Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE DISPONIBILIZA AUTOCARRO PARA A FREGUESIA DE APÚLIA

Como tinha sido anunciado em abril último pelo presidente da Câmara Municipal de Esposende, foi ontem entregue à União de Freguesias de Fão e Apúlia um novo autocarro, que agora passa a servir as instituições de Apúlia.

autocarro apúlia 1

O Município comparticipou com um apoio financeiro de 108 380,47 euros, correspondente a 90% do valor do veículo de transporte de passageiros, com capacidade para 31 passageiros, que foi adquirido pela Junta da União de Freguesias.

Foi no parque de estacionamento da Igreja Matriz de Apúlia que decorreu a cerimónia, bem próximo do local onde decorrem os trabalhos de beneficiação e infraestruturação da Rua da Igreja, no troço compreendido entre a Avenida da Praia e a Avenida do Mar, correspondendo a um investimento de 353 594 euros. Lembre-se que, no anterior mandato, o Município de Esposende investiu nesta freguesia mais de cinco milhões de euros.

“Sabemos o compromisso que assumimos com as gentes de Apúlia. Estaremos sempre disponíveis para concretizar as necessidades dos habitantes de Esposende. De todos!” Vincou Benjamim Pereira na cerimónia de bênção que reuniu muitos apulienses.

De resto, o presidente da Câmara Municipal de Esposende lembrou os compromissos assumidos com o clube de futebol local (melhoria do recinto de jogos), com os pais e encarregados de educação da Escola do Facho e com todas as associações de Apúlia.

Na apresentação do veículo que vai transportar apulienses de todas as idades, o presidente da Junta da União de Freguesias de Fão e Apúlia, Luís Peixoto, deixou o pedido para que fosse “melhorada a Rua do Pombal e lembrou a necessidade de uma retroescavadora”, solicitações que merecerão a devida a atenção do Município de Esposende, conforme foi garantido por Benjamim Pereira.

autocarro apúlia 3

autocarro apúlia 4

ESPOSENDE APOIA BANDA DE MÚSICA DE BELINHO

Município de Esposende garante apoios à Banda de Música de Belinho

No jantar convívio da Banda de Música de Belinho, o presidente da Câmara Municipal de Esposende garantiu o apoio aos novos projetos daquela instituição, como a aquisição de uma carrinha para transporte de instrumentos e partituras. Benjamim Pereira prometeu, ainda, analisar o projeto de beneficiação e melhoria das condições da sua sede.

banda belinho 1

Um ano após ter sido distinguida com o prémio de “Melhor Banda do Distrito de Braga” e de ter alcançado o segundo lugar num concurso de bandas, em Santa Maria da Feira, a Banda de Música de Belinho celebrou mais um aniversário que será o 17.º desde a sua refundação, mas que encontra as primeiras referências no ano de 1896. O crescimento sustentado e o natural reconhecimento acabam por ser “responsáveis” pelas principais dificuldades com que se debate a instituição que promove o ensino da música a cerca de 75 jovens: falta de espaço para ensaiar e acondicionar os instrumentos.

“Conheço as dificuldades que a Banda de Música de Belinho enfrenta. Comparticipamos, num passado recente, a aquisição de instrumentos e fardas e estamos disponíveis para ajudar, desde já, na compra das partituras e, até 15 de janeiro, na compra de uma carrinha. Sei que a banda precisa de melhores condições para desenvolver o seu projeto e comprometo-me a analisar a proposta de beneficiação da sede”, disse o presidente da Câmara Municipal de Esposende.

Benjamim Pereira lembrou “o rigor” que carateriza a gestão autárquica que personaliza e que consiste em “fechar, todos os anos, as contas dentro dos parâmetros da boa gestão” e que têm valido o reconhecimento nacional como “um dos concelhos com o melhor desempenho económico e financeiro”. O autarca associou, ainda, o apoio que o Município de Esposende aplica na área da Cultura (cerca de meio milhão de euros todos os anos) à importância do ensino musical dos mais jovens, enquanto complemento à sua formação global.

Estas promessas de Benjamim Pereira surgiram como resposta ao repto lançado pelo presidente da Banda de Música de Belinho, Manuel Lima que lembrou os encargos mensais que a Escola de Música suporta (dois mil euros) e as condições precárias de ensaio. “A Banda de Música de Belinho quer uma sede com sala de ensaio e anfiteatro”, afirmou Manuel Lima.

banda belinho 3

banda belinho 4

ESPOSENDE DISPONIBILIZA OBSERVATÓRIO MARINHO

“O ordenamento do território e o respeito pela natureza serão sempre uma prioridade em Esposende” – Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal

Assinalando o dia Nacional do Mar, o Município de Esposende apresentou a plataforma Observatório Marinho de Esposende – Portal de Informação da Biodiversidade Marinha do Litoral Norte de Portugal, onde passa a estar disponível toda a informação que faz parte do património Marinho.

apresentação omare

Numa sessão que decorreu no Centro de Educação Ambiental de Esposende, em Marinhas, durante a qual também foram apresentadas as propostas educativas do centro e o Programa de Educação para a Sustentabilidade para o presente ano letivo, foi apresentado o Omare, projeto que reúne, em parceria, O Município de Esposende, a Universidade do Minho e o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas.

Inserido na política ambiental do Município de Esposende que visa promover formas inovadoras de aproveitamento sustentável dos recursos marinhos, o portal tem em perspetiva o desenvolvimento da economia do Mar, apostando nas ciências e tecnologias do mar, criando emprego, fomentando o ensino, a educação e o desporto associados ao mar.

“Esposende iniciou, há 20 anos, a educação ambiental. Há muita pesquisa e experiência que agora estará disponível neste portal. O respeito pela natureza deve ser proporcional ao conhecimento que temos do meio ambiente”, destacou o presidente da Câmara Municipal de Esposende que apontou as escolas como principal aliado, na consciencialização dos mais novos para as questões ambientais.

De resto, Benjamim Pereira reforçou a tese de afirmar Esposende pela qualidade ambiental, reforçando que “o ordenamento do território e o respeito pela natureza serão sempre uma prioridade. Esposende não é um concelho com vocação industrial. Temos zonas industriais e queremos promover o nosso espaço de uma forma ordenada”, vincou.

Referindo-se ao portal, o biólogo marinho, Vasco Ferreira disse ser este novo suporte de “partilha de observações para suprir lacunas de informação na área da biodiversidade marinha”. No portal será possível colher informação sobre espécies e sua localização, sobre habitats e até a localização dos naufrágios ocorridos na costa de Esposende. Na plataforma serão disponibilizados conteúdos informativos e repositório de publicações, suportes educativos para professores, alunos, crianças e jovens, bem como um conjunto diversificado de aplicações direcionadas para a componente lúdica, nomeadamente através da disponibilização de jogos didáticos sobre temáticas relacionadas com o litoral de Esposende e com a biodiversidade marinha.

Anabela Almeida, do Centro de Educação Ambiental, apresentou o Programa de Educação para a Sustentabilidade que envolve as escolas do concelho e que este ano apresenta novidades com a dramatização das artes e ofícios ligados ao mar. O CEA tem previstas oficinas sobre “Descobrir a água e os seus habitantes”, aventuras no CEA, teatro de Marionetas “Viagem ao Fundo do Mar”, oficinas de escrita criativa e oficinas de ilustração “Contos em tons de azul”, oficinas experimentais “Alapa-te a ti” e “Segredos entre marés”.

A plataforma OMARE constitui uma das ações que fazem parte do projeto Observatório Marinho de Esposende (OMARE): Sistema de Informação, Monitorização e Gestão da Biodiversidade Marinha das Áreas Classificadas do Litoral Norte como Ferramenta de Promoção da Sustentabilidade da Utilização dos seus Recursos, de Divulgação e Sensibilização da Comunidade, financiado pela Autoridade de Gestão do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR).

ESPOSENDENSES DEBATEM ETNOGRAFIA E FOLCLORE

4.º Seminário da RNCMR debateu “A Etnografia e o Folclore do Mar de Esposende”

“A Cultura dos mares e dos rios está muito bem representada em Esposende”- afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Esposende e da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios (RNCMR), no 4.º Seminário desta Rede, que decorreu ontem, 17 de novembro, no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, subordinado à temática “A Etnografia e o Folclore do Mar de Esposende”.

.

O evento, que integrou as comemorações do Dia Nacional do Mar, celebrado a 16 de novembro, promoveu a reflexão e o debate em torno do folclore e da etnografia do mar, não só no que diz respeito a Esposende, como também aos vizinhos concelhos de Viana do Castelo e da Póvoa de Varzim.

Na sessão de abertura, antecedida da projeção do filme “Esposende e o seu Folclore”, o Presidente Benjamim Pereira deu nota do envolvimento e do empenho do Município, que preside pelo segundo mandato consecutivo à RNCMR, na defesa, promoção e valorização do ambiente e do mar. Lembrou, a propósito, a criação da plataforma OMARE “Observatório Marinho de Esposende - Portal de Informação da Biodiversidade Marinha do Litoral Norte de Portugal”, publicamente apresentada no Dia Nacional do Mar, um projeto que resulta da parceria entre a Câmara Municipal de Esposende, a Universidade do Minho e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

.

Benjamim Pereira realçou que Esposende, enquanto município presidente da RNCM, abraçou um projeto de registo de tecnologias e de tradições associadas à cultura ribeirinha, fluvial e atlântica, que visa estudar para preservar e divulgar.

Aludindo ao 4.º Seminário da RNCMR, assinalou que o folclore mantém vivas muitas das tradições locais, que sobrevivem a par das danças e cantares nas atividades dos Ranchos ou Grupos Etnográficos, notando que  “Esposende apresenta ainda um património cultural  relacionado com o mar e com os rios Cávado e Neiva muito ativo”. Exemplificou com a Romaria de São Bartolomeu do Mar com o Banho Santo, candidata à Lista Nacional de Património Cultural Imaterial em 2016, com o artesanato do junco marítimo com um tipo de tecelagem e de cestaria de características pré-industriais que ainda se pratica em Forjães, ou a “apanha do sargaço” que ainda se faz para uso exclusivo na agricultura tradicional do concelho, usado depois de seco ao sol como fertilizante, e popularizada principalmente nas mareadas do sargaço, em Apúlia. Deu, ainda, nota do estudo da atividade agro-marítima sargaceira, candidatada a Património Cultural Imaterial em 2005 e atualmente na base do futuro núcleo museológico das paisagens do sargaço do litoral de Esposende.

Concluiu, agradecendo ao Almirante José Bastos Saldanha, um dos fundadores da RNCMR e seu Vice-presidente, representando a Sociedade de Geografia de Lisboa, o empenho e esforço deste organismo em promover a construção de ferramentas de preservação do património cultural dos mares e dos rios e da sua difusão.

José Bastos Saldanha saudou a continuidade de Benjamim Pereira na presidência da Câmara Municipal, notando que a Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios é “um projeto de continuidade e em construção”, e elogiou a ação que tem sido desenvolvida pelo Município de Esposende na presidência deste organismo. Referiu que o objetivo é dar continuidade a esse trabalho, procurando envolver mais municípios. Ciente dos grandes desafios que se apresentam à RNCMR, José Bastos Saldanha referiu que é primordial “demonstrar o estado ambiental dos nossos mares”, que considerou  “a base para fundamentar a intervenção de ordem económica”.

O Comissário Científico, Álvaro Campelo, realçou a importância do conhecimento do passado e das tradições e defendeu a necessidade de “construir uma economia azul”, afirmando que Esposende tem procurado construir “uma identidade azul”.

O tema “Mares do Sargaço - mares vizinhos” deu o mote ao primeiro painel, moderado pela Vereadora da Educação e Cultura do Município de Esposende, Angélica Cruz, no qual foram apresentadas algumas boas práticas dos concelhos de Viana do Castelo e da Póvoa de Varzim. Hermenegildo Viana, do Museu do Traje de Viana do Castelo, falou sobre os “trajes do Litoral Vianense”, Paulo Torres, Presidente da Junta de Freguesia de Castelo do Neiva – Museu do Sargaço do Castelo do Neiva, debruçou-se sobre “O Argaço de Castelo do Neiva” e Deolinda Carneiro, em representação do Museu de Etnografia e História da Póvoa de Varzim, apresentou “O traje popular do litoral português e o vestuário do Grupo Folclórico Poveiro”.

Num segundo painel, dedicado às “Paisagens do Sargaço - mar de Esposende”, moderado pelo Vice-presidente da RNCMR, José Bastos Saldanha, Artur Viana, do Parque Natural Litoral Norte, falou sobre “30 anos de Área Protegida”; Manuel Dourado, do Grupo de Marinheiros de Fonte Boa, deu a conhecer “Atividades Agro-marítimas de Fonte Boa”; Elsa Teixeira, do Museu Marítimo de Esposende – Associação Forum Esposendense” centrou a sua intervenção sobre a temática “Conservar o quê, para quê e para quem?”, e Filipe Queiroga e Hélder Cardoso, do Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia, falaram sobre “Apúlia e Sargaço – Uma relação entre a terra e o mar”.

No encerramento dos trabalhos, a Vereadora da Cultura do Município de Esposende, Angélica Cruz, assinalou que já antes de presidir à RNCMR, Esposende desenvolvia muitos e bons projetos no âmbito da cultura piscatória e marinheira, mas também agro-marítima, nomeadamente relacionada com o sargaço, envolvendo-se agora, também, noutros que passam pelas Redes locais, como a Rede de Museus de Esposende, que promove o trabalho conjugado entre todas as entidades museais do concelho, e a rede informal de agrupamentos folclóricos que conta já com oito instituições, que inventariam e preservam os valiosos e frágeis testemunhos da vida quotidiana de outrora.

Angélica Cruz expressou a sua satisfação pela partilha cultural proporcionada neste 4.º Seminário da RNCMR. “Estamos perante um novo caminho de investigação, de salvaguarda e de identidade cultural”, afirmou, agradecendo a todos os oradores o seu contributo para a divulgação e conhecimento sobre o folclore e a etnografia do mar, bem como “a participação de quem, no terreno, preserva, mantém, divulga e garante a existência destes valiosos patrimónios culturais ativos, os ranchos ou grupos folclóricos”. Deixou, ainda, agradecimentos ao Comissário Científico Álvaro Campelo e ao Vice-Presidente da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios, José Bastos Saldanha.

.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE APELA À POUPANÇA DE ÁGUA

Em sintonia com a campanha lançada a nível nacional pelo Governo e numa ação concertada com as várias entidades gestoras dos serviços de água - Águas de Portugal, Agência Portuguesa do Ambiente e da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, o Município de Esposende, através da Esposende Ambiente, está a desenvolver uma campanha de sensibilização apelando à poupança de água.

campanha_poupança_água

Perante as condições climatéricas que tiveram como consequência a redução muito significativa das reservas hídricas que estão na origem dos sistemas de abastecimento de água às populações, a Esposende Ambiente apela a todos os utilizadores do seu sistema de abastecimento de água para assegurar um uso mais eficiente deste bem público essencial.

Sob o lema “Um minuto por dia, vamos fechar a torneira à seca”, a campanha visa consciencializar todos os portugueses de que a água desperdiçada num minuto é suficiente para garantir as necessidades básicas diárias de 1 milhão de pessoas.

Mais informação sobre a seca e conselhos úteis para utilizar a água de forma racional estão disponíveis online, em www.fecheatorneira.pt

ESPOSENDE PROMOVE EM SANTIAGO DE COMPOSTELA CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA

Enquanto em Santiago de Compostela se debatiam estratégias para as diferentes rotas do Caminho, em Esposende, cerca de 200 peregrinos, oriundos de diferentes regiões, recebiam a bênção na Igreja Matriz e aprofundavam o seu conhecimento sobre Esposende, no Centro de Informação Turística, antes de se fazerem ao Caminho. É crescente a importância do Caminho Português da Costa: em 2016 representava 1% do total de peregrinos que afluíram a Santiago; este ano adquire um peso de 4%.

20171111_090527

O Albergue de São Miguel de Marinhas registava, em outubro, um total de 6.300 dormidas, ou seja, mais 3000 que em período homólogo do ano passado. Mas o número de peregrinos que passa por Esposende é bastante superior, encontrando-se alguns entre os cerca de 47 mil turistas que este ano colheram informação no Centro de Informação Turística.

Reconhecendo a importância crescente do percurso, o Município de Esposende tem investido nesta área, na melhoria de percursos e no reforço da informação disponibilizada, através da sinalética e dos suportes oferecidos no Centro de Informação Turística. Para dar a conhecer o percurso que cruza Esposende, mas também para beneficiar do incremento dos fluxos turísticos que têm ocorrido no litoral norte do país, Esposende marcou presença na Fairway, Fórum do Caminho de Santiago, em conjunto com os nove municípios que desenvolveram o projeto do Caminho da Costa.

Este encontro destinou-se a profissionais, instituições e interessados nas peregrinações ao templo de Santiago de Compostela, tendo-se destacado esta segunda edição, pela grande adesão que tiveram as mesas de debate intersectoriais. Estes espaços de reflexão, nos quais participaram especialistas das diversas áreas de negócio, do mundo empresarial e instituições, fomentou a apresentação de propostas de solução de alguns dos problemas que afetam os diversos percursos do Caminho. Foram proporcionados cerca de 1600 encontros, entre entidades e empresas locais e operadores turísticos, de 15 países diferentes.

De resto, este é um nicho de mercado com grande potencial para Esposende, conforme tem revelado o aparecimento de novos negócios associados ao turismo, como hostels e todo o mercado de restauração que está intimamente associado. O fluxo de peregrinos pode, também, contribuir, a par dos desportos de mar, para atenuar a sazonalidade que vinca a atividade turística em Esposende.

O Caminho Português da Costa pretende relevar o contacto entre terra e mar, desde o Porto, ao longo de 141 quilómetros, até Valença. Neste percurso, os dez municípios envolvidos no projeto, fazem valer a vertente patrimonial e histórica de cada urbe, procurando criar uma identidade, sob o lema, “cada passo, um sentido”.

O Caminho Português da Costa une os municípios do Porto, Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença, tendo submetido uma candidatura ao programa “Norte 2020” para valorizar este Caminho e os territórios que ele atravessa.

"Neste projeto, devemos destacar todo o trabalho de cooperação que foi desenvolvido pelos dez municípios envolvidos. O objetivo é promover esta rota do Caminho de Santiago, valorizando a Cultura e a História locais”, destaca Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende.

Sendo um património imaterial com crescente interesse nacional e internacional, o Caminho de Santiago beneficia, agora, de um programa infraestrutural que permita dignificar e potenciar o seu valor intrínseco e adaptá-lo às condições atualmente exigidas pelos modernos peregrinos.

IMG_20171111_093214

IMG_20171113_085541

ESPOSENDE APRESENTA PLATAFORMA DO OBSERVATÓRIO MARINHO

No próximo dia 16 de novembro, dia Nacional do Mar, o Município de Esposende irá apresentar formalmente a plataforma “Observatório Marinho de Esposende – Portal de Informação da Biodiversidade Marinha do Litoral Norte de Portugal”. Esta sessão terá lugar no Centro de Educação Ambiental de Esposende, em Marinhas, às 17h00, e incluirá também a apresentação das propostas educativas do Centro de Educação Ambiental e do Programa de Educação para a Sustentabilidade para o presente ano letivo.

IMG-0454

Este projeto, que resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Esposende e a Universidade do Minho, decorre da intenção e aposta do Município de Esposende em promover formas inovadoras de aproveitamento sustentável dos recursos marinhos, contribuindo para o desenvolvimento da economia do Mar, apostando nas ciências e tecnologias do mar, criando emprego, fomentando o ensino, a educação e o desporto associados ao mar, tentando sempre resolver conflitos de uso e potenciando sinergias através da implementação de um planeamento e ordenamento espacial das atividades.

Num mundo globalizado, a disponibilização de informação online é praticamente uma exigência. Assim, a divulgação de informação atual, objetiva e clara sobre o estado de desenvolvimento do projeto Observatório Marinho de Esposende (OMARE) e sobre a biodiversidade marinha local, para que todos os grupos da sociedade possam fácil e rapidamente aceder à mesma, constitui uma das apostas desse projeto. Tendo em conta as potencialidades das ferramentas digitais e das novas tecnologias, a conceção, desenvolvimento e manutenção do portal “Observatório Marinho de Esposende” constitui uma das ferramentas que se consideram essenciais ao desenvolvimento do projeto.

Alojado em www.omare.pt, o portal OMARE disponibiliza informação sobre as espécies e habitats marinhos da área, mas inclui também outras potencialidades como conteúdos informativos e repositório de publicações, conteúdos educativos para professores, alunos, crianças e jovens, bem como um conjunto diversificado de aplicações direcionadas para a componente lúdica, nomeadamente através da disponibilização de jogos didáticos sobre temáticas relacionadas com o litoral de Esposende e com a biodiversidade marinha e conteúdos relativos à conservação da natureza e da biodiversidade dirigidos à comunidade jovem e escolar.

A plataforma OMARE constitui uma das ações que fazem parte do projeto Observatório Marinho de Esposende (OMARE): Sistema de Informação, Monitorização e Gestão da Biodiversidade Marinha das Áreas Classificadas do Litoral Norte como Ferramenta de Promoção da Sustentabilidade da Utilização dos seus Recursos, de Divulgação e Sensibilização da Comunidade, financiado pela Autoridade de Gestão do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR).

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE DEBATE "A ETNOGRAFIA E O FOLCLORE DO MAR DE ESPOSENDE"

4.º Seminário da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios

O Município de Esposende, que preside, pelo segundo mandato consecutivo, à Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios (RNCMR), vai organizar, no próximo dia 17 de novembro, o 4.º Seminário desta Rede, subordinado à temática “A Etnografia e o Folclore do Mar de Esposende”.

cartaz

O evento integra as comemorações do Dia Nacional do Mar, que se assinala a 16 de novembro, e decorrerá no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, em Esposende. A participação é gratuita, contudo, carece de inscrição prévia, a efetuar até ao dia 15 do corrente, através do e-mail museu.esposende@cm-esposende.pt

Esposende, cidade e concelho, é terra de usos e costumes de tradições agro-marítimas seculares, onde subsistem a pesca tradicional e as paisagens rurais associadas à agricultura do sargaço. Esta cultura encontra-se refletida nos agrupamentos folclóricos, ranchos e rondas, agrupamentos etnográficos que projetam o presente do concelho através do que recolheram e adaptaram do passado rural e agro-piscatório. Património cultural visível através dos trajes, das danças e da musicalidade, sempre associados a formas de produção rural, piscatória ou artesanal, tem ainda representações do quotidiano de outrora, cadenciado pela música e pelas canções de índole tradicional, nestes agrupamentos etnográficos, de onde se destacam os Sargaceiros, verdadeiros guardiões do património etnográfico do mar, que em Esposende importa patrimonializar e preservar. Dos mares vizinhos, a norte e a sul, também mares de Esposende, chegam fortes influências culturais, presentes nas tecnologias tradicionais associadas às paisagens do sargaço, no trajar e no folclore.  

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende e Presidente da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios, Benjamim Pereira, presidirá à sessão de abertura do Seminário, às 15h30.

O Comissário Científico, Álvaro Campelo, fará o enquadramento sobre o folclore e etnografia do sargaço, seguindo-se a apresentação do filme “Esposende e o seu Folclore” produzido pelo Município, onde se registam os contributos dos oito agrupamentos etnográficos presentes no território do concelho na forma de “Rancho” com atividade etnográfica em torno das danças e cantares.

Os trabalhos iniciam-se com o painel “Mares do Sargaço”, dedicado aos mares vizinhos, com a apresentação das experiências a norte, onde o Museu do Sargaço do Castelo de Neiva é único no seu género, envolvendo a Junta de Freguesia de Castelo de Neiva, o Grupo Folclórico e Etnográfico de Castelo do Neiva, o Grupo Folclórico de Castelo de Neiva e o Museu do Traje de Viana do Castelo. As experiências dos mares a sul envolvem o Museu de Etnografia e História da Póvoa de Varzim e o Rancho Poveiro, verdadeiros guardiões do património da comunidade poveira, considerada a maior comunidade sardinheira do norte de Portugal que influenciou, historicamente, a norte e a sul os mares vizinhos, e onde a atividade sargaceira se encontra preservada, destacando modos de usar e de fazer, materializados nos trajes, alfaias e tecnologias do sargaço. Este painel terá moderação da Vereadora da Cultura do Município de Esposende, Angélica Cruz.

Num segundo painel, dedicado às “Paisagens do Sargaço”, moderado pelo Almirante José Bastos Saldanha, um dos fundadores da RNCMR e seu Vice-presidente, representando a Sociedade de Geografia de Lisboa, será abordado o mar de Esposende, contando com intervenções sobre o Parque Natural Litoral Norte e os 30 anos ao serviço da proteção das paisagens do sargaço da Área de Paisagem Protegida do Litoral de Esposende, e o papel do Museu Marítimo de Esposende da Associação Forum Esposendense, onde as boas práticas nos cuidados de preservação das alfaias do sargaço pretendem ser uma referência nacional. A finalizar os trabalhos serão abordadas as experiências das reconstituições históricas, o “argaço” do Grupo de Marinheiros de Fonte Boa e as “mareadas do sargaço” de um dos mais antigos agrupamentos etnográficos do país, o Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia.

ESPOSENDE COMEMORA DIA MUNDIAL DA ARQUITECTURA DURANTE TODO O MÊS DE OUTUBRO

Mês da Arquitetura levou 140 visitantes à Casa das Marinhas

As comemorações do Dia Mundial da Arquitetura prolongaram-se, em Esposende, por todo o mês de outubro, com ações que pretenderam dar a conhecer, local e internacionalmente, a Casa das Marinhas e o Roteiro Modernista.

casa das marinhas

O Município de Esposende associou-se ao Dia Mundial da Arquitetura, promovendo, durante todo o mês de outubro, uma extensão de celebrações, com a iniciativa “à descoberta da casa” e a realização do “roteiro modernista”.

“À descoberta da casa” consistiu numa visita orientada à “Casa das Marinhas”, durante a qual os participantes foram desafiados a explorar a Casa, num formato peddypaper. Destinado a um público que abrange a comunidade educativa escolar, desde a Educação do Pré-escolar ao Ensino Secundário, o evento que teve a adesão do Agrupamento da de Escolas Correia de Oliveira António Rodrigues Sampaio, nomeadamente da Escola Básica de Guilheta, do Jardim de Infância de Góios e ainda o Agrupamento de Escolas ARS –  dos alunos do 9º ano, da Escola Básica das Marinhas.

A Casa das Marinhas é um edifício que se encontra classificado como Monumento de Interesse Público, desde 2012, e está registada na Fundação Docomomo Ibérica, organismo internacional que preserva edifícios icónicos da arquitetura modernista. A casa está aberta à fruição pública, mediante marcação prévia.

Para a comunidade em geral, o Município de Esposende dispõe ainda o “Roteiro Modernista”, levando os visitantes por uma viagem até alguns exemplares arquitetónicos do concelho de Esposende, construídos entre os anos 40 e 70 do século XX, da autoria de engenheiros e arquitetos de renome nacional e internacional. É possível efetuar uma vista orientada ao “Roteiro Modernista” mediante marcação prévia através do e-mail casa.marinhas@cm-esposende.pt ou dos telefones 253 960 179 / 253 960 100.

Interesse crescente

O prestígio da Casa das Marinhas e do Roteiro Modernista, criado pelo Município de Esposende está a atrair novos públicos. Se, entre março e setembro deste ano, foram cerca de 400 os visitantes que se deslocaram à casa de Viana de Lima, durante o mês de outubro, a “Casa das Marinhas” registou a visita de 140 pessoas.

Entre os visitantes, destacam-se cerca de 60 alunos de duas escolas de arquitetura, da Suíça e da Noruega: a EidgenössischeTechnischeHochschule (ETH) Zürich - Swiss Federal InstituteofTechnologyZurich; e a Oslo SchoolofArchitectureand Design.

A “Casa das Marinhas” encontra-se a preparar a adesão ao site internacional ICONIC HOUSE, onde estão referenciados os maiores ícones da arquitetura mundial.

escola correia de oliveira

ESPOSENDE DESTACA BRINQUEDOS EM MADEIRA

Feira de Artesanato de novembro destaca brinquedos de madeira

Os brinquedos de madeira vão estar em destaque na edição de novembro da Feira de Artesanato de Esposende. O certame decorrerá no dia 19, no Largo Rodrigues Sampaio, entre as 10h00 e as 19h00, com acesso livre.

IMG_20171015_163728

Nesta edição, o enfoque incidirá sobre os trabalhos do artesão Álvaro Neves, natural da Maia mas residente em Vila do Conde. Neto e filho de carpinteiros, Álvaro Neves é um profissional com conhecimentos especializados em madeiras e uma forte paixão pela produção de artefactos através de processos manuais e com o auxílio de ferramentas e pequenas máquinas.

O gosto por esta arte nasceu quando era ainda criança, em que fazia os seus próprios brinquedos. Com o nascimento do filho reavivou a paixão pelos brinquedos de madeira e o desejo de criar peças que fazem a delícia de crianças e adultos.

Para além de artigos de caráter funcional de marcenaria e carpintaria, Álvaro Neves produz brinquedos de caráter decorativo ou lúdico, como carros, motas, bicicletas, a partir de todo o tipo de madeiras, das mais nobres às de uso corrente, sempre com particular atenção à componente educacional de cada peça.

Promovida pelo Município de Esposende, a Feira de Artesanato realiza-se no terceiro domingo de cada mês, com a participação de um conjunto alargado de artesãos e uma grande variedade de artigos. 

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ALERTA PARA A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

Campanha “Novembro Branco”

No âmbito do Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres, que se assinala a 25 de novembro, a Câmara Municipal de Esposende leva a efeito a campanha “Novembro Branco”.

novembro branco

Com o objetivo de sensibilizar a comunidade em geral para a importância da luta contra este flagelo social, o Município, através do seu espaço de atendimento a vítimas de violência doméstica “Espaço Bem me Querem”, vai dinamizar, ao longo deste mês, ações de sensibilização, informação e reflexão sobre esta temática.

Entre as iniciativas a desenvolver conta-se a oferta de laços brancos à população por via da colocação de pontos de entrega em vários dos edifícios municipais, bem assim como o envio de informação sobre o projeto Bem me Querem.

A distribuição de laços brancos chegará também à comunidade escolar do concelho, juntamente com a leitura da história da campanha. Nos estabelecimentos de ensino envolvidos, Escola Profissional de Esposende, Escola Secundária Henrique Medina, e Escolas Básicas de Apúlia, de Forjães, António Rodrigues Sampaio e António Correia de Oliveira, as ações decorrerão no dia 24 de novembro. Estarão também aí patentes prismas informativos sobre o tema, contendo também um conjunto de links úteis.

Através da promoção desta campanha, o Município de Esposende dá continuidade ao seu plano de ação no combate a este flagelo social indo de encontro às diretrizes do V Plano Nacional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género (2014-2017), que preconiza “uma cultura de igualdade e não-violência, assumindo o objetivo de tornar Portugal um país livre de violência de género, incluindo a violência doméstica, onde mulheres e homens, independentemente da sua origem étnica, idade, condição socioeconómica, deficiência, religião, orientação sexual ou identidade de género possam aspirar, em igualdade, a viver numa sociedade livre de violência e de discriminação”.

ESPOSENDE APOIA BANDA DE ANTAS

Benjamim Pereira garante apoio à Banda de Música de Antas

A Câmara Municipal de Esposende vai apoiar a Banda de Música de Antas - Associação Banda dos Bombeiros Voluntários de Esposende na requalificação da sua Casa da Música e na aquisição de novos instrumentos. O compromisso foi assumido pelo Presidente Benjamim Pereira no jantar de encerramento da época musical, comemorativo do 146.º aniversário da instituição, que ontem teve lugar e que contou com mais de três centenas de participantes, indo de encontro à promessa, na cerimónia de tomada de posse para este novo mandato autárquico, de manter o apoio ao associativismo.

_DSC0023

Benjamim Pereira sustentou mais este apoio do Município com o excelente trabalho que tem vindo o ser desenvolvido pela Banda, nomeadamente no plano da formação musical, e cujo desempenho tem vindo a ser reconhecido também fora dos limites do concelho, designadamente em concursos de bandas filarmónicas. Assinalou que, para além do seu papel cultural, merece reconhecimento pelos valores que cultiva no seio da instituição.

“Estou totalmente disponível para colaborar com esta grande instituição”, afirmou o Autarca, assinalando que a Banda de Antas conta com 146 anos de história e que é um digno embaixador do Município. “É um projeto musical de grande qualidade”, afirmou Benjamim Pereira, elogiando também o talento do “maestro de excelência” Diogo Costa.

_DSC0005

O Presidente da Câmara Municipal felicitou a Banda de Antas pela passagem de mais um aniversário e expressou uma palavra de reconhecimento às sucessivas direções pela sua disponibilidade e trabalho em prol do associativismo.

Atendendo a que iniciou recentemente o segundo mandato autárquico, Benjamim Pereira referiu que o Município tem em curso um conjunto alargado de obras em todo o concelho e garantiu que o plano de investimento nas freguesias é para continuar, obedecendo a “critérios de equidade” e “total transparência”. À população de Antas deixou a promessa de continuar a apoiar a Junta de Freguesia no desenvolvimento do seu trabalho e aproveitou a oportunidade para expressar uma palavra de apreço ao Presidente da Junta cessante, António Viana, e para saudar o novo autarca José Viana, a quem garantiu total colaboração.

“Tudo faremos para que continuem a ter orgulho na banda”, afirmou o Presidente da Direção, Jorge Neiva, dando nota da rigorosa gestão financeira que tem permitido manter a atividade da associação e o nível de excelência da Banda, referindo o contributo do Município, nomeadamente o subsídio anual e os apoios financeiros que pontualmente têm vindo a ser concedidos. Aproveitando a presença do Presidente da Câmara Municipal lembrou a necessidade de aquisição de novos instrumentos e de obras de requalificação do edifício da Casa da Música, apelando, deste modo, à ajuda do Município.

Em representação da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Esposende, o Vice-Presidente João Felgueiras salientou a qualidade musical da Banda da Antas e referiu também que “é de realçar e louvar o vosso intenso trabalho na formação musical, principalmente junto dos mais jovens”, considerando que é “uma aposta ganha e o garante do futuro”. Aludindo aos 146 anos de existência da coletividade, referiu que a Banda soube renovar-se e adaptar-se aos novos tempos, dando “uma excelente imagem do concelho e da freguesia de Antas”. Concluiu expressando, em nome da direção dos Bombeiros Voluntários de Esposende, total disponibilidade e colaboração para com a Banda.

_DSC0024

ESPOSENDE RECEBE SECRETÁRIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

14.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas

No encerramento do 14.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, a Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernanda Rollo, defendeu que “cada biblioteca deve ser uma porta para a Ciência Aberta, basta que as bibliotecas se inscrevam”.

sec estado ensino superior 1

“As bibliotecas são esse espaço, esse cosmos onde tudo pode acontecer, importantes na ligação do estudo à comunidade. Com o programa Ciência Aberta, as bibliotecas vão ter de mudar na sua postura física, criando espaços mais amplos para facultar a partilha, nomeadamente de repositórios digitais”, alertou a Secretária de Estado.

“Todos temos de fazer mais pela promoção da literacia, pela literacia digital e o Plano Nacional de Leitura está projetado para essa necessidade”, apontou Fernanda Rollo que manifestou disponibilidade para ajudar as bibliotecas, nomeadamente com disponibilização de ferramentas para acesso às novas tecnologias.

A governante anunciou o programa que pretende aproximar ciência e cultura -C2 Diálogos Cruzados- que visa aliar estas duas áreas, assim como o projeto Volta ao Conhecimento que desperta o interesse pela aquisição de conhecimentos e associa o conhecimento ao território.

No balanço a este encontro de bibliotecários que ocorreu vinte e cinco anos após a realização, também em Esposende, do 1.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, a vereadora da Educação e Cultura do Município de Esposende, Angélica Cruz, lembrou que o encontro abriu “múltiplas oportunidades, graças à participação de conferencistas de elevada qualidade que ajudaram a refletir sobre as exigências e os novos desafios colocados às bibliotecas públicas na contemporaneidade, permitindo também conhecer projetos de grande valor.

Queremos melhorar o serviço prestado pelas bibliotecas para contribuir na formação de verdadeiras comunidades de leitura e outras, para que possamos dar resposta à sociedade da comunicação. Depositamos grande esperança nos projetos perspetivados no âmbito das CIM”, disse Angélica Cruz.

Isabel Costa, presidente da Delegação Regional Norte da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, destacou a importância dos debates realizados pelos grupos de estudo, alertando para as preocupações bem diferentes daquelas verificadas há 25 anos.

Já o diretor-geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Silvestre Lacerda, vincou a colaboração das três entidades responsáveis pelo evento, destacando o trabalho de técnicos do município, assim como do ex-vereador, Maranhão Peixoto.

“O alargamento da rede é um sonho, incluindo todas as estruturas, mas para isso é necessário evoluir na qualidade de serviços e olhar o cidadão no centro da sua ação”, destacou Silvestre Lacerda.

Este encontro debateu assuntos diversos do universo do livro e da leitura, nomeadamente os novos paradigmas das tecnologias da comunicação, passando pela formação e literacias, as redes e cooperação e a gestão de espaços, públicos e coleções.

sec estado ensino superior

ESPOSENDE RECEBE MINISTRO DA CULTURA

 14.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas

Vinte e cinco anos após a realização em Esposende do 1.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, o Município acolhe hoje e amanhã o 14.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, subordinado à temática “Num mar de oportunidades: bibliotecas em redes”, evento que contou na sessão de abertura com a presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes.

BH6A2330

Na qualidade de anfitrião, coube a Benjamim Pereira dar as boas vindas à centena e meia de participantes no encontro, organizado pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, em colaboração com a Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (BAD), e fazer uma breve apresentação do concelho e das suas potencialidades.

O Autarca manifestou a satisfação do Município em acolher este evento, que marca também a passagem dos trinta anos da criação do Programa da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, lembrando que a Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, de Esposende, inaugurada há precisamente 25 anos, foi das primeiras a integrar a Rede de Leitura Pública. Notou, a propósito, que, ao longo deste período, o Município apostou na implementação e consolidação de muitos projetos, mantendo o investimento na cultura e na biblioteca em particular, privilegiando a implementação e consolidação de hábitos de leitura, bem como a valorização da história local. Entre outros exemplos, Benjamim Pereira apontou o projeto Bibliotecas de Praia, em atividade desde 1996, a valorização da história e autores locais com edições e projetos especiais, onde se inclui o Prémio Literário Manuel de Boaventura e a compra da casa do escritor que será efetivada brevemente, para além de outros projetos de cultura, de estudos e edições, a que se somam os Prémios Viana de Lima.

BH6A2358

Nos projetos do Município, referiu Benjamim Pereira, está também a requalificação e ampliação da Biblioteca Municipal, obra que será brevemente lançada a concurso, uma vez que o equipamento é já exíguo para os fundos de que dispõe, a que acresce o facto de que irá receber uma grande e valiosa biblioteca particular, para além de que se impõe a sua requalificação para o século XXI.

O Presidente da Câmara Municipal manifestou uma palavra de apreço e empenho pela cultura, notando que Esposende, para além dos seus autores locais, foi terra de abrigo para muitos e relevantes nomes da cultura portuguesa. Concluiu a sua intervenção manifestando votos de trabalho profícuo e expressou a expetativa de que deste encontro saiam importantes diretivas e orientações para o presente e para o futuro das bibliotecas públicas nacionais.

O Ministro da Cultura sublinhou o papel das bibliotecas públicas, considerando que “desempenham um papel de ativismo cultural”, e destacou também o seu contributo para a “literacia digital”.

BH6A2403

Reconhecendo que ainda subsistem municípios sem serviços bibliotecários ou a funcionar deficitariamente, Castro Mendes referiu que a Administração Central almeja um “maior rigor e um permanente empenhamento no apoio a todas as bibliotecas”, de modo a reafirmar o seu papel junto das populações.

O Ministro anunciou que, no sentido de incentivar a cooperação e o trabalho em rede e numa perspetiva de gestão integrada dos recursos regionais, o Governo vai avançar com a constituição de Redes Intermunicipais de Bibliotecas Públicas, através de acordos de cooperação com as Comunidades Intermunicipais, que poderão abranger também outras instituições que promovam o livro e a leitura, desde bibliotecas escolares a comunidades científicas, arquivos ou museus.

Reconhecendo que “o potencial das bibliotecas públicas é enorme” e que deve ser motivado e valorizado, Castro Mendes defendeu que “importa promover e valorizar um leque de serviços cada vez mais alargado, não receando ir para além dos modelos tradicionais”.

Socorrendo-se do tema do encontro, “Num mar de oportunidades: bibliotecas em redes”, deixou uma palavra de estímulo a todos quantos mantêm vivo este “projeto de referência nacional”, dizendo que “as redes constroem-se todos os dias e de forma plural, o vosso papel nesta construção é essencial”. Assinalando que “o futuro constrói-se com passado”, o Ministro da Cultura exortou, assim, os diferentes agentes das bibliotecas públicas a “sonhar com realismo, não fechando as portas ao sonho”

Em representação da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, a Presidente da Delegação Regional Norte, Isabel Costa, que foi uma das participantes no 1.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, falou sobre o percurso trilhado por estas bibliotecas ao longo de 25 anos, concluindo que, não obstante as dificuldades que ainda subsistem, se perspetiva um mar de oportunidades e que existe a possibilidade de abraçar novas oportunidades e novos desafios. “As bibliotecas públicas municipais são a sala de estar da comunidade”, afirmou, desafiando os municípios e o governo central a retomar o investimento nestes equipamentos.

O Diretor-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Silvestre Lacerda, regozijou-se com a realização deste encontro, que considerou um “regresso ao passado com os olhos postos no futuro”, proporcionando a reflexão sobre o panorama atual das bibliotecas públicas, quer no que se refere ao contexto nacional quer internacional, bem como sobre os desafios futuros.

Após a sessão de abertura decorreu a entrega do Prémio de Boas Práticas em Bibliotecas Públicas 2016 à Biblioteca Municipal de Ílhavo, pelo projeto "Ao som das histórias". Foram igualmente atribuídas menções honrosas à Biblioteca Municipal Sever do Vouga, pelo projeto “Pais do Avesso”, e à Biblioteca Municipal Urbano Tavares Rodrigues, de Moura, pelo projeto “Padrinhos de Leitura”.

BH6A2611

BIBLIOTECAS ESCOLARES DE ESPOSENDE ESTÃO EM REDE

14.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas decorre em Esposende. 27 e 28 de outubro

Esposende vai acolher amanhã e sábado, dias 27 e 28 de outubro, o 14.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas. O Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, vai presidir à sessão de abertura e a Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernanda Rollo, encerrará o evento, a decorrer no Auditório Municipal de Esposende.

REDES_BIBLIOTECAS

O evento é organizado pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, em colaboração com a Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (BAD), e conta com o apoio do Município de Esposende.

Esta edição assinala a passagem dos 30 anos da criação do Programa da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas e os 25 anos da realização do 1.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas em Esposende. Sob o lema “Num mar de oportunidades: bibliotecas em redes” pretende-se refletir sobre o panorama atual das bibliotecas públicas, sobre os sucessos alcançados e dificuldades enfrentadas, mas também abordar os desafios futuros, as conquistas obtidas ao longo de três décadas e o que ainda falta concretizar. Numa conjuntura em que a criação de redes surge como uma oportunidade de desenvolvimento e de gestão eficaz dos recursos cada vez mais escassos, as bibliotecas encontram-se num momento crucial para estabelecer pontes a nível local e regional.

Agendada para as 10h30, a sessão de abertura desde 14.º Encontro contará com a presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, e do Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, entre várias outras individualidades. Segue-se a entrega do Prémio de Boas Práticas em Bibliotecas Públicas, na sua 3ª edição e que foi atribuído à Biblioteca Municipal de Ílhavo pelo projeto "Ao som das histórias".

Por forma a dar continuidade ao desenvolvimento do Programa da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, este 14.º Encontro aposta num modelo inovador e participativo, onde diversos temas e experiências se cruzam para apontar caminhos e definir estratégias no contexto europeu, aproveitando as dinâmicas que o digital trouxe para o campo da ciência e da cultura, refletindo sobre os permanentes desafios tecnológicos, as rápidas mutações sociais e a alteração dos hábitos de acesso à informação. Através da apresentação de conferências de enquadramento e da realização de grupos de reflexão, os participantes no Encontro serão envolvidos na reflexão em torno de temas fundamentais para as bibliotecas públicas de hoje.

Assim, uma das convidadas é Ilona Kish, que proferirá a comunicação “A library renaissance for the 21st century in Europe”. Llona Kish é responsável pelo Programa de Bibliotecas Públicas 2020, da Comunidade Europeia, que reúne 65 mil bibliotecas públicas em toda a União Europeia e é administrado pela Fundação de Leitura e Escrita. É responsável pela equipa de Bruxelas, integra o grupo consultivo e outras relações estratégicas dentro do Programa. Ilona Kish foi Secretária Geral da Culture Action Europe, uma associação que promove as associações artísticas e culturais em toda a Europa.

Já no período da tarde, na Escola Básica António Correia de Oliveira, os grupos de reflexão irão debruçar-se, em sessões paralelas, sobre temáticas como Serviços e Inovação, Formação e literacias, Redes e cooperação, Regulação e profissão, Tecnologias e comunicação, Espaços, públicos e coleções, Advocacy e valor social, e Direitos de Autor e Reutilização da Informação Pública.

No segundo dia do Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, no período da manhã, terá lugar a apresentação das conclusões dos grupos de reflexão e, de tarde, vai falar-se sobre O mundo dos papéis e o mundo das coisas: Ciência Aberta, conhecimento para todos.

A Sessão de Encerramento está agendada para as 15h00, com a presença da Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernanda Rollo.