Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO QUER LABORATÓRIO PARA REALIZAÇÃO DE TESTES COVID-19

COMUNICADO

Paulo Cunha  reclama urgência na criação de laboratório para realização de testes em Famalicão

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão pede para o concelho a instalação urgente de um laboratório de recolha e análises de testes COVID-19, uma vez que não está a ser assegurada no território a realização dos testes necessários, nomeadamente junto da população idosa institucionalizada e dos funcionários das instituições.

O autarca já se disponibilizou para suportar os custos de um rastreio geral à população sénior institucionalizada e para ajudar com tudo o que for necessário do ponto de vista logístico, mas as  respostas das entidades de saúde locais remetem para a complexidade da operação e para a operacional ao nível do rastreio e do trabalho consequente que se impõem.

“A situação reclama uma intervenção urgente, cada minuto é um minuto a mais, mas a verdade é que não estamos a obter as respostas necessárias por parte das entidades de saúde”, diz o presidente da Câmara Municipal.

Ainda ontem, a situação no lar do Centro Social e Cultural de S. Pedro de Bairro estava em 9 utentes positivos, dos 50 residentes e para 5 resultados positivos entre os funcionários. Apesar do foco infecioso detetado e da vulnerabilidade da população residente, e apesar dos esforços efetuados, a Câmara Municipal foi informada que ainda não foi realizado o  rastreio de todos os seniores residentes dada a incapacidade de resposta.

“O município de Famalicão sabe que o ACeS – Agrupamento de Centros de Saúde está a diligenciar com a ARS Norte a implementação no concelho de um  laboratório convencionado, para realizar colheita dos testes. Peço que o façam com a maior brevidade possível. Estamos inteiramente disponíveis para ajudar, não podemos é esperar que um assunto desta delicadeza fique sem resposta das entidades de saúde”, diz Paulo Cunha.

GENTES DE ESPOSENDE: ESPÔSA DE TI GINGA INSPIROU OBRA DE ALEXANDRE FARTO

Quem passa junto do Centro de Actividades Náuticas, na zona sul da marginal de Esposende, depara com uma magnífica obra de arte produzida pelo escultor Alexandre Farto Aka Vhils, em homenagem às mulheres de Esposende.

90913640_1284991058377351_5839861972899725312_n.jp

Alexandre Farto é um artista urbano nascido em Lisboa que desde cedo se dedicou à pintura e ao grafiti, concluiu os seus estudos na Universidade de Artes em Londres. Possui obra espalhada por diversas localidades do nosso país e um pouco por todo o mundo, nomeadamente em cidades como Londres, Moscovo, Nova Iorque, Los Angeles e Grottaglie, no sul de Itália.

Na obra que deixou aos esposendenses vemos à esquerda a peixeira Lurdes, espôsa do Ti Ginga, cuja representação foi inspirada na foto que aqui se publica. O marido – o Ti Ginga como era conhecido entre a comunidade piscatória esposendense – foi pescador e mais tarde dedicou-se à apanha de ísca para os pescadores amadores. Diz com quem ele lidou que era uma pessoa extremamente calma e bondosa. Era esposendense!

Luís Eiras

90922286_207504537150600_2777157700776099840_n.jpg

VIZELA FECHA CEMITÉRIOS

Câmara Municipal e juntas de freguesia encerram cemitérios

Na sequência do surto da nova estirpe de Coronavírus (COVID-19), foi decretado o Estado de Emergência Nacional, através do Decreto Presidencial n.º 14-A/2020, de 18 de março, tendo sido decretadas pelo Governo, através do Decreto n.º 2-A/2020, de 20 de março, um conjunto de medidas de ordem preventiva e restritiva, designadamente deveres de confinamento obrigatório e de especial proteção, para evitar a transmissão da doença na comunidade.

De igual modo, tendo em consideração a atual situação evolutiva do surto epidémico, o Município de Vizela implementou o respetivo Plano de Contingência Municipal e tem vindo a adotar conjunto de medidas complementares com o objetivo de salvaguardar o interesse público municipal.

Assim, a Câmara Municipal de Vizela, em colaboração com as Juntas de freguesia, informa que se encontram encerrados todos cemitérios, exceto para a realização de funerais, devido à determinação de isolamento social imposto pelo decreto do estado de emergência.

De destacar que a Câmara Municipal de Vizela tem acompanhado acompanhar atentamente a evolução do surto epidémico do COVID-19 no concelho e tomado as medidas necessárias para informar a população e apoiar as várias instituições para fazer face às necessidades acrescidas vividas neste momento, efetuando também uma reavaliação diária das medidas de prevenção adotadas e a adotar de modo a prevenir e conter a respetiva propagação.

"PORTA LARGA" DA MOURARIA: TABERNA DE VALENCIANOS EM LISBOA VIROU MESQUITA PARA A PRÁTICA DO CULTO ISLÂMICO

O BLOGUE DO MINHO publicou recentemente um artigo que dava conta da abertura de mesquitas nos bairros antigos de Lisboa em locais que foram velhas tabernas pertencentes a minhotos. Um desses estabelecimentos – outrora dedicado ao culto dionisíaco – que foi recentemente convertido à religião islâmica, situa-se em pleno bairro da Mouraria, alomerado urbano situado fora da cerca Fernandina por razões estratégicas.

90920441_1438272866379960_4856395177436119040_o.jp

O referido estabelecimento – o “Porta Larga” que foi taberna e casa de pasto – foi criado em 1958 por José Luís, um valenciano da Freguesia de S. Julião, e situava-se na rua do Terreirinho, com os números de polícia 82 – 86. De um lado situava-se a taberna propriamente dita onde junto aos pipos de vinho podia-se jogar às cartas e ao dominó e, do outro lado separado por um guarda-vento, uma sala de refeições que, apesar de designada por “casa de pasto”, não consta que alguma vez tivesse servido forragem aos animais. Uma pequena passagem sob a escada do nº 84 do mesmo prédio ligava as duas partes do estabelecimento.

Em 1962, o proprietário cedeu o estabelecimento António Pereira Marinho, também conhecido por "Antónia da Porta Larga", outro valenciano, natural de Fontoura, o qual o manteve até quase aos nossos dias, enquanto José Luís foi abrir uma cervejaria situada em local próximo, na esquina da rua do Desterro com a rua Capitão Renato Baptista: a “Gruta do Desterro”.

48419871_1075543945986189_3858859688313487360_o.jp

Entretanto, António Pereira Marinho, o seu último proprietário – pai do sr. Zé Marinho, também ele um valenciano embora já nascido em Lisboa e a quem devemos a gentileza desta informação e das fotos que publicamos – cessou a sua actividade comercial, tendo a velha taberna virado mesquita para a celebração do culto muçulmano. E tal utilização continuará a ser dada àquele local, pelo menos até à altura que será construída a nova mesquita…

Enquanto decorria tal conversão, o venerando sacerdote de Dionísos que até então celebrava o culto do vinho por detrás da ara do balcão como se de um altar se tratasse, servindo sucessivas rodadas de verdasco numa inebriante comunhão eucarística, retirava-se para a terra onde nasceu e onde ecoaram os primeiros gritos de guerra da Reconquista Cristã: Valença do Minho!

91008922_1438272566379990_4406981718116925440_o.jp

91079942_1438272119713368_8530845789151297536_o.jp

OS SOLDADOS PORTUGUESES QUE SE TORNARAM EMIGRANTES EM FRANÇA NO FINAL DA GRANDE GUERRA

  • Crónica de Daniel Bastos

A presença da comunidade portuguesa em França, a mais numerosa das comunidades lusas na Europa e uma das principais comunidades estrangeiras estabelecidas no território gaulês, rondando um milhão de pessoas, está historicamente ligada ao processo de reconstrução francês após o fim da segunda Guerra Mundial. Reconstrução, que em parte, foi suportada por um enorme contingente de mão-de-obra portuguesa que motivada pela procura de melhores condições de vida, e nas décadas de 1960-70 pela fuga à Guerra Colonial e à repressão política do Estado Novo, encontrou nos setores da construção civil e de obras públicas da região de Paris o seu principal sustento.

Mas originariamente, a emigração portuguesa para França está ligada à participação do Corpo Expedicionário Português (CEP) na frente europeia da Grande Guerra (1914-1918), acontecimento bélico que levou para França em 1917 cerca de 55 mil portugueses para lutar nas trincheiras dos aliados britânicos contra o inimigo alemão, e do qual milhares de soldados não regressaram, optando por se tornarem emigrantes em terras gaulesas.

Daniel Bastos e Felicia Assunção Pailleux.jpg

O historiador Daniel Bastos, cujo percurso tem sido alicerçado no seio das Comunidades Portuguesas, acompanhado em 2019 de Felícia Assunção Pailleux, filha do antigo combatente na I Guerra Mundial e depois emigrante em França, João Assunção, no Museu Nacional da História da Imigração em Paris

 

Ainda hoje, existem descendentes destes soldados e emigrantes lusos que preservam a sua memória e zelam o cemitério militar português de Richebourg, no norte de França, um cemitério militar exclusivamente português, que reúne um total de 1831 militares mortos na frente europeia. É o caso da nonagenária Felicia Assunção Pailleux, filha do soldado e depois emigrante João Assunção, um minhoto de Ponte da Barca, que fez parte da 2ª Divisão do CEP e que como outros compatriotas que optaram no final do conflito bélico por não regressar a Portugal, onde grassava uma profunda crise política, económica e social, fixou-se na zona onde combateu, no Norte-Pas de Calais, uma zona de minas de carvão que absorveu muita mão-de-obra.

Ao longo das últimas quatro décadas, Felicia Paileux tem sido a porta-estandarte da bandeira de Portugal nas cerimónias evocativas da Grande Guerra no cemitério de Richebourg e no monumento aos soldados lusos em La Couture, no Norte-Pas de Calais, honrando a memória do seu pai, soldado e emigrante português falecido em 1975, que muito antes da emigração maciça dos anos 60 escolheu como muitos outros antigos companheiros de armas a França para viver, trabalhar e constituir família.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ENCERRA PARQUE DAS TERMAS E MARGINAL RIBEIRINHA

Na sequência do surto da nova estirpe de Coronavírus (COVID-19), foi decretado o Estado de Emergência Nacional, através do Decreto Presidencial n.º 14-A/2020, de 18 de março, tendo sido decretadas pelo Governo, através do Decreto n.º 2-A/2020, de 20 de março, um conjunto de medidas de ordem preventiva e restritiva, para evitar a transmissão da doença na comunidade.

Encerramanto PT.jpg

Assim, no seguimento do decretado pelo governo, mais precisamente pelo Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e uma vez mais, atenta a realidade concelhia, a Câmara Municipal de Vizela encerrou o Parque das Termas e a Marginal Ribeirinha, locais onde habitualmente se concentram muitas pessoas. 

A Câmara Municipal de Vizela apela à população vizelense para respeitar as recomendações das autoridades, em especial o cumprimento do Dever Geral de Recolhimento, devendo, sempre que possível, evitar deslocações para fora do domicílio, preservando o recolhimento domiciliário.

Fique em casa! Por si! Por nós! Por Vizela!

Fique em casa, por favor!

GENTES DE ESPOSENDE: ANTÓNIO FERNANDES DA CRUZ

Disse o sábio grego Platão que no mundo existem três espécies de homens: os vivos, os mortos e os que andam no mar.

Esposende é terra de gente que anda no mar. Quantas vezes enfrentando com galhardia os perigos que o mar encerra. Jamais deixando-se encantar pelo melodioso canto da sereia. As mulheres aguardam ansiosas no areal da praia o regresso dos seus maridos. Mais além, para os lados da Apúlia, os sargaceiros fazem-se à rebentação para do mar retirar o sargaço que vai adubar as suas terras. E, porque o mais importante de Esposende são as pessoas, vamos no BLOGUE DO MINHO dar a conhecer algumas delas.

91371768_213383639728060_3370429955803447296_n.jpg

Começo por apresentar o meu avô paterno, António Fernandes da Cruz. Trabalhou para a Empresa de Pescas de Viana. A sua vida foi feita a labutar na pesca do bacalhau pelos bancos da Terra Nova, Gronelândia e Brasil. A vida a bordo durava quase meio ano. E, apesar de tantos perigos e vicissitudes, veio a falecer no rio Cávado, perto da sua terra natal.

Morreu afogado ainda muito jovem. Contava apenas 42 anos de idade. Fazia então o transporte do sargaço para os agricultores estrumarem as terras. Estes exigiam cada vez mais carga pelo mesmo dinheiro. Eram tempos difíceis!

O naufrágio ocorreu há mais de 50 anos. A travessia do rio era feita à vara. A embarcação seguia com uma carga completa e as bordas quase a beijar o rio. Veio o temporal e o barco virou.

Apenas 3 dias decorridos o corpo apareceu. E foi o meu pai que o encontrou. Já sem botas nem a roupa de oleado que trazia vestido. Debaixo de água ainda conseguiu libertar-se da roupa. Mas, o cansaço venceu-o!

Dizem quem com ele lidou por perto que nadava como um peixe. Esposende é terra de gente que não teme o mar!

Luís Eiras

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO DOTA FUNCIONÁRIOS DOS LARES COM MATERIAL DE PROTECÇÃO INDIVIDUAL

Câmara equipa primeira linha de combate à pandemia com material de proteção individual resultante de encomendas municipais e de doações de empresas

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão iniciou hoje a distribuição de material de proteção individual pelos lares de Vila Nova de Famalicão, na sequência da receção de uma de várias encomendas realizadas pelo município deste tipo de material e na sequência de dádivas de empresas e particulares.

DSC_1435.jpg

A ação de entrega está a ser feita pelos próprios serviços da autarquia diretamente às instituições e vai permitir dotar estas entidades com equipamento mínimo indispensável para lidar com a pandemia do COVID – 19. A encomenda rececionada hoje, que será integralmente distribuída nas próximas horas, inclui um total de 860 máscaras de proteção reutilizáveis e laváveis até 30 vezes com tratamento hidrofóbico e antimicrobiano, aprovadas pelo INFARMED em 25/03/2020 com classificação 2R. Para além das máscaras, estão a ser entregues luvas de proteção e viseiras, estas últimas resultado de doação particular.

Esta ação de doação de equipamentos de proteção individual a lares do concelho é uma das ações do Plano de Contingência Municipal em desenvolvimento que já permitiu entregar cerca de 6 mil pares de luvas, mais de 10 mil máscaras, centenas de viseiras e de óculos, dezenas de fatos, toucas e cobre botas, pelas forças de segurança e socorro de Famalicão.

Entretanto, a Câmara de Famalicão tem encomendas ativas de alguns milhares de peças de proteção, no valor próximo dos 100 mil euros, que conta receber nos próximos dias e que permitirão reforçar a proteção das pessoas que trabalham nestas entidades e alargar este apoio aos Centros de Saúde de Famalicão e às Juntas de Freguesia que permanecem com Espaços de Cidadão e balcões de CTT abertos ao público.

Paralelamente, o município mantém aberta uma campanha que apela à doação de material de proteção por parte de empresas e particulares de Famalicão para doações aos profissionais que estão na primeira linha de intervenção de combate à pandemia. Nesse enquadramento já foram doadas à Proteção Civil Municipal uma parte significativa do material já entregue.

EPIDEMIA CANCELA FESTIVAIS DE FOLCLORE

Covid-19 cancela festivais de folclore, festas e romarias

A Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM) acaba de suspender todas as festas e romarias no distrito de Viana do Castelo, até ao dia 30 de junho, foi anunciado em comunicado.

7069655cdb992e2b6e78f79048458a83.jpg

Desde já, este ano não haverá Vaca das Cordas em Ponte de Lima, Festa das Rosas em Vila Franca do Lima nem a Coca em Monção. Pelo meio ficará cancelada a realização de dezenas de festivais de folclore em todo o Minho. De igual modo, também na região de Lisboa foram já cancelados todos os festivais de folclore que se encontravam anunciados e suspensa a actividade de todas as associações regionalistas que ainda funcionavam.

O pico estatístico da epidemia encontra-se previsto venha a ter lugar durante o próximo mês de Maio. Porém, isso não significa que a epidemia se encontre de imediato debelada e não sejam necessárias mais medidas de precaução. De resto, o estado de emergência pode vir a prolongar-se para além do previsto, até porque o tratamento dos infectados e as medidas de contigência deverão prolongar-se para além do corrente ano.

Para além dos eventos já cancelados, é bem provável que outros venham a ser de igual modo suspensos, nomeadamente algumas das festas e romarias mais emblemáticas da nossa região, como a Romaria da Senhora d’Agonia em Viana do Castelo, as Feiras Novas de Ponte de Lima, os festejos em honra de Nossa Senhora da Bonança em Vila Praia de Âncora, a romaria ao São João d’Arga ou a Senhora da Peneda em Arcos de Valdevez. Mas também importantes eventos no domínio do folclore como o FolkMonção.

As organizações de tais eventos devem preparar-se para o pior cenário e aproveitarem a situação para os fazerem regressar ainda com maior pujança e atracção. Os grupos de folclore podem aproveitar a ocasião para fazerem o trabalho de casa nomeadamente ao nível da investigação e da correcção do seu desempenho. Não há tempo a desperdiçar!

Foto: José Carlos Vieira

MUNICÍPIO DE BARCELOS ATIVA PLANO DE EMERGÊNCIA

A Comissão Municipal de Proteção Civil de Barcelos reuniu hoje, dia 27 de março, tendo decidido ativar o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil, na sequência da aprovação, no dia 25 de março com validação pela tutela a 26 de março, do Plano Distrital de Emergência de Proteção Civil, numa altura em que o distrito está sob alerta amarelo devido à pandemia do novo Coronavírus Covid-19.

Na reunião, realizada por vídeoconferência, o Presidente da Proteção Civil Municipal, que é também o Presidente da Câmara Municipal, fez um ponto da situação sobre as medidas do Município quanto à contenção e mitigação da pandemia e, em geral, da presente situação epidemiológica.

Também os demais membros da Comissão apresentaram as suas posições sobre as instituições que representam e sobre a situação de pandemia no concelho.

Para além dos mecanismos de proteção civil nacionais e regionais, com a ativação do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil, o Município de Barcelos fica apto a utilizar os instrumentos previstos no seu próprio Plano de Emergência nas situações e nas necessidades que a pandemia possa vir a apresentar. Entre eles está a possibilidade do Município recorrer a entidades privadas para satisfazer qualquer necessidade que a todo o momento a situação de pandemia exija.

Ainda na mesma reunião, foi decidido, por unanimidade, delegar no Presidente da Proteção Civil Municipal todos os atos da competência da Comissão.

VIZELA REALIZA TESTES DE DESPISTAGEM DO COVID-19

Câmara Municipal de Vizela iniciou hoje testes de despiste do COVID-19 nas IPSS’ do Concelho

Na sequência do surto da nova estirpe de Coronavírus (COVID-19), foi decretado o Estado de Emergência Nacional, através do Decreto Presidencial n.º 14-A/2020, de 18 de março, tendo sido decretadas pelo Governo, através do Decreto n.º 2-A/2020, de 20 de março, um conjunto de medidas de ordem preventiva e restritiva, designadamente deveres de confinamento obrigatório e de especial proteção, para evitar a transmissão da doença na comunidade.

analises CSPSE2.JPG

De igual modo, tendo em consideração a atual situação evolutiva do surto epidémico, o Município de Vizela implementou o respetivo Plano de Contingência Municipal e tem vindo a adotar conjunto de medidas complementares com o objetivo de salvaguardar o interesse público municipal.

Assim, a Câmara Municipal de Vizela, em colaboração com as USF do Centro de Saúde de Vizela, e em parceria com a Unilabs Portugal, iniciou hoje, no Centro Social e Paroquial de Santa Eulália, a realização de testes de despiste e diagnóstico do novo coronavírus COVID-19, para reforçar a segurança e rastrear os mais vulneráveis, seguindo-se as restantes IPSS’s.

Trata-se de uma medida de reforço às já implementadas pela Autarquia com o objetivo de reduzir o impacto provocado pela pandemia no Concelho, minimizando a propagação do vírus e assegurando as boas condições de funcionamento das instituições, sendo que o Município de Vizela vai assumir os custos com a realização destes testes à covid-19, num valor de cerca de 50.000,00€.

O objetivo de hoje, e atendendo à problemática que se tem vindo a verificar, não só no nosso país, mas em vários países da Europa, a Câmara Municipal de Vizela decidiu rastrear todos os utentes do Centro Social e Paroquial de Santa Eulália, contando com a colaboração de dois enfermeiros da USF Novos Rumos e da enfermeira do Centro Social e Paroquial de Santa Eulália.

Importa ainda acrescentar que, caso se verifique algum caso positivo, a Câmara Municipal já articulou com o proprietário do Hotel Bienestar, a colocação naquele local dos utentes cujo resultado seja negativo. Caso o número de casos positivos seja significativo, a Câmara Municipal está a criar condições numa escola do Concelho para receber esses utentes.

De destacar que a Câmara Municipal de Vizela tem acompanhado acompanhar atentamente a evolução do surto epidémico do COVID-19 no concelho e tomado as medidas necessárias para informar a população e apoiar as várias instituições para fazer face às necessidades acrescidas vividas neste momento, efetuando também uma reavaliação diária das medidas de prevenção adotadas e a adotar de modo a prevenir e conter a respetiva propagação.

PAN PEDE AO GOVERNO MAIS APOIOS À PRODUÇÃO DE CULTURAS AGRÍCOLAS

COVID – 19 | ESTADO DE EMERGÊNCIA EM PORTUGAL

O PAN (Pessoas-Animais-Natureza) pretende que o Governo promova a criação de apoios à produção de culturas agrícolas, na atual situação excecional em que o país se encontra afetado pelo surto da Covid-19.

Entre as propostas do PAN, conta.se nomeadamente a criação de apoios específicos destinados aos pequenos produtores e aos produtores com produção em modo biológico, cujas vendas são maioritariamente feitas em mercados de proximidade e de pequeno retalho que agora estão encerrados.

Capturarpancov1.PNG

Capturarpancov2.PNG

Capturarpancov3.PNG

Capturarpancov4.PNG

COVID-19 LEVA AO CANCELAMENTO DA COCA EM MONÇÃO, VACA DAS CORDAS EM PONTE DE LIMA E FESTA DAS ROSAS EM VILA FRANCA – ESTÃO EM RISCO MUITAS FESTAS E ROMARIAS DO MINHO

Este ano não há Vaca das Cordas em Ponte de Lima, nem Coca em Monção

A Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM) suspendeu hoje todas as festas e romarias no distrito de Viana do Castelo, até ao dia 30 de junho, foi anunciado em comunicado.

10494873_10204399711259403_6841449409352242998_n

Assim, grandes eventos como a Vaca das Cordas, em Ponte de Lima, a Festa da Coca, em Monção, ou a Festa das Rosas, em Vila Franca, no concelho de Viana do Castelo, não se irão realizar.

“Os Municípios do Alto Minho não irão passar qualquer licença para festas, romarias e eventos equiparáveis que decorram até final do mês de junho, face aos graves riscos de saúde pública associados à propagação da pandemia do Covid-19 no Alto Minho”, lê-se num comunicado da CIM.

Fonte: https://ominho.pt/

MoncaoCosaSJorg (6).JPG

VIZELA DISTRIBUI CABAZES COM ALIMENTOS

Câmara Municipal iniciou hoje distribuição de cabazes no âmbito do PASA COVID 19 - Programa de Apoio ao Sistema de Alimentação - COVID 19

Na sequência do surto da nova estirpe de Coronavírus (COVID-19), foi decretado o Estado de Emergência Nacional, através do Decreto Presidencial nº 14-A/2020, de 18 de março, tendo sido decretadas pelo Governo, através do Decreto n.º 2-A/2020, de 20 de março, um conjunto de medidas de ordem preventiva e restritiva, designadamente deveres de confinamento obrigatório e de especial proteção, para evitar a transmissão da doença na comunidade.

PASA entrega.jpg

Assim sendo, de forma a assegurar que os idosos ou pessoas que se encontrem numa situação de especial vulnerabilidade, que vivam isolados ou estejam em casa sozinhos, sem apoio de rede familiar ou de assistência social para assegurar o acesso a bens essenciais como a alimentação, se mantenham em casa e, assim, evitar a propagação do surto epidémico, o Município de Vizela iniciou hoje a entrega de cabazes no âmbito do PASA COVID 19 - Programa de Apoio ao Sistema de Alimentação - COVID 19.

Para além da Câmara Municipal, estes cabazes contam com o apoio das Águas S. Martinho que fornecem água para os cabazes, sendo que os mesmos estão a ser distribuídos pela empresa FEMA.

De destacar que esta medida abrange neste momento cerca de 100 pessoas, distribuídas pelas cinco freguesias do Concelho de Vizela, número que pode vir a aumentar, pelo que a Câmara Municipal pede a quem tenha conhecimento de alguém que se encontre em isolamento ou sem qualquer tipo de retaguarda familiar, que contacte a respetiva Junta de Freguesia ou os serviços de ação social da Câmara Municipal.

Assim, e sendo absolutamente essencial que estas pessoas se mantenham em casa, mas com a confiança de que nada lhes faltará, este apoio visa garantir a respetiva entrega domiciliária semanal de cabazes alimentares essenciais a uma alimentação equilibrada.

De realçar ainda que este Programa será implementado enquanto este surto se fizer sentir no Concelho de Vizela.

GNR NOTIFICOU PADARIA DO MERCADO MUNICIPAL DE VIZELA POR INFRAÇÃO ÀS REGRAS DO ESTADO DE EMERGÊNCIA

Na sequência do surto da nova estirpe de Coronavírus (COVID-19), foi decretado o Estado de Emergência Nacional, através do Decreto Presidencial n.º 14-A/2020, de 18 de março, tendo sido decretadas pelo Governo, através do Decreto n.º 2-A/2020, de 20 de março, um conjunto de medidas de ordem preventiva e restritiva, designadamente deveres de confinamento obrigatório e de especial proteção, para evitar a transmissão da doença na comunidade.

Neste seguimento, a GNR de Vizela, após fiscalização no local, notificou a padaria do Mercado Municipal por infração às regras do Estado de Emergência.

De realçar que o proprietário da padaria já havia sido alertado para os perigos de saúde pública inerentes ao incumprimento das medidas de prevenção impostas, tendo, nessa altura, sido alertado para comportamentos que não se adequavam às medidas de prevenção e contágio decretadas pelo atual estado de emergência.

A Câmara Municipal de Vizela alerta que apesar das fiscalizações e alertas para os perigos, muitos cafés, padarias e outros estabelecimentos do género que potenciam o contacto social e o contágio, continuam abertos sem respeitarem as regras de segurança e prevenção decretadas, lembrando que a aplicação de medidas penais associadas, poderá ir até 1 ano de prisão ou 120 dias de multa.

Assim, e atendendo à atual situação do país e do concelho, é hora de pensar no bem comum e cumprir as regras determinadas, pelo que a Câmara Municipal apela mais uma vez a todos os Munícipes que sigam rigorosamente todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde, assim como as medidas de ordem preventiva e restritiva decretadas pelo Governo.