Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VILAVERDENSES MALHAM O FEIJÃO COMO MANDA A TRADIÇÃO

Loureira entra Na Rota das Colheitas com a recriação de uma malhada tradicional de feijão

A Loureira estreou-se este ano nas andanças da Rota com a recriação de uma malhada de feijão à moda antiga. As vestes de outrora e as alfaias agrícolas, o eco dos malhos a compasso e das vozes das desgarradas, a animação e o convívio no fim da jornada. Tudo preparado a preceito, como manda a tradição. A iniciativa decorreu durante a tarde de ontem, 15 de agosto, e insere-se na programação Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro brinda os participantes com mais de 30 iniciativas numa viagem pela herança cultural da tradição minhota. A festa prossegue, durante o dia de hoje, na Loureira com Festival da Rádio Voz do Neiva, inserido no evento Loureira em Festa – Arraial do Emigrante, com uma autêntica maratona de música popular que vai levar dezenas de artistas ao palco colocado na Zona da Ponte Nova.

DSC_0710.jpg

Uma malhada de Feijão como manda a tradição

O dia soalheiro deu o tónico para uma tarde extremamente agradável. Pouco passava das 16h00, quando as vozes afinadas e os acordes dos instrumentos da música popular começaram a tomar conta do recinto. Uma viagem no tempo que ganhou contornos mais reais com os trajes e as alfaias de outrora. O som dos malhos a compasso ecoava pelas redondezas à medida que os homens quebravam os pés de feijão dourados pelo sol. Com a violência do impacto, as vagens abriram e libertaram os grãos de feijão. De seguida, as mulheres começaram a separar os grãos da palha. Primeiro com um ancinho para retirar a parte maior e depois com um crivo, para uma peneiração mais eficaz. A malhada não ficaria completa sem uma merenda, com destaque para as afamadas sopas de cavalo cansado, que ajudaram a fortalecer o corpo e o espírito. No final da iniciativa a animação prosseguiu as atuações do Rancho Típico das Lavradeiras de Aboim da Nóbrega e do Rancho Folclórico de Santo Eulália de Cabanelas.

DSC_0830.jpg

“Continuem a lutar pelas nossas tradições, é com elas que alavancamos e projetamos o nosso futuro”

Presente no evento, o presidente do Município de Vila Verde deixou rasgados elogios à iniciativa. António Vilela frisou a importância de preservar a herança cultural vilaverdense, transmitindo-a às gerações mais jovens, e de a promover, valorizando e dinamizando o território. “A Loureira juntou-se pela primeira vez à Rota com uma das tradições de Vila Verde, que é um concelho principalmente agrícola. Recentemente, tivemos a recriação de uma malhada do centeio, hoje é do feijão, e durante a Rota ainda vamos ter desfolhadas, vindimas e pisadas de uvas, entre outras, tudo nos moldes de antigamente. Quero deixar uma palavra de agradecimento a todos os participantes pelo excelente trabalho que aqui desenvolveram e gostaria de deixar uma palavra de incentivo para que continuem a lutar pelas nossas tradições, é com elas que alavancamos e projetamos o nosso futuro”, afirmou.

DSC_0815 (1).jpg

“Aproveitar e impulsionar as potencialidades do concelho”

O edil realçou também a atitude e o vigor de um dos malhadores, Francisco Peixoto, que com quase nove décadas de existência ainda consegue brandir o malho. “A Junta e a população Loureira estão de parabéns pela promoção da Ponte Nova, uma zona emblemática do concelho. É necessário aproveitar e impulsionar as potencialidades do concelho. Obrigado por estarem a fazer este trabalho para a freguesia, para o concelho e para a nossa cultura e tradição”, concluiu. Por sua vez, o presidente da Junta de Freguesia da Loureira, Pedro Dias, agradeceu “a presença de todos e, de forma especial, dos intervenientes, que uniram esforços para realizar esta malhada tradicional de feijão”. Pedro Dias sublinhou ainda que acredita que a iniciativa veio para ficar e que vai crescer nas próximas edição da programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas.

DSC_0505.jpg

DSC_0669.jpg

BRAGA REPRESENTA PORTUGAL NA CONFERÊNCIA EUROPEIA DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS

Município Bracarense representou Portugal na VIII Conferência Europeia das Famílias Numerosas. Braga reconhecida na Europa como Município Amigo das Famílias

Acedendo ao convite da Confederação Europeia das Famílias Numerosas (ELFAC) e da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas (APFN), a Câmara Municipal de Braga esteve presente integrando o painel "Family Friendly Municipality" da VIII Conferência Europeia das Famílias Numerosas que se realizou em Riga, capital da Letónia.

Riga1.jpg

Partilharam o painel com Braga o governo da Letónia, a Província de Trento em Itália e os municípios de Riga na Letónia, Grodzisk Mazowiecki na Polónia e Alsómocsolád na Hungria. A conferência foi encerrada pela Ministra da Família, trabalho e política social da Polónia, Elzbieta Rafalska.

Na apresentação das políticas desenvolvidas em Braga em prol das famílias, António Barroso do Gabinete de Apoio à Presidência, em representação do Município evidenciou os principais indicadores e vectores estratégicos da acção municipal, destacando, ainda, as diversas acções, actividades e iniciativas que Braga disponibiliza como apoio às famílias bracarenses.

"É importante para nós ter a oportunidade de apresentar a nível europeu aquilo que fazemos em prol das famílias bracarenses. A troca de experiências é enriquecedora pois podemos servir de modelo, mas também ter uma percepção mais aprofundada do que é feito noutros países para podermos replicar, embora tenhamos que ter em conta a realidade de cada um nomeadamente quanto às possibilidades financeiras.

Outra dimensão são as preocupações a nível de estado central e nesta conferência ficou bem patente a aposta que os países de Leste estão a fazer para combater o Inverno demográfico que se aproxima. Alguns municípios portugueses, nos quais se inclui Braga, têm sido os grandes dinamizadores de incentivos e apoios às famílias, importa agora também que o estado desperte para esta questão de mote próprio, porque por exemplo foi criado o IMI familiar, mas não deixa de ser uma verba dos municípios. Há muito caminho a fazer e basta replicar a nível central aquilo que se faz em muitas localidades como Braga. Recentemente já houve sensibilidade para a questão dos manuais escolares, mas há muito mais que se pode fazer, principalmente a nível fiscal para apoiar as famílias e a natalidade, precavendo a sustentabilidade do país", referiu António Barroso.

Boas práticas de Braga mereceram aplauso

Das boas práticas bracarenses apresentadas destacaram-se o reforço dos apoios fornecidos pela Bragahabit; tarifa familiar da água para famílias numerosas e IPSS; descontos nas taxas de saneamento para famílias numerosas e IPSS; tarifário social na água e saneamento; programas de redução dos custos de energia das famílias; refeições escolares – apoio para todos os alunos do 1.º ciclo e reforço dos apoios para os alunos abrangidos pela acção social escolar do pré-escolar e 1.º ciclo fora dos períodos lectivos, incluindo férias de Verão; oferta de manuais escolares a todos os alunos do 1.º ciclo do ensino básico público e privado; oferta de materiais escolares aos alunos abrangidos pela acção social escolar; apoio ao estudo das crianças e jovens acompanhadas pela CPCJ, fornecido por voluntários do banco local de voluntariado; dinamização do programa “férias fantásticas” e colónia balnear para crianças de famílias carenciadas; programa Avospedagem e o programa BragaSol.

Na Fiscalidade Municipal: redução de taxas e impostos locais; redução generalizada do Imposto municipal sobre imóveis; redução extra do IMI para famílias com 2 ou mais filhos; devolução de parte do IRS arrecadado pelo município. Na Promoção de hábitos de vida saudáveis: Braga a Sorrir; rastreios; projecto Pimpolho; programa de apoio à vacinação; Braga activa; Plano municipal de marcha e corrida; Centro de Medicina Desportiva e o programa os piratas vão à piscina;

A implementação de cartões de desconto em espaços municipais e privados: Família numerosa; Sénior; Jovem; BragaKid. A oferta cultural e desportiva que proporciona momentos de convívio intergeracional, motivando e incrementado os hábitos culturais e desportivos da comunidade.

Manifestando a sua satisfação pelo reconhecimento que o Município obteve, Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, destacou que importância de Braga "receber este convite para representar o Portugal e termos a oportunidade de apresentar as nossas medidas de apoio e incentivo às famílias bracarenses que desde a primeira hora temos vindo a desenvolver. Este é também o reconhecimento do valor da nossa política e dos nossos resultados por entidades externas de nível nacional e europeu, referiu o Edil, sublinhando que “estamos empenhados em continuar este caminho, assim tenhamos possibilidade de incrementar as nossas realizações e também criar outras que continuem a afirmar Braga como um local de excelência para viver e onde as famílias são felizes”.

Riga2.jpg

Riga3.jpg

Riga5.jpg