Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DE LIMA PROMOVE GRANITO DAS PEDRAS FINAS

Sessão Pública de Assinatura do Contrato de Financiamento do projeto “Granito das Pedras Finas” PROVERE Minho IN

No próximo dia 2 de julho, às 18h30, irá ter lugar no Auditório Municipal a sessão pública de assinatura do Contrato de Financiamento entre a Autoridade de Gestão do Programa Operacional da Região Norte, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e este Município, relativo ao projeto “Granito das Pedras Finas de Ponte de Lima: afirmação da marca em novos produtos e novos mercados” - EEC - PROVERE MINHO IN.

Neste âmbito o Município de Ponte de Lima e o IPVC viram finalmente aprovado o financiamento, a uma taxa de comparticipação FEDER de 85%, dos investimentos relativos à implementação de ações que visam contribuir decisivamente para a estruturação do produto “Granito das Pedras Finas”, particularmente, através da sua certificação, da constituição da marca, da definição de uma estratégia de valorização comercial, incluindo a análise de canais de distribuição e identificação de mercados potenciais, e da exploração de novas soluções de design e aplicações para os produtos em granito, passando também pela promoção do ordenamento territorial da atividade e pela valorização ambiental e paisagística integrada das zonas extrativas. Estas ações implicam, no seu conjunto, um investimento na ordem dos 420.392,00 €.

O granito enquanto recurso endógeno e a cantaria enquanto ofício de grande tradição em Ponte de Lima, constituem um património natural e cultural cuja rentabilização económica se procura potenciar através daqueles investimentos. Assim, “Granito das Pedras Finas” justificou a determinação de um projeto âncora, como recurso endógeno, enquadrado pelas estratégias de eficiência coletiva (no caso em apreço um Programa de Valorização de Recursos Endógenos – PROVERE) definidas no atual quadro de apoio (QREN 2007/2013).

É fundamental que, neste contexto, venha a ser assumido por todos os atores que só através do funcionamento em parceria, e de uma forma coletiva e integrada, será possível prever o futuro desta indústria. Assim, toda a abordagem passa pela congregação de esforços, entre as entidades públicas e os privados/empresários, que se deverão unir em torno deste objetivo comum.