Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO REALIZA FEIRA DO ALVARINHO

A melhor feira do país dedicada ao setor dos vinhos está a chegar. Marque na agenda: 30 de junho e 1 e 2 de julho. Três dias de promoção do vinho Alvarinho, degustação gastronómica e animação popular.Venha brindar connosco. E convide os seus familiares e amigos.

A Feira do Alvarinho de Monção, certame destinado a promover aquele produto vínico singular e nobre da nossa região, realiza-se nos dias 30 de junho e 1 e 2 de julho, apresentando uma programação destinada a todos os públicos, complementada com provas de vinho, degustação gastronómica, conferências temáticas e animação musical.

No Campo da Feira, vai localizar-se uma tenda gigante com produtores de vinho Alvarinho (31) tasquinhas/ranchos (8), fumeiros/queijaria (5), tasquinhas (5), doçaria tradicional (4). No espaço exterior, situam-se os expositores de artesanato (32), instituições e associações locais (13), patrocinadores oficiais (12) e organização/venda de copos (2).

Ao todo, marcam presença na feira112 expositores, acrescentando-se um posto de informação, um posto médico, um espaço infantil, instalações sanitárias, espaço lounge, Eprami.come e espaço “Vinho – Grandes Escolhas”, onde decorrerão as conferências e palestras a cargo de oradores prestigiados e conhecedores desta casta aromática.

Num evento de sucesso que se renova de ano para ano, a edição deste ano disponibiliza, em parceria com a Confraria da Foda de Pias, uma área dedicada à degustação da gastronomia monçanense, Cordeiro à Moda de Monção, conhecido como Foda à Monção, com apresentação daquele prato típico da região.

A abertura oficial está marcada para as 11h00 com a presença do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luis Medeiros Vieira, abrindo espaço a três dias de promoção dos vinhos Alvarinho, gastronomia local e rentabilização económica dos expositores, comércio, hotelaria e restauração do concelho.

Milhares de pessoas, de diferentes áreas geográficas de Portugal e Espanha, rumam à Terra de Deu-la-Deu Martins para “sentir” a Feira do Alvarinho de Monção. No último ano, no mesmo local, terão passado pelo recinto da feira 70mil pessoas, originando um volume de negócio direto e indireto (cafetarias, restauração, hotelaria, comércio..) superior a meio milhão de euros.

Ao longo dos três dias, as tardes serão preenchidas com agrupamentos folclóricos do nosso concelho. As noites iniciam-se com animação de rua (charangas), continuando, pela noite dentro, com Dj`s conhecidos do grande público. Na sexta-feira, Paulino Coelho. No sábado, Fernando Alvim.

A Feira do Alvarinho de Monção tem como finalidade reforçar a sua condição de instrumento estratégico para a promoção e comercialização daquele produto singular produzido em Monção e Melgaço, enaltecendo as suas características vinícolas ímpares e diferenciadoras e promovendo o estabelecimento de parcerias comerciais.

Assume-se ainda como uma espaço de divulgação da atividade empresarial e associativa da região e como uma “montra” para a dinamização do mundo rural através da apresentação, valorização e comercialização de produtos e artigos locais e regionais.

cartaz.tif

Dia 1 sábado.png

Dia 2 domingo.png

dia 30 sexta.png

Planta.png

FESTIVINHÃO É O FESTIVAL ENOTURÍSTICO DE ARCOS DE VALDEVEZ

Grande Prémio FESTIVINHÃO’17 foi entregue ao CERQUEIRAL VINHÃO 2016, que também arrecadou a Selecção do Ano e Vinho Arcos de Valdevez do Ano ambos na classe “Tinto”

Encerrou no domingo a segunda edição do FESTIVINHÃO – Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez, numa organização da Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez e do Município de Arcos de Valdevez onde foi possível provar, comprar e beber os melhores vinhos da Região dos Vinhos Verdes, acompanhados por petiscos tradicionais na terra Onde Portugal se Fez.

A organização, solidária com a da tragédia da comunidade de Pedrógão Grande cancelou toda a animação na tarde de domingo. A componente expositiva, seguiu a sua programação, apenas foram excluídas as restantes actividades.

No sábado apesar das temperaturas terem rondado os 40 graus, a Vila de Arcos de Valdevez encheu-se de visitantes e de população local que animaram as tasquinhas e as bancas dos produtores. O público aderiu mais em força logo que a temperatura começou a reduzir e a noite se aproximou, tendo as pessoas saído para a rua para matarem a sede com um vinho fresquinho.

As atividades tiveram início logo pela manhã com uma vista guiada, degustação e prova a três quintas de vitivinicultores associados na Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez. A animação começou de forma tradicional com um grupo de bombos a anunciar a festa e seguiu-se de meia em meia hora, alternando pelos 3 palcos do evento. As bandas e o teatro de rua animaram as ruas do centro histórico e permitiram aos populares cantar e dançar em conjunto com os profissionais. Foram momentos altos de entusiasmo que sempre agradam a quem assiste e torna os eventos mais hospitaleiros.

Os concertos encerraram a sua programação pela meia-noite, mas começou um espectáculo de DJ no Largo da Lapa, o tradicional centro social da Vila Arcuense. Foi o convite à dança, acompanhada por um bom copo e um petisco para retemperar energias.

Na sexta-feira além do Seminário FESTIVINHÃO com duas componentes, uma dedicada à Cultura da Vinha, outra à Relação Turismo e Gastronomia e Vinhos, decorreu o jantar de gala da entrega de diplomas aos vinhos seleccionados em prova cega e premiados nas categorias de Selecção do Ano (qualquer vinho da Região dos Vinhos Verdes, a concurso), Vinho de Arcos de Valdevez do Ano (vinho de vitivinicultor com sede em Arcos de Valdevez) e o Grande Prémio FESTIVINHÃO’17, destinado exclusivamente ao melhor vinho tinto da casta Vinhão a concurso na Selecção do Ano.

O Grande Prémio FESTIVINHÃO’17 foi entregue ao CERQUEIRAL VINHÃO 2016, que também arrecadou a Selecção do Ano e Vinho Arcos de Valdevez do Ano ambos na classe “Tinto”. A Quinta do Cerqueiral, Lda arrecadou ainda mais um diploma pelo Vinho de Arcos de Valdevez do Ano na classe “Rosé”. Dois grandes vencedores da noite a acumular diplomas, foram: a Adega Cooperativa de Ponte da Barca que conseguiu vencer a Selecção do Ano nas classes de “Rosé”, “Espumante de Vinho Verde Branco” e “Espumante de Vinho Verde Tinto” ; e a Casa dos Borralhais com os Vinhos de Arcos de Valdevez do Ano nas classes de “Branco” e “Espumante de Vinho Verde”.  Por último, outro grande vencedor na Selecção do Ano na classe “Branco” foi Leonor da Conceição Rodrigues com o “Terras de Real Alvarinho 2016”.

FESTIVINHÃO’17 FESTIVAL ENOTURÍSTICO DE ARCOS DE VALDEVEZ SELECCIONOU O VINHO VERDE DO ANO

Concurso “FESTIVINHÃO’17 Seleção Vinho Verde do Ano” decorreu no dia 31 de Maio

O FESTIVINHÃO’17 Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez que decorrerá nos dias 16, 17 e 18 de Junho, terá lugar nas ruas do centro histórico da Vila de Arcos de Valdevez, contando com workshops técnicos, espaço de exposição (vinhos, gastronomia, artesanato alimentar, etc.), espaço de provas de vinhos, tasquinhas de petiscos, espetáculos de palco, animação de rua, curso de iniciação à prova de vinhos, percursos turístico-gastronómicos pela vila, visitas a Quintas/Adegas para além de uma de programação musical forte.

festivinhao_.jpg

O Concurso “FESTIVINHÃO’17 Seleção Vinho Verde do Ano” decorreu no dia 31 de Maio, no laboratório da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes seguindo as regras da OIV Organização Internacional da Vinha e do Vinho. Foram premiados 10 vinhos, cujos vencedores serão conhecidos no jantar de gala do dia 16 de Junho que decorrerá na Estação Vitivinícola Amândio Galhano, propriedade da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes. O jantar será desenhado para fazer brilhar os vinhos, proporcionando um casamento feliz entre os vinhos vencedores e uma ementa desenhada e confecionada a preceito sob a batuta do Professor Chef Manuel Viana da Epralima. O jantar é aberto ao público, mas com inscrição prévia.

Mas a festa do vinhão começa na sexta-feira dia 16, logo pela manhã, com uma palestra vocacionada para os produtores de vinha e vinho, sob coordenação técnica e científica da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo. O primeiro painel será dedicado à cultura da vinha e aos problemas da atualidade, com novidades do ponto de vista técnico e prático. O segundo painel decorrerá em ambiente mais descontraído e de tertúlia no café mais antigo da vila de Arcos de Valdevez, o Café Arcuense. Embora dedicado aos operadores de Hotelaria, Alojamento local, Turismo em Espaço Rural, Restauração e Cafetaria está aberto ao público em geral e trará a debate a “Relação Turismo-Gastronomia e Vinhos”.

No sábado inicia-se a programação enoturística logo pela manhã, com uma visita guiada a três quintas e adegas do Vale do Lima. Em cada quinta, haverá lugar à degustação de vinhos e produtos alimentares artesanais locais. À noite haverá lugar a um jantar itinerante, experiência gastroturística e cultural com 4 “estações” correspondendo cada uma delas a uma das partes da refeição: entradas, sopa, prato principal e sobremesa. Em cada uma destas haverá uma harmonização específica com Vinhos de Arcos de Arcos de Valdevez. Pelo meio, haverá lugar a uma visita guiada a edifícios e monumentos do património arcuense. No domingo haverá uma outra visita a três quintas do Vale do Vez. Para quaisquer destes eventos há necessidade de marcação prévia, já que a lotação é limitada.

Ainda no sábado realizar-se-á um Curso de Iniciação à Prova de Vinhos, oferecido pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes e pela VINÁLIA. Trata-se de um curso de lotação limitada e inscrição prévia, em que com a ajuda de um especialista é possível aprender a identificar os aromas e os sabores dos vinhos. Depois de se passar por uma experiência destas o vinho passa a ter outras subtilezas.

Ainda no sábado haverá no “Espaço Provas” duas sessões de provas comentadas pelo jornalista e Enófilo João Oliveira sobre os principais vinhos presentes na exposição. No domingo, os produtores presentes farão as suas provas comentadas, também no mesmo espaço.

O evento terá três palcos, onde de meia em meia hora haverá bandas a tocar, espectáculos de teatro de rua, coros, palhaços, etc.. No sábado a noite encerra às 2 da manhã com As Noites Loucas dos Anos 20”. Vista-se a preceito!

Programa

Sexta-feira, 16 de Junho

09:30 Seminário FESTIVINHÃO - Palestras de Viticultura*

(Auditório do Turismo)

15:30 Seminário FESTIVINHÃO - Tertúlia 'Relação Turismo-Gastronomia e Vinhos' *

(Café Arcuense)

20:00 Jantar de Celebração dos Vinhos Premiados na Selecção do 'FESTIVINHÃO'17 Vinho do Ano'

(Estação Vitivinícola Amândio Galhano)

Sábado, 17 de Junho

10:00 Enoturismo: Rota dos Vinhos de Arcos de Valdevez - Roteiro FESTIVINHÃO 1 *

Visitas guiadas às Quintas com provas de vinhos e produtos locais

(Ponto de Encontro no Turismo)

15:00 Abertura da Exposição e das Tasquinhas

15:00 - 00:00 Animação de Rua e de Palco

15:30 Curso de Iniciação à Prova de Vinho*

(Biblioteca Municipal)

18:00 - 19:00 Provas Comentadas

(Espaço Provas)

19:00 Enoturismo: Jantar Itinerante no Centro Histórico de Arcos de Valdevez*

(Ponto de Encontro no Turismo)

22:00 - 23:00 Provas Comentadas

(Espaço Provas)

00:00 Fecho da Exposição

00:00 - 02:00 Noite dos Loucos Anos 20

02:00 Fecho das Tasquinhas

Domingo, 18 de Junho

10:00 Enoturismo: Rota dos Vinhos de Arcos de Valdevez - Roteiro FESTIVINHÃO 2*

Visitas guiadas às Quintas com provas de vinhos e produtos locais

 (Ponto de Encontro no Turismo)

15:00 Abertura da Exposição e das Tasquinhas

15:00 - 18:00 Animação de Rua e de Palco

17:00 - 18:00 Provas Comentadas

(Espaço Provas)

19:00 Encerramento FESTIVINHÃO'17

Inscrições e informações no Turismo, através do e-mail vinhos.avvez@gmail.comtlm. 934901967 ou na página do Facebook https://www.facebook.com/festivinhao 

festivinhao_programa.jpg

PONTE DE LIMA REALIZA FESTA DO VINHO VERDE

Ponte de Lima acolhe a 27ª Edição da Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais. 9 a 11 de junho – Expolima

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, é o convidado de honra para a abertura da 27ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima, que abre  esta sexta- feira, 9 de junho, às 15h30.

VV_ VINHO VERDE.jpg

Ex-libris da identidade do concelho e da região, a Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais renasce ano após ano, sendo um evento que promove o Vinho Verde e seus produtores. A área de vinha do concelho está distribuída por mais de dois mil produtores. E a expansão vegetativa, nas suas diversas formas de condução, ocupa uma área de quase 35 mil hectares, correspondendo a 15% da área vitícola nacional.

O solo, o clima e as castas - Vinhão nos tintos, e Loureiro nos brancos – são o segredo dos aromas refrescantes e frutados, que tão bem caraterizam o paladar do Vale do Lima.

Organizada numa parceria entre o Município de Ponte de Lima, a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, e a Escola Superior Agrária (IPVC), esta Festa todos os anos faz rumar milhares de visitantes à região, quer para se estrearem, quer para repetirem esta experiência gastronómica única, que nem só de vinho é feita.

A 27ª edição da Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais conta no seu programa com concursos de Vinho Verde, de Leite-creme, e Regional de Ensino, assim como com vários showcookings e degustações.

“A Noite do Vinhão", sexta-feira 9 de junho, recebe às 22h00 "Zé Amaro" no recinto da Expolima. E no sábado dia 10 de Junho, também às 22h00, o destaque vai para a fadista "Carminho", cuja voz preenche a "Noite do Loureiro", num concerto gratuito, no mesmo local acima mencionado.

Para mais informação aceda a visitepontedelima.pt, ou à página de facebook da Festa do Vinho Verde.

PONTE DE LIMA REALIZA FESTA DO VINHO VERDE

Ponte de Lima acolhe a 27ª Edição da Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais. 9 a 11 de junho – Expolima

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, é o convidado de honra para a abertura da 27ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima, que abre a 9 de junho, às 15h30.

Ex-libris da identidade do concelho e da região, a Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais renasce ano após ano, sendo um evento que promove o Vinho Verde e seus produtores. A área de vinha do concelho está distribuída por mais de dois mil produtores. E a expansão vegetativa, nas suas diversas formas de condução, ocupa uma área de quase 35 mil hectares, correspondendo a 15% da área vitícola nacional.

O solo, o clima e as castas - Vinhão nos tintos, e Loureiro nos brancos – são o segredo dos aromas refrescantes e frutados, que tão bem caraterizam o paladar do Vale do Lima.

Organizada numa parceria entre o Município de Ponte de Lima, a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, e a Escola Superior Agrária (IPVC), esta Festa todos os anos faz rumar milhares de visitantes à região, quer para se estrearem, quer para repetirem esta experiência gastronómica única, que nem só de vinho é feita.

A 27ª edição da Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais conta no seu programa com concursos de Vinho Verde, de Leite-creme, e Regional de Ensino, assim como com vários showcookings e degustações.

“A Noite do Vinhão", sexta-feira 9 de junho, recebe às 22h00 "Zé Amaro" no recinto da Expolima. E no sábado dia 10 de Junho, também às 22h00, o destaque vai para a fadista "Carminho", cuja voz preenche a "Noite do Loureiro", num concerto gratuito, no mesmo local acima mencionado.

Para mais informação aceda a visitepontedelima.pt, ou à página de facebook da Festa do Vinho Verde.

Print

LISBOA RENDEU-SE AO ALVARINHO WINE FEST

Mais de dez mil pessoas passaram pelo Pavilhão Carlos Lopes

‘A 3ª edição do Alvarinho Wine Fest foi uma aposta ganha’ garantiu o Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista, e os números comprovam: mais de dez mil visitantes passaram pelo Pavilhão Carlos Lopes durante os dois dias do evento, onde tiveram a oportunidade de conhecer de perto as potencialidades dos sabores do Município Mais a Norte de Portugal: o fumeiro de Melgaço, os queijos, a doçaria tradicional, o pão e as compotas estiveram em destaque em Lisboa, nos dias 2 e 3 de junho.

CapturarALVA2

Durante os dois dias foram realizadas 19 provas de vinho alvarinho comentadas junto de todos os produtores presentes: por João Chambel, sommelier do Grupo Estado de Alma, e por Rodolfo Tristão, sommelier do Grupo Avillez.

19 produtores de Alvarinho - Casa de Midão, Casa de Canhotos, Castaboa, Castros de Paderne, Dom Ponciano, Dona Paterna, Encostas de Paderne, Lua Cheia em Vinhas Velhas, Memória a S.Marcos, Poema, Alvaianas, Quinta do Mascanho, Quinta do Mentainas, Quinta do Regueiro, Quintas de Melgaço, Reguengo de Melgaço, Soalheiro, Terras de Real e Valados de Melgaço; e seis de produtos locais - Fumeiro Tradicional de Castro Laboreiro, Delícias do Planalto, Casa do Ramo Sabores, Melgaço em Sabores, Prados de Melgaço e Bebipedala, deslocaram-se à capital para darem a provar o delicioso néctar e os produtos confecionados com Alvarinho. O evento completou-se com momentos musicais, no espaço lounge, e com a distinção do restaurante Solar dos Presuntos como tendo a melhor carta de Vinhos Alvarinho em Lisboa.

O número de visitantes tem aumentado de ano para ano: a 1ª edição contou com 3.500 apreciadores de Alvarinho e a 2ª com 7.700 pessoas. ‘Foi mais um palco de afirmação do território’, afirmou Manoel Batista, sublinhando que ‘dar visibilidade aos produtos que o território produz e que são de grande qualidade’. A abertura do evento contou com a presença do Vereador da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Castro, e dos Deputados José Manuel Carpinteira e Sandra Pontedeira.

CapturarALVA1

TAPADA DO MARQUÊS, ADEGA DOS LEÕES E INFUSA ROSÉ VENCEM EM BRAGA DIPLOMA DE OURO

4.º Concurso de Vinhos Verdes InvestBraga

Tapada do Marquês – Loureiro, produzido pelas Caves Campelo, Adega dos Leões - Vinhão, da produtora Margarida Laura Martins Vasconcelos, e Infusa Rosé, da Quinta de Miramontes, foram os vinhos premiados com o diploma de ouro, este fim-de-semana, no 4.º Concurso de Vinhos Verdes InvestBraga, nas categorias Vinho Verde Branco, Vinho Verde Tinto e Vinho Verde Rosado, respetivamente. Além do diploma, nesta edição, os melhores vinhos foram ainda premiados com o “selo de excelência” InvestBraga.

Molares - Azal, que arrecadou a prata, e o Molares - Arinto/azal, distinguido com o diploma de honra, ambos da Adega de Molares, foram os outros premiados na categoria Vinho Verde Branco. Na categoria Vinho Verde Tinto, Vinhão, da Adega Cooperativa de Ponte de Lima, recebeu o diploma de prata, enquanto o de honra foi atribuído a Dom Diogo - Vinhão, da Quinta da Raza. Por último, na categoria Vinho Verde Rosado, Arkos Vinhos, da Florália, Lda, e Dom Diogo, da Quinta da Raza, foram contemplados com prata e honra, respetivamente.

O 4.º Concurso de Vinhos Verdes InvestBraga realizou-se durante o Vinho Verde Fest, que levou, nos dias 2, 3 e 4 de junho, dezenas de milhares de pessoas à avenida Central de Braga.

Com cerca de 200 vinhos das diferentes sub-regiões, provas comentadas, tasquinhas e concertos, a edição de 2017 do Vinho Verde Fest foi, provavelmente, a maior feira de vinhos verdes do ano, em Portugal.

QUINTA DE SANTA CRISTINA LEVA APRECIADORES DO VINHO VERDE A CELORICO DE BASTO

Workshop de cocktails com vinho verde na Quinta de Santa Cristina

No próximo dia 10 de junho, Sábado, terá lugar na Quinta de Santa Cristina, em Celorico de Basto, um workshop de cocktails com Vinho Verde.

workshop cocktails vinho verde

Embora a combinação vinho verde e cocktails pareça improvável, não é bem assim. Os vinhos frescos e frutados são excelentes bases para preparar cocktails muito diferentes e saborosos, perfeitos para o Verão que se aproxima!

O workshop será orientado por André Silva e Pedro Moreira, da empresa Cocktail de Casta que se especializaram na preparação de cocktails com vinho verde.

O evento terá início pelas 16h00 e inclui visita guiada à adega; breve apresentação da Cocktail de Casta e dos vinhos Quinta de Santa Cristina e, finalmente, a preparação de cocktails com frutas diversas e vinhos verdes.

O preço por pessoa é 7,50 euros (IVA incluído) e as inscrições (obrigatórias até 8 de junho) devem ser efetuadas através de: enoturismo@garantiadasquintas.com ou de +351 912 527 396.

Contacto para informações e reservas (obrigatórias até 8 de junho):

E-mail: enoturismo@garantiadasquintas.com

Tlf: +351 912 527 396

Sobre a Quinta de Santa Cristina:

A Quinta de Santa Cristina, com cerca de 40 hectares, tem uma história secular, pertencendo à família há várias gerações. Situada em Veade, Celorico de Basto, faz parte da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, sub-região de Basto, uma das maiores e mais antigas regiões demarcadas do mundo. O enoturismo na Quinta de Santa Cristina foi recentemente galardoada com o prémio “Best OF Wine Tourism 2017” na categoria “Experiências Inovadoras de Enoturismo”, pela associação Great Wine Capitals.

Na adega, construída de raiz em 2014 e com uma capacidade instalada de 1 milhão de litros, são atualmente produzidos cerca de 500 mil litros entre vinhos e espumantes brancos, tintos e rosés, que contam já com vários prémios e distinções em concursos nacionais e internacionais. São produzidas 17 referências que são comercializadas em Portugal e países como Brasil, Alemanha ou Luxemburgo, entre outros.

Saiba mais sobre a Quinta de Santa Cristina em:

www.garantiadasquintas.com

https://www.facebook.com/quintadesantacristina 

https://www.facebook.com/events/1411366935553120/?active_tab=about  à Página do evento

https://instagram.com/quintadesantacristina/

https://twitter.com/Qt_Sta_Cristina

https://www.pinterest.com/qtastacristina/

https://www.youtube.com/channel/UCwcoZxK87dVo52TGOyKTJhA

ALVARINHO, FUMEIRO E PRODUTOS REGIONAIS PARA SABOREAR NA 3ª EDIÇÃO DO ALVARINHO WINE FEST

2 e 3 de junho, no Pavilhão Carlos Lopes (Lisboa)

O Alvarinho está de volta a Lisboa para a 3ª edição do Alvarinho Wine Fest. Nos dias 2 e 3 de junho vários produtores de Alvarinho deslocam-se ao Pavilhão Carlos Lopes (Lisboa) para celebrarem a Origem do Alvarinho da Sub-região Monção e Melgaço, juntamente com outros produtores da região que darão a conhecer as potencialidades dos sabores do Município Mais a Norte de Portugal. A abertura do evento acontece pelas 15h00 e é de entrada gratuita.

A origem do Alvarinho

Durantes os dois dias será possível comprovar a qualidade dos Alvarinhos da Sub-região de Monção Melgaço perfeitamente harmonizados com variadíssimos pratos. O fumeiro de Melgaço, os queijos, a doçaria tradicional, o pão e as compotas também estarão em destaque. São 25 os produtores que participarão no evento onde será possível assistir a provas comentadas com sommeliers e sessões de apresentação de novidades. Logo no primeiro dia, será premiado o restaurante que se diferenciar por apresentar na sua carta a melhor seleção de vinhos Alvarinho.

A origem do Alvarinho

19 produtores de Alvarinho: Casa de Midão, Casa de Canhotos, Castaboa, Castros de Paderne, Dom Ponciano, Dona Paterna, Encostas de Paderne, Lua Cheia em Vinhas Velhas, Memória a S.Marcos, Poema, Alvaianas, Quinta do Mascanho, Quinta do Mentainas, Quinta do Regueiro, Quintas de Melgaço, Reguengo de Melgaço, Soalheiro, Terras de Real e Valados de Melgaço; e seis de produtos locais: Fumeiro Tradicional de Castro Laboreiro, Delícias do Planalto, Casa do Ramo Sabores, Melgaço em Sabores, Prados de Melgaço e Bebipedala.

A origem do Alvarinho

Durante os dois haverão momentos musicais, no espaço lounge, que terá lugar a partir das 22h na sexta-feira e das 19h30 no sábado. Para degustação dos vinhos é necessário a aquisição do copo de provas, no valor de três euros.

Programa:

Sexta-Feira - 2 de junho

15h00 - Abertura ao público

16h00 - Entrega de prémio ao restaurante com a melhor seleção de Alvarinhos

16h30 - 18h15: produtores à prova

                 16h30 - Casa de Midão

                 16h45 - Casa de Canhotos/Garrafeira Nacional

                 17h00 - Castaboa

                 17h15 - Castros de Paderne

                 17h30 - Dom Ponciano

                 17h45 - Dona Paterna

                 18h00 - Encostas de Paderne

                 18h15 - Lua Cheia em Vinhas Velhas

22h00 - Alvarinho lounge music

24h00 - Encerramento

Sábado - 3 de junho

12h00 - Abertura ao público

16h00 - 18h30: produtores à prova

                 16h00 - Memória a S. Marcos

                 16h15 - Poema

                 16h30 - Quinta das Alvaianas

                 16h45 - Quinta do Mascanho

                 17h00 - Quinta do Mentainas

                 17h15 - Quinta do Regueiro

                 17h30 - Quintas de Melgaço

                 17h45 - Reguengo de Melgaço

                 18h00 - Soalheiro

                 18h15 - Terras de Real

                 18h30 - Valados de Melgaço

19h30 - Alvarinho lounge music

24h00 - Encerramento

A origem do Alvarinho

A origem do Alvarinho

FAMALICÃO DIVULGA VINHO VERDE

Apresentação da revista “Vinho Verde: História e Património”

O Arquivo Municipal Alberto Sampaio, em Vila Nova de Famalicão, acolhe no próximo dia 9 de Junho, em que se assinala o Dia Internacional dos Arquivos, a apresentação do 2.º volume da revista Vinho Verde: História e Património – History and Heritage (2016), dedicada a Alberto Sampaio.

Cartaz _ 1ª versão

A sessão acontece a partir das 18h30, seguindo-se uma mesa redonda sob o tema “Alberto Sampaio, um viticultor na região dos vinhos verdes”, na qual participam alguns destacados membros da Associação Portuguesa da História da Vinha e do Vinho (APHVIN/GEHVID), também eles autores de artigos publicados no citado volume.

BRAGA RECEBE O MAIOR CERTAME DE VINHOS VERDES DO PAÍS

Vinho Verde Fest assume-se como maior feira de vinhos verdes do País. Certame decorre nos dias 2, 3 e 4 de Junho, na Avenida Central

O Vinho Verde Fest está de volta à Avenida Central nos dias 2, 3 e 4 de Junho. Nesta quarta edição, o certame organizado pela InvestBraga assume-se como a maior feira de vinhos verdes do País. Com cerca de 200 vinhos representados de diferentes sub-regiões, o Vinho Verde Fest inclui provas comentadas, tasquinhas, concertos e o já habitual Concurso de Vinhos Verdes InvestBraga que contará com a participação de mais de cem marcas.

CMB31052017SERGIOFREITAS0000007394

Na apresentação do evento, que decorreu hoje, 31 de Maio, na Avenida Central, Humberto Carlos, administrador da InvestBraga, deu conta do crescimento de cerca de 50 por cento no número de produtores representados no certame. “Estes são indicadores que fazem do Vinho Verde Fest uma montra privilegiada para a promoção da economia dos vinhos verdes”, sublinhou Humberto Carlos, lembrando que o sucesso da feira ´reside no modelo adoptado e na localização privilegiada´.

CMB31052017SERGIOFREITAS0000007396

Já o vereador Altino Bessa destacou a “qualidade e diversidade” deste evento que conta com as parcerias estratégicas da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, do Turismo do Porto e Norte e ainda da Associação Comercial de Braga. “Queremos fazer crescer ainda mais esta iniciativa, consolidá-la e atrair cada vez mais público”, referiu, adiantando que “Braga tem a ambição de ser o grande embaixador dos vinhos verdes na Região e no País”.

Durante os três dias, os visitantes terão a oportunidade de experimentar os melhores vinhos verdes portugueses, mas não só. Este ano, de Sexta a Domingo, terão lugar oito provas comentadas por enólogos, sendo uma delas da responsabilidade da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes e as restantes associadas às sub-regiões do Ave, Baião, Cávado, Lima, Sousa, Monção e Melgaço. Do Domingo, decorrerá ainda uma aprova comentada de espumantes de vinho verde.

A animação será constante ao longo dos três dias do evento com os concertos da Orquestra Ligeira da Academia Allegro, na Sexta-feira, do grupo Arrefole, no Sábado, e de Hugo Torres, que irá actuar no Domingo. À meia-noite de Sábado inicia-se a Vinho Ve5rde Party com animação a cargo do DJ Deep Fresh.

O 4.º Concurso de Vinhos Verdes InvestBraga terá lugar no Sábado e vai avaliar três categorias: Vinho Verde Branco; Vinho Verde Tinto; Vinho Verde Rosado. Além do diploma de participação, os melhores vinhos recebem este ano o ‘selo de excelência’ InvestBraga.

CMB31052017SERGIOFREITAS0000007399

BRAGA REALIZA VINHO VERDE FEST

De 2 a 4 de junho: Vinho Verde Fest regressa ao centro de Braga

O Vinho Verde Fest está de volta à avenida Central de Braga nos dias 2, 3 e 4 de junho. A 4.ª edição da mostra promete ser a maior feira de vinhos verdes do ano, em Portugal, com cerca de 200 vinhos das diferentes sub-regiões, provas comentadas, tasquinhas, concertos e o já habitual concurso de Vinhos Verdes InvestBraga.

Durante os três dias, os visitantes terão a oportunidade de experimentar os melhores vinhos verdes portugueses, mas não só. Este ano, de sexta-feira a domingo, terão lugar oito provas, comentadas por enólogos, uma delas genérica da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes e as restantes associadas às sub-regiões do Ave, Baião, Basto, Cávado, Lima, Monção e Melgaço e do Sousa. No domingo, decorrerá ainda a prova comentada de espumantes de vinho verde.

No sábado realiza-se o 4.º Concurso de Vinhos Verdes InvestBraga, no qual vão ser avaliados vinhos em três categorias - Vinho Verde Branco, Vinho Verde Tinto e Vinho Verde Rosado. Além do diploma, nesta edição os melhores serão ainda premiados com o “selo de excelência” InvestBraga.

A animação está garantida diariamente com os concertos da Orquestra Ligeira da Academia Allegro, na sexta-feira, do grupo Arrefole, no sábado, e de Hugo Torres, no domingo. À meia-noite de sábado sobre ao palco o DJ Deep Fresh, para a Vinho Verde Party. Estará ainda disponível oferta gastronómica variada nas tasquinhas.

VIANA DO CASTELO REALIZA ENCONTROS VÍNICOS

A Câmara Municipal de Viana do Castelo e a Ordem dos Engenheiros da Região Norte, nos dias 26 e 27 de maio, promovem, no âmbito dos VII Encontros Vínicos do Vinho Verde, várias iniciativas, designadamente:

  1. a)      Seminário dos VII Encontros Vínicos – 26 de Maio

Local e hora: Biblioteca Municipal de Viana do Castelo (Auditório Couto Viana), às 9h00

Inscrição gratuita, mas obrigatória.

  1. b)     Jantar de Gala - 26 de Maio

Local e hora: Hotel FeelViana , às 20h00

Limite de inscrições: 45 participantes

Valor da inscrição: 27,00 €

  1. c)      Visita guiada a quintas da região (Casa da Reina + Solar de Louredo) com degustação e almoço volante – 27 de Maio

        Ponto de encontro e hora: Tenda de Mostra de Produtores (Praça da República), entre as 10h30 e as 10h45

        Limite de inscrições: 50 participantes

        Valor da inscrição: 15,00 €

  1. d)     Curso de Iniciação à Prova de Vinhos “À descoberta do Vinho”, com Eng.º Abel Codesso – 27 de maio
    Local e hora: Piso 1 dos Antigos Paços do Concelho, início às 16h00

Limite de inscrições: 20 participantes

Inscrição gratuita, mas obrigatória.

A inscrição para as iniciativas b) e c) deverá ser efetuada, respetivamente, até aos dias 25 de maio e 26 de Maio, às 16h00, para o e-mail: sturismo@cm-viana-castelo.pt ou telefone: 258 809 350 (indicar nome, Nº Cartão de Cidadão, NIF, concelho de residência e contacto telefónico). O pagamento para o evento da alínea b) terá que ser efetuado no dia 26 de Maio, contra o levantamento de um voucher de inscrição, entre as 09h00 e 12h30, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo e o pagamento para o evento da alínea c) deve ser feito entre as 10h30 e as 10h45 do dia 27 de Maio, na Tenda existente na Praça da República (local de Mostra de Produtores e de convite à degustação), contra o levantamento de voucher de inscrição. A inscrição nas iniciativas a) e d), deverá ser efetuada previamente através do portal http://www.oern.pt ou no local de realização.

Mais informações em: http://www.oern.pt/noticia.php?id=1392

CÂMARA MUNICIPAL E PRODUTORES DE MELGAÇO DENUNCIAM QUEBRA DO ACORDO QUE REGULA O ALARGAMENTO DA ZONA DE PRODUÇÃO DE ALVARINHO E CONVOCAM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Manoel Batista, Presidente da Câmara Municipal de Melgaço

NA PRÓXIMA QUARTA-FEIRA, DIA 24 DE MAIO, ÀS 11H00, NO SALÃO NOBRE

O Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Baptista, e os produtores de Alvarinho organizam na próxima quarta-feira, dia 24 de maio, pelas 11h00, uma conferência de imprensa, durante a qual denunciarão a quebra do acordo que regula o alargamento da zona de produção de alvarinho. A conferência decorrerá no Salão Nobre da Câmara Municipal.

ADEGA DE MONÇÃO CONQUISTA OURO E PRATA NO INTERNATIONAL WINE CHALLENGE 2017

Muralhas de Monção 2016 e Deu-la-Deu Reserva 2014 brilham em Londres

*Competição é a mais prestigiada a nível internacional

Os vinhos Muralhas de Monção 2016 e Deu-La-Deu Reserva 2014, da Adega Cooperativa de Monção, acabam de conquistar duas medalhas de ouro no International Wine Challenge 2017 (IWC), um dos mais prestigiados concursos de vinho a nível internacional. Nesta segunda fase do concurso, que decorreu em Londres durante duas semanas de provas cegas, foi ainda distinguido o alvarinho Deu-la-Deu Reserva 2015 com medalha de prata, tendo o branco Adega de Monção 2016 recebido o Prémio Recomendado.

Cada vinho em competição foi degustado pelo menos duas vezes pelo júri internacional deste concurso, considerado como a mais exigente  competição de vinhos do mundo, que recebe milhares de amostras provenientes dos mais variadas regiões. Os vinhos são avaliados em prova cega, através de rigorosos critérios de avaliação que respeitam o estilo e a região de cada referência vínica.

Para Armando Fontainhas, presidente da Adega Cooperativa de Monção, “estes prémios atribuídos pelo mais exigente, conceituado e influente concurso internacional, demonstram a consistência e o reconhecimento dos vinhos da sub-região de Monção e Melgaço a nível internacional, o que é naturalmente um enorme orgulho para a Adega de Monção”. Os vinhos da cooperativa minhota tem vindo a conquistar cada vez mais medalhas e distinções, quer em certames nacionais quer internacionais, o que prova o reconhecimento da qualidade e do trabalho desenvolvido em prol dos vinhos da região.

Adega Branco Escolha

Wine1

VVB Alvarinho Deu La Deu Reserva 2015

wine2

VVB Muralhas de Monção 2016

wine3

 

 

PRIMEIRA MARCA DE ALVARINHO DE MELGAÇO CELEBRA 35 ANOS COM RECONHECIMENTO NACIONAL E INTERNACIONAL E MUITAS NOVIDADES

‘É FÁCIL SER FELIZ… QUANDO FAZEMOS O QUE NOS APAIXONA’

‘Se aliarmos um país de grandes vinhos e grandes produtores (Portugal), uma região única (Vinhos Verdes), um ‘terroir’ especial onde a casta Alvarinho tem origem (Monção e Melgaço) e uma equipa que se dedica com paixão ao que gosta de fazer temos os ingredientes fundamentais para o sucesso.’ afirmam os responsáveis pela Quinta de Soalheiro

A Quinta de Soalheiro é a primeira marca de Alvarinho de Melgaço e celebra este ano 35 anos. Ao longo do seu percurso, o reconhecimento nacional e internacional nunca foi um dado adquirido, mas fez-se continuamente e em cada colheita. A última boa noticia vem dos Estados Unidos onde as mais recentes notas de Mark Squires - The Wine Advocate são uma motivação acrescida para, com seriedade e trabalho, continuar a elevar a marca Soalheiro como referência dos Vinhos Brancos mundiais. As distinções foram para o Soalheiro Primeiras Vinhas e Soalheiro Reserva, que conquistaram 94 pontos cada, e para o Soalheiro Clássico e Soalheiro ALLO, com 92 pontos cada.

image002alvar (1).jpg

São estes prémios que demonstram que os líderes de opinião internacional e nacional nos reconhecem como especialistas em Alvarinho. É com orgulho que em 2017 vemos as nossas dimensões conquistarem medalhas de ouro e duplo ouro no maior prémio do Japão, o SAKURA - Japan Women's Wine Awards 2017, serem eleitas para acompanhar Sushi pelos maiores especialistas desta iguaria, serem galardoadas pela revista Alemã Selection Magazine, pela Mundus Vinis 2017 e integrar o Top Ten Geir Salvesen (Noruega), entre muitas outras distinções.

Mas as novidades não ficam por aqui… No dia 18 de maio, vamos ter uma prova na Garrafeira Tio Pepe com Luís Cândido da Silva e a Decante Vinhos, dois parceiros de longa data que têm acompanhado e contribuído muito de perto para o reconhecimento da marca Soalheiro.

‘Se aliarmos um país de grandes vinhos e grandes produtores (Portugal), uma região única (Vinhos Verdes), um terroir especial onde a casta Alvarinho tem origem (Monção e Melgaço) e uma equipa que se dedica com paixão ao que gosta de fazer temos os ingredientes fundamentais para o sucesso’ afirmam os responsáveis pela Quinta de Soalheiro. Concluindo, ‘é fácil ser feliz… quando fazemos o que nos apaixona’.

1º ALVARINHO SEM ADIÇÃO DE SULFITOS E MÚSICA ORIGINAL

DA QUINTA DE SOALHEIRO SERÃO APRESENTADOS BREVEMENTE

Soalheiro Nature ‘Pur Terroir’, o primeiro vinho Alvarinho de Monção e Melgaço produzido e engarrafado sem adição de sulfitos, e a primeira música original composta para a Quinta de Soalheiro, cujo tema mostra a nossa filosofia de produto – ‘Acreditamos em quem diz que é fácil ser feliz!’ – serão brevemente lançados.

35 ANOS DE HISTÓRIAS PARA PARTILHAR:

VISITE A EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA ‘TERROIR ÚNICO, TERROIR SOALHEIRO’

Até ao final de 2017, a Quinta de Soalheiro convida-o a juntar-se às comemorações do seu aniversário, divulgando um conjunto de eventos abertos aos amantes do vinho. O primeiro já está em marcha… venha visitar a exposição de fotografias do concurso ‘Terroir único, terroir soalheiro’ na Sala de provas do Soalheiro. A exposição valoriza a fotografia como forma de expressão do terroir da sub-região de Monção e Melgaço (DO Vinho Verde), dos pormenores desta terra mãe que faz do alvarinho que ali nasce algo único. O concurso destinava-se a todos os fotógrafos amadores e profissionais, bem como alunos de escolas da especialidade e afins. Marque a sua vista através do email enoturismos@soalheiro.com e venha conhecer-nos em Melgaço...

image002alvar (2).jpg

SOALHEIRO TRIBO

Acompanhe todas estas novidades que vão acontecer durante 2017 fazendo parte da Tribo Soalheiro através do registo disponível na páginawww.soalheiro.pt... até breve!

SOALHEIRO FAMILY

AS DIMENSÕES DE UM ALVARINHO COM CARÁTER

É com vontade de inovar e aproveitar todas as potencialidades da casta Alvarinho, que a Quinta de Soalheiro apresenta uma gama de vinhos onde se destacam várias dimensões.

SOALHEIRO CLÁSSICO

Trata-se de um verdadeiro clássico: elegante aromaticamente e persistente de sabor. Possui a frescura aromática da casta Alvarinho, mas também intensidade gustativa. É um vinho com uma invulgar longevidade em garrafa, sendo também o vinho com maior presença internacional.

SOALHEIRO PRIMEIRAS VINHAS

Este Alvarinho, produzido a partir das primeiras vinhas (vinhas velhas) da Quinta de Soalheiro, é uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, foi considerado o Melhor Vinho Branco Português. O sabor é encorpado, fresco e com grande complexidade gustativa.

SOALHEIRO RESERVA

Este Alvarinho fermentado em casco de carvalho francês, é a expressão máxima da casta Alvarinho com a fermentação em barrica. O sabor é encorpado e complexo.

SOALHEIRO ALLO

Uma perfeita conjunção da fruta da região do Minho com as castas Alvarinho e Loureiro: o Alvarinho cheio de frutos tropicais e estrutura contrasta com o Loureiro floral e pleno de elegância, conferindo a este vinho branco, de teor alcoólico moderado (11% vol.) um equilíbrio ímpar.

SOALHEIRO 9% DÓCIL

Um vinho inovador que procura explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade. É um Alvarinho com 9% de álcool pleno de acidez e com açúcar residual.

OPPACO

Trata-se do primeiro Soalheiro tinto, com um perfil único, delicado e elegante, baseado nas castas Vinhão e Alvarinho. Lançado em 2015, marcou um novo capítulo da história da primeira marca de Alvarinho em Melgaço.

TERRAMATTER

Mais uma aposta diferenciadora marca a gama dos vinhos Soalheiro, com o lançamento deste Soalheiro integralmente diferente. O Terramatter é um vinho feito com uvas biológicas e não sujeito a filtração, olhado pela marca como um regresso às origens com um olhar para o futuro.

GRANIT

Revela uma dimensão mais mineral da casta Alvarinho terminando com um final seco e persistente. É um Alvarinho que sai de uma seleção específica de vinhas plantadas acima dos 150 metros de altitude, revelando a mineralidade que relaciona o solo de origem granítica do terroir de Monção e Melgaço e da casta Alvarinho, aprimorado com a batonage e o estágio nas borras finas.

ESPUMANTES

A juventude da casta Alvarinho é revelada nos dois espumantes Soalheiro: o clássico Bruto e o Bruto Rosé. O primeiro marcado pela persistência e complexidade de sabor e o segundo pela cor rosa salmão de bolha fina e persistente.

AGUARDENTE VELHA

Produzida a partir da destilação dos melhores bagaços da casta Alvarinho, apresenta um aroma complexo, delicado e perfumado revelando uma harmonia perfeita entre o caráter da casta e o envelhecimento prolongado em casco.

PRÉMIOS

É com orgulho que a Quinta de Soalheiro continua a ver o seu trabalho reconhecido. São os prémios, nacionais e internacionais, que marcam o percurso da primeira marca de Alvarinho de Melgaço, considerada especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional.

2017 está a começar da melhor forma…

  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2015conquistou 18,5 pontos nos ‘Melhores do Ano 2016’ da revista WINE (Portugal)
  • Soalheiro Allo 2016conquistou a medalha de duplo ouro no SAKURA - Japan Women's Wine Awards 2017 (Japão)
  • O Soalheiro Clássico 2016e o Soalheiro Primeiras Vinhas 2015 conquistaram a medalha de ouro no SAKURA - Japan Women's Wine Awards 2017 (Japão)
  • Soalheiro Allo 2016venceu na categoria ‘Best Paring Wine with Sushi’ e na ‘Best Cost Performance’, na edição de 2017 do SAKURA – Japan Women’s Wine Awards (Japão)
  • Soalheiro Clássico 2016galardoado pela revista alemã Selection Magazine (Alemanha)
  • Soalheiro Reserva Branco 2015, melhor vinho branco com 19,5 pts. pelo Clube de Vinhos Portugueses (Portugal)
  • Soalheiro Allo 2016recebe medalha de ouro pela Mundus Vinis 2017 (Alemanha)
  • Soalheiro Clássico 2015 no Top Ten Geir Salvesen (Noruega)
  • Soalheiro Reserva 2015 conquista Prémio Excelência 2016pela Revista de Vinhos (Portugal)
  • Soalheiro nos 'Os Melhores do Ano 2016'pela Revista de Vinhos (Portugal)
  • Quinta de Soalheiro PME Excelência 2016pelo IAPMEI e Turismo de Portugal (Portugal)
  • Soalheiro Clássico 2016 galardoado com 4 estrelas, na categoria ‘Portugal: Our ProWein-Nation of the Year 2017’ da Wine Tasting Competition -  ‘Selection das Genussmagazin’ (Alemanha)
  • Soalheiro Primeiras VinhasSoalheiro Reserva conquistaram 94 pontos cada e o Soalheiro Clássico e o Soalheiro ALLO, 92 pontos cada nas notas de Mark Squires - The Wine Advocate (EUA)
  • Soalheiro clássico conquista 6 pontos no TOP Riesling and Bourgundy

… mas o reconhecimento deste especialista em Alvarinho já tem história

  • Soalheiro Clássicoe Soalheiro ALLO nas ‘Melhores Compras’ pela Revista de Vinhos
  • Soalheiro Reserva 2014recebeu prémio de Excelência: distinção máxima na gala dos ‘Óscares dos Vinhos’ da Revista de Vinhos
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2014recebeu Medalha de Ouro no Japan Women’s Wine Award ‘SAKURA’ 2016, um concurso internacional de vinhos no Japão
  • Soalheiro Oppaco– o novo tinto do Soalheiro foi nomeado pela revista WINE - A Essência do Vinho para os ‘Melhores do Ano’
  • Soalheiro Terramatter 2014está nos ‘Melhores do Ano’ da revista WINE – A Essência do Vinho e nos ‘Melhores de Portugal da Região Vinho Verde Alvarinho’ pela Revista de Vinhos
  • Soalheiro Alvarinho Primeiras Vinhas no TOP 10 Vinhos Portuguesesda Revista Wine
  • Soalheiro Clássico 2015recebeu medalha de Ouro no Mundus Vini Spring Tasting 2016
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2014 no TOP 50 Vinhos Portugueses(reconhecido e selecionado por 3 Master Sommeliers dos USA)
  • Soalheiro Clássico 2015 atingiu os 94 pontos Parker
  • Allo 2015com medalha de prata no Concours Mondial de Bruxelles 2016
  • Soalheiro Primeiras VinhasSoalheiro Reserva no Top Ten 2016, na categoria melhor Vinho Branco do Norte de Portugal, pela Vinino ‘Wine Style Awards 2016’
  • Soalheiro Primeiras Vinhas com a melhor classificação no Top Ten 2016, na categoria Vinho Verde Branco, pela Vinino ‘Wine Style Awards 2016’
  • Soalheiro Clássico 2015recebe prémio Platinium no Decanter World Wine Awards 2016
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2015galardoado com 5 estrelas, na categoria ‘Castas Autóctones 2016’ da Wine Tasting Competition - ‘Selection das Genussmagazin’
  • Revista Wine&Spirits: Soalheiro pelo segundo ano consecutivo (2015 e 2016) no top 100 das melhores adegas mundiais
  • Soalheiro Clássico 2015 no Best of 2016 de Mark Squires

QUINTA DE SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

QUE APOSTA NUM CRESCIMENTO GRADUAL E CONSTANTE

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio do seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e os seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luís Cerdeira, a orientar os trabalhos. As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste setor e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus terroirs criando várias dimensões da casta Alvarinho.

A aposta na internacionalização é um dos enfoques da Quinta de Soalheiro que tem privilegiado um crescimento gradual e constante quer a nível nacional, quer internacional. Atualmente, presente em 27 mercados (Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Nova Zelândia, Polónia, Suécia, Suíça, Singapura, Bulgária, República Trindade e Tobago) tem como objetivo continuar a dar a conhecer o grande potencial dos vinhos portugueses, em especial do Vinho Verde de ‘Monção e Melgaço - A Origem do Alvarinho’.

PONTE DE LIMA É CAPITAL DO VINHO VERDE

Ponte de Lima acolhe a 27ª Edição da Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de 9 a 11 de junho - Expolima

Indissociável do próprio nome de Ponte de Lima, a Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais está de volta de 9 e 11 de junho, para a edição de 2017.

Ex-libris da identidade do concelho e da região, a Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais vem-se assumindo cada vez mais como uma marca gastronómica de índole nacional, e como um dos principais atrativos regionais, ou não fosse Ponte de Lima um dos locais de mais significativa expressão deste tipo de património.

Verdadeira alavanca para a promoção e divulgação do melhor que o mundo rural tem, a Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima pretende ser uma mostra da dinâmica do sector vinícola e do turismo enogastronómico.

Se a cozinha limiana é apreciada nos quatro cantos do Mundo, o Vinho Verde é reconhecido como único no planeta. É precisamente esta a premissa que motiva, uma série de concursos durante estes três dias de Festa. O Concurso de Vinho Verde, de Leite-creme, e Regional de Ensino, assim como vários showcookings e degustações, constam do programa do evento.

A 27ª edição desta Festa que todos os anos atrai milhares de visitantes a Ponte de Lima não prescinde de animação musical, o destaque da “Noite do Vinhão” de sexta-feira, 9 de junho, vai para “Zé Amaro”. E no sábado dia 10 de Junho, a voz da fadista “Carminho” preenche a “Noite do Loureiro”.

A Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima é organizada em parceria entre o Município de Ponte de Lima, a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Ponte de Lima, e a Escola Superior Agrária de Ponte de Lima do Instituto Politécnico de Viana Castelo.

VINHOS VERDES ASSINALAM DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS COM EXPOSIÇÃO EM PONTE DE LIMA

Município de Ponte de Lima e Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes inauguram exposição no CIPVV no Dia Internacional dos Museus

O Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde - CIPVV recebe a exposição “A Região dos Vinhos Verdes: a autenticidade pela objectiva de Egídio Santos” cuja inauguração terá lugar no dia 18 de maio, às 18h30.

cartaz_cipvv (Medium).jpg

Esta exposição surge do desafio lançado pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) ao consagrado repórter de imagem Egídio Santos para captar alguns dos pormenores da Região dos Vinhos Verdes, numa viagem que resulta em imagens das paisagens imponentemente verdejantes do Minho, nos rostos marcados pelo trabalho, nos sinais do tempo nas vinhas, na fauna e flora inconfundíveis e em uvas de um verde puro, que começa na dedicação e acaba na degustação.

“Esta exposição mostra a Região dos Vinhos Verdes na sua autenticidade em mais de trinta imagens, sob o olhar cirúrgico de um dos nomes maiores da fotografia contemporânea.” – Manuel Pinheiro, Presidente da CVRVV.

Ainda, com o intuito de assinalar o Dia Internacional dos Museus a entrada no Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde será gratuita e durante a inauguração da exposição será servido um loureiro royal, bebida concebida a partir da casta de vinho verde oriunda da Ribeira-Lima.

A exposição estará patente ao público de 18 de maio a 30 de Junho de 2017.

FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO EM MELGAÇO SUPEROU EXPETATIVAS

Foram muitos os que rumaram até o concelho mais a Norte de Portugal para participarem em mais uma edição da Festa do Alvarinho e do Fumeiro. “Este ano vendemos mais kits que o ano passado, o número de visitantes ultrapassou os 60 mil e os produtores e as tasquinhas garantiram-nos ter faturado mais do que em 2016”, afirma Manoel Batista, presidente da câmara municipal, que se afirma satisfeito com a festa deste ano.

FAF.jpg

Durante três dias, Melgaço acolheu visitantes vindo de todo o país, da Galiza, Alemanha e França. Era frequente ouvir as diferentes línguas neste certame que esgotou a capacidade hoteleira de Melgaço e dos concelhos vizinhos.

A oferta foi diversificada e deliciosa: 32 produtores de alvarinho, da Sub-região de Monção e Melgaço, 16 de fumeiro e produtos locais e 6 tasquinhas. O certame contou ainda com a presença de 15 associações e instituições que mostraram o que de melhor de faz no artesanato.

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro tem-se afirmado ao longo dos anos, sendo de notar um crescendo nestes dois últimos anos, em que houve uma clara evolução do conceito, sem nunca perder a sua identidade e sempre focada na promoção e valorização da região e das suas principais caraterísticas. Durante três dias Melgaço é uma montra dos produtos locais ao Minho, a Portugal e ao mundo. Esta festa tradicional é já um evento incontornável na rota das festas gastronómicas do país. Dos Vinhos Alvarinhos, ao Fumeiro e ao Artesanato, passando pelo Turismo e pela Gastronomia, a Festa do Alvarinho e do Fumeiro reúne as características populares que estiveram na sua origem e a evolução natural assinalada ao longo dos anos.

FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO COMEÇA HOJE EM MELGAÇO E É PRESIDIDA PELO SECRETÁRIO DE ESTADO DA AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO

Durante 3 dias, os produtos da terra serão o centro das atenções em mais uma edição da Festa do Alvarinho e do Fumeiro, em Melgaço, que tem início já amanhã, pelas 11h00, com o Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira. A oferta é diversificada e deliciosa: 32 produtores de alvarinho, da Sub-região de Monção e Melgaço, 16 de fumeiro e produtos locais e 6 tasquinhas, num só espaço, de 28 a 30 de abril! O certame contará ainda com a presença de 15 associações e instituições que mostrarão o que de melhor de faz no artesanato.

image003alvar (1).jpg

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro é uma festa tradicional que tem evoluído ao longo dos anos, sem nunca perder a sua identidade e sempre focada na promoção e valorização da região e das suas principais caraterísticas. Durante três dias assiste-se a uma mostra dos produtos locais ao Minho, a Portugal e ao mundo: todos os anos são muitos (e cada vez mais) os que de Portugal, e não só, se deslocam ao Município mais a Norte de Portugal para participar neste certame de renome, um evento incontornável na rota das festas gastronómicas do país. Dos Vinhos Alvarinhos, ao Fumeiro e ao Artesanato, passando pelo Turismo e pela Gastronomia, a Festa do Alvarinho e do Fumeiro reúne as características populares que estiveram na sua origem e a evolução natural assinalada ao longo dos anos.

image003alvar (2).jpg

Uma mostra de promoção e venda dos produtos locais

A Festa promove o artesanato, o turismo, a gastronomia e constitui uma oportunidade única para a criação e a consolidação de laços entre os agentes do comércio, os consumidores e a produção.

O recinto da Festa conta com um total de 69 expositores e uma Zona de degustações com capacidade para 140 pessoas sentadas; um Auditório deshowcooking, com chefes de renome: Justa Nobre, António Alexandre, Amaya Guterres e Rui Ribeiro; e provas comentadas de vinhos com osommelier Manuel Moreira. Para além da exposição, prova e venda de produtos, o programa do evento oferece ainda um conjunto variado de atividades, de entre as quais se destaca a realização dos concursos de produtos locais e dos workshops de corte de presunto, o desfile de confrarias báquicas e gastronómicas, a animação musical, diurna e noturna, e ainda toda uma gama de atividades paralelas, de animação turística e desportiva.

image003alvar (3).jpg

Não podemos descurar a grande importância deste evento para toda a economia local que, há mais de 20 anos, é impulsionada também através deste evento, sejam os produtores de Vinho Alvarinho, sejam os do Fumeiro que, em 2015, viram este produto ser distinguido pela Comissão Europeia, através da integração do presunto e da chouriça de carne na lista dos produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP), juntando-se assim ao salpicão e à chouriça de sangue. Estes produtos são o resultado do saber-fazer das populações de Melgaço, que conhecem as técnicas de fabrico tradicionalmente utilizadas e que foram transmitidas de geração em geração.

Saiba mais sobre todos os produtores na página de facebook Festa do Alvarinho (www.facebook.com/festadoalvarinho).

PROGRAMA DA FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO 2017

Dia 28 abril (sexta-feira)

10h00 - Abertura da Exposição/Venda dos Produtos Locais e das Tasquinhas

11h00 - ABERTURA OFICIAL DA FESTA

Por Sua Excelência o Secretario de Estado da Agricultura e Alimentação, Dr. Luís Medeiros Vieira

Saudação ao Alvarinho de Monção e Melgaço pelos Confrades da Real Confraria do Alvarinho

11h30 - Concurso do Mel (Solar do Alvarinho)

12H30 - Degustação de pratos típicos nas tasquinhas

15h30 - Concurso do Salpicão, Presunto e Broa de Melgaço (Solar do Alvarinho)

16h30 - Animação musical com a Escola de Concertinas de Melgaço

17h30 - Entrega dos prémios do concurso do Mel, Presunto, Broa e Salpicão (Palco interior)

18h30 - Showcooking & Harmonização “Carne da Chachena DOP, uma iguaria com sabor à terra, às gentes e às tradições" - Chefe Justa Nobre (chefe n’O Nobre Lisboa e Nobre Estoril e conhecida pelo seu foco e mestria na cozinha tradicional portuguesa)

19h30 - Prova Comentada “Alvarinho, expressões de uma casta admirável”, por Manuel Moreira (sommelier e colaborador da Revista de Vinhos - A Essência do Vinho)

Degustação de pratos típicos nas tasquinhas

22h30 Espetáculo musical com:

  • GRUPO ASSIA
  • QUIM BARREIROS

Dia 29 de abril (sábado)

10h00 - Abertura da Exposição/Venda dos Produtos Locais e das Tasquinhas

12H30 - Degustação de pratos típicos nas tasquinhas

15h30 - Animação musical com:

  • Os Magníficos
  • Camisas negras
  • Banda do Galo

16h00 - Showcooking & Harmonização “Fumeiro de Melgaço: a excelência dos sabores e saberes locais” - Chefe António Alexandre (chefe executivo no Lisbon Marriott Hotel, ligado aos projetos “Endògenos” e””experience.NATUREcooking.”,

foi júri nos concursos a Mesa dos Portugueses e Chefs’ Academy)

18h00 - Prova Comentada “Alvarinho e seu território de eleição”, por Manuel Moreira (sommelier e colaborador da Revista de Vinhos - A Essência do Vinho)

19h30 - Degustação de pratos típicos nas tasquinhas

22h30 - Espetáculo Musical com:

  • AS 7 SAIAS
  • GRUPO REPUBLIKA

Dia 30 de abril (domingo)

10h00 - Abertura da Exposição/Venda dos Produtos Locais

e das Tasquinhas

12h00 - Showcooking & Harmonização “O porco Bísaro-do bosque ao prato” - chefe Rui Ribeiro (EPRAMI-Escola Profissional do Alto Minho Interior)

12h30 - Degustação de pratos típicos nas tasquinhas

Programa “Somos Portugal” da TVI em direto do recinto da festa

14h30 - Animação com artistas e grupos de música popular (palco exterior)

16h00 - Showcooking & Harmonização, “Lampreia do Rio Minho, um ex-líbris da cozinha local” – Chefe Amaya Guterres (Gerente e chefe na Quinta do Prazo, em Valença, a sua cozinha é marcada pela inovação e pela audácia.)

16h30 - Prova Comentada “Alvarinho, no topo dos grandes vinhos do Mundo”, por Manuel Moreira (sommelier e colaborador da Revista de Vinhos - A Essência do Vinho)

19h30 - Degustação de pratos típicos nas tasquinhas

22h00 - Encerramento da Festa

image003alvar (4).jpg

ANIMAÇÃO TURÍSTICA E DE LAZER

DESPORTO/AVENTURA COM MELGAÇO RADICAL

  • Rafting no Rio Minho (dias 28, 29 e 30 de abril / 9h30 e 14h30)
  • Salto pendular na Ponte Internacional Peso-Arbo (dias 28, 29 e 30 / 9h30 e 14h30)
  • Caminhada pela ‘Rota das Pesqueiras’ nas margens do rio Minho (dias 28, 29 e 30 / 9h30 e 14h30)

OFERTA A TODOS OS PARTICIPANTES

  • 1 Garrafa Alvarinho Soalheiro + 1 prato misto de enchidos Quinta de Folga  (levantadas nos respetivos Stands, no recinto da Festa)

Local de concentração: Complexo Desportivo do Centro de Estágios

Organização: Melgaço Radical

Inscrições: geral@melgacoradical.pt

www.melgacoradical.com

DESPORTO/AVENTURA COM MONTES DE LABOREIRO

  • Passeio pedestre ‘Trilho Interpretativo de Lamas de Mouro’ (dia 28 / 10h00)
  • Passeio de Jipe pelo Planalto de Castro Laboreiro- min. 4 pax (dia 29 /10h00)
  • Workshop sobre pão Castrejo nos fornos e moinhos comunitários de Castro Laboreiro – min. 8 pax (dia 30 / 10h00)
  • Escalada e Rapel no Camping de Lamas de Mouro (dia 30 / 10h00)

Local de concentração: Parque de Campismo de Lamas de Mouro

Organização: Montes de Laboreiro

Inscrições: geral@montesdelaboreiro.pt

www.montesdelaboreiro.com

DESPORTO/AVENTURA COM MELGAÇO WHITEWATER

  • Rafting Rio Minho (dias 28, 29 e 30 de abril / 9h00)
  • UMM Melgaço Tour (dia 28 de abril / 14h00)
  • Batismo de Mergulho – Piscinas municipais de Melgaço (dia 29 de abril / 16h00)
  • Salto Pendular (dia 30 de abril / 14h00)

Organização: Melgaço Whitewater

Inscrições: geral@melgacoww.pt

www.melgacoww.pt

PARAPENTE COM ABOUA ESCOLA

Experiência de voo Bilugar sobre as encostas de Fiães e Roussas (29 de abril / 09h00)

Local de concentração: Largo Hermenegildo Solheiro – Vila

Organização e apoio: Aboua Escola

Inscrições: alvarinhoparapente@gmail.com

www.abouaescola.com

PASSEIOS DE CHARRETE PELA ZONA HISTÓRICA

Saída/Chegada: Largo Hermenegildo Solheiro

Horário: 14h30 – 18h30

PASSEIOS EM BEBIPEDALA (Bicicleta de oito pessoas)

Passeios pela zona história com provas de Alvarinho

Saída/Chegada: Estátua Inês Negra

Horário: 10h30 – 18h30

www.facebook.com/Bebipedala

PASSEIOS TURÍSTICOS EM ECO TUC-TUC (sete lugares)

Saída/Chegada: Largo Hermenegildo Solheiro

Horário: 10h30 – 18h30

JORNADAS GASTRONÓMICAS

Visite os concelhos do restaurante e prove as suas ementas diversificadas, centradas na utilização privilegiada de produtos locais como o cabrito, a lampreia, a carne cachena, o presunto, os enchidos e o Alvarinho, entre outros.

TASQUINHAS

Em pleno recinto da Festa, seis tasquinhas recriam pratos e sabores tradicionais num ambiente convidativo.

image003alvar (5).jpg

PROJETO MADE IN QUER MOSTRAR AO MUNDO POTENCIAL DAS REGIÕES VINÍCOLAS PORTUGUESAS

MARCA ARRANCA COM VINHO TINTO DA REGIÃO DO DOURO, AO QUAL VÃO JUNTAR-SE UM VINHO BRANCO DA REGIÃO DOS VINHOS VERDES E UM VINHO ROSÉ DO TEJO

MADE IN Douro é o nome do primeiro vinho da gama MADE IN, projeto que a FAPWINES acaba de lançar no mercado com o objetivo de dar a conhecer a genuinidade e autenticidade das regiões vinícolas portuguesas nos mercados internacionais, mostrando o seu terroir e potencial de uma forma moderna e acessível.

primage_18935.png

Em Portugal, o projeto iniciou com uma parceria com a cadeia de supermercados Lidl, onde o MADE IN Douro está já disponível, sendo que a estratégia da FAPWINES passa por estender esta parceria à cadeia internacional do Lidl, bem como a outras grandes superfícies de países como os Estados Unidos, Inglaterra e Bélgica, estimando atingir, nos próximos 3 anos, a comercialização de 250 mil garrafas.

"Os próprios rótulos das garrafas do MADE IN foram feitos a pensar na prateleira internacional e representam geograficamente Portugal, assinalando no mapa a região vitivinícola de proveniência do vinho. Em breve, vamos alargar a gama de vinhos, que passará também a contar com um branco da região dos Vinhos Verdes e com um rosé, em representação da região Tejo", revela João Matos, fundador da FAPWINES

Produzido a partir de castas exclusivamente portuguesas - Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca -, o MADE IN Douro é um tinto que provém de vinhas com idade média de 20 anos, plantadas a cerca de 350 metros de altitude, em solos xistosos.

Apresenta um aroma a frutos vermelhos, com ligeiro toque a baunilha, proveniente do estágio em barricas de carvalho americano. Na boca, revela-se fresco e persistente

Fundada em 2013, a FAPWINES é o projeto a partir do qual o enólogo João Matos redesenhou o seu percurso no mundo dos vinhos, após 12 anos de experiência na criação e comercialização de vinhos. A amizade que o une a vários enólogos e o gosto pela partilha permite-lhe construir vinhos em diversas regiões, tirando partido da identidade de cada uma delas

Recorde-se que, ainda em 2013, a FAPWINES lançou no mercado nacional a marca de vinhos Giroflé, que exporta também para os Estados Unidos, Alemanha, Brasil, Suíça, Bélgica e Holanda, mercados que representaram, em 2016, 35% do volume de negócios da empresa.

SOLAR DO ALVARINHO CONTINUA A SER O ESPAÇO PREDILETO PARA QUEM VISITA MELGAÇO: 16.561 VISTANTE EM 2016

Melgaço voltou a contemplar um turista no âmbito do projeto do Observatório Turístico de Melgaço: Joaquim de Castro, natural do concelho de Ovar, visitou Melgaço no dia 17 de setembro de 2016 e foi o contemplado do sorteio. O prémio, oferecido pela Casa da Cevidade (www.casadacevidade.com), foi um voucher para duas noites, em regime de alojamento e pequeno-almoço. A iniciativa acontece no âmbito do projeto do Observatório Turístico de Melgaço que, a cada quatro meses, realiza um sorteio para premiar os visitantes que cedem informação sobre a sua visita a Melgaço.

Casa da Cevidade - Turismo de Habitação.jpg

O Observatório Turístico de Melgaço torna possível informação real, completa e adequada que permite orientar as ações turísticas e institucionais a realizar. Com o desenvolvimento deste projeto, o Município de Melgaço, os empresários, os investidores, os operadores e agências que trabalham o destino de Melgaço, passam a ter informação mais completa, adequada e real conseguindo, para o efeito, orientar as suas estratégias para um segmento de mercado e possíveis investimentos de um modo muito mais organizado’. ‘O objetivo é promover, recolher e organizar dados que permitam compilar informação sistematizada acerca da oferta e da procura turística em Melgaço’, realça Manoel Batista, Presidente da Câmara Municipal de Melgaço. Nesta sua tarefa, conta com parceiros estratégicos como a Universidade do Minho, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo e as escolas secundárias e profissionais – o que permite criar valor acrescentado ao projeto e ao tecido empresarial.

Ao longo dos anos este Observatório realizou junto dos turistas uma série de inquéritos com o propósito de recolher os pontos fortes e os pontos fracos do turismo. Desde 2015 em plataforma digital, este registo permite medir o grau de satisfação dos visitantes, bem como descobrir as motivações para a visita ao concelho. Os visitantes são convidados a contar a sua experiência e os que o fizeram ficam habilitados a um sorteio.

Turistas já contemplados:

Ana Luísa Frade, Sintra, a primeira turista a ser contemplada com a iniciativa, recebendo um pack de garrafas de Alvarinho.

Rafael Varela Vilariño, Villagarcia de Arousa - duas noites em regime de alojamento e pequeno-almoço na Quinta de Remoães (www.facebook.com/quintaremoaes).

Ana Georgina Guerrero Ron, Madrid - duas noites, em regime de alojamento e pequeno-almoço, na Casa das Pesqueiras (www.casadaspesqueiras.com).

Melgaço é eleito por turistas nacionais e estrangeiros: o Solar do Alvarinho continua a ser o espaço predileto

Melgaço é uma terra que celebra a vida e tudo o que ela tem de bom para o corpo e para o espírito. A sua beleza natural, o clima, o património histórico e a gastronomia, são alguns dos motivos pelos quais muitos escolhem Melgaço para descansar.

Dados da Loja Interativa de Turismo de Melgaço demonstram que Melgaço é eleito por turistas nacionais e estrangeiros: em 2016, 3314 visitantes passaram pelo espaço. Foram turistas de diversos pontos do País e do Mundo: 1708 nacionais e 1606 internacionais. O Solar o Alvarinho é o espaço preferencial, com 16561 visitantes.Segue-se a Porta de Lamas de Mouro – 9922; a Torre de Menagem – 8301; o Posto de Castro Laboreiro – 4196; o Museu de Cinema Jean Loup Passek – 2647; o Museu de Castro Laboreiro – 2446; e o Espaço Memória e Fronteira – 1971.

Estes números são o resultado de uma aposta clara da autarquia na qualidade dos espaços e do seu acervo. Em Melgaço é possível descobrir histórias únicas, contadas com o rigor histórico, mas com as novas tecnologias apelativas e sem dúvida cativantes para o visitante.

Solar do Alvarinho.jpg

REAL CONFRARIA DO VINHO VERDE TINTO ENTRONIZA CONFRADES EM MONÇÃO

Apresentada oficialmente na passada sexta-feira, 24 de fevereiro, no Centro Cultural do Vale do Mouro, os primeiros confrades serão entronizados no próximo sábado, 4 de março, naquele espaço cultural situado na freguesia de Tangil.

Entronização.jpg

Relançar a produção e comercialização de vinho verde tinto da Sub-Região de Monção é Melgaço é o principal objetivo da Real Confraria de Vinho Verde Tinto, a primeira da região dos vinhos verdes dedicada em exclusivo à defesa e valorização daquela casta.

Apresentada na passada sexta-feira, 24 de fevereiro, no Centro Cultural do Vale do Mouro, a nova confraria, foi constituída em outubro de 2016, estando a primeira entronização prevista para o dia 4 de março, sábado, naquele espaço cultural localizado na freguesia de Tangil.

Nesta cerimónia, que engloba ainda um desfile entre a Casa do Povo de Tangil e o Centro Cultural do Vale do Mouro, serão entronizados os 14 membros fundadores da confraria. Na Feira do Vinho Tinto, em finais de maio, realizar-se-á uma nova entronização.

Para o Grão-Mestre Aurélio Alves, a confraria tem como missão colocar o vinho verde tinto no lugar que merece. Por outras palavras, promover e defender uma casta singular que, nos últimos anos, foi relegada para segundo plano devido à aposta dos viticultores na produção de vinho Alvarinho.

Procura igualmente contribuir para a preservação da tipicidade rural e valorização da autenticidade paisagística da Sub-Região de Monção e Melgaço, recorrendo, nesse sentido, à divulgação do seu vasto e rico património construído, vitivinícola e gastronómico.

Além dos membros fundadores, na apresentação da confraria marcou presença o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, e diversas personalidades ligadas ao setor vinícola: Anselmo Mendes, enólogo/produtor de vinhos, José Emílio Moreira, Grão-Mestre da Real Confraria do Vinho Alvarinho, e Armando Fontainhas, Presidente da Adega Cooperativa Regional de Monção.

MONÇÃO APRESENTA REAL CONFRARIA DO VINHO VERDE TINTO

Dia 24 de fevereiro, sexta-feira, pelas 15h00, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil, Monção. Objetivo geral incide na promoção e valorização do vinho verde tinto, preservando o potencial endógeno e a autenticidade paisagística da Sub-Região de Monção e Melgaço.

Foto Vinho Tinto (Large).jpg

A Real Confraria do Vinho Verde Tinto, a primeira da região dos vinhos verdes dedicada em exclusivo à defesae valorização do vinho verde tinto, vai ser apresentada amanhã, sexta-feira, pelas 15h00, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil, Monção.

Além dos elementos dos órgãos sociais da confraria, marcam presença os autarcas de Monção e Melgaço, Augusto de Oliveira Domingues e Manoel Baptista, respetivamente, bem como produtores de vinho e enólogos, entre os quais, Anselmo Mendes.Na ocasião, será apresentado o logotipo etraje oficial da confraria.

Com escritura pública no dia 24 de novembro do último ano, a Real Confraria do Vinho Verde Tinto,fruto de grande paixão à terra e vivência em redor da atividade vinícola, tem como objetivo geral a promoção e valorização do vinho verde tinto,preservando o potencial endógeno e a autenticidade paisagística da Sub-Região de Monção e Melgaço.

MONÇÃO APRESENTA CONFRARIA DO VINHO VERDE TINTO

Monção procede à apresentação pública da Real Confraria do Vinho Verde Tinto na próxima sexta-feira, 24 de fevereiro, pelas 15h00, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil.

Além dos elementos dos órgãos sociais da confraria, marcam presença os autarcas de Monção e Melgaço, Augusto de Oliveira Domingues e Manoel Baptista, respetivamente, bem como produtores de vinho e enólogos, entre os quais, Anselmo Mendes.

Na ocasião, será apresentado o logotipo e traje oficial da confraria, a primeira da região dos vinhos verdes dedicada em exclusivo à defesa, divulgação e valorização do vinho verde tinto.

PONTE DA BARCA REALIZA FEIRA DO FUMEIRO, ARTESANATO E VINHÃO

De 17 a 19 de fevereiro | Praça da República, Ponte da Barca promove mais uma edição da Feira do Fumeiro, Artesanato e Vinhão

A Feira do Fumeiro, Artesanato e Vinhão de Ponte da Barca está de regresso à Praça da República já nos próximos dias 17, 18 e 19 de fevereiro. Com inauguração marcada para as 18h, a iniciativa é promovida pela Câmara Municipal em parceria com a RZ Eventos e vai contar com mais de três dezenas de expositores da região Transmontana e do Alto Minho, com o melhor fumeiro que se produz no país,e com uma mostra de fumeiro de Vinho Verde produzido em Ponte da Barca. Para além do artesanato local, estarão presentes vários trabalhos executados com cortiça, vidro, madeira, lãs, entre outros. Não faltará também o excelente Vinho da Adega Cooperativa de Ponte da Barca com especial destaque para o Vinhão.

imprensa fumeiro.jpg

A iniciativa visa atrair visitantes ao concelho de Ponte da Barca e, segundo a Vereadora da Cultura do Município de Ponte da Barca, Sílvia Torres 'dar ainda mais visibilidade aos produtos confecionados de modo típico e genuíno, conquistando os visitantes pela qualidade dos produtos em exposição, que vão desde o tão afamado fumeiro, até ao seu acompanhante ideal:o vinhão', objetivo que tem sido amplamente conquistado 'com um aumento significativo de visitantes ao longo dos anos. À gastronomia, há que juntar ainda o artesanato regional diversificado e um programa de animação bastante apetecível, estando deste modo reunidos todos os ingredientes para o sucesso desta feira', concluiu Sílvia Torres.

Animação durante os três dias do certame

O certame será complementado com um vasto programa de animação que inclui a atuação da Stand Up Comedy 'Jaimão' (dia 17, às 21h30), a atuação do grupo tradicional 'Os Alentejanos' (dia 18, às 21h30), e a atuação dos Ranchos Folclóricos de Azias, Lavradas e Lindoso (dia 19, a partir das 15h).

PROVA DO III MELGAÇO ALVARINHO TRAIL INTEGRA CIRCUITO NACIONAL DE TRAIL

Inscrições até 15 de maio

Este ano o evento conta com quatro provas: Ultra Trail de 48Km, Trail Longo de 28Km, Trail Curto de 17km e uma Caminhada de 14Km

2º Melgaço alvarinho trail.jpg

A Melsport – Melgaço, Desporto e Lazer EM e a Solopisadas levam a cabo a III Edição do MAT – Melgaço, Alvarinho Trail. O evento acontece no dia 21 de maio, desta vez com quatro provas: um Ultra Trail de 48Km, um Trail Longo de 28Km, um Trail Curto de 17km e uma Caminhada de 14Km, que permitirão aos participantes desfrutar de algumas das paisagens mais deslumbrantes do concelho de Melgaço. A novidade é que a prova de Ultra Trail e Trail Longo estarão incluídas este ano no Prozis Campeonato Nacional 2017 da ATRP.

A iniciativa conta com o apoio do Município de Melgaço, da Melgaço Radical, da ATRP - Associação de Trail Running de Portugal, do GOBS - Grupo Operacional de Busca e Salvamento, dos Bombeiros Voluntários de Melgaço e da Clínica de Medicina Desportiva Saúde Constante, e ainda com o patrocínio de diversas entidades. Juntos, pretendem que o Melgaço Alvarinho Trail seja um evento de referência! O evento promete divertimento, emoções fortes e respeito pela mãe natureza. Agraciados por excelentes condições naturais, quer na montanha quer no rio, as prioridades da iniciativa são estimular os sentidos e aumentar o respeito pela natureza, mas ao mesmo tempo potenciar a marca Melgaço e tudo o que a referida ancora, como a gastronomia, a cultura, a história, os costumes, o desporto de Natureza, e, entre outros, o vinho Alvarinho e a importância que este néctar representa para o desenvolvimento da Região.

O MAT nasceu em 2015, numa iniciativa pioneira que tinha como objetivo aliar a prática desportiva ao contacto com a natureza e as populações locais. De ano para ano, tem vindo a crescer: a primeira edição contou com cerca de 250 atletas, a segunda com cerca de 300 atletas, números que se esperam ultrapassar nesta terceira edição. Melgaço tem excelentes locais para o Trail Running, desde o Rio Minho, a menos de 40 metros de altitude, até ao Planalto de Castro Laboreiro onde se superam os 1.300 metros de altitude: ‘desde as Pesqueiras Milenarias do Rio Minho, Caminhos e Pontes Romanas, Aldeias Típicas, Trilhos, Paisagens deslumbrantes sobre os Vales dos Rios, Minho, Trancoso e Mouro, sobre a vizinha Espanha até ao Planalto Castrejo onde se encontram dezenas de Dolmens, contamos também com o Parque Nacional Peneda-Gerês (PNPG), onde se encontra a Porta de Lamas de Mouro, com vários Monumentos onde se destacam os Castelos de Melgaço e Castro Laboreiro, Conventos e Igrejas Centenários, Museus, Termas, etc.’, sustenta a organização, acreditando que o evento tenha impacto no tecido económico local e que seja impulsionador de novas transações comerciais, gerando um sentimento de identidade da parte dos participantes, para que regressem num futuro próximo.

2º Melgaço Alvarinho Trail.png

MELGAÇO TEM UMA GRANDE VARIEDADE DE CAMINHOS E TRILHOS PARA A PRÁTICA DO TRAIL RUNNING

Na primeira edição, as provas desenvolveram-se entre o Rio Minho e os Montes da Freguesia de Fiães, até aos 820 metros de altitude. A segunda edição desenvolveu-se entre o Rio Minho e o Parque Eólico dos Picos, superando os 1.200 metros de altitude. Para esta terceira edição a prova acontece novamente no Rio Minho, mas com novos locais de passagem, como o PNPG: outras Montanhas, nas Freguesias de Prado, Vila, Remoães, Paderne, S. Paio, Cubalhão, Lamas de Mouro e Roussas, superando também os 1.200 metros de altitude.

Os interessados em participar poderão fazê-lo em www.melgacoalvarinhotrail.com ou em www.cyclonessports.com/index.php/35-ii-melgaco-alvarinho-trail, até dia 15 de maio ou até esgotarem as vagas. O regulamento pode ser consultado aqui!

De salientar que os atletas inscritos poderão usufruir de uma entrada em cada um dos seguintes museus: Museu de Cinema de Melgaço – Jean Loup Passek, Espaço Memória e Fronteira, Núcleo Museológico de Castro Laboreiro e o Núcleo Museológico da Torre de Menagem. Nesta edição, os participantes terão também a possibilidade de usufruírem de um serviço de massagem oferecido pela Saúde Constante.

Cartaz_Trail.jpg

PONTE DE LIMA DÁ FORMAÇÃO CERTIFICADA EM VINICULTURA

Formação Certificada de Serviço de Vinhos – Ponte de Lima. Clara Penha – Casa dos Sabores

O Município de Ponte de Lima em parceria com Associação Empresarial de Ponte de Lima vai ministrar uma formação certificada de Serviço de Vinhos, sendo a apresentação da mesma na próxima sexta-feira, 27 de janeiro, às 15h30, na Clara Penha – Casa dos Sabores.

servico_vinhos_cartaz-01 (Custom).jpg

Esta formação tem como destinatários pessoas ativas do setor da hotelaria, restauração e comércio local, que no seu serviço profissional executem tarefas ligadas ao Serviço de Vinhos. O objetivo será formar os ativos, da área que se aborda, na preparação e execução do Serviço de Vinhos mais aperfeiçoado e requintado. Os formandos terão oportunidade de conhecer todos os tipos de vinhos existentes em Portugal, as regiões que os produzem, os modos de conservação, os utensílios utilizados para cada género de vinho, a compatibilidade com cada tipo de prato e ainda todas as regras e boas práticas neste setor.

Todos os formandos terão direito a certificado emitido pela plataforma SIGO (Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa).

Com uma carga horária de 25 horas, esta formação realiza-se entre 3 de fevereiro e 31 de março. A inscrição é gratuita mas sujeita a confirmação, para um dos seguintes endereços eletrónicos: terra-formar@cm-pontedelima.pt ou aepl@aepontedelima.pt.

PERFIL DESCOMPLICADO, MAS COM PERSONALIDADE BEM DEFINIDA, MARCA A VERSÃO 2016 DO SOALHEIRO ALLO

Equilíbrio impar entre o Alvarinho e o Loureiro. Elegante, refrescante e intenso

Os apreciadores dos vinhos Soalheiro já podem saborear a versão 2016 do Soalheiro ALLO. Sempre muito elegante e de álcool mais moderado é agora apresentada pela Quinta de Soalheiro, a primeira marca de Alvarinho de Melgaço. O Alvarinho cheio de frutos tropicais e estrutura contrasta com o Loureiro floral e pleno de elegância, conferindo a este vinho branco um equilíbrio impar.

Allo_2016 Art.jpg

SOALHEIRO ALLO 2016

ALLO é um vinho branco vibrante e preciso com um equilíbrio impar devido ao perfil aromático, à frescura e ao teor alcoólico moderadamente baixo. O Alvarinho confere estrutura e o Loureiro a distinção aromática. As uvas são provenientes de vinhas de Alvarinho e Loureiro localizadas no seu terroir de excelência, respetivamente o vale do rio Minho e o vale do rio Lima em solo de origem granítica. As uvas são colhidas manualmente em caixas de pequena capacidade. Após a prensagem, o mosto obtido decanta durante 48 horas, segue-se a fermentação, a temperatura controlada, usando leveduras pré-selecionadas para o efeito. O engarrafamento efetua-se após a estabilização do vinho, sendo seguido de um estágio em garrafa. O resultado final? Um vinho de cor amarela citrina e de aroma elegante e mineral.

Sugestão Gastronómica:

Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves.

PERFEITA COMO A COLHEITA ANTERIOR, CONTUDO DIFERENTE,

A COLHEITA 2016 É MAIS ELEGANTE E DE ÁLCOOL MAIS MODERADO

A precipitação no inverno foi baixa e inferior à média. Em janeiro a precipitação aumentou e foi muito elevada com temperatura média do ar também mais elevada que o habitual. Globalmente, o inverno foi quente, o que induziu um abrolhamento ligeiramente precoce com rebentação regular. A primavera foi chuvosa e fria essencialmente nos meses de março, abril e maio, o que induziu irregularidade e atraso no ciclo vegetativo. A floração ocorreu com o atraso de cerca de duas semanas e diminui o vingamento, permitindo uma melhor repartição da produção em cada videira com o consequente incremento de qualidade. A partir de junho, a precipitação diminuiu drasticamente e as temperaturas médias subiram. Os meses de julho e agosto foram quentes e muito secos, com temperaturas médias elevadas e praticamente com ausência de precipitação. O setembro seguiu a mesma tendência contribuindo para uma vindima precoce, a começar na primeira semana, mostrando que o atraso verificado na Primavera tinha sido claramente recuperado.

AS DIMENSÕES DO SOALHEIRO

O Soalheiro é considerado um especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional, pelo que na sua gama de vinhos se destacam várias dimensões: o Soalheiro clássico, efetivamente um clássico e o vinho com maior presença internacional; o Soalheiro Primeiras Vinhas, uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, considerado o Melhor Vinho Branco Português; o Soalheiro Reserva, a expressão máxima da casta alvarinho com a fermentação em barrica; os dois espumantes Soalheiro, o clássico Bruto e o Bruto Rosé; não esquecendo ainda os inovadores ALLO e o Soalheiro 9%, que se distinguem pelo teor alcoólico moderado com enorme elegância e frescura, e que procuraram explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade; e também a Aguardente Velha, produzida com destilação tradicional a partir de bagaços selecionados da casta Alvarinho.

A Quinta de Soalheiro tem ainda na sua gama de vinhos o Soalheiro Oppaco, cujo lançamento aconteceu em 2015. O Soalheiro Oppaco, com um lote de Vinhão e Alvarinho, marcou um novo capítulo da história da primeira marca de Alvarinho em Melgaço ao apresentar o seu primeiro vinho tinto, também pioneiro por se tratar de um vinho tinto da região com lote de uvas tintas (Vinhão) e uvas brancas (Alvarinho). Em 2015, à família juntou-se ainda o Terramatter que se afirma como um Soalheiro ‘integralmente diferente’. Um Soalheiro que pode ser interpretado como um regresso às origens e que poderá ser, simultaneamente, um olhar para o futuro. O Terramatter é um vinho diferente feito com uvas biológicas.

O Soalheiro Granit revela uma dimensão mais mineral da casta Alvarinho. É um Alvarinho que sai de uma seleção específica de vinhas plantadas acima dos 150 metros de altitude, revelando a mineralidade que relaciona o solo de origem granítica do ‘terroir’ de Monção e Melgaço e da casta Alvarinho, aprimorado com a batonage e o estágio nas borras finas.

image004vin.jpg

27 MERCADOS DE EXPORTAÇÃO

O vinho Soalheiro tem registado um crescimento internacional gradual e constante inclusive no mercado nacional.  A presença do Soalheiro em 27 mercados contribui para que um conjunto de amantes do vinho continue a descobrir o Vinho Verde de Monção e Melgaço - A Origem do Alvarinho e o grande potencial dos Vinhos Portugueses. É de salientar que em Portugal a presença nos locais de referência tem-se feito sentir, com maior notoriedade, em estabelecimentos de restauração, garrafeiras e winebars e na exportação em estabelecimentos de restauração e lojas da especialidade nomeadamente na Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Nova Zelândia, Polónia, Suécia, Suíça, Singapura, e mais recentemente na Bulgária e na República Trindade e Tobago.

PRÉMIOS 2016

O ano de 2016 não poderia ter começado da melhor maneira para a Quinta de Soalheiro. A Primeira marca de Alvarinho de Melgaço recebeu vários prémios nacionais e internacionais além das referências que pode encontrar no site permanentemente atualizado e que conta todos os detalhes da história, vinhos e notícias. Uma visita a não perder em www.soalheiro.com.

  • Soalheiro Clássico e Soalheiro ALLO nas ‘Melhores Compras’ pela Revista de Vinhos
  • Soalheiro Reserva 2014 recebeu prémio de Excelência: distinção máxima na gala dos "Óscares dos Vinhos" da Revista de Vinhos
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2014 recebeu Medalha de Ouro no Japan Women’s Wine Award “SAKURA” 2016, um concurso internacional de vinhos no Japão.
  • Soalheiro Oppaco - o novo tinto do Soalheiro foi nomeado pela revista WINE – A Essência do Vinho para os “Melhores do Ano”
  • Soalheiro Terramatter 2014 está nos “Melhores do Ano” da revista WINE – A Essência do Vinho e nos “Melhores de Portugal da Região Vinho Verde Alvarinho” pela Revista de Vinhos
  • Soalheiro Alvarinho Primeiras Vinhas no TOP 10 Vinhos Portugueses da Revista Wine
  • Soalheiro Clássico 2015 recebeu medalha de Ouro no Mundus Vini Spring Tasting 2016
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2014 no TOP 50 Vinhos Portugueses (reconhecido e selecionado por 3 Master Sommeliers dos USA)
  • Soalheiro Clássico 2015 atingiu os 94 pontos Parker
  • Allo 2015 com medalha de prata no Concours Mondial de Bruxelles 2016
  • Soalheiro Primeiras Vinhas e Soalheiro Reserva no Top Ten 2016, na categoria melhor Vinho Branco do Norte de Portugal, pela Vinino ‘Wine Style Awards 2016’
  • Soalheiro Primeiras Vinhas com a melhor classificação no Top Ten 2016, na categoria Vinho Verde Branco, pela Vinino ‘Wine Style Awards 2016’
  • Soalheiro Clássico 2015 recebe prémio Platinium no Decanter World Wine Awards 2016
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2015 galardoado com 5 estrelas, na categoria ‘Castas Autóctones 2016’ da Wine Tasting Competition -  "Selection das Genussmagazin"
  • Revista Wine&Spirits: Soalheiro pelo segundo ano consecutivo (2015 e 2016) no top 100 das melhores adegas mundiais.
  • Soalheiro Clássico 2015 no Best of 2016 de Mark Squires

QUINTA DE SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luís Cerdeira, a orientar os trabalhos. As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste sector e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs” criando várias dimensões da casta Alvarinho.

image005mrelg.jpg

JOVEM, FRESCO E LEVE: O VINHO VERDE ESTÁ EM HARMONIA COM FAMALICÃO

Paulo Cunha visitou hoje os Vinhos Castro, principal produtor do concelho, em mais uma jornada do roteiro Famalicão Made IN

Se há uma nova atitude na Região Demarcada dos Vinhos Verdes que investe na qualidade e diversidade dos vinhos e na valorização das castas, Vila Nova de Famalicão, concelho que a ela pertence, bem pode dizer que muito tem contribuído para essa nova forma de estar que aposta em acrescentar valor aos vinhos verdes.

AFS_0209.jpg

“São vinhos magníficos e com enorme potencial para serem apreciados no mundo inteiro”. Assim os classificou Paulo Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, quando hoje visitou a adega dos Vinhos Castro – com capacidade instalada dearmazenamento para 800 mil litros e equipada com os mais modernos equipamentos enológicos –, em Cavalões, o maior produtor de vinho verde do concelho e um dos maiores a nível nacional, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN.

Palavras em evidente contexto de simpatia, mas que não deixam de expressar o entusiasmo com que o autarca hoje olha para a qualidade e diversidade dos vinhos verdes que são produzidos no território famalicense.

É por tudo isto que se pode dizer que para trás ficou o cliché dos vinhos baratos doces e gaseificados. Esse, definitivamente, já não é o ‘novo’ vinho verde. O que o concelho – e os Vinhos Castro, em particular – tem hoje para oferecer são vinhos jovens, frescos e leves, que evidenciam a variedade e qualidade das castas autóctones e que espelham a diversidade e riqueza do território no sector dos vinhos.

AFS_0264.jpg

Nesta empresa vinícola, que resulta da paixão da família Marinho em criar vinhos com diferenciação no mercado, quantidade é sinónimo de qualidade. Em 2016 atingiu uma produção recorde de 900 toneladas de uvas, traduzida em cerca de 600 mil litros de produção própria de vinho, mas prevê chegar às 1200 toneladas num futuro próximo. Expectativa a que não é alheio um incremento das vendas para novos mercados internacionais. “A exportação consome hoje 20% da produção, mas o nosso objetivo é que represente 80%”, disse Filipe Marinho, administrador.

Os vinhos Castro – espumante, rosado, alvarinho, tinto, branco ou palhete – são produzidos em largas centenas de hectares de quintas localizadas nas freguesias de Cavalões, Requião e Vermoim. A série “7 Tentações” é a que mais orgulha Filipe Marinho. Citrino, frutado, discreto e elegante. São alguns dos qualitativos que constam no rótulo.

Filipe Marinho fala numa “luta permanente pela qualidade”. “Numa hora pode perder-se a produção de um ano”, observou, apontando ainda outros desafios subsequentes à procura da qualidade, para além da internacionalização: a distribuição e a produção de subprodutos, como aguardentes e licores.

No final da visita, Paulo Cunha foi eloquente quanto ao futuro que antecipou auspicioso para os Vinhos Castro: “Acredito que os próximos anos serão ainda melhores não só na qualidade como na quantidade, o que representa uma excelente notícia para as exportações famalicenses”.

AFS_0268.jpg

VINHOS CASTRO GARANTE QUANTIDADE E QUALIDADE

Visita do Presidente da Câmara aos Vinhos Castro, segunda-feira, 16 de janeiro, pelas 10h30, na Quinta Rua Bispo D. Luís Almeida, Nº 339, em Cavalões

É um dos maiores produtores nacionais de vinho verde e o maior de Vila Nova de Famalicão, concelho enquadrado na  Região Demarcada dos Vinhos Verdes, sub-região do Ave. Os Vinhos Castro – Vinhos de Portugal, são um projeto que resulta da paixão da família Marinho em criar vinhos únicos, singulares e com diferenciação no mercado. Aqui, quantidade é sinónimo de qualidade.

 

AFS_3164 (2).jpg

São muitos hectares de quintas, localizadas nas freguesias de Cavalões, Requião e Vermoim, que, em 2016, permitiram uma produção recorde  de 900 toneladas de uvas, garantindo qualquer coisa como  600 mil litros de vinho de produção própria.

A adega, com uma capacidade instalada de armazenamento para 800 mil litros, vai ser visitada segunda-feira, 16 de janeiro, pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, pelas 10h30, na Quinta Rua Bispo D. Luís Almeida. Nº 339 - 4760-426, em Cavalões.

O vinho Cavalões é o que mais vende, mas é a série “7 Tentações” que mais orgulha o administrador da empresa, Filipe Marinho, que fala numa “luta permanente pela qualidade”. “Numa hora pode-se perder a produção de um ano”, diz, apontando os desafios que se seguem depois de assegurado o primeiro: “A distribuição, a internacionalização e a produção de subprodutos como aguardentes e  licores”.

AFS_3194 (1).jpg

QUANTIDADE E QUALIDADE É GARANTIA DE FUTURO NA ADEGA DOS VINHOS CASTRO EM FAMALICÃO

Visita do Presidente da Câmara aos Vinhos Castro, segunda-feira, 23 de janeiro, pelas 10h30, na Quinta Rua Bispo D. Luís Almeida, Nº 339, em Cavalões

AFS_3164.jpg

É um dos maiores produtores nacionais de vinho verde e o maior de Vila Nova de Famalicão, concelho enquadrado na  Região Demarcada dos Vinhos Verdes, sub-região do Ave. Os Vinhos Castro – Vinhos de Portugal, são um projeto que resulta da paixão da família Marinho em criar vinhos únicos, singulares e com diferenciação no mercado. Aqui, quantidade é sinónimo de qualidade.

São muitos hectares de quintas, localizadas nas freguesias de Cavalões, Requião e Vermoim, que, em 2016, permitiram uma produção recorde  de 900 toneladas de uvas, garantindo qualquer coisa como  600 mil litros de vinho de produção própria.

A adega, com uma capacidade instalada de armazenamento para 800 mil litros, vai ser visitadasegunda-feira pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, pelas 10h30, na Quinta Rua Bispo D. Luís Almeida. Nº 339 - 4760-426, em Cavalões.

O vinho Cavalões é o que mais vende, mas é a série “7 Tentações” que mais orgulha o administrador da empresa, Filipe Marinho, que fala numa “luta permanente pela qualidade”. “Numa hora pode-se perder a produção de um ano”, diz, apontando os desafios que se seguem depois de assegurado o primeiro: “A distribuição, a internacionalização e a produção de subprodutos como aguardentes e  licores”.

AFS_3194.jpg

QUINTA DO SOALHEIRO APOSTA EM ALVARINHOS DE PERSONALIDADE FORTE

SOALHEIRO CLÁSSICO 2016 MOSTRA O ENORME POTENCIAL DA COLHEITA DESTE ANO

Elegância aromática e persistência de sabor são palavras chave no seu caráter

A Quinta de Soalheiro lança agora a versão 2016 do Soalheiro Clássico, um vinho elegante aromaticamente e persistente de sabor. Perfeita como a colheita anterior, contudo diferente, a colheita 2016 é mais elegante e de álcool mais moderado, os aromas são citrinos e tropicais, destacando-se o sabor pela enorme persistência. ‘Não é habitual ter duas colheitas perfeitas seguidas, 2015 foi excecional e 2016 segue pelo mesmo caminho...’ afirmam os produtores da primeira marca de Alvarinho de Melgaço.

image002soalhe (1).jpg

SOALHEIRO CLÁSSICO 2016

As uvas de Alvarinho utilizadas no Soalheiro clássico são provenientes de diversas vinhas de pequena dimensão implantadas em solo de origem granítica entre os 100 e os 200 metros de altitude e localizadas em microclima muito particular. Exclusivamente da casta Alvarinho, são colhidas manualmente em caixas de pequena capacidade e transportadas para a adega num curto espaço de tempo. Após a prensagem, o mosto obtido decanta durante 48 horas, segue-se a fermentação, a temperatura controlada, usando leveduras pré-selecionadas para o efeito. O engarrafamento efetua-se após a estabilização do vinho, sendo seguido de um estágio em garrafa. A vinificação do Alvarinho Soalheiro está direcionada para obter um vinho que concentre a qualidade das uvas e permita uma boa evolução após o engarrafamento.

O Soalheiro Clássico 2016 tem uma personalidade forte, cor amarela citrina e aroma com perfil elegante e tropical com notas minerais.

Sugestão Gastronómica:

Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves.

DIAS QUENTES E NOITES FRIAS PERMITEM A MANUTENÇÃO DE

AROMAS FRESCOS E FRUTADOS COM UMA ACIDEZ PRESENTE, MAS MODERADA

Melgaço, a região mais norte de Portugal, está protegida por um conjunto de serras que permitem um casamento perfeito entre a pluviosidade, a temperatura e o número de horas de sol necessários à melhor maturação das uvas da casta Alvarinho. A precipitação no inverno foi baixa e inferior à média. Em janeiro a precipitação aumentou e foi muito elevada com temperatura média do ar também mais elevada que o habitual. Globalmente, o inverno foi quente, o que induziu um abrolhamento ligeiramente precoce com rebentação regular. A primavera foi chuvosa e fria essencialmente nos meses de março, abril e maio, o que induziu irregularidade e atraso no ciclo vegetativo. A floração ocorreu com o atraso de cerca de duas semanas e diminui o vingamento, permitindo uma melhor repartição da produção em cada videira com o consequente incremento de qualidade. A partir de junho, a precipitação diminuiu drasticamente e as temperaturas médias subiram. Os meses de julho e agosto foram quentes e muito secos, com temperaturas médias elevadas e praticamente com ausência de precipitação. O setembro seguiu a mesma tendência contribuindo para uma vindima precoce, a começar na primeira semana, mostrando que o atraso verificado na Primavera tinha sido claramente recuperado. Esta caraterística climática durante a maturação está muitas vezes associada ao microclima de Monção e Melgaço, que alterna dias quentes com noites frias, permitindo a manutenção de aromas frescos e frutados com uma acidez presente, mas moderada, bem ao estilo que definimos para o Soalheiro.

SOALHEIRO CLÁSSICO 2016

As uvas de Alvarinho utilizadas no Soalheiro clássico são provenientes de diversas vinhas de pequena dimensão implantadas em solo de origem granítica entre os 100 e os 200 metros de altitude e localizadas em microclima muito particular. Exclusivamente da casta Alvarinho, são colhidas manualmente em caixas de pequena capacidade e transportadas para a adega num curto espaço de tempo. Após a prensagem, o mosto obtido decanta durante 48 horas, segue-se a fermentação, a temperatura controlada, usando leveduras pré-selecionadas para o efeito. O engarrafamento efetua-se após a estabilização do vinho, sendo seguido de um estágio em garrafa. A vinificação do Alvarinho Soalheiro está direcionada para obter um vinho que concentre a qualidade das uvas e permita uma boa evolução após o engarrafamento.

 Soalheiro Clássico 2016 tem uma personalidade forte, cor amarela citrina e aroma com perfil elegante e tropical com notas minerais.

Sugestão Gastronómica:

Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves.

DIAS QUENTES E NOITES FRIAS PERMITEM A MANUTENÇÃO DE AROMAS FRESCOS E FRUTADOS COM UMA ACIDEZ PRESENTE, MAS MODERADA

Melgaço, a região mais norte de Portugal, está protegida por um conjunto de serras que permitem um casamento perfeito entre a pluviosidade, a temperatura e o número de horas de sol necessários à melhor maturação das uvas da casta Alvarinho. A precipitação no inverno foi baixa e inferior à média. Em janeiro a precipitação aumentou e foi muito elevada com temperatura média do ar também mais elevada que o habitual. Globalmente, o inverno foi quente, o que induziu um abrolhamento ligeiramente precoce com rebentação regular. A primavera foi chuvosa e fria essencialmente nos meses de março, abril e maio, o que induziu irregularidade e atraso no ciclo vegetativo. A floração ocorreu com o atraso de cerca de duas semanas e diminui o vingamento, permitindo uma melhor repartição da produção em cada videira com o consequente incremento de qualidade. A partir de junho, a precipitação diminuiu drasticamente e as temperaturas médias subiram. Os meses de julho e agosto foram quentes e muito secos, com temperaturas médias elevadas e praticamente com ausência de precipitação. O setembro seguiu a mesma tendência contribuindo para uma vindima precoce, a começar na primeira semana, mostrando que o atraso verificado na Primavera tinha sido claramente recuperado. Esta caraterística climática durante a maturação está muitas vezes associada ao microclima de Monção e Melgaço, que alterna dias quentes com noites frias, permitindo a manutenção de aromas frescos e frutados com uma acidez presente, mas moderada, bem ao estilo que definimos para o Soalheiro.

image002soalhe (2).jpg

ESSÊNCIA DO SOALHEIRO CAPTADA PELAS OBJETIVAS DE AMANTES DA FOTOGRAFIA

Já são conhecidos os vencedores do concurso de fotografia “Terroir único, terroir soalheiro”

A Quinta de Soalheiro viu, através destes trabalhos, a valorização do seu terroir e por isso vai expor a partir de janeiro 2017 na adega em Melgaço as mais de 50 fotografias que estiveram a concurso.

1º Lugar Mundo de Carlos Elísio.JPG

Já são conhecidos os vencedores do concurso de fotografia “Terroir único, terroir soalheiro”, promovido pela Quinta de Soalheiro. A fotografia intitulada "Mundo" de autoria de Carlos Elísio conquistou o primeiro lugar. O 2º lugar foi atribuído à fotografia “Vassalagem à serra” de Lídia Faria. No 3ª lugar deu-se um empate técnico pelo que foram atribuir dois prémios: um à fotografia “O Segredo do Néctar” de Carolina Macedo e outro à fotografia “Contra-luz outonal” de Lídia Faria. A marca acolheu com prazer a visita dos amantes da fotografia e deixa a porta aberta para que mais apaixonados pela fotografia visitem a quinta e seu terroir. A Quinta de Soalheiro viu, através destes trabalhos, a valorização do seu terroir e por isso vai expor as mais de 50 fotografias que estiveram a concurso na Sala de Provas da adega em Melgaço. A exposição arrancará em janeiro de 2017 e ficará patente nos primeiros seis meses do ano.

O papel do júri não foi fácil,cerca de meia centena de fotografias estiveram a concurso e mostraram as belezas do terroir da sub-região de Monção e Melgaço (DO Vinho Verde), dos pormenores desta terra mãe que faz do alvarinho que ali nasce algo único. A avaliação foi feita por Manoel Batista, Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Dr. Manuel Pinheiro, Presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes; Prof. Ana Rodrigues do Vale, Diretora da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Anabela Trindade, fotografa "oficial" Soalheiro e Luís Cerdeira, da Quinta de Soalheiro.

2º lugar Vassalagem à serra de Lídia Faria.JPG

O concurso destinava-se a todos os fotógrafos amadores e profissionais, bem como alunos de escolas da especialidade e afins e tinha como objetivo valorizar a fotografia como forma de expressão artística, valorizar o terroir da região e a sua biodiversidade, valorizar o terroir Soalheiro, onde nasceu a primeira marca de alvarinho de Melgaço, promover a paisagem vitícola e a temática associada ao alvarinho (terra, vinha, vinificação, envelhecimento, casta, vinho, enoturismo, etc.), estimular a criatividade e contribuir para a valorização e projeção da região e da casta alvarinho.

AS DIMENSÕES DO SOALHEIRO

O Soalheiro é considerado um especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional, pelo que na sua gama de vinhos se destacam várias dimensões: o Soalheiro clássico, efetivamente um clássico e o vinho com maior presença internacional; o Soalheiro Primeiras Vinhas, uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, considerado o Melhor Vinho Branco Português; oSoalheiro Reserva, a expressão máxima da casta alvarinho com a fermentação em barrica; os dois espumantes Soalheiro, o clássico Bruto e o Bruto Rosé; não esquecendo ainda os inovadores ALLO e o Soalheiro 9%, que se distinguem pelo teor alcoólico moderado com enorme elegância e frescura, e que procuraram explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade; e também a Aguardente Velha, produzida com destilação tradicional a partir de bagaços selecionados da casta Alvarinho.

A Quinta de Soalheiro tem ainda na sua gama de vinhos o Soalheiro Oppaco, cujo lançamento aconteceu em 2015. O Soalheiro Oppaco, com um lote de Vinhão e Alvarinho, marcou um novo capítulo da história da primeira marca de Alvarinho em Melgaço ao apresentar o seu primeiro vinho tinto, também pioneiro por se tratar de um vinho tinto da região com lote de uvas tintas (Vinhão) e uvas brancas (Alvarinho). Em 2015, à família juntou-se ainda o Terramatter que se afirma como um Soalheiro ‘integralmente diferente’. Um Soalheiro que pode ser interpretado como um regresso às origens e que poderá ser, simultaneamente, um olhar para o futuro. O Terramatter é um vinho diferente feito com uvas biológicas.

Em maio de 2016 nasceu o Soalheiro Granit, que revela uma dimensão mais mineral da casta Alvarinho. É um Alvarinho que sai de uma seleção específica de vinhas plantadas acima dos 150 metros de altitude, revelando a mineralidade que relaciona o solo de origem granítica do ‘terroir’ de Monção e Melgaço e da casta Alvarinho, aprimorado com a batonage e o estágio nas borras finas.

3º lugar Contra-luz outonal de Lídia Faria.JPG

PRÉMIOS 2016

Em 2016, a primeira marca de Alvarinho de Melgaço recebeu vários prémios nacionais e internacionais além das referências que pode encontrar no site permanentemente atualizado e que conta todos os detalhes da história, vinhos e notícias. Uma visita a não perder em www.soalheiro.com.

  • Soalheiro Clássico e Soalheiro ALLO nas ‘Melhores Compras’pela Revista de Vinhos
  • Soalheiro Reserva 2014 recebeu prémio de Excelência: distinção máxima na gala dos "Óscares dos Vinhos" da Revista de Vinhos
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2014 recebeu Medalha de Ouro no Japan Women’s Wine Award “SAKURA” 2016, um concurso internacional de vinhos no Japão.
  • Soalheiro Oppaco - o novo tinto do Soalheiro foi nomeado pela revista WINE – A Essência do Vinho para os “Melhores do Ano”
  • Soalheiro Terramatter 2014 está nos “Melhores do Ano” da revista WINE – A Essência do Vinhoe nos “Melhores de Portugal da Região Vinho Verde Alvarinho” pela Revista de Vinhos
  • Soalheiro Alvarinho Primeiras Vinhas no TOP 10 Vinhos Portugueses da Revista Wine
  • Soalheiro Clássico 2015 recebeu medalha de Ouro no Mundus Vini Spring Tasting 2016
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2014 no TOP 50 Vinhos Portugueses(reconhecido e selecionado por 3 Master Sommeliers dos USA)
  • Soalheiro Clássico 2015 atingiu os 94 pontos Parker
  • Allo 2015 com medalha de prata no Concours Mondial de Bruxelles 2016
  • Alvarinho Soalheiro Reserva 2014 conquista medalha de prata no Concurso Vinhos de Portugal 2016
  • Soalheiro Primeiras Vinhas e Soalheiro Reserva no Top Ten 2016, na categoria melhor Vinho Branco do Norte de Portugal, pela Vinino ‘Wine Style Awards 2016’
  • Soalheiro Primeiras Vinhas com a melhor classificação no Top Ten 2016, na categoria Vinho Verde Branco, pela Vinino ‘Wine Style Awards 2016’
  • Soalheiro Clássico 2015 recebe prémio Platinium no Decanter World Wine Awards 2016
  • Revista Wine&Spirits: Soalheiro pelo segundo ano consecutivo (2015 e 2016) no top 100 das melhores adegas mundiais.

27 MERCADOS DE EXPORTAÇÃO

O vinho Soalheiro tem registado um crescimento internacional gradual e constante inclusive no mercado nacional. A presença do Soalheiro em 27 mercados contribui para que um conjunto de amantes do vinho continue a descobrir o Vinho Verde de Monção e Melgaço - A Origem do Alvarinho e o grande potencial dos Vinhos Portugueses. É de salientar que em Portugal a presença nos locais de referência tem-se feito sentir, com maior notoriedade, em estabelecimentos de restauração, garrafeiras e winebars e na exportação em estabelecimentos de restauração e lojas da especialidade nomeadamente na Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Nova Zelândia, Polónia, Suécia, Suíça, Singapura, e mais recentemente na Bulgária e na República Trindade e Tobago.

SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luís Cerdeira, a orientar os trabalhos. As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste sector e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs” criando várias dimensões da casta Alvarinho.

3º Lugar O Segredo do Néctar de Carolina Machado.jpg

PONTE DE LIMA VIRA CAPITAL DO VINHO VERDE

Grupo de Sommeliers dos EUA, Canadá e Alemanha visitaram o Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde em Ponte de Lima

A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) coordenou a visita de um grupo de 16 sommeliers do mercado dos EUA, Canadá e Alemanha à Região dos Vinhos Verdes.

IMG_0174 (Small).JPG

O programa incluiu uma passagem pelo Centro de Interpretação do Vinho Verde em Ponte de Lima, onde conheceram o melhor da história do vinho verde, tendo ainda a oportunidade de efetuar provas de diversos vinhos de produtores já aderentes à Sala de Provas.

O CIPVV é um espaço de promoção do Vinho Verde, através da investigação e divulgação do lastro patrimonial, criando infraestruturas de apoio das rotas e itinerários turísticos associados ao vinho e à vinha, apresentando elementos alusivos à diversidade e à identidade da produção vitivinícola da região Demarcada dos Vinhos Verdes.

Esta foi mais uma ação de promoção da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes e do Município de Ponte de Lima ao CIPVV, mostrando o que de melhor se faz na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, sendo Ponte de Lima um destino turístico de referência pela qualidade, não só do Vinho mas também da Gastronomia. 

IMG_0178 (Small).JPG

IMG_0189 (Small).JPG

IMG_0214 (Small).JPG

AMARES É "VERDE COOL"

Verde Cool 2016 encerrou com chave de ouro em Amares

O presidente da Câmara Municipal de Amares e a vereadora da Ação Social, Cidália Abreu, estiveram, ontem, no Adega Bar, em Barreiros - Amares, juntamente com o presidente da Associação Comercial de Braga (ACB), Domingos Macedo Barbosa, para o fecho da iniciativa Verde Cool 2016.

DSC08475.JPG

Destacando a importância deste género de ações para a promoção do concelho, da sua gastronomia, e dos seus vinhos, o presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira, felicitou os proprietários do estabelecimento comercial pela adesão a esta iniciativa que serve, na sua opinião, como “um cartão-de-visita” não só ao próprio estabelecimento mas também ao concelho de Amares. O autarca espera que outros empresários do concelho agarrem, no futuro, este género de oportunidades, impulsionando os seus negócios.

O Verde Cool 2016 trata-se de uma iniciativa promovida, pela ACB, que decorreu entre os dias 5 de setembro a 9 de outubro, com os estabelecimentos aderentes (33 espaços de Braga, Amares e Vila Verde) a apresentarem um menu composto por 1 petisco + 1 copo de vinho verde por apenas 2,50. No Adega Bar, os clientes puderam deliciar-se com uma saborosa codorniz, acompanhada por um copo de vinho verde de Amares.

DSC08499.JPG

DSC08502.JPG

DSC08503.JPG

CRIANÇAS DE FELGUEIRAS VINDIMAS 1 HECTARE DE VINHO VERDE

50 crianças vão vestir, pela primeira vez, a pele de vinicultores ao participarem numa vindima tradicional. Esta experiência é proporcionada pela Quinta da Lixa que, associada à Santa Casa da Misericórdia de Felgueiras, vão ensinar aos mais pequenos o processo de recolha, seleção e pisa das uvas.

 

Largares de madeira adaptados vão estar disponíveis para que as crianças possam experimentar um dia diferente nas vindimas da Região dos Vinhos Verdes.

“É com muito empenho que recebemos estas crianças e contribuímos para que eles conheçam um pouco mais do ciclo do vinho. É sempre com uma perspetiva pedagógica que orientamos os programas para os mais pequenos” afirma Diogo Vieira, diretor de marketing da Quinta da Lixa.

Recorde-se a Quinta da Lixa e o Monverde Wine Experience apostas na formação de públicos, dando sempre importância aos mais jovens – desde aprender a cozinhar com o Chef Marco Gomes até às provas de sumos no Vinho Verde Wine Fest.

AI VERDINHO, MEU VERDINHO!

Como manda a tradição em Ponte de Lima, o Presidente da República, Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, bebeu pela malga alguns goles do magnífico vinho verde da nossa região.

14238348_1225912404097270_3403869552201904149_n.jpg

Considerado um néctar dos deuses e celebrizado entre os gregos no culto a Dionísios, a origem do vinho remonta pelo menos a 3.000 anos Antes de Cristo, domesticada que foi a vinha nos solos férteis do Próximo Oriente, Suméria e Egipto.

São inúmeras as referências bíblicas em relação ao vinho, incluindo o célebre milagre operado por Jesus. Porém, não teve o Messias nem os seus contemporâneos oportunidade de saborear um vinho de características únicas no mundo que, graças às características do solo e do clima da nossa região, das peculiaridades das castas autóctones e das formas com que os nossos lavradores cultivam a vinha, constitui um vinho naturalmente leve e fresco que sacerdote algum recusaria erguer no seu cálice.

Pois, quando alguma personalidade digna do maior apreço visita Ponte de Lima por ocasião das Feiras Novas, como já sucedeu em 1995 com SAR D. Duarte Pio e agora, com o Presidente da República, Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, os limianos honram o seu ilustre convidado com uma opulenta malga de vinho verde.

- É com vinho verde que os minhotos celebram os momentos mais solenes da sua vida!

Foto: José Maria Barroso Coelho / https://www.facebook.com/groups/285094884881648/

img902.jpg

FAMALICÃO PROMOVE DEBATE SOBRE “O VINHO VERDE E ALBERTO SAMPAIO”

Colóquio realiza-se a 16 de setembro, no Palacete do Conde Silva Monteiro, no Porto

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Associação Portuguesa da História da Vinha e do Vinho (APHVIN/GEHVID) promovem no próximo dia 16 de setembro, o colóquio “O Vinho Verde e Alberto Sampaio” no âmbito do programa comemorativo dos 175 Anos do Nascimento de Alberto Sampaio. O evento realiza-se no Palacete do Conde Silva Monteiro, sede da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, no Porto, e conta com o apoio da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, Câmara Municipal de Guimarães, Banco Português de Investimento e Quinta de Boamense.

Casa da Boamense, Famalicão (1).jpg

Invocando as palavras do Presidente da Associação Portuguesa da História da Vinha e do Vinho, Professor Barros Cardoso, neste encontro «procurar-se-á fixar os contributos, menos conhecidos, de Alberto Sampaio à melhor prática da vitivinicultura» a partir do estudo de documentação inédita do Fundo de Alberto Sampaio, depositado no Arquivo Municipal, e da sua obra publicada. Para isso, um conjunto de investigadores convidados a apresentar comunicações sobre o tema, propôs-se, acrescenta Barros Cardoso, «revisitar os seus métodos, olhar as suas ligações a outros viticultores, colher dados da aplicação prática da inovação que absorveu nos contactos internacionais que manteve, ou discutir a precocidade do olhar crítico que lançou às formas mais arcaicas de condução da vinha na Região dos Vinhos Verdes».

Após a abertura do Colóquio, marcada para as 10h00, irão decorrer ao longo do dia as onze comunicações previstas, repartidas por quatro mesas, estando marcado para as 16h30 o debate e encerramento, a que se seguirá um verde de honra nos jardins do Palacete do Conde Silva Monteiro, oferecido pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes.

As inscrições devem ser feitas por email: aphvin@gmail.com

QUEM FOI ALBERTO SAMPAIO

Alberto Sampaio (1841-1908), um vimaranense de nascimento, passou parte da sua vida na Casa de Boamense, situada no concelho de Vila Nova de Famalicão. Relacionou-se com figuras de grande relevo no meio intelectual e político da época, tais como Antero de Quental, Oliveira Martins, José Falcão e Teófilo Braga. Personalidade multifacetada, foi pioneiro da história económica e das instituições rurais em Portugal e um estudioso em matéria de agronomia onde se distinguiu no domínio da viticultura e na produção de vinhos de qualidade, na sua Quinta de Boamense, premiados em vários certames nacionais e internacionais. Sobre ele, escreveu José Salvador na sua obra Portugal Vinhos Cultura e Tradição: «Alberto Sampaio foi um notável estudioso da viticultura do Minho, sugerindo uma revolução na agricultura do setor ao defender a criação de regiões vitivinícolas no nosso país e a seleção de castas de qualidade para os encepamentos, entre outras sugestões que apresentou para a melhoria da cultura da vinha e do fabrico do vinho. A grande inovação deste historiador foi encarar o conceito de vinho como uma questão de harmonia: cor, perfume, sabor, frescura e, claro, teor alcoólico, sendo necessário todo este conjunto equilibrado para se atingir um vinho de grande nível. Estudioso até à exaustão dos problemas da viticultura e da enologia, defendeu na época a produção de vinhos varietais depois de estudar mais de 40 castas. Na viticultura propôs também o cordão simples, que viria a ser adotado muito mais tarde em substituição das vinhas de enforcado e de ramada. Este verdadeiro lavrador pretendia obter vinhos de perfil moderno, apontando como modelo os de Bordéus e da Borgonha.»

PROGRAMA

9h30 – Abertura

Presidente da Câmara Municipal de V.N. de Famalicão, Dr. Paulo Cunha *

Presidente da CVRVV, Dr. Manuel Pinheiro

Coordenadora da Comissão Organizadora, Eng.ª Emília Nóvoa Faria

* sujeita a confirmação

10h00 – Mesa 1 | Moderador: Francisco Ribeiro da Silva

Alberto Sampaio e os vinhos da Quinta de Boamense em Famalicão (1871-1908)

António Barros Cardoso

As castas que Alberto Sampaio cultivou

Teresa Mota

Conduzir a videira do Verde: o passado e o presente

Rogério de Castro

11h30 – Mesa 2 | Moderador: Henrique Rodrigues

A viticultura minhota nos estudos sampaianos da Revista Guimarães

José Luís Braga

Alberto Sampaio nas exposições nacionais e internacionais

José António Oliveira

As freguesias na revitalização da sociedade portuguesa de oitocentos no tempo de Alberto Sampaio

José Viriato Capela

12h30 – Debate

14h30 – MESA 3 | Moderador: José António Oliveira

O ambiente social em que se moveu Alberto Sampaio

Ana Sílvia Albuquerque Nunes

Correntes de papel e tinta: uma abordagem à correspondência de Alberto Sampaio

Henrique Rodrigues

Alberto Sampaio e a política oitocentista

Célia Taborda

15h50 – MESA 4 | Moderador: Célia Taborda

Alberto Sampaio e Oliveira Martins

Francisco Ribeiro da Silva

Alberto Sampaio e a Revista de Portugal

  1. Gonçalves Guimarães

16h30 – Debate e encerramento

17h00 – Verde de Honra nos Jardins da CVRVV (gentileza da CVRVV)

LOCAL

Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes

Rua da Restauração, 318 – 4050-501 Porto

INFORMAÇÕES

Associação Portuguesa de História da Vinha e do Vinho

TL: 22 607 7340 | Email: aphvin@gmail.com

Arquivo Municipal Alberto Sampaio

TL: 252 312 661

QUINTA DE SANTA CRISTINA EM CELORICO DE BASTO MANTÉM TRADIÇÃO DAS VINDIMAS

Quinta de Santa Cristina convida a viver a tradição das vindimas na região demarcada dos Vinhos Verdes

A vindima é um acontecimento cultural que reúne tradições e saberes, sendo o culminar de um ano árduo de trabalho e um momento de celebração do vinho. A Quinta de Santa Cristina, em Celorico de Basto, na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, convida a descobrir os segredos desta época tão importante, pelo que terá disponível uma experiência de vindimas de 19 de setembro a 15 de outubro. Os visitantes poderão experienciar um dia na vindima, desde a apanha da uva, até à pisa a pé no tradicional lagar de pedra (em dias especiais), não esquecendo a gastronomia regional.

Vindima 2016.jpg

A experiência inicia-se com um café de boas vindas onde o visitante é desde logo convidado a degustar o espumante branco Quinta de Santa Cristina, acompanhado por biscoitos tradicionais.

Após a entrega do kit de vindimas que inclui uma t-shirt, chapéu, garrafa de água e tesoura de poda, será dada uma pequena explicação sobre o processo de vindima. De seguida, os visitantes são convidados a dar um passeio pelas vinhas, observando as diferentes castas e a participar ativamente na vindima.

Pela hora de almoço, será servido um piquenique regional, junto à vinha, sendo possível degustar algumas iguarias típicas da região, como bolinhos de bacalhau, salada de bacalhau, alheira grelhada, panados e rissóis, broa de milho, enchidos e queijos, compotas e tostas, acompanhadas dos vinhos Quinta de Santa Cristina Escolha, branco e rosé.

Vindima Quinta de Santa Cristina 3.jpg

Na parte da tarde, os visitantes terão a possibilidade de conhecer a adega e todo o processo de vinificação. Haverá ainda tempo para jogos tradicionais, para crianças e adultos, como o jogo da malha ou da corda. No dia em que estiver a decorrer a vindima das castas tintas, os visitantes poderão ainda usufruir da experiência de pisar a pé as uvas no tradicional lagar de granito.

A tarde termina ao som de música tradicional, com uma degustação de vinhos Quinta de Santa Cristina (Alvarinho e Loureiro-Alvarinho) acompanhada de queijo de ovelha. Para as crianças haverá uma prova de sumos.

No final, será entregue um diploma de participação a todos os visitantes.

Vindima Quinta de Santa Cristina cesto de uvas.jpg

O programa está disponível para um mínimo de 2 pessoas e um máximo de 16 pessoas. O preço por pessoa depende do número de participantes: até 3 pessoas – 85 euros; de 4 a 16 pessoas – 65 euros e as crianças dos 5 aos 14 anos – 15 euros.

A marcação é obrigatória, deve ser feita com uma antecedência mínima de 2 dias e está sujeita à disponibilidade. Aconselha-se o uso de roupa e calçado confortável, incluindo calções no caso de participar na lagarada.

Programa de vindimas 2016 da Quinta de Santa Cristina_cartaz.jpg

Programa de vindimas 2016 na Quinta de Santa Cristina_condições.jpg

SECRETÁRIO DE ESTADO ADJUNTO E DO COMÉRCIO INAUGURA FEIRA DO ALVARINHO EM MONÇÃO

Paulo Alexandre Ferreira preside à cerimónia marcada para sexta-feira, 1 de julho, pelas 17h00. Certameaposta na defesa e valorização do Alvarinho da Sub-Região de Monção e Melgaço e na dinamização económica dos setores da restauração e alojamento. Este fim-de-semana, no Campo da Feira, “Brindamos Monção”.

Paulo Alexandre Ferreira.jpg

O Secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Paulo Alexandre Ferreira, preside à cerimónia de inauguração da Feira do Alvarinho de Monção esta sexta-feira, 1 de julho, pelas 17h00, no Campo da Feira. O certame prolonga-se durante todo o fim de semana. De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, as condições do tempo serão favoráveis.

Ao longo dos três dias, a organização espera a presença de 80 mil pessoas de diferentes idades e nacionalidades, prevendo-se que o volume de negócios neste fim de semana seja superior a meio milhão de euros. Valor referente às transações na feira mas também ao alojamento, restauração, cafetarias e pequeno comércio do concelho.

O certame, com uma área coberta e outra descoberta, compreende 122 expositores de vinho Alvarinho, tasquinhas, fumeiros, doçaria, artesanato, instituições locais e patrocinadores oficiais. Disponibiliza ainda multibanco, sanitários, posto médico, serviço Wi-Fi, espaço lounge, espaço Revista Vinhos, espaço multiusos e área infantil com ateliês para crianças dos 4 aos 10 anos.

Além de animação musical com grupos populares e DJ`s conhecidos do público, como Zé Pedro (Xutos e Pontapés) e Fernando Alvim, estão previstas diversas conferências temáticas sobre as caraterísticas do A

FEIRA DO ALVARINHO AGUARDA 80 MIL VISITANTES E INJEÇÃO SUPERIOR A MEIO MILHÃO DE EUROS NA ECONOMIA LOCAL

Alguns indicadores, como maior número de expositores, forte interesse dos produtores de Alvarinho e unidades de hotelaria lotadas, indiciam que o certame será um sucesso. Este fim-de-semana, 1 a 3 de julho, no Campo da Feira, “Brindamos Monção”.

alvar.png

A Feira do Alvarinho de Monção, entre 1 e 3 de julho, no Campo da Feira, vai ser um sucesso. À experiência de outros anos, juntam-se três fatores que prometem fazer deste certame um dos mais relevantes na região norte em termos de afluência de público e rentabilização económica.  

Por um lado, o forte interesse manifestado pelos produtores de vinho Alvarinho, mais nove que na última edição, e o aumento do número de expositores, passando de 108 para 122. Por outro, os hotéis e residenciais com lotação esgotada há alguns dias.

Ao longo dos três dias, a organização espera a presença de 80 mil pessoas de diferentes idades e nacionalidades, prevendo-se que o volume de negócios neste fim de semana seja superior a meio milhão de euros. Valor referente às transações na feira mas também ao alojamento, restauração, cafetarias e pequeno comércio do concelho.

O certame, com uma área coberta e outra descoberta, compreende expositores de vinho Alvarinho, tasquinhas, fumeiros, doçaria, artesanato, instituições locais e patrocinadores oficiais. Disponibiliza ainda multibanco, sanitários, posto médico, serviço Wi-Fi, espaço lounge, espaço Revista Vinhos, espaço multiusos e área infantil com ateliês para crianças dos 4 aos 10 anos.

Além de animação musical com grupos populares e DJ`s conhecidos do público, como Zé Pedro, Xutos e Pontapés, e Fernando Alvim, estão previstas diversas conferências temáticas sobre as caraterísticas do Alvarinho e lançamento de publicação sobre a memória e o futuro do Alvarinho.

“Estes três dias de defesa e valorização do Alvarinho de Monção e Melgaço representam também uma forte rentabilização económica dos setores da restauração e alojamento”Paulo Esteves

FEIRA DO ALVARINHO DE MONÇÃO INSPIRA-SE EM CRISTIANO RONALDO

Colocado no Facebook do certame no final da tarde de sexta-feira, vídeo de 18 segundos, com versão local do episódio entre Cristiano Ronaldo e a CMTV, já ultrapassou as 30 mil visualizações, estando muito próximo das 800 partilhas. 

image002alvar.png

O episódio que correu mundo entre Cristiano Ronaldo e a CMTV, com o jogador a atirar o microfone daquela estação televisiva à água, inspirou a organização da Feira do Alvarinho de Monção para a promoção do certame que decorre no próximo fim de semana, 1 a 3 de julho.

Numa versão local, em jeito brincalhão, Romeu e Pedro, dois estagiários na Câmara Municipal de Monção, simularam momento semelhante com o microfone, feito de papelão com o logotipo da feira, a desfazer-se nas águas do rio Minho.

Feito em telemóvel, o vídeo foi colocado no Facebook da Feira do Alvarinho de Monção, no final da tarde de sexta-feira,tendo já ultrapassado as 30 mil visualizações, estando muito próximo das 800 partilhas. Os comentários abonam a informalidade e criatividade da situação.

Em apenas 18 segundos de duração, o “jornalista” pergunta a “Cristiano Ronaldo” se vai à Feira do Alvarinho. Sem mais, este agarra no microfone e atira-o ao rio Minho. No final, aparece o lettring “Ir à feita do Alvarinho? Já não é pergunta que se faça?”.

O vídeo surge no seguimento de outras iniciativas feitas na rede social como a produção de uma mensagem institucional, pormenorizando a essência e filosofia subjacente ao logotipo, realização de passatempos e envio de fotografias com a frase“Brindamos Monção”, inscrita no verso do programa.

Referência ainda para a colocação no mural de frases, fazendo trocadilhos entre ditados populares e a Feira do Alvarinho. Estão disponíveis várias, bastando apenas que cada pessoa escolha uma e a “meta” no seu mural. Alguns exemplos: “Antes Alvarinho que mal acompanhado”; “Enquanto há Alvarinho há esperança” ou “A união faz o Alvarinho”.

FEIRA DO ALVARINHO ANIMA MONÇÃO NO PRIMEIRO FIM-DE-SEMANA DE JULHO

Entre 1 e 3 de julho, todos os caminhos vão dar a Monção. Presentes 122 expositores dispersos por uma área coberta e outra descoberta. O certame disponibiliza ainda multibanco, sanitários, posto médico, serviço Wi-Fi, espaço lounge, espaço Revista Vinhos, espaço multiusos e área infantil com ateliês para crianças dos 4 aos 10 anos. Para Paulo Esteves, os três dias de defesa e valorização do Alvarinho de Monção e Melgaço representam também uma forte rentabilização económica dos setores de restauração e alojamento.

Alvarinho 01.jpg

Entre 1 e 3 de julho, Monção volta a receber um dos certames mais emblemáticos e procurados na região norte: a Feira do Alvarinho. Este ano, novamente no Campo da Feira, vão estar presentes 122 expositores divididos por uma área coberta e outra descoberta. A abertura oficial decorre no dia 1, sexta-feira, pelas 17h00.

No espaço descoberto marcam presença 69 expositores, entre artesanato, instituições sociais, culturais e desportivas, organização, venda de copos, patrocinadores oficiais. No espaço coberto, localizam-se os produtores de Vinho Alvarinho (30), tasquinhas (10), fumeiros/doçaria (10). Eprami.come (2).

O certame disponibiliza ainda multibanco, sanitários, posto médico, serviço Wi-Fi, espaço lounge, espaço Revista Vinhos, espaço multiusos e área infantil com ateliês para crianças dos 4 aos 10 anos. A despesa prevista situa-se em 213.118,41 €, (produção, programação e divulgação), estimando-se uma receita de 46.850,00 € referentes aos patrocinadores oficiais, expositores e venda de copos.

Na apresentação do certame, o vereador das Atividades Socioculturais, Paulo Esteves, referiu que “estes três dias de animação, convívio e promoção do vinho Alvarinho de Monção e Melgaço” representam também “uma forte rentabilização económica dos setores de restauração e alojamento”.

Argumentos partilhados pelos restantes elementos na mesa. Américo Reis, Presidente da Associação Comercial e Industrial de Monção e Melgaço, Miguel Queimado, Presidente da Associação de Produtores de Alvarinho, Nelson Azevedo, mentor do projeto “Monção nas Mãos – Turismo Criativo”, e Miguel Guerra, responsável pela aplicação para smartphones da Feira do Alvarinho. 

Animação musical, conferências e lançamento de livro

Para acompanhar o Alvarinho e os petiscos tradicionais, a organização programou iniciativas ligadas ao sector vinícola e atividades de animação e convívio. Prevista está também a prova de BTT “Berço do Alvarinho”, promovida pelo Clube de Cicloturismo de Monção.

Ao longo dos três dias, realizam-se conferências sobre o vinho Alvarinho, muita animação musical e lançamento da publicação “Alvarinho – Memória e futuro nas origens de um património único e irreverente”, no Museu do Alvarinho.

As conferências, que decorrem no espaço da Revista Vinhos, terão como protagonistas João Afonso, João Paulo Martins, e Luis Antunes, abordando o perfume dos novos Alvarinhos, harmonias com Alvarinhos e o caráter dos Alvarinhos com idade.

Na componente musical, o programa reserva, ao longo do dia, atuação de grupos folclóricos, charangas e concertinas. A noite é preenchida com os DJ´S Hard Candys, Steven Rod, Dancefoor (RFM), Zé Pedro (Xutos e Pontapés) e Fernando Alvim.

Aplicação móvel para smartphones

À semelhança do ano passado, na presente edição, a organização da Feira do Alvarinho volta a lançar uma aplicação móvel com toda a programação referente ao certame, informação sobre pontos de interesse no concelho, alojamento, restauração, gastronomia, patrocinadores e produtores de vinho Alvarinho. Engloba ainda um menu com informações/contactos úteis.

Desenvolvida pela FTKODE, a aplicação estará disponível no decorrer da presente semana em todas as plataformas móveis, nos sistemas Android e IOS, podendo ser descarregada nas respetivas stores. Para o efeito, basta fazer uma busca com a palavra “Alvarinho”.

Vídeo e personalização de mural no Facebook

Para a promoção do evento, a organização colocou um vídeo na rede social, descrevendo a base criativa que esteve na origem do logotipo da feira (território, vinha, solo e sol) e convidando o público a visitar o certame. O vídeo, com duração de 50 segundos, tem música do grupo monçanense, Mau Amigo.

Com o propósito de envolver o público, criaram-se diversos banners, fazendo trocadilhos entre ditados populares e a palavra Alvarinho. Estão disponíveis na página do Facebook da Feira do Alvarinho e o objetivo é que as pessoas escolham uma das opções e coloquem no seu mural. Decorrem ainda alguns passatempos destinados a promover o evento.

image002.png 

“Monção nas mãos – Turismo Criativo”

O turismo criativo é considerado pela UNESCO uma nova geração de turismo que convida à participação ativa dos visitantes em experiências criativas no artesanato, artes plásticas, gastronomia, enologia, danças, entre outras áreas. O projeto “Monção nas Mãos – Turismo Criativo”, idealizado por Nelson Azevedo, irá proporcionar a partilha entre visitantes e população local, valorizando-se a herança material e imaterial de Monção e convidando todos a ter Monção nas mãos e o Minho no coração.

Com base nesta filosofia, o Urban Sketchers, coletivo de autores portugueses que desenham em diários gráficos aquilo que vão observando no quotidiano, vão marcar presença na Feira do Alvarinho para desenhar as pessoas, os pormenores e as sensações deste certame.

Assim, garante-se uma visão artística de um dos maiores eventos dedicados ao setor vinícola feitos em Portugal. Neste contexto, o fotógrafo João Lourenço Lima, Jone-M, também estará na feira para sessões de fotografia, ajudando os visitantes a descobrirem o melhor ângulo e luz para captar aquela fotografia.

Promoção e comercialização do vinho Alvarinho

A Feira do Alvarinho de Monção tem como finalidade reforçar a sua condição de instrumento estratégico para a promoção e comercialização daquele produto singular produzido em Monção e Melgaço, enaltecendo as suas características vinícolas ímpares e diferenciadoras e promovendo o estabelecimento de parcerias comerciais.

Assume-se ainda como uma espaço de divulgação da atividade empresarial e associativa da região e como uma “montra” para a dinamização do mundo rural através da apresentação, valorização e comercialização de produtos e artigos locais e regionais.

Alvarinho abertura 05.JPG

Desfile confraria.JPG

PONTE DE LIMA FESTEJA VINHO VERDE

26ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima

Promovemos o nosso território, os nossos produtos de excelência, como alavanca fundamental numa estratégia de divulgação dos nossos produtos endógenos” afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Eng.º Victor Mendes, na cerimónia oficial de abertura da 26ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima, que este fim-de-semana captou milhares de visitantes para Ponte de Lima.

Festa do Vinho Verde _ 2016 (Small).JPG

 Convidado de honra, o Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, visitou a feira, provou as iguarias típicas e participou na degustação de provas de Vinho Verde. O titular da pasta da agricultura e alimentação considerou que a “agricultura é uma atividade nobre. O vinho é cultura, gastronomia e economia, sendo um produto de excelência da agricultura portuguesa”, sustentou o governante.

Mantendo a tradição, a 26ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima cumpriu os objetivos apresentando uma mostra de produtos típicos do concelho, com os petiscos e as provas de vinho a fazer as delícias dos visitantes.

A Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima é organizada em parceria entre o Município de Ponte de Lima, a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Ponte de Lima, e a Escola Superior Agrária de Ponte de Lima do Instituto Politécnico de Viana Castelo.

De realçar a apresentação do livro “Vinhos Verdes – A região, a história e o património” da autoria do Prof.º Doutor António Barros Cardoso. O livro “pretende antes de mais assumir-se como um tributo às Mulheres e aos Homens que habitaram a região dos Vinhos Verdes ao longo dos últimos dois mil anos”.

A par dos espetáculos musicais, workshops, showcookings e os Concursos de Vinhos Verdes de Ponte de Lima e de Leite-creme, a 26ª edição da Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima, contribuiu para a promoção dos sabores tradicionais, sendo de destacar o lançamento do Folar Limiano, confecionado com os produtos endógenos de Ponte de Lima, o Vinho Verde Loureiro e os Enchidos e Fumados.

O concurso de vinhos envolveu 41 amostras, sujeitas à avaliação do júri, constituído por especialistas do setor, incluindo críticos de vinhos, e alguns técnicos, que reuniu no dia 11 de junho, na Clara Penha – Casa dos Sabores, premiando os seguintes produtores:

XIV Concurso de Vinhos Verdes de Ponte de Lima

Categoria – Vinho Verde / Regional Minho de Casta Loureiro

- 1º Prémio – Categoria ouro – Casa das Buganvílas Loureiro – Figueiredos Sociedade de Vinhos Lda.

- 2º Prémio – Categoria prata – Pecadinhos do Abade Loureiro – Laureano Barbosa Machado

- Menção honrosa – Socalcos do Bouro Loureiro – Corina Maria Pereira Antunes de Almeida

Categoria – Vinho Verde / Regional Minho Branco

- 1º Prémio – Categoria ouro – Adega de Monção Vinho Verde Alvarinho – Adega Cooperativa Regional de Monção, CRL.

- 2º Prémio – Categoria prata – Adega Cooperativa de Ponte da Barca Alvarinho / Loureiro – Adega Cooperativa de Ponte da Barca, CRL.

- Menção honrosa – Socalcos do Bouro Vinho Verde Branco – Corina Maria Pereira Antunes de Almeida

Categoria – Vinho Verde / Regional Minho Tinto

1º Prémio – Categoria ouro – ARKOS Vinhão – ARKOS – Vinhos / Wines

2º Prémio – Categoria prata – Adega de Monção Vinho Verde Vinhão – Adega Cooperativa Regional de Monção, CRL.

- Menção honrosa – Adega Ponte da Barca Vinhão Grande Escolha – Adega Cooperativa de Ponte da Barca, CRL.

VIII Concurso de Leite-creme

Restaurantes

1º - Encanada

2º - Casa do Provedor

3º Café Restaurante Palma

Particulares

1º Anabela Domingues

2º Maria Margarida Pereira

Festa Vinho Verde_2016 (Small).JPG

CELORICO DE BASTO CONVIDA A VISITAR QUINTA DE SANTA CRISTINA

2ª Caminhada da Vinha ao copo na Quinta de Santa Cristina

No próximo dia 19 de junho, Domingo, decorrerá na Quinta de Santa Cristina a 2ª Caminhada da Vinha ao Copo. Este evento, já na sua 2ª edição (a 1ª edição decorreu em agosto de 2015), pretende mostrar as diversas fases da vinha, sendo por isso este ano realizada em junho, na fase da floração das vinhas.

cartaz ppt 2a caminhada vinha ao copo.jpg

O ponto de encontro será na Quinta de Santa Cristina pelas 9h00, onde será feito o registo de participantes e entregue o reforço líquido. A caminhada será realizada entre vinhas e floresta, num percurso fácil de cerca de 4km, com uma duração de cerca de 1h30. Durante a caminhada será possível observar as vinhas de castas como trajadura, loureiro, alvarinho ou batoca, uma casta típica da região de Basto que, tendo estado em extinção, está a ser recuperada pela Quinta de Santa Cristina.

O final da caminhada será na adega, espaço que todos os participantes serão convidados a visitar através de uma visita guiada. No final, poderão provar o vinho Branco Escolha Quinta de Santa Cristina e degustar alguns produtos regionais como enchidos, broa de milho e compotas.

A inscrição nesta atividade, que conta com o apoio e participação da Associação local Basto Move.te, tem o valor de 5 euros e deve ser realizada até 15 de junho.

A Quinta de Santa Cristina, com cerca de 40 hectares, tem uma história secular, pertencendo à família há várias gerações. Situada em Veade, Celorico de Basto, faz parte da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, sub-região de Basto, uma das maiores e mais antigas regiões demarcadas do mundo.

Na adega, construída de raiz em 2012 e com uma capacidade instalada de 1 milhão de litros, são atualmente produzidos cerca de 500 mil litros entre vinhos e espumantes brancos, tintos e rosés, que contam já com vários prémios e distinções em concursos nacionais e internacionais. São produzidas 17 referências que são comercializadas em Portugal e países como Brasil, Alemanha ou Luxemburgo, entre outros.

CERTAME LEVA AO CENTRO DE BRAGA O MELHOR DO VINHO VERDE

Vinho Verde Fest decorre na Avenida Central de 10 a 12 de Junho

O Vinho Verde Fest está de volta a Braga e, pela primeira vez, realiza-se no centro na Cidade, na Avenida Central. A terceira edição do evento arranca já amanhã, Sexta-feira, dia 10 de Junho, e prolonga-se até Domingo, 12 de Junho, com uma mostra de mais de 100 marcas de vinho verde das diferentes sub-regiões. São três dias dedicados aos vinhos verdes mas também à gastronomia, com provas de vinho, showcookings, momentos vínicos e o terceiro concurso de Vinhos Verdes InvestBraga.

CMB09062016SERGIOFREITAS000000679.jpg

Os visitantes terão a oportunidade de experimentar os melhores vinhos verdes portugueses e ainda uma oferta gastronómica variada: além dos showcookings com chefes conhecidos, no certame encontram-se também restaurantes e produto gourmet. A animação está garantida na área lounge com a actuação de DJ´s. A entrada é livre.

Como garantiu Altino Bessa, vereador do Município de Braga, durante a apresentação do evento, que decorreu hoje, 9 de Junho, no Coreto da Avenida Central, trazer o Vinho Verde Fest para o centro da Cidade é o ´culminar de um sonho´. “Desta forma conferimos ao certame a dimensão que merece. Estão reunidas todas as condições para que esta se torne, no futuro, a maior feira de vinho verde no país e que seja capaz de potenciar este produto agregador e que cada vez mais é apreciado pelas pessoas, contendo ainda uma forte componente de exportação. Braga quer-se afirmar-se como o maior potenciado de uma região e de um produto de excelência”, afirmou, apontando como objectivo chegar aos 30 mil visitantes e atrair muitos visitantes de fora do Concelho e mesmo da Galiza.

Por seu turno, Humberto Carlos, administrador executivo da InvestBraga, sublinhou que trazer o evento para o centro permite que os visitantes tenham a possibilidade de usufruir simultaneamente da Cidade e de um evento com bons vinhos, muita animação e gastronomia. “Efectuamos esta alteração estratégica com o claro objectivo de ter mais público e engrandecer o evento, dando-lhe dimensão nacional e permitindo simultaneamente dinamizar o comércio local”, referiu.

O Vinho Verde Fest é organizado pela InvestBraga, com os apoios da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, da Associação Comercial de Braga e da Caixa de Crédito Agrícola.

CMB09062016SERGIOFREITAS000000684.jpg

CMB09062016SERGIOFREITAS000000688.jpg

PONTE DE LIMA REALIZA FESTA DO VINHO VERDE

Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação Preside à abertura Oficial da Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima, 10 de junho – 17 horas

VV2016_PROGRAMA_Geral.jpg

A 26ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima abre oficialmente na próxima sexta-feira, dia 10 de junho, às 17 horas, com a presença do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira.

Verdadeira alavanca para a promoção e divulgação do melhor que o mundo rural tem, a Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima pretende ser uma mostra da dinâmica do sector vinícola e do turismo enogastronómico.

Numa organização do Município de Ponte de Lima em parceria com a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Ponte de Lima, a 26ª Festa do Vinho Verde e Produtos Regionais de Ponte de Lima pauta-se pela profissionalização, apresentando um conjunto de ações orientadas para os profissionais de gastronomia e do setor dos vinhos. Desta forma, a organização reforça a aposta no evento dirigido a diferentes públicos, desde os profissionais do setor vinícola, aos jovens empreendedores e ao público em geral.

Sendo o Vinho Verde um dos produtos de excelência do mundo rural e com grande expressão económica e social nesta região, este certame visa afirmar o célebre Vinho Verde e a peculiaridade da cozinha regional como um dos principais atrativos daquela que é a Vila mais antiga de Portugal, aliados ao vasto espólio patrimonial e ambiental.

Destaque para o Campeonato Regional de Ensino, que visa dinamizar e promover o desporto equestre, as provas de Vinho, o XIV Concurso de Vinhos, showcookings, workshops, concurso do Leite-creme, animação musical e o concerto da Áurea no sábado a partir das 22 horas, integram o programa desta 26ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima, com entrada livre e estacionamento gratuito.

FESTIVINHÃO EM ARCOS DE VALDEVEZ FOI UM SUCESSO

Certame promoveu o vinho verde e os produtores de Arcos de Valdevez.

O Município de Arcos de Valdevez e os Vinhos de Arcos de Valdevez promoveram o I FESTIVINHÃO nos dias 3,4 e 5 de Junho.

festivinhao (1).jpg

As ruas do centro histórico da Vila de Arcos de Valdevez contaram com espaço de exposição (vinhos, gastronomia, etc.), espaço de provas de vinhos, tasquinhas de petiscos, espetáculos de palco, animação de rua, workshops técnicos, curso de iniciação à prova de vinhos, percursos turístico-gastronómicos pela Vila, visitas a Quintas/Adegas para além de uma programação de animação que ajudou à festa.

Muitos arcuenses e visitantes estiveram no certame e provaram os bons vinhos verdes da região, acompanhados de bons produtos locais, nomeadamente o fumeiro e a doçaria regional.

João Manuel Esteves, presidente da Câmara Municipal, faz um balanço bastante positivo desta primeira edição, reafirmando todas as potencialidades do território no que ao enoturismo diz respeito, sendo o vinho um dos excelentes meios para o promover.

O autarca faz questão de lembrar a qualidade do vinho verde, nomeadamente o vinhão de Arcos de Valdevez, bem como o importante papel do vinho na economia local. “Temos um vinho único, um território de excelência e pessoas com conhecimento, com saber fazer, existindo por isso todas as qualidades para que se consiga aumentar a atratividade do concelho ao nível do turismo, comércio e gastronomia.”

Foram parceiros na organização a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, a AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho, a Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castela, a Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca e a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca.

festivinhao.jpg

festivinhao4.jpg

festivinhao8.jpg

festivinhao2016 (7).JPG

IMG_5509.JPG

 

PONTE DA BARCA JÁ ELEGEU A SUA RAINHA DAS VINDIMAS

Ariadna da Silva foi a vencedora e representará o concelho barquense na Gala de Eleição da Rainha das Vindimas de Portugal

Ponte da Barca elegeu na noite do passado sábado, na Casa da Cultura, a sua Rainha das Vindimas. Ariadna da Silva foi a jovem vencedora e representará Ponte da Barca na final do Concurso Rainha das Vindimas de Portugal, da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV).

309.jpg

A candidata vencedora foi ainda eleita Miss Simpatia. Esta é a sétima vez que o município de Ponte da Barca se associa a esta iniciativa que pretende, fundamentalmente valorizar as tradições vitivinícolas. Soraia Reis foi eleita Miss Fotogenia, Mariana Araújo conquistou a faixa de 1ª Dama de Honor e Luana Cardoso completou o trono com o título de 2ª Dama de Honor.

Perante uma vasta plateia, as 13 candidatas a concurso vindas das várias freguesias do concelho desfilaram com três trajes diferentes (regional, casual e vestido de noite), numa gala que contou ainda com momentos musicais com Teófilo e Áurea e grupo 'Um e Sessenta, e performances teatrais pelo Movimento Incriativo.

Ariadna da Silva vai ser então a representante de Ponte da Barca na eleição da Rainha das Vindimas de Portugal, que se realiza no próximo dia 24 de Setembro, em Lagoa, Algarve.

ARCOS DE VALDEVEZ FESTEJA O VINHÃO

Montras do Comércio de Arcos de Valdevez Receberam o Festivinhão Decoradas a Rigor

Arcos de Valdevez recebeu este fim de semana, de 3 a 5 de junho, o I FESTIVINHÃO, Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez. O evento teve como palco as ruas pedonais do centro histórico onde o vinho e a gastronomia foram as grandes atrações.

image001 (1).jpg

Durante três dias o espaço contou com exposição de vinhos, gastronomia e artesanato, houve provas de vinhos, tasquinhas com petiscos típicos da região, espetáculos de palco, animação de rua, workshops técnicos, curso de iniciação à prova de vinhos, percursos turístico-gastronómicos pela Vila, visitas a Quintas/Adegas, para além de uma de programação musical forte.

O Comércio de Arcos de Valdevez decorou as montras dos seus estabelecimentos para receber o evento. O desafio foi proposto aos comerciantes pela ACIAB de forma a tornar a oferta comercial mais apelativa quer para os residentes locais quer para os turistas que visitaram a região no âmbito desta iniciativa. A ideia foi muito bem aceite pelos empresários que se empenharam na elaboração das montras para fazer sobressair e brilhar ainda mais o nosso comércio.

Esta ação está inserida na estratégia da ACIAB de promoção e dinamização das atividades económicas da região demonstrando que o comércio tradicional tem uma presença forte e muito dinamismo.

A ACIAB continua a promover iniciativas que dão a conhecer as riquezas da região, contribuindo para o desenvolvimento das empresas e dos seus negócios.

image003.jpg

image004.jpg

image005.jpg

image006.jpg

image007.jpg

image008.jpg

image009.jpg

image014.jpg

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE MUSEOLOGIA DISTINGUE MUSEU DO ALVARINHO COM PRÉMIO NACIONAL DE MUSEOLOGIA

Com pouco mais de um ano de existência, a Associação Portuguesa de Museologia considerou o Museu do Alvarinho como um dos três melhores no país na categoria “Coleção visitável”. Um orgulho para todos os monçanenses.

APOM Museu Alvarinho 01 .jpg

O Museu do Alvarinho foi distinguido pela Associação Portuguesa de Museologia com um dos prémios nacionais de museologia 2016: Prémio Coleção Visitável. A cerimónia de entrega de prémios decorreu na passada sexta-feira, no Museu do Dinheiro, em Lisboa, tendo contado com a presença da Vice-Presidente da Câmara Municipal de Monção, Conceição Soares.

Congratulando-se com a distinção, Conceição Soares revela que o reconhecimento do Museu do Alvarinho no contexto nacional é sinal que o objetivo de promoção do município, assente na criação de locais visitáveis, é o caminho correto para a preservação do património construído e fortalecimento da nossa identidade cultural.

“Em pouco mais de um ano, o Museu do Alvarinho tornou-se uma referência no território nacional, destacando-se pela qualidade expositiva, capacidade interativa e afluência de público” adianta Conceição Soares, frisando: “Este reconhecimento sabe bem porque evidencia, com clareza, que a nossa estratégia está certa”.

Os prémios nacionais de museologia tem como finalidade distinguir a imaginação e criatividade dos museus portugueses, bem como o seu contributo efetivo na melhoria da qualidade daqueles espaços. Constitui também uma forma de garantir mais visibilidade ao que de melhor se faz em Portugal no âmbito da museologia.

Promovidos pela Associação Portuguesa de Museologia, dividem-se em várias categorias. A saber: melhor museu português, melhor exposição, melhor incorporação (depósito, doação e aquisição), melhor intervenção em conservação e restauro, melhor projeto internacional, melhor coleção visitável, melhor estudo sobre museologia e melhor trabalho jornalístico.

Museu do Alvarinho inaugurado a 28 de fevereiro de 2015

O Museu do Alvarinho, localizado na Casa do Curro, imóvel do século XVII, foi inaugurado no dia 28 de fevereiro do último ano, contabilizando, no primeiro ano de vida, a visita de cerca de 12 mil pessoas de diferentes idades e nacionalidades. Sensivelmente 25 por cento dos visitantes foram estrangeiros.

Com um investimento próximo dos 150 mil euros com comparticipação PRODER de 90 mil euros, o Museu do Alvarinho assume-se, cada vez mais, como um espaço de promoção e degustação daquele produto demarcado e singular com elevada importância na economia de muitas famílias monçanenses.

Distribuído por diferentes áreas, este espaço proporciona aos visitantes uma autêntica viagem pelo mundo deste famoso néctar, disponibilizando informação sobre a origem, evolução e empresas dedicadas à produção deste verdadeiro suporte da identidade cultural e histórica do concelho.

As empresas de Vinho Alvarinho com produto rotulado, tantas e tantas vezes premiadas em concursos nacionais e internacionais, encontram neste espaço “uma porta de acesso” para a valorização dos seus produtos, bem como um “ponto de encontro” para provas comentadas, encontros promocionais e estabelecimento de parcerias negociais. 

APOM Museu Alvarinho 03.jpg

Museu 01.jpg

Museu 02.jpg

Museu 03.jpg

Museu 04.jpg

VINHO VERDE TEM FESTA EM PONTE DE LIMA

26.ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima. Expolima - 10 a 12 de junho

O Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, é o convidado de honra para abertura oficial da 26ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima, no dia 10 de junho, às 16 horas.

Numa organização do Município de Ponte de Lima em parceria com a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Ponte de Lima, a 26ª Festa do Vinho Verde e Produtos Regionais de Ponte de Lima pauta-se pela profissionalização, apresentando um conjunto de ações orientadas para os profissionais da gastronomia e do setor dos vinhos. Desta forma, a organização reforça a aposta no evento dirigido a diferentes públicos, desde os profissionais do setor vinícola, aos jovens empreendedores e ao público em geral.

Sendo o Vinho Verde um dos produtos de excelência do mundo rural e com grande expressão económica e social nesta região, este certame visa afirmar o célebre Vinho Verde e a peculiaridade da cozinha regional como um dos principais atrativos daquela que é a Vila mais antiga de Portugal, aliados ao vasto espólio patrimonial e ambiental.

Verdadeira alavanca para a promoção e divulgação do melhor que o mundo rural tem, a Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima pretende ser uma mostra da dinâmica do sector vinícola e do turismo enogastronómico.

Inseridos na 26.ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais, ocorrem no sábado, 11 de junho dois distintos concursos, Concurso de Vinhos Verdes e o Concurso do Leite-Creme.

MONÇÃO E MELGAÇO APOSTAM EM LISBOA PARA PROMOVER O ALVARINHO

O Alvarinho Wine Fest volta a concentrar as atenções na capital portuguesa. Cerca de trinta produtores de Monção e Melgaço apresentam, este fim de semana, no Pátio da Galé, Terreiro do Paço, a tipicidade, modernidade e versatilidade do Alvarinho numa estratégia conjunta de promoção de um vinho com enorme potencial e garantia de qualidade.

AlvarinhoWineFest_04

Pelo segundo ano consecutivo, os produtores da Sub-Região de Monção e Melgaço marcam presença no Alvarinho Wine Fest. Promovido pela Cofina Eventos em parceria com os dois municípios, realiza-se este fim de semana, 3, 4 e 5 de junho, no Pátio da Gale, Terreiro do Paço, em Lisboa.

Subordinado à temática “A origem do Alvarinho”, o evento conta com cerca de 30 produtores de vinho Alvarinho dos dois concelhos e vários produtos típicos da região, estando previstas provas comentadas, sessões de showcooking, workshops, harmonizações e momentos de animação.

A abertura das portas está marcada para as 17h00. A entrada é gratuita mediante a compra de copo de prova no valor de 3 euros. Referência para as sessões de showcooking do Restaurante Solar dos Presuntos, propriedade do nosso conterrâneo Evaristo Cardoso, no sábado, pelas 19h00, e do Chef Rui Ribeiro, nascido na terra de Deu-la-Deu, no domingo, pelas 16h00.

Fernando Melo, crítico de vinhos e gastronomia, será o anfitrião das conversas e mesas redondas em torno do vinho Alvarinho, partilhando, como bem sabe fazer, a paixão pelos aromas e sabores da Sub-Região de Monção e Melgaço e o vasto conhecimento da identidade e potencial do Alvarinho, junto de empresários, produtores, enólogos e chefes de cozinha.

Para a promoção do evento e da qualidade do vinho Alvarinho, o autarca de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, e o autarca de Melgaço, Manoel Baptista, estiveram em Lisboa, no passado dia 16 de maio, para um encontro com os jornalistas e críticos de vinhos e gastronomia.

Neste encontro, os dois autarcas realçaram as caraterísticas e potencialidades do vinho Alvarinho, a mais nobre casta dos brancos, assinalando que o Alvarinho Wine Fest, realizado entre as duas feiras efetuadas na região, assume um papel relevante para a afirmação desta casta valiosa junto dos consumidores da capital do país.

ARCOS DE VALDEVEZ REALIZA FESTIVINHÃO

O Município de Arcos de Valdevez e os Vinhos de Arcos de Valdevez vão promover o I FESTIVINHÃO, Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez nos dias 3, 4 e 5 de Junho, sendo parceiros na organização a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, a AMPV-Associação de Municípios Portugueses do Vinho, a Escola Superior Agrária do IPVC, a Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca e a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca. 

CONVITE_JANTAR.jpg

 

O evento terá lugar nas ruas do centro histórico da Vila de Arcos de Valdevez, contando com espaço de exposição (vinhos, gastronomia, artesanato, etc.), espaço de provas de vinhos, tasquinhas de petiscos, espetáculos de palco animação de rua, workshops técnicos, curso de iniciação à prova de vinhos, percursos turístico-gastronómicos pela Vila, visitas a Quintas/Adegas, para além de uma de programação musical forte.

O Festival integrará também a seleção do 'FESTIVINHÃO Vinho do Ano 2016', com um Grande Prémio para o Vinho da Casta Vinhão do Ano e a Seleção do Ano para as categorias de Vinhos Verdes Tintos, Brancos, Rosé, Espumantes Tintos e Espumantes Brancos. Haverá ainda uma Seleção para os Vinhos de Arcos de Valdevez nas mesmas categorias.

VINHÃO TEM FESTIVAL EM ARCOS DE VALDEVEZ

Arcos de Valdevez promove o I FESTIVINHÃO, Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez

O Município de Arcos de Valdevez e os Vinhos de Arcos de Valdevez vão promover o I FESTIVINHÃO, Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez nos dias 3, 4 e 5 de Junho. São parceiros na organização a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, a AMPV-Associação de Municípios Portugueses do Vinho, a Escola Superior Agrária do IPVC, a Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca e a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca. 

O evento terá lugar nas ruas do centro histórico da Vila de Arcos de Valdevez, contando com espaço de exposição (vinhos, gastronomia, artesanato, etc.), espaço de provas de vinhos, tasquinhas de petiscos, espetáculos de palco animação de rua, workshops técnicos, curso de iniciação à prova de vinhos, percursos turístico-gastronómicos pela Vila, visitas a Quintas/Adegas, para além de uma de programação musical forte.

O Festival integrará também a seleção do 'FESTIVINHÃO Vinho do Ano 2016', com um Grande Prémio para o Vinho da Casta Vinhão do Ano e a Seleção do Ano para as categorias de Vinhos Verdes Tintos, Brancos, Rosé, Espumantes Tintos e Espumantes Brancos. Haverá ainda uma Seleção para os Vinhos de Arcos de Valdevez nas mesmas categorias.

Neste sentido, convidamo-lo a visitar Arcos de Valdevez, um destino turístico de excelência, a menos de uma hora do Porto e Vigo e a pouco mais de 30 minutos de Braga, e a fazer um itinerário pelos sabores da nossa gastronomia, pelas nossas tradições, pela nossa cultura e pela beleza natural deste Concelho.

VIANA DO CASTELO PROMOVE ENCONTROS VÍNICOS DO VINHO VERDE

A Câmara Municipal de Viana do Castelo e a Ordem dos Engenheiros da Região Norte, nos dias 27, 28 e 29 de maio, promovem no âmbito dos VI Encontros Vínicos do Vinho Verde, várias iniciativas, designadamente:

  1. a) Seminário “Novidades da vinha e no vinho” – 27 de Maio

Local: Biblioteca Municipal de Viana do Castelo (Auditório Couto Viana)

Valor da inscrição: 20,00€ (Membros da OERN); 25,00€ (Não membros da OERN); Grátis (Estudantes)

  1. b) Percurso de Petiscos e Vinhos - 27 de Maio

(Visita a três dos mais conceituados “bares e tasquinhas” de Viana do Castelo)

Ponto de Encontro: às 19h00, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo.

Limite de inscrições: 25 participantes

Valor da inscrição: 15,00 €

  1. c) Curso de Iniciação à Prova de Vinhos “Provar em Viana”, com Anselmo Mendes – 28 de maio Local e hora: Piso 1 dos Antigos Paços do Concelho, início às 15h00

Limite de inscrições: 20 participantes

Valor de inscrição: 5 €

  1. d) Jantar de Gala - 28 de Maio

Local e hora: Pousada de Santa Luzia, às 20h00 Limite de inscrições: 70 participantes

Valor da inscrição: 30,00 €

A inscrição para as iniciativas b) e d) deverá ser efetuada até ao dia 26 de maio, às 16h00, para o e-mail: sturismo@cm-viana-castelo.pt ou telefone: 258 809 350 (indicar nome, Nº Cartão de Cidadão, NIF, concelho de residência e contacto telefónico). O pagamento para o evento da alínea b) terá que ser efetuado no dia 27 de Maio, contra o levantamento de um voucher de inscrição, entre as 09h00 e 12h30, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo e o pagamento para o evento da alínea d) deve ser feito entre as 11h00 e as 14h00 do dia 28 de Maio, na Tenda existente na Praça da República (local de Mostra de Produtores e de convite à degustação). A inscrição e pagamento nas iniciativas a) e c), deverá ser efetuada previamente através do portal http://www.oern.pt ou no local de realização.

Mais informações em: http://www.oern.pt

MONÇÃO E MELGAÇO APOSTAM EM LISBOA PARA PROMOVER O ALVARINHO

Entre 3 e 5 de junho, a capital volta a receber o Alvarinho WineFest. Cerca de trinta produtores de Monção e Melgaço apresentam no Pátio da Galé, Terreiro do Paço, a tipicidade, modernidade e versatilidade do Alvarinho numa estratégia conjunta de promoção de um vinho com enorme potencial e garantia de qualidade.

AlvarinhoWineFest_04

Pelo segundo ano consecutivo, os produtores da Sub-Região de Monção e Melgaço marcam presença no AlvarinhoWineFest. Promovido pela Cofina Eventos em parceria com os dois municípios, realiza-se, entre 3 e 5 de junho, no Pátio da Gale, Praça do Comércio, em Lisboa.

Para a promoção do evento e da qualidade do vinho Alvarinho, o autarca de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, e o autarca de Melgaço, Manoel Baptista, estiveram ontem em Lisboa para um encontro com os jornalistas e críticos de vinhos e gastronomia.

AlvarinhoWineFest_10 (Large)

Subordinado à temática “A origem do Alvarinho”, o evento conta com cerca de 30 produtores de vinho Alvarinho dos dois concelhos e vários produtos típicos da região, estando previstas provas comentadas, sessões de showcooking, workshops, harmonizações e momentos de animação. A entrada é gratuita mediante a compra de copo de prova no valor de 3 euros.

Fernando Melo, crítico de vinhos e gastronomia, será o anfitrião das conversas e mesas redondas em torno do vinho Alvarinho, partilhando, como bem sabe fazer, a paixão pelos aromas e sabores da Sub-Região de Monção e Melgaço e o vasto conhecimento da identidade e potencial do Alvarinho, junto de empresários, produtores, enólogos e chefes de cozinha.

Nesta deslocação a Lisboa, os dois autarcas realçaram as caraterísticas e potencialidades do vinho Alvarinho, a mais nobre casta dos brancos, assinalando que o Alvarinho WineFest, realizado entre as duas feiras efetuadas na região, assume um papel relevante para a afirmação desta casta valiosa junto dos consumidores da capital do país.

AlvarinhoWineFest_17 (Large)

PONTE DE LIMA REALIZA FESTA DO VINHO VERDE

26ª Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima realiza-se de 10 a 12 de junho

Promover e divulgar o afamado vinho verde e os melhores paladares que compõem a cozinha regional portuguesa, é o objetivo da 26ª edição da Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima, que se realiza de 10 a 12 de junho, na Expolima.

Sendo o Vinho um dos produtos de excelência do mundo rural e com grande expressão económica e social nesta região, este certame visa afirmar o Vinho Verde e a peculiaridade da gastronomia tradicional como um dos principais atrativos da vila limiana, aliados ao vasto espólio patrimonial e ambiental.

O Município de Ponte de Lima em parceria com a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Ponte de Lima e a Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, reforçam a aposta no evento dirigido a diferentes públicos, desde os profissionais do setor vinícola, aos jovens empreendedores e ao público em geral.

Verdadeira alavanca para a promoção e divulgação do melhor que o mundo rural tem, a Festa do Vinho Verde e dos Produtos Regionais de Ponte de Lima pretende ser uma mostra da dinâmica do sector vinícola e do turismo enogastronómico.

Neste contexto, a edição 2016 aposta mais uma vez nos concursos de Leite-creme e de Vinhos Verdes.

O VIII Concurso do Leite-Creme visa eleger o melhor Leite-Creme convencional, sendo o concurso coordenado pela Escola Superior Agrária de Ponte de Lima. Inscrições abertas até 6 de junho.

O XIV Concurso de Vinhos Verdes de Ponte de Lima, dirigido aos produtores, garrafeiras, distribuidores, engarrafadores, onde os produtores terão condições especiais para apresentar os seus vinhos a segmentos de mercado estratégicos, traduzindo-se seguramente numa boa oportunidade de negócio. As inscrições estão abertas até ao dia 3 de Junho.

Consulte os regulamentos em www.cm-pontedelima.pt.

MONÇÃO REALIZA 6ª FEIRA DO VINHO TINTO EM TANGIL

Com organização da Casa do Povo de Tangil, certame gastronómico decorre este fim-de-semana, 13, 14 e 15 de maio, com apresentação de produtos locais e animação musical. Programa engloba aindaRaid TT e provas de vinho e de broa.

Tangil, freguesia de montanha do concelho de Monção, promove este fim-de-semana, dias 13, 14 e 15 de maio, a 6ª Feira do Vinho Tinto. Além de expositores dispersos pelo espaço exterior da Casa do Povo de Tangil, entidade organizadora, o certame apresenta produtos locais, como presunto, chouriça ou broa, e um programa diversificado com animação musical e provas de vinho e de broa.

No primeiro dia, sexta-feira, atua, pelas 22h00, o grupo Paralelos. No segundo dia, sábado, após a sessão de abertura, marcada para as 15h00, decorre a atuação da Banda Juvenil da Casa do Povo de Tangil, da Rusga dos Amigos dos Bombinhos de Fontoura e Grupo Charanga, da Galiza.

Pelas 17h00, realizam-se as provas de vinhos e de broa, seguindo-se demonstração de zumba, atuação do Grupo de Concertinas “Os Magníficos” e, com início às 22h00, verbena com o grupo Roconorte. Neste dia, está igualmente previsto, a partir das 08h00, a realização do 3ºRaid TT pelos principais lugares de interesse patrimonial e ambiental das freguesias do Vale do Mouro.

No domingo, o certame abre às 10h30, prevendo-se, a partir das 14h30, charanga musical e, meia hora mais tarde, festival de folclore com agrupamentos de Merufe, Troporiz e troviscoso, todos do concelho de Monção. Antes da sessão de encerramento, marcada para as 20h00, decorre a entrega de prémios.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, a Feira do Vinho Tinto de Tangil, é um exemplo perfeito de valorização do território: “Aqui, os produtos regionais, fantásticos na singularidade e paladar, juntam-se à alegria e boa disposição, caraterísticas nossas, num certame feito com carinho e paixão pela ruralidade”.

Com este certame, a organização procura a divulgação dos produtos locais, a criação de um fim-de-semana animado para os residentes e visitantes e a valorização de um espaço de montanha com património secular e paisagens naturais admiráveis e relaxantes.

MELGAÇO RECEBE "ALVARINHO TRAIL"

29 de maio: 2º Melgaço Alvarinho Trail: Turismo aventura. Três provas fazem parte deste cartaz: 45km, 26km e 16km

A Melsport – Melgaço, Desporto e Lazer EM, com o apoio do Município de Melgaço, Melgaço Radical e Solopisadas, levará a cabo a II Edição do MAT – Melgaço, Alvarinho Trail. O evento acontece no dia 29 de maio, pelas 9 horas, e tem como objetivo potenciar em primeira instância a marca Melgaço e tudo o que a referida aporta a vários níveis, como a gastronomia, cultura, história, costumes, desporto de Natureza entre outros, dando especial enfoque ao vinho Alvarinho e à importância que este néctar representa para o desenvolvimento da Região.

2º Melgaço Alvarinho Trail

O evento será constituído por provas com percursos espetaculares: um Ultra Trail com 45 km de distância e 2340m D+, um Trail com 26 km de distância e 1140m D+ e um Mini Trail / Caminhada com 16 km e 360m D+, que permitirão aos participantes desfrutar de algumas das paisagens mais deslumbrantes do concelho de Melgaço. Todos os percursos decorrem no Concelho de Melgaço percorrendo as freguesias de Prado, Vila, Chaviães, Fiães, Roussas, S. Paio, Paderne e Remoães. As várias etapas iniciam e terminam no Centro de Estágios de Melgaço.

O vencedor receberá um troféu elaborado pelos utentes da APPACDM - Centro de Reabilitação de Prado.

O evento promete divertimento, emoções fortes e respeito pela mãe natureza. Agraciados por excelentes condições naturais, quer na montanha quer no rio, as prioridades da iniciativa são estimular os sentidos e aumentar o respeito pela natureza.

No ano passado participaram cerca de 250 atletas, número que se espera ultrapassar nesta segunda edição. A organização espera também que a iniciativa tenha impacto no tecido económico local e que seja impulsionadora de novas transações comerciais, gerando um sentimento de identidade da parte dos participantes, para que regressem num futuro próximo.

Os interessados em participar poderão fazê-lo em www.melgacoalvarinhotrail.com ou em www.cyclonessports.com/index.php/35-ii-melgaco-alvarinho-trail. No início será servido um bolo e um café para todos os atletas.

De salientar ainda que os atletas inscritos poderão usufruir de uma entrada em cada um dos seguintes museus: Museu de Cinenam de Melgaço – Jean Loup Passek, Espaço Memória e Fronteira, Núcleo Museológico de Castro Laboreiro e o Núcleo Museológico da Torre de Menagem.

MELGAÇO APOSTA NA DIVULGAÇÃO DO ALVARINHO

No Solar do Alvarinho haverá semanalmente promoções deste néctar

O Solar do Alvarinho, em Melgaço, está a promover o vinho Alvarinho no sentido de dar a conhecer ao público as diferentes marcas deste néctar. A iniciativa pretende divulgar, durante uma semana, os produtores e os seus produtos, proporcionando aos visitantes um desconto de 20% no preço de cada garrafa, e dar a conhecer as empresas, as vinhas, as adegas e os modos de produção.

Solar do Alvarinho

Cada semana decorrente será da responsabilidade de um produtor em que este é convidado a desenvolver uma série de atividades, num apelo à criatividade e à diferenciação, podendo utilizar várias formas e técnicas de comunicação durante a semana correspondente, tais como brochuras, folhetos, vídeos, publicidade, divulgação em sites e nas redes sociais, entre outras,e ainda a possibilidade de visita às instalações e atividades de animação proporcionadas pelos próprios produtores. Os produtores podem colocar mais do que um produto em promoção que terá de ser 100% Alvarinho.

Com bastante sucesso entre os visitantes, a iniciativa tornou-se um apelo à prova e compra dos produtos, o que é bastante gratificante para os produtores, na medida em que aumentam as quantidades de vinho vendidas nessa semana e existe uma maior divulgação do produto. O espaço está ainda a promover a venda deste néctar a copo, pelo que nestas semanas de promoção, o vinho utilizado será o da semana.

A iniciativa teve início a 11 de abril, com o Alvarinho Muros Antigos, de Anselmo Mendes, e terminará a 9 de outubro próximo.

De salientar que as semanas de promoção do vinho Alvarinho não contemplaram a Semana da ‘Festa do Alvarinho e do Fumeiro’, que decorreu entre 18 e 24 de abril, e a Semana do ‘Melgaço em Festa’, de 8 a 14 de agosto.

Vinhos em promoção: Reguengo de Melgaço (25 de abril a 1 de maio); Valados de Melgaço (2 a 8 de maio); Alvaianas e Quinta das Alvaianas (9 e 15 de maio); Carrolo (16 a 22 de maio); Quinta do Regueiro (23 a 29 de maio); Castaboa (30 de maio e 5 de junho); Casa de Canhotos (6 a 12 de junho); Poema (13 a 19 de junho); Encosta dos Sobrais (20 a 26 de junho); Coto da Moura ( 27 de junho a 3 de julho); Terras da Aldeia (4 a 10 de julho); Dom Salvador (11 a 17 e julho); Quintas de Melgaço (18 a 24 de julho); Memória a S. Marcos (25 a 31 de julho); Dona Paterna (1 a 7 de agosto); Quinta da Cabana Biológico (15 a 21 de agosto); Castros de Paderne (22 a 28 de agosto); Soalheiro (29 de agosto a 4 de setembro); Casa de Cerdedo (5 a 11 de setembro); Cané (12 a 18 de setembro); Adega do Sossego (19 a 25 de setembro); Terras de Real (26 de setembro a 2 de outubro); Dom Ponciano (3 a 9 de outubro); e Casa de Midão (10 a 16 de outubro). Caso surjam novos produtores, os mesmos serão inseridos no final do calendário.

E ainda o mês do Espumante

Com o mesmo objetivo, o Solar do Alvarinho promove também o Espumante Alvarinho. De 1 de novembro a 1 de dezembro de 2016, quem visitar o espaço usufruirá de 15% de desconto. Para tal, o Solar do Alvarinho irá também colocar ao dispor do cliente a venda de espumante ao copo, com um preço de 3 euros.

Por se realizar neste mês a Festa do Espumante em Melgaço, os dias 25, 26 e 27 não estão contemplados na iniciativa.

Espumantes em promoção: Quintas de Melgaço, Quintas de Melgaço Super Reserva, Regueiro, Soalheiro, Dona Paterna, Adega do Sossego, Terras da Aldeia, Alvaianas, Regueiro de Melgaço, Casa de Canhotos, Encostas da Cabana e Encostas dos Sobrais. Para o caso de surgimento de novas marcas de Espumante, essas serão introduzidas no plano e no mesmo molde das existente.

A iniciativa contempla os produtores de vinho Alvarinho de Melgaço e as atividades decorrerão normalmente no horário de funcionamento do Solar do Alvarinho, das 10h00 às 12h00 e das 14h30 às 19h00.

FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO EM MELGAÇO REALIZA-SE NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

PRESIDIDA PELO MINISTRO DA CIÊNCIA,TECNOLOGIA E DO ENSINO SUPERIOR

Durante 3 dias, os produtos da terra serão o centro das atenções em mais uma edição da Festa do Alvarinho e do Fumeiro, em Melgaço. A sessão de abertura, na próxima sexta-feira, às 18h00, será presidida pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Dr. Manuel Heitor. O Presidente da Câmara, Manoel Batista, pretende envolver neste certame várias instituições de ensino, no sentido de, juntos, encontrarem soluções que visem melhorar os produtos da região, contribuindo para o aumento da economia. ‘Este território tem necessidade do acréscimo de conhecimento que as universidades e institutos politécnicos do país podem trazer para ajudar a apurar a qualidade dos nossos produtos’, afirmou o presidente da Câmara Municipal, Manoel Batista.

image002

Reunião de trabalho com Governo e instituições académicas

Após a cerimónia solene de abertura do certame, irá decorrer, na Câmara Municipal, uma reunião de trabalho, presidida pelo governante, com responsáveis de estabelecimentos de ensino superior, nomeadamente os institutos politécnicos de Viana do Castelo, Bragança, Cávado e Ave e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

‘Serão apresentados projetos inovadores ligados ao território, quer no que diz respeito ao Alvarinho quer ao fumeiro’, explica o autarca melgacense, reforçando que ‘a Festa do Alvarinho e do Fumeiro tem um enorme impacto económico na economia local, quer ao nível da hotelaria e restauração. As cerca de 400 camas disponíveis no concelho esgotam, bem como a oferta dos concelhos vizinhos. A restauração não tem mãos a medir, e alguns produtores que marcam presença na festa apontam uma faturação na ordem dos 25 mil euros, nos três dias’, sustentou.

Afirmação da Sub-região de Monção e Melgaço

Este ano, o Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista, elegendo a Festa do Alvarinho e do Fumeiro como um dos eventos mais importantes do município apostou numa nova imagem e definiu para a edição de 2016 muitas novidades e um conceito renovado de afirmação deste grande momento.

Manoel Batista aproveita este evento como uma montra da afirmação do seu território e também e muito da Sub-região de Monção e Melgaço. O autarca recorda os ataques de que esta Sub-região tem sido alvo com o alargamento da zona exclusiva de produção do Alvarinho a toda a região dos Vinhos Verdes.

Mantendo-se firme na defesa do seu território, Manoel Batista afirma estar a assistir-se a um atentado contra a Sub-região e contra a fama conquistada por esta para o vinho verde Alvarinho, contra o qual se tem manifestado, juntamente com os diversos agentes locais, que em nada beneficiará Portugal. Aliás, aponta o autarca: “Trará consequências graves para a economia local”.

Uma mostra de promoção e venda dos produtos locais

Todos os produtores de alvarinho e de fumeiro do concelho marcam presença na feira que promove também o artesanato, o turismo, a gastronomia e constitui uma oportunidade única para a criação e a consolidação de laços entre os agentes do comércio, os consumidores e a produção.

O recinto da Festa conta com um total de 72 expositores, distribuídos por uma área coberta, 30 dos quais de Alvarinho, da Sub-região de Monção e Melgaço, 18 de fumeiro e produtos locais, 16 de artesanato, instituições e associações, e ainda com 8 tasquinhas. O recinto apresenta ainda uma Zona de degustações com capacidade para 140 pessoas sentadas; um Auditório deshowcooking, com chefes de renome; e provas comentadas de vinhos, onde críticos e sommeliers conduzem a assistência por diferentes tipologias de Alvarinho. Este ano, nas novidades há a destacar os showcooking &harmonização com os chefes Vítor Matos, Marlene Vieira e Rui Paula.

Para além da exposição, prova e venda de produtos, o programa do evento oferece ainda um conjunto variado de atividades, de entre as quais se destaca a realização dos concursos de produtos locais e dos workshops de corte de presunto, o desfile de confrarias báquicas e gastronómicas, a animação musical, diurna e noturna, e ainda toda uma gama de atividades paralelas, de animação turística e desportiva.

Saiba mais sobre todos os produtores na página de facebook Festa do Alvarinho (www.facebook.com/festadoalvarinho).

image010

Uma nova imagem, mas com a mesma qualidade e tradição

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro é uma festa tradicional que tem evoluído ao longo dos anos, sem nunca perder a sua identidade e sempre focada na promoção e valorização da região e das suas principais caraterísticas. Em Melgaço, durante três dias assiste-se a uma mostra dos produtos locais ao Minho, a Portugal e ao mundo: todos os anos são muitos (e cada vez mais) os que de Portugal, e não só, se deslocam ao Município mais a Norte de Portugal para participar neste certame de renome, um evento incontornável na rota das festas gastronómicas do país.

Dos Vinhos Alvarinhos, ao Fumeiro e ao Artesanato, passando pelo Turismo e pela Gastronomia, a Festa do Alvarinho e do Fumeiro reúne as características populares que estiveram na sua origem e a evolução natural assinalada ao longo dos anos.

Não podemos descurar a grande importância deste evento para toda a economia local que, há mais de 20 anos, é impulsionada também através deste evento, sejam os produtores de Vinho Alvarinho, sejam os do Fumeiro que há um ano viram este produto ser distinguido pela Comissão Europeia, através da integração do presunto e da chouriça de carne na lista dos produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP).

Dia 22 abril (sexta-feira)

10h00 – ABERTURA DA EXPOSIÇÃO/VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS E DAS  TASQUINHA

11h30 – SESSÃO DE ABERTURA OFICIAL DA FESTA 

             - Saudação ao vinho pelos Confrades da Real Confraria do Alvarinho

              - Arruada com a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Melgaço

              - Visita aos Pavilhões do vinho Alvarinho, fumeiro, artesanato, tasquinhas....

11h30 – CONCURSO DO MEL   (SOLAR DO ALVARINHO)

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

15h30 – CONCURSO DO  SALPICÃO, PRESUNTO E BROA DE MELGAÇO  

(SOLAR DO ALVARINHO)

17h30 – ENTREGA DOS PRÉMIOS DOS CONCURSOS (RECINTO DA FESTA)

18h00 – SHOWCOOKING & HARMONIZAÇÃO PELO CHEF  VITOR MATOS

(COZINHEIRO DE ALTA COZINHA, ARTE ALIMENTAR, GOURMET/ RESTAURANTE  ANTIQVVM, PORTO)

19h00 –  ANIMAÇÃO MUSICAL COM A ESCOLA DE CONCERTINAS DE MELGAÇO

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

19h30 –  PROVA COMENTADA “ALVARINHO, UM VINHO QUE SABE ENVELHECER”, POR RAQUEL SOUSA (ENÓLOGA)

22H30 – ESPETÁCULO MUSICAL COM:

GRUPO AMERICA

ZÉ AMARO

Dia 23 de abril (sábado)

10h00 – ABERTURA DA EXPOSIÇÃO/VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS E DAS TASQUINHAS

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

14h00 – PROGRAMA DA RTP “AQUI PORTUGAL” DIRETAMENTE DE MELGAÇO

15h00 – ATUAÇÃO DA ESCOLA DE DANÇA “ARTE EM MOVIMENTO” DE MELGAÇO

15H30 – ANIMAÇÃO  MUSICAL COM O GRUPO DE CONCERTINAS  “ OS MAGNÍFICOS”

16h00 – SHOWCOOKING & HARMONIZAÇÃO, CHEF  MARLENE VIEIRA

(CONCEITUADA COZINHEIRA, PROFESSORA DO CHEFS’ ACADEMY)

18h00 –  PROVA COMENTADA “ALVARINHOS DE MONÇÃO E MELGAÇO, UMA QUESTÃO DE TERROIR” POR ANÍBAL COUTINHO

(CONCEITUADO ENÓLOGO E CRÍTICO DE VINHOS)

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

21h00 – ESPETÁCULO DE DANÇA COM O  “GRUPO DE DANÇA DO CENTRO DE ESTÁGIOS” DE MELGAÇO

22H30 – ESPETÁCULO MUSICAL COM  O GRUPO FUNÇÃO PÚBLICA

Dia 24 de abril (domingo)

10h00 – ABERTURA DA EXPOSIÇÃO/VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS E DAS TASQUINHAS

DEMONSTRAÇÃO CULINÁRIA E DEGUSTAÇÕES PELO CHEFE RUI RIBEIRO DA EPRAMI (ESCOLA PROFISSIONAL DO ALTO MINHO INTERIOR)

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

15h00 – ANIMAÇÃO  MUSICAL COM:

               - GRUPO ZÉ ZÉ FERNANDES

               - GRUPO DE CONCERTINAS DE CASTRO LABOREIRO

               - ÚS SAI DE GATAS

               - ESCOLA DE CONCERTINAS DE MELGAÇO

16h00 – SHOWCOOKING & HARMONIZAÇÃO, CHEF  RUI PAULA

(JÚRI DO MASTERCHEF PORTUGUÊS, RESTAURANTES DOC, DOP, BOA NOVA TEA HOUSE E RECIFE)

16h30 – PROVA COMENTADA “VINHOS ALVARINHO, CLÁSSICOS E NOVIDADES”, POR ANÍBAL COUTINHO (CONCEITUADO ENÓLOGO E CRÍTICO DE VINHOS)

17h30 – WORKSHOP DE DEMONSTRAÇÃO DE CORTE DE PRESUNTO, CHEF CORTADOR VITOR OLIVEIRA (ACADEMIA DE CORTE)

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

20h00 – ENCERRAMENTO DA FESTA

ANIMAÇÃO TURÍSTICA E DE LAZER

DESPORTO/AVENTURA MELGAÇO RADICAL

Rafting no Rio Minho (dias 22,23 e 24/9h30)

Rappel suspenso  na Ponte Internacional Peso-Arbo (dia 22)

Paint Ball (dias 22, 23 e 24)

Caminhada pela "Rota das Pesqueiras" nas margens do  rio Minho (dia 22)

Salto Pendular Ponte Internacional Peso-Arbo (dia 23)

Caminhada “Entre o Rio Minho e o  Alvarinho”(dia 23)

Prova de Orientação no Centro de Estágios de Melgaço (dia 24)

Organização: Melgaço Radical | www.melgacoradical.com/geral@melgacoradical.pt

DESPORTO/AVENTURA MONTES DE LABOREIRO

Arvorismo  e Rappel (dia 22 /15h00  - Parque Campismo Lamas de Mouro)

Canyoning (dia 23 /10h00  - Parque Campismo Lamas de Mouro)

Arvorismo, rappel, escalada e slide (dia 24 /10h00  - Parque Campismo Lamas de Mouro)

Organização: Montes de Laboreiro | www.montesdelaboreiro.com/geral@montesdelaboreiro.pt

PARAPENTE

Experiência de voo Bilugar sobre as encostas de Fiães e Roussas

Local de concentração: Lgº Hermenegildo Solheiro-Vila

Organização e apoio: Aboua Escola | www.abouaescola.com /alvarinhoparapente@gmail.com

TERMAS DE MELGAÇO

Visita à Fonte Principal das Termal do Peso com prova

Horário: 15h00-18h00

CHARRETE

Passeios pela Zona Histórica

Saída/Chegada: Lgº Hermenegildo Solheiro

Horário: 14h30 – 18h30

BAPTISMO HÍPICO

Dias 22, 23 e 24 no Centro Hípico de Melgaço

BEBIPEDALA (Bicicleta de 8 pessoas)

Passeios pela zona história com provas de Alvarinho

Saída/Chegada: Estátua Inês Negra

Horário: 10h30 – 18h30 | www.facebook.com/Bebipedala

JORNADAS GASTRONÓMICAS

Visite os concelhos do restaurante e prove as suas ementas diversificadas, centradas na utilização privilegiada de produtos locais como o cabrito, a lampreia, o presunto, os enchidos e o Alvarinho, entre outros.

TASQUINHAS

Em pleno recinto da Festa, 8 tasquinhas recriam pratos e sabores tradicionais num ambiente convidativo.

image009

PONTE DE LIMA ESTABELECE PARCERIA COM A FUNDACIÓN VIVANCO DE ESPANHA PARA PROMOVER O VINHO VERDE

CIPVV – Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde e Fundación Vivanco

Investigar, difundir e partilhar a Cultura do Vinho são as principais linhas orientadoras de um memorando celebrado entre o Município de Ponte de Lima e a Fundación Vivanco de Espanha.

IMG_7386 (Small)

A assinatura realizou-se no dia 12 de abril no Salão Nobre da Câmara Municipal de Ponte de Lima. e traduz-se nas intenções que a Fundación Vivanco para la Cultura Del Vino e o Município de Ponte de Lima têm em comum, representados por Santiago Vivanco Sáenz e pelo Presidente do Município, Victor Mendes, respetivamente.

IMG_7388 (Small)

A Fundación Vivanco para la Cultura Del Vino, possui o maior museu de Vinhos de Espanha, tem cerca de 4 000 m2 e conta com cinco salas de exposição permanente, incluindo a maior exposição do mundo de saca-rolhas.

Sobre a Fundación Vivanco, Santiago Vivanco afirmou que se trata de uma empresa familiar, que preserva a tradição da produção de vinho “tudo o que somos [família Vivanco], devemos ao vinho”, “queremos devolver ao vinho, o que ele nos deu” complementou, Rafael Vivanco.

IMG_7397 (Small)

Por outro lado, o Município Limiano em parceria com a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, promoveram a abertura do CIPVV - Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde, importante estrutura para a investigação, promoção e partilha da Cultura do Vinho Verde.

O Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima recorda que o CIPVV é “uma estrutura muito importante e única para a região”. “Pretendemos estabelecer contactos e parcerias com instituições semelhantes, com o objetivo de promover a nossa região, o nosso vinho”, sustentou.

IMG_7406 (Small)

Santiago Vivanco, por sua vez, agradece a possibilidade de formalizar o memorando supracitado, esperando encontrar inúmeras formas de colaboração mutua no sentido de promover e divulgar este património vinícola na Península Ibérica.

Este encontro não poderia finalizar de outra maneira, a visitar o CIPVV com a assinatura do Livro de Honra por Santiago Vivanco e um brinde com o magnífico Vinho Verde Loureiro de Ponte de Lima.

IMG_7412 (Small)

ARCOS DE VALDEVEZ REALIZA FESTA DO VINHÃO

Arcos de Valdevez promove o I FESTIVINHÃO, Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez e Ciclo Gastronómico do Cabrito

O Município de Arcos de Valdevez e os Vinhos de Arcos de Valdevez vão promover o I FESTIVINHÃO, Festival Enoturístico de Arcos de Valdevez nos dias 15, 16 e 17 de Abril. São parceiros na organização a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, a AMPV-Associação de Municípios Portugueses do Vinho, a Escola Superior Agrária do IPVC, a Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca e a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca.

O evento terá lugar nas ruas do centro histórico da Vila de Arcos de Valdevez, contando com espaço de exposição (vinhos, gastronomia, artesanato, etc.), espaço de provas de vinhos, tasquinhas de petiscos, espetáculos de palco animação de rua, workshops técnicos, curso de iniciação à prova de vinhos, percursos turístico-gastronómicos pela Vila, visitas a Quintas/Adegas, para além de uma de programação musical forte, onde se destacam os Contraponto, a banda do momento.

O Festival integrará também a seleção do ‘FESTIVINHÃO Vinho do Ano 2016’, com um Grande Prémio para o Vinho da Casta Vinhão do Ano e a Seleção do Ano para as categorias de Vinhos Verdes Tintos, Brancos, Rosé, Espumantes Tintos e Espumantes Brancos. Haverá ainda uma Seleção para os Vinhos de Arcos de Valdevez nas mesmas categorias.

De salientar que nos últimos anos tem ocorrido a progressão das exportações dos Vinhos Verdes. É na relação entre a gastronomia tradicional e os diferentes vinhos que melhor se potencia a riqueza gerada. Na Região Norte de Portugal, e, em particular, na região dos Vinhos Verdes, a harmonização entre gastronomia e vinhos, com o património construído e natural, o alojamento e atividades de animação turística, atinge o potencial máximo. O vinho e atividades conexas têm um valor acrescentado regional e nacional, superior a 85%.

Em particular, os vinhos tintos da casta Vinhão são os que melhor tipificam a relação entre cultura imaterial e território, já que só no século XX os vinhos brancos passaram a ser maioritários em produção. Agora, chegou a vez da evolução enológica nos tintos e a casta vinhão é a rainha. É ela que melhor se relaciona com a lampreia, com a posta de carne cachena e o arroz de feijão tarrestre, o sarrabulho, com o cozido à portuguesa, com o arroz de cabidela, com o cabrito da serra, etc.. Arcos de Valdevez e o seu “terroir”, soube manter uma reserva de qualidade e tradição na produção de Vinhão e também, inovar.

Aqui existiu também o primeiro produtor a dedicar-se em exclusivo a uma única marca dedicada ao vinhão e existe a Estação Vitivinícola Amândio Galhano da Comissão de Viticultura dos Vinhos Verdes, onde está o repositório de castas regionais e onde se faz a investigação fundamental.

Arcos de Valdevez quer vir a afirmar-se como a referência no Vinhão.

A par do I Festivinhão decorre também o Ciclo Gastronómico do Cabrito nos restaurantes aderentes. A tenra carne do cabrito criado na montanha, acompanhada pelos excelentes vinhos verdes de produtores e engarrafadores locais, fazem deste prato um sabor distinto do mundo rural e as delícias de quem o prova. Para os mais gulosos apresentamos uma rica e singular doçaria tradicional, com os Charutos de Ovos com Laranja do Ermelo, o bolo de discos ou o Bolo de Mel, alguns dos sabores que esperam por si em Arcos de Valdevez.

Neste sentido, convidamo-lo a visitar Arcos de Valdevez, um destino turístico de excelência, a menos de uma hora do Porto e Vigo e a pouco mais de 30 minutos de Braga, e a fazer um itinerário pelos sabores da nossa gastronomia, pelas nossas tradições, pela nossa cultura e pela beleza natural deste Concelho.

MELGAÇO REALIZA FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO

De 22 a 24 de abril: À DESCOBERTA DE SABORES E AROMAS NA AFIRMAÇÃO DO TERRITÓRIO

Está a chegar mais uma edição da Festa do Alvarinho e do Fumeiro em Melgaço. De 22 a 24 de abril, o alvarinho e o fumeiro serão o centro das atenções. Este ano com uma imagem renovada, mas com a mesma qualidade e tradição. Num só espaço a oferta é diversificada e deliciosa: 31 produtores de alvarinho, 18 de fumeiro e produtos locais, 8 tasquinhas. O certame contará ainda com a presença de 16 associações e instituições que mostraram o que de melhor de faz no artesanato. Este ano, nas novidades há a destacar os showcooking&harmonização com os chefes Vítor Matos, Marlene Vieira e Rui Paula.

image002

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro é uma festa tradicional que tem evoluído ao longo dos anos, sem nunca perder a sua identidade e sempre focada na promoção e valorização da região e das suas principais caraterísticas. Em Melgaço, durante três dias assiste-se a uma mostra dos produtos locais ao Minho, a Portugal e ao mundo: todos os anos são muitos (e cada vez mais) os que de Portugal, e não só, se deslocam ao Município mais a Norte de Portugal para participar neste certame de renome, um evento incontornável na rota das festas gastronómicas do país.

Dos Vinhos Alvarinhos, ao Fumeiro e ao Artesanato, passando pelo Turismo e pela Gastronomia, a Festa do Alvarinho e do Fumeiro reúne as características populares que estiveram na sua origem e a evolução natural assinalada ao longo dos anos.

Não podemos descurar a grande importância deste evento para toda a economia local que, há mais de 20 anos, é impulsionada também através deste evento, sejam os produtores de Vinho Alvarinho, sejam os do Fumeiro que há um ano viram este produto ser distinguido pela Comissão Europeia, através da integração do presunto e da chouriça de carne na lista dos produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP).

Afirmação da Sub-região de Monção e Melgaço

Este ano, o Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista, elegendo a Festa do Alvarinho e do Fumeiro como um dos eventos mais importantes do município apostou numa nova imagem e definiu para a edição de 2016 muitas novidades e um conceito renovado de afirmação deste grande momento.

Manoel Batista aproveita este evento como uma montra da afirmação do seu território e também e muito da Sub-região de Monção e Melgaço. O autarca recorda os ataques de que esta Sub-região tem sido alvo com o alargamento da zona exclusiva de produção do Alvarinho a toda a região dos Vinhos Verdes.

Mantendo-se firme na defesa do seu território, Manoel Batista afirma estar a assistir-se a um atentado contra a Sub-região e contra a fama conquistada por esta para o vinho verde Alvarinho, contra o qual se tem manifestado, juntamente com os diversos agentes locais, que em nada beneficiará Portugal. Aliás, aponta o autarca: “Trará consequências graves para a economia local”.

Uma mostra de promoção e venda dos produtos locais

Todos os produtores de alvarinho e de fumeiro do concelho marcam presença na feira que promove também o artesanato, o turismo, a gastronomia e constitui uma oportunidade única para a criação e a consolidação de laços entre os agentes do comércio, os consumidores e a produção.

O recinto da Festa conta com um total de 72 expositores, distribuídos por uma área coberta, 31 dos quais de Alvarinho, da Sub-região de Monção e Melgaço, 18 de fumeiro e produtos locais, 16 de artesanato, instituições e associações, e ainda com 8 tasquinhas. O recinto apresenta ainda uma Zona de degustações com capacidade para 140 pessoas sentadas; um Auditório de showcooking, com chefes de renome; e provas comentadas de vinhos, onde críticos e sommeliers conduzem a assistência por diferentes tipologias de Alvarinho.

Para além da exposição, prova e venda de produtos, o programa do evento oferece ainda um conjunto variado de atividades, de entre as quais se destaca a realização dos concursos de produtos locais e dos workshops de corte de presunto, o desfile de confrarias báquicas e gastronómicas, a animação musical, diurna e noturna, e ainda toda uma gama de atividades paralelas, de animação turística e desportiva.

Saiba mais sobre todos os produtores na página de facebook Festa do Alvarinho (www.facebook.com/festadoalvarinho).

PROGRAMA DA FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO 2016

Dia 22 Abril (sexta-feira)

10h00 – ABERTURA DA EXPOSIÇÃO/VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS E DAS  TASQUINHA

11h30 – SESSÃO DE ABERTURA OFICIAL DA FESTA 

             - Saudação ao vinho pelos Confrades da Real Confraria do Alvarinho

              - Arruada com a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Melgaço

              - Visita aos Pavilhões do vinho Alvarinho, fumeiro, artesanato, tasquinhas....

11h30 – CONCURSO DO MEL   (SOLAR DO ALVARINHO)

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

15h30 – CONCURSO DO  SALPICÃO, PRESUNTO E BROA DE MELGAÇO  

(SOLAR DO ALVARINHO)

17h30 – ENTREGA DOS PRÉMIOS DOS CONCURSOS (RECINTO DA FESTA)

18h00 – SHOWCOOKING & HARMONIZAÇÃO PELO CHEF  VITOR MATOS

(COZINHEIRO DE ALTA COZINHA, ARTE ALIMENTAR, GOURMET/ RESTAURANTE  ANTIQVVM, PORTO)

19h00 –  ANIMAÇÃO MUSICAL COM A ESCOLA DE CONCERTINAS DE MELGAÇO

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

19h30 –  PROVA COMENTADA “ALVARINHO, UM VINHO QUE SABE ENVELHECER”, POR RAQUEL SOUSA (ENÓLOGA)

22H30 – ESPETÁCULO MUSICAL COM:

GRUPO AMERICA

ZÉ AMARO

Dia 23 de Abril (sábado)

10h00 – ABERTURA DA EXPOSIÇÃO/VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS E DAS TASQUINHAS

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

14h00 – PROGRAMA DA RTP “AQUI PORTUGAL” DIRETAMENTE DE MELGAÇO

15h00 – ATUAÇÃO DA ESCOLA DE DANÇA “ARTE EM MOVIMENTO” DE MELGAÇO

15H30 – ANIMAÇÃO  MUSICAL COM O GRUPO DE CONCERTINAS  “ OS MAGNÍFICOS”

16h00 – SHOWCOOKING & HARMONIZAÇÃO, CHEF  MARLENE VIEIRA

(CONCEITUADA COZINHEIRA, PROFESSORA DO CHEFS’ ACADEMY)

18h00 –  PROVA COMENTADA “ALVARINHOS DE MONÇÃO E MELGAÇO, UMA QUESTÃO DE TERROIR” POR ANÍBAL COUTINHO

(CONCEITUADO ENÓLOGO E CRÍTICO DE VINHOS)

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

21h00 – ESPETÁCULO DE DANÇA COM O  “GRUPO DE DANÇA DO CENTRO DE ESTÁGIOS” DE MELGAÇO

22H30 – ESPETÁCULO MUSICAL COM  O GRUPO FUNÇÃO PÚBLICA

Dia 24 de Abril (domingo)

10h00 – ABERTURA DA EXPOSIÇÃO/VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS E DAS TASQUINHAS

DEMONSTRAÇÃO CULINÁRIA E DEGUSTAÇÕES PELO CHEFE RUI RIBEIRO DA EPRAMI (ESCOLA PROFISSIONAL DO ALTO MINHO INTERIOR)

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

15h00 – ANIMAÇÃO  MUSICAL COM:

                 - GRUPO ZÉ ZÉ FERNANDES

                 - GRUPO DE CONCERTINAS DE CASTRO LABOREIRO

                 - ÚS SAI DE GATAS

                 - ESCOLA DE CONCERTINAS DE MELGAÇO

16h00 – SHOWCOOKING & HARMONIZAÇÃO, CHEF  RUI PAULA

(JÚRI DO MASTERCHEF PORTUGUÊS, RESTAURANTES DOC, DOP, BOA NOVA TEA HOUSE E RECIFE)

16h30 – PROVA COMENTADA “VINHOS ALVARINHO, CLÁSSICOS E NOVIDADES”, POR ANÍBAL COUTINHO (CONCEITUADO ENÓLOGO E CRÍTICO DE VINHOS)

17h30 – WORKSHOP DE DEMONSTRAÇÃO DE CORTE DE PRESUNTO, CHEF CORTADOR VITOR OLIVEIRA (ACADEMIA DE CORTE)

Degustação de pratos típicos nas  tasquinhas (recinto da Festa)

20h00 – ENCERRAMENTO DA FESTA

ANIMAÇÃO TURÍSTICA E DE LAZER

DESPORTO/AVENTURA MELGAÇO RADICAL

Rafting no Rio Minho (dias 22,23 e 24/9h30)

Rappel suspenso  na Ponte Internacional Peso-Arbo (dia 22)

Paint Ball (dias 22, 23 e 24)

Caminhada pela "Rota das Pesqueiras" nas margens do  rio Minho (dia 22)

Salto Pendular Ponte Internacional Peso-Arbo (dia 23)

Caminhada “Entre o Rio Minho e o  Alvarinho”(dia 23)

Prova de Orientação no Centro de Estágios de Melgaço (dia 24)

Organização: Melgaço Radical | www.melgacoradical.com/geral@melgacoradical.pt

DESPORTO/AVENTURA MONTES DE LABOREIRO

Arvorismo  e Rappel (dia 22 /15h00  - Parque Campismo Lamas de Mouro)

Canyoning (dia 23 /10h00  - Parque Campismo Lamas de Mouro)

Arvorismo, rappel, escalada e slide (dia 24 /10h00  - Parque Campismo Lamas de Mouro)

Organização: Montes de Laboreiro | www.montesdelaboreiro.com/geral@montesdelaboreiro.pt

PARAPENTE

Experiência de voo Bilugar sobre as encostas de Fiães e Roussas

Local de concentração: Lgº Hermenegildo Solheiro-Vila

Organização e apoio: Aboua Escola | www.abouaescola.com /alvarinhoparapente@gmail.com

TERMAS DE MELGAÇO

Visita à Fonte Principal das Termal do Peso com prova

Horário: 15h00-18h00

CHARRETE

Passeios pela Zona Histórica

Saída/Chegada: Lgº Hermenegildo Solheiro

Horário: 14h30 – 18h30

BAPTISMO HÍPICO

Dias 22, 23 e 24 no Centro Hípico de Melgaço

BEBIPEDALA (Bicicleta de 8 pessoas)

Passeios pela zona história com provas de Alvarinho

Saída/Chegada: Estátua Inês Negra

Horário: 10h30 – 18h30 | www.facebook.com/Bebipedala

JORNADAS GASTRONÓMICAS

Visite os concelhos do restaurante e prove as suas ementas diversificadas, centradas na utilização privilegiada de produtos locais como o cabrito, a lampreia, o presunto, os enchidos e o Alvarinho, entre outros.

TASQUINHAS

Em pleno recinto da Festa, 8 tasquinhas recriam pratos e sabores tradicionais num ambiente convidativo.

EXPLORAÇÕES VITIVINÍCOLAS LESADAS DO TEMPORAL DE FEVEREIRO VÃO RECEBER AJUDAS DO GOVERNO

O período de submissão das candidaturas ao regime da reestruturação e reconversão das vinhas afetadas decorre entre 16 a 30 de abril, junto dos serviços da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAP-Norte)

Lugar Souto mendo_Pousafoles2.1Fiães

Face aos prejuízos provocados pelas intempéries registadas na região norte do país, inclusive em Melgaço, ocorridas entre 12 e 15 de fevereiro de 2016, o Governo acionou mecanismos de apoio visando minimizar os danos causados nas explorações vitivinícolas. Neste contexto, e no que respeita especificamente às parcelas de vinha danificadas, o governo adotou, com essa finalidade, um conjunto de normas especiais, de caráter mais benéfico, para a campanha de 2016 -2017, aplicáveis às candidaturas aos apoios constantes do regime da reestruturação e reconversão da vinha, previsto na Portaria n.º 357/2013, de 10 de dezembro, alterada pelas Portarias n.os 67/2014, de 12 de março, e 219/2015, de 23 de julho, que têm por objeto parcelas de vinha afetadas pelas referidas intempéries.

Em Melgaço as freguesias atingidas pelas intempéries e que vão receber ajudas do Governos são: Penso, União das freguesias de Vila e Roussas, Alvaredo, Cousso, Cristóval, Fiães, Gave, Paderne, São Paio, União das freguesias de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro, União das freguesias de Chaviães e Paços, União das freguesias de Prado e Remoães.

Pretende-se, com este conjunto de normas especiais, que os apoios constantes da Portaria n.º 357/2013, de 10 de dezembro, contribuam para a recuperação do património vitícola danificado e para a reposição das parcelas de vinha destruídas em consequência dos fenómenos climatéricos observados na região Norte. Para tal o Governo estabeleceu um período de candidaturas: entre 16 a 30 de abril, junto dos serviços da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAP-Norte).

OS BENEFICIÁRIOS

De acordo com a Portaria n.º 71/2016 - Diário da República n.º 66/2016, Série I de 2016-04-05 podem beneficiar deste apoio as pessoas singulares ou coletivas que explorem parcelas de vinha situadas nas freguesias da região afetada, registadas no Sistema de Identificação da Vinha e do Vinho (SIVV), relativamente às quais foram declarados prejuízos, até 2 de março de 2016, na Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN), confirmados em relatório de levantamento dos prejuízos das intempéries.

As despesas são elegíveis após a verificação e validação pela DRAP-Norte, dos prejuízos declarados pelos beneficiários que podem iniciar os investimentos mesmo antes da verificação e validação, desde que comuniquem o início dos trabalhos à DRAP-Norte, com uma antecedência mínima de 48 horas.

CANDIDATURAS

É condição indispensável para a submissão de candidaturas que os beneficiários providenciem a atualização do Registo Central Vitícola, o pedido de emissão de autorizações de plantação e a georreferenciação das parcelas; procedam à sua inscrição como beneficiários do Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas, I. P. (IFAP, I. P.) para obtenção do Número de Identificação do IFAP, I. P. (NIFAP), ou atualização dos dados, nomeadamente do IBAN e endereço eletrónico; e que procedam à sua inscrição ou atualização dos dados da exploração no Sistema de Identificação Parcelar (iSIP) do IFAP, I. P., para identificação dos novos locais de investimento e comprovação da posse de terra.

MUSEU DO ALVARINHO EM MONÇÃO SUPERA 11 MIL VISITANTES NO PRIMEIRO ANO DE VIDA

Equipamento dedicado à história e cultura do Vinho Alvarinho é uma aposta consolidada e um trunfo valioso na defesa e divulgação daquela casta singular e suporte da nossa identidade coletiva. Inaugurado no dia 28 de fevereiro de 2015, recebeu cerca de mil pessoas por mês.

Museu 01

O Museu do Alvarinho, localizado na Casa do Curro, imóvel do século XVII, foi inaugurado no dia 28 de fevereiro do último ano, contabilizando, no primeiro ano de vida, a visita de 11.129 pessoas de diferentes idades e nacionalidades. Destes, 8.712 são de nacionalidade portuguesa e 2.610 são estrangeiros dos cinco continentes.

Estes números revelam que aquele equipamento, situado em pleno centro histórico da localidade, representa, no dia de hoje, uma aposta consolidada e um trunfo valioso na defesa e divulgação do Vinho Alvarinho, potenciando as suas características endógenas e as empresas locais dedicadas à sua produção.

Com um investimento próximo dos 150 mil euros com comparticipação PRODER de 90 mil euros, o Museu do Alvarinho assume-se, cada vez mais, como um espaço de promoção e degustação daquele produto demarcado e singular com elevada importância na economia de muitas famílias monçanenses.

Distribuído por diferentes áreas, este espaço proporciona aos visitantes uma autêntica viagem pelo mundo deste famoso néctar, disponibilizando informação sobre a origem, evolução e empresas dedicadas à produção deste verdadeiro suporte da identidade cultural e histórica do concelho.

As empresas de Vinho Alvarinho com produto rotulado, tantas e tantas vezes premiadas em concursos nacionais e internacionais, encontram neste espaço “uma porta de acesso” para a valorização dos seus produtos, bem como um “ponto de encontro” para provas comentadas, encontros promocionais e estabelecimento de parcerias negociais.

Museu 03

SOALHEIRO ALLO 2015 APRESENTA NOVA IMAGEM

Soalheiro ALLO afirma-se como um Soalheiro de menor teor alcoólico

De elegância assumida, e com uma enorme consistência no seu perfil refrescante, a colheita de 2015 do ALLO – Alvarinho & Loureiro, está já em lançamento e, este ano, com uma novidade: uma nova imagem. ALLO afirma-se como um dos Soalheiro de menor teor alcoólico, 11% em volume, e vai já na 5ª colheita da Quinta de Soalheiro, a Primeira Marca de Alvarinho de Melgaço. Esta nova imagem reflete o crescente papel que o ALLO (alô) tem vindo a assumir na família Soalheiro devido ao seu teor alcoólico naturalmente baixo, elegante e consistente, consolidando uma perfeita integração na restante gama de vinhos.

O Soalheiro ALLO 2015 vem assim fazer companhia ao Soalheiro 2015 clássico permitindo a descoberta de dois vinhos bem diferentes. O Soalheiro clássico elaborado 100% com a casta Alvarinho mais aromático, estruturado e persistente e o Soalheiro ALLO que conjuga o Alvarinho com o Loureiro muito elegante, descontraído e refrescante.

Com uma cor amarela citrina e um aroma elegante e mineral, o Alvarinho, cheio de frutos intensos e estrutura, contrasta com o Loureiro floral e pleno de elegância, conferindo-lhe um equilíbrio ímpar: o Alvarinho confere estrutura e o Loureiro a distinção aromática. Em 2015, a floração ocorreu duas semanas mais tarde do que a última colheita, devido à pouca precipitação no inverno, iniciando-se a colheita na primeira semana de setembro 'para manter o perfil refrescante característico dos nossos vinhos’, refere Luís Cerdeira, que sucedeu ao seu pai como enólogo do Soalheiro desde 1994, salientando que ‘O Soalheiro ALLO 2015 é um vinho bem definido, simultaneamente refrescante e pleno de elegância.’ Durante a maturação os meses de verão, e especificamente agosto, tiveram temperaturas moderadas durante o dia e noites frias, que favoreceram uma maturação lenta e a concentração dos aromas nas uvas, e o início de setembro seco contribuiu para um equilíbrio perfeito entre o Alvarinho e o Loureiro.

Na Quinta de Soalheiro cada detalhe é importante para manter os diferentes sabores e aromas característicos dos ‘terroirs’ do Soalheiro. As uvas, exclusivamente da casta Alvarinho e Loureiro, são colhidas manualmente em caixas de pequena capacidade que são transportadas para a adega num curto espaço de tempo. Após a prensagem, o mosto obtido decanta durante 48 horas, seguindo-se a fermentação, a uma temperatura controlada, usando leveduras pré- selecionadas para o efeito. O engarrafamento efetua- se após a estabilização do vinho, sendo seguido de um estágio em garrafa.

A ORIGEM DO NOME

ALLO (alô) pode ser apenas um cumprimento ou ter surgido com inspiração na famosa série com o mesmo nome, Allo Allo, conta a história de René Artois, proprietário de um café francês na vila de Nouvion, mas são as iniciais de Alvarinho e Loureiro, duas castas nobres do Alto Minho, que pela sua qualidade e diferente personalidade, se têm afirmado no seu primórdio.

ALLO é ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves.

A DIVERSIDADE DE AROMAS DO VINHO SOALHEIRO

O Soalheiro é considerado um especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional, pelo que na sua gama de vinhos se destacam a trilogia composta pelo Soalheiro clássico, efetivamente um clássico e o vinho com maior presença internacional; o Soalheiro Primeiras Vinhas, uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, considerado o Melhor Vinho Branco Nacional; e o Soalheiro Reserva, a expressão máxima da casta alvarinho com a fermentação em barrica. Aos quais se juntam os dois espumantes Soalheiro, o clássico Bruto e, mais recentemente, o Bruto Rosé, não esquecendo ainda os inovadores ALLO e Soalheiro 9%, que se distinguem pelo teor alcoólico moderado com enorme elegância e frescura, e que procuraram explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade.

Para posicionar os seus vinhos entres os melhores do mundo a Quinta de Soalheiro tem procurado implementar os melhores princípios vitícolas e enológicos, de forma a potenciar a expressão dos seus ‘terroirs’ e é por isso que lançou recentemente o Soalheiro Oppaco com um lote de Vinhão e Alvarinho. Abre assim um novo capítulo da história da primeira marca de Alvarinho em Melgaço ao apresentar o seu primeiro vinho tinto, também pioneiro por se tratar de um vinho tinto da região com lote de uvas tintas (Vinhão) e uvas brancas (Alvarinho). Mas já em setembro a Quinta de Soalheiro tinha lançado o Terramatter, um Soalheiro integralmente diferente, feito com uvas de produção biológica.

26 MERCADOS DE EXPORTAÇÃO

Presente em 26 mercados de exportação, nomeadamente na Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Polónia, Suécia, Suíça, Singapura, e mais recentemente na Bulgária e na República Trindade e Tobago o vinho Soalheiro tem registado um crescimento internacional gradual e constante em todos os países, inclusive no mercado nacional. É de salientar que em Portugal a presença nos locais de referência tem-se feito sentir, com maior notoriedade, em estabelecimentos de restauração, garrafeiras e winebars.

QUINTA DE SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luís Cerdeira, a orientar os trabalhos. As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste sector e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs”.

MUSEU DO ALVARINHO EM MONÇÃO ULTRAPASSA 10 MIL VISITANTES

Com pouco mais de nove meses de vida, equipamento dedicado à história e cultura do Vinho Alvarinho é uma aposta consolidada e um trunfo valioso na defesa e divulgação daquela casta singular e suporte da nossa identidade coletiva.

Museu 01

O Museu do Alvarinho, localizado na Casa do Curro, imóvel do século XVII, foi inaugurado no dia 28 de fevereiro do presente ano, contabilizando, em pouco mais de nove meses de vida, a visita de 10.178 pessoas de diferentes idades e nacionalidades. Destes, 7980 são de nacionalidade portuguesa e 2198 são estrangeiros dos cinco continentes.

Estes números revelam que aquele equipamento, situado em pleno centro histórico da localidade, representa, no dia de hoje, uma aposta consolidada e um trunfo valioso na defesa e divulgação do Vinho Alvarinho, potenciando as suas características endógenas e as empresas locais dedicadas à sua produção.

Museu 02

Com um investimento próximo dos 150 mil euros com comparticipação PRODER de 90 mil euros, o Museu do Alvarinho assume-se, cada vez mais, como um espaço de promoção e degustação daquele produto demarcado e singular com elevada importância na economia de muitas famílias monçanenses.

Distribuído por diferentes áreas, este espaço proporciona aos visitantes uma autêntica viagem pelo mundo deste famoso néctar, disponibilizando informação sobre a origem, evolução e empresas dedicadas à produção deste verdadeiro suporte da identidade cultural e histórica do concelho.

museu 05

As empresas de Vinho Alvarinho com produto rotulado, tantas e tantas vezes premiadas em concursos nacionais e internacionais, encontram neste espaço “uma porta de acesso” para a valorização dos seus produtos, bem como um “ponto de encontro” para provas comentadas, encontros promocionais e estabelecimento de parcerias negociais.

Museu 03

PONTE DE LIMA CANDIDATA-SE A CIDADE DO VINHO

Ponte de Lima: Candidatura a Cidade do Vinho 2016

O Município de Ponte de Lima reforça a ação promocional do afamado Vinho Verde. No passado dia 23 de outubro oficializou a candidatura a Cidade do Vinho 2016, promovida anualmente pela Associação de Municípios Portugueses do Vinho.

PL Capital vinho 2016

No seguimento deste objetivo, estão previstas várias ações que ajudarão na promoção e valorização do Vinho Verde, em concreto os da casta Loureiro (Vinho Verde Branco) e da casta Vinhão (Vinho Verde Tinto), assim como dos produtores do concelho.

Bem no coração de uma das maiores Regiões Demarcadas do mundo, Ponte de Lima, através do CIPVV - Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde, já iniciou um programa que fortalece a sua intenção de ser Cidade do Vinho em 2016.

Neste sentido, assinalou e celebrou no dia 8 de novembro, o Dia Europeu do Enoturismo, com uma visita guiada ao Centro de Interpretação seguida de uma prova de Vinho, comentada por Anselmo Mendes, reconhecido enólogo que em 2014 foi distinguido na Polónia como personalidade do ano pela revista “Magazyn Wino”, uma das mais prestigiadas publicações polacas para o sector do vinho. 

De realçar que até ao final de 2015, o programa “Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta” dará o mote para que o Vinho Verde marque presença nos diferentes certames.

Aguardam-se os resultados com expectativa, uma vez que o Vinho Verde tem em Ponte de Lima uma expressão muito significativa e caracterizadora da Região dos Vinhos Verdes.

MONÇÃO E MELGAÇO COMEMORAM DIA EUROPEU DO ENOTURISMO

Dia 8 de novembro, domingo, com a realização de diversas iniciativas de promoção do vinho Alvarinho nos concelhos de Monção e Melgaço. Programa completo pode ser consultado em www.rotadoalvarinho.pt. Informações/inscrições no Museu do Alvarinho (T. 251 649 009).

A Rota de Vinho Verde Alvarinho, com o apoio das autarquias de Monção e Melgaço, celebra no próximo domingo, 8 de novembro, o Dia Europeu do Enoturismo com diversas iniciativas defensoras e promotoras desta casta singular e única.

Entre estas, contam-se visitas guiadas a adegas aderentes à rota, descontos e ofertas especiais em alojamentos, atividades de turismo da natureza/aventura, programas de saúde e bem-estar, provas de vinho e entradas gratuitas em espaços culturais das duas localidades.

Em Monção, estão previstas diversas atividades lúdicas e recreativas, entradas gratuitas na Casa Museu de Monção/Universidade do Minho e no Centro Interpretativo de S. Caetano, em Longos Vales, passeios pelo casco muralhado da vila raiana, e visitas/provas de vinho no Museu do Alvarinho e Palácio da Brejoeira.

Programa completo pode ser consultado em www.rotadoalvarinho.pt. Quem estiver interessado em participar nas atividades e usufruir das vantagens deste dia, deve informar-se e fazer a respetiva inscrição, até ao dia anterior ao evento, nos seguintes endereços: Museu do Alvarinho (+ 351) T. 251 649 009, e Solar do Alvarinho, T. (+ 351) 251 410 195

O Dia Europeu do Enoturismo foi instituído em 2009 pela Rede Europeia das Cidades do Vinho com o objetivo de promover o turismo vinícola e divulgar as diferentes rotas existentes na Europa. Deste organismo faz parte a Associação de Municípios Portugueses do Vinho, o qual integra a Rota de Vinho Verde Alvarinho.

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE VINHOS EM SANTARÉM

Vinhos de Arcos de Valdevez marcam presença no 35º Festival Nacional de Gastronomia de Santarém

Os Vinhos de Arcos de Valdevez estiveram presentes, a convite da AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho, no 35º Festival de Gastronomia de Santarém.

festival_gastronomia_santarem (2)

Este festival é o mais antigo Festival de Gastronomia do País e através dele é feita a promoção do Património Gastronómico Nacional, afirmando-se já como uma marca consagrada junto de gastrónomos, especialistas e apreciadores dos prazeres da boa mesa.

Durante dois dias os vinhos de Arcos de Valdevez estiveram em destaque, através da realização de provas comentadas, o que proporcionou um contacto mais direto com vinhos e produtores.

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez valoriza os produtos da região e, nesse sentido, procura levar a cabo frequentemente iniciativas que estimulem sua promoção e divulgação, junto da comunidade turística, de forma a dinamizar a economia local.

festival_gastronomia_santarem (6)

festival_gastronomia_santarem (4)

PONTE DE LIMA REPRESENTA REGIÃO DOS VINHOS VERDES NO FESTIVAL NACIONAL DE GASTRONOMIA EM SANTARÉM

Município de Ponte de Lima no Festival Nacional de Gastronomia 2015 em Santarém. “Vinhas do Cruzeiro – Loureiro” Medalha de Prata

O Município de Ponte de Lima, em representação da região dos Vinhos Verdes, vai marcar presença no 35º Festival Nacional de Gastronomia, que se realiza em Santarém, entre 22 de outubro e 1 de novembro.

PA175985 (Small)

As potencialidades turísticas do concelho Limiano, com evidência para a excelência do Vinho Verde, os produtos locais e a sua oferta turística, desde o alojamento à enogastronomia, completam a mostra.

A presença é efetuada através da Associação de Municípios Portugueses do Vinho, da qual o Município de Ponte de Lima faz parte, visando a promoção dos vinhos premiados no concurso internacional “La Selezione Del Sindaco”.

O Município de Ponte de Lima vai estar presente no Festival com um stand próprio, no dia 23 de outubro, em representação da região dos Vinhos Verdes, onde decorrerá a entrega do prémio do XIV Concurso La Selezione Del Sindaco à Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Ponte de Lima, pelo vinho “Vinhas do Cruzeiro – Loureiro”, que ganhou a Medalha de Prata.

De realçar que mais de 1100 vinhos oriundos da Europa e do Brasil foram postos à prova neste concurso, sendo que cerca de 400 desses vinhos participantes eram portugueses.

Considerada como um dos eventos gastronómicos de referência, o Festival Nacional de Gastronomia conta com 120 expositores nacionais e 40 mil visitantes.

IMG_8209_BIS F (Small)

PONTE DE LIMA IMPLEMENTA “ECOVIA DO LOUREIRO”

Município de Ponte de Lima celebra Protocolo de Colaboração com a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes

O Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Eng. Victor Mendes, e o Presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, Dr. Manuel Pinheiro, assinaram esta manhã o Protocolo de Colaboração a celebrar entre estas duas instituições com vista à implementação da “Ecovia do Loureiro”.o Ponte de Lima terra de grandes tradições ligadas à vitivinicultura, este percurso pedestre será dinamizado através da utilização da ecovia que liga Ponte de Lima até à Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, numa distância de cerca de 4 Km.

A iniciativa lançada pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes em parceria com o Município de Ponte de Lima surgiu no âmbito de uma candidatura apresentada e aprovada ao Enoturismo Minho IN, cujos objetivos e ações que visam a qualificação do produto enoturístico Rota dos Vinhos Verdes.

Cabe às duas entidades promoveram as ações de dinamização da respetiva “Ecovia do Loureiro”, nomeadamente a colocação de sinalética ao longo do percurso.

Esta ação promocional permitirá reforçar a importância a importância da rota do Vinho Verde - único no mundo, com referência para a casta típica desta região, sendo Ponte de Lima considerada a Capital do Loureiro.

A “Ecovia do Loureiro” vai estar em destaque nos renovados trilhos rurais de Ponte de Lima, na sua maior parte junto ao Rio Lima e na Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, onde descobrimos a beleza da paisagem deste concelho.

PRODUTOR DE ALVARINHO ENTRE OS MELHORES DO MUNDO

Soalheiro no "2015 TOP 100 WINERIES" pela prestigiada Wine & Spirits Magazine dos Estados Unidos

Wine & Spirits Magazine distinguiu a Quinta de Soalheiro entre os melhores produtores de vinho do mundo, incluindo assim o Soalheiro no ‘2015 TOP 100 WINERIES". “A humildade de tentar em cada colheita fazer melhor que na anterior, respeitando o saber que nos é transmitido e o que a natureza põe à nossa disposição” é, para António Luís Cerdeira, responsável da Quinta, um critério de peso nos vinhos Soalheiro.

Esta distinção é uma referência no mundo dos vinhos: uma coleção de produtores de todo o mundo com os valores/características mais importantes. “Ocupar esta posição é um orgulho para o Soalheiro. É o reconhecimento do esforço da família Cerdeira, que desde os seus primórdios acreditou neste projeto” refere António Luís Cerdeira.

O ‘2015 TOP 100 WINERIES' inclui cinco vinhos portugueses, três do Douro, um da Bairrada e o Soalheiro dos Vinho Verdes (Alvarinho de Monção e Melgaço).

O VINHO SOALHEIRO

O Soalheiro é considerado um especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional, pelo que na sua gama de vinhos se destacam a trilogia composta pelo Soalheiro clássico, efetivamente um clássico e o vinho com maior presença internacional; o Soalheiro Primeiras Vinhas, uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, considerado oMelhor Vinho Branco Nacional e o Soalheiro Reserva, a expressão máxima da casta alvarinho com a fermentação em barrica. Aos quais se juntam os dois espumantes Soalheiro, o clássico Bruto e, mais recentemente, o Bruto Rosé, não esquecendo ainda os inovadores ALLO e Soalheiro 9% que se distinguem pelo teor alcoólico moderado com enorme elegância e frescura, que procuraram explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade.

RECONHECIMENTO INTERNACIONAL DO SOALHEIRO

A Quinta de Soalheiro tem vindo a conquistar os mercados internacionais, ganhando já cinco medalhas de ouro. O Soalheiro Primeiras Vinhas 2014, o Soalheiro Clássico 2014 e o Soalheiro Reserva 2013 são os vinhos galardoados e que têm elevado o nome Soalheiro a vários pontos do mundo. Estas distinções não representam apenas um prémio na história do Alvarinho, representam um alavancar da economia local e do enoturismo da região.

PRÉMIOS

  • Soalheiro 2014 -  Dupla medalha de ouro no Sakura Japão
  • Soalheiro 2014 - Medalha de Ouro e Melhor Vinho Verde no Mundus vini Alemanhã
  • Soalheiro 2014 - Medalha de Ouro e Troféu Regional no Decanter Wine Awards em Inglaterra 
  • Soalheiro 2014 - Prémio de Excelência na 3.ª edição do concurso Uva D'Ouro  organizado com o apoio do Diário de Notícias, o Jornal de Notícias, Continente e a rádio TSF
  • Soalheiro 2014 - Regional Trophy Winner no Decanter World Wine Awards 2015
  • Soalheiro Reserva 2013 - Medalha de Ouro no Internacional Wine Challenge em Inglaterra
  • Soalheiro Reserva 2013 - Medalha de Ouro no Challenge International du Vin em França
  • Soalheiro Primeiras Vinhas 2014 - Medalha de Ouro no Mundus Vini Alemanha

24 MERCADOS DE EXPORTAÇÃO

Presente em 24 mercados de exportação, nomeadamente na Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Polónia, Suécia, Suíça e Singapura, o vinho Soalheiro tem registado um crescimento internacional gradual e constante em todos os países, inclusive no mercado nacional. É de salientar que em Portugal a presença nos locais de referência tem-se feito sentir, com maior notoriedade, em estabelecimentos de restauração, garrafeiras e winebars.

QUINTA DE SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luis Cerdeira, a orientar os trabalhos. As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste sector e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs”.

“VERDE COOL” PROMOVE VINHO VERDE EM BRAGA

'Verde Cool' é exemplo de interação do tecido económico

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, associou-se hoje, 14 de Setembro, ao 'Verde Cool', uma iniciativa que a Associação Comercial de Braga (ACB) e da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, em parceria com o Município de Braga.

O 'Verde Cool' é um roteiro que visa a promoção do Vinho Verde e de 22 estabelecimentos que, durante todo o mês de Setembro, desafiam os Bracarenses e turistas a passar os finais de tarde nas esplanadas da Cidade ao sabor de um copo de vinho verde e de um petisco. Tudo por apenas 2.50 euros.

O objectivo é valorizar os estabelecimentos do sector, promover a oferta do Vinho Verde e motivar os consumidores a preferirem o comércio local.

Para Ricardo Rio, esta é uma iniciativa "extremamente meritória e reveladora da interacção do tecido económico", nomeadamente dos vários espaços de restauração.

"O 'Verde Cool' é igualmente a afirmação do Vinho Verde, uma marca que também é nossa. Nesse sentido, esta iniciativa é merecedora do apoio, não só da Câmara Municipal, mas também do esforço de divulgação por parte das entidades envolvida, para que o máximo de Bracarenses dela possam usufruir", afirmou o Edil.

Toda a informação sobre o 'Verde Cool' assim como o roteiro das esplanadas aderentes pode ser consultado no seguinte link:http://goo.gl/EsDExB

“ECOVIA DO LOUREIRO” É O TRILHO DO VINHO VERDE EM PONTE DE LIMA

Câmara Municipal de Ponte de Lima aprova Protocolo de Colaboração com a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes

Considerando as mais-valia das Ecovias existentes em Ponte de Lima, que encantam todos aqueles que as procuram para um passeio a pé ou em bicicleta e sendo Ponte de Lima terra de grandes tradições ligadas à vitivinicultura, a Câmara Municipal de Ponte de Lima aprovou na reunião realizada a 31 de agosto, a celebração de um protocolo de colaboração com a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, com vista à implementação da “Ecovia do Loureiro”.

Ecovia do Loureiro - Ponte Lima - Fot. Susana Mato

Este percurso pedestre será dinamizado através da utilização da ecovia que liga Ponte de Lima até à Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, numa distância de cerca de 4 Km.

A iniciativa lançada pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes em parceria com o Município de Ponte de Lima surgiu no âmbito de uma candidatura apresentada e aprovada ao Enoturismo Minho IN, cujos objetivos e ações visam a qualificação do produto enoturístico Rota dos Vinhos Verdes.

Cabe às duas entidades promoveram as ações de dinamização da respetiva “Ecovia do Loureiro”, nomeadamente a colocação de sinalética ao longo do percurso.

Esta ação promocional permitirá reforçar a importância desta rota do Vinho Verde - único no mundo, com referência para a casta típica desta região, o afamado Loureiro.

A “Ecovia do Loureiro” vai estar em destaque nos renovados trilhos rurais de Ponte de Lima, na sua maior parte junto ao Rio Lima e na Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, onde descobrimos a beleza da paisagem deste concelho.

JORNALISTA JANCIS ROBINSON REVELA SOALHEIRO

Soalheiro: uma marca em crescimento e afirmação internacional

O Soalheiro 2014, O Soalheiro Reserva 2013 e o Soalheiro Primeiras Vinhas 2013

foram os vinhos que conquistaram a crítica.

A conhecida e influente crítica britânica e jornalista de vinhos, Jancis Robinson, referiu o vinho Soalheiro no seu portal de notícias, um dos mais conceituados no que respeita ao mundo dos vinhos. Foram publicadas no seu site notas de prova dos vários estilos de Soalheiro.

Jancis Robinson, Master of Wine e impulsionadora do projeto, é colunista, entre outros, do prestigiado jornal Financial Times, mas foi Julia Harding, correspondente do portal, a protagonista que destacou a trilogia Soalheiro, apreciou e avaliou o melhor sabor deste Alvarinho.

O Soalheiro Reserva 2013 e o Soalheiro Primeiras Vinhas 2013 foram os vinhos que mais conquistaram a crítica, obtendo uma pontuação de 17,5 valores cada. O Soalheiro Alvarinho 2014 obteve igualmente uma classificação elevada de 17 valores e o ALLO -Alvarinho/Loureiro 2014 de 16 valores.

A distinção assinala-se como um marco para a Quinta de Soalheiro uma vez que enaltece o nome da primeira marca de Alvarinho em Melgaço, uma marca em crescimento e afirmação internacional. Os vinhos Soalheiro demonstram a evolução de uma casa que tanto tem apostado na qualidade, na tradição e na agricultura/viticultura biológica: a Quinta de Soalheiro tem um cariz familiar e dedica-se à exploração vitícola há 41 anos.

O VINHO SOALHEIRO

O Soalheiro é considerado um especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional, pelo que na sua gama de vinhos se destacam a trilogia composta pelo Soalheiro clássico, efetivamente um clássico e o vinho com maior presença internacional; o Soalheiro Primeiras Vinhas, uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, considerado oMelhor Vinho Branco Nacional e o Soalheiro Reserva, a expressão máxima da casta alvarinho com a fermentação em barrica. Aos quais se juntam os dois espumantes Soalheiro, o clássico Bruto e, mais recentemente, o Bruto Rosé, não esquecendo ainda os inovadores ALLO e Soalheiro 9% que se distinguem pelo teor alcoólico moderado com enorme elegância e frescura, que procuraram explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade.

RECONHECIMENTO INTERNACIONAL DO SOALHEIRO

A Quinta de Soalheiro tem vindo a conquistar os mercados internacionais, ganhando já cinco medalhas de ouro. O Soalheiro 2014 e o Soalheiro Reserva 2013 são os vinhos galardoados e que têm elevado o nome Soalheiro a vários pontos do mundo. Estas distinções não representam apenas um prémio na história do Alvarinho, representam um alavancar da economia local e do enoturismo da região.

PRÉMIOS

  • Soalheiro 2014 -  Dupla medalha de ouro no Sakura Japão
  • Soalheiro 2014 - Medalha de Ouro e Melhor Vinho Verde no Mundus vini Alemanhã
  • Soalheiro Reserva 2013 - Medalha de Ouro no Internacional Wine Challenge em Inglaterra
  • Soalheiro Reserva 2013 - Medalha de Ouro no Challenge International du Vin em França
  • Soalheiro 2014 - Medalha de Ouro e Troféu Regional no Decanter Wine Awards em Inglaterra 
  • Soalheiro 2014 - Prémio de Excelência na 3.ª edição do concurso Uva D'Ouro  organizado com o apoio do Diário de Notícias, o Jornal de Notícias, Continente e a rádio TSF

24 MERCADOS DE EXPORTAÇÃO

Presente em 24 mercados de exportação, nomeadamente na Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Polónia, Suécia, Suíça e Singapura, o vinho Soalheiro tem registado um crescimento internacional gradual e constante em todos os países, inclusive no mercado nacional. É de salientar que em Portugal a presença nos locais de referência tem-se feito sentir, com maior notoriedade, em estabelecimentos de restauração, garrafeiras e winebars.

QUINTA DE SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luis Cerdeira, a orientar os trabalhos. As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste sector e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs”.

BRAGA PROMOVE DOÇARIA TRADICIONAL

No Posto de Turismo até ao dia 7 de Agosto, Município de Braga promove Doçaria Tradicional e Vinho Verde

O Município de Braga está a realizar, até ao final desta semana, no Posto de Turismo, uma acção promocional da Doçaria Tradicional de Braga e de Vinhos Verdes.

CMB03082015SERGIOFREITAS0000002642

Além das provas de vinho e degustação dos doces típicos, os visitantes que, até Sexta-feira, 7 de Agosto, passarem pelo Posto de Turismo de Braga poderão adquirir um pack de produtos regionais que ficará disponível mesmo após esta acção.

Com esta iniciativa, o Município de Braga pretende mostrar a importância da gastronomia enquanto produto turístico-cultural, divulgando junto dos turistas os sabores e as tradições Bracarenses.

A acção está a ser realizada em articulação com um conjunto de entidades desta área que, desta forma, proporcionam um produto distinto e atractivo não só aos turistas, como também aos Bracarenses.

CMB03082015SERGIOFREITAS0000002644

PORTO E LISBOA VÃO RECEBER UMA INVASÃO DE SOALHEIRO

Vinho Verde Wine Fest, entre 23 e 26 de julho no Porto

Wine Fest Alvarinho Monção e Melgaço, entre 24 e 26 de julho em Lisboa

SOALHEIRO MARCA PRESENÇA EM FEIRAS EXCLUSIVAS DE VINHO VERDE E VINHO VERDE ALVARINHO

Soalheiro é a Primeira Marca de Alvarinho em Melgaço.

Entre 23 e 26 de julho, a Quinta de Soalheiro vai dar a conhecer as suas colheitas em duas cidades de referência de Portugal. Porto e Lisboa acolhem por estes dias feiras exclusivas de Vinho Verde e Alvarinho: entre 23 e 26 de julho a 2ª edição Vinho Verde Wine Fest vai animar de novo a Alfândega do Porto e entre 24 e 26 de julho terá lugar a 1ª edição da Wine Fest Alvarinho Monção e Melgaço, no Parque das Nações, em Lisboa.

image004

Os certames surgem como um passo na conquista de novos mercados pelos produtores que têm em comum o muito potencial de crescimento nos mercados interno e externos, valorizando a autenticidade dos diferentes produtos, nomeadamente do Alvarinho com origem em Melgaço e Monção e a harmonização do Alvarinho com a gastronomia.

image002

Têm como finalidade contribuir para reforçar a sua condição de instrumento estratégico para a promoção do Vinho Verde e do Vinho Verde Alvarinho da Sub-região de Monção e Melgaço, enaltecendo as suas características vinícolas ímpares e diferenciadoras, promovendo o estabelecimento de ligações diretas ao consumidor. A casta Alvarinho de Monção e Melgaço é muito rica, completa, misteriosa e longeva, tem aromas peculiares, finura, estrutura, acidez, álcool e um tremendo carácter diferenciador face a outras castas nacionais e internacionais.

AMBAS AS FEIRAS PROMOVEM O ALVARINHO

Nestas mostras, com vinhos da maior qualidade e uma grande versatilidade de vinhos de diversos produtores de referência, os vários estilos de Soalheiro vão demonstrar a evolução de uma casa que tanto tem apostado na qualidade, na tradição e na agricultura/viticultura biológica. A Quinta de Soalheiro tem um cariz familiar e dedica-se à exploração vitícola há 41 anos sendo o Soalheiro a primeira marca de Alvarinho em Melgaço!

image006

A feira Vinho Verde Wine Fest, um festival enogastronómico promovido pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), alcançou um significativo êxito na primeira edição, em 2014, e este ano quer superar as espectativas. Trata-se de uma iniciativa que orienta esforços na promoção, divulgação e dinamização da Rota dos Vinhos Verdes.

A Wine Fest Alvarinho Monção e Melgaço, uma iniciativa organizada pela Cofina Eventos, com o apoio das Câmaras Municipais de Monção e de Melgaço, realiza-se pela primeira vez e tenciona atrair públicos diferentes, preparando por isso um molde diferente para o evento: fará um 'refresh' na sua imagem, apostando num conceito menos popular e mais moderno e glamouroso, convocando chef's de referência para inovar na harmonização dos vinhos Alvarinho da sub-região com os produtos locais, mas também com a nova cozinha que tem atraído o público mais jovem.

Os milhares de visitantes que se esperam diariamente nos Festivais irão ter a oportunidade de participar em diferentes atividades que lhes serão proporcionadas: haverá provas de vinho comentadas, experiências gastronómicas, showcooking, harmonizações, venda de vinho e produtos regionais das regiões de Monção e Melgaço, música e uma área lounge. Os visitantes poderão contactar diretamente com os produtores mais representativos das duas regiões, que estarão presentes com as suas marcas, potenciando a proximidade produtor-consumidor.

PROVA COMENTADA DE ALVARINHO SOALHEIRO PORTO E LISBOA

Soalheiro vai contribuir com duas grandes provas no Porto e em Lisboa para a animação dos eventos dando a conhecer ao público os segredos dos seus vinhos...

Dia 24, sexta, no Porto às 21h45 Trilogia Soalheiro em Magnum

Dia 25, sábado, em Lisboa às 19h00 "Segredos do Soalheiro"

image008

O VINHO SOALHEIRO

O Soalheiro é considerado um especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional, pelo que na sua gama de vinhos se destacam a trilogia composta pelo Soalheiro clássico, efetivamente um clássico e o vinho com maior presença internacional; o Soalheiro Primeiras Vinhas, uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, considerado o Melhor Vinho Branco Nacional e o Soalheiro Reserva, a expressão máxima da casta alvarinho com a fermentação em barrica. Aos quais se juntam os dois espumantes Soalheiro, o clássico Bruto e, mais recentemente, o Bruto Rosé, não esquecendo ainda os inovadores ALLO e Soalheiro 9% que se distinguem pelo teor alcoólico moderado com enorme elegância e frescura, que procuraram explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade.

QUINTA DE SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luis Cerdeira, a orientar os trabalhos. As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste sector e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs”.

image008

ALVARINHO DE MONÇÃO E MELGAÇO MOSTRA-SE EM LISBOA

Nos dias 24, 25 e 26 de julho, Alvarinho Wine Fest junta 30 produtores dos dois concelhos no Parque das Nações Previstas várias iniciativas que visam a diferenciação do território Monção e Melgaço e a valorização do genuíno, autêntico e inimitável vinho Alvarinho produzido nos dois concelhos.

Os Municípios de Monção e Melgaço, em parceria com a “Cofina Media”, organizam, nos dias 24, 25 e 26 de julho, o “Alvarinho Wine Fest Monção/Melgaço”. O evento decorre sob a pala do pavilhão de Portugal, no Parque das Nações, em Lisboa. A entrada é 5 euros com direito a copo.

Neste fim de semana, celebra-se a genuinidade dos monovarietais de vinho Alvarinho com a presença de 30 produtores da Sub Região de Monção e Melgaço, aposta-se na tradição e requinte da culinária local e inova-se com novas combinações e experiências gastronómicas.

Para o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, esta celebração do nosso Alvarinho em Lisboa garante continuidade ao sucesso da Feira do Alvarinho de Monção, aposta na diferenciação do território Monção e Melgaço e na valorização do genuíno, autêntico e inimitável vinho Alvarinho produzido nos dois concelhos.

Ao longo dos três dias, o programa compreende provas de vinhos, provas de gastronomia, finger food, showcooking, street food, harmonizações e momentos musicais. Direciona-se a especialistas de enologia e apreciadores de vinhos de qualidade mas também a famílias e grupos de amigos que encontram neste evento um espaço de fruição e animação.  

A presente iniciativa, que implica um investimento de 140 mil euros a dividir pelas duas autarquias, tem como objetivo central a valorização da autenticidade do vinho Alvarinho produzido em Monção e Melgaço, propondo, em paralelo, explorar conceitos da gastronomia clássica com tendências contemporâneas agradáveis ao olhar e paladar.

Pretende-se que o “Alvarinho Wine Fest Monção/Melgaço” entre no coração dos lisboetas e dos turistas nacionais e internacionais que, neste mês de férias, visitam a capital portuguesa. A ideia traduz-se na efetivação de uma experiência integrada e inesquecível a todos os visitantes.

Nesse sentido, quem se chegar ao Pavilhão de Portugal, no Parque das Nações, terá a oportunidade de degustar um genuíno vinho Alvarinho de Monção e Melgaço num ambiente pensado para acolher todos com conforto e sofisticação. Os visitantes terão também a oportunidade de contactar diretamente os produtores, potenciando a proximidade produtor-consumidor.

A abertura oficial do “Alvarinho Wine Fest Monção/Melgaço” está marcada para as 17h00 e o encerramento para as 23h30.No sábado, 25 de julho, o evento decorre entre as 12h00 e as 23h30 e, no domingo, 26 de julho, entre as 12h00 e as 18h30.

Mais informações em:

www.alvarinhowinefest.pt

www.facebook.com/AlvarinhoWineFest

PRIMEIRA MARCA DE ALVARINHO EM MELGAÇO PRESENTE NA ALEMANHA EVENTO GASTRONÓMICO INTERNACIONAL DO CAMPO

19 de julho, em Dagobertshausen, Alemanha

A Quinta de Soalheiro, a primeira marca de alvarinho em Melgaço, vai marcar presença no histórico evento gastronómico no celeiro de Dagobertshausen (Alemanha), no próximo domingo, 19 de julho, das 12h00 às 19h00. A iniciativa, a Landpartie de Dagobertshausen, com um espaço suficiente até 200 pessoas, vai já na sua terceira edição e pretende mostrar o melhor da gastronomia mundial.

image012

No evento, as várias colheitas do Soalheiro vão demonstrar a evolução de uma casa que tanto tem apostado na qualidade, na tradição e na agricultura/viticultura biológica. A Quinta de Soalheiro tem um cariz familiar e dedica-se à exploração vitícola há 41 anos. Tudo tem feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs”.

Com uma cozinha de primeira classe, com os melhores chefs, e novas delícias culinárias, o evento promete ser um dia inesquecível, com um ambiente maravilhoso e um grande entretenimento. A Landpartie de Dagobertshausen reunirá produtores de referência mundial e dá a oportunidade de o Soalheiro se internacionalizar ainda mais, dando a conhecer os verdadeiros paladares de um delicioso Alvarinho.

O VINHO SOALHEIRO

O Soalheiro é considerado um especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional, pelo que na sua gama de vinhos se destacam a trilogia composta pelo Soalheiro clássico, efetivamente um clássico e o vinho com maior presença internacional; o Soalheiro Primeiras Vinhas, uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, considerado o Melhor Vinho Branco Nacional e o Soalheiro Reserva, a expressão máxima da casta alvarinho com a fermentação em barrica. Aos quais se juntam os dois espumantes Soalheiro, o clássico Bruto e, mais recentemente, o Bruto Rosé, não esquecendo ainda os inovadores ALLO e Soalheiro 9% que se distinguem pelo teor alcoólico moderado com enorme elegância e frescura, que procuraram explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade.

RECONHECIMENTO INTERNACIONAL DO SOALHEIRO

A Quinta de Soalheiro tem vindo a conquistar os mercados internacionais, ganhando já cinco medalhas de ouro. O Soalheiro 2014 e o Soalheiro Reserva 2013 são os vinhos galardoados e que têm elevado o nome Soalheiro a vários pontos do mundo. Estas distinções não representam apenas um prémio na história do Alvarinho, representam um alavancar da economia local e do enoturismo da região.

PRÉMIOS

Soalheiro 2014 -  Dupla medalha de ouro no Sakura Japão

Soalheiro 2014 - Medalha de Ouro e Melhor Vinho Verde no Mundus vini Alemanhã

Soalheiro Reserva 2013 - Medalha de Ouro no Internacional Wine Challenge em Inglaterra

Soalheiro Reserva 2013 - Medalha de Ouro no Challenge International du Vin em França

Soalheiro 2014 - Medalha de Ouro e Troféu Regional no Decanter Wine Awards em Inglaterra 

Soalheiro 2014 - Prémio de Excelência na 3.ª edição do concurso Uva D'Ouro  organizado com o apoio do Diário de Notícias, o Jornal de Notícias, Continente e a rádio TSF

QUINTA DE SOALHEIRO - UM REGISTO FAMILIAR

A Quinta de Soalheiro é uma empresa familiar, com quatro gerações. O mentor foi João  António Cerdeira que, com a ajuda do seu pai António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho em  1974. Desde então envolveu toda a sua família neste projeto, sendo que atualmente são os filhos, Maria João e António Luís, juntamente com a matriarca da família, Maria Palmira, que continuam o Sonho. Nos netos já se vislumbra o gosto pela Terra!

Antonio Luís, desde cedo descobre a sua paixão pelo vinho. Enólogo de formação e conhecedor profundo da casta Alvarinho, desde criança vive este projeto, sendo ele um pilar inspirador para criação dos novos Soalheiros. O gosto pela terra faz com que Maria João siga a tradição vitícola da família e certifique toda a vinha em agricultura biológica, defendendo a viticultura sustentável baseada no respeito pelo solo, pelas plantas e pelo homem, exaltando a riqueza do terroir de origem.

É esta história familiar, onde a tradição marca encontro com a modernidade, que confirma que não há vinhos sem pessoas dedicadas de forma contínua à paixão pelo vinho e pela vinha. 

ALVARINHO WINE FEST MONÇÃO/MELGAÇO NO PARQUE DAS NAÇÕES, EM LISBOA

30 produtores dos dois concelhos marcam presença neste evento que decorre nos dias 24, 25 e 26 de julho. Previstas várias iniciativas que visam a diferenciação do território Monção e Melgaço e a valorização do genuíno, autêntico e inimitável vinho Alvarinho produzido nos dois concelhos.

Os Municípios de Monção e Melgaço, em parceria com a “Cofina Media”, organizam, nos dias 24, 25 e 26 de julho, o “Alvarinho Wine Fest Monção/Melgaço”. O evento decorre sob a pala do pavilhão de Portugal, no Parque das Nações, em Lisboa. A entrada é 5 euros.

Neste fim de semana, celebra-se a genuinidade dos monovarietais de vinho Alvarinho com a presença de 30 produtores da Sub Região de Monção e Melgaço, aposta-se na tradição e requinte da culinária local e inova-se com novas combinações e experiências gastronómicas.

Para o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, esta celebração do nosso Alvarinho em Lisboa garante continuidade ao sucesso da Feira do Alvarinho de Monção, aposta na diferenciação do território Monção e Melgaço e na valorização do genuíno, autêntico e inimitável vinho Alvarinho produzido nos dois concelhos.

Ao longo dos três dias, o programa compreende provas de vinhos, provas de gastronomia, finger food, showcooking, street food, harmonizações e momentos musicais. Direciona-se a especialistas de enologia e apreciadores de vinhos de qualidade mas também a famílias e grupos de amigos que encontram neste evento um espaço de fruição e animação.  

A presente iniciativa, que implica um investimento de 140 mil euros a dividir pelas duas autarquias, tem como objetivo central a valorização da autenticidade do vinho Alvarinho produzido em Monção e Melgaço, propondo, em paralelo, explorar conceitos da gastronomia clássica com tendências contemporâneas agradáveis ao olhar e paladar.

Pretende-se que o “Alvarinho Wine Fest Monção/Melgaço” entre no coração dos lisboetas e dos turistas nacionais e internacionais que, neste mês de férias, visitam a capital portuguesa. A ideia traduz-se na efetivação de uma experiência integrada e inesquecível a todos os visitantes.

Nesse sentido, quem se chegar ao Pavilhão de Portugal, no Parque das Nações, terá a oportunidade de degustar um genuíno vinho Alvarinho de Monção e Melgaço num ambiente pensado para acolher todos com conforto e sofisticação. Os visitantes terão também a oportunidade de contactar diretamente os produtores, potenciando a proximidade produtor-consumidor.

A sessão solene do “Alvarinho Wine Fest Monção/Melgaço” está marcada para o final da tarde de sexta-feira, 24 de julho, contudo, as portas abrem mais cedo, 12h00, fechando às 23h30. No sábado, 25 de julho, o evento decorre entre as 12h00 e as 23h30 e, no domingo, 26 de julho, entre as 12h00 e as 18h30.

EMBAIXADOR DO MÉXICO EM PORTUGAL: “SEREI UM EMBAIXADOR DE MONÇÃO NO MUNDO”

O embaixador do México em Portugal, Alfredo Pérez Bravo, ficou agradado com o verde da nossa paisagem e a qualidade do vinho Alvarinho. Considerou ainda que o intercâmbio empresarial entre o México e a nossa região tem potencial para crescer.

Embaixador 02

O embaixador do México em Portugal, Alfredo Pérez Bravo, no cargo há dois meses, mostrou-se surpreendido com o verde da nossa paisagem e a qualidade do vinho Alvarinho. Tanto que, a partir de agora, o nosso concelho terá um forte aliado na promoção externa.

“Serei um embaixador de Monção no mundo” referiu Alfredo Pérez Bravo, realçando que “sob o ponto de vista turístico e vitícola, a vossa terra é muito bonita e tem um grande potencial”. Como tal, adiantou, “o intercâmbio empresarial entre o meu país e a vossa região tem todos os ingredientes para crescer”.

Embaixador 03 (Large)

E o Alvarinho, poderá ter sucesso no México? “Não tenho nenhuma dúvida. O México tem grandes e conhecidas estâncias turísticas, visitadas anualmente por milhões de pessoas de todo o mundo. Apesar da concorrência, um vinho com as características do Alvarinho terá capacidade para entrar no mercado”.

Estas declarações caíram bem ao autarca local. Augusto de Oliveira Domingues congratulou-se com a disponibilidade manifestada pelo embaixador e sublinhou que cabe aos produtores agarrar estas oportunidades. “A qualidade e excelência do vinho Alvarinho é a melhor garantia que pode ser comercializado em qualquer parte do mundo” acentuou.

O embaixador do México esteve toda a manhã em Monção no âmbito da iniciativa “Embaixadoria”, promovida pela Secretaria de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, tendo visitado o Museu do Alvarinho, a Adega Cooperativa Regional de Monção e o Palácio da Brejoeira.  

A presente iniciativa procura levar embaixadores acreditados em Lisboa a visitar diversas regiões portuguesas, realçando a diversidade cultural regional e as potencialidades do tecido empresarial do país. Nesta deslocação a Monção, o embaixador do México, esteve acompanhado pelo Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Luís Campos Ferreira.

Embaixador 01

FEIRA DO ALVARINHO DE MONÇÃO CONFIRMA-SE COMO O MAIOR CERTAME DO PAIS DEDICADO AO VINHO

Ao longo dos três dias, terão passado pelo recinto da feira cerca de 100 mil pessoas de todas as idades e várias nacionalidades. O volume de negócios diretos no certame e indiretos na hotelaria, restauração e cafetarias poderá ter chegado a 1 milhão de euros.

Alvarinho 01

Os três dias da Feira do Alvarinho foram absolutamente fantásticos. As expetativas da autarquia foram superadas, devendo ter passado pelo recinto da feira cerca de 100 mil pessoas de todas as idades e várias nacionalidades. Havia apreciadores de vinho, amantes da gastronomia e adeptos da cultura popular mas também muita juventude.

Pelo recinto da feira, além do português, ouvia-se falar francês, um pouco de italiano e muito galego. Muita gente, de diferentes regiões do país, deslocou-se a Monção em viagens programadas de autocarro. A título de exemplo, de Santo Tirso vieram 25 autocarros expressamente para a feira.

Alvarinho 02

Em termos de volume de negócios, os números são igualmente agradáveis. A autarquia apontava para um valor superior a meio milhão de euros, contudo, face ao sucesso do certame resultante de um maior número de visitantes, é muito provável que se tenha aproximado de 1 milhão de euros.

Neste valor consideram-se as vendas diretas no certame (produtores de alvarinho, tasquinhas, doçaria, artesanato…) bem como toda a dinamização económica envolvente decorrente da quantidade de pessoas que comeram, dormiram e compraram no concelho de Monção durante o fim de semana.

Alvarinho 3

O autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, regozija-se com o resultado final e sublinha o que já havia referido na sessão de abertura: “Afirmo, sem cair em bairrismos exagerados, que a Feira do Alvarinho de Monção é uma das mais visitadas e importantes do país no segmento dos vinhos”.

Acrescentou: “Dou os parabéns a todos. Organização, produtores, patrocinadores, expositores, grupos populares. Todos contribuíram para a consolidação e prestígio da feira. O sucesso é plural. Tanto no número de visitantes como no volume de negócios. Quero partilhar esta enorme satisfação convosco”.

A Feira do Alvarinho contou com a presença de mais de uma centena de expositores, apostou na promoção e comercialização do vinho Alvarinho de Monção e Melgaço, e apresentou provas comentadas e demonstrações culinárias moderadas por José Silva, conceituado crítico de vinhos e gastronomia.

A animação esteve a cargo de grupos populares e animadores conhecidos do grande público: Álvaro Costa, Fernando Alvim e Isabel Figueira. Nesta edição, foi lançada uma aplicação móvel para smartphones com toda a informação sobre a feira (programa, produtores, alojamento, restauração, informações uteis…)

O certame “entrou” na agenda governamental, tendo sido visitado por dois membros do governo. Na inauguração do evento, sexta-feira, pelas 17h00, marcou presença o Secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar, Nuno Vieira e Brito. No sábado, pelas 16h00, a feira foi visitada pelo Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Luis Campos Ferreira.

Isabel Figueira

FEIRA DO ALVARINHO DE MONÇÃO NA AGENDA GOVERNAMENTAL

Certame, que prevê a presença de 80 mil visitantes e uma injeção superior a meio milhão de euros na economia local, será visitada por dois governantes. Hoje, na inauguração do evento, pelas 17h00, marca presença o Secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar, Nuno Vieira e Brito. Amanhã, pelas 16h00, a feira é visitada pelo Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Luis Campos Ferreira.

Entre hoje e o próximo domingo, Monção volta a receber um dos certames mais emblemáticos e procurados na região norte: a Feira do Alvarinho. Este ano, novamente no Campo da Feira, vão estar 108 expositores divididos por uma área coberta e outra descoberta.

A inauguração oficial está marcada para as 17h00 numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar, Nuno Vieira e Brito. Amanhã, pelas 16h00, a feira é visitada pelo Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Luis Campos Ferreira.

No espaço descoberto marcam presença 67 expositores, entre artesanato, instituições sociais, culturais e desportivas, organização, venda de copos, patrocinadores oficiais e espaço Eprami.come. No espaço coberto, localizam-se os produtores de Vinho Alvarinho (21), tasquinhas (11) e fumeiros/doçaria (9).

O certame disponibiliza ainda multibanco, sanitários, posto médico, serviço Wi-Fi, espaço lounge, espaço multiusos e área infantil com ateliês para crianças dos 4 aos 10 anos. O investimento situa-se em 151.447,56 €, (produção, programação e divulgação), prevendo-se uma receita de 39.900,00 € referentes aos patrocinadores oficiais, expositores e venda de copos.

Para o autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, “serão três dias de alegria, convívio e estabelecimento de negócios numa feira focalizada na promoção e comercialização do vinho Alvarinho de Monção e Melgaço e no reforço da economia local com reflexos positivos nas cafetarias, restauração e alojamento”.

Aplicação móvel para smartphones

Na presente edição, a Feira do Alvarinho lançou uma aplicação móvel com toda a programação referente ao certame, informação sobre pontos de interesse no concelho, alojamento, restauração, gastronomia, patrocinadores e produtores de vinho Alvarinho. Engloba ainda um menu com informações/contactos úteis.

Desenvolvida pela FTKODE, encontra-se disponível em todas as plataformas móveis, nos sistemas Android e IOS, podendo ser descarregada nas respetivas stores. Para o efeito, basta fazer uma busca com a palavra “Alvarinho”. Pode igualmente aceder através do código QR apresentado nos suportes comunicacionais da feira.

Provas comentadas e demonstrações culinárias

Para acompanhar o Alvarinho e os petiscos tradicionais, a organização programou iniciativas ligadas ao sector vinícola e atividades de animação e convívio. Desta forma, ao longo dos três dias estão previstas provas comentadas de vinho Alvarinho e demonstrações culinárias de pratos confecionados com o toque singular e requinte do Alvarinho.

Decorrendo no espaço multiusos, serão moderadas por José Silva, conceituado crítico de vinhos e gastronomia. Em apresentação estarão os seguintes pratos: “Hambúrguer de Cordeiro à Monção”, chefe Rui Ribeiro, “O Bacalhau da Revolta”, Chef João Oliveira, “A Codorniz dentro de um Alvarinho”, Chef Elísio Bernardes, “Lombelo à S. Jorge”, Chef José Vinagre, e “Lombo do Cordeiro Perfumado com Alvarinho e Especiarias”, Chef Hugo Martins.

Na componente musical, o programa reserva atuação dos grupos folclóricos do concelho de Monção e animação com “Female Funfarra” e “White Led Orquestra”. As noites vão animar-se com a viagem sonora de Álvaro Costa, na sexta-feira, e as prestações, sempre esperadas, de Isabel Figueira e Fernando Alvim, no sábado.

Promoção e comercialização do vinho Alvarinho

A Feira do Alvarinho de Monção tem como finalidade reforçar a sua condição de instrumento estratégico para a promoção e comercialização daquele produto singular produzido em Monção e Melgaço, enaltecendo as suas características vinícolas ímpares e diferenciadoras e promovendo o estabelecimento de parcerias comerciais.

Assume-se ainda como uma espaço de divulgação da atividade empresarial e associativa da região e como uma “montra” para a dinamização do mundo rural através da apresentação, valorização e comercialização de produtos e artigos locais e regionais.

IMPRENSA JAPONESA VISITA PONTE DE LIMA

Jornalistas japoneses visitam o CIPVV – Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde em Ponte de Lima

O Município de Ponte de Lima recebeu um grupo de jornalistas japoneses, especializados na área do Enoturismo, no âmbito das iniciativas de promoção do Vinho Verde e da região pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes – CVRVV.

O grupo de seis jornalistas, que acompanhados por um técnico da CVRVV visitaram o futuro CIPVV - Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde, fazem parte de importantes revistas de vinhos como a THE WINE KINGDOM Publishing Inc.; Winart; WANDS Publishing Limited; All About; Vinotheque; e a Basis Co.

Durante a visita, os jornalistas conheceram elementos alusivos à diversidade e à identidade da produção vitivinícola da Região Demarcada dos Vinhos Verdes. No final do encontro sucedeu-se a prova dos afamados Vinhos Verdes.

O CIPVV - Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde, é um espaço criado com o objetivo de contribuir para a promoção do Vinho Verde, através da investigação e divulgação do lastro patrimonial, criando infraestruturas de apoio das rotas e itinerários turísticos associados ao vinho e à vinha e enriquecendo, de uma forma dinâmica, o produto final, na perspetiva da sua valorização económica.

O CIP do Vinho Verde irá funcionar num dos mais emblemáticos edifícios da história limiana e característico da arquitetura urbana da região Minhota: a Casa Torreada dos Barbosa Aranha.