Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO: NÚCLEO MUSEOLÓGICO TORRE DE LAPELA RECEBEU QUATRO MIL VISITANTES NUM ANO

Conhecida como a melhor varanda sobre o rio Minho, torre de menagem eleva-se a 35 metros do solo, proporcionando uma paisagem deslumbrante sobre aquele curso de água internacional, casario tradicional e margem galega. 

Torre da L3 - apela 3 (Large)

O Núcleo Museológico Torre de Lapela assinala no próximo sábado, 27 de maio, um ano de abertura ao público. Até ao último fim de semana, recebeu um total de 3947 visitantes, repartidos por 1424 estrangeiros e 2523 nacionais, constatando-se uma maior procura nos meses de verão e nos fins de semana prolongados.

A requalificação desta valência turística do concelho de Monção englobou a restauração interior e exterior da torre de menagem, a beneficiação do pavimento envolvente e a valorização dos canastros existentes, em execução, proporcionando uma paisagem deslumbrante sobre o rio Minho, casario tradicional e margem galega. 

Neste edifício carregado de histórias e memórias, pretendeu-se, através desta intervenção, a criação de uma imagem renovada de todo o interior, criando-se um espaço funcional para os visitantes e mais um elemento de promoção cultural do concelho, desta vez, debruçado sobre o troço internacional do rio Minho.

Conhecida como a melhor varanda sobre o rio Minho, a Torre de Menagem de Lapela mantem a sua postura imponente e mostra uma silhueta mais atraente para receber munícipes e visitantes, garantindo um maior contacto com a história do concelho de Monção.

Horário de verão:

Sexta-feira: 14h00 às 19h00

Sábados e domingos: 10h00 às 12h30 e 14h00 às 19h00

Entradas gratuitas

MONÇÃO EVOCA POETA JOÃO VERDE

JOÃO VERDE, 150 - VIDA E OBRA

Dia 3 de junho, sábado, pelas 22h00, no Cine Teatro João Verde, com entrada a 3,00 €. Uma peça de teatro da Associação Filarmónica Milagrense e da comunidade monçanense para assinalar o nascimento dos 150 anos do nascimento do poeta maior das letras monçanenses. Um espetáculo genuíno e genial. Como João Verde.

João verde

Com estreia no 7º Festival Itinerante de Teatro de Amadores do Vale do Minho (FITAVALE), que decorreu nos dias 19, 20 e 21 deste mês, a peça de teatro “João Verde,150 - Vida e Obra”, protagonizada pela Associação Filarmónica Milagrense, sobe ao palco do Cine Teatro João Verde no dia 3 de junho, sábado, pelas 22h00. A entrada tem o valor de 3,00 €.

Com encenação e dramaturgia de Rui Mendonça, da Comédias do Minho, espetáculo teatral conta com a colaboração da comunidade monçanense, visando assinalar os 150 anos do nascimento do poeta e jornalista monçanense João Verde, pseudónimo de José Rodrigues Vale (1866 – 1934).

Na sinopse, pode lê-se: “construímos um espetáculo sobre a vida e obra de João Verde. Porque ambas estão interligadas, ambas se complementam, explicam e se valorizam. A obra de João Verde ganha dimensão ao conhecer-se o autor, ao perceber-se de quanto transborda de genuinidade e genialidade, de feitio e convicções, de ideias e ideais. Duma vida e duma época e para além delas”.

E como ainda há muito a dizer do poeta maior das letras monçanense, ficam mais algumas palavras de Gentil de Valadares: “O nome de João Verde – nome que consubstancia o português de lei, o regionalista fervoroso, o poeta da Galiza mail`o Minho, o funcionário por excelência serviçal, o cidadão amigo do semelhante -, brilhará em letras de oiro, com incontestável direito, legitimamente, no pergaminho monçanense. Quanto dariam outras terras por ter o amor de tal filho”.

Com pesquisa, assistência dramaturgia, desenho de luz e voz off de Paulo Lobato Costa e coreografias e apoio ao movimento de Ana Silva (All Styles), as interpretações estão a cargo de Ana Silva, Beatriz Felgueiras, Cíntia Guimarães, Cláudia Afonso, Eduarda Pereira, Fernanda Luz, Fernanda Salgado, Gina Mendes, Isabel Nóvoas, José Luis Dias, Lurdes Alegre, Mané Frasco, Maria de Lurdes Gonçalves, Maria Inácia, Marina Sousa, Matilde Oliveira, Paula Gomes, Piedade Coelho, Polycarpo Aperta, Regina Além, Renato Pereira, Rosário Antunes, Sara Além e Tiago Viana.

MONÇÃO REALIZA 9ª CAMINHADA SOLIDÁRIA “PASSO A PASSO PELA VIDA”

Este domingo, 28 de maio, pelas 17h30, com saída da Ecopista do Rio Minho, na Lodeira, e chegada à Senhora da Cabeça, em Cortes. Aberta à população, a iniciativa procura sensibilizar a comunidade local para a problemática do cancro e doenças cardiovasculares, alertando-a para a importância da componente preventiva.

image002monçaaa (2)

Com organização conjunta do Centro de Saúde de Monção e Grupo de Auto-Ajuda Deu-la-Deu Vida e colaboração da Rede Social de Monção, realiza-se, este domingo, 28 de maio, pelas 17h30, a 9ª Caminhada Solidária “Passo a Passo pela Vida”,

A iniciativa, cujo objetivo consiste em sensibilizar a comunidade local para a problemática do cancro e doenças cardiovasculares, consta de um passeio pela Ecopista do Rio Minho desde o Parque da Lodeira, junto à Ponte Internacional entre Monção e Salvaterra, até à Senhora da Cabeça, em Cortes.

Aberta a quem pretender participar, a 9ª Caminhada Solidária “Passo a Passo pela Vida”, não implica pagamento obrigatório, contudo, quem pretender uma t-shirt alusiva à iniciativa e água terá de pagar 3,00 € que reverterão a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro (Núcleo Regional do Norte).

De acordo com a organização, a caminhada deverá aproximar-se de meio milhar de pessoas de todas as idades. O objetivo geral passa por estimular a atividade física e sensibilizar a comunidade local para estas problemáticas, alertando-a para a importância da componente preventiva.

PONTE DO MOURO MEDIEVAL - RECRIAÇÃO HISTÓRICA DO ENCONTRO E DA CEIA DE D. JOÃO I E O DUQUE DE LENCASTRE EM 1386

Dias 2, 3 e 4 de junho. A recriação histórica daquele encontro, o qual definiu as condições de cooperação militar entre os dois países e estabeleceu os pormenores do casamento entre o monarca português e D. Filipa de Lencastre, filha do Duque, compreende animações e recriações do tempo medieval e a degustação de iguarias típicas daquela época.

Outdoor2_7900_2900 (Large)

Do programa, diverso, apelativo e fiel à época medieval, destaque para a ceia medieval, sábado à noite, 21h00, e para o encontro do Rei D. João I com o Duque de Lencastre, onde definiram a parceria militar e os pormenores do casamento, domingo à tarde, 15h00. A abertura oficial, com a presença de D. Duarte Pio, Duque de Bragança, realiza-se na sexta-feira, pelas 18h00.

Recriação, feita por empresa especializada na realização de eventos medievais, conta com meia centena de pessoas das duas freguesias e elementos da Associação “Buraca da Moura”. Oportunidade única para “viajar” até à época medieval, revivendo um dos episódios históricos daquele período.

Nos dias2, 3 e 4 de junho, realiza-se em Ponte do Mouro, Barbeita/Ceivães, Monção, a Recriação Histórica do Encontro e da Ceia de D. João l e o Duque de Lencastre em 1386. Denominada Ponte do Mouro Medieval, a iniciativa consta de um conjunto de atividades alusivas à época promovidas por uma empresa especializada com a colaboração de meia centena de pessoas das duas freguesias e elementos da Associação “Buraca da Moura”.

Em Ponte do Mouro, estabeleceram-se as condições de cooperação militar entre os dois países, acertando-se os pormenores do casamento entre o Rei D. João I e D. Filipa de Lencastre, filha do Duque.Os visitantes poderão apreciar e viver todo o contexto histórico da época, participando nasanimações e recriações do tempo medieval e a degustação de iguarias típicas daquela época.

Nestes três dias, Ponte do Mouro, lugar das freguesias de Barbeita e Ceivães,recebevárias recriações medievais alusivas àquele período histórico: música e danças da época, torneios, animadores de rua, espetáculos de fogo, falcoaria, cânticos à capela, demonstrações de ofícios e mercado medieval.

Desta forma, será frequente a presença de mercadores, músicos, artesãos, malabaristas, jograis, almocreves, cavaleiros, bailarinas, mendigos, bem como diversos pontos de entretimento como teatro com bobos, dançarinos medievais e equilibrismos de saltimbancos e acrobatas.

Do programa, diverso, apelativo e fiel à época medieval, destaque para a ceia medieval, sábado à noite, 21h00, e para o encontro do Rei D. João I com o Duque de Lencastre, onde definiram a parceria militar e os pormenores do casamento, domingo à tarde, 15h00.

No primeiro dia, sexta-feira, pelas 21h00, está prevista a conferência “D. Filipa de Lencastre, a noiva escolhida por D. João I”, da autoria de Manuela Santos Silva, especialista da época. Antes, pelas 18h00, ao som de rufos de tambores em arruadas pelo recinto, realiza-se o auto de abertura do mercado com a presença de D. Duarte Pio, Duque de Bragança. 

Conforme relatam documentos históricos, este encontro entre D. João l e o Duque de Lencastre possui caraterísticas únicas, sabendo-se que se tratou de um acampamento militar e que o monarca português trazia consigo uma comitiva superior a 2000 homens.

No momento do encontro, na ponte sobre o rio mouro, cumprimentaram-se com delicadeza e cortesia, conversaram durante alguns momentos e, de seguida, dirigiram-se para o pavilhão de D. João I, onde conversaram amigavelmente e estabeleceram compromissos, A tradição acrescenta que comeram iguarias saborosas e beberam o maravilhoso néctar, fruto das vinhas desta terra.

Vídeo: https://www.facebook.com/PontedoMouroMedieval/videos/961286617346423/

MONÇÃO PROMOVE ESCOLA DO ROCK TOUR 2017

Dia 28 de maio, domingo, pelas 16h00, no Cine Teatro João Verde. A entrada tem o valor de 2,50 €.

Na sequência da 3ª edição da Escola do Rock, iniciativa promovida pelo município de Paredes de Coura, quarenta músicos andam na estrada para a segunda digressão deste projeto musical. Este domingo, 28 de maio, pelas 16h00, atuam no Cine Teatro João Verde. A entrada tem o valor de 2,50 €.

Neste espetáculo, os monçanenses “Areia nos Calções” serão os responsáveis pelos primeiros acordes desta “Escola de Rock”, abrindo espaço para uma tarde muito animada protagonizada por vários jovens ligados por um sentimento comum: paixão pela música. 

Escola Rock (Large)

MONÇÃO REQUALIFICA EN 101/202 ENTRE A ROTUNDA DE CORTES/MAZEDO E A ROTUNDA DE ACESSO AO CENTRO URBANO/PONTE INTERNACIONAL

Contrato de empreitada, no valor de 477 242,44 €, imposto incluído, assinado com a empresa construtora “Duque & Duque, Terraplanagens, Lda”.O presente investimento é o ponto de partida de um projeto estruturante para Monção que terá continuidade até à futura rotunda de S. Pedro.

EN 01 (Large)

O projeto de reabilitação da Estrada Nacional 101 entre a rotunda de Cortes e a rotunda de acesso ao centro urbano/ponte internacional, numa extensão aproximada de 700 metros, passou da discussão e votação para a concretização no terreno.

No dia 18 de maio, na Casa do Loreto, foi assinado o contrato de empreitada entre o presidente da autarquia monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, e a sócia gerente da empresa “Duque & Duque, Terraplanagens, Lda”, Maria do Sameiro Pereira. No ato, marcou presença o presidente da União de Freguesias de Mazedo e Cortes, Vítor Rodrigues.

A intervenção, cujo prazo de execução é de 365 dias, contados a partir da data do auto de consignação, foi adjudicada por 477 242,44 €, imposto incluído, após realização do respetivo concurso público, tendo sido aprovada por deliberação camarária na reunião ordinária de 24 de abril deste ano.

O projeto, que corresponde à 1ª fase de um investimento global que terá continuidade até à futura rotunda de S. Pedro, prevêa criação de separador central, beneficiação do pavimento, zonas verdes e arborização, passeios em ambos os lados e reforço da iluminação pública.

A presente intervenção constitui uma mais-valia em termos de segurança para veículos e pessoas, otimização económica daquela zona e valorização estética da entrada no centro histórico, permitindo dar continuidade à empreitada realizada na chamada “reta da lagoa”.

Este projeto estruturante para o concelho de Monção será complementado com um forte investimento na regeneraçãourbanística do centro histórico com a requalificação da Praça da Republica e zona envolvente. Os trabalhos, no valorde 580.995,18 €, mais imposto, foram entregues à empresa “Limabuild, Engenharia & Construções, Lda”.

“Estou certo que este investimento vai constituir uma vantagem competitiva para o nosso concelho, permitindo a dinamização económica daquela zona e uma entrada condigna no acesso ao centro urbano”, afirmou Augusto de Oliveira Domingues.

EN 02 (Large)

EN 03 (Large)

MONÇÃO FESTEJA CORPO DE DEUS E REALIZA FESTA DA COCA 2017

O povo recolhe-se nos momentos religiosos e anima-se nas iniciativas mais descontraídas. Este ano, entre 14 e 18 de junho, as festas concelhias prometem encher o centro histórico e revitalizar a atividade comercial. O momento alto será a procissão solene e o "combate" entre S. Jorge e a Coca, na quinta-feira, dia 15. Que o cavaleiro do reino esteja à altura e ganhe o “combate” para termos bom vinho Alvarinho nas adegas e nas mesas.

CORPO DE DEUS_Final

O Corpo de Deus/Festa da Coca decorre entre 14 e 18 de junho. O programa, como habitual, reserva um conjunto variado de iniciativas recreativas e solenes com acentuada componente religiosa. O objetivo, como sempre, é trazer gente ao concelho, proporcionando a dinamização dos setores ligados à restauração e hotelaria.

O programa “abre” na quarta-feira à noite, dia 14, pelas 21h30, com Noite de Fados, no Largo de Camões, conhecendo, no dia seguinte, quinta-feira, feriado nacional e municipal, dois dos momentos mais marcantes destas festividades: Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus e tradicional “combate” entre S. Jorge e a Coca.

Combate 07

O dia começa com entrada dos grupos de bombos de Pias e de Mazedo (9h30), arruada da Coca (10h00) e entrega de condecorações e títulos honoríficos a cidadãos e instituições de mérito, cerimónia que decorrerá no Cine Teatro João Verde (11h00).

Este ano, a proposta da comissão de parecer para cidadão de mérito/medalha de prata recaiu emAmílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Com o título de serviços distintos/medalha de ouro serão distinguidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas.

Cortejo 16

Como instituições de mérito serão reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), com 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade. 

A Fanfarra Deu-la-Deu de Monção “entra” pelas 16h30, seguindo-se a Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus (17h00), o espetáculo S. Jorge e a Coca (18h30) e o tradicional combate entre S. Jorge e a Coca, no anfiteatro do Souto (19h00).Que o cavaleiro do reino esteja à altura e ganhe o “combate” para termos bom vinho Alvarinho nas adegas e nas mesas.

DSCF0898 (Large)

O terceiro dia de festa, sexta-feira, está dedicado aos alunos do pré-escolar com o ateliê “A Coca vai à escola”, entre as 9h00 e as 16h00, nos estabelecimentos de ensino. À noite, pelas 22h00, o programa compreende atuação do Grupo Paralelos, na Praça Deu-la-Deu Martins.

No sábado, o dia começa pelas 11h00 com a entrega de prémios do Concurso de Escrita “Era uma vez ….o poeta João Verde”, na Biblioteca Municipal de Monção.Pelas 15h00, tem lugar o desfile pelo centro histórico das bandas participantes no Festival Internacional de Bandas Filarmónicas que decorre pelas 21h30, na Praça Deu-la-Deu Martins.

Procissão 07 (Large)

Este ano, a organização pertence à Banda Musical da Casa do Povo de Tangil. Pelas 18h30, realiza-se a III edição da Coca in Festa com concertos de grupos emergentes na cena musical. O dia termina, pelas 23h30, com espetáculo de fogo-de-artifício.

O último dia das festividades, que todos os anos encaminha milhares de pessoas à Terra de Deu-la-Deu, Alvarinho e Termas, está inteiramente dedicado ao cortejo etnográfico das freguesias, Com início às 16h00, percorre as ruas do centro histórico num verdadeiro repositório dos usos e costumes da população monçanense.

Procissãomon

MONÇÃO PROMOVE CONFERÊNCIA SOBRE O SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DOS MILAGRES

Conferência de Ernesto Português decorre no dia 26 de maio, sexta-feira, pelas 21h30, no Arquivo Municipal de Monção.

O Arquivo Municipal de Monção recebe no dia 26 de maio, sexta-feira, pelas 21h30, uma conferência sobre o “Santuário de Nossa Senhora dos Milagres, em Cambeses”, da autoria de Ernesto Português, licenciado em história e autor de diversas publicações sobre temas variados de Monção.

Santuário (Large)

Com estilo maneirista, o santuário foi mandado construir nos finais do século XVI em resultado do cumprimento de uma promessa de Francisco Pereira de Castro, senhor da Quinta do Sopegal. No exterior, a fachada revela uma cuidada decoração escultórica de feição clássica.

MONÇÃO REALIZA 7ª FEIRA DO VINHO TINTO EM TANGIL

Com organização da Casa do Povo de Tangil, certame gastronómico decorre no próximo fim de semana, dias 27 e 28 de maio, com apresentação de produtos locais e animação musical. Programa engloba ainda Raid Rota da Pedra Solta, provas de vinho e entronização de novos confrades da Real Confraria do Vinho Verde Tinto.

cartazmonççça (2)

Tangil, freguesia de montanha do concelho de Monção, promove no próximo fim de semana, dias 27 e 28 de maio, a 7ª Feira do Vinho Tinto. Além de expositores dispersos pelo espaço exterior da Casa do Povo de Tangil, entidade organizadora, o certame apresenta produtos locais, como presunto, chouriça ou broa, e um programa diversificado com animação musical e provas de vinho.

No primeiro dia, sábado, após a sessão de abertura, marcada para as 15h00, decorre a atuação dos grupos de bombos “Amigos do Bombinho de Fontoura”, de Valença, e “Bombásticos de Segude”, de Monção, seguindo-se as concertinas dos “Amigos de Sá”, de Arcos de Valdevez, e “Os Magníficos”, de Monção. 

A partir das 17h00, realizam-se as provas de vinhos, demonstração de zumba, nova atuação dos grupos de concertinas, e entrada da “Charanga Salceda”, da Galiza. Com início às 23h00, verbena com o grupo “Roconorte”. Neste dia, está igualmente previsto, a partir das 08h00, a realização do Raid Rota da Pedra Solta pelos principais lugares das freguesias do Vale do Mouro.

No domingo, o certame abre às 10h30, prevendo-se, pelas 11h00, a cerimónia de entronização de novos confrades da Real Confraria do Vinho Verde Tinto e, pelas 12h00, degustação de vinhos verdes tintos. A parte de tarde abre ao som dos “Gaiteiros Rio Mouro” da Gave, Melgaço, continuando com tarde folclórica com agrupamentos de Longos Vales, Merufe e Moreira. Antes da sessão de encerramento, marcada para as 20h00, decorre a entrega de prémios aos melhores vinhos.

Com este certame, a organização procura a divulgação dos produtos locais, a criação de um fim de semana animado para os residentes e visitantes e a valorização de um espaço de montanha com património secular e paisagens naturais admiráveis e relaxantes. 

cartazmonççça (1)

DESENCAMINHARTE - FESTIVAL DE ARTE PÚBLICA NO ALTO MINHO

Primeira edição decorre entre 1 e 4 de junho em dez espaços rurais e naturais da região, um em cada município, com coordenação de dez artistas distintos. Em Monção, a iniciativa decorre na Penha da Rainha, Abedim, com coordenação de Sofia Leitão, artista plástica, que propõe a instalação artística “Mnemosynite”. Nestes dias, estão ainda previstas oficinas de trabalho, percursos pedestres, animação cultural e mercado com produtos locais.

PR 01

Promovido pela CIM - Comunidade Intermunicipal de Alto Minho, o Festival de Arte Pública do Alto Minho “Desencaminharte”, que decorre em espaços rurais e naturais da região, realiza-se desde o nascer do sol do dia 1 de junho até ao pôr-do-sol do dia 4.

Nesta primeira edição, as intervenções tem lugar em dez locais, um em cada município, com coordenação de dez artistas distintos. Oobjetivo é promover a natureza e a beleza patrimonial específica de cada um dos dez municípios da região, aproximando as comunidades locais e os visitantes de um roteiro de descoberta alternativo, fora dos lugares comuns.

No caso de Monção, a iniciativa decorre na Penha da Rainha, Abedim, com coordenação de Sofia Leitão, artista plástica, que propõe a instalação artística “Mnemosynite”. Nestes dias, estão ainda previstas oficinas de trabalho, percursos pedestres, animação cultural e mercado com produtos locais.

Em Abedim, a paisagem geológica está intimamente ligada às suas lendas, existindo mesmo uma simbiose entre as duas, ou seja, pedras que assumem formas de animais e penedos que escondem tesouros. Estas lendas cristalizam-se na memória coletiva das pessoas que habitam nesta região através da tradição oral e de memórias que passam pelas gerações.

O projeto de Sofia Leitão consiste na colocação de um conjunto de peças de dimensões variáveis ao longo de um percurso similar aos elementos milenares distribuídos na paisagem. O material predominante será o espelho, o que permitirá que ao longo do dia a variação da luz do sol possibilite efeitos luminosos ao refletir nas peças que estarão colocadas em locais de difícil acesso.

Além desta instalação artística, que permanecerá no tempo, o “Desencaminharte” na Penha da Rainha, em Abedim, compreende ainda, no dia 3, atuação do Grupo de Danças e Cantares de Mazedo, interpretação teatral do Tuka -Tuka – Grupo de Teatro Amador de Mazedo e performance noturna“Animal Belo”, de  INDRI.

Programa prevê também mercado com produtos locais, nos dias 3 e 4, e duas oficinas de trabalho: dia 1, a partir das 10h00, “CadavreExquis”, com Sofia Leitão, e dia 3, a partir das 9h30, “Meta­_Penha da Rainha”, com Patricia Oliveira. Quem estiver com vontade de caminhar, tem alguns trilhos disponíveis.

Mais informações em:

www.desencaminharte.altominho.pt

www.facebook.com/Desencaminharte

PR 02

PR 03

PR 04

PR 05

PR 06

MONÇANENSES REALIZAM LOGOTIPO HUMANO DA APPACDM NA PRAÇA DEU-LA-DEU

Na celebração dos 45 anos de vida, a Associação de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental de Viana do Castelo promove, nas localidades onde possui delegações, uma série de atividades pedagógicas que ilustram a sua intervenção social.

Imagem 5monnnç

Em Monção, realizou-se esta manhã a criação do logótipo da instituição por cerca de 300 pessoas de instituições locais e alunos da escola profissional e ensino regular numa jornada que englobou ainda diversos momentos de animação. Na retina, ficou uma demonstração de zumba.

A forma como decorreu a iniciativa, com o envolvimento dos estabelecimentos de ensino e instituições locais e a curiosidade de muitos munícipes, é reveladora do carinho que a população nutre pela associação, bem como do papel relevante que esta desempenha na defesa e valorização da pessoa com deficiência.

DSC_0038 (Large)

DSC_0043 (Large)

MONÇÃO REALIZA MELHORAMENTOS NA REDE DE SANEAMENTO EM MAZEDO, LONGOS VALES E TROVISCOSO

Após celebração dos respetivos contratos de empreitada, realizados ontem na Casa do Loreto, trabalhos iniciam-se ainda este mês ou no próximo, devendo estar concluídos no verão de 2019. Investimento situa-se em 1.377.008,78 € acrescido de IVA à taxa de 6 por cento, beneficiando um total de 1065 habitantes.

Saneamento 01 (Large)

Luz verde para o arranque dos trabalhos de construção da rede de saneamento em Mazedo, Longos Vales e Troviscoso. Ontem, na Casa do Loreto, foram assinados os respetivos contratos de empreitada entre o autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, e o administrador e representante legal da empresa “Narom, S.L, Sucursal em Portugal”, Manuel Fernandez Moran.

Testemunhados pelo presidente da União de Freguesias de Mazedo e Cortes, Vítor Rodrigues, União de Freguesias de Monção e Troviscoso, João Luís Domingues, e o presidente da Junta de Freguesia de Longos Vales, António Felgueiras, os contratos tem um prazo de execução de 730 dias, devendo avançar no terreno ainda este mês ou no próximo.

Os investimentos, no valor global de 1.377.008,78 € acrescido de IVA à taxa de 6 por cento, foram aprovados na reunião ordinária de 11 de abril de 2017, após prévia realização de concurso público. Nos termos do nº1 do Artº 98º do CCP, a minuta do contrato foi aprovada por deliberação camarária no dia 2 de maio de 2017.

Em Mazedo, a intervenção decorrerá nos lugares de Estrada, Carrazedo, Eirado, Pomar, Regueiro, Breia, Calvário, Requião, Antoinha e Agrelo, beneficiando 712 habitantes. Em Longos Vales, a empreitada compreende os lugares da Bouça, Corgo e Serzedo, chegando a 180 habitantes. Por sua vez, em Troviscoso serão abrangidos 173 habitantes dos lugares da Pedra e Monte Redondo. No total, serão beneficiados 1065 habitantes.

Os trabalhos, comparticipados pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos – POSEUR, consistem na construção das necessárias infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem e condutas elevatórias.

Refira-se que o presente investimento corresponde aos lugares mais densamente urbanizados daquelas freguesias que, na atualidade, não dispõem de rede de drenagem. Assumem-se de extrema importância pata a resolução de graves problemas sanitários existentes que resultam do deficiente funcionamento das fossas séticas individuais, decorrente das más condições naturais de drenagem do solo.

saneamento 02 (Large)

saneamento 03 (Large)

saneamento 04 (Large)

saneamento 05 (Large)

ADEGA DE MONÇÃO CONQUISTA OURO E PRATA NO INTERNATIONAL WINE CHALLENGE 2017

Muralhas de Monção 2016 e Deu-la-Deu Reserva 2014 brilham em Londres

*Competição é a mais prestigiada a nível internacional

Os vinhos Muralhas de Monção 2016 e Deu-La-Deu Reserva 2014, da Adega Cooperativa de Monção, acabam de conquistar duas medalhas de ouro no International Wine Challenge 2017 (IWC), um dos mais prestigiados concursos de vinho a nível internacional. Nesta segunda fase do concurso, que decorreu em Londres durante duas semanas de provas cegas, foi ainda distinguido o alvarinho Deu-la-Deu Reserva 2015 com medalha de prata, tendo o branco Adega de Monção 2016 recebido o Prémio Recomendado.

Cada vinho em competição foi degustado pelo menos duas vezes pelo júri internacional deste concurso, considerado como a mais exigente  competição de vinhos do mundo, que recebe milhares de amostras provenientes dos mais variadas regiões. Os vinhos são avaliados em prova cega, através de rigorosos critérios de avaliação que respeitam o estilo e a região de cada referência vínica.

Para Armando Fontainhas, presidente da Adega Cooperativa de Monção, “estes prémios atribuídos pelo mais exigente, conceituado e influente concurso internacional, demonstram a consistência e o reconhecimento dos vinhos da sub-região de Monção e Melgaço a nível internacional, o que é naturalmente um enorme orgulho para a Adega de Monção”. Os vinhos da cooperativa minhota tem vindo a conquistar cada vez mais medalhas e distinções, quer em certames nacionais quer internacionais, o que prova o reconhecimento da qualidade e do trabalho desenvolvido em prol dos vinhos da região.

Adega Branco Escolha

Wine1

VVB Alvarinho Deu La Deu Reserva 2015

wine2

VVB Muralhas de Monção 2016

wine3

 

 

MONÇÃO REALIZA OFICINA DE FOOD FOTOGRAPHY “LUZ, CÂMARA, DEGUSTAÇÃO”

No âmbito do projeto “Monção nas Mãos – Turismo Criativo”, realiza-se este domingo, 20 de maio, pelas 10h00, com o foodblogger, comunicador e chef Rui Ribeiro. Encontro marcado no ateliê “Faz & Come”, em Lara. Participação sujeita a inscrição.

Luz, Câmara, Degustação

Com o lema “Venha aprender a tirar fotografias tentadoras de comida”, serão abordados os princípios básicos de fotografia de comida: técnica, composição e edição. No final, os sujeitos fotografados serão degustados depois de serem transformados em deliciosas criações gastronómicas.

O projeto “Monção nas Mãos – Turismo Criativo”, coordenado por Nélson Azevedo, pretende contribuir para que se recuperem alguns dos saberes ancestrais deste território através da experiência de vários parceiros envolvidos neste conceito abrangente e estruturante que visa valorizar o presente e futuro com os ensinamentos do passado.

O projeto reserva experiências em áreas da vida rural como a moagem de farinha, a confeção do pão, a tosquia de ovelhas ou a construção de instrumentos tradicionais. Focaliza-se também na recriação artística desses sabores e saberes com recurso à fotografia, desenho e escultura.

MONÇANENSES PASSAM UMA TARDE EM FAMILIA

Com organização da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção, oDia Internacional da Família celebra-se este domingo, 21 de maio, na Praça Deu-la-Deu Martins, a partir das 15h00, com espetáculos de magia e teatro de marionetas. Traga a sua. E passe uma tarde divertida.

dia da familia

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção assinala no próximo domingo, na Praça Deu-la-Deu Martins, a partir das 15h00, o 24º aniversário do Dia Internacional da Família através da realização de várias atividades destinadas a pais, filhos, avós e netos. 

Entre as atividades propostas, contam-se espetáculos de magia e teatro de marionetas. A organização, focalizada na sensibilização da sociedade local para a importância dos valores familiares, promete uma tarde divertida e convida as famílias a participarem nesta iniciativa.

Com a celebração desta data, pretendeu-se reconhecer o papel fundamental da família na sociedade enquanto suporte de estabilidade de uma vivência em comunidade, valorização do processo de sociabilização das crianças e manutenção de tradições e costumes que identificam a nossa região.

O Dia Internacional da Família, celebrado anualmente no dia 15 de maio, foi proclamado na Assembleia Geral das Nações Unidas pela resolução 47/237, de 20 de setembro de 1993. Este ano, o tema central escolhido para assinalar a data é "Famílias, educação e bem-estar”.

MONÇÃO REALIZA XIII CONCENTRAÇÃO MOTARD

Dias 19, 20 e 21 de maio, no Parque das Caldas. Com organização do Grupo Motard “Os Feras”, iniciativa prevê atuações musicais, festa da cerveja e strip-tease misto. Presença de perto de meio milhar de amantes das duas rodas de todo o território nacional e da vizinha Galiza.

Concentração Motard

Este fim-de-semana, dias 19, 20 e 21 de maio, o Parque das Caldas, em Monção, vai animar-se com a XIII Concentração Motard “Os Feras”, prevendo-se, além da concentração de motorizadas e expositores dedicados ao motor, um conjunto variado de atividades complementares.

No livro promocional do evento, o vereador das atividades socioculturais, Paulo Esteves, sublinha a componente festiva da iniciativa motorizada e destaca a sua importância enquanto promotora do património monumental, paisagístico, gastronómico e vinícola do concelho de Monção.

Num espaço com tasquinhas a servir bebidas e alguns petiscos, a animação começa na sexta-feira à noite, a partir das 21h00, com a Festa da Cerveja, animação com DJ Oliver e Prova Cinquentinhas. No sábado, a tarde é preenchida com jogos tradicionais, lavagem de motos e exposição de motas antigas.

À noite, está prevista a atuação do grupo Hugo Band, entrega de prémios e lembranças aos participantes e um espetáculo de strip-tease misto. A despedida dos amantes das duas rodas é feita no domingo de manhã com um passeio por diversas freguesias do concelho de Monção.

De acordo com a organização, o objetivo desta XIII concentração passa pelo convívio e divulgação das potencialidades de Monção, Vila Termal e Berço do Alvarinho. Prevê-se a presença de perto de meio milhar de motards de todo o território nacional e da vizinha Galiza.

BANDA MUSICAL DE MONÇÃO REALIZA CONCERTO DE PRIMAVERA

Dia 20 de maio, sábado, pelas 22h00, no Cine Teatro João Verde. O espetáculo, no valor de 3,00 €, está esgotado há vários dias, revelando a qualidade musical da filarmónica e o orgulho que desperta junto da população.

DSC_0246 (Large)

O habitual Concerto de Primavera promovido pela Banda Musical de Monção realiza-se no próximo sábado, dia 20 de maio, pelas 22h00, no Cine Teatro João Verde. O espetáculo, no valor de 3,00 €, está esgotado há vários dias, revelando a qualidade musical da filarmónica e o orgulho que desperta junto da população

À semelhança dos anos anteriores, o repertório musical será diversificado e envolvido no espírito da época. O público aguarda sempre, com expetativa, a apresentação de novas composições e a recordação de temas inolvidáveis para os amantes deste género musical.

Com mais de dois séculos de existência, a Banda Musical de Monção, sob a batuta do maestro Vicente Simeó Mañez e com mais de 70 elementos, tem sabido adaptar-se ao “andar do tempo”, introduzindo composições atuais e rejuvenescendo os seus músicos. 

Neste concerto, os presentes serão brindados com um espetáculo de grande qualidade musical que, além dos habituais e merecidos aplausos, motiva sempre comentários elogiosos e palavras de incentivo aos elementos desta bicentenária filarmónica local.

MONÇÃO REALIZA 7ª FEIRA MOSTRA DE PRODUTOS LOCAIS E REGIONAIS

ste fim de semana, 19, 20 e 21 de maio, no Largo da Senhora da Ajuda, em Troviscoso. Programa engloba música popular e tradicional e verbena com o Grupo “Roconorte”. Nestes três dias, a animação está garantida num certame direcionado para a confraternização, defesa e promoção do mundo rural.

feira mostra1.jpg

A autenticidade do mundo rural sente-se e saboreia-se em Troviscoso com a realização da 7ª Feira Mostra de Produtos Locais e Regionais. Este fim de semana, 19, 20 e 21 de maio, vários expositores estarão dispersos pelo Largo da Senhora da Ajuda, apresentando produtos agrícolas, vinho Alvarinho, artesanato e fumeiros.

Para animar o público, o programa engloba música popular e tradicional, não faltando bombos, concertinas, cavaquinhos e folclore. No sábado à noite, sobe ao palco o Grupo “Roconorte”. No domingo à tarde, realiza-se um festival folclórico. A abertura oficial do certame, seguida de visita aos expositores, está marcada para sábado, pelas 15h00.

Com organização da Associação Social, Cultural e Cívica da Senhora da Ajuda, a festa promete três dias de animação num certame vocacionado para a defesa e promoção do mundo rural e para a confraternização entre familiares, amigos e conhecidos à volta de um petisco e de um copo.

Na edição deste ano, a organização volta a apresentar um programa com marca de ruralidade, potenciando a comercialização de produtos locais e preservando uma herança cultural e etnográfica recebida dos antepassados que ostenta, com orgulho, no presente.

MONÇÃO ENTREGA TITULOS HONORIFICOS E CONDECORAÇÕES

Englobada no Corpo de Deus/Festa da Coca, cerimónia decorre no dia 15 de junho, quinta-feira, feriado municipal, pelas 11h00. Município distingue Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista (cidadão de mérito – medalha de prata), José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil (serviços distintos - medalha de ouro). Como instituições de mérito serão reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, Coca Hipermercados, Lda, e Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre).

Paços do Concelho 02.JPG

A cerimónia de entrega de títulos honoríficos e condecorações do presente ano, englobada no segundo dia da programação da Festividade do Corpo de Deus/Festa da Coca, realiza-se no dia 15 de junho, quinta-feira, feriado municipal, pelas 11h00. A proposta da comissão de parecer para atribuição dos títulos foi aprovada, por unanimidade, na reunião do Executivo Municipal de ontem.

Com o título de cidadão de mérito (medalha de prata) será distinguido Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Esta condecoração é atribuída a pessoas que se notabilizam nas respetivas atividades, referindo-se, no artigo 10º do regulamento, que “o título de cidadão de mérito de Monção é destinado a premiar cidadãos nacionais e estrangeiros que, pela prática de atos notáveis, tenham obtido êxito nos campos artístico, literário, científico e profissional”.  

Com o título de serviços distintos (medalha de ouro) serão reconhecidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas monçanenses.

De acordo com o artigo 23º do regulamento, considera-se que “a medalha poderá ser concedida a funcionários públicos, autárquicos ou elementos de instituições de Monção que tenham demonstrado zelo, dedicação e competência na tarefa desempenhada”.

Como instituições de mérito serão distinguidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade.  

De acordo com o regulamento, no seu artigo 15º, “o título de instituição de mérito será atribuído às associações, agrupamentos, clubes ou outras pessoas coletivas que venham a desenvolver atividades desportivas, culturais, sociais ou económicas de modo efetivo e que contribuam para o bem-estar da comunidade”.

CASA DA MÚSICA E SERRALVES EM FESTA RECEBEM “ESCOLA DO ROCK” TOUR 2017

27 maio |Auditório Municipal de Vigo

28 maio | Cine Teatro João Verde, Monção

3 junho | Serralves em Festa, Porto

28 junho | Casa da Música, Porto

A Escola do Rock faz-se à estrada com dois concertos no Porto, Casa da Música e Serralves em Festa, repetindo a passagem por Vigo e Monção, Auditório Municipal e Cine Teatro João Verde, respetivamente, naquele que é o Tour 2017 e que serve de ‘warm up’ para o Festival Paredes de Coura.

mupi4 VISUALIZAÇÃO screen.jpg

No ano em que emblemático festival celebra os seus 25 anos, cabe à Escola do Rock a honra de abertura do palco principal com uma formação de cerca 40 jovens com idades entre os 13 e os 30 anos, que são guitarristas, bateristas, baixistas, teclistas, clarinetistas, saxofonistas, flautistas e vocalistas, revisitando no seu reportório muitos dos clássicos do rock'n'roll assim como temas de algumas das bandas que nos últimos anos passaram pelo Festival Paredes de Coura.

O presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vitor Paulo Pereira, bem como o vice-presidente Tiago Cunha integram o elenco da edição deste ano da Escola do Rock, dirigida pelo Space Ensemble e que reúne por períodos intensivos de 5 dias para ensaiar do nascer do sol ao sol posto, na semana anterior ao Natal.

Recorde-se que da 1ª edição da Escola do Rock, com a qual o Município de Paredes de Coura foi distinguido em 2015 com o Prémio “Município do Ano UM-Cidades” instituído pela Universidade do Minho, sobressaiu também a participação dos jovens músicos no Festival Vodafone Paredes de Coura, no âmbito do projeto ‘O Festival sobe à vila’.

É que este é um projeto singular. Podia ser uma escola sobre Duke Ellington, Mozart ou Mahler. Sobre John Cage ou John Adams. Seria espetacular! Mas em Paredes de Coura decidiram criar uma escola de música sobre Led Zeppelin, Beatles, Pixies, Nirvana, Morphine, Motorhead, Tame Impala, Franz Ferdinand, Bob Dylan, Neil Young, Rage Against the Machine e muitos outros. E tem sido incrível!

MONÇÃO ABRE 7º FITAVALE NO CINE TEATRO JOÃO VERDE

A sétima edição do Festival Itinerante de Teatro de Amadores do Vale do Minho - FITAVALE, com produção da companhia de teatro “Comédias do Minho”, decorre nos dias 19, 20 e 21 de maio nos concelhos de Monção, Paredes de Coura, Valença, Melgaço e Vila Nova de Cerveira. A abertura oficial realiza-se no Cine Teatro João Verde, sexta-feira, pelas 21h00.

Fitavale.png

Nesse dia, meia hora mais tarde, sobe ao palco o grupo “VerdeVejo”, de Valença, com a peça “Ponte”. Com criação e encenação de Luis Filipe Silva, conta com interpretações de Ana Neves, Andreia Gomes, Azam Azizov, Conceição Torres, Diana Exposto, Fernanda Esteves, Gusta Salvador, Júlia Ferreira, Julieta Borges, Pedro Evangelista, Ricardo Silva, e Rui Passos.

Na peça, que se chama “Ponte” porque vai haver uma ponte…quase de certeza, participa também o Coro da Associação Cultural de Verdoejo. Envolvida neste festival, a Associação Filarmónica Milagrense apresenta no sábado, pelas 16h00, no Centro Cultural de Paredes de Coura, a peça “João Verde, 150 Vida e Obra”. Todos os espetáculos têm entrada gratuita.

ASSINATURA DO CONTRATO PARA INSTALAÇÃO DA REDE DE SANEAMENTO NO LUGAR DE MILAGRES, EM CAMBESES

O contrato de empreitada referente à “Rede de Saneamento do Lugar de Milagres, Cambeses” foi assinado esta manhã, na Casa do Loreto, pelo presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, e pelos sócios gerentes e representantes legais da empresa “Limabuild – Engenharia & Construções, Lda”, Marco José Dias Armada e Gabriel José Dias Armada.

saneamento milagres 01 (Large).JPG

A empreitada, no valor de 331.990,00 € acrescido de IVA à taxa de 6 por cento, foi aprovada na reunião ordinária de 10 de abril de 2017, após prévia realização de concurso público. Nos termos do nº1 do Artº 98º do CCP, a minuta do contrato foi aprovada por deliberação camarária no dia 2 de maio de 2017.O prazo de execução é de 730 dias, a contar da data do auto de consignação.

Os trabalhos, comparticipados pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos – POSEUR, consistem na construção das necessárias infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem e condutas elevatórias.

Após a assinatura, que contou também com a presença de Catarina Lourenço, secretária da Junta de Freguesia de Cambeses, Augusto de Oliveira Domingues sublinhou a importância deste investimento: “Trata-se de uma obra fundamental para a elevação da qualidade de vida das populações locais e para a preservação do meio ambiente”.

A presente intervenção está inserida no sistema em alta da “Águas do Norte, S.A”, permitindo que os efluentes sejam conduzidos para a Estação de Tratamento de Águas Residuais de Monção. Quando concluída, previsivelmente no verão de 2019, vão beneficiar deste investimento 326 habitantes dos lugares de Milagres, Figueiras, Terra Nova, Sende e Veiga.

saneamento milagres 02 (Large).JPG

saneamento milagres 03 (Large).JPG

saneamento milagres 04 (Large).JPG

APPACDM CRIA LOGOTIPO HUMANO DA INSTITUIÇÃO

Na celebração dos 45 anos de vida, a Associação de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental de Viana do Castelo agendou,nas localidades onde possui delegações, uma série de atividades pedagógicas que ilustram a sua intervenção social.

Em Monção, decorrerá a criação do logótipo da instituição por cerca de 350 pessoas de instituições locais numa jornada que engloba ainda diversos momentos de animação. A iniciativa tem lugar esta quinta-feira, dia de feira semanal, pelas 10h00, na Praça Deu-la-Deu.

APPACDM 45 anos.png

ROSCAS E PAPUDOS DELICIAM MUNICIPES E VISITANTES EM MONÇÃO

Segunda edição da Festa da Rosca e do Papudo, sem pingo de chuva a contrastar com o ano passado, realizou-se este domingo, durante todo o dia, na Praça Deu-la-Deu Martins, sala de visitas da localidade raiana que recebeu munícipes e visitantes em número significativo.

Roscas 01 (Large).JPG

Além da animação musical e demonstrações em forno a lenha, o certame englobou exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em anis, chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas que “puxaram” pelo paladar dos presentes.

Logo ali, uns apreciavam a qualidade do produto. Outros deixavam para mais tarde, levando no saquinho meia dúzia ou uma dúzia. Pelos comentários, as roscas e os papudos estavam no ponto certo. Algo que facilmente se comprovada pelo escoamento do produto. 

O certame, com organização conjunta da Junta de Freguesia de Cambeses, Grupo Popular “Os Teimosos” e Associação “Ardina”, teve apoio da Câmara Municipal de Monção e Associação de Artesãos de Monção - Post`Arte. O autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, deu as boas vindas aos presentes e sublinhou a aposta do município na defesa e valorização das tradições locais.

Além da animação musical, a cargo de agrupamentos tradicionais de Portugal e da Galiza, decorreram demonstrações, em forno a lenha, da confeção da rosca e do papudo. De acordo com a organização, a iniciativa pretende mostrar e potenciar as várias vertentes de uma das atividades mais genuínas do concelho no que respeita à confeção de doçaria tradicional.

Roscas 02 (Large).JPG

Roscas 03 (Large).JPG

Roscas 04 (Large).JPG

TAPETES FLORIDOS E PROCISSÃO SOLENE “ENCHEM” MONÇÃO DE VISITANTES

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Rosa, uma das festividades mais acarinhadas pela comunidade monçanense, realizou-se este fim de semana com um programa preparado pela respetiva comissão de jovens e preenchido por diversas atividades religiosas e culturais.

procissão 01 (Large).JPG

O centro histórico da localidade encheu-se de munícipes e visitantes. Para verem, as obras de arte “criadas” durante a madrugada por moradores e associações locais e participarem nos momentos solenes: missa, bênção e procissão. O tempo “aguentou-se” e “chamou” muita gente. A festa cumpriu-se com devoção e esplendor.

Este ano, os tapetes floridos prestaram homenagem a João Francisco, jovem monçanense falecido recentemente num acidente rodoviário, com o seu nome e mensagens em várias ruas, e fizeram alusão ao centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima, com um trabalho extraordinariamente minucioso de “alfombristas” de Ponteareas, localidade galega.

A presença de “nuestros hermanos” faz-se desde 2009. Desta vez, vieram cerca de 20 pessoas que, com a colaboração de várias funcionárias da autarquia, ornamentaram o Largo de Camões com uma imagem de 120 metros quadrados de Nossa Senhora de Fátima e os três pastorinhos. O trabalho iniciou-se às 6 da manhã, terminando pouco depois das 9h00. 

A festividade arrancou na noite de sábado com missa solene na Igreja da Misericórdia, seguida de procissão de velas pelas principais artérias da vila com a imagem de Nossa Senhora da Rosa a ser transportada por jovens. Como é habitual, um momento muito participado pela população local.

A partir das 24h00, iniciou-se a ornamentação das ruas do centro histórico pelos respetivos moradores e associações locais. O trabalho durou até de madrugada, aliando-se o esforço dos residentes ao convívio e comentários de quem passava.

Na manhã de domingo, as ruas “acordaram” enfeitadas com pétalas, funcho, borras de café e serrim de várias cores com criativos desenhos geométricos e diversos motivos religiosos. Até meio da tarde, milhares de pessoas visionaram os tapetes floridos. Pelas 16h30, celebrou-se a missa solene na Igreja Matriz, seguindo-se a bênção e distribuição de rosas e procissão pelo centro histórico. 

procissão 02 (Large).JPG

procissão 03 (Large).JPG

procissão 04 (Large).JPG

procissão 05 (Large).JPG

Tapetes 01 (Large).JPG

tapetes 02 (Large).JPG

Tapetes 03 (Large).JPG

tapetes 04 (Large).JPG

tapetes 05 (Large).JPG

U.D. “OS RAIANOS”: AUTARQUIA MONÇANENSE APOIA AQUISIÇÃO DE CARRINHA

A Câmara Municipal de Monção e a União Desportiva “Os Raianos” celebraram, ontem à tarde, um protocolo de colaboração entre ambas as partes que, em linhas gerais, tem como objeto a comparticipação financeira do município aquele clube desportivo para aquisição de uma carrinha de nove lugares.

Raianos 01 (Large).JPG

O apoio, no valor de 20 mil euros, contribui para a valorização da atividade desportiva da U.D. “Os Raianos”, visando a melhoria das condições de trabalho de um clube com uma história de mais de quatro décadas ao serviço do desporto no concelho de Monção.

Neste ato informal, com a presença do presidente, Vítor Caldas, e da tesoureira, Catarina Rodrigues, o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, destacou o papel relevante do clube de Messegães em termos competitivos e na formação de jovens atletas com o projeto “Geração Raianos”.

A disponibilidade da autarquia para apoiar os clubes desportivos do concelho tem sido uma realidade ao longo dos anos. No caso concreto da U.D. “Os Raianos”, lançou e concretizou a obra de colocação de relvado sintético no Campo do Areal num investimento próximo a 200 mil euros, mais tarde apoiado pela administração central.

A inauguração, com a presença do Secretário de Estado da Juventude e Desporto, Emídio Guerreiro, teve lugar no dia 27 de junho de 2015. Presentemente, a U.D. “Os Raianos” compete na 2ª Divisão Distrital, ocupando a 4ª posição, com 45 pontos, à falta de três jornadas para o final.

raianos 02 (Large).JPG

Raianos 03 (Large).JPG

raianos 04 (Large).JPG

MONÇÃO REALIZA FESTA DA ROSCA E DO PAPUDO

Este domingo, 14 de maio, na Praça Deu-la-Deu Martins. Além da animação musical e demonstrações em forno a lenha, certame engloba exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas para agradar a todos os paladares. 

Roscas.JPG

Numa organização conjunta da Junta de Freguesia de Cambeses, Grupo Popular “Os Teimosos” e Associação “Ardina”, a segunda edição da Festa da Rosca e do Papudo realiza-se este domingo, durante todo o dia, na sala de visitas de Monção, Praça Deu-la-Deu Martins.

O certame, apoiado pela Câmara Municipal de Monção e Associação de Artesãos de Monção - Post`Arte, engloba exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas para agradar a todos os paladares. 

Além da animação musical, a cargo de agrupamentos tradicionais de Portugal e da Galiza, estão previstas demonstrações, em forno a lenha, da confeção da rosca e do papudo. De acordo com a organização, a iniciativa pretende mostrar e potenciar as várias vertentes de uma das atividades mais genuínas do concelho no que respeita à confeção de doçaria tradicional.

A cerimónia de abertura realiza-se às 9h45, seguindo-se a entrada e atuação do Grupo de Bombos de Pias. Ao início da tarde, atua a Rusga “Cantares da Ribeira” e, ao final, os grupos populares “Ronco & Folk” e “Os Teimosos”. A meio da tarde, faz-se silêncio para se ouvirem os passos devotos de quem participa na procissão solene em honra a Nossa Senhora da Rosa.

A Festa da Rosca e do Papudo coincide com esta tradição muito acarinhada pela população local, permitindo que munícipes e visitantes possam participar nos atos religiosos e apreciar os tapetes floridos ao mesmo tempo que desfrutam do sabor caraterístico de uma rosca e papudo feito com o saber de quem valoriza a tradição.

Rosca 01.JPG

PRIMEIRA REUNIÃO DO GRUPO DE TRABALHO DA EUROCIDADE MONÇÃO - SALVATERRA

A equipa de trabalho da Eurocidade Monção-Salvaterra de Miño esteve reunida na passada segunda-feira, pela primeira vez, na sede daquela entidade transfronteiriça, no Parque da Lodeira, em Monção, tendo estabelecidoalgumas normas de funcionamento e as primeiras linhas de atuação conjunta.

602e5226868571.5571c3865d551.png

Desta forma, determinou-se o horário de atendimento ao público da sede da Eurocidade que funcionará de segunda a sexta-feira, entre as 09h00 e as 13h00 (período de manhã), e na quinta-feira, dia de feira semanal em Monção, entre as 15h00 e as 17h00 (período de tarde).  

Neste horário, os técnicos responsáveis pelo espaço estarão disponíveis para transmitir informação cultural e turística sobre os dois municípios, bem como prestar todos os esclarecimentos relacionados com questões de mobilidade transfronteiriça na vertente social e laboral.

A reunião serviu ainda para aprovar a constituição de comissões de trabalho em várias áreas (cultura, desporto, educação, juventude, turismo, meio ambiente, desenvolvimento económico…) com o objetivo de preparar novas candidaturas aos fundos comunitários, nomeadamente à segunda convocatória do POCTEP - Programa de Cooperação Transfronteiriço.

Refira-se que a sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño foi inaugurada oficialmente no passado dia 1 de maio numa cerimónia que contou, entre outros, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e do Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

reuniãomonçgem.jpg

TAPETES FLORIDOS EMBELEZAM RUAS DE MONÇÃO

Festividade de Nossa Senhora da Rosa, que decorre este fim de semana, dias 13 e 14 de maio, tem como ponto alto a ornamentação das ruas do centro histórico por parte dos residentes. Os funcionários da autarquia, com a ajuda de vários elementos de uma associação da localidade galega de Ponteareas, “decoram” o Largo de Camões.

Rosa 01.jpg

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Rosa, uma das festividades mais acarinhadas pela comunidade monçanense, realiza-se este fim de semana, dias 13 e 14 de maio, com um programa preparado por uma comissão de jovens com apoio da paróquia local que engloba diversas atividades religiosas e culturais.

Assim, no sábado à noite, a partir das 21h30, celebra-se a missa solene, seguida da habitual procissão de velas pelas principais artérias da vila com a imagem de Nossa Senhora da Rosa a ser transportada por jovens. Um momento muito participado pela população local.

A partir das 24h00, inicia-se a ornamentação das ruas do centro histórico pelos respetivos moradores. O trabalho dura grande parte da noite, aliando-se o trabalho dos residentes ao convívio e comentários de quem passa. Há sempre um elogio ou um café trazido por uma mão amiga.

De manhã, as ruas “acordam” enfeitadas com pétalas, funcho, borras de café e serrim de várias cores com criativos desenhos geométricos e diversos motivos religiosos. Até início da tarde, são milhares as pessoas que visionam os tapetes floridos e que, a partir das 16h30, participam na missa solene na Igreja Matriz seguida da bênção, distribuição de rosas e procissão pelo centro histórico. 

O Largo de Camões, espaço fronteiro ao edifício dos Paços do Concelho, vai ser “ornamentado” por vários trabalhadores da autarquia. Nesta tarefa, contam com a colaboração de elementos de uma associação de Ponteareas, localidade galega que dista sensivelmente 15 quilómetros de Monção.

Esta amabilidade de nuestros hermanos será retribuída na Festa do Corpus Christi com uma comitiva de trabalhadores locais a fazer trabalho semelhante numa rua do casco urbano de Ponteareas. A tradição comum é uma realidade em ambas as margens do rio Minho e o povo, orgulhoso da sua cultura, teima em preservá-la e valorizá-la.

Rosa 02.jpg

Rosa 03.jpg

Rosa 04.jpg

Rosa 05.jpg

Rosa 06.jpg

Rosa 07.jpg

Rosa 08.jpg

EXECUTIVO MONÇANENSE ADJUDICA OBRAS COM VALOR GLOBAL PRÓXIMO DE 3 MILHÕES DE EUROS

Cinco empreitadas no âmbito do saneamento básico, regeneração urbana e dinamização económica avançam em diferentes freguesias do concelho, tornando o nosso território mais visitável e proporcionando melhor qualidade de vida aos habitantes.

investimentos.png

Nas últimas sessões camarárias, o Executivo Municipal de Monção adjudicou um conjunto de investimentos no valor global de 2.740.222,68 €, acrescido do respetivo imposto (6%), perfazendo 2.904.636,05 €. Intervenções referem-se a trabalhos de saneamento básico, regeneração urbana, segurança rodoviária e dinamização económica.

Com comparticipação financeira no âmbito do Portugal 2020, através do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), foram adjudicadas, por unanimidade, três empreitadas em diferentes freguesias do território concelhio.

A saber: “Rede de Saneamento do Lugar dos Milagres – Cambeses”, no valor de 331.990,00 €, à empresa Limabuild, Engenharia & Construções, Lda. “Rede de Saneamento de Serzedo (Longos Vales) e Aglomerado Urbano de Monte Redondo (Troviscoso)”, no valor de 531.863,64 €, e “Rede de Saneamento da Rede Baixa de Mazedo”, no valor de 845.145,14 €, ambas à empresa Narom, SL – Sucursal em Portugal.

Os trabalhos, localizados nos lugares urbanizados daquelas freguesias, consistem na construção de infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem de saneamento residual, estações e condutas elevatórias. Fundamentais para a elevação da qualidade de vida das populações locais e preservação do meio ambiente, as intervenções previstas vão beneficiar 1391 habitantes.

O executivo monçanense aprovou também a empreitada “Beneficiação da EN101/202 – Troço Rotunda de Cortes à Nova Rotunda de S. Pedro – 1ª Fase”. Com votos contra do PSD e abstenção do CDS/PP, a obra foi adjudicada pelo montante de 450.228,72 €, à empresa Duque & Duque, Terraplanagens, Lda.

Esta intervenção, numa extensão aproximada de 700 metros entre a rotunda de Cortes e a rotunda de acesso ao centro urbano/ponte internacional, prevê a criação de separador central, beneficiação do pavimento, zonas verdes e arborização, passeios em ambos os lados e reforço da iluminação pública.

No âmbito da regeneração urbana, avança igualmente a “Requalificação da Praça da República e Zona Envolvente”. Os trabalhos, entregues à firma Limabuild, Engenharia & Construções, Lda, situam-se em 580.995,18 €. O objetivo geral é tornar mais visitável o centro histórico da vila, proporcionando a residentes e visitantes espaços atrativos e funcionais.

Assim, a empreitada consta da beneficiação total da Praça da República, recuperando pavimentos, jardins, mobiliário urbano, iluminação pública e infraestruturas de abastecimento de água, saneamento e águas residuais. Intervenções estendem-se aos arruamentos envolventes. Casos da Rua 25 de Abril, Largo da Alfândega, Rua da Estação e Rua Eng. Duarte Pacheco.

MONÇÃO REALIZA 4º TORNEIO INTERNACIONAL DE KARATÉ

Competição, marcada para este sábado, 13 de maio, conta com cerca de meio milhar de atletas de quatro centenas de clubes portugueses, espanhóis e franceses. Presença confirmada dos selecionadores de Portugal, Joaquim Gonçalves, e de Espanha, Cesar Blanes, bem como da atual campeã europeia júnior em kumité, Mariana Lelis.

karate.jpg

Com organização do Deu-la-Deu Karaté Clube de Monção e apoio da Federação Nacional de Karaté de Portugal e Câmara Municipal de Monção, realiza-se este sábado, 13 de maio, no Pavilhão Desportivo Municipal, o 4º Torneio Internacional de Karaté de Monção.

As provas decorrem ao longo de todo o dia, provas de kata de manhã e kumite à tarde, com a presença de 483 atletas de vários escalões e género oriundos de 39 clubes portugueses, espanhóis e franceses. Presença ainda de 65 treinadores e 50 árbitros.

Além do presidente da Federação Nacional de Karaté de Portugal, Carlos Silva, e do selecionador nacional da modalidade, Joaquim Gonçalves, marca presença neste evento o selecionador de Espanha, Cesar Blanes. Confirmada está também a participação da atual campeã europeia júnior em kumité, Mariana Lelis.

Tendo como objetivo a promoção da prática da modalidade, a organização aponta como principais objectivos do torneio a rodagem dos atletas mais jovens e a divulgação do clube e do concelho de Monção. Salienta ainda o intercâmbio e a aprendizagem que estas iniciativas proporcionam aos atletas que, nesta competição, vão conviver com os melhores.

Fundado em 2010, o Deu-la-Deu Karaté Clube de Monção tem em atividade peto de uma centena de atletas de diferentes idades, promovendo demonstrações públicas da modalidade e participando em encontros de karaté realizados em diferentes regiões do país. A modalidade tem crescido de ano para ano no concelho, sendo este torneio um exemplo da capacidade organizativa do clube.

MONÇÃO ORGANIZA PASSEIO SÉNIOR A LOURDES

Entre 23 e 26 de junho, realiza-se o habitual passeio sénior promovido pelo Município de Monção. O destino é Lourdes, estando previstas visitas à Basílica e à Gruta onde apareceu a Virgem, participação na Procissão das Tochas e na missa de domingo. Inscrições até ao dia 22 de maio.

passeio.png

O passeio sénior é uma prática habitual do executivo monçanense como forma de contribuir para um envelhecimento ativo dos nossos idosos, proporcionando-lhes momentos de convívio e animação com deslocações a distintos locais do nosso pais e estrangeiro.

Este ano, o passeio sénior tem como destino Lourdes, prevendo-se, entre outros aspetos, visita à Basílica e à Gruta onde apareceu a Virgem, participação na Procissão das Tochas e na missa de domingo. A viagem engloba também paragens e visitas às cidades de San Sebastian e Burgos.

Além de proporcionar momentos de convívio e animação, o passeio sénior constitui uma iniciativa solidária e altruísta, cuja finalidade consiste em estimular a vida ativa e fortalecer a auto estima desta camada populacional. Procura ainda combater a situação de solidão e isolamento que acompanha o quotidiano de muitos idosos.

MONÇÃO INAUGURA EXPOSIÇÃO DE MÁSCARAS DO MINHO

A Casa Museu de Monção, Unidade Cultural da Universidade do Minho inauguram a exposição intitulada "Personagens" da artista Teresa Ricca, no próximo dia 6 de maio (sábado), pelas 16h00, nas instalações da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho, sitas na vila de Monção.

convite MONÇÃO 6 COM LOGOS1 (1).jpg

Na exposição "Personagens" apresentam-se cerca de quatro dezenas de trabalhos onde se cruzam livremente as inspirações das máscaras, sem distinção de origem ou de época, com as cores alegres e vibrantes do Minho.

Este projeto é o resultado duma procura técnica e formal iniciada há cerca de sete anos. Uma oportunidade de “visitar” os caretos transmontanos, deu a Teresa Ricca a ideia de realizar um trabalho de pesquisa que se alargou às máscaras de todo o mundo e de todas as épocas, e que foi o mote para esta exposição.

 "PERSONAGENS" (que se escondem por muito se mostrarem).

Esta exposição estará patente ao público até 7 de junho.

HORÁRIO DA EXPOSIÇÃO:

Terça a Sexta Feira - das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

Sábados - das 14h00 às 18h00

Domingos e Segundas: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

MONÇÃO REALIZA XXVII FEIRA AGRÍCOLA DO VALE DO MOURO

Com a presença de vários expositores, tasquinhas, provas de TT e BTT, encontro de concertinas e tarde folclórica, o cartão-de-visita continua a ser a feira do gado e as corridas de cavalos. As noites “entram” pela madrugada ao ritmo de DJ`s.

Feira Agricola.jpg

A XXVII Feira Agrícola do Vale do Mouro, certame realizado na freguesia de Segude com organização da Associação de Freguesias do Vale do Mouro, decorre neste fim de semana, 5, 6 e 7 de maio, com um conjunto diversificado de atividades recreativas e musicais que, como vem sendo habitual, prometem encher o recinto da feira.

O tiro de partida deste certame defensor e promotor do mundo rural arranca na sexta-feira, pelas 21h00, com o Grupo “Bombolásticos”, continuando com atuação do conhecido músico Zézé Fernandes e, pela noite dentro, com o ritmo do animador e DJ Pedro Pagodes.

No sábado, realiza-se a abertura oficial da feira, marcada para as 10.00 horas, com cerimónia protocolar, visita aos expositores e início do VIII TT Monção. A tarde é preenchida com encontro de concertinas, prova hípica de passo travado e atuação da Rusga de Merufe. A noite é abrilhantada pelo Grupo Roconorte e pelos DJ`s Ribas e John Fran.

O domingo “abre” com a feira do gado, onde os melhores exemplares serão premiados, prova de BTT, passeio pedestre e encontro de concertinas. Depois do almoço, tem lugar um dos pontos altos do certame (provas de cavalo a galope e com atrelado) e um festival folclórico com grupos de Merufe, Pinheiros, Troviscoso e Troporiz. O certame encerra ao som do grupo “Sons da Serra”.

A par destas atividades, a Feira Agrícola do Vale do Mouro apresenta diversos expositores com material e equipamento relacionado com o setor, artigos manufaturados de artesanato, produtos regionais, e tasquinhas típicas com ementas e vinhos da região.

Realizado em Segude desde 1990, o certame aposta na preservação da tradição sem descurar aspetos de modernidade e pretende assumir-se como um local privilegiado para o estabelecimento de relações pessoais e empresariais entre os profissionais do setor.

SOCIEDADE MONÇANENSE ATIVA NA PREVENÇÃO DOS MAUS-TRATOS NA INFÂNCIA E JUVENTUDE

Durante o mês de abril, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção, associando-se à campanha da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, promoveu um conjunto de atividades destinadas à prevenção dos maus-tratos na infância e juventude.

desportivo 1 (Large).jpg

As atividades desenvolvidas pela CPCJ/Monção contaram com a colaboração de várias entidades públicas, instituições sociais, associações juvenis, culturais e desportivas, bem como do comércio local que, ao longo do mês, decoraram fachadas e montras com o simbolismo do laço azul.

Uma forma elucidativa de mostrar a envolvência da sociedade civil monçanense relativamente a uma questão social que, afinal de contas, é de todos. O resultado é claramente positivo e encorajador quanto à minimização desta problemática e ao exercício de uma parentalidade positiva.

A sensibilização e prevenção da comunidade mundial para a questão dos maus tratos na infância iniciou-se nos Estados Unidos da América, em 1983, tendo sido adotada por diversos países europeus, incluindo Portugal, nos primeiros anos deste século.  

A CPCJ/Monção agradece a participação das entidades públicas, instituições sociais, associações juvenis, culturais e desportivas, bem como dos estabelecimentos comerciais aderentes. OBRIGADO. 

IMGP3417 (Large).JPG

mazedo (Large).jpg

pinheiros activo (Large).jpeg

raianos 2 (Large).jpg

EUROCIDADE MONÇÃO - SALVATERRA DE MIÑO: AUTARCAS APOSTAM NA DINAMIZAÇÃO TURISTICA DO RIO MINHO E NA PARTILHA DE SERVIÇOS NA SAUDE E PROTEÇÃO CIVIL

A abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, localizada no antigo edifício da PIDE, no Parque da Lodeira, tornou ainda mais consistente e vigoroso o relacionamento frutuoso, desde sempre, entre os responsáveis políticos e as populações dos dois municípios unidos pelo rio Minho.

DSC_0019 (Large).JPG

O novo organismo, inaugurado vinte e dois anos após a entrada em funcionamento da ponte internacional entre as duas localidades, tem como prioridades, entre outras, a realização conjunta de atividades culturais, sociais e desportivas, a valorização do troço fluvial do rio Minho e a dinamização dos recursos endógenos no campo enológico, patrimonial e paisagístico. 

Na linha da frente da “ordem de trabalhos” estará também o empreendedorismo transfronteiriço, a partilha de equipamentos coletivos, garantindo escala e rentabilização financeira, e a apresentação de candidaturas a programas comunitários transfronteiriços, visando o fortalecimento da atividade turística e económica.

Numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e pelo Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela, os dois autarcas raianos, Augusto de Oliveira Domingues e Arturo Grandal Vaqueiro, falaram de um passado difícil e de um futuro promissor.

Consolidar relação umbilical

O autarca monçanense, que recordou a imposição restritiva da fronteira com momentos marcantes na sua memória de criança e jovem, apontou estratégias de futuro que, acrescentou, passam por aprimorar as excelentes relações existentes e garantir melhor qualidade de vida às populações.

DSC_0028 (Large).JPG

Referindo-se a alguns projetos em andamento, como um barco turístico e o alargamento dos passeios da ponte, Augusto de Oliveira Domingues reafirmou o propósito de consolidar esta relação transfronteiriça umbilical nos campos da saúde e da proteção civil.

Disse: “Não entendo porque motivo não podemos abrir as portas do nosso centro de saúde aos nossos vizinhos galegos. Ou porque os nossos bombeiros não podem intervir no outro lado da fronteira. Senhores governantes, temos de ultrapassar estas situações para que a relação seja de completa liberdade num futuro que queremos construir juntos”.

Uma intervenção com claro enfoque nos próximos anos que Arturo Grandal Vaqueiro ouviu, aplaudiu e reforçou. Para ele, tal como para Augusto de Oliveira Domingues, o rio nunca constituiu obstáculo ao relacionamento entre as duas populações e a ponte é apenas uma rua que liga os dois centros históricos separados por um quilómetro.

“Imagino um pequeno Douro”

Com palavras pausadas e emocionadas, Arturo Grandal Vaqueiro referiu-se à sede da Eurocidade como um instrumento fundamental para a valorização cultural e paisagística de Monção e Salvaterra de Miño, dois municípios vizinhos com potencialidades vínicas (Alvarinho) e patrimoniais (muralhas) semelhantes.

De seguida, com a certeza que cresce na convicção, apontou os próximos desafios da Eurocidade, mencionando dois que, de alguma forma, já tem um caminho percorrido. Por um lado, a valorização da ponte internacional e, por outro, a navegabilidade de um barco turístico: 

“A ponte é uma rua e, como tal, temos de tratar bem dela. Iluminação, pintura e alargamento para as pessoas que a cruzam a pé, a correr ou de bicicleta. Estamos também a pensar num barco turístico que possa navegar nestas águas. Já imagino um pequeno Douro com visitas às adegas, circuitos temáticos sobre o vinho Alvarinho e rotas ecológicas”.

Após a cerimónia oficial de abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, que englobou ainda descerramento de placa e visita às instalações, realizou-se a inauguração da sede da ATEARAIA – Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental, no edifício da antiga guarda-fiscal.

Neste local, procedeu-se à abertura da exposição de fotografia “Portugal Subaquático”, de Luis Quinta, produzido pela CMIA de Viana do Castelo, tendo os membros da associação presenteado autarcas e governantes com um carvalho–alvarinho. O programa terminou com um convívio popular com atuações do grupo “Os Magníficos”, de Monção, e do “Grupo de Gaitas”, de Salvaterra de Miño.

DSC_0044 (Large) (1).JPG

DSC_0326.JPG

DSC_0342 (Large).JPG

MUNICÍPIO DE MONÇÃO REALIZA INVESTIMENTOS NO CONCELHO

A Câmara Municipal de Monção procede atualmente à execução de diversas empreitadas em várias freguesias do concelho, abrangendo intervenções em áreas como saneamento básico, abastecimento de água, beneficiação da rede viária e valorização cultural.

monçainvest (1).jpg

O objetivo geral incide na melhoria da qualidade de vida das populações locais e na atração de visitantes ao nosso território. Em alguns casos, as empreitadas estão praticamente concluídas e, em outros, encontram-se em fase de execução dos trabalhos adjudicados.

Na semana passada, o autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, acompanhado da vice-presidente, Conceição Soares, e do técnico Jorge Tavares, visitou as empreitadas em questão, inteirando-se do desenrolar das mesmas e dos respetivos prazos de conclusão.

No âmbito da rede viária municipal, as intervenções na EM 504 – Ligação Barbeita/Merufe e na Estrada Barroças e Taias/Pias estão em fase final de execução, faltando alguns trabalhos pontuais. No primeiro caso, será necessário proceder à pintura no pavimento.

O Caminho de Santo Amaro, em Ceivães, encontra-se praticamente finalizado enquanto o Caminho de Santa Marinha, em Tangil, iniciou os trabalhos recentemente com a construção de um muro que permitirá a sustentabilidade do terreno no alargamento da estrada naquela zona específica.  

A EM 507 – Acesso Sul ao Minho Parque, trajeto rodoviário novo para Lara e para o interior do Vale do Gadanha, aguarda pela colocação de asfalto e construção de valetas, tudo indicando que, antes do verão, esteja pronta para receber a circulação automóvel.

Depois da abertura oficial do Núcleo Museológico Torre de Lapela, efetuada no âmbito das Festividades do Corpo de Deus/Festa da Coca no último ano, a autarquia continuou a apostar na valorização daquele espaço patrimonial. Presentemente, estão a ser construídos os espigueiros situados junto àquele monumento nacional desde 1910.

Referência ainda para o Cemitério Municipal de Monção, beneficiação ansiada por muitos monçanenses, e para a requalificação da zona do Porcalho, empreitada aprovada no Portugal 2020, Programa Regeneração Urbana, que avança a bom ritmo.

Investimento compreende dotação de infraestruturas de água, saneamento básico, ecopontos subterrâneos, recuperação de parte da muralha, substituição da rede elétrica, pavimentação com calçada à portuguesa e passeios em lajedo de granito.

monçainvest (2).jpg

monçainvest (3).jpg

monçainvest (4).jpg

monçainvest (5).jpg

monçainvest (6).jpg

monçainvest (7).jpg

monçainvest (8).jpg

ESTÃO A DECORRER EM CAMINHA INSCRIÇÕES DE VOLUNTÁRIOS PARA O RALLY DE PORTUGAL

Prazo termina a 5 de maio

Estão a decorrer as inscrições para quem quiser ser "Marshall", ou seja, ser voluntário no Rally de Portugal. As funções serão apoiar a organização da prova automóvel, em Caminha, no controlo dos espectadores nas Zonas Espetáculo. Aproveite a oportunidade de acompanhar mais de perto a classificativa. O prazo termina sexta-feira, dia 5.

VRP17_caminha_4x3m.jpg

Os candidatos deverão ter mais de 18 anos e gosto pelo desporto automóvel, sendo condição preferencial possuir alguma experiência em provas desportivas ou eventos culturais.

Aos voluntários será assegurada formação pelo ACP, material para apoio à atividade, merchandising oficial da prova, alimentação e o transporte do ponto de encontro para as zonas de espetáculo.

A ação de formação vai decorrer no dia 6 de maio, pelas 10H00, na sala de reuniões da Câmara Municipal de Viana do Castelo.

Os interessados deverão inscrever-se através do endereço de email: rallyportugal@cm-caminha.pt, indicando o nome; data de nascimento; contacto telemóvel; bilhete de identidade ou cartão de cidadão e tamanho da roupa.

MONÇÃO APRESENTA "PERSONAGENS" DA ARTISTA TERESA RICCA

A Casa Museu de Monção, Unidade Cultural da Universidade do Minho procedem à inauguração da exposição intitulada "Personagens" da artista Teresa Ricca, no próximo dia de Maio (sábado), pelas 16h00, nas instalações da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho, sitas na vila de Monção.

Na exposição "Personagens" apresentam-se cerca de quatro dezenas de trabalhos onde se cruzam livremente as inspirações das máscaras, sem distinção de origem ou de época, com as cores alegres e vibrantes do Minho.

Este projeto é o resultado duma procura técnica e formal iniciada há cerca de sete anos. Uma oportunidade de “visitar” os caretos transmontanos, deu a Teresa Ricca a ideia de realizar um trabalho de pesquisa que se alargou às máscaras de todo o mundo e de todas as épocas, e que foi o mote para esta exposição.

"PERSONAGENS" (que se escondem por muito se mostrarem).

Esta exposição estará patente ao público até 7 de Junho.

HORÁRIO DA EXPOSIÇÃO:

Terça a Sexta-feira - das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

Sábados - das 14h00 às 18h00

Domingos e Segundas: encerrada

convite MONÇÃO 6 COM LOGOS1.jpg

ANTIGO EDIFÍCIO DA PIDE RECEBE SEDE DA EUROCIDADE MONÇÃO – SALVATERRA DE MIÑO

A sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño vai ser inaugurada esta segunda-feira, 1 DE MAIO, FERIADO NACIONAL, PELAS 16H00 (HP), NO PARQUE DA LODEIRA, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e o Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

Cartaz.png

A nova estrutura ficará instalada no antigo edifício da PIDE após obras de requalificação/adaptação daquele espaço. Símbolo de opressão e repressão durante o Estado Novo, imóvel assumir-se-á, a partir de agora, como ponto de partida para o reforço de atividades conjuntas entre as duas localidades vizinhas unidas pelo Rio Minho.

Após a cerimónia oficial, segue-se o descerramento de placa e visita às instalações. Pelas 17h00, tem lugar a abertura da sede da Associação ATEARAIA – Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental, no edifício da antiga guarda-fiscal, também ele objeto de recuperação.

Neste local, proceder-se-á à inauguração da exposição de fotografia “Portugal Subaquático”, da autoria de Luis Quinta, produzido pela CMIA de Viana do Castelo. O programa termina com um convívio popular, estando previstas atuações do grupo “Os Magníficos”, de Monção, e o “Grupo de Gaitas”, de Salvaterra de Miño.

Processo iniciado no 20º aniversário da ponte internacional

A abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño é mais uma etapa de um processo iniciado com a celebração do 20º aniversário da ponte internacional entre as duas localidades raianas, no dia 29 de março de 2015, onde ambos os municípios assinaram um protocolo de geminação e procederam ao descerramento de uma placa com denominação da ponte “João Verde/Amador Saavedra”

Este documento representou um passo definitivo para a concretização da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, cujo acordo de princípios foi assinado no dia 13 de dezembro desse ano, no Cine Teatro João Verde, entre os dois municípios ribeirinhos e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia – Norte de Portugal (AECT-GNP).

Naquele acordo, que formalizou a constituição da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, foram contempladas as principais áreas de interesse comum, destacando-se a dinamização do rio Minho, a potenciação conjunta da enologia e gastronomia local, a promoção e desenvolvimento do turismo através da divulgação do património natural e construído, e a valorização/criação de rotas turísticas e percursos pedestres.

Aquele documento privilegia também o empreendedorismo transfronteiriço, o intercâmbio desportivo, cultural e educativo, bem como a partilha de equipamentos coletivos, como piscina, biblioteca e museus, de forma a garantir escala e rentabilização económica. Outra das vertentes deste “casamento” será o recurso a programas comunitários transfronteiriços.

INAUGURAÇÃO DA SEDE DA BANDA MUSICAL DE MONÇÃO

(Discurso do Presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues)

DSC_0160 (Large).JPG

Sr. Ministro da Educação, Dr. Tiago Brandão Rodrigues

Em seu nome saúdo todas as autoridades presentes. Nem imagina a alegria que os monçanenses sentem pela sua presença. É uma honra de, nestes quase quatro anos de mandato, ser a primeira vez que um ministro da nação visita este cantinho do Portugal profundo. Obrigado.

Hoje inauguramos a requalificação da antiga estação ferroviária de Monção. Edifício que pertence à identidade monçanense, fazendo parte do nosso imaginário coletivo. Um espaço com muito para contar. Centenas de histórias felizes. Centenas de momentos dramáticos.

Esta estação, agora reconvertida à cultura, sinalizava o fim da linha do Minho e o princípio da vivência na diáspora. Do trajeto de vidas “desarranjadas” à procura do devido arranjo. Da rota dos “carneiros” na transumância de melhores pastagens. Refiro-me metaforicamente às pessoas na incessante procura de melhores condições de vida que o totalitarismo, na altura, nada lhes permitia.

Lembro-me, como tantos monçanenses, do constante vai e vem de caixeiros -viajantes que traziam sempre novidades. Da partida e chegada dos estudantes que procuravam destinos académicos inexistentes em Monção. Da gente empoleirada no comboio com destino à Festa da Senhora da Cabeça.

Da espera ansiosa pela bola, o jornal, que chegava ao final da tarde. Dos recoveiros a aconselhar este ou aquele restaurante aos viajantes. Do embarque, para poucos, de um mês de férias em Vila Praia de Âncora. Dos tropas em direcção a uma guerra que não era a sua. Deixavam lágrimas e dor e a incerteza se algum dia regressariam.

Felizmente, o 25 de abril deu-nos outras possibilidades, outras oportunidades. Trouxe-nos a democracia e uma nova forma de olhar para o mundo. Abriu-nos uma janela que queremos manter escancarada para sentir a brisa da liberdade, da partilha e da tolerância. Bem hajam todos que fizeram o 25 de abril e aqueles que consolidaram os seus valores.

Este edifício foi inaugurado em 1915, tendo sido desativado em 1989. A linha até Valença foi transformada em Ecopista do Rio Minho, assumindo-se, desde então, como um espaço promotor e incentivador da prática desportiva. Tratou-se do primeiro corredor ecológico a aproveitar antigas linhas férreas, abrindo ao público em 2004.

A recuperação deste edifício traduz-se na etapa mais marcante da regeneração urbanística de toda a área envolvente. Processo visível na demolição dos imóveis da Travessa da Cova do Cão e no acesso ao Rosal. O futuro desta zona emblemática à entrada do centro histórico já começou faz tempo e terá continuidade com novas intervenções.

O esforço financeiro decorrente da requalificação vai servir para cumprir uma promessa antiga: dar uma sede condigna a uma instituição bicentenária – A Banda Musical de Monção. A referência à sua ancestralidade não é retórica politica. Pelo contrário, é a mais pura das verdades.

O registo mais antigo remonta a 1792. À época chamada Banda de Música da Vila. Supõe-se, contudo, que a sua existência seja anterior. Em 1918, passou a designar-se Banda dos Bombeiros Voluntários de Monção. Em 1933, o município outorgou-lhe o título honorífico de Banda Musical de Monção. Em 1980, entregou-lhe a medalha de ouro por mais de século e meio ao serviço da cultura.

Gerações de músicos levaram a excelência artística de Monção aos quatro cantos do mundo. Em algumas ocasiões com a minha presença. Jamais esquecerei o prémio alcançado no Concurso Internacional de Bandas de Música de Valência. Apeteceu-me gritar para afirmar que era monçanense. O decoro e o protocolo impediram-me.

Senhor presidente da direcção, aqui tem a chave merecida. Entrego-lha em nome de todos os músicos, maestros e directores, do passado, do presente e do futuro. Não esquecendo outros maestros importantes, como Miguel de Oliveira, perdoem-me a excecionalidade de referir o maestro do presente, José Vicente Simeó. Obrigado maestro por tudo o que tem feito na procura da excelência artística desta instituição.

Nesta requalificação investiram-se cerca de 350 mil euros suportados em 85% pelo “Norte – 04 – 2316 Feder 00030”. Muita gente esteve envolvida nesta concretização. Logo à partida a vereadora das obras e Urbanismo, Conceição soares, os arquitetos Pedro Dinis e José Eduardo, a engenheira Isabel Nascimento, o arquitecto Paulo Gomes, a construtora Limabuild e as empresas Guialmi e Mário Pinto.

Obrigado a todos pela concretização desta bela e funcional recuperação. Sinto uma grande felicidade. Por ter cumprido uma promessa e por ter garantido o futuro da banda. Esta obra é um orgulho para todos os monçanenses. Estamos de parabéns. É uma honra enorme ser presidente desta terra. É uma honra enorme ser vosso presidente.

Viva a Banda Musical de Monção

Viva Monção e os monçanenses  

DSC_0112 (Large).JPG

DSC_0113 (Large).JPG

DSC_0136 (Large).JPG

DSC_0143 (Large).JPG

DSC_0144 (Large).JPG

DSC_0146 (Large).JPG

DSC_0164 (Large).JPG

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MONÇÃO APRESENTA ESPETÁCULO DE TEATRO PARA ALUNOS DO PRÉ-ESCOLAR E FAMILIAS

Numa produção da “Comédias do Minho”, com encenação de Graeme Pulleyn e interpretação de Sofia Moura, a Biblioteca Municipal de Monção recebe este SÁBADO, 29 DE ABRIL, PELAS 15h00, o espetáculo de teatro “Noite”.

17632422_1471262039590501_6691207367967324332_o.jpg

Destinando-se a alunos do ensino pré-escolar e famílias, a entrada é gratuita, encontrando-se limitada à lotação do espaço. Engloba ainda uma oficina de trabalho implementada pela rede de colaboradores locais.

“Noite” é uma viagem, algures entre a realidade e o sonho, durante a qual Perséfone vai conhecendo as criaturas e as personagens da noite. Munida apenas com coragem e curiosidade, a menina heroína embarca numa aventura emocionante à descoberta dos segredos da noite.

Venham todos. Vão começar a dormir melhor...

ANTIGO EDIFÍCIO DA PIDE RECEBE SEDE DA EUROCIDADE MONÇÃO – SALVATERRA DE MIÑO

A sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño vai ser inaugurada esta segunda-feira, 1 DE MAIO, FERIADO NACIONAL, PELAS 16H00, NO PARQUE DAS CALDAS, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e o Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

Sede Eurocidade (1).JPG

A nova estrutura ficará instalada no antigo edifício da PIDE após obras de requalificação/adaptação daquele espaço. Símbolo de opressão e repressão durante o Estado Novo, imóvel assumir-se-á, a partir de agora, como ponto de partida para o reforço de atividades conjuntas entre as duas localidades vizinhas unidas pelo Rio Minho.

Após a cerimónia oficial, segue-se o descerramento de placa e visita às instalações. Pelas 17h00, tem lugar a abertura da sede da Associação ATEARAIA – Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental, no edifício da antiga guarda-fiscal, também ele objeto de recuperação.

Neste local, proceder-se-á à inauguração da exposição de fotografia “Portugal Subaquático”, da autoria de Luis Quinta, produzido pela CMIA de Viana do Castelo. O programa termina com um convívio popular, estando previstas atuações do grupo “Os Magníficos”, de Monção, e o “Grupo de Gaitas”, de Salvaterra de Miño.

Processo iniciado no 20º aniversário da ponte internacional

A abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño é mais uma etapa de um processo iniciado com a celebração do 20º aniversário da ponte internacional entre as duas localidades raianas, no dia 28 de março de 2015, onde ambos os municípios assinaram um protocolo de geminação e procederam ao descerramento de uma placa com denominação da ponte “João Verde/Amador Saavedra”

Este documento representou um passo definitivo para a concretização da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, cujo acordo de princípios foi assinado no dia 13 de dezembro desse ano, no Cine Teatro João Verde, entre os dois municípios ribeirinhos e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia – Norte de Portugal (AECT-GNP).

Naquele acordo, que formalizou a constituição da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, foram contempladas as principais áreas de interesse comum, destacando-se a dinamização do rio Minho, a potenciação conjunta da enologia e gastronomia local, a promoção e desenvolvimento do turismo através da divulgação do património natural e construído, e a valorização/criação de rotas turísticas e percursos pedestres.

Aquele documento privilegia também o empreendedorismo transfronteiriço, o intercâmbio desportivo, cultural e educativo, bem como a partilha de equipamentos coletivos, como piscina, biblioteca e museus, de forma a garantir escala e rentabilização económica. Outra das vertentes deste “casamento” será o recurso a programas comunitários transfronteiriços.

MONÇÃO INAUGURA SEDE PAROQUIAL DE TRUTE

A inauguração da Sede Paroquial de Trute teve lugar este domingo, 23 de abril, pelas 11h00, após a celebração da missa dominical. Com a bênção do padre Nélson Barros, pároco da freguesia, a cerimónia contou com a presença de muitos populares de Trute e freguesias vizinhas. 

DSC_0169 (Large).JPG

Além da sala mortuária, aquela estrutura social e cívica, situada junto à igreja e cemitério da freguesia, disponibiliza sala de apoio à atividade regular da paróquia e serviços sanitários. Servirá ainda como espaço de ensaio do grupo coral da freguesia.

Lembrando que a construção da sede paroquial é uma ideia antiga que ganhou forma nos últimos anos, o presidente da junta, Agostinho Fernandes, focou a importância desta estrutura para a comissão fabriqueira da igreja e para o grupo coral da freguesia, referindo que o trabalho efetuado até agora terá continuidade num local com melhores condições.

DSC_0204 (Large).JPG

Agostinho Fernandes traçou as vicissitudes do processo de construção, com alguns contratempos devidamente ultrapassados, e agradeceu a Maximino Ferreira pelo pontapé de saída e a José Emílio Moreira e Augusto de Oliveira Domingues por terem dado continuidade ao projeto através da imprescindível comparticipação financeira.

Após enaltecer o papel de Maximino Ferreira e Agostinho Fernandes no desenvolvimento deste projeto, Augusto de Oliveira Domingues referiu que o apoio presente do atual executivo municipal para a recuperação do património religioso é algo que vai continuar no futuro.

“Há quem pense e diga que não devemos investir no património religioso. Eu não penso assim. A requalificação desses espaços é importante porque, apesar de serem propriedade da igreja, são utilizados por muitas pessoas” afirmou Augusto de Oliveira Domingues, prometendo “continuar a investir em adros, altares e telhados para que estes espaços de fé e devoção tenham as melhores condições”.

DSC_0163 (Large).JPG

O autarca monçanense, que recentemente visitou a freguesia no âmbito do périplo pelo concelho, elogiou o trabalho de Agostinho Fernandes que, nestes anos, tem conseguido aliar a requalificação e limpeza da rede viária com a construção de estruturas importantes para a freguesia e a criação de postos de trabalho.

Por isso, Augusto de Oliveira Domingues pediu-lhe que continue a fazer de Trute uma terra em desenvolvimento: “ Não me quero ver livre de si. Desafio-o a ficar mais tempo para prosseguir o trabalho extraordinário que tem feito com a sua equipa. Penso que a freguesia tem muito a ganhar com a sua experiência e capacidade”.

Com acesso direto ao exterior da Igreja, a Sede Paroquial de Trute reveste-se de grande importância para a população da freguesia, contribuindo para a criação de uma área de vocação religiosa constituída por igreja, cemitério e sala mortuária. A oliveira à entrada e os acessos em calçada à portuguesa conferem-lhe uma imagem de sobriedade e elegância. 

DSC_0153 (Large) (2).JPG

MONÇÃO: MERUFE DISPONIBILIZA MAIS DE 170 SERVIÇOS NUM ÚNICO ESPAÇO

O Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nunes Santos, presidiu, no passado sábado, à inauguração do Espaço do Cidadão de Merufe. Um dia de grande alegria e orgulho para a população local. Pela abertura daquele espaço com mais de 170 serviços num único balcão. Mas também pela celebração do 43º aniversário do Grupo Folclórico das Lavradeiras de S. Pedro de Merufe. 

DSC_0040 (Large) (1).JPG

Cumpridas as formalidades do descerramento da lápide e da visita às instalações, seguiram-se os discursos oficiais. Muitas pessoas sentadas e de pé num salão nobre com uma panorâmica fantástica sobre vários lugares da freguesia e as ventoinhas que se vislumbram no horizonte. Ali ao lado, o imponente mosteiro.

O autarca local, Márcio Alves, considerou o espaço do cidadão como um ganho importante para a freguesia e uma mais-valia para a população que, em tempo célere e sem necessidade de deslocações, terá a oportunidade de resolver diversos assuntos da administração pública.

Lembrou os contornos do processo e sublinhou a ajuda preciosa do deputado na Assembleia da República, José Manuel Carpinteira, e do vereador da autarquia monçanense, Paulo Esteves. Sublinhou: “Foram duas pessoas que estiveram comigo nesta conquista para a freguesia. Estou-lhes grato pelo esforço. Peço-vos uma salva de palmas”.

Focando-se na necessidade em fixar as pessoas na freguesia, Márcio Alves abordou aquilo que tem sido feito para a concretização daquele objetivo, referindo a Cooperativa de Volantes do Mosteiro, que emprega duas dezenas de pessoas, o loteamento para sete habitações a baixo custo e um projeto turístico, em fase embrionária, que será objeto de candidatura a verbas do fundo de turismo.

Mencionou também a medida de incentivo à natalidade, com 50,00 € mês a cada criança até aos 2 anos, e o apoio aos alunos do ensino básico, através da entrega gratuita de livros escolares até ao 5º ano. “E se o governo, como parece, garantir esse apoio, nós vamos mais longe, continuando até ao 9º ano” acrescentou.

Conhecedor da importância que representa a floresta e a agricultura para a freguesia, o autarca alertou o governante presente para a necessidade de valorização do sector agrícola com disponibilização de instrumentos financeiros para abertura de acessos aos campos, complementando os apoios existentes para os regadios.

Fixação de pessoas e autonomia às juntas

O desafio de fixação das pessoas no mundo rural também esteve evidenciado no discurso do autarca monçanense. Socorrendo-se das estatísticas, Augusto de Oliveira Domingues, confirmou que a população no concelho está a diminuir, lembrando, no entanto, que a curva descendente é menos acentuada que em outros concelhos da região.

Deu nota da importância em manter as pessoas nas freguesias, referindo que o actual executivo desenvolve uma política descentralizadora que tem permitido a instalação de empresas e serviços nas freguesias, incrementando a empregabilidade no meio rural e, por acréscimo, a permanência da população no local de origem.

A par disso, acrescentou, garante autonomia aos presidentes de junta para escolherem a melhor estratégia de desenvolvimento: “todos os meses, transferimos uma verba para cada junta, segundo critérios de igualdade, população e território, para que os responsáveis locais possam investir. Penso que é a melhor opção porque tem está no terreno decide com maior conhecimento e eficácia”.

Abordando o novo espaço localizado na sede da junta de freguesia, Augusto de Oliveira Domingues realçou o facto de ficar localizado no meio rural e enalteceu as virtualidades deste “balcão único” para a população local que encontra aqui uma gama variada de serviços da administração pública.

“São quase duzentos serviços num espaço único. As vantagens são enormes e reflectem uma aposta muito clara deste governo, desta câmara e desta junta de freguesia nas pessoas que residem longe dos centros urbanos” sustentou Augusto de Oliveira Domingues, ciente da “valiosa importância desta estrutura no quotidiano das pessoas”.

“Tudo o que o governo faz tem em conta o respeito pelas pessoas”

O Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nunes Santos, denotava um semblante de satisfação. Talvez pelo acolhimento de quem sabe receber. Ou dos rostos radiantes de quem estava na plateia. E quando chegou a sua vez de discursar, as palavras saíram-lhe com a naturalidade de quem está entre amigos.

Falou do espaço do cidadão como algo precioso e fundamental para as populações que residem em locais distantes das sedes do concelho ou dos grandes centros urbanos. Revelou que outros serviços virão para engrossar a lista já existente. Esclareceu que não está ali para traçar cenários cor-de-rosa mas para assegurar melhor qualidade às pessoas.

À semelhança de outras medidas promovidas pelo governo, Pedro Nunes Santos referiu que a criação dos espaços do cidadão visa “uma maior aproximação das comunidades locais aos serviços públicos”, cuja génese assenta “no respeito e apreço que todos os portugueses merecem”. Sintetizou: “O que o governo faz, à velocidade que pode, tem sempre em conta o respeito pelas pessoas”.

O espaço do cidadão é um ponto de atendimento que reúne mais de 170 serviços de diferentes entidades num único balcão. Entre outras questões, as pessoas podem tratar da carta de condução, caderneta predial, assuntos relacionados com emprego e formação profissional, e solicitação do cartão europeu de seguro de doença.

Antes da cerimónia oficial, Pedro Nunes Santos visitou a cooperativa de volantes do Mosteiro, onde teve a oportunidade de tomar contacto com as diferentes etapas de produção de um volante. Depois do ato solene, não deixou de dar um pé de baile no “bira” geral do Grupo Folclórico das Lavradeiras de S. Pedro de Merufe. Passou com distinção. 

DSC_0049 (Large) (1).JPG

DSC_0069 (Large) (1).JPG

DSC_0075 (Large).JPG

DSC_0090 (Large).JPG

DSC_0115 (Large) (1).JPG

DSC_0122 (Large) (1).JPG

MONÇÃO: BÊNÇÃO DA SEDE PAROQUIAL DE TRUTE REALIZA-SE NO PRÓXIMO DOMINGO

A bênção da Sede Paroquial de Trute realiza-se este domingo, 23 de abril, pelas 11h00. Além da casa mortuária, aquela estrutura social e cívica, situada junto à igreja e cemitério da freguesia, disponibiliza espaços de apoio à atividade regular da paróquia.

DSCF6685 (Large).JPG

Com acesso direto ao exterior da Igreja, a Sede Paroquial de Trute, equipamento apoiado pela autarquia monçanense, reveste-se de grande importância para a população da freguesia, contribuindo para a criação de uma área de vocação religiosa constituída por igreja, cemitério e casa mortuária.

No âmbito do périplo pelo concelho, o presidente da autarquia monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, visitou, em novembro, as obras da nova estrutura. Na ocasião, Agostinho Fernandes, autarca local, mostrou-se satisfeito com a valorização daquela zona. Disse: “Estes espaços, que dizem muito à população local, ficam juntos e com ótimas condições”.

- Registos fotográficos referem-se à visita de trabalho do Presidente da autarquia, Augusto de Oliveira Domingues, à freguesia de Tangil no mês de novembro do ano passado.

DSCF6690 (Large).JPG

DSCF6700 (Large).JPG

MINI AGENTES DE MONÇÃO SENSIBILIZAM AUTOMOBILISTAS PARA PREVENÇÃO DE MAUS TRATOS NA INFÂNCIA E JUVENTUDE

No âmbito da programação local do Mês da Prevenção de Maus Tratos na Infância e Juventude, realizou-se esta manhã uma operação stop, denominada “Brigada de Direitos”, onde dois grupos de crianças, seis em cada um, alertaram os automobilistas para a problemática.

DSC_0081 (Large).JPG

Devidamente fardados, as crianças do 4º ano do Centro Escolar José Pinheiro Gonçalves e do 5º ano da EB 2.3 de Monção entregaram aos automobilistas um flyer alusivo à temática e um laço azul, símbolo da campanha de prevenção, para colocarem na antena ou no interior da viatura.

Esta ação, promovida pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção com a colaboração da GNR e do Agrupamento de Escolas de Monção, teve lugar nas Portas do Sol, à entrada do Campo da Feira, e na Estrada dos Arcos, à entrada do Centro de Saúde de Monção.

No primeiro momento, os automobilistas estranharam a presença dos mini-agentes e a indicação, dada pelos elementos da GNR presentes, para pararem a viatura. No segundo momento, entranharam a mensagem transmitida pelas crianças, mostrando-se recetivos e agradados com a iniciativa.   

Inserida na programação, realiza-se hoje à noite, pelas 21h00, a primeira sessão das “Conversas em Família”. Com a participação da pedopsiquiatra Rute Teiga, será abordada “A pressão para o sucesso escolar. Como lidar com a ansiedade dos filhos”. O encontro, com entrada livre, decorre na Biblioteca Municipal de Monção.

DSC_0063 (Large).JPG

DSC_0065 (Large) (1).JPG

DSC_0069 (Large).JPG

DSC_0070 (Large).JPG

MONÇÃO INAUGURA ESPAÇO DO CIDADÃO EM MERUFE

Cerimónia conta com a presença do Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nunes Santos.

Merufe vai ter um espaço do cidadão. Localizado na sede da junta de freguesia, será inaugurado este sábado, 22 de abril, pelas 16h00, numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nunes Santos.

bannerespacocidadao.png

O espaço do cidadão funciona como um balcão único de atendimento, onde é possível resolver diversos assuntos relacionadas com a administração pública através da Internet. Em síntese, concentra num só espaço vários serviços relevantes para o dia-a-dia das pessoas.

Entre outras possibilidades, o espaço do cidadão vai permitir o requerimento de pensão de sobrevivência ou subsídio de funeral, renovação da carta de condução, certidões de nascimento e óbito e marcação de consultas no centro de saúde.

“DAR A MÃO AO PÃO” É A DIVISA DE MONÇÃO

No âmbito do projeto “Monção nas Mãos – Turismo Criativo”, decorre este domingo, 23 de abril, pelas 15h00, a oficina de trabalho “Dar a mão ao pão”, onde o Chef Rui Ribeiro oferece a possibilidade de descobrir alguns dos segredos da confeção do pão. Os participantes, em número limitado, irão amassar o pão e provar o fruto da sua própria experiência.

Dar a Mão ao Pão (1).jpg

O projeto “Monção nas Mãos – Turismo Criativo”, coordenado por Nélson Azevedo, pretende contribuir para que se recuperem alguns dos saberes ancestrais deste território através da experiência de vários parceiros envolvidos neste conceito abrangente e estruturante que visa valorizar o presente e futuro com os ensinamentos do passado.

O projeto reserva experiências em áreas da vida rural como a moagem de farinha, a confeção do pão, a tosquia de ovelhas ou a construção de instrumentos tradicionais. Focaliza-se também na recriação artística desses sabores e saberes com recurso à fotografia, desenho e escultura.

MONÇÃO ACOLHE CONCERTO INTIMISTA DE DAILY MISCONCEPTIONS

Com produção da Bulletseed e promoção do Município de Monção, a sala de exposições do Cine Teatro João Verde recebe esta sexta-feira, 21 de abril, pelas 21h30, mais um concerto intimista inserido no ciclo de música “Cicl-one”: Daily Misconceptions. A entrada é gratuita, encontrando-se sujeita aos lugares disponíveis.

daily.jpg

O universo de Daily Misconceptions (João Santos e Sara Esteves) é, como o universo em que vivemos, um organismo em constante expansão. Imaginado e criado num quarto de Lisboa há quase uma década, foi lentamente deixando o conforto caseiro para crescer, questionar, conhecer e, acima de tudo, criar um entusiasmo difícil de encontrar.

No âmbito do “Cicl-one”, que trouxe a Monção O Manipulador (janeiro), Gobi Bear (fevereiro) e Coelho Radioactivo (março), realiza-se, no mesmo dia, um workshop com alunos do ensino secundário, onde o artista dá a conhecer o seu percurso musical e suscita nos jovens apetência pelo cultura musical.

ARQUIVO DISTRITAL DE BRAGA INAUGURA NOVAS INSTALAÇÕES

No próximo dia 28 de abril, sexta-feira, pelas 11h00 serão inauguradas as novas instalações do Arquivo Distrital de Braga/Universidade do Minho, na Rua do Abade da Loureira, em Braga.

No mesmo dia, pelas 14h30, a Universidade do Minho, através das suas Unidades Culturais – Arquivo Distrital de Braga e Casa Museu de Monção, em colaboração com o Departamento de História realizará, no Salão Nobre da Universidade do Minho, no largo do Paço, as Conferências Entre a História e os Arquivos.

Estas Conferências serão uma homenagem da Universidade do Minho ao Prof. Doutor José Marques, figura notável da cultura e historiografia portuguesa com um papel destacado no estudo e valorização dos fundos arquivísticos do Arquivo Distrital de Braga.

A cerimónia será presidida por Sua Excelência o Ministro da Cultura.

arqubragnnn.png

ROTUNDA EMBELEZADA COM MOTIVO ALUSIVO À UNIÃO ENTRE MONÇÃO E SALVATERRA DE MIÑO

A rotunda da Avenida da Galiza, junto ao Rio Park, está a ser embelezada com um motivo alusivo à Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, perpetuando, desta forma, a cooperação territorial, cultural, desportiva e social entre os dois municípios ribeirinhos unidos pelo rio Minho.

monnnn (3).JPG

Tratando-se de uma zona de grande sensibilidade paisagística e funcional devido à função que desempenha na organização do movimento automóvel, a estrutura em execução pretende assumir-se como um elemento identificativo da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, enquadrando-se na funcionalidade original da rotunda.

Na conceção, foi pensada uma imagem em semicírculo, virada a Salvaterra de Miño, acolhendo quem vem da ponte internacional, revestindo o volume com pastilha cerâmica vidrada em cor azul, encimada por uma peça em aço corten com iluminação embutida.

monnnn (1).jpg

monnnn (2).JPG

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2016 MOSTRA EQUILIBRIO FINANCEIRO E CONFIANÇA NO FUTURO EM MONÇÃO

Mantendo-se o período de austeridade e contenção financeira, motivado por um conjunto de medidas restritivas a nível nacional e atrasos na canalização dos fundos comunitários, o Executivo Municipal de Monção aprovou, por maioria, a prestação de contas de 2016.

Paços do Concelho 02 (Large).JPG

O documento, analisado e votado em sessão camarária realizada ontem à tarde, foi aprovado com três votos a favor do PS e quatro abstenções, três do PSD e uma do CDS, sendo agora objeto de apreciação e votação em sessão da Assembleia Municipal do dia 25 de abril.

No exercício de 2016 assistiu-se a uma maior contenção na despesa e à diminuição da receita corrente devido, em grande parte, ao menor desempenho do IMI em virtude da opção de município em manter a taxa no limite mínimo com bonificações para quem tem filhos, favorecendo as famílias monçanenses em detrimento dos cofres municipais.

A receita de capital, onde se incluem os fundos comunitários, também decresceu, situação que vem acontecendo nos últimos anos. Exemplo: em 2016, foi arrecadado 1.212.828,46 € contrariamente a 2011, cujo montante situou-se em 8.751.258,92 €. Uma diferença abismal com reflexos no investimento que, registe-se, tem avançado graças à poupança corrente.

0s encargos com o pessoal, cuja diminuição tem sido uma realidade com passagem de 306 trabalhadores em 2010 para 248 em 2016, mantêm-se estáveis relativamente ao último ano. Em termos financeiros, passou-se para um gasto de 4.807.202,20 € em 2010 para 4.347.551,35 € em 2016.

O lado positivo deste período de grande adversidade económica está na evolução do endividamento. Não tendo sido um ano bom em termos financeiros, o município conseguiu reduzir o seu endividamento de médio e longo prazo em 14,76 %, abatendo 1.014.802,01 € ao montante global do ano anterior.

Esta curva descendente tem sido uma constante na última década com acentuação pronunciada nos últimos anos. Exemplo: a 31 de dezembro de 2006, a divida estava em 14.064.342,94 €. A 31 de dezembro de 2016, o valor situa-se em 5.860.144,63 €. Em dez anos, assistiu-se a uma redução de 8.204.198,31 €. 

No curto prazo, onde se incluem dívidas a fornecedores e outros credores, os valores tem vindo a diminuir significativamente. No final do atual exercício, situou-se em 781.808,60 €. Um valor controlado que é praticamente a faturação do mês de dezembro. Lembramos que em 2011 a divida de curto prazo estava em 2.999.484,74 €.

O saldo de gerência no presente exercício é de 1.004.964,42. Importa ainda referir que, no atual mandato, não foi necessário recorrer a empréstimos bancários, o que reflete a aposta feita pelo executivo numa gestão criteriosa e no equilíbrio sustentável das contas públicas.

Neste exercício, destaque ainda para o apoio dado aos estabelecimentos de ensino, instituições sociais e centros paroquiais do concelho, bem como às 24 freguesias através da distribuição de verbas correntes e de capital e aumento da autonomia para a definição de projetos e obras.

Referência também para o considerável auxílio às famílias mais desfavorecidas economicamente (subsídios escolares, incentivos ao ensino superior, comparticipação nos medicamentos, apoio habitacional…) e às coletividades recreativas, culturais e desportivas pelo inestimável papel que prestam à comunidade.

“O equilíbrio e a sustentabilidade financeira, a diminuição da divida a médio e longo prazo e a redução de encargos com o pessoal, refletem a preocupação do município no desenvolvimento de uma gestão criteriosa e realista sem perder de vista o investimento em áreas estruturais para o território concelhio”.

ENVOLVENTE DA ANTIGA ESTAÇÃO DA CP: AUTARQUIA MONÇANENSE PROCEDE À DEMOLIÇÃO DO QUARTO IMÓVEL DEVOLUTO

Os serviços camarários deram início ontem, segunda-feira, aos trabalhos de demolição de um prédio urbano situado na Travessa da Cova do Cão, zona de proteção do Castelo de Monção, monumento nacional desde 1910. Trata-se do quarto imóvel adquirido e demolido pela autarquia no âmbito do projeto de requalificação urbanística daquela zona.

DSC_0004 (Large) (2).JPG

Após processo negocial, as intervenções arrancaram no terreno no dia 18 de janeiro do presente ano com a demolição de dois imóveis, propriedade da “Vianachandler, Abastecimento Alimentar Portuário, Lda”, seguindo-se, no dia 1 de fevereiro, a demolição do terceiro imóvel, propriedade dos herdeiros de Guilhermina Teixeira Ferreira.

Com a demolição do presente imóvel, cuja área bruta de construção é 230 metros quadrados e área total do terreno de 467 metros quadrados, sendo titular Maria Cândida Ventuzelo Gomes, aquela área fica disponível para o respetivo projeto de requalificação que abrangerá toda a envolvente da antiga estação da CP.

A demolição dos quatro imóveis, aos quais se acrescenta mais um junto ao muralhado no acesso à zona do rosal, representa um passo importante na requalificação daquele espaço amplo servido por vários estabelecimentos comerciais e serviços públicos, bem com um significativo fluxo de trânsito rodoviário.

Nesta estratégia de valorização daquela zona, presentemente uma das principais entradas no centro histórico de Monção, será inaugurada no dia 25 de abril, feriado nacional, a nova sede da Banda de Música de Monção que ficará instalada no antigo edifício da CP. 

DSC_0009 (Large).JPG

DSC_0011 (Large).JPG

MONÇÃO REQUALIFICA CEMITÉRIO MUNICIPAL

Os trabalhos de requalificação do Cemitério Municipal de Monção decorrem segundo a calendarização prevista, devendo estar concluídos a breve prazo. Neste momento, realiza-se a segunda fase da intervenção, incidindo na regularização de terreno e pavimentações junto às sepulturas.

DSC_0031 (Large).JPG

Numa primeira fase, a empreitada baseou-se no melhoramento do sistema das águas pluviais e na pavimentação dos arruamentos laterais que se encontravam em terra batida. Procedeu-se igualmente ao nivelamento dos arruamentos em relação à cota dos vários talhões.

A empreitada incluiu ainda na remoção dos buchos existentes, o qual dificultavam a acessibilidade a diversas sepulturas, e a colocação de tampas pré-fabricadas em betão nas sepulturas localizadas na área ampliada do cemitério, garantindo maior segurança a quem circula naquela zona.

Este investimento tem como objetivo ultrapassar diversas adversidades sentidas pela população no acesso às sepulturas. Em dias de chuva, os arruamentos laterais ficavam cobertos de água e lama, provocando pequenos aluimentos de terras e a cedência da base de fundação das sepulturas. Situação que será ultrapassada com a presente intervenção.

DSC_0032 (Large).JPG

DSC_0036 (Large).JPG

DSC_0039 (Large).JPG

PÁSCOA: CORDEIRO À MODA DE MONÇÃO NOS RESTAURANTES E LARES DO CONCELHO

Os monçanenses são maioritariamente religiosos e participam ativamente nas celebrações da Semana Santa, envolvendo-se nas eucaristias e procissões que acontecem um pouco por todo o concelho e abrindo as suas portas ao compasso pascal que leva a figura de Jesus Cristo ao aconchego familiar.

carneiromonº.jpg

Esta devoção, que se manifesta nos atos e nas palavras, é acompanhada pela paixão que os monçanenses “emprestam” à gastronomia com pergaminhos e tradição. Neste período religioso e festivo, poucos dispensam um dos pratos mais característicos do concelho: O Cordeiro à Moda de Monção, localmente conhecido como “Foda à Monção”.

Depois de banhado com vinagre, pimenta, alho e salsa bem picada, o cordeiro vai inteiro ao forno de lenha num alguidar de barro juntamente com o arroz, cuja calda é feita com água de cozer as carnes e algumas pitadas de açafrão. A confeção é demorada e minuciosa. O sabor, genuíno e único, revela-se agradável aos palatos mais exigentes.

O nome brejeiro ou artístico, digamos assim, como é conhecido o Cordeiro à Moda de Monção, reflete o caráter afável, folião e bem-disposto da população monçanense. E porquê “Foda à Monção?” A história é tão antiga que perde-se no tempo, não sendo possível datá-la com exatidão.

Assim, conta-se que:

“Os habitantes do burgo, que não possuíam rebanhos, dirigiam-se às feiras para comprar o animal. E, como em todas as feiras, havia de tudo, bons e maus. A verdade é que os produtores de gado, quando os levavam para a feira queriam vendê-los pelo melhor preço e, para que parecessem gordos, punham-lhes sal na forragem, o que os obrigava a beber muita água.

Na feira, apareciam com uma barriga cheia de água e pesados, parecendo realmente gordos. Os incautos que não sabiam da manha compravam aqueles autênticos “sacos de água” e, quando se apercebiam do logro, exclamavam à boa maneira do Minho: “que grande foda!”

O termo tanto se vulgarizou que o prato passou a designar-se localmente como “Foda à Monção”. De tal modo que é frequente, em alturas festivas com particular destaque para a quadra pascal, ouvir o povo exclamar em jeito brincalhão: “Ó Maria, já meteste a foda?”

CINE TEATRO JOÃO VERDE TRANSFORMADO EM JARDIM DIVINO COM INTENSO AROMA A CAMÉLIA

O significado de camélia é jardim fértil ou jardim divino. O seu aroma é intenso, agradável e encantador. A sua elegância e simplicidade inspirou poetas e escritores como Alexandre Dumas que, em 1848, publicou o conhecido romance “A Dama das Camélias”.

DSC_0058 (Large) (1).JPG

No último fim de semana, o Cine Teatro João Verde foi literalmente invadido por esta planta ornamental e decorativa com apresentação de trabalhos feitos por floristas e associações locais e galegas. Neste particular, destaque para a forte participação de pessoas de Salceda de Caselas.  

Os trabalhos expostos, disciplinarmente colocados nos corredores e na galeria de exposições daquela estrutura cultural, mostraram diferentes géneros de camélias com significado distinto. Exemplos: as brancas simbolizam beleza perfeita, as cor-de-rosa revelam grandeza de alma e as vermelhas sinal de reconhecimento. 

Os visitantes tiveram também a oportunidade de visualizar várias fotografias de camélias localizadas em espaços públicos e em casas particulares do nosso concelho. Umas com enquadramento aéreo. Outras com a criatividade inspiradora da camélia.

Na abertura da exposição, foram entregues diplomas e uma lembrança, feita pela APPACDM, delegação de Monção, a todos os participantes. A Vice-Presidente, Conceição Soares, sublinhou a importância deste evento como incentivo à promoção desta planta e agradeceu a presença e colaboração de todos nesta iniciativa. 

A Exposição de Camélias englobou ainda trabalhos de pintura de Joana Degues e de cerâmica artesanal de Patricia Oliveira que, na manhã de domingo, coordenou uma oficina de trabalho de desenho e técnicas de impressão sobre camélias com a presença de uma dezena de participantes.

Na noite de sábado, o Cine Teatro João Verde animou-se com a música tradicional do Grupo Popular “Os Teimosos” e as “Voces de Arrieiro”, agrupamento galego. Desta forma, à beleza natural juntou-se a criatividade artística num palco privilegiado de fruição cultural.

DSC_0078 (Large) (1).JPG

DSC_0080 (Large).JPG

DSC_0202 (Large).JPG

DSC_0206 (Large) (1).JPG

DSC_0232 (Large).JPG

DSC_0246 (Large).JPG

“MONÇÃO NAS MÃOS - TURISMO CRIATIVO”

Este projeto, coordenado por Nélson Azevedo, pretende contribuir para que se recuperem alguns dos saberes ancestrais deste território através da experiência de vários parceiros envolvidos neste conceito abrangente e estruturante que visa valorizar o presente e futuro com os ensinamentos do passado.

Monção nas Mãos.jpg

O projeto reserva experiências em áreas da vida rural como a moagem de farinha, a confeção do pão, a tosquia de ovelhas ou a construção de instrumentos tradicionais. Focaliza-se também na recriação artística desses sabores e saberes com recurso à fotografia, desenho e escultura.

Dia 23, domingo, 15h00

“DAR A MÃO AO PÃO”

Neste dia, “Monção nas Mãos – Turismo Criativo” oferece a possibilidade de descobrir alguns dos segredos da confeção do pão com o Chefe Rui Ribeiro, parceiro do projeto. Os participantes, em número limitado, irão amassar o pão e provar o fruto da sua própria experiência. Informações/Inscrições: moncaonasmaos@gmail.com

Dar a Mão ao Pão.jpg

EMPRESAS MONÇANENSES DISTINGUIDAS COM O ESTATUTO PME LIDER E PME EXCELÊNCIA 2016 RECEBEM VOTOS DE LOUVOR NO 25 DE ABRIL

As 15 empresas de Monção distinguidas com o estatuto de PME Líder e PME Excelência 2016, vão receber no dia 25 de abril, feriado nacional, pelas 16h00, no Cine Teatro João Verde, os votos de louvor aprovados na sessão ordinária do dia 20 de março por proposta do Presidente da Câmara Municipal de Monção.

PME Excelência .png

Na altura, Augusto de Oliveira Domingues agradeceu publicamente a notoriedade dada ao tecido empresarial local e o reforço que esta diferenciação positiva representa para a valorização da economia monçanense. Manifestou-se igualmente agradado com o facto de Monção ser o terceiro concelho do Alto Minho com maior número de PME Líder e o segundo com PME Excelência.

As empresas monçanenses reconhecidas com o estatuto de PME Líder 2016 foram: Adega Cooperativa Regional de Monção, CRL; Adriano Alves Rodrigues; Coca Hipermercados, Lda; Covas Transportes, Lda; Farmácia Vale do Mouro, Lda; Francisco Lourenço, Materiais de Construção e Decoração, Lda; Habimonção Construções, Lda; Heitor de Campos Amoedo, Lda; Impact Zero, Software Unipessoal, Lda; Irmãos Amorim, Lda; J. Oliveira & Domingues, Lda; Meireles & Sobrinhos, Lda; Roypasa, Lda; Sociedade Artística – Manufacturas Químicas e Metálicas, Lda: e Sociedade Transportes Floridos, Lda.

Deste universo, saíram as 6 PME Excelência 2016: Adega Cooperativa Regional de Monção, CRL; Farmácia Vale do Mouro, Lda; Francisco Lourenço, Materiais de Construção e Decoração, Lda; Impact Zero, Software Unipessoal, Lda; Irmãos Amorim, Lda; e Sociedade de Transportes Floridos, Lda.

Refira-se que o estatuto de PME Líder e PME Excelência é um selo de qualidade criado pelo IAPMEI como reconhecimento pelo desempenho económico-financeiro e pelo contributo dado à economia nacional, corporizando um instrumento de visibilidade acrescida para as empresas que se destacam pelos melhores resultados no meio empresarial.

MINISTRO DA EDUCAÇÃO INAUGURA SEDE DA BANDA MUSICAL DE MONÇÃO NO DIA DA LIBERDADE

A sede da Banda Musical de Monção, fruto da requalificação e adaptação do edifício da antiga estação da CP, vai ser inaugurada no dia 25 de abril, feriado nacional, pelas 18h00, numa cerimónia presidida pelo Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

sede (Large)mon.jpg

A presente inauguração, com valor de adjudicação de 322.656,00 € acrescida de imposto à taxa de 6%, é uma antiga aspiração da filarmónica monçanense e um compromisso eleitoral do atual executivo presidido por Augusto de Oliveira Domingues.

Nesse sentido, apresentou uma candidatura no âmbito da regeneração urbana, decidindo avançar com os trabalhos enquanto aguardava pela decisão governamental. A aprovação, cuja comparticipação comunitária é de 85 por cento, chegou em princípios de janeiro.  

Inserido numa área extensa com significativo movimento automóvel e pedonal, a sede da Banda Musical de Monção engloba um espaço para ensaios coletivos e salas individualizadas para a aprendizagem e aperfeiçoamento dos diferentes instrumentos.

Mantendo a traça arquitetónica original e a memória ferroviária de outrora, através de elementos identificativos e a cobertura nas traseiras, representa o ponto de partida de um projeto estruturante para a beneficiação daquele espaço situado à entrada do centro histórico da vila.

Presentemente, a filarmónica monçanense, cuja existência remonta a finais do seculo XVIII, ocupa o antigo quartel dos bombeiros voluntários de Monção, imóvel localizado no centro histórico disponibilizado pela autarquia local.

MONÇÃO: PIAS ASSINALA DOMINGO DE RAMOS COM REALIZAÇÃO DE PROCISSÃO COM MAIS DE 300 ANOS

A Função do Senhor dos Passos, procissão que se realiza na freguesia de Pias, em Monção, há mais de 300 anos, decorre na tarde do dia 9 de abril, domingo de ramos. Todos os anos, centenas de figurados e milhares de pessoas participam nesta cerimónia religiosa única no concelho.

Senhor dos Passos.jpg

A procissão, com início às 15h30, é precedida, na madrugada desse dia, pelo “andar dos passos”. Marcada para as 5h30, consiste numa caminhada penitencial pelas capelinhas, onde se reza uma oração apropriada e se cantam os Martírios até à Senhora do Encontro. A partir daqui, começa-se o cântico à Senhora das Dores.

Pelas 9h30, grandes e pequenos reúnem-se na Capela da Senhora do Encontro para benzer os ramos de palma e oliveira, De seguida, todos se encaminham para a Igreja Paroquial, onde terá lugar a missa. Neste dia, a igreja está ornamentada de escuro em sinal de luto.

Por volta das 15h30, com centenas de figurados prontos, iniciam-se as cerimónias na Igreja Paroquial. Após uma demorada pregação, o figurado começa o “desfile” pela igreja, enquanto o pregador explica o significado de cada uma das figuras na vida de Jesus Cristo.

De seguida, cantam-se os “Misereres” e sai a procissão que irá percorrer as capelinhas da Paixão de Cristo até à Lapa (Calvário). Além do figurado, integra a cruz do penitente, o andor e as bandeiras do Senhor dos Passos, senates e misericórdia (tôla), o pálio, as personalidades representativas da freguesia e do concelho, o grupo coral e a banda de música.

Um dos pontos mais emocionantes da procissão ocorre na Senhora do Encontro com dois momentos de acentuada carga religiosa: o beijo de Nossa Senhora a Jesus Cristo e o cântico de Verónica. A partir daqui, também segue em procissão o andor de Nossa Senhora do Encontro.

Quando a procissão chega à Lapa (Calvário) há um sermão final e ouve-se, de novo, o cântico da Verónica. Depois de um pequeno descanso, regressa-se. Em sinal de luto, as bandeiras já não vêm hasteadas e as pessoas cantam, invocando misericórdia ao senhor. Chegados à Igreja Paroquial, as crianças despem os vestidos, as velas das promessas apagam-se e o sino deixa de tocar. É o fim da procissão. 

MONÇÃO DÁ LUZ VERDE PARA REDE DE SANEAMENTO EM MESSEGÃES E ZONAS BAIXAS DE VALADARES E SÁ – 1ª FASE

Apresentada pela Câmara Municipal de Monção, a candidatura para instalação da rede de saneamento em Messegães e nas zonas baixas de Valadares e Sá, 1ª fase, acaba de ser aprovada no âmbito do POSEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos.

DSC_0004 (Large)monç.JPG

O investimento ilegível situa-se em 667.800,00 €, beneficiando de uma taxa de financiamento comunitária na ordem dos 85%. O objetivo geral incide na melhoria das condições de vida dos residentes nos locais abrangidos, bem como na proteção e valorização do meio ambiente.

Em linhas gerais, a presente intervenção na União de Freguesias de Messegães, Valadares e Sá consta da construção de seis redes de saneamento numa extensão ligeiramente superior a oito quilómetros, cinco condutas adutoras, cinco estações elevatórias e uma ETAR.

Em Messegães, os poços de bombagem e as respetivas redes de drenagem gravíticas serão localizados nos lugares de Pereiro, Vila e Cachada. A partir daqui, através de condutas elevatórias, os efluentes serão conduzidos para uma caixa de visita situada no local mais alto da rede de drenagem.

Chegados aqui, serão drenados para um poço de bombagem situado numa área intermédia entre Messegães e o lugar da Cova, em Valadares. Neste ponto, os efluentes serão conduzidos para a ETAR. Em Valadares, o poço de bombagem ficará situado no lugar da Portela enquanto os efluentes dos lugares de Albergaria e Bemposta serão conduzidos por gravidade para a ETAR.

A luz verde desta candidatura, muito ansiada pela autarquia monçanense, executivo local e população residente, surge no seguimento da aprovação de outras candidaturas apresentadas pelo município com o objetivo de elevar a qualidade de vida dos munícipes e potenciar a defesa do meio ambiente. 

Referência para o abastecimento de água ao domicílio na freguesia de Merufe, investimento que fecha o ciclo da água no concelho de Monção, constando da construção de infraestruturas como rede de distribuição, estações e condutas elevatórias e reservatório em Santo André.

Também para o saneamento básico em Mazedo, Cambeses, Longos Vales, Troviscoso e Troporiz. A intervenção consiste na construção de infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem de saneamento residual, estações e condutas elevatórias.

DSC_0012 (Large).JPG

DSC_0021 (Large)monç.JPG

MONÇÃO COMEMORA 25 DE ABRIL

O município de Monção celebra a passagem do 43º aniversário do 25 de abril com um programa simbólico que tem como finalidade comemorar esta importante data para todos os portugueses, reforçar os seus ideais junto das gerações mais novas e projetar um futuro sustentável e estruturante para todos os monçanenses.

Banner_Portal_570x150.png

O programa inicia-se pelas 10h00 com saudação da Banda Musical de Monção, no Largo da Alfândega, seguindo-se, no Cine Teatro João Verde, a sessão solene comemorativa do 25 de abril com distribuição de cravos à população presente e discursos oficiais alusivos à data. 

Após uma pausa de 15 minutos, realiza-se, com início às 11h00, a reunião ordinária da Assembleia Municipal de Monção com a discussão e votação dos pontos constantes na ordem de trabalhos.

Pelas 16h00, no Cine Teatro João Verde, decorre a cerimónia de entrega de votos de louvor às dezasseis empresas monçanenses distinguidas como PME Líder e PME Excelência, selo de qualidade criado pelo IAPMEI como reconhecimento pelo desempenho económico-financeiro e pelo contributo dado à economia nacional.

O programa comemorativo da “Revolução dos Cravos” termina com a inauguração da Casa da Música/Sede da Banda Musical de Monção no edifício da antiga estação da CP. A cerimónia, presidida pelo Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, realiza-se às 18h00.

cartaz25Abril_c (Large).png

MONÇÃO EXPÕE CAMÉLIAS NO CINE TEATRO JOÃO VERDE

Monção promete um fim-de-semana com intenso aroma a camélia. O Cine Teatro João Verde recebe uma exposição dedicada aquela planta complementada com apresentação de trabalhos de pintura e cerâmica artesanal, oficina de trabalho e momentos musicais.

cartaz camélias (1).png

Nestes dois dias, serão mostrados diversos trabalhos feitos com camélias e realçada a importância do cultivo desta planta. Além de floristas e viveiristas, estarão presentes associações locais e galegas. A abertura oficial, com a presença da vice-presidente da autarquia monçanense, Conceição Soares, está marcada para as 15h00.

Pelas 21h30, realiza-se um sarau musical com o Grupo Popular “Os Teimosos” e as “Voces de Arrieiro”, agrupamento galego. As entradas são gratuitas, contudo, é necessário fazer o respetivo levantamento do bilhete na Loja Interativa de Turismo, Praça Deu-la-Deu, T. 251 649 013.

No dia seguinte, domingo, decorre uma oficina de trabalho de desenho e técnicas de impressão sobre camélias, orientado pelo ateliê Flor Agreste. Destinada a maiores de 15 anos, realiza-se entre as 9h30 e as 12h30, com inscrições gratuitas para o seguinte correio eletrónico: agresteflor@gmail.com.

A exposição de camélias encerra às 20h00. Ao longo dos dois dias, na galeria do Cine Teatro João Verde, estão patentes ao público trabalhos de pintura, da autoria de Joana Degues, e de cerâmica artesanal, da autoria de Patricia Oliveira. Desta forma, a beleza natural junta-se à criatividade artística num palco privilegiado de fruição cultural

MONÇÃO PRESENTE NA FEIRA DE NANTERRE

O Município de Monção, representado pelo presidente da autarquia, Augusto de Oliveira Domingues, e pelo vereador das Atividades Socioculturais, Paulo Esteves, estará presente na Feira de Nanterre, arredores de Paris, que decorre este fim de semana, 7, 8 e 9 de abril. A abertura oficial realiza-se na sexta-feira, pelas 18h00, hora local.

Entre outros setores, a representação monçanense far-se-á notar com empresas ligadas à produção de vinho Alvarinho, fumeiros tradicionais, transportes e logística. A Comissão de Festas em Honra à Virgem das Dores também marca presença. O objetivo geral é divulgar o melhor do concelho de Monção junto da comunidade portuguesa e francófona.

Naquele certame, com organização da Associação Recreativa e Cultural de Originários de Portugal (ARCOP), o Grupo Roconorte, muito acarinhado pelos nossos emigrantes, voltará a animar o recinto. Além de Monção, estão representados mais 22 municípios portugueses.

Na habitual intervenção na abertura oficial do certame, Augusto de Oliveira Domingues, vai deixar a mensagem que “Monção é, cada vez mais, um concelho onde vale a pena viver, passar férias e investir”. Para os monçanenses, acrescenta, estão reservados abraços e beijos e um brinde pelo futuro da nossa terra.

nanterre (1).jpg

MUNICIPIO DE MONÇÃO APOIA REQUALIFICAÇÃO DO PATRIMÓNIO RELIGIOSO

Dando seguimento à valorização do património religioso no concelho, a Câmara Municipal de Monção acaba de apoiar a requalificação do adro da Igreja Paroquial de Tangil. O investimento, avaliado em 58.567,48 €, será suportado, em partes iguais, pela autarquia monçanense e Secretaria de Estado das Autarquias Locais.

DSC_0251 (Large).JPG

O respetivo protocolo de colaboração, presidido pelo Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, foi celebrado no passado dia 29 de março, quarta-feira, ao final da tarde, no Centro Cultural do Vale do Mouro. Antes decorreu uma visita ao local de intervenção, espaço exterior da Igreja Paroquial de Tangil.

Perante uma assistência numerosa, reveladora da importância local desta intervenção, o Padre Joel Rodrigues mostrou-se satisfeito com a presente requalificação. Referiu: “Agradeço ao povo de Tangil a generosidade manifestada nas obras da Paróquia e às pessoas com responsabilidades, que Deus colocou no nosso caminho, o apoio dado às nossas necessidades e aspirações”.  

Lembrando o apoio do município às 24 freguesias do concelho, que dispõem de 1,5 milhões de euros para investir no presente ano, Augusto de Oliveira Domingues centrou-se no apoio municipal dado à requalificação do património religioso, sustentando que este género de investimentos é fundamental para a recuperação urbanística e valorização turística das nossas aldeias.

“Quando fomos confrontados com a necessidade de apoiar este investimento em metade do seu valor, não hesitamos um minuto. Estamos cientes da relevância destas intervenções para as populações locais e, como tal, demos o nosso aval para a sua concretização” sublinhou.

No fecho da cerimónia, o Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, surpreendido por ver tanta gente na plateia, referiu que a beneficiação do adro da igreja apenas foi possível porque houve total disponibilidade da autarquia local para comparticipar metade do investimento.

“A parceria funcionou à primeira” confirmou Carlos Miguel, permitindo “valorizar um património propriedade da igreja que é utilizado por todas as pessoas e que identifica a freguesia”. Adiantou: “sendo convidado, terei todo o gosto em voltar a Tangil no dia da inauguração”.

O protocolo de colaboração foi assinado entre a Direção Geral das Autarquias Locais, representada por Alexandra Ramalhinho, a Comissão de Coordenação da Região Norte, representada por Ricardo Magalhães, e a Fábrica da Igreja Paroquial do Divino Salvador de Tangil, Padre Joel Rodrigues.

DSC_0262 (Large).JPG

DSC_0293 (Large).JPG

DSC_0303 (Large).JPG

DSC_0308 (Large).JPG

DSC_0318 (Large).JPG

LOURDES MAGALHÃES EXPÕE EM MONÇÃO

A Casa Museu de Monção da Universidade do Minho acolhe a partir do próximo dia 1 de abril, pelas 16 horas, a exposição Casa Museu de Monção da Universidade do Minho, da artista Lourdes Magalhães.

17553521_1310219065698259_5482343998340179133_n.jpg

«A obra de Maria de Lourdes desoculta (mas não desnuda) um imaginário íntimo, de formas voláteis e frágeis, que me lembra o sincelo pictórico de Matisse, a musicalidade de Chagall, a alegria de Klimt; e todos esses retalhos do seu imaginário estão ora imersos num espaço amniótico (os peixes) ora vicejam (frutos, seios, lábios) em terra úbere, sem espaço nem barreiras, onde interroga e contempla (pelos olhos de uma mulher comum) o fascinante e inacessível infinito (as estrelas) num desafio erótico e naif, amoroso e intáctil. E que dizer das suas obras de atelier? Não lembram a angústia sombria e dilacerante de Munch? E aquelas duas obras, que mais parecem o verso e o reverso de uma mesma mater dolorosa não exalam um cheiro de santidade e atemporalidade que dá vontade de morrer para ocupar esse lugar, e lembram Boticelli?! Mas tudo isto são palavras de um "fala-só", não guiam ninguém, antes são uma floresta de enganos; não se fiem, pois, delas….» por Norberto Ferreira da Cunha, Professor Catedrático Ap. da Universidade do Minho.

Esta exposição estará patente ao público até ao final do mês de abril.

HORÁRIO DA EXPOSIÇÃO:

Terça a Sexta Feira - das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

Sábados - das 14h00 às 18h00

Domingos e Segundas: encerrada

MONÇANENSES REALIZAM 1ª FEIRA DA FODA

Certame decorre nos dias 25 e 26 de março, em Pias, Monção. Além da degustação do cordeiro confecionado em alguidar de barro e levado ao forno de lenha juntamente com o arroz, conhecido localmente como “Foda à Monção”, programa compreende diversos motivos para uma visita. Prevista a inauguração dos Tanques do Encontro e do Forno Comunitário, bem como a primeira entronização da recém-constituída Confraria da Foda - Pias.

800x300_4.png

A Feira da Foda, primeira edição, realiza-se nos dias 25 e 26 de março, na freguesia de Pias, concelho de Monção. Além da degustação do cordeiro confecionado em alguidar de barro e levado ao forno de lenha juntamente com o arroz, conhecido localmente como “Foda à Monção”, o certame apresenta produtores de rês, maquinaria agrícola, tasquinhas tradicionais, artesanato regional, peça de teatro, espetáculo de dança e animação musical.

Com organização da Junta de Freguesia de Pias e a Confraria da Foda, a feira decorre no largo da sede de junta, tendo inicio às 8h00 com abertura do recinto e atuação do grupo de bombos de Pias. Segue-se, pelas 9h00, demonstração de tosquias (ESA – IPVC) e inauguração, pelas 10h45, dos Tanques do Encontro e do Forno Comunitário, momentos acompanhados pela Fanfarra Deu-la-Deu – S. Tiago de Pias.  

A abertura oficial está marcada para as 11h15, seguindo-se, durante o final da manhã, toda a tarde e início da noite, atuações de grupos populares e ranchos folclóricos. Referência para a apresentação da peça de teatro “A nossa foda” do Grupo de Teatro “Tuka-Tuka”, pelas 16h30, e para a atuação da Escola de Dança “All Styles”, pelas 17h30.

Apoiado pela Câmara Municipal de Monção e diversos patrocinadores, o certame torna-se mais jovem com o andar das horas. Depois da sessão de fogo- de-artifício, marcado para as 22h45, os corpos prometem agitar-se ao som do Grupo Roconorte, que sobe ao palco às 23h00, e do animador e DJ Steven Rod, pronto para “incendiar” o recinto a partir das 02h00.

No dia seguinte, domingo, a feira abre às 10h30 ao som do Grupo de Bombos “Bombolásticos”, continuando com muita animação de cariz popular. Pelas 16h00, a organização agradece em palco aos patrocinadores do evento. Uma hora mais tarde, realiza-se a primeira entronização da Confraria da Foda - Pias. A fechar, atuação do grupo “Sons do Minho”.

De acordo com a organização, a 1ª Feira da Foda é uma iniciativa gastronómica que se insere na promoção turística e cultural de Monção e na divulgação de produtos endógenos que promovem o rico, eclético e ancestral património do território concelhio.

A entidade promotora sustenta ainda que o certame é uma forma de impulsionar as atividades da nossa região, assim como o seu valor gastronómico, turístico e cultural. Por outro lado, contribui para a preservação e valorização de um prato típico oriundo do concelho: "Foda à Monção".

E porquê o nome “Foda a Monção”?

A confeção deste prato em alguidar levado ao forno de lenha não só recupera o saber dos nossos antepassados como lhe adiciona um pouco de arte, carinho e profissionalismo das atuais cozinheiras. O nome artístico, digamos assim, reflete bem o caráter afável e bem-disposto dos monçanenses. Reza a história que:

“Os habitantes do burgo, que não possuíam rebanhos, dirigiam-se às feiras para comprar o animal. E, como em todas as feiras, havia de tudo, bons e maus. A verdade é que os produtores de gado, quando os levavam para a feira queriam vendê-los pelo melhor preço e, para que parecessem gordos, punham-lhes sal na forragem, o que os obrigava a beber muita água.

desdobravel_foda17c.png

desdobravel_foda17c2.png

MONÇÃO: GOVERNO APROVA CANDIDATURA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA A MERUFE

O presente investimento consiste na construção de infraestruturas como rede de distribuição, estações e condutas elevatórias e reservatório em Santo André, chegando a aproximadamente 790 habitantes daquela freguesia do Vale do Mouro. Com esta empreitada, o concelho de Monção fica coberto em termos de abastecimento de água. Motivo de grande satisfação para Augusto de Oliveira Domingues que aponta novo objetivo: “Com o ciclo da água fechado, viramo-nos para o saneamento básico. Há trabalho feito mas muito ainda por fazer” adiantou.

Mosteiro de Merufe (Large).jpg

No âmbito do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), o governo português aprovou a candidatura de abastecimento de água à freguesia de Merufe apresentada pela Câmara Municipal de Monção. O investimento ilegível é de 944.546,67 €, sendo a taxa de comparticipação comunitária de 85%.

A presente operação consiste na construção de infraestruturas como rede de distribuição, estações e condutas elevatórias e novo reservatório em Santo André, abrangendo os lugares de Mosteiro, Palhares, Pica, Senra, Pretos, Salgueiro, Pias, Pereiras, Santo André, Azevedo, Campo Longo, Parada, Fundevila, Ribeiro, Carvalhas, Paço do Quinteiro e Real.

Os lugares abrangidos nesta candidatura correspondem à zona baixa de Merufe que ainda não se encontra servida pela rede de abastecimento de água ao domicílio, chegando a aproximadamente 790 habitantes daquela freguesia do Vale do Mouro através de duas redes de distribuição com reservatórios em Merim e Santo André.

O reservatório de Merim, já existente, vai abastecer as populações dos lugares de Mosteiro, Palhares, Pica, Senra, Pretos, Salgueiro, Pias e Pereiras numa extensão total de 14,199 metros, fornecendo água, através de condutas adutoras a construir, ao futuro reservatório de Santo André.

Este servirá diretamente os lugares de Santo André, Azevedo, Campo Longo, Parada, Fundevila, Ribeiro, Carvalhas, Paço do Quinteiro e Real ao longo de uma rede com a extensão de 18.380 metros. As condutas adutoras serão instaladas sob caminhos e estradas existentes, partilhando em grande parte do trajeto da mesma vala que as redes de distribuição.

“Uma obra fundamental para a elevação da qualidade de vida das populações dos lugares abrangidos” afirma o autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, satisfeito com o facto de “o concelho de Monção ficar coberto em termos de abastecimento de água ao domicílio”. “Fechamos o ciclo da água e agora o nosso objetivo vira-se para o saneamento básico. Há trabalho feito mas muito ainda por fazer” adiantou.

A propósito, refira-se que o governo português aprovou recentemente o financiamento das candidaturas apresentadas pela autarquia monçanense para o saneamento básico em Mazedo, Cambeses, Longos Vales, Troviscoso e Troporiz. O investimento consiste na construção de infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem de saneamento residual, estações e condutas elevatórias.

MONÇÃO RECOLHE E IDENTIFICA EQUINOS

Ação conjunta da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, GNR/SEPNA e Câmara Municipal de Monção resultou na captura de oito fêmeas. Esta operação, acompanhada pelo autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, surge no seguimento de várias queixas apresentadas pela população devido à destruição de culturas agrícolas e plantações de vinha provocadas pelos animais que “andam” à solta nos montes.

DSC_0030 (Large) (1).JPG

A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, a GNR/SEPNA (Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente), e a Câmara Municipal de Monção realizaram ontem, quinta-feira, uma ação conjunta de recolha e identificação de equinos que “andam” à solta nos montes.

Nesta ação, que decorreu nos limites das freguesias de Moreira e Trute, as equipas começaram por fazer uma exploração ao terreno e escolher os melhores locais para se proceder à sua captura. Depois da primeira avaliação, foram estabelecidos perímetros de intervenção e colocadas grades nos locais previamente definidos.

Deste trabalho coletivo resultou a recolha de oito fêmeas. Colocadas no interior do veículo para transporte de animais, exercício paciente e perseverante, foram registadas com as suas caraterísticas físicas e identificadas através da colocação de um microchip.

DSC_0049 (Large).JPG

Esta operação, acompanhada pelo autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, surge no seguimento de várias queixas apresentadas pela população do concelho devido à destruição de culturas agrícolas e plantações de vinha provocadas por estes animais errantes que, dizem os populares, entram pelos campos e devastam tudo.

Uma constatação confirmada ontem junto de várias pessoas. A opinião geral é que os animais enquadram-se bem na pintura verdejante da paisagem mas que provocam enormes estragos por andam passam. Como atravessam estradas municipais e até nacionais, alertam também para o facto de constituírem perigo para os automobilistas.

DSC_0059 (Large).JPG

MUNICÍPIO DE MONÇÃO REUNE-SE COM INFRAESTRUTURAS DE PORTUGAL

Autarca monçanense desloca-se hoje a Lisboa para fazer um ponto de situação dos investimentos rodoviários previstos para o concelho. Em cima da mesa, a construção de uma rotunda no cruzamento de S. Pedro. Augusto de Oliveira Domingues vai alertar para a perigosidade daquela estrutura epara a necessidade urgente em avançar com aquele investimento inscrito no plano rodoviário de proximidade para o presente ano.

DSC_0085 (Large).JPG

O presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues,vai a caminho de Lisboa para uma reunião, ao início da tarde, com o presidente do Conselho de Administração da Infraestruturas de Portugal, António Laranjo. A seu lado, segue a Vice-Presidente, Conceição Soares.

Este encontro, agendado a pedido do autarca monçanense, tem como finalidade fazer um ponto da situação dos investimentos rodoviários previstos para o concelho, destacando-se, entre outros, a reabilitação da EN 101 entre a rotunda de Cortes e a rotunda de acesso ao centro urbano/ponte internacional, bem como a construção de uma rotunda no cruzamento de S. Pedro.

Augusto de Oliveira Domingues vai apresentar o projeto de reabilitação da EN 101, investimento aprovado na reunião do executivo do passado dia 13 de fevereiro, solicitando apoio na componente do asfaltamento da via, responsabilidade da Infraestruturas de Portugal.

Constando no plano rodoviário (ou de proximidade) nacional para 2017, o autarca monçanense vai interceder junto daquele responsável para que a calendarização de execução da rotunda de S. Pedro seja cumprida, argumentando com a constante perigosidade e insegurança causada a peões e automobilistas.

O autarca monçanense vai reforçar a sua posição favorável à construção daquela estrutura, lembrando ao responsável daquele organismo o compromisso estabelecido com a população local durante a discussão e aprovação do projeto de reabilitação da EN 101.

CHEGARAM A MONÇÃO OS “DIAS DE CAÇA”

Espetáculo de cinema e teatro, produzido pela Comédias do Minho, percorre os cinco concelhos do Vale do Minho, estreando-se amanhã, 9 de março, pelas 21h00, na sede da Junta de Freguesia de Riba de Mouro, seguindo-se o Cine Teatro João Verde (dia 10, 21h30), a Casa Paroquial de Moreira (dia 11, 21h00), e a sede da Junta de Freguesia da Bela (dia 12, 15h30). As entradas são gratuitas.

01.jpeg

O espetáculo de cinema e teatro “Dias de Caça”, produção da companhia de teatro “Comédias do Minho” com criação e vídeo de Pedro Filipe Marques, estreia amanhã em Monção com apresentação, pelas 21h00, na sede da Junta de Freguesia de Riba de Mouro.

Segue-se o Cine Teatro João Verde (dia 10, 21h30), a Casa Paroquial de Moreira (dia 11, 21h00), e a sede da Junta de Freguesia da Bela (dia 12, 15h30). Todos os espetáculos têm entrada gratuita, encontrando-se sujeitos aos lugares disponíveis.Depois de Monção, os “Dias de Caça” disparam em direção a Paredes de Coura, Valença, Vila Nova de Cerveira e Melgaço.

Na sinopse, pode ler-se: “O  gesto do documentário observacional implica, por vezes, ficar à espera muito tempo até que o objeto a filmar se coloque no lugar exato para ser enquadrado com a mira da objetiva. No Vale do Minho, vários homens continuam a vaguear pela serra até conseguirem capturar as suas presas. A estes dois fenómenos, poderíamos chamar de caça. 

Vamos caçar os caçadores do Vale do Minho com uma câmara para podermos ver se é mais difícil apanhar um javali ou conseguir enquadrar um coelho para o poder mostrar, um dia mais tarde, no cinema. Entretanto, perdidas também no meio da serra e com tanto tempo a perder, as histórias à volta de uma simples comparação talvez fujam para outros sítios, tal como presas que deixam rasto mas que nunca são capturadas.

Com assistência de criaçãode Luis Filipe Silva e Tânia Almeida, assistência na realização e montagem de Rita Palma e assistência de som (documentário)de Hannah Bailliu, o desenho de luz leva a assinatura de Vasco Ferreira e as interpretações pertencem a Gonçalo Fonseca, Joana Magalhães, Luis Filipe Silva, Rui Mendonça e Tânia Almeida. Os novos caçadores são alunos da EPRAMI e ETAP.

04.jpeg

05.jpeg

07.jpeg

PROFESSORES DE ARTES DA ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA EXPÕEM EM MONÇÃO

Monção inaugura a Exposição de Professores de Artes da Escola Superior Gallaecia,  hoje, pelas 16h00, nas instalações da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho, sitas na vila de Monção.

Trata-se de uma iniciativa da, Unidade Cultural da Universidade do Minho que conta com o apoio da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho e da Fundação Bienal de Cerveira. Os docentes da Licenciatura em Artes Plásticas e Multimédia da Escola Superior Gallaecia têm a honra de apresentar os seus trabalhos artísticos, fruto do percurso individual de cada docente.

Artistas: Alexandre Costa, Damião Matos, Emília Simão, Henrique Silva, Hermano Passos, José Vicente, Margarida Leão, Samuel Barbosa e Teresa Correia.

Esta exposição estará patente ao público até ao final do mês de março.

HORÁRIO DA EXPOSIÇÃO:

Terça a Sexta Feira - das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

Sábados - das 14h00 às 18h00

Domingos e Segundas: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

AUTARQUIA MONÇANENSE RECUPERA PASSADIÇO DE MADEIRA JUNTO AO RIO MINHO

Os trabalhos arrancaram ontem e terminam na sexta-feira, prevendo-se, entre outras intervenções, a reposição dos elementos em faltae a consolidação de algumas estruturas. O objetivo é recuperar as “mazelas” do inverno para que, na primavera e verão, continue a servir convenientemente todas as pessoas que procuram usufruir da serenidade e quietude proporcionada por aquele percurso colado ao rio minho.

DSC_0010 (Large).JPG

O passadiço de madeira junto ao rio Minho, no Parquedas Caldas, está a ser objeto de recuperação, prevendo-se, entre outras intervenções, a reposição dos elementos em falta (bancos, papeleiras, tábuas, troncos ….) e a consolidação de algumas estruturas (ponte, ligações ….)

Os trabalhos iniciaram-se ontem, decorrendo durante toda a semana. Ao início da tarde, o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, passou no local para inteirar-sedo andamento dos trabalhos e das alterações pontuais previstas.

DSC_0020 (Large).JPG

A estrutura de madeira, que acompanha o ritmo das águas do rio Minho, é muito procurada nos meses temperados e quentes do ano por munícipes e visitantes para passagem de momentos agradáveis dedicadosao descanso, lazer ou exercício físico.

Dada a proximidade ao rio, nos meses de inverno as águas sobem e inundam a estrutura, causando-lhe “mazelas” que tem de ser reparadas para que continue a servir convenientemente todas as pessoas que procuram usufruir da serenidade e quietude proporcionada por aquele percurso colado ao rio Minho.

Além do passadiço de madeira, o Parque das Caldas reserva um conjunto de atrativos para famílias inteiras. Servido por balneário termal, complexo de piscinas municipal e parque desportivo para a prática de futebol e ténis, dispõe ainda de uma área infantil e de um parque de merendas. Bons motivos para visitar Monção.

DSC_0026 (Large).JPG

ABERTURA DE COOPERATIVA DE REVESTIMENTO DE VOLANTES DO MOSTEIRO, EM MERUFE

Parceria com a multinacional ZF/TRW, garante a criação de 24 novos postos de trabalho. Trata-se da quinta estrutura do género no concelho de Monção que, no seu conjunto, assegura uma ocupação laboral e 103 pessoas. Augusto de Oliveira Domingues considera aquele investimento “umaexcelente ideia” que “a junta agarrou com as duas mãos”, contribuindo para “aumentar a qualidade de vida e autonomia financeira da população local”. Márcio Alves fala em orgulho detodos os merufenses que permitirá rendimento e fixação das pessoas.

Cooperativa.JPG

A cooperativa de revestimento de volantes do Mosteiro, em Merufe, foi inaugurada esta manhã numa cerimónia marcada pela simplicidade com grande significado para a freguesia. Por um lado, impulsiona a atividade industrial naquela área do concelho de Monção e, por outro, garante a criação de 24 novos postos de trabalho.

Com o presidente da Junta de Freguesia de Merufe, Márcio Alves, a fazer as honras da casa, marcaram presença, entre outros, o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, o deputado eleito pelo círculo de Viana do Castelo, José Manuel Carpinteira, e o representante da Multinacional ZF/TRW, Jorge Castro.

Um orgulho para todos os merufenses, afirmou Márcio Alves, tendo considerado este investimento como uma oportunidade única para apoiar a população localsem ocupação laboral, facilitando a sua fixação na freguesia e contribuindo para contrariar a tendência de despovoamento que acontece nos locais mais afastados dos grandes centros.

O presidente da Junta de Freguesia de Merufe referiu ainda que, durante o primeiro ano, todas as despesas decorrentes da atividade serão suportadas pela junta, permitindo a redução de custos aos cooperantes. Lembrou também que este apoio complementa outros existentes como entrega de livros escolares e mensalidade de 50,00 € a cada criança da freguesia durante dois anos.

Satisfeito com o investimento e a possibilidade de assegurar uma ocupação laboral às pessoas, Augusto de Oliveira Domingues referiu-se à cooperativa como “uma excelente ideia” que “a junta agarrou com as duas mãos”, contribuindo para “aumentar a qualidade de vida e autonomia financeira da população local”.

“Temos feito tudo para elevar o emprego no concelho e, em abono da verdade, o nosso esforço tem dado frutos. Somos o concelho do Minho com a menor percentagem de desemprego. Os números são oficiais, não são nossos. Vamos continuar. O nosso maior objetivo é criar emprego e dar rentabilidade económica às pessoas” adiantou.

José Manuel Carpinteira felicitou os responsáveis da ZF/TRW e a Junta de Freguesia de Merufe pela aposta neste investimento. Sublinhou a importância da cooperativa como ocupação laboral e suporte financeiro para as famílias e recordou os primeiros passos da instalação da empresa em Vila Nova de Cerveira.

Disse: “nos primeiros anos muita gente era contra este género de investimentos, contudo, passado quase 25 anos, a opinião alterou-se substancialmente, sendo bastante favorável. Os trabalhadores sentem a responsabilidade de fazer um bom trabalho mas também tem autonomia para gerir o seu dia-a-dia. Sou testemunha do sucesso desta fórmula”.

A cooperativa de revestimento de volantes do Mosteiro é a quinta no concelho de Monção (duas no Polo Empresarial da Lagoa, uma em Mazedo e outra em Trute) que, no seu conjunto, ocupam 103 pessoas do concelho maioritariamente do sexo feminino. Antes da laboração, as trabalhadoras vão receber a formação adequada à especificidade da atividade exercida.

MONÇÃO: “SE CAMINHAR, ESTÁ A AJUDAR”

No dia 12 de março, domingo, pelas 9h00, realizam-se duas caminhadas solidárias no concelho de Monção. Uma destina-se a angariar fundos para os “soldados da paz” monçanenses. Outra reverte a favor da Liga Portuguesa contra o Cancro (Núcleo Regional Norte). Causas nobres e altruístas. Participe.

caminhada.JPG

No dia 12 de março, domingo, realizam-se duas caminhadas solidárias no concelho de Monção, cujo objetivo consiste em proporcionar uma jornada agradável aos participantes e, ao mesmo tempo, angariar fundos para duas instituições: Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção e Núcleo Regional Norte da Liga Portuguesa contra o Cancro.

 Com apoio da Terra Minhota Aventura, a caminhada solidária organizada pelos “soldados da paz” monçanenses tem início às 9h00 no quartel da corporação, percorrendo parte do amuralhado da localidade e Ecopista do Rio Minho até Lapela. A participação, no valor de 8,00 €, inclui almoço e brinde. Informações/Inscrições: Quartel dos Bombeiros Voluntários de Monção T. 251 652 303.

A outra caminhada solidária, com organização da Associação “Segadas de Maio”, tem uma extensão aproximada de 7 quilómetros. Inicia-se às 9h00 na Igreja Paroquial de Moreira, continuando por vários espaços ribeirinhos e patrimoniais do Vale do Gadanha. Inscrições, no dia e no local da caminhada a partir das 08h00, têm o valor de 5,00 € e inclui oferta de t-shirt e água.

MONÇÃO REQUALIFICA CAMINHO MUNICIPAL EM GAVIÃO

Passeios largos para peões e vias largas e seguras para os veículos. Paulo Cunha visitou obras de reabilitação do Caminho Municipal 1480 em Gavião

O Caminho Municipal 1480 em Gavião, que vai desde a Escola EB1 até ao limite da freguesia está em obras de ampliação e reabilitação. A intervenção envolve um investimento municipal de cerca de 450 mil euros e deverá ficar concluída em meados do verão. Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal e Joaquim Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia efetuaram esta quinta-feira, uma visita de trabalho para avaliarem o decorrer das obras.

AFS_9100.jpg

De resto, esta intervenção exemplifica bem a aposta delineada por Paulo Cunha para as vias do concelho, com passeios largos para os peões e uma faixa de rodagem ampla com segurança para veículos e pessoas.

“O que era uma via estreita já com alguns sinais de deterioração vai transformar-se numa faixa de rodagem larga, com passeios em toda a sua extensão e maior segurança para todos”, explicou Paulo Cunha, salientando que com “a existência de várias empresas nas proximidades e a passagem constante de veículos pesados a via ficou deteriorada e a intervenção era urgente”.

Por sua vez, o presidente da Junta de Freguesia, Joaquim Rodrigues, destacou a importância deste caminho municipal. “Esta é uma via estruturante, que está localizada no coração da freguesia e que é muito utlizada diariamente”, referiu mostrando-se muito satisfeito com o decorrer das obras. “É um desejo concretizado”, rematou.

Refira-se que a intervenção surge na continuidade de uma obra já concluída. A primeira fase decorreu até à Escola Básica, agora as obras seguem até ao limite da freguesia.

Para além do alargamento da via e da criação de passeios, a obra contempla ainda a renovação da rede de águas pluviais, o pavimento da faixa de rodagem, a construção de estacionamento e colocação de nova sinalização.

PROFESSORES DE ARTES EXPÕEM EM MONÇÃO

O Presidente e a Direção da Casa Museu de Monção, Unidade Cultural da Universidade do Minho, promovem a Exposição de Professores de Artes da Escola Superior Gallaecia, no próximo dia 8 de março (quarta feira), pelas 16h00, nas instalações da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho, sitas na vila de Monção.

Com o apoio da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho e da Fundação Bienal de Cerveira, os docentes da Licenciatura em Artes Plásticas e Multimédia da Escola Superior Gallaecia têm a honra de apresentar os seus trabalhos artísticos, fruto do percurso individual de cada docente.

Artistas: Alexandre Costa, Damião Matos, Emília Simão, Henrique Silva, Hermano Passos, José Vicente, Margarida Leão, Samuel Barbosa e Teresa Correia.

Esta exposição estará patente ao público até ao final do mês de março.

HORÁRIO DA EXPOSIÇÃO:

Terça a Sexta Feira - das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

Sábados - das 14h00 às 18h00

Domingos e Segundas: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

15 EMPRESAS MONÇANENSES DISTINGUIDAS COM O ESTATUTO PME LIDER E PME EXCELÊNCIA 2016

Monção é o terceiro concelho no distrito com maior número de PME Líder e o segundo com PME Excelência.Em sessão do executivo, Augusto de Oliveira Domingues irá propor um voto de louvor às empresas distinguidas pela notoriedade dada ao tecido empresarial local e o reforço que esta diferenciação positiva representa para a valorização da economia monçanense.

15empresas de Monção de diferentes setores foram galardoadas com o estatuto de PME Líder 2016, selo de qualidade criado pelo IAPMEI como reconhecimento pelo desempenho económico-financeiro e pelo contributo dado à economia nacional. No total nacional, foram escolhidas 7120 empresas. No total distrital, 157 empresas.

Do universo das PME Líder, foram selecionadas as PME Excelência, contabilizando-se 1786 de norte a sul do paíse 33 no distrito de Viana do Castelo. Monção é o terceiro concelho no Alto Minho com maior número de PME Líder, depois de Viana do Castelo e Ponte de Lima, e o segundo com PME Excelência (6 empresas), logo a seguir à capital de distrito.

Na última reunião camarária, realizada na passada segunda-feira, Augusto de Oliveira Domingues agradeceu às empresas a notoriedade dada ao tecido empresarial local e o reforço que esta diferenciação positiva representa para a valorização da economia monçanense.

O autarca monçanense adiantou que numa próxima reunião do executivo será apresentada uma proposta para atribuição de votos de louvor às empresas distinguidas. Estes serão entregues em cerimónia pública a realizar no dia da celebração da democracia, 25 de abril, no Cine Teatro João Verde.

As empresas monçanenses reconhecidas com o estatuto de PME Líder 2016 foram: Adega Cooperativa Regional de Monção, CRL; Adriano Alves Rodrigues; Coca Hipermercados, Lda; Covas Transportes, Lda; Farmácia Vale do Mouro, Lda; Francisco Lourenço, Materiais de Construção e Decoração, Lda; Granitos Galrão Norte, Lda; Habimonção Construções, Lda; Heitor de Campos Amoedo, Lda; ImpactZero, Software Unipessoal, Lda; Irmãos Amorim, Lda; J. Oliveira & Domingues, Lda; Meireles & Sobrinhos, Lda; Roypasa, Lda; Sociedade Artística – Manufacturas Químicas e Metálicas, Lda: eSociedade Transportes Floridos, Lda.

Relativamente a PME Excelência 2016, as empresas distinguidas foram: Adega Cooperativa Regional de Monção, CRL;Farmácia Vale do Mouro, Lda; Francisco Lourenço, Materiais de Construção e Decoração, Lda;ImpactZero, Software Unipessoal, Lda; Irmãos Amorim, Lda; e Sociedade de Transportes Floridos, Lda.

Refira-se que a seleção das PME excelência éfeita a partir do universo das PME Líder com o intuito de corporizar um instrumento de visibilidade acrescida para as empresas que, em cada ano, se destacam pelos melhores resultados no universo empresarial.

PORTELA: ABERTURA DE ACESSOS ÀS ZONAS FLORESTAIS E VALORIZAÇÃO DA ÁREA RIBEIRINHA JUNTO À PONTE EM MONÇÃO

Englobada no périplo que o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, efetua às 24 freguesias do concelho para inteirar-se das preocupações locais e visitar os investimentos efetuados pelas respetivas juntas, esta deslocação à freguesia da Portela permitiu conhecer mais de perto a realidade local.

DSC_0078 (Large).JPG

As prioridades da Junta de Freguesia da Portela relacionam-se com a construção de acessos às zonas florestais, valorização da área ribeirinha próxima da ponte e o encaminhamento de águas que, nesta freguesia, correm em abundância pela maioria dos lugares.

Este “caderno de encargos” foi comunicado pelo autarca local, Emílio Rodrigues Afonso, ao presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, que recentemente visitou a freguesia na companhia da vice-presidente, Conceição Soares.  

DSC_0096 (Large).JPG

Englobada no périplo que o autarca monçanense efetua às 24 freguesias do concelho para inteirar-se das preocupações locais e visitar os investimentos efetuados pelas respetivas juntas, esta deslocação à freguesia da Portela permitiu conhecer mais de perto a realidade local.

Desta forma, foi possível verificar as intervenções efetuadas na construção de acessos às zonas florestais, trabalho que aponta em duas direções: valorização da mancha florestal existente na freguesia e garantia de passagem facilitada aos bombeiros em caso de incêndio.

No âmbito da rede viária, destaca-se a limpeza nas estradas e caminhos, importando, neste aspeto, como referiu Emílio Rodrigues Afonso, reforçar/modernizar a sinalética atual. Refira-se também que a junta procede à construção de um anexo para o trator.

Aspiração do executivo local prende-se com a valorização da área ribeirinha junto à ponte. Aquele espaço aprazível servido por uma pequena represa tem condições ótimas para o convívio e lazer, sendo necessária a aquisição de alguns terrenos para a execução de um projeto devidamente estruturado.

Nesta visita de trabalho, Emílio Rodrigues Afonso assinalou ainda alguns problemas na Estrada Nacional 101 relacionados com limpeza das bermas, iluminação pública e acessos às habitações. O executivo monçanense tomou nota e comprometeu-se a interceder junto dos organismos estatais para a resolução das referidas questões.

DSC_0110 (Large).JPG

REAL CONFRARIA DO VINHO VERDE TINTO ENTRONIZA CONFRADES EM MONÇÃO

Apresentada oficialmente na passada sexta-feira, 24 de fevereiro, no Centro Cultural do Vale do Mouro, os primeiros confrades serão entronizados no próximo sábado, 4 de março, naquele espaço cultural situado na freguesia de Tangil.

Entronização.jpg

Relançar a produção e comercialização de vinho verde tinto da Sub-Região de Monção é Melgaço é o principal objetivo da Real Confraria de Vinho Verde Tinto, a primeira da região dos vinhos verdes dedicada em exclusivo à defesa e valorização daquela casta.

Apresentada na passada sexta-feira, 24 de fevereiro, no Centro Cultural do Vale do Mouro, a nova confraria, foi constituída em outubro de 2016, estando a primeira entronização prevista para o dia 4 de março, sábado, naquele espaço cultural localizado na freguesia de Tangil.

Nesta cerimónia, que engloba ainda um desfile entre a Casa do Povo de Tangil e o Centro Cultural do Vale do Mouro, serão entronizados os 14 membros fundadores da confraria. Na Feira do Vinho Tinto, em finais de maio, realizar-se-á uma nova entronização.

Para o Grão-Mestre Aurélio Alves, a confraria tem como missão colocar o vinho verde tinto no lugar que merece. Por outras palavras, promover e defender uma casta singular que, nos últimos anos, foi relegada para segundo plano devido à aposta dos viticultores na produção de vinho Alvarinho.

Procura igualmente contribuir para a preservação da tipicidade rural e valorização da autenticidade paisagística da Sub-Região de Monção e Melgaço, recorrendo, nesse sentido, à divulgação do seu vasto e rico património construído, vitivinícola e gastronómico.

Além dos membros fundadores, na apresentação da confraria marcou presença o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, e diversas personalidades ligadas ao setor vinícola: Anselmo Mendes, enólogo/produtor de vinhos, José Emílio Moreira, Grão-Mestre da Real Confraria do Vinho Alvarinho, e Armando Fontainhas, Presidente da Adega Cooperativa Regional de Monção.

CENTRO FUNERÁRIO DO ALTO MINHO INSTALA-SE NO POLO EMPRESARIAL DA LAGOA EM MONÇÃO

Localizada junto ao Cemitério Municipal de Monção desde dezembro de 2010, empresa inaugurou um novo espaço (CFAM Bioconser) no Polo Empresarial da Lagoa, potenciando a oferta dos serviços existentes e abrindo portas a outros objetivos.

DSC_0244 (Large) (1).JPG

O Centro Funerário do Alto Minho, com instalações junto ao Cemitério Municipal de Monção desde dezembro de 2010, inaugurou, no passado sábado, um novo espaço (CFAM Bioconser) no Polo Empresarial da Lagoa, potenciando a oferta dos serviços existentes e abrindo portas a outros objetivos.

Um dia de festa com o olhar no futuro e a presença de diversos convidados, vindos de várias localidades do nosso pais e do estrangeiro. Entre estes, responsáveis da empresa italiana Ceabis, representada em Portugal pelo Centro Funerário do Alto Minho.

Depois do corte da fita e bênção pelo padre Jorge Agostinho, brindou-se ao sucesso da empresa nesta nova etapa. António Vilarinho agradeceu a presença de todos, referindo que este investimento é a resposta da CFAM às necessidades de um mercado competitivoque exige soluções modernas e eficazes. Agora, adiantou, vamos ao trabalho com a dedicação e o esforço quecarateriza todos os trabalhadores da empresa.

Presente na cerimónia, o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, congratulou-se com o investimento dos empresários monçanenses no Polo Empresarial da Lagoa e desejou-lhes a melhor sorte do mundo no crescimento e consolidação deste projeto inovador.

Fazendo um balanço da atividade empresarial monçanense, em franca expansão nos últimos anos com instalação de novos investidores no concelho, Augusto de Oliveira Domingues mostrou-se confiante no forte impulso que será dado com a entrada em funcionamento do Minho Park Monção.

Sublinhou ainda o nível de empregabilidade existente em Monção, lembrando que, no último ano, fomos o concelho em todo o Minho com a descida percentual mais acentuada. Afirmou: “No espaço de um ano, descemos cerca de 30 por cento, colocando no mercado de trabalho perto de 200 pessoas. É bom mas não chega. Vamos continuar”.

Com apostas claras na formação dos colaboradores e modernização do parque de viaturas num quadro de responsabilidade, profissionalismo e compromisso com os clientes, este novo espaço possibilitará ganhos acrescidos na funcionalidade da empresa, potenciando a oferta existente e reforçando os serviços prestados.

Além da apresentação de mais de 20 mil artigos com uma ótima relação preço/ qualidade, demonstrações práticas dos produtos comercializados e fortalecimento da componente internacional, a CFAM Bioconser disponibiliza também uma completa sala de preparação do serviço fúnebre e soluções inovadoras adequadas à especificidade de cada caso.

DSC_0270 (Large).JPG

DSC_0285 (Large).JPG

DSC_0317 (Large).JPG

DSC_0322 (Large).JPG

LAMPREIA SOBRE RODAS VOLTOU A REVELAR-SE UMA RECEITA DE SUCESSO EM MONÇÃO

Os pingos de chuva ao início da tarde não foram suficientes para demover o público que encheu a Praça Deu-la-Deu de amantes do desporto automóvel e os restaurantes de apaixonados pela Lampreia do Rio Minho. A 40ª edição do Rali à Lampreia, com balanço positivo, prestou homenagem a António Paiva, responsável da organização da prova durante quatro décadas falecido recentemente. A vitória ficou em casa com o primeiro lugar a ser conquistado por Alex Pereira que ganhou as duas provas complementares. A única mulher em competição, Sofia Mouta, classificou-se na 28ª posição.

DSC_0004 (Large).JPG

Apesar do tempo indiciar alguma chuva para a tarde de domingo, confirmando-se com meia dúzia de chuviscos sem expressão, a 40ª edição do Rali à Lampreia trouxe à simpática vila de Monção (palavras do speaker que nós subscrevemos por inteiro), milhares de pessoas de ambas as margens para assistirem às duas provas (11h00 e 16h00) de uma das perícias automóveis em circuito urbano (não competitiva) mais antigas do noroeste peninsular.

Na presente edição, marcada por uma homenagem muito sentida a António Paiva, responsável da organização da prova durante quatro décadas falecido recentemente, inscreveram-se 47 concorrentes de diferentes localidades de Portugal e da Galiza, tendo terminado a prova 37. Mais uma vez, a organização esteve a cargo do Sport Clube do Porto.

DSC_0033 (Large) (1).JPG

A adrenalina própria deste género de provas, complementada pelo barulho, aceleração e cheiro a pneu queimado, teve pontuação positiva. O público vibrou com a habilidade dos concorrentes e, entre uma prova e outra, os restaurantes aderentes à iniciativa encheram-se de comensais para degustarem uma lampreia do rio Minho, bem batida e deliciosa, e os vinhos da região, bons em qualquer parte do mundo.

A lampreia sobre rodas, juntando gastronomia e perícia automóvel, voltou a revelar-se uma receita de sucesso. Na restauração, todos passaram com distinção. A autarquia local agradeceu o esforço e o profissionalismo de todos. Na perícia, a luta pelo primeiro lugar fez-se nos detalhes. De resto, convívio e camaradagem marcaram toda a jornada.    

O vencedor absoluto da prova foi o monçanense Alex Pereira, em Daihatsu Flow, com o tempo global de 1.16,977 minutos. Em segundo lugar, António Borges, em Caterham Lotus 7, com 1,17,743 minutos. Em terceiro lugar, outro monçanense: Luis Miguel Guedes, em Sado 550, com 1.20,905 minutos. A única senhora em prova, Sofia Mouta, em Skoda Fabia, obteve a 28ª posição geral com o tempo de 2.06,570 minutos.

DSC_0041 (Large) (1).JPG

Homenagem a António Paiva

Na entrega dos prémios, o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues felicitou a organização e os concorrentes, agradeceu o apoio das empresas patrocinadoras e dos empresários de restauração, e realçou a importância desta prova como motor da economia local ligada aos setores do alojamento e restauração.

“Gostei de ver a nossa casa cheia de visitantes e o convívio dos participantes e familiares no almoço. Sem dúvida, uma jornada de promoção da nossa gastronomia e do nosso concelho. Com o tempo adverso, o meu coração fica pequenino com algo que possa acontecer. Correu tudo muito bem. Parabéns a todos e fica o convite para regressarem no próximo ano” salientou.

Tal como já fizera no almoço convívio, onde apresentou pessoalmente os pêsames à viúva e aos dois filhos, Augusto de Oliveira Domingues voltou a abordar o papel fundamental de António Paiva no crescimento e consolidação do Rali à Lampreia.

Disse: “convive com o Sr. Paiva durante quase vinte anos e percebi logo a paixão que tinha por esta prova e pelos monçanenses. O desporto automóvel em geral e esta prova de perícia em particular ficam-lhe a dever muito. Aprovamos um voto de pesar em reunião de câmara e dedicamos-lhe esta edição. A forma como correu e a garantia de futuro é o nosso tributo à sua memória”.

“Monção 2017: Promoção à Lampreia”

A 40ª edição do Rali à Lampreia enquadrou-se na programação “Monção 2017: Promoção à Lampreia”, iniciativa que engloba a promoção deste prato em dois fins-de-semana, 25 e 26 de fevereiro e 4 e 5 de março, com a participação de 27 restaurantes do concelho e diversas atividades complementares.

No sábado seguinte, 4 de março, pelas 10h00, realiza-se o “Trilho das Pesqueiras”, percurso com uma extensão ligeiramente superior a 6 quilómetros com um grau de dificuldade moderado/fácil. No período da tarde, com início às 15h00, decorre um peddy paper familiar. Um convite ao conhecimento das “coisas” do concelho de Monção e à passagem de momentos agradáveis com familiares e amigos

A partir das 18h00, realiza-se o 2º Rali Gastronómico da Lampreia. Sete bares convidam a uma noite diferente com apresentação de acepipes de lampreia. Cada participante neste “rali” terá um passaporte que deverá selar, comprovando a sua passagem (com degustação e consumo de bebida) por cada um dos bares aderentes. Os três primeiros a completar o circuito recebem prémios.

O primeiro prémio é um jantar de lampreia para duas pessoas no Restaurante Sabores, o segundo uma oferta termal para duas pessoas nas Termas de Monção e, o terceiro, uma caixa de Vinho Alvarinho MQ Vinhos – Vale dos Ares. Participam Cafetaria Lux, Chaplin Burger, Lés-a-Lés, Margem Bar, Pedrinha Bar, Porta 11, e Zoom Café. A noite termina com atuação do Grupo Melmusic, na Praça Deu-la-Deu.

No domingo, dia 5, realiza-se o 1º Encontro de Clássicos da Lampreia. O secretariado abre às 8h00 e, duas horas depois, inicia-se uma rota pelo concelho. À tarde, pelas 15h00, realiza-se a prova de regularidade. Informações/Inscrições: tmaventura@gmail.com

DSC_0065 (Large).JPG

DSC_0117 (Large).JPG

DSC_0148 (Large).JPG

DSC_0214 (Large) (1).JPG

DSC_0370 (Large).JPG

DSC_0375 Vencedor.JPG

DSC_0379 (Large).JPG

DSC_0458 (Large).JPG

MONÇÃO APRESENTA REAL CONFRARIA DO VINHO VERDE TINTO

Dia 24 de fevereiro, sexta-feira, pelas 15h00, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil, Monção. Objetivo geral incide na promoção e valorização do vinho verde tinto, preservando o potencial endógeno e a autenticidade paisagística da Sub-Região de Monção e Melgaço.

Foto Vinho Tinto (Large).jpg

A Real Confraria do Vinho Verde Tinto, a primeira da região dos vinhos verdes dedicada em exclusivo à defesae valorização do vinho verde tinto, vai ser apresentada amanhã, sexta-feira, pelas 15h00, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil, Monção.

Além dos elementos dos órgãos sociais da confraria, marcam presença os autarcas de Monção e Melgaço, Augusto de Oliveira Domingues e Manoel Baptista, respetivamente, bem como produtores de vinho e enólogos, entre os quais, Anselmo Mendes.Na ocasião, será apresentado o logotipo etraje oficial da confraria.

Com escritura pública no dia 24 de novembro do último ano, a Real Confraria do Vinho Verde Tinto,fruto de grande paixão à terra e vivência em redor da atividade vinícola, tem como objetivo geral a promoção e valorização do vinho verde tinto,preservando o potencial endógeno e a autenticidade paisagística da Sub-Região de Monção e Melgaço.

RALI À LAMPREIA ANIMA MONÇÃO

Este domingo, 26 de fevereiro, Monção recebe meia centena de participantesna perícia automóvel e milhares de portugueses e galegos nas ruas e varandas do centro histórico numa jornada de promoção da Lampreia do Rio Minho. Provas às 11h00 e 16h00. Restaurantes de portas abertas para receber visitantes e munícipes.

Rali 03 (Large).JPG

Nos fins de semana 25 e 26 de fevereiro e 4 e 5 de março, o Município de Monção aposta forte na Lampreia do Rio Minho com diversas atividades destinadas a todos os públicos. O ponto altoserá o Rali à Lampreia, perícia automóvel no centro histórico da localidade que decorre este domingo, 26 de fevereiro.

Promovida pela Câmara Municipal de Monção e Sport Clube do Porto, a 40ª edição deste emblemático e entusiasmante rali urbano engloba duas provas marcadas para as 11h00 e 16h00, prevendo-se a presença de meia centena de participantes portugueses e espanhóis e milhares de portugueses e galegos nas ruas e varandas do casco urbano monçanense.

Na hora do almoço, os restaurantes estão de portas abertas para receber visitantes e munícipes. Participam 27 restaurantes do concelho com uma ementa dedicada à lampreia, desde a mais tradicional, com arroz ou à bordalesa, às abordagens mais contemporâneas como empanada ou sushi. 

No dia anterior, sábado, está prevista a iniciativa “Rali a Pedais”. Provas de karts abertas ao público durante o dia, a partir das 15h00, onde o público poderá sentir a emoção de conduzir um kart a pedais num circuito criado na Praça Deu-la-Deu Martins. A partir das 21h00, no Largo do Loreto, decorre uma prova inter-freguesias.

No sábado seguinte, 4 de março, pelas 10h00, realiza-se o “Trilho das Pesqueiras”, percurso com uma extensão ligeiramente superior a 6 quilómetros com um grau de dificuldade moderado/fácil. Oportunidade para caminhar junto ao rio Minho, vivenciar a pesca de outrora e desfrutar de um património secular identitário da nossa realidade ribeirinha: pesqueiras e moinhos. Informações/Inscrições: turismo@cm-moncao.pt

No período da tarde, com início às 15h00, decorre um peddypaper familiar. Um convite ao conhecimento das “coisas” do concelho de Monção e à passagem de momentos agradáveis com familiares e amigos. Ocasião para juntar o útil ao agradável: aprender e conviver. Informações/Inscrições: patrimonio@cm-moncao.pt

A partir das 18h00, realiza-se o 2º Rali Gastronómico da Lampreia. Sete bares convidam a uma noite diferente com apresentação de acepipes de lampreia. Cada participante neste “rali” terá um passaporte que deverá selar, comprovando a sua passagem (com degustação e consumo de bebida) por cada um dos bares aderentes. Os três primeiros a completar o circuito recebem prémios.

O primeiro prémio é um jantar de lampreia para duas pessoas no Restaurante Sabores, o segundo uma oferta termal para duas pessoas nas Termas de Monção e, o terceiro, uma caixa de Vinho Alvarinho MQ Vinhos – Vale dos Ares. Participam Cafetaria Lux, Chaplin Burger, Lés-a-Lés, Margem Bar, Pedrinha Bar, Porta 11, e Zoom Café. A noite termina com atuação do Grupo Melmusic, na Praça Deu-la-Deu.

No domingo, dia 5, realiza-se o 1º Encontro de Clássicos da Lampreia. O secretariado abre às 8h00 e, duas horas depois, inicia-se uma rota pelo concelho. À tarde, pelas 15h00, realiza-se a prova de regularidade. Informações/Inscrições: tmaventura@gmail.com

rali 06 (Large) (2).JPG

Rali 08 (Large).JPG

Rali 11 JN 01.JPG

rali 13 (Large).JPG

rali 14 (Large).JPG

rali 18 (Large).JPG

rali 21 JN 02.JPG

MONÇÃO FESTEJA O CARNAVAL

Desfile de crianças, caminhada noturna, recriações nas freguesias, concursos para grupos de mascarados e animação musical são os pontos fortes de uma quadra festiva “disfarçada” de fantasia, magia, criatividade e animação. É carnaval, ninguém leva a mal. Não há outro tempo assim. Aproveite.

carnaval 01monçao (1).jpg

O carnaval proporciona libertação criativa e momentos humorísticos. Em Monção, a autarquia local e diversas juntas de freguesia e associações culturais do concelho cumprem esta tradição enraizada na interioridade de cada pessoa através da realização de atividades que prometem animar miúdos e graúdos em dias festivos que apelam à fantasia, magia e folia.

Assim, esta quinta-feira, a partir das 10h00, decorre o desfile de carnaval dos alunos do pré-escolar e 1º CEB do Agrupamento de Escolas de Monção, Colégio do Minho e Santa Casa da Misericórdia. Serão cerca de 900 crianças que prometem animar as ruas e praças de Monção. O epicentro da festa será a Praça Deu-la-Deu. A câmara tem uma surpresa reservada para cada menino/a. 

No dia 25, sábado, pelas 20h30, realiza-se a Caminhada Noturna de Carnaval Ponte do Mouro Medieval. A organização promete espalhar magia e alegria numa caminhada divertida e animada. E aconselha a utilização de roupa e calçado adequado.

Com trajeto aproximado de 10 quilómetros, o valor de participação é de 7,50 € englobando seguro, reforço e brinde. A receita destina-se a apoiar a realização da recriação histórica “Ponte do Mouro Medieval”. O disfarce mais original será premiado. Informações/inscrições: pontedomouromedieval@gmail.com.

No dia 26, domingo, algumas freguesias do concelho promovem concursos e recriam aspetos da vida local e nacional, proporcionando momentos de diversão nas comunidades locais. As críticas abordam assuntos e personalidades próximas, contudo, as figuras nacionais também são alvejadas. Por vezes, com tiro de canhão.

No dia 27, à noite, o centro histórico da vila anima-se com grupos de mascarados, muitos deles vindos da outra margem do rio Minho. Haverá animação musical com a Orquestra Norwest, na Praça Deu-la-Deu, e desfile/concurso de carnaval para as juntas de freguesia e associações culturais do concelho com prémios para os 5 primeiros classificados.

carnaval 01monçao (2).jpg

carnaval 01monçao (3).jpg

carnaval 01monçao (4).jpg

MONÇÃO APRESENTA CONFRARIA DO VINHO VERDE TINTO

Monção procede à apresentação pública da Real Confraria do Vinho Verde Tinto na próxima sexta-feira, 24 de fevereiro, pelas 15h00, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil.

Além dos elementos dos órgãos sociais da confraria, marcam presença os autarcas de Monção e Melgaço, Augusto de Oliveira Domingues e Manoel Baptista, respetivamente, bem como produtores de vinho e enólogos, entre os quais, Anselmo Mendes.

Na ocasião, será apresentado o logotipo e traje oficial da confraria, a primeira da região dos vinhos verdes dedicada em exclusivo à defesa, divulgação e valorização do vinho verde tinto.

MONÇÃO REALIZA “PROMOÇÃO À LAMPREIA DO RIO MINHO”

Nos dias 25 e 26 de fevereiro e 4 e 5 de março, o município aposta forte neste prato tradicional com diversas atividades destinadas a todos os públicos. 27 restaurantesdo concelho estão de portas abertas para receber munícipes e visitantes. O ponto forte será a 40ª edição do Rali à Lampreia, perícia automóvel no centro histórico da localidade que decorre no próximo domingo, 26 de fevereiro. Esta manhã, no Museu do Alvarinho, realizou-se a apresentação pública do programa.

DSC_0199 (Large).JPG

A iniciativa “Promoção da Lampreia do Rio Minho” decorre nos dois próximos fins-de-semana, 25 e 26 de fevereiro e 4 e 5 de março. Esta manhã, no Museu do Alvarinho, decorreu a apresentação pública do programa aos meios de comunicação social e aos empresários de restauração participantes nesta iniciativa gastronómica e turística.

Além do presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, marcaram presença nesta apresentação pública o Vereador das Atividades Socioculturais, Paulo Esteves, e o diretor do Sport Clube do Porto, secção de automobilismo, Sousa Magalhães.

Na mesa, esteve ainda Joaquim Meira, em representação do Rotary Clube de Monção, que apresentou o habitual almoço da lampreia daquela instituição. Decorre no dia 11 de março, sábado, com um programa que compreende concentração e desfile de confrarias entre a antiga estação e o Museu do Alvarinho, almoço convívio e animação com o grupo “Sons do Gadanha”.

Augusto de Oliveira Domingues deu conta que a presente iniciativa engloba um conjunto diversificado de atividades lúdicas e desportivas que, em conjunto, visam constituir motivos apelativos para uma deslocação ao concelho de Monção, contribuindo para a valorização turística da localidade raiana e para a dinamização dos setores da restauração e hotelaria.

O autarca monçanense reforçou ainda a sua posição relativamente à abertura da pesca na zona das pesqueiras, defendendo que a data atual, 15 de fevereiro, devia ser revista. Afirmou: “A pesca nesta zona abre muito tarde. Penso que esta situação prejudica seriamente pescadores e restaurantes. Defendo a sua antecipação para inícios de fevereiro. Tanto eu como o Alcalde de Salvaterra temos feito sentir essa necessidade aos responsáveis”

O diretor do Sport Clube do Porto, secção de automobilismo,Sousa Magalhães, lembrou o papel de António Paiva, falecido recentemente, na afirmação do Rali à Lampreia, realçando que a edição deste ano promete muita participação e, tal como nos anos anteriores, constituirá um palco privilegiado para quem gosta de desporto motorizado e boa gastronomia.

Convidando à presença de todos, o Vereador das Atividades Socioculturais, Paulo Esteves, focou-se na apresentação do programa destes dois fins de semana, destacando, entre as iniciativas propostas, a realização do 40º Rali à Lampreia, evento que promete juntar milhares de pessoas nas ruas e varandas do núcleo histórico monçanense.

DSC_0206 (Large).JPG

Rali à Lampreia, Rali a Pedais e Rali Gastronómico

Promovida pela Câmara Municipal de Monção e Sport Clube do Porto, a 40ª edição do Rali à Lampreia realiza-se no dia 26 de fevereiro, domingo. Engloba duas provas marcadas para as 11h00 e 16h00, prevendo-se a presença de meia centena de participantes portugueses e espanhóis.

Na hora do almoço, os restaurantes estão de portas abertas para receber visitantes e munícipes nesta jornada de promoção da Lampreia do Rio Minho. Participam 27 restaurantes do concelho com uma ementa dedicada à lampreia, desde a mais tradicional, com arroz ou à bordalesa, às abordagens mais contemporâneas como empanada ou sushi.

No dia anterior, sábado, está prevista a iniciativa “Rali a Pedais”. Provas de karts abertas ao público durante o dia, a partir das 15h00, onde o público poderá sentir a emoção de conduzir um kart a pedais num circuito criado na Praça Deu-la-Deu Martins. A partir das 21h00, no Largo do Loreto, decorre uma prova inter-freguesias.

No sábado seguinte, 4 de março, pelas 10h00, realiza-se o “Trilho das Pesqueiras”, percurso com uma extensão ligeiramente superior a 6 quilómetros com um grau de dificuldade moderado/fácil. Oportunidade para caminhar junto ao rio Minho, vivenciar a pesca de outrora e desfrutar de um património secular identitário da nossa realidade ribeirinha: pesqueiras e moinhos. Informações/Inscrições: turismo@cm-moncao.pt

No período da tarde, com início às 15h00, decorre um peddypaper familiar. Um convite ao conhecimento das “coisas” do concelho de Monção e à passagem de momentos agradáveis com familiares e amigos. Ocasião para juntar o útil ao agradável: aprender e conviver. Informações/Inscrições: patrimonio@cm-moncao.pt

A partir das 18h00, realiza-se o 2º Rali Gastronómico da Lampreia. Sete bares convidam a uma noite diferente com apresentação de acepipes de lampreia. Cada participante neste “rali” terá um passaporte que deverá selar, comprovando a sua passagem (com degustação e consumo de bebida) por cada um dos bares aderentes. Os três primeiros a completar o circuito recebem prémios.

O primeiro prémio é um jantar de lampreia para duas pessoas no Restaurante Sabores, o segundo uma oferta termal para duas pessoas nas Termas de Monção e, o terceiro, uma caixa de Vinho Alvarinho MQ Vinhos – Vale dos Ares. Participam Cafetaria Lux, Chaplin Burger, Lés-a-Lés, Margem Bar, Pedrinha Bar, Porta 11, e Zoom Café. A noite termina com atuação do Grupo Melmusic, na Praça Deu-la-Deu.

No domingo, dia 5, com organização da Terra Minhota Aventura e apoio da autarquia monçanense, realiza-se o 1º Encontro de Clássicos da Lampreia. O secretariado abre às 8h00 e, duas horas depois, inicia-se uma rota pelo concelho. À tarde, pelas 15h00, realiza-se a prova de regularidade. A entrega de lembranças, marcada para as 18h00, decorre no Museu do Alvarinho. Informações/Inscrições: tmaventura@gmail.com

DSC_0214 (Large).JPG

PORTUGUESES E ESPANHÓIS DEBATEM DESAFIOS E OPORTUNIDADES DO PROGRAMA ERASMUS +

Na abertura deste “seminário de contacto”, como lhe chamou a diretora da Agência Nacional Erasmus + Educação e Formação, Joana Mira Godinho, a vice-presidente da autarquia monçanense, Conceição Soares, sublinhou a importância do programa como partilha de conhecimentos e enriquecimento sociocultural.

DSC_0174 (Large).JPG

A Agência Nacional Erasmus + Educação e Formação, o Servicio Español para la Internacionalización de la Educación (SEPIE), e o Centro de Formação do Vale do Minho promovem uma sessão transfronteiriça de informação e apoio às instituições que queiram apresentar candidaturas ao Programa Erasmus +, ação chave 2, parcerias estratégicas.

Com a colaboração da Câmara Municipal de Monção, a sessão realiza-se hoje e amanhã no Cine Teatro João Verde, contando com a presença de técnicos especializados de ambos os países, cujas conferências abordam diversas questões relacionadas com o Programa Erasmus +.

O ponto de partida, às 14h30, foi dado pelo diretor do Servicio Español para la Internacionalización de la Educación, Pablo Martin Gonzalez, e pela diretora da Agência Nacional Erasmus + Educação e Formação, Joana Mira Godinho. Ambos enalteceram o papel do Programa Erasmus + na valorização pessoal dos estudantes.

Representando a Câmara Municipal de Monção, Conceição Soares deu as boas vindas aos presentes, desejou-lhes uma boa estadia na localidade e sublinhou a importância do Programa Erasmus + como instrumento fundamental para a partilha de conhecimentos e enriquecimento sociocultural. “O meu Erasmus foi em Espanha, na cidade de Bilbao, e a experiência foi gratificante e enriquecedora” adiantou.

Ao longo dos dois dias, serão constituídos grupos de trabalho com participantes de ambos os países e debatidas questões como desafios e oportunidades do Programa Erasmus +, cooperação para a inovação e intercâmbio de boas práticas, partilha de experiências e casos de sucesso e apresentação de ideias e projetos.

DSC_0190 (Large).JPG

DSC_0195 (Large).JPG

MONÇÃO: BARROÇAS E TAIAS APOSTA NA VALORIZAÇÃO/SEGURANÇA RODOVIÁRIA E NO MELHORAMENTO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

Nesta visita de trabalho, Augusto de Oliveira Domingues constatou o investimento feito pela junta de freguesia e trouxe a novidade que a requalificação da Estrada Intermunicipal Barroças e Taias – Pias, desejo antigo do executivo local, já está adjudicada. Os trabalhos avançam a qualquer momento.

DSC_0024 (Large) (1).JPG

Dando continuidade ao périplo pelas 24 freguesias do concelho, verificando no terreno os investimentos feitos e inteirando-se das preocupações e prioridades locais, o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, deslocou-se, na passada quarta-feira, à freguesia de Barroças e Taias.

Acompanhado pela vice-presidente da autarquia, Conceição Soares, foi recebido por Almerindo Marinho, presidente, e Laurindo Teixeira, tesoureiro, que conduziram a visita à freguesia. Mais tarde, na habitual reunião de trabalho, juntar-se-ia Magda Andreia Rei, secretária.

DSC_0030 (Large).JPG

Com toponímia instalada em todos os lugares da freguesia e uma limpeza exemplar dos caminhos, estradas e espaços públicos, nota sublinhada por Augusto de Oliveira Domingues, as prioridades maiores do executivo de Barroças e Taias prendem-se com a valorização/segurança rodoviária e o melhoramento de abastecimento de água.

A comitiva visitou algumas ruas e caminhos objeto de intervenção ao nível de alargamento, construção de muros/valetas e beneficiação do pavimento. Empreitadas fundamentais para elevar a qualidade de vida da população local que, no caso do Caminho do Souto, assume enorme relevância, uma vez que o investimento permitiu o acesso de ambulâncias, até então impossível, a determinadas habitações.

DSC_0034 (Large).JPG

Neste capítulo da rede viária, tornava-se evidente, a cada passo, a preocupação de Almerindo Marinho e Laurindo Teixeira com a segurança de pessoas e bens. Defenderam mais sinalização, algumas com indicação da proximidade de animais, e alertaram para a necessidade de colocar lombas (Caminho da Fonte da Preguiça) e instalação de proteções metálicas (Caminho do Forno Velho e Rua do Temporão).

Conceição Soares tomava notas e telefonava para os serviços. Algumas situações ficaram resolvidas naquele dia. Outras demorarão mais algum tempo com o compromisso de serem resolvidas em tempo útil. Outras ainda, fora da esfera municipal, serão comunicadas às entidades competentes, “forçando” a sua resolução.

DSC_0043 (Large) (1).JPG

Nesta deslocação, que englobou uma visita aos serviços sanitários públicos em execução junto à Igreja de Barroças, a autarquia monçanense trouxe a novidade que a requalificação da Estrada Intermunicipal Barroças e Taias – Pias, desejo antigo do executivo local, já está adjudicada. Os trabalhos avançam a qualquer momento.

Antes da conclusão do périplo pelos lugares da freguesia, a qual terminou com uma abordagem empresarial numa visita informal à empresa “Irmãos Amorim, Lda”, Augusto de Oliveira Domingues e Conceição Soares tomaram conhecimento de outra prioridade para a junta: uma nova linha de abastecimento de água para dois lugares fronteiros à freguesia de Pias, a qual abrange também o lugar de Retorta.

DSC_0047 (Large).JPG