Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GUIMARÃES PROMOVE DOÇARIA E MÚSICA RELIGIOSA

ENTRE 03 E 05 DE ABRIL

Doçaria no Convento e Festival de Música Religiosa de Guimarães promovidos no Norte e em Espanha

Ações promocionais do destino Guimarães estão integradas numa estratégia de alavancagem do turismo na região. Oportunidade permitirá divulgar doçaria conventual.

Guimaraes_Docaria_Festival_Musica_Religiosa.jpg

A Câmara Municipal de Guimarães vai realizar, no início do mês de abril, três ações promocionais de dois eventos que decorrerão na Páscoa, período de especial afluxo de turistas. A edição deste ano da Doçaria no Convento e o segundo Festival de Música Religiosa de Guimarães serão promovidos em Espanha e em dois espaços do Norte do país de elevada afluência.

No dia 03 de abril, o Município de Guimarães, reconhecendo a importância do turismo para a economia nacional, em particular para a vimaranense, estará presente na Loja Interativa de Turismo do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, com a realização de uma ação de promoção das duas iniciativas, enquanto no dia seguinte marcará presença na Loja Interativa de Santiago de Compostela e no dia 05 de abril no Porto Welcome Center.

Estas ações permitirão ainda a divulgação e promoção da doçaria conventual vimaranense, através de uma mostra e degustação das Tortas de Guimarães e do Toucinho do Céu, assim como a divulgação dos vinhos produzidos no concelho, sob a forma de um Welcome Drink, que receberá todos os visitantes. Os doces e vinhos para a degustação são oferta das empresas Clarinha, Adega Cooperativa de Guimarães, Quinta do Ermízio, Sociedade Agrícola S. Gião e Casa de Sezim.

BANDAS FILARMÓNICAS DÃO FESTIVAL EM TERRAS DE BOURO

Núcleo Museológico encheu para a inauguração da exposição sobre a Banda Musical de Carvalheira e festival filarmónico

Com a presença de um vasto público, o Núcleo Museológico de Campo do Gerês acolheu, a 26 de março, a inauguração da exposição “Memórias da Banda Musical de Carvalheira”.

filarmtbou (1).JPG

O acontecimento, que nas palavras do Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Dr. Joaquim Cracel, “muito honra e dignifica o concelho pela importância histórica e social da Banda Musical de Carvalheira que já existe há 178 anos em Terras de Bouro”, foi também abrilhantado pela terceira edição do Festival de Bandas Filarmónicas de Terras de Bouro, evento musical contou com as brilhantes atuações da Banda Musical de Carvalheira e da Banda de Música de S. João da Madeira.

filarmtbou (2).JPG

filarmtbou (3).JPG

filarmtbou (4).jpg

filarmtbou (5).jpg

filarmtbou (6).JPG

filarmtbou (7).JPG

filarmtbou (8).JPG

filarmtbou (9).JPG

filarmtbou (10).JPG

filarmtbou (11).JPG

filarmtbou (12).JPG

filarmtbou (13).JPG

filarmtbou (14).JPG

filarmtbou (15).JPG

FAFE ACOLHE CICLO DE CANTAUTORES

Glen Hansard dá o mote para da 3ª edição do 48/20 - Ciclo de Cantautores

O premiado cantautor irlandês, vencedor de um Óscar da Academia para Melhor Canção Original com o filme “Once”, abrirá o 48/20 para um concerto no Teatro Cinema de Fafe, no próximo dia 4 de Abril.

glen_poster_a3-01.jpg

O 48/20, ciclo de concertos que convida exclusivamente cantautores, com o seu foco na componente autoral e de interpretação bem como no uso da palavra realiza-se em vários espaços da cidade e não podia deixar de convidar Glen Hansard que traz na bagagem o seu último álbum nomeado para um Grammy “Didn’t He Ramble” bem como os temas de trabalhos anteriores, como é o caso de Swell Season que integrou o aclamado filme independente “Once” no qual participou como actor principal com Marketa Irglova. 

É uma proposta cultural para a cidade e região envolvente num espetáculo imperdível.

De lembrar que já passaram pelas edições anteriores nomes como Manel Cruz, Samuel Úria, B Fachada, Sandy Kilpatrick, Momo, The Wooden Wolf, entre muitos outros.

Os restantes artistas que integrarão o 48/20 de 2017 serão anunciados brevemente.

Os bilhetes estão à venda na Loja interactiva de Turismo de Fafe. 

BRAGA COMEMORA DIA DO PIANO

Comemorações do ‘Piano Day’ no âmbito da Semana do Piano

Amanhã, Terça-feira, 28 de Março, pelas 10h30, junto à escadaria do Braga Parque

O Município de Braga convida o vosso órgão de Comunicação Social a acompanhar as comemorações do ‘Piano Day’ que terão lugar amanhã, Terça-feira, 28 de Março, pelas 10h30, junto à escadaria do Braga Parque.

A iniciativa irá contar com a presença da vereadora da Cultura, Lídia Dias.

Esta é uma actividade inserida no programa da Semana do Piano organizada pelo Município de Braga em parceria com o Conservatório Calouste Gulbenkian cujo objectivo é colocar o Piano no centro da atenção da cidade num convite à fruição de momentos excelentes para todos.

À volta do ‘Piano Day’, dia celebrado em todo o mundo ao 88º dia do ano, coincidindo com as 88 teclas do piano, desenvolvem-se actividades de carácter pedagógico e de fruição estético-artística. A celebração do ‘Piano Day’ será marcada com concertos ao longo de todo no Braga Parque.

MUSIC FOR ALL SESSIONS \\ TOCA – PAPILLON AO VIVO EM BRAGA

As Music For All Sessions \\ TOCA continuam a levar a Braga o melhor da música nacional e internacional! Depois de um concerto memorável do quarteto escocês Ded Rabbit é a vez dos portuenses Papillon subirem ao palco do TOCA!

papill (1).jpg

Com um EP, homónimo, e dois singles de sucesso, “Engraçado (Já Não Há Pai P’ra Mim)” e o recente “Conceição”, chegou finalmente a vez de se fazerem à estrada e apresentarem ao vivo as suas novas criações! Com uma sonoridade entre o jazz, o funk e o pop e letras profundas e trabalhadas como imagem de marca, esta é a banda do laçarote. Estes são os Papillon!

Papillon é um laço. Ponto um. Ponto dois: também é um grupo de gente que faz música sem juízo. Os Papillon são feitos de gente e gostam de laços, porque os laços são coisas que ligam. Além disso os laços lembram qualquer coisa fora do tempo e os Papillon gostam disso: de não haver tempo, nem etiquetas, nem juízos. Nem juízo. Os Papillon são gente de laços.

Com música de perder o juízo. Compostos por Joana Manarte (voz), Pedro Silva (baixo), João Mascarenhas (teclas), Rui Ferreira (bateria), Raul Manarte (guitarra), Tiago Ferreira (trombone), Luís Macedo (trompete) e Pedro Gomes (saxofone), estrearam-se ao vivo em 2014, no Porto.

Resultado de múltiplas influências estéticas, os Papillon proporcionam um espetáculo cheio de energia, significado e vitalidade, sendo comum o concerto acabar com o público a dançar. Os elementos da banda juntam-se trazendo a experiência de outros projetos, desde a música clássica ao jazz, dos blues ao funk, do pop ao rock, entre outros estilos, em trabalhos de composição, interpretação e performance.

Entre a sua estreia em palco no Plano B (Porto) e, mais recentemente, a passagem pela final do EDP Live Bands, têm tido concertos no Porto e em Guimarães, com destaque para o Hard Club, uma das principais casas de música ao vivo da Invicta. Também foram convidados para integrar o Porto Swing Jam por dois anos consecutivos, onde tiveram a oportunidade de participar num evento de Lindy Hop (novamente no Hard Club), em concertos pensados para dançar. A destacar também as atuações televisivas no Porto Canal, no palco do programa “Portugal 3.0” da RTP2, no Festival Croka’s Rock em Castelo de Paiva e no MEO Marés Vivas, já em 2016. Em 2017 voltaram ao espaço que inicialmente os acolheu, o Plano B, para apresentar as canções do seu EP de estreia.

As letras são um dos pontos fortes do projeto, chamando a atenção até do ouvido mais desatento e as reações dos ouvintes têm sido de surpresa e identificação com os textos e as músicas. No palco vê-se uma banda que transparece uma relação cúmplice entre os elementos e um compromisso comum: criar uma atmosfera positiva, contagiante e envolvente com o público e com a música.

O EP de estreia, homónimo, já se encontra no mercado digital sob o selo da Music For All.

Papillon_EP Artwork (1).jpg

NOITES DE SEXTA E SÁBADO IMPERDÍVEIS NO VALADARES, TEATRO MUNICIPAL DE CAMINHA

Concertos de Artur Caldeira (Guitarra) e Daniel Pereira Cristo em Quinteto (Cavaquinho Cantado)

As próximas noites de sexta-feira e sábado são verdadeiramente imperdíveis, para quem gosta música. Pelo palco do Valadares, Teatro Municipal de Caminha vão passar, respetivamente, Artur Caldeira e Daniel Pereira Cristo em Quinteto. Na primeira noite, a guitarra será rainha, enquanto o “Cavaquinho Cantado” é o tema de sábado.

Na sexta-feira, dia 24 de março, pelas 21h30, o palco será de Artur Caldeira, que traz a Caminha um concerto de guitarra, numa organização da Academia de Música Fernandes Fão, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e Ministério da Educação.

Natural de Braga, Artur Caldeira é licenciado em Guitarra Clássica e Mestre em Interpretação Artística pela ESMAE, onde é atualmente professor. Premiado em vários concursos, fundou o grupo “Som Ibérico”, para o qual escreveu vários arranjos de temas da Música Popular Urbana Portuguesa. Com este grupo participou em importantes festivais de World Music na Península Ibérica e gravou um CD. Em Música de Câmara trabalhou ainda com José Pina e Jed Barahal.

A sua versatilidade permite-lhe abordar um repertório que abrange diversos idiomas musicais, incluindo o Jazz. Destaca-se também pela sua ligação ao Fado, tendo acompanhado fadistas como Carlos do Carmo, Mariza e João Braga, entre outros.

Sábado, dia 25 de março, a partir das 22h00, tem lugar o concerto “Cavaquinho Cantado”, de Daniel Pereira Cristo em Quinteto. A organização é da Arca de Sons – Associação Cultural, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha e MusicTrad. Os bilhetes estão à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora. Mais informações em: 937591220

Desde muito cedo na sua vida, que os instrumentos tradicionais e os cordofones em particular, fazem parte da existência e da música do Daniel. O seu percurso a solo, começa com um desafio vindo da Galiza (para que mostrasse as sonoridades dos cordofones tradicionais em várias localidades, destacando-se o concerto no Teatro Rosalía de Castro) e com o convite de Júlio Pereira, para fazer um trabalho discográfico, com a chancela da Associação Cultural Museu Cavaquinho, que aliasse o Canto com o Cavaquinho.  Em trio, com o concerto “Cordofonias”, explorou as sonoridades dos instrumentos ancestrais da tradição minhota, do cavaquinho à braguesa, passando pelo bandolim, fazendo uma viagem ora por sons da tradição oral, nas músicas cantadas, ora pelos instrumentais que compõe.

É de toda esta amalgama de experiências e vivências que surge este concerto, para apresentação deste “Cavaquinho Cantado”, com Diogo Riço na Bandola, André NO nas Percussões e David Estêvão no Contrabaixo, aos quais se junta um quinto elemento para a formação completa em quinteto.

Este concerto caracteriza-se pela alegria da junção dos dois velhos conhecidos, o canto e o cavaquinho, como personagens centrais de um todo que, se pretende, seja sentido como uma abordagem nova e contemporânea da música e instrumentos de identidade. Música Étnica do Noroeste Português e Peninsular, como gosta de chamar-lhe. A produção musical está a cargo do técnico e multi-instrumentista Hélder Costa, com Sérgio Lajas no desenho de luz.

BORIS CHIMP 504 + HOLY NOTHING ATUAM EM PONTE DE LIMA

24 de Março – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Na próxima sexta-feira, 24 de Março às 22h00, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, apresenta dois dos projectos mais vanguardistas da música electrónica portuguesa, com a primeira parte a ser assegurada por Boris Chimp 504 e a segunda pelos Holy Nothing, nomes que têm um reconhecimento digno de destaque em território nacional e também além fronteiras, com tours e participações em festivais, eventos e salas de renome internacional.

boris_holy_4x3_.jpg

No caso do primeiro projecto, trata-se de uma performance audiovisual que recria a história do chimpanzé cosmonauta Boris 504, lenda urbana da engenharia espacial segundo a qual foi enviado pelos soviéticos para a Lua em 1969, ficando para sempre preso no espaço sideral.

Miguel Neto (áudio) e Rodrigo Carvalho (visuais) combinam assim a síntese sonora e as linguagens gráficas de modo a criar uma experiência imersiva entre a realidade e a ficção, explorando conceitos que vão desde a física quântica à literatura SciFi.

Para além deste formato Live Act, também têm vindo a realizar uma série de instalações interativas, marcando presença em festivais como o Sonar (Barcelona), Mira (Barcelona), Mutek (Barcelona, Santiago de Chile), LPM (Roma) e as Fashion Weeks de Paris e Milão.

Do universo electrónico chegam os Holy Nothing, projeto do Porto, composto por Pedro Rodrigues (voz e groovebox), Samuel Gonçalves (baixo, guitarra e drum pad) e Nelson Silva (sintetizadores e drum pad) que desde 2013 se movimentam pelos caminhos infinitos da música electrónica.

A banda mistura projeções com sintetizadores, sustenta a palavra com imagens impactantes e funde música e cinema numa realidade expressiva bastante complexa. Com a ajuda de Bruno Albuquerque e João Pessegueiro (videomapping) e Rui Monteiro (desenho de luz), os Holy Nothing criaram um ambiente especial para os seus concertos.

Com o aclamado EP de 2014 ‘Boundaries’ na bagagem, o grupo lança em 2015 o seu álbum de estreia ‘Hypertext’. O resultado de um ano intenso de composição e experimentação é aquilo que poderão testemunhar numa actuação com várias referências unificadas no método muito próprio dos Holy Nothing construírem canções.

Hypertext foi apresentado em festivais como NOS Primavera Sound, SXSW em Austin, Texas e, muito recentemente, o Eurosonic 2017 em Groningen.

O segundo álbum está prometido para 2017.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

VIANA DO CASTELO RECEBE CONCERTO "REQUIEM DE MOZART"

Concerto REQUIEM DE MOZART - 7 ABRIL, Centro Cultural | 21h30

Os bilhetes para o concerto REQUIEM DE MOZART, a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo, dia 7 de abril, estão disponíveis para venda.

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

       Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

              Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo, entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada.

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 5€ (plateia) | 5€ (bancada)

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt (indicando nome e NIF), com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

Não há lugares marcados.

vianamoz.jpg

CAMINHA: SONICBLAST REGRESSA A MOLEDO

O SonicBlast volta a Moledo, concelho de Caminha, para a sua 7.ª edição e a organização acaba de anunciar mais sete nomes que vão atuar em Moledo nos dois palcos que compõem o recinto, o Pool Stage e o Main Stage.

moledooo (1).jpg

O festival que se assume como um encontro perfeito entre praia, piscina, surf, skate e muito rock acaba de adicionar mais sete nomes ao seu cartaz: The Machine, Death Alley, Blaak Heat, Löbo, Toxic Shock, Vinnun Sabbathi e Holy Mushroom.

Desde os repetentes The Machine, que atuaram quatro anos atrás na 3ª edição do SonicBlast Moledo, a novas apostas de bandas na vanguarda da inovação como os Blaak Heat, estes sete nomes juntam-se a um cartaz que contava já com nomes como: Orange Goblin, Kadavar, Elder, Sasquatch, Monolord, Kikagaku Moyo, entre outros.

moledooo (2).jpg

A localização privilegiada do SonicBlast Moledo continua a fazer dele uma das datas mais marcantes no calendário de festivais de música no norte do país. Com os concertos da tarde a serem feitos no recinto da piscina e com a praia de Moledo apenas a 5 minutos do recinto, este Festival prima pelo contacto direto com o que a natureza tem para oferecer. O parque de campismo, incluído no Passe Geral, insere-se também num pinhal junto à praia.

O passe geral para o SonicBlast custa 42€ até junho, data em que os preços serão atualizados. Os bilhetes diários custam 28€.

Os bilhetes para o SonicBlast Moledo estão à venda em toda a rede BOL e associados: Bilheteira Online, Lojas FNAC, Worten, CTT.

Mais informações:

Bilhetes:

BOL: http://bit.ly/2mXfVC9

Masqueticket: http://bit.ly/2nhgbfT

Passe Geral: 

- 42€ (até 30 de junho)

- 48€ (até 31 de julho)

- 55€ (Agosto)

Bilhete Diário: 28€

Confirme outros pontos de venda aqui.

Informação sobre o recinto

Localizado no Centro Cultural de Moledo, o SonicBlast Moledo tem dois palcos, uma piscina, bares e zona de restauração (comida tradicional e vegetariana/vegana).

O campismo situa-se no pinhal do camarido, junto à praia, a 5 minutos a pé do recinto.

Onde Fica:

Rua da Costa

4910 Moledo, Caminha

Como chegar:

  • Carro: A partir do Porto através da A28; de Tui (Espanha)/Valença do Minho pela N13 - saída Moledo do Minho.  GPS: 41.848062 - 8.860192
  • Autocarros: Directos do Porto ou Lisboa até Caminha (vila que dista 3 km de Moledo do Minho)
  • Comboio: Desde o Porto, comboio em direcção a Valença/Vigo (Estação "Moledo do Minho"; estações próximas "Vila Praia de Âncora" e "Caminha").
  • AeroportoVigo(Espanha) e Aeroporto Sá Carneiro (Porto)

Confirma mais informação sobre o festival no site oficial do SonicBlast Moledo

moledooo (1).png

BANDAS FILARMÓNICAS DÃO FESTIVAL EM TERRAS DE BOURO

No próximo dia 26 de março, o Núcleo Museológico de Campo do Gerês acolherá, pelas 14h30, a inauguração da exposição “Memórias da Banda Musical de Carvalheira”, efeméride que será também abrilhantada pela terceira edição do Festival de Bandas Filarmónicas de Terras de Bouro.

O espetáculo musical contará com a presença da Banda Musical de Carvalheira e da Banda de Música de S. João da Madeira.

Organização: Município de Terras de Bouro e Banda Musical de Carvalheira.

III-Festival-de-Bandas-filarmónicas.jpg

EXPO SAÚDE EM PONTE DE LIMA RECEBE 3 CONCERTOS MUSICAIS

CAPITÃO FAUSTO – 17 DE MARÇO / 21H30. FIRST BREATH AFTER COMA + YOU CAN’T WIN, CHARLIE BROWN – 18 DE MARÇO / 21H30. III EXPO SAÚDE / JUVENTUDE – EXPOLIMA – PONTE DE LIMA

Integrados na programação da III Expo Saúde / Juventude, a decorrer na Expolima, em Ponte de Lima, de 16 a 19 de Março de 2017, serão realizados três concertos, com entradas gratuitas, que envolvem nomes vanguardistas da actual música portuguesa: Capitão Fausto, às 21h30 do dia 17 de Março e, no dia seguinte, sábado, cabe aos First Breath After Coma abrir a noite que encerrará com os You Can’t Win, Charlie Brown.

capitao_ycwcb_fbac_mupi_.jpg

A produção está a cargo do Teatro Diogo Bernardes e serão um dos vários concertos a efectivar no exterior, dando continuidade, de várias formas, às Comemorações dos 120 Anos do Teatro Diogo Bernardes, a decorrerem até 19 de Setembro de 2017.

2016 confirmou que os Capitão Fausto são, finalmente, uma aposta segura. Uma aposta no bom gosto musical e na sensibilidade apurada. Uma aposta na criatividade e no fulgor de uma banda que parece imparável. “Amanhã Tou Melhor” será seguramente um dos refrões mais cantados de 2016.

Em 2017 os Capitão Fausto apresentam o novo álbum. A mostrar a banda que renasce a cada disco, que se renova com o cuidado de quem quer construir uma carreira sólida, de uma forma aparentemente galopante mas sem o torpor do deslumbramento.

"Drifter" marcou, em 2016 o regresso dos First Breah After Coma aos discos, com salas cheias em Leiria, Porto, Coimbra e Lisboa. Contou com a colaboração de convidados como Noiserv e André Barros e, depois de aclamado pela crítica, valeu-lhes novas digressões onde pontuam passagens por salas como o Theatro Circo, CCB, Casa da Música e um palco principal no Festival Paredes de Coura. Lá fora marcam cidades como Madrid, Paris, Berlim, Amsterdão e Londres e são seleccionados para representar Portugal nos festivais Reeperbahn e Eurosonic.

Há dias atrás “Drifter” foi selecionado como candidato a melhor “Álbum Independente Europeu do Ano 2016 pela IMPALA, a associação que representa o sector da música indie na Europa”, cuja lista integra trabalhos como “A Moon Shaped Pool” dos Radiohead e “Freetown Sound” de Blood Orange.

Os You Can’t Win, Charlie Brown chegam a Ponte de Lima para apresentar o mais recente trabalho que lhes valeu os lugares cimeiros em variadíssimas listas de melhores do ano, nomeadamente o melhor disco nacional para a Rádio Radar, terceiro melhor disco para a Antena 3, 5º melhor para a Glam Magazine, entre tantas outras listas.

Por altura da edição de “Marrow”, o mesmo entrou para a liderança do top nacional de discos vendidos, lugar habitualmente tomado por outras sonoridades, revelando assim o potencial da banda lisboeta.

RITA REDSHOES ATUA EM FAFE

No próximo dia 29 de Março, a cantora portuguesa Rita Redshoes vai atuar no Teatro Cinema de Fafe.

Este é um espectáculo inserido nas 8.as Jornadas Literárias em Fafe que conta também com a participação da cantora numa conversa, durante a tarde, no Arquivo Municipal, sobre “O prazer de ouvir as palavras”.

_DSC3460b - FOTO BASE.jpg

O concerto revisitará memórias de trabalhos mais antigos e servirá de mote para a apresentação do seu recente álbum, 'Her'. Gravado em Berlim, nos estúdios Riverside, o novo álbum de Rita Redshoes teve a participação de alguns músicos de eleição: Knox Chandler (guitarra), Earl Harvin (baterista), Greg Cohen (baixista). Na produção, “Her” teve a condução de Victor Van Vugt, produtor do seminal disco de Nick Cave, “Murder Ballads”.

Os bilhetes estão à venda na Loja Interactiva de Turismo, a partir de segunda-feira.

TERRAS DE BOURO REALIZA FESTIVAL DE BANDAS FILARMÓNICAS

IIIº Festival de Bandas Filarmónicas e inauguração da Exposição "Memórias da Banda Musical de Carvalheira"

No próximo dia 26 de março, o Núcleo Museológico de Campo do Gerês acolherá, pelas 14h30, a inauguração da exposição “Memórias da Banda Musical de Carvalheira”, efeméride que será também abrilhantada pela terceira edição do Festival de Bandas Filarmónicas de Terras de Bouro.

 

O espetáculo musical contará com a presença da Banda Musical de Carvalheira e da Banda de Música de S. João da Madeira.

Organização: Município de Terras de Bouro e Banda Musical de Carvalheira.

III Festival Filarmónico 2017.jpg

ORQUESTRA DE CÂMARA DA GNR REALIZA CONCERTO EM VIZELA

Apresentação do livro Joaquim da Costa Chicória e concerto da Orquestra de Câmara da GNR

A Câmara Municipal de Vizela e a Fundação Jorge Antunes promovem a apresentação do livro Joaquim da Costa Chicória – Vida e Obra – estudo preliminar,  de Joaquim Ribeiro, no próximo dia 18 de março, pelas 16h30 no Auditório Luís Lopes Guimarães.

Livro e concerto GNR.jpg

A apresentação estará a cargo da Dra. Jenny Jerónimo Silvestre.

Depois da apresentação do livro, seguir-se-á um concerto da Orquestra de Câmara da GNR, onde será interpretada a obra Murmúrios do Vizela, do compositor vizelense Joaquim da Costa Chicória.

O concerto terá a regência do Sargento-chefe Músico Joaquim Ribeiro.

FAMALICÃO APRESENTA "CÂNTICOS DE BARBEARIA"

Musical “Cânticos de Barbearia” estreia esta quinta-feira em Famalicão

Ensaio aberto à comunicação social amanhã, terça-feira, 14 de março, pelas 15h00, na Casa das Artes de Famalicão

“Cânticos de Barbearia” nasceu do sonho de Carlos Tê fazer um musical sobre duas grandes figuras da musica popular portuguesa e brasileira do século XX - Tony de Matos e Lupicínio Rodrigues.

Cânticos de Barbearia.jpg

A peça, escrita e dirigida musicalmente pelo compositor português e encenada por Luísa Pinto da Narrativensaio, cria o encontro que nunca aconteceu entre estes dois músicos, numa barbearia da posteridade, onde durante um singelo corte de cabelo, Tony e Lupicínio põem as afinidades em dia e discutem o mecanismo e a função das dolorosas canções de amor, tema em que ambos se especializaram.

O espetáculo estreia esta quinta-feira à noite na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, onde vai estar em cena até ao dia 18 de março, sábado.

Antes, a produção convida a comunicação social a assistir a um ensaio aberto da peça, que decorrerá amanhã, terça-feira, dia 14 de março, pelas 15h00, no grande auditório da Casa das Artes.  

FICHA ARTÍSTICA

Texto e Direção Musical: Carlos Tê

Encenação, Cenografia e Figurinos: Luísa Pinto

Interpretação: Pedro Almendra, Allex Miranda e Filipa Guedes

Interpretação Musical: Eduardo Silva

Desenho de Luz: Bruno Santos

Máscara: Carlos Matos

Execução de adereços: José Lopes

Assistente de encenação: Ricardo Regalado

Assistente de Produção: Cláudia Pinto

Imagem Promocional: Daniela Santos

M/12

Duração: 70’

MINHOTOS LEVAM A FESTA À FEIRA SALOIA DE MOSCAVIDE

O Grupo Concertinas e Cantigas do Rancho Folclórico Verde Minho actuou esta tarde na Feira Saloia à Moda Antiga que decorre em Moscavide. Os minhotos levaram consigo as concertinas e os cavaquinhos e, com eles, soltando as mais alegres rapsódias do nosso folclore e, com alguma brejeirice, a alegria contagiante que sempre caracteriza as nossas gentes onde quer que se encontrem.

VM-Moscavide 2017-03-11 (21) (1).JPG

No jardim de Moscavide, dezenas de barraquinhas ofereciam as mais diversas iguarias provenientes de diferentes regiões do país, desde os enchidos de Lamego e os queijos da Serra da Estrela às alheiras de Mirandela e às fogaças de Santa Maria da Feira. E não faltou sequer uma artesão conferindo novas e coloridas formas ao típico galo de Barcelos feito apito-de-água.

A Freguesia de Moscavide, actualmente agregada à Freguesia da Portela, pertence ao concelho de Loures. O nome Moscavide deverá ter origem no topónimo árabe al-Masqba ou maskabat que significa “sementeiras” indica as características remotas da localidade. Porém, a paisagem rural cedeu o lugar sucessivamente à indústria e à urbanização operária e, mais recentemente, ao comércio e serviços, sobretudo de espaços de diversão nocturna, para o que contribuiu de sobremaneira a proximidade do Parque das Nações.

VM-Moscavide 2017-03-11 (22).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (23).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (24).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (25).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (29).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (32).JPG

 

VM-Moscavide 2017-03-11 (2).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (3).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (9).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (12).JPG

VM-Moscavide 2017-03-11 (13).JPG

BRAGA RECEBE CONCERTO DE JAZZ

Jazz em Braga: QUINTETO TALMOR – IRNIGER “COUNTERPOINTS” quinta 16 março 21h30 @ Pedro Remy

jazzbrag.jpg

QUINTETO TALMOR – IRNIGER “COUNTERPOINTS” NO ESPAÇO CULTURAL PEDRO REMY

Quinta-feira, 16 de Março, pelas 21h30, o espaço cultural Pedro Remy, em Braga, recebe o quinteto Talmor - Irniger “CounterpointS”.para uma apresentação do álbum Subway Lines (2016).

com 

Ohad Talmor - Sax Tenor 
Christoph Irniger -Sax Tenor 

André Fernandes – Guitarra

Demian Cabaud – Contrabaixo

Vinnie Sperrazza – Bateria

Ohad Talmor é um gigante compositor, arranjador, intérprete e líder, nascido em França, com raízes em Israel, cresceu na Suíça e reside há longos anos em Brooklyn (EUA). A sua experiência passa por trabalhos ao lado dos músicos mais reconhecidos a nível internacional, como Dan Weiss, Lee Konitz, Jason Moran, Joshua Redman, Chris Cheek, Dave Douglas, Carla Bley, Kurt Rosenwinkel, Fred Hersh, Joe Lovano, entre tantos outros. Dedica-se ao estudo da música e herança hindustani, para além dos diversos projetos nos quais colabora como compositor e saxofonista, e lecciona em Geneve e em Nova York, juntando todas essas experiências e vivências como inspiração para a sua música.

Lidera este grupo com Christoph Irniger, um dos mais ativos músicos e compositores suíços, de destaque na sua geração, que conta já com seis discos como líder, de entre os mais de vinte títulos que gravou até agora.

CounterpointS irão apresentar Subway Lines, editado em 2016 pela Fresh Sound New Talent Records.

Imperdível!

Pedro Remy - Cabeleiro & Espaço Cultural

Rua D. Gualdim Pais, 40 (Junto à Sé)

4700-442, Braga

Com o apoio da RUM - Rádio Universitária do Minho

MUNICÍPIO DE CAMINHA E SERRALVES VÃO PROMOVER ‘PROGRAMA EDUCATIVO MÚSICA E PALAVRAS’ NO DIA 18 DE MARÇO

Ação de formação dirige-se a professores, agentes culturais e outros interessados

No âmbito da exposição ‘Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves’ patente ao público nos diversos espaços culturais do Município em Caminha, a Câmara Municipal e a Fundação de Serralves vão promover a ação de formação ‘Programa Educativo Música e Palavras’ no dia 18 de março. Esta ação dirige-se a professores, agentes culturais locais e outros interessados. Pretende-se dinâmica, direcionada aos conteúdos da exposição, e relacionada com a experiência prévia de cada um dos participantes e temáticas de interesse transversal à sociedade contemporânea. As inscrições ainda estão a decorrer.

exposição musica e palvras.JPG

Recorda-se que a exposição “Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” está patente ao público, até ao dia 16 de abril, em vários espaços culturais da vila: Museu Municipal, Galeria de Arte Caminhense, o edifício do antigo Posto de Turismo e a Torre do Relógio.  Esta é a primeira exposição que Caminha tem patente enquanto “Vila Serralves”.

Esta ação de formação de componente teórica vai ser orientada por Joana Mendonça, dos Serviços Educativos do Museu de Serralves, e vai decorrer no Museu Municipal de Caminha. Dirige-se para os agentes de mediação relacionados com a exposição, docentes da região, assim como agentes culturais locais ou outros interessados. Os interessados deverão efetuar a respetiva inscrição até através do email museu@cm-caminha.pt.

No ‘Programa Educativo Música e Palavras’ serão debatidas questões profundas sobre como nasce um artista, ou que processos são estes que levam à legitimação das obras, uma crítica à forma de estar social e humana, experiências com a linguagem e a Palavras escrita, assim como a materialização de uma obra de arte cujo meio de expressão é o som. Preocupações relacionadas com a dificuldade de integrar peças de arte sonora no mundo das artes plásticas iminentemente visuais: o som não se vê, não se toca, mas a forma como se experiencia pode influenciar profundamente a forma como entendemos arte contemporânea.

Quanto à exposição “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” é de referir que reúne instalações e objetos visuais e escultóricos que empregam o som como suporte principal. Desde a visão estética do acontecimento sonoro ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, a exposição revela as dimensões associativas e sociais do som no mundo contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora e a catarse associada à estética frenética do videoclipe delimitam um percurso de diferentes propostas transversalmente ligadas para além de geografias e gerações. Trata-se de uma produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

GRUPO FOLCLÓRICO DA UNIVERSIDADE DO MINHO ORGANIZA SEGUNDA EDIÇÃO "CANÇÃO BRACARENSE"

Segunda edição «Canção Bracarense» tem lugar no dia 12 de março pelas 15h na Igreja dos Terceiros

No próximo dia 12 de março (domingo) pelas 15 horas, irá ter lugar na Igreja dos Terceiros, a segunda edição da “Canção Bracarense”.

Cartaz_CB17.jpg

Depois do sucesso da primeira edição, o público é novamente convidado a iniciar uma viagem pelos cancioneiros bracarenses onde serão interpretados vários temas, desde o S. Martinho ao São João, passando pelos cantares de Natal e da Quaresma.

Organizada pelo Grupo Folclórico da Universidade do Minho (GFUM), a “Canção Bracarense” irá contar com a colaboração do Rancho Folclórico da Associação Cultural e Recreativa de Cabreiros e da Associação Cultural e Festiva “Os Sinos da Sé”.

GRUPO FOLCLÓRICO DA UNIVERSIDADE DO MINHO ORGANIZA SEGUNDA EDIÇÃO "CANÇÃO BRACARENSE"

Segunda edição «Canção Bracarense» tem lugar no dia 12 de março pelas 15h na Igreja dos Terceiros

No próximo dia 12 de março (domingo) pelas 15 horas, irá ter lugar na Igreja dos Terceiros, a segunda edição da “Canção Bracarense”.

Cartaz_CB17.jpg

Depois do sucesso da primeira edição, o público é novamente convidado a iniciar uma viagem pelos cancioneiros bracarenses onde serão interpretados vários temas, desde o S. Martinho ao São João, passando pelos cantares de Natal e da Quaresma.

Organizada pelo Grupo Folclórico da Universidade do Minho (GFUM), a “Canção Bracarense” irá contar com a colaboração do Rancho Folclórico da Associação Cultural e Recreativa de Cabreiros e da Associação Cultural e Festiva “Os Sinos da Sé”.

SEMANA DO PIANO TRAZ A BRAGA PEDRO BURMESTER E ARTUR PIZARRO

Iniciativa decorre de 23 a 30 de Março

Pedro Burmester e Artur Pizarro são os nomes maiores da Semana do Piano, uma iniciativa que o Município de Braga e o Conservatório Calouste Gulbenkian promovem entre os dias 23 e 30 de Março.

 

Cartaz Semana do Piano.jpg

A par dos concertos com pianistas consagrados, a Semana do Piano ficará marcada pela comemoração do Dia Internacional do Piano que se celebra a 28 de Março. Neste dia o piano ‘sai à rua’ para uma actividade que irá contar com a participação activa dos alunos do Conservatório e através da qual se pretende atrair o público e chamar à atenção para este instrumento com forte tradição.

Lídia Dias, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Braga, a Semana do Piano apresenta-se com um programa rico, atractivo e diferenciador. “O público terá a possibilidade de assistir a concertos com pianistas portugueses com carreiras internacionais ímpares e, no dia 28, teremos a celebração do ‘Piano Day’ que irá surpreender as pessoas que passarem pela rua do Castelo”, explica.

A Semana do Piano terá ainda uma forte componente pedagógica, com a realização de uma masterclass e do Concurso Regional de Piano. Segundo Ana Paula Carreira, professora do Conservatório, o concurso retoma uma tradição antiga desta instituição de ensino Bracarense que, no próximo ano, poderá alargar-se a alunos de todo o país.

A Semana do Piano começa com a vertente pedagógica, com a realização da masterclass orientada por Luís Pipa (23 e 24 de Março) e com o Concurso Regional de Piano (25 e 26 de Março). O primeiro concerto acontece no dia 25, às 21h30, no Auditório Vita, com a actuação de Artur Pizarro.

No dia 27, às 19h00, realiza-se o concerto de Bruno Ferreira, antigo aluno da instituição que em 2014/2015 foi o vencedor do Prémio Conservatório. No dia seguinte, a rua do Castelo irá receber as comemorações do ‘Piano Day’, com a participação dos alunos do Conservatório.

A Semana do Piano encerra no dia 30, às 21h30, Auditório Vita, com um grande concerto do consagrado Pedro Burmester.

De referir que os concertos de Artur Pizarro(25 Março) e de Pedro Burmester (30 Março) são os únicos com bilheteira. Os ingressos custam cinco euros e podem ser adquiridos no Posto de Turismo, no Conservatório Calouste Gulbenkian e no Auditório Vita (no dia dos espectáculos).

CMB08032017SERGIOFREITAS0000005599.jpg

A MAGIA DA DISNEY EM CONCERTO NO VALADARES, TEATRO MUNICIPAL DE CAMINHA

Espetáculovai “revisitar”músicas de filmes consagrados, no domingo, a partir das 15h30

Em março, o Valadares Teatro Municipal de Caminha apresenta um cartaz de elevada qualidade. Concerto da Disney pela Escola de Música Amadeus; Ensemble Risoluto em Concerto, com José Paulo Ribeira, Paulo Barbosa e Sílvia Pinto e cuja receita reverte a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha; Concerto de Guitarra com Artur Caldeira e Cavaquinho Cantado com Daniel Cristo em Quinteto, são as propostas culturais disponíveis para este mês.

Concerto Disney Cartaz.jpg

A magia dos clássicos da Disney vai abrir a programação do Valadares, com o Concerto da Disney, pelos alunos da Escola de Música Amadeus, já no próximo domingo, dia 12 de março, pelas 15H30.  No palco do Valadares vão ser interpretadas músicas dos filmes ‘Pinocchio’, ‘Cinderella’, ‘Mary Poppins’; ‘Alladin’,‘Brave’, ‘Tarzan’, ‘A Bela Adormecida’; ‘Pocahontas’, ‘Rei Leão’, ‘A pequena Sereia’, entre muitos outros.

Este concerto é organizado pela Escola de Música Amadeus e conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha e do Conservatório de Música e Dança dos Arcos de Valdevez. O bilhete custa 2€ e as reservas podem realizar-se na Escola de Música Amadeus ou no Valadares, Teatro Municipal de Caminha.

Depois da magia da Disney, no dia 18 de março, o Valadares vai servir de palco ao Concerto Solidário ‘Ensemble Risoluto em Concerto’, com José Paulo Ribeira, Paulo Barbosa e Sílvia Pinto, cuja receita vai reverter a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha. Ensemble Risoluto“é o momento onde o Amor e a Música se conjugam num mesmo verbo, inteiro, firme e assertivo. Aqui se exprime a mais pura essência da alma, transmitindo sensações que a linguagem é incapaz de traduzir e que a razão nunca saberá compreender”. O concerto tem inicio pelas 21H30. Os bilhetes custam 5 euros e podem ser adquiridos nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora e no dia do espetáculo, no Valadares, Teatro Municipal.

No dia 24, pelas 21h30, a guitarra vai estar em destaque no Valadares, com o concerto de Artur Caldeira. Natural de Braga, Artur Caldeira é licenciado em Guitarra Clássica e Mestre em Interpretação Artística. Com um vasto curriculum, este músico já conquistou o 1º prémio do concurso nacional “Parnaso 93” e o 1º lugar ex-aequo do “Prémio Helena Sá e Costa 1995”. Tocou com a Orquestra Clássica sob a direção dos Maestros MeirMinsky, João Paulo Santos, MarcTardue e Niel Thompson e com a Orquestra do Norte sob a direção do Maestro Ferreira Lobo e gravou para a R.D.P..

Trata-se de mais uma aposta cultural de qualidade. Este concerto é organizado pela Academia de Música Fernandes Fão e conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e do Ministério da Educação.

Em março, Daniel Pereira Cristo, já conhecido do público caminhense, regressa ao Valadares para apresentar o seu 1º álbum a solo 'Cavaquinho Cantado'.“Este concerto caracteriza-se pela alegria da junção dos dois velhos conhecidos, o canto e o cavaquinho, como personagens centrais de um todo que, se pretende, seja sentido como uma abordagem nova e contemporânea da música e instrumentos de identidade. Música Étnica do Noroeste Português e Peninsular, como gosta de chamar-lhe”. O concerto está agendado para as 22H00.  Os bilhetes encontram-se à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora

Teatro Valadares.jpg

PAREDES DE COURA RECEBE POP DEL’ARTE

10 março | 22h00 | Caixa da Música

A Caixa da Música, em Paredes de Coura, recebe esta sexta-feira, 10 de março, pelas 22h00, e com entrada livre, os Pop Dell'Arte.

39720_10150242495510224_4799891_n.jpg

Mais do que percorrer as sonoridades que marcaram uma das bandas mais profícuas das últimas décadas na moderna música portuguesa, o coletivo de João Peste e João Pedro Moura propõem-nos trazer temas inéditos mas também a oportunidade de mais uma vez podermos revisitar verdadeiros hinos como são os clássicos "Sonhos Pop" ou "Querelle".

Do aclamado “Free Pop” ao mais recente “Contra Mundum”, a banda de João Peste e João Pedro Moura sempre nos habituou a percorrer as mais diversas ambiências sonoras, plasmadas no pós-punk, rock psicadélico, noise e house.

Acima de tudo, os Pop Dell'Arte sempre primaram pela procura de novas sonoridades, ao ponto de lhes ter sido reconhecido um papel liderante na música moderna portuguesa e por várias vezes sublinhado pela crítica especializada, em Portugal e até no Reino Unido, como aconteceu com o jornal britânico Sounds quando teceu os maiores elogios a “Free Pop”.

Por tudo isto, a vinda dos Pop Dell'Arte à Caixa da Música, esta sexta-feira, 10 de março, e com entrada livre, não deixa de ser um enorme motivo de regozijo para os muitos melómanos que sempre associaram Paredes de Coura às melhores propostas musicais, mas também não deixa de ser uma forma de sublinhar a importância de uma sala como a Caixa da Música, por onde já têm passado alguns dos mais prometedores projetos emergentes e propostas consistentes da pop-music nacional.

558462_10151474997230224_2108165969_n.jpg

BRAGA REALIZA FESTIVAL DE ÓRGÃO

Festival de Órgão contribui para valorização do património da Cidade. Evento decorre de 28 de Abril a 7 de Maio

De 28 de Abril a 7 de Maio, Braga volta a ser palco do Festival de Órgão, um evento que tem marcado a agenda cultural da Cidade nos últimos três anos e que se tem afirmado no panorama nacional e internacional. Para esta quarta edição, a organização - a cargo do Município de Braga, Arquidiocese de Braga, Santa Casa da Misericórdia de Braga e Irmandade de Santa Cruz – continua a apostar num conjunto de concertos de qualidade, a que se juntam visitas guiadas e conferências temáticas.

CMB07032017SERGIOFREITAS0000005555.jpg

Para Lídia Dias, vereadora da Cultura, o eclectismo e a diversidade da programação são já uma marca deste festival que tem vindo a contribuir decisivamente para a valorização e divulgação do património organístico Bracarense. “Esta é uma iniciativa consolidada ao nível da criação e fidelização de públicos e que, a somar a isso, tem potenciado o restauro destes instrumentos de grande valor histórico e artístico”, referiu na apresentação do evento que decorreu hoje, 7 de Março, no Tesouro-Museu da Sé.

Segundo a vereadora, o festival só é possível graças à colaboração de relevantes instituições culturais da Cidade, sem esquecer o “importante contributo dos párocos que abrem as portas das igrejas para que o público possa assistir a concertos memoráveis e de elevada qualidade”. Lídias Dias destacou ainda a colaboração das Uniões de Freguesias de S. Lázaro e S. João do Souto, de Maximinos, Sé e Cividade e da Junta de S. Victor.

A par do lançamento de um CD com os melhores momentos das edições anteriores, um dos grandes destaques da edição 2017 prende-se com a estreia do órgão portativo do Tesouro da Sé de Braga em concerto, a ter lugar a 3 de Maio, na Igreja do Seminário. “Trata-se de um pequeno instrumento, dos mais antigos de Portugal, que nunca foi ouvido em concerto e, para o qual, ainda é necessário um “foleiro” para “dar aos foles” e assim o órgão poder tocar”, explica José Rodrigues, o director artístico do festival.

Outra novidade será a presença do organista papal, Juan Paradell, organista titular pontifício do Vaticano, que se irá apresentar na igreja de São Marcos, a 30 de Abril.

Na abertura do Festival, como é já um hábito, é oferecido à Cidade um magnífico concerto a dois órgãos, na Catedral, sendo este o único momento no ano em que existe a possibilidade de ouvir os grandes órgãos da Sé a tocarem ao mesmo tempo.

Outro dos pontos altos do programa será a actuação de um grupo de 80 crianças que irão estrear uma obra de um compositor bracarense, num concerto agendado para a Basílica dos Congregados.

Retomando a experiência bem-sucedida da edição do ano passado, o festival volta a incluir um concerto com os alunos de órgão dos Conservatórios e Academias de Música do Norte do país, nomeadamente de Bragança, Vila Real, Guimarães, Barcelos e Vila Verde. Esta iniciativa assume-se como um incentivo à aprendizagem do órgão enquanto instrumento musical e uma oportunidade dada aos alunos de contactarem com um instrumento histórico, com todas as características e especificidades que o mesmo apresenta.

José Rodrigues, director artístico, lembra que o “Festival não é apenas um meio de valorização do património musical, constituindo-se também como um incentivo à economia e à dinâmica turística da Cidade e da Região”.

A par da organização do Festival, a Arquidiocese de Braga, pelo Instituto de História e Artes Cristãs está empenhado na realização do estudo e inventário de todos os órgãos existentes na Cidade, trabalho que terá a sua apresentação para breve.

No futuro, a organização pretende lançar um concurso de composição de novas obras musicais para órgão ibérico, bem como um prémio para jovens intérpretes.

Todas as informações em http://www.festivalorgaobraga.com

CMB07032017SERGIOFREITAS0000005564.jpg

CMB07032017SERGIOFREITAS0000005567.jpg

THE OAFS ATUA EM BRAGA E GUIMARÃES

The Oafs formaram-se em 2013 em Vila Franca, Viana do Castelo, como resultado de uma combinação de diversos gostos musicais. Assumem-se como uma banda Indie e Folk, através de 4 vozes e instrumentos como o clarinete, percussão, baixo e guitarra.

TheOafs_cartaz.jpg

“Oaf” caracteriza uma pessoa desajeitada. Com esta descrição o quarteto pretende apelar à face mais descontraída de cada pessoa, a face que permite que esta se liberte e aproveite a sua música.

Em finais de 2016 editaram o álbum “My Scars and Stories”, onde: “contamos histórias e expomos as marcas, boas e más, que nos constroem como pessoas. Contamos desabafos que nos saem da alma, nos acordam de noite e nos obrigam a escrever”, revelam os elementos de The Oafs.

The Oafs são: Eva Gomes: voz, guitarra e percussão João Dias: guitarra e vozes Afonso Carvalho: clarinete, percussão, vozes Raul Carvalho: baixo e vozes.

QUARTETO DE CORDAS DE GUIMARÃES INICIA ANO NO MUSEU DE ALBERTO SAMPAIO E EM CREIXOMIL

ESTA SEXTA-FEIRA E SÁBADO

Projeto cultural vimaranense criado em 2016 começa novo ano com mais dois concertos, um no centro da cidade e outro no concelho. Entrada livre.

Quarteto_Cordas_Guimaraes2.jpg

A primeira residência artística em 2017 do Quarteto de Cordas de Guimarães termina com um concerto na Sala de Santa Clara do Museu de Alberto Sampaio, esta sexta-feira, 03 de março, às 21:30 horas, realizando-se na noite seguinte, 04 de março, também às 21:30 horas, uma atuação na recentemente inaugurada “Domus Vitae”, edifício situado junto à Igreja Paroquial de Creixomil.

O Quarteto de Cordas de Guimarães é uma inovadora aposta de residência artística, que visa desenvolver uma oferta constante na área da música de câmara, a partir de Guimarães. Este projeto cultural tem como base a realização de uma série de concertos regulares na cidade e no concelho, promovendo Guimarães como plataforma de criação própria que servirá de embaixador da cidade, tanto em Portugal como no estrangeiro.

A criação de uma forte identidade artística, aliada à promoção de novas pontes com outras artes, tais como as artes visuais, dança e artes plásticas, fomentando a criação artística “made in Guimarães”, são os principais objetivos desta formação constituída pelos violinistas Emanuel Salvador e Álvaro Pereira, pela polaca Emilia Goch (viola d’arco) e pela violoncelista Catarina Gonçalves.

Nesta primeira residência artística de 2017, o alinhamento será o seguinte: L. V. Beethoven Quartet n. 11 op. 95 "Serioso" em Fá menor; Allegro con brio; Allegretto ma non troppo; Allegro assai vivace ma serioso – Più Allegro; Larghetto espressivo – Allegretto agitato – Allegro; A. Part (Fratres para Quarteto de Cordas) e A. Borodin Quarteto n. 2 em Ré Maior (Allegro moderato; Scherzo – Allegro; Notturno – Andante; Andante; Vivace).

VIANA DO CASTELO RECEBE FESTIVAL DE TUNAS

Os bilhetes para o XVII LETHES – Festival de Tunas – 8 de abril,  a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo já se encontram disponíveis para venda.

image001Vian.jpg

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

       Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

       Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo,  entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada

 CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 5€ (plateia) | 5€ (bancada)

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt (indicando nome e NIF), com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

Não há lugares marcados.

MIGUEL ARAÚJO E MARIA JOÃO E BUDDA POWER BLUES ATUAM EM MARÇO NA CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO

Música, teatro, dança e cinema marcam programação do próximo mês do espaço cultural famalicense

Miguel Araújo regressa com novo álbum; recebemos uma das vozes mais versáteis da música portuguesa - Maria João - na companhia daquela que é considerada a melhor banda de blues nacional - os Budda Power Blues; cantamos os parabéns à Companhia Nacional de Bailado e celebramos o Teatro com a estreia de “Cânticos de Barbearia”. Em março, não faltam motivos para uma visita à Casa das Artes de Famalicão.

010_programa reportorio_-®BrunoSimao_.jpg

Vamos então por partes.

Na música, o mês fica marcado pelos três concertos que Miguel Araújo tem agendados no grande auditório, nos dias 9, 10 e 11. Autor de sucessos bem conhecidos do público português, entre os quais “Os Maridos das Outras” e “Dona Laura”, Miguel Araújo é considerado um dos artistas mais completos da nova geração, destacando-se como compositor, letrista, cantor e músico. Regressa agora à sala de espetáculos famalicense com novo disco e nova formação da sua banda.

O músico Luiz Caracol vem a Famalicão este sábado, 4 de março, apresentar o seu novo álbum “Metade e Meia”. A Casa das Artes foi também o palco escolhido pelos famalicenses Fulltrack para a apresentação do seu primeiro trabalho discográfico, num concerto marcado para o dia 25, no café-concerto.

BluesExperience_B1_a.jpg

Destaque ainda para a atuação imperdível de Maria João com Budda Power Blues, no dia 31. Juntos vêm a Famalicão apresentar “The Blues Experience”, um “disco de blues para o século XXI” composto por 10 temas.

Mas março é também o mês em que se celebra o teatro e também aqui a Casa das Artes apresenta várias propostas. É o caso da peça “Prelúdio para Macbeth” levada a cena esta sexta e sábado, dias 3 e 4 de março, pela companhia Baú dos Segredos e do musical com marionetas “Pedro e o Lobo”, em cena no dia 29.

Nos dias 16, 17 e 18 há a estreia do espetáculo “Cânticos de Barbearia”, uma coprodução da Narrativensaio e da Casa das Artes. Cantado e tocado ao vivo, a peça fala de dois artistas que percorreram o Século XX da música popular de Portugal e do Brasil – Tony de Matos e Lupicínio Rodrigues.

Um apontamento ainda para a dança, com a celebração dos 40 anos da Companhia Nacional de Bailado que, entre vários momentos previstos, prepara-se para apresentar no dia 26 de março um programa de repertório onde se reúnem alguns dos coreógrafos que mais marcaram a história da dança.

Por fim, o cinema, com novo episódio do Close-Up - Observatório de Cinema, de 28 de março a 1 de abril, e com a exibição de perto de uma dezena de filmes ao longo do mês.

Mais informações em www.casadasartes.org

MA 2017 (c) Paulo Bico.jpg

SEÑORITAS SOBEM AO PALCO EM PONTE DE LIMA

4 de Março – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

No próximo sábado, 4 de Março, às 22h00, o recente projecto musical português Señoritas – Mitó Mendes (A Naifa) e Sandra Baptista (A Naifa / Sitiados) – subirá ao palco do Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima.

senoritas_mupi_.jpg

"Acho que é meu dever não gostar" é o nome do disco de estreia das Señoritas, um dos mais recentes projectos da nova música portuguesa.

Señoritas é o novo projecto de Mitó Mendes (A Naifa) e Sandra Baptista (A Naifa / Sitiados). Em 2015, as Señoritas criam uma nova identidade, partilhando o gosto comum de ensaiar, compor e tocar juntas. Desta vontade, nasceram um conjunto de canções que querem partilhar com o público. São canções que giram em torno de um universo feminino, tendencialmente urbano. Com uma atmosfera densa, feminina e bem portuguesa, numa abordagem singular, canta-se a vida, mas de uma forma crua e directa. As músicas, todas originais, são da autoria da própria banda e as excepções estão enquadradas no mesmo imaginário.

Uma voz, uma guitarra, um baixo e um acordeão, este novo projecto, minimalista, é suportado por sets de programações que realçam a crueza e nudez da linguagem musical.

“Habituadas aos palcos e às multidões dos Sitiados ou d’A Naifa, Sandra e Mitó tocam agora uma com a outra, uma para a outra. Deixam-nos entrar na cabeça delas, no seu passado, nos seus dias e nas suas noites. São as mulheres fortes da sua geração, sem filtros, com medos mas sem medo de os mostrar. São brutas, são doces, são imperfeitas. São Mulheres. São Señoritas. Estou fã”. Ricardo Santos (jornalista)

“Não sendo de todo fácil ouvir estas Señoritas, não é nada difícil gostar delas. Mitó Mendes e Sandra Baptista disparam aqui todas as suas munições. Tudo parece ser muito verdadeiro. Tudo parece ser a cara delas. Não soa a trabalho, soa a prazer. Aos 40 anos, elas recarregam baterias num mundo cheio de deformidades e carências e à mão armada cantam o que lhes vai na alma. Todos terão o direito de não gostar delas, mas ninguém se pode entregar à ignorância de nem sequer as tentar escutar. É crime!” Miguel Azevedo (Vidas - CM)

“As canções sem maquilhagem das Señoritas. Com o fim de A Naifa, Sandra Baptista e Maria Antónia Mendes voltam a juntar-se, agora enquanto Señoritas. Um duo para canções cruas, nascidas sem qualquer ambição de grandiosidade.” Gonçalo Frota (Público - Ipsilon)

No facebook das Señoritas podem obter mais informações: https://www.facebook.com/Señoritas-1735454326740916/

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

GUIMARÃES APRESENTA 2º FESTIVAL DE MÚSICA RELIGIOSA

O Município de Guimarães apresentou à comunicação social o Programa do FMRG 2017.

O programa da segunda edição do Festival de Música Religiosa de Guimarães foi ontem apresentado em conferência de imprensa, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Festival_Musica_Religiosa_Guimaraes_2017.jpg

O evento, com direção artística de José M. Pedrosa Cardoso, organizado pela Câmara Municipal, em parceria com a Santa Casa da Misericórdia de Guimarães e a Sociedade Musical de Guimarães, decorrerá no período pascal.

O Festival de Música Religiosa de Guimarães 2017, na continuidade do êxito alcançado no ano passado, vai oferecer um conjunto de propostas cujas músicas foram compostas ao longo dos séculos sob o signo da religião, numa grande diversidade de estilos e grupos: recitais, cantochão, música coral, música de conjuntos da denominada música antiga e música coral-sinfónica.

MUNICÍPIO BRACARENSE E FUNDAÇÃO CUPERTINO DE MIRANDA PROMOVEM POLIFONIA EM BRAGA

Protocolo assinado no Salão Nobre dos Paços do Concelho

O Município de Braga assinou um protocolo de dinamização cultural com a Fundação Cupertino de Miranda (FCM) que visa a realização de dois concertos, em 2017, protagonizados pela Cappella Musical Cupertino de Miranda, sendo que um será realizado no âmbito do Festival Internacional de Polifonia Portuguesa. O protocolo foi assinado por Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e Pedro Álvares Ribeiro, presente do Conselho de Administração da FCM, numa cerimónia que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

CMB24022017SERGIOFREITAS0000005478.jpg

Na ocasião, Lídia Dias, vereadora da Cultura, sublinhou que a Autarquia tem ´todo o gosto e interesse´ em associar-se a uma Fundação com reconhecido prestígio. “Já é uma tradição Braga receber estes concertos, pelo que pretendemos consubstanciar esta presença no território e abrir portas a uma parceria cada vez mais frutuosa e que possa abranger outras áreas, qualificando o nosso território com uma sinergia na qual é importante continuar a investir”, referiu, adiantado - a título de exemplo sobre as áreas artísticas a que esta parceria se pode estender - que, no âmbito do Animatographo, vão realizar-se em Março duas conversas que contarão com o apoio da FCM.

Por seu turno, Pedro Álvares Ribeiro garantiu que, nos séculos XVI e XVII, Portugal tinha dos melhores músicos do mundo no que diz respeito à polifonia. “A Cappella Musical Cupertino de Miranda pretende ser o embaixador deste género musical e é difícil pensar em melhores locais para esta música ser ouvida do que as belas catedrais e igrejas barrocas que existem em Braga”, afirmou.

CMB24022017SERGIOFREITAS0000005481.jpg

CMB24022017SERGIOFREITAS0000005483.jpg

RUSGA DE S. VICENTE DE BRAGA: HÁ 50 ANOS A RUSGAR!

Tema da 84ª edição dos S/Ts: - "INATEL - de que modo, uma Fundação de todos e para todos?! "

A Rusga de São Vicente de Braga - Grupo Etnográfico do Baixo realiza a 84ª edição dos "Serões no Burgo/Tertúlias Rusgueiras", a primeira seranzada deste ano.

19263647_cksBg.jpeg

Data: - 24 de fevereiro (sexta)

Hora: - 21:30h,

Local: - Sede da Rusga, Avª Artur Soares (Palhotas), nº 73, Braga

* - Por questões de mera logística, se de todo não for possível contar com a presença de V/ Ex.cia, informe sff, se indigita algum(a) representante. Muito agradecidos.

Para cavaquear, refletir e questionar, sobre o tema, teremos connosco o Presidente do Conselho de Administração da Fundação INATEL, Dr. Francisco Madelino, com moderação de José PintoPresidente da Rusga.

História e/ou conto: - Dr. José Händel de Oliveira, ex-diretor da delegação em Braga do INATEL

Os momentos artísticos que os "Serões/Tertúlias" contemplam, serão da responsabilidade de vários CCD's da Fundação INATEL.

REPTO:

"Porque é Carnaval, ninguém pode levar a mal este convite/REPTO"

INICIATIVA: Corrida/Desfile do Entrudo/2017 - "Olha o Home, lá bai o home..." -, ritual carnavalesco bracarense

​OBJETIVOS: - Salvaguardar, Preservar e Promover a materialidade e imaterialidade do(s) legado(s) cultural(ais) herdado(s), ao nível das tradições e/ou manifestações etnográficas e etnológicas locais.

QUANDO: - Dia 26 de fevereiro (seg) /2016, às 21:30h

​ONDE: - Local de concentração (às 21:00h): junto à sede da Rusga. Av. Artur Soares(Palhotas), nº73, Braga

COMO?: Fazendo um Entrudo/Home (boneco tipo espantalho) e, trazê-lo (de mota, comboio, camioneta, camião, avião, ou..., a pé), conjuntamente com resmas de boa disposição para 'Correr o Entrudo'.

Contamos com a sua entusiástica e original participação, especialmente, aos que ainda não aderiram.

Sinta-se desde já convidada(o).

E, Siga a Rusga...

19263654_QTzjc.jpeg

19263660_Vdu6c.jpeg

19263661_5nDkV.jpeg

Convite_84_24fev2017 (7).jpg

BARCELOS RECEBE O MELHOR DA MÚSICA DE CÂMARA A NÍVEL MUNDIAL

Quatro conceituadas escolas europeias, dezasseis suprassumos da música, de 8 a 11 de março, no Teatro Gil Vicente e Salão Nobre da Câmara Municipal

O festival internacional de música de câmara Harmos regressa a Barcelos entre os dias 8 e 11 de março. O Teatro Gil Vicente e o Salão Nobre da Câmara Municipal acolhem quatro dos concertos integrados na 11ª edição do evento que se realiza simultaneamente em várias cidades do país. A entrada é gratuita.

Cartaz Harmos.jpg

Da Escola Superior de Música de Lisboa - Instituto Politécnico de Lisboa chega o Chinski Quartett, grupo de cordas composto por Ana Paula Sousa (violino), João Cunha (violino), Beatriz Acosta (viola) e Victor Pavtchinski (violoncelo). O quarteto atua no dia 8 de março, quarta-feira, às 15h, no Teatro Gil Vicente, num concerto comentado, dirigido particularmente à comunidade sénior.

No dia seguinte, 9 de março, será a vez dos músicos que compõem o Elysian Piano Quartet, afetos à prestigiada escola belga Koninklijk Conservatorium Brussel, subirem ao palco do Salão Nobre da Câmara Municipal, às 21h30.
A 10 de março, à mesma hora, o Teatro Gil Vicente recebe o Sminov Quartet, do conservatório Hochschule für Musik Basel, da Suíça. O ciclo encerra no sábado, dia 11, com um concerto protagonizado pelo Piano Quartet Interest, constituído por quatro músicos da Academia Estoniana de Música e Teatro, no Salão Nobre da Câmara Municipal, também às 21h30.
Detentor do selo EFFE (Europe for Festivals, Festivals for Europe, sob a égide da Comissão Europeia e da Associação Europeia de Festivais), tem sido reconhecido como um festival de referência nacional e internacional, e apoiado por um conjunto importante de parceiros.
O HARMOS é organizado pela Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Politécnico do Porto e tem colaborações com uma vasta rede de Instituições de Ensino Superior Artístico em todo o mundo.

PROGRAMA HARMOS Classical 2017:

Dia 8 de março || quarta-feira
15h00
Teatro Gil Vicente
Concerto Comentado para Séniores
CHINSKI QUARTETT
Escola Superior de Música de Lisboa, IPL, Portugal
Ana Paula Sousa, violino
João Cunha, violino
Beatriz Acosta, viola
Victor Pavtchinski, violoncelo
Dia 9 de março || quinta-feira
21h30
Salão Nobre da Câmara Municipal
ELYSIAN PIANO QUARTET
Koninklijk Conservatorium Brussel, Bélgica
Natalia Kotarba, violino
Varvara Jitcov, viola
Anna Reiter, violoncelo
Monika Darzinkeviciute, piano
Dia 10 de março || sexta-feira
21h30
Teatro Gil Vicente
SMIRNOV QUARTET
Hochschule für Musik Basel, Suíça
Smirnov Dmitry, violino
Mariia Ten, violino
Romain Roussel, viola
Héctor Hernández, violoncelo
Dia 11 de março || sábado
21h30
Salão Nobre da Câmara Municipal de Barcelos
PIANO QUARTET InterEST
Estonian Academy of Music and Drama, Tallin, Estónia
Maarja-Helen Oserov, violino
Merike Heidelberg, viola
Valle Rasmus Roots, violoncelo
Auli Lonks, piano

MIGUEL ARAÚJO REALIZA CONCERTO EM VIANA DO CASTELO

Os bilhetes para o concerto do MIGUEL ARAÚJO – 27 de maio,  a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo já se encontram disponíveis para venda.

image002migarauj.png

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

       Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

                Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • www.ticketline.sapo.pt- Fnac - Ag. Viagens Abreu – Worten – A.B.E.P – Casino Lisboa – C.C. Dolce Vita – C.C. Mundicenter – El Corte Inglês e         SuperCor – Galeria   Comercial Campo Pequeno – MMM Ticket – Uticketline – CCB – Time Out Mercado da Ribeira – Shopping Cidade do Porto                – Forum Aveiro – Ask Me Lisboa e INFORMAÇÃO/ RESERVAS: ligue 1820 (24 horas)
  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia doespetáculo,  entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 10€ (plateia) | 10€ (bancada)

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt (indicando nome e NIF), com um prazo de      levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

Não há lugares marcados.

FAFENSES PRESTAM TRIBUTO A ZECA AFONSO

Núcleo de Artes e Letras de Fafe e Atriumemória promovem tributo a José Afonso

O Núcleo de Artes e Letras de Fafe, em parceria com a associação Atriumemória, promove uma Tertúlia musical e poética em tributo ao cantor José Afonso, a propósito dos 30 anos do seu falecimento, esta sexta-feira, 24 de Fevereiro, a partir das 21h30, na Sala Manoel de Oliveira, em Fafe.

16819104_1255722981141828_2142245624395137861_o.jpg

Participam musicalmente os FourArmil, o duo Duarte e Diana, Fernando Peixoto Lopes e José Augusto Gonçalves, havendo a hipótese de aparecerem mais participantes

Regista-se ainda a leitura de poemas de e sobre o autor de “Grândola Vila Morena” ou "Os Vampiros", por poetas e declamadores locais.

A iniciativa que conta com a colaboração do Município de Fafe é de entrada livre.

Recorde-se que Zeca Afonso nasceu em 2 de Agosto de 1929 e faleceu em 23 de Fevereiro de 1987, no Hospital de Setúbal, vítima de esclerose lateral amiotrófica, diagnosticada cinco anos antes.

Deixou um legado musical, cultural, de resistência e de liberdade que ainda hoje permanece actual.

CUCA ROSETA ATUA AO VIVO NO TEATRO CINEMA DE FAFE

Com a chegada do mês de Março, os grandes concertos regressam a Fafe. No próximo dia 11, é a vez de Cuca Roseta subir ao palco do Teatro Cinema de Fafe para um espetáculo que garante ser inesquecível.

cuca.jpg

Cuca Roseta é uma das mais marcantes e reconhecidas vozes do Fado da atualidade. Quis o destino que o seu primeiro disco fosse produzido por um dos mais célebres e aclamados produtores do mundo - Gustavo Santaolalla - detentor de vários Óscares e Grammy’s.

Cuca viria assim a destacar-se no panorama da música nacional. O sucesso foi tanto que viria a ser largamente referida nos media nacionais e internacionais. No mesmo ano, também Cuca Roseta foi a artista de destaque no prestigiado filme de Carlos Saura – “Fados”.

Num segundo disco, Cuca Roseta quis ir mais longe e fazer algo diferente, mostrando mais do seu “outro lado”, o lado da composição. Assume assim o risco de escrever e assinar a maior parte das letras e músicas em “Raiz”, risco esse que foi tão bem-vindo!”

“Raíz” percorre o país e o mundo mostrando a sua voz e toda a sua arte, tendo atuado nos principais palcos nacionais e internacionais.

Em Maio deste ano edita “Riû”, com mais um “trunfo na manga”: a produção de um disco pela mão do célebre Nelson Motta, intitulado no Brasil como o “Papa” da música.

Em “Riû” Cuca Roseta dá mais um importante salto na sua carreira, faz parcerias e canta temas originais de Djavan, Ivan Lins, Jorge Drexler, Jorge Palma, Sara Tavares, Pedro Jóia e Mario Pacheco.

Com “Riû”, Cuca fez mais de 50 espetáculos nos últimos três meses em Portugal e no mundo e recebe as melhores críticas dos media.

Pompeu Martins, Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Fafe, reconhece que “este será, sem dúvida, um grande concerto. Temos recebido em Fafe diversos do nomes do panorama musical nacional, e também internacional, que nos têm presenteado com espectáculos memoráveis.

O nosso objectivo é continuar a proporcionar momentos especiais ao público, trazendo ao Teatro Cinema nomes tão relevantes e acarinhados, como até então temos feito.

No próximo mês, é a vez de ouvirmos Fado em Fafe com um nome incontornável, Cuca Roseta. Será certamente um concerto especial!”

Recorde-se que o concerto tem inicio marcado para as 21h30 e os bilhetes já estão à venda na Loja Interactiva de Turismo.

WEB-CUCA-POST-01.jpg

HARMOS FESTIVAL TRAZ TRÊS CONCERTOS A BRAGA

A Cidade de Braga volta este ano a estar na rota do HARMOS Festival, um conceito único em todo o espaço europeu que reúne os melhores alunos das mais conceituadas escolas superiores do mundo.

Harmos 2.jpg

A realizar de 7 a 11 de Março, o HARMOS Festival inclui três concertos em Braga que estão agendados para os dias 9, 10 e 11 de Março na Capela da Imaculada Conceição (Seminário Menor), no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian e no Auditório Vita, respectivamente. Os concertos decorrem sempre às 21h30.

Além de Braga, o HARMOS Festival inclui este ano concertos na Casa da Música, em Albergaria-a-Velha, Barcelos, Lousada e Santa Maria da Feira que contam com a participação de artistas dos cinco continentes.

O HARMOS é ainda o palco privilegiado para masterclasses, conferências e projectos de envolvimento comunitário, que fazem do conceito HARMOS um motor cultural em todos os contextos em que marca presença. O HARMOS pretende ser sempre “um projecto aberto e flexível às mudanças que o possam tornar ainda mais apelativo para os seus públicos, assumindo-se como uma proposta cada vez mais internacional”, explica a Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo, entidade organizadora do festival.

Detentor do selo EFFE (Europe for Festivals, Festivals for Europe, sob a égide da Comissão Europeia e da Associação Europeia de Festivais), tem sido reconhecido como um festival de referência nacional e internacionalmente e apoiado por um conjunto importante de parceiros.

Mais informações em www.harmos.eu

EMMY CURL REALIZA CONCERTO EM PONTE DA BARCA

A Casa da Cultura de Ponte da Barca apresenta o concerto de Emmy Curl, no dia 25 de fevereiro

No próximo sábado, dia 25 de fevereiro, às 22h, e no âmbito do projeto da autarquia de Ponte da Barca 'Música em Casa', a Casa da Cultura recebe o concerto de Emmy Curl. 

Emmy Curl, a cantora e compositora de Vila Real que nos últimos anos tem sabido criar um lugar muito especial na indie pop nacional, editou no final de 2014 o seu primeiro álbum intitulado “Navia”, que se seguiu aos bem recebidos EPs “Origins” (2012), “Birds Among the Lines” (2010) e Ether (2007).

Se nestes discos Catarina Miranda, nome de nascença da criadora agora radicada no Porto, definiu a sua identidade musical de forma delicada mas firme, respeitando as suas raízes, em “Navia” promete ir mais além. Deusa dos rios e da água na mitologia galaica e lusitana, com forte implantação no Norte de Portugal, onde de resto esteve por trás do batismo do Rio Neiva, Navia é agora evocada por Emmy Curl.

Os bilhetes custam 2€ e estão à venda na Casa da Cultura e na Loja Interativa de Turismo.

CÂMARA DE CAMINHA E SERRALVES VÃO PROMOVER PROGRAMA EDUCATIVO MÚSICA E PALAVRA’NO DIA 6 DE MARÇO

Ação de formação dirige-se a técnicos e professores

A Câmara Municipal de Caminha e a Fundação de Serralves vão promover a ação de formação ‘Programa Educativo Música e Palavra’, no âmbito da exposição ‘Música e Palavra: Obras da Coleção de Serralves’. Esta ação dirige-se a técnicos e professorese pretende-se dinâmica, direcionada aos conteúdos da exposição, e relacionada com a experiência prévia de cada um dos participantes e temáticas de interesse transversal à sociedade contemporânea. A ação de formação vai decorrer no Museu Municipal de Caminha, no dia 6 de março.As inscrições terminam no final do mês.

bateria 2017.jpg

Recorda-se que a exposição “Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” está patente ao público, até ao dia 16 de abril, em vários espaços culturais da vila: Museu Municipal, Galeria de Arte Caminhense, o edifício do antigo Posto de Turismo e a Torre do Relógio. Esta é a primeira exposição que Caminha tem patente enquanto “Vila Serralves”.

Esta ação de formação de componente teórica foi pensada para os agentes de mediação que estarão relacionados com a exposição, com a possibilidade de ser mais abrangente e incluir docentes da região, assim como agentes culturais locais ou outros interessados. Os interessados deverão efetuar a respetiva inscrição até final de fevereiro, através do email museu@cm-caminha.pt.

Joana Mendonça, dos Serviços Educativos do Museu de Serralves, é a responsável pela conceção e orientação desta ação de formação.

No ‘Programa Educativo Música e Palavra’ serão debatidas questões profundas sobre como nasce um artista, ou que processos são estes que levam à legitimação das obras, uma crítica à forma de estar social e humana, experiências com a linguagem e a palavra escrita, assim como a materialização de uma obra de arte cujo meio de expressão é o som. Preocupações relacionadas com a dificuldade de integrar peças de arte sonora no mundo das artes plásticas iminentemente visuais: o som não se vê, não se toca, mas a forma como se experiencia pode influenciar profundamente a forma como entendemos arte contemporânea.

Quanto à exposição “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” é de referir que reúne instalações e objetos visuais e escultóricos que empregam o som como suporte principal. Desde a visão estética do acontecimento sonoro ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, a exposição revela as dimensões associativas e sociais do som no mundo contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora e a catarse associada à estética frenética do videoclipe delimitam um percurso de diferentes propostas transversalmente ligadas para além de geografias e gerações. Trata-se de uma produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

SANDY KILPATRICK & THE ORIGINS BAND ACTUAM EM PONTE DE LIMA

18 de Fevereiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

No próximo sábado, dia 18 de Fevereiro, o músico Sandy Kilpatrick actua no Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima pelas 21h30.

sandy_4x3_.jpg

Neste concerto, Sandy Kilpatrick viaja pelo seus últimos trabalhos, aproveitando ainda para apresentar o seu mais recente single "Whispering Wind" do álbum "Confessions from The South", uma homenagem a Portugal e que será editado a 17 de Março.

Este espectáculo no Teatro Diogo Bernardes será também uma das primeiras apresentações ao vivo da The Origins Band, banda que agora acompanha Sandy Kilpatrick nesta nova fase artística e que se juntou ao artista para este seu novo álbum.

"Confessions from The South" é o primeiro de um conjunto de quatro álbuns homenagem a diferentes países que, de alguma forma, marcaram a vida de Sandy Kilpatrick. O primeiro projeto é sobre Portugal e os restantes passaram por países como Irlanda, Escócia e Noruega.

Destaque-se ainda que o tema “Stand United With Your Brothers”, que faz também parte do último trabalho, foi inspirado em e é dedicado a Ponte de Lima.

Sandy Kilpatrick é um cantor e compositor escocês, que vive em Portugal há 15 anos mas que se considera como um cidadão do mundo. Casado com uma portuguesa, Sandy vê Portugal como a sua segunda casa, tendo sido aqui que os seus dois filhos nasceram e foram criados.

Parece assim natural que ele seja entendido como parte da comunidade musical portuguesa, e este novo álbum representa esse longo caminho para fortificar a sua ligação com o país que o acolheu – “Confessions from The South” é um álbum homenagem, inspirado pelas surpreendentes paisagens de 10 locais diferentes em Portugal: de Sagres ao Gerês, passando por Ponte de Lima, como não podia deixar de ser.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

MOMO (MARCELO FROTA) + DANI BLACK & MARIANA AYDAR ATUAM EM PONTE DE LIMA

17 de Fevereiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

A música brasileira será a estrela na próxima sexta-feira, 17 de Fevereiro, às 21h30, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, que apresenta três grandes nomes – Momo (Marcelo Frota) + Dani Black & Mariana Aydar –, os quais são detentores de carreiras reconhecidas internacionalmente.

momo_dany_mariana_mupi_2_.jpg

Na sequência do espectáculo levado a efeito no São Luiz Teatro Municipal, em Lisboa, no presente mês de Fevereiro, denominado Avenida Paulista, evento que promove e divulga em Portugal nomes emergentes da música brasileira com muitas e boas provas dadas, nomeadamente, a acompanhar alguns dos mais reconhecidos projectos musicais brasileiros, o Teatro Diogo Bernardes, aproveitando esta excelente oportunidade da presença dos artistas em Portugal, irá exibir a actuação de alguns desses nomes  - Momo (Marcelo Frota). oriundo do Rio de Janeiro via Lisboa, será o responsável pela primeira parte do espectáculo, o qual se concretizará com um concerto inédito que juntará dois grandes músicos de São Paulo, Mariana Aydar e Dani Black.

Momo abrirá a noite com as íntimas canções que compõem o seu novo álbum, produzido por cá por Marcelo Camelo. O cantor, que conta com gente como David Byrne ou Patti Smith entre a sua legião de admiradores, é criador de canções fundas, plenas de alma e lirismo, que arrebatam quem lhes concede a atenção que exigem.

Mariana Aydar regressará a esta montra da modernidade brasileira depois de ter marcado presença em 2011 na Avenida Paulista ao lado de talentos emergentes como Raf Vilar, Thiago Petit ou Tulipa Ruiz. A aplaudida voz de Pedaço de Uma Asa trocará canções em palco com o jovem compositor Dani Black que tem dado hinos às novas gerações brasileiras a partir de São Paulo, como aconteceu com o hit viral “Trono de Estudar”, que resultou em versões de gente como Chico Buarque ou Arnaldo Antunes, por exemplo. Cumplicidade made in São Paulo para um concerto que se prevê único e imperdível.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

UGURU_maryanadani_ponte_de_lima (Small).png

FESTIVAL DA GUITARRA DE BRAGA APOSTA NA INTERNACIONALIZAÇÃO

Concurso de música de câmara é novidade da 4.ª edição

O Concurso Internacional de Música de Câmara com Guitarra é a principal novidade do IV Festival de Guitarra de Braga, que realiza entre os dias 17 de Fevereiro e 5 de Março. Organizado pelo Município de Braga, em parceria com o Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, este é um festival que tem vindo a conquistar novos públicos e que é já uma das principais referências do panorama cultural da Cidade.

 

16729354_1447112431986606_6841770891690277587_n.jpg

Para a vereadora da Cultura, Lídia Dias, a 4.ª edição do festival aposta na qualidade e na inovação, através de uma programação aliciante que dará ao público ainda mais motivos para visitar Braga. “Este festival procura ir a diversos espaços da Cidade, tendo sempre como casa-mãe o Auditório Adelina Caravana, situado no Conservatório Calouste Gulbenkian. Mas este ano teremos actividades no Auditório José Sarmento, na Igreja de Santa Cruz e no Auditório Vita”, adiantou a vereadora na apresentação do evento que decorreu hoje, 16 de Fevereiro.

A par dos seis concertos, o Festival de Guitarra possui uma “importante vertente pedagógica” que inclui a realização de uma masterclass, quatro conferências e o concurso internacional de música de câmara com guitarra que irá motivar um recital.

16681476_1447112415319941_6691350593534698090_n.jpg

Segundo o director artístico, Vítor Gandarela, o concurso internacional de Música de Câmara com Guitarra, “é um projecto pioneiro a nível nacional”. “Temos inscritos 12 grupos vindos de países como Itália, França, Espanha, Polónia e Portugal. Acreditamos que este concurso poderá fazer parte da oferta de referência internacional neste âmbito”, salientou, destacando o “enorme potencial de crescimento do concurso”.

O IV Festival de Guitarra de Braga apresenta várias propostas programáticas com formações de música de câmara como o MikroDuo, o quinteto 5G5C-Portugal Guitar Quintet, o ensemble Surunyo e ainda o Duo de Guitarra e Violino formado por Pedro Mateo González e José Luis Alvarez, dois músicos com carreiras firmandas no panorama internacional que têm a seu cargo o concerto de encerramento.

Como novas propostas, o festival inclui este ano uma formação instrumental (Fatrio), trio que interpretará versões instrumentais de temas do imaginário colectivo português e outras mais contemporâneas, em versões instrumentais com guitarra portuguesa, guitarra clássica e contrabaixo.

De destacar ainda as propostas a solo com Tilman Hoppstock, guitarrista de renome internacional, com 30 trabalhos discográficos realizados, várias edições de partituras com obras de referência do repertório guitarrístico bem como várias edições bibliográficas com trabalhos de análise sobre importantes obras de Bach. Este músico será ainda o presidente do júri do concurso acima referido.

Na componente pedagógica, destaque para a realização de quatro conferências com temas pertinentes a cargo de profissionais especializados, bem como uma masterclass sob orientação de Tilman Hoppstock.

O programa completo da 4.ª edição do Festival de Guitarra de Braga pode ser consultado em https://goo.gl/8GiMt7

16641124_1447112408653275_1895783401139075973_n.jpg

CHARANGA A CAVALO DO REGIMENTO DE CAVALARIA DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA ABRILHANTA A RENDIÇÃO SOLENE DA GUARDA NO PALÁCIO NACIONAL DE BELÉM

Realiza-se no próximo dia 19 de Fevereiro mais uma espetacular cerimónia de Rendição Solene da Guarda no Palácio Nacional de Belém, em Lisboa. A partir das 11 horas da manhã, a Charanga a Cavalo do Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana oferece um magnífico espetáculo militar e equestre que constitui uma das grandes atrações turísticas da capital, levando nesse dia milhares de cidadãos nacionais e estrangeiros à Praça Afonso de Albuquerque. Estas cerimónias ocorrem invariavelmente nos terceiros domingos de cada mês e é seguida de uma atuação no relvado do Jardim Vieira Portuense igualmente em Belém.

15573_1086965674653598_8964740828826913204_n (1).jpg

De acordo com a informação disponibilizada pela Guarda Nacional Republicana nas redes sociais, “Corria o Ano de l942, o Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana mantinha o seu efectivo honorífico disperso pelos diversos Esquadrões. Havia necessidade de tirar rendimento da componente artística dos valorosos “MOCAS” (alcunha dada aos Clarins) para que o seu Regimento pudesse apresentar algo diferente e com referência em paradas militares.

Era Mestre Clarim o Sargento Tomé que com todas as dificuldades da época reunia na sede periodicamente todos os Clarins dispersos pelos vários Esquadrões para a instrução possível. Viria mais tarde a ser auxiliado pelo 1º Sargento Viegas da Banda de Musica. Foram introduzidos os primeiros clarins graves e mandaram-se fazer os primeiros timbales na Fundição de Oeiras.

Nasceu assim a CHARANGA A CAVALO DO REGIMENTO DE CAVALARIA DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA, única no mundo a executar nos três andamentos do cavalo, passo, trote e galope, marchas militares e trechos de música ligeira. Era composta por 28 executantes sob a Chefia do Sargento Mestre Clarim. Montava cavalos russos, com excepção do Mestre que montava um malhado. Mais tarde houve a preocupação de dotar os Timbaleiros e Fila Guias também de cavalos malhados, situação que se manteve até a alguns anos atrás, mas que actualmente é impossível de sustentar, devido à falta destes exemplares.

A CHARANGA teve o seu primeiro momento alto em 1957 aquando da visita a Portugal de Sua Majestade a Rainha Isabel II, já sob a chefia do 1º Sargento Marques que foi o grande impulsionador e primeiro MESTRE DA CHARANGA. 

Actualmente com a reestruturação da Guarda Nacional Republicana, integra a UNIDADE DE SEGURANÇA E HONRAS DE ESTADO e está sedeada no 3º Esquadrão em Braço de Prata, de cuja fileira são escolhidos os cavalos mais dóceis para as suas exibições, onde utiliza instrumentos de sopro (Cornetins, Trompetes, Fliscornes, Bombardinos e Contra-Baixos) e de percussão (Tímpanos). Neste momento é constituída por 25 elementos que alem de serem bons instrumentistas, tem que ser forçosamente bons cavaleiros.

O vasto reportório da Charanga muitas vezes adaptado à especificidade de cada actuação, é em grande parte trabalhado pelos próprios executantes que fazem os arranjos e adaptações necessárias às características dos instrumentos, do grupo e ao andamento do cavalo.

Integrada em paradas militares ou actuando isoladamente, é um espectáculo ímpar ver a Charanga com os seus cavalos cuidadosamente entrançados, garupas enxadrezadas e cascos e ferraduras pintadas, aparelhados com arreios ornamentados com xabraques vermelhos e dourados, garbosamente montados por cavaleiros impecavelmente fardados, com calção branco e dólmen azul contrastando com o capacete de penacho ao vento e o dourado dos seus instrumentos.

Alem de muitas outras actuações, destacam-se as seguintes:

  • “Comemorações dos 600 anos da Aliança Luso Britânica” em Londres – Inglaterra (1973),
  • “4º C.H.I no Deustshlandlle” em Berlim - Alemanha (1980),
  • “Royal Tounament de Earls Court” em Londres – Inglaterra (l986),
  • Livgardets Dragoner Tattoo” em Estocolmo – Suécia (l993),
  • “Comemorações do 125º Aniversário da Guarda e Segurança” em Viena - Áustria (1994),
  • “Encontro Hípico Europeu Diane-Hermés” em Chantilly – França (1995),
  • “Festas de Otonõ” em Jerez de La Frontera – Espanha (l996, l997 e l998),
  • “Honneur à la Garde” em Bercy – Paris- França (l997),
  • “Expo 98” Lisboa (1998)
  • “Festival de Fanfarras a Cavalo” em Nimes – França (2001),
  • “Concurso Internacional de Saltos” em Lion – França (2005),
  • Concurso Internacional de Saltos “CHIO 2007” em Aachen – Alemanha
  • 45º Musikschau Der Nationen em Bremen – Alemanha (2009).

Para além destas participações, apresenta-se muitas vezes em território Nacional, quer em Festivais, quer em paradas Militares, sendo ainda bastante requisitada para procissões de carácter religioso nos mais recônditos locais do Território Nacional emprestando a estas cerimónias um sentimento de pompa e emoção colectiva, como aconteceu quando escoltou a Imagem de Nossa Senhora de Fátima ao Estádio Nacional para a realização do Terço Vivo.”

13346707_1360716667278496_1753448143239484375_n (2).jpg

 

BRAGA APRESENTA FESTIVAL DA GUITARRA

Amanhã, Quinta-feira, 16 de Fevereiro, às 14h30, no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, Braga

O Município de Braga a apresenta amanhã o IV Festival de Guitarra de Braga que terá lugar amanhã, Quinta-feira, dia 16 de Fevereiro, pelas 14h30, no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, em Braga.

Cartaz_Festival de Guitarra.jpg

A iniciativa contará com a presença de Lídia Dias, vereadora da Cultura do Município de Braga, de Ana Maria Caldeira, directora do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, e de Vítor Gandarela, director artístico do festival.

A 4.ª edição do Festival de Guitarra de Braga decorre de 18 de Fevereiro a 3 de Março e resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Braga e o Conservatório de Música Calouste Gulbenkian.

ANTIGO POSTO DA GNR DE RIBA DE AVE ABRE AS PORTAS À MÚSICA

Novo espaço servirá de sede à Associação Cultural Banda de Música de Riba de Ave e deverá estar concluído durante a primavera

O antigo Posto da GNR de Riba de Ave está a ser transformado numa Casa da Música, que vai proporcionar o acesso à prática e ao ensino da música à população. O edifício localizado no centro da vila e pertencente à Fundação Narciso Ferreira está em obras de ampliação e de reabilitação, abandonando a sua função de quartel da GNR e abrindo as suas portas à criatividade e às artes musicais.

AFS_6733.jpg

Cedido a título gratuito à Associação Cultural Banda de Música de Riba de Ave, através da assinatura de um contrato de comodato, que envolve também o município de Vila Nova de Famalicão, o edifício deverá ficar concluído durante primavera deste ano.

“É o virar de página na história da Banda de Música de Riba de Ave”, afirma a propósito o presidente desta associação, Artur Duarte, visivelmente satisfeito. A banda está neste momento sedeada nos fundos da Biblioteca de Riba de Ave, num espaço sem condições, para os projetos que ambiciona. “O novo edifício dá-nos maior sustentabilidade para o futuro da banda, concretizando uma verdadeira escola de música, valorizando o nosso projeto e criando uma maior proximidade com as pessoas”, acrescenta.

Procurando dinamizar o seu património edificado, nomeadamente os equipamentos históricos construídos pelo seu patrono, a Fundação Narciso Ferreira decidiu entregar, por um prazo de 20 anos, renováveis, o edifício – que estava devoluto – ao serviço da música e da cultura.

Por sua vez, a Câmara Municipal fez o projeto para as obras de ampliação e reabilitação, contribuindo ainda com um apoio financeiro de 108 mil euros.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “quando todas as forças se unem o resultado só pode ser bom”, afirma, referindo que “é isso que está a acontecer em Riba de Ave”.

“Sabíamos da necessidade da Banda de Música de Riba de Ave em encontrar um edifício que pudesse servir de espaço âncora às múltiplas atividades que desenvolve e àquelas que ambiciona desenvolver, do mesmo modo, que conhecíamos a disponibilidade da Fundação Narciso Ferreira em colaborar de forma solidária na prossecução deste objetivo disponibilizando este imóvel, a partir daqui foi só unir esforços em beneficio de todos”, explica Paulo Cunha.

De acordo com o projeto, o edifício será contemplado com duas salas de ensaio, cinco salas de instrumento e uma sala polivalente, que está a ser criada na praceta interior do edifício. O exterior também será remodelado com áreas pavimentadas com arborização.

Refira-se que a Associação Cultural Banda de Música de Riba de Ave é herdeira de uma longa tradição na vila, tendo sido criadas em 1816.

AFS_6734.jpg

SÉRGIO GODINHO ATUA NO CINE TEATRO JOÃO VERDE EM MONÇÃO

O espetáculo realiza-se no dia 4 de março, sábado, pelas 21h30. Os bilhetes, ao preço unitário de 10,00 €, podem ser adquiridos ou reservados, até 5 dias antes do espetáculo, na Loja Interativa de Turismo, Praça Deu-la-Deu Martins, T. 251 649 013.

16681470_1446215185398590_2621504581410366362_n.jpg

Sérgio Godinho atua no Cine Teatro João Verde no dia 4 de março, sábado, pelas 21h30. Os bilhetes, ao preço unitário de 10,00 €, podem ser adquiridos ou reservados, até 5 dias antes do espetáculo, na Loja Interativa de Turismo, Praça Deu-la-Deu Martins, T. 251 649 013.

Cantor, compositor, escritor (para adultos e crianças), ator (de teatro e cinema), realizador, Sérgio Godinho é, para citar uma das suas canções clássicas, o verdadeiro “homem dos sete instrumentos”, cujo trabalho tem sido admirado e aplaudido por gerações de portugueses.

Numa carreira artística de invejável longevidade, que se prolonga há mais de 40 anos de modo quase intocável, foi o seu trabalho enquanto cantor-compositor que o tornou num ícone capaz de reunir à volta das suas canções pessoas de diferentes idades, vivências e aspirações.

A presença de Sérgio Godinho em Monção insere-se no projeto “Conta-me Histórias”, ciclo de conversas-concerto com conhecidos músicos portugueses, onde estes revelam alguns pormenores menos “falados” das suas carreiras. Estas histórias são acompanhadas por algumas das suas músicas mais relevantes em registo acústico.

MONÇÃO ACOLHE SEGUNDO “CICL-ONE” COM GOBI BEAR

Depois da estreia em janeiro com “O Manipulador”, “Cicl-one” ciclo de concertos de canta-autores, regressa esta sexta-feira, 10 de fevereiro, pelas 21h30, na sala de exposições do Cine Teatro João Verde, com atuação de Gobi Bear. A entrada é gratuita, encontrando-se limitada aos lugares disponíveis. Durante a tarde, decorre um workshop para alunos do ensino secundário, onde o artista aborda o processo criativo na construção dos textos e das músicas.

Gobi Bear.jpg

A segunda edição de “Ciclo-ne”, ciclo de música entre janeiro e abril com canta-autores emergentes nacionais e internacionais, continua esta sexta-feira, 10 de fevereiro, pelas 21h30, na sala de exposições do Cine Teatro João Verde. A entrada é gratuita, encontrando-se limitada aos lugares disponíveis.

Mais do quem uma banda de um homem só, Gobi Bear é um alter-ego. Deixa as cordas soar como querem, apontando-lhe caminhos simples ou labirintos de distorções sustentados em canções guiadas por uma voz meiga. Ao vivo, camufla-se no ambiente ou provoca-o com barulho. Sozinho, desliga-se do mundo para o recriar.

Com produção da Bulletseed e apoio da autarquia monçanense,“Cicl-one” compreende ainda workshops para os alunos do ensino secundário, onde os artistas abordarão o processo criativo na construção dos textos e músicas. Depois de “O Manipulador” e Gobi Bear, segue-se Coelho Radioactivo, em março, e Daily Misconceptions, em abril. Sempre no Cine Teatro João Verde.

BARQUENSES FAZEM SERÃO COM MÚSICA E POESIA

Poesia e Música marcaram o serão de sábado na Biblioteca Municipal de Ponte da Barca

Foi na noite do passado sábado que a Biblioteca Municipal de Ponte da Barca recebeu o poeta Daniel Gonçalves, que veio apresentar a sua última criação - "Estes Assuntos Tristes", lançado o ano passado e vencedor do Prémio Nacional de Poesia Natércia Freire 2016.

IMG_2499.jpg

A obra, composta por 38 poemas originais, transporta para a beleza dos dias, das coisas simples, da tristeza e do amor, deste autor com mais de 16 livros publicados e reconhecido com vários prémios.

O serão, tão reconfortante de homenagem à poesia, foi ainda enriquecido com o apontamento musical de Sonus Sax, um duo de saxofone e voz, composto por jovens barquenses.

IMG_2555.jpg

IMG_2578.jpg

IMG_2579.jpg

ORFEÃO UNIVERSITÁRIO DO PORTO VAI ESTAR EM VIANA DO CASTELO E PROPÕE A PARTICIPAÇÃO EM ESPECTÁCULOS DAS COLECTIVIDADES LOCAIS

O Orfeão Universitário do Porto estará no concelho de Viana do Castelo, no período de 7 a 12 de Abril de 2017, com o intuito de fazer uma “Digressão Artístico – Cultural de Páscoa”. Esta é uma oportunidade única das associações vianenses poderem contar com o espectáculo do Orfeão nas suas instalações ou num evento que seja do seu Plano de Actividades 2017.

1981897_10152382647360348_1338487155_n.jpg

O Orfeão Universitário do Porto não cobra qualquer tipo de cachet pela sua actuação, solicitando apenas que a entidade interessada no concerto assegure as questões logística e de som e luz.

O Orfeão Universitário do Porto (OUP) é uma Instituição de Utilidade Pública que completou no ano de 2012 um século de existência. Alberga estudantes de todas as Faculdades da Universidade do Porto que demonstram os seus potenciais nas vertentes coral, etnográfica e académica criando, no espectáculo apresentado, um ambiente estudantil de diversão contagiante.

A acção cultural do Orfeão não tem sido ignorada pelas autoridades que o distinguiram, entre outras, com a Medalha de Ouro de Mérito Artístico da Cidade do Porto e com o grau de Comendador da Ordem de Instrução Pública, Comendador da Ordem de Benemerência e Pessoa Colectiva de Utilidade Pública.

Perseguindo o seu objectivo de levar a cultura musical tradicional Portuguesa a todos os pontos do país, o OUP realiza todos os anos uma série de eventos, como são exemplo o Sarau Anual, a Digressão Artístico-Cultural de Páscoa, o Festival Internacional de Tunas Universitárias (FITU), quando possível a Digressão Artístico-Cultural de Verão, entre outros.

No passado ano de 2016 o OUP realizou a sua Digressão de Páscoa na cidade de Évora, tendo actuado no Teatro Garcia Resende, na Arena d'Évora entre outras. O OUP, também contou no ano de 2016, com a Digressão Artístico-Cultural de Verão, realizada nos Açores.

Este ano o OUP faria muito gosto e teria uma enorme honra em realizar a sua Digressão artístico-cultural de Páscoa na zona norte, sendo a cidade de Viana do Castelo a eleita para a sua sede logística, onde ficarão hospedados.

Ao longo da referida semana, o Orfeão Universitário do Porto pretende oferecer à cidade-sede e a localidades vizinhas, espectáculos completos (nos quais participam todos os grupos activos do OUP) ou parciais (em que somente actuam os grupos requeridos) e arruadas, nas quais desfilamos pelas ruas da cidade envergando trajes etnográficos, tocando e cantando músicas do folclore Português e interagindo e convidando a população a cantar connosco.

O espectáculo completo compreende as vertentes coral, etnográfica e académica, através dos seus grupos: Coro Clássico, Grupo de Danças e Cantares do Douro, Minho, Açores e Madeira, Grupo de Pauliteiros de Miranda, Grupo de Cantares de Maçadeiras e Alentejanos, Grupo de Fados, Tuna Universitária e Tuna Feminina do OUP.

Aproveitam para convidar a visitar o seu site, onde se pode encontrar informações detalhadas sobre a sua história, grupos constituintes e actuações realizadas e agendadas: www.orfeao.up.pt

970190_10152485630855348_3996432870683783625_n.jpg

AUREA E JORGE PALMA ACTUAM EM VIANA DO CASTELO

Concertos AUREA - 25 março e JORGE PALMA - 29 abril | Centro Cultural de Viana do Castelo | 22h00 - Bilhetes à Venda

Os bilhetes para os concertos de AUREA – 25 de março e JORGE PALMA – 29 de abril, a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo já se encontram disponíveis para venda.

25-03-2017 - AUREA.jpg

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;

Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • www.ticketline.sapo.pt- Fnac - Ag. Viagens Abreu – Worten – A.B.E.P – Casino Lisboa – C.C. Dolce Vita – C.C. Mundicenter – El Corte Inglês e SuperCor – Galeria   Comercial Campo Pequeno – MMM Ticket – Uticketline – CCB – Time Out Mercado da Ribeira – Shopping Cidade do Porto – Forum Aveiro – Ask Me Lisboa e INFORMAÇÃO/ RESERVAS: ligue 1820 (24 horas)
  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia dos referidos espetáculos,  entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada

                CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

                CUSTO DO BILHETE: 10€ (plateia) | 10€ (bancada)

                Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt (indicando nome e NIF), com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

                Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

                Não há lugares marcados.

29-04-2017 - JORGE PALMA.jpg

CAMINHA VILA SERRALVES VAI RECEBER GRANDE EXPOSIÇÃO DE ARTE MODERNA DA COLEÇÃO DA FUNDAÇÃO

“Música e Palavras – Obras da coleção de Serralves” abre na próximaterça-feira, dia 7, em quatro espaços da sede do concelho

“Música e Palavras – Obras da coleção de Serralves” é a primeira exposição que Caminha, enquanto “Vila Serralves”, vai exibir já a partir de terça-feira. Esta aposta na cultura prestigia o concelho e vai permitir aos caminhenses ampliarem os seus hábitos culturais e contactarem com manifestações artísticas de criadores portugueses e estrangeiros de maior relevância, bem como vai atrair novos públicos ao concelho. A exposição vai estar patente em diversos espaços municipais.

musica e palavras.jpg

A exposição “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” reúne instalações e objetos visuais e escultóricos que empregam o som como suporte principal. Desde a visão estética do acontecimento sonoro ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, a exposição revela as dimensões associativas e sociais do som no mundo contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora e a catarse associada à estética frenética do videoclipe delimitam um percurso de diferentes propostas transversalmente ligadas para além de geografias e gerações. Trata-se de uma produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

A adesão a Serralves é a continuidade da aposta na cultura que o Município vem reforçando, nos últimos anos, entendendo-a como motor de desenvolvimento económico e social. Enquanto Vila Serralves, o Município de Caminha vai desenvolver um conjunto de iniciativas que promovam a cultura contemporânea e a sensibilização ambiental na área das suas atribuições institucionais.

A exposição “Música e Palavras – Obras da coleção de Serralves” estará patente até ao dia 16 de abril,em diversos locais municipais, designadamente: Museu Municipal de Caminha, Antigo Posto de Turismo de Caminha, Núcleo Museológico do Centro Histórico de Caminha – Torre do Relógio e, ainda, Galeria de Arte Caminhense.

Recorde-se que o Município de Caminha aceitou o convite da Fundação, tornando-se, no final do ano passado, membro do Conselho de Fundadores da Fundação de Serralves,atravésda celebração de um protocolo. A propósito do convite, o presidente da Câmara, Miguel Alves disse na altura: “para além do reconhecimento do trabalho que o Município leva a cabo, esta adesão a Serralves evidencia uma estratégia que renova o prestigio do concelho e que ganha uma nova oferta para os que nos visitam ou têm aqui a segunda habitação. E cria uma especial relação com os residentes de todos os dias que, agora, poderão encontrar exposições, ações de formação educativa ou espetáculos que só Serralves consegue potenciar. Este é um prémio extraordinário para o concelho e para a vila de Caminha. Este é o primeiro concelho do país que tem uma vila como sede e merece esta distinção de Serralves. É um orgulho e queremos transformar esse orgulho numa melhoria da vida cultural da nossa gente. Somos a primeira Vila Serralves e vamos fazer tudo para a dignificar”.

ARCOS DE VALDEVEZ REALIZA NO MINHO PRIMEIRO FESTIVAL DO ANO DE MÚSICA MODERNA

Sons de Vez entre os primeiros finalistas dos Iberian Festival Awards

Considerado “o primeiro festival do ano”, a edição de 2017 arranca já no próximo dia 11 de Fevereiro

As votações para a 2ª edição dos Iberian Festival Awards já terminaram e contaram com um record de mais de 10 mil votos. Estes votos serviram para a eleição de metade das 20 categorias a concurso.

SonsdeVez2016_Poster_Frente@2x.jpg

Foi com grande satisfação que o Municipio verificou que o Sons de vez, inserido na categoria Best Indoor Site, se encontra no TOP10 destas categorias.

Esta foi a segunda vez que o Festival de música moderna Portuguesa Sons de Vez, que regressa em Fevereiro para a sua 15ª edição, e é um marco no panorama musical nacional, bem como um momento de celebração da nova música portuguesa, nas suas várias sensibilidades e gerações, voltou a ser nomeado de Best Indoor e Best Small Festival, no âmbito dos Iberian Festival Awards, integrados em mais uma edição do Talk Fest. Um fórum internacional sobre os festivais que decorrerá nos dias 9 e 10 março em Lisboa e no dia 16 em Barcelona.

Os vencedores nacionais e ibéricos serão anunciados na gala que ocorrerá a 16 de março no MACBA, Barcelona.

 
 

Programação do Sons de Vez 2017:

11 de Fevereiro – Miguel Araújo + VIA

18 de Fevereiro – UHF + Jarojupe

25 de Fevereiro – Bezegol

4 de Março – Diogo Piçarra

11 de Março – Fado Violado

18 de Março - Bed Legz+The Twist Connection

25 de Março – Pedro Abrunhosa

31 de Março – Maze+Chillange+Abyss

 

 

BARCELOS LEVA TEATRO E MÚSICA AO TEATRO GIL VICENTE

Fevereiro com cinema e música portuguesa no Teatro Gil Vicente

A programação de fevereiro para o Teatro Gil Vicente fica marcada pela presença destacada da produção artística nacional.

A ZOOM - Associação Cultural promove o ciclo de cinema Porto/Post/Doc, no dia 22, com a exibição dos filmes “Vandoma”, de Bernardo Bordalo, Bruno Lança e Rui Oliveira, e “Ama-san”, de Cláudia Varejão, que retrata uma tradição milenar japonesa da apanha de moluscos em apneia por grupos de mulheres.

Antes disso, a 16 de fevereiro, será exibida a premiada longa-metragem “Ornitólogo”, de João Pedro Rodrigues, considerada por muitos como o melhor trabalho do realizador até à data. “É Apenas o fim do mundo” (dia 2), de Xavier Dolan, e “Ela” (dia 23), de Paul Verhoeven, que integra o ciclo dedicado à atriz Isabelle Huppert, completam o cartaz mensal. A Associação dá continuidade ao Programa Sénior, exibindo o clássico “Flor do Equinócio” (dia 8), de Yasujiro Ozu, cuja obra será alvo de um ciclo de programação. Também no âmbito do Programa Sénior, o Instituto Autodidacta de Estudos Superiores do Minho apresenta a peça de teatro “Um Tesouro do tamanho do mundo”, nos dias 15 e 17 de fevereiro.

A dança chegará ao Gil Vicente pelas mãos da Associação Amigos do Ballet, que sobe ao palco com “Sequência: um, dois, três!”, a 4 e 5 de fevereiro, num espetáculo que cruza as danças clássica e contemporânea. Durante o dia 4, o bailarino e coreógrafo Álvaro Ribeiro Santos vai dirigir um workshop técnico no Teatro Gil Vicente. A inscrição custa 5 euros e deverá ser enviada para o e-mail aab.amigosdoballet@gmailc.om

Na terra do rock, a música não pode faltar. Das guitarras elétricas ao cavaquinho, três concertos preenchem a agenda musical: L-Blues (dia 10), Indignu (dia 18) e Daniel Pereira (dia 24). A fechar o mês, o Teatro Experimental de Mortágua sobe até ao Minho, no dia 25 de fevereiro, para apresentar “Péricles”, de William Shakespeare.

BANDA DE MÚSICA DE MOREIRA DO LIMA E GRUPO CANTO D'AQUI ATUAM EM PONTE DE LIMA

29 de Janeiro – 15h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

O primeiro dos quatro concertos das bandas filarmónicas do concelho de Ponte de Lima, agendados para o presente ano no Teatro Diogo Bernardes, estará a cargo da Banda de Música de Moreira do Lima no próximo domingo, 29 de Janeiro, às 15h00, a qual se fará acompanhar, na segunda parte do concerto, pelo grupo Canto d’Aqui.

banda_de_musica_de_moreira_do_lima_mupi_.jpg

Do vastíssimo e histórico currículo da Banda de Música de Moreira do Lima permitimo-nos destacar o seguinte.

Em 2006 a banda gravou o seu primeiro CD e dois anos depois concretizou a sua internacionalização ao visitar a vila francesa de Frontygnan, Montpellier, a convite da Association Portuguaise Culturrelle Frontignaise, aquando das Comemorações do 25 de Abril.

Em Outubro de 2009, Artur António Duarte Cardoso assumiu a direção artística da banda e a entrada de novo maestro traduziu-se em sinónimo de uma renovação musical.

No dia 4 de Março de 2014, Dia de Ponte de Lima, a Banda de Música da Casa do Povo de Moreira do Lima recebeu a Medalha de Mérito Cultural do Município de Ponte de Lima, pelo trabalho em prol do desenvolvimento cultural do concelho.

Na viragem do ano 2014 para 2015, a batuta da banda muda de novo de dono. Manuel António Barbosa Monteiro é o atual maestro da banda que em 2016 gravou o seu segundo CD.

Programa do Concerto:

1.ª Parte – Banda Moreira do Lima

Ares de Espanha – Ilídio Costa

Persis – James L. Hosay

Irish Tune Country Derry – Percy Grainger

Francisco Magalhães – Luís Cardoso

Zirkus Renz – Arr: Guy Rodenhof

2.ª Parte – Banda Moreira do Lima e Grupo Canto D´Aqui

Boi do Mar – Luís A. Bettencourt. Arr: Filipe Cunha

E depois do adeus – José Nisa e José Calvário. Arr: Filipe Cunha

Cantar de Emigração – Rosalia de Castro e José Nisa Mendes. Arr: Filipe Cunha

Luisinha – Popular. Arr: Filipe Cunha

Oh linda Ana Tirana – Popular. Arr: Filipe Cunha

Hino Ponte de Lima

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

INDIGNU ATUA EM PONTE DE LIMA

INDIGNU. 27 de Janeiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

As Comemorações dos 120 Anos do Teatro Diogo Bernardes, a decorrer até 19 de Setembro, continuam com um ritmo digno de destaque e o próximo fim-de-semana será marcado pela música, de sexta-feira a domingo.

indignu_4x3_.jpg

Na sexta-feira, dia 27, a partir das 21h30, sobe ao palco uma das maiores referências do post-rock nacional – o projecto Indignu [lat.], formado por Afonso Dorido (guitarra e baixo), Graça Carvalho (violino, metalofone e sintetizadores), Helena Silva (violino), Jimmy Moom ( guitarra, baixo e metalofone), Mateus Nogueira (baixo, guitarra, piano) e Paulo Miranda (bateria).

Três anos depois da ópera-rock Odyssea, aclamado disco-livro que a Time Out Porto classificou como “obra de arte”, o colectivo post-rock barcelense está de regresso aos discos. Ophelia, a nova viagem, disponível em edição vinil de capa dupla, teve o seu primeiro avanço no Festival Bons Sons, em Agosto passado e foi apresentada ao público em 31 de Outubro no sítio oficial da banda.

Com o trabalho anterior, Indignu [do latim] marcou passagem de norte a sul do país, mas também por Espanha, França e Bélgica, onde deixou marca no Dunk!Festival, o maior festival post-rock da Europa.

Mar do Norte, o single e avanço do disco, foi apresentado em videoclipe, gravado entre as encostas do mediterrâneo e o Cairo, no Egipto, e teve destaque na galeria videoclip.pt do p3 do Público em Setembro passado.

Ophelia levanta o véu para a temática da bipolaridade humana, lembrando ao mesmo tempo que as maiores e mais desconcertantes viagens ocorrem, na maior parte das vezes, dentro de nós.

Ophelia é uma mulher como que bipolar. Que transporta no peito dois mundos, dois hemisférios no seu cérebro, inderdependentes, mutuamente inclusivos. Quase que se de um lado “A/Norte/Este” fosse delicada, planante, emocional, fazendo o ouvinte viajar para cenários sensoriais, clássicos, contemplativos. E do outro lado “B/Sul/Oeste” fosse agitada, desconcertante negra, transportando para uma viagem sofrida e excêntrica.

Gravado nos meses de Agosto de 2015 e Fevereiro e Março de 2016, Ophelia foi produzido por Paulo Miranda, conhecido produtor e responsável por trabalhos de The Legendary Tiger Man, peixe :avião, Old Jerusalem, entre outros, no Amp Studios, em Viana do Castelo, e masterizado por Miguel Marques, nos Estúdios Sá da Bandeira, Porto, que masterizou também discos de Capitão Fausto, Keep Razors Sharp, Glockenwise e Filho da Mãe.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

VICENTE PALMA ATUA EM PONTE DE LIMA

28 de Janeiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

No próximo sábado, às 21h30, sobe ao palco do Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, Vicente Palma acompanhado da respectiva banda.

vicente_palma_2017_4x3_.jpg

Vicente Palma carrega no seu apelido a ligação indissociável a um dos maiores vultos de sempre da música portuguesa, Jorge Palma.

Desde os oito anos de idade que toca o seu instrumento principal – o piano – tendo enveredado por uma educação clássica no Conservatório Nacional.

Mais tarde, já adolescente e também tocando guitarra, passa a acompanhar o pai, Jorge Palma, por todo o país, por todos os palcos, sendo este um rito de passagem que culminou no seu crescimento enquanto músico profissional e experiente.

Nunca recusando a sua herança, a emancipação de Vicente Palma é agora.

"Parto" (Antena 3 – EMI 2012) é o ponto de partida, pleonasmo necessário que marca o início da viagem de Vicente Palma enquanto autor e intérprete.

São treze os temas que assina, incluindo uma versão do tema «Para Rosalía», de Adriano Correia de Oliveira, antes integrada no disco de tributo "Adriano: Aqui e Agora" (2007) que lhe valeu posteriormente a inclusão no álbum "Novos Talentos Fnac 2008".

Em 2014, a propósito do 40º aniversário do 25 de Abril, foi convidado para participar em "Os Dias Cantados", iniciativa da Antena 1, contribuindo com uma notável versão de "Como Um Sonho Acordado", original de Fausto.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

SANDY KILPATRICK ATUA NO TEATRO CINEMA DE FAFE

Concerto de pré apresentação do tema Whispering Wind 

No próximo Sábado, 28 Janeiro, o músico Sandy Kilpatrick atua no Teatro Cinema de Fafe.

Sandy.jpg

Neste concerto, Sandy Kilpatrick viaja pelo seus últimos trabalhos, aproveitando ainda para apresentar o single Whispering Wind  do seu mais recente trabalho 'Confessions from The South', um álbum de homenagem ao nosso país, inspirado pelas surpreendentes paisagens de dez locais diferentes em Portugal.

Este seu novo trabalho vai contra a nova corrente mundial de tempos mais turbulentos e violentos. É um trabalho que, artisticamente, tenta quebrar com muros de separação e construir pontos de unidade e esperança, conectando pessoas através do amor à natureza e humaninsmo.

Whispering Wind é o primeiro tema escolhido que, apesar de ser cantado em inglês, reflete em muito a Portugalidade  que está já inerente ao trabalho de Sandy Kilpatrick.

"Confessions from The South" é o primeiro de um conjunto de quatro álbuns homenagem a diferentes países que, de alguma forma, marcaram a vida de Sandy Kilpatrick. O primeiro projeto a ser sobre Portugal, os restantes passam em países como a Irlanda, Escócia e Noruega

Sandy Kilpatrick é um cantor e compositor escocês, que vive em Portugal mas que se considera como um cidadão do mundo. Sandy vê Portugal como a sua segunda casa, onde os seus dois filhos nasceram e foram criados e onde ele vive há 15 anos.

Parece assim natural que ele seja entendido como parte da comunidade musical portuguesa, e este novo álbum representa esse longo caminho para fortificar a sua ligacão com o pais que o acolheu.

O concerto, inserido no Fafe Film Fest, tem início marcado para as 21h30.

Os bilhetes, com o custo de 5 euros, podem ser adquiridos na Loja Interactiva de Turismo.

FAMALICÃO LEVA MÚSICA E TEATRO À CASA DAS ARTES

Sugestões para este fim-de-semana no espaço cultural famalicense: Mirror People e Teatro do Bolhão na Casa das Artes

O terceiro fim-de-semana do ano na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão vai ficar marcado pela música e pelo teatro. A sonoridade dos Mirror People e a peça “A Vida de Galileu” são as propostas do espaço cultural famalicense para o próximo sábado, dia 21 de janeiro.

A Vida de Galileu.jpg

Protagonizada por António Capelo, a peça “A Vida de Galileu” marca o regresso do Teatro do Bolhão ao autor germânico Bertolt Brecht, que neste seu texto tematiza o confronto entre a verdade da ciência – que tem de ser confirmada e demonstrada – e a verdade da religião – um ato de fé.

A peça sobe ao palco do grande auditório, a partir das 21h30. Os bilhetes já se encontram à venda, tendo o custo de 8 euros para o público em geral e reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

No mesmo dia, mas no café-concerto, a Casa das Artes recebe o concerto dos Mirror People.

A banda portuguesa, que junta influências do “disco sound” dos anos 70 com sons atuais da música de dança, prepara-se para lançar o seu segundo álbum de originais, intitulado “Bring the Light”, para o qual Rui Maia, mentor deste projeto musical, convidou a banda que o acompanha em palco (Maria do Rosário, João Pascoal e Hugo Azevedo) e o vocalista Jonny Abbey.

O concerto está marcado para as 23h30. A entrada tem o custo de 6 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.  

Mais informações em www.casadasartes.org.

Mirror People - Promo Foto Andre Leiria.jpg

HÁ… JAZZ NO CIPVV – CENTRO DE INTERPRETAÇÃO E PROMOÇÃO DO VINHO VERDE / PONTE DE LIMA

Sessão de 18 de Janeiro adiada

A sessão do Há... Jazz no CIPVV – Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde marcada para hoje, dia 18 de Janeiro, às 21h30, por motivos de força maior, foi adiada para o dia 5 de Abril de 2017, no mesmo local, às 22h00, com entradas gratuitas.

ha_jazz_no_cipvv_jan2017.jpg

O evento contará com a participação de Beatriz Capote – violino, João Caseiro – guitarra eléctrica, João Quintanilha – contrabaixo e Eduardo Machado – bateria, que interpretarão, em blocos, diversos temas de Charlie Parker.

As próximas datas de realização do Há... Jazz no CIPVV – Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde, em Ponte de Lima, são: 15 de Fevereiro, 15 de Março, 5 de Abril, 19 de Abril e 17 de Maio.

BANDA FILARMÓNICA DE AMARES ENCANTOU PÚBLICO NO CONCERTO DE ANO NOVO

A Igreja do Mosteiro de Santo André, de Rendufe, voltou a ser espaço privilegiado de mais um grande momento cultural e musical proporcionado pela Banda Filarmónica de Amares, no tradicional Concerto de Ano Novo.

DSC00974.jpg

De forma entusiástica e calorosa, os aplausos sucederam-se a cada interpretação, prestando reconhecimento à qualidade musical que a banda evidenciou nos temas “Fanfare for theCommon Man”, Aaron Copland, “A JoyfulJourney”, Robert Sheldon e “La PérieFanfare”, Paul Dukas, de entre um repertório vasto, conjugando uma perfeita harmonia entre a música e um dos espaços mais emblemáticos do concelho de Amares.

O espetáculo, que teve casa cheia, contou com a presença da vereadora da Ação Social/Educação, Cidália Abreu e do presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, que se congratulou com “este bonito momento cultural, representativo da qualidade musical que se produz em Amares, um concelho que se vai tornando uma referência no panorama filarmónico nacional e internacional”.

A Banda Filarmónica de Amares, cuja fundação remonta a 1853, é atualmente constituída por 60 elementos estando a direção artística entregue ao maestro Hélder Vales desde 2016.

DSC01020.jpg

DSC01024.jpg

VALTER LOBO ATUA EM PONTE DE LIMA

14 de Janeiro – 21h30 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

O Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, apresenta no próximo sábado, a partir das 21h30 o concerto de Valter Lobo, dando continuidade a uma programação diversificada, com públicos cada vez mais diferenciados e fidelizados, em acções permanentes de autêntico serviço público de cultura.

valter_lobo_4x3_.jpg

Valter Lobo é um cantautor e advogado nortenho que se deu a conhecer apresentando ao mundo um conjunto de cinco canções que perfizeram o “Inverno Ep” em 2012, trabalho muito bem recebido pelos media e público da nova música portuguesa.

Com o português em punho e com uma componente lírica marcada por um grande sentimentalismo e uma melancolia quase permanente, integrou o grupo de Novos Talentos Fnac 2012, apresentou-se ao público em vários concertos ao vivo, participou no “Singersongwriter International Competition”, sendo o único artista a cantar em português a chegar à semi-final, até alcançar o primeiro lugar do top da Antena3 onde permaneceu durante várias semanas com o tema “Pensei que fosse fácil”.

A experiência de tocar nas melhores salas do país quando acompanhou Scott Matthew nos concertos de Misty Fest em 2013 (CCB, Casa da Música, etc.) e as reacções recolhidas durante as suas apresentações ao vivo, perspectivavam a construção de um artista genuíno, com uma identidade vincada e capaz de dar continuidade à senda de outros históricos cantautores portugueses.

Regressa em 2016 com o seu primeiro álbum, “Mediterrâneo”. São nove temas originais compilados num trabalho conceptual em que Valter Lobo, sem colocar de parte uma melancolia inata, faz uma reaproximação ao calor humano e ao mundo, na busca de um clima mais ameno e apaziguador, despido de materialismo e onde os bens essenciais à sobrevivência são a proximidade com o mar e com aqueles de quem gostamos.

A sonoridade veio enriquecida pelos ambientes criados pela guitarra atmosférica de Jorge Moura e pelos sopros de Tiago Borges, num disco intenso e com um propósito de mudança. A entrega e a pujança da sua voz tornam a apresentação ao vivo num momento intenso e de grande aproximação com o público.

É a passagem do Inverno para um clima mediterrânico e mais um passo na afirmação de Valter Lobo como um artista da música nacional que não descura a língua portuguesa. Trata-se de um trabalho artístico e pessoal, demasiado genuíno.

Deste novo trabalho, a Antena 3 já apostou em três temas: “Fora do Coração”, “Oeste” e “Mediterrâneo” que têm passado com regularidade. A TSF e as Rádios Universitárias do Minho e Coimbra, entre outras, também já o acolheram devidamente.

Bilhetes à venda (2,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

PONTE DA BARCA RECEBE SAMUEL ÚRIA

Samuel Úria em concerto na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 21 de Janeiro no âmbito do Projeto 'Música em Casa'

Aclamado pela crítica, Samuel Úria vem-se afirmando como um dos maiores músicos indie da atualidade portuguesa

samuel_uria_tld (1).jpg

No próximo dia 21 de janeiro, pelas 22 horas, regressa a Ponte da Barca o projeto 'Música em Casa'lançado pela Câmara Municipal em 2016 com o intuito de colocar em destaque uma programação musical na Casa da Cultura que dê a conhecer ao público barquense vários projetos de músicos portugueses em ascensão, e traz-nos, para começar em grande o novo ano, o concerto de Samuel Úria. Os bilhetes custam 2 euros e já se encontram à venda na Casa da Cultura e na Loja Interativa de Turismo.

Samuel Úria vem sendo consagrado como o mais interessante cantautor do século XXI português. O seu trajeto musical passa pelos discos e concertos em nome próprio, pelo punk-rock vintage das “Velhas Glórias” e pelas filarmonias de “Os Ninivitas”. Pelos salmos de Samuel Úria andam os trovadores vaqueiros e os lendários crime-fighters do cançonetismo português; andam heroínas de ficção científica a passear por cemitérios índios; anda o Dean Martin sóbrio com a lira do Rei David”.

SEGUNDA EDIÇÃO DE “CICL-ONE” ARRANCA ESTA SEXTA-FEIRA COM “O MANIPULADOR”

13de janeiro, sexta-feira, pelas 21h30, na sala de exposições do Cine Teatro João Verde, com entrada gratuita e limitada aos lugares disponíveis.  Ciclo de canta-autores, promovido pela Bulletseed, compreende quatro concertos intimistas entre janeiro e abril. Depois de “O Manipulador”, chega Gobi Bear (fevereiro), Coelho Radioactivo(março) e DailyMisconceptions(abril). No dia dos concertos, decorrem workshopspara alunos do ensino secundário, onde os artistas abordarão o processo criativo na construção dos textos e músicas.

Cicl-one 01.jpg

A segunda edição de “Ciclo-ne”, ciclo de música entre janeiro e abril com canta-autores emergentes nacionais e internacionais, tem início esta sexta-feira, 13 de janeiro, pelas 21h30, na sala de exposições do Cine Teatro João Verde. A entrada é gratuita, estando limitada aos lugares disponíveis.

Promovido pela Bulletseed com apoio da autarquia monçanense, o primeiro capítulo de “Cicl-one” é escrito por “O Manipulador”,projeto de Manuel Molarinho que, em 2010, decidiu enveredar por um percurso musical a solo e de forma absolutamente independente.

Em estúdio, Manuel Molarinho é uma "onemanband" experimental de baixo, pedais, loop station e voz que, em termos musicais, assume a expressão de uma identidade própria influenciada pela estética de algumas bandas de rock alternativo e pelo conceito "do ityourself".

Além dos concertos, o ciclo de música “Cicl-one” compreende aindaworkshops para os alunos do ensino secundário, onde os artistas abordarão o processo criativo na construção dos textos e músicas.Depois de “O Manipulador”, chega Gobi Bear (fevereiro), Coelho Radioactivo (março) e DailyMisconceptions (abril). Sempre no Cine Teatro João Verde.

Cicl-one 02.jpg

SAMUEL ÚRIA ATUA EM PONTE DA BARCA

No âmbito do Projeto 'Música em Casa', Samuel Úria em concerto na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 21 de janeiro

Aclamado pela crítica, Samuel Úria vem-se afirmando como um dos maiores músicos indie da atualidade portuguesa

samuel_uria_tld.jpg

No próximo dia 21 de janeiro, pelas 22 horas, regressa a Ponte da Barca o projeto 'Música em Casa'lançado pela Câmara Municipal em 2016 com o intuito de colocar em destaque uma programação musical na Casa da Cultura que dê a conhecer ao público barquense vários projetos de músicos portugueses em ascensão, e traz-nos, para começar em grande o novo ano, o concerto de Samuel Úria. Os bilhetes custam 2 euros e já se encontram à venda na Casa da Cultura e na Loja Interativa de Turismo.

Samuel Úria vem sendo consagrado como o mais interessante cantautor do século XXI português. O seu trajeto musical passa pelos discos e concertos em nome próprio, pelo punk-rock vintage das “Velhas Glórias” e pelas filarmonias de “Os Ninivitas”. Pelos salmos de Samuel Úria andam os trovadores vaqueiros e os lendários crime-fighters do cançonetismo português; andam heroínas de ficção científica a passear por cemitérios índios; anda o Dean Martin sóbrio com a lira do Rei David”.

BANDA “THE OAFS” NASCE EM VIANA DO CASTELO

The Oafs formaram-se em 2013 em Vila Franca, Viana do Castelo, como resultado de uma combinação de diversos gostos musicais. Assumem-se como uma banda Indie e Folk, através de 4 vozes e instrumentos como o clarinete, percussão, baixo e guitarra.

the oafs foto1.jpg

“Oaf” caracteriza uma pessoa desajeitada. Com esta descrição o quarteto pretende apelar à face mais descontraída de cada pessoa, a face que permite que esta se liberte e aproveite a sua música.

Em finais de 2016 editaram o álbum “My Scars and Stories”, onde: “contamos histórias e expomos as marcas, boas e más, que nos constroem como pessoas. Contamos desabafos que nos saem da alma, nos acordam de noite e nos obrigam a escrever”, revelam os elementos de The Oafs.

The Oafs são:

Eva Gomes: voz, guitarra e percussão

João Dias: guitarra e vozes

Afonso Carvalho: clarinete, percussão, vozes

Raul Carvalho: baixo e vozes

“My Scars and Stories”

1 - The World in a Button

2 - Scars and Stories

3 - In my Imaginary World

4- Full Life

5 - My Superhero

6- Save Me

7- Lights

8 - Dance

9 - Surrender to You

10 - The Might Boss

11 - My Wrecked Soul

12 - Selfish Way

13 - Antisocial

editado: 20 Outubro 2016

https://www.facebook.com/The-oafs-395495270578627 “My Scars and Stories”

https://www.reverbnation.com/5265233/album/141186

https://www.youtube.com/watch?v=J3wAnHOGfkU

https://www.youtube.com/watch?v=tPAlUslHPzo

https://www.youtube.com/watch?v=deAonJlKN_M

BANDA DA SOCIEDADE MUSICAL DE ARCOS DE VALDEVEZ REALIZA CONCERTO DE ANO NOVO

Banda da Sociedade Musical Arcuense dá concerto de Ano Novo no próximo sábado

No próximo dia 7 de janeiro, sábado, pelas 21h30, a Casa das Artes concelhia abrirá as portas para receber o grande concerto de Ano Novo pela Banda da Sociedade Musical de Arcos de Valdevez, um grupo composto maioritariamente por elementos do concelho.

banda arcuense 2013.jpg

A Banda centenária é dirigida pelo maestro Gil Magalhães e integra músicos de grande qualidade, tendo o seu mérito sido recentemente atestado ao ter vencido o III Concurso de Bandas Filarmónicas de Braga, no qual durante dois dias, 15 bandas de várias regiões do País e também de Espanha mostraram o trabalho que realizam.

Trata-se de uma banda de madeiras, metais e percussão, e interpreta temas de todas as épocas, nomeadamente bandas sonoras de filmes, música erudita e clássicos.

A Direção também exerce um papel de grande relevância no desempenho do grupo pois realiza um trabalho dedicado em prol da sua união, promoção e qualidade.

Aguarda-se casa cheia e um concerto com a qualidade elevada a que o público já está habituado.

De referir que a Câmara Municipal tem apoiado a Banda de forma continuada, aumentando este mesmo apoio ao nível financeiro. Ainda recentemente apoiou também na aquisição de instrumentos e de fardas novas.

AMARES RECEBE EM GRANDE NOVO ANO COM FESTA NA PRAÇA

A Praça do Comércio, em Ferreiros, foi o ponto de encontro para muitos amarenses passarem a noitede réveillon.Com entrada livre e muita animação motivos não faltaram para que a despedida ao ano de 2016 fosse feita em beleza e Amares entrasse em grande, e de forma memorável, em 2017.

15781642_1822701144653602_8986760077739770047_n (1).jpg

Jonh Maize e Miguel Faria, Echo Sound, Kaiser, Rasec e convidados garantiram animação, festa e excelentes momentos de convívio entre as centenas de pessoas que se juntaram na tenda montada para este grande evento. As doze badaladas foram assinaladas com um grande espetáculo de fogo de artifício e coma oferta de champanhe e uvas passas para todos.

O Município de Amares agradece a todos aqueles que aceitaram o convite e deram as boas vindas a 2017 numa grande festa de Passagem de Ano e a todos aqueles que contribuíram para o sucesso desta iniciativa, nomeadamente, ao Sintomas Bar, e Autocarro Bar, bem como, à Junta de Freguesia de Ferreiros, Prozelo e Besteiros e ao Flash Stage.

15871635_1822706121319771_6970102661948526956_n.jpg

15873334_1822705377986512_1154689761502025270_n.jpg

BANDA SINFÓNICA PORTUGUESA ATUA EM FAFE

Concerto comemora o Ano Novo

No próximo Domingo, 8 de Janeiro, a Banda Sinfónica Portuguesa atua no Teatro Cinema de Fafe num concerto que celebra o novo ano.

O espetáculo está marcado para as 16h e os bilhetes, com o custo de 2 euros, podem ser adquiridos na Loja Interactiva de Turismo.

post-FB-01.jpg

MINHOTOS ANIMAM BANHISTAS DE CARCAVELOS

Centenas de pessoas deram hoje o primeiro mergulho do ano na praia de Carcavelos, nos arredores de Lisboa, mantendo uma tradição que perdura desde há mais de setenta anos. E, para animar a festa, à semelhança de anos anteriores, não faltaram os minhotos com as suas concertinas e os seus cantares brejeiros.

DSCF2007.JPG

Envergando os mais bizarros fatos-de-banho, os banhistas correram em conjunto pela praia em direcção às ondas, indiferentes ao frio próprio desta época do ano.

Após o mergulho, regressaram ao paredão para, em alegre convívio, deliciarem-se com fatias de bolo-rei e outras guloseimas como manda a tradição nesta quadra festiva.

Além dos intrépidos banhistas, o ritual atrai normalmente centenas de curiosos e a comunicação social que nunca perde a oportunidade de registar este convívio bizarro que anualmente se realiza às portas de Lisboa. E, não faltam sequer os “Narcisos”, divertidos tocadores de concertina que animam a festa com os seus acordes muito ao jeito do folclore minhoto. A sua denominação recorda o café Narciso cujo ambiente permanece com saudade na memória de muitos frequentadores da praia de Carcavelos.

DSCF1994.JPG

DSCF1980.JPG

DSCF1983.JPG

DSCF1989.JPG

DSCF1990.JPG

DSCF1995.JPG

DSCF1999.JPG

DSCF2008.JPG

GUIMARÃES REALIZA CONCERTO DE ANO NOVO

Concerto de Ano Novo da Orquestra de Guimarães dá as boas-vindas a 2017

Espetáculo propõe um brinde ao novo ano com um concerto festivo e performances de dança. Mais de meia centena de músicos em palco com música e ambiente festivo.

Guimaraes_Orquestra_Concerto_Ano_Novo.JPG

O primeiro dia de 2017 em Guimarães será abrilhantado com um concerto de Ano Novo interpretado pela Orquestra de Guimarães, sob direção do maestro Vítor Matos, na tarde deste domingo, 01 de janeiro de 2017, com início às 17 horas, no Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor. Os bilhetes custam 5 euros e 3,5 euros, a quem for portador de cartão com desconto.

Durante o espetáculo, com a participação dos Jovens Cantores de Guimarães e acompanhado por momentos de dança protagonizados pela Academia de Bailado de Guimarães, cuja encenação está a cargo de Maurizio Padovan, o público irá assistir à interpretação de obras de Strauss, Rossini e Bizet e a algumas das mais icónicas valsas, polkas e mazurkas evocando a célebre tradição vienense.

Com a apresentação de 54 músicos no concerto, a Orquestra de Guimarães, projeto cultural criado pela Câmara Municipal, pretende, com base na excelência, integrar e potenciar o talento de artistas da região, proporcionando-lhes o contacto com a prática musical orquestral sinfónica. Baseado nos fortes laços criados entre a comunidade e as artes performativas, este projeto visa a criação de uma rede artística de excelência, salvaguardando dois fatores fundamentais para o sucesso do projeto: a sustentabilidade e a estabilidade.

Constituída na sua formação base por cerca de 40 músicos profissionais, apresenta-se como uma formação flexível de acordo com o programa a apresentar, capaz de interpretar diversos repertórios. O projeto funciona com base num modelo de residências artísticas, que acontecem ao longo do ano, bem como através de projetos pontuais que sejam catalisadores da prática e fruição da música erudita em Guimarães. As linhas orientadoras da programação estão assentes em fortes princípios ecléticos e de proximidade com a comunidade local.

Formada por elementos da região com um conhecimento alargado do meio artístico envolvente e da sociedade vimaranense, a Orquestra de Guimarães tem por objetivo criar e fidelizar públicos, realizando concertos em horas que permitam a adesão de diversos públicos-alvo, promovendo concertos didáticos e direcionados para as famílias e escolhendo criteriosamente o repertório a interpretar

AMARES VIVE MAGIA DO NATAL

Banda Filarmónica de Bouro brilhou em Concerto de Natal

Na noite de hoje, os amarenses puderam, novamente, encantar-se com a magia do Natal, num bonito e surpreendente momento musical proporcionado pela Banda Filarmónica de Santa Maria de Bouro, sob a direção do novo maestro Fábio Oliveira.

DSC00749.jpg

“Um Grande Natal”, “A Swinkling Christmas” e “Jingle Bells Goes Rio” foram algumas das melodias interpretadas pela Banda Filarmónica, à qual se juntou o Grupo de Teatro de Bouro para apresentar aos presentes a peça “Uma noite de Natal”.

O espetáculo, que teve casa cheia, contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira.

DSC00754.jpg

DSC00786.jpg

FAMALICÃO RECEBE RITA REDSHOES

Rita Redshoes apresenta “Her” na Casa das Artes. Portuguesa apresenta quarto álbum de originais em Famalicão no dia 28 de janeiro

A portuguesa Rita Redshoes tem novo disco e prepara-se para apresentá-lo em janeiro na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

Rita Redshoes.jpg

Neste seu quarto álbum de originais, intitulado “Her” e gravado em Berlim (Alemanha), a artista escreve e interpreta, pela primeira vez a solo, três temas em português.

Um disco que a cantora assume ser autobiográfico, que explora as várias facetas do feminino e que os famalicenses vão ter a oportunidade de ouvir no próximo dia 28 de janeiro, no concerto que Rita Redshoes tem agendado para o grande auditório do espaço cultural famalicense.

A Vida de Galileu.jpg

Os bilhetes já se encontram à venda e têm o custo de 12 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Este é o grande destaque da programação do próximo mês da Casa das Artes de Famalicão, que entra em 2017 com muita música.

É o caso do concerto dos “Mirror People”, cujas influências “disco-sound” vão fazer ouvir-se no café-concerto no dia 21; da atuação do duo Paris Deuxbut, com Marian Pivka ao piano e Eliseu Silva no violino, marcada para 27 de janeiro, e da apresentação dos famalicenses MV, que vêm à Casa das Artes no dia 28 de janeiro apresentar o seu primeiro EP, intitulado “Chão Despido”.

Na música, destaque também para o espetáculo “Fados” da fadista famalicense Patrícia Costa, no dia 13, e para o já tradicional ciclo de concertos de Ano Novo, nos dias 6, 7 e 8 de janeiro com a atuação da Banda Marcial de Arnoso, da Banda de Famalicão e da Banda de Música de Riba de Ave.

Janeiro tem também teatro em cartaz, com o grande auditório a dar palco à peça “A Vida de Galileu”. Uma encenação do texto de Bertolt Brecht por parte do Teatro do Bolhão, com interpretação, entre outros, do ator português António Capelo.

Por fim, o cinema. O primeiro mês do ano vai ficar marcado pelo regresso do “Close-Up”, com uma réplica do Observatório de Cinema nos dias 13 e 14. Para além da exibição de dois filmes do cineasta brasileiro Gabriel Mascaro, a iniciativa vai também contemplar duas sessões para escolas e uma sessão de cinema comentado.

Mais informações sobre a programação de janeiro no site oficial da Casa das Artes, em www.casadasartes.org

Paris Deuxbut.jpg

PAREDES DE COURA RECEBE BANDA "MÃO MORTA" NA PASSAGEM DE ANO

‘Mão Morta’ em Paredes de Coura na Passagem de Ano

Os Mão Morta, de Adolfo Luxúria Canibal, são ‘cabeça de cartaz’ da Passagem de Ano de Paredes de Coura. Com entrada livre e espetáculo agendado a partir da 1h00, pela Caixa da Música também vão passar os Mosca, numa sequência que é precedida pelos Costa Rica e DJ’s Madi na tenda aquecida instalada ali ao lado no Largo Hintze Ribeiro.

Com novo disco em perspetiva para fevereiro, onde os Mão Morta exploram temas dos diversos álbuns da banda bracarense num disco ao vivo com a Remix Ensemble, numa perspetiva mais experimental e contemporânea, a banda de Adolfo Luxúria Canibal assenta em grande parte nas performances e carisma do seu líder fazendo de cada espetáculo um acontecimento irrepetível.

Até à noite de Passagem de Ano, por estes dias não falta animação em Paredes de Coura.

A Caixa dos Brinquedos continua a ser o centro das atenções, onde as crianças podem brincar e criar as mais variadas construções num espaço exclusivamente dedicado às famosas peças multicolores da Lego® e que continua a agarrar todas as gerações.

Depois do filme ‘Vaiana’, um dos mais bem conseguidos ‘blockbuster’ da temporada, esta semana ‘Cantar’ também tem dois dias de projeções no Centro Cultural. Com chancela da Illumination, ‘Cantar’ tem merecido a atenção dos mais jovens à escala planetária, bem como a unanimidade da crítica cinéfila.

E há também os Chef de Palmo e Meio, com sessões de ‘showcooking’ para os mais novos no Museu Regional, num sem número de iniciativas que se complementam em cor e luz, enriquecendo as férias escolares e que o Município de Paredes de Coura preparou para estes dias frios de dezembro.

ESTRELAS DA BANDA CABECEIRENSE BRILHAM EM CONCERTO DE NATAL

Igreja de S. Miguel de Refojos foi palco de memorável espetáculo

O presidente da Câmara e o presidente da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves e Eng. Joaquim Barreto, respetivamente, marcaram presença no Concerto ‘Estrelas de Natal’ que decorreu na passada sexta-feira, dia 23 de dezembro, um espetáculo promovido pela Banda Cabeceirense com o apoio da Câmara Municipal e da Paróquia de S. Miguel de Refojos.

Estrelas da Banda Cabeceirense brilharam em Concerto de Natal (1).JPG

O magnífico concerto da Banda Cabeceirense que contou com as atuações de excelentes músicos, de renome internacional, lotou a Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos, onde estiveram também presentes o vereador Prof. Mário Leite, os presidentes das Juntas de Freguesia de Refojos, Outeiro e Painzela e também de Abadim, Leandro Campos e Fernando Basto, o pároco de Refojos de Basto, padre Manuel Baptista, o tenente-coronel José Miguel Pimenta, em representação do comandante do RC6, entre outros convidados, familiares e amigos das estrelas da noite, bem como população em geral.

Na Igreja do Mosteiro atuaram com a Banda Cabeceirense Adriana Ferreira (flautista), André Gomes (trompista), Carlos Leite (trompetista), Hélder Gonçalves (clarinetista), João Casimiro (pianista) e Pedro Teixeira (saxofonista), todos naturais de Cabeceiras de Basto. No final do sublime espetáculo atuou o Coro da Escola de Música daquela Banda que deliciou o numeroso público com a sua fantástica atuação no Mosteiro de S. Miguel de Refojos que Cabeceiras de Basto quer ver elevado a Património Cultural da Humanidade da UNESCO.

 

Adriana Ferreira obteve o 1º Prémio – o Prémio da Orquestra e o Prémio do Jovem Júri – no Concurso Internacional de Flauta Carl Nielsen na Dinamarca, o 1º Prémio no Concurso Internacional de Flauta em Itália, o 1º Prémio no Concurso Internacional do Jovem Flautista em França, entre outros, tendo também obtido um prémio de mérito do Ministério da Educação. É licenciada em Musicologia pela Universidade Paris-Sorbonne, tendo sido agraciada pela Câmara Municipal com a Medalha de Mérito Público - Grau Ouro, em dezembro de 2015.

André Gomes frequenta o último ano de licenciatura na ESMAE. É chefe de Naipe e professor de Trompa na Banda União Musical Paramense e músico estagiário da Orquestra Gulbenkian.

Carlos Leite concluiu os estudos na ARTAVE com a classificação de 19 valores. Em 2013 obteve o 1º Prémio no IV Concurso de Trompete na Póvoa de Varzim. É membro efetivo da Orquestra Jovens da União Europeia há três anos, lecionando a disciplina de Trompete na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo e na Academia de Música Costa Cabral.

Hélder Gonçalves é músico honorífico dos quadros efetivos da Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana, onde é solista, assim como da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras. Licenciado pela Escola Superior de Música de Lisboa, foi professor de Clarinete no Conservatório Regional de Música de Coimbra, integrando atualmente as principais orquestras nacionais. Depois do Mestrado em Clarinete, concluiu o Curso de Direção de Orquestra.

João Casimiro é licenciado em Performance de Piano pela ESMAE – Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, contando com uma vasta experiência como solista. João Casimiro conta com vários prémios nacionais e internacionais, tendo-lhe sido atribuído neste ano de 2016 o 1º Prémio da Melhor Interpretação da Peça Portuguesa no 17º Concurso Internacional ‘Cidade do Fundão’. Frequenta o 2º ciclo superior de Piano – Mestrado – no Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris.

Pedro Teixeira tem 22 anos e um percurso de sucesso na área da música. Foi laureado em diversos concursos nacionais e internacionais, frequentando atualmente a classe de Saxofone do professor Jérôme Laran no Conservatoire à Rayonnement Régional de Paris, em França.

Cabeceiras de Basto viveu uma noite cultural única com a brilhante participação de jovens músicos de grande categoria e que têm espalhado pelo mundo o extraordinário talento musical mas também a imagem e prestígio desta terra de Basto.

Estrelas da Banda Cabeceirense brilharam em Concerto de Natal (2).JPG

FAMALICÃO RECEBE 2017 COM CICLO DE CONCERTOS DE ANO NOVO

Nos dias 6,7 e 8 de janeiro, no grande auditório da Casa das Artes

Nos dias 6, 7 e 8 de janeiro, Vila Nova de Famalicão vai dar as boas-vindas ao novo ano com o já tradicional ciclo de concertos de Ano Novo, que este ano vai contar com a atuação de três das mais prestigiadas bandas filarmónicas do concelho - a Banda Marcial de Arnoso, a Banda de Famalicão e a Banda de Música de Riba de Ave.

Ciclo de concertos de Ano Novo decorre de 6 a 8 de janeiro.jpg

Todos os concertos vão ter lugar no grande auditório da Casa das Artes e têm entrada gratuita, sujeita à lotação da sala.

O primeiro decorre já no próximo dia 6, pelas 21h30, e tem como protagonista a Banda Marcial de Arnoso, conduzida pelo maestro José Moura.

Seguem-se os concertos da Banda de Famalicão, a cargo do maestro Fernando Marinho, no dia 7, pelas 21h30, e da Banda de Música de Riba de Ave, a cargo do maestro Hugo Ribeiro, no domingo, dia 8, a partir das 16h30.

Os bilhetes para os três espetáculos podem ser levantados a partir desta terça-feira, 27 de dezembro, na bilheteira da Casa das Artes.

Mais informações, em www.casadasartes.org