Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GALIZA ESTÁ CADA VEZ MAIS PRÓXIMA DO MINHO

Cerveira-Tomiño implementam Provedoria de Cidadania e Orçamento Participativo Transfronteiriço 2018

A Amizade Cerveira-Tomiño deu mais um passo na consolidação da cooperação transfronteiriça existente, com a apresentação de dois mecanismos pioneiros na Euro-Região Norte Portugal-Galiza, que incitam à participação pública e uma cada vez maior proximidade das populações das duas margens do rio Minho. Trata-se da figura de Provedor Transfronteiriço e da edição 2018 do Orçamento Participativo Transfronteiriço. Executivos apresentaram as pessoas, os objetivos e as normas. Em representação do Governo Galego, Jesus Gamallo, enalteceu a vivência “de uma verdadeira cooperação transfronteiriça”.

_DSC6434.jpg

Perante a presença de várias entidades locais e regionais, os autarcas e vereadoras dos concelhos de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño procederam, esta manhã, na Biblioteca Municipal de Cerveira, à apresentação pública de dois projetos inovadores de caráter transfronteiriço, integrados na Agenda Estratégica para a Cooperação Transfronteiriça Cerveira-Tomiño: a Provedoria da Cidadania Transfronteiriça e o Orçamento Participativo Transfronteiriço 2018.

O presidente do Município de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, sublinhou que “se a cooperação transfronteiriça é hoje um desígnio dos Governos de Portugal e Espanha, declarado na Cimeira Ibérica de Maio, Cerveira e Tomiño têm sido precursores nesta matéria e com muitos e bons resultados. Temos um historial de relações formais e informais, e um vasto trabalho desenvolvido que está a ser cada vez mais consolidado e reconhecido por entidades regionais, como seja a aprovação da candidatura ao Interreg V-A com cerca de 500 mil euros”. Para a alcaldesa de Tomiño, Sandra Gonzalez, não restam dúvidas: “Juntos somos mais fortes. Há muitas potencialidades comuns que devem e têm de ser valorizadas em conjunto. E o futuro é esse, estar e trabalhar frente a frente”.

Em representação do Governo Galego, Jesus Gamallo, salientou os antecedentes de cooperação entre as duas vilas minhotas, e elogiou “a verdadeira cooperação transfronteiriça existente entre Cerveira e Tomiño”. “Desde a Xunta da Galicia, estamos a valorizar o potencial das Eurocidades, já que estamos convencidos de que são fundamentais para impulsionar a cooperação e dinamizar a economia, ao aproveitar os recursos comuns”, assegurou Gamallo.

A Provedoria da Cidadania Transfronteiriça fica ao cargo de Maria de Lurdes Cunha (Vila Nova de Cerveira) e Zara Pousa Arbones (Tomiño), detentoras de um importante e rico currículo que lhes conferem as competências necessárias para desempenhar este cargo voluntário, e cujo objetivo é “garantir a defesa dos direitos e interesses das populações, como cidadãos europeus, perante os órgãos e serviços municipais dos dois concelhos”. Conscientes do desafio a enfrentar, mas com compromisso para o bem desempenhar, as provedoras vão promover, a partir de 1 de julho, um atendimento público conjunto, nas primeiras quartas-feiras de cada mês nos Paços do Concelho de Vila Nova de Cerveira e nas terceiras quartas-feiras, na Casa do Concello de Tomiño, mediante marcação prévia por telefone.

No que diz respeito ao Orçamento Participativo Transfronteiriço, a edição 2018 apresenta como novidade uma maior autonomia e interatividade, ou seja, ao contrário da primeira edição em que coube aos grupos de trabalho definir e apresentar duas propostas para cada área para ser colocada a votação, este ano o processo permite que as próprias entidades dos dois lados se reúnam e trabalhem para apresentar projetos comuns nas áreas de Educação e Cultura; Deporto e Lazer e Território e Ambiente. Num orçamento global disponível de 20 mil euros, o processo arranca já a 15 de julho, através da plataforma eletrónica http://participacerveiratomino.eu

Para mais informações, os interessados devem aceder ao portal da Amizade Cerveira-Tomiño.

_DSC6446.JPG

BRAGA PROMOVE TURISMO NA GALIZA E TRÁS-OS-MONTES

Braga promove activos turísticos em Ourense e Vila Real

Com o objectivo de reforçar a atractividade e a promoção da Cidade junto de mercados turísticos de proximidade, o Município de Braga participou nas Comemorações do Dia de Portugal, realizadas na cidade galega de Ourense, e na ExpoCidades do Eixo Atlântico, que decorreu em Vila Real.

oureeens (1).jpg

Considerando a atracção económica e turística que a Galiza e o Nordeste Transmontano focados, sobretudo, na captação de turismo de proximidade, Braga apostou na promoção de diversas iniciativas, desde logo das grandiosas Festas de S. João, do Mimarte, da Noite Branca ou da Braga Barroca, da intensa programação do Theatro Circo e do gnration. A gastronomia, o património, o comércio e o alojamento foram outros dos focos destas acções promocionais.

“O turismo de proximidade é um mercado que importa cuidar e incrementar para combater a sazonalidade e potenciar principalmente as estadias de fim-de-semana. Promover os nossos activos turísticos nestes mercados é uma das acções que temos vindo a desenvolver através de parcerias com agentes públicos e privados com o foco em aumentar a notoriedade e importância do destino Braga”, sustenta António Barroso, do Gabinete de Apoio à Presidência do Município.

oureeens (2).jpg

AQUAMUSEU DO RIO MINHO ACOLHE REUNIÃO DE TRABALHO DO PROJETO APROVADO PELO POCTEP

Aquamuseu acolheu reunião de trabalho de projeto aprovado pelo POCTEP

Os vários parceiros envolvidos noprojeto "Migramiño-Minho, Proteção e conservação dos peixes migradores no rio Minho internacional e seus afluentes" reuniram, pela primeira vez, nas instalações do Aquamuseu do rio Minho, para definir e articular o processo de execução, após aprovação pelo Programa INTERREG V A (POCTEP).

PROJETO INTERREG AQUAMUSEU.jpg

Liderado pela DirecciónXeral de Conservación da Natureza, Consellería de Medio Ambiente, Territorio e Infraestructuras, o projeto conta com uma dotação financeira de 2.131.550 €, cujo objectivo principal visa a melhoriada proteção e conservação do habitat fluvial da bacia do rio Minho, compreendendo o troço internacional e afluentes, assim como das espécies de peixes migradores presentes, nomeadamente lampreia, salmão, sável, savelha, truta marisca e enguia.

"Migramiño-Minho, Proteção e conservação dos peixes migradores no rio Minho internacional e seus afluentes" tem ainda como parceiros: Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Confederación Hidrográfica delMiño - Sil, Administração da Região Hidrográfica do Norte ARH Norte (APA), Estación de Hidrobiloxía «Encoro do Cón» da Universidade de Santiago de Compostela, Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira (Aquamuseu do Rio Minho).

EUROCIDADE MONÇÃO-SALVATERRA DE MIÑO DISPONIBILIZA OS SERVIÇOS DO GABINETE DE INFORMAÇÃO SOBRE EMPREGO DA UNIÃO EUROPEIA, EURES TRANFRONTEIRIÇO

Serviço, em funcionamento desde a passada segunda-feira, 19 de junho, constitui uma mais-valia para quem investe e trabalha nesta zona de fronteira, garantindo acesso a um conjunto de informações fundamentais para um pleno exercício da atividade profissionale para a procura de emprego.

Eures (Large).JPG

A Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, cuja sede está localizada no lugar da Lodeira, em Monção, iniciou, na passada segunda-feira, 19 de junho, a colaboração com o serviçoEures Transfronteiriço Norte de Portugal – Galicia, organismo criado em 1998 com o objetivo de transmitir informação específica relacionada com a mobilidade de trabalhadores e empresários entre as duas regiões.

Esta decisão, saída de uma reunião de trabalho entre os representantes da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño e a Coordenadora do Eures Transfronteiriço Norte de Portugal – Galicia, Teresa GonzálezVentin, realizada recentemente, constitui uma mais-valia para quem investe e trabalha nesta zona de fronteira, garantindo acesso a um conjunto de informações fundamentais para um pleno exercício da atividade profissional.

Entre estas, destacam-se as ofertas de emprego existentes na Euroregião, informação sobre legislação dos dois países em matéria laboral, fiscal e social aplicada à mobilidade transfronteiriça, oportunidades de formação profissional em ambas as regiões e os procedimentos legais subjacentes à contratação laboral.

Presentes na reunião, tanto o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, como o Alcalde de Salvaterra de Miño, Arturo Grandal Vaqueiro, consideram aquele serviço como essencial no relacionamento laboral e formativo das duas regiões, acreditando que a sua aplicabilidade terá um papel importante junto dos empregados e empregadores.

A informação solicitada será disponibilizada pelas duas técnicas afetas ao organismo que tem em mãos o estabelecimento de diversas parcerias, através de protocolos de colaboração, com instituições e associações de ambas as regiões, visando assegurar maior flexibilidade, procura e eficácia deste serviço virado para as pessoas.

Refira-se que o Eures é uma rede criada pela Comissão Europeia, constituída por representantes em todos e cada um dos estados membro, com o propósito de prestar serviços de informação aos trabalhadores e empresários sobre o mercado de trabalho no Espaço Económico Europeu.

Dentro da rede Eures, encontra-se o serviço Eures Transfronteiriço, cujo objetivo consiste em dar resposta às necessidades de informação ligadas à mobilidade laboral e empresarial em zonas de fronteira. Um desses Eures Transfronteiriço recebeu o nome de Norte de Portugal – Galicia, intervindo nesta Euroregião desde 1998.

Horário

Atendimento ao público

Período da manhã - segunda a sexta-feira - 09h00 às 13h00

Período da tarde - quinta-feira - 15h00 às 17h00   

GALIZA COMEMORA DIA DE PORTUGAL

Arcos de Valdevez voltou a integrar comemorações do Dia de Portugal em Vigo

À semelhança do ocorrido no ano transato, numa iniciativa promovida pelo consulado de Portugal em Vigo, o 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, voltou a ser assinalado na Galiza, em estreita colaboração com os municípios do norte de Portugal.

dia_portugal_vigo_2017.JPG

Este ano, as celebrações ocorreram a 9 e 10 de junho na cidade de Ourense, nomeadamente na Praça Bispo Cesáreo e na Praça Maior de Ourense, a zona mais atraente da cidade, no centro histórico.

Considerando a atração económica e turística que a Galiza exerce sobre os turistas e as empresas portuguesas, bem como a deslocação constante de galegos ao norte de Portugal, em turismo, Arcos de Valdevez voltou a integrar as comemorações, através da promoção turística do concelho, dos produtos locais, dos vinhos e da “Recriação Histórica do Recontro de Valdevez” a decorrer entre os dias 7 e 9 de julho. No âmbito da animação foi integrada a atuação da rusga do Povo de Távora Sta. Maria e São Vicente.

Esta foi mais uma ação de promoção ao concelho realizada pela Autarquia com a intenção de captar mais turismo e consequentemente dinamizar economicamente Arcos de Valdevez, dando a conhecer as suas potencialidades ao nível da gastronomia, vinhos, produtos locais, alojamento, comércio e oferta cultural.

dia_portugal_vigo_2017 (4).JPG

dia_portugal_vigo_2017 (10).JPG

dia_portugal_vigo_2017 (12).JPG

PARQUE AQUÁTICO DE CERVEIRA REABRE AO PÚBLICO

Parque Aquático de Cerveira de portas abertas

Muito procurado por famílias dos dois lados da fronteira, o Parque Aquático de Vila Nova de Cerveira está, a partir de hoje, de portas abertas para proporcionar um verão com muita diversão. Jogos de água e contacto com envolvente natural abraçada pelo rio Minho são caraterísticas de atratividade de portugueses e espanhóis.

QK6G7721

Entre junho e setembro, é constante ver famílias oriundas um pouco de todo o Norte do país e da vizinha Galiza a eleger este espaço como perfeito para um dia harmoniosamente bem passado.

Vizinho do Aquamuseu e a confrontar com o rio Minho, este parque temático incorpora uma componente lúdico-pedagógica única, em que as brincadeiras surgem num ambiente de réplica do troço internacional de água, com os seus canais, comportas, barragens, jatos e repuxos de água.

O Parque Aquático está associado a um espaço de excelência ambiental, o Parque de Lazer do Castelinho que disponibiliza ainda um parque geriátrico, uma zona radical com parede de escalada e circuito de bouldering, campos de jogos para a prática de modalidades desportivas (futebol, voleibol, andebol e basquetebol), e parques infantil e de lazer que podem ser usufruídos livremente. O Aquamuseu do Rio Minho é outro espaço de paragem obrigatória por todo o património natural e histórico que alberga e que permite uma ‘viagem’ pedagógica pelas margens do rio Minho.

Até ao final do verão, este espaço funciona de terça-feira a domingo, entre as 10h00 e as 12h30 e as 14h00 e 19h30. O encerramento acontece às segundas-feiras para manutenção.

COOPERAÇÃO ENTRE CERVEIRA E TOMIÑO VALORIZAM A REGIÃO

Cerveira-Tomiño apresentados como exemplo de mobilidade sustentável em cooperação transfronteiriça

A Coordenadora da Unidade de Missão para a Valorização do Interior (UMVI), Helena Freitas, reiterou, em Vila Nova de Cerveira, “a exemplar estratégia encetada por dois concelhos de dois países” e que, com os novos projetos em perspetiva, “só acrescentarão maior dinâmica e valorização a este território comum”. As declarações foram feitas, esta manhã, durante o hastear da Bandeira “Vila de Excelência – Nível II” a Cerveira-Tomiño.

IMG_4499

Numa cerimónia simples, mas carregada de simbolismo, o Município cerveirense viu reconhecido publicamente, pela Rede de Cidades e Vilas de Excelência, o meritório trabalho desenvolvido pelas práticas inovadoras nos eixos da mobilidade e da regeneração de âmbito transfronteiriço.

Afirmando a importância do rio Minho e da implementação de políticas ambientais, o edil cerveirense afirmou que a cooperação transfronteiriça entre Cerveira e Tomiño tem crescido sustentadamente, mas com a ambição focada no passo seguinte. “Recentemente foram aprovadas duas candidaturas no Interreg V A, uma da Agenda Estratégica da Amizade Cerveira-Tomiño, e outra para o projeto de ampliação do Parque Transfronteiriço Castelinho-Fortaleza com cerca de 20ha que inclui o projeto da travessia pedonal e ciclável sobre o rio Minho e que fará a ligação deste espaço. É sob esta mobilidade sustentável em cooperação transfronteiriça que estamos e vamos continuar a debater-nos”, disse Fernando Nogueira, acrescentando: “Esta bandeira é o reconhecimento dos nossos projetos”.

Presente na cerimónia, a alcaldesa de Tomiño sublinhou a intensificação da cooperação transfronteiriça “conseguida nos últimos anos, com vários mecanismos para desfronteirizar cada vez mais os territórios”. Sandra Gonzalez reiterou a implementação do conceito de mobilidade sustentável “através do comboio, a Ponte da Amizade, a futura travessia pedonal, e a partilha de recursos e equipamentos”.

Por sua vez a Paula Teles, da Rede de Cidades e Vilas de Excelência, elogiou o trabalho desenvolvido por Vila Nova de Cerveira que permitiu esta reavaliação e alcançar mais um nível. “Ter dois territórios de dois países diferentes a trabalhar em prol do mesmo objetivo é inovador na nossa Rede. É preciso mudar mentalidades em prol destes conceitos e este é um bom exemplo”, assegurou.

A presidir esta cerimónia esteve a Coordenadora da Unidade de Missão para a Valorização do Interior (UMVI) que elogiou o “excelente exemplo de cooperação, sintonia e de desenvolvimento integrado de Cerveira e Tomiño e, nesta perspetiva, do que deve ser feito em territórios transfronteiriços”. Helena Freitas afirmou que tem invocado esta cooperação, “como uma exemplar estratégia encetada por dois concelhos de dois países” e que, com os novos projetos em perspetiva, “só acrescentarão maior dinâmica e valorização a este território comum”.

Vila Nova de Cerveira, em parceria com Tomiño, é assim considerada uma “Vila Ciclável e de Mobilidade Amigável” e uma “Vila de Regeneração e Vitalidade Urbana”.

IMG_4518

PONTE DE LIMA VAI À GALIZA FESTEJAR O DIA DE PORTUGAL

Município de Ponte de Lima no Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas em Ourense. 9 e 10 de junho - Ourense – Espanha

O Município de Ponte de Lima marca presença nas comemorações do Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesa, a realizar na Galiza, em Ourense, nos dias 9 e 10 de junho.

DdP2017-cartaz6 (Medium)

A representação consular de Portugal na Galiza organiza em pleno Centro Histórico de Ourense as comemorações do Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas, convidando vários municípios portugueses a participar nas cerimónias, juntamente com a vasta comunidade portuguesa na Galiza.

Ponte de Lima integra 23 municípios do norte e centro de Portugal que aceitaram o desafio lançado pelo Consulado Português.

Do programa, destaque para a atuação pelas ruas do centro histórico de Ourense, do Rancho Folclórico de Santa Marinha de Anais e da respetiva ação de promoção turística de Ponte de Lima.

BRAGA INAUGURA PRAÇA DEDICADA AO EIXO ATLÊNTICO

Inauguração da Praça e da exposição dos 25 anos do Eixo Atlântico

Sexta-feira, dia 2 de Junho, em Braga

O Município de Braga e o Eixo Atlântico procedem à abertura oficial da exposição dos 25 anos do Eixo Atlântico, que terá lugar Amanhã, Sexta-feira, dia 2 de Junho, na Cidade de Braga.

O programa será o seguinte:

11h00 | Inauguração da Praça do Eixo Atlântico, junto à estação de caminho-de-ferro

12h00 | Abertura oficial da exposição dos 25 anos do Eixo Atlântico, na Avenida Central

12h30 | Conferência de imprensa, no Theatro Circo, para apresentação do Congresso do Eixo Atlântico ‘A Agenda Urbana a debate’ e das comemorações do 25.º aniversário do Eixo Atlântico

Estas iniciativas vão contar com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga e do Eixo Atlântico.

ENTRE MARGENS – ENCONTRO DE TOCADORES 2017 ANIMA CAMINHA DE 2 A 4 DE JUNHO

Certame abre sexta-feira, pelas 18H00

De 2 a 4 de junho, o Entre Margens – Encontro de Tocadores vai fazer de Caminha a capital da música e do instrumento tradicional. Mostra de construtores de instrumentos tradicionais, exposição de instrumentos musicais, palestras, oficinas, concertos, projeção de filmes e documentários, bailes noturnos são as propostas desta edição. O Entre Margens abre sexta-feira, dia 2, pelas 18H00.

entre margens 2

O Entre Margens – Encontro de Tocadores dá inicio à programação de verão. A organização acredita que esta edição vai atrair ainda mais visitantes à vila de Caminha. O objetivo é promover e divulgar o concelho a nível nacional e internacional e potenciar a economia local.

Durante três dias, Caminha vai abrir as portas dos seus espaços culturais e das suas ruas e praças a tocadores de instrumentos tradicionais de várias gerações, que vão partilhar conhecimentos, repertórios e técnicas instrumentais, de várias regiões de Portugal, Minho em particular, e da Galiza.

O Entre Margens – Encontro de Tocadores conta com um extenso programa com destaque para o Encontro de Zés Pereiras grupos de Portugal e da Galiza; para os vários concertos com o grupo ‘De Outra margem’, Daniel Pereira ‘Cristo’, Ariel Ninas e César Prata e convívio de Grupos de Cavaquinhos da Ribeira Minho; para as oficinas de concertina, violino popular galego e rabeca chuleira, cantos polifónicos de Lafões e pandereteiras, toques de chamarritas, bailes de chamarritas e gaita-de-fole; para as palestras; para as foliadas e bailes ao improviso, entre outras atividades.

Para além da animação constante, esta edição vai ter presentes 22 construtores na mostra de construtores de instrumentos musicais tradicionais, que adornará o Largo Calouste Gulbenkian. No Salão Nobre dos Paços do Concelho vai estar patente a ‘Exposição de Instrumentos Musicais’ composta por vários modelos e tipologias de violas portuguesas de várias regiões do país.

No dia da abertura, dia 2, depois da abertura oficial, será possível assistir pelas 18H30, à apresentação do CD “Cantos de Cego da Galiza e Portugal”, por Ariel Ninas e César Prata; pelas 21H30, ao concerto “Cantos de Cego” com Ariel Ninas e César Prata e o dia termina com a Foliada e Baile ao Improviso, no Largo Calouste Gulbenkian.

No dia 3, ao longo do dia decorrerão as várias oficinas. Pelas 12H00, terá lugar o Encontro de Zés Pereiras, grupos de Portugal e da Galiza; a essa hora, decorrerá em simultâneo a palestra “A Questão de Género nas Músicas de Tradição Oral”, por Júlia Feijóo. Pelas 15H00, será apresentado o trabalho musical “O Acordeão Na Costa da Morte” por Xurxo Souto e Pazos de Merexo e decorrerá a Mostra de Música Local. Pelas 16H00, terá lugar a palestra “Os Arquivos de Música Tradicional na Rede”, por Sérgio de La Ossa”, seguida da palestra “As Polifonias de Lafões” por Maria Rosa Pestana e, ainda, da palestra “As Gaitas Antigas de Portugal”, por Pablo Carpinteiro. À noite, pelas 22H00, destaca-se o concerto “Cavaquinho cantado”, por Daniel Pereira ‘Cristo’; o Baile de Chamarritas dos Açores e a Foliada e Baile ao Improviso.

No último dia, da parte da manhã continuarão as oficinas. Pelas 11H00, terá lugar a palestra “A Rabeca Chuleira”, por Emiliana Silva; pelas 12H00, decorrerá a apresentação do trabalho musical “Aires de Pontevedra: Ricardo Portela”, por OscarIbañez; pelas 15H00, são apresentados os trabalhos realizados nas oficinas  e o Entre Margens – Encontro de Tocadores encerrará com o concerto pelo grupo “De Outra Margem”.

O Entre Margens é organizado por PédeXumbo – Associação para a Promoção da Música e da Dança, aCentral Folque – Centro Galego Música Popular, Coreto – Associação para a Promoção de Artes e Culturas Tradicionais e Câmara Municipal de Caminha. Conta ainda com os apoios da AGADIC – Axencia Galega das Industrias Culturais, Freguesia de Caminha e Vilarelho, Fundação INATEL e MusicTrad.

Mais informações em pedexumbogeral@pedexumbo.com.

Entre Margens

VALENÇA RECEBE ENCONTRO DE COOPERATIVAS DA EUROREGIÃO

A Euroregião Galicia – Norte de Portugal – AECT, a CASES - Cooperativa António Sérgio para a Economia Social e Consellería de Economía, Empleo e Industria da Xunta de Galicia levam a efeito o Encontro de Cooperativas da Euroregião, que terá lugar no dia 20 de junho, na Escola Superior de Ciências Empresariais do IPVC (Av. Pinto da Mota, 4930-600 Valença).

Com a finalidade de favorecer o interesse das cooperativas, e para que esta jornada de trabalho sirva como verdadeiro ponto de encontro e cooperação entre elas, a organização dispõe de espaço expositivo para as cooperativas que queiram estar presentes possam expor materiais informativos próprios ou painéis informativos com os seus principais dados identificativos de forma a que se facilitem os contatos e as relações posteriores entre elas. Esta informação poderia consistir em:

  • Atividades principais (mostra de produtos)
  • Dados de contato da pessoa presente no encontro

Capturarcoop1

Capturarcoop2

VIANENSES SEGUEM PELOS CAMINHOS CAMINHOS DE SANTIAGO RUMO A PADRÓN

PASSOS DE MEMÓRIA - CAMINHOS DE SANTIAGO - Caminho Português da Costa | 10 de junho: Etapa Pontevedra - Caldas de Reis | 24 de junho: Etapa Caldas de Reis - Padrón 

No mês de junho realizam-se mais dois percursos “Passos de Memória”, desta vez com a realização da oitava e nona etapa dosCaminhos de Santiago - Caminho Português da Costa. No dia 10 de junho será realizado o percurso entre Pontevedra e Caldas de Reis (aprox. 21 Km) e no dia 24 de junho o percurso entre Caldas de Reis e Padrón (aprox. 18 Km).

Até ao dia 22 de julho, dia de chegada a Santiago de Compostela,  serão realizadas no total 10 etapas do Caminho, iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, no âmbito do projeto de Valorização dos Caminhos de Santiago - Caminho Português da Costa.

O ponto de encontro, nos dias indicados (10 e 24 de junho), será o Centro Cultural de Viana do Castelo, às 8h00. A autarquia disponibiliza autocarro para transporte dos participantes até ao ponto de início da caminhada e para o retorno a Viana do Castelo no final da mesma.

O Caminho Português a Santiago é o segundo percurso mais percorrido, a seguir ao Francês, e tem registado um crescimento consolidado com crescente interesse nacional e internacional. No concelho de Viana do Castelo, estão alguns dos mais importantes marcos deste caminho, designadamente, na Igreja de Santiago de Castelo do Neiva, onde foram encontrados, em 1931, durante a realização de obras na igreja paroquial, dois importantes documentos arqueológicos: uma ara votiva do período romano, dedicada às divindades dos caminhos e a inscrição altimedieval de consagração da Igreja a Santiago, datada do ano 862, incrustada na parede sul da igreja, sendo a consagração mais antiga ao apóstolo feita fora do território espanhol.

Inscrições limitadas.

A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição através do preenchimento de um formulário disponível online através do link: http://www.cm-viana-castelo.pt/pt/passos-de-memoria-inscricao

Para efetuar a inscrição na Caminhada do dia 10 de junho, o formulário encontra-se disponível a partir do dia 1 de junho (quinta-feira), às 13h00.

Para efetuar a inscrição na Caminhada do dia 24 de junho, o formulário encontra-se disponível a partir do dia 14 de junho (quarta-feira)às 13h00.

Dados a indicar no formulário de inscrição:

Nome completo

Data de nascimento

Número de Identificação Fiscal (NIF)

Concelho de residência

Telemóvel

E-mail

Mais informações através do telefone: 258 809 350 ou do e-mail: sturismo@cm-viana-castelo.pt

Consultar aqui Plano de Percursos 2017

Os percursos, que são um excelente modo de conhecer o património cultural e natural do município, além de promover o exercício físico, permitirão conhecer locais com paisagens deslumbrantes. Use sempre equipamento de acordo com a estação do ano, como impermeável, chapéu, calçado e vestuário adequado. Privilegie a água e a fruta nos seus mantimentos.

Caminhe connosco por estes passos de memória …

MUNICÍPIOS DE CAMINHA E A GUARDA PROMOVEM ‘ROTA PELA ILHA DE AROUSA’ NO DIA 03 DE JUNHO

Iniciativa conjunta dos municípios de Caminha e A Guarda realizada no âmbito da candidatura do “Rio Minho a Paisagem cultural da UNESCO”

‘Rota pela Ilha de Arousa’ é o próximo percurso pedestre que os municípios de Caminha e A Guarda vão promover no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO. Percurso pelas Rias de Vigo terá lugar no dia 03 de junho.

Com esta iniciativa pretende-se dar a conhecer os territórios de ambas as margens do Rio Minho e promover a cooperação e o intercâmbio cultural entre os dois povos, isto é promover a riqueza histórica, cultural, paisagística, ambiental, económica, etnográfica e humana destes dois concelhos.

No dia 03 de junho, realiza-se o terceiro dos percursos: ‘Rota pela Ilha de Arousa’,numa distância de 15 Km. A saídade Caminha está prevista para as 07H00.Esta rota decorrerá pelolitoral da ilha, com passagem pela “Rota dos Cons” e pelo “Sendeiro dos Pilros”.

Até outubro, os Municípios de Caminha e A Guarda estão a promover a iniciativa “Andainas”, que consiste na promoção de váriospercursos pedestres, a realizar tanto em território português como espanhol, no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO. Já se realizaram os percursos ‘Caminho dos Burros (S. Xián (O Rosal) – A Guarda)’ e ‘Allariz – Augas Santas (Ourense)’. Nos próximos meses terão lugar: a ‘Romaria de S. João d’Arga’; ‘Fortalezas do Baixo Minho’ e, a ‘Rota das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d’Arcos’.

O custo de participação será de 12 euros por pessoa, para cada um dos percursos. Os dois municípios assegurarão o apoio logístico e o transporte dos participantes até aos pontos de partida e no regresso das etapas.As inscrições são obrigatórias e  deverão ser realizadas para o mail ambiente@cm-caminha.ptou para os telefones 258 721 708 ou 914 476 461.

GALIZA: CORUNHA COMEMORA DIA DA MUINHEIRA

A Asociación Folclórica y Cultural Orballo que congrega diversas associações e agrupamentos culturais, leva a efeito no próximo dia 28 de Maio, a 34ª edição do Dia da Muinheira. A iniciativa tem lugar na Praça do Conde de Pontedeume, na província da Corunha, com início às 18 horas.

xxxiv-día-da-muiñeira-pontedeume_img2333n1t0

A muinheira é uma dança do folclore galego e tem a sua origem nos momentos de diversão, junto aos moinhos. Enquanto aguardavam pelo fim da moagem, as mulheres cantavam e bailavam ao som da pandeireta e da gaita-de-foles, até que o moleiro lhes fizesse a entrega da farinha.

A pandeiretada, assim era designada a muinheira velha, é a dança genuína das gentes galegas que tem na muinheira nova a sua versão mais erudita, com autor identificado. A dança é executada por pares mistos que, com elevado ritmo e rapidez, fazem o “passeio” de braços erguidos, numa coreografia e vistosa que anima as mais alegres festas e romarias da Galiza.

xxxiv-día-da-muiñeira-pontedeume_img2333n2t0

xxxiv-día-da-muiñeira-pontedeume_img2333n3t0

xxxiv-día-da-muiñeira-pontedeume_img2333n4t0

GALIZA: VIGO REALIZA FESTA DA CEREJA

Nueva edición de la Festa - Feira da Cereixa que tendrá lugar desde el 2 al 4 de Junio en la parroquia viguesa de Beade. Los asistentes a esta fiesta, que se celebra al aire libre, podrán degustar, un año más, las primeras cerezas de temporada y disfrutar con las actividades lúdicas programadas para público de todas las edades.

xxxii-festa-feira-da-cereixa-de-beade-vigo_img1636n1t0

A GALIZA AQUI TÃO PERTO!

Aprovada candidatura de meio milhão de euros para potenciar cooperação transfronteiriça Cerveira-Tomiño

A“Agenda Estratégica de Cooperação Transfronteiriça Amizade Cerveira-Tomiño- Coop _ ACT” integra a lista dos 132 projetos aprovados na primeira convocatória Interreg V–A.Candidatura recebe meio milhão de euros para reforçaruma visão compartilhada dos dois concelhos, através de estratégias de desenvolvimento e projetos que materializem a sua integração num único espaço físico e social.

Cerveira - Tomiño pretendem ser símbolo de cooperação europeia.JPG

O Comité de Gestão do Programa de Cooperação Transfronteiriça Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020 divulgou recentemente a lista de projetos aprovados para, em breve, se proceder à assinaturados acordos entre a Autoridade de Gestão e os Beneficiários Principais.

Com um investimento aprovado de cerca de 500 mil euros, financiado a 75% pelo Feder, o principal desafio deste projeto é caminhar para uma efetiva ‘desfronteirização’. Por um lado, pretende-se aprofundar e consolidar as relações institucionais através de uma programação e gestão conjunta e compartilhada dos distintos serviços públicos, de forma a eliminar riscos de duplicação de equipamentos e, por outro lado, promover o conceito de ‘eurocidadania’, ou seja, estimular a participação cívica ativa na formulação de propostas e escolhas exercida de forma democrática e inovadora ao nível transfronteiriço, implicando os cidadãos de Cerveira e Tomiño na formulação de soluções para necessidades comuns.

O projeto desenvolve-se em quatro atividades e cuja implementação das ações específicas alarga-se até 31 de dezembro de 2019. A atividade I visa a dinamização da Agenda Estratégica Cerveira-Tomiño com o intuito de manter o processo vivo e promover a participação pública, com destaque para a criação da figura de provedor da cidadania transfronteiriça e a implementação do projeto piloto de orçamento participativo transfronteiriço, cuja edição 2017 já está em fase de execução com três projetos vencedores; a atividade II incide sobre um programa de gestão partilhada de serviços locais, com destaque para o “Gotas de Água por Notas de Música”, isto é, uma experiência-piloto de oferta de dois serviços, a Piscina Municipal de Vila Nova de Cerveira e a Escola de Música de Tomiño, mas podendo ainda ser alargada a outros serviços públicos locais; a atividade III versa sobre a dinamização da economia local transfronteiriça potenciando iniciativas empresariais no setor do turismo e das plantas ornamentais; e, por último, a atividade IV que sustenta a capacitação e participação em redes de cooperação, ou seja, o intercâmbio de experiências e boas práticas com outras dinâmicas transfronteiriças e a realização das Jornadas Amizade Cerveira Tomiño.

De recordar que Vila Nova de Cerveira e Tomiño formalizaram a sua cooperação, em junho de 2014, com a subscrição da Carta da Amizade, de forma a consolidar um crescimento sustentável, inovador e inclusivo baseado na cooperação transfronteiriça.

RICARDO RIO DEFENDE NOVO PLANO DE COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA

Comunidade de Trabalho Galiza – Norte de Portugal reuniu plenário em Braga

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, desafiou a Comunidade de Trabalho Galiza-Norte de Portugal (CTGNP) a elaborar um novo plano de cooperação transfronteiriça. Na sessão da abertura do XI Plenário da CTGNP, que se realizou hoje, 15 de Maio, no Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga, Ricardo Rio defendeu que é “importante continuar a potenciar os recursos existentes na região, quer do ponto de vista da investigação, quer do ponto de vista turístico”.

CMB14052017SERGIOFREITAS0000006999.jpg

“A Cidade de Braga tem estado empenhada, nos mais diversos contextos, em projectos de cooperação transfronteiriça, sendo o INL um dos exemplos mais relevantes. Mas acreditamos que é a trabalhar em conjunto que podemos alcançar melhores resultados”, sustentou o Edil, neste encontro em que a CTGNP apresentou o balanço do trabalho realizado na Euro-Região e perspectivou os investimentos futuros.

CMB14052017SERGIOFREITAS0000006997.jpg

Reconhecendo o “caminho meritório” traçado até agora, Ricardo Rio acredita que a Comissão de Trabalho pode ter “um papel reivindicativo junto dos Governos dos dois países e afirmar os projectos prioritários para o território e, desta forma, potenciar ainda mais o desenvolvimento da Euro-Região”. “Entendemos que o Norte de Portugal e a Galiza têm sido e poderão continuar a ser um exemplo de cooperação transfronteiriça no plano europeu”, frisou o Autarca Bracarense.

A par da apresentação do balanço do trabalho realizado e dos investimentos futuros, este XI Plenário da Comunidade de Trabalho ficou marcado pela passagem da presidência da da CCDR-N para a Xunta da Galiza e incluiu ainda a apresentação de boas práticas de cooperação transfronteiriça entre as duas regiões.

CMB14052017SERGIOFREITAS0000007000.jpg

CMB14052017SERGIOFREITAS0000007001.jpg

ENTRE MARGENS – ENCONTRO DE TOCADORES 2017 REGRESSA A CAMINHA DE 2 A 4 DE JUNHO

Caminha vai voltar a ser a capital da música e do instrumento tradicional. De 2 a 4 de junho, o Entre Margens – Encontro de Tocadores vai tomar conta dos vários espaços culturais, ruas e praças de Caminha. Palestras, oficinas, concertos, projeção de filmes e documentários, bailes noturnos à volta de "jamsessions" dos vários músicos presentes vão dar o mote a esta edição.

entre margens 1.jpg

O Entre Margens – Encontro de Tocadores abre a programação de verão no concelho. A organização está a ultimar os preparativos para que esta edição atraia cada vez mais visitantes. O objetivo é promover e divulgar o concelho a nível nacional e internacional e potenciar a economia local.

Assim, Caminha prepara-se para abrir as portas dos seus espaços culturais e das suas ruas e praças para acolher tocadores de instrumentos tradicionais de gerações distintas que vão partilhar conhecimentos, repertórios e técnicas instrumentais, possibilitando a continuidade das tradições musicais de várias regiões de Portugal, Minho em particular, e da Galiza.

O Entre Margens – Encontro de Tocadores conta com um extenso programa com destaque para as oficinasde concertina, violino popular galego e rabeca chuleira, cantos polifónicos de Lafões e pandereteiras, toques de chamarritas, bailes de chamarritas e gaita-de-fole, exposições, mostra de construtores de instrumentos musicais tradicionais, palestras, concertos, foliadas e bailes ao improviso, encontro de Zés Pereiras (grupos de Portugal e da Galiza), entre outras atividades.

entre margens 2.jpg

Esta edição vai ser marcada pela apresentação de vários trabalhos musicais, designadamente: “Cantos de Cego da Galiza e Portugal”, por Ariel Ninas e César Prata; “O Acordeão Na Costa da Morte” por Xurxo Souto e Pazos de Merexo; “As Coletâneas dos Açores”, por Emiliano Toste e ainda “Aires de Pontevedra: Ricardo Portela”, por OscarIbañez. Para além da apresentação dos vários trabalhos, há ainda vários concertos, com destaque para Ariel Ninas e César Prata e Daniel Pereira “Cristo”.

Durante os três dias, será possível assistir a várias palestras: “A Questão de Género nas Músicas de Tradição Oral”, por Júlia Feijóo; “Os Arquivos de Música Tradicional na Rede”, por Sérgio de La Ossa; “As Polifonias de Lafões” por Maria Rosa Pestana; “As Gaitas Antigas de Portugal”, por Pablo Carpinteiro e ainda “A Rabeca Chuleira”, por Emiliana Silva.

O Entre Margens é organizado por PédeXumbo – Associação para a Promoção da Música e da Dança, aCentral Folque – Centro Galego Música Popular, Coreto – Associação para a Promoção de Artes e Culturas Tradicionais e Câmara Municipal de Caminha. Conta ainda com os apoios da AGADIC – Axencia Galega das Industrias Culturais, Freguesia de Caminha e Vilarelho, Fundação INATEL e MusicTrad.

Mais informações em e pedexumbogeral@pedexumbo.com.

Entre Margens (1).jpg

PRIMEIRA REUNIÃO DO GRUPO DE TRABALHO DA EUROCIDADE MONÇÃO - SALVATERRA

A equipa de trabalho da Eurocidade Monção-Salvaterra de Miño esteve reunida na passada segunda-feira, pela primeira vez, na sede daquela entidade transfronteiriça, no Parque da Lodeira, em Monção, tendo estabelecidoalgumas normas de funcionamento e as primeiras linhas de atuação conjunta.

602e5226868571.5571c3865d551.png

Desta forma, determinou-se o horário de atendimento ao público da sede da Eurocidade que funcionará de segunda a sexta-feira, entre as 09h00 e as 13h00 (período de manhã), e na quinta-feira, dia de feira semanal em Monção, entre as 15h00 e as 17h00 (período de tarde).  

Neste horário, os técnicos responsáveis pelo espaço estarão disponíveis para transmitir informação cultural e turística sobre os dois municípios, bem como prestar todos os esclarecimentos relacionados com questões de mobilidade transfronteiriça na vertente social e laboral.

A reunião serviu ainda para aprovar a constituição de comissões de trabalho em várias áreas (cultura, desporto, educação, juventude, turismo, meio ambiente, desenvolvimento económico…) com o objetivo de preparar novas candidaturas aos fundos comunitários, nomeadamente à segunda convocatória do POCTEP - Programa de Cooperação Transfronteiriço.

Refira-se que a sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño foi inaugurada oficialmente no passado dia 1 de maio numa cerimónia que contou, entre outros, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e do Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

reuniãomonçgem.jpg

CAMINHA: VISITA PAPAL OBRIGA A INTERROMPER FERRY-BOAT DE 10 A 13 DE MAIO

De 10 a 13 de maio, o Ferry-boat Santa Rita de Cássia, que estabelece percursos diários entre as duas margens do rio Minho, de Caminha a A Guarda, vai interromper as travessias.

Esta decisão tem por base o articulado na Resolução do Conselho de Ministros n.º 49/2017, referente à visita de Sua Santidade o Papa Francisco a Portugal.

A Câmara Municipal solicita a melhor compreensão pelo incómodo que esta paragem possa causar.

EUROCIDADE MONÇÃO - SALVATERRA DE MIÑO: AUTARCAS APOSTAM NA DINAMIZAÇÃO TURISTICA DO RIO MINHO E NA PARTILHA DE SERVIÇOS NA SAUDE E PROTEÇÃO CIVIL

A abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, localizada no antigo edifício da PIDE, no Parque da Lodeira, tornou ainda mais consistente e vigoroso o relacionamento frutuoso, desde sempre, entre os responsáveis políticos e as populações dos dois municípios unidos pelo rio Minho.

DSC_0019 (Large).JPG

O novo organismo, inaugurado vinte e dois anos após a entrada em funcionamento da ponte internacional entre as duas localidades, tem como prioridades, entre outras, a realização conjunta de atividades culturais, sociais e desportivas, a valorização do troço fluvial do rio Minho e a dinamização dos recursos endógenos no campo enológico, patrimonial e paisagístico. 

Na linha da frente da “ordem de trabalhos” estará também o empreendedorismo transfronteiriço, a partilha de equipamentos coletivos, garantindo escala e rentabilização financeira, e a apresentação de candidaturas a programas comunitários transfronteiriços, visando o fortalecimento da atividade turística e económica.

Numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e pelo Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela, os dois autarcas raianos, Augusto de Oliveira Domingues e Arturo Grandal Vaqueiro, falaram de um passado difícil e de um futuro promissor.

Consolidar relação umbilical

O autarca monçanense, que recordou a imposição restritiva da fronteira com momentos marcantes na sua memória de criança e jovem, apontou estratégias de futuro que, acrescentou, passam por aprimorar as excelentes relações existentes e garantir melhor qualidade de vida às populações.

DSC_0028 (Large).JPG

Referindo-se a alguns projetos em andamento, como um barco turístico e o alargamento dos passeios da ponte, Augusto de Oliveira Domingues reafirmou o propósito de consolidar esta relação transfronteiriça umbilical nos campos da saúde e da proteção civil.

Disse: “Não entendo porque motivo não podemos abrir as portas do nosso centro de saúde aos nossos vizinhos galegos. Ou porque os nossos bombeiros não podem intervir no outro lado da fronteira. Senhores governantes, temos de ultrapassar estas situações para que a relação seja de completa liberdade num futuro que queremos construir juntos”.

Uma intervenção com claro enfoque nos próximos anos que Arturo Grandal Vaqueiro ouviu, aplaudiu e reforçou. Para ele, tal como para Augusto de Oliveira Domingues, o rio nunca constituiu obstáculo ao relacionamento entre as duas populações e a ponte é apenas uma rua que liga os dois centros históricos separados por um quilómetro.

“Imagino um pequeno Douro”

Com palavras pausadas e emocionadas, Arturo Grandal Vaqueiro referiu-se à sede da Eurocidade como um instrumento fundamental para a valorização cultural e paisagística de Monção e Salvaterra de Miño, dois municípios vizinhos com potencialidades vínicas (Alvarinho) e patrimoniais (muralhas) semelhantes.

De seguida, com a certeza que cresce na convicção, apontou os próximos desafios da Eurocidade, mencionando dois que, de alguma forma, já tem um caminho percorrido. Por um lado, a valorização da ponte internacional e, por outro, a navegabilidade de um barco turístico: 

“A ponte é uma rua e, como tal, temos de tratar bem dela. Iluminação, pintura e alargamento para as pessoas que a cruzam a pé, a correr ou de bicicleta. Estamos também a pensar num barco turístico que possa navegar nestas águas. Já imagino um pequeno Douro com visitas às adegas, circuitos temáticos sobre o vinho Alvarinho e rotas ecológicas”.

Após a cerimónia oficial de abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, que englobou ainda descerramento de placa e visita às instalações, realizou-se a inauguração da sede da ATEARAIA – Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental, no edifício da antiga guarda-fiscal.

Neste local, procedeu-se à abertura da exposição de fotografia “Portugal Subaquático”, de Luis Quinta, produzido pela CMIA de Viana do Castelo, tendo os membros da associação presenteado autarcas e governantes com um carvalho–alvarinho. O programa terminou com um convívio popular com atuações do grupo “Os Magníficos”, de Monção, e do “Grupo de Gaitas”, de Salvaterra de Miño.

DSC_0044 (Large) (1).JPG

DSC_0326.JPG

DSC_0342 (Large).JPG

ANTIGO EDIFÍCIO DA PIDE RECEBE SEDE DA EUROCIDADE MONÇÃO – SALVATERRA DE MIÑO

A sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño vai ser inaugurada esta segunda-feira, 1 DE MAIO, FERIADO NACIONAL, PELAS 16H00 (HP), NO PARQUE DA LODEIRA, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e o Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

Cartaz.png

A nova estrutura ficará instalada no antigo edifício da PIDE após obras de requalificação/adaptação daquele espaço. Símbolo de opressão e repressão durante o Estado Novo, imóvel assumir-se-á, a partir de agora, como ponto de partida para o reforço de atividades conjuntas entre as duas localidades vizinhas unidas pelo Rio Minho.

Após a cerimónia oficial, segue-se o descerramento de placa e visita às instalações. Pelas 17h00, tem lugar a abertura da sede da Associação ATEARAIA – Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental, no edifício da antiga guarda-fiscal, também ele objeto de recuperação.

Neste local, proceder-se-á à inauguração da exposição de fotografia “Portugal Subaquático”, da autoria de Luis Quinta, produzido pela CMIA de Viana do Castelo. O programa termina com um convívio popular, estando previstas atuações do grupo “Os Magníficos”, de Monção, e o “Grupo de Gaitas”, de Salvaterra de Miño.

Processo iniciado no 20º aniversário da ponte internacional

A abertura da sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño é mais uma etapa de um processo iniciado com a celebração do 20º aniversário da ponte internacional entre as duas localidades raianas, no dia 29 de março de 2015, onde ambos os municípios assinaram um protocolo de geminação e procederam ao descerramento de uma placa com denominação da ponte “João Verde/Amador Saavedra”

Este documento representou um passo definitivo para a concretização da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, cujo acordo de princípios foi assinado no dia 13 de dezembro desse ano, no Cine Teatro João Verde, entre os dois municípios ribeirinhos e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia – Norte de Portugal (AECT-GNP).

Naquele acordo, que formalizou a constituição da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, foram contempladas as principais áreas de interesse comum, destacando-se a dinamização do rio Minho, a potenciação conjunta da enologia e gastronomia local, a promoção e desenvolvimento do turismo através da divulgação do património natural e construído, e a valorização/criação de rotas turísticas e percursos pedestres.

Aquele documento privilegia também o empreendedorismo transfronteiriço, o intercâmbio desportivo, cultural e educativo, bem como a partilha de equipamentos coletivos, como piscina, biblioteca e museus, de forma a garantir escala e rentabilização económica. Outra das vertentes deste “casamento” será o recurso a programas comunitários transfronteiriços.

ESPECTÁCULO DE ROCK E JAZZ REFORÇAM AMIZADE ENTRE O MINHO E A GALIZA

Jarojupe e The Pretty Shirts na Amizade Cerveira-Tomiño

“Rock e Jazz Com Amizade In Cerveira-Tomiño” é um novo evento musical, composto por duas sessões, que visa reforçar as relações culturais/pessoais entre as populações das duas margens do rio Minho. Primeiro concerto acontece já este sábado, 29 de abril, no Fórum Cultural de Cerveira, com a presença de Jarojupe e The Pretty Shirts. Segundo concerto está marcado para agosto, em Tomiño.

Rock Jazz Cerveira tomiño.jpg

Com organização da AR Eventos, e apoio do Município de Vila Nova de Cerveira e do Concello de Tomiño, “Rock e Jazz Com Amizade In Cerveira-Tomiño” apresenta-se como um evento de celebração da cooperação transfronteiriça, através do intercâmbio de bandas dos dois lados da fronteira, entre os palcos de Cerveira e Tomiño.

Para esta primeira edição, a organização escolheu duas bandas de rock, com uma carreira consolidada e conhecidos entre o público. Por um lado, os portugueses Jarojupe que são a banda minhota mais antiga de rock/metal. Com 35 anos de história, o grupo foi fundado por quatro irmãos, em 1981, tendo já atuado em diversos palcos nacionais e internacionais, nomeadamente em Liverpool.

Por outro lado, sobe ao palcoThe Pretty Shirt, uma banda de Rock n’Roll nascida em A Guarda (Pontevedra) em 2009, e que já venceu o concurso de bandas Morrissey Irish Pub, na Coruña, tendo sido ainda nomeados o melhor disco, em 2015, pelos seguidores do blog Rocksoulthings.

“Rock e Jazz Com Amizade In Cerveira-Tomiño” acontece este sábado, com início às 23h00, no Fórum Cultural de Cerveira. Bilhetes já à venda. Para agosto, com data por definir, está prevista a segunda sessão do evento, em Tomiño.

ESPECIALISTAS AMBIENTAIS DE PORTUGAL E GALIZA REUNIRAM EM GUIMARÃES

LABORATÓRIO DA PAISAGEM RECEBEU ENCONTRO

Eixo Atlântico organizou no Laboratório da Paisagem a II Conferência de Intercâmbio de Experiências no Âmbito da Sustentabilidade. Cidades Inteligentes, Acessibilidade, Energia e Resíduos, também, entre os temas.

Guimaraes_Eixo_Atlantico_Ambiente.jpg

O auditório do Laboratório da Paisagem, em Guimarães, recebeu esta quinta-feira o II Seminário de Intercâmbio de Experiências no Âmbito da Sustentabilidade do Eixo Atlântico. Especialistas de diversos municípios de Portugal e da Galiza estiveram reunidos para um intercâmbio de boas práticas ambientais.

Sob o mote “Cidades Sustentáveis, Resilientes e Inteligentes”, ao longo de toda a manhã, responsáveis municipais de Guimarães, Braga, Vila Nova de Famalicão, Valongo, Matosinhos, Barcelos, Maia, Santa Maria da Feira e Porto, e Lugo e Monforte de Lemos, de Espanha, partilharam ideias e projetos já implementados nos seus territórios. Guimarães, que prepara a candidatura da Capital Verde Europeia 2020, mostrou o caminho que tem percorrido na procura de um futuro mais sustentável, partilhando alguns dos exemplos que têm merecido elogios e até algumas distinções.

O Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular apresenta-se como uma associação transfronteiriça composta por diversas cidades do Norte de Portugal e da Galiza, cujo objetivo fundamental é o desenvolvimento económico, social, cultural, científico e tecnológico das cidades e regiões que lhe pertencem.

MINHOTOS E GALEGOS CAMINHAM PELO PERCURSO PEDESTRE “ALLARIZ – AUGAS SANTAS”

Iniciativa conjunta dos municípios de Caminha e A Guarda realizada no âmbito da candidatura do “Rio Minho a Paisagem cultural da UNESCO”

Os Municípios de Caminha e A Guarda estão a promover a iniciativa “Andainas”, que consiste na promoção de váriospercursos pedestres, a realizarentre março e outubro, tanto em território português como espanhol, no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO.O próximo, ‘Allariz – Augas Santas (Ourense)’, realiza-sedia 6 de maio.

Com esta iniciativa pretende-se dar a conhecer os territórios de ambas as margens do Rio Minho e promover a cooperação e o intercâmbio cultural entre os dois povos.

Sábado, 06 de maio, realiza-se o segundo dos percursos: ‘Allariz – Augas Santas (Ourense)’, numa distância de 15 Km. A saídade Caminha está prevista para as 07H00.Esta rota carateriza-se por um percurso em área rural, junto ao rio Arnoia, passando por pequenas aldeias até chegar à famosa Igreja de Santa Marinha de Augas Santas. Ainda vai ser possível visitar o centro histórico e a envolvente da vila de Allariz.

Em junho, ‘Andainas’ vai promover a ‘Rota da Ilha de Arousa’; em agosto, a ‘Romaria de S. João d’Arga’; em setembro, ‘Fortalezas do Baixo Minho’ e, em outubro, a ‘Rota das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d’Arcos’.

O custo de participação será de 12 euros por pessoa, para cada um dos percursos. Os dois municípios assegurarão o apoio logístico e o transporte dos participantes até aos pontos de partida e no regresso das etapas. As inscrições deverão ser realizadas para o mail ambiente@cm-caminha.pt ou para os telefones 258 721 708 ou 914 476 461.

MINHOTOS E GALEGOS DEBATEM COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA

Deputacion de Pontevedra reúne especialistas da Europa em Cooperação Transfronteiriça para desenvolver o AECT Rio Minho

A Deputación de Pontevedra reúne, esta sexta-feira, 21 de abril, em Tomiño, com os mais prestigiados especialistas em Cooperação Transfronteiriça oriundos de toda Europa. O objetivo, segundo assinalou o deputado Uxío Benítez, responsável pela matéria daquela instituição provincial, é “aprender as oportunidades e debilidades de outras experiências de êxito para desenvolver o novo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho, em processo de constituição, e que pretende desenvolver projetos para valorizar o território da fronteira galego-portuguesa”.

aect.jpg

As jornadas denominadas ‘O novo AECT Rio Minho desde uma visão comparada: a raia e Europa’, contará com a presença de personalidades tão destacadas como Slaven Klobucar, administrador das AECT e da Cooperação Transfronteiriça no Comité das Regiões, ou Martín Guillermo, Secretário Geral da Associação de Regiões Fronteiriças de Europa, ambos os representantes de instituições de gestão dos agrupamentos europeus dentro da UE que abordarão as necessidades e oportunidades destas associações. No âmbito das experiências internacionais concretas, destaque para as intervenções de Johanna Fischer, gestora de projetos da AECT Eurodistrict Saarmoselle (territorio franco-alemán) e de Zoltán Bará, director Executivo da AECT Pons Danubii (território húngaro e eslovaco).

Reforçar sinergias sobre o Minho

A Deputación de Pontevedra e a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho aguardam a aprovação oficial para o novo AECT do Minho, que visa reforçar as sinergias existentes entre ambas as margens do rio. As distintas estruturas de cooperação transfronteiriça existentes até à data, assim como as iniciativas desenvolvidas nos últimos anos na zona, adensam a vontade de trabalhar em conjunto, de modo que o AECT venha consolidar esta vivência. Segundo explica o deputado de Cooperação Transfronteiriça Uxío Benítez, “a AECT Rio Minho não pretende substituir nem sobrepor-se a outras estruturas de distintas escalas, mas antes cooperar com elas com o objetivo de reforçar a presença do espaço do Minho nos debates sobre a raia”.

Neste sentido, no percurso do AECT galego portuguesa do leito fluvial do Minho, “acreditamos ser necessário organizar uma jornada de trabalho na qual se podem debater os resultados obtidos até ao momento de outras AECT de maior dimensão. É necessário aprender as oportunidades e também as debilidades de outras experiências que sirvam de exemplo para o lançamento e primeiros passos do AECT Rio Minho. Por isso, esta jornada pode ser de interesse para todas aquelas pessoas vinculadas com o contexto transfronteiriço, em especial na área do Rio Minho”, sublinhou Benítez.

Há que lembrar que, nas últimas três décadas, e sobretudo graças às políticas de cooperação territorial e transfronteiriça da União Europeia, surgiram no espaço comunitário múltiplas estruturas que buscam implementar projetos territoriais mais além das fronteiras dos estados-nação. Desde 2006 foram-se criando no contexto ibérico uma vintena de AECT e mais de cinquenta no espaço comum. No contexto da raia galaico-portuguesa, estão a atuar a Comunidade de Trabalho Galicia-Norte de Portugal e o mais recente Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia-Norte de Portugal (AECT-GNP), que são duas referências da cooperação a nível europeu.

Nas jornadas organizadas pela Deputação de Pontevedra - em colaboração com a Universidade de Santiago de Compostela e o Concello de Tomiño - estarão presentes Alfonso Rueda, conselleiro da Presidencia da Xunta de Galicia; Fernando Freire de Sousa, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte de Portugal; Carmela Silva, presidenta da Deputación de Pontevedra; José María da Cunha Costa, presidente do CIM Alto Minho; Sandra González, alcaldesa do Concello de Tomiño; Rubén C. Lois, director da Fundación Centro de Estudos Eurorrexionais Galicia-Norte de Portugal, e Uxío Benítez, deputado provincial de Cooperación transfronteiriza.

ROTUNDA EMBELEZADA COM MOTIVO ALUSIVO À UNIÃO ENTRE MONÇÃO E SALVATERRA DE MIÑO

A rotunda da Avenida da Galiza, junto ao Rio Park, está a ser embelezada com um motivo alusivo à Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, perpetuando, desta forma, a cooperação territorial, cultural, desportiva e social entre os dois municípios ribeirinhos unidos pelo rio Minho.

monnnn (3).JPG

Tratando-se de uma zona de grande sensibilidade paisagística e funcional devido à função que desempenha na organização do movimento automóvel, a estrutura em execução pretende assumir-se como um elemento identificativo da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, enquadrando-se na funcionalidade original da rotunda.

Na conceção, foi pensada uma imagem em semicírculo, virada a Salvaterra de Miño, acolhendo quem vem da ponte internacional, revestindo o volume com pastilha cerâmica vidrada em cor azul, encimada por uma peça em aço corten com iluminação embutida.

monnnn (1).jpg

monnnn (2).JPG

PÁSCOA LUSO-GALAICA EM VALENÇA: CRUZ PASCAL ATRAVESSA O RIO MINHO DE BARCO

O tradicional compasso pascal transfronteiriço vai atravessar o rio Minho, com o emblemático Lanço da Cruz. Segunda-feira de Páscoa, 17 de Abril, às 17h, o rio Minho recebe esta tradição popular e religiosa, no Parque Natural da Senhora da Cabeça, na freguesia valenciana de Cristelo Côvo.

pascoavalengali.jpg

Uma autêntica romaria galaico-minhota que decorre sempre na segunda-feira imediata ao fim de semana da Páscoa e é ponto de encontro de milhares de peregrinos de todo o Noroeste Peninsular.

Lanço da Cruz

Ao entardecer, depois da visita pascal, à freguesia de Cristelo-Côvo (Valença), o pároco, devidamente paramentado e com uma cruz ornamentada, entra num barco de pesca e dirige-se até à margem espanhola onde dá a cruz a beijar aos paroquianos da outra margem. Durante esse período são lançadas, pelos pescadores as redes benzidas ao rio. Todo o peixe que sair no lance é para o pároco. Entretanto com o pároco português regressa, no barco, o pároco de Sobrado – Torron, concelho de Tomiño (Galiza), dando a cruz a beijar aos peregrinos que aguardam junto ao rio, na margem portuguesa. Várias embarcações portuguesas e galegas acompanham este compasso pascal, numa castiça e autêntica procissão fluvial, nas águas do Minho.

Romaria Galaico Minhota

Até à noite os sons das gaitas de foles misturam-se com os das concertinas, das castanholas, o rufar dos bombos e tambores numa autêntica romaria galaico-minhota.

Na terça-feira, 18 de Abril, merece especial referência a missa para os peregrinos da Galiza, celebrada em galego, por um padre galego. Neste dia também, por tradição, os peregrinos desfrutam dos seus merendeiros nas sombras do parque comendo, sobretudo, o que sobrou do carneiro ou cabrito da Páscoa.

A tradição do Lanço da Cruz é uma manifestação religiosa e popular muito acarinhada pelas populações da raia minhota que ano após ano atrai um maior número de populares e turistas.

CAMINHA E A GUARDA LIGADOS A PARTIR DE HOJE POR COMBOIO TURÍSTICO

Duas viagens panorâmicas diárias, num comboio que “anda de barco” para conhecer os dois concelhos

O comboio turístico entre A Guarda e Caminha iniciou hoje viagens diárias entre os dois concelhos, disponibilizando percursos sobretudo para os turistas. Trata-se de uma iniciativa de caráter privado, que tem o apoio das duas câmaras municipais, mas sem quaisquer custos para as autarquias. A travessia do Rio Minho faz-se a bordo do ferryboat e estão previstas duas viagens diárias de ida e volta, pelo menos até meados de outubro. Uma nova oferta em matéria de turismo, acarinhada pelos presidentes de ambas as câmaras, que promete dinamizar as respetivas economias locais.

Comboio Turisitico (1).JPG

 O intercâmbio turístico entre os dois concelhos poderá levar diariamente, a cada um dos concelhos, mais de uma centena de pessoas. O comboio tem 56 lugares, distribuídos por três vagões panorâmicos, e as viagens serão sempre acompanhadas por guias.

Cada percurso tem uma duração entre duas e três horas. Adultos e crianças a partir dos seis anos pagam 12 euros por viagem. As crianças com menos de quatro anos não pagam qualquer quantia e até aos seis anos pagam apenas metade do bilhete.

O comboio está aparcado na área do Porto de A Guarda, junto à Lota. Os bilhetes podem ser adquiridos online (http://www.salvaturismogalicia.com/) junto da empresa, a “Salvaturismo Galicia”, no comboio e nos postos de turismo de ambos os concelhos.

Hoje de manhã fez-se a apresentação do comboio turístico aos jornalistas portugueses e espanhóis, que embarcaram na primeira viagem, a partir de A Guarda e até à Vila de Caminha. Roberto Martinez, o diretor da empresa galega, explicou que existe toda a flexibilidade para atender ao que for o desejo dos turistas, inclusive em termos de percursos, embora exista um trajeto predefinido. Neste momento estão previstas duas partidas de A Guarda, às 13h00 e às 17h00 (horas de Espanha).   

António Lomba e Miguel Alves acompanharam os jornalistas nesta viagem especial e ambos sublinharam a importância desta nova oferta para a atração de turistas e para a dinamização dos respetivos concelhos na vertente económica.

Para Miguel Alves, esta iniciativa transfronteiriça, surge na sequência do trabalho intenso que tem sido desenvolvido nos últimos três anos, quer nas relações entre as duas câmaras, quer no incremento do turismo em Caminha, aliás demonstrado pelas estatísticas oficiais.   

Recorde-se que o turismo no concelho está em franca evolução. Aliás, ainda este fim de semana abriu mais uma unidade hoteleira, em Vilar de Mouros. Segundo o INE, o número de turistas no concelho de Caminha cresceu 35% em 2015, batendo todos os recordes e colocando o Município como o segundo do distrito na atração de visitantes e o sexto de toda a região do Minho.

De acordo com os números mais recentes das nossas unidades hoteleiras, o número de dormidas cresceu 12% em janeiro e fevereiro de 2017, quando comparado com os mesmos meses do ano passado e o número de reservas para o que resta para este ano é já 100% superior ao número de reservas que existiam, nesta data, há um ano, para todo 2016.

Miguel Alves saudou também a iniciativa privada, referindo que, se é preciso que haja locomotiva (as câmaras municipais) são necessários também os vagões, para levar o comboio a bom porto.

Comboio Turisitico (2).JPG

EUROREGIÃO GALIZA - NORTE DE PORTUGAL PROMOVE 152 OFERTAS DE EMPREGO NO SETOR TIC

5º JOB DAY REALIZA-SE A 2 DE MAIO, NA ESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO MINHO, GUIMARÃES

Empresários e desempregados do setor TIC conduzem o próximo Job Day da Euroregião Galiza-Norte de Portugal (AECT), agendado para 2 de maio, em Guimarães. Dedicado ao setor TIC, a quinta edição do Job Day transfronteiriço visa promover a mobilidade e a contratação de trabalhadores na Euroregião, disponibilizando para esse efeito, junto das empresas inscritas, espaços para entrevista e contratação.

Esta edição é realizada em parceria com a Rede Eures Transfronteiriça, o Pólo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica - TICE.PT, a ANETIE - Associação Nacional das Empresas das Tecnologias de Informação e Electrónica e o Cluster TIC Galicia, associando-se, ainda, à StartPoint@UM, uma iniciativa desenvolvida pelo LIFTOFF – Gabinete do Empreendedor e GIP – Gabinete de Inserção Profissional da Universidade da Minho e que pretende proporcionar o contacto direto entre os jovens/adultos e o mercado de trabalho, propiciando a divulgação de oportunidades, o desenvolvimento de competências e o networking dos participantes.

Os objectivos dos Job Day passam sempre por fomentar a criação de emprego e a cooperação transfronteiriça entre as empresas de diferentes setores de actividade. Da metalomecânica, hotelaria e restauração, ao sector agroalimentar e florestal, o resultado tem-se traduzido na contratação de mais de meia centena de desempregados dos dois lados da fronteira.

Os interessados em participar no Job Day devem enviar CV para: gnpaect@gnpaect.eu

O GNP, AECT irá disponibilizar transporte gratuíto da Galiza para Guimarães para os candidatos transfronteiriços.

FERRY BOAT RETOMA TRAVESSIAS DO RIO MINHO A PARTIR DA MANHÃ DE SÁBADO

Paragem deveu-se a trabalhos de manutenção e renovação do certificado de navegabilidade

A partir da manhã de sábado, dia 8 de abril, o Ferry Boat Santa Rita de Cássia retoma as travessias normais entre Caminha e A Guarda. A embarcação vai ser lançada à água hoje, durante a tarde, estando terminados os trabalhos de manutenção, necessários para a renovação do certificado de navegabilidade.

ferry.jpg

O Santa Rita de Cássia interrompeu a navegação no passado dia 2 de março, para que pudessem ser realizadas intervenções de rotina, que implicavam a docagem da embarcação, que foi depois submetida a vistoria por técnicos da Direção-geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos. Estes procedimentos, como referimos na altura, são condições necessárias para a renovação do certificado de navegabilidade.

PILOTO FAMALICENSE PEDRO ALMEIDA COM PARTICIPAÇÃO AZIAGA EM NOIA

Campeonato Galego de Ralis/Troféu Top Ten Pirelli-Castrol

A participação da dupla famalicense Pedro Almeida/Nuno Almeida no Rali de Noia, terceira prova do “Campeonato de Galicia Rallyes”, tinha tudo para se transformar na afirmação do jovem piloto no “Troféu Top Tem Pirellui-Castrol”.

Pedro Almeida Rali Noia.JPG

Um rali com especiais menos acidentadas e mais do agrado de Pedro Almeida “mesmo com a condicionante do asfalto se encontrar bastante molhado e temperaturas baixas, que dificultou bastante o aquecimento dos pneus”, começou por salientar Pedro Almeida que apenas cumpriu metade da prova devido a problemas no motor do Renault Clio: “este foi um rali com pouca história.

Partimos com motivação e determinados em lutar pelas primeiras posições. No entanto, bem cedo denotamos alguma falta de rendimento do Clio.

Nas duas primeiras passagens o setup do carro não estava ideal, corrigimos esta anomalia para as passagens seguintes, esperançados que tudo iria mudar.

Infelizmente, no quarto troço, voltamos a sentir novo sintoma de rendimento, um novo problema no motor que não conseguimos identificar e optamos por desistir para não agravar a situação”, reforçou Pedro Almeida, que não perde o ânimo e prepara já a próxima jornada, agendada para 17 e 18 de Junho com o Rali de Narón.

Vamos aproveitar este longo interregno no campeonato para testar novas soluções e ganhar ritmo competitivo”.   

JOSÉ CARVALHIDO: FINAL INGLÓRIO NUMA GRANDE MANIFESTAÇÃO DESPORTIVA

A participar pela primeira vez no Rali Ria de Noia, prova disputada na Galiza e pontuável para o campeonato local, José Carvalhido e Nuno Guerreiro ficaram perto de concretizar todos os objetivos com que encaravam este desafio.

Carvalhido_Noia_17.jpg

A bordo do pequeno Peugeot 106 GTi, a dupla do Alto Minho queria provar as novas soluções técnicas introduzidas na máquina e sobretudo enfrentar um enorme desafio, bastante diferente daquilo a que habitualmente encontram nos ralis em Portugal.

A prova contava com mais de 100 quilómetros de especiais e a especificidade das classificativas galegas, com muita sujidade e asfalto degradado levavam esta dupla a um verdadeiro teste.

Durante a secção matinal e logo na fase inicial do rali, alguns problemas ao nível da admissão deixavam o Peugeot 106 a “soluçar” bastante não permitindo à dupla explorar os rapidíssimos troços desta secção. Aliado a este contratempo, a dupla tinha de percorrer as classificativas já com bastante lama e muita humidade levando também a redobradas cautelas. Ao final da manhã, a dupla ocupava o 67º lugar da classificação geral, numa altura em que estavam classificados 116 concorrentes.

Após a assistência a meio do dia, e com os problemas de admissão já resolvidos pela equipa técnica da Carvalhido Racing Team, a dupla conseguia finalmente rodar no máximo aproveitando o facto dos troços da tarde já se encontrarem secos.

As melhorias não se fizeram esperar e troço após troço Carvalhido e Guerreiro escalavam na tabela de tempos chegando à entrada do derradeiro troço no 50º lugar (entre os 93 classificados). Porém, o último troço viria a ditar um desfecho inglório e frustrante para toda a equipa: “tudo se precipitou quando a cerca de 10 quilómetros do final do rali, uma travagem mais forte numa zona bastante degradada acabou por fazer recuar uma roda dianteira e por consequência, a transmissão saltou impedindo-nos de concluir o rali”, conta-nos o piloto de Viana do Castelo acrescentando que este “Foi o final que ninguém esperava principalmente depois de termos percorrido mais de 100 quilómetros em pura competição sem qualquer percalço além do ligeiro problema com a admissão que tivemos na fase inicial do rali.”

Apesar da grande desilusão que foi o abandono com a meta à vista, José Carvalhido não deixa de destacar “a fantástica experiência que é participar num rali como este. As classificativas são espetaculares e a prova vive um ambiente incrivelmente entusiasta. Ao longo de todas as classificativas era incrível a quantidade de espectadores e podíamos sentir mesmo o seu apoio, desfrutando ao máximo desta experiência. Uma verdadeira manifestação desportiva!

Além disso, pudemos comprovar que as melhorias que efetuamos no carro resultaram em pleno dando-nos agora a possibilidade de explorar um pouco mais as nossas capacidades, portanto o balanço da nossa participação acaba por não ser totalmente negativo”, conclui o piloto.

A equipa olha agora para o futuro e em cima da mesa está a hipótese de alinhar no Rali Rota do Folar, agendado para o dia 15 deste mês. José Carvalhido e Nuno Guerreiro agradecem a todos os patrocinadores pelo apoio e também a toda a estrutura técnica que os acompanhou nesta incursão pela Galiza.

CLUBE ECOAR DE VIZELA CONVIDA A VISITAR SANTIAGO DE COMPOSTELA

Vizela tem uma novidade para si! O Clube Ecoar na sua Loja EDP de Vizela criou novas  experiências nacionais e internacionais a pensar em si e na sua família.

santiagovizela.png

Visite-nos em www.clube-ecoar.com ou na nossa Loja na Rua Dr. Abílio Torres, 710 4815-552

Vizela!

Como as vagas para cada evento são limitadas, não deixe para amanhã o que pode fazer já hoje!

Não se trata de viagens promocionais! É um evento criado a pensar em si e no tempo de

 qualidade que poderá passar com os seus amigos e com sua família!

Fale connosco! Estamos à sua disposição: 304 500 608 (custo de chamada local) ou gratuitamente no chat do nosso site!

CADO ASSINA CONVÉNIO COM UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA

O Centro de Apoio ao Doente Oncológico estabeleceu, neste mês de Março, um convénio com a Universidade de Santiago de Compostela para poder receber estágios da área social e da saúde.

Com esta parceria o CADO irá ter a possibilidade de receber estagiários curriculares, por um período de quatro meses, que irão possibilitar uma aprendizagem diferente. Serão estágios de 8 horas diárias, de Fevereiro a Maio.

A Universidade de Santiago de Compostela é uma universidade pública sediada na cidade de Santiago de Compostela, Galiza, Espanha. Está dividida em quatro campus — três na cidade compostelana (Campus Norte, Campus Sul e Campus Histórico) e um localizado em Lugo. Foi fundada em 1495, sendo a principal e mais antiga universidade da Galiza, a sétima mais antiga da Península Ibérica e uma das universidades mais antigas do mundo, contanto atualmente com 19 faculdades.

O Centro de Apoio ao Doente Oncológico tem como objetivo prestar apoio a doentes e aos seus familiares, sensibilizando para esta doença.  Além do apoio ao doente oncológico e à sua família, o Centro trabalha também a promoção da saúde, especialmente no que diz respeito à prevenção de doenças oncológicas.

RALI RIA DE NOIA: JOSÉ CARVALHIDO LANÇA-SE À AVENTURA

Com uma invejável lista de inscritos que chega à centena e meia de participantes, o Rali Ria de Noia é a próxima ronda do Campeonato Galego de Ralis. A prova, com a organização a cargo da Escuderia Berberecho, marcará o arranque da época desportiva da Carvalhido Racing Team, formação liderada pelo piloto José Carvalhido.

DSC_0025 (1).jpg

Mantendo-se fiel ao seu Peugeot 106 GTi, o piloto de Viana do Castelo que será como habitualmente navegado por Nuno Guerreiro, terá neste rali uma verdadeira "prova de fogo". Como nos conta Carvalhido "vamos entrar neste rali com vontade de tentar ver onde nos situamos após algumas alterações na mecânica do fiável 106 GTi. Acho que o Rali de Noia vai ser um desafio enorme e esperamos que possa ser um excelente ensaio para o resto da época."

José Carvalhido não espera facilidades nesta sua primeira prova deste ano, mas destaca o excelente trabalho dos organizadores na Galiza que proporciona aos concorrentes um verdadeiro teste à resistência de máquinas e pilotos: "Pensamos que a fórmula encontrada pelos organizadores dos ralis na Galiza é a ideal. Sabemos que corremos um risco enorme se porventura o tempo estiver mau, pois com 150 inscritos a possibilidade de acidentes será maior e podemos ter troços neutralizados, mas achamos que vale a pena o risco.

A nossa participação acaba por ser quase um 3 em 1 pois com 117 quilómetros de classificativas, este rali equivale a 3 provas dos nossos regionais em Portugal. Além disso, há ainda um factor importantíssimo a ter em conta: o valor das inscrições torna ainda mais apetecível esta participação em provas na Galiza."

Para a presente temporada, José Carvalhido e Nuno Guerreiro vão contar com os imprescindíveis apoios de Percarpo+ , Adega do Sossego, Ag. Leal , FAPCAR, Restaurante Expresso, Maxizelo, TM Automóveis, NPARTS, Encontro de Margens, XPOWER, Renato Pita Motorsport, Rodiauto Sport, Leaderdesign, Auto Araújo, Hankook Tyres e MSCFOTORALI.

"Queremos desde já agradecer a todos os nossos patrocinadores e esperamos corresponder com um desempenho que dignifique todos aqueles que acreditam neste projecto. Os agradecimentos são igualmente dirigidos a quem nos acompanha nesta aventura, os nossos mecânicos, familiares e amigos que nunca deixam de nos incentivar". conclui o piloto.

O Rali Ria de Noia vai para a estrada de 31 de Março a 2 de Abril e contará com 8 provas especiais de classificação num percurso total de 310 quilómetros.

DSC_0028.jpg

DSC_0080.jpg

LITERATURA JUNTA EM PONTEVEDRA ESCRITORES PORTUGUESES E GALEGOS

As literaturas galega e portuguesa nas Conversas Nortear

Favorecer o diálogo e o conhecimento entre as duas através dos seus escritores

Os escritores Valter Hugo Mãe e Inma López Silva vão participar, no próximo dia 29 de março de 2017, pelas 18h30, na quinta sessão da iniciativa «Conversas Nortear», a realizar na Escola de Idiomas de Pontevedra, na Galicia. Lara Dopazo Ruibal, vencedora da 1ª edição do Prémio Literário Nortear será a moderadora deste encontro.

ConversasNortear.png

As «Conversas Nortear» são uma iniciativa conjunta da Direção Regional de Cultura do Norte, da Xunta da Galicia e do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial da Euroregião Galicia-Norte de Portugal, no âmbito do Memorando de Entendimento celebrado entre as três entidades.

Estas conversas têm como objetivo promover o conhecimento e a circulação de diferentes expressões culturais existentes nos territórios envolvidos, a partir de dinâmicas e redes de colaboração capazes entre as duas regiões.

Sobre os autores convidados

Valter hugo mãe

Um dos mais destacados autores portugueses da atualidade. A sua obra está traduzida em variadíssimas línguas, merecendo um prestigiado acolhimento em vários países, tendo recebido inúmeros prémios, entre eles o Prémio Literário José Saramago e o Grande Prémio Portugal Telecom Melhor Livro do Ano e Prémio Portugal Telecom Melhor Romance do Ano.

INMA LÓPEZ SILVA

Escritora e crítica teatral. Actualmente é profesora na Escola Superior de Arte Dramática de Galicia. É membro dos consellos de redacción das máis importantes revistas de teatro e de análise político e cultural. Ten publicado obras sobre o teatro galego e novelas e ensaios que teñen recibido diferentes premioscomo o Xerais, o Murguía e o Blanco Amor.

MINHOTOS E GALEGOS PERCORREM PERCURSO PEDESTRE “CAMINHO DOS BURROS” NO PRÓXIMO SÁBADO

Iniciativa conjunta dos municípios de Caminha e A Guarda

Os Municípios de Caminha e A Guarda acordaram na realização, entre março e outubro deste ano, de vários percursos pedestres, tanto em território português como espanhol, no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO. O primeiro, Caminho dos Burros S. Xián (O Rosal) – A Guarda, realiza-se este sábado, dia 25 de março.

Com esta iniciativa pretende-se dar a conhecer os territórios de ambas as margens do Rio Minho e promover a cooperação e o intercâmbio cultural entre os dois povos.

O custo de participação será de 12 euros por pessoa, para cada um dos percursos. Os dois municípios assegurarão o apoio logístico e o transporte dos participantes até aos pontos de partida e no regresso das etapas.

Sábado, 25 março, realiza-se o primeiro dos percursos: Caminho dos Burros, desde S. Xián (O Rosal) – A Guarda, numa distância de 17 quilómetros. A saída está prevista para as 13h00.

As inscrições deverão ser realizadas para o mail ambiente@cm-caminha.pt ou para os telefones 258 721 708 ou 914 476 461.

VALENCIANOS CAMINHAM PELA RAIA JUNTO À GALIZA

Gostas de Caminhar? Vem Descobrir Trilhos Entre Portugal e Espanha!

O bom tempo convida a mergulhar na natureza da Eurocidade por trilhos carregados de histórias e segredos preparados para serem descobertos.

unnamedvalentril.jpg

No próximo fim de semana arranca a primeira das oito caminhadas guiadas da Eurocidade.

A primeira caminhada decorrerá no Trilho da Veiga da Mira, em Valença, domingo, 19 de março. Uma visita ao Biótipo da Veiga da Mira, à Ecopista e às margens ribeirinhas do rio Minho, uma oportunidade para descobrir um dos principais espaços naturais do rio Minho. Uma caminhada com degustação de lampreia incluída no Festival Gastronómico Sabores da Lampreia que decorre este fim, de semana na comunidade valenciana de pescadores de São Pedro da Torre. Este trilho tem inscrição obrigatória.

O calendário anual de trilhos da Eurocidade prolonga-se até 24 de setembro.

Os percursos da Rede de Trilhos da Eurocidade são sempre circulares e centram-se na descoberta dos valores patrimoniais, culturais e naturais. Ano após ano, um numero crescentes de amantes da natureza e do turismo ativo, tem tornada esta rede da Eurocidade uma referência no Noroeste Peninsular.

Os interessados poderão obter mais informações ou inscrever-se pelo e-mail:caminhadas.andainas@gmail.com ou através dos telefones 00351 934 440 770 ou 0034 607 785 601

A GALIZA: A NACIONALIDADE HISTÓRICA QUE MADRID DESCONSTRÓI

14051600_1132349990156039_171266801472074721_n (1).jpg

Por José Manuel Barbosa

Em 1916 nascem as Irmandades da Fala, primeira organização político-cultural da Galiza que definem e reconhecem o País como Nação e como “Célula de Universalidade”. Posteriormente o movimento galeguista com o seu árduo labor político e cultural conseguem para a Galiza o reconhecimento pela Sociedade de Nações, antecessora da ONU, da sua condição de Nação em 16-18 de setembro de 1933 em Berna. O político galego Plácido Castro achegou informação e documentação ao Congresso de Nacionalidades Europeias para que este organismo dependente da SdN considerasse a existência duma Nação no noroeste da península Ibérica manifestada num vida coletiva com umas caraterísticas distintivas e originais que a identificam historicamente e no presente como tal. O CNE reconheceu e determinou seguindo a legislação que adequação a direito era plena o que manifestava o direito a uma administração nacional própria e ao seu livre desenvolvimento como Nação com direito a ser assim reconhecida internacionalmente. Foi com isso que a Galiza é reconhecida legalmente como Nacionalidade em épocas contemporâneas por uma organização de reconhecido prestígio e autoridade internacional com o direito a dispor da sua vida e do seu futuro.

 

Galaico.jpg

Guerreiro galaico

 

Poucos anos depois, em 1936, a Galiza vota por maioria de 99’24% de votos afirmativos contra o 0’76% de votos negativos e um 0’98 de votos nulos o seu primeiro Estatuto de Autonomia após ser-lhe negada a sua condição de Reino em 1833. O total de galegos com direito a voto em junho de 1936 foi de 1.343.135 dos quais votaram 1.000.963 e um total de 993.351 manifestaram a sua vontade de auto-governo materializado por meio dum Estatuto com competências em matérias legislativas, judiciárias, económicas com uma fazenda própria com capacidade impositiva e para arrecadar tributos, reconhecimento do seu direito histórico e dum governo com capacidade executiva. Infelizmente um mês depois, o golpe de Estado do General Franco aborta toda tentativa autonomista e de reconhecimento dum auto-governo para a Galiza. Esta “Longa Noite de Pedra” em palavras do poeta Celso Emílio Ferreiro dura até 1975, ano em que morre o ditador e se começa novamente a elaboração dum novo Estatuto. O segundo. Este foi elaborado e votado em dezembro de 1980 entrando em vigor em abril de 1981.

Cozido.JPG

Cozido

 

No segundo Estatuto acrescentam-se as competências reconhecidas em 1936 para além de lhe serem reconhecida a condição de Nacionalidade no seu artigo primeiro:

  1. Galiza, nacionalidade histórica, constitui-se em Comunidade Autónoma para aceder ao seu autogoverno, de conformidade coa Constituição Espanhola e com o presente Estatuto, que é a sua norma institucional básica.

Isto posiciona à Galiza num contexto ótimo para ser reconhecida internacionalmente com todas as dignidades. Se a isto acrescentamos que o Reino da Espanha está incluído dentro do Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos os quais fazem parte do Sistema dos Direitos Humanos da atual Organização das Nações Unidas (ONU) no qual se reconhece no seu artigo primeiro o seguinte:

PRIMEIRA PARTE

Artigo 1.º

  1. Todos os povos têm o direito a dispor deles mesmos. Em virtude deste direito, ELES DETERMINAM LIVREMENTE O SEU ESTATUTO POLÍTICO E DEDICAM-SE LIVREMENTE AO SEU DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO, SOCIAL E CULTURAL.
  2. Para atingir os seus fins, todos os povos podem dispor livremente das suas riquezas e dos seus recursos naturais, sem prejuízo de quaisquer obrigações que decorrem da cooperação económica internacional, fundada sobre o princípio do interesse mútuo e do direito internacional. Em nenhum caso pode um povo ser privado dos seus meios de subsistência.
  3. Os Estados Partes no presente Pacto, incluindo aqueles que têm a responsabilidade de administrar territórios não autónomos e territórios sob tutela, são chamados a promover a realização do direito dos povos a disporem de si mesmos e a respeitar esse direito, conforme às disposições da Carta das Nações Unidas.

Igualmente no Pacto internacional de Direitos económicos, sociais e culturais aprovados pela Assembleia Geral da ONU em 1966 no seu artigo 1.1 diz (1):

Artigo 1.1

PARTE I

Artigo 1º

  • 1. Todos os povos têm o direito à autodeterminação. Em virtude desse direito, determinam livremente seu estatuto político e asseguram livremente seu desenvolvimento económico, social e cultural
  • 3. Os Estados Membros no presente Pacto, inclusive aqueles que tenham a responsabilidade de administrar territórios não autónomos e territórios sob tutela, deverão promover o exercício do direito à autodeterminação e respeitar esse direito, em conformidade com as disposições da Carta das Nações Unidas.

Por outra parte a Constituição espanhola no seu Capítulo II: Sobre os tratados Internacionais diz (2):

CAPÍTULO III. DE LOS TRATADOS INTERNACIONALES.

Artículo 93.

Mediante Ley orgánica se podrá autorizar la celebración de Tratados por los que se atribuya a una organización o institución internacional el ejercicio de competencias derivadas de la Constitución. Corresponde a las Cortes Generales o al Gobierno, según los casos, la garantía del cumplimiento de estos Tratados y de las resoluciones emanadas de los organismos internacionales o supranacionales titulares de la cesión.

Artículo 94.

  1. La prestación del consentimiento del Estado para obligarse por medio de Tratados o convenios requerirá la previa autorización de las Cortes Generales, en los siguientes casos:
  2. Tratados de carácter político.

b.Tratados o convenios de carácter militar.

c.Tratados o convenios que afecten a la integridad territorial del Estado o a los derechos y deberes fundamentales establecidos en el Titulo primero.

d.Tratados o convenios que impliquen obligaciones financieras para la Hacienda Pública.

e.Tratados o convenios que supongan modificación o derogación de alguna Ley o exijan medidas legislativas para su ejecución.

  1. El Congreso y el Senado serán inmediatamente informados de la conclusión de los restantes Tratados o convenios.

Artículo 96.1. Los tratados internacionales válidamente celebrados, una vez publicados oficialmente en España, FORMARÁN PARTE DEL ORDENAMIENTO INTERNO. SUS DISPOSICIONES SÓLO PODRÁN SER DEROGADAS, MODIFICADAS O SUSPENDIDAS EN LA FORMA PREVISTA EN LOS PROPRIOS TRATADOS O DE ACUERDO CON LAS NORMAS GENERALES DEL DERECHO INTERNACIONAL.

Conclusão:

1- A Espanha está na ONU e aceita o ordenamento jurídico internacional.

2- A Espanha assinou o Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos incluído dentro do Sistema dos Direitos Humanos da ONU. A Espanha assinou igualmente o Pacto internacional de Direitos económicos, sociais e culturais. Ambos tratados entraram em vigor em 19 de Dezembro de 1966.

trasno-Mitologia galego-portuguesa.jpg

Trasno-Mitologia Galego-Portuguesa

 

3- A Constituição espanhola garante que a legislação internacional, nomeadamente a emanada da ONU à qual pertence de pleno direito, faz parte do seu ordenamento jurídico e portanto RECONHECE INDIRETAMENTE no seu artigo 96 o direito de AUTODETERMINAÇÃO dos povos ao serem estes tratados anteriormente citados (Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos e Pacto internacional de Direitos económicos, sociais e culturais) parte da legislação internacional à qual se vincula o Reino da Espanha, só podendo renunciar a ela derrogando-a, modificando-a ou suspendendo-a nas formas previstas pelos próprios tratados ou de acordo com as normas internacionais.

Mazzini.jpg

Mazzini

 

4- Se a Galiza (ou quaisquer outros territórios do Reino da Espanha) optar por exercer o seu direito de autodeterminação estaria de acordo com a legislação internacional que a Espanha aceita. Se o Estado ao que à Galiza pertence optasse por impedir, limitar ou obstaculizar esse direito, seria o Reino da Espanha o que estaria fazendo incumprimento a sua própria legislação e a legislação internacional dentro da qual se incluiu voluntariamente quando aceitou e assinou toda a legalidade emanada da ONU à qual pertence desde.

meia verdade.jpg

Meia Verdade

 

5- Se quaisquer outro Estado manifestar o seu apoio ao proceder do Reino da Espanha no que diz respeito a este assunto, estaria igualmente contrariando à legalidade internacional, sobre tudo se este Estado tiver assinado igualmente os mesmos tratados dos que falamos

(1) http://www.oas.org/dil/port/1966%20Pacto%20Internacional%20sobre%20Direitos%20Civis%20e%20Pol%C3%ADticos.pdf (2) https://www.boe.es/legislacion/documentos/ConstitucionCASTELLANO.pdf

Paisagem granítica.jpg

Paisagem Granítica 

Fichte.jpg

Fichte

GALIZA E PORTUGAL: CABEÇA E CORAÇÃO DUM SER ÚNICO

14051600_1132349990156039_171266801472074721_n (3).jpg

Por José Manuel Barbosa

A definição de Nação tem dado muitas páginas nos livros de teoria política e mesmo nos livros de antropologia. É por isso por que há duas formas de perceber a ideia de Nação: a política que nos descobre um conceito de Nação próximo a ideia de Estado, daí a noção de Estado-Nação e vinculada à vontade; e a cultural, que nos leva a Nação constituída por um conjunto de pessoas com uma língua, uma tradição, uns usos culturais e hábitos psicológicos comuns, uns costumes manifestados na forma de perceber a vida tanto no laboral como no festivo, nas crenças ou na herança e numa história que une aos seus nacionais num determinado território reconhecido como próprio. Estas duas formas de perceber o que é uma Nação podemos identificá-las como da escola francesa, a primeira, e a escola alemã a segunda. Na primeira é a vontade dos indivíduos de construir a Nação que se comprometem numas instituições comuns que regulam a sua convivência. Esta vontade surge da sua livre eleição à hora de se constituírem ou bem pela sua separação duma entidade estatal já existente enquanto a segunda é o conceito de Nação objetiva baseada numa realidade viva localizada acima dos indivíduos e das vontades cuja identidade está sustentada em traços externos herdados duns antepassados comuns. Dessa realidade não é possível evadir-se por meio da vontade.

Delegaçao Galega.jpg

Delegação galega

 

Se tomamos a primeira como referência, diremos que Portugal é uma Nação porque a vontade fez que fosse independente da Galiza medieval, porque os portugueses assim o quiseram durante mais de oitocentos anos desde a sua independência levada a cabo por Afonso Henriques. Da mesma maneira, a Galiza faria parte duma entidade político-administrativa superior denominada Reino da Espanha e à qual adere por inércia histórica.

Mas se tivermos em conta o segundo conceito, a Galiza e Portugal fariam parte duma mesma Naçao segundo os critérios de Fichte. Segundo eles tanto galegos como portugueses participam de uma série de elementos identitários comuns que os unem por cima de quaisquer diferenças políticas ou individuais. Podemos dar-lhe um repasse:

* A Língua

A identidade da língua, considerada como uma única língua comum a galegos e portugueses pode vir identificada tanto do ponto de vista estritamente linguística como do ponto de vista político.

Se for a linguística a que determinasse a unidade da língua não teríamos ninguém que acreditasse na existência de duas línguas no ocidente peninsular ibérica. Tudo o que for identificado como diferença seria localizado como uma variação dialetal e/ou regional. Galegos e portugueses temos uma mesma língua sem qualquer dúvida e não há cientista que tenha a categoria para o negar. Rodrigues Lapa, Eugen Coseriu, Carolina Michäelis de Vasconcelos, Joan Coromines e todos os grandes vultos da filologia e da linguística reconheceram a realidade duma e única língua galega em origem e mas conhecida internacionalmente com o nome de português.

Há quem pense que nas últimas décadas a vontade dos galegos e das suas instituições é a de reconhecer a sua variante como uma língua “irmá pero diferente” da portuguesa mas essa vontade surge da necessidade de Madrid de desidentificar e separar ambas as variantes para favorecer a assimilação do chamado galego dentro do castelhano como um patois ou crioulo que pela sua debilidade e falta de prestígio não possa concorrer com a língua de imposição. E como já vimos que a vontade não é uma forma de conceber a Nação cultural mas o Estado-Nação, não devemos considerá-la. Ainda assim é de reconhecer que mesmo alguns dos personagens políticos mais importantes da separação linguística galego-portuguesa como o próprio Manuel Fraga Iribarne, Presidente da Galiza entre 1990 e 2005 reconheciam e falavam duma língua comum:

“É um encontro a que nos chama a pertença geográfica a um mesmo espaço físico, a herança cultural de uma língua comum e um património cultural multissecular,….” (Fraga Iribarne: 1991)

A pesar disto ser assim, o velho político franquista dizia o mesmo pelas mesmas épocas mas para um público diferente:

“É un encontro a que nos chama a pertenza xeográfica a un mesmo espazo físico, a herdanza cultural de línguas com raices comuns e un património cultural multisecular,...” (Fraga Iribarne: 1992)

A dia de hoje, o próprio e atual Presidente da “Xunta de Galicia” Alberto Nuñez Feijóo/Alberte Nunes Feijó manifesta o mesmo critério de unidade linguística galego-portuguesa nas Tv espanholas uma vez o movimento reintegracionista tem a suficiente força social como para pôr as cousas no seu lugar (1)

Irmandades da Fala.jpg

Irmandades da Fala

 

* Hábitos psicológicos e forma de perceber a vida

Quando de um galego se diz que numa escada não se sabe se é que sobe ou é que baixa, é um castelhano que o diz. Um galego sempre sabe se sobre ou se baixa mas um castelhano desde fora nunca é que o sabe. Isto não tem maior transcendência se não fosse que a indefinição é um elemento identificativo de galegos mas também de portugueses; a ambiguidade, a diplomacia, a forma de dizer as cousas indiretas, as meias verdades, a “retranca”, esse humor no que nunca se diz o que se quer destacar mas que sempre fica evidente para as mentes inteligentes nada abundantes no centro peninsular… É aquela história na que uma pessoa lhe faz uma pergunta comprometida ao galego e este responde:

“Por uma parte, tu já vês, por outra….que queres que che diga mas o certo é que… quem sabe?”

Falamos igualmente do acordo e do trasacordo, essas variações de rumo que aplicamos quando a necessidade o requer perante uma decisão que temos de tomar mas que não temos toda a segurança. É o um “se por acaso...”, “Se calhar...”, “Nunca se sabe...”. Os nossos refrões fazem-nos visualizar essa caraterística psicológica:

“Deus é bom e o demo não é mau”

“Porque a Deus apreces, o demo não desprezes”

Mas sobre todos os elementos do nosso carater comum está a saudade, cantada por poetas e descrita por filósofos. É uma forma de perceber a vida galega e portuguesa por excelência mas que inclui uma visao da vida romântica, lírica, poética e profundamente artística. Por isso é que a poesia lírica medieval faz parte da nossa identidade mais profunda.

Plácido Castro.jpg

Plácido Castro

 

* As crenças, as tradições, usos culturais e costumes

Com certeza que se falo da submissão ao sobrenatural, à religiosidade profunda manifestada num conceito do transcendente que ultrapassa os sentidos e a razao, estou a falar da forma de ser dos portugueses. Mas também falo dos galegos que na sua festa da sua virgem, da sua santa ou santo, da sua romaria ao seu santuário, da festa da sua aldeia na que celebramos que esta divindade pré-cristão transformada em tal ou qual virgem nos faz comer a todos em família ou em comunidade. É a comida na que há que comer basicamente porco ou vitela como forma de manifestar a alegria comum.

Em Castela e em Andaluzia têm por costume beber vinho e bailar mas não não bebemos nem bailamos enquanto não tenhamos a barriga cheia. Só isso, prémio ao nosso trabalho do dia-a-dia, é o que nos põe contentes perante os demais: comer, e comer comida forte, hipo-calórica, poderosa, que mantém corpos que devem ser fortes porque historicamente é a terra a quem lhe devemos o esforço para que ela nos dê frutos. Para além disso, as filhós, as rabanadas ou torradas, os roscões ou pães de ló, as sopas de cavalo cansado, os cozidos, o polvo, o caldo, todo tipo de enchidos, presuntos, broas, pães de centeio, papas, etc…são as formas dos nossos alimentos que reconhecemos em ambas as beiras da raia…

Reconhecimento Plácido Castro Galiza Naçao.jpg

Reconhecimento de Plácido Castro da Galiza como Nação

 

Por outra parte, a cultura histórica também vincula com as crenças de galegos e portugueses de hoje. Somos a terra do granito que suportou antas, mamoas, pedras escritas, montes sagrados onde habitam ainda hoje as divindades esquecidas que um dia estavam nas nossas vidas e hoje dormem até que decidam acordar. Mouros, princesas com pés de cabra, cobras que acabam sendo princesas, seres feéricos de todo tipo e tamanho, seres mitológicos que vivem nos contos infantis mas também nas nossas vidas quotidianas, o não varrer para fora, o arco-íris que é o arco-da-velha porque a velha é a Terra que nos deu vida e é a matriz de todo, as nossas festas que cobrem todo o panorama festivo céltico: Magusto/Samhain, festa dos mortos onde estes vêm comer à nossas mesas, Ciclo de Natal/Solstício de inverno, quando celebramos o nascimento da luz; Carnaval e Candelária/Imbolc quando casam os passarinhos mas também crítica ao poder; Máias ou Máios/Beltaine quando com lume queimamos o boneco verde e chega o verão; São João/Solstício de verão quando celebramos o triunfo da luz por meio do fogo purificador….. As bruxas e meigas, o Além, a morte, os que veem o futuro, Todo isso e muito mais somos os galegos e os portugueses e não nos reconhecemos como unidade porque desde há bem poucos anos o direito ao ensino faz que sejam os Estados-Nação os que transmitam a cultura e a educação mas essa não é natural mas artificial qual comida de lata ou hambúrguer de McDonals. Esse direito não é o mau, que é um direito, mas é o Estado que desrespeita os povos e as suas raízes o que não é o adequado para nos transmitir os conhecimentos do passado. Aos galegos dizem-nos que somos espanhóis que traduzido à linguagem madrilena é como dizer que somos castelhanos e portanto temos uma visão distorcida de nós próprios; aos portugueses diz-se que os galegos são mais uns espanhóis que falam castelhano e portanto uns maus irmãos não escolhidos mas não uns amigos que podemos escolher…. A distorção acrescenta-se aos olhos dos outros nós-próprios. E por isso chegamos à conclusão de que já não somos o mesmo povo, mas dous povos de costas viradas cujos problemas não devemos nem queremos partilhar.

* Um território comum

Sobre o espaço comum que partilhamos sabemos que a nossa cultura nasceu no País do granito, nas terras rochosas do noroeste, terras verdes de prados e florestas onde o chamado Maciço Galaico-Duriente se apresenta como uma continuação do Cordal Cantábrico. É na Serra do Aire onde estas terras célticas deixas lugar às terras do sul estremenho, alentejano e algarvio que por tradição humana está mais vinculada ao mundo sulista do que ao mundo galaico nortenho mas que a história quis que se cristianizassem e se galaiquizassem. É o Portugal sulista que embora conservar um ar e uma tradição meridional e andaluzi o seu espírito é plenamente português. Mas isto é uma visão que temos de hoje porque em épocas anteriores ao Islão peninsular essas terras eram as que viram nascer o Vaso Campaniforme, o que viu nascer o megalitismo que tanta identidade nos dá aos galegos. Foram aliás, as terras da expansão sueva cujo Reino foi conhecido e reconhecido como o primeiro “Gallaeciense Regnum”. Todo isto conforma essa faixa marítima ocidental que vai dar a esse mar imenso e promissor chamado Atlântico, o Mar da Atlântida, o qual lhe deu viabilidade a Portugal

como Nação e ajudou na expansão da nossa língua e da nossa cultura. Castelão, o nosso grande Daniel Castelão, disse uma vez no seu Sempre em Galiza, que Portugal encheu o mundo de nomes galegos….e assim foi, com certeza, ou pelo menos assim o vemos muitos galegos. E é esse mar o que dá tamanho de País grande a Portugal cujo espaço terrestre é um, mas o seu espaço marítimo sempre foi muito mais.

À Galiza esse mar também lhe deu expansão mas não territorial embora sim económica. É o mar das nossas riquezas e das nossas belezas, de ondas selvagens e de profundezas misteriosas que converteu à Galiza quando aqui se podia pescar, na terceira grande potência pesqueira do mundo. É o mar da Galiza marinheira, tão importante para a nossa realidade identitária como pode ser para Portugal.

Pacto Internacional dos Direitos Economicos Sociais e Culturais (1).jpg

* Uma História comum

Neste tema já há pouca discrepância. Desde que os galaicos entram na História, os portugueses entram como galaicos num princípio, embora os lusitanos existam como uma prolongação dos primeiros ou vice-versa. Se considerarmos que o Portugal de hoje é um Estado galaico, e não lusitano por ter sido do norte galaico donde partiu a origem do país, a língua, a estrutura e organização territorial, a legalidade e todo o demais, teremos que partilhamos historicamente tudo: a Kalláikia celtica, a Gallaecia pré-romana, o Reino da Galiza medieval mal identificado e mal chamado de Reino de Astúrias, a continuação do Reino da Galiza também mal identificado e mal chamado de Reino de Leão… tudo, até que nasceu o conceito de Nação que se diz defendeu o nacionalismo francês e também Giuseppe Mazzini mas que já no século XII Afonso Henriques se viu na obriga de exercer para defender o seu direito a governar o seu novo Reino, assim reconhecido pelo Papa. Nasceu Portugal dum retalho da Galiza e nasceu como um ato de vontade política mas não como uma diferenciação étnica. Tal é assim que Agostinho da Silva, ideólogo da Lusofonia disse que “os portugueses são uns galegos aperfeiçoados”. Se é assim é que os galegos somos uns portugueses distorcidos por Castela mas não deixamos de ser mais uns portugueses descarrilados que precisamos nos encontrarmos com o resto da nossa gente para nos vermos onde devemos estar: juntos.

Poderíamos continuar narrando e debulhando esta nossa realidade comum, mas veja o leitor que se fizermos pormenorizadamente este trabalho de identificação galaico-portuguesa não chegaria um simples artigo para falarmos do tema. Um livro completo falando de cada um dos pormenores aqui narrados seria muito interessante e muito laborioso mas completamente útil para o nosso reconhecimento e a boa fé que totalmente certeiro na nossa auto-identificação não como dous povos mas como um só.

Como pode comprovar o leitor, a nossa vontade não é tanto narrar esta realidade assumida e conhecida por toda mente bem pensante quanto comunicar a necessidade de nos implicarmos no ser comum. Nao pode haver português que ignore a Galiza, a sua realidade e a sua problemática como também não pode haver galego que ignore a de Portugal.

Bibliografia:

Fraga Iribarne, M: A Galiza e Portugal no Marco Europeu. Ed. Xunta de Galiza. 1991. Pag. 7 Tirado da Comunicao de Manuel Fraga Iribarne à Academia da História de Portugal com motivo da sua receçao como Académico de Mérito. Lisboa 25 de Janeiro de 1991

Fraga Iribarne, M: Jornal do Arco Atlântico. 23 de Outubro de 1992. nº 1 Página 3

(1) https://www.youtube.com/watch?v=XN2byTJHfV4

human rights.jpg

FERRY-BOAT SANTA RITA DE CÁSSIA INTERROMPE TRAVESSIAS A PARTIR DE QUINTA-FEIRA

A paragem deve-se à realização de trabalhos de manutenção e renovação do certificado de navegabilidade

A partir de quinta-feira, dia 2 de março, o ferry-boat Santa Rita de Cássia, que estabelece percursos diários entre as duas margens do rio Minho, de Caminha a A Guarda, vai interromper temporariamente as travessias. A embarcação vai ser alvo de trabalhos de manutenção, necessários para a renovação do certificado de navegabilidade.

Ferry-boat.jpg

Esta paragem temporária deve-se à necessidade de docagem da embarcação, para se realizarem os trabalhos de manutenção. Posteriormente, o ferry-boat será vistoriado por técnicos da Direção-geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos. Estes procedimentos, como referimos, são condições necessárias para a renovação do certificado de navegabilidade.

 Não há previsão certa para a retoma das travessias.

A Câmara Municipal solicita a melhor compreensão pelo incómodo que esta paragem possa causar.

DANÇA JUNTA JOVENS DA GALIZA E CERVEIRA

Jovens cerveirenses e espanhóis partilham paixão pela dança

Durante os próximos cinco dias, Vila Nova de Cerveira recebe uma atividade que desperta muito movimento. Mais de 50 alunos da ADEIXA e da UNIDANCE (Vigo)reúnem-se para o III Intercâmbio Cultural de Dança que culmina, no dia 28 de fevereiro, com um espetáculo final aberto ao público.

IMG_1147.JPG

Numa organização da Adeixa – Associação de Dança do Eixo Ibero Atlântico, com o apoio do Município de Vila Nova de Cerveira, esta atividade lúdico-pedagógica visa a partilha de experiências e saberes entre professores e alunos da escola organizadora com uma escola anualmente convidada que, no presente ano, é a UNIDANCE de Vigo.

Com uma programação intensa, os participantes têm oportunidade para aperfeiçoar técnicas através de formação e deaulas de dança contemporânea e urbana, para terminar com uma oficina de montagem coreográfica em conjunto que será aberta ao público. Os jovens bailarinos contam ainda com a presença de uma professora de jazz da Coruña, Isabel Sabin de Jesus.

O III Intercâmbio Cultural de Dança decorre entre esta sexta-feira e a próxima terça-feira, sendo que neste último dia, o Fórum Cultural abre portas ao público, pelas 20h30, para o espetáculo final.

De sublinhar que Vila Nova de Cerveira é palco, todos dos anos, no final do mês de junho, de um grande evento de dança, o DanCerveira, que atrai mais de 1000 bailarinos e milhares de pessoas para assistir aos espetáculos ao ar livre.

PORTUGUESES E ESPANHÓIS DEBATEM DESAFIOS E OPORTUNIDADES DO PROGRAMA ERASMUS +

Na abertura deste “seminário de contacto”, como lhe chamou a diretora da Agência Nacional Erasmus + Educação e Formação, Joana Mira Godinho, a vice-presidente da autarquia monçanense, Conceição Soares, sublinhou a importância do programa como partilha de conhecimentos e enriquecimento sociocultural.

DSC_0174 (Large).JPG

A Agência Nacional Erasmus + Educação e Formação, o Servicio Español para la Internacionalización de la Educación (SEPIE), e o Centro de Formação do Vale do Minho promovem uma sessão transfronteiriça de informação e apoio às instituições que queiram apresentar candidaturas ao Programa Erasmus +, ação chave 2, parcerias estratégicas.

Com a colaboração da Câmara Municipal de Monção, a sessão realiza-se hoje e amanhã no Cine Teatro João Verde, contando com a presença de técnicos especializados de ambos os países, cujas conferências abordam diversas questões relacionadas com o Programa Erasmus +.

O ponto de partida, às 14h30, foi dado pelo diretor do Servicio Español para la Internacionalización de la Educación, Pablo Martin Gonzalez, e pela diretora da Agência Nacional Erasmus + Educação e Formação, Joana Mira Godinho. Ambos enalteceram o papel do Programa Erasmus + na valorização pessoal dos estudantes.

Representando a Câmara Municipal de Monção, Conceição Soares deu as boas vindas aos presentes, desejou-lhes uma boa estadia na localidade e sublinhou a importância do Programa Erasmus + como instrumento fundamental para a partilha de conhecimentos e enriquecimento sociocultural. “O meu Erasmus foi em Espanha, na cidade de Bilbao, e a experiência foi gratificante e enriquecedora” adiantou.

Ao longo dos dois dias, serão constituídos grupos de trabalho com participantes de ambos os países e debatidas questões como desafios e oportunidades do Programa Erasmus +, cooperação para a inovação e intercâmbio de boas práticas, partilha de experiências e casos de sucesso e apresentação de ideias e projetos.

DSC_0190 (Large).JPG

DSC_0195 (Large).JPG

RIO MINHO JUNTA MUNICÍPIOS DA GALIZA E DO MINHO EM PROL DE PROJECTO COMUN

Cerveira-Tomiño partilham preocupação sob impasse na candidatura ‘VISIT Rio Minho’

Caso os Governos de Portugal e de Espanha não se pronunciem sobre os contornos burocráticos subjacentes à não admissibilidade da candidatura ‘VISIT Rio Minho’, a CIM Alto Minho e a Deputación de Pontevedra admitem recorrer a Bruxelas para defender o conceito de cooperação transfronteiriça. Esta posição conjunta foi anunciada, em conferência de imprensa desta quinta-feira, em Valença, e na qual participaram vários autarcas, nomeadamente de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño pelo projeto em mãos do Parque Transfronteiriço através de uma ponte pedonal e ciclável.

IMG_1448.JPG

Autarcas dos dois lados da fronteira demonstraram, em uníssono, “a enorme insatisfação” em torno do tratamento que Lisboa e Madrid estão a dar ao território transfronteiriço ladeado pelo rio Minho. Em cima da mesa está a não admissibilidade da candidatura ‘VISIT Rio Minho’ - apresentada, em janeiro de 2016, ao POCTEP -, por ter sido submetida através de um Cartão de Cidadão de um técnico devidamente credenciado pela CIM Alto Minho, e não pelo próprio presidente da entidade intermunicipal.

Desta forma, a CIM Alto Minho e a Deputación Pontevedra deliberaram solicitar aos Governos de Portugal e de Espanha que seja garantida, “com a máxima urgência, a adequada e definitiva resolução das questões relacionadas com a aprovação da candidatura ‘VISIT Rio Minho’ ainda durante o período normal previsto para a decisão da 1ª fase do POCTEP, ou seja até 8 de março”. Caso não sejam ouvidos, os autarcas “reservam-se ao direito a recorrer a outras ações e iniciativas conjuntas” para continuar a defender os interesses das populações deste território transfronteiriço, podendo mesmo levar o assunto para apreciação em Bruxelas.

EIXO ATLÂNTICO INAUGURA EXPOSIÇÃO COMEMORATIVA DOS 25 ANOS

Entidade reúne-se em assembleia-geral em Lugo

O Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular realiza amanhã, dia 15 de Fevereiro, no Museu Interactivo da História de Lugo, na Galiza, a sua assembleia-geral. A reunião coincide com o 25.º aniversário desta organização transfronteiriça e fica marcada pela inauguração de uma exposição comemorativa na Praça Maior de Lugo.

CMB05062014SERGIOFREITAS00000136.jpg

A assembleia-geral irá contar com a presença do presidente do Eixo Atlântico, Ricardo Rio, do vice-presidente Alfredo Garcia, e do secretário-geral da organização, Xoán Mao. Presentes estarão ainda os representantes das 38 cidades e instituições que integram o Eixo.

A assembleia terá início às 10h30, com as boas-vindas da alcaidessa de Lugo, Lara Méndez. Segue-se a apresentação dos relatórios de gestão e contas, assim como do programa e orçamento para o ano de 2017.

O encerramento está previsto para as 13:30, com a presença do Secretário de Estado de Infra-estruturas do Governo espanhol, Júlio Gómez Pomar.

A exposição comemorativa do 25.º aniversário do Eixo Atlântico. Trata-se de um conjunto de 36 painéis onde o público poderá percorrer a história do Eixo Atlântico e as iniciativas mais marcantes no âmbito da cooperação transfronteiriça e estruturação do sistema urbano.

CERVEIRA E TOMIÑO VÃO TER PROVEDOR TRANSFRONTEIRIÇO DEFINIDO ANTES DO VERÃO

O Comité de Gestão Estratégica (CGE) Cerveira-Tomiño aprovou, em reunião da semana passada, a “Carta de Princípios do Provedor da Cidadania Transfronteiriça”, cuja figura estará ao dispor das populações de ambos os concelhos dentro de três meses.

Reunión Comité 2.jpg

Trata-se de ter um canal de cidadania aberto para auscultar as opiniões dos cidadãos de Cerveira e de Tomiño, nomeadamente queixas e recomendações em prol de uma melhoria dos serviços e/ou atividades prestados em conjunto pelas duas autarquias. O objetivo é definir uma pessoa de cada lado para que, pelo menos uma vez por semana, possa fazer atendimento ao público num espaço físico previamente identificado e divulgado.

Após a aprovação desta ‘Carta de Princípios’, cada Câmara Municipal tem de ratificar o documento em sede própria e definir as pessoas para ocupar o cargo mediante o perfil anteriormente definido, para que possa entrar em funcionamento, sob compromisso de emitir um balanço a cada seis meses.

Esta foi uma das principais decisões acertadas durante a reunião do CGE da semana passada, encarregue de supervisionar as ações integradas na Agenda Estratégica para a Cooperação. No mesmo encontro, onde marcaram presença o presidente da Câmara Municipal, Fernando Nogueira, e a alcaldesa de Tomiño, Sandra González, foi igualmente analisado o processo do orçamento Participativo Transfronteiriço, fixando medidas para melhorar o nível de participação no próximo.

Não obstante, ficou ainda validada a constituição de uma comissão promotora que ficará encarregue de executar os três projetos selecionados pelos cidadãos dos dois concelhos, bem como determinar a metodologia a utilizar polos grupos de trabalho, para levar a cabo as ações previstas no primeiro Orçamento Participativo, nas áreas de Educação, Ação Social, Cultura e Desporte.

O CGE aprovou ainda o programa de atividades conjuntas a realizar em 2017, e cujas ações serão apresentadas publicamente num ato a celebrar no final do mês de março.

FOI D. GARCIA II O PRIMEIRO REI DE PORTUGAL?

Passam 940 anos sobre a data da histórica Batalha de Pedroso, travada entre o Rei D. Garcia II e D Nuno Mendes, o último e o Conde de Portucale descendente da família de Vímara Peres. O confronto foi travado mais precisamente em 18 de Janeiro de 1071, perto de Tibães, entre Braga e o rio Cávado.

Escudo_reino_de_galicia.jpg

Filho de Fernando I de Leão, coube a D. Garcia II por herança o Reino da Galiza cujos domínios se estendiam até Lisboa, tendo aos seus irmãos Sancho II e Afonso VI recaído respetivamente os territórios de Castela e de Leão.

Incorporava o Reino da Galiza o Condado da Galiza e o Condado Portucalense que, não obstante, manteve sempre um elevado grau de autonomia. A sua denominação destinava-se a diferenciar daquele, tomando o nome da cidade do Porto que foi a sua primeira capital.

Cresciam já por essa época no Condado Portucalense aspirações separatistas que, encabeçadas pelo Conde de Portucale, Nuno Mendes, viriam a culminar na Batalha de Pedroso onde foi derrotado e perdeu a vida, travando por algumas décadas a desejada independência de Portugal.

Por seu turno, passou D. Garcia II a titular-se GARCIA REX PORTUGALLIAE ET GALLECIAE ou seja, Rei da Galiza e de Portugal. A ele se deve nomeadamente a restauração das sedes de Braga e Tui.

Porém, o seu reinado teve existência efémera em virtude dor irmãos de D. Garcia terem formado uma coligação para lhe usurparem o poder, no que vieram a ter sucesso, tendo-o encarcerado até à sua morte, no castelo de Vermoim, em 22 de Março de 1090.

Cumprindo o seu desejo, D. Garcia foi sepultado acorrentado tal como vivera os últimos anos de sua vida. E, na lápide do seu sepulcro, foi de igual modo representado, ao qual se junta a seguinte inscrição em latim:

R. DOMINUS GARCIA REX PORTUGALLIAE ET GALLECIAE. FILIUS REGIS MAGNI FERDINANDI. HIC INGENIO CAPTUS A FRATRE SUO IN VINCULIS. OBIIT ERA MCXXVIII XIº KAL. APRIL.

Cujos dizeres podem ser traduzidos para o Português moderno da seguinte forma:

Aqui jaz o rei Garcia de Portugal e Galiza, filho do grande rei Fernando, que foi capturado pelo seu irmão com engano. Morreu preso a 22 de março de 1090.

Porém, a saga dos dois irmãos do Rei Garcia não se ficou por aqui e no ano seguinte, Sancho II expulsou Afonso VI, juntando os três reinos – Castela, Leão e Galiza e Portugal. Sancho II acabou assassinado e Afonso VI tomou a coroa de Leão, a qual abrangia os três reinos. A História prossegue a sua marcha imparável e foi necessário esperar cerca de setenta anos para que Portugal se tornasse um reino independente.

ARCOS DE VALDEVEZ DÁ-SE A CONHECER EM XANTAR TURÍSTICO NA GALIZA

Arcos de Valdevez promove o concelho e seus produtos em “Xantar" - 18º Salão Internacional de Turismo Gastronómico de Ourense

No passado dia 2 de Fevereiro Arcos de Valdevez, através do Serviço de Turismo da Câmara Municipal, fez-se representar no 18º Salão Internacional de Turismo Gastronómico de Ourense com a ARDAL, a Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez e a Epralima.

XANTAR_2017 (1).JPG

Durante todo o dia decorreram no espaço da Entidade de Turismo e Norte de Portugal, ações de promoção do Município e da ARDAL, para divulgar o concelho de Arcos de Valdevez, o Parque Nacional da Peneda-Gerês, a Reserva Mundial da Biosfera, os serviços e a oferta turística disponíveis no concelho.

Neste certame também se apostou na divulgação dos Vinhos e Produtos dos Associados da Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez, nomeadamente os vinhos verdes do concelho, queijo, doces, compotas, entre outros, e houve ainda espaço para a realização de um Showcooking Promoção da Carne Cachena, realizado pela Epralima - Escola Profissional do Alto Lima.

De referir que, no âmbito da animação, Arcos de Valdevez levou até Ourense a Rusga do Povo de Távora Santa Maria e S. Vicente, a qual animou vários momentos ao longo de todo o dia.

Esta iniciativas servem para levar o nome de Arcos de Valdevez mais longe e promover o concelho além fronteiras.

XANTAR_2017 (7).JPG

XANTAR_2017 (17).JPG

OPERADORES TURÍSTICOS E AGENTES DE VIAGEM DA GALIZA VISITAM CELORICO DE BASTO

Celorico de Basto recebeu comitiva de 8 operadores turísticos e agentes de viagem da Galiza

Uma viagem pelo território do Tâmega e Sousa proporcionada pela CIM-TS e pelo Turismo porto e Norte de Portugal a 8 operadores turísticos e agentes de viagem iniciou em Celorico de Basto, no dia 5 e 6 de março.

_DSC3220.jpg

 

A ação contou com a parceria da Câmara Municipal de Celorico de Basto na visita guiada por alguns dos espaços turísticos deste concelho.

Os agentes de viagem e operadores turísticos, durante o pouco tempo que estiveram por Celorico, tiveram a oportunidade de visitar o Centro Interpretativo do Castelo de Arnoia, que conta a história do Castelo de Arnoia e da Villa de Basto, património edificado único no concelho. De seguida, o grupo foi encaminhado para a Quinta Sta. Cristina onde lhes foi mostrado todo o processo da produção do vinho verde com uma visita pela adega. A estadia dos operadores turísticos e agentes de viagem culminou com uma visita à ecopista com especial atenção para o espaço da estação e a carruagem, espaços que deixaram os convidados particularmente interessados para visitas turísticas.

“É importante para o concelho e para a região que se desenvolvam ações deste género. Se a aposta deste território é o turismo é preciso trabalhar em conformidade, articulando todos os meios e formas de atrair turistas dando a conhecer o melhor que a região tem para oferecer” realçou o vereador do turismo, Fernando Peixoto.

Em Celorico de Basto, os 8 operadores turísticos e agentes de viagem acompanhados pelos técnicos da CIM-TS e do TPNP ficaram alojados no Celorico Palace Hotel and Spa, um hotel de 4 estrelas inaugurado em 2016.

_DSC3228.jpg

CELORICO DE BASTO APRESENTA-SE EM OURENSE COMO “CAPITAL DAS CAMÉLIAS”

O Município de Celorico de Basto levou ao Xantar - 18º Salón Internacional de Turismo Gastronómico, no dia 2 de fevereiro, as Camélias, o património natural de excelência celebrado em Celorico de Basto durante o mês de março.

_DSC2996.jpg

“Iniciamos uma campanha que visa a participação em vários eventos turísticos com o objetivo de projetar pelo nosso Portugal e pelo mundo um território que é “Capital das Camélias” disse o Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Fernando Peixoto. “A Ourense, ao Xantar, trouxemos o que tão bem nos identifica, as Camélias, promovidas pelas “damas das camélias”, o turismo rural, o turismo de habitação, os programas de animação existentes, o nosso vinho verde, o mel, os enchidos. Dar a conhecer este território é o nosso objetivo, temos características únicas que nos diferenciam e demarcam de outros territórios, estamos muito bem situados, muito próximos dos grandes centros, por isso é crucial trabalhar para dar a conhecer este cantinho do Minho” destacou o autarca.

O Xantar decorreu em Ourense de 1 a 5 de fevereiro, Celorico de Basto esteve presente em parceria com a entidade Turismo Porto e Norte de Portugal e deu principal enfoque às Camélias que apresentam uma imagem nova e que têm um destaque especial neste concelho durante todo o mês de março, com atividades culturais marcadas para todos os fins-de-semana.

No Xantar foram também apresentados os produtos gastronómicos locais num espaço próprio para o efeito “Espaço das Catas”. Durante a apresentação identificadas as principais características do vinho verde, as castas, os produtores existentes, a excelência do produto produzido numa região demarcada.

Celorico de Basto estará também na BTL a meados de março para continuar a promover o território. Entretanto, as camélias irão “visitar” as principais cidades do norte numa promoção intensiva às Camélias.

_DSC3038.jpg

_DSC3056.jpg

PONTE DA BARCA FOI XANTAR À GALIZA

Ponte da Barca promoveu-se no Xantar-Salón Internacional de Turismo Gastronómico, em Ourense, Espanha

À semelhança de anos anteriores, o Município de Ponte da Barca marcou presença no Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorreu de 1 a 5 de fevereiro, em Ourense, na Galiza, Espanha. A participação nesta feirateve como intuito reforçar a visibilidade de Ponte da Barca como destino turístico, através da promoção de produtos gastronómicos e eventos culturais mais significativos.

pbxantar.jpg

No primeiro dia da feira, o Município fez-se representar pelo Presidente da Câmara, Vassalo Abreu, pela Vereadora do Cultura, Turismo e Desporto, Sílvia Torres, e pelo Adjunto do Presidente, Inocêncio Araújo, que acompanharam o dia inaugural daquela que é a única feira de cariz internacional espanhola onde os ícones gastronómicos e culturais de cada região se conjugam. Para o autarca de Ponte da Barca, Vassalo Abreu, 'esta é mais uma oportunidade do concelho espelhar o que de melhor faz, numa montra fantástica com esta dimensão, e por um concelho como o nosso que é, por várias razões, cada vez mais procurado pelos turistas.'

'Dia de Ponte da Barca'

A sexta feira foi dedicada a Ponte da Barca, altura em que decorreu uma prova de vinhos, a cargo da Adega Cooperativa local, assim como a apresentação oficial do espumante vinhão. No mesmo houve oportunidade para demonstrar a confeção e degustação de um dos pratos da gastronomia barquense – o Naco à Terra da Nóbrega – através de um showcooking a cargo do restaurante do Tempus Hotel&Spa.

O Sábado esteve reservado à promoção do Festival Folk Celta, que acontece em terras barquenses no último fim de semana de julho, e contou com o grupo de música português Palankalama, a animar a feira.

IMG-20170206-WA0006.jpg

IMG-20170206-WA0008.jpg

IMG-20170206-WA0011.jpg

BRAGA MOSTRA POTENCIALIDADES AO MERCADO ESPANHOL

Eventos, património e infra-estruturas promovidas além-fronteiras

O Município de Braga, a InvestBraga e a Associação Comercial de Braga marcaram presença na 18.ª edição do Xantar – Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorre até este Domingo, dia 5 de Fevereiro, em Ourense, Espanha.

CMB03022017SERGIOFREITAS0000004998.jpg

Esta acção teve como objectivo promover Braga e a Região no panorama internacional, dando especial atenção à gastronomia Bracarense, mas os eventos e iniciativas do Concelho, assim como o futuro Parque de Exposições de Braga (PEB).

“Temos um desiderato muito forte de ampliar a visibilidade e promoção do melhor que se faz em Braga”, referiu António Barroso do Gabinete de Apoio à Presidência da Câmara Municipal de Braga, acrescentando que esta presença no Xantar “já é incontornável, tratando-se de uma grande oportunidade de estabelecer contactos com os visitantes do salão, mas também dos profissionais de turismo e da comunicação social galega, que é um factor determinante para atrair mais turistas e operadores turísticos a Braga”.

Segundo o responsável, a gastronomia e os vinhos da Região “são verdadeiras âncoras de atractividade que devem ser potenciadas e é com esse intuito que marcamos presença em Xantar, uma das maiores feiras de turismo espanholas”, explicou António Barroso, sublinhando que esta acção ficou também marcada pela apresentação da nova agenda geral de eventos e da iniciativa ‘Taste Braga’, uma campanha focada na promoção dos eventos eno-gastronómicos que se realizam em Braga.

CMB03022017SERGIOFREITAS0000005005.jpg

Directora de Turismo da Galiza visita espaço de Braga

Braga esteve presente no Xantar 2017 num espaço próprio de divulgação onde recebeu a visita da directora de Turismo da Galiza, Nava Castro, do director da Expourense, Alejandro Rubin, do presidente da Entidade Regional de Turismo Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira, entre outras entidades portuguesas e espanholas.

Nesta edição, Braga apresentou também um showcooking pela chef Maria José Machado do restaurante ‘Brac’, que brindou os visitantes com os tradicionais ‘rojões à minhota’, o já conhecido ‘mil folhas de bacalhau’, finalizando com o singular Pudim Abade de Priscos.

Este certame foi, também, ‘uma boa oportunidade’ para promover os grandes eventos que Braga realiza como a Semana Santa, a Rampa da Falperra, a Braga Romana, as festas de S. João, a Noite Branca, a Braga Barroca ou as iniciativas da Braga é Natal, incluindo o Presépio Vivo de Priscos, assim como todo o Património local, as actividades culturais e desportivas, sem esquecer o distinto e competitivo comércio do Concelho.

Este ano a novidade da realização da super especial do Rally de Portugal nas ruas do Centro Histórico de Braga, teve direito a um espaço distinto com a disponibilização de um simulador de corridas automóveis.

CMB03022017SERGIOFREITAS0000005009.jpg

Futuro Parque de Exposições e Agro 2017 apresentados à imprensa galega

A presença no Xantar 2017 foi ainda uma oportunidade para se apresentar à comunicação social galega o futuro Parque de Exposições de Braga e a próxima edição da Agro, que se realizará de 23 a 26 de Março. A 50.ª edição da AGRO - Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação, incluirá também um Salão dedicado ao Agro-tech, assim como concursos pecuários e uma grande gala que se realizará na noite de 24 de Março.

Esta edição de Xantar que se realiza entre 1 e 5 de Fevereiro, conta com 232 expositores de 11 países (Espanha, Portugal, Panamá, Costa Rica, México, Equador, Paraguai, França, Perú, Cuba e Argentina), sendo a mais internacional de sempre. Esta que é a maior feira de turismo da Galiza e uma das maiores de Espanha realiza-se na Expourense que, com os seus 12.000 m2, espera a visita de mais de 25 mil pessoas.

O Xantar tem relevado ser um evento com forte componente de negócios cheio de oportunidades para os vários parceiros.

“É necessário intensificar a promoção em mercados mais alargados mas de proximidade, como a Galiza, principalmente para reforçar a nossa atractividade na época baixa, combatendo a sazonalidade turística e aproximando as empresas dos dois lados da fronteira”, concluiu António Barroso, lembrando que actualmente Braga “apresenta um grande dinamismo turístico que muito se deve ao sector privado, o que faz de Braga um Concelho atractivo, distinto e cativante para quem o visita.

CMB03022017SERGIOFREITAS0000005017.jpg

CMB03022017SERGIOFREITAS0000005031.jpg

PONTE DE LIMA PROMOVE TURISMO EM ESPANHA

Ponte de Lima participa no XANTAR 2017 – Salão Internacional de Gastronomia e Turismo de Ourense

Sendo o turismo gastronómico uma das principais atrações turísticas de Ponte de Lima, o Município de Ponte de Lima vai marcar presença na maior feira de turismo gastronómico de Espanha, o XANTAR no Salón Internacional de Gastronomia e Turismo de Ourense, que se realiza de 1 a 5 de fevereiro, em Ourense, Espanha.

16443002_10211833962634172_1075915006_o.jpg

O XANTAR é uma referência na promoção da Gastronomia e dos produtos locais, destacando a sua vertente turística e nutricional, defendendo os benefícios para a saúde da dieta atlântica.

Ponte de Lima marca presença nesta 18ª edição, com um stand e um restaurante próprio, sendo que o restaurante irá funcionar em parceria com a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, mormente com os docentes e alunos do Curso de Cozinha e Pastelaria, que são os responsáveis pela confeção dos principais pratos gastronómicos da cozinha limiana a servir durante o evento, em concreto do Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, do Naco da Minhota e do Bacalhau, além de outras iguarias limianas e dos vinhos das castas Loureiro e Vinhão de Ponte de Lima.

No stand do Município de Ponte de Lima serão divulgadas as potencialidades turísticas do concelho limiano, com evidência para a gastronomia, a excelência do Vinho Verde, em concreto das castas Loureiro e Vinhão, os produtos endógenos, como os enchidos e fumados, a sidra, o mel, o artesanato e as tradições folclóricas estarão em destaque neste Salão Internacional de Gastronomia e Turismo.

Durante este evento que é dedicado ao turismo gastronómico, celebra-se no dia 3 de fevereiro, o Dia de Ponte de Lima. Marcarão presença o Grupo Etno-Folclórico de Refoios do Lima e uma Comitiva do Executivo Municipal.

16466007_10211834502087658_961418118_o.jpg

PONTE DA BARCA PROMOVE TURISMO NA GALIZA

Ponte da Barca promove-se no Xantar-Salón Internacional de Turismo Gastronómico, em Ourense, na Galiza

Reforçar a visibilidade de Ponte da Barca como destino turístico, aravés da promoção de produtos gastronómicos e eventos culturais mais significativos, é o objetivo

xantar2.jpg

À semelhança de anos anteriores, o Município de Ponte da Barca marca presença no Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorre de hoje até domingo, em Ourense, na Galiza, Espanha. A participação nesta feirapretende reforçar a visibilidade de Ponte da Barca como destino turístico, através da promoção de produtos gastronómicos e eventos culturais mais significativos.

Neste que foi o primeiro dia da feira, o Município fez-se representar pelo Presidente da Câmara, Vassalo Abreu, pelaVereadora do Cultura, Turismo e Desporto, Sílvia Torres, e pelo Adjunto do Presidente, Inocêncio Araújo, queacompanharam o dia inaugural daquela que é a única feira de cariz internacional espanhola onde os ícones gastronómicos e culturais de cada região se conjugam.

Para o autarca de Ponte da Barca, Vassalo Abreu, 'esta é mais uma oportunidade do concelho espelhar o que de melhor faz, numa montra fantástica com esta dimensão, e por um concelho como o nosso que é, por várias razões, cada vez mais procurado pelos turistas.'

'Dia de Ponte da Barca'

Na sexta feira o dia será dedicado a Ponte da Barca, altura em que vai decorrer uma prova de vinhos, a cargo da Adega Cooperativa local, assim como a apresentação oficial do espumante vinhão. No mesmo dia haverá oportunidade para demonstrar a confeção e degustação de um dos pratos da gastronomia barquense – o Naco à Terra da Nóbrega – através de um showcooking a cardo do restaurante do Tempus Hotel&Spa.

O Sábado está reservado à promoção do Festival Folk Celta, que acontece em terras barquenses no último fim de semana de julho, e vai contar com um grupo de música deste género, a animar a feira.

CAMINHA PRESENTE NO 18º SALÃO INTERNACIONAL DE TURISMO GASTRONÓMICO

Expourense termina domingo

Até domingo, o Município de Caminha está presente no certame Xantar 2017 – 18º Salão Internacional de Turismo Gastronómico, na Expourense, em Ourense, Espanha, com o objetivo de dar a conhecer internacionalmente o concelho como destino turístico.

expourense 2017.jpg

Nesta edição do Salão Internacional de Turismo Gastronómico estão 232 expositores, provenientes de 11 países (Espanha, Portugal, Panamá, Costa Rica, México, Equador, Paraguai, Franca, Perú, Cuba e Argentina), entre os quais se encontra o do Município de Caminha.

Para este salão internacional, o Município levou o que de melhor se faz no concelho a nível do artesanato e da gastronomia e ainda a panóplia de atividades que temos para oferecer durante todo o ano a quem nos visita, como são os casos da Caminha Doce, do Desfile Noturno de Carnaval, da Festa do Mar e da Sardinha, etc. O que objetivo é promover o concelho como destino turístico, atrair novos públicos e dinamizar a economia local.

Para além dos produtos e dos eventos culturais que o concelho tem para oferecer, o Município ainda integra as atividades que marcam esta edição do Xantar 2017, com a organização dos showcookings de promoção da “Festa do Mar e da Sardinha – Vila Praia de Âncora” e do “Festival Gastronómico do Bife de Espadarte – Vila Praia de Âncora”, que decorrerão no dia 3 de fevereiro. Nesse dia, também o presidente da Câmara, Miguel Alves, visitará o certame.  O showcooking de promoção da “Festa do Mar e da Sardinha – Vila Praia de Âncora”conta ainda com a colaboração do Âncora Praia Futebol Clube  e o Turismo Porto e Norte de Portugal e o do “Festival Gastronómico do Bife de Espadarte – Vila Praia de Âncora”com a  Baleeira Pescase o Turismo Porto e Norte de Portugal.

A Expourense pode ser visitada das 11H00 às 00H00  até sábado e no domingo encerra 18H00 (hora portuguesa).Mais informações em www.xantar.org

MONÇÃO E SALVATERRA DE MIÑO, DOIS NAMORADOS UNIDOS PELO RIO MINHO

Associações ambientalistas de Portugal e Espanha, ATEARAIA e Lazoiro, assinalam o Dia dos Namorados no dia 12 de fevereiro, domingo, com um passeio apaixonado pelos lugares românticos das duas localidades banhadas pelo Rio Minho. Os quatro quilómetros de caminhada serão preenchidos com momentos para contemplar a paisagem e paragens para interiorizar histórias do relacionamento entre as duas comunidades. Para ouvir com atenção e de mãos dadas. Como dois namorados.

Ponte 01.jpg

A Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental – ATEARAIA e a AsociaciónLazoiro promovem no dia 12 de fevereiro, domingo, uma caminhada pelos lugares mais românticos de Monção e Salvaterra de Miño, localidades transfronteiriças banhadas pelo rio Minho e servidas por uma ponte internacional há mais de duas décadas.

Com a colaboração da autarquia monçanense, o percurso tem uma extensão de quatro quilómetros com dificuldade baixa/moderada, iniciando-se, pelas 14h30, junto aos painel de azulejos de João Verde, na Avenida General Humberto Delgado, conhecida como Avenida dos Néris.

Não podia ser melhor escolha, uma vez que o poeta maior das letras monçanenses deixou bem expresso, através do poema “Vendo-os assim tão pertinho”, visível naquele mural, o carinho e afeição pelo povo da outra margem e a certeza que o “casamento” seria uma realidade para os dois “namorados”.

Aqui fica o poema publicado em “Ares da Raya” no ano de 1902:“Vendo-os assim tão pertinho / A Galiza mail`o o Minho / São como dois namorados / Que o rio traz separados / Quasi desde o nascimento / Deixai-os, pois, namorar / Já que os pães para casar / Lhes não dão consentimento”.

O custo de 3,00 € para sócios e de 5,00 € para não sócios inclui seguro, bolo e chá, encontrando-se as inscrições abertas na página oficial da ATEARAIA no Facebook - www.facebook.com/atearaia. A organização aconselha os participantes a trazerem roupa adequada, água e caneca para o chá. 

Com esta iniciativa, pretende-se comemorar o Dia dos Namorados, que se assinala a 14 de fevereiro, terça-feira, e transmitir aos presentes alguns momentos históricos que evidenciamo relacionamento entre duas comunidades ribeirinhas que, nos dias que correm, não vivem uma sem a outra.

Constitui uma oportunidade excelente para conhecer um pouco melhor a envolvência histórica dos dois povos, bem como determinados episódios que marcaram a vida cultural e social de ambas as comunidades. Para ouvir com atenção e de mãos dadas. Como dois namorados.

Ponte 02.jpg

MINHOTOS E GALEGOS VOTAM ORÇAMENTO PARTICIPATIVO TRANSFRONTEIRIÇO

Desporto, acessibilidade e lazer são os interesses comuns eleitos no OPT

Já são conhecidos os três projetos que a população de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño quer ver concretizados em 2017, no âmbito do primeiro Orçamento Participativo Transfronteiriço (OPT). Cerca de 200 cerveirenses e tominenseselegeram o desporto, a acessibilidade e o lazer como os interesses comuns a reforçar neste novo ano.

rio Minho.jpg

Terminado operíodo de votação do OPT Cerveira-Tomiño a 31 de dezembro de 2016, duas centenas de pessoas de ambos os concelhos participaram e selecionaram os três projetos preferidos, de um total de seis, cuja implementação será trabalhada e executada ao longo do ano pelos duas autarquias.

No eixo da Educação, os votantes escolheram a realização do “1º Campus Desportivo Cerveira-Tomiño” que procura incutir osvalores de tolerância, cooperação, interculturalidade e respeito entre crianças e jovens de ambas as vilas, bem como fomentar o conhecimento cultural e social mútuo, o desporto saudável e a competitividade sem violência”. As atividades previstas (torneios entre colégios, futebol, natação, piragüismo, etc.) vão desenvolver-se entre os meses de janeiro e julho do corrente ano.

Na Ação Social, o projeto mais votado foi a implementação de um “Programa transfronteiriço para a informação, apoio e visibilidade das problemáticas de acessibilidade”, que visa consciencializar para as problemáticas de exclusão motivadas por incapacidades físicas e intelectuais, e aumentar a informação e o conhecimento mútuo da problemática em ambos concelhos. Entre as ações programadas, a decorrer entre fevereiro e novembro, está a realização de um inventário de obras de eliminação de barreiras físicas, sensoriais e cognitivas, de umas jornadas de sensibilização e de umprojeto roteiro transfronteiriço acessível e ponto de informação transfronteiriço.

Por último, na área de Cultura, a proposta selecionada foi a “Festa da Amizade Tomiño-Cerveira”, que contempla distintas intervenções para a dinamização artística, cultural e desportiva dos dois concelhos e o fomento do intercâmbio artístico-cultural. Atividades musicais, rotas de remo e canoa, tertúlias, arte urbana e celebração do “Aniversário Amizade Cerveira-Tomiño”, são algumas das ações englobadas neste projeto a desenvolver entre janeiro e junho.

Integrado na Agenda Estratégica para a Cooperação Transfronteiriça Amizade Cerveira-Tomiño 2014-2020, oOrçamento Participativo Transfronteiriço é umprojeto piloto de promoção da participação pública e de cidadaniatransfronteiriçaque faz parte de uma candidatura mais abrangente econjuntados dois concelhos, à primeira convocatóriado INTERREG VA.

PAI NATAL CHEGOU DE BARCO AO CAIS DA LODEIRA E EMBARCADOURO DE SALVATERRA DE MIÑO

Iniciativa, realizada no dia 24 de dezembro pelo terceiro ano consecutivo, contou com muitas crianças nos dois lados da fronteira. Elementos da Subzone transportaram o velhinho simpático e bonacheirão entre o Parque das Caldas e o Cais da Lodeira.

Pai Natal 02 (Large).JPG

Depois de no dia 18, dezenas de Pais Natal terem “desfilado” pelo centro histórico da localidade em bicicleta e mota, trazendo animação à Praça Deu-la-Deu, no dia 24, sábado de consoada, o Pai Natal “atracou” no Cais da Lodeira e no Embarcadouro de Salvaterra de Miño.

À sua espera, estavam muitas crianças desejosas de “desembrulhar” alguma surpresa. Em terra, o velhinho simpático e bonacheirão foi literalmente cercado pelos mais novos, tendo recebido muitos abraços e beijinhos e distribuído guloseimas e entradas para os insufláveis situados no centro da vila.

Pai Natal 01 (Large).JPG

 

Presente no local, a vice-presidente da autarquia, Conceição Soares, confirmou a alegria da pequenada e a importância desta iniciativa para manter vivo o espirito natalício: “Esta atividade, como outras que temos realizado ao longo do mês de dezembro, fortalece o sentimento da época e o imaginário das crianças”.

A chegada de barco do Pai Natal ao Cais da Lodeira e ao Embarcadouro de Salvaterra de Miño inseriu-se na programação natalícia preparada pela autarquia monçanense em conjunto com a Associação Comercial e Industrial dos Concelhos de Monção e Melgaço, bem como várias instituições e coletividades locais.

Focando-se na dinamização comercial com o lema “Seja Tradicional. Compre no Comércio Local”, realizaram-se várias atividades alusivas à época como Mercado de Natal, música tradicional, exposições, ateliês, concertos da Banda Musical de Monção e Banda Musical da Casa do Povo de Tangile a S. Silvestre Solidária entre Monção e Salvaterra de Miño.

Pai Natal 03 (Large).JPG

Pai Natal 04 (Large).JPG

pai natal 05 (Large).JPG

BRAGA PROMOVE CAMINHO PORTUGUÊS DE SANTIAGO

Braga acolherá a exposição “Caminhos: o Caminho, a Arte e o vinho no Caminho Português!”

Realizou-se na Casa da Luz, em Pontevedra, a apresentação da exposição itinerante “Caminhos: o Caminho, a Arte e o vinho no Caminho Português!”. Esta exposição estará patente em Braga nos meses de Maio e Junho de 2017, no âmbito do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido na valorização e promoção do Caminho Português de Santiago, ao qual Braga tem ligações ancestrais.

Caminhos de Santiago.JPG

António Barroso, do Gabinete e Apoio à Presidência da Câmara Municipal de Braga, marcou presença na inauguração da exposição dinamizada por Celestino Lores, Presidente da Fundação do Caminho Português a Santiago e conta com o apoio da Associação Espaço Jacobeus, associação nacional de peregrinos. A iniciativa contou também com a presença do Alcaide de Pontevedra, Miguel Anxo Fernández Lores, e demais Autarcas e representantes dos outros Municípios portugueses e galegos envolvidos nesta iniciativa.

“Esta é uma importante acção de divulgação do Caminho Português a Santiago, não só pela cooperação que estimula entre estes Municípios portugueses e galegos, mas também pela forma diversa e distinta como se conjuga este caminho ancestral que é religioso, mas também um itinerário cultural e turístico que importa valorizar e promover com a arte e o vinho”, referiu António Barroso, salientando que “o código Calixtino, assim como outros relatos escritos que são preponderantes para as evidências históricas da passagem de peregrinos pelos nossos territórios, apresentam várias referências ao convívio e à degustação do vinho, um produto endógeno e com muita importância na economia local”.

Esta mostra estará patente durante 2017 em oito Municípios galegos e portugueses e incluiu uma exposição de fotografia, outra de pintura e ainda de oito adegas, sendo uma de Braga - Peixoto Rodrigues.

“Existe uma estreita relação entre as peregrinações e o vinho, uma bebida que é oferecida como sinal de hospitalidade aos caminhantes e que deve ser consumida com moderação. Aliar o vinho com a arte, através da pintura e da fotografia, é um casamento feliz neste Caminho que nos une e será mais um momento de afirmação de Braga nas rotas Jacobeias”, enfatizou António Barroso.

CERVEIRENSES VOTAM ORÇAMENTO TRASFRONTEIRIÇO

Últimos dias para votar no Orçamento Participativo Transfronteiriço

Entramos na derradeira semana de votação no Orçamento Participativo Transfronteiriço Cerveira-Tomiño 2017. Os eleitores dos dois concelhos geminados são desafiados a votar nos três projetos preferidos para serem concretizados já no próximo ano. Prazo termina às 24h00 do dia 31 de dezembro. Aceda a www.participacerveiratomino.eu

IMG_9338.JPG

O processo de votação é muito simples: basta clicar em Participa, selecionar um projeto por cada categoria, preencher os dados (nome e número de cartão de eleitor), e votar.

Cerveirenses e tominenses, maiores de 18 anos e eleitores nos concelhos, podem escolher de seis as três propostas preferidas, uma por cada categoria de intervenção identificada.

Na Educação, a opção é entre a ‘Semana da Comunidade Educativa Cerveira-Tomiño 2017’ ou o ‘1º Campus Desportivo e Educativo Cerveira-Tomiño’; na área da Cultura, a realização da ‘Festa Amizade Cerveira-Tomiño’ ou do ‘Encontro de Criatividade Cultural e Música do Minho’; e por fim, na vertente da Ação Social, a seleção é entre a elaboração de um ‘Programa de Voluntariado de Apoio à Inclusão Social Infantil e Juvenil’ ou de um ‘Programa transfronteiriço para a informação, apoio e visibilidade das problemáticas de acessibilidade’.

O orçamento previsto é de 20 mil euros, financiado a 50% pelas duas câmaras municipais. Os projetos vencedores, e com execução em 2017, serão anunciados em janeiro próximo.

A TRAVESSIA DO RIO LETHES PELOS EXÉRCITOS ROMANOS VISTA PELOS REINTEGRACIONISTAS GALEGOS

15492387_1014354252025840_3674376753143855533_n.jpg

O PORQUÊ DA HISTÓRIA DA LÍNGUA

Qualquer que fosse a razom para estares agora a ler a História da Língua em Banda Desenhada, é indicativo do atual conflito linguístico.

Os coletivos que respaldamos este trabalho, propomo-nos dar umha visom histórica sobre o galego e que todos saibamos o que é o reintegracionismo.

Para os nom iniciados, incluímos um guia de leitura nestas mesmas páginas, a descriçom do alfabeto galego e, como a língua é escrita e fala, juntamos também um esquema fonético.

Para os mais conhecedores, trabalhamos com rigor em datas e citaçons (tiradas das respetivas primeiras ediçons).

E para todos -aprovados e reprovados em galego-, apresentamos a história da língua como nunca se tinha feito, utilizando um meio divertido e inovador: a linguagem da banda desenhada: por isso, usando critérios didáticos respeitamos formas orais e expressons coloquiais, em ocasions estranhas ao galego.

Também nos propugemos ser umha alternativa ao folclorismo cultural e linguístico que se promove com dinheiros públicos, umha alternativa a todos os editores, júris e premiados que vem no nosso idioma mais um negócio. Som os que hoje vam a Portugal a vender homogeneidade cultural e linguística, enquanto na Galiza usam umha norma de laboratório, sem rigor histórico, sem passado, de nulo presente e, o que é pior, sem futuro. Nós luitamos para se respeitar a liberdade e nom se discriminar o reintegracionismo no ensino, em publicaçons, meios de comunicaçom, etc. A gente deve estar informada de que existe um amplo conflito linguístico e umha grande desconformidade.

A muitos nom servem as propostas da norma chamada hoje de “oficial”, e exigimos um amplo consenso social.

Os reintegracionistas trabalhamos também, e antes de mais, pola extensom do uso do nosso idioma em todos os ámbitos. Contra os preconceitos e a dialectalizaçom do galego temos argumentos: um idioma internacionalmente útil e usado -nas suas diferentes variedades- por 200 milhons de falantes, em cujo tronco se acha a sobrevivência e consolidaçom do galego na Galiza.

Por tudo isto, se te obrigarem a escrever em castrapo lembra-lhes que o “ñ” só existe em espanhol.

Ourense, Galiza. Abril 1992

https://www.facebook.com/AtravesEditora/

COMISSÃO EXECUTIVA DO EIXO ATLÂNTICO REÚNE-SE EM BARCELOS

Segunda-feira, dia 19 de dezembro, às 10h, no Museu de Olaria

A Comissão Executiva do Eixo Atlântico reúne-se em Barcelos na próxima segunda-feira, 19 de dezembro, no Auditório do Museu de Olaria, às 10h.

Na reunião, entre outras questões, serão abordados o relatório ferroviário da saída Sul de Vigo e ligação ferroviária entre Lugo-Ourense, e a proposta de estratégia para o seu desenvolvimento.

Às 12h, terá lugar uma conferência de imprensa em que estarão presentes o Presidente do Eixo Atlântico, Ricardo Rio,  o  Vice-presidente e Presidente da Federação Galega de Municípios, FEGAM, o Presidente de O Barco de Valdeorras, Alfredo Rodríguez, o Presidente da Rede Ibérica de Entidades Transfronteiriças, RIET, José Couto, o Presidente da Confederação de Cidades do Arco Atlântico e presidente de Viana do Castelo, José Maria Costa;   e os presidentes de Barcelos, Miguel Costa Gomes, de A Coruña, Xulio Ferreiro, de Lugo, Lara Méndez,  e o de Matosinhos, Eduardo Pinheiro; e o Vice-presidente e o Secretário Geral do Eixo Atlântico e da RIET, Xoán V. Mao.

PROVA SOLIDÁRIA S. SILVESTRE UNE MONÇÃO E SALVATERRA DO MIÑO

4ª edição decorre no dia 30 de dezembro, sexta-feira, pelas 18h00. Partida daPraça Deu-la-Deu, em Monção, e chegada à Praza do Concello, em Salvaterra do Miño. Para participar, basta entregar um alimento não perecível. Inscrições onlinewww.goo.gl/6VWEnjou, no secretariado, 30 minutos antes do início da prova. Este ano, pela primeira vez, realiza-se uma Mini S. Silvestre para crianças até aos 12 anos que consiste em três voltas à Praça Deu-la-Deu.O lema é fazer exercício físico, ajudando o próximo.

cartazmonc.png

A Eurocidade Monção – Salvaterra do Miño promove no próximo dia 30 de dezembro, sexta-feira, a 4ª edição da Prova Solidária S. Silvestre com um percurso aproximado de cinco quilómetros pelas ruas e praças das duas localidades fronteiriças ligadas por uma ponte internacional sobre o rio Minho hámais de duas décadas.

A partida tem lugar naPraça Deu-la-Deu, em Monção, e a chegada na Praza do Concello, em Salvaterra do Miño. Quem quiser participar nesta prova solidária apenas terá de entregar um alimento não perecível que, numa fase posterior, será distribuído pelas famílias com dificuldades económicas de ambos os municípios.

Este ano, realiza-se uma Mini S. Silvestre para crianças até aos 12 anos que consiste em três voltas à Praça Deu-la-Deu. Esta prova acontece pela primeira vez com o objetivo de incutir nos mais jovens o gosto por esta iniciativa desportiva e solidária. O lema é fazer exercício físico, ajudando o próximo.

Com início às 18h00 (hora portuguesa) e 19h00 (hora espanhola), esta iniciativa transfronteiriça pretende sinalizar um momento de carinho e solidariedade para quem mais necessita, assumindo-se, em paralelo, como mais um reforço nobom relacionamentoexistente entre as duas localidades.

A organização“convoca” a população das duas margens a participarem nesta prova solidária, convidando as pessoas de todas as idades a praticarem desportoenquanto fazem o bem em benefício das famílias mais desfavorecidas de ambos os lados da fronteira.

Inscrições onlinewww.goo.gl/6VWEnj ou, no secretariado, 30 minutos antes do início da prova.Durante o percurso, os participantes terão apoio dos bombeiros locais, encontrando-se o trânsito condicionado à ação de segurança da Guarda Nacional Republicana e Guarda Civil.

MELGAÇO EXPÕE “OFÍCIOS E TRADICIÓNS POPULARES DA GALIZA”

Um leque de trabalhos que retrata as atividades etnográficas do mundo rural galego

A Casa da Cultura tem patente uma nova mostra de arte: até 30 de dezembro é possível observar a exposição ‘Ofícios e tradicións populares da Galiza’, da autoria do galego Adolfo Fernández Dafonte. As peças, realizadas em argila, que compõem a coleção são uma homenagem ao mundo rural galego onde desfilam afiadores, emigrantes, barbeiros etc. Figuras próximas, feitas para serem entendidas por todos os públicos e por detrás das quais se esconde um árduo trabalho de pesquisa.

Exposição OFÍCIOS E TRADICIÓNS POPULARES DA GALIZA  (5).jpg

Trata-se de uma mostra em que o autor trabalha o barro com as mãos: ‘As minhas obras são figuras representativas das mulheres e dos homens do mundo rural galego, desempenhando as suas tarefas agrícolas, muitas das quais já inexistentes’, considera o autor.

Adolfo Fernández Dafonte nasceu em 1964 em Ourense. É um escultor autodidata e investigador de técnicas ancestrais de cozedura do barro e do uso de fornos milenários. Trabalha o barro com as mãos para criar peças mais singulares e únicas, barro esse maioritariamente extraído da zona da Baixa Limia.

A mostra já esteve patente em diversos concelhos de Lugo e de Ourense, e agora, pela segunda vez, em Portugal. Pode ser visitada durante o horário normal da Casa da Cultura: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 (segunda a sexta-feira), e aos sábados das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 18h00.

Exposição OFÍCIOS E TRADICIÓNS POPULARES DA GALIZA  (1).jpg

Exposição OFÍCIOS E TRADICIÓNS POPULARES DA GALIZA  (2).jpg

II FESTA DA MARIONETA LUSOGALAICA ANIMA CAMINHA NO PRÓXIMO FIM-DE-SEMANA

Workshops de construção de marionetas e espetáculos e animação de rua por companhias portuguesas e galegas são as propostas desta edição

As marionetas são o destaque da Agenda Natal 2016 no próximo fim-de-semana. Nos dias 3 e 4 de dezembro, Caminha recebe a II Festa da Marioneta Lusogalaica – Maluga. Workshops de construção de marionetas e espetáculos e animação derua por companhias portuguesas e galegas são as atividades que vão marcar esta segunda edição.

marionetas (1).jpg

A Festa da Marioneta Lusogalaica visa dar a conhecer a arte da marioneta e o trabalho realizado nesta área em Portugal e na Galiza. Com atividades orientadas para todas as gerações, esta segunda edição conta com um programa aliciante. Durante as manhãs vão decorrer os workshops de construção de marionetas e as tardes serão preenchidas com animação de rua e espetáculos no Valadares, Teatro Municipal.

No sábado, dia 3, das 10h00 às 12h30, terão lugar as Oficinas Divertidas “Olhapins e Olharapos” – Construção de Marionetas em Esponja, a cargo do Teatro e Marionetas de Mandrágora. Esta atividade vai decorrer no Edifício Paços do Concelho e dirige-se a crianças maiores de 6 anos. Pelas 16h00, na Praça Conselheiro Silva Torres, terá lugar o Teatro Dom Roberto, Teatro Tradicional Português de Marionetas, a cargo de S.A. Marionetas – Teatro & Bonecos. O dia encerra no Valadares, Teatro Municipal de Caminha, com o espetáculo “História de um gato e de um rato que se tornaram amigos”, pelo Teatro de Marionetas de Mandrágora.

No dia 4, das 10h00 às 11h30, terão lugar as Oficinas Divertidas “Marionetas nas Mãos” – Construção de Marionetas, pelo Teatro Babaluva. Esta atividade vai decorrer no Edifício Paços do Concelho e dirige-se a crianças dos 5 aos 12 anos de idade. Pelas 16h00, na Praça Conselheiro Silva Torres, terá lugar o Teatro Dom Roberto, Teatro Tradicional Português de Marionetas, a cargo de S.A. Marionetas – Teatro & Bonecos. Esta II Festa da Marioneta vai encerrar com o espetáculo “Lume – Teatro de Marionetas”, pelo Teatro Babaluva.

Ambas as oficinas divertidas tem um preço de 3€ e os interessados devem proceder à respetiva inscrição até ao dia 1 dezembro, através do email krisalida.acam@gmail.com ou do telefone 351 960 115 415.

A Festa da Marioneta Lusogalaica é organizada pela Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho e conta com o apoio do Município de Caminha.

A Festa da Marioneta Lusogalaica é um dos quarenta eventos que vão marcar a quadra natalícia no concelho de Caminha. No dia 1, ao final da tarde, as ruas de Caminha e Vila Praia de Âncora vão ser iluminadas para bem receberem os caminhenses e visitantes, convidando-os a andar pelas ruas nesta época que se quer mágica. O concelho vai iluminar-se a partir das 19h00.

Nesse dia, arranca uma das novidades desta programação de Natal, a Rota da Rabanada. Durante o mês de dezembro, mais de três dezenas de cafés, pastelarias e restaurantes aderentes do concelho vão ter para “oferecer”, entre os 0,25€ e os 5€, aos seus clientes a sua especialidade de rabanada. De leite, vinho, doce de ovos, frutos secos….são muitas as especialidades disponíveis. E, ainda pode ganhar presentes oferecidos pelo Município. Este foi um dos desafios lançados pelo Município de Caminha aos cafés, pastelarias e restaurantes do concelho, com os objetivos de dinamizar o concelho e dar a conhecer as diversas formas de confecionar a rabanada.

O dia 1 de dezembro, ainda vai ser marcado pela apresentação do livro “Contos de Natal”, de Maria José Areal, uma atividade da Universidade Sénior do Rotary Clube de Caminha, que conta com o apoio da Câmara Municipal. A apresentação terá lugar pelas 16h00, no Auditório da Biblioteca Municipal de Caminha.

Um dos costumes no concelho de Caminha é a Feira de Tradições de Natal.  Com uma procura cada vez maior, estes mercados de Natal onde vai encontrar tudo o que necessita para adoçar e decorar este Natal pretendem dinamizar o concelho, tornando-o atrativo. Caminha acolhe a Feira de Tradições de Natal nos dias 10 e 11 de dezembro e Vila Praia de Âncora nos dias 17 e 18.

O Fitas de Natal volta a preencher as noites de quinta-feira. Esta edição apresenta grandes clássicos cinematográficos: “Maria, Mãe do Filho de Deus”, de MoacyrGóes, 2003, Brasil, (M/12), duração 107 minutos; “Bad Santa”, TerryZwigoff, 2003, EUA (M/12), duração 98 minutos; “WhiteCristmas”, de Michael Curtiz, 1954, EUA, (M/16), 120 minutos e “New Year’sEve”, de Garry Marshall, 2011, EUA, (M/16) 113 minutos.

As crianças dão cor e magia à quadra natalícia. Por isso, a Câmara Municipal vai também promover um conjunto de atividades para os mais novos. No dia 10, vai decorrer a animação teatral “As Elfas do Pai Natal vão de Férias”, uma produção da Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho. Esta animação terá lugar no Valadares, Teatro Municipal de Caminha e no Centro Cultural de Vila Praia de Âncora. As tardes de 11 e 18 de dezembro, são tardes de Fitas de Natal infantis com a exibição dos filmes “Arthur Christmas, de Sarah Smith e “Feliz Natal com Mickey, Donald e Amigos”, Disney, 2004. Nos dias 17 e 18, nas praças das duas vilas, as crianças vão poder assistir ao conto de Natal, participar na oficina de construção de marioneta e ainda aproveitar para tirarem uma fotografia com o Pai Natal. Esta ação é também uma produção da Krisálida. No dia 24, de forma a tornar o Natal no concelho ainda mais mágico, o Pai Natal estará disponível nas praças das duas vilas para mais uma sessão de fotografias.

Os Concertos de Natal vão aquecer os fins de tarde e as noites frias de dezembro. Juntando a sua voz a todos aqueles que, ao redor do mundo, cantam ao nascimento do Deus Menino, o Orfeão de Vila Praia de Âncora, o Coro e Orquestra da Academia de Música Fernandes Fão e a Tuna da Universidade Sénior do Rotary Clube de Caminha vão-nos presentear com canções tradicionais de vários países mostrando, assim, a beleza de cânticos que a época de Natal inspira os povos. No dia 16, a Igreja Paroquial de Moledo acolhe o concerto de Natal pelo Orfeão de Vila Praia de Âncora. No dia 17, a Igreja de Santa Clara, em Caminha, seve de palco ao concerto da Tuna da Universidade Sénior do Rotary Clube de Caminha. No dia 18, o Orfeão de Vila Praia de Âncora volta aos palcos, desta feita, na Igreja da Misericórdia de Caminha para mais um concerto.  No dia 22, na Igreja Matriz de Caminha vai decorrer o Concerto de Natal da AMFF. Os concertos de Natal encerram no dia 23 de dezembro, na Igreja Matriz de Vila Praia de Âncora com a atuação do Orfeão de Vila Praia de Âncora.

No dia 18 de dezembro, o dia começa bem cedo com o Passeio de Pai Natal em Bicicleta, corrida e caminhada. É uma organização da Associação de Triatlo de Caminha e Desnível Positivo, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, Freguesias de Vila Praia de Âncora, Caminha e Vilarelho e Moledo e Cristelo.

A noite de 31 de dezembro é a noite mais esperada do ano. Em Caminha, a noite é de festa e de glamour, afinal de contas, em “Caminha é onde o Norte passa o ano”. Marta Ren&TheGroovelvets estarão connosco neste Réveillon. Depois de Marta Ren&TheGroovelvets, a noite continua com o Grupo de Covers Xornas.

O Concerto de Ano Novo encerra as atividades da quadra Natalícia em Caminha. Tal como acontece nas grandes capitais europeias, em Caminha também se começa o ano com um grande concerto de música clássica. O Valadares, Teatro Municipal de Caminha vai acolher um concerto, que vai juntar a Sociedade Musical Banda Lanhelense e o Coral Polifónico de Vila Nova de Cerveira.

marionetas Valadares (1).jpg

AUTARCAS MINHOTOS E GALEGOS ASSINAM AUTO DE RECONHECIMENTO DE FRONTEIRA A BORDO DA LANCHA RIO MINHO

Autarcas de Monção, Salvaterra, As Neves e Arbo assinaram a ata de vistoria de fronteira entre Portugal e Espanha em pleno rio Minho juntamente com os restantes municípios portugueses e galegos banhados por aquele troço de água internacional.

Vistoria 8 (Large).JPG

A assinatura do auto de reconhecimento de fronteira do rio Minho entre os municípios portugueses e galegos banhados por aquele troço de água internacional realizou-se, na manhã de ontem, a bordo da lancha rio Minho com a presença dos autarcas de ambas as margens e o comandante da Capitania do Porto de Caminha, Pedro Miguel Costa, e do seu congénere de Tui, Enrique Garcia Gonzalez.    

O embarque dos autarcas portugueses efetuou-se em Vila Nova de Cerveira e o dos autarcas galegos em Tui. O encontro entre as duas embarcações, lancha rio Minho e lancha Cabo Fradera, teve lugar em pleno rio Minho nos limites entre Vila Nova de Cerveira e Valença. O ato oficial decorreu a bordo da lancha portuguesa.

Vistoria 7 (Large).JPG

O município de Monção, representado pelo seu presidente, Augusto de Oliveira Domingues, assinou a ata de vistoria da fronteira entre os dois países com os seus homólogos galegos dos Ayuntamientos de Salvaterra do Miño, Arturo Grandal Vaqueiro, de As Neves, Xosé Manuel Mendez, e de Arbo, Horácio Gil Exposito.

A presente cerimónia enquadrou-se nos termos do artigo XXV e do artigo VIII, do anexo I do Tratado de Limites entre Portugal e Espanha, assinado a 29 de Setembro de 1864, quando foi reconhecida a linha fluvial do rio Minho que serve de fronteira entre os dois países.

Em anos anteriores, o auto de reconhecimento de fronteira decorria de forma individual. Este ano, por sugestão das capitanias de Caminha e Tui, realizou-se uma cerimónia conjunta com todos os autarcas. Segundo Pedro Miguel Costa, para lhe conferir maior solenidade e sublinhar o excelente relacionamento entre as armadas e os municípios portugueses e galegos.

Vistoria 2 (Large).JPG

Vistoria 3 (Large).JPG

Vistoria 4 (Large).JPG

Vistoria 5 (Large).JPG

Vistoria 6 (Large).JPG

MUNICÍPIOS PORTUGUESES E GALEGOS RECONHECEM FRONTEIRA DO RIO MINHO

Assinatura conjunta da Ata de Reconhecimento de Fronteira do Rio Minho

Unidos pelo rio Minho, 13 concelhos da raia minhota - cinco portugueses e oito galegos -, procederam, esta quarta-feira, à habitual assinatura da Ata de Reconhecimento de Fronteira do Rio Minho. A novidade incidiu numa cerimónia conjunta em pleno rio Minho, navegando entre Vila Nova de Cerveira e Valença, a bordo de uma fragata da Marinha Portuguesa.

DSCF7004.JPG

Os representantes dos municípios portugueses de Caminha, Melgaço, Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira, e dos galegos A Guarda, Arbo, As Neves, Crecente, O Rosal, Salvaterra do Miño, Tomiño e Tui aceitaram o convite do Capitão do Porto de Caminha, o Capitão-Tenente Pedro Miguel Costa, e do Comandante Naval do Miño, Enrique Garcia Gonzále, para um ato transfronteiriço de reforço das relações existentes onde, além da assinatura do documento, também se aproveitou a oportunidade para debater temas relacionados com a cooperação e a gestão conjunta do rio Minho, consolidando a proximidade existente entre as duas entidades marítimas.

Á semelhança dos colegas, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, e os seus congéneres galegos dos Ayuntamientos de O Rosal, D. Jesus Maria Fernandez Portela e de Tomiño, Sandra Gonzalez Alvarez, formalizaram a ata de vistoria de fronteira entre os dois países, onde consta que não se verificou qualquer alteração no percurso do referido curso de água.

O autarca cerveirense sublinha o Rio Minho como um potenciador turístico de excelência de Vila Nova de Cerveira e dos concelhos por ele abraçados. Fernando Nogueira realçou ainda que esta cerimónia conjunta revela as excelentes relações institucionais e de amizade entre os municípios ribeirinhos e as autoridades em prol de uma cada vez maior valorização ambiental e paisagística daquele rico e vasto troço internacional de água.

A cerimónia oficial enquadra-se nos termos do Artigo 25º do Tratado de Limites entre Portugal e Espanha, de 29 de Setembro de 1864, quando foi reconhecida a linha fluvial do rio Minho que serve de fronteira entre os dois países. Foram assinados pelos presentes exemplares em português e em espanhol, e devidamente chancelados com os respetivos selos municipais. O exemplar português será, posteriormente, remetido ao Ministério dos Negócios Estrangeiros.

DSCF7054.JPG

FAMALICÃO MARCA PRESENÇA NA GALIZA EM ENCONTRO DE INCUBADORAS

Famalicão Made IN em Pontevedra no II Encontro de Incubadoras

O Famalicão Made IN vai marcar presença no II Encontro de Incubadoras da Euroregião Galiza-Norte de Portugal que se realiza a 28 de novembro em Pontevedra. Promovida pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (entidade constituída pela Junta da Galiza e pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte), a iniciativa visa promover a criação da Rede de Incubadoras da Euroregião Galiza-Norte de Portugal.

Visita à Inditex.jpg

Augusto Lima, coordenador do Famalicão Made IN, programa desenvolvido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, é um dos oradores convidados e vai explanar as boas práticas inerentes à criação da incubadora Famalicão Made IN, estrutura recentemente acreditada pela Startup Portugal para a prestação de serviços de incubação e que já possuidois polos: Riopele, em Pousada de Saramagos, e Edifício Globus, em Vilarinho das Cambas. Para além destas, o município famalicense dispõe ainda de uma terceira incubadora, na Casa da Juventude.

Gestão e dinamização de incubadoras, financiamento e apoio às empresas, cooperação e internacionalização são temas em destaque neste segundo encontro de incubadoras que terá lugar no Liceo Casino de Pontevedra.

FAMALICÃO E ARTEIXO (GALIZA) REFORÇAM COOPERAÇÃO NO CLUSTER TÊXTIL TRANSFRONTEIRIÇO

Uma conferência de dois dias promovida pelos municípios de Vila Nova de Famalicão e Arteixo reuniu empresários da indústria têxtil, autarcas e académicos no Centro Tecnológico de Arteixo, na Galiza, nos passados dias 17 e 18 de novembro.

Leonel Rocha com o Alcaide de Arteixo e o diretor da UIMP.jpg

Esta iniciativa, à qual se associou a Universidade Internacional Menéndez Pelayo (UIMP), resulta da cooperação de Vila Nova de Famalicão e Arteixo para a consolidação do cluster têxtil na Euroregião Galiza-Norte de Portugal. Estes municípios assinaram no passado dia 8 de abril um acordo de geminação que representa um forte contributo para a dinâmica das economias da Galiza e do Norte de Portugal por assegurar uma cooperação mais eficaz entre empreendedores, associações empresariais e instituições de educação e do conhecimento.

O balanço desta iniciativa conjunta destes dois concelhos unidos pela pujança do sector têxtil e com ambições futuras é considerado muito positivo.

Leonel Rocha, vereador do Empreendedorismo, e Augusto Lima, coordenador do Famalicão Made IN, representaram a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão nesta conferência. DeVila Nova de Famalicão participaram também Braz Costa, Diretor Geral do CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, Xavier Ferreira, Presidente da ACIF – Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão, e Fernando Ferreira, docente famalicense do departamento de Engenharia da Universidade do Minho, para além de empresários do sector. 

Um dos pontos altos foi a visita às instalações da Inditex, poderoso grupo têxtil sediado em Arteixo. 

EXPOURENSE DISTINGUE PONTE DE LIMA PELA INOVAÇÃO NA COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA

Município de Ponte de Lima recebe prémio em Espanha pela Atividade Inovadora na Cooperação Transfronteiriça

O Município de Ponte de Lima recebeu o prémio especial - Atividade Inovadora na Cooperação Transfronteiriça -, pela inovação e dinamização do projeto "Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta", distinção atribuída pela Expourense. A entrega do prémio decorreu durante as comemorações do Dia Mundial da Qualidade que a Expourense promoveu pela sexta vez consecutiva.

DSC_0436 (Medium).JPG

Reconhecimento e inovação ao êxito da campanha ‘Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta’, justificaram esta distinção ao Município de Ponte de Lima, que mantém a aposta no projeto 'Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta', como forma de promover e valorizar os seus recursos endógenos, os produtos e serviços dos vários setores económicos, contribuindo para o aumento da atratividade e visibilidade turística do concelho e da região, nomeadamente junto da Galiza, através da realização de um conjunto de parcerias e ações específicas para o efeito.

O prémio foi entregue ao Vereador do Turismo da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Paulo Barreiro de Sousa, sendo acompanhado pelo Vereador do Desporto, Vasco Ferraz, durante a entrega dos prémios “Lideres em Qualidade”, que decorreu no dia 10 de novembro, em Ourense – Espanha.

DSC_0465 (Medium).JPG

DSC_0480 (Medium).JPG

PRÉMIO LITERÁRIO NORTEAR É ENTREGUE EM PAREDES DE COURA

Paredes de Coura acolhe cerimónia de entrega do II Prémio Literário Nortear para jovens escritores da Euroregião Galiza - Norte de Portugal

"Nós, arquipélago” do português Rui Cerqueira Coelho foi a obra distinguida

4ª feira | 23 nov | 14h30 | Centro Cultural

Paredes de Coura acolhe na próxima 4ª feira, 23 de novembro, pelas 14h30, a cerimónia de entrega do II Prémio Literário Nortear, que distinguiu a obra "Nós, arquipélago”, do jovem escritor português Rui Cerqueira Coelho.

Nortear convite.png

Nesta iniciativa que decorre no Centro Cultural de Paredes de Coura e promovida pela Consellería de Cultura, Educación e Ordenación Universitaria da Junta da Galiza, pela Direção Regional de Cultura do Norte e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal, em colaboração com o Município de Paredes de Coura, será também apresentada a edição em livro do Prémio Nortear 2015, bem como a convocatória da 3ª edição do Prémio Literário Nortear.

Recorde-se que "Nós, arquipélago”, do jovem escritor português Rui Cerqueira Coelho, foi eleito por unanimidade pelo júri do concurso, entre 30 trabalhos de autores com idades entre os 16 e os 36 anos, sobressaindo pelo seu "estilo impecável e potente, e uma narração sólida que harmoniza emoções, vínculos familiares, perceções sensoriais e evolução psicológica com uma grande profundidade".

O júri também destacou a gestão da temporalidade, a partir de uma perceção interior, que "o passado e prospeção do futuro como vazio e como mistério difícil de assumir se unem para definir interiormente um ser que toma consciência da sua existência e da sua limitação como pulso vital ".

Natural de Viana do Castelo, Rui Cerqueira Coelho tem 24 anos, é licenciado em Biologia e encontra-se a frequentar o Mestrado de Genética Forense, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Tem como referências literárias José Saramago, António Lobo Antunes, Jack London, Dostoiévski e Sophia de Mello Breyner.

O referido prémio, com um valor monetário de dois mil euros, tem como objetivos distinguir, anualmente, obras literárias originais; promover o lançamento de novos escritores, incentivando a produção de obras inéditas no domínio da ficção; incentivar a criatividade literária entre os jovens escritores residentes na Euroregião Galiza - Norte de Portugal e fomentar a circulação e distribuição de obras literárias além-fronteiras.

Na primeira edição do prémio a vencedora foi a galega Lara Dopazo Ruibal, pela obra "Clementina", que acaba de ser editada pela Edite-me, numa publicação que inclui também o relato que recebeu a menção honrosa "Coração cheio de nada”, da autoria do português João Maria Cardoso.

Presidido por Xosé Maria Lago García, secretário do GNP, AECT-Agrupamento Europeu de Cooperação Transfronteiriça Galiza – Norte de Portugal, o Júri do Prémio Literário Nortear para Jovens Escritores foi composto por Antón Riveiro Coello, escritor; Carlos Lopes, diretor da editora Edita-me; Olinda Beja, escritora; Carlos Arias, escritor e André Rodrigues, técnico do GNP, AECT-Agrupamento Europeu de Cooperação Transfronteiriça Galiza – Norte de Portugal.

FAMALICÃO E ARTEIXO (GALIZA) REFORÇAM COOPERAÇÃO

Conferência de dois dias reúne autarcas, académicos e empresários das duas cidades unidades pela força do têxtil 

Sinal da estreita cooperação económica no cluster têxtil transfronteiriço, os municípios de Vila Nova de Famalicão e Arteixo promovem esta quinta e sexta-feira, 17 e 18 de novembro, no Centro Tecnológico de Arteixo, na Galiza, o seminário “Diseño, textil y logística en el eje Arteixo-Vila Nova de Famalicão”. 

Famalicão e Arteixo formalizaram geminação em abril.jpg

Esta iniciativa, à qual está associada a Universidade Internacional Menéndez Pelayo (UIMP), reunirá autarcas, académicos e empresários das duas cidades, bem como representantes das associações comerciais e dos centros tecnológicos e de investigação. 

Leonel Rocha, vereador do Empreendedorismo, e Augusto Lima, coordenador do Famalicão Made IN, representam a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão neste seminário, com intervenções que irão abordar o “Planeamento estratégico e empreendedorismo tecno-industrial” e a “Cooperação industrial e empresarial entre Arteixo e Vila Nova de Famalicão”, respetivamente.  

De Vila Nova de Famalicão participam também Braz Costa, Diretor Geral do CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, e Fernando Xavier Ferreira, Presidente da ACIF – Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão, para além de empresários do sector. 

No primeiro dia está prevista uma visita às instalações do poderoso grupo têxtil Inditex, sediado em Arteixo. 

Cidades com um contributo muito positivo para a consolidação do cluster transfronteiriço têxtil na Euro Região Galiza Norte de Portugal, Vila Nova de Famalicão e Arteixo formalizaram, no passado dia 8 de abril, um acordo de geminação. 

Mais do que um ato simbólico de reforço dos laços culturais, o acordo de geminação representa um forte contributo para a dinâmica das economias da Galiza e do Norte de Portugal por assegurar uma cooperação mais eficaz entre empreendedores, associações empresariais e instituições de educação e do conhecimento.

CERVEIRA-TOMIÑO TÊM ORÇAMENTO TRANSFRONTEIRIÇO

Já pode votar no Orçamento Participativo Transfronteiriço Cerveira-Tomiño

Arranca hoje o período de votação do Orçamento Participativo Transfronteiriço (OPT) Cerveira-Tomiño. População dos dois concelhos é desafiada a escolher, até 10 de dezembro, três projetos a concretizar em conjunto em 2017. Processo é simples e decorre através do sitewww.participacerveiratomino.eu

Orçamento Paticipativo Transfronteiriço.png

São seis os projetos apresentados para que cerveirenses e tominenses, maiores de 18 anos e eleitores nos concelhos, possam escolher os três preferidos, um por cada categoria de intervenção identificada.

Na Educação, as propostas são a realização da Semana da Comunidade Educativa Cerveira-Tomiño 2017 oudo 1º Campus Desportivo e Educativo Cerveira-Tomiño; na Cultura, a organização da Festa Amizade Cerveira-Tomiño ou de um Encontro de Criatividade Cultural e Música do Minho; e na Acção Social, a elaboração de um Programa de Voluntariado de Apoio à Inclusão Social Infantil e Juvenil ou de um Programa transfronteiriço para a informação, apoio e visibilidade das problemáticas de acessibilidade.

O processo de votação é simples,apenas implicando o registo do nome e número de cartão de eleitor no portal (participacerveiratomino.eu), clicar em Participa, selecionar um projeto por cada categoria e votar. A participação é validada após o cruzamento da informação pessoal do registo com os cadernos eleitorais, de forma a ser o mais transparente possível.

O período de votação é de um mês, terminando no dia 10 de dezembro. A apresentação dos três projetos mais votados está agendada para dia 12 de dezembro.

O Orçamento Participativo Transfronteiriço Cerveira-Tomiño é um projeto pioneiro na Euro-Região Norte de Portugal/Galiza que tem como objetivo incentivar aos cidadãos dos dois concelhos vizinhos na concretização de soluções para colmatar necessidades comuns. O orçamento previsto de 20.000 euros, financiado a 50% pelas duas câmaras municipais, servirá para custear os projetos assumidos conjuntamente, após a votação popular.De relembrar que as seis propostas agora a votação resultam de um trabalho longo e concertado, desde o início do ano, envolvendo cerca de 40 entidades dos dois lados da fronteira na definição de prioridades e estratégias comuns.

VETERANOS DO CRAV PARTICIPAM NO TORNEIO SOLIDÁRIO DE VIGO

Os veteranos do CRAV deslocaram-se a Vigo, no dia 5, para participar no torneio organizado pelos Melgachos Rugbiers, clube vocacionado para o rugby para os menos novos e que organizou este convívio com fins de beneficência.

Foto vets1.jpg

Juntando-se ao movimento "Movember", de sensibilização para as doenças oncológicas masculinas, o evento teve uma finalidade mais concreta: angariar receita para o tratamento de dois jovens, Xiau de sete anos e André com 11, vítimas de cancro.

O CRAV não pôde deixar de responder afirmativamente, tendo participado com as equipas do Megachos e do VRAC (de Valladolid, um dos mais fortes clubes de rugby do país vizinho) num triangular, em jogos descontraídos, onde o gosto pelo rugby e o prazer do convívio estiveram à frente de tudo, com, como é óbvio, uma terceira parte a condizer.