Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRACARENSES FESTEJAM ENTRUDO

Mesmo debaixo de chuva o "Desfile/Corrida do entrudo" saiu, e, queimou-se o 'Home'

Uma vez mais, o “Desfile/Corrida do Entruido” ‘Olha o home, lá bai o home’, mesmo debaixo de chuva e vento voltou a sair. Contando mesmo assim, com adesão de algumas associações juvenis, culturais e recreativas, instituições e de grupos de foliões organizados, que tinham previamente confirmado a sua presença.

A chuva ainda mais intensa registada noutros concelhos, quer do distrito de Braga quer do de Viana do Castelo, fizeram com que uma parte significativa de inscritos cancelasse a sua vinda. Houve contudo, quem respondesse à chamada, como foi o caso da Ronda Típica da Meadela, Viana do Castelo, representando o Alto Minho. Do Baixo Minho, registamos a presença de foliões da Povoa de Lanhoso e, elementos do Grupo Folclórico da Casa do Povo de Martim, em representação do concelho de Barcelos. Do concelho bracarense - anfitrião do evento -, oriundos de diferentes freguesias do nosso concelho, registamos a presença da associação “Os Bravos da Boa Luz”, o Agrupamento XIX de S. Vicente, do Corpo Nacional de Escutas (C.N.E.), a Associação de Artesãos do Minho, o grupo Coral e Instrumental de São Vicente, e, como não poderia deixar de ser, a ‘Família Rusgueira’, através dos seus elementos, familiares e amigos.

Quem este ano se juntou a nós, já na Av. Central - a meio do percurso -, foram os atletas da “Braga a Correr”, também eles devidamente mascarados e melhor sinalizados. O ‘Libório Caturra’, com a generosidade que o caracteriza, também lhes deixou qualquer coisita.

Leitura do Testamento do ‘Entruido’

À hora prevista, o Desfile/Corrida do Entrudo, saiu da Av. Artur Soares (Palhotas), junto à sede da Rusga e desceu em direcção à avenida Central, onde foi lido o testamento do ‘home’, de seu nome Libório Caturra. Mais uma vez, os seus parcos teres e haveres, foram distribuídos por alguns dos elementos da ‘Família Rusgueira’, entidades locais, regionais, nacionais e internacionais, políticos, representantes de instituições e associações, culturais, recreativas e desportivas do nosso burgo. Após a leitura, o Desfile/Corrida fez o percurso inverso, vindo a terminar no adro da igreja de São Vicente, onde o Libório foi queimado/’cromado’, conjuntamente com mais três familiares, para gaudio dos presentes.

Tal como mandam as ‘normas’ do ritual, os foliões participantes, tiveram por recompensa a degustação das carnes verdes de porco, orelheira e enchidos, acompanhados por broa de milho e regado com um bom verde tinto. Assim se brincou e correu o ‘Entruido’, salvaguardando e promovendo uma tradição carnavalesca da cidade dos arcebispos, que a Rusga em boa hora, resgatou do ‘baú do esquecimento’.

GUIMARÃES HOMENAGEIA CAMPEÕES DE JIU-JITSU

Câmara de Guimarães atribui voto de louvor a três campeões europeus de Jiu-Jitsu

Competição contou com a presença de mais de 3.500 atletas oriundos de todo continente europeu. Câmara reconheceu títulos dos vimaranenses.

Jiu-Jitsu

O Município de Guimarães aprovou, por unanimidade, em reunião do Executivo Municipal, a deliberação de um voto de louvor aos vimaranenses Ulisses Dias, Filipe Silva e Nuno Miranda, três praticantes de Jiu-Jitsu que se sagraram recentemente campeões europeus. O trio de atletas do “Vitória Sport Clube / Team Manoel Neto” conquistou títulos em diferentes categorias numa prova realizada em Odivelas, entre os dias 20 e 23 de janeiro.

Ulisses Dias, com 38 anos, é o novo campeão europeu de Super Pesados com o Cinturão Roxo, título que junta à conquista do campeonato europeu NoGi (sem kimono) em 2015, disputado em Roma, cidade onde se sagrou também campeão no Open Internacional Gi (com kimono). Em Portugal, Ulisses Dias foi campeão nacional em 2015, já ao serviço do Vitória, o mesmo acontecendo com Nuno Miranda e Filipe Silva.

Nuno Miranda, com 36 anos, foi consagrado campeão da Europa com o Cinturão Azul, em Super Pesados (até 100,50kg), acabando por perder a final absoluta da cor. Nuno Miranda conseguiu um resultado idêntico ao alcançado no Campeonato Nacional da modalidade em 2015, onde também venceu no seu peso e foi vice-campeão absoluto de Cinturão Azul.

Já Filipe Silva, de 31 anos, conquistou o título no seu peso (Pesado, até 94,30kg) e alcançou ainda o triunfo absoluto na sua cor (Cinturão Castanho), trazendo para Guimarães duas medalhas para juntar aos dois títulos nacionais conseguidos em 2015.

TEATRO MOSCA APRESENTA EM PONTE DE LIMA “O SOM E A FÚRIA”, DE WILLIAM FAULKNER

13 de Fevereiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

No próximo fim-de-semana, mais precisamente no sábado, 13 de Fevereiro às 21h30, na prossecução dos seus objectivos, orientados para uma programação abrangente e com destino aos mais diversificados públicos, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, apresenta o espectáculo de teatro “O Som e a Fúria”, a partir do texto do romancista William Faulkner, a cargo do Teatro Mosca.

Com Filipe Araújo, João Cabral e Ruben Chama (actores), Catarina Correia, Margarida Costa e Inês Pedruco (bailarinas) e Ruben Jacinto (músico).

«O Som e a Fúria»

a partir do romance homónimo de William Faulkner

adaptação de Alexandre Sarrazola

pelo teatromosca

direcção artística de Pedro Alves

interpretação de Filipe Araújo, João Cabral e Ruben Chama

espectáculo para maiores de 14 anos

«O Som e a Fúria» é o segundo espectáculo de uma trilogia que o teatromosca dedica à literatura americana (em 2013 apresentou «Moby Dick» de Herman Melville e em 2015 é a vez de «Fahrenheit 451» de Ray Bradbury).

A partir do romance homónimo de William Faulkner (Prémio Nobel da Literatura em 1949), adaptado por Alexandre Sarrazola, «O Som e a Fúria» desfia, através de Benjy (Ruben Chama), Quentin (Filipe Araújo) e Jason (João Cabral), a ruína da família Compson, antigos aristocratas do sul dos Estados Unidos. Cada um deles centra a sua narração na relação (verdadeira ou imaginada) com Caddy, a única filha da família. E é esta viagem pela verdade de cada um dos irmãos, isolados, presos no passado, que nos dá conta da desintegração da família e da sua reputação.

O desafio de trazer à cena este romance passa por trabalhar um texto em que a história não evolui de forma tradicional, em que parece não haver futuro e o presente é sempre um acontecimento passado. E é precisamente esta noção de Tempo que Pedro Alves explora nesta passagem para teatro do romance de William Faulkner.

O espectáculo é uma co-produção com o Quorum Ballet, o Theatro Circo de Braga, o Arte Institute de Nova Iorque, a Embaixada dos EUA, o Festival Internacional de Teatro do Alentejo e o Festival de Teatro de Setúbal, com o financiamento do Governo de Portugal – Secretário de Estado da Cultura/Direcção-Geral das Artes.

Dadas as características do espectáculo, após o respectivo início não será permitida a entrada, independentemente dos espectadores possuírem ou não bilhete.

Os bilhetes encontram-se à venda no Teatro Diogo Bernardes (2,00€) e todas as informações podem ser obtidas pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

ARCOS DE VALDEVEZ DEBATE NOVOS CONCEITOS EM TURISMO

No seguimento dos dois Simpósios anteriores sob o mesmo tema "Turismo, Sustentabilidade e Desenvolvimento", realizados pelo Grupo de Trabalho sobre Turismo Sustentável noutras localidades do interior (Cinfães e S. João da Pesqueira), vai o referido grupo realizar em Arcos de Valdevez um simpósio com mesmo tema, com as intervenções dos palestrantes a versarem Novos Conceitos em Turismo.

O Simpósio será na Porta do Mezio, com início às 9.30h, e conta com a participação do Presidente da Quercus, Engº João Branco.

A Câmara Municipal apoia a realização da iniciativa.

FOLCLORE DE INVERNO AQUECE PONTE DE LIMA

ESPECTÁCULOS DESCENTRALIZADOS – CEPÕES | FORNELOS | MOREIRA DE LIMA | VITORINO DAS DONAS

No próximo Domingo, 14 de Fevereiro, às 15h00, em Cepões – Ponte de Lima, será realizado o primeiro de quatro festivais de folclore em freguesias do concelho limiano, com entradas gratuitas, sob a designação genérica de Folclore de Inverno, dando continuidade à política de descentralização cultural que o Município de Ponte de Lima tem desenvolvido, adicionando o folclore às bandas filarmónicas, ao teatro e a outras áreas artísticas que serão divulgadas oportunamente.

A programação, a realizar entre Fevereiro e Abril no que respeita a festivais folclóricos e envolvendo grupos de folclore do concelho, é a seguinte:

Folclore de Inverno – Cepões | 14 de Fevereiro – 15h00:

- Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Ponte de Lima, em Lisboa

- Grupo de Danças e Cantares de Vitorino dos Piães

- Rancho das Lavradeiras de S. Martinho da Gandra

- Grupo Folclórico de Calheiros

Folclore de Inverno – Fornelos | 28 de Fevereiro – 15h00:

- Rancho Folclórico de Gondufe

- Grupo Infantil e Juvenil da Casa do Povo de Freixo

- Rancho Folclórico da Ribeira

- Grupo Etno-Folclórico de Refoios do Lima

- Rancho Folclórico de Santa Marinha de Anais

Folclore de Inverno – Moreira de Lima | 13 de Março – 15h00:

- Grupo de Danças e Cantares do Neiva de Sandiães

- Grupo Folclórico de Santa Marta de Serdedelo

- Grupo das Espadeladeiras de Rebordões Souto

- Rancho Folclórico da Correlhã

- Escola Infantil do Rancho Folclórico da Correlhã

Folclore de Inverno – Vitorino das Donas | 17 de Abril – 15h00:

- Grupo Folclórico e Etnográfico da Casa do Povo de Poiares

- Grupo Folclórico da Gemieira

- Grupo Recreativo de Danças e Cantares de Ponte de Lima

- Rusga Típica da Correlhã

- Escola Infantil da Rusga Típica da Correlhã

Organização do Município de Ponte de Lima/Teatro Diogo Bernardes, em parceria com a Associação de Folclore de Ponte de Lima.

Mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

PARTIDO PAN ESTREIA-SE HOJE NA DISCUSSÃO DO ORÇAMENTO DE ESTADO

O PAN – Pessoas – Animais – Natureza estreou-se hoje na discussão do Orçamento de Estado com uma apreciação inicial e algumas questões colocadas pelo deputado André Silva ao Ministro das Finanças, Mário Centeno, no âmbito das audições da Comissão Parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa para apresentar e as metas do Orçamento do Estado para 2016.

Nesta apreciação inicial ao orçamento de estado, o deputado do PAN identificou alguns aspetos positivos, como medidas de recuperação do rendimento disponível das famílias, promoção do investimento e emprego e reforço de coesão social, destacando um detalhe que agradou particularmente ao partido e que tem que ver com a primeira frase do relatório que se assume como um documento “diferente, uma alternativa responsável e dialogante” e nesta perspetiva o deputado do PAN reforçou que “espera que este cunho dialogante do Orçamento de Estado (OE) se estenda também às várias medidas que o partido irá apresentar”. Para o PAN a “discussão do Orçamento é uma maratona que se inicia hoje mas não se esgota hoje” observou o deputado.

O PAN estruturou em três pontos as suas observações de hoje no respeita às questões menos positivas. Começou por abordar a questão do Desemprego. O cenário para o desemprego que o governo prevê no Orçamento de Estado para 2016 é de 11.3%. Este é um valor que se mantém bastante elevado e, de acordo com os dados relativos ao último trimestre de 2015, apenas diminui em 0,5 p.p. passando de 11.8% a 11.3%. Estes valores presentes no cenário do OE para o emprego refletem a expectativa de que o desemprego não irá inverter de modo significativo. Por outro lado, o desemprego de longa duração que inclui mais de 1 milhão de portugueses que já não estão presentes nas estatísticas oficiais e que necessitam de uma fonte de rendimento para poderem participar na nossa sociedade, deixando de ser marginalizados e excluídos. Para o PAN não é claro, se esse emprego gerado será sazonal ou permanente e se até mesmo as entidades empregadoras que vão beneficiar da descida do IVA irão canalizar esta verba para a contratação de jovens ou de trabalhadores de mais baixas qualificações. Também não se observa neste OE instrumentos e politicas para atrair e potenciar o retorno de todos quantos sentiram a necessidade de sair de Portugal para poderem viver o seu potencial, levando a que o país fique mais pobre da sua capacidade regeneradora.

O PAN verificou, num segundo ponto, que é intenção deste governo promover uma alteração à lei referente à Fiscalidade Verde, visando garantir, para os anos de 2016 e de 2017, o incentivo fiscal ao abate de veículos em fim de vida e sua substituição por veículos com menor impacto ambiental.

No entanto, este incentivo, comparativamente a 2015, irá reduzir-se para metade no caso dos veículos elétricos e terá uma ainda maior redução no caso dos veículos híbridos estando, adicionalmente, previsto que estes montantes sofram novo corte de 50% em 2017.

O PAN verificou, num segundo ponto, que é intenção deste governo promover uma alteração à lei referente à Fiscalidade Verde, visando garantir, para os anos de 2016 e de 2017, o incentivo fiscal ao abate de veículos em fim de vida e sua substituição por veículos com menor impacto ambiental.

No entanto, este incentivo, comparativamente a 2015, irá reduzir-se para metade no caso dos veículos elétricos e terá uma ainda maior redução no caso dos veículos híbridos estando, adicionalmente, previsto que estes montantes sofram novo corte de 50% em 2017. Esta é a única alteração prevista na Lei da Fiscalidade Verde e que se consubstancia numa significativa redução de incentivos (…).

CERVEIRA SERVE LAMPREIA DO RIO MINHO

Um‘manjar’ chamado lampreia do rio Minho

Quinze restaurantes do concelho de Vila Nova de Cerveira estão a servir os mais saborosos pratos de lampreia do rio Minho. Durante os fins-de-semana de fevereiro e março,a VII edição da“Lampreia do rio Minho – Um Prato de Excelência”reforça a promoção gastronómica associada ao património natural, histórico e cultural desta região.

Adorada ou até mesmo idolatrada por muitos, a lampreia faz parte da boa gastronomia tradicional portuguesa, em especial no território do Vale do Minho abraçado pelas águas do rio Minho que oferecem esta afamada iguaria.

Opções mais tradicionais ou contemporâneas, a escolha é do cliente que tem a garantia de que as melhores receitas e os bons sabores serão servidos com requinte e inovação. A lampreia é rainha à mesa de 15 restaurantes de Vila Nova de Cerveira e uma boa sugestão para um almoço em família ou entre amigos, partilhando uma experiência degustativa única e genuína.

Do vasto programa de animaçãoassociado, destaque em Vila Nova de Cerveira para a exposição ‘Um trimestre, um peixe, a lampreia’patente no Aquamuseu do rio Minho;a iniciativa ‘Namorar Cerveira’ para assinalar o Dia dos Namorados; o regresso, em março, das gargalhadas do ETC… Encontros de Teatro de Cerveira e a comemoração dos 10 anos do espetáculo Queima de Judas. Além das atividades programadas na agenda cultural, Cerveira, ‘Vila das Artes’ propõe ainda a descoberta da beleza natural, da arte ao ar livre e em museus, ou das várias feiras (Feira Semanal, Feira de Artesanato e Feira de Artes e Velharias).

Já na VII edição, a iniciativa “Lampreia do rio Minho – Um Prato de Excelência” é um projeto da Associação de Desenvolvimento Rural Integrado do Vale do Minho, em parceria com os seis municípios do Vale do Minho – Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira -, eque visa a promoção de um recurso local com forte impacto na economia local – a lampreia – tornando o Vale do Minho um destino gastronómico de excelência.

O programa deste ano, e também a lista dos restaurantes aderentes, será publicamente apresentado, esta sexta-feira, 12 de fevereiro, na Fonte das Termas do Peso,em Melgaço.O convite vai no sentido de degustar as múltiplas formas de confecionar a lampreia, rainha desta época.

BARCELOS CANCELA CARNAVAL

Cancelamento do Desfile de Carnaval

A Câmara Municipal de Barcelos vem por este meio comunicar que o desfile do Carnaval Popular 2016 foi cancelado por motivos de incompatibilidade de agendas e dada a natureza popular do evento.

A Câmara Municipal lamenta o sucedido e informa que esta decisão foi tomada em mútuo acordo com todos os participantes.

BRAGA CANDIDATA ORÇAMENTO PARTICIPATIVO A PRÉMIO DE BOAS PRÁTICAS

Votação online decorre até 18 de Março

O Orçamento Participativo e o Orçamento Participativo Escolar do Município de Braga foram considerados como uma das cinco melhores práticas nacionais de participação. Agora, com o voto de cada Bracarense, podem receber o Prémio de Boas Práticas de Participação. A votação está a decorrer através da Internet e todos os cidadãos são convidados a votar.

Braga

O Prémio de Boas Práticas de Participação, que se apresenta como um incentivo à implementação, disseminação e valorização de práticas inovadoras de democracia participativa, tem duas fases.

A primeira ditou o apuramento das cinco melhores práticas de participação. A segunda, agora a decorrer, irá escolher, através de uma votação aberta a todos, que termina no dia 18 de Março, a melhor prática de democracia participativa em Portugal.

Para votar no Orçamento Participativo e Orçamento Participativo Escolar do Município de Braga, bastam três passos muito simples:

  1. Ir à plataforma do Prémio - www.d21.me - e fazer uma inscrição, validando o registo clicando no link enviado para o e-mail que indicar;
  2. Aceder ao boletim de voto - https://www.d21.me/vote/VkB4p5gtx
  3. Votar.

A avaliação inicial das boas práticas portuguesas de participação foi feita por um júri independente, constituído pelo Observatório Internacional da Democracia Participativa, com uma importância simbólica por ter sido representado pela Prefeitura de Porto Alegre, no Brasil, onde surgiu o primeiro orçamento participativo; a Agência para a Modernização Administrativa; a Associação In Loco e o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

O Orçamento Participativo de Águeda; o Orçamento Participativo e o Orçamento Participativo Escolar Braga; o Orçamento Participativo Cascais; Oliveira do Hospital, a Friendly Municipality; e a Semana de Prestação de Contas de Valongo são as cinco práticas distinguidas pelo júri.

Na avaliação, o júri teve em conta um conjunto diversificado de critérios: carácter inovador; co-responsabilidade dos diferentes intervenientes no processo, técnicos, políticos e cidadãos; impactos produzidos com a prática a nível externo; envolvimento dos cidadãos na monitorização e avaliação da prática; dimensão educativa e formativa da prática; mecanismos de informação e comunicação com os cidadãos; capacidade de transferibilidade da prática para outros contextos.

Os resultados finais serão divulgados na Conferência Internacional Portugal Participa que decorrerá nos dias 12 e 13 de Abril, em Lisboa. Serão entregues dois prémios, a classificação de melhor prática de democracia participativa em Portugal para o primeiro classificado e o segundo classificado receberá uma menção honrosa.

Este é um prémio de carácter anual que pretende valorizar e reconhecer os instrumentos que apelem ao envolvimento dos cidadãos em toda a esfera da vida pública, seja na elaboração, gestão, implementação e avaliação das políticas públicas.

PARTIDO PAN DEFENDE RENDIMENTO BÁSICO INCONDICIONAL

Assembleia da República e Universidade Nova acolhem debate sobre Rendimento Básico Incondicional

  • Governos da Finlândia, Holanda e Suíça consideram implementação do modelo
  • Especialistas nacionais e internacionais debatem a transição para um modelo social inovador
  • Medida pretende trazer respostas para questões como o desemprego estrutural, pobreza e sistema de segurança social

O PAN Pessoas – Animais – Natureza, o Grupo de Teoria Politica do Centro de Estudos Humanistas da Universidade do Minho, o Movimento RBI Portugal, o Grupo de Estudos Políticos e o Instituto de História Contemporânea da FCSH-NOVA, organizam nos próximos dias 15 e 16 de Fevereiro, na Assembleia da República e na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (respetivamente), um debate sobre a aplicação do RBI subordinado ao tema: “RBI - A transição para uma alternativa social inovadora”.

O RBI está a ser estudado por vários países na Europa, tendo o governo finlandês decidido implementar um projeto-piloto. Juha Sipila, primeiro-ministro deste país, justificou-o como “uma possível simplificação do sistema de Segurança Social atual” e solução para a crise crescente do desemprego. Também na Holanda se estuda a atribuição de um salário mensal, livre de impostos a cada cidadão. Na Suíça, está agendado para este ano um referendo nacional para incluir na constituição um rendimento digno como direito de cada cidadão.

O debate em Lisboa conta com a participação de vários especialistas nacionais e internacionais, entre eles responsáveis pelos projetos piloto na Finlândia e na Holanda. Pretende reunir representantes da sociedade civil, entidades empresariais, partidos políticos, ONG’s, entre outros, para debater as crescentes desigualdades sociais, o desemprego estrutural, a sustentabilidade da Segurança Social, tanto na Europa como no Mundo.

É fundamental refletir sobre as alternativas a este cenário para enfrentar as transformações sociais e económicas que se aproximam e o RBI é uma proposta cada vez mais considerada como possível para que estas transições se pretendam graduais em direção a novas arquiteturas sociais. (…)

PAN é o único partido político em Portugal a defender o potencial do RBI

Qualquer medida inscrita no Orçamento de Estado resulta de opções políticas que um Estado considera como fundamentais. O PAN acredita que, com vontade social e política, é possível ir abandonando o sistema que vê as pessoas e os recursos naturais de uma forma instrumental, subordinada aos dogmas da economia de mercado.

CHUVA NÃO DEMOVE FOLIÕES NA NOITE DE CARNAVAL EM MONÇÃO… NEM QUE FOSSE UMA MONÇÃO!

Apesar do tempo adverso, o centro histórico da vila compôs-se para o momento mais relevante do carnaval monçanense. Espetáculosteatrais e humorísticos, apresentados por Zé Carlos Sabepato e Manela Toura Kfedes, trouxeram animação e muitas piadas.

A chuva que “caiu” sobre Monção na segunda-feira à noite não demoveu os foliões de participarem na noite de carnaval. A Praça Deu-la-Deu “vestiu-se” a rigor para assistir à passagem de grupos de mascarados e aos espetáculos teatrais e humorísticos apresentados por Zé Carlos Sabepato e Manela Toura Kfedes.

A par dos guarda-chuvas, que abriam e fechavam de acordo com a intensidade da chuva, o espetáculo proporcionou transmissões em direto de França e Estados Unidos da América com os correspondentes Cuco e Carula e sátiras a programas televisivos com textos adaptados à realidade local. Carnaval é carnaval, ninguém levou a mal.

Pelo palco instalado na sala de visitas de Monção, também passou a menina da meteorologia e dois pivôs conhecidos do grande público com informações de última nota. Todos ficamos a saber que, devido ao puritismo de alguns setores da sociedade, o Cordeiro à Moda de Monção, conhecido por “Foda” à Monção, passará a designar-se queca à Monção.

Houve ainda manifestações em direto para contestar a instalação de um campo de aviação comercial nos terrenos do Ninho Park. Grandes e pequenos vindos da freguesia de Pinheiros manifestaram a sua posição contrária ao investimento, defendendo as bacas do pápa e abiões ao longe.

O célebre Fernando Remendos com o inconfundível “Preço Esperto” também assentou arraias na praça. Levou o que melhor temos para apurar os sentidos e fez uma grande amizade com o pessoal de Cortes. Malta porreira, disse. Sobretudo o Armindo de Pau Feito, acrescentou.

A organização esteve a cargo da Associação Comercial e Industrial dos Concelhos de Monção e Melgaço em parceria com a Câmara Municipal de Monção. No ano passado, realizou-se um concurso de karaoke com muita gente a acompanhar o ritmo. Este ano, com menos gente devido ao tempo adverso, recriou-se um canal de televisão focado em temas locais.

A animação começou com a atuação do grupo musical “Norwest” e prolongou-se pela noite dentro em distintos locais do concelho. Na tarde de terça-feira, sem tréguas da chuva, realizou-se o “Carnaval na Praça” promovido pela Comissão de Festas em Honra à Virgem das Dores.

CARNAVAL EM CAMINHA FOI À PROVA DE CHUVA

O Desfile de Carnaval Noturno saiu à rua em Caminha na passada segunda-feira. E, apesar das condições atmosféricas não serem as mais favoráveis, a cor, a alegria e a animação marcaram o corso deste ano.

E, os caminhenses prometem que, para o ano há mais. E, faça chuva ou faça sol, ninguém arreda pé!

Desfile de Carnaval 2016 (4)

Desfile de Carnaval 2016 (5)

Desfile de Carnaval 2016 (1)

Desfile de Carnaval 2016 (2)

Desfile de Carnaval 2016 (3)

Desfile de Carnaval 2016 (6)

ARDAL-PORTA DO MEZIO EM ARCOS DE VALDEVEZ ORGANIZA WORKSHOP “QUEIJO DE CABRA CURADO”

Dando continuidade ao trabalho de divulgação e valorização dos produtos locais, a ARDAL - Porta do Mezio propõe para o próximo dia 20 de Fevereiro, pelas 14 horas, um Workshop de “Queijo de cabra curado”.

Envolvendo produtores locais pretende-se divulgar a prática do fabrico do queijo curado, um saber comum entre as comunidades rurais mas que se tem vindo a perder ao longo dos tempos.

Este workshop é uma atividade dirigida a todos aqueles que pretendem adquirir este saber-fazer tradicional em que cada participante levará o seu queijo para curar em casa.

Os interessados devem inscrever-se na Porta do Mezio ou através do telefone n.º 258510100/258522157 ou ainda através do correio eletrónico: portadomezio@ardal.pt

Informações disponíveis em https://www.facebook.com/porta.mezio

CAMINHA DOCE PROMETE VOLTAR EM 2017 COM NOVIDADES

Afluência de público, vendas, workshops e demonstrações marcaram esta edição do certame

Encerrou ontem mais uma edição da Caminha Doce – Feira de Doçaria. A qualidade dos bolos a concurso, a afluência de visitantes, as vendas,os workshops, e as demonstrações “A Hora do Meu Bolo” foram os grandes responsáveis por mais um sucesso do certame que tornou Caminha ainda mais doce nos últimos cinco dias.O fecho desta VII edição ficou marcado pela entrega dos prémios aos vencedores do concurso Arte Doce pelo vereador Rui Teixeira.

A Caminha Doce abriu portas na passada sexta-feira com a atuação a Tuna da Universidade Sénior do Rotary club de Caminha. Guilherme Lagido, vice-presidente do Município, deu as boas vindas a todos os expositores que estão a contribuir para a história do certame. Foram ainda conhecidos os vencedores do concurso Arte Doce, subordinado ao tema “Folia Doce”. Em primeiro lugar ficou a Camipão S. A com o bolo “O Circo”, em segundo a ETAP Escola Profissional com o bolo “Baile de Máscaras” e em terceiro lugar a Petinga Doce com o bolo “Folia de Caminha”. A pastelaria Caminhense obteve uma menção honrosa pela participação com o bolo “Palhaço do Sorriso Amarelo”.

De 5 a 9 de fevereiro, Caminha foi palco da VII edição da Caminha Doce, que terminou com um balanço positivo, quer ao nível de afluência de público, quer ao nível de vendas. Na verdade, foram muitos os visitantes que vieram ao certame, apesar do mau tempo que assolou o concelho, para comparem as muitas tentações doces. Há ainda a registar o número crescente de visitantes espanhóis que continua a procurar os eventos de Caminha. Se o público foi muito, também os expositores no final se mostraram bastante satisfeitos com os resultados e com vontade de voltarem na próxima edição. Para este saldo positivo em muito contribuíram os workshops e as demonstrações que decorreram durante os cinco dias. É de realçar que os workshops continuam a ser a atração, com destaque para a novidade na programação, as demonstrações “A Hora do Meu Bolo” levadas a cabo por pessoas do concelho que quiseram associar-se ao certame e demonstrar as suas habilidades doceiras.

A organização já está a pensar na próxima edição da Caminha Doce, que promete trazer muitas novidades.

Recorda-se que os vencedores do concurso Arte Doce, subordinado ao tema “Folia Doce” foram: a Camipão S. A, com o bolo “O Circo” que obteve o 1º prémio; a ETAP Escola Profissional com o bolo “Baile de Máscaras” que ficou em segundo e em terceiro lugar a Petinga Doce com o bolo “Folia de Caminha”. A pastelaria Caminhense obteve uma menção honrosa pela participação com o bolo “Palhaço do Sorriso Amarelo”.

MUNICÍPIO DE BRAGA APRESENTA PROJECTO “À DESCOBERFTA DE BRAGA”

Amanhã, Quinta-feira, dia 11 de Fevereiro, às 15h00, Auditório José Sarmento, no Mercado Cultural do Carandá

O Município de Braga apresenta amanhã, o projecto ‘À Descoberta de Braga’. A sessão terá lugar às 15h00, no Auditório José Sarmento, Mercado Cultural do Carandá, em Braga.

A iniciativa contará com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e de Lídia Dias, vereadora da Cultura.

‘À Descoberta de Braga’ é um projecto que pretende fomentar no público escolar e na população Bracarense o conhecimento e afecto pela história, património e identidade de Braga enquanto comunidade. O projecto visa ainda a dinamização das instituições culturais da Cidade e um incremento da capacidade de cooperação institucional do Município de Braga.