Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

"SABORES DA TERRA" FOI UM FESTIVAL EM ESCARIZ S. MAMEDE

‘Sabores da Terra’ fizeram as delícias de milhares de visitantes em Escariz S. Mamede!

Os saberes e sabores da tradição minhota atraíram largos milhares de visitantes à freguesia de Escariz S. Mamede durante o passado fim de semana, 14 e 15 de outubro. A decoração dos altares com produtos hortícolas, o festival de folclore, a gastronomia regional, a feirinha das colheitas, o encontro de tocadores de concertina e as exposições de artesanato são as atividades que mais se destacam num programa rico e diversificado, que levou os participantes numa emocionante viagem à descoberta do genuíno pulsar do mundo rural. A iniciativa Sabores da Terra é organizada pela Junta da União de Freguesias de Escariz S. Mamede e Escariz S. Martinho, com a colaboração da paróquia local, e insere-se na programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que se estende de agosto a novembro com 35 iniciativas de promoção da cultura popular do Minho.

A (1)

A nota de maior destaque vai para o trabalho de arte e criatividade desenvolvido pelos escarizenses. Pimentos, maçãs, castanhas ou alho francês são apenas alguns dos imensos produtos hortícolas que por esta altura decoram os altares da igreja paroquial de Escariz S. Mamede. Um trabalho de minúcia, dedicação e muita criatividade, em que se produzem autênticas obras de arte inspiradas na época das colheitas. A tarde de domingo, 15 de outubro, assumiu-se como um autêntico hino à cultura popular. Depois de admirarem as obras de artes produzidas pelos voluntários locais, os visitantes puderam aconchegar o estômago na tasquinha regional, onde se confecionavam algumas das mais apreciadas iguarias da gastronomia minhota, com destaque o famoso Pica no Chão. No palco, a animação prosseguiu tarde dentro com um animado encontro de tocadores de concertina. Ali perto, decorria também a feirinha tradicional, onde se comercializaram produtos viçosos do campo, doçaria caseira e animais vivos, entre outros.

A (2)

“A afluência popular foi ainda maior que nas edições anteriores”

Uma montra privilegiada de promoção do que de mais genuíno a freguesia tem para oferecer, que todos os anos atrai um mar de gente a Escariz. “O balanço é extremamente positivo, este ano a afluência popular foi ainda maior que nas edições anteriores. Tivemos cá muitos milhares de pessoas ao longo dos dois dias do evento”, afirmou o presidente da Junta da União de Freguesias de Escariz S. Mamede e Escariz S. Martinho. Adelino Machado prosseguiu congratulando o Município de Vila Verde pela programação Na Rota das Colheitas, “um mega cartaz turístico do concelho e das nossas potencialidades”, e sublinhou também a importância deste tipo de atividades para as freguesias e as populações. “Com esta iniciativa procuramos estimular o convívio e a diversão, atrair visitantes a Escariz e promover as nossas potencialidades, valorizando os produtos e as pessoas. Por outro lado, esta festa também tem como objetivo angariar fundos para as obras da paróquia. A verba deste ano será direcionada para as obras de restauro do interior da igreja paroquial”, referiu Adelino Machado.

A (3)

Forte espírito de união e de comunidade

Presente no local, a vereadora da Cultura do Município de Vila Verde, Júlia Fernandes, congratulou o empenho, arte e criatividade dos populares que continuam a criar autênticas obras de arte para adornar a igreja paroquial. “É uma decoração digna de qualquer cartaz turístico, a freguesia está de parabéns pela forma como se une em prol das tradições e da cultura. Demonstram um grande sentido de comunidade e trabalham de forma abnegada para promover a iniciativa e valorizar a freguesia”, afirmou Júlia Fernandes, recordando que a Rota das Colheitas segue a todo o vapor até ao último fim de semana de novembro, com inúmeras iniciativas que, tal como os ‘Sabores da Terra’, desempenham um papel determinante na promoção da cultura local, dinamização da economia e valorização do território.

A (4)

A (5)

B

ROTA DAS COLHEITAS TAMBÉM SE FAZ NA DESPORTIVA

Na Rota das Colheitas: Mais de três centenas de atletas na Rural Race 2017!

A Rural Race vai apenas na segunda edição, mas já conquistou o coração do público. Hoje, 14 de outubro, mais de 300 atletas, vindos de vários pontos do país, chegaram à freguesia da Loureira (Vila Verde) para 10 Kms de corrida, obstáculos e muita diversão. Um percurso à beira-rio que levou os participantes por locais de grande beleza natural, onde enfrentaram mais de 30 obstáculos com diferentes níveis de dificuldade. Além dos obstáculos naturais, tiveram que ultrapassar pirâmides de madeira, paredes, pneus, poças, fardos, escadas, paletes… Uma panóplia diversificada e bastante original de barreiras colocadas no percurso pela organização.  A Rural Race 2017 foi organizada EJAH - Eulália Jovem Associação Humanitária, com o apoio do Município de Vila Verde e da Junta de Freguesia da Loureira, e insere-se na programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, que de agosto a novembro se desdobra em 35 iniciativas de promoção da genuína tradição do Minho.

2

O ponto de partida e de chegada dos atletas foi o Largo da Ponte Nova, na Loureira, um zona fluvial de lazer de grande beleza natural. Pelo meio, um percurso de 10 Kms com dezenas de obstáculos, alguns naturais outros colocados pela organização. A prova incluiu também uma vertente solidária, já que parte da receita será utilizada para adquirir alimentos, que na altura do Natal serão entregues às famílias carenciadas do concelho pelo Apoio de Ação Social do Município de Vila Verde.  Nota de destaque também para os cerca de 60 voluntários que ajudaram a dar corpo à iniciativa. No final, o balanço foi extremamente positivo. O presidente da EJAH, Daniel Sousa, não escondeu a satisfação pelo êxito da Rural Race e agradeceu a todos os voluntários e patrocinadores pelo apoio. Em especial ao “Sr. Mota”, dono do campo onde se encontravam 14 dos obstáculos da prova, e ao Município de Vila Verde, que construiu o maior desafio da prova, o ‘King Kong’.

Solidariedade, desporto e promoção do território

O grau de dificuldade aumentou e o feedback dos participantes foi “muito positivo”. “Foi um trabalho árduo, de vários meses. Este ano já tivemos aqui atletas profissionais, com participações no circuito mundial, e acredito que temos condições para continuar a crescer”, afirmou Daniel Sousa. A Rural Race tem como objetivo incitar à prática desportiva. A componente rural e os obstáculos relacionados com a vida no campo foram implementados no percurso com o objetivo de valorizar e promover as potencialidades da freguesia e do concelho, avançou o presidente da EJAH, frisando que a componente solidária da prova também é extremamente importante.

Promoção do concelho e da região

Por sua vez, o vereador do Desporto do Município de Vila Verde deu os parabéns aos organizadores pelo crescimento da iniciativa, tanto na qualidade do percurso como no número de participantes. Patrício Araújo prosseguiu sublinhando que, além da componente desportiva, a prova também tem uma importante função social (parte da receita reverte a favor de causa solidária) e até turística. “É um excelente meio de promoção da região. Por um lado, porque se insere Na Rota das Colheitas, um cartaz de divulgação das potencialidades do concelho, e por outro, porque o percurso leva os participantes por locais de grande beleza paisagística”, afirmou, acrescentando que a organização está de parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido.

Feedback extremamente positivo

O presidente da Junta de Freguesia da Loureira, Pedro Dias também marcou presença no evento e mostrou-se bastante satisfeito pelo feedback obtido junto dos participantes. “O número de participantes aumentou e as pessoas mostram-se muito contentes. Gostaria de deixar uma palavra de apreço à organização e a todos os voluntários. Veio muita gente de fora que ficou a conhecer as nossas zonas ribeirinhas, um dos maiores atrativos turísticos da freguesia e do concelho”, concluiu Pedro Dias.

0

1 (1)

1 (4)

1 (5)

VILA VERDE SENTE O PULSAR DO MUNDO RURAL

Escariz S. Mamede: O genuíno pulsar do mundo rural em mais uma edição dos ‘Sabores da Terra'!

Os ‘Sabores da Terra’ estão de regresso a Escariz S. Mamede para um fim de semana (14 e 15 de outubro) de festa, alegria e tradição, numa iniciativa em que o genuíno pulsar do mundo rural brilha em todo o seu esplendor. A decoração dos altares com produtos hortícolas, o festival de folclore, a gastronomia regional, a feira das colheitas, o encontro de tocadores de concertina e as exposições de artesanato. Não faltam motivos de interesse para uma visita a Escariz S. Mamede. Ano após ano, os ‘Sabores da Terra’ trazem à freguesia um autêntico mar de gente que não enjeita a oportunidade de viver experiências únicas e embarcar numa emocionante viagem à descoberta das raízes da tradição minhota.

DSC_0467

A igreja paroquial é local de paragem quase obrigatória para os visitantes, já que, por esta altura, os altares ganham brilho redobrado com os arranjos de produtos hortícolas. Um trabalho artesanal, elaborado com muita criatividade e minúcia, que anualmente arranca chuvas de elogios dos visitantes, siderados com a criatividade e talento artístico dos atores locais. As portas da exposição patente na igreja abrem ao público às 15h00, de sábado, 14 de outubro. À mesma hora começam a carburar os fogões da Tasquinha de Petiscos Regionais onde, durante todo o fim de semana, pode saborear inúmeras iguarias da gastronomia minhota (pataniscas, pica no chão, rojões, broa caseira, caldo verde, doçaria caseira, vinho novo, vinho de maçã…). O primeiro dia da festa encerra com o festival de folclore, que leva ao palco dois grupos vilaverdenses (Escariz S. Mamede e Santa Maria de Turiz) e um de Viana do Castelo (Santa Marta de Portuzelo).

DSC_0646

Preservar e promover a identidade cultural

No domingo, 15 de outubro, as atividades começam pelas 09h00, hora em que começa a Eucaristia de Ação de Graças pelas Colheitas deste ano. Uma hora mais tarde, começa a Feira das Colheitas, com produtos hortícolas, produtos agrícolas (cultivados de forma tradicional e de qualidade garantida), animais vivos e vários artigos caseiros. Ao início da tarde, arranca o Encontro de Tocadores de concertina, um hino à música popular minhota que atrai anualmente centenas de tocadores e milhares de espectadores, garantindo animação pela tarde dentro.

O evento foi criado com o objetivo de preservar a identidade cultural e valorizar o património imaterial da freguesia e a da região, divulgando os saberes e sabores da tradição Minhota. A iniciativa Sabores da Terra é organizada pela Junta da União de Freguesias de Escariz S. Mamede e Escariz S. Martinho, com a colaboração da paróquia local, e insere-se na programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que se estende de agosto a novembro com 35 iniciativas de promoção da cultura popular do Minho.

DSC_0333

22279951_1675809895782719_8585479892024696160_n

VILAVERDENSES VENCEM OBSTÁCULOS EM 10 KM DE CORRIDA

Rural Race 2017: dez kms de corrida, obstáculos e muita diversão!

Está de volta a corrida de obstáculos em meio rural que vai colocar à prova a capacidade física e a destreza dos participantes, durante 10 kms de desporto, saúde e muita diversão. Uma prova de cariz solidário, já que parte da receita reverte a favor de uma instituição de solidariedade social.

A (2)

A Rural Race – Prova de Obstáculos by EJAH realiza-se no próximo dia 14 de outubro, a partir das 15h00, no Largo da Ponte Nova, na Loureira. A iniciativa é organizada pela EJAH - Eulália Jovem Associação Humanitária, com o apoio do Município de Vila Verde e da Junta de Freguesia da Loureira, e insere-se na programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, que de agosto a novembro se desdobra em 35 iniciativas de promoção da genuína tradição do Minho.

A (1)

Depois do sucesso estrondoso da primeira edição, que contou com a presença de 300 atletas, a organização reforçou a equipa de voluntários e, perspetivando um aumento de afluência, estabeleceu um teto máximo de 500 inscrições para a Rural Race 2017. Ao longo dos 10 Kms prova, os participantes vão conhecer zonas de grande beleza natural e enfrentar 30 obstáculos com diferentes níveis de dificuldade. Além dos obstáculos naturais, terão que ultrapassar pirâmides de madeira, paredes, pneus, poças, fardos, escadas, paletes… Está composto o cenário para uma tarde bem passada. Como nunca se sabe quando o azar pode estar à espreita, a organização não descura a segurança e coloca (na partida da prova, percurso e chegada) Assistência Médica à disposição dos participantes.

DSC_0391

A ideia de organizar esta prova surgiu no seio da EJAH com o intuito de trazer a Vila Verde as cada vez mais em voga provas de obstáculos, que têm conquistado adeptos de Norte a Sul de Portugal.  A componente rural e os obstáculos relacionados com a vida no campo foram implementados no percurso com o objetivo de valorizar e promover as potencialidades da freguesia e do concelho. As inscrições incluem a oferta de um Kit Rural Race 2017, composto por uma t-shirt oficial, um dorsal e um chip. Os participantes podem inscrever-se individualmente ou em equipa (mínimo 3 pessoas).

21686037_493571864337535_5490513314868551366_n

FESTA DAS COLHEITAS É UM HINO AO MUNDO RURAL

Festa das Colheitas – XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais: Um hino ao mundo rural e à genuína tradição minhota!

“A Festa das Colheitas – Feira Mostra de Produtos regionais é um dos maiores eventos do concelho, com um programa rico e diversificado de promoção do território e divulgação do potencial local. Foram cinco dias consecutivos de amizade, partilha, tradição, música e muita animação.

F (1)

A forte adesão popular mostra claramente que esta é uma aposta ganha, um investimento com grande retorno, que dinamiza a economia, valoriza a tradição e promove a cultura. A presença da TVI, com uma emissão de seis horas a partir de Vila Verde, foi o fator multiplicador, levando a Festa das Colheitas a todo o planeta”. As palavras são do presidente do Município de Vila Verde, António Vilela, que, ontem (08 de outubro), fez um balanço extremamente positivo da XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais.

“Foi mais uma edição de grande sucesso. Tivemos o maior número de stands de sempre (177) e a procura continua a aumentar. Gostaria de deixar uma palavra de gratidão ao público pela presença massiva e a todos os parceiros e colaboradores por se juntarem a nós para criarmos um hino ao mundo rural. Temos orgulho na nossa terra e nas nossas gentes, nas nossas tradições e na nossa agricultura, sem descurar a evolução e o futuro. Queremos um concelho atrativo e dinâmico, que encontre no seu património uma âncora de desenvolvimento e de construção do futuro”, referiu António Vilela, sublinhando a importância desta aliança harmoniosa entre tradição e modernidade na projeção do território vilaverdense em todo o país e no estrangeiro.

F (2)

Uma viagem à descoberta da tradição minhota

Durante cinco dias consecutivos, Vila Verde embarcou numa viagem à descoberta da genuína tradição minhota. Os usos e costumes, os produtos frescos do campo e os animais vivos, a gastronomia regional e as recriações de práticas tradicionais, os espetáculos de música ao vivo e os concursos. Mais de 40 iniciativas num cartaz turístico cultural que trouxe largos milhares de pessoas ao coração do Minho. Ontem, 08 de outubro, a Festa das Colheitas – XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais encerrou em apoteose. Mais de quinhentos artistas no encontro de tocadores de concertina, centenas de espectadores no Estádio Cruz do Reguengo para ver a Corrida de Cavalos, a TVI a transmitir para todo o planeta e largos milhares de pessoas que se dividiam entre o recinto, a Praça de Santo António e as principais artérias e pontos de interesse da sede de concelho.

F (3)

Grande diversidade de iniciativas no Dia da Tradição

A manhã começou com muito desporto e saúde. Pelas 09h30, os amantes das duas rodas arrancaram para mais um passeio de cicloturismo, promovido pelo Cicloclube de Vila Verde. Meia hora mais tarde, desporto e a solidariedade voltaram a caminhar de mãos dadas na Mega Aula de Zumba, uma iniciativa é organizada pela Rede Social do Município de Vila Verde e cuja receita reverteu a favor da Associação Conviver. Em simultâneo, começavam a chegar ao recinto as máquinas intemporais da Concentração e Desfile de Carros Clássicos, organizado pela Associação de Carros Clássicos Rolantes em Antigos de Vila Verde. Em tempo de colheitas, manda a boa tradição do Minho que se agradeça ao céu pelos frutos da terra e, por volta das 11h00, a igreja paroquial de Vila Verde recebia a Missa das Colheitas.

F (4)

De Vila Verde para todo o planeta

Ao início da tarde, a sede de concelho foi inundada por um autêntico mar de gente. Às 14h00, arrancava uma maratona televisiva a partir de Vila Verde que levou ao planeta as tradições e potencialidades locais. Tal como o público, os apresentadores do programa ‘Somos Portugal’, da TVI, dividiam-se entre o recinto da Festa das Colheitas e o palco instalado na Praça de Santo António, em frente à Biblioteca Municipal. Uma campanha massiva de promoção do território, numa transmissão que levou aos quatro cantos do planeta o que de melhor se faz no concelho, com especial incidência na riqueza da tradição da cultura popular minhota.

F (4)

Centenas de participantes no XXI Encontro de Tocadores de Concertina

A tarde começou e acabou ao som da ‘Rainha do Minho’. Mais de 500 tocadores chegaram a Vila Verde, vindos de vários pontos do país, para o XXI Encontro de Tocadores de Concertina. Um tributo à música popular, que contou com a participação de 60 grupos distintos e que voltou a ser recebido no recinto por um banho de multidão. Apesar do calor abrasivo, atípico para a estação do outono, houve quem não resistisse a dar um pezinho de dançar ao som das cantigas alegres da música popular. Em simultâneo, as bancadas do Estádio Cruz do Reguengo estavam muito bem compostas, com largas de centenas de pessoas que não perderam a oportunidade de assistir ao vivo à adrenalina e emoção das tradicionais Corridas de Cavalos, uma atividade organizada pela Associação Cultural dos Amigos do Cavalo de Passo Travado.

F (5)

F (6)

F (7)

F (8)

F (10)

F (11)

F

FESTA DAS COLHEITAS EM VILA VERDE DESTACA MUNDO RURAL

Concurso Pecuário e Avícola, feira tradicional, festival de folclore e Festa do Caurdo. Festa das Colheitas 2017: O mundo rural em todo o seu esplendor no Dia da Agropecuária!

Concurso Pecuário e Avícola, feira tradicional, festival de folclore e Festa do Caurdo. Ontem, 07 de outubro, o mundo rural brilhou em todos o seu esplendor na Festa das Colheitas – XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais.

F (1)

Nota de destaque ainda para a entrega dos prémios dos concursos (broa, mel, marmelada e geleia), para as atuações da Academia de Música de Vila Verde e da Banda Musical de Vila Verde e para o Festival Folclórico Concelhio. O dia começou com o Concurso Pecuário Regional e Concelhio e o Concurso de Raças Avícolas Regionais, que em conjunto, contaram com mais de uma centena e meia de animais a concurso. Um prémio merecido para os melhores produtores da região, que tiveram direito a um prémio monetário e um troféu. No entanto, ninguém foi para casa de mãos a abanar porque todos os participantes levaram para casa um saco de ração.

 Uma iniciativa encetada pelo Município de Vila Verde e duas entidades locais, AMIBA e Cooperativa Agrícola de Vila Verde, com o intuito de promover e valorizar o trabalho desenvolvido pelos produtores no setor agropecuário, que continuam a manter bem viva a força do mundo rural. Pelo meio, houve ainda tempo para o habitual desfile que ajuda a abrilhantar o evento. Os animais a concurso saíram em cortejo rumo ao Campo da Feira, ‘palmilhando’ uma das principais artérias da sede de concelho e regressaram depois ao ponto de partida.

F (9)

Os produtos frescos do campo

A toada continuou ao início da tarde com mais um hino aos costumes da cultura popular do Minho. A XIV Feira Tradicional – Reviver o Passado, organizada pela Associação de Folclore de Vila Verde, levou os participantes a recuar no tempo. Os trajes de época, os produtos frescos do campo, os pregões e a alegria das gentes minhotas. Uma oportunidade para os promotores locais exporem e comercializarem os seus produtos, valorizando a agricultura local. Em simultâneo, proporciona aos visitantes da Festa das Colheitas a oportunidade de experimentarem na primeira pessoa os hábitos e costumes tradicionais, enquanto se deliciam com os produtos viçosos e saborosos cultivados pelos agricultores locais. Um pouco mais tarde foi tempo de premiar os participantes nos concursos do mel, broa, marmelada e geleia, e de saborear os pitéus preparados com mestria por mãos muito experimentadas nestas andanças. Ao final da tarde, pelas 17h30, o Palco das Colheitas recebeu mais um excelente momento musical, com o concerto da Academia de Música de Vila Verde.

F (11)

Casa cheia na XVI Festa do Caurdo

Ao início da noite, foi a euforia total. Se diariamente a gastronomia regional já costuma atrair um mar de gente ao recinto, ontem deu para tudo. Enquanto as tasquinhas e restaurantes do recinto estavam sem mãos a medir, a XVI Festa do Caurdo também recebia um banho de multidão. O entusiasmo era grande e a oferta bastante diversificada. No total, foram servidas mais de duas dezenas de caldos diferentes, confecionados com os produtos locais por outros tantos grupos folclóricos vilaverdenses. No final da noite tinham sido consumidos mais de mil e quinhentos litros de caldo, acompanhados com broa e vinho à discrição.

Os espetáculos de música ao vivo foram o grande destaque do serão. Primeiro, a Banda Musical de Vila Verde fez ecoar pelo recinto um repertório rico e diversificado. De seguida, começou o Festival Folclórico Concelhio, que levou ao Palco das Colheitas vários grupos vilaverdenses. Uma mostra genuína da etnografia local, marcada pela animação e alegria que caracterizam o folclore. A plateia brindou as atuações com chuvas de aplausos e houve várias pessoas que não resistiram a acompanhar com um pezinho de dança os contagiantes ritmos da tradição minhota.

F (12)

TVI com emissão de seis horas a partir de Vila Verde

O edil concluiu a sua intervenção deixado um convite a todos os presentes para regressarem hoje, 09 de outubro, a Vila Verde para se fechar com chave de ouro a edição de 2016 da Festa das Colheitas. O destaque da manhã de hoje foi para o passeio do cicloturismo, a mega aula de zumba, o desfile de carros clássicos e a Missa das Colheitas. Durante a tarde, nota de particular relevo para as centenas de artistas que vão participar no XX Encontro de Tocadores de Concertina, para a Corrida de Cavalos e para a emissão do programa ‘Somos Portugal’, da TVI, seis horas em direto a partir de Vila Verde para todo o planeta.

F (13)

F (16)

F (17)

F (18)

F (20)

F (21)

VILAVERDENSES ESMAGAM AS UVAS COM OS PÉS À MODA ANTIGA

Recriação de pisada de uvas tradicional e espetáculos de música popular trouxeram um mar de gente a Vila Verde

O recinto da Festa das Colheitas / XXVI Feira Mostra de Produtos Agrícolas foi inundado por um autêntico mar de gente, que chegou a Vila Verde para uma noite de música e tradição.

Ontem (07 de outubro), Dia da Gastronomia e do Vinho, as iguarias da gastronomia regional voltaram a fazer as delícias dos milhares de visitantes que visitaram os restaurantes e tasquinhas do recinto e participar na 10ª Festa do Vinho, com provas das marcas de vinho presentes no certame. No entanto, o grande destaque do serão vai mesmo para a recriação de uma pisada de uvas nos moldes tradicionais e para as atuações de Maria Celeste & Pedro Malheiro e Minhotos Marotos. Durante o dia, decorreram os concursos (artesanato, mel e marmelada), ateliers diversificados, o Showcooking ‘Sabores KM O’, a Mega Aula das Colheitas – Intergeracional e Mostra de Talentos.

DSC_0101

Uma Pisada de Uvas à boa moda do Minho

A Festa das Colheitas trouxe a força da tradição ao coração do Minho e o público não se tem feito rogado. Uma vez mais, o recinto foi pintado por uma bela moldura humana que ajudou a abrilhantar e a enriquecer o serão. Por volta das 21h00, o público concentrou-se em torno da eira improvisada que voltou a receber a recriação de uma prática agrícola, uma pisada de uvas como manda a boa tradição minhota. As uvas chegaram ao recinto transportadas por um carro de bois, seguido por uma comitiva do Grupo Folclórico de Prado S. Miguel, que ia entoando pelo recinto as melodias animadas do folclore minhoto. Na eira, as uvas foram carregadas para a dorna pela força dos braços e pisadas vigorosamente para extrair o desejado néctar. Tudo à moda antiga.

No final, era necessário recuperar forças para cantar e dançar ao som da música popular. Para tal, nada melhor que uma farta merenda minhota (broa, bacalhau e vinho novo), que, como já é habitual, foi partilhada com o público. Por volta das 22h30, as atenções voltaram-se para o Palco das Colheitas, antevendo-se uma noite de muita música e alegria. E assim foi, os artistas convidados, Maria Celeste & Pedro Malheiro e Minhotos Marotos, não deixaram créditos por mãos alheias e protagonizaram um espetáculo vibrante que foi recebido pelo público com chuvas aplausos.

DSC_0251

Agricultura, artesanato, gastronomia e vinhos

Recorde-se que o dia começou com os Ateliers diversificados (dança, pintura, saúde…) preparados pelos alunos da Escola Profissional Amar Terra Verde e pela Escola Secundária de Vila Verde. Durante a manhã, os artesãos expuseram toda a sua criatividade no concurso das colheitas, que contou com a participação de dezenas de artistas. Por volta da hora do almoço, o Chef Vinagre voltou a reinventar o tradicional pica no chão, durante o Showcooking ‘Sabores KM O’. A tarde arrancou com os concursos do mel e dos doces típicos (geleia e marmelada), que, ao todo, contaram com meia centena de participantes. Pouco depois, um momento para estreitar laços entre diferentes gerações com a jovens e seniores a dançarem lado a lado na Mega Aula das Colheitas – Intergeracional. Ao final da tarde, os jovens vilaverdenses puderam demonstrar todo o seu potencial artístico na Mostra de Talentos. Durante todo o dia, decorreu também a 10ª Festa do Vinho, com provas de vinhos das marcas presentes no recinto.

Concurso Pecuário, Festa do Caurdo e muito, muito mais!

Hoje, ao início do dia as atenções estavam voltadas para mais um tributo ao mundo rural, com os concursos pecuário e de raças avícolas, seguido de desfile pelo centro da vila. As atividades prosseguem durante a tarde com a XIV Feira Tradicional – Reviver o Passado, que dá palco aos produtores locais, o Concurso da Broa e a atuação da Academia de Música de Vila Verde. No serão, o destaque vai para a Festa do Caurdo, com mais de 20 caldos diferentes, e para o Festival de Folclore Concelhio.

DSC_0184

DSC_0430 (4)

DSC_0465

TOCADORES DE CONCERTINA ANIMAM FESTA DAS COLHEITAS EM VILA VERDE

Encontro Nacional trouxe mais de 500 Tocadores de Cavaquinho à Festa das Colheitas de Vila Verde

A XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais continua a atrair milhares de visitantes que chegam a Vila Verde para sentir na primeira pessoa o pulsar do mundo rural, a força da cultura popular e a genuína tradição do Minho.

F (8)

O grande destaque do segundo dia (05 de outubro) da Festa das Colheitas de Vila Verde vai para o Encontro Nacional de Tocadores de Cavaquinho, um autêntico hino à música popular. Ao longo do dia, entre as 10h00 e as 20h00, passaram pelo Palco das Colheitas mais de 500 tocadores para uma maratona musical que fez o recinto vibrar ao som dos acordes dos instrumentos da música tradicional portuguesa. Paralelamente, as exposições e oficinas de instrumentos de cordas ajudaram a enriquecer a iniciativa. Nota de relevo ainda para as atividades do serão, a recriação fiel de uma desfolhada de milho e a Grande Noite da Desgarrada.

F (9)

O Município de Vila Verde aceitou o desafio lançado pela INATEL (com o apoio do Grupo de Cavaquinhos de Soutelo) e abraçou o projeto desde o primeiro minuto. O presidente do Município, António Vilela, não escondeu a satisfação por receber as centenas de tocadores de cavaquinho, de todas as idades e vindos de vários pontos do país, que chegam a Vila Verde para um dia de música e muita animação. O edil mostrou-se contente com o sucesso de um evento recente que “tem todas as condições para continuar a crescer durante os próximos anos” e deixou uma forte palavra de reconhecimento e agradecimento a todos os tocadores que ajudaram a abrilhantar o segundo dia da Festa das Colheitas 2017. O Encontro Nacional de Tocadores de Cavaquinho encaixou como uma luva na estratégia municipal de promoção e valorização da cultura local. “Somos uma terra de tradição. A Festa das Colheitas continua até domingo com um programa muito rico. No Domingo, a tradição do Minho e as tradições de Portugal vão chegar a todo o mundo através da emissão de seis horas da TVI”, concluiu António Vilela.

Desfolhada de milho como manda a tradição

Com o serão chegou o esplendor do mundo rural em toda a sua plenitude. Associação de Folclore de Vila Verde organizou a recriação de uma desfolhada de milho como manda a boa tradição minhota e nem faltou a animação musical para animar as hostes, graças À atuação Rancho Folclórico de Aboim da Nóbrega. As canas de milho chegaram ao recinto transportadas por um carro de bois. Envergando os trajes de época, um grupo de homens e mulheres seguia a junta de bois e fazia ecoar pelas redondezas as canções alegres da música popular. De seguida, espalharam-se as canas numa eira improvisada no recinto e começou a desfolhada propriamente dita. No final, para recuperar energias, uma boa merenda regional (broa, sardinhas assadas, tacos de bacalhau fritos e vinho), que foi partilhada com o público presente no local.

F (5)

Muita alegria e diversão na Noite da Desgarrada

No final, ainda houve força para dançar (e soltar umas boas gargalhadas) ao som das concertinas e das típicas desgarradas minhotas, com um despique saudável e muito divertido entre os artistas. A Grande Noite da Desgarrada trouxe à Festa das Colheitas uma dezena dos mais conhecidos cantadores e tocadores de toda a região, um hino à música popular do Minho que espalhou pelo recinto uma onda de animação e diversão contagiante! 

F (6)

Hoje é o Dia da Gastronomia e do Vinho

Hoje, 06 de outubro, Dia da Gastronomia e do Vinho, aguarda-nos um programa bastante recheado. Dos ateliers diversificados aos concursos das colheitas (artesanato, mel e doces típicos), passando pela 10ª Festa do Vinho, pelo showcooking, pela Mega Aula das Colheitas Intergeracional, pela Mostra de Talentos, pela Pisada de Uvas e pelo espetáculo de música ao vivo, não faltam bons motivos para visitar a Festa das Colheitas / XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais. Nota de destaque ainda para os 177 expositores presentes no recinto (artesanato, produtos agrícolas, associações, instituições, marcas…) e para o Dia Das Especialidades Regionais no 12º Festival Gastronómico, dinamizado pelos restaurantes e tasquinhas presentes no recinto.

F (1)

F (2)

F (3)

F (4)

FESTA DAS COLHEITAS EM VILA VERDE JÁ É TRADIÇÃO

A força da tradição e da cultura popular na primeira noite da Festa das Colheitas

A edição de 2017 da Festa das Colheitas de Vila Verde já começou e a primeira noite, 04 de outubro, deixou boas perspetivas para o resto do evento (que se prolonga até ao próximo domingo, 08 de outubro), numa demonstração clara da força da tradição e da cultura popular da região minhota. Ao final da tarde, as cozinhas começaram a carburar e a espalhar pelo recinto a fragrância irresistível das iguarias minhotas preparadas pelas tasquinhas e restaurantes no recinto. A gastronomia fez as delícias de milhares de visitantes e ajudou a acumular energias para um serão bastante animado.

A (1)

Magusto Típico e música popular

A sobremesa foi por conta da organização. Pouco passava das 21h00, quando as labaredas começaram a romper a escuridão da noite com tons vibrantes de amarelo e vermelho. Era altura do magusto típico, com as castanhas colocadas diretamente sobre o lume no chão da eira improvisada. Em redor, miúdos e graúdos, homens e mulheres, crianças e idosos, juntavam-se em torno do calor da fogueira, aguardando ansiosamente pelo petisco. As castanhas assadas foram depois generosamente partilhadas com todos os presentes, acompanhadas por um bom vinho regional. Um momento de convívio e partilha, de gargalhadas contagiantes e longas conversas, que fez a sede de concelho reviver a tradição do mundo rural. Nota de destaque também para as rusgas populares, que espalham um rasto de alegria e boa disposição à sua passagem.

A noite terminou com um espetáculo de música ao vivo, protagonizado por um dos maiores nomes da música popular da nossa região. Jorge Loureiro não deixou créditos por mãos alheias e arrastou um autêntico mar de gente à Festa das Colheitas / XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais. O músico subiu ao palco acompanhado por um talentoso grupo de artistas para colocar o recinto a cantar e a dançar ao som das canções alegres e divertidas do cantor minhoto, que conquistou uma forte reputação no panorama regional da música.

A (2)

A tradição tem o futuro assegurado

Recorde-se que, ao início da tarde, a tenda de conferências do recinto recebeu mais de duas centenas de alunos, professores e pais da Escola Monsenhor Elísio Araújo. A 3ª Feira Mostra de Artes e Ofícios levou os mais pequenos a recriarem muitas das tradições da nossa região numa iniciativa lúdico-pedagógica. A feirinha tradicional, a desfolhada do milho, os bordados, os trajes de época, tudo como manda a tradição, num “momento de grande valorização do nosso património cultural”, como sublinhou o presidente do Município de Vila Verde, António Vilela. Os mais novos mostraram grande interesse nas atividades e é caso para dizer que a tradição local tem o futuro assegurado.

A (3)

Mais de 500 tocadores de cavaquinho

Hoje, 05 de outubro, o maior destaque da programação vai para o Encontro Nacional de Cavaquinhos, entre as 10h00 e as 20h00, que traz à Festa das Colheitas mais de 500 artistas, vindos de vários pontos do país. Durante o dia, os interessados podem ainda visitar a exposição e oficina de instrumentos de cordas. Ao serão, destaque para a recriação fiel de uma tradicional desfolhada do linho e para a Grande Noite da Desgarrada, que traz à Festa das Colheitas um leque diversificado dos mais conhecidos cantadores e tocadores de toda a região. Um hino à música popular do Minho que promete espalhar pelo recinto uma onda de animação e diversão contagiante! 

A (4)

B (2)

VILA VERDE INAUGURA FESTA DAS COLHEITAS

Festa das Colheitas 2017: Música, artesanato, tradição, agricultura, gastronomia e muito mais num autêntico hino ao mundo rural!

Vila Verde acordou hoje (04 de outubro) para receber de braços abertos uma das maiores feiras agrícolas de todo o país. A Festa das Colheitas / XXVI Mostra de Produtos Regionais assume-se como um evento de promoção das potencialidades do mundo rural e dos saberes e sabores da tradição minhota.

DSC_0650

A excelência da cozinha regional, os produtos do campo, a criatividade do artesanato, as recriações de práticas agrícolas, os espetáculos de música ao vivo e muito, muito mais, compõem um cartaz amplo e diversificado que anualmente atrai largos de milhares de visitantes ao concelho.

Mais de 40 motivos (iniciativas) de interesse, que convidam a visitar e a ficar por Vila Verde, já que por esta altura diversos espaços de alojamento brindam os visitantes com promoções bastante atrativas. Uma vez mais, o que de melhor se faz em Vila Verde será difundido em grande destaque para o país e o mundo através da emissão de seis horas da TVI a partir do recinto, no próximo dia 08 de outubro.

DSC_0771

A inauguração do certame decorreu durante a manhã de hoje, na tenda de conferências do recinto da Festa das Colheitas, localizado na Praça das Comunidades Geminadas (vulgo Campo da Feira), em Vila Verde. A sessão começou com um excelente momento musical protagonizado pela Tuna do Município de Vila Verde. De seguida, decorreram as intervenções dos três oradores, o presidente da Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave (ATAHCA), José Mota Alves, o Diretor Adjunto da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, Mário Silva, e o presidente do Município de Vila Verde, António Vilela. Aos oradores juntaram-se na mesa de honra os vereadores Manuel Lopes, Júlia Fernandes e Patrício Araújo. No final, houve tempo para um brinde e para degustar os deliciosos doces da Chocolataria Artesanal – Chocolate com Pimenta.

“Vive-se de forma muito intensa a cultura e a tradição local”

O presidente do Município de Vila Verde começou por deixar uma palavra de forte apreço e reconhecimento às diversas entidades (instituições, associações, escolas, grupos folclóricos, empresas…) e até pessoas a título particular, que participam de forma ativa no evento e “fazem desta feira uma das maiores feiras agrícolas do país”. O recinto recebe este ano um número record de expositores (177), mas continua a haver lista de espera, tal é a procura. António Vilela prosseguiu recordando que o certame se insere na programação alargada Na Rota das Colheitas, que se estende desde o início de agosto até ao fim de outubro com dezenas de iniciativas um pouco por todo o ocncelho. “Ao longo destes meses fala-se de Vila Verde pela positiva e vive-se de forma muito intensa a cultura e a tradição local. É um cartaz turístico que promove e valoriza os saberes do mundo rural”, afirmou, sublinhando ainda a imensa criatividade e empenho que as populações colocam, de forma voluntária e altruísta, ao serviço do desenvolvimento e da valorização da sua terra. “Ao percorrermos o concelho, encontramos inúmeras igrejas decoradas com arranjos e quadros compostos por produtos agrícolas, são autênticas obras de arte”, vincou o edil.

DSC_0939

Vila Verde: 585 novas empresas em apens quatro anos!

António Vilela prosseguiu destacando o grande desenvolvimento do setor agrícola no concelho de Vila Verde, em diversas áreas de cultivo (pequenos frutos, cogumelos, vinho…). “Não estamos a desperdiçar as nossas potencialidades. Nos últimos anos, Vila Verde foi um dos concelhos que atraiu mais projetos de jovens para o setor agrícola”, referiu. No entanto, o desenvolvimento económico do concelho não se resume à agricultura. “Os dados recentes mostram uma grande vitalidade de diversos setores da economia em Vila Verde. Só nos últimos quatro anos, foram criadas 585 novas empresas no concelho. Vila Verde está a crescer a um ritmo de 3%, portanto, posiciona-se acima da média nacional em termos de criação de emprego e de desenvolvimento económico”, disse o presidente do Município de Vila Verde, acrescentando que esta estratégia incita “a fixação de pessoas e a valorização do seu potencial, o desenvolvimento do território e a criação de atratividade”.

Festa das Colheitas leva “o nome do concelho muito além das fronteiras da região Norte e do país”

Por sua vez, o presidente da ATAHCA frisou a importância da Feira Mostra de Produtos Regionais, que “tem crescido ao longo dos anos e já levou o nome do concelho muito além das fronteiras da região Norte e do país, é um excelente porta estandarte do concelho de Vila Verde, das diversas potencialidades do território”. José Mota Alves prosseguiu frisando a excelente dinâmica agrícola que se vive hoje no território vilaverdense. A título de exemplo, apontou o setor dos pequenos frutos que, apesar da tenra idade (é uma aposta recente, tem cerca de cinco anos), representa já um volume de negócio de um milhão de euros e “espera-se que possa chegar aos sete milhões de euros daqui a três ou quatro anos”. O presidente da ATAHCA sublinhou ainda o papel preponderante do Município de Vila Verde neste processo, através da “isenção de taxas em projetos agrícolas, pelos incentivos à fixação de pessoas e muitas outras medidas de valorização do território”.

Uma aliança harmoniosa entre tradição e modernidade

O Diretor Adjunto do DRAPN também não poupou elogios ao trabalho desenvolvido pelas instituições vilaverdenses. “Quero felicitar o Município de Vila Verde pela 26ª edição da Festa das Colheitas, um evento que expõe e promove produtos agrícolas e agroalimentares, bem como o artesanato local. A Festa é um marco muito importante na região e contribui de forma significativa para o desenvolvimento de Vila Verde e de toda a região do Cávado”, afirmou Mário Silva, que concluiu a sua intervenção citando uma frase do presidente do Município de Vila Verde, António Vilela. “Valorizar o que é tradicional sem deixar de apostar na inovação e na criação de condições para que as atividades rurais ganhem competitividade é um desiderato fundamental para se conseguir a sustentabilidade do muno rural e para incentivar jovens empreendedores a avançarem com projetos que criem riqueza e emprego”, rematou.

DSC_0095

DSC_0245

DSC_0475

DSC_0631

VILA VERDE INAUGURA FESTA DAS COLHEITAS

Realiza-se amanhã (04 de outubro) a sessão de inauguração da Festa das Colheitas / XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais

Vila Verde recebe, amanhã, dia 4 de outubro, um dos maiores eventos nacionais de promoção das virtudes do mundo rural e dos saberes e sabores da tradição minhota. A Festa das Colheitas – XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais abre as portas ao público, pelas 11h00, para seis dias consecutivos de celebração do legado cultural da região minhota.

A (1)

 A excelência da cozinha regional, os produtos do campo, a criatividade do artesanato, as recriações de práticas agrícolas e os espetáculos de música ao vivo, entre muitos outros, compõem um cartaz amplo e diversificado que anualmente atrai largos de milhares de visitantes a Vila Verde. Mais de 40 motivos (iniciativas) de interesse, que convidam a visitar e a ficar por Vila Verde, já que por esta altura diversos espaços de alojamento brindam os visitantes com promoções bastante atrativas.

Uma vez mais, o que de melhor se faz em Vila Verde será difundido em grande destaque para o país e o mundo através da emissão de seis horas da TVI a partir do recinto, no próximo dia 08 de outubro.

A (2)

cartaz_colheitas_2017_mailling

PSD SAÚDA ESTRONDOSA VITÓRIA ELEITORAL E TRAÇA OBJECTIVO: «UNIR E DESENVOLVER!»

«Temos gente, temos equipas, temos projectos para colocar Vila Verde como uma das referências nacionais!

A Comissão Política de Vila Verde do PSD vem manifestar a sua congratulação pela estrondosa vitória do Dr. António Vilela, da sua equipa, e das listas apresentadas a sufrágio para a Assembleia Municipal, liderada pelo Dr. Carlos Arantes, e Assembleias de Freguesia, nas eleições Autárquicas de 01 de Outubro.

310_9486

As vitórias reforçadas para os diferentes órgãos autárquicos são a prova de que o PSD apresentava os melhores candidatos, as melhores equipas e os melhores projectos para que o Concelho de Vila Verde continue na linha de crescimento e desenvolvimento que atingiu nos últimos anos.

O resultado histórico para a Câmara Municipal, reforçado pela diferença próxima dos 5 mil votos para o principal adversário e muito próximo da eleição do quinto vereador, assinala uma mensagem clara para aqueles que apostaram na tentativa de achincalhar e denegrir, de mostrar Vila Verde pela negativa e de ataques pessoais sem paralelo na vida democrática local.

O score eleitoral obtido pelo PSD em toda a linha no Concelho é tanto maior quando verificamos que reforçamos a nossa presença nas Freguesias, com a conquista da Vila de Prado, e pontuamos o crescimento exponencial de eleitos do partido nos diferentes órgãos autárquicos.

Acentue-se o facto de nenhum candidato à Câmara do principal adversário ter vencido nas suas Freguesias, demonstrativo das fraquezas de uma candidatura que apontava ao poder pelo poder.  

Ao invés, o PSD teve a coragem de colocar Vila Verde como um exemplo de democracia, de tolerância e de vivência em clima de paz e união. Aliás, este é também o momento de dirigir uma palavra a todos os vilaverdenses, sem excepção, de que as equipas agora eleitas trabalharão com todos, para todos, com o único objectivo de unir e desenvolver.

Por último, queríamos deixar uma palavra de apreço e gratidão a todos os nossos candidatos aos três órgãos municipais, pelo envolvimento sério e empenhado, pela força e determinação e pela vontade com que abraçaram este projecto. Temos gente, temos equipas, temos projectos para colocar Vila Verde como uma das referências nacionais!

«Abraçamos o Concelho, saudamos os vilaverdenses, agradecemos a Confiança demonstrada. Podem estar certos de que manteremos a mesma força e determinação para reforçar Vila Verde como terra onde os vilaverdenses se orgulham de viver», finaliza o Presidente da Comissão Política de Vila Verde do PSD, o deputado Rui Silva.

ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS EM VILA VERDE: PSD CONFIANTE NA VITÓRIA

ANTÓNIO VILELA: «Queremos uma grande vitória, reforçada e que assegure mais quatro anos de crescimento!».

Milhares juntaram-se ao «melhor projecto e às melhores equipas» na campanha do PSD às Autárquicas de 2017 

A atracção de investimento, com consequente desenvolvimento económico e criação de emprego / fixação da população, o alargamento exponencial da rede de saneamento, o desenvolvimento e coesão social e o reforço da rede de equipamentos públicos por todo o concelho são os vértices do programa eleitoral do candidato do PSD à Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela. «Demos um salto qualitativo enorme nos últimos anos, mas queremos caminhar para tornar Vila Verde uma referência nacional», advoga o candidato, sustentando que «o PSD tem, seguramente, o melhor programa, os melhores projectos, as melhores equipas e a garantia de estabilidade».  

2017-09-29-VV-2854-WM

António Vilela e os candidatos do PSD à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia encerram a campanha eleitoral «com a certeza de que os vilaverdenses confiam neste projecto e nestas equipas. Vila Verde não pode parar, vamos continuar a crescer!». 

No encerramento da campanha, com a praça de Santo António como nunca antes vista numa campanha eleitoral, António Vilela agradeceu a «confiança» no projecto que lidera e reafirmou a sua «disponibilidade para continuar o crescimento e desenvolvimento sem precedentes que colocam Vila Verde no rumo certo».

A onda laranja que tomou conta de Vila Verde nas duas últimas semanas cresceu e António Vilela garante que «dia 01 de Outubro, os vilaverdenses darão uma resposta clara. Queremos uma grande vitória, reforçada e que assegure mais quatro anos de crescimento!».

OBRA FEITA … CONFIANÇA NO FUTURO!

Em cada sessão, em cada recanto do concelho, em ambiente vibrante e de grande entusiasmo, António Vilela deu garantias: «estes são os melhores candidatos, as melhores equipas, as primeiras escolhas, gente de trabalho e determinada a colaborar no projecto que traçamos para os próximos anos».

«Temos um dos melhores parques escolares do País e vamos atingir a excelência com a execução das obras de requalificação das EB 2-3 de Vila Verde e Vila de Prado (mais uma vez a substituir-nos ao Governo)», acentua António Vilela. «Temos equipamentos desportivos de topo, mas vamos apostar ainda mais em equipamentos de manutenção física, lazer e desporto de natureza, das ciclovias urbanas, à ecovia e mesmo o desenvolvimento de trilhos e actividades de natureza», referiu.

«Os novos centros cívicos têm maior qualidade, espaços verdes, requalificados, com novos equipamentos urbanos e circuitos de manutenção física, mas vamos continuar a dar ainda mais qualidade e novas valências aos nossos espaços cívicos das freguesias», acentuou.

SANEAMENTO EM ANDAMENTO

Porém, «a grande prioridade estratégica para o próximo mandato passa por aumentar significativamente a cobertura da rede de saneamento. Já estão em andamento projectos de mais de 7 milhões de euros até 2018. Avançarão, logo após, novos projectos e não descansaremos até termos uma cobertura significativa».

Deixou ainda a garantia: «logo que terminada esta fase de implementação dos grandes projectos de saneamento, vamos avançar com a requalificação de todas as vias municipais».

A propósito, voltou a reclamar do Governo «decisões concretas sobre as Variantes as Vila Verde e ao Parque Industrial de Oleiros, pela Vila de Prado. Tivemos já as vias orçamentadas e prontas para avançar, mas o Governo tirou-as dos projectos prioritários. Não descansaremos até serem uma realidade». 

Garante, porém, que «a Variante entre a Vila de Prado e Oleiros será uma realidade. Vamos investir nesta infra-estrutura rodoviária, pois é urgente. Será uma importante alavanca para acelerar o crescimento e desenvolvimento daquela zona industrial».  

CAPTAÇÃO DE INDÚSTRIA E EMPREGO

Vilela disse que «Vila Verde é um concelho atractivo, onde as empresas e os empresários têm vindo a apostar. Estamos a criar condições ainda melhores para atrair mais empresas e gerar novas oportunidades de emprego e riqueza em diferentes pontos do Concelho. E os dados do INE mostram que estamos a crescer acima da média nacional».  

De resto, Vilela fez questão de referir que «o programa do PSD é transversal a todas as áreas. Vamos manter as apostas nas freguesias, apoiando e desenvolvendo os projectos locais, do apoio à agricultura, aos mercados de produtos locais, à recuperação e valorização dos centros cívicos, do apoio às colectividades locais e da aposta clara nas nossas gentes, no seu saber e no seu conhecimento da realidade de cada terra». 

Para isso, diz que continuará a contar com «presidentes de junta dinâmicos, atentos e promotores de desenvolvimento local. Estes homens e mulheres são os melhores para continuar a desenvolver as freguesias».

EQUIPAS FORTES E DE REFERÊNCIA      

Com João Lobo na Comissão de Honra e José da Mota Alves como Mandatário Político, o candidato do PSD à Câmara de Vila Verde diz que «é com esta gente, gente de confiança e com percursos de vida de excelência que pomos o nosso projecto em marcha».

A aposta na maioria dos actuais presidentes de junta (alguns saem por limite de mandatos) e no actual presidente da Mesa da Assembleia Municipal, o reputado advogado Carlos Arantes, assim como na mesma equipa à Câmara (Manuel Lopes, Júlia Fernandes, Patrício Araújo, a que se junta o jovem Carlos Tiago Alves e «um conjunto de pessoas de grande valor) dão a certeza ao líder do projecto que «Vila Verde vai continuar em boas mãos. Esta é gente de confiança!».

2017-09-29-VV-2359-WM

2017-09-29-VV-2389-WM

2017-09-29-VV-2458-WM

2017-09-29-VV-2476-WM

2017-09-29-VV-2493-WM

2017-09-29-VV-2523-WM

2017-09-29-VV-2546-WM

2017-09-29-VV-2569-WM

2017-09-29-VV-2593-WM

2017-09-29-VV-2608-WM

2017-09-29-VV-2618-WM

2017-09-29-VV-2647-WM

2017-09-29-VV-2810-WM

2017-09-29-VV-2845-WM

VILA VERDE JUNTA TOCADORES DE CAVAQUINHO

Encerram hoje as inscrições para o 2º Encontro Nacional de Tocadores de Cavaquinho

Após o sucesso tremendo da primeira edição (2016), que contou com mais de 500 participantes, a expectativa é alta para o 2º Encontro Nacional de Tocadores de Cavaquinho, que vai decorrer durante o próximo dia 05 de outubro, no recinto da Festa das Colheitas de Vila Verde / XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais.

Uma autêntica maratona musical, que vai decorrer entre as 10h00 e as 19h30, num tributo à música e à cultura popular.

Os interessados em participar terão que se despachar porque as inscrições terminam hoje, 29 de setembro, e devem ser efetuadas junto da Fundação INATEL, através do endereço de e-mail inatel.braga@inatel.pt ou do telefone 253 613 320.

Cartaz A4- EncNac Cavaquinho 2017 - Vila Verde

DSC_0089

DSC_0192

DSC_0235

VILELA PROMETE COMISSÃO PARA CONSTRUIÇÃO DA VARIANTE A VILA VERDE

Vilela propõe lançar Comissão para a construção da Variante a Vila Verde (EN 101)

«Governo tem que entender a urgência deste investimento, a bem da melhoria da rede viária do Concelho e do desenvolvimento industrial e económico da zona Norte de Vila Verde e da Região»

António Vilela admite criar uma Comissão para a construção da Variante a Vila Verde, na EN 101, projecto que tem sido adiado pelo Governo e que «urge em concretizar, a bem da melhoria da rede viária do Concelho e do desenvolvimento industrial e económico da zona Norte do Concelho e da própria Região». A posição do candidato do PSD, actual presidente de Câmara, foi assumida durante as sessões de campanha que tem vindo a realizar nas freguesias servidas pela EN 101, de Gême a Pico de Regalados, até ao Vade.

2017-09-27-VV-0514-WM

A Comissão pela Variante à EN 101 será incorporada pelos presidentes de junta, empresários e representantes de organismos públicos ligados ao sector empresarial local, bem como representantes da população, «para que possamos pôr em marcha esta velha ambição».

A construção da Variante à EN 101 é apontado como «projecto prioritário» para o concelho de Vila Verde e para a Região, «sobretudo para a zona Norte».

«Esta infra-estrutura rodoviária é estruturante e de importância vital para o crescimento económico e desenvolvimento sustentado do concelho de Vila Verde, mas também da própria região», tem vindo a apontar o candidato do PSD à Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela.

António Vilela lamenta que os investimentos em causa «tenham sido constantemente adiados pelo Governo. Vamos esperar que possam estar inscritos no Plano de Investimentos em Infra-estruturas Rodoviárias para 2018. Não nos calaremos enquanto não concretizarmos esse anseio, para bem do desenvolvimento da zona norte do concelho e da Região».

Por isso, admite lançar a criação de Comissões para a construção da Variante à EN 101, «com o envolvimento das juntas, tecido empresarial e sociedade civil».

INDÚSTRIA E EMPREGO

O candidato realça que, «embora a sua concretização signifique uma alavanca para o crescimento do Concelho e da Região, temos conseguido captar mais investimentos, mais indústria e crescimento económico. Brevemente, serão instaladas nestas zonas novas unidades industriais, com forte capacidade para criação de muitos empregos, mais riqueza, mais estabilidade e mais bem-estar para as populações locais».

2017-09-27-VV-0615-WM

2017-09-27-VV-0810-WM

2017-09-27-VV-1009-WM