Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BOLETIM ICOM PORTUGAL ENTREVISTA JOÃO ALPUIM BOTELHO

A edição de Outubro do “Boletim ICOM Portugal” editado pelo Comité Português da International Council of Museums (ICOM) publicou, na secção “Museus & Pessoas”, uma entrevista conduzida pela investigadora Ana Carvalho, através da qual segue o percurso do Dr. João Alpuim Botelho através do Museu do Traje, o Museu Bordallo Pinheiro e a sua passagem pelo Teatro Rivoli.

Conforme a própria entidade oficialmente se define, “O ICOM é a maior organização internacional de museus e profissionais de museus dedicada à preservação e divulgação da património natural e cultural mundial, do presente e do futuro, tangível e intangível.

Uma entrevista a não perder que o BLOGUE DO MIMNHO disponibiliza neste espaço.

Alpuim1

alpuim2

alpuim3

alpuim4

alpuim5

alpuim6

 

alpuim7

alpuim8

alpuim9

 

AQUAMUSEU DO RIO MINHO ALERTA PARA PESCA ILEGAL

Aquamuseu alerta para pesca ilegal expondo armadilha retirada do rio

Com o objetivo de sensibilizar para as consequências negativas da pesca ilegal, o Aquamuseu do rio Minho acaba de expor, no seu espaço exterior, uma armadilha apreendida no rio Minho, pela Autoridade Marítima.

botirão_ilegal

Sendo um dos seus compromissos a exploração de temáticas que visam aumentar a sensibilidade para a conservação dos valores naturais, privilegiando a atividade experimental como metodologia para a aquisição de conhecimento, o Aquamuseu do rio Minho decidiu exibir uma armadilha ilegal, procurando familiarizar as pessoas de forma a puderem informar ou denunciar as entidades competentes para eventuais casos ilegais. 

A prática de pesca com recurso a equipamentos proibidos ainda se regista no rio Minho. De sublinhar que as espécies mais vulneráveis a esta atividade neste troço de água internacional, são a lampreia, o sável, o salmão e a enguia.

De acordo com o descrito no portal da Comissão Europeia, a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (pesca INN) empobrece as unidades populacionais, destrói os habitats aquáticos, distorce a concorrência, coloca os pescadores honestos numa situação de desvantagem e enfraquece as comunidades costeiras, em especial nos países em desenvolvimento.

MUSEU D. DIOGO DE SOUSA EXPÕE SOBRE CIDADES EDUCADORAS

Mostra patente ao público de 6 a 10 de Novembro

O Museu D. Diogo de Sousa, em Braga, irá acolher a exposição itinerante da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras entre os dias 6 e 10 de Novembro.

1

Através de uma forma lúdica, com esta exposição será possível conhecer os princípios basilares da Carta das Cidades Educadoras: O direito a uma cidade educadora, através de um forte compromisso da cidade, que se coloca ao serviço integral dos seus cidadãos. Este será também o mote para o Município de Braga comemorar o dia 30 de Novembro que foi instituído como o Dia Internacional da Cidade Educadora.

A mostra poderá ser visitada das 9h30 às 12h00 e das 14h30 às 17h00.

Recorde-se que Braga aderiu, em 2000, à Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE), passando a integrar também a Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras, organismos que promovem a troca e partilha de experiências, no âmbito da Educação em toda a sua abrangência, entendendo a cidade como um espaço de oferta de importantes elementos para uma formação integral do indivíduo».

O conceito de Cidade Educadora tem na sua génese a ideia de que educar é uma responsabilidade de toda a sociedade e de que a Educação não se deve centrar exclusivamente na Escola, sendo um direito de todos e ao longo de toda a vida», explica a autarquia.

De acordo com a Carta das Cidades Educadoras, «todos os habitantes de uma cidade terão o direito de desfrutar, em condições de liberdade e igualdade, os meios e oportunidades de formação, entretenimento e desenvolvimento pessoal que ela lhes oferece».

2

MUSEU DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EXPÕE OBJETOS DE BERNARDINO MACHADO

“Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra” fica patente ao público entre 8 de novembro e 4 de março

Em outubro de 1917, o presidente da República Bernardino Machado efetuou aquela que foi a primeira viagem de Estado ao estrangeiro. Para a jovem República Portuguesa, que tinha sido implantada em 1910 este foi um momento marcante e fundamental para o tão desejado reconhecimento internacional.

1

Passados 100 anos, a viagem vai ser recordada numa exposição promovida pelo Museu da Presidência da República com a colaboração do Museu Bernardino Machado, de Vila Nova de Famalicão. A mostra vai ser inaugurada no próximo dia 7 de novembro, no Palácio da Cidadela de Cascais, com as presenças do Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, e do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

A mostra ficará patente ao público entre 8 de novembro e 4 de março.

Intitulada “Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra”, a exposição conta com mais de meia centena de objetos, documentos e fotografias cedidas pelo Museu Bernardino Machado. Entre os objetos destaque para o chapéu, tipo cartola, e para a bengala de Bernardino Machado. As fotografias, mais de vinte, retratam vários episódios da viagem que durou 18 dias.

Bernardino Machado partiu da Estação do Rossio, foi recebido pelo Rei Afonso XIII de Espanha, o Presidente Raymond Poincaré de França, o Rei Jorge V de Inglaterra, Alberto I da Bélgica, e visitou os militares do Corpo Expedicionário Português mobilizados na Primeira Guerra Mundial.

Famalicense por adoção, Bernardino Machado foi presidente da República Portuguesa por duas vezes e foi também uma das principais figuras da I República.

O Museu Bernardino Machado que completou recentemente 15 anos está instalado no Palacete Barão da Trovisqueira, um majestoso edifício do século XIX, localizado bem no centro da cidade de Vila Nova de Famalicão. Para além da divulgação e valorização da figura de Bernardino Machado, o Museu tem vindo a destacar-se na organização de diversos eventos e na produção de documentos que têm sido essenciais para investigadores e historiadores.

12

PONTE DE LIMA PARTICIPA NO CONGRESSO DO BRINQUEDO

Museu do Brinquedo Português participa no I Congresso do Brinquedo

O Museu do Brinquedo Português de Ponte de Lima participou no I Congresso do Brinquedo Português realizado no Instituto de Educação da Universidade do Minho e na Casa do Conhecimento de Vila Verde, durante os dias 26, 27 e 28 de outubro.

Congresso do Museu Brinquedo Português_1

Este congresso contou com um programa diversificado que acolheu 35 intervenções sobre as várias facetas do brinquedo, incluindo a conferência do Museu do Brinquedo Português intitulada “O Museu do Brinquedo Português: um espaço de descoberta, brincadeira e aprendizagem” e que foi apresentada no dia 28 de outubro, na Casa do Conhecimento de Vila Verde.

Tratou-se, assim, de um congresso com vertentes multidisciplinares que visaram a pesquisa, divulgação, salvaguarda e valorização do brinquedo e do brincar português, enquanto manifestação da cultura nacional.

received_1118407938293812

Congresso Museu do Brinquedo Português

MUSEU PIO XII RECEBE DUAS NOVAS TELAS DE HENRIQUE MEDINA

Oferta oficializada durante sessão de história local

A Galeria Henrique Medina, que integra o percurso do Museu Pio XII, foi enriquecida com duas novas telas do pintor falecido em 1988 que ofereceu uma parte significativa do seu espólio à Arquidiocese de Braga. A oferta foi oficializada durante a sessão de história local que o Município de Braga realizou esta Sexta-feira, dia 20 de Outubro, no âmbito do programa ‘À Descoberta de Braga’.

1

Para o vereador do Património do Município de Braga, Miguel Bandeira, que presidiu a esta sessão, este legado representa um «orgulho imenso para Braga e para os bracarenses», fazendo votos que o Museu Pio XII e, particularmente a Galeria dedicada a Henrique Medina, sejam «mais visitados, conhecidos e reconhecidos».

A oferta partiu da família de Joaquim Correia da Silva, que ficou conhecido no meio literário como “Joaquim Paço d’Arcos”, tendo sido entregues ao Museu Pio XII duas telas, uma com o retrato do escritor falecido em 1979 e outra de sua esposa Maria da Graça Spencer Corrêa da Silva.

«Este é um momento histórico para o Museu Pio XII que queremos assinalar com a devida solenidade», referiu o director do Museu Pio XII, cónego José Paulo Abreu, numa sessão que contou com a presença do Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga.

Para José Paulo Abreu, este é «mais um passo no enriquecimento do espólio do principal retratista português do século XX», deixando subentender o desejo de ver alargado o núcleo museológico que lhe é devotado.

A entrega deste legado, que apenas foi revelada no final desta iniciativa, integrou mais uma sessão de história local integrada no programa “À Descoberta de Braga” que o Município leva a efeito todos os meses. A temática da noite era “Henrique Medina: o pintor e a obra” sob orientação de Luís Casimiro, historiador de arte e especialista na obra do homenageado.

Recorde-se que o pintor Henrique Medina, fruto da amizade com as mais altas figuras da Arquidiocese, vai legar em 1982 à Igreja bracarense um conjunto de 52 telas e 21 desenhos da sua autoria. Dada a natureza e valia do acervo, resolveu-se dar casa própria ao legado, fundando-se o Museu Medina, que atualmente integra o circuito museológico do Museu Pio XII. Abriu as portas a 21 de Junho de 1984 e tornou-se no único espaço museológico da região minhota, dedicado integralmente à pintura. Desde aí a direção do Museu Pio XII tem-se esforçado por enriquecer o espólio que se encontra à sua guarda.

2

3

5

MUSEU BORDALO PINHEIRO INAUGURA EXPOSIÇÃO JUNTO AOS PAÇOS DO CONCELHO

O vianense Dr. João Alpuim Botelho é o responsável pelo Museu Bordalo Pinheiro em Lisboa

O Museu Bordalo Pinheiro inaugurou ontem a exposição “Rafael Bordalo Pinheiro na Baixa”, no Largo de São Julião, junto aos Paços do Concelho, numa cerimónia que contou com a orientação do seu responsável, Dr. João Alpuim Botelho.

22550006_1588286684548328_5074360016478822077_n

O primeiro dia de exposição contou também com uma oficina de manguito, pelo próprio Zé Povinho.

Trata-se de uma exposição divertida, apresentada no centro da cidade do próprio Bordalo Pinheiro e da sua personagem Zé Povinho. Na realidade, um convite a que, após a exposição, visitem o Museu Bordalo Pinheiro e conheçam a obra do genial artista.

Fotos: Manuel Santos

22519145_1588282061215457_4387133934127137659_n

22519192_1588283287882001_2299088522911739506_n

22528092_1588282044548792_4973656599296486755_n

22528170_1588282984548698_8390339560851365100_n

22539759_1588282577882072_2063909411378493230_n

22540208_1588281657882164_6701498405589330923_n

22549640_1588285367881793_778950968943903845_n

22549838_1588286367881693_4244570869607441880_n

22549961_1588283257882004_5936718188368900813_n

22550043_1588283807881949_4303706662867256897_n

22555198_1588282877882042_6748140694117234987_n

22687756_1588285777881752_414406538025072609_n

22728682_1588281977882132_1186628427101185915_n

22728815_1588283041215359_6616204426816026693_n

22728850_1588285711215092_2445729999343120876_n

AQUAMUSEU DO RIO MINHO APRESENTA O BARBO E A ENGUIA

Barbo e Enguia em destaque no Aquamuseu até ao final do ano

Com frequência trimestral, o Aquamuseu do rio Minho apresenta uma diversificada e apelativa programação de exposições que visam informar e desmistificar conhecimentos relativos a alguns peixes, bem como refletir sobre o presente e o futuro da sua existência mediante condicionantes humanas, atmosféricas, entre outras.

Barbo

Até 30 de novembro, à entrada do Aquamuseu está patente uma pequena, mas muito interessante mostra em painéis, onde se fala do Barbo, nomeadamente das suas caraterísticas morfológicas e descrição, habitat, reprodução e ameaças desta espécie endémica da Península Ibérica.

Mais alargada no tempo, até final de dezembro, está igualmente disponível o peixe do trimestre, neste caso a Enguia, abordando as suas características gerais, ciclo de vida, distribuição, tendência, fatores de risco, investigação e pesca.

Em ambos os casos, a informação recolhida com as exposições pode ser complementada com uma visita ao Aquário, onde estão presentes cada uma destas espécies.

Horário do Aquamuseu: De Terça a Domingo das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00

Enguia

MUSEU DAS MIGRAÇÕES E DAS COMUNIDADES DE FAFE PARTICIPA EM SEMINÁRIO NO BRASIL

A Fundação Casa de Rui Barbosa do Ministério da Cultura do Brasil, o Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense e o Município de Fafe promovem um seminário sobre "O Brasileiro de Torna-Viagem e a Construção da Luso-brasilidade no Oitocentos", muito centrado nas memórias de Fafe. 

O evento realiza-se na segunda-feira, 23 de Outubro, na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro (Brasil).

Programa do seminário:

10h – Palestra:
O Brasileiro de Torna Viagem na sociedade portuguesa da segunda metade de Oitocentos – representações e realidades.
Profa. Dra. Isilda Monteiro (pesquisadora do CEPESE, professora da ESEPF, Portugal)

15h - Abertura da Exposição: 
Fafe dos "Brasileiros": heranças & memórias

16h - Mesa-redonda: Memória da Imigração
Me. Artur Coimbra (director do Museu das Migrações e das Comunidades, de Fafe)
Luíza Campos de Carvalho (curadora do Arquivo Albino O. Guimarães)
Dra. Ana Pessoa (pesquisadora da FCRB)
Mediadora: Profa. Dra. Ismênia Martins (PPGH-UFF) 

22365352_10212249248499292_561736377023716590_n

NAVIO GIL EANNES É O MELHOR MUSEU DO NORTE E O 7º A NÍVEL NACIONAL

O Navio Gil Eannes foi classificado pelo Tripadvisor, maior site de viagem do mundo, como um dos 10 melhores Museus de Portugal tendo ficado em 7º lugar nos Travelers’ Choice Awards em 2017.

GilEannes_saida ENVC

Os Travelers' Choice Awards são determinados através das avaliações feitas pelos utilizadores do Tripadvisor em todo o mundo e durante 12 meses.

A seleção é feita a nível mundial, mas também por regiões e, em Portugal, em dez museus distinguidos um é de Viana do Castelo, o Navio Gil Eannes.

Lista dos 10 eleitos em Portugal são:

  1. Museu Calouste Gulbenkian | Lisboa
  2. Museu Nacional do Azulejo | Lisboa 
  3. Museu Coleção Berardo | Lisboa 
  4. Museu Nacional de Machado de Castro | Coimbra 
  5. Museu do Ar | Sintra
  6. Museu Nacional de Arte Antiga | Lisboa
  7. Navio Gil Eannes | Viana do Castelo
  8. Museu de Aveiro | Aveiro
  9. Museu Monográfico de Conímbriga | Condeixa-a-Nova
  10. Museu Nacional dos Coches | Lisboa

Consultar em https://www.tripadvisor.pt/TravelersChoice-Museums-cTop-g189100

O Navio Hospital Gil Eannes foi construído nos Estaleiros de Viana do Castelo em 1955, tendo como missão apoiar a frota bacalhoeira portuguesa nos mares da Terra Nova e Gronelândia.

A sua principal função foi prestar assistência hospitalar aos pescadores e tripulantes da frota bacalhoeira. Também foi navio capitania, navio correio, navio rebocador, garantindo abastecimento de mantimentos, redes, isco e combustível aos navios da pesca do bacalhau.

O Gil Eannes encontra-se aberto ao público como navio museu desde agosto de 1998 e ao longo destes anos já foi visitado por mais de 845 mil visitantes.

O navio museu pode ser visitado todos os dias a partir das 9h30.

ESPAÇOS MUSEOLÓGICOS DE MELGAÇO ESTÃO DE PORTAS ABERTAS

Amanhã, Dia Mundial do Turismo, Melgaço tem entradas gratuitas

‘Turismo Sustentável – Uma Ferramenta para o Desenvolvimento’ é o tema do Dia Mundial do Turismo, que se comemora amanhã, dia 27 de setembro. A data vai ser assinalada pela Câmara Municipal de Melgaço com entradas gratuitas nos Museus do concelho e na Porta de Lamas de Mouro.

Solar do alvarinho (11)

A Torre de Menagem, o Espaço Memória e Fronteira, o Museu de Cinema Jean Loup Passek, o Núcleo Museológico de Castro Laboreiro e a Porta de Lamas de Mouro são os espaços com entrada gratuita. O Solar do Alvarinho é também uma sugestão: o espaço está aberto ao público gratuitamente todo o ano e oferece a possibilidade de degustar o néctar da região, o Alvarinho.

Melgaço está na rota do turismo

Dados da Loja Interativa de Turismo de Melgaço demonstram que Melgaço é eleito por turistas nacionais e estrangeiros: 13.287 nacionais e 5.308 internacionais (dados relativos ao primeiro semestre de 2017). O Solar o Alvarinho é o espaço preferencial, com 4.724 visitantes. Segue-se a Porta de Lamas de Mouro – 4.147; a Torre de Menagem – 3.552; o Posto de Castro Laboreiro – 1.455; o Museu de Cinema Jean Loup Passek – 1.205; o Museu de Castro Laboreiro – 1.007; o Espaço Memória e Fronteira – 1.283; e Loja Interativa de Turismo – 1.222.

Estes números são o resultado de uma aposta clara da autarquia na qualidade dos espaços e do seu acervo. Em Melgaço é possível descobrir histórias únicas, contadas com o rigor histórico, mas com as novas tecnologias apelativas e sem dúvida cativantes para o visitante.

3 - Nucleo Museologico da Torre de Menagem

Horário dos Museus e da Porta de Lamas de Mouro

Abril – setembro: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 18h00

Outubro – março: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h00

Encerrados nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro, e todas as segundas-feiras e domingo de Páscoa.

A Oficina Temática da Porta de Lamas de Mouro encerra à segunda-feira mas a receção está aberta ao público.

Horário do Solar do Alvarinho

Sala de Prova e Loja

Abril – setembro: das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 19h00

Outubro – março: das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 18h00

Bar

Abril – setembro: todos os dias das 10h00 às 20h00

Outubro – março: todos os dias das 10h00 às 19h00

Encerra no domingo e segunda-feira de Páscoa, nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro

A oferta em Melgaço é completa: uma boa mesa onde não faltam o tradicional fumeiro e o Alvarinho. Como pano de fundo para um dia bem passado, o Município Mais a Norte de Portugal presenteia quem o visita com uma sossegada e deslumbrante natureza.

A saber…o Dia Mundial do Turismo tem o objetivo de promover a consciencialização sobre a importância do turismo e do seu impacto social, cultural, político e económico. A data começou a ser celebrada no ano de 1980, após decisão da Organização Mundial de Turismo.

A temática deste ano apela à difusão da importância e dos imensos benefícios que a acessibilidade universal traz à sociedade em geral. As celebrações oficiais vão ter lugar no dia 27 de setembro em Banguecoque, na Tailândia.

Espaço Memória e Fronteira

Melgaco PORTA PNPG

MUSEU DE CASTRO LABOREIRO 2

Museu do Cinema_ exposição permanente

MUSEU DO AUTOMÓVEL E ESCOLA PROFISSIONAL CIOR ABREM ESCOLA DE RESTAURO INOVADORA EM FAMALICÃO

Município apoiou criação de equipamento formativo que permite a alunos aprenderem com verdadeiras relíquias da indústria automóvel

O Museu do Automóvel de Vila Nova de Famalicão quis acrescentar (MAVNF) à vertente cultural a vertente formativa e o resultado é a abertura da Escola de Restauro Automóvel, um projeto de formação profissional inovador que junta o museu e a Escola Profissional CIOR, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e da Continental Mabor.

AFS_4667

Num mercado de automóveis clássicos em expansão faltam profissionais preparados para recuperar as preciosas relíquias. Vila Nova de Famalicão responde com uma escola diferenciadora que permite aos alunos do curso de Mecatrónica Automóvel da CIOR aprender a trabalhar com verdadeiras relíquias da história da indústria automóvel, como o Chrysler de 1928 que têm entre mãos para ressuscitar, sob o olhar atento dos professores da disciplina.

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, elogiou o protocolo, assinado na sexta-feira, 22 de setembro no âmbito da cerimónia de inauguração da valência, destacando a «boa relação» que existe entre as instituições e que foram capazes de «dar uma dimensão de maior realismo à formação».

O edil relembrou que Vila Nova de Famalicão está ligado ao setor automóvel «pelas melhores razões», não apenas pelo MAVNF como por «diversas empresas» que operam no âmbito dos acessórios auto, como é exemplo a Continental Mabor, a Olbo & Mehler e a TMG, entre outras.

Paulo Cunha crê que a  Escola de Restauro Automóvel «tem margem para crescer e dar novas competências aos jovens» da CIOR, constituindo-se numa «referência» na recuperação das velhas e preciosas relíquias da história do automóvel.

O responsável pelo MAVNF, Pinto da Fonseca, disse aos jornalistas que o Museu terá os seus automóveis que poderão ser alvo de intervenções na Escola de Restauro Automóvel, mas que esta «está aberta» a receber património automóvel de outras entidades e até de particulares.

A abertura da Escola de Restauro Automóvel é considerada «um passo importante para a vida do Museu do Automóvel» , inaugurado  em 14 de setembro de 2014. Em jeito de balanço, Pinto da Fonseca diz que, desde a abertura até ao presente, «o balanço é muito positivo», pois o solidificou uma «dinâmica própria» que lhe garante uma média de 600 visitantes por mês.

O diretor da Escola Profissional CIOR, Amadeu Dinis, refere que só com as parcerias estabelecidas com empresas e entidades diversas é possível criar uma verdadeira escola profissional e adianta já como objetivo próximo aliar à formação mecânica, que agora arranca fruto deste protocolo, a vertente da pintura e da chaparia, para que o restauro seja realizado por completo e os alunos tenham acesso também a essa formação.

Recorde-se que o Museu do Automóvel de Vila Nova de Famalicão integrou recentemente a Associação Internacional de Museus de Transportes e Comunicações, tornando-se no primeiro museu nacional com coleções sob a temática do automóvel a pertencer a esta rede internacional.

Localizado no complexo comercial Lago Discount, em Ribeirão, num espaço com três mil metros quadrados na freguesia de Ribeirão, o Museu do Automóvel tem patente um espólio de grande riqueza constituído por cerca de uma centena de carros e motas antigas e que acompanha a evolução do design automóvel ao longo do século XX.

AFS_4674

MUSEU DE OLARIA DE BARCELOS RECEBE EXPOSIÇÃO PÓSTUMA DE JOÃO MACEDO CORREIA

“João Macedo Correia: o ceramista visionário” é o nome da exposição temporária que estará patente, de 27 de setembro de 2017 a 11 de março de 2018, no Museu de Olaria. Integradas no programa expositivo vão estar imagens inéditas de um dos mais emblemáticos ceramistas barcelenses.

A mostra, organizada pela Câmara Municipal de Barcelos, composta por mais de 90 peças, na sua maioria da coleção dos filhos Adélio Marinho Macedo Correia e Fernando Macedo Correia, é inaugurada na quarta-feira, dia 27 de setembro, às 18h00, onde também será apresentada a monografia “João Macedo Correia (1908-1987), o legado de um ceramista”, pelo Dr. António Augusto Joel.

João Correia Macedo é um dos grandes vultos da cerâmica barcelense. é um dos grandes vultos da cerâmica barcelense, exemplo perfeito da forma como a arte em torno da cerâmica moldou em termos sociais, culturais e económicos todo o território de Barcelos.

Oriundo de uma família de oleiros, cedo percebe que queria enveredar por um novo caminho. Estudou com alguns dos discípulos de Rafael Bordalo Pinheiro; implementou os seus conhecimentos na produção cerâmica, transformando a Fábrica do Macedo numa verdadeira Cerâmica artística.

Foram mais de 50 anos o tempo que se dedicou, com coragem, perseverança e persistência, ao ofício da cerâmica desde o tempo que passou na fábrica de cerâmica do seu pai ao período em que, fruto das circunstâncias da vida, recomeça a atividade, praticamente sozinho, numa pequena oficina junto à sua habitação.

Por tudo isto, João Macedo Correia tornou-se um exemplo pela defesa dos interesses dos oleiros e barristas de Barcelos em prol da salvaguarda do futuro da indústria cerâmica da região.

CANDIDATO DO BLOCO DE ESQUERDA ACUSA RESPONSÁVEL DO PELOURO DA CULTURA DA AUTARQUIA VIANENSE DE UTILIZAÇÃO INDEVIDA DOS TRAJES DO MUSEU DO TRAJE

AREJAR IDEIAS, POLÍTICAS E RESPONSÁVEIS

No recente debate entre candidatos à Câmara Municipal de Viana do Castelo, emitido pela RTP3, o candidato do Bloco de Esquerda Luís Louro denunciou o facto de um familiar direto da responsável do pelouro da cultura ter vestido e usado trajes que fazem parte do espólio do Museu do Traje e, com eles, ter integrado o cortejo etnográfico das Festas da Senhora da Agonia.

21270998_121678165154887_3217937490424739896_n

Este episódio, que aconteceu na maior romaria do Alto Minho, é um exemplo que evidencia uma forma de governar que se tornou comum, particularmente no pelouro da cultura. O candidato do Partido Socialista justificou a situação argumentando que os fatos precisavam de “arejar”. Esta resposta foi, nas palavras de Luís Louro, “absurda, neste contexto, e também ela reveladora de uma despreocupação irresponsável.”

O candidato do BE argumenta ainda que “os trajes de Viana do Castelo são um espólio importante da cultura local e a criação do Museu do Traje teve precisamente em vista a guarda e a garantia da preservação deste património cultural, através da recolha de inúmeros trajes, muitos deles com mais de cem anos. Peças insubstituíveis, que documentam historicamente o nosso folclore. São peças de vestuário que devem ser tratadas como verdadeiras obras de arte e tesouros da nossa cultura, que têm de ser preservadas a todo o custo.”

Para os bloquistas esta situação mostra a inconsciência da responsável da cultura em ter permitido a utilização daqueles trajes e cria problemas de conservação óbvios, colocando essas peças sob riscos acrescidos, absolutamente injustificáveis do ponto de vista do interesse público da sua preservação. Luís Louro acrescenta que “é chocante a ligeireza com que o candidato do Partido Socialista respondeu à denúncia do facto, com a desculpa de que os fatos precisam de arejar.

Luís Louro concorda que os fatos precisem de arejar, mas considera que “como qualquer peça de valor cultural, é necessário que esse “arejamento” seja feito por técnicos especializados, em ambiente controlado, e não numa romaria e, ainda por cima, por familiar da responsável última pelo Museu do Traje, numa decisão de quem acha que pode dispor do que é de todos como se tudo fosse seu.”

E importa lembrar que o Regulamento do Museu do Traje, não deixa dúvidas nesse aspeto, já que não permite que as peças que integram o seu espólio sejam emprestadas a particulares, sejam eles quem forem. A inconsciência da responsável da cultura e a ligeireza da resposta no debate mais não são do que o reflexo da forma como a cultura é encarada em Viana do Castelo.

É tempo de a população de Viana do Castelo arejar a vida política desta cidade e deste concelho, sacudindo o pó a estes comportamentos.

Cultura, uma preocupação real para Viana do Castelo

É tempo de termos uma verdadeira política de cultura, que nos permita dar consistência à candidatura à Capital Europeia da Cultura, e não uma política de entretenimento e de satisfação de clientelas.

Propomos, para isso:

1.- Um conselho de cultura independente que permita consensualizar objectivos para uma política cultural para o concelho, que faça uma avaliação permanente das iniciativas culturais, que promova o seu acesso e a livre iniciativa de bens culturais.

2.- Um programador cultural que permita projectar Viana do Castelo no contexto cultural regional e nacional, estabelecendo estratégias de diferenciação e que, simultaneamente, traga iniciativas capazes de fazer germinar projectos locais.

3.- Uma agenda cultural que seja um verdadeiro instrumento de promoção da cultura fazendo também uso das novas plataformas digitais para que a falta de informação não seja também um impedimento à fruição dos bens culturais.

4.- Estabelecimento de uma política transparente no acesso aos bens culturais, nomeadamente na venda de bilhetes para espetáculos, que faça uso também das plataformas digitais e não permita que os “lugares para convidados” sejam transformados num instrumento de perpetuação de uma cultura clientelar.

5.- Disseminação dos projectos culturais pelo território, promovendo a itinerância, a mobilidade dos públicos e o apoio às iniciativas locais.

6.- Um orçamento participativo para a cultura com um montante disponível não inferior a € 100 000,00

É TEMPO DE VOTAR BLOCO DE ESQUERDA. TAMBÉM NAS AUTARQUIAS O BLOCO FARÁ A DIFERENÇA.

Bloco de Esquerda / Viana do Castelo

VIANA DO CASTELO EXPÕE "COLECÇÃO SECRETA" DO MUSEU DE OLARIA DE BARCELOS

Coleção secreta do Museu de Olaria em exposição no Estação Viana Shopping

A Vice-Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Armandina Saleiro, esteve presente, no último sábado, na inauguração da exposição "Coleções Secretas da Região by Dina Maciel Costa", uma iniciativa 'Pulsar Viana', que visa desvendar os segredos mais bem guardados das artes e tradições de Viana do Castelo e do Minho.

Estação Viana

Até ao final de outubro, o Estação Viana Shopping acolhe esta mostra, com a curadoria da artista plástica vianense Dina Maciel Costa, que reúne peças de coleções menos conhecidas de museus da região – Museu de Olaria de Barcelos, Museu do Brinquedo Português de Ponte de Lima e Navio-Hospital Gil Eanes de Viana do Castelo.

A participação do Museu de Olaria de Barcelos nesta exposição decorre de uma parceria cultural entre o Município de Barcelos e a Sonae Sierra, no âmbito do seu Programa de Arte, que pretende estabelecer em alguns dos seus centros comerciais uma programação que inclui mostras, exposições e concertos.

Com esta exposição, pretende-se contribuir para a divulgação da diversidade das coleções da região, ao mesmo tempo que se procura oferecer conteúdo relevante e pedagógico a todos os que, diariamente, visitam esta plataforma comercial.