Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ARCOS DE VALDEVEZ ASSINALA 20 ANOS DA ACIAB

Casa das Artes recebeu exposição sobre os 20 anos do CIAB

Esteve patente ao público no foyer da Casa das Artes a exposição itinerante  “CIAB - 20 anos a resolver conflitos de consumo", uma mostra itinerante organizada pelo CIAB.

exposicao-ciab

Inaugurada no passado dia 15 de março, data em que se comemora o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor e, simultaneamente, a data do aniversário do CIAB-Tribunal Arbitral de Consumo, pretendeu dar a conhecer à população dos municípios associados a atividade desenvolvida por este tribunal arbitral ao longo das últimas duas décadas.

De referir que desde 2008 que a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez é parceira do CIAB – Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Consumo (Tribunal  Arbitral de Consumo).

A autarquia possui um serviço que recolhe e regista as queixas dos munícipes e que posteriormente faz o respetivo acompanhamento e encaminhamento do processo para o CIAB.

O CIAB tem como missão informar consumidores e agentes económicos dos seus direitos e deveres sobre o mercado de produtos e serviços e regular conflitos de consumo através de mediação, conciliação e arbitragem.

No âmbito das suas competências, o CIAB atua em conflitos de consumo decorrentes de contratos à distância, vendas ao domicílio e equiparadas, conflitos transnacionais desde que o agente económico possua representação num dos onze municípios referidos, bem como no âmbito dos litígios decorrentes do projeto Casa Pronta, um serviço existente nalgumas Conservatórias do Registo Predial que permite tratar aí de todas as operações relacionadas com a transmissão de um imóvel.

O CIAB é competente para intervir no domínio dos conflitos de consumo ocorridos na área geográfica abrangida (Amares, Arcos de Valdevez, Barcelos, Braga, Esposende, Montalegre, Ponte da Barca, Povoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vila Verde).

PÓVOA DE LANHOSO RECEBE EXPOSIÇÃO DE PINTURA SOBRE "IGUALDADE NA DEFICIÊNCIA"

Theatro Club da Póvoa de Lanhoso recebe exposição “Igualdade na Deficiência”

“Igualdade na Deficiência” é como se designa a exposição de pintura patente na Galeria do Theatro Club da Póvoa de Lanhoso entre os dias 14 de novembro e 7 de dezembro. Estão expostos diversos trabalhos de reconhecida qualidade.

Expo igualdade na deficiencia 1

O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, foi uma das presenças na abertura desta mostra, assim como a artista Maria de Lurdes Oliveira. O autarca relembrou que, na edição de 2016 da Semana para a Igualdade, aquando da realização do I Theatro Concerto Inclusivo foi lançado o desafio, agora concretizado, de apresentar uma coleção de pinturas realizadas por pessoas portadoras de deficiência no Theatro Club. “É com enorme agrado que, como Presidente do município, faço a abertura desta exposição que junta o cultural e o social”, referiu, na ocasião, o autarca. Presente esteve ainda a artista

Esta exibição  da Associação dos Artistas Pintores com a Boca e os Pés insere-se no âmbito da VII Semana Municipal para a Igualdade, que tem o ponto alto de 19 a 25 de novembro, com momentos ligados à temática escolhida para este ano – “Educar para a Igualdade” -, tais como os workshops de braille, a marcha silenciosa contra a violência sobre as mulheres, o II Theatro Concerto Inclusivo e a abolição de uma barreira arquitetónica na Vila Povoense, de entre outras propostas, a par de um momento destinado à divulgação e formação da Carta Portuguesa da Diversidade, visto que se encontra no município Povoense o núcleo desta Carta, no Norte do país.

Expo igualdade na deficiencia 2

PONTE DA BARCA EXPÕE FOTOGRAFIA DE EDUARDO TEIXEIRA PINTO

Exposição “A criança sob o olhar de Eduardo Teixeira Pinto”. Composta por 27 fotografias a preto e branco premiadas a nível nacional e internacional

Esta exposição remete-nos para os anos 50, 60 e 70, nas recôndidas aldeias da Serra do Marão, com as suas crianças tantas vezes descalças e até mesmo esfomeadas, ou à burguesia da vila e aos sonhos e esperanças dos seus diletos filhos. As imagens captadas revelam as emoções fortes das crianças, a coexistência entre a dor e a esperança.

2

A vasta obra de Eduardo Teixeira Pinto, falecido em Janeiro de 2009, é dotada de um olhar poético sobre a realidade e fez de si um dos melhores e mais galardoados fotógrafos portugueses do séc. XX, com um vasto e rico espólio que a sua família tem vindo a promover através de exposições itinerantes.

Patente até ao dia 27 de novembro, no átrio dos Paços do Concelho, a mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 09h às 12h30 e das 14h às 17h30.

3

MARCELO REBELO DE SOUSA INAUGURA EM FAMALICÃO EXPOSIÇÃO SOBRE BERNARDINO MACHADO

“Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra” promovida pelo Museu da Presidência da República está patente ao público no Palácio da Cidadela de Cascais

O que têm em comum os presidentes da República Bernardino Machado e Marcelo Rebelo de Sousa? Em outubro de 1917, Bernardino Machado realizou a primeira visita de um presidente da República ao estrangeiro, o chefe de Estado foi levar solidariedade social aos soldados do Corpo Expedicionário Português mobilizados na Primeira Guerra Mundial. Bernardino Machado foi também um presidente de afetos!

AFS_2109

Esta terça-feira, Marcelo Rebelo de Sousa inaugurou a exposição “Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra” que retrata precisamente a jornada que decorreu há 100 anos e confessou a sua admiração por Bernardino Machado. A sessão decorreu no Palácio da Cidadela de Cascais e contou também com a presença do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha e de muitos familiares de Bernardino Machado.

A mostra promovida pelo Museu da Presidência da República em colaboração com o Museu Bernardino Machado, de Vila Nova de Famalicão, apresenta mais de 500 peças expostas. De acordo com a comissária da exposição Elsa Alípio “foi uma viagem com um duplo sentido”, em que o objetivo principal era, de facto, “apresentar solidariedade aos soldados”, mas também procurar“o tão desejado reconhecimento internacional da ainda jovem República Portuguesa”.

Numa primeira parte, a exposição dá a conhecer Bernardino Machado – o famalicense que foi Presidente da República por duas vezes – através de muitos objetos cedidos pelo Museu Bernardino Machado. Depois apresenta-se a história da viagem, através do comboio em que viajou, a questão protocolar, os menus que foram servidos em França e em Inglaterra e vários vídeos com os encontros com outros chefes de Estado. Há ainda uma parte dedicada à Guerra, com a exposição de fardas militares originais, capacetes e objetos ligados ao quotidiano dos soldados portugueses.

Para Paulo Cunha que acompanhou Marcelo Rebelo de Sousa em toda a visita “esta exposição é uma excelente forma de captar as atenções dos turistas para Vila Nova de Famalicão, muito particularmente para o Museu Bernardino Machado e todo o seu espólio”.

Bernardino Machado partiu da Estação do Rossio no dia 8 de outubro de 1917, com a sua comitiva composta por 10 pessoas, foi recebido pelo Rei Afonso XIII de Espanha, o Presidente Raymond Poincaré de França, o Rei Jorge V de Inglaterra, Alberto I da Bélgica, e visitou os militares do Corpo Expedicionário Português mobilizados na Primeira Guerra Mundial. A viagem durou 18 dias, tendo regressado no dia 25 de outubro.

A exposição está patente até março do próximo ano e pode ser visitada de terça-feira a domingo, entre as 10h00 e as 18h00.

Famalicense por adoção, Bernardino Machado foi presidente da República Portuguesa por duas vezes e foi também uma das principais figuras da I República.

AFS_1435

AFS_1445

AFS_1627

VIANA DO CASTELO MOSTRA TRABALHOS ARTÍSTICOS DOS TRABALHADORES DOS ESTALEIROS NAVAIS

O Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo realiza uma exposição de trabalhos artísticos dos funcionários daquela empresa.

23031629_1532682556800232_4593424741394205743_n

Trata-se de uma exposição para reconhecer méritos profissionais e artísticos, que muito honrará ex-trabalhadores dos ENVC e esta Empresa, que Viana jamais deixará de reconhecer como o seu ex-libris, que levou a cidade ao mundo inteiro ao longo de mais de seis décadas. Uma exposição que todos os vianenses devem visitar.

A iniciativa conta com o apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo e da Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo, ficando expostos na Galeria da Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo, a partir do próximo dia 17 de Novembro até 3 de Dezembro.

PONTE DE LIMA EVOCA 5 SÉCULOS DE REFORMA PROTESTANTE

Exposição e palestra assinalam 500 anos da Reforma Protestante

A Biblioteca Municipal de Ponte de Lima (BMPL) inaugura na próxima segunda-feira, 6 de novembro, pelas 18h00, a exposição evocativa “Martinho Lutero: o Reformador e a Reforma 500 anos depois”. Trata-se de uma mostra biobibliográfica com 14 painéis que, além da reprodução das 95 teses afixadas na porta da igreja do castelo de Vitemberga a 31 de outubro de 1517, recupera o essencial da vida do monge alemão, revisita a sua inovadora visão teológica e expõe os traços fundamentais da renovação pedagógica de Lutero - defensor de uma educação universal, gratuita e obrigatória.

CARTAZ A3 - VERSÃO FINAL

Além das telas informativas, a exposição comemorativa dos 500 anos da Reforma Protestante, inclui a exibição de 25 obras inéditas de Martinho Lutero cedidas por Adalberto Hiller – diretor administrativo da Unidade de Ponte de Lima da Universidade Fernando Pessoa -, que, no dia da inauguração, orientará uma palestra dedicada a um dos episódios mais marcantes da história do cristianismo.

A mostra “Martinho Lutero: o Reformador e a Reforma 500 anos depois” estará patente ao público na varanda interior da BMPL até ao dia 31 de dezembro.

Visite-nos. Esperamos por si!

MUSEU D. DIOGO DE SOUSA EXPÕE SOBRE CIDADES EDUCADORAS

Mostra patente ao público de 6 a 10 de Novembro

O Museu D. Diogo de Sousa, em Braga, irá acolher a exposição itinerante da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras entre os dias 6 e 10 de Novembro.

1

Através de uma forma lúdica, com esta exposição será possível conhecer os princípios basilares da Carta das Cidades Educadoras: O direito a uma cidade educadora, através de um forte compromisso da cidade, que se coloca ao serviço integral dos seus cidadãos. Este será também o mote para o Município de Braga comemorar o dia 30 de Novembro que foi instituído como o Dia Internacional da Cidade Educadora.

A mostra poderá ser visitada das 9h30 às 12h00 e das 14h30 às 17h00.

Recorde-se que Braga aderiu, em 2000, à Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE), passando a integrar também a Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras, organismos que promovem a troca e partilha de experiências, no âmbito da Educação em toda a sua abrangência, entendendo a cidade como um espaço de oferta de importantes elementos para uma formação integral do indivíduo».

O conceito de Cidade Educadora tem na sua génese a ideia de que educar é uma responsabilidade de toda a sociedade e de que a Educação não se deve centrar exclusivamente na Escola, sendo um direito de todos e ao longo de toda a vida», explica a autarquia.

De acordo com a Carta das Cidades Educadoras, «todos os habitantes de uma cidade terão o direito de desfrutar, em condições de liberdade e igualdade, os meios e oportunidades de formação, entretenimento e desenvolvimento pessoal que ela lhes oferece».

2

ARTISTA GALEGO CHEMA MOSQUERA EXPÕE EM MONÇÃO

Exposição de pintura "Ritmos e Formas" de Chema Mosquera na Casa Museu de Monção/UMinho

Encontra-se patente ao público, desde hoje e até ao dia 30 de novembro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do artista galego Chema Mosquera, intitulada "Ritmos e Formas".

23130698_1552624781457685_6690838633190003120_n

Sinopse da exposição, segundo o artista Chema Mosquera:  «No início do trabalho pictórico buscava o maior reconhecimento das formas e objetos quotidianos dentro de um espaço com profundidade. Numa segunda etapa, os objetos convertem-se em formas nuns cenários ou paisagens imprecisos. Mais adiante, as formas abstratas tornam-se atores principais de um espaço pictórico plano, acabando por buscar a abstração com manchas amorfas. Nesta exposição, estão os RITMOS e a COR como protagonistas, materializados com FORMAS de textura voluptuosa e como atores secundários em suportes quadrados desprovidos quase por completo de profundidade, no que as formas impressas pelo ritmo são totalmente casuais, sem recordar em absoluto os objetos».

A entrada é livre!

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada 

MUSEU DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EXPÕE OBJETOS DE BERNARDINO MACHADO

“Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra” fica patente ao público entre 8 de novembro e 4 de março

Em outubro de 1917, o presidente da República Bernardino Machado efetuou aquela que foi a primeira viagem de Estado ao estrangeiro. Para a jovem República Portuguesa, que tinha sido implantada em 1910 este foi um momento marcante e fundamental para o tão desejado reconhecimento internacional.

1

Passados 100 anos, a viagem vai ser recordada numa exposição promovida pelo Museu da Presidência da República com a colaboração do Museu Bernardino Machado, de Vila Nova de Famalicão. A mostra vai ser inaugurada no próximo dia 7 de novembro, no Palácio da Cidadela de Cascais, com as presenças do Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, e do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

A mostra ficará patente ao público entre 8 de novembro e 4 de março.

Intitulada “Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra”, a exposição conta com mais de meia centena de objetos, documentos e fotografias cedidas pelo Museu Bernardino Machado. Entre os objetos destaque para o chapéu, tipo cartola, e para a bengala de Bernardino Machado. As fotografias, mais de vinte, retratam vários episódios da viagem que durou 18 dias.

Bernardino Machado partiu da Estação do Rossio, foi recebido pelo Rei Afonso XIII de Espanha, o Presidente Raymond Poincaré de França, o Rei Jorge V de Inglaterra, Alberto I da Bélgica, e visitou os militares do Corpo Expedicionário Português mobilizados na Primeira Guerra Mundial.

Famalicense por adoção, Bernardino Machado foi presidente da República Portuguesa por duas vezes e foi também uma das principais figuras da I República.

O Museu Bernardino Machado que completou recentemente 15 anos está instalado no Palacete Barão da Trovisqueira, um majestoso edifício do século XIX, localizado bem no centro da cidade de Vila Nova de Famalicão. Para além da divulgação e valorização da figura de Bernardino Machado, o Museu tem vindo a destacar-se na organização de diversos eventos e na produção de documentos que têm sido essenciais para investigadores e historiadores.

12

PONTE DA BARCA MOSTRA OS ROSTOS DA NOSSA GENTE

Ponte da Barca: Exposição de Fotografia coletiva das IPSS's

Mostra inaugurada hoje vai estar patente no átrio dos Paços do Concelho  até ao dia 07 de novembro

IMG_6628

Foi hoje inaugurada, no átrio dos Paços do Concelho, pela vereadora da Ação Social, Maria JoséGonçalves, e na presença de vários convidados, diretores e técnicos das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do Concelho barquense, uma exposição composta por fotografias do rosto dos utentes das Ipss's locais, cujos trabalhos foram inteiramente idealizados e recolhidos pelas respetivas instituições e elaborados com o objetivo de captar expressões dos idosos em vários momentos do seu quotidiano.

Numa perspetiva intergeracional e consciente da importância da educação sobre o envelhecimento e da relação entre gerações, a Vereadora da Ação Social fez saber que 'é intenção da autarquia tornar esta exposição itinerante, levando-a a todas as escolas do concelho.'

A mostra, que tem como intuito assinalar o Dia Dia Mundial da Terceira Idade, vai estar patente até ao dia 07 de novembro, podendo ser visitada das 09h às 12h30 e das 14h às 17h30.

2

3

4

IMG_6609

IMG_6610

IMG_6621

IMG_6622

IMG_6634

CAMINHA INAUGURA AMANHÃ EXPOSIÇÃO NADIR EM FERRO POR PLÁCIDO SOUTO

No dia em que celebra 81 anos, Plácido Souto lança também uma autobiografia

O Museu Municipal de Caminha vai acolher a exposição ‘Nadir em Ferro’, do artista vilarmourense Plácido Souto. O artista vai ainda lançar o livro ‘Plácido Souto, retalhos da minha vida’. A cerimónia de inauguração e lançamento do livro estão agendadas para as 18H00, do dia 27 de outubro, no Museu Municipal de Caminha.

LivroPlácidoSouto_Capa

Sexta-feira, é um dia especial para Plácido Souto. No dia em que celebra 81 anos, Plácido inaugura a sua 3ª exposição ‘Nadir em Ferro’ e lança o seu primeiro livro ‘Plácido Souto, retalhos da minha vida’.

A mostraé composta por 16 reproduções em ferro do arquiteto e pintor Nadir Afonso, de resto um artista muito admirado por Plácido Souto.

‘Plácido Souto, retalhos da minha vida’ é uma espécie de autobiografia, com prefácio de Paulo Torres Bento. Nas 154 páginas, o leitor vai encontrar capítulos dedicados à ‘Memória da Infância e da Escola’, à ‘vida militar’, ao ‘sindicalismo e política’, entre outros assuntos relacionados com o autor.

Serralheiro de profissão, Plácido é um autodidataque se dedica à produção de esculturas e quadros, onde o ferro é a matéria-prima principal, desde os 70 anos de idade.

A mostra estará patente até 31 de dezembro e pode ser visitada de terça-feira a domingo das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00. A visita é gratuita.

Nadir em ferro (1)

Nadir em ferro (2)

PONTE DA BARCA ASSINALA DIA MUNDIAL DA TERCEIRA IDADE COM EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA

Exposição de Fotografia assinala Dia Mundial da Terceira Idade em Ponte da Barca. Mostra coletiva das Ipss's locais vai estar patente nos Paços do Concelho de 27 de outubro a 07 de novembro

Ponte da Barca vai assinalar o Dia Mundial da Terceira Idade, que se comemora a 28 de outubro, com uma exposição composta por fotografias do rosto dos utentes das Ipss's locais, cujos trabalhos foram inteiramente idealizados e recolhidos pelas respetivas instituições e elaborados com o objetivo de captar expressões dos idosos em vários momentos do seu quotidiano.

Capturarbarc

A mostra, que se insere no âmbito da dinamização do projeto 'oficinas do lazer', promovido pela Rede Social local, da qual a Câmara Municipal é parceira, vai estar patente no átrio dos Paços do Concelho, de 27 de outubro a 07 de novembro, podendo ser visitada das 09h às 12h30 e das 14h às 17h30.

“OS ROSTOS DA MÃE DE DEUS” PATENTE AO PÚBLICO ATÉ AO FINAL DO ANO

Mostra dá a conhecer as 21 imagens da Virgem Maria das paróquias do Arciprestado de Caminha

A exposição “Os Rostos da Mãe de Deus” patente ao público no Museu Municipal de Caminha vai prolongar-se até ao final do ano. Trata-se de uma mostra original e inédita no concelho, composta por imagens da Virgem Maria das paróquias do Arciprestado de Caminha. A visita é gratuita.

exposição rostos mãe de deus (4)

O prolongamento da exposição até 31 de dezembro deve-se à afluência de visitantes aumentar de mês para mês, fruto da sua originalidade, já que é a primeira vez que as imagens da Virgem Maria das paróquias do arciprestado estão reunidas no mesmo espaço.

“Os Rostos da Mãe de Deus” é uma exposição que dá a conhecer as 21 imagens da Virgem Maria das paróquias Arciprestado de Caminha, ou seja, no Museu é possível admirar uma imagem de cada paróquia do concelho de Caminha: Senhora do Calvário (Arga de Baixo); Senhora do Carmo (Arga de Cima); Senhora da Piedade (Arga de São João); Senhora das Dores (Âncora, Azevedo); Senhora da Luz (Argela); a Senhora do Rosário (Caminha, Vila Praia de Âncora);  Senhora da Conceição (Cristelo, Vilar de Mouros, Vile); Senhora das Neves (Dem); Senhora da Cabeça (Freixieiro de Soutelo); Santa Maria (Gondar, Orbacém); Senhora da Graça (Lanhelas); Imaculado Coração de Maria (Moledo, Vilarelho); Senhora da Soledade (Riba de Âncora); Senhora da Consolação (Seixas); Senhora do Monte (Venade).

A mostra pode ser visitada no Museu Municipal de Caminha, até ao final do ano, de terça-feira a domingo, das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00. A visita é gratuita.

Esta exposição integrou o programa celebrativo do Centenário das Aparições de Fátima que o Município e o Arciprestado de Caminha promoveram de abril a outubro com várias atividades.

exposição rostos mãe de deus (1)

exposição rostos mãe de deus (2)

exposição rostos mãe de deus (3)

PINTOR FAFENSE ORLANDO POMPEU INAUGURA EM GUIMARÃES EXPOSIÇÃO “COM TEXTOS PESSOAIS"

No passado sábado (21 de outubro) o mestre-pintor Orlando Pompeu inaugurou na Galeria quarenta do Hotel Mestre de Avis, uma unidade hoteleira no centro de Guimarães, a exposição “ComTextos Pessoais”.

1

Da esq. para a dir.: O mestre-pintor Orlando Pompeu, acompanhado da empresária Maria Roeder, da vereadora do Município de Guimarães, Paula Oliveira, e do historiador Daniel Bastos.

 

A inauguração da exposição de um dos mais conceituados artistas plásticos portugueses da atualidade, detentor de uma obra que está representada em variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Dubai e Japão, encheu-se de amigos, admiradores e colecionadores do pintor de referência nacional e internacional.

Nesta nova exposição, composta por obras conceptuais, acrílico sobre tela e aguarelas, Orlando Pompeu acentua os elementos característicos da sua profícua carreira artística. Nomeadamente a sublimação do traço, da forma, do ritmo e do desenho que se revelam num conjunto significativo de trabalhos inéditos marcados pela criatividade, originalidade e contemporaneidade.

A apresentação da obra e do seu autor esteve a cargo do historiador Daniel Bastos, que comentou que a exposição “ComTextos Pessoais”, é marcada por uma mensagem onde predomina o afeto e a ternura feminina, na esteira da sensibilidade e da beleza do universo feminino que estão muito presentes ao longo do riquíssimo percurso cultural e artístico do mestre-pintor, que criou um inimitável estilo pompeuano.

Visivelmente emocionado, o artista agradeceu a presença dos inúmeros amigos, admiradores e colecionadores que lotaram o espaço da Galeria quarenta, entre eles a vereadora do Município de Guimarães, Paula Oliveira, e reconheceu a oportunidade desta nova exposição através do papel da empresária e colecionadora Maria Roeder, que esteve na base do impulso do novo ciclo temático do artista plástico. 

Refira-se que a exposição estará patente ao público até ao dia 31 de janeiro do próximo ano, durante o período normal de funcionamento da unidade hoteleira integrada no território classificado pela UNESCO. E que 20% das vendas das obras expostas será doado à Associação Vencedores do Cancro Unidos pela Vida, uma Associação sem fins lucrativos e que pretende que doentes e seus familiares tenham um apoio na luta contra o Cancro.

2

3

4

5

6

7

MUSEU BORDALO PINHEIRO INAUGURA EXPOSIÇÃO JUNTO AOS PAÇOS DO CONCELHO

O vianense Dr. João Alpuim Botelho é o responsável pelo Museu Bordalo Pinheiro em Lisboa

O Museu Bordalo Pinheiro inaugurou ontem a exposição “Rafael Bordalo Pinheiro na Baixa”, no Largo de São Julião, junto aos Paços do Concelho, numa cerimónia que contou com a orientação do seu responsável, Dr. João Alpuim Botelho.

22550006_1588286684548328_5074360016478822077_n

O primeiro dia de exposição contou também com uma oficina de manguito, pelo próprio Zé Povinho.

Trata-se de uma exposição divertida, apresentada no centro da cidade do próprio Bordalo Pinheiro e da sua personagem Zé Povinho. Na realidade, um convite a que, após a exposição, visitem o Museu Bordalo Pinheiro e conheçam a obra do genial artista.

Fotos: Manuel Santos

22519145_1588282061215457_4387133934127137659_n

22519192_1588283287882001_2299088522911739506_n

22528092_1588282044548792_4973656599296486755_n

22528170_1588282984548698_8390339560851365100_n

22539759_1588282577882072_2063909411378493230_n

22540208_1588281657882164_6701498405589330923_n

22549640_1588285367881793_778950968943903845_n

22549838_1588286367881693_4244570869607441880_n

22549961_1588283257882004_5936718188368900813_n

22550043_1588283807881949_4303706662867256897_n

22555198_1588282877882042_6748140694117234987_n

22687756_1588285777881752_414406538025072609_n

22728682_1588281977882132_1186628427101185915_n

22728815_1588283041215359_6616204426816026693_n

22728850_1588285711215092_2445729999343120876_n

CASA DE CAMILO EM S. MIGUEL DE SEIDE HOMENAGEIA ALEXANDRE CABRAL

Casa de Camilo apresenta “Alexandre Cabral (1917-1996), Dedicado Camilianista. Exposição está patente até 1 de março

Está patente até 1 de março de 2018, na Casa de Camilo, em S. Miguel de Seide, a exposição que homenageia “Alexandre Cabral (1917-1996), Dedicado Camilianista. No ano em que se assinala o centenário do seu nascimento, evoca-se através desta exposição bibliográfica, documental e iconográfica, Alexandre Cabral, escritor e investigador literário, autor do fundamental Dicionário de Camilo Castelo Branco, um dos mais abalizados e prolíficos estudiosos da vida e da obra do romancista de Seide, a que dedicou anos a fio de incansável labor. O vasto acervo que reuniu ao longo da sua vida acabou por o legar à Casa de Camilo.

AFS_4406

Alexandre Cabral foi mesmo a figura central da quarta edição dos Encontros Camilianos de S. Miguel de Seide, que decorreu no passado fim-de-semana em Vila Nova de Famalicão, e contou com a presença de seu filho, Aguinaldo Cabral, que salientou “a paixão” do pai por Camilo Castelo Branco, agradecendo o reconhecimento.

No colóquio três oradores, José Cândido Oliveira Martins da Universidade Católica Portuguesa, António Pedro Pita da Universidade de Coimbra e António Manuel Ferreira, da Universidade de Aveiro, que abordaram temáticas da vida de Alexandre Cabral.

Ligado à corrente literária neo-realista, Alexandre Cabral acabou por se especializar como grande e profundo conhecedor da obra de Camilo Castelo Branco. Foi uma das personalidades ligadas à fundação do Centro de Estudos Camilianos, foi distinguido com o Prémio de Camilo em 1987, e, por vontade própria, foi doado à Casa de Camilo, após a sua morte, todo o seu acervo camiliano, constituído por obras de e sobre Camilo Castelo Branco, além de milhares de documentos, reunidos ao longo de 40 anos e relacionados com o século XIX e com a vida e obra do romancista de Seide.

AFS_4419

AFS_4421

PINTOR ORLANDO POMPEU EXPÕE EM GUIMARÃES

No próximo sábado (21 de outubro) o mestre-pintor Orlando Pompeu inaugura às 18h00 na Galeria quarenta do Hotel Mestre de Avis, uma unidade hoteleira no centro de Guimarães, integrada no território classificado pela UNESCO, a exposição de pintura “ComTextos Pessoais”.

Orlando Pompeu

Um dos mais conceituados artistas plásticos portugueses da atualidade, Orlando Pompeu é detentor de uma obra que está representada em variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Dubai e Japão.

Nesta nova exposição que apresenta ao público, composta por obras conceptuais, acrílico sobre tela e aguarelas, Orlando Pompeu acentua os elementos característicos sua carreira artística. Nomeadamente a sublimação do traço, da forma, do ritmo e do desenho que se revelam num conjunto significativo de trabalhos inéditos marcados pela criatividade, originalidade e contemporaneidade.

Refira-se que a apresentação da obra e do mestre-pintor estará a cargo do escritor e historiador Daniel Bastos, e quem caso de vendas, 20% será doado à Associação Vencedores do Cancro Unidos pela Vida, uma Associação sem fins lucrativos e que pretende que doentes e seus familiares tenham um apoio na luta contra o Cancro.

CASA DA ANTA EM LANHELAS DÁ A CONHECER GENEALOGIA DE GOMES FREIRE DE ANDRADE

Em busca da genealogia de um “mártir da pátria”, Gomes Freire de Andrade

Com o registo e comunicação electrónica (WWW) dos elementos que definem a identidade e as relações de parentesco entre os indivíduos, as pesquisas destinadas a elaborar a árvore genealógica das famílias têm crescido extraordinariamente nas últimas décadas. Uma curiosidade natural e, decerto, uma compulsão psíquica condicionada pelo gigantismo e anonimato característicos das aglomerações urbanas onde, ano após ano, afluem e acumulam grandes massas populacionais.

CapturarGFA

Neste quadro, e tendo em sua posse um amplo acervo documental relativo à genealogia de Gomes Freire de Andrade (1757-1817), um general partidário das ideias liberais e um dos mais brilhantes militares da sua época, na passagem do bicentenário da sua condenação à morte e execução por crime de lesa majestade, a Casa da Eira, em Lanhelas, promove uma mostra e análise deste interessante espólio. Constituído por elementos reunidos ou produzidos pacientemente por um investigador sabugalense, J. Gomes (Freire) Pinharanda, cuja linhagem o interliga à do malogrado general, e que, aliás, se apresenta como seu descendente directo. Dadas as circunstâncias que envolveram as relações conjugais do homem que acompanhou Napoleão Bonaparte nas suas temerárias incursões pela Europa, estamos perante uma reivindicação controversa, fundada, no essencial, numa romanesca tradição familiar.

Temos, pois, em vista um debate centrado nas andanças bélicas além-fronteiras do eminente precursor da revolução liberal em Portugal, bem como o aflorar do tema do imperialismo napoleónico e das violências geradas lá por onde passava a soldadesca ocupante francesa. E ainda virá a propósito reflectir acerca da abrasiva problemática da traição e redenção no tocante ao elo sentimental e político que cada qual estabelece com a comunidade de origem. E será ainda de meditar sobre as múltiplas formas de mitificação historiográfica., como de considerar a temática do expeditivo sistema de justiça do Antigo Regime em contraposição aos avanços civilizacionais decorrentes do triunfo do ideário das Luzes.

Na sessão inaugural, em complemento ao debate, com ilustração musical a cargo de um duo de teclas e clarinete, efectuar-se-á uma leitura dramatizada de alguns textos evocativos desta ímpar figura da história portuguesa agora recordada.