Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO FAMALICENSE QUER PARTILHA DE COMPETÊNCIAS PARA DINAMIZAR A ECONOMIA

Presidente da Câmara foi um dos oradores de conferência promovida pelo Círculo de Cultura Famalicense

 “Gestão partilhada”, “processos de codecisão”, “coabitação de competências”. De acordo com Paulo Cunha estas seriam expressões-chave no léxico de uma descentralização de competências do poder central para os municípios no domínio da dinamização económica que traria bons resultados.

DSC_3531.jpg

Opinião expressa ontem pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão na conferência “Crescimento económico: vantagens comparativas de Portugal. Uma visão estratégica”, promovida pelo Círculo de Cultura Famalicense, entidade proprietária do Jornal Cidade Hoje e da Rádio Cidade Hoje.

“Muito mais do que as câmaras municipais poderem ter mais competências nessa matéria, devia haver maior proximidade, estreitamento e partilha de competências entre as câmaras municipais e outras instâncias, como o IAPMEI, a AICEP, a ANI e o Ministério da Economia. O processo seria muito mais simples para as empresas”, justificou o edil famalicense. E exemplo dado, já clássico, é o do licenciamento industrial.

O objetivo é ultrapassar a morosidade processual e burocrática que ainda se verifica e que é“absolutamente desnecessária”. Paulo Cunha, contudo, ressalva: “Não quero que as câmaras municipais absorvam os poderes destas entidades. O que eu quero é que se criem estruturas de gestão partilhada, estruturas de coabitação de competências, em que as diferentes entidades fazem parte do mesmo processo de decisão, tal como já muito bem acontece ao nível do PDM e da proteção civil.”

Argumento a favor da implementação desta ideia é a inexistência de aumento de despesa. "Porventura pode significar a quebra de alguns poderes instalados, mas como isso todos nós podemos bem. Oxalá aconteça brevemente.” 

A conferência teve ainda como oradores Ferraz da Costa, Presidente do Fórum para a Competitividade e ex-Presidente da Confederação da Indústria Portuguesa, Teresa Lehman, Professora Catedrática da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, e João Miranda, Diretor Executivo da Frulact. A moderação coube a Mário Rui Silva, docente da Faculdade de Economia da Universidade do Porto.

SESSÕES DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE FAMALICÃO SÃO TRANSMITIDAS ON-LINE EM DIRECTO

Autarquia vai também transmitir online os pontos altos dos principais eventos culturais do concelho

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão disponibiliza, a partir de amanhã, um novo serviço de comunicação à comunidade, com a transmissão online em direto das reuniões ordinárias da Assembleia Municipal, assim como dos principais eventos culturais concelhios.

Assembleia Municipal.jpg

O serviço arranca já nesta sexta-feira à noite, a partir das 21h30, com a transmissão da primeira sessão do ano da Assembleia Municipal, através do portal do município, emwww.vilanovadefamalicao.org.  

Também os grandes eventos culturais do concelho vão passar a contar com transmissão online.

É o caso da noite de Carnaval da próxima segunda-feira, dia 27, com a transmissão em direto, pelas 23h00, da grande festa e do desfile de concurso de mascarados a partir do centro da cidade.

Refira-se ainda que para além das transmissões online, a autarquia famalicense vai também disponibilizar um resumo de todas as emissões realizadas, que serão depois emitidas em diferido no canal (50 90 50) da Fama TV no MEO Kanal.

FAMALICÃO REQUALIFICA RUA DA LIBERDADE

Rua da Liberdade, em Famalicão, com nova imagem e maior segurança

Obras que devem ficar concluídas em meados de agosto implicam investimento de mais de 130 mil euros

DSC_2094.jpg

Já estão a decorrer as obras de beneficiação da Rua da Liberdade, na União das freguesias de Vila Nova de Famalicão e Calendário. A intervenção com um prazo de execução de cerca de seis meses implica um investimento municipal de mais de 130 mil euros.

Com esta intervenção, a autarquia pretende dar uma nova imagem a esta artéria, renovando as infraestruturas de águas pluviais e de saneamento básico. Será ainda renovado o pavimento e os lancis em granito, com a construção de estacionamento e passeios. Haverá também nova sinalização.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal, “esta é uma via muito importante que serve de acesso à cidade e que estava a necessitar de obras de requalificação”. Com esta intervenção que deverá ficar concluída em meados de agosto, “a rua ganha uma nova imagem, para além de proporcionar maior segurança quer aos automobilistas quer aos peões”, afirma ainda o autarca

FAMALICÃO RECEBE ESPECTÁCULO DE BAILADO

Casa das Artes recebe espetáculo solidário “Estrela da Neve”

A Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão recebe este sábado, dia 25 de fevereiro, o espetáculo “Estrela da Neve”, o primeiro bailado produzido no âmbito do projeto “Escola de Ballet Municipal”, promovido nas Piscinas de Oliveira de S. Mateus pela autarquia famalicense e pela Associação Crescer Além da Dança.  

O espetáculo, que terá lugar no grande auditório a partir das 21h30, vai contar com a participação de cerca de 50 crianças e jovens famalicenses.

Os bilhetes têm o custo de 3 euros e a totalidade da receita angariada reverterá a favor do Serviço de Oncologia da Unidade Hospitalar de Famalicão.

ESCRITOR ANTÓNIO MOTA CONVERSA COM OS FAMAALICENSES

Escritor António Mota no próximo “Um Livro, Um Filme”

O escritor português António Mota é o convidado da próxima sessão de “Um Livro, Um Filme”, que decorre no próximo dia 3 de março, sexta-feira, no Centro de Estudos Camilianos, em Seide São Miguel, em Vila Nova de Famalicão.

António_Mota.jpg

Para exibir e comentar, o convidado escolheu o filme “A 25.ª Hora”, um drama de guerra produzido em 1967, pelo realizador Henri Verneuil.

Nascido em Vilarelho, Ovil, concelho de Baião, refira-se que António Mota publicou o seu primeiro livro em 1979, intitulado “A Aldeia das Flores”, e não mais parou de escrever, tendo-se dedicado essencialmente à literatura infantojuvenil. É neste âmbito, aliás, que tem atualmente mais de 80 obras publicadas. Recebeu vários prémios, dos quais se destacam o Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças e Jovens, categoria “Livro Ilustrado” (2004), para “Se eu fosse muito magrinho” (com ilustrações de André Letria).

Recorde-se que a iniciativa “Um Livro, Um Filme” decorre desde 2006 e conta todos os meses com a presença de uma figura da cultura e das artes para apresentar um filme, preferencialmente baseado numa obra literária. A iniciativa é de entrada livre.

LOJA SOCIAL DE FAMALICÃO RECOLHE ALIMENTOS

Este sábado e domingo, dias 25 e 26 de fevereiro, a Loja Social do Município de Vila Nova de Famalicão vai estar no supermercado Pingo Doce, localizado junto às piscinas municipais, para uma recolha de géneros alimentares. 

Loja Social promove campanha de recolha de alimentos nos dias 18 e 19 de... (1).jpg

A iniciativa contará com o apoio dos membros do Banco Local de Voluntariado de Vila Nova de Famalicão.

Refira-se que través desta e de outras ações de solidariedade promovidas em todo o concelho, a Loja Social consegue assim atingir o seu objetivo de apoiar as famílias famalicenses economicamente mais vulneráveis. 

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO FAMALICENSE DEBATE CRESCIMENTO ECONÓMICO

Paulo Cunha em conferência sobre crescimento económico. Esta quarta-feira, pelas 16h00, no pequeno auditório da Casa das Artes de Famalicão

O Círculo de Cultura Famalicense, entidade proprietária do Jornal Cidade Hoje e da Rádio Cidade Hoje, vai dar início ao ciclo de conferências “Economia, Democracia e Cidadania”. A primeira conferência está agendada para esta quarta-feira, 22 de fevereiro, pelas 16h00, no pequeno auditório da Casa das Artes, subordinada ao tema “Crescimento económico: vantagens comparativas de Portugal. Uma visão estratégica”.

Os conferencistas são Paulo Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão; Ferraz da Costa, Presidente do Fórum para a Competitividade e ex-Presidente da Confederação da Indústria Portuguesa; Teresa Lehman, Professora Catedrática da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, e João Miranda, Diretor Executivo da Frulact.

Com entrada gratuita, esta conferência promete resultar numa interessante troca de ideias sobre as potencialidades económicas do país, as vantagens comparativas, mas também os entraves ao desenvolvimento, abordando um tema que está na agenda diária de políticos, empresários, comentadores e até nas preocupações do cidadão comum.

RIBA DE AVE QUER ATRAIR INVESTIDORES

Cerca de 30 arquitetos e estudantes de arquitetura apresentaram ideias para a revitalização da fábrica Sampaio Ferreira

 “Memória Aberta” é título do trabalho que venceu o concurso de ideias “Desafios Urbanos’16” lançado em outubro de 2016, pelo portal Espaço de Arquitetura, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, e com o objetivo de recolher contributos para a revitalização da histórica Fábrica Sampaio Ferreira, de Riba de Ave.

image50719 (1).jpeg

O projeto apresentado pelos arquitetos João Oliveira e Rafael Ramalho sugere “abrir o complexo agora murado à vila de Riba de Ave e à região do Vale do Ave”. Para dinamizar o espaço, os arquitetos propõem várias valências desde um museu, um centro de desenvolvimento da indústria têxtil, centro de documentação e arquivo e um centro empresarial onde se possam desenvolver várias atividades.

Ao todo, cerca de trinta concorrentes participaram no desafio, entre profissionais e estudantes de arquitetura, lançando ideias sobre as possibilidades de revitalizar este património industrial histórico.

Isso mesmo frisou o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, salientando que “todas as ideias são bem vindas e constituem contributos importantes”. O autarca lembrou que se trata de uma “propriedade privada, repleta de memórias e de história”.

O objetivo do concurso de ideias foi repensar de que forma se pode revitalizar um imóvel, de carater industrial, que pela sua história, localização e dimensão merece ser alvo de reflexão envolvendo toda a comunidade.

Os trabalhos estão em exposição na Fábrica Sampaio Ferreira, no Edifício do Canudo até 10 de março.

“Agora entramos numa nova etapa em que queremos atrair os privados a investir aqui, abrindo este contexto de oportunidade e de dinâmica económica”, acrescentou Paulo Cunha.

A Câmara Municipal prevê avançar em breve com algumas obras de reabilitação da vila, no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), procurando assim “somar ao investimento público o investimento privado”.

De acordo com o autarca, a própria autarquia poderá vir a adquirir uma parcela deste património industrial, no entanto, alerta que “a Câmara não pode ser o único motor para a revitalização do edificado”, porém não pode ficar totalmente de fora deste processo.

Refira-se que a fábrica Sampaio Ferreira em Riba de Ave foi uma das primeiras unidades fabris do Vale do Ave construída pelo empresário Narciso Ferreira e implantada numa área de cerca de 35 mil metros quadrados

FAMALICÃO INAUGURA NOVO EMPREENDIMENTO TURÍSTICO

Novo empreendimento turístico, em Vermoim, com quatro quartos e piscina exterior, abraça cultura e história. Requinte informal na Casa da Estalagem

O que outrora foi uma típica casa rural, com a corte dos animais e as alfaias agrícolas no piso inferior, para aquecer quem morava no piso de cima da habitação, é hoje um moderno e requintado empreendimento turístico de alojamento local. A Casa da Estalagem, em Vermoim, Vila Nova de Famalicão, hoje inaugurada pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, é também peculiar. Pela localização geográfica, no coração do Vale do Ave, onde a indústria têxtil fervilha, e pela identidade com a história.

AFS_1765.jpg

Para lá chegar basta repetir o trajeto feito pelos vikings, em 1016, quando atacaram o Castelo de Vermoim, localizado ali mesmo, na encosta do Monte Caruito. Esta forma de dar a direção do novo projeto hoteleiro é contada pelos proprietários, o casal António e Agostinha Macedo, que assim aliam a história ao turismo.

Num ambiente sofisticado, a Casa da Estalagem dispõe de quatro quartos temáticos, decorados em estilo contemporâneo e evocativos de Artur Cupertino de Miranda, Narciso Ferreira, Bernardino Machado e Camilo Castelo Branco, todas personalidades famalicenses, cozinha equipada e outras áreas comuns para lazer e trabalho, para além de piscina exterior. Todos os quartos têm grandes janelas, por onde entra muito sol. As tarifas variam entre os 90 e os 110 euros.

“Pode dizer-se que esta é uma boa alternativa de alojamento para aproveitar o sossego fora da urbe, num ambiente confortável, mas simples e descomplicado, para quem está em trabalho ou lazer, sozinho ou em família”, descreveu António Macedo, sublinhando que a reabilitação conservou as qualidades arquitetónicas do edifício, como as paredes, os tetos altos de trave de madeira e o fogão a lenha.

Paulo Cunha, por seu lado, salientou o reforço da oferta hoteleira no concelho que este novo empreendimento traduz, lembrando que nos últimos três anos abriram quatro novas unidades hoteleiras – o Villa’s House, o Villa Prime Hotel, o Hi!Go e, agora, a Casa da Estalagem, que, juntas, contabilizam cerca de vinte quartos. “Sinal de confiança no território e da crescente afirmação do concelho famalicense no plano regional e nacional, sobretudo no domínio económico”, disse, argumentando: “Estes investimentos são feitos a partir de uma matriz de contexto de oportunidade e de avaliação de uma área económica onde existe mercado. E, portanto, estou certo que os investidores que criaram estes vinte quartos veem no concelho de Famalicão um potencial de dinamismo económico que se tem traduzido no crescimento da capacidade exportadora.”

O autarca enalteceu ainda a “vocação empreendedora” de António Macedo. “É um empresário daqueles que gostamos de ter connosco, arrojado e que acredita no território. Obrigado pelo seu empenho e dedicação.” 

AFS_1860.jpg

FAMALICÃO: CRUZ VERMELHA DE RIBEIRÃO TEM NOVAS AMBULÂNCIAS

Cruz Vermelha de Ribeirão com duas novas ambulâncias

A delegação da Cruz Vermelha de Ribeirão, em Vila Nova de Famalicão, tem agora mais meios à sua disposição.

Cruz Vermelha de Ribeirão.jpg

O núcleo famalicense, que dá resposta às freguesias de Ribeirão, Fradelos e Lousado e que diariamente presta apoio a cerca de 100 utentes, adquiriu recentemente duas novas viaturas de transporte de doentes, reunindo assim mais condições para prestar um melhor serviço à comunidade local.  

O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, participou no passado sábado, dia 18, na cerimónia de bênção das novas ambulâncias, e enalteceu o apoio “imprescindível” prestado pela Cruz Vermelha de Ribeirão. O momento contou ainda com a presença do presidente do núcleo, José Fonseca, e do presidente da Junta de Freguesia, Adelino Oliveira.

Refira-se que a Cruz Vermelha de Ribeirão celebra em 2017 o seu 19.º aniversário. Por parte da autarquia, e ao abrigo do programa municipal de apoio às forças de socorro concelhias, a estrutura recebe um subsídio mensal de 3500 euros

FAMALICÃO: ESCUTEIROS DE LEMENHE INAUGURAM NOVA SEDE

"Se tiveres o hábito de fazer as coisas com alegria raramente encontrarás situações difíceis". Foi sob o lema de Baden Powell que o agrupamento de escuteiros de Lemenhe inaugurou, sábado, a sua nova sede na Casa Paroquial da freguesia.

Escuteiros de Lemenhe inauguraram nova sede (1).jpg

O momento de grande significado para a freguesia contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha que elogiou a força de vontade e o empenho de toda a comunidade na união de esforços que levou à concretização da nova sede dos escuteiros.

“A comunidade percebeu que havia uma necessidade e que havia uma disponibilidade e, com o apoio de todos e o envolvimento da Junta de Freguesia, constatou-se que a disponibilidade tinha as condições ótimas para satisfazer essa necessidade” afirmou Paulo Cunha.

De acordo com o autarca, “quem ganhou foi toda a comunidade de Lemenhe”. Pois “ao dar boas condições ao escutismo, está-se a dar condições para a formação da comunidade, através dos jovens” reforçou Paulo Cunha.

Para além do presidente da Câmara Municipal, a sessão contou ainda com as presenças do presidente da Junta da União das freguesias de Lemenhe, Mouquim e Jesufrei, Carlos Alberto Fernandes, do pároco e de vários representantes do escutismo.

Dinis Faria, chefe do agrupamento, mostrou-se muito orgulhoso com a obra criada e falou mesmo no culminar de um sonho do agrupamento 311.

Por sua vez, Carlos Alberto Fernandes elogiou a sede magnífica em que os escuteiros transformaram a antiga casa paroquial e elogiou o trabalho que o Agrupamento tem desenvolvido.

Escuteiros de Lemenhe inauguraram nova sede (2).jpg

EURODEPUTADO JOSÉ MANUEL FERNANDES APROXIMA O MINHO DA EUROPA

Eurodeputado José Manuel Fernandes apresentou em Famalicão a edição Minho de 2017 da obra “Pela Nossa Terra”

Foi “Pela Nossa Terra” que o eurodeputado minhoto José Manuel Fernandes criou a agenda anual que aproxima o Minho da Europa e a Europa do Minho. A edição 2017 da publicação foi lançada na passada sexta-feira, 18 de fevereiro, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, com apresentações do eurodeputado Francisco Assis e do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

DSC_2258.jpg

À cerimónia associaram-se perto de duas centenas de pessoas, onde se destacavam vários autarcas minhotos, alguns deputados à Assembleia da República e diversas personalidades de diferentes quadrantes políticos da região.

“Trata-se de uma iniciativa singular, que dá um enorme contributo para o reforço do sentimento de pertença dos cidadãos ao Minho, ao país e à Europa, potenciando o exercício de uma cidadania plena e esclarecida”, disse o autarca famalicense. “Este livro presta um bom serviço à Europa” disse, por sua vez, Francisco Assis realçando a importância do projeto europeu que, considerou, “cada vez mais importante no mundo de incertezas em que nos encontramos”.

Francisco Assis, aproveitou a oportunidade aberta pela apresentação do livro para reafirmar a sua posição de “europeísta convicto”. E fundamentou: “no continente onde tiveram origem os maiores conflitos armados da humanidade, a União Europeia assegurou paz com democracia, paz com desenvolvimento, paz com segurança”.

Por isso, Francisco Assis não tem dúvidas de que “na Europa vamos ter necessidade de voltar a falar uns com os outros e de promover entendimentos".

O Livro “Pela Nossa Terra – Minho 2017” tem como temas centrais os novos desafios da União Europeia e o Plano Juncker, a par de um olhar sobre a realidade atual da região minhota.  Ao longo das 288 páginas do livro, José Manuel Fernandes disponibiliza informação, suscita o interesse e provoca a reflexão sobre matérias relevantes para a atualidade da União Europeia (EU) e da região. Entre os temas europeus focados estão o Brexit, o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE) – o chamado Plano Juncker – e a realidade orçamental da UE.

Numa altura em que, como refere o autor, “atingimos o ‘pico’ do movimento global nacionalista” e em que “o mundo está cada vez mais imprevisível e perigoso”, José Manuel Fernandes avisa que “este é o momento da UE unir-se”. Relator do Parlamento Europeu para o reforço do FEIE, o eurodeputado aponta o Plano Juncker como “um exemplo objetivo da capacidade da União Europeia em encontrar respostas e mecanismos comuns para superar as dificuldades”. E destaca a “oportunidade” que este fundo “representa para Portugal e para a região do Minho”, onde tem “incentivado a união de vontades e a parceria de projetos e candidaturas”.

Esta publicação, de edição anual e lançada pela primeira vez em 2011, fornece informações sobre todos os concelhos do Minho. A edição deste ano evidencia números do INE sobre o envelhecimento da população e a diminuição demográfica, “dois grandes desafios que a Europa e Portugal enfrentam e aos quais a Estratégia Europa 2020 procura também dar resposta”, sublinha o eurodeputado.

Na publicação são igualmente partilhadas informações de agenda e respetiva calendarização, onde se incluem as festas e romarias da região, as comemorações dos dias internacionais e citações de diferentes autores, juntamente com definições do Dicionário de Termos Europeus – uma obra em permanente atualização e que é coordenada pelo também eurodeputado social democrata Carlos Coelho.

DSC_2442.jpg

A VIDA SÃO DOIS DIAS E EM FAMALICÃO O CARNAVAL SÃO CINCO

Folia começa na sexta-feira com Desfile Infantil e prolonga-se até terça-feira

Diz o provérbio popular que “esta vida são dois dias e o Carnaval são três”. No entanto, em Vila Nova de Famalicão, onde se vive o carnaval na forma mais genuína e popular, a folia começa já nesta sexta-feira, 24 de fevereiro, e prolonga-se até à terça-feira. A noite de 27 para 28 é o ponto alto da festa, com milhares de pessoas mascaradas nas ruas da cidade.

image46727.jpeg

Entretanto, são os mais novos que dão o tiro de partida para a folia. Esta sexta-feira, a partir das 14h30, cerca de 3.500 crianças de todo o concelho desfilam pelas ruas ao ritmo dos seus sonhos. Super-heróis, ninjas, fadas e princesas invadem a cidade levando a alegria e a fantasia ao coração dos milhares de pessoas que assistem a este verdadeiro espetáculo, acotovelando-se nos passeios e nas margens das ruas. O desfile infantil sai da rua Adriano Pinto Basto (junto à Artave) e termina no Parque da Juventude.

Da parte da manhã, pelas 10h00, realiza-se o desfile infantil na vila de Riba de Ave.

No sábado, dia 25, há baile de Carnaval em Pedome. É a partir das 21h00, no Salão Paroquial. No domingo, regressam os desfiles de rua, um pouco por todo o concelho. Arnoso Santa Eulália, Riba de Ave e Ribeirão vivem a alegria carnavalesca a partir das 14h30.

Aqui ninguém fica fora do carnaval. A única questão é saber quem se diverte mais, serão os mais novos ou os seniores que fazem a festa na segunda-feira, a partir das 14h00, no Pavilhão Municipal, com desfile, concurso, coreografias, DJ a animar e baile? A questão não fica sem resposta, tendo em conta que à noite todos se encontram naquela que é a Noite de Carnaval mais divertida do país.

À festa espontânea e genuína dos foliões, a autarquia dá uma ajuda. A animação começa bem cedo com o centro da cidade a ser percorrido por trupes e figuras que apelam a um imaginário do fantástico e surreal, dando asas à criatividade e contagiando os foliões com a sua animação. Pelas 21h30 começa o espetáculo musical a cargo da Orquestra Pentágono. No intervalo realiza-se o desfile Concurso de Mascarados, pelas 23h00. Mas a festa acontece nas ruas e dura toda a noite.

Na terça-feira, ainda há forças para os foliões desfilarem em Landim, a partir das 15h00 e em Fradelos, a partir das 14h30.

O Carnaval só termina com a “Queima dos Galheiros”, pelas 22h00, em Fradelos, uma iniciativa que atrai cada vez mais gente.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “é uma grande satisfação ver todo o concelho imbuído do espírito carnavalesco”. E acrescenta: “Nós famalicenses somos um povo alegre e criativo e isso está bem presente na forma como vivemos o Carnaval”.

image46736.jpeg

FAMALICÃO: PAULO CUNHA E JERÓNIMO DE SOUSA PRESTAM HOMENAGEM A LINO LIMA

Programa de Comemorações abre amanhã, terça-feira, dia 21, a partir das 15h00, nos Paços do Concelho de Famalicão

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, participam na abertura das comemorações do centenário do nascimento de Lino Lima – distinto advogado famalicense e destacado membro da Oposição Democrática à ditadura do Estado Novo – que se vai realizar amanhã, terça-feira, dia 21 de fevereiro, pelas 15h00, nos Paços do Concelho. A iniciativa organizada pelo município famalicense em associação com a Direção da Organização Regional de Braga do PCP conta com a presença do Secretário Geral do PCP, Jerónimo de Sousa.

Lino Lima.jpg

A homenagem inicia com a inauguração da Praceta Lino Lima, situada entre a Rua Conselheiro Santos Viegas e a Rua Manuel Pinto de Sousa, junto aos Paços do Concelho. Segue-se a abertura da exposição “Lino Lima – Uma Vida pela Liberdade”, no átrio dos Paços do Concelho e uma sessão solene, onde intervirá Jerónimo de Sousa.

Refira-se que o programa evocativo vai prolongar-se ao longo de 2017 contando ainda com a realização de um colóquio sobre a plurifacetada personalidade de Lino Lima: o cidadão, o advogado, o oposicionista à ditadura, o deputado, e a edição de uma brochura com depoimentos/testemunhos de familiares e amigos.

Nascido no Porto, Lino Lima veio com os pais, ainda criança, para Vila Nova de Famalicão, onde cresceu, viveu e trabalhou. Veio a  tornar-se um dos advogados mais importantes do seu tempo, quer na comarca, quer na defesa dos presos políticos nos Tribunais Plenários. Apesar disso, teve uma intensa atividade política, inicialmente na clandestinidade e, no final da grande guerra na “luta legal”, ligando-se aos movimentos políticos criados ou apoiados pelo PCP, como o MUNAF e o MUD, a cujas comissões nacionais pertence.

Esteve com as candidaturas presidenciais de Ruy Luís Gomes e Humberto Delgado, participando ativamente nas eleições legislativas para a Assembleia Nacional de 1957 e 1969, assim como nos Congressos Republicanos de 1957 e 1969, e no Congresso da Oposição Democrática de 1973, onde tem um papel destacado, integrando as respetivas Comissões Nacionais e Executivas e ao fazer intervenções políticas.

Tornou-se Líder da Oposição Democrática do Distrito de Braga, que nos anos 60 ousou autodenominar-se “Os Democratas de Braga”, granjeando notoriedade nacional ao lado de Victor Sá, Santos Simões, Humberto Soeiro e Eduardo Ribeiro. “Em toda a atividade política de combate à ditadura, ao longo de mais de três dezenas de anos, Lino Lima evidenciou uma nobreza de caráter, de coragem e de combatividade, que fizeram dele um adversário político temível, que nunca cedeu e o tornaram um símbolo da liberdade. Viveu o dia da revolução de 1974 com enorme alegria, deixando cair no rosto as lágrimas que sempre conteve perante a PIDE”, refere o historiador Artur Sá da Costa que vai coordenar o programa das comemorações.

A câmara municipal de Vila Nova de Famalicão atribuiu a Lino Lima, em 1996, a medalha de honra do município, e no mesmo ano o Presidente da República, Jorge Sampaio condecorou-o com a Grã Cruz do Infante. Em 9 de Janeiro de 1999, a Assembleia da República aprovou por unanimidade um voto de pesar pela sua morte. Idêntica atitude tomou em 26 de Fevereiro de 1999 a Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão.

“A ocorrência em 2017 do centenário de nascimento de Lino Lima é uma oportunidade que não podemos desperdiçar para homenagear esta personalidade famalicense, e desta forma, lembrar e conhecer as suas múltiplas facetas, que tem um traço comum: o amante da liberdade, pelo qual lutou toda a vida, correndo riscos, sem olhar a sacrifícios, pondo o interesse público acima da vida e da família”, refere o presidente da autarquia, Paulo Cunha.

Em 1996, Jorge Sampaio condecorou-o com a Grã Cruz do Infante.jpg

ESTÃO ABERTAS AS CANDIDATURAS PARA PRÉMIO DE HISTÓRIA ALBERTO SAMPAIO

Prazo decorre até 31 de Maio

Estão abertas as candidaturas para o Prémio de História Alberto Sampaio, que se destina a galardoar um estudo de investigação científica, no âmbito da história económica e social portuguesa, ou no âmbito de outros domínios historiográficos associados ao legado de Alberto Sampaio. Esta é uma iniciativa instituída na Academia das Ciências de Lisboa, pelos Municípios de Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão e pela Sociedade Martins Sarmento, cujo prazo de entrega dos estudos a concurso decorre até 31 de Maio.

Prémio de História Alberto Sampaio.jpg

O prémio, no valor de seis mil euros, é atribuído anualmente por um júri nomeado pela Academia das Ciências de Lisboa. Na edição de 2017 fazem parte do júri o professor José Luís Cardoso (Academia das Ciências de Lisboa), o professor Jorge Alves (Universidade do Porto) e o professor Jaime Reis (Universidade de Lisboa).

O regulamento do Prémio de História Alberto Sampaio, está disponível no site da Academia das Ciências de Lisboa, da Sociedade Martins Sarmento e dos Municípios de Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão, onde podem ser consultadas as condições detalhadas de participação. O regulamento pode ser consultado no seguinte link: https://goo.gl/FnQ26f

A entrega do Prémio de História Alberto Sampaio 2017 terá lugar numa sessão pública, organizada pelo Arquivo Municipal de Alberto Sampaio, em Vila Nova de Famalicão, no dia 1 de Dezembro de 2017.

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE FAMALICÃO ANUNCIA VENCEDORES DE CONCURSO

Trinta ideias para revitalizar e repensar património industrial de Riba de Ave

Cerca de trinta concorrentes participaram no concurso de ideias Desafios Urbanos’16, lançado em outubro de 2016, pelo portal Espaço de Arquitetura, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, com o objetivo de recolher ideias e contributos para a revitalização da histórica Fábrica Sampaio Ferreira, implantada em Riba de Ave.

Na próxima segunda-feira, dia 20, pelas 17h00, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, vai divulgar os vencedores do concurso e abrir a exposição com todos os trabalhos participantes.

A mostra vai ficar patente na Fábrica Sampaio Ferreira, no Edifício do Canudo até 10 de março.

Ainda antes, pelas 15h00, decorre uma conferência, dedicada ao território do Vale do Ave com a partilha de boas práticas relacionadas com a valorização e gestão do património industrial, com as presenças do professor Álvaro Domingues e a arquiteta Graça Correia. Álvaro Domingues é doutorado em Geografia Humana pela Faculdade de Letras, Universidade do Porto, docente do mestrado integrado e do curso de doutoramento e investigador do Centro de Estudos de Arquitetura e Urbanismo da FAUP. Por sua vez Graça Correia é doutorada em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Catalunha, professora auxiliar convidada na FAUP e integra a Direção do novo Curso de Arquitetura da Universidade Lusófona do Porto.

O objetivo do concurso era repensar de que forma se pode revitalizar um imóvel, de carater industrial, que pela sua história, localização e dimensão merece ser alvo de reflexão. Refira-se que a fábrica Sampaio Ferreira em Riba de Ave foi uma das primeiras unidades fabris do Vale do Ave construída pelo empresário Narciso Ferreira e implantada numa área de cerca de 35 mil metros quadrados.

FAMALICÃO MELHORA MOBILIDADE

Paulo Cunha visitou obras de requalificação do CM 1527. Delães, Oliveira S. Mateus e Oliveira Santa Maria com melhor mobilidade

São mais de dois quilómetros de obras que vão beneficiar as freguesias de Delães, Oliveira S. Mateus e Oliveira Santa Maria, no concelho de Vila Nova de Famalicão, num investimento total superior a 700 mil euros. O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, o presidente da Junta de freguesia de Delães, Manuel Silva e representantes das freguesias de Oliveira S. Mateus e Oliveira Santa Maria visitaram, esta quinta-feira, as obras que deverão ficar concluídas durante o Verão.

famalic1.jpg

“O Caminho Municipal 1527 é uma ligação muito relevante no que diz respeito às acessibilidades no concelho, servindo diariamente milhares de pessoas e tornando-se por isso uma prioridade”, referiu Paulo Cunha.

De facto, este caminho municipal é uma via de ligação importante fazendo ponte entre várias artérias tais como EM543 (que liga Vila Nova de Famalicão a Oliveira S. Mateus), EM 574 (que liga Riba de Ave ao concelho de Guimarães), EN310 (via reclassificada para municipal que liga ao concelho de Santo Tirso), EN 204/5 (via também reclassificada que liga à EN 204 em Avidos e termina na EN 310 em Delães), por fim, ainda interliga a EM 510/1 (facilitando o acesso a Guimarães ou Vila Nova de Famalicão por Joane).

“É uma via importante que merecia estas obras de requalificação”, referiu o presidente da Junta de Delães, Manuel Silva salientando que “são muitas as pessoas que todos os dias atravessam esta estrada”. Por isso, “esta é uma obra fundamental que vai melhorar a qualidade de vida destas gentes e das freguesias”.

A intervenção visa melhorar as condições de segurança e ao mesmo tempo exponenciar a mobilidade pedonal.

Assim, prevê-se a ampliação da via, onde for possível, com a construção de passeios, estacionamento, rede de drenagem de água pluviais, pavimentação e ainda a criação de uma zona lúdica arborizada com espelho de água, mesas e cadeira em granito.

Refira-se que a beneficiação desta via faz parte de um conjunto de obras da rede viária que a Câmara Municipal está a lançar para o terreno. Ao todo são seis intervenções que implicam um investimento municipal superior a 2,1 milhões de euros.

famalic2.jpg

OFERTA HOTELEIRA CRESCE EM FAMALICÃO

Presidente da Câmara inaugura Casa da Estalagem, segunda-feira, 20 de fevereiro, pelas 10h30, na Rua do Olival, n.17, em Vermoim (junto à Escola Primária)

É na encosta do monte Caruito, que fez o Castelo de Vermoim cabeça de terra reconhecida, “merecer” ser atacado pelos vikings, durante uma incursão à região Entre-Douro-e-Minho, em 1016, que a partir da próxima segunda-feira, 20 de fevereiro, é possível desfrutar de uma estadia com as melhores comodidades e com o sereno enquadramento do verde Minho.

PC__8042.jpg

A Casa da Estalagem é um novo empreendimento hoteleiro de alojamento local que nasceu darecuperação de uma antiga casa rural de Vermoim e que vai ser inaugurada na próxima segunda-feira, 20 de fevereiro, pelas 10h30, durante uma visita do Presidente da Câmara, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, na Rua do Olival, (junto  à Escola Primária da freguesia).

O empreendimento, iniciativa do empresário António Macedo, disponibiliza 4 suites, associadas a outras tantas figuras ilustres famalicenses – Artur Cupertino de Miranda, Narciso Ferreira, Bernardino Machado e Camilo Castelo Branco -,  e um conjunto de áreas comuns de grande conforto, vocacionadas para o lazer, para o trabalho e para o repouso.

Para além da envolvente histórica com o Castelo de Vermoim e com o Castro das Eiras, realce para a proximidade para com uma zona de grande concentração de empresas, nomeadamente do setor têxtil. É por isso também para o universo empresarial que o projeto nasceu, tendo como alvo os quadros profissionais médios e superiores de visita à região.

Recorde-se que a oferta hoteleira tem vindo a crescer de forma significativa em Vila Nova de Famalicão, tendo aberto nos últimos três anos quatro novos empreendimentos – o Villa’s House, o Villa Prime Hotel, o Hi!Go e, agora, a Casa da Estalagem.

PC__7999.jpg

FOLIA DO CARNAVAL EM FAMALICÃO TEM VIA VERDE

Autarquia garante transporte rodoviário gratuito e viagens de comboio a dois euros

O Carnaval está à porta e em Vila Nova de Famalicão já não se pensa noutra coisa. Aqui o Carnaval celebra-se na véspera, na noite de segunda para terça-feira, com milhares de pessoas nas ruas, numa enorme festa coletiva onde todos participam. É seguramente uma das mais longas noites do ano em Vila Nova de Famalicão e para que ninguém falte à festa e todos viajem em segurança, a autarquia volta a reforçar a sua aposta num plano de mobilidade com autocarros gratuitos a partir de diversos pontos do concelho. Além disso, através de uma parceria com a CP – Comboios de Portugal, é possível viajar, por exemplo, desde Aveiro até Famalicão por apenas 2 euros, ida e volta.

image46817.jpeg

“São cada vez mais as pessoas que nos procuram, oriundas dos mais diversos pontos do país e também da Galiza, para viverem esta noite carnavalesca”, afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Assim, para facilitar o acesso dos foliões à festa e para que tudo decorra em segurança, a autarquia está a preparar nove circuitos de transporte rodoviário gratuito, para a noite de 27 para 28 de fevereiro, mais dois do que no ano passado. Os autocarros saem das freguesias de Joane, Pedome, Riba de Ave, Bairro, Ribeirão, Fradelos, Gondifelos, Arnoso Santa Eulália e Portela, pelas 21h00 e pelas 21h45 e 22h30 em direção à cidade, com paragem em frente à Escola D. Sancho I. Os autocarros regressam às freguesias pelas 2h00, pelas 4h00 e pelas 6h00.

No que diz respeito, às viagens de comboio, os foliões podem adquirir o Bilhete Especial Carnaval por 2€, ida e volta, válido nos comboios urbanos do Porto, incidindo sobre 82 estações, situadas ao longo de quatro linhas ferroviárias num radial de 60 km à volta do Porto, incluindo a Linha de Aveiro; Linha de Braga; Linha de Caíde/Marco de Canaveses e Linha de Guimarães. Válido para os dias 26 e 28 de fevereiro e para a noite de Carnaval, a 27 fevereiro (compra antecipada até ao dia 26 de fevereiro)

O Carnaval de Famalicão é uma das grandes apostas culturais do município, atraindo todos os anos vários milhares de pessoas à cidade. É apontado como um Carnaval genuíno, espontâneo e verdadeiramente surpreendente.

Por isso, esta é “uma excelente oportunidade para os foliões vivenciarem a experiência do Carnaval de Famalicão, mas também para ficarem a conhecer melhor o nosso concelho, as nossas gentes, a nossa cultura e a nossa identidade”, afirmou Paulo Cunha, que considera o carnaval como “uma aposta de marketing territorial”.

Tendo como palco principal a zona envolvente ao Parque da Juventude, nomeadamente as ruas Luís Barroso, Luís de Camões, Praça 9 de Abril, Avenida de França e Rua D. Fernando I, a festa estende-se por toda a cidade.

Para além da noite de Carnaval, a Câmara Municipal aposta este ano também numa descentralização da animação carnavalesca em várias freguesias do concelho.

image46799 (1).jpeg

FAMALICÃO JÁ TEM POSTO DOS CTT A FUNCIONAR EM ESMERIZ E CABEÇUDOS

Paulo Cunha visitou este novo serviço de proximidade, nesta terça-feira, na Casa de Esmeriz

A população das freguesias de Esmeriz, Cabeçudos e localidades vizinhas já têm ao seu dispor um novo e moderno posto dos CTT, que disponibiliza todos os serviços de uma loja própria dos correios, evitando assim a deslocação das pessoas à cidade de Vila Nova de Famalicão.

image50575.jpeg

O espaço que está a funcionar desde meados de janeiro, na Casa de Esmeriz, que acolhe também a junta de freguesia, recebeu, esta terça-feira, a visita do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e do representante dos CTT, Pedro Neves. A recebê-los estava o presidente da União das Freguesias de Esmeriz e Cabeçudos, Armindo Mourão, que considerou “o espaço de grande utilidade para a população”. “Percebemos que tínhamos aqui um espaço com qualidade e com todas as condições para servir a população, nesse sentido tomamos a iniciativa de desafiar os CTT a instalarem-se cá, criando assim, um serviço público de proximidade”, explicou o autarca.

O balcão com duas funcionárias funciona de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 12h00 e das 14h30 às 18h00. 

“Depois de recebermos o desafio da Junta de Freguesia, de conhecermos o espaço e as pessoas percebemos que podíamos ter aqui uma parceria duradoura, porque tínhamos interesses comuns”, afirmou, por sua vez, o representante dos CTT, Pedro Neves, acrescentando que “por um lado os CTT têm a consciência de que querer servir melhor as populações aqui em Famalicão – e Esmeriz corresponde a essa necessidade – e por outro lado percebemos que também da junta de freguesia existe esta visão muito virada para servir as pessoas e foi a conciliação destas duas visões que, no fundo são a mesma, que permitiram que esta parceria se estabelecesse”.

Paulo Cunha mostrou-se também muito satisfeito com a abertura deste novo espaço em Esmeriz. Segundo o autarca “os serviços de proximidade são sempre importantes e termos serviços públicos perto das pessoas significa que as pessoas têm de se deslocar menos para ter acesso aos mesmos”, referiu.

Elogiando o trabalho desenvolvido pelos presidentes de junta do concelho neste âmbito, Paulo Cunha sublinhou também “a disponibilidade dos CTT para alargar uma rede de balcões em todo o concelho e não obrigar as pessoas a deslocarem-se para os postos que já existem”.

“É mais um sinal que quando unimos esforços pode-se proporcionar melhores serviços às populações. Quem fica a ganhar são as pessoas, neste caso, não só de Esmeriz mas também das redondezas”, destacou.

image50578.jpeg

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO ENTREGA NOVOS CAPACETES DE PROTECÇÃO INDIVIDUAL

Bombeiros de Riba de Ave gratos

“O Senhor Presidente da Câmara merece a nossa gratidão e o nosso reconhecimento porque a nossa associação humanitária muito lhe deve. Muito obrigada por tudo o que tem feito por nós.” Palavras de Maria José Gonçalves, Presidente da Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Riba de Ave, proferidas ontem, 14 de fevereiro, no átrio dos Paços do Concelho, perante o edil famalicense, no ato da entrega simbólica de novo equipamento de proteção individual à instituição. São vinte novos capacetes para incêndios florestais que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão cedeu à corporação ribadavense, num investimento de 2.500 euros, mediante a celebração de um protocolo de cooperação financeira.

DSC_2006.jpg

A responsável sublinhou ainda que “o apoio da Câmara Municipal tem sido essencial para que a associação humanitária realize um trabalho de excelência, salvaguardando a segurança dos seus bombeiros e cumprindo a sua missão de proteger as populações”.

Às palavras de elogio de Maria José Gonçalves, Paulo Cunha respondeu com um agradecimento recíproco. “Fico sensibilizado por essas palavras. Mas nós é que temos de agradecer ao corpo de Riba de Ave a dedicação e o trabalho absolutamente fundamental no socorro às populações. Temos de ser justos com os homens e as mulheres que se dedicam às causas humanitárias”, assinalou, enaltecendo ainda “a enorme competência e empenho nas suas funções” da direção e do comando dos Bombeiros de Riba de Ave.

Recorde-se que o Município de Vila Nova de Famalicão foi recentemente distinguido com a Menção Honrosa do Prémio Bombeiro de Mérito, atribuída pela Liga dos Bombeiros Portugueses, pela estreita relação que mantém com as suas três corporações de bombeiros. A autarquia famalicense atribui a cada corpo de bombeiros um subsídio anual na ordem dos 120 mil euros.

DSC_2050.jpg

TÉNIS VAI CRESCER EM FAMALICÃO

Construção de equipamento vai permitir ampliar a formação do Ténis Clube de Famalicão e a realização de competições nacionais e internacionais

Está em construção o novo Complexo de Ténis de Famalicão. A obra está no terreno desde o início desta semana e deverá estar concluída até finais de junho deste ano, altura em que Vila Nova de Famalicão vai ganhar uma nova infraestrutura desportiva com quatro novos campos de ténis de piso rápido.

Nova infraestrutura desportiva vai  beneficiar a formação de jovens atle....jpg

A obra, que é responsabilidade do Ténis Clube de Famalicão e vai permitir ao clube melhorar as condições da formação da modalidade e acolher futuras competições nacionais e internacionais.

O Município está diretamente envolvido na intervenção, através de um apoio financeiro para esta primeira fase de 240 mil euros, a que se junta a elaboração do projeto e a cedência do espaço, por cinco anos renováveis.

Para o  presidente do Ténis Clube de Famalicão, Miguel Araújo, a obra representa “o concretizar de um antigo anseio” dando condições para o crescimento do clube e da prática da modalidade no concelho.

Fundado em 1997, o Ténis Clube de Famalicão (TCF) é uma associação desportiva que se dedica, exclusivamente, ao desenvolvimento da modalidade de Ténis, reunindo cerca de uma centena de atletas de formação, sendo a maioria federados e com participação regular em competições da modalidade, distribuídos pelos escalões Sub-18; Sub-16; Sub-14;Sub-12; Sub-10.

O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, fala numa intervenção “importante para a democratização desportiva no concelho, porque aumenta a diversidade de equipamentos desportivos disponíveis em Famalicão, sobretudo na área da formação e da ocupação dos tempos livres dos mais novos”.

DEZ ESCOLAS DE FAMALICÃO ESTÃO NA CORRIDA PELO MELHOR “HINO DA FRUTA”

Iniciativa insere-se no projeto Heróis da Fruta

Já está a decorrer a competição mais saudável do ano! Em Vila Nova de Famalicão, cerca de 850 alunos de dez escolas do concelho estão na corrida pelo melhor “Hino da Fruta”.

Herois da Fruta da ACB.jpg

A divertida e pedagógica iniciativa insere-se no âmbito da 6ª edição do projeto “Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável”, promovido pela Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI). As crianças participantes criaram canções originais, com mensagens sobre a alimentação saudável. Agora cabe aos adultos votarem no seu hino favorito. A votação decorre até às 23h59 do dia 10 de março em http://www.apcoi.pt/heroisdafruta6/web/hinodafruta/.

Cada voto em qualquer hino da fruta reverte como donativo para a ‘Missão 1 Quilo de Ajuda’ um fundo social que permite à APCOI distribuir gratuitamente cabazes semanais nas escolas para apoiar a inclusão de fruta no lanche escolar dos alunos mais carenciados do país. Além disso, quem vota fica habilitado a ganhar prémios. São mais de mil experiências à escolha para parques aquáticos, zoológicos, museus, aquários, centros de ciência viva e parques de diversões, havendo ainda uma viagem de sonho aos Açores.

Segundo a APCOI serão apurados 80 hinos finalistas, assim como os três mais votados e os mais partilhados de cada distrito e região autónoma.

Refira-se que o “Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável” é o maior programa gratuito de educação para a saúde de âmbito nacional, com uma das maiores taxas de sucesso de sempre em re-educação alimentar infantil em Portugal.

Treze escolas do concelho famalicense aderiram, este ano, ao projeto reforçando o trabalho da autarquia no âmbito da alimentação saudável, junto das crianças dos jardins-de-infância e 1º ciclo do concelho destacando a importância do consumo de fruta e de lanches saudáveis, tornando-se “Autarquia Parceira” da 6ª edição do projeto “Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável”.

No início do ano letivo, a autarquia lançou o desafio a todas as escolas do município, para se inscreverem gratuitamente e implementarem este programa educativo durante o no ano letivo.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “a adesão das escolas a este projeto é de grande importância pois reforça a educação das novas gerações por uma alimentação e por uma vida mais saudável.”

De resto, o consumo de fruta nas escolas é uma das preocupações da autarquia que, distribui fruta (maças, peras e bananas) a todas as crianças que frequentam o ensino pré-escolar e do 1.º ciclo do concelho, num investimento que chega muito perto dos 60 mil euros por ano.

O projeto “Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável” constitui um programa motivacional com os seguintes objetivos pedagógicos: incentivar as crianças a ingerirem fruta todos os dias, na escola e em casa; dar a conhecer a importância da fruta na alimentação e na manutenção da saúde; encorajar as crianças a orgulharem-se de praticar uma alimentação saudável e variada; despertar a comunidade em geral para todos os benefícios da adoção de pequenas mudanças saudáveis nos hábitos diários.

Lista dos 10 vídeos das escolas participantes do concelho de Vila Nova de Famalicão:

  • Escola Básica Vale do Este - Arnoso Santa Maria - 1ºA, 2ºB, 3ºC, 4ºD, 1ºA, 2ºB, 3ºC, 4ºD
  • Escola Básica de Carvalho - 1A, 2B
  • Escola Básica de Gavião - A, B, C, D
  • Jardim de Infância de Além- Gavião - Sala 1, Sala 2
  • EB Joane - 4EBJ17
  • EB/JI de Lousado - Sala JI, L1A, L1B, L2A, L2B, L3A, L3B, L4
  • EB1/JI de São Mateus - Sala JI
  • JI da Associação de Moradores das Lameiras - Sala 4/5, Sala 5/6
  • ACB - Associação Cultural Beneficente e Desportiva dos Trabalhadores do Município de Vila Nova de Famalicão - Sala 2, Sala 1
  • Mais Plural - Sala 3 Anos, Sala 4 Anos, Sala 5 Anos B, Sala 5 Anos A, 1º Ano, 2º Ano, 3º Ano, 4º Ano

FAMALICÃO AFIRMA-SE COMO CIDADE TÊXTIL

Ministro da Economia elogiou ontem “papel importante” de Paulo Cunha

Paulo Cunha reafirmou ontem a ambição de fazer com que Vila Nova de Famalicão seja reconhecida como a cidade têxtil de Portugal. E fê-lo na presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e de duas centenas de atores europeus e nacionais do sector. Ambos participaram, no Porto, num jantar no âmbito da iTechStyle Summit, a primeira conferência internacional do têxtil e vestuário organizada pelo Citeve, centro tecnológico sediado em Vila Nova de Famalicão, e pela Associação Selectiva Moda e apoiada pela autarquia famalicense.

AFS_9054.jpg

O Presidente da Câmara Municipal foi assertivo: “A cidade têxtil em Portugal é Vila Nova de Famalicão. E é-o pela sua história, pelos seus empresários e pelas suas empresárias, pelo dinamismo, pela qualificação, pela investigação, pela inovação. Mas também porque tem os melhores centros tecnológicos, tem muitas das mais brilhantes empresas do sector, tem a Associação Têxtil e do Vestuário de Portugal e, ainda, porque é notada a nível mundial pelas competências tecnológicas que o têxtil incorpora”.

Palavras de que o Ministro da Economia tomou boa nota já que enalteceria depois, na sua intervenção, a força do sector em Vila Nova de Famalicão e a acuidade de Paulo Cunha.“O Presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão tem um papel muito importante neste sector que está a crescer e de que o país se orgulha”, observou Caldeira Cabral.

O Norte de Portugal é a região da Europa de maior relevância para o sector. Vila Nova de Famalicão é o epicentro dessa região que acolhe uma fileira completa, estruturada, flexível e dinâmica e onde, num raio de 60 quilómetros, a indústria têxtil pode oferecer ao cliente todas as soluções necessárias dentro da cadeia de produção. Acresce que Vila Nova de Famalicão é considerado também o concelho onde o sector têxtil e vestuário tem a grande força do seu desenvolvimento, com grandes marcas e empresas produtoras e reconhecidas infraestruturas tecnológicas e de inovação.

Uma conjugação de fatores que Paulo Cunha está cada vez mais apostado em capitalizar, agora através da iTechStyle Summit e dentro em breve com a participação do município no Cluster Têxtil de Portugal.

“Porventura, há vinte ou trinta anos, muitos achariam que Famalicão seria hoje um território de excelência para arqueologia industrial. Em Famalicão, felizmente, há arqueologia industrial através do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave. Mas Famalicão é hoje um território de excelência porque cumpre também as várias dimensões do têxtil, sector associado ao vestuário e ao lar, mas cada vez mais ao automóvel, à aeronáutica, à segurança, à proteção e até à saúde”, notou ainda, concluindo: “É um privilégio ser Presidente de Câmara de um concelho que soube dobrar uma das esquinas mais difíceis da sua história. Os empresários e as empresárias do meu concelho e do Vale do Ave são os maiores responsáveis pelo sucesso que o têxtil hoje tem.”

AFS_8974.jpg

JOSÉ MANUEL FERNANDES LANÇA EM FAMALICÃO GUIA EUROPEU PARA O MINHO

Novo livro do eurodeputado do PSD apresentado sexta-feira, 17 de fevereiro, pelas 18h30, na Casa das Artes, com a presença de Paulo Cunha

José Manuel Fernandes, eurodeputado do PSD natural de Vila Verde, lança na próxima sexta-feira, 17 de fevereiro, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, o seu novo livro. “Pela Nossa Terra – Minho 2017” tem como temas centrais os novos desafios da União Europeia e o Plano Juncker, a par de um olhar sobre a realidade atual da região minhota. Será apresentado por Francisco Assis, deputado ao Parlamento Europeu e cabeça-de-lista do PS nas últimas eleições europeias, numa sessão agendada para as 18h30 e que conta também com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

José Manuel Fernandes.jpg

Ao longo das 288 páginas do livro, José Manuel Fernandes disponibiliza informação, suscita o interesse e provoca a reflexão sobre matérias relevantes para a atualidade da União Europeia (EU) e da região. Entre os temas europeus focados estão o Brexit, o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE) – o chamado Plano Juncker – e a realidade orçamental da UE.

Numa altura em que, como refere o autor, “atingimos o ‘pico’ do movimento global nacionalista” e em que “o mundo está cada vez mais imprevisível e perigoso”, José Manuel Fernandes avisa que este “este é o momento da UE unir-se”. Relator do Parlamento Europeu para o reforço do FEIE, o eurodeputado aponta o Plano Juncker como “um exemplo objetivo da capacidade da União Europeia em encontrar respostas e mecanismos comuns para superar as dificuldades”. E destaca a “oportunidade” que este fundo “representa para Portugal e para a região do Minho”, onde tem “incentivado a união de vontades e a parceria de projetos e candidaturas”.

Esta publicação, de edição anual e lançada pela primeira vez em 2011, fornece informações sobre todos os concelhos do Minho. A edição deste ano evidencia números do INE sobre o envelhecimento da população e a diminuição demográfica, “dois grandes desafios que a Europa e Portugal enfrentam e aos quais a Estratégia Europa 2020 procura também dar resposta”, sublinha o eurodeputado.

Em quatro anos, o Minho perdeu quase 20 mil pessoas entre a população residente, sendo o fenómeno agravado pela baixa natalidade. A imigração também não ajudou a travar o fenómeno de perda de população no Minho, com o número de estrangeiros que pedem residência na região a cair.

Na publicação são igualmente partilhadas informações de agenda e respetiva calendarização, onde se incluem as festas e romarias da região, as comemorações dos dias internacionais e citações de diferentes autores, juntamente com definições do Dicionário de Termos Europeus – uma obra em permanente atualização e que é coordenada pelo também eurodeputado social democrata Carlos Coelho.

Paulo Cunha com José Manuel Fernandes.jpg

ANTIGO POSTO DA GNR DE RIBA DE AVE ABRE AS PORTAS À MÚSICA

Novo espaço servirá de sede à Associação Cultural Banda de Música de Riba de Ave e deverá estar concluído durante a primavera

O antigo Posto da GNR de Riba de Ave está a ser transformado numa Casa da Música, que vai proporcionar o acesso à prática e ao ensino da música à população. O edifício localizado no centro da vila e pertencente à Fundação Narciso Ferreira está em obras de ampliação e de reabilitação, abandonando a sua função de quartel da GNR e abrindo as suas portas à criatividade e às artes musicais.

AFS_6733.jpg

Cedido a título gratuito à Associação Cultural Banda de Música de Riba de Ave, através da assinatura de um contrato de comodato, que envolve também o município de Vila Nova de Famalicão, o edifício deverá ficar concluído durante primavera deste ano.

“É o virar de página na história da Banda de Música de Riba de Ave”, afirma a propósito o presidente desta associação, Artur Duarte, visivelmente satisfeito. A banda está neste momento sedeada nos fundos da Biblioteca de Riba de Ave, num espaço sem condições, para os projetos que ambiciona. “O novo edifício dá-nos maior sustentabilidade para o futuro da banda, concretizando uma verdadeira escola de música, valorizando o nosso projeto e criando uma maior proximidade com as pessoas”, acrescenta.

Procurando dinamizar o seu património edificado, nomeadamente os equipamentos históricos construídos pelo seu patrono, a Fundação Narciso Ferreira decidiu entregar, por um prazo de 20 anos, renováveis, o edifício – que estava devoluto – ao serviço da música e da cultura.

Por sua vez, a Câmara Municipal fez o projeto para as obras de ampliação e reabilitação, contribuindo ainda com um apoio financeiro de 108 mil euros.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “quando todas as forças se unem o resultado só pode ser bom”, afirma, referindo que “é isso que está a acontecer em Riba de Ave”.

“Sabíamos da necessidade da Banda de Música de Riba de Ave em encontrar um edifício que pudesse servir de espaço âncora às múltiplas atividades que desenvolve e àquelas que ambiciona desenvolver, do mesmo modo, que conhecíamos a disponibilidade da Fundação Narciso Ferreira em colaborar de forma solidária na prossecução deste objetivo disponibilizando este imóvel, a partir daqui foi só unir esforços em beneficio de todos”, explica Paulo Cunha.

De acordo com o projeto, o edifício será contemplado com duas salas de ensaio, cinco salas de instrumento e uma sala polivalente, que está a ser criada na praceta interior do edifício. O exterior também será remodelado com áreas pavimentadas com arborização.

Refira-se que a Associação Cultural Banda de Música de Riba de Ave é herdeira de uma longa tradição na vila, tendo sido criadas em 1816.

AFS_6734.jpg

EMPRESAS AGROALIMENTARES VÃO SER SELECCIONADAS EM FAMALICÃO

Aberta Convocatória para a Seleção de 20 PME agroalimentares

A ADRAVE – Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Ave é responsável pela implementação, em Portugal, do Projeto EXPORT FOOD SUDOE, um projeto de cooperação europeia para a promoção da internacionalização das PME do setoragroalimentar, cofinanciado pelo Programa INTERREG SUDOE, através do FEDER. A ADRAVE conta também com a parceria do Município de Vila Nova de Famalicão, através do Famalicão MADEIN, na concretização deste Projeto.

Foto_OCS1.jpg

O Projeto EXPORT FOOD SUDOE tem por objetivo melhorar a competitividade e promover a internacionalização das PME do setor agroalimetar. Espera-se que este Projeto venha a beneficiar diretamente, pelo menos, 100 empresas, no território europeu.

No território português, serão selecionadas 20 PME do setoragroalimentar, que beneficiarão das ações previstas no Projeto EXPORT FOOD SUDOE. As Empresas selecionadas receberão consultoria e assistência técnica gratuita e comparticipação em ações de internacionalização em mercados estrangeiros.

As ações de que podem beneficiar são as seguintes:

- Assessoria técnica especializada;

- Programa de informação, sensibilização, e formação sobre a internacionalização e sobre a cooperação para a internacionalização;

- Plano estratégico de internacionalização para cada Empresa;

- Participação em Encontros Empresariais, com empresas provenientes de outras Regiões do espaço SUDOE;

- Assessoria no processo de estabelecimento dos acordos de cooperação:

  • Estruturação técnica da cooperação empresarial;
  • Apoio jurídico nos Acordos de Cooperação;
  • Estruturação económico-financeira do acordo de cooperação empresarial;
  • Estratégia comercial e de marketing;

- Apoio à entrada nos mercados internacionais/Participação em Feiras.

Neste sentido, a ADRAVE lançou uma Convocatória à seleção de empresas, que está abertaaté ao dia 28 de fevereirode 2017, no âmbito da qual as PME do setor agroalimentarinteressadas em beneficiar das ações que serão realizadas podem apresentar, através de Formulário próprio, um pedido de adesão ao Projeto EXPORT FOOD SUDOE.

O Formulário de Adesão ao Projeto, que, depois de preenchido, com uma informação inicial sobre os seus produtos e mercados principais, grau de internacionalização, condições para a comercialização dos seus produtos, e uma explicação sobre a motivação para participar no projeto e sobre o interesse na internacionalização, deve ser enviado para paulapd@adrave.pt, até ao próximo dia 28 de fevereiro de 2017.

Para mais informações poderão aceder a www.adrave.pt, ou contactar diretamente.

Foto_queijos.jpg

Foto_queijos2.jpg

Interreg_Sudoe_Vertical_HD.jpg

FAMALICÃO: NINENSES GANHAM QUALIDADE DE VIDA

Paulo Cunha visitou obras de saneamento e abastecimento de água

Até ao início do verão, a rede de saneamento na freguesia de Nine, no concelho de Vila Nova de Famalicão, vai passar de uma cobertura de 35 por cento para 75 por cento do território. A obra que vai servir cerca de 200 famílias já está no terreno envolvendo um investimento municipal de quase meio milhão de euros.

AFS_6624.jpg

Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, acompanhado pelo presidente da Junta de Freguesia de Nine, Paulo Jorge Oliveira, pelos vereadores e pelos responsáveis da obra visitaram nesta quinta-feira, algumas das ruas beneficiadas, observando o andamento da intervenção.

Para além da ampliação da rede de drenagem de águas residuais, a obra implica ainda o abastecimento de água a 42 ramais.

Para Paulo Cunha “trata-se de uma obra essencial para a população e para a sua qualidade de vida”. Também Paulo Jorge Oliveira salientou a importância desta obra, mostrando-se muito satisfeito com a sua concretização. “É uma obra estruturante, que vai melhorar substancialmente a vida destas pessoas”, referiu, acrescentando que é “uma obra que todos os presidentes de junta de freguesia gostariam de fazer”.

Refira-se que a autarquia tem neste momento no terreno um investimento sem precedentes no conforto e na qualidade de vida dos famalicenses, que envolve mais de quatro milhões de euros. A frente de obras abrange 17 freguesias do concelho e cerca de 30 quilómetros de rede de água e 60 quilómetros de rede de saneamento básico, que vão servir diretamente mais de três mil habitações com água potável e perto de sete mil habitações com o saneamento.

Com estes novos investimentos prevê-se que a cobertura de água no concelho passe para 95,9 por cento e a cobertura de saneamento chegue aos 82,7 por cento.

AFS_6594.jpg

AFS_6610.jpg

FAMALICÃO QUER CONSOLIDAR-SE COMO CIDADE TÊXTIL NACIONAL

Município associa-se à primeira grande conferência têxtil nacional. iTechStyle Summit tem lugar nos dias 13 e 14 de fevereiro em Matosinhos

Vila Nova de Famalicão quer reforçar a sua importância como cidade capital do têxtil e vestuário em Portugal. É com base neste ambicioso mas realista propósito que a Câmara Municipal apoia a primeira conferência internacional do têxtil e vestuário do país, a iTechStyle Summit, organizada pelo Citeve, e que nos próximos dias 13 e 14 de fevereiro, no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, vai reunir centenas de players inovadores da indústria, fornecedores de tecnologia, investigadores, cientistas, profissionais e estudantes, nacionais e europeus.

Foto(1)famalicccao.JPG

O Norte de Portugal é a região da Europa de maior relevância para o sector. Vila Nova de Famalicão é o epicentro dessa região que acolhe uma fileira completa, estruturada, flexível e dinâmica e onde, num raio de 60 quilómetros, a indústria têxtil pode oferecer ao cliente todas as soluções necessárias dentro da cadeia de produção. Acresce que Vila Nova de Famalicão é considerado também o concelho onde o sector têxtil e vestuário tem a grande força do seu desenvolvimento, com grandes marcas e empresas produtoras e reconhecidas infraestruturas tecnológicas e de inovação.

Uma conjugação de fatores que Paulo Cunha está cada vez mais apostado em capitalizar, agora através da iTechStyle Summit e dentro em breve com a participação do município no Cluster Têxtil de Portugal, cuja missão assenta na promoção do desenvolvimento integrado e sustentável do agregado económico envolvendo têxteis, vestuário e têxteis de aplicação técnica, tendo igualmente o Citeve como entidade pivô.

“Apoiar o iTechStyle Summit vai de encontro à nossa ambição legítima de afirmar Vila Nova de Famalicão de consolidar a cidade como capital do têxtil e vestuário em Portugal. Estamos também a sinalizar a atratividade do território para a iniciativa empresarial e ainda a valorizar a imagem de um sector cada vez mais robusto e importante para a economia do país. É, portanto, uma iniciativa relevante para a atividade económica municipal e com benefícios para as empresas e para a competitividade do nosso concelho, em evidente sintonia com a missão do Famalicão Made IN”, afirmou Paulo Cunha, no final da reunião do executivo municipal desta quinta-feira, 9 de fevereiro. O coletivo de vereadores aprovou por unanimidade a proposta de atribuição de apoio financeiro à conferência, de que a autarquia é a principal entidade patrocinadora.

A iTechStyle Summit pretende ser uma importante plataforma de debate e reflexão sobre o conhecimento científico e tecnológico atual, sem esquecer as questões relacionadas com as políticas públicas para o sector. Indústria 4.0, digitalização e desmaterialização de produtos e processos, novos materiais e utilização avançada de fibras naturais, têxteis eletrónicos e inteligentes, sustentabilidade e economia circular, são alguns dos temas da conferência promovida pelo centro tecnológico sediado em Vila Nova de Famalicão.

Parte integrante do programa da iTechStyle Summit são os workshops do projeto RegioTex, que vão juntar representantes das principais regiões têxteis da União Europeia, nomeadamente de Espanha e Itália, para debater as estratégias de especialização inteligente nas regiões têxteis europeias e as oportunidades para os stakeholders regionais da inovação têxtil.

Foto(2)famalicccao.jpg

PORTAL DO MUNICÍPIO DE FAMALICÃO ENCONTRA-SE ENTRE OS MAIS TRANSPARENTES DO PAÍS

Índice de Transparência Municipal posiciona a autarquia famalicense como a terceira melhor entre os municípios de grande dimensão.

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão disponibiliza cada vez mais informação sobre a sua atividade no portal online. Isso é o que vem comprovar o Índice de Transparência Municipal (ITM) divulgado esta quarta-feira, 8 de fevereiro, pelo TIAC - Transparência e Integridade – Associação Cívica, que coloca a autarquia famalicense como uma das mais transparentes entre os municípios de grande dimensão, com um resultado objetivo de 77,7 pontos, numa escala de 0 a 100.

DSC_0764.jpg

Entre os municípios com mais de 100 mil habitantes, Vila Nova de Famalicão regista o terceiro melhor resultado nacional, ocupando a 42.ª posição entre os 308 municípios do país.

Feita a análise, destaque ainda para o lugar que Famalicão ocupa no quadro dos municípios que integram a associação do Quadrilátero Urbano, posicionando-se à frente de Guimarães, Barcelos e Braga.

O esforço da Câmara de Famalicão em disponibilizar o máximo de informação através do seu portal torna-se aliás evidente quando analisadas as pontuações obtidas pela autarquia desde a primeira edição do índice - 41 pontos em 2013, 55 em 2014, 61,6 em 2015 e 77.7 pontos nesta última.

Apesar de desvalorizar a comparação com outros municípios, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, não deixa de ter consciência da relevância dos resultados agora divulgados. “Mais importante do que os rankings é a necessidade de termos cidadãos cada vez mais informados e a par da atividade do executivo municipal. O Portal do Município é um veículo fundamental para cumprir este objetivo”.

Refira-se ainda que o Índice de Transparência Municipal baseia-se no levantamento da informação de interesse público disponível nos sites dos 308 municípios portugueses, segundo 76 indicadores divididos em 7 áreas – “Organização, composição e funcionamento”, “Planos e Relatórios”, “Taxas e Regulamentos”, “Relação com a Sociedade”, “Contratação Pública”, “Informação Económico-Financeira” e “Urbanismo”.

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO E PCP HOMENAGEIAM LÍDER DA OPOSIÇÃO DEMOCRÁTICA DO DISTRITO DE BRAGA

Paulo Cunha e Jerónimo de Sousa abrem programa de Comemorações do Centenário do Nascimento de Lino Lima no dia 21 de fevereiro

O Município de Vila Nova de Famalicão, em associação com o Partido Comunista Português (PCP), vai homenagear o famalicense Lino Lima, distinto advogado famalicense e destacado membro da Oposição Democrática à ditadura do Estado Novo, militante de PCP desde 1941, com a associação do seu nome ao largo situado entre a Rua Conselheiro Santos Viegas e a Rua Manuel Pinto de Sousa, junto aos Paços do Concelho, que passará a ter a denominação de “Praceta Lino Lima”.

Em 1996, Jorge Sampaio condecorou-o com a Grã Cruz do Infante.jpg

A homenagem está marcada para o próximo dia 21 de fevereiro, antecipando a Sessão Solene que marca a abertura das comemorações do centenário do nascimento de Lino Lima, que contará com a presença do Secretário Geral do PCP, Jerónimo de Sousa.

O presidente da Câmara Municipal apresenta amanhã ao executivo municipal uma proposta de  programa evocativo que vai prolongar-se ao longo de 2017 e que, para além da entrada de Lino Lima na toponímia famalicense, prevê a organização da exposição “Lino Lima – Uma Vida pela Liberdade”, a realização de um colóquio sobre a sua plurifacetada personalidade: o cidadão, o advogado, o oposicionista à ditadura, o deputado, e a edição de uma brochura com depoimentos/testemunhos de familiares e amigos

Nascido no Porto, Lino Lima veio com os pais, ainda criança, para Vila Nova de Famalicão, onde cresceu, viveu e trabalhou. Veio a  tornar-se um dos advogados mais importantes do seu tempo, quer na comarca, quer na defesa dos presos políticos nos Tribunais Plenários. Apesar disso, teve uma intensa atividade política, inicialmente na clandestinidade e, no final da grande guerra na “luta legal”, ligando-se aos movimentos políticos criados ou apoiados pelo PCP, como o MUNAF e o MUD, a cujas comissões nacionais pertence.

Esteve com as candidaturas presidenciais de Ruy Luís Gomes e Humberto Delgado, participando ativamente nas eleições legislativas para a Assembleia Nacional de 1957 e 1969, assim como nos Congressos Republicanos de 1957 e 1969, e no Congresso da Oposição Democrática de 1973, onde tem um papel destacado, integrando as respetivas Comissões Nacionais e Executivas e ao fazer intervenções políticas.

Tornou-se Líder da Oposição Democrática do Distrito de Braga, que nos anos 60 ousou autodenominar-se “Os Democratas de Braga”, granjeando notoriedade nacional ao lado de Victor Sá, Santos Simões, Humberto Soeiro e Eduardo Ribeiro. “Em toda a atividade política de combate à ditadura, ao longo de mais de três dezenas de anos, Lino Lima evidenciou uma nobreza de caráter, de coragem e de combatividade, que fizeram dele um adversário político temível, que nunca cedeu e o tornaram um símbolo da liberdade. Viveu o dia da revolução de 1974 com enorme alegria, deixando cair no rosto as lágrimas que sempre conteve perante a PIDE”, refere o historiador Artur Sá da Costa que vai coordenar o programa das comemorações.

A câmara municipal de Vila Nova de Famalicão atribuiu a Lino Lima, em 1996, a medalha de honra do município, e no mesmo ano o Presidente da República, Jorge Sampaio condecorou-o com a Grã Cruz do Infante. Em 9 de Janeiro de 1999, a Assembleia da República aprovou por unanimidade um voto de pesar pela sua morte. Idêntica atitude tomou em 26 de Fevereiro de 1999 a Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão.

“A ocorrência em 2017 do centenário de nascimento de Lino Lima é uma oportunidade que não podemos desperdiçar para homenagear esta personalidade famalicense, e desta forma, lembrar e conhecer as suas múltiplas facetas, que tem um traço comum: o amante da liberdade, pelo qual lutou toda a vida, correndo riscos, sem olhar a sacrifícios, pondo o interesse público acima da vida e da família”, refere o presidente da autarquia, Paulo Cunha.

Lino Lima.jpg

FAMALICÃO: FULGOR DA NOVA MABERA TEM O CUNHO DOS TRABALHADORES

Paulo Cunha visitou a Perfil Cromático no âmbito do Roteiro Famalicão Made IN

Aproveitando a capacidade instalada em infraestruturas e tecnologia, mas sobretudo o know-how dos trabalhadores, a Perfil Cromático tomou a Mabera e veio dar uma nova vida a esta que, em anos áureos, chegou a ser uma das maiores fábricas têxteis do país ao nível de acabamentos e tinturaria. Mas foi definhando até encerrar, na primeira metade do ano de 2015, atirando perto de uma centena de colaboradores para o desemprego.

AFS_5939.jpg

Poucos meses depois do fecho, as imponentes instalações industriais da Mabera, em Joane, voltavam a fervilhar de atividade graças à iniciativa de dois investidores, José Dâmaso Lobo e Afonso Leite, que arrendaram o edifício e alugaram os equipamentos à Mabera. Os detalhes deste processo foram revelados nesta segunda-feira, 6 de fevereiro, durante uma visita do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão à Perfil Cromático no âmbito do roteiro Famalicão Made IN.

A nova vida da Mabera é também a nova vida dos seus antigos trabalhadores. A Perfil Cromático resgatou do desemprego a grande maioria deles, permitindo-lhes colocar em prática um saber-fazer acumulado ao longo de anos. Em 2016, primeiro ano completo de atividade, a Perfil Cromático registou um volume de faturação de sete milhões de euros, superior às melhores previsões.

“O resultado que hoje temos é culpa dos nossos 140 trabalhadores, fonte de inspiração e motivação. As segundas linhas da Mabera transformaram-se em primeiras linhas da Perfil Cromático”. Esta opinião de Nuno Oliveira, diretor-geral da Perfil Cromático e com percurso profissional outrora ligado à Mabera, traduz também o pensamento de José Dâmaso Lobo e Afonso Leite, que com o primeiro comandam os destinos da Perfil Cromático.

Previsões de 10 milhões em 2017 

Com metas ambiciosas de crescimento – as previsões para 2017 apontam para um volume de negócios na ordem dos 10 milhões de euros –, o que se refletirá também no reforço do efetivo de colaboradores, a aposta é, claramente, no serviço e na qualidade, como fez questão de salientar José Dâmaso Lobo. A Perfil Cromático produz para marcas europeias de renome (todos os dias chegam à empresa cinquenta toneladas de malha), mas é também uma fornecedora de soluções. No laboratório de investigação e desenvolvimento, que funciona 24 horas por dia, uma equipa busca os melhores resultados que permitam à Perfil Cromático estar na linha da frente e assim conquistar novos clientes.

Desde que iniciou a sua atividade a empresa vem aumentando a faturação de forma contínua. Um dado que reflete sucesso e cuja explicação passa também, e naturalmente, por novos investimentos realizados na modernização do parque de máquinas, possibilitada por uma candidatura já aprovada ao Portugal 2020, que depois de concluída rondará os 3 milhões de euros.

Sustentabilidade ambiental

A sustentabilidade ambiental é outra das marcas da Perfil Cromático. O reaproveitamento da água e da energia calórica no processo produtivo, possível graças aos novos investimentos já realizados, permitem à empresa famalicense capitalizar as oportunidades associadas à economia circular.  

Paulo Cunha não escondeu a sua satisfação por ver a Mabera ganhar uma nova vida, numa aposta da Perfil Cromático que, salientou, traduz “a atratividade de Vila Nova de Famalicão para o investimento empresarial”. “É para mim gratificante perceber que estas instalações estão a ser reanimadas, e sobretudo com os mesmos trabalhadores, competentes e resilientes, que estão a fazer pontes com o passado”, argumentou.

De resto, para o Presidente da Câmara, a Perfil Cromático representa mais um contributo para que Famalicão seja cada vez mais notado como o mais relevante eixo da indústria têxtil nacional. “O têxtil no nosso concelho está bem e recomenda-se, produz e exporta cada vez mais. E este é um magnífico exemplo de que é possível que este sector se fortaleça ainda mais”, concluiu.

AFS_5969.jpg

MUNICÍPIOS DO CÁVADO E AVE CELEBRAM PROTOCOLO PARA MELHORAREM A MOBILIDADE

Quadrilátero e CIM’s do Cávado e Ave alinham estratégia para transportes e mobilidade. Protocolo assinado hoje potencia abordagem territorial alargada

Quatro instituições do território do Cávado e do Ave assinaram esta Segunda-feira, dia 6 de Fevereiro, um protocolo de cooperação no sector dos transportes e mobilidade. Celebrado entre o Quadrilátero Urbano, as CIM do Cávado e do Ave, e a Universidade do Minho (UM), o acordo tem como objectivo estabelecer campos de acção comuns para uma abordagem territorial alargada e integrada na área da mobilidade.

CMB06022017SERGIOFREITAS0000005056.jpg

Para Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, o protocolo hoje assinado vai permitir “encontrar soluções de articulação com os agentes económicos do território que possam servir melhor as populações no que se refere às questões da mobilidade e dos transportes”.

Na cerimónia, realizada no Museu dos Biscainhos e que ficou marcada pela passagem da presidência do Quadrilátero para o Município de Barcelos, o Autarca Bracarense afirmou que a questão da mobilidade “deve merecer uma atenção especial por parte das entidades públicas nacionais em matéria de dotação de infra-estruturas, de novos sistemas de transporte e de vias de acesso”. “Há muito que, em conjunto, reivindicamos novas acessibilidades para áreas de localização empresarial em Guimarães ou em Famalicão, porque consideramos essas infra-estruturas fundamentais para o desenvolvimento do nosso território”, sublinhou Ricardo Rio.

O protocolo da mobilidade prevê a criação de um quadro de cooperação com vista à partilha de conhecimento, de recursos disponíveis para a implementação do Regime Jurídico do Serviço Público de Transporte de Passageiros, sendo que as instituições envolvidas vêem na cooperação uma forma de encontrar as melhores soluções sustentáveis de mobilidade flexíveis para integrar novos desafios e oportunidades.

Em jeito de balanço do ano de presidência do Quadrilátero Urbano, Ricardo Rio congratulou-se pela “forma empenhada e muito comprometida” com que os Municípios, a AIMinho, o CITEVE e a Universidade do Minho encararam o projecto.

“O Quadrilátero é um projecto de adesão voluntária. Ninguém nos obriga a unirmo-nos para trabalharmos em conjunto, ninguém nos aliciou com verbas comunitárias ou com outras fontes de financiamento para desenvolvermos projectos comuns. Aqui existe, sobretudo, uma consciência de território que temos tentado corporizar nas mais diversas áreas de intervenção”, sustentou, destacando o trabalho realizado no plano cultural, na área da educação para a cidadania, na formação e na promoção da marca do Quadrilátero.

Além de Ricardo Rio, a cerimónia contou com as presenças dos presidentes dos Municípios que integram o Quadrilátero Urbano, assim como dos representantes da AIMinho, CITEVE, Universidade do Minho, das Comunidades Intermunicipais do Cávado e do Ave.

CMB06022017SERGIOFREITAS0000005059.jpg

CMB06022017SERGIOFREITAS0000005060.jpg

CMB06022017SERGIOFREITAS0000005062.jpg

FAMALICÃO: ESCUTEIROS DE BAIRRO CELEBRAM 75 ANOS SEMPRE ALERTAS PARA SERVIR

Comemorações contaram com as presenças dos Chefes nacionais e regionais do CNE

A nata do escutismo em Portugal reuniu-se sábado, na freguesia de Bairro, para celebrar os 75 anos da fundação do Corpo Nacional de Escutas de S. Pedro de Bairro. Entre os presentes destaque para o Chefe Nacional, Ivo Faria, e para o Chefe Regional, Hugo Cunha, ambos famalicenses entre outros responsáveis pelo escutismo. A sessão contou ainda com a participação do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

AFS_5648.jpg

O autarca não escondeu o orgulho por ver dois famalicenses no topo do escutismo nacional. “O que está a acontecer no escutismo e em outras áreas é a confirmação do valor e da força dos famalicenses. Somos um território forte e dinâmico com provas dadas a nível regional e nacional pela capacidade e ambição dos nossos cidadãos”.

Paulo Cunha aproveitou a oportunidade para deixar “uma palavra de gratidão ao Ivo Faria por aceitar este desafio a nível nacional”.

Em relação ao agrupamento de Bairro, Paulo Cunha, elogiou “esta verdadeira escola de valores e a forma exemplar como está organizada”. “A Câmara Municipal vai continuar a apoiar inequivocamente o movimento escutista no concelho”, porque “é um parceiro importante na formação dos nossos jovens”.

Neste âmbito deixou um desafio às famílias para que “continuem a acarinhar este agrupamento”.

Joaquim Agostinho Fernandes, Chefe do agrupamento de Bairro, recordou os obreiros do grupo, salientando que “estes 75 anos foram alimentados e percorridos com grande bravura e astucia nunca descurando o compromisso na educação e valorização dos nossos escuteiros”.

Para 2017, o agrupamento escolheu o tema “75 anos de preciosos valores”, sempre guiados pelo lema escutista “Sempre presente. Alerta para servir”.

Por sua vez, o presidente da Junta de Freguesia de Bairro, Rui Alves, que também já foi escuteiro mostrou-se “muito satisfeito com os 75 anos do agrupamento”, dizendo que se trata de “uma referência na sociedade que a freguesia agradece”.

AFS_5706.jpg

FAMALICÃO DEBATE OS SEGREDOS DA INDÚSTRIA ALIMENTAR

Workshops para todos os gostos no Parque da Devesa

“Indústria Alimentar e os seus segredos” é o tema do workshop que o Parque da Devesa recebe este sábado, dia 11 de fevereiro.

A iniciativa é promovida pela associação Nova Acrópole de Famalicão com o apoio da autarquia e vai decorrer entre as 15h00 e as 18h00, nos Serviços Educativos.

Destinado ao público em geral, o workshop é de entrada livre e a inscrição pode ser efetuada através do email famalicao@nova-acropole.pt.

Refira-se que este é o primeiro de três oficinas agendadas para os próximos dias na Devesa.

Segue-se, no dia 18, sábado, entre as 15h00 e as 16h30, o workshop “Matéria Orgânica Doméstica: como valorizar”, também organizado pela Nova Acrópole de Famalicão.

“O meu vermicompostor” é o tema do workshop que o Parque promove no dia 19, domingo, e que explicará aos participantes como construir um vermicompostor – um equipamento de reciclagem de material orgânico que pode ser usado em locais onde não existe disponibilidade de terra, como por exemplo na varanda de um apartamento. A participação nesta última iniciativa, promovida em parceria com a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, é de entrada livre, mas sujeita a inscrição através do email parquedadevesa@vilanovadefamalicao.org.

FAMALICENSES RECOLHEM ALIMENTOS

Loja Social promove recolha de alimentos

Nos próximos dias 18 e 19 de fevereiro, a Loja Social do Município de Vila Nova de Famalicão vai estar no supermercado Continente, em Ribeirão, para uma recolha de géneros alimentares. 

Loja Social promove campanha de recolha de alimentos nos dias 18 e 19 de....jpg

A iniciativa contará com o apoio dos membros do Banco Local de Voluntariado de Vila Nova de Famalicão.

Refira-se que través desta e de outras ações de solidariedade promovidas em todo o concelho, a Loja Social consegue assim atingir o seu objetivo de apoiar as famílias famalicenses economicamente mais vulneráveis. 

FAMALICENSES DEBATEM EDUCAÇÃO

Associação “Famalicão em Transição” promove debate sobre Educação

Teve lugar no passado sábado, dia 4 de fevereiro, no café-concerto da Casa das Artes, a primeira sessão do ciclo de debates "Educação em Transição", organizado pela associação Famalicão em Transição com o apoio da Câmara Municipal.

Associação Famalicão em Transição promove debate sobre Educação.jpg

A iniciativa, que tem como objetivo perspetivar uma educação que aponte novos caminhos para os educadores e facultar às gerações futuras mecanismos necessários para uma nova visão sobre o tema, contou com a realização de uma tertúlia e a exibição do documentário “O Começo da Vida”.

As próximas sessões já têm data marcada.

Para o dia 25 de fevereiro, sábado, pelas 17h30, está agendada uma palestra dedicada ao tema “Pais conscientes, filhos felizes”, com a participação da psicóloga Filipa Morais Soares”. No dia 7 de março, terça-feira, pelas 21h00, terá lugar a palestra “Escolas Inovadoras”, com a presença do docente José Pacheco e que contará com a exibição de um documentário sobre uma escola com uma filosofia educacional inovadora.

Ambas as iniciativas irão decorrer na Casa das Artes de Famalicão e são de entrada é gratuita.

“FAMALICÃO É EXEMPLAR NO APOIO SOCIAL”, AFIRMA PADRE LINO MAIA

Presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade participou em conferência do PSD Famalicão

O Padre Lino Maia, Presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, é perentório: “Vila Nova de Famalicão é exemplar no país no apoio social, com respostas para todos”. Afirmação proferida esta sexta-feira, 3 de fevereiro, nas instalações da Engenho – Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este, em Arnoso Santa Maria, numa conferência do PSD de Vila Nova de Famalicão sobre “O Terceiro Sector e o Poder Local”, em que foi o orador convidado.

IMG_6258.JPG

Voz ativa e com autoridade acrescida sempre que se trata de defender as camadas mais frágeis da sociedade, o Padre Lino Maia sublinhou que Vila Nova de Famalicão é um concelho “privilegiado”. “Porque tem todo o tipo de Instituições Particulares de Solidariedade Social [IPSS] e consegue dar respostas transversais, na infância, juventude, terceira idade e deficiência, e em áreas como a educação, a saúde e a solidariedade”, argumentou, observando ainda que “é talvez neste concelho onde há mais inovação, atividade e desenvolvimento”. 

O terceiro sector – comummente entendido como o conjunto das atividades de organizações da sociedade civil criadas por iniciativa dos cidadãos para prestação de serviços públicos – tem uma forte expressão em Vila Nova de Famalicão onde as suas 63 IPSS mobilizam perto de 4 mil trabalhadores, acolhendo, auxiliando e acompanhando cerca de 12 mil pessoas.

A descentralização de competências do Estado para as autarquias em matéria social é algo que o Padre Lino Maia subscreve, tal como o Presidente da Comissão Política Concelhia, Paulo Cunha, uma das presenças nesta conferência que contou com a participação de cinco dezenas de pessoas. “Existe uma proximidade grande, intuitiva até, e uma cumplicidade entre o terceiro sector e as autarquias. Uma cultura de compromisso e de conhecimento de causa, importante para ajudar a sociedade e debelar dificuldades. O PSD tem uma trajetória coerente e contínua de defesa deste sector”, afirmou. Pelo que, para o líder da secção famalicense do PSD, a grande disponibilidade evidenciada pelas câmaras e juntas de freguesia para estas causas, justifica a descentralização de competências na área social. 

O Padre Lino Maia reiterou, por seu lado, que “as autarquias são Estado de proximidade”, defendendo que as câmaras municipais possam ter no apoio e na proteção social “um papel extremamente importante” ao nível da coordenação, fiscalização e regulação. “IPSS e autarquias não são concorrenciais, de modo nenhum, antes se complementam”, reiterou, em jeito de conclusão. 

IMG_6272.JPG

IMG_6279.JPG

FAMALICÃO: PERFIL CROMÁTICO RESGATA TINTURARIA HISTÓRICA E MARCA PONTOS COM ANTIGOS FUNCIONÁRIOS

Visita do Presidente da Câmara à empresa situada na antiga Mabera, segunda-feira, 6 de fevereiro, pelas 10h30, na Av. da Boavista, 233, em Mogege.

AFS_5275.jpg

A Mabera, em Mogege, Vila Nova de Famalicão, iniciou a sua atividade em 01 de Maio de 1973 e chegou a ser durante muitos anos a maior empresa do universo têxtil nacional ao nível dos acabamentos têxteis e da tinturaria, tendo chegado a faturar mais de 12 milhões de euros. Em 2015, mais de 40 anos depois, a empresa corria o risco de encerrar a sua atividade ao nível dos acabamentos têxteis, não aguentando as dificuldades trazidas pelas conjunturas nacionais e internacionais.

Entretanto, dois investidores, José Lobo e Afonso Leite, crentes no potencial instalado e um antigo quadro superior da empresa, formado em engenharia química, com conhecimento de causa empírico do saber aí acumulado, juntaram-se,  e criaram a Perfil Cromático, retomando, em maio de 2015, a laboração da empresa com uma forte ambição, suportada pela ajuda de perto de uma centena de trabalhadores, entretanto repescados do desemprego.

O projeto da Perfil Cromático vai ser conhecido em pormenor na próxima jornada do roteiro Famalicão Made IN, com uma visita do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, às instalações da empresa, segunda-feira, dia 6 de fevereiro, pelas 10h30,  na Av. da Boavista, 233, em Mogege.

“Os clientes já estavam descrentes”, recorda o diretor geral, Nuno Oliveira, “mas acreditámos muito no projeto e no potencial dos recursos físicos e humanos aqui concentrados. As segundas linhas da Mabera, transformaram-se em primeiras linhas da Perfil Cromático”.

Desde que iniciou a atividade a empresa aumenta a faturação praticamente todos os meses. A explicação do sucesso passa também, naturalmente, por novos investimentos realizados na modernização do parque de máquinas, possibilitada por uma candidatura já aprovada ao Portugal 2020, que depois de concluída rondará os 3 milhões de euros.

AFS_5279.jpg

SOLIDARIEDADE JUNTA JOVENS FAMALICENSES

Juniores do FC Famalicão entregam bens alimentares à Loja Social

A equipa de juniores do Futebol Clube de Famalicão comprovou esta semana que mesmo nas derrotas há sempre um lado positivo.

DSC_0522.jpg

A formação famalicense organizou recentemente um torneio de futebol interno e estabeleceu como regra que a equipa derrotada teria que contribuir com bens alimentares para a Loja Social de Vila Nova de Famalicão.

A entrega dos alimentos angariados decorreu esta quarta-feira à tarde.

O momento contou com a presença do treinador e de alguns elementos do plantel dos juniores do FC Famalicão e também do adjunto do Presidente da Câmara Municipal para a área da Solidariedade Social, Ademar Carvalho, que elogiou a atitude nobre da equipa.

FAMALICÃO CRIA PRIMEIRO LABORATÓRIO DE RIOS NO PAÍS

Iniciativa insere-se no âmbito do projeto “Os Nossos Rios”

É nas margens dos rios Pelhe, Este e Ave, em Vila Nova de Famalicão, que está a nascer o primeiro Laboratório de Rios, em Portugal.

DSC05444.JPG

O LabRios+, como é apelidado, insere-se no âmbito do projeto “Os Nossos Rios”, lançado pela autarquia em colaboração com a Agência Portuguesa do Ambiente, em maio do ano passado, e que tem como principal objetivo a requalificação e reabilitação dos rios e das margens ribeirinhas, envolvendo a população em ações de sensibilização e educação para a limpeza, preservação e manutenção dos espaços.

Assim, este laboratório natural que irá abranger os territórios de Calendário, Pedome e Louro, será um espaço demonstrativo (Showroom) das melhores práticas de intervenção de rios permitindo realizar investigação, formação e envolvimento de técnicos e proprietários à escala municipal e com impacto regional. Neste sentido, o LabRios+ terá representadas as principais técnicas de engenharia natural e de promoção de corredores ecológicos dando comprimento aos requisitos da Diretiva Quadro da água e Lei da Água.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “a criação do Laboratório de Rios é um importante passo na promoção da educação ambiental e no envolvimento da população na valorização deste património natural que a todos nós pertence”.

Nos locais demonstrativos deste laboratório inovador será possível observar, por exemplo, um espaço natural com a ilustração de uma vasta gama de métodos de valorização e reabilitação de meios ribeirinhos que podem promover o valor económico, ecológico, ambiental e social ao município, promovendo paralelamente informação/formação e sensibilização da população e técnicos locais. Aqui serão desenvolvidas diversas atividades como workshops, palestras e formações para proprietários ribeirinhos. Será também possível observar o habitat de espécies emblemáticas como a lontra (Lutra lutra), libélula comum (Sympetrum striolatum) e guarda-rios (Alcedo atthis); para além da biodiversidade dos sistemas fluviais e as melhorias da qualidade ecológica do meio hídrica. Será também incentivado o envolvimento e a participação pública com a promoção de comportamentos positivos e integrantes face aos valores da conservação da natureza e da biodiversidade.

Os trabalhos serão desenvolvidos com a coordenação de Pedro Teiga, mentor do projeto e especialista em reabilitação de rios e por pessoal técnico qualificado do município. A evolução do LabRios+ será acompanhada, monitorizada e avaliada por indicadores ecológicos, económicos e sociais, de forma a registar o sucesso das intervenções exemplares em reabilitação fluvial. Os rios cuidados e com boa qualidade permitem criar valor, aumentar os benefícios para a população e concretizar a sustentabilidade local.

DSC05449.JPG

FAMALICÃO PUBLICA PENSAMENTO POLÍTICO DE BERNARDINO MACHADO

Até ao final do ano será lançado o sétimo tomo do III Volume

O Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão, acaba de dar à estampa o tomo 6 da Obra Política do antigo Presidente da República Portuguesa. O lançamento da obra aconteceu no passado sábado e contou com as presenças do coordenador científico do Museu, Norberto Cunha, e do vereador da Educação do município de Famalicão, Leonel Rocha.

image50473.jpeg

A obra com quase 700 páginas conta com uma introdução que faz a síntese do livro da autoria de Norberto Cunha. Depois divide-se em duas partes: uma introdução que sintetiza o pensamento de Bernardino Machado, durante o ano de 1920; e um conjunto de textos das suas intervenções parlamentares, desde os fins de 1919, até ao final de 1920.

De acordo com Norberto Cunha “a obra contém as intervenções de Bernardino Machado, mas devidamente contextualizadas. Pode ler-se a argumentação de Bernardino Machado e os contra argumentos dos adversários, o que permite contextualizar a sua argumentação e, assim, o leitor pode prescindir de fazer consultas sobre aquilo que os opositores disseram”.

Refira-se que o município de Famalicão lançou já um primeiro volume dedicado ao tema da Ciência, um segundo volume constituído por três tomos dedicado à Pedagogia e o terceiro volume reservado à Política conta já com seis tomos. Até ao final do ano será lançado o sétimo tomo.

Para Leonel Rocha, “este é um trabalho de continuidade de trazer para o público aquilo que Bernardino Machado foi produzindo em termos de escrita ao longo da sua vida. A riqueza do que está escrito é demasiado grande para ficar apenas nas gavetas nas bibliotecas”, salientou.

image50476.jpeg

UGT ELOGIA DINÂMICA ECONÓMICA DE FAMALICÃO

UGT elogia dinâmica económica de Famalicão e une a voz aos que reclamam obras na EN14. Paulo Cunha reuniu-se com Carlos Silva e Osvaldo Pinho, do SINDEQ, após visita das estruturas sindicais à Continental Mabor

Carlos Silva, Secretário-geral da UGT, está muito bem impressionado com a força económica de Vila Nova de Famalicão, em particular, com os valores do desemprego.

AFS_4969.jpg

“Encontrar neste concelho uma taxa de desemprego muito inferior à média nacional é sinal de que há aqui uma forte industrialização. Reindustrializar é voltar a industrializar e em Famalicão essa questão não se coloca, e muito bem. É um concelho que continua a apostar na indústria, a criar emprego e a permitir que as pessoas se fixem, sejam naturais ou não de Famalicão. Como é que isso é possível? Com investimento, com apoios estruturais, nomeadamente por parte do município, que faz todo o seu trabalho político junto da Administração Central, como nós fazemos”, afirmou esta segunda-feira, 30 de janeiro, precisamente no dia em que o IEFP revelou que o desemprego voltou a recuar em Famalicão. Eram 5.523 os desempregados inscritos em dezembro de 2016, contra os 5.849 em setembro desse ano.

O dirigente sindical esteve em Famalicão para participar numa visita de trabalho à Continental Mabor promovida pelo SINDEQ – Sindicato das Indústrias e Afins, representado por Osvaldo Pinho, com o principal propósito de auscultar os trabalhadores e perceber a realidade laboral do maior fabricante de pneus do país.

Após esta visita, e a convite do Presidente da Câmara Municipal, os responsáveis da UGT e do SINDEQ reuniram-se com Paulo Cunha nos Paços do Concelho – uma reunião em que o edil famalicense deu a conhecer a realidade económica do concelho, abordando temas como as exportações, o desemprego e a qualificação de recursos humanos, em relação aos quais Vila Nova de Famalicão ostenta indicadores muito positivos no contexto nacional, e de que Carlos Silva tomou boa nota.

O líder da UGT falou também do problema das acessibilidades para afirmar que “não é compreensível que este concelho, com fortíssima componente industrial e empresarial, com empresas com grande capacidade exportadora, tenha ainda estradas que são praticamente do início do século XX”.

Voz legítima na defesa dos interesses dos trabalhadores, Carlos Silva disse ainda que “a grande capacidade exportadora do concelho famalicense e até os trabalhadores saem prejudicados” com a ausência de alternativa à Nacional 14. “A Continental Mabor tem centenas de camiões, todos os dias, a passarem por estradas estreitíssimas”, observou, garantindo: “A Câmara de Famalicão tem na UGT mais uma voz para, com o Governo, discutir e aprofundar a necessidade de uma aposta do Estado ao nível das acessibilidades”.

Carlos Silva considerou esta jornada em Famalicão “muito positiva e proveitosa”, até porque “ajudou a preparar melhor os combates sempre difíceis com o governo e as confederações empresariais” em sede da concertação social.

Paulo Cunha destacou igualmente a questão do desemprego. “Pudemos nesta reunião partilhar formas que devem ser utilizadas para uma abordagem direta e positiva ao desemprego no nosso concelho. Felizmente, Famalicão passou a fazer parte do número reduzido de municípios que é notícia por estarem abaixo da média nacional. Nós – concelho, Câmara Municipal, empresas, entidades de formação, trabalhadores, empresários – conseguimos, em apenas três anos, passar de uma taxa de desemprego de 15% em 2013 para cerca de 8% em 2016”.

O autarca disse ainda ter ficado “satisfeito por a UGT partilhar da preocupação da Câmara Municipal”, no que concerne à EN14, constatando a atenção que estas entidades sindicais têm pelos problemas que afetam os trabalhadores. De resto, o Presidente da Câmara de Famalicão felicitou a UGT e o SINDEQ “pela forma positiva e construtiva como exercem ação sindical”.

AFS_5020.jpg

FAMALICÃO AVANÇA COM OBRAS DE REABILITAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA EB DE RUIVÃES

Intervenções nas Escolas Básicas Conde S. Cosme, em Vila Nova de Famalicão, Esmeriz, Riba de Ave e Ruivães vão custar cerca de 2,5 milhões de euros

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai avançar com as obras de requalificação e ampliação da Escola Básica de Ruivães. A proposta para a abertura de concurso público para a realização da empreitada foi aprovada esta segunda-feira, em reunião do executivo municipal.

AFS_5095.jpg

As obras têm uma valor base de cerca de 900 mil euros e um prazo de execução de um ano. Para além da beneficiação e reabilitação do edifício, o projeto implica ainda a ampliação  e execução de arranjos exteriores.

“Era a obra que faltava para conseguirmos um parque escolar do 1.º ciclo de excelência”, afirmava esta segunda-feira, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no final da reunião de câmara. Para o autarca “com esta intervenção vamos encerrar o ciclo das grandes obras de requalificação no parque escolar, nomeadamente no ensino pré-escolar e 1.º ciclo.”

Para além da EB de Ruivães, decorrem neste momento os concursos públicos para as intervenções nas Escolas Básicas Conde S. Cosme, em Vila Nova de Famalicão, Esmeriz e em Riba de Ave.

“Estamos a terminar um ciclo de grandes obras no parque escolar do concelho, criando condições para que as todas crianças tenham as mesmas oportunidades de ensino, para uma educação harmoniosa e de qualidade”, salientou ainda Paulo Cunha.

As obras devem arrancar ainda durante este ano letivo e ficar concluídas no próximo. No total, as empreitadas envolvem um investimento estimado de quase três milhões de euros, sendo que está já assegurada a comparticipação de quase de 1,3 milhão de euros, no âmbito dos investimentos previstos no “Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Comunidade Intermunicipal do Ave, sendo cofinanciadas pelo Programa Operacional Regional, Norte 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

O objetivo geral destas intervenções passa essencialmente por obras de ampliação, remodelação e modernização dos espaços, com a requalificação dos edifícios e zonas exteriores, adequando à atuais necessidades pedagógicas e de segurança e higiene, melhorando as condições de conforto e aumentando a eficiência energética. Para além das remodelações das salas de aula, as diferentes intervenções implicam a instalação ou remodelação de novas salas, salas polivalentes, salas de professores, bibliotecas, refeitórios e copas, recreios cobertos e campos de jogos.

Refira-se que neste ano letivo beneficiaram de requalificação as escolas de Requião, Telhado, Meães e Louredo na freguesia de Calendário num total superior a 700 mil euros, depois de em 2014-2015, a autarquia ter investido mais de dois milhões de euros , nas escolas de Lousado, Oliveira Santa Maria, Bairro, Gondifelos e Pousada de Saramagos.

FAMALICÃO: PADRE LINO MAIA PARTICIPA EM CONFERÊNCIA DO PSD SOBRE O SECTOR SOCIAL E O PODER LOCAL

Ciclo de Conferência Dr. Carlos Bacelar regressa sexta-feira, 3 de fevereiro

O Padre Lino Maia, Presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, é o próximo convidado do “Ciclo de Conferências Dr. Carlos Bacelar”, iniciativa da Comissão Política Concelhia (CPC) do PSD de Vila Nova de Famalicão que procura contribuir para o debate de ideias, partilhando opiniões e convocando a população para o exercício de uma cidadania ativa.

Padre Lino Maia(2).jpg

“O Terceiro Sector e o Poder Local” foi o tema escolhido para esta terceira conferência que, seguindo uma lógica descentralizadora, terá lugar na Engenho – Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este, em Arnoso Santa Maria, na próxima sexta-feira, dia 3 de fevereiro, pelas 21h00. Marcarão presença o Presidente e o Vice-Presidente da CPC, Paulo Cunha e Jorge Paulo Oliveira, respetivamente, entre outras figuras do partido. 

Comummente entendido como o conjunto das atividades de organizações da sociedade civil criadas por iniciativa dos cidadãos para prestação de serviços públicos em áreas como a solidariedade social, a saúde, a educação ou a cultura, o terceiro sector tem uma forte expressão em Vila Nova de Famalicão, onde as suas 43 Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) mobilizam perto de 2 mil trabalhadores, acolhendo, auxiliando e acompanhando cerca de 7800 cidadãos.

Padre Lino Maia(1).jpg

BEBÉS E LIVROS CONVIVEM ALEGREMENTE NA BEBÉTECA DE FAMALICÃO

Espaço criado na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco é cada vez mais procurado

Em Vila Nova de Famalicão, nunca é cedo demais para as crianças conhecerem os livros e entre brincadeiras diversas aprenderem a folheá-los, a sentirem o seu cheiro e as suas texturas coloridas. É assim que decorrem as atividades na bebéteca, um espaço de “leitura” para bebés até aos dois anos de idade, criado na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco.

DSC_8582.jpg

É neste espaço atraente, com mobiliário colorido, almofadas, puffs e uma coleção de obras bastante especial que muitas crianças exploram pela primeira vez o livro. E foi aqui que as quase vinte crianças da creche da “Mais Plural” conviveram na quinta-feira, com os livros e as histórias que saíam de dentro deles. Enquanto, Rosário Oliveira e Marta Ribeiro, duas das técnicas da biblioteca iam dando voz e dramatizando a história “Quem conduz?” de Leo Timmers, as crianças muito atentas imitavam os sons e os gestos da história.

DSC_8659.jpg

Para Cátia Araújo, educadora da “Mais Plural”, a bebéteca cumpre uma função “muito importante”. “Nós valorizamos muito o contacto das crianças desde tenra idade com os livros e com a leitura e proporcionar-lhes estes momentos fora da instituição acaba também por ser muito importante, até para eles conhecerem novos espaços”, afirma a responsável, que quando pode faz questão de trazer as crianças até à bebéteca.

“É a primeira vez que estou aqui com este grupo, mas já vim cá diversas vezes com outras crianças, pois nunca é demais regressar para novas aventuras”, salienta, acrescentando que “elas gostam muito deste tipo de atividades, porque lhes desperta muito interesse e curiosidade. É um espaço que lhe diz muito e eles recordam-se mais tarde dos momentos que passaram aqui e de episódios muito específicos como as dramatizações, a questão de pintar as mãos, etc. São experiências muito significativas para eles”, acrescenta ainda.

Refira-se que só em 2016 mais de meio milhar de crianças participaram em atividades da biblioteca municipal.

De acordo com a diretora da Biblioteca Municipal, Carla Araújo, “o objetivo é motivar, desde cedo, as crianças para a linguagem oral e escrita de forma harmoniosa, envolvendo os bebés no contacto com o livro impresso, através da leitura de histórias em voz alta, da exploração de imagens e do manuseamento dos livros”.

As sessões da Bebéteca decorrem uma vez por mês para as instituições do concelho e famílias. Os bebés só podem entrar na Bebéteca acompanhados por um adulto que deve permanecer no espaço no decorrer da atividade. Máximo de 12 bebés por sessão. Mais informações através do número: 252 312 699

DSC_8688.jpg

A “TRETA” REGRESSA EM FEVEREIRO À CASA DAS ARTES EM FAMALICÃO

“Filho da Treta” e Sean Riley & The Slowriders são os principais destaques de fevereiro do espaço cultural famalicense

Em fevereiro, a Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão volta a receber a visita de uma das personagens mais divertidas da comédia portuguesa. O Zezé está de volta e com ele regressa também a genuína conversa da treta.

Filho_da_Treta.jpg

Escrito por Filipe Homem Fonseca e Rui Cardoso Martins, o espetáculo “Filho da Treta” sobe ao palco do grande auditório da Casa das Artes nos dias 17 e 18 de fevereiro.

Na peça, Zezé (José Pedro Gomes) “prossegue a sua luta contra o bom-senso, a solidariedade, o trabalho e outros conceitos primeiro-mundistas”, mas desta vez na companhia de Júnior (António Machado). “Numa comovente irritação entre duas gerações perdidas, discutem-se tascas gourmet, os refugiados, os paus de selfie, as novas famílias e outras pragas que assolam o mundo moderno”.

Mas o mês mais curto do ano traz ainda mais sugestões em agenda.

Na música destaque para o concerto da banda portuguesa Sean Riley & The Slowriders, no dia 11, no grande-auditório, e para o techno e hip-hop de PZ, no dia 18 de fevereiro, no café-concerto.

Nos dias 3 e 4 de fevereiro, a Academia do Espetáculo de Famalicão apresenta a peça“Miséria”. Um espetáculo produzido a partir de “Terror e Miséria do Terceiro Reich” de Bertolt Brecht, sobre a realidade da sociedade alemã sob o domínio nazi.

Entretanto, no dia 10 de fevereiro a Companhia de Dança Contemporânea de Évora sobe ao palco do grande auditório com o espetáculo “In-Shell-Side”, dirigido e coreografado por Nélia Pinheiro.

Por fim, e como estamos em mês de Óscares, a Casa das Artes exibe dois filmes nomeados para os maiores prémios da indústria do cinema - “Silêncio”, de Martin Scorsese, no dia 4, e“La La Land – Melodia de Amor”, no dia 25.

Mais informações em www.casadasartes.org

DOMINGOS SOUSA FOI VÍTIMA DA PARTIDARIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Tribunal declara que demissão do Diretor do Centro de Emprego de Famalicão, Domingos Sousa, não teve qualquer fundamento

A declaração de ilegalidade na exoneração do ex-diretor do Centro de Emprego de Vila Nova de Famalicão não surpreende o Partido Social Democrata.

Domingos Sousa.jpg

 

Com apenas um mês de vida o novo governo iniciava, desde logo, um feroz processo de estatização e partidarização da administração pública procedendo a demissões em catadupa e subsequentes novas nomeações de pessoas com ligações partidárias explícitas.

Fê-lo, aliás continua a fazê-lo, sem pudor ou parcimónia. O invocado argumento da necessidade de dar uma “nova orientação à gestão dos serviços” na administração pública não basta. Nunca poderia bastar, como agora o decidiu o Tribunal Administrativo e Fiscal de Penafiel.

Mas não foi aí que residiu a verdadeira razão do afastamento do Dr. Domingos Sousa. Na verdade, nunca o ex-diretor do Centro de Emprego foi confrontado com essa alegada necessidade, nem o poderia ser pois as funções de dirigente que desempenhava eram técnicas, não eram políticas. Foi sempre assim que as encaramos e não vemos como o possam ser de outra maneira.

A verdadeira razão do afastamento do Dr. Domingos Sousa adveio da circunstância de ser dirigente no tempo do governo do PSD/CDS-PP. Sim esse foi o seu pecado. Sim esse foi o único e exclusivo fundamento para a sua indecorosa demissão. É a tomada do Estado pelo aparelho do PS, seja a que custo for, que sustenta a vaga de exonerações que tem marcado o último ano da governação do país.

O ex-Diretor do Centro de Emprego foi vítima desta política de saneamento, agora sancionada também judicialmente e concretizada com uma voracidade tal que, no caso do Dr. Domingos Sousa, não cuidou de observar que a sua nomeação para o cargo ocorrera no longínquo mês de maio de 2010, ou seja, no tempo de um governo socialista e nele permanecerá até 2016 por indiscutível mérito.

A estabilidade, a transparência e a competência não escapam ao rolo compressor do governo da união das esquerdas. Assim o exige a gestão partidarizada dos serviços do Estado que esmaga e prescinde de dirigentes, como o Dr. António Sousa que, como legado da sua gestão, nos deixou uma assinalável diminuição da taxa de desemprego no concelho de Vila Nova de Famalicão

PORTUGAL 2020 FINANCIA OBRAS NA REDE DE SANEAMENTO BÁSICO E ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM FAMALICÃO

Autarquia já tinha avançado com as obras em meados de 2016

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão acaba de ver aprovada a candidatura para o “Fecho da rede de drenagem de águas residuais das sub-bacias do Pelhe, Pele e Ave”, em seis freguesias do concelho, representando um investimento total no montante de 1,2 milhão de euros (1.276.160,72 euros) e cofinanciada em 621.829,48 euros pelo Fundo de Coesão (FCOES), no âmbito do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), do Portugal 2020.

DSC_0139.jpg

As obras que já estão no terreno abrangem as populações residentes nas freguesias de Vale S. Cosme, Telhado e Portela; Fradelos; Vilarinho das Cambas e Requião. Em meados do ano passado, a Câmara Municipal decidiu avançar para a sua concretização mesmo sem a garantia da comparticipação que foi agora aprovada.

Entretanto, a autarquia tem também em andamento mais um conjunto de obras que abrangem o a rede de drenagem de águas residuais e abastecimento de água no Vale do Rio Este, nomeadamente as freguesias de Louro; Gondifelos, Cavalões e Outiz; Nine; Arnoso Santa Eulália, Arnoso Santa Maria e Sezures e Mouquim, Lemenhe e Jesufrei, no montante de 2,5 milhões de euros. Também para este conjunto de obras foi apresentada uma candidatura que está neste momento à espera da respetiva aprovação.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “estas obras são essenciais para as populações e para a sua qualidade de vida. São obras que não podem esperar e, por isso, decidimos avançar para a sua concretização o mais rapidamente possível. Entretanto, as boas notícias começam a chegar”, afirma o autarca.

Refira-se que a autarquia tem neste momento no terreno “um investimento sem precedentes no conforto e na qualidade de vida dos famalicenses”.

A frente de obras abrange 17 freguesias do concelho e cerca de 30 quilómetros de rede de água e 60 quilómetros de rede de saneamento básico, que vão servir diretamente mais de três mil habitações com água potável e perto de sete mil habitações com o saneamento.

Com estes novos investimentos prevê-se que a cobertura de água no concelho passe para 95,9 por cento e a cobertura de saneamento chegue aos 82,7 por cento.

DSC_0153.jpg

FAMALICÃO INICIA NOVO CICLO DE CONFERÊNCIAS NO MUSEU BERNARDINO MACHADO

Arranque do novo ciclo de conferências e lançamento de obras marcam atividades no Museu

O Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão, preparou para este fim-de-semana, duas grandes iniciativas, relacionadas com o seu patrono.

Museu Bernardino Machado 001.jpg

Esta sexta-feira, dia 27, pelas 21h30, arranca a primeira conferência do novo ciclo dedicado ao tema “Os partidos e as grandes questões da I República”. A sessão decorre na Sala Júlio Machado Vaz e conta com a intervenção do Prof. Doutor Paulo Ferreira da Cunha que vai debater “Os deputados republicanos e a Lei Fundamental de 1911: convergências e divergências”. O colóquio, com entrada livre, está acreditado para os professores dos grupos 200, 300, 400 e 410 que devem inscrever-se, para o efeito, através do email do Centro de Formação cf@esccb.pt.

O conferencista é professor catedrático e diretor do Instituto Jurídico Interdisciplinar da Faculdade de Direito da Universidade do Porto.

Entretanto, no sábado, pelas 15 horas, será lançada a Obra “Política III Tomo 6”, de Bernardino Machado, apresentada pelo Prof. Doutor Norberto Ferreira da Cunha, Coordenador Científico deste museu.

O Tomo VI das Obras Políticas de Bernardino Machado divide-se em 2 partes: A primeira contém uma introdução que sintetiza o pensamento de Bernardino Machado, durante o ano de 1920; a segunda é constituída por um conjunto de textos das suas intervenções parlamentares, desde os fins de 1919, até ao final de 1920. Os temas deste volume subdividem-se em estruturais e centrais, entre os primeiros, salienta-se o poder executivo, o poder legislativo, o poder judicial e as questões socioeconómicas; Entre os segundos, os partidos políticos, o dezembrismo e a revolta monárquica de 1919, a questão colonial e a política externa (a Conferência de Paz, a Sociedade das Nações e as relações com o Brasil). A entrada é livre.

Museu Bernardino Machado 035.jpg

FORAVE METE MÃOS AO RIO AVE

Escola profissional famalicense associa-se ao projeto “Os Nossos Rios”

Depois da Engenho e do rio Guizande, a Forave e o rio Ave. O projeto municipal “Os Nossos Rios” continua a captar o envolvimento da população e das instituições famalicenses e a partir desta semana também a escola profissional da freguesia de Lousado passa a ser responsável pela monitorização regular de um troço de um dos rios que atravessa o concelho – o Ave.

Forave recebeu ontem os primeiros kits didáticos do projeto.jpg

Aos alunos da Forave foram ontem entregues os primeiros kits didáticos do projeto, que entre outros materiais são compostos por uma ficha de observação da fauna e da flora e diversos instrumentos para a análise da qualidade da água do rio.

Ainda no âmbito do projeto “Os Nossos Rios”, refira-se que esta quarta-feira ficou também marcada pela continuação dos trabalhos junto ao rio Guizande e pelo início da modelação das margens do rio Este, que implicará, entre outras operações, a remoção de silvas, acácias e videiras e a plantação de árvores ribeirinhas autóctones, contribuindo, deste modo, para a criação do corredor ecológico do rio e para a melhoria da biodiversidade.  

O arranque dos trabalhos contou com a presença do vereador do Ambiente da autarquia, Pedro Sena, do presidente da junta de freguesia de Nine, Paulo Oliveira, e do presidente da União de Freguesias de Arnoso Santa Maria, Santa Eulália e Sezures, Jorge Amaral. 

“É um trabalho árduo, mas acredito que se unirmos esforços e trabalharmos todos em conjunto, conseguimos devolver os rios à comunidade”, disse o responsável autárquico. 

Refira-se que a Câmara Municipal lançou em meados de maio de 2016 o projeto “Os Nossos Rios” em colaboração com a Agência Portuguesa do Ambiente. O projeto tem como principal objetivo a requalificação e reabilitação dos rios e das margens ribeirinhas, envolvendo a população em ações de sensibilização e educação para a limpeza, preservação e manutenção dos espaços.

É um projeto envolvente e convocante, onde todas as pessoas e instituições são chamadas a participar, recriando-se a figura dos guarda-rios, agora num contexto de voluntariado e de responsabilidade cívica.

O objetivo final é a criação de corredores naturais e ecológicos nas margens dos rios que atravessam o concelho, respeitando e valorizando a fauna e a flora existentes.

Projeto visa a requalificação e reabilitação dos rios e das margens ribe... (1).jpg

Projeto visa a requalificação e reabilitação dos rios e das margens ribe....jpg

CAISA C.R.L. APRESENTA UNIVERSIDADE SÉNIOR TEÓFICO BRAGA EM FAMALICÃO

No passado dia 20 de Janeiro decorreu, no auditório SITO, em Airão São João, pertencente à União de Freguesias de Airão São João, Airão Santa Maria e Vermil, a apresentação pública da Universidade Sénior Teófilo Braga (USTB).

P1180077.JPG

A cerimónia foi agraciada por um painel de oradores de excelência, composto pela Dra. Paula Oliveira, Vereadora da Ação Social do Município de Guimarães, António Carvalho, Presidente da União de Freguesias de Airão São João, Airão Santa Maria e Vermil, Paulo Renato Faria, Presidente da Universidade Sénior de Moreira de Cónegos, e que apadrinhou a criação da USTB, Sílvia Oliveira, Diretora Técnica da Universidade Sénior Teófilo Braga e por Alberto Fernandes, Presidente da CAISA C.R.L..

Realizada a apresentação, foi expressa a vontade pelos representantes da USTB, de criar o Instituto Teofiliano e/ou Casa Museu Teófilo Braga, como foi  desejo expresso de Teófilo Braga, grande figura da história do séc. XX português, e até à data ainda por cumprir. Este instituto tem como localização a antiga quinta de Teófilo Braga, sita em Airão de S. João, onde o mesmo passou grandes temporadas da sua vida, tendo inclusive lá escrito uma das suas melhores obras.

Os oradores convidados,bem como todos os presentes, demonstraram a sua vontade de apoiar o novo projeto da CAISA C.R.L., naquela que será uma aposta inovadora na região, prometendo desempenhar um papel fundamentalno apoio aos maiores de cinquenta anos, baseando as suas premissas no envelhecimento saudável e ativo da população sénior.  A Tuna da Universidade Sénior de Moreira de Cónegos ainda teve a oportunidade de maravilhar todos os presentes com uma soberba atuação de cantar dos reis.

O protocolo finalizou com uma visita à sede da Universidade Sénior Teófilo Braga, em Vermil.

P1180120.JPG

JUVENTUDE DE FAMALICÃO TEM 10 MIL EUROS PARA AGARRAR

Câmara desafia jovens à participação e envolvimento comunitário

As associações juvenis de Famalicão vão ter 10 mil euros do orçamento municipal para desenvolverem num projeto de interesse comunitário. No Conselho Municipal da Juventude, que se realizou no passado dia 12 de janeiro, o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, anunciou aos representantes das associações representativas da juventude do concelho a decisão do executivo em financiar anualmente, até esse montante, um projeto desenhado pelos jovens, desde que programado em rede, isto é, envolvendo duas ou mais associações juvenis do concelho.

DSC_3827.jpg

O desafio está lançado e os jovens de Famalicão podem desde já preparar as suas candidaturas. A mobilização e concentração da juventude de Famalicão em torno de um projeto comunitário que os valorize e que dignifique a sua presença no tecido social famalicense é desde logo um dos grandes objetivos a cumprir com a medida. Nesse sentido, “todos os passos dados na elaboração das propostas serão já aspetos positivos do processo”, afirma o autarca famalicense, que presidiu à reunião acompanhado pela vereadora da Juventude, Sofia Fernandes.

Com esta medida, que é apenas uma das várias com o mesmo espírito que a Câmara vai desenvolver  ao longo do ano a partir da Casa da Juventude, é intenção da autarquia chamar os jovens para a participação cívica comunitária e envolvê-los ativamente nas dinâmicas municipais logo a partir dos 16 anos. “É minha convicção que todos ganharemos com uma juventude mais responsável e mais motivada no espaço social”, refere Paulo Cunha. E acrescenta: “Por isso, é importante  que tenham oportunidade para fazerem ouvir a sua voz e para apresentarem e desenvolverem as suas ideias, tão cedo quanto possível”.

A estratégia da autarquia passa, assim, pela criação dessas condições de participação para um  compromisso maior dos jovens com a comunidade. O plano de ação apresentado aos jovens, no seio do Conselho Municipal da Juventude, para o ano de 2017 foi desenhado com esse propósito e prevê o desenvolvimento de um conjunto vasto de iniciativas que os capacitam a um maior envolvimento com Famalicão. Sensibilização, informação e ação são as linhas mestras da estratégia, que mereceu a aprovação dos representantes do tecido associativo e partidário juvenil famalicense.

A realização de palestras, workshops e fórum de discussão descentralizados, em escolas, associações e juntas de freguesia, a edição do passaporte “Jovem Cidadão >16” com informação jurídica e legislativa sobre várias temáticas e linguagem acessível, a capacitação dos jovens das associações de estudantes e a realização de um conjunto de ações por parte do pelouro da Juventude, em parceria com as entidades e movimentos juvenis são algumas das ações programadas pela autarquia para 2017 para desenvolver a partir da Casa da Juventude.

FAMALICENSES ARBORIZAM CONCELHO

Autarquia já conseguiu angariar quase oito mil árvores. “25 mil árvores para 2025” cada vez mais perto

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão acaba de receber 2375 árvores, de espécies autóctones, no âmbito de uma candidatura ao Programa “Floresta Comum”. As árvores que vão contribuir para o projeto “25 mil árvores até 2025” estão neste momento no Berçário Municipal à espera do momento ideal para a sua plantação.

DSC_7651.jpg

Neste momento, a autarquia já conseguiu arrecadar perto de oito mil árvores para plantação em áreas urbanas, espaços rurais, ao longo das linhas de água e em montes e serras. O projeto tem como objetivo reabilitar aproximadamente 25 hectares do território concelhio e será concretizado nos próximos anos até 2025.

Com a candidatura ao programa “Floresta Comum” a autarquia conseguiu 234 Amieiros; 110 Carrascos; 500 Salgueiros; 130 Carvalhos Roble; 736 Lentiscos bastardo; 250 Tramazeiras; 115 Mostajeiros e 300 Teixos.

DSC_7654.jpg

O Programa tem como missão promover a produção, angariação e distribuição de árvores autóctones, a projetos que demonstrem motivação, comprovem competências e possuam os meios necessários para proceder ao plantio e cuidado das florestas que tencionam plantar. O objetivo é fomentar e incentivar a criação de uma floresta com altos índices de biodiversidade e de produção de serviços ecológicos, fazendo chegar os conhecimentos e as árvores às pessoas e instituições que possuem vontade e condições para intervir. Pretende-se, assim, envolver a comunidade e potenciar a criação de estruturas e redes locais de recuperação da floresta autóctone portuguesa. Foram estes os objetivos que levaram  a QUERCUS – Associação Nacional de Conservação da Natureza, ICNF –  Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto-Douro – a estabeleceram uma parceria num projeto cujo o objetivo principal é a construção de uma floresta cujos benefícios se alargam às atuais e às futuras gerações: Floresta Comum.

Até agora, muitas das árvores do projeto “25 mil árvores até 2025” foram adquiridas pela autarquia, mas a grande maioria foi oferecida por escolas e instituições. Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “é muito importante envolver toda a comunidade neste projeto, principalmente as novas gerações, sensibilizando-as para a preservação da natureza e do meio ambiente”, referindo que “rearborizar significa devolver vida, proteger a natureza, criar condições de futuro para a comunidade”.

DSC_7663.jpg

CARICATURISTA ANTÓNIO ANTUNES PARTICIPA NO PRÓXIMO “UM LIVRO, UM FILME”

O primeiro “Um Livro, Um Filme” do ano vai contar com a participação do caricaturista político português António Antunes. A sessão vai decorrer, como já vem sendo hábito, na última sexta-feira do mês, dia 27 de janeiro, no Centro de Estudos Camilianos, em Seide São Miguel, em Vila Nova de Famalicão.

António Antunes.jpg

Para exibir e comentar, o convidado escolheu o filme “A Festa de Babette”, um drama realizado em 1987, pelo realizador Gabriel Alex.

Refira-se que António Antunes publicou os seus primeiros cartoons no diário lisboeta “República”, em março de 1974. No final do mesmo ano, ingressou no semanário “Expresso” onde continua a publicar as suas obras.

Dos prémios recebidos destacam-se: Grande Prémio do XX International Salon of Cartoons, em 1983; 1º Prémio de Cartoon Editorial do XXIII International Salon of Cartoons, em 1986; Grande Prémio de Honra do XV Festival du Dessin Humoristique, em 1993; Award of Excellence - Best Newspaper Design, em 1995; Premio Internazionale Satira Politica, em 2002; Grande Prémio Stuart Carvalhais, em 2005 e o Prix Presse Internationale, em 2010.

Realizou exposições individuais em Portugal, França, Espanha, Brasil, Alemanha, China e Luxemburgo. Foi júri de salões de desenho humorístico em Portugal, Brasil, Grécia, Sérvia, Turquia e Itália. Presidiu ao júri da 9.ª edição do World Press Cartoon, salão que dirige desde a sua fundação em 2005.

Recorde-se que a iniciativa “Um Livro, Um Filme” decorre desde 2006 e conta todos os meses com a presença de uma figura da cultura e das artes para apresentar um filme, preferencialmente baseado numa obra literária. A iniciativa é de entrada livre.

“Ambientar-se” debate esta sexta-feira os efeitos das alterações climáticas

“Before the Flood”, realizado por Steven Fisher, foi o filme escolhido pela Associação Famalicão em Transição para a próxima sessão do ciclo de cinema “Ambientar-se”, que se realiza já nesta sexta-feira, dia 20 de janeiro, a partir das 21h30, na Casa do Território, no Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão.

O documentário, que acompanha a viagem do ator Leonardo DiCaprio enquanto Mensageiro da Paz da ONU, foca-se nos efeitos das alterações climáticas, e no que a sociedade pode fazer para evitar a extinção de espécies, ecossistemas e comunidades nativas em todo o planeta.

À exibição do filme seguir-se-á um momento de debate, dinamizado por um dos rostos da defesa do Ambiente em Portugal e atual presidente da Associação Campo Aberto (Associação Defesa do Ambiente) - José Carlos Marques.

Recorde-se que as sessões “Ambientar-se” são uma parceria entre a autarquia famalicense, através do Parque da Devesa, e instituições locais ligadas à proteção do Ambiente.

A entrada é gratuita.

FAMALICÃO LEVA MÚSICA E TEATRO À CASA DAS ARTES

Sugestões para este fim-de-semana no espaço cultural famalicense: Mirror People e Teatro do Bolhão na Casa das Artes

O terceiro fim-de-semana do ano na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão vai ficar marcado pela música e pelo teatro. A sonoridade dos Mirror People e a peça “A Vida de Galileu” são as propostas do espaço cultural famalicense para o próximo sábado, dia 21 de janeiro.

A Vida de Galileu.jpg

Protagonizada por António Capelo, a peça “A Vida de Galileu” marca o regresso do Teatro do Bolhão ao autor germânico Bertolt Brecht, que neste seu texto tematiza o confronto entre a verdade da ciência – que tem de ser confirmada e demonstrada – e a verdade da religião – um ato de fé.

A peça sobe ao palco do grande auditório, a partir das 21h30. Os bilhetes já se encontram à venda, tendo o custo de 8 euros para o público em geral e reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

No mesmo dia, mas no café-concerto, a Casa das Artes recebe o concerto dos Mirror People.

A banda portuguesa, que junta influências do “disco sound” dos anos 70 com sons atuais da música de dança, prepara-se para lançar o seu segundo álbum de originais, intitulado “Bring the Light”, para o qual Rui Maia, mentor deste projeto musical, convidou a banda que o acompanha em palco (Maria do Rosário, João Pascoal e Hugo Azevedo) e o vocalista Jonny Abbey.

O concerto está marcado para as 23h30. A entrada tem o custo de 6 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.  

Mais informações em www.casadasartes.org.

Mirror People - Promo Foto Andre Leiria.jpg

MUSEU BERNARDINO MACHADO EM FAMALICÃO ORGANIZA CICLO DE CONFERÊNCIAS

Museu Bernardino Machado dá as respostas ao longo de 2017 com ciclo de conferências, encontros, exposições e lançamento de obras. Como surgiram os partidos políticos em Portugal? E quais eram as suas convicções?

Arranca na última sexta-feira de janeiro, dia 27, no Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão, um novo ciclo de conferências dedicado ao tema “Os partidos perante as grandes questões da I República”. A temática dá, de resto, o mote para a programação anual do Museu que, para além do ciclo de conferências, se destaca pela organização dos Encontros de Outono e de três exposições documentais.

A problemática dos partidos e movimentos políticos em Portugal no período entre 1910 e 1973 serve, assim, de “chapéu” aos vários eventos programados para 2017. A escolha do tema respeita duas grandes razões, sendo que a primeira tem a ver com o patrono do Museu. “Bernardino Machado demonstrou sempre ao longo da sua vida uma grande preocupação com os partidos políticos, desde logo, pela sua génese, pela sua dimensão e pela sua convergência, daí que esta seja a razão maior pela escolha do tema”, explica a propósito o coordenador científico de Museu, Norberto Cunha. De acordo com o responsável a segunda razão tem a ver com a atualidade do tema e a forma como os cidadãos lidam hoje em dia com os partidos políticos. “Há atualmente uma pressão e exigência enormes dos cidadãos para com os partidos políticos, o que até é saudável do ponto de vista da democracia, mas há também falta de conhecimento e de informação sobre a forma como os partidos surgiram e como se desenvolveram”. Daí que, para Norberto Cunha, com estas iniciativas e através dos oradores convidados – “todos especialistas nos temas abordados” – o Museu “dá um enorme contributo para o conhecimento da história e para compreensão da atualidade”.

O coordenador científico, que é atualmente professor catedrático aposentado da Universidade do Minho, explica ainda as diferentes dimensões dos vários eventos. “Enquanto o ciclo de conferências se centra na relação dos partidos com as grandes questões da I República, como por exemplo, a questão religiosa, a educação, a questão colonial, a operária, entre muitas outras, os Encontros de Outono irão incidir sobre os próprios partidos e a sua constituição, nomeadamente o Partido Republicano Português, Evolucionista, Unionista, entre muitos outros”. Por sua vez, as exposições darão uma perspetiva histórica nacional e internacional sobre a questão dos partidos políticos. Serão ainda divulgadas exposições sobre a realidade local de Vila Nova de Famalicão.

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, elogiou a escolha desta temática no âmbito das atividades anuais do Museu, referindo que “o resultado destas atividades enriquecerá ainda mais o Museu, contribuindo para a sua afirmação nacional como um centro de investigação histórica de referência”.

O Museu Bernardino Machado que completou recentemente 15 anos está instalado no Palacete Barão da Trovisqueira, um majestoso edifício do século XIX, localizado bem no centro da cidade de Vila Nova de Famalicão. Para além da divulgação e valorização da figura de Bernardino Machado, um famalicense por adoção que foi Presidente de Portugal, por duas vezes, durante a I República, o Museu tem vindo a destacar-se na organização de diversos eventos e na produção de documentos que têm sido essenciais para investigadores e historiadores.

CICLO DE CONFERÊNCIAS ARRANCA DIA 27

São oito as conferências do ciclo “Os partidos perante as grandes questões da I República”. Decorrem ao longo dos meses de janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho, setembro e outubro, com entrada livre. A primeira é já no próximo dia 27, a partir das 21h30, e o conferencista convidado é o constitucionalista e cultor da filosofia do direito e da política Ferreira da Cunha, Professor Catedrático de Direito da Faculdade de Direito da Universidade do Porto (desde 2001) e Diretor do Instituto Jurídico Interdisciplinar (desde 2002). O tema é “Os deputados Republicanos e a Lei Fundamental de 1911: convergências e divergências”.

Segue-se “Os partidos republicanos e a educação”, com a conferencista Maria Cândida Proença; “Os partidos Republicanos e a questão religiosa”, com Luís Salgado de Matos; “Os partidos políticos da I República e a questão colonial”, com Pedro Aires de Oliveira; “Os partidos políticos e a questão operária”, com Manuel Guimarães; “Os partidos políticos e os contrarrevolucionários monárquicos (1910-1926) com Miguel Santos; “Os partidos políticos e Bolchevismo”, com Norberto Cunha; “Os partidos políticos e as Forças Armadas”, com Luís Alves de Fraga.

Ciclo de Conferências _ Cartazfam.jpg

Elegeu-se como tema privilegiado do Ciclo de conferências, do Colóquio de Outono e de uma das três desejáveis exposições do Museu, para o ano de 2017, a problemática Partidos e movimentos políticos em Portugal (1910-1973). Dada a proliferação dos partidos políticos em tão vasto arco temporal e dado que o Museu tem finalidades gerais, sobretudo ligadas ao seu patrono, Bernardino Machado, que obriga a estabelecer prioridades, excluem-se os partidos políticos que surgiram depois do 25 de Abril de 1974 e não se incluem, como é óbvio, todos os partidos e movimentos políticos da I República, da Ditadura Militar pós-28 de Maio de 1926 e do Estado Novo.

O tema tem sobeja atualidade. Um amplo setor da opinião pública, ignorando e/ou desvalorizando a conexão umbilical e genética entre partidos políticos e democracia, não apenas se mostra céptico quanto aos partidos políticos (solicitando, por isso, tantas vezes, o reforço dos poderes presidenciais, como se a representação da vontade geral estivesse melhor assegurada por um guardião do que muitos) como, frequentes vezes, os acusam de instituições clientelares e sorvedouros da riqueza dos cidadãos, mais servindo para servir-se a eles e aos seus correligionários do que aos interesses gerais da nação que os elegeu; daí até os considerarem inúteis e nefastos, a distância não é longa. É uma hostilidade presente, dissociada duma perspetiva de futuro, que ignora as consequências que traria a supressão dos partidos políticos ou mesmo os perigos que traria, ainda que sendo um mal menor, a sua redução ao famigerado rotativismo bipolar que tivemos durante o período da Regeneração monárquica (que tende a dissociar a base social de apoio dos partidos dos seus órgãos dirigentes e a retirar representatividade político-partidária às minorias; enfim, a diminuir o alcance social da democracia, como sublinhou Locke). Estas são duas das principais razões, a que genericamente se poderia chamar a crise dos partidos políticos, que nos levaram a eleger o tema supracitado, embora esta denominação genérica não seja a mais apropriada, porque os partidos políticos, em democracia, não são estáticos mas dinâmicos e evolutivos e, nessa medida, estão, continuamente, em crise. Mas há uma outra razão que me despertou especial atenção na escolha deste tema: a formação de movimentos cívicos de opinião, de duração efêmera, que se 2 constituem para reivindicarem ou chamarem a atenção da opinião pública e dos poderes instituídos (seja do Governo central e local, seja dos partidos) para determinados temas ou problemas; são movimentos, organicamente, débeis, unidos apenas por um determinado tema nuclear (resíduos tóxicos, violência doméstica, homossexuais, alimentos, geneticamente, manipulados, etc.). Não pretendendo substituir-se aos partidos, mas completá-los têm inúmeras virtualidades políticas: mobilizam a participação política da sociedade civil (condição fundamental de qualquer democracia), interagem com as instituições democráticas, obrigam os partidos políticos a manter a sua atenção desperta para os problemas que preocupam a sociedade civil ou uma parte dela, etc..

Temos, pois, expostas as razões da escolha do tema que predominará nas atividades do Museu para o ano de 1917 que incluirá:

 - Oito conferências sobre Os partidos e movimentos políticos da I República nas suas relações com determinadas questões fundamentais desse período (os partidos e a questão religiosa, os partidos e a Constituição de 1911, o partidarismo e o transpartidarismo, os partidos políticos e os ´adesivos´, os partidos e as greves, os partidos e as ditaduras de Pimenta de Castro e Sidónio Pais, os partidos e a questão colonial, os partidos e a I Guerra Mundial, os partidos e o operariado, etc.).

 - Doze conferências nos Encontros de Outono (Novembro) sobre Os partidos e movimentos políticos (1910-1973) que incidirão sobre os seguintes partidos: o Partido Republicano Português, o Partido Evolucionista, o Partido Unionista, o Integralismo Lusitano, o Partido Republicano Nacionalista, o Partido Liberal, o Partido Reconstituinte, os partidos no ocaso da I República, a Seara Nova, a Aliança Republicano-Socialista, o Grupo de Renovação Democrática, o Partido Comunista, a União Nacional, o MUNAF/MUD, o MDP/CDE, etc.

Exposições: O Museu, como tem vindo a fazer no passado, terá dois tipos de exposições: aquelas que solicita, de empréstimo, a outras instituições e as que ele mesmo elabora. Umas e outras procuram quer manter a contínua atenção do público sobre as atividades do Museu, quer contribuir para a educação cívica dos cidadãos, conjugando nessas exposições o elemento iconográfico com o prosaico. As principais exposições que nos propomos elaborar são as que se seguem:

 - Uma sobre Os partidos e movimentos políticos da I República que terá como fonte principal de informação a obra fundamental do Prof. Ernesto Castro Leal (Universidade de Lisboa) sobre o assunto em epígrafe, cuja presença procuraremos trazer à sua abertura para proferir uma palestra sobre o assunto;

- Uma exposição sobre A Revolução Russa de 1917: uma perspetiva histórica (não só nacional mas internacional e cuja abertura terá uma mesa redonda, constituída por historiadores de renome);

 - As Aparições de Fátima (1917): sociedade, política e religião (que seguirá o modelo prático de execução da exposição anterior).

Para além destas três exposições, iremos organizar as seguintes exposições de âmbito local:

- Os Partidos Políticos em Famalicão durante a I República;

 - A Oposição Democrática em Famalicão.

“Obras” de Bernardino Machado

Como se tem vindo a fazer, também em 2017, continuaremos a publicação das Obras (políticas) de Bernardino Machado. Deste modo, esperamos consolidar, ainda mais, este projeto e continuar o resgaste público deste eminente republicano (desiderato que, até hoje, não se concretizou ainda para qualquer outra grande figura política desse período).

Ciclo de Conferências 2017

"Os partidos perante as grandes questões da I República"

1 – Os deputados republicanos e a Lei Fundamental de 1911: convergências e divergências Conferencista: Prof. Doutor Paulo Ferreira da Cunha

Data: 27 de janeiro

Hora: 21h30

Local: Museu Bernardino Machado

2 – Os partidos republicanos e a educação

Conferencista: Prof. Doutora Maria Cândida Proença

Data: 24 de fevereiro

Hora: 21h30

Local: Museu Bernardino Machado

3 – Os partidos republicanos e a questão religiosa

Conferencista: Prof. Doutor Luís Salgado de Matos

Data: 24 de março

Hora: 21h30

Local: Museu Bernardino Machado

4- Os partidos políticos da I República e a questão colonial

Conferencista: Prof. Doutor Pedro Aires de Oliveira

5 Data: 28 de abril

Hora: 21h30

Local: Museu Bernardino Machado a

5- – Os partidos políticos e a questão operária

Conferencista: Prof. Doutor Manuel Guimarães

Data: 20 ou 27 de maio

Hora: 21h30

Local: Museu Bernardino Machado

6 – Os partidos políticos e os contra-revolucionários monárquicos (1910-1926)

Conferencista: Prof. Doutor Miguel Santos

Data: 17 de junho

Hora: 21h30

Local: Museu Bernardino Machado

7 – Os partidos políticos e o Bolchevismo

Conferencista: Prof. Doutor Norberto Cunha

Data: 29 setembro

Hora: 21h30

Local: Museu Bernardino Machado

8 – Os partidos políticos e as Forças Armadas

Conferencista: Coronel Doutor Luís Alves de Fraga

Data: 13, 20 ou 27 de outubro

Hora: 21h30

Local: Museu Bernardino Machado

FAMALICÃO: CRIANÇAS DE MEÃES GANHAM “NOVA” ESCOLA

Paulo Cunha inaugurou obras de remodelação no valor de 150 mil euros

Foi com pompa e circunstância que a comunidade educativa de Meães, em Vila Nova de Famalicão, inaugurou, esta segunda-feira, a sua “nova” escola. Do edifício educativo histórico, restam apenas as paredes, tudo o resto foi melhorado e beneficiado, proporcionando maior conforto e melhores condições de ensino aos alunos e professores.

image50056.jpeg

Por isso, as quase 30 crianças que frequentam a escola não deixaram os créditos por mãos alheias e cantaram, dançaram e interpretaram poemas, soltaram balões e risos de alegria, tudo num ambiente de festa mostrando ao presidente da Câmara Municipal, aos autarcas, aos responsáveis educativos e à comunidade presente o seu contentamento.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “esta obra era uma prioridade e havia aqui uma grande vontade conjunta para que as coisas corressem bem”. O autarca lembrou o momento em que se chegou a equacionar encerrar esta escola e distribuir as crianças por outros estabelecimentos de ensino do concelho. “Decidimos investir nesta escola e hoje podemos ver que foi uma boa aposta”, referiu.

A Escola Básica de Meães é frequentada na sua totalidade por crianças de etnia cigana, por isso, para Paulo Cunha “com as obras aqui realizadas estamos a dar um contributo muito grande a esta comunidade. É uma comunidade que precisa de estimulo, que precisa de cada vez mais razões para que as crianças frequentem o sistema de ensino”.

O autarca aproveitou ainda a oportunidade para deixar um apelo aos pais para que as crianças frequentem as aulas. “Só faz sentido fazer um investimento destes se as pessoas usufruírem dele. Que adianta fazer uma remodelação de uma escola se depois as crianças não forem às aulas?”.

Um pedido que a responsável pela escola Rita Nicolau acredita que será bem aceite. Aliás segundo a professora responsável, nota-se já “que a escola é o sítio onde estas crianças mais gostam de estar”. Antes das obras e do trabalho desenvolvido com a comunidade, “havia uma fraca assiduidade das crianças e pouco empenho dos pais”, salientou, acrescentando que neste momento “é gratificante ver que, a cada ano que começa não temos de ir buscar as crianças a casa”.

De resto, a professora mostra-se orgulhosa com os resultados alcançados no que diz respeito “à aprendizagem das regras, à cidadania e à colaboração de toda a comunidade educativa”.

A intervenção que implicou um investimento municipal de mais de 150 mil euros, envolveu um conjunto de melhoramentos, tendo em vista um maior conforto dos alunos e uma qualidade de excelência do ensino. Entre as diversas intervenções destaque para a substituição de telhado, colocação de isolamento térmico, substituição de madeiras, soalhos e portas, pintura, revisão da instalação elétrica, colocação de relva sintética, reparação de muros e vedações entre outros melhoramentos.

A sessão contou ainda com as presenças do diretor do agrupamento de escolas D. Sancho I e de vários professores responsáveis, da presidente da União das freguesias de Vila Nova de Famalicão e Calendário, de vereadores municipais e  outros responsáveis.

image50065.jpeg

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO FAMALICENSE PRETENDE ANTECIPAR ABERTURA DA LOJA DO CIDADÃO EM FAMALICÃO

Paulo Cunha propôs antecipação para 2017 da abertura da Loja do Cidadão em Famalicão mas PS local não concorda

Vereadores do PS indiferentes à urgência da Loja do Cidadão para Famalicão

As comissões políticas Concelhias do PSD e do CDS/PP de Vila Nova de Famalicão manifestam a sua incredulidade pela forma como o PS de Vila Nova de Famalicão está a reagir a uma proposta de recomendação apresentada pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, para que o Governo reveja o recente mapa de criação de novas Lojas do Cidadão em Portugal e pondere antecipar a abertura da Loja do Cidadão de V.N. de Famalicão, prevista para 2018 ou 2019, para 2017.

famacdspsd.bmp

No documento apresentado na reunião do executivo municipal da passada quinta-feira, 13 de janeiro, Paulo Cunha alega a urgência na abertura desta estrutura, tendo em conta as más condições em que estão a funcionar serviços públicos do estado, como é caso evidente o registo civil e a segurança social, entre outros. O presidente da Câmara deixa bem claro que estão reunidas todas as condições para que a Loja do Cidadão comece a funcionar já em 2017.

A preocupação de Paulo Cunha pelos famalicenses, nomeadamente pela qualidade dos serviços públicos prestados no concelho, parece ter deixado os responsáveis do PS de Vila Nova de Famalicão em pânico. Logo no debate que se seguiu à apresentação da proposta, os vereadores do PS perderam-se em acusações infundadas para tentarem justificar a abstenção que deram a uma proposta cuja falta de consenso não deixará de espantar os famalicenses.

Entretanto, na declaração de voto que emitiram sobre o assunto, atiram desesperadamente responsabilidades para a Câmara Municipal, esquecendo que as Lojas do Cidadão são responsabilidade da Administração Central e que o único Governo que olhou para Vila Nova de Famalicão com olhos de ver neste capítulo foi o Governo de Passos Coelho.

Fica claro que o PS não quer que o Governo dê a Famalicão aquilo a que o concelho tem direito e merece, porque simplesmente teme que daí resultam eventuais benefícios eleitorais para a Coligação PSD/CDS/PP. É este o sentido de responsabilidade do PS de Vila Nova de Famalicão: compromisso com eles próprios e, como diz a canção, que tudo o mais vá para o inferno!

O ano de 2017 é um ano de eleições autárquicas. Contudo, ao contrário do PS Famalicão, o PSD e o CDS/PP não estão preocupados com o assunto. Todas as nossas baterias estão apontadas para uma governação autárquica equilibrada, ambiciosa e inovadora, como tem sido marca do atual executivo municipal sob liderança de Paulo Cunha.

As eleições têm o seu tempo próprio! A coligação “Mais Ação, Mais Famalicão”, lamenta que o PS de Famalicão faça depender a sua ação e os seus argumentos em função de interesses puramente eleitoralistas. 

Não é assim que se defende Famalicão! Não é assim que se desenvolve o concelho!

Vila Nova de Famalicão, 16 de janeiro de 2017

As Comissões Politicas Concelhias do PSD e do CDS/PP de Vila Nova de Famalicão

JOVEM, FRESCO E LEVE: O VINHO VERDE ESTÁ EM HARMONIA COM FAMALICÃO

Paulo Cunha visitou hoje os Vinhos Castro, principal produtor do concelho, em mais uma jornada do roteiro Famalicão Made IN

Se há uma nova atitude na Região Demarcada dos Vinhos Verdes que investe na qualidade e diversidade dos vinhos e na valorização das castas, Vila Nova de Famalicão, concelho que a ela pertence, bem pode dizer que muito tem contribuído para essa nova forma de estar que aposta em acrescentar valor aos vinhos verdes.

AFS_0209.jpg

“São vinhos magníficos e com enorme potencial para serem apreciados no mundo inteiro”. Assim os classificou Paulo Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, quando hoje visitou a adega dos Vinhos Castro – com capacidade instalada dearmazenamento para 800 mil litros e equipada com os mais modernos equipamentos enológicos –, em Cavalões, o maior produtor de vinho verde do concelho e um dos maiores a nível nacional, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN.

Palavras em evidente contexto de simpatia, mas que não deixam de expressar o entusiasmo com que o autarca hoje olha para a qualidade e diversidade dos vinhos verdes que são produzidos no território famalicense.

É por tudo isto que se pode dizer que para trás ficou o cliché dos vinhos baratos doces e gaseificados. Esse, definitivamente, já não é o ‘novo’ vinho verde. O que o concelho – e os Vinhos Castro, em particular – tem hoje para oferecer são vinhos jovens, frescos e leves, que evidenciam a variedade e qualidade das castas autóctones e que espelham a diversidade e riqueza do território no sector dos vinhos.

AFS_0264.jpg

Nesta empresa vinícola, que resulta da paixão da família Marinho em criar vinhos com diferenciação no mercado, quantidade é sinónimo de qualidade. Em 2016 atingiu uma produção recorde de 900 toneladas de uvas, traduzida em cerca de 600 mil litros de produção própria de vinho, mas prevê chegar às 1200 toneladas num futuro próximo. Expectativa a que não é alheio um incremento das vendas para novos mercados internacionais. “A exportação consome hoje 20% da produção, mas o nosso objetivo é que represente 80%”, disse Filipe Marinho, administrador.

Os vinhos Castro – espumante, rosado, alvarinho, tinto, branco ou palhete – são produzidos em largas centenas de hectares de quintas localizadas nas freguesias de Cavalões, Requião e Vermoim. A série “7 Tentações” é a que mais orgulha Filipe Marinho. Citrino, frutado, discreto e elegante. São alguns dos qualitativos que constam no rótulo.

Filipe Marinho fala numa “luta permanente pela qualidade”. “Numa hora pode perder-se a produção de um ano”, observou, apontando ainda outros desafios subsequentes à procura da qualidade, para além da internacionalização: a distribuição e a produção de subprodutos, como aguardentes e licores.

No final da visita, Paulo Cunha foi eloquente quanto ao futuro que antecipou auspicioso para os Vinhos Castro: “Acredito que os próximos anos serão ainda melhores não só na qualidade como na quantidade, o que representa uma excelente notícia para as exportações famalicenses”.

AFS_0268.jpg

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO FAMALICENSE REÚNE COM ASSOCIAÇÕES DO CONCELHO

Paulo Cunha inicia quarto ano de roteiro associativo por uma gestão “verdadeiramente partilhada”. Reuniões semanais com associações já dão frutos

Depois de três anos de reuniões com as associações formais e informais do concelho e mais de 500 horas de conversas com os seus dirigentes, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, iniciou, na semana passada, em Abade de Vermoim e Landim, mais uma nova ronda de visitas.

DSC_6670.jpg

As reuniões semanais das terças-feiras com o movimento associativo concelhio são já uma rotina do presidente da Câmara Municipal e uma marca indelével do seu executivo, no que diz respeito a uma política de proximidade com as populações, com as instituições, com as empresas e com as associações.

Para Paulo Cunha esta proximidade é fundamental na concretização de “uma gestão verdadeiramente partilhada e participada do território, com os contributos e ideias de todos”.

Para além disso, os frutos mais visíveis deste trabalho são a organização das Mostras Associativas que animam as freguesias do concelho, aos fins-de-semana. Promovidas pelo município em parceria com as Juntas de Freguesia, têm como objetivo dar a conhecer o trabalho e a força das associações, instituições, artesãos e produtores locais. Considerados eventos âncora locais, as Mostras decorrem do desafio assumido pela Câmara Municipal de apoiar as 49 freguesias do concelho e o seu tecido associativo na promoção e valorização da sua identidade.

Foi também criado um Gabinete do Associativismo especificamente direcionado para as associações, que as apoia e informa sobre diversos assuntos, nomeadamente, nos processos de candidaturas aos fundos comunitários, mas também licenciamentos, entre outros.

Por outro lado, na sequência do Roteiro Associativo, a autarquia prepara-se para lançar, em breve, uma aplicação digital, que servirá de calendário concelhio de eventos, facilitando o planeamento e organização de atividades pelas várias associações, de forma a não coincidirem na data ou na forma como decorrem.

“Será um instrumento muito útil, tanto para as associações, como para as populações, pois se por um lado irá ajudar as coletividades a prepararem melhor os seus eventos irá trazer um novo olhar, permanente e mais atento, sobre o que se passa no território”, explica Paulo Cunha.

Mobilizar, motivar, conhecer e resolver problemas são os objetivos do roteiro associativo do concelho, que tem tido o reconhecido mérito de estreitar a malha da rede social municipal, cativando e estimulando as organizações do território para o desenvolvimento de um trabalho em rede, reforçando a ligação de todos ao município.

Para este novo roteiro associativo que agora se inicia – pelo quarto ano – Paulo Cunha assume mais uma vez a ambição de contactar com todas as associações do concelho, reforçando o espírito de união entre todos, para que todos tenham um papel participativo e de compromisso no futuro do concelho.

DSC_6701.jpg

FAMALICÃO RECEBE LUATY BEIRÃO

Luaty Beirão em Famalicão na apresentação do núcleo da Amnistia Internacional

Luaty Beirão esteve em Vila Nova de Famalicão no passado sábado, 14 de janeiro, para apadrinhar a apresentação do núcleo famalicense da Amnistia Internacional Portugal. Foi na Biblioteca Municipal numa sessão onde se falou de Direitos Humanos com intervenções do próprio ativista luso-angolano, conhecido pela sua luta em prol da liberdade de expressão, democracia e luta anticorrupção em Angola, e do presidente do novo núcleo, Carlos Oliveira. 

Luaty Beirão em Famalicão.jpg

O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, associou-se ao momento, congratulou-se pela criação da estrutura no concelho e sublinhou que “a Amnistia Internacional tem defendido de forma assertiva causas e direitos sociais em temas transversais, intemporais e com abordagem histórica”.

Luaty Beirão está em Portugal para realizar conferências onde conta a sua história e a dos que, com ele, foram acusados de associação de malfeitores e tentativa de rebelião contra o presidente José Eduardo dos Santos. Luaty utilizou a greve de fome como forma de protesto contra a sua detenção e de mais 13 ativistas. “A vida em Angola é muito imprevisível para toda a gente. Há muita doença, muita criminalidade. Morre-se por estar vivo”, disse, sublinhando: “Eu gostaria de dizer que nunca mais vou ser preso mas é difícil prever”.

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO FAMALICENSE FELICITA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DAS LAMEIRAS

Paulo Cunha felicita nova direção da Associação de Moradores das Lameiras

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, elogiou na passada sexta-feira, 13 de janeiro, o trabalho social que tem vindo a ser desenvolvido pela Associação de Moradores das Lameiras (AML).

Paulo Cunha com Jorge Faria.jpg

O edil famalicense marcou presença na tomada de posse dos novos órgãos sociais da associação para o quadriénio 2017-2020 e apontou a AML como um “ótimo exemplo para o país” na procura das melhores soluções para as necessidades sociais da comunidade em que se insere.  

A AML vai manter-se sob a liderança de Jorge Faria, conseguindo assim uma estabilidade que Paulo Cunha considera “fundamental” para a continuidade do trabalho da instituição.

Recorde-se que a AML - Associação de Moradores das Lameiras é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, com sede no Edifício das Lameiras, no concelho de Vila Nova de Famalicão. Fundada em maio de 1984, a AML orienta a sua ação na promoção da solidariedade social, educação, habitação, saúde, cultura e desporto a partir da infância, juventude, família e terceira idade, na defesa dos interesses dos moradores das Lameiras e freguesia de Antas, à qual pertence. 

VINHOS CASTRO GARANTE QUANTIDADE E QUALIDADE

Visita do Presidente da Câmara aos Vinhos Castro, segunda-feira, 16 de janeiro, pelas 10h30, na Quinta Rua Bispo D. Luís Almeida, Nº 339, em Cavalões

É um dos maiores produtores nacionais de vinho verde e o maior de Vila Nova de Famalicão, concelho enquadrado na  Região Demarcada dos Vinhos Verdes, sub-região do Ave. Os Vinhos Castro – Vinhos de Portugal, são um projeto que resulta da paixão da família Marinho em criar vinhos únicos, singulares e com diferenciação no mercado. Aqui, quantidade é sinónimo de qualidade.

 

AFS_3164 (2).jpg

São muitos hectares de quintas, localizadas nas freguesias de Cavalões, Requião e Vermoim, que, em 2016, permitiram uma produção recorde  de 900 toneladas de uvas, garantindo qualquer coisa como  600 mil litros de vinho de produção própria.

A adega, com uma capacidade instalada de armazenamento para 800 mil litros, vai ser visitada segunda-feira, 16 de janeiro, pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, pelas 10h30, na Quinta Rua Bispo D. Luís Almeida. Nº 339 - 4760-426, em Cavalões.

O vinho Cavalões é o que mais vende, mas é a série “7 Tentações” que mais orgulha o administrador da empresa, Filipe Marinho, que fala numa “luta permanente pela qualidade”. “Numa hora pode-se perder a produção de um ano”, diz, apontando os desafios que se seguem depois de assegurado o primeiro: “A distribuição, a internacionalização e a produção de subprodutos como aguardentes e  licores”.

AFS_3194 (1).jpg

FAMALICÃO REQUALIFICA ESCOLA BÁSICA DE MEÃES

Paulo Cunha inaugura obras de remodelação da Escola Básica de Meães. Cerimónia tem lugar na próxima segunda-feira, dia 16 de janeiro, pelas 15h00

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, inaugura na próxima segunda-feira, 16 de janeiro, pelas 15h00, as obras de remodelação da Escola Básica de Meães, em Calendário.

DSC_5499.jpg

A intervenção que implicou um investimento municipal de mais de 150 mil euros, envolveu um conjunto de melhoramentos, tendo em vista um maior conforto dos alunos e uma qualidade de excelência do ensino.

Entre as diversas intervenções destaque para a substituição de telhado, colocação de isolamento térmico, substituição de madeiras, soalhos e portas, pintura, revisão da instalação elétrica, colocação de relva sintética, reparação de muros e vedações entre outros melhoramentos

 

FAMALICÃO REQUALIFICA ESTRADA QUE LIGA CABEÇUDOS A ESMERIZ

Estrada que liga Cabeçudos a Esmeriz ganha passeios largos para peões e mais segurança para os carros. Paulo Cunha visitou a obra nesta quinta-feira

São mais de dois quilómetros de obra na estrada que liga as freguesias de Cabeçudos e Esmeriz, num investimento municipal de quase 700 mil euros. O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e o presidente da União das Freguesias Armindo Mourão visitaram, esta quinta-feira, as obras que deverão ficar concluídas durante o Verão.

AFS_3214.jpg

“É uma obra fundamental para as pessoas que aqui vivem, mas principalmente para todos aqueles que usam esta estrada diariamente”, afirmou Armindo Mourão, acrescentando que “para além de trazer uma imagem mais moderna à freguesia, esta intervenção vai melhorar a segurança, a comodidade e qualidade de vida das pessoas, tendo em conta que para além dos passeios largos, contempla ainda a renovação das redes de água”. “Era uma obra há muito ansiada por todos”, explicou ainda visivelmente satisfeito e orgulhoso. Também Paulo Cunha, salientou que se trata de uma “obra completa que vai beneficiar toda a gente”. E recordando o investimento que a autarquia está a fazer um pouco por todo o concelho, salientou que “o grande objetivo da melhoria da qualidade da rede viária no concelho, para além da importância no desenvolvimento integrado do concelho, pois boas acessibilidades são um fator importante na atração de novos investimentos, é o de providenciar uma melhor circulação que resulta numa maior segurança, tanto para os automobilistas como para os peões, bem como ainda o contributo inegável na valorização do meio ambiente”.

De facto, para além do alargamento da via, da pavimentação, da criação de passeios, estacionamento, e zonas ajardinadas, a empreitada implica ainda a renovação das redes de águas e colocação de sinalização.

Refira-se que a beneficiação desta via, EM 509/1, faz parte de um conjunto de obras da rede viária que a Câmara Municipal está a lançar para o terreno. Ao todo são seis intervenções de grande investimento, nomeadamente o melhoramento do Caminho Municipal 1500/1, em Mogege, do Caminho Municipal 1527, em Delães, Oliveira S. Mateus e Oliveira Santa Maria, do Caminho Municipal 1480, em Gavião, a reabilitação do Caminho Municipal 1458, em Fradelos e a beneficiação da Avenida do Rio Veirão, em Ribeirão.

Ao todo, as intervenções implicam um investimento municipal superior a 2,1 milhões de euros.

AFS_3232.jpg

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO FAMALICENSE QUER LOJA DO CIDADÃO INAUGURADA ESTE ANO EM FAMALICÃO

Município aprovou voto de recomendação ao Governo para a urgência desta estrutura pública no concelho

O executivo municipal de Vila Nova de Famalicão manifestou, esta quinta-feira, a sua congratulação pela decisão do Governo de colocar a Loja do Cidadão de Famalicão e o Espaço Cidadão de Joane, na lista de novos espaços a abrir no país.

Loja do Cidadão ficará no Centro Comercial D. Sancho I.jpg

O anúncio publicado no início do mês em Diário da República deixou o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “satisfeito”, no entanto, o autarca não concorda com a data proposta pelo Governo para a abertura da Loja do Cidadão, em Famalicão, que está apontada para 2018 e 2019.

“Temos todas as condições criadas para que a Loja do Cidadão comece a funcionar em 2017”, afirma o autarca, acrescentando que, para além disso “há ainda uma evidente urgência na abertura desta estrutura, tendo em conta que atualmente estes serviços públicos do Estado estão a ser prestados em más condições, como é o caso do registo civil”.

Para tentar sensibilizar o Governo para a abertura da Loja do Cidadão em 2017, Paulo Cunha apresentou na reunião do executivo municipal um voto de recomendação junto do Governo e da Agência de Modernização Administrativa (AMA), que recebeu a abstenção dos vereadores eleitos pelo Partido Socialista.

Refira-se que em 2015, o município e a AMA celebraram um protocolo para a instalação deste serviço público no concelho. Na altura, foi encontrado o espaço ideal que permite concentrar no mesmo local os vários serviços. Assim ficou definido que a Loja do Cidadão ficará instalada no Centro Comercial D. Sancho I - espaço da antiga superfície comercial “Inô” -, localizado na Avenida Dr. Carlos Bacelar. Para assegurar o espaço, a autarquia paga desde essa altura uma renda mensal.

Nessa altura, ficou também acordado com as Finanças, Segurança Social e Conservatórias a sua instalação no novo espaço.

Neste sentido, Paulo Cunha insiste na abertura da Loja do Cidadão o mais rapidamente possível. Até porque “são conhecidas as condições precárias em que a Conservatória do Registo Civil e os serviços da Segurança Social, por exemplo, estão a laborar. Quanto à Conservatória do Registo Predial, o espaço é exíguo e pouco cómodo para os utentes. Também, em relação às repartições da Autoridade Tributária estão situadas em espaços bastante antigos e mal localizados”.

No acordo celebrado em 2015, ficou estipulado que seria a AMA a apresentar a candidatura para a obtenção de financiamento comunitário para as obras de adaptação, no entanto, Paulo Cunha demonstra a disponibilidade da autarquia em avançar, desde já, com a execução das obras, desde que “o Estado assuma as suas responsabilidades e aquilo com que se comprometeu”.

Protocolo celebrado com a AMA foi em 2015.jpg

QUANTIDADE E QUALIDADE É GARANTIA DE FUTURO NA ADEGA DOS VINHOS CASTRO EM FAMALICÃO

Visita do Presidente da Câmara aos Vinhos Castro, segunda-feira, 23 de janeiro, pelas 10h30, na Quinta Rua Bispo D. Luís Almeida, Nº 339, em Cavalões

AFS_3164.jpg

É um dos maiores produtores nacionais de vinho verde e o maior de Vila Nova de Famalicão, concelho enquadrado na  Região Demarcada dos Vinhos Verdes, sub-região do Ave. Os Vinhos Castro – Vinhos de Portugal, são um projeto que resulta da paixão da família Marinho em criar vinhos únicos, singulares e com diferenciação no mercado. Aqui, quantidade é sinónimo de qualidade.

São muitos hectares de quintas, localizadas nas freguesias de Cavalões, Requião e Vermoim, que, em 2016, permitiram uma produção recorde  de 900 toneladas de uvas, garantindo qualquer coisa como  600 mil litros de vinho de produção própria.

A adega, com uma capacidade instalada de armazenamento para 800 mil litros, vai ser visitadasegunda-feira pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, pelas 10h30, na Quinta Rua Bispo D. Luís Almeida. Nº 339 - 4760-426, em Cavalões.

O vinho Cavalões é o que mais vende, mas é a série “7 Tentações” que mais orgulha o administrador da empresa, Filipe Marinho, que fala numa “luta permanente pela qualidade”. “Numa hora pode-se perder a produção de um ano”, diz, apontando os desafios que se seguem depois de assegurado o primeiro: “A distribuição, a internacionalização e a produção de subprodutos como aguardentes e  licores”.

AFS_3194.jpg

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO APROVA VOTO DE PESAR PELA MORTE DE MÁRIO SOARES

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou, esta quinta-feira, 12 de janeiro, por unanimidade um voto de pesar pela morte de Mário Soares, assinalando “o reconhecimento público do município pela sua vida e obra” e reconhecendo-o como “cidadão generoso, abnegado e empenhado que desempenhou um contributo exemplar para que Portugal fosse uma democracia pluralista sólida e uma Nação livre e soberana inserida na União Europeia.”

Mário Soares recebeu as chaves da cidade em 1988 (1).jpg

O ex-presidente da República Portuguesa e figura cimeira da vida pública e política da Democracia portuguesa faleceu no passado sábado, dia 7 de janeiro, aos 92 anos.

Na proposta apresentada, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, considera Mário Soares como“uma das maiores figuras do Portugal Contemporâneo”, salientando que “ao longo da sua existência terrena, foi um Homem que serviu e deu a Portugal o melhor da sua vida”.

A proposta recorda ainda a relação de Mário Soares com o concelho famalicense, nomeadamente a atribuição da Chave da Cidade, em 31 de março de 1988, como o mais alto e simbólico dos Galardões Municipais, reconhecendo o seu papel na promoção a nível nacional e internacional dos valores fundamentais da Liberdade e da Democracia.

CLOSE-UP REGRESSA ESTE FIM-DE-SEMANA À CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO

Sessão dupla dedicada ao cineasta brasileiro Gabriel Mascaro esta sexta-feira, dia 13

Neste novo ano, o cinema vai continuar a ser uma das grandes apostas da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. Depois da sua estreia em outubro, o Close-Up – Observatório de Cinema regressa agora à programação mensal do espaço cultural famalicense, numa versão mais curta, mas não menos interessante.

Close-Up.jpg

Uma sessão dupla comentada e dedicada a um dos novos grandes nomes do cinema brasileiro - Gabriel Mascaro - é o grande destaque desta primeira “réplica” do Observatório de Cinema, que se realiza já neste fim-de-semana, nos dias 13 e 14 de janeiro.

“Um Lugar ao Sol” e “Doméstica” são os dois documentários do cineasta pernambucano escolhidos para serem exibidos esta sexta-feira à noite. 

Realizado em 2009, “Um Lugar ao Sol” aborda o universo dos moradores de coberturas de prédio das cidades de Recife, Rio de Janeiro e São Paulo e através dos depoimentos recolhidos, suscita o debate sobre desejo, visibilidade, insegurança, estatuto e poder, e constrói um discurso sensorial sobre o paradigma arquitetónico e social brasileiro. Já o documentário “Doméstica” nasceu da vontade de sete adolescentes registarem, durante uma semana, o dia-a-dia da sua empregada. O filme, realizado em 2012, lança um olhar contemporâneo sobre o trabalho doméstico no ambiente familiar, transformando-se num potente ensaio sobre afeto e trabalho.

No segundo dia do certame destaque para a exibição do filme “A Toca do Lobo”, a partir das 21h45. Um documentário que abre as portas secretas da vida do escritor Tomaz de Figueiredo, através do olhar da sua neta, a cineasta Catarina Mourão, presença confirmada na sessão de sábado.

Refira-se que esta primeira réplica do Close-Up incluirá também duas sessões para as escolas, com uma extensão do Cinanima (na sua 40.ª edição) para o pré-escolar e 1.º ciclo e a exibição de “The Kid”, um incontornável filme de Chaplin, para os alunos do 2.º e 3.º ciclos.

A entrada nas sessões do Close-Up têm o custo de 2 euros, reduzindo para metade para portadores do Cartão Quadrilátero Cultural. Para estudantes, seniores e associados de cineclubes a iniciativa é gratuita.

Mais informações em www.casadasartes.org ou em www.closeup.pt.

PROGRAMA

13 de janeiro | 10h00 - Extensão da 40.ª edição do CINANIMA - Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho - sessão para escolas

13 de janeiro | 15h00 - “The Kid” (O Garoto) de Charlie Chaplin - sessão para escolas

13 de janeiro | 21h45 - “Um Lugar ao Sol” + “Doméstica” de Gabriel Mascaro

14 de janeiro |21h45 - “A Toca do Lobo” de Catarina Mourão

FAMALICÃO REALIZA "FAMA ZUMBA EVENT"

“Fama Zumba Event” decorre em Famalicão a 28 de janeiro

O Pavilhão Municipal de Vila Nova de Famalicão é novamente o palco escolhido para acolher mais uma edição do “Fama Zumba Event”.

AFS_5225.jpg

A iniciativa, organizada pela AZ Move com o apoio da Câmara Municipal, terá lugar no próximo dia 28 de janeiro, sábado, e vai contar com a presença de nomes fortes da modalidade, tais como José Canossa, Vítor Silva, Alejandra Paolini e André Alves.

O evento decorrerá da parte da tarde, a partir das 15h00, e contará com uma “masterclass” de Zumba agendada para as 17h00.

A participação no “Fama Zumba Event” tem o custo de 5 euros, sendo que parte da receita reverterá a favor da APPACDM.

Mais informações sobre a iniciativa através da página de Facebook da AZ Move, em www.facebook.com/azmoveventos.

FAMALICÃO ORGANIZA VISITA GUIADA À CONTINENTAL-ITA

Visita guiada à Continental-ITA, dia 14 de janeiro

No âmbito do programa de dinamização da Exposição "Percurso da Continental por Terras Famalicenses", patente na Casa do Território, realiza-se este sábado, dia 14, uma visita guiada à Continental - ITA (Indústria Têxtil do Ave), empresa do Grupo Continental, na freguesia de Lousado.

Esta visita será acompanhada por colaboradores da empresa e pretende proporcionar aos participantes uma mostra do seu percurso, as linhas de produção, os laboratórios e o ambiente industrial da empresa.

A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição (até à lotação de 40 participantes), até ao dia 13 de Janeiro.

Concentração e saída da Casa do Território, às 14h30. Regresso previsto pelas 17h30.

Mais informações através do email parquedadevesa@vilanovadefamalicao.org, ou pelo telefone, através do número 252 374 184.

FAMALICENSES PERDEM A CABEÇA NO CARNAVAL

Câmara Municipal lança campanha de comunicação de um dos maiores eventos culturais do ano

“Vais perder a cabeça!” É o mote da campanha de comunicação do Carnaval de Famalicão 2017.  A mais de um mês do grande acontecimento festivo, inspirada na folia e na diversão genuína carnavalesca, a autarquia põe o Carnaval na ordem do dia com a divulgação da imagem e do programa.

Imagem geralcarnav.jpg

“À semelhança do que já acontece um pouco por todo o concelho, onde as costureiras já começam a ser requisitadas, as escolas começam a preparar os adereços e atividades e os grupos de foliões começam a organizar-se, a Câmara Municipal  prepara-se também para arrancar com a campanha de promoção do Carnaval 2017”, anuncia, a propósito, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, adiantando que o município “está empenhado em fazer deste Carnaval o mais participado de sempre”.

O evento que já conquistou um lugar de destaque no país, é já uma marca do concelho e uma aposta turística de referência, atraindo todos os anos muitos milhares de pessoas à cidade.

Aqui, a folia sai à rua na noite de segunda para terça-feira, de 27 para 28 de fevereiro, e não se fica só a ver a banda a passar.

O Carnaval de Famalicão é genuíno, espontâneo, participado e verdadeiramente surpreendente. Só quem o experimenta sabe como é, e nunca mais o troca por nenhum outro!

Por isso, são cada vez mais os foliões que escolhem esta cidade para celebrar o carnaval e desfrutar de uma das mais longas e divertidas noites do ano.

Com origem no tradicional Entrudo português, o Carnaval famalicense nasce da participação livre das pessoas, que saem à rua em massa encarnando as mais diversas personagens. O costume começou no final dos anos 90, mas com o tempo ganhou uma força incrível e uma popularidade enorme.

Animação, criatividade e muita boa-disposição são os principais ingredientes, faça chuva ou faça sol!

Este ano, a autarquia volta a apostar no transporte gratuito para a festa, com o reforço das carreiras no concelho e repetindo a parceria com a CP, Comboios de Portugal.

“Não queremos que ninguém falte à festa, mas acima de tudo queremos que as pessoas se divirtam em segurança”, afirma ainda Paulo Cunha

LUATY BEIRÃO APADRINHA NÚCLEO DE FAMALICÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL

O ativista luso-angolano Luaty Beirão vai marcar presença na apresentação do Núcleo de Vila Nova de Famalicão da Amnistia Internacional (AI) Portugal.

15621788_691883097639813_64856008820900835_n (1).jpg

A sessão tem lugar no próximo sábado, 14 de janeiro, a partir das 15h00, na Biblioteca Municipal de Vila Nova de Famalicão, e prevê uma conferência sobre Direitos Humanos com testemunhos do próprio Luaty Beirão e do presidente do núcleo famalicense da AI, Carlos Oliveira, entre outros.

Esta iniciativa conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão através do Pelouro da Família.

SENIORES FAMALICENSES REVIVEM TRADIÇÃO DOS REIS

Depois das crianças, na passada sexta-feira, 6 de janeiro, foi a vez dos seniores famalicenses assinalarem a quadra dos Reis com o tradicional “Cantar dos Reis Sénior”.

Cantar dos Reis Sénior.jpg

A iniciativa, organizada todos os anos pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, contou com a participação de mais de um milhar de seniores do projeto municipal “Mais e Melhores Anos” que, conforme referiu o edil famalicense, Paulo Cunha, “voltaram a mostrar que vitalidade é coisa que não lhes falta”.

Refira-se que este ano, e com o intuito de conseguir reunir o maior número de participantes, a autarquia optou por deslocar o evento da Casa das Artes para o Pavilhão Municipal das Lameiras.

Uma decisão que veio a confirmar-se acertada por parte do executivo municipal, tendo em conta o elevado número – mais de três dezenas – de instituições que não quis perder o momento.

FAMALICÃO REALIZA CONCURSO DE ARTE VICENTINA

Inscrições para concurso de Arte Vicentina decorrem até sábado

Decorrem até ao próximo sábado, 14 de janeiro, as inscrições para participar no concurso de Arte Vicentina, promovido pelo Município de Vila Nova de Famalicão, através do Gabinete do Associativismo, em parceria com a União das Freguesias de Arnoso Santa Maria, Arnoso Santa Eulália e Sezures.

Arte Vicentina.jpg

O concurso que põe à prova a criatividade da população, desafiando-a a apresentar réplicas do grande arco das festas de S. Vicente, resulta numa exposição que terá lugar durante o dia 22 de janeiro, no Monte de S. Vicente.

Os arcos a concurso devem ter uma altura máxima de 1,5 metro, e podem ser criados com qualquer material, sendo contudo condição de participação que as obras incorporem materiais/resíduos provenientes da terra ou que esta esteja simbolicamente representada.

Dado que as obras selecionadas serão expostas ao ar livre, em local público junto à Capela de S. Vicente, os artistas deverão ter em consideração a sua facilidade de instalação e remoção. A divulgação dos premiados e respetiva entrega de prémios será feita no dia 22, na “Mostra Associativa”. Todos os artistas serão contemplados com certificado de participação e aos primeiros classificados serão entregues diplomas e troféus.

Refira-se que as inscrições realizam-se na Junta de Freguesia de Sezures através do preenchimento de ficha própria, sendo a data limite para receção das mesmas o dia 14 de janeiro de 2017.

FAMALICÃO ENCERRA PONTE PEDONAL

Câmara fecha ponte pedonal sobre a Avenida 9 de Julho

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão decidiu encerrar temporariamente a ponte pedonal sobre a Avenida 9 de Julho, na cidade famalicense, por questões de segurança.

Ponte pedonal.jpg

A passagem aérea de acesso ao Centro Comercial E. Leclerc foi alvo de uma vistoria que detetou alguma deterioração no piso de madeira, não reunindo as condições de segurança exigidas para se manter aberta à circulação.

Neste momento, a autarquia está já a preparar uma intervenção na ponte. Entretanto, os peões devem utilizar as passadeiras tradicionais existentes na proximidade.

CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO RECEBEU PERTO DE 90 MIL ESPECTADORES NO ANO PASSADO

Espaço cultural famalicense fechou 2016 com “saldo positivo”. Casa das Artes recebeu 90 mil espectadores em 2016

No ano em que soprou as velas do seu 15.º aniversário, a Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão recebeu a visita de quase 90 mil espectadores.

Ao longo destes 15 anos, a Casa das Artes já atingiu a marca do milhão d....jpg

Com uma programação diversificada e intensa ao longo de todo o ano, o espaço cultural famalicense voltou a mostrar em 2016 as razões pelas quais é hoje considerado uma das salas de espetáculos com maior dinâmica e mérito em Portugal.    

GNR, Ana Moura, Deolinda, Dead Combo, Samuel Úria, Bossarenova Trio, EDge, Diogo Infante, Alexandra Lencastre e Regina Duarte foram alguns dos nomes do mundo artístico nacional e internacional que passaram pela Casa das Artes só no último ano.

Feitas as contas, em 2016 a Casa das Artes foi palco de mais de 400 espetáculos de áreas tão variadas como a música, teatro, dança, cinema, exposições, entre outras. 

Números que, na opinião do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “espelham os bons resultados da aposta cultural do município e evidenciam a consolidação da Casa das Artes como um dos polos irradiadores de cultura da região”.   

Composta por um grande auditório com capacidade para cerca de 500 lugares, um pequeno auditório com 124 lugares, um café-concerto com capacidade para 74 pessoas e um foyer, refira-se que, ao longo desta década e meia de existência, o espaço cultural famalicense atingiu já a marca do milhão de espectadores.

Mais informações em www.casadasartes.org

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO FAMALICENSE REPARTE MÉRITOS DO MANDATO COM OS PRESIDENTES DE JUNTA DO CONCELHO

Presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, traçou balanço “francamente positivo” do trabalho realizado no Jantar de Reis da família autárquica famalicense

AFS_1440.jpg

“Podemos estar todos orgulhosos do nosso concelho. Temos feito um trabalho notável em vários domínios e os resultados, positivos e visíveis, são consequência do contributo de todos os elementos que compõem a equipa autárquica de Famalicão”. O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, dividiu ontem com todos os presidentes de Junta de Freguesia os méritos dos resultados obtidos nos últimos três anos de gestão autárquica.

No tradicional de Jantar de Reis  que reúne a família autárquica de todas as freguesias do concelho – o último do atual ciclo autárquico -, realizado ontem, 5 de janeiro, em Calendário, o presidente da Câmara Municipal aproveitou o encontro para fazer uma apreciação“francamente positiva do desempenho de todos os presidentes de junta de freguesia e respetivas equipas”.

Elogiando o “padrão da exigência” com que foi assumido o trabalho autárquico pelos eleitos locais do concelho, Paulo Cunha, realçou a “cultura de compromisso” para com o território que desde a primeira hora norteou o trabalhos dos autarcas. “Podemos estar orgulhosos. Enche-nos a alma saber que Vila Nova de Famalicão é notado pelas suas boas práticas e que há cada vez mais pessoas e empresas a manifestarem a sua intenção em virem para cá.”

A satisfação do presidente da Câmara Municipal foi notoriamente partilhada pelos autarcas presentes e fica bem refletida nas palavras do Presdente da União de Freguesias de Telhado, S. Cosme e Portela, António Matos. “Talvez tenha realizado o meu melhor mandato de sempre. Apesar de ter sido eleito por uma cor política diferente da que assume a presidência do executivo municipal, sinto uma grande cumplicidade, proximidade e compromisso entre o presidente da Câmara, a vereação e os presidentes de junta de freguesia.”

AFS_1473.jpg

CRIANÇAS FAMALICENSES CANTAM OS REIS

Vozes bem afinadas, coreografia ensaiada, coroas na cabeça e com um enorme sorriso nos lábios. Foi desta forma que mais de um milhar de crianças famalicenses subiram esta quinta-feira ao palco do grande auditório da Casa das Artes de Famalicão para cantar os Reis.

DSC_5725.jpg

O “Cantar dos Reis Infantil”, assim se chama a iniciativa promovida todos os anos pela Câmara Municipal, contou com a participação de uma dezena de instituições educativas do concelho – Jardim de Infância do ACB; Associação Gerações; Mais Plural; Creche Lapa e Creche Guia; Centro Social Pousada Saramagos; Creche Mãe; Associação de Moradores das Lameiras; EB1 Conde São Cosme; Centro Escolar Luís de Camões e APPACDM de Famalicão.

Na plateia, e entre aqueles que não quiseram perder o momento, estava o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. O edil não escondeu o agrado por ver que as tradições são levadas a sério pelos mais novos e aproveitou para desejar um bom ano a toda a comunidade educativa famalicense.

Amanhã, sexta-feira, dia 6, é a vez dos seniores. O “Cantar dos Reis Sénior” realiza-se a partir das 14h30, no Pavilhão das Lameiras, com a participação de perto de 800 seniores que integram o projeto municipal “Mais e Melhores Anos”.

DSC_6107.jpg

FAMALICÃO APOSTA NA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Câmara avança com os projetos de sustentabilidade para a Casa das Artes e Piscinas Municipais de Oliveira S. Mateus e Joane

Depois da instalação de lâmpadas tipo LED em mais de uma dezena de parques e praças do concelho e da abertura do concurso público para a substituição de cerca de cinco mil luminárias de lâmpadas convencionais por luminárias do tipo Led, na iluminação pública do concelho, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão avança agora com os projetos de sustentabilidade e eficiência energética para a Casa das Artes e Piscinas Municipais de Oliveira S. Mateus e Joane.

Piscinas Municipais.jpg

O projeto que foi já implementado nas Piscinas Municipais de Vila Nova de Famalicão e Ribeirão prevê melhorar a eficiência das instalações mecânicas das redes hidráulicas para aquecimento, arrefecimento e produção de água quente sanitária, bem como os sistemas de iluminação para sistemas a leds.

Os projetos integram o conjunto de investimentos previstos no pacto para o desenvolvimento e coesão territorial da comunidade intermunicipal do Ave 2014-2020.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “a melhoria da eficiência energética é uma das preocupações do município de Vila Nova de Famalicão”, pois para além “de um efetiva poupança económica, as medidas preveem essencialmente uma poupança ambiental, já que estamos empenhados em tornar Vila Nova de Famalicão num concelho cada vez mais amigo do ambiente e eficiente do ponto de vista energético”.

Piscinas Oliveira S. Mateus.jpg

FAMALICÃO MELHORA SANEAMENTO BÁSICO E ABASTECIMENTO DE ÁGUA

Freguesias de Mouquim, Lemenhe e Jesufrei recebem maior fatia do investimento em saneamento e água. Empreitada implica perto de 800 mil euros e fica pronta no Verão

Até meados do Verão, mais 500 famílias das freguesias de Mouquim, Lemenhe e Jesufrei vão beneficiar de saneamento básico em sua casa. A obra que vai permitir o aumento da rede de drenagem de águas residuais e o abastecimento de água, nesta zona do concelho, já está no terreno e decorre a bom ritmo.

AFS_1055.jpg

Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, e o presidente da União das freguesias de Mouquim, Lemenhe e Jesufrei, Carlos Fernandes, visitaram a obra, nesta terça-feira, e mostraram estar em sintonia quanto ao desenvolvimento destas freguesias do Vale do Rio Este.

A empreitada implica um investimento municipal de perto de 800 mil euros, um dos maiores investimentos da autarquia nesta área, e tem uma extensão de quase dez quilómetros de saneamento e mais de cinco quilómetros de água.

Para Carlos Fernandes “esta é a obra que faltava”. “Temos algumas intervenções importantes a arrancar, mas esta era realmente uma prioridade para as pessoas”.

Por sua vez, Paulo Cunha, salientou a vontade de “cobrir todo o concelho com água e saneamento”. “É uma ambição que não escondo, mas que precisa de tempo e de seguir alguns trâmites para ser concretizada”.

Depois de concluída a obra, Jesufrei irá passar de uma cobertura de saneamento de 50 por cento para 78, 5 por cento, Lemenhe passa de 5 por cento para 85 por cento e Mouquim passa de 60 para 70 por cento.

Refira-se que esta empreitada faz parte do investimento superior a 4 milhões de euros anunciado pela autarquia no final do passado mês de outubro e que vai levar mais 30 quilómetros de rede de água e 60 quilómetros de rede de saneamento básico a dez mil habitações do concelho.

AFS_1136.jpg

AFS_1177.jpg

BIBLIOTECA DE FAMALICÃO APOIA ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

Biblioteca Municipal de Famalicão aberta fora d’horas para apoio aos estudantes universitários. Medida entra hoje em vigor

A Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco de Vila Nova de Famalicão alarga, a partir desta terça-feira, 3 de janeiro, o seu horário de funcionamento como espaço público de apoio ao estudo, a pensar nos estudantes.

AFS_3069.jpg

A medida que tem como objetivo servir os estudantes durante as épocas de exames, abrange os meses de janeiro e fevereiro, junho e julho e setembro. Ao longo destes meses o horário será alargado de segunda a sexta-feira até às 24h00.

“Queremos corresponder às necessidades dos nossos jovens, criando uma ligação mais próxima e cúmplice com eles e auxiliando-os na concretização dos seus objetivos”,afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Localizada na Avenida Dr. Carlos Bacelar, a Biblioteca Municipal funciona às segundas das 14h00 às 19h30, de terça a sexta-feira das 10h00 às 19h30 e aos sábados das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00

FAMALICÃO PUXA PELA ECONOMIA NACIONAL

Empresas de Famalicão aumentam exportações em 8,5% segundo dados do Instituto Nacional de Estatística. Concelho volta a ocupar pódio nacional dos mais exportadores.

Mais 8,5% de exportações, um crescimento da balança comercial positiva em 13%, mais 4% de emprego, o que equivale a mais 2.018 empregos criados, e um volume total de negócios superior em 3%. Estes são alguns dos números que voltam a fazer brilhar o concelho de Vila Nova de Famalicão na economia nacional e que foram recentemente conhecidos através da publicação das estatísticas oficiais de 2015 pelo Instituto Nacional de Estatística. Em termos nacionais as exportações cresceram 3,68% em 2015.

A Coindu produz em Famalicão estofos para carros de luxo.jpg

O concelho de Vila Nova de Famalicão deixa, assim, mais uma vez bem vincado ao país o seu já histórico ADN empresarial e a capacidade do seu território em captar novos investimentos e novas empresas. Com um volume de exportações de 1,9 mil milhões de euros, Vila Nova de Famalicão volta a ocupar o pódio reservado aos três municípios mais exportadores do Portugal, sendo novamente no Norte de Portugal aquele que regista um volume maior de produtos enviados para o mercado internacional. Com um volume de importações de 980 milhões de euros, Famalicão consegue o feito de registar a segunda balança comercial mais favorável do país, com um saldo positivo de 901 milhões de euros.

A prestação famalicense no campeonato da exportações impressiona ainda mais quando comparada com a evolução do volume de exportações entre 2012 e 2015, que passou dos 1,5 mil milhões de euros para os 1,9 mil milhões atuais, o que equivale a um aumento de exportações na ordem dos 20 por cento.

Olbo&Mehler prepara-se para investir mais quatro milhões em Famalicão.jpg

Os números podem ser consultados nos anuários estatísticos do Instituto Nacional de Estatística (www.ine.pt), publicações que anualmente disponibilizam informação objetiva à escala regional e municipal, de apoio à leitura de trajetórias de desenvolvimento regional e ao estudo de problemáticas de base territorial.

A capacidade exportadora das empresas de Famalicão e o crescimento que têm tido ao longo dos últimos anos, fruto dos novos investimentos aplicados no território, é uma evidência que deixa o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “muito feliz”. E explica: “Produzir e exportar mais, significa mais emprego e traduz um território mais competitivo e atrativo, impulsionando mais crescimento dentro do município”.

A propósito, refira-se que o número de desempregados em Famalicão tem vindo a cair acentuadamente pelo menos desde 2013, tendo a taxa de desemprego passado dos 15,13% para os 8,52% atuais, o que equivale a uma descida de 44%. Neste últimos três anos, são perto de 5000 pessoas que deixaram as pertencer às estatísticas oficiais do país do desemprego.  

Recorde-se que Vila Nova de Famalicão  concentra importantes e potenciais clusters industriais em sectores estruturantes para a economia nacional e local, como o têxtil, o agroalimentar e a metalomecânica. E acolhe a sede de algumas das maiores e mais conceituadas empresas. É o caso incontornável da Continental Mabor, a quinta maior exportadora nacional.

Para além disso o concelho, é berço e sede de empresas de referência nacional e internacional como a Coindu, a Leica, a Riopele, a Primor, a Porminho, a Aco Shoes, a Salsa e a Tiffosi, entre tantas outras.

ROQ é uma das maiores empresas mundiais na construção e comercialização de máquinas de estamparia têxtil.jpg

FAMALICENSES RENDEM-SE AO "VOLTAS"

Novo transporte público rodoviário urbano está a conquistar os famalicenses. Cerca de cem pessoas utilizam todos os dias o Voltas na cidade de Famalicão

O Voltas, o novo transporte público rodoviário urbano de Vila Nova de Famalicão que começou a funcionar no Dia Europeu sem Carros, a 22 de setembro, já está a conquistar os famalicenses.

DSC_7845a.jpg

Durante o mês de novembro, circularam no Voltas uma média de 100 passageiros por dia, registando-se um crescimento médio de 34 passageiros por dia, em relação ao mês anterior de outubro. Por outro lado, registou-se também um aumento do número de utilizadores de outros títulos de transporte – isto é, pessoas que já utilizam transportes públicos para chegar à cidade.

Significa isto, que o Voltas está a corresponder aos objetivos que foram delineados para a sua criação. “O Voltas representa acima de tudo uma aposta na mobilidade das pessoas na cidade, dando-lhes argumentos para deixarem o carro em casa e utilizarem os transportes públicos”, explica a propósito Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, visivelmente satisfeito com os resultados alcançados nestes primeiros meses.

“Ainda é cedo para falarmos em sucesso, mas para já os objetivos estão a ser alcançados”, acrescenta.

De resto, os famalicenses têm motivos para estar satisfeitos com as medidas tomadas recentemente em prol da mobilidade na cidade. Para além do Voltas, o novo parque de estacionamento intermodal que a autarquia famalicense criou junto à Estação Ferroviária da cidade, para incentivar a utilização de transportes públicos também já se revelou um caso de sucesso, contribuindo para uma maior adesão dos famalicenses aos transportes coletivos, muito particularmente ao comboio.

De acordo com os dados recolhidos, os grandes beneficiados com o Voltas têm sido os possuidores de Passe Sénior Feliz (52 por cento),  seguindo-se os detentores  de outros títulos de transporte (34 por cento). Ambos os utilizadores viajam gratuitamente.

Entretanto, a paragem mais utilizada pelos utentes do Voltas é junto à Estação Ferroviária (36,6), seguindo-se a paragem junto ao Campo da Feira (23,2 %) e a Central de Camionagem (11,4 %).

O projeto, que resulta de uma parceria estabelecida entre a Câmara Municipal e a operadora de transportes Arriva, possibilita viagens gratuitas no centro da cidade para os portadores de um título válido de transporte coletivo rodoviário.

Para Paulo Cunha o Voltas tem “a capacidade de libertar as pessoas dos automóveis e dos constrangimentos do sempre difícil estacionamento citadino,  proporcionando-lhes uma alternativa válida e confortável de circulação. É também, por isso, uma aposta na qualidade de vida que oferece a própria cidade, procurando-se uma diminuição do trânsito citadino”, explica.

O Voltas circula de segunda a sexta-feira, entre as 8h00 e as 19h00, realizando um percurso circular permanente que liga parques de estacionamento gratuitos, estações de transportes coletivos e os principais serviços públicos da cidade. Realiza paragens na Central de Camionagem, Biblioteca Municipal, Parque da Devesa (CITEVE), Tribunal, Rotunda de Santo António, Hospital, Universidade Lusíada, Rotunda 1.º de Maio, Centro de Saúde, Estação Ferroviária.

As paragens do Voltas estão identificadas como tal e fornecem informação detalhada quanto aos horários e circuitos do serviço. Cada volta dura aproximadamente 20 minutos. Para as pessoas que não detenham título de transporte rodóviário válido do dia, cada viagem no Voltas custa 1 euro.

O projeto tem também uma importante dimensão social, uma vez que permite aos seniores detentores do Passe Sénior Feliz a circulação gratuita no Voltas, proporcionando-lhes acesso direto aos principais serviços públicos de Famalicão.

FAMALICÃO RECEBE RITA REDSHOES

Rita Redshoes apresenta “Her” na Casa das Artes. Portuguesa apresenta quarto álbum de originais em Famalicão no dia 28 de janeiro

A portuguesa Rita Redshoes tem novo disco e prepara-se para apresentá-lo em janeiro na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

Rita Redshoes.jpg

Neste seu quarto álbum de originais, intitulado “Her” e gravado em Berlim (Alemanha), a artista escreve e interpreta, pela primeira vez a solo, três temas em português.

Um disco que a cantora assume ser autobiográfico, que explora as várias facetas do feminino e que os famalicenses vão ter a oportunidade de ouvir no próximo dia 28 de janeiro, no concerto que Rita Redshoes tem agendado para o grande auditório do espaço cultural famalicense.

A Vida de Galileu.jpg

Os bilhetes já se encontram à venda e têm o custo de 12 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Este é o grande destaque da programação do próximo mês da Casa das Artes de Famalicão, que entra em 2017 com muita música.

É o caso do concerto dos “Mirror People”, cujas influências “disco-sound” vão fazer ouvir-se no café-concerto no dia 21; da atuação do duo Paris Deuxbut, com Marian Pivka ao piano e Eliseu Silva no violino, marcada para 27 de janeiro, e da apresentação dos famalicenses MV, que vêm à Casa das Artes no dia 28 de janeiro apresentar o seu primeiro EP, intitulado “Chão Despido”.

Na música, destaque também para o espetáculo “Fados” da fadista famalicense Patrícia Costa, no dia 13, e para o já tradicional ciclo de concertos de Ano Novo, nos dias 6, 7 e 8 de janeiro com a atuação da Banda Marcial de Arnoso, da Banda de Famalicão e da Banda de Música de Riba de Ave.

Janeiro tem também teatro em cartaz, com o grande auditório a dar palco à peça “A Vida de Galileu”. Uma encenação do texto de Bertolt Brecht por parte do Teatro do Bolhão, com interpretação, entre outros, do ator português António Capelo.

Por fim, o cinema. O primeiro mês do ano vai ficar marcado pelo regresso do “Close-Up”, com uma réplica do Observatório de Cinema nos dias 13 e 14. Para além da exibição de dois filmes do cineasta brasileiro Gabriel Mascaro, a iniciativa vai também contemplar duas sessões para escolas e uma sessão de cinema comentado.

Mais informações sobre a programação de janeiro no site oficial da Casa das Artes, em www.casadasartes.org

Paris Deuxbut.jpg

FAMALICÃO FAZ BALANÇO MUITO POSITIVO DO “APROXIMAR EDUCAÇÃO”

Relatório destaca melhorias a vários níveis, nomeadamente no envolvimento da autarquia nas responsabilidades da escola

Decorrido pouco mais de um ano após o arranque, em Vila Nova de Famalicão, do projeto-piloto para a  descentralização de competências na área da educação e formação – o Aproximar Educação – “o balanço é unanimemente reconhecido como muito positivo”. A conclusão é do relatório de progresso do Contrato de Educação e Formação Municipal, elaborado recentemente pela Comissão de Acompanhamento e subscrito por todos os diretores de Agrupamentos de Escolas de Famalicão, pelos responsáveis municipais e ainda por representantes da CCDRN, da DGESTE e do IGEFE.

DSC_7755.jpg

De acordo com o documento, desde a entrada em vigor do contrato interadministrativo de delegação de competências em 2 de setembro de 2015, regista-se uma melhor articulação, celeridade e proximidade nas decisões entre o município e os agrupamentos de escolas, assim como uma melhor resposta na afetação de assistentes operacionais nos estabelecimentos de ensino.

Neste âmbito, ao nível da gestão de recursos considera-se positivo a abertura de concurso para a colocação de assistentes operacionais de acordo com o rácio, substituindo os Contratos de Emprego e Inserção (CEI) cuja precariedade e modo de colocação não garantia um trabalho de qualidade. Neste momento, o município tem conseguido assegurar os rácios de Assistentes Operacionais em todos os agrupamentos de escolas.

Em contraponto, destaca-se a necessidade de uma melhor articulação das competências delegadas pelo Ministério da Educação, assim como, uma maior rapidez no processo de aquisição de bens.

Em conclusão, a comissão de acompanhamento expressa um balanço muito positivo do primeiro ano de execução do contrato, sendo que os constrangimentos encontrados são superáveis. A Comissão apresenta mesmo algumas recomendações, de forma a eliminar os pontos fracos, como por exemplo, a necessidade do Ministério da Educação cumprir atempadamente, a colocação de pessoal não docente para a acompanhamento e apoio dos alunos com Necessidades Educativas Especiais, ou ainda a premência do Ministério da Educação e do município trabalharem nos planos de reabilitação dos edifícios não transferidos, entre outras.

De resto, é em termos de edificado que se apresentam alguns dos maiores desafios, sendo que o parque escolar tem ainda alguns problemas estruturais sérios e graves.

Para já, da verba disponível para este ano de 2016 a incidência de intervenção passou para a EBI do Gondifelos, com execução de obras de impermeabilização de parte do edifício e de abertura de novas entradas nas EB de Ribeirão e Bernardino Machado.

Entretanto, o relatório salienta que no ano letivo 2015/2016 todos os agrupamentos de escolas apresentam resultados superiores à média nacional, o que não acontecia nos três últimos anos letivos. Por outro lado, regista-se ainda uma diminuição da percentagem de alunos em risco de abandono escolar.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “os resultados apresentados são bons na generalidade, apesar do longo caminho que ainda temos que percorrer, para conseguirmos atingir os nossos objetivos”.

“Ainda estamos no início do processo, mas não há dúvidas que este é o caminho certo a percorrer na educação”, acrescenta o autarca.

Recorde-se que Vila Nova de Famalicão pertence ao restrito grupo de 14 municípios portugueses escolhidos para receber o projeto piloto de descentralização de competências em matéria de Educação. A Câmara Municipal e toda a comunidade educativa famalicense aceitaram este desafio do Governo porque, segundo Paulo Cunha, “a educação é para Famalicão a maior das prioridades e o trabalho em rede, que há vários anos mantém estreitados os laços dos vários agentes educativos concelhios, dá-nos a garantia de um trabalho de proximidade de maior qualidade e eficácia.”

A descentralização de competências incidiu em cinco grandes áreas: a gestão curricular, a gestão pedagógica, a gestão de pessoal não docente, a gestão financeira e a gestão de equipamentos e infraestruturas.

Paulo Cunha acredita que o contrato, com a validade de quatro anos escolares, “trará vantagens significativas para o território, nomeadamente com o reforço da autonomia das escolas, com a capacidade de, localmente, no território serem tomadas as melhores decisões para o sucesso educativo dos alunos, para a promoção da coesão territorial e para a melhoria da qualidade dos serviços prestados às populações”.

DSC_7747.jpg

FAMALICÃO RECEBE 2017 COM CICLO DE CONCERTOS DE ANO NOVO

Nos dias 6,7 e 8 de janeiro, no grande auditório da Casa das Artes

Nos dias 6, 7 e 8 de janeiro, Vila Nova de Famalicão vai dar as boas-vindas ao novo ano com o já tradicional ciclo de concertos de Ano Novo, que este ano vai contar com a atuação de três das mais prestigiadas bandas filarmónicas do concelho - a Banda Marcial de Arnoso, a Banda de Famalicão e a Banda de Música de Riba de Ave.

Ciclo de concertos de Ano Novo decorre de 6 a 8 de janeiro.jpg

Todos os concertos vão ter lugar no grande auditório da Casa das Artes e têm entrada gratuita, sujeita à lotação da sala.

O primeiro decorre já no próximo dia 6, pelas 21h30, e tem como protagonista a Banda Marcial de Arnoso, conduzida pelo maestro José Moura.

Seguem-se os concertos da Banda de Famalicão, a cargo do maestro Fernando Marinho, no dia 7, pelas 21h30, e da Banda de Música de Riba de Ave, a cargo do maestro Hugo Ribeiro, no domingo, dia 8, a partir das 16h30.

Os bilhetes para os três espetáculos podem ser levantados a partir desta terça-feira, 27 de dezembro, na bilheteira da Casa das Artes.

Mais informações, em www.casadasartes.org

PARQUE DE ESTACIONAMENTO EM FAMALICÃO ESTÁ A CONVERTER CIDADÃOS A ADERIR AO TRANSPORTE PÚBLICO

Parque de estacionamento intermodal gratuito construído junto à estação dos caminhos-de-ferro tem utilização diária próxima da sua total capacidade

O novo parque de estacionamento intermodal que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão criou junto à Estação Ferroviária da cidade, para incentivar a utilização de transportes públicos é já um caso de sucesso absoluto e está a contribuir para uma maior adesão dos famalicenses aos transportes coletivos, muito particularmente ao comboio.

AFS_2755.jpg

Localizado na zona poente da cidade, junto à estação ferroviária, o novo espaço está com uma utilização diária próximo dos 100 por cento, sendo que, do volume total de utilizadores, média de uma centena por dia, mais de 90 por cento não paga por deixar a sua viatura por várias horas num parque de estacionamento vigiado e de acesso controlado.

Significa isto que, na hora de levantar a viatura,  a esmagadora maioria dos utilizadores faz prova, através da apresentação de bilhete de viagem válido de comboio, que utilizou o Parque de Estacionamento como uma plataforma intermodal e por isso não paga.

Recorde-se que o Parque de Estacionamento da Estação foi inaugurado no Dia Europeu sem Carros tendo como objetivo facilitar a utilização dos transportes públicos. “Estamos empenhados em construir uma cidade sustentável, mais amiga do ambiente, com maior qualidade de vida para a população, mas também uma cidade com maior mobilidade, que sirva as necessidades das pessoas com conforto e facilidade”, referiu a propósito na altura o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

O Parque da Estação tem uma capacidade para 70 lugares é vigiado por funcionários do município e disponibiliza espaço gratuito para estacionamento de bicicletas. O horário de funcionamento é entre as cinco horas da manhã e as duas da madrugada, sendo ajustado aos horários dos transportes coletivos. Além disso, o parque serve os utilizadores do Voltas, o novo serviço de transporte urbano rodoviário para fomento da mobilidade das pessoas no interior da cidade que também foi lançado nesta quinta-feira. Uma das paragens do Voltas está localizada mesmo junto ao parque.

AFS_2757.jpg

FAMALICÃO VIRA ALDEIA NATAL

Grupos musicais animam Aldeia Natal

O Natal está à porta e há mais uma razão para que os famalicenses visitem a Aldeia Natal instalada na Praça D. Maria II, em Vila Nova de Famalicão.

DSC_4495.jpg

É que até à próxima sexta-feira, dia 23 de dezembro, os fins de tarde no espaço que concentra todas as atividades natalícias vão contar com a música de vários grupos musicais do concelho.

A iniciativa arrancou ontem, terça-feira, dia 20, com a atuação do Grupo de Cavaquinhos do Liberdade Futebol Clube e segue esta quarta-feira, dia 21, com a atuação dos Folk 5, do grupo musical CCDR, na quinta-feira, e da Banda de Famalicão, na sexta-feira. 

As atuações decorrem às 19h00, junto à mega árvore de Natal.

Natal mais feliz para cem crianças famalicenses

Desde há três anos que o Balcão do Banco BPI de Calendário contribui para que as crianças que estão a ser acompanhadas pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Vila Nova de Famalicão tenham um Natal mais feliz.

Esta quarta-feira, cerca de 100 crianças foram surpreendidas com presentes oferecidos pelos clientes do Banco, fruto de uma campanha de solidariedade liderada pelo Balcão de Calendário em colaboração com a Comissão de Crianças e Jovens de Vila Nova de Famalicão (CPCJ).

A iniciativa decorreu nos Paços do Concelho e contou com a participação do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Para o autarca “esta é uma iniciativa de grande mérito social por parte do BPI, pois envolve toda a comunidade numa onda de solidariedade em prol destas crianças e destas famílias”.

Por sua vez, uma das gestoras do Banco, Marta Oliveira, destacou “a vontade e disponibilidade dos clientes em associarem-se a esta iniciativa”. E explicou: “Muitos clientes começam no início de novembro a perguntar-nos sobre a campanha e mostrarem-se interessados em participar”.

De resto, a campanha é promovida por todos os balcões do Banco BPI do país com o intuito de ajudar as crianças apoiadas por Instituições de Solidariedade.

image49891.jpeg

image49897.jpeg

LES SAINT ARMAND ATUAM EM VIANA DO CASTELO E FAMALICÃO

22 Dezembro - Bar Porta 93, Viana do Castelo. 23 Dezembro - CRU. Espaço Cultural, Famalicão

Têm nome francês, mas cantam em português. Falam de amor e da vontade. Da razão e da loucura. Assim celebram a vida. A sua música tem um carácter próprio já marcado por quase dez anos de existência. Em constante mutação e maturação, lançaram o disco de estreia, “Nó”, no dia 5 de Novembro.

fotolesasaintarmandaa.jpg

“O nome pode atraiçoar os mais distraídos, já que o grupo canta todo o seu repertório em português”, escreve o Jornal de Notícias. E descreve a sonoridade da banda: “com percussão sentida e dedilhados calmos na guitarra”.

“Nó” já está disponível em diversas plataformas online. O single e primeiro videoclip do colectivo é o tema “Nó” e foi uma criação de Les Saint Armand e Francisco Lobo e conta com a interpretação de António Durães e Mafalda Lencastre.

Les Saint Armand são: Alex Rodriguez-Lázaro | bateria José Aníbal Beirão | contrabaixo André Júlio Teixeira | guitarra clássica/voz/teclas e sopros António Parra | cavaquinho/teclas/sopros/voz Tiago Correia | guitarra clássica/voz/letrista

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO ADERE AO CONSELHO DE FUNDADORES DA FUNDAÇÃO DE SERRALVES

Acordo estabelece uma cooperação mais estreita nos domínios da cultura, da arte e do ambiente

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aderiu, no passado dia 6 de dezembro, ao Conselho de Fundadores da Fundação de Serralves.

SERRALVES.jpg

Com a celebração deste acordo de adesão inicia-se uma relação de cooperação entre estas duas instituições, baseada num projeto integrativo de promoção e divulgação cultural e ambiental, que entre outras atividades prevê, por exemplo, o acesso em Famalicão às inúmeras exposições itinerantes da Coleção de Serralves, entre outras iniciativas.

Estabelece-se assim uma colaboração duradoura, proporcionando a aproximação das populações à arte e à cultura contemporâneas e à sensibilização ambiental, bem como à importância da inovação e criatividade no desenvolvimento económico e social, da área territorial do concelho famalicense.

A Fundação Serralves é uma instituição de utilidade pública de que são fundadores, entre outros o Estado, e um importante conjunto de entidades singulares e coletivas, que representam a iniciativa privada, a sociedade civil e as autarquias. Ao todo, a Fundação Serralves conta neste momento com cerca de 200 fundadores.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, “o estatuto de fundador Serralves proporciona um conjunto de benefícios destinados a promover uma participação ativa num projeto de objetivos ambiciosos, cujo sucesso é reconhecido nacional e internacionalmente”.

No fundo, ser Fundador de Serralves representa para Famalicão participar num projeto ambicioso, cuja ação é reconhecida internacionalmente e identificar-se com os valores positivos de uma Instituição relevante no domínio das artes e da paisagem, cujas iniciativas têm um forte impacto na comunidade.

De resto, o contributo dos Fundadores tem-se revelado fundamental para a Fundação poder enfrentar o significativo esforço financeiro decorrente da concretização das inúmeras atividades e projetos realizados, assegurando assim uma programação de reconhecida qualidade e uma ação pedagógica de largo alcance social.

CENTRO DE RIBEIRÃO EM FAMALICÃO VAI FICAR MAIS FUNCIONAL E ATRACTIVO

Câmara Municipal de Famalicão avança com frente de obras nas estradas do concelho

O centro de Ribeirão, a Avenida do Rio Veirão, em Vila Nova de Famalicão, está em obras. Os 650 metros que atravessam o centro da vila e que servem de acesso às mais diversas estruturas públicas como a Junta de Freguesia, as escolas, as piscinas municipais, o centro de saúde e a igreja vai ganhar uma nova imagem, mais moderna, mais funcional e mais atrativa.

AFS_9237.jpg

A empreitada dura dez meses e implica um investimento municipal de cerca de 800 mil euros. Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal e o presidente da Junta de Freguesia, Adelino Oliveira, acompanhado de outros autarcas e responsáveis pela obra, percorreram esta segunda-feira, o espaço em obras e mostraram estar em sintonia quanto ao futuro da vila.

“É uma obra completa que vai valorizar Ribeirão e melhorar a qualidade de vida da sua população”, afirmou Paulo Cunha, destacando as várias frentes da intervenção. “É muito mais do que uma obra da rede viária, é uma obra que vai ficar para a história, pois vai marcar o centro da Vila, embelezando-o e dignificando-o”.

Também Adelino Oliveira realçou a importância da intervenção. “É uma obra muito importante, porque é o centro da freguesia e já há muito tempo que a Junta de Freguesia espera pelo melhoramento desta zona, que é o cartão-de-visita de Ribeirão”.

O autarca mostrou-se satisfeito com o projeto, salientando que “a vila vai ganhar uma nova imagem, mais digna e que vai ao encontro das expetativas dos ribeirenses”.

Para além da pavimentação, será executada a renovação das redes de águas pluviais, saneamento básico e abastecimento de água. Sendo ainda substituída a iluminação pública. Serão construídos lugares de estacionamento em cubo de granito azul, passeios em betão colorido, espaços ajardinados com mobiliário urbano para descanso e lazer. O quiosque será reconstruído, seguindo as linhas modernas do espaço.

Refira-se que a beneficiação da Avenida do Rio Veirão faz parte de um conjunto de obras da rede viária que a Câmara Municipal está a lançar para o terreno. Ao todo são seis intervenções de grande investimento, nomeadamente o melhoramento do Caminho Municipal 1500/1, em Mogege, do Caminho Municipal 1527, em Delães, Oliveira S. Mateus e Oliveira Santa Maria, da Estrada Municipal 509/1, em Esmeriz e Cabeçudos, do Caminho Municipal 1480, em Gavião e a reabilitação do Caminho Municipal 1458, em Fradelos.

Ao todo, as intervenções implicam um investimento municipal superior a 2,1 milhões de euros.

AFS_9276.jpg

FAMALICÃO AMPLIA CEMITÉRIO DE GAVIÃO

Concluída a 1.ª fase das obras de alargamento e modernização do cemitério de Gavião. Paulo Cunha participou na cerimónia

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, esteve, este domingo, na cerimónia da bênção do cemitério de Gavião.

AFS_8202.jpg

Com a primeira fase das obras concluída, o autarca lembrou  que se trata de “uma intervenção complexa, que precisou de algum tempo para ser concluída”. Paulo Cunha salientou que “o mais difícil foi conseguir arranjar o espaço necessário para fazer a obra”, acrescentando que foi “com satisfação que chegamos até aqui, com o apoio e interajuda de várias instituições e forças vivas da freguesia”. Neste âmbito, salientou “o papel relevante da Junta de Freguesia”.

“Está cumprida uma ambição desta comunidade”, referiu ainda, lembrando o objetivo principal destas obras: “honrar a memória de quem parte e dar condições às populações para viver esses momentos com dignidade”.

Também o presidente da Junta de Freguesia de Gavião, Joaquim Rodrigues, se mostrou satisfeito com a conclusão desta primeira fase. “Esta é uma obra que deve ser aumentada, é a primeira etapa de um grande projeto”, disse, sublinhando que com esta intervenção “estão criadas as respostas para as próximas gerações”.

Refira-se que as obras de requalificação do cemitério de Gavião inserem-se no âmbito do Plano Municipal de Alargamento e Modernização dos Cemitérios e contou com um investimento municipal de cerca de 30 mil euros.

Para Paulo Cunha o objetivo deste Plano é dar resposta a uma das necessidades mais prementes das populações destas freguesias. "É fundamental dar essa dignidade aos cidadãos e honrar a memória dos que partiram”, refere.

AFS_8214.jpg

CARLOS MOEDAS MOSTRA-SE ENTUSIASMADO COM CENTRO DE COMPETÊNCIAS EM FAMALICÃO PARA O AGROALIMENTAR

“É das melhores ideias que eu já vi e assumo ser seu embaixador"

“Em termos europeus, esta é uma das melhores ideias que eu já vi e pode ter muito futuro”. A frase do Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, diz respeito ao Centro de Competências do Agroalimentar para o Setor das Carnes que está a ser desenvolvido a partir de Vila Nova de Famalicão e foi proferida na abertura do Roteiro da Ciência que está a decorrer hoje e amanhã no Minho, com particular incidência em Vila Nova de Famalicão, Braga e Guimarães.

AFS_9680.jpg

O Roteiro da Ciência consiste na visita de Carlos Moedas às cidades portuguesas mais inovadoras e ativas na produção científica de excelência e o facto de ter encontrado em Famalicão um projeto de conhecimento para o agroalimentar que envolve a autarquia, universidades, centros de investigação, empresários e suas associações representativas, foi “uma boa forma de começar esta jornada”. “Fico contente por saber que vou ter aqui um parceiro para o sector do agroalimentar, que é  uma das quatro áreas que definimos como prioritárias no nossa política de ciência para a Europa”, salientou o Comissário Europeu.

Para além do presidente da Câmara Municipal e do Comissário Europeu e dos empresários famalicenses ligados ao setor das carnes, marcaram presença na cerimónia o presidente da CCDR-N – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, os reitores das Universidades do Minho, do Porto e de Trás os Montes e Alto Douro, os Eurodeputados Nuno Melo e José Manuel Fernandes, e o presidente da Agência Nacional para a Inovação, José Carlos Caldeira, entre outros responsáveis.

“É importante que estejamos unidos na defesa da ciência e do conhecimento e este é um dos temas que mais desafios vai conhecer nos próximos 10 anos.” Por isso, Carlos Moedas assume, desde já, a sua disponibilidade em servir como embaixador deste projeto na Europa e para trabalhar com o presidente da Câmara Municipal na obtenção de fundos. “Tenho muita esperança que possamos ter aqui um projeto de excelência”, concluiu.

As palavras de Carlos Moedas agradaram naturalmente ao autarca famalicense, convicto que “o sucesso deste Centro de Competências será uma fantástica notícia para o país”. Paulo Cunha lembrou não existir  nenhum outro concelho de Portugal onde esta infraestrutura tenha mais cabimento, dada a tão grande concertação de empresas do setor das carnes que abrangem toda a fileira do sector: investigação, abate, transformação e comercialização. Para além disso, o autarca salientou a bem sucedida experiência do CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, “que foi responsável pela modernização e inovação do têxtil no país, como um trunfo maior do concelho pela dinâmica, experiência e  força já existente à volta da investigação e da interligação entre empresas, centros de investigação e escolas”.

Recorde-se  o setor agroalimentar é identificado como prioritário na agenda do plano estratégico concelhio, perante o carácter distintivo do conhecimento, do saber-fazer resultante de uma longa tradição histórica e empreendedora no concelho e da forte presença de inúmeras empresas do setor no mercado nacional e internacional.

Vila Nova de Famalicão quer assim reforçar o seu posicionamento como epicentro regional de base altamente tecnológica e inovadora na área do têxtil e do vestuário, e colocar-se no mesmo patamar no âmbito do setor agroalimentar. Para isso, ao CITEVE e ao CENTI a Câmara Municipal está a juntar em Famalicão um Centro de Competências Agroalimentar. Este passo está devidamente alicerçado na existência no território de um conjunto de empresas altamente competitivas e tecnologicamente avançadas que fazem já de Famalicão um dos mais relevantes municípios neste setor e com as quais o município está devidamente articulado.

AFS_9393.jpg

BOLETIM MUNICIPAL DE FAMALICÃO DESTACA ONDA GIGANTE DE INVESTIMENTOS NO CONCELHO

Publicação é distribuída gratuitamente a partir de amanhã em Vila Nova de Famalicão

O Orçamento Municipal para 2017 e a enorme frente de investimentos estruturantes previstos para o próximo ano são o grande destaque da nova edição do Boletim Municipal de Vila Nova de Famalicão que a Câmara Municipal começa a distribuir nos próximos dias.

AFS_9731.jpg

A aposta na água e no saneamento, na melhoria das vias de comunicação e na modernização e requalificação do parque escolar do concelho são apenas alguns exemplos destas novas frentes de trabalho que vão trazer mais e melhor qualidade de vida aos famalicenses e que estão agora “em foco” na edição de dezembro do Boletim Municipal, onde constam ainda conteúdos informativos referentes aos vários domínios da ação autárquica, desde o desporto à cultura, do empreendedorismo às freguesias, entre outras.

Conforme refere o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no editorial que abre a publicação, “esta edição do Boletim Municipal é um bom reflexo da dinâmica transversal e pluridisciplinar que atravessa todo o concelho”

“Em 2017 manteremos a ambição e o rigor que nos são característicos. Será, pois, um ano de mais afirmação territorial, de mais obra infraestrutural, de mais dinâmica multidisciplinar. Queremos que Vila Nova de Famalicão seja cada vez mais um município que orgulhe os famalicenses e que cada vez mais seja fonte de atração de mais pessoas e de novos investimentos”, acrescenta o edil.

Refira-se que o Boletim Municipal é um dos meios de comunicação utilizados pela autarquia para manter os famalicenses informados sobre as várias dinâmicas que acontecem diariamente no município. Com uma tiragem de 20 mil exemplares, é distribuído gratuitamente, de forma não endereçada, no território concelhio. Quem não o receber em casa, pode facilmente levantar um exemplar nos diversos organismos municipais dispersos pelas freguesias do concelho e inclusivamente nas próprias Juntas de Freguesia.

O Boletim Municipal pode também ser consultado a partir de hoje no portal do município em www.vilanovadefamalicao.org.

FAMALICÃO HOMENAGEIA ELZIRA DANTAS MACHADO E JÚLIO MACHADO VAZ

Homenagem a Elzira Dantas Machado e Júlio Machado Vaz marcaram comemorações. Museu Bernardino Machado cumpre sonho do antigo presidente da República e família

Bernardino Machado – que foi presidente da República Portuguesa por duas vezes e uma das principais figuras da I República – viveu os seus últimos anos de vida angustiado sobre o que aconteceria ao seu legado quando partisse. E chegou mesmo a falar com o seu neto Júlio Machado Vaz, sobre qual o destino que seria dado “aos seus papeis”. O episódio foi recordado esta quinta-feira, 15 de dezembro, pela neta de Bernardino Machado e prima de Júlio Machado Vaz, Elzira Machado Rosa, durante as comemorações dos 15 anos do Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão.

image49819.jpeg

Numa intervenção emotiva, repleta de recordações de vários momentos da vida do seu avô e das motivações que levaram à criação do Museu, Elzira Machado Rosa, enalteceu o papel de Júlio Machado Vaz, como um dos grandes impulsionadores da “concretização do sonho”. Por outro lado, “a câmara municipal tem correspondido exatamente à personalidade do meu avô e àquilo que ele gostaria que fosse feito com o seu espólio”, realçou, salientando que “o sonho era dele mas que foi descendendo até aos filhos, netos e bisnetos e o sonho transformou-se em realidade”.

Os quinze anos do Museu Bernardino Machado ficaram, de resto, marcados por dois grandes momentos: a atribuição do nome de Júlio Machado Vaz à sala de conferências e exposições temporárias do Museu, enquanto mentor, impulsionador e principal doador do espólio e a homenagem a Elzira Dantas Machado com a atribuição do seu nome à praceta contígua ao Museu, entretanto requalificada.

Sobre a sua avó, Elzira Machado Rosa lembrou o papel de grande relevância que teve na sociedade portuguesa e na defesa dos direitos das mulheres, numa “época em que não era expectável que uma senhora ocupasse um lugar na vida pública”. E acrescenta: “Havia um certo receio, mesmo na família, em assumir que ela tinha tido um papel público, o que não se usava, não era costume”.

Par além de Elzira Machado Rosa, a sessão contou com a presença de várias dezenas de familiares de Bernardino Machado e Elzira Dantas Machado. Entre os presentes estava também Júlio Guilherme Ferreira Machado Vaz, filho de Júlio Machado Vaz e bisneto de Bernardino Machado, que se mostrou “muito satisfeito pelo trabalho desenvolvido pelo museu, que corresponde totalmente àquilo que foi idealizado”.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, mostrou-se orgulhoso com a criação de um “museu que honra e dignifica Bernardino Machado”, mas salientou a vontade do município em ir mais longe. “Temos a ambição de que o museu não se limite a ser um depósito onde se guardam de forma cautelosa esse acervo e memórias, mas que se vá mais longe e se produza atividade e, é por isso, que temos concebido e publicado muitas obras, conferências, colóquios que nos permitem continuar a construir conhecimento”.

Entretanto, coube a Artur Sá da Costa, representante da Comissão Instaladora do Museu, recordar os passos dados na salvaguarda e valorização da memória de Bernardino Machado, em 2001, no Palacete Barão da Trovisqueira, espaço nobre da cidade.

image49822.jpeg

BERNARDINO MACHADO

Bernardino Machado nasceu no Rio de Janeiro a 28 de Março de 1851 e foi o terceiro e o oitavo presidente eleito da República Portuguesa. Foi presidente da República Portuguesa por duas vezes: primeiro, de 6 de Agosto de 1915 até 5 de Dezembro de 1917, quando Sidónio Pais, à frente de uma junta militar, dissolve o Congresso e o destitui, obrigando-o a abandonar o país; mais tarde, em 1925, volta à presidência da República para, um ano depois, voltar a ser destituído pela revolução militar de 28 de Maio de 1926, que instituirá a Ditadura Militar e abrirá caminho à instauração do Estado Novo.

Vive os seus primeiros anos no Brasil, iniciando os estudos no Liceu de Laranjeiras em 1859. Em 1860, ainda Bernardino Machado não tinha completado 9 anos, a família regressa a Portugal, fixando-se primeiro em Joane e depois em Vila Nova de Famalicão.

Filho de pai português, António Luís Machado Guimarães (a quem viria a ser concedido, por decreto régio, o título de 1.º Barão de Joane em 1870), Bernardino Machado escolheu ser famalicense e elegeu Vila Nova de Famalicão como sua terra, vivendo cá vários anos e regressando sempre que possível.

image49825.jpeg

FAMALICÃO MOSTRA OS CAMINHOS DO DESENVOLVIMENTO

Exposição está patente nos Paços do Concelho até 30 de abril

Os caminhos que Vila Nova de Famalicão percorreu desde o dia 12 de dezembro de 1976 – em que decorreram as primeiras eleições autárquicas que instituíram o poder local democrático em Portugal – até aos dias de hoje, estão patentes na exposição “40 anos de Poder Local Democrático em Portugal, 1976-2016”, que está aberta ao público até 30 de abril de 2017, nos Paços do Concelho.

AFS_5911.jpg

Os vários caminhos representados através de fios coloridos conduzem a exposição identificando as várias ações das políticas locais seguidas ao longo dos anos nos domínios do planeamento, habitação, infraestruturas, equipamentos, espaços verdes, participação pública, etc.

São mais de 40 painéis que recordam alguns dos principais passos dados pelo município no âmbito do desenvolvimento do território, ao longo dos 40 anos de poder local democrático. De realçar o Plano Geral de Urbanização de Famalicão, em 1978, o plano da rede de saneamento da vila, em 1981, a elevação a cidade, em 1985, e a inauguração de vários equipamentos, como o Citeve (1994), a Casa das Artes (2001), o Palácio da Justiça (2007) e o Parque da Devesa (2012).

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, esta exposição visa sobretudo “proporcionar uma reflexão, sobre o passado, o presente e o futuro do concelho e da comunidade famalicense através de leituras partilhadas sobre a transformação do nosso território. Um território visto como um produto social em contínua transformação”.

A informação está exposta, segundo uma cronologia representada ao longo dos painéis dispostos na sala circular. Neles o público é convidado a ler e mesmo a levar para casa postais ilustrados sobre curiosidades, imagens, textos referentes às diferentes épocas e temas abordados.

Para o período de 2016 a 2025, ao centro da sala, estão postais em branco, que convidam as pessoas a deixar o seu contributo, ilustrado ou escrito. Também podem levar e enviar por correio. Pretende-se assim fomentar a partilha e a participação pública.

Para além dos painéis, está patente nesta exposição um vídeo sobre a história de Refira-se que a iniciativa insere-se no programa comemorativo da “Conquista e consolidação da democracia em Portugal”, promovido pelo Município ao longo do ano de 2016.

A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira, no horário de funcionamento dos Paços do Concelho de Vila Nova de Famalicão e três vitrines com documentos originais.

Refira-se que a iniciativa insere-se no programa comemorativo da “Conquista e consolidação da democracia em Portugal”, promovido pelo Município ao longo do ano de 2016.

A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira, no horário de funcionamento dos Paços do Concelho.