Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

OS BALDIOS SÃO DO POVO!

À exceção do PSD e do CDS, todos os grupos parlamentares com assento na Assembleia da República aprovaram por maioria os projetos de resolução de BE, PCP e PEV para a cessação do decreto-lei do Governo PSD/CDS-PP, que regulamentavam a lei dos baldios, a qual impunha regras mais restritivas ao usufruto daqueles terrenos por parte de comunidades locais, nomeadamente através dos “compartes”.

GUIMARÃES PLANTA NOVAS ÁRVORES NUMA DAS SUAS PRINCIPAIS ARTÉRIAS URBANAS

Requalificação paisagística na Avenida Humberto Delgado começa na segunda-feira, 08 de fevereiro

Quatro dezenas de árvores vão ser substituídas a partir da próxima semana no centro de Guimarães. Reformulação de espaços e de corredores verdes é um dos requisitos da candidatura a Capital Verde Europeia.

Guimarães_Av_General_Humberto_Delgado

A Câmara Municipal de Guimarães inicia esta segunda-feira, 08 de fevereiro, a requalificação paisagística da Avenida General Humberto Delgado, por muitos conhecida pelo seu antigo nome de Rua dos “Palheiros”. Cerca de 40 árvores serão substituídas por uma espécie adaptada ao meio urbano, tendo a escolha recaído no “Pyrus calleryana”, árvore de rara beleza, quer na primavera quando em flor, quer no outono quando as suas folhas ganham a cor do fogo.

Esta requalificação paisagística em meio urbano insere-se no conjunto de medidas que estão a ser preparadas com o objetivo de contribuir para a melhoria de um conjunto de indicadores relacionados com a candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, designadamente na criação e reformulação de espaços e corredores verdes, qualidade do ar e melhoria das condições de acessibilidade e mobilidade pedonal.

A sua forma piramidal (fastigiata) torna esta árvore mais enquadrada com o local. Por outro lado, são também árvores naturalizadas, consideradas como autóctones (tipo escanheiro), muito bem adaptadas ao nosso ambiente por ser uma planta melífera, o que contribuirá para o aumento da biodiversidade e qualidade ambiental.

Atualmente, a Avenida General Humberto Delgado, ao longo da sua extensão, tem dois espécimes de árvores, plantadas previsivelmente na década de 70 - os Prunus pissardi e as Betula celtibérica - que possuem um porte arredondado, o que faz com que preponderem para a via e para o logradouro das habitações, obrigando à realização de podas que as foi deformando, fragilizando e deteriorando ao longo dos anos, no que diz respeito à sua estética e à componente fitossanitária.

Este tipo de árvores deixaram de estar adaptadas ao ambiente em que se inserem, tanto mais que a pequena dimensão das caldeiras em função da estreiteza dos passeios prejudicou, também, o seu normal crescimento, além de afetar a circulação pedonal e o tráfego de viaturas pesadas, designadamente os transportes públicos de passageiros.

CABECEIRAS DE BASTO EM GRANDE FESTA COM ORELHEIRA E FUMEIRO

Dia grande em Cabeceiras de Basto com a abertura da Festa da Orelheira e do Fumeiro e o desfile de Carnaval das Escolas

Arrancou esta tarde, dia 5 de fevereiro, no Pavilhão Desportivo de Refojos, a 20ª edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto, uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto que decorre até segunda-feira, dia 8 de fevereiro.

Abertura da XX Festa da Orelheira e do Fumeiro de

O certame foi inaugurado pelo presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, que se fez acompanhar pelos vereadores, pela representante do presidente da Assembleia Municipal, Dr. Augusta Cristina Dias, pelos presidentes de Junta de Freguesia e pelos presidentes das Câmaras de Mondim de Basto, Ribeira de Pena e Montalegre, assim como pelo adjunto da Câmara de Baião. Marcaram também presença nesta cerimónia de abertura o representante da CCDR-N, Dr. José Miguel Gomes, o presidente da Associação Comercial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto, Hernâni Costa, entre outros convidados e público em geral.

Abertura da XX Festa da Orelheira e do Fumeiro de

Na abertura do evento, a comitiva visitou os mais de 70 produtores/expositores presentes nesta festa, dos quais 55 produtores de fumeiro, sendo 20 de Cabeceiras de Basto, e os restantes de produtos tradicionais da terra, vinhos, mel, doçaria e artesanato.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara cumprimentou todos os presentes, agradecendo a sua presença, destacando que a Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto foi, desde a primeira edição, organizada no Carnaval.

“Quisemos assinalar esta vigésima edição com algumas novidades aliando a tradição e os usos e costumes, com a modernidade e despertando nos visitantes e nos consumidores um cada vez maior interesse por estes produtos locais”, destacou Francisco Alves, afirmando que o Município pretende “dar a conhecer a qualidade e a autenticidade dos produtos, mas também a arte de bem preparar, cozinhar, ou ‘culinar’ como agora também se usa dizer, a carne e todos os derivados do porco”.

Abertura da XX Festa da Orelheira e do Fumeiro de

Reafirmando que “o fumeiro tradicional é um elemento identitário deste povo das terras de Basto”, o autarca disse: “queremos valorizar o porco bísaro e o desenvolvimento local através da melhoria da economia familiar. Queremos promover as tradições preservando os saberes das nossas gentes. Queremos promover a gastronomia local”.

Integrada na iniciativa dos ‘Fins de Semana Gastronómicos’ do Turismo do Porto e Norte de Portugal, através da adesão de diversos restaurantes do concelho que neste fim de semana vão servir a orelheira com grelos e outro fumeiro, esta Festa pretende “continuar a defender, a valorizar e a apoiar os produtores e a promover os produtos locais”.

O autarca mostrou-se, ainda, muito satisfeito com o facto de esta atividade representar um complemento ao orçamento das famílias do nosso concelho.

No final, o presidente da Câmara agradeceu a presença de todos, desejando aos produtores uma boa Festa da Orelheira e do Fumeiro.

Os festejos de Carnaval invadiram hoje de manhã e durante a tarde as vilas do Arco de Baúlhe e Cabeceiras de Basto, naquela que foi a edição 2016 do Carnaval das Escolas. Os cortejos contaram com a presença de mais de um milhar crianças e jovens, professores, educadores e auxiliares.

Dedicado ao tema ‘Lendas e Tradições da Nossa Terra’, os foliões fizeram a festa em momentos de muita animação e brincadeira.

Ao desfile não faltaram O Basto, D. Leonor de Alvim e D. Nuno Álvares Pereira, o Jogo do Pau, Trajes Tradicionais, os Monges Beneditinos, os Reis da História de Basto, A Lenda da Ponte de Cavez, a Lenda da Bruxa de Monte Córdova, o Mel de Cabeceiras de Basto, o Folclore de Cavez, a Cereja da Faia, a Lã, os ‘fidalgos’ do Arco de Baúlhe, a Procissão da Sra. dos Remédios, a Vida no Mosteiro, a Desfolhada, o Atlético Cabeceirense, entre muitos outros temas, sobretudo dedicados à agricultura e agropecuária animaram os espectadores ao longo do percurso. Os Bombos rufaram com energia, dando ritmo a este corso carnavalesco.

De salientar que nesta edição 2016 do Carnaval das Escolas, a direção e os funcionários do Agrupamento de Cabeceiras de Basto prestaram homenagem à quase bicentenária Banda Cabeceirense, fundada em 1820.

O corso carnavalesco proporcionou, assim, uma grande festa, com os foliões a invadir as vilas do Arco de Baúlhe e de Cabeceiras de Basto, animando as dezenas de espectadores que se juntaram para ver passar o desfile.

Abertura da XX Festa da Orelheira e do Fumeiro de

Programa - Destaques

6 de fevereiro, sábado

11h00 | Degustações no pão “mel, compotas e doces”

15h00 | Showcooking “O meu amigo, o fumeiro”

16h30 | Prova comentada de vinhos com Paulo Russell-Pinto, autor do Guia de Vinhos e Gastronomia da cidade do Porto

18h00 | Showcooking “O meu amigo, o Porco”

21h00 | Animação: Concertinas em Festa

7 de fevereiro, domingo

15h00 | Animação: “Pais e filhos na Cozinha” com Sandra Pinto e Marta Pereira - RTP Chefs Academy

16h00 | Auto de S. Tiago de Esporões Encenadora Sónia Sousa

18h30 | Degustação Volante de Vinhos e Enchidos

8 de fevereiro, segunda

09h00 | Abertura da Exposição

12h00 | Encerramento da Exposição/Venda de Produtos de Fumeiro

Abertura da XX Festa da Orelheira e do Fumeiro de

UNIMINHO CANALIZARÁ RELAÇÕES DOS MUNICÍPIOS TRANSFRONTEIRIÇOS COM GAS FENOSA SOBRE BARRAGEM DA FRIEIRA

Pretende-se assinar um acordo de colaboração para que a elétrica facilite dados da sua atividade em tempo real e apoie a realização de estudos sobre o ecossistema do Minho. Representantes da associação luso-galaica reuniram-se com diretores da secção hidroelétrica, que deram a conhecer in loco a barragem.

A UNIMINHO - Associação Transfronteiriça do Vale do Minho vai canalizar as relações deste território transfronteiriço com a empresa Gás Natural Fenosa para os assuntos relacionados com a barragem de Frieira. Pretende-se assinar um acordo de parceria para que a elétrica forneça, de forma periódica, dados diretamente ao organismo galaico-português e apoie a realização de estudos sobre o ecossistema do Minho que é afetado pela sua atividade. A finalidade é abrir uma via de comunicação direta para resolver os problemas que possam apresentar e que preocupam as autarquias locais e associações ambientais.

REUNIAO COM FENOSA

Até à data, a Gas Natural Fenosa não mantinha nenhum tipo de contacto bilateral com os concelhos de Crescente, Arbo, As Neves, Salvaterra, Tui, Tomiño, O Rosal e A Guarda pela parte espanhola e Melgaço, Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira e Caminha pela parte portuguesa. Aquela empresa não transmitia informações sobre mudanças de volume nem tão pouco de outras incidências próprias da atuação da barragem no caudal do rio. Assumindo o papel de intermediário, a UNIMINHO poderá agilizar a resolução de dúvidas municipais e possíveis contratempos devido à existência de uma 'linha direta' de contacto.

Graças a este acordo, existe ainda a possibilidade da empresa elétrica colaborar na realização de estudos sobre o ecossistema do rio Minho para assim minimizar os potenciais riscos. De facto, em várias ocasiões, as associações de pescadores têm solicitado aos municípios e às demais autoridades competentes na matéria a elaboração de pesquisas por possíveis ameaças ao meio.

Visita à barragem

O princípio de acordo para esta parceria futura entre UNIMINHO e a Gas Natural Fenosa ficou estabelecido durante o encontro realizado esta quarta-feira, 03 de fevereiro, tendo a direção da UNIMINHO sido representada pelos autarcas de Melgaço e de Vila Nova de Cerveira, Manoel Batista e Fernando Nogueira, e pelo deputado de Cooperação Transfronteiriça da Deputação de Pontevedra, Uxío Benítez.

Esta reunião serviu para os representantes da associação luso-galaica conhecerem a barragem e os trabalhos de gestão para a manutenção das condições ambientais exigidas pelas administrações. Neste sentido, os diretores da secção hidroelétrica daquela companhia confirmaram que o regime de funcionamento de Frieira e Frieira CE (caudal ecológico) cumpre as condicionantes ambientais que regem as instalações.

A barragem de Frieira tinha, até há alguns anos, um 'teleférico' para que os salmões e demais espécies pudessem subir o rio. Também se projetou outra estrutura que não foi aceite pela Junta de Galiza e que se tornou um capturadeiro em que chegam a recolher até uma tonelada de enguia por cada temporada de pesca, segundo os dados da Gás Natural Fenosa.

Nas próximas semanas, representantes de UNIMINHO e da Gas Natural Fenosa vão realizar novos encontros para concretizar e traduzir o acordo de cooperação.

BRAGA REGENERA ÁREAS INDUSTRIAIS DO CONCELHO

Projecto contempla regeneração das áreas industriais do Concelho: +Indústria garante investimento de 374 milhões de euros e a criação de 2.4 mil postos de trabalho até 2020

A estratégia +Indústria conta com o compromisso firme de investimento de 51 empresas, num total de 359 milhões de euros, que potenciará a criação de cerca de 2.413 postos de trabalho até 2020. Para aumentar o impacto da indústria na região e potenciar a atracção de novos investimentos, está previsto também efectuar 15 milhões de euros de investimento público até 2019, com 85% de comparticipação de fundos Europeus. Estes dados foram divulgados hoje, dia 5 de Fevereiro, durante a apresentação do projecto, que decorreu no edifício gnration.

CMB05022016SERGIOFREITAS000000589

Desenvolvido no âmbito do Plano Estratégico para o Desenvolvimento Económico de Braga 2014-2026, o projecto enquadra os planos de investimento e de regeneração de áreas empresariais do Município de Braga vocacionadas para a indústria, de forma a potenciar a criação de emprego e o aumento de exportações através do incremento da competitividade das empresas.

A Estratégia +Indústria enquadra os planos de investimento públicos e privados e de regeneração de áreas industriais (Adaúfe/Pitancinhos, Sobreposta, Celeirós, Ferreiros e Navarra), de forma a potenciar a valorização de todo o território e o incremento da competitividade das empresas.

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, este é um projecto de que os Bracarenses se podem orgulhar e que mostra os traços de modernidade de uma Cidade com um vasto lastro histórico mas que se rejuvenesce a cada momento. “Braga marca pela diferença na forma como os agentes locais se unem em torno do objectivo comum de qualificar a Cidade, criar emprego, gerar riqueza e aumentar o volume de negócios e exportações, contribuindo para dar uma melhor qualidade de vida às populações”, afirmou, sublinhando que o Concelho tem instituições de ensino de formação de excelência, assim como empresas que são hoje uma referência para o pais e para o mundo nas mais diversas áreas de actividade: “Braga é um exemplo para o país no que se refere ao modelo de desenvolvimento de território, que pode e deve ser replicado noutros contextos a nível nacional”.

O Autarca referiu ainda que Braga vive um período de grande efervescência económica, à qual falta reforçar a visibilidade da componente industrial. “Estas 51 empresas são as pioneiras, que se comprometeram formalmente a concretizar um volume de investimento tão significativo¸ mas há depois as que ainda não estão envolvidas e as dezenas de novos investidores que vêm Braga como destino preferencial para concretizar os seus projectos. Para dar resposta à procura temos de possuir uma oferta qualificada nas áreas de acolhimento empresarial e dotá-las de melhores acessibilidades, infra-estruturas partilhadas e modelos de gestão compatíveis com o envolvimento de cada empresário, e é nesse sentido que o projecto +Indústria é fundamental”, disse.

Dirigindo-se ao Ministro da Economia do Governo de Portugal, Manuel Caldeira Cabral, que também marcou presença na cerimónia, o Edil adiantou que é importante que os Municípios tenham ao seu dispor novas ferramentas que reforcem a sua capacitação fiscal e que permitam gerir a capacidade de atracção de cada um dos Concelhos, ao mesmo que enfatizou a necessidade de se ´reforçarem´ os elos de ligação dos agentes locais com os diversos serviços públicos do Estado Central.

Por seu turno, Carlos Oliveira, presidente da InvestBraga, salientou que esta iniciativa nasce da concepção de que um dos sectores em que Braga tem de apostar é na sua re-industrialização, uma vertente descurada ao longo do tempo. “Temos uma visão que consiste na potenciação da indústria como actividade geradora de emprego, e assim surge este projecto, que está relacionado com visão estratégica para a indústria de futuro em Braga, assim como para o presente, que devemos acarinhar e assegurar o seu desenvolvimento.

CMB05022016SERGIOFREITAS000000582

CRIANÇAS DE ARCOS DE VALDEVEZ BRINCAM O CARNAVAL

Carnaval arcuense – pequenada saiu à rua. Cortejo dos mais pequenos juntou perto de mil crianças

Começaram hoje, dia 5, e prolongam-se até ao próximo dia 9 de Fevereiro, os festejos carnavalesco em Arcos de Valdevez.

Pela manhã as ruas encheram-se de fantasias de todos os estilos, com o desfile das crianças dos Agrupamentos Escolares e Jardins de Infância do concelho.

Perto de 1000 crianças vestiram-se a rigor e brincaram ao carnaval, num desfile que apresentou, entre muitas outras fantasias, figuras de leões, elefantes, mickeys, minnies, noddys, joaninhas, princesas, bruxas e mexicanos. Viu-se de tudo um pouco num corso que agradou, coloriu e encheu de vida as ruas arcuenses.

Está de parabéns a organização e todos os envolvidos, desde os figurantes, aos professores, educadores e auxiliares.

Depois deste “cheirinho” a carnaval, a folia continua amanhã, sábado, com o Pimba no Carnaval. Este dia será dedicado à atuação das rusgas de Arcos de Valdevez fantasiadas e haverá porco no espeto e vinho verde, bem como a atuação do duo Musical Carlos Rodrigues e Isaura.

O domingo à tarde é dedicado aos seniores que terão a oportunidade de se divertirem num baile de carnaval na discoteca Azenha. A segunda-feira reserva um baile de máscaras com a atuação do conjunto Microsom e o grande dia, a terça-feira, dia 9, trará às ruas cerca de 2000 figurantes, naquele que é já o maior cortejo de Carnaval do Norte do país, e milhares de pessoas a assistir. Este ano é de referir a alteração do trajeto deste corso que fará a sua concentração no parque de estacionamento junto ao Pavilhão Desportivo Municipal e seguirá pela rotunda da Família, passando pelo Campo do Trasladário e terminando na rotunda da Ponte Nova.

Estas festividades carnavalescas estendem-se a todo concelho e contam com a participação das várias associações concelhias, que preparam os seus carros alegóricos com pompa e circunstância para o grande dia.

O Carnaval é organizado pela Associação Folia (associação responsável pela organização das festividades do município) em colaboração com a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez.

PROGRAMA “LET’S MOVE” ARRANCA ESTE DOMINGO EM BRAGA

Iniciativa resulta do Orçamento Participativo Jovem ‘Tu Decides!’

Inicia-se este Domingo, dia 7 de Fevereiro, o programa ‘Let’s Move’, um projecto realizado no âmbito do Orçamento Participativo Jovem ‘Tu Decides!’, que tem como principal objectivo a promoção de hábitos de vida saudável junto da população Bracarense e a inclusão e integração social de públicos mais desfavorecidos.

O projecto, apresentado por Mariana Delgado, o quinto mais votado pelos jovens Bracarenses, quer tornar o desporto acessível a todos e incentivar a sua prática em vários contextos.

Além de actividades desportivas de acesso livre e gratuito, nomeadamente de ginásio e de dança, o projecto pretende também promover as mais variadas modalidades desportivas através de sessões experimentais, promover acções de sensibilização de educação para a saúde e para o desporto junto da comunidade escolar, realizar palestras sobre a importância de um estilo de vida saudável aberto à comunidade, realizar workshops sobre alimentação saudável, e promover rastreios de saúde junto da população, sensibilizando para hábitos diários mais saudáveis.

Assim, este mês de Fevereiro, iniciam-se as actividades desportivas de acesso livre e gratuito. Estas realizar-se-ão nas instalações “Academia Synergia”, no Braga Shopping, todos os Domingos do mês, a partir das 10h00 da manhã.

Recorde-se que o Orçamento Participativo Jovem ‘Tu Decides!’ tem como objectivos aproximar os cidadãos mais jovens dos órgãos de decisão, promover o exercício de uma cidadania activa e participada e incentivar o diálogo entre os jovens e o poder autárquico, procurando adequar as políticas às suas necessidades e expectativas.

Com esta iniciativa pioneira, o Município de Braga, em articulação com o Conselho Municipal de Juventude, deu aos jovens a oportunidade de participar na definição das políticas públicas, auscultando-os sobre os projectos que gostariam de ver implementados na Cidade.

BRACARENSES DÃO FESTIVAL A TOCAR GUITARRA

Iniciativa do Município e do Conservatório Calouste Gulbenkian: Festival de Guitarra de Braga afirma-se no panorama cultural da Região

Um festival diversificado, de grande qualidade performativa e com elementos de diferenciação identitária. É desta forma que se apresenta a 3.ª edição do Festival de Guitarra de Braga, a realizar entre os dias 11 de Fevereiro e 6 de Março em diversos espaços da Cidade.

CMB05022016SERGIOFREITAS000000578

A iniciativa, organizada pelo Município de Braga em parceria com o Conservatório Calouste Gulbenkian, apresenta-se este ano com um formato “mais maduro e consolidado”, afirmando-se já como uma das principais referências do panorama cultural da Cidade e da Região.

Além de promover a guitarra e de potenciar os talentos locais, proporcionando-lhes o contacto com projectos musicais de outras proveniências, o 3.º Festival de Guitarra pretende contribuir para a formação musical dos alunos do Concelho e da Região, como explicou Lídia Dias, vereadora da Cultura do Município de Braga, na apresentação da iniciativa.

Segundo a vereadora, este é um festival que “orgulha a Cidade e que vai ao encontro da grande tradição Bracarense de produção e divulgação dos instrumentos de corda”. “Não nos podemos esquecer que Braga é a pátria da viola braguesa e do cavaquinho e que aqui continuam a laborar inúmeros ofícios relacionados com a produção dos cordofones”, sublinhou a Lídia Dias, desafiando o público Bracarense a assistir aos diversos concertos agendados.

Lídia Dias salientou que a dinamização cultural do Município de Braga tem na música uma das suas apostas fundamentais. “Procuramos promover uma oferta alargada de iniciativas, bem como a cooperação com instituições cuja missão cultural é relevante para o Município”, sustentou.

Este ano e tendo em conta o crescimento do festival, o orçamento passou para os 7.500 euros, com a Autarquia a ceder ainda o Theatro Circo que, no dia 6 de Março, recebe o concerto de encerramento, o único que terá entrada paga (5 euros).

A directora do Conservatório Calouste Gulbenkian, Ana Maria Caldeira, congratulou-se com a forma como o Município de Braga tem trabalhado com as instituições da Cidade, “ouvindo os parceiros e dando-lhes um voto de confiança”. Para esta responsável, o Festival de Guitarra é sinal do “novo paradigma cultural que a Cidade vive actualmente”.

Programa diversificado com seis concertos

O director artístico do festival, Vítor Gandarela, revelou que o programa deste ano é constituído por um conjunto de seis concertos “estilisticamente muito distintos, bem como três eventos no âmbito da sua componente paralela de carácter pedagógico”.

A abertura do festival estará a cargo de Stepan Rak (Rep. Checa), prestigiada figura do panorama guitarrístico internacional. O concerto tem lugar no dia 11 de Fevereiro, às 21h30, no Conservatório Calouste Gulbenkian.

A presença portuguesa está este ano reforçada com a participação do Quarteto de Guitarras de Lisboa, a 28 de Fevereiro, no Auditório José Sarmento da Escola de Música do Carandá, e com a actuação do guitarrista Bracarense Artur Caldeira, que actua no dia 20 de Fevereiro, no Museu dos Biscainhos. O festival conta ainda com a participação do Duo Zapico, que levará à Igreja de S. Paulo, no dia 21 de Fevereiro, a teorba e guitarra barroca.

O encerramento do festival, a 6 de Março, no Theatro Circo, conta com a recém-formada OCDM - Orquestra de Cordas Dedilhadas do Minho que vai partilhar o palco com cerca de 50 alunos de escolas de música do Minho que vão participar num estágio durante a interrupção lectiva do carnaval.

CMB05022016SERGIOFREITAS000000576

SOBERANIA ALIMENTAR: UMA MERA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA

O BLOGUE DO MINHO agradece a colaboração dispensada pelo Partido PAN (Pessoas-Animais-Natureza), traduzido na oferta do artigo de opinião da Drª Bebiana Cunha, psicóloga na Câmara Municipal de Matosinhos e Comissária Política Nacional do PAN.

Por Bebiana Cunha, Comissária Política Nacional do PAN (Pessoas – Animais – Natureza)

Tenho assistido a acesas discussões sobre a aceitação dos organismos geneticamente modificados. Considero que tal como devemos ser capaz de decidir se aquilo que comemos implica a morte de um animal, ou se traz sangue e crueldade nas mãos, devemos ter o direito a ser informados sobre as consequências reais do consumo de organismos geneticamente modificados, nos animais, no ambiente, nos agricultores, nas pessoas em geral. Aliás, sempre defendi um rótulo sobre a história de cada produto, isento e neutro que nos permitisse decidir quais as empresas que queremos suportar, apoiar, através do consumo, um rótulo que nos ajudasse a sermos consumidores conscientes, sem termos que andar a investigar cada empresa ao pormenor.

Quando se fala de soberania alimentar recordo-me sempre do documentário “sementes da liberdade”, resultado de uma colaboração da Fundação Gaia e a Rede Africana de Biodiversidade (narrado pelo actor Jeremy Irons – o então embaixador da Boa Vontade das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), que nos mostra como apenas cinco empresas (Monsanto, DuPont, Syngenta, Bayer e BASF) estão a tentar controlar o mercado mundial de sementes, com consequências dramáticas na biodiversidade e qualidade dos alimentos. Ficou muito conhecida a história do agricultor Schmeiser que perdeu tudo o que tinha quando, após mais de 50 anos a reproduzir e selecionar as próprias sementes de colza, os seus campos foram contaminados por sementes geneticamente modificadas patenteadas, provenientes de colheitas adjacentes. Nesta situação, sob a lei de patentes, a colheita torna-se propriedade da empresa produtora da semente geneticamente modificada, tendo o agricultor perdido tudo por violação da patente, quando as suas culturas é que haviam sido objecto de contaminação.

Como podemos aceitar que se patenteie a vida de plantas e de animais (cf. Vacas “leiteiras” geneticamente modificadas)? Como se pode aceitar que a sobrevivência de pessoas – animais fique na mão de meia dúzia de empresas? Como se pode aceitar que sejam DDT (vulgo donas disto tudo)? A substituição das sementes naturais por sementes geneticamente modificadas envolve vários aspectos perversos, como o surgimento de super-pragas que obrigam os agricultores a recorrer aos pesticidas que os organismos geneticamente modificados prometiam dispensar, e daí a consequente poluição dos lençóis freáticos e a morte dos ecossistemas.Não esquecer também o empobrecimento dos solos devido aos consequentes usos dos agro-químicos e o endividamento dos agricultores, que todos os anos têm de comprar sementes novas, por estas serem estéreis.

No final da Segunda Guerra Mundial, quando as empresas dearmas químicas precisaram encontrar novas funções paraos seus produtos, desenvolveramfertilizantes e pesticidas. Entretanto, com a ajuda da Organização Mundial do Comércio, sob pressão de poderosas empresas, determinou-se que microorganismos e processos microbiológicos pudessem ser patenteados. Estava aberto caminho para as sementes geneticamente modificadas controlarem o mercado. Aquilo que é real, concreto e criador de vida dá lugar a mediações financeiras artificiais, leva ao desaparecimento da democracia e a fortes desigualdades económicas, sem qualquer controlo dos agricultores sob aquilo que produzem, sem qualquer controlo de cada um de nós sobre aquilo que cultiva na sua horta de subsistência.

Torna-se urgente uma união de forças entre agricultores e consumidores, premente pressionar todas as forças políticas para estarem do nosso lado nesta batalha de sobrevivência, para que possamos usufruir e deixar às gerações vindouras, aos nossos filhos e netos, um sistema alimentar diverso e rico. Guardar e trocar as nossas sementes sem ogm e sem patentes tem que ser um direito, ao mesmo tempo que o planeta precisa ser protegido do domínio das multinacionais, do uso de agro-químicos e os comércios justo e local devem ser incentivados. Não podemos permitir a imposição de leis baseadas no uniformismo, que criminalizam a diversidade e a liberdade das sementes, da natureza e consequentemente a nossa liberdade. É a altura de, em profunda solidariedade, defendermos juntos a liberdade alimentar e construirmos um presente e um futuro em que a nossa comida protege a vida e o bem-estardos ecossistemas, nos quais nos inserimos.

COMUNIDADE ESCOLAR BRACARENSE LEVA CULTURA IBERO-AMERICANA AO CARNAVAL INFANTIL DE BRAGA

A animação típica do Carnaval encheu a Grande Nave do Parque de Exposições de Braga (PEB). Cerca de duas mil crianças dos Jardins-de-Infância, das escolas do 1.º ciclo e das EB2/3 do Concelho, vestiram-se a rigor esta Sexta-feira, 5 de Fevereiro, para participar nesta festa repleta de cor e alegria.

CMB05022016SERGIOFREITAS000000575

Espectáculos musicais, malabaristas com andas, o ‘aviador maluco’ e o DJ Serpentina, fizeram as delícias dos ‘pequenos foliões’, que responderam afirmativamente ao desafio lançado pelo Município de Braga que definiu o tema ‘Braga, Capital Ibero-Americana da Juventude’ para o Carnaval 2016.

“Este ano optamos por realizar esta iniciativa de forma diferente e proporcionar às crianças um autêntico desfile de Carnaval, utilizando, para o efeito, a pista de atletismo da Grande Nave”, referiu Lídia Dias, vereadora da Educação do Município de Braga, mostrando-se satisfeita com a grande adesão da comunidade escolar a este evento.

CMB05022016SERGIOFREITAS000000566

Muitos os familiares utilizaram as bancadas da Grande Nave para assistirem ao desfile carnavalesco e essa foi “uma das razões” para que este evento se realizasse no PEB. “Em termos de organização esta foi a melhor opção. Por outro lado, prevenimo-nos das condições meteorológicas que, normalmente, nesta altura do ano não costumam ser favoráveis e obrigam a alterações de última hora”, explicou Lídia Dias.

Segundo a Vereadora, o tema escolhido para o Carnaval Infantil 2016 é também uma oportunidade da comunidade escolar se “familiarizar” com a cultura de cada país Ibero-Americano.

Já Sameiro Araújo, vereadora do Desporto e Juventude, referiu que este evento não podia passar ao lado do facto de Braga ser, este ano, a Capital Ibero-Americana da Juventude. “O Carnaval está intimamente ligado a países Ibero-Americanos e o repto foi bem aceite pelos pais e pela comunidade escolar”, salientou, adiantando que durante o ano “vamos ter actividades relacionadas com a Capital Ibero-Americana que vão envolver a população Bracarense, desde os mais novos até aos seniores”, concluiu Sameiro Araújo.

CMB05022016SERGIOFREITAS000000564

BRAGA ABRE FEIRA GORDA

Abertura da Feira Gorda em Braga realiza-se amanhã, Sábado, dia 06 de Fevereiro, pelas 15h00, no Campo da Vinha, Braga

O Município de Braga procede à abertura da Feira Gorda que terá lugar, amanhã, Sábado, dia 06 de Fevereiro, pelas 15h00, no Campo da Vinha, em Braga.

A iniciativa contará com a presença de Altino Bessa, vereador do Ambiente, Energia e Desenvolvimento Rural do Município de Braga.

A «Feira Gorda» tem como objectivo envolver a população e fazer renascer as tradições e costumes típicos da Região. De 6 a 9 de Fevereiro, os Bracarenses poderão encontrar, no Campo da Vinha, uma feira com produtos típicos e tradicionais desta época, acompanhados de muita animação e oportunidades de convívio.

VIZELA PROMOVE TURISMO NA INTERNET

Autarquia vizelense lança vizela.pt para promover o Turismo do Concelho

A Câmara Municipal apresenta na próxima quinta-feira, dia 11 de fevereiro, o novo site vizela.pt, destinado exclusivamente a promover o Turismo no concelho de Vizela.

Num período em que se encontra iniciada a implementação do Portugal 2020 – Plano de Ação para o Turismo, pretende-se que Portugal venha a ser o destino com maior crescimento turístico na Europa, suportado na sustentabilidade e na competitividade de uma oferta turística diversificada, autêntica e inovadora, consolidando o Turismo como uma atividade central para o desenvolvimento económico do país e para a sua coesão territorial.

As estatísticas globais têm revelado Portugal como um destino de eleição, concluindo-se até que a região Norte aumentou a sua afluência de turistas e visitantes.

O futuro de Vizela passa obrigatoriamente pelo turismo e, consciente desta realidade, a Câmara Municipal vê o turismo como um dos setores-chave para o desenvolvimento do Concelho, que se distingue pela valorização e inovação dos recursos naturais, das atividades económicas a eles associadas e por uma abordagem inovadora da oferta turística.

Nesse sentido, surge o vizela.pt, com o objetivo de promover um maior conhecimento das potencialidades turísticas do Concelho, reforçando a imagem do turismo de Vizela, e atraindo um maior número de visitantes e turistas ao Concelho.

Numa sociedade cada vez mais voltada para as novas tecnologias de informação e comunicação, Vizela não poderia deixar de acompanhar esta evolução e, por isso, lança no próximo dia 11 de fevereiro, pelas 15.00h, na Loja Interativa de Turismo, o novo site oficial do turismo do Município: vizela.pt.

CONCERTO DOS KAMIKAZES EM PONTE DE LIMA TEM LOTAÇÃO ESGOTADA

6 de Fevereiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Dando continuidade à programação do Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, no próximo sábado, de novo, a lotação estará esgotada, desta vez, para assistir ao Concerto Comemorativo dos 25 Anos da Banda Limiana Kamikazes.

"Oriundos de Ponte de Lima, os KAMIKAZES iniciaram a sua carreira em Setembro de 1990. Como membros fundadores desta banda, fazem parte Carlos Moure (Campeão), na guitarra, e o Eduardo Luciano (Pinóquio), na bateria.

Mais tarde são recrutados dois novos elementos, o André (BimBim) , no baixo, e a ocupar o lugar voz/guitarra, Pedro Dantas (Pião/Lampião). Oriundos de Ponte de Lima, os KAMIKAZES iniciaram a sua carreira em Setembro de 1990.

Como membros fundadores desta banda, fazem parte Carlos Moure (Campeão), na guitarra, e o Eduardo Luciano (Pinóquio) , na bateria. Mais tarde são recrutados dois novos elementos, o André (BimBim) , no baixo, e a ocupar o lugar voz/guitarra, Pedro Dantas (Pião/Lampião).

A actividade desta banda não tem parado, tornando-a numa banda muito rodada em termos de concertos, tendo realizado vários espectáculos em bares e participado em vários festivais. Gravaram a primeira demo em Outubro de 1993, nos A.M.P. estúdios (Viana do Castelo), que é intitulada "What?". Sendo composta por sete temas que abrangem uma variedade de estilos.

Os KAMIKAZES decidem atacar com um segundo trabalho, e em Junho de 1994 deslocam-se ao Porto, ao Rec'n'Roll Studios e assim surge a segunda demo "Noah's Arc". Esta maqueta é composta por cinco temas, e resume a sonoridade praticada pela banda. Eles conseguem aliar peso e complexidade, sem se tornar monótono e repetitivo, destacando-se um Thrash/Hardcore progressivo e com folgas.

Com o tema "Not my Word" deste trabalho, os KAMIKAZES integram a compilação CD High Radiation Vol. II da Independent Records. Desde então, contam já com um grande número de actuações, destacando-se algumas, que os KAMIKAZES consideram, mais importantes para a sua carreira musical: -Fizeram a primeira parte de um concerto que os Tarântula deram em Viana do Castelo (06/04/1995) -Actuação na festa do Avante 96, no palco dos novos valores, valeu-lhes vários elogios num concerto memorável, um marco importante para uma banda a nível de divulgação e promoção!

No dia 18 de Agosto de 1996, os KAMIKAZES deslocam-se a Espanha, mais propriamente a Vigo, para actuarem num festival já bem conhecido nas terras de "nuestros hermanos", o III Revoltallo de Música Emerxente, que durou cerca de dez dias, e que contou com a presença de muitas bandas nacionais como: Ramp, Turbo, Junkie, Disaffecred, etc., e também de muitas bandas espanholas.

Mais concertos, mais rodagem... Passaram-se mais quatro anos e os KAMIKAZES voltam a "atacar", agora com mais "peso". 3 de Dezembro de 1998, foi a data escolhida para entrar novamente no Rec'n'Roll Studios e daí sair o seu primeiro álbum, com o título "Killing Head", composto por onze temas, sendo um deles uma balada.

Este álbum demonstra mais uma vez o verdadeiro valor dos "Bombardeiros Limianos". Um ano depois do primeiro álbum, Eduardo sai da banda por motivos profissionais. A onze de Maio de 2000 entra em cena Francisco Dantas (Xico), irmão de Pedro Dantas. Foi preciso um mês para se adaptar, em pleno, ao ritmo dos KAMIKAZES. Também ele trouxe virtuosismo, vivacidade e percussionismo, que de alguma forma faltava à banda. Fizeram também as primeiras de bandas como: Primitive Reason, Tarântula, Heaven Wood, Porquinhos-da-Ílda, UHF, Santos e Pecadores entre muitos outros.

A 19 de Julho de 2003 (Sábado), participaram no Festival de Vilar de Mouros no palco secundário, concerto este que desencantou as mais incríveis críticas, mais uma vez um grande passo para os KAMIKAZES. A 3 de Dezembro de 2003 entram novamente em estúdio para entrar no ano de 2004 já com um novo trabalho. É nesse ano que acaba então por surgir K-SYSTEM."

Mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt