Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAFE COMEMORA SEMANA EUROPEIA DO DESPORTO

Município de Fafe celebra Semana Europeia do Desporto. Várias actividades previstas na Praça 25 de Abril

O Município de Fafe vai promover no próximo Sábado, um conjunto de actividades desportivas que dão o mote para a Semana Europeia do Desporto, comemorada de 23 a 30 de Setembro.

DSA_7782

Sobre o lema ‘#Beactive’, o objectivo fundamental destas iniciativas passa pela promoção dos benefícios da prática regular de desporto e actividade física. Celebrada em simultâneo em 32 países europeus, a Semana do Desporto procura promover práticas desportivas e estilos de vida saudáveis em toda a população.

Durante o dia de Sábado, estão previstas várias atividades na Praça 25 de Abril. A partir das 9h30, a Delegação de Fafe da Cruz Vermelha vai promover um conjunto de jogos e actividades ligados à promoção da actividade física e à alimentação saudável.

Ainda durante a manhã, decorrerá uma aula de ginástica promovida pelo ginásio PlayFitness.

À tarde, a partir das 15h30, decorre, também no centro da cidade, uma Zumba com o instrutor Rui Mendes.

Durante o dia, os Amigos da Roda de Quinchães e as equipas do Andebol Clube de Fafe vão fazer parte das comemorações, com várias atividades.

Recorde-se que todas as actividades são abertas ao público e de entrada livre.

O Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, revela que “decidimos associar-nos à Semana Europeia do Desporto com um conjunto de actividades agendadas para Sábado que reúnem um conjunto de pessoas empenhadas na promoção da actividade física.

Como sabemos, a promoção de práticas desportivas é cada vez mais importante para uma vida saudável não só dos mais novos, mas também, e especialmente, dos mais velhos. Por isso, apelamos a que todos participem nestas atividades e que, sempre que possível, pratiquem exercício físico e uma alimentação saudável.”

FAFE CELEBRA DIA EUROPEU SEM CARROS

Na semana em que se comemora a mobilidade, o Município de Fafe celebra, na próxima sexta-feira, 22 de Setembro, o Dia Europeu Sem Carros.

0001

Durante o dia, o trânsito vai estar condicionado em algumas artérias da cidade (Avenida 5 de Outubro, Praça 25 de Abril, Rua João XXIII, Rua dos Combatentes da Grande Guerra e Rua 31 de Janeiro), procurando a Autarquia, desta forma, promover formas de deslocação mais saudáveis e amigas do ambiente.

Para o dia 22 estão também previstas várias atividades no centro da cidade. Na Praça 25 de Abril, durante a manhã, decorrerão atividades de fitness para toda a população. A partir das 10h00, o ginásio Body Place tem prevista uma aula de ginástica e, à noite, às 21h30, é a vez do Club Mais promover uma aula no centro da cidade; também nesta zona, durante o dia, estará instalada a Pista da Escola de Trânsito para os mais novos.

A GNR, entidade parceira nesta iniciativa , terá um posto móvel informativo no centro da cidade e lá dinamizará vários jogos temáticos.

Os Amigos da Roda de Quinchães vão também participar na celebração do Dia Europeu Sem Carros, dinamizando o centro da cidade, com passeios de bicicleta.

No dia em que se comemora o Dia Europeu Sem Carros, pensamos num conjunto de actividades que alertam para a necessidade de uma mobilidade sustentável e que vão trazer um ritmo diferente ao tecido urbano.

Queremos promover formas de deslocação mais saudáveis e amigas do ambiente e alertar para a necessidade de promover uma mobilidade mais sustentável.

São iniciativas em que o Município participa para que despertem consciências para as questões da mobilidade, da qualidade de vida urbana e as consequências que esses hábitos terão no quotidiano de cada um.”, revela o Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha.

FAFENSES E VISITANTES COMERAM 3 TONELADAS DE VITELA ASSADA

IV Festival de Vitela assada à Moda de Fafe com balanço positivo. Cerca de 3 toneladas vitela cozinhadas

A quarta edição do Festival da Vitela Assada à Moda de Fafe terminou, ontem, com um balanço muito positivo.

21751368_1448588285188629_4086316023050909031_n

Durante o fim de semana, de 15 a 17 de Setembro, foram servidas, cerca de 3 toneladas de vitela assada pelos quatrorestaurantes presentes, que conseguiram escoar todo o produto adquirido para o Festival.

Mais de 12 mil pessoas deslocaram-se ao espaço de refeição na Praça das Comunidades, notando-se, este ano, uma maior afluência de visitantes vindos de fora do concelho relativamente às edições anteriores.

21762017_1448587775188680_2878225943408842326_n

Os quatro restaurantes participantes concordam que o balanço do Festival é positivo, assumindo que as pessoas começam a conhecer o prato, tendo, por isso, uma capacidade de mobilização cada vez maior.

Nota-se ainda que os restaurantes têm já uma relação de proximidade com alguns visitantes, que mesmo vindos de longe, fizeram questão de voltar e agradecer a simpatia, o empenho e dedicação.

Os restaurantes reconhecem que esta é uma aposta ganha, que merece o investimento do Município e deve continuar.

O sucesso deste certame não se fez apenas dos resultados obtidos pelos restaurantes. Os quinze expositores presentes na tenda tiveram oportunidade de mostrar e vender os produtos regionais, desde a doçaria tradicional, o artesanato e o vinho verde.

DSA_1025A

Durante três dias, foram vendidas centenas de doces típicos, entre o tradicional pão de ló e os doces de gema.

Para Raul Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Fafe, esta “quarta edição do Festival da Vitela Assada à Moda de Fafe foi um sucesso. Durante o fim de semana, criou-se um ambiente fantástico na Praça das Comunidades, com a visita de milhares de pessoas, de Fafe e não só, que puderam comprovar que temos uma gastronomia de excelência.

As milhares de pessoas que passaram por Fafe tiveram, para além da oportunidade de provar a nossa gastronomia, conhecer a cidade. Foi, sem dúvida, uma aposta ganha.

Fafe quer afirmar-se como uma terra turística e nada melhor que aproveitar as potencialidades da nossa gastronomia para valorizar o concelho e convidar todos a visitar-nos, como fizemos durante este fim de semana. ”

Os quatro restaurantes presentes foram incansáveis, mostraram um esforço e empenho notáveis. Os expositores foram também uma grande montra do que de melhor temos em Fafe e, por isso, cabe-nos agradecer a todos por estarem ao nosso lado.”

O Festival da Vitela Assada à Moda de Fafe é uma iniciativa que merece todo o carinho da comunidade, porque provou ser capaz de atrair pessoas de fora e de dar vida ao nosso território”, rematou.

DSA_1032A

DSA_1042A

DSA_1064A

DANIEL BASTOS: ONDE PÁRAM OS DONATIVOS DOS EMIGRANTES PARA AS VÍTIMAS DOS FOGOS NA REGIÃO CENTRO?

No início do mês de setembro a imprensa nacional repercutiu nas páginas de vários órgãos de informação declarações do autarca de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, a solicitar que o Ministério Público investigasse para onde foram canalizadas as verbas recolhidas por várias entidades para as vítimas do incêndio que assolou a região em junho.

Daniel Bastos

A suspeita de que terá sido desviada parte das verbas recolhidas para as vítimas, suspeição igualmente partilhada pelos autarcas de Castanheira de Pera e de Figueiró de Vinhos, levou os mesmos a manifestarem inclusive receios de desvio de donativos de contas abertas no estrangeiro por parte de emigrantes.

Esta falta de transparência, aludida pelos autarcas dos concelhos da região Centro atingidos pelos incêndios, motivou mesmo uma intervenção pública do Presidente da República, a pedir esclarecimentos sobre os donativos arrecadados para apoiar as vítimas dos incêndios.

Na esteira das palavras do mais alto magistrado da Nação é preciso explicar aos portugueses “de onde veio o dinheiro, quem é que o está a gerir, como e quanto”, incumbência que entretanto começou a ser esclarecida por várias entidades públicas e privadas envolvidas nas campanhas de solidariedade em prol das vítimas dos fogos.

No caso específico das inúmeras campanhas solidárias dinamizadas pelas comunidades portuguesas para com as vítimas dos incêndios, abundam felizmente vários exemplos de transparência e entreajuda. Ainda no fim-de-semana passado, o movimento “Canada For Portugal”, um movimento que reúne empresários, meios de comunicação social e associações portuguesas de Ontário no Canadá, entregou pessoalmente através do comendador Manuel da Costa, um dos mais ativos e beneméritos empresários portugueses em Toronto, mais de cem mil dólares ao autarca de Pedrogão Grande.

Este envolvimento direto das comunidades portuguesas é indubitavelmente a forma mais adequada de demonstrar a entreajuda e transparência destas campanhas, acrescentando ainda a vantagem de potenciar o conhecimento sobre a realidade das pessoas para com quem os portugueses no estrangeiro expressam a sua solidariedade.

Daniel Bastos

VITELA À MODA DE FAFE É IGUARIA DIGNA DOS DEUSES

IV Festival Gastronómico da Vitela Assada à Moda de Fafe. Programa contempla diversas atividades durante todo o fim de semana

É já este fim de semana que Fafe recebe o maior festival de Vitela Assada do país. De 15 a 17 de Setembro, a Praça das Comunidades é palco do quarta edição do Festival Gastronómico da Vitela Assada à Moda de Fafe.

DSA_3393A

Durante três dias, vários restaurantes do concelho vão confeccionar, em forno de lenha, a sua melhor vitela assada, acompanhada do já tradicional vinho verde, finalizada com o típico pão de ló e os saborosos doces de gema.

A animação e boa disposição estão também garantidas, com a actuação de grupos musicais, jogos tradicionais e algumas surpresas.

Na sexta-feira, dia 15, o Festival é inaugurado, às 18h00. A noite é dedicada ao Fado, com os artistas fafenses Sandrina Ribeiro, José Carlos Moreira, Rodrigo Sousa e Palmira Ramada.

Na noite de Sábado, o Festival vai ser palco do concerto da Banda Filarmónica de Revelhe.

No último dia do certame, a animação continua, com música popular e a actuação de Grupos Locais de Música Tradicional Portuguesa.

DSA_2497

Durante os três dias do Festival, o público poderá também visitar, na Praça das Comunidades, uma exposição de carros, estando, também aqui, garantida a animação com vários divertimentos para os mais novos.

O festival gastronómico vai contemplar ainda a mostra e venda de produtos regionais, que vão desde os deliciosos doces, ao maravilhoso artesanato, passando pelas compotas e os vinhos da região, com a presença de 15 expositores do concelho.

Raul Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Fafe, reconhece o sucesso das edições passadas do Festival e espera que também este ano a qualidade se mantenha.

A vitela assada é a jóia da gastronomia fafense e este festival, que vai já na sua quarta edição, é o reafirmar da vontade em promover a gastronomia do concelho como elemento turístico de excelência.

Para além dos restaurantes que vão confeccionar o prato típico, contaremos também com a presença de 15 expositores para uma mostra de produtos tradicionais do concelho.

Também este ano, pensámos num programa diversificado, abrangente e que possa agradar a todos. Queremos criar um ambiente de boa disposição e animação, enquanto se saboreia a nossa deliciosa vitela!”

Recorde-se que o Festival inaugura sexta-feira, às 18h00, com abertura ao público das 19h00 às 24h00. No Sábado, o horário é das 12h00 às 24h00 e no Domingo, abre às 12h00 e encerra às 18h00. Durante a tarde, entre as 16h00 e as 18h00, serão servidos petiscos da região.

DCS_6970

MUNICÍPIO DE FAFE ORGANIZA SEMANA SÉNIOR

Programa com diversas actividades que culmina com o Dia Internacional Sénior na Quinta da Malafaia

É já no final deste mês que o Município de Fafe promove a habitual Semana Sénior. De 25 de Setembro a 2 de Outubro, estão previstas diversas actividades que prometem muita animação para os idosos do nosso concelho.

Semana Senior

As comemorações arrancam logo no dia 25, com o Concurso de Jogos de Mesa, na Sede da ARPIFAFE. Na terça-feira, 26, o dia é dedicado à dança, a partir das 14h30, na Danceteria Palácio Clube de Dança (Zona Industrial).

A noite de 27 de Setembro, é reservada para o Teatro, com a peça ‘O Mais Longo Verão’, interpretada pelo grupo de teatro ‘Vitrine’, a decorrer no Teatro Cinema, a partir das 21h00.

No dia 28, durante a tarde, os nossos idosos vão ter oportunidade de assistir ao filme “A Mãe é que Sabe”, na Sala Manoel Oliveira.

Os bilhetes para ambas as sessões estão disponíveis na Loja Interactiva de Turismo, a partir de dia 19.

Na sexta-feira, o Parque da Cidade vai ser palco, durante a manhã, de uma aula de ginástica ao ar livre que servirá também de mote para assinalarmos o Dia Mundial do Coração.

O Dia Internacional Sénior, celebrado a 2 de Outubro, encerra esta Semana Sénior com a ida à Quinta da Malafaia, um serão já habitual e bem animado.

As inscrições devem ser feitas na Junta de Freguesia da Residência, a partir de dia 19.

O Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, destaca o valor que estas atividades representam para os seniores do concelho.

A Semana Sénior é já uma tradição da Autarquia que tem recebido, por parte da população idosa, um feedback muito positivo.

Todos os anos, esforçamo-nos para organizar, durante esta semana, um conjunto de actividades destinado exclusivamente aos idosos, de forma a que se sintam, também eles, valorizados e, sobretudo, que lhes proporcionem momentos de convívio e lazer.

A edição 2017 da Semana Sénior apresenta, como habitual, um programa diversificado, onde incluímos a saúde e bem estar, a cultura e o lazer, permitindo, assim, que os nossos idosos se sintam mais jovens, activos e saudáveis. Esta é uma preocupação contínua do Executivo que, durante todo o ano, procura promover iniciativas centradas nos nossos idosos e no seu bem estar. ”

Recorde-se que em todas as actividades, os idosos devem fazer-se acompanhar do cartão municipal sénior.

MUNICÍPIO DE FAFE AJUDA RECUPERAÇÃO DE HABITAÇÕES

Câmara de Fafe entrega 55 mil euros para recuperação de habitações

O Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, entregou, ontem, cheques no valor de cerca de 55 500 euros, a 18 famílias do concelho para recuperação das habitações, no âmbito do Programa para a Melhoria de Habitação de Agregados Familiares Carenciados.

DSC_6494A

Raul Cunha lembrou que a autarquia tem, desde a primeira hora, como prioridade, ajudar a resolver as maiores necessidades das pessoas deste concelho.

Continuamos no caminho de apoiar as pessoas a terem melhores condições de vida, neste caso, em concreto, para que tenham melhores condições habitacionais.”

Ao todo, desde que o programa foi lançado, em 1998, pelo então vereador com o pelouro de Ação Social, Raul Cunha, a autarquia fafense já apoiou na recuperação de habitações de 600 famílias, num investimento total superior a 5 milhões de euros.

Raul Cunha lembrou que a Câmara Municipal de Fafe tem condições e vontade para continuar a ajudar as famílias, mas, para isso, é necessário que os munícipes nos façam chegar as suas necessidades.

Neste programa, para além do apoio financeiro, a autarquia presta ainda apoio técnico, de projeto e fiscalização de obras. 

FAFE: ARPIFAFE CELEBRA 23º ANIVERSÁRIO

A ARPIFAFE celebrou, na passada sexta-feira, o seu 23º aniversário, numa festa muito animada que juntou cerca de 400 idosos.

DSA_0166 A

O Presidente da Câmara Municipal, Raul Cunha, aproveitou o momento para felicitar a associação pelo trabalho desenvolvido, ao longo de vários anos, em prol dos seniores do nosso concelho, relembrando ainda a política de apoio ao envelhecimento activo que o Município promove em varias ações.

"Em nome de todos os fafenses, quero deixar aqui os mais sinceros parabéns à ARPIFAFE pelos 23 anos de existência, mas também, e sobretudo, por todo o trabalho que mantém no apoio aos nossos seniores, com diversas atividades ao longo de todo o ano.

É fundamental que não esqueçamos esta franja da população mais frágil e que carece de mais cuidados e atenção. No Executivo, temos procurado desenvolver várias ações dedicadas aos nossos idosos, que promovam um envelhecimento cada vez mais ativo e saudável."

A festa continuou tarde fora com muita animação, boa música e, claro, boa mesa.

DSA_0235 A

A EMIGRAÇÃO NO DEBATE DAS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS

Daniel Bastos

A sensivelmente um mês das eleições autárquicas, que serão realizadas a 1 de outubro e onde estarão em disputa a eleição de 308 presidentes de câmara municipais, respetivos vereadores e assembleias municipais, assim como 3091 assembleias de freguesia, das quais sairão os executivos das juntas de freguesia, impõe-se a todos os candidatos que se propõem exercer o poder local um amplo debate sobre o efeito da emigração na perda populacional que trespassa o país.

Dados do Instituto Nacional de Estatística, revelam que a população residente em Portugal em 2016 foi de 10.309.573 pessoas, o que representa uma quebra  de 31.757 habitantes relativamente ao ano de 2015. A informação disponibilizada pelo INE mostra uma clara tendência de decréscimo polucional que se regista desde 2010, tanto que desde o início dessa década até aos nossos dias, assistiu-se a uma redução de 264 mil pessoas no território nacional.

O caso da região Norte é paradigmático deste desastre demográfico provocado pelo decréscimo da população jovem, o aumento do envelhecimento da população idosa e um saldo migratório negativo, ou seja uma relação desequilibrada entre a emigração e a imigração. As recentes conclusões do relatório Norte Estrutura apontam que o Norte de Portugal, onde vivem atualmente 3,59 milhões de pessoas, perdeu entre 2006 e 2016, mais de 135 mil habitantes, sendo que o saldo migratório negativo explica cerca de 83% desta perda populacional.

O relatório indica que a região Norte, tradicional torrão da emigração portuguesa, observa desde 2003 uma acentuada diferença entre os fluxos migratórios de saída e de entrada, sendo que entre 2012 e 2014, a região perdeu cerca de 16 mil habitantes por ano, em termos médios.

Perante a crueza dos números é fundamental que os partidos políticos, coligações de partidos políticos ou grupos de cidadãos eleitores que se candidatam às próximas eleições autárquicas, coloquem no topo das suas opções, prioridades e propostas eleitorais, novas agendas políticas capazes de gerarem em articulação com o poder central e regional, bem como com os meios associativos e demais atores da participação cívica, soluções que contribuíam decisivamente para estancar a perda de população e o envelhecimento demográfico nacional associado ao fenómeno migratório.

Daniel Bastos

VITELA ASSADA À MODA DE FAFE É O MANJAR DOS DEUSES

IV Festival Gastronómico da Vitela Assada à Moda de Fafe. De 15 a 17 de Setembro na Praça das Comunidades

No próximo mês, Fafe volta a ser palco do maior Festival de Vitela Assada do país. De 15 a 17 de Setembro, a Praça das Comunidades recebe o IV Festival Gastronómico da Vitela Assada à Moda de Fafe.

DSA_3393A

Durante três dias, restaurantes do concelho vão confeccionar, em forno de lenha, a sua melhor vitela assada, acompanhada do já tradicional vinho verde e finalizada com o típico pão de ló e os saborosos doces de gema.

O festival contempla também muita animação e boa disposição, com actuação de grupos musicais, jogos tradicionais e algumas surpresas.

DCS_6970

Para o Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, esta quarta edição é o reafirmar da vontade em promover a gastronomia do concelho como elemento turístico de excelência.

“A vitela assada é o ex-libris da gastronomia fafense e merece todo o reconhecimento num festival com dimensões e condições ainda melhores que as do ano passado.

Durante os últimos três anos, milhares de pessoas passaram pelo certame e toneladas de vitela foram cozinhadas. Foi uma aposta ganha e que queremos manter.

Este tipo de festival é uma mais valia para Fafe, não só por promover o que a nossa gastronomia tem de melhor, mas ainda pela possibilidade projectar o nosso território com todos os atractivos que lhe estão associados.”

DCS_7163

DSA_3391A

DSA_3402A

DCS_6965

Capturarfafe

SOLIDARIEDADE É PALAVRA FAFENSE

Inscrições para o “Ser Solidário” abrem no próximo mês

O Município de Fafe promove, por mais ano, o programa ‘Ser Solidário’. Trata-se de um programa específico para jovens que não concluíram o 12.º ano, deixando no máximo três disciplinas em atraso, ou para jovens que não tenham conseguido ingressar no ensino superior, dando especial ênfase aos agregados carenciados.

CARTAZ_AF_WEB

O programa visa ocupar os jovens com actividades de carácter ocupacional e didáctico, possibilitando ainda um primeiro contacto com a realidade profissional, uma valorização da responsabilização e compromisso com a sociedade e o fomento do espírito de equipa e organização. Assim, todos os anos, de Outubro a Maio, os jovens do concelho de Fafe, exercem em Associações, IPSS’s, Escolas, Centro de Saúde, Juntas de Freguesia e Câmara Municipal, durante 20 horas semanais, diversas tarefas e actividades de apoio social.

As inscrições para o Programa Ser Solidário 2017/2018 decorrem de 1 a 15 de Setembro e devem ser feitas no Serviço Social da Câmara Municipal de Fafe.

Pode consultar os documentos necessários no site do Município.

CONSELHEIROS DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS VISITAM MUSEU DAS MIGRAÇÕES E DAS COMUNIDADES DE FAFE

O Conselho das Comunidades Portuguesas aproveitou o periodo das férias de verão para promover, na quinta-feira dia 17 de Agosto 2017, uma visita ao museu das Migrações e das Comunidades de Fafe.

RUI RIBEIRO BARATA

Os Conselheiros das Comunidades Portuguesas na Casa da Cultura de Fafe, na quinta-feira, dia 17 Agosto 2017.

 

Os Conselheiros eleitos pelas áreas consulares de Melbourne (Autrália), Paris, Lyon e Strasbourg de França, respectivamente, Silvia Renda, Raul Lopes, Manuel Cardia Lima e Rui Ribeiro Barata, foram conhecer o espólio, in locu, patente no museu das Migrações e das Comunidades que se encontra na Casa da Cultura da cidade de Fafe, no norte de Portugal.

O museu abriu oficialmente as portas no ano de 2009 e retrata o fenómeno da Emigração no Concelho de Fafe desde o século XIX até aos finais do século XX. Este procura ser : “Um Museu que pretende aprofundar o conhecimento das migrações na diáspora portuguesa”, como se pode ler no site internet do museu.  A criação deste espaço museulógico foi amplamente impulsionada pelo investigador Miguel Monteiro, com o contributo científico da Professora especialista na temática das migrações, Maria Beatriz Rocha Trindade. Para a concretização deste projecto o apoio da comunidade fafense residente no estrangeiro foi importante, pois sempre apoiou a criação deste espaço e continua a colaborar, no  sentido de recolher elementos para aumentar e enriquecer os arquivos históricos do museu.

Este encontro  tinha vários propósitos, sendo que um deles, era o de realçar a importância que reverte este museu para Portugal e para os portugueses, independentemente do seu local de residência. Esta acção veio reforçar a ideia, de que, existe uma real necessidade de trabalhar e investir na preservação da memória da Emigração portuguesa.

Fafe é pelo seu passado uma cidade, profundamente marcada pelo fenómeno da Emigração. O contributo das gentes desta terra no desenvolvimento da agora cidade de Fafe, outrora terras de Montelongo, foi preponderante e está bem patente na influência, nomeadamente arquitectónica de vários edifícios, que hoje são símbolos emblemáticos da cidade. Aqui foram construídas e doadas no passado, escolas, igrejas, hospitais, entre outros, pelos fafenses emigrados no Brasil.

Após a visita guiada ao museu, a comitiva de Conselheiros foi recebida nos Paços do Concelho pelo actual Presidente do Município, Raul Cunha. Nesta reunião foram debatidas questões relacionadas com a presença e a importância das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo nos territórios do Norte do país, aqui incluíndo a cidade e Concelho de Fafe. A questão da importância do museu e da necessidade de vitalizar aquele espaço dedicado à memória das comunidades foi evocada.

Houve também tempo para abordar o tema das eleições autarquicas que se avizinham e a necessidade de integrar o fenómeno da desertificação do interior, da emigração e da participação cívica das comunidades portuguesas residentes no estrangeiro no debate político local.

No final do encontro os Conselheiros fizeram questão de agradecer, a forma hospitaleira e cordeal como foram recebidos e acompanhados pelo executivo e pela equipa técnica da autarquia de Fafe.

Rui Ribeiro Barata

CM FAFE

No Salão Nobre dos Paços do Concelho de Fafe, com o Presidente da autarquia Raul Cunha.

 

A EMIGAÇÃO DE (IN)SUCESSO

Percecionada tradicionalmente como um fenómeno de realização pessoal e profissional, em que à custa de muito esforço, anos de sacrifício e trabalho árduo, os emigrantes alcançam o êxito lá fora, abundam igualmente na história da emigração portuguesa casos e dimensões marcadas pelo insucesso. 

Daniel Bastos (2).jpeg

 

Para lá dos vários casos de sucesso de self-made men espalhados pelos quatro cantos do mundo, muitos deles de origens humildes e que a partir do zero conseguiram triunfar na vida e construir verdadeiros impérios que dão que falar no mundo dos negócios, avultam na emigração portuguesa situações de compatriotas marcados pelas contrariedades do isolamento, das malhas da pobreza, das barreiras linguísticas, do flagelo do desemprego e da precariedade, que originam dificuldades em cumprir compromissos estabelecidos e riscos de marginalidade.

Encontram-se, por exemplo, nestes casos que geralmente não captam o interesse mediático da sociedade, mas que mostram que a emigração não é só uma história de sucesso, o fenómeno da deportação que tem trazido ao arquipélago dos Açores centenas de cidadãos nacionais expulsos da América do Norte, essencialmente dos Estados Unidos, devido a problemas com a justiça.

Segundo um estudo recente do Centro de Estudos Sociais da Universidade dos Açores (CES-UA), nas últimas décadas os Estados Unidos da América e o Canadá deportaram para os Açores 1.175 emigrantes portugueses, cuja maioria emigraram ainda crianças com os pais à procura de uma vida melhor.

Constrangidos a regressar uma terra, em que em muitos casos já não sabem falar a língua, nem têm ligações, vários destes compatriotas vivem uma verdadeira dupla pena na região autónoma portuguesa no Oceano Atlântico. Uma espécie de prisão a céu aberto, marcada pelo drama da separação forçada das famílias, prolongada pelo facto de a deportação não ser temporária, mas definitiva,

Para João Rodrigues, autor do ensaio “O Repatriamento nos Açores: da emigração à reinserção”, este fenómeno crescente e cada vez mais dramático “constitui uma forte sanção aos transgressores imigrantes que violam as normas - exclui-os de um espaço polifacetado (físico, social, emocional, económico), onde procuraram integrar-se e não conseguem, por culpa própria e/ou de outrem”.

Daniel Bastos

VOLTAR OU FICAR, EIS A QUESTÃO

No final do mês passado foram divulgadas as conclusões do estudo "Planos futuros e regulação do bem-estar de imigrantes portugueses idosos no Luxemburgo". Realizada pela única instituição de ensino superior do Grão-Ducado, a investigação teve como principal objetivo saber se a primeira geração de portugueses que foi trabalhar para este pequeno Estado soberano situado na Europa Ocidental, limitado pela Bélgica, França e Alemanha, prefere ficar no país ou regressar a Portugal e que fatores influenciam a decisão.

Daniel Bastos (2).jpeg

Numa nação onde vivem mais 90 mil cidadãos de nacionalidade portuguesa, o que equivale a 16% da população residente, o inquérito foi feito a 109 compatriotas com idade média de 55 anos, 65% dos quais ainda a trabalhar, e que maioritariamente declararam querer ficar no Luxemburgo.

Segundo o estudo, na escala de razões que levam a maioria destes emigrantes a optar por fixarem-se no Grão-Ducado, contrariamente à ideia inicial quando chegaram ao Luxemburgo, em que quase todos pensavam regressar a Portugal, encontram-se sobretudo a ligação aos netos, entretanto nascidos no país, e o acesso a cuidados de saúde.

As conclusões desta investigação devem merecer toda a atenção das autoridades portuguesas, porquanto estes motivos que levam a maioria dos emigrantes da primeira geração a decidir não voltar a Portugal após a reforma, seguramente que perpassa muitas das comunidades lusas espalhadas pelos quatro cantos do mundo.

 Os responsáveis políticos portugueses não podem ignorar esta realidade, antes pelo contrário, devem atempadamente estabelecer protocolos de colaboração com as autoridades destes países. Como é o caso do Luxemburgo, onde segundo uma das investigadoras do estudo “daqui a uns anos vai ser preciso adotar medidas para melhorar o quotidiano desta população e facilitar os cuidados nos lares de idosos, por causa, por exemplo, das barreiras linguísticas".

Mesmo no plano nacional, não se pode descurar esta realidade, não só pelos valores culturais e pátrios, mas inclusive pelo peso socioeconómico que, por exemplo, as pensões de reforma e outros benefícios sociais recebidos por emigrantes nos seus países de acolhimento têm no desenvolvimento do território português.

A BALANÇA MIGRATÓRIA EM PORTUGAL

Em meados deste ano foi disponibilizado online, o relatório anual sobre migrações internacionais da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Daniel Bastos (2).jpeg

Nas páginas dedicadas a Portugal, o “International Migration Outlook 2015”, aponta uma diminuição do número de estrangeiros residentes entre 2009 e 2013, e um significativo aumento da emigração desde 2010. Segundo o relatório, a balança migratória nacional (emigração – imigração) apresentou um resultado negativo de 10.500 pessoas em 2015, embora menos acentuado do que em anos anteriores (-30.100 em 2014 e -37.400 em 2012).

No entanto, estes dados que refletem a grave crise económica vivida em Portugal nesse período e levou mesmo à assistência financeira da troika, parecem estar desde o ano passado numa tendência de inflexão. O recente Relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo do SEF indica a existência em Portugal de 397,731 imigrantes com título de residência válido, o que significa mais 2,32% de cidadãos estrangeiros residentes em território nacional que no ano anterior.

Segundo o documento do SEF, numa época em que a emigração portuguesa está a diminuir, no ano passado saíram de Portugal 38 mil pessoas, menos duas mil que em 2015, os imigrantes brasileiros continuam a ser a maior comunidade imigrante em território português, com um total de 81251 cidadãos, ou seja 20% dos imigrantes.

No rol das nacionalidades mais presentes no território português destacam-se, para além do tradicional fluxo africano, a imigração francesa, cuja comunidade registou um aumento superior a 2015 (33%), com 11293 imigrantes legalizados. Assim como a inglesa, que igualmente atraída pela segurança e benefícios fiscais, passou a ser uma das mais relevantes nacionalidades em Portugal (19384 imigrantes), ultrapassando inclusive a angolana (16994 imigrantes).

Esta estabilização da balança migratória, além de constituir um sinal positivo do cenário macroeconómico nacional, é um indicador do caminho que o país deve continuar a trilhar rumo a um futuro coletivo sustentado, e que passa necessariamente pela diminuição da emigração e pela entrada de imigrantes, elementos fundamentais para Portugal não perder população e competitividade socioeconómica.

Daniel Bastos

FAFE REQUALIFICA ESTRADA DO SAIBRO E RENOVA ESCOLA EM REGADAS

Inauguração das obras de requalificação da Estrada do Saibro. Escola de Cortinhas em Regadas renovada

No próximo dia 19 de Agosto, Sábado, vão ser inauguradas as obras de requalificação na Estrada do Saibro, em Regadas.

A cerimónia, que contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Fafe, tem início marcado para as 15h00.

Recorde-se que esta é uma obra esperada há mais de 20 anos, fundamental para a freguesia, e que inclui o alargamento da via, pavimentação e instalação da rede de saneamento e águas pluviais.

Também no Sábado serão inauguradas as obras de beneficiação da Escola de Cortinhas, cuja espaço funcionará agora como uma sala multiusos para a população da freguesia.

FAFE REQUALIFICA ESTRADA DO SAIBRO

Inauguração das obras de requalificação da Estrada do Saibro

No próximo dia 19 de Agosto, Sábado, vão ser inauguradas as obras de requalificação na Estrada do Saibro, em Regadas.

A cerimónia, que contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Fafe, tem início marcado para as 15h00.

Recorde-se que esta é uma obra esperada há mais de 20 anos, fundamental para a freguesia, e que inclui o alargamento da via, pavimentação e instalação da rede de saneamento e águas pluviais.

Também no Sábado serão inauguradas as obras de beneficiação da Escola de Cortinhas, cuja espaço funcionará agora como uma sala multiusos para a população da freguesia.

FAFE VAI SER PALCO DE MOSTRA INTERNACIONAL DE FOLCLORE

Grupos de Folclore de diversas partes do mundo atuam na Praça 25 de Abril

Na próxima quarta-feira, 9 de Agosto, vai decorrer, em Fafe, a segunda edição da Mostra Internacional de Folclore.

CARTAZ-FOLCLORE-2017-baixa-01.jpg

A iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Fafe, em parceria com o Rancho Folclórico da Corredoura, terá a participação de quatro grupos de folclore vindos da Bulgária, Índia, Indonésia e México.

Contam-se como grupos participantes, o grupo Folk Ensemble "Zlatna Trakia" (Bulgária) Shivam Nrutya Cultural Academy (Índia) Warna (Indonéisia), Ballet Folklorico Magistrial Nuevo Leon (México).

O espectáculo decorre na Praça 25 de Abril, a partir das 21h30 e a entrada é livre.