Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

JOVENS ARCUENSES ABRAÇAM A FLORESTA

2000 alunos de Arcos de Valdevez vão abraçar a Floresta

No próximo dia 28 de Abril a Câmara Municipal irá levar a cabo a iniciativa “Abraço à Floresta”, a qual se desenvolve no âmbito do plano de atividades com as escolas para o ano letivo 2016/2017.

A iniciativa irá realizar-se na Porta do Mezio e contará com a participação de todas as crianças e jovens inseridos nos diversos equipamentos educativos do concelho, cujo total previsto ascende os 2000 alunos.

Durante o evento, está prevista a realização de um conjunto de atividades, em torno da temática da educação ambiental, tais como, ateliers, sessões de sensibilização efetuadas pelas entidades ligadas à preservação da floresta; plantação de árvores, entre outras.

O objetivo desta ação é sensibilizar as crianças e jovens para a preservação do meio ambiente, tornando-os participantes mais ativos na proteção dos valores naturais, nomeadamente, os valores naturais do Parque Peneda Gerês, bem como, para a reflexão em torno de um modelo de sociedade mais sustentável, indispensável para se exercer uma cidadania plena.

Programação do evento:

09,00h - Receção dos participantes e entrega do roteiro de atividades

09,30h - Inicio das atividades previstas no roteiro

11,00h - Inicio da cerimónia (atividades de animação promovidas pelos alunos e dedicadas à floresta e preservação do ambiente

12,00h - Momento simbólico do Abraço à Floresta

12,30h - Almoço

13,30h - Continuação das atividades previstas no roteiro

15,00h -16,00h – Regresso

VIANENSES DEBATEM SISTEMA AGROFLORESTAL

Centro de Estudos Regionais e Paço de Lanheses organizam mesa-redonda sobre o sistema agroflorestal minhoto

No próximo dia 25 de abril (quinta-feira), no Paço de Lanheses, às 15.00 horas, realiza-se uma mesa-redonda intitulada “Recursos do Sistema Agroflorestal do Minho, entre a tradição e a alternativa”. A iniciativa, integrada no Ciclo de Estudos “Floresta e Mundo Rural: Património, sustentabilidade e saúde”, é uma organização conjunta do Centro de Estudos Regionais e do Paço de Lanheses.  

Mesa redonda_25.04.2017.jpg

Com esta iniciativa pretende-se criar um espaço de partilha de experiências e troca de saberes, entre personalidades dos mais diversos quadrantes sociais, políticos e económicos e perfis académicos, sobre a floresta, os recursos agroflorestais e o seu aproveitamento, numa perspetiva de sustentabilidade.

A mesa-redonda realiza-se no Paço de Lanheses, uma casa senhorial do início do século XVIII, situada junto ao largo central da freguesia de Lanheses, que se converte no cenário apropriado para dialogar sobre a nossa ruralidade e a floresta. O Paço de Lanheses pertence aos condes de Almada e Avranches, desde o século XIX, apresentando elementos arquitetónicos barrocos e integrando nos seus jardins o “Pelourinho da Feira”, classificado como Monumento Nacional.

Na edição do VIII Ciclo de Estudos, organizado pelo Centro de Estudos Regionais, foram apresentadas, até à data, comunicações com perspetivas e abordagens diversas, mas complementares: Pedro Pereira e Mário João Braga, antropólogos, refletiram sobre alguns contributos para a sustentabilidade do mundo rural através da valorização do património cultural; Hugo Novo partilhou a sua experiência de pastoreio planeado e mostrou a sua importância para a prevenção de incêndios e gestão da biodiversidade e paisagem; Miguel Brito, professor da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, abordou a importância da matéria orgânica do solo para a sustentabilidade da floresta e da paisagem do Minho; José Raúl Rodrigues, da mesma instituição, divulgou o seu projeto de recuperação do património vegetal da região minhota, particularmente das fruteiras; Carlos Fernandes, perito e responsável pela formação em Turismo no IPVC, apresentou algumas ideias para que se repense o turismo no contexto rural, atendendo aos desafios da sustentabilidade. Até junho, estão previstas outras conferências e iniciativas, tendo como temática agregadora a floresta, o mundo rural e a valorização deste património, sob os mais diversos pontos de vista.

A direção do Centro de Estudos Regionais

CÂMARA DE CAMINHA VAI EXECUTAR EMPREITADA FLORESTAL DE MEIO MILHÃO DE EUROS NA DEFESA DA FLORESTA DO CONCELHO

Aprovada candidatura de Rede de Defesa da Floresta Contra Incêndios do Concelho de Caminha

O Município de Caminha conseguiu para o concelho meio milhão de euros para a defesa da floresta contra incêndios com a aprovação da candidatura de execução de Rede de Defesa da Floresta Contra Incêndios do Concelho de Caminha, orçada em €577.098,92 e financiada pelo POSEUR. Esta empreitada florestal prevê a instalação de rede primária e rede secundária em várias freguesias do concelho, numa área de 312,52 hectares.

Com a presente operação pretende-se executar rede de faixas de gestão de combustíveis – primária e secundária – planeadas em sede de PMDFCI, com uma abrangência municipal com vista à minimização dos efeitos da passagem dos incêndios florestais. Assim, pretende-se: aumentar a resiliência do território florestal ao risco de incêndio florestal; diminuir a área percorrida por grandes incêndios florestais; criar oportunidades de apoio ao combate a eventuais incêndios florestais; alterar o regime de fogo do concelho e, ainda a recuperação silvopastoril do território, que se reveste de enorme importância para as populações de montanha.

Esta empreitada florestal visa executar a instalação de 89, 49 ha de Rede Primária de faixas de gestão de combustível e 223,45ha de rede secundária em terrenos baldios e da propriedade das juntas de freguesia. As freguesias abrangidas são: freguesia de Arga (Arga de São João, Arga de Cima e Arga de Baixo), Lanhelas, Seixas, Vilar de Mouros, Argela, Dem, freguesia de Gondar e Orbacém, Riba de Âncora, Âncora, Azevedo, Vilarelho e Vila Praia de Âncora.

As intervenções a realizar consistem na execução de trabalhos florestais de corte e controlo do estrato arbustivo e herbáceo; corte e desbaste de povoamentos florestais para correção de densidades, desramações e podas, acordoamento e trituração de despojos e controlo/erradicação de espécies infestantes, caso da hakea e da acacia dealbata, de modo a evitar a propagação de incêndios florestais e para reforçar as condições de segurança das forças de combate.

Esta candidatura foi submetida e aprovada no âmbito do Concurso POSEUR – 10 – 12 - 2016 – do Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, com o eixo prioritário promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de riscos.

PROJECTO “GUIMARÃES MAIS FLORESTA” REFORÇA PLANTAÇÕES NO DIA MUNDIAL DA ÁRVORE

Depois da comunidade escolar, movimento teve agora a adesão de várias empresas vimaranenses. Terça-feira serão plantadas centenas de árvores em data simbólica.

A Câmara Municipal de Guimarães promove uma conferência de imprensa esta terça-feira, 21 de março, Dia Mundial da Árvore e da Floresta, para efetuar o ponto da situação do projeto “Guimarães Mais Floresta”. O encontro com os jornalistas decorrerá no auditório do Laboratório da Paisagem, a partir das 10 horas.

Guimaraes_Mais_Floresta_Projeto.png

A sessão contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, e demais vereadores, bem como das empresas aderentes ao projeto desenvolvido pelo Município de Guimarães, em colaboração com o Laboratório da Paisagem, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e a Sol do Ave, que surge enquadrado nos desígnios da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia.

O dia 21 de março será assinalado através de várias plantações em diversos locais do concelho promovidos em articulação com empresas e associações. Após a conferência de imprensa, centenas de árvores serão plantadas em locais como o Parque da Cidade de Guimarães, os Parques de Lazer de Ardão e Lordelo, a Montanha da Penha, a Citânia de Briteiros e a Zona Ribeirinha junto ao rio Selho

BRAGA COMEMORA DIA MUNDIAL DA FLORESTA E DIA MUNDIAL DA ÁGUA

‘Oxigenar Braga’ dá as boas-vindas à Primavera. Iniciativa decorre até dia 22 de Março

O Município de Braga realiza até 22 de Março a terceira edição do ‘Oxigenar Braga’, uma iniciativa que pretende assinalar o Dia Mundial da Floresta e o Dia Mundial da Água, assim como a chegada da Primavera.

CMB17032017SERGIOFREITAS0000005801.jpg

Realizado em parceria com a Quinta Pedagógica, com as Eco-Escolas do Concelho de Braga e com a ASPEA - Associação Portuguesa de Educação Ambiental, esta é uma iniciativa de sensibilização ambiental dirigida a toda a população Bracarense, em especial às crianças e jovens com maior aptidão para a mudança de comportamentos.

O programa de actividades arrancou hoje, 17 de Março, com a realização de um ‘peddy paper’ no Monte Picoto, que contou com a participação de uma centena de alunos das EB 2, 3 de Gualtar e Frei Caetano Brandão e, ainda, do Externato Infante D. Henrique.

Para este Sábado, 18 de Março, às 11h00, está agendada a realização de uma ‘Cãominhada’ e a inauguração do Parque Canino. À tarde, pelas 14h30, no Mosteiro de S. Martinho de Tibães decorre a palestra ‘O Homem e as Abelhas’. A iniciativa repete-se no dia 21, sendo dirigida a alunos do 2.º ciclo do ensino básico (5º e 6º anos).

No domingo, 19 de Março, destaque para a realização de mais uma edição das ‘Aventuras pelo Ambiente’ com a caminhada pela ‘Via Romana XVIII – entre a Geira e as Sete Fontes’.

O ponto alto do ‘Oxigenar Braga’ acontece no dia 21 de Março com a oferta de plantas na Biblioteca de Jardim da Avenida Central, com a visita ao horto de Frossos e com a plantação de árvores em IPSS, escolas e juntas de freguesia. Para este dia está ainda prevista a palestra ‘O Homem e as Abelhas’, no Mosteiro de Tibães, e a realização de sementeiras e outras plantações nas hortas inclusivas da Quinta Pedagógica.

CMB17032017SERGIOFREITAS0000005804.jpg

PONTE DE LIMA COMEMORA SEMANA DA FLORESTA E DA ÁGUA

Município de Ponte de Lima promove a Semana da Floresta e da Água de 20 a 24 de março

A Câmara Municipal de Ponte de Lima vai promover, de 20 a 24 de março de 2017, a Semana da Floresta e da Água. Durante os cinco dias, irão desenvolver-se várias ações, com o objetivo de sensibilizar a comunidade escolar e a população em geral para a defesa da floresta e destacar o seu interesse económico para a região.

Semana_floresta_agua_2017-01.jpg

A vila limiana destaca-se, por ter uma preocupação constante com a sua beleza natural, que nos pode proporcionar momentos únicos e inesquecíveis. Para isso, tem promovido ações de sensibilização e informação junto da comunidade para uma maior rentabilização dos recursos endógenos, nomeadamente na proteção e gestão da floresta, que por sua vez aumenta a melhoria da qualidade de vida, a diversificação da dinâmica económica, social e cultural, a qualificação da oferta turística, entre outras.

No dia 20 de março pelas 9 horas iniciam-se as atividades, com uma palestra sobre o “Ciclo da Água” com a professora Cristina Pontes, no Auditório do Centro de Interpretação Ambiental. À tarde, um conjunto de alunos vai fazer o percurso 1 da Área Protegida das Lagoas, com atividades interativas.

No dia seguinte (21 de março), às 15h30 horas comemora-se o Dia da Floresta, com a visita das crianças ao Parque Florestal da Quinta de Pentieiros e a descoberta de espécies autóctones e atividade de decalques de troncos e folhas.

O Dia Mundial da Água é assinalado no dia 22 de março, e a enfermeira Isabel Ribeiro vai ministrar uma palestra alusiva ao tema, às 9 horas, no Auditório do Centro de Interpretação Ambiental. De forma a lembrar este data, realizar-se-á o Percurso 1 da Área Protegida das Lagoas com atividades interativas para as crianças.

Das 14 horas às 15h30 do dia 23 de março, está prevista a realização de mais uma caminhada pelo Percurso 1 da Área da Área Protegida das Lagoas com atividades interativas e muita animação.

No último dia desta atividade, às 17 horas haverá uma “Observação do Céu Noturno”, aberto a toda a comunidade mediantes inscrição via e-mail ou telefone.

Esta semana de atividades junto da comunidade escolar, torna-se de fundamental importância para a conscientização da população estudantil em relação à educação ambiental e atitudes do dia-a-dia que fazem a diferença, por isso devemos educar as nossas crianças nesse sentido, para que haja um cescimento sustentável da terra, sem comprometer o nosso futuro.

Semana_floresta_agua_2017-02.jpg

Semana_floresta_agua_2017-03.jpg

Semana_floresta_agua_2017-04.jpg

ARCUENSES ABRAÇAM A FLORESTA

2000 alunos de Arcos de Valdevez vão abraçar a Floresta

No próximo dia 21 de Março a Câmara Municipal irá levar a cabo a iniciativa “Abraço à Floresta”, a qual se desenvolve no âmbito do plano de atividades com as escolas para o ano letivo 2016/2017.

dia_mundial_da_criança_2015_21.jpg

A iniciativa irá realizar-se na Porta do Mezio e contará com a participação de todas as crianças e jovens inseridos nos diversos equipamentos educativos do concelho, cujo total previsto ascende os 2000 alunos.

Durante o evento, está prevista a realização de um conjunto de atividades, em torno da temática da educação ambiental, tais como, ateliers, sessões de sensibilização efetuadas pelas entidades ligadas à preservação da floresta; plantação de árvores, entre outras.

O objetivo desta ação é sensibilizar as crianças e jovens para a preservação do meio ambiente, tornando-os participantes mais ativos na proteção dos valores naturais, nomeadamente, os valores naturais do Parque Peneda Gerês, bem como, para a reflexão em torno de um modelo de sociedade mais sustentável, indispensável para se exercer uma cidadania plena.

Programação do evento:

09,00h - Receção dos participantes e entrega do roteiro de atividades

09,30h - Inicio das atividades previstas no roteiro

11,00h - Inicio da cerimónia (atividades de animação promovidas pelos alunos e dedicadas à floresta e preservação do ambiente

12,00h - Momento simbólico do Abraço à Floresta

12,30h - Almoço

13,30h - Continuação das atividades previstas no roteiro

15,00h -16,00h – Regresso

ARCOS DE VALDEVEZ APOIA VÍTIMAS DE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Câmara Municipal e Cáritas apoiam vítimas de incêndios florestais

Na sequência dos prejuízos ocorridos devido ao grande número de incêndios deflagrados no concelho no ano transato, a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez solicitou apoio para diversas ações, entre as quais o apoio aos produtores de gado para custear a alimentação dos animais.

apoio_produtores_caritas_camara_municipal.jpg

Cerca de 250 produtores obtiveram apoio por parte do Ministério da Administração Interna, e, relativamente ao outro grupo de 108 produtores de 13 freguesias do concelho (Cabana Maior, Gondoriz, Soajo, Ázere, Cabreiro, União de Freguesias de Grade e Carralcova, Couto, Paçô, Prozelo, Gavieira, União de Freguesias de Vilela, S. Cosme e S. Damião e Sá, Souto, União de Freguesias de Távora Sta. Maria e S. Vicente), não abrangidos por este apoio, a Câmara Municipal enviou à Cáritas as suas solicitações.

Estes produtores receberam um apoio de acordo com o número de animais que declararam. Em termos globais foi entregue uma verba no valor de 76.530 euros para fazer face aos custos com a alimentação de 2659 cabeças de gado.

A entrega das verbas correspondentes A entrega das verbas correspondentes a cada agricultor fez-se na passada sexta-feira, dia 10 de março.

apoio_produtores_caritas_camara_municipal2.jpg

apoio_produtores_caritas_camara_municipal5.jpg

apoio_produtores_caritas_camara_municipal6.jpg

MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA CELEBRA PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO COM ASSOCIAÇÃO FLORESTAL DO LIMA

Câmara Municipal de Ponte de Lima atribui verba de 100.500€ aos Sapadores Florestais

A Câmara Municipal de Ponte de Lima celebrou esta quarta-feira um protocolo de cooperação com a Associação Florestal do Lima, com o objetivo de manter as equipas dos Sapadores Florestais SF 04-111; SF 16-111 e SF 18-111, atribuindo uma verba total anual no valor de 100.500€ aos Sapadores Florestais.

IMG_8722 (Small).JPG

Consciente da necessidade em apostar na prevenção e proteção das áreas florestais, a Câmara Municipal apoia financeiramente a atividade destas equipas que promovem ações de prevenção, nomeadamente na limpeza de povoamento, roça de mato; manutenção e beneficiação da rede divisional; linhas de quebra-fogo e construção e beneficiação de infraestruturas.

No período crítico dos incêndios florestais atuam nas ações de primeira intervenção, no rescaldo e na vigilância após o incêndio e efetivam o apoio ao combate como elementos de reconhecimento e orientação no terreno, junto das unidade de bombeiros empenhadas no teatro das operações.

Nas ações de vigilância, reforçam nos períodos de maior probabilidade de ocorrência de incêndios. Ao longo do ano participam em campanhas de sensibilização demonstrando as boas práticas na utilização do fogo.

A equipa de Sapadores Florestais SF 04-111 atua nas freguesias de Arcozelo, Ardegão, Freixo e Mato, Bertiandos, União de Freguesias de Cabaços e Fojo Lobal, União de Freguesias de Cabração e Moreira do Lima, Correlhã, Estorãos, Facha, Feitosa, Fontão, Friastelas, Arca e Ponte de Lima, Poiares, Rebordões Santa Maria, Sá, Santa Comba, S. Pedro D´Arcos, Vitorino das Donas, União de Freguesias de Navió e Vitorino dos Piães e Seara.

A equipa de Sapadores Florestais SF 16-111, abrange as freguesias de Bárrio e Cepões, Brandara, Calheiros, Labruja, União de Freguesias de Labrujó, Rendufe e Vilar do Monte e Refoios do Lima.

A equipa de Sapadores Florestais SF18-111 tem como área de intervenção as freguesias de Arca e Ponte de Lima, Ribeira, Gemieira, Gandra, Santa Cruz, Beiral do Lima, Boalhosa, Gondufe, Serdedelo, Fornelos e Queijada, Rebordões Souto, Anais, Calvelo, Ardegão, Freixo e Mato e Associação das Freguesias do Vale do Neiva.

Associação Florestal (1).JPG

 

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS DE VIANA DO CASTELO PROMOVE CONFERÊNCIA SOBRE A SUSTENTABILIDADE DA FLORESTA E DA PAISAGEM

Conferência sobre a importância do solo para a sustentabilidade da floresta e da paisagem no Minho  

No próximo dia 16 de Fevereiro (quinta-feira), na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas, Luís Miguel Brito, professor da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, apresenta a comunicação “Importância da matéria orgânica do solo para a sustentabilidade da floresta e da paisagem do Minho”. Trata-se da terceira conferência do VIII Ciclo de Estudos promovido pelo Centro de Estudos Regionais, intitulado “Floresta e Mundo Rural: Património, sustentabilidade e saúde”.

Luís Miguel Brito é professor coordenador da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC). É licenciado em Engenharia Agronómica pelo Instituto Superior de Agronomia, da Universidade de Lisboa (1983), mestre (1989) e doutorado (1994) pela Universidade de Reading, do Reino Unido, e agregado pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (2016). Desenvolve a sua atividade na Área Científica de Ciências da Vida e da Terra do IPVC e no Centro de Investigação de Montanha (CIMO). Tem desenvolvido a sua atividade de investigação em compostagem de resíduos orgânicos, fertilidade do solo, nutrição vegetal e agricultura biológica.

A entrada é livre.

FAMALICENSES ARBORIZAM CONCELHO

Autarquia já conseguiu angariar quase oito mil árvores. “25 mil árvores para 2025” cada vez mais perto

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão acaba de receber 2375 árvores, de espécies autóctones, no âmbito de uma candidatura ao Programa “Floresta Comum”. As árvores que vão contribuir para o projeto “25 mil árvores até 2025” estão neste momento no Berçário Municipal à espera do momento ideal para a sua plantação.

DSC_7651.jpg

Neste momento, a autarquia já conseguiu arrecadar perto de oito mil árvores para plantação em áreas urbanas, espaços rurais, ao longo das linhas de água e em montes e serras. O projeto tem como objetivo reabilitar aproximadamente 25 hectares do território concelhio e será concretizado nos próximos anos até 2025.

Com a candidatura ao programa “Floresta Comum” a autarquia conseguiu 234 Amieiros; 110 Carrascos; 500 Salgueiros; 130 Carvalhos Roble; 736 Lentiscos bastardo; 250 Tramazeiras; 115 Mostajeiros e 300 Teixos.

DSC_7654.jpg

O Programa tem como missão promover a produção, angariação e distribuição de árvores autóctones, a projetos que demonstrem motivação, comprovem competências e possuam os meios necessários para proceder ao plantio e cuidado das florestas que tencionam plantar. O objetivo é fomentar e incentivar a criação de uma floresta com altos índices de biodiversidade e de produção de serviços ecológicos, fazendo chegar os conhecimentos e as árvores às pessoas e instituições que possuem vontade e condições para intervir. Pretende-se, assim, envolver a comunidade e potenciar a criação de estruturas e redes locais de recuperação da floresta autóctone portuguesa. Foram estes os objetivos que levaram  a QUERCUS – Associação Nacional de Conservação da Natureza, ICNF –  Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto-Douro – a estabeleceram uma parceria num projeto cujo o objetivo principal é a construção de uma floresta cujos benefícios se alargam às atuais e às futuras gerações: Floresta Comum.

Até agora, muitas das árvores do projeto “25 mil árvores até 2025” foram adquiridas pela autarquia, mas a grande maioria foi oferecida por escolas e instituições. Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “é muito importante envolver toda a comunidade neste projeto, principalmente as novas gerações, sensibilizando-as para a preservação da natureza e do meio ambiente”, referindo que “rearborizar significa devolver vida, proteger a natureza, criar condições de futuro para a comunidade”.

DSC_7663.jpg

INSTITUTO DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E DAS FLORESTAS APROVA PLANO MUNICIPAL DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS DE ARCOS DE VALDEVEZ

Investimento de cerca de 1M€ na prevenção dos fogos florestais

A Câmara Municipal viu ser aprovado pelo ICNF o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI).

limpezas_florestas (1).jpg

O PMDFCI tem um período de vigência de 5 anos contados a partir da data de aprovação, trata-se um instrumento de planeamento, programação, organização e execução de um conjunto de ações de prevenção, que visa diminuir o impacto causado pelos incêndios florestais, procurando defender a vida das pessoas, os seus bens e a floresta. O presente Plano visa diminuir o número de ocorrências de incêndios florestais e consequente área ardida, através da execução de diversas ações, preconizadas num programa de ação concertado entre todos os agentes envolvidos. Entre as ações propostas estão as Faixas de Gestão de Combustíveis de aglomerados Populacionais, da Rede Viária Municipal e nacional, das Linhas de Transporte e Distribuição de Energia, dos Parques empresariais e Parque Campismo, também contam ações de beneficiação da rede viária florestal e da manutenção/construção de pontos de água. O Plano de Fogo Controlado constituirá a principal ferramenta de apoio à execução do Plano de Ação em referência.

O Plano também procura analisar e avaliar a situação dos recursos de prevenção e combate aos incêndios florestais; melhorar o conhecimento das causas dos incêndios e das suas motivações; reforçar e integrar recursos para dissuasão e fiscalização; melhorar e eficácia e eficiência do ataque e da coordenação de meios de combate a incêndios, envolver e responsabilizar as comunidades; educar e sensibilizar as populações;

Esta é mais uma das medidas que a Autarquia está a intensificar, à parte do apoio aos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, aos sapadores florestais e criação da rede primária, entre outras medidas que envolvem um investimento de mais de 1 M€.

Com o apoio da população e das autoridades, a Câmara Municipal pretende reduzir os incêndios florestais, preservar o ambiente, promover o desenvolvimento social e económico do concelho.

limpezas_florestas (3).jpg

ARCUENSES DEBARTEM FUTURO DA FLORESTA

Qualidade e futuro da floresta foram debatidos no Centro Municipal de Informação e Turismo

Na passada 4.ª feira, 14 de Dezembro, decorreu no Auditório do Centro Municipal de Informação e Turismo – Arcos de Valdevez, um workshop organizado pela Associação Florestal do Lima, denominado de “O setor Florestal no Alto Minho: Presente e Futuro”, dirigido aos agentes do sector empresarial florestal e visando a partilha de ideias e experiências.

workshop AFL_turismo.jpg

O Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez esteve presente, assim como outras entidades públicas e privadas. A sessão revelou-se muito proveitosa, uma vez que os intervenientes apresentaram a sua experiência pessoal e profissional, altamente enriquecedora para os objetivos traçados. Estas experiências servirão de apoio no delineamento da estratégia regional, atualmente em construção.

Este workshop foi realizado no seguimento da candidatura ao Programa Operacional Regional do Norte – Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Qualificação, designada “Forest Forward – Floresta, qualidade e futuro – Mais e melhor” levada a cabo pela Associação Florestal do Lima, que tem por objetivos primordiais a criação de condições para a organização do sector empresarial florestal de forma a garantir um crescimento sustentado e competitivo, apostando na internacionalização, na certificação e na economia digital.

Uma das ações previstas no projeto é a elaboração de um estudo prospetivo sobre o sector florestal empresarial do Alto Minho que pretende efetuar um diagnóstico aprofundado da realidade atual do sector bem como a definição de uma estratégia a longo prazo de forma a garantir um aumento de competitividade, o acesso a novos mercados e a promoção dos produtos, bens e serviços florestais produzidos na região.

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez tem apoiado o desenvolvimento destes projetos de dinamização do setor florestal, considerando a sua relevância ambiental e económica.

PONTE DE LIMA: CONSELHO DIRECTIVO DOS BALDIOS DE SANTA MARIA DA CABRAÇÃO APRESENTA CANDIDATURA AO PDR2020

O Conselho Diretivo dos Baldios de Santa Maria da Cabração, no concelho de Ponte de Lima, acaba de apresentar uma candidatura ao PDR2020 ação 8.1.4 com vista à recuperação de infraestruturas afectadas com os recentes incêndios florestais, prevenção da contaminação e assoreamento das linhas de água e diminuição da perda de biodiversidade.

15326542_1279912705365617_5616091322485361444_n.jpg

Caros amigos:

Como é sabido, o incêndio do dia 08/08/2016 destruiu todo o baldio, foi a maravilhosa floresta, restaram as cinzas, um enorme prejuízo patrimonial ambiental e ecológico.

O Conselho Diretivo, não se rende a um ato covarde e criminoso, nem baixa os braços.

É tempo de meter mãos a obra e reconstruir tudo, mas faze-lo, não só para recuperar o baldio da Cabração, a nossa floresta, paisagem e ambiente, mas também de forma, a que no futuro não fiquemos expostos a bandidos sem escrúpulos e que se perca tudo outra vez.

Todos temos essa obrigação perante os nossos ante passados mas sobretudo pelas próximas gerações

Por isso metemos mãos a obra, aproveitamos a oportunidade, e após vários dias de intenso trabalho, reuniões e burocracias e para cumprir os prazos muito curtos, apresentamos candidaturas ao PDR2020 ação 8.1.4.

Sem a colaboração de pessoas com alta capacidade profissional e dedicação seria tudo mais complicado ou mesmo impossível.

Por isso agradecemos o trabalho de todos os que estiveram connosco em particular da Sra. Engenheira Elisabete Abreu, da AFL, e Sr. Engenheiro Ivo Gomes do ICNF

Este é o primeiro passo de um longo caminho cheio de dificuldades que não será fácil, exigira muito de nos, do nosso tempo e ate da nossa família e de todos os verdadeiros amigos da Cabraçao

Temos pela frente um enorme desafio, mas estamos certos que com toda a comunidade da Cabração unida, com apoio dos nossos amigos vamos conseguir.

Depois do pesadelo do fogo resta-nos sonhar em ter de novo um baldio que nos orgulhava, uma floresta como sempre tive, um ambiente natural e uma paisagem verde deslumbrante

Deus quer o homem sonha e obra nasce!

O Conselho Directivo

15541223_1279912202032334_7324299751063854897_n.jpg

15578477_1279912682032286_7627907418617877486_n.jpg

15589737_1279912205365667_1490454965674494765_n.jpg

15590636_1279912218698999_6861576939345502705_n.jpg

“PLANTE UM PINHEIRO DE NATAL” VAI ENVOLVER A PLANTAÇÃO DE 800 ÁRVORES E MAIS DE 500 ALUNOS DO CONCELHO DE CAMINHA

Iniciativa conjunta do Município de Caminha e Conselho Diretivo dos Baldios de Riba de Âncora

Mais de 500 alunos do pré-escolar e primeiro ciclo do ensino público e privado do concelho vão plantar cercade 800 árvores autóctones amanhã, no Lugar de Vila Verde, nos Campadinhos de Vieiro, em Riba de Âncora, a partir das 9H30. “Plante um Pinheiro de Natal” é uma ação de sensibilização e reflorestação inserida na programação de Natal 2016 levada a cabo pelo Município de Caminha e pelo Conselho Diretivo dos Baldios da Freguesia de Riba de Âncora.

A freguesia de Riba de Âncora foi uma das mais fustigadas pelos incêndios do verão passado. Esta iniciativa tem como objetivo reflorestar o espaço ardido e sensibilizar as pessoas a não cortarem pinheiros para decoração de Natal.

O Município de Caminha convidou todas as escolas do pré-escolar e 1º ciclo do ensino público e privado do concelho para se juntarem a esta causa. O convite foi aceite. Em Riba de Âncora vão estar mais de 500 crianças para plantarem pinheiros mansos, sobreiros, teixos, medronheiros, aveleiras, carvalhos, castanheiros, liquidâmbar e ciprestes. As espécies em causa foram oferecidas pelo município.

A Câmara Municipal ainda vai assegurar o transporte das crianças.

ARCOS DE VALDEVEZ PROVIDENCIA LIMPEZA DA FLORESTA PARA PREVENIR INCÊNDIOS

Começaram os trabalhos de limpeza da Rede Primária para prevenir os grandes incêndios florestais

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez aprovou, recentemente, adjudicar à firma Ambiflora, Lda., pelo valor de 194.650,04 euros, a “Instalação da Rede de Defesa da Floresta contra incêndios de Arcos de Valdevez – abertura de Rede Primária e Secundária de Faixas de Gestão de Combustível (Miranda, Rio Frio, Padreiro Sta. Cristina, Proselo, Parada e Vila Fonche)”. Esta ação insere-se na candidatura ao POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos, no valor de 764 645,16 €, para instalação de redes de defesa da floresta contra incêndios em Arcos de Valdevez.

rede_primaria (1).jpg

Num território onde há grandes incêndios a realização da Rede Primária é fundamental, de forma a diminuir o potencial destes incêndios, criando assim uma “barreira” à eventual progressão dos incêndios florestais, criar oportunidade de combate e consequentemente diminuir a área ardida.

Espera-se que este projeto esteja concluído em 2017.

Este projeto é financiado pelo POSEUR - Eixo Prioritário 2: Promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e a gestão de riscos (Fundo de Coesão), Domínio de Intervenção: 087. Medidas de adaptação às alterações climáticas e prevenção e gestão de riscos associados ao clima, por exemplo, erosão, incêndios, inundações, tempestades e seca, incluindo ações de sensibilização, proteção civil e sistemas e infraestruturas de gestão de catástrofes e tem um investimento elegível de 764 645,16 €, bem como comparticipação Fundo de Coesão (FC) na ordem dos 649 948,39 €.

De referir ainda que no âmbito da defesa da Floresta contra incêndios, a Câmara Municipal celebra anualmente protocolos com entidades detentoras de equipas de Sapadores Florestais, nomeadamente, a Associação Florestal Atlântica, a Associação Florestal do Lima e as Assembleias de Compartes dos Baldios das Freguesias de Cabreiro Gavieira e Soajo, no valor global de 126.667,00 euros, com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, no valor de 60.000,00€, e com a Autoridade Nacional de Proteção Civil e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, no valor de 25 mil euros, para apoiar a EIP - Equipa de Intervenção Permanente, cuja implementação e funcionamento passa pela congregação de esforços entre estas entidades.

Com estes investimentos o Município pretende dotar as populações dos melhores meios de salvaguarda de pessoas e bens, bem como proporcionar uma assistência eficaz em caso de necessidade.

rede_primaria (2).jpg

rede_primaria (3).jpg

MUNICÍPIO DE GUIMARÃES OFERECE PINHEIROS DE NATAL PARA EVITAR ABATE DE ÁRVORES JOVENS

DISPONÍVEIS NO HORTO MUNICIPAL

Objetivo é contribuir para a defesa do património florestal, além de preservar o equilíbrio dos ecossistemas do concelho. Árvores podem ser recolhidas no Horto Municipal. 

Pinheiros_Natal_Guimaraes.JPG

A Câmara Municipal de Guimarães, em colaboração com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, está a disponibilizar gratuitamente pinheiros de Natal a munícipes e instituições do concelho que pretendam optar por um modelo de ornamentação natalícia em tamanho natural.

Os vimaranenses interessados em obter uma árvore deverão dirigir-se ao Horto Municipal, entre segunda e sexta-feira, das 08 às 12 horas e das 13 às 16 horas, na zona de Monchique, na freguesia da Costa.

Estes pinheiros são resultado de desramas e desbastes efetuados nas matas controladas, como medida de gestão dos povoamentos florestais, contribuindo para evitar o abate indiscriminado e mutiladores de árvores jovens, que põem em causa o equilíbrio do ecossistema florestal, contribuindo para a preservação da natureza e biodiversidade, um dos desígnios da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, enquadrada também na missão do Laboratório da Paisagem.

As árvores a oferecer pela Câmara Municipal de Guimarães foram cortadas de acordo com as regulamentações técnicas e resultam de várias operações de silvicultura preventivamente realizadas, com o objetivo de satisfazer as necessidades do mercado e, ao mesmo tempo, promover a utilização racional da floresta vimaranense.

FAFENSES PLANTAM PORTUGAL

Município de Fafe adere à iniciativa 'Vamos Plantar Portugal'. Mais de 1250 árvores vão ser plantadas

No âmbito da Semana da Reflorestação Nacional, iniciativa do Movimento Plantar Portugal, que decorre entre os dias 15 e 30 de Novembro, a Câmara Municipal de Fafe promove, amanhã, uma ação de plantação de árvores em dois espaços do concelho.

Parque da Cidade.JPG

A iniciativa conta com a presença de cerca de 400 alunos de todos os agrupamentos de escolas do concelho que, no total, vão plantar mais de 1250 árvores.

Na manhã de quarta-feira, cerca de 250 alunos do 4º ano vão plantar 12 árvores no Parque da Cidade, espaço que está a ser, gradualmente, requalificado e modernizado.

À tarde, é a vez dos alunos do 2º e 3º ciclo plantarem cerca de 1250 árvores na Quinta do Confurco.

Helena Lemos, Vereadora do Ambiente, destaca a importância desta iniciativa na sensibilização e consciencialização ambiental.

“Voltamos aderir ao movimento Plantar Portugal, este ano com a Campanha de Reflorestação Nacional, porque considerarmos que faz todo sentido lembrar a importância da preservação da floresta e das espécies autóctones, especialmente este ano, em ardeu uma área tão significativa no nosso concelho.

Ao convidarmos a comunidade escolar a participar estamos a sensibilizar os mais novos para a temática da proteção do meio ambiente e, de uma forma divertida e educativa, consolidar os conceitos transmitidos na sala de aula e ao mesmo tempo aproximar as nossas crianças dos espaços verdes e florestais que dispomos no nosso concelho.

A iniciativa decorre em duas fases uma para os mais novos no Parque da Cidade, com o conceito 'Adote uma Árvore', em que cada turma fará a respetiva plantação e registo dessa ação, o que permitirá acompanhar o crescimento e desenvolvimento da espécie, ao longo dos anos, no nosso Parque, incentivando assim todos a usufruir deste espaço verde cada vez mais aprazível.

A segunda fase, com alunos do 2º e 3º ciclos, decorrerá num espaço florestal arborizado, a Quinta do Confurco, com a plantação de 1250 Carvalhos (Quercus robur) para substituição das espécies que não tiveram sucesso na primeira plantação. Assim, pretendemos sensibilizar os alunos para a importância da manutenção e proteção desta espécie autóctone, da biodiversidade do ordenamento florestal para a proteção dos recurso naturais.”

Quinta do COnfurco.JPG

TOYOTA PLANTA 5 MIL ÁRVORES EM ARCOS DE VALDEVEZ

Projeto “Um Toyota, uma Árvore” oferece 5000 árvores a Arcos de Valdevez

A Toyota, no âmbito do projeto “Um Toyota, uma Árvore”, veio a Arcos de Valdevez para realizar a plantação de 5.000 árvores autóctones, entre as quais 2.500 Carvalhos, 1.500 Bétulas e 1.000 Aceres (Plátanos).

plantacao_toyota4.jpg

Numa iniciativa conjunta com várias entidades, nomeadamente a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez (Gabinete Técnico Florestal e Serviço Municipal de Proteção Civil), a Assembleia de Compartes dos Baldios da Freguesia de Soajo, a Assembleia de Compartes dos Baldios da Freguesia do Vale, a Associação Florestal Atlântica, a escola Básica da Eira do Penedo, de soajo, a Guarda Nacional Republicana – Grupo de Intervenção Proteção e Socorro (GIPS) e Núcleo de Proteção Ambiental, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, o Rotary Clube de Arcos de Valdevez, a Toyota Caetano Portugal S.A., a AbraMud e a empresa fornecedora das árvores certificadas, Sentido Verde, Lda., procedeu-se à reflorestação de áreas ardidas no perímetro florestal das Serras do Soajo e Peneda, no âmbito do projeto “Um Toyota, uma Árvore”.

Nesta ação foram plantadas 5000 árvores nos baldios de Soajo e do Vale, contribuindo assim para o aumento da área verde local, após esta ter sido fustigada pelos incêndios florestais deste Verão.

Realizada no Dia da Floresta Autóctone, esta iniciativa contou com a colaboração de uma centena de pessoas na plantação das árvores autóctones, entre as quais 2.500 Carvalhos, 1.500 Bétulas e 1.000 Aceres (Plátanos).

O vereador da Proteção Civil, Olegário Gonçalves aproveitou o momento para enaltecer o gesto e agradecer à Toyota a escolha do concelho para esta ação, a qual se reveste de total importância devido à grande área ardida existente, resultante dos incêndios deflagrados no período de Verão.

Este projeto chamado “Um Toyota, uma Árvore”, iniciou em 2005 e tem como objetivo a plantação de uma árvore por cada viatura nova Toyota vendida, tendo contribuindo até ao momento, com mais de 120.000 árvores plantadas, em áreas fustigadas pelos fogos florestais, de norte a sul do país, ajudando assim na preservação do ambiente e da biodiversidade.

plantacao_toyota5.jpg

plantacao_toyota7.jpg

plantacao_toyota9.jpg

BARCELOS PROMOVE FLORESTAÇÃO COM ESPÉCIES AUTÓCTONES

Ação de reflorestação marca Dia Internacional da Floresta Autóctone

A Câmara Municipal de Barcelos comemora o Dia Internacional da Floresta Autóctone, que se celebra a 23 de novembro, com várias atividades e ações de sensibilização.

Criando pequenas cápsulas orgânicas, os alunos mais novos do concelho vão poder dar vida às florestas locais, que no último verão foram, em parte, consumidas pelo fogo. Durante todo o mês de novembro decorre nas escolas do concelho um workshop intitulado “Bolas de Sementes”, destinado sobretudo a jardins-de-infância e ao ensino básico, que consiste na elaboração de bolas feitas de argila, compostos orgânicos, sementes e águas. A grande vantagem destas bolas de sementes é que não necessita ser regadas ou enterradas, uma vez que, assim que a terra humedeça com a chuva, começarão a germinar. Este método, intitulado “Nendo Dango” é o ideal para reflorestar grandes áreas ardidas, uma vez que as sementes encapsuladas crescerão com mais sucesso no solo nu do que em cima da vegetação perene que cria competição biológica com as sementes. De forma simbólica, as bolas de sementes serão lançadas à terra, pelos os alunos do agrupamento de Escolas de Vila Cova, a União de Freguesias de Vila Cova e Feitos, a APACI e o Centro Social e Paroquial Imaculada Conceição de Maria, numa ação de reflorestação no dia 23 de novembro numa área ardida recentemente na U.F de Vila Cova e Feitos.

A 22 de novembro o município promove um outro workshop sobre ações de controlo de plantas invasoras, numa iniciativa que será orientada pela Doutora Elizabete Marchante, Professora Auxiliar convidada no Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra. A sessão será constituída por uma parte teórica em sala e uma parte prática, no terreno, com demonstração de metodologias de controlo de infestantes.

O Município prestará ainda apoio técnico à reflorestação promovida pela Associação "Amigos da Montanha" a realizar no dia 26 de novembro no Monte do Cresto, freguesia de Aldreu, uma ação que conta com a plantação de 2. 200 árvores de espécies autóctones (sobreiros, medronheiros e carvalhos).

BRACARENSES VÃO PLANTAR MAIS DE 3 MIL ÁRVORES EM BRAGA

‘Florestar Braga’ viabiliza plantação de mais de 3 mil árvores no Concelho. Iniciativa decorre de 18 a 23 de Novembro

Mais de três mil árvores é quanto o Município de Braga vai plantar em diversos pontos da Cidade, no âmbito do programa 'Florestar Braga'. A partir de amanhã e até 23 de Novembro, a terceira edição desta acção de sensibilização ambiental prevê a realização de diversas actividades pedagógicas, animação, florestação no Monte Picoto, na Quinta Pedagógica e em várias Escolas e locais espalhados pelo Concelho, culminando com a comemoração do Dia Mundial da Floresta Autóctone.

florestbrag (4).jpg

“Queremos fazer do Picoto o maior parque urbano de floresta autóctone do país. Este é o nosso compromisso para com as futuras gerações. Para isso, estamos a desenvolver uma série de actividades agregadoras em redor da preservação ambiental, unindo o maior número de entidades e parceiros”, referiu Altino Bessa, vereador do Ambiente do Município de Braga, durante a apresentação do programa que decorreu esta Quinta-feira, 17 de Novembro.

Segundo o Vereador, esta é já uma iniciativa de sucesso e, como tal, “a participação dos Bracarenses tem sido fundamental”. As actividades iniciam-se amanhã, dia 18 de Novembro, pelas 14h30, com a plantação de árvores autóctones com a participação de diversas Escolas do Concelho, no Monte Picoto. Já no Sábado, pelas 09h30, também no Picoto, os Bracarenses são convidados a florestar Braga e a participar, em família, na plantação de árvores e na limpeza da área ardida. De tarde, haverá plantação de árvores no Bairro das Andorinhas e junto ao hotel Lamaçães.

No Domingo, dia 20, terá lugar a caminhada 'Aventuras pelo Ambiente - Via Romana XVII: entre a Geira e as Sete Fontes'. No dia 21 (Segunda-feira), a associação 'Braga a Correr' fará plantação de árvores autóctones no Monte Picoto e no dia 23, Dia Mundial da Floresta Autóctone, terá lugar uma palestra intitulada 'A Floresta é Nossa Amiga' e plantação de teixos na Quinta Pedagógica. A terminar, o auditório da Junta de Freguesia de S. Victor, acolhe uma palestra sobre 'Podas de Árvores Ornamentais em Espaço Urbano'.

Durante a apresentação do evento, Altino Bessa lembrou que “à luz do plano de reorganização da publicidade em Braga, a empresa que está a operar os painéis publicitários, comprometeu-se contratualmente a plantar 100 árvores por cada árvore que tivesse sido abatida. “A remoção dessas árvores obedeceu a três critérios fundamentais: estarem a degradar os passeios; as vias de circulação; ou a ser um obstáculo à passagem e circulação de peões. Com efeito, foram removidas 12 árvores e, como tal, a empresa forneceu 1200 árvores que serão agora plantadas durante este programa”, explicou o Vereador.

O Responsável pelo pelouro do Ambiente adiantou, ainda, que o Município foi contactado pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) a informar que uma empresa que efectuou abate de sobreiros iria necessitar de 3,5 hectares para efectuar a reposição desses mesmos sobreiros. Assim, “o Executivo Municipal irá analisar, em sede de reunião de Câmara, esta proposta do ICNF que prevê a plantação de 3200 sobreiros. Caso a proposta seja aprovada, Braga só tem a ganhar com esta parceria, uma vez que será essa empresa a realizar todos os trabalhos de preparação de terras, plantação e manutenção durante 15 anos”, concluiu Altino Bessa.

Em anexo, segue toda a programação da terceira edição do programa Florestar Braga.

florestbrag.jpg

florestbrag (2).jpg

florestbrag (3).jpg

CONCURSO FLORESTAL TEM INSCRIÇÕES ABERTAS

A floresta espera por ti, aparece!

Estão abertas, até dia 10 de março de 2017, as inscrições para a participação na 7ª Edição do Concurso Florestal YPEF - Young People  in European Forests, promovido pela Forestis - Associação Florestal de Portugal.

forestis.jpg

Desenhado para alunos entre os 15 e os 19 anos que desejam conhecer melhor a floresta, a biodiversidade e o setor florestal, enquanto visitam áreas protegidas nacionais e europeias, o Concurso Florestal Europeu YPEF cria vários momentos de interação entre os jovens e a floresta.

No dia 17 de março de 2017 todas as escolas inscritas na 7ª Edição do Concurso YPEF vão apurar qual é a melhor equipa da sua escola que, nos dias 27 e 28 de abril de 2017 numa área protegida nacional, competirá pelo prémio de melhor Equipa Nacional e representará Portugal na Final Europeia, em setembro de 2017, na Hungria.

A equipa vencedora da 6ª Edição do Concurso YPEF deixa o seguinte conselho “a empenharem-se em todas as fases e a arranjar estratégias em equipa de modo a facilitar o estudo do booklet.”. Recordam ainda, “Lembro-me de ter lido um dos conselhos que a equipa vencedora do ano anterior deu e do qual nunca mais me esqueci, pode ser cansativo estudar o booklet mas a fase europeia faz tudo valer a pena.”

Consulta o regulamento no site www.forestis.pt

ARCOS DE VALDEVEZ INVESTE NA PREVENÇÃO DOS FOGOS FLORESTAIS

Mais 190 mil euros para apoiar a defesa da Floresta contra incêndios

A Câmara Municipal celebrou protocolos com entidades detentoras de equipas de Sapadores Florestais, nomeadamente, a Associação Florestal Atlântica, a Associação Florestal do Lima e as Assembleias de Compartes dos Baldios das Freguesias de Cabreiro Gavieira e Soajo, bem como com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários.

assinatura_protocolos_bombeiros_2016.jpg

Os protocolos celebrados com as entidades detentoras de sapadores florestais, no valor global de 126.667,00 euros, têm o objetivo de prevenir incêndios florestais, através da realização de ações de silvicultura preventiva, nomeadamente a criação de faixas de gestão de combustíveis, vigilância das áreas rurais, assim como ações de primeira intervenção, apoio ao combate e às subsequentes operações de rescaldo e vigilância pós-incêndio. Os Protocolos também estabelecem a limpeza de estradas e caminhos municipais numa extensão de aproximadamente 200 km.

Com a Associação Humanitária dos Bombeiros de Arcos de Valdevez celebrou um protocolo, no valor de 60.000,00€, para a ajudar a dar continuidade ao trabalho meritório que desempenha junto da população.

Este protocolo é de cooperação entre as duas entidades e tem em vista dotar o Corpo de Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez de meios financeiros que permitam a prossecução dos seus fins, com o propósito de servir a população em geral e em particular a do Município de Arcos de Valdevez. Com este protocolo as duas entidades irão cooperar nos domínios do aviso, alerta, intervenção, apoio e socorro através do corpo de Bombeiros Voluntários; Colaborar com o Serviço Municipal de Proteção Civil, na implementação e coordenação de programas de prevenção e vigilância de fogos florestais; Assegurar, com plena eficácia, as comunicações telefónicas, via rádio ou outras, na Central de Comunicações, 24 horas por dia, todos os dias do ano e Assegurar a emergência pré-hospitalar, como reforço complementar ao SBV – Suporte Básico de Vida, de forma a garantir a continuidade de parâmetros de qualidade na assistência pré-hospitalar à população.

Com estes investimentos o Município pretende dotar as populações dos melhores meios de salvaguarda de pessoas e bens, bem como proporcionar uma assistência eficaz em caso de necessidade.

assinatura_protocolos_sapadores.jpg

QUINTA DE ALDÃO EM GUIMARÃES CEDE TODOS OS ANOS UMA ÁRVORE PARA O CORTEJO

Reflorestação de monte preserva natureza e tradição do Pinheiro nas Festas Nicolinas

Plantação reflorestou local onde é cortado anualmente o pinheiro para o cortejo que anuncia o princípio da festa dos estudantes de Guimarães. Iniciativa teve uma mensagem ecológica associada.

Guimaraes_Nicolinas_Plantacao_Pinheiros.JPG

A plantação de uma dezena de pinheiros, da espécie “pinus pinaster”, na Quinta de Aldão, local de onde, desde há muitos anos, por vontade dos seus donos originais e sucessores, é retirado um exemplar para o cortejo das Festas Nicolinas, resultou na reflorestação daquele simbólico terreno, numa iniciativa da Associação dos Antigos Estudantes do Liceu de Guimarães (AAELG) para a qual foram convidados o Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, e os membros da Comissão de Festas liderada este ano por Nuno Guimarães.

Além de promover a preservação da natureza e de uma tradição secular vimaranense, esta ação de carácter ambiental teve também como objetivo realizar um encontro informal entre novos e velhos nicolinos e dar continuidade a uma decisão anunciada quando a associação plantou meia centena de pinheiros como forma de assinalar o início das comemorações dos 50 anos da AAELG, tendo ficado definido nessa altura que, doravante, seria plantado pelo menos um pinheiro em substituição do então retirado.

«Este gesto simbólico tem uma mensagem ecológica de contemporaneidade extremamente importante, inserindo-se também no caminho que estamos a percorrer para a candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. Todos sabemos que não podemos consumir mais do que a natureza nos dá e esta é uma mensagem de emoção e de afeto, mas também de exemplo a seguir», referiu Domingos Bragança, depois de ter plantado no Monte de Aldão um dos dez pinheiros nicolinos. 

«Este é um dia de grande alegria e de boas memórias», começou por mencionar Augusto Costa, Presidente da AAELG, realçando a «importância de transmitir o espírito nicolino» à nova Comissão de Festas, cujos membros ficaram imediatamente a conhecer o local onde será cortado o pinheiro, além de serem iniciados os procedimentos inerentes ao cortejo de 29 de novembro. «Aquilo que se tira deve-se repor da natureza», acrescentou Augusto Costa.

A opinião foi igualmente partilhada por Nuno Guimarães, Presidente da Comissão 2016. «Este encontro é uma forma de agradecimento e de contacto entre gerações de nicolinos, integrando mais facilmente quem está a chegar». Pedro Martins da Costa, em representação da família proprietária da Quinta de Aldão, disse que a oferta da árvore está associada a uma «longa tradição» e que esta ação revela uma «atitude de responsabilidade ecológica e um momento de comunidade que permite, também, uma excelente jornada de convívio».

PONTE DE LIMA PREVINE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Medidas preventivas – prevenção de incêndios florestais. Prolongamento do Período Crítico até 15 de outubro

O Município de Ponte de Lima informa que face às circunstâncias meteorológicas excecionais previstas para a 1.ª quinzena de outubro, de temperaturas elevadas, vento que se mantém do quadrante leste, e uma baixa probabilidade de ocorrência de precipitação, condições estas que contribuem para o aumento do risco de incêndio. o período crítico para a ocorrência de incêndios florestais foi prolongado até dia 15 de Outubro.

postovigia_rebordoesstamaria_fot_ruilima1.jpg

Assim, relembramos a todos os cidadãos que independentemente das condições meteorológicas, em todos os espaços rurais é expressamente proibido realizar fogueiras para a confeção de alimentos, queimar matos, silvas ou qualquer tipo de sobrantes agrícolas ou florestais, e lançar foguetes e balões com mecha acesa. Também durante este período, o acesso, a permanência e a circulação no interior de determinadas áreas florestais é condicionado e nos trabalhos e outras atividades que decorram nos espaços rurais, é obrigatório que as máquinas de combustão interna e externa a utilizar, onde se incluem todo o tipo de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados, sejam dotadas de dispositivos de retenção de faíscas ou faúlhas e de dispositivos tapa - chamas nos tubos de escape ou chaminés, e estejam equipados com um ou dois extintores de 6 kg, de acordo com a sua massa máxima, consoante esta seja inferior ou superior a 10 000 kg.

Solicita-se a quem avistar um incêndio que ligue de imediato 117 (chamada gratuita)!

Tenha cuidado, um pequeno descuido pode causar um grande incêndio!

FAMALICÃO CRIA VIVEIRO DE ÁRVORES PARA REFLORESTAÇÃO

Famalicão lança berçário municipal de árvores. Paulo Cunha assinala o momento pelas 11h30, no horto municipal

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, inaugura amanhã, sexta-feira, dia 30 de setembro, pelas 11h30, o novo berçário municipal de árvores, no horto municipal, sito no Lugar de Queimados, em Esmeriz (junto às oficina gerais, coordenadas de GPS (41°23'17.0"N 8°31'17.8"W).

A iniciativa que marca o arranque do projeto “25 000 árvores para 2025” insere-se na Semana do Crescimento Sustentável, que está a decorrer em Vila Nova de Famalicão até 2 de outubro, no âmbito do programa Famalicão Visão’25 – Marcas do Futuro.

Ao berçário municipal chegarão amanhã as primeiras árvores e sementes que irão crescer e ser mimadas até à altura de estarem prontas para a reflorestação. O projeto “25 000 árvores para 2025” tem como objetivo promover a (re)arborização do território através da plantação de 25 mil árvores e arbustos preferencialmente autóctones em áreas urbanas (espaços verdes e arruamentos) e em espaços rurais, florestais e ribeirinhos e áreas ardidas, contando com isso com a mobilização da comunidade para a plantação e arborização do território concelhio, reforçando a valorização das árvores. Além da reabilitação e promoção da floresta autóctone, o projeto visa também a educação ambiental, através de ações de sementeira e plantação e manutenção dos espaços arborizados, levando a uma cultura de responsabilidade ambiental.

A inauguração do Berçário Municipal conta ainda com as presenças de representantes do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, da Quercus – Floresta Comum e da responsável técnica do projeto da área metropolitana do Porto “Futuro – O projeto das 100 000 árvores. Estarão também presentes cerca de 80 crianças provenientes dos Clubes da Floresta.

VIZELA PROLONGA PREVENÇÃO CONTRA FOGOS FLORESTAIS

Período Crítico de 2016 prorrogado até 15 de outubro

Considerando a necessidade de continuação de adoção de medidas e ações especiais de prevenção de incêndios florestais, que decorrem, sobretudo, durante o período crítico, no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios, estabelecido pelo Decreto-Lei n.º124/2006, de 28 de junho, na sua redação atual, e por força das circunstâncias meteorológicas excecionais, é prorrogado até 15 de outubro o período crítico no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios, para o ano de 2016.

Portugal_sem_fogos.jpg

Em todos os Espaços Rurais, até 15 de outubro, é absolutamente proibido:

- Realizar fogueiras para recreio e lazer;

- Realizar queimadas para renovação de pastagens;

- Realizar queima de sobrantes de exploração cortados e amontoados, ou seja, queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração agrícola e florestal, nomeadamente a queima de restolhos, podas de vinha, oliveira, ramos de árvores;

- Fumar ou fazer lume de qualquer tipo, no interior de áreas florestais;

- Lançar foguetes de cana ou balões de mecha acesa;

- Fazer piqueniques nos locais não sinalizados;

- Trabalhar com tratores, máquinas e veículos de transporte pesados, que não tenham dispositivos de retenção de faíscas/fagulhas e de dispositivo de tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.

Em caso de incêndio, ligue para o 112 ou 117 - É gratuito

Para mais informações, poderá dirigir-se ao Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal de Vizela. Assim poderá esclarecer todas as suas dúvidas.

Tel: 253 489 630 / Fax: 253 489 630 / Email: gtf@cm-vizela.pt

MUNICÍPIO DE CERVEIRA APOIA ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO PATRIMÓNIO FLORESTAL

Atribuído apoio à Unidade Local de Covas para aquisição de equipamento

A autarquia cerveirense aprovou, esta quarta-feira, em reunião de câmara, um subsídio excecional concedido à Associação de Defesa do Património Florestal – ULC – Unidade Local de Covas para aquisição de equipamento adequado para continuar a desenvolver o relevante serviço em prol do território e das pessoas.

Constituída em 2010 exclusivamente por voluntários que prestam serviço na área da vigilância e da primeira intervenção em zonas de risco e não só, a Associação de Defesa do Património Florestal – ULC – Unidade Local de Covas tem desempenhado um papel fundamental na extensa área da freguesia de Covas, mas também no apoio popular a freguesias vizinhas e de outros concelhos.

O caso mais recente de ação da ULC foi no passado mês de agosto durante o incêndio que deflagrou na freguesia de Rubiães/S. Martinho de Coura e que atingiu os lugares de Ledo e Vilarinho, em Covas, para além das freguesias limítrofes dos concelhos de Ponte de Lima e de Caminha, onde teve maior intensidade.

Considerando o relevante serviço prestado pela associação e as dificuldades sentidas para a aquisição de equipamento adequado para a preservação da ampla mancha verde que carateriza a freguesia de Covas, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira vai conceder um subsídio excecional.

O edil cerveirense reafirma que a Unidade Local de Covas é um exemplo a seguir e, pela forte componente na prevenção de incêndios, deveria ter réplicas a nível nacional. Fernando Nogueira sublinha que o apoio da autarquia para com esta associação é em prol da segurança e capacidade de intervenção com benefícios para a população do concelho.

A ULC é uma iniciativa pioneira e única no distrito de Viana do Castelo criada em 2010 pela Junta de Freguesia de Covas, mas que entretanto deu lugar a uma associação, com personalidade jurídica. Trata-se de uma equipa de voluntários para apoio a ações de proteção civil, destacando-se entre as diversas funções, a defesa da floresta contra incêndios com ações de vigilância, apoiando na primeira intervenção e, se necessário, na fase de rescaldo, tendo em conta que a freguesia situa-se a 15 quilómetros da sede do concelho.

Esta unidade da proteção civil - Unidade Local de Covas (ULC) é constituída por cerca de 15 voluntários, todos residentes na freguesia e, cujos elementos obtiveram formação na área dos incêndios florestais. Esta equipa encontra-se equipada com Kit de 1ª Intervenção e viatura de todo-terreno, sendo ainda auxiliada por trator florestal equipado com cisterna de 4000 litros, uma viatura pesada de combate a incêndios com capacidade de 3000 litros e uma viatura para transporte.

CHUVA AJUDA A APAGAR INCÊNDIO EM CABECEIRAS DE BASTO

Chuva da madrugada ajuda a extinguir perigoso incêndio florestal. Presidente da Câmara acompanhou o evoluir da situação

Deflagrou ontem, dia 12 de setembro, pelas 14h00, um incêndio florestal no lugar da Uz, freguesia de Gondiães e Vilar de Cunhas, deste concelho de Cabeceiras de Basto, que rapidamente avançou em duas frentes, uma em direção à aldeia do Samão e a outra em direção a Gondiães.

Presidente da Câmara acompanhou evoluir da situação.JPG

Extinta ao final da tarde a frente que avançava para Gondiães, a outra dirigiu-se para a Seara, já no concelho de Montalegre, tendo colocado algumas habitações em perigo, que graças à rápida e eficaz intervenção dos Bombeiros foi possível proteger.

Cento e oitenta operacionais, apoiados por 54 viaturas e quatro aeronaves, combateram este incêndio sob a coordenação da Proteção Civil distrital, tendo o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, e responsável máximo pela Proteção Civil Municipal, acompanhado in loco o evoluir da situação.

A chuva que se fez sentir durante esta madrugada foi a ajuda mais preciosa para extinguir este incêndio que lavrou em zona de mato, atingindo também algum povoamento florestal.

INCÊNDIOS FLORESTAIS ASSOLAM CABECEIRAS DE BASTO

Vaga de incêndios que assolou Cabeceiras de Basto esta semana provocou danos elevados em condutas de abastecimento de água

Os incêndios que assolaram o concelho de Cabeceiras de Basto, esta semana, provocaram graves danos nas condutas de abastecimento de água em vários lugares do concelho.

Vaga de incêndios que assolou Cabeceiras de Basto esta semana provocou danos elevados em condutas de abastecimento de água (1).JPG

Os casos mais graves, verificaram-se na freguesia de Riodouro, nos sistemas de abastecimento de água dos lugares de Cambezes, Magusteiro, Teixugueiras e Asnela.

Os serviços técnicos municipais desdobram-se esta semana em trabalhos nesses lugares, de forma a garantir, o mais rápido possível, o restabelecimento do abastecimento de água, envolvendo a movimentação de máquinas, mão-obra e material.

A Câmara Municipal lamenta os transtornos causados às populações e informa que até final da semana deverá ficar o abastecimento de água normalizado nesses lugares.

Vaga de incêndios que assolou Cabeceiras de Basto esta semana provocou danos elevados em condutas de abastecimento de água (2).JPG

Vaga de incêndios que assolou Cabeceiras de Basto esta semana provocou danos elevados em condutas de abastecimento de água (3).JPG

PARTIDO "OS VERDES" COLOCA A FLORESTA NA AGENDA POLÍTICA

Incêndios/Política Florestal na agenda dos Verdes

O Partido Ecologistas «Os Verdes» vai realizar uma conferência de imprensa, na próxima quarta-feira, no Porto que tem por objetivo esclarecer a sua posição relativamente aos incêndios que estão a assolar o país, às políticas florestais e à forma de travar a eucaliptalização.

A anteceder esta conferência de imprensa, o Partido Ecologista «Os Verdes» que tem acompanhado atentamente os incêndios nos distritos de Braga, Porto e de Viana do Castelo levarão a cabo um conjunto de visitas e reuniões com diversas entidades nestes mesmos distritos sobre estas matérias.

Do programa destacamos:

Terça feira - 30 de Agosto

11:00h – Departamento de Conservação da Natureza e Floresta do Norte (Braga);

15:30h – Comando Distrital de Operações de Socorro do Porto (Porto);

18:00h – Visita a áreas ardidas da Trofa.

Quarta feira - 31 de Agosto

9:30h – Câmara Municipal de Viana do Castelo

11:00h – Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo

15:15h – Conferência de Imprensa na Sede dos «Os Verdes» no Porto

O Partido Ecologista Os Verdes

NOVA CENTRAL TÉRMICA A BIOMASSA VAI POTENCIAR LIMPEZA DA FLORESTA À VOLTA DE FAMALICÃO

Projeto empresarial vai transformar por hora 18 toneladas de resíduos florestais em 14,75 megawatts de energia

O risco de incêndios florestais à volta do concelho de Vila Nova de Famalicão deverá reduzir acentuadamente a partir do próximo ano. A entrada em funcionamento, no início de 2017, de uma nova central térmica a biomassa florestal, que está a ser construída na freguesia de Fradelos, vai consumir 18 toneladas por hora de biomassa florestal que é constituída pela fração biodegradável dos produtos gerados na floresta e pela matéria orgânica residual gerada nos processos das indústrias de transformação da madeira.

Nova central térmica a biomassa florestal vai entrar em funcionamento no início do próximo ano  (1).JPG

São 432 toneladas diárias de resíduos florestais que vão servir para produzir 14,75 megawatts de energia por hora que será debitada para a rede pública. O projeto, que implica um investimento de 30 milhões de euros e que vai  criar 28 postos de trabalho diretos, é do empresário Avelino Reis que garante disponibilidade para recolher a biomassa das florestas num raio de 50 quilómetros à volta de Vila Nova de Famalicão.

As obras de construção da nova central térmica foram ontem, 25 de agosto, visitadas pelo Secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, e pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

Enquanto decorrem as obras de construção da central, a empresa já iniciou o processo de recolha de biomassa tendo já nas suas instalações perto de 40 mil toneladas de resíduos florestais à espera de serem transformados em energia.

Além das quase três dezenas de postos de trabalho diretos que a central térmica irá gerar, é expectável que sejam criados "muitos postos de trabalho de forma indireta", garante Avelino Reis.  As obras para construção de novas instalações que acolherão as caldeiras e geradores estão a decorrer conforme planeado e deverão terminar no final do ano, altura em que a nova central térmica a biomassa florestal entrará num período de 60 dias de testes. "Imaginamos que esteja a pleno valor, a 100%, em fevereiro do próximo ano", indica Avelino Reis, ligado há 34 anos a investimentos na área florestal e madeiras.

“Trata-se de um projeto importante para o país na área das energias renováveis”, refere Paulo Cunha destacando "para além do importante impacto económico e social na região, o aproveitamento  dos resíduos florestais que vai permitir e que  contribuirá para uma maior limpeza das matas e para a redução do risco de incêndios florestais".

Nova central térmica a biomassa florestal vai entrar em funcionamento no início do próximo ano  (2).JPG

A PIROTECNIA PORTUGUESA NÃO DEVE SERVIR PARA DESVIAR AS ATENÇÕES DAS VERDADEIRAS CAUSAS DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS!

Remonta à Pré-História a invenção da pirotecnia, tendo o Homem passado a utilizar o fogo-de-artifício nos ritos destinados a afastar os maus espíritos. Com origem na Ásia e bastante difundido na China e na Índia, deve-se porém aos gregos e árabes a sua introdução na Europa.

2270348

Entre nós, o fogo como elemento purificador associado ao solstício de Verão aparece sempre de forma fulcral associado às festas solsticiais ou são-joaninas na sua versão cristã. E, constituindo o Minho a região que maior apego revela pelas tradições mais genuínas, não admira que a arte e o espetáculo pirotécnico possuam aqui a maior e mais elevada expressão ao ponto do fogo que se produz no Minho constituir um dos mais prestigiados em todo o mundo.

O fogo-de-artifício deslumbra o minhoto ao ponto de não raras as vezes sacrificar a sua própria vida na produção dos mais arriscados artefactos porque para ele tudo é alegria, desde o árduo trabalho da lavoura até à forma como cozinha, a festa e a romaria, tudo deve ser vivido da forma mais alegre e exuberante.

A pirotecnia é também uma fonte de rendimento de muitas famílias e uma indústria de interesse na economia nacional. É certo que, tal como se verifica com muitas outras atividades, ela comporta os seus riscos que devem ser sempre acautelados, desde o seu manuseamento na fase de produção até à sua utilização nos espetáculos. Mas, em circunstância alguma, deve esta forma de arte ser prejudicada e muito menos culpabilizada pela maior parte dos incêndios florestais que ocorrem no país, a maioria das vezes em locais e circunstâncias onde nem sequer tiveram lugar espetáculos de exibição de fogo-de-artifício.

Sem prejuízo das medidas preventivas que devem ser tomadas relativamente ao uso de fogo-de-artifício nas festas e romarias, bem assim de outros espetáculos um pouco por todo o país e no estrangeiro, o Minho não pode – nem deve! – deixar que utilizem a pirotecnia como bode expiatório da atividade de pirómanos que atuam muito provavelmente a mando de interesses ocultos… procurem e condenem os verdadeiros criminosos!

541775_535462349840502_552838659_n

ARCUENSES ESTÃO VIGILANTES EM RELAÇÃO AOS INCÊNDIOS FLORESTAIS

Câmara Municipal acompanha situação dos incêndios no concelho

Nos últimos dias o concelho de Arcos de Valdevez tem vivido momentos dramáticos devido aos inúmeros focos de incêndio que se tem verificado, estando o mais gravoso a lavrar na área do Parque Nacional Peneda Gerês.

cabana_maior_fogos (1).jpg

Situação que fez com que fosse necessário acionar o Plano Municipal de Emergência, tendo sido necessário, na passada segunda-feira, evacuar os residentes de 50 habitações do lugar de Vilar de Suente, Soajo, bem como o hotel do Mezio, no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG).

João Esteves, Presidente da Câmara Municipal, e o vereador da Proteção Civil, Olegário Gonçalves, têm seguido de perto todas as ocorrências, estando permanentemente no local, junto das entidades de combate aos fogos.

A Câmara Municipal tem trabalhado para que se consigam mobilizar mais meios para os locais, bem como dado apoio às populações afetadas pelos incêndios. Apela também à população para que não tenha comportamentos de risco de forma a evitar a proliferação dos focos de incêndio.

Tendo em atenção o estado dramático que se vive no concelho, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, entrou em contacto com o Presidente da Câmara Municipal para se inteirar das ocorrências e enviar saudações a todos aqueles que estão unidos no terreno no combate a este flagelo. De igual modo deixou palavras de solidariedade e alento para com a população.

No combate aos incêndios florestais em Arcos de Valdevez participam ativamente várias equipas de intervenção, meios aéreos e máquinas de arrasto, perfazendo um total 173 homens.

fogos_vilar_suente.jpg

PONTE DE LIMA ATIVA PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA E PROTEÇÃO CIVIL

Ponte de Lima ativou o Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil. A Comissão Municipal de Proteção Civil - CMPC reuniu de emergência ontem à noite, na sequência dos incêndios que estavam a decorrer no concelho, e decidiu por unanimidade ativar o Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil.

_mpl.jpg

Neste contexto, e de acordo com a Lei de Bases da Proteção Civil, compete ao Presidente da Câmara Municipal, no exercício de funções de responsável municipal da política da proteção civil desencadear, as ações de proteção civil de prevenção, socorro, assistência e reabilitação adequadas em cada caso.

O ato de declaração de situação de alerta de âmbito municipal compreende, como já se fez referência, a convocação extraordinária da CMPC, permitindo que as diferentes entidades que atuam no domínio da proteção civil no concelho determinem quais as estratégias de intervenção a adotar e analisem a necessidade da CMPL, no sentido de apoiar as diferentes ações a desenvolver com meios materiais e humanos próprios ou de outras entidades públicas ou privadas.

VILA NOVA DE CERVEIRA: AO CONTRÁRIO DO QUE AFIRMA A COMUNICAÇÃO SOCIAL, FOGO EM COVAS ESTÁ EXTINTO

Freguesia de Covas, Cerveira, com incêndio totalmente extinto desde a madrugada de segunda-feira

Apesar das notícias que têm sido veiculadas pelos vários órgãos de comunicação social nacional de que o concelho de Vila Nova de Cerveira, e mais concretamente a freguesia de Covas, surge como um ponto de ocorrência grave a nível de incêndio florestal, a Câmara Municipal informa que esta situação que deflagrou em Paredes de Coura, já se encontra totalmente controlada e estável desde a madrugada segunda-feira, altura em que foi dado como circunscrito.

Mais se acrescenta que não há qualquer risco para as populações, assim como o Parque de Campismo de Covas não está, nem nunca esteve na área de influência de incêndio, nem da imensa nuvem de fumo que se propaga.

De sublinhar que o incêndio deflagrou, no domingo à tarde, nas imediações da A3, em São Martinho de Coura, Paredes de Coura, e passou à freguesia de Covas, no concelho de Vila Nova Cerveira, tendo sido minimizado graças ao excelente estado de limpeza dos caminhos florestais, corta-fogos e arrifes, bem como à pronta intervenção dos Bombeiros Voluntários, Unidade Local de Covas e Sapadores Florestais, com o apoio de populares.

As chamas chegaram a ameaçar fortemente os lugares de Ledo e Vilarinho, em Covas, mas nunca houve risco iminente para as habitações ali localizadas.

Felizmente, neste momento, o concelho de Vila Nova de Cerveira não tem registo de qualquer ocorrência de incêndio florestal.

BARCELOS PODE VER DECRETADO ESTADO DE EMERGÊNCIA DEVIDO AOS FOGOS FLORESTAIS

Presidente da Câmara convoca reunião da Comissão Municipal da Proteção Civil

Amanhã, às 12h00, na Câmara Municipal de Barcelos, o Presidente da Câmara Municipal, Miguel Costa Gomes, reúne a Comissão Municipal de Proteção Civil, para avaliar a situação dos incêndios que estão a afetar a zona norte do concelho, bem como a adoção das medidas tendentes a minimizar os seus impactos.

O encontro permitirá aferir a necessidade de decretar o acionamento do Plano Municipal de Emergência.

O PAÍS ESTÁ A ARDER – FOGOS FLORESTAIS TÊM DE ACABAR!

Todos os anos por esta época, o país transforma-se num autêntico inferno. De norte a sul, o fogo destrói a floresta, casas de habitação e coloca em risco a segurança de pessoas e bens, incluindo aqueles que arriscam a sua própria vida para darem combate às chamas. E a sua ocorrência tem sido tão persistente ao longo de décadas que a maior parte dos portugueses já encara o fenómeno como uma fatalidade.

13895013_1679428515714880_6139815500956258625_n.jpg

Ponte de Lima apresentava ontem este cenário

O constante despovoamento do interior e a falta de limpeza da floresta, o desaparecimento dos cantoneiros e o abandono da exploração da resina em consequência do surgimento das colas e tintas sintéticas constituem alguns dos fatores que contribuem para a propagação de incêndios na medida em que não previnem a sua ocorrência.

Por seu turno, certos descuidos como a realização pequenas fogueiras ou o lançamento inadvertido de beatas acesas, embora feito de forma não-intencionada, poderão estar na origem de muitos dos sinistros. Mas, o que já não convence a esmagadora maioria dos portugueses é que a maior parte dos fogos não tenha origem criminosa, quaisquer que sejam as motivações que estejam por detrás dos mesmos.

Um pouco por toda a parte, são desde há muitos anos frequentes os testemunhos de populares referindo a localização de artefactos incendiários e até o ateamento de fogos a partir de aeronaves. Todos os anos são detidos em flagrante alguns indivíduos que depois são presentes a julgamento. Mas, no ano seguinte, eis que o fogo regressa com tanta ou mais intensidade, parecendo contrariar todos os procedimentos com vista à sua prevenção. E, tirando partido das elevadas temperaturas que se estão a registar, tudo leva a crer que o país vai este ano ficar reduzido a cinzas!

Não nos cabe dizer o que será necessário fazer para de uma vez por todas acabar com a ocorrência sistemática de incêndios florestais, mais uma coisa é certa: isto tem de acabar!

Texto: Carlos Gomes / Foto: Amândio Sousa Vieira.

VILA NOVA DE CERVEIRA: FOGO EM COVAS ESTÁ SOB CONTROLO

Beneficiação florestal em Covas minimizou efeitos de incêndio de grandes dimensões

O incêndio que deflagrou, ontem à tarde, nas imediações da A3, em São Martinho de Coura, Paredes de Coura, e passou à freguesia de Covas, no concelho de Vila Nova Cerveira, foi minimizado graças ao excelente estado de limpeza dos caminhos florestais, corta-fogos e arrifes, bem como à pronta intervenção dos Bombeiros Voluntários, Unidade Local de Covas e Sapadores Florestais, com o apoio de populares. Fogo está circunscrito, mantendo-se no local operacionais para controlar um eventual reacendimento.

13880253_1062634440519441_7407080601494518106_n.jpg

As chamas chegaram a ameaçar fortemente os lugares de Ledo e Vilarinho, em Covas, mas nunca houve risco iminente para as habitações ali localizadas, dada a melhoria muito significativa que, em 2015 e ainda no corrente ano, abrangeu as infraestruturas florestais afetas à unidade de baldios de Covas, ao longo de quase 100kms. Os trabalhos foram resultado de uma parceria entre a autarquia de Vila Nova de Cerveira e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), com o apoio da Junta de Freguesia de Covas.

O presidente da Câmara Municipal, que esteve no local a acompanhar as operações, agradece e deixa uma palavra de apreço aos operacionais que, com muito esforço minimizaram os efeitos deste incêndio, assim como a toda a população que também combateu o fogo lado a lado com as suas cisternas. Fernando Nogueira realça que o vasto trabalho realizado ao longo do último ano naquela zona, mais focado nas áreas de povoamento florestal, áreas críticas e infraestruturas com elevado estado de degradação, minimizou os efeitos. “Há vários anos que não se procedia a um investimento desta ordem e grandeza, ao nível da prevenção, e valeu a pena”, assegura.

Neste momento, o incêndio na freguesia de Covas está controlado e circunscrito, no entanto, e para evitar qualquer reacendimento devido às elevadas temperaturas que se fazem sentir, mantém-se no local alguns operacionais a vigiar.

Foram vários os operacionais dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, da Unidade Local de Covas, Sapadores Florestais e outras corporações do distrito, com o apoio de populares, que combateram até de madrugada as chamas em Covas, a freguesia com a maior mancha verde do concelho, razão pela qual tem acolhido uma intervenção sem precedentes, permitindo a beneficiação e alargamento de aceiros e arrifes, a melhoria de caminhos florestais e a preparação de parcelas para ações de fogo controlado.

13906673_1062634500519435_5710043355862922270_n.jpg

REGIMENTO DE CAVALARIA PATRULHA FLORESTA EM BRAGA

Braga reforça meios de vigilância no combate aos incêndios. Regimento de Cavalaria vai patrulhar espaços florestais do Concelho

O Município de Braga celebrou um protocolo de colaboração com o Regimento de Cavalaria n.º 6 (RC6) que permite o patrulhamento e vigilância de parte dos espaços florestais do Concelho, durante o período crítico de risco de incêndios. Esta medida, que já está em curso desde o passado dia 5 de Julho, vem complementar as acções de vigilância florestal já desenvolvidas pelas diversas forças de segurança, nomeadamente pela Policia Municipal.

CMB15072016SERGIOFREITAS0000001111.jpg

“Este reforço da vigilância demonstra a preocupação acrescida por parte do Município de Braga em preservar o seu património florestal. Será uma vigilância contínua e permanente no combate aos incêndios, num espaço florestal de excelência, e que vem complementar o trabalho já desenvolvido no terreno por parte das diferentes forças de segurança”, referiu Firmino Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, durante a formalização do protocolo que decorreu esta Sexta-feira, 15 de Julho, nos Paços do Concelho, em Braga.

Como explicou Firmino Marques, o RC6 fará uma vigilância durante sete dias por semana, incluindo fins-de-semana e feriados, numa vasta área florestal que compreende as freguesias de Pedralva, Sobreposta, Espinho, a União de Freguesias de Este (São Pedro e São Mamede), União de Freguesias de Nogueiró e Tenões, União de Freguesias de Nogueira, Fraião e Lamaçães, e a União de Freguesias de Esporões e Morreira.

“Não haverá descanso para quem, de forma marginal e criminosa, contribui para provocar danos irreversíveis nos nossos espaços florestais”, sublinhou Firmino Marques, sustentando que esta colaboração, agora formalizada, “representa uma mais-valia na preservação da riqueza florestal do Concelho”.

O protocolo incluiu o patrulhamento nocturno por parte dos militares do RC6, facto que, além de se constituir como um meio dissuasor, vai permitir alargar o período de vigilância.

Por seu turno, o comandante do Regimento de Cavalaria n.º 6, António Varregoso, mostrou-se “satisfeito por poder responder afirmativamente ao desafio lançado pelo Município de Braga e contribuir, agora de forma mais reforçada, para a preservação florestal do Concelho”

“O apoio ao desenvolvimento e bem-estar da população, já faz parte das missões do Exército Português. O RC6 tem uma área de actuação que abrange os distritos de Braga e Viana do Castelo e os concelhos da Trofa e Santo Tirso. Na vertente de prevenção e combate aos incêndios florestais, temos uma força pronta para actuar como reforço da Autoridade Nacional de Protecção Civil no rescaldo e vigilância pós-rescaldo”, lembrou António Varregoso, explicando que esta é uma colaboração adicional às responsabilidades já assumidas perante a Comunidade Bracarense e vai envolver cerca de 240 militares.

CMB15072016SERGIOFREITAS0000001112.jpg

CMB15072016SERGIOFREITAS0000001114.jpg

BARCELOS TEM PLANO DE COMBATE AOS INCÊNDIOS

Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas  aprova plano de combate aos incêndios

O Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas aprovou, no passado mês de junho, o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI) de Barcelos. A estrutura do PMDFCI assenta em três módulos: diagnóstico, plano de ação e plano de operação municipal.

O Caderno II  - Plano de Ação é o mais importante do documento, uma vez que visa estruturar o modelo florestal do concelho com vista à redução da eclosão de incêndios florestais, protecção das actividades humanas, valorização da floresta e ordenamento florestal.

Além de uma análise do risco, da vulnerabilidade aos incêndios e da zonagem do território, neste caderno são ainda definidas as principais estratégias para o aumento da resiliência do território aos incêndios, a redução da incidência, uma melhoria da eficácia do ataque e da gestão, recuperação e reabilitação dos ecossistemas e adaptação de uma estrutura orgânica funcional e eficaz.

O plano operacional recentemente aprovado estará em vigência até 2020.

ARCOS DE VALDEVEZ OBTÉM FINANCIAMENTO PARA COMBATER INCÊNDIOS FLORESTAIS

Cerca de 800 mil euros para Rede de Defesa da Floresta contra Incêndios de Arcos de Valdevez

A Câmara Municipal viu ser aprovada recentemente uma candidatura ao POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos, no valor de 764 645,16 €, para instalar uma rede de defesa da floresta contra incêndios em Arcos de Valdevez, a qual consubstancia a redução dos incêndios florestais, através da diminuição da carga combustível e de acesso a pontos de água.

floresta (1).jpg

Num território onde há grandes incêndios a realização da Rede Primária é fundamental, de forma a diminuir o potencial destes incêndios, pelo que o seu traçado está definido estrategicamente, nos limites do concelho de Arcos de Valdevez, Ponte de Lima, Paredes de Coura e Monção, de forma a criar uma “barreira” à eventual progressão dos incêndios florestais, criar oportunidade de combate e consequentemente diminuir a área ardida.

Em suma, pretende-se, essencialmente, com a concretização desta Rede: diminuir a superfície percorrida pelos grandes incêndios, permitindo criar condições para uma intervenção direta de combate ao fogo; reduzir os efeitos de passagem dos grandes incêndios, protegendo de forma passiva vias de comunicação; isolar os focos potenciais de ignição de incêndios; operacionalizar o apoio ao combate, nomeadamente ao nível da rede viária florestal de acesso aos pontos de água de 1ª ordem de forma a facilitar o reabastecimento de água entre viaturas.

Este projeto é financiado pelo POSEUR - Eixo Prioritário 2: Promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e a gestão de riscos (Fundo de Coesão), Domínio de Intervenção: 087. Medidas de adaptação às alterações climáticas e prevenção e gestão de riscos associados ao clima, por exemplo, erosão, incêndios, inundações, tempestades e seca, incluindo ações de sensibilização, proteção civil e sistemas e infraestruturas de gestão de catástrofes e tem um investimento elegível de 764 645,16 €, bem como comparticipação Fundo de Coesão (FC) na ordem dos 649 948,39 €.

floresta (2).jpg

PAREDES DE COURA DISPONIBILIZA PLATAFORMA NA INTERNET PARA PREVENIR RISCOS DE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Novo portal Municipal de Paredes de Coura com informação diária sobre risco incêndio

O Município de Paredes de Coura disponibiliza no seu novo portal municipal – www.paredesdecoura.pt – uma plataforma onde os internautas poderão ter acesso diário e atualizado à informação sobre o risco de incêndio.

Floresta PdC.jpg

Com a nova ferramenta, o visitante passa a dispor de informação sobre o risco de incêndio para o próprio dia e para os 2 dias seguintes, bem como as ações interditas e condicionadas, bastando aceder no menu do site a PESSOAS / AMBIENTE / FLORESTA e acionar a opção ‘Período Crítico – prevenção incêndios 2016’.

“Entendemos que a floresta representa um valor demasiado importante do concelho, quer do ponto de vista turístico quer do ponto de vista produtivo, para que não façamos todo o possível para salvaguarda-la”, argumentou o presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vitor Paulo Pereira, justificando mais esta iniciativa do município que dirige: “Apesar de todo o empenho do Município e do trabalho esplêndido dos bombeiros e de todos os agentes de proteção civil, sabemos que poderá não ser suficiente pois só as pessoas têm a possibilidade de evitar os incêndios. Como?! Quando ganham consciência dos riscos que as suas ações geram para si mesmas e para os outros e isso as faz mudar os comportamentos. Por isso, se a plataforma informativa que colocamos no site contribuir para a consciencialização das pessoas isso já será uma vitória.”

A plataforma integrada no portal é disponibilizada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e permite também acesso à informação sobre o risco de incêndio a nível nacional e por concelho.

Recorde-se que a Portaria nº 167/2016, Diário da República, 1.ª série — N.º 113 — 15 de junho de 2016, estabeleceu que o Período Crítico no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios para o ano 2016 iniciará este ano em 1 de julho e terminará em 30 de setembro.

Durante o período crítico (01/07 a 30/09) nos espaços florestais e agrícolas não é permitido: fumar, fazer lume ou fogueiras; fazer queimas ou queimadas; lançar foguetes e balões de mecha acesa; fumigar ou desinfestar apiários salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas; bem como circular com tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de fagulhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.

O desrespeito pelas proibições pode implicar uma coima entre 140 a 60 mil euros, sendo que a fiscalização é feita diretamente pelas entidades policiais, nomeadamente, a Guarda Nacional Republicana.

“A longo prazo só uma mudança de política e a aposta estrutural na fiscalização, promoção e proteção da floresta autóctone, com recurso a incentivos económicos reais e interessantes para os proprietários – que compensem o seu crescimento e rentabilidade mais lenta, trarão resultados estáveis a nível nacional”, preconizou Vitor Paulo Pereira.

Partindo também do princípio que a maioria das causas conhecidas dos incêndios florestais é de origem humana, o Município de Paredes de Coura aconselha que em atividades de natureza, como piqueniques, a comida seja pré confecionada e se evitem as refeições que necessitem de ser aquecidas – em caso algum utilizar fogareiro ou grelhador em áreas não autorizadas para o efeito.

Em caso de incêndio,

ligue 112 (linha nacional de emergência), 117 (linha de proteção à floresta)

 ou 251 780 300 (bombeiros voluntários de Paredes de Coura).

Floresta PdC2.jpg

MUNICÍPIO DE CAMINHA VAI CONSTITUIR EQUIPA MUNICIPAL DE PROTEÇÃO FLORESTAL

Prazo de candidatura termina no dia 31 de julho

Dada a importância da floresta, a Câmara Municipal de Caminha vai constituir uma Equipa Municipal de Proteção Florestal (EMPF), no âmbito do Protocolo de Cooperação “Trabalho Social pelas Florestas”, do Instituto do Emprego e Formação Profissional. Esta equipa vai desenvolver a sua atividade de prevenção de incêndios florestaise minimização dos seus efeitos por o período de um ano. As inscrições terminam a 31 de julho.

A equipa será constituída por 5 elementos e tem como funções desenvolver ações de prevenção florestal, nomeadamente de silvicultura preventiva nos espaços florestais do concelho.

Para fazer parte da EMPF é necessário ter mais de 18 anos de idade, beneficiar de subsídio de desemprego ou Rendimento Social de Inserção; e possuir, preferencialmente, experiência nas tarefas florestais ou no manuseamento de máquinas.

A cada elemento que venha a fazer parte da EMPF é garantido: formação especifica para desempenho das funções, bolsa mensal, subsídio de alimentação, seguro de acidentes pessoais e equipamento de proteção individual adequado ao desempenho das funções.

Assim, os interessados deverão formalizar as candidaturas na Câmara Municipal, mediante preenchimento de formulário próprio disponibilizado no Front Office. O prazo termina no dia 31 de julho.

PONTE DE LIMA LEMBRA MEDIDAS PREVENTIVAS DE COMBATE AOS INCÊNDIOS FLORESTAIS

Prevenção de Incêndios Florestais – Medidas Preventivas. 1 de julho a 30 de setembro

Abre oficialmente a 1 de julho a fase crítica para a ocorrência de incêndios florestais, mantendo-se o período de prevenção até 30 de setembro.

image_incendio.jpg

Durante este época e independentemente das condições meteorológicas, em todos os espaços rurais é expressamente proibido realizar fogueiras para a confeção de alimentos, queimar matos, silvas ou qualquer tipo de sobrantes agrícolas ou florestais, bem como lançar foguetes e balões com mecha acesa.

Também durante este período, o acesso, a permanência e a circulação no interior de determinadas áreas florestais é condicionado. Nos trabalhos e outras atividades que decorram em espaços rurais, é obrigatório que as máquinas de combustão interna e externa a utilizar, onde se incluem todo o tipo de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados, estejam dotadas de dispositivos de retenção de faíscas ou faúlhas e de dispositivos tapa - chamas nos tubos de escape ou chaminés, devendo estar equipados com um ou dois extintores de 6 kg, de acordo com a sua massa máxima, consoante esta seja inferior ou superior a 10 000 kg.

Apela-se à atenção de todos, pois um pequeno descuido pode causar um grande incêndio!

Solicita-se a quem avistar um incêndio que ligue de imediato 117 (chamada gratuita)!

Tenha cuidado, um pequeno descuido pode causar um grande incêndio.

DESEMPREGADOS AJUDAM A MANTER FAMALICÃO LIVRE DE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Programa Municipal de Prevenção de Incêndios Florestais do concelho famalicense foi hoje apresentado

A partir da próxima segunda-feira, 20 de junho, e até dia 30 de setembro, 10 desempregados vão trabalhar na vigia e prevenção de incêndios florestais no concelho de Vila Nova de Famalicão. A medida foi apresentada esta quinta-feira à tarde, na conferência de imprensa de apresentação do Programa Municipal de Prevenção de Incêndios Florestais, que decorreu no Parque da Devesa.

Há vários anos que a autarquia famalicense recorre a desempregados para a prevenção dos fogos florestais.jpg

Sem emprego há quase três anos e natural da freguesia de Calendário, Guilherme Pereira vai participar pelo terceiro ano consecutivo no programa da autarquia. “Sou membro do quadro de honra dos Bombeiros Voluntários de Famalicão e candidato-me sempre a este trabalho porque, como se costuma dizer, o sangue ainda me corre nas veias”, explicou.

Guilherme espera que este ano seja igual ou melhor que 2015 e deixa um conselho para quem agora se estreia nestas andanças. “É um trabalho que exige cabeça fria e muita calma para se conseguir lidar da melhor forma com as situações que vão surgindo”.

De resto, refira-se que face a anos anteriores, e por força de novas orientações e regras do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), o número de desempregados contratados pela autarquia é menor, o que levou a Câmara Municipal a elaborar um protocolo de cooperação com os três corpos de Bombeiros Voluntários do concelho de forma a assegurar o funcionamento da equipa de vigilância durante os fins-de-semana.   

O vice-presidente e também responsável pelo pelouro da Proteção Civil da autarquia, Ricardo Mendes, não tem dúvidas de que com este dispositivo o Município de Famalicão está preparado para enfrentar o período crítico de risco de incêndio. O responsável autárquico destacou ainda o cuidado, cada vez maior, dos proprietários na limpeza dos terrenos e lembrou que nenhum famalicense pode ficar de fora deste processo. “Todo o cuidado é pouco e Famalicão sem fogos depende também da adoção de uma postura vigilante por parte de todos os famalicenses”.

Refira-se que os vigilantes, contratados através da "Medida Contrato de Emprego Inserção" do IEFP, irão receber, por mês, uma bolsa no valor de 83.84 euros, um subsídio de alimentação que ronda os 90 euros e um subsídio de transporte, que varia de acordo com a morada de residência de cada um, mas cuja média ronda os 50 euros. Os valores são suportados pela Câmara Municipal e acrescem ao subsídio de desemprego de cada um.

O esquema de vigilância engloba 3 equipas de vigilância móvel de 2 elementos cada. Os restantes elementos afetos à vigilância fixa ficam nos postos de vigia de Santa Catarina na união das freguesias de Vila Nova de Famalicão e Calendário; Monte do Xisto na união das freguesias de Lemenhe, Mouquim e Jesufrei e ainda no posto de vigia de Santa Cristina, na freguesia de Requião.

Para além da preciosa ajuda destes 10 desempregados e das Corporações de Bombeiros do concelho, o Programa Municipal de Prevenção de Incêndios Florestais conta também com o trabalho e empenho da Guarda Nacional Republicana, da Polícia Municipal, que colabora nas ações de fiscalização a queimas e vigilância, e ainda dos Sapadores Florestais que para além da missão de vigilância colaboram nas ações de combate e rescaldo, quando acionados mecanismos legais para o efeito.

VIMARANENSES VÃO PLANTAR 15 MIL ÁRVORES ATÉ MARÇO DO PRÓXIMO ANO

ESTA QUARTA-FEIRA, NA HORTA PEDAGÓGICA

Projeto “Guimarães Mais Floresta” iniciou plantação de 15 mil árvores até março de 2017

Quatro carvalhos e dois amieiros foram plantados no Dia Mundial da Criança. Ato simbólico decorreu na Horta Pedagógica de Guimarães. Seguem-se novas espécies até à primavera do próximo ano.

Guimaraes_Mais_Floresta_Arvores

A plantação simbólica de uma árvore por cada instituição que abraçou o programa “Guimarães Mais Floresta”, projeto conjunto lançado pelo Município de Guimarães, Laboratório da Paisagem e Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Guimarães, deu início à fase de plantação de 15 mil árvores, processo que será concluído a 21 de março de 2017, Dia da Árvore, data escolhida para a plantação efetiva das espécies angariadas junto das instituições do concelho.

Esta quarta-feira, no Dia Mundial da Criança, durante a sessão de plantação, que decorreu na Horta Pedagógica, foram igualmente plantadas outras três árvores em nome do Infantário Nuno Simões, Infantário da Ordem S. Francisco e em representação do PEGADAS - Programa Ecológico de Guimarães para a Aprendizagem do Desenvolvimento Ambiental Sustentável, simbolizando o envolvimento das escolas.

«Ao plantarmos árvores com as crianças, significa que estamos a cuidar do dia de amanhã na construção de um mundo melhor, vivendo em harmonia com a natureza, tratando de todos os recursos naturais. Reflorestar e privilegiar a biodiversidade, na defesa do ambiente e da natureza, é despertar a consciência de cada um, envolvendo a sociedade na construção de uma cultura ambiental. Contamos com todos, porque cada um tem um papel ativo a realizar», considerou Domingos Bragança, Presidente da Autarquia. 

Inspirado no conceito do programa PEGADAS, que visa o desenvolvimento sustentável do concelho e a promoção de políticas para o ambiente, ecológicas e inclusivas, o Município e a CPCJ de Guimarães propuseram o estabelecimento do paralelismo entre a promoção e proteção ambiental com a promoção e proteção infantojuvenil, também eles garante do nosso futuro próximo.

Assim, nasceu o projeto “Guimarães Mais Floresta”, através do qual cada criança/jovem do concelho foi convidada, através do seu estabelecimento de ensino, a semear e plantar uma árvore, batizando-a com o seu próprio nome. A árvore, que cada um se apropriará e chamará de sua, é um exemplar único que deverá ser protegido durante todas as suas fases de crescimento, tal como acontece com cada criança, garantindo-se um crescimento saudável e harmonioso.

Ideia ambiental para público de todas as idades

O projeto, integrado no movimento Guimarães Mais Verde, vai de encontro a duas dimensões fundamentais: a reflorestação de zonas verdes do concelho, o que permite contribuir para o movimento cívico Plantar Portugal, o qual estabelece metas para cada município para a reflorestação com árvores autóctones (20 mil até 2025), e por outro lado, a valorização dos indicadores relacionados com os espaços verdes, natureza, biodiversidade e qualidade do ar, no âmbito da candidatura a Capital Verde Europeia 2020.

Com o projeto “Guimarães mais Floresta”, pretende-se plantar mais de 15 mil novas árvores autóctones, que beneficiarão o território e toda a comunidade vimaranense, numa ação que se renovará anualmente. O convite para participar foi endereçado a todos os escalões etários, assumindo assim um carácter transgeracional, envolvendo a população sénior através dos centros de dia, lares ou outras estruturas a eles dedicadas, bem como entidades e instituições de solidariedade e responsabilidade social.

VIMARANENSES PLANTAM ÁRVORES NO DIA DA CRIANÇA

ESTA QUARTA-FEIRA, NA HORTA PEDAGÓGICA (10H30)

Primeiras árvores do projeto “Guimarães Mais Floresta” plantadas no Dia da Criança

Seis exemplares de uma espécie autóctone serão plantados esta quarta-feira de manhã. Ato simbólico decorrerá na Horta Pedagógica de Guimarães. Programa contempla plantação de 15 mil novas árvores.

Guimaraes_Mais_Floresta

O Dia Mundial da Criança, que se comemora esta quarta-feira, 01 de junho, é a data escolhida para a plantação simbólica de uma árvore por cada instituição que abraçou o programa “Guimarães Mais Floresta”, projeto conjunto lançado pelo Município de Guimarães, Laboratório da Paisagem e Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Guimarães.

Na cerimónia, que decorrerá na Horta Pedagógica a partir das 10:30 horas, serão igualmente plantadas outras três árvores em nome do Infantário Nuno Simões, Infantário da Ordem S. Francisco e em representação do PEGADAS - Programa Ecológico de Guimarães para a Aprendizagem do Desenvolvimento Ambiental Sustentável, simbolizando o envolvimento das escolas. A iniciativa terá um efeito multiplicador a 21 de março de 2017, Dia da Árvore, data escolhida para a plantação efetiva de mais de 15 mil árvores angariadas junto das instituições concelhias.

Inspirado no conceito do programa PEGADAS, que visa o desenvolvimento sustentável do concelho e a promoção de políticas para o ambiente, ecológicas e inclusivas, o Município e a CPCJ de Guimarães propuseram o estabelecimento do paralelismo entre a promoção e proteção ambiental com a promoção e proteção infantojuvenil, também eles garante do nosso futuro próximo.

Assim, nasceu o projeto “Guimarães Mais Floresta”, através do qual cada criança/jovem do concelho foi convidada, através do seu estabelecimento de ensino, a semear e plantar uma árvore, batizando-a com o seu próprio nome. A árvore, que cada um se apropriará e chamará de sua, é um exemplar único que deverá ser protegido durante todas as suas fases de crescimento, tal como acontece com cada criança, garantindo-se um crescimento saudável e harmonioso.

Programa ambiental para todas as idades

O projeto, integrado no movimento Guimarães Mais Verde, vai de encontro a duas dimensões fundamentais: a reflorestação de zonas verdes do concelho, o que permite contribuir para o movimento cívico Plantar Portugal, o qual estabelece metas para cada município para a reflorestação com árvores autóctones (20 mil até 2025), e por outro lado, a valorização dos indicadores relacionados com os espaços verdes, natureza, biodiversidade e qualidade do ar, no âmbito da candidatura a Capital Verde Europeia 2020.

Com o projeto “Guimarães mais Floresta”, pretende-se plantar mais de 15 mil novas árvores autóctones, que beneficiarão o território e toda a comunidade vimaranense, numa ação que se renovará anualmente. O convite para participar foi endereçado a todos os escalões etários, assumindo assim um carácter transgeracional, envolvendo a população sénior através dos centros de dia, lares ou outras estruturas a eles dedicadas, bem como entidades e instituições de solidariedade e responsabilidade social.

SAPADORES FLORESTAIS DO DISTRITO DE BRAGA REALIZAM EXERCÍCIOS DE FORMAÇÃO NA SERRA DA CABREIRA

Quinze equipas de sapadores florestais realizaram hoje, dia 18 de maio, no concelho de Cabeceiras de Basto uma ação prática de formação em contexto de fogo controlado, uma iniciativa pioneira no distrito de Braga organizada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), com o apoio da Câmara Municipal e do seu GTF – Gabinete Técnico Florestal e ainda com a colaboração dos Baldios do concelho.

DSC_0001

Hoje de manhã, bem cedo, 75 sapadores florestais e vários técnicos credenciados concentraram-se junto à Câmara Municipal, onde foram recebidos pelo presidente da Câmara, Francisco Alves, que se fez acompanhar pela vice-presidente, Dra. Isabel Coutinho.

DSC_0004

As equipas rumaram, de seguida, à Serra da Cabreira, designadamente às localidades de Moimenta (freguesia de Cavez), Cunhas (União de Freguesias de Gondiães e Vilar de Cunhas) e freguesia de Cabeceiras de Basto, onde puseram em prática a ação de fogo controlado, ação esta que foi acompanhada in loco pelo vereador do Ambiente, Alfredo Magalhães.

DSC_0006

Esta iniciativa reveste-se de grande importância quer ao nível da defesa da floresta contra incêndios, quer no que toca ao aprofundamento técnico a ter nas ações de apoio ao combate da próxima época de incêndios florestais.

DSC_0008

Note-se que este é um método eficaz, rápido e de baixo custo para o Município quer na redução do perigo de incêndio, quer na renovação de pastagens. Esta ação vai, ainda, ao encontro das expectativas e anseios dos baldios, da Autoridade Nacional de Proteção Civil e da própria Comissão de Defesa da Floresta concelhia.

DSC_0016

A Câmara Municipal congratula-se por acolher esta iniciativa pioneira que juntou todas as equipas de sapadores florestais nesta formação prática de fogo controlado que é uma importante ferramenta da silvicultura preventiva que consiste no uso do fogo sob condições, normas e procedimentos previamente definidos no Plano de Fogo Controlado. Esta ação é fundamental para a prevenção de incêndios, diminuindo a área percorrida anualmente por estes com a manutenção de cargas de combustíveis florestais abaixo de níveis críticos.

DSC_0018

DSC_0350

DSC_0354

DSC_0357

DSC_0358

DSC_0360

DSC_0366

DSC_0369

DSC_0374

DSC_0413

DSC_0425

DSC_0437

DSC_0443

DSC_0449

DSC_0450

DSC_0460

CABECEIRAS DE BASTO REALIZA FORMAÇÃO DE PROTEÇÃO CIVIL

Ação pioneira no distrito de Braga junta 15 equipas de sapadores florestais em Cabeceiras de Basto

O concelho de Cabeceiras de Basto acolhe amanhã, dia 18 de maio, uma ação pioneira no distrito de Braga que irá juntar 15 equipas de sapadores florestais, num total de 75 sapadores e de vários técnicos credenciados.

Ação de fogo controlado

Organizada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), com o apoio do Município Cabeceirense e do seu GTF – Gabinete Técnico Florestal e com a colaboração dos Baldios do concelho, a iniciativa consiste numa ação de formação para todas as equipas de sapadores florestais do distrito de Braga em contexto de fogo controlado a realizar-se no Perímetro Florestal da Serra da Cabreira, em Cabeceiras de Basto.

Esta iniciativa reveste-se de grande importância quer ao nível da defesa da floresta contra incêndios, quer no que toca ao aprofundamento técnico a ter nas ações de apoio ao combate da próxima época de incêndios florestais.

A Câmara Municipal congratula-se por acolher esta iniciativa pioneira que junta todas as equipas de sapadores florestais numa ação de fogo controlado que é uma importante ferramenta da silvicultura preventiva que consiste no uso do fogo sob condições, normas e procedimentos previamente definidos no Plano de Fogo Controlado. Esta ação é fundamental para a prevenção de incêndios, diminuindo a área percorrida anualmente por estes com a manutenção de cargas de combustíveis florestais abaixo de níveis críticos.

De salientar, ainda, que as equipas de sapadores florestais constituem-se como uma mais-valia no reforço das estruturas de prevenção e de combate a incêndios, numa ação conjugada de esforços das diferentes entidades empenhadas na defesa da floresta contra os incêndios.

ARCOS DE VALDEVEZ FAZ PROVA DE FOGO

Ações de fogo controlado na Freguesia de Sabadim

Dando cumprimento ao Plano de Fogo Controlado de Arcos de Valdevez, no passado dia 27de Abril, procedeu-se à queima de uma parcela de aproximadamente 15ha na freguesia de Sabadim, localizada num ponto estratégico de gestão, em termos de defesa da floresta contra incêndios.

queimada_sabadim

Esta ação teve como principal objetivo, a proteção de um povoamento de pinheiro-bravo.

A queima prescrita foi realizada por 4 técnicos credenciados em fogo controlado, nomeadamente, do Município de Arcos de Valdevez, Associação Florestal Atlântica e dos Municípios de Ponte da Barca e Monção. Como meios de supressão estiveram presentes duas Equipas de Sapadores Florestais da Associação Florestal Atlântica: SF 10-111; SF 17-111; EIP de Arcos de Valdevez, GIPS e Kit de primeira intervenção de Sabadim.

queimada_sabadim2

O Plano de Fogo Controlado complementa a Rede de Infraestruturas da Defesa das Florestas Contra Incêndios de Arcos de Valdevez e tem como objetivos principais criar zonas de descontinuidade nas manchas florestais; a autoproteção dos povoamentos florestais pelo uso do fogo controlado para diminuição da carga de combustível do subcoberto, promovendo o aumento da resiliência; a proteção de floresta regenerada, derivada dos grandes incêndios florestais de 2006 e 2010; a proteção de aglomerados populacionais; a renovação de pastagens e melhoria das zonas de interesse cinegético; a redução do número de ocorrências e a área ardida; a limitação da potencialidade dos Grandes Incêndios Florestais; e facilitar a ação das equipas de extinção de incêndios florestais.

De referir que estão previstas outras ações de fogo de controlado, bem como de limpeza da floresta, pontos de água e de vias de acesso.

queimada_sabadim3

queimada_sabadim4

CABECEIRAS DE BASTO RECEBE ENCONTRO DE CLUBES DA FLORESTA DO NOROESTE

Mais de 800 alunos participaram hoje no Encontro Regional de Clubes da Floresta do Noroeste em Cabeceiras de Basto

Cabeceiras de Basto acolheu hoje, dia 29 de abril, mais de 800 alunos nesta que foi a terceira edição do Encontro Regional de Clubes da Floresta do Noroeste que juntou mais de 25 clubes de escolas dos distritos de Braga, Porto e de Viana do Castelo.

Mais de 800 alunos participaram hoje no Encontro R

Numa organização conjunta do Município e do PROSEPE/Coordenação Distrital de Braga, a iniciativa teve como palco privilegiado a Serra da Cabreira, onde centenas de crianças e jovens do 1º, 2º e 3º ciclos participaram em diversas ações lúdico pedagógicas com destaque para os trilhos pedestres com provas e questionários e ainda jogos tradicionais a cargo da Associação Encanto Radical. Paralelamente assistiram às exposições/demonstrações levadas a efeito pela GNR, Bombeiros Voluntários Cabeceirenses e ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

Mais de 800 alunos participaram hoje no Encontro R

Na Casa do Tempo, os alunos do ensino pré-escolar e os alunos portadores de deficiência participaram em atividades educativas mais moderadas, visitando também o Centro de Educação Ambiental, entre outros espaços públicos.

Sob a temática ‘Todos nós somos responsáveis pela floresta’, este III Encontro Regional de Clubes da Floresta do Noroeste teve como principais objetivos criar laços afetivos com o ambiente e a floresta; sensibilizar para a prevenção dos incêndios florestais e da biodiversidade; proporcionar intercâmbios de experiências numa jornada pedagógica e cívica; desenvolver a orientação em itinerários pedestres; e ainda dar a conhecer aos participantes o Município de Cabeceiras de Basto nas vertentes turística, cultural e de lazer.

A sessão de encerramento que decorreu no Complexo Florestal da Veiga, na freguesia de Bucos, contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, e do Coordenador Nacional do Prosepe, Prof. Doutor, Luciano Lourenço.

Mais de 800 alunos participaram hoje no Encontro R

Estiveram também presentes os vereadores Dra. Isabel Coutinho e Prof. Mário Leite; o presidente da Junta de Freguesia de Bucos, Dr. José Brás; a Dra. Isabel Esteves em representação da DGESTE; a diretora do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, Dra. Céu Caridade; o Eng. Henrique Reis, gestor do Perímetro Florestal da Serra da Cabreira; o Eng. Luís Freitas, responsável pelo Gabinete Técnico-Florestal de Cabeceiras de Basto; o representante do Comandante Territorial de Braga da GNR, Capitão Fortes; o vereador da Câmara Municipal de Braga, Eng. Altino Bessa; e Francisco Correia em representação da Fundação António Joaquim Gomes da Cunha.

Na oportunidade, o presidente da Câmara Municipal agradeceu a participação de todos e o empenho da organização nesta iniciativa, reforçando a importância da floresta no nosso dia-a-dia, bem como a sua preservação. Francisco Alves falou, ainda, do valor que o Município de Cabeceiras de Basto dá à floresta, desafiando os jovens a protege-la.

Na sua intervenção, o Coordenador Nacional do Prosepe, Prof. Doutor, Luciano Lourenço, colocou em evidência o projeto educativo de sensibilização para a floresta, desejando que os clubes da floresta “permaneçam com as raízes bem agarradas ao chão” e que os alunos sejam “os olhos que a floresta não tem”.

Depois da atuação da Escola de Bombos do Externato de Nossa senhora das Graças e da encenação teatral dos alunos do Clube da Floresta do ATL do Centro Social e Cultural de Bairro, Vila Nova de Famalicão, foi cantado o Hino de Cabeceiras de Basto pelos alunos e professores dos Clubes da Floresta de Cabeceiras de Basto. A iniciativa contou, ainda, com uma demonstração de zumba protagonizada por Mélanie Magalhães.

No final foram entregues os certificados de participação e prémios aos clubes da floresta participantes.

Mais de 800 alunos participaram hoje no Encontro R

ENCONTRO REGIONAL DE CLUBES DA FLORESTA DO NOROESTE REÚNE EM CABECEIRAS DE BASTO

Cabeceiras de Basto acolhe 3ª edição do Encontro Regional de Clubes da Floresta do Noroeste que juntará 750 alunos

Numa organização conjunta do Município de Cabeceiras de Basto e do ROSEPE/Coordenação Distrital de Braga, realiza-se amanhã, dia 29 de abril, entre as 09h00 e as 14H30, o III Encontro Regional de Clubes da Floresta do Noroeste que contará com a participação de 26 Clubes da Floresta de Escolas dos Distritos de Braga, Porto e Viana do Castelo. De salientar que neste evento educativo participam, voluntariamente, 750 alunos e 120 professores das Escolas/Clubes da Floresta.

Com a realização deste encontro chega, assim, ao fim mais um ciclo de atividades de um projeto que marcou a educação extracurricular em prol da Cidadania, do Ambiente e da Floresta.

De referir que a Serra da Cabreira será o palco privilegiado desta iniciativa em que os alunos serão desafiados, entre muitas outras atividades, a percorrer os trilhos ‘Barragem do Oural/Moinhos de Rei’ para os alunos do 1.º ciclo; ‘Barragem do Oural/Moinhos de Rei/Parque Florestal da Veiga’ para os jovens do 3.º ciclo; e ‘Moinhos de Rei/Parque Florestal da Veiga’ para o 2.º ciclo.

A sessão de encerramento, agendada para as 14 horas, contará com a presença do presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, e do Coordenador Nacional do Prosepe/Universidade de Coimbra, Prof. Doutor, Luciano Lourenço.

PARTIDO “OS VERDES” PROMOVE AUDIÇÃO PÚBLICA PARLAMENTAR SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A FLORESTA

Travar o eucalipto, apoiar a diversidade e as espécies autóctones é o objetivo de Os Verdes 

O Grupo Parlamentar Os Verdes quer ouvir a opinião e propostas das associações de produtores florestais, de agricultores, de ambiente e desenvolvimento, as autarquias locais, as universidades e outras entidades sobre “Políticas públicas que contribuam para a promoção de uma floresta sustentável alicerçada na diversidade e nas espécies autóctones” pelo que vai promover uma Audição Pública na Assembleia da República na próxima terça-feira, dia 26 de abril, com início pelas 14.30h.

Desde a sua génese que Os Verdes lutam contra a monocultura do eucalipto em Portugal, pelos impactos negativos que esta tem e defendem uma floresta apoiada na diversidade e nas espécies autóctones.

No quadro da nova realidade parlamentar e no âmbito das conversações e posições conjuntas adotadas entre PS e o Partido Ecologista Os Verdes com vista a melhorar a situação do país tanto a nível económico, social como ambiental, Os Verdes conseguiram que o Governo assumisse como compromisso programático o objetivo de “aumentar a produção e a produtividade (…) das áreas de montado de sobro, de azinho e de pinheiro bravo” e ainda “travar a expansão da área de eucalipto, designadamente (…) criando um novo regime jurídico”.

É sobre este regime e ainda sobre outras medidas com o mesmo objetivo que Os Verdes pretendem auscultar as associações e outras entidades convidadas, colocando em debate nesta audição as seguintes matérias:

  • Novo quadro legislativo que enquadra a plantação de eucaliptos e de outras espécies exóticas em Portugal;
  • Medidas económicas e fiscais a implementar nesta área, nomeadamente a criação de um imposto sobre grandes áreas de eucalipto, cujo montante venha a reverter para um fundo de apoio à plantação de novas áreas de montado de sobro;
  • Definição de outras medidas de apoio à ciência e à pesquisa no sentido de proteger as espécies autóctones ameaçadas e de impulsionar o seu cultivo.

COMISSÃO MUNICIPAL DE DEFESA DA FLORESTA DE BRAGA APROVA PLANO OPERACIONAL PARA 2016

A Comissão Municipal de Defesa da Floresta de Braga acaba de aprovar o Plano Operacional Municipal para o ano de 2016. O documento foi durante um encontro que contou com a presença do Vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, Firmino Marques, e por representantes dos Bombeiros Sapadores, Bombeiros Voluntários, GNR, PSP, Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, Associação Florestal do Cávado, Polícia Municipal e Regimento de Cavalaria N.º 6.

Bombeiros Sapadores

O Plano Operacional agora aprovado e apresentado pelo Gabinete Técnico Florestal do Município, tem como objectivo “aumentar a informação de apoio ao planeamento das acções de prevenção e combate a incêndios florestais, estabelecer procedimentos operacionais para articulação dos sistemas de coordenação e dos dispositivos de vigilância, detecção e combate a incêndios florestais”, como explica Firmino Marques.

A implementação deste plano tem um horizonte temporal anual e permite estabelecer uma estratégia de prevenção e combate aos incêndios florestais sustentada nas características específicas deste território.

Neste plano estão definidos os meios humanos, técnicos e materiais a utilizar nas operações de vigilância e detecção, primeira intervenção, combate, rescaldo, vigilância e pós-rescaldo, bem como a sua coordenação no teatro de operações.

PONTE DE LIMA INCENTIVA USO DE TERRAS ABANDONADAS

Município de Ponte de Lima celebra Protocolo de Cooperação com a Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural sobre a Bolsa Nacional de Terras Agroflorestais

O Município de Ponte de Lima e a Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, no âmbito da promoção e dinamização da Bolsa Nacional de Terras Agroflorestais, celebraram um protocolo de cooperação no passado dia 13 de abril. A Direção Geral de Agricultura de Desenvolvimento Rural fez-se representar, pelo Diretor de Serviços de promoção da Atividade Agrícola, o Engº Agrónomo Fernando Costa, acompanhado pelo Interlocutor Nacional para a Bolsa Nacional de Terras, o Engº Agrícola Norberto Correia.

IMG_7458 (Small)

Este protocolo visa uma articulação entre a Bolsa de Terras Agroflorestais de Ponte de Lima e a Bolsa Nacional de Terras Agroflorestais, cujo objetivo é divulgar a disponibilidade de terras agroflorestais cujos proprietários não lhes concedem uso. É através da implementação deste projeto, que o Município de Ponte de Lima procura combater o abandono das terras, promovendo e incentivando o uso de terras abandonadas e estimulando a especialização de atividades agropecuárias como forma de salvaguarda das paisagens rurais. O vereador do Desenvolvimento Rural, Paulo Barreiro de Sousa, adiantou que “o Município apenas coloca os terrenos na plataforma, dando visibilidade aos mesmos junto dos interessados”, sendo que posteriormente o processo “é tratado em privado, entre os interessados e os proprietários, e as entidades públicas em nada interferem”.

IMG_7463 (Small)

Com a implementação deste protocolo, o Município Limiano pretende dar continuidade à valorização económica e à dinamização da economia local, impulsionando o setor agroflorestal; promover a utilização das terras abandonadas, salvaguardando em simultâneo as paisagens rurais, minorando o risco de incêndios florestais. Este protocolo assenta, entre outros pontos, no comprometimento das duas partes em informar o segundo sobre iniciativas que venham a surgir, em partilhar informação sobre a cedência de terras através do projeto, que “em boa hora” nasceu, considerou o Diretor de Serviços de promoção da Atividade Agrícola, Fernando Costa.

Para aderir à Bolsa de Terras Agroflorestais de Ponte de Lima, os interessados devem entrar no Portal da Bolsa de Terras ou no Gabinete de Atendimento ao Munícipe e pedir um formulário próprio.

Atualmente a Bolsa de Terras de Ponte de Lima conta mais dois novos terrenos, totalizando assim 20 terrenos disponíveis, o equivalente a aproximadamente 20 hectares; enquanto o número de interessados em terrenos para implementar projetos agrícolas é de 84 registos.

Os terrenos disponíveis encontram-se localizados nas freguesias de:

Labruja – 12 terrenos;

Anais – 3 terrenos;

Correlhã – 1 terreno;

Queijada – 1 terreno;

Calheiros – 1 terreno;

Refoios do Lima – 1 terreno;

Ribeira – 1 terreno.

Consulte a Bolsa de Terras de Ponte de Lima: www.cm-pontedelima.pt/bolsaterras/bolsaterras.php

Bolsa de Terras_

CELORICO DE BASTO PREVINE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Comissão Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios de Celorico de Basto aprovou Plano Operacional Municipal para 2016

As entidades que integram a CMDFCI reuniram ontem, 12 de abril, no salão nobre dos Paços do Concelho, para aprovar e verificar a operacionalidade do plano municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

_DSC8200

“Temos que verificar a operacionalidade deste plano sempre na ótica de prevenção. De facto, Celorico de Basto tem sido fustigado por incêndios que derivam de vários fatores, a nossa intervenção deve ser sempre proactiva, temos que agir em antecipação” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto e da Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, Joaquim Mota e Silva. “Temos as entidades que integram esta comissão bem apetrechadas e prontas a intervir na salvaguardar das populações e das florestas mas reforço que a nossa intervenção será sempre, no âmbito da prevenção”, realçou.

De facto este plano incide nas ações de vigilância, deteção, fiscalização, 1ª intervenção, combate, rescaldo e vigilância pós-rescaldo. Ações que contam com a intervenção de várias entidades, cada qual nas funções que lhe estão confiadas, refira-se os Sapadores Florestais, a Equipa do Município de Celorico de Basto, a Afocelca, e os Bombeiros Voluntários Celoricenses. Paralelamente a estas entidades existem freguesias com equipamentos complementares de apoio ao combate. Neste plano está discriminado o esquema de comunicação de alertas, os setores territoriais de defesa da Floresta contra incêndios e os locais estratégicos de estacionamento na 1ª intervenção, rescaldo e vigilância pós-rescaldo, a rede de vigilância e deteção de incêndios.

Como apoio na execução deste plano a CMDFCI utilizou a cartografia do concelho.

CABECEIRAS DE BASTO APOIA O INVESTIMENTO NA AGRICULTURA, PECUÁRIA E NA FLORESTA

Executivo Cabeceirense aprovou Regulamento Municipal de Apoio à Iniciativa Empresarial e Económica nas Áreas Agrícola, Pecuária ou Florestal

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto, sob a presidência de Francisco Alves, aprovou por unanimidade, na sua última reunião, no dia 8 de abril, o Regulamento Municipal de Apoio à Iniciativa Empresarial e Económica nas Áreas Agrícola, Pecuária ou Florestal, documento que será agora remetido à Assembleia Municipal para deliberação.

Cabeceiras de Basto - paisagem rural

Note-se que o Município de Cabeceiras de Basto pretende criar condições que contribuam para a concretização de investimentos e iniciativas económicas e empresariais nas áreas agrícola, pecuária ou florestal no concelho, como forma de potenciar o seu desenvolvimento económico e social e contribuir para a criação de emprego e fixação da população.

O apoio a conceder pelo início ou reinício de atividade, no montante pecuniário de 1.000 euros, visa promover o empreendedorismo, melhorando a competitividade local e regional, travando a tendência para o despovoamento e a desertificação, e para a fragilização, o estreitamento e a dependência de base económica.

Os destinatários deste apoio são aqueles que tenham iniciado ou reiniciado uma atividade principal nas áreas agrícola, pecuária ou florestal, com investimento e/ou exploração no concelho de Cabeceiras de Basto. Podem ser promotores destas atividades as sociedades comerciais e os empresários em nome individual.

As comparticipações financeiras a atribuir pelo Município de Cabeceiras de Basto resultantes da aplicação deste Regulamento são financiadas através de verbas inscritas anualmente no orçamento municipal, podendo as mesmas serem revistas pelo Executivo Municipal face às candidaturas apresentadas.

As candidaturas ao apoio a conceder nos termos do presente Regulamento serão apresentadas no Serviço de Atendimento Único, mediante o preenchimento de formulário próprio.

Os beneficiários dos apoios comprometem-se a manter a atividade no concelho por um prazo não inferior a 5 anos, a contar da data do pagamento do apoio; e a fornecer ao Município de Cabeceiras de Basto, sempre que este o solicite, os documentos e as informações necessárias ao acompanhamento, controlo e fiscalização, dos termos do presente regulamento.

De salientar que fica vedado o apoio a candidaturas que, embora apresentadas por promotor diferente, se destinem a investimentos ou explorações que já tenham sido beneficiadas de igual apoio, nos termos do presente regulamento.

No decorrer desta última reunião camarária, o executivo municipal aprovou por unanimidade vários apoios às associações no que se refere à cedência de transporte gratuito e ainda um apoio financeiro, no valor de 1.000 euros, a atribuir à Banda Cabeceirense para a sua participação no Concurso de Bandas Filarmónicas a decorrer em Vila Verde.

A Câmara Municipal aprovou também, por unanimidade, uma proposta, a remeter à Assembleia Municipal, que visa isentar, no corrente ano, a instalação até 20 metros quadrados de ocupação de espaço público de esplanadas anexas aos estabelecimentos e respetivo funcionamento, bem como uma redução de 50% das taxas a pagar relativas à animação a desenvolver naquelas esplanadas.

Foram, ainda, renovados os protocolos com a União de Freguesias de Refojos, Outeiro e Painzela para a cedência da EB1 de Painzela e com a Associação Cultural e Desportiva de S. Nicolau para a cedência temporária das instalações da Praia Fluvial de S. Nicolau.

O Executivo Cabeceirense aprovou, ainda, diversos ajustes diretos para prestação de serviços vários, entre outros assuntos.

PONTE DE LIMA TEM PLANO OPERACIONAL PARA DEFESA DA FLORESTA

A Comissão Municipal de Defesa da Floresta do Concelho de Ponte de Lima apresentou no dia 5 de abril, na seda da Junta de Freguesia de Navió e Vitorino dos Piães em Vitorino dos Piães o Plano Operacional Municipal 2016.

DSCF1659 (Small)

Após a apresentação e análise o Plano foi aprovado por todos os membros da Comissão. A aprovação deste plano é uma obrigatoriedade legal e uma vez que se trata de um plano operacional é destinado às Entidades que integram o Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

Aberto à participação da população, este encontro permitiu ainda abordar diversas questões relativas à defesa da floresta contra incêndios, nomeadamente as limpezas junto a edificações, os cuidados a ter no uso do fogo e as proibições durante o período crítico, a participação e apoio da população nos incêndios florestais.

DSCF1660 (Small)

MUNICÍPIO DE CAMINHA APOIA CANDIDATURA DE MEIO MILHÃO DE EUROS PARA DEFESA E VALORIZAÇÃO DA SERRA D’ARGA

Combate às invasoras e recuperação da área ardida são os grandes objetivos

O Conselho Diretivo do Baldio da Arga de São João submeteu uma candidatura para o restabelecimento da área ardida no Verão passado naquele baldio. A intervenção prevista compreende um investimento que ultrapassa o meio milhão de euros. Esta boa nova foi avançada ontem, durante a reunião descentralizada, que decorreu em Arga de São João, pelo vereador Guilherme Lagido. Sobre a importância desta candidatura, o vereador sublinhou: “é um investimento considerável. É uma intervenção que destinada a prevenir futuros riscos de incêndio, mas, também, a controlar, ou pelo menos, diminuir o impacto da invasora hakea (Hakea sericea)”. De salientar que “esta candidatura traduz o empenhamento do executivo em tentar aproveitar as condições que são criadas, de âmbito nacional na recuperação da área ardida”.

reunião descentralizada Arga de são joão (2)

A “Estabilização Emergência do Baldio de Arga de São João”, apresentada ao Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020, no seguimento dos incêndios de Arga de São João, visa: melhorar algumas estruturas afetadas da rede viária, a prevenção da contaminação e assoreamento de linhas de água, a criação de faixas de gestão de combustível, o controle de espécies invasoras e o controle de infestantes.

No total vai abranger uma área de mais de 400 hectares. Prevê o controlo de espécies invasoras em cerca de 270 hectares e a criação de faixas de gestão de combustível em mais de 70 hectares. São duas componentes, como explicou Guilherme Lagido, “importantes para evitar a perda de biodiversidade”.

A candidatura está em fase de apreciação por parte do organismo competente. Exigiu um esforço grande de preparação porque ocorre num território muito diverso com grande trabalho cartográfico e de levantamento de terreno. A candidatura foi elaborada pela Associação dos Produtores Florestais do Vale do Minho, com um forte apoio da Câmara Municipal de Caminha na componente de levantamento e de cartografia e a anuência do Conselho Diretivo dos Baldios da Arga de São João.

reunião descentralizada Arga de são joão (3)

Sobre a valorização da Serra d’Arga, o vereador ainda deu a conhecer que a Câmara Municipal está a desenhar uma outra candidatura de valorização do património natural da Serra, com o objetivo de a “tornar mais acessível e mais visível para quem nos visita e, ainda, estimular potenciais visitantes”.

Esta candidatura ainda em preparação tem três componentes. A primeira prende-se com a caraterização/inventariação do património natural da Serra d’Arga, no domínio da fauna, da flora, dos habitats e do património geológico. A segunda diz respeito à divulgação desse património, através de suportes digitais e promoção desse conhecimento através da definição de vários trilhos que serão disponibilizados em aplicações para smartphones. O vereador ainda explicou que a ideia é que sirva de guia para qualquer visitante que, mesmo não conhecendo a Serra, se poderá orientar. E a terceira tem a ver com a disponibilização de toda a informação, isto é, dos valores naturais estudados, dos trilhos e aplicações disponíveis para smartphones, nos sítios dos municípios, “para que quem aqui apareça possa facilmente ter acesso a essa informação e para que possa facilmente circular e conhecer a Serra d’Arga”, disse o vereador.

Sobre estas ações, Guilherme Lagido realça: “temos que valorizar o território e temos que recuperar aquilo que perdemos, mas também temos que valorizar outras vertentes que aqui temos e que importa destacar”.

A reunião descentralizada ficou ainda marcada pela assinatura do acordo de cedência, durante cinco anos, da “Casa da Professora” de Arga de Baixo para instalações de apoio ao funcionamento do Centro de interpretação da Serra d’Arga. Este acordo foi assinado por Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha e Ventura Rodrigues Cunha, presidente da Junta de Freguesia de Arga (Baixo, Cima e São João).

Miguel Alves deu a conhecer que a criação da Rede Wi-Fi para as freguesias das Argas, um dos projetos vencedores do Orçamento Participativo, está no bom caminho.

Sobre a eletrificação da Igreja Paroquial de Arga de São João, Miguel Alves avançou que a obra está para começar: “já autorizei e que a obra pudesse avançar. Espero que em breve isso possa acontecer”.

Miguel Alves manifestou a vontade do executivo continuar a trabalhar em prol da Serra d’Arga: “vamos continuar a valorizar a nossa terra. O concelho valoriza-se com a Serra d’Arga e a Serra d’Arga também se valoriza com o crescimento do concelho de Caminha mesmo que seja junto às praias ou ao estuário do rio”.

reunião descentralizada Arga de são joão (4)

TERRAS DE BOURO COMEMORA DIA MUNDIAL DA ÁRVORE

Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro comemorou Dia Mundial da Árvore e da Poesia e acolheu concerto de Primavera

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro deu as boas vindas à Primavera com a comemoração do Dia Mundial da Árvore e da Poesia, através da realização de diversas atividades que envolveram as crianças que se encontram a frequentar as ATl¿s de Páscoa na sua sede, em Moimenta e no Pólo do Gerês.

1

Na sede do Centro Municipal de Valências as crianças pintaram e decoraram vasos onde posteriormente procederam à plantação de amores-perfeitos. No Pólo do Gerês as crianças elaboraram cartões em forma de árvore onde foram escritos diversos poemas relacionados com a temática, os quais foram depois afixados em diversos locais para serem visualizados pela população. No final da atividade procederam ainda à plantação de uma flor.

2

Com a realização destas atividades pretende-se sensibilizar não só as crianças, mas também toda a população para a importância da proteção das árvores e do meio ambiente, fundamentais para a manutenção do nível do equilíbrio ambiental e ecológico e para a qualidade de vida da população em geral.

3

Além do referido, os alunos da Escola de Música do Centro Municipal de Valências realizaram um concerto de Primavera para as crianças que se encontram a frequentar as ATL's de Páscoa e para as crianças do Jardim-de-infância do Centro Social e Paroquial de Souto. Um concerto que animou todos os presentes e permitiu demonstrar o talento dos brilhantes alunos desta Escola de música. Na primeira parte do concerto atuaram as alunas de canto acompanhadas pela Professora Ana Duarte. Na segunda parte do concerto atuaram os alunos e alunas dos cursos livres de guitarra ministrados pelo Professor Luís Pinho. O Centro Municipal de Valências aproveita para felicitar os seus alunos e respetivos professores por terem proporcionado a todas estas crianças uma tarde repleta de grande animação e manifesta ainda um especial agradecimento ao Centro Social e Paroquial de Souto pela sua participação.

5

10

CELORICO DE BASTO COMEMORA DIA DA ÁRVORE

Município de Celorico de Basto oferece árvores para plantar no “Dia da Árvore”

O Centro de Atividades Ocupacionais, CAO, comemorou o Dia Mundial da Árvore ontem, 21 de março, com a plantação de uma árvore.

Uma efeméride que vai de encontro à necessidade de sensibilizar para a preservação das árvores, fundamental para o equilíbrio ambiental e consequente qualidade de vida dos cidadãos.

_DSC5941

“É fundamental criar hábitos que salvaguardem o equilíbrio ambiental e ecológico. Ver esta dinâmica das associações em prol do meio ambiente mostra-nos que e, apesar de vivermos em ambiente rural, não podemos nunca, descorar o ensino de práticas que salvaguardem o nosso planeta” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva.

O município deu a árvore e escolheu o espaço onde deveria ser plantada. Um espaço em processo de arborização.

Técnicos e utentes do CAO juntamente com os jardineiros do município fizeram a plantação da árvore. Um gesto simbólico voltado para a sensibilização que pretende incutir comportamentos de preservação.

 

ARCOS DE VALDEVEZ COMEMORA DIA INTERNACIONAL DAS FLORESTAS

No âmbito da comemoração do Dia Internacional das Florestas, dia 21 de março, realizou-se uma ação de sensibilização, com a plantação no monte do Castelo de 80 folhosas, nomeadamente Freixos, Carvalho Alvarinho e Bétulas, cedidas pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas.

dia_arvore_porta_mezio_2016_3

44 crianças do ATL da Associação Social Recreativa Juventude de Vilafonche procederam à plantação destas árvores com grande entusiasmo e sentido de responsabilidade, tendo ficado a saber o que este dia representa e a sua importância para o ecossistema.

dia_arvore_porta_mezio_2016

Esta ação foi dinamizada pelo Gabinete Técnico Florestal do município de Arcos de Valdevez e pelo Núcleo de Proteção Ambiental e Secção de Programas Especiais (Escola Segura), do Destacamento Territorial da GNR de Arcos de Valdevez, tendo também contado com a participação da Associação Florestal Atlântica, Associação Florestal do Lima (AFL) e sapadores florestais do ICNF, AFL e Município.

dia_internacioal_florestas_2016_4

A Porta do Mezio também se associou às comemorações com uma ação dirigida aos meninos que estão a participar no Campo de Férias da Páscoa.
As crianças assistiram a um documentário sobre o Parque Nacional da Peneda-Gerês e sobre a importância do Dia Internacional das Florestas, tendo também colocado medronheiros em vasos para posteriormente os plantarem nos jardins de suas casas.

De sorriso nos rostos e boa disposição, as crianças assumiram com responsabilidade a tarefa de plantar, e, de no futuro, cuidar da árvore.

dia_internacioal_florestas_2016_6

dia_internacioal_florestas_2016_5

PONTE DA BARCA COMEMORA DIA MUNDIAL DA ÁRVORE E DA FLORESTA

Sessão de sensibilização florestal e plantio de árvores assinalam a data no concelho barquense

No âmbito da comemoração do dia Mundial da Árvore e da Floresta, decorreu no Centro Escolar de Entre Ambos-os-Rios uma ação de sensibilização florestal relacionado com a prevenção de incêndios florestais, que contou com a presença da Guarda Nacional Republicana.

foto0451

No decorrer do dia foi feita uma plantação de árvores (carvalhos e sobreiros) junto ao Centro Escolar pelos alunos e encarregados de educação. No final foi oferecido um lanche pela Junta da União de Freguesias de Entre Ambos-os-Rios, Ermida e Germil a todos os presentes na iniciativa.

Promovida pela Câmara Municipal, Agrupamento de Escolas e Conselho Diretivo dos Baldios da Freguesia de Entre Ambos-os-Rios, esta e outras ações semelhantes têm como principal objetivo alertar para as boas práticas florestais e prevenção de incêndios, de sensibilização ambiental e de incentivo aos cidadãos na adoção de comportamentos sustentáveis de preservação da natureza e requalificação de zonas verdes.

foto0449

CONCURSO YPEF: APROVEITA AS FÉRIAS E APRENDE SOBRE A FLORESTA

Faltam 3 dias para as férias da Páscoa. Período que podes aproveitar para conhecer melhor o Booklet e participar no maior Concurso Florestal Europeu.

image004

As inscrições no Concurso YPEF terminam a 08 de Abril, mas estas férias da Páscoa são uma boa oportunidade para aprenderes sobre a floresta e te preparares para as provas escritas.

Não te esqueças, este ano as perguntas de escolha múltipla incidirão apenas na informação dos países participantes. Qualquer dúvida, poderás contar com o apoio do teu professor e com a Comissão Nacional do Concurso YPEF. Estamos sempre disponíveis para ti.

Contamos contigo e com a tua equipa para representar Portugal na final nacional e europeia. Os teus colegas estão à tua espera!

Participa!

Para mais informação e participação consulta o site www.forestis.pt e o Facebook

BRAGA SENSIBILIZA PARA A PREVENÇÃO DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS

Município aposta na sensibilização dos proprietários florestais

O Gabinete Técnico Florestal do Município de Braga e o Grupo de Intervenção e Protecção de Socorro (GIPS/GNR) vão proceder durante os meses de Março e Abril à fiscalização dos espaços rurais nas diversas freguesias do Concelho.

floresta

A iniciativa tem como objectivo a sinalização e identificação das infracções relativas à legislação na defesa da floresta contra incêndios, avisar os proprietários no âmbito da necessidade de limpeza da gestão de combustíveis e do prazo para limpeza da mesma, e ainda a detecção de outras infracções nos espaços rurais, tais como o abandono de resíduos.

Recorde-se que, no âmbito da legislação em vigor, os proprietários de terrenos florestais confinantes são obrigados a proceder à gestão de combustíveis numa faixa de 50 metros em redor da edificação, com o objectivo de reduzir a densidade arbórea e a vegetação arbustiva e rasteira inflamável (matos, silvas, etc.).

As infracções a esta legislação constituem contra-ordenação puníveis com coimas de 140 a 5.000 euros, no caso de pessoa singular, e de 800 a 60.000 euros, no caso de pessoas colectivas.

BARCELOS COMEMORA DIA INTERNACIONAL DA FLORESTA

O Município de Barcelos, através do pelouro do Ambiente, assinala o Dia Internacional das Florestas com duas atividades a ter lugar nos dias 17 e 19 de março: plantação de espécies arbóreas autóctones e distribuição de plantas aromáticas e medicinais à população em geral.

Com o objetivo de sensibilizar a população, nomeadamente a comunidade escolar, para a importância da Floresta na manutenção da vida na Terra, no dia 17 de março, cerca de 60 alunos do 1º ciclo das escolas básicas de Creixomil e de Cristelo (Ferreiros) vão plantar espécies arbóreas autóctones no Parque da Cidade. A atividade terá início, às 14h30, com dois ateliês de atividades interativas e educativas sobre os temas “Cuida da Terra” e “1,2,3 Brigada Protetora da Floresta em Ação”, desenvolvidos pela Ciência Divertida, e culmina com a plantação de árvores pelos alunos.

Ainda no âmbito das comemorações do Dia Internacional das Florestas, o Município de Barcelos e a Associação Amigos da Montanha promovem, na Avenida da Liberdade, no dia 19 de março, entre as 9h30 e as 12h00, uma ação de sensibilização ambiental, oferecendo plantas aromáticas e medicinais à população, tendo como objetivo a sensibilização dos munícipes para a preservação dos recursos naturais do planeta e a descoberta das imensas qualidades culinárias e medicinais destas plantas.

PONTE DE LIMA CELEBRA PROTOCOLO COM INSTITUTO DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E FLORESTAS

Município de Ponte de Lima promove protocolo de Cooperação com o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas

O Município de Ponte de Lima aprovou estabelecer com o ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e Florestas um protocolo de cooperação, no âmbito do PRODER - Programa de Desenvolvimento Rural.

O Município submeteu uma candidatura para instalação das redes primária e secundária de Faixas de Gestão de Combustível e para a beneficiação da rede viária florestal de acesso a estas faixas.

A candidatura foi feita para a parte sul do concelho, sendo as intervenções a realizar nas áreas baldias de Navió e Vitorino dos Piães, Poiares, Facha, Cabaços, Fojo Lobal e Rebordões de Santa Maria. Estando estas áreas geridas, com exceção de Navió e Vitorino dos Piães, em associação entre o estado e as freguesias, e sendo o Município a Entidade promotora da candidatura torna-se necessário o estabelecimento de um protocolo, assinado por todas as partes, onde os gestores autorizam o Município a realizar as intervenções sem alteração do regime de gestão e de propriedade.

As ações previstas centram-se na rede primária – 218,60ha; rede secundária – 77,84ha, e na beneficiação da rede viária, numa área de 6,76km.

Neste contexto, convidamos o V/ Órgão de Comunicação para a cerimónia de assinatura do protocolo, quarta-feira, 16 de dezembro, às 18 horas, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Ponte de Lima.

BOMBEIROS DE PONTE DE LIMA RECEBEM VEÍCULO FLORESTAL DE COMBATE AO INCÊNDIOS

Município de Ponte de Lima e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima apresentam Veículo Florestal de Combate a Incêndios.

Municipio_MPL

No sentido de dotar a corporação dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima de novos equipamentos, os mais recentes no combate a incêndios Florestais, a Câmara Municipal de Ponte de Lima, ao abrigo de um protocolo de cooperação celebrado com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima, apoiou financeiramente a aquisição de um veículo de combate a incêndios florestais. No âmbito deste protocolo, a autarquia pagou na íntegra o custo da viatura, no valor de 182.500,00€.

Trata-se de um veículo todo terreno, que devido às suas características técnicas, está apto para circular em zonas de difícil acesso, completamente adaptado às particularidades do nosso território, suprindo assim uma necessidade, sendo uma mais-valia para a corporação dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima.

A apresentação pública do veículo realiza-se domingo, dia 13 de dezembro, às 11h30 no largo de Camões em Ponte de Lima.

MUNICÍPIO DE GUIMARÃES DISTRIBUI PINHEIROS DE NATAL

Câmara de Guimarães oferece pinheiros de Natal para evitar abate de árvores jovens, encontrando-se disponíveis no Horto Municipal

Medida tem como objetivo contribuir para a defesa do património florestal e preservar equilíbrio dos ecossistemas do concelho. Árvores podem ser recolhidas no Horto Municipal. 

Guimaraes_Pinheiros_Natal

A Câmara Municipal de Guimarães, em colaboração com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, está a disponibilizar gratuitamente pinheiros de Natal a munícipes e instituições do concelho que pretendam optar por um modelo de ornamentação natalícia em tamanho natural.

Os vimaranenses interessados em obter uma árvore deverão dirigir-se ao Horto Municipal, entre segunda e sexta-feira, das 08 às 12 horas e das 13 às 16 horas, na zona de Monchique, na freguesia da Costa.

Estes pinheiros são resultado de desramas e desbastes efetuados nas matas controladas, como medida de gestão dos povoamentos florestais, contribuindo para evitar o abate indiscriminado e mutiladores de árvores jovens, que põem em causa o equilíbrio do ecossistema florestal, contribuindo para a preservação da natureza e biodiversidade, um dos desígnios da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, enquadrada também na Missão do Laboratório da Paisagem.

As árvores a oferecer pela Câmara Municipal de Guimarães foram cortadas de acordo com as regulamentações técnicas e resultam de várias operações de silvicultura preventivamente realizadas, com o objetivo de satisfazer as necessidades do mercado e, ao mesmo tempo, promover a utilização racional da floresta vimaranense.

PÓVOA DE LANHOSO REFLORESTA SERRA DO CARVALHO

Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso refloresta a Serra do Carvalho Através da plantação de espécie autóctone

No âmbito das comemorações do Dia da Floresta Autóctone, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso deu início a um projeto de educação ambiental e de valorização paisagística da Serra do Carvalho.

Dia floresta autoctone 01

Desta forma, através do Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos e em conjunto com os Clubes da Floresta da EB 2,3 Prof. Gonçalo Sampaio, da Escola Secundária e da EBI do Ave  foi possível plantar cerca de 30 carvalhos alvarinhos no primeiro parque da Serra do Carvalho, que é atravessada, recorde-se, pela estrada nacional 103, via rodoviária que permite a ligação a Braga e ao Gerês, por exemplo.

Os alunos participaram ativamente nos trabalhos de plantação e, no final, foram brindados com a cédula da árvore para cada um. Este documento servirá para cada um dos alunos fazer registos e acompanhar o crescimento do seu carvalho ao longo do tempo, sendo que os Clubes da Floresta das escolas do concelho ficaram a ser “padrinhos” daquele parque na serra do Carvalho. Nesta primeira intervenção, participaram 52 alunos acompanhados de quatro professores.

O projeto de educação ambiental e valorização paisagística da Serra do Carvalho tem por objetivos valorizar a paisagem da rede viária e dos parques da Serra do Carvalho, privilegiando-se a plantação de carvalhos alvarinhos nesta zona, aumentando assim a importância ecológica e paisagística destes espaços através da diversidade da vegetação e da fauna silvestre que estes parques podem albergar.

Este será um projeto a longo prazo, pois a monitorização da evolução dos parques terá de continuar e, anualmente, serão plantados mais exemplares, ajudando a recuperar um património natural que outrora era mais abundante nestes espaços naturais.

A Serra do Carvalho designa-se assim pois, no passado, foi constituída por diversos maciços arbóreos de carvalhos. Depois da construção da rede viária, alguns dos parques perderam um grande número de exemplares. Depois da recente transferência de competência das Infraestruturas de Portugal para o município, estes parques podem agora ter esta valorização ambiental.

De lembrar ainda que, na Península Ibérica, celebra-se a 23 de novembro o Dia da Floresta Autóctone, data que foi estabelecida para promover a divulgação da importância da conservação das florestas naturais, apresentando-se simultaneamente como um dia mais adaptado às condições climatéricas de Portugal e Espanha para se proceder à sementeira ou plantação de árvores.

GUIMARÃES TESTA EFEITOS DO FOGO NO SOLO

Penha testa medidas inovadoras para conhecer efeitos dos fogos no solo. Queima experimental realiza-se amanhã.

Diversas técnicas de fogo controlado vão simular incêndios com diferentes intensidades em queima experimental. Iniciativa científica tem como objetivo realizar estudos sobre a floresta e incêndios florestais.

Guimaraes_Penha

A realização de uma queima experimental na montanha da Penha, em Guimarães, esta quarta-feira, 02 de dezembro, pelas 14 horas, tem como objetivo quantificar e caracterizar os efeitos dos incêndios nas propriedades dos solos e as perdas físicas de solo verificadas imediatamente e nos anos que se seguem à ocorrência dos incêndios em áreas de interface urbano-florestal. A ação pretende testar medidas mitigadoras e inovadoras de emergência, no atual contexto de modificações climáticas, que poderão potenciar incêndios de elevada intensidade e maior dimensão. 

A queima experimental, que será realizada por técnicos credenciados, com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, Irmandade da Penha, CDOS - Braga e Bombeiros Voluntários de Guimarães, conta com o recurso a diferentes técnicas de fogo controlado, de modo a simular incêndios com diferentes intensidades. O estudo será conduzido por investigadores da Universidade do Minho, mais precisamente do Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT), que irá firmar um protocolo com a Irmandade da Penha para o desenvolvimento comum de ações e estudos no âmbito da floresta e dos incêndios florestais.

Este Centro de Estudos da Universidade do Minho reúne a generalidade dos investigadores e professores da Geografia Portuguesa sediados nas universidades do Norte e Centro do país (Coimbra, Porto e Minho), bem como um elevado número de investigadores associados a projetos de investigação, a concluir teses de doutoramento ou a realizar projetos de pós-doutoramento nestas universidades.

O CEGOT, uma unidade de I&D, aprovada para financiamento pela Fundação de Ciência e Tecnologia, corresponde a um grande espaço de colaboração, em que os interesses individuais de investigação científica estão articulados com objetivos coletivos, reunidos em torno da Geografia, tanto na sua vertente mais teórica, como particularmente na sua articulação com o planeamento e o ordenamento do território.

ARCOS DE VALDEVEZ IMPLEMENTA REDE DE DEFESA DA FLORESTA

Câmara Municipal implementa rede de defesa de floresta contra incêndios em Arcos de Valdevez. Intervenção engloba um investimento na ordem dos 900 mil euros

Num território percorrido por incêndios florestais, a concretização de forma coordenada da Rede de Defesa da Floresta contra incêndios é fundamental para diminuir o potencial dos grandes incêndios. A Rede primária está definida estrategicamente, nos limites do concelho de Arcos de Valdevez, Ponte de Lima, Paredes de Coura e Monção, de forma a criar uma “barreira” à eventual progressão dos incêndios florestais, criar oportunidade de combate e consequentemente diminuir a área ardida.

floresta

Este projeto complementa o trabalho realizado pelas equipas de sapadores e todo o trabalho de gestão do espaço florestal que os baldios têm vindo a realizar, constituindo também a resposta ao trabalho realizado no PMDFCI – Plano Municipal de Defesa Contra Incêndios, onde é proposta a instalação da rede primária como infraestrutura fundamental para a diminuição dos grandes incêndios.

Investir na prevenção será, de certeza, economicamente mais vantajoso no combate, não falando na perda de valor florestal, ecológico e de paisagem, nem no desgaste, frustração e desmotivação que se pode evitar ao investir na Rede de Defesa da Floresta Contra incêndios.

Com a concretização deste projeto, a Câmara Municipal pretende realizar a abertura da rede primária e secundária de faixas de gestão de combustível; e a construção de rede viária florestal de acesso a pontos de água de 1ª ordem, visando diminuir a superfície percorrida pelos grandes incêndios, permitindo criar condições para uma intervenção direta de combate ao fogo; reduzir os efeitos de passagem dos grandes incêndios, protegendo de forma passiva vias de comunicação; isolar os focos potenciais de ignição de incêndios e facilitar o reabastecimento de água entre viaturas.

Este projeto designa-se por “INSTALAÇÃO DE REDE DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS DE ARCOS DE VALDEVEZ”, candidatado pelo Município de Arcos de Valdevez ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos, PO SEUR 10 - 2015 – 24 - Eixo Prioritário 2: Promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e a gestão de riscos (Fundo de Coesão), no Domínio de Intervenção Prioritário “Redução dos Incêndios Florestais”

Esta operação apresenta-se em três ações concertadas, com uma execução por um período de 18 meses, no valor global de 687 934,44€.

Só dentro da área do Parque Nacional Peneda Gerês, o concelho tem 150 km de floresta, por isso para o autarca, João Manuel Esteves, “Apostar na prevenção dos fogos florestais é muito importante porque a floresta tem uma grande componente paisagística e é uma importante fonte de riqueza para o concelho”.

De realçar que no âmbito da defesa da floresta contra incêndios o Municipio apoiou 5 equipas de sapadores florestais em 135 mil euros. Recentemente foi constituída uma Equipa de Intervenção Permanente, a qual visa assegurar, em permanência, o socorro às populações, designadamente nos casos de combate a incêndios; socorro às populações em caso de acidentes ou catástrofes e conta com um apoio anual de 25 mil euros.

Para o Município, é muito importante apostar na prevenção dos fogos florestais porque a floresta tem uma grande componente paisagística e é uma fonte de riqueza fundamental para o concelho.

CAMINHA ESTÁ A PROMOVER SEMANA DA REFLORESTAÇÃO NACIONAL PLANTAR PORTUGAL

Plantações de árvores de espécies autóctones em Vilar de Mouros e Serra d’Arga, exposições e percursos interpretativos em Riba de Âncora são as atividades que vão marcar esta 6ª edição

Caminha está a assinalar a Semana da Reflorestação Nacional com a promoção de várias atividades: plantações de árvores de espécies autóctones em Vilar de Mouros e Serra d’Arga, exposições e percursos interpretativos em Riba de Âncora. O objetivo é promover a floresta autóctone.

semana reflorestação 2015 (1)

A Câmara Municipal de Caminha volta a aderir ao desafio lançado pelo Movimento Plantar Portugal, com a organização de várias iniciativas cujos objetivos são “vivenciar, proteger e plantar, respeitando a biodiversidade e as espécies autóctones”.

No concelho de Caminha, a semana de reflorestação já começou na passada sexta-feira, com a comemoração do Dia da Dia da Floresta Autóctone em Vilar de Mouros. Esta atividade contou com a participação dos alunos do Centro Escolar daquela freguesia e com o apoio da respetiva Junta de Freguesia.

semana reflorestação 2015 (2)

Amanhã, dia 25, pelas10h00, vai decorrer a plantação de árvores de espécies autóctones na Serra d’Arga, nas freguesias de Arga de Baixo e Arga de São João. Esta atividade vai contar com a participação dos alunos do 7.º ano (A e B) da Escola Secundária Sidónio Pais.

As comorações continuam durante o fim de semana. No sábado, dia 28, pelas 10 horas, vai ser inaugurada a exposição “O Baldio de Riba de Âncora e a Floresta Autóctone”, no Centro de Interpretação da Serra d’Arga (CISA), em Arga de Baixo, a que se seguirá uma plantação de espécies autóctones na Serra d’Arga e um workshop de culinária com degustação – Cogumelos shitake e mel – no CISA. A Semana da reflorestação em Caminha encerra no domingo com a realização percurso interpretativo “Conhecer o Baldio de Riba de Âncora”, em Riba de Âncora. Com concentração marcada para as 10 horas, junto à Igreja Paroquial de Riba de Âncora, este percurso é de pouca dificuldade. Aqui, a inscrição é gratuita, mas obrigatória. As atividades do fim de semana contam com a parceria do Baldio de Riba de Âncora.

semana reflorestação 2015 (3)

Programa

- 25 de novembro

10h00 | Plantação de árvores de espécies autóctones na Serra d’Arga – Arga de Baixo e Arga de São João

10h00 | Inauguração da exposição “O Baldio de Riba de Âncora e a Floresta Autóctone” - Centro de Interpretação da Serra d’Arga – Arga de Baixo

10h30 | Plantação de espécies autóctones na Serra d’Arga

12h30 | Workshop de culinária com degustação – Cogumelos shitake e mel - Centro de Interpretação da Serra d’Arga – Arga de Baixo

- 29 de novembro

10h00 | Percurso interpretativo “Conhecer o Baldio de Riba de Âncora” - Riba de Âncora

semana reflorestação 2015 (4)

BRACARENSES PLANTAM ÁRVORES NO MONTE PICOTO

‘Florestar Braga 2015’ prossegue no fim-de-semana. Alunos Bracarenses plantaram mais de 300 árvores no Monte Picoto

Cerca de 300 alunos do Concelho de Braga participaram hoje, 20 de Novembro, na 3.ª edição do ‘Florestar Braga’, uma iniciativa organizada pelo Município e que teve como palco privilegiado o Monte Picoto.

CMB20112015SERGIOFREITAS0000001907

Nesta acção, os alunos das Eco-Escolas, das escolas do Prosepe e outros estabelecimentos de ensino localizados junto ao Picoto ajudaram a plantar mais de três centenas de árvores autóctones oferecidas ao Município pelo Instituto Nacional da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Na ocasião, o vereador do Ambiente do Município de Braga, Altino Bessa, destacou a forte componente de sensibilização ambiental do ‘Florestar Braga’. “Queremos valorizar o Picoto como um parque de floresta originária, transformando-o no maior parque urbano de floresta autóctone do país”, referiu, lembrando que a iniciativa assinala também o Dia da Floresta Autóctone.

CMB20112015SERGIOFREITAS0000001908

A par do público escolar, o ‘Florestar Braga’ pretende envolver também a comunidade Bracarense que durante este fim-de-semana, entre as 10h00 e as 12h30, vai poder ajudar a plantar árvores no Picoto.

Além das iniciativas agendadas para o Monte Picoto, um pouco por todo o Concelho haverá acções de florestação promovidas por escolas, IPSS, Juntas de Freguesia e outras entidades que, desta forma, se associam às comemorações do ‘Dia da Floresta Autóctone’.

Do programa de amanhã, Sábado, 21 de Novembro, destaca-se a realização de uma acção de limpeza da Ribeira de Castro, na Quinta Pedagógica de Braga, a partir das 14h30.

O ‘Florestar Braga 2015’ tem também associado um concurso de fotografia dinamizado pelo Pelouro do Ambiente da Câmara Municipal de Braga (CMB) e Associação Mãos à Obra (AMO) Portugal, aberto à participação de todos os cidadãos.

Este concurso desafia os cidadãos a retractar a iniciativa ‘Florestar Braga 2015’. O regulamento do concurso pode ser consultado através do seguinte link http://goo.gl/OJR12e

CMB20112015SERGIOFREITAS0000001909

PAREDES DE COURA COMEMORA DIA DA FLORESTA AUTÓCTONE

Área de Paisagem Protegida de Corno de Bico. sábado | 21 novembro

A Área de Paisagem Protegida de Corno de Bico, em Paredes de Coura, acolhe este sábado, 21 de novembro, o Dia da Floresta Autóctone.

47-ceia 2

Com esta iniciativa, não só se evoca a efeméride que na Península Ibérica se celebra a 23 de novembro, como se releva a importância ecológica e, sobretudo, o elevadíssimo valor do coberto vegetal deste espaço natural, que o converte num dos mais importantes do Norte Atlântico de Portugal.

Promovido pela COREMA-Associação de Defesa do Património, com o apoio do Município de Paredes de Coura, o Dia da Floresta Autóctone integra, pelas 10h00, uma palestra no Centro de Educação e Interpretação Ambiental da APPCB, em Vascões, Paredes de Coura, sobre o tema "Bosques naturais do Norte de Portugal" e proferida por Miguel Cardoso, autor do livro "Árvores e Arbustos do Sudoeste Europeu".

Seguidamente, há também uma dissertação sobre as espécies comuns de cogumelos da Área de Paisagem Protegida de Corno de Bico, por Queirós Monteiro. Da parte da tarde, com início às 14h00 horas, será realizada uma visita à Área de Paisagem Protegida de Corno de Bico orientada pelos dois palestrantes atrás mencionados.

O almoço será livre, podendo os participantes optar por se fazerem acompanhar de farnel ou recorrerem a um restaurante existente nas proximidades.

45-paisagem protegida-6

BARCELOS COMEMORA DIA DA FLORESTA AUTÓCTONE COM AÇÃO DE REFLORESTAÇÃO

Dia 28 de novembro, no Monte Cresto, em Aldreu, plantação de 1000 espécies autóctones

O Município de Barcelos promove, no dia 28 de novembro, da parte da manhã, mais uma ação de reflorestação de espécies autóctones no Monte do Cresto, freguesia de Aldreu, de forma a assinalar o Dia da Floresta Autóctone, e para evidenciar a importância da conservação das florestas naturais. Esta ação pretende dar continuidade ao projeto de reflorestação elaborado pelo Município e iniciado há três anos com o objetivo de reflorestar uma extensa área ardida.

A iniciativa, que promove a preservação da floresta autóctone portuguesa e que todos os anos leva milhares de portugueses ao encontro dela, decorrerá então no Monte do Cresto, freguesia de Aldreu, em parceria com a Junta de Freguesia de Aldreu, a Associação "Amigos da Montanha" e a Associação Florestal do Cávado, contando ainda com o apoio da associação "Amigos da Natureza de Creixomil" e "Lamaceiros TT" .

O Município assegura transporte desde a Avenida da Liberdade, às 9h00, até ao Monte do Cresto, para os primeiros 100 inscritos.

Para o efeito, os interessados deverão enviar email para o seguinte endereço eletrónico: gambiente@cm-barcelos.pt.

Na próxima sexta-feira, 20 de novembro, terá lugar uma sessão de esclarecimento sobre a iniciativa, às 19h, na Sede dos Amigos da Montanha.

CONCURS "DIA DA FLORESTA AUTÓCTONE" EM VIANA DO CASTELO JÁ TEM VENCEDORES

CMIA de Viana do castelo dá a conhecer a lista de classificação final dos trabalhos recebidos no âmbito do Concurso “Dia Nacional da Floresta Autóctone”.

Todas as turmas participantes irão receber uma espécie autóctone para plantar na sua escola ou outro espaço que entendam pertinente.

Na próxima 2ª feira, dia 23 de novembro, iremos assinalar este dia temático com a reflorestação de uma área no Monte de St.ª Luzia com a turma vencedora.

Os trabalhos realizados ficarão expostos no CMIA até ao dia 31 de dezembro – consultar aqui horário do CMIA.

GUIMARÃES QUER PLANTAR MAIS DE 15 MIL ÁRVORES

Projeto “Guimarães mais Floresta” apresentado esta quinta-feira no Laboratório da Paisagem

Plantação de mais de 15 mil árvores autóctones é um dos objetivos de um programa que será apresentado publicamente na tarde desta quinta-feira, 19 de novembro.

Guimaraes_Mais_Floresta

A Câmara Municipal de Guimarães e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Guimarães (CPCJ) vão apresentar esta quinta-feira, 19 de novembro, pelas 17:30 horas, no Laboratório da Paisagem, o projeto “Guimarães mais Floresta”, no âmbito da Semana de Reflorestação Nacional, integrado na adesão do movimento Plantar Portugal.

Este projeto tem como objetivo plantar mais de 15 mil novas árvores autóctones no concelho de Guimarães e será realizado junto das escolas, através do programa “Pegadas”, bem como de outras instituições vimaranenses, contribuindo para o propósito da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020.

Inspirado no conceito do Programa de Educação e Sensibilização Ambiental para Guimarães, que visa o desenvolvimento sustentável do concelho e a promoção de políticas para o ambiente, ecológicas e inclusivas, o projeto “Guimarães mais Floresta”, de grande mobilização e envolvimento com as escolas, conta com a parceria da Sol do Ave e do Laboratório da Paisagem, entre outras entidades.

VIANA DO CASTELO COMEMORA DIA DA FLORESTA AUTÓTONE

O dia 23 de Novembro foi estabelecido como O Dia da Floresta Autóctone para promover a importância da conservação das florestas naturais, apresentando-se simultaneamente como o dia mais adaptado às condições climatéricas de Portugal e Espanha para se proceder à sementeira ou plantação de árvores, alternativo ao Dia Mundial da Floresta, 21 de Março, que foi criado inicialmente para os países do Norte da Europa.

Para assinalar este dia, O CMIA de Viana do Castelo promove o concurso “Dia da Floresta Autóctone”, que se destina a todos os alunos das escolas do concelho de Viana do Castelo (públicos e privados). Pretende-se, com este concurso, promover a floresta nativa e as espécies autóctones e sensibilizar para a sua importância.

Este concurso rege-se pelo seguinte regulamento:

  1. Podem candidatar-se a este concurso todas as turmas do concelho de Viana do Castelo, desde o Jardim-de-infância ao ensino secundário, sendo eles públicos ou privados.
  2. Cada turma deverá construir uma maquete representativa de uma espécie arbustiva ou arbórea autóctone.
  3. Cada maquete deverá ter, no máximo, 80 cm de altura.
  4. As maquetes devem ser, preferencialmente, construídas com materiais reutilizáveis.
  5. Os trabalhos serão avaliados por um Júri composto por elementos do CMIA.
  6. A turma vencedora participará numa ação de reflorestação de um espaço natural do Concelho de Viana do Castelo, no dia 23 de Novembro de 2015.
  7. Da decisão do Júri não haverá recurso. Centro de Monitorização e Interpretação ambiental de Viana do Castelo.
  8. Será entregue a todas as turmas participantes, um certificado de participação e um exemplar de uma espécie arbustiva autóctone.
  9. A entrega das espécies autóctones, nas escolas, decorrerá ao longo dos dias 19 e 20 de Novembro de 2015.
  10. A calendarização do concurso será da seguinte forma:
  • Inscrição até 30 de Outubro de 2015 através do e-mail: cmia@cm-vianacastelo.pt ou através do nosso contato telefónico: 258 809 362;
  • Entrega dos trabalhos até 12 de Novembro de 2015 no CMIA;
  • Comunicação do vencedor a 18 de Novembro de 2015 via email e site do CMIA;
  • Atividade de reflorestação com a turma vencedora a 23 de Novembro de 2015 (tarde); · Exposição dos trabalhos entre 16 de Novembro a 31 de Dezembro de 2015 na sala do moinho do CMIA.

VIANA DO CASTELO CELEBRA DIA DA FLORESTA AUTÓTONE

O dia 23 de Novembro foi estabelecido como O Dia da Floresta Autóctone para promover a importância da conservação das florestas naturais, apresentando-se simultaneamente como o dia mais adaptado às condições climatéricas de Portugal e Espanha para se proceder à sementeira ou plantação de árvores, alternativo ao Dia Mundial da Floresta, 21 de Março, que foi criado inicialmente para os países do Norte da Europa.

Para assinalar este dia, O CMIA de Viana do Castelo promove o concurso “Dia da Floresta Autóctone”, que se destina a todos os alunos das escolas do concelho de Viana do Castelo (públicos e privados). Pretende-se, com este concurso, promover a floresta nativa e as espécies autóctones e sensibilizar para a sua importância.

Este concurso rege-se pelo seguinte regulamento:

  1. Podem candidatar-se a este concurso todas as turmas do concelho de Viana do Castelo, desde o Jardim-de-infância ao ensino secundário, sendo eles públicos ou privados.
  2. Cada turma deverá construir uma maquete representativa de uma espécie arbustiva ou arbórea autóctone.
  3. Cada maquete deverá ter, no máximo, 80 cm de altura.
  4. As maquetes devem ser, preferencialmente, construídas com materiais reutilizáveis. 5. Os trabalhos serão avaliados por um Júri composto por elementos do CMIA. 6. A turma vencedora participará numa ação de reflorestação de um espaço natural do Concelho de Viana do Castelo, no dia 23 de Novembro de 2015.
  5. Da decisão do Júri não haverá recurso. Centro de Monitorização e Interpretação ambiental de Viana do Castelo Página 2 de 2 8. Será entregue a todas as turmas participantes, um certificado de participação e um exemplar de uma espécie arbustiva autóctone. 9. A entrega das espécies autóctones, nas escolas, decorrerá ao longo dos dias 19 e 20 de Novembro de 2015.
  6. A calendarização do concurso será da seguinte forma:
  • Inscrição até 30 de Outubro de 2015 através do e-mail: cmia@cm-vianacastelo.pt ou através do nosso contato telefónico: 258 809 362;
  • Entrega dos trabalhos até 12 de Novembro de 2015 no CMIA;
  • Comunicação do vencedor a 18 de Novembro de 2015 via email e site do CMIA;
  • Atividade de reflorestação com a turma vencedora a 23 de Novembro de 2015 (tarde);
  • Exposição dos trabalhos entre 16 de Novembro a 31 de Dezembro de 2015 na sala do moinho do CMIA;

MONÇÃO ACOLHE JORNADAS “ALTO MINHO FIRECAMP 2015”

Segunda edição destas jornadas técnicas dedicadas aos incêndios florestais decorre nos dias 15 e 16 deste mês, quinta e sexta-feira, no Cine Teatro João Verde, em Monção. Presença de nomes conceituados internacionalmente no panorama da prevenção e do combate aos incêndios florestais.

firecamp

Em 2013, no âmbito da operação Protec|Georisk, cofinanciada pelo “ON2 - O Novo Norte” e promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, realizaram-se as primeiras jornadas técnicas dedicadas ao paradigma dos fogos florestais no contexto da problemática dos perigos e das alterações climáticas, sendo os incêndios florestais aqueles que reúnem maior risco no Alto Minho.

Dada a importância e a atualidade da temática, vai-se realizar a segunda edição destas jornadas técnicas de informação e sensibilização denominadas “Alto Minho Firecamp 2015”, cofinanciadas pelo POCTEP - Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal. Decorrem nos dias 15 e 16 deste mês, quinta e sexta-feira, no Cine Teatro João Verde, em Monção.

Dirigidas aos responsáveis da administração pública, técnicos florestais, técnicos municipais, agentes e técnicos da proteção civil, bombeiros e outros operacionais do combate aos incêndios florestais, pretende-se, nestes dois dias, debater a problemática dos grandes incêndios florestais no quadro das alterações climáticas no território do Alto Minho.

Nestas jornadas, serão abordados temas oportunos e atuais. O primeiro dia será dedicado ao papel da Administração Pública na prevenção e extinção de incêndios florestais, destacando-se neste painel o Dispositivo de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais e as ações desenvolvidas pela CIM Alto Minho desde o Firecamp 2013 até à data.

O segundo dia focará o papel da sociedade informada e da tecnologia nos incêndios florestais, bem como o uso do fogo como uma ferramenta na prevenção e no combate. Para o desenvolvimento destes painéis, “Alto Minho Firecamp 2015” conta com a presença de nomes conceituados internacionalmente no panorama da prevenção e do combate aos incêndios florestais.

Programa completo em:

http://altominhofirecamp.wix.com/2015

PARTIDO “OS VERDES” RECLAMA ORDENAMENTO DA FLORESTA PORTUGUESA

Os Verdes alertam para a necessidade urgente de medidas de prevenção de incêndios e ordenamento da Floresta Portuguesa

Segundo os dados provisórios divulgados ontem pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), nos primeiros sete meses deste ano já arderam 28781 ha de espaços florestais - a segunda maior área ardida do decénio, depois dos 68 mil em 2012, e a terceira desde 2005.

Trata-se de um dos períodos mais severos em termos de incêndios com o quinto maior número de ocorrências desde 2005. Em relação ao ano passado, o agravamento é muito expressivo: arderam mais 21206 ha (280%) do que o total queimado até esta altura.

A situação de severidade meteorológica que tem caracterizado este ano - e com tendência a agravar-se e a repetir-se no futuro – devido ao agravamento do fenómeno das alterações climáticas, para o qual Os Verdes têm, desde sempre, alertado, leva ao aumento da tendência da ocorrência de incêndios.

Perante esta situação gravosa, associada ao facto de que o Governo continua a ignorar a urgência da aplicação de uma política de defesa e preservação da nossa floresta, bem como de prevenção de incêndios, torna-se urgente a implementação de medidas efetivas de prevenção, e não apenas de combate.

O Partido Ecologista «Os Verdes» considera urgente a aplicação de uma política de fundo que promova o ordenamento da floresta portuguesa, com a plantação de espécies autóctones, investimento na prevenção e limpeza, concretização do cadastro florestal, fiscalização efetiva e o fim da expansão das culturas de eucalipto. A defesa de uma floresta viva, fonte de vida, de riqueza e biodiversidade, uma floresta de usos múltiplos, económica e ambientalmente sustentável, e protegida contra o drama anual dos incêndios florestais deve ser cada vez mais uma prioridade.

O PEV pretende ainda deixar, através desta nota de imprensa, um profundo agradecimento a todos os bombeiros portugueses que têm lutado fortemente contra o flagelo dos incêndios que, todos os anos, deixam o nosso País mais pobre.

O Partido Ecologista “Os Verdes”

PONTE DE LIMA PREVINE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Medidas Preventivas – Prevenção de Incêndios Florestais

No próximo dia 1 de julho, entra em vigor o período crítico para a ocorrência de incêndios florestais, vigorando até 30 de setembro.

Assim, relembramos a todos os cidadãos que independentemente das condições meteorológicas, em todos os espaços rurais é expressamente proibido realizar fogueiras para a confeção de alimentos, queimar matos, silvas ou qualquer tipo de sobrantes agrícolas ou florestais, lançar foguetes e balões com mecha acesa.

Também durante este período, o acesso, à permanência e à circulação no interior de determinadas áreas florestais é condicionado. Nos trabalhos ou outras atividades que decorram nos espaços rurais, é obrigatório que as máquinas de combustão interna e externa a utilizar, onde se incluem todo o tipo de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados, sejam dotadas de dispositivos de retenção de faíscas ou faúlhas e de dispositivos tapa - chamas nos tubos de escape ou chaminés.

É necessário ainda, que estejam equipados com um ou dois extintores de 6 kg, de acordo com a sua massa máxima, consoante esta seja inferior ou superior a 10 000 kg.

Solicita-se a quem avistar um incêndio que ligue de imediato 117 (chamada gratuita)!

Tenha cuidado, um pequeno descuido pode causar um grande incêndio!

MUNICÍPIO DE FAFE CELEBRA PROTOCOLO COM A ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DOS DIREITOS DOS ANIMAIS E FLORESTA

Apoio financeiro na ordem dos 16 mil euros

O Município de Fafe e a ADDAF – Associação de Defesa dos Direitos dos Animais e Floresta – celebraram, hoje, um protocolo que visa fortalecer o bom funcionamento do canil municipal, melhorando a qualidade de vida dos animais alojados.

Na base deste protocolo, a Câmara Municipal teve em conta o trabalho desenvolvido pela ADDAF na área do voluntariado e na criação de melhores condições para a estadia dos animais no canil, as várias campanhas bem sucedidas de adoção responsável e a promoção de ações de esterilização que a instituição tem levado a cabo.

Com um apoio financeiro concedido na ordem dos 16 mil euros, a ADDAF compromete-se a melhorar a limpeza dos espaços do canil e área envolvente, tornando o espaço mais atrativo, de forma a proteger o bem estar animal e aumentar as adoções no canil, a melhorar o maneio na alimentação dos animais e administrar atempadamente a medicação dos animais.

Esta verba servirá também para adquirir os instrumentos e consumíveis necessários às tarefas diárias.

Neste protocolo, foi também definida a realização mais frequente de campanhas de adoção, para evitar a sobrelotação do espaço, a promoção de sessões de informação, divulgação e sensibilização da população sobre o direito dos animais, tendo-se estabelecido também que a ADDAF deve protocolar com empresas de remoção de cadáveres, no sentido se haver uma recolha mensal dos mesmos.

Em contrapartida, a Câmara Municipal compromete-se a fazer a recolha dos animais errantes e respetiva entrega no Canil Municipal, a suportar os custos do fornecimento de água, luz e recolha do lixo, a custear a aquisição de Eutasil, destinado à prática de eutanásia em animais e, finalmente, a ceder o veículo de transporte de animais sempre que for solicitado pela ADDAF.

Para além do apoio de 16 mil euros, o Município de Fafe reforçou o protocolo com mais 1000 euros para custear despesas em bens e serviços. Também no ano passado, o protocolo foi reforçado em 3 000 euros.

Para o Presidente da Câmara Municipal, Raul Cunha, este apoio à ADDAF é fundamental, não só pelo trabalho que os voluntários do canil têm desenvolvido até então, mas também como forma de melhorar as condições do canil.

O canil municipal recebe, diariamente, cada vez mais animais e é urgente que se estabeleçam condições para o seu bem estar. Este apoio será uma boa ajuda para levar por diante alguns trabalhos mais urgentes.

A ADDAF tem feito um excelente trabalho com os animais abandonados e é nosso dever ajudar, assim como temos feito neste Executivo. Tenho a certeza que este apoio financeiro vai ser fundamental. Esperamos que no futuro consigamos melhorar ainda mais as condições do canil municipal.”

O protocolo tem a vigência de um ano, renovado automaticamente por iguais períodos.

Ao longo deste ano, o Executivo tem investido no melhoramento das condições do canil municipal. Para além das obras de requalificação feitas recentemente, a Câmara Municipal disponibilizou também uma carrinha, uma arma para a imobilização à distância, criou uma brigada para a captura de animais errantes na via pública, com recursos humanos dedicados apenas a esta função, para além de custear as despesas mensais de água e luz.

Recorde-se que o canil municipal alberga cerca de 240 cães, assegurando a alimentação, higiene e tratamento, uma tarefa para a que todos podemos e devemos contribuir.

CERVEIRA MELHORA INFRAESTRUTURAS FLORESTAIS

Fruto do protocolo com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), o Município de Vila Nova de Cerveira iniciou recentemente um processo de beneficiação de infraestruturas florestais, numa área de 120kms. Melhoria de caminhos florestais, aceiros e arrifes visa a preservação do perímetro florestal e, consequente, prevenção contra incêndios.

DSC05037

Integrada na estratégia municipal de proteção civil, a construção da Rede Primária de Defesa da Floresta Contra Incêndios é uma das prioridades deste executivo, de forma a combater o flagelo dos fogos que provocam a delapidação do vasto património florestal concelhio.

O vice-presidente da Câmara Municipal e responsável pelo pelouro da Proteção Civil explica que a ação em causa abrangerá uma vasta extensão florestal, estando mais focada nas áreas de povoamento florestal, áreas críticas e infraestruturas com elevado estado de degradação. Vitor Costa confirma que há vários anos que não se procedia a um investimento desta ordem e grandeza, em prol da mancha verde do concelho.

No âmbito do protocolo estabelecido entre as duas entidades, em que o Município assume parte das despesas, a máquina do ICNF está no terreno delimitado a proceder à execução de trabalhos de beneficiação e alargamento de aceiros e arrifes, de melhoria de caminhos florestais e de preparação de parcelas para ações de fogo controlado. Em colaboração com os Sapadores Florestais, estão ainda a ser criadas faixas de gestão de combustível que vão servir de apoio a ações de combate a incêndios florestais.

Este trabalho está atualmente a ser desenvolvido nas freguesias do interior (Sapardos, Candemil e Gondar), prosseguindo posteriormente para outras localidades do concelho já identificadas no protocolo de colaboração.

MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA E ASSOCIAÇÃO FLORESTAL DO LIMA CELEBRAM PROTOCOLO FINANCEIRO

Câmara Municipal de Ponte de Lima aprova protocolo de cooperação financeira com a Associação Florestal do Lima – ZIF LIMA-VEZ

A Câmara Municipal de Ponte de Lima aprovou a celebração de um protocolo de cooperação financeira com a Associação Florestal do Lima, sendo esta entidade a gestora da Zona de Intervenção Florestal do Lima – Vez / ZIF Lima – Vez.

DSCF5470

Criada em 10 de fevereiro de 2012, a ZIF Lima – Vez, abrange uma área de 23.015ha nos concelhos de Ponte de Lima e Arcos de Valdevez.

No concelho de Ponte de Lima as freguesias integradas na ZIF são todas as que se localizam a Norte do Rio Lima, nomeadamente: Arcozelo, Bárrio e Cepões, Bertiandos, Brandara, Cabração e Moreira do Lima, Calheiros, Estorãos, Fontão, Labruja, Labrujó, Rendufe e Vilar do Monte, Refoios do Lima, Sá, Santa Comba e S. Pedro de Arcos.

Considerando os pressupostos da sua criação e a Defesa da Floresta Contra os Incêndios Florestais, a Associação Florestal do Lima, submeteu uma candidatura à Ação 2.3.1.1 do ProDer, para implementação de mosaicos de parcelas de gestão de combustíveis, numa área total de 156,77ha, dos quais 120,70ha pertencem ao concelho de Ponte de Lima. Estas ações estão previstas no plano específico de intervenção florestal da ZIF, o qual obteve parecer positivo da Comissão Municipal de Defesa da Floresta.

O valor global do investimento que compreende as ações mencionadas é de 135.030, 22 euros, tendo uma comparticipação de 90%, o que implica um incentivo do ProDer no valor de 113.956,32 euros, havendo necessidade de obter um auto financiamento no valor de 13.421,52 euros.

Não tendo a ZIF Lima - Vez recursos próprios, mas considerando o sucesso e o interesse desta candidatura para a defesa da floresta contra incêndios, bem como importância da limpeza da mesma e a silvicultura preventiva, a Câmara Municipal assegurará a componente não financiada da candidatura no valor total de 13.421,52 euros.

Neste contexto, convidamos o V/ órgão de comunicação para a assinatura do referido protocolo, na próxima quinta-feira, 14 de maio, às 19 horas, no salão Nobre da Câmara Municipal de Ponte de Lima.

MUNICÍPIO DE CAMINHA ABRE CANDIDATURAS PARA A CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA MUNICIPAL DE PROTEÇÃO FLORESTAL

Inscrições terminam a 30 de abril

Estão a decorrer as candidaturas para a constituição da Equipa Municipal de Proteção Florestal (EMPF). Esta equipa vai desenvolver a sua atividade no período de um ano, o âmbito da prevenção de incêndios florestais. As inscrições terminam a 30 de abril.

A equipa vai ser constituída por 5 elementos e tem como funções desenvolver ações silvícolas variadas, como corte de matos e povoamento, alinhamento de povoamento e respetiva desrama, execução de Faixas de Gestão de Combustível ao longo de Rede Viária Florestal, habitações e outras edificações, pontos de água e outras infraestruturas, habitações e outras edificações.

Para fazer parte da EMPF é necessário ter mais de 18 anos de idade, beneficiar de subsídio de desemprego ou Rendimento Social de Inserção; e possuir, preferencialmente, experiência nas tarefas florestais ou no manuseamento de máquinas (motosserra e motorrossadoura).

Os interessados deverão formalizar as candidaturas via email para gtf@cm-caminha.pt ou presencialmente na Câmara Municipal, junto do Gabinete Técnico Florestal, até ao dia 30 de abril. Do boletim de candidatura consta: o nome completo, cópia do Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão, do número da segurança Social, no caso de não ser portador do Cartão de Cidadão e contacto telefónico. Pode ainda apresentar elementos comprovativos da experiência profissional na área florestal ou jardins.

A cada elemento que venha a fazer parte da EMPF é garantido: formação para desempenho das funções, bolsa mensal, subsídio de alimentação e transporte, seguro de acidentes pessoais e equipamento para o desempenho das funções

ARCOS DE VALDEVEZ ENTREGA EQUIPAMENTOS AOS BOMBEIROS

Município de Arcos de Valdevez empenhado em apoiar a defesa da floresta contra incêndios

Câmara Municipal entregou equipamentos de proteção individual à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez

No âmbito do protocolo estabelecido entre a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho e a Câmara Municipal, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez foi dotada de 25 equipamentos de proteção individual, no valor de 13 150€.

Trata-se de material de proteção para combate a incêndios florestais, nomeadamente capacete, cógula (capuz de proteção florestal), fato de proteção individual (calça e dólmen), luvas e botas.

A entrega dos equipamentos foi feita pelo Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, e pelo Vereador da Proteção Civil, Olegário Gonçalves, no passado sábado, dia 11 de abril, na presença da direção e elementos do comando desta Associação.

João Manuel Esteves fez questão de frisar a importância os Bombeiros Voluntários tem para Arcos de Valdevez ao nível da defesa da floresta e da população, sendo por isso de extrema importância o apoio de todos.

O autarca agradeceu ainda todo o trabalho meritório que os Bombeiros fazem em prol da comunidade arcuense e adiantou que “Estamos disponíveis para apoiar a requalificação do Quartel, como sempre estivemos, desde a primeira hora, porque é essencial criarmos melhores instalações, mais modernas e adequadas que contribuam para que os nossos Bombeiros Voluntários possam prestar um melhor apoio às populações”, disse.

No âmbito desta cerimónia foram ainda distribuídos pelos serviços municipais os lacinhos azuis da Campanha de Prevenção dos maus tratos nas crianças que se encontra a levar a cabo durante o mês de abril.

De realçar que ao nível dos apoios a esta Associação a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez celebrou um protocolo de cooperação que contempla a colaboração técnico-financeira com os bombeiros voluntários na prossecução da atividade desta associação, no valor de 60.000,00€.

Acresce referir, que recentemente foi também aprovado um aditamento a este protocolo, no sentido de se constituir uma equipa de Intervenção Permanente (EIP) para prestar socorro. Desta forma o corpo de Bombeiros ficará mais reforçado, com meios humanos para fazer face às diversas ações.

entrega_equipamentos2 - Cópia

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE DEFESA DA FLORESTA

Comissão Municipal de Defesa da Floresta aprova Plano Operacional Municipal

A Comissão Municipal de Defesa da Floresta (CMDF) de Arcos de Valdevez aprovou esta terça-feira, nos Paços do Concelho, o Plano Operacional Municipal (POM).

POM - Cópia

Este Plano Operacional Municipal (POM) pretende melhorar a articulação entre todas as entidades envolvidas no dipositivo de Defesa da Floresta Contra Incêndios e assenta a sua atividade nas ações de vigilância, deteção, fiscalização, 1.ª intervenção, combate, rescaldo e vigilância pós-incêndio.

Visa também diminuir o número de ocorrências de incêndios florestais e consequentemente a área ardida, através da execução de diversas ações, preconizadas num programa de ação concentrado, reduzir a carga combustível em áreas prioritárias, aumentando a proteção da floresta, de pessoas e bens, promover e melhorar a sua gestão, assim como contribuir para uma melhor organização e adequação de meios.

O POM é um documento elaborado anualmente e obedece ao estabelecido no Guia Técnico para a elaboração do PMDFCI, de Abril de 2012, do ICNF.

VIZELA PROTEGE A FLORESTA

CMDFCI de Vizela aprovou Plano Operacional Municipal

A Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Vizela, em reunião de 15 de abril, aprovou por unanimidade o Plano Operacional Municipal (POM) de Vizela para o ano de 2015, apresentado pelo Gabinete Técnico Florestal do Município.

Reunião CMDFCI 15.04.15

A Comissão, presidida pelo Presidente da Autarquia, Dinis Manuel da Siva Costa, contou com a presença do Presidente da União de Freguesias de Caldas de Vizela (São Miguel e S. João), do Comandante dos Bombeiros Voluntários de Vizela, do Comandante do Posto da Guarda Nacional Republicana de Vizela, do Coordenador do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, da Associação Silvicultores do Vale do Ave e do Gabinete Técnico Florestal do Município.

Esta Comissão é uma estrutura de articulação, planeamento e ação, que tem como missão a coordenação dos programas de defesa da floresta, com vista a valorizar e preservar a floresta, protegendo-a, principalmente, dos incêndios.

No Plano Operacional Municipal de Vizela de 2015 estão definidos os meios humanos e respetivos contactos, os meios técnicos e materiais que serão utilizados nas operações de vigilância e deteção, fiscalização e primeira intervenção, combate, rescaldo e vigilância pós-incêndio, para uma intervenção mais rápida e eficaz.

A cartografia de apoio à decisão é outro instrumento do plano, que tem por base a cartografia das cartas militares e ortofotomapas, que permitem aumentar a informação de apoio ao planeamento das ações de prevenção e combate aos incêndios florestais no Município de Vizela, que tem como objetivo final, a proteção de pessoas e bens. Obrigatoriedade da limpeza dos terrenos

Preservar a nossa floresta e defendê-la dos incêndios florestais é um objetivo da responsabilidade de todos. O Município Vizela alerta os munícipes para a obrigatoriedade de procederem à limpeza da vegetação no terreno envolvente às suas habitações e para o respeito pelas medidas de segurança na realização de queimas de sobrantes agroflorestais e na realização de queimadas e fogueiras, tendo em atenção as condições atmosféricas, nomeadamente ventos e tempo quente e seco. Para mais esclarecimentos, consultar o portal do município ou deslocar-se ao Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal Vizela.

VALENÇA REFORÇA PROTEÇÃO À FLORESTA

Câmara Municipal Pede Mais Policiamento e Vigilância

A Câmara Municipal de Valença reforçou as diligências junto da Brigada do Ambiente, da Guarda Nacional Republicana e demais forças policiais, no sentido de aumentar a vigilância e a investigação aos fogos florestais no concelho.

Os fogos florestais ocorridos, nas últimas semanas, nas áreas florestais do concelho, nomeadamente em zonas de baldios, motivou uma tomada de posição forte da autarquia valenciana junto da Guarda Nacional Republicana, Policia Judiciária e demais entidades com tutela sobre as florestas.

Proteger as áreas florestais do concelho, prevenir novos focos de incêndio, apurar as causas e punir as mãos criminosas tem sido uma preocupação da autarquia valenciana.

Ao longo do ano a Câmara Municipal desenvolve um conjunto de ações nas florestas do concelho, nomeadamente, limpezas de áreas de baldio, abertura de caminhos florestais, construção e manutenção de pontos de água, campanhas de sensibilização junto da comunidade, apoios aos Bombeiros Voluntários de Valença, entre outros. Um amplo trabalho de que se destaca a plantação de mais de 61 mil árvores nos últimos cinco anos. Ações realizadas em estreita parceria com as comissões de baldios, juntas de freguesia, forças policiais, bombeiros, Associação de Produtores Florestais, escolas e comunidade em geral.

A floresta é uma unidade da paisagem natural que constitui um património essencial ao desenvolvimento sustentável do concelho. Valença tem uma área florestal de 6492 Ha, um recurso natural e renovável, que constitui uma mais valia ambiental, social e económico atual do concelho, vital para as futuras gerações que urge proteger, cuidar e potenciar.

 Para Jorge Salgueiro Mendes ”A floresta de Valença é um bem de todos os valencianos! Temos o dever de a proteger, valorizar e punir, com mão pesada, quem por má fé tenta destruir um bem comum que leva décadas e muito dinheiro dos contribuintes para recuperar”.

CAMINHOS FLORESTAIS JÁ ESTÃO PREPARADOS PARA RECEBER O RALLY DE PORTUGAL

Investimento foi superior a 100 mil euros e traz benefícios também ao nível da prevenção

A pouco mais de um mês do regresso a Caminha do Rally de Portugal, após décadas de ausência, a Câmara Municipal interveio já nos caminhos florestais, com um investimento que superou os 100 mil euros. A obra de “Beneficiação de rede Viária Florestal para Rally de Portugal” está praticamente concluída e só a escassos dias da prova se procederá a uma pequena intervenção, garantindo-se assim que nada falhe neste evento, que promete trazer ao concelho milhares de pessoas e dinamizar a economia local.

Caminhos florestais (2)

A obra decorreu ao longo de uma extensão total de 18,20 quilómetros, abrangendo as seguintes freguesias: União de Freguesias Gondar e Orbacém, Dem, União de Freguesias Azevedo e Venade, Argela, Riba de Âncora e União de Freguesias de Cristelo e Moledo.

Esta intervenção, com um preço contratual de 108.992,50 €, permite beneficiar as vias para além da passagem do Rally de Portugal, promovendo a boa acessibilidade aos espaços florestais e reforçando a implementação da rede primária.

Recorde-se que esta será a 49.ª edição do Rally de Portugal, que este ano regressa ao norte do país, e que vai contar com 16 provas especiais de classificação, que serão disputadas durante quatro dias. No dia 22 de maio a prova estará nas estradas de Caminha.

Depois do Governo retirar o tradicional apoio, de um milhão de euros, a realização da prova foi mesmo assim possível graças ao envolvimento das autarquias e do Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Investimento nas vias florestais é prioridade

A manutenção de boas condições na rede florestal concelhia é uma preocupação do Executivo, que antes já tinha investido na beneficiação desta rede mais de 25 mil euros.

Essa obra incluiu 13 caminhos, contemplando as zonas de Arga de São João, Argela, Azevedo, Gondar, Vila Praia de Âncora e Âncora.

No total foram melhoradas as condições da via ao longo de mais de 18 quilómetros, com o intuito de promover as boas acessibilidades aos espaços florestais mais críticos e com maior perigo de incêndio e beneficiar as estruturas de apoio ao combate a incêndios.

Caminhos florestais (1)

MUNICÍPIO DE PÓVOA DE LANHOSO OFERECE SOBREIROS À POPULAÇÃO

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso ofereceu cerca de 80 sobreiros à população, no âmbito das Comemorações do Dia Mundial da Floresta. Esta atividade, que a Câmara Municipal promoveu através do Gabinete Técnico Florestal do Município teve a colaboração do Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos e de cerca de 20 alunas do Clube da Floresta da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso, de professoras e do próprio diretor do Agrupamento de Escolas da Póvoa de Lanhoso, José Ramos.

Oferta de sobreiros a população 1

A população foi surpreendida com a oferta, gratuita. Estas comemorações decorreram junto ao Pingo Doce e junto ao Intermarché, na Vila da Póvoa de Lanhoso, no dia 18 de março.

O sobreiro representa uma das espécies florestais mais representativas do nosso país. Os povoamentos de sobreiros podem ser usados somente para produção de madeira e cortiça, mas igualmente com atividades complementares importantes, como pastagem e pastoreio, cogumelos silvestres, produção de plantas aromáticas e medicinais, fauna silvestre a turismo e recreio.

Está sujeita a legislação que a protege de cortes ou podas, pelo que para serem realizadas estas ações a legislação obriga a um pedido de autorização (Decreto-Lei n.º 169/2001, de 25 de maio, com alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 155/2004, de 30 de junho). A primeira extração de cortiça é realizada pelos 20 a 30 anos do sobreiro e as seguintes com um intervalo mínimo de nove anos. No entanto, apenas a partir da 3.ª extração a cortiça atinge elevada qualidade, sendo a chamada cortiça amadia.

A cortiça tem um leque alargado de usos e utilizações, sendo o mais conhecido a utilização de rolhas que promove o envelhecimento e o desenvolvimento de vinhos e aguardentes de elevada qualidade. No entanto, é utlizado igualmente na indústria automóvel, construção civil, aeroespacial, vestuário e uma infinidade de usos e utilizações que vão sendo descobertas.

Sensibilizar para a importância da floresta, para as espécies autóctones e, em especial, do sobreiro como espécie florestal a preservar, e importante na defesa da floresta contra incêndios, foi o objetivo desta ação.

Para além disto, desde 22 de dezembro de 2011, o Parlamento português aprovou, por unanimidade, o Projeto de Resolução que institui o sobreiro como a Árvore Nacional de Portugal.

BOLSA DE TERRAS AGROFLORESTAIS DE PONTE DE LIMA AUMENTOU A OFERTA

A Bolsa de Terras Agroflorestais, projeto dinamizado pelo Município de Ponte de Lima acaba de ver aumentada a sua oferta com mais dois novos terrenos.

Atualmente são 20, o número total de terrenos disponíveis, abrangendo uma área de aproximadamente 12 hectares.

É através da implementação deste projeto, que o Município de Ponte de Lima procura combater o abandono das terras, promovendo e incentivando o uso de terras abandonadas e estimulando a especialização de atividades agropecuárias como forma de salvaguarda das paisagens rurais.

Os dois novos terrenos localizam-se nas freguesias da Ribeira e em Refoios do Lima.

Com uma área de 11.780m2, a Leira do Ribadal na Ribeira, é um terreno de cultivo, com pouco desnível, bastante soalheiro e rodeado por dois regadios.

Quanto à área disponível em Refoios do Lima, trata-se de um terreno agroflorestal, bastante grande, com 29.800m2, possui bons acessos, próximo da A27, com energia elétrica próxima, ótima exposição solar e simples de limpar.

Todas estas informações estão disponíveis na plataforma de publicitação de terrenos agroflorestais disponíveis para arrendamento ou venda, sendo uma mais-valia para a base de dados que reúne e divulga um conjunto de informações sobre estes prédios rústicos.

Podem aderir à Bolsa de Terras Agroflorestais de Ponte de Lima, de forma gratuita, todos os proprietários que pretendam arrendar ou vender prédios rústicos com aptidão agrícola ou florestal, localizados no concelho de Ponte de Lima. O pedido de adesão é formulado em requerimento próprio, disponível no Portal da Bolsa de Terras, ou através do GAM - Gabinete de Atendimento ao Munícipe.