Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIZELA PROCURA VOLUNTÁRIOS

Câmara Municipal de Vizela procura dois jovens voluntários para programa de 9 meses em Frontignan - França

Encontram-se abertas até ao dia 10 de setembro as inscrições para um programa de voluntariado de nove meses em Frontignan La Peyrade - França no âmbito do Programa Erasmus +.

sve i

O programa decorre de 1 de outubro a 30 de junho.  Os candidatos devem ter entre 18 e 30 anos. As despesas de viagem, alojamento e alimentação dos voluntários estão asseguradas pelo município de Frontignan, ao abrigo do programa Erasmus+. Os voluntários têm direito também a uma bolsa mensal de 115 euros.

Os dois candidatos escolhidos de entre as inscrições terão também direito a uma preparação linguística, cultural e psicológica efetuada pelos serviços da Câmara Municipal de Vizela (entidade de envio).

Das atividades previstas realizar pelos voluntários em França destacam-se a preparação e realização da Festa da Europa, a 9 de maio de 2016, a realização de um torneio desportivo e a preparação e dinamização de uma exposição cultural. Os voluntários irão também participar na organização de um concurso intitulado “movendo fronteiras”.

Para além da preparação, a Câmara Municipal de Vizela irá estar em permanente contacto com o serviço de acolhimento e com o voluntário, de forma a potenciar a integração e o sucesso do programa.

As inscrições devem ser feitas através do email juventude@cm-vizela.pt ou presencialmente no Espaço Jovem de Vizela (Rua da Portela n.º 25).

Uma experiencia de vida espera por ti! Inscreve-te!

CABECEIRAS DE BASTO HOMENAGEIA FILHOS ILUSTRES DO CONCELHO

Executivo Cabeceirense homenageia Mário Campilho, antigo presidente de Câmara, com Medalha de Ouro. José Manuel Machado Borges agraciado com Medalha de Prata. Deliberações da Reunião de Câmara de 31 de agosto de 2015

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto, sob a presidência de Francisco Alves, deliberou ontem, dia 31 de agosto, homenagear duas personalidades cuja ação pública contribuiu de forma evidente para o desenvolvimento de Cabeceiras de Basto e das suas gentes. Aquela deliberação distingue, assim, com a Medalha de Mérito Público – Grau Ouro, o antigo presidente de Câmara, Mário Campilho Gonçalves Pereira e com a Medalha de Mérito Público – Grau Prata, o cidadão José Manuel Borges Machado. Os galardões serão entregues na cerimónia pública evocativa do Dia do Município a realizar no próximo dia 29 de setembro.

Mário Campilho Gonçalves Pereira dedicou grande parte da sua vida à ação política, tendo desempenhado inúmeros cargos partidários no Partido Social Democrata, destacando-se ainda a sua intervenção ativa e participação relevante nos mais diversos setores da sociedade civil. “Mas foi como Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, cargo que exerceu durante 14 anos, entre 1980 e 1993, que a sua dedicação ao serviço público se distinguiu pela afirmação pública de valores e convicções próprias dos homens que promovem, lutam e defendem causas coletivas em que acredita”, sustenta o texto da deliberação.

Considerando que o senhor Mário Campilho desenvolveu uma ação “meritória, notável e exemplar ao serviço de Cabeceiras de Basto, enquanto cidadão e autarca, e prestou serviços relevantes e distintos de carácter cívico e político ao concelho e que pela sua ação pública e mérito pessoal contribuiu de forma evidente para o desenvolvimento de Cabeceiras de Basto, trabalhando abnegadamente em prol do bem comum dos Cabeceirenses”, a Câmara Municipal, “em sinal de reconhecimento e de gratidão”, deliberou, por unanimidade, homenagear o cidadão Mário Campilho, antigo Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, atribuindo-lhe a Medalha de Mérito Público – Grau Ouro.

Mário Campilho nasceu a 9 de dezembro de 1928, na freguesia de Refojos de Basto, em Cabeceiras de Basto. Frequentou a Escola Primária do Campo do Seco e o Colégio Almeida Garrett, no Porto, e concluiu o Curso Geral dos Liceus no Externato de S. Miguel de Refojos, no ano de 1947.

Casado e pai de dois filhos, Mário Campilho foi um reconhecido desportista que praticou várias modalidades como o futebol, atletismo, andebol e basquetebol.

Professor de Educação Física no Externato de S. Miguel de Refojos, ao longo de vinte anos, entre 1956 e 1976, Mário Campilho foi também funcionário da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Chefe dos Serviços Administrativos dos Serviços Federados da Região - organismo responsável pela produção, transporte e distribuição de energia elétrica – e, mais tarde, Chefe de Departamento da EDP.

A sua participação na sociedade civil ficou fortemente marcada pela sua passagem pelos Bombeiros Voluntários Cabeceirenses, Associação Humanitária onde, para além de bombeiro, foi ajudante de comando e comandante operacional, Vice-presidente da Direção e Presidente da Assembleia Geral. Entre muitas outras atividades de voluntariado e participação cívica, foi também Presidente da Direção e da Assembleia Geral da Banda Cabeceirense e Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Misericórdia de S. Miguel de Refojos.

Com a Medalha de Mérito Público – Grau Prata, o Executivo Municipal decidiu, por unanimidade, homenagear o Professor José Manuel Borges Machado, enquanto exemplo de dedicação e de trabalho associativo.

José Manuel Borges Machado, professor na Escola Básica da Ferreirinha, na vila de Cavez, é diretor do Grupo Desportivo de Cavez, que perfaz este mês 40 anos de atividade. Foi fundador do BIC, o Boletim Informativo de Cavez criado em 1980, assumindo a sua direção desde 1985 até aos dias de hoje.

O Professor José Borges, como é conhecido, “é um exemplo de voluntariado, de dedicação, de entrega, de coragem, de desportivismo, de empenhamento, de responsabilidade, que é único no concelho, com esta dimensão, o que urge realçar e louvar. Numa altura em que o associativismo atravessa grandes dificuldades, quando o voluntariado escasseia, quando o sentido comunitário está em crise, o exemplo do Prof. José Borges é de enaltecer”, lê-se na deliberação.

Com esta atribuição da Medalha de Mérito Público, a Câmara Municipal reconhece a ação daqueles que na sociedade se destacam por servir, por contribuir com o seu trabalho, mas sobretudo com o seu exemplo, para uma comunidade mais desenvolvida, mais solidária e mais participada.

Assim, considerando que o Prof. José Manuel Borges Machado completou, neste ano de 2015, trinta anos de atividade relevante na promoção do desporto e da comunicação social, da freguesia de Cavez e do concelho de Cabeceiras de Basto e que tem contribuído, ainda, para a projeção do nome e da imagem de Cavez e de Cabeceiras de Basto, na região, no país e no estrangeiro, a Câmara Municipal, “em sinal de reconhecimento e de gratidão”, deliberou homenagear o Prof. José Manuel Borges Machado com a Medalha de Mérito Público – Grau Prata.

MODA FÓRUM VIZELA 2015: VIZELA ESTÁ NA MODA!

A Câmara Municipal de Vizela volta a apoiar o Fórum Vizela, na realização do desfile de moda - “MODA FÓRUM VIZELA 2015”-, que terá lugar no próximo dia 19 de setembro, pelas 21.30 horas, na Praça do Município/Fórum Vizela.

banner moda forum vizela 2015-2

O evento será apresentado por Liliana Faria e Afonso Vilela e contará com a presença dos manequins Sofia Arruda e Pedro Barroso, que vão apresentar as propostas das lojas do Fórum Vizela para a nova estação.

No próximo domingo, dia 6 de setembro terá lugar o casting para o Desfile Moda Fórum Vizela 2015, pelas 17 horas. Às 21h00 tem lugar o Concerto LeopardSkin.

Se tens entre os 15 e os 26 anos, inscreve-te enviando um e-mail com o teu nome, contacto e fotografia para:castingforum.elegancemodels@gmail.com

MUNICÍPIO DE MONÇÃO TOMA POSIÇÃO SOBRE A NÃO HOMOLOGAÇÃO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CONCELHO

COMUNICADO

REUNIÃO ORDINÁRIA CÂMARA MUNICIPAL DE MONÇÃO

Assunto n.º 236 - Apreciação e votação de uma proposta do Presidente da Câmara para Tomada de Posição do Município de Monção sobre a decisão de não homologação da eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas de Monção.

O Executivo Municipal de Monção, reunido ontem à tarde no Cine Teatro João Verde, aprovou, por maioria, a proposta do Presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, visando uma tomada de posição do Município de Monção sobre a decisão de não homologação da eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas de Monção.

Na proposta, aprovada com seis votos a favor do PS e PSD e um voto contra do CDS, concede-se ao Ministro da Educação um prazo até 11 de setembro para que avoque o procedimento administrativo de eleição do diretor do Agrupamento de Escolas de Monção e proceda à respetiva homologação do vencedor.

Não o fazendo até aquela data, o documento determina o corte imediato e por tempo indeterminado de relações institucionais entre o Município de Monção e o Ministério de Educação, bem como a denúncia unilateral do contrato de delegação de competências nº250/2009 e consequente não exercício das referidas competências em matéria de educação.

A saber: Transferência do pessoal não docente das escolas básicas e da educação pré-escolar novamente para o Ministério da Educação; devolução da gestão do parque escolar no 2º e 3º ciclo do ensino básico e suspensão de atividades de enriquecimento curricular no 1º ciclo do ensino básico.

A presente decisão, apoiada maioritariamente pelas cerca de 300 pessoas que enchiam o Cine Teatro João Verde, fundamenta-se na grave instabilidade existente no Agrupamento de Escolas de Monção, a qual tem motivado desconforto e mal-estar no corpo docente, incompreensão dos encarregados de educação e enormes dificuldades no normal desenvolvimento do processo de aprendizagem dos alunos.

Prova disso é a sequência de maus resultados nos últimos três a quatro anos como comprovam os resultados vergonhosos do ensino secundário 2014/2015 (1ª fase), estando a ser colocada em causa uma geração inteira e 10 por cento da população do Município de Monção.

Neste aspeto foi igualmente realçada a existência de turmas mistas no 1º ciclo com alunos de vários anos de ensino na mesma turma. Esta situação, contestada pelos encarregados de educação, já foi comunicada à DGESTE e à CAP, não havendo, até ao momento, qualquer decisão no sentido de alterar as turmas.

Sobre este assunto, a Vice-Presidente da Câmara Municipal de Monção, Conceição Soares, referiu que esta medida contraria a Lei de Bases do Sistema Educativo, bem como o princípio base, inscrito na Carta Educativa de Monção, que levou o Município de Monção a aceitar a concentração de escolas no concelho, fazendo um avultado investimento no parque educativo e transportes escolares.

Estes pressupostos de um ensino de qualidade pautado por valores de igualdade, são claramente contrariados com a decisão de colocar alunos do 4º ano numa turma do 1º ano. Como é referido no relatório da OCDE Education at a glance, 2014, o aumento do número de alunos por turma ganha particular destaque pela sua eficácia negativa e impacto imediato na capacidade dos professores em se relacionar com os seus alunos e vice-versa.

Carta enviada ao Ministro da Educação ainda sem resposta

A apreciação e votação deste assunto em sessão camarária é do conhecimento do Ministro da Educação há mais de uma semana através de carta enviada para o Ministério da Educação datada de 19 de agosto. Nesse mesmo dia, seguiu por correio eletrónico para o chefe de gabinete.

A missiva, que o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, leu na íntegra no início da discussão do ponto, faz um percorrido pelas várias etapas do processo, destacando o teor dos encontros com responsáveis ministeriais, as impugnações dos atos eleitorais, as ações administrativas nos tribunais e a dificuldade de gestão e aprendizagem decorrentes das sucessivas comissões administrativas provisórias.  

No documento é referido que a gestão de um agrupamento escolar não se compadece com soluções provisórias - as quais pela sua própria designação devem ser temporárias e visando a rápida normalização do funcionamento das instituições - nem pode ficar refém dos interesses instalados que sempre descortinarão fundamentos para impugnações e ações judicias.

Apelando à intervenção urgente do Ministro da Educação, é sublinhado ainda que o direito a um ensino público de qualidade, a uma gestão transparente e rigorosa dos recursos públicos, e à defesa das atribuições e competências municipais na área da educação, são fatores fundamentais de um processo educativo coerente e eficiente.

Dessa forma, a não homologação dos resultados eleitorais democraticamente obtidos tendo como suporte único e exclusivo as ações judiciais em curso, revela-se uma decisão desajustada à realidade educativa com implicações na perpetuação de soluções provisórias de gestão que em nada beneficiam o ensino.

Na parte final da carta, o titular da pasta da educação é alertado para as consequências da não homologação do processo eleitoral, que viriam a ser aprovadas na reunião do executivo, e solicitado a intervir ativamente e com rapidez numa tomada de decisão que sirva o interesse público da comunidade educativa.

Para o esclarecimento de qualquer dúvida, o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, colocou-se à disposição para a realização de uma reunião à hora e local marcado pelo Ministério da Educação. Até ao momento, ainda não houve resposta.

MUNICÍPIO DE BRAGA BAIXA O IMI

Mais de 25 mil famílias Bracarenses beneficiadas com descida do IMI. Medida beneficia cerca de 40% das famílias

O Município de Braga aprovou, a 22 de Junho de 2015, a proposta de redução da taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), o que representa um benefício directo a cerca de 40% das famílias residentes no Concelho de Braga, o que totaliza um número superior a 25 mil famílias.

Braga

Um dos factores mais inovadores centra-se na introdução de uma minoração de 10% no IMI, a aplicar nos imóveis destinados a habitação própria e permanente, quando o número de dependentes que compõem o agregado familiar for igual ou superior a dois elementos. Desta forma, o Município de Braga garante um benefício financeiro directo às famílias, no seguimento de uma política de responsabilidade social desenvolvida pelo actual Executivo.

A proposta contempla ainda uma minoração de 20% da taxa para edifícios reabilitados, para a habitação, incentivando, assim, a reabilitação urbana, a fixação da população e a atracção de novos residentes. Ainda no que se refere ao IMI, o valor cobrado para prédios urbanos será de 0,35%.

O Município de Braga decidiu, também, incluir uma redução de 50% para prédios urbanos arrendados, cujos contratos tenham sido celebrados ao abrigo do programa municipal ´Encaixa-te´, promovendo deste modo as actividades culturais e criativas e reforçando a polarização comercial do centro histórico da Cidade.

Por outro lado, será aplicada uma taxa com majoração de 30% a aplicar a prédios urbanos degradados, considerando-se como tais os que não cumpram satisfatoriamente a sua função ou façam perigar a segurança de bens e pessoas.

VIMARANENSES VOTAM ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

Votação nas propostas do Orçamento Participativo 2015 começa esta 4ª feira. Período de voto decorre até ao início de outubro

Cidadãos podem votar em 15 projetos até ao dia 02 de outubro, através da internet. Votação presencial na Câmara Municipal também tem início esta quarta-feira, mas termina a 30 de setembro.

OP_2015

A fase de votação nas propostas da edição de 2015 do Orçamento Participativo de Guimarães principia esta quarta-feira, 02 de setembro. O sufrágio prolonga-se durante um mês na plataforma digital do OP2015, onde foi publicada esta segunda-feira a lista das 15 propostas que foram admitidas à votação por parte dos cidadãos.

Durante a fase de apresentação de propostas, foram registadas 26 ideias submetidas pelos cidadãos e, após a análise técnica por parte dos serviços municipais quanto à sua elegibilidade, foram consideradas 9 propostas no âmbito da sustentabilidade ambiental e 6 na área do voluntariado e solidariedade, tendo por base as normas de participação e o regulamento aprovado para a edição deste ano.

O dia de início para a votação online coincide com a data de arranque da votação presencial, através da realização de uma Assembleia de Voto no Balcão Único de Atendimento, na Câmara Municipal, disponível ao público até ao dia 30 de setembro, de segunda a sexta-feira, entre as 09 e as 17 horas. Até ao dia 9 de outubro será divulgada a lista com os resultados finais.

Novo registo para exercer voto

Podem participar no Orçamento Participativo os cidadãos com idade igual ou superior a 18 anos, naturais ou residentes no concelho de Guimarães. A votação nos projetos validados pelos serviços municipais decorre por via eletrónica (http://op.cm-guimaraes.pt), mediante a realização de um registo, com a indicação dos seguintes dados: Nome, Número de Contribuinte, Bilhete de Identidade/Cartão de Cidadão, Data de Nascimento, Número de Telemóvel e Relação com o Município.

Caso o registo seja válido, será enviado ao cidadão uma senha (password) de acesso ao portal e, no ato de votação, será enviado um PIN para o telemóvel que permite exercer o voto na proposta desejada. Os cidadãos que recorram à Assembleia de Voto presencial deverão estar munidos dos documentos de identificação que permitam confirmar a naturalidade ou residência no concelho de Guimarães, sendo que cada participante apenas poderá votar uma vez.

Ao Orçamento Participativo é atribuída a verba global de 500 mil euros para financiar os projetos mais votados pelos cidadãos. O valor máximo de cada proposta é de 50 mil euros, com IVA incluído à taxa legal em vigor. Da verba global, 100 mil euros são destinados à iniciativa de âmbito escolar no âmbito do “OP Escolas’2015”, que abrangeu catorze agrupamentos de escolas e duas secundárias do concelho de Guimarães. Neste caso, o valor máximo de cada proposta foi de 6.250 euros, com IVA incluído à taxa legal em vigor.

INVESTIMENTOS ESTRUTURANTES EM MONÇÃO GARANTEM MAIS QUALIDADE DE VIDA E PROMOVEM O TURISMO

Após um primeiro semestre forte em investimentos, a segunda metade do ano reserva novas apostas na rede viária, parque escolar e oferta turística. Neste momento, encontram-se em fase de execução, umas mais adiantadas que outras, diversas empreitadas em várias freguesias do concelho. No seu conjunto, representam um investimento global de 1.324.176,31 €.

Acesso ao Minho Parque Monção (Large)

Depois de uma primeira metade do ano com a entrada em funcionamento de vários investimentos estruturantes na vila e em diversas freguesias do concelho (Centro de Noite de Badim, Centro Paroquial de Merufe, Museu Alvarinho, Centro Cultural do Vale do Mouro, Relvado Sintético da U.D. “Os Raianos”, Estrada Intermunicipal Badim-Cousso), a Câmara Municipal de Monção apresta-se para mais um conjunto de inaugurações que decorrerão ainda este ano ou no início do próximo.

EN 202 em Ceivães (Large)

Na última sexta-feira, o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, a Vice-Presidente, Conceição Soares, e o Chefe de Divisão de Obras e Urbanismo, Jorge Tavares, visitaram alguns dos investimentos em andamento no concelho para, no próprio local, fazerem o ponto de situação de cada um deles.

Para Augusto de Oliveira Domingues, “estes investimentos refletem a preocupação do município na valorização dos recursos endógenos, promoção cultural, dinamização empresarial, valorização do parque escolar e facilidade/segurança na circulação entre as freguesias”.

Acrescentou: “Por um lado, garante-se melhor qualidade de vida a quem reside no concelho e, por outro,  amplia-se a oferta turística a quem nos visita. Desta forma, damos um passo muito importante no sentido de reforçar o nosso objetivo de fazer de Monção um município atrativo para investir e viver”.

Neste momento, encontram-se em fase de execução várias empreitadas em diversas freguesias do nosso concelho. Apresentando etapas distintas de desenvolvimento, umas mais adiantadas que outras, representam, no seu conjunto, um investimento global de 1.324.176,31 €.

Acesso ao Minho Parque Monção e EN 202 (2ª fase)

O acesso ao Minho Parque Monção, espaço empresarial de última geração que compreende uma área de 56 hectares de terreno, cumpre o prazo estipulado para a sua execução, tendo o percurso de aproximadamente um quilómetro já recebido as primeiras camadas de asfaltamento.

Loteamento do Real (Large)

Esta empreitada, avaliada em 711.326,74 €, garante acesso direto da EN 13 ao Minho Parque Monção, constituindo-se ainda como mais uma alternativa rodoviária para aceder ao interior do Vale do Gadanha e facilitar a circulação entre as freguesias daquela área territorial do concelho.

O processo de requalificação da Estrada Nacional 202 encontra-se na segunda fase. Com um investimento de 269.476,79 €, decorre entre as freguesias de Barbeita e Ceivães numa distância de 4,1 quilómetros, implicando uma substancial melhoria daquela estrada bastante movimentada e servida por vários estabelecimentos comerciais e residências.

Entre outros trabalhos, está prevista a requalificação e pintura do pavimento, colocação de sinalização vertical, instalação de guardas de segurança e construção de passeios. Posteriormente, decorrerá a 3ª fase entre Ceivães e o limite geográfico do concelho vizinho de Melgaço numa extensão aproximada de 4 quilómetros.

Loteamento do Real, Torre de Lapela

Praticamente concluído está o acesso ao Loteamento do Real. Esta empreitada, no valor de 152.187,12 €, constou de intervenções ao nível de infraestruturas básicas, colocação de ecopontos para recolha de resíduos diferenciados, regularização de passeios e beneficiação de pavimentos. O acesso já se encontra aberto à circulação automóvel.

Com a empreitada em fase de ultimação está também a Torre de Menagem de Lapela, monumento nacional desde 23 de junho de 1910 com elevado significado histórico-cultural e um apelativo enquadramento paisagístico sobre o casario tradicional de Lapela, rio Minho e margem galega.

Os trabalhos de requalificação, na ordem de 59.360,00 €, permitirão a criação de mais um “trunfo” turístico no concelho. Dada a proximidade da Ecopista do Rio Minho, residentes e visitantes podem complementar uma caminhada retemperadora com o aprofundamento da história local num espaço que proporciona “olhares” únicos sobre o espaço envolvente.

Portico Parque Empresarial da Lagoa (Large)

Balneário termal antigo, Centro Escolar de Mazedo e Pórtico na Lagoa

A beneficiação do património construído nota-se igualmente no antigo balneário termal com a intervenção prevista para a parte exterior do edifício. Avaliados em 77.804,66 €, os trabalhos abrangem a reconstrução da clarabóia, coberturas em telha, picagem, execução de novos rebocos, pinturas exteriores, lavagem de superfícies em granito, aplicação de novas caixilharias nas portas e janelas e recuperação da ponte de acesso ao piso superior.

Com este investimento, o edifício ficará de cara lavada no seu aspeto exterior, faltando a reconstrução interior que será adaptada à nova funcionalidade. A autarquia ainda não definiu qual o seu futuro visto qualquer projeto ou ideia “esbarrar” na previsível inundação, com águas do rio Minho, de parte do edifício durante o inverno.  

No âmbito da valorização do parque escolar, arrancou há poucos dias a empreitada de beneficiação do Centro Escolar de Mazedo. A obra foi adjudicada por 27.494,28 €, prevendo a construção de um novo alpendre e pinturas exteriores nos edifícios existentes.

Na perspetiva de dinamização do Parque Empresarial da Lagoa, a qual engloba a instalação de ligação das empresas à rede de fibra ótica, está a ser colocado um pórtico à entrada do parque, garantindo maior visibilidade ao loteamento empresarial. A estrutura custa 26.526,72 €.

COLIGAÇÃO PORTUGAL Á FRENTE REÚNE EM ARCOS DE VALDEVEZ COM DIREÇÃO DA ACIAB

Analisar a Realidade Empresarial da Região foi o Propósito do Encontro

A Coligação Portugal à Frente (PSD/CDS), por Viana do Castelo, reuniu com a direção da ACIAB, no dia 1 de setembro de 2015, nas suas instalações, em Arcos de Valdevez, com o objetivo de discutir e analisar a situação do tecido empresarial dos concelhos de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca.

Reuniiao

A ACIAB representada pelo presidente da mesa da assembleia geral, Lúcio Afonso, pelo presidente da direção, António Campos, pelo vice-presidente da direção, João Esteves, e pelo vice-presidente executivo, Francisco Peixoto Araújo abordaram sucintamente alguns pontos-chave que resumem a realidade do tecido empresarial da região e os projetos que a ACIAB considera necessário realizar no sentido de melhorar as condições de fixação das empresas na nossa região e, desta forma, proporcionar crescimento.

A reunião permitiu, assim, uma troca de informação e ideias entre as partes, onde a ACIAB deu a conhecer os obstáculos com os quais se depara, nomeadamente no âmbito dos projetos de investimento para o apoio às empresas, concretamente para as micro e pequenas empresas. A ACIAB salientou ainda a importância de desenvolver junto do tecido empresarial uma intervenção especializada que deverá ser dada pelas associações empresariais pois são estas que melhor conhecem as empresas, as suas necessidades e as melhores formas de atuação junto destas para que assim possam crescer sustentavelmente nas suas variadas vertentes.

Durante a reunião foram ainda tocados os pontos cruciais para o desenvolvimento empresarial dos territórios de baixa densidade como a necessidade de projetos que distingam este tipo de zonas, através de uma diferenciação positiva ao nível de apoios financeiros assim como apoios que permitam a remodelação da imagem e das estruturas das empresas em meios rurais, atualmente ainda pouco desenvolvidas, assim como a revitalização do comércio e dos centros históricos.

Esta visita, à ACIAB, pelos candidatos a deputados teve como intuito recolher e atualizar informação relativa a variados aspetos que dizem respeito à situação empresarial e económica dos concelhos. Desta forma, a ACIAB constituiu uma das entidades a auscultar pelos candidatos, permitindo-lhes assim conhecer melhor o trabalho desenvolvido pela associação junto do tecido empresarial.

Reunião

CERVEIRENSES VOTAM ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

OP 2015: Votação das propostas finalistas arrancou esta terça-feira

Através da plataforma online ou do modo presencial nos Paços do Concelho e nas sedes das Juntas de Freguesia. Tudo a postos para a fase de votação dos 14 projetos admitidos, no âmbito do Orçamento Participativo 2015 do Município de Vila Nova de Cerveira. As propostas podem ser consultadas em http://op.cm-vncerveira.pt/. Período de votação aberto durante todo o mês de setembro.

OP Votaçao

Neste momento, estão contabilizados 47 participantes registados e com acesso à votação. Este processo de registo tem de ser efetuado online, através do preenchimento de um formulário no Portal do OP. Para quem não tem facilidade de acesso à Internet, a Câmara Municipal disponibiliza apoio presencial, quer nos Paços do Concelho, quer nas sedes das Juntas de Freguesia, onde estará presente uma pessoa para proceder às explicações necessárias e disponibilizado um computador para a votação.

Cada pessoa registada tem direito a apenas um voto, sendo que os jovens com idades entre os 15 e 35 anos têm a possibilidade de votar uma vez no Orçamento Participativo Jovem e uma outra no Orçamento Participativo Geral.

A vereadora Aurora Viães apela ao registo e votação da população cerveirense neste processo de democracia, sublinhando que está a ser colocada nas mãos dos cidadãos a possibilidade de selecionarem e aprovarem projetos para o desenvolvimento do concelho, num investimento total de 100 mil euros.

Recorde-se que, de um total de 32 propostas apresentadas (29 para o Orçamento Participativo Geral e 3 para a vertente Jovem), 14 propostas vão a votação. De salientar que 15 propostas da área da Inovação e Modernização foram agregadas devido à sua similaridade e foram ainda excluídas duas propostas na área da Inovação e Modernização, pois os seus autores enviaram as fichas de apresentação incompletas, e uma outra na área da Reabilitação do Património porque não se enquadra dentro das competências da autarquia.

O(s) projeto(s) vencedor(es) será(ão) apresentado(s) a 1 de Outubro, decorrendo ainda durante todo esse mês um período de recolha de sugestões para o próximo OP.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE TERRAS DE BOURO REALIZA-SE A 11 DE SETEMBRO

O Presidente da Assembleia Municipal de Terras de Bouro, Senhor Guilherme José Coelho Alves, faz público, de acordo com as disposições legais aplicáveis, que no dia 11 de setembro, no Salão da Junta de Freguesia da Balança, pelas 20:30 horas, se realizará uma Sessão Ordinária desta Assembleia Municipal que versará a seguinte ordem de trabalhos:

  1. Apreciação da atividade do Município, bem como da situação financeira do mesmo, nos termos definidos na alínea c) do n.º 2, do art.º 25, do Decreto – Lei nº75/2013 de 12 de Setembro;
  2. Análise e votação de Proposta sobre o Imposto Municipal sobre Imóveis;
  3. Análise e votação de Proposta sobre a Participação variável no IRS;
  4. Análise e votação de Proposta sobre a Derrama;
  5. Análise e votação de Proposta sobre a Taxa Municipal de Direitos de Passagem;
  6. Análise e votação da quarta revisão às Grandes Opções do Plano e Orçamento da Receita e da Despesa para o ano de 2015;
  7. Análise e votação de adesão do Município de Terras de Bouro ao Fundo de Eficiência Energética;
  8. Apresentação do Relatório Semestral do Revisor Oficial de Contas.

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO BRACARENSE VISITA ASSOCIAÇÃO DE DEFICIENTES VISUAIS DO DISTRITO DE BRAGA

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, visitou hoje, 1 de Setembro, a Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga (AADVDB). O convite partiu daquela entidade sediada no concelho da Póvoa de Lanhoso que, desta forma, agradeceu todo o apoio que o Município de Braga tem prestado à AADVDB.

1

Na ocasião, o Autarca Bracarense destacou o trabalho que a associação desenvolve junto de quem mais precisa de apoio. “O trabalho que esta associação realiza, de há muitos anos a esta parte, é algo que se vê e se sente. E é muito importante que exista, no nosso território, uma instituição como esta, que está ao lado de quem precisa de respostas muito específicas”, sustentou o Edil que também assinou o livro de honra da AADVDB.

Ricardo Rio referiu que o Município de Braga continuará, dentro das suas possibilidades, a apoiar esta associação, lembrando que uma das prioridades é “dar a todos os cidadãos as condições necessárias para que consigam uma integração plena na sociedade”.

4

Já Domingos Silva, presidente da AADVDB, realçou que a visita do presidente da Câmara de Braga serviu para dar a conhecer a realidade da instituição que também acolhe muitos Bracarenses. “O Município de Braga, na pessoa do seu presidente e também vice-presidente, tem sido incansável para connosco e era importante que viessem cá conhecer aquilo que fazemos”, afirmou.

De referir que a AADVDB foi fundada a 19 de Janeiro de 1996, preparando-se para comemorar 20 anos de existência. Animação sociocultural, motricidade humana, psicologia e serviço social são algumas das áreas de intervenção da AADVDB.

6

FAMALICÃO: TEATRO DA DIDASCÁLIA REGRESSA DE FÉRIAS

A rentrée do Teatro da Didascália faz-se na casa da Avó Aida. Festival Contos d’Avó começa já na próxima semana.

Poderíamos arrancar a nossa temporada de 2015-2016 como todos os outros, sob a luz quente dos projectores de um teatro… não. O ranger do soalho da casa da Avó Aida é mais acolhedor que as tábuas negras de qualquer teatro, revelando-se o local ideal para dar o pontapé de saída da nossa temporada.

primage_13455

De 10 a 13 de Setembro, o Teatro da Didascália volta de férias com a terceira edição do festival Contos d’Avó, um festival itinerante de narração oral com características únicas, realizado nas próprias casas de avós de três freguesias rurais do Concelho de Vila Nova de Famalicão: Joane, Vermoim e Mouquim.

A terceira edição do festival traz grandes novidades. Para além de um leque de contadores que se renova ano após ano, o festival realizará também sessões em torno do património edificado do concelho, num ciclo apelidado “Memória de Pedra”, reavivando lendas, mitos e histórias em torno de alguns monumentos da região.

Outra das novidades e talvez a maior de todas são as sessões de “Contos à Mesa”, onde o público será convidado a jantar à mesma mesa que os contadores e organização, partilhando contos, canções, lendas, histórias de vida e até mesmo o jantar!

Um festival urgente e insurgente! Um projecto que responde a uma necessidade cada vez maior da sociedade comunicar oralmente, num tempo em que o espaço de escuta, partilha e reflexão é cada vez mais escasso.      

A entrada é gratuita e não há desculpas para não vir ao festival. Se não aparecer à tarde, sempre pode vir à noite. Se ao jantar não lhe der jeito, faça uma visita à sua avó!

Descarregue aqui o seu Press Kit (imagens, programa em PDF, toda a programação em Word): https://meocloud.pt/link/04add277-915b-4d6c-8c04-c3d457f2aac1/Press%20Kit.rar/

Assista aqui ao vídeo promocional: https://vimeo.com/137735704

O FIM DA “TAUROPATIA”

O BLOGUE DO MINHO agradece a colaboração do Partido PAN (Pessoas-Animais-Natureza), traduzido na oferta do artigo de opinião da Drª Bebiana Cunha, psicóloga na Câmara Municipal de Matosinhos e candidata por aquele partido às próximas eleições legislativas.

Perante actuações de violência gratuita é uma obrigação cívica manifestarmo-nos, seja quando se apedrejam mulheres adúlteras, se abandonam ou recusam pessoas à sua sorte no mar mediterrâneo, se constatam modelos de escravatura e/ou quando se usa violência sobre outros seres, sob a capa de uma terminologia de espectáculo, arte ou cultura. Assim, utilizam-se conceitos como espectáculo ou arte para designar o aprisionar de um touro e/ou outros animais numa arena, onde o condenam à tortura e ao sofrimento. Em boa verdade, independentemente de ser considerado arte ou espectáculo, uma injustiça é sempre uma injustiça, independentemente dos adornos estéticos que lhe sejam dados. De uma vez por todas há que colocar um juízo moral sobre aquilo que se considera tradição e construir uma sociedade mais justa, onde a forma como tratamos os animais, nos possa orgulhar do elevado grau ético da nossa sociedade. Nenhuma tradição pode encobrir a maldade e a crueldade.

Muitas vezes procura-se desvirtuar os motivos do protesto, colocando o enfoque em quem protesta, em vez de ser colocado nos actos de tortura: dispostos a sacrificar a vida, a destruir a integridade física e psicológica de seres sencientes/conscientes, sem o menor arrependimento moral, compaixão ou empatia. Como sabemos, os estudos psicológicos e sociológicos têm indicado efeitos bastante nefastos da tauromaquia, concluindo que a pedagogia da violência é altamente prejudicial ao desenvolvimento humano. Não obstante, a educação tem sido descurada.

Numa perspetiva histórica encontramos momentos de culto, respeito, eventualmente admiração ou medo por estes animais, tendo-se transitado para momentos de crueldade e subjugação, onde o ser humano faz o pior de si: perde a sua humanidade.

É de esperar que a mudança gradual de mentalidades causada pelo Movimento (Inter)nacional de defesa dos animais proporcione uma mudança neste espaço de agressão psicossocial chamado tourada, uma vez que se trata de algo completamente inútil para os nossos interesses vitais, causa sofrimento gratuito a seres sencientes/conscientes, e é de uma violência cénica brutal. É dever do governo de um país dar este salto civilizacional contribuindo para a evolução da sociedade, protegendo e educando os seus filhos para o respeito, a dignidade, a compaixão e a empatia.

Bebiana Cunha

Cabeça-de-lista pelo PAN, no distrito do Porto, nas Legislativas de 2015, a 04 de Outubro, dia internacional do animal.

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE VIZELA VISITA INSTALAÇÕES RENOVADAS DAS TERMAS

A Câmara Municipal de Vizela congratula-se com a reabertura das Termas de Vizela, no passado dia 26 de agosto.

Visita Termas

O Presidente da Câmara Municipal visitou o balneário termal, a fim de se inteirar o ponto de situação daquela estância e conhecer as renovadas instalações.

O Edil constatou a reabertura de uma das alas do balneário, totalmente renovada, assim como as dezenas de aquistas que já usufruem dos tratamentos tremais. O Presidente da Câmara pode também constatar o início das obras da piscina exterior.

A Autarquia de Vizela aplaude a reabertura da sua estância termal, elogiando o esforço, a dedicação e o trabalho desenvolvido pelo Grupo Tesal em conjunto com a Autarquia para a resolução deste problema.

A Câmara Municipal de Vizela, atenta a sua história termal, entende que as Termas têm um potencial enorme, pelo que a sua reabertura tem um impacto ímpar no Concelho e na sua economia, razão pela qual deseja que as Termas de Vizela retomem a tradição termal, cuja origem remonta há, pelo menos, três séculos, data na qual a aplicação medicinal das águas de Vizela se encontra referenciada.

CONDICIONAMENTOS À NORMAL CIRCULAÇÃO DE TRÂNSITO EM BRAGA

O Município de Braga informa que, entre os dias 3 e 7 de Setembro, será proibido o estacionamento e a circulação automóvel na Avenida do Estádio Municipal de Braga. A interrupção fica a dever-se à realização do ‘Water Slide Festival’, evento que terá lugar nos dias 4, 5 e 6 de Setembro.

A circulação automóvel estará proibida entre as 10h00 do dia 3, Quinta-feira, e as 16h00 do dia 7 de Setembro, Segunda-feira, para que se proceda à montagem e desmontagem das estruturas necessárias para a realização do referido evento.

Em alternativa é proposto o seguinte itinerário: Rua de S. Martinho (Norte da rotunda), Rua Padre Américo José de Sousa, Rua do Cimo de Vila e Rua Dr. Manuel José de Oliveira Machado.

NATUREZA SENMSIBILIZA JOVENS DE PÓVOA DE LANHOSO

Jovens de todo o país conhecem o Carvalho de Calvos e sensibilizam-se para a proteção da natureza

O Centro de Interpretação Carvalho de Calvos e a DiverLanhoso estabeleceram em 2015 uma parceria que deu os seus frutos. Durante o período do programa “Campos de Férias da DiverLanhoso” houve uma atividade por semana no Centro de Interpretação Carvalho de Calvos.

IMG_20150826_112510

Esta parceria permitiu divulgar a mais jovens de todo o país a existência do majestoso Carvalho de Calvos, que se estima ser o mais antigo da Península Ibérica e segundo mais antigo da Europa.

Este programa pedagógico oferecido pelo Centro enriqueceu o programa de férias da DiverLanhoso e também trouxe mais valias para o Município, como a divulgação do património natural e classificado, a divulgação do Observatório “Carvalho de Calvos” e a sensibilização e educação ambiental dos mais jovens. Também foram realizadas visitas nas hortas, foram sensibilizadas para a produção biológica, para a produção do composto em suas casas e tiveram direito a provas de framboesas, sendo um momento único para alguns dos participantes.

Esta parceria teve inicio no dia 01 de Julho e terminou no dia 26 de Agosto. Foram recebidos jovens de vários pontos de Portugal, Braga, Porto, Lisboa, Algarve, Alentejo, Trás-os-Montes entre outros locais num total de 200 jovens.

IMG_20150826_111612

MONÇÃO EXPÕE PINTURA E ESCULTURA

Realiza-se no próximo dia 5 de setembro, sábado, pelas 15h00, nas instalações da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, em Monção, o Colóquio intitulado "Expressões de cidadania no feminino".

Neste colóquio, serão abordadas várias dimensões de cidadania no feminino, com a apresentação de várias comunicações.

No mesmo dia, pelas 17h00, decorrerá a inauguração da exposição coletiva de pintura e escultura com obras das artistas (Luísa Prior, Filomena Fonseca, Maria André, Teresa Heitor, Lena Álvares, Filomena Bilber e Ricardo de Campos - artista monçanense convidado). No final será servido um Alvarinho de Honra (Quinta de Santiago), nos Jardins da Casa Museu de Monção.

ZONA DA IGREJA, EM ÂNCORA, VAI SER DOTADA DE SANEAMENTO BÁSICO

Câmara Municipal de Caminha ouviu reivindicações da Junta e da população, na reunião descentralizada

O presidente da Câmara vai propor ao Executivo a inclusão da Zona da Igreja no Projeto de Saneamento de Aspra, Viso e Currais – 2 ª fase – Freguesia de Âncora. Esta medida resulta da reivindicação da Junta, mas também da vontade população, diretamente manifestada aquando da reunião descentralizada realizada na freguesia. A medida agrava o orçamento previsto no projeto em cerca de 200 mil euros. Este é um dos pontos da ordem de trabalhos da reunião de amanhã, dia 2 de setembro, que terá lugar nos Paços do Concelho, pelas 15h00.

Os moradores das ruas Paulino Gomes Velho e do Cruzeiro, que se encontravam fora do âmbito do Projeto de Saneamento de Aspra, Viso e Currais – 2 ª fase – Freguesia de Âncora, vão ser contemplados também com a rede de saneamento, o que implicará a construção de uma estação elevatória de saneamento, a ligar a rede existente junto à sede da Junta de Freguesia; a construção de 500 metros de coletor gravítico e de mais 25 ramais de ligação.

Com este alargamento, a Câmara Municipal será obrigada a fazer um esforço financeiro significativo, elevando o investimento previsto em cerca de 200 mil euros, ou seja, passando o montante global para mais de 700 mil euros, a que ainda acresce IVA.

Para Miguel Alves, porém, “este esforço técnico e financeiro faz todo o sentido, porque corresponde à necessidade e à vontade dos cidadãos daquele lugar, que ficou muito clara na reunião descentralizada. É por isso que vamos ouvir os nossos concidadãos e, sempre que é possível, damos uma resposta positiva às suas solicitações”.

Além deste ponto, amanhã o Executivo deverá aprovar submeter à Assembleia Municipal o Plano Municipal de Ação no âmbito Plano Estratégico de Resíduos Sólidos Urbanos (PERSU) 2020 e o “Concurso Público Internacional para a Prestação de Serviços de Recolha e Transporte de Resíduos Sólidos Urbanos, Fornecimento, Manutenção e Lavagem de Contentores e Limpeza Urbana do Município de Caminha – Aprovação da Minuta do Contrato”.

Será também apreciado o “Relatório final do concurso público internacional para fornecimento de gás propano / natural a granel para as Piscinas Municipais de Vila Praia de Âncora – Adjudicação”.

Noutro âmbito, da agenda da reunião fazem ainda parte as normas de participação na Feira Agrícola e dos Produtos Tradicionais de Caminha; a emissão de parecer sobre o Passeio de Cicloturismo Porto – Santiago de Compostela organizado pela Associação de Cicloturismo do Norte; a atribuição de subsídios ao Etnográfico de Vila Praia de Âncora para apoio na realização do Âncora Folk – Festival Internacional de Folclore – Ratificação; à Sociedade Musical Banda Lanhelense para apoio à organização do 165º aniversário e à Comissão de Festas de Nossa Senhora da Bonança, entre outros assuntos.

MINHOTOS NA ARGENTINA CELEBRAM PORTUGAL

mw-860

Vira do Minho em homenagem a Portugal na cidade do tango

Buenos Aires homenageou a imigração portuguesa e a sua contribuição para a cultura da capital da Argentina. Considerada a maior montra de Portugal por estas paragens, a celebração ficou marcada por três sentimentos que dominam a vida da comunidade lusa no país: emoção, orgulho e saudade

mw-768

Luciana e Maria Conceição dançam no grupo Mocidade Portuguesa, o principal e mais antigo grupo folclórico da comunidade portuguesa na Argentina

Maria Conceição Henriques Fernandes, de 56 anos, ajuda a filha Luciana, de 26, a terminar de vestir-se. Falta pouco para o desfile começar pela emblemática Avenida de Maio, a metros da Casa Rosada, sede do Governo argentino, e da Catedral Metropolitana de Buenos Aires, onde o Papa Francisco era o arcebispo Jorge Bergoglio.

Mãe e filha dançam no grupo Mocidade Portuguesa, que agora em setembro completa 41 anos. O principal e mais antigo grupo folclórico da comunidade portuguesa na Argentina é um dos melhores exemplos da herança cultural transmitida de pais a filhos, de avós a netos.

Filha de portugueses da Beira Alta, Maria Conceição foi à primeira apresentação do Mocidade em 1974. Lá, conheceu Roberto Fernandes, membro do grupo, por quem se apaixonou. Através do namoro, também entrou para o grupo fundado pelo pai de Roberto, o também dançarino Amândio Augusto Fernandes, natural de Trás-os-Montes.

"O meu pai tinha um único propósito com o Mocidade: matar as saudades", sintetiza Roberto ao Expresso enquanto, no palco, as apresentações musicais já começaram. O luso descendente Dulio Moreno entoa fados e comanda o aclamado Almalusa. Em seguida, será a vez do grupo Fadeiros, outra sensação da comunidade que ganha espaço entre o público argentino.

Em 1983, o casal Fernandes já dirigia o Mocidade e Maria Conceição dançava grávida do primeiro filho. Seis anos depois, dançaria novamente grávida, desta vez de Luciana.

O Mocidade Portuguesa bem poderia ser um grupo casamenteiro, mas, na verdade, ilustra bem os valores em torno dos quais os portugueses que migraram à Argentina cresceram, relacionaram-se e mantiveram a sua identidade intacta mesmo tão distantes de Portugal, mesmo tantas décadas depois. Os filhos de Maria Conceição que dançaram no ventre da mãe, são hoje dançarinos e casaram-se os dois com integrantes do grupo. Luciana está agora grávida de três meses e meio, não sabe ainda o sexo do bebê, mas tem uma certeza: será um dançarino. A quarta geração da família.

"Quando danço sinto emoção e orgulho porque represento tudo o que os meus avós me contaram, porque os argentinos passam a ter a vontade de descobrir Portugal e porque aqueles portugueses que nunca mais voltaram a Portugal - e que são muitos na Argentina nessa condição - emocionam-se", conta Luciana.

Ao lado dela, Jazmin Gonçalves, também de 26 anos e neta de portugueses, é a mais nova integrante do Mocidade. Está há apenas seis meses no grupo, mas a emoção é a mesma: "Sinto que é uma homenagem aos meus avós", orgulha-se.

Para aqueles que consideram ser este o retrato de um Portugal antigo, de costumes ultrapassados que só se mantém vivo nos imigrantes, Luciana explica que o grupo se nutre do grupo folclórico Lavadeiras da Meadela de Viana do Castelo com o qual se mantém em permanente contato.

"Eles nos ensinam muito. Atualizamo-nos constantemente", explica Luciana, quem chegou de volta a menos de 24 horas de ensaiar com o Lavadeiras em Viana do Castelo.

E depois o Mocidade Portuguesa replica os novos conceitos do folclore português aos demais grupos na Argentina como "Raízes de Portugal" e "Estrelas do Minho".

Neste "Buenos Aires celebra Portugal", sete ranchos desfilam para portugueses, argentinos e turistas. Ao longo do dia, cerca de cinco mil pessoas terão sido expostas a essa montra viva da cultura portuguesa.

mw-768 (1)

EVENTO ÚNICO NO MUNDO

O evento promovido pelo Governo de Buenos Aires é único no mundo. Enquanto em outros países as localidades cedem algum espaço para a comunidade portuguesa organizar a sua festa pátria, aqui a cidade de Buenos Aires organiza a sua homenagem a Portugal num objetivo de integração que torna mais viva a presença portuguesa no país.

Um total de 23 barracas de 14 clubes e associações integravam argentinos e turistas com a cultura portuguesa. Artesanato e porcelanas, gastronomia e até uma representação do santuário de Nossa Senhora de Fátima em Tornquist, cidade a 600 quilómetros de Buenos Aires. Se ainda faltam dois anos para o Papa visitar Fátima, o Santuário de Fátima na Argentina já se orgulha de estar na terra natal do Papa há 33 anos.

Na barraca ao lado, os 150 pastéis de nata terminam como se estivessem em Belém. E na barraca do clube português da localidade de Isidro Casanova, a fila é longa para provar a integração culinária entre a "empanada" argentina com o bacalhau português ou entre a bifana portuguesa "a la parrilla" argentina. Todo o movimento é transmitido ao vivo pelo programa radial da comunidade portuguesa "Portugal N'América".

"Comunidades isoladas, por maior que sejam, ficam confinadas e não têm expressão. Só passam a ter expressão a partir do momento em que há uma congregação de esforços entre a comunidade portuguesa e a comunidade local. Essa integração é fundamental", avaliou ao Expresso o deputado pelas comunidades portuguesas do círculo eleitoral fora da Europa, Carlos Páscoa, em campanha entre os eleitores portugueses na Argentina para um quarto mandato nas eleições de 4 de outubro.

"Apesar de não ser a maior em quantidade, a comunidade portuguesa na Argentina é uma das mais participativas e inovadoras. Sempre que visito um clube ou vou a alguma associação aqui, vejo centenas de pessoas. No Brasil, por exemplo, com comunidades infinitamente maiores, vemos muito menos nos eventos", compara Páscoa. "Aqui são muito mais unidos e vivem muito mais a portugalidade", celebra.

"Temos duas dezenas de embaixadas aqui hoje", exaltou Páscoa em referência às representações portuguesas. No entanto, no evento oficial de Buenos Aires, foi notável a ausência do embaixador português na Argentina, Henrique Silveira Borges, por "outros compromissos", alegaram.

mw-768 (2)

IMPACTO DA LEI DOS NETOS

Primeiro signatário da chamada Lei dos Netos, que prevê a nacionalidade portuguesa para os netos de portugueses, Carlos Páscoa foi ovacionado por centenas de netos. "Basta você olhar ao seu redor e ver a quantidade de netos de portugueses para entender a importância dessa lei. Essa lei impactou muito na comunidade. É uma forma de os netos voltarem a ter essa conexão com Portugal e de manterem viva a nossa raiz. Se perdemos de onde viemos, não saberemos para onde vamos. É a nossa identidade cultural", festeja Maria Violante, presidente da Associação da Mulher Migrante e futura conselheira da comunidade.

Referente entre os portugueses na Argentina, Maria Violante é uma das melhores intérpretes do sentimento que move aqueles que deixaram Portugal, mas que se mantém ligados à cultura, mesmo que àquela da sua época, como um instinto imperioso de sobrevivência, como a bússola que lhes orienta o dia a dia tantas décadas depois.

"Nós sentimos Portugal de outra maneira. Quando se sente a partir da saudade, valoriza-se muito mais porque é o que não se tem e o que não se quer perder. Nós tentamos passar a cultura portuguesa aos nossos filhos, aos nossos netos e ao país que nos acolheu. Estamos sempre a olhar para Portugal. É a nossa referência e a nossa saudade", conta Violante quem chegou à Argentina há 52 anos, com 11 anos de idade.

Mas saudade não se mata nunca. Quanto mais o imigrante a tenta matar, mais a alimenta e cria um círculo virtuoso em que a vida se torna uma espiral que dá voltas e que evolui, como na dança do Mocidade Portuguesa a encerrar agora o evento, como na dança de toda a nova mocidade lusodescendente que se renova a cada geração, como na dança da vida dos portugueses nesta Argentina.

mw-768 (3)

RETRATO DOS PORTUGUESES NA ARGENTINA

A comunidade portuguesa caracteriza-se por viver fora da capital argentina, espalhada pela região metropolitana de Buenos Aires, antiga área rural entre os anos 30 e 60, quando a imigração portuguesa teve o seu auge. A maioria veio do Algarve e do Minho, mas também da Beira Baixa e da Beira Alta. Dedicaram-se à floricultura, à agricultura e à fabricação de tijolos principalmente. Em Comodoro Rivadavia, na Patagónia, milhares foram atraídos pelo petróleo e chegaram a representar 20% da população da região até a década de 60, quando a onda imigratória interrompeu-se.

Até o final do século XIX, entre 40 e 60% das famílias na Argentina eram de origem portuguesa. Hoje, existem na Argentina cerca de 40 mil portugueses e descendentes. Estão inscritos na embaixada 19.206 cidadãos portugueses.

Fonte: Márcio Resende / Correspondente na Argentina do semanário Expresso

Pág. 24/24