Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

OS QUE PAGAM PARA MORRER FAZEM PERGUNTAS

Terra Justa ouviu Tareke Brhane, líder do o Comitato 3 Ottobre, contar na primeira pessoa o que passa um refugiado para chegar à Europa

Tareke Brhane tinha 17 anos quando saiu do seu país, a Eritreia, um dos mais pobres do mundo. A ideia era chegar à Europa e começar vida nova. “Sem conhecer a língua, sem trabalho, sem quase nada de meu, a começar do zero.” Tareke fugiu pelo deserto, esteve preso, foi vendido por traficantes – pagaram por ele 50 dólares, cerca de 44 euros –, sentiu a morte por perto várias vezes, atravessou o mar Mediterrâneo como tentaram milhares de outras pessoas nos últimos 15 anos.

DSA_8124

Brhane esteve dois dias em Fafe, a participar na edição 2016 do Terra Justa – Encontro Internacional de Causas e Valores da Humanidade. A organização que dirige – o Comité 3 de Outubro – foi uma das homenageadas de quinta-feira à noite, o terceiro dia da iniciativa.

É por ter atravessado o mar que Tareke se considera “um filho do Mediterrâneo, um dos que sobreviveram a prisões, ao deserto”. E acrescenta: “Noventa e nove por cento de nós pagam para ir morrer. Arrisco a minha vida por um por cento de possibilidades.”

Não será tanto assim o que as estatísticas mostram: dos mais de um milhão que atravessaram o Mediterrâneo desde o início da década, morreram algumas dezenas de milhar naquele que se tornou um grande cemitério de água (em 2015, terão sido quase três mil pessoas, segundo a Organização Internacional das Migrações). Mas os números, já de si trágicos, são apenas uma pequena parte do que sofrem os refugiados: no caso de Tareke, e dos eritreus que fogem (são o terceiro maior grupo em fuga, após os sírios e os afegãos), eles tentam escapar a uma violenta ditadura que viola permanentemente os mais elementares direitos.

Um refugiado passa a vida a ter de se “justificar”, a ser metido em prisões ou em campos – no Sudão, na Líbia, ou na Europa. “Eu fui metido com 34 pessoas num pequeno jeep. Imaginem que vos roubam o vosso smartphone. Ficariam irritados. Agora imaginem que vos tiram a casa, os bens, a família, tudo... Como ficariam?” Para comer, muitos dias só há farinha misturada com água. “O refugiado torna-se um produto de um traficante que vende a outro traficante...”

Há outras realidades: “Comigo havia uma família, marido e mulher. Se houver uma mulher, uma mãe ou uma irmã, elas correm o risco de ser violadas à tua frente, sem que nós possamos reagir.” A vida – o que resta dela – está nas mãos de outra pessoa, que fica com o passaporte, o dinheiro, o poder de vender pessoas.

As mãos. São elas, muitas vezes, a última ponta do desespero, quando finalmente chegam – os que chegam – à costa. As mãos que, mostraram as alunas da Escola de Ballet de Fafe na conferência e espectáculo da noite de quinta-feira, se esticam de um lado a pedir socorro, ou se estendem do outro, a ajudar quem chega – mesmo contra as vontades de tantos governos e de uma União Europeia desnorteada. 

“Sou uma pessoa com sentimentos, amo e choro como vocês”

“O que são os que chegam? Eu sou apenas um número para as estatísticas dos que morrem ou dos que sobrevivem. Mas eu sou uma pessoa com sentimentos, amo, choro, faço tudo o que vocês fazem”, afirmava Tareke, numa das intervenções, no Café Com Letras cheio e com muitos estudantes, durante uma das conversas de quinta-feira.

Cinco anos depois de ter saído do seu país, Tareke Brhane chegou à Europa, começando a colaborar como tradutor com os Médicos Sem Fronteiras ou a Save The Children.

A 3 de Outubro de 2013, pelo menos 368 pessoas morreram num naufrágio no Mediterrâneo, ao largo de Lampedusa. O Papa Francisco disse que era “uma vergonha” e Tareke achou que era altura de começar a fazer alguma coisa para sensibilizar as opiniões públicas europeias. Nasceu o Comitato 3 Ottobre, para defender a institucionalização de um dia de memória e reflexão sobre os refugiados que procuram viver em paz.

A boa notícia surgiu há três semanas, quando o Parlamento italiano aprovou a ideia. Tareke espera, agora, que ainda em Abril o Parlamento Europeu tome idêntica decisão relativa a todos os Estados-membros da União.

“Agora é giro: o Tareke vai a Bruxelas, está com o Papa, etc... Antes, não era ninguém”, conta o próprio, na terceira pessoa. “Vocês nasceram aqui, podem viajar por todo o mundo. Ser livre quer dizer poder decidir onde viver e onde morrer. E, por ter nascido onde nasci, tenho de ficar ali, não posso ir para sítio nenhum.”

E do que se fala quando se fala dos refugiados que procuram a Europa? Apenas três por cento deles querem vir viver para aqui. Por contraste, só o maior campo de refugiados do mundo, no Quénia, tem cerca de dois milhões de refugiados. “Dediquem só cinco minutos para tentar compreender, não para mudar a vossa opinião. Os que morrem no Mediterrâneo são mortos invisíveis, por isso é importante colocar o tema da imigração nas escolas e dar instrumentos para decidir.”

Tareke sabe, no entanto, que falar não é fácil – não tão fácil como vestir uma tshirt como a do Comité, por exemplo, que diz “proteger as pessoas, não as fronteiras”. “A experiência enriqueceu-me muito, mesmo se com muito sofrimento. Tenho de falar de violência, de mortes; fiz uma volta pela Itália, mas custa muito.” E de novo o apelo à fantasia: “Imaginem que são violados e têm de contar essa experiência dezenas de vezes... Eu faço-o, porque é preciso dar voz a estas pessoas... Caso contrário, ninguém falará delas.”

António Marujo

Jornalista do religionline.blogspot.pt; o texto está escrito segundo a anterior norma ortográfica

GUIMARÃES RECEBE BIENAL DE ARTE EM PAISAGEM

Guimarães recebe em 2017 a “LandArt – Bienal de Arte em Paisagem” ao longo de uma semana

Evento decorrerá no início de junho do próximo ano. Interessados em participar no certame terão, brevemente, todas as informações disponíveis na página de internet do Laboratório da Paisagem.

Guimaraes_LandArt

O concelho de Guimarães vai receber, em 2017, a primeira edição da ‘Guimarães LandArt – Bienal de Arte em Paisagem’, uma manifestação interventiva na paisagem que vai agregar, ao longo de uma semana, exposições de artistas que, fazendo uso dos quadros paisagísticos vimaranenses, expressam-se na natureza e com a natureza. As instalações artísticas formarão um mosaico paisagístico na geografia urbana de Guimarães, utilizando para tal os espaços públicos destinados à intervenção artística.

«Juntar o ambiente e a cultura faz todo o sentido num território que foi Capital Europeia da Cultura em 2012 e que está a trabalhar na candidatura a Capital Verde Europeia 2020! O LandArt em Guimarães é um projeto que demonstra a estratégia que a Câmara Municipal tem para o concelho, articulando a cultura com a paisagem», referiu José Bastos, Vereador do Município, na sessão de apresentação realizada durante o Seminário Internacional de Arte e Paisagem, que termina este sábado, 09 de abril, no Laboratório da Paisagem.

Na cerimónia, que serviu para apresentar e discutir abordagens emergentes entre as diversas formas de arte e paisagem, estiveram igualmente presentes o Diretor Executivo do Laboratório da Paisagem, Carlos Ribeiro, o Diretor Artístico do CIAJG - Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Nuno Faria, a professora da Universidade do Minho, Ana Francisca de Azevedo, e o coordenador do evento, o investigador de Geografia do Laboratório da Paisagem, Ricardo Martins.

Com a ‘Guimarães LandArt - Bienal de Arte em Paisagem’, o Município e o Laboratório da Paisagem pretendem proporcionar experiências de contacto com a natureza, cuja materialização artística reflita uma aprendizagem prática, válida e inovadora em assuntos ambientais. Nesse sentido, a primeira edição da bienal permitirá que os cidadãos possam apresentar propostas artísticas complementares ao evento, com o objetivo de enriquecer culturalmente Guimarães e apelar a uma consciencialização ambiental da população.

Da mesma forma, pretende-se integrar as políticas do quotidiano, a ciência e a arte, dar ênfase aos elementos sociais e culturais na transformação intelectual e artística e promover formas de expressão artística alternativas, desenvolvendo a ética e cidadania ambiental em conjugação com a consciência artística, ao mesmo tempo que se potencia o espírito de iniciativa artística.

A natureza como manifestação artística

Uma LandArt é um movimento cultural que preconiza o regresso à natureza onde as criações artísticas utilizam o espaço exterior como suporte, tema ou meio de expressão. Trata-se de uma forma de arte efémera não necessariamente passível de exposição em museus ou galerias, sendo caracterizada por ser uma forma de expressão em terreno natural, objetando este modo de fazer arte a dissolução da noção de objeto artístico.

Como ferramenta de mediação da sua forma e duração finita, são os métodos de prova documental (fotografia, vídeo, desenho ou texto) que garantem a vida da instalação artística. Em particular, a LandArt auspicia a fruição do “natural” e a descoberta de novos temas e produções culturais, impulsionando a criação de espaços de contaminação e interação da população em comunhão com o ambiente físico.

O PADRE 112 DO MEDITERRÂNEO FAZ UMA CHAMADA DE EMERGÊNCIA PELA EUROPA

O padre católico que já salvou milhares de vidas diz que a União Europeia está a trair os seus princípios fundadores

O “112 do Mediterrâneo” quer ser o 112 da Europa? “A União Europeia [UE] está a trair a Convenção de Genebra e os princípios fundamentais da sua instituição, está a dar carta branca à ditadura que se está a instaurar na Turquia.”

DSA_8150

Quem fala assim não é europeu de nascimento, mesmo se vive há largos anos na Europa. O padre Mussie Zerai, 41 anos, eritreu, ajudou milhares de pessoas a salvar-se de traficantes, de travessias pelo deserto, de prisões, de naufrágios no Mediterrâneo.

Depois de sair da Eritreia aos 14 anos, Zerai foi ordenado padre, já em Itália. A partir de 1995, começou a ajudar os refugiados – sobretudo os eritreus, o terceiro maior contingente dos que chegam à Europa, depois dos sírios  e iraquianos – que chegavam a Itália sem documentos.

DSA_8146

Em 2003, um jornalista que conhecera num debate pediu-lhe ajuda para servir de tradutor nas conversas com refugiados do seu país. “Eu não podia limitar-me ao papel de tradutor, tinha de fazer alguma coisa.” Deixou o seu número de telefone numa prisão líbia: “Para qualquer emergência, ligue para este número.” A partir daí, milhares de pessoas procuraram-no a pedir socorro.

Ainda na semana passada, conta, recebeu um pedido de socorro do meio do Mediterrâneo. “Um barco com várias pessoas esteve oito horas para ser socorrido. Se houvesse um dispositivo eficaz, elas teriam recebido socorro imediato. Com essa espera, morreram duas pessoas.”

Mussie Zerai esteve dois dias em Fafe, a participar no Terra Justa – Encontro Internacional de Causas e Valores da Humanidade. A organização que dirige, a Agenzia Habeshia (que significa “mistura”) foi uma das homenageadas no terceiro dia do encontro.

O padre Zerai tem bem presente o contraste do actual momento com aquilo que os “pais fundadores” da União pretendiam: “Os pais fundadores queriam uma UE baseada na solidariedade e no respeito pelos direitos humanos, que fosse farol para o resto do mundo. A única coisa que a UE conseguiu, nos últimos 20 anos, foi deixar a guerra na casa dos outros, porque não conseguiu fazer uma prevenção dos conflitos.”

DSA_8165

“A verdadeira crise da Europa não é económica, mas é de ter esquecido as suas próprias raízes. Temos uma UE baseada numa moeda, mas não sobre valores comuns ou sobre a solidariedade”, acrescentou. Para criticar ainda: “Não podemos pensar em transferir para a Europa metade de África ou Ásia. Os sírios e iraquianos devem viver nos seus países. Mas a UE vendeu armas no valor de 15 mil milhões aos países do Médio Oriente. O que se deve então fazer? Não vender armas, e transformar esses recursos em instrumentos de paz.”

Sensibilizar a opinião pública

O trabalho fundamental e mais decisivo é sensibilizar a opinião pública, diz Mussie Zerai. Por isso, começou a contactar instituições e meios de comunicação, a denunciar rotas de tráfico humano que passavam pelo Sudão ou pelo Sinai... “Descobrimos redes de tráfico de órgãos, pessoas que eram mortas para que os seus órgãos fossem vendidos.”

O tráfico está a ser, aliás, favorecido pelas própria políticas europeias, acusa ainda o padre eritreu. “O que estamos a fazer é dizer às pessoas: ‘se queres viajar, vende um rim’. Depois, quando estão na mesa de operações, tira-se-lhe não só o rim, mas vários outros órgãos. Encontrámos três mil cadáveres no Sinai, escondidos na areia. Fechar as fronteiras é um grande favor que se faz aos traficantes.”

A afirmação é confirmada pelos próprios: o padre Zerai cita uma reportagem recente em que um traficante disse ao jornalista que, num ano, o tráfico humano rendeu mil milhões de dólares. “Os 90 milhões de euros que a UE gasta para proteger as suas fronteiras, sem resultado, para que servem? Falta vontade política para resolver o assunto.”

Há caminhos para se resolver o problema, insiste Mussie Zerai. Acabar com a venda de armas para as regiões em guerra é um deles, abrir corredores humanitários, apoiar os países que estão na linha da frente do acolhimento, abrir as embaixadas, são outras medidas necessárias. “Todas as coisas têm de ser feitas ao mesmo tempo.” E iniciativas como o Terra Justa são importantes: “Se a sociedade civil estiver sensibilizada, os políticos não terão desculpa”.

O recente acordo da UE com a Turquia é muito criticado pelo padre Zerai: “Será a Turquia a decidir quem pode entrar na Europa. Os perseguidos, os curdos e muitos outros ficarão sujeitos aos critérios da Turquia”, que não são os mais respeitadores dos direitos humanos.

O que define políticas é o dinheiro, insiste. Mesmo no Parlamento Europeu, ou em encontros internacionais, quando se fala dos refugiados, acaba-se a falar de petróleo, gás natural, economia e finança. “A pessoa e a dignidade humana não estão no centro dos debates. Se a economia não está ao serviço das pessoas, para que serve?”

Mussie Zerai recorda a Declaração Universal dos Direitos Humanos, quando ela diz, no início que “cada ser humano nasce com a mesma dignidade e os mesmos direitos”. A Declaração “é actualmente letra morta”, porque estamos a dizer a estas pessoas que elas não são dignas de entrar no meu território ou de ser tratadas como eu.”

Para final de conversa, cita ainda o evangelho, que diz para amar o próximo. “Como posso chamar-te clandestino, ilegal, inferior a mim, se te devo tratar como igual a mim?...” E conclui: “Sem justiça, não haverá paz; sem paz, teremos sempre milhões de refugiados, milhões de pessoas em fuga.”

António Marujo

Jornalista do religionline.blogspot.pt; o texto está escrito segundo a anterior norma ortográfica

BRAGA ASSUME MUDANÇA DE PARADIGMA NA MOBILIDADE URBANA

Ricardo Rio participou na Conferência ´Da Mobilidade à Acessibilidade”

Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, participou hoje, dia 8 de Abril, numa conferência intitulada ´Da Mobilidade à Acessibilidade – Os Transportes nas Cidades Portuguesas em 2030´, que decorreu em Gaia, no auditório Grupo Salvador Caetano.

CMB08042016SERGIOFREITAS0000001724

Na ocasião, o Edil definiu como metas a atingir até 2025 a redução em 25% na utilização do transporte individual, a duplicação do número de passageiros transportados pelos TUB – em 2015, a empresa transportou 11 milhões de passageiros – e a existência de 18 mil utilizadores regulares de bicicleta.

“Pretendemos concretizar estes objectivos através de medidas concretas, entre as quais se destacam a criação de uma rede de 76 quilómetros de vias cicláveis, de interfaces entre transportes colectivos e individuais nas entradas da Cidade, a aposta na complementaridade entre os transportes públicos e privados e num inovador anel de mobilidade em bus rapid transit”, referiu, adiantando que, em sede de revisão do PDM, no domínio da mobilidade sustentável, foram já elencadas diversas medidas de incentivo ao uso da bicicleta.

CMB08042016SERGIOFREITAS0000001725

Os princípios orientadores da estratégia municipal, garantiu o autarca, passam por reduzir o volume de tráfego e a necessidade de utilização do transporte motorizado, e consequentemente minimizar o impacto ambiental; melhorar a interligação entre as diferentes áreas da Cidade, o serviço de transporte público e a gestão e hierarquização o tráfego; promover a interligação metropolitana e articular com as intervenções preconizadas no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU).

“A componente da mobilidade leva a maior fatia das verbas do PEDU. Braga vai dispor, ao longo dos próximos anos, de cerca de 12 milhões de euros para a criação de corredores dedicados a transportes colectivos, melhoria das condições pedonais e de circulação para instalação de vias cicláveis, sistemas de controlo de tráfego e melhoria dos transportes públicos. Estas intervenções são um passo no sentido de concretizar a nossa visão para o futuro”, adiantou. 

CMB08042016SERGIOFREITAS0000001726

Já sobre a relação entre mobilidade e inclusão, Ricardo Rio salientou que a qualidade de um espaço público advém da sua capacidade para receber públicos com diferentes níveis de mobilidade. “Estamos a planear intervenções nas zonas de maior densidade populacional, áreas escolares, de habitação social e onde existam comunidades desfavorecidas, no sentido de conferir melhores condições de fruição dessas áreas”, acrescentou.

Este é um trabalho que está a ser elaborado com base em parcerias entre os diversos agentes do território com responsabilidades na área da mobilidade. “É por esse motivo que somos parceiros do projecto Urbact, beneficiando da partilha de conhecimento sobre a mobilidade urbana sustentável”, disse. 

Transformações ao nível da mobilidade aumentam competitividade da Cidade

O Autarca defendeu que as transformações ao nível da mobilidade e acessibilidade irão representar, do ponto de vista económico, um aumento da competitividade da Cidade, gerando melhores condições de vida para a população em geral e, de forma particular, para os grupos mais desfavorecidos.

“Essa visão que defendemos assenta em alguns princípios básicos, sobretudo a nossa história, com tudo o que isso representa de positivo e negativo. Temos uma Cidade que está estruturada de determinada maneira e todas as soluções que queiramos implementar têm de ser confrontadas com essa realidade. Por outro lado, dispomos de uma empresa com mais de 30 anos de existência, os TUB, que é uma referência a nível nacional na área dos transportes e que, com a sua capacidade de inovação, tem contribuído para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos”, referiu.

Relativamente a essa vertente competitiva, o Autarca lembrou ainda o geoposicionamento privilegiado de Braga, que se reveste de uma centralidade na região norte e na euro-região que não é indissociável dos desafios que se colocam ao nível da inter-relação com todos os sistemas de transporte e soluções que rodeiam a Cidade.

CMB08042016SERGIOFREITAS0000001723

ANTÓNIO GUTERRES ESTEVE HOJE EM FAFE E FALOU SOBRE O PROBLEMA DOS REFUGIADOS

Candidato a secretário-geral das Nações Unidas homenageado no âmbito do Terra Justa

“Negócio dos traficantes de refugiados é um negócio fabuloso” – A declaração de António Guterres foi feita, esta manhã, durante uma Conversa de Café, no café Arcada, em Fafe.

Subordinada ao tema “Uma ca(u)sa para o mundo”, o candidato a secretário-geral das Nações Unidas ONU, enalteceu a decisão da autarquia fafense em chamar à discussão um tema tão abrangente e importante para a sociedade.

Guterres alertou para o facto da Europa e o mundo estarem a presenciar uma tragédia sem fim à vista.

“Estamos perante uma tragédia para a qual não se vislumbra uma solução, pelo menos para já. O sofrimento dos migrantes aumenta a cada dia, pela falta de soluções para a sua condição humana. Por isso, urge respeitarmos estas pessoas, principalmente o nosso país, um país tradicionalmente ligado à emigração”.

Perante um café repleto de curiosos, António Guterres defendeu ainda que estas pessoas têm como objetivo regressar à sua terra natal e que o que “falta é cooperação internacional no que respeita a este problema”.

“Ninguém imagina o que estas pessoas sofrem nas mãos dos traficantes e, por isso, a Europa não pode ficar indiferente a essa situação e deve criar condições para ajudá-las. É necessário ter uma grande capacidade para receber estas pessoas com dignidade”.

Na ocasião, o antigo chefe do governo e ex-Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), admitiu que o mundo “está perante uma tragédia, para a qual não se vislumbra uma solução aceitável”.

MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA REFORMULA E NORMALIZA REQUERIMENTOS

O Município de Ponte de Lima tem apostado continuamente na sua modernização administrativa, ao inovar e implementar vários projetos associados à melhoria contínua da prestação dos seus serviços, quer no seu espaço físico, quer no canal online, ao disponibilizar vários websites, marcando presença em redes sociais e a integração com os portais da administração central.

MPL

Neste contexto, de forma a melhor interagir com os cidadãos, o Município de Ponte de Lima procedeu à reformulação e normalização de todos os requerimentos e formulários existentes no website do Município, na sequência da implementação do Sistema de Gestão da Qualidade nos serviços municipais. Esta remodelação surge ainda devido às recentes alterações legislativas, principalmente na área do Urbanismo. Todos os requerimentos encontram-se agora em formato pdf, em modo editável, e passarão a ser estes os formulários a entregar no Município de Ponte de Lima.

Esta melhoria na prestação dos serviços do Município, visa aumentar a participação e o envolvimento dos cidadãos, bem como promover a capacitação e a inclusão digital, estimular a partilha de dados e a inovação aberta a todos os munícipes.

MECENAS APOIAM THEATRO CIRCO DE BRAGA

Alargamento da rede de mecenato é sinal de confiança no trabalho do Theatro Circo

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, anunciou hoje, 8 de Abril, o alargamento da rede de mecenas do Theatro Circo. Na cerimónia de assinatura do protocolo de apoio mecenático entre a Companhia de Teatro de Braga (CTB) e o Grupo DST, o Autarca Bracarense considerou que o apoio dos patrocinadores tem sido determinante para a melhoria crescente da qualidade da programação do Theatro, para a promoção de projectos de referência em diferentes áreas artísticas e para a criação de públicos.

CMB08042016SERGIOFREITAS0000001713

“No encerramento das comemorações do centenário do Theatro Circo iremos anunciar esse alargamento da rede de mecenas, alguns deles até por um período plurianual o que representa, por si só, um sinal de estabilidade e de confiança em relação ao trabalho desenvolvido pelo Theatro”, adiantou o Edil, na cerimónia que contou também com a presença da Secretária de Estado da Cultura, Isabel Botelho Leal.

Na ocasião, Ricardo Rio lembrou que o Município tem tentado desenvolver “parcerias duradouras” com diversos agentes para a realização de projectos e actividades culturais, como tem acontecido com eventos como a Noite Branca, a Feira do Livro ou com o S. João. “Julgo que é uma responsabilidade das empresas quer locais, quer nacionais, reconhecerem o mérito dos projectos e, obviamente, de ajudarem ao seu financiamento”, sustentou o Autarca.

CMB08042016SERGIOFREITAS0000001711

Congratulando-se com a assinatura do protocolo entre a CTB e a DST, no valor de 50 mil euros, Ricardo Rio destacou “a crescente projecção supramunicipal” da companhia de teatro, uma “instituição cultural muito importante para Braga e para o país”.

À DST e a José Teixeira, Ricardo Rio agradeceu todo o apoio dado à cultura em Braga. “Esta postura merece o nosso profundo reconhecimento à empresa e ao empresário e abre caminho para que outros sigam este bom exemplo. A cultura tem um custo e carece do envolvimento do Estado, das autarquias e do tecido empresarial para garantir os meios financeiros que viabilizem o desenvolvimento de todos os agentes culturais e de projectos que marquem a diferença”, frisou.

A par da assinatura do protocolo, a CTB apresentou a sua programação para 2016, dando conta das novas criações, das reposições e do intenso trabalho de formação de públicos através do projecto ‘BragaCult que visa “contribuir para a revitalização cultural e social da região, centrado na cidade de Braga e com parcerias estratégicas em Amares, Barcelos e Vila Verde”. Rui Madeira, director artístico da CTB, destacou igualmente o acolhimento de produções de companhias nacionais e estrangeiras parceiras da CTB.

CMB08042016SERGIOFREITAS0000001720

FEIRA INTERNACIONAL DE LISBOA ABRIU HOJE AS PORTAS AO “HAPPY LIFE”, O FESTIVAL DA VIDA SAUDÁVEL

O “Happy Life - Festival de Vida Saudável” - O Festival da vida saudável abriu hoje as portas num dos pavilhões da FIL, no Parque das Nações, e prolonga-se até ao próximo dia 10 de abril. Organizado pela FIL, Fundação AIP, em parceria com a Ecological Sapiens, este é um novo projeto assente em estilos de vida sadios para uma comunidade ativa e com uma boa atitude nas várias áreas que envolvem todo o ser humano.

FIL - Happy Life 016

Palestras, workshops, espetáculos, programação para crianças, aulas, massagens, rastreios de saúde, observação de estrelas e planetas, showcooking e oficinas de reciclagem completam o festival. Vão ser 10 espaços diferentes repletos de atividades para o público de várias gerações.

FIL - Happy Life 017

A conferência de abertura será assegurada pelo ISCSP – Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas – através do curso de Psicologia Positiva da Professora Helena Marujo e a conferência de fecho do Festival será assegurada pela Universidade Lusófona através do curso “Ciência das Religiões” do Professor Paulo Mendes Pinto.

O Festival de Cinema Ambiental de Seia, o "CineEco" juntou-se este evento, empenhado em despertar consciências e o grupo de Astronomia "Nuclio", também parceiro do Happy Life Festival, mostra a todos os visitantes a imensidão do universo através de telescópios e, regressando à Terra, ter mais consciência para respeitar a sua biodiversidade.

FIL - Happy Life 015

Os apresentadores de TV José Carlos Malato, Fernanda Freitas, Gustavo Santos e Ana Galvão, a atriz Anabela Teixeira, o nutricionista Alexandre Fernandes, o naturopata Dr. João Bravo e a motivadora Andresa Salgueiro são alguns dos embaixadores Happy Life.

O Happy Life Festival será o maior do género em Portugal, com cerca de 150 expositores, contando já com representações de Holanda, Espanha e França.

Sustentabilidade humana e do planeta é a palavra de ordem do Happy Life Festival, que reúne expositores para um evento na área da alimentação saudável e biológica, nutrição, naturopatia, desporto, saúde e bem-estar, terapias e massagens, cosmética natural, bio construção, ecologia, desenvolvimento pessoal, coaching e motivação.

FIL - Happy Life 014

FIL - Happy Life 012

FIL - Happy Life 011

FIL - Happy Life 008

FIL - Happy Life 007

ARCOS DE VALDEVEZ ADIA TRILHO DE AVELAR

Devido às previsões meteorológicas de chuva, para o dia 3 de Abril, o Trilho de Avelar foi adiado para o dia 10 de Abril.

Inscreva-se e venha desfrutar de um dia único e diferente!

Características do Trilho:

Nome do trilho: Trilho de Avelar

Data da realização: 17 de Abril de 2016

Local de encontro: Nature4 (Coordenadas GPS - 41°50`43.94``N; 8°25`02.76``O) Hora de encontro: 8h30 Hora de saída: 9h00

Distância: 7,5 km

Âmbito do percurso: Natural, Paisagístico e Cultural

Duração: 3h30

Dificuldade: Moderado

Inscrições: 258510100/258522157 ou portadomezio@ardal.pt

Preço: 6 € - adultos

4 € - crianças (até aos 14 anos)

Nota: Os participantes devem trazer roupa e calçado adequado, reforço alimentar e água.

VILA PRAIA EM FLOR VAI ANIMAR VILA PRAIA DE ÂNCORA DE 29 DE ABRIL A 1 DE MAIO

Programa de animação destaca Augusto Canário & Amigos, associações e coletividades do concelho

De 29 de abril a 1 de maio, Vila Praia de Âncora vai transformar-se num belo jardim de flores, para receber mais uma edição do Vila Praia em Flor. A cerca de 20 dias de arrancar, a organização está a trabalhar afincadamente para que o certame continue a ser um destaque na programação da primavera no concelho. Mais de 20 mil flores artificiais, 20 maias confecionadas com flores naturais e um programa de animação bem recheado, com destaque para a participação das coletividades e associações do concelho e para a atuação de Augusto Canário & Amigos, no sábado à noite, dia 30 de abril, na Praça da República.

Vila Praia em Flor 2016 (1)

Esta edição do Vila Praia em Flor promete. As novidades no programa de animação são muitas: atuação de Augusto Canário, Mostra Gastronómica “As Flores e os Sabores”, Comboio com 17 vagões floridos “O Jardim da Minha Escola”, Cortejo Florido “O Jardim da Minha Escola”, Festival de Folclore “Vira Flor” e “Zumba – Foam Party”. Há também uma grande aposta na participação das associações, coletividades, instituições e grupos do concelho. Para além das novidades, o certame volta a exibir o Mercado da Flor, o Mercado Promocional das Coletividades, o Mercado do Artesanato em Flor e a Exposição “As Maias”.

Desde fevereiro que o Grupo dos Amigos das Maias se junta todas as noites, a fazer flores, com o objetivo de ornamentar as ruas 5 de Outubro e 31 de Janeiro e os espaços mais característicos. Ao todo, este grupo, constituído por cerca de meia centena de pessoas, vai fazer mais de 20 mil flores artificias e na semana do evento vai colher nos campos e serras do concelho milhares de flores para elaborar as 20 maias que irão decorar a Praça da República.

Vila Praia em Flor 2016 (2)

De 29 de abril a 1 de maio, a Praça da República vai transformar-se num jardim florido e original onde a criatividade vai ser a palavra de ordem. Esta praça, ex libris da Vila, vai ser decorada com a exposição “As Maias”, o Mercado da Flor e o Comboio com 17 vagões floridos “O Jardim da Minha Escola”.

No Mercado da Flor estarão disponíveis flores, plantas e produtos associados para venda. O Comboio com 17 vagões floridos “O Jardim da Minha Escola” será decorado pelos Jardins de Infância e Escolas do Ensino Básico do Concelho de Caminha.

Na Avenida Dr. Ramos Pereira, a decoração do espaço público está a cargo de mais de uma dezena de Associações Desportivas, Culturais e Recreativas do Concelho e Comunidade Escolar. Aqui, o visitante vai encontrar o Mercado Promocional das Coletividades, onde cada uma das Associações Desportivas, Culturais e Recreativas do Concelho e Comunidade Escolar presentes vai promover a sua instituição bem como vender produtos.

Para além do Mercado das Coletividades, na Avenida Dr. Ramos Pereira estará ainda localizado o Mercado do Artesanato em Flor.

Uma das novidades é a Mostra Gastronómica “As Flores e os Sabores”, patente no Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora e realizada pelos restaurantes do Vale do Âncora.

O Vila Praia em Flor aposta num cartaz muito variado dirigido a todos os tipos de público, com destaque para a atuação de Augusto Canário & Amigos e a participação das associações e coletividades do concelho.

Na sexta-feira, dia 29 de abril, destacam-se: o Cortejo Florido “O Jardim da Minha Escola”, realizado pelas Escolas e Jardins do Vale do Âncora, o Showcooking “As Flores que nos Alimentam”, a cargo da ETAP - Escola Profissional, Unidade de Formação de Vila Praia de Âncora e o Festival de Folclore “Vira Flor”, com a participação de vários Grupos do Concelho.

No dia 30 de abril, destacam-se os ateliês que vão decorrer ao longo do dia e o concerto com Augusto Canário & Amigos, que irá encher a Praça da República.

No dia 1 de maio, o destaque vai para o desporto. Da parte da manhã, vai realizar-se a “Caminhada Florida” e da parte da tarde, a “Zuma – Foam Party”. Ambos os eventos são gratuitos, mas a inscrição é obrigatória. Assim, as inscrições deverão ser efetuadas até ao dia 29 de abril, através do telefone 258 911 384 ou presencialmente no Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora.

Vila Praia em Flor 2016 (3)

BRAGA INTERROMPE FORNECIMENTO DE ÁGUA EM CUNHA

Interrupção do fornecimento de água – Freguesia de Cunha

A Câmara Municipal de Braga e a Agere informam que se irão proceder a trabalhos de manutenção de rede, na Freguesia de Cunha, na próxima Quinta-feira, dia 14 de Abril.

Pelo facto, as seguintes zonas da freguesia de Cunha poderão sofrer interrupção do fornecimento de água entre as 14h00 e as 18h00:

Ruas da Boavista, Cal, Carpinteiro, Carvalhinhos, Costa, Cruz Vilar, Feira Nova, Fogueteiro, Montinho, Paco, Portelo, Souto.

Caminhos de Figueiredo, Chaos, Paco e Vinha.

Calçada da Costa

Passeio Escadórios de Figueiredo

Pelo transtorno causado, desde já, pedimos desculpa.

FAMALICÃO APRESENTA PROGRAMA “ACOMPANHAR”

Leonel Rocha intervém no primeiro Encontro Concelhio de Partilha de Boas Práticas de Projetos de Inclusão em Contexto Escolar, pelas 14h00

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão realiza o primeiro Encontro Concelhio de Partilha de Boas Práticas de Projetos de Inclusão em Contexto Escolar, que vai decorrer na próxima segunda-feira, dia 11 de abril, a partir 10h00, na Escola Secundária Camilo Castelo Branco.

O vereador responsável pelo pelouro da educação da Câmara Municipal, Leonel Rocha, abre os trabalhos da parte da tarde, pelas 14h00, com a conferência “A Pedagogia Participativa e Colaborativa em Contexto Escolar”. A intervenção será aproveitada para apresentar o Programa Acompanhar, que está a decorrer desde o final de 2015 em várias escolas do concelho.

O programa tem como objetivos potenciar e apoiar as escolas na implementação de projetos de boas práticas na área do acompanhamento e inclusão inteligente de alunos em especial situação de risco ou que não estão integrados em qualquer tipo de resposta socioeducativa complementar e ainda criar processos potenciadores da melhoria do rendimento escolar e processo de inclusão social dos alunos com o recurso a soluções complementares de educação não formal e capacitação ao nível da inteligência emocional.

ESTUDANTES ARCUENSES VISITAM FRANÇA

Turmas do Agrupamento de Escolas visitaram Cenon ao abrigo de parceria entre Municípios

Entre 28 de março e 2 de abril, os alunos da SELF foram recebidos em França no âmbito de um intercâmbio entre os Municípios de Arcos de Valdevez e Cenon. A associação Alegria de Gironde, o CPLJ e o Collège Jean Jaurès foram as outras entidades envolvidas no projeto.

A comitiva na Câmara de Cenon

As turmas do 8ºA e 9ºB do Agrupamento de Escolas de Valdevez realizaram uma visita de estudo a Cenon, na região de Bordéus em França, no âmbito das atividades da Secção Europeia de Língua Francesa (SELF) deste estabelecimento de ensino.

A SELF é um projeto desenvolvido no seio deste Agrupamento, fruto de uma parceria do Ministério da Educação e Ciência português com a Embaixada de França. Neste projeto, mediante um aumento da carga horária na disciplina de Francês, a lecionação de parte de pelo menos uma disciplina não linguística neste idioma, pretende-se atingir objetivos que passam pela integração europeia, assim como por um melhor conhecimento da língua francesa e das culturas francófonas.

Alunos à porta do Museu de Aquitaine_cenon

Assim, e visto que uma das turmas está no final do seu ciclo de ensino, que coincide com o fim do projeto, os professores responsáveis organizaram uma visita de estudo a um local em França para que os alunos pusessem em prática os conhecimentos e capacidades de comunicação desenvolvidos na escola.

Nesse sentido, foi pedida a colaboração do Município arcuense, que estabeleceu um acordo de parceria com o Município homólogo de Cenon. Foi celebrado um protocolo entre a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, a Câmara Municipal de Cenon e o Agrupamento de Escolas de Valdevez para a realização de um intercâmbio que possibilitasse a ida dos alunos referidos a França.

Assinatura protocolo Arcos-Cenon-AEV 2

Nesta iniciativa, para além das três entidades signatárias, foi fundamental a colaboração de duas associações sedeadas em Cenon que responderam às necessidades logísticas que se impuseram durante a visita. De um lado, a CPLJ (Centre de Prévention et de Loisirs des Jeunes de Cenon), uma instituição vocacionada para a integração social dos jovens e prevenção da delinquência, assegurou o acompanhamento do grupo em algumas das atividades. Por outro lado, a Association Alegria Portugaise De Gironde, composta por emigrantes portugueses radicados na região, assegurou todas as refeições da noite desta comitiva, que se compunha de 43 elementos. Para além de todo este envolvimento institucional, será fundamental destacar o envolvimento pessoal e o empenho de Fernanda Alves, vereadora do Município francês, que colocou toda a sua disponibilidade e a sua capacidade de trabalho para que o protocolo e a visita fossem uma realidade.

A comitiva chegou a Cenon na manhã do dia 29 de março e à tarde visitou o Museu de Aquitaine. No dia seguinte os alunos deslocaram-se ao museu da Ostra de Gujan Mestras, na bacia de Arcachon, um dos locais mais importantes de viveiro de crias de ostras da Europa, bem como à duna de Pilat, a maior duna da Europa, com 117 metros de altura por 500 de largura, também ela situada na bacia de Arcachon.

No dia 31 os alunos visitaram o Collège Jean Jaurès, uma instituição que alberga alunos em anos equivalentes aos dos nossos segundo e terceiro ciclo. Da parte da manhã os alunos portugueses foram integrados em turmas francesas e assistiram a aulas de variadas disciplinas. À tarde participaram em atividades desportivas, integrados com alunos da escola francesa. Na sequência desta atividade foram lançadas as bases para a continuação deste intercâmbio, mediante a receção de um grupo de alunos e professores desta instituição em 2017.

O jantar de encerramento da visita realizou-se nesse dia à noite, com a presença do presidente da câmara local, Alain David, acompanhado de todos os seus vereadores.

Por fim, no último dia, os alunos foram de manhã fazer um passeio à cidade de Bordéus, e no regresso deslocaram-se à Câmara de Cenon. Aqui, além da habitual foto de família, a vereadora Fernanda Alves deu uma aula de cidadania. Mostrou o funcionamento dos órgãos de soberania de poder local em França e levou os alunos à sala do Conselho Municipal, onde são tomadas todas as decisões, mostrando aos alunos como funciona este órgão.

Em termos gerais, os professores que acompanharam as turmas (Rosa Silva, Filipe Machado, Fernando Cerqueira e Susana Sousa) consideraram que a visita decorreu otimamente, tendo todos os objetivos sido integralmente cumpridos. Agradeceram aos dois municípios envolvidos, à CPLJ, à associação Alegria na pessoa do seu presidente José Rodrigues e sobretudo a Fernanda Alves, que foi absolutamente insuperável e que acompanhou a todo o momento a comitiva, garantindo o bem-estar de todos.

Conseil Municipal-cenon

MUNICÍPIO ARCUENSE CELEBRA PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO COM A UTAD

Foi no âmbito da celebração dos seus 30 anos que a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) procedeu à assinatura de protocolos com 30 municípios da região Norte, entre os quais se conta Arcos de Valdevez.

assinatura

A cerimónia pretendeu dar a conhecer a importância do trabalho que tem vindo a ser dinamizado entre a UTAD e as autarquias em múltiplos projetos de desenvolvimento  ligados à investigação, à inovação, ao empreendedorismo e à transferência de conhecimento e tecnologia para a comunidade e empresas.

Este protocolo abrange áreas temáticas muito diversas onde a UTAD tem desenvolvido competências, nomeadamente na agricultura, produção animal e floresta e o agroalimentar; desenvolvimento regional, baseado no turismo, inovação tecnológica e social.

De salientar que a UTAD participa no Programa EMER Empreendedorismo em Meio Rural, o qual tem como principal objetivo desenvolver uma metodologia expedita de promover e facilitar o empreendedorismo em meio rural, criando dinâmicas de trabalho conjunto, criação de emprego e fixação da população. Pretende dinamizar um setor e uma atividade para a qual o Alto Minho tem grande potencial, em função dos seus enormes e inimitáveis recursos endógenos, os produtos agrícolas e géneros alimentícios tradicionais, sendo o objetivo final a promoção do emprego de jovens e o aumento da competitividade e coesão social.

A presidir o evento esteve o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.

PARLAMENTO JOVEM EUROPEU REÚNE HOJE EM GUIMARÃES

EDIÇÃO 2016 NO CCVF (15H)

8º Parlamento Jovem Europeu (1ª Fase) realiza-se esta sexta-feira em Guimarães

Escola que representará o concelho será apurada entre cinco instituições participantes. Guimarães acolherá fase final da edição deste ano, no mês de maio.

Parlamento_Jovem_Europeu_2016

“Ambiente” é o tema da oitava edição do Parlamento Jovem Europeu, cuja primeira fase decorre esta sexta-feira, 08 de abril, a partir das 15 horas, no Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães. Escola Secundária Caldas das Taipas, Escola Santos Simões, Escola Secundária Martins Sarmento, Escola Profissional CISAVE e Escola Profissional Profitecla são os estabelecimentos de ensino vimaranenses que vão disputar um lugar na final europeia, agendada para o dia 21 de maio, também às 15 horas, em Guimarães.

Em 2016, o Parlamento Jovem Europeu abordará a temática do ambiente, assim como integrará nesta atividade o Eco-Parlamento, iniciativa que se realiza no âmbito do programa ambiental “Pegadas”. Em 2017, Guimarães apresentará a candidatura a Capital Verde Europeia 2020 e, face à importância que o assunto representa e abrange em todas as áreas e grupos sociais, principalmente nas novas gerações, o Parlamento promoverá uma reflexão estruturada sobre temas inscritos na agenda política europeia, fomentando laços de amizade e confraternização entre os jovens e os municípios participantes.

Com base na estratégia de desenvolvimento e aprofundamento das relações multilaterais europeias, as escolas secundárias e profissionais do concelho, que participam no projeto, apresentam os trabalhos na língua inglesa, iniciando depois um debate plural sobre as diferentes perspetivas oferecidas. Findo este período, as escolas participantes serão avaliadas por um Júri Interno, composto pelos participantes da sessão parlamentar, e por um Júri Externo, que integra quatro elementos convidados pela Câmara Municipal de Guimarães. Após a atribuição da pontuação final, será encontrado o representante oficial do Município de Guimarães na 2ª fase do Parlamento Jovem Europeu.

“MEXE-TE BRAGA” REGRESSA COM CAPOEIRA E HIP HOP

Sábado na Avenida Central e domingo na Academia Synergia

A capoeira, o jumble e hip hop vão estar em destaque este fim-de-semana no âmbito do ‘Mexe-te Braga’, um programa que visa incentivar os Bracarenses à prática desportiva e promover hábitos de vida saudável.

No sábado, 9 de Abril, às 17h00, a Capoeira Sul da Bahia estará a promover actividades na Avenida Central. No domingo, 10 de Abril, a Academia Synergia recebe a partir das 10h00 actividades relacionadas com jumble e hip hop.

O Programa ‘Mexe-te Braga’ foi criado pelo Município em parceria com associações desportivas, clubes, ginásios e health clubs com o objectivo de incentivar a população a praticar desporto e a promover hábitos de vida saudável.

A participação nas actividades é gratuita. Mais informações sobre o programa ‘Mexe-te Braga’ podem ser obtidas emdesporto.lazer@cm-braga.pt.

IDOSOS DE CELORICO DE BASTO CELEBRAM DIA NACIONAL DOS MOINHOS

Cerca de 50 idosos do Programa Celorico a Mexer visitaram os Moinhos de Argontim, em Celorico de Basto, no âmbito da celebração da efeméride do Dia Mundial dos Moinhos comemorada ontem, 7 de abril.

_DSC7786

“Uma iniciativa que “integra” os nossos idosos pelo património que nos identifica, que faz parte da nossa cultura, da nossa história, que nos valoriza enquanto território. De facto, por este concelho existem vários moinhos que em tempos serviram para a moagem dos cereais. Entretanto, foram sendo requalificados fazendo parte das nossas paisagens e do nosso património” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva.

O circuito dos moinhos de Argontim é constituído por um conjunto de dez moinhos de água devidamente recuperados, localizados num pequeno trecho do Rio Bugio. O percurso desenvolve-se ao longo das levadas que envolvem os moinhos. Este conjunto inclui ainda uma antiga serração de madeiras, construída sobre o rio, que também utilizava a água como força motriz. Nesta serração está instalado o Núcleo Museológico do Planalto da Lameira.

Em caso de visita marcada atempadamente a gestão do espaço permite que o moinho principal faça a moagem dos cereais como em outros tempos.

ALFA FENDULAR LIGA GUIMARÃES A LISBOA

De Guimarães a Lisboa: Alfa Pendular une as duas capitais de Portugal a partir de 1 de maio, duas viagens por dia

Nova ligação de longo curso começa no início do próximo mês. Comboio fará a viagem duas vezes por dia, em cada sentido. Cada percurso tem a duração de 03:50 horas.

Guimaraes_Alfa_Pendular

O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães considera que o alargamento do serviço Alfa Pendular à Linha de Guimarães, já a partir de 01 de maio próximo, com um tempo de viagem de comboio inferior a quatro horas, permitirá a ligação mais assídua de «dois polos industriais, turísticos, culturais e de conhecimento», aproximando duas vezes por dia as cidades de Guimarães e Lisboa.

«As duas capitais do país passam a estar ligadas, finalmente, por um transporte de velocidade elevada, moderno e com o máximo conforto num serviço de longo curso. As boas parcerias dão bons resultados. Trata-se de um investimento público que terá um retorno para o operador público muito positivo, com um incremento da qualidade e do serviço», afirma Domingos Bragança, destacando o objetivo vimaranense para 2020:

«Guimarães é a cidade Património Mundial de maior simbolismo do país e este meio de transporte, amigo do ambiente, insere-se na filosofia que os vimaranenses já abraçaram no caminho sustentável que estamos a percorrer da Capital Verde Europeia. Este é um momento importante e marcante da preferência que damos à mobilidade ferroviária e elétrica para o nosso futuro», acrescentou o Presidente da Autarquia, referindo ainda que «a CP vai ganhar muito com esta ligação, mas vão ganhar, sobretudo, os cidadãos portugueses, em especial os vimaranenses».

Manuel Queiró, Presidente da CP, considera que esta decisão surge como «consequência lógica do significativo aumento de procura que os comboios de longo curso têm vindo a registar, fruto de uma estratégia de marketing agressiva e virada para o aumento dos passageiros e das receitas. Esta é uma oportunidade para a empresa reforçar o seu papel de maior transportadora nacional, indo competir diretamente com o autocarro, com o automóvel e até com o avião», concluiu.

A CP realça ainda os efeitos benéficos da nova ligação para Guimarães. «A região agora abrangida pelos Alfa Pendular tem uma forte dinâmica económica, social e cultural que vai certamente valorizar este aumento da oferta da CP. A crescente importância turística da cidade de Guimarães, cujo Centro Histórico é Património da Humanidade, atrai atualmente milhares de turistas, que passam a contar com mais uma forma de chegar à Cidade Berço».