Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIANA DO CASTELO EXPÕE ROSTOS DO NOSSO POVO

2.AGOSTO.2017 Centro Cultural de Viana do Castelo. Apresentação da Exposição Rostos do Novo Norte

A CCDR-N, enquanto Autoridade de Gestão do "ON.2 - O Novo Norte" (Programa Operacional Regional do Norte 2007/2013), promove, em parceria com Câmara Municipal de Viana do Castelo, a 2 de agosto, pelas 18h00, no Centro Cultural de Viana do Castelo, a inauguração da exposição itinerante "O Norte somos nós - Rostos de um Novo Norte".

image001 (3).png

A exposição destaca-se de uma campanha de comunicação que marca o encerramento de um ciclo comunitárioresponsável pela aplicação de um envelope financeiro muito significativo na Região, no contexto dos fundos da União Europeia e do QREN.

Tendo presente o bom desempenho dos responsáveis pelos investimentos efetuados e a importância dos seus beneficiários, que juntos conduzirão a Região para um patamar mais competitivo, a exposição reúne uma amostra de testemunhos dos cerca de 3.500 beneficiários do ON.2 e é concebida com uma forte presença de espelhos de modo a que os visitantes se sintam parte do universo de pessoas apoiadas pelos fundos europeus.

TURISMO DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL QUER PRAIAS NATURISTAS – EM VIANA DO CASTELO, CARREÇO DIZ “NÃO” À LEGALIZAÇÃO DO NUDISMO NA PRAIA DE PAÇÔ

O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal defendeu hoje a criação de praias naturistas legalizadas na região, fazendo a apologia da formação de associações e negando que este seja um destino conservador.

SL.jpg

"Defendo claramente que haja praias legalizadas no Norte de Portugal e que as associações se unam para fazer esse trabalho, porque são públicos muito interessantes e importantes para a promoção do nosso território", declarou Melchior Moreira a no âmbito da inexistência de praias naturistas legalizadas na região.

Uma das razões que a Federação Portuguesa de Naturismo aponta para o facto de não haver um areal legalizado para a prática de naturismo, e apenas haver uma praia -- Estela - onde é tolerado fazer nudismo, é o facto de a região ser conservadora e tradicional.

O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) nega que a região seja um "destino conservador".

"Não somos um destino conservador, muito pelo contrário. Temos revelado ser uma região muito aberta à evolução social e religiosa. Temos todas as condições para receber, da melhor forma, novas opções turísticas e nichos de mercado", sustentou aquele responsável.

Na região Norte de Portugal o único espaço onde é tolerado o "uso e costume naturista (práticas de vida em que é utilizado o nudismo), é a Praia da Estela, no concelho da Póvoa de Varzim, distrito do Porto.

Entretanto, a Federação Portuguesa de Naturistas admite pedir a oficialização da prática de nudismo na Praia de Paçô, em Carreço, Viana do Castelo, mas a Junta de Freguesia local já garantiu que a resposta será "não".

"Não aceitamos, está fora de questão. Terminante e irredutivelmente", disse, à Lusa, o presidente da Junta de Freguesia de Carreço.

Segundo Viana da Rocha, se aquele pedido for oficializado terá de haver a respetiva discussão pública e "aí a população de Carreço dará a resposta adequada: não, não e não".

"Não estamos disponíveis para essas práticas", sublinhou o autarca.

Emília Paiva, da direção da Federação Portuguesa de Naturistas, disse hoje à Lusa que os responsáveis daquele organismo vão fazer, ao longo deste verão, visitas às praias do norte de Portugal "onde já é habitual" a prática nudista, para se inteirarem das condições e posteriormente selecionarem as que serão objeto de pedido de oficialização.

"Sabemos que na praia de Paçô há muito que se pratica o naturismo, tanto por portugueses como por espanhóis, sabemos que é uma praia muito bonita e, como tal, essa é uma das que podem integrar a lista do nosso pedido", referiu.

Trata-se de uma zona isolada entre a praia de Paçô e a praia da Mariana, separada por rochas e de fácil acesso, onde é frequente a prática nudista.

Houve já mesmo quem tivesse pintado a palavra "nudista" numa rocha, como que para demarcar a área.

Segundo aquela responsável, "é muito importante" que o Norte disponha de uma praia naturista devidamente oficializada, porque "a procura é muita".

Em Portugal, existem sete praias naturistas oficiais: Alteirinhos (Odemira), Adegas (Aljezur), Barril (Tavira), Belavista (Almada), Meco (Sesimbra), Salto (Sines) e Ilha Deserta (Faro).

"Ficam todas a sul do rio Tejo", notou Emília Paiva, admitindo que esta realidade se possa ficar a dever a uma mentalidade "mais conservadora" das populações do Norte.

Fonte: LUSA / Foto: Federação Portuguesa de Naturismo

VIANA DO CASTELO TEM OITO PRAIAS COM BANDEIRA AZUL

unnamed (1).png

São oito as praias com bandeira azul em Viana do Castelo:

Afife, Arda/Bico, Paçô, Carreço, Norte, Cabedelo, Amorosa e Castelo de Neiva

O QUE É A BANDEIRA AZUL?

A Bandeira Azul é um símbolo de qualidade, um galardão que é atribuído anualmente às praias e marinas que se candidatam e que cumpram um conjunto de critérios de natureza ambiental, de segurança e conforto dos utilizadores da praia e de informação e sensibilização ambiental.

GABI BUARQUE ATUA EM VIANA DO CASTELO

20246472_10207451289079233_8585297393635389506_n.jpg

Nascida na cidade do Rio de Janeiro, Gabi Buarque, cantora, compositora e instrumentista, mostrou-se geminiana desde cedo. Herdou de sua mãe o dom de desenhar e improvisar soluções com pouco material. Ganhou aos 11 anos uma poesia de seu pai, engenheiro e professor, que lhe ensinou a batalhar pelos seus sonhos com perseverança e cautela.

12961560_1189765687710853_439605870102908032_n.jpg

arte sempre esteve presente na sua vida. Os passeios culturais em família, teatro, dança, folclore, pintura e as férias no sítio dos avós serviriam mais tarde de inspiração para suas canções. E foi no coral do colégio que Gabi entoou suas primeiras notas, desde então a música caminha a seu lado.

Aos 17 anos Gabi Buarque começa a cantar profissionalmente, inicia a faculdade de Desenho Industrial e o Curso Técnico de Canto Popular. Não faltou muito pra que a música falasse mais alto. No entanto, concluiu ambos os cursos e desde esta época só vive de música: gravações, shows, eventos e aulas de canto.

“A minha música é um espelho do que ouço, vejo, sinto, penso e vivo.” O processo de composição surge por influência de amigos da Escola Portátil de Música, um ambiente com profusão de encontros musicais. Ali também desenvolve seu violão e cavaquinho, além do canto de samba-choro. A escrita veio depois, através do livro “Água Viva” de Clarice Lispector que lhe apontou a poesia em prosa, o fluxo de ideias e o nome do seu primeiro cd.

Em 2011, Gabi lança o cd autoral “Deixo-me acontecer”, produzido em parceria com Mig Martins. A diversidade de ritmos O cd recebe crítica favorável do jornal O Globo e Tribuna de Minas. Os shows de lançamento contaram com as participações de Hermínio Bello de Carvalho, Marcos Sacramento, Alfredo Del Penho e Pedro Miranda.

Em turnê internacional com o segundo cd “Fiandeira”, a cantora e compositora carioca apresentou-se nas cidades de Tóquio, Saitama, Shin-Yurigaoka e Yokohama (Japão, 2016). Citado na Lista de Melhores CDs de 2015 pelas revistas japonesas LATINA e FÍGARO, “Fiandeira” foi lançado no Rio de Janeiro, Manaus e Belém, com participações de Jaques Morelenbaum, Marcos Sacramento e Socorro Lira, em novembro de 2014. Com crítica favorável do Jornal O Globo e participação no Programa “Sr. Brasil” – TV Cultura SP.

Prêmio Grão de Música pela canção “Roda de Coco” (2014), Prêmio de 2º lugar no Festival Samba e Petiscos em Miraí-MG pelas canções “Alguidar”(2013) e “Gafieiríssima”(2014), Troféu de Melhor Intérprete no Festival das Rádios Públicas do Brasil pela canção ”Sofro, Sim” (2010). A canção “Lea” é trilha sonora do filme “Ibiti, o que?” (2015).

Além do seu trabalho autoral, a cantora também participa de projetos que integram música e poesia. Em 2015, Gabi Buarque foi convidada a prestar uma homenagem aos 50 anos de carreira de Maria Bethânia, ao lado do pianista Tomás Improta. No repertório, canções consagradas na voz da intérprete, além de poemas de Hilda Hilst, Florbela Espanca, Maria Rezende, Alice Ruiz. Apresentações no Sesc Tijuca, Centro de Referência da Música Carioca, Iate Clube, Livraria Arlequim e Espaço Roda D’Água (Cabo Frio).

Criadora do espetáculo “Gabi Buarque canta Chico, versos de Fernando Pessoa”, apresentado em São Luis do Maranhão, no Teatro da Cidade, Manaus (AM) no projeto Tacacá na Bossa, no SESC Engenho de Dentro, SESI de Jacarepaguá, Vicente de Carvalho, Macaé, Forte de Copacabana, Livraria Arlequim e Rádio MEC.

Idealizadora e roteirista, juntamente com Carla Vergara, do projeto baseado na obra de Manoel de Barros, “Música para Manoel” – poesia, música, dança e teatro em manoelês – com apresentações no Espaço Nirvana, Clark Art Center, Livraria Arlequim e Teatro SESI – Centro.

Como integrante do Bloco Mulheres de Chico por 3 anos, se apresentou para mais de 100 mil pessoas no desfile de carnaval nas Praias do Leblon e Leme, Viradão Carioca, Circo Voador, Teatro Rival, Bar do Tom, além de fazer turnês pelo país.

Fonte: http://gabibuarque.com.br/

VIANA DO CASTELO REALIZA CONCURSO DE FOTOGRAFIA

O Centro de Mar de Viana do Castelo lança hoje, dia 12 de julho, o 1º concurso de fotografia subordinado ao tema“Viana e o Mar 2017”, destinado a fotógrafos profissionais e amadores.

Este concurso tem como objetivo promover a cultura e as tradições marítimas de Viana do Castelo, propondo um olhar documental ou artístico sobre as zonas costeiras e ribeirinhas, turismo balnear, desportos náuticos, atividades económicas e as gentes ligadas ao mar.

Os interessados em participar devem requerer o regulamento através do email:

cmarapoio@cm-viana-castelo.pt

unnamed.png

GRUPO ETNOGRÁFICO DA AREOSA VENCE GRANDE PRÉMIO EM FESTIVAL NA LITUÂNIA

O Grande Prémio do VII Festival Flower of the Sun que decorreu durante 6 dias em Šiauliai, na Lituânia, foi atribuído ao Grupo Etnográfico de Areosa (GEA), de Viana do Castelo, Portugal.

primeiro prémio Melhor Grupo de Dança Tradicional.jpg

O certame reuniu grupos de 12 países: Brasil, EUA, Polónia, Finlândia, Letónia, Portugal, Ucrânia, Turquia, Rússia, Índia, Eslováquia e Lituânia (4 grupos), sendo que os EUA, o Brasil e Portugal se apresentaram pela primeira vez.

Contudo, este não foi o único prémio atribuído ao grupo português: no terceiro dia do Festival os músicos do Grupo Etnográfico de Areosa venceram o primeiro prémio na categoria de Melhor Agrupamento Instrumental, no quarto dia, o Grupo venceu na categoria de Melhor Grupo de Dança Tradicional e no sexto e último dia do festival, para além de ser distinguido com a honra de o encerrar, recebeu com surpresa o Grande Prémio Final.

primeiro prémio na categoria de Melhor Agrupamento Instrumental.jpg

O presidente do Grupo Etnográfico de Areosa, Alberto Rego, referiu que todo o agrupamento viveu dias empolgantes na Lituânia, onde encontraram uma população que sempre dedicou aos portugueses gestos de simpatia e uma enorme curiosidade por saberem mais sobre o folclore português e, em especial, sobre o traje à vianesa.  

Em comunicado, o Festival declarou que o GEA foi um dos mais ativos, alegres e cativantes grupos do Festival, e que o público sempre aplaudiu efusivamente este agrupamento a quem reconheceu a fidelidade às tradições, mas também uma enorme simpatia e jovialidade.

Recorda-se que este é já o segundo grande prémio internacional arrecadado pelo Grupo Etnográfico de Areosa, que este ano comemorou 51 anos, uma vez que, no ano 2000, o GEA também foi o primeiro classificado no Festival Città di Agrigento, em Itália.

photo by Edvardas Tamosiunas.jpg

photo by edvardas tamosiunas1.jpg

photo by edvardas tamosiunas2.jpg

primeiro prémio Melhor Grupo de Dança Tradicional 2.jpg

VIANENSES CAMINHAM DE PADRÓN A SANTIAGO DE COMPOSTELA

PASSOS DE MEMÓRIA - CAMINHOS DE SANTIAGO - Caminho Português da Costa | 22 de julho: Etapa Padrón - Santiago de Compostela 

No dia 22 de julho realiza-se mais um percurso “Passos de Memória”, desta vez com a realização da décima e última etapa dos Caminhos de Santiago - Caminho Português da Costa - o percurso entrePadrón – Santiago de Compostela (apróx. 25 Km),iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, no âmbito do projeto de Valorização dos Caminhos de Santiago - Caminho Português da Costa.

O ponto de encontro, no dia 22 de julho, será o Centro Cultural de Viana do Castelo, às 8h00. A autarquia disponibiliza autocarro para transporte dos participantes até ao ponto de início da caminhada e para o retorno a Viana do Castelo no final da mesma.

O Caminho Português a Santiago é o segundo percurso mais percorrido, a seguir ao Francês, e tem registado um crescimento consolidado com crescente interesse nacional e internacional. No concelho de Viana do Castelo, estão alguns dos mais importantes marcos deste caminho, designadamente, na Igreja de Santiago de Castelo do Neiva, onde foram encontrados, em 1931, durante a realização de obras na igreja paroquial, dois importantes documentos arqueológicos: uma ara votiva do período romano, dedicada às divindades dos caminhos e a inscrição altimedieval de consagração da Igreja a Santiago, datada do ano 862, incrustada na parede sul da igreja, sendo a consagração mais antiga ao apóstolo feita fora do território espanhol. 

Mais informação em: http://www.cm-viana-castelo.pt/pt/caminhos-de-santiago-caminho-portugues-da-costa

Inscrições limitadas.

A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição através do preenchimento de um formulário disponível online através do link: http://www.cm-viana-castelo.pt/pt/passos-de-memoria-inscricao

Para efetuar a inscrição na Caminhada do dia 22 de julho, o formulário encontra-se disponível a partir do dia 14 de julho (quinta-feira)às 13h00.

Dados a indicar no formulário de inscrição:

Nome completo

Data de nascimento

Número de Identificação Fiscal (NIF)

Concelho de residência

Telemóvel

E-mail

Mais informações através do telefone: 258 809 350 ou do e-mail: sturismo@cm-viana-castelo.pt

Consultar aqui Plano de Percursos 2017

Os percursos, que são um excelente modo de conhecer o património cultural e natural do município, além de promover o exercício físico, permitirão conhecer locais com paisagens deslumbrantes. Use sempre equipamento de acordo com a estação do ano, como impermeável, chapéu, calçado e vestuário adequado. Privilegie a água e a fruta nos seus mantimentos.

Caminhe connosco por estes passos de memória …

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS APRESENTA LIVRO SOBRE "NAUFRÁGIOS NO MAR DE VIANA"

Apresentação do livro Naufrágios no “Mar de Viana”, de Manuel de Oliveira Martins, editado pelo Centro de Estudos Regionais

No próximo dia 15 de julho (sábado), o Centro de Mar - Centro de Interpretação Ambiental e de Documentação do Mar, a funcionar no Navio Gil Eannes, às 19.00 horas, acolhe o lançamento do livro “Naufrágios no Mar de Viana“, de Manuel de Oliveira Martins. A apresentação estará a cargo de José Carlos Loureiro, presidente do Centro de Estudos Regionais e prefaciador do livro.

“Naufrágios no Mar de Viana“ é um livro de memórias e histórias, editado pelo Centro de Estudos Regionais e composto por mais de trezentas páginas, com arranjo gráfico de Rui Carvalho. O livro é patrocinado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo. O seu conteúdo incide essencialmente sobre sinistros marítimos ocorridos durante os séculos XIX e XX na zona geográfica compreendida entre a foz do rio Minho e os Cavalos de Fão, um pouco a sul de Esposende, a que os pescadores chamam «Mar de Viana».

O autor procurou narrar os acontecimentos trágicos ocorridos naquele período nessa zona, acrescentando-lhe um pouco da história dos socorros a náufragos, uma análise social e económica dos acontecimentos reportados aos naufrágios e famílias e, por último, depoimentos de marítimos vítimas de acidentes, que sobreviveram à tragédia, entre os quais o autor, também vítima de um naufrágio.

Este é o terceiro livro de Manuel de Oliveira Martins dedicado à vida dos pescadores e marítimos de Viana do Castelo. O seu livro Pilotos da Barra de Viana do Castelo. 100 Anos de História (1858-1958), publicado pelo CER, em 2010, encontra-se esgotado. A segunda obra intitulada Viana e a Pesca do Bacalhau, datada de 2013, é uma referência na bibliografia sobre o tema.   

A sessão é pública.

VIANENSES RECRIAM EM CASTELO DE NEIVA LANÇAMENTO DA JANGADA

O Grupo Folclórico e Etnográfico de Castelo do Neiva recriou no passado dia 1 de julho o tradicional lançamento da jangada, um costume que se relaciona com as suas práticas sargaceiras.

A iniciativa decorreu no âmbito do Festival de Folclore de Castelo do Neiva que teve lugar na Praia de Castelo do Castelo do Neiva.

Fotos: Grupo Folclórico e Etnográfico de Castelo do Neiva

19554293_1916921921859496_3273724294018628382_n.jpg

19554760_1916921748526180_4660643409348035833_n.jpg

19598570_1916920925192929_6596429906395015182_n.jpg

19598657_1916921271859561_7621240952618109633_n.jpg

19598776_1916921105192911_8797094066499982145_n.jpg

19598946_1916921235192898_6855631375357295882_n.jpg

19601161_1916921665192855_2307080608891519683_n.jpg

19601168_1916922138526141_2145844276307316411_n.jpg

19601181_1916920901859598_8470053446360106947_n.jpg

19601259_1916920928526262_3391915697617744593_n.jpg

19601283_1916921685192853_4420844040269382415_n.jpg

19642701_1916922281859460_2799772883697661765_n.jpg

19642775_1916921925192829_6646112776118337503_n.jpg

19656923_1916921121859576_7973251778254827294_n.jpg

 

“Na mesma província do Minho, á beira mar, o fato simples usado pelos jangadeiros d’Anha, emparceira admiravelmente com a rudeza semi-selvagem do vestuário das castrejas.

É muito característico o tipo destes lavradores-marinheiros, que nas costas do norte, principalmente junto a Viana do Castelo, e, por todo o litoral desde Montedor até à costa do sul do Lima, no local denominado Anha, se aventuram ao mar, a fim de colher o sargaço, moliço ou limos, como lhe chamam, com que vão depois fertilizar as suas terras navegando sobre frageis jangadas, formadas por oito troncos de madeira muito leves ligadas a maneira de estrado, tendo lateralmente duas taboas dispostas em forma de borda falsa: os troncos das bordas são mais compridos, e, levantam em forma de rabo d’arado.

Vestem unicamente uma espécie de sobrecasaca de lã grossa e forte, o que chamam branqueta, presa com um cinto e abotoada na frente, uma carapuça vermelha ou um chapéo preto de grandes abas completam tão singular vestimenta.”

Mesquita de Figueiredo

MINHOTOS EM LISBOA DIVULGAM NA FIA ROMARIA DA SENHORA D’AGONIA

VianaFestas foi à Feira Internacional de Artesanato (FIA) divulgar a próxima edição da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia, em Viana do Castelo. E, porque “Somos Todos Romaria”, os minhotos radicados na região de Lisboa associaram-se à festa e rumaram aos pavilhões da FIL para colaborar na divulgação de uma das mais imponentes romarias do Minho e de Portugal.

19668061_1480656245311373_553608765_n.jpg

O Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho e, consigo muitos dos minhotos que residem em Lisboa, encontram-se neste momento na FIA para, juntamente com a VianaFestas, darem a conhecer aos milhares de visitantes deste certame a grandiosidade, alegria e colorido da romaria de Viana do Castelo, a grande festa do Minho. E, como não podia deixar de suceder, também Laura Rua, componente deste grupo folclórico e mordoma escolhida para figurar no cartaz oficial da romaria deste ano, esteve presente com o seu traje da Areosa, precisamente o que exibe na imagem do cartaz.

Fotos: Manuel Santos

19668060_1480656481978016_2096481688_n.jpg

19668170_1480656591978005_1563657591_n.jpg

19668242_1480844901959174_1088338087_n.jpg

19692402_1480844895292508_1338678479_n.jpg

19756290_1480844878625843_700884989_n.jpg

19679948_1480855835291414_1626644947_n.jpg

19691598_1480855788624752_783846311_n.jpg

INATEL PROMOVE EM VIANA DO CASTELO ENCONTRO DE TOCADORES DE CAVAQUINHO

PRAÇA DO CAVAQUINHO | ESTE DOMINGO (02.07 | 17H30) | PRAÇA DA REPÚBLICA, VIANA DO CASTELO

A Fundação INATEL organiza em Viana do Castelo o evento “PRAÇA DO CAVAQUINHO”, contando com o apoio do Município de Viana do Castelo, do Centro Desportivo e Cultural de Outeiro e da Orquestra Popular “Sopro de Cordas” de Outeiro.

AF - Cartaz A4 - PRAÇA DO CAVAQUINHO.jpg

O evento tem lugar na Praça da República, Viana do Castelo, no próximo domingo, dia 2 de Julho de 2017, com início marcado para as 17h30.

Este evento é apadrinhado e apresentado por Daniel Pereira Cristo e conta ainda com a seguinte programação:

17h30 – Discursos de Abertura da “PRAÇA DO CAVAQUINHO”

17h40 - Escola de Música de N. Sra. de Fátima

18h05– Daniel Pereira Cristo

18h15 – Cavaquinhos Centro Histórico Braga

18h40 – Daniel Pereira Cristo

19h50 – Cavaquinhos de Soutelo – Vila Verde

19h15 – Daniel Pereira Cristo

19h25 – Orquestra Popular “Sopro de Cordas” de Outeiro

O evento é de acesso livre e gratuito.

Junte-se a nós no próximo domingo, na Sala de Visitas da cidade de Viana do Castelo e contribua para que a PRAÇA DO CAVAQUINHO possa ser mais um momento cultural de valorização e preservação deste instrumento tão português!

VIANAFESTAS LEVA ROMARIA D’AGONIA À FEIRA INTERNACIONAL DE ARTESANATO EM LISBOA

Laura Rua, a mordoma que figura no cartaz oficial, participou na promoção da festa

A Feira Internacional de Artesanato abriu hoje as suas portas nos pavilhões da FIL, em Lisboa, e até ao próximo dia 2 de Julho vai contar com a participação da Vianafestas com a representação da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia que se realiza anualmente em Viana do Castelo.

19424524_1749456652020824_1591017404384339578_n.jpg

A festa começou hoje com uma arruada de bombos e actuação dos zés pereiras da Ronda Típica de Viana do Castelo. E, como seria de esperar, também Laura Rua, a bonita mordoma que foi este ano escolhida para figurar no cartaz oficial, esteve presente espalhando beleza e simpatia que é apanágio de toda a minhota que se preze.

Fotos: Vianafestas

19260409_1749456562020833_2894144676032947435_n.jpg

19247932_1749456475354175_7826372037611840399_n.jpg

19400032_1749456485354174_1322490713966028039_n.jpg

19420354_1749413355358487_7201162274111982083_n.jpg

19420821_1749456575354165_1075065637872099725_n (1).jpg

19510255_1749413352025154_3195845603541177470_n.jpg

19275167_1748525262113963_4387384097824600049_n (2).jpg

LAURA RUA, A MORDOMA QUE FIGURA NO CARTAZ DA ROMARIA DA SENHORA D’AGONIA, DESFILA EM LISBOA NA FEIRA INTERNACIONAL DE ARTESANATO

A bonita mordoma que foi este ano escolhida para figurar no cartaz oficial da Romaria em Honra de Nossa Senhora d’Agonia, em Viana do Castelo, vai estar presente no próximo sábado na Feira Internacional de Artesanato – FIA que se realiza nas instalações da FIL, no Parque das Nações, em Lisboa.

19248057_1062490830549230_4083199158688759954_n.jpg

Viana do Castelo vai trazer a este evento uma amostra da grande romaria e, como tal, não podia dispensar a presença da mordoma que figura no próprio cartaz.

A sua presença vai certamente contar com o apoio e carinho de muitos minhotos que irão deslocar-se ao certame, tanto mais que integra o Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho e é sobejamente conhecida no meio folclórico minhoto na região de Lisboa.

Cartaz D'Agonia 2017 (3).jpg

BOMBEIROS VÃO PARA OS INCÊNDIOS DE COMBÓIO

De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, o “Governo quer evitar desgaste de carros e garantir que as corporações não chegam cansadas aos incêndios de Viana do Castelo”. E acrescenta: “Este verão, 90 bombeiros vão deslocar-se de Lisboa e para os incêndios em Viana do Castelo de autocarro e de comboio. O objetivo, explicou o secretário de Estado da Administração Interna, é evitar que as corporações cheguem "cansadas" aos teatros de operações e, ao mesmo tempo, "evitar o desgaste" das viaturas de serviço e os acidentes.”

imageflor.jpg

Atendendo a que a rede ferroviária não abrange concelhos como Ponte de Lima, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Paredes de Coura, Vila Nova de Cerveira e muitas outras em toda a região do Minho, deduzimos que quando sejam chamados a intervir em algumas destas localidades, os soldados da paz recorrerão aos serviços das empresas de camionagem em versão de outsourcing ou, em alternativa, irão de carro-de-praça, vulgo táxi, até ao local do sinistro, munidos das suas mangueiras, machados e outros instrumentos de combate aos fogos.

Naturalmente, para que as corporações não cheguem “cansadas” até aos teatros de operações, os autocarros que os transportarão desbravarão a densa e flamejante floresta para que os nossos bombeiros cheguem ao local fresquinhos que nem uma alface e, desse modo, possam combater o sinistro da forma mais confortável!

Portugal entrou no domínio da realidade virtual, o mesmo é dizer do surreal!

CLÁUDIO ORNELAS DE MITSUBISHI EM FAFE

Realiza-se no próximo domingo a edição de 2017 do Rali Montelongo, prova pontuável para o Campeonato Regional de Ralis – Norte e Troféu CIN. A prova a cargo da Demoporto vai contar com a presença de Cláudio Ornelas que prossegue o seu programa desportivo num rali em que o piloto se vai apresentar ao volante de um novo carro: o Mitsubishi Lancer Evo III.

DSC_0005_2.jpg

“A nossa presença em Fafe será baseada no processo contínuo de aprendizagem e evolução da equipa e os objectivos passam sempre por conseguir melhorar etapa a etapa. Desta forma, a oportunidade de experimentar uma máquina diferente será também uma boa oportunidade de perceber como nos situamos em relação ao que temos vindo a fazer esta temporada”, começa por referir Cláudio Ornelas.

A oportunidade de utilizar o Mitsubishi surge na sequência do aparecimento de um forte apoio que vai permitir ao piloto de Viana do Castelo explorar um carro que acredita ser bastante competitivo. O piloto da Encontro Team mostra-se entusiasmado com esta oportunidade e, embora consciente que terá de passar por novo processo de adaptação, a motivação é bastante grande: “Estou confiante que este Mitsubishi se vai revelar numa boa aposta. Para este rali iremos apostar num ritmo de compromisso já que nunca experimentei o carro e será uma prova para descobrir as suas reações e para me adaptar. No entanto, acredito que as suas capacidades dinâmicas no futuro nos poderão permitir sonhar com bons resultados tanto ao nível da classe como até nas classificações gerais.

Felizmente conseguimos um grande apoio vindo da Galiza de alguém que prefere o anonimato (e a quem agradecemos desde já) mas que foi uma ajuda enorme para alinharmos neste carro em Fafe e a motivação para uma rápida aprendizagem está em alta.”

Para este Rali Montelongo, Cláudio Ornelas vai também contar com a ajuda de um navegador diferente. Devido a compromissos familiares, Miguel Castro não alinhará na prova ficando a função de co-piloto entregue a Luís Ferreira.

O jovem navegador, que conta já no seu currículo com um título de Clássicos no Troféu CIN não esconde a satisfação por esta oportunidade: “Apesar de estar parado já há bastante tempo, vou entrar no rali apostado em dar o meu melhor e tentar ajudar o Cláudio a fazer um bom rali. Vamos tentar aprender o máximo possível e acima de tudo desfrutar de uma máquina que nos irá proporcionar muita adrenalina. Obviamente que gostaria de lutar por um bom resultado na Classe e até na classificação geral mas tenho a consciência que estaremos limitados ao nível da experiência com o carro e também enquanto dupla. Procuraremos acima de tudo desfrutar do rali e divertirmo-nos”, resume o navegador que agradece também ao piloto pela oportunidade.

O Rali Montelongo é composto por quatro classificativas a disputar nos troços de Montim e Travassós, ambos com dupla passagem. O seu início está marcado para as 14 horas de domingo estando o final previsto para pouco depois das 17h30.

DSC_0007.jpg

LIONS CLUBE DE VIANA DO CASTELO HOMENAGEIA GRUPO ETNOGRÁFICO DA AREOSA

Aquando da celebração do seu 39º aniversário, em maio de 2017, o Lions Clube de Viana do Castelo homenageou o Grupo Etnográfico de Areosa (GEA) pelos seus 51 anos de atividade ininterrupta, realçando não só a jovialidade deste agrupamento, como a sua dinâmica intervenção na comunidade vianense.

GEA.jpg

A homenagem incluiu a oferta de um quadro evocativo da celebração do 50º aniversário do GEA, assim como a publicação de um artigo sobre a história do Grupo Etnográfico de Areosa no boletim do Lions Clube de Viana do Castelo: "A Nau". A governadora portuguesa do movimento internacional Lions,ofereceu ao GEA o pin da sua governadoria.

O diretor do Grupo Etnográfico de Areosa, Alberto Rego, convidado para a celebração do aniversário do clube vianense, agradeceu a distinção fazendo uma breve alusão ao trabalho realizado em prol dos jovens que encontraram no GEA um complemento educativo, que se tem revelado de extrema importância nas suas vidas.  

Segundo o mesmo, o Grupo tem sido muito importante na divulgação dos valores da cultura tradicional da região, pela  transmissão de saberes, mas também porque ajuda a que os jovens desenvolvam, na convivência com os outros e através das inúmeras oportunidades de relação com o meio, uma atitude positiva e cooperante perante a vida.

Recorda-se que, em 2016, o Grupo Etnográfico de Areosa desenvolveu um extenso programa que incluiu cerca de 92 atuações e 61 ensaios (algumas destas de cariz internacional); 7 grandes desfiles/cortejos;  janeiras em 18 noites; 12 colóquios/apresentações/palestras/tertúlias; a edição de 2 livros; 2 feirões temáticos; a plantação de 50 árvores; 1 curso de bordados; e recebeu na sua sede jovens de cerca de 20 nacionalidades.

MUNICÍPIO DE VIANA DO CASTELO HOMENAGEIA GRUPO DESPORTIVO E CULTURAL DOS TRABALHADORES DOS ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO CASTELO

Neste ano de comemorações do cinquentenário da fundação do Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos ENVC o Município entendeu que era justo fazer-lhe pública homenagem. O passado desta Colectividade nestes 50 anos de vida activa, ao serviço dos trabalhadores dos Estaleiros Navais e dos vianenses em geral, assim o exigia.

Atribição_Galardão.jpg

Para que este reconhecimento fosse suficientemente marcante, foi realizado um espectáculo na Praça da República no passado dia 10 de Junho, dia de Portugal, um dia propício para prestar tributo a quem dele é merecedor. O espectáculo, realizado a partir das 18,00 horas, estruturou-se a partir da música de Zeca Afonso, com a presença do Teatro do Noroeste na declamação de poemas e interpretações de vários artistas que se revêem neste grande e intemporal Cantor português. Tratou-se de um espectáculo curto mas de boa qualidade, que, dadas as manifestações de agrado, satisfez um público em número bem significativo.

O momento alto aconteceu com a atribuição do título de Associação de Mérito ao GDCTENVC, entregue por José Maria Costa, Presidente da Edilidade, a Manuel Ramos, Presidente desta Colectividade. Não deixou o Presidente do Município de salientar o trabalho abnegado de 50 anos da Associação homenageada em prol do ENVC e de Viana, sentindo ser de elementar justiça a atribuição deste galardão, com o desejo de que o centenário seja muito naturalmente atingido. Retribuiu Manuel Ramos, apontando as responsabilidades acrescidas que cabem ao GDCTENVC depois deste reconhecimento público, mas que serão honrosamente assumidas.

Foi sem dúvida justa esta homenagem. Reconhecido à escala nacional, suficientemente premiado no âmbito da Associação Portuguesa de Comunicação Empresarial, ao GDCTENVC faltava este reconhecimento do seu Município. Felizmente aconteceu.

GFM

homenagem CMVC 50 anos GDCT.jpg

VIANENSES REÚNEM-SE POR UM FUTURO SOLIDÁRIO

FASE – Fórum Ambiental, Social e Económico

Reuniu no passado dia 7 de junho, a nível local, na Escola Superior de Educação (ESE)/IPVC, um grupo de cidadãos e associações vianenses, que agregam o Fórum Ambiental, Social e Económico (FASE). Trata-se de um movimento cívico a nível nacional, com preocupações ambientais, sociais e económicas. Pretende-se desenvolver e dinamizar grupos de reflexão e ação nas diversas regiões, articulando questões globais com problemas locais com vista à mudança, em temáticas tais como o desenvolvimento local, economia social e solidária, gestão dos bens comuns, desigualdades, comércio justo, e.o. Nesse sentido, o FASE na sua ação dará visibilidade a problemas tais como o isolamento e solidão dos idosos, habitação, transportes públicos, pobreza e exclusão de famílias e comunidades.

Imagem_Reunião.jpg

O FASE agrega ”Por um Futuro Solidário” mais de 60 associações de base e várias centenas de cidadãos a nível individual, tendo realizado em março uma primeira assembleia de subscritores. Na sequência das várias iniciativas e reflexões a nível local/regional (Viana do Castelo, Braga, Porto (2), Aveiro, Covilhã, Coimbra (2); Bairro do Pendão- Queluz e Almada) realizou-se no ISCTE, em Lisboa, em 3 de junho a segunda assembleia, a fim de promover o conhecimento e experiências mútuas para ampliar ações futuras. 

Além disso, o FASE (movimento) vem ampliar e dar voz a espaços de cidadania e organizações que sofrem constrangimentos diversos; dar voz às diversas experiências das pessoas e desejos de mudança, e desempenhar um papel relevante como parceiro e animador de convergências/ compromissos. Link do Facebook do FASE, caso deseje consultar: https://www.facebook.com/forumambientalsocialeconomico/podermos

Mais informação seguirá brevemente sobre o FASE e a ação dos grupos regionais, nomeadamente o grupo vianense. Este núcleo voltará a reunir a 19 de julho, às 17h30 na ESE, tendo na sua agenda, a curto prazo, a promoção de um debate, suficientemente alargado, para tratar de questões que se enquadram no âmbito do FASE, especificamente na região do Alto Minho.

Apela-se a todas as associações, e cidadãos a nível individual, que se revejam nos objetivos do FASE e que desejem participar neste processo, que venham dar o seu contributo na reunião acima anunciada.  

Em caso de alguma dúvida, não hesite em escrever para antoniocardoso@esa.ipvc.pt

P´lo Grupo FASE Local

António Cardoso e Gonçalo Fagundes

CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO: RELATÓRIO E CONTAS DE 2016 – BOAS CONTAS E INVESTIMENTO NA ECONOMIA

O BLOGUE DO MINHO agradece ao Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Engº José Maria Costa, a colaboração que a autarquia vianense sempre tem dispensado, bem assim como a gentileza da oferta do artigo de opinião que publicamos, acedendo ao convite que lhe formulámos.

_AB35303_final.jpg

O Relatório de Atividades e Documentos de Prestação de Contas do Município de Viana do Castelo relativo ao exercício de 2016 e que foi aprovado pelos órgãos municipais regista uma redução do Passivo Exigível Total de 4,4 milhões de euros em 2016 face ao ano anterior.

Importa referir que, entre o ano 2010 e 2016, este executivo municipal reduziu o Passivo Exigível Total do Município em 12,4 milhões de euros, dando uma estabilidade e saúde financeira à autarquia assinalável, que permite continuar a investir e a aproveitar os fundos comunitários.

 

Capturarvianagraf1.PNG

O documento sublinha que, apesar dos constrangimentos dos atrasos na implementação do Portugal 2020, o Município de Viana do Castelo tem conseguido manter toda a atividade municipal graças a uma gestão rigorosa de contenção de custos, que tem permitido aumentar a Poupança Corrente, usada na realização de Investimento e na redução do Passivo Exigível Total.

A Taxa de Execução Orçamental voltou a aumentar comparativamente ao ano anterior, atingindo o valor de 84,3%, o mais elevado dos últimos sete anos, o que confirma uma boa gestão e planeamento de investimentos municipais.

A Poupança Corrente tem apresentado nos últimos anos valores muito positivos, com tendência de crescimento, que muito tem contribuído para o financiamento do Investimento Global (Câmara, Freguesias e Instituições) realizado no Concelho. Em 2016 o Município teve uma Poupança corrente de 14 milhões de euros, o melhor valor dos últimos sete anos.

Capturarvianagraf2.PNG

O ano de 2016 apresenta-se como um ano de referência de Viana do Castelo, elencando um vasto conjunto de prémios e reconhecimentos, mas também eventos de cariz internacional.

Em 2016 iniciaram as obras de modernização e eletrificação da Linha do Minho entre Nine e Viana do Castelo, o início das obras de requalificação dos Serviços de Urgência do Hospital de Viana do Castelo, a aprovação do PEDU – Reabilitação Urbana de Viana do Castelo no montante de 17 milhões de euros, a aprovação da candidatura da Requalificação da Escola Frei Bartolomeu dos Mártires, a aprovação da Candidatura dos Resíduos Sólidos Urbanos/Compostagem no montante de 4 milhões de euros, a aprovação da candidatura de redes de água e saneamento no valor de 3,9 milhões de euros.

A atividade de acolhimento empresarial teve também em 2016, um ano excecional com a instalação do Contact Center da Altice (cerca de 100 empregos), ampliação da unidade fabril da Uchiyama, ampliação da unidade industrial Suavecel/Fortissue, a construção de uma nova unidade fabril da Mephisto, a construção da nova unidade fabril da Howa-Tramico, a construção da nova unidade fabril da Eurostyle, ampliação da unidade fabril da Saertex, ampliação das instalações da KGS, novas instalações da Empresa de Transportes Ovnitur, e o início de novos projetos empresariais para a instalação das seguintes empresas - Aludec, Eurosap, Keyma e Cadilha e Santos. Registamos também o início da instalação de empresas de desenvolvimento tecnológico e software no centro histórico da cidade.

As boas contas do município e a confiança dos investidores no concelho de Viana do Castelo devem ser motivo de confiança dos vianenses num futuro de desenvolvimento.

O Presidente da Câmara

José Maria Costa

VIANA DO CASTELO: UM CONCELHO DINÂMICO E EXPORTADOR!

O BLOGUE DO MINHO agradece ao Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Engº José Maria Costa, a colaboração que a autarquia vianense sempre tem dispensado, bem assim como a gentileza da oferta do artigo de opinião que publicamos, acedendo ao convite que lhe formulámos.

_AB35303_final.jpg

Os últimos dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística registam Viana do Castelo como a segunda capital de Distrito de Portugal Continental com maior saldo favorável entre exportações e importações de bens. Ou seja, considerando as suas exportações e importações, as empresas de Viana do Castelo contribuíram favoravelmente com mais de 360 milhões de euros para atenuar o défice crónico da balança de transação de bens de Portugal.

Estes dados são a prova do grande dinamismo das empresas e indústrias de Viana do Castelo, que têm vindo a registar um crescimento das suas atividades e a alargarem as vendas para a exportação. Os números do INE confirmam que as exportações vianenses cresceram 30% entre 2013 e 2015, ou seja, a um ritmo médio superior ao dobro verificado na Região do Norte e seis vezes superior ao registado ao nível nacional, sendo agora, Viana do Castelo, o quinto concelho capital de distrito mais exportador do país.

Em 2015, Viana do Castelo exportou 830 milhões de euros, correspondentes a 50.2% das exportações do Alto Minho, e exportando, neste período, 2.2 mil milhões de euros. Para estes resultados, muito contribuiu a internacionalização das empresas vianenses mas também a captação para o concelho de novas unidades industriais e empresariais de capital estrangeiro que se tem vindo a fixar no concelho de Viana do Castelo, com a criação de projetos inovadores e que, apesar das dificuldades económicas dos últimos anos, tem tido grande determinação.

E 2017 promete igualmente ser novamente um ano de grande dinâmica económica para Viana do Castelo, concelho que tem, neste momento, já aprovados no sistema de incentivos comunitários do Portugal 2020 e do Norte 2020, 123 milhões de euros para 18 projetos que envolvem sectores diversificados, desde novas tecnologias de comunicação, sistemas de inovação na transformação de papel, unidades hoteleiras, sector dos sapatos, sistemas de inovação para a pesca e indústrias do sector automóvel.

A concretização destes investimentos em novas empresas e na ampliação de algumas atividades permitirá que durante 2017 sejam criados mais 1.500 novos postos de trabalho no concelho de Viana do Castelo.

O executivo municipal congratula-se com o esforço e dedicação dos nossos empresários que apesar das dificuldades e da recente crise económica não esmoreceram e procuraram no exterior o mercado que lhes faltou internamente, contribuindo desta forma para o reforço da economia local e nacional, acreditando em Viana do Castelo.

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo

José Maria Costa

PORTO_MAR_DJI_0039a.jpg

VIANENSES SOLIDÁRIOS NO COMBATE À TOXICODEPENDÊNCIA

A Unidade de Apoio na Toxicodependência (UAT) e o Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS VIH/SIDA) do Gabinete de Atendimento à Família (GAF) realizará, em colaboração com a Escola de Música AMADEUS, a Academia de Música Fernandes Fão, os Jarojupe e a Orquestra Ligeira Sopro de Cordas do Outeiro (Grupo de Cavaquinhos) (a confirmar), uma ação de cariz solidário intitulada “Sons de onde...”, no dia 22 junho 2017 (quinta-feira), às 21h00, no Teatro Municipal Sá de Miranda em Viana do Castelo. Esta iniciativa visa a sinalização do Dia Europeu da Música (21 junho), através da conjugação de diferentes estilos musicais em palco e a angariação de fundos a favor do GAF.

cartaz_Sarau_Dia_Internacional_Musica.jpg

LAURA RUA É ESTE ANO A MORDOMA DO CARTAZ OFICIAL DA ROMARIA DA SENHORA D'AGONIA EM VIANA DO CASTELO

Laura Rua, componente do Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho, foi a mordoma escolhida para o cartaz oficial da Romaria da Senhora d’Agonia que se realiza este ano. O cartaz foi concebido e apresentado pelos irmãos Ivo Rua e Laura Rua, proposta que saiu vencedora.

Estão de parabéns, além deles, o Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho, constituindo também um motivo de orgulho para todos quantos na região de Lisboa se dedicam à divulgação do folclore da nossa região.

Cartaz D'Agonia 2017.jpg

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS DO ALTO MINHO PROMOVE CONFERÊNCIA SOBRE TURISMO E ESPAÇO RURAL

Conferência sobre a investigação em turismo e desenvolvimento do espaço rural

No próximo dia 8 de Junho (quinta-feira), na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas, Paula Remoaldo apresenta uma comunicação sobre a investigação em turismo e o contributo que pode dar para o desenvolvimento dos espaços rurais. A conferência realiza-se no âmbito do Ciclo de Estudos “Floresta e Mundo Rural: Património, sustentabilidade e saúde”, organizado pelo Centro de Estudos Regionais, que decorre até ao final do presente mês.  

Paula Remoaldo é doutorada em Geografia e Professora Associada com agregação na Universidade do Minho, sendo coordenadora do Programa de Doutoramento em Geografia na referida Universidade, desde 20015. É autora ou co-autora de mais de sete dezenas de papers em publicações nacionais e internacionais, publicou onze livros e participou em mais de duas dezenas de publicações como co-autora ou autora de capítulos, muitos dos quais em edições internacionais. Participou em diversos projetos de investigação, tendo particular interesse nos temas do Turismo Cultural, Desenvolvimento Regionais e Local, Exclusão Social, Geografia da Saúde e Género e Desigualdades. 

A entrada é livre.

19029644_1405781042777680_6963606604484610282_n

MELHOR ESCOLA PÚBLICA DO PAÍS CELEBRA O RENASCIMENTO

2 e 3 junho | Agrupamento de Escolas Arga e Lima | Lanheses, Viana do Castelo

O que terá de especial um Agrupamento de Escolas em Lanheses, Viana do Castelo, para o investigador e fundador do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular (Ipatimup), da Universidade do Porto, Sobrinho Simões, ter reconhecido que tem “encontrado muita qualidade em sítios tão distantes como o Agrupamento de Arga e Lima, na serra de Arga”.

20170408_090946

Palavras proferidas aquando da entrega do prémio Ciência Viva Montepio, no ano passado, ao qual o também Prémio Pessoa 2002 acrescentaria que “a única solução para este país é a educação".

É neste campo que o Agrupamento de Escolas Arga e Lima dá cartas, ao ponto da Escola Básica e Secundária de Arga e Lima ter sido, de acordo com o último ‘ranking’ nacional, a escola pública secundária que mais contribuiu para o sucesso dos alunos com base no novo parâmetro de aferição introduzido pelo Ministério da Educação referente aos ‘percursos diretos de sucesso’.

É este Agrupamento de Escolas Arga e Lima que amanhã e sábado, dias 2 e 3 de junho, promove um “Evento Renascentista”, recriando um período que “ilustra de forma inequívoca o contributo dado pelos portugueses ao mundo da época, quer a nível científico quer a nível cultural”.

Para o diretor do Agrupamento de Escolas Arga e Lima, Manuel Gomes, “à escola compete trabalhar para o reforço da consciência coletiva do povo português”, pelo que o evento Renascentista terá esse desiderato: “Viver a nossa história tornar-nos-á certamente mais cidadãos”, sublinhou.

Este evento Renascentista contempla uma Feira Quinhentista, a recriação da chegada de El-Rei D.Manuel I e sua comitiva, bem como o Auto de Fé e ceia, com muitos outros quadros como cenas do Auto da Barca do Inferno, cenas da obra de Shakespeare, recriação da assinatura do Tratado de Tordesilhas ou até quadros de Saúde / Medicina, mas também jogos matemáticos renascentistas e jogos tradicionais renascentistas que nos transportam na ‘máquina do tempo’ para um dos períodos mais criativos da história da Humanidade.

20170408_090958

VIANA DO CASTELO RECEBE "JAROUPE - A FORCE OF NATURE TOUR" NO TEATRO SÁ DE MIRANDA

Bilhetes disponíveis no Teatro Municipal Sá de Miranda –tmsm@cm-viana-castelo.pt

Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

 Em dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

 Sábados, domingos e feriados em dias de espetáculos, 2h00 antes.

Título do espetáculo:JAROJUPE  - A FORCE OF NATURE TOUR

Data: 10 de junho

Horário: 22h00

Classificação Etária :  M/6 anos

Preço: 5€

image001eix

COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO REALIZA ESPECTÁCULO EM VIANA DO CASTELO

Bilhetes disponíveis no Teatro Municipal Sá de Miranda –tmsm@cm-viana-castelo.pt

Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

Em dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

Sábados, domingos e feriados em dias de espetáculos, 2h00 antes.

Título do espetáculo:RORIZ / WELLENKAMP /  FORSYTHE / NAHARIN 
Treze gestos de um corpo / Será que é uma estrela? / Herman Schmerman / Minus 16

Data: 09 de junho

Horário: 22h00

Classificação Etária : M/6 anos

Preço: Plateia - 8€; Frisas e Camarotes – 5€

image001vcbailad

VIANA DO CASTELO PROMOVE FESTIVAL DO GARRANO

No âmbito do Projeto “Percursos do Homem e do Garrano”, a Câmara Municipal de Viana do Castelo promove:

Dia 9 de junho - “I Seminário  - Percursos do Homem e do Garrano no Noroeste Português”, na EB23/S de Lanheses, das 9h00 às 19h00 e no

Dia 10 de junho o “I Festival do Garrano, no Paço de Lanheses, das 18h30 às 20h30.

Este projeto, co-financiado pelo Programa Operacional Regional do Norte - Norte 2020 - conta com a parceria entre a Câmara Municipal de Viana do Castelo, a Universidade de Kyoto e a Universidade de Sorbonne Nouvelle, sendo apoiado pela Associação O Caminho do Garrano.

O programa do seminário integra três grandes painéis temáticos:

  1. O Garrano e o seu habitat: património genético, ambiental e cultural;
  2. O Garrano na Serra de Arga;

III. Turismo Equestre: destinos nacionais para o mercado internacional.

Entrada livre em ambos.

Inscrições aquihttps://goo.gl/forms/ZcUuB3xEVQic4rCE3

cartaz_32x47_3 (1)

cartaz_32x47_3

cartaz_V2

VIANENSES SEGUEM PELOS CAMINHOS CAMINHOS DE SANTIAGO RUMO A PADRÓN

PASSOS DE MEMÓRIA - CAMINHOS DE SANTIAGO - Caminho Português da Costa | 10 de junho: Etapa Pontevedra - Caldas de Reis | 24 de junho: Etapa Caldas de Reis - Padrón 

No mês de junho realizam-se mais dois percursos “Passos de Memória”, desta vez com a realização da oitava e nona etapa dosCaminhos de Santiago - Caminho Português da Costa. No dia 10 de junho será realizado o percurso entre Pontevedra e Caldas de Reis (aprox. 21 Km) e no dia 24 de junho o percurso entre Caldas de Reis e Padrón (aprox. 18 Km).

Até ao dia 22 de julho, dia de chegada a Santiago de Compostela,  serão realizadas no total 10 etapas do Caminho, iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, no âmbito do projeto de Valorização dos Caminhos de Santiago - Caminho Português da Costa.

O ponto de encontro, nos dias indicados (10 e 24 de junho), será o Centro Cultural de Viana do Castelo, às 8h00. A autarquia disponibiliza autocarro para transporte dos participantes até ao ponto de início da caminhada e para o retorno a Viana do Castelo no final da mesma.

O Caminho Português a Santiago é o segundo percurso mais percorrido, a seguir ao Francês, e tem registado um crescimento consolidado com crescente interesse nacional e internacional. No concelho de Viana do Castelo, estão alguns dos mais importantes marcos deste caminho, designadamente, na Igreja de Santiago de Castelo do Neiva, onde foram encontrados, em 1931, durante a realização de obras na igreja paroquial, dois importantes documentos arqueológicos: uma ara votiva do período romano, dedicada às divindades dos caminhos e a inscrição altimedieval de consagração da Igreja a Santiago, datada do ano 862, incrustada na parede sul da igreja, sendo a consagração mais antiga ao apóstolo feita fora do território espanhol.

Inscrições limitadas.

A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição através do preenchimento de um formulário disponível online através do link: http://www.cm-viana-castelo.pt/pt/passos-de-memoria-inscricao

Para efetuar a inscrição na Caminhada do dia 10 de junho, o formulário encontra-se disponível a partir do dia 1 de junho (quinta-feira), às 13h00.

Para efetuar a inscrição na Caminhada do dia 24 de junho, o formulário encontra-se disponível a partir do dia 14 de junho (quarta-feira)às 13h00.

Dados a indicar no formulário de inscrição:

Nome completo

Data de nascimento

Número de Identificação Fiscal (NIF)

Concelho de residência

Telemóvel

E-mail

Mais informações através do telefone: 258 809 350 ou do e-mail: sturismo@cm-viana-castelo.pt

Consultar aqui Plano de Percursos 2017

Os percursos, que são um excelente modo de conhecer o património cultural e natural do município, além de promover o exercício físico, permitirão conhecer locais com paisagens deslumbrantes. Use sempre equipamento de acordo com a estação do ano, como impermeável, chapéu, calçado e vestuário adequado. Privilegie a água e a fruta nos seus mantimentos.

Caminhe connosco por estes passos de memória …

ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO CASTELO: TRABALHADORES HOUVE QUE ALÉM DA DEDICAÇÃO À EMPRESA SACRIFICARAM A SUA PRÓPRIA VIDA!

Passam em breve precisamente 36 anos sobre a ocorrência de uma tragédia nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo que, numa quadra que deveria ser de alegria e felicidade, enlutou várias famílias vianenses. Tratou-se do grave acidente ocorrido a bordo da construção nº 115, “Galp Leixões”, em 28 de Dezembro de 1981.

CapturarRodaLeme1

Quando se iniciou o trabalho, uma fuga de gás durante a noite no duplo fundo do navio “Galp Leixões” provocou uma enorme explosão que se ouviu em toda a cidade, causando duas vítimas mortais, Luís António Correia Lima e Rui Alberto Rodrigues Borlido que correu em seu auxílio. Outros trabalhadores que também prontamente procuraram acudir os seus camaradas também sofreram ferimentos graves. Foi o caso de Ilídio Gonçalves Rego, Simplício Lage Martins e António Martins Moreira.

Em 13 de Janeiro de 1982, o Conselho de Gerência dos Estaleiros Navais publicou em Ordem de Serviço um louvor aos trabalhadores Rui Alberto Rodrigues Borlido, este a título póstumo, e ainda a Ilídio Gonçalves Rego, Simplício Lage Martins e António Martins Moreira.

Luís Lima integrava a Comissão de Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo para a qual tinha sido convidado pelo sr. Gonçalo Fagundes Meira a quem o BLOGUE DO MINHO agradece a gentileza da cedência dos documentos que publicamos.

O nefasto acontecimento foi à altura amplamente noticiado tanto pela imprensa regional como pelos órgãos de comunicação social de âmbito nacional, mormente a RTP onde inclusivamente foi entrevistado o engº Óscar Mota, daquela empresa. Também o jornal “Roda do Leme” noticiou o trágico acontecimento lamentando a morte dos seus camaradas. Este órgão de imprensa titulava-se “Mensário dos Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo” e era propriedade do Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos ENVC, sendo administrado pela Comissão de Trabalhadores da empresa. O jornal era composto e impresso nas oficinas gráficas do jornal “A Aurora do Lima”.

Nos anos a que se seguiram, conforme o “Roda do Leme” noticiou, realizaram-se romagens de saudade por parte dos trabalhadores às campas dos seus camaradas falecidos, cerimónias que contaram com a participação das estruturas sindicais e outras organizações representativas dos trabalhadores existentes à época.

Para além do seu trabalho e dedicação aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, também houve trabalhadores que deram a sua própria vida pela empresa que acreditavam sua para sempre!

Capturar-louvor

Ordem de Serviço 2/82, de 13 de Janeiro de 1982

CapturarRodaLeme2

Roda do Leme nº 66, Dezembro, 1981

Capturar-Romagem1983

Roda do Leme nº 77/78, Dezembro/Janeiro, 1982/1983

PAIS DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA PROTESTAM EM VIANA DO CASTELO

Pais, encarregados de educação, professores e técnicos que trabalham com crianças com deficiência marcaram para amanhã, dia 27 de Maio das 11:00 às 15:00 horas, uma acção de protesto junto ao Lar de Santa Teresa situado no Largo das Carmelitas, nº. 505, em Viana do Castelo. Pretendem dessa forma aproveitar a visita que o ministro do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Dr. Vieira da Silva, vai efectuar àquele espaço para lhe dar a conhecer as razões que lhes assistem e apelar para que o governante intervenha urgentemente na protecção dos direitos da crianças com deficiência do distrito de Viana de Castelo, a quem estarão a ser negados o acesso a terapias.

APELO 27 MAIO VIANA

A iniciativa conta com o apoio da CNIPE. Confederação Independente de Pais e Encarregados de Educação, da AACH-Associação de Apoio à Criança Hiperativa e da ANEAE - Associação Nacional de Empresas de Apoio Especializado.

Segundo os organizadores, a discriminação que as crianças,do distrito de Viana do Castelo,que possuem comprovada redução permanente de capacidade e carência económica, em relação aos outros distritos dos país é gritante. Esta discrepância é comprovada pelos números nacionais, divulgados pelo próprio Instituto da Segurança Social, recentemente através da agência LUSA, publicada também no jornal Oúblico em https://www.publico.pt/2017/05/17/sociedade/noticia/subsidio-de-educacao-especial-estara-a-ser-retido-em-viana-do-castelo-1772508

Crianças com a mesma deficiência tem o Subsídio de Educação Especial deferido no resto do país, e no distrito de Viana do Castelo são indeferidos de forma massiva.

O Ministro do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Dr. Vieira da Silva, visita o Lar de Santa Teresa por volta das 12 horas. Os organizadores da iniciativa estão confiantes que o ministro estará disponível para conversar e ajudar estas famílias, terapeutas e professores.

TVI RODA NOVA TELENOVELA EM VIANA DO CASTELO

A TVI já está a trabalhar na sua próxima novela para estrear em setembro. Escrita por Maria João Mira, autora de sucessos como “A Única Mulher” ou “Ilha dos Amores”, “A Herdeira” é a nova aposta de José Eduardo Moniz.

Kelly-Bailey

“A Herdeira”, avança a TV7 Dias, conta a história de uma rapariga que foi adotada por um grupo de ciganos quando criança. Esta trama é baseada em fatos reais.

Kelly Bailey vai ser a protagonista desta trama que conta no elenco com nomes como Pedro Barroso, Sofia Ribeiro ou Pedro Granger.

As gravações arrancam em junho em Viana do Castelo.

Destaque em “A Única Mulher”, Kelly Bailey é a atriz escolhida por José Eduardo Moniz para protagonizar a próxima novela da TVI.

Kelly Bailey que tem estado fora do País a estudar, vai regressar às novelas em junho, para a próxima ficção escrita por Maria João Mira.

Segundo a TV7 Dias, no elenco estão ainda nomes como Pedro Barroso, Pedro Granger e Sofia Ribeiro.

VIANENSES DEBATEM INDÚSTRIA NAVAL

Comemorações do Cinquentenário do GDCTENVC. A Indústria Naval esteve em debate

E debateu-se, no Centro de Mar, a bordo do navio Gil Eannes, com gente suficientemente esclarecida, não só na mesa, com os comunicadores Engenheiros Óscar Mota, Carlos Pimpão e Gonçalves de Brito, como igualmente na plateia, esta bem servida, em grande medida, por ex-quadros técnicos dos ex-ENVC. Pode bem dizer-se que se tratou de um debate rico em conteúdo, que só pecou por se limitado no tempo. Uma conferência sobre temática tão sentida, especialmente em Viana do Castelo, carecia de mais tempo, como alguém no fim chamou a atenção.

18716624_1291735320940908_1845435983_n

Os comunicadores em presença são, de facto, técnicos de craveira, com largas responsabilidades de gestão em empresa de Indústria Naval (todos eles foram administradores, com provas dadas, nos ex-ENVC). Isso notou-se bem pelas ideias apresentadas, especialmente entre os Engenheiros Gonçalves de Brito e Óscar Mota, já que o Eng. Carlos Pimpão focou muito a sua intervenção nos ex-ENVC, chegando a notar-se mesmo uma certa nostalgia pela empresa que o acolheu (1976/1981) quando ele era ainda muito novo, um período muito difícil na vida desta unidade industrial, que felizmente foi bem ultrapassado.

Com o debate a ser moderado por Gonçalo Fagundes, ex-trabalhador dos Estaleiros de Viana, também ele suficientemente conhecedor dos males desta indústria, para o debate foram sendo lançados dados que ilustram bem o quanto tem sido maltratadas as indústrias ligadas ao mar, esse mar de que os nossos políticos tanto falam mas que o mantêm inexplorado. Falta de investimentos, falta de apoios, falta de ideias e de estratégia, no fundo, falta de tudo. A Indústria naval, que contribui para o PIB com apenas 0,13% e que no contexto do valor acrescentado da economia do mar pesa apenas 2,5%, é uma indústria doente.

Foram-se encerrando estaleiros, sacrificaram-se mais de 20.000 postos de trabalha (aproximadamente 25.000 em 1874, para cerca de 3000 presentemente), abateram-se navios que não foram substituídos, descuidaram-se os transportes marítimos, com opção suicida pelas vias terrestres, sacrificou-se a pesca (importamos mais de 60% das nossas necessidades), não acompanhamos o desenvolvimento da aquacultura, tal como se pratica nos outros países, dando assim a ideia mais evidente de que o mar, paradoxalmente, não é a nossa vocação.

Algumas conclusões a reter: o país tem que voltar rapidamente ao mar, as auto-estradas marítimas são uma necessidade imperiosa para retirar o tráfego pesado das vias terrestres; sendo a Indústria naval uma indústria de risco e por isso pouco apetecida, há necessidade de um forte incentivo financeiro e logístico àqueles que queiram abraçar a construção de navios; formação intensiva a futuros trabalhadores da Indústria naval, não só básica, como, especialmente, técnica (a Alemanha é um bom exemplo nesta matéria). Com o encerramento dos ENVC e o seu serviço de formação, que preparava largas dezenas de trabalhadores para a metalurgia, criou-se uma forte lacuna neste campo (os trabalhadores made-ENVC estão um pouco por toda a parte, em Portugal e no mundo); apetrechamento das indústrias navais de tecnologia de ponta, para que se consiga um significativo aumento da produtividade, estratégias bem articuladas para o sector para o médio e longo prazo, reapetrechamento ao nível de navios das nossas marinhas mercantes, pesca e de guerra; associativismo das indústrias navais, tal como tem vindo a acontecer noutros sectores, como é o caso concreto do calçado, e muito mais.

Está de parabéns o GDCTENVC por ter promovido tão interessante debate, conseguindo trazer a Viana do Castelo três notáveis da Indústria Naval sem qualquer custo, já que estes, considerando-se como família da Colectividade, fizeram questão de assumir todos os custos de deslocação. Uma postura que deve ser bem relevada, dado que neste país casos destes são raros.

Só se lamenta, é pena, que não tenham sido saudados sequer por quem na cidade tem responsabilidades.

No mesmo Centro de Mar, a par desta conferência, foi também inaugurada, na Casa da Máquina do Leme, uma exposição de cartoons, subordinada ao tema “Humor no Trabalho”, da autoria de Rui Alpuim e Juvenal Ramos, que foram publicados na revista Roda do Leme, ex-órgão de comunicação dos trabalhadores dos ENVC, que irá funcionar durante tempo avantajado. É de visita aconselhada, até pela forma criativa como foi montada. 

18718446_1291735317607575_1368943696_n

VIANENSES CONVERSAM COM O ESCRITOR ONÉSIMO TEOTÓNIO DE ALMEIDA

AMANHÃ - À Conversa com ... Onésimo Teotónio Almeida, sexta dia 26 de maio | 21H30 | Biblioteca Municipal de Viana do Castelo

A Obra

Enquanto meio mundo se consome na busca de uma identidade - deficitária, perdida, indefinida -, Portugal tem demasiada identidade, e cuida-a com excessivos desvelos sentimentais e saudosistas. Uma manifestação superficial disso será, por exemplo, a paroxística paixão recente pelo fado e seus novos intérpretes, que brotam do chão a cada hora que passa. Onésimo vai mais fundo e, no tom (certo) que lhe é próprio, com a clareza que a distância lhe permite, e a sua mistura habitual de humor e erudição, analisa e disseca os nossos meandros identitários.

O Autor

Estudou no Seminário de Angra do Heroísmo, bacharelou-se na Universidade Católica de Lisboa. Desde 1972 nos Estados Unidos, fez mestrado e doutoramento em Filosofia na Brown University, onde é catedrático no Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros (foi seu director durante doze anos), no Wayland Collegium for Liberal Learning Renaissance and Early Modern Studies da mesma universidade, leccionando cursos interdisciplinares sobre valores e história cultural e das ideias.
Além de vários livros de ensaios, tem centenas de artigos dispersos que ultimamente tem reunido em volumes temáticos: De Marx a Darwin – a desconfiança das ideologias (2009, Prémio Seeds of Science 2010 para Ciências Sociais e Humanidades), O Peso do HífenEnsaios sobre a experiência luso-americana (2010) e Pessoa, Portugal e o Futuro (2014). Publicou ainda Utopias em Dói Menor – Conversas transatlânticas com Onésimo, conduzidas por João Maurício Brás (Gradiva, 2012).

No género de crónica e conto, as suas mais recentes colectâneas são Quando os Bobos Uivam (Clube do Autor, 2013), Aventuras de um Nabogador – Estórias em Sanduíche (Bertrand, 2007) e Livro-me do Desassossego (Temas e Debates, 2006). Onésimo. Português Sem Filtro (Clube do Autor, 2011) é uma antologia de cinco livros esgotados.

Colaborador permanente do Jornal de Letras, é membro da Academia Internacional de Cultura Portuguesa e da Academia da Marinha e Doutor Honoris Causa pela Universidade de Aveiro.

image005v

JOSÉ CARVALHIDO NO RALI DE SANTO TIRSO: “TENTAR ACABAR COM OS AZARES”

Sendo este um dos seus ralis preferidos, o piloto José Carvalhido vai este ano alinhar uma vez mais à partida do Rali de Santo Tirso. Vindo de uma série de sucessivos pequenos azares mecânicos, os objetivos do piloto de Viana do Castelo passam por tentar terminar o rali sem que desta vez surjam contratempos permitindo que a equipa consiga explorar ao máximo as potencialidades do competitivo Peugeot 106, depois das melhorias técnicas introduzidas.

Carvalhido_Noia_2017

“Infelizmente, nos últimos ralis que fizemos temos vindo a ser traídos por pequenos problemas mecânicos que, embora sem gravidade, têm conseguido deitar por terra as nossas aspirações a um bom resultado”, começa por referir José Carvalhido.

“Em Noia desistimos mesmo a terminar o rali com uma transmissão partida e no Rali Rota do Folar apenas conseguimos efectuar a primeira classificativa depois de um pequeno tubo plástico da agua ter cedido, por isso estamos com muita vontade de enfrentar este rali para nos redimirmos e testarmos a nossa capacidade e a capacidade do carro depois das melhorias que introduzimos. Este é um rali que me dá imenso gozo disputar, muito bem organizado e onde somos sempre bem acolhidos quer pela organização, quer pelo muito público que nunca se cansa de nos apoiar por isso, um ano mais, iremos marcar presença”, afirma.

Para Santo Tirso, José Carvalhido vai ainda contar com uma novidade na equipa: Leandro Parreira, afastado das lides da competição há alguns meses devido a problemas de saúde, voltará às funções de navegador agora ao lado do piloto vianense: “Fiquei bastante lisonjeado com o convite feito pelo Carvalhido e obviamente que para mim será um prazer navegar este grande amigo.

Será também uma experiência nova já que, apesar de já ter disputado por uma vez esta prova, acabei por abandonar ainda numa fase inicial e por isso tudo vai ser novidade para mim. Estou bastante expectante por voltar à competição e muito motivado para dar o meu melhor e ajudar o piloto a conseguir atingir os objetivos. Quero desde já agradecer ao Carvalhido pela oportunidade de regresso nesta que será uma nova experiência para ambos, uma vez que nunca fizemos qualquer rali juntos”, resume Leandro Parreira.

O Rali de Santo Tirso decorre nos dias 26 e 27 de Maio, sendo que na noite de sexta feira se disputará a habitual super especial, este ano em dupla passagem, enquanto no sábado as classificativas de Mourinha / Hortal e Assunção vão ser percorridas por 3 vezes.

DSC_0080