Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CASA DO MINHO EM LISBOA RECEBE O COMPASSO EM DOMINGO DE PASCOELA

Realizou-se anteontem em Lisboa o tradicional compasso pascal tendo a cruz sido dada a beijar aos minhotos que afluíram à Casa do Minho.

18143002_1488212984543584_446377162_n.jpg

Em domingo de Pascoela, a zona de Telheiras despertou de uma forma diferente da habitual. Os mordomos, com as suas opas vermelhas, levavam consigo a cruz florida, a sineta e a caldeirinha, logo seguidos de uma pequena multidão que, na sua fé, não dispensaram também o acompanhamento dos bombos e das concertinas, à boa maneira minhota.

Já na sede daquela instituição regionalista, a cruz foi dada a beijar aos presentes, tendo as celebrações pascais sido presididas pelo Padre João Caniço, Pároco do Lumiar onde a Casa do Minho se encontra sediada.

18110667_1488213041210245_1609521163_n.jpg

18120378_1488213557876860_759216042_o.jpg

18136854_1488213034543579_1740521033_n.jpg

TERRABOURENSES PINTAM OVOS DA PÁSCOA

Inaugurada a exposição “PINTAR A PÁSCOA XI” em Terras de Bouro

O Município de Terras de Bouro e o Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro, na presença da Vereadora da Educação e Ação Social do município, Dr.ª Liliana Machado e do Profº Álvaro Carneiro, inauguraram oficialmente a 13 de abril a décima primeira edição do projeto “Pintar a Páscoa”.

Os trabalhos, que primam pela qualidade e conceção, estarão disponíveis para visita até dia 26 de abril.

tbouvospasccc (1).JPG

tbouvospasccc (2).JPG

tbouvospasccc (3).JPG

tbouvospasccc (4).JPG

tbouvospasccc (5).JPG

tbouvospasccc (6).JPG

tbouvospasccc (7).JPG

tbouvospasccc (8).JPG

tbouvospasccc (9).JPG

tbouvospasccc (10).JPG

tbouvospasccc (11).JPG

tbouvospasccc (12).JPG

tbouvospasccc (13).JPG

tbouvospasccc (14).JPG

BRAGA MANTÉM A TRADIÇÃO DA MAIS GRANDIOSA SEMANA SANTA DE PORTUGAL

CONCERTOS E ESPETÁCULOS

13 abril — quinta-feira Santa

Animação de rua por um grupo de farricocos da Santa Casa da Misericórdia, com matracas.

Iniciativa da Santa Casa da Misericórdia de Braga

Na sua origem pagã, eram um grupo de mascarados que percorria as ruas, anunciando a passagem dos condenados e relatando os seus crimes. Já «cristianizados», em tempos antigos, conforme a mentalidade de então, percorriam as ruas chamando os pecadores públicos à sua reintegração na Igreja, depois de arrependidos e perdoados. Era a forma do tempo, de entender a misericórdia para com os pecadores, aos quais tinha sido aplicada a indulgência (ou «endoença»). Atualmente, atribuise- lhe um significado substitutivo e residual, de chamamento dos Irmãos da Misericórdia para a procissão da noite. O uso das ruidosas «matracas» para este efeito foi instituído em anos remotos para substituir o toque dos sinos, que nos dias maiores da Semana Santa ficavam silenciosos.

14 abril — sexta-feira Santa

18h30, adro da Igreja de Santa Cruz

Encenação “As dores nos passos dos nossos dias”

Pelo grupo Greculeme.

Organização da Irmandade de Santa Cruz

 

22 abril — Sábado de pascoela

21h30, Igreja de S. Victor

Concerto Pascal

"A festa Barroca", Dixit Dominios, HWV 232 de G. F. Haendel.

Coro e Orquestra Sinfonietta de Braga

Organização da C. O. da Procissão de Nossa Senhora da Burrinha (Paróquia e Junta de Freguesia de S. Victor).

VISITAS GUIADAS

8 a 15 abril

Local de encontro: Posto de Turismo, Av. Central

10h30

Visita guiada às sete igrejas que representam as sete estações de Roma

17h00

Visita guiada ao centro histórico, dedicada à história da cidade e da Semana Santa

Iniciativas do Free Walking Tour Braga, promovidas pela ACESAS - Grupo de Intervenção Cultural.

 

9 a 13 abril

Local de encontro: Largo da Sra-a-Branca

Visitas guiadas às Igrejas de S. Victor e Senhora-a-Branca, e à Capela de N.ª Sr.ª Guadalupe

Organização da Junta de Freguesia de S. Victor e Profitecla

Apoio: Paróquia de S. Victor, Irmandade da Senhora-a-Branca, Irmandade de N.ª Sr.ª Guadalupe

Continuam as

EXPOSIÇÕES

3 março a 16 abril

Museu Pio XII

“Uma Mãe junto à Cruz”

Organização do Museu Pio XII

 

4 março a 16 abril

Museu da Imagem

Exposição de fotografia “Lausperene”

Organização da Câmara Municipal de Braga

 

16 março a 17 abril

Casa dos Crivos

“As Catorze Obras da Misericórdia”

Organização da Câmara Municipal de Braga e da Santa Casa da Misericórdia de Braga

Patrocínio: Hospital de Braga

 

17 março a 16 abril

Tesouro-Museu da Sé de Braga (entrada pela rua D. Diogo de Sousa)

“Mater Dolorosa”

Organização do Tesouro-Museu da Sé de Braga

 

20 março a 16 abril

Salão Medieval da Reitoria da Universidade do Minho

“Os Terceiros na Quaresma Bracarense”

Uma iniciativa de: Venerável Ordem Terceira de S. Francisco de Braga, Conselho Cultural da Universidade do Minho e Câmara Municipal de Braga

 

31 março a 13 abril

Irmandade de Santa Cruz (Largo de Santa Cruz)

“Paixão e Glória – Num Tesouro-Museu de Amor”

Organização da Irmandade de Santa Cruz

 

31 março a 20 abril

Espaço Galeria da Junta de Freguesia de S. Victor

“Cristo… por amor a nós”, Artigos religiosos

Uma iniciativa da Comissão Organizadora da Procissão da Burrinha

 

3 a 17 abril

Braga Parque

Exposição de fotografia “Lausperene”

Organização do Braga Parque

 

3 a 18 abril

Fonte do Ídolo

Exposição de fotografia “A Semana Santa de Braga”

Fotos premiadas da 8ª edição do Concurso de Fotografia (2016)

Organização da Comissão da Semana Santa

CELEBRAÇÕES RELIGIOSAS

13 de abril — Quinta-feira Santa

10h00, Sé Catedral

Missa Crismal e Bênção dos Santos Óleos

Comemorando a instituição do sacerdócio, o Arcebispo Primaz faz-se acompanhar de todo o clero da Arquidiocese e com este, como presbitério participante do seu pleno sacerdócio, concelebra a Eucaristia. Durante a celebração, consagra os Santos Óleos, que serão levados pelos presbíteros para as suas paróquias a fim de servirem para ungir os batizandos e os doentes.

 

16h00, Sé Catedral

Lava-Pés e Missa da Ceia do Senhor

A anteceder a Missa da Ceia do Senhor, o Arcebispo que preside lava os pés a doze pessoas que representam os doze Apóstolos. Assim se comemora o que fez Jesus e se atualiza a sua eloquente lição: «Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, levou até ao extremo este seu amor. […] Levantou-se da mesa, depôs as vestes e tomando uma toalha pô-la à cinta. Depois de lhes lavar os pés […], disse-lhes: ‘Compreendestes o que vos fiz? Vós chamais-me Mestre e Senhor e dizeis bem porque Eu o sou. Ora, se Eu, sendo Mestre e Senhor, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo, para que, assim como Eu fiz, vós façais também’» (Jo 13, 1-15).

Terminado este rito, segue-se a Missa da Ceia do Senhor. É uma celebração dominada pelo sentimento do amor de Cristo que, na véspera da sua Paixão, enquanto comia a Ceia com os discípulos, instituiu o Sacrifício-Sacramento da Eucaristia, como memorial da sua Morte e Ressurreição a celebrar, tornando-o sempre atual, no decurso dos tempos: «Durante a ceia, tomou o pão dizendo: — ‘Tomai e comei. Isto é o meu corpo, entregue por vós.’ Do mesmo modo, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos discípulos dizendo: — ‘Tomai e bebei todos. Este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna Aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim’» (Lc 22, 19-20).

No momento próprio, o Presidente da celebração faz a homilia apropriada, com especial incidência na lição do lava-pés e no «mandamento novo» deixado por Jesus como testamento espiritual para os seus discípulos (Sermão do Mandato). «Dou-vos um mandamento novo: que vos ameis uns aos outros. […] É nisso que todos reconhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros como Eu vos amei a vós» (Jo 13, 34-35).

Terminada a missa, a assembleia canta a hora de Vésperas, enquanto que o Cristo vivo presente na Hóstia consagrada é conduzido em procissão pelas naves da Catedral para um lugar de adoração (a representar o Horto das Oliveiras), onde permanecerá até ser dali retirado, também processionalmente, no dia seguinte, para o sepulcro. Os fiéis são convidados a velarem com Ele, na hora da sua Paixão. Em sinal de luto, o altar é desnudado.

 

Durante a tarde, os fiéis são convidados a visitarem as sete igrejas, que representam as Sete Estações de Roma (Sé Primaz, Misericórdia, Santa Cruz, Terceiros, Salvador, Penha e Conceição / Mons. Airosa).

 

14 abril — Sexta-feira Santa

10h00, na Sé Catedral

Ofício de Laudes, com alocução do Presidente aludindo às Sete Palavras de Jesus na Cruz.

Terminadas as Laudes, os Capitulares presentes acolhem os penitentes que desejarem receber o Sacramento da Reconciliação (confissão).

 

15h00, em doze locais da Cidade

Lançamento de morteiros, assinalando o momento da morte de Jesus.

Convidam a um minuto de silêncio em Sua memória.

 

15h00, na Sé Catedral

Celebração da Morte do Senhor

À mesma hora em que Cristo expirou, os cristãos celebram o mistério da sua Morte redentora.

Inclui a Procissão Teofórica do Enterro, costume trazido de Jerusalém pelo Convento de Vilar de Frades, no séc. XV ou XVI, daí passou a muitas catedrais. Abolido no séc. XVII, manteve-se na Catedral bracarense. Nesta impressionante procissão, o Santíssimo Sacramento, encerrado num esquife coberto de um manto preto, é levado pelas naves da Catedral — daí o nome de procissão teofórica (que transporta Deus) — e deposto em lugar próprio para a veneração dos fiéis. Os acompanhantes cobrem o rosto em sinal de luto. Dois meninos ou duas senhoras, alternando com responsórios do coro, cantam em latim e em tom de comovido lamento: «Heu! Heu! Domine! Heu! Heu! Salvator noster!» (Ai! Ai! Meu Senhor! Ai! Ai! Salvador nosso!).

 

15 de abril — Sábado santo

10h00, Sé Catedral

Ofício de Laudes, com alocução do Presidente

Terminadas as Laudes os Capitulares presentes acolhem os penitentes que desejarem receber o Sacramento da Reconciliação (confissão).

 

Durante o dia, visita ao Santo Sepulcro (na capela de Nª Sra. do Sameiro, Sé Catedral) onde permanece a Sagrada Eucaristia.

 

21h00, Sé Catedral

Vigília Pascal e Procissão da Ressurreição

Para a Vigília Pascal convergem todas as celebrações da Semana Santa e mesmo de todo o Ano Litúrgico. Lembrando a grande noite de vigília do povo hebreu no Egipto, aguardando a hora da libertação (Ex 12), nela celebram os cristãos a sua própria redenção pelo mistério da Ressurreição de Cristo. Por ela se realiza a grande Páscoa ou Passagem da morte para a vida ou do estado de perdição para o estado de salvação. É a vitória final de Deus, em Cristo, sobre o pecado, o mal e a própria morte. No plano espiritual, os cristãos apropriam-se da graça desta passagem pelo Batismo. Por isso, a liturgia batismal tem aqui um lugar de destaque.

A Vigília Pascal — chamada por Santo Agostinho «a mãe de todas as Vigílias» — é uma soleníssima celebração, muito rica de simbolismo global e de símbolos particulares: as trevas, a luz, a água, o círio pascal, a cor alegre dos paramentos, a explosão de som e luz.

Integra quatro partes e conclui com a Procissão da Ressurreição.

 

16 abril  — Domingo de Páscoa

11h30, Sé Catedral

Missa Solene do Domingo de Páscoa

Todo o Domingo é um dia pascal, porque simboliza e evoca, no ritmo cristão das semanas, o primeiro dia do mundo novo inaugurado com a Ressurreição de Cristo. O Domingo de Páscoa é, nesse sentido, o paradigma de todos os domingos. Por isso proclama a Liturgia: — «Este é o dia que o Senhor fez! Exultemos e cantemos de alegria!» Por isso também, nele, a Igreja celebra com especial solenidade a Eucaristia, memorial que recorda aquele mistério.

 

Visita Pascal

É um costume muito enraizado no norte de Portugal, este de, no Domingo de Páscoa, um grupo de pessoas («Compasso»), sempre que possível presidido por um sacerdote, com trajes festivos e partindo da respetiva igreja paroquial, se dirigir com a Cruz enfeitada aos lares cristãos a anunciar a Ressurreição de Cristo e a abençoar as suas casas. Soam campainhas em sinal de júbilo, fazem-se tapetes de flores pelas ruas e caminhos, estrelejam foguetes no ar. Entrando em cada casa, estabelece-se um pequeno diálogo celebrativo. Dá-se depois a Cruz a beijar a todos os presentes.

No âmbito da Cidade de Braga, reveste especial significado a Visita Pascal aos Paços do Concelho.

 

PROCISSÕES

 

22h00, sai da igreja da Misericórdia

Procissão do Senhor «Ecce Homo»

Organizada pela Irmandade da Misericórdia de Braga

Organizada desde tempos antigos pela Irmandade da Misericórdia, esta procissão evoca o julgamento de Jesus, ao mesmo tempo que celebra a misericórdia por Ele ensinada. Abre o cortejo o exótico grupo dos farricocos com grosseiras vestes de penitência, descalços e encapuçados, de cordas à cinta, como outrora os penitentes públicos, uns empunhando matracas e outros alçando fogaréus (taças com pinhas a arder). Daí chamar-se também «Procissão dos Fogaréus». Integrados na procissão, os fogaréus evocam os guardas que, munidos de archotes, foram, de noite, prender Jesus. A imagem do Senhor «Ecce Homo» (ou «Senhor da cana verde») representa o Cristo que se declarara rei e que o governador romano pôs a ridículo pondo-lhe na mão um simulacro de ceptro (uma cana verde). Foi assim que Pilatos o apresentou à multidão, dizendo: — «Eis aí o Homem!».

Além de muitas figuras alegóricas da Ceia e do julgamento de Jesus, desde 2004 incorporam-se na procissão alegorias das catorze obras de misericórdia, bem como figuras históricas ligadas à fundação e à história das Misericórdias, especialmente à de Braga. Desde há alguns anos incorporam-se também várias Irmandades da Misericórdia de diversos pontos do País.

ITINERÁRIO

A procissão percorre o seguinte itinerário: igreja da Misericórdia > Rua D. Diogo de Sousa > Arco da Porta Nova > Av. S. Miguel-o-Anjo > Rua D. Paio Mendes > Rua D. Gonçalo Pereira > Largo de S. Paulo > Largo de Paulo Orósio > Rua do Alcaide > Campo de Santiago > Rua do Anjo > Rua de S. Marcos > Largo Barão de S. Martinho > Rua do Souto > Largo do Paço > igreja da Misericórdia

Novidade: A Comissão destina um local reservado para pessoas com mobilidade reduzida, no Largo Paulo Orósio (em frente aos Bombeiros Voluntários).

 

22h00, sai da Sé Catedral

Procissão do Enterro do Senhor

Organizada pelo Cabido da Catedral, Comissão da Semana Santa, Irmandade da Misericórdia e Irmandade de Santa Cruz

Esta imponente procissão — de todas a mais solene e comovente — leva pelas ruas da Cidade o esquife do Senhor morto. É precedido por um andor com a cruz despida e seguido pelo da Senhora das Dores. Acompanham-no aquelas e outras irmandades, cavaleiros das Ordens Soberana de Malta e do Santo Sepulcro de Jerusalém, Capitulares da Sé, corporações diversas e autoridades. Em sinal de luto, os Capitulares e os membros das Confrarias vão de cabeça coberta. Para mostrar a sua dor, as figuras alegóricas ostentam um véu de luto. As matracas dos farricocos vão silenciosas. As bandeiras e estandartes, com tarja de luto, arrastam-se pelo chão.

ITINERÁRIO

A procissão percorre o seguinte itinerário: Sé > Rua D. Gonçalo Pereira > Largo de S. Paulo > Largo de Paulo Orósio > Rua do Alcaide > Campo de Santiago > Rua do Anjo > Rua de S. Marcos > Largo Barão de S. Martinho > Rua do Souto > Largo do Paço > Rua D. Diogo de Sousa > Arco da Porta Nova > Av. S. Miguel-o-Anjo > Rua D. Paio Mendes > Sé.

Novidade: A Comissão destina um local reservado para pessoas com mobilidade reduzida, no Largo Paulo Orósio (em frente aos Bombeiros Voluntários).

VILAVERDENSES COMEM OVOS COZIDOS NA PONTE DO PRADO SOBRE O RIO CÁVADO

Vila de Prado espera mar de gente para cumprir a tradição Pascal do Ovo na Ponte

A Vila de Prado prepara-se para cumprir uma das mais acarinhadas tradições desta bela freguesia plantada na margem direita do Cávado. Em noite de Páscoa, pelas 24h00, a Ponte de Prado volta a ser palco de uma tradição antiga que resiste ao desgaste do tempo e continua bem viva nos dias de hoje, atraindo inúmeros pradenses e visitantes. “Aquele que, à meia-noite do dia de Páscoa, sobre ela comer um ovo cozido, passará todo o ano sem ser acometido de dores de cabeça”, reza a lenda. Diz a voz do povo que as cascas do ovo devem ser lançadas sobre o leito do Rio Cávado para que se cumpra a profecia popular.

DSC_0792.JPG

Com ou sem superstição, a verdade é que os ovos cozidos já tomaram conta do tabuleiro da centenária ponte filipina, tradicionalmente acompanhados com champanhe. Um palco de excelência para o encontro de velhos amigos e longas conversas pela noite dentro. Uma ocasião de amizade, confraternização e muita alegria, que são os verdadeiros pilares da tradição.

O presidente da autarquia pradense, Paulo Gomes, não descura a importância da tradição e sublinha que estas atividades espelham a idiossincrasia a identidade das gentes de prado e se assumem, em simultâneo, como mais uma oportunidade soberana para fortalecer os laços entre a comunidade. O crescimento do evento e da fama que lhe está associada também vem transformando esta tradição num veículo de divulgação e promoção da freguesia e do concelho de Vila Verde, um elemento diferenciador que valoriza o território e o distingue pela positiva em relação aos demais.

BRAGA REALIZA CONCURSO DE FOTOGRAFIA

A Comissão da Semana Santa de Braga informa que as inscrições para o Concurso de Fotografia decorrem a bom ritmo, estando já completadas mais de 50% dos 250 concorrentes admitidos no Regulamento.

fotbtrag.jpg

Recordamos que a pré-inscrição no Concurso é OBRIGATÓRIA (não serão permitidos trabalhos de concorrentes que não se tenham inscrito previamente) e que o período de pré-inscrição decorre até às 23h59 do próximo dia 19 de abril. O formulário de pré-inscrição está disponível aqui.

Sobre a iniciativa

Esta é uma iniciativa que vai na sua 9ª edição, com lugar já cativo no programa cultural oficial de cada ano da Semana Santa de Braga, e que visa sensibilizar todos os amantes da fotografia para o tema em particular, e em geral para esta época tão especial da cidade de Braga, bem assim como estimular e difundir a criatividade na arte da fotografia.

PRÉMIOS

  • 1º Prémio: EOS 80D 18-55 IS STM (no valor de 1.369 €) + assinatura digital anual do Diário do Minho
  • 2º Prémio: EOS M3 18-55 STM Accessory kit (no valor de 699 €) + assinatura digital anual do Diário do Minho
  • 3º Prémio: PowerShot G9 X SL PACK (no valor de 429 €) + assinatura digital anual do Diário do Minho
  • Menções Honrosas: Assinatura digital anual do Diário do Minho + impressão gratuita de 50 fotos na FNAC *
  • Todos os concorrentes terão direito a vale de desconto de 10% em equipamentos Canon
  • Todos os premiados terão direito a Diploma de Participação

* exclusivamente para impressões em papel fotográfico até ao formato 20x30

PRINCIPAIS DATAS

  • Pré-inscrição: entre as 00h01 de 3 de abril e as 23h59 de 19 de abril de 2017
  • Submissão de trabalhos: entre as 00h01 de 21 de abril e as 23h59 de 26 de abril de 2017
  • Conferência de imprensa do anúncio de resultados: 10 de maio, 21h30, loja FNAC de Braga

Mais informações e Regulamento disponível no sítio oficial da Semana Santa de Braga.

MERCADO DA PÁSCOA EM BRAGA PROMOVE TRADIÇÕES E SABORES DA REGIÃO

Certame decorre até Sábado no Campo da Vinha

Até ao próximo Sábado, dia 15 de Abril, o Mercado da Páscoa está instalado no Campo da Vinha para acolher os milhares de visitantes que por estes dias escolhem Braga para viverem de perto as solenidades da Semana Santa. Trata-se de uma iniciativa conjunta do Município de Braga e da Associação de Artesãos do Minho, que pretende promover os valores patrimoniais e turísticos da Região, bem como, valorizar o artesanato e o comércio local, recriando um ambiente de mercado através do comércio, das artes e ofícios, gastronomia e doçaria tradicional.

CMB12042017SERGIOFREITAS0000006321 (1).jpg

Mais de 40 expositores colocam os seus produtos à disposição dos visitantes e, para além da vertente comercial, o Mercado da Páscoa conta com encenações dos quadros bíblicos alusivos à época pascal. “Esta iniciativa é uma oportunidade para os produtores exporem os seus produtos num momento em que a Cidade recebe milhares de turistas para acompanhar as solenidades da Semana Santa”, referiu Atino Bessa, vereador do Desenvolvimento Rural do Município de Braga, durante a abertura do certame, que se realizou esta Quarta-feira, 12 de Abril.

Desde licores, queijos, enchidos, compotas ou doces regionais, passando pelos produtos artesanais, esta edição do Mercado da Páscoa promete não deixar indiferente todos os que durante estes dias passarem pelo Campo da Vinha.

“Este certame oferece algo mais a quem passa pelo Centro Histórico e, com toda esta atractividade, estou certo que os visitantes vão acrescentar valor económico a estes artesãos e a quem vive desta actividade”, acrescentou Altino Bessa, sublinhando que o Município de Braga “tem procurado criar todas as condições para que estas iniciativas de apoio aos produtores nacionais e ao artesanato possam continuar a acontecer e a crescer”.

O Marcado da Páscoa funciona das 10h00 às 24h00 e a iniciativa assume, ainda, um carácter solidário, contando com a presença dos projectos IRIS e ‘Hodi Kibera’.

CMB12042017SERGIOFREITAS0000006322.jpg

CMB12042017SERGIOFREITAS0000006325.jpg

PÁSCOA LUSO-GALAICA EM VALENÇA: CRUZ PASCAL ATRAVESSA O RIO MINHO DE BARCO

O tradicional compasso pascal transfronteiriço vai atravessar o rio Minho, com o emblemático Lanço da Cruz. Segunda-feira de Páscoa, 17 de Abril, às 17h, o rio Minho recebe esta tradição popular e religiosa, no Parque Natural da Senhora da Cabeça, na freguesia valenciana de Cristelo Côvo.

pascoavalengali.jpg

Uma autêntica romaria galaico-minhota que decorre sempre na segunda-feira imediata ao fim de semana da Páscoa e é ponto de encontro de milhares de peregrinos de todo o Noroeste Peninsular.

Lanço da Cruz

Ao entardecer, depois da visita pascal, à freguesia de Cristelo-Côvo (Valença), o pároco, devidamente paramentado e com uma cruz ornamentada, entra num barco de pesca e dirige-se até à margem espanhola onde dá a cruz a beijar aos paroquianos da outra margem. Durante esse período são lançadas, pelos pescadores as redes benzidas ao rio. Todo o peixe que sair no lance é para o pároco. Entretanto com o pároco português regressa, no barco, o pároco de Sobrado – Torron, concelho de Tomiño (Galiza), dando a cruz a beijar aos peregrinos que aguardam junto ao rio, na margem portuguesa. Várias embarcações portuguesas e galegas acompanham este compasso pascal, numa castiça e autêntica procissão fluvial, nas águas do Minho.

Romaria Galaico Minhota

Até à noite os sons das gaitas de foles misturam-se com os das concertinas, das castanholas, o rufar dos bombos e tambores numa autêntica romaria galaico-minhota.

Na terça-feira, 18 de Abril, merece especial referência a missa para os peregrinos da Galiza, celebrada em galego, por um padre galego. Neste dia também, por tradição, os peregrinos desfrutam dos seus merendeiros nas sombras do parque comendo, sobretudo, o que sobrou do carneiro ou cabrito da Páscoa.

A tradição do Lanço da Cruz é uma manifestação religiosa e popular muito acarinhada pelas populações da raia minhota que ano após ano atrai um maior número de populares e turistas.

BARCELOS MOSTRA FOLAR DA PÁSCOA

Mostra do Folar da Páscoa está de regresso ao Posto de Turismo

De 13 a 15 de abril, o Posto de Turismo recebe a mostra do Folar e Doces da Páscoa, e o Largo do Porta Nova será o palco do Feirão da Páscoa que conta com a presença de artesãos do concelho a trabalhar ao vivo.

No âmbito das celebrações da Páscoa, o Município de Barcelos irá realizar, de 13 a 15 de abril, mais uma edição da Mostra do Folar e Doces da Páscoa, no Posto de Turismo de Barcelos. Dinamizar e promover o comércio local, impulsionar a Marca Barcelos e dar a conhecer aos turistas os doces tradicionais desta região nesta época festiva, são o mote desta iniciativa que conta, este ano, com uma forte adesão por parte das pastelarias do concelho: Pastelaria Colonial, Pastelaria Arantes, Pastelaria Chá e Nata, Pastelaria Rosa Cintilante, Pastelaria Doce da Bá, Padaria Pacheco, Padaria Flor de Durrães, Pastelaria S. Bento, Pastelaria Santa Eugénia e Padaria Lina.

Nos dias 13 e 14 de abril, no Largo da Porta Nova, realizar-se-á também o Feirão da Páscoa que contará com a presença de alguns artesãos a trabalhar ao vivo (Elsa Machado, Carlos Dias, Lourdes Ferreira, Fernando Soares, Irene Salgueiro, João Rego, Luís Gonzaga Coelho, João Veiga, Ermelinda Rodrigues e João Ferreira) e produtores de produtos biológicos (APACI e a Horta da Lola).

Durante estes dias, os barcelenses e turistas que passarem por Barcelos têm a oportunidade de degustar um pouco das iguarias realizadas a nível da doçaria local e ainda a oportunidade de apreciar o trabalho ao vivo dos artesão do concelho.

CERVEIRENSES REALIZAM VISITA PASCAL

Convívio Pascal: IPSS’s com visita guiada a Viana do Castelo

Cerca de 120 utentes das seis Instituições Particulares de Solidariedade Social de Vila Nova de Cerveira viveram, esta terça-feira, um dia diferente. Integrado nas comemorações da Semana Santa, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira proporcionou uma visita à capital de distrito, na qual a boa disposição foi uma constante.

IMG_2428.JPG

Uma vez mais, a autarquia cerveirense optou por dinamizar o convívio pascal dos idosos no habitual convívio interinstitucional. O dia iniciou-se com a Eucaristia na Capela de Santa Luzia, celebrada pelo Senhor Padre Jorge Esteves. Imbuídos pelo espírito pascal, os utentes participaram ativamente na celebração religiosa dando-lhe um cariz mais acolhedor e familiar.

Aproveitando o bom tempo, e depois do almoço-convívio, o grupo fez uma visita guiada por técnicos do Viana Welcome Centre, nomeadamente à Igreja da Misericórdia, ao centro histórico e aos jardins da cidade, acompanhada por uma saborosa e doce Bola de Berlim da Pastelaria Natário.

A acompanhar a iniciativa esteve a vereadora da Ação Social que evidenciou o excelente trabalho desenvolvido pelas IPSS’s em prol dos munícipes, e que contribuiu para o sucesso desta atividade. “O convívio entre os idosos é extremamente saudável e fundamental para manter presente o contacto com os conterrâneos. Ao mesmo tempo, a autarquia consegue com estas dinâmicas oferecer experiências novas e visitas únicas para muitos dos utentes, o que nos deixa com um sentimento de dever cumprido”, refere Aurora Viães.

As instituições participantes foram a Associação de Desenvolvimento Social e Local de Vila Nova de Cerveira, o Centro Social e Paroquial de Campos, Centro Paroquial e Social de Covas, Centro Social e Paroquial de Gondarém, Centro Paroquial de Promoção Social e Cultural de Reboreda e o Lar Maria Luísa e Centro de Dia de Loivo da Santa Casa da Misericórdia.

VILA PRAIA DE ÂNCORA RECEBE A MAIOR MESA DE PÁSCOA DO PAÍS

Mostra inédita de fotografias sobre Compasso Pascal no concelho, sessão especial de cinema a ‘Bela e o Monstro’ e Concerto Solidário animam Vila Praia de Âncora no próximo sábado

Maior mesa de páscoa (1).jpg

Sábado, dia 15 de abril, no concelho de Caminha todos os caminhos vão dar à Maior Mesa de Páscoa do País em Vila Praia de Âncora. A partir das 10H00, esta mesa, com centenas de metros de comprimento, estará recheada com os melhores produtos tradicionais, desde os doces aos salgados, passando pelos vinhos e até o artesanato. Uma das novidades desta edição é o lançamento dos biscoitos de “Farinha de Pau”, um produto que resultou da parceria do Patronato Nossa Senhora da Bonança e o grupo de pastelarias Petinga Doce.  A animação também está garantida, com destaque para a sessão especial de cinema ‘A Bela e o Monstro’, o Concerto de Páscoa Solidário, com a Banda Musical Lanhelense, a exposição inédita de fotografia “Visita Pascal no Concelho de Caminha”, música tradicional e clássica, aula de zumba e ginástica kid’s.

A Maior Mesa de Páscoa do País está de regresso às Ruas 31 de Janeiro e 5 de Outubro em Vila Praia de Âncora. Dos doces aos salgados, passando pelos vinhos e artesanato, são muitas as iguarias que compõem esta grande mesa. Esta edição conta com várias novidades na programação: vai ser palco do lançamento dos novos Biscoitos de “Farinha de Pau”, um produto que resultou da parceria do Patronato Nossa Senhora da Bonança, IPSS com Creche e Jardim de Infância, e o grupo de pastelarias Petinga Doce. Os biscoitos vão estar disponíveis para degustação na mesa de abertura da Maior Mesa de Páscoa do País e estarão à venda no espaço que o Patronato ocupará neste evento. Outra das novidades é a sessão especial de cinema ‘A Bela e o Monstro’, com ingresso gratuito para as crianças até aos 12 anos. Esta edição termina com o Concerto de Páscoa Solidário, com a Banda Musical Lanhelense, no Cineteatro dos Bombeiros, cuja receita reverte a favor do Patronato de Nossa Senhora da Bonança de Vila Praia de Âncora. Nesse dia, estará patente a exposição inédita de fotografia “Visita Pascal no Concelho de Caminha”, na Igreja Nossa Senhora da Bonança. Pelo palco da Maior Mesa de Páscoa vão ainda passar o Grupo de Bombos de Vila Praia de Âncora, o Rancho das Lavradeiras de Orbacém, o Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão de Vila Praia de Âncora, o Grupo Etnográfico de Vila Praia de Âncora, a Academia de Música Fernandes Fão e os Cavaquinhos do ARA.

A Maior Mesa de Páscoa do País é organizada pelo Movimento de Empresários do Concelho de Caminha, Câmara Municipal de Caminha e Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora.

Para complementar a Maior Mesa de Páscoa do País, a Câmara Municipal organizou a mostra “Visita Pascal no Concelho de Caminha”, uma exposição inédita de fotografia, que dá a conhecer o Compasso Pascal em todas as freguesias do Concelho. Esta mostra vai estar patente na Igreja Nossa Senhora da Bonança.

Na tarde do dia 15, pelas 15H00, está em exibição no Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora o filme ‘A Bela e o Monstro’. O Município vai oferecer os bilhetes às crianças até aos 12 anos de idades. Este filme “é uma adaptação em imagem real do clássico de animação. Esta versão moderniza as personagens clássicas para um público contemporâneo, mantendo-se fiel à música original e atualizando a banda sonora com novas canções. A ‘Bela e o Monstro’ é sobre a fantástica história de Bela, uma jovem brilhante, bonita e independente, que é aprisionada por um Monstro no seu castelo. Apesar dos seus receios, torna-se amiga dos empregados encantados do castelo e consegue ver para além do terrível exterior do Monstro quando começa a conhecer a alma e o coração do verdadeiro Príncipe que vive no seu interior”. 

Nesse dia, pelas 18H30, a Banda de Lanhelas vai promover mais um grande momento cultural com a realização do Concerto de Páscoa Solidário, cuja receita da bilheteira reverte a favor do Patronato de Nossa Senhora da Bonança de Vila Praia de Âncora.

Os bilhetes custam 3€ e podem ser adquiridos nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora, no Patronato de Nossa Senhora da Bonança e no dia do espetáculo no Cineteatro. Esta concerto é uma organização da Banda Musical Lanhelense e conta com o apoio do Município de Caminha.

VIA SACRA LEVA CENTENAS DE FIÉIS A CELORICO DE BASTO

A Via Sacra ao vivo, em Celorico de Basto, teve lugar no Parque Urbano do Freixieiro, no dia 9 de abril, em pleno Domingo de Ramos, e contou com a presença de muitos fiéis a participar e assistir a este momento religioso.

_DSC3656.jpg

“Bem-haja o arciprestado e a Câmara Amiga pela dedicação e empenho na organização desta via Sacra, e bem hajam todos os figurantes que expressam o amor que têm em participar em iniciativas tão importantes como esta. É já uma tradição realizar a via Sacra em Celorico de Basto, um momento de fé que nos comove, que nos faz pensar, que nos faz refletir na vida” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva no final das cerimónias. O autarca aproveitou o momento para desejar uma Santa Páscoa a todos os presentes depois deste tempo de preparação e de reflexão.

A ação foi dirigida pelo arcipreste de Celorico de Basto, Padre Albano Costa estando também presentes outros párocos do arciprestado que quiseram participar nestas cerimónias “tão bonitas”. Os serviços de ação social e Saúde da Câmara Municipal de Celorico de Basto trataram de todos os pormenores para que a Via Sacra decorresse em conformidade. “A Via Sacra é uma iniciativa muito específica que exige muito pormenor. Os nossos técnicos articularam para que o percurso retrata-se minimamente o percurso feito por Jesus desde a condenação até ao monte calvário” disse Helena Martinho, coordenadora dos Serviços. “É também importante referir que a maioria dos figurantes que participaram na encenação são idosos que integram o programa Celorico a Mexer que vêm esta ação com muita fé e muita devoção tendo em conta as personagens bíblicas que interpretam” referiu.

De facto, em Celorico de Basto a Via Sacra ao vivo conta sobretudo, na interpretação das personagens, com os idosos e os animadores que integram o programa Celorico a Mexer. O percurso escolhido tem-se mantido igual aos anos transatos, pela beleza e pelas características próprias, o Parque Urbano do Freixieiro.

A Via Sacra integra a Quaresma, Período do ano litúrgico que antecede a Páscoa Cristã, e que representa o tempo da penitência, de oração e de conversão.

_DSC3665.jpg

_DSC3762.jpg

_DSC3796.jpg

_DSC3801 (2).jpg

BRAGA DIVULGA RESULTADOS DO ENCONTRO DE FUTEBOL DA PÁSCOA

Publicam-se os resultados da 1.ª jornada do Encontro de Futebol da Páscoa 2017 organizado pelo Município de Braga, a decorrer no Complexo Desportivo da Rodovia até ao próximo dia 13 de Abril.

A edição deste ano disputa-se na modalidade de Futebol de 7 e destina-se ao Escalão de Infantis (jogadores nascidos em 2004/2005), contando com a presença de uma equipa de cada um dos seguintes clubes:

  • Escola de Formação Desportiva em Futebol "Fintas";
  • Lomarense Ginásio Clube;
  • Arsenal Clube da Devesa;
  • Grupo Desportivo de Figueiredo.

Arsenal Clube da Devesa.jpg

Esc. Fut. Fintas.jpg

G. D. Figueiredo.jpg

Lomarense G. C..jpg

PÁSCOA: CORDEIRO À MODA DE MONÇÃO NOS RESTAURANTES E LARES DO CONCELHO

Os monçanenses são maioritariamente religiosos e participam ativamente nas celebrações da Semana Santa, envolvendo-se nas eucaristias e procissões que acontecem um pouco por todo o concelho e abrindo as suas portas ao compasso pascal que leva a figura de Jesus Cristo ao aconchego familiar.

carneiromonº.jpg

Esta devoção, que se manifesta nos atos e nas palavras, é acompanhada pela paixão que os monçanenses “emprestam” à gastronomia com pergaminhos e tradição. Neste período religioso e festivo, poucos dispensam um dos pratos mais característicos do concelho: O Cordeiro à Moda de Monção, localmente conhecido como “Foda à Monção”.

Depois de banhado com vinagre, pimenta, alho e salsa bem picada, o cordeiro vai inteiro ao forno de lenha num alguidar de barro juntamente com o arroz, cuja calda é feita com água de cozer as carnes e algumas pitadas de açafrão. A confeção é demorada e minuciosa. O sabor, genuíno e único, revela-se agradável aos palatos mais exigentes.

O nome brejeiro ou artístico, digamos assim, como é conhecido o Cordeiro à Moda de Monção, reflete o caráter afável, folião e bem-disposto da população monçanense. E porquê “Foda à Monção?” A história é tão antiga que perde-se no tempo, não sendo possível datá-la com exatidão.

Assim, conta-se que:

“Os habitantes do burgo, que não possuíam rebanhos, dirigiam-se às feiras para comprar o animal. E, como em todas as feiras, havia de tudo, bons e maus. A verdade é que os produtores de gado, quando os levavam para a feira queriam vendê-los pelo melhor preço e, para que parecessem gordos, punham-lhes sal na forragem, o que os obrigava a beber muita água.

Na feira, apareciam com uma barriga cheia de água e pesados, parecendo realmente gordos. Os incautos que não sabiam da manha compravam aqueles autênticos “sacos de água” e, quando se apercebiam do logro, exclamavam à boa maneira do Minho: “que grande foda!”

O termo tanto se vulgarizou que o prato passou a designar-se localmente como “Foda à Monção”. De tal modo que é frequente, em alturas festivas com particular destaque para a quadra pascal, ouvir o povo exclamar em jeito brincalhão: “Ó Maria, já meteste a foda?”

PONTE DA BARCA RECRIA PAIXÃO DE CRISTO

Ponte da Barca recria “A Mui Dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo'

Cerca de uma centena de pessoas contracenam nos cinco palcos onde se desenrola a ação

A Mui Dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo vai ser recriada no próximo dia 13 de abril, Quinta-feira Santa, pelas 21h30, junto ao Mosteiro da Freguesia de Bravães, onde durante cerca de duas horas, decorre a representação do último dia de Jesus na Terra. O texto será entrosado do Auto da Paixão, da edição de 1820, o Poema de Guerra Junqueiro 'A Caridade e a Justiça'. Para além de ser teatro de cariz religioso, destaca-se o espetáculo de luz e som e o riquíssimo guarda-roupa.

Entre atores e figurantes, subirão ao palco cerca de uma centena de pessoas, que vivendo já, pelo coração, a paixão da Paixão, tornarão mágica a noite que Bravães oferecerá a todos os visitantes e espetadores.

17814582_993849290716054_6076472061640660847_o.jpg

BRAGA ENCERRA SERVIÇOS MUNICIPAIS NA PÁSCOA

Encerramento dos Serviços Municipais

O Município de Braga informa que os serviços municipais se encontrarão encerrados na Segunda-feira, dia 17 de Abril, por motivo de tolerância de ponto, inerente às celebrações da Páscoa.

CMB07012014SERGIOFREITAS0000066 (1).jpg

Tal decisão teve em consideração a longa tradição no Município de Braga dos festejos inerentes às solenidades da Páscoa. A dinamização económica inerente à data e a previsibilidade de um diminuto afluxo de utentes aos serviços municipais, foram factores tidos em conta para a tolerância da Segunda-feira de Páscoa.

Mais se informa que, não obstante a este facto, e por motivos de interesse público, se encontram abertos serviços essenciais, nomeadamente: o Cemitério, o Aeródromo, os Bombeiros Municipais, o Posto de Turismo e o Parque de Campismo os quais estarão a laborar na Sexta-Feira Santa e Segunda-feira de Páscoa, respectivamente dias 14 e 17 de Abril.

O Mercado Municipal da Praça do Comércio estará em funcionamento na Sexta-Feira Santa, no horário habitual, encerrando na Segunda-feira de Páscoa.

A Polícia Municipal estará de serviço na Sexta-Feira Santa, usufruindo de tolerância de ponto na Segunda-feira de Páscoa, tal como a Fonte do Ídolo e as Termas da Cividade.

Já o Parque de Estacionamento do Rechicho estará em funcionamento na Sexta-Feira Santa e encerrará no Domingo e Segunda-feira de Páscoa.

De referir que o Museu da Imagem e a Casa dos Crivos estarão em pleno funcionamento na Sexta-Feira Santa, Sábado, Domingo e Segunda-feira de Páscoa.

MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA APELA AOS RESTAURANTES PARA QUE SE MANTENHAM ABERTOS DURANTE A PÁSCOA

O Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima lança um apelo “aos comerciantes da Vila para que mantenham abertos os estabelecimentos de restauração e similares no Domingo e Segunda-feira de Páscoa”.

Ponte de Lima é de há vários anos a esta parte um destino privilegiado de procura por visitantes das mais variadas proveniências, que aqui acorrem na certeza de encontrarem agradável fruição do seu tempo livre, tanto pela beleza natural e património histórico, construído e imaterial, como pelas infraestruturas e propostas culturais e de lazer disponibilizadas aos mais diversos níveis, a que se junta a apelativa e inigualável gastronomia e as sui generis festas e tradições como é o caso da Páscoa, que se aproxima.

É preocupação contínua do Município manter e incentivar uma cada vez maior oferta de qualidade, por forma a que todos quantos chegam a Ponte de Lima lhes apeteça cá voltar, fruto de toda a referida atractividade mas também e não menos importante do nosso saber “bem receber”.