Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PROVA SOLIDÁRIA S. SILVESTRE UNE MONÇÃO E SALVATERRA DO MIÑO

5ª ediçãodecorre no dia 30 de dezembro, sábado, pelas 19h30. Partida da Praza do Concello, em Salvaterra doMiño, e chegada à Praça Deu-la-Deu, em Monção. Para participar, basta entregar um alimento não perecível. Inscrições onlinehttps://goo.gl/XLmFRhou, no secretariado, 30 minutos antes do início da prova.

cartaz

AEurocidade Monção – Salvaterra do Miño promove no próximo dia 30 de dezembro, sábado, a 5ª edição da Prova Solidária S. Silvestre com um percurso aproximado de cinco quilómetros pelas ruas e praças das duas localidades fronteiriças ligadas por uma ponte internacional sobre o rio Minho hámais de duas décadas.

A partida tem lugar na Praza do Concello, em Salvaterra do Miño, e a chegada na Praça Deu-la-Deu, em Monção.Quem quiser participar nesta prova solidária apenas terá de entregar um alimento não perecível que, numa fase posterior, será distribuído pelas famílias com dificuldades económicas de ambos os municípios.

À semelhança do ano passado, realiza-se uma Mini S. Silvestre para crianças até aos 12 anos que consiste em duas voltas à Praza do Concello, em Salvaterra do Miño. A prova tem como objetivo incutir nos mais jovens o gosto por esta iniciativa desportiva e solidária. O lema é fazer exercício físico, ajudando o próximo.

Com início às 19h30 (hora portuguesa) e 20h30 (hora espanhola), esta iniciativa transfronteiriça pretende sinalizar um momento de carinho e solidariedade para quem mais necessita, assumindo-se, em paralelo, como mais um reforço nobom relacionamentoexistente entre as duas localidades.

A organização “convoca” a população das duas margens a participarem nesta prova solidária, convidando as pessoas de todas as idades a praticarem desportoenquanto fazem o bem em benefício das famílias mais desfavorecidas de ambos os lados da fronteira.

Inscrições onlinehttps://goo.gl/XLmFRh ou, no secretariado, 30 minutos antes do início da prova.Durante o percurso, os participantes terão apoio dos bombeiros locais, encontrando-se o trânsito condicionado à ação de segurança da Guarda Nacional Republicana e Guarda Civil.

Fernando Silva

POPULAÇÕES DE CERVEIRA E TOMIÑO AVALIAM PARTILHA DE SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS

Com o objetivo de perceber o impacto da cooperação transfronteiriça no dia a dia, os concelhos de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño estão a promover um processo de auscultação no terreno. Foram distribuídos 4 mil inquéritos por diversas faixas etárias, cuja monitorização dos resultados vai delinear a estratégia futura.

IMG_0009

A melhoria da capacidade institucional e a eficiência da administração pública, aliada a uma maior cooperação entre os cidadãos e as instituições, é fundamental para o esbatimento das assimetrias existentes, para a promoção do acesso universal e comum a um conjunto de equipamentos e serviços e para a consolidação da “desfronteirização”.

Neste sentido, a Amizade Cerveira-Tomiño decidiu fazer um ponto de situação do estado atual da cooperação transfronteiriça, em particular como os projetos e ações estão a ser acolhidos e vividos pelas suas populações, com vista a aprofundar o fortalecimento das relações e consequente melhoria das estruturas em funcionamento.

Em estreita colaboração com escolas, juntas de freguesia, IPSS’s e serviços públicos dos dois concelhos, foram colocados no terreno cerca de quatro mil inquéritos, com 26 questões de resposta rápida, para estudar o grau de conhecimento e as caraterísticas da procura de equipamentos de uso comum, obtendo informação privilegiada para atuação futura.

A vereadora com o Pelouro das Geminações e Cooperação Transfronteiriça, Aurora Viães, afirma que esta opção vai de encontro ao que tem sido realizado, privilegiando o envolvimento e a opinião das populações sobre os projetos promovidos e o rumo da gestão partilhada de serviços. “Os Municípios devem servir os interesses dos seus cidadãos, e nesta relação transfronteiriça, nada melhor do que serem os próprios municípes a avaliarem e assumirem os próximos passos”, sublinha.

De realçar que a cooperação transfronteiriça Cerveira Tomiño tem pautado a sua ação em torno da valorização da participação pública e cidadania ativa, implementando o Orçamento Participativo Transfronteiriço, a figura de Provedoria Transfronteiriça, além de diversas ações e workshops envolvendo entidades e cidadãos. A Agenda Estratégica para a Cooperação Transfronteiriça Cerveira-Tomiño integra uma candidatura no âmbito do Interreg V-A.

BARCELOS APRESENTA O LIVRO DE ANDRÉA PRSSTES "CAMINHO DE SANTIAGO - DE PORTUGAL ATÉ AO FIM DO MUNDO"

No próximo dia 9 de dezembro de 2017 (sábado), pelas 17h30, no Posto de Turismo de Barcelos, a Associação ACB - Albergue Cidade de Barcelos promove a apresentação do livro de Andréa Prestes - "Caminho de Santiago - De Portugal até ao Fim do Mundo" (projeto "Caminhos pelo Mundo").

AndréaPrestes_03

A jornalista, fotógrafa e peregrina brasileira Andréa Prestes estará, assim, em Barcelos, para apresentação, pela primeira vez em Portugal, do seu segundo livro fotográfico, mostrando dois dos principais itinerários do Caminho de Santiago. São 333 km a pé em mais de 300 fotografias sobre o Caminho Português de Santiago e o Caminho até ao encontro com o mar, em Finisterra e Muxia. Um livro sobre dois caminhos, com duas capas (edição trilíngue: Português, Castelhano e Inglês).

A entrada é livre e não carece de inscrição prévia.

O evento está disponível no Facebook aqui

09DEZ2017_AndréaPrestes

AndréaPrestes_01

AndréaPrestes_02

"ROMEU E XULIETA" SOBE AO PALCO EM GUIMARÃES

O auditório da Junta de Freguesia de Balugães (Barcelos) recebe, no próximo dia 2 de dezembro, às 21h30, o Teatro de Airiños com a peça “Romeo e Xulieta”, uma adaptação de Esther F. Carrodeguas a partir do clássico de William Shakespeare.

[1]Romeo e Xulieta_Palco de Terra_2017

O Palco de Terra é um ciclo de teatro organizado pelo Teatro de Balugas e pela Junta de Freguesia de Balugães e que está dividido em quatro partes, em que cada uma tem lugar numa estação do ano. A comédia do Teatro de Airiños (Galiza) sobe ao palco para a edição de inverno deste ano. A iniciativa resulta do intercâmbio entre o grupo de teatro de Balugães e as companhias convidadas, visando a promoção e a dinamização dos projetos teatrais na aldeia.

A entrada é livre e limitada à lotação da sala/ https://goo.gl/MrpY91  

ABERTO S. SANTOS ENCERRA CICLO DE CONVERSAS NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE CAMINHA

O escritor vem a Caminha, sábado, 2 de dezembro, pelas 17H00

Alberto S. Santo é o último convidado de “À conversa com…”, uma iniciativa levada a cabo pelo Município no âmbito da candidatura da valorização dos Caminhos de Santiago. ‘Caminho da Leitura: Ciclo de Conversas’ trouxe até Caminha Richard Zimler, Joel Cleto, Ana Saldanha, Isabel Pires de Lima e Júlio Magalhães. “À conversa com…Alberto S. Santos” vai decorrer sábado, dia 2 dezembro, pelas 17H00, na Biblioteca Municipal de Caminha.

alberto santos

Nos últimos meses, foram vários os rostos conhecidos que passaram pela Biblioteca Municipal de Caminha. Destacam-se Richard Zimler, Joel Cleto, Ana Saldanha, Isabel Pires de Lima e Júlio Magalhães. Esta iniciativa termina este sábado, dia 2 de dezembro, com Alberto S. Santos e o seu livro ‘O Segredo de Compostela’. Alberto S. Santos é formado em Direito pela Universidade Católica Portuguesa. É natural de Paço de Sousa, Penafiel, onde reside. Publicou os romances bestsellers ‘A Escrava de Córdova’ (2008), ‘A Profecia de Istambul’ (2010), ‘O Segredo de Compostela’ (2013) e ‘Para lá de Bagdad’ (2016). É autor da coletânea de histórias ‘A Arte de Caçar Destinos’ (2017) e participa ainda na série de contos de autores lusófonos ‘Roça Língua’ (2014).

Na sinopse deste livro pode ler-se: “O dia 28 de janeiro de 1879 tinha tudo para ficar marcado na história da cristandade. Depois de dias suados de escavações na catedral de Compostela, foi encontrado o túmulo onde se acreditava que repousavam os ossos do santo apóstolo. Mas, e se no destino final a que nos conduzem os místicos caminhos de Santiago se esconder um dos segredos mais bem guardados do Ocidente? Prisciliano, líder carismático do século IV e pioneiro defensor da igualdade das mulheres e dos valores do Cristianismo primitivo, é a figura preponderante neste enigma secular. Comprometido com a força da sua espiritualidade, viveu no coração os sobressaltos de um amor proibido, envolto em ciúmes e intrigas. Ainda que aclamado bispo pelo povo, Prisciliano tornou-se no primeiro mártir da sua Igreja, a quem a História ainda não prestou o devido reconhecimento. Depois de extraordinárias revelações, descubra neste fascinante romance respostas às inquietações que atravessam os tempos: Afinal, quem está sepultado no túmulo? Qual o sentido atual das peregrinações a Santiago de Compostela?”.

Esta ação carece de inscrição obrigatória. Os interessados deverão proceder à respetiva inscrição para cultura@cm-caminha.pt.

PROJETO GERÊS - XURÊS - DINÂMICO FOI APRESENTADO EM OURENSE

Câmara Municipal de Arcos de Valdevez presente na apresentação do projeto GERÊS – XURÉS – DINÂMICO

Na passada sexta-feira, dia 17 de novembro foi apresentado publicamente o Projeto Europeu de Dinamização da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés, financiado pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal (POCTEP), no Pazo de Vilamarín, em Ourense.

apresentacao_geres_xures

 

O Presidente da Câmara João Manuel Esteves participou no evento de apresentação do projeto Gêres_Xures_Dinamico em representação da administração do ADERE – PG. De igual modo estiveram presentes no ato de abertura a Senhora vice-presidente da CCDR-N, Ester Gomes da Silva, o Presidente da Deputación de Ourense, José Manuel Baltar Blanco, o vice-presidente do TPNP, Jorge Magalhães, e o coordenador do projeto, a diretora geral de Património Natural da Xunta da Galiza, Ana María Díaz López.

Nesta ocasião João Manuel Esteves, aproveitou para referir que com este projeto se pretende criar o equilíbrio entre as pessoas e a natureza como forma de tributo aos nossos antepassados pois, foi esta a sua herança e, como tal devemos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para o transmitir aos vindouros.

Este projeto nasceu com o objetivo de fortalecer a identidade desta Reserva da Biosfera Transfronteira através do seu desenvolvimento económico e turístico sustentável e da proteção e conservação do seu património natural e cultural.

O território da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés abrange as áreas correspondentes ao Parque Nacional da Peneda Gerês, no Norte de Portugal, e o Parque Natural da Baixa Limia-Serra do Xúres, na Galiza.

Com um orçamento de cerca de 2 milhões de euros e duração prevista até 31 de dezembro de 2019, o projeto conta com a participação, na qualidade de beneficiários, das seguintes entidades: Direção Geral de Património Natural (Conselheria de Ambiente da Xunta da Galiza), Agência de Turismo da Galiza, Deputación de Ourense, Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional - Norte, Turismo do Porto e Norte de Portugal, ADERE – Peneda Gerês e ARDAL bem como dos municípios de Arcos de Valdevez, Melgaço, Ponte da Barca, Terras de Bouro e Montalegre.

Este projeto espera conseguir: melhorar a qualidade de vida da população local, aumentar a atratividade turística, económica e demográfica do território em questão, melhorar a qualidade dos serviços e produtos endógenos comercializados, melhorar o conhecimento sobre a Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés por parte da comunidade local (a nível regional, nacional e internacional), melhorar o estado de conservação e proteção do rico e vasto património natural e cultural associado à reserva, melhorar as condições de acessibilidade, sinalização e ambientais deste espaço classificado e, ainda, contribuir para a harmonização dos instrumentos de planeamento e ordenamento territorial que atualmente regulam este território.

O Presidente da Câmara considerou este projeto muito importante para que as “gentes que nasceram na Reserva da Biosfera” se fixem ou regressem, desafiando ainda o programa INTERREG V – A, para o financiamento de mais projetos deste tipo ou outros que “façam sentir que o nosso território tem oportunidade para criar riqueza”.

TERRAS DE BOURO FOI A OURENSE DEBATER A RESERVA DA BIOSFERA TRANSFRONTEIRIÇA DO GERÊS

Projeto Europeu de Dinamização da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés apresentado em Ourense

O Municipio de Terras de Bouro fez-se representar na sessão pública de demonstração do Projeto Europeu de Dinamização da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés. A iniciativa, que decorreu a 17 de novembro, é financiada pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal (POCTEP) e prevê a atribuição de 900 mil euros à zona portuguesa da reserva e os restantes 1,1 milhões à zona espanhola, visando promover a reserva aos visitantes, aos habitantes e às escolas de ambos os lados da fronteira.

CAPA

O objetivo é promover os territórios de Portugal e de Espanha em conjunto para atrair mais turismo à região e, com isso, incentivar a criação e a valorização de empresas que sustentem a população aí residente.Com este projeto, os municípios, a cargo dos parques e outras instituições envolvidas, pretendem «reforçar a identidade da reserva, com a promoção da mesma para fins turísticos e a valorização da economia local».

No âmbito do documento vão ser desenvolvidas ações como a atualização de conteúdos nas Portas do Parque e a elaboração de um calendário único de atividades desportivas e culturais. Este plano nasce também com o objetivo de fortalecer a identidade desta Reserva da Biosfera Transfronteira através do seu desenvolvimento económico e turístico sustentável e da proteção e conservação do seu património natural e cultural.

O território da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés, abrange as áreas correspondentes ao Parque Nacional da Peneda Gerês, no Norte de Portugal e o Parque Natural da Baixa Limia-Serra do Xúres, na Galiza.

FB_IMG_1510962573635

ESPOSENDE PROMOVE EM SANTIAGO DE COMPOSTELA CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA

Enquanto em Santiago de Compostela se debatiam estratégias para as diferentes rotas do Caminho, em Esposende, cerca de 200 peregrinos, oriundos de diferentes regiões, recebiam a bênção na Igreja Matriz e aprofundavam o seu conhecimento sobre Esposende, no Centro de Informação Turística, antes de se fazerem ao Caminho. É crescente a importância do Caminho Português da Costa: em 2016 representava 1% do total de peregrinos que afluíram a Santiago; este ano adquire um peso de 4%.

20171111_090527

O Albergue de São Miguel de Marinhas registava, em outubro, um total de 6.300 dormidas, ou seja, mais 3000 que em período homólogo do ano passado. Mas o número de peregrinos que passa por Esposende é bastante superior, encontrando-se alguns entre os cerca de 47 mil turistas que este ano colheram informação no Centro de Informação Turística.

Reconhecendo a importância crescente do percurso, o Município de Esposende tem investido nesta área, na melhoria de percursos e no reforço da informação disponibilizada, através da sinalética e dos suportes oferecidos no Centro de Informação Turística. Para dar a conhecer o percurso que cruza Esposende, mas também para beneficiar do incremento dos fluxos turísticos que têm ocorrido no litoral norte do país, Esposende marcou presença na Fairway, Fórum do Caminho de Santiago, em conjunto com os nove municípios que desenvolveram o projeto do Caminho da Costa.

Este encontro destinou-se a profissionais, instituições e interessados nas peregrinações ao templo de Santiago de Compostela, tendo-se destacado esta segunda edição, pela grande adesão que tiveram as mesas de debate intersectoriais. Estes espaços de reflexão, nos quais participaram especialistas das diversas áreas de negócio, do mundo empresarial e instituições, fomentou a apresentação de propostas de solução de alguns dos problemas que afetam os diversos percursos do Caminho. Foram proporcionados cerca de 1600 encontros, entre entidades e empresas locais e operadores turísticos, de 15 países diferentes.

De resto, este é um nicho de mercado com grande potencial para Esposende, conforme tem revelado o aparecimento de novos negócios associados ao turismo, como hostels e todo o mercado de restauração que está intimamente associado. O fluxo de peregrinos pode, também, contribuir, a par dos desportos de mar, para atenuar a sazonalidade que vinca a atividade turística em Esposende.

O Caminho Português da Costa pretende relevar o contacto entre terra e mar, desde o Porto, ao longo de 141 quilómetros, até Valença. Neste percurso, os dez municípios envolvidos no projeto, fazem valer a vertente patrimonial e histórica de cada urbe, procurando criar uma identidade, sob o lema, “cada passo, um sentido”.

O Caminho Português da Costa une os municípios do Porto, Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença, tendo submetido uma candidatura ao programa “Norte 2020” para valorizar este Caminho e os territórios que ele atravessa.

"Neste projeto, devemos destacar todo o trabalho de cooperação que foi desenvolvido pelos dez municípios envolvidos. O objetivo é promover esta rota do Caminho de Santiago, valorizando a Cultura e a História locais”, destaca Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende.

Sendo um património imaterial com crescente interesse nacional e internacional, o Caminho de Santiago beneficia, agora, de um programa infraestrutural que permita dignificar e potenciar o seu valor intrínseco e adaptá-lo às condições atualmente exigidas pelos modernos peregrinos.

IMG_20171111_093214

IMG_20171113_085541

PONTE DE LIMA DÁ-SE A CONHECER NA GALIZA

Município de Ponte de Lima presente na Sportur Galicia, na Expourense, de 17 a 19 de novembro

O Município de Ponte de Lima marca presença na Sportur Galicia, Salon del Deporte y Turismo Activo, em Ourense, Galiza, este fim-de-semana, de 17 a 19 de novembro. Esta feira, que decorre no espaço da Expourense, é essencialmente direcionada para os praticantes e amantes do desporto e da natureza, mas também ao público em geral.

IMG_0404

Nesta edição da Sportur, o Município de Ponte de Lima pretende divulgar e promover o turismo do concelho nos vários segmentos, mormente o Turismo de Natureza, o Turismo Equestre e o Turismo Náutico, cada vez mais procurados por quem visita Ponte de Lima.

O Município convidou as empresas de animação turística a estarem presentes no stand limiano. Passeios a cavalo e de charrete, aulas de equitação e outras atividades equestres, passeios e atividades em bicicleta como downhill ou enduro, descida do Rio Lima de canoa ou kayak, atividades pedestres ou observação da natureza, slide, golfe e ténis são algumas das inúmeras ofertas turísticas que Ponte de Lima tem para oferecer e que irão estar em evidência na edição deste ano da Sportur. Estarão presentes no evento o Centro Equestre do Vale do Lima, o Clube Náutico de Ponte de Lima, a Associação Pé do Negro BTT Aventura, a In Mountain, o Centro Aventura, o Golf de Ponte de Lima e a Time Out Aventura.

Ocupando um espaço com 18 m2, o Município de Ponte de Lima pretende dinamizar a economia da vila mais antiga de Portugal, tirando partido de um nicho de mercado cada vez mais em ascensão no setor do turismo e, simultaneamente, aproveitando para difundir a vasta oferta turística de Ponte de Lima, junto do mercado espanhol, mais concretamente da Galiza, que é cada vez mais um dos grandes consumidores do destino turístico Ponte de Lima.

O Município de Ponte de Lima terá amanhã, sábado dia 18, como convidado o Vice-Campeão Olímpico, Campeão e Vice-campeão Mundial de Canoagem, Fernando Pimenta, atleta do Clube Náutico de Ponte de Lima e o maior embaixador de Ponte de Lima além-fronteiras.

A Sportur Galicia realiza-se durante este fim-de-semana, dias 17 a 19 de novembro, no recinto da Expourense, na Galiza, Espanha.

IMG_0405

IMG_0406

Sportur

SporturGalicia

UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA DEBATE EMIGRAÇÃO GALAICO-PORTUGUESA

Na passada quarta-feira (15 de novembro), o eixo temático “Galegos e portugueses além da sua terra” foi o tema central do II Seminário da Cátedra das Migrações organizadas Cátedra UNESCO da Universidade de Santiago de Compostela, uma das mais antigas instituições de ensino superior da Península Ibérica e do mundo.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Da esquerda para a direita: a socióloga Iria Vásquez Silva, o historiador Daniel Bastos, o investigador Camilo Fernández Cortizo, e o professor Domingo González Lopo

 

A iniciativa, que decorreu na Faculdade de Geografia e História, e envolveu alunos e docentes da instituição académica da Galiza, contou entre os oradores convidados, com a socióloga das migrações galega, Iria Vásquez Silva que abordou “A raia: trânsitos migratórios na fronteira galaico-portuguesa”, o investigador galego Camilo Fernández Cortizo que destacou “A emigração galega no Norte de Portugal (1720-1850) ”, o professor universitário galego Domingo González Lopo que analisou “Os Galegos nos livros de viagem dos séculos XVIII e XIX”, e o historiador português Daniel Bastos que falou sobre “Gérald Bloncourt o fotógrafo da emigração portuguesa”.

O encontro multidisciplinar que cruzou na academia galega vários olhares sobre a temática da emigração, fenómeno que tem um peso estruturante na sociedade luso-espanhola, procurou essencialmente aprofundar e valorizar o papel do fenómeno migratório no desenvolvimento das comunidades galaico-portuguesas, com especial incidência nos espaços transfronteiriços.

PROJECTO EUROPEU DE DINAMIZAÇÃO DA RESERVA DA BIOSFERA TRANSFRONTEIRIÇA NO GERÊS VAI SER APRESENTADA EM TERRAS DE BOURO

Apresentação do Projeto Europeu de Dinamização da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés

Na próxima sexta-feira, dia 17 de novembro é apresentado publicamente o Projeto Europeu de Dinamização da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés, financiado pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal (POCTEP), no Pazo de Vilamarín, em Ourense.

España - Portugal_PT_01

Este projeto nasce com o objetivo de fortalecer a identidade desta Reserva da Biosfera Transfronteira através do seu desenvolvimento económico e turístico sustentável e da proteção e conservação do seu património natural e cultural.

O território da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés, abrange as áreas correspondentes ao Parque Nacional da Peneda Gerês, no Norte de Portugal, e o Parque Natural da Baixa Limia-Serra do Xúres, na Galiza.

A reserva tem uma superfície de 259.496ha, das quais 62.916ha (24%) correspondem a território galego e 196.580ha (76%) a território português. Com um total de cerca de 79 mil habitantes (10 mil na Galiza e 69 mil na região Norte) partilha, em toda a sua extensão, fenómenos demográficos similares como a dispersão, o envelhecimento da população e o despovoamento, fatores que tornam imprescindíveis intervenções específicas como as que se contempla neste projeto.

Com um orçamento de cerca de 2 milhões de euros e duração prevista até 31 de dezembro de 2019, o projeto conta com a participação, na qualidade de beneficiários, das seguintes entidades: Direção Geral de Património Natural (Conselheria de Ambiente da Xunta da Galiza), Agência de Turismo da Galiza, Deputación de Ourense, Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional - Norte, Turismo do Porto e Norte de Portugal, ADERE – Peneda Gerês e ARDAL bem como dos municípios de Melgaço, Ponte da Barca, Terras de Bouro, Montalegre e Arcos de Valdevez.

Este projeto espera conseguir: melhorar a qualidade de vida da população local, aumentar a atratividade turística, económica e demográfica do território em questão, melhorar a qualidade dos serviços e produtos endógenos comercializados,  melhorar o conhecimento sobre a Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés por parte da comunidade local (a nível regional, nacional e internacional), melhorar o estado de conservação e proteção do rico e vasto património natural e cultural associado à reserva, melhorar as condições de acessibilidade, sinalização e ambientais deste espaço classificado e, ainda, contribuir para a harmonização dos instrumentos de planeamento e ordenamento territorial que atualmente regulam este território.

O evento de apresentação do projeto Gêres_Xures_Dinamico assume o formato de conferência-debate, contando com a presença da Senhora vice-presidente da CCDR-N - Ester Gomes da Silva, do Presidente da Deputación de Ourense - José Manuel Baltar Blanco, do vice-presidente do TPNP - Jorge Magalhães e, em representação do coordenador do projeto, da Senhora diretora geral de Património Natural da Xunta da Galiza - Ana María Díaz López.

Na mesa redonda de debate sobre as potencialidades e obstáculos para o desenvolvimento local na área da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês- Xurés participarão os presidentes da Câmara e aldaldes: Plácido Alvarez Dobaño, Alcalde de Muiños; Maria del Carmen Yañez Salgado, Alcaldesa de Lobios; Ramón Alonso López, Alcalde de Entrimo; João Esteves, Presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez e Manoel Pombal, Presidente da Câmara Municipal de Melgaço (também presidente da ADERE).

O evento encerrará com as Ias Jornadas Gastronómicas Gêres_Xures_Dinamico, dinamizadas pelo chef Martín Álvarez e organizadas pela Agência de Turismo da Galiza, no final das quais se poderá degustar uma seleção de produtos do território galego da Reserva de la Biosfera Transfronteriza Gerês-Xurés.

AUTARCAS DOS CONCELHOS RIBEIRINHOS DO MINHO ASSINARAM ATAS ANUAIS DE RECONHECIMENTO DE FRONTEIRA A BORDO DO N.R.P. RIO MINHO

As atas foram assinadas ontem no Estuário do Rio Minho

Os presidentes e os alcaides das câmaras municipais dos concelhos ribeirinhos do Minho assinaram ontem as Atas anuais de Reconhecimento de Fronteira, a bordo do N.R.P. Rio Minho. É a segunda vez na História do Troço Internacional do Rio Minho (TIRM) que se realiza este evento. O objetivo é valorizar o Rio Minho como um todo. Caminha assinou duas atas de vistoria de fronteira com os municípios de A Guarda e do Rosal.

assinatura ata vistoria de fronteira (1)

Na cerimónia participaram os presidentes das Câmaras Municipais de Caminha, Vila Nova de Cerveira, Valença, Melgaço e um representante da Câmara Municipal de Monção; os alcaides de A Guarda, Rosal, Tominho, Arco, As Neves, Salvaterra do Minho e Arbo, e ainda o Capitão do Porto de Caminha, o Comandante Naval Portugal Minho, a Comandância Naval Espanhola, entre outros.

A assinatura anual destes documentos, prevista nos termos do artigo XXV do Tratado de Limites entre Portugal e Espanha, assinado a 29 de setembro de 1864 e nos termos do artigo VIII do seu anexo I, assinado a 4 de novembro de 1866, tem por objetivo ratificar o reconhecimento efetuado de alguns pontos da fronteira, pelos respetivos delegados municipais, com o apoio das Autarquias situadas nas margens do TIRM.

Com esta iniciativa pretende-se partilhar e fomentar o intercâmbio de ideias e iniciativas entre os vários intervenientes, com o objetivo de preservar, impulsionar e valorizar este Troço Internacional.

Este evento conta com o apoio da Marinha Portuguesa, da Autoridade Marítima Nacional e da Armada Espanhola.

assinatura ata vistoria de fronteira (2)

MUNICÍPIOS MINHOTOS E GALEGOS RECONHECEM FRONTEIRA DO RIO MINHO

Ata de Reconhecimento de Fronteira do Rio Minho reforça relações entre municípios

Os 13 concelhos da raia minhota - cinco portugueses e oito galegos – formalizaram, esta terça-feira, a assinatura anual da Ata de Reconhecimento de Fronteira do Rio Minho. Pelo segundo ano consecutivo, a cerimónia contou com a representação de todos os municípios, demonstrando que as relações transfronteiriças Norte de Portugal/Galiza se mantêm consolidadas.

3M1A0951

Foi em pleno rio Minho, entre Vila Nova de Cerveira e Valença, a bordo de uma fragata da Marinha Portuguesa que os representantes dos municípios portugueses de Caminha, Melgaço, Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira, e dos galegos A Guarda, Arbo, As Neves, Crecente, O Rosal, Salvaterra do Miño, Tomiño e Tui reafirmaram as excelentes relações existentes ao nível de cooperação e gestão conjunta do rio Minho.

O ato simbólico consolida as ligações institucionais e de amizade entre os municípios ribeirinhos, e destes com as autoridades marítimas em prol de uma cada vez maior valorização ambiental e paisagística daquele rico e vasto troço internacional de água.

No caso concreto de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, a Alcaldesa do Concello de Tomiño, Sandra Gonzalez Alvarez, e a 1ª Teniente do Alcalde – Presidente de O Rosal, Doña Maria Carmen Alonso Alonso, assinaram a ata de vistoria de fronteira entre os dois países, onde não se consta qualquer alteração no percurso do referido curso de água.

A cerimónia oficial enquadra-se nos termos do Artigo 25º do Tratado de Limites entre Portugal e Espanha, de 29 de setembro de 1864, quando foi reconhecida a linha fluvial do rio Minho que serve de fronteira entre os dois países. Foram assinados pelos presentes exemplares em português e em espanhol, e devidamente chancelados com os respetivos selos municipais. O exemplar português será, posteriormente, remetido ao Ministério dos Negócios Estrangeiros.

HISTORIADOR DANIEL BASTOS VAI À GALIZA FALAR SOBRE A EMIGRAÇÃO PORTUGUESA

Historiador Daniel Bastos apresenta conferência sobre a emigração portuguesa em Santiago de Compostela

No próximo dia 15 de novembro (quarta-feira), o historiador minhoto Daniel Bastos é um dos oradores convidados do II Seminário da Cátedra das Migrações “Galegos e portugueses além da sua terra”, promovido pela Cátedra UNESCO da Universidade de Santiago de Compostela.

Daniel Bastos

No decurso da iniciativa que decorrerá na Faculdade de Geografia e História, de uma das mais antigas universidades da Península Ibérica e do mundo, o investigador natural de Fafe, cujo percurso percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, apresentará uma comunicação intitulada “Gérald Bloncourt – O fotógrafo da emigração portuguesa”.

Com diversas participações em conferências nacionais e internacionais, assim como artigos e livros publicados no domínio da História e Emigração Portuguesa, Daniel Bastos é autor do livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”, uma edição bilingue, que conta com prefácio do pensador Eduardo Lourenço, e que foi concebida a partir do espólio do conhecido fotógrafo francês Gérald Bloncourt que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos 60 e 70.

II Seminario 2017

CERVEIRA E TOMIÑO PREPARAM CAMPUS DESPORTIVO

Tomiño e Cerveira promovem Campus Desportivo Transfronteiriço ao longo de três dias

A Câmara de Vila Nova de Cerveira e o Concelho de Tomiño estão aultimar os preparativos para a realização do seu primeiro Campus Desportivo conjunto, agendado para osdias 24, 25 e 26 de novembro. Atividades para crianças e jovens são distribuídas pelosequipamentos desportivos de ambos os concelhos.

rio Minho

Eleita pelaspopulações de Vila Nova de Cerveira e Tomiño, no âmbito do IOrçamento Participativo Transfronteiriço (OPT), esta iniciativa tem comoobjetivoeducar para os valores de tolerância, cooperação, interculturalidade e respeito entre as crianças dos dois concelhos, além de fomentar o conhecimento cultural e social mútuo, o desportosaudável e a competitividade semviolência.

O CampusDesportivo arrancará na sexta-feira, 24 de novembro, com uma cerimónia de abertura às 15h30 horas (PT) no Pavilhão Municipal de Desporto de Vila Nova de Cerveira,seguindo-se dois jogos de futebolamigáveis entre duas equipas mistas formadas por adolescentes da Galiza e de Portugal.

No dia seguinte, 25 de novembro, a manhã fica reservada para uma atividade de orientaçãoemfamília no Parque do Lazer Castelinho, em Vila Nova de Cerveira. No período da tarde, a iniciativa volta ao concelho de Tomiño, para acolher uma ação de atletismo e uma exibição de ‘calistenia’ na área desportiva de Mosteiro e outra de ténis de mesa no Pavilhão de Sobrada.

As atividades do domingo, 26 de novembro, são direcionadas para afamília, com natação na Piscina Municipal de Vila Nova de Cerveira, a partir das 10h00 (PT) e com pilatos no Pavilhão de Goián das 11h30 às 12h30 (PT).

O Orçamento Participativo Transfronteiriçotrata-se de umprojeto pioneiro na EuroregiãoGaliza-Norte de Portugal incluído na AgendaEstratégica para a CooperaçãoTransfronteiriça Amizade Tomiño-Cerveira, projeto cofinanciado ao 75% polo Programa INTERREG VA POCTEP, fundos FEDER da UniãoEuropeia.

PROVEDORAS TRANSFRONTEIRIÇAS VISITAM CRECHES EM CERVEIRA

Prosseguindo o trabalho de proximidade através do contacto com a realidade de entidades e equipamentos/serviços de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño, que são ou podem ser partilhados, as provedoras transfronteiriças elegeram a área da Educação para uma visita no terreno.

IMG_9497

Maria de Lurdes Cunha e Zara Pousa Arbones estiveram, esta quarta-feira à tarde, na Creche e Jardim de Infância da Santa Casa da Misericórdia e na Creche do Centro Social e Paroquial de Campos, onde realizaram uma visita guiada às instalações e se inteiraram das boas relações que existem com os tomiñenses na partilha deste serviço, consubstanciadas numa significativa taxa de utilização de bebés e crianças oriundos do outro lado do rio Minho.

Uma das dificuldades mencionadas e consensual prende-se com a intenção de agendamento de intercâmbios ou visitas de âmbito escolar, que esbarra sempre num enorme processo burocrático por se tratar de dois concelhos de países diferentes mas que, geograficamente, estão ligados por uma ponte de algumas centenas de metros.  

Esta foi a segunda visita a equipamentos, depois de em outubro passado, as provedoras transfronteiriças terem iniciado estes contactos mais próximos, conhecendo a forte dinâmica transfronteiriça da Piscina Municipal de Vila Nova de Cerveira.

De sublinhar que a figura da provedoria transfronteiriça integra o projeto da Agenda Estratégica Cooperação Transfronteiriça "Amizade Cerveira Tomiño", cofinanciado pela Interreg V A.

MINHO E GALIZA DEBATEM ORÇAMENTO PARTICIPATIVO TRANSFRONTEIRIÇO

Dezoito entidades trabalham em 9 propostas de cooperação entre Cerveira e Tomiño

A segunda edição do Orçamento Participativo Transfronteiriço (OPT) começa a dar os seus frutos. No total, 18 entidades estão a trabalhar na elaboração de 9 propostas de cooperação entre Cerveira e Tomiño, distribuídas pelas três áreas de ação: Educação e Cultura, Desporto e Lazer e Território e Ambiente. A apresentação de propostas está a decorrer até ao próximo dia 30 de novembro.

NEWSLETTER EVENTOS

Qualquer iniciativa deverá ser apresentada obrigatoriamente pelo menos por uma entidade, uma associação ou um cidadão particular de cada um dos dois concelhos. O envio das propostas realiza-se através de um formulário disponível na web (participacerveiratomino.eu) e poderá fazer-se acompanhar de um vídeo promocional com um máximo de 3 minutos. Esta mesma página tem à disposição o público um fórum de debate, com o objetivo de proporcionar o intercâmbio de ideias ou estabelecer possíveis parcerias para os projetos.

Entretanto, algumas entidades estão a trabalhar em simultâneo na elaboração de várias propostas, e uma equipa técnica do OPT está a prestar o apoio necessário às entidades para levar a cabo as ideias previstas.

O Orçamento Participativo Transfronteiriço trata-se de um projeto pioneiro na Euroregião Galicia-Norte de Portugal que visa implicar as populações de Cerveira e Tomiño na procura de soluções para as necessidades comuns. Integra a Agenda Estratégica para a Cooperação Transfronteiriça Amizade Tomiño-Cerveira, projeto cofinanciado ao 75% polo Programa INTERREG VA POCTEP, fundos FEDER da União Europeia.

Uma vez finalizado o prazo de apresentação, as propostas serão analisadas até ao dia 7 de dezembro e, após um período de reclamação, cerveirenses e tomiñenses podem votar no seu projeto preferido entre o 20 de dezembro de 2017 e o 20 de fevereiro de 2018 na própria web do OPT.

Mais informação sobre o OPT 2018: http://participacerveiratomino.eu/

ARTISTA GALEGO CHEMA MOSQUERA EXPÕE EM MONÇÃO

Exposição de pintura "Ritmos e Formas" de Chema Mosquera na Casa Museu de Monção/UMinho

Encontra-se patente ao público, desde hoje e até ao dia 30 de novembro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do artista galego Chema Mosquera, intitulada "Ritmos e Formas".

23130698_1552624781457685_6690838633190003120_n

Sinopse da exposição, segundo o artista Chema Mosquera:  «No início do trabalho pictórico buscava o maior reconhecimento das formas e objetos quotidianos dentro de um espaço com profundidade. Numa segunda etapa, os objetos convertem-se em formas nuns cenários ou paisagens imprecisos. Mais adiante, as formas abstratas tornam-se atores principais de um espaço pictórico plano, acabando por buscar a abstração com manchas amorfas. Nesta exposição, estão os RITMOS e a COR como protagonistas, materializados com FORMAS de textura voluptuosa e como atores secundários em suportes quadrados desprovidos quase por completo de profundidade, no que as formas impressas pelo ritmo são totalmente casuais, sem recordar em absoluto os objetos».

A entrada é livre!

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada 

MONÇÃO ACOLHE 6º ENCONTRO LUSO-GALAICO DE MÚSICA POPULAR

Com organização do Grupo Popular “Os Teimosos” e apoio da Câmara Municipal de Monção, o 6º Encontro Luso Galaico de Música Popular realiza-se este sábado, 4 de novembro, pelas 21h30, no Cine Teatro João Verde.

Os Teimosos

Além do grupo anfitrião, a presente edição reserva atuações de mais três agrupamentos: “6tás9”, de Valença, Airiños do Mar de Teis, de Vigo, e Coro Cantemos, de Ponteareas.A entrada custa 5,00 €, podendo ser adquirida na Loja Interativa de Turismo.

Este intercâmbio musical, levado a efeito pelo sexto ano consecutivo, promete uma noite animada pelos sons caraterísticos desta região transfronteiriça e marcada pelo convívio e confraternização entre os grupos presentes e o público das duas margens do rio Minho.

A ligação de Monção à Galiza é forte e, mesmo em tempo de limitação à circulação de pessoase ideias, os dois povos sempre encontraram “maneiras” de fazer vida em comum.A música é uma dessas “maneiras” que, em liberdade, encontrou um amplo espaço de criatividade e intercâmbio cultural. Assim, cada encontro é uma festa.

Fernando Silva