Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESCRITOR FAFENSE DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRAGA LIVRO SOBRE GÉRALD BLONCOURT

Braga foi palco de apresentação do livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”

Na passada sexta-feira (22 de janeiro), foi apresentado na capital do Minho o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”, uma obra realizada pelo escritor Daniel Bastos, professor de História no Colégio João Paulo II, uma instituição de referência no campo do ensino em Braga.

19

Concebida partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos 60, a obra foi apresentada no Fórum da FNAC em Braga, numa sessão que se encheu por completo e que esteve a cargo do antigo Diretor da Biblioteca Pública de Braga, Henrique Barreto Nunes.

Com chancela da Editora Converso, o livro traduzido para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, e prefaciado pelo ensaísta Eduardo Lourenço, recentemente galardoado com o Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural, reúne memórias, testemunhos e mais de centena e meia de fotografias originais da maior importância para a história portuguesa do último meio século.

11

No decurso da sessão, que contou com momento musical executado pelo compositor Nelson de Quinhones, criador de “Música de Arte” que compôs uma peça de piano original em homenagem ao fotógrafo francês Gérald Bloncourt, o investigador Henrique Barreto Nunes, figura incontornável da cultura e património bracarense, qualificou o livro como “um álbum ilustrado da história da emigração portuguesa para França entre os anos de 1950 e 1970”.

Refira-se que esta sessão de apresentação em Braga computou a inauguração de uma exposição fotográfica evocativa da ligação de Gérald Bloncourt a Portugal, que estará patente ao público durante os próximos três meses, e que após a capital do Minho a mesma circulará por todos os espaços da FNAC no território nacional durante os próximos dois anos.

2

MINHOTOS EM LISBOA LEVAM FOLCLORE À ZONA HISTÓRICA DE BELÉM

Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho encerra em Lisboa ciclo dos cantares das janeiras

Os minhotos radicados na região de Lisboa percorreram hoje de tarde a zona histórica de Belém, a cantar das janeiras aos lisboetas e numerosos turistas que visitam aquela área da capital. O portão sul do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, foi o cenário escolhido também para a exibição das danças e cantares da nossa região, num espetáculo muito aplaudido pelo público que não perdeu a oportunidade de se fotografarem com os elementos do grupo folclórico.

Todos os anos por esta altura, este grupo folclórico minhoto sediado em Lisboa, leva aos lisboetas as nossas tradições dos cantares das janeiras, aproveitando para exibir também algumas danças e cantares característicos do Minho.

Rigorosos nomeadamente no trajar, os componentes do Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho apresentaram-se com vestuário adequado à função, de cores mais escuras e mais agasalhados como convém nesta época invernosa, revelando preocupação com a autenticidade etnográfica.

Constituído em 16 de maio de 1980, o Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho é constituído predominantemente por minhotos radicados na capital, tem como objetivo recolher, preservar e divulgar a cultura tradicional minhota.

PARIS HOMENAGEIA PORTEIROS PORTUGUESES

Manuela Gonçalves, minhota de Fafe, encontra-se entre os agraciados

A Mairie de Paris vai hoje condecorar com a medalha de bronze do município, 7 porteiros que se distinguiram no auxílio prestado às vítimas por ocasião dos recentes atentados terroristas que tiveram lugar sobretudo na sala de espetáculos Le Bataclan.

A cerimónia decorre no salão nobre da Mairie e as condecorações serão entregues pessoalmente pela presidente da edilidade, a franco-espanhola, Anne Hidalgo, que será acompanhada na ocasião pelo seu adjunto para o alojamento, Ian Brossat, e pelo franco-português Hermano Sanches Ruivo, seu conselheiro delegado para os assuntos europeus.

A maior parte dos agraciados são portugueses ou luso-descendentes, entre as quais refira-se Manuela Gonçalves, minhota de Fafe. Na ocasião, vão também ser homenageados pelo município parisiense 600 porteiros com o diploma “Porteiro da Cidade de Paris”.

A região de Paris constitui, desde há muito tempo, uma das ocupações escolhidas pelos emigrantes portugueses que vivem na região parisiense. O realizador Rúben Alves, também ele de ascendência portuguesa, transmitiu-nos recentemente a propósito um excelente retrato através do seu filme “A Gaiola Dourada”.

As porteiras existem em Paris desde os finais da Idade Média, tendo sido celebrizadas nas obras de grandes escritores como Emile Zola, Eugène Sue e Robert Doisneau. Após o término da Segunda Guerra Mundial, existiam em Paris cerca de quarenta mil concierges.

Entretanto, com o aparecimento dos códigos digitais e dos videofones, a maior parte dos proprietários de imóveis em Paris têm vindo a prescindir dos seus serviços, não existindo atualmente mais do que dez mil. Porém, além dos inúmeros serviços que prestam aos locatários, as concierges são frequentemente uma espécie de “anjo-da-guarda” de pessoas idosas que vivem por vezes em situação de isolamento, fenómeno cada vez vais comum nas grandes cidades. E, uma vez mais, revelou-se que as tecnologias não substituem os seus préstimos, incluindo a coragem e o auxílio humanitário às vítimas de um atentado terrorista.

MUNICÍPIO DE BRAGA INSTALA MÓDULOS LED, CONTADORES REGRESSIVOS E AVISOS SONOROS NOS SEMÁFOTOS

Medidas permitem aumentar segurança e reduzir custos de manutenção

Iniciaram-se esta semana os trabalhos de requalificação dos semáforos de gestão do Município de Braga. Estes trabalhos têm a duração de aproximadamente três semanas, período no qual se vão substituir 603 lâmpadas incandescentes por ópticas LED, com consumos inferiores, instalar passadeiras com contadores regressivos e avisadores sonoros para invisuais.

Actualmente cada lâmpada incandescente é de 100w, mas com a substituição para LED passa a consumir apenas 10w, diminuindo-se o consumo em 90%. As ópticas LED reduzem também os custos de manutenção, tendo uma durabilidade média de 10 anos.

Os semáforos dotados com módulos LED contribuem para a optimização da eficiência e desempenho energético, segurança rodoviária e sustentabilidade ambiental, garantindo alta fiabilidade e visibilidade em condições adversas. A fonte de luz central (luz uniforme de aparência incandescente) combinada com um sistema de lente dupla permite a emissão de um sinal uniforme, com ausência de efeito fantasma e redução do índice de reflexo da luz solar.

Serão igualmente Instaladas vinte passadeiras com contadores regressivos, conforme existente na passadeira da Avenida da Liberdade com a Rua 25 de Abril.

O “peão countdown” é um semáforo com um contador regressivo composto por dois módulos (figura humana dinâmica e figura estática) que apresenta a duração do tempo em segundos que resta para os peões efectuarem os atravessamentos em segurança. O ”veículo countdown” é um semáforo com contador regressivo composto por um módulo LED que apresenta a duração do tempo em segundos que resta para os automobilistas poderem avançar.

A informação dada sobre o tempo para atravessamento de peões e automobilistas constitui um instrumento para as políticas ambientais, ao nível da eficiência de gastos com combustível e consequentemente na diminuição das emissões de CO2, e incrementa a segurança de circulação, especialmente de crianças e pessoas com mobilidade reduzida.

Já a introdução de avisadores sonoros em todos os cruzamentos semaforizados de gestão do Município tem como objectivo garantir um usufruto mais alargado do espaço público por crianças, idosos e pessoas com vários tipos de incapacidade, rumo a uma cidade cada vez mais inclusiva.