Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPOSENDE RECEBE CAMPEONATO DE BODYBOARD E SURF

No passado dia 27 de dezembro a Esposende Surf Team encerrou as atividades deste ano com a realização do Campeonato de Bodyboard e Surf de Esposende. Este campeonato contou com a presença de perto de 60 atletas vindos principalmente do concelho de Esposende mas também das cidades do Porto, Povoa de Varzim e Viana do Castelo. Os juízes de prova credenciados pela Federação Portuguesa de Surf também marcaram presença.

1

De destacar o bonito dia de sol na deslumbrante praia Suave Mar com as ondas a rondarem 0,5 / 1m e a mostrarem-se pequenas mas aceitáveis para a competição. A praia foi assim “invadida” por muita gente que durante todo o dia não arredou pé e deu ao evento um calor humano muito forte.

A organização afirmou que eventos como este são importantes para dignificar as modalidades de surf e bodyboard, bem como dão a conhecer o clube esposendense de surf e bodyboard (Esposende Surf Team), a praia, as ondas locais e mostram o valor dos atletas da terra nestas modalidades.

2

Leandro Cepa da Esposende Surf Team disse: “Vamos continuar a trabalhar para repetir eventos destes. Foi gratificante ver o espetáculo montado na praia Suave Mar, onde muitos dos atletas da Esposende Surf Team cresceram. Queremos apresentar-nos ao melhor nível no ano de 2015”.

O vencedor na categoria de Surf Open foi o João Reis, Ana Peres vingou no Bodyboard Feminino, Tiago Castro, atleta da casa, atingiu o ponto mais alto do pódio na categoria de Bodyboard Open e Ricardo Rosmaninho venceu na categoria de Bodyboard sub-21.

3

De destacar ainda as prestações dos atletas esposendenses Anabela Areias, 3ª classificada no Bodyboard Feminino, Francisco Amorim, Diogo Patrão e Miguel Meira, onde foram 2º, 3º e 4º classificados respetivamente e finalmente Filipe Ferreira que se mostrou polivalente, tendo atingido a 4ª posição nas categorias de Bodyboard Open e Surf Open.

O apoio da Câmara Municipal de Esposende foi fundamental, sem o qual este evento não seria possível. A organização agradece ainda todo carinho da população que acolheu à praia e reconheceu que sem os patrocinadores e apoiantes tal evento não seria possível. Foram eles: Zendinfgest, BloodBrothers, Ideias Macacas, Marlin Fins, Designato (Pilbug), Savanna Caffe, FISH Surf School, Dunar - Turismo e Lazer do Norte, Ponto de Cópias Unipessoal, Lda., Propedal Esposende, Cics Palmeira de Faro, Correio do minho, Bodyboard.pt e Oporto Surf Guide. A música teve a cargo do DJ Los Primos.

Foi deixado também um agradecimento aos Bombeiros Voluntários de Esposende e Polícia Marítima presentes no evento.

4

5

6

7

63

BARCELOS PROMOVE MELHORAMENTOS LOCAIS

Presidente da Câmara inaugurou requalificação da área envolvente à Igreja Paroquial de Aldreu e miniautocarro da Freguesia. Cerimónia realizou-se no dia 27 de dezembro

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, inaugurou no dia 27 de dezembro a requalificação da área envolvente à Igreja Paroquial de Aldreu, uma obra da Junta de Freguesia que representou um investimento de cerca de 120 mil euros, subsidiados pelo Município.

Aldreu 27.12.14 010

A requalificação do espaço incluiu a substituição do piso, em cubo de granito, a criação de delimitação de áreas ajardinadas, a colocação de bancos de jardim e a beneficiação geral de toda a área envolvente.

Na cerimónia da inauguração, após ter descerrado a lápide evocativa, a Presidente da Junta de Freguesia, Isabel Venda, afirmou que a presença do Presidente da Câmara neste ato público mostra o “grande afeto e profunda amizade por esta terra e pelas nossas gentes”. A autarca agradeceu o apoio financeiro e técnico (elaboração do projeto de requalificação) do Município, sem o qual “seria impossível tornar este espaço tão aprazível”, situado no centro cívico da freguesia.

Por outro lado, Isabel Venda elogiou o critério seguido pela Câmara Municipal para o financiamento das freguesias, com o protocolo dos duzentos por cento, afirmando que se trata de um instrumento de gestão que traz “mais-valias para as freguesias”, no âmbito da realização das suas atividades.

A Presidente da Junta terminou a sua intervenção dizendo que a inauguração desta obra representa um “orgulho e um estímulo” para a comunidade.

Por sua vez o pároco de Aldreu, Padre Ernesto Faria, manifestou a sua satisfação pelo “melhoramento feito” junto à Igreja, felicitando a Junta e a Câmara pela realização da obra.

Na sua intervenção, o Presidente da Câmara referiu-se ao método de financiamento das freguesias do concelho seguido pelo Município como o mais justo e eficaz, pois trata por igual todas as freguesias e respeita a sua autonomia de gestão.

“Fico satisfeito pela execução desta obra, num local que é uma referência” para a Freguesia, disse Miguel Costa Gomes.

Ainda na mesma ocasião, foi benzido o miniautocarro da Freguesia, uma viatura de 17 lugares que teve o apoio financeiro do Município de 40 mil euros. Este meio de transporte de alunos serve também a restante comunidade de Aldreu, nomeadamente os mais idosos.

A receber o Presidente da Câmara e a iniciar a tarde de festa esteve o Grupo de Bombos de Santiago, seguindo-se a atuação do Grupo Cultural e Etnográfico de Aldreu que animaram a cerimónia.

BARCELOS REALIZOU PRESÉPIO HUMANO NA UCHA

1500 pessoas viram o Nascimento do Menino na Ucha

Quem passou na Ucha, este domingo, percebeu, ao vivo e com personagem reais, como seria se Jesus tivesse nascido nesta freguesia barcelense. Foram cerca de 1500 pessoas que assistiram ao Presépio Humano, organizado pelos escuteiros e por vários voluntários.

IMG_2641

“Acho que representaram, de uma forma geral, as atividades que se faziam antigamente, juntamente com o Nascimento de Jesus”, comentou Mariana Serra, uma visitante.

Esta foi a segunda edição do Presépio Humano e contou com visitantes de várias cidades, inclusive uma excursão de Famalicão.

Ilda Correia, da organização, sublinhou as diferenças deste ano: “Convidámos o Grupo Coral a estar connosco para ter música ao vivo e acho que foi um ponto muito positivo. Tentamos, ainda, criar um cenário mais acolhedor e acho que os animais verdadeiros, o cenário mais uniforme e as fogueiras contribuíram para que isso acontecesse”.

Ao todo, estiveram envolvidas mais de 60 pessoas na encenação que pretendia mostrar como seria de Jesus tivesse nascido na Ucha. Foram representadas as principais atividades profissionais da freguesia, em conjunto com o Nascimento do Menino.

Isto é importante para a freguesia. Traz muita gente de fora e consegue-se transmitir muito bem a história da Ucha”, rematou Joana Bacelar, visitante e moradora da freguesia.

Este evento faz parte das atividades associadas ao Presépio Movimentado “E se Jesus nascesse na Ucha?”. Este mantem-se aberto na próxima quarta e quinta-feira e nos restantes fins-de-semana até dia 19 de Janeiro. Tudo o que foi representado este domingo e muito mais está reproduzido por cerca de 100 figuras movimentadas, neste Presépio Movimentado, na Ucha, Barcelos.

IMG_2644

IMG_2655

IMG_2666

IMG_2673

IMG_2736

IMG_2742

FITNESS DAY II: O MAIOR EVENTO FITNESS DO ALTO MINHO TEM LUGAR EM ARCOS DE VALDEVEZ

Dia 4 de janeiro, no Campo do Trasladário

No próximo dia 4 de Janeiro a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez realiza pelo segundo ano consecutivo o FITNESS DAY.

Depois do sucesso alcançado na primeira edição, com a participação de várias centenas de pessoas, este ano o evento contará com alguns dos melhores instrutores de Fitness do Norte de Portugal.

Com esta iniciativa, o Municipio de Arcos de Valdevez pretende proporcionar, de forma gratuita, a todos os arcuenses e visitantes, um dia ddedicado à prática de atividade física e dessa forma promover o seu bem estar físico e mental.

A prática de exercicio físico é de extrema importância para a promoção de um estilo de vida saudável e conservação do bem estar fisico, melhorando a qualidade vida e a esperança média de vida de quem o pratica.

Durante o evento, para além das atuaçõess de grupos de dança, haverá aulas abertas à população de Zumba Kids (crianças), Zumba e Body Combat orientadas pelos melhores instrutores.

Traga a familia e amigos e venha passar um domingo saudável e divertido.

VIANA DO CASTELO APRESENTA ESPOSIÇÃO DE PINTURA DE LUÍS ATHOUGUIA

Exposição de Pintura de Luís Athouguia: Manifestações Ficcionais

A Câmara Municipal de Viana do Castelo apresenta uma importante exposição de Pintura de LUÍS ATHOUGUIA, intitulada Manifestações Ficcionais, na Galeria dos Antigos Paços do Concelho, com inauguração no dia 3 de Janeiro às 11 horas da manhã.

No texto da exposição, por Paulo Morais-Alexandre, pode ler-se:

Há efetivamente uma vontade artística muito específica que permite algo que nem sempre é habitual: as suas pinturas são facilmente identificáveis, ou seja, tem um modo muito próprio e inconfundível de pintar, não como “receita”, não como uma fórmula que mereceu o reconhecimento do público e na qual estagnou, optando pela via do facilitismo, como infelizmente tantos fazem, mas antes como um desenvolvimento de um modo muito próprio de pintar.

Assim, é muito fácil atribuir-lhe uma determinada autoria, de tal forma as suas pinturas são reconhecíveis através de um jogo cromático absolutamente próprio à linguagem da pintura a pastel onde, embora todo o espectro seja aplicado, há clara predominância dos vermelhos e azuis, bem como as suas construções espaciais densas de particulares geometrias, onde as linhas são modeladas de forma singularmente lírica, resultando composições muito equilibradas com uma luminosidade e um brilho emocionantes que remetem para realidades paralelas, onde a influência do sonho, do sonho do Pintor, é marcante e nós somos chamados a partilhar essa experiência onírica.

LUIS ATHOUGUIA (Cascais 1953) é diplomado pelo IADE, Instituto Superior de Arte e Design - Lisboa. Considerado um dos grandes talentos no mundo artístico da sua geração, conta com um longo percurso expositivo. Desde 1983 participou em mais de 4 centenas de relevantes exposições, nacionais e internacionais, de Pintura e Bienais de Arte. Foi distinguido, com o Prémio Vespeira na Bienal do Montijo 1997 e Prémio do Salão da Sociedade Nacional de Belas Artes 2011. Está representado em museus, instituições e importantes coleções nacionais e estrangeiras.

O ato inaugural contará com um Momento de Poesia por Ana Coutinho e Castro e Américo Carneiro e um Momento Musical com elementos da Escola Profissional de Música de Viana do Castelo

ANTIGOS PAÇOS DO CONCELHO

Praça da República

4904 Viana do Castelo

Tel. 258 809 350

Horário:

Segunda a Domingo 10:00h às 18:00h

Entrada livre

BARCELOS: UCHA ORGANIZA PRESÉPIO HUMANO

Realiza-se hoje, na freguesia da Ucha, Barcelos, ao lado da sede da Junta de Freguesia, o Presépio Humano.

Terá início às 15h30 e serão cerca de 60 pessoas que vão dar vida às atividades características da freguesia, enquadradas na encenação do Nascimento de Jesus. Conta ainda com o acompanhamento musical do Grupo Coral da freguesia.

O objetivo é mostrar como seria se Jesus tivesse nascido na Ucha!

2013 3

2013 2

2013

O CONCELHO DE FAFE E A GUERRA COLONIAL (1961-1974) – CONTRIBUTOS PARA A SUA HISTÓRIA

O Núcleo de Artes e Letras de Fafe acaba de publicar uma obra que constitui um importante documento para a compreensão da nossa história contemporânea e os reflexos da mesma na vida de muitas famílias fafenses e na própria sociedade no concelho de Fafe. Trata-se do livro “O concelho de Fafe e a Guerra Colonial (1961-1974) – Contributos para a sua história”, da autoria de cinco escritores e investigadores de renome, alguns dos quais profundamente ligados à vida cultural e literária de Fafe. São eles Artur Ferreira Coimbra, Artur Magalhães Leite, Daniel Bastos, José Manuel Lages e Jaime Bonifácio Marques da Silva. Com apoio da Câmara Municipal de Fafe e da Junta de Freguesia de Fafe, a edição deste livro tem prefácio de Mário Beja Santos, autor de diversas obras literárias relacionadas com temas africanos mas conhecido do grande público sobretudo pelo seu pioneirismo na Defesa dos Direitos do Consumidor.

DSC_8490A

Os autores abordam os mais diversos aspetos relacionados com o envolvimento direto ou indireto da comunidade fafense num esforço de guerra que os responsáveis do Estado Novo justificaram como sendo em defesa da Pátria.

Ao longo de quase quinze anos de conflito, mais de mil e quinhentos jovens foram arrancados à lavoura e ao convívio dos seus familiares, abandonaram a terra e o lar para irem combater nos territórios ultramarinos da Guiné, Angola e Moçambique, paragens distantes do continente africano onde um dia os navegadores portugueses ergueram padrões com as quinas de Portugal, tendo 41 deles sacrificado a sua própria vida. Para trás ficaram os pais, as irmãs e irmãos, as namoradas e as noivas, quando não sucedia mesmo as esposas chorando e rezando pelo seu regresso, são e salvo, aguardando com ansiedade a chegada do aerograma com as notícias necessariamente tranquilizadoras. E, quando tal não acontecia, restava a triste consolação da entrega de uma condecoração nas cerimónias que tinham lugar no 10 de Junho em homenagem às Forças Armadas.

Para além do seu impacto na vida de muitas famílias, a participação de tão elevado número de fafenses na guerra colonial teve também outros reflexos na vida social deste concelho minhoto. Desde logo, o afastamento de muitos jovens da agricultura e, após o seu regresso, a procura de melhores condições de vida nos grandes centros urbanos ou até no estrangeiro, quando não sucedia permanecerem nos territórios que entretanto passaram a conhecer. Muitos foram aqueles que, após cumprimento do serviço militar, optaram por viver nas antigas províncias ultramarinas, tendo na maior parte dos casos regressado aquando do período de transição de soberania em consequência do deflagrar de guerras civis. Pelo meio, ficaram filhos nascidos de relações espúrias ou paixões assolapadas” como refere Beja Santos no prefácio e, como indesejável herança, as doenças de stress pós-traumático resultantes da guerra.

Através das suas mais de duzentas páginas, o livro reúne as cinco comunicações que resultaram do II Curso Livre de História Local, sobre a temática do impacto da Guerra Colonial no concelho de Fafe, que decorreu entre Outubro e Novembro de 2013, com a participação de mais de quatro dezenas de pessoas. Esta obra constitui um excelente contributo para a preservação da nossa memória, a compreensão de factos da nossa história recente e, sobretudo, uma homenagem a todos quantos direta e indiretamente sofreram as vicissitudes da guerra – os que foram chamados a combater, aqueles que caíram, os seus familiares e a comunidade fafense de uma maneira geral que viveu o drama dos seus filhos num cenário de guerra!

DSC_8504A

Em relação aos seus autores, apresentamos de uma forma necessariamente resumida a sua tão vasta biobibliografia. Artur Ferreira Coimbra é natural de Montalegre e reside em Fafe, sendo o responsável pela animação cultural do Município de Fafe. É licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e Mestre em Histórias das Instituições e da Cultura Moderna e Contemporânea pela Universidade do Minho. É presidente do Núcleo de Artes e Letras de Fafe e possui vasta obra publicada em poesia e investigação histórica acerca das instituições e gentes de Fafe.

Daniel Bastos é natural de Cepães, no concelho de Fafe. Com uma formação eclética que perpassa as áreas da História, Teologia, Ética e Filosofia Política, tem publicado diversas obras de investigação histórica sobre o concelho de Fafe, as quais já lhe valeram entre outros a atribuição em 2005 do Prémio de História Local por parte da Câmara Municipal de Fafe.

Artur Magalhães Leite é natural de Fareja, no concelho de Fafe. Licenciado em Filosofia pela Universidade do Porto, possui diversos livros publicados incidindo sobre aspetos de natureza histórica e cultural de Fafe, tendo-lhe a Câmara Municipal de Fafe atribuído em 2011 o Prémio de História Local. Prestou serviço militar no Curso de Operações Especiais e, como alferes miliciano, participou na guerra em Angola, na região dos Dembos.

Jaime Bonifácio Marques da Silva é natural do concelho da Lourinhã. É licenciado em Educação Física pelo Instituto Superior de Educação Física da Universidade Técnica de Lisboa, reside em Fafe desde 1978. Cumpriu serviço militar nas tropas paraquedistas, tendo sido chamado a combater em Angola.

José Manuel Lages é natural de Braga. É licenciado em História pela universidade do Porto e Mestre em História da Colonização e Migrações Portugal-Brasil, pela Universidade do Minho. A ele se deve em grande medida a criação do Museu da Guerra Colonial, sediado em Vila Nova de Famalicão, do qual é diretor científico.

BRAGA REALIZA JANTAR DE REIS

1921108_634819626627368_5624755282977763599_o

Caros amigos,

O JANTAR DE REIS vai realizar a sua 6ª edição no dia 17 de Janeiro de 2015, no Hotel Meliá, em Braga.

Como já é tradição deste evento seremos honrados com a notável presença de S.A.R. Dom Duarte Pio, Duque de Bragança.

Esta iniciativa, já com tradição na cidade de Braga, assenta numa vontade transversal a muitos actores locais, movimentos e associações monárquicas, bem como a individualidades com relevância política e social na região.

Na continuidade do que já tem sido feito, teremos no JANTAR DE REIS BRAGA 2015 a promoção do património cultural, nomeadamente a gastronomia, o vinho e o artesanato. Serão convidadas confrarias portuguesas, associação de artesãos e empresas de produtos regionais.

São objectivos do jantar de Reis Braga:

- a promoção da cultura portuguesa, nos seus saberes e fazeres mais tradicionais aos seus saberes e fazeres mais empreendedores, nele promovemos os produtos portugueses locais com a presença das Confrarias Portuguesas, tanto gastronómicas como báquicas, para além de outras de cariz muito diversificado. Neste contexto de elevação de Portugal, dos portugueses, da sua produção e dos seus produtos temos sempre como convidado de honra o S.A.R. Dom Duarte de Bragança como símbolo nacional da nossa História, cultura, tradições, língua e fronteiras, diríamos da nossa Identidade.

Também porque o momento histórico que vivemos há uns anos para cá nos tem pedido mais união e cooperação, o JANTAR DE REIS BRAGA 2015, tem como segundo objectivo:

- a solidariedade, apoiando este ano de 2015 os Bombeiros Voluntários de Braga, com todo o proveito material do mesmo.

O contributo Solidário para o Jantar de Reis Braga 2015 é de 25 € (vinte e cinco euros), por pessoa.

Despeço-me na expectativa de poder contar com a sua presença.

Manuel Beninger

OLIVENTINOS QUEREM SER PORTUGUESES – NÃO ESQUECEMOS OLIVENÇA!

Dezenas de habitantes de Olivença obtêm nacionalidade portuguesa

80 habitantes de Olivença, território português de jure sob ocupação de Espanha, adquiriram recentemente a nacionalidade portuguesa, tendo sido entregues mais 90 pedidos junto do Estado português para obter a dupla nacionalidade, anunciou hoje a associação Além Guadiana.

Olivença (48)

A associação tem sido a entidade "canalizadora" deste processo, uma vez que tem como missão «divulgar e preservar» naquele território, que considera «singular e bicultural», o património e a cultura portuguesa.

«Além de outros oliventinos que possam ter adquirido a nacionalidade portuguesa por outras vias, há 80 pessoas com dupla nacionalidade. E já estão solicitados mais 90 pedidos para obter a nacionalidade portuguesa», explicou Eduardo Machado, um dos fundadores da Além Guadiana.

De acordo com o responsável, que falava à Lusa à margem da apresentação dos resultados obtidos com esta iniciativa, numa unidade hoteleira em Olivença, «muitos destes novos pedidos» que estão em curso são de descendentes de oliventinos (naturais de Olivença, historicamente disputada entre Portugal e Espanha) que já adquiriram a nacionalidade portuguesa.

Os cidadãos que já obtiveram a dupla nacionalidade possuem ascendência portuguesa, sendo a associação um «veículo» que contribui para que todo o processo seja concluído com sucesso.

Aliás, uma das atividades «mais importantes» da associação, formada em 2008, tem sido o acompanhamento do processo de adquisição da nacionalidade portuguesa para os oliventinos que o desejarem. «Nós fomos uns meros canalizadores desta vontade popular», sublinhou.

Eduardo Machado explicou que o processo burocrático junto do Estado português «não é complicado», apesar de longo.

Em Olivença fala-se português desde a Idade Média, embora o seu uso se encontre hoje reduzido às camadas mais idosas, quando estão em «ambiente familiar». A presença portuguesa em Olivença é evidente em vários locais, sendo um dos maiores exemplos a igreja de Santa Maria da Madalena, o único espaço religioso espanhol de estilo manuelino.

O templo, obra da arquitetura portuguesa do século XVI, rico na talha dourada, na azulejaria e nos elementos marítimos, é visitado diariamente por centenas de turistas. Olivença está localizada na margem esquerda do rio Guadiana, a 23 quilómetros da cidade portuguesa de Elvas e a 24 quilómetros de Badajoz (Espanha).

Fonte: Lusa

Olivença (10)

Olivença (9)

Olivença (39)

Olivença (34)

Olivença (41)

Olivença (4)

Olivença (21)

Olivença (16)

Olivença (7)

Olivença (5)

Olivença (44)

ESCRITOR LIMIANO CLÁUDIO LIMA PUBLICA LIVRO DE POEMAS “ELOGIOS/ELEGIAS”

O poeta Cláudio Lima acaba de publicar mais um magnífico livro de poemas com o talento e beleza a que há muito nos habituou. Trata-se de “Elogios / Elegias”, uma edição da Editora Labirinto, prefaciado por Vítor Aguiar e Silva, obra que recebeu a Menção Honrosa no Prémio de Poesia Soledade Summavielle 2014, atribuído pelo Núcleo de Artes e Letras de Fafe.

De referir que o júri deliberou atribuir a referida Menção Honrosa “pela novidade da construção literária apresentada, em torno de discursos de homenagem a grandes nomes da cultura e particularmente da literatura, numa linguagem original e que nos remete para um novo olhar sobre cada um dos autores referenciados”.

De D. Sebastião a Inês de Castro, de Fernando Pessoa a Miguel Torga e Agostinho da Silva, o poeta Cláudio Lima exalta grandes vultos nacionais, da História e da Literatura, consagrando-lhes os mais inspiradores versos transmitidos ao papel através da letra de forma como o se de uma tela se tratasse. Mas, não é apenas de elogios que o livro de poemas de Cláudio Lima trata. Ele lamenta a perda de grandes figuras nomeadamente da nossa literatura e da cultura portuguesa como Zeca Afonso e Amália Rodrigues, Carlos Paredes e o escultor Espiga Pinto, António Variações, David Mourão-Ferreira ou mesmo o célebre fadista coimbrão Hilário, evocando o centenário da sua morte. “Elogios /Elegias”, da autoria do poeta Cláudio Lima, é sem dúvida uma obra de leitura a não perder, nomeadamente por parte de todos quantos prezam os valores da cultura minhota.

Cláudio Lima é o pseudónimo literário de Manuel da Silva Alves. Nascido em Calvelo, no Concelho de Ponte de Lima. Com uma já considerável obra publicada com especial relevo para o domínio da poesia, Cláudio Lima possui ainda vasta colaboração literária espalhada em jornais e revistas também no Brasil e Angola, também nas áreas da ficção, da diarística e da crítica literária, fazendo muitos dos seus trabalhos parte integrante de antologias e obras coletivas. Publicou “A Foz das Palavras” (poesia), “Por aqui não é passagem” (contos), “Itinerarium” (poesia), “Itinerarium II” (poesia), “Maçã pra Dois” (poesia), “Vate do Reino” (poesia), “João marcos – cinquenta anos de vida literária”, “Arte de Amar Ponte de Lima” (poesia), “Os Morros de Nóqui” (contos), “Um rio de muitas luzes” (ensaios), “Itinerarium III” (poesia), “Contos Baldios”, “Outrora Dezembro” (poesia e prosa natalícias), “Itinerâncias” (poesia), “Os Meus Autores” (Ensaio / crítica literária), “João Marcos – Biografia e Bibliografia”.

CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE VILA NOVA DE CERVEIRA REÚNE PELA PRIMEIRA VEZ

Depois de aprovado pela Assembleia Municipal o respetivo regulamento, o Conselho Municipal de Juventude de Vila Nova de Cerveira vai reunir, pela primeira vez, em sessão ordinária, na próxima segunda-feira, 29 de dezembro, pelas 18h00 no Salão Nobre da Câmara Municipal. Em cima da mesa, a apresentação de projetos e iniciativas do Município nesta matéria e a auscultação de contributos de todos os membros, de forma a definir as linhas gerais de políticas de juventude a aplicar em 2015.

IMG_4262

As reuniões do Conselho Municipal de Juventude são públicas e pretendem envolver todos os agentes dinâmicos da juventude do Município e fazê-los tomar parte ativa na definição e na prossecução da Política de Juventude do Concelho.

Foram convidados a integrar este órgão consultivo representantes de várias entidades locais, designadamente das organizações partidárias da juventude, das Associações Culturais, Desportivas e Recreativas, dos Grupos Folclóricos em atividade, das Juntas de Freguesia, das Associações de Jovens, estabelecimentos de ensino, escuteiros, e membros eleitos pela Assembleia Municipal.

O primeiro passo foi dado no final do mês de maio, com a organização de uma sessão informativa sobre o associativismo juvenil e desportivo, numa parceria da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) e, posteriormente, a 12 de agosto, no Dia Internacional da Juventude, a realização de um debate sobre o funcionamento e áreas de intervenção do Conselho Municipal de Juventude de Vila Nova de Cerveira.

O Conselho Municipal de Juventude foi criado pelo atual executivo camarário na expectativa de conhecer melhor as aspirações dos jovens, para que a autarquia fique habilitada a responder, de forma mais eficiente, ao que esta faixa etária pretende ver concretizado na Política Municipal para a Juventude de Vila Nova de Cerveira. Trata-se de uma instância de coordenação e consulta, a nível municipal, da Política de Juventude, com o intuito de assegurar a sua articulação com outras políticas municipais, nomeadamente nas áreas do emprego e formação profissional, educação e ensino superior, cultura, desporto, saúde e ação social.

MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE CERVEIRA RESOLVE DIFERENDO JUDICIAL COM CONSTRUÇÕES REFOIENSE

A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira chegou recentemente a acordo com a Sociedade Construções Refoiense Ldª. para a resolução de um contencioso relativo a três empreitadas do período entre 2010 e 2011, cujos pedidos de indemnização eram superiores a 2 milhões de euros.

Após propostas e contrapropostas, o executivo vai pagar uma indemnização de 350 mil euros, decisão aprovada por maioria em reunião de Câmara de 17 de dezembro, e na Assembleia Municipal de 19 de dezembro, com apenas a abstenção de seis deputados municipais, não votando favoravelmente o apoio ao presente desfecho.

A litigância diz respeito às empreitadas de “Remodelação da Praça da Galiza”, da “Avenida das Comunidades/Regeneração Urbana da Entrada Norte da Vila” e da “Incubadora das Indústrias Criativas/Bienal de Cerveira”, celebradas pelo anterior executivo. As duas entidades entraram em desavença antes do fim dos trabalhos, desencadeando um processo litigioso em tribunal interposto pela empresa construtora.

Após ter ganho as eleições autárquicas de setembro de 2013 e de conhecer com mais detalhe os contornos do diferendo com a Construções Refoiense, o novo executivo cerveirense encetou negociações na tentativa de alcançar um entendimento para extinção dos litígios existentes e consequente receção das obras. Foi um ano de reuniões, de propostas e contrapropostas para se chegar a um acordo global final aceite pelas partes envolvidas e que salvaguardasse os interesses da autarquia.

Sublinhando um processo complicado, o edil Fernando Nogueira explica a opção pelo acordo em detrimento do desenrolar da ação em tribunal, por considerar que, pela experiência, o processo iria arrastar-se por muitos anos, com sucessivos recursos provavelmente até ao Supremo, e pela premência da conclusão do processo das empreitadas, por necessidade de encerrar os financiamentos destes contratos pelo ON2 – O Novo Norte, do atual QREN.

Para suportar a decisão, a autarquia solicitou um parecer jurídico à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, o qual adverte o Município para as consequências financeiras, caso não encerre as operações até 30 de junho de 2015, sob pena da autarquia ter que vir a devolver mais de 3 milhões de euros correspondentes aos financiamentos já recebidos.

O presidente da Câmara Municipal refere que, além deste problema, a autarquia estava ainda impedida de aceder a novos financiamentos ao ON2, nomeadamente candidaturas em regime de Overbooking, pois nos respetivos avisos de abertura consta especificamente que “só serão admissíveis (candidaturas) se a totalidade dos Relatórios de Execução Final das operações encerradas financeiramente há mais de 60 dias de que sejam beneficiários ou co-beneficiários se encontrarem submetidos”. Acrescenta também que no próximo Quadro Comunitário 2014-2020, a autarquia estaria impedida de acessos aos financiamentos do Norte 2020, enquanto não estivessem resolvidos os contenciosos e encerrados as candidaturas dos financiamentos do quadro comunitário anterior.

Com este acordo, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira fica com caminho aberto para poder candidatar-se aos avisos em regime de Overbooking e aos novos financiamentos do novo Quadro Comunitário.

MONÇÃO E MELGAÇO MANIFESTAM-SE NO PORTO EM DEFESA DA SUB-REGIÃO DO VINHO ALVARINHO

Os concelhos de Monção e Melgaço estão a preparar uma manifestação pública para o próximo dia 13 de janeiro, na cidade do Porto, pela manutenção da exclusividade da produção e comercialização de Alvarinho - Vinho Verde na Sub-Região de Monção e Melgaço.

Alvarinho - Manifestação Pública

Entidades representativas de outros produtores da Região dos Vinhos Verdes reclamaram junto da Comissão Europeia do regime de exclusividade da Sub-Região de Monção e Melgaço, exigindo poderem de igual modo usar a designação de “Alvarinho”. Em causa está um negócio avaliado em cerca de 17,3 milhões de euros de que estes produtores poderiam beneficiar com o aumento das vendas e exportações.

A Comissão Europeia considerou que se tratava de uma discriminação, exigiu a realização de negociações entre as entidades interessadas sob a mediação do governo, através do Instituto da Vinha e do Vinho e a apresentação de uma solução para o problema até ao próximo dia 15 de janeiro, curiosamente dois dias após a manifestação convocada pelos produtores de Alvarinho de Monção e Melgaço.

MUNICÍPIO DE CERVEIRA PRORROGA PRAZO DE ENTREGA DE CANDIDATURAS A SUBSÍDIOS

A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira deliberou, por unanimidade, em reunião de 17 de dezembro, prorrogar o prazo para apresentação a candidaturas para a Concessão de Subsídios até ao próximo dia 31 de janeiro de 2015. Medida visa facilitar o acesso equitativo de todas as coletividades a este apoio financeiro, após um ano de eleições nos corpos sociais.

O Regulamento Municipal para a Concessão de Subsídios prevê que as candidaturas de caráter anual sejam entregues até 31 de dezembro do ano anterior a que se reportam. Contudo, e considerando que algumas das Associações Culturais, Desportivas, Recreativas e de Lazer do Concelho conheceram, no presente ano, alterações nos corpos sociais, provocando alguns constrangimentos organizativos internos que se refletem na elaboração e aprovação dos Planos de Atividades e Orçamento, o executivo propôs que fosse deferido o prolongamento excecional da apresentação das Candidaturas para a Concessão de Subsídios até à data de 31 de janeiro de 2015.

A autarquia destaca o relevante interesse municipal do trabalho desenvolvido por estas coletividades, reconhecendo o papel ativo e criativo na dinamização da vida do Concelho, assim como na melhoria da qualidade de vida da população.

As candidaturas são obrigatoriamente apresentadas em formulário próprio fornecido pelos serviços do Município, acompanhado dos documentos solicitados.

Os pedidos de apoio são apreciados por uma comissão nomeada que emite, posteriormente, um parecer fundamentado sobre cada processo, relativamente à qualidade e interesse do mesmo para o Concelho, concluindo com uma proposta a submeter à Câmara Municipal sobre se deve ou não ser concedido o apoio.

ESPOSENDE RECEBE CAMPEONATO DE SURF

A Esposende Surf Team, clube de competição de bodyboard e surf, registado na Federação Portuguesa de Surf irá realizar no próximo sábado 27 de dezembro um campeonato destas duas modalidades na Praia Suave Mar (sul) em Esposende, com a presença de 60 atletas.

O evento decorrerá com o apoio da CME, com o seguinte horário: 8h30-17h30 e nas categorias de Bodyboard Open, Surf Open, Bodyboard sub-21 e Bodyboard feminino. Enviamos esta informação para se quiserem fazer reportagem e/ou cobertura do evento. As finais estão previstas a partir das 15h e a cerimónia de entrega de prémios às 17h30.