Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CENTRO HISTÓRICO DE GUIMARÃES ESTEVE REPLETO DE CRIANÇAS A CANTAR AS JANEIRAS

Mais de mil Reis Magos cantaram as janeiras na cidade do Rei Fundador

Largo da Oliveira foi o palco de uma atuação coletiva, que reuniu 20 instituições vimaranenses ligadas à infância. “Vamos Cantar as Reisadas” destinou-se também às famílias.

Guimaraes_Reisadas_Criancas

1.300 crianças cantaram os Reis no Centro Histórico de Guimarães esta sexta-feira, 15 de janeiro, numa iniciativa promovida pela Câmara Municipal, em conjunto com os Jardins de Infância e os ATL do concelho. O encontro, preparado por uma dezena de instituições vimaranenses ligadas à infância, evocou tradições musicais ancestrais numa das praças mais emblemáticas de Guimarães.

_16C2227_1_690_2000

O evento destinou-se ao público infantil mas também aos familiares das crianças. «Agradeço às instituições, aos professores e a todos os colaboradores que, de mãos dadas, organizaram uma iniciativa muito especial num local tão simbólico como é o Largo da Oliveira», referiu Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal, que fez questão de assistir às atuações de todas as entidades participantes.

«As crianças são as autoras e as destinatárias de uma iniciativa repleta de afetos, que deu cor e alegria ao nosso Centro Histórico. Cuidar de crianças é salvaguardarmos o nosso futuro», considerou o responsável pelo Município de Guimarães, depois da interpretação coletiva protagonizada pelas duas dezenas de instituições que participaram na iniciativa “Vamos Cantar as Reisadas”, cuja imagem do cartaz deste ano foi elaborada pelas crianças do Patronato Nossa Senhora da Oliveira.

_16C2267_1_690_2000

Instituições participantes: Casa do Povo de Creixomil, Casa do Povo de Fermentões, Centro de Solidariedade Social Cultura e Desporto de Somelos, Centro Paroquial de São Romão de Mesão Frio, Centro Social da Paróquia de Polvoreira, Centro Social e Paroquial Nossa Senhora da Conceição, Centro Social Padre Manuel Joaquim de Sousa, Centro Social Paroquial de Fermentões, Centro Social Paroquial São Dâmaso, Colégio do Ave, Colégio Nossa Senhora da Conceição, Fraterna, Grupo Desportivo e Recreativo “Os Amigos de Urgeses”, Infantário Nuno Simões, Lar de Santa Estefânia, Obra Social Sagrado Coração de Maria (Vila Pouca), Patronato de S. Sebastião, Patronato Nossa Senhora da Oliveira, S.A.R.C – Salgueiral e Venerável Ordem Terceira de S. Francisco.

_16C2284_1_690_2000

_16C2322_1_690_2000

CRIANÇAS DAS ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO CANTAM REISADAS

Reis das Escolas inebriaram numeroso público com vozes afinadas

Cerca de 900 crianças protagonizaram esta tarde, dia 15 de janeiro, um magnífico espetáculo musical, onde cantaram os reis aos professores, educadores, pais e avós que se associaram à iniciativa promovida pelo Município de Cabeceiras de Basto, neste que foi o XVII Encontro de Cantares de Reis das Escolas de Cabeceiras de Basto.

Reis das Escolas inebriaram numeroso público com

Ao longo da tarde, pelo palco do Pavilhão Desportivo de Refojos passaram 16 grupos em representação das escolas básicas e dos jardins de infância do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, designadamente do Centro Escolar do Arco de Baúlhe, Centro Escolar Padre Dr. Joaquim Santos, Centro Escolar Prof. Filomena Mesquita, EB1/JI de Pedraça, da Faia, de Cavez e de Gondarém e o Jardim de Infância de Santa Senhorinha, freguesia de Basto.

Reis das Escolas inebriaram numeroso público com

Trajadas à moda antiga, de vozes afinadas, cestas na mão e cabaças às costas, as crianças cantaram e encantaram o numeroso público que participou no XVII Encontro de Cantares de Reis das Escolas.

O evento contou com a presença dos vereadores, Dra. Isabel Coutinho, Alfredo Magalhães, Prof. Mário Leite e Dr. Jorge Machado e demais autarcas do município e da freguesia, assim como o presidente da Junta da União de Freguesias de Refojos, Outeiro e Painzela, Leandro Campos e a diretora do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, Dra. Céu Caridade, familiares dos pequenos reis das escolas e público em geral.

À semelhança dos anos anteriores, a iniciativa teve como objetivo reviver a tradição e estimular a defesa do património cultural, promovendo a recolha e recriação dos cantares dos reis, por parte das escolas e dos seus alunos. Pretendeu-se também, preservar a memória coletiva do passado, enriquecer o presente e solidificar o futuro. Todos os grupos participantes receberam um prémio de presença no valor de 60 euros para a aquisição de material didático-pedagógico.

Reis das Escolas inebriaram numeroso público com

Na oportunidade, a vereadora da Educação, Dra. Isabel Coutinho, saudou e felicitou todos os presentes neste 17º Encontro de Cantares de Reis das Escolas, agradecendo o envolvimento e colaboração dos alunos, professores, educadores e colaboradores da Câmara e da Basto Vida neste evento dedicado aos Reis das Escolas.

De referir que no âmbito deste encontro de Reis foram entregues os prémios aos vencedores da 1ª Categoria (1º Ciclo) do IV Concurso de Quadras de S. Martinho aos alunos Matilde Magalhães (1º Prémio), Lara Avelino (2º Prémio) e Luís Miguel Pereira (3º Prémio).

Deixamos, ainda, o convite a toda a população para estar presente no XX Encontro/Concurso de Cantares das Janeiras de Cabeceiras e Basto, um evento que se realiza no próximo domingo, dia 17 de janeiro, a partir das 14h30, no Pavilhão Desportivo de Refojos.

Reis das Escolas inebriaram numeroso público com

Reis das Escolas inebriaram numeroso público com

Reis das Escolas inebriaram numeroso público com

Reis das Escolas inebriaram numeroso público com

ALUNOS DE TERRAS DE BOURO CANTAM OS REIS NOS PAÇOS DO CONCELHO

Cumprindo a tradição, os alunos do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro e o Centro de Atividades Ocupacionais de Souto, deslocaram-se aos Paços do Concelho, neste mês de janeiro, para apresentarem várias composições alusivas à comemoração dos Reis Magos.

O Presidente da Câmara Municipal, Dr. Joaquim Cracel e a Vereadora da Educação e Ação Social do município, Dr.ª Liliana Machado, agradeceram e retribuíram os votos de bom ano, simpaticamente formulados, não deixando de enaltecer o espírito e a dedicação de todos aqueles que ano após ano se dedicam a este importante reavivar e à celebração da tradição das Janeiras.

PAN QUER PROIBIR PRODUÇÃO E CULTIVO DE ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS

PAN apresenta Projeto de Lei pela proibição de produção e cultivo de OGM

O PAN – Pessoas – Animais – Natureza apresenta esta sexta-feira, na Assembleia da República, juntamente com outros partidos políticos, um Projeto de Lei com o objetivo de proibir a produção e cultivo de OGM.

Os organismos geneticamente modificados (OGM) patenteados por multinacionais da engenharia genética são apresentados como a solução para males como a fome no mundo, as alterações climáticas, a agricultura química, as doenças ou a subnutrição. Porém, o seu cultivo e consumo acarretam riscos para a agricultura, para a economia, para o ambiente, para a saúde humana e para a saúde dos animais não humanos.

Se, durante muitos anos, a legislação comunitária foi usada para justificar a não aprovação de projetos que visavam impedir o cultivo de OGM em Portugal, esse argumento caiu por terra quando, em Janeiro de 2015, a União Europeia passou para os Estados-membros a decisão de proibir ou não os cultivos de organismos geneticamente modificados. Rapidamente, vários Estados aproveitaram a ocasião para tomar medidas que asseguram uma maior segurança alimentar aos seus cidadãos e um ambiente mais saudável.

No que diz respeito aos vinte e oito Estados-Membros que compõem a União Europeia, dezanove já proibiram totalmente o cultivo de OGM’s ou aprovaram algum tipo de limitação ao seu cultivo. Posto isto, mais de 50% dos Países da União Europeia mostram resistências ao cultivo de OGM.

No nosso país, a nível regional e local também têm havido declarações de intenções claras face aos OGM. A Região Autónoma da Madeira declarou-se livre de cultivo de variedades de organismos geneticamente modificados a partir de Janeiro de 2008, um passo seguido pelos Açores em Maio de 2012. No continente, o Algarve e pelo menos 27 municípios de norte a sul do país também se declararam livres de OGM.

Com a produção de OGM, um agricultor dito “tradicional” está claramente em desvantagem e a situação será ainda mais evidente se se tratar de uma produção biológica (a qual se encontra em expansão). Isto acontece porque o produtor OGM consegue reduzir os seus custos de produção e assim ter maior rentabilidade, o problema é que que os seus custos não incorporam as externalidades, por esse motivo o preço dos alimentos que colocam no mercado estão abaixo do preço que na verdade deveriam estar.

De considerar ainda a extrema riqueza genética vegetal de Portugal, cujo valor científico e económico incontornável, aconselha, tendo por base o princípio da precaução, a não introdução de material com OGM, uma vez que, atendendo às dúvidas ainda existentes sobre a matéria, essas substâncias podem criar um risco negativo, atendo à probabilidade de poderem vir a alterar alguns aspetos ambientais, como também pela possibilidade, não desprezável, de existirem intromissões no nosso valioso património genético.

“Até que seja cabal e inequivocamente comprovado pela comunidade científica que estes organismos não têm impactos negativos no ambiente, na saúde, na agricultura, na economia e no desenvolvimento sustentável, o PAN defende a sua proibição. Parece-me muito sensato que, quando esteja em causa a saúde das pessoas, dos animais e a potencial degradação ambiental, vigore o princípio da precaução. E ao proibir o cultivo comercial de OGM, a Assembleia da República estará, sensatamente, a aplicar este princípio da precaução,”, recorda André Silva, Deputado do PAN.

CAMINHA INAUGURA EXPOSIÇÃO RETROSPETIVA 2015 NO DIA 23 DE JANEIRO

Mostra reúne obras de todos os artistas que expuseram na Galeria de Arte Caminhense em 2015

Inaugura dia 23, no Museu Municipal de Caminha a exposição Retrospetiva 2015. Esta mostra de pintura reúne obras dos artistas que expuseram o ano passado na Galeria de Arte Caminhense. A exposição poderá ser visitada até ao dia 28 de fevereiro.

Para o Município a exposição Retrospetiva é uma forma de divulgar o espólio artístico que vai arrecadando ano após ano, bem como de promover e reconhecer o trabalho dos artistas que escolheram a Galeria de Arte Caminhense para exporem os seus trabalhos, contribuindo assim para o desenvolvimento cultural e artístico do Município.

Esta exposição procura também sensibilizar os vários públicos para a arte e para a cultura, nomeadamente desenvolver o sentido artístico junto dos públicos mais novos e dos mais idosos através dos serviços educativos. Esta exposição vai ser complementada com ateliers de pintura cujos públicos-alvo são a comunidade escolar e os utentes dos Centros de Dia/Convívio e Lares do Concelho de Caminha.

Na sala de exposições temporárias do Museu Municipal de Caminha estarão expostos trabalhos de Lúcio Danin, Américo Carneiro, Maria das Dores Gomes, José Luís Pais, Luis Campos Ferreira, Maria Manuela Morais Martins, Valentim Rodriguez, Charo Trigo, Puskas, João Marrocos, Vitor Carneiro, Álvaro Torres, Isabel Ferreira, Lucie Esteve, Dacha, Maria Cândida Enes, Mário Rebelo de Sousa, Madalena Macedo e Lurdes Rodrigues, Alfonso Vicente Rey, Santareli, Joel Correia, João Miguel Monteiro Barros e Grupo de Artesãos de Caminha – Artesanato na Vila.

A exposição Retrospetiva 2015 estará patente no Museu até ao dia 28 de fevereiro, podendo ser visitada de terça a sexta-feira das 9h30 às 18h00, ao sábado das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 18h00 e ao domingo das 10h00 às 12h30 e das 15h00 às 17h30.

DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRAGA O LIVRO “GÉRALD BONCLOURT – O OLHAR DE COMPROMISSO COM OS FILHOS DOS GRANDES DESCOBRIDORES”

No próximo dia 22 de janeiro (sexta-feira), é apresentada em Braga a obra Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.

O livro, concebido e realizado pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos de 1960, é apresentada às 21h30 no Fórum da FNAC na capital do Minho, solar tradicional da emigração portuguesa.

A apresentação do livro com chancela da Editora Converso, uma edição bilingue traduzida para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, que conta com prefácio do pensador Eduardo Lourenço, estará a cargo do antigo Diretor da Biblioteca Pública de Braga, Henrique Barreto Nunes.

Além das fotografias históricas que Gérald Bloncourt captou sobre a vida dos emigrantes portugueses nos bidonvilles dos arredores de Paris, a obra reúne igualmente memórias, testemunhos e imagens originais que o fotógrafo francês de origem haitiana realizou durante a sua primeira viagem a Portugal na década de 1960, onde retratou o quotidiano das cidades de Lisboa, Porto e Chaves, assim como as da viagem a “salto” que fez com emigrantes portugueses além Pirenéus, e as das comemorações do 1.º de Maio de 1974 em Lisboa.

Segundo Daniel Bastos, atualmente professor de História no Colégio João Paulo II em Braga, a edição do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt, composto por um conjunto de centena e meia de imagens da maior importância para a história portuguesa do último meio século, é “um convite a uma viagem de redescoberta de um país e de um povo entre os povos”.

Para Eduardo Lourenço, ensaísta recentemente galardoado com o Prémio Vasco Graça Moura-Cidadania Cultural que assina o prefácio do livro, os retratos de Gérald Bloncourt sobre a emigração portuguesa para França nos anos 60 “salvaram do esquecimento” a saga dos portugueses que partiram em busca de melhores condições de vida.

Refira-se que a obra é patrocinada por duas dezenas de empresas representativas do tecido socioeconómico luso-francês, e que a sessão de apresentação em Braga computará a inauguração de uma exposição fotográfica evocativa da ligação de Gérald Bloncourt a Portugal, que irá circular pelos diversos espaços da FNAC no território nacional.

A imagem mostra Gérald Bloncourt ladeado pelo historiador Daniel Bastos à direita e pelo tradutor da obra, Paulo Teixeira, à esquerda

VILA VERDE PROCURA JOVENS MODELOS

Estão abertas as inscrições para o Casting de Jovens Modelos da Gala Namorar Portugal

Os jovens aficionados pela moda e que sonham um dia conquistar a passerelle têm bastantes motivos para sorrir, porque já estão abertas as inscrições para o casting de jovens modelos, que vai levar os vencedores a desfilar coordenados elaborados por estilistas nacionais e internacionais, num evento de elegância e glamour, a Gala Namorar Portugal, que, em pleno Dia de S. Valentim (14 de fevereiro), se assume como a noite de namorados, mais romântica do país.

Os vencedores do casting terão ainda a oportunidade de participar no Concurso de Acessórios de Moda, que se realiza a 27 de fevereiro. Estas iniciativas inserem-se na programação alargada ‘Fevereiro, Mês do Romance’, com um calendário vasto de atividades que arranca já a 29 de janeiro e pretende afirmar o mote ‘Vila Verde, onde o amor acontece!’.

À semelhança dos anos anteriores, os jovens modelos terão a oportunidade de dividir a passerelle com figuras de renome no panorama nacional da moda. Cláudia Vieira, Sofia Ribeiro e Débora Montenegro foram algumas das estrelas que brilharam na última edição da Gala Namorar Portugal e em breve serão conhecidos os nomes das celebridades que vão este ano passar o Dia dos Namorados em Vila Verde, numa noite mágica. O principal objetivo do Casting Jovens Modelos é identificar e promover talentos em potência no mundo da moda, apoiando os jovens na persecução do seu sonho.

Os interessados em participar no casting para a seleção de modelos femininos e masculinos que vão desfilar na Gala Namorar Portugal e no Concurso de Acessórios de Moda podem conhecer o regulamento e efetuar a sua inscrição através do website www.namorarportugal.pt, no separador ‘Concursos’. O casting realiza-se a 4 de fevereiro, às 19:00, na Biblioteca Municipal de Vila Verde. As Condições de Participação e a Ficha de Inscrição também se encontram disponíveis online. Os candidatos devem ainda submeter duas fotografias à candidatura: uma de rosto e outra de corpo inteiro. As inscrições estão abertas para todos os jovens maiores de 14 anos, residentes ou não no concelho de Vila Verde, e devem ser efetuadas até ao dia 2 de fevereiro

Mais informações:

www.namorarportugal.pt

castingnamorarportugal@gmail.com

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DE CAMINHA: VOTAÇÃO DOS PROJETOSARRANCA SEGUNDA-FEIRA

Cidadãos maiores de 16 anos podem votar na Câmara Municipal, no Gabinete de Apoio ao Munícipe em Vila Praia de Âncora ou em cada uma das freguesias

O Orçamento Participativo 2015 de Caminha está na reta final, no que diz respeito à seleção das obras a realizar. Chegou o tempo dos caminhenses escolherem os projetos que querem ver desenvolvidos no concelho. A votação arranca segunda-feira, dia 18 de janeiro, e prolonga-se até ao dia 11 de fevereiro. A votação pode ser feita na Câmara Municipal, no Gabinete de Apoio ao Munícipe em Vila Praia de Âncora ou em cada uma das freguesias. Cada cidadão maior de 16 anos poderá votar em dois projetos. “Nos últimos meses, foi dada a palavra aos cidadãos para apresentarem as propostas que consideram ser as melhores para a nossa terra. Agora é aberto o período de votação para que todos possam decidir o que fazer no nosso Concelho. A escolha é sua. Participe!”, convida Miguel Alves.

Op (3)

O Orçamento Participativo de Caminha assenta num modelo de participação inovador, através do qual os participantes apresentaram propostas e decidiram os projetos que consideram ser os mais prioritários, até 180 mil euros, ou seja, a verba contemplada no Orçamento Participativo correspondente ao valor de IRS que os munícipes do concelho pagaram durante o ano de 2015.

Assim, a partir da próxima segunda-feira, as pessoas podem escolher entre 14 projetos que dizem respeito às freguesias de Gondar e Orbacém, Arga, Lanhelas, Seixas, Venade e Azevedo, Argela, Riba de Âncora, Âncora, Vila Praia de Âncora e Caminha e Vilarelho.

Os projetos a votação são: adaptação do Centro Cultural de Gondar para unidade de apoio domiciliário - União das freguesias de Gondar e Orbacém (60 mil euros); rede WIFI para as freguesias das Argas (Baixo, Cima e S. João) e Dem (40 mil euros); implementação de parque infantil e equipamento fitness junto ao rio Minho – Lanhelas (40 mil euros); beneficiação do edifício EB1 de Lanhelas (renovação de caixilharias) – Lanhelas (37 mil euros); requalificação dos abrigos das artes de pesca – Lanhelas (30 mil euros); requalificação da casa das Pedras Ruivas – Seixas (60 mil euros); requalificação do caminho entre Argela e Venade (Colarinha e Aldeia Nova) – Freguesias de Venade e Azevedo e Freguesia de Argela (60 mil euros); rota dos moinhos / Limpeza das linhas de água – Freguesias de Venade e Azevedo e freguesia de Argela (60 mil euros); forno comunitário (Do Campo à Mesa) – Riba de Âncora (45 mil euros); beneficiação do Jardim de Infância – Âncora (40 mil euros); beneficiação da escola EB de Âncora Lage – Âncora (60 mil euros); recuperação do espaço envolvente ao Dólmen da Barrosa – Vila Praia de Âncora (60 mil euros); Reparação do cais da Rua e colocação de guindaste para embarcações (Caminha) – Freguesias de Caminha e Vilarelho (35 mil euros) e Aquisição de cisterna para a junta de freguesia – Âncora (60 mil euros).

Recorda-se que os projetos a votação resultam da vontade dos caminhenses que participaram nos encontros de participação que decorreram no passado mês de outubro.No total, esses encontros mobilizaram mais de 250 cidadãos, com muitas ideias e projetos.

A votação está aberta a todos os cidadãos maiores de 16 anos que possuam uma relação com o concelho e que tenham interesse no seu desenvolvimento (residentes ou não no concelho). Quem quiser participar deverá fazer-se acompanhar do Cartão de Cidadão/Bilhete de Identidade e Cartão de Identificação Fiscal e poderá votar apenas em dois dos projetos.

A votação é presencial e vai decorrer na Câmara Municipal de Caminha, de segunda a sexta-feira e ao sábado da parte da manhã, e no Gabinete de Apoio ao Munícipe em Vila Praia de Âncora, de segunda a sexta-feira. Mas a Câmara Municipal também vai disponibilizar uma carrinha itinerante parapercorrer as freguesias.

O Orçamento Participativo de Caminha é mais uma peça na estratégia de abertura à sociedade que a Câmara vem concretizando. A atribuição de gabinetes aos partidos da oposição, a criação do Provedor do Munícipe, a transmissão online das Assembleias Municipais, o atendimento personalizado aos cidadãos, quer em Caminha, quer em Vila Praia de Âncora, a realização das reuniões de Câmara descentralizadas em todas as freguesias, o debate e votação aberta de grandes projetos como o do Mercado Municipal de Caminha, são eixos de atuação do Município que, juntamente com o Orçamento Participativo, consubstanciam um novo tempo para a gestão autárquica do nosso Concelho”, assume o presidente da Câmara.

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS DO ALTO MINHO PROMOVE EM VIANA DO CASTELO CONFERÊNCIA SOBRE PATRIMÓNIO CULTURAL E CULTO MARIANO

Ciclo de Estudos sobre Arte abre com conferência dedicada ao património cultural e ao culto mariano

No próximo dia 21 de Janeiro (quinta-feira), na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17 horas, Pedro Pereira apresenta a comunicação com o título “A rua, a arte e o ritual: o património cultural numa expressão do culto mariano”, no âmbito do ciclo de estudos “Arte, da criação à fruição”, promovido pelo Centro de Estudos Regionais e sua Academia Sénior. A sessão é pública.

Pedro Pereira é licenciado, mestre e doutorado em Antropologia. Professor Adjunto no Ensino Superior, tem lecionado UCs do campo da Sócio-Antropologia em diversos Cursos e Escolas do IPVC. Como temas de investigação, tem privilegiado a religião, a saúde, a enfermagem e o património cultural. Atualmente, desenvolve um projeto de Pós-doutoramento em Antropologia e é investigador do CAPP-ISCSP (Universidade de Lisboa).

A comunicação de Pedro Pereira abre o conjunto de conferências do ciclo de estudos sobre Arte, iniciativa do Centro de Estudos Regionais, cujo programa, apresentado no passado dia 13 de Janeiro, prevê a intervenção de especialistas, investigadores e autores, representativos de múltiplas disciplinas, que abordarão temas associados à Arte. O ciclo de estudos inclui, ainda, um conjunto de exposições, visitas de estudo e um curso sobre o Barroco.

VALENÇA ECONOMIZA COM REDE INTELIGENTE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

Valença Poupa 19 mil Euros Ano com Leds Instalados no Parque Empresarial e Cidade

A Câmara Municipal de Valença está a avançar com uma rede inteligente de iluminação pública com tecnologia led e sistema de controlo de fluxos que permitam maior eficácia e redução de consumos.

A intervenção implica a colocação de 583 novas luminárias leds, na rede de iluminação pública do concelho, nomeadamente na área central da cidade e no Parque Empresarial, áreas de maior consumo e fluxo do concelho.

Na área do Parque Empresarial de Valença, para além de substituir todas as luminárias, a Câmara Municipal aplicou um inovador sistema de controle de fluxos que permite gerir melhor a intensidade da luz e os horários de funcionamento das luminárias.

A poupança ano estimada é de cerca de 19 mil euros, valor que permite reduzir os gastos financeiros para o Município que em 2015 atingiram o valor de cerca de 221 mil euros. O novo sistema permite, também, dar um contributo valioso para a redução das emissões CO2. Valença está, cada vez mais, um concelho sustentável e amigo do ambiente.

A requalificação do sistema de iluminação pública de Valença implicou um investimento de 105 mil euros, financiados pelo programa comunitário P.O.V.T.- Programa operacional valorização do Território, em 85%.

Valença tem sido pioneira na aplicação da tecnologia led nas redes de iluminação pública, bem como ao nível de equipamentos, nos últimos anos. Um avanço que já foi premiado, em 2012, com a atribuição do segundo prémio internacional Auroralia 2012, no Festival anual de luz de Lyon (França). Nesta data o prémio foi entregue à cidade de Valença, pelo seu plano de renovação dos espaços públicos, nomeadamente na Fortaleza. O objetivo foi melhorar a paisagem noturna desta cidade medieval, espaço de atratividade turística e comercial.