Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

TERRABOURENSES VÃO AOS FADOS

Terras de Bouro prepara-se para receber grande noite de fado

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro irá realizar a sua 2.ª Gala de Fado no próximo dia 21 de julho, pelas 22.00 horas, na Praça do Município.

Cartaz_-_II_Gala_de_Fado 2017.jpg

Aguardado com a habitual expetativa, este evento impar reunirá, numa só noite, alguns prestigiados nomes do fado da região. Além de diversos nomes ligados ao fado, o evento contará com a participação de alguns alunos da Escola de Música do Centro Municipal de Valências.

Será um evento memorável que proporcionará a todos os presentes um agradável momento numa noite que se espera de muita animação.

SILÊNCIO QUE SE VAI CANTAR O FADO… NA AMADORA!

Gente d’Entre-o-Douro-e-Minho também aprecia o fado

Apagam-se as luzes e, no cenário melancólico de iluminação ténue a lembrar o ambiente fadista e notívago de outrora, das ruelas dos bairros alfacinhas, eis que se soltam as primeiras notas pungentes das cordas de uma guitarra bem portuguesa. O Grupo de Danças e Cantares Alto do Moinho, em Alfragide, realizou uma vez mais a “Noite de Fados”, um momento que o público revive com a força e sentimento que lhe vai na alma.

18157678_1417068551670143_1340064055718003422_n (1).jpg

Acompanhados à guitarra por Alfredo da Sé e à viola por Filipe Campos, o espectáculo contou com a participação dos fadistas Fátima Moedas, Liliana Santos, Leonardo Pereira, Jacinto Frango, Vítor Cordeiro e Rui Santos.

Perdem-se nos tempos as origens do fado e as influências várias que recebeu. Expressão musical de raíz popular interpretada pelas classes sociais mais baixas da sociedade, o fado destinava-se a relatar de forma plangente as ocorrências tristes da sua vida, a sina da vida e a fatalidade, em síntese o fado a que a gente humilde estava condenada.

Considerado pelos ideólogos do Estado Novo como uma forma de expressão musical decadente – contrastando com o vigor e a alegria do folclore – o fado foi retirado dos becos de Alfama, Mouraria e dos retiros das hortas e encaminhado para casas típicas onde, após depurado do seu carácter original e genuíno, converteu-se numa cançoneta recomendável às famílias e rentável ao turismo.

Actualmente, o fado conta com cada vez maior número de intérpretes e apreciadores, facto a que seguramente não é alheio o aparecimento de várias escolas de aprendizagem do fado, a organização de eventos de grande dimensão e, mais recentemente, o reconhecimento pela UNESCO como Património Imaterial da Humanidade. Para tráz ficou a narrativa que constituía a essência e razão de ser da designação que para sempre adoptou – o Fado!

Fotos: Manuel Santos

18157897_1417068125003519_2924203533705140746_n (1).jpg

18194135_1417068315003500_5142265583707560896_n (1).jpg

18198658_1417079958335669_3052644586519580407_n (1).jpg

18199176_1417068241670174_2619270377657413468_n (1).jpg

18268177_1417068441670154_4081321891711757642_n (1).jpg

18268539_1417069071670091_1872813584533274762_n (1).jpg

PORTUGUESES EM NEWARK VÃO AOS FADOS

Sábado 18 de Fevereiro

A apresentação do evento está a cargo de Susana Caetano e Sandro Mouro. O artista plástico Fernando Silva é o responsável pelo cenário e os técnicos de luz e som são Márcio Santos e Nuno Calhau.

sportclubeportug.jpg

Dito isto, é altura de fazer silêncio e deixar ouvir o fado, a primeira expressão artística classificada pela UNESCO como Património Imaterial da Humanidade.

Os prémios de melhor fadista vão ser disputados entre Andrea Miguens, Ana Paula Gouveia, António da Silva, António Amâncio, Carlos Anjos, Domingos Parreira, Jack Almeida, Mário Cunha, Noémia Romano, e como suplentes, Bibito da Silva, Glória de Melo e Luis Lourenço, acompanhados na viola clássica por Viriato Ferreira e na viola portuguesa por José Silva, o duo “Guitarras do Atlântico” que vem de Rhode Island.

Alexandra Marques, a jovem vencedora da edição de 2016, vai actuar como artista convidada assim como Emília Silva, Corina e Pedro Botas

O júri vai avaliar os concorrentes nas categorias afinação, ritmo, dicção e apresentação. O concorrente com mais pontos terá a oportunidade de participar na Gala da Proverbo em Outubro, o segundo classificado ganhará um certificado da ourivesaria Jack & Dee e o terceiro, um jantar para duas pessoas no restaurante Marisqueira.

O público escolherá o fadista mais popular que será convidado de honra numa noite de karaoke do Sport Club Português.

Todos os participantes receberão livros e CD’s.

VIANA DO CASTELO HOMENAGEIA FADISTA MARIA DA FÉ

Os bilhetes para o espetáculo SONS DO MUNDO – Homenagem a Maria da Fé, a realizar no Centro Cultural de Viana do Castelo, no próximo dia 18 de março, já se encontram disponíveis para venda.

image003mriadafe.jpg

LOCAIS DE VENDA:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira - segunda a sexta-feira, das 9h00 às 19h00;              

              Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00;

              Sábado e domingos em dias de espetáculos, (2 horas antes).

  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo,  entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

CUSTO DO BILHETE: 10€ (plateia e bancada)

Aceitam-se reservas de bilhetes, unicamente, por  email: tmsm@cm-viana-castelo.pt (indicando nome e NIF), com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.

Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.

Não há lugares marcados.

CERVEIRENSES VÃO AOS FADOS... À CASA TORINO!

Noite de Fados continua a encantar Vila Nova de Cerveira

Ano Novo, são tradições portuguesas!

A Torino teve casa cheia no passado dia 21 de Janeiro. Começou um novo ano e a primeira Noite de Fados, na Torino – Restaurante, recebeu Paula Canossa para mais uma noite musical com ótima comida a acompanhar.

foto_capa_reservas.png

Paula Canossa, mais uma vez, encantou os presentes com a sua poderosa voz cheia de garra e vontade, ficando já marcada a sua próxima visita para o dia 18 de Fevereiro de 2017, sempre acompanhado dos tradicionais e saborosas combinações gastronómicas da D. Fernanda.

A Torino orgulha-se de apresentar este espetáculo cheio de emoções e boa energias e espera contar consigo para um delicioso jantar, com os tradicionais sabores que só irá encontrar no nosso espaço. Torino.

A Torino - Casa de Chás e Restaurante está localizada em pleno centro histórico de Vila Nova de Cerveira e aberta ao público há mais de um ano. Venha conhecer-nos e traga um amigo! Visite-nos, todos os dias, e conheça a tradição do Alto Minho, na Torino. Siga-nos também em facebook.com/torino.casadecha. Estamos aqui para o servir.

frase bill clinton-01.jpg

SILÊNCIO QUE SE CANTOU O FADO, NA TORINO, EM VILA NOVA DE CERVEIRA

Foi no passado dia 25 de Novembro que a Torino recebeu a segunda Noite de Fados, em Vila Nova de Cerveira.

Fado2 (1).png

Para os apreciadores de boa música e gastronomia esta foi mais uma oportunidade para poder escutar a brilhante fadista Paula Canossa que interpretou vários temas, desde o fado mais tradicional até outros mais corridos.

Após estas duas sessões a Torino voltará a receber Noites de Fado a partir de Janeiro para poder desfrutar, em boa companhia, de uma dupla sensação – música e comida, duas artes que se conjugam na perfeição na Torino, com os cozinhados tradicionais da D. Fernanda e a inconfundível voz de Paula Canossa.

Fado3 (1).png

Dezembro é mês de trabalho na Torino

O mês de Dezembro começa, para a Torino com a presença na Mostra 100% Alto Minho de 2 a 4 de Dezembro. A marca 100% Alto Minho foi criada no âmbito do projeto Alto Minho Km0 promovido pela CEVAL e visa a melhoria da competitividade da região Norte - Alto Minho. O objetivo geral é a identificação e valorização dos recursos endógenos do Alto Minho e o aumento da robustez da base económica regional de bens e serviços transacionáveis.

Dezembro é também mês de festa e confraternização. Nesse sentido a Torino apresenta três menus diferentes para jantares de amigos, família ou empresas. Venha conhecer estas opções e descobrir os sabores da gastronomia tradicional da D. Fernanda.

A Torino - Casa de Chás está localizada em pleno centro histórico de Vila Nova de Cerveira e aberta ao público há cerca de um ano. Venha conhecer-nos e traga um amigo!

Visite-nos, todos os dias, e venha conhecer a tradição do Alto Minho, na Torino. Siga-nos também em facebook.com/torino.casadecha. Estamos aqui para o servir.

Menu Natal-01.jpg

FADISTA ANA MOURA REGRESSA A FAMALICÃO

Ana Moura regressa em dezembro à Casa das Artes. Fadista portuguesa sobe ao palco do grande auditório nos dias 2 e 3 de dezembro.

Ana Moura está na estrada com o seu último álbum – “Moura” – e Vila Nova de Famalicão vai entrar no mapa da digressão nacional da fadista portuguesa com dois grandes concertos na Casa das Artes, agendados para os dias 2 e 3 de dezembro. 

Ana Moura.jpg

Esta será assim a terceira vez que Ana Moura pisa o palco do grande auditório do espaço cultural famalicense, depois de aqui ter atuado em 2009 e 2013.

Desta vez, a cantora traz na bagagem o seu sexto trabalho de originais, lançado em novembro do ano passado. “Dia de Folga” é um dos treze temas que compõem “Moura”, que foi já reconhecido com o galardão de Dupla Platina e que se prepara para ser reeditado, esta sexta-feira, dia 25, com o lançamento de uma edição Super Deluxe, que junta ao CD outros três discos – um com um documentário sobre a tour “Moura” (produzido pelo jornal online Observador), outro com a gravação vídeo do concerto que a cantora deu no Coliseu do Porto (realizado pela RTP) e ainda um último CD com o respetivo áudio do concerto.

Acompanhada por Ângelo Freire na guitarra portuguesa, Pedro Soares na viola de fado, André Moreira no baixo, João Gomes no teclado e Mário Costa na bateria e percussão, Ana Moura regressa assim à Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão com dois concertos nos dias 2 e 3 de dezembro.

Para ambas as datas o espetáculo está marcado para as 21h30. Os bilhetes têm o custo de 16 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.  

Mais informações no site oficial da Casa das Artes de Famalicão, em www.casadasartes.org

BARCELENSES VÃO AOS FADOS

Noite de Fados e Encontro de Coros regressam com o Projeto Artístico. Dias 25 e 26 de novembro, no Teatro Gil Vicente

O Projeto Artístico (PA) Barcelos 2016 regressa este fim de semana, 25 e 26 de novembro, com o Encontro de Coros no Teatro Gil Vicente. Os espetáculos começam às 21h30. Em dezembro, no dia 3, é a vez do Gil Vicente receber a Noite de Fados.

O Projeto Artístico (PA) Barcelos 2016 é uma iniciativa dedicada à educação através das expressões artísticas e que tem como principal objetivo criar condições de produção, revelação e valorização das competências dos jovens do concelho. Neste ano já se realizaram o Festival de Bandas, Festival da Canção e ainda o Festival de Dança.

Os jovens barcelenses têm vindo a revelar um interesse proeminente nas áreas relacionadas com as múltiplas dimensões artísticas, nomeadamente na música e na dança, o que se reflete na forte adesão aos eventos realizados pelo Pelouro da Juventude.

Para assistir aos espetáculos, os bilhetes podem ser adquiridos no Teatro Gil Vicente, ou através de reserva por e-mail (tgv@cm-barcelos.pt) ou telefone (253 809 694).

SILÊNCIO QUE SE VAI CANTAR O FADO... EM CERVEIRA!

Noite de Fados volta à Torino no dia 25 de Novembro

Após uma primeira Noite de Fados onde se mesclou boa música e ótima comida, a Torino prepara-se para receber a 2ª Noite de Fados no próximo dia 25 de Novembro. Será, para todos uma noite especial para os apreciadores de fado, abrilhantada pela fadista Paula Canossa.

cartaz fado 25.11-01.jpg

Paula Canossa, que encantou os presentes com a sua poderosa voz, é natural da Trofa e sempre viveu com música em casa. Na casa do avô materno o fado era sagrado, e acompanhava a mãe e o avô, vocalistas no Rancho de S. Pedro de Rates, na Póvoa de Varzim. Mas foi apenas em 2011, após uma visita a uma casa de fados que deixou de lado a timidez e mostrou ao mundo a potencialidade da sua voz.

A Torino orgulha-se de apresentar este espetáculo cheio de emoções e boa energias e espera contar consigo para um delicioso jantar, com os tradicionais sabores que só irá encontrar no nosso espaço. Torino.

A Torino - Casa de Chás está localizada em pleno centro histórico de Vila Nova de Cerveira e aberta ao público há cerca de um ano. Venha conhecer-nos e traga um amigo! Visite-nos, todos os dias, e venha conhecer a tradição do Alto Minho, na Torino. Siga-nos também em facebook.com/torino.casadecha. Estamos aqui para o servir.

VILA NOVA DE CERVEIRA: NOITE DE FADOS NA TORINO TEVE CASA CHEIA

No passado dia 22 de Outubro a Torino acolheu uma noite especial onde a música e a boa comida se misturaram para oferecer um serão diferente, foi a primeira Noite de Fados, abrilhantada pela fadista Paula Canossa.

Fado1.png

Paula Canossa, natural da Trofa, sempre viveu de mão dada com a música. Foi em 2011, quando decidiu desafiar a natureza tímida e retraída para abraçar as plateias que a acompanham e enchem os locais por onde destila “pequenos pedaços da alma, sentimentos e estado de espírito”. “A Descobrir o Fado” é o nome do primeiro trabalho discográfico de Paula Canossa. Composto por 12 faixas, que retrata o que a artista trofense quer ser, sendo influenciada musicalmente por Amália Rodrigues, Aldina Duarte, ou Celeste Rodrigues. 

A Torino apresentou um menu tradicional dedicado a este dia, onde o caldo verde, o bacalhau e o Trovador não faltaram! Agora é esperar pela próxima Noite de Fados que a Torino irá realizar já este mês. Fiquem atentos.

A Torino - Casa de Chás está localizada em pleno centro histórico de Vila Nova de Cerveira e aberta ao público há cerca de um ano. Lembramos que a época natalícia está a chegar e que a Torino apresenta Menus para empresas. Venha conhecer-nos e traga um amigo!

Visite-nos, todos os dias, e venha conhecer a tradição do Alto Minho, na Torino. Siga-nos também em facebook.com/torino.casadecha. Estamos aqui para o servir.

Fado2.png

Fado3.png

BRACARENSES VÃO AOS FADOS

BRAGAFADO 2016. Dia 5 de NOVEMBRO, às 21:30, no TEATRO CIRCO – BRAGA

FICHA ARTÍSTICA: Fadista: Ana Sofia Varela, Guitarra Portuguesa: Pedro de Castro, Guitarra Clássica (Viola de Fado): Artur Caldeira, Baixo Acústico: Daniel Paredes

Recebendo recentemente da UNESCO o galardão de Património Cultural e Imaterial da Humanidade (VI Comité Intergovernamental desta organização internacional, realizado em Bali, na Indonésia, entre 22 e 29 de Novembro de 2011), o Fado é um estilo musical popular urbano com a sua popularidade em franca ascensão. Com a sua história ainda algo indefinida, uns defendem a sua origem no Lundum africano e na Modinha Brasileira, mas outros defendem uma origem mais interna, como o Romanceiro Tradicional Português. Inequivocamente, o Fado (do latim fatum, ou seja, "destino") é português e o único estilo musical reconhecido mundialmente como tal. A figura principal é o/a Fadista, acompanhado(a) por Guitarra Clássica (nos meios fadistas conhecida por Viola de Fado e com cordas de metal) e Guitarra Portuguesa.

CARTAZ FINAL BGFbraga.jpg

O BRAGAFADO assume-se como o evento mais relevante nesta matéria no Norte do País e um dos mais relevantes a nível Nacional.

Para além da vertente de concurso, é também um espetáculo/concerto de Fado, contando este ano com Ana Sofia Varela, uma das mais talentosas fadistas da sua geração, bem como com o virtuoso guitarrista Pedro de Castro que, juntamente com Artur Caldeira e Daniel Paredes, acompanhará os concorrentes e a convidada.

Haverá ainda lugar à evocação do guitarrista José Luís Nobre Costa, cuja vida e carreira terminaram precocemente. Deixou um legado de mais de 500 discos gravados com a sua participação, tendo acompanhado por todo o mundo os/as fadistas de relevo desde a segunda metade do séc. XX até ao seu falecimento. Mencioná-los, bem como aos lugares onde tocou, transformaria esta sinopse em algo interminável.

PONTE DE LIMA RECORDA AMÁLIA RODRIGUES

Ponte de Lima: Cinema História recorda Amália, a rainha do fado

No mês do 17.º aniversário da morte de Amália Rodrigues, o Cinema História – rubrica de pendor lúdico-didático dinamizada pelo Município de Ponte de Lima, através da Biblioteca Municipal (BMPL) – evoca a vida e a obra da mais influente e prestigiada fadista do século XX.

Amália - vida.jpg

Considerada por Manuel Alegre, “a voz da alma portuguesa”, Amália mudou a história do Fado ao introduzir no seu repertório vários poetas nacionais de referência numa simbiose perfeita entre o universo tradicionalista da canção e a esfera intelectual das Letras.

Mas porque a faceta inovadora de Amália não se esgota numa frase, a BMPL propõe a exibição de “Amália” (2008) – filme biográfico de Carlos Coelho da Silva com Sandra Barata Belo e Carla Chambel nos principais papeis – e de “Fado: história d’uma cantadeira” (1948) – melodrama de Perdigão Queiroga baseado no percurso de Amália Rodrigues, ela própria protagonista da história ao lado de Virgílio Teixeira.

Dois registos diferentes e espaçados no tempo – 60 anos separam ambas as películas – que ajudarão o público a conhecer e/ou relembrar a trajetória pessoal da rainha do fado e as suas múltiplas esferas de atuação que atravessam a música, o teatro e o cinema.

Como tem sido habitual, a BMPL vai disponibilizar um livreto com a biografia da figura visada na edição de outubro do Cinema História, funcionando como complemento informativo e factual dos filmes.

Conheça a sua História. Visite-nos!

CERVEIRENSES VÃO AOS FADOS À CASA DE CHÁS TORINO NO CENTRO HISTÓRICO DE VILA NOVA DE CERVEIRA

Torino recebe Noite de Fados

No próximo dia 22 de Outubro, sábado, a Torino apresenta uma noite especial para todos os apreciadores de boa música e gastronomia. Será a primeira Noite de Fados, abrilhantada pela fadista Paula Canossa.

Noite de Fado.jpg

Paula Canossa é natural da Trofa e sempre viveu de mão dada com a música. Na casa do avô materno o fado era sagrado, e acompanhando a mãe e o avô, cantadores no Rancho de S. Pedro de Rates, na Póvoa de Varzim. Foi em 2011, quando decidiu desafiar a natureza tímida e retraída para abraçar as plateias que a acompanham e enchem os locais por onde destila “pequenos pedaços da alma, sentimentos e estado de espírito”.

“A Descobrir o Fado” é o nome do primeiro trabalho discográfico de Paula Canossa. Composto por 12 faixas, que retrata o que a artista trofense quer ser, sendo influenciada musicalmente por Amália Rodrigues, Aldina Duarte, ou Celeste Rodrigues. A Torino orgulha-se de apresentar este espetáculo pode saborear um delicioso jantar, com os tradicionais sabores que só irá encontrar na Torino.

A Torino - Casa de Chás está localizada em pleno centro histórico de Vila Nova de Cerveira e aberta ao público há cerca de um ano. Venha conhecer-nos e traga um amigo! Visite-nos, todos os dias, e venha conhecer a tradição do Alto Minho, na Torino. Siga-nos também em facebook.com/torino.casadecha. Estamos aqui para o servir.

VILA VERDE: ESPETÁCULOS ANIMAM PICO DE REGALADOS

O Pico de Regalados respirou cultura com três noites de espetáculos ao vivo!

O Pico de Regalados respirou cultura durante o último fim-de-semana, 26 a 28 de agosto, com três noites de espetáculos ao vivo. Música tradicional, teatro, dança, folclore, poesia e fado, numa iniciativa com grande diversidade de manifestações artísticas que encheram de cor e alegria o centro da vila.

DSC_0432.JPG

O cartaz prometia, o público não se fez rogado e aderiu em massa ao evento. Durante as três noites, brindou os artistas e a organização com belas molduras humanas que tornaram a ocasião ainda mais especial. O cartaz contou com um misto de atores locais e artistas convidados. Esta aposta permitiu voltar a cumprir um dos objetivos da iniciativa, a promoção e divulgação do potencial de coletividades e individualidades locais, mantendo uma grande variedade de expressões artísticas.

Na primeira noite, 26 de agosto, as performances apelaram ao sentimento, com um concerto de Fado e uma sessão de declamação de poesia, atividades de grande carga emocional.

No dia seguinte, a toada mudou e a alegria animação do folclore tomou conta do recinto, a que se somou ainda uma divertida peça de teatro que levou os espetadores numa viagem pelo passado.

Ontem, 28 de agosto, o serão foi de dança, com o vigor dos Pauliteiros de Miranda, e de música tradicional, com a atuação do Grupo Verde Canto. As Noites Temáticas são organizadas pela Junta da União de Freguesias do Pico de Regalados, Gondiães e Mós, e inserem-se na programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde.

“Promover a tradição e a etnografia minhota”

A organização faz um balanço extremamente positivo de um evento que voltou a alcançar as metas a que se propôs e que se vai consolidando de ano para ano, garantindo já um lugar privilegiado na agenda cultural da região.

“Estamos muito satisfeitos com a adesão popular, com a qualidade dos momentos culturais e com a diversidade de espetáculos, que permitiu também promover a tradição e a etnografia minhota”, afirmou o autarca local.

 César Cerqueira revelou ainda que os principais objetivos das noites temáticas passam por divulgar as potencialidades dos artistas locais e criar um cartaz cultural atrativo, planeado para enriquecer o programa de verão da vila e atrair visitantes ao centro do Pico, dinamizando o comércio e a economia local.

“Grande diversidade de manifestações artísticas”

A vereadora da Cultura do Município de Vila Verde, Júlia Rodrigues Fernandes, deixou rasgados elogios ao trabalho desenvolvido pela comunidade picoense na promoção da cultura, apresentando uma “grande diversidade de manifestações artísticas” e assumindo-se como “um palco privilegiado para a promoção das associações locais, a que se juntam os artistas convidados para serões muito interessantes”.

Júlia Fernandes concluiu reforçando a importância da iniciativa na “preservação e promoção das tradições locais”. A programação Na Rota das Colheitas, que se estende de agosto a novembro em mais de 30 iniciativas, continua já no próximo fim de semana com a Agridoce – Feira de Agricultura e Doçaria, em Cabanelas, e com a Espadelada do Linho, em Marrancos.

DSC_0265.JPG

DSC_0278.JPG

DSC_0346.JPG

AMARES FOI AOS FADOS

Noite memorável de Fado em Bouro Santa Maria

O Largo do Terreiro, em Bouro Santa Maria, Amares, serviu de palco, no passado sábado, à segunda edição do “Amares em Fado”, uma iniciativa dedicada à música classificada como Património Imaterial da Humanidade em que as vozes de Margarida Rocha, Margarida Moreira, Adriana Moreira (vencedora do Bragafado 2014) e Toni Reis, acompanhados pelo duo de guitarristas do concelho de Amares: Artur Carlos Caldeira, na guitarra portuguesa, e Daniel Paredes, na guitarra clássica, aqueceram a alma do público.

O espetáculo musical – uma iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Amares, Acofa e Junta de Freguesia de Bouro Santa Maria – contou com a presença da vereadora do Município de Amares, Cidália Abreu.

DSC06495.JPG

DSC06502.JPG

DSC06516.JPG

DSC06524.JPG

PONTE DA BARCA APRESENTA FADO E FOLCLORE

Folclore e Fado conjugam-se nas propostas de fim-de-semana da Câmara Municipal de Ponte da Barca

Hoje, a partir das 21h30, a Praça da República em Ponte da Barca volta a ser o palco do Festival Internacional de Folclore - O Mundo a Dançar. Ao palco subirão companhias de dança e grupos folclóricos que através da dança recriam crenças, histórias populares, lendas, tradições e costumes, e prometem transportar os espetadores até ao país que representam: África do Sul, Argentina, Bielorrúsia e Sérvia. Não falte!

NOITE DE FADO CARTAZ mqt1 (2).jpg

Amanhã, Sandra Correia é a fadista convidada da Noite de Fado que a autarquia leva a cabo. O espetáculo está agendado para as 22h00, no Jardim dos Poetas, a comunhão perfeita entre o fado, o rio Lima e a nossa magnífica ponte medieval. Com um registo intimista, a intérprete sobe ao palco barquense para um espetáculo envolvente que viaja pelo fado tradicional, pelos temas originais do seu último álbum, “Perspectiva”, e por alguns dos maiores clássicos do Fado.

folk moncao.jpg

FAMALICÃO SAIU À RUA PARA OUVIR CANTAR O FADO

A Praça D. Maria II, em Vila Nova de Famalicão, foi pequena para as centenas de pessoas que na passada sexta-feira, dia 29 de julho, não quiseram perder a oportunidade de assistir à terceira edição do Festival de Fado.

A iniciativa, inserida na programação cultural de Verão do município famalicense, reuniu em palco conceituadas e promissoras vozes do fado como Pedro Marão, Florência, Joaquim Macedo e Patrícia Costa.

Festival de Fado.JPG

PONTE DA BARCA VAI AOS FADOS

Autarquia barquense promove Noite de Fado com Sandra Correia

Sábado | 06 de Agosto | 22h | Jardim dos Poetas | Entrada Livre

Sandra Correia é a fadista convidada da Noite de Fado que a autarquia promove no próximo dia 06 de agosto.

NOITE DE FADO CARTAZ mqt1.jpg

O espetáculo está agendado para as 22h de sábado, no Jardim dos Poetas, a comunhão perfeita entre o fado, o rio Lima e a nossa magnífica ponte medieval. 

Com um registo intimista, a intérprete sobe ao palco barquense para um espetáculo envolvente que viaja pelo fado tradicional, pelos temas originais do seu último álbum, “Perspectiva”, e por alguns dos maiores clássicos do Fado. A entrada é livre.

Com uma carreira musical iniciada há mais de 20 anos, uma voz única e nostálgica e uma postura em palco inconfundível, Sandra Correia é toda ela emoção e sentimento. É atualmente uma das maiores intérpretes no Fado.

TELMO PIRES CANTA TEMA INÉDITO DE ANTÓNIO VARIAÇÕES

Telmo Pires canta inédito de António Variações e apresenta concertos na Lituânia

Depois de "Fado Fantasma", Telmo Pires apresenta agora o segundo single extraído do seu novo álbum "Ser Fado". Nada mais nada menos do que um inédito absoluto de António Variações, "Ao Passar por Braga Abaixo", que este mítico cantor, poeta e compositor nunca chegou a gravar e que ficou perdido entre o seu espólio até ser resgatado pela voz única do fadista Telmo Pires.

telmopires.jpg

Nas próprias palavras de Telmo Pires: "Sempre fui um enorme fã de António Variações. E, paralelamente, sempre desejei cantar um tema que remetesse para a tradição musical portuguesa e que não fosse de fado. E tive a felicidade de, através de um irmão de António Variações -- o Dr.Jaime Ribeiro -- ter chegado a este belíssimo tema que tão bem representa a cultura musical do norte de Portugal, a que eu também pertenço. O António do Minho, eu de Trás-os-Montes".

Entretanto, na sequência da digressão de apresentação do álbum "Ser Fado", Telmo Pires chega neste mês de Agosto à Lituânia para concertos em Siauliai (dia 4), Kaunas (dia 5), Sakiai (dia 6) e à capital Vilnius (dia 7).

Ao Passar Por Braga Abaixo

 

Letra | Musica: António Variações

 

Ao passar por Braga abaixo

Ouvi cantar e parei

Era uma moda tão linda

Queria cantá-la e não sei

 

Ao passar por Braga abaixo

Vi a beleza à janela

Tão linda que ainda tenho

Os meus olhos cheios dela

 

Ao passar por Braga abaixo

Vi passar a procissão

Nunca vi tanto silêncio

No meio da multidão

 

Ao passar por Braga abaixo

Vi sentada a solidão

Naquele velho sozinho

Em noite de São João

 

Ao passar por Braga abaixo

Ouvi cantar e parei

Era uma moda tão linda

Queria cantá-la e não sei

FAMALICÃO VAI AOS FADOS!

Praça D. Maria II recebe 3.º Festival de Fado de Famalicão

Os fadistas Pedro Marão, Florência, Joaquim Macedo e Patrícia Costa são as quatro vozes convidadas para a terceira edição do Festival do Fado de Vila Nova de Famalicão, que decorre esta sexta-feira à noite, na Praça D. Maria II, no centro da cidade.

A iniciativa, promovida pela autarquia famalicense através do seu Gabinete de Animação Sociocultural, tem início marcado para as 22h00 e é de entrada livre.

Festival de Fado decorre amanhã.jpg

TERRAS DE BOURO REALIZA GALA DE FADO

1.ª Gala de Fado da Escola de Música do Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro

A Praça do Município de Terras de Bouro encheu-se, no passado dia 18 de junho, para receber a 1.ª Gala de Fado promovida pelo Centro Municipal de Valências. Foi uma noite glamorosa onde os presentes puderam assistir a vozes ímpares do fado da região, acompanhadas de excelentes músicos que abrilhantaram esta magnifica noite.

IMG_7035.jpg

Nas vozes o evento teve o privilégio de receber pela primeira vez a Fadista Isa de Castro, assim como algumas alunas da Escola de Música do Centro Municipal de Valências, tais como a Francisca Antunes, Patrícia Barbosa, Mónica Palhares, Beatriz Barros, Adriana Afonso, Perpétua Pereira, Mariana Azevedo, Joana Freitas, além da participação especial da Fadista Teresa Baixo e do Sr. Belarmino Paulo.

Os presentes puderam ainda assistir ao ensemble de guitarras dos alunos da Escola de Música do Centro Municipal de Valências, composto pelos seguintes alunos: Alexandre Silva, André Hipólito Silva, André Lopes Domingues, António Pedro Carvalho, Daniel Rodrigues, Duarte Fernandes, Lígia Rodrigues, Luís Martins, Manuel Guedes Cracel e Marco Freitas.

A acompanhar a vozes esteve o professor de guitarra Luís Pinho, da Escola de Música, na viola baixo, Lino Lobão na viola de fado e Miguel Silva na guitarra portuguesa. Foi uma noite notável que ficará na memória de todos, tendo sido manifestada, desde logo, a intenção de repetir esta Gala de Fado, de acordo com as palavras proferidas pelo Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Dr. Joaquim Cracel e pela Vereadora da Ação Social e Educação, Dr.ª Liliana Machado que também marcaram presença nesta fantástica gala.

IMG_7055.jpg

IMG_7062.jpg

IMG_7086.jpg

IMG_7101.jpg

IMG_7115.jpg

TERRABOURENSES VÃO AOS FADOS!

Terras de Bouro prepara-se para receber grande noite de fado a 18 de junho

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro irá realizar a sua 1.ª Gala de Fado no próximo sábado, dia 18 de junho, pelas 21.30 horas, na Praça do Município. Aguardado com a habitual expetativa, este evento impar reunirá, numa só noite, alguns prestigiados nomes do fado da nossa região.

Além de diversos nomes ligados ao fado, o evento contará com a participação de alguns alunos da Escola de Música do Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro.

Será um evento memorável que proporcionará a todos os presentes um agradável momento numa noite que se espera de muita animação.

IªGala do Fado em TBR.jpg

TERRABOURENSES VÃO AOS FADOS

Terras de Bouro prepara-se para receber grande noite de fado

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro irá realizar a sua 1.ª Gala de Fado no próximo dia 18 de junho, pelas 21.30 horas, na Praça do Município. Aguardado com a habitual expetativa, este evento impar reunirá, numa só noite, alguns prestigiados nomes do fado da nossa região.

Além de diversos nomes ligados ao fado, o evento contará com a participação de alguns alunos da Escola de Música do Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro.

Será um evento memorável que proporcionará a todos os presentes um agradável momento numa noite que se espera de muita animação.

FADISTA RICARDO RIBEIRO REALIZA CONFERÊNCIA E CONCERTO EM FAMALICÃO

Fadista participa em iniciativa do projeto Empresariato a partir das 21h00. Conferência e concerto com Ricardo Ribeiro sábado na Casa das Artes

É já no próximo sábado, 21 de maio, que o fadista Ricardo Ribeiro apresenta em Famalicão o seu novo álbum. O concerto, gratuito, está inserido na segunda conferência do projeto Empresariato, a realizar no grande auditório da Casa das Artes, a partir das 21h00, onde o fadista falará também sobre o sucesso da internacionalização do fado. 

Ricardo Ribeiro

Depois de participar na conferência, em que são também convidados Vasco Sacramento, Joaquim Oliveira e Ricardo Fonseca, Ricardo Ribeiro, a quem chamam “purista do fado” por lhe ouvirem na voz a tradição fadista de outras vozes e outros tempos, interpretará então temas de “Hoje é Assim, Amanhã Não Sei”, o novo disco que acaba de lançar.

A entrada na conferência e no concerto é gratuita, mas está sujeita à lotação do grande auditório mediante levantamento prévio do ingresso na bilheteira da Casa das Artes.

Em junho haverá uma terceira conferência dedicada a outra área onde Portugal se afirmou internacionalmente, o Vinho do Porto, depois desta com enfoque no Fado e de outra sobre Futebol realizada a 19 de abril.

Estas ações fazem parte do projeto Empresariato que a Câmara Municipal, através do Famalicão Made IN, está a desenvolver com o objetivo de colocar o pensamento empresarial na ordem do dia, potenciando a reconhecida capacidade produtiva e industrial e a vocação exportadora do concelho.

GISELA JOÃO ATUA EM ARCOS DE VALDEVEZ

MÚSICA/FADO:

27 de Fevereiro

sábado às 22h00

GISELA JOÃO

Auditório da Casa das Artes

Pré-venda e reserva de bilhetes a partir de 22 de Fevereiro.

Preço único: €15,00. (com lugar marcado)

Limite de reservas: 4 bilhetes/pessoa | Limite venda directa: 8 bilhetes/pessoa

gisela

O ano em que se estreou com um disco que depois de ter sido entusiasticamente recebido pela crítica, especializada e não só, foi considerado o melhor álbum nacional do ano por publicações de referência como a Blitz, o Expresso, o Público, a Time Out, o site musical Cotonete e mesmo os Globos de Ouro tendo atingido vendas que já lhe valeram um Disco de Ouro.

Em 2014, depois de ter começado o ano a esgotar a Casa da Música e o Centro Cultural de Belém, já ninguém duvida que este primeiro disco de Gisela João revela uma fadista de excepção e que é um marco na História do Fado contemporâneo. Nascida em Barcelos, Gisela viveu seis anos no Porto para, finalmente, o canto impor a sua vontade e a levar para Lisboa. Numa pequena casa “emprestada” na Mouraria debateu-se com o peso imenso da solidão, pensou várias vezes em desistir, mas resistiu. Conquistou primeiro meia Lisboa e depois Lisboa inteira, das Casas de Fado à mítica discoteca Lux e do Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém ao Teatro São Luiz.

Faltava gravar um disco, esse grande desafio. Encontrou em Frederico Pereira o cúmplice ideal e iniciaram as gravações. O disco saiu a 01 de Julho de 2013, duas semanas depois alcançou o primeiro lugar no Top de vendas nacional e foi considerado pela grande maioria dos críticos nacionais o mais importante disco de estreia de um artista português no século XXI, valendo-lhe o prémio revelação Amália, com quem o seu talento já foi comparado várias vezes.

No início de 2015 Gisela João brindou os portugueses com dois espetáculos em duas das mais emblemáticas salas de Portugal: Coliseu dos Recreios e Coliseu do Porto.

“MARIA…EM JEITO DE FADO” NO CINE TEATRO JOÃO VERDE EM MONÇÃO

27 de fevereiro, sábado, pelas 21h30. Espetáculo, onde as guitarras são substituídas pela sonoridade do acordeão e violoncelo, conduz o público pelos maiores sucessos do fado, património oral e material da humanidade pela UNESCO. As entradas, no valor de 8,00 € cada, podem ser adquiridas na Loja Interativa do Turismo (T. 251 649 013) ou, uma hora antes, no local do espetáculo.

O projeto “Maria …em jeito de Fado” sobe ao palco do Cine Teatro João Verde este sábado, 27 de fevereiro, pelas 21h30. As entradas, no valor de 8,00 € cada, podem ser adquiridas na Loja Interativa do Turismo (T. 251 649 013) ou, uma hora antes, no local do espetáculo.

Idealizado e produzido por Miguel Bello, o espetáculo " Maria... em jeito de Fado" é uma viagem pelos grandes sucessos do fado, recorrendo a um conceito e estética invulgar, onde as guitarras são substituídas pela sonoridade do acordeão (Gabriel da Fonseca ) e pelo violoncelo (João Paulo da Silva ).

Joana Maria Ferreira, uma fadista tradicional à qual foi lançado este desafio alternativo há uns anos, é conduzida pela voz de Eládio Clímaco nas narrações que antecedem cada tema e pelas harmonias corporais dos bailarinos Rita Pombal e Vadim Potapov.

Neste concerto, o público é conduzido aos maiores sucessos desse estilo mundialmente respeitado que, entre histórias e contos, o guiará por velhos e novos apeadeiros da música e da dança. Maria traz os sons…preto…branco…cor… luz…fado.

MINHOTOS VÃO AOS FADOS NA AMADORA

A Associação Rancho Folclórico Alegria do Minho/Assorpim leva a efeito uma sessão de fados, ater lugar no próximo dia 20 de março, pelas 15 horas, nas instalações da Associação de Solidariedade Social para Reformados, Pensionistas e Idosos da Freguesia da Mina de Água (ASSORPIM).

As inscrições são limitadas pelo que, quem estiver interessado, deverá inscrever-se diretamente na ASSORPIM ou através dos seguintes contactos: 969 926 763 / 961 023 083. O preço de cada inscrição é de 10€.

E, a acompanhar o trinar das guitarras, o “programa” inclui chouriço, queijos, presunto, pão, broa, caldo verde, água, vinhos, sumos e arroz doce.

NOITE DE FADO EM MONÇÃO COM PAULA BARROSO

Dia 14 de novembro, sábado, pelas 21h30, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil, equipamento cultural inaugurado em junho passado com auditório para 160 pessoas. Entrada custa 3.50 €.

maxresdefault

O Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil, recebe no dia 14 deste mês, sábado, pelas 21h30, uma noite de fado com a presença da fadista bracarense Paula Barroso. A entrada, com o valor de 3.50 €, pode ser adquirida nos dias 12 e 13, entre as 15h00 e as 19h00, e no dia do concerto, a partir das 19h30. O espaço tem uma lotação de 160 lugares.

Paula Barroso, natural de Braga, iniciou-se no fado em 2007, participando na Grande Noite do Fado de Braga (BRAGAFADO), uma organização da Associação cultural ACOFA. Após essa participação, foram surgindo convites para cantar em vários restaurantes, bares e em espetáculos ao ar livre nas freguesias de Braga.

Em 2011, participou na Gala de Fado do Porto, no teatro Sá da bandeira, onde ganhou o 1º prémio. No ano seguinte, lançou o seu primeiro CD, intitulado “Vida”. Desde então, tem atuado em diversas localidades do país, muitas vezes repartindo palco com nomes relevantes do fado nacional como Lenita Gentil, Cidália Moreira e Anita Guerreiro.

 

ESPOSENDENSES CANTAM O FADO DOS PESCADORES

A Câmara Municipal de Esposende vai promover, no próximo dia 4 de setembro, às 21h30, no Largo Fonseca Lima, um espetáculo designado “Fado dos Pescadores”.

Com interpretação de Francisco Pestana, acompanhado à guitarra por Rolando Teixeira e à viola por André Teixeira, este espetáculo decorre no âmbito da exposição “Tradição Viva: A Comunidade Piscatória de Esposende - Memórias e Tradições”, que se encontra patente na Sala dos Azulejos do Museu Municipal de Esposende, até ao próximo mês de outubro”.

LUÍS GOES CANTA “SERRA D’ARGA”

 "Serra d'Arga". Disco gravado em Espanha a convite do Professor Mário Silva.

Coimbra Quintet, com António Portugal e Jorge Godinho na guitarra, Manuel Pepe e Levy Baptista na viola, e a voz única de Luiz Goes.

Abaixa-te ó Serra d'Arga/ Que eu quero ver São Lourenço/ Quero ver o meu amor/ Acenar-lhe com o lenço/ Menina do lenço preto/ Diga-me quem lhe morreu/ Se foi pai ou se foi mãe/ Que por ela morro eu.

NOITES DE FADO EM CERVEIRA RECEBE DULCE PONTES E YOLANDA SOARES

Senhoras e Senhores, Dulce Pontes e Yolanda Soares em Cerveira

São fadistas, são portuguesas e dispensam grandes apresentações. Dulce Pontes e Yolanda Soares vão (en)cantar a ‘Vila das Artes’, nos dias 18 e 25 de julho, com dois concertos intimistas que homenageiam o Fado e Portugal. Bilhetes já disponíveis na Loja Interativa de Turismo: Dulce Ponte 7 euros, e Yolanda Soares 5 euros.

Prosseguindo com o desafio e a ambição de alcançar novas abordagens culturais e cativando outros públicos, a autarquia cerveirense volta a apresentar uma programação de verão recheada de manifestações artístico-culturais, onde a vertente musical é um ingrediente importante para esta receita de sucesso.

As ‘Noites de Fado’ trazem a Cerveira duas vozes femininas de referência nacional e internacional, prometendo surpreender o público através da vivência de uma experiência sensorial única pela conjugação da tradição com a modernidade.

Com 27 anos de música a percorrer os palcos do Mundo, Dulce Pontes iniciou 2015 com o abraço mais desejado: Portugal. A 18 de julho, em Cerveira, Dulce Pontes proporcionará uma viagem poético-musical entre o passado e o presente, com algumas pontes para o futuro. Pelo fado, o folclore, a música popular Portuguesa, a música Galaico-Portuguesa, de Martin Codax a Artur Paredes, de Fernando Pessoa a Horácio Ferrer, de Mikis Theodorakis a Linhares Barbosa, Dulce Pontes faz a travessia do Atlântico, tocando as orlas de África e Brasil, com paragem obrigatória em temas que são clássicos da sua extensa carreira.

A 25 de julho, a versátil voz de Yolanda Soares apresenta o ‘Fado em Concerto’, um espetáculo musical de Fado que, de forma clara e direta, une a música barroca e clássica ao Fado com arranjos inspirados em compositores eruditos como Vivaldi, Bach, Handel, Ravel, e ainda com um toque de modernidade e musicalidade mundial. Um tributo feito pela cantora soprano/crossover Yolanda Soares ao Fado, a Amália e a Portugal que recebeu rasgados elogios no nosso país e no estrangeiro.

Os bilhetes já se encontram disponíveis a partir de hoje, na Loja Interativa de Turismo, com um custo de 7 euros para o espetáculo de Dulce Pontes e de 5 euros para o da Yolanda Soares. As ‘Noites de Fado’ têm início às 22h00, no Auditório Municipal.

VIANA DO CASTELO VIRA CAPITAL DO FADO

Já se encontram disponíveis para venda os bilhetes para a Festa do Fado a realizar no próximo dia 28 de março, no Centro Cultural de Viana do Castelo.

Infra indico algumas informações pertinentes referentes ao espetáculo:

  • Os bilhetes estão à venda no Teatro Municipal Sá de Miranda, nos horários habituais da bilheteira (tlf. 258 809 382).
  • Aceitam-se reservas de bilhetes,unicamente por  email:tmsm@cm-viana-castelo.pt , com um prazo de levantamento de 24 horas, caso contrário a reserva ficará sem efeito.
  • Há bilhetes de plateia e bancada, pelo que deverão mencionar na reserva o desejado.
  • No dia do espetáculo se a lotaçãonão estiver esgotadapoderão adquirir bilhetes na bilheteira do Centro Cultural entre as 16h00 e as 21h00.
  • Não há lugares marcados.
  • A classificação etária émaiores de 6 anos.
  • O custo do bilhete: 15 € (1ª plateia)

10 € (2ª e 3ª plateia e bancada)

MÍSIA ATUA EM PONTE DE LIMA

Fado regressa ao Teatro Diogo Bernardes com Mísia, uma das maiores vozes portuguesas da atualidade, no dia 8 de Março, às 22h00

O Fado regressa em grande ao Teatro Diogo Bernardes que vai apresentar no próximo domingo, 8 de Março, pelas 22h00, o espetáculo de Mísia, baseado no mais recente trabalho deste nome maior da música portuguesa, com o título “Delikatessen Café Concerto”, em comemoração do Dia Internacional da Mulher, naquele que será o último de três concertos realizados em Portugal pela artista, nesta fase de apresentação do álbum, seguindo-se depois espectáculos em Berlim e em Paris.

misia[1]

Galardoada em 2012 com o Prémio Amália Rodrigues na categoria “Divulgação Internacional”, a carreira de Mísia marca a contemporaneidade do Fado. Foi uma das responsáveis pela revolução no meio do Fado, não só através de textos de poetas contemporâneos, que escreveram especialmente para a sua voz (José Saramago, Agustina Bessa-Luís, Lídia Jorge, Vasco Graça Moura, Hélia Correia, etc.) mas também por criar uma sonoridade própria ao trazer para o fado instrumentos como o violino, acordeão e o piano.

“Delikatessen Café Concerto”, o último disco, conta com a participação especial de nomes como Adriana Calcanhotto, Iggy Pop, Dead Combo, The Legendary Tigerman, Melech Mechaya, entre outros.

Ao vivo a ementa é servida apenas com a voz de Mísia e o piano de Fabrizio Romano.

“A cantora, natural do Porto, já apresentou este disco em Lisboa, Faro e em várias cidades de Espanha, Chile, Brasil, Argentina e, segundo a sua produtora, tem agendadas apresentações em Berlim, nos dias 14 e 15 de Março, e em Paris, em Abril.

"Rasto do infinito", de Tiago Torres da Silva e Miguel Ramos, é o único tema inédito deste álbum que inclui ainda canções em espanhol e francês, como "Agua que nos has de beber", que Sara Montiel interpretou no filme "La Violetera" (1958), e "Chanson d'Hélene", originalmente interpretada por Romy Schneider e Michel Piccoli, no filme "Les choses de la vie" (1970).

O alinhamento inclui "Estación de Rossio", canção que Juanita Cuenca interpretou como "atracção internacional" na revista "Agora é que são elas", que esteve em cena no Teatro Capitólio, em Lisboa, em 1953” (musica.sapo.pt).

Um espectáculo único e imperdível a que certamente os amantes da boa música portuguesa não quererão nem poderão faltar.

Bilhetes à venda e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt.

ESPOSENDE EVOCA CENTENÁRIO DA PRIMEIRA GRANDE GUERRA COM FADO E CINEMA

Concerto de fado e filme musicado evocam Centenário da 1.ª Grande Guerra

No âmbito do programa evocativo do Centenário da 1.ª Grande Guerra, o Município de Esposende vai promover um Concerto de Fado com a Esposendense Filipa Menina, no próximo dia 28 de fevereiro, pelas 21h30, no Auditório Municipal de Esposende. O espetáculo tem entrada livre e é aberto ao público em geral.

Neste concerto, serão interpretadas, entre outros temas, produções musicais relacionadas com a partida de contingentes portugueses para o campo de batalha.

Ana Filipa Fonseca Menina tem 26 anos, é natural de Esposende, mas reside em Apúlia. Começou a cantar aos 15 anos em karaokes e desde logo se evidenciou, arrecadando vários prémios. A paixão pelo fado despertou mais tarde e de forma mais intensa quando Filipa Menina assistiu a um espetáculo da fadista Eliana Castro, que viria a ser sua madrinha artística e a quem passou a acompanhar nos espetáculos. Após a morte de Eliana Castro, Filipa Menina fez um interregno na carreira, mas acabaria por voltar aos palcos.

Integrado também no programa evocativo da 1.ª Guerra Mundial inclui também a apresentação do filme musicado “Odisseia”, no dia 6 de março, às 21h30, no Auditório Municipal de Esposende, direcionado para maiores de 12 anos.

Considerando o movimento artístico vigente na época marcada pelo experimentalismo típico dos primeiros anos do cinema, um grupo de músicos esposendenses dará vida, através da música, a três clássicos do cinema, designadamente “Viaje a la Luna” (1902) e “Jupiter's Thunderballs” (1903), de George Méliès, e “A Trip To Mars” (1910), de Thomas Edison. A tónica destas três curtas-metragens relaciona-se com o desejo do ser humano ir para além das fronteiras deste pequeno planeta azul perdido na imensidão do universo.

O programa evocativo do Centenário da 1.ª Grande Guerra decorrerá até 2018, integrando um conjunto muito diversificado de iniciativas.

PONTE DE LIMA APRESENTA ESPETÁCULO DE FADO

Helena Sarmento – Fado dos Dias Assim. 8 de Novembro – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes

No dia 8 de Novembro, sábado, pelas 22h00, o Teatro Diogo Bernardes apresenta de novo um espectáculo de Fado, desta feita com Helena Sarmento na voz, que se faz acompanhar por Samuel Cabral, na guitarra portuguesa, Paulo Faria de Carvalho, na viola de fado e Susana Castro Santos, no violoncelo.

Banner_HelenaSarmento[1]

"A Helena Sarmento não é a 2ª Amália, nem a 3ª Hermínia, nem a 4ª Fernanda Maria: é a 1ª Helena Sarmento. (…) Ouvimos fados tradicionais, cantados já por tanta gente, mas temos a sensação de eles estarem a ser reinventados, temos a sensação do novo. (Rui Vieira Nery)

No último dos temas de Fado Azul, Fado Intervenção, fica resumido parte do valor acrescentado que aqui se descobre: sem descurar a tradição, abrem-se portas a uma atitude de combate (que não esquece a ternura) e de luta pela mudança (que não ignora as regras). É um disco de particular coerência, que vai obrigar ao regresso constante. (João Gobern, a propósito de FADO AZUL)

Os arranjos continuam simples, a selecção mantém-se soberba, as novidades arrebatam,,as versões convencem . Tudo porque a inquietação da fadista amadureceu, mas não baixou a pulsação. Continua ao compasso do coração, apaixonado. (João Gobern, a propósito de FADO DOS DIAS ASSIM)

Helena Sarmento editou em 2011 o seu primeiro disco, FADO AZUL e em 2013 o segundo, FADO DOS DIAS ASSIM. O seu disco de estreia foi editado em todo o mundo pela prestigiada Sunset France – acontecimento raro para um primeiro disco. FADO DOS DIAS ASSIM seguiu também o mesmo percurso, tendo sido editado internacionalmente em Setembro de 2014.

É com as palavras, novas, escritas especialmente para si por João Gigante-Ferreira, que tem construído o seu caminho no Fado, num propósito de coerência que mais do que um projecto no Fado, é uma forma de estar na vida, disso se fazendo fado.”

Os bilhetes encontram-se à venda no Teatro Diogo Bernardes e todas as informações podem ser obtidas pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt.

PONTE DA BARCA VAI AOS FADOS

Restaurante “In Tapas Veritas” Promove Noite de Fado

No próximo sábado, dia 25 de outubro, todos os caminhos vão dar ao Restaurante “In Tapas Veritas”, em Ponte da Barca, para uma noite de fado. Este espaço define-se como um local onde se podem passar bons momentos, num ambiente agradável e acolhedor, provando vinhos e tapas de sabores únicos e inesquecíveis.

Situado em pleno centro histórico, junto ao rio Lima, este restaurante promete fazer dos seus almoços e jantares momentos de verdadeiro deleite. Trata-se de um conceito único em Ponte da Barca, proporcionando um contributo importante para a região no que diz respeito à diversidade de opções gastronómicas.

No próximo sábado, o Restaurante “In Tapas Veritas” será, com certeza, uma ótima opção para um serão bem passado.

LUÍS GOES CANTA “SERRA D’ARGA”

"Serra d'Arga". Disco gravado em Espanha a convite do Professor Mário Silva.

Coimbra Quintet, com António Portugal e Jorge Godinho na guitarra, Manuel Pepe e Levy Baptista na viola, e a voz única de Luiz Goes.

Abaixa-te ó Serra d'Arga/ Que eu quero ver São Lourenço/ Quero ver o meu amor/ Acenar-lhe com o lenço/ Menina do lenço preto/ Diga-me quem lhe morreu/ Se foi pai ou se foi mãe/ Que por ela morro eu.

ESPOSENDE VAI AOS FADOS!

Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, realizam-se pela primeira vez com um vasto e multifacetado programa cultural. Até ao fim do ano “espalharemos” diversas atividades culturais pela freguesia: Fado e Poesia, Teatro, exposições, palestras, concertos musicais e folclore. Com o apoio do associativismo vamos levar a cultura à porta dos nossos conterrâneos e, Marinhas e Gandra, realizam-se pela primeira vez com um vasto e multifacetado programa cultural.

CARLOS DO CARMO CANTA EM GUIMARÃES

Plataforma das Artes recebeu Carlos do Carmo. Grammy português aplaudido de pé no Festival do Fado em Guimarães

Carlos do Carmo fez uma viagem musical pelos temas da sua vida. Artista galardoado não poupou elogios a Guimarães e aos vimaranenses, por saberem «cuidar da sua cidade».

Festival_Fado_Carlos_Carmo

Cerca de um milhar de pessoas assistiu, na Plataforma das Artes e da Criatividade, ao concerto protagonizado pelo fadista Carlos do Carmo, recentemente premiado com um Grammy, distinção única nunca conseguida por um músico português, num espetáculo realizado no âmbito do Festival do Fado, evento promovido pelo Município de Guimarães e pela cooperativa A Oficina.

“Bairro Alto”, “Canoas do Tejo”, “Lisboa Menina e Moça”, “Gaivota” ou “Estrela da Tarde” foram alguns dos êxitos interpretados, na hora e meia de espetáculo, por Carlos do Carmo, imensamente aplaudido pelo público com quem partilhou, durante o concerto, histórias e curiosidades da sua carreira, sobretudo de episódios relacionados com a gravação dos seus 32 álbuns, um terço deles gravados ao vivo.

“Um homem no país”, de 1983, com 13 temas, é o trabalho com o maior número de músicas gravadas, 12 das quais de autoria de José Carlos Ary dos Santos, autor da letra do tema “Loucura”, primeira canção que Carlos do Carmo gravou na sua carreira e que escolheu para encerrar o seu concerto em Guimarães. «Este foi o último fado que Ary dos Santos escreveu antes de falecer», salientou o fadista, dirigindo igualmente palavras de afeto para Alfredo Marceneiro e Júlio de Sousa, «craques com feitio difícil, mas que gostavam de ensinar», ressalvou.

Aos 74 anos e 50 de carreira, com mais de um milhão de discos vendidos, Carlos do Carmo, acompanhado por José Manuel Neto (guitarra portuguesa), Carlos Manuel Proença (viola de fado) e José Marino de Freitas (viola baixo), apresentou-se neste concerto para homenagear o fado, uma «música simples e uma canção especial» que o próprio gosta de «sentir em total silêncio».

«Durante 20 anos, cantei na Casa de Fados dos meus pais! Já percorri o Mundo e gosto de sentir os silêncios de cada uma das pessoas. O silêncio nunca é igual; é diferente em cada espaço, gosto de sentir o canto da alma e o espírito de cada um. Amo tanto esta canção! Portugal tem coisas boas e o fado faz-me sentir orgulhoso de ser português», acrescentou, enquanto os acordes da canção seguinte eram interrompidos no público por uma voz masculina que, a solo, adaptando um tema de António Variações, entoou: «Todos nós temos Carlos do Carmo na voz / E temos na sua voz / A voz de todos nós!». «Mas canta afinadinho…», retribuiu o fadista, em jeito de agradecimento ao fã.

E MAIS CURIOSIDADES...

Sempre em tom familiar, voltou a assumir o papel de um contador de histórias. E revelou que a letra do tema “Eu Canto”, da poetisa brasileira Cecília Meireles, foi descortinada nas páginas de um jornal de Felgueiras, na «resistente imprensa local da qual é assinante e que ainda publica uns poemas». O tema faz parte do disco “Nove Fados e uma Canção de Amor” e tem música de António Vitorino de Almeida, «um génio que a compôs em dois dias», confidenciou, antes de fazer publicamente outro elogio:

«Obrigado por Guimarães existir, mas obrigado mesmo! Não, não são palavras de circunstância. Já estou velho para dizer coisas para agradar. Digo o que me apetece e não quero saber. É um prazer passear nestas ruas, uma cidade cuidada, uma cidade viva, com pessoas que exibem orgulhosamente as suas janelas e varandas e que cuidam da sua cidade! Infelizmente, não fui ao Centro Histórico, porque o tempo não permitiu. Espero fazê-lo numa outra oportunidade. Não, estas palavras não têm nada a ver com o querer ser simpático…», reafirmou Carlos do Carmo, figura maior da música nacional e um dos mais genuínos e populares fadistas da sua geração.

GISELA JOÃO “SILENCIA” PLATAFORMA DAS ARTES EM GUIMARÃES

Talento do fado português encanta festival em Guimarães. Fadista Gisela João é natural de Barcelos

Gisela João conquistou público vimaranense. Plataforma das Artes rendida a voz de veludo em corpo de menina. Carlos do Carmo, recentemente agraciado com um Grammy, atua este sábado no Festival do Fado em Guimarães.

gisela_joao_089_resize_1_690_2000

A fadista Gisela João, um dos maiores talentos da nova geração do fado português, abriu esta sexta-feira à noite, 18 de julho, com a interpretação do tema “Madrugada Sem Sono”, a segunda edição do Festival do Fado, que está a decorrer na praça da Plataforma das Artes e da Criatividade, numa organização do Município de Guimarães e da cooperativa A Oficina.

«Muito feliz» por atuar pela segunda vez em solo vimaranense, depois de ter participado num espetáculo realizado no Centro Cultural Vila Flor, a cantora, de 30 anos, começou por convidar o público a «sentir-se à-vontade», como se os espetadores estivessem «em casa sentados num sofá» a assistir à sua atuação. «Está frio e vou procurar aquecer cada um de vós», prometeu, continuando a apresentar, em seguida, o seu reportório.

Num memorável concerto, temas como “Vieste do Fim do Mundo”, “Meu Amigo Está Longe” ou “Bailarico Saloio” animaram o público que ocupou o interior da tenda instalada preventivamente no exterior da Plataforma das Artes, devido às condições meteorológicas que apontavam para a ocorrência de chuviscos – que pontualmente caíram.

Afirmando que o seu fado é muitas vezes inspirado no Artesanato e nos Bordados de Guimarães, «lindos de morrer», como adjetivou a cantora de Barcelos num dos diálogos com o público, Gisela João não resistiu em interpretar o tema "Voltaste", da portuense Beatriz da Conceição, uma das suas referências profissionais.

«Agradecida» pela forma como foi recebida em Guimarães, a sua atuação terminou com “Não Venhas Tarde” e “Antigamente”, dois temas que fazem parte do seu disco de estreia lançado a 01 de julho de 2013 e que, ao fim de duas semanas, ocupava o primeiro lugar no Top de vendas nacional, sendo considerado pela maioria dos críticos o mais importante disco de estreia de um artista português no século XXI, valendo-lhe o Prémio “Revelação Amália”, com quem o seu talento já foi comparado várias vezes.

Em Guimarães, Gisela João, que canta o espírito lusitano com simplicidade e meninice, demonstrou os atributos que a consagram como uma fadista de excelência, depois de ter visto o seu talento reconhecido com a conquista do Globo de Ouro para Melhor Intérprete Individual.

gisela_joao_097_resize_1_690_2000

DUAS GERAÇÕES DE FADO

Este sábado, 19 de julho, também às 22 horas, o Festival de Fado tem como protagonista Carlos do Carmo, recentemente galardoado com um Grammy, uma distinção única nunca conseguida por um músico português. Com mais de 50 anos de carreira, figura maior do panorama fadista, Carlos do Carmo é um dos mais genuínos e populares fadistas da sua geração, continuando a maravilhar o público depois de tantos anos de palco.

À semelhança da 1ª edição deste Festival, não faltará também o Fado Vadio no palco secundário, onde atuarão alguns fadistas das casas típicas de Lisboa, antes e depois dos espetáculos principais. O público poderá participar nesta mostra de Fado Vadio, partilhando as suas músicas com todos os presentes. As Tasquinhas montadas na praça da Plataforma das Artes continuam a fazer as delícias do público, com os seus petiscos tradicionais.

Festival_Fado_Gisela_Joao

GUIMARÃES REALIZA FESTIVAL DE FADO

Gisela João e Carlos do Carmo atuam esta sexta-feira e sábado em Guimarães

Espetáculos de Gisela João e Carlos do Carmo animam Plataforma das Artes. Fadistas das casas típicas de Lisboa vão atuar antes e depois dos concertos principais. Tasquinhas prometem fazer as delícias gastronómicas.

Plataforma_Artes_Praca

A praça da Plataforma das Artes e da Criatividade acolhe esta sexta-feira e sábado, 18 e 19 de julho, a 2ª edição do Festival de Fado, evento que reunirá em Guimarães dois grandes intérpretes: Gisela João e Carlos do Carmo. Esta constitui uma oportunidade imperdível de ver, ao vivo, duas gerações que representam e cantam o espírito lusitano, numa altura em que Carlos do Carmo acaba de ser agraciado com um Grammy.

Na sexta-feira, 18 de julho, pelas 22 horas, Gisela João demonstrará os atributos que a consagram como a grande aposta da nova geração do fado. 2013 foi um ano de excelência para a fadista que, depois de ter obtido as melhores críticas com o seu disco de estreia, lançado em julho do ano passado, vê consagrado o seu talento ao conquistar o Globo de Ouro para Melhor Intérprete Individual.

Francisco Vasconcelos, presidente da Valentim de Carvalho, arrisca mesmo a dizer que «há um fado antes da Gisela João e há um fado depois da Gisela João». Também Camané, que vê na jovem artista «tudo o que o Fado deve ser», acredita que o primeiro disco de Gisela foi «tratado com o respeito que o seu talento merece», prevendo o início de uma bela e longa carreira de uma intérprete que usa a simplicidade e meninice numa voz e alma de mulher fadista.

No sábado, 19 de julho, também às 22 horas, o Festival de Fado tem como protagonista Carlos do Carmo, recentemente galardoado com um Grammy, uma distinção única nunca conseguida por um músico português. Com mais de 50 anos de carreira, figura maior do panorama fadista, Carlos do Carmo é um dos mais genuínos e populares fadistas da sua geração, continuando a maravilhar o público depois de tantos anos de palco.

Na sua voz, andam de mãos dadas a saudade, os amores não correspondidos, a solidão, a primavera com as andorinhas e os “putos” de Portugal com a esperança e o futuro. Em Guimarães, Carlos do Carmo promete um concerto que irá comover o público com a profundidade da sua voz que verte a essência lusitana.

À semelhança da 1ª edição deste Festival, não faltará também o Fado Vadio no palco secundário, onde atuarão alguns fadistas das casas típicas de Lisboa, antes e depois dos espetáculos principais. O público poderá participar nesta mostra de Fado Vadio, partilhando as suas músicas com todos os presentes. As Tasquinhas montadas na praça da Plataforma das Artes farão as delícias do público, com bons petiscos tradicionais.

MÚSICA PORTUGUESA SOBE AO PALCO DE CERVEIRA COM QUATRO CONCERTOS INTIMISTAS

O Município de Vila Nova de Cerveira aposta num novo conceito de concertos de verão: ‘Cerveira Acústica’ e ‘Noites de Fado’ são os eventos musicais agendados para os dois últimos fins-de-semana de julho. A ‘Vila das Artes’ presta, desta forma, um tributo à música portuguesa com artistas de renome nacional e internacional. Bilhetes já estão à venda na Casa do Turismo.

As noites quentes de verão vão ser preenchidas com quatro concertos intimistas que tornam mais estreita a relação artista/público e reforçam a marca ‘Cerveira Vila das Artes’ no panorama musical. Artistas conhecidos do público português e com carreira internacional construída ou em fase de afirmação vão pisar o palco do Auditório Municipal.

É a Miguel Angelo, que iniciou a sua carreira a solo em 2012 com o álbum “Primeiro”, a quem cabe o papel de abrir, dia 18 de julho, o ‘Cerveira Acústica’, apresentando 30 anos de carreira, desde a edição do primeiro single dos Delfins, em 1984. O cantor combina novas canções com muitas outras bem conhecidas do público em geral, numa volta a Portugal que mais uma vez é como se fosse a primeira: o mesmo espírito da descoberta, juntamente com a energia da celebração.

No dia seguinte, 19 de julho, os Deolinda sobem ao palco para apresentar “Mundo Pequenino”. Nos últimos quatro anos, este grupo dominou os tops de vendas com os multi-platinados “Canção ao Lado” e “2 Selos e um Carimbo” acumulando diversas distinções tais como dois Globos de Ouro, um prémio Amália Rodrigues, um Prémio José Afonso e um Songlines Music Award.

No fim-de-semana seguinte, 25 e 26 de julho, silêncio que se vai cantar o fado. As ‘Noites de Fado’ pretendem divulgar grandes nomes e promover as novas vozes do fado, e Vila Nova de Cerveira sugere duas vozes femininas.

O primeiro dia, 25 de julho, o Auditório Municipal vai aplaudir a atuação de Patrícia Silva, uma jovem com raízes cerveirenses e com créditos já confirmados naquele que é o género musical mais peculiar da música portuguesa e que mais evoca o espírito português, o fado. Este espetáculo revela a aposta deste Município na ‘prata da casa’, divulgando o trabalho desenvolvido por artistas de Vila Nova de Cerveira.

No sábado, 26 de julho, Cerveira recebe a artista apelidada de fadista de excepção: Gisela João é um marco na História do Fado contemporâneo. O ano em que se estreou com um disco que depois de ter sido entusiasticamente recebido pela crítica, especializada e não só, foi considerado o melhor álbum nacional do ano por publicações de referência como a Blitz, o Expresso, o Público, a Time Out ou o site musical Cotonete, tendo atingido vendas que já lhe valeram um Disco de Ouro. O disco de estreia já valeu o prémio revelação Amália, com quem o seu talento já foi comparado várias vezes.

Os concertos decorrem no Auditório Municipal, pelas 22h00. Os bilhetes têm um custo de 5 euros, excepto a atuação de Patrícia Silva com entrada livre. Podem ser adquiridos na Casa do Turismo ou no próprio dia do concerto.

CARLOS DO CARMO E GISELA JOÃO CANTAM EM GUIMARÃES

Segundo festival de fado de Guimarães

Nos dias 18 e 19 de julho, a praça da Plataforma das Artes e da Criatividade acolhe a 2ª edição do Festival de Fado. Gisela João e Carlos do Carmo serão os protagonistas do evento, a decorrer na Praça da Plataforma das Artes.

A fadista revelação de 2013 tem atuação agendada para 18 de julho, com Carlos do Carmo a subir ao palco no dia seguinte, num certame que “pretende transpor o sentimento, a emoção e o ambiente vivido nas casas típicas de Fado de Lisboa para a cidade Património Cultural da Humanidade”.

No palco secundário do evento, antes e depois dos espetáculos principais, não faltará o «Fado vadio», com a performance de vários fadistas de casas típicas de Lisboa, nas quais o público poderá participar, partilhando a sua voz e músicas com todos os presentes.

Na Praça da Plataforma das Artes serão montadas várias “tasquinhas", que farão, a partir das 19h00, "as delícias do público, com bons petiscos tradicionais”.

Os concertos principais têm início às 22h00.

Gisela João: a fadista que nasceu em Barcelos

"Dois mil e treze" foi um ano de excelência para Gisela João que, depois de ter obtido as melhores críticas com o seu disco de estreia lançado em Julho passado, acaba por ver consolidada a unanimidade dos mais importantes "Opinion Makers" nacionais com os prémios para melhor disco do ano em 2013.

Ser considerado disco do ano, onde o Fado não ocupa normalmente um espaço significativo, orgulha todos os que trabalharam neste projeto. Vindo de onde vem, este reconhecimento inesperado vem consolidar a sensação de que Gisela João, como alguém já escreveu, é a fadista do século XXI.

Gisela João, nasceu em Barcelos e conheceu o fado na rádio e começou a reproduzi-lo para a família, amigos, vizinhos e mais tarde entra no circuito marialva da Invicta, quando para o Porto foi estudar design de moda, acabando por desaguar na Mouraria. E foi aí que a miúda franzina, de voz rouca e poderosa, começou a mostrar ao resto do mundo aquilo que ela mesma diz, nas últimas palavras da ultima musica do seu primeiro disco:

“ Não é fadista quem quer, mas sim quem nasceu fadista”…

Gisela João, vai participar na 2ª edição do Festival de fado, a realizar dias 18 e 19 de julho, na Plataforma das Artes de Guimarães.

Sendo o Fado um dos principais estilos da música portuguesa, Guimarães será palco para duas noites de fado com a Voz Revelação de 2013 – Gisela João que actuará no dia 18 de julho e Carlos do Carmo no dia 19 de julho.

Não vai faltar também, o “Fado Vadio” no palco secundário, onde atuarão fadistas das casas típicas de Lisboa, antes e depois do espetáculo principal, onde o público pode participar e partilhar as suas musicas e voz com todos os presentes.

Será com certeza uma boa forma de recordar e ouvir a música que marcou e continua a marcar os portugueses.

Fonte: http://www.portaldofado.net/

FADISTA BRASILEIRA CIÇA MARINHO TEM RAÍZES MINHOTAS

O seu pai era natural de Ardegão e os avós paternos de Seidões, no concelho de Fafe

A fadista brasileira Ciça Marinho tem raízes portuguesas. O pai era minhoto, natural de Ardegão, no concelho de Fafe e a mãe da Beira Alta. O pai de Ciça Marinho nasceu em 1925 e veio a falecer em São Paulo, no Brasil, com 87anos de idade. Até aos 14 anos de idade, ele foi criado pelos avós paternos, em Seidões, tendo a partir de então regressado a Ardegão com a mãe e mais 4 irmãos após a morte de seu pai. Maria Anunciação Nunes Marinho já nasceu no Brasil, em São Paulo.

Apesar de brasileira de nascimento, Maria Anunciação Nunes Marinho sente a alma portuguesa como ela própria nos confessa: “sou brasileira de coração mas a minha alma e meu sangue são minhotos.”

Conforme nos descreve através do seu site oficial, começou a cantar em 1997, convidada a fazer parte do restaurante “O Castiço” em São Paulo.

“Cursou canto na Escola de Música Tom Maior e teve aulas particulares de piano por 4 anos e estudou canto, a título de aperfeiçoamento, com a cantora lírica Maude Salazar Apresentou-se em diversos clubes e restaurantes portugueses, teatros, secretarias municipais e festas, tanto em São Paulo, como em outros estados.

Em Portugal atuou em casas de Fado como, Tasca do Chico, Marques da Sé, Fado Maior, entre outras.

Gravou 3 CDs e um DVD sendo: CD e DVD ao vivo no Café Piu Piu (Bixiga) em 2006; “Minhas Raízes” em 2008 que foi lançado também em Portugal e, em agosto de 2012 lançou o álbum intitulado “Além-mar, além de mim” com a participação do compositor, cantor e produtor português Jorge Fernando e da fadista portuguesa Fábia Rebordão que é prima-neta de Amália Rodrigues.

Realizou apresentação do show “Influências – memórias musicais do nosso povo” no Sesc São Caetano e no Teatro Guarany de Santos com repertorio de músicas espanholas, portuguesas, italianas, tangos e música brasileira.

Atualmente canta em lugares como, Rancho 53, Restaurante Manjar do Marquês, Restaurante Bacalhoeiro, Restaurante Quinta do Olivardo e nas unidades do Restaurante Ora Pois.”

Fonte: http://www.cicamarinho.com/

Na foto, com a família: o pai (Adriano) aos 6 anos é o primeiro da esquerda, seu tio (Amaro) com 2 anos é o do meio, seu tio (Alberto) aos 4 anos, atualmente residente em Pernambuco, no-Brasil e sua avó, sentada e seus irmãos Olinda e Alberto.

z

DSC01518

DSC01508

MÁRCIA CONDESSA NASCEU EM MONÇÃO E VIVEU PARA O FADO

Numa altura em que o fado é reconhecido pela UNESCO como Património Imaterial da Humanidade, parece-nos oportuno recordar aquela que foi uma das mais famosas cantadeiras do fado: Márcia Condessa.

Ficou célebre a sua casa típica à Praça da Alegria, em Lisboa. Aliás, muitos foram os minhotos que ali atuaram, com os nossos trajes tradicionais, após os ensaios realizados nas casas regionais, recebendo o respetivo pagamento pela sua atuação. Márcia Condessa nunca esqueceu as suas gentes e ajudava sempre que podia.

“Márcia Condessa nasceu em Monção a 28 de Setembro de 1915. Não tendo possibilidade para realizar estudos, veio ainda jovem para Lisboa para procurar trabalho.

A sua ligação ao fado inicia-se no restaurante da Bica onde Márcia Condessa trabalhava e, por vezes, cantava fados e também algumas canções galegas.

Em 1938, quando o jornal "Canção do Sul" organiza o Concurso da Primavera, os frequentadores e habitantes do bairro pedem a Márcia Condessa que participe em representação da Bica. A fadista acede aos pedidos, passa nas eliminatórias e chega à final do concurso, realizada a 11 de Julho de 1938, numa das salas da redacção do jornal.

Nesta prova cada cantadeira interpreta dois fados do seu repertório, um castiço e outro canção e, conforme é referido na edição do jornal de 16 de Julho, onde se publica a acta do concurso, foi atribuído pelo júri o "1º prémio e por unanimidade, o título de «Rainha do Fado - 1938» à candidata do Bairro da Bica, Márcia Condessa, a qual reúne sobejamente os predicados requeridos de dicção, voz e expressão."

Vencido o concurso e apresentada a fadista na capa da referida edição do jornal "Canção do Sul", a cantadeira passa a actuar em várias casas de fado e espectáculos vários até abrir, na década de 1950, o seu próprio restaurante típico.

Quando em 1938 Márcia Condessa arrecadou o título de «Rainha do Fado», no Concurso da Primavera do jornal "Canção do Sul", abraçou a carreira de fadista como sua profissão.

Os locais onde interpretou o fado abarcam várias casas de fado, mas foi na Adega Machado que integrou o elenco permanente durante vários anos, até ter inaugurado o restaurante "Márcia Condessa", desde aí condicionando a sua carreira artística para as apresentações diárias e gestão deste espaço.

A 16 de Abril de 1942, Márcia Condessa volta a ser a capa do jornal "Canção do Sul" que apenas quatro anos passados da sua estreia a adjectiva como "Uma Titular no Fado Antigo" e "A Voz da Humildade".

Em 1944, a fadista actuou no Coliseu do Porto, no espectáculo "Mãe Portuguesa", onde se juntava na interpretação a dois outros grandes nomes do universo fadista, Ercília Costa e a Júlio Proença. (cf: "Canção do Sul", 16 de Setembro de 1944).

É no nº 38 da Praça da Alegria que a fadista abre a casa "Márcia Condessa", a qual se tornará um ponto de referência nos circuitos de exibição dos fadistas mais destacados. Para além das actuações da própria Márcia Condessa, passaram por este espaço artistas como Celeste Rodrigues, Alcindo Carvalho, Teresa Nunes, Alfredo Marceneiro, Fernando Farinha ou Beatriz da Conceição.

Este será o espaço onde a cantadeira se manterá até decidir afastar-se da carreira artística em meados da década de 1970, passando depois o espaço a ser gerido por um sobrinho seu e, mais tarde, passando pelas mãos de vários sócios, que mantiveram o nome da casa. No decorrer da década de 1990 a casa deixou de ser espaço de apresentação de fado e passou a ser o restaurante "O Púcaro".

Márcia Condessa fez também actuações no estrangeiro. Durante 8 meses esteve no Brasil, integrada numa companhia de teatro, da qual faziam também parte Irene Isidro, António Silva e Ribeirinho. E, já depois de ter a sua casa aberta ao público, fez um espectáculo em Marrocos, integrando uma comitiva de Estado.

Apesar da sua longa carreira não existem quase registos discográficos de Márcia Condessa. Em formato CD existe apenas uma edição conjunta com Adelina Ramos e Berta Cardoso, na colecção "Fados do Fado" da Movieplay. Aqui surgem reeditados os quatro temas que a fadista gravou para a editora Alvorada em 1962: "Embuçado", "Fado menor (quadras soltas) ", "Canção do Mar" e "Fado das Caravelas".

Márcia Condessa faleceu a 1 de Julho de 2006, quando estava perto de completar 91 anos. O seu funeral realizou-se na sua terra natal, em Monção.”

Fonte: http://www.portaldofado.net/

LUÍS GOES CANTA “SERRA D’ARGA”

"Serra d'Arga". Disco gravado em Espanha a convite do Professor Mário Silva.

Coimbra Quintet, com António Portugal e Jorge Godinho na guitarra, Manuel Pepe e Levy Baptista na viola, e a voz única de Luiz Goes.

Abaixa-te ó Serra d'Arga/ Que eu quero ver São Lourenço/ Quero ver o meu amor/ Acenar-lhe com o lenço/ Menina do lenço preto/ Diga-me quem lhe morreu/ Se foi pai ou se foi mãe/ Que por ela morro eu.

FADISTA CAMANÉ SURPREENDIDO COM AMBIENTE QUE ENCONTROU EM FAFE

Arranque de Concertos Íntimos mostrou o que município quer em termos de espetáculo para o concelho

O concerto de Camané marcou o arranque dos Concertos Íntimos de Fafe, na passada sexta-feira. O espetáculo que encheu o Teatro Cinema serviu para o fadista apresentar o seu novo trabalho, intitulado “O Melhor – 1995|2013” e mostrar o que a autarquia quer em termos de espetáculo para o concelho.

DSC_9431

Isso mesmo disse o presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, que destacou a qualidade do concerto e lembrou que é este tipo de espetáculo que quer trazer para Fafe.

“Este foi um espetáculo maravilhoso. Marcou o início de um novo ciclo, um começo com grande qualidade e com a dignidade que Fafe merece. Escolhemos o Camané porque, para além de um excelente fadista, é uma excelente pessoa”.

Raul Cunha explicou ainda que, com estes concertos, pretende-se atrair a Fafe novos públicos, de forma a mostrar o que de bom há no concelho.

“Um dos objetivos da política que temos desenvolvido, é no sentido de atrair para Fafe pessoas dos concelhos vizinhos, mostrando-lhes o que de melhor temos e fazemos”.

Por seu lado, Camané mostrou-se muito satisfeito com a sua estadia em Fafe, elogiando todos os momentos que passou por cá.

“Foi uma noite memorável, um excelente concerto, com um grande publico. Tive uma estadia fantástica em Fafe”.

Para além do concerto, na quinta-feira à tarde, Camané esteve à conversa com crianças e jovens na Biblioteca Municipal e também nessa altura, confessou nunca ter estado num programa tão intimista como aquele.

“Estou emocionado por vocês estarem aqui. É uma maravilha estar nesta cidade. Nunca aconteceu ser recebido desta forma, o que para mim é uma honra”.

DCS_3454

DCS_3470

CAMANÉ MARCA REGRESSO DE CONCERTOS ÍNTIMOS A FAFE

Fadista apresenta novo trabalho: O Melhor – 1995|2013 Camané marca o regresso dos Concertos Íntimos a Fafe, já na próxima sexta-feira.

Camané foi o nome escolhido para o arranque de mais uma edição desta iniciativa, tendo em conta a carreira do artista.

O fadista gravou em 1995, o disco “Uma grande noite de fados”, que lhe valeu um lugar no clube restrito dos grandes intérpretes portugueses e, a partir daí, é um dos fadistas mais conceituados do país, com sucesso dentro e fora de portas.

Em Fafe, vai apresentar “O Melhor – 1995|2013”, um trabalho que reúne clássicos da sua carreira e alguns temas novos e inéditos. Refira-se que os Concertos Íntimos de Fafe arrancaram em 2011, com o objetivo de colocar a cidade na rota de programação musical de qualidade do país.

Camané marca o arranque deste ciclo. Para Pompeu Martins, vice-presidente da autarquia, este tipo de evento é importante para dar projeção ao concelho.

“Estes Concertos Íntimos são o retomar de um projeto que tem marcado a nível nacional Fafe como um centro de cultura. Trata-se de um modelo que tem cativado os artistas pelo conhecimento e a interação com o público e com os agentes do território fafense. Não tenho qualquer dúvida que este modelo de concertos tem trazido muitos benefícios para o concelho ao nível da sua promoção”.

Assim, Camané chega a Fafe já na quinta-feira e vai estar em contato com fafenses, como pode ver no programa:

Quinta-feira 10 Abril

16H00 às 17H00 – interação com o público na rua e conversa no Teatro Cinema

17H30 às 19H30 - Visita guiada ao Museu da Imprensa e ao Museu das Migrações e Comunidades

19H30 - Jantar na Aldeia do Pontido

Sexta-feira

11 Abril12H30 – Visita ao Jardim do Calvário

13H30 – Almoço em Fafe

21H30 – Concerto

Após – Sessão de autógrafos

FADISTA CAMANÉ ATUA EM FAFE

Camané atua no Teatro Cinema de Fafe em 11 DE ABRIL

O Melhor 1995| 2013

O destaque do mês de Abril da programação do Teatro-Cinema de Fafe é a actuação do fadista Camané, que aqui vem apresentar “O Melhor - 1995|2013”.

Os bilhetes encontram-se já à venda no posto de turismo de Fafe, ao preço de 15 € (plateia) e 10 € (camarotes).

Com uma carreira iniciada há mais de década e meia, com a gravação, em 1995, do disco “Uma noite de fados”, Camané conquistou rapidamente um lugar muito próprio no clube restrito dos grandes intérpretes portugueses e, em particular, no difícil, exigente e concorrido mundo da chamada “canção nacional”.

Basta percorrer a já extensa discografia do cantor, desde o referido disco de estreia, passando por obras como “Na linha da vida”, “Pelo dia dentro” ou “Sempre de mim”, até ao último trabalho de estúdio, “Do amor e dos dias”, para perceber as razões que levaram Camané a integrar o reduzido leque de fadistas intemporais, ao lado de Amália Rodrigues, Alfredo Marceneiro ou Carlos do Carmo.

Mas é tempo agora para uma reflexão musical, com o lançamento de “O Melhor – 1995|2013” que reúne grandes clássicos da sua carreira. Mas como a arte de Camané é a procura constante de boas canções, de contar histórias e o que nelas está escondido, – este trabalho que contempla também alguns temas novos, inéditos e surpreendentes.