Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BANDEIRA AZUL REGRESSA À PRAIA DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Contra-análises afastaram receios e confirmaram as condições favoráveis à prática balnear

A praia de Vila Praia de Âncora recuperou hoje a Bandeira Azul da Europa, podendo ser usufruída na sua plenitude, incluindo os banhos de mar. As contra-análises imediatamente realizadas, logo que foram conhecidos resultados menos bons, vieram hoje confirmar a qualidade da água, tendo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) autorizado o regresso do galardão europeu de qualidade. A Bandeira será içada esta tarde.

DSC_0461

 

Na sequência de resultados provisórios, resultantes de uma colheita efetuada na água balnear da praia, na passada semana, as autoridades competentes desaconselharam temporariamente a prática balnear, atitude que tem como consequência imediata o arriar da Bandeira Azul.

A Câmara Municipal acatou a determinação superior e informou a população, iniciando imediatamente os procedimentos para que fossem realizadas contra-análises, tendo as colheitas sido feitas ainda na sexta-feira passada.

Os resultados foram conhecidos hoje de manhã, tendo a Câmara realizado todas as diligências para agilizar a parte burocrática e a consequente autorização da APA para que a Bandeira Azul voltasse a ser içada.  

Como oportunamente informamos, tratou-se de uma medida preventiva, em virtude da deteção de resultados anormais nas análises, embora a Câmara mantivesse a expectativa positiva de que a Bandeira Azul regressaria ao local onde ela pertence, como acaba de acontecer. 

Vila Praia de Âncora.jpg

PRÁTICA BALNEAR TEMPORARIAMENTE DESACONSELHADA NA ÁGUA BALNEAR DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Hoje mesmo foram realizadas colheitas para contra-análises

A prática balnear é desaconselhada, a título temporário e a partir de hoje, na água balnear de Vila Praia de Âncora, até que sejam conhecidos os resultados das contra-análises que estão a ser realizadas, a partir de colheitas feitas hoje mesmo por um laboratório credenciado. Trata-se de uma medida preventiva, em virtude da deteção de resultados anormais nas últimas análises. Nestas situações, o protocolo manda arriar a Bandeira Azul que, por isso, hoje não será içada. A Câmara aguardará os novos resultados, na expectativa de fazer regressar a Bandeira Azul onde ela pertence. 

Assim, face aos resultados provisórios obtidos na colheita efetuada na água balnear de Vila Praia de Âncora, há dois dias, as autoridades competentes decidiram desaconselhar temporariamente a prática balnear até que a água balnear em questão apresente, novamente, qualidade para aquela prática.

Logo que sejam conhecidos os resultados da contra-análise, será tomada a decisão sobre se há ou não condições para repor a prática balnear nesta praia.

VILA PRAIA DE ÂNCORA: ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DO VALE DO ÂNCORA PREPARADA PARA RECEBER MAIS ALUNOS EM SETEMBRO

Mais três salas de aula, mais espaço de recreio coberto e melhor isolamento acústico. Investimento ultrapassa os 120 mil euros e as obras estão a decorrer

A Escola Básica e Secundária do Vale do Âncora, em Vila Praia de Âncora, vai ter mais três salas de aula completamente equipadas, mais espaço de recreio coberto e melhor isolamento acústico. As obras estão a decorrer, com um investimento de 120 mil euros por parte do Ministério da Educação, a que acresce a participação do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, que assume os custos com a parte acústica. Neste momento já não existem quaisquer dúvidas de que o número de alunos vai crescer substancialmente no próximo ano letivo e tudo estará pronto para os receber. “O ensino no Vale do Âncora está de parabéns”, sublinha Miguel Alves.

Escola VPA.jpg

Para o presidente da Câmara, que ontem visitou a escola na companhia da diretora do Agrupamento, a professora Maria Esteves, para se inteirar do andamento das obras, “o trabalho que o Agrupamento fez neste último ano é extraordinário. Todos colaboraram: alunos, pais, professores, funcionários, todos, em conjunto com a autarquia, trabalhamos para que a nova Escola Secundária pudesse dar respostas num contexto particularmente difícil”.

Miguel Alves recorda que “a escola teve obras no ano passado e volta a ter obras este ano. Tem três novas salas, uma nova área coberta, mais condições para mais alunos. Vila Praia de Âncora tem ensino Secundário público e a população tem uma boa escola que deve cuidar”.

No ano passado foram investidos no mesmo estabelecimento de ensino cerca de 185 mil euros, que incluíram a construção de dois laboratórios e a retirada das placas de amianto da cobertura, entre outros melhoramentos. Esta intervenção aconteceu na sequência da decisão, por parte da Ancorensis de encerrar, que seria tomada no final de agosto e já muito próximo do início do ano letivo.

Entretanto, e pela primeira vez na história de Vila Praia de Âncora, estava já assegurado que a oferta da escola pública iria incluir o Ensino Secundário.

A escola ganhou

Apesar de tudo, e da garantia por parte do Agrupamento, de que haveria condições no concelho para receber todos os estudantes, alguns alunos da cooperativa saíram e, pelo menos a grande maioria, regressará já este ano letivo. Para o presidente da Câmara, “o ensino no Vale do Âncora está de parabéns. A escola das nossas crianças ganhou à politicazinha de uns poucos adultos”.

Também a professora Maria Esteves garante que, no próximo ano letivo, haverá ainda melhores condições para receber todos os alunos. Além das novas salas, amplas e acolhedoras, a área de espaço de recreio coberto vai aumentar face ao que existia antes das obras. Esta era uma preocupação da comunidade educativa, uma vez que as três novas salas de aula vieram ocupar espaço que antes era de recreio.

A diretora do Agrupamento explica que o novo recinto coberto, além de ser maior, é também mais abrigado e menos exposto em dias de vento.

O ruído era outra preocupação, por causa dos intervalos entre aulas desencontrados, questão agora substancialmente minimizada por causa do isolamento acústico que o Agrupamento vai implementar.

Tudo junto, garante a diretora, fará com que a escola esteja devidamente preparada para o crescimento previsto e em muito boas condições para receber todos os alunos. Prevê-se que todas as obras fiquem concluídas nos primeiros dias de setembro, para que o ano letivo comece com toda a tranquilidade no dia 13.

Escola VPA1.jpg

Escola VPA2.jpg

Escola VPA3.jpg

MAR DE GENTE ENCHE PRAÇA DA REPÚBLICA EM VILA PRAIA DE ÂNCORA PARA ASSISTIR À INAUGURAÇÃO DO ÂNCORA FOLK’17

A Praça da República em Vila Praia de Âncora foi ontem à noite pequena para acolher o mar de gente que ali afluiu para assistir ao espectáculo de abertura do “ÂNCORA Folk’17”, um grandioso festival de folclore que teve como cenário a fachada da capela da Nossa Senhora da Bonança, padroeira dos pescadores desta típica vila minhota do concelho de Caminha.

DSCF5073.JPG

O espectáculo decorreu até à 1 hora da madrugada e o público não arredou pé nem regateou o aplauso aos grupos participantes.

CapturarPolonia.PNG

Este festival é organizado pelo Grupo Etnográfico de Vila Praia de Âncora e contou este ano com representações da Polónia, Espanha e Ossétia do Norte-Alânia (Rússia), respectivamente os grupos “The Slowianki Ensemble”, “Grupo Municipal Virgen del Mar” de Almeria e “Youth Dance Ensemble ARFAN”.

O “ÂNCORA Folk’17” prossegue com a realização de espectáculos hoje na Praça Conselheiro Silva Torres em Caminha, amanhã junto à Igreja de Âncora e, no dia 13, no Cine-Teatro dos Bombeiros Voluntários em Vila Praia de Âncora.

CapturarOssetia.PNG

DSCF5039.JPG

DSCF5040.JPG

DSCF5044.JPG

DSCF5048.JPG

DSCF5065.JPG

 

DSCF5079.JPG

DSCF5092.JPG

DSCF5093.JPG

DSCF5100.JPG

 

DSCF5104 (1).JPG

DSCF5118.JPG

DSCF5138.JPG

DSCF5140.JPG

DSCF5142.JPG

DSCF5149.JPG

DSCF5165.JPG

DSCF5178.JPG

DSCF5205.JPG

DSCF5215.JPG

DSCF5219.JPG

DSCF5233.JPG

 

PROJETO DE PRESERVAÇÃO DAS GENTES E MEMÓRIAS DA PESCA DO BACALHAU ENRIQUECIDO COM NOVO LIVRO E EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

As “marcas” são o tema da edição 2017 de “Viagens à Terra Nova”

A Praça da República, em Vila Praia de Âncora, encheu-se de gente na tarde do passado sábado, para assistir ao lançamento de um novo livro, no âmbito do projeto “Viagens à Terra Nova”. Trata-se de uma iniciativa lançada pelo Município há três anos, como forma de homenagem aos pescadores da faina do bacalhau, mas também de preservação deste importante pedaço da história do concelho. Uma exposição de fotografias complementa o programa da edição 2017.  

3M1A7630.jpg

Depois do lançamento, em 2016, de “Viagens à Terra Nova. Memórias de um Tempo”, as investigações desenvolvidas pela autora e funcionária da Câmara Municipal, Aurora Rego, abriram novas pistas e o Município decidiu avançar com um novo projeto literário, que se materializou agora com “Viagens à Terra Nova II (Marcas)” e com uma interessante exposição de fotografias, da autoria dos fotógrafos António Manuel Garrido Barreiros e Jorge Simão Meira, que também participam na edição.

O livro é, aliás, um trabalho conjunto dos três autores, assinando Aurora Rego a parte de escrita, enquanto a cerca de meia centena de fotos pertence aos dois fotógrafos. Esta é uma edição municipal, com mais de duas centenas de páginas, com fotos a cores, atuais, captadas expressamente para este projeto. Os protagonistas são 52 pessoas, entre pescadores e mulheres (esposas e viúvas).

A exposição, patente numa sala do antigo edifício da Assembleia Ancorense, na Praça da República, poderá ser visitada até ao dia 10 de setembro.

Recorde-se que a investigação iniciada em 2014 identificou mais de 700 pescadores do concelho que andaram na pesca do bacalhau, nos mares gelados da Terra Nova. Os livros e as exposições, assim como outras iniciativas, são a forma encontrada pelo Executivo para preservar e enriquecer, para memória presente e futura, um espólio que se encontrava disperso e em risco de desaparecer.

“Viagens à Terra Nova – Memórias da Pesca do Bacalhau”, como foi inicialmente designado, é um projeto que visa a valorização da atividade piscatória ao nível do legado histórico da pesca do bacalhau nos mares da Terra Nova.

3M1A7640.jpg

3M1A7800.jpg

3M1A7802.jpg

3M1A7807.jpg

3M1A7823.jpg

3M1A7835.jpg

ESPAÇO DO DÓLMEN DA BARROSA RECEBE ANTOLOGIA DE OPERETA

Coro Sinfónico Inês de Castro, Orfeão de Vila Praia de Âncora e Orquestra do Norte juntos num grande concerto

O Coro Sinfónico Inês de Castro, o Orfeão de Vila Praia de Âncora e a Orquestra do Norte juntaram-se na noite de ontem para um grande concerto. “Antologia de Opereta” promete oferecer um espetáculo de excelência, num local emblemático do concelho, o Dólmen da Barrosa, em Vila Praia de Âncora, cujo espaço envolvente foi recuperado pela Câmara Municipal, permitindo a realização de eventos, mas tornando-o também seguro e aprazível para a comunidade e turistas.

Coros de Verdi.jpg

“Antologia de Opereta” inclui Bizet – Carmen, Prélude de Aragonaise, Intermezzo, Séguidille, Les Dragons D`Alcalá,  Les Toréadores e Chabrier – Espanha. Para interpretar as obras teremos, como referido atrás, o Coro Sinfónico Inês de Castro, o Orfeão de Vila Praia de Âncora e a Orquestra do Norte, sendo a direção artística de José Ferreira Lobo.

A organização deste grandioso evento é partilhada pelo Orfeão de Vila Praia de Âncora e pela Câmara Municipal de Caminha.

A envolvente ao Dólmen da Barrosa tornou-se um espaço de eleição com a concretização da obra realizada pela Câmara municipal no âmbito do Orçamento Participativo. Desta intervenção resultou um espaço fantástico, que veio regenerar urbanisticamente um belíssimo parque, devolvendo-o às pessoas.

O espaço foi já palco de um espetáculo extraordinário, um concerto coral sinfónico com “Coros de Verdi”, que juntou o Coro do Liceo de Vilagarcia de Arosa, o Coro Sinfónico Inês de Castro, o Orfeão de Vila Praia de Âncora e a Orquestra do Norte. “Música à Volta do Dólmen”, integrado nas comemorações do aniversário de Vila Praia de Âncora, foi um grande momento de cultura, tendo sido organizado pela Câmara Municipal de Caminha, com o apoio do Orfeão de Vila Praia de Âncora.

No ano passado, a Câmara Municipal também escolheu o Dólmen da Barrosa para iluminar, no âmbito do Dia Internacional Cidades pela Vida – Cidades Contra a Pena de Morte 2016, conferindo-se prestígio e visibilidade.

Recorde-se que o executivo resolveu recentemente os problemas pendentes há muitos anos sobre a Quinta da Barrosa, onde se situa o monumento megalítico, negociando com os herdeiros e pagando o valor acordado, altura a partir da qual o espaço passou a integrar realmente o património municipal.

O Dólmen da Barrosa foi objeto de classificação, como "Monumento Nacional", logo em 1910, certamente por constituir o maior e mais bem preservado monumento megalítico de todos quantos foram identificados até à data no Vale de Âncora. A intenção da Câmara é dar-lhe ainda mais centralidade, enquanto porta do megalitismo na região.

Dolmen.jpg

“VIAGENS À TERRA NOVA” CENTRA-SE ESTE ANO NA SIMBOLOGIA DAS TATUAGENS DOS PESCADORES E NOS MEDALHÕES USADOS PELAS MULHERES

Um novo livro e uma exposição dão continuidade ao projeto de homenagens aos homens do mar e à preservação do espólio e da memória. Apresentação da obra e inauguração de mostra, sábado, às 17h00, na Praça da República, em Vila Praia de Âncora.

Capa.PNG

“Marcas” é o tema da edição 2017 de Viagens à Terra Nova, um evento lançado há três anos, com um duplo objetivo: homenagear os mais de 700 pescadores do concelho que andaram na pesca do bacalhau nos mares gelados da Terra Nova e preservar e enriquecer, para memória presente e futura, um espólio que se encontrava disperso e em risco de desaparecer. No próximo sábado, dia 5 de agosto, será lançado um novo livro e inaugurada uma exposição de fotografias. “Viagens à Terra Nova – Marcas” é o tema, e a sessão terá lugar pelas 17h00, na Praça da República, em Vila Praia de Âncora. A organização é da Câmara Municipal de Caminha.

Consciente da importância deste pedaço da história do concelho, a Câmara Municipal iniciou este trabalho em 2014. “Viagens à Terra Nova – Memórias da Pesca do Bacalhau”, como foi inicialmente designado, é um projeto que visa a valorização da atividade piscatória ao nível do legado histórico da pesca do bacalhau nos mares da Terra Nova. A iniciativa começou com a vinda a Caminha de Jean-Pierre Andrieux, autor do livro ‘The White Fleet – A History of Portuguese Handliners’, que retrata a pesca artesanal de bacalhau por portugueses nas águas da Terra Nova.

Sendo certo que a relação dos portugueses com a Terra Nova é secular e carrega consigo muitas memórias de aventuras da faina, a Câmara Municipal de Caminha quis prestar uma homenagem aos pescadores da terra, pela bravura demonstrada e pelas lutas travadas nos bancos gelados, mas foi muito mais longe.

Além das inúmeras iniciativas promovidas, que imortalizaram esta faina, no ano passado foi lançado o livro “Viagens à Terra Nova. Memórias de um Tempo”, da autoria de Aurora Botão Rego, investigadora e funcionária da Câmara. A edição municipal foi uma homenagem aos 740 pescadores, profissionais da Faina Maior.

Novas histórias, novas pistas, um novo livro

Durante a investigação surgiram novas informações e novas pistas e nasceu também um novo projeto, que a Câmara decidiu levar por diante “Na sequência do livro ‘Viagens à Terra Nova. Memórias de um Tempo’ decidimos agora aprofundar algumas práticas e tradições associadas que, devido ao seu caráter iminentemente simbólico, merecem uma análise mais detalhada”, refere a autora, que realizou este projeto com os fotógrafos António Manuel Garrido Barreiros e Jorge Simão Meira, os autores de mais de meia centena de fotografias que constituem a exposição, assim como da esmagadora maioria das fotos que constam do novo livro. 

Meia centena de “protagonistas”

Aurora Rego explica que a presente publicação - “Viagens à Terra Nova II (Marcas)” -  é centrada nas tatuagens dos pescadores e nos medalhões usados por esposas e viúvas, “imagens magistralmente captadas pelo olhar sensível de António Manuel Garrido Barreiros e de Jorge Simão Meira”.

“À superfície, os objetos de estudo pareciam de fácil compreensão. Porém, deparámo-nos com um universo surpreendentemente complexo de contextos, simbologias e emoções a que não poderíamos ficar indiferentes. Este trabalho é dedicado às Marcas deixadas pelas saudades, pelas ausências e fugazes permanências, pelos encontros e desencontros das vidas ligadas ao bacalhau. É dedicado ao amor que unia um homem e uma mulher separados pela imensidão do oceano, ao medo que se vivia em cada margem desta fronteira líquida, espessa e prenhe, seja de inclemências seja de novas gentes, paisagens e auroras boreais”, conclui Aurora Rego.

O livro, uma edição municipal, tem mais de duas centenas de páginas, com fotos a cores, atuais, captadas expressamente para este projeto. Os protagonistas são 52 pessoas, entre pescadores e mulheres (esposas e viúvas).

A exposição poderá ser visitada até ao dia 10 de setembro.

SÁB 05 AGOSTO

17H00  

VIAGENS À TERRA NOVA

APRESENTAÇÃO DE LIVRO E INAUGURAÇÃO DE EXPOSIÇÃO

“Viagens à Terra Nova – Marcas”

Local: Praça da República - Vila Praia de Âncora

Organização: Câmara Municipal de Caminha

A MAGIA DO FADO ESTÁ DE VOLTA AO FORTE DA LAGARTEIRA JÁ NO PRÓXIMO FIM DE SEMANA

Fado Forte traz Bruno Alves, Maria Emíla, Marla Amastor e Camané a Vila Praia de Âncora

Bruno Alves, Maria Emíla, Marla Amastor e Camané são os protagonistas de mais uma edição do Fado Forte, a decorrer já no próximo fim de semana, enchendo as noites de sábado e de domingo. São dois espetáculos, ambos com início marcado para as 21h30, no Forte da Lagarteira, em Vila Praia de Âncora. A entrada é livre.

Forte da Lagarteira.jpg

A Câmara de Caminha volta a apostar em grandes nomes do fado, trazendo a Vila Praia de Âncora quatro fadistas credenciados e talentosos, de que se destaca o incontornável Camané, considerado pela crítica como uma das vozes mais representativas da nova geração do fado.

Maria Emília nasceu em São Paulo, Brasil, mas sempre esteve em “comunhão” com o fado. Depois de algumas “viagens”, regressou a Portugal e deu início à sua carreira de fadista. Atuou nas casas de fado mais emblemáticas, mas também em diversos países, como Brasil, Espanha, Suíça e Bélgica.

Marla Amastor é uma voz que dispensa apresentações e que regressa ao nosso concelho, onde encantou. Marca novamente presença, depois de ter impressionado com a sua prestação durante a edição de 2016.

Bruno Alves é mais uma voz bem conhecida dos espaços onde o fado aquece o ambiente, interpretando com competência esta expressão artística portuguesa, que é Património Imaterial da Humanidade.

O cenário do Forte da Lagarteira continuará a ser o local de eleição para este evento. Situa-se em pleno Portinho de Vila Praia de Âncora e já acolheu o evento. A gestão cultural do espaço cabe agora à Câmara. Abriu ao público no passado dia 1 de junho e, no primeiro momento, “contou” a sua história e as circunstâncias em que foi construído. 

A fortaleza tem um grande significado para a população e para o concelho, como sinal de afirmação da comunidade e do território. O imóvel esteve até aí fechado e sem qualquer utilização, a não ser esporádica.

 

SAB 05 AGOSTO / 21H30

BRUNO ALVES | MARIA EMÍLIA

Local: Forte da Lagarteira, Vila Praia de Âncora

Organização: Câmara Municipal de Caminha

 

DOM 06 AGOSTO / 21H30

MARLA AMASTOR|CAMANÉ

Local: Forte da Lagarteira, Vila Praia de Âncora

Organização: Câmara Municipal de Caminha

ENCONTRO TEAM APOSTA EM REFORÇAR LIDERANÇA NO RALI DE FAMALICÃO

Depois da estreia do Mitsubishi Lancer Evo III em Fafe no mês passado, Cláudio Ornelas e Miguel Castro vão este fim-de-semana regressar ao ativo marcando presença no Rali de Famalicão, prova pontuável para o Troféu CIN 2017. A dupla do Encontro Team, que se irá manter a bordo do Evo, espera atingir dois principais objetivos para esta prova e que passam por mostrar uma melhor adaptação e competitividade com o carro, tentando conseguir o melhor resultado possível a pensar nas contas do Troféu.

_DRF5604.jpg

Atual líder da Classe X3, Cláudio Ornelas mostra-se motivado para este rali, embora tenha consciência que não será um desafio fácil: “já disputei este rali em 2016 e é uma prova de que gosto bastante. Apesar do formato da prova deste ano ser bastante diferente do habitual, creio que o tipo e diversidade de classificativas que o Team Baia nos propõe é um fator aliciante pelo desafio que se afigura.

Não será um rali fácil, será preciso estar muito concentrados ao longo de todo o rali porque são 7 troços diferentes obrigando-nos a ter um grande cuidado com as notas e esse aspeto pode fazer a diferença no resultado final.

Queremos obviamente terminar o rali mas vamos tentar dar o nosso melhor para amealhar o máximo de pontos possível para o Troféu CIN, particularmente para a nossa Classe. Estamos motivados e esperamos também ter resolvido os pequenos problemas que o carro acusou na prova anterior para que possamos sair de Famalicão satisfeitos”, resume o piloto de Vila Praia de Âncora.

Organizado pelo Team Baia, o Rali de Famalicão sai para a estrada pelas 17 horas do próximo sábado, disputando-se 3 classificativas antes da dupla passagem pela Super Especial noturna de Fradelos.

No dia seguinte, os concorrentes terão pela frente mais 3 classificativas estando o final do rali agendado para pouco depois do meio-dia.

IMG_6847.jpg

RN01Mondim17052.jpg

CAMINHA: PROCURA DOS POSTOS DE TURISMO DO CONCELHO SUBIU 29% NO PRIMEIRO SEMESTRE DESTE ANO

 

 Crescimento confirma o sucesso da estratégia municipal, traz gente a todo o concelho e cria emprego

Festival Vilar de Mouros.jpg

O número de turistas que passaram pelos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora voltou a subir e aumentou 29% no primeiro semestre de 2017 relativamente ao mesmo período do ano passado. Estes números vêm confirmar a forte dinâmica que está a viver aquele que é o principal setor da economia do concelho, assim como as estratégias que têm sido desenvolvidas pelo município, sobretudo nas áreas da programação de lazer e cultural, de comunicação, mas também fiscal.

Acompanhando a visibilidade e a preferência que tem sido dada ao concelho a nível nacional e internacional por vários organismos ligados ao setor do Turismo, os números oficiais vêm agora tirar quaisquer dúvidas que ainda subsistissem. De facto, já são conhecidos os primeiros números do turismo de 2017 e o número de turistas que passaram pelos Postos de Turismo do concelho de Caminha aumentou 29% no primeiro semestre de 2017 relativamente ao mesmo período do ano passado.

“Neste momento creio que ninguém tem dúvidas sobre o dinamismo da economia do concelho de Caminha, especialmente em tudo o que gira em torno do Turismo. Apostamos forte nesta indústria e os resultados são claros e muito favoráveis. Boa programação cultural, eventos de grande qualidade, uma politica fiscal que favoreça a compra da segunda habitação e uma política de comunicação forte e eficaz são parte de uma estratégia que tem vindo a dar certo com o contributo das empresas e dos cidadãos”, afirma o presidente da Câmara, Miguel Alves.

Esta subida confirma o movimento de crescimento do número de turistas que vinha sendo apresentado e pode ser um indicador de que o número de dormidas, depois do ano recorde de 2016, poderá vir, também, a aumentar. Recorde-se que o número de dormidas nas unidades hoteleiras do concelho de Caminha, em 2016, cresceu 37% face ao ano anterior. Um resultado considerado “histórico”, nas palavras do próprio presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira, mas que foi também um recorde ao nível do país e de toda a Região Norte.

No primeiro semestre foram atendidos nos Postos de Caminha e Vila Praia de Âncora 7964 pessoas (4180 em Caminha e 3784 em Vila Praia de Âncora). Nota a salientar é o incremento do peso relativo de turistas estrangeiros no nosso concelho. Há dois anos, os turistas estrangeiros representavam já 59% do total de turistas; no primeiro trimestre deste ano, os estrangeiros representam 66% do total de visitantes aos Postos de Turismo. O destaque vai para os turistas oriundos de Espanha (23%), França (12%), Alemanha (9%) e Reino Unido (7%).

Entre outras distinções ao nível do Turismo, recorde-se que a Trivago colocou este ano Caminha no Top 10 dos destinos de praia em Portugal. As praias do concelho são um dos 10 destinos-tendência para este verão, sendo o quinto destino com maior crescimento na procura nos últimos anos. A Trivago selecionou as “10 praias secretas que vão virar moda” e diz sobre o concelho: “Rumamos agora ao distrito de Viana do Castelo, para uma paragem em Caminha – o único destino do Norte a alcançar um lugar nos destinos de praia em ascensão. Mas é difícil perceber porquê. Das praias marítimas e fluviais, às festas tradicionais e fantástica gastronomia, Caminha tem tudo para umas férias de verão inesquecíveis”.

Agora, a confirmação da cada vez maior procura dos Postos de Turismo é mais um fator: “temos que continuar o nosso caminho! Este crescimento que traz gente e cria emprego não pode voltar para trás”, conclui Miguel Alves.

_DSC0042 (1).jpg