Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

SOPRANO BRACARENSE CRISTIANA OLIVEIRA INTERPRETA “A FILHA DO REGIMENTO” QUE VAI ESTAR EM CENA NO TEATRO NACIONAL DE SÃO CARLOS

A próxima temporada lírica no Teatro Nacional de São Carlos vai incluir a representação da ópera cómica do compositor italiano Gaetano Donizetti “La fille du régiment”, contado com a participação da soprano bracarense Cristiana Oliveira no papel de Maria. Uma oportunidade a não perder para os apreciadores de ópera e também para aqueles que quererão apreciar e aplaudir o desempenho de Cristiana Oliveira.

A ópera cómica do compositor italiano Gaetano Donizetti La fille du régiment foi apresentada no Teatro Nacional de São Carlos em 1989. Volta agora à cena, nos dias 4, 6, 8 e 10 de novembro, numa nova produção do TNSC, com encenação de Mário Redondo e direção musical de Rui Pinheiro.

La fille du régiment retrata a história de Marie, que após ter sido abandonada em criança foi adotada pelo 21.º regimento das hostes napoleónicas. Tonio apaixona-se pela jovem Marie e tudo faz para que, aos olhos do «pai», o Sargento Sulpice, se mostre digno de casar com ela. Uma velha marquesa, em conversa com Sulpice, descobre que Marie é a sua sobrinha desaparecida. Acolhe-a e dá-lhe a educação que até à data Marie não tinha tido, de modo a casá-la com um duque. Marie é infeliz numa vida tão distante daquela que havia tido junto do exército. Tonio implora-lhe que abandone tudo e parta com ele. A marquesa, perante a situação, confessa que Marie é sua filha e permite que esta se case com o fiel Tonio.

LA FILLE DU RÉGIMENT (Gaetano Donizetti)

4, 6, 8 de novembro às 20h

10 de novembro às 16h

Marie Cristiana Oliveira

Tonio Alessandro Luciano

Sulpice Luís Rodrigues

Marquesa de Berkenfield Patrícia Quinta

Hortensius João Oliveira

Duquesa de Krakenthorp Paula Fonseca

Notário Philippe Leroux

direção musical Rui Pinheiro

encenação Mário Redondo

cenografia Luís Santos

figurinos Maria Gonzaga

desenho de luz Paulo Sabino

Coro do Teatro Nacional de São Carlos / maestro titular Giovanni Andreoli

Orquestra Sinfónica Portuguesa

Cristiana Oliveira é natural de Braga, cidade onde iniciou os seus estudos musicais de piano e violino. E resto, a cidade de Braga tem vindo a adquiri notoriedade como berço dos melhores sopranos portugueses, de entre os quais salientamos também o nome de Elizabete Matos.

De acordo com a sua biografia oficial que se transcreve, Cristiana Oliveira é licenciada em Canto pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, nas classes dos Professores Oliveira Lopes e Margarida Reis.

Frequentou vários cursos de aperfeiçoamento e masterclasses com Ana Paula Matos, Patricia MacMahon, Enza Ferrari, Paulo Ferreira, Marc Tardue, Mme Dechorgnat no Conservatório Internacional de Paris, Gabriella Morigi em Bolonha e Palmira Troufa com quem estuda regularmente.

Em 2010 foi aceite no curso intensivo do Estúdio de Ópera de Nova Iorque onde interpretou o papel de Yaroslavna na ópera "Prince Igor", de Borodin.

Em 2011 obteve uma Menção Honrosa no Concurso Nacional de Canto Luísa Todi.

Apresentou-se em vários recitais de Lieder e Oratória em Portugal, Espanha, Itália e Estados Unidos da América.

Na ópera interpretou Dido em "Dido e Aeneas", de Purcell, Gretel em "Hansel e Gretel", de Humperdink nos Teatros de Tomar e Ourém e Helena Sá e Costa e recentemente Ivette em "La Rondine", de Puccini e Nita na Zarzuela "Los Gavilanes", no Teatro Nacional de São Carlos.

No ano passado fez a sua estreia no papel de Violetta Valery de "La Traviata" de Verdi no Atelier de l'Opera, Centro de Alto Aperfeiçoamento Operático de Barcelona e no Festival de música de Sant Pere Sallavinera com aclamadas críticas.

Em 2012 obteve o 1º Prémio no Concurso Internacional de Interpretação do Estoril.

Em 2013 ganhou o prémio especial "Concerto a Milano" no Concurso Internacional de Canto Maria Malibran em Milão.

Do seu repertório fazem parte as grandes heroínas para soprano lírico/spinto de coloratura.