Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIANA DO CASTELO REALIZA ENCONTROS DO CINEMA

No âmbito da programação dos XIV Encontros de Cinema de Viana

CRÓNICA DO RENASCIMENTO DE UMA ALDEIA

Um documentário de José Vieira 2013. França - 83'

Teatro Municipal Sá de Miranda, 1 de maio, às 21h45, com entrada livre

CRONICA

Este documentário, rodado no Puy-de-Dôme, relata o percurso de famílias portuguesas que se instalaram, a partir dos anos 60, em antigas aldeias vinhateiras, nomeadamente em Roche-Blanche. "Outrora, o país dos imigrantes era lá. Agora é aqui. O país dos imigrantes é onde as pessoas se sentem em casa. Lá, na aldeia que eles deixaram, eles são a imagem viva da ausência. Aqui, encontraram como levar a vida e ficaram. A sua presença salvou a aldeia da ruína. Aqui é Roche-Blanche, uma aldeia ao pé de Clermont Ferrand. Em 1968, na escola municipal, havia 67% de filhos de imigrantes, na sua maioria de pais portugueses. Não há memória, em Auvergne, de nada assim. No pós-guerra, as antigas aldeias vinhateiras ao redor de Clermont Ferrand estavam completamente em ruínas. Os imigrantes, primeiramente italianos e espanhóis e depois portugueses, encontraram ali um alojamento barato. Uns reconstruiram sobre os escombros, outros restauraram antigas casas de vinhateiros. Alguns compraram pedaços de terra e pequenos vinhedos. Os antropólogos dizem que estes imigrantes, em busca de um mundo melhor, encontraram ali uma possibilidade de reinventar o mundo rural que tinham deixado. Mas os caminhos que levam a uma vida melhor são muito mais tortuosos do que se possa imaginar…"José Vieira.

José Vieira vive e trabalha entre Portugal e França. A sua obra, dedicada sobretudo à problemática da emigração, tem sido exibida nos mais diversos festivais internacionais de cinema. José Vieira tem dado visibilidade à história de um milhão de portugueses que saíram do país nos anos sessenta, a maioria clandestinamente - "a salto", como se dizia -, no que foi a maior migração humana na Europa, no século XX.