Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

REVISTA "ZOOM" DIVULGA O GERÊS ATRAVÉS DA FOTOGRAFIA

FOTO AVENTURA

Gerês – O paraíso aqui tão perto

Montanhas, vales, rios, cascatas, construções históricas e espécies animais únicas no país. Fotografar o Gerês é uma experiência inesquecível, garantindo-lhe cartões de memória cheios de imagens que vão deixar toda a gente de queixo caído. Descubra os lugares imperdíveis e conheça as técnicas essenciais para a sua fotoaventura no Gerês.

zOOm FP

CADERNOS VIANENSES: NOVO MEIO SÉCULO INICIADO

Respeitante ao ano de 2017, aí está o tomo 51 desta cinquentenária publicação. Foi apresentado no passado dia 27 de Dezembro, 18,00 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal. A apresentação esteve a cargo de Rui Faria Viana, Director da Biblioteca Municipal e contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal. Presente estava ainda boa parte daqueles que são habituais colaboradores desta colectânea de artigos que nos falam dos variados factos que fizeram e vão fazendo a vida e a história de Viana do Castelo.

CadernosVianense

De forma bem estruturada, com pequenos mas objectivos resumos dos diversos escritos e seus autores, Rui Faria Viana deu a conhecer os conteúdos que compõem mais este tomo dos Cadernos Vianenses,cujo seu primeiro número foi dado à estampa em finais do ano de 1978. Também o Presidente do Município se congratulou com mais esta edição, não se esquecendo de agradecer aos que cedem boa parte do seu tempo para preparar a informação que, aqui divulgada, constitui boa fonte de consulta para todos aqueles que querem conhecer melhor os caminhos que Viana trilhou e os feitos em que os vianenses se deixaram envolver ao longo do tempo.

Com capa da autoria do artista Rui Pinto e design gráfico de Rui Carvalho, deste volume constam os seguintes trabalhos:"Apresentação" - por José Maria Costa; "Manuel de Aguiar Barreiros e as Igrejas Românicas de Viana do Castelo" - por António Matos Reis; "O génio de Camilo Castelo Branco (1825-1890) e a sua atribulada relação com os médicos do seu tempo" - por Porfírio Pereira da Silva; "Viana em Camilo: «A Bruxa de Córdova» (1867) - por David F. Rodrigues; "A representação gráfica das mordomas/lavradeiras na época modernista nos cartazes da Romaria" - por Marlene Azevedo e Ana Filomena Curralo; "O projecto de Guerra Junqueiro para a bandeira da república" - por António Pimenta de Castro; "A linha do Vale do Lima: mais de meio século de controvérsias" - por Gonçalo Fagundes Meira; "As viagens comerciais do navio «Gil Eannes» de 1979 a 1983" - por Rui A. Faria Viana; "O processo da Via Sacra de Areosa: 1729-1738" - por António Rodrigues França Amaral; "Pilotos de Viana do Castelo" - por Carlos Alberto Encarnação Gomes; "O Cardeal Saraiva em Carvoeiro" - por Domingos da Calçada; "Talha religiosa de Viana do Castelo: panorama estético IV" - por Francisco José Carneiro Fernandes; "Cinquenta capas e o mesmo autor: arte aplicada e criatividade de Rui Pinto (2ª parte) - por José da Cruz Lopes; e "Arrolamento dos bens das igrejas" - por António Maranhão Peixoto.

Imagem_3

Imagem_4

Imagem_5

ESTE PERNIL DE PORCO CHEGA SEMPRE AO SEU DESTINO

A chef Paula Peliteiro, do restaurante Sra. Peliteiro, em Esposende, despede-se em grande, com uma receita deliciosa de pernil fumado e puré de castanhas que vamos mesmo querer reproduzir em casa. E este chega mesmo ao seu destino, ao contrário do que aconteceu na Venezuela.

13221015_10206712918202142_6858369347028820527_n

Receita: Pernil fumado no forno com puré de castanhas (2 pessoas)

Ingredientes para o pernil:

1 pernil de porco fumado (1 kg)

Ramo de tomilho

Ramo de funcho

Ramo de salsa

Ramo de alecrim

2 malaguetas

Sementes de funcho q.b.

Pimenta preta moída na hora q.b.

Ingredientes para levar com o pernil ao forno:

6 batatinhas cozidas

6 chalotas cozidas

Dentes de alho amassados q.b.

Folhas de louro q.b.

Ramos de tomilho fresco q.b.

Sementes de funcho q.b.

Pedras de sal marinho

Azeite virgem extra q.b.

6 cenouras baby cozinhadas al dente em água

6 couve pak choi cozinhadas al dente em água

Preparação:

Coloque o pernil coberto com água numa panela e adicione as ervas aromáticas e as especiarias.

Leve ao fogo e deixe cozinhar cerca de 1 hora até que sinta a carne macia.

Retire o pernil e descarte o caldo. Num prato de barro, coloque o pernil, regue com um fio de azeite, ramos de tomilho e sementes de funcho. Adicione batatinhas, chalotas, dentes de alho, folhas de louro e regue com uns fios de azeite. Salpique com pedras de sal e leve ao forno a dourar.

Acompanhe com cenouras baby e couve pak choi cozinhadas al dente em água.

Ingredientes puré de castanhas:

500 g de castanhas cozidas

100 ml natas

1 colher de sopa de manteiga

Sal q.b.

Noz moscada q.b.

Preparação:

Triture todos os ingredientes e leve ao lume numa panela para finalizar o tempero e consistência.

transferir

O bom fumeiro dura o ano inteiro

O processo tradicional de fumar carnes e enchidos é longo, exige espaço e paciência. Feito segundo os costumes mais antigos, ganha sabores e cheiros inesquecíveis das brasas e lume que lentamente os curaram. Curar significa aqui transformar lentamente, impregnando interstícios e partes sólidas com o fumo produzido por madeiras, carvões e plantas selecionados.

O pernil de porco, peça saborosa que corresponde, por assim dizer, à canela do animal, traz consigo matéria gorda, pele e carne numa combinação que se presta particularmente ao fumeiro. É por isso que faz parte do almoço de Natal em muitas regiões do país, quando não é mesmo o prato principal que encerra a quadra à mesa. É totalmente autossuficiente no fumeiro, basta ser bem feito para extrair o melhor sabor. É esta mesma peça a que depois de salgada, cozida e desossada chamamos fiambre da perna ou da pá, esta sim, parte fundamental da ceia de Natal em muitos países. Hoje encontramos facilmente pernil assado como produto dito de quinta gama, que quer dizer embalado e pronto a utilizar.

A chef Paula Peliteiro faz-nos uma proposta culinária que recupera também o que era o conduto mais utilizado em Portugal, a castanha, de que ficou o sabor que português algum dispensa. Mais um prato de que disponibiliza a receita e que é simples de executar. Boas experiências!

Fonte: Chef Paula Peliteiro- Restaurante Sra Peliteiro- Esposende / https://www.evasoes.pt/

20171127-Chef-Paula-Peliteiro-JS-5658_resultado-960x640_c

MANUEL ANTUNES PUBLICA NA REVISTA IBEROAMERICANA DE TURISMO ARTIGO SOBRE TURISMO E MUSEOLOGIA

A RITUR – Revista Iberoamericana de Turismo acaba de publicar um artigo do Prof. Doutor Manuel Antunes subordinado ao tema “Do turismo aos museus, com passagem pela cultura”. Pelo seu elevado interesse, reproduzimos com a devida vénia as páginas que inserem o artigo em questão.

12801499_10206655359286783_8144836663810073778_n

Aproveitamos para lembrar que, no próximo dia 30 de Junho, pelas 15 horas, o Prof. Doutor Manuel Antunes vai estar em Loures para fazer uma palestra dedicada ao tema “Vilarinho da Furna: História e Tradições Populares de uma Aldeia Afundada”. A iniciativa que se realiza no âmbito do FolkLoures’18, terá lugar no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte – local onde se reúne a Assembleia Municipal de Loures – constituindo uma iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho que conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures.

Capturar1

Capturar2

Capturar3

Capturar4

Capturar5

Capturar6

Capturar7

Capturar8

Capturar9

Capturar10

Capturar11

Capturar12

Capturar13

MUNICÍPIO DE BRAGA PUBLICA REVISTA "BRACARA AUGUSTA"

Município bracarense lançou mais um número da revista Bracara Augusta

O Município de Braga apresentou hoje, dia 18 de Dezembro, no Salão Nobre do Museu dos Biscainhos, o Volume LXIII da Revista Cultural “Bracara Augusta”. A apresentação esteve a cargo da vereadora da Cultura, Lídia Brás Dias, e do director da Revista, Luís da Silva Pereira.

Revista Bracara Augusta

Este volume corresponde ao número 121, e ao ano 2017. Nele se destaca um conjunto de artigos versando temáticas da historiografia de Braga e do Minho, da autoria dos investigadores José Marques, Salvador Mota, Teresa D’Almeida D’Eça, Luís Miguel de Menezes, Lucília Verdelho da Costa, Rui Manuel Ferreira e Ana Cunha Rodrigues.

“Continuaremos, através da revista Bracara Augusta, a pugnar para que o nosso património e história comum, que na prática constituem os vectores da nossa identidade enquanto comunidade, sejam devidamente perpetuados e averiguados cientificamente”, sublinhou a vereadora Lídia Dias, durante a sessão de apresentação.

Para 2018 está prevista, mais uma vez, a publicação de dois volumes, um de carácter geral e um outro com uma temática específica.

A revista Bracara Augusta – Revista Cultural da Câmara Municipal de Braga teve a sua origem no Boletim do Arquivo Municipal de Braga, publicado a partir de 1935. Já com a designação de Revista “Bracara Augusta”, o 1.º volume, composto por vários boletins, é editado em Agosto de 1949. Desde então, foram já publicados 60 volumes.

A contínua publicação de trabalhos da autoria de distintos académicos e investigadores, que primam pelo rigor científico e histórico, baseando-se essencialmente na História Local e Regional, elevou a Revista ao patamar das grandes referências bibliográficas.

REVISTA DE MARINHA COMEMORA 80 ANOS DE EXISTÊNCIA

Uma das mais antigas revistas portuguesas em circulação, a Revista de Marinha edita nº1000 e celebra 80º aniversário

No ano em que se comemoram os 700 anos da Marinha de Guerra Portuguesa, celebra-se também o 80º aniversário da Revista de Marinha e a publicação da sua 1000ª edição. Com publicação ininterrupta desde 1937, é hoje uma das mais antigas revistas portuguesas em circulação.

image001

Nasceu em 1937, no mesmo ano do “Creoula” e do “Santa Maria”, como uma revista não só para os membros da Marinha, mas sobretudo para todos os apaixonados pelos assuntos do mar. Hoje, 80 anos e 1000 edições passadas, a Revista de Marinha alcança o estatuto de ser uma das mais antigas revistas nacionais em circulação e continua o seu papel de informar os seus leitores sobre o passado, o presente e o futuro do mar.

Ficam na memória um milhar de edições, com artigos, crónicas e reportagens sobre eventos da comunidade marítima, assuntos relativos às ciências do mar, às atividades portuárias e às Marinhas de Guerra, de Comércio, de Pesca e de Recreio, quer de Portugal, quer dos outros Estados lusófonos, membros da CPLP.

Além das comemorações, destaque também para três temas centrais nesta edição da Revista de Marinha, “política, estratégia e direito”, “economia do mar” e “náutica de recreio”, com vários artigos e crónicas. No tema “política, estratégia e direito”, constam doze artigos, entre os quais, “A Pátria honrai, que a Pátria vos contempla”, por Adriano Moreira, “Portugal e a Extensão da Plataforma Continental – Fazer Acontecer o Mar”, por Ana Paula Vitorino, e “Portugal na Nova Descoberta do Mar”, por Nuno Vieira Matias.

A Revista da Marinha é bimestral e cada edição tem o custo de 4,5€, podendo assinar as suas 6 revistas anuais por 22,5€, através de assinaturas@revistademarinha.com ou em http://revistademarinha.com

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS DO ALTO MINHO APRESENTA A SUA REVISTA EM VIANA DO CASTELO

Apresentação pública da Revista Estudos Regionais

No próximo dia 14 de dezembro (quinta-feira), o Centro de Estudos Regionais apresenta o décimo primeiro número, da segunda série, da Revista Estudos Regionais. O lançamento público decorrerá na Sala Couto Viana, da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.30 horas. A apresentação estará a cargo do Prof. Doutor Jorge Trindade, docente da Universidade Aberta e investigador do Centro de Estudos Geográficos do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território.

jorge_trindade

A revista Estudos Regionais é uma publicação de periodicidade anual, editada pelo Centro de Estudos Regionais, que conta com a colaboração de investigadores de diferentes áreas no domínio das Ciências Sociais e Humanas. A edição deste ano dedica parte das suas páginas a questões relacionadas com o território, o uso dos solos e das florestas e as práticas agrícolas. A publicação, coordenada cientificamente pela Profª Doutora Glória Solé, reúne, em aproximadamente 300 páginas, estudos, artigos e recensões da autoria de António Cardoso, António Matos Reis, Aurora Rego, Ernesto do Paço, Flávia Oliveira, Goretti Faria, Henrique Rodrigues, Horário Faria, José Carlos Loureiro, Luís Miguel Brito, Pedro Pereira, Rui Maia e Teodoro Afonso Fonte.

Jorge Rosário Trindade é Licenciado pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em Geografia e Planeamento Regional e Mestre em Geografia Física e Ambiente pela mesma Instituição. Doutorado na Universidade Aberta, na especialidade de Geografia Física, é atualmente docente da referida Universidade, lecionando as unidades curriculares associadas à Geografia Humana e Física e às metodologias de trabalho científico nestas áreas do conhecimento. Pertence ao corpo de investigadores do Centro de Estudos Geográficos do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território onde tem participado, desde 1999, em vários projetos associados às temáticas da dinâmica de sistemas físicos, do ambiente e da sustentabilidade do uso do território.

A sessão de apresentação, evento realizado em parceria com o CLA/Ponte de Lima da Universidade Aberta, é pública. Os associados do Centro de Estudos Regionais, com as quotas atualizadas, recebem um exemplar da revista.  

A Direção do Centro de Estudos Regionais

REVISTA "PORT.COM" ANUNCIA REUNIÃO DE INVESTIDORES E EMPRESÁRIOS DA DIÁSPORA EM VIANA DO CASTELO

Viana do Castelo – Capital de negócios da Diáspora

Investidores e empresários residentes em vários países da Diáspora reúnem-se, esta semana, em Viana do Castelo para investirem em Portugal.

transferir

Nos dias 15 e 16 de dezembro, por iniciativa da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas e do Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora, em parceria com a Câmara Municipal de Viana do Castelo, a cidade vai receber centenas de portugueses e lusodescendentes vindos de todo o mundo, ligados ao mundo empresarial ou a áreas relacionadas, para o IIº Encontro dos Investidores da Diáspora.

O processo dos encontros dos investidores portugueses na diáspora, subordinado ao tema “Conhecer para Investir”, foi lançado com o Iº Encontro, que decorreu em Sintra, em dezembro de 2016, com elevada afluência de participantes e com resultados e retorno muito positivos. 

Com esta iniciativa e em estreita cooperação com numerosas entidades nacionais, regionais e locais, públicas e privadas, pretende-se promover a dinamização do tecido empresarial da diáspora portuguesa e do seu duplo potencial, enquanto origem de fluxos de investimento e destino de iniciativas de diversificação de mercados por parte de empresários portugueses. 

Em benefício de todas as partes, a ideia é ir ao encontro das preocupações, questões e interesses concretos dos participantes, facultando-lhes o acesso a conhecimentos e informação em áreas-chave para os seus negócios, nomeadamente ao nível dos mecanismos institucionais de apoio ao investimento em Portugal, facilitando-lhes o estabelecimento de redes de contacto com entidades importantes para as suas atividades económicas e também com outros investidores, proporcionando-lhes o espaço para possíveis oportunidades de negócios ou parcerias e oferecendo-lhes uma plataforma privilegiada para o diálogo, o debate, a partilha de experiências e boas práticas, e o esclarecimento de dúvidas em tempo real. Ao mesmo tempo, procura-se contribuir para fortalecer um sentimento identitário comum entre os empresários portugueses pelo mundo, independentemente dos países onde estão estabelecidos e das realidades e contextos específicos em que se inserem.

O IIº Encontro em Viana do Castelo insere-se numa lógica de continuidade e consolidação, ao mesmo tempo que contará também com valências temáticas adicionais que lhe conferirão grande interesse e valor acrescentado e refletem a realidade do mundo globalizado, crescentemente competitivo e em modernização acelerada, no qual é indispensável que os empresários da Diáspora se insiram, criando novas parcerias e novas redes. Nesse sentido, a agenda e a participação foram alargadas a áreas tão importantes como as novas tecnologias, as redes de “networking” e interação da comunidade portuguesa nos países em que se integram, o universo académico (em Portugal e as redes universitárias portuguesas no estrangeiro) e a cooperação regional e transfronteiriça.

TERRAS DE BOURO EDITA REVISTA INFORMATIVA

Edição nº 149 da Revista  Informativa da Câmara Municipal de Terras de Bouro

A Câmara Municipal de Terras de Bouro já colocou à disposição dos munícipes, na sua página eletrónica, a sua mais recente publicação informativa.

Trata-se de uma publicação trimestral, alusiva, neste caso, ao terceiro período de 2017 e que tem como principal finalidade divulgar as principais atividades do município e dar as mais diversas informações relacionadas com os vários serviços municipais.

Revista Informativa da Câmara Municipal de Terras de Bouro nº149-page-001

A "MONARQUIA DO NORTE" VISTA PELO JORNAL "CARDEAL SARAIVA"

CJPTL-004-00370_m0001.tif

Derrotada a sublevação monárquica de 1919 conhecida por Monarquia do Norte na qual participaram numerosos e ilustres limianos, publicou o jornal “Cardeal Saraiva” na sua edição de 20 de março daquele ano um artigo sobre os festejos republicanos que então tiveram lugar em Ponte de Lima.

Gentileza: Pedro Moreira Braga

BOLETIM ICOM PORTUGAL ENTREVISTA JOÃO ALPUIM BOTELHO

A edição de Outubro do “Boletim ICOM Portugal” editado pelo Comité Português da International Council of Museums (ICOM) publicou, na secção “Museus & Pessoas”, uma entrevista conduzida pela investigadora Ana Carvalho, através da qual segue o percurso do Dr. João Alpuim Botelho através do Museu do Traje, o Museu Bordallo Pinheiro e a sua passagem pelo Teatro Rivoli.

Conforme a própria entidade oficialmente se define, “O ICOM é a maior organização internacional de museus e profissionais de museus dedicada à preservação e divulgação da património natural e cultural mundial, do presente e do futuro, tangível e intangível.

Uma entrevista a não perder que o BLOGUE DO MIMNHO disponibiliza neste espaço.

Alpuim1

alpuim2

alpuim3

alpuim4

alpuim5

alpuim6

 

alpuim7

alpuim8

alpuim9

 

REVISTA DE MARINHA LANÇA COMANDAR NO MAR

Treze Histórias Reais de Liderança no Mar

As Edições Revista de Marinha lançam o seu novo título, Comandar no Mar, um livro onde vários oficiais de Marinha partilham as suas experiências de comando no mar, onde cada escolha pode ter consequências para o navio e sua tripulação ou guarnição, onde a confiança dos marinheiros no seu comandante é essencial.

image001

Numa altura em que a liderança é, cada vez mais, um tema na ordem do dia, Comandar no Mar surge como uma coletânea de testemunhos de comandantes dos mais variados tipos de navios da Marinha Mercante, Marinha de Guerra e Reserva Naval.

Ao longo do livro, treze comandantes da Marinha contam as suas histórias ao comando de vários tipos de navio e em diversos contextos, com o intuito de partilhar princípios de comandar no mar que possam igualmente servir de inspiração em terra, ajudando a compreender melhor a liderança sob diversas perspetivas.

Comandar no Mar conta testemunhos reais, desde o comando num submarino ou do bem conhecido Navio Escola Sagres, ao relato de Carla Muralha, uma comandante de sucesso no mundo marítimo.

Nas palavras do Almirante Alexandre da Fonseca, editor da obra, “Este livro será certamente útil para quem desempenha funções de chefia ou de comando nos outros ramos das Forças Armadas, Forças de Segurança e em organizações civis e nas empresas.” 

Comandar no Mar é uma edição da Revista de Marinha e patrocinado pela Thales Portugal e EDISOFT.

Comandar no Mar

Edições Revista de Marinha
Pvp: 20€ (para assinantes Revista de Marinha)
À venda nos locais habituais, no site da Revista de Marinha, na Loja do Museu de Marinha, Clube dos Oficias da Marinha Mercante, no Clube Militar Naval e na livraria da Universidade Católica.

Mais informações: assinaturas@revistademarinha.com

Capítulos e Autores:

O Exercício do Comando - Nuno Vieira Matias (Alm ref)

Comando Abaixo da Superfície - Álvaro Rodrigues Gaspar (CAlm ref)

A Bordo do Navio de Cruzeiros - Amadeu Albuquerque (Cap MM)

Treino e Avaliação Geram Competência - António Mendes Calado (VAlm)

Nos Veleiros da Pesca do Bacalhau - António Marques da Silva (Cap MM)

Navio Graneleiro - Carla Muralha (Capt MM)

Uma Lancha de Fiscalização Pequena em Cabinda - Frederico Melo Franco (Eng) (2ºten Res Naval)

Do Comando de Uma LDG ao Comando de Uma Corveta - João Pires Neves (VAlm ref)

Comandar o Nrp “Vasco Da Gama”- José Conde Baguinho (VAlm ref)

Força naval. Outro Patamar de Comando - José Domingos Pereira da Cunha (VAlm res)

A Reserva Naval a Comandar - José Pires de Lima (Eng) (2ºten Res Naval)

Navio hidrográfico. Um Navio Especial - José Seabra de Melo (CAlm res)

Navio-escola “Sagres”. Uma experiência inesquecível... - José Manuel Castanho Paes (Alm ref)

PAULO FREITAS DO AMARAL É O NOVO COLABORADOR DO BLOGUE DO MINHO

Os leitores do BLOGUE DO MINHO passam a partir de hoje a contar também com as crónicas do Dr. Paulo Freitas do Amaral que se debruçará sobretudo na História de Guimarães, colaboração que desde já agradecemos. A sua apresentação seria dispensável porquanto se trata de uma figura pública bastante conhecida. Porém, entendemos que os leitores do BLOGUE DO MINHO terão interesse em conhecer o seu curriculum vitae pelo que nos socorremos da respectiva entrada na Wikipédia.

22365475_2600102556681490_6732764169889340463_n

Paulo Pinto de Carvalho de Freitas do Amaral (24 de abril de 1978) é um docente universitário, historiador e político português.

Experiência profissional[editar | editar código-fonte]

Eleito o Presidente de Junta de Freguesia mais novo de Portugal (freguesia da Cruz Quebrada-Dafundo em Oeiras).Em 2009 foi o único autarca em Oeiras a derrotar pelo Partido Socialista o movimento ainda na altura liderado por Isaltino Morais.

Foi durante 15 anos militante do Partido Socialista e da Juventude Socialista

Candidato pelo Partido Socialista à vereação do Concelho do Seixal em 2005

Membro no XVII Governo Constitucional como assessor do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

Deputado Municipal de Oeiras durante 4 anos

Diretor do gabinete de saídas profissionais e formação profissional da Universidade Lusíada

Técnico Superior de bibliotecas e arquivos da Universidade Lusíada.

Candidato em 2007 a coordenador da secção de Algés (Oeiras) do Partido Socialista

Conferencista em diversos seminários da Fundação Res Publica juntamente com o fundador do PS António Reis

Docente na Universidade Lusófona na licenciatura de Gestão Recursos Humanos - Departamento de Gestão

Coordenador do Serviço de Empreendedorismo na Direção de Relações Internacionais, Estágios, Emprego e Empreendedorismo da Universidade lusófona.

Colaborou como técnico de documentação e digitalização no Ministério da Agricultura.

Apresentou-se em 2013 como candidato independente a Presidente da Câmara Municipal de Oeiras.

Historiador tendo publicado diversos artigo de interesse histórico e a obra de estudo histórico "Timor-Lorosae - A visão de um português" e a compilação "Receitas tradicionais da família Freitas do Amaral"

Principal proponente da elevação da localidade onde cresceu (Cruz-Quebrada-Dafundo) à condição de Vila

É Business Country Manager na empresa portuguesa de software Globalsoft

Candidato anunciado às eleições presidenciais de 2016, que desistiu a favor de Marcelo Rebelo de Sousa.[1]

É Deputado Municipal Vimaranense eleito pelo Partido Socialista

Habitações académicas[editar | editar código-fonte]

Pós-graduação em ideias culturais e políticas na Universidade Nova de Lisboa.

Licenciatura em História na Universidade Lusíada.

Aluno da SIMECruz Quebradense, Escola Primária do Dafundo, Instituto Militar dos Pupilos do Exército e do Colégio Salesiano.

Frequentou cursos sobre as novas tecnologias na função pública.

Frequentou diversos cursos sobre gestão de projetos do Fundo Social Europeu.

Outras atividades

Dirigente associativo, integrou o Conselho Consultivo Nacional para a Juventude de 2005 a 2008.

Trabalho social com crianças para adoção na casa da ordem da Madre Teresa de Calcutá em Setúbal.

Vice-Presidente da Associação de Solidariedade “Crescer para Ser”.

Escuteiro durante 15 anos na paróquia da Cruz Quebrada – Agrupamento 77.

Tirou a carta de condução apropriada para levar as crianças da sua freguesia todos os dias à escola durante os 4 anos do seu mandato.

Criou a 1.ª loja solidária em Portugal para os cidadãos carenciados.

Liderou as manifestações populares de rua em defesa da carreira 76 em Oeiras, conseguindo do Governo a permanência do transporte público na sua terra mesmo tendo sido obrigado a prestar declarações na esquadra da policia em Oeiras

Melhorou toda a zona ribeirinha da sua freguesia, incluindo o realojamento das pessoas residentes em barracas na praia da Cruz Quebrada.

Presidiu à Comissão Social de Freguesia

Foi membro da comissão municipal social da comissão municipal de saúde e da comissão municipal de segurança em Oeiras.

É membro da Cruz Vermelha de Guimarães, da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães e da Sociedade Martins Sarmento.

É autor de diversas obras musicais e membro da Sociedade Portuguesa de Autores. Participou como músico e compositor em diversos concursos musicais entre os quais o Festival da Canção da RTP em 2001.

Autor e colaborador de vários artigos de opinião em diversos jornais nacionais e das comunidades portuguesas (Expresso, Sol, Público, Diário de Notícias, Jornal de Oeiras, Correio de Oeiras, Jornal de Oleiros, Comarca da Sertã, Jornal do Seixal, Setúbal e no jornal em linha BOM DIA, Luxemburgo)

Vida pessoal

Descendente da família real portuguesa, de Pedro Rodrigues do Amaral, conde palatino e colaborador do Papa (séc. XV); de Gaspar Pinto de Carvalho de Sousa da Silva, fidalgo da Casa do Guardal (Toural), representante da cidade de Guimarães junto das cortes do Rei (Séc. XIX). É neto de Duarte do Amaral Pinto de Freitas, coronel de infantaria e presidente da Câmara Municipal de Guimarães. Filho de Gaspar Pinto de Carvalho de Freitas do Amaral, coronel de artilharia, ajudante de campo do presidente da república Américo Tomás e de sua mulher Maria Albertina Coelho de Oliveira Machado, professora de História. É sobrinho de Duarte Freitas do Amaral, deputado da nação pelo concelho de Guimarães. É primo irmão de Diogo Freitas do Amaral e primo em 2.º grau de Domingos Freitas do Amaral e de José Ribeiro e Castro.[2]

Pai de três filhos: Henrique de Matos Freitas do Amaral, Constança de Matos Freitas do Amaral e Carlota Guerra de Matos Freitas do Amaral

É sócio do Vitória de Guimarães e da Sociedade de Instrução Musical Cruz Quebradense.