Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO PROMOVE ESCOLA DO ROCK TOUR 2017

Dia 28 de maio, domingo, pelas 16h00, no Cine Teatro João Verde. A entrada tem o valor de 2,50 €.

Na sequência da 3ª edição da Escola do Rock, iniciativa promovida pelo município de Paredes de Coura, quarenta músicos andam na estrada para a segunda digressão deste projeto musical. Este domingo, 28 de maio, pelas 16h00, atuam no Cine Teatro João Verde. A entrada tem o valor de 2,50 €.

Neste espetáculo, os monçanenses “Areia nos Calções” serão os responsáveis pelos primeiros acordes desta “Escola de Rock”, abrindo espaço para uma tarde muito animada protagonizada por vários jovens ligados por um sentimento comum: paixão pela música. 

Escola Rock (Large)

VILA DE PRADO PRESTA TRIBUTO A ZECA AFONSO

Cantigas de Maio: Concerto tributo a Zeca Afonso

A margem direita do Cávado prepara-se para receber mais um espetáculo de música ao vivo com a chancela de qualidade da Escola de Música da Junta de Freguesia da Vila de Prado, com o concerto ‘Cantigas de Maio’ que se afigura um hino à liberdade e à democracia. Alunos e professores voltam a dividir o palco num espetáculo em que a beleza melódica dos acordes se entrelaça com a força das palavras e o simbolismo dos poemas, criando a atmosfera perfeita para um espetáculo eletrizante. O concerto vai decorrer no próximo sábado (27 de maio), pelas 21h30, no auditório da sede da Junta de Freguesia da Vila de Prado.

Para os mais, velhos, as Cantigas de Maio prometem uma viagem ao passado e uma oportunidade soberana para recordar os temas que se celebrizaram na luta contra a ditadura e para reviver momentos marcantes na história do país. Para os mais novos, será uma oportunidade de conhecerem de forma mais lúdica os pergaminhos dos lutadores pela liberdade e contactarem de perto com a música que se fazia na altura em Portugal. A todos aguarda um serão interessante e animado. A entrada é gratuita.

Capturarzecamaio

BARCELOS REALIZA CONCURSO DE BANDAS

Concurso de Bandas de Vizela 2017

1000 euros em prémios para as melhores bandas!

Inscrições abertas até ao dia 20 de junho em concursobandasvizela.blogspot.pt

cartaz concurso bandas 2017

No sentido de estimular a formação e o trabalho desenvolvido pelos jovens músicos e pelas bandas amadoras, proporcionando aos jovens e à comunidade que de uma forma geral aprecia música, o contacto com novos talentos musicais, a Câmara Municipal de Vizela, em parceria com o Conselho Municipal da Juventude de Vizela (CMJV) vai realizar o Concurso de Bandas de Vizela 2017.

A edição deste ano do Concurso de Bandas de Vizela conta com a co-organização da Associação Juvenil VIA Vizela Imaginactiva e grupos informais de jovens como Occultdusk e outros.

Este evento é apoiado pela Opticália, Doors Caffe, Restaurante & Snack Bar Porta M, ASimobiliária, Callidas Clube Bar e Extrunorte.

O objetivo é estreitar relações e promover o trabalho em parceria das entidades, públicas ou privadas sem fins lucrativos, que desenvolvem ações e trabalham na área da Juventude.

Durante quatro noites, três eliminatórias e uma final, Vizela estará em festa nesta que será a quinta edição de um projeto que sempre foi bem acolhido pela população local, especialmente a juvenil e que motiva sempre a participação ativa do associativismo juvenil local.

As inscrições já se encontram abertas no site oficial concursobandasvizela.blogspot.pt . A primeira eliminatória realiza-se já no próximo dia 7 de julho.

Normas de funcionamento e participação do Concurso de Bandas de Vizela disponível emconcursobandasvizela.blogspot.pt.

CASA DA CULTURA DE MELGAÇO RECEBE FITAVALE

As Comédias do Minho trazem no próximo domingo o 7º FITAVALE, Festival Itinerante de Teatro de Amadores do Vale do Minho, à Casa da Cultura, em Melgaço. A ação decorrerá pelas 16h00, com a peça ‘Paraíso Funesto’, encenado pelo grupo Outra Cena.

FITAVALE 1

Sinopse

«Um dos efeitos do medo é perturbar os sentidos e fazer com que as coisas não pareçam o que são. O que assusta a pequena órfã Irene durante a noite? O ranger áspero da porta distante. Os passos quebradiços que estalam morosamente pelo longo corredor, imperáveis e cada vez mais perto…o cheiro pungente a peixe. Recorrendo a um plano derradeiro, os tios adotivos de Irene acolhem Gabriela, perceptora e licenciada em Psicologia, para descobrir a razão deste horror. E Francisco Riocorvo, também seu tio, porque lhe atormenta a presença de Gabriela? Fotonovela tornada mistério de palco, balão de pensamento e fala encenada para desvendar ‘Paraíso Funesto’.»

ENCENAÇÃO Tânia Almeida

AUTOR Desconhecido

INTERPRETAÇÃO Cândido Malheiro, Irene Costa, Mafalda Ferreira, Margot Silva, Maria Amorim, Sara Carpinteira, Sónia Almeida

O FITAVALE é organizado pela Comédias do Minho e integra cinco grupos de teatro de amadores do Vale do Minho, nomeadamente: Os Simples de Melgaço, a Associação Filarmónica Milagrense de Monção, + TAC de Paredes de Coura, Verdevejo de Valença e Outra Cena de Vila Nova de Cerveira. O Festival tem início hoje em Monção, percorrendo, até domingo, os restantes municípios do Vale do Minho:

Hoje, 19 de maio

MONÇÃO, Cineteatro João Verde

21h00 Abertura 7º FITAVALE

21h30 PONTE, VerdeVejo

20 MAIO

PAREDES DE COURA, Centro Cultural

16h00 JOÃO VERDE, 150 – VIDA E OBRA, Associação Filarmónica Milagrense e Comunidade de Monção

VALENÇA, Auditório de Verdoejo

21h30 MACBETH, + TAC

21 de MAIO

MELGAÇO, Casa da Cultura

16h00 PARAÍSO FUNESTO, Outra Cena

VILA NOVA DE CERVEIRA, Cineteatro

21h30 MARATONA, Os Simples

Programa aqui!

FITAVALE

GRUPO DE TEATRO OS SIMPLES APRESENTAM NOVA PEÇA, 27 de maio na Casa da Cultura

MARATONA é o nome da mais recente peça do grupo amador de teatro melgacense ‘Os Simples’. O espetáculo estará em cena na Casa da Cultura, no próximo dia 27 de maio, pelas 21h30. A encenação é de Joana Magalhães e trata-se de uma epopeia trágico-cómica de uma família a salto para França. ‘Com passadoras de homens, carabineiros, e outros aventureiros. Histórias de fronteira e de um passado recente, que continua a ter presente.’, considera o grupo que levará a palco a peça já este domingo, no Cineteatro de Vila Nova de Cerveira, pelas 21h30, no âmbito do FITAVALE.

ENCENAÇÃO E DRAMATURGIA Joana Magalhães
TEXTO Vários Autores
INTERPRETAÇÃO Ana Freitas, Artur Caldas, Cristina Vilas, Gabriel Lourenço, Humberto Sousa, Igor Gonçalves, Inês Ribeiro, Jorge Filipe Dias, Juliana Pires, Lídia Sousa, Maria Clara Araújo, Maria José Rocha, Maria José Silva, Maria Olívia Lima, Tânia Domingues
CENOGRAFIA Raul Cardoso
DESENHO DE LUZ Vasco Ferreira
VOZ OFF Tânia Almeida
AGRADECIMENTOS Sport Clube Melgacense e Município de Melgaço

A saber que a Comédias do Minho é um projeto cultural que começou em 2003, com a colaboração dos municípios de Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova da Cerveira, destinado a criar uma companhia de teatro profissional.

A sua missão é dotar o vale do Minho de um projeto cultural próprio, adaptado à sua realidade socioeconómica e, portanto, com um enfoque especial no envolvimento das populações, a partir da construção de propostas de efetivo valor participativo e simbólico, para as comunidades a que se dirigem.

Maratona_A3_1EURO

CÂMARA DE FAMALICÃO E ArtEduca PROMOVEM CONCERTO PARA AS FAMÍLIAS

Grande concerto comemorativo do Dia Internacional da Família este domingo, dia 21, a partir das 16h00, na Praça D. Maria II

As famílias famalicenses já afinam a voz para o grande concerto que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a ArtEduca – Conservatório de Música de Famalicão promovem este domingo, 21 de maio, para assinalar o Dia Internacional da Família.

Câmara e ArtEduca promovem concerto para as famílias

O espetáculo “O que une a tua família?” decorrerá a partir das 16h00, na Praça D. Maria II, e contará com a participação de cerca de 300 elementos da orquestra de cordas e sopros e do grande coro da ArtEduca, que se associou mais uma vez à autarquia famalicense na promoção do “Mês da Família” que, recorde-se, arrancou no passado dia 3 com um conjunto diversificado de iniciativas.

O “Hino da Família” é uma das músicas integradas no alinhamento do espetáculo deste domingo, que terá uma duração aproximada de uma hora com a apresentação de mais de uma dezena de temas, da música clássica à música pop.

A assistir ao concerto, e na companhia da responsável pelo pelouro da Família – a vereadora Sofia Fernandes, estará o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que lança o convite a todas as famílias do concelho para que no próximo domingo venham fazer parte desta grande festa.  

Promover e sensibilizar a população para as questões da família e para a proteção dos seus valores de união, amor, respeito, solidariedade e diversidade são os objetivos do “Mês da Família”.

Recorde-se que em 1993 a ONU proclamou o dia 15 de maio Dia Internacional da Família, refletindo a sua importância na comunidade internacional. Desde 1994 que pelo mundo fora se celebra a data com diversos eventos, focando temas centrais para a vida das famílias.

MAFALDA VEIGA ATUA EM ARCOS DE VALDEVEZ

Mafalda Veiga apresenta no próximo dia 20 de maio o seu mais recente trabalho,"Praia", ao vivo no Auditório da Casa das Artes em Arcos de Valdevez.

mafaldveigarc

“Praia” é um espetáculo em que (quase) tudo se renova: nova banda, novo alinhamento, novas canções e um novo projeto de  palco, som, luz e vídeo, este com pequenos filmes inéditos realizados pela própria Mafalda.

O disco novo é tocado na íntegra, mas o público pode também contar com as canções mais emblemáticas e incontornáveis da artista, agora com arranjos que se aproximam da sonoridade deste mais recente trabalho.

Os bilhetes já estão à venda na Casa das Artes de Arcos de Valdevez e custam 10€.

Mafalda Veiga conta-nos: “É um espetáculo mais solto e mais direto, com o mesmo conceito que definiu a produção do disco “Praia”, em que quero transportar para o palco a liberdade com que componho e ensaio. Essa atitude tem uma grande energia, e essa foi a intenção que me levou a convidar estes músicos que integram a minha nova banda. Neste espetáculo toco outros instrumentos para além da guitarra, tal como faço ao compor, e todos os músicos colaboram nesse sentido, de forma a criar ambientes que servem o que queremos transmitir em cada canção. O Diogo (piano) toca percussão ou guitarra nalguns temas, assim como o Riquier(guitarra) tocará teclado noutros, e essa abertura torna o espetáculo mais orgânico e mais rico musicalmente.”

Ficha Técnica do concerto de Arcos de Valdevez:

Mafalda Veiga – Voz, guitarra acústica, elétrica, melódica e teclado;

Fred – Bateria e percussão;

Marco Nunes – Guitarra elétrica;

Miguel Barros – Baixo;

Ricardo Riquier – Guitarra elétrica, guitarra acústica e voz;

Diogo de Almeida Ribeiro – Piano, teclados, guitarra acústica, percussão e voz;

João Bessa – Som frente;

Joca – Som palco;

Leocádia Silva – Luz e vídeo;

Daniel Mestre e Paulo Ricardo – Backline;

Ana Moitinho – Booking e Management;

20 DE MAIO, ARCOS DE VALDEVEZ – AUDITÓRIO DA CASA DAS ARTES | 22H00
PREÇO ÚNICO - 10,00€

BILHETES: À venda na Casa das Artes de Arcos de Valdevez

INFO/BILHETES:+351 258 520 520 / casadasartes@cmav.pt

Joana Lima Rocha – Road Manager

CASA DA MÚSICA E SERRALVES EM FESTA RECEBEM “ESCOLA DO ROCK” TOUR 2017

27 maio |Auditório Municipal de Vigo

28 maio | Cine Teatro João Verde, Monção

3 junho | Serralves em Festa, Porto

28 junho | Casa da Música, Porto

A Escola do Rock faz-se à estrada com dois concertos no Porto, Casa da Música e Serralves em Festa, repetindo a passagem por Vigo e Monção, Auditório Municipal e Cine Teatro João Verde, respetivamente, naquele que é o Tour 2017 e que serve de ‘warm up’ para o Festival Paredes de Coura.

mupi4 VISUALIZAÇÃO screen.jpg

No ano em que emblemático festival celebra os seus 25 anos, cabe à Escola do Rock a honra de abertura do palco principal com uma formação de cerca 40 jovens com idades entre os 13 e os 30 anos, que são guitarristas, bateristas, baixistas, teclistas, clarinetistas, saxofonistas, flautistas e vocalistas, revisitando no seu reportório muitos dos clássicos do rock'n'roll assim como temas de algumas das bandas que nos últimos anos passaram pelo Festival Paredes de Coura.

O presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vitor Paulo Pereira, bem como o vice-presidente Tiago Cunha integram o elenco da edição deste ano da Escola do Rock, dirigida pelo Space Ensemble e que reúne por períodos intensivos de 5 dias para ensaiar do nascer do sol ao sol posto, na semana anterior ao Natal.

Recorde-se que da 1ª edição da Escola do Rock, com a qual o Município de Paredes de Coura foi distinguido em 2015 com o Prémio “Município do Ano UM-Cidades” instituído pela Universidade do Minho, sobressaiu também a participação dos jovens músicos no Festival Vodafone Paredes de Coura, no âmbito do projeto ‘O Festival sobe à vila’.

É que este é um projeto singular. Podia ser uma escola sobre Duke Ellington, Mozart ou Mahler. Sobre John Cage ou John Adams. Seria espetacular! Mas em Paredes de Coura decidiram criar uma escola de música sobre Led Zeppelin, Beatles, Pixies, Nirvana, Morphine, Motorhead, Tame Impala, Franz Ferdinand, Bob Dylan, Neil Young, Rage Against the Machine e muitos outros. E tem sido incrível!

SUNSET RALLY: REALIZA-SE NO LARGO DA SENHORA DAS NEVES EM DEM

A partir das 18H00, a festa do desporto motorizado realiza-se no Largo da Senhora das Neves, em Dem

A maior festa do desporto motorizado está a chegar às estradas do concelho de Caminha. A classificativa do Rally de Portugal 2017 no concelho de Caminha terá lugar já na sexta-feira, dia 19. Amanhã, a Câmara vai organizar o “Sunset Rally”, a partir das 18H00, no Largo da Senhora das Neves, em Dem.

sunset rally.jpg

O “Sunset Rally” vai contar com animação musical a cargo de dois DJs: Reservoir DJs e Lázaro Pereira (DJset).

Recorda-se que dada a sua dimensão, este evento traz milhares de pessoas ao concelho, mas também apresenta algumas condicionantes no trânsito, cujo objetivo é assegurar a segurança dos espectadores e dos participantes.

A realização da prova e toda a logística envolvida obrigam a algumas condicionantes no trânsito. Assim, as populações deverão estar atentas e seguir as indicações, em cada freguesia, por forma a minimizar os transtornos e a desfrutar o melhor possível de uma grande festa do desporto automóvel.

Nas zonas afetadas pelas interdições de trânsito, apenas poderão circular veículos devidamente credenciados pertencentes à organização, bem como moradores das áreas abrangidas pela interdição, sendo que deve ser feita prova de que aí efetivamente reside.

Qualquer dúvida ou esclarecimento deverá ser feito junto do Posto Territorial de Caminha da GNR, ou através do contacto telefónico 258719030.

Condicionamentos de trânsito

FASE 1

18 DE MAIO a partir das 17H00 até 19 DE MAIO às 06H00

DEM

- Interdição do trânsito em geral da Rua Sra. das Neves - Dem, desde o seu cruzamento com a Rua da Igreja (EM 526) até ao acesso da Capela Sra. das Neves;

- Cerca das 18h00, abertura da Zona de Espetáculo Noturna — FUN ZONE, junto à Capela da Sra. das Neves (Animação Noturna), sendo permitido apenas o acesso a espectadores apeados;

 - Interdição do trânsito em geral da estrada de acesso ao Lugar da Panasqueira-Dem, com início na Rotunda de acesso A28;

UNIÃO DE FREGUESIAS DE VENADE E AZEVEDO

- Interdição do trânsito em geral, desde a Avenida de São Miguel, junto à casa florestal de Azevedo, até ao cruzamento dos 7 Caminhos.

- Criação de Saída de Emergência desde o Cruzamento dos 7 Caminhos, em direção ao Lugar de S. Miguel – Vila Verde Riba D’Ancora.

UNIÃO DE FREGUESIAS DE CAMINHA E VILARELHO

- Interdição de trânsito em geral, da Rua de Santo Antão, com início junto da antena de telecomunicação da NOS. O acesso ao monte de Santo Antão encontra-se vedado ao público em geral.

VILE

- Interdição de trânsito no entroncamento de acesso à Capela de S. Pedro de Varais (Calvário).

RIBA D’ANCORA

- Interdição de trânsito da EM 527, desde o entroncamento de S. Miguel até ao cruzamento dos 7 Caminhos, para criação de saída de emergência.

FASE 2

19 DE MAIO – das 06H00 até ao final da prova

UNIÃO DE FREGUESIAS DE GONDAR E ORBACÉM

 - Estacionamento proibido na EN 305, entre o nó da A28 e o cruzamento de Dem / Gondar.

- Trânsito proibido na EN 305, no sentido V.P. Ancora / Lanheses, entre o nó da A28 e o cruzamento de Dem / Gondar.

- Trânsito proibido na EN305, no sentido Lanheses/V.P. Ancora, entre o cruzamento de Dem/Gondar e o fim da SS.

DEM

- Interdição do trânsito no acesso à Capela Sra. das Neves.

UNIÃO DE FREGUESIAS DE VENADE E AZEVEDO

- Interdição total do trânsito, no cruzamento dos 7 Caminhos.

RIBA D’ANCORA

- Interdição total do trânsito da EM 527, desde o entroncamento de S. Miguel, até ao cruzamento dos 7 Caminhos, para criação de saída de emergência.

UNIÃO DE FREGUESIAS DE CAMINHA E VILARELHO

- Interdição de trânsito em geral, na Rua de Santo Antão, com início junto da antena de telecomunicação da NOS. O acesso ao monte de Santo Antão encontra-se vedado ao público em geral.

- Condicionamento do trânsito nas seguintes ruas para passagem dos carros dos concorrentes, sendo apenas permitido a circulação de trânsito num sentido, seguindo a seguinte ordem:

EN 13

Rua 16 de Setembro

Praça Pontault-Combault

Largo da Feira

Cruzamento Rua da Trincheira

Cruzamento Rua Visconde Sousa Rego

Rua de Santo António

Rua Nossa Senhora da Graça

Rua de Senandes

Rua General Andrade e Castro

Rua de Ligação de Rua General Andrade e Castro para Santo Antão

Rua de Santo Antão

CRISTINA BRANCO | MENINA ATUA EM PONTE DE LIMA

13 de Maio – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Uma das vozes mais marcantes da actual música portuguesa, com destaque para o Fado, Cristina Branco sobe ao palco Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima para apresentar o seu mais recente trabalho “Menina”, após um significativo número de concertos da tour europeia marcados pelo êxito e reconhecimento artísticos.

cristina_branco_mupi_.jpg

O álbum “Menina” recebeu o Prémio Autores da Sociedade Portuguesa de Autores para Melhor Disco 2016 e Cristina Branco está nomeada para o Globo de Ouro na categoria de Melhor Intérprete Individual, cujo vencedor será conhecido na gala a realizar a 21 de Maio próximo.

Cristina Branco é sinónimo de sofisticação. Dentro de uma área de fortes raízes conservadoras e tradicionalistas como é o caso do fado, Cristina Branco apresenta sempre uma alternativa alicerçada em poetas eternos-clássicos, compositores requintados e músicos de excelência que transpõem uma aura única ao vivo. São perto de uma dezena de discos que, juntamente com centenas de espectáculos um pouco por todo o mundo, atribuem a Cristina Branco, e ao seu trabalho, um significado muito particular num trilho único traçado entre a sofisticação, tradição e inovação. Em Setembro de 2016 lançou «Menina», um disco de novas abordagens que combina, com ousadia e elegância, os contributos de uma multiplicidade de autores portugueses.

Álbuns editados:

1 – Cristina Branco in Holland (CD, Ed. Autor, 1997)

2 – Murmúrios (CD, Music & Words, 1998) ([1])

3 – Post-Scriptum (CD, L'Empreintdigitale/Harmonia Mundi, 1999) – reeditado em 2000 com um novo tema

4 – Cristina Branco canta Slauerhoff (CD, 2000)

5 – Corpo Iluminado (CD, Universal, 2001)

6 – O Descobridor (CD, Universal, 2002) – reedição de Slauerhoff

7 – Sensus (CD, Universal, 2003)

8 – Ulisses (CD, Universal, 2005)

9 – Live (CD, Universal, 2006)

10 – Abril (CD, Universal, 2007)

11 – Kronos (CD, Universal, 2009)

12 – Não há só Tangos em Paris (CD, Universal, 2011)

13 – Alegria (CD, Universal, 2013)

14 – Idealist (3CD, Universal, 2014)

15 – Menina (CD, Arruada / Universal, 2016)

Bilhetes à venda (5,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

BARCELOS REALIZA FESTIVAL DA CANÇÃO

Inscrições abertas para o Projeto Artístico 2017

Casa da Juventude continua a incentivar talentos artísticos nas áreas da música e da dança

Já estão abertas as inscrições para a primeira fase do Projeto Artístico (PA) Barcelos 2017, uma iniciativa dedicada à educação através das expressões artísticas e que tem como principal objetivo criar condições de produção, revelação e valorização das competências dos jovens do concelho.

P.A. Projeto Artístico 2017 - Programa.jpg

O Festival da Canção decorre nos dias 16 e 17 de junho, pelas 21h30, no Largo da Porta Nova, e tem duas categorias: versão original e versão de artista/cover. Os candidatos deverão inscrever-se até ao dia 23 de maio e comparecer no casting, no dia 26, pelas 19h, na Casa da Juventude.

No mês de julho, no dia 13, decorre o Festival de Bandas de Barcelos, pelas 21h30, na Alameda das Barrocas; e o Festival de Dança, no dia 16 de julho, às 18h, também na Alameda das Barrocas. As inscrições para estas duas iniciativas estão abertas até dia 23 de junho.

O projeto regressa com o Encontro de Coros no Teatro Gil Vicente, nos dias 24 e 25 de novembro, pelas  21h30, e cujas inscrições estarão abertas até dia 3 de novembro. O auditório do Teatro receberá ainda até ao final do ano a Noite de Fados, no dia 2 de dezembro, pelas 21h30. As inscrições decorrem até dia 3 de novembro e o casting de seleção decorre no dia seguinte, pelas 10h00, na Casa da Juventude.

O PA é organizado pela Câmara Municipal de Barcelos e pela Casa da Juventude e decorre entre junho e dezembro, contemplando várias áreas de ação e de interesse.

Ao longo dos últimos anos, os jovens barcelenses têm aderido grandemente ao Projeto da responsabilidade do Pelouro da Juventude, reflexo do seu interesse proeminente nas áreas relacionadas com as múltiplas dimensões artísticas, nomeadamente na música e na dança. 

PONTE DE LIMA: UNÍSSONO – COMPOSIÇÃO PARA CINCO BAILARINOS | VICTOR HUGO PONTES / NOME-PRÓPRIO

12 de Maio – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

A dança contemporânea regressa ao Teatro Diogo Bernardes na próxima sexta-feira, 12 de Maio às 22h00, pela Companhia Nome-Próprio com o espectáculo Uníssono – Composição para Cinco Bailarinos, de Victor Hugo Pontes, trabalho que tem merecidos os mais altos elogios da crítica da especialidade.

unissono_mupi_.jpg

Em Uníssono – Composição para cinco bailarinos, interessa-me mostrar, por um lado, que nenhum objecto artístico é distinguível das pessoas que o compõem e, por outro, que nenhuma ocorrência artística é essencialmente replicável, sendo antes essencialmente única. A composição coreográfica que aqui se apresenta pode representar um ritual, conceito operativo nesta peça: nas sociedades (humanas e animais), os movimentos fundamentais, simbólicos ou funcionais, são ritualizados, definindo à partida a norma e o desvio à norma, o padrão e a inovação, a tendência e a contracultura. A questão é: até que ponto o ritual é representativo?

Cinco bailarinos em palco interpretando em uníssono movimentos ritualizados são um só corpo? Oblitera-se a individualidade? A percepção do espectador resulta da harmonia do todo, da especificidade de cada corpo em acção, ou de ambas?

Uníssono – Composição para cinco bailarinos testa três ideias principais, a partir dos diferentes significados de declinação: a ideia de recriação de sentidos a partir de uma matriz; a ideia de que a vida é um caminho para a morte, ou o declínio do homem; e, finalmente, a ideia de que é impossível declinar a representação humana na arte, sob pena de se recusar a própria arte.” Victor Hugo Pontes

Ficha artística:

Direcção Artística | Victor Hugo Pontes

Cenografia | F. Ribeiro

Direcção Técnica e Desenho de Luz | Wilma Moutinho

Música | Hélder Gonçalves

Operação de luz | Joaquim Madaíl

Operação de som | Fábio Ferreira

Apoio Dramatúrgico | Madalena Alfaia

Interpretação | André Cabral, Bruno Senune, Elisabete Magalhães, Teresa Alves da Silva e Valter Fernandes

Direcção de Produção | Joana Ventura

Produção Executiva | Paula Adriana Silva

Co-Produção | Nome-Próprio , Teatro Municipal São Luiz, Teatro Municipal do Porto Rivoli.Campo Alegre

Agradecimento | Marco da Silva Ferreira

A Nome Próprio é uma estrutura residente no Teatro Campo Alegre, no âmbito do programa Teatro em Campo Aberto.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt.

FAMALICÃO APRESENTA LAURUS NOBILIS MUSIC 2017

Conferência de imprensa de apresentação do festival, amanhã, pelas 11h00, no café-concerto da Casa das Artes de Famalicão

O café-concerto da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão acolhe amanhã, sexta-feira, 12 de maio, pelas 11h00, a conferência de imprensa de apresentação do Festival Laurus Nobilis Music 2017. A sessão contará com a presença do coordenador da organização do festival, José Aguiar, e da vereadora da Juventude da autarquia famalicense, Sofia Fernandes.  

Os finlandeses Amorphis e os portugueses Linda Martini, PAUS e Killimanjaro são os cabeças de cartaz desta terceira edição do festival, organizado pela Associação Ecos Culturais do Louro em parceria com a Câmara Municipal de Famalicão.

Recorde-se que o Laurus Nobilis Music decorre na freguesia do Louro, em Vila Nova de Famalicão, de 27 a 29 de julho, com entrada gratuita no primeiro dia. Os bilhetes diários já se encontram à venda nos locais habituais pelo preço de 15 euros. O passe geral para os 3 dias do festival tem o custo de 25 euros.

ENTRE MARGENS – ENCONTRO DE TOCADORES 2017 REGRESSA A CAMINHA DE 2 A 4 DE JUNHO

Caminha vai voltar a ser a capital da música e do instrumento tradicional. De 2 a 4 de junho, o Entre Margens – Encontro de Tocadores vai tomar conta dos vários espaços culturais, ruas e praças de Caminha. Palestras, oficinas, concertos, projeção de filmes e documentários, bailes noturnos à volta de "jamsessions" dos vários músicos presentes vão dar o mote a esta edição.

entre margens 1.jpg

O Entre Margens – Encontro de Tocadores abre a programação de verão no concelho. A organização está a ultimar os preparativos para que esta edição atraia cada vez mais visitantes. O objetivo é promover e divulgar o concelho a nível nacional e internacional e potenciar a economia local.

Assim, Caminha prepara-se para abrir as portas dos seus espaços culturais e das suas ruas e praças para acolher tocadores de instrumentos tradicionais de gerações distintas que vão partilhar conhecimentos, repertórios e técnicas instrumentais, possibilitando a continuidade das tradições musicais de várias regiões de Portugal, Minho em particular, e da Galiza.

O Entre Margens – Encontro de Tocadores conta com um extenso programa com destaque para as oficinasde concertina, violino popular galego e rabeca chuleira, cantos polifónicos de Lafões e pandereteiras, toques de chamarritas, bailes de chamarritas e gaita-de-fole, exposições, mostra de construtores de instrumentos musicais tradicionais, palestras, concertos, foliadas e bailes ao improviso, encontro de Zés Pereiras (grupos de Portugal e da Galiza), entre outras atividades.

entre margens 2.jpg

Esta edição vai ser marcada pela apresentação de vários trabalhos musicais, designadamente: “Cantos de Cego da Galiza e Portugal”, por Ariel Ninas e César Prata; “O Acordeão Na Costa da Morte” por Xurxo Souto e Pazos de Merexo; “As Coletâneas dos Açores”, por Emiliano Toste e ainda “Aires de Pontevedra: Ricardo Portela”, por OscarIbañez. Para além da apresentação dos vários trabalhos, há ainda vários concertos, com destaque para Ariel Ninas e César Prata e Daniel Pereira “Cristo”.

Durante os três dias, será possível assistir a várias palestras: “A Questão de Género nas Músicas de Tradição Oral”, por Júlia Feijóo; “Os Arquivos de Música Tradicional na Rede”, por Sérgio de La Ossa; “As Polifonias de Lafões” por Maria Rosa Pestana; “As Gaitas Antigas de Portugal”, por Pablo Carpinteiro e ainda “A Rabeca Chuleira”, por Emiliana Silva.

O Entre Margens é organizado por PédeXumbo – Associação para a Promoção da Música e da Dança, aCentral Folque – Centro Galego Música Popular, Coreto – Associação para a Promoção de Artes e Culturas Tradicionais e Câmara Municipal de Caminha. Conta ainda com os apoios da AGADIC – Axencia Galega das Industrias Culturais, Freguesia de Caminha e Vilarelho, Fundação INATEL e MusicTrad.

Mais informações em e pedexumbogeral@pedexumbo.com.

Entre Margens (1).jpg

FUNDAÇÃO BRACARA AUGUSTA CONSOLIDA SUCESSO NA GESTÃO DO GNRATION

Exercício de 2016 com saldo positivo de 40 mil euros

A Fundação Bracara Augusta (FBA) terminou o exercício de 2016 com um saldo positivo de 40.037.30 euros, um valor que dá continuidade aos resultados líquidos positivos alcançados nos anteriores anos pela administração que tomou posse em 2014. Este resultado demonstra o sucesso na gestão do gnration, equipamento dedicado à cultura, empreendedorismo e juventude que é gerido pela FBA desde 2013.

gnration open day 2017.jpg

Em 2016, a programação cultural deste espaço recebeu mais de 125 eventos, um número que perfaz mais de 50 espectáculos, 12 instalações / exposições e acima de 60 actividades de serviço educativo (actividades onde se registaram cerca de 1100 participantes). Mais de 27 mil pessoas visitaram o gnration em 2016, sendo que o número de visitantes tem duplicado de ano para a ano.

2016 marcou também o arranque da parceria entre o gnration e o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), colaboração que proporciona, através da galeria INL, instalada no edifício, uma aproximação entre nanotecnologia e arte através do Scale Travels, programa que coloca artistas junto de cientistas, aproximando estas duas áreas numa iniciativa de vanguarda.

Em 2017, o gnration dará continuidade às parcerias em aposta nos anos anteriores, como é o caso da Casa da Música, nas actividades do serviço educativo, e o INL, no programa Scale Travels, que alia arte à nanotecnologia, salientando-se uma nova parceria com a Berklee College of Music - Valencia no desenvolvimento e execução de novas instalações audiovisuais.

No primeiro trimestre deste novo ano, o gnration registou já 5627 pessoas, número de assistência que englobam visitantes e participantes das actividades do programa cultural que é apresentado ao trimestre, um acréscimo significativo relativo ao primeiro trimestre de 2016 em que se registou 3447.

7000 pessoas passaram pelo gnration no ´Open Day´

O gnration, celebrou, no passado dia 30 de Abril, o seu quarto aniversário com um conjunto de actividades gratuitas para todas as idades e por onde passaram cerca de 7000 pessoas ao longo das 16 horas de duração. O programa de celebração de aniversário deu a conhecer as áreas de intervenção artísticas do gnration, áreas que vão desde espectáculos música, actividades de serviço educativo e instalações.

Para além da forte componente cultural, o gnration engloba ainda nas suas instalações a incubadora de empresas Startup Braga e a Loja Europa Jovem, um espaço pioneiro no apoio à mobilidade jovem europeia, projectos e voluntariado, resultante de um projecto-piloto entre a FBA, o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) e o Município de Braga.

Já no campo da empregabilidade, pelo segundo ano consecutivo, a FBA, em parceria com o Município de Braga e a InvestBraga, volta a apresentar o Skills Lab, um programa de desenvolvimento para o emprego jovem. Neste laboratório desenvolvem-se competências transversais que complementam a formação académica de jovens licenciados através de uma aprendizagem activa. O prazo para candidaturas termina no dia 15 de Maio e a segunda edição arrancará já no dia 29.

TEATRO VALADARES EM CAMINHA APRESENTA MIGUEL GIZZAS E ANTÓNIO CHAINHO

Miguel Gizzas sobe ao palco do Valadares no dia 20 de maio e António Chainho no dia 27

A música está em destaque na programação do Valadares Teatro Municipal de Caminha. Miguel Gizzas e António Chainho são dois nomes conhecidos do grande público e que este mês estarão em Caminha. Os bilhetes já se encontram disponíveis nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora.

MestreChainho_12.jpg

O Valadares, Teatro Municipal continua a apostar numa programação de qualidade. Miguel Gizzas e o mestre da guitarra portuguesa, António Chainho, são duas das possibilidades para ver este mês em Caminha.

Miguel Gizzas sobe ao palco do Valadares no dia 20 de maio, pelas 22H00, onde vai apresentaro seu mais recente trabalho musical “O dia em que o mar voltou”.Nele o autor “volta a combinar música e a escrita, aproximando-se de estilos de música que lhe são mais íntimos, explorando o fado, blues, pop progressivo ou até fusões inesperadas entre o rock e a marcha popular”. Na verdade, Miguel Gizzas “volta a apresentar uma narrativa para a qual compôs músicas. Assim, o que se propõe é um novo romance musical. Para ler. Para escutar. Para sentir.”Os bilhetes custam 10€ e estão à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora e no local, no dia do espetáculo.

No dia 26 de maio, o humorista João Seabra vai pisar o palco do Valadares, pelas 22H00. Este espetáculo é organizado pelo Grupo de Jovens de Seixas.

No dia 27, de maio, o Valadares vai acolher um concerto de António Chainho, apontado pela revista Songlines como um “Guitarrista de génio e exceção, considerado um dos 50 músicos mais influentes da WorldMusic”.

 “Artista completo, guitarrista e compositor profícuo, Mestre António Chainho é o exemplo vivo de como o talento, a perseverança e a solidariedade - em forma de cumplicidade - moldam a vida de um homem e com ele a história da música popular.”Os bilhetes custam 7,5€ e estão à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora e no local, no dia do espetáculo.

Em junho, o Valadares foi novamente escolhido pela Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho para estear o seu mais recente trabalho “Auto da Índia” (9 de junho). Depois de passar pelas salas do Valadares e do Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora, a peça entrará em digressão pelas freguesias do concelho.

Mas em junho, poderá ver ainda nesta sala de espetáculos a peça de teatro infantil “Os 3 Érres”, da KRISÁLIDA AKOLHE – Programa de Acolhimento de Grupos Teatrais (3 de junho); o concerto com THE LAZY FAITHFUL (16 de junho); a comédia “Vovó Ganza! Uma comédia de faca e alguidar…”, a cargo da Companhia Vidas de A a Z (24 de junho) e o 13º Concurso Internacional de Piano do Alto Minho (30 de junho a 02 de julho).

Miguel-Gizzas-395x237.png

JOSÉ CID APADRINHA OS “FILTRO”, A BANDA FAMALICENSE DE PEDRO MACEIRAS

Apresentação do álbum “O amor não mata”, sexta-feira, 12 de maio, na Casa das Artes, com entrada livre

 “O amor não mata” é o nome do primeiro trabalho de originais dos “Filtro”, uma nova banda formada por quatro jovens famalicenses que querem mostrar que “o rock ainda está vivo em Portugal” e que vão apresentar-se publicamente nesta sexta-feira, 12 de maio, pelas 21h30, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, com um padrinho de luxo: José Cid.

Filtro.jpg

Para além de José Cid, o concerto, que tem entrada livre até à lotação da sala, conta também com a participação especial de Filipa Azevedo, vencedora do Festival da Canção 2010 com a música "Há dias assim" e de Rui Mesquita, um dos maiores nomes da música em Famalicão.

Quem assume o desafio de revitalizar o rock português é Pedro Maceiras, o vocalista da banda que os portugueses conhecem do “The Voice Portugal”. Este primeiro álbum dos “Filtro”, totalmente cantado em língua portuguesa, foi recentemente gravado em estúdio por Vítor Neves (100OffRecords) com o nome homónimo da primeira canção do mesmo - O amor não mata.

Mais informações no site oficial da Casa das Artes, em www.casadasartes.org

FILTRO

Apresentação do 1º álbum - “O amor não mata”

Musica |Rock N' Roll

12 de maio | Sexta |21h30| Grande auditório

Entrada livre à lotação da sala (é necessário levantar bilhete).

M/6

Duração:  90 min

ORQUESTRA PHILARMONICA DE LISBOA ATUA EM VIANA DO CASTELO

Concerto ORQUESTRA PHILARMÓNICA DE LISBOA | 13 maio 2017 | 21h30 | Teatro Municipal Sá de Miranda (Viana do Castelo)

Bilhetes disponíveis no Teatro Municipal Sá de Miranda – tmsm@cm-viana-castelo.pt

Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

 Em dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

Sábados, domingos e feriados em direstas de espetáculos, 2h00 antes.

Título do espetáculo: Concerto – Orquestra Philarmónica de Lisboa

Data: 13 de maio

Horário: 21h30

Classificação Etária:  M/6 anos

Bilhete: 5,00€

cartazphilarmonicaFr.jpg

 

VALDO VIANA ATUA EM BRAGA E GUIMARÃES

Depois de percorrer a América do Sul, a Ásia e a Europa, Valdo Viana aterra finalmente em Portugal. Entre os dias 17 e 20 de Maio o autor do single “É Pra Viver” apresenta no nosso país o álbum “Brasilha” (2014).

Valdo Viana_Flyer Tour Portugal (1).png

Tudo começa em Lisboa, no EKA Palace, no dia 17. No dia seguinte o palco do TOCA ilumina-se e Braga rende-se ao cantor e compositor brasileiro. A 19 acontece a despedida do norte do país com um concerto imperdível no All Guimarães e o final da digressão nacional de Valdo Viana acontece em Almada, no Salão de Festas da Incrível Almadense, no dia 20 de Maio.

Conhece todas as datas da digressão:

17.05 | EKA Palace, Lisboa, 22h (€5)

18.05 | TOCA, Braga 22h30 (€5)

19.05 | All Guimarães, Guimarães, 23h30 (€5)

20.05 | Salão de Festas da Incrível Almadense, Almada, 22h (Não Sócios €5 | Sócios € 3.5)

Do Nordeste brasileiro chega-nos Valdo Viana. Nascido em Esperantinópolis, bem no centro do Maranhão, quis o destino que a sua família sempre alimentasse a sua veia musical, dando-lhe um extenso rol de referências e inspirações. Com os progenitores descobriu a Música Popular Brasileira (MPB) a música Nordestina e o Forró. Com os irmãos explorou o Rock de Brasília e o Rock Inglês.

Com a irmã mais velha alimentou os genes do Samba e do Choro. E na sua cidade natal contactou com o reggae e as músicas folclóricas, tornando-se assim num autêntico espelho de sonoridades, mensagens e sentimentos musicais.

O seu percurso inicia-se ainda petiz nas festas da cidade quando se apresenta nos Festivais Escolares. No entanto seria em plena juventude que dava o grande passo ao assumir-se enquanto vocalista da Banda Atlantis. Durante quatro anos apresentou-se em inúmeros bares, festas e festivais locais, ganhando paixão pelo palco, pelo público e acima de tudo pela música.

É então que decide estudar canto e criar a banda de MPB Rock “Os Três”. Foi enquanto vocalista e líder deste projecto que actuou em festivais como a Calourada, da Universidade Nacional de Brasília ou o Festival de Rock Escola Paulo Freire ambos na cidade de Brasília.

Em 2011 decide uma vez mais arriscar e muda-se para Paris, no coração da Europa. Por lá estudou e se apresentou ao vivo, percorrendo cafés, salas e festas, nomeadamente as da escola onde estudava. Com a estadia na Europa chegaram concertos em diversos países: actuou em Bruxelas, em Berlim e em Lisboa, espalhando a sonoridade e o charme brasileiro pelo Velho Continente.

Um ano depois surge nova reviravolta no seu percurso musical. Retorna a Brasília e aí se estabelece definitivamente como músico e cantor. Compôs, cantou e gravou o disco “Brasilha”, uma cativante junção de sonoridades e influências, onde se destaca a poderosa, e simultaneamente doce, voz de Valdo Viana. Nas letras transparece a profundidade da mensagem e o ritmo intrínseco ao povo brasileiro.

Percorrendo as asas do destino, apresentou-se pela América do Sul, Ásia e Europa. E para Maio de 2017 está marcado o tão ansiado regresso a Portugal! Esta digressão será uma oportunidade única para presenciar a melhor música da actualidade proveniente do nordeste brasileiro.

UMA CANÇÃO CHEIA DE MAGIA

Desde as Ilhas Afortunadas e, especialmente desde a ACGEIA onde há muitos músicos, com este artigo queremos fazer um pequeno elogio a uma canção cheia de magia com a que Portugal soube marcar a diferença.

 

Após da primeira semifinal do Festival da Canção 2017, lemos na Internet ótimos comentários acerca da canção de Salvador Sobral, pelo que decidimos ver a sua atuação e ficamos rendidos, ante tão extraordinária composição musical e simples, mas belíssimo poema. Nunca tínhamos visto o Festival da Canção e este ano foi a primeira vez para ouvir e ver ao cantor interpretar a sublime canção, a noite do domingo cinco de março fizemos uma ligação através da Internet para ver o programa da RTP em direto e, temos de dizer que o Festival da Canção 2017, foi um espetáculo maravilhoso no que os portugueses optaram por escolherem a melhor das canções e ficámos muito contentes, mas não gostamos da ridicularizão que fizeram as apresentadoras em relação a pronúncia do português dos nossos irmãos macaronésios dos arquipélagos da Madeira e dos Açores, alguns acham que foi um comentário infeliz, mas para nós foi um ato vergonhoso e deslocado, uma piada de mau gosto que tinha de ter sido reprovada.

 

A canção de Luísa Sobral e uma perfeita conjunção de música e poesia e, quando dizemos que está cheia de magia, é porque exprime perfeitamente uma canção de desamor como ninguem sabe, só os portugueses, uma lindíssima melodia, uns arranjos instrumentais magníficos de Luís Figueiredo e uma voz doce que transmite a imensa ternura da grande obra de arte que é a canção que representará à nossa pátria mãe no Festival Eurovisão da Canção 2017 e pelos que nos sentimos muito orgulhosos.

 

Também é uma canção mágica pelo amor com o que foi feita e o que a envolve, uma família excelente e exemplar, o pai que diz que os seus filhos são os melhores cantores de Portugal e chora baba e ranho quando ouve ao seu filho cantar na final do Festival da Canção, a mãe que faz os fatos para o seus filhos e canta a canção na sua casa, a mana encantadora que adora ao irmão, para ela é o melhor cantor e compõe uma maravilhosa canção para ele e o Salvador que chama à sua querida irmã para cantar juntos na repetição da canção depois de ficar vencedora. Que bonito!

FOTO 1canar (1).jpg

Os irmãos Sobral no vídeo publicado em YouTube por Amparo Feliz em 10 de março de 2017

 

            A canção Amar pelos Dois tem suscitado as mais variadas versões incentivando a criatividade de grandes músicos e intérpretes, destacamos duas que chamaram muito a nossa atenção, a do trio Edna, composto por Francisco, Márcia e Daniel que fazem uma interpretação esplêndida a vozes gravada no Restaurante Paullu’s e o divinal arranjo musical para guitarra clássica de João Dias, se os portugueses têm imenso orgulho de terem escolhido uma canção fantástica para que lhes represente, os minhotos também por terem este portento no Minho. Barcelos, terra de grandes barristas já não só tem os músicos de barro que saem das suas habilidosas mãos, o berço do galo de Domingos Côto que se tornou no símbolo nacional do artesanato português, doravante também é o berço de um grande músico e guitarrista. A guitarra clássica já não só é representativa do país vizinho, algo bom chegou às terras lusas de leste melhor que os desagradáveis ventos e casamentos mal sucedidos. Oxalá que Portugal se torne em um importante centro de ensino para a criação de grandes intérpretes e professores deste formoso instrumento. Ânimo! João segue assim.

FOTO 1canar (2).jpg

O trio Edna no seu vídeo publicado em YouTube em 3 de Abril de 2017

FOTO 1canar (3).jpg

 

João Dias no seu vídeo publicado em YouTube em 7 de abril de 2017

 

A admirável canção está a fazer sucesso internacional inspirando grandes criadores, a melhor prova é a animação intitulada Duet da autoria de Glen Keane que também se rendeu à grandiosa canção. Agora os juris e os telespectadores devem decidir se dão o triunfo a uma canção festivaleira e simples como é a italiana ou a sueca que podemos ouvir todos os anos ou à surpreendente canção de desamor 100% portuguesa com traço de standard de jazz antigo e também com alguma influência de bossanova, interpretada magistralmente por Salvador Sobral na língua mas bonita do mundo, há muito tempo que não se ouve uma canção assim. É um milagre!

FOTO 1canar (4).jpg

 

Imagem da animação de Glen Keane do vídeo publicado em 8 de março em YouTube

 

Muitos Parabéns! Para os irmãos Sobral, para o Luís Figueiredo, para o trio Edna, para o João Dias e para todos os portugueses pelas preciosas joias que têm no seu prodigioso país.

 

Desde as Ilhas Canárias desejamos toda a sorte do mundo para o Salvador Sobral, que a pesar das circunstâncias, não perde a simplicidade, humildade e o sentido do bom humor que lhe carateriza, esperamos que o dia 13 de maio a Nossa Senhora de Fátima acompanhe a os irmãos Sobral e seja um dia vitorioso, ganhámos a Eurocopa, agora o Festival Eurovisão da Canção e:

Capturarcorcanar.PNG

 

EUROVISION SONG CONTEST PORTUGAL 2018 

Jesús Acosta 

ACGEIA

MÁRCIA ATUA EM PONTE DE LIMA

6 de Maio – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

A música portuguesa de qualidade é constante no palco do Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima e a 6 de Maio, às 22h00, será a vez de Márcia pisar as tábuas da sala limiana, que é já uma das mais notáveis referências culturais do norte do país.

marcia_4x3_.jpg

Márcia queria ser pintora e cursou Belas-Artes. Talvez seja por isso que a sua música tenha a delicadeza de um traço numa página em branco, ou invoque cores pintadas com paciência numa tela. Márcia também fez tangentes ao cinema, e talvez seja por isso que a sua música nos crie imagens tão fortes na cabeça.

Mas Márcia, na verdade, descobriu-se como cantora e compositora, mesmo que ao princípio a música não passasse de um hobby sugerido pela guitarra do irmão. Esse hobby foi conquistando cada vez mais espaço e em 2002 frequenta a escola de jazz do Hot Clube. Estava escrito: foi na música que Márcia se encontrou – e que o público a encontrou.

Foi em 2009 que Márcia se estreou em nome próprio com um EP de cinco temas chamado apenas “Márcia”, publicado pela Optimus Discos, já depois de ter participado com a versão original d’ “A Pele Que Há em Mim” na colectânea “Novos Talentos FNAC” do mesmo ano. Algum público mais atento já a reconheceria como uma das vozes do Real Combo Lisbonense, do qual fez parte entre 2008 e 2012.

Desde a edição do primeiro EP as coisas têm vindo a crescer, com paciência e segurança. Com a paciência e a segurança de quem sabe o que quer e como o quer. “Dá”, o primeiro álbum, lançado em 2010 pela Pataca Discos de João Paulo Feliciano, tornou-se num pequeno fenómeno de popularidade, levando à contratação de Márcia pela Warner e pelo relançamento do disco em 2011, com um pequeno “bombom”: uma nova versão de um tema do EP, “A Pele Que Há em Mim”, em dueto com J. P. Simões. Visto mais de dois milhões de vezes no YouTube, um dos temas mais vendidos no novo mundo da música digital (iTunes e afins), “A Pele Que Há em Mim” ultrapassou todas as expectativas.

Parece que tudo aconteceu demasiado depressa. Mas o reconhecimento não subiu à cabeça de Márcia. A cantora foi mãe entre “Dá” e o segundo álbum, “Casulo”, publicado em 2013, e a experiência moldou necessariamente o novo trabalho, produzido por Filipe C. Monteiro e que contou com a colaboração de Samuel Úria no tema “Menina” que, a par de “Deixa-me Ir”, foi um dos dois singles retirados do álbum.

E a carreira de Márcia continua nessa progressão paciente e segura de quem vê as coisas acontecer sem deslumbramentos nem sofreguidões. Depois de “Casulo”, o passo seguinte leva Márcia ao Rio de Janeiro e a gravar com Dadi Carvalho, cúmplice regular de Marisa Monte e presença de peso no êxito dos Tribalistas. Mas nem a produção de Dadi, nem a presença de nomes grandes da música brasileira como Criolo (que participa em “Linha de Ferro”) ou Vinicius Cantuária (presente em “Sem Igual”, “A Urgência” e “Bem Amargo”), afastou Márcia do seu caminho.

O disco, afinal, chama-se “Quarto Crescente” e vem co-produzido por Filipe C. Monteiro, responsável pela produção do anterior “Casulo”, em conjunto com a própria cantora. Como quem diz: esta ainda é uma obra em crescimento, um percurso de descobertas e encantos. Onde existe “A Insatisfação” (título do primeiro single) ou “A Urgência”, mas também um “Ledo Sorriso” ou um “Bom Destino”.

Aberto ao que vier e disposto a convidar o público para essa viagem.

Como quem se coloca frente a uma tela branca com pincéis e tintas a ver onde a inspiração a leva. Podemos ter perdido uma pintora ou uma cineasta, mas ganhámos uma cantora e compositora “sem igual” na actual paisagem portuguesa. Márcia está de regresso.

Bilhetes à venda (5,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt.

CICLO DE CANTAUTORES REGRESSA A FAFE

48/20 regressa a Fafe: John Smith em concerto especial com abertura de Tiger Cooke

O Ciclo de Cantautores 48/20, promovido pela Câmara Municipal de Fafe, regressa este mês, com um espetáculo de John Smith.

CARTAZ_26x37cm-01-01.jpg

John Smith é uma das mais promissoras vozes do folk britânico e encarna perfeitamente o conceito que conhecemos de singersongwriter, com uma escrita madura e segura e sonoridade de viagem, por países e sensações. 

É guitarrista de eleição de Lisa Hannigan, Lianne La Havas ou David Gray, e a solo desvenda-se com a certeza de que nos podemos apaixonar desde o primeiro momento.

É a primeira passagem de John Smith por Portugal e o 48/20 Ciclo de Cantautores não podia deixar de o receber, estandona sua génese e função.

Tiger Cooke faz concerto de abertura

Tig, para os amigos, é um cantautor irlandês nascido em Dublin, mas criado em Dunboyne. Tem vindo a ganhar espaço no panorama musical do seu país e apresentado o seu trabalho com artistas como Damien Rice.

A descobrir, no primeira parte do concerto.

Os bilhetes estarão à venda, brevemente, na Loja Interactiva de Turismo

MELECH MECHAYA | AURORA ATUAM EM PONTE DE LIMA

5 de Maio – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Os Melech Mechaya abrem a sua nova tour, em que irão apresentar o seu mais recente trabalho, Aurora, prestes a ser disponibilizado ao público, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, na sexta-feira, 5 de Maio às 22h00, numa noite em que se espera um concerto marcado pela boa disposição, como sempre acontece nos espectáculos desta formação.

melech_mechaya_4x3_.jpg

A comemorar 10 anos de carreira, os Melech Mechaya estão de regresso aos discos com o surpreendente “Aurora”, o quarto longa-duração do grupo. O disco foi misturado por Tony Harris (que trabalhou com nomes como R.E.M., Sinead O’Conner e Verve), e inclui as participações especiais dos portugueses Filipe Melo (piano) e Noiserv (voz), e da cantora espanhola Lamari de Chambao.

Depois dos bem-sucedidos “Aqui Em Baixo Tudo É Simples” e “Gente Estranha”, discos que foram apresentados em mais de 150 concertos em 10 países de 3 continentes, “Aurora” representa o trabalho mais inovador e original do quinteto, alargando os horizontes da música klezmer para uma sonoridade única que é só deles.

Os Melech Mechaya são João Graça: violino; Miguel Veríssimo: clarinete; André Santos: guitarra; João Novais: contrabaixo; Francisco Caiado: percussão.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

BANDA DA ARMADA REALIZA CONCERTO EM VIANA DO CASTELO

image002bandarmad.jpg

BANDA DA ARMADA

Segundo fontes históricas, já na primeira metade do século XVIII existia na Armada uma “música marcial” intitulada “charamela”.

Em 1807 acompanhou a família real na sua viagem para o Brasil. Deslocando-se a vários países, designadamente Inglaterra, Bélgica e França, acompanhou o Rei D. Fernando II a bordo da corveta “Mindelo”, efetuando uma série de concertos em Bordéus.

Em 1903 a “Banda dos Marinheiros” realizou aquelas que são as primeiras gravações efetuadas em Portugal, num total de 26 temas (e outros tantos discos) dos quais existe um exemplar no nosso país e os restantes 25 nos arquivos da EMI em Inglaterra.

Das suas deslocações ao estrangeiro e ilhas, destacam-se:

- Em 1922, a participação nas comemorações do 1º Centenário da Independência do Brasil, acompanhando Sua Excelência o Presidente da República Dr. António José de Almeida na sua viagem oficial;

- Em 1982, 1988 e em 2008 as deslocações ao Arquipélago da Madeira;

- Em 1982 e 1992 a participação, em Festivais Internacionais de Bandas Militares em França;

- Em 1983 e 2007 as deslocações, ao arquipélago dos Açores;

- Em 1994, deslocou-se aos Estados Unidos da América/Norfolk, onde participou no XII Festival Internacional das Azáleas, em representação nacional;

- Em 2008 deslocou-se a Bremen – Alemanha onde participou no 44º Musikschau der Nationen.

Em 1999 foi-lhe concedida a Medalha de Ouro de Serviços Distintos por S.ª EX.ª o Almirante CEMA.

Em 2015, a Banda da Armada foi agraciada pela PwC (PricewaterhouseCoopers) Portugal com o Prémio Identitas Mare, prémio que tem como objetivo reconhecer a excelência e o mérito de pessoas ou entidades que utilizam as temáticas do meio aquático como recurso essencial e meio inspirador das suas produções de arte e cultura, bem como outros projetos que promovam a cultura marítima.

Ao longo dos tempos a Banda da Armada tem desenvolvido um trabalho de grande interesse público, tanto ao nível do cerimonial militar e do protocolo de Estado, como no âmbito cultural, onde tem realizado concertos por todo o território português e no estrangeiro. Tem-se pautado por uma constante evolução e inovação, como é exemplo a permuta de conhecimentos, ao incluir elementos exteriores ao seu quadro orgânico, nas suas apresentações públicas. Estão neste caso atuações conjuntas com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e vários grupos corais, assim como vozes e instrumentos solistas.

Fazem parte dos seus quadros alguns dos melhores instrumentistas da atualidade portuguesa e ao longo da sua história têm pertencido, e continuam a despontar nas suas fileiras, vários compositores de reconhecido mérito.

A Banda da Armada foi chefiada pelos seguintes maestros: Caetano Tozzi (italiano), Pascoal Corvalini (italiano), Mark Holzel (alemão), Artur Reinhardt (belga) e os portugueses: António Maria Chéu, José de Oliveira Brito, Arthur Fernandes Fão, Marcos Romão dos Reis, Manuel Maria Baltazar, José Joaquim de Araújo Pereira, Carlos da Silva Ribeiro e desde 2010 pelo Capitão-tenente MUS Délio Gonçalves.

219027_415987115123424_2051332806_o.jpg

DÉLIO ALEXANDRE COELHO GONÇALVES

Nasceu em Azambuja, onde iniciou os seus estudos musicais primeiro em Clarinete com o Maestro João Teófilo, e mais tarde em Fagote com o Professor Carolino Carreira.

Em 1990, fez o Curso de Técnicas Orquestrais para Instrumentistas de Sopro em Fagote, na Universidade Menendéz Pelayo com bolsa de estudo da própria Universidade, que viria a revelar-se fulcral na sua opção e decisão de abraçar a carreira artística.

Em 1991, após concurso nacional, ingressa na Banda da Armada Portuguesa onde desempenhou as funções de 1º Fagote Solista.

Em 1992, ingressa na Escola Profissional de Música de Almada, onde continuou e finalizou os seus estudos em Fagote com o professor Carolino Carreira.

Como jovem músico, colaborou com as Orquestras de Jovens do País, e profissionalmente com uma atividade intensa, trabalhou com os mais variados agrupamentos e Orquestras do nosso País, recitou a solo, e fez concertos com imensos e diversificados agrupamentos de música de câmara.

Em 2001, terminou os seus estudos em Direção de Banda, Fanfarra e Brass Band, no Royal Music Conservatorium de Maastricht na Holanda, onde estudou com o Professor Jo Conjaerts.

Atualmente a sua atividade está centrada na direção, trabalhando não só com músicos e agrupamentos profissionais, mas também no meio amador onde desenvolve uma atividade intensa, não só na direção mas também lecionando em Estágios e Workshops de música, e colaborando com os mais diversificados acontecimentos musicais, tanto em Portugal como no estrangeiro.

Foi Maestro e professor na Escola de Música do Conservatório Nacional e professor de Direção no Instituto Piaget no Curso Mestrado em Direção de Banda.

É mentor e organizador de alguns eventos musicais importantes no nosso pais, e que dos quais se destaca o Concurso Internacional de Bandas Amadoras “Ateneu Artístico Vilafranquense”.

Atualmente com o posto de Capitão-tenente, Délio Gonçalves exerce as funções de Chefe da Banda da Armada Portuguesa.

PROGRAMA

On The Mall                                Edwin Franco Goldman

Aida                                            Giuseppe Verdi

Rock Symphony                         Manfred Schneider

Lusitanidades                             Carlos Marques

Songs Of The Wizz                    Quincy Jones

Frank Sinatra Hits Medley         Arr. Naohiro Iwai

Phill Colins Colection                Arr. Peter Klein Schaars

Groovin’ Around                        Otto Schwarz

Music                                          John Miles

Maestro

Délio Alexandre Coelho Gonçalves

Capitão-tenente MUS Chefe da Banda da Armada

582193_383191751736294_1699176059_n.jpg

INAUGURAÇÃO DA SEDE DA BANDA MUSICAL DE MONÇÃO

(Discurso do Presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues)

DSC_0160 (Large).JPG

Sr. Ministro da Educação, Dr. Tiago Brandão Rodrigues

Em seu nome saúdo todas as autoridades presentes. Nem imagina a alegria que os monçanenses sentem pela sua presença. É uma honra de, nestes quase quatro anos de mandato, ser a primeira vez que um ministro da nação visita este cantinho do Portugal profundo. Obrigado.

Hoje inauguramos a requalificação da antiga estação ferroviária de Monção. Edifício que pertence à identidade monçanense, fazendo parte do nosso imaginário coletivo. Um espaço com muito para contar. Centenas de histórias felizes. Centenas de momentos dramáticos.

Esta estação, agora reconvertida à cultura, sinalizava o fim da linha do Minho e o princípio da vivência na diáspora. Do trajeto de vidas “desarranjadas” à procura do devido arranjo. Da rota dos “carneiros” na transumância de melhores pastagens. Refiro-me metaforicamente às pessoas na incessante procura de melhores condições de vida que o totalitarismo, na altura, nada lhes permitia.

Lembro-me, como tantos monçanenses, do constante vai e vem de caixeiros -viajantes que traziam sempre novidades. Da partida e chegada dos estudantes que procuravam destinos académicos inexistentes em Monção. Da gente empoleirada no comboio com destino à Festa da Senhora da Cabeça.

Da espera ansiosa pela bola, o jornal, que chegava ao final da tarde. Dos recoveiros a aconselhar este ou aquele restaurante aos viajantes. Do embarque, para poucos, de um mês de férias em Vila Praia de Âncora. Dos tropas em direcção a uma guerra que não era a sua. Deixavam lágrimas e dor e a incerteza se algum dia regressariam.

Felizmente, o 25 de abril deu-nos outras possibilidades, outras oportunidades. Trouxe-nos a democracia e uma nova forma de olhar para o mundo. Abriu-nos uma janela que queremos manter escancarada para sentir a brisa da liberdade, da partilha e da tolerância. Bem hajam todos que fizeram o 25 de abril e aqueles que consolidaram os seus valores.

Este edifício foi inaugurado em 1915, tendo sido desativado em 1989. A linha até Valença foi transformada em Ecopista do Rio Minho, assumindo-se, desde então, como um espaço promotor e incentivador da prática desportiva. Tratou-se do primeiro corredor ecológico a aproveitar antigas linhas férreas, abrindo ao público em 2004.

A recuperação deste edifício traduz-se na etapa mais marcante da regeneração urbanística de toda a área envolvente. Processo visível na demolição dos imóveis da Travessa da Cova do Cão e no acesso ao Rosal. O futuro desta zona emblemática à entrada do centro histórico já começou faz tempo e terá continuidade com novas intervenções.

O esforço financeiro decorrente da requalificação vai servir para cumprir uma promessa antiga: dar uma sede condigna a uma instituição bicentenária – A Banda Musical de Monção. A referência à sua ancestralidade não é retórica politica. Pelo contrário, é a mais pura das verdades.

O registo mais antigo remonta a 1792. À época chamada Banda de Música da Vila. Supõe-se, contudo, que a sua existência seja anterior. Em 1918, passou a designar-se Banda dos Bombeiros Voluntários de Monção. Em 1933, o município outorgou-lhe o título honorífico de Banda Musical de Monção. Em 1980, entregou-lhe a medalha de ouro por mais de século e meio ao serviço da cultura.

Gerações de músicos levaram a excelência artística de Monção aos quatro cantos do mundo. Em algumas ocasiões com a minha presença. Jamais esquecerei o prémio alcançado no Concurso Internacional de Bandas de Música de Valência. Apeteceu-me gritar para afirmar que era monçanense. O decoro e o protocolo impediram-me.

Senhor presidente da direcção, aqui tem a chave merecida. Entrego-lha em nome de todos os músicos, maestros e directores, do passado, do presente e do futuro. Não esquecendo outros maestros importantes, como Miguel de Oliveira, perdoem-me a excecionalidade de referir o maestro do presente, José Vicente Simeó. Obrigado maestro por tudo o que tem feito na procura da excelência artística desta instituição.

Nesta requalificação investiram-se cerca de 350 mil euros suportados em 85% pelo “Norte – 04 – 2316 Feder 00030”. Muita gente esteve envolvida nesta concretização. Logo à partida a vereadora das obras e Urbanismo, Conceição soares, os arquitetos Pedro Dinis e José Eduardo, a engenheira Isabel Nascimento, o arquitecto Paulo Gomes, a construtora Limabuild e as empresas Guialmi e Mário Pinto.

Obrigado a todos pela concretização desta bela e funcional recuperação. Sinto uma grande felicidade. Por ter cumprido uma promessa e por ter garantido o futuro da banda. Esta obra é um orgulho para todos os monçanenses. Estamos de parabéns. É uma honra enorme ser presidente desta terra. É uma honra enorme ser vosso presidente.

Viva a Banda Musical de Monção

Viva Monção e os monçanenses  

DSC_0112 (Large).JPG

DSC_0113 (Large).JPG

DSC_0136 (Large).JPG

DSC_0143 (Large).JPG

DSC_0144 (Large).JPG

DSC_0146 (Large).JPG

DSC_0164 (Large).JPG

ESPECTÁCULO DE ROCK E JAZZ REFORÇAM AMIZADE ENTRE O MINHO E A GALIZA

Jarojupe e The Pretty Shirts na Amizade Cerveira-Tomiño

“Rock e Jazz Com Amizade In Cerveira-Tomiño” é um novo evento musical, composto por duas sessões, que visa reforçar as relações culturais/pessoais entre as populações das duas margens do rio Minho. Primeiro concerto acontece já este sábado, 29 de abril, no Fórum Cultural de Cerveira, com a presença de Jarojupe e The Pretty Shirts. Segundo concerto está marcado para agosto, em Tomiño.

Rock Jazz Cerveira tomiño.jpg

Com organização da AR Eventos, e apoio do Município de Vila Nova de Cerveira e do Concello de Tomiño, “Rock e Jazz Com Amizade In Cerveira-Tomiño” apresenta-se como um evento de celebração da cooperação transfronteiriça, através do intercâmbio de bandas dos dois lados da fronteira, entre os palcos de Cerveira e Tomiño.

Para esta primeira edição, a organização escolheu duas bandas de rock, com uma carreira consolidada e conhecidos entre o público. Por um lado, os portugueses Jarojupe que são a banda minhota mais antiga de rock/metal. Com 35 anos de história, o grupo foi fundado por quatro irmãos, em 1981, tendo já atuado em diversos palcos nacionais e internacionais, nomeadamente em Liverpool.

Por outro lado, sobe ao palcoThe Pretty Shirt, uma banda de Rock n’Roll nascida em A Guarda (Pontevedra) em 2009, e que já venceu o concurso de bandas Morrissey Irish Pub, na Coruña, tendo sido ainda nomeados o melhor disco, em 2015, pelos seguidores do blog Rocksoulthings.

“Rock e Jazz Com Amizade In Cerveira-Tomiño” acontece este sábado, com início às 23h00, no Fórum Cultural de Cerveira. Bilhetes já à venda. Para agosto, com data por definir, está prevista a segunda sessão do evento, em Tomiño.

IGREJA MATRIZ DE CAMINHA ACOLHE CONCERTO SONS DO CAMINHO, COM “O BANDO DE SURUNYO”

Concerto vai decorrer amanhã, pelas 21H30

A Igreja Matriz de Caminha vai acolher o concerto “Sons do Caminho”, com “O Bando de Surunyo”, no sábado, dia 29 de abril, pelas 21h30.

O BANDO DE SURUNYO.jpg

Este concerto é uma das ações integradas no projeto/candidatura “Valorização dos Caminhos de Santiago - Caminho Português da Costa”, que o Município de Caminha está a desenvolver. Recorda-se que a valorização do Caminho de Santiago – Caminho Português da Costa é uma das apostas da Câmara Municipal de Caminha. Nos próximos dois anos, Município vai investir 236.526,10 €, montante financiado em 85% pelo Norte 2020 (FEDER).

A candidatura “Valorização dos Caminhos de Santiago – Caminho Português da Costa” tem como objetivos: a valorização e reconhecimento oficial do Caminho Português da Costa como itinerário de peregrinação e produto turístico; dinamizar o potencial cultural e turístico das peregrinações a Santiago de Compostela fomentando o desenvolvimento económico, social e ambiental nos territórios abrangidos; contribuir para o desenvolvimento de produtos estratégicos para esta região que permitam complementar a oferta existente e ainda promover a colaboração intermunicipal materializada na conceção, gestão e implementação de um projeto de natureza cultural, ambiental e turística.

No sábado, em Caminha realiza-se uma das ações de valorização do Caminho de Santiago com a promoção do concerto a cargo de «O Bando de Surunyo».

“O Bando de Surunyo é um ensemble dedicado à interpretação da música do século XVII, com particular incidência sobre o primeiro barroco português. O Bando tem como núcleo um octeto vocal suportado por três instrumentistas de baixo contínuo (viola da gamba, viola de mão/guitarra barroca e baixão), ao qual se podem juntar mais músicos e também bailarinos. O nome do grupo é retirado do vilancico de negro Ai minino tambonitio significando ‘bando de estorninhos’. O Bando de Surunyo nasce como resultado do trabalho realizado em duas prestigiadas instituições portuguesas de ensino superior: a Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto - no âmbito do Sesquialtera, concerto renascentista e seiscentista do Curso de Música Antiga - e a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde decorre presentemente um intenso trabalho de estudo das fontes manuscritas portuguesas existentes da Biblioteca Geral dessa mesma universidade.”(in http://www.festivalguitarralagoa.pt/bando-do-surunyo-pt.php)

PONTE DE LIMA COMEMORA DIA INTERNACIONAL DO JAZZ

CORETO PORTA-JAZZ. 30 de Abril – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Nas Comemorações do Dia Internacional do Jazz, a 30 de Abril às 22h00, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, apresenta o Coreto Porta-Jazz, um ensemble de 12 músicos da cena jazzística portuguesa, criado no seio da Associação Porta-Jazz com o intuito de interpretar música original escrita essencialmente pela nova geração de músicos e compositores.

jazz_4x3_.jpg

O Coreto é formado por 12 elementos da nova geração de músicos sediados no Porto, cujas actividades individuais são reconhecidas na cena jazzística nacional.

O grupo surge no coração da Associação Porta-Jazz com o objectivo de criar um “espaço” para a exploração e concretização de um repertório original e experimental, proveniente das mais variadas fontes criativas que emergem no Jazz em Portugal.

Os seus 3 álbuns, todos lançados pelo Carimbo Porta-Jazz, foram aclamados pela crítica nacional.

Aljamia (2012) e Mergulho (2014) foram considerados melhores do ano e Sem Chão (2015), para além de melhor disco do ano pela Jazzlogical, valeu à banda o prémio de Grupo do Ano na comemoração dos 50 anos do programa 5 minutos de Jazz de José Duarte.

A Banda:

João Pedro Brandão – saxofone alto, flauta; José Pedro Coelho – saxofone tenor; Hugo Ciríaco – saxofone tenor; Rui Teixeira – saxofone barítono, clarinete baixo; Ricardo Formoso – trompete; Susana Santos Silva – trompete; Andreia Santos – trombone; Daniel Dias – trombone; AP – guitarra; Hugo Raro – piano; José Carlos Barbosa – contrabaixo; José Marrucho – bateria.

Os Álbuns:

Aljamia

O arranque deste projecto é dado com música de João Pedro Brandão que, após um estudo dedicado à Música Tradicional do Mediterrâneo, explora elementos e conceitos a esta ligados, sem nunca esquecer o motivo por que esta música é feita – o Jazz.

Mergulho

Neste novo CD o Coreto apresenta música composta e orquestrada por AP (António Pedro Neves).

À sua formação em Jazz aliam-se outras influências, como resultado do seu recente percurso pelo mestrado em Composição, que levam o guitarrista portuense a escrever especialmente para este grupo e a integrar simultaneamente o ensemble, dirigindo-o em tempo real.

Sem Chão – Ao Vivo na Porta-Jazz

O terceiro registo do Coreto – ‘Sem Chão – Ao Vivo na Porta-Jazz’ – reúne composições escritas para esta formação, por vários músicos, ao longo dos últimos anos, em linha com o seu objectivo de servir de espaço de exploração e concretização de música original para Large Ensemble.

Música de Filipe Lopes, Paulo Perfeito, João Guimarães, Tomás Marques, João Pedro Brandão, AP, Rui Teixeira, Susana Santos Silva e José Pedro Coelho.

Este repertório foi gravado ao vivo no espaço da Associação Porta-Jazz.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt.

CELORICO DE BASTO CANTA MÚSICAS DA REVOLUÇÃO

“Músicas da Revolução” nas comemorações do 25 de Abril em Celorico de Basto

Celorico de Basto celebrou o 25 de Abril com as “Músicas da Revolução”, no Centro Cultural Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, no dia 24 de abril, protagonizadas por grupos locais que interpretaram grandes clássicos que marcaram a revolução dos cravos.

_DSC6489.jpg

A abrir o espetáculo, o Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva salientou a importância de celebrar esta data “que marca a nossa história, a nossa memória, que deve ser dada a conhecer às nossas crianças e jovens para que percebam o simbolismo de um momento tão marcante para o nosso país. As Músicas da Revolução são uma forma lúdica e ao mesmo tempo, didática, que, com letras bem estruturadas, mostram os momentos vividos” destacou o autarca.

Pelo palco passou a Universidade Sénior, os Basfado, os Suspensórios, os Deelay, o Zé Faria, a Tuna de Arnoia, os Amigos do Improviso, Ariana e os Silvas e os Omnis tendo interpretados músicas como “Depois do Adeus” de Paulo de Carvalho, “Vejam Bem”, “Venham mais cinco” e “Filhos da Madrugada” temas de Zeca Afonso, o “Cantar da Emigração” de Adriano Correia de Oliveira, “Festa da Vida” de Carlos Mendes, “Pedra Filosofal” de Manuel Freire, “Eles” de Manuel Freire e muitas outras músicas que preenchem o imaginário de muitos aquando da revolução dos cravos a 25 de abril de 1974.

Além das “Músicas da Revolução” as comemorações do 25 de Abril contaram ainda com a exibição do filme “Cartas da Guerra”, um filme português realizado por Ivo Ferreira baseado na obra “Cartas da Guerra - D'este viver aqui neste papel descripto” de António Lobo Antunes.

_DSC6129.jpg

_DSC6212.jpg

_DSC6246.jpg

_DSC6289.jpg

_DSC6443.jpg

CORAIS ALEGRAM PRIMAVERA EM VIZELA

Concerto Coral de Primavera 2017

A Câmara Municipal de Vizela promove o Concerto Coral de Primavera 2017, no próximo dia 30 de abril, na Igreja Paroquial de Tagilde, às 15h30.

Grupos corais participantes e ordem de atuação:

Coro Juvenil de Tagilde

Grupo Coral Ser Contraste

Coro Laudate Dominum

Grupo Coral de Tagilde

cartaz coros 2017.jpg

GNRATION ASSINALA 4º ANIVERSÁRIO EM BRAGA COM DIA ABERTO ESTE DOMINGO

27.360 pessoas visitaram o gnration em 2016

Este Domingo, das 10:00 às 04:00, concertos, dj sets, instalações e oficinas para os mais novos, entre outras actividades, preenchem o programa do gnration open day, evento de entrada livre que assinala os quatro anos deste espaço de referência cultural. São mais de 16 horas de actividades com entrada livre.

gnration open day.jpg

PAUS, Octa Push, Conjunto Corona, Leviatã, Omega 3 (dj set), DJ Lynce (dj set) e a Orquestra de Paus e Cordas (quatro dezenas de músicos amadores juntos num colectivo musical) preenchem o programa de música onde se destacará o nome de Moritz Simon Geist. O músico alemão e engenheiro de robots, que colaborou já com nomes como Mouse on Mars ou Tyondai Braxton, apresentará Tripods One, uma performance sonora onde música electrónica será tocada em tempo real por robots.

Em 2016, o gnration recebeu mais de 125 eventos, um número que perfaz mais de 50 espectáculos, 12 instalações / exposições e acima de 60 actividades de serviço educativo (actividades onde se registaram cerca de 1100 participantes). 27.360 pessoas, número que tem vindo a duplicar de ano para a ano, visitaram o espaço localizado na Praça Conde de Agrolongo.

O gnration open day também contempla actividades para os mais pequenos. Os Primeiros Bits vão ensinar, gratuitamente, como aplicar as novas tecnologias à arte, iniciativa em parceria com a Digitópia/Casa da Música, e o Atomic Scanner, um jogo de interação para smartphones, criada pela Engage Lab, que parte de um funcionamento similar ao Pókemon Go, levará crianças a descobrir espaços. Ao longo do dia e noite, um conjunto de instalações, em parceria com o INL – Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, Engage Lab e Berklee College of Music - Valencia Campus, serão apresentadas em vários espaços do gnration. Um conjunto de dois filmes do artista russo Kirill Savchenkov serão também exibidos neste dia, numa iniciativa parceira com a BoCA Bienal (Lisboa).

2016 marcou também o arranque da parceria entre o gnration e o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), colaboração que proporciona, através da galeria INL, instalada no edifício, uma aproximação entre nanotecnologia e arte através do Scale Travels, programa que coloca artistas junto de cientistas, aproximando estas duas áreas numa iniciativa de vanguarda.

Para além da forte componente cultural, o gnration engloba ainda nas suas instalações a incubadora de empresas Startup Braga e a Loja Europa Jovem, um espaço pioneiro no apoio à mobilidade jovem europeia e que se estendeu já a outras cidades do país.

ANDRÉ SARDET ATUA EM PONTE DA BARCA

24 de abril | 21h30 | Auditório da Epralima

Bilhetes custam 5 euros e já estão à venda na Casa da Cultura, Loja Interativa de Turismo e Epralima.

André Sardet, músico e compositor português cuja carreira, de mais de 20 anos, tem sido marcada por vários êxitos nomeadamente os singles ´Quando te falei de amor´; ´Adivinha o quanto gosto de ti´; ´Mundo de Cartão´, entre outros, vai estar em concerto em Ponte da Barca no dia 24 de abril, pelas 21h30, no auditório da Epralima.

Os bilhetes custam 5 euros e já estão à venda na Casa da Cultura, Loja Interativa de Turismo e Epralima.

Cartaz_Conta-me Histórias-page-001 (1).jpg

MONÇÃO ACOLHE CONCERTO INTIMISTA DE DAILY MISCONCEPTIONS

Com produção da Bulletseed e promoção do Município de Monção, a sala de exposições do Cine Teatro João Verde recebe esta sexta-feira, 21 de abril, pelas 21h30, mais um concerto intimista inserido no ciclo de música “Cicl-one”: Daily Misconceptions. A entrada é gratuita, encontrando-se sujeita aos lugares disponíveis.

daily.jpg

O universo de Daily Misconceptions (João Santos e Sara Esteves) é, como o universo em que vivemos, um organismo em constante expansão. Imaginado e criado num quarto de Lisboa há quase uma década, foi lentamente deixando o conforto caseiro para crescer, questionar, conhecer e, acima de tudo, criar um entusiasmo difícil de encontrar.

No âmbito do “Cicl-one”, que trouxe a Monção O Manipulador (janeiro), Gobi Bear (fevereiro) e Coelho Radioactivo (março), realiza-se, no mesmo dia, um workshop com alunos do ensino secundário, onde o artista dá a conhecer o seu percurso musical e suscita nos jovens apetência pelo cultura musical.

ORQUESTRA AECARTES E CORO AECA BRILHARAM EM CONCERTO DE PÁSCOA

A Orquestra AECARTES e Coro AECA protagonizaram, ontem, um bonito espetáculo musical, inserido nas celebrações pascais. O evento, que teve casa cheia, contou com a participação especial de três solistas: José Silveira (guitarra), Alfredo Macedo (trompa) e Telmo Sousa (voz).

DSC05042.JPG

"Espírito Olímpico", "Con te Partiró", "Hallelujah" e “Estou Além”, em jeito de homenagem ao ilustre filho da terra, António Variações, foram alguns dos temas interpretados e que mereceram os calorosos aplausos do público.

Numa noite em que a cultura foi evocada através da música, o jovem maestro João Ferreira Júnior, sublinhou que “uma sociedade sem cultura é uma sociedade sem identidade”, endereçando, nesse sentido, uma palavra de apreço aos pais que apostam na formação musical/cultural dos filhos, contribuindo para o progresso do concelho.

O vereador da Cultura e vice-presidente da Câmara Municipal de Amares, Isidro Araújo, subscreveu as palavras de João Ferreira Júnior, destacando a importância de “construiruma sociedade culturalmente instruída” e incentivando os amarenses a “consumirem” iniciativas de cariz cultural.

Promovido pela AECA - Associação Educação Cultura e Artes, o concerto contou com o apoio do Município de Amares, da Junta de Freguesia de Ferreiros Prozelo e Besteiros, dos Bombeiros Voluntários de Amares e do Agrupamento de Escolas de Amares.

DSC05050.JPG

DSC05051.JPG

DSC05062.JPG

DSC05097.JPG

DSC05105.JPG

ANTÓNIO ZAMBUJO ATUA EM FAFE

António Zambujo no Teatro Cinema de Fafe. Espetáculo de apresentação do novo álbum

No próximo dia 22 de Abril, o músico António Zambujo regressa a Fafe para um concerto muito especial, onde vai apresentar o seu novo trabalho ‘Até Pensei Que Fosse Minha’.

Este novo álbum é uma homenagem em forma de disco exclusivamente composto por canções de Chico Buarque e gravado no Brasil sob a alçada do próprio mestre, que chega a colaborar num dos temas, ‘Joana Francesa’.

O álbum é agora apresentado ao vivo em Portugal, após a estreia deste espectáculo no Brasil, com concertos em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

António Zambujo é um dos nomes incontornáveis da música portuguesa actual. Soube construir uma identidade própria que lhe tem valido o reconhecimento tanto do público como da crítica, somando salas esgotadas dentro e fora de Portugal e vários prémios.

Traça um peregrino equilíbrio entre dois mundos, dois estilos de música tão portugueses, ambos Património Imaterial da Humanidade: o Fado e o Cante Alentejano.

Adicionalmente, a pulsação da música de Zambujo deixa perceber ainda uma frequência marcada pelo ritmo da Música Popular Brasileira, que tem sido progressivamente assumida ao longo dos seis discos que já editou e que está particularmente presente no novo álbum.

O concerto tem início marcado para as 21h30 e os bilhetes estão à venda na Loja Interactiva de Turismo de Fafe, a partir de quinta-feira. 

ORFEÃO DO PORTO REALIZA CONCERTO EM VIANA DO CASTELO

No próximo dia 11 de Abril, às 21h00, a Unidade Orgânica Local de Viana do Castelo da Fundação INATEL recebe um concerto do Orfeão Universitário do Porto, inserido na Digressão de Páscoa que farão em Viana do Castelo.

Este concerto é de ENTRADA GRÁTIS e os lugares são limitados à capacidade do Auditório da Fundação INATEL.

Relembramos que as nossas instalações ficam na Rua de São Pedro, 10, 4900 – 538 Viana do Castelo (junto à Electro Minho e à Igreja Matriz).

Agradecemos a confirmação da sua presença para o email inatel.vcastelo@inatel.pt | 258 823 357 ou 963 398 476.

vianorf.jpg

SOLIDARIEDADE LEVA LUÍS REPRESAS A FAFE

Luís Represas em espetáculo solidário em Fafe

O músico português Luís Represas encerra a terceira edição do Encontro Terra Justa, no próximo Sábado, dia 8, com um espectáculo solidário a favor da UNICEF.

O concerto terá ainda as atuações da Orquestra da Academia de Música José Atalaya e da Orquestra do Colégio Moderno.

A anteceder este concerto teremos a Atribuição do Prémio Jornalístico Maria Barroso – Jornalismo pela Paz, com a presença de Isabel Soares, Presidente da Fundação Pro Dignitate. Maria Barroso foi uma das grandes homenageadas do I Encontro Internacional de Causas e Valores da Humanidade, que ocorreu, em Fafe, em 2015.

O concerto, de entrada livre, tem início marcado para as 22h00.

Recorde-se que, desde terça-feira, Fafe foi palco da 3ª edição do TERRA JUSTA. Durante este encontro, homenageamos a CERCIFAF, a UNICEF, o Instituto de Apoio à Criança, a Rede Talitha Kum e a Fundação Champalimaud.

Vários convidados nacionais e internacionais vão passar por Fafe e focar as suas atenções nas Crianças de todo o Mundo, nos seus problemas e dramas, procurando possíveis soluções.

BANDA CABECEIRENSE REALIZA CONCERTO DA PROMAVERA

Banda Cabeceirense deu Concerto de Primavera nos Claustros do Mosteiro

A convite da Banda Cabeceirense, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, participou ontem, dia 2 de abril, no Concerto de Primavera que teve como palco os magníficos claustros do Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

Banda Cabeceirense deu Concerto de Primavera nos Claustros do Mosteiro (1).JPG

Durante o concerto foram brilhantemente interpretadas 10 peças sob a batuta do maestro Paulo Nunes. O momento ficou marcado pela apresentação ao público do novo fardamento da Banda Cabeceirense, a coletividade mais antiga do concelho, fundada em 1820.

De salientar que o Concerto de Primavera 2017 contou com as atuações de dois jovens Cabeceirenses, prodígios da música de renome internacional. Estamos a falar da flautista Adriana Ferreira e do trompetista Carlos Leite.

Marcaram também presença neste evento o presidente da Assembleia Municipal, Joaquim Barreto, os vereadores e presidentes das Juntas de Freguesia, dirigentes da Banda, entre outros autarcas, convidados e público em geral.

Banda Cabeceirense deu Concerto de Primavera nos Claustros do Mosteiro (2).JPG

GUIMARÃES ANIMA COM CINEMA MÚSICA E TEATRO

PROGRAMAÇÃO CULTURAL NO CONCELHO

“ExcentriCidade” no mês de abril com teatro, cinema e música nas freguesias de Guimarães

Vila das Taipas recebe este sábado à noite performance criada a partir de peças de Raul Brandão. Teatro domina programação nos oito eventos culturais a realizar este mês no concelho.

Guimaraes_ExcentriCidade_Abril_2017 (1).jpg

Cinco espetáculos de teatro, dois concertos e uma sessão de cinema fazem parte da programação de abril da iniciativa de descentralização cultural “ExcentriCidade”, promovida mensalmente pela Câmara Municipal de Guimarães nas vilas de Brito, Moreira de Cónegos, Ponte, Pevidém, Ronfe, São Torcato e Taipas e na União de Freguesias de Briteiros S. Salvador e Briteiros Santa Leocádia.

“Teatro da Alma”, a mais recente criação do Teatro Oficina, cuja estreia aconteceu no âmbito da Festa de Teatro Raul Brandão, decorrerá este mês em três freguesias, sempre às 21:30 horas. Este sábado, 01 de abril, a vila das Taipas poderá assistir à peça no Auditório dos Bombeiros Voluntários, enquanto o Salão Paroquial de Ronfe recebe o espetáculo uma semana depois (08 de abril) e o Centro Paroquial de Selho S. Jorge, em Pevidém, na noite de 14 de abril, sexta-feira. Com guião e encenação a cargo de João Pedro Vaz, esta é uma performance construída a partir de cenas de três peças de Raul Brandão: A Noite de Natal (1899), O Gebo e a Sombra (1923) e O Avejão (1929).

Para a noite de 08 de abril, na vila de Ponte, a partir das 21:30 horas, está agendada uma sessão de cinema no Centro Paroquial Paulo VI, com a exibição do filme “Milagre no Rio Hudson”. Clint Eastwood filma a história verídica de Chesley “Sully” Sullenberger, o piloto de aviação que, em 2009, aterrou de emergência no rio Hudson, em Nova Iorque, evitando que 155 pessoas morressem. No papel do homem que se tornou um herói americano após esse evento está Tom Hanks, que nunca tinha trabalhado com Eastwood, quer como ator ou realizador.

Em São Torcato, nas instalações da ADCL – Associação para o Desenvolvimento das Comunidades Locais, no Centro Comunitário, Hemeroteca e Mediateca Educativa, há teatro na noite de sexta-feira, 21 de abril. A partir das 21:30 horas, sobe ao palco o espetáculo “One Man Alone”, uma coprodução do Teatro da Didascália e Casa das Artes de Famalicão, onde o tema central é o trabalho realizado numa padaria em horário noturno. Uma semana depois, em Brito, nos Espaços Criativos, na noite de 28 de abril, à mesma hora, principia um concerto de Páscoa intitulado “A Cantar Também se Reza…”, interpretado por Andreia Alferes Quarteto.

A programação de abril do programa “ExcentriCidade” termina na noite de sábado, dia 29, com um espetáculo de música e outro de teatro, à mesma hora (21h30), mas em locais diferentes. Na Casa do Povo de Briteiros, atua a Banda Musical de Pevidém com a apresentação de “Cinema em Concerto”, cuja direção artística e musical estão a cargo do maestro Vasco Silva de Faria e de Carlos Mesquita, Presidente do Cineclube de Guimarães, entidade responsável pela projeção do vídeo. Em Moreira de Cónegos, no Centro Pastoral, a Astronauta Associação Cultural apresenta a peça “PREC no Prato!”.

SEMIBREVE REGRESSA A BRAGA ENTRE S DIAS 27 E 29 DE OUTUBRO

Festival reparte-se entre Theatro Circo, gnration e Casa Rolão

O Festival Semibreve tem regresso confirmado a Braga. A sua sétima edição decorrerá de 27 a 29 de Outubro de 2017, repartindo-se entre o Theatro Circo, o gnration e a Casa Rolão.

TDM_1826.jpg

O Festival Semibreve tem-se vindo a afirmar como um evento incontornável no panorama da música electrónica nacional e internacional, proporcionando espectáculos dos artistas mais relevantes da actualidade no domínio da música eletrónica e contribuindo para a divulgação de produção científica no campo das artes digitais produzida por instituições de referência, tais como a Universidade do Minho, Universidade do Porto, Universidade Católica, Fundação Bienal de Cerveira e Digitópia/Casa da Música.

Os passes gerais já se encontram à venda com um número limitado de passes pelo custo de 25 euros. Podem ser adquiridos via online, no site do Semibreve (http://www.festivalsemibreve.com/), nos balcões do Theatro Circo e gnration ou nos locais habituais. Deathprod, Valgeir Sigurðsson, Fis e Kyoka são os primeiros artistas confirmados para o programa de concertos.

Sediado em Oslo, na Noruega, o compositor Helge Sten tem vindo a trabalhar como Deathprod desde o início da década de 90, um minimalismo granular e profundamente atmosférico que atrasa o tempo e explora as mais ínfimas partículas do som. As suas actuações ao vivo são raras, o que reforça a importância da estreia em Portugal com uma performance audiovisual no Semibreve.

Valgeir Sigurðsson é um compositor e produtor islandês. Revela uma apreciação constantemente evolutiva da diversidade da música no mundo. Com um diligente sentido de onde procurar e saber para onde se move a música moderna de género liquefeito, as suas colaborações incluem Björk, Bonnie ‘Prince’ Billy, Feist, Damon Albarn, CocoRosie, Sigur Rós, Jóhann Jóhannsson, Brian Eno, Tim Hecker, Anohni, Oneohtrix Point Never e Alarm Will Sound. No Semibreve terá a colaboração de Yannick Jacquet, do coletico antivj, na componente visual.

Vindo da Nova Zelândia, Fis, uma estreia em território nacional, produz música electrónica física, vibrante e exploratória, fortemente influenciada pelos contextos onde se insere e pela sua relação com o mundo natural. O poeta inglês Rick Holland, que colaborou com Brian Eno e Jon Hopkins, ficou tão comovido pelo trabalho de Fis que escreveu um poema para cada uma das faixas. Música e compositora, Kyoka trabalha entre Berlim e Tóquio. Conhecida por uma abordagem musical caótica e directa e por um som bruto e pesado, a sua música resulta num pop-beat quebrado, com ritmos experimentais mas dançáveis.

TDM_2917.jpg

BRAGA REALIZA CONCERTOS E ESPETÁCULOS

31 março  —  sexta-feira

21h00, Sé Catedral

Orquestra Sinfónica do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga

1­ª Parte

Orquestra Sinfónica

Ouverture Coriolan op. 62, de L. Beethoven e L. Arlesienne

Suite Orquestral Nº2 ‑ de G. Bizet

Direção: Paulo Matos

2‑ª Parte

Orquestra de Sopros e Coro

Funeral March, de Edvard Grieg - arr: Jerôme Naulais

Fate of the Gods, de Steven Reineke

Missa Brevis, de Jacob de Haan

1 - Kyrie

2 - Gloria

3 - Credo

4 - Sanctus

5 - Benedictus

6 - Agnus Dei

Direção: Filipe Silva

Direção vocal: Ana Rute ReiApoio: Paularte

1 abril — sábado

21h30, Igreja Paroquial de S. Victor

Concerto de Música Sacra

Grupo “GLI APPASSIONATI”

Organização da C. O. da Procissão de Nossa Senhora da Burrinha (Paróquia e Junta de Freguesia de S. Victor)

EXPOSIÇÕES

3 março a 16 abril

Museu Pio XII

“Uma Mãe junto à Cruz”

Organização do Museu Pio XII

4 março a 16 abril

Museu da Imagem

Exposição de fotografia “Lausperene”

Organização da Câmara Municipal de Braga

16 março a 17 abril

Casa dos Crivos

“As Catorze Obras da Misericórdia”

Organização da Câmara Municipal de Braga e da Santa Casa da Misericórdia de Braga

Patrocínio: Hospital de Braga

17 março a 16 abril

Tesouro-Museu da Sé de Braga (entrada pela rua D. Diogo de Sousa)

“Mater Dolorosa”

Organização do Tesouro-Museu da Sé de Braga

20 março a 16 abril

Salão Medieval da Reitoria da Universidade do Minho

“Os Terceiros na Quaresma Bracarense”

Uma iniciativa de: Venerável Ordem Terceira de S. Francisco de Braga, Conselho Cultural da Universidade do Minho e Câmara Municipal de Braga

31 março a 13 abril – INAUGURAÇÃO às 17:30h

Irmandade de Santa Cruz (Largo de Santa Cruz)

“Paixão e Glória – Num Tesouro-Museu de Amor”

Organização da Irmandade de Santa Cruz

31 março a 20 abril

Espaço Galeria da Junta de Freguesia de S. Victor

“Cristo… por amor a nós”, Artigos religiosos

Uma iniciativa da Comissão Organizadora da Procissão da Burrinha

3 a 17 abril – INAUGURAÇÃO às 15:00h

Braga Parque

Exposição de fotografia “Lausperene”

Organização do Braga Parque

3 a 18 abril – INAUGURAÇÃO às 16:00h

Fonte do Ídolo

Exposição de fotografia “A Semana Santa de Braga”

Fotos premiadas da 8ª edição do Concurso de Fotografia (2016)

Organização da Comissão da Semana Santa

Mais informação e sempre atualizada no sítio oficial www.semanasantabraga.com.

FAMALICÃO ACOLHE NOVIDADES MUSICAIS

Programação de abril do espaço cultural famalicense marcada pelas novidades musicais: Vitorino, The Gift, Terra Batida e Paraguaii trazem novos álbuns à Casa das Artes

É na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão que se vão ouvir os primeiros avanços dos novos discos dos The Gift, Vitorino, Terra Batida e Paraguaii. Em abril, são as novidades musicais que dominam a programação da principal sala de espetáculos do concelho famalicense.

Vitorino.jpg

O mês abre com os Terra Batida, que no próximo dia 1, sábado, trazem a Famalicão o espetáculo que estreia o primeiro álbum do grupo – “Falaciosa Realidade” – cotado pela imprensa portuguesa como um dos mais promissores do ano.

Uma semana depois, no dia 8, é a vez de Vitorino subir ao palco do grande auditório da Casa das Artes, com um espetáculo que tem como título o nome do seu novo disco de originais - “Não sei do que é que se trata, mas não concordo”. A comemorar 40 anos desde a edição do seu primeiro trabalho discográfico, Vitorino Salomé é hoje, inevitavelmente, um nome à parte no panorama cultural português.

Os The Gift são os senhores que se seguem. A banda de Alcobaça tem regresso marcado a Famalicão no dia 22 (sábado) e na mala trazem novo disco – “Altar”. Um álbum composto por 10 canções, que promete agitar os palcos nacionais com uma sonoridade que vai oscilando entre a pop alternativa e a eletrónica e que ao vivo se transforma num espetáculo que convida o público a dançar, vibrar e a celebrar o presente.

Fecham esta onda de apresentações os portugueses Paraguaii, que atuam na Casa das Artes a 28 de abril, num concerto de apresentação do novo trabalho – “Dream About The Things You Never Do”.

Ainda na música destaque para o Ciclo de Concertos Promenade, com a atuação, no dia 23, pelas 11h30, da Orquestra de Jazz da Escola Profissional de Música de Espinho e Mário Laginha, e para o espetáculo poético-musical alusivo às comemorações do 25 de Abril – “Em Cada Abril Primaveras” – no dia 24, segunda-feira. 

No teatro destaque para duas apresentações. No dia 7 de abril, o grande auditório recebe “Noite de Outono” pela mão do Teatro Nova Europa. Um drama íntimo, que representa o regresso à Casa das Artes de um dos autores dramáticos portugueses mais premiados da atualidade – Luís Mestre. Por fim, no dia 29 é a vez do Coletivo Artístico Útero apresentar “O Duelo”, com encenação de Miguel Moreira.

Mais informações no site oficial da Casa das Artes, em www.casadasartes.org

Paraguaii.jpg

Terra Batida.jpg

TheGift_LoRes01byHansPeter.jpg

PONTE DE LIMA RECEBE FESTIVAL ITINERANTE

UM AO MOLHE | FESTIVAL ITINERANTE DE ONE-MAN-BANDS DANIEL CATARINO + JOANA GUERRA + ALEK REIN

1 de Abril – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

O Festival Itinerante de One-Man-Bands, Um Ao Molhe, regressa ao Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, no próximo sábado, 1 de Abril, às 22h00, num espectáculo que reúne três concertos distintos, a cargo de Daniel Catarino, Joana Guerra e Alek Rein, que apresentarão os seus projectos a solo.

Daniel Catarino

Perante o talento expresso numa espécie de esquizofrenia musical saudável, os seguidores do seu trabalho chamam-lhe o Mike Patton português, o Manel Cruz do Sul, mas Daniel Catarino apresenta já um currículo personalizado que, independentemente do projecto ou do estilo musical em que esteja a trabalhar, impressiona - tanto na música como na escrita.

Originário da pequena vila alentejana de Cabeção, inicia em 2006 o seu percurso discográfico pelo mundo das netlabels, onde até 2013 lança discos sob os pseudónimos Long Desert Cowboy, Landfill e Oceansea (estes dois últimos extintos e integrados no seu trabalho em nome próprio após um rumor no Twitter sobre a sua morte).

Daniel Catarino apresentou em 2015 "Songs From The Shed". Cantado exclusivamente em inglês, o álbum assenta numa forte vertente de cantautor, singer-songwriter se preferirem, em que o folk rock, o country alternativo e o britpop dão as mãos num passeio agradável do Alentejo a Nashville, com escala em Londres e na Alemanha, onde o artista fez a sua primeira tour internacional. Em Fevereiro de 2017 editou "Panorama de uma Vida Anormal".

Joana Guerra

Servindo-se do violoncelo, voz e da loopstation, Joana Guerra é uma cantautora cujas composições transitam entre a canção e a experimentação acústica. As suas músicas abrem caminho por múltiplos registos que vão do folk, ao experimental até ao rock e pop.

Após a formação clássica, decide rumar até paisagens musicais que reflictam a sua vontade de experimentação acústica e apropriação de novas referências sonoras.

Tem um projecto a solo, do qual edita um primeiro álbum em 2013, intitulado ‘Gralha’. Parte em tournée pela França, Espanha e Portugal, co-organizada pela Associação Terapêutica do Ruído.

Em 2013, realiza uma residência artística em São Tomé e Príncipe durante um mês, no âmbito do projecto 'Portugal Contemporâneo com São Tomé e Príncipe', produzido pela Associação Cultural Pantalassa e financiado pela DGArtes.

Acompanha a artista inglesa Scout Niblett aquando do seu concerto no Teatro Maria Matos em 2013. Compõe a banda sonora do último documentário de João Botelho a apresentar no Festival INDIELISBOA 2015.

Participa ainda em projectos transdisciplinares, destacando-se o espectáculo Lis+bú em 2014, com direcção artística de Madalena Victorino e Pedro Salvador onde integra a equipa de co-criação e interpretação, e a colaboração com o projecto audiovisual Concon apresentando-se no Festival Rescaldo 2015 na Culturgest.

Alek Rein

Desde as primeiras gravações caseiras a solo até primeiro longa-duração com banda, as canções de ALEK REIN surgem entre a confissão, o protesto e o sonho. Alinhado na tradição do psicadelismo folk anglo-saxónico, este projecto tem o nome do heterónimo de Alexandre Rendeiro. Natural de

New Jersey (EUA), Rendeiro respira, sem reverência, a bizarria de Syd Barrett ou Marc Bolan, o classicismo de John Lennon e a intensidade rock n ́roll de Ty Segall.

‘Mirror Lane’, o primeiro LP, saiu finalmente no final de Setembro, sendo precedido pelo primeiro single ‘River of Doom’.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

mupi_pontedelima_.jpg

GUIMARÃES PROMOVE DOÇARIA E MÚSICA RELIGIOSA

ENTRE 03 E 05 DE ABRIL

Doçaria no Convento e Festival de Música Religiosa de Guimarães promovidos no Norte e em Espanha

Ações promocionais do destino Guimarães estão integradas numa estratégia de alavancagem do turismo na região. Oportunidade permitirá divulgar doçaria conventual.

Guimaraes_Docaria_Festival_Musica_Religiosa.jpg

A Câmara Municipal de Guimarães vai realizar, no início do mês de abril, três ações promocionais de dois eventos que decorrerão na Páscoa, período de especial afluxo de turistas. A edição deste ano da Doçaria no Convento e o segundo Festival de Música Religiosa de Guimarães serão promovidos em Espanha e em dois espaços do Norte do país de elevada afluência.

No dia 03 de abril, o Município de Guimarães, reconhecendo a importância do turismo para a economia nacional, em particular para a vimaranense, estará presente na Loja Interativa de Turismo do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, com a realização de uma ação de promoção das duas iniciativas, enquanto no dia seguinte marcará presença na Loja Interativa de Santiago de Compostela e no dia 05 de abril no Porto Welcome Center.

Estas ações permitirão ainda a divulgação e promoção da doçaria conventual vimaranense, através de uma mostra e degustação das Tortas de Guimarães e do Toucinho do Céu, assim como a divulgação dos vinhos produzidos no concelho, sob a forma de um Welcome Drink, que receberá todos os visitantes. Os doces e vinhos para a degustação são oferta das empresas Clarinha, Adega Cooperativa de Guimarães, Quinta do Ermízio, Sociedade Agrícola S. Gião e Casa de Sezim.

BANDAS FILARMÓNICAS DÃO FESTIVAL EM TERRAS DE BOURO

Núcleo Museológico encheu para a inauguração da exposição sobre a Banda Musical de Carvalheira e festival filarmónico

Com a presença de um vasto público, o Núcleo Museológico de Campo do Gerês acolheu, a 26 de março, a inauguração da exposição “Memórias da Banda Musical de Carvalheira”.

filarmtbou (1).JPG

O acontecimento, que nas palavras do Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Dr. Joaquim Cracel, “muito honra e dignifica o concelho pela importância histórica e social da Banda Musical de Carvalheira que já existe há 178 anos em Terras de Bouro”, foi também abrilhantado pela terceira edição do Festival de Bandas Filarmónicas de Terras de Bouro, evento musical contou com as brilhantes atuações da Banda Musical de Carvalheira e da Banda de Música de S. João da Madeira.

filarmtbou (2).JPG

filarmtbou (3).JPG

filarmtbou (4).jpg

filarmtbou (5).jpg

filarmtbou (6).JPG

filarmtbou (7).JPG

filarmtbou (8).JPG

filarmtbou (9).JPG

filarmtbou (10).JPG

filarmtbou (11).JPG

filarmtbou (12).JPG

filarmtbou (13).JPG

filarmtbou (14).JPG

filarmtbou (15).JPG

FAFE ACOLHE CICLO DE CANTAUTORES

Glen Hansard dá o mote para da 3ª edição do 48/20 - Ciclo de Cantautores

O premiado cantautor irlandês, vencedor de um Óscar da Academia para Melhor Canção Original com o filme “Once”, abrirá o 48/20 para um concerto no Teatro Cinema de Fafe, no próximo dia 4 de Abril.

glen_poster_a3-01.jpg

O 48/20, ciclo de concertos que convida exclusivamente cantautores, com o seu foco na componente autoral e de interpretação bem como no uso da palavra realiza-se em vários espaços da cidade e não podia deixar de convidar Glen Hansard que traz na bagagem o seu último álbum nomeado para um Grammy “Didn’t He Ramble” bem como os temas de trabalhos anteriores, como é o caso de Swell Season que integrou o aclamado filme independente “Once” no qual participou como actor principal com Marketa Irglova. 

É uma proposta cultural para a cidade e região envolvente num espetáculo imperdível.

De lembrar que já passaram pelas edições anteriores nomes como Manel Cruz, Samuel Úria, B Fachada, Sandy Kilpatrick, Momo, The Wooden Wolf, entre muitos outros.

Os restantes artistas que integrarão o 48/20 de 2017 serão anunciados brevemente.

Os bilhetes estão à venda na Loja interactiva de Turismo de Fafe. 

BRAGA COMEMORA DIA DO PIANO

Comemorações do ‘Piano Day’ no âmbito da Semana do Piano

Amanhã, Terça-feira, 28 de Março, pelas 10h30, junto à escadaria do Braga Parque

O Município de Braga convida o vosso órgão de Comunicação Social a acompanhar as comemorações do ‘Piano Day’ que terão lugar amanhã, Terça-feira, 28 de Março, pelas 10h30, junto à escadaria do Braga Parque.

A iniciativa irá contar com a presença da vereadora da Cultura, Lídia Dias.

Esta é uma actividade inserida no programa da Semana do Piano organizada pelo Município de Braga em parceria com o Conservatório Calouste Gulbenkian cujo objectivo é colocar o Piano no centro da atenção da cidade num convite à fruição de momentos excelentes para todos.

À volta do ‘Piano Day’, dia celebrado em todo o mundo ao 88º dia do ano, coincidindo com as 88 teclas do piano, desenvolvem-se actividades de carácter pedagógico e de fruição estético-artística. A celebração do ‘Piano Day’ será marcada com concertos ao longo de todo no Braga Parque.

MUSIC FOR ALL SESSIONS \\ TOCA – PAPILLON AO VIVO EM BRAGA

As Music For All Sessions \\ TOCA continuam a levar a Braga o melhor da música nacional e internacional! Depois de um concerto memorável do quarteto escocês Ded Rabbit é a vez dos portuenses Papillon subirem ao palco do TOCA!

papill (1).jpg

Com um EP, homónimo, e dois singles de sucesso, “Engraçado (Já Não Há Pai P’ra Mim)” e o recente “Conceição”, chegou finalmente a vez de se fazerem à estrada e apresentarem ao vivo as suas novas criações! Com uma sonoridade entre o jazz, o funk e o pop e letras profundas e trabalhadas como imagem de marca, esta é a banda do laçarote. Estes são os Papillon!

Papillon é um laço. Ponto um. Ponto dois: também é um grupo de gente que faz música sem juízo. Os Papillon são feitos de gente e gostam de laços, porque os laços são coisas que ligam. Além disso os laços lembram qualquer coisa fora do tempo e os Papillon gostam disso: de não haver tempo, nem etiquetas, nem juízos. Nem juízo. Os Papillon são gente de laços.

Com música de perder o juízo. Compostos por Joana Manarte (voz), Pedro Silva (baixo), João Mascarenhas (teclas), Rui Ferreira (bateria), Raul Manarte (guitarra), Tiago Ferreira (trombone), Luís Macedo (trompete) e Pedro Gomes (saxofone), estrearam-se ao vivo em 2014, no Porto.

Resultado de múltiplas influências estéticas, os Papillon proporcionam um espetáculo cheio de energia, significado e vitalidade, sendo comum o concerto acabar com o público a dançar. Os elementos da banda juntam-se trazendo a experiência de outros projetos, desde a música clássica ao jazz, dos blues ao funk, do pop ao rock, entre outros estilos, em trabalhos de composição, interpretação e performance.

Entre a sua estreia em palco no Plano B (Porto) e, mais recentemente, a passagem pela final do EDP Live Bands, têm tido concertos no Porto e em Guimarães, com destaque para o Hard Club, uma das principais casas de música ao vivo da Invicta. Também foram convidados para integrar o Porto Swing Jam por dois anos consecutivos, onde tiveram a oportunidade de participar num evento de Lindy Hop (novamente no Hard Club), em concertos pensados para dançar. A destacar também as atuações televisivas no Porto Canal, no palco do programa “Portugal 3.0” da RTP2, no Festival Croka’s Rock em Castelo de Paiva e no MEO Marés Vivas, já em 2016. Em 2017 voltaram ao espaço que inicialmente os acolheu, o Plano B, para apresentar as canções do seu EP de estreia.

As letras são um dos pontos fortes do projeto, chamando a atenção até do ouvido mais desatento e as reações dos ouvintes têm sido de surpresa e identificação com os textos e as músicas. No palco vê-se uma banda que transparece uma relação cúmplice entre os elementos e um compromisso comum: criar uma atmosfera positiva, contagiante e envolvente com o público e com a música.

O EP de estreia, homónimo, já se encontra no mercado digital sob o selo da Music For All.

Papillon_EP Artwork (1).jpg

NOITES DE SEXTA E SÁBADO IMPERDÍVEIS NO VALADARES, TEATRO MUNICIPAL DE CAMINHA

Concertos de Artur Caldeira (Guitarra) e Daniel Pereira Cristo em Quinteto (Cavaquinho Cantado)

As próximas noites de sexta-feira e sábado são verdadeiramente imperdíveis, para quem gosta música. Pelo palco do Valadares, Teatro Municipal de Caminha vão passar, respetivamente, Artur Caldeira e Daniel Pereira Cristo em Quinteto. Na primeira noite, a guitarra será rainha, enquanto o “Cavaquinho Cantado” é o tema de sábado.

Na sexta-feira, dia 24 de março, pelas 21h30, o palco será de Artur Caldeira, que traz a Caminha um concerto de guitarra, numa organização da Academia de Música Fernandes Fão, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e Ministério da Educação.

Natural de Braga, Artur Caldeira é licenciado em Guitarra Clássica e Mestre em Interpretação Artística pela ESMAE, onde é atualmente professor. Premiado em vários concursos, fundou o grupo “Som Ibérico”, para o qual escreveu vários arranjos de temas da Música Popular Urbana Portuguesa. Com este grupo participou em importantes festivais de World Music na Península Ibérica e gravou um CD. Em Música de Câmara trabalhou ainda com José Pina e Jed Barahal.

A sua versatilidade permite-lhe abordar um repertório que abrange diversos idiomas musicais, incluindo o Jazz. Destaca-se também pela sua ligação ao Fado, tendo acompanhado fadistas como Carlos do Carmo, Mariza e João Braga, entre outros.

Sábado, dia 25 de março, a partir das 22h00, tem lugar o concerto “Cavaquinho Cantado”, de Daniel Pereira Cristo em Quinteto. A organização é da Arca de Sons – Associação Cultural, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha e MusicTrad. Os bilhetes estão à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora. Mais informações em: 937591220

Desde muito cedo na sua vida, que os instrumentos tradicionais e os cordofones em particular, fazem parte da existência e da música do Daniel. O seu percurso a solo, começa com um desafio vindo da Galiza (para que mostrasse as sonoridades dos cordofones tradicionais em várias localidades, destacando-se o concerto no Teatro Rosalía de Castro) e com o convite de Júlio Pereira, para fazer um trabalho discográfico, com a chancela da Associação Cultural Museu Cavaquinho, que aliasse o Canto com o Cavaquinho.  Em trio, com o concerto “Cordofonias”, explorou as sonoridades dos instrumentos ancestrais da tradição minhota, do cavaquinho à braguesa, passando pelo bandolim, fazendo uma viagem ora por sons da tradição oral, nas músicas cantadas, ora pelos instrumentais que compõe.

É de toda esta amalgama de experiências e vivências que surge este concerto, para apresentação deste “Cavaquinho Cantado”, com Diogo Riço na Bandola, André NO nas Percussões e David Estêvão no Contrabaixo, aos quais se junta um quinto elemento para a formação completa em quinteto.

Este concerto caracteriza-se pela alegria da junção dos dois velhos conhecidos, o canto e o cavaquinho, como personagens centrais de um todo que, se pretende, seja sentido como uma abordagem nova e contemporânea da música e instrumentos de identidade. Música Étnica do Noroeste Português e Peninsular, como gosta de chamar-lhe. A produção musical está a cargo do técnico e multi-instrumentista Hélder Costa, com Sérgio Lajas no desenho de luz.

BORIS CHIMP 504 + HOLY NOTHING ATUAM EM PONTE DE LIMA

24 de Março – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Na próxima sexta-feira, 24 de Março às 22h00, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, apresenta dois dos projectos mais vanguardistas da música electrónica portuguesa, com a primeira parte a ser assegurada por Boris Chimp 504 e a segunda pelos Holy Nothing, nomes que têm um reconhecimento digno de destaque em território nacional e também além fronteiras, com tours e participações em festivais, eventos e salas de renome internacional.

boris_holy_4x3_.jpg

No caso do primeiro projecto, trata-se de uma performance audiovisual que recria a história do chimpanzé cosmonauta Boris 504, lenda urbana da engenharia espacial segundo a qual foi enviado pelos soviéticos para a Lua em 1969, ficando para sempre preso no espaço sideral.

Miguel Neto (áudio) e Rodrigo Carvalho (visuais) combinam assim a síntese sonora e as linguagens gráficas de modo a criar uma experiência imersiva entre a realidade e a ficção, explorando conceitos que vão desde a física quântica à literatura SciFi.

Para além deste formato Live Act, também têm vindo a realizar uma série de instalações interativas, marcando presença em festivais como o Sonar (Barcelona), Mira (Barcelona), Mutek (Barcelona, Santiago de Chile), LPM (Roma) e as Fashion Weeks de Paris e Milão.

Do universo electrónico chegam os Holy Nothing, projeto do Porto, composto por Pedro Rodrigues (voz e groovebox), Samuel Gonçalves (baixo, guitarra e drum pad) e Nelson Silva (sintetizadores e drum pad) que desde 2013 se movimentam pelos caminhos infinitos da música electrónica.

A banda mistura projeções com sintetizadores, sustenta a palavra com imagens impactantes e funde música e cinema numa realidade expressiva bastante complexa. Com a ajuda de Bruno Albuquerque e João Pessegueiro (videomapping) e Rui Monteiro (desenho de luz), os Holy Nothing criaram um ambiente especial para os seus concertos.

Com o aclamado EP de 2014 ‘Boundaries’ na bagagem, o grupo lança em 2015 o seu álbum de estreia ‘Hypertext’. O resultado de um ano intenso de composição e experimentação é aquilo que poderão testemunhar numa actuação com várias referências unificadas no método muito próprio dos Holy Nothing construírem canções.

Hypertext foi apresentado em festivais como NOS Primavera Sound, SXSW em Austin, Texas e, muito recentemente, o Eurosonic 2017 em Groningen.

O segundo álbum está prometido para 2017.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

VIANA DO CASTELO RECEBE CONCERTO "REQUIEM DE MOZART"

Concerto REQUIEM DE MOZART - 7 ABRIL, Centro Cultural | 21h30

Os bilhetes para o concerto REQUIEM DE MOZART, a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo, dia 7 de abril, estão disponíveis para venda.

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

       Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

              Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo, entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada.

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 5€ (plateia) | 5€ (bancada)

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt (indicando nome e NIF), com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

Não há lugares marcados.

vianamoz.jpg

CAMINHA: SONICBLAST REGRESSA A MOLEDO

O SonicBlast volta a Moledo, concelho de Caminha, para a sua 7.ª edição e a organização acaba de anunciar mais sete nomes que vão atuar em Moledo nos dois palcos que compõem o recinto, o Pool Stage e o Main Stage.

moledooo (1).jpg

O festival que se assume como um encontro perfeito entre praia, piscina, surf, skate e muito rock acaba de adicionar mais sete nomes ao seu cartaz: The Machine, Death Alley, Blaak Heat, Löbo, Toxic Shock, Vinnun Sabbathi e Holy Mushroom.

Desde os repetentes The Machine, que atuaram quatro anos atrás na 3ª edição do SonicBlast Moledo, a novas apostas de bandas na vanguarda da inovação como os Blaak Heat, estes sete nomes juntam-se a um cartaz que contava já com nomes como: Orange Goblin, Kadavar, Elder, Sasquatch, Monolord, Kikagaku Moyo, entre outros.

moledooo (2).jpg

A localização privilegiada do SonicBlast Moledo continua a fazer dele uma das datas mais marcantes no calendário de festivais de música no norte do país. Com os concertos da tarde a serem feitos no recinto da piscina e com a praia de Moledo apenas a 5 minutos do recinto, este Festival prima pelo contacto direto com o que a natureza tem para oferecer. O parque de campismo, incluído no Passe Geral, insere-se também num pinhal junto à praia.

O passe geral para o SonicBlast custa 42€ até junho, data em que os preços serão atualizados. Os bilhetes diários custam 28€.

Os bilhetes para o SonicBlast Moledo estão à venda em toda a rede BOL e associados: Bilheteira Online, Lojas FNAC, Worten, CTT.

Mais informações:

Bilhetes:

BOL: http://bit.ly/2mXfVC9

Masqueticket: http://bit.ly/2nhgbfT

Passe Geral: 

- 42€ (até 30 de junho)

- 48€ (até 31 de julho)

- 55€ (Agosto)

Bilhete Diário: 28€

Confirme outros pontos de venda aqui.

Informação sobre o recinto

Localizado no Centro Cultural de Moledo, o SonicBlast Moledo tem dois palcos, uma piscina, bares e zona de restauração (comida tradicional e vegetariana/vegana).

O campismo situa-se no pinhal do camarido, junto à praia, a 5 minutos a pé do recinto.

Onde Fica:

Rua da Costa

4910 Moledo, Caminha

Como chegar:

  • Carro: A partir do Porto através da A28; de Tui (Espanha)/Valença do Minho pela N13 - saída Moledo do Minho.  GPS: 41.848062 - 8.860192
  • Autocarros: Directos do Porto ou Lisboa até Caminha (vila que dista 3 km de Moledo do Minho)
  • Comboio: Desde o Porto, comboio em direcção a Valença/Vigo (Estação "Moledo do Minho"; estações próximas "Vila Praia de Âncora" e "Caminha").
  • AeroportoVigo(Espanha) e Aeroporto Sá Carneiro (Porto)

Confirma mais informação sobre o festival no site oficial do SonicBlast Moledo

moledooo (1).png

BANDAS FILARMÓNICAS DÃO FESTIVAL EM TERRAS DE BOURO

No próximo dia 26 de março, o Núcleo Museológico de Campo do Gerês acolherá, pelas 14h30, a inauguração da exposição “Memórias da Banda Musical de Carvalheira”, efeméride que será também abrilhantada pela terceira edição do Festival de Bandas Filarmónicas de Terras de Bouro.

O espetáculo musical contará com a presença da Banda Musical de Carvalheira e da Banda de Música de S. João da Madeira.

Organização: Município de Terras de Bouro e Banda Musical de Carvalheira.

III-Festival-de-Bandas-filarmónicas.jpg

EXPO SAÚDE EM PONTE DE LIMA RECEBE 3 CONCERTOS MUSICAIS

CAPITÃO FAUSTO – 17 DE MARÇO / 21H30. FIRST BREATH AFTER COMA + YOU CAN’T WIN, CHARLIE BROWN – 18 DE MARÇO / 21H30. III EXPO SAÚDE / JUVENTUDE – EXPOLIMA – PONTE DE LIMA

Integrados na programação da III Expo Saúde / Juventude, a decorrer na Expolima, em Ponte de Lima, de 16 a 19 de Março de 2017, serão realizados três concertos, com entradas gratuitas, que envolvem nomes vanguardistas da actual música portuguesa: Capitão Fausto, às 21h30 do dia 17 de Março e, no dia seguinte, sábado, cabe aos First Breath After Coma abrir a noite que encerrará com os You Can’t Win, Charlie Brown.

capitao_ycwcb_fbac_mupi_.jpg

A produção está a cargo do Teatro Diogo Bernardes e serão um dos vários concertos a efectivar no exterior, dando continuidade, de várias formas, às Comemorações dos 120 Anos do Teatro Diogo Bernardes, a decorrerem até 19 de Setembro de 2017.

2016 confirmou que os Capitão Fausto são, finalmente, uma aposta segura. Uma aposta no bom gosto musical e na sensibilidade apurada. Uma aposta na criatividade e no fulgor de uma banda que parece imparável. “Amanhã Tou Melhor” será seguramente um dos refrões mais cantados de 2016.

Em 2017 os Capitão Fausto apresentam o novo álbum. A mostrar a banda que renasce a cada disco, que se renova com o cuidado de quem quer construir uma carreira sólida, de uma forma aparentemente galopante mas sem o torpor do deslumbramento.

"Drifter" marcou, em 2016 o regresso dos First Breah After Coma aos discos, com salas cheias em Leiria, Porto, Coimbra e Lisboa. Contou com a colaboração de convidados como Noiserv e André Barros e, depois de aclamado pela crítica, valeu-lhes novas digressões onde pontuam passagens por salas como o Theatro Circo, CCB, Casa da Música e um palco principal no Festival Paredes de Coura. Lá fora marcam cidades como Madrid, Paris, Berlim, Amsterdão e Londres e são seleccionados para representar Portugal nos festivais Reeperbahn e Eurosonic.

Há dias atrás “Drifter” foi selecionado como candidato a melhor “Álbum Independente Europeu do Ano 2016 pela IMPALA, a associação que representa o sector da música indie na Europa”, cuja lista integra trabalhos como “A Moon Shaped Pool” dos Radiohead e “Freetown Sound” de Blood Orange.

Os You Can’t Win, Charlie Brown chegam a Ponte de Lima para apresentar o mais recente trabalho que lhes valeu os lugares cimeiros em variadíssimas listas de melhores do ano, nomeadamente o melhor disco nacional para a Rádio Radar, terceiro melhor disco para a Antena 3, 5º melhor para a Glam Magazine, entre tantas outras listas.

Por altura da edição de “Marrow”, o mesmo entrou para a liderança do top nacional de discos vendidos, lugar habitualmente tomado por outras sonoridades, revelando assim o potencial da banda lisboeta.

RITA REDSHOES ATUA EM FAFE

No próximo dia 29 de Março, a cantora portuguesa Rita Redshoes vai atuar no Teatro Cinema de Fafe.

Este é um espectáculo inserido nas 8.as Jornadas Literárias em Fafe que conta também com a participação da cantora numa conversa, durante a tarde, no Arquivo Municipal, sobre “O prazer de ouvir as palavras”.

_DSC3460b - FOTO BASE.jpg

O concerto revisitará memórias de trabalhos mais antigos e servirá de mote para a apresentação do seu recente álbum, 'Her'. Gravado em Berlim, nos estúdios Riverside, o novo álbum de Rita Redshoes teve a participação de alguns músicos de eleição: Knox Chandler (guitarra), Earl Harvin (baterista), Greg Cohen (baixista). Na produção, “Her” teve a condução de Victor Van Vugt, produtor do seminal disco de Nick Cave, “Murder Ballads”.

Os bilhetes estão à venda na Loja Interactiva de Turismo, a partir de segunda-feira.

TERRAS DE BOURO REALIZA FESTIVAL DE BANDAS FILARMÓNICAS

IIIº Festival de Bandas Filarmónicas e inauguração da Exposição "Memórias da Banda Musical de Carvalheira"

No próximo dia 26 de março, o Núcleo Museológico de Campo do Gerês acolherá, pelas 14h30, a inauguração da exposição “Memórias da Banda Musical de Carvalheira”, efeméride que será também abrilhantada pela terceira edição do Festival de Bandas Filarmónicas de Terras de Bouro.

 

O espetáculo musical contará com a presença da Banda Musical de Carvalheira e da Banda de Música de S. João da Madeira.

Organização: Município de Terras de Bouro e Banda Musical de Carvalheira.

III Festival Filarmónico 2017.jpg

ORQUESTRA DE CÂMARA DA GNR REALIZA CONCERTO EM VIZELA

Apresentação do livro Joaquim da Costa Chicória e concerto da Orquestra de Câmara da GNR

A Câmara Municipal de Vizela e a Fundação Jorge Antunes promovem a apresentação do livro Joaquim da Costa Chicória – Vida e Obra – estudo preliminar,  de Joaquim Ribeiro, no próximo dia 18 de março, pelas 16h30 no Auditório Luís Lopes Guimarães.

Livro e concerto GNR.jpg

A apresentação estará a cargo da Dra. Jenny Jerónimo Silvestre.

Depois da apresentação do livro, seguir-se-á um concerto da Orquestra de Câmara da GNR, onde será interpretada a obra Murmúrios do Vizela, do compositor vizelense Joaquim da Costa Chicória.

O concerto terá a regência do Sargento-chefe Músico Joaquim Ribeiro.

FAMALICÃO APRESENTA "CÂNTICOS DE BARBEARIA"

Musical “Cânticos de Barbearia” estreia esta quinta-feira em Famalicão

Ensaio aberto à comunicação social amanhã, terça-feira, 14 de março, pelas 15h00, na Casa das Artes de Famalicão

“Cânticos de Barbearia” nasceu do sonho de Carlos Tê fazer um musical sobre duas grandes figuras da musica popular portuguesa e brasileira do século XX - Tony de Matos e Lupicínio Rodrigues.

Cânticos de Barbearia.jpg

A peça, escrita e dirigida musicalmente pelo compositor português e encenada por Luísa Pinto da Narrativensaio, cria o encontro que nunca aconteceu entre estes dois músicos, numa barbearia da posteridade, onde durante um singelo corte de cabelo, Tony e Lupicínio põem as afinidades em dia e discutem o mecanismo e a função das dolorosas canções de amor, tema em que ambos se especializaram.

O espetáculo estreia esta quinta-feira à noite na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, onde vai estar em cena até ao dia 18 de março, sábado.

Antes, a produção convida a comunicação social a assistir a um ensaio aberto da peça, que decorrerá amanhã, terça-feira, dia 14 de março, pelas 15h00, no grande auditório da Casa das Artes.  

FICHA ARTÍSTICA

Texto e Direção Musical: Carlos Tê

Encenação, Cenografia e Figurinos: Luísa Pinto

Interpretação: Pedro Almendra, Allex Miranda e Filipa Guedes

Interpretação Musical: Eduardo Silva

Desenho de Luz: Bruno Santos

Máscara: Carlos Matos

Execução de adereços: José Lopes

Assistente de encenação: Ricardo Regalado

Assistente de Produção: Cláudia Pinto

Imagem Promocional: Daniela Santos

M/12

Duração: 70’

MINHOTOS LEVAM A FESTA À FEIRA SALOIA DE MOSCAVIDE

O Grupo Concertinas e Cantigas do Rancho Folclórico Verde Minho actuou esta tarde na Feira Saloia à Moda Antiga que decorre em Moscavide. Os minhotos levaram consigo as concertinas e os cavaquinhos e, com eles, soltando as mais alegres rapsódias do nosso folclore e, com alguma brejeirice, a alegria contagiante que sempre caracteriza as nossas gentes onde quer que se encontrem.

VM-Moscavide 2017-03-11 (21) (1).JPG

No jardim de Moscavide, dezenas de barraquinhas ofereciam as mais diversas iguarias provenientes de diferentes regiões do país, desde os enchidos de Lamego e os queijos da Serra da Estrela às alheiras de Mirandela e às fogaças de Santa Maria da Feira. E não faltou sequer uma artesão conferindo novas e coloridas formas ao típico galo de Barcelos feito apito-de-água.

A Freguesia de Moscavide, actualmente agregada à Freguesia da Portela, pertence ao concelho de Loures. O nome Moscavide deverá ter origem no topónimo árabe al-Masqba ou maskabat que significa “sementeiras” indica as características remotas da localidade. Porém, a paisagem rural cedeu o lugar sucessivamente à indústria e à urbanização operária e, mais recentemente, ao comércio e serviços, sobretudo de espaços de diversão nocturna, para o que contribuiu de sobremaneira a proximidade do Parque das Nações.

VM-Moscavide 2017-03-11 (22).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (23).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (24).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (25).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (29).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (32).JPG

 

VM-Moscavide 2017-03-11 (2).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (3).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (9).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (12).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (13).JPG

BRAGA RECEBE CONCERTO DE JAZZ

Jazz em Braga: QUINTETO TALMOR – IRNIGER “COUNTERPOINTS” quinta 16 março 21h30 @ Pedro Remy

jazzbrag.jpg

QUINTETO TALMOR – IRNIGER “COUNTERPOINTS” NO ESPAÇO CULTURAL PEDRO REMY

Quinta-feira, 16 de Março, pelas 21h30, o espaço cultural Pedro Remy, em Braga, recebe o quinteto Talmor - Irniger “CounterpointS”.para uma apresentação do álbum Subway Lines (2016).

com 

Ohad Talmor - Sax Tenor 
Christoph Irniger -Sax Tenor 

André Fernandes – Guitarra

Demian Cabaud – Contrabaixo

Vinnie Sperrazza – Bateria

Ohad Talmor é um gigante compositor, arranjador, intérprete e líder, nascido em França, com raízes em Israel, cresceu na Suíça e reside há longos anos em Brooklyn (EUA). A sua experiência passa por trabalhos ao lado dos músicos mais reconhecidos a nível internacional, como Dan Weiss, Lee Konitz, Jason Moran, Joshua Redman, Chris Cheek, Dave Douglas, Carla Bley, Kurt Rosenwinkel, Fred Hersh, Joe Lovano, entre tantos outros. Dedica-se ao estudo da música e herança hindustani, para além dos diversos projetos nos quais colabora como compositor e saxofonista, e lecciona em Geneve e em Nova York, juntando todas essas experiências e vivências como inspiração para a sua música.

Lidera este grupo com Christoph Irniger, um dos mais ativos músicos e compositores suíços, de destaque na sua geração, que conta já com seis discos como líder, de entre os mais de vinte títulos que gravou até agora.

CounterpointS irão apresentar Subway Lines, editado em 2016 pela Fresh Sound New Talent Records.

Imperdível!

Pedro Remy - Cabeleiro & Espaço Cultural

Rua D. Gualdim Pais, 40 (Junto à Sé)

4700-442, Braga

Com o apoio da RUM - Rádio Universitária do Minho

MUNICÍPIO DE CAMINHA E SERRALVES VÃO PROMOVER ‘PROGRAMA EDUCATIVO MÚSICA E PALAVRAS’ NO DIA 18 DE MARÇO

Ação de formação dirige-se a professores, agentes culturais e outros interessados

No âmbito da exposição ‘Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves’ patente ao público nos diversos espaços culturais do Município em Caminha, a Câmara Municipal e a Fundação de Serralves vão promover a ação de formação ‘Programa Educativo Música e Palavras’ no dia 18 de março. Esta ação dirige-se a professores, agentes culturais locais e outros interessados. Pretende-se dinâmica, direcionada aos conteúdos da exposição, e relacionada com a experiência prévia de cada um dos participantes e temáticas de interesse transversal à sociedade contemporânea. As inscrições ainda estão a decorrer.

exposição musica e palvras.JPG

Recorda-se que a exposição “Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” está patente ao público, até ao dia 16 de abril, em vários espaços culturais da vila: Museu Municipal, Galeria de Arte Caminhense, o edifício do antigo Posto de Turismo e a Torre do Relógio.  Esta é a primeira exposição que Caminha tem patente enquanto “Vila Serralves”.

Esta ação de formação de componente teórica vai ser orientada por Joana Mendonça, dos Serviços Educativos do Museu de Serralves, e vai decorrer no Museu Municipal de Caminha. Dirige-se para os agentes de mediação relacionados com a exposição, docentes da região, assim como agentes culturais locais ou outros interessados. Os interessados deverão efetuar a respetiva inscrição até através do email museu@cm-caminha.pt.

No ‘Programa Educativo Música e Palavras’ serão debatidas questões profundas sobre como nasce um artista, ou que processos são estes que levam à legitimação das obras, uma crítica à forma de estar social e humana, experiências com a linguagem e a Palavras escrita, assim como a materialização de uma obra de arte cujo meio de expressão é o som. Preocupações relacionadas com a dificuldade de integrar peças de arte sonora no mundo das artes plásticas iminentemente visuais: o som não se vê, não se toca, mas a forma como se experiencia pode influenciar profundamente a forma como entendemos arte contemporânea.

Quanto à exposição “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” é de referir que reúne instalações e objetos visuais e escultóricos que empregam o som como suporte principal. Desde a visão estética do acontecimento sonoro ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, a exposição revela as dimensões associativas e sociais do som no mundo contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora e a catarse associada à estética frenética do videoclipe delimitam um percurso de diferentes propostas transversalmente ligadas para além de geografias e gerações. Trata-se de uma produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

GRUPO FOLCLÓRICO DA UNIVERSIDADE DO MINHO ORGANIZA SEGUNDA EDIÇÃO "CANÇÃO BRACARENSE"

Segunda edição «Canção Bracarense» tem lugar no dia 12 de março pelas 15h na Igreja dos Terceiros

No próximo dia 12 de março (domingo) pelas 15 horas, irá ter lugar na Igreja dos Terceiros, a segunda edição da “Canção Bracarense”.

Cartaz_CB17.jpg

Depois do sucesso da primeira edição, o público é novamente convidado a iniciar uma viagem pelos cancioneiros bracarenses onde serão interpretados vários temas, desde o S. Martinho ao São João, passando pelos cantares de Natal e da Quaresma.

Organizada pelo Grupo Folclórico da Universidade do Minho (GFUM), a “Canção Bracarense” irá contar com a colaboração do Rancho Folclórico da Associação Cultural e Recreativa de Cabreiros e da Associação Cultural e Festiva “Os Sinos da Sé”.

GRUPO FOLCLÓRICO DA UNIVERSIDADE DO MINHO ORGANIZA SEGUNDA EDIÇÃO "CANÇÃO BRACARENSE"

Segunda edição «Canção Bracarense» tem lugar no dia 12 de março pelas 15h na Igreja dos Terceiros

No próximo dia 12 de março (domingo) pelas 15 horas, irá ter lugar na Igreja dos Terceiros, a segunda edição da “Canção Bracarense”.

Cartaz_CB17.jpg

Depois do sucesso da primeira edição, o público é novamente convidado a iniciar uma viagem pelos cancioneiros bracarenses onde serão interpretados vários temas, desde o S. Martinho ao São João, passando pelos cantares de Natal e da Quaresma.

Organizada pelo Grupo Folclórico da Universidade do Minho (GFUM), a “Canção Bracarense” irá contar com a colaboração do Rancho Folclórico da Associação Cultural e Recreativa de Cabreiros e da Associação Cultural e Festiva “Os Sinos da Sé”.

SEMANA DO PIANO TRAZ A BRAGA PEDRO BURMESTER E ARTUR PIZARRO

Iniciativa decorre de 23 a 30 de Março

Pedro Burmester e Artur Pizarro são os nomes maiores da Semana do Piano, uma iniciativa que o Município de Braga e o Conservatório Calouste Gulbenkian promovem entre os dias 23 e 30 de Março.

 

Cartaz Semana do Piano.jpg

A par dos concertos com pianistas consagrados, a Semana do Piano ficará marcada pela comemoração do Dia Internacional do Piano que se celebra a 28 de Março. Neste dia o piano ‘sai à rua’ para uma actividade que irá contar com a participação activa dos alunos do Conservatório e através da qual se pretende atrair o público e chamar à atenção para este instrumento com forte tradição.

Lídia Dias, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Braga, a Semana do Piano apresenta-se com um programa rico, atractivo e diferenciador. “O público terá a possibilidade de assistir a concertos com pianistas portugueses com carreiras internacionais ímpares e, no dia 28, teremos a celebração do ‘Piano Day’ que irá surpreender as pessoas que passarem pela rua do Castelo”, explica.

A Semana do Piano terá ainda uma forte componente pedagógica, com a realização de uma masterclass e do Concurso Regional de Piano. Segundo Ana Paula Carreira, professora do Conservatório, o concurso retoma uma tradição antiga desta instituição de ensino Bracarense que, no próximo ano, poderá alargar-se a alunos de todo o país.

A Semana do Piano começa com a vertente pedagógica, com a realização da masterclass orientada por Luís Pipa (23 e 24 de Março) e com o Concurso Regional de Piano (25 e 26 de Março). O primeiro concerto acontece no dia 25, às 21h30, no Auditório Vita, com a actuação de Artur Pizarro.

No dia 27, às 19h00, realiza-se o concerto de Bruno Ferreira, antigo aluno da instituição que em 2014/2015 foi o vencedor do Prémio Conservatório. No dia seguinte, a rua do Castelo irá receber as comemorações do ‘Piano Day’, com a participação dos alunos do Conservatório.

A Semana do Piano encerra no dia 30, às 21h30, Auditório Vita, com um grande concerto do consagrado Pedro Burmester.

De referir que os concertos de Artur Pizarro(25 Março) e de Pedro Burmester (30 Março) são os únicos com bilheteira. Os ingressos custam cinco euros e podem ser adquiridos no Posto de Turismo, no Conservatório Calouste Gulbenkian e no Auditório Vita (no dia dos espectáculos).

CMB08032017SERGIOFREITAS0000005599.jpg

A MAGIA DA DISNEY EM CONCERTO NO VALADARES, TEATRO MUNICIPAL DE CAMINHA

Espetáculovai “revisitar”músicas de filmes consagrados, no domingo, a partir das 15h30

Em março, o Valadares Teatro Municipal de Caminha apresenta um cartaz de elevada qualidade. Concerto da Disney pela Escola de Música Amadeus; Ensemble Risoluto em Concerto, com José Paulo Ribeira, Paulo Barbosa e Sílvia Pinto e cuja receita reverte a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha; Concerto de Guitarra com Artur Caldeira e Cavaquinho Cantado com Daniel Cristo em Quinteto, são as propostas culturais disponíveis para este mês.

Concerto Disney Cartaz.jpg

A magia dos clássicos da Disney vai abrir a programação do Valadares, com o Concerto da Disney, pelos alunos da Escola de Música Amadeus, já no próximo domingo, dia 12 de março, pelas 15H30.  No palco do Valadares vão ser interpretadas músicas dos filmes ‘Pinocchio’, ‘Cinderella’, ‘Mary Poppins’; ‘Alladin’,‘Brave’, ‘Tarzan’, ‘A Bela Adormecida’; ‘Pocahontas’, ‘Rei Leão’, ‘A pequena Sereia’, entre muitos outros.

Este concerto é organizado pela Escola de Música Amadeus e conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha e do Conservatório de Música e Dança dos Arcos de Valdevez. O bilhete custa 2€ e as reservas podem realizar-se na Escola de Música Amadeus ou no Valadares, Teatro Municipal de Caminha.

Depois da magia da Disney, no dia 18 de março, o Valadares vai servir de palco ao Concerto Solidário ‘Ensemble Risoluto em Concerto’, com José Paulo Ribeira, Paulo Barbosa e Sílvia Pinto, cuja receita vai reverter a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha. Ensemble Risoluto“é o momento onde o Amor e a Música se conjugam num mesmo verbo, inteiro, firme e assertivo. Aqui se exprime a mais pura essência da alma, transmitindo sensações que a linguagem é incapaz de traduzir e que a razão nunca saberá compreender”. O concerto tem inicio pelas 21H30. Os bilhetes custam 5 euros e podem ser adquiridos nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora e no dia do espetáculo, no Valadares, Teatro Municipal.

No dia 24, pelas 21h30, a guitarra vai estar em destaque no Valadares, com o concerto de Artur Caldeira. Natural de Braga, Artur Caldeira é licenciado em Guitarra Clássica e Mestre em Interpretação Artística. Com um vasto curriculum, este músico já conquistou o 1º prémio do concurso nacional “Parnaso 93” e o 1º lugar ex-aequo do “Prémio Helena Sá e Costa 1995”. Tocou com a Orquestra Clássica sob a direção dos Maestros MeirMinsky, João Paulo Santos, MarcTardue e Niel Thompson e com a Orquestra do Norte sob a direção do Maestro Ferreira Lobo e gravou para a R.D.P..

Trata-se de mais uma aposta cultural de qualidade. Este concerto é organizado pela Academia de Música Fernandes Fão e conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e do Ministério da Educação.

Em março, Daniel Pereira Cristo, já conhecido do público caminhense, regressa ao Valadares para apresentar o seu 1º álbum a solo 'Cavaquinho Cantado'.“Este concerto caracteriza-se pela alegria da junção dos dois velhos conhecidos, o canto e o cavaquinho, como personagens centrais de um todo que, se pretende, seja sentido como uma abordagem nova e contemporânea da música e instrumentos de identidade. Música Étnica do Noroeste Português e Peninsular, como gosta de chamar-lhe”. O concerto está agendado para as 22H00.  Os bilhetes encontram-se à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora

Teatro Valadares.jpg

PAREDES DE COURA RECEBE POP DEL’ARTE

10 março | 22h00 | Caixa da Música

A Caixa da Música, em Paredes de Coura, recebe esta sexta-feira, 10 de março, pelas 22h00, e com entrada livre, os Pop Dell'Arte.

39720_10150242495510224_4799891_n.jpg

Mais do que percorrer as sonoridades que marcaram uma das bandas mais profícuas das últimas décadas na moderna música portuguesa, o coletivo de João Peste e João Pedro Moura propõem-nos trazer temas inéditos mas também a oportunidade de mais uma vez podermos revisitar verdadeiros hinos como são os clássicos "Sonhos Pop" ou "Querelle".

Do aclamado “Free Pop” ao mais recente “Contra Mundum”, a banda de João Peste e João Pedro Moura sempre nos habituou a percorrer as mais diversas ambiências sonoras, plasmadas no pós-punk, rock psicadélico, noise e house.

Acima de tudo, os Pop Dell'Arte sempre primaram pela procura de novas sonoridades, ao ponto de lhes ter sido reconhecido um papel liderante na música moderna portuguesa e por várias vezes sublinhado pela crítica especializada, em Portugal e até no Reino Unido, como aconteceu com o jornal britânico Sounds quando teceu os maiores elogios a “Free Pop”.

Por tudo isto, a vinda dos Pop Dell'Arte à Caixa da Música, esta sexta-feira, 10 de março, e com entrada livre, não deixa de ser um enorme motivo de regozijo para os muitos melómanos que sempre associaram Paredes de Coura às melhores propostas musicais, mas também não deixa de ser uma forma de sublinhar a importância de uma sala como a Caixa da Música, por onde já têm passado alguns dos mais prometedores projetos emergentes e propostas consistentes da pop-music nacional.

558462_10151474997230224_2108165969_n.jpg

BRAGA REALIZA FESTIVAL DE ÓRGÃO

Festival de Órgão contribui para valorização do património da Cidade. Evento decorre de 28 de Abril a 7 de Maio

De 28 de Abril a 7 de Maio, Braga volta a ser palco do Festival de Órgão, um evento que tem marcado a agenda cultural da Cidade nos últimos três anos e que se tem afirmado no panorama nacional e internacional. Para esta quarta edição, a organização - a cargo do Município de Braga, Arquidiocese de Braga, Santa Casa da Misericórdia de Braga e Irmandade de Santa Cruz – continua a apostar num conjunto de concertos de qualidade, a que se juntam visitas guiadas e conferências temáticas.

CMB07032017SERGIOFREITAS0000005555.jpg

Para Lídia Dias, vereadora da Cultura, o eclectismo e a diversidade da programação são já uma marca deste festival que tem vindo a contribuir decisivamente para a valorização e divulgação do património organístico Bracarense. “Esta é uma iniciativa consolidada ao nível da criação e fidelização de públicos e que, a somar a isso, tem potenciado o restauro destes instrumentos de grande valor histórico e artístico”, referiu na apresentação do evento que decorreu hoje, 7 de Março, no Tesouro-Museu da Sé.

Segundo a vereadora, o festival só é possível graças à colaboração de relevantes instituições culturais da Cidade, sem esquecer o “importante contributo dos párocos que abrem as portas das igrejas para que o público possa assistir a concertos memoráveis e de elevada qualidade”. Lídias Dias destacou ainda a colaboração das Uniões de Freguesias de S. Lázaro e S. João do Souto, de Maximinos, Sé e Cividade e da Junta de S. Victor.

A par do lançamento de um CD com os melhores momentos das edições anteriores, um dos grandes destaques da edição 2017 prende-se com a estreia do órgão portativo do Tesouro da Sé de Braga em concerto, a ter lugar a 3 de Maio, na Igreja do Seminário. “Trata-se de um pequeno instrumento, dos mais antigos de Portugal, que nunca foi ouvido em concerto e, para o qual, ainda é necessário um “foleiro” para “dar aos foles” e assim o órgão poder tocar”, explica José Rodrigues, o director artístico do festival.

Outra novidade será a presença do organista papal, Juan Paradell, organista titular pontifício do Vaticano, que se irá apresentar na igreja de São Marcos, a 30 de Abril.

Na abertura do Festival, como é já um hábito, é oferecido à Cidade um magnífico concerto a dois órgãos, na Catedral, sendo este o único momento no ano em que existe a possibilidade de ouvir os grandes órgãos da Sé a tocarem ao mesmo tempo.

Outro dos pontos altos do programa será a actuação de um grupo de 80 crianças que irão estrear uma obra de um compositor bracarense, num concerto agendado para a Basílica dos Congregados.

Retomando a experiência bem-sucedida da edição do ano passado, o festival volta a incluir um concerto com os alunos de órgão dos Conservatórios e Academias de Música do Norte do país, nomeadamente de Bragança, Vila Real, Guimarães, Barcelos e Vila Verde. Esta iniciativa assume-se como um incentivo à aprendizagem do órgão enquanto instrumento musical e uma oportunidade dada aos alunos de contactarem com um instrumento histórico, com todas as características e especificidades que o mesmo apresenta.

José Rodrigues, director artístico, lembra que o “Festival não é apenas um meio de valorização do património musical, constituindo-se também como um incentivo à economia e à dinâmica turística da Cidade e da Região”.

A par da organização do Festival, a Arquidiocese de Braga, pelo Instituto de História e Artes Cristãs está empenhado na realização do estudo e inventário de todos os órgãos existentes na Cidade, trabalho que terá a sua apresentação para breve.

No futuro, a organização pretende lançar um concurso de composição de novas obras musicais para órgão ibérico, bem como um prémio para jovens intérpretes.

Todas as informações em http://www.festivalorgaobraga.com

CMB07032017SERGIOFREITAS0000005564.jpg

CMB07032017SERGIOFREITAS0000005567.jpg

THE OAFS ATUA EM BRAGA E GUIMARÃES

The Oafs formaram-se em 2013 em Vila Franca, Viana do Castelo, como resultado de uma combinação de diversos gostos musicais. Assumem-se como uma banda Indie e Folk, através de 4 vozes e instrumentos como o clarinete, percussão, baixo e guitarra.

TheOafs_cartaz.jpg

“Oaf” caracteriza uma pessoa desajeitada. Com esta descrição o quarteto pretende apelar à face mais descontraída de cada pessoa, a face que permite que esta se liberte e aproveite a sua música.

Em finais de 2016 editaram o álbum “My Scars and Stories”, onde: “contamos histórias e expomos as marcas, boas e más, que nos constroem como pessoas. Contamos desabafos que nos saem da alma, nos acordam de noite e nos obrigam a escrever”, revelam os elementos de The Oafs.

The Oafs são: Eva Gomes: voz, guitarra e percussão João Dias: guitarra e vozes Afonso Carvalho: clarinete, percussão, vozes Raul Carvalho: baixo e vozes.

QUARTETO DE CORDAS DE GUIMARÃES INICIA ANO NO MUSEU DE ALBERTO SAMPAIO E EM CREIXOMIL

ESTA SEXTA-FEIRA E SÁBADO

Projeto cultural vimaranense criado em 2016 começa novo ano com mais dois concertos, um no centro da cidade e outro no concelho. Entrada livre.

Quarteto_Cordas_Guimaraes2.jpg

A primeira residência artística em 2017 do Quarteto de Cordas de Guimarães termina com um concerto na Sala de Santa Clara do Museu de Alberto Sampaio, esta sexta-feira, 03 de março, às 21:30 horas, realizando-se na noite seguinte, 04 de março, também às 21:30 horas, uma atuação na recentemente inaugurada “Domus Vitae”, edifício situado junto à Igreja Paroquial de Creixomil.

O Quarteto de Cordas de Guimarães é uma inovadora aposta de residência artística, que visa desenvolver uma oferta constante na área da música de câmara, a partir de Guimarães. Este projeto cultural tem como base a realização de uma série de concertos regulares na cidade e no concelho, promovendo Guimarães como plataforma de criação própria que servirá de embaixador da cidade, tanto em Portugal como no estrangeiro.

A criação de uma forte identidade artística, aliada à promoção de novas pontes com outras artes, tais como as artes visuais, dança e artes plásticas, fomentando a criação artística “made in Guimarães”, são os principais objetivos desta formação constituída pelos violinistas Emanuel Salvador e Álvaro Pereira, pela polaca Emilia Goch (viola d’arco) e pela violoncelista Catarina Gonçalves.

Nesta primeira residência artística de 2017, o alinhamento será o seguinte: L. V. Beethoven Quartet n. 11 op. 95 "Serioso" em Fá menor; Allegro con brio; Allegretto ma non troppo; Allegro assai vivace ma serioso – Più Allegro; Larghetto espressivo – Allegretto agitato – Allegro; A. Part (Fratres para Quarteto de Cordas) e A. Borodin Quarteto n. 2 em Ré Maior (Allegro moderato; Scherzo – Allegro; Notturno – Andante; Andante; Vivace).

VIANA DO CASTELO RECEBE FESTIVAL DE TUNAS

Os bilhetes para o XVII LETHES – Festival de Tunas – 8 de abril,  a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo já se encontram disponíveis para venda.

image001Vian.jpg

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

       Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

       Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo,  entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada

 CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 5€ (plateia) | 5€ (bancada)

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt (indicando nome e NIF), com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

Não há lugares marcados.

MIGUEL ARAÚJO E MARIA JOÃO E BUDDA POWER BLUES ATUAM EM MARÇO NA CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO

Música, teatro, dança e cinema marcam programação do próximo mês do espaço cultural famalicense

Miguel Araújo regressa com novo álbum; recebemos uma das vozes mais versáteis da música portuguesa - Maria João - na companhia daquela que é considerada a melhor banda de blues nacional - os Budda Power Blues; cantamos os parabéns à Companhia Nacional de Bailado e celebramos o Teatro com a estreia de “Cânticos de Barbearia”. Em março, não faltam motivos para uma visita à Casa das Artes de Famalicão.

010_programa reportorio_-®BrunoSimao_.jpg

Vamos então por partes.

Na música, o mês fica marcado pelos três concertos que Miguel Araújo tem agendados no grande auditório, nos dias 9, 10 e 11. Autor de sucessos bem conhecidos do público português, entre os quais “Os Maridos das Outras” e “Dona Laura”, Miguel Araújo é considerado um dos artistas mais completos da nova geração, destacando-se como compositor, letrista, cantor e músico. Regressa agora à sala de espetáculos famalicense com novo disco e nova formação da sua banda.

O músico Luiz Caracol vem a Famalicão este sábado, 4 de março, apresentar o seu novo álbum “Metade e Meia”. A Casa das Artes foi também o palco escolhido pelos famalicenses Fulltrack para a apresentação do seu primeiro trabalho discográfico, num concerto marcado para o dia 25, no café-concerto.

BluesExperience_B1_a.jpg

Destaque ainda para a atuação imperdível de Maria João com Budda Power Blues, no dia 31. Juntos vêm a Famalicão apresentar “The Blues Experience”, um “disco de blues para o século XXI” composto por 10 temas.

Mas março é também o mês em que se celebra o teatro e também aqui a Casa das Artes apresenta várias propostas. É o caso da peça “Prelúdio para Macbeth” levada a cena esta sexta e sábado, dias 3 e 4 de março, pela companhia Baú dos Segredos e do musical com marionetas “Pedro e o Lobo”, em cena no dia 29.

Nos dias 16, 17 e 18 há a estreia do espetáculo “Cânticos de Barbearia”, uma coprodução da Narrativensaio e da Casa das Artes. Cantado e tocado ao vivo, a peça fala de dois artistas que percorreram o Século XX da música popular de Portugal e do Brasil – Tony de Matos e Lupicínio Rodrigues.

Um apontamento ainda para a dança, com a celebração dos 40 anos da Companhia Nacional de Bailado que, entre vários momentos previstos, prepara-se para apresentar no dia 26 de março um programa de repertório onde se reúnem alguns dos coreógrafos que mais marcaram a história da dança.

Por fim, o cinema, com novo episódio do Close-Up - Observatório de Cinema, de 28 de março a 1 de abril, e com a exibição de perto de uma dezena de filmes ao longo do mês.

Mais informações em www.casadasartes.org

MA 2017 (c) Paulo Bico.jpg

SEÑORITAS SOBEM AO PALCO EM PONTE DE LIMA

4 de Março – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

No próximo sábado, 4 de Março, às 22h00, o recente projecto musical português Señoritas – Mitó Mendes (A Naifa) e Sandra Baptista (A Naifa / Sitiados) – subirá ao palco do Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima.

senoritas_mupi_.jpg

"Acho que é meu dever não gostar" é o nome do disco de estreia das Señoritas, um dos mais recentes projectos da nova música portuguesa.

Señoritas é o novo projecto de Mitó Mendes (A Naifa) e Sandra Baptista (A Naifa / Sitiados). Em 2015, as Señoritas criam uma nova identidade, partilhando o gosto comum de ensaiar, compor e tocar juntas. Desta vontade, nasceram um conjunto de canções que querem partilhar com o público. São canções que giram em torno de um universo feminino, tendencialmente urbano. Com uma atmosfera densa, feminina e bem portuguesa, numa abordagem singular, canta-se a vida, mas de uma forma crua e directa. As músicas, todas originais, são da autoria da própria banda e as excepções estão enquadradas no mesmo imaginário.

Uma voz, uma guitarra, um baixo e um acordeão, este novo projecto, minimalista, é suportado por sets de programações que realçam a crueza e nudez da linguagem musical.

“Habituadas aos palcos e às multidões dos Sitiados ou d’A Naifa, Sandra e Mitó tocam agora uma com a outra, uma para a outra. Deixam-nos entrar na cabeça delas, no seu passado, nos seus dias e nas suas noites. São as mulheres fortes da sua geração, sem filtros, com medos mas sem medo de os mostrar. São brutas, são doces, são imperfeitas. São Mulheres. São Señoritas. Estou fã”. Ricardo Santos (jornalista)

“Não sendo de todo fácil ouvir estas Señoritas, não é nada difícil gostar delas. Mitó Mendes e Sandra Baptista disparam aqui todas as suas munições. Tudo parece ser muito verdadeiro. Tudo parece ser a cara delas. Não soa a trabalho, soa a prazer. Aos 40 anos, elas recarregam baterias num mundo cheio de deformidades e carências e à mão armada cantam o que lhes vai na alma. Todos terão o direito de não gostar delas, mas ninguém se pode entregar à ignorância de nem sequer as tentar escutar. É crime!” Miguel Azevedo (Vidas - CM)

“As canções sem maquilhagem das Señoritas. Com o fim de A Naifa, Sandra Baptista e Maria Antónia Mendes voltam a juntar-se, agora enquanto Señoritas. Um duo para canções cruas, nascidas sem qualquer ambição de grandiosidade.” Gonçalo Frota (Público - Ipsilon)

No facebook das Señoritas podem obter mais informações: https://www.facebook.com/Señoritas-1735454326740916/

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

GUIMARÃES APRESENTA 2º FESTIVAL DE MÚSICA RELIGIOSA

O Município de Guimarães apresentou à comunicação social o Programa do FMRG 2017.

O programa da segunda edição do Festival de Música Religiosa de Guimarães foi ontem apresentado em conferência de imprensa, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Festival_Musica_Religiosa_Guimaraes_2017.jpg

O evento, com direção artística de José M. Pedrosa Cardoso, organizado pela Câmara Municipal, em parceria com a Santa Casa da Misericórdia de Guimarães e a Sociedade Musical de Guimarães, decorrerá no período pascal.

O Festival de Música Religiosa de Guimarães 2017, na continuidade do êxito alcançado no ano passado, vai oferecer um conjunto de propostas cujas músicas foram compostas ao longo dos séculos sob o signo da religião, numa grande diversidade de estilos e grupos: recitais, cantochão, música coral, música de conjuntos da denominada música antiga e música coral-sinfónica.

MUNICÍPIO BRACARENSE E FUNDAÇÃO CUPERTINO DE MIRANDA PROMOVEM POLIFONIA EM BRAGA

Protocolo assinado no Salão Nobre dos Paços do Concelho

O Município de Braga assinou um protocolo de dinamização cultural com a Fundação Cupertino de Miranda (FCM) que visa a realização de dois concertos, em 2017, protagonizados pela Cappella Musical Cupertino de Miranda, sendo que um será realizado no âmbito do Festival Internacional de Polifonia Portuguesa. O protocolo foi assinado por Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e Pedro Álvares Ribeiro, presente do Conselho de Administração da FCM, numa cerimónia que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

CMB24022017SERGIOFREITAS0000005478.jpg

Na ocasião, Lídia Dias, vereadora da Cultura, sublinhou que a Autarquia tem ´todo o gosto e interesse´ em associar-se a uma Fundação com reconhecido prestígio. “Já é uma tradição Braga receber estes concertos, pelo que pretendemos consubstanciar esta presença no território e abrir portas a uma parceria cada vez mais frutuosa e que possa abranger outras áreas, qualificando o nosso território com uma sinergia na qual é importante continuar a investir”, referiu, adiantado - a título de exemplo sobre as áreas artísticas a que esta parceria se pode estender - que, no âmbito do Animatographo, vão realizar-se em Março duas conversas que contarão com o apoio da FCM.

Por seu turno, Pedro Álvares Ribeiro garantiu que, nos séculos XVI e XVII, Portugal tinha dos melhores músicos do mundo no que diz respeito à polifonia. “A Cappella Musical Cupertino de Miranda pretende ser o embaixador deste género musical e é difícil pensar em melhores locais para esta música ser ouvida do que as belas catedrais e igrejas barrocas que existem em Braga”, afirmou.

CMB24022017SERGIOFREITAS0000005481.jpg

CMB24022017SERGIOFREITAS0000005483.jpg

RUSGA DE S. VICENTE DE BRAGA: HÁ 50 ANOS A RUSGAR!

Tema da 84ª edição dos S/Ts: - "INATEL - de que modo, uma Fundação de todos e para todos?! "

A Rusga de São Vicente de Braga - Grupo Etnográfico do Baixo realiza a 84ª edição dos "Serões no Burgo/Tertúlias Rusgueiras", a primeira seranzada deste ano.

19263647_cksBg.jpeg

Data: - 24 de fevereiro (sexta)

Hora: - 21:30h,

Local: - Sede da Rusga, Avª Artur Soares (Palhotas), nº 73, Braga

* - Por questões de mera logística, se de todo não for possível contar com a presença de V/ Ex.cia, informe sff, se indigita algum(a) representante. Muito agradecidos.

Para cavaquear, refletir e questionar, sobre o tema, teremos connosco o Presidente do Conselho de Administração da Fundação INATEL, Dr. Francisco Madelino, com moderação de José PintoPresidente da Rusga.

História e/ou conto: - Dr. José Händel de Oliveira, ex-diretor da delegação em Braga do INATEL

Os momentos artísticos que os "Serões/Tertúlias" contemplam, serão da responsabilidade de vários CCD's da Fundação INATEL.

REPTO:

"Porque é Carnaval, ninguém pode levar a mal este convite/REPTO"

INICIATIVA: Corrida/Desfile do Entrudo/2017 - "Olha o Home, lá bai o home..." -, ritual carnavalesco bracarense

​OBJETIVOS: - Salvaguardar, Preservar e Promover a materialidade e imaterialidade do(s) legado(s) cultural(ais) herdado(s), ao nível das tradições e/ou manifestações etnográficas e etnológicas locais.

QUANDO: - Dia 26 de fevereiro (seg) /2016, às 21:30h

​ONDE: - Local de concentração (às 21:00h): junto à sede da Rusga. Av. Artur Soares(Palhotas), nº73, Braga

COMO?: Fazendo um Entrudo/Home (boneco tipo espantalho) e, trazê-lo (de mota, comboio, camioneta, camião, avião, ou..., a pé), conjuntamente com resmas de boa disposição para 'Correr o Entrudo'.

Contamos com a sua entusiástica e original participação, especialmente, aos que ainda não aderiram.

Sinta-se desde já convidada(o).

E, Siga a Rusga...

19263654_QTzjc.jpeg

19263660_Vdu6c.jpeg

19263661_5nDkV.jpeg

Convite_84_24fev2017 (7).jpg

BARCELOS RECEBE O MELHOR DA MÚSICA DE CÂMARA A NÍVEL MUNDIAL

Quatro conceituadas escolas europeias, dezasseis suprassumos da música, de 8 a 11 de março, no Teatro Gil Vicente e Salão Nobre da Câmara Municipal

O festival internacional de música de câmara Harmos regressa a Barcelos entre os dias 8 e 11 de março. O Teatro Gil Vicente e o Salão Nobre da Câmara Municipal acolhem quatro dos concertos integrados na 11ª edição do evento que se realiza simultaneamente em várias cidades do país. A entrada é gratuita.

Cartaz Harmos.jpg

Da Escola Superior de Música de Lisboa - Instituto Politécnico de Lisboa chega o Chinski Quartett, grupo de cordas composto por Ana Paula Sousa (violino), João Cunha (violino), Beatriz Acosta (viola) e Victor Pavtchinski (violoncelo). O quarteto atua no dia 8 de março, quarta-feira, às 15h, no Teatro Gil Vicente, num concerto comentado, dirigido particularmente à comunidade sénior.

No dia seguinte, 9 de março, será a vez dos músicos que compõem o Elysian Piano Quartet, afetos à prestigiada escola belga Koninklijk Conservatorium Brussel, subirem ao palco do Salão Nobre da Câmara Municipal, às 21h30.
A 10 de março, à mesma hora, o Teatro Gil Vicente recebe o Sminov Quartet, do conservatório Hochschule für Musik Basel, da Suíça. O ciclo encerra no sábado, dia 11, com um concerto protagonizado pelo Piano Quartet Interest, constituído por quatro músicos da Academia Estoniana de Música e Teatro, no Salão Nobre da Câmara Municipal, também às 21h30.
Detentor do selo EFFE (Europe for Festivals, Festivals for Europe, sob a égide da Comissão Europeia e da Associação Europeia de Festivais), tem sido reconhecido como um festival de referência nacional e internacional, e apoiado por um conjunto importante de parceiros.
O HARMOS é organizado pela Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Politécnico do Porto e tem colaborações com uma vasta rede de Instituições de Ensino Superior Artístico em todo o mundo.

PROGRAMA HARMOS Classical 2017:

Dia 8 de março || quarta-feira
15h00
Teatro Gil Vicente
Concerto Comentado para Séniores
CHINSKI QUARTETT
Escola Superior de Música de Lisboa, IPL, Portugal
Ana Paula Sousa, violino
João Cunha, violino
Beatriz Acosta, viola
Victor Pavtchinski, violoncelo
Dia 9 de março || quinta-feira
21h30
Salão Nobre da Câmara Municipal
ELYSIAN PIANO QUARTET
Koninklijk Conservatorium Brussel, Bélgica
Natalia Kotarba, violino
Varvara Jitcov, viola
Anna Reiter, violoncelo
Monika Darzinkeviciute, piano
Dia 10 de março || sexta-feira
21h30
Teatro Gil Vicente
SMIRNOV QUARTET
Hochschule für Musik Basel, Suíça
Smirnov Dmitry, violino
Mariia Ten, violino
Romain Roussel, viola
Héctor Hernández, violoncelo
Dia 11 de março || sábado
21h30
Salão Nobre da Câmara Municipal de Barcelos
PIANO QUARTET InterEST
Estonian Academy of Music and Drama, Tallin, Estónia
Maarja-Helen Oserov, violino
Merike Heidelberg, viola
Valle Rasmus Roots, violoncelo
Auli Lonks, piano

MIGUEL ARAÚJO REALIZA CONCERTO EM VIANA DO CASTELO

Os bilhetes para o concerto do MIGUEL ARAÚJO – 27 de maio,  a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo já se encontram disponíveis para venda.

image002migarauj.png

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

       Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

                Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • www.ticketline.sapo.pt- Fnac - Ag. Viagens Abreu – Worten – A.B.E.P – Casino Lisboa – C.C. Dolce Vita – C.C. Mundicenter – El Corte Inglês e         SuperCor – Galeria   Comercial Campo Pequeno – MMM Ticket – Uticketline – CCB – Time Out Mercado da Ribeira – Shopping Cidade do Porto                – Forum Aveiro – Ask Me Lisboa e INFORMAÇÃO/ RESERVAS: ligue 1820 (24 horas)
  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia doespetáculo,  entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 10€ (plateia) | 10€ (bancada)

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt (indicando nome e NIF), com um prazo de      levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

Não há lugares marcados.

FAFENSES PRESTAM TRIBUTO A ZECA AFONSO

Núcleo de Artes e Letras de Fafe e Atriumemória promovem tributo a José Afonso

O Núcleo de Artes e Letras de Fafe, em parceria com a associação Atriumemória, promove uma Tertúlia musical e poética em tributo ao cantor José Afonso, a propósito dos 30 anos do seu falecimento, esta sexta-feira, 24 de Fevereiro, a partir das 21h30, na Sala Manoel de Oliveira, em Fafe.

16819104_1255722981141828_2142245624395137861_o.jpg

Participam musicalmente os FourArmil, o duo Duarte e Diana, Fernando Peixoto Lopes e José Augusto Gonçalves, havendo a hipótese de aparecerem mais participantes

Regista-se ainda a leitura de poemas de e sobre o autor de “Grândola Vila Morena” ou "Os Vampiros", por poetas e declamadores locais.

A iniciativa que conta com a colaboração do Município de Fafe é de entrada livre.

Recorde-se que Zeca Afonso nasceu em 2 de Agosto de 1929 e faleceu em 23 de Fevereiro de 1987, no Hospital de Setúbal, vítima de esclerose lateral amiotrófica, diagnosticada cinco anos antes.

Deixou um legado musical, cultural, de resistência e de liberdade que ainda hoje permanece actual.

CUCA ROSETA ATUA AO VIVO NO TEATRO CINEMA DE FAFE

Com a chegada do mês de Março, os grandes concertos regressam a Fafe. No próximo dia 11, é a vez de Cuca Roseta subir ao palco do Teatro Cinema de Fafe para um espetáculo que garante ser inesquecível.

cuca.jpg

Cuca Roseta é uma das mais marcantes e reconhecidas vozes do Fado da atualidade. Quis o destino que o seu primeiro disco fosse produzido por um dos mais célebres e aclamados produtores do mundo - Gustavo Santaolalla - detentor de vários Óscares e Grammy’s.

Cuca viria assim a destacar-se no panorama da música nacional. O sucesso foi tanto que viria a ser largamente referida nos media nacionais e internacionais. No mesmo ano, também Cuca Roseta foi a artista de destaque no prestigiado filme de Carlos Saura – “Fados”.

Num segundo disco, Cuca Roseta quis ir mais longe e fazer algo diferente, mostrando mais do seu “outro lado”, o lado da composição. Assume assim o risco de escrever e assinar a maior parte das letras e músicas em “Raiz”, risco esse que foi tão bem-vindo!”

“Raíz” percorre o país e o mundo mostrando a sua voz e toda a sua arte, tendo atuado nos principais palcos nacionais e internacionais.

Em Maio deste ano edita “Riû”, com mais um “trunfo na manga”: a produção de um disco pela mão do célebre Nelson Motta, intitulado no Brasil como o “Papa” da música.

Em “Riû” Cuca Roseta dá mais um importante salto na sua carreira, faz parcerias e canta temas originais de Djavan, Ivan Lins, Jorge Drexler, Jorge Palma, Sara Tavares, Pedro Jóia e Mario Pacheco.

Com “Riû”, Cuca fez mais de 50 espetáculos nos últimos três meses em Portugal e no mundo e recebe as melhores críticas dos media.

Pompeu Martins, Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Fafe, reconhece que “este será, sem dúvida, um grande concerto. Temos recebido em Fafe diversos do nomes do panorama musical nacional, e também internacional, que nos têm presenteado com espectáculos memoráveis.

O nosso objectivo é continuar a proporcionar momentos especiais ao público, trazendo ao Teatro Cinema nomes tão relevantes e acarinhados, como até então temos feito.

No próximo mês, é a vez de ouvirmos Fado em Fafe com um nome incontornável, Cuca Roseta. Será certamente um concerto especial!”

Recorde-se que o concerto tem inicio marcado para as 21h30 e os bilhetes já estão à venda na Loja Interactiva de Turismo.

WEB-CUCA-POST-01.jpg

HARMOS FESTIVAL TRAZ TRÊS CONCERTOS A BRAGA

A Cidade de Braga volta este ano a estar na rota do HARMOS Festival, um conceito único em todo o espaço europeu que reúne os melhores alunos das mais conceituadas escolas superiores do mundo.

Harmos 2.jpg

A realizar de 7 a 11 de Março, o HARMOS Festival inclui três concertos em Braga que estão agendados para os dias 9, 10 e 11 de Março na Capela da Imaculada Conceição (Seminário Menor), no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian e no Auditório Vita, respectivamente. Os concertos decorrem sempre às 21h30.

Além de Braga, o HARMOS Festival inclui este ano concertos na Casa da Música, em Albergaria-a-Velha, Barcelos, Lousada e Santa Maria da Feira que contam com a participação de artistas dos cinco continentes.

O HARMOS é ainda o palco privilegiado para masterclasses, conferências e projectos de envolvimento comunitário, que fazem do conceito HARMOS um motor cultural em todos os contextos em que marca presença. O HARMOS pretende ser sempre “um projecto aberto e flexível às mudanças que o possam tornar ainda mais apelativo para os seus públicos, assumindo-se como uma proposta cada vez mais internacional”, explica a Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo, entidade organizadora do festival.

Detentor do selo EFFE (Europe for Festivals, Festivals for Europe, sob a égide da Comissão Europeia e da Associação Europeia de Festivais), tem sido reconhecido como um festival de referência nacional e internacionalmente e apoiado por um conjunto importante de parceiros.

Mais informações em www.harmos.eu

EMMY CURL REALIZA CONCERTO EM PONTE DA BARCA

A Casa da Cultura de Ponte da Barca apresenta o concerto de Emmy Curl, no dia 25 de fevereiro

No próximo sábado, dia 25 de fevereiro, às 22h, e no âmbito do projeto da autarquia de Ponte da Barca 'Música em Casa', a Casa da Cultura recebe o concerto de Emmy Curl. 

Emmy Curl, a cantora e compositora de Vila Real que nos últimos anos tem sabido criar um lugar muito especial na indie pop nacional, editou no final de 2014 o seu primeiro álbum intitulado “Navia”, que se seguiu aos bem recebidos EPs “Origins” (2012), “Birds Among the Lines” (2010) e Ether (2007).

Se nestes discos Catarina Miranda, nome de nascença da criadora agora radicada no Porto, definiu a sua identidade musical de forma delicada mas firme, respeitando as suas raízes, em “Navia” promete ir mais além. Deusa dos rios e da água na mitologia galaica e lusitana, com forte implantação no Norte de Portugal, onde de resto esteve por trás do batismo do Rio Neiva, Navia é agora evocada por Emmy Curl.

Os bilhetes custam 2€ e estão à venda na Casa da Cultura e na Loja Interativa de Turismo.

CÂMARA DE CAMINHA E SERRALVES VÃO PROMOVER PROGRAMA EDUCATIVO MÚSICA E PALAVRA’NO DIA 6 DE MARÇO

Ação de formação dirige-se a técnicos e professores

A Câmara Municipal de Caminha e a Fundação de Serralves vão promover a ação de formação ‘Programa Educativo Música e Palavra’, no âmbito da exposição ‘Música e Palavra: Obras da Coleção de Serralves’. Esta ação dirige-se a técnicos e professorese pretende-se dinâmica, direcionada aos conteúdos da exposição, e relacionada com a experiência prévia de cada um dos participantes e temáticas de interesse transversal à sociedade contemporânea. A ação de formação vai decorrer no Museu Municipal de Caminha, no dia 6 de março.As inscrições terminam no final do mês.

bateria 2017.jpg

Recorda-se que a exposição “Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” está patente ao público, até ao dia 16 de abril, em vários espaços culturais da vila: Museu Municipal, Galeria de Arte Caminhense, o edifício do antigo Posto de Turismo e a Torre do Relógio. Esta é a primeira exposição que Caminha tem patente enquanto “Vila Serralves”.

Esta ação de formação de componente teórica foi pensada para os agentes de mediação que estarão relacionados com a exposição, com a possibilidade de ser mais abrangente e incluir docentes da região, assim como agentes culturais locais ou outros interessados. Os interessados deverão efetuar a respetiva inscrição até final de fevereiro, através do email museu@cm-caminha.pt.

Joana Mendonça, dos Serviços Educativos do Museu de Serralves, é a responsável pela conceção e orientação desta ação de formação.

No ‘Programa Educativo Música e Palavra’ serão debatidas questões profundas sobre como nasce um artista, ou que processos são estes que levam à legitimação das obras, uma crítica à forma de estar social e humana, experiências com a linguagem e a palavra escrita, assim como a materialização de uma obra de arte cujo meio de expressão é o som. Preocupações relacionadas com a dificuldade de integrar peças de arte sonora no mundo das artes plásticas iminentemente visuais: o som não se vê, não se toca, mas a forma como se experiencia pode influenciar profundamente a forma como entendemos arte contemporânea.

Quanto à exposição “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” é de referir que reúne instalações e objetos visuais e escultóricos que empregam o som como suporte principal. Desde a visão estética do acontecimento sonoro ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, a exposição revela as dimensões associativas e sociais do som no mundo contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora e a catarse associada à estética frenética do videoclipe delimitam um percurso de diferentes propostas transversalmente ligadas para além de geografias e gerações. Trata-se de uma produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

SANDY KILPATRICK & THE ORIGINS BAND ACTUAM EM PONTE DE LIMA

18 de Fevereiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

No próximo sábado, dia 18 de Fevereiro, o músico Sandy Kilpatrick actua no Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima pelas 21h30.

sandy_4x3_.jpg

Neste concerto, Sandy Kilpatrick viaja pelo seus últimos trabalhos, aproveitando ainda para apresentar o seu mais recente single "Whispering Wind" do álbum "Confessions from The South", uma homenagem a Portugal e que será editado a 17 de Março.

Este espectáculo no Teatro Diogo Bernardes será também uma das primeiras apresentações ao vivo da The Origins Band, banda que agora acompanha Sandy Kilpatrick nesta nova fase artística e que se juntou ao artista para este seu novo álbum.

"Confessions from The South" é o primeiro de um conjunto de quatro álbuns homenagem a diferentes países que, de alguma forma, marcaram a vida de Sandy Kilpatrick. O primeiro projeto é sobre Portugal e os restantes passaram por países como Irlanda, Escócia e Noruega.

Destaque-se ainda que o tema “Stand United With Your Brothers”, que faz também parte do último trabalho, foi inspirado em e é dedicado a Ponte de Lima.

Sandy Kilpatrick é um cantor e compositor escocês, que vive em Portugal há 15 anos mas que se considera como um cidadão do mundo. Casado com uma portuguesa, Sandy vê Portugal como a sua segunda casa, tendo sido aqui que os seus dois filhos nasceram e foram criados.

Parece assim natural que ele seja entendido como parte da comunidade musical portuguesa, e este novo álbum representa esse longo caminho para fortificar a sua ligação com o país que o acolheu – “Confessions from The South” é um álbum homenagem, inspirado pelas surpreendentes paisagens de 10 locais diferentes em Portugal: de Sagres ao Gerês, passando por Ponte de Lima, como não podia deixar de ser.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

MOMO (MARCELO FROTA) + DANI BLACK & MARIANA AYDAR ATUAM EM PONTE DE LIMA

17 de Fevereiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

A música brasileira será a estrela na próxima sexta-feira, 17 de Fevereiro, às 21h30, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, que apresenta três grandes nomes – Momo (Marcelo Frota) + Dani Black & Mariana Aydar –, os quais são detentores de carreiras reconhecidas internacionalmente.

momo_dany_mariana_mupi_2_.jpg

Na sequência do espectáculo levado a efeito no São Luiz Teatro Municipal, em Lisboa, no presente mês de Fevereiro, denominado Avenida Paulista, evento que promove e divulga em Portugal nomes emergentes da música brasileira com muitas e boas provas dadas, nomeadamente, a acompanhar alguns dos mais reconhecidos projectos musicais brasileiros, o Teatro Diogo Bernardes, aproveitando esta excelente oportunidade da presença dos artistas em Portugal, irá exibir a actuação de alguns desses nomes  - Momo (Marcelo Frota). oriundo do Rio de Janeiro via Lisboa, será o responsável pela primeira parte do espectáculo, o qual se concretizará com um concerto inédito que juntará dois grandes músicos de São Paulo, Mariana Aydar e Dani Black.

Momo abrirá a noite com as íntimas canções que compõem o seu novo álbum, produzido por cá por Marcelo Camelo. O cantor, que conta com gente como David Byrne ou Patti Smith entre a sua legião de admiradores, é criador de canções fundas, plenas de alma e lirismo, que arrebatam quem lhes concede a atenção que exigem.

Mariana Aydar regressará a esta montra da modernidade brasileira depois de ter marcado presença em 2011 na Avenida Paulista ao lado de talentos emergentes como Raf Vilar, Thiago Petit ou Tulipa Ruiz. A aplaudida voz de Pedaço de Uma Asa trocará canções em palco com o jovem compositor Dani Black que tem dado hinos às novas gerações brasileiras a partir de São Paulo, como aconteceu com o hit viral “Trono de Estudar”, que resultou em versões de gente como Chico Buarque ou Arnaldo Antunes, por exemplo. Cumplicidade made in São Paulo para um concerto que se prevê único e imperdível.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

UGURU_maryanadani_ponte_de_lima (Small).png