falte quando se ouvir o toque para o início das aulas. São trabalhos de manutenção dos recreios e limpeza no interior dos edifícios que estão praticamente concluídos e prontos para receber alunos e professores.

No Centro Escolar de Mazedo, realizaram-se algumas “operações” mais profundas que tornaram ainda mais otimizados os espaços existentes: Redimensionamento espacial da biblioteca escolar, pintura nos espaços interiores e beneficiação do exterior com área cimentada e pavimento amortecedor de borracha numa zona ocupada pelas crianças do pré-escolar.

Acompanhada pelos técnicos Isabel Nascimento e Jorge Agostinho, a vice presidente da Câmara Municipal de Monção, Conceição Soares, visitou esta semana o estabelecimento de ensino, verificando, com satisfação, que os trabalhos estão finalizados.

“Houve alguns melhoramentos no interior e exterior da escola que embelezam os espaços existentes e proporcionam melhores condições aos professores e mais segurança aos alunos” referiu Conceição Soares, consciente que “estas intervenções são fundamentais no processo de aprendizagem das nossas crianças”.    

Além da valorização estrutural dos estabelecimentos de ensino, o executivo municipal leva a efeito outras medidas que visam garantir uma plena igualdade de oportunidades para todos. Entre estas, referência para a entrega de manuais escolares promovida pelo Banco Local de Voluntariado e para a entrega de material escolar a crianças oriundas de famílias desfavorecidas economicamente.

Os apoios estendem-se ainda ao transporte para os estabelecimentos de ensino e à alimentação nas cantinas escolas, estando ainda previsto o prolongamento de horário e Atividades de Enriquecimento Curricular promovidas pelo Agrupamento de Escolas de Monção. Os alunos que frequentam o ensino superior público podem candidatar-se aos incentivos “João Verde”.

mazedo 2 (Large).JPG

mazedo 3 (Large).JPG

BRAGA E VELIK TARNOVO ASSINAM MEMORANDO DE ENTENDIMENTO

Município prepara acordo de geminação com cidade Búlgara

No âmbito das visitas promovidas pela InvestBraga com representantes diplomáticos em Portugal, o Embaixador da Bulgária, Todor Hristov Stoyanov, foi hoje, 9 de Setembro, recebido pelo presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio. A sessão, realizada no Salão Nobre dos Paços do Concelho, ficou marcada pela assinatura de um memorando de entendimento entre o Município de Braga e a cidade búlgara de Veliko Tarnovo que irá viabilizar a geminação das duas cidades.

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001826.jpg

O acordo foi assinado por Ricardo Rio e por Daniel Panov, presidente da Câmara de Veliko Tarnovo que dirige também a Associação de Municípios da Bulgária.

Esta parceria, além de incluir a geminação das duas cidades, contém cooperação nas áreas culturais, dinamização económica e captação de investimento, bem como no desenvolvimento da promoção turística das duas regiões e partilha de experiências na governação, ciência e educação.

Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, destacou as inúmeras afinidades existentes entre as duas cidades, salientando desde logo o potencial turístico e o contributo de ambas para o desenvolvimento económico dos seus países.

“Ao longo deste mandato, o Executivo Municipal tem procurado dar dimensão internacional a Braga e esse esforço assenta muito no estabelecimento neste tipo de parcerias. Julgamos que é pela partilha de boas práticas e pela integração em redes internacionais de cooperação que podemos contribuir nas mais diversas áreas para o desenvolvimento da Cidade”, sustentou o Autarca Bracarense.

Ricardo Rio agradeceu ainda ao Embaixador da Bulgária em Portugal por ter “apadrinhado a assinatura do memorando de entendimento que resulta ainda do desafio lançado pelo Presidente da República búlgaro, aquando da Cimeira de Arraiolos que teve lugar em Braga”.

Veliko Tarnovo é uma cidade do Norte da Bulgária e centro administrativo da província com o mesmo nome. Outrora conhecida como a cidade dos czares, é um importante centro cultural, económico e administrativo da Bulgária e, tal como Braga, tem uma importância histórica no país e conhecida como a cidade de muitas igrejas.

Aquele município tem cerca de 100 mil habitantes e é sede da segunda mais importante Universidade do país, a Universidade de Santo Cirilo e Metódio de Veliko Turnovo, e ainda a Universidade Nacional Militar de Vasil Levski. Como centro económico, é conhecida pelas suas indústrias nas áreas da electrónica, têxteis, plásticos e sector alimentar.

Veliko Tarnovo é também um dos centros turísticos mais importantes da Bulgária, pela sua importância histórica e cultural.

A sua origem remonta ao século VI A.C, com vestígios de um aldeamento Trácio. Na Idade Média, e após a expulsão dos bizantinos, foi a capital do Segundo Império Búlgaro e permaneceu como tal durante 208 anos, até à invasão otomana da Europa. Desde então e até ao seculo XIX, com excepção de alguns períodos de revolta contra o Império Otomano, e tal como o resto da Bulgária, permaneceu sob ocupação, até à independência em 1887.

Foi em Veliko Tarnovo que foi assinada e ratificada a Constituição do moderno Estado Búlgaro em 1879, mas nesse ano a capital foi transferida para Sófia. Devido à importância histórica da cidade, o Czar Fernando escolheu Veliko Tarnovo para declarar a completa independência da Bulgária a 5 de Outubro de 1908.

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001829.jpg

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001830.jpg

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001832.jpg

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE BARCELOS CRITICA CONCELHIA DO PARTIDO SOCIALISTA

DSC_0106 - 1

COMUNICADO

O Secretariado da Comissão Política Concelhia de Barcelos do Partido Socialista resolveu emitir um comunicado, lido na conferência de imprensa de segunda-feira, 5 de setembro, adotando o estilo que tanto criticou ao PSD local.

Nesse comunicado, também copiando o estilo do PSD, decidiu dizer um conjunto de banalidades e delas nada haveria a dizer se não contivessem omissões e mentiras graves.

E porque estas não podem passar sem resposta, importa falar aos barcelenses com verdade, sem negar os factos e a realidade, já que o atual PS de Barcelos se encontra em pleno processo de negação da realidade.

No referido comunicado é dito que o Presidente da Câmara retirou os pelouros ao vereador Domingos Pereira, bem como “aos membros do PS no executivo”.

Ora, é falso que o Presidente da Câmara tenha retirado os pelouros aos vereadores Carlos Brito, Elisa Braga e Alexandre Maciel.

Foram eles próprios que abandonaram os pelouros de forma voluntária e consciente.

Fizeram-no através de uma comunicação oficial enviada ao Presidente da Câmara no dia 6 de maio de 2016, nos seguintes termos:

“[Os] Vereadores da Câmara Municipal em regime de permanência a tempo inteiro vêm, pelo presente requerimento conjunto, nos termos e para os efeitos legalmente previstos na Lei n.º 169/99, e Lei n.º 75/2013, comunicar a V. Exª que a partir do dia 09.05.2016, inclusive, deixarão de exercer as competências que lhe foram delegadas e subdelegadas por despachos de V. Exª. A partira da data acima referida (09-05-2016) os Vereadores da Câmara Municipal de Barcelos passarão a aexercer o cargo de Vereador em regime de não permanência nos termos das leis acima referidas”.Portanto, se alguém pressionou estes vereadores a deixar os pelouros, não foi certamente o Presidente da Câmara.

É dito ainda no mesmo comunicado que o processo de escolha do candidato à Câmara Municipal para as eleições de 2017 foi um “processo igual a todos os anteriores de acordo com os estatutos do PS”.

Esta afirmação é um erro grave que o próprio Partido não pode admitir. Dizer que se trata de “processo igual” aos anteriores é simplesmente desonesto.

Os presidentes de Junta foram convocados pelo Partido para uma reunião sem saberem que lhes iria ser pedido que escrevessem um nome num papel para escolher o futuro Presidente da Câmara;

Pedir o mesmo aos vereadores, aos membros do Secretariado e da Comissão Política, sem qualquer possibilidade de discussão de alternativas ou de projetos políticos;

Votar duas e três vezes, consoante os órgãos a que se pertencesse;

Prometer a realização de uma sondagem que nunca chegou a ser feita…

…Tudo isto apouca a democracia interna do Partido e não pode ser visto como um processo legal de decisão, tanto mais que o próprio Presidente da Comissão Política, Domingos Pereira, classificou estes actos como “auscultação informal” (Jornal de Barcelos, 13.04.2016).

E disse ainda: “[Este processo] é apenas indicativo. Não é nada vinculativo” (Barcelos Popular, 14.04.2016)

A própria comunicação social também classificou este processo de “insólito e inédito de escolha do candidato a Presidente da Câmara” (Barcelos Popular, 14.04.2016) e nunca foi desmentida.

Portanto, se o próprio Domingos Pereira afirmou publicamente que o processo não era “vinculativo”, como pode agora vir em comunicado dizer que este “processo foi igual aos anteriores”?

A própria votação da Comissão Política extraordinária de 6 de junho – curiosamente tomada no dia imediatamente a seguir ao Congresso Nacional, que decidiu reconduzir os atuais presidentes de câmara – não legitima qualquer candidatura, já que todo o processo que a precedeu incorre em total falta de sustentação política.

O que foi discutido? Que projetos foram apresentados? Que democracia interna permitiu a apresentação de propostas e de nomes?

Onde está a sondagem prometida pelo Presidente da Comissão Política Concelhia para a escolha do candidato?

Que legitimidade política assiste a estas atitudes?

Não há respostas de quem as deveria dar!

O comunicado do Secretariado do PS diz ainda que a atual gestão camarária “é contrária ao espírito da lei”!

Ora, nada há de ilegal na atual gestão camarária, à exceção da situação em que se encontram os vereadores auto-excluídos dos seus pelouros.

Esses é que deveriam explicar o fundamento legal da sua situação que, como é público, se presta aos mais variados e tristes comentários e explicações; esses é que devem explicar aos barcelenses porque é que lhes voltaram as costas e deixaram de cumprir as funções para que foram eleitos.

No comunicado diz-se que o Presidente da Câmara “nunca mais reuniu com os restantes quatro vereadores”!

Sejamos claros: os quatro vereadores não têm mais razões do que os restantes vereadores (do PSD, do CDS e do MIB) para reunirem com o Presidente, exceto nas reuniões formais do executivo.

Seria caso único na história do poder local esta situação: por um lado os vereadores renunciam aos pelouros e auto-excluem-se do exercício das competências que lhes foram delegadas; por outro, exigem acompanhar toda a atividade do Município!

Quanto à decisão do Supremo Tribunal Administrativo, que confirma a sentença do pagamento de 8,6 milhões de euros, acrescidos de juros, aos privados da Parceria Público Privada, os senhores vereadores eleitos pelo PS sabem muito bem que esse valor teria sido muito inferior se, em devido tempo, concordassem com uma negociação direta com os privados.

A Câmara Municipal respeita as decisões dos Tribunais e assumirá as suas responsabilidades a tempo e horas, procurando não trazer mais encargos para o erário público e respeitando o princípio do diálogo, em nome dos superiores interesses dos barcelenses.

De resto, o princípio do diálogo tem presidido às negociações que a Câmara Municipal tem vindo a desenvolver com os acionistas da empresa Águas de Barcelos, SA, particularmente nos dois últimos meses. Graças a este diálogo frutuoso, resultado do empenho e seriedade negocial de todas as partes, tem sido possível analisar todas as questões relacionadas com a resolução do problema da concessão, que os estudos financeiro e de viabilidade económica estão a definir.

No comunicado é referido um ofício do Tribunal de Contas, supostamente enviado ao Presidente da Assembleia Municipal, onde se diz que “pode colocar em colapso toda a gestão financeira municipal”.

O Presidente da Câmara recebeu, no passado mês de agosto, uma comunicação do Tribunal de Contas (“Homologação da Conta Relativa ao Exercício de 2011 – Recomendação”), recomendando a constituição de provisão em caso de confirmação do Supremo Tribunal Administrativo da sentença anterior referente ao processo da concessão da água.

Para não alongar outras considerações, lembro apenas que o vereador Domingos Pereira, enquanto responsável pelo Pelouro das Finanças, sempre se recusou a seguir a recomendação do Tribunal de Contas e do Auditor Externo no sentido de criar aquela provisão e essa posição política foi sempre defendida publicamente, nomeadamente na Assembleia Municipal.

E já que se fala no Auditor Externo, cito aqui a conclusão da sua informação sobre a situação económica e financeira da Câmara:

“A análise dos elementos atrás enunciados, especialmente as expressões dos rácios apresentados, permite concluir que o período respeitante ao primeiro semestre de 2016 mostra franca conformidade com os períodos homólogos anteriores, sendo de realçar a tendência crescente dos factores associados à solvabilidade, independência financeira e limite legal de endividamento. Em suma, a situação económica e financeira do Município de Barcelos, no fim do primeiro semestre de 2016 em apreciação, continua a revelar-se saudavelmente equilibrada, pese embora o austero e exigente clima que continua a envolver as autarquias locais”.

Barcelos, 6 de setembro de 2016

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos

Miguel Costa Gomes

PONTE DE LIMA PARTICIPA NA FEIRA AGRÍCOLA DO NORTE

Município de Ponte de Lima presente na AgroSemana – Feira Agrícola do Norte

Promover as potencialidades do sector agropecuário do concelho de Ponte de Lima, apostando na valorização do agroturismo e do seu património natural e rural, marcaram a presença de Ponte de Lima em mais uma edição da AgroSemana – Feira Agrícola do Norte, que decorreu de 1 a 4 de setembro, no espaço Agros na Póvoa de Varzim.

IMG_0619 (Small).JPG

Considerado como um evento de constante e sustentado crescimento e de referência no Norte de Portugal, esta 4ª edição da AgroSemana, impulsionou, confirmou e valorizou o setor Agropecuário e Cooperativo Nacional, visando também promover o consumo e os benefícios do leite, a nossa matéria-prima de excelência.

O Município de Ponte de Lima participou em parceria com a Coopalima – Cooperativa Agrícola de Agricultores do Vale do Lima, com um espaço próprio, no qual promoveram vários produtos do sector agropecuário do concelho de Ponte de Lima.

Dirigida às Cooperativas Associadas e aos Produtores de Leite Agros, o evento para além de valorizar o Setor Agropecuário e Cooperativo Nacional, divulgou o leque acrescido de produtos e serviços das Empresas do Grupo Agros, que desde 2013 apostou neste evento.

IMG_0613 (Small).JPG

BRAGA TEM “RENTRÉE” CULTURAL DE LUXO

Festival Semibreve decorre de 28 a 30 de Outubro

De 28 a 30 de Outubro, Braga volta a receber o festival que coloca a Cidade no roteiro dos festivais de música electrónica europeus. A sexta edição do Semibreve reparte-se pelo Theatro Circo, pelo espaço GNRation e pela Casa Rolão, apresentando um cartaz ambicioso que explora o que de mais marcante e inovador vai sendo criado no vasto universo da música electrónica e da arte digital.

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001818.jpg

Nomes fortes como Tyondai Braxton, Kaitlyn Aurelia Smith, Oliver Coates e Nídia Minaj, actuam pela primeira vez a Portugal, juntando-se aos já conhecidos Andy Stott, Paul Jebanasam & Tarik Barri e Ron Morelli. O festival contará ainda com um vasto programa de instalações, entre as quais ‘Quintetto’ da autoria do colectivo italiano Quiet Ensemble e ‘Growing Verse’ de Junya Oikawa, artista japonês vencedor do EDIGMA Semibreve Award, um prémio que visa estimular a criação artística digital, que este ano dedicou especial atenção a projectos artísticos que recorram à interactividade, ao som e à imagem, contando com supervisão do engage lab da Universidade do Minho.

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, depois de apresentada mais uma edição dos Encontros da Imagem, de se aproximar o Festival para Gente Sentada, assim como mais uma edição da Braga Barroca, o Semibreve vem comprovar que a Cidade “vive uma ‘rentrée’ cultural de luxo, que demonstra o eclectismo existente em Braga, a vitalidade das nossas instituições e a diversidade e ambição das muitas iniciativas que não são apenas referências para Braga, mas sim para o País e até mesmo a nível internacional”.

Durante a apresentação do Semibreve, que decorreu esta Sexta-feira, 09 de Setembro, no Theatro Circo, o Autarca referiu que este festival “é um extraordinário exemplo da enorme qualidade e arrojo das iniciativas que Braga desenvolve”, sendo mesmo “um desafio ao encontro de um percurso cultural alternativo, que potencia o interesse dos Bracarenses para algo fora do que é considerado como tradicional”.

Para Ricardo Rio, são iniciativas como o Semibreve que reforçam a candidatura de Braga a cidade criativa da UNESCO no campo das Media Arts. “Não é por acaso escolhemos as Media Arts para esta candidatura. Esta é uma área onde os desafios à criatividade e à inovação dos Municípios são mais exigentes, mas é também a forma de enaltecer a ligação entre as múltiplas dimensões de uma Braga cultural, com a dimensão económica de uma Braga tecnológica com base no seu tecido empresarial”, sublinhou.

A ligação a Braga e aos Bracarenses está bem patente nesta edição do Semibreve que vai contemplar a Cidade com um espectáculo - aberto ao público - de música contemporânea protagonizado pela norte-americana Christina Vantzou. O concerto terá lugar na Capela Imaculada do Seminário Menor na tarde de Sábado, dia 29.

O Semibreve, cujos passes gerais já se encontram esgotados, restando apenas alguns bilhetes diários para as salas individuais, é organizado pela AUAUFEIOMAU com o apoio do Município de Braga e da Fundação Bracara Augusta, e afirma-se como um evento incontornável no panorama da música electrónica nacional e internacional, proporcionando espectáculos de alguns dos artistas mais relevantes da actualidade no domínio da música electrónica e contribui para a divulgação de produção científica no campo das artes digitais produzida por instituições de referência, tais como a Universidade do Minho, Universidade do Porto, Universidade Católica, Fundação Bienal de Cerveira e Digitópia/Casa da Música.

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001820.jpg

CMB09092016SERGIOFREITAS0000001824.jpg

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO QUER POPULAÇÃO COMPROMETIDA COM FUTURO DO CONCELHO

Sofá amarelo regressa com o programa Famalicão Visão’ 25 Marcas de Futuro, a partir do dia 22

O famoso sofá amarelo que, em 2014, percorreu os quatro cantos de Vila Nova de Famalicão, desafiando os famalicenses a sentarem-se e a contribuírem com as suas ideias para o futuro coletivo do concelho, vai regressar a partir do dia 22 deste mês, com um novo repto à população.

Sofá regressa.jpg

No âmbito da elaboração do Plano Estratégico 2014-2025 para o concelho, a autarquia utilizou o Sofá para questionar os famalicenses sobre “como gostariam de ver Famalicão daqui a 10 anos?”, envolvendo-os, num verdadeiro ato de cidadania e de participação cívica. Na altura, mais de mil pessoas sentaram-se no sofá e partilharam os seus projetos para o futuro com a comunidade.

Passados dois anos, o Sofá está de volta. Agora com um pedido sério de compromisso dos famalicenses com a comunidade. “Queremos os famalicenses comprometidos com o futuro de Famalicão e queremos que assumam um papel ativo na construção do concelho”, afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. Nesse sentido, a questão que agora se coloca é “O que podes fazer por Famalicão”, sendo que a resposta implica diretamente uma vontade e um compromisso.

O sofá estará na rua a partir do próximo dia 22 e insere-se no âmbito do evento Famalicão Visão’25 – Marcas do Futuro, que abarca ainda um conjunto muito diversificado de atividades que vão decorrer até 23 de outubro. O programa divide-se em cinco semanas, com quatro temáticas: Crescimento Sustentável, Governança do Território, Crescimento Inclusivo e Crescimento Inteligente. Ao todo são mais de vinte e cinco eventos (cinco em cada semana), abertos à participação da comunidade e com acesso livre.

Para Paulo Cunha “cada evento deverá resultar num contributo da população para o processo de planeamento estratégico Visão’25, reconhecendo-se que o território é um espaço coletivo global e que a estratégia é um produto da ação de todos os famalicenses”.

Para já destaque para a Rua do Futuro Sustentável (22 a 25 de setembro), um evento que contará com exposições, ateliês, debates, música e teatro entre outras ações. O objetivo principal desta iniciativa é chamar todos os famalicenses para a construção de um futuro mais amigo do ambiente, com maior qualidade de vida e que não afete negativamente as próximas gerações.

No âmbito do tema Crescimento Sustentável (26 de setembro a 2 de outubro) referência ainda para o arranque do projeto “25 mil árvores para 2025”, que tem como objetivo a (re)arborização do território através da plantação de 25 mil árvores e arbustos preferencialmente autóctones em áreas urbanas e espaços rurais, florestais e até ribeirinhos até 2025. O projeto inicia-se com a inauguração do primeiro berçário municipal de árvores.

Entre 3 e 8 de outubro, as atividades inserem-se no tema Governança do Território e consistem principalmente na organização de debates e oficinas sobre variados assuntos, procurando desenvolver o associativismo e o trabalho comunitário.

No que diz respeito ao Crescimento Inclusivo (10 a 16 de outubro), as iniciativas têm como objetivo promover o voluntariado, com destaque para a Maratona do Voluntariado. Pretende-se incentivar os famalicenses a envolverem-se e comprometer-se com projetos solidários humanos, ambientais, etc.

Por fim, o Crescimento Inteligente (17 a 23 de outubro) tem como objetivo incentivar o empreendedorismo e a criação de projetos inovadores, através de iniciativas como fóruns e conferências.

Para Paulo Cunha “enquanto, em 2014, os famalicenses falaram sobre as suas ambições e convicções para o concelho, agora são convidados a participar comprometendo-se com a comunidade na construção e concretização dessas ambições”“O que podem fazer por Famalicão e pelo futuro; que marca gostariam de deixar no concelho, são apenas algumas das questões que vamos fazer”, explica o autarca, referindo que com este programa de participação e envolvimento da população, o Famalicão Visão’25, “pretendemos posicionar os cidadãos como atores principais na potenciação do território, estimulando o orgulho coletivo e reforçando a identidade local”.

INCÊNDIOS FLORESTAIS ASSOLAM CABECEIRAS DE BASTO

Vaga de incêndios que assolou Cabeceiras de Basto esta semana provocou danos elevados em condutas de abastecimento de água

Os incêndios que assolaram o concelho de Cabeceiras de Basto, esta semana, provocaram graves danos nas condutas de abastecimento de água em vários lugares do concelho.

Vaga de incêndios que assolou Cabeceiras de Basto esta semana provocou danos elevados em condutas de abastecimento de água (1).JPG

Os casos mais graves, verificaram-se na freguesia de Riodouro, nos sistemas de abastecimento de água dos lugares de Cambezes, Magusteiro, Teixugueiras e Asnela.

Os serviços técnicos municipais desdobram-se esta semana em trabalhos nesses lugares, de forma a garantir, o mais rápido possível, o restabelecimento do abastecimento de água, envolvendo a movimentação de máquinas, mão-obra e material.

A Câmara Municipal lamenta os transtornos causados às populações e informa que até final da semana deverá ficar o abastecimento de água normalizado nesses lugares.

Vaga de incêndios que assolou Cabeceiras de Basto esta semana provocou danos elevados em condutas de abastecimento de água (2).JPG

Vaga de incêndios que assolou Cabeceiras de Basto esta semana provocou danos elevados em condutas de abastecimento de água (3).JPG

FAMALICÃO MADE IN NOVAMENTE PREMIADO

Menção honrosa para o Município de Famalicão nos Prémios Europeus de Promoção Empresarial

O Famalicão Made IN, projeto desenvolvido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão no contexto da promoção económica do concelho, soma e segue no reconhecimento público. Desta feita alcançou uma menção honrosa nos Prémios Europeus de Promoção Empresarial, na categoria Desenvolvimento do Ambiente Empresarial, iniciativa da Comissão Europeia que visa distinguir as melhores práticas de promoção do empreendedorismo na Europa.

Prémios Europeus1.jpg

A entrega de prémios nacionais aconteceu ontem no Museu do Oriente, em Lisboa, e contou com a presença do Ministro da Economia, Caldeira Cabral. O IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação está associado a esta iniciativa desde 2006, tendo já distinguido quase uma centena de projetos.

O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, reage com satisfação a nova distinção deste projeto que o seu executivo implementou em 2013, “sinal do bom trabalho desenvolvido e, mais importante do que isso, dos bons resultados obtidos”.

O Famalicão Made IN fez-se representar na cerimónia pelo seu coordenador, Augusto Lima, para quem este prémio é sinónimo de “reconhecimento, motivação e responsabilidade acrescida”

O Famalicão Made IN é assim um projeto que o país reconhece e premeia, cada vez mais. Em junho de 2016 o Município de Vila Nova de Famalicão foi considerado o Município do Ano 2016 da Região Norte graças ao Famalicão Made IN, num prémio atribuído pela Universidade do Minho.

Trata-se de um ambicioso e diferenciador projeto de afirmação territorial que procura valorizar e promover a genética empreendedora, captar novos investimentos e auxiliar os empresários no desenvolvimento de projetos empresariais.

Na sua génese está a vontade de exponenciar a relevante performance económica de Vila Nova de Famalicão, que se impõe como o terceiro município que mais exporta em Portugal.

Prémios Europeus2.jpg

MUNICÍPIO DE CAMINHA VAI AUMENTAR COBERTURA DA REDE DE TELECOMUNICAÇÕES E REDE DE DADOS 3G NAS FREGUESIAS DA SERRA D’ ARGA

Protocolo com a Vodafone cria condições para projeto aprovado no Orçamento Participativo

A Câmara Municipal de Caminha vai assinar um protocolo com a Vodafone Portugal – Comunicações Pessoais, S. A. para o aumento de cobertura da rede de telecomunicações e rede de dados 3G na União de Freguesias de Arga, que contempla os territórios de Arga de Baixo, Arga de Cima e Arga de São João. Este protocolo, já aprovado pelo Executivo, vem também criar condições para a execução de um dos projetos aprovados no quadro do primeiro Orçamento Participativo de Caminha.

Conforme explicou o vice-presidente da Câmara, Guilherme Lagido, a materialização deste protocolo prepara o território para a futura instalação da rede Wifi, permitindo no imediato o acesso da população à rede móvel, através do reforço do sinal. Calcula-se que mais de três quartos da população passem a poder utilizar telemóveis. Trata-se de uma importante melhoria das condições deste território, não apenas pela capacidade de comunicação em termos gerais, mas também em situações de emergência, como são os incêndios.

Este foi um projeto debatido com cada uma das freguesias abrangidas e houve o cuidado de reduzir ao máximo o impacto visual das antenas que terão de ser instaladas.

A Vodafone vai apresentar ainda uma proposta para a implementação da rede Wifi que beneficie o território da União de Freguesias de Arga e freguesia de Dem e serão também pedidos orçamentos às outras operadoras.

No quadro do protocolo aprovado, o aumento e reforço da cobertura 3G será efetuado com recurso a equipamentos designados por Smallcells/Femtocells.  O Município isentará a Vodafone do pagamento de quaisquer taxas municipais decorrentes da instalação e posterior manutenção de Smallcells/Femtocells, e infraestruturas de suporte necessárias, nos territórios das freguesias mencionadas;

Recorde-se quea implementação da Rede Wi-Fi para as freguesias das Argas, foium dos quatro projetos vencedores do primeiro Orçamento Participativo de Caminha, escolhidos por mais de duas mil pessoas.