Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MARTINHO DIAS LEVA A ARTE DO GRAFITI A ESCOLA DE FAMALICÃO

Alunos da Escola Secundária de Joane e o artista Martinho Dias partilharam pintura de mural

O artista plástico Martinho Dias que está representado no “NY Arts Annual Catalogue 2009” e na revista “NY Arts -Top Websites 2010”, Nova Iorque e, que em 2012, representou Portugal no 10.º Simpósio Artístico Internacional, na Alemanha, partilhou com cerca de 50 alunos do curso de Artes Visuais da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, de Joane, a pintura de um mural artístico, no âmbito do projeto “Artista no Municipio”, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

DSC_1945

O projeto arrancou em 2016 e englobou um conjunto de atividades culturais e artísticas, como o desenvolvimento da exposição na Casa das Artes sobre obra de Camilo denominada “A Corja” e uma sessão de Improbabilidades Criativas realizada no Parque da Devesa.

Esta quarta-feira, foi inaugurado o mural artístico que embeleza as salas de aula do Bloco C, da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado.

O diretor da escola, Alfredo Mendes, não escondeu a satisfação “por ver os alunos da escola envolvidos neste projeto” e salientou “a ligação artística e cultural muito forte” que sempre existiu na escola Benjamim Salgado.

Por sua vez, Martinho Dias elogiou “a abertura e a confiança por parte da escola e dos professores em acolher esta iniciativa”. Mostrou-se satisfeito com o “entusiasmo demonstrado pelos alunos desde o início do projeto” e assumiu que foi “um desafio muito gratificante”.

Da parte da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o vereador da Educação e Cultura, Leonel Rocha salientou a atitude dos professores e responsáveis da escola que “olharam para o projeto como um desafio e uma oportunidade de proporcionar aos seus alunos novas experiências e competências”. Em jeito de conclusão e olhando o painel, o autarca afirmou: “valeu a pena!”.

DSC_1903

PUSKAS EXPÕE NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

O pintor monçanense Puskas expõe no edifício da Assembleia da República, em Lisboa, entre os dias 21 de fevereiro e 24 de março. A inauguração, marcada para as 18h00, contará, entre outros, com a presença do autarca monçanense, António Barbosa.

Puskas 03

Após a abertura oficial da exposição, denominada “Nobre Povo Imortal”, realiza-se um momento musical com atuação dos artistas galegos Andrea Pousa e Bruxo Queiman, bem como uma prova de vinhos com a presença do enólogo Anselmo Mendes.

Autodidata convicto no sentido absoluto do termo, Puskas, nascido em 1954, fez uma aprendizagem gradual num curto espaço de tempo, através de muito trabalho de investigação e um jeito natural e intuito para a aplicação das regras de ouro desta modalidade artística.

Puskas 02

Os temas preferidos fixam-se nos panoramas diurnos, prefigurados nos mistérios das sombras iluminadas, na flexibilidade inspiradora e nos espaços citadinos ou rurais, onde o artista utiliza uma linguagem plástica plena de referências humanas.

Há décadas que Puskas se vem inspirando nas suas gentes, nos feitos do seu povo, nos acontecimentos históricos e nas façanhas poéticas e heroicas dos portugueses. Com uma vasta obra sobre estes temas espalhados pelo país e mundo, tem contribuído para divulgar e imortalizar o povo português.

Nesta exposição, Puskas homenageia o sentir lusitano e retrata a riquíssima e ancestral nobreza de um povo repleto de figuras notáveis que, ao longo dos séculos, eternizaram os feitos de Portugal. Em resumo, o artista brinda os visitantes com uma interpretação pictórica sobre variados aspetos da nossa história, gentes e tradições.

Puskas 01

MONÇÃO EXPÕE PINTURA DE ANGEL TORRES

Exposição de pintura "El Realismo de Angel Torres" do artista galego Angel Torres na Casa Museu de Monção/UMinho

Encontra-se patente ao público até ao dia 28 de fevereiro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do artista galego Angel Torres, intitulada "El Realismo de Angel Torres".

ANGELTORRES2

Sinopse da exposição, segundo o artista: «El arte, difícil situación, y estamos rodeados de ello, pero pocos se paran, a observarlo, por poco que no lo vea en entenderlo, con esas prisas, de apartarlo. No se lo que realmente esta ocurriendo, si se sabe, mejor dicho, es las tegnologias las que están influyendo en nosotros. Ya uno desea que cuando nace, quiere estar ya disponible a ver todo lo mas aprisa posible, de un arte, casi no compresible,. Pero el arte, no es así, es con paciencia, observación, estudio, de ahí el realismo, la critica buena, la critica mala, todo influye en el arte realista. Pero quien juzga todo eso, ese mismo que lo observa, no otro que juzga y con su opinión, todos quieren darle la razón. Cada uno es independiente en juzgar, de lo que ve, y de que en su mente, de esa libertad, le pueda gustar o no, pero lo primordial del realismo, es que lo que se observe, se juzgue por uno mismo, no por la opinión, de una sola experiencia. Que difícil es el arte realista., en estos tiempos. Pero no se puede decaer en ello, continuar con esa fuerza de ver que a muchos le gusta, ese arte bien observado, es lo que le da ganas de batallar por un arte realista.»

A entrada é livre!

FEV La Herreria Pontevedra

MIGUEL BRANCO EXPÕE PINTURA E ESCULTURA EM FAMALICÃO

“Cratera” de Miguel Branco para ver na Ala da Frente. Nova exposição da galeria de arte contemporânea vai estar patente até 18 de maio

É um dos mais conceituados artistas plásticos da atualidade em Portugal e esteve no passado sábado em Vila Nova de Famalicão para inaugurar a sua nova exposição. Até 18 de maio, Miguel Branco expõe “Cratera” na galeria de arte contemporânea famalicense – Ala da Frente.

DSC_0175

A singular atenção que presta à pintura e à escultura confere um carácter intimista às exposições de Miguel Branco, o que atrai os visitantes para uma fruição mais apurada.“Tem uma dedicação particular com o espaço para que o resultado possa ser o mais completo possível e nos leve à contemplação, à visão cuidada de cada uma das obras. Estreitam-se laços de silêncio na nossa observação, a dimensão promove uma concentração delicada, minuciosa, precisa”, explica o curador da Ala da Frente, António Gonçalves.

Sobre a exposição que Miguel Branco tem agora patente em Vila Nova de Famalicão, António Gonçalves explica que o artista plástico “traz mais um singular trabalho de articulação das obras com a sala de exposição, redimensionando-o, tornando-o uma parte complementar à fruição da obra onde poderemos encontrar um conjunto de pinturas em que a "cratera" é o pretexto para ali se refletir e aprofundar a nossa conceção do tempo”.

Nascido em 1963, em Castelo Branco, Miguel Branco tem obras nas coleções do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e na Fundação EDP, em Lisboa, na Fundação de Serralves, no Porto, e no Museu de Arte Moderna Grão-Duque Jean (Mudam), no Luxemburgo, entre outras instituições.

Recorde-se que a Galeria Municipal Ala da Frente, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, João Queiroz, com “Encaústicas”, José Pedro Croft, com “Prova de Estado”, Pedro Cabrita Reis com “Ridi Pagliaccio”, Pedro Casqueiro com “Desordem Vertical”, Alberto Carneiro com “Árvores e Rios” e “Uma Certa Quantidade” de Jorge Queiroz.

DSC_0153

PINTORA ANA RIBEIRO EXPÕE EM BARCELOS

Exposição de pintura de Ana Ribeiro na Biblioteca Municipal

A Biblioteca Municipal de Barcelos abre, no dia 3 de fevereiro, às 15h00, a exposição de pintura “Pincel de Fogo” da artista Ana Ribeiro.

Cartaz_Pincel de Fogo

Trata-se de um conjunto de obras desta autodidata com ávida curiosidade, que incluem trabalhos em gesso, tela, falsos vitrais e, mais recentemente, piro gravura.

A artista participou em várias exposições coletivas e individuais, sendo esta a sua décima segunda exposição individual, mais um passo no desejo de partilhar com os outros as suas obras e de se afirmar no mundo da arte.

Nascida em Paços de Ferreira, em 1964, a artista fez os seus estudos primários na freguesia de Modelos, seguindo-se o preparatório e o secundário na vila de Paços de Ferreira. Após o secundário, entrou no mundo do trabalho, tendo deixado para mais tarde a continuação da formação académica.

A veia artística despertou, quando foi galardoada com o primeiro prémio para melhor pintura numa competição no ensino preparatório. Mais do que um reconhecimento, este foi o incentivo necessário para continuar a explorar as várias formas de arte.

A sua arte inspira-se em situações e objetos do quotidiano, como edifícios, museus e igrejas emblemáticas, que muitas vezes visita.

A sua obra “A Ressurreição de Cristo” que se encontra na capela do Hospital Padre Américo, em Penafiel, valeu-lhe já a admiração de conceituados artistas.

A exposição estará patente ao público até ao dia 24 de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 18h00 e, aos sábados, das 9h30 às 12h30.

ROBERTA VELOSO EXPÕE PINTURA EM PÓVOA DE LANHOSO

Artista Povoense Roberta Veloso expõe 15 anos de Arte na galeria do Theatro Club

A artista Povoense Roberta Veloso expõe, até ao próximo dia 25 de fevereiro, diversas pinturas na galeria do Theatro Club.

O Presidente da CMPL e a artista Roberta Veloso na abertura da exposicao

“Temos muito gosto em dar visibilidade, neste espaço, ao talento de jovens Povoenses, como é este caso. Esta artista é um bom exemplo da qualidade dos nossos jovens e vale a pena conhecer o seu trabalho”, salientou o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, à margem da abertura da exposição “15 Anos de Arte – Retrospetiva 2003/2018”, no passado sábado, dia 27 de janeiro.

Nas suas obras, Roberta Veloso utiliza maioritariamente a técnica de óleo sobre tela. Para além da participação anual na Exposição Aberta de Artes Plásticas da Póvoa de Lanhoso, tem participado em diversas exposições individuais e coletivas, principalmente no concelho Povoense. Está ainda representada em algumas coleções particulares na cidade de Almada, Ponte de Lima, na Póvoa de Lanhoso e arredores. 

Esta exposição de pintura ficará patente até 25 de fevereiro e pode ser apreciada de terça a sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Havendo espetáculos, pode ainda ser apreciada das 20h30 às 24h00.

18221767_1571261956283929_5069182469452684559_n

26993958_1571263086283816_3331877164913679668_n

26994036_1571262582950533_5868944728280687205_n.jpg

26994311_1571262999617158_8904808049096496585_n

26994321_1571262136283911_8767431628415813232_n

27066796_1571261712950620_1128980322566498943_n

27067603_1571261646283960_6680797808658943518_n

27067787_1571263066283818_1164278646173306118_n

27067808_1571261419617316_581553593356829123_n.jpg

27072572_1571263449617113_7142113206653344540_n

27072660_1571261999617258_7393599610839268014_n

27072946_1571263239617134_2083673608784183711_n

27332466_1571261332950658_4427638624034423341_n

27336265_1571261742950617_6978511792276883779_n

MIGUEL BRANCO EXPÕE EM BARCELOS

Miguel Branco expõe “Cratera” na Ala da Frente. Exposição do artista plástico na galeria famalicense é inaugurada este sábado, 3 de fevereiro, pelas 18h00

Miguel Branco é o nome que se segue na galeria de arte contemporânea Ala da Frente, em Vila Nova de Famalicão. O artista plástico português vai estar este sábado, 3 de fevereiro, no concelho famalicense, para inaugurar a exposição de pintura “Cratera”, que vai estar patente na galeria municipal até ao dia 18 de maio.

Cratera_Miguel Branco (2)

Considerado um dos mais conceituados artistas plásticos da atualidade em Portugal, “a obra de Miguel Branco provoca um desafio à presença do visitante no espaço da exposição”, diz António Gonçalves, curador da Ala da Frente.  

A singular atenção que presta à pintura e à escultura confere um carácter intimista às suas exposições, o que atrai os visitantes para uma fruição mais apurada. “Tem uma dedicação particular com o espaço para que o resultado possa ser o mais completo possível e nos leve à contemplação, à visão cuidada de cada uma das obras. Estreitam-se laços de silêncio na nossa observação, a dimensão promove uma concentração delicada, minuciosa, precisa”, acrescenta António Gonçalves.

Sobre a exposição “Cratera” que Miguel Branco inaugura este fim-de-semana em Vila Nova de Famalicão, o curador da Ala da Frente explica que o artista plástico “traz mais um singular trabalho de articulação das obras com a sala de exposição, redimensionando-o, tornando-o uma parte complementar à fruição da obra onde poderemos encontrar um conjunto de pinturas em que a "cratera" é o pretexto para ali se refletir e aprofundar a nossa conceção do tempo”.

Nascido em 1963, em Castelo Branco, Miguel Branco tem obras nas coleções do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e na Fundação EDP, em Lisboa, na Fundação de Serralves, no Porto, e no Museu de Arte Moderna Grão-Duque Jean (Mudam), no Luxemburgo, entre outras instituições.

Recorde-se que a Galeria Municipal Ala da Frente, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, João Queiroz, com “Encaústicas”, José Pedro Croft, com “Prova de Estado”, Pedro Cabrita Reis com “Ridi Pagliaccio”, Pedro Casqueiro com “Desordem Vertical”, Alberto Carneiro com “Árvores e Rios” e “Uma Certa Quantidade” de Jorge Queiroz.

CELESTE FERREIRA EXPÕE PINTURA EM BARCELOS

Galeria Municipal expõe obra da artista gaiense Celeste Ferreira 

A Galeria Municipal de Arte apresenta, de 27 de janeiro a 18 de março, a exposição de pintura da artista plástica, Celeste Ferreira. Ao todo são 20 obras de óleo sobre tela e técnica mista sobre papel, repletas de cor, carregadas de um espírito sensível e intimista, onde a figura feminina surge como o elemento central.

As suas pinturas refletem um olhar sobre os outros e as suas histórias, com temas mitológicos, narrativas antigas e histórias novas. Com um espírito sensível e intimista, nas suas telas coloridas, a mulher surge como elemento definidor da sua obra.

Nascida em Vila Nova de Gaia, em 1953, a artista licenciou-se em ensino de Educação Visual pela Escola Superior de Educação de Lisboa e frequentou o curso de Pintura da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa.

Cartaz_Exposição de Pintura de Celeste Ferreia

GRUPO DESPORTIVO E CULTURAL DOS TRABALHADORES DOS ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO CASTELO INAUGURAM EXPOSIÇÃO SOBRE “O MAR E A CONSTRUÇÃO NAVAL"

Exposição “O mar e a Construção Naval”: Um público generoso marcou presença para ver artes conjugadas

A arte da Paula Pereira já não constitui surpresa, já que o seu talento é suficientemente conhecido e está abundantemente testado. Já se contava por isso com uma exposição que a todos tocaria. Surpresa foi a pequena artista, que poderá certamente ser grande, a Raquel Viana, que a Paula fez questão de apresentar para interpretar três belas canções, entre elas a melodiosa e tocante “Canção do Mar” de Dulce Pontes, bem enquadrada no evento que se inaugurava.

Imagem_2

Foi na passada sexta-feira, dia 12, na Galeria da Santa Casa da Misericórdia de Viana, pelas 21,30 horas. O público foi abundante e o espaço insuficiente para proporcionar um acolhimento condigno a todos. Tratava-se de mais um evento integrado nas comemorações do cinquentenário do Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos ENVC, mas, acima de tudo, de um trabalho que se previa especial desta artista que não cessa de arrecadar prémios, extrafronteiras.

E ninguém se considerou defraudado. O mar e a construção naval vianenses ali estão, de forma tocante, artisticamente alegorizados. Com o espaço dividido em salas com e sem luz, é possível ver e sentir, nas mais diversas artes (escultura, pintura, e sonoridade), a força do trabalho e o resultado deste. O movimento e a segurança, a destreza e a orientação precisa, a determinação e a persistência de quem constrói navios ali se representam, especialmente em pincelada segura, com pouca cor, a explorar bem espaços brancos e a emparceirar com a geometria naval, tendo sempre presente a figura humana, que tudo determina e que tudo constrói. Na sala escura não faltam os sons do mar que ora se afasta ora nos toca, da saída e entrada de navios, das gaivotas que esvoaçam animando fainas, etc, com complemento das imagens que se reflectem, evidenciadas pela força da luz, do trabalho activo, dos navios e apetrechos, das docas e das gentes.

Não podia a vida marítima, a que historicamente nos ligamos, ter tão sublime representação, como muito bem salientaram, quer os responsáveis do GDCTENVC, quer a Provedora da Misericórdia, em breves e concisas palavras. Até ao dia 2 de Fevereiro, têm os vianenses a oportunidade de observar uma exposição diferente, que representa uma vida de mar de que a cidade nunca abdicou nem jamais abdicará.

Texto e fotos: Gonçalo Fagundes Meira

Imagem_3

Imagem_4

Imagem_5

Imagem_6

PINTOR RICARDO FARIA EXPÕE EM VIZELA

Mês de dezembro: Exposição de Ricardo Faria na Loja Interativa de Turismo
A Loja Interativa de Turismo de Vizela recebe a exposição de Ricardo Faria, durante o mês de dezembro.

cartaz

Ricardo Faria é um Vizelense com 32 anos, que assume com grande entusiasmo a sua paixão pela pintura e pelo desenho.

Desde muito novo, soube que estas duas vertentes iriam fazer parte da sua vida.
O gosto pelo desenho continua, mas apenas como hobbie, até ao dia em que decidiu comprar telas e tintas, onde expandiu as suas ideias, iniciando a sua atividade artística enquanto autodidata a partir dos 15 anos de idade.
Hoje tem uma grande variedade de pinturas.

PÓVOA DE LANHOSO RECEBE EXPOSIÇÃO DE PINTURA SOBRE "IGUALDADE NA DEFICIÊNCIA"

Theatro Club da Póvoa de Lanhoso recebe exposição “Igualdade na Deficiência”

“Igualdade na Deficiência” é como se designa a exposição de pintura patente na Galeria do Theatro Club da Póvoa de Lanhoso entre os dias 14 de novembro e 7 de dezembro. Estão expostos diversos trabalhos de reconhecida qualidade.

Expo igualdade na deficiencia 1

O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, foi uma das presenças na abertura desta mostra, assim como a artista Maria de Lurdes Oliveira. O autarca relembrou que, na edição de 2016 da Semana para a Igualdade, aquando da realização do I Theatro Concerto Inclusivo foi lançado o desafio, agora concretizado, de apresentar uma coleção de pinturas realizadas por pessoas portadoras de deficiência no Theatro Club. “É com enorme agrado que, como Presidente do município, faço a abertura desta exposição que junta o cultural e o social”, referiu, na ocasião, o autarca. Presente esteve ainda a artista

Esta exibição  da Associação dos Artistas Pintores com a Boca e os Pés insere-se no âmbito da VII Semana Municipal para a Igualdade, que tem o ponto alto de 19 a 25 de novembro, com momentos ligados à temática escolhida para este ano – “Educar para a Igualdade” -, tais como os workshops de braille, a marcha silenciosa contra a violência sobre as mulheres, o II Theatro Concerto Inclusivo e a abolição de uma barreira arquitetónica na Vila Povoense, de entre outras propostas, a par de um momento destinado à divulgação e formação da Carta Portuguesa da Diversidade, visto que se encontra no município Povoense o núcleo desta Carta, no Norte do país.

Expo igualdade na deficiencia 2

ARTISTA GALEGO CHEMA MOSQUERA EXPÕE EM MONÇÃO

Exposição de pintura "Ritmos e Formas" de Chema Mosquera na Casa Museu de Monção/UMinho

Encontra-se patente ao público, desde hoje e até ao dia 30 de novembro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do artista galego Chema Mosquera, intitulada "Ritmos e Formas".

23130698_1552624781457685_6690838633190003120_n

Sinopse da exposição, segundo o artista Chema Mosquera:  «No início do trabalho pictórico buscava o maior reconhecimento das formas e objetos quotidianos dentro de um espaço com profundidade. Numa segunda etapa, os objetos convertem-se em formas nuns cenários ou paisagens imprecisos. Mais adiante, as formas abstratas tornam-se atores principais de um espaço pictórico plano, acabando por buscar a abstração com manchas amorfas. Nesta exposição, estão os RITMOS e a COR como protagonistas, materializados com FORMAS de textura voluptuosa e como atores secundários em suportes quadrados desprovidos quase por completo de profundidade, no que as formas impressas pelo ritmo são totalmente casuais, sem recordar em absoluto os objetos».

A entrada é livre!

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada 

PINTOR FAFENSE ORLANDO POMPEU INAUGURA EM GUIMARÃES EXPOSIÇÃO “COM TEXTOS PESSOAIS"

No passado sábado (21 de outubro) o mestre-pintor Orlando Pompeu inaugurou na Galeria quarenta do Hotel Mestre de Avis, uma unidade hoteleira no centro de Guimarães, a exposição “ComTextos Pessoais”.

1

Da esq. para a dir.: O mestre-pintor Orlando Pompeu, acompanhado da empresária Maria Roeder, da vereadora do Município de Guimarães, Paula Oliveira, e do historiador Daniel Bastos.

 

A inauguração da exposição de um dos mais conceituados artistas plásticos portugueses da atualidade, detentor de uma obra que está representada em variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Dubai e Japão, encheu-se de amigos, admiradores e colecionadores do pintor de referência nacional e internacional.

Nesta nova exposição, composta por obras conceptuais, acrílico sobre tela e aguarelas, Orlando Pompeu acentua os elementos característicos da sua profícua carreira artística. Nomeadamente a sublimação do traço, da forma, do ritmo e do desenho que se revelam num conjunto significativo de trabalhos inéditos marcados pela criatividade, originalidade e contemporaneidade.

A apresentação da obra e do seu autor esteve a cargo do historiador Daniel Bastos, que comentou que a exposição “ComTextos Pessoais”, é marcada por uma mensagem onde predomina o afeto e a ternura feminina, na esteira da sensibilidade e da beleza do universo feminino que estão muito presentes ao longo do riquíssimo percurso cultural e artístico do mestre-pintor, que criou um inimitável estilo pompeuano.

Visivelmente emocionado, o artista agradeceu a presença dos inúmeros amigos, admiradores e colecionadores que lotaram o espaço da Galeria quarenta, entre eles a vereadora do Município de Guimarães, Paula Oliveira, e reconheceu a oportunidade desta nova exposição através do papel da empresária e colecionadora Maria Roeder, que esteve na base do impulso do novo ciclo temático do artista plástico. 

Refira-se que a exposição estará patente ao público até ao dia 31 de janeiro do próximo ano, durante o período normal de funcionamento da unidade hoteleira integrada no território classificado pela UNESCO. E que 20% das vendas das obras expostas será doado à Associação Vencedores do Cancro Unidos pela Vida, uma Associação sem fins lucrativos e que pretende que doentes e seus familiares tenham um apoio na luta contra o Cancro.

2

3

4

5

6

7

MUSEU PIO XII RECEBE DUAS NOVAS TELAS DE HENRIQUE MEDINA

Oferta oficializada durante sessão de história local

A Galeria Henrique Medina, que integra o percurso do Museu Pio XII, foi enriquecida com duas novas telas do pintor falecido em 1988 que ofereceu uma parte significativa do seu espólio à Arquidiocese de Braga. A oferta foi oficializada durante a sessão de história local que o Município de Braga realizou esta Sexta-feira, dia 20 de Outubro, no âmbito do programa ‘À Descoberta de Braga’.

1

Para o vereador do Património do Município de Braga, Miguel Bandeira, que presidiu a esta sessão, este legado representa um «orgulho imenso para Braga e para os bracarenses», fazendo votos que o Museu Pio XII e, particularmente a Galeria dedicada a Henrique Medina, sejam «mais visitados, conhecidos e reconhecidos».

A oferta partiu da família de Joaquim Correia da Silva, que ficou conhecido no meio literário como “Joaquim Paço d’Arcos”, tendo sido entregues ao Museu Pio XII duas telas, uma com o retrato do escritor falecido em 1979 e outra de sua esposa Maria da Graça Spencer Corrêa da Silva.

«Este é um momento histórico para o Museu Pio XII que queremos assinalar com a devida solenidade», referiu o director do Museu Pio XII, cónego José Paulo Abreu, numa sessão que contou com a presença do Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga.

Para José Paulo Abreu, este é «mais um passo no enriquecimento do espólio do principal retratista português do século XX», deixando subentender o desejo de ver alargado o núcleo museológico que lhe é devotado.

A entrega deste legado, que apenas foi revelada no final desta iniciativa, integrou mais uma sessão de história local integrada no programa “À Descoberta de Braga” que o Município leva a efeito todos os meses. A temática da noite era “Henrique Medina: o pintor e a obra” sob orientação de Luís Casimiro, historiador de arte e especialista na obra do homenageado.

Recorde-se que o pintor Henrique Medina, fruto da amizade com as mais altas figuras da Arquidiocese, vai legar em 1982 à Igreja bracarense um conjunto de 52 telas e 21 desenhos da sua autoria. Dada a natureza e valia do acervo, resolveu-se dar casa própria ao legado, fundando-se o Museu Medina, que atualmente integra o circuito museológico do Museu Pio XII. Abriu as portas a 21 de Junho de 1984 e tornou-se no único espaço museológico da região minhota, dedicado integralmente à pintura. Desde aí a direção do Museu Pio XII tem-se esforçado por enriquecer o espólio que se encontra à sua guarda.

2

3

5

PINTOR ORLANDO POMPEU EXPÕE EM GUIMARÃES

No próximo sábado (21 de outubro) o mestre-pintor Orlando Pompeu inaugura às 18h00 na Galeria quarenta do Hotel Mestre de Avis, uma unidade hoteleira no centro de Guimarães, integrada no território classificado pela UNESCO, a exposição de pintura “ComTextos Pessoais”.

Orlando Pompeu

Um dos mais conceituados artistas plásticos portugueses da atualidade, Orlando Pompeu é detentor de uma obra que está representada em variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Dubai e Japão.

Nesta nova exposição que apresenta ao público, composta por obras conceptuais, acrílico sobre tela e aguarelas, Orlando Pompeu acentua os elementos característicos sua carreira artística. Nomeadamente a sublimação do traço, da forma, do ritmo e do desenho que se revelam num conjunto significativo de trabalhos inéditos marcados pela criatividade, originalidade e contemporaneidade.

Refira-se que a apresentação da obra e do mestre-pintor estará a cargo do escritor e historiador Daniel Bastos, e quem caso de vendas, 20% será doado à Associação Vencedores do Cancro Unidos pela Vida, uma Associação sem fins lucrativos e que pretende que doentes e seus familiares tenham um apoio na luta contra o Cancro.

FAMALICÃO EXPÕE DESENHO E PINTURA

O desenho de Jorge Queiroz vai passar pela Ala da Frente. Exposição de desenho e pintura é inaugurada este sábado, dia 7, pelas 18h00

Desde a sua inauguração, em maio de 2015, foram vários os grandes nomes do panorama artístico nacional que já passaram pela Ala da Frente, em Vila Nova de Famalicão. A próxima exposição não será exceção, com a galeria de arte contemporânea famalicense a receber a obra de Jorge Queiroz, recentemente galardoado com o “Prémio Artes Plásticas” pela Associação Internacional de Críticos de Arte.

Jorge Queiroz

“Uma certa quantidade” é o nome da exposição de desenho e pintura que vai ser inaugurada este sábado, dia 7 de outubro, pelas 18h00, na Ala da Frente, espaço que a acolherá até 20 de janeiro de 2018, com entrada gratuita.

Sobre a obra de Jorge Queiroz, António Gonçalves, curador da Ala da Frente, refere que“em cada um dos seus trabalhos vamos sendo surpreendidos por formas que se pronunciam com sugestões de espaços e de eventuais seres que os habitam, levando-nos por uma relação de incursão no espaço”.

E acrescenta: “Há um uso da linguagem do desenho pela exploração dos seus meios técnicos, conjugando-os e retirando deles soluções capazes de garantir que cada linha, cada mancha, cada textura revela um imaginário desafiante e surpreendente”.

Já sobre a exposição “Uma Certa Quantidade”, António Gonçalves explica que “desafia a atenção para o exercício de observação e que potencia uma contemplação e fruição muito particulares onde se possibilita aceder a outros espaços”.

Jorge Queiroz nasceu em Lisboa, em 1966. Expôs o seu trabalho nos Estados Unidos da América e pela Europa, destacando-se as exposições individuais na Fundação Carmona e Costa, Lisboa (2012), Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto (2007); Horst-Janssen-Museum, Oldenburgo (2006) e no Künstlerhaus Bethanien, Berlin (2004), onde fez uma residência artística.

Queiroz participou na Bienal de Rennes (2016); 4ª Bienal de Berlim (2006), 26ª Bienal de São Paulo (2004) e na 50ª Bienal de Veneza (2003). Após um longo período a viver em Berlim, Queiroz atualmente vive e trabalha em Lisboa.

Recorde-se que a Galeria Municipal Ala da Frente, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, João Queiroz, com “Encaústicas”, José Pedro Croft, com “Prova de Estado”, Pedro Cabrita Reis com “Ridi Pagliaccio”, Pedro Casqueiro com “Desordem Vertical” e Alberto Carneiro com “Árvores e Rios”.

VIZELA EXPÕE PINTURA DE ANTÓNIO JOSÉ MENDES RODRIGUES

1 a 30 de outubro: Exposição de António José Mendes Rodrigues na Loja Interativa de Turismo

A Loja Interativa de Turismo de Vizela recebe a exposição de António José Mendes Rodrigues, de 1 a 30 de outubro.

cartaz

António José Mendes Rodrigues, mais conhecido na cidade como “Valença”, é um vizelense de 49 anos, que assume com grande entusiasmo a sua paixão pela pintura.

Este gosto não será de estranhar, uma vez que esta arte tem vindo a ser desenvolvida pelos seus antepassados.

Desde os 16 de idade que trabalha como pintor, particularmente no restauro de igrejas e capelas.

Decidido a expandir as suas ideias, iniciou a sua atividade artística, enquanto autodidata, há cerca de oito anos, onde a influência e incentivo de um amigo foram cruciais.

Tem desenvolvido e aprofundado as suas capacidades artísticas, ao longo destes últimos anos, tendo inclusivamente já realizado exposições no concelho.

PINTOR GALEGO ZACARIAS EXPÕE EM MONÇÃO CUJAS PAISAGENS INSPIRAM A SUA OBRA

Encontra-se patente ao público, desde hoje e até ao dia 31 de outubro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do artista galego Zacarias, intitulada "Últimos trabalhos".

Zacarias

Com mais de 50 anos dedicados à pintura, Zacarias escolheu a freguesia de Pias, Monção, para o local de refúgio, usando as paisagens monçanenses como inspiração.

Não perca esta exposição composta por cerca de três dezenas de trabalhos!!

A entrada é livre!

BRAGA EXPÕE OBRAS DE JOSEFA DE ÓBIDOS

Exposição no Palácio do Raio mostra obras de Josefa de Óbidos

No âmbito da Braga Barroca, que se realiza entre os dias 20 e 24 de Setembro, é inaugurada esta Sexta-feira, dia 15 de Setembro, pelas 18h00, no Palácio do Raio, a exposição ‘Josefa de Óbidos: Pintura em tempo barroco’.

Josefa de Óbidos

Até 20 de Outubro, o público poderá apreciar obras de referência de um vulto da pintura barroca em Portugal. Para amanhã, dia 15, está igualmente agendada uma sessão de história local sobre a pintora, orientada por Joaquim Caetano. A sessão terá lugar às 21h30, no Auditório de S. Marcos (Antigo Hospital de S. Marcos). Também entre os dias 20 a 23 de Setembro, às 17h00, irão decorrer visitadas guiadas à exposição.

Josefa de Ayala e Cabrera - mais conhecida por Josefa de Óbidos - nasceu em 1630, em Sevilha, vindo mais tarde para Óbidos, de onde era natural o seu pai, Baltasar Gomes Figueira, e onde veio a falecer em 1684, com 54 anos. Desta vila portuguesa adoptou o nome artístico, iniciando aqui uma intensa actividade na área da pintura e não só.

Na exposição que estará patente no Palácio do Raio estarão algumas das obras desta artista espalhadas pelo país, vindas de várias instituições, sobretudo Misericórdias. Figura central do século XVII e do barroco português, Josefa de Óbidos distinguiu-se pelo seu estilo original, marcando a pintura portuguesa, num meio artístico predominantemente masculino.

A Braga Barroca, que se realiza de 20 a 24 de Setembro, pretende não apenas assinalar as Jornadas Europeias do Património, mas igualmente dar uma oportunidade mais visível para os Bracarenses desfrutarem e conhecerem o seu património. Ao longo do ano não faltam outras iniciativas visando a promoção e salvaguarda do Barroco na cidade de Braga, no entanto, dada a sua relevância, entendemos que deveria ter reservado um momento especial no calendário que, graças ao empenho e participação dos bracarenses, se solidificou nas dinâmicas culturais da cidade.

Sons, sabores, visitas guiadas, encenações, entre outros momentos de aprendizagem serão proporcionados a todos os públicos na edição de 2017.