Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PALÁCIO DA BREJOEIRA NAMORA PORTUGAL

Amor (pela tradição) e sedução (do património) no Romance Palaciano Vila Verde e Monção!

Há já muito tempo que Vila Verde e Monção se conhecem, mas, recentemente, descobriram que têm mais pontos em comum que o que o olhar desatento deixaria antever. Entre o amor ardente pela tradição e a inebriante sedução do património começou a desenhar-se enredo de um apaixonante Romance Palaciano.

A (2)

O sumptuoso Palácio da Brejoeira (em Monção) também já está a Namorar Portugal, numa aliança harmoniosa entre duas jóias do património cultural e edificado da região do Minho. Um cenário idílico que recebeu, ontem, 16 de fevereiro, a apresentação de dois novos produtos Namorar Portugal, o Chá de Tília Palácio da Brejoeira, cultivado no próprio palácio (resultado de uma parceria entre a empresa vilaverdense Serras Brandas e o Palácio da Brejoeira), e o Pão de Ló Água na Boca, da Pastelaria da Vila. O ex-líbris de Monção recebeu ainda a inauguração de uma mostra de produtos Namorar Portugal, em exposição de 15 a 28 de fevereiro.

A iniciativa foi abrilhantada pela atuação de música ao vivo protagonizada por uma professora da Academia de Música de Vila Verde e por uma encenação de época, com personagens trajadas a rigor. O evento, apadrinhado pelo Eurodeputado José Manuel Fernandes, foi ainda enriquecido com a presença de duas bordadeiras da Cooperativa Aliança Artesanal (entidade responsável pela salvaguarda dos Lenços Namorar Portugal) que estiveram a realizar ao vivo a antiga e delicada arte de bordar o amor. O 'Romance Palaciano' contou ainda com a presença do presidente e da vereadora da Cultura do Município de Vila Verde, António Vilela e Júlia Fernandes, do presidente do Município de Monção, António Barbosa, e do administrador do Palácio da Brejoeira, Emílio Magalhães.

A (1)

Uma tradição ancestral que transporta valores de paz, amor, amizade e solidariedade

O ‘padrinho’ da iniciativa começou por sublinhar que “é um prazer Namorar Portugal no Palácio e Quinta da Brejoeira, um local com um vinho único e produtos diferenciadores, baseados na nossa autenticidade e tradição”. O eurodeputado José Manuel Fernandes prosseguiu sublinhando o simbolismo associado ao evento, que acontece “em pleno Ano Europeu do Património Cultural”. “Aquilo que é único e que nos diferencia cria geralmente valor acrescentado. Os motivos dos Lenços impulsionaram o crescimento um empreendedorismo que permitiu entrelaçar tradição e modernidade. Tudo baseado numa tradição ancestral que transporta valores. Os mesmos valores de paz, amor, amizade e solidariedade que alicerçam a União Europeia e que devemos continuar a fortalecer”, referiu o eurodeputado, concluindo de forma categórica: “Sou minhoto, português e europeu. Nada disto é igual, mas também nada disto incompatível”.

Um pão de ló de fazer crescer água na boca

Após uma visita pelo deslumbrante ex-líbris de Monção e da cultura nacional, tempo para aquecer a alma e aconchegar o estômago com um saboroso Chá das Serras Brandas e um pão de ló de fazer crescer água na boca. Depois das ‘Broinhas do Amor’ e os ‘Doces Desejos’, os sentimentos e afetos dos Lenços Namorar Portugal serviram de inspiração para a criação de mais uma deliciosa proposta de pastelaria da autoria da Pastelaria da Vila, de Vila Verde. O nome não deixa margem para dúvidas. O Pão de Ló Água na Boca promete fazer as delícias dos amantes da doçaria e não só, já que a conjugação de diferentes sabores é um dos grandes atrativos desta iguaria. “Temos uma massa mais salgada a envolver o bolo. O interior é composto por uma massa mais fofa e mais doce, queijo fresco e morango. No topo, leva duas pétalas de rosa comestíveis, para aumentar a simbologia do amor”, afirmou o responsável pela Pastelaria da Vila, Armando Sousa.

A (3)

“Um produto capaz de ‘acasalar’ com o prestígio deste património”

Para ‘empurrar’ o pão de ló e afastar o frio de uma cinzenta e chuvosa tarde de inverno, nada melhor que um quente e saboroso Chá das Serras Brandas. Natural do concelho de Monção, o empresário vilaverdense Filipe Temporão cortejou uma parceria com o Palácio da Brejoeira, que rapidamente se transformou em namoro, tal a afinidade entre as partes. O resultado não se fez esperar. Uma infusão única, que desperta os sentidos tanto pelo sabor, como pela arte incorporada nas próprias embalagens, pintadas com mestria pela talentosa artista pradense Fátima Mendes. As plantas utilizadas no Chá de Tília do Palácio da Brejoeira são colhidas da famosa Avenida de Tílias da Brejoeiras, com 200 metros de comprimento e 48 plantas, avançou o administrador. Emílio Magalhães confidenciou ainda que, finalmente, pode revelar um segredo palaciano, que guardou consigo durante alguns anos. Um dos desejos da antiga proprietária, Maria Hermínia Paes, seria criar um chá a partir das tílias da emblemática avenida. “Tal como iniciou o projeto do Alvarinho, a antiga proprietária também gostaria que extraíssemos da avenida o suficiente para criar um chá que fortalecesse o bom nome do palácio. Guardei sempre este segredo até aparecer um desafio à altura, que aceitamos de coração e braços abertos. Após a uma demonstração de qualidade, ao nível de todos os produtos do palácio, recebemos este produto capaz de ‘acasalar’ com o prestígio deste património”, frisou Emílio Magalhães.

“Valorizar a nossa história e com ela criar uma ponte para o progresso e o futuro, uma alavanca de crescimento e desenvolvimento”

Presente na sessão, o presidente do Município de Vila Verde agradeceu a postura acolhedora e a hospitalidade calorosa dos monçanenses, com a arte de bem receber tão característica das gentes minhotas. António Vilela prosseguiu frisando que o Palácio da Brejoeira é uma referência nacional, “um património ao qual não podemos ficar indiferentes e em torno do qual devemos desenvolver as nossas terras”. O edil referiu também que a Monção se associa agora a uma marca que começou em Vila Verde, mas que pela amplitude e crescimento já é uma marca nacional, com produtos à venda em todo o país e nos cinco continentes. “Tudo isto só é possível graças à visão, à criatividade e capacidade de inovação de uma rede de parceiros que conta já com 67 produtores e milhares de produtos no mercado”, referiu.

 António vilela sublinhou que os vários municípios por todos o país (Monção, Lisboa, Porto, Coimbra, Braga, Guimarães, Amares…) têm recebido a marca Namorar Portugal com amizade, sem um ponto e vista concorrencial, porque, apesar de defenderem as suas terras, os autarcas percebem que ao agregarmos forças podemos crescer em conjunto de forma sólida e consistente. “O cenário aqui apresentado fez-nos recuar e viver outros tempos. É importante valorizar o património material e imaterial que nos foi legado pelos antepassados, valorizar a nossa história e com ela criar uma ponte para o progresso e o futuro, uma alavanca de crescimento e desenvolvimento. Os produtos que apresentámos são feitos com muito amor. O amor que dedicamos à nossa terra, às nossas gentes e à valorização da nossa cultura”, concluiu o presidente do Município de Vila Verde.

“Deve-se olhar para este bom exemplo”

Por sua vez, o presidente do Município de Monção sublinhou que inicialmente este projeto parecia um desafio inalcançável, mas que foi possível graças a uma convergência de forças e vontades entre os envolvidos. Na mesma toada, António Barbosa lançou o repto aos empresários monçanenses para que aproveitem e valorizem este “património histórico inestimável, grande referência de Monção”. O autarca aproveitou também para vincar que vê com muito bons olhos esta união de esforços e saberes. “Agora enquanto autarca, mas também enquanto munícipe, defendo que isoladamente nossos territórios, infelizmente cada vez mais desertificados, não teremos futuro. Teremos futuro se tivermos a capacidade de estarmos abertos a ações como a que decorre hoje. Sem qualquer tipo de anticorpo a um projeto que é de Vila Verde. Muito pelo contrário. Estamos abertos a estes e outros projetos”, referiu.

“Não querendo copiar o que se faz em Vila Verde, deve-se olhar para este bom exemplo e perceber que temos um grande conjunto de mais-valias no nosso território, que devem ser dinamizadas. Representam oportunidades que devem ser aproveitadas. Estamos totalmente abertos a parcerias”, afirmou António Barbosa, acrescentando que está sempre “de portas abertas para a marca Namorar Portugal e desejo as maiores felicidades ao projeto”.

A (4)

PALÁCIO DA BREJOEIRA RECEBEU APRESENTAÇÃO DE DOIS NOVOS PRODUTOS DO “NAMORAR PORTUGAL”

O Palácio da Brejoeira foi palco, ontem à tarde, da apresentação de dois novos produtos da coleção “Namorar Portugal”. Cerimónia que contou, entre outros, com as presenças do deputado europeu, José Manuel Fernandes, e dos autarcas de Monção, António Barbosa, e de Vila Verde, António Vilela.

DSC_0008 (Large)

Os produtos apresentados foram um Pão-de-Ló, denominado “Água na Boca” e confecionado pela Pastelaria da Vila, de Vila Verde, e o “Chã de Tília Palácio da Brejoeira”, fruto de uma parceria entre o Palácio da Brejoeira e Serras Brandas, empresa do monçanense Filipe Temporão que produz e comercializa chãs de diferentes sabores.

Encantado com “Namorar Portugal”, António Barbosa realçou as virtualidades do projeto nascido em Vila Verde, enaltecendo as suas especificidades e autenticidade, bem com a capacidade em conciliar os aspetos tradicionais com metodologias mais contemporâneas.

Acrescentou: “Este projeto é um exemplo daquilo que queremos fazer em Monção. Valorização das nossas tradições, abertura a novos conceitos e envolvimento do setor privado. A nossa ideia é enaltecer aquilo que nos distingue em termos culturais e sociais”.

Refira-se que a coleção “Namorar Portugal” compreende um conjunto de produtos desde o setor têxtil, à decoração, artesanato, merchandising, acessórios de moda e agro-alimentar. Estes produtos estarão patentes no Palácio da Brejoeira, até o dia 26 de fevereiro.

Além da abertura da coleção “Namorar Portugal” e da apresentação dos novos produtos, esta ação promocional englobou ainda visita ao Palácio da Brejoeira, atuação da Academia de Música de Vila Verde, declamação de poesia pela Filarmónica Milagrense, e degustação de produtos “Namorar Portugal”.

DSC_0046 (Large)

DSC_0053 (Large)

DSC_0060 (Large)

DSC_0067 (Large)

DSC_0087 (Large)

DSC_0096 (Large)

MONÇÃO DISPONIBILIZA LOTES INDUSTRIAIS A PREÇOS COMPETITIVOS

A geração de riqueza, através da captação de investimentos estruturantes e consequente elevação dos níveis de empregabilidade no concelho, é um dos objetivos do atual executivo monçanense liderado por António Barbosa, cuja estratégia central assenta na fixação da população na sua terra.

Planta pb

Com essa finalidade, estão a ser equacionadas várias iniciativas e avançadas algumas medidas, contando-se, entre estas, a venda de três lotes industriais a preços competitivos, no Polo Empresarial da Lagoa. Destinam-se à instalação de armazém, oficina, serviços ou unidades industriais de classe 3 e 4.

O valor de venda por metro quadrado varia entre o preço mínimo de 12,50 € e o preço máximo de 25,00 €, estando o montante final diretamente relacionado com a atividade a exercer e o número de postos de trabalho previstos para naturais e residentes em Monção.

Nos termos do regulamento, os interessados em adquirir o solo industrial disponível, parcelas de 7.070 metros quadrados (N7), 5.489 metros quadrados (N6) e 5.991 metros quadrados (C3), podem apresentar as respetivas candidaturas até ao dia 16 de março, através do preenchimento do respetivo formulário.

Os processos de candidatura (edital, regulamento, planta, formulário) são gratuitos, encontrando-se disponíveis em www.cm-moncao.pt, no menu “Economia” e submenu “Parques Industriais”, ou no Balcão Único de Atendimento da CMM, Casa do Loreto, todos os dias úteis, entre as 9h00 e as 16h30. Podem ainda ser solicitados por correio ou e-mail para gap@cm-moncao.pt.

O adquirente da parcela de terreno identificada como N6 deverá fornecer e proceder à execução de muro de suporte em alvenaria de granito da região, cumprindo os trabalhos de fundação, espessura e altura variável do muro, face exterior regularizada/bujardada e todos os outros trabalhos necessários.

Conforme o pormenor do muro, cujo valor se encontra orçamentado em 17.007,90 €, acrescido de IVA à taxa legal em vigor, o montante financeiro decorrente desta intervenção será deduzido no valor final a liquidar pelo adquirente pela aquisição da referida parcela de terreno.

Situação geográfica invejável

No Polo Empresarial da Lagoa, localizada na freguesia urbana de Cortes, sensivelmente a três quilómetros do centro histórico de Monção e da ponte internacional com Salvaterra de Miño, estão instaladas várias empresas portuguesas e espanholas

A situação geográfica privilegiada desta estrutura, próxima à fronteira e ao porto de mar de Vigo, apenas a 35 quilómetros de distância, constitui motivo de atratividade empresarial, complementando a oferta de terrenos devidamente infraestruturados servidos por bons acessos e fibra ótica.

Entre as atividades desenvolvidas, saliência para a construção de recuperadores de calor para uso doméstico, caldeiras para aquecimento central, fabricação de portas e janelas em PVC, componentes metálicos para automóveis e artigos de granito.

C:\Users\vmonteiro\Desktop\CMMonção\Outros\LotesZonaIndustrialLagoa\Filipe\lotes_25_26_27 Model (1)

CARNAVAL EM MONÇÃO: UMA SEGUNDA DE PRIMEIRA

A noite de segunda-feira de carnaval foi um sucesso, trazendo ao centro da vila milhares de pessoas. Algumas centenas fantasiadas e outras movidas pela curiosidade e animação. Todas envolvidas no espirito de uma festa que reflete o melhor de nós nos outros.

1º Grupos 5 ou mais pessoas

A noite começou com o desfile entre o Largo da Estação e a Praça Deu-la-Deu, passando pela Avenida da Estação, Praça da República e Rua Pimenta de Castro. Muita gente nos passeios a incentivarem os participantes no desfile que, aqui e ali, mostravam grande criatividade com exibição de coreografias divertidas.  

A festa continuou na mega tenda situada na Praça Deu-la-Deu com a apresentação em palco dos concorrentes individuais e em grupos (até 4 pessoas e 5 ou mais pessoas) e respetiva entrega de prémios, no montante global de 1.000,00 €.

O júri de premiação foi constituído pelo autarca local, António Barbosa, e os artistas monçanenses Ricardo de Campos e Patricia Oliveira. Uma tarefa bastante difícil devido à qualidade e diversidade dos concorrentes. Tanto individuais como em grupo.

O carnaval prosseguiu pela noite dentro com os DJ`s Pedro Pagodes, Pette e Fábio Vasquez, proporcionando uma noite de grande animação aos locais e visitantes que vieram, em número significativo, ao “Carnaval na Praça” organizado pelo Município de Monção

Com coprodução dos bares Baluarte, Lés-a-Lés, Ninho do Pardal, Oh My God, Porta Onze e República, a celebração do carnaval iniciou-se, na passada quinta-feira, com o desfile de carnaval do Agrupamento de Escolas de Monção, Colégio do Minho e Santa Casa da Misericórdia de Monção,

No passado domingo, durante a tarde, realizou-se o Baile de Máscaras Júnior com a mega tenda repleta de crianças, pais e avós. Houve prémios para os três primeiros classificados e surpresas para todas as crianças fantasiadas. Sem qualquer dúvida e com muita graça, uma tarde marcada pela diversão com centenas de crianças felizes.

1º grupos até 4 pessoas

1º lugar individual

2º grupos 5 ou mais pessoas

3º lugar 5 ou mais pessoas

3º lugar grupos de 5 ou mais pessoas

AUTARQUIA MONÇANENSE DIVULGA PROGRAMA DE FINANCIAMENTOS DO PORTUGAL 2020

A Câmara Municipal de Monção promoveu, em parceria com o Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), uma sessão de esclarecimento sobre o Aviso de Concurso do Portugal 2020. Decorreu, ontem à tarde, na Biblioteca Municipal com a presença de empresários locais

DSC_0506 (Large)

Na abertura da sessão, António Barbosa, referiu que esta iniciativa do município tem como finalidade sensibilizar o tecido económico local, nas mais variadas vertentes de intervenção, para as oportunidades de financiamento geradas pelo Programa Portugal 2020. 

O autarca monçanense sublinhou ainda o papel aglutinador e facilitador da autarquia na divulgação e encaminhamento das candidaturas, disponibilizando os serviços municipais para o esclarecimento de qualquer dúvida. “A nossa função é ajudar quem faz a economia crescer e o emprego aumentar” acrescentou.

A equipa dos Sistemas de Incentivos do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), parceiro técnico da autarquia monçanense no apoio às empresas, apresentou os programas afetos ao Portugal 2020 e prestou os esclarecimentos necessários para as respetivas candidaturas. 

DSC_0509 (Large)

DSC_0513 (Large)

GRUPO “DANÇAS OCULTAS” MOSTRA-SE NO CINE TEATRO JOÃO VERDE

O Grupo “Danças Ocultas” sobe ao palco do Cine Teatro João Verde no dia 10 de fevereiro, sábado, pelas 21h30. O bilhete, no valor de 10,00 €, pode ser adquirido na Loja Interativa de Turismo (T. 251 649 013), podendo efetuar-se reservas até cinco dias antes do espetáculo.

danças_ocultas_pose_bons_sons

Depois de “Amplitude”, disco produzido em colaboração com a Orquestra Filarmónica das Beiras, com convidados como Carminho, Dead Combo e Rodrigo Leão, o grupo de Águeda prepara o seu novo disco de originais, o qual conta com produção de Jacques Morelenbaum.

Este reputado maestro, compositor e violoncelista brasileiro, apresenta um currículo notável de colaborações com Caetano Veloso, Marisa Monte, António Carlos Jobim, Ryuichi Sakamoto, David Byrne e Cesária Évora, entre outros. O novo trabalho de “Danças Ocultas” terá edição nacional e internacional.

“CICL-ONE” CONTINUA COM “THE PARTISAN SEED” EM MONÇÃO

“The Partisan Seed” é o artista que se segue no Festival “Cicl-one”, substituindo Surma que não pode estar presente no espetáculo do dia 16 de fevereiro, sexta-feira. O concerto decorre no auditório do Cine Teatro João Verde. A entrada é gratuita.

The Partisan Seed

Depois de uma viragem mais solar com o disco anterior, no quinto álbum de originais “Insomnia”, o músico regressa a andamentos mais obscuros, materializados numa obra instrumentalmente mais despojada e liricamente mais negra.

Como habitual, traça neste álbum um resumo (quase) biográfico que, desta vez, o conduziu a um mergulho num mundo interior, capturado em som, audível entre a luz e a sombra.

MONÇÃO EXPÕE PINTURA DE ANGEL TORRES

Exposição de pintura "El Realismo de Angel Torres" do artista galego Angel Torres na Casa Museu de Monção/UMinho

Encontra-se patente ao público até ao dia 28 de fevereiro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do artista galego Angel Torres, intitulada "El Realismo de Angel Torres".

ANGELTORRES2

Sinopse da exposição, segundo o artista: «El arte, difícil situación, y estamos rodeados de ello, pero pocos se paran, a observarlo, por poco que no lo vea en entenderlo, con esas prisas, de apartarlo. No se lo que realmente esta ocurriendo, si se sabe, mejor dicho, es las tegnologias las que están influyendo en nosotros. Ya uno desea que cuando nace, quiere estar ya disponible a ver todo lo mas aprisa posible, de un arte, casi no compresible,. Pero el arte, no es así, es con paciencia, observación, estudio, de ahí el realismo, la critica buena, la critica mala, todo influye en el arte realista. Pero quien juzga todo eso, ese mismo que lo observa, no otro que juzga y con su opinión, todos quieren darle la razón. Cada uno es independiente en juzgar, de lo que ve, y de que en su mente, de esa libertad, le pueda gustar o no, pero lo primordial del realismo, es que lo que se observe, se juzgue por uno mismo, no por la opinión, de una sola experiencia. Que difícil es el arte realista., en estos tiempos. Pero no se puede decaer en ello, continuar con esa fuerza de ver que a muchos le gusta, ese arte bien observado, es lo que le da ganas de batallar por un arte realista.»

A entrada é livre!

FEV La Herreria Pontevedra

MONÇÃO MAIS ILUMINADO, MAIS SEGURO, MAIS CONVIDATIVO

A Câmara Municipal de Monção está a proceder ao reforço de iluminação pública em diferentes pontos do concelho, salientando-se as intervenções que decorreram ou estão a decorrer no casco urbano, junto ao amuralhado da localidade raiana.

DSC_0075 (Large)

Quem passar pelo Largo S. João de Deus (Largo do Emigrante), Portas do Rosal ou zona dos Capuchos já nota a diferença. O mesmo acontece na Avenida da Boavista com a “recuperação” da iluminação nos passeios. Processo que continuará em outras áreas do centro histórico.

Além de garantir mais comodidade e segurança às pessoas que circulam naquelas áreas, e são muitas, estas intervenções contribuem para o embelezamento dos espaços públicos e para a valorização de um património construído repleto de história.

A mesma história que queremos preservar, acrescentando-lhe novos capítulos que contribuam decisivamente para potenciar a imagem da nossa terra como um município defensor da tradição e aberto à modernidade, onde os munícipes se sintam bem e os visitantes tenham curiosidade em conhecer.

DSC_0096 (Large)

DSC_0105 (Large)

DSC_0198 (Large)

MONÇÃO REALIZA FEIRA DA FODA

27072795_1591426590974327_6881531937448770582_n

E porquê o nome “Foda a Monção”?

A confeção deste prato em alguidar levado ao forno de lenha não só recupera o saber dos nossos antepassados como lhe adiciona um pouco de arte, carinho e profissionalismo das atuais cozinheiras. O nome artístico, digamos assim, reflete bem o caráter afável e bem-disposto dos monçanenses. Reza a história que:

“Os habitantes do burgo, que não possuíam rebanhos, dirigiam-se às feiras para comprar o animal. E, como em todas as feiras, havia de tudo, bons e maus. A verdade é que os produtores de gado, quando os levavam para a feira queriam vendê-los pelo melhor preço e, para que parecessem gordos, punham-lhes sal na forragem, o que os obrigava a beber muita água.

APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS “NAMORAR PORTUGAL” NO PALÁCIO DA BREJOEIRA EM MONÇÃO

(15 de fevereiro, quinta-feira, pelas 15h00. Serras Brandas, empresa do monçanense Filipe Temporão, apresenta chã de tília produzido no Palácio da Brejoeira)

“Romance Palaciano” é uma ação que integra a programação “Fevereiro, Mês do Romance”, promovida pelo Município de Vila Verde, e que representa a consagração de uma harmoniosa união de dois símbolos da cultura nacional: o  Palácio da Brejoeira, património de elevado valor arquitectónico, e os Lenços de Namorados, encantadores com as suas mensagens de amor.

Neste local de referência monumental e histórica, partindo à redescoberta de saberes e tradições, será apresentada, no próximo dia 15 de fevereiro, quinta-feira, pelas 15h00, a coleção “Namorar Portugal” e dois novos produtos que alargam e enriquecem o leque de artigos disponíveis.

A saber: “Pão-de-Ló Água na Boca” - Pastelaria da Vila (pastelaria vilaverdense com bastante tradição ao nível da doçaria) e “Chã de Tília Palácio da Brejoeira” - Serras Brandas (chã produzido no Palácio da Brejoeira que resulta de uma parceria com Serras Brandas, empresa do monçanense Filipe Temporão, que produz e comercializa chã de diferentes sabores).

De referir que a coleção “Namorar Portugal” compreende um conjunto de produtos desde o setor têxtil, à decoração, artesanato, merchandising, acessórios de moda e agro-alimentar. Estes produtos estarão patentes no Palácio da Brejoeira, até o dia 26 de fevereiro.

Sendo 2018 o Ano Europeu do Património Cultural, importa referir que esta iniciativa, apoiada pelo Município de Monção e acolhida pelo Administrador do Palácio da Brejoeira, Emílio Magalhães, será apadrinhada pelo Eurodeputado José Manuel Fernandes, o qual marcará presença nesta data.

Convidámo-lo a visitar o Palácio da Brejoeira e a apreciar os saberes e sabores de “Namorar Portugal”.

romance

MONÇÃO REALIZA SESSÃO DE ESCLARECIMENTO SOBRE FINANCIAMENTOS DO PORTUGAL 2020

(Dia 8 de fevereiro, quinta-feira, pelas 14h30, na Biblioteca Municipal de Monção)

Atenta e recetiva às oportunidades que visam impulsionar a economia no concelho, a Câmara Municipal de Monção promove, em parceria com o Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), uma sessão de esclarecimento sobre o Aviso de Concurso do Portugal 2020.

A sessão de trabalho realiza-se no dia 8 de fevereiro, quinta-feira, pelas 14h30, na Biblioteca Municipal de Monção, destinando-se aos empresários da região que, desta forma, podem inteirar-se das vantagens do Portugal 2020 e esclarecer dúvidas quanto a eventuais candidaturas.

Presidida pelo autarca monçanense, António Barbosa, a sessão conta com a presença da equipa dos Sistemas de Incentivos do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), parceiro técnico da CMM no apoio às empresas.

Inscrições gratuitas através do e-mail: gap@cm-moncao.pt

2020

PROTEÇÃO DA FLORESTA: EXECUTIVO MONÇANENSE PROMOVE SESSÕES DE SENSIBILIZAÇÃO NAS FREGUESIAS

Durante o mês de fevereiro, a Câmara Municipal de Monção vai promover sessões de sensibilização nas 33 freguesias do concelho (antiga denominação administrativa), comunicando às populações locais as alterações do Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios introduzidas pela Lei n.º 76/2017, de 17 de agosto, e Lei n.º 114/2017, de 29 de dezembro.

sessões

A campanha tem início no dia 3 de fevereiro, sábado, em Anhões (9h30), Luzio (11h00), Sago (15h00), Lordelo (16h00), e Parada (17h00), continuando no dia seguinte, domingo, com sessões em Riba de Mouro (15h00) e Tangil (17h30). O périplo continua nos restantes fins de semana, levando a mensagem: “A floresta é a sua casa. Proteja-a”.

Neste périplo pelas freguesias do concelho, o autarca local, António Barbosa, far-se-á acompanhar por elementos do gabinete de proteção civil do município, estrutura criada pelo atual executivo municipal, dando cumprimento a um compromisso com os monçanenses.

Com o objetivo de preparar as sessões de sensibilização nas freguesias, realizou-se recentemente uma reunião com os 24 presidentes de junta do concelho, tendo como finalidade auscultar quem atua no terreno e está mais próximo das populações locais.

“O governo empurrou para as autarquias a responsabilidade de cumprir as recentes alterações legislativas, originando algumas críticas assertivas do poder local. Apesar disso, como responsável pela proteção civil no concelho, tenho a obrigação de cumprir a lei, informando e atuando em conformidade” António Barbosa

ENCONTRO COM O ESCRITOR TIAGO SALAZAR EM MONÇÃO

Dia 9, sexta-feira, pelas 21h30, Biblioteca Municipal de Monção

Tiago Salazar nasceu em Lisboa em 1972. Formou-se em Relações Internacionais e estudou guionismo e Dramaturgia em Londres. Trabalha como jornalista desde 1991, tendo publicado, entre outros títulos, no Diário de Notícias, Grande Reportagem, Vogue e Revista Egoísta.

Estreou-se com “viagens sentimentais”, em 2007, tendo publicado o seu último romance “A escada de Istambul”, e, 2016. Foi ainda autor e apresentador do programa de viagens “Endereço desconhecido”, da RTP 2.

Escritor 02

ROTARY ORGANIZA EVENTO SOLIDÁRIO A FAVOR DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE MONÇÃO

Rotary Clube de Monção nasceu em 1978 e foi o segundo clube do distrito de Viana do Castelo a ser criado.

No próximo dia 10 de fevereiro, no Hotel Termas de Monção, o Rotary Clube de Monção organiza o evento Carnaval Solidário - Loucos Anos 20, onde a receita reverte a favor dos Bombeiros Voluntários de Monção.

Carnaval Solidario 2018

A organização do evento espera que esta iniciativa atraia os monçanenses já que “é uma boa forma de ajudar esta corporação de bombeiros que todos os anos, seja inverno ou verão encontra-se em funcionamento para ajudar cada um de nós”, afirma Teresa Fernandes, uma das responsáveis.

Todos os anos o Rotary Clube de Monção contempla uma associação através de um espetáculo solidário onde todos são convidados a participar. Este ano a iniciativa pretende juntar todos numa atividade onde se pretende comemorar os anos 20 nesta época carnavalesca. “Tendo como tema os Loucos Anos 20, vamos comer, dançar, divertir-nos e ajudar quem nos ajuda todos os dias”, pode ler-se na página oficial do evento, no facebook.

Quem quiser participar tem duas maneiras de o fazer. Poderá optar por participar no jantar e no baile, com um custo de 25€ por pessoa. Ou então optar por participar apenas no baile, onde o preço é de 10€ por pessoa, com direito a uma bebida. O que não pode faltar é uma vestimenta a rigor, conforme manda o tema.

PROTEÇÃO DA FLORESTA: EXECUTIVO MONÇANENSE PROMOVE SESSÕES DE SENSIBILIZAÇÃO NAS FREGUESIAS

Durante o mês de fevereiro, a Câmara Municipal de Monção vai promover sessões de sensibilização nas 33 freguesias do concelho (antiga denominação administrativa), comunicando às populações locais as alterações do Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios introduzidas pela Lei n.º 76/2017, de 17 de agosto, e Lei n.º 114/2017, de 29 de dezembro.

floresta

Neste périplo pelas freguesias do concelho, o autarca local, António Barbosa, far-se-á acompanhar por elementos do gabinete de proteção civil do município, estrutura criada pelo atual executivo municipal, dando cumprimento a um compromisso com os monçanenses. Neste momento, procede-se à calendarização das visitas.

Com o objetivo de preparar as sessões de sensibilização nas freguesias, realizou-se recentemente uma reunião com os 24 presidentes de junta do concelho, tendo como finalidade auscultar quem atua no terreno e está mais próximo das populações locais.

“O governo empurrou para as autarquias a responsabilidade de cumprir as recentes alterações legislativas, originando algumas críticas assertivas do poder local. Apesar disso, como responsável pela proteção civil no concelho, tenho a obrigação de cumprir a lei, informando e atuando em conformidade” António Barbosa

MONÇÃO TAMBÉM ARDEU

Apesar de grande parte dos incêndios terem ocorrido no centro de Portugal, o concelho de Monção também sofreu, e muito, com a propagação imparável das chamas que, inclusive, transpuseram o rio Minho, chegando ao concelho galego de As Neves.

Além de dois falecimentos indiretos, por inalação de fumo e queda na salvaguarda de alfaias agrícolas, os incêndios, que aconteceram em várias freguesias, resultaram numa área ardida de aproximadamente 5000 hectares, sensivelmente um quarto do território concelhio.

Iniciados na noite de sábado, 14 de outubro, e terminados na manhã de segunda-feira, 16 de outubro, os fogos destruíram 5 primeiras habitações e 17 segundas habitações. 4 empresas dedicadas à transformação de madeira e pedra sofreram danos consideráveis.

Os seculares espigueiros, símbolo da nossa identidade cultural e apego à ruralidade, bem como várias quintas de produção de vinho Alvarinho, economia relevante na nossa terra, Berço do Alvarinho, foram severamente atingidas pela imprevisibilidade das chamas.

ROTARY CLUB DE MONÇÃO PROMOVE CARNAVAL SOLIDÁRIO

Tendo como objetivo a realização de eventos de caráter cultural, desportivo e social e a missão de ajudar a criar um mundo melhor, o Rotary Club de Monção promove no dia 10 de fevereiro, sábado, no Hotel Termas de Monção, um Carnaval Solidário.

11

 

Subordinado à temática “Loucos Anos 20”, envolve uma componente solidária mas também de promoção da nossa terra. Jantar e baile tem o custo de 25,00 €. Apenas baile, com direito a uma bebida, desce para10,00 €. Parte da receita reverte e favor dos Bombeiros Voluntários de Monção.

O Rotary Club de Monção tem todo o gosto em receber aqueles que decidirem juntar-se a esta festa temática e participar quer no jantar quer no baile de Carnaval. Faça parte desta iniciativa solidária, ajudando neste dia quem nos ajuda todos os dias.

Carnaval Solidario 2018

“FÁBRICA DE EXPERIÊNCIAS” EM MONÇÃO: ALUNOS DO 12º ANO ENSINAM ALUNOS DO 4º ANO A FAZER EXPERIÊNCIAS DE QUIMICA E FISICA

O Banco Local de Voluntariado de Monção lançou o desafio e sete alunos do 12.º ano do Agrupamento de Escolas de Monção responderam afirmativamente ao repto. Desta forma, nasceu a “Fábrica de Experiências”, programa de voluntariado que tem como objetivo fazer crescer o bichinho da química e física junto das crianças monçanenses.

fabrica 05

O programa tem periodicidade semanal (quarta-feira e sexta-feira, de forma alternada, a partir das 14h00) e abrange toda a população escolar do concelho a frequentar o 4.º ano de escolaridade. Iniciou-se na semana passada, prolongando-se até ao final do ano letivo em curso.

Decorrendo nos estabelecimentos de ensino do 1º CEB do concelho, “Fábrica de Experiências” procura sensibilizar e despertar as crianças para a exploração da química e física através de experiências engraçadas e divertidas. Paralelamente, proporciona momentos enriquecedores de partilha de conhecimentos.

O objetivo é semear o bichinho da ciência junto dos mais novos para que a imaginação e a curiosidade cresçam à medida dos sonhos de cada um(a), reforçando o gosto pelo voluntariado e a vontade pela realização de experiências. Um passo para o surgimento de pequenos cientistas que, no futuro, podem tornar-se grandes cientistas.

O Banco Local de Voluntariado de Monção tem como missão promover e divulgar o voluntariado, facilitando o encontro entre a oferta e a procura de voluntários e instituições organizadoras. “Fábrica de experiências” é um dos vários programas em desenvolvimento que, no seu conjunto, envolvem cerca de uma centena de voluntários.

Fábrica 01

fábrica 02

fábrica 03

fabrica 04

fabrica 06

fabrica 07

fabrica 08

fabrica 06

fabrica 07

fabrica 08

CARNAVAL NA PRAÇA É APOSTA EM MONÇÃO

O “Carnaval na Praça” afirma-se como uma das apostas do Município de Monção no arranque deste ano. Por um lado, procura promover e dinamizar turisticamente o Carnaval em Monção. Por outro, pretende incentivar a criatividade e o espírito de associativismo da comunidade monçanense. Em síntese, reforçar este evento lúdico e recreativo como uma tradição no nosso concelho.

Capturarmon

Envolvendo todas as gerações, o “Carnaval na Praça” visa surpreender tanto os monçanenses como os visitantes, assumindo-se como um dos melhores carnavais do Norte do Portugal. A folia e magia estendem-se dos mais novos aos mais velhos, as ruas enchem-se de cor, movimento e alegria, e os fantasiados revelam sentido de humor e grande imaginação.

A Câmara Municipal de Monção e os bares coprodutores do “Carnaval na Praça” encontram-se a receber inscrições para o desfile-concurso, que se realizará na noite do dia 12 de Fevereiro, segunda-feira, pelas 22h00. O corso carnavalesco percorrerá algumas das principais artérias da vila e terminará na Praça Deu-la-Deu.

No portal municipal www.cm-moncao.pt poderá aceder ao Programa, Ficha de Inscrição e Regulamento de Participação.

UTENTES E FUNCIONÁRIOS DA APPACDM CUMPRIRAM A TRADIÇÃO

Na companhia da diretora da delegação de Monção, Teresa Passos, e de Augusto Canário, conhecido animador e tocador de concertina, os utentes e funcionários da APPACDM vieram cantar os reis à Casa do Loreto, desejando um Bom Ano ao Presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa, extensivo a todos os funcionários.

DSC_0224 (Large)

Esta visita, habitual neste período do ano, acontece em todas as delegações da APPACDM de Viana do Castelo. Munidos de ferrinhos, bombos e voz afinada, utentes e funcionários cumpriram a tradição, lançando quadras rimadas a saudar o ano novo.

Algumas rezam assim: “Lindas janeiras, Vimos cantar, E a todos desta maneira, Um Bom Ano desejar” ou “ Há muitos anos a fio, Nossa voz sentida e quente, Deseja alegre e com brio, Um Bom Ano a toda a gente”. No próximo ano, por esta altura, estes ou outros versos combinados por João Ferreira, voltarão a ouvir-se em Monção.

DSC_0227 (Large)

DSC_0234 (Large)