Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO PROCEDE À BENEFICIAÇÃO DA EN 101/202 TROÇO ROTUNDA DE CORTES À NOVA ROTUNDA DE S.PEDRO (1ª FASE)

A primeira fase, entre a rotunda de Cortes e a rotunda de acesso ao centro urbano/ponte internacional, é o ponto de partida de um projeto estruturante para Monção que permitirá a dinamização económica daquela zona e uma entrada condigna no acesso ao centro urbano.

Tela.png

Numa extensão de 700 metros entrea rotunda de Cortes e a rotunda de acesso ao centro urbano/ponte internacional, a presente intervenção foi adjudicada por 477 242,44 €, imposto incluído, após realização do respetivo concurso público e aprovação na reunião camarária de 24 de abril deste ano.

O contrato de trabalhofoi assinado no dia 18 de maio entre o presidente da autarquia monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, e a sócia gerente da empresa “Duque & Duque, Terraplanagens, Lda”, Maria do Sameiro Pereira. No ato, marcou presença o presidente da União de Freguesias de Mazedo e Cortes, Vítor Rodrigues.

Assumindo-se como o ponto de partida de um projeto estruturante para o concelho de Monção, os trabalhos implicama criação de separador central, beneficiação do pavimento, zonas verdes e arborização, passeios em ambos os lados e reforço da iluminação pública.

Corporiza também uma mais-valia em termos de segurança para veículos epessoas, otimização económica daquela zona e valorização estética da entrada no centro histórico, permitindo dar continuidade à empreitada realizada na chamada “reta da lagoa”.

“Estou certo que este investimento vai constituir uma vantagem competitiva para o nosso concelho, permitindo a dinamização económica daquela zona e uma entrada condigna no acesso ao centro urbano”

Augusto de Oliveira Domingues

COMÉDIAS DO MINHO APRESENTA ESPECTÁCULO “QUE FESTA É ESTA?”

Espetáculo itinerante pelo Vale do Minho, produzido pela Comédias do Minho, chega a Monção entre o dia 20, quinta-feira, e o dia 23, domingo. Sobe ao palco na Bela, Monção, Riba de Mouro e Moreira. As entradas são gratuitas e o pano sobe às 21h30.

teatro.jpg

O espetáculo de teatro “Que festa é esta?”, da Comédias do Minho, é apresentado no concelho de Monção entre os dias 20 e 23 do corrente. No primeiro dia, pode ser visto no Largo da Sede da Junta Bela, no segundo no Largo de Camões, em Monção, no terceiro no Lugar do Cruzeiro, em Riba de Mouro e, no quarto e último, no Terreiro de Santa Luzia, em Moreira. Com entrada gratuita, têm início às 21h30.

Com encenação de Ricardo Alves (a partir de William Shakespeare e improvisos), espetáculo de teatro tem criação e interpretação de Gonçalo Fonseca, Joana Magalhães, Luís Filipe Silva, Rui Mendonça e Tânia Almeida, contando com direção musical de Vasco Ferreira e figurinos de Inês Mariana Moitas.

Fica a sinopse: “Um petisco? Um copinho? Cerveja ou vinho? Bebem-se os risos, engolem-se as mágoas. Hoje há festa no largo, no descampado. Hoje há teatro e música e pezinho de quem dança. Hoje é dia de sair à rua para dar de beber aos olhos, para dar de comer aos ouvidos e cantar os dias quentes.

Sai de casa, vem para a rua, junta as mesas e agarra-me na mão antes que, perdido de amor, caia no chão. Sai de casa, areja a graça, vem rasgado e de rosto aberto, vem connosco que o dia é certo e a noite acossa. Que festa é esta?!” – É a nossa!”

MONÇÃO REQUALIFICA PRAÇA DA REPÚBLICA E ZONA ENVOLVENTE

Trabalhos, que começaram na Rua Eng. Duarte Pacheco, compreendem a beneficiação da Praça e de vários arruamentos envolventes. O objetivo geral é tornar mais visitável o centro histórico da vila, proporcionando a residentes e visitantes espaços atrativos e funcionais.

Praça da Republica.png

A intervenção, entregue à empresa “Limabuild, Engenharia e construções, Lda” pelo valor de 615.854,89 €, imposto incluído, começou na Rua Eng. Duarte Pacheco, alargando-se à Praça da República e restantes arruamentos envolventes. Casos da Rua 25 de Abril, Largo da Alfândega e Avenida da Estação.

Os trabalhos previstos constam da beneficiação total da Praça da República, recuperando pavimentos, jardins, mobiliário urbano, iluminação pública e infraestruturas de abastecimento de água, saneamento e águas residuais. Será instalado um parque infantil e uma rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida no Posto dos Correios. 

Os passeios da envolvente à praça serão alargados, revestidos a lajedo de granito com diferenciação de relevo e utilização de diferentes materiais no acesso às passadeiras. Estas serão elevadas ao nível da praça e passeios envolventes, melhorando o acesso a pessoas com incapacidade visual ou mobilidade reduzida.

A configuração dos passeios definirá os locais de estacionamento e o seu alargamento impossibilitará o estacionamento abusivo em zonas proibidas. Localizados estrategicamente, serão criados lugares para pessoas com mobilidade condicionada.

Nos arruamentos envolventes, já mencionados, a intervenção passa essencialmente pela requalificação dos passeios e regularização dos pavimentos. Em linhas gerais, o objetivo é tornar mais visitável o centro histórico da localidade, proporcionando a residentes e visitantes espaços atrativos e funcionais.

MUNICÍPIO DE MONÇÃO COMPARTICIPA EM MEDICAMENTOS

Destinada a minorar as dificuldades sentidas pelos idosos do concelho com rendimentos e pensões baixas, medida solidária irá abranger 50 idosos com idade igual ou superior a 66 anos ou ser portador de doença crónica ou outras doenças similares. As candidaturas tiveram início hoje, 18 de julho, terminando no dia 1 de agosto.

A comparticipação municipal em medicamentos é um projeto solidário que tem como finalidade atenuar as dificuldades sentidas pelos idosos do concelho com rendimentos e pensões baixas, tratando-se, dessa forma, de um apoio destinado a minorar situações de fragilidade social.

Destinando-se a um número máximo de 50 idosos do concelho com comprovada carência económica, esta medida solidária traduz-se na comparticipação de 75% por cento do encargo do utente na compra de medicamentos com receita médica do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

As candidaturas tiveram início hoje, 18 de julho, terminando no dia 1 de agosto. Posteriormente, decorre um período de apreciação e apresentação do relatório final. Para a concretização da medida, foi aprovada, em reunião do executivo municipal, alteração ao regulamento e despacho para abertura do respetivo concurso.

Os idosos abrangidos vão receber um cartão específico para utilização numa das seis farmácias existentes no concelho, parceiras do município neste projeto. O valor anual por pessoa não poderá ultrapassar 160 euros, correspondendo ao montante de 8 mil euros inscrito no orçamento deste ano.

Quem pode concorrer?

Todas as pessoas que preencham os seguintes requisitos:

- Idade igual ou superior a 66 anos ou ser portador de doença crónica ou outras doenças similares;

- Ser pensionista, reformado ou carenciado com insuficientes meios de subsistência;

- Residir em alojamento familiar, há pelo menos dois anos, no concelho de Monção;

- Possuir um rendimento per capita do agregado familiar inferior a 90% do valor do Indexante de Apoios Sociais (IAS).

De que forma?

Mediante preenchimento de requerimento próprio fornecido pelo Serviço de Ação Social do Município de Monção, devendo ser entregue presencialmente no Balcão de Atendimento Único, Edifício do Loreto. O requerimento (editável) e o regulamento estão disponíveis no portal municipal em: http://www.cm-moncao.pt/portal/page/moncao/portal_municipal/social

Informações:

Serviço de Ação Social

Largo de Camões

4950 – 440 Monção

T 251 649 000 F 251 649 010

servicossociais@cm-moncao.pt

medicamentos.png

MONÇÃO EXPÕE PINTURA NA CASA MUSEU

Exposição de pintura da 2ª Bienal Internacional de Gaia intitulada “Espaço residual”  na Casa Museu de Monção/UMinho, a partir de 21 de julho

Realiza-se no próximo dia 21 de julho (sexta-feira), pelas 16h00 a inauguração da exposição de pintura intitulada "Espaço residual", inserida na 2ª Bienal Internacional de Gaia.  A exposição estará patente ao público até ao dia 15 de setembro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho.

BGaia.jpg

Artistas participantes:

Ana Pérez Valdés, Macarena Montesinos, Marta Quinteiro Vilar, Alejandra Lago, Blanca Nieves, María Xosé Domingues, Irene Romero, Gabrielle Mendieta, Patrícia Coucheiro, Olivia Oltmanns, Vanesa Soares Loureiro, Aitana Tubío, Yatir Fernández, Ivan Lucas, Dimitri Pino Viktorov, Montse Martinez, Patrícia Oliveira e Ricardo de Campos.

Espaço residual – breve síntese

«No ano em que a Bienal de Gaia se pretende afirmar num contexto de internacionalização, impunha-se que o polo de Monção, pela sua localização geográfica transfronteiriça, fosse já um elo de integração de artistas provenientes de outros países.

Neste importante evento organizado pela Cooperativa Artistas de Gaia, participam artistas oriundos de vários pontos de Espanha, dos Estados Unidos da América e de Portugal, que na sua maioria frequentam o Mestrado em Arte Contemporânea, criação e investigação, da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Vigo em Pontevedra. Fica, desde logo, esta intenção de aproximação de culturas e saberes.

Para esta mostra os artistas partiram de um exercício de deposição objetual, no qual não existe um tema ou fio condutor que relacione os trabalhos entre si. São objetos que num determinado momento e num determinado contexto significaram algo para cada um dos seus autores. Trata-se de uma acumulação de “coisas” que agora vão repousar em jeito de resíduo na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho e no Arquivo Municipal de Monção.

Esperamos que este encontro seja profícuo para os artistas, para a organização, para as populações».

A entrada é livre!

MONÇÃO REQUALIFICA PRACETA FERNANDO PESSOA

A presente beneficiação, em fase de execução, pretende transmitir uma imagem de modernidade e atratividade àquela zona habitacional, proporcionando a residentes e visitantes uma área apelativa, elegante e segura, inspirada na criatividade do poeta Fernando Pessoa.

Praceta Fernando Pessoa.png

A Câmara Municipal de Monção tem investido em diversas freguesias do concelho no âmbito da requalificação viária, segurança rodoviária e criação de espaços de lazer para usufruto dos habitantes locais e visitantes. As apostas têm incidido em áreas ribeirinhas mas também em zonas mais urbanizáveis do nosso concelho.

Um dos últimos exemplos é a Praceta Fernando Pessoa, Urbanização da Boavista, na União de Freguesias de Mazedo e Cortes. Os trabalhos, entregues à firma “Limabuild, Engenharia & Construções, Lda” pelo valor de 52.988,54 €,  tem um prazo de execução de 120 dias, encontrando-se presentemente em fase de execução.

Em linhas gerais, a beneficiação daquele espaço urbano pretende transmitir uma imagem de modernidade e atratividade àquela zona habitacional, proporcionando a residentes e visitantes uma área apelativa, elegante e segura, inspirada na criatividade do poeta Fernando Pessoa.

Assim, a par da arborização e criação de espaços verdes, a empreitada engloba igualmente uma peça desenhada com a imagem e a inscrição de um poema do autor de “Tabacaria”. Prevê-se também o melhoramento das áreas de estacionamento automóvel, bem como a valorização do sistema de drenagem de águas pluviais.

ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS: CDS APRESENTA PROPOSTAS EM MONÇÃO

Proposta do CDS-PP Monção cria melhores condições para associações desportivas

No passado dia 22 de junho realizou-se, no Auditório da Biblioteca Municipal de Monção, uma reunião do executivo camarário. O vereador do CDS-PP, José Luís Alves, apresentou uma proposta para financiar as associações municipais na aquisição de Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE), para integração no Programa Nacional de Desfibrilhação Automática Externa (PNDAE). A proposta foi aprovada pelos membros da Câmara Municipal de Monção.

NOTÍCIAS.png

O vereador do CDS-PP afirma que "Monção é um município onde existem várias associações desportivas que desenvolvem atividades com um significativo número de atletas e nestes eventos participa um número considerável de pessoas". Desta forma, José Luís Alves propôs a criação de uma verba de até 2500€, por cada associação desportiva que pretenda aderir a um PNDAE. "A verba seria destinada à aquisição do equipamento e à respetiva formação e treino dos colaboradores responsáveis pelo manuseio dos equipamentos", defende o vereador centrista.

Após a apresentação da proposta, e a sua aprovação, ficou decidido que os espaços desportivos do concelho de Monção serão, de forma gradual, equipados com o DAE, começando, de imediato pelo pavilhão polidesportivo e formando os funcionários destacados para o local. Posteriormente, as várias coletividades do concelho serão contactadas para saber da disponibilidade de participarem na formação e dotarem os seus espaços com um equipamento que pode salvar vidas.

José Luís Alves congratula-se com a aprovação da proposta do CDS-PP, mostrando que se deu "um passo em frente para que as nossas coletividades possam ser exemplo de boa cidadania e dar uma melhor resposta no caso de necessidade de assistência a atletas e público em geral.".

O DAE, utilizado em paragens cardiorrespiratórias, tem como função identificar o ritmo cardíaco ou fibrilação ventricular (FV) presente em 90% das paragens cardíacas. Para José Luís Alves a importância deste equipamento é extrema já que "se uma pessoa sofrer uma arritmia do coração e for assistida até aos 9 minutos, tem uma possibilidade de sobrevivência de 80%. Passado este período, a probabilidade de sobrevivência é quase nula. Daí a importância de existirem Desfibriladores Automáticos Externos".

VINCUL`ARTE – TODA A ARTE EM MONÇÃO

A maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho que celebra a cultura nas mais variadas formas (música, teatro, poesia, cinema, workshop e exposições) em cinco espaços públicos do centro histórico (Praça Deu-la-Deu, Alameda dos Néris, Rua da Independência, Largo de Camões e Largo da Igreja Matriz) realiza-se este fim de semana, 14 e 15 de julho.

19260787_722812867905473_8805339503053545139_n.jpg

Monção é palco este fim-de-semana, 14 e 15 de julho, da segunda edição do “Vincul`Arte”, a maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho que celebra a cultura nas mais variadas formas (música, teatro, poesia, cinema, workshop e exposições) em cinco espaços públicos do casco urbano (Praça Deu-la-Deu, Alameda dos Néris, Rua da Independência, Largo de Camões e Largo da Igreja Matriz).

André Coelho, da Associação Clube Azul, organizadora do evento, promete dois dias intensos para desfrutar da arte, nas suas profundas e criativas multiplicidades, em locais emblemáticos do centro histórico de Monção. Refere que “a primeira edição foi uma surpresa agradável” e que a segunda “será o crescimento natural de um projeto que veio para ficar”

A Alameda dos Néris recebe exposições de pintura, escultura, fotografia e ilustração, bem como workshop de desenho “Meta_Olmo”, coordenado por Patrícia Oliveira, do Atelier Flor Agreste, o qual tem como finalidade focar a atenção dos participantes nos aspetos e detalhes da beleza natural circundante. As exposições são inauguradas no dia 14, sexta-feira, pelas 16h00. O workshop no dia 15, sábado, pelas 18h00.

Com o apoio do Cine Clube de Monção, está previsto cinema ao ar livre na Rua da Independência com passagem do “Cinema Paradiso”, de Guisseppe Tornatore. Na sede do clube, na mesma rua, estará patente ao público uma exposição de cartazes que fazem a história do cinema português. Sessão marcada para o dia 14, sexta-feira, pelas 22h00.

A peça de teatro “Não é por ali”, diálogo cómico com duas intérpretes, Andreia Alves e Ana Rita Monteiro, é apresentada no dia 15, sábado, pelas 17h00, no Largo de Camões, seguindo-se, no mesmo local, o primeiro concerto da presente edição do “Vincul`Arte” a cargo de “O Manipulador”.

A poesia de Valeriano Varela e José Pinto far-se-á ouvir no Largo da Igreja Matriz, a partir das 21h30, abrindo portas a vários concertos, naquele espaço, que prometem animar o casco urbano da vila: Them Flying Monkeys, Nice Weather for Ducks, Puma Pumku e Cave Story.

VINCUL`ARTE – TODA A ARTE EM MONÇÃO

A maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho que celebra a cultura nas mais variadas formas (música, teatro, poesia, cinema, workshop e exposições) em cinco espaços públicos do centro histórico (Praça Deu-la-Deu, Alameda dos Néris, Rua da Independência, Largo de Camões e Largo da Igreja Matriz) realiza-se este fim de semana, 14 e 15 de julho.

01.jpg

Monção é palco este fim-de-semana, 14 e 15 de julho, da segunda edição do “Vincul`Arte”, a maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho que celebra a cultura nas mais variadas formas (música, teatro, poesia, cinema, workshop e exposições) em cinco espaços públicos do casco urbano (Praça Deu-la-Deu, Alameda dos Néris, Rua da Independência, Largo de Camões e Largo da Igreja Matriz).

André Coelho, da Associação Clube Azul, organizadora do evento, promete dois dias intensos para desfrutar da arte, nas suas profundas e criativas multiplicidades, em locais emblemáticos do centro histórico de Monção. Refere que “a primeira edição foi uma surpresa agradável” e que a segunda “será o crescimento natural de um projeto que veio para ficar”

A Alameda dos Néris recebe exposições de pintura, escultura, fotografia e ilustração, bem como workshop de desenho “Meta_Olmo”, coordenado por Patrícia Oliveira, do Atelier Flor Agreste, o qual tem como finalidade focar a atenção dos participantes nos aspetos e detalhes da beleza natural circundante. As exposições são inauguradas no dia 14, sexta-feira, pelas 16h00. O workshop no dia 15, sábado, pelas 18h00.

Com o apoio do Cine Clube de Monção, está previsto cinema ao ar livre na Rua da Independência com passagem do “Cinema Paradiso”, de Guisseppe Tornatore. Na sede do clube, na mesma rua, estará patente ao público uma exposição de cartazes que fazem a história do cinema português. Sessão marcada para o dia 14, sexta-feira, pelas 22h00.

A peça de teatro “Não é por ali”, diálogo cómico com duas intérpretes, Andreia Alves e Ana Rita Monteiro, é apresentada no dia 15, sábado, pelas 17h00, no Largo de Camões, seguindo-se, no mesmo local, o primeiro concerto da presente edição do “Vincul`Arte” a cargo de “O Manipulador”.

A poesia de Valeriano Varela e José Pinto far-se-á ouvir no Largo da Igreja Matriz, a partir das 21h30, abrindo portas a vários concertos, naquele espaço, que prometem animar o casco urbano da vila: Them Flying Monkeys, Nice Weather for Ducks, Puma Pumku e Cave Story.

02.jpg

03.jpg

04.jpg

05.jpg

06.jpg

08.jpg

10 (3).jpg

Vincul`arte.jpg

MONÇÃO: MERUFE VIVE MOMENTO HISTÓRICO

Contrato de trabalho de abastecimento de água à freguesia, no valor de 952.985,15 €, foi assinado ontem, ao final da tarde, no salão nobre da sede da junta. Investimento, com prazo de execução de 730 dias, compreende a construção de rede de distribuição de 25 quilómetros, estações, condutas elevatórias e reservatório em Santo André, abrangendo os lugares de Mosteiro, Palhares, Pica, Senra, Pretos, Salgueiro, Pias, Pereiras, Santo André, Azevedo, Campo Longo, Parada, Fundevila, Ribeiro, Carvalhas, Poço do Quinteiro e Real.

DSC_0487 (Large).JPG

Um momento histórico para Merufe. Esta frase resume o sentimento do Presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, e do presidente da Junta de Freguesia de Merufe, Márcio Alves, na assinatura do contrato de trabalho para a execução da empreitada de abastecimento de água a Merufe.

A cerimónia, que decorreu ontem, ao final da tarde, no salão nobre da sede da junta, contou também com representantes da empresa “Armindo Fernandes Gomes, Lda”, responsável da empreitada, bem como um significativo número de merufenses que quiseram associar-se ao arranque desta importante obra para a freguesia.

Adjudicado por 952.985,15 €, este investimento estruturante, com prazo de execução de 730 dias, compreende a construção de rede de distribuição numa extensão de 25 quilómetros, estações, condutas elevatórias e reservatório em Santo André, abrangendo os lugares de Mosteiro, Palhares, Pica, Senra, Pretos, Salgueiro, Pias, Pereiras, Santo André, Azevedo, Campo Longo, Parada, Fundevila, Ribeiro, Carvalhas, Poço do Quinteiro e Real.

Para Márcio Alves, o abastecimento de água a Merufe é a concretização de um sonho e a satisfação de uma necessidade da população, tratando-se, afirmou, da mais importante obra feita na freguesia. Adiantou:“ Peca por tardia mas ainda bem que veio. É uma realidade e uma vantagem grande para a elevação da qualidade de vida dos merufenses”.

Um sentimento de felicidade partilhado pelo autarca monçanense. Otimista e desinibido, duas das caraterísticas de uma personalidade marcante e comprometida com o futuro de Monção, Augusto de Oliveira Domingues referiu que a presente empreitada é fundamental para Merufe mas também para todo o concelho de Monção.

“Fizemos história, Márcio. Cumprimos o objetivo de dotar a freguesia com água ao domicílio e fechamos o ciclo da água no concelho de Monção. Sinto uma enorme felicidade. Apesar de dificuldades orçamentais e vicissitudes várias, é gratificante verificar que melhoramos o quotidiano de muitos monçanenses que, há alguns anos atrás, não dispunham de água domiciliária” acentuou.

Augusto de Oliveira Domingues historiou ainda o forte investimento de saneamento básico no concelho, com intervenções em diferentes freguesias, e agradeceu a Márcio Alves a contribuição que tem dado para o crescimento económico e social do concelho. Lembrou a cooperativa de volantes, o espaço do cidadão e a aposta na cultura popular.

Respondendo a um desejo manifestado por Márcio Alves para que ambos possam abrir a torneira deste investimento na freguesia, Augusto de Oliveira Domingues afirmou que seria uma honra para ele poder cumprir aquele desejo, terminando algo que começaram juntos.

Os trabalhos foram entregues à empresa “Armindo Fernandes Gomes, Lda”, após prévia realização de concurso público, por despacho de 1 de junho de 2017, ratificado na reunião ordinária de 12 de junho, tendo a minuta de contrato sido aprovada na reunião ordinária de 22 de junho, nos termos do disposto no nº1 do artº 98º do CCP.

DSC_0503 (Large).JPG

DSC_0516 (Large).JPG

DSC_0526 (Large).JPG

BRAGA APRESENTA REVISTA "BRACARA AUGUSTA"

Apresentação do Volume LXII da Revista ´Bracara Augusta´ realiza-se Quarta-feira, 12 de Julho, pelas 16h30, no Espaço Fórum da Feira do Livro

O Município de Braga apresenta o Volume LXII da Revista ´Bracara Augusta´, em cerimónia que terá lugar amanhã, Quarta-feira, dia 12 de Julho, pelas 16h30, no Espaço Fórum da Feira do Livro, em Braga.

7 (2).jpg

 

A revista Bracara Augusta – Revista Cultural da Câmara Municipal de Braga teve a sua origem no Boletim do Arquivo Municipal de Braga, publicado a partir de 1935. Já com a designação de Revista “Bracara Augusta”, o 1.º volume, composto por vários boletins, é editado em Agosto de 1949.

Esta publicação constitui um valioso instrumento de promoção de história local, contribuindo para o enriquecimento dos leitores e para o conhecimento da história da Cidade e da região de Braga.

A contínua publicação de trabalhos da autoria de distintos académicos e investigadores, que primam pelo rigor científico e histórico, baseando-se essencialmente na História Local e Regional, elevou a Revista ao patamar das grandes referências bibliográficas.

MONÇANENSES CAMINHAM POR LUGARES FASCINANTES A MAIS DE MIL METROS DE ALTITUDE

Trilho de Santo António de Vale de Poldros realizou-se no passado sábado com cerca de trinta participantes que tiveram o privilégio de ver pousar o sol num local alto e belo. Tratou-se da segunda etapa da iniciativa municipal “Caminha para Conhecer Monção” que continua, em agosto, dia 12, pelas 9h00, com o Trilho das Pesqueiras, na Bela.

Trilho 01 (Large).JPG

Apreciar o pousar do sol num local alto e belo. Eis o privilégio dos trinta participantes que marcaram presença no passado sábado, 8 de julho, no Trilho de Santo António de Vale de Poldros, em Riba de Mouro, percurso deonze  quilómetros por lugares fascinantes situados a mais de mil metros de altitude.

Tratou-se da segunda etapa da iniciativa municipal “Caminha para Conhecer Monção” que teve início às 19h00, junto à capela de Santo António de Vale de Poldros, entrando pela noite dentro pela mão de Bruno Gonçalves e Patrícia Oliveira, guias do percurso.

Ao longo do trajeto,paredes meias com as enormes ventoinhas que geram energia eólica, os participantes tiveram a oportunidade de passar pelas cardenhas (habitações típicas das brandas) e pelos “quartéis”, locais de abrigo dos romeiros, sendo agradavelmente interpelados por vários poldros (cavalos pequenos) que circulavam em plena liberdade.

“Caminha para Conhecer Monção” prossegue no dia 12 de agosto, pelas 9h00, com a realização do Trilho das Pesqueiras, na Bela. Um convite á passagem de momentos agradáveis numa paisagem tranquila e bucólica que nos remete para a memória fluvial com “conversas” sobre o contrabando e “olhares” presos no património natural.

Trilho 02 (Large).JPG

trilho 03 (Large).JPG

trilho 04 (Large).JPG

Trilho 05 (Large).JPG

trilho 06 (Large).JPG

“REDES EM FESTA” JUNTOU MAIS DE 600 IDOSOS DO VALE DO MINHO

Encontro anual, com caráter itinerante pelos concelhos de Melgaço, Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira e Paredes de Coura, decorreu, na passada sexta-feira, 7 de julho, no Parque da Senhora da Cabeça, em Cortes, Monção.Presente no convívio, Conceição Soares agradeceu a presença das instituições sociais e desejou a todos os idosos um encontro agradável.

redes em festa 01 (Large).jpg

O Parque da Senhora da Cabeça, em Cortes, Monção,foi palco, na passada sexta-feira, 7 de julho, de mais uma edição da iniciativa "Redes em Festa", encontro de idosos das instituições particulares de solidariedade social da região do Vale do Minho.

O Concelho de Monção participou com mais de uma centena de idosos da Santa Casa da Misericórdia de Monção, Associação “Censo” e centros sociais e paroquiais de Barbeita, Merufe, Podame, Pias. Todas as instituições participantes foram presenteadas com uma lembrança executada pelas instituições locais.

As boas vindas foram dadas pela Tuna da Universidade Sénior de Monção. A Vice-Presidente da Câmara Municipal de Monção, Conceição Soares, agradeceu a presença das instituições sociais e desejou a todos os idosos um convívio agradável. Estava dado o mote para uma jornada com muita música, dança e diversão.

Ao longo do dia, foram feitas várias apresentações pelas redes sociais dos cinco concelhos da região, intercaladas por um almoço-convívio entre idosos, técnicos e auxiliares das instituições sociais presentes. Antes do ponto final, realizou-se um lanche com a Rede Social de Monção a oferecer uma rosca e um papudo a cada participante.

A iniciativa “Redes em Festa” realiza-se desde 2004 com o objetivo de promover o convívio e a confraternização entre os idosos dos vários concelhos participantes: Melgaço, Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira e Paredes de Coura. Este ano, a organização esteve a cargo da Rede Social de Monção, envolvendo mais de 600 idosos.

Redes em festa 02 (Large).jpg

Redes em festa 03 (Large).jpg

Redes em festa 04 (Large).jpg

Redes em festa 05 (Large).jpg

QUATRO MUNICÍPIOS DO ALTO MINHO CANDIDATAM ECOPISTA DO RIO MINHO A "MELHOR VIA VERDE DA EUROPA"

Ecopista do rio Minho candidata a ‘Melhor Via Verde da Europa’

Através de um projeto conjunto dos municípios de Vila Nova de Cerveira, Valença, Monção e Caminha, a Ecopista do Rio Minho é candidata ao prémio de ‘Melhor Via Verde da Europa’, no VIII EuropeanGreenwaysAward. Vencedores são revelados a 28 de setembro, na cidade de Limerick.

_D6C5529.png

Promovido pela Associação Europeia Greenways (E.G.W.A.) e pela União Europeia, este prémio bienal tem como objetivo promover exemplos de melhores práticas e apoiar sua replicação em outras vias verdes em toda a Europa.

Em Vila Nova de Cerveira, a Ecovia ‘Caminho do Rio’ perfaz cerca de 13,5kms de pleno contacto com o rio Minho e a natureza envolvente. Os utilizadores são envolvidos numa paisagem mista entre uma área terrestre, cujo legado resulta da atividade agrícola, e uma área fluvial, onde domina a vegetação ao longo das margens, assim como elementos paisagísticos comuns em todo o estuário do rio. Nela, vive-se umcontraste da paisagem que mostra uma realidade diversa e conduz pela memória dos tempos à relação do Homem com o rio Minho.

Neste momento, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira tem projetado concretizar, a curto prazo, os últimos 900 metros, de forma a permitir que este corredor verde fique totalmente ligado de Monção ao concelho de Caminha.

As Vias Verdes do Rio Minho consistem numa rede de infraestruturas de "Ecovias" e "Ecopistas" existentes na margem esquerda do rio Minho, entre Monção e a foz do Rio Minho em Caminha. Totalizam cerca de 50 km de rotas para pedestres e ciclismo, essencialmente inseridas na Rede Natura 2000.

O VIII EuropeanGreenwaysAward decorre a 28 de setembro, na cidade irlandesa de Limerick.

MONÇÃO ABRE CONCURSO PÚBLICO PARA CONSTRUÇÃO, INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE BAR, NO PARQUE DAS CALDAS

Apresentação de candidaturas até 5 de setembro, no Balcão Único de Atendimento da CMM, Edifício do Loreto. Aviso de procedimento publicado na passada sexta-feira, no Diário da República. 

concurso.png

O aviso de abertura de concurso público para Concessão de Uso Privativo para Construção, Instalação e Exploração de Estabelecimento de Restauração e Bebidas, no Parque das Caldas, aprovado na reunião do executivo municipal de 22 de junho, foi publicado na passada sexta-feira, 7 de julho, no Diário de República com o anúncio de procedimento nº5824/2017.

Contando a partir daquela data, os interessados tem agora um período de 60 dias para apresentar as respetivas candidaturas, terminando o prazo às 16h15 do dia 5 de setembro, terça-feira. Refira-se que a proposta para abertura de procedimento concursal foi aprovada, pelo Executivo Municipal de Monção, na reunião ordinária de 22 de junho.

O programa de concurso pode ser consultado no BalcãoÚnico de Atendimento da CMM, Edifício do Loreto, encontrando-se igualmente disponível para visualização e descarga no Portal Municipal quer na área informativa, onde se faz alusão à abertura do concurso, quer nos editais online através do seguinte link: https://goo.gl/wbqApS

MONÇÃO REALIZA MOSTRA DE ARTES AO AR LIVRE

Monção recebe segunda edição de VinCul’Arte nos dias 14 e 15 de Julho

A vila raiana de Monção receberá nos próximos dias 14 e 15 de Julho o VinCul’Arte, a maior mostrar de artes ao ar livre do Alto Minho.

19549649_1437642442949247_321863356_o.jpg

O VinCul’Arte é uma mostrar de música, teatro, poesia, exposição e cinema que vai envolver esta vila raiana em todo o seu centro histórico. Nesta edição são muitos os artistas convidados nas mais diversas áreas. Durante os dois dias será possível visitar exposições permanentes de Joana Degues ou Alua Polen, entres outros.

No dia 14 de Julho, na sede da CineClube de Monção estará em exposição a história do cinema Português e, às 22 horas será projetado na rua da Independência o filme: “Cinema Paradiso” de Guisseppe Tornatore realizado em 1988.

No dia 15 de Julho, pelas 17 horas, destaca-se a presença de duas artistas - Andreia Siva e Rita Monteiro – que vêm apresentar “Não é Por Ali”, uma performance que tem como ponto de partida o texto “Cantora Careca” de Eugene Iunesco. Uma hora mais tarde terá lugar o primeiro concerto do dia, O Manipulador, uma One Man Band experimental de baixo, pedais, loop station e voz.

Alameda dos Nerys, Largo de Camões, Largo da Igreja Matriz, Rua da Independência e a Praça Deu-La-Deu receberão concertos de música, exposições de Pintura, escultura, fotografia e ilustração bem como seções de cinema, declamações de poesia, peças de teatro e workshop.

Pode consultar o programa completo no nosso Facebook (@vinculartemoncao).

Manter e criar vínculos entre as pessoas e a arte é o objetivo deste festival, que vai para a segunda edição, após o sucesso alcançado em 2016. Este ano os espetáculos continuarão a ser de acesso livre a todas as áreas de demonstração de arte.

Vincularte (3) (1).jpg

Vincularte (4) (1).jpg

Vincularte (5) (1).jpg

  

CASA MUSEU DE MONÇÃO LANÇA POEMAS INÉDITOS DE JOÃO VERDE

A Casa Museu de Monção promove o lançamento de Álbum de versos – inédito de João Verde, a realizar-se no dia 15 de julho (Sábado), nas instalações da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, sitas em Monção, conforme programa em anexo.

casamuseumoncao.PNG

Trata-se da publicação de uma edição facsimilada pela Casa Museu de Monção/Universidade do Minho de um álbum de versos inédito de João Verde, cujos direitos de publicação foram cedidos a esta Unidade Cultural da Universidade do Minho pelas proprietárias da obra Senhoras Regina e Adelaide Barreto Rodrigues.

Num texto de apresentação da edição desta obra pode ler-se uma breve descrição do álbum manuscrito por João Verde, cerca de 1890, sobre o qual Henrique Barreto Nunes organizador do volume, escreveu: «José Rodrigues Vale utilizou este exemplar intitulado “Poesie” para escrever alguns dos seus versos, certamente já passados a limpo, provavelmente com intenção de os publicar. O álbum, de 20x13 cm, é cartonado e revestido por um tecido decorado com flores que emoldura, na capa, uma pequena gravura reproduzindo uma cena com duas crianças patinando no gelo. Em relevo aparece-nos a palavra “Poesie”. As guardas são constituídas por papel tipo “conqueror”, que protegem 3 cadernos de 10 folhas cada debruadas a ouro. No primeiro encontramos, como se de frontispício se tratasse, uma outra gravura a cores de um cenário idílico e florido, ao gosto neo-romântico, em que de novo surge o título “Poesie” em caracteres bem desenhados em tons dourados, protegido por uma fina folha de papel de seda».

No programa consta também um Recital de Poesia que será feito pelo Sindicato de Poesia.

O SINDICATO DE POESIA é uma associação cultural informal, de múltiplas vozes, que a partir de 1996 começou a surpreender, a sobressaltar os bracarenses com inesperados recitais e intervenções poéticas, divulgando poetas de nome consagrado ou outros que poucos conheciam, mantendo sempre uma coerência estética e de linguagem e uma qualidade performativa que rapidamente conquistaram e envolveram os amantes da palavra escrita e (bem) dita. Em Monção fará uma leitura original sobre a obra poética de João Verde.

Este evento organizado pela Casa Museu de Monção/Universidade do Minho tem o apoio da Adega Cooperativa de Monção.

MUNICÍPIO DE MONÇÃO COMPARTICIPA NO CUSTO DOS MEDICAMENTOS

Destinada a minorar as dificuldades sentidas pelos idosos do concelho com rendimentos e pensões baixas, medida solidária irá abranger 50 idosos com idade igual ou superior a 66 anos ou ser portador de doença crónica ou outras doenças similares. As candidaturas decorrem entre 18 de julho e 1 de agosto.

agenda.png

A comparticipação municipal em medicamentos é um projeto solidário que tem como finalidade atenuar as dificuldades sentidas pelos idosos do concelho com rendimentos e pensões baixas, tratando-se, dessa forma, de um apoio destinado a minorar situações de fragilidade social.

Destinando-se a um número máximo de 50 idososdo concelho com comprovada carência económica, esta medida solidária traduz-se na comparticipação de 75% por cento do encargo do utente na compra de medicamentos com receita médica do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

As candidaturas têm início no dia 18 de julho e terminam no dia 1 de agosto.Posteriormente, decorre um período de apreciação e apresentação do relatório final. Para a concretização da medida, foi aprovada, em reunião do executivo municipal, alteração ao regulamento e despacho para abertura do respetivo concurso.

Os idosos abrangidos vão receber um cartão específico para utilização numa das seis farmácias existentes no concelho, parceiras do município neste projeto. O valor anual por pessoa não poderá ultrapassar 160 euros, correspondendo ao montante de 8 mil euros inscrito no orçamento deste ano.

Quem pode concorrer?

Todas as pessoas que preencham os seguintes requisitos:

- Idade igual ou superior a 66 anos ou ser portador de doença crónica ou outras doenças similares;

- Ser pensionista, reformado ou carenciado com insuficientes meios de subsistência;

- Residir em alojamento familiar, há pelo menos dois anos, no concelho de Monção;

- Possuir um rendimento per capita do agregado familiar inferior a 90% do valor do I

De que forma?

Mediante preenchimento de requerimento próprio fornecido pelo Serviço de Ação Social do Município de Monção, devendo ser entregue presencialmente no Balcão de Atendimento Único, Edifício do Loreto. O requerimento (editável) e o regulamento estão disponíveis no portal municipal em: http://www.cm-moncao.pt/portal/page/moncao/portal_municipal/social

Informações:

Serviço de Ação Social

Largo de Camões

4950 – 440 Monção

T 251 649 000 F 251 649 010

servicossociais@cm-moncao.pt

MONÇÃO RECEBE MOSTRA DE ARTE AO AR LIVRE

Monção recebe segunda edição de VinCul’Arte nos dias 14 e 15 de Julho

A vila raiana de Monção receberá nos próximos dias 14 e 15 de Julho o VinCul’Arte, a maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho.

Vincularte (1).jpg

O VinCul’Arte é uma mostrar de música, teatro, poesia, exposição e cinema que vai envolver esta vila raiana em todo o seu centro histórico. Nesta edição são muitos os artistas convidados nas mais diversas áreas. Durante os dois dias será possível visitar exposições permanentes de Joana Degues ou Alua Polen, entres outros.

No dia 14 de Julho, na sede da CineClube de Monção estará em exposição a história do cinema Português e, às 22 horas será projetado na rua da Independência o filme: “Cinema Paradiso” de Guisseppe Tornatore realizado em 1988.

No dia 15 de Julho, pelas 17 horas, destaca-se a presença de duas artistas - Andreia Siva e Rita Monteiro – que vêm apresentar “Não é Por Ali”, uma performance que tem como ponto de partida o texto “Cantora Careca” de Eugene Iunesco. Uma hora mais tarde terá lugar o primeiro concerto do dia, O Manipulador, uma One Man Band experimental de baixo, pedais, loop station e voz.

Alameda dos Nerys, Largo de Camões, Largo da Igreja Matriz, Rua da Independência e a Praça Deu-La-Deu receberão concertos de música, exposições de Pintura, escultura, fotografia e ilustração bem como seções de cinema, declamações de poesia, peças de teatro e workshop.

Pode consultar o programa completo no nosso Facebook (@vinculartemoncao) ou no nosso site, emwww.vincultare.pt

Manter e criar vínculos entre as pessoas e a arte é o objetivo deste festival, que vai para a segunda edição, após o sucesso alcançado em 2016. Este ano os espetáculos continuarão a ser de acesso livre a todas as áreas de demonstração de arte.  

Vincularte (2).jpg

Vincularte (3).jpg

Vincularte (4).jpg

Vincularte (5).jpg

MONÇÃO APRESENTA LIVRO “TERRITÓRIOS VINHATEIROS DE PORTUGAL”

Englobada na programação da Feira do Alvarinho, apresentação do livro, que assinala 10 anos da Associação de Municípios Portugueses de Vinho (AMPV), realiza-se no dia 1 de julho, sábado, pelas 15h00, no Museu Alvarinho.

convite.jpg

A publicação “Territórios Vinhateiros de Portugal”, que assinala 10 anos da Associação de Municípios Portugueses de Vinho (AMPV), vai ser apresentada este sábado, pelas 15h00, no Museu Alvarinho, contando com a presença, entre outros, do secretário-geral da AMPV, José Arruda.

Englobada na programação da Feira do Alvarinho de Monção, a publicação aborda diversos concelhos com predominância vitícola. Monção aparece em lugar de destaque com descrição histórica do vinho Alvarinho, património monumental e feiras/eventos mais emblemáticas do concelho. Uma combinação perfeita ilustrada por imagens apelativas que convidam a uma visita. 

Em linhas gerais, Monção, Berço do Alvarinho, apresenta-se como um concelho onde o Alvarinho evidencia a sua alma e revela-se ao consumidor como um vinho único e singular produzido num território rodeado de solos graníticos e envolvido no sopro refrescante da ribeira Minho.

Vinho personalizado, aromático e encorpado, este néctar precioso, embalado desde o berço por mãos hábeis e laboriosas que guardam segredos geracionais e abrem-se a conhecimentos técnicos inovadores, manifesta-se, ao palato do consumidor mais exigente, com a originalidade própria de um grande vinho branco, provavelmente o melhor vinho branco do mundo.

MINISTRO DO AMBIENTE VISITA FEIRA DO ALVARINHO

O certame, que decorre entre amanhã e domingo, recebe a visita de João Matos Fernandes no primeiro dia, sexta-feira, pelas 15h00.A inauguração oficial tem lugar às 11h00com a presença do presidente do Instituto da Vinha e do Vinho, Frederico Falcão. Por imperativo de agenda, o Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luis Medeiros Vieira, inicialmente previsto para presidir à cerimónia de abertura, não pode estar presente.

image_2017-06-29_15-31-40.jpg

O Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, visita amanhã, sexta-feira, a Feira do Alvarinho de Monção. O governante é recebido pelo autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, pelas 15h00, seguindo-se uma visita aos diferentes espaços do certame.

A inauguração oficial tem lugar às 11h00 com a presença do presidente do Instituto da Vinha e do Vinho, Frederico Falcão. Por imperativo de agenda, o Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luis Medeiros Vieira, inicialmente previsto para presidir à cerimónia de abertura, não pode estar presente.

A Feira do Alvarinho de Monção, que decorre entre amanhã e domingo, apresenta uma programação destinada a todos os públicos, complementada com provas de vinho, degustação gastronómica, conferências temáticas e animação musical.

No Campo da Feira, localiza-se uma tenda gigante com produtores de vinho Alvarinho (31) tasquinhas/ranchos (8), fumeiros/queijaria (5), tasquinhas (5), doçaria tradicional (4). No espaço exterior, situam-se os expositores de artesanato (32), instituições e associações locais (13), patrocinadores oficiais (12) e organização/venda de copos (2).

Ao todo, marcam presença na feira 112 expositores, acrescentando-se um posto de informação, um posto médico, um espaço infantil, instalações sanitárias, espaço lounge, Eprami.come e espaço “Vinho – Grandes Escolhas”, onde decorrerão as conferências e palestras a cargo de oradores prestigiados e conhecedores desta casta aromática.

Num evento de sucesso que se renova de ano para ano, a edição deste ano apresenta uma imagem renovada, reforça a segurança e higienização edisponibiliza, em parceria com a Confraria da Foda de Pias, uma área coberta dedicada a um dos pratos mais típicos da região: Foda à Monção.

Todos os anos, milhares de pessoas, de diferentes áreas geográficas de Portugal e Espanha, rumam à Terra de Deu-la-Deu Martins para “sentir” a Feira do Alvarinho de Monção. A autarquia monçanense espera ultrapassar a fasquia de 70 mil pessoas e um volume de negócios direto e indireto (cafetarias, restauração, hotelaria, comércio..) superior a 1ME.

Ao longo dos três dias, as tardes serão preenchidas com agrupamentos folclóricos do nosso concelho. As noites iniciam-se com animação de rua (charangas), continuando, pela noite dentro, com Dj`s conhecidos do grande público. Na sexta-feira, Paulino Coelho. No sábado, Fernando Alvim.

MONÇÃO LANÇA VINHO "DEU LA DEU TERRAÇOS"

“Deu la Deu Terraços” é o novo vinho da maior adega da Região dos Vinhos Verdes

A Adega Cooperativa de Monção apresenta, na próxima sexta-feira, dia 30, às 17 horas, o “Deu-la-Deu Terraços”, um vinho que resulta de um trabalho de investigação realizado em parceria com a empresa YeastWine. A apresentação realiza-se na Feira do Alvarinho, que decorre em Monção, e conta com a presença de Armando Fontainhas, presidente da Adega Cooperativa de Monção, de Isabel Araújo, responsável da YeastWine, e de Luís Lopes, da revista de vinhos Grandes Escolhas.

O Deu-la-Deu Terraços é um vinho da casta Alvarinho com características organoléticas típicas da Sub-Região vitivinícola de Monção e Melgaço, que resulta de um trabalho de investigação em biotecnologia das leveduras. No design de vinhos, a utilização de estirpes comerciais tendem a uniformizar o perfil aromático do produto final, mascarando as propriedades que o distinguem e tipificam. As leveduras autóctones estão mais adaptadas à região de origem, contribuindo para a manutenção das propriedades sensoriais e do perfil característico dos vinhos de cada terroir. Após um estudo que envolveu o isolamento, caracterização genética e enológica das leveduras e vinificações à escala piloto e industrial, nasceu o “Deu-la-Deu Terraços”, um vinho que resulta exclusivamente de leveduras seleccionadas naquela sub-região.

Nota: O presidente da Adega Cooperativa de Monção tem o prazer de o convidar para a apresentação do “Deu-la-Deu Terraços”, que se realiza na próxima sexta-feira, às 17 horas, no stand de provas, na Feira do Alvarinho de Monção.

ADEGA COOPERATIVA DE MONÇÃO LANÇA ALVARINHO PRODUZIDO COM LEVEDURAS AUTÓCTONES

“Deu la Deu Terraços” é o novo vinho da maior adega da Região dos Vinhos Verdes

A Adega Cooperativa de Monção apresenta, na próxima sexta-feira, dia 30, às 17 horas, o “Deu-la-Deu Terraços”, um vinho que resulta de um trabalho de investigação realizado em parceria com a empresa YeastWine. A apresentação realiza-se na Feira do Alvarinho, que decorre em Monção, e conta com a presença de Armando Fontainhas, presidente da Adega Cooperativa de Monção, de Isabel Araújo, responsável da YeastWine, e de Luís Lopes, da revista de vinhos Grandes Escolhas.

Deu la Deu Terraços _ Logotipo.jpg

O Deu-la-Deu Terraços é um vinho da casta Alvarinho com características organoléticas típicas da Sub-Região vitivinícola de Monção e Melgaço, que resulta de um trabalho de investigação em biotecnologia das leveduras. No design de vinhos, a utilização de estirpes comerciais tendem a uniformizar o perfil aromático do produto final, mascarando as propriedades que o distinguem e tipificam. As leveduras autóctones estão mais adaptadas à região de origem, contribuindo para a manutenção das propriedades sensoriais e do perfil característico dos vinhos de cada terroir. Após um estudo que envolveu o isolamento, caracterização genética e enológica das leveduras e vinificações à escala piloto e industrial, nasceu o “Deu-la-Deu Terraços”, um vinho que resulta exclusivamente de leveduras seleccionadas naquela sub-região.

Nota: O presidente da Adega Cooperativa de Monção tem o prazer de o convidar para a apresentação do “Deu-la-Deu Terraços”, que se realiza na próxima sexta-feira, às 17 horas, no stand de provas, na Feira do Alvarinho de Monção.

FEIRA DO ALVARINHO: TRÊS DIAS DE PROMOÇÃO VINÍCOLA, ANIMAÇÃO POPULAR E RENTABILIZAÇÃO ECONÓMICA

A melhor feira do país dedicada ao setor dos vinhos decorre este fim de semana, 30 de junho a 2 de julho, esperando superar 70 mil visitantes nos três dias e possibilitar a injeção motivadora de um milhão de euros na economia monçanense decorrente de faturação direta, nos 112 expositores presentes, e faturação indireta na hotelaria, restauração, cafetarias e comércio do concelho.  

DSC_0049 (Large) (2).JPG

Com abertura oficial na sexta-feira, pelas 11h00, presidida pelo Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luis Medeiros Vieira, a Feira do Alvarinho de Monção promete três dias de promoção do vinho Alvarinho, animação popular e rentabilização económica dos expositores, comércio, hotelaria e restauração do concelho.

Na apresentação à imprensa, realizada esta manhã no Museu do Alvarinho, o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, reafirmou a importância deste certame vinícola na vida económica e social do concelho e a aposta crescente da organização na higienização e segurança do evento.

Num investimento próximo de 300 mil euros, o autarca apontou dois objetivos: superar a afluência de 70 mil pessoas estimada no ano passado com gente de diferentes áreas geográficas de Portugal e Espanha e possibilitar a injeção motivadora de um milhão de euros na economia local decorrente de faturação direta, nos 112 expositores presentes, e faturação indireta na hotelaria, restauração, cafetarias e comércio do concelho.  

Na apresentação, Augusto de Oliveira Domingues, esteve acompanhado por José Emílio Moreira, Grão Duque da Real Confraria do Vinho Alvarinho, e Miguel Queimado, presidente da Associação de Produtores de Alvarinho. Ambos enalteceram o crescimento exponencial da feira nos últimos anos e o papel aglutinador no estabelecimento de negócios e captação de novos públicos.

Num evento que se reinventa de edição para edição, os stands apresentam uma nova imagem, mais apelativa, requintada e funcional. Como novidade, feita em parceria com a Confraria da Foda de Pias, a Feira do Alvarinho disponibiliza um espaço autónomo para degustação de um dos pratos mais típicos da gastronomia monçanense: Foda à Monção.

Os expositores estão distribuídos por uma área coberta (produtores de Alvarinho, tasquinhas, fumeiros, queijaria, doçaria tradicional) e uma área descoberta (artesanato, instituições e associações locais, patrocinadores oficiais e organização/venda de copos). Acrescente-se ainda um posto de informação, um posto médico, um espaço infantil, instalações sanitárias, espaço lounge, Eprami.come e espaço “Vinho – Grandes Escolhas”, onde decorrerão as palestras e provas comentadas.

Ao longo dos três dias, as tardes serão preenchidas com agrupamentos folclóricos do nosso concelho. As noites iniciam-se com animação de rua, continuando, pela noite dentro, com Dj`s conhecidos do grande público. Na sexta-feira, Paulino Coelho. No sábado, Fernando Alvim.

DSC_0053 (Large).JPG

DSC_0067 (Large).JPG

DSC_0070 (Large) (1).JPG

DSC_0085 (Large) (1).JPG

MONÇÃO EDITA POEMAS INÉDITOS DE JOÃO VERDE

O Reitor da Universidade do Minho e o Presidente da Casa Museu de Monção levam a efeito a cerimónia de lançamento de Álbum de versos inédito de João Verde, a realizar-se no dia 15 de julho (Sábado), nas instalações da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, sitas em Monção, conforme o seguinte programa.

Capturarjoaoverde.PNG

Trata-se da publicação de uma edição facsimilada pela Casa Museu de Monção/Universidade do Minho de um álbum de versos inédito de João Verde, cujos direitos de publicação foram cedidos a esta Unidade Cultural da Universidade do Minho pelas proprietárias da obra Senhoras Regina e Adelaide Barreto Rodrigues.

Num texto de apresentação da edição desta obra pode ler-se uma breve descrição do álbum manuscrito por João Verde, cerca de 1890, sobre o qual Henrique Barreto Nunes organizador do volume, escreveu: «José Rodrigues Vale utilizou este exemplar intitulado “Poesie” para escrever alguns dos seus versos, certamente já passados a limpo, provavelmente com intenção de os publicar. O álbum, de 20x13 cm, é cartonado e revestido por um tecido decorado com flores que emoldura, na capa, uma pequena gravura reproduzindo uma cena com duas crianças patinando no gelo. Em relevo aparece-nos a palavra “Poesie”. As guardas são constituídas por papel tipo “conqueror”, que protegem 3 cadernos de 10 folhas cada debruadas a ouro. No primeiro encontramos, como se de frontispício se tratasse, uma outra gravura a cores de um cenário idílico e florido, ao gosto neo-romântico, em que de novo surge o título “Poesie” em caracteres bem desenhados em tons dourados, protegido por uma fina folha de papel de seda».

No programa consta também um Recital de Poesia que será feito pelo Sindicato de Poesia.

O SINDICATO DE POESIA é uma associação cultural informal, de múltiplas vozes, que a partir de 1996 começou a surpreender, a sobressaltar os bracarenses com inesperados recitais e intervenções poéticas, divulgando poetas de nome consagrado ou outros que poucos conheciam, mantendo sempre uma coerência estética e de linguagem e uma qualidade performativa que rapidamente conquistaram e envolveram os amantes da palavra escrita e (bem) dita. Em Monção fará uma leitura original sobre a obra poética de João Verde.

Este evento organizado pela Casa Museu de Monção/Universidade do Minho tem o apoio da Adega Cooperativa de Monção.

Mais informações em: www.casamuseumoncao.uminho.pt

MONÇÃO CRIA BANCO MUNICIPAL DE LIVROS ESCOLARES

Pelo sexto ano consecutivo, entrega de livros escolares usados decorre entre 1 de julho e 18 de agosto, na Biblioteca Municipal de Monção. Posteriormente, serão tratados e preparados por voluntárias do Banco Local de Voluntariado para serem entregues no início do ano letivo.

cartaz-A3_17c2.jpg

Com o objetivo de incentivar a recuperação de manuais escolares usados, disponibilizando-os gratuitamente a quem necessita, a Câmara Municipal de Monção, através do Banco Local de Voluntariado e dos serviços da biblioteca municipal, voltou a criar um Banco Municipal de Livros Escolares para o ano letivo 2017/2018. 

A entrega decorre entre 1 de julho e 18 de agosto na Biblioteca Municipal de Monção, onde serão rececionados manuais escolares usados de todos os patamares de ensino (1º ao 12 º ano). Posteriormente, serão tratados e preparados por voluntárias do Banco Local de Voluntariado para serem entregues no início do ano letivo.

Realizando-se pelo sexto ano consecutivo, a iniciativa resultou, no último ano letivo, na distribuição gratuita de 322 livros por 68 crianças. Uma ajuda fundamental no processo de aprendizagem e na concretização de um ensino com igualdade de oportunidades para todos.

Além do desenvolvimento de um sentimento de partilha e solidariedade, o Banco Municipal de Livros Escolares visa o reforço de boas práticas de proteção e educação ambiental, fazendo uma gestão mais proveitosa do papel e a diminuição dos custos associados à aquisição dos manuais escolares.

EUROCIDADE MONÇÃO-SALVATERRA DE MIÑO DISPONIBILIZA OS SERVIÇOS DO GABINETE DE INFORMAÇÃO SOBRE EMPREGO DA UNIÃO EUROPEIA, EURES TRANFRONTEIRIÇO

Serviço, em funcionamento desde a passada segunda-feira, 19 de junho, constitui uma mais-valia para quem investe e trabalha nesta zona de fronteira, garantindo acesso a um conjunto de informações fundamentais para um pleno exercício da atividade profissionale para a procura de emprego.

Eures (Large).JPG

A Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, cuja sede está localizada no lugar da Lodeira, em Monção, iniciou, na passada segunda-feira, 19 de junho, a colaboração com o serviçoEures Transfronteiriço Norte de Portugal – Galicia, organismo criado em 1998 com o objetivo de transmitir informação específica relacionada com a mobilidade de trabalhadores e empresários entre as duas regiões.

Esta decisão, saída de uma reunião de trabalho entre os representantes da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño e a Coordenadora do Eures Transfronteiriço Norte de Portugal – Galicia, Teresa GonzálezVentin, realizada recentemente, constitui uma mais-valia para quem investe e trabalha nesta zona de fronteira, garantindo acesso a um conjunto de informações fundamentais para um pleno exercício da atividade profissional.

Entre estas, destacam-se as ofertas de emprego existentes na Euroregião, informação sobre legislação dos dois países em matéria laboral, fiscal e social aplicada à mobilidade transfronteiriça, oportunidades de formação profissional em ambas as regiões e os procedimentos legais subjacentes à contratação laboral.

Presentes na reunião, tanto o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, como o Alcalde de Salvaterra de Miño, Arturo Grandal Vaqueiro, consideram aquele serviço como essencial no relacionamento laboral e formativo das duas regiões, acreditando que a sua aplicabilidade terá um papel importante junto dos empregados e empregadores.

A informação solicitada será disponibilizada pelas duas técnicas afetas ao organismo que tem em mãos o estabelecimento de diversas parcerias, através de protocolos de colaboração, com instituições e associações de ambas as regiões, visando assegurar maior flexibilidade, procura e eficácia deste serviço virado para as pessoas.

Refira-se que o Eures é uma rede criada pela Comissão Europeia, constituída por representantes em todos e cada um dos estados membro, com o propósito de prestar serviços de informação aos trabalhadores e empresários sobre o mercado de trabalho no Espaço Económico Europeu.

Dentro da rede Eures, encontra-se o serviço Eures Transfronteiriço, cujo objetivo consiste em dar resposta às necessidades de informação ligadas à mobilidade laboral e empresarial em zonas de fronteira. Um desses Eures Transfronteiriço recebeu o nome de Norte de Portugal – Galicia, intervindo nesta Euroregião desde 1998.

Horário

Atendimento ao público

Período da manhã - segunda a sexta-feira - 09h00 às 13h00

Período da tarde - quinta-feira - 15h00 às 17h00   

MONÇÃO. PLANO ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA (PERU) APONTA PARA 24 PROJETOS ESTRUTURANTES NO VALOR GLOBAL DE 20 MILHÕES DE EUROS

Documento, apresentado ontem à noite, no Cine Teatro João Verde, assenta num rigoroso estudo de caraterização e diagnóstico do centro urbano de Monção, assumindo-se como um instrumento estruturante com metodologias, estratégias e projetos para concretizar nos próximos 10 a 15 anos.  

Plano 01 (Large).JPG

O Plano Estratégico de Reabilitação Urbana é documento extenso elaborado pela Sociedade Portuguesa de Inovação com algumas orientações estratégicas no sentido de promover uma maior aproximação ao rio Minho e assegurar equilíbrio entre áreas pedonais/espaços verdes e estacionamento automóvel. A apresentação pública decorreu, ontem à noite, no Cine Teatro João Verde.

O documento, apresentado por João Medina, acompanhado na mesa por Augusto de Oliveira Domingues e Conceição Soares, esteve em audiência pública entre os dias 10 de maio e 18 de junho, tendo recebido quatro comentários escritos. Amanhã, 22 de junho, pelas 10h00, será objeto de apreciação e votação na reunião ordinária do executivo municipal. No dia 29, quinta-feira, pelas 21h00, sobe à Assembleia Municipal.

O PERU incide na materialização de diversas medidas e ações que contribuam decisivamente para fazer de Monção um território de elevada qualidade urbanística, patrimonial e ambiental que potencie a atratividade do centro histórico e da zona ribeirinha. O objetivo é ativar novas funções urbanas e fomentar atividades económicas geradoras de emprego.

plano 02 (Large).JPG

Neste contexto, foram elencados quatro eixos estratégicos que resumidamente se prendem com a reabilitação do parque edificado, promoção do empreendedorismo, aproximação à zona ribeirinha, valorização dos recursos endógenos, fortalecimento da identidade local, qualificação da oferta turística, melhoria dos espaços urbanos, reforço da mobilidade suave e consolidação da ligação transfronteiriça.

Estratégia de longo prazo

Uma estratégia de longo prazo, entre 10 a 15 anos, que aponta para a efetivação de 24 projetos estruturantes no valor global de 20 milhões de euros de investimento municipal. Uns já estão concluídos ou em fase de execução e outros aguardam o tempo certo com o financiamento adequado. Para já, estão em fase de estudo prévio, recolha de pareceres técnicos ou elaboração de projeto.  

E quais são? O plano refere alguns finalizados como a recém-inaugurada Casa da Música/Sede da Banda Musical de Monção, outros em execução como a zona do Porcalho e ainda outros em fase de arranque como a requalificação da Praça da República e arruamentos envolventes. A propósito, refira-se que a empreitada, entregue à empresa “Limabuild, Engenharia e construções, Lda”, pelo valor de 615.854,89 €, imposto incluído, inicia-se na Rua 25 de Abril num prazo muito curto.

O documento propõe também a reabilitação integral do casco muralhado, revitalização do baluarte/largo do Souto, recuperação/adaptação da Casa Souto D` Rei em Museu Municipal, requalificação da Praça Deu-la-Deu, e beneficiação do eixo viário da Rua da Veiga Velha/Rua D. Afonso Henriques/Largo Dr. Oliveira e Silva.

Neste capítulo, referência para a requalificação integral da Avenida Afonso III, envolvente da antiga estação da CP. Depois da recuperação da antiga estação e aquisição/demolição das habitações junto à muralha, o documento contempla a continuação de investimento naquela zona nevrálgica de entrada no centro urbano.

Parque de estacionamento subterrâneo

De momento, a única ideia concreta defendida pelo atual executivo é a recuperação breve do muralhado do baluarte da Cova do Cão e a construção de um parque de estacionamento subterrâneo com capacidade para 300 lugares mais as garagens individuais para os proprietários das garagens do “Prédio das Finanças”.

A opção deste local prende-se com o facto de se tratar de uma zona de aterro que não deverá trazer qualquer imprevisto relacionado com a paragem da obra e consequente incremento financeiro. Situação que poderia não se verificar na Praça da República ou Praça Deu-la-Deu devido à proximidade de habitações e possibilidade de aparecimento de afloramentos graníticos ou achados arqueológicos

O futuro do cais da estação, algo que tem dividido a opinião dos monçanenses, conforme se constatou no inquérito lançado online pela autarquia, ainda não está definido, sendo certo que passará por uma das três situações: recuperação, demolição ou deslocalização para um local próximo. Os técnicos da REFER defendem a sua recuperação. Os técnicos de organismos culturais optam pela sua demolição, garantindo mais visibilidade ao pano de muralha.

No parque termal, em conjunto com a nova funcionalidade do antigo edifício termal, concluído no exterior, estão pensadas várias intervenções: prolongamento do parque infantil com novas ofertas recreativas, ligação do “túnel do Arado” ao passadiço de madeira, criação de ecovia até à freguesia da Bela, construção de parque de campismo a montante do Parque Desportivo Municipal e edificação de um bar de apoio.

“Trata-se de um plano de longo prazo que pretende reforçar a centralidade e atratividade de Monção e transmitir um sinal muito claro à iniciativa privada que vale a pena investir em Monção” Augusto de Oliveira Domingues

plano 03 (Large).JPG

MONÇÃO REALIZA FEIRA DO ALVARINHO

A melhor feira do país dedicada ao setor dos vinhos está a chegar. Marque na agenda: 30 de junho e 1 e 2 de julho. Três dias de promoção do vinho Alvarinho, degustação gastronómica e animação popular.Venha brindar connosco. E convide os seus familiares e amigos.

A Feira do Alvarinho de Monção, certame destinado a promover aquele produto vínico singular e nobre da nossa região, realiza-se nos dias 30 de junho e 1 e 2 de julho, apresentando uma programação destinada a todos os públicos, complementada com provas de vinho, degustação gastronómica, conferências temáticas e animação musical.

No Campo da Feira, vai localizar-se uma tenda gigante com produtores de vinho Alvarinho (31) tasquinhas/ranchos (8), fumeiros/queijaria (5), tasquinhas (5), doçaria tradicional (4). No espaço exterior, situam-se os expositores de artesanato (32), instituições e associações locais (13), patrocinadores oficiais (12) e organização/venda de copos (2).

Ao todo, marcam presença na feira112 expositores, acrescentando-se um posto de informação, um posto médico, um espaço infantil, instalações sanitárias, espaço lounge, Eprami.come e espaço “Vinho – Grandes Escolhas”, onde decorrerão as conferências e palestras a cargo de oradores prestigiados e conhecedores desta casta aromática.

Num evento de sucesso que se renova de ano para ano, a edição deste ano disponibiliza, em parceria com a Confraria da Foda de Pias, uma área dedicada à degustação da gastronomia monçanense, Cordeiro à Moda de Monção, conhecido como Foda à Monção, com apresentação daquele prato típico da região.

A abertura oficial está marcada para as 11h00 com a presença do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luis Medeiros Vieira, abrindo espaço a três dias de promoção dos vinhos Alvarinho, gastronomia local e rentabilização económica dos expositores, comércio, hotelaria e restauração do concelho.

Milhares de pessoas, de diferentes áreas geográficas de Portugal e Espanha, rumam à Terra de Deu-la-Deu Martins para “sentir” a Feira do Alvarinho de Monção. No último ano, no mesmo local, terão passado pelo recinto da feira 70mil pessoas, originando um volume de negócio direto e indireto (cafetarias, restauração, hotelaria, comércio..) superior a meio milhão de euros.

Ao longo dos três dias, as tardes serão preenchidas com agrupamentos folclóricos do nosso concelho. As noites iniciam-se com animação de rua (charangas), continuando, pela noite dentro, com Dj`s conhecidos do grande público. Na sexta-feira, Paulino Coelho. No sábado, Fernando Alvim.

A Feira do Alvarinho de Monção tem como finalidade reforçar a sua condição de instrumento estratégico para a promoção e comercialização daquele produto singular produzido em Monção e Melgaço, enaltecendo as suas características vinícolas ímpares e diferenciadoras e promovendo o estabelecimento de parcerias comerciais.

Assume-se ainda como uma espaço de divulgação da atividade empresarial e associativa da região e como uma “montra” para a dinamização do mundo rural através da apresentação, valorização e comercialização de produtos e artigos locais e regionais.

cartaz.tif

Dia 1 sábado.png

Dia 2 domingo.png

dia 30 sexta.png

Planta.png

CASA MUSEU DE MONÇÃO PROMOVE COLÓQUI SOBRE "AS MULHERES NA CIDADE MODERNA"

Colóquio "As mulheres na cidade moderna" | 30 de junho (sexta feira) | Casa Museu de Monção/UMinho

O Presidente e a Direção da Casa Museu de Monção, Unidade Cultural da Universidade do Minho realizam o colóquio "As mulheres na cidade moderna", no próximo dia 30 de junho (sexta feira), na Sala de Conferências da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho, sitas na vila de Monção.

30 junho monção.jpg

Este Colóquio pretende reunir especialistas nesta matéria e homenagear a patrona desta Casa, Senhora D. Maria Teresa Cardeal Andrade Martins Salgueiro, no ano de comemoração do centenário do seu nascimento.

PROGRAMA:

10h00 – Sessão de abertura

10h30 - Conferência Género, sexo y mística popular en la España del siglo XVII: a propósito de los entornos de Catalina de Jesús - TOMÁS MANTÉCON, Universidade de Cantábria

11h15 - Conferência Mujeres, sexo e Inquisición en la Sevilla Moderna - MARIA LUISA CANDAU, Universidade de Huelva

12h00 – Período de debate

12h45 – Pausa para almoço

14h30 – Conferência Huérfanas, educandas y maestras de oficios. El potencial cultural urbano en Galicia a finales del Antiguo Régimen - ANA SIXTO BARCIA, Universidade de Vigo

15h15 – Período de debate

16h00 - Lançamento da obra "Da caridade à Solidariedade: políticas e práticas particulares no mundo Ibérico”,organização de José Viriato Capela, Maria Marta Lobo de Araújo, Alexandra Esteves e Sandra Castro. Trata-se da compilação dos textos dos participantes no Seminário Internacional “Da Caridade à Solidariedade: políticas públicas e práticas particulares no mundo ibérico”, realizado nas instalações da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho nos dias 5 e 6 de maio de 2016. A apresentação do livro será efetuada pela PROF. DOUTORA OFELIA REY CASTELAO da Universidade de Santiago de Compostela.

16h45 – Encerramento dos trabalhos

Organização:

Casa Museu de Monção/Universidade do Minho

Lab2PT/Universidade do Minho

Coordenadores Científicos:

José Viriato Capela

Maria Marta Lobo de Araújo

A entrada é livre!

ENTREGA DE PRÉMIOS DO CONCURSO “ERA UMA VEZ …O POETA JOÃO VERDE”

Englobada na programação do Corpo de Deus/Festa da Coca, a cerimónia realizou-se esta manhã, 17 de junho, no auditório da Biblioteca Municipal de Monção. O objetivo, como referiu Paulo Esteves, é incentivar a prática da escrita junto dos mais jovens, incutindo-lhes competência criativa e capacidade narrativa.

DSC_0366 (Large).JPG

Englobada na programação do Corpo de Deus/Festa da Coca, a cerimónia de entrega de prémios do concurso de escrita “Era uma vez …O Poeta João Verde” realizou-se esta manhã, 17 de junho, no auditório da Biblioteca Municipal de Monção.  

Além dos jovens premiados, encarregados de educação e professores de diversos escalões de ensino, marcou presença o vereador das Atividades Socioculturais, Paulo Esteves, e as técnicas do município responsáveis pela iniciativa, Elisabete Magalhães e Filipa Pires.

Paulo Esteves enalteceu a importância deste prémio como forma de incentivar a escrita junto dos mais novos. Agradeceu o empenho de todos, júri, alunos, professores e pais. E lembrou que o objetivo desta iniciativa não é competir mas criar nos jovens competência criativa e capacidade narrativa.

O concurso de escrita “Era uma vez …o Poeta João Verde” englobou quatro escalões de participação segundo o nível de ensino. Os premiados receberam diplomas e vales no valor de 50 €, 75 € e 100 € para “descontar” nas papelarias locais em material escolar e artigos pedagógicos.

O júri de premiação foi constituído por Henrique Barreto Nunes, antigo diretor da Biblioteca Pública de Braga, Cecília Andrade, professora, e Gonçalo Fonseca, encenador e ator da Comédias do Minho.

No primeiro escalão, 3º e 4 anos do 1º ciclo, o primeiro lugar foi entregue a Inês Mendes Esteves, da EB1 de Pias, com o título “Primeiro Poema do Poeta João Verde”. Seguiu-se Nádia Gonçalves, também da EB 1 de Pias, com “O Poeta João Verde”, e António Barreiros de Azevedo, da EB1 de Mazedo, com “João Verde e o Bom Vizinho”.

No escalão seguinte, 2º ciclo, venceu o título “O Pequeno João Verde”, da autoria de Rebeca Gonçalves Vieites, ficando, em segundo lugar, Diana Borges Guedes, com “Através do Tempo”. Os dois alunos premiados pertencem à EB 2.3 de Monção.

Quanto ao terceiro escalão, 3º ciclo, a vitória recaiu em Andreia Lourenço Fernandes, da Escola Secundária de Monção, com “O Lunático das Letras”. Em segundo lugar, ficou Maria Esteves Salgado, da EB 2.3 de Monção, com “Era Uma Vez….o Poeta João Verde”

Por fim, no quarto escalão, ensino secundário e profissional, os premiados foram Marco Meleiro, com “Histórias Que Um Olhar Oculta”, em primeiro lugar, André Pombo Regatão, com “Liberum Iter”, em segundo lugar, e Renato da Rocha Silva com “Uma Margem Para Dois Amores”, em terceiro lugar. Todos da Escola Secundária de Monção.

DSC_0367 (Large).JPG

MONÇÃO DISTINGUE MÚSICOS, EMPRESAS E ASSOCIAÇÕES LOCAIS

Pelos feitos alcançados, pela determinação persistente, pelo serviço às melhores causas, pelo altruísmo constante, pelo amor à sua terra. Por tanta coisa. É uma forma de o município dizer “Muito Obrigado”. E também um incentivo para que continuem a fazer bem e a transmitir as suas boas práticas às gerações vindouras. Cerimónia teve lugar na quinta-feira, dia de Corpo de Deus, no Cine Teatro João Verde.

DSC_0145 (Large).JPG

O reconhecimento de uma comunidade aos seus filhos é um ato de justiça e gratidão por tudo que fizeram e fazem pelo seu desenvolvimento. Todos os anos, por ocasião do Corpo de Deus/Festa da Coca, o Município presta homenagem aos monçanenses que, de alguma forma, se distinguiram na sua atividade.

Pelos feitos alcançados, pela determinação persistente, pelo serviço às melhores causas, pelo altruísmo constante, pelo amor à sua terra. Por tanta coisa. É uma forma de o Município dizer “Muito Obrigado”. E também um incentivo para que continuem a fazer bem e a transmitir as suas boas práticas às gerações vindouras.

Este ano, com o título de serviços distintos/medalha de ouro foram distinguidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas.

Como instituições de mérito, forma reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), com mais de 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade.

A proposta da comissão de parecer para cidadão de mérito/medalha de prata recaiu em Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Esta será entregue no dia 12 de agosto quando este ilustre monçanense vier atuar ao Cine Teatro João Verde. A apresentação esta semana de uma ópera da sua autoria impediu-o de estar presente na cerimónia. Ausência totalmente justificada.

"Os homenageados, cada um à sua maneira, contribuem para o desenvolvimento da nossa terra. É um orgulho entregar-lhes estas condecorações e um privilégio, para todos nós, podermos contar com a sua intervenção a favor de Monção".

Augusto de Oliveira Domingues

DSC_0152 (Large).JPG

DSC_0160 (Large) (1).JPG

DSC_0164 (Large) (1).JPG

MONÇÃO ENTREGA TÍTULOS HONORÍFICOS

CERIMÓNIA DE ENTREGA DE TITULOS HONORIFICOS E CONDECORAÇÕES 2017

15 de junho, quinta-feira, pelas 11h00, no Cine Teatro João Verde. Município distingue Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista, José Miguel Dantas Rodrigues e Agostinho Rodrigues Roquinho, músicos com 50 anos de atividade nas filarmónicas locais, e quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda, Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, Coca Hipermercados, Lda, e Rádio Ecos da Raia.

A cerimónia de entrega de títulos honoríficos e condecorações, englobada no segundo dia da programação da festividade do Corpo de Deus/Festa da Coca, realiza-se no dia 15 de junho, quinta-feira, pelas 11h00, no Cine Teatro João Verde.

Este ano, a proposta da comissão de parecer para cidadão de mérito/medalha de prata recaiu em Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Esta condecoração é atribuída a pessoas que se notabilizam nas respetivas atividades profissionais e cívicas.

A propósito, é referido no artigo 10º do regulamento que “o título de cidadão de mérito de Monção é destinado a premiar cidadãos nacionais e estrangeiros que, pela prática de atos notáveis, tenham obtido êxito nos campos artístico, literário, científico e profissional”.  

Com o título de serviços distintos/medalha de ouro serão distinguidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas.

Como instituições de mérito serão reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), com 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade.

No artigo 17º do regulamento assinala-se que “o título de instituição de mérito é atribuído quando se verifica desenvolvimento excecional no campo da atividade que realiza, resultando no reconhecimento de mais-valia para o município”. 

MONÇÃO CELEBRA EUCARÍSTIA E REALIZA PROCISSÃO SOLENE DO CORPO DE DEUS E TRADICIONAL COMBATE ENTRE S. JORGE E A COCA

O Corpo de Deus/Festa da Coca, festividades do concelho de Monção, iniciam-se hoje com Noite de Fados, conhecendo o ponto alto amanhã, 15 de junho, com a Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus (17h00), pelas ruas do centro histórico, e o tradicional combate entre S. Jorge e a Coca (18h30), no anfiteatro do Souto.

Combate 07 (1).JPG

O dia começa cedo com alvorada, 8h00, entrada de grupos de bombos, 9h30, e arruada da Coca pelas ruas da vila, 10h00. Um momento muito participado em que os pais trazem os filhos para conhecer e tirar uma fotografia com o dragão que, contas feitas, revela-se acolhedor e simpático. Pelas 11h00, no Cine Teatro João Verde, decorre a Cerimónia de Entrega de Títulos Honoríficos e Condecorações.  

Procissão 07  (1).JPG

À tarde, após entrada da Fanfarra Deu-la-Deu Martins de S. Tiago de Pias, marcada para as 16h30, celebra-se a Eucaristia e a Procissão Solene do Corpo de Deus, pelas 17h00, onde participam todas as cruzes e pendões das paróquias do Arciprestado de Monção, sendo um momento revelador de devoção e fé da população local. Quem acompanha o percurso e quem presencia dos passeios ou varandas.

Após o percurso pelas ruas da vila, a procissão recolhe à Igreja Matriz e as pessoas deslocam-se em massa para o anfiteatro do Souto, onde terá lugar, pelas 18h30, o torneio entre as forças do bem e do mal. O povo dispõe-se em redondel enquanto o cavaleiro S. Jorge, representando o bem, e a horrenda figura de um dragão conhecido por Coca, representando o mal, tomam posições no terreno.

As cores berrantes e o tamanho do bicho provocam no cavalo certos temores que impedem ou dificultam a aproximação suficiente para S. Jorge desferir os golpes castigadores do mal. No interior, vai uma pessoa que movimenta a cabeça da Coca, contribuindo, ainda mais, para dificultar a tarefa do Padroeiro do Reino.

Entretanto, o público toma partido: pela Coca que este ano está a ser bem empurrada ou pelo S. Jorge que, fruto da experiência, consegue domar o cavalo perante os avanços do monstro. Com o decorrer dos minutos, o “combate” provoca a boa disposição na assistência que premeia com palmas as boas provas de um e de outro num claro sinal de independência.

O torneio demora o tempo que leve ao cansaço dos participantes ativos ou vença a habilidade de S. Jorge concretizado na certeza dos golpes desferidos na "pobre" Coca que todos os anos, por uma ou outra razão, tem de ser restaurada pois lhe faltará a língua ou as orelhas.

Jorge vence se cortar uma orelha e introduzir a lança, por três vezes, nas goelas da Coca. Reza a história que, em caso de vitória do cavaleiro, haverá um bom ano agrícola com muito e bom Alvarinho nas adegas e nas mesas. Se a vitória sorrir à Coca, aproximam-se tempos adversos e muito dificeis.

Procissão (1).jpg

CORPO DE DEUS/FESTA DA COCA ANIMA MONÇÃO NO FERIADO E FIM DE SEMANA

Festas concelhias, que arrancam esta quarta-feira com Noite de Fados e terminam no domingo com o Cortejo Etnográfico das Freguesias, englobam um conjunto diversificado de iniciativas para diferentes públicos. O ponto forte acontece na tarde de quinta-feira com Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus, seguida do tradicional combate entre S. Jorge e a Coca. 

Conf 01.JPG

O Corpo de Deus/Festa da Coca decorre entre 14 e 18 de junho. O programa, como habitual, reserva um conjunto variado de iniciativas recreativas e solenes com acentuada componente religiosa. O objetivo, como sempre, é trazer gente ao concelho, proporcionando a dinamização dos setores ligados à restauração e hotelaria.

A apresentação à imprensa teve lugar esta manhã no Museu do Alvarinho. Além do presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, esteve presente o vereador das atividades socioculturais, Paulo Esteves, o Arcipreste Salvador Fernandes, e o responsável pela iniciativa musical, Coca` in Festa.

Todos realçaram a importância das festas como suporte da identidade local e animação económica do concelho, bem como a relevância em englobarem iniciativas complementares que enriquecem, ainda mais, o programa religioso e festivo das Festas Concelhias. O custo global situa-se em 67 mil euros. Os benefícios económicos para o comércio, hotelaria e restauração são maiores.

Medalha de ouro para loja de fotografia com 100 anos

O programa “abre” na quarta-feira à noite, dia 14, pelas 21h30, com Noite de Fados, no Largo de Camões, conhecendo, no dia seguinte, quinta-feira, feriado nacional e municipal, dois dos momentos mais marcantes destas festividades: Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus e tradicional “combate” entre S. Jorge e a Coca.

O dia começa com entrada dos grupos de bombos de Pias e de Mazedo (9h30), arruada da Coca (10h00) e entrega de condecorações e títulos honoríficos a cidadãos e instituições de mérito, cerimónia que decorrerá no Cine Teatro João Verde (11h00).

Este ano, a proposta da comissão de parecer para cidadão de mérito/medalha de prata recaiu em Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Com o título de serviços distintos/medalha de ouro serão distinguidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas.

Como instituições de mérito serão reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), com 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade.

Desfile e concerto de bandas filarmónicas

A Fanfarra Deu-la-Deu de Monção “entra” pelas 16h30, seguindo-se a Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus (17h00), o espetáculo S. Jorge e a Coca (18h30) e o tradicional combate entre S. Jorge e a Coca, no anfiteatro do Souto (19h00). Que o cavaleiro do reino esteja à altura e ganhe o “combate” para termos bom vinho Alvarinho nas adegas e nas mesas.

O terceiro dia de festa, sexta-feira, está dedicado aos alunos do pré-escolar com o ateliê “A Coca vai à escola”, entre as 9h00 e as 16h00, nos estabelecimentos de ensino. À noite, pelas 22h00, o programa compreende atuação do Grupo Paralelos, na Praça Deu-la-Deu Martins.

No sábado, o dia começa pelas 11h00 com a entrega de prémios do Concurso de Escrita “Era uma vez ….O Poeta João Verde”, na Biblioteca Municipal de Monção. Pelas 17h00, tem lugar o desfile pelo centro histórico das bandas participantes no IV Festival Internacional de Bandas Filarmónicas que decorre pelas 21h30, na Praça Deu-la-Deu Martins.

Com organização da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, participam quatro filarmónicas: a Banda Lira de Ribadavia, de Ourense, a Banda de Música de Coimbrões, de Vila Nova de Gaia, a Banda Musical de Lousada, e a Banda Musical da Casa do Povo de Tangil.

Ao longo do dia, decorre a III edição do Coca`in Festa, no Largo do Loreto, com concertos de grupos emergentes na cena musical nacional. Ao início da tarde, atuações de Monção Brass e Mr. Gallini. Ao final da tarde e noite, sobem ao palco Palmiers, The Miami Flu, Conjunto Corona e Blacksea não Maya. Pelas 23h30, tem lugar um espetáculo de fogo-de-artifício (piromusical).

O último dia das festividades, que todos os anos encaminha milhares de pessoas à Terra de Deu-la-Deu, Alvarinho e Termas, está inteiramente dedicado ao cortejo etnográfico das freguesias, Com início às 16h00, percorre as ruas do centro histórico num verdadeiro repositório dos usos e costumes da população monçanense.

MUNICÍPIO MONÇANENSE APROVA VOTO DE LOUVOR AO DESPORTIVO DE MONÇÃO

Por proposta do presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, o executivo municipal aprovou, em sessão camarária realizada esta manhã, um voto de louvor ao Desportivo de Monção extensível à direção, equipa técnica e jogadores pela conquista da Taça da AFVC.

06 (Large).JPG

“É um orgulho tão grande que é difícil traduzi-lo em palavras. As manifestações de alegria vividas ontem e as imagens que ficam para a posteridade revelam que os monçanenses sentem o clube e vibram com as suas vitórias. Parabéns aos campeões. Viva o Desportivo. Viva Monção” sublinhou Augusto de Oliveira Domingues

Por proposta do presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, o executivo municipal aprovou, em sessão camarária realizada esta manhã, um voto de louvor ao Desportivo de Monção extensível à direção, equipa técnica e jogadores pela conquista da Taça da AFVC.

Augusto de Oliveira Domingues, que ontem recebeu a equipa no Museu do Alvarinho para um brinde à conquista do troféu, enalteceu o feito desportivo alcançado pelo Desportivo de Monção e agradeceu o empenho, dedicação e sacrifico de todos nesta brilhante vitória.

“É um orgulho tão grande que é difícil traduzi-lo em palavras. As manifestações de alegria vividas ontem e as imagens que ficam para a posteridade revelam que os monçanenses sentem o clube e vibram com as suas vitórias. Parabéns aos campeões. Viva o Desportivo. Viva Monção” sublinhou

O autarca monçanense lembrou ainda que a entrega dos votos de louvor será realizada numa cerimónia pública em data a anunciar. Disse: “Neste momento, estamos a saborear esta extraordinária conquista para o Desportivo e para Monção. Dentro de dias, vamos reunir e acertar uma data para a entrega dos diplomas”.

Nesta final realizada no Estádio Lourenço Raimundo, o Desportivo de Monção derrotou o Cerveira nas grandes penalidades (5 - 4), após empate a uma bola nos 120 minutos. A taça veio para Monção depois de no ano passado, no mesmo local, a ter deixado escapar para o Atlético dos Arcos, também na marcação de grandes penalidades.

Uma partida difícil com um resultado justo perante um adversário que engrandeceu ainda mais a nossa vitória. À chegada, os jogadores fizeram a festa no Chafariz da Deu-la-Deu. Depois foram recebidos no Museu do Alvarinho pelo Presidente da Câmara Municipal, Augusto de Oliveira Domingues, para um Alvarinho de honra. Copos ao alto e brindes por uma conquista que fica na história do clube.

13 (Large).JPG

14 (Large).JPG

20 (Large).JPG

21 (Large).JPG

26 (Large).JPG

CRIANÇAS DE MONÇÃO GOZAM FÉRIAS DIVERTIDAS NO VERÃO 2017

Iniciativa, promovida pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Monção, em colaboração com a autarquia local, decorre em dois períodos (26 de junho a 7 de julho e 10 a 21 de julho) das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00. Inscrições abrem na próxima terça-feira, dia 13, e terminam no dia 22, podendo ser efetuadas no Balcão Único de Atendimento, Casa do Loreto. 

ferias divertidas.png

A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Monção, em colaboração com a autarquia local, promove, de 26 de junho a 7 de julho e de 10 a 21 de julho, das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00, as “Férias Divertidas Verão 2017”, cujos destinatários são crianças com idades compreendidas entre 6 e 12 anos.

As inscrições, entre 13 e 22 de junho, podem ser efetuadas no Balcão Único de Atendimento, Casa do Loreto, encontrando-se limitadas a 40 crianças, 20 por cada grupo. O valor por criança é 30,00 €, sendo que, no caso de irmãos, desce para 20,00 €.  

Durante as “Férias Divertidas verão 2017”, com duração de dez dias úteis para cada grupo, estão previstas diversas atividades lúdicas em diferentes locais do nosso concelho e visita ao Museu do Traje e Museu de Artes Decorativas de Viana do Castelo.

Além de atividades desportivas e jogos tradicionais, o programa engloba workshops de cabeçudos, escultura, cerâmica, pintura, bem como técnicas de impressão e tingimento de lã, têxteis e t-shirts. Os participantes têm ainda a oportunidade de aprender a confecionar roscas.  

Esta iniciativa, inscrita no plano de ação da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Monção, tem como objetivo assegurar o preenchimento dos tempos livres das crianças de uma forma entretida, pedagógica e segura, oferecendo às crianças dias preenchidos e saudáveis e aos pais um espaço ideal para deixar os seus filhos durante o período laboral.

CAMINHA PARA CONHECER MONÇÃO

Iniciativa retomada no dia 17 de junho, sábado, com a realização do “Trilho da Cova da Moura”, prolongando-se até o mês de outubro. A participação é gratuita, contudo, para efeitos de seguro, é necessária a respetiva inscrição. Informações através dos seguintes contactos telefónicos: 934 440 770 ou 916 531 313. Inscrições através da internet no link: https://goo.gl/NBZj6D.

trilhos.jpg

A Câmara Municipal de Monção retoma a iniciativa “Caminha para Conhecer Monção” com a realização de seis trilhos pedestres entre os meses de junho e outubro. O primeiro percurso “Trilho da Cova da Moura”, em Cambeses, realiza-se no dia 17 do corrente, sábado, com início às 9h00.

A participação é gratuita, contudo, para efeitos de seguro, é necessária a respetiva inscrição. Informações através dos seguintes contactos telefónicos: 934 440 770 ou 916 531 313. Inscrições através da internet no link: https://goo.gl/NBZj6D.

No dia 8 de julho, decorre o “Trilho de Santo António de Vale de Poldros”, em Riba de Mouro, oportunidade para ver as cardenhas (habitações típicas das brandas) e os poldros (cavalos pequenos) em plena liberdade. O “Trilho das Pesqueiras”, na Bela, no dia 12 de agosto, remete-nos para o bucolismo fluvial.

Em setembro, dia 17, decorre o “Trilho Pé de Lombo” pelas inspiradoras e exuberantes paisagens de Riba de Mouro. No último mês, outubro, estão previstas duas caminhadas: “Trilho Caminho dos Mortos”, no dia 14, e “Trilho da Carvalheira de Abedim”, no dia 29.  

O primeiro “destapa” vestígios de um passado orgulhoso com passagem por caminhos ladeados por pedra, moinhos ou mamôas. O segundo revela-nos um património paisagístico singular, pontuado por refúgios naturais e tranquilizadores. Qual o melhor? São os dois bons.

MONÇÃO CELEBRA CORPO DE DEUS E REALIZA FESTA DA COCA 2017

O povo recolhe-se nos momentos religiosos e anima-se nas iniciativas mais descontraídas. Este ano, entre 14 e 18 de junho, as festas concelhias prometem encher o centro histórico e revitalizar a atividade comercial. O momento alto será a procissão solene e o "combate" entre S. Jorge e a Coca, na quinta-feira, dia 15. Que o cavaleiro do reino esteja à altura e ganhe o “combate” para termos bom vinho Alvarinho nas adegas e nas mesas.

Procissão.jpg

O Corpo de Deus/Festa da Coca decorre entre 14 e 18 de junho. O programa, como habitual, reserva um conjunto variado de iniciativas recreativas e solenes com acentuada componente religiosa. O objetivo, como sempre, é trazer gente ao concelho, proporcionando a dinamização dos setores ligados à restauração e hotelaria.

O programa “abre” na quarta-feira à noite, dia 14, pelas 21h30, com Noite de Fados, no Largo de Camões, conhecendo, no dia seguinte, quinta-feira, feriado nacional e municipal, dois dos momentos mais marcantes destas festividades: Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus e tradicional “combate” entre S. Jorge e a Coca.

O dia começa com entrada dos grupos de bombos de Pias e de Mazedo (9h30), arruada da Coca (10h00) e entrega de condecorações e títulos honoríficos a cidadãos e instituições de mérito, cerimónia que decorrerá no Cine Teatro João Verde (11h00).

Combate 07.JPG

Medalha de ouro para loja de fotografia com 100 anos

Este ano, a proposta da comissão de parecer para cidadão de mérito/medalha de prata recaiu em Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Com o título de serviços distintos/medalha de ouro serão distinguidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas.

Como instituições de mérito serão reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), com 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade.

A Fanfarra Deu-la-Deu de Monção “entra” pelas 16h30, seguindo-se a Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus (17h00), o espetáculo S. Jorge e a Coca (18h30) e o tradicional combate entre S. Jorge e a Coca, no anfiteatro do Souto (19h00). Que o cavaleiro do reino esteja à altura e ganhe o “combate” para termos bom vinho Alvarinho nas adegas e nas mesas.

O terceiro dia de festa, sexta-feira, está dedicado aos alunos do pré-escolar com o ateliê “A Coca vai à escola”, entre as 9h00 e as 16h00, nos estabelecimentos de ensino. À noite, pelas 22h00, o programa compreende atuação do Grupo Paralelos, na Praça Deu-la-Deu Martins.

Procissão 07 .JPG

Desfile e concerto de bandas filarmónicas

No sábado, o dia começa pelas 11h00 com a entrega de prémios do Concurso de Escrita “Era uma vez ….O Poeta João Verde”, na Biblioteca Municipal de Monção. Pelas 17h00, tem lugar o desfile pelo centro histórico das bandas participantes no IV Festival Internacional de Bandas Filarmónicas que decorre pelas 21h30, na Praça Deu-la-Deu Martins.

Com organização da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, participam quatro filarmónicas: a Banda Lira de Ribadavia, de Ourense, a Banda de Música de Coimbrões, de Vila Nova de Gaia, a Banda Musical de Lousada, e a Banda Musical da Casa do Povo de Tangil.

Ao longo do dia, decorre a III edição do Coca`in Festa, no Largo do Loreto, com concertos de grupos emergentes na cena musical nacional. Ao início da tarde, atuações de Monção Brass e Mr. Gallini. Ao final da tarde e noite, sobem ao palco Palmiers, The Miami Flu, Conjunto Corona e Blacksea não Maya. Pelas 23h30, tem lugar um espetáculo de fogo-de-artifício (piromusical).

O último dia das festividades, que todos os anos encaminha milhares de pessoas à Terra de Deu-la-Deu, Alvarinho e Termas, está inteiramente dedicado ao cortejo etnográfico das freguesias, Com início às 16h00, percorre as ruas do centro histórico num verdadeiro repositório dos usos e costumes da população monçanense.

Cortejo 11.JPG

Cortejo 16.JPG

 

Cartazcoca.jpg

Programa (Large).jpg

MONÇÃO REQUALIFICA PRAÇA DA REPÚBLICA

Trabalhos, que arrancam este mês, compreendem ainda a beneficiação dos arruamentos envolventes. Casos da Rua 25 de Abril, Largo da Alfândega, Avenida da Estação e Rua Eng. Duarte Pacheco. O objetivo geral é tornar mais visitável o centro histórico da vila, proporcionando a residentes e visitantes espaços atrativos e funcionais.

DSC_0003 (Large) (1).JPG

A Câmara Municipal de Monção assinou, na passada terça-feira, o contrato de trabalho com a “Limabuild, Engenharia e construções, Lda”, empresa responsável pela “Requalificação da Praça da República”. Os trabalhos foram entregues por 615.854,89 €, imposto incluído, devendo arrancar no terreno ainda no corrente mês.

A intervenção incide na Praça da República e arruamentos envolventes. Casos da Rua 25 de Abril, Largo da Alfândega, Avenida da Estação e Rua Eng. Duarte Pacheco. O objetivo geral é tornar mais visitável o centro histórico da vila, proporcionando a residentes e visitantes espaços atrativos e funcionais.

Os trabalhos previstos constam da beneficiação total da Praça da República, recuperando pavimentos, jardins, mobiliário urbano, iluminação pública e infraestruturas de abastecimento de água, saneamento e águas residuais. Será instalado um parque infantil e uma rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida no Posto dos Correios. 

Os passeios da envolvente à praça serão alargados, revestidos a lajedo de granito com diferenciação de relevo e utilização de diferentes materiais no acesso às passadeiras. Estas serão elevadas ao nível da praça e passeios envolventes, melhorando o acesso a pessoas com incapacidade visual ou mobilidade reduzida.

A configuração dos passeios definirá os locais de estacionamento e o seu alargamento impossibilitará o estacionamento abusivo em zonas proibidas. Localizados estrategicamente, serão criados lugares para pessoas com mobilidade condicionada. Nos arruamentos envolventes, já mencionados, a intervenção passa essencialmente pela requalificação dos passeios e regularização dos pavimentos.

DSC_0008 (Large).JPG

DSC_0009 (Large) (1).JPG

DSC_0015 (Large).JPG

EXPOSIÇÃO PINTURA DE JOANA DEGUES “GESTOS D`ALMA”

Casa Museu de Monção/UM

Joana Degues, natural de Monção, tem 24 anos. Licenciada em Arte e Design, dedicou-se à pintura há sensivelmente dois anos, tendo já participado em várias exposições em Portugal e Espanha. Os trabalhos apresentados nesta exposição revelam “Gestos D`Alma” desta jovem e promissora pintora monçanense.

Folclore Mazedo.jpg

As telas transpiram emoções e retratam estados de espírito através de rostos e corpos carismáticos com um cromático distinto” Joana Degues

Terça a sexta-feira: 09h30 às 12h00 e 14h00 às 17h00. Sábados: 14h00 às 18h00.

10 de junho, sábado, 7h30

GPS EPIC SERIES 5ª ETAPA

NA ROTA DA COCA

Promovida pelo Clube de Cicloturismo de Monção com apoio da autarquia monçanense, 5ª etapa deste circuito engloba provas de 35, 55 e 75 quilómetros pelas magníficas paisagens e bosques do concelho de Monção. Inscrição, no valor de 5,00 €, garante brinde, seguro, banho e track GPS. Orientação exclusiva por GPS. Abertura do secretariado às 7h30.

Informações/Inscrições: www.gpsepic.com

Os mais belos recantos de Monção à distância de uma pedalada.

10 e 11 de junho

VI SEMANA CULTURAL DO VALE DO GADANHA

Terreiro de Santa Luzia, Moreira

Com organização do Centro Desportivo, Recreativo e Cultural de Moreira, a VI Semana Cultural do Vale do Gadanha proporciona a residentes e visitantes um vasto programa cultural e etnográfico. Um dos pontos altos tem lugar no domingo com a Feira de Sabores Tradicionais e Artesanato. Apresentação de artigos e produtos genuínos que saem do amanho da terra e da criatividade empírica da gente do campo.

No sábado à noite, pelas 22h00, realiza-se o espetáculo “Os sons que nos unem”, no Cine Teatro João Verde. A entrada tem o custo de 3,5 €. Participação do Grupo de Cantares Terras de Santa Maria de Ervedal, Academia de Música da Fortaleza de Valença, Grupo de Cavaquinhos Flores da Terra, Grupo Coral Infantil de Moreira e Rusga Cantares da Ribeira. 

Envolva-se neste som que nos une. Assista ao espetáculo.

11 de junho, domingo, 15h00

XV FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE DE MAZEDO

Largo da Igreja

Concentração dos grupos na creche do Grémio Social de Mazedo. Atuações no Largo da Igreja com a participação do agrupamento anfitrião, Grupo de Danças e Cantares de Mazedo, do Grupo Folclórico Cultural e Recreativo de Rio de Moinhos (Satão), do Rancho Folclórico de S. Pedro de Rates (Póvoa de Varzim), do Grupo Folclórico de Stª Cristina de Valeixe (Espanha). Presença também do Grupo de Teatro Amador Tuka-Tuka.

A voz e o som da tradição. Em Mazedo. Venha assistir.

Joana Degues.jpg

Rota da Coca.jpg

VI Semana cultural.jpg

MONÇÃO BENIFICIA PRACETA FERNANDO PESSOA

A beneficiação desta zona urbanizável da União de Freguesias de Mazedo e Cortes pretende transmitir uma imagem de modernidade e atratividade àquela zona habitacional, proporcionando a residentes e visitantes uma área apelativa, elegante e segura, inspirada na criatividade do poeta Fernando Pessoa.

Praceta Final 1 (Large)

A Câmara Municipal de Monção tem investido em diversas freguesias do concelho no âmbito da requalificação viária, segurança rodoviária e criação de espaços de lazer para usufruto dos habitantes locais e visitantes. As apostas têm incidido em áreas ribeirinhas mas também em zonas mais urbanizáveis do nosso concelho.

Um dos últimos exemplos é a Praceta Fernando Pessoa, Urbanização da Boavista, na União de Freguesias de Mazedo e Cortes. Os trabalhos, entregues à firma “Limabuild, Engenharia & Construções, Lda” pelo valor de 49.989,19 € acrescido de imposto, tem um prazo de execução de 120 dias, tendo-se iniciado na semana passada.

Em linhas gerais, a beneficiação daquele espaço urbano pretende transmitir uma imagem de modernidade e atratividade àquela zona habitacional, proporcionando a residentes e visitantes uma área apelativa, elegante e segura, inspirada na criatividade do poeta Fernando Pessoa.

Assim, a par da arborização e criação de espaços verdes, a empreitada engloba igualmente uma peça desenhada com a imagem e a inscrição de um poema do autor de “Tabacaria”. Prevê-se também o melhoramento das áreas de estacionamento automóvel, bem como a valorização do sistema de drenagem de águas pluviais.

Praceta Final 2 (Large)

Praceta Final 3 (Large)

Praceta Final 4 (Large)

Praceta Final 5 (Large)

MONÇÃO BENEFICIA ESTRADA INTERMUNICIPAL ENTRE RIBA DE MOURO E GAVE

Após assinatura do contrato de trabalho, na última sexta-feira, a empreitada arranca a breve prazo com intervenções no pavimento e na rede de drenagem de águas pluviais. Empreitada revela-se de extrema importância para os moradores mas também para os automobilistas que habitualmente circulam entre os concelhos de Monção e Melgaço naquela zona de montanha.

Riba de Mouro (Large)

A estrada intermunicipal entre Riba de Mouro, concelho de Monção, e Gave, concelho de Melgaço, vai ser objeto de beneficiação ao nível de pavimento e drenagem de águas pluviais. Os trabalhos, no valor de 24.657,30 €, tem um prazo de execução de 90 dias, iniciando-se a breve prazo. 

O respetivo contrato de trabalho foi assinado na passada sexta-feira, 2 de junho, entre a Câmara Municipal de Monção, representada pelo seu presidente, Augusto de Oliveira Domingues, e a empresa Habimonção Construções, Lda, representada por Manuel Anselmo Soares Caldas. 

Riba de Mouro 02 (Large)

A empreitada foi aprovada por despacho de 3 de maio, após prévia realização de ajuste direto, tendo sido apresentadas propostas de cinco empresas. Nos termos do disposto no nº 1 do artigo 98º do CCP, a minuta de contrato foi aprovada no dia 8 de maio.

Esta requalificação revela-se de extrema importância para os habitantes daquela área da freguesia de Riba de Mouro, bem como para os condutores que habitualmente circulam entre aquelas zonas montanhosas dos concelhos de Monção e Melgaço.

Refira-se que a presente empreitada foi uma das preocupações manifestadas pelo presidente da Junta de Freguesia de Riba de Mouro, José Manuel Fernandes, presente no ato, na visita de trabalho efetuada pelo presidente da autarquia, Augusto de Oliveira Domingues, em outubro do último ano.

Na altura, o autarca monçanense inteirou-se do estado deficitário da estrada ao nível do pavimento e escoamento de águas, tendo tomado nota da necessidade de intervenção e informado que os trabalhos teriam início em tempo razoável e de acordo com a disponibilidade financeira do município.

Riba de Mouro 03 (Large)

PINTORA JOANA DEGUES EXPÕE EM MONÇÃO

Monção expõe pintura "Gestos D'Alma" de Joana Degues na Casa Museu de Monção/UMinho

Serve o presente para informar V. Exas que se encontrará patente ao público a partir do dia 9 de junho e até ao dia 18 de julho, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura da jovem artista monçanense Joana Degues, intitulada "Gestos D'Alma".

14316699_10211073824900961_3666821813337929186_n

Segundo a jovem artista:

«As telas transpiram emoções e retratam estados de espírito através de rostos e corpos carismáticos com um cromático distinto».

A entrada é livre!

Muito agradecemos a sua visita e a melhor divulgação da exposição.

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada

18813730_1398672090186289_4913632209937471593_n

POETA JOÃO VERDE NASCEU EM MONÇÃO HÁ 150 ANOS

JOÃO VERDE, 150 - VIDA E OBRA

Dia 3 de junho, sábado, pelas 22h00, no Cine Teatro João Verde, com entrada a 3,00 €. Uma peça de teatro da Associação Filarmónica Milagrense e da comunidade monçanense para assinalar o nascimento dos 150 anos do nascimento do poeta maior das letras monçanenses. Um espetáculo genuíno e genial. Como João Verde.

João Verde 02

Com estreia no 7º Festival Itinerante de Teatro de Amadores do Vale do Minho (FITAVALE), que decorreu nos dias 19, 20 e 21 deste mês, a peça de teatro “João Verde,150 - Vida e Obra”, protagonizada pela Associação Filarmónica Milagrense, sobe ao palco do Cine Teatro João Verde no dia 3 de junho, sábado, pelas 22h00. A entrada tem o valor de 3,00 €.

Com encenação e dramaturgia de Rui Mendonça, da Comédias do Minho, espetáculo teatral conta com a colaboração da comunidade monçanense, visando assinalar os 150 anos do nascimento do poeta e jornalista monçanense João Verde, pseudónimo de José Rodrigues Vale (1866 – 1934).

Na sinopse, pode lê-se: “construímos um espetáculo sobre a vida e obra de João Verde. Porque ambas estão interligadas, ambas se complementam, explicam e se valorizam. A obra de João Verde ganha dimensão ao conhecer-se o autor, ao perceber-se de quanto transborda de genuinidade e genialidade, de feitio e convicções, de ideias e ideais. Duma vida e duma época e para além delas”.

E como ainda há muito a dizer do poeta maior das letras monçanense, ficam mais algumas palavras de Gentil de Valadares: “O nome de João Verde – nome que consubstancia o português de lei, o regionalista fervoroso, o poeta da Galiza mail`o Minho, o funcionário por excelência serviçal, o cidadão amigo do semelhante -, brilhará em letras de oiro, com incontestável direito, legitimamente, no pergaminho monçanense. Quanto dariam outras terras por ter o amor de tal filho”.

Com pesquisa, assistência dramaturgia, desenho de luz e voz off de Paulo Lobato Costa e coreografias e apoio ao movimento de Ana Silva (AllStyles), as interpretações estão a cargo de Ana Silva, Beatriz Felgueiras, Cíntia Guimarães, Cláudia Afonso, Eduarda Pereira, Fernanda Luz, Fernanda Salgado, Gina Mendes, Isabel Nóvoas, José Luis Dias, Lurdes Alegre, Mané Frasco, Maria de Lurdes Gonçalves, Maria Inácia, Marina Sousa, Matilde Oliveira, Paula Gomes, Piedade Coelho, Polycarpo Aperta, Regina Além, Renato Pereira, Rosário Antunes, Sara Além e Tiago Viana.

João Verde 03

João Verde 04

João verde

MONÇÃO RECRIA ENCONTRO HISTÓRICO NA PONTE DO MOURO MEDIEVAL E CEIA DE D. JOÃO I E O DUQUE DE LENCASTRE EM 1386

Dias 2, 3 e 4 de junho. A recriação histórica daquele encontro, o qual definiu as condições de cooperação militar entre os dois países e estabeleceu os pormenores do casamento entre o monarca português e D. Filipa de Lencastre, filha do Duque, compreende animações e recriações do tempo medieval e a degustação de iguarias típicas daquela época.

Outdoor2_7900_2900 (Large)

Do programa, diverso, apelativo e fiel à época medieval, destaque para a ceia medieval, sábado à noite, 21h00, e para o encontro do Rei D. João I com o Duque de Lencastre, onde definiram a parceria militar e os pormenores do casamento, domingo à tarde, 15h00. A abertura oficial, com a presença de D. Duarte Pio, Duque de Bragança, realiza-se na sexta-feira, pelas 18h00.

Recriação, feita por empresa especializada na realização de eventos medievais, conta com meia centena de pessoas das duas freguesias e elementos da Associação “Buraca da Moura”. Oportunidade única para “viajar” até à época medieval, revivendo um dos episódios históricos daquele período.

Nos dias2, 3 e 4 de junho, realiza-se em Ponte do Mouro, Barbeita/Ceivães, Monção, a Recriação Histórica do Encontro e da Ceia de D. João l e o Duque de Lencastre em 1386. Denominada Ponte do Mouro Medieval, a iniciativa consta de um conjunto de atividades alusivas à época promovidas por uma empresa especializada com a colaboração de meia centena de pessoas das duas freguesias e elementos da Associação “Buraca da Moura”.

Em Ponte do Mouro, estabeleceram-se as condições de cooperação militar entre os dois países, acertando-se os pormenores do casamento entre o Rei D. João I e D. Filipa de Lencastre, filha do Duque.Os visitantes poderão apreciar e viver todo o contexto histórico da época, participando nasanimações e recriações do tempo medieval e a degustação de iguarias típicas daquela época.

Nestes três dias, Ponte do Mouro, lugar das freguesias de Barbeita e Ceivães,recebevárias recriações medievais alusivas àquele período histórico: música e danças da época, torneios, animadores de rua, espetáculos de fogo, falcoaria, cânticos à capela, demonstrações de ofícios e mercado medieval.

Desta forma, será frequente a presença de mercadores, músicos, artesãos, malabaristas, jograis, almocreves, cavaleiros, bailarinas, mendigos, bem como diversos pontos de entretimento como teatro com bobos, dançarinos medievais e equilibrismos de saltimbancos e acrobatas.

Do programa, diverso, apelativo e fiel à época medieval, destaque para a ceia medieval, sábado à noite, 21h00, e para o encontro do Rei D. João I com o Duque de Lencastre, onde definiram a parceria militar e os pormenores do casamento, domingo à tarde, 15h00.

No primeiro dia, sexta-feira, pelas 21h00, está prevista a conferência “D. Filipa de Lencastre, a noiva escolhida por D. João I”, da autoria de Manuela Santos Silva, especialista da época. Antes, pelas 18h00, ao som de rufos de tambores em arruadas pelo recinto, realiza-se o auto de abertura do mercado com a presença de D. Duarte Pio, Duque de Bragança. 

Conforme relatam documentos históricos, este encontro entre D. João l e o Duque de Lencastre possui caraterísticas únicas, sabendo-se que se tratou de um acampamento militar e que o monarca português trazia consigo uma comitiva superior a 2000 homens.

No momento do encontro, na ponte sobre o rio mouro, cumprimentaram-se com delicadeza e cortesia, conversaram durante alguns momentos e, de seguida, dirigiram-se para o pavilhão de D. João I, onde conversaram amigavelmente e estabeleceram compromissos, A tradição acrescenta que comeram iguarias saborosas e beberam o maravilhoso néctar, fruto das vinhas desta terra.

Vídeo:

https://www.facebook.com/PontedoMouroMedieval/videos/961286617346423/

DESENCAMINHARTE - FESTIVAL DE ARTE PÚBLICA NO ALTO MINHO

Primeira edição decorre entre 1 e 4 de junho em dez espaços rurais e naturais da região, um em cada município, com coordenação de dez artistas distintos. Em Monção, a iniciativa decorre na Penha da Rainha, Abedim, com coordenação de Sofia Leitão, artista plástica, que propõe a instalação artística “Mnemosynite”. Nestes dias, estão ainda previstas oficinas de trabalho, animação musical, performance noturna, peça de teatro, percursos pedestres e mercado com produtos locais.

L1020938_desencaminharte_penhaRainha

Promovido pela CIM - Comunidade Intermunicipal de Alto Minho, o Festival de Arte Pública do Alto Minho “Desencaminharte”, que decorre em espaços rurais e naturais da região, realiza-se desde o nascer do sol do dia 1 de junho até ao pôr-do-sol do dia 4.

Nesta primeira edição, as intervenções tem lugar em dez locais, um em cada município, com coordenação de dez artistas distintos. O objetivo é promover a natureza e a beleza patrimonial específica de cada um dos dez municípios da região, aproximando as comunidades locais e os visitantes de um roteiro de descoberta alternativo, fora dos lugares comuns.

No caso de Monção, a iniciativa decorre na Penha da Rainha, Abedim, com coordenação de Sofia Leitão, artista plástica, que propõe a instalação artística “Mnemosynite”. Nestes dias, estão ainda previstas oficinas de trabalho, animação musical, performance noturna, peça de teatro, percursos pedestres e mercado com produtos locais.

Em Abedim, a paisagem geológica está intimamente ligada às suas lendas, existindo mesmo uma simbiose entre as duas, ou seja, pedras que assumem formas de animais e penedos que escondem tesouros. Estas lendas cristalizam-se na memória coletiva das pessoas que habitam nesta região através da tradição oral e de memórias que passam pelas gerações.

O projeto de Sofia Leitão consiste na colocação de um conjunto de peças de dimensões variáveis ao longo de um percurso similar aos elementos milenares distribuídos na paisagem. O material predominante será o espelho, o que permitirá que ao longo do dia a variação da luz do sol possibilite efeitos luminosos ao refletir nas peças que estarão colocadas em locais de difícil acesso.

Além desta instalação artística, que permanecerá no tempo, o “Desencaminharte” na Penha da Rainha, em Abedim, compreende ainda, no dia 3, sábado, atuação dos Bombos de Abedim (14h00), atuação do Grupo Folclórico “Amigos de Longos Vales” (15h00), interpretação teatral “A Nossa Foda” do Tuka -Tuka – Grupo de Teatro Amador de Mazedo (16h30), atuação do Grupo “Danças e Cantares de Mazedo” (18h00), e performance noturna “Animal Belo”, de  INDRI (21h00).

Nesse dia, o programa prevê também a realização de um mercado com produtos locais denominado “Banha da Cobra”. Promovido pelo Ateliê “Flor Agreste”, apresenta trabalhos em pintura, fotografia e artesanato de Patrícia Oliveira, Nuno Ranha, Valerie, José Maria Meleiro, Ricardo Campos, Joana Degues, Marcos Guilherme e Iria Vaqueiro.

O Cine Clube de Monção expõe publicações e imagens que retratam Monção e o Grupo Popular “Os Teimosos” mostra doçaria tradicional, apresentando o modo de confeção de roscas. Previstas também duas oficinas de trabalho: dia 1, a partir das 10h00, “Cadavre Exquis”, com Sofia Leitão, e dia 3, a partir das 9h30, “Meta­_Penha da Rainha”, com Patricia Oliveira. Quem estiver com vontade de caminhar, tem alguns trilhos disponíveis.

Mais informações em: www.desencaminharte.altominho.pt

www.facebook.com/Desencaminharte

MONÇÃO: LONGOS VALES “LEVANTA O PAU”

Esta tradição, uma das mais castiças e peculiares do concelho, junta muitos curiosos no lugar do Mosteiro, assinalando o arranque das festividades em honra de S. João Baptista. Realiza-se este domingo, 4 de junho, a partir das 15h00.

Levantar o pau - Cortejo etnográfico

A freguesia de Longos Vales, situada sensivelmente a seis quilómetros da sede do concelho, revive este domingo, 4 de junho, a partir das 15h00, no lugar do Mosteiro, espaço central da localidade, uma das tradições mais castiças do concelho: o levantamento do pau.

Esta iniciativa secular, muito acarinhada e participada pela população local, assinala o arranque das festividades em honra de S. João Baptista, no último fim de semana de junho, constando do levantamento de um pau de eucalipto com uma altura variável entre 30 e 40 metros.

Para tal, os elementos da comissão, entre quatro e seis pessoas, retiram o pau de uma carrinha de caixa aberta e, com a ajuda de quatro cordas entrelaçadas e muitos populares, procedem à sua colocação vertical num trabalho de equipa, onde é necessário habilidade, força e estratégia coletiva.

A rivalidade entre comissões, que representam os lugares da freguesia, é bastante grande, havendo sempre a curiosidade em saber-se qual o comprimento do pau e como correu o respetivo “enterramento”. Não há registo de “desastres” mas sustos não faltaram ao longo destes anos.

Esta circunstância encaminha muitas pessoas para o lugar do Mosteiro que aproveitam o nome desta tradição para lançar algumas “farpas” e animar algumas conversas mais ousadas. No fundo, conta o convívio e a animação numa tarde marcada pela diferença e originalidade.

Como Longos Vales é um concelho com forte emigração, em Agosto realiza-se um arraial minhoto, recuperando, de alguma forma, a essência da festa que decorre este domingo. A última tarefa da comissão está marcada para 31 de dezembro, dia em que o pau é deitado abaixo e cortado, entrando ao serviço, no dia seguinte, uma nova comissão.

CRIANÇAS SAUDÁVEIS SÃO CRIANÇAS FELIZES

Campanha solidária, promovida pelo Grupo das Farmácias Vale do Mouro e a cantora e atriz Anabela, reverte a favor da Fundação do Gil. A iniciativa, que decorre entre 1 e 30 de junho, conta com a colaboração da Câmara Municipal de Monção.

farmácia

O Grupo das Farmácias Vale do Mouro e a cantora e atriz Anabela promovem o evento solidário "Crianças Saudáveis são Crianças Felizes", que reverterá a favor da Fundação do Gil. A iniciativa, que decorre entre 1 e 30 de junho, conta com a colaboração da Câmara Municipal de Monção.

Esta consiste numa angariação de medicamentos não sujeitos a receita médica e produtos de bem-estar e beleza em cada um dos espaços do Grupo das Farmácias Vale do Mouro. O principal objetivo é melhorar o dia-a-dia das crianças da Fundação do Gil, facilitando-lhes o acesso a este tipo de produtos.

Para além da entrega dos produtos angariados, o Grupo das Farmácias Vale do Mouro contribuirá com 10% do valor das compras dos produtos afetos a esta campanha realizadas pelos utentes destes espaços durante a realização desta iniciativa solidária.

Poderá contribuir em qualquer um dos espaços do Grupo das Farmácias Vale do Mouro:

 

Farmácia Vale do Mouro Monção

Urbanização Quinta das Andorinhas, loja 9

4950-850 Monção

Tel: 251 565 821


Farmácia Vale do Mouro Melgaço

Rua Dr. Augusto César Esteves, 213

4960-402 Melgaço

Tel: 251 403 312


Espaço Saúde Lisboa Social

Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa

Av. Afonso Costa, 41

1900-032 Lisboa

Tel: 218 471 008

MONÇÃO COMEMORA DIA MUNDIAL DA CRIANÇA

Esta quinta e sexta-feira, 1 e 2 de junho, no Parque das Caldas. Várias diversões e aulas de dança recebem cerca de um milhar de crianças das creches, ensino pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico do concelho de Monção. Nestes dias, os livros ficam na sala de aula e a aprendizagem faz-se ao ar livre. OParque das Caldas vai transformar-se num “recreio” repleto de crianças entretidas e sorridentes.

Dia da Criança 2016

Cerca de um milhar de crianças das creches, ensino pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico do concelho de Monção vão viver, na quinta e sexta-feira, dois dias diferentesdo habitual com a realização de diversas atividades que pretendem assinalar o Dia Mundial da Criança.

Com organização da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção e apoio do Agrupamento de Escolas de Monção,Santa Casa da Misericórdia, Centro Paroquial de Barbeita, Grémio Social de Mazedo e Colégio do Minho, está prevista muita animação que promete transformar o Parque das Caldasnum “recreio” repleto de crianças entretidas e sorridentes.

Aquele espaço natural e aprazível estará preenchido com insufláveis, touro mecânico, pista americana e uma área de jogos, encontrando-se também programada a realização de aulas de dança. Todas as crianças receberão uma lembrança, oferta da empresa “Mais Clinic”

A celebração do Dia Mundial da Criança é uma prática habitual no Município de Monção, proporcionando às crianças do concelho um conjunto diversificado de atividades que visam cimentar valores de camaradagem, amizade e partilha. Um dia diferente onde os livros ficam na sala de aula e a aprendizagem faz-se ao ar livre.  

AQUAMUSEU PARTICIPA NA SESSÃO DA COMISSÃO PERMANENTE INTERNACIONAL DO RIO MINHO

Aquamuseu na XXXVII Sessão da Comissão Permanente Internacional do Rio Minho

A Comissão Permanente Internacional do Rio Minho reuniu, no passado dia 25 de maio, em Monção, para assinalar aXXXVII Sessão Plenária da Comissão. Aquamuseu foi um dos convidados presentes.

aquamuseu

Durante a XXXVII Sessão Plenária da CPIRM, o Aquamuseu do Rio Minho analisou e debateu propostas para melhorar as condições biopesqueirasdo Rio Minho, assim como pararetificar as decisões acordadas nas Comissões Mistas de Caça e Pesca.

Entre os objetivos aprovados, destacam-se a fixação dos períodos estabelecidos para a pesca profissional e desportiva durante a época de 2017/2018, a prolongação da pesca da enguia e do salmão, as medidas encaminhadas para estimular a especialização no ramo da atividade pesqueira e as modificações de modo a facilitar as formalidades burocráticas da comunidade de pescadores.

Estiveram presentes representantes de várias entidades portuguesas, nomeadamente do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, da Direção-Geral de Recursos Naturais, da Segurança e Serviços Marítimos, e do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. Neste evento, estiveram presentes, também, entidades espanholas, tais como, a Subdelegação do Governo de Pontevedra, a Capitania Marítima de Vigo e o Serviço de Conservação da Natureza da Junta de Galícia.

A Comissão Permanente Internacional do Rio Minho (CPIRM) é constituída por representantes de diversos setores de Administração de Portugal e Espanha que se reúnem, pelo menos, uma vez por ano.

MUNICIPIO DE MONÇÃO CELEBRA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO COM O SINDICATO DOS TRABALHADORES DA ADMINISTRAÇÃO LOCAL

Trata-se do primeiro acordo a ser assinado no distrito de Viana do Castelo nesta fase de revisão, restituindo alguns direitos dos trabalhadores retirados no período da assistência externa a Portugal. Com duração de dois anos, entrará em vigor após publicação no Diário da República.

Acordo 04

O Município de Monção e o STAL – Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local assinaram na passada sexta-feira, no estaleiro municipal, Parque Empresarial da Lagoa, o acordo coletivo de trabalho. Com duração de dois anos, entrará em vigor após publicação no Diário da República.

Trata-se do primeiro acordo a ser celebrado no distrito de Viana do Castelo nesta fase de revisão, tendo sido assinado por Augusto de Oliveira Domingues, presidente da Câmara Municipal de Monção, e Baltazar Afonso e Ludovina Sousa, elementos da direção nacional do STAL.

Augusto de Oliveira Domingues referiu que a assinatura do contrato coletivo de trabalho restitui alguns direitos dos trabalhadores retirados no período da assistência externa a Portugal, respondendo afirmativamente a uma promessa aos funcionários da autarquia anunciada no jantar de Natal.

“Comprometi-me a celebrar este acordo e não faltei à palavra. Em relação à alteração de posicionamento remuneratório por opção gestionária não foi possível porque não depende diretamente da autarquia. Quando o governo permitir, avançamos para a sua efetivação” sublinhou.

Para Ludovina Sousa, este acordo reflete “vontade política do executivo” e revela que “existe entendimento e disposição para a garantia dos direitos dos trabalhadores no que respeita ao horário de trabalho e férias mas também às condições de trabalho, equipamentos individuais e ações de formação”.

O documento, com 42 cláusulas, abrange genericamente a salvaguarda dos direitos dos trabalhadores necessários à concretização dos seus objetivos, permitindo uma maior conciliação da vida pessoal/familiar com a vida profissional e elevando os níveis de motivação e desempenho das suas funções.

Acordo 01

Acordo 02

Acordo 03

MONÇÃO CONCLUI EMPREITA DA RUA DO SOUTO E RUA DE MONTES (1ª FASE), EM TROVISCOSO

Estas empreitadas, da responsabilidade da União de Freguesias de Monção e Troviscoso, fazem parte de um conjunto de investimentos que abrange a continuidade da Rua de Rodas até Sende, a valorização do Caminho da Levada, em Pousa, e a requalificação da envolvente da Capela do Senhor dos Passos, em Troviscoso, todas em execução. Previstas também intervenções entre a Capela de S. Pedro e a antiga escola primária, em Ventuzelo, e a segunda fase da Rua de Montes, em Troviscoso, ambas em fase de adjudicação.

Obras 01

Sob responsabilidade da União de Freguesias de Monção e Troviscoso, os trabalhos de requalificação da Rua do Souto, em Monção, e da Rua de Montes (1ª fase), estão concluídos, valorizando aquelas vias e garantindo melhores condições de acesso e circulação a moradores e automobilistas.

Além da instalação de novas condutas para as águas pluviais, originando um melhor escoamento, a Rua do Souto conheceu uma substancial valorização do pavimento com a colocação de cubo e lajedo de granito. A área de estacionamento junto às habitações também foi melhorada.

A intervenção na Rua de Montes contemplou “benfeitorias” ao nível das águas pluviais e beneficiação do tapete betuminoso. Compreendeu ainda a colocação de passeios, assegurando, desta forma, uma maior segurança aos munícipes que circulam a pé naquela zona.

Estas duas empreitadas, agora concluídas, fazem parte de um conjunto de investimentos projetados pela União de Freguesias de Monção e Troviscoso para os próximos tempos. Em alguns casos, os trabalhos já estão no terreno, em outros, encontram-se em fase de adjudicação.

Dando continuidade à requalificação da Rua de Rodas, procede-se atualmente ao seu prolongamento até ao lugar de Sende, em Cambeses, com mais 400 metros de beneficiação daquele traçado através do alargamento da via, beneficiação do pavimento e construção de passeios.

Um investimento fundamental para os moradores da Rua de Rodas mas também para os habitantes da freguesia de Cambeses que, com a presente intervenção, conhecem uma nova acessibilidade, com duração mais reduzida, para a Estrada Nacional e centro urbano de Monção.

Em fase de execução encontra-se a requalificação da área envolvente da Capela do Senhor dos Passos, em Troviscoso, e o Caminho da Levada, em Pousa, permitindo a canalização da água vinda da Poça de Pousa e a criação de uma ligação pedonal até à Lavandeira. Um ganho relevante para quem habita nesta zona e pretende deslocar-se ao cemitério municipal.  

Além destes investimentos importantes no quotidiano dos habitantes das áreas abrangidas, estão igualmente previstas intervenções entre a Capela de S. Pedro e a antiga escola primária, em Ventuzelo, e a segunda fase da Rua de Montes, em Troviscoso, ambas em fase de adjudicação.

Obras 03

Obras 05

Obras 08

Obras 09

CDS-PP APRESENTA CANDIDATURA À AUTARQUIA DE MONÇÃO

José Luís Alves será o candidato do CDS-PP à Câmara de Monção nas próximas eleições autárquicas, que se realizam no dia 1 de Outubro de 2017.

José Luís Alves tem 50 anos e é natural da Freguesia da Bela, Monção. Casado, e com um filho, reside atualmente em Troviscoso, Monção. A nível profissional, é responsável por uma instituição bancária em Monção. Aliás, é de realçar que toda a sua atividade profissional foi nesta vila raiana, o que lhe permite um conhecimento muito abrangente da realidade do concelho, adquirido através do constante contato com os monçanenses com a sua realidade Na atualidade, desempenha também o cargo de vereador efetivo do CDS-PP na Câmara Municipal de Monção, função assumida em Julho de 2016. O candidato está ainda ligado a várias associações locais.

modelo-dois-verso2

Segundo José Luís Alves “esta candidatura não é uma candidatura individual, é uma candidatura baseada numa equipa formada por pessoas que gostam de Monção e que, por isso, querem o melhor para o nosso concelho”.

Primeira mulher candidata à Assembleia Municipal de Monção é do CDS-PP

José Luís Alves terá ao seu lado Elisabete Amoedo, que encabeça a lista do CDS-PP à Assembleia Municipal de Monção.

Elisabete Amoedo, natural da Bela, e residente nessa mesma freguesia, é veterinária de profissão, tendo a seu cargo dois consultórios dos quais é proprietária, um deles na vila de Monção. Para a candidata, este é um novo desafio, depois de 20 anos como Presidente da Assembleia de Freguesia da Bela, cargo que ainda exerce.

Para Elisabete Amoedo “é uma honra ser a primeira mulher a apresentar candidatura para presidir a Assembleia Municipal de Monção”, um cargo que pretende conquistar para “dar voz aos monçanenses”.

MONÇÃO: NÚCLEO MUSEOLÓGICO TORRE DE LAPELA RECEBEU QUATRO MIL VISITANTES NUM ANO

Conhecida como a melhor varanda sobre o rio Minho, torre de menagem eleva-se a 35 metros do solo, proporcionando uma paisagem deslumbrante sobre aquele curso de água internacional, casario tradicional e margem galega. 

Torre da L3 - apela 3 (Large)

O Núcleo Museológico Torre de Lapela assinala no próximo sábado, 27 de maio, um ano de abertura ao público. Até ao último fim de semana, recebeu um total de 3947 visitantes, repartidos por 1424 estrangeiros e 2523 nacionais, constatando-se uma maior procura nos meses de verão e nos fins de semana prolongados.

A requalificação desta valência turística do concelho de Monção englobou a restauração interior e exterior da torre de menagem, a beneficiação do pavimento envolvente e a valorização dos canastros existentes, em execução, proporcionando uma paisagem deslumbrante sobre o rio Minho, casario tradicional e margem galega. 

Neste edifício carregado de histórias e memórias, pretendeu-se, através desta intervenção, a criação de uma imagem renovada de todo o interior, criando-se um espaço funcional para os visitantes e mais um elemento de promoção cultural do concelho, desta vez, debruçado sobre o troço internacional do rio Minho.

Conhecida como a melhor varanda sobre o rio Minho, a Torre de Menagem de Lapela mantem a sua postura imponente e mostra uma silhueta mais atraente para receber munícipes e visitantes, garantindo um maior contacto com a história do concelho de Monção.

Horário de verão:

Sexta-feira: 14h00 às 19h00

Sábados e domingos: 10h00 às 12h30 e 14h00 às 19h00

Entradas gratuitas

MONÇÃO EVOCA POETA JOÃO VERDE

JOÃO VERDE, 150 - VIDA E OBRA

Dia 3 de junho, sábado, pelas 22h00, no Cine Teatro João Verde, com entrada a 3,00 €. Uma peça de teatro da Associação Filarmónica Milagrense e da comunidade monçanense para assinalar o nascimento dos 150 anos do nascimento do poeta maior das letras monçanenses. Um espetáculo genuíno e genial. Como João Verde.

João verde

Com estreia no 7º Festival Itinerante de Teatro de Amadores do Vale do Minho (FITAVALE), que decorreu nos dias 19, 20 e 21 deste mês, a peça de teatro “João Verde,150 - Vida e Obra”, protagonizada pela Associação Filarmónica Milagrense, sobe ao palco do Cine Teatro João Verde no dia 3 de junho, sábado, pelas 22h00. A entrada tem o valor de 3,00 €.

Com encenação e dramaturgia de Rui Mendonça, da Comédias do Minho, espetáculo teatral conta com a colaboração da comunidade monçanense, visando assinalar os 150 anos do nascimento do poeta e jornalista monçanense João Verde, pseudónimo de José Rodrigues Vale (1866 – 1934).

Na sinopse, pode lê-se: “construímos um espetáculo sobre a vida e obra de João Verde. Porque ambas estão interligadas, ambas se complementam, explicam e se valorizam. A obra de João Verde ganha dimensão ao conhecer-se o autor, ao perceber-se de quanto transborda de genuinidade e genialidade, de feitio e convicções, de ideias e ideais. Duma vida e duma época e para além delas”.

E como ainda há muito a dizer do poeta maior das letras monçanense, ficam mais algumas palavras de Gentil de Valadares: “O nome de João Verde – nome que consubstancia o português de lei, o regionalista fervoroso, o poeta da Galiza mail`o Minho, o funcionário por excelência serviçal, o cidadão amigo do semelhante -, brilhará em letras de oiro, com incontestável direito, legitimamente, no pergaminho monçanense. Quanto dariam outras terras por ter o amor de tal filho”.

Com pesquisa, assistência dramaturgia, desenho de luz e voz off de Paulo Lobato Costa e coreografias e apoio ao movimento de Ana Silva (All Styles), as interpretações estão a cargo de Ana Silva, Beatriz Felgueiras, Cíntia Guimarães, Cláudia Afonso, Eduarda Pereira, Fernanda Luz, Fernanda Salgado, Gina Mendes, Isabel Nóvoas, José Luis Dias, Lurdes Alegre, Mané Frasco, Maria de Lurdes Gonçalves, Maria Inácia, Marina Sousa, Matilde Oliveira, Paula Gomes, Piedade Coelho, Polycarpo Aperta, Regina Além, Renato Pereira, Rosário Antunes, Sara Além e Tiago Viana.

MONÇÃO REALIZA 9ª CAMINHADA SOLIDÁRIA “PASSO A PASSO PELA VIDA”

Este domingo, 28 de maio, pelas 17h30, com saída da Ecopista do Rio Minho, na Lodeira, e chegada à Senhora da Cabeça, em Cortes. Aberta à população, a iniciativa procura sensibilizar a comunidade local para a problemática do cancro e doenças cardiovasculares, alertando-a para a importância da componente preventiva.

image002monçaaa (2)

Com organização conjunta do Centro de Saúde de Monção e Grupo de Auto-Ajuda Deu-la-Deu Vida e colaboração da Rede Social de Monção, realiza-se, este domingo, 28 de maio, pelas 17h30, a 9ª Caminhada Solidária “Passo a Passo pela Vida”,

A iniciativa, cujo objetivo consiste em sensibilizar a comunidade local para a problemática do cancro e doenças cardiovasculares, consta de um passeio pela Ecopista do Rio Minho desde o Parque da Lodeira, junto à Ponte Internacional entre Monção e Salvaterra, até à Senhora da Cabeça, em Cortes.

Aberta a quem pretender participar, a 9ª Caminhada Solidária “Passo a Passo pela Vida”, não implica pagamento obrigatório, contudo, quem pretender uma t-shirt alusiva à iniciativa e água terá de pagar 3,00 € que reverterão a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro (Núcleo Regional do Norte).

De acordo com a organização, a caminhada deverá aproximar-se de meio milhar de pessoas de todas as idades. O objetivo geral passa por estimular a atividade física e sensibilizar a comunidade local para estas problemáticas, alertando-a para a importância da componente preventiva.

PONTE DO MOURO MEDIEVAL - RECRIAÇÃO HISTÓRICA DO ENCONTRO E DA CEIA DE D. JOÃO I E O DUQUE DE LENCASTRE EM 1386

Dias 2, 3 e 4 de junho. A recriação histórica daquele encontro, o qual definiu as condições de cooperação militar entre os dois países e estabeleceu os pormenores do casamento entre o monarca português e D. Filipa de Lencastre, filha do Duque, compreende animações e recriações do tempo medieval e a degustação de iguarias típicas daquela época.

Outdoor2_7900_2900 (Large)

Do programa, diverso, apelativo e fiel à época medieval, destaque para a ceia medieval, sábado à noite, 21h00, e para o encontro do Rei D. João I com o Duque de Lencastre, onde definiram a parceria militar e os pormenores do casamento, domingo à tarde, 15h00. A abertura oficial, com a presença de D. Duarte Pio, Duque de Bragança, realiza-se na sexta-feira, pelas 18h00.

Recriação, feita por empresa especializada na realização de eventos medievais, conta com meia centena de pessoas das duas freguesias e elementos da Associação “Buraca da Moura”. Oportunidade única para “viajar” até à época medieval, revivendo um dos episódios históricos daquele período.

Nos dias2, 3 e 4 de junho, realiza-se em Ponte do Mouro, Barbeita/Ceivães, Monção, a Recriação Histórica do Encontro e da Ceia de D. João l e o Duque de Lencastre em 1386. Denominada Ponte do Mouro Medieval, a iniciativa consta de um conjunto de atividades alusivas à época promovidas por uma empresa especializada com a colaboração de meia centena de pessoas das duas freguesias e elementos da Associação “Buraca da Moura”.

Em Ponte do Mouro, estabeleceram-se as condições de cooperação militar entre os dois países, acertando-se os pormenores do casamento entre o Rei D. João I e D. Filipa de Lencastre, filha do Duque.Os visitantes poderão apreciar e viver todo o contexto histórico da época, participando nasanimações e recriações do tempo medieval e a degustação de iguarias típicas daquela época.

Nestes três dias, Ponte do Mouro, lugar das freguesias de Barbeita e Ceivães,recebevárias recriações medievais alusivas àquele período histórico: música e danças da época, torneios, animadores de rua, espetáculos de fogo, falcoaria, cânticos à capela, demonstrações de ofícios e mercado medieval.

Desta forma, será frequente a presença de mercadores, músicos, artesãos, malabaristas, jograis, almocreves, cavaleiros, bailarinas, mendigos, bem como diversos pontos de entretimento como teatro com bobos, dançarinos medievais e equilibrismos de saltimbancos e acrobatas.

Do programa, diverso, apelativo e fiel à época medieval, destaque para a ceia medieval, sábado à noite, 21h00, e para o encontro do Rei D. João I com o Duque de Lencastre, onde definiram a parceria militar e os pormenores do casamento, domingo à tarde, 15h00.

No primeiro dia, sexta-feira, pelas 21h00, está prevista a conferência “D. Filipa de Lencastre, a noiva escolhida por D. João I”, da autoria de Manuela Santos Silva, especialista da época. Antes, pelas 18h00, ao som de rufos de tambores em arruadas pelo recinto, realiza-se o auto de abertura do mercado com a presença de D. Duarte Pio, Duque de Bragança. 

Conforme relatam documentos históricos, este encontro entre D. João l e o Duque de Lencastre possui caraterísticas únicas, sabendo-se que se tratou de um acampamento militar e que o monarca português trazia consigo uma comitiva superior a 2000 homens.

No momento do encontro, na ponte sobre o rio mouro, cumprimentaram-se com delicadeza e cortesia, conversaram durante alguns momentos e, de seguida, dirigiram-se para o pavilhão de D. João I, onde conversaram amigavelmente e estabeleceram compromissos, A tradição acrescenta que comeram iguarias saborosas e beberam o maravilhoso néctar, fruto das vinhas desta terra.

Vídeo: https://www.facebook.com/PontedoMouroMedieval/videos/961286617346423/

MONÇÃO PROMOVE ESCOLA DO ROCK TOUR 2017

Dia 28 de maio, domingo, pelas 16h00, no Cine Teatro João Verde. A entrada tem o valor de 2,50 €.

Na sequência da 3ª edição da Escola do Rock, iniciativa promovida pelo município de Paredes de Coura, quarenta músicos andam na estrada para a segunda digressão deste projeto musical. Este domingo, 28 de maio, pelas 16h00, atuam no Cine Teatro João Verde. A entrada tem o valor de 2,50 €.

Neste espetáculo, os monçanenses “Areia nos Calções” serão os responsáveis pelos primeiros acordes desta “Escola de Rock”, abrindo espaço para uma tarde muito animada protagonizada por vários jovens ligados por um sentimento comum: paixão pela música. 

Escola Rock (Large)

MONÇÃO REQUALIFICA EN 101/202 ENTRE A ROTUNDA DE CORTES/MAZEDO E A ROTUNDA DE ACESSO AO CENTRO URBANO/PONTE INTERNACIONAL

Contrato de empreitada, no valor de 477 242,44 €, imposto incluído, assinado com a empresa construtora “Duque & Duque, Terraplanagens, Lda”.O presente investimento é o ponto de partida de um projeto estruturante para Monção que terá continuidade até à futura rotunda de S. Pedro.

EN 01 (Large)

O projeto de reabilitação da Estrada Nacional 101 entre a rotunda de Cortes e a rotunda de acesso ao centro urbano/ponte internacional, numa extensão aproximada de 700 metros, passou da discussão e votação para a concretização no terreno.

No dia 18 de maio, na Casa do Loreto, foi assinado o contrato de empreitada entre o presidente da autarquia monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, e a sócia gerente da empresa “Duque & Duque, Terraplanagens, Lda”, Maria do Sameiro Pereira. No ato, marcou presença o presidente da União de Freguesias de Mazedo e Cortes, Vítor Rodrigues.

A intervenção, cujo prazo de execução é de 365 dias, contados a partir da data do auto de consignação, foi adjudicada por 477 242,44 €, imposto incluído, após realização do respetivo concurso público, tendo sido aprovada por deliberação camarária na reunião ordinária de 24 de abril deste ano.

O projeto, que corresponde à 1ª fase de um investimento global que terá continuidade até à futura rotunda de S. Pedro, prevêa criação de separador central, beneficiação do pavimento, zonas verdes e arborização, passeios em ambos os lados e reforço da iluminação pública.

A presente intervenção constitui uma mais-valia em termos de segurança para veículos e pessoas, otimização económica daquela zona e valorização estética da entrada no centro histórico, permitindo dar continuidade à empreitada realizada na chamada “reta da lagoa”.

Este projeto estruturante para o concelho de Monção será complementado com um forte investimento na regeneraçãourbanística do centro histórico com a requalificação da Praça da Republica e zona envolvente. Os trabalhos, no valorde 580.995,18 €, mais imposto, foram entregues à empresa “Limabuild, Engenharia & Construções, Lda”.

“Estou certo que este investimento vai constituir uma vantagem competitiva para o nosso concelho, permitindo a dinamização económica daquela zona e uma entrada condigna no acesso ao centro urbano”, afirmou Augusto de Oliveira Domingues.

EN 02 (Large)

EN 03 (Large)

MONÇÃO FESTEJA CORPO DE DEUS E REALIZA FESTA DA COCA 2017

O povo recolhe-se nos momentos religiosos e anima-se nas iniciativas mais descontraídas. Este ano, entre 14 e 18 de junho, as festas concelhias prometem encher o centro histórico e revitalizar a atividade comercial. O momento alto será a procissão solene e o "combate" entre S. Jorge e a Coca, na quinta-feira, dia 15. Que o cavaleiro do reino esteja à altura e ganhe o “combate” para termos bom vinho Alvarinho nas adegas e nas mesas.

CORPO DE DEUS_Final

O Corpo de Deus/Festa da Coca decorre entre 14 e 18 de junho. O programa, como habitual, reserva um conjunto variado de iniciativas recreativas e solenes com acentuada componente religiosa. O objetivo, como sempre, é trazer gente ao concelho, proporcionando a dinamização dos setores ligados à restauração e hotelaria.

O programa “abre” na quarta-feira à noite, dia 14, pelas 21h30, com Noite de Fados, no Largo de Camões, conhecendo, no dia seguinte, quinta-feira, feriado nacional e municipal, dois dos momentos mais marcantes destas festividades: Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus e tradicional “combate” entre S. Jorge e a Coca.

Combate 07

O dia começa com entrada dos grupos de bombos de Pias e de Mazedo (9h30), arruada da Coca (10h00) e entrega de condecorações e títulos honoríficos a cidadãos e instituições de mérito, cerimónia que decorrerá no Cine Teatro João Verde (11h00).

Este ano, a proposta da comissão de parecer para cidadão de mérito/medalha de prata recaiu emAmílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Com o título de serviços distintos/medalha de ouro serão distinguidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas.

Cortejo 16

Como instituições de mérito serão reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), com 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade. 

A Fanfarra Deu-la-Deu de Monção “entra” pelas 16h30, seguindo-se a Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus (17h00), o espetáculo S. Jorge e a Coca (18h30) e o tradicional combate entre S. Jorge e a Coca, no anfiteatro do Souto (19h00).Que o cavaleiro do reino esteja à altura e ganhe o “combate” para termos bom vinho Alvarinho nas adegas e nas mesas.

DSCF0898 (Large)

O terceiro dia de festa, sexta-feira, está dedicado aos alunos do pré-escolar com o ateliê “A Coca vai à escola”, entre as 9h00 e as 16h00, nos estabelecimentos de ensino. À noite, pelas 22h00, o programa compreende atuação do Grupo Paralelos, na Praça Deu-la-Deu Martins.

No sábado, o dia começa pelas 11h00 com a entrega de prémios do Concurso de Escrita “Era uma vez ….o poeta João Verde”, na Biblioteca Municipal de Monção.Pelas 15h00, tem lugar o desfile pelo centro histórico das bandas participantes no Festival Internacional de Bandas Filarmónicas que decorre pelas 21h30, na Praça Deu-la-Deu Martins.

Procissão 07 (Large)

Este ano, a organização pertence à Banda Musical da Casa do Povo de Tangil. Pelas 18h30, realiza-se a III edição da Coca in Festa com concertos de grupos emergentes na cena musical. O dia termina, pelas 23h30, com espetáculo de fogo-de-artifício.

O último dia das festividades, que todos os anos encaminha milhares de pessoas à Terra de Deu-la-Deu, Alvarinho e Termas, está inteiramente dedicado ao cortejo etnográfico das freguesias, Com início às 16h00, percorre as ruas do centro histórico num verdadeiro repositório dos usos e costumes da população monçanense.

Procissãomon

MONÇÃO PROMOVE CONFERÊNCIA SOBRE O SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DOS MILAGRES

Conferência de Ernesto Português decorre no dia 26 de maio, sexta-feira, pelas 21h30, no Arquivo Municipal de Monção.

O Arquivo Municipal de Monção recebe no dia 26 de maio, sexta-feira, pelas 21h30, uma conferência sobre o “Santuário de Nossa Senhora dos Milagres, em Cambeses”, da autoria de Ernesto Português, licenciado em história e autor de diversas publicações sobre temas variados de Monção.

Santuário (Large)

Com estilo maneirista, o santuário foi mandado construir nos finais do século XVI em resultado do cumprimento de uma promessa de Francisco Pereira de Castro, senhor da Quinta do Sopegal. No exterior, a fachada revela uma cuidada decoração escultórica de feição clássica.

MONÇÃO REALIZA 7ª FEIRA DO VINHO TINTO EM TANGIL

Com organização da Casa do Povo de Tangil, certame gastronómico decorre no próximo fim de semana, dias 27 e 28 de maio, com apresentação de produtos locais e animação musical. Programa engloba ainda Raid Rota da Pedra Solta, provas de vinho e entronização de novos confrades da Real Confraria do Vinho Verde Tinto.

cartazmonççça (2)

Tangil, freguesia de montanha do concelho de Monção, promove no próximo fim de semana, dias 27 e 28 de maio, a 7ª Feira do Vinho Tinto. Além de expositores dispersos pelo espaço exterior da Casa do Povo de Tangil, entidade organizadora, o certame apresenta produtos locais, como presunto, chouriça ou broa, e um programa diversificado com animação musical e provas de vinho.

No primeiro dia, sábado, após a sessão de abertura, marcada para as 15h00, decorre a atuação dos grupos de bombos “Amigos do Bombinho de Fontoura”, de Valença, e “Bombásticos de Segude”, de Monção, seguindo-se as concertinas dos “Amigos de Sá”, de Arcos de Valdevez, e “Os Magníficos”, de Monção. 

A partir das 17h00, realizam-se as provas de vinhos, demonstração de zumba, nova atuação dos grupos de concertinas, e entrada da “Charanga Salceda”, da Galiza. Com início às 23h00, verbena com o grupo “Roconorte”. Neste dia, está igualmente previsto, a partir das 08h00, a realização do Raid Rota da Pedra Solta pelos principais lugares das freguesias do Vale do Mouro.

No domingo, o certame abre às 10h30, prevendo-se, pelas 11h00, a cerimónia de entronização de novos confrades da Real Confraria do Vinho Verde Tinto e, pelas 12h00, degustação de vinhos verdes tintos. A parte de tarde abre ao som dos “Gaiteiros Rio Mouro” da Gave, Melgaço, continuando com tarde folclórica com agrupamentos de Longos Vales, Merufe e Moreira. Antes da sessão de encerramento, marcada para as 20h00, decorre a entrega de prémios aos melhores vinhos.

Com este certame, a organização procura a divulgação dos produtos locais, a criação de um fim de semana animado para os residentes e visitantes e a valorização de um espaço de montanha com património secular e paisagens naturais admiráveis e relaxantes. 

cartazmonççça (1)

DESENCAMINHARTE - FESTIVAL DE ARTE PÚBLICA NO ALTO MINHO

Primeira edição decorre entre 1 e 4 de junho em dez espaços rurais e naturais da região, um em cada município, com coordenação de dez artistas distintos. Em Monção, a iniciativa decorre na Penha da Rainha, Abedim, com coordenação de Sofia Leitão, artista plástica, que propõe a instalação artística “Mnemosynite”. Nestes dias, estão ainda previstas oficinas de trabalho, percursos pedestres, animação cultural e mercado com produtos locais.

PR 01

Promovido pela CIM - Comunidade Intermunicipal de Alto Minho, o Festival de Arte Pública do Alto Minho “Desencaminharte”, que decorre em espaços rurais e naturais da região, realiza-se desde o nascer do sol do dia 1 de junho até ao pôr-do-sol do dia 4.

Nesta primeira edição, as intervenções tem lugar em dez locais, um em cada município, com coordenação de dez artistas distintos. Oobjetivo é promover a natureza e a beleza patrimonial específica de cada um dos dez municípios da região, aproximando as comunidades locais e os visitantes de um roteiro de descoberta alternativo, fora dos lugares comuns.

No caso de Monção, a iniciativa decorre na Penha da Rainha, Abedim, com coordenação de Sofia Leitão, artista plástica, que propõe a instalação artística “Mnemosynite”. Nestes dias, estão ainda previstas oficinas de trabalho, percursos pedestres, animação cultural e mercado com produtos locais.

Em Abedim, a paisagem geológica está intimamente ligada às suas lendas, existindo mesmo uma simbiose entre as duas, ou seja, pedras que assumem formas de animais e penedos que escondem tesouros. Estas lendas cristalizam-se na memória coletiva das pessoas que habitam nesta região através da tradição oral e de memórias que passam pelas gerações.

O projeto de Sofia Leitão consiste na colocação de um conjunto de peças de dimensões variáveis ao longo de um percurso similar aos elementos milenares distribuídos na paisagem. O material predominante será o espelho, o que permitirá que ao longo do dia a variação da luz do sol possibilite efeitos luminosos ao refletir nas peças que estarão colocadas em locais de difícil acesso.

Além desta instalação artística, que permanecerá no tempo, o “Desencaminharte” na Penha da Rainha, em Abedim, compreende ainda, no dia 3, atuação do Grupo de Danças e Cantares de Mazedo, interpretação teatral do Tuka -Tuka – Grupo de Teatro Amador de Mazedo e performance noturna“Animal Belo”, de  INDRI.

Programa prevê também mercado com produtos locais, nos dias 3 e 4, e duas oficinas de trabalho: dia 1, a partir das 10h00, “CadavreExquis”, com Sofia Leitão, e dia 3, a partir das 9h30, “Meta­_Penha da Rainha”, com Patricia Oliveira. Quem estiver com vontade de caminhar, tem alguns trilhos disponíveis.

Mais informações em:

www.desencaminharte.altominho.pt

www.facebook.com/Desencaminharte

PR 02

PR 03

PR 04

PR 05

PR 06

MONÇANENSES REALIZAM LOGOTIPO HUMANO DA APPACDM NA PRAÇA DEU-LA-DEU

Na celebração dos 45 anos de vida, a Associação de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental de Viana do Castelo promove, nas localidades onde possui delegações, uma série de atividades pedagógicas que ilustram a sua intervenção social.

Imagem 5monnnç

Em Monção, realizou-se esta manhã a criação do logótipo da instituição por cerca de 300 pessoas de instituições locais e alunos da escola profissional e ensino regular numa jornada que englobou ainda diversos momentos de animação. Na retina, ficou uma demonstração de zumba.

A forma como decorreu a iniciativa, com o envolvimento dos estabelecimentos de ensino e instituições locais e a curiosidade de muitos munícipes, é reveladora do carinho que a população nutre pela associação, bem como do papel relevante que esta desempenha na defesa e valorização da pessoa com deficiência.

DSC_0038 (Large)

DSC_0043 (Large)

MONÇÃO REALIZA MELHORAMENTOS NA REDE DE SANEAMENTO EM MAZEDO, LONGOS VALES E TROVISCOSO

Após celebração dos respetivos contratos de empreitada, realizados ontem na Casa do Loreto, trabalhos iniciam-se ainda este mês ou no próximo, devendo estar concluídos no verão de 2019. Investimento situa-se em 1.377.008,78 € acrescido de IVA à taxa de 6 por cento, beneficiando um total de 1065 habitantes.

Saneamento 01 (Large)

Luz verde para o arranque dos trabalhos de construção da rede de saneamento em Mazedo, Longos Vales e Troviscoso. Ontem, na Casa do Loreto, foram assinados os respetivos contratos de empreitada entre o autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, e o administrador e representante legal da empresa “Narom, S.L, Sucursal em Portugal”, Manuel Fernandez Moran.

Testemunhados pelo presidente da União de Freguesias de Mazedo e Cortes, Vítor Rodrigues, União de Freguesias de Monção e Troviscoso, João Luís Domingues, e o presidente da Junta de Freguesia de Longos Vales, António Felgueiras, os contratos tem um prazo de execução de 730 dias, devendo avançar no terreno ainda este mês ou no próximo.

Os investimentos, no valor global de 1.377.008,78 € acrescido de IVA à taxa de 6 por cento, foram aprovados na reunião ordinária de 11 de abril de 2017, após prévia realização de concurso público. Nos termos do nº1 do Artº 98º do CCP, a minuta do contrato foi aprovada por deliberação camarária no dia 2 de maio de 2017.

Em Mazedo, a intervenção decorrerá nos lugares de Estrada, Carrazedo, Eirado, Pomar, Regueiro, Breia, Calvário, Requião, Antoinha e Agrelo, beneficiando 712 habitantes. Em Longos Vales, a empreitada compreende os lugares da Bouça, Corgo e Serzedo, chegando a 180 habitantes. Por sua vez, em Troviscoso serão abrangidos 173 habitantes dos lugares da Pedra e Monte Redondo. No total, serão beneficiados 1065 habitantes.

Os trabalhos, comparticipados pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos – POSEUR, consistem na construção das necessárias infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem e condutas elevatórias.

Refira-se que o presente investimento corresponde aos lugares mais densamente urbanizados daquelas freguesias que, na atualidade, não dispõem de rede de drenagem. Assumem-se de extrema importância pata a resolução de graves problemas sanitários existentes que resultam do deficiente funcionamento das fossas séticas individuais, decorrente das más condições naturais de drenagem do solo.

saneamento 02 (Large)

saneamento 03 (Large)

saneamento 04 (Large)

saneamento 05 (Large)

ADEGA DE MONÇÃO CONQUISTA OURO E PRATA NO INTERNATIONAL WINE CHALLENGE 2017

Muralhas de Monção 2016 e Deu-la-Deu Reserva 2014 brilham em Londres

*Competição é a mais prestigiada a nível internacional

Os vinhos Muralhas de Monção 2016 e Deu-La-Deu Reserva 2014, da Adega Cooperativa de Monção, acabam de conquistar duas medalhas de ouro no International Wine Challenge 2017 (IWC), um dos mais prestigiados concursos de vinho a nível internacional. Nesta segunda fase do concurso, que decorreu em Londres durante duas semanas de provas cegas, foi ainda distinguido o alvarinho Deu-la-Deu Reserva 2015 com medalha de prata, tendo o branco Adega de Monção 2016 recebido o Prémio Recomendado.

Cada vinho em competição foi degustado pelo menos duas vezes pelo júri internacional deste concurso, considerado como a mais exigente  competição de vinhos do mundo, que recebe milhares de amostras provenientes dos mais variadas regiões. Os vinhos são avaliados em prova cega, através de rigorosos critérios de avaliação que respeitam o estilo e a região de cada referência vínica.

Para Armando Fontainhas, presidente da Adega Cooperativa de Monção, “estes prémios atribuídos pelo mais exigente, conceituado e influente concurso internacional, demonstram a consistência e o reconhecimento dos vinhos da sub-região de Monção e Melgaço a nível internacional, o que é naturalmente um enorme orgulho para a Adega de Monção”. Os vinhos da cooperativa minhota tem vindo a conquistar cada vez mais medalhas e distinções, quer em certames nacionais quer internacionais, o que prova o reconhecimento da qualidade e do trabalho desenvolvido em prol dos vinhos da região.

Adega Branco Escolha

Wine1

VVB Alvarinho Deu La Deu Reserva 2015

wine2

VVB Muralhas de Monção 2016

wine3

 

 

MONÇÃO REALIZA OFICINA DE FOOD FOTOGRAPHY “LUZ, CÂMARA, DEGUSTAÇÃO”

No âmbito do projeto “Monção nas Mãos – Turismo Criativo”, realiza-se este domingo, 20 de maio, pelas 10h00, com o foodblogger, comunicador e chef Rui Ribeiro. Encontro marcado no ateliê “Faz & Come”, em Lara. Participação sujeita a inscrição.

Luz, Câmara, Degustação

Com o lema “Venha aprender a tirar fotografias tentadoras de comida”, serão abordados os princípios básicos de fotografia de comida: técnica, composição e edição. No final, os sujeitos fotografados serão degustados depois de serem transformados em deliciosas criações gastronómicas.

O projeto “Monção nas Mãos – Turismo Criativo”, coordenado por Nélson Azevedo, pretende contribuir para que se recuperem alguns dos saberes ancestrais deste território através da experiência de vários parceiros envolvidos neste conceito abrangente e estruturante que visa valorizar o presente e futuro com os ensinamentos do passado.

O projeto reserva experiências em áreas da vida rural como a moagem de farinha, a confeção do pão, a tosquia de ovelhas ou a construção de instrumentos tradicionais. Focaliza-se também na recriação artística desses sabores e saberes com recurso à fotografia, desenho e escultura.

MONÇANENSES PASSAM UMA TARDE EM FAMILIA

Com organização da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção, oDia Internacional da Família celebra-se este domingo, 21 de maio, na Praça Deu-la-Deu Martins, a partir das 15h00, com espetáculos de magia e teatro de marionetas. Traga a sua. E passe uma tarde divertida.

dia da familia

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção assinala no próximo domingo, na Praça Deu-la-Deu Martins, a partir das 15h00, o 24º aniversário do Dia Internacional da Família através da realização de várias atividades destinadas a pais, filhos, avós e netos. 

Entre as atividades propostas, contam-se espetáculos de magia e teatro de marionetas. A organização, focalizada na sensibilização da sociedade local para a importância dos valores familiares, promete uma tarde divertida e convida as famílias a participarem nesta iniciativa.

Com a celebração desta data, pretendeu-se reconhecer o papel fundamental da família na sociedade enquanto suporte de estabilidade de uma vivência em comunidade, valorização do processo de sociabilização das crianças e manutenção de tradições e costumes que identificam a nossa região.

O Dia Internacional da Família, celebrado anualmente no dia 15 de maio, foi proclamado na Assembleia Geral das Nações Unidas pela resolução 47/237, de 20 de setembro de 1993. Este ano, o tema central escolhido para assinalar a data é "Famílias, educação e bem-estar”.

MONÇÃO REALIZA XIII CONCENTRAÇÃO MOTARD

Dias 19, 20 e 21 de maio, no Parque das Caldas. Com organização do Grupo Motard “Os Feras”, iniciativa prevê atuações musicais, festa da cerveja e strip-tease misto. Presença de perto de meio milhar de amantes das duas rodas de todo o território nacional e da vizinha Galiza.

Concentração Motard

Este fim-de-semana, dias 19, 20 e 21 de maio, o Parque das Caldas, em Monção, vai animar-se com a XIII Concentração Motard “Os Feras”, prevendo-se, além da concentração de motorizadas e expositores dedicados ao motor, um conjunto variado de atividades complementares.

No livro promocional do evento, o vereador das atividades socioculturais, Paulo Esteves, sublinha a componente festiva da iniciativa motorizada e destaca a sua importância enquanto promotora do património monumental, paisagístico, gastronómico e vinícola do concelho de Monção.

Num espaço com tasquinhas a servir bebidas e alguns petiscos, a animação começa na sexta-feira à noite, a partir das 21h00, com a Festa da Cerveja, animação com DJ Oliver e Prova Cinquentinhas. No sábado, a tarde é preenchida com jogos tradicionais, lavagem de motos e exposição de motas antigas.

À noite, está prevista a atuação do grupo Hugo Band, entrega de prémios e lembranças aos participantes e um espetáculo de strip-tease misto. A despedida dos amantes das duas rodas é feita no domingo de manhã com um passeio por diversas freguesias do concelho de Monção.

De acordo com a organização, o objetivo desta XIII concentração passa pelo convívio e divulgação das potencialidades de Monção, Vila Termal e Berço do Alvarinho. Prevê-se a presença de perto de meio milhar de motards de todo o território nacional e da vizinha Galiza.

BANDA MUSICAL DE MONÇÃO REALIZA CONCERTO DE PRIMAVERA

Dia 20 de maio, sábado, pelas 22h00, no Cine Teatro João Verde. O espetáculo, no valor de 3,00 €, está esgotado há vários dias, revelando a qualidade musical da filarmónica e o orgulho que desperta junto da população.

DSC_0246 (Large)

O habitual Concerto de Primavera promovido pela Banda Musical de Monção realiza-se no próximo sábado, dia 20 de maio, pelas 22h00, no Cine Teatro João Verde. O espetáculo, no valor de 3,00 €, está esgotado há vários dias, revelando a qualidade musical da filarmónica e o orgulho que desperta junto da população

À semelhança dos anos anteriores, o repertório musical será diversificado e envolvido no espírito da época. O público aguarda sempre, com expetativa, a apresentação de novas composições e a recordação de temas inolvidáveis para os amantes deste género musical.

Com mais de dois séculos de existência, a Banda Musical de Monção, sob a batuta do maestro Vicente Simeó Mañez e com mais de 70 elementos, tem sabido adaptar-se ao “andar do tempo”, introduzindo composições atuais e rejuvenescendo os seus músicos. 

Neste concerto, os presentes serão brindados com um espetáculo de grande qualidade musical que, além dos habituais e merecidos aplausos, motiva sempre comentários elogiosos e palavras de incentivo aos elementos desta bicentenária filarmónica local.

MONÇÃO REALIZA 7ª FEIRA MOSTRA DE PRODUTOS LOCAIS E REGIONAIS

ste fim de semana, 19, 20 e 21 de maio, no Largo da Senhora da Ajuda, em Troviscoso. Programa engloba música popular e tradicional e verbena com o Grupo “Roconorte”. Nestes três dias, a animação está garantida num certame direcionado para a confraternização, defesa e promoção do mundo rural.

feira mostra1.jpg

A autenticidade do mundo rural sente-se e saboreia-se em Troviscoso com a realização da 7ª Feira Mostra de Produtos Locais e Regionais. Este fim de semana, 19, 20 e 21 de maio, vários expositores estarão dispersos pelo Largo da Senhora da Ajuda, apresentando produtos agrícolas, vinho Alvarinho, artesanato e fumeiros.

Para animar o público, o programa engloba música popular e tradicional, não faltando bombos, concertinas, cavaquinhos e folclore. No sábado à noite, sobe ao palco o Grupo “Roconorte”. No domingo à tarde, realiza-se um festival folclórico. A abertura oficial do certame, seguida de visita aos expositores, está marcada para sábado, pelas 15h00.

Com organização da Associação Social, Cultural e Cívica da Senhora da Ajuda, a festa promete três dias de animação num certame vocacionado para a defesa e promoção do mundo rural e para a confraternização entre familiares, amigos e conhecidos à volta de um petisco e de um copo.

Na edição deste ano, a organização volta a apresentar um programa com marca de ruralidade, potenciando a comercialização de produtos locais e preservando uma herança cultural e etnográfica recebida dos antepassados que ostenta, com orgulho, no presente.

MONÇÃO ENTREGA TITULOS HONORIFICOS E CONDECORAÇÕES

Englobada no Corpo de Deus/Festa da Coca, cerimónia decorre no dia 15 de junho, quinta-feira, feriado municipal, pelas 11h00. Município distingue Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista (cidadão de mérito – medalha de prata), José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil (serviços distintos - medalha de ouro). Como instituições de mérito serão reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, Coca Hipermercados, Lda, e Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre).

Paços do Concelho 02.JPG

A cerimónia de entrega de títulos honoríficos e condecorações do presente ano, englobada no segundo dia da programação da Festividade do Corpo de Deus/Festa da Coca, realiza-se no dia 15 de junho, quinta-feira, feriado municipal, pelas 11h00. A proposta da comissão de parecer para atribuição dos títulos foi aprovada, por unanimidade, na reunião do Executivo Municipal de ontem.

Com o título de cidadão de mérito (medalha de prata) será distinguido Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Esta condecoração é atribuída a pessoas que se notabilizam nas respetivas atividades, referindo-se, no artigo 10º do regulamento, que “o título de cidadão de mérito de Monção é destinado a premiar cidadãos nacionais e estrangeiros que, pela prática de atos notáveis, tenham obtido êxito nos campos artístico, literário, científico e profissional”.  

Com o título de serviços distintos (medalha de ouro) serão reconhecidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas monçanenses.

De acordo com o artigo 23º do regulamento, considera-se que “a medalha poderá ser concedida a funcionários públicos, autárquicos ou elementos de instituições de Monção que tenham demonstrado zelo, dedicação e competência na tarefa desempenhada”.

Como instituições de mérito serão distinguidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a Rádio Ecos da Raia (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade.  

De acordo com o regulamento, no seu artigo 15º, “o título de instituição de mérito será atribuído às associações, agrupamentos, clubes ou outras pessoas coletivas que venham a desenvolver atividades desportivas, culturais, sociais ou económicas de modo efetivo e que contribuam para o bem-estar da comunidade”.

CASA DA MÚSICA E SERRALVES EM FESTA RECEBEM “ESCOLA DO ROCK” TOUR 2017

27 maio |Auditório Municipal de Vigo

28 maio | Cine Teatro João Verde, Monção

3 junho | Serralves em Festa, Porto

28 junho | Casa da Música, Porto

A Escola do Rock faz-se à estrada com dois concertos no Porto, Casa da Música e Serralves em Festa, repetindo a passagem por Vigo e Monção, Auditório Municipal e Cine Teatro João Verde, respetivamente, naquele que é o Tour 2017 e que serve de ‘warm up’ para o Festival Paredes de Coura.

mupi4 VISUALIZAÇÃO screen.jpg

No ano em que emblemático festival celebra os seus 25 anos, cabe à Escola do Rock a honra de abertura do palco principal com uma formação de cerca 40 jovens com idades entre os 13 e os 30 anos, que são guitarristas, bateristas, baixistas, teclistas, clarinetistas, saxofonistas, flautistas e vocalistas, revisitando no seu reportório muitos dos clássicos do rock'n'roll assim como temas de algumas das bandas que nos últimos anos passaram pelo Festival Paredes de Coura.

O presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vitor Paulo Pereira, bem como o vice-presidente Tiago Cunha integram o elenco da edição deste ano da Escola do Rock, dirigida pelo Space Ensemble e que reúne por períodos intensivos de 5 dias para ensaiar do nascer do sol ao sol posto, na semana anterior ao Natal.

Recorde-se que da 1ª edição da Escola do Rock, com a qual o Município de Paredes de Coura foi distinguido em 2015 com o Prémio “Município do Ano UM-Cidades” instituído pela Universidade do Minho, sobressaiu também a participação dos jovens músicos no Festival Vodafone Paredes de Coura, no âmbito do projeto ‘O Festival sobe à vila’.

É que este é um projeto singular. Podia ser uma escola sobre Duke Ellington, Mozart ou Mahler. Sobre John Cage ou John Adams. Seria espetacular! Mas em Paredes de Coura decidiram criar uma escola de música sobre Led Zeppelin, Beatles, Pixies, Nirvana, Morphine, Motorhead, Tame Impala, Franz Ferdinand, Bob Dylan, Neil Young, Rage Against the Machine e muitos outros. E tem sido incrível!

MONÇÃO ABRE 7º FITAVALE NO CINE TEATRO JOÃO VERDE

A sétima edição do Festival Itinerante de Teatro de Amadores do Vale do Minho - FITAVALE, com produção da companhia de teatro “Comédias do Minho”, decorre nos dias 19, 20 e 21 de maio nos concelhos de Monção, Paredes de Coura, Valença, Melgaço e Vila Nova de Cerveira. A abertura oficial realiza-se no Cine Teatro João Verde, sexta-feira, pelas 21h00.

Fitavale.png

Nesse dia, meia hora mais tarde, sobe ao palco o grupo “VerdeVejo”, de Valença, com a peça “Ponte”. Com criação e encenação de Luis Filipe Silva, conta com interpretações de Ana Neves, Andreia Gomes, Azam Azizov, Conceição Torres, Diana Exposto, Fernanda Esteves, Gusta Salvador, Júlia Ferreira, Julieta Borges, Pedro Evangelista, Ricardo Silva, e Rui Passos.

Na peça, que se chama “Ponte” porque vai haver uma ponte…quase de certeza, participa também o Coro da Associação Cultural de Verdoejo. Envolvida neste festival, a Associação Filarmónica Milagrense apresenta no sábado, pelas 16h00, no Centro Cultural de Paredes de Coura, a peça “João Verde, 150 Vida e Obra”. Todos os espetáculos têm entrada gratuita.

ASSINATURA DO CONTRATO PARA INSTALAÇÃO DA REDE DE SANEAMENTO NO LUGAR DE MILAGRES, EM CAMBESES

O contrato de empreitada referente à “Rede de Saneamento do Lugar de Milagres, Cambeses” foi assinado esta manhã, na Casa do Loreto, pelo presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, e pelos sócios gerentes e representantes legais da empresa “Limabuild – Engenharia & Construções, Lda”, Marco José Dias Armada e Gabriel José Dias Armada.

saneamento milagres 01 (Large).JPG

A empreitada, no valor de 331.990,00 € acrescido de IVA à taxa de 6 por cento, foi aprovada na reunião ordinária de 10 de abril de 2017, após prévia realização de concurso público. Nos termos do nº1 do Artº 98º do CCP, a minuta do contrato foi aprovada por deliberação camarária no dia 2 de maio de 2017.O prazo de execução é de 730 dias, a contar da data do auto de consignação.

Os trabalhos, comparticipados pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos – POSEUR, consistem na construção das necessárias infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem e condutas elevatórias.

Após a assinatura, que contou também com a presença de Catarina Lourenço, secretária da Junta de Freguesia de Cambeses, Augusto de Oliveira Domingues sublinhou a importância deste investimento: “Trata-se de uma obra fundamental para a elevação da qualidade de vida das populações locais e para a preservação do meio ambiente”.

A presente intervenção está inserida no sistema em alta da “Águas do Norte, S.A”, permitindo que os efluentes sejam conduzidos para a Estação de Tratamento de Águas Residuais de Monção. Quando concluída, previsivelmente no verão de 2019, vão beneficiar deste investimento 326 habitantes dos lugares de Milagres, Figueiras, Terra Nova, Sende e Veiga.

saneamento milagres 02 (Large).JPG

saneamento milagres 03 (Large).JPG

saneamento milagres 04 (Large).JPG

APPACDM CRIA LOGOTIPO HUMANO DA INSTITUIÇÃO

Na celebração dos 45 anos de vida, a Associação de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental de Viana do Castelo agendou,nas localidades onde possui delegações, uma série de atividades pedagógicas que ilustram a sua intervenção social.

Em Monção, decorrerá a criação do logótipo da instituição por cerca de 350 pessoas de instituições locais numa jornada que engloba ainda diversos momentos de animação. A iniciativa tem lugar esta quinta-feira, dia de feira semanal, pelas 10h00, na Praça Deu-la-Deu.

APPACDM 45 anos.png

ROSCAS E PAPUDOS DELICIAM MUNICIPES E VISITANTES EM MONÇÃO

Segunda edição da Festa da Rosca e do Papudo, sem pingo de chuva a contrastar com o ano passado, realizou-se este domingo, durante todo o dia, na Praça Deu-la-Deu Martins, sala de visitas da localidade raiana que recebeu munícipes e visitantes em número significativo.

Roscas 01 (Large).JPG

Além da animação musical e demonstrações em forno a lenha, o certame englobou exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em anis, chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas que “puxaram” pelo paladar dos presentes.

Logo ali, uns apreciavam a qualidade do produto. Outros deixavam para mais tarde, levando no saquinho meia dúzia ou uma dúzia. Pelos comentários, as roscas e os papudos estavam no ponto certo. Algo que facilmente se comprovada pelo escoamento do produto. 

O certame, com organização conjunta da Junta de Freguesia de Cambeses, Grupo Popular “Os Teimosos” e Associação “Ardina”, teve apoio da Câmara Municipal de Monção e Associação de Artesãos de Monção - Post`Arte. O autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, deu as boas vindas aos presentes e sublinhou a aposta do município na defesa e valorização das tradições locais.

Além da animação musical, a cargo de agrupamentos tradicionais de Portugal e da Galiza, decorreram demonstrações, em forno a lenha, da confeção da rosca e do papudo. De acordo com a organização, a iniciativa pretende mostrar e potenciar as várias vertentes de uma das atividades mais genuínas do concelho no que respeita à confeção de doçaria tradicional.

Roscas 02 (Large).JPG

Roscas 03 (Large).JPG

Roscas 04 (Large).JPG

TAPETES FLORIDOS E PROCISSÃO SOLENE “ENCHEM” MONÇÃO DE VISITANTES

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Rosa, uma das festividades mais acarinhadas pela comunidade monçanense, realizou-se este fim de semana com um programa preparado pela respetiva comissão de jovens e preenchido por diversas atividades religiosas e culturais.

procissão 01 (Large).JPG

O centro histórico da localidade encheu-se de munícipes e visitantes. Para verem, as obras de arte “criadas” durante a madrugada por moradores e associações locais e participarem nos momentos solenes: missa, bênção e procissão. O tempo “aguentou-se” e “chamou” muita gente. A festa cumpriu-se com devoção e esplendor.

Este ano, os tapetes floridos prestaram homenagem a João Francisco, jovem monçanense falecido recentemente num acidente rodoviário, com o seu nome e mensagens em várias ruas, e fizeram alusão ao centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima, com um trabalho extraordinariamente minucioso de “alfombristas” de Ponteareas, localidade galega.

A presença de “nuestros hermanos” faz-se desde 2009. Desta vez, vieram cerca de 20 pessoas que, com a colaboração de várias funcionárias da autarquia, ornamentaram o Largo de Camões com uma imagem de 120 metros quadrados de Nossa Senhora de Fátima e os três pastorinhos. O trabalho iniciou-se às 6 da manhã, terminando pouco depois das 9h00. 

A festividade arrancou na noite de sábado com missa solene na Igreja da Misericórdia, seguida de procissão de velas pelas principais artérias da vila com a imagem de Nossa Senhora da Rosa a ser transportada por jovens. Como é habitual, um momento muito participado pela população local.

A partir das 24h00, iniciou-se a ornamentação das ruas do centro histórico pelos respetivos moradores e associações locais. O trabalho durou até de madrugada, aliando-se o esforço dos residentes ao convívio e comentários de quem passava.

Na manhã de domingo, as ruas “acordaram” enfeitadas com pétalas, funcho, borras de café e serrim de várias cores com criativos desenhos geométricos e diversos motivos religiosos. Até meio da tarde, milhares de pessoas visionaram os tapetes floridos. Pelas 16h30, celebrou-se a missa solene na Igreja Matriz, seguindo-se a bênção e distribuição de rosas e procissão pelo centro histórico. 

procissão 02 (Large).JPG

procissão 03 (Large).JPG

procissão 04 (Large).JPG

procissão 05 (Large).JPG

Tapetes 01 (Large).JPG

tapetes 02 (Large).JPG

Tapetes 03 (Large).JPG

tapetes 04 (Large).JPG

tapetes 05 (Large).JPG

U.D. “OS RAIANOS”: AUTARQUIA MONÇANENSE APOIA AQUISIÇÃO DE CARRINHA

A Câmara Municipal de Monção e a União Desportiva “Os Raianos” celebraram, ontem à tarde, um protocolo de colaboração entre ambas as partes que, em linhas gerais, tem como objeto a comparticipação financeira do município aquele clube desportivo para aquisição de uma carrinha de nove lugares.

Raianos 01 (Large).JPG

O apoio, no valor de 20 mil euros, contribui para a valorização da atividade desportiva da U.D. “Os Raianos”, visando a melhoria das condições de trabalho de um clube com uma história de mais de quatro décadas ao serviço do desporto no concelho de Monção.

Neste ato informal, com a presença do presidente, Vítor Caldas, e da tesoureira, Catarina Rodrigues, o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, destacou o papel relevante do clube de Messegães em termos competitivos e na formação de jovens atletas com o projeto “Geração Raianos”.

A disponibilidade da autarquia para apoiar os clubes desportivos do concelho tem sido uma realidade ao longo dos anos. No caso concreto da U.D. “Os Raianos”, lançou e concretizou a obra de colocação de relvado sintético no Campo do Areal num investimento próximo a 200 mil euros, mais tarde apoiado pela administração central.

A inauguração, com a presença do Secretário de Estado da Juventude e Desporto, Emídio Guerreiro, teve lugar no dia 27 de junho de 2015. Presentemente, a U.D. “Os Raianos” compete na 2ª Divisão Distrital, ocupando a 4ª posição, com 45 pontos, à falta de três jornadas para o final.

raianos 02 (Large).JPG

Raianos 03 (Large).JPG

raianos 04 (Large).JPG

MONÇÃO REALIZA FESTA DA ROSCA E DO PAPUDO

Este domingo, 14 de maio, na Praça Deu-la-Deu Martins. Além da animação musical e demonstrações em forno a lenha, certame engloba exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas para agradar a todos os paladares. 

Roscas.JPG

Numa organização conjunta da Junta de Freguesia de Cambeses, Grupo Popular “Os Teimosos” e Associação “Ardina”, a segunda edição da Festa da Rosca e do Papudo realiza-se este domingo, durante todo o dia, na sala de visitas de Monção, Praça Deu-la-Deu Martins.

O certame, apoiado pela Câmara Municipal de Monção e Associação de Artesãos de Monção - Post`Arte, engloba exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas para agradar a todos os paladares. 

Além da animação musical, a cargo de agrupamentos tradicionais de Portugal e da Galiza, estão previstas demonstrações, em forno a lenha, da confeção da rosca e do papudo. De acordo com a organização, a iniciativa pretende mostrar e potenciar as várias vertentes de uma das atividades mais genuínas do concelho no que respeita à confeção de doçaria tradicional.

A cerimónia de abertura realiza-se às 9h45, seguindo-se a entrada e atuação do Grupo de Bombos de Pias. Ao início da tarde, atua a Rusga “Cantares da Ribeira” e, ao final, os grupos populares “Ronco & Folk” e “Os Teimosos”. A meio da tarde, faz-se silêncio para se ouvirem os passos devotos de quem participa na procissão solene em honra a Nossa Senhora da Rosa.

A Festa da Rosca e do Papudo coincide com esta tradição muito acarinhada pela população local, permitindo que munícipes e visitantes possam participar nos atos religiosos e apreciar os tapetes floridos ao mesmo tempo que desfrutam do sabor caraterístico de uma rosca e papudo feito com o saber de quem valoriza a tradição.

Rosca 01.JPG

PRIMEIRA REUNIÃO DO GRUPO DE TRABALHO DA EUROCIDADE MONÇÃO - SALVATERRA

A equipa de trabalho da Eurocidade Monção-Salvaterra de Miño esteve reunida na passada segunda-feira, pela primeira vez, na sede daquela entidade transfronteiriça, no Parque da Lodeira, em Monção, tendo estabelecidoalgumas normas de funcionamento e as primeiras linhas de atuação conjunta.

602e5226868571.5571c3865d551.png

Desta forma, determinou-se o horário de atendimento ao público da sede da Eurocidade que funcionará de segunda a sexta-feira, entre as 09h00 e as 13h00 (período de manhã), e na quinta-feira, dia de feira semanal em Monção, entre as 15h00 e as 17h00 (período de tarde).  

Neste horário, os técnicos responsáveis pelo espaço estarão disponíveis para transmitir informação cultural e turística sobre os dois municípios, bem como prestar todos os esclarecimentos relacionados com questões de mobilidade transfronteiriça na vertente social e laboral.

A reunião serviu ainda para aprovar a constituição de comissões de trabalho em várias áreas (cultura, desporto, educação, juventude, turismo, meio ambiente, desenvolvimento económico…) com o objetivo de preparar novas candidaturas aos fundos comunitários, nomeadamente à segunda convocatória do POCTEP - Programa de Cooperação Transfronteiriço.

Refira-se que a sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño foi inaugurada oficialmente no passado dia 1 de maio numa cerimónia que contou, entre outros, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e do Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

reuniãomonçgem.jpg

TAPETES FLORIDOS EMBELEZAM RUAS DE MONÇÃO

Festividade de Nossa Senhora da Rosa, que decorre este fim de semana, dias 13 e 14 de maio, tem como ponto alto a ornamentação das ruas do centro histórico por parte dos residentes. Os funcionários da autarquia, com a ajuda de vários elementos de uma associação da localidade galega de Ponteareas, “decoram” o Largo de Camões.

Rosa 01.jpg

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Rosa, uma das festividades mais acarinhadas pela comunidade monçanense, realiza-se este fim de semana, dias 13 e 14 de maio, com um programa preparado por uma comissão de jovens com apoio da paróquia local que engloba diversas atividades religiosas e culturais.

Assim, no sábado à noite, a partir das 21h30, celebra-se a missa solene, seguida da habitual procissão de velas pelas principais artérias da vila com a imagem de Nossa Senhora da Rosa a ser transportada por jovens. Um momento muito participado pela população local.

A partir das 24h00, inicia-se a ornamentação das ruas do centro histórico pelos respetivos moradores. O trabalho dura grande parte da noite, aliando-se o trabalho dos residentes ao convívio e comentários de quem passa. Há sempre um elogio ou um café trazido por uma mão amiga.

De manhã, as ruas “acordam” enfeitadas com pétalas, funcho, borras de café e serrim de várias cores com criativos desenhos geométricos e diversos motivos religiosos. Até início da tarde, são milhares as pessoas que visionam os tapetes floridos e que, a partir das 16h30, participam na missa solene na Igreja Matriz seguida da bênção, distribuição de rosas e procissão pelo centro histórico. 

O Largo de Camões, espaço fronteiro ao edifício dos Paços do Concelho, vai ser “ornamentado” por vários trabalhadores da autarquia. Nesta tarefa, contam com a colaboração de elementos de uma associação de Ponteareas, localidade galega que dista sensivelmente 15 quilómetros de Monção.

Esta amabilidade de nuestros hermanos será retribuída na Festa do Corpus Christi com uma comitiva de trabalhadores locais a fazer trabalho semelhante numa rua do casco urbano de Ponteareas. A tradição comum é uma realidade em ambas as margens do rio Minho e o povo, orgulhoso da sua cultura, teima em preservá-la e valorizá-la.

Rosa 02.jpg

Rosa 03.jpg

Rosa 04.jpg

Rosa 05.jpg

Rosa 06.jpg

Rosa 07.jpg

Rosa 08.jpg

EXECUTIVO MONÇANENSE ADJUDICA OBRAS COM VALOR GLOBAL PRÓXIMO DE 3 MILHÕES DE EUROS

Cinco empreitadas no âmbito do saneamento básico, regeneração urbana e dinamização económica avançam em diferentes freguesias do concelho, tornando o nosso território mais visitável e proporcionando melhor qualidade de vida aos habitantes.

investimentos.png

Nas últimas sessões camarárias, o Executivo Municipal de Monção adjudicou um conjunto de investimentos no valor global de 2.740.222,68 €, acrescido do respetivo imposto (6%), perfazendo 2.904.636,05 €. Intervenções referem-se a trabalhos de saneamento básico, regeneração urbana, segurança rodoviária e dinamização económica.

Com comparticipação financeira no âmbito do Portugal 2020, através do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), foram adjudicadas, por unanimidade, três empreitadas em diferentes freguesias do território concelhio.

A saber: “Rede de Saneamento do Lugar dos Milagres – Cambeses”, no valor de 331.990,00 €, à empresa Limabuild, Engenharia & Construções, Lda. “Rede de Saneamento de Serzedo (Longos Vales) e Aglomerado Urbano de Monte Redondo (Troviscoso)”, no valor de 531.863,64 €, e “Rede de Saneamento da Rede Baixa de Mazedo”, no valor de 845.145,14 €, ambas à empresa Narom, SL – Sucursal em Portugal.

Os trabalhos, localizados nos lugares urbanizados daquelas freguesias, consistem na construção de infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem de saneamento residual, estações e condutas elevatórias. Fundamentais para a elevação da qualidade de vida das populações locais e preservação do meio ambiente, as intervenções previstas vão beneficiar 1391 habitantes.

O executivo monçanense aprovou também a empreitada “Beneficiação da EN101/202 – Troço Rotunda de Cortes à Nova Rotunda de S. Pedro – 1ª Fase”. Com votos contra do PSD e abstenção do CDS/PP, a obra foi adjudicada pelo montante de 450.228,72 €, à empresa Duque & Duque, Terraplanagens, Lda.

Esta intervenção, numa extensão aproximada de 700 metros entre a rotunda de Cortes e a rotunda de acesso ao centro urbano/ponte internacional, prevê a criação de separador central, beneficiação do pavimento, zonas verdes e arborização, passeios em ambos os lados e reforço da iluminação pública.

No âmbito da regeneração urbana, avança igualmente a “Requalificação da Praça da República e Zona Envolvente”. Os trabalhos, entregues à firma Limabuild, Engenharia & Construções, Lda, situam-se em 580.995,18 €. O objetivo geral é tornar mais visitável o centro histórico da vila, proporcionando a residentes e visitantes espaços atrativos e funcionais.

Assim, a empreitada consta da beneficiação total da Praça da República, recuperando pavimentos, jardins, mobiliário urbano, iluminação pública e infraestruturas de abastecimento de água, saneamento e águas residuais. Intervenções estendem-se aos arruamentos envolventes. Casos da Rua 25 de Abril, Largo da Alfândega, Rua da Estação e Rua Eng. Duarte Pacheco.

MONÇÃO REALIZA 4º TORNEIO INTERNACIONAL DE KARATÉ

Competição, marcada para este sábado, 13 de maio, conta com cerca de meio milhar de atletas de quatro centenas de clubes portugueses, espanhóis e franceses. Presença confirmada dos selecionadores de Portugal, Joaquim Gonçalves, e de Espanha, Cesar Blanes, bem como da atual campeã europeia júnior em kumité, Mariana Lelis.

karate.jpg

Com organização do Deu-la-Deu Karaté Clube de Monção e apoio da Federação Nacional de Karaté de Portugal e Câmara Municipal de Monção, realiza-se este sábado, 13 de maio, no Pavilhão Desportivo Municipal, o 4º Torneio Internacional de Karaté de Monção.

As provas decorrem ao longo de todo o dia, provas de kata de manhã e kumite à tarde, com a presença de 483 atletas de vários escalões e género oriundos de 39 clubes portugueses, espanhóis e franceses. Presença ainda de 65 treinadores e 50 árbitros.

Além do presidente da Federação Nacional de Karaté de Portugal, Carlos Silva, e do selecionador nacional da modalidade, Joaquim Gonçalves, marca presença neste evento o selecionador de Espanha, Cesar Blanes. Confirmada está também a participação da atual campeã europeia júnior em kumité, Mariana Lelis.

Tendo como objetivo a promoção da prática da modalidade, a organização aponta como principais objectivos do torneio a rodagem dos atletas mais jovens e a divulgação do clube e do concelho de Monção. Salienta ainda o intercâmbio e a aprendizagem que estas iniciativas proporcionam aos atletas que, nesta competição, vão conviver com os melhores.

Fundado em 2010, o Deu-la-Deu Karaté Clube de Monção tem em atividade peto de uma centena de atletas de diferentes idades, promovendo demonstrações públicas da modalidade e participando em encontros de karaté realizados em diferentes regiões do país. A modalidade tem crescido de ano para ano no concelho, sendo este torneio um exemplo da capacidade organizativa do clube.

MONÇÃO ORGANIZA PASSEIO SÉNIOR A LOURDES

Entre 23 e 26 de junho, realiza-se o habitual passeio sénior promovido pelo Município de Monção. O destino é Lourdes, estando previstas visitas à Basílica e à Gruta onde apareceu a Virgem, participação na Procissão das Tochas e na missa de domingo. Inscrições até ao dia 22 de maio.

passeio.png

O passeio sénior é uma prática habitual do executivo monçanense como forma de contribuir para um envelhecimento ativo dos nossos idosos, proporcionando-lhes momentos de convívio e animação com deslocações a distintos locais do nosso pais e estrangeiro.

Este ano, o passeio sénior tem como destino Lourdes, prevendo-se, entre outros aspetos, visita à Basílica e à Gruta onde apareceu a Virgem, participação na Procissão das Tochas e na missa de domingo. A viagem engloba também paragens e visitas às cidades de San Sebastian e Burgos.

Além de proporcionar momentos de convívio e animação, o passeio sénior constitui uma iniciativa solidária e altruísta, cuja finalidade consiste em estimular a vida ativa e fortalecer a auto estima desta camada populacional. Procura ainda combater a situação de solidão e isolamento que acompanha o quotidiano de muitos idosos.

MONÇÃO INAUGURA EXPOSIÇÃO DE MÁSCARAS DO MINHO

A Casa Museu de Monção, Unidade Cultural da Universidade do Minho inauguram a exposição intitulada "Personagens" da artista Teresa Ricca, no próximo dia 6 de maio (sábado), pelas 16h00, nas instalações da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho, sitas na vila de Monção.

convite MONÇÃO 6 COM LOGOS1 (1).jpg

Na exposição "Personagens" apresentam-se cerca de quatro dezenas de trabalhos onde se cruzam livremente as inspirações das máscaras, sem distinção de origem ou de época, com as cores alegres e vibrantes do Minho.

Este projeto é o resultado duma procura técnica e formal iniciada há cerca de sete anos. Uma oportunidade de “visitar” os caretos transmontanos, deu a Teresa Ricca a ideia de realizar um trabalho de pesquisa que se alargou às máscaras de todo o mundo e de todas as épocas, e que foi o mote para esta exposição.

 "PERSONAGENS" (que se escondem por muito se mostrarem).

Esta exposição estará patente ao público até 7 de junho.

HORÁRIO DA EXPOSIÇÃO:

Terça a Sexta Feira - das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

Sábados - das 14h00 às 18h00

Domingos e Segundas: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

MONÇÃO REALIZA XXVII FEIRA AGRÍCOLA DO VALE DO MOURO

Com a presença de vários expositores, tasquinhas, provas de TT e BTT, encontro de concertinas e tarde folclórica, o cartão-de-visita continua a ser a feira do gado e as corridas de cavalos. As noites “entram” pela madrugada ao ritmo de DJ`s.

Feira Agricola.jpg

A XXVII Feira Agrícola do Vale do Mouro, certame realizado na freguesia de Segude com organização da Associação de Freguesias do Vale do Mouro, decorre neste fim de semana, 5, 6 e 7 de maio, com um conjunto diversificado de atividades recreativas e musicais que, como vem sendo habitual, prometem encher o recinto da feira.

O tiro de partida deste certame defensor e promotor do mundo rural arranca na sexta-feira, pelas 21h00, com o Grupo “Bombolásticos”, continuando com atuação do conhecido músico Zézé Fernandes e, pela noite dentro, com o ritmo do animador e DJ Pedro Pagodes.

No sábado, realiza-se a abertura oficial da feira, marcada para as 10.00 horas, com cerimónia protocolar, visita aos expositores e início do VIII TT Monção. A tarde é preenchida com encontro de concertinas, prova hípica de passo travado e atuação da Rusga de Merufe. A noite é abrilhantada pelo Grupo Roconorte e pelos DJ`s Ribas e John Fran.

O domingo “abre” com a feira do gado, onde os melhores exemplares serão premiados, prova de BTT, passeio pedestre e encontro de concertinas. Depois do almoço, tem lugar um dos pontos altos do certame (provas de cavalo a galope e com atrelado) e um festival folclórico com grupos de Merufe, Pinheiros, Troviscoso e Troporiz. O certame encerra ao som do grupo “Sons da Serra”.

A par destas atividades, a Feira Agrícola do Vale do Mouro apresenta diversos expositores com material e equipamento relacionado com o setor, artigos manufaturados de artesanato, produtos regionais, e tasquinhas típicas com ementas e vinhos da região.

Realizado em Segude desde 1990, o certame aposta na preservação da tradição sem descurar aspetos de modernidade e pretende assumir-se como um local privilegiado para o estabelecimento de relações pessoais e empresariais entre os profissionais do setor.

SOCIEDADE MONÇANENSE ATIVA NA PREVENÇÃO DOS MAUS-TRATOS NA INFÂNCIA E JUVENTUDE

Durante o mês de abril, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção, associando-se à campanha da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, promoveu um conjunto de atividades destinadas à prevenção dos maus-tratos na infância e juventude.

desportivo 1 (Large).jpg

As atividades desenvolvidas pela CPCJ/Monção contaram com a colaboração de várias entidades públicas, instituições sociais, associações juvenis, culturais e desportivas, bem como do comércio local que, ao longo do mês, decoraram fachadas e montras com o simbolismo do laço azul.

Uma forma elucidativa de mostrar a envolvência da sociedade civil monçanense relativamente a uma questão social que, afinal de contas, é de todos. O resultado é claramente positivo e encorajador quanto à minimização desta problemática e ao exercício de uma parentalidade positiva.

A sensibilização e prevenção da comunidade mundial para a questão dos maus tratos na infância iniciou-se nos Estados Unidos da América, em 1983, tendo sido adotada por diversos países europeus, incluindo Portugal, nos primeiros anos deste século.  

A CPCJ/Monção agradece a participação das entidades públicas, instituições sociais, associações juvenis, culturais e desportivas, bem como dos estabelecimentos comerciais aderentes. OBRIGADO. 

IMGP3417 (Large).JPG

mazedo (Large).jpg

pinheiros activo (Large).jpeg

raianos 2 (Large).jpg

EUROCIDADE MONÇÃO - SALVATERRA DE MIÑO: AUTARCAS APOSTAM NA DINAMIZAÇÃO TURISTICA DO RIO MINHO E NA PARTILHA DE SERVIÇOS NA SAUDE E PROTEÇÃO CIVIL

A abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, localizada no antigo edifício da PIDE, no Parque da Lodeira, tornou ainda mais consistente e vigoroso o relacionamento frutuoso, desde sempre, entre os responsáveis políticos e as populações dos dois municípios unidos pelo rio Minho.

DSC_0019 (Large).JPG

O novo organismo, inaugurado vinte e dois anos após a entrada em funcionamento da ponte internacional entre as duas localidades, tem como prioridades, entre outras, a realização conjunta de atividades culturais, sociais e desportivas, a valorização do troço fluvial do rio Minho e a dinamização dos recursos endógenos no campo enológico, patrimonial e paisagístico. 

Na linha da frente da “ordem de trabalhos” estará também o empreendedorismo transfronteiriço, a partilha de equipamentos coletivos, garantindo escala e rentabilização financeira, e a apresentação de candidaturas a programas comunitários transfronteiriços, visando o fortalecimento da atividade turística e económica.

Numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e pelo Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela, os dois autarcas raianos, Augusto de Oliveira Domingues e Arturo Grandal Vaqueiro, falaram de um passado difícil e de um futuro promissor.

Consolidar relação umbilical

O autarca monçanense, que recordou a imposição restritiva da fronteira com momentos marcantes na sua memória de criança e jovem, apontou estratégias de futuro que, acrescentou, passam por aprimorar as excelentes relações existentes e garantir melhor qualidade de vida às populações.

DSC_0028 (Large).JPG

Referindo-se a alguns projetos em andamento, como um barco turístico e o alargamento dos passeios da ponte, Augusto de Oliveira Domingues reafirmou o propósito de consolidar esta relação transfronteiriça umbilical nos campos da saúde e da proteção civil.

Disse: “Não entendo porque motivo não podemos abrir as portas do nosso centro de saúde aos nossos vizinhos galegos. Ou porque os nossos bombeiros não podem intervir no outro lado da fronteira. Senhores governantes, temos de ultrapassar estas situações para que a relação seja de completa liberdade num futuro que queremos construir juntos”.

Uma intervenção com claro enfoque nos próximos anos que Arturo Grandal Vaqueiro ouviu, aplaudiu e reforçou. Para ele, tal como para Augusto de Oliveira Domingues, o rio nunca constituiu obstáculo ao relacionamento entre as duas populações e a ponte é apenas uma rua que liga os dois centros históricos separados por um quilómetro.

“Imagino um pequeno Douro”

Com palavras pausadas e emocionadas, Arturo Grandal Vaqueiro referiu-se à sede da Eurocidade como um instrumento fundamental para a valorização cultural e paisagística de Monção e Salvaterra de Miño, dois municípios vizinhos com potencialidades vínicas (Alvarinho) e patrimoniais (muralhas) semelhantes.

De seguida, com a certeza que cresce na convicção, apontou os próximos desafios da Eurocidade, mencionando dois que, de alguma forma, já tem um caminho percorrido. Por um lado, a valorização da ponte internacional e, por outro, a navegabilidade de um barco turístico: 

“A ponte é uma rua e, como tal, temos de tratar bem dela. Iluminação, pintura e alargamento para as pessoas que a cruzam a pé, a correr ou de bicicleta. Estamos também a pensar num barco turístico que possa navegar nestas águas. Já imagino um pequeno Douro com visitas às adegas, circuitos temáticos sobre o vinho Alvarinho e rotas ecológicas”.

Após a cerimónia oficial de abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, que englobou ainda descerramento de placa e visita às instalações, realizou-se a inauguração da sede da ATEARAIA – Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental, no edifício da antiga guarda-fiscal.

Neste local, procedeu-se à abertura da exposição de fotografia “Portugal Subaquático”, de Luis Quinta, produzido pela CMIA de Viana do Castelo, tendo os membros da associação presenteado autarcas e governantes com um carvalho–alvarinho. O programa terminou com um convívio popular com atuações do grupo “Os Magníficos”, de Monção, e do “Grupo de Gaitas”, de Salvaterra de Miño.

DSC_0044 (Large) (1).JPG

DSC_0326.JPG

DSC_0342 (Large).JPG

MUNICÍPIO DE MONÇÃO REALIZA INVESTIMENTOS NO CONCELHO

A Câmara Municipal de Monção procede atualmente à execução de diversas empreitadas em várias freguesias do concelho, abrangendo intervenções em áreas como saneamento básico, abastecimento de água, beneficiação da rede viária e valorização cultural.

monçainvest (1).jpg

O objetivo geral incide na melhoria da qualidade de vida das populações locais e na atração de visitantes ao nosso território. Em alguns casos, as empreitadas estão praticamente concluídas e, em outros, encontram-se em fase de execução dos trabalhos adjudicados.

Na semana passada, o autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, acompanhado da vice-presidente, Conceição Soares, e do técnico Jorge Tavares, visitou as empreitadas em questão, inteirando-se do desenrolar das mesmas e dos respetivos prazos de conclusão.

No âmbito da rede viária municipal, as intervenções na EM 504 – Ligação Barbeita/Merufe e na Estrada Barroças e Taias/Pias estão em fase final de execução, faltando alguns trabalhos pontuais. No primeiro caso, será necessário proceder à pintura no pavimento.

O Caminho de Santo Amaro, em Ceivães, encontra-se praticamente finalizado enquanto o Caminho de Santa Marinha, em Tangil, iniciou os trabalhos recentemente com a construção de um muro que permitirá a sustentabilidade do terreno no alargamento da estrada naquela zona específica.  

A EM 507 – Acesso Sul ao Minho Parque, trajeto rodoviário novo para Lara e para o interior do Vale do Gadanha, aguarda pela colocação de asfalto e construção de valetas, tudo indicando que, antes do verão, esteja pronta para receber a circulação automóvel.

Depois da abertura oficial do Núcleo Museológico Torre de Lapela, efetuada no âmbito das Festividades do Corpo de Deus/Festa da Coca no último ano, a autarquia continuou a apostar na valorização daquele espaço patrimonial. Presentemente, estão a ser construídos os espigueiros situados junto àquele monumento nacional desde 1910.

Referência ainda para o Cemitério Municipal de Monção, beneficiação ansiada por muitos monçanenses, e para a requalificação da zona do Porcalho, empreitada aprovada no Portugal 2020, Programa Regeneração Urbana, que avança a bom ritmo.

Investimento compreende dotação de infraestruturas de água, saneamento básico, ecopontos subterrâneos, recuperação de parte da muralha, substituição da rede elétrica, pavimentação com calçada à portuguesa e passeios em lajedo de granito.

monçainvest (2).jpg

monçainvest (3).jpg

monçainvest (4).jpg

monçainvest (5).jpg

monçainvest (6).jpg

monçainvest (7).jpg

monçainvest (8).jpg

ESTÃO A DECORRER EM CAMINHA INSCRIÇÕES DE VOLUNTÁRIOS PARA O RALLY DE PORTUGAL

Prazo termina a 5 de maio

Estão a decorrer as inscrições para quem quiser ser "Marshall", ou seja, ser voluntário no Rally de Portugal. As funções serão apoiar a organização da prova automóvel, em Caminha, no controlo dos espectadores nas Zonas Espetáculo. Aproveite a oportunidade de acompanhar mais de perto a classificativa. O prazo termina sexta-feira, dia 5.

VRP17_caminha_4x3m.jpg

Os candidatos deverão ter mais de 18 anos e gosto pelo desporto automóvel, sendo condição preferencial possuir alguma experiência em provas desportivas ou eventos culturais.

Aos voluntários será assegurada formação pelo ACP, material para apoio à atividade, merchandising oficial da prova, alimentação e o transporte do ponto de encontro para as zonas de espetáculo.

A ação de formação vai decorrer no dia 6 de maio, pelas 10H00, na sala de reuniões da Câmara Municipal de Viana do Castelo.

Os interessados deverão inscrever-se através do endereço de email: rallyportugal@cm-caminha.pt, indicando o nome; data de nascimento; contacto telemóvel; bilhete de identidade ou cartão de cidadão e tamanho da roupa.

MONÇÃO APRESENTA "PERSONAGENS" DA ARTISTA TERESA RICCA

A Casa Museu de Monção, Unidade Cultural da Universidade do Minho procedem à inauguração da exposição intitulada "Personagens" da artista Teresa Ricca, no próximo dia de Maio (sábado), pelas 16h00, nas instalações da Casa Museu de Monção da Universidade do Minho, sitas na vila de Monção.

Na exposição "Personagens" apresentam-se cerca de quatro dezenas de trabalhos onde se cruzam livremente as inspirações das máscaras, sem distinção de origem ou de época, com as cores alegres e vibrantes do Minho.

Este projeto é o resultado duma procura técnica e formal iniciada há cerca de sete anos. Uma oportunidade de “visitar” os caretos transmontanos, deu a Teresa Ricca a ideia de realizar um trabalho de pesquisa que se alargou às máscaras de todo o mundo e de todas as épocas, e que foi o mote para esta exposição.

"PERSONAGENS" (que se escondem por muito se mostrarem).

Esta exposição estará patente ao público até 7 de Junho.

HORÁRIO DA EXPOSIÇÃO:

Terça a Sexta-feira - das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

Sábados - das 14h00 às 18h00

Domingos e Segundas: encerrada

convite MONÇÃO 6 COM LOGOS1.jpg

ANTIGO EDIFÍCIO DA PIDE RECEBE SEDE DA EUROCIDADE MONÇÃO – SALVATERRA DE MIÑO

A sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño vai ser inaugurada esta segunda-feira, 1 DE MAIO, FERIADO NACIONAL, PELAS 16H00 (HP), NO PARQUE DA LODEIRA, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e o Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

Cartaz.png

A nova estrutura ficará instalada no antigo edifício da PIDE após obras de requalificação/adaptação daquele espaço. Símbolo de opressão e repressão durante o Estado Novo, imóvel assumir-se-á, a partir de agora, como ponto de partida para o reforço de atividades conjuntas entre as duas localidades vizinhas unidas pelo Rio Minho.

Após a cerimónia oficial, segue-se o descerramento de placa e visita às instalações. Pelas 17h00, tem lugar a abertura da sede da Associação ATEARAIA – Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental, no edifício da antiga guarda-fiscal, também ele objeto de recuperação.

Neste local, proceder-se-á à inauguração da exposição de fotografia “Portugal Subaquático”, da autoria de Luis Quinta, produzido pela CMIA de Viana do Castelo. O programa termina com um convívio popular, estando previstas atuações do grupo “Os Magníficos”, de Monção, e o “Grupo de Gaitas”, de Salvaterra de Miño.

Processo iniciado no 20º aniversário da ponte internacional

A abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño é mais uma etapa de um processo iniciado com a celebração do 20º aniversário da ponte internacional entre as duas localidades raianas, no dia 29 de março de 2015, onde ambos os municípios assinaram um protocolo de geminação e procederam ao descerramento de uma placa com denominação da ponte “João Verde/Amador Saavedra”

Este documento representou um passo definitivo para a concretização da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, cujo acordo de princípios foi assinado no dia 13 de dezembro desse ano, no Cine Teatro João Verde, entre os dois municípios ribeirinhos e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia – Norte de Portugal (AECT-GNP).

Naquele acordo, que formalizou a constituição da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, foram contempladas as principais áreas de interesse comum, destacando-se a dinamização do rio Minho, a potenciação conjunta da enologia e gastronomia local, a promoção e desenvolvimento do turismo através da divulgação do património natural e construído, e a valorização/criação de rotas turísticas e percursos pedestres.

Aquele documento privilegia também o empreendedorismo transfronteiriço, o intercâmbio desportivo, cultural e educativo, bem como a partilha de equipamentos coletivos, como piscina, biblioteca e museus, de forma a garantir escala e rentabilização económica. Outra das vertentes deste “casamento” será o recurso a programas comunitários transfronteiriços.

INAUGURAÇÃO DA SEDE DA BANDA MUSICAL DE MONÇÃO

(Discurso do Presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues)

DSC_0160 (Large).JPG

Sr. Ministro da Educação, Dr. Tiago Brandão Rodrigues

Em seu nome saúdo todas as autoridades presentes. Nem imagina a alegria que os monçanenses sentem pela sua presença. É uma honra de, nestes quase quatro anos de mandato, ser a primeira vez que um ministro da nação visita este cantinho do Portugal profundo. Obrigado.

Hoje inauguramos a requalificação da antiga estação ferroviária de Monção. Edifício que pertence à identidade monçanense, fazendo parte do nosso imaginário coletivo. Um espaço com muito para contar. Centenas de histórias felizes. Centenas de momentos dramáticos.

Esta estação, agora reconvertida à cultura, sinalizava o fim da linha do Minho e o princípio da vivência na diáspora. Do trajeto de vidas “desarranjadas” à procura do devido arranjo. Da rota dos “carneiros” na transumância de melhores pastagens. Refiro-me metaforicamente às pessoas na incessante procura de melhores condições de vida que o totalitarismo, na altura, nada lhes permitia.

Lembro-me, como tantos monçanenses, do constante vai e vem de caixeiros -viajantes que traziam sempre novidades. Da partida e chegada dos estudantes que procuravam destinos académicos inexistentes em Monção. Da gente empoleirada no comboio com destino à Festa da Senhora da Cabeça.

Da espera ansiosa pela bola, o jornal, que chegava ao final da tarde. Dos recoveiros a aconselhar este ou aquele restaurante aos viajantes. Do embarque, para poucos, de um mês de férias em Vila Praia de Âncora. Dos tropas em direcção a uma guerra que não era a sua. Deixavam lágrimas e dor e a incerteza se algum dia regressariam.

Felizmente, o 25 de abril deu-nos outras possibilidades, outras oportunidades. Trouxe-nos a democracia e uma nova forma de olhar para o mundo. Abriu-nos uma janela que queremos manter escancarada para sentir a brisa da liberdade, da partilha e da tolerância. Bem hajam todos que fizeram o 25 de abril e aqueles que consolidaram os seus valores.

Este edifício foi inaugurado em 1915, tendo sido desativado em 1989. A linha até Valença foi transformada em Ecopista do Rio Minho, assumindo-se, desde então, como um espaço promotor e incentivador da prática desportiva. Tratou-se do primeiro corredor ecológico a aproveitar antigas linhas férreas, abrindo ao público em 2004.

A recuperação deste edifício traduz-se na etapa mais marcante da regeneração urbanística de toda a área envolvente. Processo visível na demolição dos imóveis da Travessa da Cova do Cão e no acesso ao Rosal. O futuro desta zona emblemática à entrada do centro histórico já começou faz tempo e terá continuidade com novas intervenções.

O esforço financeiro decorrente da requalificação vai servir para cumprir uma promessa antiga: dar uma sede condigna a uma instituição bicentenária – A Banda Musical de Monção. A referência à sua ancestralidade não é retórica politica. Pelo contrário, é a mais pura das verdades.

O registo mais antigo remonta a 1792. À época chamada Banda de Música da Vila. Supõe-se, contudo, que a sua existência seja anterior. Em 1918, passou a designar-se Banda dos Bombeiros Voluntários de Monção. Em 1933, o município outorgou-lhe o título honorífico de Banda Musical de Monção. Em 1980, entregou-lhe a medalha de ouro por mais de século e meio ao serviço da cultura.

Gerações de músicos levaram a excelência artística de Monção aos quatro cantos do mundo. Em algumas ocasiões com a minha presença. Jamais esquecerei o prémio alcançado no Concurso Internacional de Bandas de Música de Valência. Apeteceu-me gritar para afirmar que era monçanense. O decoro e o protocolo impediram-me.

Senhor presidente da direcção, aqui tem a chave merecida. Entrego-lha em nome de todos os músicos, maestros e directores, do passado, do presente e do futuro. Não esquecendo outros maestros importantes, como Miguel de Oliveira, perdoem-me a excecionalidade de referir o maestro do presente, José Vicente Simeó. Obrigado maestro por tudo o que tem feito na procura da excelência artística desta instituição.

Nesta requalificação investiram-se cerca de 350 mil euros suportados em 85% pelo “Norte – 04 – 2316 Feder 00030”. Muita gente esteve envolvida nesta concretização. Logo à partida a vereadora das obras e Urbanismo, Conceição soares, os arquitetos Pedro Dinis e José Eduardo, a engenheira Isabel Nascimento, o arquitecto Paulo Gomes, a construtora Limabuild e as empresas Guialmi e Mário Pinto.

Obrigado a todos pela concretização desta bela e funcional recuperação. Sinto uma grande felicidade. Por ter cumprido uma promessa e por ter garantido o futuro da banda. Esta obra é um orgulho para todos os monçanenses. Estamos de parabéns. É uma honra enorme ser presidente desta terra. É uma honra enorme ser vosso presidente.

Viva a Banda Musical de Monção

Viva Monção e os monçanenses  

DSC_0112 (Large).JPG

DSC_0113 (Large).JPG

DSC_0136 (Large).JPG

DSC_0143 (Large).JPG

DSC_0144 (Large).JPG

DSC_0146 (Large).JPG

DSC_0164 (Large).JPG

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MONÇÃO APRESENTA ESPETÁCULO DE TEATRO PARA ALUNOS DO PRÉ-ESCOLAR E FAMILIAS

Numa produção da “Comédias do Minho”, com encenação de Graeme Pulleyn e interpretação de Sofia Moura, a Biblioteca Municipal de Monção recebe este SÁBADO, 29 DE ABRIL, PELAS 15h00, o espetáculo de teatro “Noite”.

17632422_1471262039590501_6691207367967324332_o.jpg

Destinando-se a alunos do ensino pré-escolar e famílias, a entrada é gratuita, encontrando-se limitada à lotação do espaço. Engloba ainda uma oficina de trabalho implementada pela rede de colaboradores locais.

“Noite” é uma viagem, algures entre a realidade e o sonho, durante a qual Perséfone vai conhecendo as criaturas e as personagens da noite. Munida apenas com coragem e curiosidade, a menina heroína embarca numa aventura emocionante à descoberta dos segredos da noite.

Venham todos. Vão começar a dormir melhor...

ANTIGO EDIFÍCIO DA PIDE RECEBE SEDE DA EUROCIDADE MONÇÃO – SALVATERRA DE MIÑO

A sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño vai ser inaugurada esta segunda-feira, 1 DE MAIO, FERIADO NACIONAL, PELAS 16H00, NO PARQUE DAS CALDAS, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e o Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

Sede Eurocidade (1).JPG

A nova estrutura ficará instalada no antigo edifício da PIDE após obras de requalificação/adaptação daquele espaço. Símbolo de opressão e repressão durante o Estado Novo, imóvel assumir-se-á, a partir de agora, como ponto de partida para o reforço de atividades conjuntas entre as duas localidades vizinhas unidas pelo Rio Minho.

Após a cerimónia oficial, segue-se o descerramento de placa e visita às instalações. Pelas 17h00, tem lugar a abertura da sede da Associação ATEARAIA – Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental, no edifício da antiga guarda-fiscal, também ele objeto de recuperação.

Neste local, proceder-se-á à inauguração da exposição de fotografia “Portugal Subaquático”, da autoria de Luis Quinta, produzido pela CMIA de Viana do Castelo. O programa termina com um convívio popular, estando previstas atuações do grupo “Os Magníficos”, de Monção, e o “Grupo de Gaitas”, de Salvaterra de Miño.

Processo iniciado no 20º aniversário da ponte internacional

A abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño é mais uma etapa de um processo iniciado com a celebração do 20º aniversário da ponte internacional entre as duas localidades raianas, no dia 28 de março de 2015, onde ambos os municípios assinaram um protocolo de geminação e procederam ao descerramento de uma placa com denominação da ponte “João Verde/Amador Saavedra”

Este documento representou um passo definitivo para a concretização da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, cujo acordo de princípios foi assinado no dia 13 de dezembro desse ano, no Cine Teatro João Verde, entre os dois municípios ribeirinhos e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia – Norte de Portugal (AECT-GNP).

Naquele acordo, que formalizou a constituição da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, foram contempladas as principais áreas de interesse comum, destacando-se a dinamização do rio Minho, a potenciação conjunta da enologia e gastronomia local, a promoção e desenvolvimento do turismo através da divulgação do património natural e construído, e a valorização/criação de rotas turísticas e percursos pedestres.

Aquele documento privilegia também o empreendedorismo transfronteiriço, o intercâmbio desportivo, cultural e educativo, bem como a partilha de equipamentos coletivos, como piscina, biblioteca e museus, de forma a garantir escala e rentabilização económica. Outra das vertentes deste “casamento” será o recurso a programas comunitários transfronteiriços.