Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DA BARCA RECEBE PROVA SERRA AMARELA SKY MARATHON

A Câmara Municipal de Ponte da Barca procede no próximo sábado à apresentação pública à imprensa da prova Serra Amarela Sky Marathon, em sessão que terá lugar nos Paços do Concelho.

A prova é organizada pela Carlos Sá Nature Events, com o apoio do Município de Ponte da Barca.

Antes, porém, decorre um Free Running (treino livre, sem ritmo competitivo) de 15 km, que terá início em Entre-Ambos-os-Rios (junto à escola) pelas 14h00 e no qual os participantes terão oportunidade de se desafiarem pelos fantásticos trilhos da Serra Amarela.

24993607_828220857382625_8185261792960248230_n

MAURIZIO PADOVAN LEVOU “O VIOLINO DE AUSCHWITZ” A PONTE DA BARCA

A importância da música durante o Holocausto foi o objetivo deste concerto-conferência

Foi com duas sessões, à tarde para o público escolar e à noite para o público em geral que, na passada sexta-feira, o músico, professor e investigador italiano Maurizio Padovan apresentou em Ponte da Barca o concerto-conferência “O Violino de Auschwitz”, iniciativa que relata a importância da música durante o Holocausto.
Duas salas cheias para ouvir Maurizio Padovan sobre muitos aspetos de natureza política e social daquele que foi o período mais negro do século XX - a II Guerra Mundial.

28164428_1244349308999383_1349742413869094854_o

Com recurso a fotografias e vídeos que documentam essa época, Maurizio relatou todo o desenrolar da II Grande Guerra, abordando muitos pormenores relevantes. O verdadeiro foco da conferência foi, no entanto, a música. Com a ajuda do seu violino, Maurizio Padovan explicou a importância deste tipo de arte na vida dos deportados nos campos de concentração, orquestras formadas pelos detidos cujas apresentações variavam desde a chegada de novos judeus aos guetos, para entretenimento dos soldados, ou até mesmo no acompanhamento de prisioneiros que seriam executados nas câmaras de gás.

Apesar de ter sido usada como instrumento de tortura e uma tentativa de propaganda nazi para convencer quem estava do lado de fora que nos campos de concentração se vivia em condições humanas, a música representou também o heroísmo, a resistência, a luta, a superação e, essencialmente, a esperança. E foi essa esperança que ajudou a que muitos sobrevivessem. 

27913406_1244350625665918_1228976264937499088_o

27982582_1244349295666051_1533420658908924889_o

27993001_1244349525666028_6723383145765842044_o

28070839_1244349202332727_7107026352061716565_o

28164314_1244351078999206_5719197735651066918_o

FEW FINGERS DÃO MÚSICA AOS BARQUENSES

Few Fingers em concerto na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 24 de fevereiro

Os Few Fingers são Nuno Rancho e André Pereira e vão estar na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 24 de fevereiro. Com uma sonoridade a balançar entre o indie e o folk, os Few Finger vêm apresentar o seu álbum “Burning Hands”.

Capturarb

Este concerto está inserido no ciclo de concertos que arrancou em janeiro e que vai trazer a Ponte da Barca, até maio, cinco espetáculos que prometem noites agradáveis com músicos nacionais.

A proposta foi pensada em conjunto com a autarquia de Melgaço, onde decorrerão os mesmos concertos em dias diferentes. Com esta iniciativa, as duas autarquias pretendem enriquecer o programa cultural que oferecem, dinamizando ao mesmo tempo a oferta turística e promovendo a cooperação intermunicipal.

Aos Few Fingers segue-se TT Syndicate, a 10 de março, Lince, a 14 de abril e Grandfather's House, a 05 de maio.

Todos os concertos acontecem na Casa da Cultura, às 22h e os bilhetes de cada espetáculo custam 2€, podendo ser adquiridos na Casa da Cultura ou na Loja Interativa de Turismo.

"O VIOLINO DE AUSCHWITZ" TOCA EM PONTE DA BARCA

16 de Fevereiro | 21h30 | Casa da Cultura: Maurizio Padovan apresenta em Ponte da Barca Concerto-conferência “O Violino de Auschwitz”

Vai ter lugar na próxima sexta-feira, dia 16 de fevereiro, às 21h30, na Casa da Cultura de Ponte da Barca, a apresentação da conferência-concerto “O Violino de Auschwitz”, por Maurizio Padovan.

Capturarpbar

O espetáculo relata de forma musicada toda a violência sofrida pelos Judeus nos campos de concentração, nomeadamente Auschwitz, na Polónia, onde a música poderia ser um elemento libertador ou um elemento de tortura. A entrada é gratuita.

Maurizio Padovan é músico, professor e um dos mais qualificados e notáveis historiadores de dança do panorama internacional. Foi docente na Faculdade de Musicologia da Universidade de Cremona-Pavia (Itália). Participou em numerosos convénios internacionais e deu cursos de dança renascentista e seminários de música e dança em escolas e instituições didácticas (Itália, França, Portugal).

Desde 1989 está com regularidade em Portugal, a convite da Escola Superior de Dança de Lisboa, da Universidade do Minho, da Associação Portuguesa de Educação Musical, do Clube Unesco de Educação Artística de Lisboa, da Casa da Música de Porto, de vários Centros de Formação de Professores, do Clube Unesco de Educação Artística de Lisboa, de Câmaras Municipais e Casas das Artes para leccionar cursos de especialização e formação, para dar concertos e para a realização de espectáculos de música e de dança.

Violinista especializado em instrumentos antigos, é director do ensemble “Accademia Viscontea” e do ensemble “Vioulinàires”; gravou discos, deu cursos musicais, stages e centenas de concertos em Itália e no estrangeiro (Espanha, França, Bélgica, Suíça, Áustria, Alemanha, Hungria, Singapura). Colabora com o Departamento de Instrução da Província de Milão no projecto “Mùsica na didáctica”. Para os estudantes da Escola Secundária publicou os volumes Voci, ritmi e strumenti del Medioevo, Musica e società del Rinascimento e Il Barocco: musica e società. É autor dos mais importantes estudos e publicações editoriais e discográficas sobre o violino “occitano” em Itália.

Colaborou com José Sasportes (ex ministro da cultura) na revista La danza italiana e no livro Storia della danza Italiana (2011). É autor das publicações “A dança no ensino obrigatório” (2000) e “Dançar na Escola” (2010, 2016) editadas pela Fundação Calouste Gulbenkian e de numerosas publicações relativas à história da dança, história da música e etnomusicologia.

PONTE DA BARCA REALIZA "DOMINGOS GASTRONÓMICOS"

“Domingos Gastronómicos” estão de volta ao concelho de Ponte da Barca. Cozido à Portuguesa é a primeira iguaria a degustar

A Câmara Municipal de Ponte da Barca vai dar início, já no dia 11 de Fevereiro, a mais uma edição dos Domingos Gastronómicos com o Cozido à Portuguesa como prato principal, neste festival gastronómico que o município leva a cabo para promoção da tão afamada gastronomia barquense.

evento_Restaurante-Santana-cozido

A iguaria, que é confeccionada com os enchidos, as carnes e legumes da região, aos quais se adiciona o saber – fazer tradicional da “mão barquense” que o prepara e lhe confere o seu tão especial sabor, pode ser encontrada em qualquer um dos restaurantes aderentes: Adega do Artur, Churrasqueira Barquense, Jaime Gomes, O Emigrante, O Kibom, O Moinho, S. Martinho (Crasto), S. Martinho (Lindoso), Santana, Tempus Hotel&Spa, Varanda do Lima, algumas das casas que vão oferecer, de resto, durante seis fins de semana (entre os meses de Fevereiro e Novembro), os melhores aromas e sabores de Ponte da Barca.

PONTE DA BARCA: LINDOSO QUEIMA O "PAI VELHO"

“Pai Velho” - Entrudo mais tradicionais do país acontece em Lindoso, Ponte da Barca.

De 10 a 12 de Fevereiro cumpre-se em Lindoso, Ponte da Barca, a tradição do “Pai Velho”, um dos raros e autênticos entrudos do país, que acontece ao longo de dois dia - no dia 11 de fevereiro, “Domingo Gordo”, e dia 13 de fevereiro, Terça-feira de Carnaval.

CapturarPaiVelho

A iniciativa realiza-se neste magnifico cenário das terras altas onde tem lugar o engalanado cortejo que transporta o Pai Velho pelos lugares para que o povo se junte à festa e celebre os dias de Carnaval.

Em frente dos espigueiros e da eira comunitária, e tendo como pano de fundo o Castelo Medieval, o busto de madeira do Pai Velho é transportado sempre nas manhãs de domingo (às 10h30) e terça-feira (às 13h), com a realização de um momento de humor protagonizado junto ao cruzeiro (dia 11 às 11h30) e com muita animação musical, através do encontro de concertinas e das desgarradas (dia 11, das 14h30 às 23h30 e dia 12 das 14h30 às 23h30).

O momento alto do entrudo tradicional de Lindoso acontece no dia 13, a partir das 23h30, com o velório, a queima do Pai Velho e a leitura do seu testamento.

FEW FINGERS REALIZAM CONCERTO EM PONTE DA BARCA

Few Fingers em concerto na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 24 de fevereiro

Os Few Fingers são Nuno Rancho e André Pereira e vão estar na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 24 de fevereiro. Com uma sonoridade a balançar entre o indie e o folk, os Few Finger vêm apresentar o seu álbum “Burning Hands”.

Few Fingers

Este concerto está inserido no ciclo de concertos que arrancou em janeiro e que vai trazer a Ponte da Barca, até maio, cinco espetáculos que prometem noites agradáveis com músicos nacionais.

A proposta foi pensada em conjunto com a autarquia de Melgaço, onde decorrerão os mesmos concertos em dias diferentes. Com esta iniciativa, as duas autarquias pretendem enriquecer o programa cultural que oferecem, dinamizando ao mesmo tempo a oferta turística e promovendo a cooperação intermunicipal.

Aos Few Fingers segue-se TT Syndicate, a 10 de março, Lince, a 14 de abril e Grandfather's House, a 05 de maio.

Todos os concertos acontecem na Casa da Cultura, às 22h e os bilhetes de cada espetáculo custam 2€, podendo ser adquiridos na Casa da Cultura ou na Loja Interativa de Turismo.

PONTE DA BARCA LEVA TURISMO E GASTRONOMIA A OURENSE

Ponte da Barca promoveu-se no Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico de Ourense

O Município de Ponte da Barca voltou a marcar presença no Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico que decorreu de 31 de janeiro a 4 de fevereiro, na cidade galega de Ourense, com destaque no dia 01 de fevereiro altura em que decorreu uma prova comentada de vinhos de Ponte da Barca, a cargo da Adega Cooperativa local, e a confeção de um dos pratos da afamada gastronomia barquense – a posta barrosã – através de um showcooking pelo restaurante Adega do Artur, ações que contaram com grande afluência de público quer geral quer especializado.

27625081_1232514916849489_7243733631593534310_o

Em representação da Câmara de Ponte da Barca esteve a vereadora da Cultura e Turismo, Maria José Gonçalves, que considera este evento “pela sua dimensão, uma excelente oportunidade de mostrarmos aquilo que temos para oferecer e reforçar a visibilidade do nosso concelho além fronteiras”.

Sendo esta uma feira onde os ícones gastronómicos e culturais de cada região se conjugam e uma excelente oportunidade de promoção deste território, a autarquia barquense assegurou, ainda, a presença de uma vasta oferta turística do concelho e a degustação de produtos locais como o Bolo de Mel, as Queijadas de Laranja, o Mel e o Vinho.

27500610_1232514826849498_3608199483423571222_o

27624705_1232514903516157_7264104066657000354_o

PONTE DA BARCA FESTEJA O “PAI VELHO” NO LINDOSO

Ponte da Barca promove animado fim-de-semana de Carnaval: Entrudo Tradicional do Lindoso – Pai Velho, Domingo Gastronómico do Cozido à Portuguesa, Baile de Carnaval e Concurso de Máscaras são algumas das iniciativas promovidas pela autarquia

O Município de Ponte da Barca promove, de 09 a 13 de fevereiro, um conjunto de atividades que prometem animar o fim de semana de Carnaval e motivar uma visita a este concelho do Alto-Minho.

Capturarlindoso

A confeção do tradicional Cozido à Portuguesa, incluído na iniciativa Domingos Gastronómicos, constituirá decerto um desses mobiles. A iguaria, que é confecionada com os enchidos, as carnes e legumes da região, aos quais se adiciona o saber – fazer tradicional da “mão barquense” que o prepara e lhe confere o seu tão especial sabor, pode ser encontrada no domingo, dia 11 de fevereiro, em qualquer um dosrestaurantes aderentes: Adega do Artur, Churrasqueira Barquense, Jaime Gomes, O Emigrante, O Kibom, O Moinho, S. Martinho (Crasto), S. Martinho (Lindoso), Santana, Tempus Hotel&Spa, Varanda do Lima, algumas das casas que vão oferecer, de resto, durante seis fins de semana (entre os meses de Fevereiro e Novembro), os melhores aromas e sabores de Ponte da Barca. Na segunda-feira, 12 de fevereiro, a Praça da República vai ser palco de um Baile de Carnaval com a atuação do Grupo Ympério Show, a partir das 21h30, e Concurso de Máscaras.

Entrudo do Pai Velho, uma das últimas celebrações mais tradicionais do nosso país, acontece ao longo de dois dia - no dia 11 de fevereiro, “Domingo Gordo”, e dia 13 de fevereiro, Terça-feira de Carnaval. A iniciativa realiza-se neste magnifico cenário das terras altas onde tem lugar o engalanado cortejo que transporta o Pai Velho pelos lugares para que o povo se junte à festa e celebre os dias de Carnaval. Em frente dos espigueiros e da eira comunitária, e tendo como pano de fundo o Castelo Medieval, o busto de madeira do Pai Velho é transportado sempre nas manhãs de domingo (às 10h30) e terça-feira (às 13h), com a realização de um momento de humor protagonizado junto ao cruzeiro (dia 11 às 11h30) e com muita animação musical, através do encontro de concertinas e das desgarradas (dia 11, das 14h30 às 23h30 e dia 12 das 14h30 às 23h30). O momento alto do entrudo tradicional de Lindoso acontece no dia 13, a partir das 23h30, com o velório, a queima do Pai Velho e a leitura do seu testamento.

Festa da Pequenada e Desfile de Carnaval das Escolas

A pensar especialmente nas crianças, a autarquia barquense preparou, também, uma festa com inúmeras atividades que vão fazer as delícias dos mais pequenos. De 09 a 11 de fevereiro, a Praça da República transforma-se na Festa da Pequenada, espaço onde vão estar à disposição insufláveis, pinturas faciais, mascotes, entre outras atividades. No dia 09, na sexta feira, às 14h30, tem ainda lugar o Cortejo de Carnaval das Escolas do Concelho pelas ruas da vila.

VAI PONTE DA BARCA PARTICIPAR NAS COMEMORAÇÕES DO V CENTENÁRIO DA VIAGEM DE CIRCUM-NAVEGAÇÃO COMANDADA POR FERNÃO DE MAGALHÃES?

magalhaes

PROJETO DE DELIBERAÇÃO N.º 17/XIII

Comemorações do V Centenário da Circum-navegação comandada pelo navegador português Fernão de Magalhães [procede à terceira alteração à Deliberação n.º 2-PL/2016, de 29 de janeiro (Fixa a composição, distribuição e elenco dos grupos parlamentares de amizade na XIII Legislatura)]

Através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 24/2017, publicada em Diário da República, 1.ª Série – n.º 19, no dia 26 de janeiro, foi criada a Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-navegação comandada pelo navegador português Fernão de Magalhães (2019 – 2022), com o intuito de organizar as comemorações dos 500 anos da primeira viagem completa em torno do globo, em articulação com instituições de ensino superior, instituições científicas, autarquias locais e outras entidades públicas e privadas, atento o marco que constitui, para a história da expansão portuguesa, a viagem de circum-navegação comandada por Fernão de Magalhães, a partir de 1519.

Com efeito, a viagem de Fernão de Magalhães, evidenciando a intercomunicabilidade dos oceanos e a circulação entre Atlântico e Pacífico e contribuindo, de forma significativa, para o conhecimento do mundo e para a aproximação de povos e culturas, em domínios como o comércio, a ciência e a técnica, a alimentação, a saúde ou a religião, resultou numa herança que, quinhentos anos volvidos, deve ser condignamente celebrada, sinalizando-a como uma das maiores realizações da Humanidade.

Recorde-se, a esse propósito, que, já em 2013, para valorizar o caráter inovador da circum-navegação, foi lançada a Rede Mundial das Cidades Magalhânicas, estrutura de cooperação e de intercâmbio entre cidades de Portugal, Espanha, Cabo Verde, Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Filipinas, Indonésia, Brunei, África do Sul e Itália, incluídas na Rota de Magalhães.

Considerando a dimensão global de Comemorações do V Centenário – cujo programa, a iniciar-se em 2019, se encontra ainda em preparação –, e os diversos agentes envolvidos, é do maior interesse que a Assembleia da República a elas se associe, acompanhando, no plano nacional e internacional, as iniciativas que venham a ser desenvolvidas, atenta a importância que revestem, nos domínios cultural, científico, económico e político.

Tendo em consideração o previsto nos artigos 43.º a 47.º do Regimento da Assembleia da República, que dispõem sobre os Grupos Parlamentares de Amizade, bem como a Resolução da Assembleia da República n.º 6/2003, de 24 de janeiro, com as alterações introduzidas pela Resolução da Assembleia da República n.º 26/2010, de 30 de março.

Tendo presente que, no quadro das disposições aplicáveis, compete, em especial, a estes organismos da Assembleia da República relacionarem-se com outras entidades que visem a aproximação entre os Estados e entre os povos a que digam respeito, apoiando iniciativas e realizando ações conjuntas e promovendo, designadamente, o intercâmbio geral de conhecimentos e experiências e a divulgação e promoção de interesses comuns no domínio cultural, como seja a evocação, quinhentos anos depois, da primeira viagem de circum-navegação.

E que o elenco dos Grupos Parlamentares de Amizade na XIII Legislatura, fixado pela Deliberação n.º 2-PL/2016, de 29 de janeiro (alterada pelas Deliberações n.º 6-PL/2016, de 9 de junho, e n.º 2-PL/2017, de 9 de maio), contempla já a existência de um Grupo Multilateral, o Grupo Parlamentar Português sobre População e Desenvolvimento, o qual tem, desde há muito, vindo a acompanhar as iniciativas desenvolvidas pela Organização das Nações Unidas e das suas Agências naquelas temáticas, e, bem assim, de outras Organizações Internacionais.

Obtido parecer favorável da Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, na sua reunião de 16 de janeiro de 2018, e ouvida a Conferência de Líderes, na sua reunião de 17 de janeiro de 2018, a Assembleia da República delibera o seguinte:

Artigo 1.º

Alteração à Deliberação n.º 2-PL/2016

O artigo 1.º da Deliberação da Assembleia da República n.º 2-PL/2016, de 29 de janeiro, alterada pelas Deliberações n.º 6-PL/2016, de 9 de junho, e n.º 2-PL/2017, de 9 de maio, passa a ter a seguinte redação:

(…)

Artigo 2.º

Composição

1 – Pela sua vocação temática e relevância histórica, o Grupo Parlamentar para o Acompanhamento das Comemorações do V Centenário de Circum-navegação comandada pelo navegador português Fernão de Magalhães (2019 – 2022) é presidido, a título excecional, pelo Presidente da Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, e integra os Presidentes dos Grupos Parlamentares de Amizade com Parlamentos de Estados cujas cidades se incluam, ou venham a ser incluídas, na Rede Mundial das Cidades Magalhânicas.

2 – As disposições constantes do número anterior prevalecem sobre todas as anteriores normas que disponham em contrário.

Palácio de São Bento, 18 de janeiro de 2018

O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Eduardo Ferro Rodrigues

PONTE DA BARCA LEMBRA HOLOCAUSTO

Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto assinalado em Ponte da Barca

Exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro” patente no átrio dos Paços do Concelho até ao dia 16 de fevereiro

1

Ponte da Barca assinalou, no passado sábado, 27 de janeiro, o Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto com a abertura da exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro”, seguida da exibição do filme “Que a 

tua lembrança seja amor” - a história de Ovadia Baruch, um dos sobreviventes do Holocausto, que nos conta o antes, o durante e o depois de um dos maiores crimes cometidos contra a Humanidade, filmado nos locais onde tudo se passou.

A exposição Anne Frank: Uma História para hoje incorpora um enorme valor histórico, cultural e pedagógico, em que a história da família Frank serve de fio condutor ao relato dos acontecimentos mundiais durante e depois da ditadura nazi. Naturais de Frankfurt, na Alemanha, 

os Frank mudaram-se para Amesterdão, em 1933, ano da ascensão ao poder do partido nazi alemão, e ali viveram, já na Holanda ocupada, a perseguição dos judeus e o horror do Holocausto.

A exposição, composta por 34 painéis sobre a história do Holocausto contada paralelamente à própria história de Anne Frank e da sua família, vai estar patente nos átrio dos Paços do Concelho até ao dia 16 de fevereiro, podendo ser visitada de segunda a sexta-feira, das 09h 

às 12h30 e das 14h às 17h30

2

3

4

PONTE DA BARCA ASSINALA DIA INTERNACIONAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DO HOLOCAUSTO

Exposição e documentário assinalam Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto em Ponte da Barca

Ponte da Barca vai assinalar o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, a 27 de janeiro, promovendo a reflexão sobre um dos acontecimentos mais marcantes do século XX: o Holocausto no contexto da Segunda Guerra Mundial, com a inauguração da Exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro” (21h, no átrio dos Paços do Concelho) e a exibição do documentário “Que a tua lembrança seja amor” - a história de Ovadia Baruch (21h30, na Casa da Cultura).

Exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro”

O percurso e a experiência da vida sob o regime nazi são recordados na exposição “Anne Frank: Uma história para hoje” que, a partir de dia 27 de janeiro e até 16 de fevereiro, estará patente no átrio dos Paços do Concelho de Ponte da Barca. Esta exposição incorpora um enorme valor histórico, cultural e pedagógico, em que a história da família Frank serve de fio condutor ao relato dos acontecimentos mundiais durante e depois da ditadura nazi.

Naturais de Frankfurt, na Alemanha, os Frank mudaram-se para Amesterdão, em 1933, ano da ascensão ao poder do partido nazi alemão, e ali viveram, já na Holanda ocupada, a perseguição dos judeus e o horror do Holocausto.

A exposição é composta por 34 painéis onde se apresenta a história do Holocausto contada paralelamente à própria história de Anne Frank e da sua família.

Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro” presta testemunho e é, ao mesmo tempo, um legado de memória sobre a diversidade nas sociedades (cultural, étnica, religiosa, política) e sobre os fenómenos violadores de direitos humanos.

Documentário “Que a tua lembrança seja amor” - a história de Ovadia Baruch

Em Março de 1943, Ovadia Baruch, foi deportado juntamente com a sua família, de Salonica para Auschwitz-Birkenau. Enquanto prisioneiro, Ovadia conheceu Aliza Tzarfati, uma jovem judia da sua terra natal e apesar das condições desumanas, nasceu entre ambos uma história de amor.

Nesta extraordinária e comovente história de amor em Auschwitz, Ovadia conta-nos o antes, o durante e o depois do Holocausto, filmada nos locais onde tudo se passou.

PONTE DA BARCA RECORDA VÍTIMAS DO HOLOCAUSTO

Exposição e documentário assinalam Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto em Ponte da Barca

Ponte da Barca vai assinalar o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, a 27 de janeiro, promovendo a reflexão sobre um dos acontecimentos mais marcantes do século XX: o Holocausto no contexto da Segunda Guerra Mundial, com a inauguração da Exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro” (21h, no átrio dos Paços do Concelho) e a exibição do documentário “Que a tua lembrança seja amor” - a história de Ovadia Baruch (21h30, na Casa da Cultura).

cARTAZ hOLOCAUSTO 2

Exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro”

O percurso e a experiência da vida sob o regime nazi são recordados na exposição “Anne Frank: Uma história para hoje” que, a partir de dia 27 de janeiro e até 16 de fevereiro, estará patente no átrio dos Paços do Concelho de Ponte da Barca. Esta exposição incorpora um enorme valor histórico, cultural e pedagógico, em que a história da família Frank serve de fio condutor ao relato dos acontecimentos mundiais durante e depois da ditadura nazi.

Naturais de Frankfurt, na Alemanha, os Frank mudaram-se para Amesterdão, em 1933, ano da ascensão ao poder do partido nazi alemão, e ali viveram, já na Holanda ocupada, a perseguição dos judeus e o horror do Holocausto.

A exposição é composta por 34 painéis onde se apresenta a história do Holocausto contada paralelamente à própria história de Anne Frank e da sua família.

Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro” presta testemunho e é, ao mesmo tempo, um legado de memória sobre a diversidade nas sociedades (cultural, étnica, religiosa, política) e sobre os fenómenos violadores de direitos humanos.

Documentário “Que a tua lembrança seja amor” - a história de Ovadia Baruch

Em Março de 1943, Ovadia Baruch, foi deportado juntamente com a sua família, de Salonica para Auschwitz-Birkenau. Enquanto prisioneiro, Ovadia conheceu Aliza Tzarfati, uma jovem judia da sua terra natal e apesar das condições desumanas, nasceu entre ambos uma história de amor.

Nesta extraordinária e comovente história de amor em Auschwitz, Ovadia conta-nos o antes, o durante e o depois do Holocausto, filmada nos locais onde tudo se passou.

ESCRITOR ALFREDO DE SOUSA TOMAZ APRESENTA EM OURÉM O LIVRO “O HOMEM QUE NÃO TINHA UMA FAZENDA EM ÁFRICA

O escritor reside em Ponte da Barca onde recentemente apresentou a sua obra na Casa da Cultura
Data: 22 de Abril. Hora: 14h30
“O homem que não tinha uma fazenda em África”, da autoria de Alfredo de Sousa Tomaz, vai ser apresentado no dia 22 de Abril, às 14h30. É o dia dedicado aos "Poetas Oureenses", integrado na "Festa do Livro de Ourém 2018" que decorre de 18 a 25 de Abril.

24993389_1663340920391801_3233345369951514855_n
Com prefácio de Ricardo de Saavedra, conceituado jornalista e escritor, a obra compila uma série de histórias vividas pelo autor, desde que partiu para Angola ainda criança até ao momento em que teve de a deixar compulsivamente 25 anos depois.
Mais de quatro anos depois de se ter lançado nesta "aventura", Alfredo de Sousa Tomaz vê agora o nascer deste "filho", impulsionado, segundo o autor, pela publicação na revista Notícias Magazine, suplemento do Jornal de Notícias e Diário de Notícias, em 2010, de algumas das suas histórias de África: "como tinha muitas mais histórias para contar, decidi reuni-las em livro."
O autor refere, ainda, o orgulho em poder apresentar a obra em Ponte da Barca pois "embora não tendo nascido em Ponte da Barca, nem tampouco no Minho, escolhi para viver esta terra que me adoptou.”
Tal como Ricardo de Saavedra descreve no prefácio é este "livro sereno, perpassado por vezes de um subtil humor, que constitui uma achega preciosa à história que no terreno e dia a dia se viveu e ninguém teve ainda coragem para escrever.”
Alfredo Tomaz nasceu na Cova da Iria, Fátima, concelho de Vila Nova de Ourém, a 29 de Julho de 1942. Sexto filho de uma família numerosa e modesta, seu pai, para dar melhores condições de vida aos seus, partiu para Angola no início da década de 50 com os seus irmãos mais velhos, tendo-se-lhes juntado pouco depois o resto da família. Em Outubro de 1961 regressou a Portugal para cumprir o serviço militar na Força Aérea, onde permaneceu até Janeiro de 1965. Pouco depois de regressar a Luanda conheceu Maria de Fátima, com quem veio a casar em Dezembro de 1967. Dessa união nasceram dois filhos.
Em Luanda a sua atividade profissional esteve quase sempre ligada às viagens e turismo, tendo trabalhado na Companhia Nacional de Navegação e numa agência de viagens.
Em 1976, depois de um quarto de século de aventuras, venturas e desventuras, o autor regressou definitivamente a Portugal com a família, tendo-se fixado em Matosinhos, onde exerceu a sua atividade comercial até 2007. Atingida a idade da reforma, foi viver com a esposa para Ponte da Barca, Alto Minho, onde permanecem até hoje, assumindo orgulhosamente a condição de “minhotos adotivos”. Esta obra, não sendo exatamente uma autobiografia, é, contudo, baseada no percurso de vida do autor por terras de África.

22491669_1608428945882999_5215796107773029724_n

PONTE DA BARCA RECEBE "MANUEL FÚRIA & OS NÁUFRAGOS"

Manuel Fúria e os Náufragos na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 20 de janeiro

É já este sábado, 20 de janeiro, que a Casa da Cultura de Ponte da Barca retoma a sua programação musical. No total serão cinco concertos que prometem noites agradáveis com talentos nacionais, sempre às 22h00.

Manuel-1-Cor-768x506

O arranque acontece com Manuel Fúria & Os Náufragos, banda que vem apresentar o novo disco "Viva Fúria". A proposta foi pensada em conjunto com a autarquia de Melgaço, onde decorrerão os mesmos concertos em dias diferentes.

Com esta iniciativa, as duas autarquias pretendem enriquecer o programa cultural que oferecem, dinamizando ao mesmo tempo a oferta turística e promovendo a cooperação intermunicipal.

A Manuel Fúria e os Náufragos segue-se os Few Fingers (24 de fevereiro), TT Syndicate (10 de março), Lince (14 de abril) e Grand Fathers House (05 de maio).

A iniciativa conta então com 5 concertos diferentes de estilos tão variados como o pop, o rock e a música alternativa. O custo de entrada destes concertos é de 2 euros.

Manuel Fúria, artista português, começou a sua atividade como cabeça d’ Os Golpes e da Amor Fúria, Companhia de Discos do Campo Grande, fundada em 2007, responsável pelo cruzamento pródigo entre o rock e a música tradicional portuguesa. Dessa fase destacam-se canções como “A Marcha dos Golpes” ou “Vá Lá Senhora”, em dueto com Rui Pregal da Cunha, dos Heróis do Mar. No seu percurso a solo (na companhia dos Náufragos) destaca-se o denso e conceptual “Manuel Fúria Contempla Os Lírios do Campo”, de 2013. Do novo álbum, “Viva Fúria”, que vai apresentar em Ponte da Barca, já podemos ouvir “Nova”, “20.000 Naves” e, mais recentemente, “Aquele Grande Rio”.

ROMARIAS DO MINHO MARCAM ENCONTRO EM PONTE DA BARCA

Ponte da Barca acolheu 7º encontro das Romarias do Minho

Ponte da Barca acolheu o 7º encontro das Romarias do Minho, que decorreu na passada sexta-feira, na Casa da Cultura. À semelhança de reuniões anteriores teve como finalidade a partilha de dúvidas, sugestões e a definição de estratégias de valorização daquelas festas como elementos diferenciadores da região, e ainda verificar o ponto de situação relativo ao inventariação que cada uma está a fazer das suas romarias, com o intuito de as integrar no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial (INPCI). Uma eventual candidatura conjunta à Unesco está também em cima da mesa, que ajudará a preservar a genuinidade e a tipicidade das romarias minhotas.

P1500153

“A Romaria Minhota é um produto único que o nosso território pode oferecer ao mundo e é precisamente no trabalhar conjunto que reside a força para a sua salvaguarda e valorização”, defendeu Augusto Marinho, Presidente da Câmara de Ponte da Barca que falava na sessão de abertura.

Presente na reunião esteve, ainda, a vereadora da Cultura, Maria José Gonçalves e Álvaro Campelo, docente e investigador de referência na área da antropologia que elucidou os presentes sobre os processos de inventariação, investigação e abordagem das festividades religiosas e populares.

Recorde-se que além da Romaria de S. Bartolomeu de Ponte da Barca integram esta iniciativa as festividades de São João de Braga, Senhora do Alívio de Vila Verde - onde decorrerá a próxima reunião de trabalho -, S. Bartolomeu do Mar de Esposende, Nossa Senhora dos Remédios de Cabeceiras de Basto, São Torcato de Guimarães, Senhora do Porto de Ave da Póvoa de Lanhoso, São Bento da Porta Aberta de Terras do Bouro, Festas Antoninas de Vila Nova de Famalicão, Feiras Novas de Ponte de Lima, Nossa Senhora da Fé de Vieira do Minho e pela primeira vez, nesta última reunião, a Romaria de São João d'Arga de Caminha.

Os encontros têm contado também com a participação da Direção Regional de Cultura do Norte.

P1500157

“ALL MUSIC FEST” VAI ANIMAR FINS-DE-SEMANA EM PONTE DA BARCA

Iniciativa arranca com Manuel Fúria e os Náufragos na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 20 de janeiro

De janeiro a abril, Ponte da Barca promove a iniciativa ‘All Music Fest’, que traz ao concelho uma variedade de concertos de vários géneros musicais: pop, rock e alternativa.

No total serão cinco concertos que prometem noites agradáveis com artistas nacionais, na Casa da Cultura, sempre às 22h00.

O arranque acontece no dia 20 de janeiro, com Manuel Fúria & Os Náufragos, banda de Guimarães que vem apresentar o novo disco "Viva Fúria".

A proposta foi pensada em conjunto com a autarquia de Melgaço, onde decorrerão os mesmos concertos em dias diferentes. Com esta iniciativa, as duas autarquias pretendem enriquecer o programa cultural que oferecem, dinamizando ao mesmo tempo a oferta turística e promovendo a cooperação intermunicipal.

RANCHO FOLCLÓRICO DE PONTE DA BARCA PROMOVE II ENCONTRO DE REIS

13 de janeiro | 21h | Paços do Concelho de Ponte da Barca

Vai ter lugar, no próximo sábado, dia 13 de janeiro, a partir das 21h, no átrio dos Paços do Concelho de Ponte da Barca o II Encontro de Reis. A iniciativa é promovida pelo Rancho Folclórico e Etnográfico de Ponte da Barca, com o apoio da Câmara Municipal e tem por objetivo dar a conhecer e preservar uma tradição muito enraizada nesta região.

Para além do Grupo Folcórico anfitrião, o evento conta também com a participação do Grupo "As Cantadeiras do Vale do Neiva" e do Grupo Folclórico da Sta. Cruz - Vila Meã (Amarante) que irão reavivar tradições antigas.

26230811_1547813618587660_8368996294516258582_n

CASA DA CULTURA DE PONTE DA BARCA RECEBE MANUEL MÚRIA E OS NÁUFRAGOS

Manuel Fúria e os Náufragos na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 20 de janeiro

É já este mês que a Casa da Cultura de Ponte da Barca retoma a sua programação musical. Até Maio vários músicos vão passar pelo palco barquense prometendo noites agradáveis com talentos nacionais. O arranque acontece no dia 20 de janeiro, às 22h, com Manuel Fúria & Os Náufragos, banda de Guimarães que vem apresentar o novo disco "Viva Fúria".

Manuel-1-Cor-768x506

Manuel Fúria, artista português, começou a sua actividade como cabeça d’ Os Golpes e da Amor Fúria, Companhia de Discos do Campo Grande, fundada em 2007, responsável pelo cruzamento pródigo entre o rock e a música tradicional portuguesa. Dessa fase destacam-se canções como “A Marcha dos Golpes” ou “Vá Lá Senhora”, em dueto com Rui Pregal da Cunha, dos Heróis do Mar. No seu percurso a solo (na companhia dos Náufragos) destaca-se o denso e conceptual “Manuel Fúria Contempla Os Lírios do Campo”, de 2013. Do novo álbum, “Viva Fúria”, já podemos ouvir “Nova”, “20.000 Naves” e, mais recentemente, “Aquele Grande Rio”.