Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FIM DE SEMANA GASTRONÓMICO COMEÇA HOJE EM CAMINHA E INCLUI UM EXCECIONAL PROGRAMA DE ATIVIDADES

Entre o robalo e o leite-creme queimado, há um mar de ofertas para experimentar

A partir de hoje e até domingo, decorre o Fim-de-semana Gastronómico “Robalo Escalado do Mar da Ínsua”, que tem na ementa, como prato principal, o magnífico robalo do nosso mar e, à sobremesa, o tradicional leite-creme queimado. Esta é uma organização do Turismo do Porto e Norte de Portugal, E. R., que tem como parceiros a Câmara Municipal de Caminha e os Empresários do Concelho de Caminha. À parte da refeição, o Município preparou um programa de atividades excecional e variado.

robalo1.jpg

Sobre a qualidade do peixe capturado e servido no concelho não há muito a dizer. As espécies e a mestria colocada na preparação, pelos nossos restaurantes, são, por si só, embaixadores de Caminha e motivos para visitar o nosso concelho durante todo o ano. Este fim-de-semana, dedicado especialmente ao robalo, apresenta motivos acrescidos para vir e ficar por cá.

Mesmo assim, não será possível experimentar toda a oferta disponível ou assistir aos numerosos espetáculos que estão em cartaz. Há música, cinema, poesia, mostra de produtos gastronómicos locais com degustação, feiras, exposições e muito mais, para além dos espaços que poderá visitar. Consultar o programa é, por razões acrescidas, indispensável.

PROGRAMA DE ATIVIDADES

FIM DE SEMANA 24 A 26 MARÇO

SEX 24 MARÇO

ARTUR CALDEIRA

CONCERTO GUITARRA

Hora: 21H30

Local: Valadares, Teatro Municipal

Se gosta de música clássica, não perca esta interpretação artística!

SÁB 25 MARÇO

FEIRÃO DE TRADIÇÕES – OS SABORES DO CAMPO

MOSTRA DE PRODUTOS AGRÍCOLAS LOCAIS

Hora: 09H00 – 13H00

Local: Junto ao Mercado Municipal de Caminha

MOSTRA DE PRODUTOS GASTRONÓMICOS LOCAIS COM DEGUSTAÇÃO

Hora: 11H00

Local: Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora

Hora: 12H30

Local: Loja Interativa de Turismo de Caminha

PALAVRAS E MÚSICA - POESIA

Hora: 11H00

Local: Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora

Hora: 12H30

Local: Loja Interativa de Turismo de Caminha

FEIRA DE ARTESANATO

Hora: 10H00 – 17H00

Local: Arcadas Edifício Paços do Concelho

1º AUDIÇÃO DE MÚSICA LUSO-GALAICA

Hora: 18h00

Local: Sede da Banda Musical Lanhelense

MASTERCLASS DE GUITARRA - ARTUR CALDEIRA

Hora: 21h30

Local: Academia de Musica Fernandes Fão Vila Praia de âncora

ELEMENTOS SECRETOS - CINEMA

DRAMA

TedMelfi, 2017, EUA, (M/12)

Hora: 21H30

Local: Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora

Reservas: T 913928313

Os bilhetes podem ser adquiridos na Sede dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora e nos dias da exibição no Cineteatro.

“CAVAQUINHO CANTADO”

DANIEL PEREIRA CRISTO EM QUINTETO

Hora: 22H30

Local: Valadares, Teatro Municipal

Bilhetes à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora

Mais informações: T 937591220

DOM 26 MARÇO

FEIRA DE ARTESANATO

Hora: 10H00 – 17H00

Local: Arcadas Edifício Paços do Concelho

ELEMENTOS SECRETOS - CINEMA

DRAMA

TedMelfi, 2017, EUA, (M/12)

Hora: 15H00

Local: Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora

Reservas: T 913928313

Os bilhetes podem ser adquiridos na Sede dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora e nos dias da exibição no Cineteatro.

EXPOSIÇÕES

ATÉ 16 ABRIL

“MÚSICA E PALAVRAS – OBRAS DA COLEÇÃO DE SERRALVES”

EXPOSIÇÃO ARTE CONTEMPORÂNEA

Locais: Museu Municipal de Caminha, Antigo Posto de Turismo, Núcleo Museológico do Centro Histórico de Caminha – Torre do Relógio, Galeria de Arte Caminhense

Horário: Terça a domingo 10H00-13H00/14H00-18H00

Entrada gratuita

Mais informações em museu@cm-caminha.pt  ou T 258023178

ATÉ 30 ABRIL

EXPOSIÇÃO RETROSPETIVA 2016

Local: Galeria Guntilanis, Vila Praia de Âncora

Organização: Câmara Municipal de Caminha

Entrada gratuita

Mais informações em museu@cm-caminha.pt ou T 258023178

01 A 31 MARÇO

JOÃO BARROS

PINTURA

Local: Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora

Organização: Câmara Municipal de Caminha

Entrada gratuita

MUSEUS

MUSEU MUNICIPAL DE CAMINHA

EXPOSIÇÃO PERMANENTE DE ARQUEOLOGIA

Rua Dr. Luciano Amorim e Silva

museu@cm-caminha.pt

Horário: terça a domingo: 10h00 - 13h00 / 14h00 - 18h00h

  1. 258 023 178

NÚCLEO MUSEOLÓGICO DO CENTRO HISTÓRICO DE CAMINHA

Praça Conselheiro Silva Torres

  1. 258 710 310 / 91 230 02 22

Entrada gratuita neste fim-de-semana

Das 10h00-13h00 / 14h00 18h00

NÚCLEO MUSEOLÓGICO DA MEMÓRIA, ARTES E OFÍCIOS DE RIBA DE ANCORA

E VISITA AOS MOINHO D’APARDAL

Largo do Espírito Santo, Riba de Âncora

Visita gratuita com inscrição em: jfribadeancora@gmail.com ou Tel. 96 415 49 20

CENTRO DE INTERPRETAÇÃO MUSEOLÓGICA DO VALE DO ANCORA 

Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora

Avenida do Centro Cívico, Vila Praia de Âncora

Horário: 14h30 às 17h30

Visita gratuita, número mínimo de participantes: 5 pessoas

Marcação até às 15h00 da 4ª feira que antecede o fim-de-semana para:

Tel. +351 936 351 458 | cscvpa.ccultural@mail.telepac.pt

robalo2.jpg

robalo3.jpg

TERRAS DE BOURO DÁ A CONHECER A SUA GASTRONOMIA

“Fins de Semana Gastronómicos” em Terras de Bouro a 24, 25 e 26 de março

Os “Fins de Semana Gastronómicos’, iniciativa conjunta do Turismo do Porto e Norte de Portugal e dos municípios que promovem a região através da gastronomia, terão, mais uma vez, a participação de Terras de Bouro.

Aletria (1).JPG

A edição deste ano irá acontecer em Terras de Bouro nos dias 24, 25 e 26 de março e vem, novamente, realçar a importância deste acontecimento na promoção do concelho de Terras de Bouro e das suas potencialidades gastronómicas.

As características naturais, patrimoniais e culturais do nosso concelho, que são um fator decisivo para a forte procura turística que o concelho tem vindo a registar, representam, a par da rica oferta gastronómica, elementos fundamentais na afirmação do concelho enquanto destino de excelência na oferta do turismo de natureza, muito bem complementada com a diversidade e confeção das iguarias gastronómicas locais, nomeadamente, o excelente cozido à Terras de Bouro e a deliciosa aletria.

Cozido à Terras de Bouro (1).jpg

fsgtbouro1.PNG

fsgtbouro2.PNG

CARNE DA CACHENA FOI RAINHA NO FIM-DE-SEMANA GASTRONÓMICO EM ARCOS DE VALDEVEZ

No passado fim-de-semana, dias 18 e 19 de março, decorreu o fim-de-semana gastronómico em Arcos de Valdevez, tendo a carne cachena atraído milhares de visitantes ao concelho. Ela foi a rainha das mesas dos restaurantes arcuenses, os quais apresentaram, nas suas salas repletas de comensais, mais um prato tradicional da nossa gastronomia a “Carne da Cachena com Arroz de Feijão Tarrestre”. A tenra carne Cachena proveniente de animais de raça de gado Cachena, criados em zona de montanha, acompanhada pelo feijão Tarrestre, característico das Serras da Peneda e do Soajo, fazem deste prato um sabor distinto do mundo rural e as delícias de quem o prova.

fim_semana_gastronomico_2017.jpg

Atestando a qualidade deste produto autóctone, o Municipio arcuense procedeu à assinatura de um protocolo com várias entidades para dar início ao processo de constituição da Confraria Gastronómica da Carne Cachena. Uma carne de grande qualidade que foi recentemente medalhada com a medalha de ouro na edição deste ano do Concurso Nacional de Carnes Tradicionais com Nomes Qualificados.

Para além deste manjar, Arcos de Valdevez ofereceu outros sabores próprios da região, nomeadamente a broa de milho, a laranja de Ermelo, o bolo de discos, os charutos de ovos e os excelentes vinhos verdes.

Da programação desta iniciativa fizeram parte variados momentos de entretenimento, entre os quais a “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”, onde estiveram expostas várias peças de artesanato entre outros produtos característicos da região, mostras de raças autóctones, na Porta do Mezio, e visitas guiadas à Porta e ao Paço de Giela, a Rota dos Vinhos de Arcos de Valdevez, com visita a quintas e provas de vinhos, Workshops, demonstrações da gastronomia arcuense, através da realização de showcookings, a iniciativa “Na mesa de D. Afonso Henriques”, na qual os visitantes do Paço de Giela puderam fazer uma foto na mesa de D. Afonso Henriques (quadro desenhado) e ainda degustar o fumeiro do Vez e ainda atuações musicais.

O Fim de semana gastronómico é mais uma iniciativa realizada pela Câmara Municipal que permite atrair visitantes ao nosso concelho e consequentemente dinamizar a economia local.

fim_semana_gastronomico_2017_2.jpg

fim_semana_gastronomico_2017_4.jpg

fim_semana_gastronomico_2017_5.jpg

fim_semana_gastronomico_2017_6.jpg

fim_semana_gastronomico_2017_8.jpg

fim_semana_gastronomico_2017_9.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ INICIA PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO DA CONFRARIA GASTRONÓMICA DA CARNE CACHENA

A gastronomia desempenha um papel fundamental na atração de pessoas para o concelho, pois os visitantes provam novos produtos e sabores e vivenciam hábitos e costumes locais, tornando as experiências mais autênticas, ajudando a construir uma imagem de destino distintiva e mas valiosa; ela é uma mais-valia na dinamização económica do concelho, nomeadamente para o turismo, restauração, a agricultura e o comércio, e, a preservação e promoção da gastronomia tradicional norteia a atuação das confrarias gastronómicas.

confraria_gastronomica_carne_cachena10.jpg

Arcos de Valdevez possui um produto local de qualidade e referência, nomeadamente a Carne Cachena, com identidade própria, denominação de origem protegida e reconhecida pela União Europeia;

Foi neste sentido que o Município de Arcos de Valdevez, a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, CRL, a Associação dos criadores da Raça Cachena, a Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, a Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo e o PEC Nordeste, celebraram esta quinta-feira, dia 16 de março, pelas 12h00, no Centro Municipal de Informação e Turismo, um protocolo de parceria com vista à constituição da Confraria Gastronómica da Carne Cachena.

Esta confraria, sem fins lucrativos e de duração ilimitada, terá por objeto a valorização, divulgação e promoção da gastronomia tradicional da “Carne Cachena”, produto emblemático,  com uma forte ligação cultural, social e económica ao território e às populações.

Esta entidade vai ser um forte dinamizador da gastronomia para valorizar e promover a Carne Cachena, através da preservação da autenticidade da gastronomia local; estimulação da aposta na diferenciação, através da capacitação, qualificação e inovação dos produtores, restauração e agentes económicos; incentivo à revitalização da cadeia produtiva, desde a produção à comercialização dos produtos locais, contribuindo para a dinamização da economia local; da promoção de mostras, encontros e concursos de gastronomia da carne Cachena; e promover a participação e realização de mostras, convívios, ciclos de gastronomia, provas de degustação, concursos, qualificação e outras iniciativas de caráter social, formativo, promocional e cultural da gastronomia tradicional, dos produtos locais e da carne cachena.

Esta é mais uma ação do Municipio e parceiros com o objetivo de criar dinâmica económica no concelho, bem como de preservar os seus produtos, as suas raízes e os seus sabores.

“A raça Cachena é aquela que encontramos na alta montanha, em cotas elevadas, acima dos 800 metros e que, pela sua dimensão e resistência às condições mais adversas, define o seu próprio solar.

Vacas aleitantes por vocação, apresentam-se de muito pequeno porte, com altura ao garrote que não chega a ultrapassar os 1,15 metros.

Pastoreando livremente em grupo, em áreas amplas e comuns, vive ao ar livre durante praticamente todo o ano.

Raça explorada em regime extensivo, por vezes quase semisselvagem, tem persistido ao longo dos tempos e é atualmente, parte integrante do património genético do nosso país”. In: www.cachena.pt

confraria_gastronomica_carne_cachena2.jpg

confraria_gastronomica_carne_cachena4.jpg

confraria_gastronomica_carne_cachena5.jpg

confraria_gastronomica_carne_cachena7.jpg

confraria_gastronomica_carne_cachena8.jpg

RANCHO FOLCLÓRICO DA CASA DE PONTE DE LIMA ACTUA NA BOLSA DE TURISMO DE LISBOA

Ponte de Lima apresenta-se na Bolsa de Turismo de Lisboa no dia 18 de março

Ponte de Lima irá marcar presença, mais uma vez, na Bolsa de Turismo de Lisboa que se realiza entre 15 e 19 de março, sendo que participação do nosso concelho destacar-se-á no dia 18.

BTL_Ponte de Lima.jpg

O concelho limiano tem conquistado cada vez mais turistas nos últimos tempos, que muito se deve ao grande empenho do Município na sua divulgação, pois esta terra tem muito para oferecer a quem a visita. Desde a gastronomia, aos vinhos, passando pelo património cultural e natural, costumes e tradições, tudo são motivos para Ponte de Lima visitar.

No stand da entidade Regional do Turismo Porto e Norte (TPNP), Ponte de Lima far-se-á representar pela sua imagem e produtos regionais, como enchidos, fumados e vinhos verdes, sendo elementos essenciais do nosso património eno-gastronómico para atrair turistas durante o ano inteiro. Durante esta mostra haverá uma prova de vinhos da casta Loureiro, para os verdadeiros apreciadores de um bom vinho verde.

Para representar a riqueza da etnografia e da cultura do concelho de Ponte de Lima na capital, irá desfilar e atuar na feira, o Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Ponte de Lima, quer no palco principal às 16h, quer junto ao stand do Minho IN e TPNP.

MONÇANENSES REALIZAM 1ª FEIRA DA FODA

Certame decorre nos dias 25 e 26 de março, em Pias, Monção. Além da degustação do cordeiro confecionado em alguidar de barro e levado ao forno de lenha juntamente com o arroz, conhecido localmente como “Foda à Monção”, programa compreende diversos motivos para uma visita. Prevista a inauguração dos Tanques do Encontro e do Forno Comunitário, bem como a primeira entronização da recém-constituída Confraria da Foda - Pias.

800x300_4.png

A Feira da Foda, primeira edição, realiza-se nos dias 25 e 26 de março, na freguesia de Pias, concelho de Monção. Além da degustação do cordeiro confecionado em alguidar de barro e levado ao forno de lenha juntamente com o arroz, conhecido localmente como “Foda à Monção”, o certame apresenta produtores de rês, maquinaria agrícola, tasquinhas tradicionais, artesanato regional, peça de teatro, espetáculo de dança e animação musical.

Com organização da Junta de Freguesia de Pias e a Confraria da Foda, a feira decorre no largo da sede de junta, tendo inicio às 8h00 com abertura do recinto e atuação do grupo de bombos de Pias. Segue-se, pelas 9h00, demonstração de tosquias (ESA – IPVC) e inauguração, pelas 10h45, dos Tanques do Encontro e do Forno Comunitário, momentos acompanhados pela Fanfarra Deu-la-Deu – S. Tiago de Pias.  

A abertura oficial está marcada para as 11h15, seguindo-se, durante o final da manhã, toda a tarde e início da noite, atuações de grupos populares e ranchos folclóricos. Referência para a apresentação da peça de teatro “A nossa foda” do Grupo de Teatro “Tuka-Tuka”, pelas 16h30, e para a atuação da Escola de Dança “All Styles”, pelas 17h30.

Apoiado pela Câmara Municipal de Monção e diversos patrocinadores, o certame torna-se mais jovem com o andar das horas. Depois da sessão de fogo- de-artifício, marcado para as 22h45, os corpos prometem agitar-se ao som do Grupo Roconorte, que sobe ao palco às 23h00, e do animador e DJ Steven Rod, pronto para “incendiar” o recinto a partir das 02h00.

No dia seguinte, domingo, a feira abre às 10h30 ao som do Grupo de Bombos “Bombolásticos”, continuando com muita animação de cariz popular. Pelas 16h00, a organização agradece em palco aos patrocinadores do evento. Uma hora mais tarde, realiza-se a primeira entronização da Confraria da Foda - Pias. A fechar, atuação do grupo “Sons do Minho”.

De acordo com a organização, a 1ª Feira da Foda é uma iniciativa gastronómica que se insere na promoção turística e cultural de Monção e na divulgação de produtos endógenos que promovem o rico, eclético e ancestral património do território concelhio.

A entidade promotora sustenta ainda que o certame é uma forma de impulsionar as atividades da nossa região, assim como o seu valor gastronómico, turístico e cultural. Por outro lado, contribui para a preservação e valorização de um prato típico oriundo do concelho: "Foda à Monção".

E porquê o nome “Foda a Monção”?

A confeção deste prato em alguidar levado ao forno de lenha não só recupera o saber dos nossos antepassados como lhe adiciona um pouco de arte, carinho e profissionalismo das atuais cozinheiras. O nome artístico, digamos assim, reflete bem o caráter afável e bem-disposto dos monçanenses. Reza a história que:

“Os habitantes do burgo, que não possuíam rebanhos, dirigiam-se às feiras para comprar o animal. E, como em todas as feiras, havia de tudo, bons e maus. A verdade é que os produtores de gado, quando os levavam para a feira queriam vendê-los pelo melhor preço e, para que parecessem gordos, punham-lhes sal na forragem, o que os obrigava a beber muita água.

desdobravel_foda17c.png

desdobravel_foda17c2.png

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA GASTRONÓMICA DA LAMPREIA

A tradição da gastronomia na IV Feira Gastronómica da Lampreia em Ponte de Lima

A aposta no turismo gastronómico mantém Ponte de Lima em Alta. Considerando que o turismo gastronómico é uma das principais atrações turísticas e um fator de desenvolvimento económico e social, a IV Feira Gastronómica da Lampreia, que se realizou este fim-de-semana, superou as expetativas.

IMG_1587 (Small).jpg

Os eventos gastronómicos funcionam como uma alavanca de incentivo para que os empresários da restauração apostem num produto gastronómico de qualidade, no sentido de cativar e fidelizar os visitantes.

Este evento dedicado à Lampreia, apresentou esta iguaria gastronómica confecionada na sua forma tradicional, à Bordalesa ou o tradicional Arroz de Lampreia, no entanto de ano para ano não faltam as novidades, e os expositores procuram inovar e surpreender os apreciadores, apresentando nesta edição o pão de lampreia, alheira de lampreia, o folhado de lampreia, Sushi de Lampreia e Rissóis de Lampreia confecionados pelo Chef Francisco Batista.

O reconhecido Chef Hélio Loureiro, apresentou as Receitas de Lampreias Ancestrais revisitadas, workshops sempre muito participados pelos milhares de visitantes que quiseram apreciar e degustar esta iguaria gastronómica.

A animação musical, com a música popular, a mostra do artesanato do concelho, a Feira das Velharias, que se realizou na Alameda de S. João foram atrativos para uma verdadeira enchente que se registou ao longo de todo o fim-de-semana.

Gerar uma maior atratividade e visibilidade para o concelho e para a região, elevando a qualidade dos eventos organizados através da melhoria quantitativa e qualitativa de atividades complementares associadas a cada evento, contrariando a tendência sazonal, é o principal objetivo do projeto Em Época Baixa Ponte de Lima em Alta, dinamizado pelo Município de Ponte de Lima, de novembro a abril, realizando no total 13 eventos abordando diversas temáticas.

IMG_1639 (Small).jpg

IMG_1649 (Small).jpg

IMG_1849 (Small).jpg

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE CARNE DA CACHENA E ARROZ DE FEIJÃO TARRESTRE

Arcos de Valdevez à Mesa / Carne da Cachena com Arroz de Feijão Tarrestre. 18 e 19 de Março

 No fim-de-semana, de 18 e 19 de março, a carne cachena será a rainha das mesas dos restaurantes arcuenses, os quais irão apresentar mais um prato tradicional da nossa gastronomia a “Carne da Cachena com Arroz de Feijão Tarrestre”. A tenra carne Cachena proveniente de animais de raça de gado Cachena, criados em zona de montanha, acompanhada pelo feijão Tarrestre, característico das Serras da Peneda e do Soajo, fazem deste prato um sabor distinto do mundo rural e as delícias de quem o prova.

25.4 cm x 16.2 cm (1).jpg

Para além deste manjar, Arcos de Valdevez oferece outros sabores próprios da região, nomeadamente a broa de milho, a laranja de Ermelo, o bolo de discos, os charutos de ovos e os excelentes vinhos verdes.

[Venha visitar Arcos de Valdevez, um destino turístico de excelência, situado no Parque Nacional Peneda Gerês, em plena Reserva Mundial da Biosfera, declarada pela Unesco. Estamos a menos de uma hora do Porto e a pouco mais de 30 minutos de Braga! Convidamo-lo a fazer um itinerário pelos sabores da nossa gastronomia, pelas nossas tradições, pela nossa cultura e pela beleza natural deste concelho.]

Da programação desta iniciativa fazem parte variados momentos de entretenimento, entre os quais a “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”, onde estarão expostas várias peças de artesanato entre outros produtos característicos da região, mostras de raças autóctones, na Porta do Mezio, e visitas guiadas à Porta e ao Paço de Giela, a Rota dos Vinhos de Arcos de Valdevez, com visita a quintas e provas de vinhos, Workshops, demonstrações da gastronomia arcuense, através da realização de showcookings, e atuações musicais.

Sábado: 18 de Março

              10h00 - Abertura da “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

                            Campo do Trasladário

              10h00 /13h00 14H00/18H00 - “Na mesa de D. Afonso Henriques”

                           Faça uma foto na mesa de D. Afonso Henriques (quadro desenhado);

                           Degustação de Fumeiro do Vez (Apoio: Sabores do Vez)

             Paço de Giela

              10h00 - Mostra de Raças Autóctones

               Porta do Mezio

10h00 -* Rota dos Vinhos de Arcos de Valdevez

* Inscrições na Loja de Turismo/ Tlm. 934 901 967 / Email (vinhos.avvez@gmail.com)

11h00 - Trilho da Branda de Mosqueiros

 Inscrições: 258510100/portadomezio@ardal.pt

12h30 - Fim-de-semana Gastronómico - “Carne da Cachena com Arroz de Feijão Tarrestre”

14h00 - Workshop de Fotografia de Natureza

 Formador: Miguel Dantas da Gama

 Inscrições: 258510100/portadomezio@ardal.pt

15h00 - Show Cooking “Saberes do Vez” – “Bolo de Discos”

                                    Epralima – Escola Profissional do Alto Lima

  Campo do Trasladário

15h30 - Rusga Tuna

Campo do Trasladário

20h00 - Fim-de-semana Gastronómico - Carne da Cachena com Arroz de Feijão Tarrestre

23H00 – Música: Beg Legs + The wist Conection

                            (ingressos: 258 520 520 | Preço único: 5.00€)

            Auditório da Casa das Artes  

Domingo: 19 de Março

09h00 - Trilho do Pequeno Tibete

               Inscrições: 258510100/portadomezio@ardal.pt              

10h00 - Abertura “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”   

               Campo do Trasladário

10h00 /13h00 14H00/18H00 - “Na mesa de D. Afonso Henriques”

                           Faça uma foto na mesa de D. Afonso Henriques (quadro desenhado);

                           Degustação de Fumeiro do Vez (Apoio: Sabores do Vez)

             Paço de Giela

10h00 - Mostra de Raças Autóctones

               Porta do Mezio

11h30 - Show Cooking “Bolo de Mel” - Rosa Maria Silva

              Campo do Trasladário

12h30 - Fim-de-semana Gastronómico: “Carne da Cachena com Arroz de Feijão Tarrestre”

             Tocata pelos Restaurantes Aderentes

15h00 -Show Cooking “Saberes do Vez” – “Cocktail de Enchidos” e “Carne da Cachena em   Cama de Legumes” - Epralima – Escola Profissional do Alto Lima

              Campo do Trasladário

15h00 - Visita guiada à Porta do Mezio

15h30 - Baile Popular: “Orquestra Eclipse”

               Campo do Trasladário

CASA DO MINHO EM LISBOA MANTÉM-SE FIEL À DIVISA: UMA BOA MESA PARA UMA BOA POLÍTICA REGIONALISTA!

Cerca de centena e meia de pessoas afluíram hoje à Casa do Minho para degustar uma das mais apreciadas iguarias da cozinha tradicional minhota: o arroz de lampreia do rio Minho!

17238834_1461496003880739_478948192_n.jpg

O repasto foi bem regado com o bem apaladado vinho verde de Vila Nova de Cerveira e incluiu sopa e doçarias características da nossa região que fizeram deste Almoço da Lampreia um verdadeiro manjar dos deuses.

O cozinheiro foi Paulo Duque, Vice-presidente da Direcção da Casa do Minho e, nem mais, um dos exímios cantadores do seu Rancho Folclórico. E, após dois suculentos almoços de lampreia, os minhotos preparam-se de novo para um prolongado jejum, uma vez que a época da desova da lampreia está prestes a terminar.

fotos de Lc UniFoto&Video / https://www.facebook.com/lcunisom/?fref=ts

17274896_1461548487208824_715767448_n (1).jpg

17270764_1461489753881364_154998098_n.jpg

17270836_1461498297213843_412190302_n.jpg

17274541_1461489770548029_704913020_n.jpg

17274542_1461494080547598_253331073_n.jpg

17274826_1461495997214073_1168803187_n.jpg

17275017_1461494047214268_1931119549_n.jpg

17275038_1461491193881220_883332653_n.jpg

17321442_1461492623881077_1785796225_n.jpg

17321775_1461491113881228_1673362953_n.jpg

17321781_1461492577214415_441636636_n.jpg

À DESCOBERTA DA GASTRONOMIA DE MELGAÇO

24, 25 e 26 de março

As tentações vão andar pelas terras de Melgaço no último fim de semana de março: será obrigatória a paragem para todos os apreciadores de boa mesa. Cabrito do monte assado no forno, acompanhado com espumante da casta Alvarinho, e de sobremesa Bucho Doce, é a proposta para o fim de semana gastronómico em Melgaço, promovido pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal e pela autarquia melgacense.

megaccc.jpg

Melgaço sabe bem receber e bem cozinhar, de uma forma simples, mas de grande qualidade. A iniciativa conta com a adesão de 19 restaurantes: Adega do Sabino, Adega do Sossego, Boavista, Castrum Villae, Floral de Melgaço, Inês Negra, Mini-Zip, Miradouro do Castelo, O Adérito, O Brandeiro, Paris, Serra, Tasquinha da Portela, Verde Minho, Chafarix, O Vidoeiro, Mira Castro, Tasquinha e Casa Real.

A oferta em Melgaço é completa. Além da boa mesa e de uma variedade na oferta de alojamento (com 20% desconto nas noites de sexta e sábado), haverá também nestes dias um conjunto de atividades que complementam e ajudam a boa digestão dos pratos deliciosos. Aqui deixamos as propostas:

Gastronomia e Vinhos

PASSAPORTE ROTA DO ALVARINHO*

Provas gratuitas de vinho Alvarinho nas adegas aderentes à Rota do vinho Alvarinho*:

Solar do Alvarinho

Tel. 251 410 195 | solardoalvarinho@cm-melgaco.pt | rotadoalvarinho@cm-melgaco.pt

Castaboa

Tel. 965 428 901 | castaboa@portugalmail.pt

Quintas de Melgaço

Tel. 251 410 020 | quintasdemelgaco@sapo.pt

Quinta de Soalheiro

Tel. 251 416 769 | www.soalheiro.com | quinta@soalheiro.com

Reguengo de Melgaço

Tel. 251 410 150 | www.reguengodemelgaco.pt | geral@reguengodemelgaco.pt

QUEIJARIA PRADOS DE MELGAÇO

Visita à ordenha e provas de queijos de cabra

Marcações em: Tel. 251 414 093 | www.pradosdemelgaco.pt | geral@pradosdemelgaco.pt

Touring Cultural - Rede Melgaço Museus*

O concelho de Melgaço possui uma série de museus e núcleos museológicos com valiosíssimas coleções e enormes potencialidades pedagógicas, culturais e turísticas, que proporcionam uma visão integrada da Cultura e Património que é imprescindível no panorama de Melgaço.

Neste fim de semana as entradas na Rede Melgaço Museus (Núcleo Museológico da Torre de Menagem, Museu do Cinema, Museu Memória e Fronteira, Núcleo Museológico de Castro Laboreiro) são gratuitas.

Núcleo Museológico da Torre de Menagem

Instalado no interior da Torre de Menagem, ex-libris da arquitetura militar concelhia, possui uma exposição dedicada ao Património arquitetónico e arqueológico, desde a Pré-história até à Idade Contemporânea.

Tel. 251 410 191 | nucleomuseologico@cm-melgaco.pt

Museu de Cinema Jean Loup Passek

Desde máquinas, aparelhos e objetos do Pré-Cinema, até cartazes originais em tela, fotografias e documentos diversos, a exposição ilustra o percurso do cinema ao longo dos tempos.

Tel. 251 401 575 | museudecinema@cm-melgaco.pt

Espaço Memória e Fronteira

Dedicado à história recente do concelho, relacionada com o contrabando e a emigração, pretende-se rememorar a vida clandestina e perigosa de muitos homens e mulheres melgacenses.

Tel. 251 418 106 | memoriaefronteira@cm-melgaco.pt

Núcleo Museológico de Castro Laboreiro

Este núcleo museológico abarca a terra, os castrejos e as criações ao longo da História. Os dois patamares do edifício evocam a morfologia do território: o planalto, as brandas, as inverneiras e os lugares fixos. É uma visão do que foi a evolução da ocupação humana na freguesia de Castro Laboreiro.

Tel. 251 465 016 | museuclaboreiro@cm-melgaco.pt

Horário dos Museus e da Porta de Lamas de Mouro

Abril – setembro: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 18h00

Outubro – março: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h00

Encerrados nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro, e todas as segundas-feiras e domingo de Páscoa.

A Oficina Temática da Porta de Lamas de Mouro encerra à segunda-feira mas a receção está aberta ao público.

Turismo de Natureza/Aventura:

PORTA DO PNPG DE LAMAS DE MOURO | REDE DE PERCURSOS PEDESTRES

Conhecer o Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), uma das sete maravilhas naturais de Portugal e a mais antiga área protegida do país: a ‘Porta de Lamas de Mouro’ é uma estrutura de receção, interpretação, animação e educação ambiental do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Marcações em: Tel. 251 465 010 | portadelamas@cm-melgaco.pt

RAFTING NO RIO MINHO | TRILHO DAS PESQUEIRAS DO RIO MINHO | SALTO PENDULAR | RAPPEL SUSPENSO

(desconto de 30% em todas as atividades)

Marcações em: Tel. 251 402 155 Tlm: 967 006 347 | www.melgacoradical.com | geral@melgacoradical.com

PASSEIO COM PASTORES PELO HABITAT DO CABRITO DA SERRA | ARVORISMO, ESCALADA, RAPEL E SLIDE | PASSEIO DE KART CROSS PELO PNPG

(desconto de 30% em todas as atividades)

Marcações em: Tel. 251 466 041 | www.montesdelaboreiro.pt | geral@montesdelaboreiro.pt

Saúde & Bem-estar

SPA - Clube de Saúde do Complexo Desportivo e de Lazer do Monte de Prado (Centro de Estágios de Melgaço)

- Massagem de relaxamento com óleos essenciais: 15% desconto + oferta de sessão de banhos (não acumulável com outras promoções em vigor)

Marcações em: Tel. 251 400 450 | www.melgacosportscenter.com | info@melgacosportscenter.com

*O passaporte deverá ser pedido nos restaurantes e alojamentos aderentes.

FSG_cartaz.png

ARCOS DE VALDEVEZ CONSTITUI CONFRARIA GASTRONÓMICA DA CARNE CACHENA

Arcos de Valdevez vai criar a Confraria Gastronómica da Carne Cachena. A cerimónia de assinatura do protocolo com vista à sua constituição tem lugar no próximo dia 16 de março, pelas 12h00, no Centro Municipal de Informação e Turismo.

DSC00839

Nesta iniciativa estão envolvidas a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, CRL, a Associação dos Criadores Raça Cachena, PEC Nordeste, a Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómica e a Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Na ocasião, terá lugar um almoço de degustação de Carne Cachena que decorrerá após a cerimónia na Epralima – Escola Profissional do Alto Lima.

PONTE DA BARCA TEM MESA POSTA PARA OS APRECIADORES DA LAMPREIA

"Domingos Gastronómicos": Mesa posta em Ponte da Barca para os apreciadores de Lampreia do Rio Lima

O concelho de Ponte da Barca vai ser palco, no dia 12 de março, de mais um Domingo Gastronómico, iniciativa que a autarquia barquense, em parceria com os restaurantes do concelho, leva a cabo há já vários anos.

lampreia.jpg

Depois do Cozido à portuguesa, é a famosa Lampreia do Rio Lima que vai estar em destaque na mesa dos nove restaurantes aderentes, a saber: Barca Velha, Churrasqueira Barquense, Lindo Verde, O Emigrante, O Moinho, O Retiro, Santana, S. Martinho (Crasto) e Tempus Hotel & Spa, e será confecionada nas duas receitas tradicionais – o arroz de lampreia e a lampreia à Bordalesa. A acompanhar esta iguaria sugere-se o Vinhão da Adega Cooperativa de Ponte da Barca. Esta iniciativa, que atraí inúmeros apreciadores da boa mesa, visa promover a gastronomia e os vinhos desta região como produtos de excelência.

Para Vassalo Abreu, presidente do Município 'esta é uma das mais tradicionais iguarias do nosso concelho e uma das mais apreciadas pelos visitantes, sendo por isso dever do município promove-la', dando assim oportunidade aos comensais amantes da boa mesa a degustação da divina lampreia, preparada na sua forma mais genuína.

TERRAS DE BOURO DÁ A PROVAR A ALETRIA E O COZIDO DA REGIÃO

“Fins de Semana Gastronómicos” em Terras de Bouro a 24, 25 e 26 de março

Os “Fins de Semana Gastronómicos’, iniciativa conjunta do Turismo do Porto e Norte de Portugal e dos municípios que promovem a região através da gastronomia, terão, mais uma vez, a participação de Terras de Bouro.

Aletria.JPG

A edição deste ano irá acontecer em Terras de Bouro nos dias 24, 25 e 26 de março e vem, novamente, realçar a importância deste acontecimento na promoção do concelho de Terras de Bouro e das suas potencialidades gastronómicas.

As características naturais, patrimoniais e culturais do nosso concelho, que são um fator decisivo para a forte procura turística que o concelho tem vindo a registar, representam, a par da rica oferta gastronómica, elementos fundamentais na afirmação do concelho enquanto destino de excelência na oferta do turismo de natureza, muito bem complementada com a diversidade e confeção das iguarias gastronómicas locais, nomeadamente, o excelente cozido à Terras de Bouro e a deliciosa aletria.

Cozido à Terras de Bouro.jpg

PONTE DE LIMA MOSTRA OS PALADARES DA LAMPREIA

Ponte de Lima promove IV Feira Gastronómica da Lampreia de 10 a 12 março

É já no próximo fim-de-semana, com abertura sexta-feira às 18 horas, que o Município de Ponte de Lima promove a iguaria ancestral - a lampreia, nesta que é a 4ª edição desta Feira Gastronómica que chama a Ponte de Lima os amantes do “bicho feio”.

Cartaz_IV_Gastronomica_Lampreia.jpg

A lampreia pode medir mais de um metro e pesar cerca de dois quilogramas, sendo considerada uma verdadeira iguaria da região do Minho.

É nas águas frias do Lima que durante o inverno entra a lampreia, num percurso de correntes e obstáculos, que lhe vão enrijecer a carne, torna-la mais saborosa e conferir o título de exclusividade. A faina decorre na altura em que a espécie volta a entrar nos rios, na direção da nascente, para cumprir a fase de reprodução.

E é neste 2º fim-de-semana de março, dos melhores meses para a faina da lampreia, que é degustado este prato de excelência, repudiada por uns e amada por outros.

A Feira Gastronómica da Lampreia acontece como habitual na Expolima, assim como nos restaurantes aderentes, e encerra o ciclo de feiras gastronómicas promovidas pela Entidade do Turismo Porto e Norte, e que fazem parte do projeto “Em época Baixa, Ponte de Lima em Alta”.

Para quem não se atrever a provar ou mesmo não gostar, existem outras opções na restauração limiana, como o Arroz de Sarrabulho, o Bacalhau de Cebolada, entre outros pratos confecionados com produtos de origem limiana.

A abertura oficial da feira pelo Executivo Municipal será na sexta-feira pelas 18 horas, e inicia logo com animação musical pela rusga Os amigos de Arcozelo. Às 19h30 irá atuar Mickael Akordeon.

No sábado (11 de março), o certame abre portas às 10h00 da manhã, pelas 12h00 haverá arruada pelo Sol Dourado, da Alameda de S. João até ao Largo de Camões. Das 14h00 às 20h00, Ponte de Lima estará em direto para todos os Portugueses através do programa televisivo Aqui Portugal da RTP1.

Às 15h ocorre mais uma arruada, e às 16h inicia-se um showcooking com o chefe Francisco Batista, onde serão confecionados e apresentados: pão de lampreia, alheira de lampreia e folhado de lampreia. Às 19h30, Cláudia Pimenta atuará com fado, e pelas 21h00, Augusto Canário animará a noite até bem perto do fecho.

O último dia de feira (domingo) começa pelas 10 horas, e o Grupo de Bombos de Poiares irá em arruada desde a Alameda de S. João até ao Largo de Camões. Pela hora do almoço, Cachadinha e Amigos animarão a feira.

A tarde inicia com um momento dedicado aos mais pequenos, onde poderão dar largas à imaginação e criatividade, seguindo o ateliê do Chefe Panqueca – Saphir Cristal. Às 15h00 nova arruada pelo Grupo de Bombos de Poiares.

A tarde continua com mais momentos para abrir o apetite, com o Chefe Hélio Loureiro, que nos trará Receitas de Lampreias Ancestrais revisitadas, e com a inovação de Sushi de Lampreia e Rissóis de Lampreia apresentados pelo Chefe Francisco Batista.

A entrada na feira é livre. De salientar ainda, que este fim-de-semana estão ainda em vigor, as campanhas especiais de alojamento, com um desconto de 15% nas unidades hoteleiras aderentes, para a noites de sexta-feira e sábado, da mesma forma que a restauração aderente oferece 1 leite-creme, por dose, nas refeições de sábado e domingo.

VALENÇA DÁ A PROVAR A MELHOR LAMPREIA DO MUNDO

Cinco Sabores da Lampreia em Valença. Três Dias no Maior Festival Gastronómico do Mundo

A lampreia vai ser rainha à mesa, apresentada em cinco pratos e outras tantas inovações. A comunidade de pescadores de São Pedro da Torre, em Valença, é o destino, no fim de semana de 17 a 19 de março.

unnamedvallle.jpg

Cinco Variedades de Lampreia

O conceituado e já catalogado maior festival gastronómico dedicado à lampreia, no mundo, reúne as cinco variedades tradicionais de apresentar a lampreia à mesa. Lampreia à Bordalesa, Arroz de Lampreia, Fumada/Grelhada, Assada no Forno, Recheada ou o prato dos cinco sabores, são os tipos de lampreia que a tradição convida a saborear.

Este está considerado o melhor festival do mundo não só pela quantidade de lampreias saboreadas, mas também pela variedade, riqueza e originalidade dos pratos.

Preparada por Quem Sabe

A lampreia passa pelas mãos de quem sabe, cozinheiros especializados, verdadeiros guardiões de saberes seculares. As comunidades de pescadores conservaram e apuraram receitas de que resultam estas cinco variedades apresentadas no festival.

Novas Tendências Gastronómicas da Lampreia

Quer descobrir lampreia em Sushi, Empanada, Gressinos e Escabeche de lampreia com framboesas? Então tem mesmo que vir aos Sabores da Lampreia! As novas tendências estarão cargo do curso de hotelaria da EPRAMI com degustação ao almoço dos três dias do festival.

Esta é a oportunidade para comer uma boa lampreia em Valença. Séculos de tradição a apurar receitas resultam em 5 pratos que são um convite a deliciar-se com estes manjares. Saboreá-la é uma experiência gustativa que proporciona uma viajem pelos sabores mais genuínos da região raiana.

A Melhor Lampreia do Mundo

A melhor lampreia do mundo, pescada artesanalmente no Minho e confecionada por cozinheiros especializados vai-se apresentar, no Festival Gastronómico, genuína, revelando todos os segredos ancestrais dos seus sabores.

Valença tem duas comunidades de pescadores secularmente ligadas ao rio Minho e à pesca da lampreia, São Pedro da Torre e Cristelo Côvo, onde as redadas, proporcionam as divinas lampreias que marcam esta temporada gastronómica.

Pescadas nas últimas semanas tem estado a ser apuradas em tanques da Associação Sabores do Rio Minho, em água corrente. A técnica é antiquíssima e conhecida por “bater a lampreia”, um modo que enrije-se a sua carne, o que permitirá, aquando da sua confeção, pratos de excelência.

Sabores da Lampreia é uma genuína festa gastronómica valenciana que, ano após ano, se tem afirmado como o maior evento gastronómico da região dedicado à lampreia.

GALO E PAPAS DE SARRABULHO ATRAEM VISITANTES A BARCELOS

Milhares visitam Barcelos para saborear o Galo e as Papas de Sarrabulho

Entre 10 e 19 de março, em 37 restaurantes aderentes

A Semana Gastronómica do Galo engloba a confeção de dois pratos - o Galo e as tradicionais Papas de Sarrabulho - num verdadeiro dois em um da degustação regional.

image_largepapasbarc.jpg

Entre 10 e 12 de março, Barcelos acolhe o Fim de Semana do Galo e, mais tarde, entre 17 e 19 de março, dedica-se à prova de papas. Mais de três dezenas de restaurantes locais participam neste mega programa gastronómico que tem como principal motivo a celebração e divulgação da gastronomia regional. Paralelamente à confeção dos pratos, vão decorrer várias atividades relacionadas, desde workshops a concertos, cuja participação é gratuita.

No dia 11 de março, sábado, o passeio pela Rota do Vinho e da Vinha nas Caves Campelo e Quinta do Paço marca o início da programação. No dia 16, quinta-feira, a escola Profitecla apresenta o II Concurso de Cocktails de Barcelos, na Avenida da Liberdade. O Fim de Semana de 18 e 19 fica marcado pelo workshop gastronómico, "Papas de Sarrabulho à moda de Barcelos", pela comemoração do Dia do Artesão com várias mostras ao vivo nos restaurantes aderentes, e ainda pelo festival "Música na Avenida" que juntará a Banda do Galo, as Vozes do Cávado, entre outros.

FESTIVAL DE PAPAS DE SARRABULHO DE AMARES BATE RECORDE DE VISITANTES

O certame foi uma verdadeira montra daquilo que de melhor há no concelho

O XV Festival de Papas de Sarrabulho de Amares, que ontem encerrou portas, é apontado pela organização como “a melhor edição de sempre”, após ter registado um crescimento entre os 15 a 20% no que diz respeito à afluência de visitantes, superando significativamente os resultados alcançados no ano anterior.

DSC02399.jpg

“O balanço é extremamente positivo. Se o ano passado foi o melhor ano de sempre, até então, este ano superámos todas as expetativas ao atingir números nunca antes registados” refere Manuel Moreira, presidente da Câmara Municipal de Amares – entidade que organiza o certame em parceria com ACB (Associação Comercial de Braga) – congratulando-se com o sucesso da iniciativa, que decorreu na Escola EB 2,3 de Amares.

“Isto é sinal de que Amares e sua projeção estão no caminho certo. A nossa gastronomia e os produtos locais: como os produtos da terra, o nosso vinho verde, a nossa laranja (única) e artesanato (produtos exclusivos na sua qualidade) assumem-se cada vez mais como produtos de excelência e motivo de atracão, e, este certame é a prova viva disso”, destacou, o autarca referindo-se aos milhares de visitantes, entre amarenses e forasteiros vindos dos pontos mais diversos e longínquos, que acorreram ao certame, não só para a degustação do legendário prato em evidência – as Papas de Sarrabulho – mas também para “provarem” outros sabores e saberes do concelho.

DSC02542.jpg

O autarca congratulou-se, ainda, com um aumento de clientes nas unidades de alojamento do concelho durante os quatro dias do Festival, contribuindo para aquele que é um objetivo que ultrapassa o certame e que é a promoção turística do concelho, como destino de excelência.

Em diversos momentos, os cerca de 600 lugares disponíveis na praça da alimentação do recinto ficaram lotados, o que na opinião do vice-presidente da Câmara, Isidro Araújo, comprova, precisamente, o sucesso deste evento.

“Superou as expetativas e mostrou também a consolidação deste projeto. Há muito tempo que este festival gastronómico é conhecido na região norte e mesmo no país e, portanto, houve pessoas que vieram de todo o lado, contribuindo para que tivéssemos sempre casa cheia”, começou por referir Isidro Araújo.

Isidro Araújo lembra também que o certame tem uma marca muito própria por ser suportado nos seus bastidores por “prata da casa”.

 “É um bom exemplo na organização, na gestão e na execução e mostra um planeamento atempado por parte de uma equipa técnica muito bem preparada e muito competente que confere uma solidez naquilo que é Amares e na imagem que as pessoas vão tendo do concelho”, sublinhou, acrescentando: “Havia um trabalho que estava muito por fazer e que era promover o concelho fora de portas, mostrando os nossos pergaminhos na gastronomia mas também nos vinhos, que são cada vez mais uma marca muito forte, e que agora começa a dar frutos”.

Confirmado que está o sucesso desta edição, e dado o crescimento significativo do número de visitantes que sugere um aumento do espaço reservado à zona da praça da alimentação, a organização vai começar a perspetivar a edição a edição de 2018 e a possibilidade de aumentar a capacidade de acolhimento.

DSC02658.jpg

Expositores satisfeitos com o volume de vendas e promoção

Decorrida que está a XV edição do Festival de Papas de Sarrabulho de Amares, os oito restaurantes que se fizeram representar no certame: a Churrasqueira de Caldelas; o Restaurante A Rival - O Rei do Leitão; o Restaurante Carias; o Restaurante Casa Gil; o Restaurante Vale do Homem; a Quinta do Fernando; Recanto da Minhota, e o Restaurante A Tapada, foram unânimes ao reconhecer, também, o êxito desta edição, que se refletiu no volume de vendas.

“Foi muito positivo, um verdadeiro sucesso. Para mim correu a 100%, já participo neste certame há 14 anos e, sem dúvida alguma, posso dizer que este foi o melhor, ano de sempre, quer em termos de vendas, quer em termos de projeção, admitiu Manuela Silva.

A participar pela primeira vez no Festival de Papas de Sarrabulho, também Bruno Cunha reconheceu que foi uma “excelente forma de promover o seu restaurante e servir como rampa de lançamento à sua casa”.

Entre os representantes dos stands dos mais variados produtos em exposição: vinho verde de Amares, doces, licores, fumeiro, entre outros petiscos, que fizeram as delícias dos milhares de visitantes, Cristina Rodrigues, diz que “correu muito bem e que as pessoas aderiram muito”. “Estou aqui há quatro anos e esta foi a edição em que mais gostei de participar”.

DSC02776.jpg

Artesanato e produtos da terra em grande destaque

O Festival de Papas de Sarrabulho foi também uma montra daquilo que de melhor se faz e produz em Amares. A XIV edição veio dar o seu contributo para a dinamização de vários setores da economia local, nomeadamente os produtos da terra e o artesanato que contaram com um espaço especial situado numa tenda gingante logo à entrada do recinto reservada à venda e exposição de artigos de artesanato, produtos agrícolas e locais como forma de dar a conhecer, promover e valorizar aquilo que é da terra.

Festival de Papas juntou 700 seniores em bonito momento de convívio

Na tarde de segunda-feira, o recinto do Festival de Papas de Sarrabulho foi contagiado pela alegria e vivacidade de seniores utentes de diversas instituições de Amares e de concelhos limítrofes, num momento de convívio que juntou cerca de 700 pessoas.

À boa gastronomia, servida num almoço com um menu económico, juntou-se um concurso de máscaras com a atribuição de prémios individuais e de grupo e um baile de máscaras com animação ao vivo. “Todos os dias são importantes mas este foi, sem dúvida, um dos momentos altos e mais bonitos do Festival de Papas se Sarrabulho de Amares”, frisou Manuel Moreira, referindo-se à iniciativa que pretendeu proporcionar um dia diferente e repleto de alegria a esta faixa etária da população.

DSC02802.jpg

Amares “casou” Papas de Sarrabulho e Carnaval 

Para além de se ter enchido de gente por estes dias para apreciar a tão deliciosa gastronomia, Amares vestiu-se de cor para acolher outro dos maiores atrativos por esta altura no concelho – o corso carnavalesco.

‘Geringonça’ foi a palavra que serviu de inspiração para o desfile de Carnaval de Amares, que ontem saiu à rua trazendo alegria a uma verdadeira multidão que se juntou para assistir à passagem do corso que brincou, entre outras coisas, com a situação política nacional, na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos da América, bem como, com a vitória de Portugal no Campeonato da Europa de Futebol, ou ainda, com a sátira ao ´Brexit ou impulsão`. 

Organizado pelo CDRC Amarense - Clube Desportivo, Recreativo e Cultural Amarense o desfile percorreu as principais artérias, entre o campo de futebol do Amarense e a Câmara Municipal de Amares, num alegre momento protagonizado por 9 carros alegóricos e mais de 200 participantes.

“Correu muito bem e destaco, sobretudo, a participação da equipa de trabalho, a dinâmica, o empenho dos jovens na construção dos carros e das senhoras que confecionaram as roupas com toda a dedicação”, referiu Martinho Antunes, lembrando o contributo deste momento para “a dinamização da população em torno de um projeto da comum”, antes de deixar uma palavra de agradecimento a todas as entidades/pessoas que dão o seu contributo para que o desfile de Carnaval de Amares se concretize.

DSC02901.jpg

DSC03005.jpg

DSC03139.jpg

DSC03226.jpg

DSC03256.jpg

DSC03601.jpg

REAL CONFRARIA DO VINHO VERDE TINTO ENTRONIZA CONFRADES EM MONÇÃO

Apresentada oficialmente na passada sexta-feira, 24 de fevereiro, no Centro Cultural do Vale do Mouro, os primeiros confrades serão entronizados no próximo sábado, 4 de março, naquele espaço cultural situado na freguesia de Tangil.

Entronização.jpg

Relançar a produção e comercialização de vinho verde tinto da Sub-Região de Monção é Melgaço é o principal objetivo da Real Confraria de Vinho Verde Tinto, a primeira da região dos vinhos verdes dedicada em exclusivo à defesa e valorização daquela casta.

Apresentada na passada sexta-feira, 24 de fevereiro, no Centro Cultural do Vale do Mouro, a nova confraria, foi constituída em outubro de 2016, estando a primeira entronização prevista para o dia 4 de março, sábado, naquele espaço cultural localizado na freguesia de Tangil.

Nesta cerimónia, que engloba ainda um desfile entre a Casa do Povo de Tangil e o Centro Cultural do Vale do Mouro, serão entronizados os 14 membros fundadores da confraria. Na Feira do Vinho Tinto, em finais de maio, realizar-se-á uma nova entronização.

Para o Grão-Mestre Aurélio Alves, a confraria tem como missão colocar o vinho verde tinto no lugar que merece. Por outras palavras, promover e defender uma casta singular que, nos últimos anos, foi relegada para segundo plano devido à aposta dos viticultores na produção de vinho Alvarinho.

Procura igualmente contribuir para a preservação da tipicidade rural e valorização da autenticidade paisagística da Sub-Região de Monção e Melgaço, recorrendo, nesse sentido, à divulgação do seu vasto e rico património construído, vitivinícola e gastronómico.

Além dos membros fundadores, na apresentação da confraria marcou presença o autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, e diversas personalidades ligadas ao setor vinícola: Anselmo Mendes, enólogo/produtor de vinhos, José Emílio Moreira, Grão-Mestre da Real Confraria do Vinho Alvarinho, e Armando Fontainhas, Presidente da Adega Cooperativa Regional de Monção.

FESTA DA ORELHEIRA E DO FUMEIRO ATRAI MAR DE GENTE A CABECEIRAS DE BASTO

Leilão das Orelheiras cumpriu tradição em Cabeceiras de Basto

Meia centena de orelheiras foram ontem, dia 26 de fevereiro, a leilão na Festa da Orelheira e do Fumeiro que encerrou hoje em Cabeceiras de Basto. O leilão das orelheiras e outros produtos oferecidos pelos expositores de fumeiro presentes na festa foi muito participado neste domingo gordo que antecede o dia de Carnaval, atraindo um mar de gente ao Pavilhão Desportivo de Refojos.

17022360_1268748466545390_4568896867457703411_n.jpg

De acordo com a organização do evento, a iniciativa foi “um sucesso” não só pelo volume de negócios gerado, como pela afluência do público que esgotou o produto de muitos expositores/produtores deste certame. Orelheiras, alheiras, presuntos e chouriças foram as iguarias mais vendidas e os produtores mostraram-se muito satisfeitos.

Os Cabeceirenses têm sabido criar sinergias entre a tradição e as novas tecnologias, o que significa que a produção de enchidos/fumeiro desta região mantém os sabores e saberes ancestrais, estimulando a economia local e promovendo o concelho.

Durante o fim de semana foram milhares os visitantes desta 21ª edição do certame que ficou marcado pela atuação de vários grupos de música, dança e cantares ao desafio, jogos tradicionais e teatro. O Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, visitou no passado dia 25 de fevereiro a Festa da Orelheira e do Fumeiro, regozijando-se com a presença de muitos jovens produtores neste certame.

Organizada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto há 21 anos, esta feira tem gerado dinâmicas socioeconómicas relevantes para o comércio e a restauração locais.

A Festa da Orelheira e do Fumeiro, que este ano contou com 80 expositores, ficou assim marcada pela exposição/venda de produtos locais, pela animação musical e pela promoção da ‘Tasquinha’ com os sabores mais característicos desta região nesta época de Carnaval.

Com a Festa da Orelheira e do Fumeiro continua também a aposta do Município de Cabeceiras de Basto nos produtos locais e na promoção e valorização do interior.

16997938_1268748453212058_3152583313202424800_n.jpg

 

MUNICÍPIO DE BRAGA PROMOVE “FEIRA GORDA” PARA REAVIVAR TRADIÇÕES MINHOTAS

Certame decorre até amanhã, 28 de Fevereiro, no Campo da Vinha

Está patente no Campo da Vinha, desde o dia 25 de Fevereiro e até amanhã, dia 28, a «Feira Gorda», um certame promovido pelo Município de Braga que pretende ´reavivar´ as tradições e costumes típicos da região do Minho.

16864629_1457994824231700_6989088077561175628_n (1).jpg

Sendo que o Domingo de Carnaval é característico pelas suas tradições religiosas mas também gastronómicas, o que nos dias de hoje apenas ganha expressão nas zonais mais rurais, a realização deste mercado em contexto rural permite trazer à Cidade estes costumes. “É uma tradição que se tem vindo a perder, resumindo-se apenas à comercialização e consumo de carne de porco naquele que era o último Domingo antes do Carnaval, costume que dava inicio à Quaresma”, referiu Altino bessa, Vereador do Município de Braga, durante uma visita à Feira.

O Vereador sublinhou ainda que estes eventos são importantes para criar dinâmica para a Cidade e para o comércio, levando animação para o centro da Cidade ao mesmo tempo que ´repesca as tradições do carnaval minhoto, preservando e dando continuidade a este tipo de identidade´.

Um dos momentos altos do certame será o julgamento do Entrudo, amanhã, Terça-feira, pelas 17h00. O evento inclui também vários momentos de diversão com música tradicional, teatro, concurso de máscaras, gigantones, cabeçudos e, para os mais pequenos, insufláveis e pinturas faciais.

16864629_1457994824231700_6989088077561175628_n.jpg

16864720_1457995004231682_3446976139050908874_n.jpg

SECRETÁRIO DE ESTADO DA AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO VISITA FESTA DA ORELHEIRA EM CABECEIRAS DE BASTO

O Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, visitou esta tarde de sábado, dia 25 de fevereiro a 21ª edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto. 

16997892_1267001770053393_1947132120478988805_n.jpg

Acompanhado pelos presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal, Francisco Alves e Joaquim Barreto, respetivamente, pelo diretor Regional da Agricultura e Pescas do Norte, Manuel Serra Cardoso, vereadores Alfredo Magalhães e Mário Leite, presidentes de Junta de Freguesia do Arco de Baúlhe e Vila Nune, de Cabeceiras de Basto e de Refojos de Basto, Outeiro e Painzela,  entre outros autarcas e convidados, o Secretário de Estado visitou o certame tendo cumprimentado todos os produtores/expositores com quem trocou impressões sobre a atividade, suas oportunidades e constrangimentos.

À comunicação social, o governante falou da política de incentivos que o Ministério da Agricultura tem em curso ou em vias de lançar, designadamente apoios específicos para os jovens agricultores e outros empresários ligados ao mundo rural.

A Festa da Orelheira e do Fumeiro arrancou ontem e prolonga-se até segunda-feira no Pavilhão Desportivo de Refojos, uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.

A tarde de hoje foi animada pelo Grupo de Bombos de Vilela ‘Os Amigos da Galhofa’ da Associação Vilela com Vida e pelo Grupo de Concertinas S.D.F. de Cabeceiras de Basto, estando a noite a cargo dos Cavaquinhos da Raposeira e dos Cantares ao Desafio com Maria Celeste, Lopes de Travassô e Carvalho de Cucana.

Amanhã, a partir das 14h30, realiza-se o tradicional Leilão de Orelheiras, ação que garante lotação esgotada do recinto da festa.

Durante a tarde a animação estará por conta do Jogo de Pau de Abadim da ARDCA - Associação Recreativa, Desportiva e Cultural de Abadim, do Grupo Folclórico de S. Nicolau de Cabeceiras de Basto e do Grupo Folclórico S. João Batista de Cavez.

Integrada na iniciativa dos ‘Fins de Semana Gastronómicos’ do Turismo do Porto e Norte de Portugal, através da adesão de diversos restaurantes do concelho que neste fim de semana vão servir a orelheira com grelos e outro fumeiro, esta festa pretende continuar a defender, a valorizar e a apoiar os produtores e a promover os produtos locais, as pessoas e o concelho.

PRESIDENTE DO MUNICÍIPO DE CABECEIRAS DE BASTO INAUGURA 21ª FEIRA DA ORELHEIRA E DO FUMEIRO

Arrancou hoje, dia 24 de fevereiro, no Pavilhão Desportivo de Refojos, a 21ª edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto, uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto que decorre até segunda-feira, dia 27 de fevereiro.

DSC_0092.JPG

O certame foi inaugurado pelo presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, que esteve acompanhado dos vereadores, presidentes de Junta de Freguesia, membros da Assembleia Municipal, entre outros autarcas.

Marcaram também presença nesta cerimónia de abertura o presidente da Câmara Municipal de Mondim de Basto, um representante do comandante do RC6 de Braga, o diretor do Centro Emprego, a delegada Regional de Agricultura, o secretário Executivo da CIM do Ave, entre outros convidados e público em geral.

Na abertura do evento, momento abrilhantado pela atuação do Grupo de Bombos Jovens de Basto, a comitiva visitou os mais de 80 produtores/expositores presentes nesta festa, dos quais 48 produtores de fumeiro e 32 de produtos locais como produtos hortícolas, vinhos e licores, ervas aromáticas, mel, doçaria e artesanato.

A promover as suas atividades, estão presentes neste certame a Rural Basto, a  Probasto, a Mútua de Basto/Norte e a Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto.

O presidente da Câmara cumprimentou todos os presentes, agradecendo a sua presença, destacando que a Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto  foi, desde a primeira edição, organizada no Carnaval, afirmando que “esta é uma das iniciativas socioeconómicas mais importantes que realizamos”.

E sublinhou “queremos valorizar o porco bísaro e o desenvolvimento local através da melhoria da economia familiar. Queremos promover as tradições preservando os saberes das nossas gentes. Queremos promover a gastronomia local”.

Integrada na iniciativa dos ‘Fins de Semana Gastronómicos’ do Turismo do Porto e Norte de Portugal, através da adesão de diversos restaurantes do concelho que neste fim de semana vão servir a orelheira com grelos e outro fumeiro, esta Festa pretende continuar a defender, a valorizar e a apoiar os produtores e a promover os produtos locais, as pessoas e o concelho.

De referir que amanhã, sábado, pelas 14h30, está prevista a visita do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, à Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto.

Programa     

Dia 25 de fevereiro (sábado)

10h00 | Abertura da Exposição | Venda de Produtos de Fumeiro

15h00 | Grupo de Bombos de Vilela (Associação Vilela com Vida)

Grupo de Concertinas S.D.F. de Cabeceiras de Basto

21h30 | Os Cavaquinhos da Raposeira

Cantares ao Desafio com Maria Celeste, Lopes de Travassô e Carvalho de Cucana

24h00 | Encerramento da Exposição | Venda de Produtos de Fumeiro

Dia 26 de fevereiro (domingo)

10h00 | Abertura da Exposição | Venda de Produtos de Fumeiro

15h00 | Jogo de Pau de Abadim (ARDCA)

              Tradicional Leilão de Orelheiras

              Grupo Folclórico S. Nicolau de Cabeceiras de Basto

              Grupo Folclórico S. João Batista de Cavez

19h30 | Encerramento da Exposição | Venda de Produtos de Fumeiro

Dia 27 de fevereiro (Segunda-feira)

09h00 | Abertura da Exposição | Venda de Produtos de Fumeiro

12h00 | Encerramento da Exposição | Venda de Produtos de Fumeiro

DSC_0162.JPG

MONÇÃO REALIZA “PROMOÇÃO À LAMPREIA DO RIO MINHO”

Nos dias 25 e 26 de fevereiro e 4 e 5 de março, o município aposta forte neste prato tradicional com diversas atividades destinadas a todos os públicos. 27 restaurantesdo concelho estão de portas abertas para receber munícipes e visitantes. O ponto forte será a 40ª edição do Rali à Lampreia, perícia automóvel no centro histórico da localidade que decorre no próximo domingo, 26 de fevereiro. Esta manhã, no Museu do Alvarinho, realizou-se a apresentação pública do programa.

DSC_0199 (Large).JPG

A iniciativa “Promoção da Lampreia do Rio Minho” decorre nos dois próximos fins-de-semana, 25 e 26 de fevereiro e 4 e 5 de março. Esta manhã, no Museu do Alvarinho, decorreu a apresentação pública do programa aos meios de comunicação social e aos empresários de restauração participantes nesta iniciativa gastronómica e turística.

Além do presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, marcaram presença nesta apresentação pública o Vereador das Atividades Socioculturais, Paulo Esteves, e o diretor do Sport Clube do Porto, secção de automobilismo, Sousa Magalhães.

Na mesa, esteve ainda Joaquim Meira, em representação do Rotary Clube de Monção, que apresentou o habitual almoço da lampreia daquela instituição. Decorre no dia 11 de março, sábado, com um programa que compreende concentração e desfile de confrarias entre a antiga estação e o Museu do Alvarinho, almoço convívio e animação com o grupo “Sons do Gadanha”.

Augusto de Oliveira Domingues deu conta que a presente iniciativa engloba um conjunto diversificado de atividades lúdicas e desportivas que, em conjunto, visam constituir motivos apelativos para uma deslocação ao concelho de Monção, contribuindo para a valorização turística da localidade raiana e para a dinamização dos setores da restauração e hotelaria.

O autarca monçanense reforçou ainda a sua posição relativamente à abertura da pesca na zona das pesqueiras, defendendo que a data atual, 15 de fevereiro, devia ser revista. Afirmou: “A pesca nesta zona abre muito tarde. Penso que esta situação prejudica seriamente pescadores e restaurantes. Defendo a sua antecipação para inícios de fevereiro. Tanto eu como o Alcalde de Salvaterra temos feito sentir essa necessidade aos responsáveis”

O diretor do Sport Clube do Porto, secção de automobilismo,Sousa Magalhães, lembrou o papel de António Paiva, falecido recentemente, na afirmação do Rali à Lampreia, realçando que a edição deste ano promete muita participação e, tal como nos anos anteriores, constituirá um palco privilegiado para quem gosta de desporto motorizado e boa gastronomia.

Convidando à presença de todos, o Vereador das Atividades Socioculturais, Paulo Esteves, focou-se na apresentação do programa destes dois fins de semana, destacando, entre as iniciativas propostas, a realização do 40º Rali à Lampreia, evento que promete juntar milhares de pessoas nas ruas e varandas do núcleo histórico monçanense.

DSC_0206 (Large).JPG

Rali à Lampreia, Rali a Pedais e Rali Gastronómico

Promovida pela Câmara Municipal de Monção e Sport Clube do Porto, a 40ª edição do Rali à Lampreia realiza-se no dia 26 de fevereiro, domingo. Engloba duas provas marcadas para as 11h00 e 16h00, prevendo-se a presença de meia centena de participantes portugueses e espanhóis.

Na hora do almoço, os restaurantes estão de portas abertas para receber visitantes e munícipes nesta jornada de promoção da Lampreia do Rio Minho. Participam 27 restaurantes do concelho com uma ementa dedicada à lampreia, desde a mais tradicional, com arroz ou à bordalesa, às abordagens mais contemporâneas como empanada ou sushi.

No dia anterior, sábado, está prevista a iniciativa “Rali a Pedais”. Provas de karts abertas ao público durante o dia, a partir das 15h00, onde o público poderá sentir a emoção de conduzir um kart a pedais num circuito criado na Praça Deu-la-Deu Martins. A partir das 21h00, no Largo do Loreto, decorre uma prova inter-freguesias.

No sábado seguinte, 4 de março, pelas 10h00, realiza-se o “Trilho das Pesqueiras”, percurso com uma extensão ligeiramente superior a 6 quilómetros com um grau de dificuldade moderado/fácil. Oportunidade para caminhar junto ao rio Minho, vivenciar a pesca de outrora e desfrutar de um património secular identitário da nossa realidade ribeirinha: pesqueiras e moinhos. Informações/Inscrições: turismo@cm-moncao.pt

No período da tarde, com início às 15h00, decorre um peddypaper familiar. Um convite ao conhecimento das “coisas” do concelho de Monção e à passagem de momentos agradáveis com familiares e amigos. Ocasião para juntar o útil ao agradável: aprender e conviver. Informações/Inscrições: patrimonio@cm-moncao.pt

A partir das 18h00, realiza-se o 2º Rali Gastronómico da Lampreia. Sete bares convidam a uma noite diferente com apresentação de acepipes de lampreia. Cada participante neste “rali” terá um passaporte que deverá selar, comprovando a sua passagem (com degustação e consumo de bebida) por cada um dos bares aderentes. Os três primeiros a completar o circuito recebem prémios.

O primeiro prémio é um jantar de lampreia para duas pessoas no Restaurante Sabores, o segundo uma oferta termal para duas pessoas nas Termas de Monção e, o terceiro, uma caixa de Vinho Alvarinho MQ Vinhos – Vale dos Ares. Participam Cafetaria Lux, Chaplin Burger, Lés-a-Lés, Margem Bar, Pedrinha Bar, Porta 11, e Zoom Café. A noite termina com atuação do Grupo Melmusic, na Praça Deu-la-Deu.

No domingo, dia 5, com organização da Terra Minhota Aventura e apoio da autarquia monçanense, realiza-se o 1º Encontro de Clássicos da Lampreia. O secretariado abre às 8h00 e, duas horas depois, inicia-se uma rota pelo concelho. À tarde, pelas 15h00, realiza-se a prova de regularidade. A entrega de lembranças, marcada para as 18h00, decorre no Museu do Alvarinho. Informações/Inscrições: tmaventura@gmail.com

DSC_0214 (Large).JPG

TABERNA MINHOTA SERVE KEBAB

Especialidades turcas e do Médio Oriente como o kebab, a pita falafel e o durum são algumas das especialidades da “Taberna Minhota”, sita no Bairro Alto, em Lisboa. Especialidades portuguesas só mesmo o bitoque e a costela de novilho!

16649430_10212616094820335_2464276237420015314_n.jpg

Quem diria, há algum tempo atrás, que viria a ter a oportunidade de vir um dia a deliciar-se com um kebab... à moda do Minho?

Sujeita repentinamente a uma grande pressão devida ao extraordinário fluxo de turismo, este constitui um caso paradigmático do que se está a passar em Lisboa e noutras regiões do país: a necessidade de corresponder à elevada procura, a oferta não está a acautelar a preservação do património e a identidade das cidades, a sua própria cultura e arrisca-se em breve a matar a galinha dos ovos de oiro.

Imagine-se a reação de um turista turco ou conhecedor da culinária daquela região, ao deparar com a apresentação de um kebab como se de uma especialidade minhota se tratasse!...

Foto: João Alpuim Botelho

CHEF ANTHONY BOURDAIN VISITA CELORICO DE BASTO

Anthony Bourdain, famoso chef norte-americano veio conhecer a gastronomia de Celorico de Basto

Quase secretamente, Anthony Bourdain, conceituado chef, escritor e apresentador de televisão norte-americano, esteve esta sexta-feira e sábado, 17 e 18 de fevereiro, em Celorico de Basto, no restaurante Sabores da Quinta para assistir à tradicional “Matança do porco” e provar algumas das iguarias locais.

anthonybast (1).jpg

O conceituado chef já tinha estado em Celorico de Basto em 2002 e voltou graças ao conhecido empresário Celoricense José Meireles, que trabalha na área da gastronomia com 2 restaurantes em Nova Iorque, local onde conheceu Anthony Bourdain.

O Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Fernando Peixoto, esteve com o conceituado chefe, a convite do empresário Celoricense, e ofereceu-lhe algumas das excelências gastronómicas que identificam o concelho.

“É uma honra para Celorico de Basto receber tão conceituado “Chef” e sobretudo, “fazedor de opinião” no que concerne à gastronomia. Temos produtos de excelência que, caindo nas mãos certas, podem tornar-se verdadeiramente conhecidas e dar a Celorico de Basto a alavanca necessária para a valorização gastronómica em Portugal e no mundo” disse o vereador.

No Restaurante Sabores da Quinta, Anthony Bourdain acompanhado pela sua equipa de reportagem, participou na tradicional “Matança do porco”, meticulosamente preparada pelos anfitriões que se vestiram com trajes tradicionais e ofereceram diversos momentos musicais criando um cenário único para ser mostrado num dos programas do reconhecido chef. Ao longo dos dias, Anthony Bourdain deleitou-se com alguns pratos confecionados pelo referido restaurante tendo como base a carne de porco e outros produtos que caracterizam a rica gastronomia local.

Anthony Bourdain anda em viagem pelo mundo para dar a conhecer, no seu programa “Parts Unknown” – Viagem ao desconhecido, emitido pela CNN e pelo canal 24 Kitchen, os sabores únicos de regiões desconhecidas do mundo.

 

anthonybast (2).jpg

FINS-DE-SEMANA GASTRONÓMICOS COMEÇAM HOJE EM AMARES

O Município de Amares volta a estar representado nos “Fins de Semana Gastronómicos", uma ação conjunta do Turismo do Porto e Norte de Portugal e dos Municípios da região que promove o turismo através da gastronomia e dos vinhos. Em Amares, a iniciativa decorre entre os dias 17, 18 e 19 de janeiro de 2017, ou seja, no fim de semana que antecede o Festival das Papas de Sarrabulho, dando a saborear as melhores iguarias, nomeadamente as pataniscas de bacalhau, como entrada, as papas de sarrabulho, como prato principal, ficando o pudim de laranja reservado para a sobremesa.

Com a participação neste guia gastronómico, o Município de Amares pretende, por um lado, dinamizar as atividades económicas, promover o seu património gastronómico, turístico e cultural e, por outro lado, contribuir para a preservação e valorização de um prato típico da região feito à base de carnes de porco e pão de trigo.

Para além da boa gastronomia, os “Fins de Semana Gastronómicos” de Amares englobam um programa de animação que assenta, essencialmente, na oferta de música tradicional / popular portuguesa, representativa do concelho. A complementar este programa de animação, o Município de Amares coloca à disposição do visitante, na “Galeria de Artes e Ofícios”, localizada na Praça do Comércio – Ferreiros, uma exposição de artesanato emblemático do concelho, bem como, visitas a alguns dos locais mais simbólicos do concelho, como por exemplo, o Museu do Santuário da Nª Sr.ª da Abadia (Bouro Santa Maria).

Restaurantes: Oferta de um copo de vinho de Amares.
Alojamento: 20% de desconto nas noites de sexta e sábado.

Mais informações: http://www.cm-amares.pt/noticias/fins-de-semana-gastronomicos-de-amares-dias-17-18-e-19-de-fevereiro-de-2017

ESPECIALIDADE GASTRONÓMICA DO BACALHAU REINA EM VALENÇA

Onde Comer o Melhor Bacalhau da Península? Em Valença Bacalhau é Rei!

Gosta de bacalhau? Então Valença é o seu destino, em 18 e 19 de fevereiro. Bacalhau à São Teotónio é o convite para um fim de semana gastronómico a saborear um prato de bacalhau que em Valença é rei.

bacalhauvalenç.jpg

Bacalhau come-se de mil maneiras em muitos lugares, mas em Valença sabe reconhecidamente como em mais nenhum lugar.

O bacalhau, o produto mais celebre da gastronomia valenciana, está sempre presente, a diário, em todos os restaurantes locais, confecionado e apresentado em prato ou em tapas das mais diversas e ousadas formas.

Bacalhau à São Teotónio

O bacalhau à São Teotónio é o protagonista deste fim de semana gastronómico. Um prato de sabor inigualável digno do prazer dos deuses, com nome de santo, em homenagem ao primeiro santo português, natural de Valença.

Há séculos que por Valença se apuram os sabores e a arte de apresentar as receitas de bacalhau. O bacalhau é um produto, há muito presente na gastronomia valenciana e que atrai, até nós, visitantes de toda a Península Ibérica para saborear as múltiplas formas de o confecionar.

Caldo Verde de Valença – Melhor Sopa de Portugal

O Caldo Verde, eleito em 2011 como a melhor sopa de Portugal, é a sopa da tradição valenciana a marcar, também, presença nesta jornada.

Valença é Doce!

Acompanham os Borrachinhos de Valença, uma sobremesa tradicional de Valença. Uma iguaria da doçaria conventual valenciana à base de pão, canela, açúcar e raspa de limão, bem encharcado numa calda digna dos deuses à base de mel, vinho tinto, canela, entre outros ingredientes.

Em 24 restaurantes aderentes, no fim de semana de 18 e 19 de fevereiro, Valença é o destino dos bons garfos.

A iniciativa é da Câmara Municipal e do Turismo Porto Norte de Portugal.

TERRAS DE BOURO REALIZA FEIRA DO CABRITO BIOLÓGICO

Inscrições para a IV Feira do Cabrito Biológico da Serra do Gerês a 5, 6 e 7 de maio em Terras de Bouro

O Município de Terras de Bouro informa que está a decorrer, até dia 1 de março, o período de inscrições para participação na IV Feira do Cabrito Biológico da Serra do Gerês, que se realizará nos dias 5, 6 e 7 de maio.

O evento, que irá decorrer na Praça do Município, servirá para divulgar o Cabrito Biológico da Serra do Gerês, o artesanato do concelho e contribuirá também para a promoção da gastronomia e dos produtos da região.

Regulamento e Ficha de Inscrição (deverá ser entregue até 1 de março) em http://www.cm-terrasdebouro.pt/

IV-Feira-Cabrito-Biologico-da-Serra-do-Geres -.png

PONTE DA BARCA REALIZA FEIRA DO FUMEIRO, ARTESANATO E VINHÃO

De 17 a 19 de fevereiro | Praça da República, Ponte da Barca promove mais uma edição da Feira do Fumeiro, Artesanato e Vinhão

A Feira do Fumeiro, Artesanato e Vinhão de Ponte da Barca está de regresso à Praça da República já nos próximos dias 17, 18 e 19 de fevereiro. Com inauguração marcada para as 18h, a iniciativa é promovida pela Câmara Municipal em parceria com a RZ Eventos e vai contar com mais de três dezenas de expositores da região Transmontana e do Alto Minho, com o melhor fumeiro que se produz no país,e com uma mostra de fumeiro de Vinho Verde produzido em Ponte da Barca. Para além do artesanato local, estarão presentes vários trabalhos executados com cortiça, vidro, madeira, lãs, entre outros. Não faltará também o excelente Vinho da Adega Cooperativa de Ponte da Barca com especial destaque para o Vinhão.

imprensa fumeiro.jpg

A iniciativa visa atrair visitantes ao concelho de Ponte da Barca e, segundo a Vereadora da Cultura do Município de Ponte da Barca, Sílvia Torres 'dar ainda mais visibilidade aos produtos confecionados de modo típico e genuíno, conquistando os visitantes pela qualidade dos produtos em exposição, que vão desde o tão afamado fumeiro, até ao seu acompanhante ideal:o vinhão', objetivo que tem sido amplamente conquistado 'com um aumento significativo de visitantes ao longo dos anos. À gastronomia, há que juntar ainda o artesanato regional diversificado e um programa de animação bastante apetecível, estando deste modo reunidos todos os ingredientes para o sucesso desta feira', concluiu Sílvia Torres.

Animação durante os três dias do certame

O certame será complementado com um vasto programa de animação que inclui a atuação da Stand Up Comedy 'Jaimão' (dia 17, às 21h30), a atuação do grupo tradicional 'Os Alentejanos' (dia 18, às 21h30), e a atuação dos Ranchos Folclóricos de Azias, Lavradas e Lindoso (dia 19, a partir das 15h).

AMARES DIVULGA FESTIVAL DAS PAPAS DE SARRABULHO

O Festival de Papas de Sarrabulho de Amares vai sair à rua para abrir o apetite para aquela que será a 15ª edição deste certame têm vindo a cativar, anualmente, milhares de visitantes, entre amarenses e forasteiros, vindos dos pontos mais diversos e longínquos, para a degustação deste legendário prato.

A primeira ação promocional decorre já este sábado, a partir das 15h00, em Vila Nova de Gaia.

Post      ações geral.jpg

Post      ações_1.jpg

AMARES APRESENTA FESTIVAL DAS PAPAS DE SARRABULHO

Falar de Amares é falar de tradição, de uma gastronomia forte e enraizada, de um concelho que apresenta produtos exclusivos na sua qualidade e excelência e, neste contexto, surge a 15ª edição daquela que veio a revelar-se a sua maior marca, interna e externamente, o Festival de Papas de Sarrabulho, que regressa a Amares de 25 a 28 de fevereiro, no pavilhão gimnodesportivo da EB 2/3 de Amares. O certame, fruto de uma organização conjunta entre a Câmara Municipal de Amares e a Associação Comercial de Braga (ACB), foi apresentado, esta manhã, no Salão Nobre dos Paços do Concelho à comunicação social.

Cartaz A3pap.jpg

A conferência de imprensa de apresentação contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, do presidente da Associação Comercial de Braga, Macedo Barbosa, e do director geral, Rui Marques. A ocasião contou, ainda, com Melchior Moreira, presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Luís Silva, representante de um dos parceiros do evento, a CAMPE – Centro Médico de Braga e Martinho Antunes, presidente do Clube Desportivo, Recreativo e Cultural Amarense, entidade que organiza o Carnaval de Amares.

De 25 a 28 de fevereiro não perca então este certame que, para além das melhores Papas de Sarrabulho, conjuga a presença condigna do artesanato e dos produtos locais, de que se destaca o indispensável vinho verde, branco ou tinto, produzido no concelho e corporizando outra das suas bandeiras mais ricas e emblemáticas, bem como, a laranja de Amares e seus derivados, sobretudo traduzidos nos doces à base deste citrino.

O desfile de Carnaval, outro dos grandes atrativos por essa altura, sai para a rua no dia 28 de fevereiro, com a palavra “geringonça”, como tema central.

DSC01377.JPG

DSC01411.JPG

DSC01418.JPG

DSC01424.JPG

CAPTURA DA LAMPREIA: AUTARCAS DEFENDEM ABERTURA MAIS CEDO A MONTANTE DO RIO MINHO

Autarcas de Monção e Salvaterra de Miño, Augusto de Oliveira Domingues e ArturoGrandal, defendem que a pesca à lampreia nas pesqueiras, com início no dia 15 de fevereiro, deve iniciar-se mais cedo. E disso tem dado conta aos comandantes das capitanias de Caminha e Tui.

Pesqueira João Esteves Soares.jpg

A pesca à lampreia a jusante do rio Minho abriu no passado dia 3 de janeiro, contudo, a captura daquele ciclóstomo a montante, feita essencialmente em pesqueiras, construções de pedra junto ao rio Minho existentes nos concelhos de Monção e Melgaço, só é possível a partir de 15 de fevereiro.

Uma diferença de mês de meio que não agrada a autarcas, pescadores e empresários da restauração, considerando, em uníssono, que é muito tarde para quem vive exclusivamente da pesca ou encontra naquela atividade um complemento económico à sua profissão.  

Desta forma, todos os intervenientes na pesca da pesca, direta ou indiretamente, defendem que a abertura da pesca a montante do rio Minho deveria fazer-se mais cedo, permitindo que antes do 15 de fevereiro seja possível a comercialização e confeção da lampreia capturada nas pesqueiras.

Considerada mas gostosa e batida em virtude do trajeto entre a foz e a zona das pesqueiras, pescadores e empresários da restauração alertam para a importância económica da pesca da lampreia, lamentando que a abertura tardia esteja a prejudicar o “negócio”.

A autarquia monçanense, à semelhança da sua congénere de Salvaterra de Miño, tem consciência dessa realidade e, por diferentes meios, tem feito chegar essa reivindicação aos responsáveis, procurando sensibilizá-los para uma antecipação da presente data.

“Mês e meio de diferença entre o jusante e o montante do rio Minho é muito tempo. Penso que esta situação prejudica seriamente pescadores e restaurantes, algo que não pode acontecer” refere Augusto de Oliveira Domingues, completando:

“Tanto eu, como o Alcalde de Salvaterra de Miño, ArturoGrandal, temos falado com oscomandantes das capitanias de Caminha e Tui, fazendo-os sentir a necessidade em alterar a data, encurtando o tempo entre a foz e os nossos concelhos. O dia 1 de fevereiro parece-nos uma data razoável”.

Refira-se que, entre 15 de janeiro e 15 de abril, decorre a iniciativa “Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência”. Os restaurantes de Monção que participam nesta promoção, 18 no total, tem servido lampreiade várias formas que, contranatura, tem de ser compradas fora do concelho.

PONTE DA BARCA FOI XANTAR À GALIZA

Ponte da Barca promoveu-se no Xantar-Salón Internacional de Turismo Gastronómico, em Ourense, Espanha

À semelhança de anos anteriores, o Município de Ponte da Barca marcou presença no Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorreu de 1 a 5 de fevereiro, em Ourense, na Galiza, Espanha. A participação nesta feirateve como intuito reforçar a visibilidade de Ponte da Barca como destino turístico, através da promoção de produtos gastronómicos e eventos culturais mais significativos.

pbxantar.jpg

No primeiro dia da feira, o Município fez-se representar pelo Presidente da Câmara, Vassalo Abreu, pela Vereadora do Cultura, Turismo e Desporto, Sílvia Torres, e pelo Adjunto do Presidente, Inocêncio Araújo, que acompanharam o dia inaugural daquela que é a única feira de cariz internacional espanhola onde os ícones gastronómicos e culturais de cada região se conjugam. Para o autarca de Ponte da Barca, Vassalo Abreu, 'esta é mais uma oportunidade do concelho espelhar o que de melhor faz, numa montra fantástica com esta dimensão, e por um concelho como o nosso que é, por várias razões, cada vez mais procurado pelos turistas.'

'Dia de Ponte da Barca'

A sexta feira foi dedicada a Ponte da Barca, altura em que decorreu uma prova de vinhos, a cargo da Adega Cooperativa local, assim como a apresentação oficial do espumante vinhão. No mesmo houve oportunidade para demonstrar a confeção e degustação de um dos pratos da gastronomia barquense – o Naco à Terra da Nóbrega – através de um showcooking a cargo do restaurante do Tempus Hotel&Spa.

O Sábado esteve reservado à promoção do Festival Folk Celta, que acontece em terras barquenses no último fim de semana de julho, e contou com o grupo de música português Palankalama, a animar a feira.

IMG-20170206-WA0006.jpg

IMG-20170206-WA0008.jpg

IMG-20170206-WA0011.jpg

PONTE DA BARCA PROMOVE TURISMO NA GALIZA

Ponte da Barca promove-se no Xantar-Salón Internacional de Turismo Gastronómico, em Ourense, na Galiza

Reforçar a visibilidade de Ponte da Barca como destino turístico, aravés da promoção de produtos gastronómicos e eventos culturais mais significativos, é o objetivo

xantar2.jpg

À semelhança de anos anteriores, o Município de Ponte da Barca marca presença no Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorre de hoje até domingo, em Ourense, na Galiza, Espanha. A participação nesta feirapretende reforçar a visibilidade de Ponte da Barca como destino turístico, através da promoção de produtos gastronómicos e eventos culturais mais significativos.

Neste que foi o primeiro dia da feira, o Município fez-se representar pelo Presidente da Câmara, Vassalo Abreu, pelaVereadora do Cultura, Turismo e Desporto, Sílvia Torres, e pelo Adjunto do Presidente, Inocêncio Araújo, queacompanharam o dia inaugural daquela que é a única feira de cariz internacional espanhola onde os ícones gastronómicos e culturais de cada região se conjugam.

Para o autarca de Ponte da Barca, Vassalo Abreu, 'esta é mais uma oportunidade do concelho espelhar o que de melhor faz, numa montra fantástica com esta dimensão, e por um concelho como o nosso que é, por várias razões, cada vez mais procurado pelos turistas.'

'Dia de Ponte da Barca'

Na sexta feira o dia será dedicado a Ponte da Barca, altura em que vai decorrer uma prova de vinhos, a cargo da Adega Cooperativa local, assim como a apresentação oficial do espumante vinhão. No mesmo dia haverá oportunidade para demonstrar a confeção e degustação de um dos pratos da gastronomia barquense – o Naco à Terra da Nóbrega – através de um showcooking a cardo do restaurante do Tempus Hotel&Spa.

O Sábado está reservado à promoção do Festival Folk Celta, que acontece em terras barquenses no último fim de semana de julho, e vai contar com um grupo de música deste género, a animar a feira.

FEIRA DO PORCO EM PONTE DE LIMA SUPERA EXPECTATIVAS

Ponte de Lima - A IX Feira do Porco e as Delícias do Sarrabulho superou as expectativas

A Feira do Porco e as Delícias do Sarrabulho mantem-se em Alta, sendo “um dos eventos de maior referência e expressão realizado em Ponte de Lima” disse o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Eng.º Victor Mendes na abertura desta 9ª edição.

IMG_6917 (Medium).JPG

Milhares de visitantes e mais de 10.000 doses de sarrabulho foram saboreadas este fim-de-semana em Ponte de Lima. O Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima confirmou mais uma vez que é dos verdadeiros motores do desenvolvimento económico do concelho.

Num certame dedicado à restauração, o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima foi rei, deliciando os gostos mais apurado, contando ainda com a presença dos sabores de enchidos e fumados das empresas limianas e de várias regiões do país.

Em destaque estiveram ainda os artesãos do concelho e os produtos tradicionais como os enchidos, fumeiro, vinhos, doces e licores, e outros como a sidra e a cerveja artesanal, que desta forma enriqueceram o evento, reforçando as potencialidades económicas do tecido empresarial e do mundo rural, em particular do porco bísaro.

Promovida pelo Município de Ponte de Lima no âmbito do projeto ‘Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta’, a Feira do Porco e as Delícias do Sarrabulho insere-se nos Fins-de-semana Gastronómicos promovidos pela Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, cujo objetivo é de promover o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, o ex-libris da gastronomia limiana.

IMG_7400 (Medium).JPG

IMG_7527 (Medium).JPG

PONTE DA BARCA APRESENTA CALENDÁRIO GASTRONÓMICO DE 2017

Seis iguarias vão ser servidas à mesa dos vários restaurantes deste concelho Alto Minhoto.

Primeiro Domingo Gastronómico acontece a 26 de Fevereiro e destaca o Cozido à Portuguesa

O Calendário Gastronómico 2017 de Ponte da Barca foi hoje apresentado pelo presidente da Câmara, Vassalo Abreu, e pela Vereadora da Cultura, Sílvia Torres, em conferência de imprensa que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho. Estas iniciativas, que segundo a Vereadora, Sílvia Torres, resultam da 'conjugação de esforços entre o Município e os empresários da restauração local', englobam seis eventos gastronómicos que enriquecem o cardápio dos restaurantes barquenses, designadamente: do Cozido à Portuguesa, que arranca já no dia 26 de fevereiro; da Lampreia, a 12 de Março; do Cabrito à Serra Amarela, a 09 de Abril; fim-de-semana da Posta Barrosã, de 19 a 21 de Maio; do Naco à Terra da Nóbrega, a 08 de Outubro; e do Sarrabulho, a 12 de Novembro.

P1510006.JPG

A acompanhar as várias iguarias o afamado vinho verde e, para terminar, nada como saborear os doces típicos como o Bolo Branco, o Leite-Creme (queimado), as Rabanadas de Mel, as Queijadas de Laranja e o "Magalhães", concebidos em homenagem ao navegador Fernão de Magalhães que aqui teve o seu berço.

A par da gastronomia, Vassalo Abreu, Presidente da Câmara, aproveitou para destacar Ponte da Barca tanto ao nível dos espaços e equipamentos, lembrando “a excelência da gastronomia barquense, o afamado vinho verde e o alojamento de qualidade”, para além das “inúmeras potencialidades deste território inserido no Parque Nacional da Peneda Gerês, Reserva Mundial da Biosfera, classificado pela UNESCO”. Vassalo Abreu salientou ainda “toda a atividade cultural, desportiva e turística promovida ao longo do ano pelo município que concorre para um só objetivo: a promoção e potencialização do nosso concelho e do que ele tem de melhor', dando destaque ao Pai Velho - Entrudo Tradicional do Lindoso, à Festa das Tradições, ao projeto 12xpontedabarca - programa anual de trilhos, ao Festival Folk Celta, que vai este ano para a sua décima edição, à Romaria de S. Bartolomeu, à Festa das Vindimas, e ao Mercado de Natal e ancestral Feira do Mel.

'Em Ponte da Barca há cor, sabor e tradição'. Foi com estas palavras que o autarca, Vassalo Abreu terminou, deixando o desafio a que todos 'partam à descoberta do nosso concelho e da sua oferta gastronómica'.

BARCELOS DÁ A PROVAR OS SABORES DA LAMPREIA

Município de Barcelos promove 3ª edição do Fim de semana da Lampreia

De 17 a 19 de fevereiro, nos restaurantes aderentes

O "Fim-de-semana da Lampreia" acontece de 17 a 19 de fevereiro e marca o arranque oficial do programa anual “7 Prazeres da Gastronomia”. Uma iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Barcelos que englobará a Semana Gastronómica do Galo, o Fim de Semana do Bacalhau, o Fim de Semana dos Petiscos Tradicionais, a XII edição do Concurso Galo Assado, o Fim de Semana do Pica no Chão e ainda o concurso de pastelaria, Barcelos Doce.

A terceira edição do Fim de Semana da Lampreia conta com a participação de 18 restaurantes que vão preparar e confecionar esta iguaria, fazendo do concelho de Barcelos uma das mais regiões mais atrativas nesta época do ano no que respeita à gastronomia e a este prato tão tradicional desta zona do país.

Depois de, em 2016, ter arrecadado o título de “Região Europeia de Gastronomia”, a região do Minho reforça agora as intenções de estímulo à inovação e divulgação de culturas e identidades alimentares regionais, promovendo paralelamente o desenvolvimento de outros setores com o económico e social.

Neste sentido, ao longo de todo o ano, são realizadas várias atividades promocionais do produto estratégico “Gastronomia e Vinhos” que vão ao encontro dos principais propósitos desta “Região Europeia da Gastronomia”.

PORCO BÍSARO DE TRÁS-OS-MONTES VEM À FEIRA DO PORCO A PONTE DE LIMA

Bísaro Pig Parade – Exposição Itinerante. IX Feira do Porco e as Delícias do Sarrabulho em Ponte de Lima

A IX Feira do Porco e as Delícias do Sarrabulho, a realizar este fim-de-semana em Ponte de Lima, apresenta um projeto artístico proveniente da região de Trás-os-montes, cujo objetivo é o de promover e preservar a raça do porco Bísaro.

15780748_1220772937976787_2243700063470294803_n.jpg

Trata-se de uma exposição itinerante designada “Bísaro Pig Parade” da autoria de 20 artistas plásticos da região transmontana, que pintaram e decoraram 20 maquetes de porcos de dimensão real, em fibra de vidro, com cerca de 50 a 70Kgs. A mostra que tem percorrido diversos concelhos promete suscitar a curiosidade dos visitantes, este fim-de-semana em Ponte de Lima.

O Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, um dos verdadeiros motores do desenvolvimento económico do concelho, enquadra-se nos Fins-de-semana Gastronómicos promovidos pela Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal. Expositores de produtos regionais e artesanato participam neste evento, onde os visitantes poderão encontrar propostas irresistíveis dos vários restaurantes do concelho, degustando as iguarias derivadas do Porco, com destaque para os enchidos e fumados.  

Promovido pelo Município de Ponte de Lima no âmbito do projeto Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta’, dirigido aos agentes locais e aos empresários do setor turístico hoteleiro e da restauração, esta iniciativa abrange as campanhas especiais de alojamento, com 15% de desconto, em Hotéis e Casas de Turismo aderentes, e a oferta do leite-creme por cada dose, nos restaurantes aderentes ao Ponte de Lima em Alta.

Consulte mais informações em: http://www.visitepontedelima.pt/pt/turismo/ix-feira-do-porco-e-as-delicias-do-sarrabulho/

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE PAPAS DE SARRABULHO

Arcos à Mesa: Ciclo Gastronómico dos Rojões e Papas de Sarrabulho. 28 e 29 de janeiro

N este fim-de-semana, dias 28 e 29 de janeiro, Arcos de Valdevez promove mais uma edição dos “Ciclos Gastronómicos”, desta vez dedicado à degustação dos tradicionais “Rojões & Papas de Sarrabulho”.

Cartaz - rojoes_papas_2017.jpg

Este é um prato muito procurado e apreciado nesta época do ano e intimamente ligado à matança do porco, pela altura do Entrudo. Em Arcos de Valdevez terá ainda a oportunidade de comprovar a qualidade da doçaria tradicional e saborear os bons vinhos verdes produzidos na região.

Com um programa de animação adaptado à cultura tradicional, este engloba uma “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”, que conta com a participação de expositores, ligados às áreas de Artesanato e Produtos Tradicionais de Arcos de Valdevez, a realização da iniciativa Rota dos Vinhos de Arcos de Valdevez - Roteiro do Vez, a qual engloba a visita guiada a quintas de vinho verde do concelho, bem como provas de vinhos, animação musical com a atuação de rusgas, o concerto Guadi Galego na Casa das Artes e a atuação da Orquestra Eclipse, no campo do Trasladário.

Venha até Arcos de Valdevez Onde Portugal se Fez, um destino turístico de excelência, situado em pleno Parque Nacional Peneda-Gerês, Reserva Mundial da Biosfera, e que muito tem para oferecer. Passeie pela Ecovia do Vez, realize trilhos, visite o Paço de Giela, monumento nacional, o centro histórico da Vila e o Soajo e abanque num dos nossos restaurantes. Aproveite a oportunidade para usufruir de um fim de semana diferente, envolto do mundo rural, da história e do turismo de natureza, únicos no concelho e região.

Estas iniciativas não só contribuem para a salvaguarda de uma valiosa herança cultural e gastronómica, deixada pelos nossos antepassados, como também são uma excelente forma de dinamizar o turismo, a restauração

e o comércio no Concelho.

RESTAURANTES ADERENTES:

Floresta, Churrasqueira da Ponte Nova, Churrasqueira do Mercado, Manjar das Hortas, “Cantinho do Fernando, O Lagar, O Pote, Foral de Valdevez – Arcos Hotel, Saber ao Borralho

Programa

8 de Janeiro - Sábado

10h00 - "Feira de Artesanato e Mercado de Sabores"- Campo do Trasladário

10h00 - * Rota dos Vinhos de Arcos de Valdevez - Roteiro do Vez
 Visita guiada e prova de vinhos (ponto de encontro na Loja de Turismo)

             * Inscrições na Loja de Turismo, por telefone (934 901 967), ou por e-mail (vinhos.avvez@gmail.com); participação limitada a 22 pessoas

12h30 - Arcos à Mesa "Rojões & Papas de Sarrabulho" - Restaurantes Aderentes

15h30 - Atuação da Rusga Amigos de Sá - Campo do Trasladário

20h00 - Arcos à Mesa "Rojões & Papas de Sarrabulho" - Restaurantes Aderentes

22h00 - Concerto de Música/Folk/Tradicional: GUADI GALEGO -  Auditório Casa das Artes

29 de Janeiro - Domingo

10h00 - "Feira de Artesanato e Mercado de Sabores" - Campo do Trasladário

12h30 - Arcos à Mesa "Rojões & Papas de Sarrabulho" - Restaurantes Aderentes

15h30 - Atuação da Orquestra Eclipse - Campo do Trasladário

CONFRARIA DA “FODA” DE MONÇÃO ELEGE DIRIGENTES

Eleição dos órgãos sociais e tomada de posse realizou-se no passado sábado, 21 de janeiro, na sede da Junta de Freguesia de Pias.No decorrer da 1ª Feira da Foda, 25 e 26 de março, terá lugar a apresentação pública da confraria, bem como a entronização dos primeiros confrades.

Confraria.jpg

Registada oficialmente no dia 19 de outubro do ano passado, a “Confraria da Foda Pias-Monção” elegeu no passado sábado, 21 de janeiro, na sede da Junta de Freguesia de Pias, os respetivos órgãos sociais. De seguida, realizou-se a tomada de posse dos membros eleitos.

A direção é presidida por Edmundo Agostinho Rodrigues Correia, contando ainda com os seguintes elementos: José Manuel Fernandes Domingues, Márcio Teixeira Ferreira, Cátia Susana Lima Gonçalves e Ana Paula Moreira Rodrigues do Vale.

Na Assembleia Geral, estão Francisco Manuel de Sousa Lopes Vaz,
Lídia Pombo Soutelo Pinheiro e Júlio César Fernandes Pereira. Por sua vez, o conselho fiscal é ocupado por Artur Agostinho Fernandes Duarte, Carla Marisa Duarte Marinho eJosé Alberto Afonso de Campos.

Lembramos que nos dias 25 e 26 de março realiza-se a 1ª Feira da Foda, no Largo da Senhora do Encontro, em Pias. Nessa altura, terá lugar a apresentação pública da “Confraria da Foda Pias-Monção”, bem como a entronização dos primeiros confrades.

O objetivo da confraria é valorizar e promover o cordeiro assado no forno, conhecido como “Foda à Monção”, e ainda preservar a feira secular de gado que se realiza na freguesia e que esteve na origem do nome dado aquele prato emblemático da gastronomia local.

AUTARQUIAS DO ALTO MINHO PROMOVEM LAMPREIA DO RIO MINHO

As câmaras municipais de Melgaço, Caminha, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura, Valença e Monção, em parceria com a Adriminho, com o apoio do Turismo do Porto e Norte de Portugal e da Confraria da Lampreia do Rio Minho, promovem uma vez mais a iniciativa ‘Lampreia do Rio Minho – um prato de excelência’. No dia 1 de fevereiro, pelas 17h00, nas instalações da Escola Superior de Ciências Empresariais (ESCE) - IPVC, em Valença, a organização promove uma Conferência de Imprensa com degustação da iguaria e de produtos locais do Vale do Minho.

Lampreia.png

A sessão de abertura fica a cargo do Presidente da Câmara Municipal de Valença, Jorge Mendes; do Presidente da Direção da ADRIMINHO, Manoel Batista; e do Presidente da Confraria da Lampreia do Rio Minho, João Guterres. Pelas 18h00 segue-se uma degustação de pratos confecionados com Lampreia do Rio Minho pela chefe de cozinha Amaya Guterres.

A iniciativa acontece até 15 abril: os restaurantes do Vale do Minho elegem a lampreia Rainha e fazem dela os mais saborosos pratos, de diversas formas, atraindo à região os amantes da iguaria que procuram os melhores manjares.

Este ano, em Melgaço, a iniciativa conta com a participação de 14 restaurantes:

Adega do Sabino, Adega do Sossego, Castrum Villae, Chafarix, Foral de Melgaço, Mini – Zip, O Adérito, Paris, Boavista, Tasquinha da Portela, Verde Minho, Inês Negra, Casa Real e o Brandeiro.

Para além de saborearem a iguaria, acompanhada pelo ex-libris da região, o vinho ou espumante Alvarinho, os participantes têm ainda ao seu dispor um programa de animação com diversas atividades que lhes permitirá descobrir a riqueza patrimonial e paisagística do Município Mais a Norte de Portugal, tais como: a Rota da Lampreia do Rio do Minho, através de várias ações; atividades de montanha; passeio pedestre interpretado sobre o lobo ibérico; Rafting; visitas e provas gratuitas de vinhos nas adegas aderentes à Rota do vinho Alvarinho e no Solar do Alvarinho; degustação de produtos tradicionais no concelho, com visita aos locais; e visitas aos espaços museológicos integrados na Rede Melgaço Museus – Torre de Menagem, Museu de Cinema, Núcleo de Castro Laboreiro e Espaço Memória e Fronteira, locais com valiosíssimas coleções, que proporcionam uma visão integrada da Cultura e Património que é imprescindível no panorama de Melgaço.

PROGRAMA DE ANIMAÇÃO

TURISMO DE NATUREZA/AVENTURA

Porta do PNPG de Lamas de Mouro | Rede de Percursos Pedestres

Será possível conhecer uma das sete maravilhas naturais de Portugal e a mais antiga área protegida do país, a "Porta de Lamas de Mouro", uma estrutura de receção, interpretação, animação e educação ambiental do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Tel. 251 465 010 | www.cm-melgaco.pt | portadelamas@cm-melgaco.pt

Na Rota da Lampreia I Grupo Melgaço Radical (25% de desconto em todas as atividades)

Rafting “Lampreia e Alvarinho só no (Rio) Minho”

Eco-Rafting “Navegar com as lampreias”

Caminhada “No trilho da Lampreia”

Rapel suspenso “Pendurados no Rio Minho”

Todos os fins-de-semana.

Marcações em:

Tel. 251 402 155 | Tlm. 96 700 63 47 | www.melgacoradical.com | geral@melgacoradical.com

Atividades de montanha (20% de desconto em todas as atividades)

Arvorismo, Rapel, Slide, Escalada, passeio pedestre e passeio com pastores.

Marcações em:

Tel. 251 466 041 | www.montesdelaboreiro.pt | geral@montesdelaboreiro.pt

Rota do Lobo (20% de desconto)

Passeio pedestre interpretado sobre o lobo ibérico

Marcações em:

Tel. 967 442 217 | www.ecotura.com | ecotura@ecotura.com

Rafting no Rio Minho I Melgaço Whitewater (20% de desconto)

Marcações em:

Tel. 933 459 751 | www.melgacoww.pt | gerala@melgacoww.pt

GASTRONOMIA E VINHOS

Enoturismo - Rota do Vinho Verde Alvarinho

Provas gratuitas de vinhos nas adegas aderentes à Rota do vinho Alvarinho e no Solar do Alvarinho.

Marcações de visitas no Solar do Alvarinho:

Tel. 251 410 195 | solardoalvarinho@cm-melgaco.pt | rotadoalvarinho@cm-melgaco.pt

Castaboa

Tel. 965 428 901 | castaboa@portugalmail.pt

Quintas de Melgaço

Tel. 251 410 020 | quintasdemelgaco@sapo.pt

Quinta de Soalheiro

Visita à Quinta com visualização do terroir e das vinhas Biológicas (parte da manhã)

Tel. 251 416 769 | www.soalheiro.com | quinta@soalheiro.com

Reguengo de Melgaço

Tel. 251 410 150 | www.reguengodemelgaco.pt | geral@reguengodemelgaco.pt

Fumeiro tradicional | Visitas Guiadas

Quinta de Folga - Fumeiro Tradicional de Melgaço (Raça Bísara)

Visitas à quinta e à produção com menus de degustação especializados

Marcações em:

Tel. 251 401 099 | Tlm. 967 076 079 | wwww.quintadefolga.com | quintadefolga@quintadefolga.com

Produção de Queijo Artesanal

Prados de Melgaço

Visitas à exploração e provas de queijo de cabra

Tel. 251 414 093 | geral@pradosdemelgaco.pt

Artesanato

ARTES – Centro de Artesanato

Tel. 251 402 133 | artes-rosamaria@hotmail.com

Solar do Alvarinho

Loja de artesanato, vinhos e fumeiro

Tel. 251 410 195 | solardoalvarinho@cm-melgaco.pt

Horário:

1 de outubro a  31 de março (Horário de inverno): das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 18h00

1 de abril a  30 de setembro(Horário de verão): das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 19h00

Encerra no domingo e segunda-feira de Páscoa, nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro.

Outras iniciativas

Fim de Semana Gastronómico

Cabrito do Monte assado no forno e Bucho Doce

24, 25 e 26 de Março

Restaurantes e Alojamento aderentes do concelho de Melgaço

TOURING CULTURAL

Rede Melgaço Museus

O concelho de Melgaço possui uma série de museus e núcleos museológicos com valiosíssimas coleções, que proporcionam uma visão integrada da Cultura e Património que é imprescindível no panorama de Melgaço.

Passe Melgaço Museus (Válido para toda a Rede de Museus de Melgaço)

Preço: 2,50 € - validade de 6 meses

Núcleo Museológico da Torre de Menagem

Instalado no interior da Torre de Menagem, ex-libris da arquitetura militar concelhia, possui uma exposição dedicada ao Património arquitetónico e arqueológico, desde a Pré-história até à Idade Contemporânea.

Tel. 251 410 191 | nucleomuseologico@cm-melgaco.pt

Museu de Cinema*

Desde máquinas, aparelhos e objetos do Pré-Cinema, até cartazes originais em tela, fotografias e documentos diversos, a exposição ilustra o percurso do cinema ao longo dos tempos.

Tel. 251 401 575 | museudecinema@cm-melgaco.pt

Espaço Memória e Fronteira

Dedicado à história recente do concelho, relacionada com o contrabando e a emigração, pretende-se rememorar a vida clandestina e perigosa de muitos homens e mulheres melgacenses.

Tel. 251 418 106 | memoriaefronteira@cm-melgaco.pt

Núcleo Museológico de Castro Laboreiro

Este núcleo museológico abarca a terra, os castrejos e as criações ao longo da História. Os dois patamares do edifício evocam a morfologia do território: o planalto, as brandas, as inverneiras

e os lugares fixos. É uma visão do que foi a evolução da ocupação humana na freguesia de Castro Laboreiro.

Tel. 251 465 016 | museuclaboreiro@cm-melgaco.pt

Horário dos Museus e da Porta de Lamas de Mouro

Abril – setembro: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 18h00

Outubro – março: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h00

Encerrados nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro, e todas as segundas-feiras e domingo de Páscoa.

A Oficina Temática da Porta de Lamas de Mouro encerra à segunda-feira mas a receção está aberta ao público.

*Museu de Cinema - encerrado de 09 a 22 de janeiro de 2017 por motivo de obras.

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA DO PORCO E DELÍCIAS DO SARRABULHO

IX Feira do Porco e as Delícias do Sarrabulho. Ponte de Lima – 27 a 29 de janeiro

O ex-libris da gastronomia limiana, o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, é um dos verdadeiros motores do desenvolvimento económico do concelho, atraindo ao longo de todo o ano milhares de visitantes.

É durante a estação do inverno que este prato mais se saboreia! Assim, de 27 a 29 de janeiro, Ponte de Lima promove pelo nono ano consecutivo o certame dedicado ao Porco e seus derivados.

A Feira do Porco e as Delícias do Sarrabulho enquadra-se nos Fins-de-semana Gastronómicos promovidos pela Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, e visa promover o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, mostrando também algumas iguarias derivadas do Porco, com destaque para os enchidos e fumados. Neste evento, os visitantes poderão encontrar propostas irresistíveis dos vários restaurantes do concelho, assim como, expositores de produtos regionais e artesanato.

Promovido pelo Município de Ponte de Lima no âmbito do projeto ‘Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta’, dirigido aos agentes locais e aos empresários do setor turístico hoteleiro e da restauração, esta iniciativa abrange as campanhas especiais de alojamento, com 15% de desconto, em Hotéis e Casas de Turismo aderentes, e a oferta do leite-creme por cada dose, nos restaurantes aderentes ao Ponte de Lima em Alta.

O certame vai contar com muita animação musical, provas de vinhos, workshops, showcooking, e muitas iguarias que poderão ser provadas por quem queira visitar a vila limiana neste fim-de-semana memorável. De salientar ainda, que irá estar patente no espaço da feira uma exposição temporária de várias figuras representativas de porco bísaro, intitulada por “Bísaro Pig Parade”, que mostram imaginação de vários artistas.

A abertura oficial da feira será sexta-feira, dia 27, às 17 horas com animação musical do Grupo Sto. André de Vitorino dos Piães. Em seguida e para abrir o apetite para o jantar, teremos a boa disposição de Mandinho e a sua banda. Os Contraponto são um grupo de jovens cantores, da cidade de Viana do Castelo, e vão atuar na Expolima às 21h30.

O sábado abre com o III Encontro de Produtores de Porco Bísaro de Ponte de Lima, que trocarão ideias e experiências sobre a produção e comercialização dos seus animais. Ao meio dia, a Tocata do Rancho Folclórico de Anais vai espalhar música pela vila, numa arruada desde a Expolima, pela alameda de S. João até ao largo de Camões. Pelas 15 horas, vai acontecer um

workshop infantil para mini-chefs que vão aprender e confecionar brownie de oreo e cupcakes mocho, com inscrição gratuita e obrigatória. À mesma hora, na rua, acontece nova arruada pela Tocata do Rancho Folclórico de Anais.

Com um Sarrabulho de Ponte de Lima, não pode faltar o bom vinho que nesta zona também é rei, e por este motivo, às 17 horas, irá acontecer uma prova de vinhos de casta Loureiro de Ponte de Lima. Em seguida vai atuar o Duo Lethes, e para iniciar a noite contamos com a presença do grupo ‘Sons do Minho’ que animarão a feira até bem perto do fecho.

O domingo amanhece com o Grupo de Bombos de Poiares em arruada até ao Largo de Camões, seguindo-se o Cachadinha e Amigos com a sua habitual boa disposição. Depois do almoço, nova arruada pelo Grupo de Bombos de Poiares, e às 15h30 poderão deliciar-se e aprender com o showcooking da Chef Lígia Santos, que irá confecionar a carne rainha da feira “O porco e seus enchidos, batata doce e azedas”. Às 17 horas, nova prova de vinhos com a casta de Loureiro de Ponte de Lima.

Este vai ser um fim-de-semana em cheio na vila limiana, onde não faltará animação e bom repasto, como vai sendo hábito para quem nos visita.

INVERNO EM PAREDES DE COURA TEM MESA FARTA

“O Inverno está servido”. 21 e 22 janeiro | Paredes de Coura

Espetada de porco preto, rojões à moda de Coura e belouras, leitão Bísaro inteiro, cachaço com castanhas e cogumelos, javali à Xisto, rojões com belouras e arroz de sarrabulho, arroz das matanças com rojões, secretos com arroz de grelos, lombelos de porco ou lombinhos de porco com batata a murro e grelos são alguns dos pratos com que Paredes de Coura convida para a mesa neste fim de semana de 21 e 22 de janeiro com “O inverno está servido”.

o inverno está servido_160117-1.jpg

Numa estação em que o frio tem sido abundante, Paredes de Coura convida-o ao aconchego da boa mesa.  Iguarias quase esquecidas e novas abordagens gastronómicas em torno dos sabores de inverno vão deliciar os sentidos e envolvê-lo num caloroso abraço.

Abrigo do Taboão, Albergaria, Barbaças, Forno do Minho, Furão, Lino, Miquelina, Pizzaria Romântica, Restaurante da Bouça e Xisto são os 10 restaurantes que aderiram a mais este fim de semana gastronómico que tem o milho por referência, num território que sempre nos habituou à arte de bem servir quantos o visitam.

Em todos estes restaurantes as alternativas com pratos vegetarianos também não foram esquecidas, bem como deliciosas sobremesas como arroz doce, pudim da aldeia, formigos ou o creme queimado que fazem de “O Inverno está servido” um fim de semana a não perder.

Por estes dias, quem visita Paredes de Coura também pode visitar a Caixa de Brinquedos -- espaço para crianças, jovens e adultos, inteiramente dedicado às construções Lego® --, passar pelo Museu Municipal onde continua patente a exposição “Impressão Digital em Terras de Coura”, que foi galardoada com o Prémio Inovação e Criatividade atribuído pela APOM – Associação Portuguesa de Museologia, mas também conhecer e adquirir alguns dos mais característicos produtos locais na Loja Rural, participar no Percurso Pedestre ou até ver a comédia “A mãe é que sabe”, de Nuno Rocha e com atores como Maria João Abreu, Joana Pais de Brito, Manuel Cavaco, Dalila Carmo, Filipe Vargas e Bruno Cabrerizo, no Centro Cultural.

CONFRARIA DA FODA PIAS-MONÇÃO ELEGE ÓRGÃOS SOCIAIS

Registada oficialmente no dia 19 de outubro do ano passado, a “Confraria da Foda Pias-Monção” elege este sábado, 21 de janeiro, os órgãos sociais, seguindo-se a respetiva tomada de posse. A iniciativa decorre pelas 17h00, na sede da Junta de Freguesia de Pias.

image004fodamonç (1).jpg

Lembramos que nos dias 25 e 26 de março realiza-se a 1ª Feira da Foda, em Pias. O objetivo da confraria é valorizar e promover o cordeiro assado no forno, conhecido como “Foda à Monção”, e ainda preservar a feira secular de gado que se realiza na freguesia e que esteve na origem do nome dado aquele prato emblemático da gastronomia local.

LAMPREIA DO RIO MINHO É UM PRATO DE EXCELENCIA

Iniciativa, promovida pela ADRIMINHO e os seis municípios da região (Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira), iniciou-se no dia 15 de janeiro, prolongando-se até 15 de abril. Monção participa com 17 restaurantes e um programa complementar que engloba visitas a locais de interesse cultural, percursos por lugares naturais e patrimoniais e atividades de desporto e lazer.

0001lampreiamonç (1).jpg

Ao longo de três meses, entre 15 de janeiro e 15 de abril, uma centena de restaurantes do Vale do Minho (Melgaço, Monção, Valença, Paredes de Coura, Vila Nova de Cerveira e Caminha) apresentam, com tradição, requinte e inovação, a Lampreia do Rio Minho aos visitantes e apaixonados pela boa gastronomia.

Monção participa nesta iniciativa, que entra na sua oitava edição, com a presença de 17 restaurantes localizados no centro histórico e em várias freguesias do concelho, bem como com um programa complementar apelativo e atrativo para diferentes públicos

Para Augusto de Oliveira Domingues, a iniciativa “Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência” constitui um valioso cartão-de-visita da região num período de época baixa que contribui para a vinda de muita gente de Portugal e da Espanha, garantindo-se, desta forma, dinamização hoteleira e a valorização das nossas paisagens e monumentos.

Deixou um convite ao público: “A nossa lampreia tem sabor único e o saber de grandes cozinheiras que guardam segredos passados de geração em geração. Venha provar este prato tradicional, que também pode ser apreciado em tendências mais inovadoras, e deixar-se envolver pelo muito que o nosso território tem para oferecer”.

Nestes três meses, quem visitar o concelho de Monção poderá deliciar-se com arroz de lampreia ou à bordalesa mas também com opções mais contemporâneas: sushi, escabeche ou empanada. Para acompanhar, uma garrafa de Alvarinho, um dos melhores vinhos brancos do mundo com selo de garantia da Sub-Região de Monção e Melgaço.

Neste período, o município de Monção disponibiliza um programa complementar que engloba visitas a locais de interesse cultural, percursos por lugares naturais e patrimoniais e atividades de desporto e lazer. O ponto alto acontece no dia 26 de fevereiro, domingo, com a realização do XL Rali à Lampreia.

0001lampreiamonç (2).jpg

0001lampreiamonç (3).jpg

0001lampreiamonç (4).jpg

VALENÇA SERVE A MELHOR LAMPREIA DO MUNDO

Lampreia é em Valença: A Melhor Lampreia do Mundo à sua Espera em 26 Restaurantes

A lampreia do rio Minho saboreia-se já em 26 restaurantes de Valença. A considerada melhor lampreia do mundo, apresenta-se à mesa até abril, como um prato de excelência.

lamprevalen.jpg

26 restaurantes de Valença apresentam, sobretudo, ao fim de semana, menus em que a lampreia é rainha, à mesa, nestes meses.

Lampreia do Rio Minho

Pescada pelas comunidades de pescadores de São Pedro da Torre e Cristelo Côvo no rio Minho e é entre janeiro e abril que a lampreia se apresenta divina.

Tradição da Lampreia em Valença

Há séculos que nas cozinhas valencianas se apuram receitas e modos de preparar a lampreia. Os segredos e o apurar das tradições da preparação, confeção e apresentação tem passado de geração para geração. As unidades de restauração locais apresentam estes pratos seculares.

Lampreia de Tantas Formas

Em Valença saboreia-se lampreia de muitas formas. Esta temporada é a oportunidade para se deliciar com a lampreia, sobretudo, à bordalesa, a recheada, em arroz de lampreia, fumada/grelhada ou assada no forno.

CHEF HÉLIO LOUREIRO EXPLICA EM PONTE DE LIMA A IMPORTÂNCIA DA COZINHA TRADICIONAL

“A importância da Valorização e Promoção da Cozinha Regional” Com o Chef Hélio Loureiro. Clara Penha – Casa dos Sabores – Ponte de Lima. 25 de janeiro / 14h30

A importância da valorização e promoção da cozinha regional” é o tema de um workshop promovido pelo Município de Ponte de Lima, a realizar no dia 25 de janeiro, a partir das 14h30, na Clara Penha – Casa dos Sabores.

Cartaz_Helio_Loureiro_25Jan-01.jpg

Sendo o património gastronómico do Alto Minho riquíssimo em variedade e em qualidade, esse património encontra em Ponte de Lima um dos locais de mais significativa expressão, nomeadamente com o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, confecionado com os produtos típicos do concelho.

Neste contexto, a gastronomia como atratividade turística tem crescido de forma significativa, dando visibilidade a todos aqueles que trabalham na área, quer cozinheiros profissionais e amadores, que assim vão lançando novas tendências.

Como forma de promoção e valorização da cultura gastronómica local, o Município de Ponte de Lima convidou um dos Chefs de maior sucesso a nível nacional, e um profundo conhecedor da gastronomia Limiana, em especial do Arroz de Sarrabulho, Hélio Loureiro, para falar sobre a “Importância da valorização e promoção da cozinha regional”.

Aberta a toda a comunidade a sessão realiza-se num espaço emblemático, outrora conhecido por Restaurante Clara Penha, na Rua General Norton de Matos. Foi totalmente recuperado pelo Município de Ponte de Lima para a promoção e (in)formação da gastronomia e dos produtos endógenos de Ponte de Lima

CABECEIRAS DE BASTO REALIZA FESTA DA ORELHEIRA E DO FUMEIRO

Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto continua de boa ‘saúde’ financeira a promover a cultura, a economia local e o apoio às famílias

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto, reunido esta manhã, dia 13 de janeiro, nos Paços do Concelho, tomou conhecimento da evolução da dívida do Município.

Festa da Orelheira e do Fumeiro 2017 - cartaz.jpg

No final do ano de 2016 e apesar dos resultados não serem ainda os definitivos, que constarão das Contas de Gerência a aprovar no próximo mês de março, é já possível saber que a dívida foi reduzida no decorrer do último ano em cerca de 800 mil euros. A dívida a fornecedores rondava no final desse ano apenas 43 mil euros. Esta situação denota uma boa saúde financeira e naturalmente um equilíbrio das Contas da Câmara, digno de realce.

Analisada a evolução da dívida desde o início do atual mandato, em 2013, verifica-se uma redução de mais de 3 milhões de euros, situando-se a dívida global no final de 2016 em 5,7 milhões de euros.

No decorrer desta reunião camarária foi aprovado, por maioria, com os votos contra do grupo IPC, o protocolo de colaboração que vai permitir a atividade do Centro de Teatro da Câmara Municipal (CTCMCB), um projeto responsável por despertar e fomentar, sobretudo nos jovens, o gosto pelas artes e espetáculo, o que tem levado alguns deles a enveredar por estas áreas no Ensino Superior.

Tem sido, também, um importante projeto inclusivo na medida em que acolhe crianças e jovens e com eles desenvolvem importantes atividades de ocupação dos tempos livres, através da interpretação teatral e dos jogos dramáticos, desenvolvendo a expressão corporal, bem como a expressão plástica.

O CTCMCB tem atuado como agente cultural através da dinamização de um elevado número de atividades que cada vez envolve mais pessoas, associações e instituições locais, enriquecendo e dando grande relevância à programação cultural e social do Município.

De destacar que o elevado número de público presente nos mais diversos espetáculos promovidos pelo CTCMCB demonstra bem o interesse dos Cabeceirenses por este projeto cultural que valoriza o teatro de comunidade, trazendo à cena muito da história local e das nossas gentes, em resultado de pesquisa e recolha que o próprio Centro de Teatro faz permanentemente.

Por unanimidade foi aprovado o protocolo de colaboração com a Banda Cabeceirense para a execução do seu plano de desenvolvimento cultural, com principal destaque para a dinamização da Escola de Música, verdadeiro ‘viveiro’ de grandes músicos que se têm destacado no panorama nacional e internacional.

O protocolo reveste-se na forma de um apoio financeiro no valor de 28.200,00 euros à associação mais antiga do concelho que caminha para os seus 200 anos. Fundada em 1820, a Banda Cabeceirense, atualmente dirigida por Paulo Nunes, é a mais antiga coletividade do concelho e a de maior implantação cujo dinamismo ao longo dos tempos tem sido decisivo para a aprendizagem e para a divulgação musical em Terras de Basto, por aqui tendo passado várias gerações de Cabeceirenses. Há mais de 180 anos que a centenária Banda Cabeceirense, que tem a sua sede na Casa da Música de Cabeceiras de Basto, participa nas maiores romarias minhotas, promovendo a música, o talento, os valores e o nome desta terra.

No decurso desta reunião camarária foram também aprovadas por unanimidade as normas de participação na 21ª edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro, um certame que decorre entre os dias 24 e 27 de fevereiro no Pavilhão Desportivo de Refojos.

Este fim de semana de Carnaval trará, certamente, milhares de forasteiros a Cabeceiras de Basto, promovendo-se a economia local e o turismo, valorizando igualmente as tradições, a gastronomia, o artesanato e demais produtos locais.

A transformação das carnes de porco e a produção de fumeiro assumem-se como um complemento à economia de muitas famílias, que poderão escoar neste certame os seus produtos.

O Executivo Municipal deliberou também a atribuição de mais seis apoios de incentivo à natalidade. Recorde-se que em 2016 foram entregues um total de 47 apoios, aos quais se somam mais estes seis apoios, agora deliberados.

A atribuição do apoio acontece sempre que ocorra o nascimento ou a adoção de uma criança, sendo 500 euros o valor do subsídio a atribuir. Com este incentivo, a Câmara Municipal pretende promover estímulos específicos que conduzam, por um lado, ao aumento da natalidade e, por outro, à melhoria das condições de vida das famílias residentes no Município. Este subsídio reveste-se de grande alcance e importância social que vem reforçar os já existentes apoios às famílias que anualmente rondam os milhares de euros.

Nesta reunião foram, ainda, aprovados por unanimidade dois Votos de Pesar, um pelo falecimento do Dr. Mário Soares, antigo Presidente da República, e outro pelo falecimento do cidadão cabeceirense Domingos de Magalhães Freitas que exerceu o cargo de vereador nos idos anos de 1982 a 1985.

CERVEIRA APRESENTA LAMPREIA DO RIO MINHO

Lampreia do rio Minho à mesa de 14 restaurantes do concelho durante três meses

Em todos os fins-de-semana, de 15 de janeiro a 15 abril, os restaurantes do Vale do Minho apresentam os mais saborosos e aguardados pratos de Lampreia do rio Minho. Trata-se da 8ª edição da ‘Lampreia do rio Minho – Um Prato de Excelência’ que,este ano, é alargada a três meses, e à qual o Município de Vila Nova de Cerveira se associa, uma vez mais, com gastronomia em 14 restaurantesaderentes e muita animação.

BROCHURA Lampreia do rio Minho 2016 -page-001.jpg

Promovido pela ADRIMINHO,em parceria com os seis municípios do Vale do Minho e com o apoio do Turismo do Porto e Norte de Portugal, o objetivo deste certame gastronómico é dar maior visibilidade aos pratos tradicionais, em particular valorizar a lampreia do Rio Minho enquanto recurso endógeno, assim como promover as potencialidades naturais e patrimoniais de cada concelho, através do envolvimento das populações em torno desta estratégia territorial.

Por Vila Nova de Cerveira, a partir deste domingo e até meados de abril, é possível degustar esta especialidade única e de qualidade em 14 restaurantes, nomeadamente, Abrigo das Andorinhas, Adega Real, Boega – O Peregrino, Braseirão do Minho, Cantinho dos Amigos, Casa Lau, Central, Costa Verde, D. Maria, Glutão, Lavrador, Luso-Galaico, Sol Nascente e Telheiro.

Além da lampreia confecionada das mais variadas formas, quem visitar a ‘Vila das Artes’ pode ainda usufruir de uma panóplia de atividades que o Município promove para atrair cada vez mais visitantes, bem como para dinamizar a economia local.Desta forma, em janeiro destaca-se já para este fim-de-semana o VIII Cantar as Janeiras;em fevereiro, oIntercâmbio Cultural de Dança (dias 24 a 27) e o Cortejo de Carnaval das Escolas (dia 24); em Março mais uma edição dos ETC… Encontros de Teatro (dias 4, 11, 18 e 25); e em abril, a programação da Semana Santa (de 9 a 17), especificamente a Queima de Judas (dia 15), mas também a Festa do Livro e da Leitura, além de exposições diversas, das sugestões do turismo ativo e as visitas a museus.

LAMPREIA DO RIO MINHO É O DESTAQUE À MESA DE 25 RESTAURANTES DO CONCELHO DE CAMINHA

De 15 de janeiro a 15 de abril há muitas razões para visitar o concelho de Caminha

A partir de domingo e até ao final meados de abril, a lampreia do Rio Minho é a atração dos cardápios nos restaurantes do concelho de Caminha. Gastronomia e animação dão mote ao certame intermunicipal “Lampreia do Rio Minho – Um prato de excelência”. Caminha Doce, Baile do Assalto, Noite de Carnaval, Dia dos Namorados e Maior Mesa de Páscoa são alguns dos eventos que vão marcar esta edição da Lampreia.

lampcaminh.JPG

O Município de Caminha está a promover mais uma edição do certame gastronómico “Lampreia do Rio Minho – Um prato de excelência”, uma iniciativa da ADRIMINHO – Associação de Desenvolvimento Rural Integrado do Vale do Minho, e que está a ser levada a cabo em parceria com os municípios de Caminha, Vila Nova de Cerveira, Valença, Monção, Melgaço e Paredes de Coura.

Esta iniciativa, que já vai na 8ª edição e este ano alargada a 3 meses, pretende valorizar a lampreia do Rio Minho enquanto recurso endógeno, e promover as potencialidades naturais e patrimoniais do concelho de Caminha e de toda a região do Vale do Minho.

De 15 de janeiro a 15 de abril, a lampreia, diamante da foz do Rio Minho, prato de excelência para os apreciadores mais exigentes, pode ser degustada à mesa dos 25 restaurantes aderentes nas freguesias de Dem, Caminha, Vila Praia de Âncora, Âncora, Vilarelho, Moledo e Seixas.

De facto, a lampreia é um polo de atração. Há quem faça centenas de quilómetros e há quem venha do país vizinho só para se deliciar com uma das iguarias da gastronomia minhota, a lampreia do Rio Minho. À mesa, é possível saborear o afamado arroz de lampreia, mas também há quem aposte noutras formas de degustar o ciclóstomo, como por exemplo, no forno, seca ou à bordalesa. Nesta edição, por exemplo, vai ser apresentada a “Sopa de Lampreia”, uma receita de João Guterres, Grão-mestre da Confraria da Lampreia.

Além da lampreia confecionada das mais variadas formas, quem visitar o concelho pode ainda usufruir de uma panóplia de atividades que o Município promove para atrair cada vez mais visitantes, bem como para dinamizar a economia local.

A ADRIMINHO acaba de lançar brochura “Lampreia do Rio Minho – Um prato de excelência” onde constam os restaurantes aderentes e a programação de cada um dos Municípios aderentes. No caso de Caminha, na página 6, estão especificados os restaurantes aderentes do concelho; na página 7, as várias iniciativas que vão decorrer nos meses de janeiro a abril e, na página 8, os espaços culturais abertos ao público aos fins-de-semana.

Neste sentido, em janeiro destacam-se a Feira de Antiguidades e Colecionismo de Caminha (15 de janeiro) e a prova de remo Caminha X-Treme 2017 (22 de janeiro), uma organização do Sporting Club Caminhense. Em fevereiro, um mês recheado de animação, quem visitar o concelho vai poder assistir à 5ª Regata ARN Remo Jovem, Master e Adaptado (4 de fevereiro), uma organização do Sporting Club Caminhense; à Caminha Doce – Feira de Doçaria (24 a 28 de fevereiro); ao Baile do Assalto (25 de fevereiro), organizado pelo pelos Comerciantes de Caminha; Noite de Carnaval com o desfile “A famosa cegada é o Carnaval em Caminha” (27 de fevereiro), organizado também pelos comerciantes de Caminha. Fevereiro é o mês do amor. Por isso, quem escolher o concelho para celebrar a data há momentos românticos com surpresas nos restaurantes aderentes. Em março, destacam-se a Regata de Remo “XVIII Taça do Presidente da República Portuguesa” (11 de março); a Feira de Artesanato do Concelho (18 e 19 de março) e a Feira de Antiguidades e Colecionismo de Caminha (19 de março). Em abril, a Maior Mesa de Páscoa vai animar Vila Praia de Âncora no dia 15 de e, no dia 16, decorre mais uma Feira de Antiguidades e Colecionismo de Caminha.

VIZELA PROMOVE GASTRONOMIA

20, 21 e 22 janeiro de 2017: “Fim-de-Semana Gastronómico” em Vizela

Dias 20, 21 e 22 de janeiro terá lugar mais uma edição dos fins de semana gastronómicos, com a participação de cinco restaurantes concelhios.

FDS 2017.jpg

No âmbito do lançamento de mais uma edição, para o ano de 2017, dos Fins de Semana Gastronómicos, iniciativa levada a cabo pela Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal, a Câmara Municipal de Vizela participará com cinco restaurantes: Hotel Restaurante Termas, Adega Avelino, Bom Viver, Rainha e Pedra Azul.

Como empreendimento turístico teremos a participação do Hotel Termas e do Hotel Bienestar Termas de Vizela, com descontos de 20% no alojamento nas noites de sexta e sábado.

Com vista a valorizar os nossos produtos endógenos, a ementa escolhida terá como prato principal “Frango à Merendeiro”, e para sobremesa o “Bolinhol” e o Vinho Verde da região de Vizela.

O programa de animação será o seguinte:

- 21 e 22 de janeiro - 14h00 às 18h00: Visita ao Museu do Combatente da Liga dos Combatentes - Núcleo de Vizela.

RESTAURANTES PARTICIPANTES:

Hotel Restaurante Termas
Rua Dr. Abílio Torres, 1236 – 4815-552 Vizela
Tel.253 481 275
E-mail:geral@hoteltermasvizela.com
Site: www.hoteltermasvizela.com
GPS: 41º22`27,79 N 8º18`30.12 W

 

Adega Avelino
Rua Dr. Pereira Caldas nº 34 – 4815-516 Vizela
Tel.- 253 584 324/ 93 472 48 59
E-mail: adega.avelino@gmail.com
GPS: 41º22`36.31”N 8º18`34.26”W

 

Bom Viver
Rua da Levandeira, nº 35 – 4620-550 Santa Eulália Vizela
Tel. – 253 588 302
E-mail: restaurantebomviver@sapo.pt
GPS:41º21´17.52”N 8º18`18.03”W

 

Rainha
Rua Dr. Pereira Caldas – 4815-516 Vizela
Tel.253 482 101
GPS: 41º22`38.0 N 8º18`33.1 W

 

Pedra Azul
Travessa do Monte, nº 71 Santa Eulália- 4620-592 Santa Eulália Vizela
Tel.253 488 472
GPS:41º21´7.20”N 8º17´11.25”W

 

EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS PARTICIPANTES:

 

Hotel Termas
Rua Dr. Abílio Torres, 1236 – 4815-552 Vizela
Tel.:253 481 275
tlm.: 91 685 53 07
E-mail: geral@hoteltermasvizela.com
Site:www.hoteltermasvizela.com
GPS.41º22`27,79N 8º18`30.12W

Hotel Bienestar – Termas de Vizela
Rua Dr. Abílio Torres, 855 – 4815-552 Vizela
Tel.: 253 589 150
tlm.: 912 102 126
E-mail: reservas@hotelbienestarvizela.com
Site: www.hotelbienestarvizela.com
GPS.41º22`29.40”N 8º18`29.08”W

CONFRARIAS GASTRONÓMICAS DESEJAM UM FELIZ NATAL!

Desce sobre nós a luz que no Inverno renasce para de novo nos alumiar e aquecer. Fantástica a luz desta obra de Sequeira que, ao contrário de tantas representações do nascimento do Menino mostra uma luz que não se esgota no olhar de quem a vê. A noite escura transmuta-se numa realidade etérea onde mora a felicidade de quem se junta para a celebração.

confrnata.jpg

É essa a luz do Natal, a reunião da família, as palavras entre os amigos que nunca ficam presas ao tanto para dizer, a mesa posta farta e cheia, a partilha das coisas boas numa noite onde os sabores repetem a emoção de todos os anos.

Mais do que o espírito de Natal, sobressai a beleza do encontro, a paz que fez parar guerras por uma noite, a partilha do melhor que somos na medida do que somos.

Mais do que desejar uma Feliz Celebração, que este Natal seja pleno na descoberta da luz nas nossas vidas e que esta irradie todos os dias no nosso quotidiano, mesmo quando, o Natal já só representar uma memória longínqua de uma noite feliz.

BACALHAU DÁ FESTIVAL EM PONTE DE LIMA

VI Festival do Bacalhau: Evento Gastronómico a promover Ponte de Lima

O VI Festival do Bacalhau, que decorreu este fim-de-semana em Ponte de Lima, superou as expectativas.

Bacalhau.jpg

O Festival que captou o interesse dos amantes do fiel amigo, com especial destaque para os Espanhóis, verdadeiros apreciadores desta iguaria gastronómica, atingindo o seu ponto alto no último dia do certame, no domingo, registando grande afluência de público.

O evento convidava a degustar um prato típico, o bacalhau, confecionado de variadas formas, e que outrora era muito comum nas feiras quinzenais como iguaria, preservando-se até hoje essa rica tradição gastronómica que alimenta os que aqui vêm feirar.

Para além da aposta na restauração, o Festival do Bacalhau apresentava uma área de venda de bacalhau seco, proporcionando ao público, face à proximidade do Natal, uma maior oferta de variados tipos de bacalhau.

Desta forma, os expositores encerraram o evento com clara satisfação, tendo em conta a afluência de visitantes e o volume de vendas que conseguiram efetuar.

O público por sua vez, deliciou-se com um programa variado, quer do ponto de vista musical, quer de outros momentos atrativos, desde os Mini Chefs; Showcooking “Bacalhau – as novas tendências” com o Chef Daniel Pinheiro da EPPL; Showcooking com o Chef Hélio Loureiro, que reuniu um grupo significativo para assistir à confeção de “Lombinho de bacalhau com arroz de bacalhau feito com as  barbatanas e aromatizado com coentros e tomate seco” e ainda “Açorda de bacalhau com lombinhos crocantes”.

A animação musical foi uma constante ao longo do evento. A tradição da música popular fez-se representar através do Encontro de Tocadores de Concertina, coordenado pela Associação de Tocadores de Concertina de Ponte de Lima. De salientar a presença das rusgas musicais, Os Amigos de Arcozelo e o Grupo de Bombos de Santiago de Poiares.

Sob o tema “O mar e a Pesca” as Estátuas Vivas com figuras premiadas a nível nacional e internacional, marcaram a diferença e atraíram a atenção dos visitantes, que votaram no seu preferido, classificando-se em 1º lugar a Varina, com 94 votos - apresentada por Helena Reis, várias vezes vencedora do festival de estátuas vivas de Espinho, o mais antigo do mundo e campeã mundial de estátua viva no festival mundial de Arnhem na Holanda. O 2º lugar foi atribuído à estátua de Nossa Senhora com 70 votos, apresentada por Patrícia Sousa, premiada no festival de estátuas vivas de Tomar.

Em 3º lugar ficou a Figura Quase (im)possível - apresentado por António Santos (staticman), iniciador das estátuas vivas, como hoje as conhecemos, 5 recordes mundiais, 9 anos no guinness book of records, prestes a completar 30 anos de carreira, diretor artístico de vários festivais de estátuas vivas.

O 4º lugar foi para o Pescador com 48 votos, apresentado por Nelson Rodrigues, vencedor do festival de estátuas vivas de Tomar; ficando em 5º lugar o Vendedor de Bacalhau que arrecadou 47 votos - apresentado por Susana Bento, vencedora do festival de estátuas vivas de Espinho.

IMG_7064.JPG

IMG_7065.JPG

VILA VERDE É TERRA DOCE

VI Mostra de Doces e Sabores da Nossa Terra revelou-se um festim para o palato

Os mestres pasteleiros da região foram desafiados a apresentar ou reinventar suas especialidades de doçaria para uma iniciativa que se revelou um autêntico festim para o palato. A VI Mostra de Doces e Sabores da Nossa Terra, que decorreu durante o passado fim-de-semana (25 a 27 de novembro), voltou a colocar os ingredientes locais em lugar de destaque. Produtos frescos e viçosos cultivados pelos agricultores vilaverdenses (amêndoa, castanha, chila, laranja, limão, feijão e frutos vermelhos, entre outros) que ajudaram a enriquecer as excelentes propostas com que os 14 espaços aderentes brindaram os visitantes. No domingo, 27 de novembro, todas as especialidades foram vendidas com um desconto de 15%. A iniciativa foi um sucesso e a procura foi de tal ordem que na tarde de domingo as especialidades de doçaria já escasseavam um pouco por todo o concelho.

DSC_0010 (2).JPG

No total, as pastelarias aderentes apresentaram mais de meia centena de deliciosas especialidades. O evento contou com a participação das pastelarias Bábá (Doce de Regalados; Bolo Rei de Chila; Bolo Rei de Chocolate), Luena (Pudim Abade Priscos; Pão de Ló de Lavrador; Bolo Rei Escangalhado), S. Salvador (Queijadas de Frutos Secos; Bola de Noz; Bolo Rei Frutos Secos), da Vila (Broinhas de Amor; Bolo Artesanal de Mirtilo; Rabanada de Mirtilo), Cristo Rei (Bolo Rei Escangalhado; Bolo Rei Tradicional; Pão de Ló), de Freiriz (Bolo de Cenoura; Bolo de Chila; Queque de Noz), Letícia (Natas com Nozes; Natas com Frutos Vermelhos; Bolo ‘S. Miguel’), Freidoce (Queijadinha de Castanha; Bolo de Feijão; Folhadinho de Chila) e a Chocolataria Artesanal - Chocolate com Pimenta (Pastel Antonino; Bombom Licor de Mirtilo; Cocos de Chocolate Negro com Mirtilo Desidratado e Pimenta Rosa).

DSC_0022.JPG

Vila Verde conquistou definitivamente os visitantes pelo estômago, já que a iniciativa se inseriu no programa do Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, Capital do Pica no Chão’. O Pica no Chão e o Pudim abade de Priscos voltaram a assumir-se como as estrelas maiores da vasta constelação de propostas preparadas pelos chefs vilaverdenses, num fim de semana em que os visitantes beneficiaram de condições especiais e descontos na restauração e no alojamento. O programa foi ainda enriquecido por um leque diversificado de iniciativas como o Trilho da Nóbrega, a Caminhada Ambiental ‘Zona Ribeirinha entre o Cávado e o Homem’, e as ‘Conversas da Letra’, seguidas de uma visita guiada à Cervejaria Artesanal - Letraria (com degustação de cerveja artesanal e cogumelos). O Museu do Linho, O Museu de Arte Sacra das Terras de Regalados, o Museu do Brinquedo e da Brincadeira e o Espaço Namorar Portugal estarão de portas abertas para receber os visitantes, que aproveitaram também para conhecer as encantadoras paisagens naturais e a riqueza do património edificado do concelho.

As atividades inseridas no Fim-de-semana Gastronómico ‘Vila Verde, Capital do Pica no Chão’ permitiram fechar com chave de ouro a programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobrou em quase 40 iniciativas de divulgação e promoção tradição minhota e do genuíno pulsar do mundo rural.

DSC_0023.JPG

DSC_0126.JPG

DSC_0214.JPG

DSC_0276.JPG

TERRAS DE BOURO REALIZA FINS-DE-SEMANA GASTRONÓMICA

Fins de Semana Gastronómicos” em Terras de Bouro a 24, 25 e 26 de março

Os “Fins de Semana Gastronómicos’, iniciativa conjunta do Turismo do Porto e Norte de Portugal e dos municípios que promovem a região através da gastronomia, terão, mais uma vez, a participação de Terras de Bouro.

Aletria.JPG

A edição deste ano irá acontecer em Terras de Bouro nos dias 24, 25 e 26 de março do próximo ano e vem, novamente, realçar a importância deste acontecimento na promoção do concelho de Terras de Bouro e das suas potencialidades gastronómicas.

As características naturais, patrimoniais e culturais do nosso concelho, que são um fator decisivo para a forte procura turística que o concelho tem vindo a registar, representam, a par da rica oferta gastronómica, elementos fundamentais na afirmação do concelho enquanto destino de excelência na oferta do turismo de natureza, muito bem complementada com a diversidade e confeção das iguarias gastronómicas locais, nomeadamente, o excelente cozido à Terras de Bouro e a deliciosa aletria.

Cozido à Terras de Bouro.jpg

GASTRONOMIA E DOÇARIA TRADICIONAL ATRAEM MILHARES DE VISITANTES A VILA VERDE

A excelência da gastronomia minhota deu o mote para um fim-de-semana recheado de atividades

A excelência da gastronomia minhota voltou a atrair milhares de visitantes ao concelho de Vila Verde, que abraçaram a oportunidade de deliciarem alguns dos mais famosos e apreciados pratos da cozinha regional. O Pica no Chão e o Pudim abade de Priscos voltaram a assumir-se como as estrelas maiores da vasta constelação de propostas preparadas pelos chefs vilaverdenses para o Fim-de-semana Gastronómico ‘Vila Verde Capital do Pica no Chão’, que decorreu de 25 a 27 de novembro. As deliciosas iguarias da gastronomia regional, as especialidades de doçaria e pastelaria, os espaços de cultura abertos em horário alargado, os descontos nos espaços de alojamento, as belas paisagens verdejantes e as gentes hospitaleiras, num fim-de-semana em que não faltaram motivos para vir e ficar por Vila Verde.

DSC_0074.JPG

O Fim-de-semana Gastronómico ‘Vila Verde Capital do Pica no Chão’ voltou a ser um sucesso, contribuindo de forma categórica para a dinamização da economia local, a valorização da gastronomia regional e a divulgação do território. A garantia é dada pelos responsáveis pelos estabelecimentos aderentes, que deixaram rasgados elogios à iniciativa. “As iguarias regionais têm saído muito bem. É um evento ótimo para dinamizar o comércio e seria bom termos outros do mesmo género durante o ano”, afirmou José Pereira, do Restaurante Martinho. Opinião que é corroborada por José Paulo, do Restaurante Varandas do Lima 2. “Notou-se um aumento de afluência, mais significativo na noite de sábado, o que é muito bom, principalmente nesta época. A iniciativa correu muito bem e tivemos cá várias pessoas de propósito por causa do Pica no Chão”, referiu. Do Restaurante Palácio chega outro testemunho semelhante. “O Pica no Chão saiu muito bem, tivemos muitas encomendas. É uma ideia muito boa e uma iniciativa para manter, as pessoas aderem bastante. O Pica no Chão está-se a tornar uma das imagens de marca do nosso concelho”, frisou José Malheiro.

DSC_0111.JPG

Natureza, doçaria e cultura para enriquecer o programa

Às irresistíveis propostas da gastronomia regional juntou-se um leque diversificado de iniciativas que ajudou a enriquecer o programa. Destaque para os descontos na restauração e alojamento, a VI Mostra Doces e Sabores da Nossa Terra e as ‘Conversas da Letra’, seguidas de uma visita guiada à Cervejaria Artesanal - Letraria (com degustação de cerveja artesanal e cogumelos). O Museu do Linho, o Museu de Arte Sacra das Terras de Regalados, o Museu do Brinquedo e da Brincadeira e o Espaço Namorar Portugal estiveram de portas abertas para receber os visitantes, que puderam ainda aproveitar para conhecer a riqueza do património edificado e as encantadoras paisagens naturais do concelho, com destaque para o Trilho da Nóbrega e a Caminhada Ambiental ‘Zona Ribeirinha entre o Homem e o Cávado’. 

DSC_0135.JPG

Preservar a tradição, dinamizar a economia e promover o território

Inúmeros motivos de interesse que ajudaram a fechar com chave de ouro a programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobrou em quase 40 iniciativas de promoção e divulgação da genuína tradição do Minho. Recentemente, e em jeito de balanço, o presidente do Município de Vila Verde, António Vilela, manifestou enorme satisfação com a qualidade das iniciativas desenvolvidas durante os quatro meses de promoção do genuíno pulsar do mundo rural. “O Fim-de-semana Gastronómico encerrou um ciclo de grande sucesso durante a programação Na Rota das Colheitas. Uma programação que decorreu durante 17 fins-de-semana consecutivos, em que se falou de Vila Verde pela positiva e em que se colocou em prática uma das estratégias de desenvolvimento económico para o concelho. Uma programação que mobilizou os vilaverdenses e a maioria das instituições do concelho, que faz de Vila Verde uma terra que gera atratividade e mobiliza as pessoas, valorizando as potencialidades do território em áreas muito diversificadas”, afirmou.

Vilaverdenses unidos em trono da Rota das Colheitas

O edil concluiu com um agradecimento sentido “a todos os que se envolveram nesta programação, muitos de forma totalmente voluntária, e ajudaram a enriquecer uma iniciativa valoriza o território, a valorizar as nossas tradições e perpetuá-las”. Da recriação de práticas agrícolas ancestrais às festas e romarias, passando pela gastronomia, pelo artesanato e pela música popular, foram quase 40 iniciativas (inseridas Na Rota das Colheitas) dedicadas à divulgação e promoção da tradição minhota na sua forma mais genuína. Vila Verde assume-se como um concelho que alia modernidade e tradição de forma harmoniosa, que se orgulha das suas raízes e nelas constrói os alicerces de dinamização e promoção do território. Os resultados não enganam e o concelho voltou a receber largos milhares de visitantes que se renderam aos encantos do mundo rural a pulsar em toda a sua plenitude.

DSC_0140.JPG

RINOTERRA MINHO PREPARA MENUS DE NATAL EM SEIXAS

Rinoterra Minho com Menus de Natal para grupos

O Rinoterra Minho criou dois Menus de Natal para grupos, destinados a corresponder a gostos diferentes de quem procura este boutique hotel para convívios natalícios.

Rinoterra Minho - Sala.jpg

Ambos os menus incluem entradas, prato principal, sobremesa, vinho (ou outra bebida), café e digestivos. Os preços são de 20€ e 25€ por pessoa.

Há ainda a possibilidade de criar ementas 'à medida' dos desejos de cada grupo.

Situado no alto de Seixas, em Caminha, o Rinoterra Minho proporciona almoços e jantares de grupos num ambiente requintado, intimista e acolhedor, desfrutando de uma cozinha de qualidade, a cargo da Chef Ana Guimarães. 

As reservas para estes eventos natalícios podem ser feitas através do email geral@rinoterra.com ou pelos telefones 963 373 912 ou 258 724 442.

Menus de Natal (Rinoterra Minho - Seixas, Caminha).jpg

Rinoterra Minho.jpg

VILA VERDE APRESENTA DOCES E SABORES DA TERRA

Delicie-se com as propostas que os mestres pasteleiros prepararam para a VI Mostra Doces e Sabores da Nossa Terra

Os apreciadores da doçaria vão exibir sorrisos bem rasgados durante o próximo fim de semana, 25 a 27 de novembro, com as excelentes propostas, confecionadas com a genuinidade e a frescura dos ingredientes locais, que os mestres pasteleiros vilaverdenses preparam para a VI Mostra ‘Doces e Sabores da Nossa Terra’.

Af_Cartaz_Mostra_A3.jpg

Vila Verde prepara-se definitivamente para conquistar os visitantes pelo estômago já que além das especialidades de pastelaria, o fim de semana também reserva um espaço para os mais famosos pratos da gastronomia regional. Vilaverdenses e visitantes terão direito a descontos e condições especiais nas dezenas de restaurantes e unidades de alojamento que aderiram ao Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, capital do Pica no Chão’, em que o Pica no Chão, o Pudim Abade de Priscos e o Vinho Verde Regional assumem-se como as estrelas mais cintilantes de uma vasta constelação onde não vão faltar as mais conhecidas e apreciadas iguarias da cozinha minhota.

No total, são 14 espaços aderentes, que vão brindar os visitantes com mais de meia centena de especialidades e descontos de 15%, no dia 27 de novembro, em todos os bolos que integram a VI Mostra ‘Doces e Sabores da Nossa Terra’. O evento conta com a participação das pastelarias Bábá (Doce de Regalados; Bolo Rei de Chila; Bolo Rei de Chocolate), Luena (Pudim Abade Priscos; Pão de Ló de Lavrador; Bolo Rei Escangalhado), S. Salvador (Queijadas de Frutos Secos; Bola de Noz; Bolo Rei Frutos Secos), da Vila (Broinhas de Amor; Bolo Artesanal de Mirtilo; Rabanada de Mirtilo), Cristo Rei (Bolo Rei Escangalhado; Bolo Rei Tradicional; Pão de Ló), de Freiriz (Bolo de Cenoura; Bolo de Chila; Queque de Noz), Letícia (Natas com Nozes; Natas com Frutos Vermelhos; Bolo ‘S. Miguel’), Freidoce (Queijadinha de Castanha; Bolo de Feijão; Folhadinho de Chila) e a Chocolataria Artesanal - Chocolate com Pimenta (Pastel Antonino; Bombom Licor de Mirtilo; Cocos de Chocolate Negro com Mirtilo Desidratado e Pimenta Rosa).

Nota de destaque também para as restantes iniciativas preparadas para enriquecer o programa do fim de semana, como as ‘Conversas da Letra’, seguidas de uma visita guiada à Cervejaria Artesanal - Letraria (com degustação de cerveja artesanal e cogumelos). O Museu do Linho, O Museu de Arte Sacra das Terras de Regalados, o Museu do Brinquedo e da Brincadeira e o Espaço Namorar Portugal estarão de portas abertas para receber os visitantes, que podem ainda aproveitar para conhecer as encantadoras paisagens naturais e a riqueza do património edificado do concelho. Oportunidade também para apreciar os belos quadros naturais pintados pelas encostas verdejantes e pelas zonas ribeirinhas do concelho de Vila Verde. O Trilho da Nóbrega, com um percurso de 14 Kms, no dia 26 de novembro, e a Caminhada Ambiental ‘Zona Ribeirinha entre o Homem e o Cávado’, com um percurso, de 5 Kms, no dia seguinte.

As iniciativas estão inseridas na programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobra em quase 40 iniciativas de divulgação e promoção da genuína tradição minhota.

FESTA DO SARRABULHO JUNTA MAIS DE MEIO MILHAR DE PESSOAS EM VILA VERDE

Coucieiro: Mais de 700 visitantes e 370 litros de papas na Festa do Sarrabulho de porco caseiro

A freguesia de Coucieiro foi inundada por um autêntico mar de gente durante o passado fim-de-semana, 19 e 20 de novembro. Mais de 700 comensais que se deslocaram a terras de D. Sapo para se deliciarem com um dos mais afamados e apreciados pratos da gastronomia regional. A iniciativa voltou a ser um êxito absoluto. No total, foram fabricados mais de 370 litros de papas de sarrabulho de porco caseiro, um pitéu que, como manda a boa tradição do Minho, se serve acompanhado com rojões, farinhotes, tripas e vinho verde.

couceirvilavvv (6).JPG

O sábado (19 de novembro) foi dedicado inteiramente à gastronomia minhota. Pouco passava do meio-dia quando começaram a sair as primeiras papas de sarrabulho, confecionadas com mestria pelas mãos experientes das cozinheiras locais. Ao almoço contavam-se já vários visitantes de todo o distrito de Braga, da região do Porto e do Alto Minho, uma afluência forte que deixava antever uma enchente ao serão. E assim foi. As iguarias regionais foram as estrelas maiores do evento, mas a organização colocou ainda à disposição dos visitantes várias carnes grelhadas na brasa, garantindo soluções para (quase) todos os gostos. No dia seguinte, o principal destaque vai para as atividades vespertinas, com uma iniciativa de angariação de fundos a que se seguiu um magusto tradicional.

Promover a tradição, a cultura e o território

O presidente da Junta de Freguesia de Coucieiro não escondeu a satisfação pelo êxito da iniciativa. José Pimentel Silva avançou que passaram pelo local mais de 700 visitantes e foram vendidos 370 litros de papas de sarrabulho. Números que não destoam dos de anos anteriores, com uma ligeira subida ao nível das vendas para fora. O autarca local revelou ainda que este ano a receita angariada reverte a favor das festividades em honra de S. João Baptista e das obras de requalificação do salão paroquial. José Pimentel Silva prosseguiu recordando que o evento surgiu com o intuito de preservar a tradição e promover a cultura local. “Antigamente, a maioria das casas tinha um porco e podia apreciar estas iguarias. Hoje, procuramos recriar esses momentos e reavivar esta tradição”, afirmou, acrescentando que a festa se assume também como um palco privilegiado de encontros de amigos e convívio fraterno.

Fomentar a união na comunidade

A Festa do Sarrabulho de porco caseiro conta, direta e indiretamente, com a participação de mais de 50 voluntários, que de forma abnegada e altruísta, trabalham com determinação e afinco para valorizar a tradição da terra que os viu nascer. “O espírito de união que se forma entre a comunidade é muito importante. Estas iniciativas permitem estreitar laços e promover o convívio”, concluiu o presidente da Junta de Freguesia de Coucieiro. A Festa do Sarrabulho de porco caseiro resulta de uma organização conjunta entre a Junta de Freguesia de Coucieiro, a Comissão de Festas e a Associação dos Amigos de São João Baptista. O evento insere-se na programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobra em perto de 40 iniciativas de divulgação e promoção da genuína tradição minhota.

couceirvilavvv.JPG

couceirvilavvv (3).JPG

couceirvilavvv (4).JPG

couceirvilavvv (5).JPG

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE COZIDO À MINHOTA

Cartaz A3coz.jpg

Ciclo Gastronómico do Cozido à Minhota

26 e 27 de Novembro

PROGRAMA

Sábado,26 de Novembro | Cozido à Minhota

10h00 - Abertura “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

            - Campo do Trasladário

12h30 - Ciclo Gastronómico do Cozido à Minhota

               Restaurantes Aderentes

15h30 - Grupo Alegria de Gondoriz

         - Campo do Trasladário

19h00 - Encerramento da “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

         - Campo do Trasladário

20h00 – Ciclo Gastronómico do Cozido à Minhota

               Restaurantes Aderentes

22h00 – Concerto: José Cid
                Auditório da Casa das Artes
                Compra e reservas de ingressos: 258 520 520 | Preço único: 8,00 €

Domingo, 27 de Novembro | Cozido à Minhota

10h00 - Abertura da “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

             - Campo do Trasladário

12h30 - Ciclo Gastronómico do Cozido à Minhota

               Restaurantes Aderentes

15h30 - Atuação do Grupo Musical “NIGHT SHADOW

               Campo do Trasladário

18h00 - Encerramento da Feira dos Produtos: “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

            - Campo do Trasladário

outdoor_8x3.jpg

PONTE DE LIMA REALIZA FESTIVAL DO BACALHAU

VI Festival do Bacalhau em Ponte de Lima. 25 a 27 de novembro

Considerando a localização estratégica de Ponte de Lima no epicentro da Euroregião Norte de Portugal - Galiza, a gastronomia, o enoturismo, o património histórico e paisagístico, os desportos de natureza e equestres, o alojamento de qualidade, o comércio tradicional, complementam uma oferta muito apetecível, com identidade e qualidade, que os turistas e os operadores turísticos tanto procuram.

zbacal1.jpg

De 25 a 27 de novembro, Ponte de Lima promove mais um prato emblemático da gastronomia limiana, trata-se da VI edição do Festival do Bacalhau, um verdadeiro catalisador de visitantes à Vila de Ponte de Lima.

O evento convida a degustar um prato típico e que outrora era muito comum nas feiras quinzenais como iguaria, preservando-se até hoje essa rica tradição gastronómica que alimenta os que aqui vêm feirar. Além da degustação do fiel amigo, nas suas mais variadas formas, o Festival do Bacalhau promove uma venda de bacalhau seco, produto muito procurado nesta altura do ano, face à proximidade do Natal, proporcionando ao público uma maior oferta de variados tipos de bacalhau.

O programa inclui vários momentos atrativos, desde Mini Chefs; Showcooking “Bacalhau – as novas tendências” com o Chef Daniel Pinheiro da EPPL; Showcooking com o Chef Hélio Loureiro, que confecionará “Lombinho de bacalhau com arroz de bacalhau feito com as  barbatanas e aromatizado com coentros e tomate seco” e ainda “Açorda de bacalhau com lombinhos crocantes”; Estátuas Vivas com figuras premiadas a nível nacional e internacional; noite de Fados entoada por Cláudia Duarte, Diogo Aranha e Patrícia Costa; e ainda provas de vinhos e arruadas de bombos e concertinas.

As Estátuas Vivas têm como tema “O Mar e a Pesca”, e vão ser sem dúvida um dos grandes atrativos da feira pela sua singularidade. Estas estátuas humanas ou vivas, têm uma longa história no mundo das artes performativas e ganharam fama e tradição, sobretudo nos últimos 20 anos. Teremos a presença de algumas destas figuras relacionadas com a pesca e com o mar, podendo ser comtemplados cinco quadros representativos, entre os quais: A Varina - apresentada por Helena Reis, várias vezes vencedora do festival de estátuas vivas de Espinho, o mais antigo do mundo e campeã mundial de estátua viva no festival mundial de Arnhem na Holanda; O Pescador - apresentado por Nelson Rodrigues, vencedor do festival de estátuas vivas de Tomar; A Nossa Senhora - apresentada por Patrícia Sousa, premiada no festival de estátuas vivas de Tomar; O Vendedor de Bacalhau - apresentado por Susana Bento, vencedora do festival de estátuas vivas de Espinho; A Figura Quase (im) possível - apresentado por António Santos (staticman), iniciador das estátuas vivas, como hoje as conhecemos, 5 recordes mundiais, 9 anos no guinness book of records, prestes a completar 30 anos de carreira, diretor artístico de vários festivais de estátuas vivas.

Ao público, além de apreciar, é pedido que vote no seu quadro favorito, tendo como critérios imobilidade, expressividade e caracterização. Ficando habilitado ao sorteio de um bacalhau. O sorteio realiza-se no dia 27 de novembro às 17h30.

Confira o programa:

Sexta, 25 de novembro

18h00 Abertura Oficial

Animação Musical – Rusga “Os Amigos de Arcozelo”

20h00 Animação Musical - II Encontro de Tocadores de Concertina

Sábado, 26 de novembro

10h00 Abertura

15h00 Workshop infantil: “Mini Chefs – Biscoitos e Chocolates” (inscrição gratuita e obrigatória)

17h Prova de Vinhos da Casta Loureiro de Ponte de Lima

17h00 – 20h00 Estátuas Vivas “O Mar e a Pesca”

19h00 Showcooking “Bacalhau – Novas Tendências” – Chef Daniel Pinheiro, Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Ponte de Lima

20h00 Animação Musical – Mickael Akordeon

22h00 Noite de Fados: Cláudia Duarte, Diogo Aranha, Patrícia Costa

Acompanhados por:

Filipe Rebelo na Guitarra Portuguesa e José Elmiro Nunes na Viola

24h00 Encerramento

Domingo, 27 de novembro

10h00 Abertura

11h Prova de Vinhos da Casta Loureiro de Ponte de Lima

12h00 Arruada pelo Grupo de Bombos S. Tiago Maior de Poiares.

15h00 – 17h00 Estátuas Vivas “O Mar e a Pesca”

16h00 Showcooking Chef Hélio Loureiro:

  • Lombinho de bacalhau com arroz de bacalhau feito com as  barbatanas e aromatizado com coentros e tomate seco”.
  • Açorda de bacalhau com lombinhos crocantes”.

18h30 Sorteio do Bacalhau - sorteado entre todos os que votaram nas estátuas vivas

22h00 Encerramento

zbacal2.jpg

zbacal3.jpg

zbacal4.jpg 

CABECEIRAS DE BASTO PROMOVE GASTRONOMIA

Câmara Municipal promove gastronomia em Jantar Premium que juntou personalidades da televisão, historiadores e masterchefs

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto promoveu ontem à noite, 17 de novembro, um evento gastronómico designado Jantar Premium, integrado no programa de alavancagem do turismo, em torno do seu Mosteiro, que juntou figuras conhecidas da televisão e imprensa escrita, das artes, património e letras, renomados e premiados chefs, empresários e dirigentes de associações nacionais.

Jantar Premium - Batatinhas da Escola.JPG

Este Jantar Premium, que teve como principal finalidade a promoção dos melhores sabores cabeceirenses e da hospitalidade das suas gentes, decorreu no restaurante O Caneiro, em Arco de Baúlhe, que recentemente sofreu obras de remodelação, restaurante que prima pela cozinha regional de excelência, dispondo de uma belíssima esplanada com vista para o rio Peio.

As estrelas deste jantar foram o Polvo Assado no Forno, as Batatinhas da Escola, e as Couves com Feijões, pratos regados com os vinhos verdes locais, tintos e brancos. Para a sobremesa foi dado a provar o ´Pecado da Avó’, ex-líbris Caneirense, e ainda as cavacas e rosquilhos. No final foram também servidos licores da Casa de Encosturas, produtores premiados internacionalmente, bem como algumas infusões produzidas no concelho.

O evento contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, dos vereadores Dra. Isabel Coutinho, Alfredo Magalhães e Prof. Mário Leite, da presidente da União de Freguesias do Arco de Baúlhe e Vila Nune, Dra. Carla Lousada, bem como dezenas de convidados – jornalistas, bloggers chefs, gastrónomos e apreciadores, personalidades da cultura e operadores turísticos – entre eles Manuel Serrão, o historiador Joel Cleto, Lígia Santos, primeira Masterchef portuguesa, Rui Martins, Chef cozinheiro do ano 2015, o presidente da Associação de Profissionais de Turismo de Portugal, Dr. Agostinho Peixoto, bem como o presidente da direção da AGAVI – Associação para a Promoção da Gastronomia e do Vinho e da Biodiversidade, Dr. António de Souza-Cardoso.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara, Francisco Alves, agradeceu a presença de todos, convidando-os a degustar as iguarias tão típicas desta Terra de Basto, e a cá voltar pois “vir a Cabeceiras de Basto vale a pena, vale muito a pena”.

Influenciada pela gastronomia minhota, a cozinha de Cabeceiras parte de uma alimentação de afetos, que recorre ao uso dos produtos da terra, de onde se preocupa em selecionar os mais saborosos, originando pratos simples e bem locais e regionais, utilizando ingredientes endógenos.

Para além dos sabores, também os saberes deliciam o visitante. Cabeceiras de Basto é uma terra antiga e por isso uma terra sábia. Uma terra que soube preservar a paisagem na qual convivem o Minho e Trás-os-Montes.

É vasta a oferta para quem nos visita, desde as casas de turismo rural, às aldeias pitorescas, às festas, feiras e romarias, ao artesanato, de que salientamos as afamadas mulheres de Bucos e a sua Casa da Lã, a Casa do Pão, a Casa do Tempo, o Centro Hípico, os inúmeros percursos pedestres.

Por este concelho, que apresenta um vasto património paisagístico e arquitetónico, também aqui passaram nomes de vulto ligados à literatura como Sá de Miranda e Camilo Castelo Branco. Mas o ex-líbris, com que nos podemos verdadeiramente deliciar é o Mosteiro de S. Miguel de Refojos, exemplar beneditino, de arquitetura barroca.

Jantar Premium - Couves com Feijões.JPG

Jantar Premium - Pecado d'Avó.JPG

Jantar Premium - Polvo Assado no Forno com arroz do mesmo.JPG

Jantar Premium - Vinhos.JPG

Jantar Premium (1).JPG

Jantar Premium (2).JPG

Jantar Premium (3).JPG

Jantar Premium (4).JPG

VILA VERDE REALIZA FESTA DO SARRABULHO

Centenas de visitantes esperados em Coucieiro para a Festa do Sarrabulho de porco caseiro

Foi em boa hora que a freguesia de Coucieiro se juntou à programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, porque a Festa do Sarrabulho de porco caseiro tem sido um autêntico sucesso e a edição deste ano não será exceção.

12063470_848621598586128_7930453049014101623_n.jpg

A 19 e 20 de novembro, a sede da autarquia local fervilha de vida. Miúdos e graúdos em torno de uma mesa farta, a excelência da gastronomia e a animação da música popular, o ambiente de convívio e alegria generalizada. Um leque alargado de atrativos que se juntam aos sabores da tradição minhota para enriquecer um programa que todos os anos atrai centenas de pessoas ao concelho de Vila Verde.

As portas abrem de para em par no sábado, dia 19, por volta das 12h00. O sarrabulho caseiro é rei e vai certamente fazer as delícias dos convivas que se deslocarem ao coração do Minho para um contacto direto e privilegiado com os sabores e saberes da nossa região.

12189523_848620655252889_3123706152814781385_n.jpg

A organização não facilita e volta a entregar a liderança da cozinha a mãos experimentadas, que dominam esta arte com mestria e se preparam para confecionar um sarrabulho à boa moda do Minho, com os respetivos acompanhamentos tradicionais. A música popular, ao serão, é outro dos motivos de interesse do evento. No dia seguinte, 20 de novembro, as iniciativas arrancam pelas 15h00. O momento de maior destaque acontece uma hora depois, com a realização de um magusto típico.

A Festa do Sarrabulho de porco caseiro é possível graças ao trabalho de dezenas de voluntários que, de forma abnegada e altruísta, realizam um trabalho extremamente meritório em prol da terra que os viu nascer.

12239630_848621288586159_4792624491839288214_n.jpg

A iniciativa afigura-se também como uma oportunidade privilegiada para fomentar o convívio e fortalecer os laços entre os participantes.

A Festa do Sarrabulho de porco Caseiro resulta de uma organização conjunta entre a Junta de Freguesia de Coucieiro, a Comissão de Festas e a Associação dos Amigos de São João Baptista.

O evento insere-se na programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobra em perto de 40 iniciativas de divulgação e promoção da genuína tradição minhota.

12184105_848620711919550_537255695740333684_o.jpg 

1479379516125.jpg

VILA VERDE "PICA NO CHÃO" NA ROTA DAS COLHEITAS

Condições especiais no alojamento e restauração durante o Fim-de-semana Gastronómico ‘Vila Verde, Capital do Pica no Chão’

O Município de Vila Verde prepara-se fechar com chave de ouro a edição de 2016 da programação cultural Na Rota das Colheitas, que de agosto a novembro de desdobrou em mais de 35 iniciativas de promoção da genuína tradição minhota.

A (2)vv.JPG

De 25 a 27 de novembro, vilaverdenses e visitantes terão direito a descontos e condições especiais nas dezenas de restaurantes e unidades de alojamento que aderiram ao Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, capital do Pica no Chão’, em que o Pica no Chão, o Pudim Abade de Priscos e o Vinho Verde Regional assumem-se como as estrelas mais cintilantes de uma vasta constelação onde não vão faltar as mais conhecidas e apreciadas iguarias da cozinha minhota.

O concelho prepara-se definitivamente para conquistar os visitantes pelo estômago, já que no mesmo fim de semana, decorre paralelamente a VI Mostra ‘Doces e Sabores da Nossa Terra’, que vai colocar em destaque as especialidades dos mestres pasteleiros, com descontos de 15%, no dia 27 de novembro, nas 14 pastelarias aderentes. À excelência da gastronomia juntam-se inúmeros motivos de interesse e iniciativas diversas preparadas para enriquecer o programa e a estadia dos visitantes, como referiu a vereadora da Cultura, Júlia Fernandes, durante a conferência de apresentação do Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, capital do Pica no Chão’, que decorreu durante a manhã de hoje (16 novembro), no Salão de Conferências dos Paços do Concelho.

A (4)vv.JPG

Vários motivos de interesse durante o fim de semana

O Museu do Linho, O Museu de Arte Sacra das Terras de Regalados, o Museu do Brinquedo e da Brincadeira e o Espaço Namorar Portugal estarão de portas abertas para receber os visitantes, que podem ainda aproveitar para conhecer as encantadoras paisagens naturais e a riqueza do património edificado do concelho. Júlia Fernandes prosseguiu apresentando as duas atividades de natureza que vão ajudar a manter a forma física num fim de semana dedicado à gastronomia e levar os participantes a admirar os belos quadros naturais pintados pelas encostas verdejantes e pelas zonas ribeirinhas do concelho de Vila Verde. O Trilho da Nóbrega, com um percurso de 14 Kms, no dia 26 de novembro, e a Caminhada Ambiental ‘Zona Ribeirinha entre o Homem e o Cávado’, com um percurso, de 5 Kms, no dia seguinte.

A (3) (3).JPG

Rota “faz de Vila Verde uma terra que gera atratividade”

A apenas dois fins de semana do encerramento da extensa e diversificada programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, o presidente do Município de Vila Verde não escondeu a satisfação com a qualidade das iniciativas desenvolvidas durante os quatro meses de promoção da tradição do minhota e do genuíno pulsar do mundo rural. “O Fim de Semana Gastronómico encerra um ciclo de grande sucesso durante a programação Na Rota das Colheitas. Uma programação que decorreu durante 17 fins de semana consecutivos em que se falou de Vila Verde pela positiva e em que se colocou em prática uma das estratégias de desenvolvimento económico para o concelho. Uma programação que mobilizou os vilaverdenses e a maioria das instituições do concelho, que faz de Vila Verde uma terra que gera atratividade e mobiliza as pessoas, valorizando as potencialidades do território em áreas muito diversificadas”, afirmou António Vilela, acrescentando que a relevância económica da Rota se estende também ao fomento e incentivo do empreendedorismo.

A (4) (1).JPG

“Desenvolvimento da economia e do tecido social”

O edil prosseguiu enfatizando a importância do Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, capital do Pica no Chão’ e da Rota das Colheitas na dinamização e incremento do tecido económico da região. “Consideramos que os recursos alocados à Rota correspondem a um investimento de grande retorno no desenvolvimento da economia e do tecido social, na preservação e divulgação da tradição, com múltiplos benefícios tanto de riqueza como na de emprego e novos postos de trabalho”, afirmou António Vilela, que concluiu de seguida com um agradecimento especial. “Deixo um agradecimento sentido a todos os que se envolveram nesta programação, muitos de forma totalmente voluntária, e ajudaram a enriquecer uma iniciativa valoriza o território, a valorizar as nossas tradições e perpetuá-las”, rematou.

A (5).JPG

COGUMELOS VÃO SER ‘REIS’ EM JANTAR NO ARCOS HOTEL EM ARCOS DE VALDEVEZ

Ementa dedicada à mico-gastronomia

‘Atração será o cogumelo!’, no Jantar Micológico que se realiza no Arcos Hotel Nature & Spa, em Arcos de Valdevez, no dia 25 de Novembro. O Chef Vasco Pombo convida Tiago Lopes, do Hotel Teatro (Porto) para um jantar a quatro mãos, onde vão ser degustadas algumas delícias da mico-gastronomia. O evento conta ainda com a participação de Pedro Sousa, um especialista em cogumelos, que irá desvendar segredos e esclarecer dúvidas ligadas a esta matéria.

Foral de Valdevez - Sala (1).jpg

Como não podia deixar de ser, a ementa vai apresentar várias propostas gastronómicas baseadas nos cogumelos, em momentos diferentes da refeição. Assim, os participantes poderão saborear um Ravioli de Cogumelos (snack), Rabo de Cachena Estufado com legumes da horta e boletos (entrada) ou Raia com puré de batata, espargos verdes e cantarelos (prato principal), entre outras delícias. O café será acompanhado de rebuçados de yuzu e cogumelo de merengue com cacau em pó.

O preço é de 30€/ pessoa (com bebidas).

Formado pela Escola de Hotelaria e Turismo de Lamego (EHTL), o jovem cozinheiro Tiago Lopes passou pelo Hotel Sheraton Algarve e Restaurante de Serralves, entre outros espaços, exercendo agora actividade no Hotel Teatro. Obteve o 1º lugar no concurso nacional Taça Jovens Cozinheiros 2009, representando a EHTL, vencendo também o concurso Sobremesas de Chocolate, da Espodouro. Realizou uma demonstração de cozinha no evento Jovem Talento da Gastronomia, integrado no Peixe em Lisboa 2001 e participa em vários Show Cookings e eventos, tanto individualmente como ao lado de Chefs de renome. O seucurriculum integra também a participação no seminário ‘El Bulli 2009’, em Barcelona, com oChef Ferran Adrià.

Pedro Sousa é Técnico de Gestão de Ambiente e Recursos Naturais, tendo participado no processo de criação da Paisagem Protegida do Corno de Bico, em Paredes de Coura. Desde 2009 que colabora ativamente na organização das Jornadas Micológicas do Corno de Bico.

Tem promovido o desenvolvimento de um diversificado leque de atividades de âmbito micológico, tais como percursos pedestres interpretados, para observação de fungos no seu ambiente natural, oficinas de identificação e catalogação de fungos e exposições de várias espécies de cogumelos. Já no âmbito mico-gastronómico, aspecto indissociável dos cogumelos, para além de promover as tradicionais Ceias e partilhas de experiências gastronómicas, Pedro Sousa realiza oficinas de técnicas de conservação de cogumelos pelos mais variados processos.

Para este evento, a realizar no seu restaurante Foral de Valdevez e que pretende dar a conhecer a todos as delícias da cozinha com cogumelos, o Arcos Hotel criou pacotes de alojamento de uma noite (70€/ pessoa) e duas noites (130€/ pessoa). Estes packs incluem welcome drink, jantar micológico, pequeno-almoço e late check-out.

As reservas podem ser feitas para o email geral@arcoshotelnature.com ou pelo tel. 258 093 600.

Jantar Micológico (25 Nov. Arcos Hotel Nature  & Spa).png

Pedro Sousa.jpg

Tiago Lopes (Hotel Teatro, Porto).jpg

SARDINHA PINGA NA BROA EM VILA VERDE

Alegria, música e gastronomia regional no Festival da Sardinha na Broa de Valbom S. Martinho

A freguesia de Valbom S. Martinho entrou com o pé direito nas andanças da Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, com uma que se revelou uma homenagem à cultura minhota com muito convívio e alegria, as iguarias da gastronomia regional e a animação das concertinas e desgarradas tão populares no coração do Minho. Em dia de S. Martinho, 11 de novembro, Valbom não esqueceu as tradicionais castanhas assadas, que fizeram as delícias de miúdos e graúdos.

A (2) (4).JPG

A tarde ainda ia a meio, pouco passavam das 16h00, quando se acenderam os fornos a lenha e se começaram a cozer as primeiras broas. Um aroma inebriante que ia tomando conta do largo da igreja paroquial de Valbom S. Martinho e que se ia tornando ainda mais sedutor à medida que se entrelaçava delicadamente com os cheiros que vinham dos fogareiros das sardinhas e das peças de carne que entretanto já tinham sido colocadas sobre as brasas incandescentes. Tudo partilhado generosamente de forma totalmente gratuita com as dezenas de pessoas que decidiram juntar-se a esta celebração da cultura popular do Minho.

A (1)vvverd.JPG

A tarde foi escurecendo ao som de castanhas a estalar, conversas animadas e longas gargalhadas. O clima de confraternização manteve-se noite dentro, impulsionado pelos acordes pelos acordes animados cas desgarradas e pelos divertidos cantares à moda do Minho, cumprindo um dos objetivos delineados pela organização do Festival da Sardinha na Broa. A Junta da União de Freguesias de Valbom S. Martinho, Valbom S. Pedro e Paçô viu na iniciativa um palco privilegiado para fomentar o convívio e estreitar laços entre a comunidade, proporcionando à população um momento de entretenimento e diversão.

Por outro lado, afigurou-se também como um momento de excelência para promover as potencialidades da freguesia, atrair visitantes e divulgar a beleza natural que reveste aquela zona do concelho de Vila Verde. “Considerámos que seria interessante termos uma iniciativa por altura do S. Martinho e integrarmos a Rota das Colheitas. Desta forma, podemos divulgar a nossa tradição e promover o território”, afirmou o presidente da Junta, Joaquim Martins. A iniciativa inseriu-se na programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobra em mais de 30 iniciativas de divulgação e promoção da genuína tradição minhota.

A (3) (2).JPG

DSC_0254.JPG

COUVADA À MINHOTA JUNTA À MESA MINHOTOS QUE VIVEM EM LISBOA

“Uma boa mesa para uma boa política regionalista!”

- A Casa do Minho mantém-se fiel à divisa que criou ao tempo do saudoso jornalista Artur Maciel.

Era a sopa do humilde lavrador. De feijão com couves era ela era feita. Mas acrescentavam-lhe outros condimentos para a tornar mais bem apaladada como alguns feijões e osso do espinhaço. Antes de saírem de casa para as lides do campo, deixavam o pote ao lume e deixavam-na a cozer. Quando regressavam da lavoura, algumas couves que traziam das leiras eram cegadas e metidas no pote juntamente com a chouriça. Por fim, comia-se a garfo as couves ou apresigo e, depois, o caldo que em dias melhorados fazia as delícias do pobre agricultor e aconchegava o estômago nos frios dias de outono.

20161113_134908.jpg

Para além dos minhotos, o repasto contou ainda com a participação do Presidente da Junta de Freguesia do Lumiar, Dr Pedro Delgado Alves que é também Vice-presidente da bancada parlamentar do Partido Socialista na Assembleia da República e do Secretário da Junta de Freguesia Dr. Patrocínio César.

A Casa do Minho em Lisboa não deixa os seus créditos por mãos alheias e, ciente da sua missão em promover tudo o que de mais genuíno existe nas nossas tradições, realizou hoje mais uma vez a tradicional couvada à minhota, chamando a si muitos dos nossos conterrâneos que não esquecem as suas origens e tudo fazem para preservar a nossa identidade cultural.

Mal começava o Outono e com ele as longas noites passadas à lareira, as couves faziam parte da alimentação diária do pobre camponês. Juntava-lhe as batatas, o feijão, a chouriça e, de um modo geral, um pouco de tudo quanto a lavoura lhe oferecesse. Era um verdadeiro manjar dos deuses.

Merece também uma especial referência a Casa do Minho em Lisboa pela primazia que dá à cozinha tradicional minhota, contribuindo desta forma para preservar o nosso património cultural divulgando uma das especialidades gastronómicas que corre o risco de desaparecer, fazendo jus à divisa legada em tempos idos pelo gastrónomo e jornalista Artur Maciel: Uma boa mesa para uma boa política regionalista!

20161113_140548 (1).jpg

Remonta ao século IV Antes de Cristo a origem da couve, altura em que os gregos a descobriram na região da Jônia e dela se surpreenderam pelos seus poderes medicinais, para além das suas virtudes culinárias. Porém, foram os romanos que a trouxeram para a Península Ibérica e nos deram a conhecer, passando a constituir o género de verdura mais consumida até aos finais da Idade Média.

Rica em fibras, iodo, cálcio, potássio, enxofre, magnésio e ômega 3; além de vitaminas A, B1, B2, B6, C e K, a couve é uma hortaliça da família Brassicaceae, constituindo um alimento de baixa caloria, desde sempre utilizado no tratamento de doenças estomacais, tendo vindo com o tempo a revelar-se como um excelente anti-inflamatório, antibiótico e anti-irritante natural, aplicado no combate a gripes, problemas hepáticos, renais e menstruais; artrite, bronquite, hemorroidas, úlceras e pedras nos rins e, na medicina alternativa, como vermífugo, para evitar ressacas, e até mesmo para baixar a febre, quando aplicada em forma de cataplasma.

Conhecida na Galiza por “verça”, a variedade de couve-galega é no Minho responsável por uma das melhores iguarias da cozinha tradicional portuguesa – o caldo verde – considerada uma das 7 maravilhas da gastronomia de Portugal!

O paladar constitui um dos sentidos que o minhoto sempre conserva e o mantém permanentemente ligado ao seu rincão natural, ao seu pedaço de Minho!

20161113_134851.jpg

20161113_134900.jpg

20161113_134923.jpg

20161113_134930.jpg

20161113_134943.jpg

20161113_134948.jpg

20161113_140252.jpg

20161113_140257.jpg

20161113_140302.jpg

20161113_140351.jpg

20161113_140354.jpg

20161113_140424.jpg

20161113_140443.jpg

VILA VERDE REALIZA FESTIVAL DA SARDINHA

Gastronomia, convívio e música popular no Festival da Sardinha na Broa de Valbom S. Martinho

A freguesia de Valbom S. Martinho estreia-se este ano nas andanças da Rota das Colheitas com uma iniciativa que promete conquistar pelo estômago vilaverdenses e visitantes.

sardinhas.jpg

À excelência da gastronomia regional, que junta a sardinha assada às deliciosas broas caseiras, soma-se a alegria da música popular do Minho, com as famosas concertinas e os divertidos cantares à desgarrada.

A tradição da cultura popular do Minho dá o mote para um evento que se assume como um palco privilegiado para o encontro de velhos amigos e o convívio noite dentro. Não faltará também um magusto tradicional, com castanhas assadas e vinho novo ou não estivéssemos em Dia de S. Martinho. O Festival da Sardinha na Broa arranca ao final da tarde da próxima sexta-feira, 11 de novembro, no largo da igreja paroquial de Valbom S. Martinho.

A broa cozida na hora de forma artesanal e as sardinhas assadas na brasa são as estrelas maiores de uma iniciativa totalmente gratuita e de portas abertas a todos os interessados, organizada pela Junta da União de Freguesias de Valbom S. Martinho, Valbom S. Pedro e Paçô.

O presidente da autarquia local, Joaquim Martins, revelou que o evento foi organizado com o intuito de participar na programação alargada Na Rota das Colheitas, uma excelente plataforma de promoção e divulgação das potencialidades do território. “Considerámos que seria interessante termos uma iniciativa por altura do S. Martinho e integrarmos a Rota das Colheitas. Desta forma, podemos divulgar a nossa tradição e promover o território”, afirmou.

Joaquim Martins prosseguiu frisando que o Festival da Sardinha na Broa cumpre ainda o propósito de fomentar o convívio e estreitar laços entre a comunidade, proporcionando à população um momento de entretenimento, diversão e confraternização. A iniciativa está inserida na programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que de agosto a novembro se desdobra em mais de 30 iniciativas de divulgação e promoção da genuína tradição minhota.

CAMINHA ACOLHE “FINS DE SEMANA GASTRONÓMICO” DE 24 A 26 DE MARÇO

“Robalo escalado do Mar da Ínsua” e “Leite creme queimado” nos menus de todos os estabelecimentos aderentes

Caminha vai acolher o certame “Fins de Semana Gastronómicos” de 24 a 26 de março. A edição de 2016/2017 foi apresentada no passado dia 2, em Vila Real. Em Caminha, pode contar com um cardápio de luxo, com destaque para os produtos do mar: “Robalo escalado do Mar da Ínsua” e ainda “Leite creme queimado”.No concelho de Caminha estão envolvidos 36 restaurantes e 13 empreendimentos turísticos. O Município vai complementar esta edição com um programa de animação cultural.

Robalo_do_Mar_da_Insua 2016_2017.JPG

“Fins de Semana Gastronómicos” são uma iniciativa da Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal. Esta edição já arrancou e prolonga-se até dia 28 de maio, conta com 75 municípios aderentes, entre os quais o de Caminha, e envolvem mais de mil restaurantes e 450 empreendimentos turísticos.

Durante os meses que se seguem são muitas a iguarias gastronómicas que pode degustar em cada um dos concelhos aderentes. Em Caminha, de 24 a 26 de março, os 36 restaurantes aderentes vão destacar uma das iguarias da gastronomia local, como referimos o “Robalo Escalado do Mar da Ínsua”, que terá à sobremesa o “Leite creme queimado”, e ainda vão apresentar um petisco tradicional.

Para complementar a oferta gastronómica, o Município está a preparar um conjunto de atividades: visitas a vários espaços museológicos, momentos musicais, atividades de natureza, com destaque para os percursos pedestres, canoagem, Kayak, passeios de bicicleta, rotas interpretativas, passeios em jipe pela serra, entre outros.

Caminha diferencia-se também pela gastronomia rica e diversificada que oferece em qualquer altura do ano. De facto, a gastronomia é um dos pontos fortes do turismo concelhio. Aqui, neste concelho com mar, rios e montanhas, são muitos os pratos tradicionais que se podem degustar, como opolvo do nosso mar, caldeirada à pescador, cabrito à Serra d’Arga, lampreia do Rio Minho, sável, bife de espadarte, qualquer tipo de marisco, etc.

Para promover o turismo gastronómico são muitos os eventos que o Município promove ou nos quais colabora. Exemplos disso são o projeto “Lampreia do rio Minho – Um prato de excelência”, a Caminha Doce, a Mesa de Páscoa, a Festa do Mar e da Sardinha, o Festival do Bife de Espadarte, a Festa do Rio e a Festas das Solhas.

HÁ SARRABULHO EM PONTE DA BARCA

Sarrabulho é a iguaria a degustar no último Domingo Gastronómico de 2016

Um magusto tradicional e animação musical complementam a iniciativa da autarquia barquense

sarrabulho.jpg

Para encerrar o ciclo dos 'Domingos Gastronómicos' que a Câmara Municipal vem promovendo, vai ser servido em Ponte da Barca no domingo, dia 13 de novembro, o Sarrabulho.

Este é o último evento de promoção da Gastronomia de Ponte da Barca de 2016, iniciativa que a autarquia leva a cabo há vários anos e que representa para o utarca barquense, Vassalo Abreu “uma forma de promover a qualidade da iguarias desta região e a sua confeção de excelência”.

Depois de degustar este que é um dos mais típicos pratos minhotos, que vai ser servido à mesa dos vários restaurantes aderentes, designadamente: Adega do Artur, Churrasqueira Barquense, Jaime Gomes, O Churrasco, O Emigrante, O Kibom, O Moinho, O Nappoli, Santana, S. Martinho (Crasto) e Tempus Hotel & Spa, a autarquia propõe um magusto em honra de S. Martinho, a decorrer durante a tarde no Centro de Exposição e Venda de Produtos Regionais, acompanhado de animação musical.

PAREDES DE COURA DÁ A SABOREAR CORES E PALADARES DE OUTONO

‘O outono está servido’. 5 e 6 nov | Paredes de Coura

As cores e os sabores do outono são motivos mais do que suficientes para uma passagem pela bonita vila de Paredes de Coura neste sábado e domingo, 5 e 6 de novembro, para um fim-de-semana reconfortante. À mesa, entre os múltiplos pratos que nos oferece a rica gastronomia courense, uma dezena de restaurantes convidam-nos a saborear os irresistíveis pratos onde os cogumelos, as castanhas, a maçã e a abóbora vão misturar-se e deleitar o seu palato em sensações únicas que o vão fazer viver intensamente este território.

Image00007.jpg

‘O outono está servido’ propõe-nos confortar o estômago com o melhor desta estação.

‘Bacalhau com castanhas’, ‘Lombinhos de porco com maçã assada e molho de cogumelos silvestres’, ‘Lombelo de porco recheado com maçã com puré de abóbora’, ‘Bife de peru com cogumelos’, ‘Lombelos de porco com cogumelos’, ‘Peito de pato com castanhas e cogumelos salteados’, ‘Truta escalada e cogumelos’, ‘Cachaço de bísaro com castanhas e cogumelos’, ‘Estufado de frutos de outono’, ‘Cabrito no forno com castanhas’, ‘Rojões à minhota com castanhas’ e ‘Lombo de porco assado com castanhas’ são algumas das sugestões para este fim de semana de ‘O outono está servido’, complementadas por entradas e sobremesas deliciosas tão características da rica e conceituada gastronomia courense.

Image00001.jpg

Albergaria, Casa do Frei, Abrigo do Taboão, Pizzaria Romântica, O Lino, Miquelina, Xisto, Barbaças, Forno do Minho e Furão são os restaurantes que acolhem e dão as boas vindas ao outono, com ementas características da estação, ao almoço e jantar de sábado, bem como no almoço de domingo.

Difícil é mesmo escolher entre propostas tão deliciosas, que podem ser complementadas com outras iniciativas que por estes dias também preenchem os dias em Paredes e Coura.

“O Segredo De Simónides” é a proposta de teatro pelas Comedias do Minho, ‘A Rapariga do Comboio’ é o convite para a uma sessão de cinema, ‘Impressão Digital em Terras de Coura’ é a exposição no Museu Regional, bem como as sessões de ‘showcooking’ para miúdos - Merenda No Museu (como preparar o empadão vegetariano).

A Caixa de Brinquedos é de visita obrigatória, onde crianças, jovens e adultos mergulham nas construções Lego, podendo fazer as suas próprias construções, ver sets, construir sets, participar em atividades e workshops, mas também há o percurso pedestre no Corno de Bico|CEIA, que nos permite embrenhar na natureza em estado puro.

Cartaz OutonoEstaServido_311016.png