Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

TERESA DE LEÃO REGRESSA AO CASTELO DE LANHOSO

Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso recebe "Teresa de Leão, o rosto de uma governação"

O Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso recebe, a partir de amanhã, 21 de fevereiro (abertura pelas 14h30), uma exposição de imagens designada "Teresa de Leão, o rosto de uma governação".

Castelo de Lanhoso 2017

Como dote de casamento com D. Henrique, D. Teresa recebeu das mãos de seu pai, Afonso VI, rei de Leão e Castela, as terras do Condado Portucalense, que regeu com pulso de ferro o que era seu por direito, confrontando a rainha D. Urraca, sua meia-irmã, e o seu próprio filho, D. Afonso Henriques, na lendária batalha de São Mamede, em Guimarães, em 1128.

Alguns dos sucessos militares alcançados por D. Teresa tiveram o apoio das robustas e sumptuosas muralhas do Castelo de Lanhoso, sendo por esse motivo um dos monumentos que melhor evoca a memória de uma mulher que seguia as suas próprias ideias e desconsiderava, muitas vezes, a opinião do Clero, Nobreza e da família, com o único propósito de consolidar e ampliar as linhas de fronteira do Condado Portucalense.

Mulher determinada, de ambições fortes e feitio temperamental, D. Teresa foi o rosto de uma governação firme e inteligente.

O Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso tem sido local de eleição para as mais variadas mostras. Uma constante oferta cultural, melhorada e diversificada, e a estreita relação com os estabelecimentos de ensino, instituições e associações, fez com que o Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso, no ano de 2017, ficasse muito próximo dos 13 mil e 600 visitantes e estabelecesse um novo recorde, pois, desde que há registos, este número nunca foi alcançado.

Esta exposição pode ser vista até 15 de abril, das 10h00 às 12h30 e das 14h30 às 17h30. O Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso está encerrado às segundas e terças-feiras (de outubro a maio).

FAMALICÃO INAUGURA EXPOSIÇÃO FÓRMULA 3 DE SCHUMACHER NO MUSEU DO AUTOMÓVEL

Exposição “Monolugares em Portugal - Passado e Presente” é inaugurada este sábado, dia 10 de fevereiro.

Em 1990, um ano antes de entrar na Fórmula 1, Michael Schumacher venceu o Grande Prémio de Macau após uma renhida competição com o finlandês Mika Häkkinen. O Fórmula 3 que conduziu o piloto alemão à vitória – Reynard 903 da Volkswagen – é a grande estrela da exposição “Monolugares em Portugal – Passado e Presente”, patente a partir deste sábado, dia 10 de fevereiro, no Museu do Automóvel de Vila Nova de Famalicão.

AFS_7091

A mostra reunirá cerca de duas dezenas de Fórmulas que ajudaram a escrever a história do automobilismo. Para além do F3 de Schumacher, cedido pela Fundação Casa de Macau, destaque também para vários Fórmula Ford, alguns deles ainda em atividade, como o Fórmula V, Fórmula Renault e o Fórmula BMW.

O Mygale FB1-BMW, que levou o ex-campeão DTM Martin Tomczyk ao triunfo da primeira edição na Formula Baviera Júnior Cup; o Mygale 2000 Ford com que Pedro Salvador se sagrou campeão da Fórmula Novis by Ford e o monolugar de construção nacional APIS, que nos dias de hoje compete na classe Super Tuga da Fórmula Ford Portugal, são outros dos carros que vão também estar expostos.

Haverá ainda lugar para alguns monolugares de gerações anteriores, como o Lotus 61 M, ex-Robert Giannone, ou o Olympic que foi campeão de Fórmula V em Portugal pelas mãos de Manuel Nogueira Pinto.

“É com enorme orgulho que vamos reunir aqui, em Vila Nova de Famalicão, um espólio tão vasto de monolugares de competição. Gostaria de agradecer à Fundação Casa de Macau, pela cedência de um carro que faz parte dos livros de história do automobilismo mundial, assim como a todos os proprietários privados, cuja preciosa colaboração foi indispensável para tornar esta exposição possível”,disse o diretor do Museu, Amadeu Melo e Silva.

A exposição vai estar patente até 14 de março, podendo ser visitada de terça a sábado, entre as 10h00 e as 12h30 e as 14h30 e as 17h30.

Recorde-se que o Museu do Automóvel de Vila Nova de Famalicão integra desde 2017 a Associação Internacional de Museus de Transportes e Comunicações. O espaço guarda um valioso espólio de mais de uma centena de carros, retratando a evolução do design e da técnica automóvel ao longo do século XX. O alcance da instituição não se esgota nas coleções expostas, estendendo-se às áreas da formação e educação através da Escola de Restauro Automóvel e da Escola de Educação Rodoviária.

Inauguração da exposição reúne vários nomes do automobilismo nacional

A inauguração da exposição acontece este sábado, dia 10, a partir das 15h00, com uma tertúlia aberta ao público sobre os Fórmulas em Portugal.

Participam nesta iniciativa o ex-piloto Carlos Gaspar, várias vezes campeão nacional de velocidade e com uma carreira internacional reconhecida, Miguel Lacerda, campeão nacional de Fórmula V em 1972 e José Leite, ex-Diabolique Motorsport e um dos artificies do ressurgimento da Fórmula Ford em Portugal em 1985.

A tertúlia será moderada por Hugo Reis, diretor da revista “Topos & Clássicos” e contará também com a presença de João Paulo Matos, um Gentleman Driver que compete com regularidade na Fórmula Ford Portugal, Ginho Rodrigues, Team Manager da equipa Gianfranco Motorsport e Duarte Fidalgo, fundador da Feature Engineering e membro da equipa italiana Trident Racing no campeonato GP3 Series.

“Estamos bastante entusiasmados por reunir um painel tão abrangente de atores das corridas de monolugares do nosso país que irão partilhar as suas histórias e experiências com todos aqueles que marcarem presença na inauguração da exposição. Esta é a melhor forma iniciar esta exibição única, percorrendo várias gerações, e que dará a conhecer ao público em geral o outro lado das corridas de automóveis”, afirma Amadeu Melo e Silva.

AFS_7092

CÃES EM FAFE MOSTRAM A SUA RAÇA

XI Exposição Canina Nacional de Fafe é referência para Portugal. Certame decorre este fim de semana

No próximo fim-de-semana de 10 e 11 de Fevereiro, terá lugar, no Pavilhão Multiusos de Fafe, mais uma edição da Exposição Canina Nacional.

flyer-a5-expsocanino

Pela décima primeira vez, em Fafe, cerca de 560 cães de 100 raças diferentes irão a concurso. A iniciativa decorrerá no sábado, durante a tarde (a partir das 14h00), e no domingo, durante a manhã (a partir das 11h00).

A exposição é promovida pela Câmara Municipal de Fafe e pela Delegação Norte do Clube Português de Canicultura, e está aberta aos exemplares de todas as raças e variedades oficialmente reconhecidas, registados em livros de origens ou com registos iniciais emitidos por organismos reconhecidos pela Fédération Cynologique Internationale.

O certame vai contar, nesta edição, com a presença de vários expositores locais, em representação de diferentes produtos regionais.

A Exposição Canina Nacional de Fafe é uma das três maiores referências em Portugal entre este tipo de certame. Com resultados ao nível de concorrentes e espectadores destaca-se nas várias mostras patentes nos maiores parques expositores do país.

MONÇÃO EXPÕE PINTURA DE ANGEL TORRES

Exposição de pintura "El Realismo de Angel Torres" do artista galego Angel Torres na Casa Museu de Monção/UMinho

Encontra-se patente ao público até ao dia 28 de fevereiro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do artista galego Angel Torres, intitulada "El Realismo de Angel Torres".

ANGELTORRES2

Sinopse da exposição, segundo o artista: «El arte, difícil situación, y estamos rodeados de ello, pero pocos se paran, a observarlo, por poco que no lo vea en entenderlo, con esas prisas, de apartarlo. No se lo que realmente esta ocurriendo, si se sabe, mejor dicho, es las tegnologias las que están influyendo en nosotros. Ya uno desea que cuando nace, quiere estar ya disponible a ver todo lo mas aprisa posible, de un arte, casi no compresible,. Pero el arte, no es así, es con paciencia, observación, estudio, de ahí el realismo, la critica buena, la critica mala, todo influye en el arte realista. Pero quien juzga todo eso, ese mismo que lo observa, no otro que juzga y con su opinión, todos quieren darle la razón. Cada uno es independiente en juzgar, de lo que ve, y de que en su mente, de esa libertad, le pueda gustar o no, pero lo primordial del realismo, es que lo que se observe, se juzgue por uno mismo, no por la opinión, de una sola experiencia. Que difícil es el arte realista., en estos tiempos. Pero no se puede decaer en ello, continuar con esa fuerza de ver que a muchos le gusta, ese arte bien observado, es lo que le da ganas de batallar por un arte realista.»

A entrada é livre!

FEV La Herreria Pontevedra

BARCELOS EXPÕE "CÁVADO DOS TRABALHOS"

À Roda do Rio regressa com nova exposição dedicada ao rio Cávado. Exposição «Cávado dos Trabalhos» abre dia 9 de fevereiro, na Casa da Azenha

A Casa da Azenha recebe, a partir de 9 de fevereiro, uma nova exposição, no âmbito do ciclo de exposições dedicadas ao Cávado, À Roda do Rio. A exposição, intitulada "Cávado dos Trabalhos", versará sobre a documentação da vida quotidiana daqueles que «faziam vida no rio», como é o caso dos moleiros, das lavadeiras e dos barqueiros, pela exibição de memórias, imagens e objetos da exploração económica do Cávado, entretanto extinta.

Exposição_Cávado dos Trabalhos

Depois de um ano dedicado à pesca fluvial no Cávado e sua etnografia, à biodiversidade do ecossistema fluvial do Cávado e à vida ribeirinha, agora é a vez de recordar as gentes que fizeram do Rio o seu ganha-pão e espaço de trabalho.

Este ciclo de exposições pretende reativar o encontro dos barcelenses com o rio Cávado que até há poucas décadas foi um local quotidiano das comunidades ribeirinhas de Barcelos e de Barcelinhos, um recurso económico e um local de lazer. Além disso, pretende-se recuperar a memória do rio e consolidá-la como património imaterial da comunidade.

A exposição estará patente até final do ano de 2018. A entrada é livre, havendo a possibilidade da interpretação da exposição para grupos organizados, mediante marcação prévia.

Informações e marcações para casa.azenha.2015@gmail.com.

CONCURSO/EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA "AMAR-TE" ABERTO À POPULAÇÃO EM GERAL EM CAMINHA

A exposição estará patente na Galeria de Arte Caminhense de 10 a 25 de fevereiro

“Amar-te” é o nome da exposição de fotografia subordinada ao tema “Amor” que o Museu Municipal de Caminha está a organizar para enfatizar o Dia dos Namorados. O concurso está aberto ao público em geral (amador ou profissional de fotografia). Para participar basta registar três momentos que representem o que é o Amor e enviar via email até ao dia 6 de fevereiro.

Dia do namorados Caminha (1)

Esta exposição coletiva integra o programa das comemorações do Dia de São Valentim e estará patente de 10 a 25 de fevereiro, na Galeria de Arte Caminhense.

Este concurso tem como objetivos representar o Amor nas sua diversas formas; levar à reflexão sobre o rema; promover a fotografia enquanto meio de expressão e fomentar o surgimento de novos valores no mundo da fotografia. Deste modo, os interessados devem enviar três fotografias cujo teor seja o “Amor” para museu@cm-caminha.pt, até ao dia 6 de fevereiro.

Todas as fotografias farão parte da exposição “Amar-te”. Há prémios para as três melhores fotografias: 1º prémio – uma noite para duas pessoas no Hotel Meira; 2º prémio – um jantar para duas pessoas no Restaurante Muralha e 3º prémio – uma descida do Rio Coura em Kayak para duas pessoas com a Minhaventura.

Pode consultar as especificações técnicas de acesso e condições de participação em www.cm-caminha.pt.

ANDRÉ RIBEIRO EXPÕE EM VIZELA

3 a 28 de Fevereiro: Exposição de André Ribeiro

A Casa Municipal de Cultura Jorge Antunes recebe a exposição de André Ribeiro, de 3 a 28 de fevereiro. A inauguração terá lugar no próximo dia 3 de fevereiro, pelas 17h00.

cartaz exposição André Ribeiro

Sinopse:

Entrando em casa própria ou na alheia, é costume no Japão tirar-se os sapatos, assegurando-se assim a limpeza do chão. Mas há uma outra razão, mais simbólica e espiritual: impedir que as “energias impuras” do exterior penetrem no interior da casa. 

Ao entrarmos nesta exposição do André Ribeiro deveríamos também descalçar algo. Deixar do lado de fora as preocupações do dia-a-dia, para que, libertos da toxicidade do mundo, possamos partilhar da beleza e do mistério contidos em cada uma destas obras de arte. Há que apreciá-las com a inocência e o maravilhamento próprio de uma criança, mesmo sabendo que que elas nos falam de coisas elevadas e profundas, que devemos escutar e entender.

Estas obras são pequenos teatros que apelam à nossa sensibilidade e inteligência. Entremos nelas como numa viagem de carrocel mágico onde, em cada paragem, nos reencontremos com o que de mais íntimo e mais universal tem escapado às nossas vidas, sempre ocupadas e apressadas. É isso que o artista nos propõe: um reencontro com o poético dentro de nós, que é como quem diz, com o mais belo e o mais verdadeiro que nos habita ou deveria habitar.

PINTORA ANA RIBEIRO EXPÕE EM BARCELOS

Exposição de pintura de Ana Ribeiro na Biblioteca Municipal

A Biblioteca Municipal de Barcelos abre, no dia 3 de fevereiro, às 15h00, a exposição de pintura “Pincel de Fogo” da artista Ana Ribeiro.

Cartaz_Pincel de Fogo

Trata-se de um conjunto de obras desta autodidata com ávida curiosidade, que incluem trabalhos em gesso, tela, falsos vitrais e, mais recentemente, piro gravura.

A artista participou em várias exposições coletivas e individuais, sendo esta a sua décima segunda exposição individual, mais um passo no desejo de partilhar com os outros as suas obras e de se afirmar no mundo da arte.

Nascida em Paços de Ferreira, em 1964, a artista fez os seus estudos primários na freguesia de Modelos, seguindo-se o preparatório e o secundário na vila de Paços de Ferreira. Após o secundário, entrou no mundo do trabalho, tendo deixado para mais tarde a continuação da formação académica.

A veia artística despertou, quando foi galardoada com o primeiro prémio para melhor pintura numa competição no ensino preparatório. Mais do que um reconhecimento, este foi o incentivo necessário para continuar a explorar as várias formas de arte.

A sua arte inspira-se em situações e objetos do quotidiano, como edifícios, museus e igrejas emblemáticas, que muitas vezes visita.

A sua obra “A Ressurreição de Cristo” que se encontra na capela do Hospital Padre Américo, em Penafiel, valeu-lhe já a admiração de conceituados artistas.

A exposição estará patente ao público até ao dia 24 de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 18h00 e, aos sábados, das 9h30 às 12h30.

ROBERTA VELOSO EXPÕE PINTURA EM PÓVOA DE LANHOSO

Artista Povoense Roberta Veloso expõe 15 anos de Arte na galeria do Theatro Club

A artista Povoense Roberta Veloso expõe, até ao próximo dia 25 de fevereiro, diversas pinturas na galeria do Theatro Club.

O Presidente da CMPL e a artista Roberta Veloso na abertura da exposicao

“Temos muito gosto em dar visibilidade, neste espaço, ao talento de jovens Povoenses, como é este caso. Esta artista é um bom exemplo da qualidade dos nossos jovens e vale a pena conhecer o seu trabalho”, salientou o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, à margem da abertura da exposição “15 Anos de Arte – Retrospetiva 2003/2018”, no passado sábado, dia 27 de janeiro.

Nas suas obras, Roberta Veloso utiliza maioritariamente a técnica de óleo sobre tela. Para além da participação anual na Exposição Aberta de Artes Plásticas da Póvoa de Lanhoso, tem participado em diversas exposições individuais e coletivas, principalmente no concelho Povoense. Está ainda representada em algumas coleções particulares na cidade de Almada, Ponte de Lima, na Póvoa de Lanhoso e arredores. 

Esta exposição de pintura ficará patente até 25 de fevereiro e pode ser apreciada de terça a sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Havendo espetáculos, pode ainda ser apreciada das 20h30 às 24h00.

18221767_1571261956283929_5069182469452684559_n

26993958_1571263086283816_3331877164913679668_n

26994036_1571262582950533_5868944728280687205_n.jpg

26994311_1571262999617158_8904808049096496585_n

26994321_1571262136283911_8767431628415813232_n

27066796_1571261712950620_1128980322566498943_n

27067603_1571261646283960_6680797808658943518_n

27067787_1571263066283818_1164278646173306118_n

27067808_1571261419617316_581553593356829123_n.jpg

27072572_1571263449617113_7142113206653344540_n

27072660_1571261999617258_7393599610839268014_n

27072946_1571263239617134_2083673608784183711_n

27332466_1571261332950658_4427638624034423341_n

27336265_1571261742950617_6978511792276883779_n

GALERIA “A ARTE DA TERRA” EM LISBOA EXPÕE LENÇOS NAMORAR PORTUGAL

E é a 20ª Exposição de Lenços Namorar Portugal, em a "A Arte da Terra".

20 anos a falar de um tema que se tornou um ícon da Cultura Portuguesa. António Vilela, Presidente e Julia Fernandes, Vereadora da Cultura de Vila Verde, estiveram em a "A Arte da Terra" para a inauguração da Exposição.

26994011_1836311199755081_6551103256288090015_n

Em simultâneo foram apresentados dois novos produtos Namorar Portugal, "Rositas" de Aguinalda Conduto e "Maria Verde: pintura em seda e cetim" de Rosário João.

Vários Lenços originais, da colecção privada de Conceição Pinheiro, um dos nomes mais marcantes da recuperação e do estudo desta arte em Portugal, podem ser vistos nesta Exposição em "A Arte da Terra"

Fonte: https://www.facebook.com/aartedaterra.lisboa/

26994352_1836310746421793_4532110851297366191_n

27072663_1836311689755032_3207065104348430504_n

27072758_1836310926421775_9134524629068595628_n

27072852_1836311586421709_8523217384701576248_n

27332031_1836313056421562_3574559224569925404_n

27332680_1836310673088467_8581780871902872575_n

27336590_1836311029755098_84910908867352350_n

27336833_1836312649754936_1278746148257344475_n

27337034_1836312756421592_4432694890717034218_n

27458972_1836310513088483_7867743507452790600_n

27540543_1836312513088283_1993524059765367442_n

27544642_1836313193088215_2679587926852006563_n

27544973_1836311316421736_6387279660651984929_n

PONTE DA BARCA LEMBRA HOLOCAUSTO

Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto assinalado em Ponte da Barca

Exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro” patente no átrio dos Paços do Concelho até ao dia 16 de fevereiro

1

Ponte da Barca assinalou, no passado sábado, 27 de janeiro, o Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto com a abertura da exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro”, seguida da exibição do filme “Que a 

tua lembrança seja amor” - a história de Ovadia Baruch, um dos sobreviventes do Holocausto, que nos conta o antes, o durante e o depois de um dos maiores crimes cometidos contra a Humanidade, filmado nos locais onde tudo se passou.

A exposição Anne Frank: Uma História para hoje incorpora um enorme valor histórico, cultural e pedagógico, em que a história da família Frank serve de fio condutor ao relato dos acontecimentos mundiais durante e depois da ditadura nazi. Naturais de Frankfurt, na Alemanha, 

os Frank mudaram-se para Amesterdão, em 1933, ano da ascensão ao poder do partido nazi alemão, e ali viveram, já na Holanda ocupada, a perseguição dos judeus e o horror do Holocausto.

A exposição, composta por 34 painéis sobre a história do Holocausto contada paralelamente à própria história de Anne Frank e da sua família, vai estar patente nos átrio dos Paços do Concelho até ao dia 16 de fevereiro, podendo ser visitada de segunda a sexta-feira, das 09h 

às 12h30 e das 14h às 17h30

2

3

4

MIGUEL BRANCO EXPÕE EM BARCELOS

Miguel Branco expõe “Cratera” na Ala da Frente. Exposição do artista plástico na galeria famalicense é inaugurada este sábado, 3 de fevereiro, pelas 18h00

Miguel Branco é o nome que se segue na galeria de arte contemporânea Ala da Frente, em Vila Nova de Famalicão. O artista plástico português vai estar este sábado, 3 de fevereiro, no concelho famalicense, para inaugurar a exposição de pintura “Cratera”, que vai estar patente na galeria municipal até ao dia 18 de maio.

Cratera_Miguel Branco (2)

Considerado um dos mais conceituados artistas plásticos da atualidade em Portugal, “a obra de Miguel Branco provoca um desafio à presença do visitante no espaço da exposição”, diz António Gonçalves, curador da Ala da Frente.  

A singular atenção que presta à pintura e à escultura confere um carácter intimista às suas exposições, o que atrai os visitantes para uma fruição mais apurada. “Tem uma dedicação particular com o espaço para que o resultado possa ser o mais completo possível e nos leve à contemplação, à visão cuidada de cada uma das obras. Estreitam-se laços de silêncio na nossa observação, a dimensão promove uma concentração delicada, minuciosa, precisa”, acrescenta António Gonçalves.

Sobre a exposição “Cratera” que Miguel Branco inaugura este fim-de-semana em Vila Nova de Famalicão, o curador da Ala da Frente explica que o artista plástico “traz mais um singular trabalho de articulação das obras com a sala de exposição, redimensionando-o, tornando-o uma parte complementar à fruição da obra onde poderemos encontrar um conjunto de pinturas em que a "cratera" é o pretexto para ali se refletir e aprofundar a nossa conceção do tempo”.

Nascido em 1963, em Castelo Branco, Miguel Branco tem obras nas coleções do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e na Fundação EDP, em Lisboa, na Fundação de Serralves, no Porto, e no Museu de Arte Moderna Grão-Duque Jean (Mudam), no Luxemburgo, entre outras instituições.

Recorde-se que a Galeria Municipal Ala da Frente, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, João Queiroz, com “Encaústicas”, José Pedro Croft, com “Prova de Estado”, Pedro Cabrita Reis com “Ridi Pagliaccio”, Pedro Casqueiro com “Desordem Vertical”, Alberto Carneiro com “Árvores e Rios” e “Uma Certa Quantidade” de Jorge Queiroz.

ESPOSENDE ACOLHE 2º SALÃO DE MOTOS DE COMPETIÇÃO

Realiza-se no último fim-de-semana de janeiro, dias 27 e 28, o 2.º Salão de Motos de Competição de Esposende. Miguel Oliveira piloto oficial KTM Moto 2 e o esposendense Paulo Gonçalves são presenças garantidas, assim como Rui Reigoto e Ivo Lopes.

bty

Durante dois dias, o Largo dos Bombeiros de Esposende acolhe uma tenda, onde os visitantes poderão admirar algumas das motos que fazem a história da competição em duas rodas em Portugal.

O apoio do Município de Esposende a este evento visa cultivar e desenvolver o gosto pelas duas rodas, proporcionando ao público presente a oportunidade de usufruir do contato com motos e pilotos, campeões nacionais e internacionais que irão marcar presença.

Para além das motos, o evento levado a cabo pelo ex-piloto Alex Laranjeira contará também com a presença de alguns pilotos portugueses que, ao longo dos dois dias do certame, distribuirão autógrafos pelos presentes.

Às 16h00 do próximo sábado Miguel Oliveira sobe a palco, acompanhado pelos jovens pilotos da Oliveira Cup, Troféu-Escola de Motociclismo inspirado no piloto português.

PONTE DA BARCA ASSINALA DIA INTERNACIONAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DO HOLOCAUSTO

Exposição e documentário assinalam Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto em Ponte da Barca

Ponte da Barca vai assinalar o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, a 27 de janeiro, promovendo a reflexão sobre um dos acontecimentos mais marcantes do século XX: o Holocausto no contexto da Segunda Guerra Mundial, com a inauguração da Exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro” (21h, no átrio dos Paços do Concelho) e a exibição do documentário “Que a tua lembrança seja amor” - a história de Ovadia Baruch (21h30, na Casa da Cultura).

Exposição Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro”

O percurso e a experiência da vida sob o regime nazi são recordados na exposição “Anne Frank: Uma história para hoje” que, a partir de dia 27 de janeiro e até 16 de fevereiro, estará patente no átrio dos Paços do Concelho de Ponte da Barca. Esta exposição incorpora um enorme valor histórico, cultural e pedagógico, em que a história da família Frank serve de fio condutor ao relato dos acontecimentos mundiais durante e depois da ditadura nazi.

Naturais de Frankfurt, na Alemanha, os Frank mudaram-se para Amesterdão, em 1933, ano da ascensão ao poder do partido nazi alemão, e ali viveram, já na Holanda ocupada, a perseguição dos judeus e o horror do Holocausto.

A exposição é composta por 34 painéis onde se apresenta a história do Holocausto contada paralelamente à própria história de Anne Frank e da sua família.

Anne Frank: Uma História para hoje: “Aprender com o passado e Ensinar para o Futuro” presta testemunho e é, ao mesmo tempo, um legado de memória sobre a diversidade nas sociedades (cultural, étnica, religiosa, política) e sobre os fenómenos violadores de direitos humanos.

Documentário “Que a tua lembrança seja amor” - a história de Ovadia Baruch

Em Março de 1943, Ovadia Baruch, foi deportado juntamente com a sua família, de Salonica para Auschwitz-Birkenau. Enquanto prisioneiro, Ovadia conheceu Aliza Tzarfati, uma jovem judia da sua terra natal e apesar das condições desumanas, nasceu entre ambos uma história de amor.

Nesta extraordinária e comovente história de amor em Auschwitz, Ovadia conta-nos o antes, o durante e o depois do Holocausto, filmada nos locais onde tudo se passou.