Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DE LIMA APRESENTA OBRA DO ESCRITOR JOSÉ LUÍS DA COSTA SOUSA

Município de Ponte de Lima promove obra de estreia de José Luís da Costa Sousa

O romance “A casa de Real”, da autoria de José Luís da Costa Sousa, vai ser apresentado no próximo dia 28 de outubro, pelas 15h00, no Auditório da Biblioteca Municipal de Ponte de Lima. Trata-se da produção literária de estreia do escritor vianense que tem dedicado a sua vida profissional à área das Ciências da Educação, exercendo em diversas escolas do ensino secundário e superior, no país e no estrangeiro.

acasadereal_poster_web (1) (1) (Medium)

Celebre a literatura regional e venha conhecer a obra “A casa de Real”, cuja apresentação estará a cargo do professor ponte-limense, Vítor Araújo.

Esperamos por si!

Sobre o autor:

José Luís da Costa Sousa nasce a 20 de setembro de 1948 em Viana do Castelo. Finaliza o Curso Geral dos Liceus no Liceu Nacional vianense e, em 1966, conclui o Curso de Professores de Educação Física do INEF. Depois do Mestrado em Ciências da Educação – Metodologia da EF (1994) -, obtém o grau de Doutor em Ciências da Educação – Formação de Professores (2000) -, lecionando em escolas secundárias e em instituições do ensino superior, com destaque para o Instituto Superior de Educação Física, a Escola Superior de Educação de Lisboa e a Escola Náutica Infante D. Henrique. Também exerce funções na Escola de Educação Física e Desporto da Guiné-Bissau e no Instituto Nacional de Educação Física de Luanda, Angola.

Sinopse da obra:

Sebastião Correia de Matos foi o nome pedido em batismo no ano em que a criança nasceu, supostamente 1870, tendo por cenário a capela paroquial, singela e em estilo românico e por isso mais admirada, de Santa Eulália, Refojos do Lima. Aceitaria partilhar vida consigo até à morte Angélica Maria Correia de Matos. Depois... Depois o tempo correu, e seguiram-se outras gerações de naturais altos e baixos. Até que em 1939, a apreensão pelo que pudesse acontecer na sociedade e na aldeia atingiu o auge: a Alemanha Nazi tinha invadido a Polónia.

FAMALICÃO ATRIBUIU GRANDE PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

Galardão foi atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e APE a Teolinda Gersão. Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco a consagrar escritores há 25 anos

Do alto dos seus 77 anos, Teolinda Gersão apresentou-se, sábado, na Casa de Camilo com a naturalidade e o à-vontade próprio das escritoras consagradas. A autora de "Prantos, amores e outros desvarios" foi contemplada com o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores (APE).

image54959

Num discurso bastante eclético, a escritora falou do país e da literatura. Disse que “os portugueses não podem ser um povo sem voz” e confessou-se como grande admiradora da obra de Camilo. “É uma alegria enorme ver o meu trabalho reconhecido e é uma grande honra estar aqui porque eu também sou uma grande leitora de Camilo Castelo Branco” salientou, referindo que “Camilo é um autor que escreve com carne e com sangue, com experiências de vida do que vê e do que o rodeia”.

Teolinda Gersão recebeu o prémio das mãos do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na presença do presidente da APE, José Manuel Mendes, naquela que foi a 25.ª edição do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco.

Isso mesmo salientou José Manuel Mendes que enalteceu “os 25 anos de união com o município de Famalicão”. Também Paulo Cunha destacou a “cultura de compromisso” desenvolvida com a APE, corporizada neste prémio que “é a pedra angular do projeto camiliano”.

Sobre Teolinda Gersão, José Manuel Mendes salientou “a escritora singularíssima”,acrescentando que o seu nome está “entre os maiores da contemporaneidade”.

De resto, a porta-voz júri do prémio, Raquel Camacho realçou que “Teolinda é uma escritora que escreve a vida” e que revela um "domínio total das características do conto". A “língua cuidada, elegante, erudita" e a “capacidade de surpreender sucessivamente no conto seguinte, sendo que o anterior parecia ter sido, indubitavelmente, magistral", foram outras das caraterísticas sublinhadas pelo júri a propósito dos contos reunidos obra, editada pela Porto Editora.

Esta é a segunda vez que Teolinda Gersão recebe este prémio, tendo conquistado pela primeira vez em 2002 com "Histórias de ver e andar".

O Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, no valor de 7.500 euros, foi criado em 1991 pela APE em parceria com a autarquia de Vila Nova de Famalicão e distingue um autor português ou de um país africano de expressão portuguesa.

A entrega do Grande Prémio Camilo Castelo Branco integrou a 4.ª edição dos Encontros Camilianos de São Miguel de Seide, que decorreu durante os dias de sexta-feira e sábado, na Casa de Camilo, e que ficou também marcada por uma homenagem ao investigador e biógrafo camiliano Alexandre Cabral.

image54968

PONTE DE LIMA LEVA LITERATURA A BEBÉS

Município de Ponte de Lima inicia nova temporada da Bebéteca

No próximo dia 28 de outubro de 2017, pelas 10h30, a Biblioteca Municipal vai dar início à nova temporada da Bebéteca.

28 out. 2017

Trata-se de um projeto direcionado para bebés e crianças, dos 0 meses aos 5 anos, que promove o livro e a leitura através de várias atividades, nomeadamente uma Hora do Conto, um momento musical e um atelier de expressão artística.

A primeira sessão desta temporada contará com a presença da escritora Paula Ruivo que nos vai dar a conhecer a sua mais recente obra infantil intitulada “Depois da fábrica de Seripiteia”, que será seguida de um momento musical da responsabilidade da mesma autora, que se aventurou nas lides melodiosas e musicais com o tema “Os Guardiões”.

Para terminar a ação pais e crianças darão asas à imaginação no atelier de expressão artística intitulado “Novelinho de Sonhos”.

Para mais informações e inscrições (gratuitas e limitadas) contacte-nos através do número 258900411 ou do email biblioteca@cm-pontedelima.pt.

Sobre a autora:

Paula Ruivo nasceu na freguesia de Vitorino das Donas, concelho de Ponte de Lima. Com sete anos vai viver para Lisboa, residindo atualmente na Malveira.
Dedica-se à escrita, tendo já publicado "A ervilha que queria ir à escola", "A ervilha que queria ir ao zoo", "A ervilha que queria ir de férias" . "Hiroki: o livro mágico", "Não quero ser o que sinto..." e agora “Depois da fábrica de Seripiteia”.

Sobre o livro:

Haverá no mundo outras coisas além de novelos, camisolas, lãs, máquinas e operários?

A Piorreta acreditava que sim, mas vivia na fábrica de confeções, na aldeia de Seripiteia, e sair dali parecia mais um sonho do que uma realidade.

Mas o improvável acontece e, certo dia, a Piorreta e o Pimpolho foram para além dos portões da fábrica e conheceram os Guardiões.

Quem serão eles? O que protegem? ....

FAMALICÃO ATRIBUI PRÉMIO DE ENSAIO EDUARDO PRADO COELHO

Isabel Cristina Rodrigues recebe Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho

A escritora Isabel Cristina Rodrigues recebe na próxima sexta-feira, dia 20 de outubro, o Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho.

Isabel Cristina Rodrigues

“A Palavra Submersa. Silêncio e Produção de Sentido em Vergílio Ferreira” é a obra que valeu à autora o galardão atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Associação Portuguesa de Escritores (APE).

A cerimónia de entrega do prémio decorrerá a partir das 11h00, na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco. 

O Grande Prémio de Ensaio “Eduardo Pardo Coelho” destina-se a galardoar anualmente uma obra de ensaio literário, em português e de autor português, publicada em livro, em primeira edição.

O valor monetário deste Grande Prémio é de 7.500 euros, para o autor, e desde 2010 já distinguiu Victor Aguiar e Silva, Manuel Gusmão, João Barrento, Rosa Maria Martelo, José Gil, Manuel Frias Martins e José Carlos Seabra Pereira.

Isabel Cristina Rodrigues nasceu em Coimbra em 1967 e licenciou-se em 1989 na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra em Línguas e Literaturas Modernas (Estudos Portugueses e Franceses). É Professora do Departamento de Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro desde 1991, tendo apresentado uma dissertação de doutoramento sobre a obra de Vergílio Ferreira – “A Palavra Submersa. Silêncio e Produção de Sentido em Vergílio Ferreira”. Tem ainda dois outros volumes dedicados ao escritor, “A Poética do Romance em Vergílio Ferreira” (Lisboa, Colibri, 2000) e “A vocação do lume”. Ensaios sobre Vergílio Ferreira (Coimbra, Angelus Novus, 2009), exercendo maioritariamente a sua docência e investigação nos domínios da Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea e da Teoria da Literatura, em cujo âmbito tem publicado ensaios em revistas nacionais e estrangeiras.

Famalicão assinala Dia Municipal para a Igualdade

O Município de Vila Nova de Famalicão celebra, no próximo dia 24 de outubro, terça-feira, o Dia Municipal para a Igualdade.

A data será assinalada com uma conversa informal sobre a temática que decorrerá no Café-Concerto da Casa das Artes, com os testemunhos do padre jesuíta Paulo Duarte e da autora do livro “Retalhos de uma Jornada”, Sandra Estevão Rodrigues.

A conversa terá a moderação do Conselheiro Local para a Igualdade, Quintino Pinto, e encerrará com uma intervenção de Maria Manuela Martins, Conselheira Local para a Igualdade.

Refira-se ainda que a iniciativa é de entrada livre e é organizada em parceria com a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, de Braga.

Patrícia Costa é uma das fadistas convidadas

4.º Festival de Fado realiza a 3 e 4 de novembro, na Casa das Artes

Nos próximos dias 3 e 4 de novembro, a Casa das Artes vai ser palco da quarta edição do Festival de Fado de Vila Nova de Famalicão. 

A primeira noite do evento é dedicada aos novos talentos com a realização do Concurso de Fado Amador, no Café-Concerto, a partir das 21h30, momento que contará com a participação especial do fadista Joaquim Macedo.

A segunda noite decorrerá no grande auditório, a partir das 21h30, com a realização da Grande Noite do Fado. Pedro Marão, Maria do Sameiro, Miguel Xavier, Rui Vaz e Patrícia Costa são os artistas convidados.

A iniciativa é promovida pela Câmara Municipal e é de entrada livre.

FAMALICÃO REALIZA ENCONTROS CAMILIANOS

Entrega do Grande Prémio de Conto e homenagem a Alexandre Cabral amanhã, na Casa de Camilo. Encontros Camilianos decorrem amanhã, dia 14 de outubro, em S. Miguel de Seide, a partir das 9h30

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, abre amanhã, sábado, pelas 9h30, a quarta edição dos Encontros Camilianos de S. Miguel de Seide, que decorrem na Casa de Camilo. A sessão de abertura conta ainda com as presenças de Aguinaldo Cabral, filho do camilianista Alexandre Cabral, e do diretor da Casa de Camilo, José Manuel Oliveira.

Evento decorre no Centro de Estudos Camilianos

Recorde-se que o notável camilianista Alexandre Cabral vai ser homenageado durante os 4.os Encontros Camilianos de São Miguel de Seide. No centenário do seu nascimento que se assinala precisamente a 17 de outubro, a Casa de Camilo recorda o investigador e biógrafo camiliano que dedicou grande parte da sua vida a Camilo Castelo Branco.

O programa de amanhã dos encontros camilianos é o seguinte:

9h30 – Sessão de Abertura

Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

Aguinaldo Cabral, médico e filho de Alexandre Cabral

Diretor da Casa de Camilo

9h45 - Entrega do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco – Associação Portuguesa de Escritores / Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão (Edição 2016)

Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

Presidente da Associação Portuguesa de Escritores

Porta-voz do Júri

Teolinda Gersão, Premiada

Diretor da Casa de Camilo

10h30 - Inauguração da exposição

Alexandre Cabral (1917-1996) – Dedicado camilianista

10h45 – Dejejum

11h00 - 1.º Painel

Alexandre Cabral, crítico camiliano

José Cândido Oliveira Martins (Universidade Católica Portuguesa)

Alexandre Cabral: percursos de intelectual no século XX

António Pedro Pita (Universidade de Lisboa)

Mitografias camilianas

António Manuel Ferreira (Universidade de Aveiro)

12h45 - Debate I

13h00 - Bocadinhos e Guisadinhos

Almoço com Ementa Camiliana

14h30 - 2.º Painel

Camilo e a inocência das aldeias

João Minhoto Marques (Universidade do Algarve / CIAC)

A música na vida e na obra de Camilo Castelo Branco

Pedro Couto Soares (Escola Superior de Música – Instituto Politécnico de Lisboa)

Mulheres camilianas: longe da vista, mas nem sempre esquecidas. Alguns comentários acerca de A Doida do Candal e A Bruxa de Monte Córdova

David Frier (Universidade de Leeds)

16h30 - Debate II

16h45 – Merenda

17h00 - Apresentação de edições camilianas

Carlota Ângela e O Retrato de Ricardina, de Camilo Castelo Branco (vol. 3 das Obras e Camilo Castelo Branco – Editora Glaciar)

Jorge Reis Sá, João Paulo Braga e Sérgio Guimarães de Sousa

Encontros Camilianos 2

João Paulo Braga, José Manuel de Oliveira e Sérgio Guimarães de Sousa

17h30 - Encerramento dos trabalhos

* Durante os trabalhos do dia 14 de outubro decorrerá uma Feira de Edições Camilianas

CAMINHA: JANTAR QUEIROSIANO NO RINOTERRA MINHO

Tertúlia com o Prof. Orlando Grossegesse

O Rinoterra Minho vai promover um Jantar Queirosiano, o primeiro do género no Alto Minho. O evento terá lugar no 'jovem' boutique hotel localizado no alto de Seixas, em Caminha, no dia 11 de Novembro, às 20.00h. Com uma ementa fundamentada nas referências gastronómicas patentes nas obras de Eça de Queiroz, o menu é constituído por Caldo de Galinha ('A Cidade e as Serras'), como entrada, e Perna de Vitela Assada ('O Primo Basílio'), como prato principal. Para sobremesa, oArroz Doce ('Os Maias'). Os vinhos escolhidos para o repasto são o Tormes branco e o roséMandarim, da Fundação Eça de Queiroz, sediada em Tormes-Baião, que apoia a iniciativa. 

Jantar Queirosiano (Rinoterra Minho)

Café, chás e digestivos estão também ao dispor dos convivas.

Esta recriação de um jantar de época, que poderia ter à mesa o próprio escritor e os seus amigos, vai receber um convidado-'surpresa', trazido pelos Viajantes no Tempo...

Para além da ementa baseada nos seus livros, a presença de Eça de Queiroz no Rinoterra vai ser marcada pela intervenção do Prof. Doutor Orlando Grossegesse, docente da Universidade do Minho e membro do Conselho de Administração da FEQ, reconhecido especialista na vida e obra do escritor.

Este jantar-tertúlia, aberto à participação de todos, tem o preço de 35€/ pessoa (com bebidas). 

As reservas (limitadas) devem ser feitas pelo email geral@rinoterra.com ou pelos telefones 963 373 912 e 258 724 442.

Jantar Queirosiano + Tertúlia (Rinoterra Minho, Caminha, 11Nov)

Rinoterra Minho

TEOLINDA GERESÃO RECEBE GRANDE PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

Galardão é atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e APE, este sábado, na Casa de Camilo

A escritora Teolinda Gersão recebe no próximo sábado, 14 de outubro, o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, pela sua obra "Prantos, amores e outros desvarios", atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores (APE). A cerimónia decorre pelas 9h45, na Casa de Camilo, em S. Miguel de Seide e insere-se no âmbito do programa da quarta edição dos Encontros Camilianos, que arranca já nesta sexta-feira, dia 13.

DSC_0207

Teolinda Gersão que recebe o prémio pela segunda vez, depois de ter conquistado o júri em 2002, com “Histórias de ver e andar”, conta no seu currículo com outros prémios como é o caso do Grande Prémio de Romance e Novela da APE 1995 conquistado com "A casa da cabeça de cavalo", o Prémio de Literatura da Fundação Inês de Castro 2008 com "A mulher que prendeu a chuva" e o Prémio Fernando Namora 2015 com "Passagens". Em 2016, Teolinda Gersão foi distinguida com o Prémio Literário Vergílio Ferreira pelo conjunto da obra literária.

A entrega do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco é um dos momentos altos dos Encontros Camilianos, que este ano recordam e homenageiam o notável camilianista Alexandre Cabral. No centenário do seu nascimento que se assinala precisamente a 17 de outubro, a Casa de Camilo lembra o investigador e biógrafo camiliano que dedicou grande parte da sua vida a Camilo Castelo Branco.

Depois da entrega do prémio a Teolinda Gersão, será inaugurada a exposição “Alexandre Cabral (1917-1996) – Dedicado Camilianista”, seguida de um painel de debate com três oradores, José Cândido Oliveira Martins da Universidade Católica Portuguesa, António Pedro Pita da Universidade de Coimbra e António Manuel Ferreira, da Universidade de Aveiro, que irão abordar temáticas da vida de Alexandre Cabral.

O programa completo dos Encontros Camilianos pode ser consultado através do linkwww.camilocastelobranco.org

CASA DE CAMILO RECORDA E HOMENAGEIA ALEXANDRE CABRAL

Quarta edição dos Encontros Camilianos de São Miguel de Seide realiza-se nos dias 13 e 14 de Outubro, em Vila Nova de Famalicão

O notável camilianista Alexandre Cabral vai ser homenageado durante os 4.os Encontros Camilianos de São Miguel de Seide que decorrem nos dias 13 e 14 de outubro, na Casa de Camilo, em Vila Nova de Famalicão.

Evento decorre no Centro de Estudos Camilianos

No centenário do seu nascimento que se assinala precisamente a 17 de outubro, a Casa de Camilo recorda o investigador e biógrafo camiliano que dedicou grande parte da sua vida a Camilo Castelo Branco.

No dia 14, pelas 10h30 será inaugurada a exposição “Alexandre Cabral (1917-1996) – Dedicado Camilianista”, seguida de um painel de debate com três oradores, José Cândido Oliveira Martins da Universidade Católica Portuguesa, António Pedro Pita da Universidade de Coimbra e António Manuel Ferreira, da Universidade de Aveiro, que irão abordar temáticas da vida de Alexandre Cabral.

O objetivo é, de acordo, com José Manuel Oliveira, diretor da Casa de Camilo,“homenagear Alexandre Cabral, que foi um grande e profundo conhecedor da obra de Camilo Castelo Branco, a quem dedicou anos e anos de permanente estudo e investigação”.

Para além de investigador e biógrafo camiliano, Alexandre Cabral foi uma das personalidades ligadas à fundação do Centro de Estudos Camilianos, foi distinguido com o Prémio de Camilo em 1987, e, por vontade própria, foi doado à Casa de Camilo, após a sua morte, todo o seu acervo camiliano, constituído por obras de e sobre Camilo Castelo Branco, além de milhares de documentos, reunidos ao longo de 40 anos e relacionados com o século XIX e com a vida e obra do romancista de Seide.

Os Encontros Camilianos de São Miguel de Seide arrancam na próxima sexta-feira, dia 13, com o roteiro literário camiliano Famalicão – Porto, com a visita a algumas instituições mais emblemáticas da vida e obra de Camilo Castelo Branco, como a Biblioteca Pública, o Centro Português de Fotografia, a Livraria Lello e a Venerável Irmandade de Nossa Senhora da Lapa. A concentração está agendada para as 13h30, na Estação de Caminhos de Ferro de Famalicão, sendo que os bilhetes de transporte são da responsabilidade dos participantes inscritos.

No sábado, pelas 9h45, será entregue o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco em parceria com a Associação Portuguesa de Escritores, a Teolinda Gersão, pela obra "Prantos, amores e outros desvarios".

Segue-se a homenagem a Alexandre Cabral com a inauguração da exposição e com o arranque dos debates.

Destaque também para o almoço com ementa camiliana “Bocadinhos e Guisadinhos”, expressão inspirada na obra “O Senhor do Paço de Ninães” de Camilo Castelo Branco.

Da parte da tarde debate-se “Camilo e a inocência das aldeias”, com João Minhoto Marques, da Universidade do Algarve; “A música na vida e obra de Camilo Castelo Branco”, com Pedro Couto Soares, da Escola Superior de Música; “Mulheres Camilianas: longe da vista, mas nem sempre esquecidas. Alguns comentários acerca de “A doida do Candal e a Bruxa de Monte Córdova”, com David Frier, da Universidade de Lisboa.

Será ainda apresentado o terceiro volume das Obras de Camilo Castelo Branco de Jorge Reis Sá, João Paulo Braga e Sérgio Guimarães de Sousa dedicadas a “Carlota Ângela” e a “O Retrato de Ricardina”. A finalizar os trabalhos será lançado o volume “Encontros Camilianos 2” de João Paulo Braga, José Manuel Oliveira e Sérgio Guimarães de Sousa.

Ao longo do dia de sábado irá ainda decorrer no átrio da Casa de Camilo, uma Feira com mais de uma centena de Edições Camilianas.

Refira-se que a inscrição é obrigatória e deve ser efetuada até 9 de outubro, através do email geral@camilocastelobranco.org.

CANDIDATURAS AO PRÉMIO LITERÁRIO MARIA ONDINA BRAGA TERMINAM A 31 DE OUTUBRO

Iniciativa do Município de Braga e da Associação Portuguesa de Escritores

Decorrem até 31 de Outubro as candidaturas ao Grande Prémio Literário Maria Ondina Braga. Instituído pelo Município de Braga, este prémio tem como objectivo fomentar o gosto pela leitura e pela escrita e, deste modo, honrar a memória desta insigne escritora Bracarense, cuja obra representa um património da mais elevada importância.

MARIA-ONDINA

O Prémio Literário Maria Ondina Braga, com valor pecuniário de 12.500 euros, é dedicado à literatura de viagens. Partindo de uma parceria estabelecida com a Associação Portuguesa de Escritores, a partir deste ano o prémio passa a ter carácter anual.

O facto de passarem a ser galardoados exclusivamente trabalhos na área da Literatura de Viagens, não apenas vai de encontro ao percurso de vida de Maria Ondina Braga, como se insere ainda num particular âmbito do processo de criação literária.

A sua organização passará a ser assumida pela Associação Portuguesa de Escritores enquanto o financiamento será da responsabilidade do Município de Braga, sendo ambas as entidades promotoras do Prémio.

Nesta edição serão admitidas a concurso obras publicadas no ano de 2016 e ainda, a título excepcional, de 2015, devendo os livros concorrentes ser entregues até 31 de Outubro de 2017. Não são admitidas obras póstumas. O regulamento pode ser consultado em www.cm-braga.pt

ESCRITOR JOEL CLETO CONVERSA COM OS CAMINHENSES

Joel Cleto é o próximo convidado de “À conversa com…”. Até dezembro, ‘Caminho da Leitura: Ciclo de Conversas’ vai trazer ainda a Caminha Ana Saldanha e Isabel Pires de Lima. Trata-se de mais uma iniciativa promovida no âmbito da candidatura da valorização dos Caminhos de Santiago que o Município está a desenvolver. “À conversa com…Joel Cleto” vai decorrer no dia 7 de outubro, pelas 17H00, na Biblioteca Municipal de Caminha. Inscrições obrigatórias até dia 4 de outubro.

caminho da leitura joel cleto

BARCELOS APRESENTA LIVRO "VIRADAS DO AVESSO" DE HELENA BARRETO FERREIRA"

“Viradas do Avesso” apresentado na Biblioteca Municipal de Barcelos

O livro “Viradas do Avesso”, da autoria de Helena Barreto Ferreira, vai ser apresentado na Biblioteca Municipal de Barcelos, no próximo sábado, dia 30 de setembro, às 17h00, por Rita Santos Marques, autora do blog “E eu que só queria um casalinho”.

18622258_1031416463557262_3687042228420023826_n

O livro fala de sexo, casamento e maternidade na voz de 12 mulheres. A primeira parte intitulada “Grandes e Boas” trata de histórias de vida reais, atuais, contadas na primeira pessoa, mulheres “viradas do avesso”, tratando a segunda parte, que se intitula “Curtas e Rapidinhas”, de pequenas histórias, artigos de opinião e crónicas criadas pela autora e que foi difundindo na página de facebook.

Informações adicionais:

Helena Barreto Ferreira é licenciada em Ensino de Português e Inglês pela Universidade do Minho. Lecionou durante alguns anos, tendo interrompido a sua carreira quando teve a primeira filha. Criou o blog “viradasdoavesso.wordpress.com” e a página de facebook “Viradas do Avesso por Helena Barreto Ferreira”, através dos quais difundiu pequenos excertos das histórias que ia compilando para o livro, bem como textos de opinião sobre variados assuntos.

Publicou algumas das suas crónicas literárias no “Caderno Cultura do Diário do Minho”. Desde outubro de 2016, que colabora com a associação “Capazes”, sendo cronista habitual.

VIANA DO CASTELO ATRIBUI PRÉMIO ESCOLAR ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA

7º PRÉMIO ESCOLAR ANTÓNIO M.C. VIANA - DIVULGAÇÃO DE PRÉMIOS

Divulgação da lista de premiados da 7.ª edição do Prémio Escolar António Manuel Couto Viana - 2017

No Ano Letivo 2016/2017 teve lugar a 7.ª edição do Prémio Escolar António Manuel Couto Viana e a sessão pública de entrega de prémios decorrerá no dia 10 de junho, sábado, pelas 11h00, com a presença do Presidente da Câmara e da Vereadora da Cultura e da Educação, bem como, de todos os concorrentes, diretores, professores bibliotecários e outros professores envolvidos no concurso.

7premio-couto-viana 2017

O Concurso, criado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo e dinamizado pela Biblioteca Municipal, em homenagem à vida e à obra do escritor vianense António Manuel Couto Viana (escritor, autor de literatura infantil, poeta, ensaísta, tradutor e dramaturgo), tem por finalidade dar a conhecer a obra literária do autor e de premiar produções literárias e artísticas da população estudantil Infanto‐Juvenil da comunidade escolar vianense, sob as modalidades de Conto, de Ensaio, de Ilustração e de Poesia, e conta com o apoio dos Professores Bibliotecários dos estabelecimentos de ensino público e privado, que com a Biblioteca Municipal, são os dinamizadores junto das várias escolas do concelho.

Com este concurso, e fazendo eco das palavras do Presidente da Câmara, na 1.ª edição, pretende-se incentivar os “escritores e ilustradores mais novos de Viana” a mostrarem as suas qualidades literárias e artísticas, estimulando o gosto pela leitura, escrita e arte, com trabalhos criativos e inéditos, na modalidade de Poesia e Conto, e a partir da obra literária de António Manuel Couto Viana, no caso das modalidades de Ensaio e Ilustração.

É um concurso que prevê duas fases distintas, uma que decorre dentro do espaço de cada escola, com a seleção do melhor trabalho a concorrer à fase final, na Biblioteca Municipal, na qual será apurado, de acordo com o Regulamento, os melhores trabalhos por um júri idóneo.

Na presente edição, foram apresentados à fase final do concurso 50 trabalhos dos alunos das escolas do concelho, públicas e privadas. Nesta fase final, o júri deliberou premiar 14 trabalhos nas modalidades Poesia, Conto, Ensaio e Ilustração, um por cada nível de escolaridade: 1.º, 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico e Ensino Secundário.

Com esta iniciativa, que conta com o apoio da Editora OPERA OMNIA, a Câmara Municipal em conjunto com a Biblioteca Municipal, procuram responder ao apelo do Manifesto da IFLA/UNESCO sobre Bibliotecas Públicas que defende que a biblioteca pública como “porta de acesso local ao conhecimento - fornece as condições básicas para a aprendizagem ao longo da vida, para uma tomada de decisão independente e para o desenvolvimento cultural do indivíduo e dos grupos sociais.”

Assim, dando cumprimento ao disposto no regulamento do concurso da 7.ª Edição do Prémio Escolar António Manuel Couto Viana, divulgamos a lista de premiados nas várias modalidades e por nível de escolaridade:

POESIA

- Na modalidade POESIA (TEMA LIVRE) o prémio foi atribuído aos seguintes concorrentes:

Nome do concorrente: Cloé Sá Correia Alves Ferreira

Aluna do 1.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola EB1/JI do Cabedelo, do Agrupamento de Escolas de Monte da Ola

Com o POEMA intitulado: “Sentimentos”

Nome do concorrente: Gustavo Silva Ferreira

Aluno do 2.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola Básica Dr. Carteado de Mena, do Agrupamento de Escolas de Monte da Ola

Com o POEMA intitulado: “A poesia”

Nome do concorrente: Ana Guedes Felgueiras

Aluna do 3.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola EB2,3 Frei Bartolomeu dos Mártires, do Agrupamento de Escolas de Santa Maria Maior

Com o POEMA intitulado: “Verdadeiro descobridor”

Nome do concorrente: António Afonso de Freitas Ferreira Villares Pires

Aluno do Ensino Secundário, da Escola Secundária de Santa Maria Maior, do Agrupamento de Escolas de Santa Maria Maior

Com o POEMA intitulado: “Ode Existencial”

CONTO

- Na modalidade CONTO (TEMA LIVRE) o prémio foi atribuído aos seguintes concorrentes:

Nome do concorrente: Mercedes Figueira Botão de Noronha Rego

Aluna do 1.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola Colégio do Minho

Com o CONTO intitulado: “Uma escolha impossível”

Nome do concorrente: Duarte de Castro Bouças

Aluno do 2.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola Básica Dr. Carteado de Mena, do Agrupamento de Escolas de Monte da Ola

Com o CONTO intitulado: “Uma Aventura Escolar”

Nome do concorrente: Ismael Rodrigues Martins

Aluno do 3.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola EB2,3/S de Barroselas, do Agrupamento de Escolas de Barroselas

Com o CONTO intitulado: “A metamorfose”

Nome do concorrente: Tomás Valença Ferreira

Aluno do Ensino Secundário, da Escola Secundária de Monserrate, do Agrupamento de Escolas de Monserrate

Com o CONTO intitulado: “A fuga perfeita”

ENSAIO

- Na modalidade ENSAIO (A PARTIR DA OBRA ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA) o prémio foi atribuído aos seguintes concorrentes:

Nome do concorrente: Maria Filipe Ponte Guedes

Aluna do 3.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola EB2,3 Frei Bartolomeu dos Mártires, do Agrupamento de Escolas de Santa Maria Maior

Com o ENSAIO intitulado: “Auto do Bom Pastor de António Manuel Couto Viana”

Nome do concorrente: Patrícia de Oliveira Serra Ramos

Aluna do Ensino Secundário, da Escola Secundária de Monserrate, do Agrupamento de Escolas de Monserrate

Com o ENSAIO intitulado: “Ensaio sobre a obra Postais de Viana de António Manuel Couto Viana”

ILUSTRAÇÃO

- Na modalidade ILUSTRAÇÃO (A PARTIR DA OBRA ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA) o prémio foi atribuído aos seguintes concorrentes:

Nome do concorrente: Guilherme Machado dos Santos Ximenes Cristino

Aluno do 1.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola EB1 Meio - Areosa, do Agrupamento de Escolas de Monserrate

Com a ILUSTRAÇÃO a partir da "Lenda de D. Sapo" do livro Lendas do Vale do Lima

Nome do concorrente: David Borlido Matos

Aluno do 2.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola EB2,3/S Pintor José de Brito, do Agrupamento de Escolas de Pintor José de Brito

Com a ILUSTRAÇÃO a partir do livro Versos de Palmo e Meio

Nome do concorrente: Leonor Oliveira Felgueiras

Aluna do 3.º Ciclo do Ensino Básico, da Escola Colégio do Minho

Com a ILUSTRAÇÃO a partir da "Lenda de Viana" do livro Lendas do Vale do Lima

Nome do concorrente: João Carlos Quesado e Azevedo

Aluno do Ensino Secundário, da Escola Profissional de Música de Viana do Castelo

Com a ILUSTRAÇÃO a partir da "Lenda das Unhas do Diabo" do livro das Lendas do Vale do Lima

22008489_10155201636203305_2020249548453780398_n

“À CONVERSA COM …” RICHARD ZIMLER NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE CAMINHA

Iniciativa vai decorrer sábado e insere-se no âmbito da candidatura “Valorização dos Caminhos de Santiago – Caminho Português da Costa”

A Câmara Municipal de Caminha vai promover, de setembro a dezembro, a iniciativa ‘Caminho da Leitura: Ciclo de Conversas’ com vários escritores denominada “À conversa com…”. Richard Zimler é o primeiro convidado. Caminho da Leitura vai trazer ainda a Caminha Ana Saldanha e Isabel Pires de Lima. Trata-se de mais uma iniciativa promovida no âmbito da candidatura da valorização dos Caminhos de Santiago que o Município está a desenvolver. “À conversa com…Richard Zimler” vai decorrer já no sábado, dia 23 de setembro, pelas 17H00, na Biblioteca Municipal de Caminha.

Richard at Grand Canyon - good shot - Copy

Zimler vai trazer “À conversa com” o seu livro ‘O Evangelho segundo Lázaro’. Na sinopse deste livro pode ler-se: “No Novo Testamento, ficamos a saber que Jesus ressuscitou um amigo próximo de nome Lázaro. Contudo, em parte alguma do Evangelho segundo São João – que contém este episódio –, se menciona como é que ele realizou o milagre ou se teria algum motivo especial para o fazer. Em "O Evangelho Segundo Lázaro", Richard Zimler preenche estas e outras lacunas, narrando a história da perspetiva de Lázaro, descrevendo como ele e Jesus se conheceram em crianças, a transcendência da ligação que os une e o momento em que Lázaro acordou no túmulo, desorientado e sem qualquer memória de uma vida após a morte. Porém, só trinta anos depois da crucificação do seu velho amigo, Lázaro começa a entender a extensão do papel que sempre ocupou na vida de Jesus e talvez ainda venha a ocupar. É que a derradeira prenda de Jesus a Lázaro – deixada num dos locais malditos de Jerusalém – parece conter a chave que ajudará Lázaro a concretizar os desígnios de uma Terra Prometida. Deverá ele arriscar tudo e levar a cabo os perigosos planos de Jesus? Com a voz única a que Richard Zimler nos habituou, este romance apaixonante e amplamente documentado, situado no contexto das práticas e tradições judaicas da era antes de Cristo, irá certamente perturbar alguns leitores e tocar profundamente outros”.

Para além de Richard Zimler, também Ana Saldanha e Isabel Pires de Lima vão fazer parte deste “Ciclo de Conversas”.

Recorda-se que a valorização do Caminho de Santiago – Caminho Português da Costa é uma das apostas da Câmara Municipal de Caminha. Para tal, está a executar uma candidatura cujo investimento é de 236.526,10 €, montante financiado em 85% pelo Norte 2020 (FEDER). Esta candidatura tem como objetivos: a valorização e reconhecimento oficial do Caminho Português da Costa como itinerário de peregrinação e produto turístico; dinamizar o potencial cultural e turístico das peregrinações a Santiago de Compostela fomentando o desenvolvimento económico, social e ambiental nos territórios abrangidos; contribuir para o desenvolvimento de produtos estratégicos para esta região que permitam complementar a oferta existente e ainda promover a colaboração intermunicipal materializada na conceção, gestão e implementação de um projeto de natureza cultural, ambiental e turística.

Zimler

PONTE DE LIMA HOMENAGEIA ESCRITORA AUGUSTINA BESSA-LUÍS

Mostra de tributo a Agustina Bessa-Luís em mês de aniversário da autora

O Município de Ponte de Lima, através da Biblioteca Municipal, vai homenagear a escritora portuguesa Agustina Bessa-Luís com uma mostra biobibliográfica de tributo, patente ao público de 2 de outubro a 30 de dezembro, na Sala de Adultos.

Cartaz A3 - Agustina Bessa-Luís (Medium)

Intitulada “As múltiplas faces de Agustina Bessa-Luís”, a mostra congrega dois painéis informativos que permitirão a utilizadores e visitantes conhecer o essencial da vida e obra da autora de “A sibila” que, em outubro, completa 95 anos, parte deles de consagração à palavra. Uma oportunidade para apreciar ainda uma seleção de livros da escritora amarantina, que justamente ocupa um lugar de destaque nas letras nacionais, não só pelo legado de mais de cinco dezenas de títulos, mas pela singularidade do estilo e pela revolução da forma.

Associe-se à homenagem a Agustina Bessa-Luís e venha celebrar o legado de uma das figuras mais relevantes da literatura em língua portuguesa.

"NÃO HÁ DRAGÕES NESTA HISTÓRIA" EM VIZELA

Sábados na biblioteca: ‘Não há dragões nesta história’, de Lou Carter

No âmbito da atividade Sábados na Biblioteca, a Biblioteca Municipal Fundação Jorge Antunes promove, no próximo dia 7 de outubro, às 15.30h, a atividade  ‘Não há dragões nesta história’, de Lou Carter.

Não há dragões

De lembrar que a Biblioteca Municipal Fundação Jorge Antunes está aberta todos os sábados, sendo que no primeiro sábado de cada mês realiza-se a atividade Sábados na Biblioteca (Hora do conto + oficina), das 15h30 às 17h00.

Sábados na biblioteca:

Hora do conto + Oficina de expressão plástica / escrita criativa

‘Não há dragões nesta história’, de Lou Carter

7 de outubro, 15h30

Pobre dragão. Ninguém o quer na sua história. Nem a Caracolinhos, nem o Hansel e a Gretel - NINGUÉM. Mas este dragão não desiste. Ele vai prosseguir o seu sonho até ALGUÉM o deixar entrar na sua história. O seu entusiasmo sem limites afastá-lo-á de qualquer sarilho. Clara que sim ...

Atividade gratuita para crianças e famílias.

Galeria Sábados na biblioteca:

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.337648579591398.79509.256857874337136&type=3

PAREDES DE COURA QUER RECUPERAR A “CASA GRANDE DE ROMARIGÃES”

Ministro da Cultura sensibilizado para a recuperação do legado arquitetónico de “A Casa Grande de Romarigães”

“Estou extremamente sensibilizado com as potencialidades que há aqui. Necessitamos trazer ao público leitor, para que estes espaços sejam melhor conhecidos”, sugeriu o Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, na visita à Quinta do Amparo, em Paredes de Coura, onde Aquilino Ribeiro criou uma das obras maiores da literatura portuguesa – “A Casa Grande de Romarigães”.

Casa Grande de Romarigães

Com este roteiro para conhecer a riqueza das paisagens literárias inscritas no concelho de Paredes de Coura, onde também se inclui o Centro de Estudos Mário Cláudio, o autarca Vitor Paulo Pereira procurou sensibilizar a importância de ser criado “um roteiro literário ligado ao turismo cultural e à fruição dos espaços. Seria insensato e imprudente não mostrar estes dois espaços ligados à literatura”, sublinhou o Presidente da Câmara de Paredes de Coura, defendendo que na cultura não se gasta dinheiro.

“Queremos jovens criativos do ponto de vista emocional e isso só se consegue com a arte. A cultura não é uma herança, mas uma conquista de todos os dias e como tal temos que cuidar dela”, reforçou Vitor Paulo Pereira, enquanto o Ministro da Cultura corroborava a ideia: “Temos a obrigação perante a nossa história e a nossa língua. Desejo o maior sucesso e vontade política para que possamos obter fundos disponíveis para obras como esta. A obra de Aquilino é uma celebração da vida”, sublinhou.

Casa Grande de Romarigães um

Neste roteiro literário por Paredes de Coura, Luís Filipe de Castro Mendes começou por celebrar os sessenta anos da primeira edição de “A Casa Grande de Romarigães”, no próprio cenário de efabulação da crónica romanceada, a Quinta do Amparo. Na presença física do sítio, que se revê nas evocações do texto e na memória dos feitos que ali terão ocorrido, foi apresentado o projeto de recuperação deste legado arquitetónico de cariz barroco que se encontra a ser desenvolvido pelos bisnetos Ricardo Pedroso de Lima e Maria Pedroso de Lima, e que consideramos condição indispensável para dinamizar uma estratégia de desenvolvimento local.

Apesar da atmosfera da Quinta do Amparo e da sua dimensão literária continuarem bem vivas para aqueles que visitem o local, haverá certamente uma oportunidade de o reinventar no quadro de uma estratégia territorial mais consistente e integrada para o concelho de Paredes de Coura, o que representaria, em última análise, uma homenagem a Aquilino Ribeiro e um importante contributo para a preservação do seu extraordinário legado literário.

Foi também associado a este percurso literário a visita ao Centro de Estudos Mário Cláudio, no Lugar de Venade, tendo como cicerone o escritor que lhe confere o nome, que também não esconde o propósito de criar no local um centro de pesquisa e em rede que abranja os escritores do Norte de Portugal e Galiza.

Casa Grande de Romarigães dois

MINISTRO DA CULTURA PERCORRE PAISAGENS LITERÁRIAS DE PAREDES DE COURA

‘A Casa Grande de Romarigães’ | Centro de Estudos Mário Cláudio

Os territórios literários e o turismo | 8 e 9 set

O Município de Paredes de Coura receberá no próximo dia 9 de setembro de 2017, às 10h00, o Sr. Ministro da Cultura, Embaixador Luís Filipe de Castro Mendes, para lhe dar a conhecer a riqueza das suas paisagens literárias inscritas no concelho de Paredes de Coura.

Retrato_oficial_Castro_Mendes

O roteiro literário começará por celebrar os sessenta anos da primeira edição de “A Casa Grande de Romarigães”, no próprio cenário de efabulação da crónica romanceada, a Quinta do Amparo. Na presença física do sítio, que se revê nas evocações do texto e na memória dos feitos que ali terão ocorrido, será apresentado o projeto de recuperação deste legado arquitetónico de cariz barroco que se encontra a ser desenvolvido pelos bisnetos Ricardo Pedroso de Lima e Maria Pedroso de Lima, e que consideramos condição indispensável para dinamizar uma estratégia de desenvolvimento local.

Associamos este percurso literário a visita ao Centro de Estudos Mário Cláudio, no Lugar de Venade, tendo como cicerone o escritor que lhe confere o nome, e à Biblioteca Municipal “Aquilino Ribeiro”, na sede de concelho, onde se encontra instalada uma exposição sobre a vida e a obra do autor de “A Casa Grande de Romarigães”.

Porque julgamos importante debater a importância que esta temática poderá assumir para uma estratégia de turismo cultural em Paredes de Coura, promoveremos uma sessão aberta à comunicação social, na 6ª Feira, pelas 17h00, a ter lugar na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, e que contará com a ajuda de Fernando Moreira (Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril) e de Aquilino Machado (Centro de Estudos Geográficos, IGOT, Universidade de Lisboa).

Que legado literário nos oferece essa obra-prima de escrita e de enredo chamada “A Casa Grande de Romarigães”? Que papel poderá assumir a Quinta do Amparo e a sua enorme teia ficcional no contexto de Paredes de Coura? Como se poderá captar a narrativa secreta e mágica que continua subjacente na atmosfera de Romarigães e valorizá-la num projeto de dinamização de todo o concelho de Paredes de Coura?

São algumas questões que tentaremos abordar e que nos permitem compreender a   ideia de que apesar da atmosfera da Quinta do Amparo e da sua dimensão literária continuarem bem vivas para aqueles que visitem o local, haverá certamente uma oportunidade de o reinventar no quadro de uma estratégia territorial mais consistente e integrada para o concelho de Paredes de Coura, o que representaria, em última análise, uma homenagem a Aquilino Ribeiro e um importante contributo para a preservação do seu extraordinário legado literário.

Programa

6ª Feira, dia 8 de setembro de 2017

17h00: Receção na Biblioteca Municipal;

17h10: Abertura Presidente da CM de Paredes de Coura;

17h20 Breves apresentações incidindo sobre os “Os territórios literários e os turismos: a memória e a literatura como agentes de transformação individual e colectiva” (Aquilino Machado, CEG - IGOT) e “O projeto de recuperação e revalorização da quinta do Amparo enquanto âncora de desenvolvimento turístico (Fernando João Moreira, ESHTE); 

17h50: Debate e questões apresentadas pela Comunicação de Social;

18h30: Encerramento da sessão.

Sábado, dia 9 de setembro de 2017

Casa Grande de Romarigães

O Lugar da criação das letras

10h00: Receção na Casa Grande. Senhor Ministro da Cultura, Presidente CM Paredes de Coura e convidados; 

10h10: Abertura Presidente da Câmara de Paredes de Coura;

10h15: Leitura do texto introdutório de “A Casa Grande de Romarigães”;

10h20: Os territórios e o turismo: A memória e literatura como agentes de transformação individual e colectiva – Aquilino Machado

10h35: Apresentação do Projeto de reabilitação da Quinta do Amparo – Miguel Pedroso de Lima, Maria Pedroso de Lima e Ricardo Pedroso de Lima;

11h00: Intervenção do Senhor Ministro da Cultura.

11h30: Partida para o Centro de Estudos Mário Cláudio, Venade;

Centro de Estudos Mário Cláudio 

11h45: Visita ao Centro de Estudos Mário Cláudio;

12h50: Partida para a Vila de Paredes de Coura;

Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro

13h00: Visita do Ministro da Cultura à Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro

CABECEIRAS DE BASTO FAZ PERCURSO LITERÁRIO DE CAMILO CASTELO BRANCO

Mar de gente aplaudiu Passeio Literário ‘A Morgadinha de Val d’Amores’

Milhares de pessoas assistiram no sábado à noite, 29 de julho, ao Passeio Literário ‘A Morgadinha de Val D'Amores’ de Camilo Castelo Branco, mais uma mega produção do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto que decorreu entre a Praça da República e o Parque do Mosteiro, num itinerário cultural através de peripécias, pensamentos e sentimentos das personagens da divertida comédia ‘A Morgadinha de Val D'Amores’.

Capturarcab1.PNG

Baseada na estética do teatro de rua saltimbanco com toques melodramáticos que acentuaram o trabalho dos atores e os engraçados conflitos elaborados pelo autor, a peça dá a conhecer uma cómica história de amor entre um letrado escrivão de fazendas e uma morgadinha de sangue azul, cujo pai não aceita a relação.

Esta brilhante encenação teatral contou com a participação especial do Grupo de Bombos Jovens de Basto e do Grupo do Jogo do Pau de Bucos e ainda com a colaboração do monitor e tratador de cavalos do Centro Hípico de Cabeceiras de Basto.

Uma vez mais, o numeroso público que participou no Passeio Literário demonstra bem o interesse dos Cabeceirenses por este projeto cultural que valoriza o teatro de comunidade.

Capturarcab2.PNG

Capturarcab3.PNG

Capturarcab4.PNG

Capturarcab5.PNG

 

PONTE DE LIMA EVOCA ANTÓNIO FEIJÓ

Universo feminino em António Feijó evocado na Feira do Livro de Ponte de Lima

A segunda palestra de tributo a António Feijó, que decorreu na passada quinta-feira, 20 de julho, na Feira do Livro de Ponte de Lima, reuniu dezenas de pessoas em torno do universo feminino e intimista presente na obra poética feijosiana.

Biblioteca _ Feira do Livro (Medium).JPG

Orientada por Fátima Melo, autora da tese de doutoramento “L’univers poétique de António Feijó”, defendida na Universidade de Paris-Sorbonne, a conferência versou a profunda sensibilidade do escritor de “Sol de Inverno” que, em todos os títulos, com maior ou menor incidência, revelou a saudade e o afeto sentidos em relação à pátria amada, à família e aos amigos de quem nunca se desligou.

Intervalando a exposição com a recitação de poemas de António Feijó, Fátima Melo revisitou os versos de louvor à mãe - Joana do Nascimento Malheiro Pereira de Lima e Sampaio -; destacou os textos escritos do “exílio” consubstanciados em sentimentos de nostalgia; sublinhou o profundo amor votado a Maria Luísa Carmen Mercedes Joana Lewin - bela jovem de ascendência sueca e equatoriana por quem abandonou os anos de cultivado solteirismo -, e relembrou o sofrimento decorrente da grave enfermidade da amada esposa que lhe alquebrou a alma e se refletiu numa escrita progressivamente sorumbática e pessimista.

Esclarecendo a origem do celebrizado soneto “Pálida e loira”, que retrata a comoção de Feijó diante da morte prematura de uma jovem coimbrã vítima de tuberculose, Fátima Melo chamou a atenção para a imagem polimórfica da mulher na obra feijosiana, não esquecendo de apontar várias outras características da escrita do poeta-diplomata que fazem dele um nome de referência do período finissecular português.

Inserida no ciclo de conferências destinado a assinalar o primeiro centenário da morte de António Feijó (1917-2017), a palestra de Fátima Melo foi abrilhantada pelas atuações de João Barreiro – responsável por reproduzir à capela o “Fado Alfacinha” e “Coimbra é uma lição” – e de Luís Dantas que declamou três poemas feijosianos.

À sessão evocativa, que contou com a presença do Eng.º Victor Mendes, Presidente do Município de Ponte de Lima, do Dr. Paulo Barreiro de Sousa, Vereador com o Pelouro da Educação, e de familiares do poeta, seguir-se-ão “Conversa sobre o tio António” (20 de outubro, BMPL) – encontro intimista protagonizado por Luísa Castro Feijó e António Maciel Feijó, descendentes do autor de “Novas bailatas” -, “Malefícios da doença na poética de António Feijó” (17 novembro, BMPL) – palestra ministrada por João Pimenta – e, finalmente, “Ainda os dois «minhotos, diplomatas e amigos»: (mais correspondência entre António Feijó e o 2.º Visconde de Pindela): da guerrilha portuguesa e da Europa da Grande Guerra” (7 de dezembro, BMPL) – conferência da responsabilidade de João Afonso Machado que encerra o ciclo de homenagem a uma das figuras mais destacadas das letras ponte-limenses.

JORNALISTA JOÃO MOLEIRA APRESENTA EM PONTE DE LIMA A SUA PRIMEIRA OBRA LITERÁRIA

Jornalista da SIC lança “O que nasce torto também se endireita” na Feira do Livro de Ponte de Lima

João Moleira, renomado jornalista da SIC, vai apresentar a sua obra de estreia “O que nasce torto também se endireita” no próximo dia 23 de julho, pelas 19h00, no recinto da Feira do Livro de Ponte de Lima.

16_PLC_Feira-Livro_Cartaz_João Moleira na Feira do Livro de Ponte de Lima (Medium).jpg

A obra, cujo título resulta de um intencional trocadilho com o conhecido adágio popular, congrega mais de 125 histórias sobre invenções casuais e acidentais que, destinadas ao fracasso por não corresponderem, em grande parte, aos objetivos inicialmente traçados, acabariam por se revelar úteis e bem-sucedidas. De entre os numerosos exemplos coligidos no volume recentemente editado encontram-se os post-its, as bolachas com pepitas, os comprimidos Viagra, os iogurtes, o velcro, as tripas de Aveiro e a plasticina, entre diversas outras criações “falhadas” que João Moleira, numa escrita acessível e bem-humorada, desvenda ao longo do livro.

Razões de sobra para assistir ao lançamento de “O que nasce torto também se endireita”, obra que promete surpreender, ensinar e divertir.