Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MARIZA CANTA EM VIANA DO CASTELO

image004

O CONCERTO DA MARIZA AGENDADO PARA AS 17H00 DO DIA 22 DE OUTUBRO, POR MOTIVOS DE FORÇA MAIOR, SERÁ DIA 21 DE OUTUBRO ÀS 17HORAS

Informamos que os bilhetes para o concerto da MARIZA, a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo, dia 21 de outubro, às 17h00, estão disponíveis para venda a partir de hoje,dia 19 de setembro, 9h00.

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda:

               Segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00

               Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00

               Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo, entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada.          

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 15€ plateia | bancada

NOTA IMPORTANTE | reservas por e-mail:

  • Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, para o  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt, (indicando Nome, NIF e lugar pretendido - plateia ou bancada), enviados a partir das 9h00 (todos os emails que entrarem antes das 9h00 do dia 19 de setembro não serão válidos). Estas reservas serão  consideradas por ordem da hora de chegada.

Após confirmação da disponibilidade, o levantamento dos mesmos deverá ser efetuado no dia seguinte, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

BARCELOS REALIZA FESTIVAL DE JAZZ

Jazz ao Largo termina com sessões de free jazz

O Festival Jazz ao Largo chegou ontem ao fim. Ao longo de quatro noites, nas ruas de Barcelos, o som mais ouvido foi o jazz. Ao contrário do ano passado, em que o jazz esteve presente nas sextas-feiras do mês de setembro, este ano foram cinco dias dedicados em exclusivo a um género musical que deleita um grande número de seguidores com um cartaz de luxo que contou com grupos nacionais de renome, reunindo as tendências atuais do jazz nacional.

La La La Ressonance

De 13 a 17 de setembro houve lugar para workshops, sessões de free jazz, cinema ao ar livre com o Filme Bird de Clint Eastwood (parceria com a Zoom), concertos de Tim Tim por Tim Tum, Coreto Porta Jazz, Susana Santos Silva + Jorge Queijo, Gabriel Ferrandini + Pedro Sousa e ainda um concerto especial dos barcelenses La La La Ressonance, inspirado na obra do gigante Charles Mingus a convite do festival.

Com diferentes sons e animação à mistura, ao longo de três noites, o Largo Dr. Martins Lima reuniu um grande número de apreciadores deste género musical que fizeram questão de reservar o seu lugar.

O Jazz ao Largo é um festival que dispensa apresentações. Realizado pelo segundo ano consecutivo, tem vindo a conquistar e cativar o público barcelense.

BANDAS FILARMÓNICAS PEREGRINAM A FÁTIMA

Fátima convida à festa e fala-nos de um Deus que "dá sentido à dor e abre horizontes ao amor”, afirma o Pe. Vítor Coutinho

Na Missa da Peregrinação Jubilar das Bandas Filarmónicas foi tocada a marcha “Fátima”, da autoria do maestro Amílcar Reis, em estreia absoluta

O Santuário de Fátima acolheu este sábado a Peregrinação Jubilar das Bandas Filarmónicas, com a presença de 35 bandas e, durante a Missa, no Recinto de Oração, o vice-reitor do Santuário sublinhou a importância da música na vida das pessoas e da igreja em particular.

unnamed

“A música põe-nos em sintonia com os irmãos e ajuda-nos a rezar todos juntos como sendo um só corpo, como assembleia orante. A música torna o nosso louvor mais solene e desperta em nós emoções que nos abrem horizontes novos”, disse o Pe. Vítor Coutinho.

A partir de uma citação do papa Bento XVI, na qual afirma que a música nasce da experiência do amor e da dor e da experiência do encontro com Deus, o sacerdote sublinhou a importância da música e do canto em Fátima “porque sem música e sem canto ficamos mais distantes da experiência que aqui nos é oferecida”.

Na homilia da Missa celebrada durante a Peregrinação Jubilar das Bandas Filarmónicas, uma iniciativa integrada nas celebrações do Centenário das Aparições, que reuniu na Cova da Iria mais de 1600 músico, provenientes de 13 dioceses de Portugal continental, o vice-reitor do Santuário elogiou a presença das bandas filarmónicas  que “faz suscitar um belo ambiente de festa e reforça a alegria da celebração”.

“Em Fátima há sempre um convite à festa, porque nos sentimos em casa e porque a vida ganha aqui outro sabor”, acrescentou sublinhando que “é festa porque junto do Coração de Maria experimentamos de forma renovada a alegria de nos entregarmos a Deus, ao Deus que nunca nos abandona”.

A partir do Evangelho deste Sábado, que nos apresenta Jesus, crucificado, acompanhado por Maria, Sua Mãe, pelo discípulo amado (João) e por algumas mulheres que se mantiveram fiéis à relação que tinham com o Senhor, o sacerdote  afirmou que a cruz  "é imagem de todos os dramas da história" e representa "todos os humilhados e sofredores do mundo" bem como os que "se sentem longe de Deus ou  os que duvidam da Sua presença".

 “A dúvida sobre a força do amor também nos atormenta a nível pessoal, caros Amigos. Quem de nós não deseja ter alguém na vida com quem possa contar sempre? Quem de nós não deseja viver amores e amizades de fidelidade inquestionável?”, interpelou o sacerdote sublinhando a importância de compreendermos que a vida é feita de adversidades – “a cruz diz-nos que o amor implica a dor”- mas Deus “nunca abandona os que ama”.

“Tal como o Evangelho, Fátima fala-nos de amor e de sofrimento e fala-nos do Deus que dá sentido à dor e abre horizontes ao amor”, disse o Pe. Vítor Coutinho.

O vice-reitor do Santuário lembrou a terceira parte do chamado Segredo de Fátima, que fala de um povo que caminha em direção a uma cruz, ao lado da qual está Nossa Senhora, destacando que a figura da Mãe de Deus junto à cruz “é imagem daquilo que acontece na realidade: nas cruzes da vida humana, Maria está sempre presente, com o seu cuidado materno, a garantir-nos que Deus não deixa de nos acompanhar com o seu amor terno”.

“Também em Fátima, Maria é a Mãe junto à cruz: é Aquela que se coloca ao lado da humanidade destruída pelo ódio e ferida por tantas dores. Em Fátima, Maria é a Mãe que se apresenta com um coração capaz de acolher todas as nossas preces, com um coração onde nos podemos refugiar e onde encontramos consolo" disse ainda.

“Em Fátima, a Virgem Maria reforça em nós a certeza de que o nosso Deus é Alguém com quem podemos contar sempre: Ele não desiste da humanidade e nada O fará afastar-se de nós, de cada um de nós. Em Fátima, Maria mostra-nos um Deus que se preocupa com os aflitos da humanidade e com a humanidade aflita. Temos um Deus que se aflige e preocupa, um Deus que tem coração, um Deus que «enxuga as nossas lágrimas»”.

Durante a Missa foi tocada a marcha ‘Fátima’, da autoria do capitão Amílcar Morais, em estreia por esta ocasião.

Em nota explicativa, o autor realça que “a mensagem de Fátima traz não só a mensagem da alegria e convite à conversão, mas é também um desafio da fé vivida e testemunhada”.

Um dos momentos mais singulares desta celebração no Recinto de Oração foi o acompanhamento do andor de Nossa Senhora- na entrada e no adeus- por duas filarmónicas, constituídas por 70 músicos cada uma, representando todas as filarmónicas presentes na Peregrinação Jubilar.

No período da manhã, decorreram os desfiles fora do Santuário, em dois pontos distintos, dos quais partiram as bandas: Rotunda da Rodoviária Nacional e Rotunda de Santo António, a norte e a sul, respetivamente.

Os desfiles culminaram na Capelinha das Aparições, onde cada banda fez a sua saudação individual. Ao final da manhã, as Bandas foram acolhidas na Capelinha e em conjunto tocaram três temas de saudação a Nossa Senhora: “Bendizemos o teu nome”, “Sobre os braços da Azinheira” e o refrão do “Hino do Centenário”.

Na ocasião,  o vice-reitor do Santuário afirmou que a celebração deste Centenário ficaria incompleta se não houvesse um momento de festa como este.

“Como poderia a celebração deste Centenário não contar também com esta vossa presença, de bandas filarmónicas, que todas as semanas, por todo o País contribuem para o ambiente de festa de tantas comunidades e ajudam muitas comunidades cristãs a celebrar as festas da sua fé?”, interpelou o Pe. Vitor Coutinho.

“Com arte e com alma, «com a tuba e a trombeta», como diz a Sagrada Escritura, elevaremos ao Senhor uma prece de gratidão e de louvor”, prosseguiu destacando, por outro lado, que “celebrar aquilo que alimenta a nossa alma e que preenche o nosso coração faz-nos olhar com confiança para o futuro e dá força à nossa esperança”.

“Façamos festa, com tudo o que temos e somos. Celebremos na alegria a bondade do Senhor”, exortou o vice-reitor.

CERVEIRA RECEBE FESTIVAL DE BANDAS DE MÚSICA

Sonoridades filarmónicas vão encher o centro histórico cerveirense

É já este domingo, 17 de setembro, que a ‘Vila das Artes’ recebe o XII Festival de Bandas de Música, com um rico programa de intercâmbio cultural através da música.

Cartaz Festival Bandas 2017

Organizado pela Cervaria - Associação Cultural e Recreativa, com o apoio do Município de Vila Nova de Cerveira, o evento conta com a participação de cinco bandas que após um desfile pelas ruas do centro histórico, preparam um grande concerto a partior das 15h00. Este ano, as vandas convidadas são: Banda Musical de Monção, Banda Bingre Canelense, Banda de Música de Antas, União Filarmónica do Troviscal e Banda Nova de Fermentelos.

O evento tem um encerramento muito singular, com todas as bandas a interpretar a Marcha de Valdemar Sequeira, “Ponte da Amizade”.

Referência no Norte de Portugal e Galiza, o Festival de Bandas de Vila nova de Cerveira alia a música aos conceitos de tradição, intercâmbio cultural e convívio, resultando no sucesso que, ano após ano, atrai largas centenas de pessoas.

MARIZA CANTA EM VIANA DO CASTELO

image001

Os bilhetes para o NOVO concerto da MARIZA, a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo, dia 22 de outubro, pelas 17h00, serão colocados à venda no próximo dia 19 de setembro, a partir das 9h00.

LOCAIS DE VENDA:

Teatro Municipal Sá de Miranda:

Segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00

Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00

Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo,  entre as 14h00 e as 17h00, se a lotação não estiver  esgotada.

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 15€ plateia |bancada

NOTAS IMPORTANTES:

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, para o  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt, (indicando Nome, NIF e lugar  pretendido - plateia ou bancada), a partir das 9h00 (todos os emails que entrarem antes das 9h00 não serão válidos).

O levantamento deverá ser efetuado no dia seguinte e após confirmação da disponibilidade, caso contrário a reserva  ficará sem efeito.

  • Não há lugares marcados.

MARIZA CANTA EM VIANA DO CASTELO

Os bilhetes para o concerto da MARIZA, a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo, dia 21 de outubro, serão colocados à venda no próximo dia 12 de setembro, a partir das 9h00.

LOCAIS DE VENDA:

Teatro Municipal Sá de Miranda:

Segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00

Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00

Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo, entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 15€ plateia | bancada

Reservas por e-mail

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, para o  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt, (indicando Nome, NIF e lugar pretendido - plateia ou bancada), enviados a partir das 9h00 (todos os emails que entrarem antes das 9h00 do dia 12 de setembro não serão válidos). Estas reservas serão consideradas por ordem da hora de chegada.

Após confirmação da disponibilidade, o levantamento dos mesmos deverá ser efetuado no dia seguinte, 13 de setembro, até às 13h00, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

image001

BANDAS FILARMÓNICAS PEREGRINAM A FÁTIMA

Santuário de Fátima acolhe 1750 músicos em Peregrinação Jubilar das Bandas Filarmónicas. Iniciativa inserida nas celebrações do Centenário das Aparições vai encher Cova da Iria de música

O Santuário de Fátima acolhe no próximo dia 16 de setembro, a Peregrinação Jubilar das Bandas Filarmónicas. A iniciativa inserida nas celebrações do Centenário das Aparições de Fátima, vai trazer cerca de 40 bandas filarmónicas com 1750 músicos à Cova da Iria. Estas quatro dezenas de bandas são oriundas de 16 dioceses de Portugal.

unnamed

Em declarações à Sala de Imprensa do Santuário de Fátima, o Pe. Joaquim Ganhão, coordenador da peregrinação, desafia todos os peregrinos a “virem cantar as maravilhas de Deus”, neste ano que tem sido vivido com um “grande Magnificat”.

“As bandas filarmónicas têm no nosso país uma missão e um lugar muito significativo de missão com a Igreja e sobretudo com a piedade mariana. Muitas das festas que de norte a sul acontecem são festas dedicadas a Nossa Senhora e muitas dessas bandas participam nessas procissões e ainda tocam nas igrejas e missas”, explicou o Pe. Joaquim Ganhão.

Segundo o coordenador, “será um dia atípico naquilo que é a normal vivência do Santuário de Fátima, o que mostra o interesse e a atenção para com esta peregrinação”.

Este dia dividir-se-á em dois momentos: a manhã dedicada aos desfiles e saudações individuais, e a tarde dedicada à eucaristia no Recinto de Oração.  

No período da manhã, os desfiles iniciarão fora do Santuário, em dois pontos distintos, dos quais partirão as bandas em direção ao Santuário: Rotunda da Rodoviária Nacional e Rotunda de Santo António, a norte e a sul do Santuário, respetivamente.

“Esta iniciativa vai encher a cidade de música ao longo de toda a manhã, expressão de que este Centenário tem sido vivido em festa, não só em Fátima, mas na Igreja e no Santuário. Um dos objetivos era levar a expressão sonora além dos limites do Santuário”, disse o Pe. Joaquim Ganhão.

O Parque nº 12, com localização centralizada relativamente aos dois pontos referidos, estará reservado aos autocarros e viaturas que transportem intervenientes na peregrinação. Partindo do parque nº 12, as bandas deslocar-se-ão, a pé, até aos pontos de partida dos desfiles.

Os desfiles culminarão na Capelinha das Aparições, onde cada banda fará a sua saudação individual.

Às 12:00 haverá uma saudação conjunta na Capelinha das Aparições, com três músicas: “Bendizemos o teu nome”; “Sobre os braços da Azinheira” e o refrão do “Hino do Centenário”.

Após o tempo livre para almoço decorrerá a eucaristia, às 15:00, no Recinto de Oração. As bandas acompanharão musicalmente durante a missa apenas a procissão de entrada e de saída da Imagem de Nossa Senhora.

Vão integrar a procissão de entrada e a procissão final cerca de 160 músicos, de todas as 40 bandas presentes.  

Durante a celebração vai soar a marcha “Fátima”, da autoria do Capitão Amílcar Morais, em estreia por esta ocasião. Segundo a nota do autor “esta mar­a solene escrita para banda filarmónica é uma composição musical com propositada abordagem ao modo dórico, linguagem musical gregoriana que faz parte da essência do canto monódico da liturgia da Igreja”.

“A mensagem de Fátima traz não só a mensagem da alegria e convite à conversão, mas é também um desafio da fé vivida e testemunhada. A música ajuda a testemunhar isso mesmo, por ser um veículo privilegiado, vejamos a experiencia do Francisco com a sua flauta e mesmo a Bíblia convida a louvar o Senhor ao som da música”, conclui o coordenador.

Para o Pe. Vitor Coutinho, Coordenador da Comissão Organizadora do Centenário das Aparições de Fátima, “pareceu ao Santuário de Fátima que seria significativo convidar para uma peregrinação jubilar todas as bandas filarmónicas do nosso País. As bandas filarmónicas são instituições com uma história exemplar de serviço à comunidade, de ensino da música e de participação na vida de muitas paróquias, nomeadamente nas festas e celebrações religiosas”.

“O programa inclui, para além das celebrações litúrgicas, um momento único de congregação de bandas filarmónicas, no local onde há 100 anos a Virgem Maria apareceu aos Pastorinhos, com o propósito de louvar o Senhor”, reitera o Pe. Vitor Coutinho.

Recorde-se que no passado dia 17 de junho, o Santuário de Fátima convidou os coros litúrgicos a uma peregrinação jubilar onde foi estreada a obra «Magnificat», do compositor Fernando Lapa, no âmbito da celebração do Centenário das Aparições de Nossa Senhora. 

FEIRAS NOVAS DE PONTE DE LIMA JUNTAM TOCADORES DE CONCERTINA PARA BATER RECORDE DO "GUINESS"

Feiras Novas 2017: Concertinas saem à rua para bater recorde do “Guiness”

Escutam-se por todo o lado. Tocadas por jovens ou adultos, homens ou mulheres, as concertinas são alma da festa que começa a 8 e termina a 11 de setembro, em Ponte de Lima.

553669_458396947514958_70200169_n

Depois da última edição das Feiras Novas ter aberto com quase cinco centenas de tocadores, a Vila mais antiga de Portugal propõe-se este ano a entrar para o Guiness, com o maior número alcançável de pessoas a tocar “Ó Linda Rosinha” em concertina.

Embora agendadas de 8 a 11 de setembro, as Feiras Novas agitam a Vila mais antiga de Portugal desde o dia 6 do mesmo mês, já que a abertura “solene” da romaria está marcada para as 22h00 da referida quarta-feira.

O recorde bate-se pelas 22h30 da referida data, e qualquer um pode tomar parte do acontecimento que porventura registará o nome de Ponte de Lima no Guiness Book of Records, pelo que basta aparecer meia hora antes, acompanhado de concertina, na ponte medieval.

Num balanço perfeito entre tradição e inovação, estas festas com 191 anos, conciliam na noite de 6 de agosto, a tentativa de Record, um desfile e arruadas. Destaque ainda para o espetáculo de Videomaping, que projeta ainda mais estórias nas paredes do Largo de Camões.

Na quinta-feira, dia 7 de Setembro, das 22h00, às 04h00, as Feiras Novas dividem-se por vários palcos. Destaque para o Largo de Camões, que a partir das 22h00 recebe a Banda de Música de Estorãos e a Banda Musical de Monção. Desde a mesma hora, até à madrugada de dia 8 de agosto, a Expolima é palco do “Summer Music Fest”, com “Chinelos com Vida”.

O Fado ecoa pelo Largo da Lapa, a partir das 21h00 de 8 de setembro, com Fado de Coimbra do grupo Fado ao Centro. Ao Fado, seguem-se pelas 22h00 Concertos de Tunas: Afonsina; Hinoportuna; TESA; TUNESA; e Spestuna.

Simultaneamente, pelas 22h00, em pleno Largo de Camões, a Banda de Música da Casa do Povo de Moreira de Lima, e Banda de Música de Rio Mau (Penafiel) vão estar em Concerto.

Mas como as Feiras Novas não são reféns de um único palco, ainda simultaneamente, pelas 22h00, iniciam-se na Expolima os tradicionais Cantares ao Desafio, pela voz de Zé Cachadinha e seus Amigos.

Para fechar a noite de sexta, das 00h00 às 06h00, o “Summer Music Fest” continua na Expolima com Jonh Mayze & Miguel Faria e Mastiksoul.

Na manhã de sábado, 9 de setembro, às 08h30, no Picadeiro grande da Expolima decorre o Concurso pecuário. E no Largo de Camões, rusgas, cantares, bandas, concertinas, bombos e desgarradas, prolongam-se dia adentro. Pelas 16h00 do mesmo dia, o Cortejo Etnográfico, mostra do que de mais genuíno existe no nosso concelho.

Decorre em paralelo pelas 16h30, na Expolima, uma corrida de garranos.

Chegada a noite, o Centro Histórico transforma-se num momento de singular cultura popular, que culmina às 00h30 com uma magnífica sessão de fogo-de-artifício. Novamente até às 06h00, em plena Expolima decorre o “Summer Music Fest”, com Dumore e Wao.

O “Domingo de Feiras Novas” começa novamente bem cedo, já que a partir das 08h30, rusgas, cantares, bandas, concertinas, bombos, desgarradas, e gigantones animam a Vila, até o tão esperado Cortejo Histórico, sob o tema “Crenças, lendas e narrativas - Visitas e passagens régias em Ponte de Lima”.

Pelas 18h00 a Expolima recebe uma tourada, e noite adentro a animação prolonga-se um pouco por todos os espaços da Vila. Destaque para o Festival de Folclore a partir das 21h30, no Centro Histórico, e novamente para o “Summer Music Fest” com Steven Rod, e claro, para a sessão de fogo-de-artifício.

A Última Feira Franca decorre na segunda-feira, 11 de setembro. O dia é Consagrado às Solenidades Religiosas em honra de Nossa Senhora das Dores – Padroeira das Festas, pelo que pelas 10h30, na Igreja Matriz, decorre a Missa solene com Sermão em Sua Honra. Também pelas 16h30, decorre em pleno Centro Histórico, a Procissão em honra da Padroeira, com muito figurado alegórico, confrarias, Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima e Associações locais.

Estas são só algumas das muitas atividades que nestes dias matizam a Vila, cabe ao visitante descobri-las ao virar de cada esquina.

MONÇÃO REALIZA CONCERTO NOISERV NO CINE TEATRO JOÃO VERDE

16 de setembro, sábado, pelas 21h30. A entrada é gratuita, sendo necessário apresentação de bilhete que poderá ler levantado na Loja Interativa de Turismo, Praça Deu-la-Deu (T. 251 649 013).

Noiserv

O Cine Teatro João Verde recebe no dia 16 de setembro, sábado, pelas 21h30, um concerto de Noiserv. A entrada é gratuita, sendo necessário apresentação de bilhete que poderá ler levantado na Loja Interativa de Turismo, Praça Deu-la-Deu (T. 251 649 013).

Neste espetáculo, Noiserv apresenta o seu novo registo discográfico “00:00:00:00”, sucessor de “Almost Visible Orchestra”, sendo descrito pelo músico lisboeta como “a banda sonora para um filme que ainda não existe mas que talvez um dia venha a existir”.

Com quase 12 anos de existência, Noiserv, projeto de David Santos, apelidado de “homem-orquestra” ou banda de um homem só, tem vindo a afirmar-se como um dos mais estimulantes e interessantes projetos da nova geração de músicos portugueses.

No currículo conta com o bem-sucedido disco de estreiaOne Hundred Miles from Thoughtlessness” (2008), o EP “A Day in the Day of the Days” (2010) e “Almost Visible Orchestra” (2013), recentemente reeditado internacionalmente pela editora francesa Naive, casa-mãe de projetos como Yann Tiersen, M83, entre muitos outros.

O concerto insere-se na programação da iniciativa “Universidade Invisível”, da Comédias do Minho, a qual engloba ainda, nos dias 15 e 16, a ação de formação “Que música é Esta?” e o filme “In between the notes” seguido de conversa de porta aberta, na Biblioteca Municipal de Monção, e a peça de teatro “Dama pé de mim”, no Cine Teatro João Verde.

BOM JESUS DO MONTE É IMAGEM DO FESTIVAL INTERNACIONAL DE POLIFONIA PORTUGUESA

Que passa pelo Porto, Braga e Coimbra, entre 31 de agosto e 10 de setembro

A Fundação Cupertino de Miranda promove o Festival Internacional de Polifonia Portuguesa que oferece concertos, visitas e um seminário, e tem como imagem oficial o Bom Jesus do Monte, de 31 de agosto a 10 de setembro.

festival_internacional_de_polifonia_portuguesa

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a fundação com sede em Vila Nova de Famalicão informa que a basílica do Santuário do Bom Jesus do Monte, obra-prima do Barroco na Arquidiocese de Braga, vai receber um dos concertos do Festival Internacional de Polifonia Portuguesa, a 8 de setembro.

O programa da Fundação Cupertino de Miranda prevê um total de sete concertos, sete visitas guiadas e um seminário, com convidados das áreas da arquitetura, da arte barroca e da música polifónica.

Entre 31 agosto e 10 de setembro, o programa do festival vai percorrer ainda as igrejas de São Lourenço (Grilos), logo no primeiro dia com um ‘Sermão do Padre António Viera’, por Luís Miguel Cintra, prémio Árvore da Vida 2017 do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura da Igreja Católica.

Depois vão visitar a igreja de São Gonçalo de Amarante, na Diocese do Porto, e na Arquidiocese de Braga as igrejas de São Victor e a de Santa Maria de Landim, em Vila Nova de Famalicão.

Na Diocese de Coimbra, a sala do capítulo do Mosteiro de Santa Cruz vai receber o seminário ‘o barroco e a polifonia em Portugal’ a partir das 14h30, de 2 de setembro, com diversos oradores.

Em Coimbra, o diretor da Cappella Musical Cupertino de Miranda, Luís Toscano, vai apresentar ‘Magnificat anima mea Dominum - O Cântico de Maria no Livro de Vésperas de Santa Cruz de Coimbra’; A participação é gratuita mas sujeita a inscrição online e a confirmação por parte da organização do evento.

A Fundação Cupertino de Miranda dinamiza o Festival Internacional de Polifonia Portuguesa pelo sétimo ano consecutivo e o vai integrar pela primeira vez a igreja do Mosteiro de Grijó, em Vila Nova de Gaia, na Diocese do Porto.

Fonte: CB/Agência Ecclesia

Foto: Fundação Cupertino de Miranda

NOITE BRANCA DE BRAGA IMPLEMENTA PLANO DE MOBILIDADE E SEGURANÇA

Público pode usufruir do evento com todo o conforto, tranquilidade e segurança

Prevendo-se uma elevada afluência de pessoas na Noite Branca de Braga 2017, que se realiza entre os dias 1 e 3 de Setembro, a Câmara Municipal de Braga decidiu implementar um dispositivo especial de socorro e assistência (DESA), por forma a garantir que este evento marcante para o Concelho, se realize de forma segura e protegida.

1

Conforme explicou Vítor Azevedo, chefe da Divisão Municipal de Protecção Civil, numa conferência de imprensa que se realizou hoje, dia 30 de Agosto, foi elaborado um Plano de Coordenação Municipal de forma a assegurar a coordenação institucional adequada para uma resposta eficiente às necessidades de segurança, protecção, socorro e assistência que se venham a registar, nomeadamente na capacidade de intervenção rápida e eficiente, em coordenação integrada e intersectorial entre todas as Entidades e Forças envolvidas. Deste modo, afirmou, está assegurada a resposta às situações de emergência pré-hospitalar, operações de desencarceramento, combate a incêndios e evacuações primárias e secundárias.

3

O referido Plano prevê a implementação de um Posto de Coordenação (onde estarão em permanência nos períodos de maior afluência oficiais de ligação da Divisão de Protecção Civil, Cruz Vermelha Portuguesa, INEM, Bombeiros, PSP, Polícia Municipal e Organização), a existência de um Posto de Socorro Avançado, cinco Ambulâncias de Socorro, quatro equipas apeadas de emergência pré-hospitalar e um veículo de combate a incêndios, meios estes assegurados pela Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, Bombeiros Voluntários de Braga e Delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa.

Pedro Colaço, subintendente da Polícia de Segurança Pública, referiu que esta força de segurança terá todas as suas valências no terreno, desde investigação criminal, trânsito, equipas de intervenção rápida, segurança privada e unidade especial de polícia (corpo de intervenção). O responsável da PSP sublinhou ainda que todas as artérias que vão dar ao centro da Cidade estarão condicionadas por barreiras fixas e por elementos da PSP, à semelhança do reforço de segurança já adoptado nas festas de S. João. “Todas as precauções foram tomadas para garantir a segurança de quem pretende usufruir do evento”.

No que se refere às acessibilidades, Teotónio Santos, administrador dos TUB, referiu que a empresa municipal estará no terreno com uma ´grande operação´ que envolve, em cada dia, 12 autocarros e 24 motoristas. O público poderá deixar o seu carro num dos três interfaces à entrada da Cidade (Estádio Municipal de Braga. Hipermercado E.Leclerc e Avenida Robert Smith) e viajar com os TUB por apenas 1€ (ida e volta). O tempo médio de espera é de 5 minutos entre as 19:00 e as 05:00.

Também a CP se associa ao evento com uma promoção de 2 €, ida e volta por pessoa, nos Comboios Urbanos do Porto, com origem em qualquer estação da rede e destino a Braga, válido entre as 12h00 de dia 1 de Setembro e o dia 3 de Setembro.

Cláudia Leite, responsável pela organização da Noite Branca, salientou que o objectivo passa por garantir que as pessoas usufruem da programação do evento de forma confortável, feliz, tranquila e segura. “Este é um evento para toda a família e queremos que estejam salvaguardas todas as questões de segurança e de circulação para que se possa usufruir do evento com toda a liberdade e tranquilidade”, referiu.

4

BARCELOS DESTACA JAZZ E BLUES NA PROGRAMAÇÃO DE SETEMBRO

Jazz e Blues animam a programação de setembro do Teatro Gil Vicente

O Teatro Gil Vicente abre portas no mês de setembro, estendendo a sua programação para o palco sobre o Rio Cávado, nos dias 1, 2 e 3 com o Festival River Blues. Os concertos iniciam-se a 1 de setembro,  com a banda barcelense QUANTIC MODE e os bracarenses BUDDA POWER BLUES. No sábado, 2 de setembro, é a vez da banda nacional JUST SOUL ORCHESTRA se apresentar com sons da Soul Music e do Funk. No último dia do Festival, a 3 de setembro, será lançado o novo álbum de originais de ANTÓNIO MÃO DE FERRO, um dos mais importantes guitarristas portugueses.

AgendaSetembro

Os festivais não ficam por aqui. Entre os dias 13 e 17 de setembro é a vez do Largo Dr. Martins Lima receber o JAZZ AO LARGO. Este ano, o evento conta também com sessões de free jazz na Frente Ribeirinha da Azenha, no dia 16, às 15h e às 17h, e no dia 17, às 17h.

A música continua no Gil Vicente nos dias 8, com Pierre Chacal; 23, com o barcelense “Homem em Catarse”, na apresentação do seu primeiro álbum a solo; e, no dia 29, com o guitarrista barcelense João Dias, que apresenta o seu primeiro concerto num espaço fechado.

No primeiro dia do mês, o Teatro recebe a exposição de postais “Barcelos no Tempo – 89ª Aniversário da Elevação de Barcelos a Cidade”, da Associação de Coleccionismo de Barcelos – ACOBAR, que estará patente até 10 de setembro. A fotografia também terá o seu espaço reservado no átrio do Gil Vicente com a exposição “Max Vadukul na Coleção EI”, inserida no Festival Encontros da Imagem, que celebra este ano trinta anos da sua fundação-

O espaço cénico recebe nos dias 9 e 10 e 16 e 17 formações em cenografia por Luís Santos, numa parceria do Município de Barcelos com A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos.

“Livros a Mexer” é o título da atividade dedicada aos seniores, no dia 13, com o workshop de dança e literatura por Pedro Carvalho e, no dia 17, é a vez das famílias se dedicarem à dança e ao cinema com o workshop “O filme que eu danço”. Os mais novos podem agendar o dia 24 para assistir à peça “Arlequim Recicla Assim”, pela Companhia de Teatro de Santo Tirso.

No dia 18, às 18h, tem lugar uma palestra dedicada ao Autismo, inserida no The Son-Rise Program®. Uma iniciativa da Associação Vencer Autismo em colaboração com a  Câmara Municipal de Barcelos.

E a sétima arte preenche sete dias da programação do mês de setembro, começando no dia 2 com a apresentação dos trabalhos dos alunos da oficina de verão “Quem Conta um Conto”, que teve lugar na Galeria Municipal de Arte, no âmbito das férias escolares. Nos dias 7, 13, 14, 21 e 28, a Associação ZOOM traz os filmes “Contos da Lua Vaga”, “Bird – O Fim do Sonho”, “O Intendente Sansho”, “A Rua da Vergonha”. E no dia 10 de setembro há lugar para as Moondog Sessions com “Jesus the Snake ao vivo nas ruínas de Conímbriga”.

Os bilhetes para assistir aos espetáculos no Teatro podem ser adquiridos no local, ou através de reserva por e-mail (tgv@cm-barcelos.pt) ou telefone (253 809 694).

Consulte no cartaz os espetáculos pagos e gratuitos.

FAMALICÃO RECEBE FESTIVAL DE POLIFONIA

Festival Internacional de Polifonia Portuguesa passa por Famalicão

O Festival Internacional de Polifonia Portuguesa está de regresso marcado a Vila Nova de Famalicão. A iniciativa, que vai já na sua sétima edição, decorre de 31 de agosto a 10 de setembro, vai percorrer seis cidades do país e tem agendado para o dia 9 de setembro, uma visita guiada e um concerto na igreja do Mosteiro de Landim, no concelho famalicense.

Organizado pela Fundação Cupertino de Miranda, o festival volta a promover o melhor do repertório da polifonia nacional com a realização de sete concertos e visitas guiadas, um sermão e ainda um seminário sobre o Barroco e a Polifonia em Portugal, a ter lugar no próximo dia 2 de setembro, em Coimbra.

Todos os concertos são de entrada gratuita e contarão com a participação da Capella Musical Cupertino de Miranda (CMCM) acompanhada pelo organista Claudio Astronio e pelo grupo Ludovice Ensemble.

Mais informações em http://festivalpolifoniafcm.wixsite.com/viifipp

FAMALICÃO DÁ MÚSICA

“First Breath After Coma” encerram Devesa Sunset

O disco “Drifter” valeu aos portugueses First Breath After Coma a nomeação, no início deste ano, para o prémio de “Álbum do Ano” da IMPALA - Associação de Empresas de Música Independente. A banda de Leiria, composta por Roberto Caetano, Telmo Soares, Rui Gaspar, Pedro Marques e João Marques, atua esta sexta-feira, 25 de agosto, no Parque da Devesa, no encerramento da iniciativa Devesa Sunset.

Devesa Sunset (1).jpg

O concerto está marcado para as 19h00, junto ao lago do parque, e tem entrada livre.

Promovido anualmente durante o mês de agosto pela Câmara Municipal de Famalicão, recorde-se que a edição deste ano do Devesa Sunset contou com as atuações do brasileiro Momo, no dia 4, dos Birds Are Indie, no dia 11, e do músico gambiano Mbye Ebrima, no dia 18.

FAMALICÃO: CELTIBEROS REGRESSAM AO MINHO

Festival “Sons da Celtibéria” realiza-se este fim-de-semana em Landim

É na freguesia de Landim, em Vila Nova de Famalicão, que vai ter lugar, este fim-de-semana, a quinta edição do festival Sons da Celtibéria.

Grupo Pauliteiros de Miranda vai marcar presença no Sons da Celtibéria.jpg

A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal com o apoio da junta de freguesia local, realiza-se esta sexta e sábado, dia 25 e 26 de agosto, na Alameda do Mosteiro, tem entrada gratuita e promete voltar a trazer o universo celta para a agenda cultural do concelho famalicense.

A edição deste ano dos Sons da Celtibéria arranca com uma arruada pelas ruas da aldeia ao som do Grupo Zés P’reiras “Os Delaenses”. Do programa do evento constam ainda as atuações dos Hot Air Baloon e dos Folk 5, no dia 25, e dos galegos “Milésios” e do Grupo Pauliteiros de Miranda, no dia 26.

Destaque ainda para a habitual mostra de produtos da terra que se realiza nos dois dias do certame, entre as 14h00 e as 24h00, com o melhor do artesanato e da gastronomia local.

Recorde-se que a iniciativa “Sons da Celtibéria” nasceu em 2013 com o objetivo de promover a fruição e um novo olhar sobre a música tradicional do país e da região então denominada Celtibéria. O ritmo, a linguagem popular, o uso de instrumentos, como o violino, a harpa, a gaita de foles, os tambores em pele e as flautas, são elementos indissociáveis deste conceito musical que a autarquia famalicense pretende preservar e promover através desta atividade.

OS FINS DE TARDE MAIS QUENTES DO VERÃO VÃO ESTAR NO ESPAÇO GUIMARÃES

Nos dias 20 e 27 de agosto e 3 de setembro o Centro Comercial Espaço Guimarães será palco de animados sunsets entre as 16h00 e as 20h00 O Espaço Guimarães quer oferecer o spot perfeito para um final de tarde com os amigos. Estão programadas 3 sessões de sunset, na zona exterior da esplanada, dia 20 e 27 de agosto e dia 3 de setembro entre as 16h00 e as 20h00. As três sessões serão animadas por nomes conhecidos da música para dançar – Chinelos com Vida, Meninos de Coro e The End.

Meninos de coro (3).JPG

O Espaço Guimarães quer oferecer o spot perfeito para um final de tarde com os amigos. Estão programadas 3 sessões de sunset, na zona exterior da esplanada, dia 20 e 27 de agosto e dia 3 de setembro entre as 16h00 e as 20h00.

As três sessões serão animadas por nomes conhecidos da música para dançar – Chinelos com Vida, Meninos de Coro e The End. Os Chinelos com Vida marcarão presença já no dia 20 de agosto, com o seu estilo musical Afro Beatz.

O objetivo é que toda a alegria dos povos latino africanos ganhe vida na pista de dança do Espaço Guimarães. Dia 27 de agosto, a festa fica por conta dos Meninos de Coro. Oriundos da cidade berço do nosso país, esta dupla promete não deixar mal quem queira dar um pezinho de dança ao som das suas vibrações e sonoridades.

the end_.jpg

O último dia de sunset, 3 de setembro, contará com a presença dos The End. Esta tarde será passada divertidamente com vários géneros musicais como pano de fundo. Os Djs, com uma experiência rica pelo mundo, tocam música Rock, Reggae, Funk, Hip-Hop e outros, com tudo para agradar a todos.

Os sunsets são de livre acesso a todos os que queiram relaxar e divertir-se com amigos, ou apenas para tomar uma bebida refrescante. O espaço está preparado para qualquer tipo de diversão, com boa música e bom ambiente

Chinelos com vida (1).JPG

Sobre o Espaço Guimarães

Centro comercial localizado na zona oeste da cidade de Guimarães e inaugurado em Novembro de 2009, é atualmente gerido pela Klepierre. Com uma ABL de 48.000 m2, distribuídos por dois pisos, o espaço disponibiliza 130 espaços comerciais, lojas e restaurantes de referência nacional e internacional, incluindo 11 lojas âncora como Zara, H&M, Sport Zone, New Yorker, entre outras, para além de um hipermercado Jumbo de cerca de 16.000 m2.

O Espaço Guimarães tem ainda um parque de estacionamento gratuito, exterior e coberto, que oferece mais de 1900 lugares de estacionamento.

O Espaço Guimaraes posiciona-se como um centro comercial moderno e de última geração, com uma originalidade arquitectónica que agrega dois formatos complementares: um Centro Comercial e um Retail Park de 7.000 m2, que permitem ao visitante ter acesso a uma zona de lojas de maior dimensão e, simultaneamente, uma maior diversidade de ofertas de qualidade.

Para mais informações consultar www.espacoguimaraes.pt

Sobre a Klepierre Portugal

O Grupo Klepierre, especialista europeu em Centros Comerciais, é um dos líderes indiscutíveis no mercado de imobiliário de retalho da Europa.

A empresa proporciona às principais marcas um conjunto de ativos distribuídos por 16 países da Europa Continental, que atraem mais de 150 milhões de visitantes por ano.

Com um portfólio avaliado em 22,1 mil milhões de euros e tendo como o seu principal acionista a Simon Property Group, a Klepierre dispõe de uma grande experiência no desenvolvimento e gestão ativa de Centros Comerciais, tornando-se no parceiro ideal para as grandes cadeias de retalho, como para os operadores e comunidades locais. Com uma preocupação contínua na inovação da sua oferta comercial, no entretenimento e orientação para o cliente, o know-how que detém permite-lhe oferecer a melhor solução de gestão para centros comerciais, galerias comerciais e retail parks respondendo sempre às exigências de um mercado extremamente competitivo.

Em Portugal, está presente no mercado há onze anos, destacando-se as propriedades do Parque Nascente no Porto, do Espaço Guimarães em Guimarães e do Aqua Portimão no Algarve, propriedade do Minho Center em Braga, Gaia Jardim em Vila Nova de Gaia e os Centros Comerciais Continente de Loures e de Telheiras, bem como a gestão de outros ativos comerciais para terceiros.

Mais informações sobre o Grupo Klépierre em www.klepierre.com

EG_Sunsets_IG_1080x1080_logo.png

FAMALICÃO LEVA MÚSICA AO PARQUE DA DEVESA

Música ao pôr-do-sol na Devesa

É no Parque da Devesa, ao som de boa música e num ambiente descontraído, que os famalicenses têm passado as primeiras horas do fim de semana.

Sunset Parque da Devesa - Filho da M+úe 015.jpg

Promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o Devesa Sunset arrancou no início deste mês e até ao final de agosto  conta ainda com mais duas sessões. 

A próxima decorre já nesta sexta-feira, dia 18, ao som do gambiano Mybe Ebrima, que aos dezasseis anos descobriu na "kora ", instrumento musical africano, uma espécie de forma de vida. Atualmente a viver em Lisboa, é por cá que Mybe Ebrima tem vindo a mostrar a sua música, tanto a solo como com o seu quarteto.

O Devesa Sunset termina no próximo dia 25 de agosto. o encerramento da edição deste ano do evento cabe à banda "First Breath After Coma", nomeados em 2016 pela Associação Europeia de Editoras Independentes para "Melhor Disco Europeu". 

Os concertos decorrem a partir das 19h00, junto ao lago do Parque da Devesa.

Sunset Parque da Devesa - Filho da M+úe 018.jpg

Sunset Parque da Devesa - Valter Lobo 023.jpg