Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ARCUENSES DELICIAM-SE COM DOÇARIA DE NATAL

Natal no Mercado: Epralima realizou Show Cooking “Delícias de Natal”

Enquadrado na programação de Natal que a Câmara Municipal e a ACIAB se encontram a realizar até ao próximo dia 8 de Janeiro, a Epralima, com o apoio da Câmara Municipal, realizou no Mercado Municipal uma ação de degustação de doces desta época natalícia.

showcooking_delicias_natal10

Turmas de Técnico de Cozinha/Pastelaria e Técnico de Restaurante/Bar realizaram demonstrações de receitas de rabanadas preparadas com pão de sementes, mel e frutos secos, bolo de especiarias e chocolate quente!  

Esta iniciativa contou com bastante adesão por parte das pessoas, que se deliciaram com os doces apresentados e mataram as saudades destas sobremesas consumidas essencialmente durante o Natal.

Capturararc

showcooking_delicias_natal

showcooking_delicias_natal2

showcooking_delicias_natal4

PONTE DE LIMA CONVIDA A PROVAR O BACALHAU

VII Festival do Bacalhau e Doçaria (mel e sidra). Abertura, dia 8 de dezembro.  Pavilhão de Feiras e Exposições – Ponte de Lima

O VII Festival do Bacalhau e Doçaria (mel e sidra), abre amanhã, 8 de dezembro no Pavilhão de Feiras e Exposições da Expolima, em Ponte de Lima.

Capturarb1

Considerada como uma das iguarias mais apreciadas e procuradas da gastronomia limiana, o Município de Ponte de Lima organiza mais uma edição do certame dedicado ao bacalhau, por forma e dinamizar e impulsionar um dos elementos chave da cozinha tradicional da região. Seja na forma de petisco ou numa elaborada refeição, o bacalhau é rei e senhor nas mesas de todos os limianos.

Presença obrigatória nas famosas tasquinhas d’outrora da feira quinzenal é ainda hoje um dos produtos mais procurados e mais comercializados da ‘Feira de Ponte’, por todos aqueles que a ela se dirigem para feirar.

Chegada a época natalícia, o VII Festival do Bacalhau e Doçaria (mel e sidra), ganha maior destaque pela elevada procura por parte do público e, como consequência, pela cada vez maior oferta por parte dos comerciantes. Quem visitar o festival pode ainda encontrar mel, sidra, licores, chocolates, bolos e outras especialidades tipicamente limianas e que bem representam a riqueza da gastronomia da região.

O VII Festival do Bacalhau e Doçaria (mel e sidra) dá as boas vindas a dezembro e antecipa o Natal, com muita animação e sabor desde showcookings, provas de degustação, música popular e fados de Coimbra. Destaque para a apresentação, na sexta-feira, dia 08, da peça de artesanato “Vaquinha Minhota” e do lançamento do conto infantil “Rosália, a Princesa do Lima”, da autoria da artesã limiana, Nélia Saraiva. No dia 09, sábado, destaque para a primeira edição do ‘Concurso do Bolo Rei de Ponte de Lima’ e para o desfile “Há Moda em Ponte de Lima”, pela Associação Empresarial de Ponte de Lima. No dia 10, domingo e último dia do festival, o destaque vai para as provas de degustação, nomeadamente de Sidra, produto em franco crescimento em Ponte de Lima.

O Festival do Bacalhau e Doçaria (Mel e Sidra) realiza-se de 08 a 10 de dezembro, no Pavilhão de Feiras e Exposições da Expolima, em Ponte de Lima, e é um evento a não perder, destinado a toda a família.

A 7ª edição do Festival do Bacalhau abre ao público esta sexta-feira, às 15 horas, antecedendo a inauguração oficial, agendada para as 18 horas.

Capturarb2

Capturarb3

Capturarb4

MAGIA DE NATAL CHEGA A ARCOS DE VALDEVEZ

Magia de Natal: 6 de Dezembro a 8 de Janeiro em Arcos de Valdevez

A vila de Arcos de Valdevez já está engalanada para viver em pleno o espírito do Natal. Encontra-se vestida a rigor com as múltiplas decorações alusivas à época e a iluminação natalícia, compondo-se o quadro com a música nas ruas. Aspetos que já fazem as delícias dos transeuntes, estando também prevista animação nas principais artérias para os próximos dias. O comércio local também adere em força ao espirito natalício, enfeitando as suas montras, que surgem mais bonitas e iluminadas. Na Praça Municipal já se encontra a habitual exposição das árvores feitas pelas IPSS´S e associações concelhias.

Natal 2017 A3

No próximo fim de semana, de 8 a 10 de dezembro, terá lugar a Feira dos Doces e do Chocolate, onde mais uma vez se poderá provar a excelente doçaria arcuense como o bolo de discos, os charutos de ovos ou os rebuçados dos Arcos.

De 18 a 23 de dezembro o centro histórico ganhará nova vida com a diversa animação de rua e atuação de grupos corais e musicais.

Nesta altura, os mais pequenos também podem divertir-se no Campo de Férias de Natal da Porta do Mezio, de 18 a 29 de dezembro, com as Aventuras de Natal no Paço de Giela, nos dias 18, 21, 26 e 28 dezembro e com sessões de cinema infantil na Casa das Artes no dia 17.

Em Arcos de Valdevez também decorrerá a emissão do Programa: “Somos Portugal” – TVI e as comemorações da Passagem de Ano a 31 de dezembro, no Campo do Trasladário. Esta magia termina com o Grande Concerto de Ano Novo pela Banda da Sociedade Musical de Arcos de Valdevez a 6 de janeiro, no Auditório da Casa das Artes.

Situado a menos de uma hora do Porto e Vigo e meia hora de Braga, o concelho convida os arcuenses e visitantes a viverem uma época natalícia inesquecível, com as múltiplas e sugestivas propostas de animação que farão as delícias de todos, tanto adultos como os mais pequenos.

A Campanha – Magia de Natal 2017 é organizada pela Câmara Municipal e a ACIAB – Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca, com o objetivo de promover o que se faz em Arcos de Valdevez, pensar na dinamização do comércio local e turismo, bem como na população, tanto a mais jovem como a mais adulta.

chocolate_cartaz

chocolate_cartaz

VALENÇA É FORTALEZA DE CHOCOLATE

Valença Mais Doce de 6 a 10: Cascatas, Trufas, Bombons, Licores...

Quem gosta de chocolate tem um destino Valença, a Fortaleza de Chocolate, entre quarta-feira e domingo. Nos próximos dias venha comer chocolate e beneficiar das vantagens deste doce alimento fantástico para o corpo e a alma.

unnamed

Chocolate, um Mundo de Sensações

Cascatas, bombons e bombocas, trufas, torrões, espetadas de fruta, ginjas e licores e tantos outros produtos em que o chocolate é rei, são o convite que Valença apresenta para os próximos dias.

Durante cinco dias Valença apresenta um mundo de tentações que vai deliciar os milhares de visitantes esperados nesta iniciativa integrada na Valença Natal.

A feira contará com a presença de doceiros, pasteleiros, produtores de chocolate e chocolatiers portugueses e espanhóis.

6 a 10 de dezembro

Entre 6 e 10 de dezembro, entre as 10h e as 20h, a feira estará aberta ao público e com acesso gratuito.

A Fortaleza de Chocolate vai-se desenvolver na Fortaleza de Valença, em especial na Praça da República, no Largo do Bom Jesus e no Jardim das Amoreiras.

Valença Natal

Duendelândia, Pista de Gelo, Cidade Presépio, Mercado de Natal, Comboio de Natal, Concertos de Natal, Recriação Histórica da Natividade, iluminação artística e Cavalgata Internacional de Reis completam a programação da Valença Natal 2017.

PONTE DE LIMA REALIZA FESTIVAL DO BACALHAU E DA DOÇARIA

VII Festival do Bacalhau e Doçaria (mel e sidra) de 08 a 10 de dezembro no Pavilhão de Feiras e Exposições – Ponte de Lima

Realiza-se no próximo fim-de-semana, de 8 a 10 de dezembro, o VII Festival do Bacalhau e Doçaria (mel e sidra), no Pavilhão de Feiras e Exposições da Expolima, em Ponte de Lima. Sendo uma das iguarias mais apreciadas e procuradas da gastronomia limiana, o Município de Ponte de Lima organiza mais uma edição do certame dedicado ao bacalhau, por forma e dinamizar e impulsionar um dos elementos chave da cozinha tradicional da região. Seja na forma de petisco ou numa elaborada refeição, o bacalhau é rei e senhor nas mesas de todos os limianos.

Cartaz_Bolo_Rei

Presença obrigatória nas famosas tasquinhas d’outrora da feira quinzenal é ainda hoje um dos produtos mais procurados e mais comercializados da ‘Feira de Ponte’, por todos aqueles que a ela se dirigem para feirar.

Chegada a época natalícia, o VII Festival do Bacalhau e Doçaria (mel e sidra), ganha maior destaque pela elevada procura por parte do público e, como consequência, pela cada vez maior oferta por parte dos comerciantes. Quem visitar o festival pode ainda encontrar mel, sidra, licores, chocolates, bolos e outras especialidades tipicamente limianas e que bem representam a riqueza da gastronomia da região.

O VII Festival do Bacalhau e Doçaria (mel e sidra) dá as boas vindas a dezembro e antecipa o Natal, com muita animação e sabor desde showcookings, provas de degustação, música popular e fados de Coimbra. Destaque para a apresentação, na sexta-feira, dia 08, da peça de artesanato “Vaquinha Minhota” e do lançamento do conto infantil “Rosália, a Princesa do Lima”, da autoria da artesã limiana, Nélia Saraiva. No dia 09, sábado, destaque para a primeira edição do ‘Concurso do Bolo Rei de Ponte de Lima’ e para o desfile “Há Moda em Ponte de Lima”, pela Associação Empresarial de Ponte de Lima. No dia 10, domingo e último dia do festival, o destaque vai para as provas de degustação, nomeadamente de Sidra, produto em franco crescimento em Ponte de Lima.

O Festival do Bacalhau e Doçaria (Mel e Sidra) realiza-se de 08 a 10 de dezembro, no Pavilhão de Feiras e Exposições da Expolima, em Ponte de Lima, e é um evento a não perder, destinado a toda a família.

Print

‘ROTA DA RABANADA’ APRESENTA CERCA DE 50 RABANADAS DIFERENTES EM CAMINHA

De 1 a 31 de dezembro, o Município vai promover a ‘Rota da Rabanada’

Depois do sucesso do ano passado, a ‘Rota da Rabanada’ é uma das atividades da Agenda Natal 2017 que o Município de Caminha tem para oferecer a quem visitar o concelho. Este ano com mais aderentes e mais especialidades. De 1 a 31 de dezembro, a rabanada vai ser a sobremesa em destaque em cerca de meia centena de cafés, pastelarias, mercearias e restaurantes aderentes do concelho. O objetivo é promover a gastronomia e dinamizar o comércio e a economia local.

RABANADA - BOM GOURMET - CURITIBA, 16/12/2013 - FOTO: DANIEL DER

No concelho de Caminha, a rabanada é um doce com história e tradição à mesa na consoada de todos os caminhenses. Recorda-se que o ano passado, a ‘Rota da Rabanada’ foi um sucesso, foi uma aposta ganha. Neste sentido e à semelhança do ano passado, o Município lançou o repto aos cafés, pastelarias, mercearias e restaurantes do concelho. O desafio conta com mais estabelecimentos aderentes, foi aceite por meia centena de cafés, pastelarias e restaurantes do concelho. Mas as novidades não ficam por aqui. Nesta edição os ‘amantes’ da rabanada vão poder votar na sua rabanada favorita.

Assim, em dezembro, no concelho de Caminha, desde Vila Praia de Âncora a Lanhelas, passando por Âncora, Moledo, Gondar, Vilarelho, Seixas, Vilar de Mouros e Caminha há cerca de 50 rabanadas diferentes para degustar nos cafés, pastelarias, mercearias e restaurantes aderentes do concelho, isto é, cada um dos estabelecimentos aderentes terá à venda diariamente a sua especialidade. Os preços variam entre os 0,50€ e os 5€.  Para incentivar o consumo da rabanada, o Município de Caminha elaborou o chamado “Passaporte Rota da Rabanada” com os diversos estabelecimentos aderentes, e a cada 10 carimbos, dará direito a uma oferta do Município de Caminha, a levantar nos Postos de Turismo do concelho. Este ano, o portador do “Passaporte da Rabanada” quando for levantar o seu presente, poderá votar na sua rabanada favorita. Os resultados serão dados a conhecer no início de 2018.

A ‘Rota da Rabanada’ é um dos eventos da Agenda Natal 2017 que vão decorrer no concelho de Caminha durante a quadra natalícia.

BARCELOS PROMOVE DOÇARIA TRADICIONAL

Barcelos Doce promove pastelaria tradicional de Natal. Iniciativa decorre no Posto de Turismo

A Câmara Municipal de Barcelos promove, nos dias 2 e 3 de dezembro, o concurso Barcelos Doce. Durante estes dias, no Posto de Turismo, dez pastelarias e padarias do concelho, que participam neste concurso, mostram a doçaria típica da época de Natal, como o bolo-rei, o pão de ló e o tronco de Natal, confecionados de acordo com as tradições gastronómicas da região.

Capturardoce

Quem visitar a cidade nesta altura e se deslocar ao Posto de Turismo, pode saborear estes doces e provar os vinhos verdes produzidos no concelho.

Esta iniciativa insere-se no programa dedicado aos prazeres da gastronomia, promovido pelo Pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Barcelos e que, de fevereiro a dezembro, evidencia vários pratos típicos, desde a lampreia ao bacalhau, passando pelo galo assado, arroz “pica no chão” e petiscos, terminando, com chave de ouro, com a doçaria tradicional de Natal.

Com esta iniciativa, pretende-se divulgar e promover os sabores dos doces de Natal, confecionados pelas pastelarias, padarias e confeitarias do concelho de Barcelos.

Esta iniciativa conta com a participação da: Pastelaria Chá e Nata (Rio Côvo Santa Eugénia), Pastelaria Doce da Consolação (Vila Seca), Pastelaria Doce da Bá (Viatodos), Padaria Flor de Durrães (Durrães), Pastelaria Lina (Manhente), Pastelaria Mercado do Pão (Barcelos), Pastelaria Minnelli (Barcelos), Padaria Pacheco (Viatodos), Pastelaria Rosa Cintilante (Gilmonde) e Padaria e Pastelaria S. Bento (Várzea).

Capturardocbarc

VILA VERDE É UM DOCE

Vila Verde conquistou visitantes pelo estômago com a VII Mostra Doces e Sabores da Nossa Terra

Os mestres pasteleiros vilaverdenses foram desafiados a apresentar ou reinventar as suas especialidades de pastelaria e não viraram as costas ao desafio. O resultado foi um autêntico festim para o palato.

1

A VII Mostra de Doces e Sabores da Nossa Terra, que decorreu durante o passado fim de semana (24 a 26 de novembro), voltou a colocar os ingredientes locais em lugar de destaque. Produtos cultivados pelos agricultores vilaverdenses (amêndoa, chila, maçã, limão e frutos vermelhos, entre outros) que ajudaram a enriquecer as excelentes propostas com que os espaços aderentes brindaram os visitantes. No domingo, 26 de novembro, todas as especialidades foram vendidas com um desconto de 15%.

A (1)

Vila Verde conquistou definitivamente os visitantes pelo estômago, já que a iniciativa se inseriu no programa do Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, Capital do Pica no Chão’. O Pica no Chão e o Pudim abade de Priscos voltaram a assumir-se como as estrelas maiores da vasta constelação de propostas preparadas pelos chefs vilaverdenses, num fim de semana em que os visitantes beneficiaram de condições especiais e descontos no alojamento.

A (3)

Um fim de semana repleto de atividade

O programa foi ainda enriquecido por um leque diversificado de iniciativas como o Trilho da Nóbrega, a Caminhada Ambiental ‘Zona Ribeirinha entre o Cávado e o Homem’ e a palestra sobre a biodiversidade. O Museu do Linho, O Museu de Arte Sacra das Terras de Regalados, o Museu do Brinquedo e da Brincadeira e o Espaço Namorar Portugal estiveram de portas abertas para receber os visitantes, que aproveitaram também para conhecer as encantadoras paisagens naturais e a riqueza do património edificado do concelho.

A (4)

Balanço extremamente positivo

Com a Rota das Colheitas na reta final, recorde-se o testemunho recente, em jeito de balanço, do presidente do Município de Vila Verde, António Vilela. “Ao longo de quatro meses, tivemos mais de 30 iniciativas espalhadas um pouco por todo o território, que permitiram promover as nossas tradições e as potencialidades do mundo rural, muitas das quais com uma afluência popular incrível. O balanço é extremamente positivo. Tivemos um enorme retorno do investimento realizado pela grande dinâmica que imprimiu na economia local, atraindo a Vila Verde pessoas de vários pontos do país”, afirmou o edil.

A VII Mostra Doces e Sabores da Nossa Terra integrou a programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que, de agosto a novembro, se desdobrou em 35 iniciativas de promoção do território e divulgação da genuína tradição minhota.

A (5)

ROTA DAS COLHEITAS PROMOVE DOCES E GULOSEIMAS

Aproveite os 2 bolos pelo preço de 1 das ‘Tardes Gulosas 2017’

Os amantes da doçaria têm motivos para sorrir. O mês de Novembro já chegou e traz consigo uma apologia à pastelaria da nossa região. A oitava edição da Rota das Pastelarias - ‘Tardes Gulosas’ decorre de 02 a 30 de novembro e, durante este período, o público beneficia de excelentes promoções de pastelaria e doçaria. Os mestres pasteleiros vilaverdenses não viraram as costas ao desafio e também vão presentear os visitantes com dois bolos pelo preço de um durante alguns dias do mês de novembro, brindando o público com as suas deliciosas especialidades.

Tardes Gulosas

Amanhã, 03 de novembro, a Freidoce tem uma das suas especialidades em promoção. Ao comprar um folhadinho de chila, por 0,80€, recebe outro de forma totalmente gratuita. A promoção começa às 08h00 e estende-se durante o resto do dia. Por sua vez, a Pastelaria do Alívio brinda os visitantes com dois Bolos Primos do Alaska pelo preço de um a partir das 14h00 do dia 15 de novembro.

O evento afigura-se como um autêntico festim para o palato e contribui de forma perentória para a afirmação das empresas do setor, através da divulgação e promoção do imenso talento dos mestres pasteleiros. A Rota das Pastelarias – Tardes Gulosas 2017 é organizada pela Associação Comercial de Braga e integra a programação da Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde. No total, participam na iniciativa 21 pastelarias de Amares, Braga, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro e Vila Verde.

PONTE DA BARCA FAZ CONCURSO DE MARMELADA

Festa das Vindimas: Concurso de Marmelada Caseira integra a programação desta iniciativa que decorre em Ponte da Barca de 22 a 24 de setembro

O Centro de Exposição e Venda de Produtos Regionais de Ponte da Barca vai acolher no dia 23 de setembro, a partir das 16h00, um Concurso de Marmelada Caseira, iniciativa que integra a Festa das Vindimas que vai animar o concelho barquense de 22 a 24 de setembro.

Capturarmarmelada

A participação no concurso está aberta à população em geral, pelo que os interessados deverão proceder à prévia inscrição através da ficha disponível no site da autarquia em www.cmpb.pt, ou na receção da Câmara Municipal, até ao dia 23 de setembro.

Os prémios, atribuídos aos três primeiros classificados, são: 1º – 75,00 €; 2º– 50.00€; 3º – 25.00€.

CASTRO LABOREIRO ‘VOLTA A TER FÁBRICA DE CHOCOLATE’

À descoberta dos costumes e do Património da vila melgacense

Sabia que Castro Laboreiro tinha uma fábrica de chocolate? E vai voltar a ter, pelo menos será essa a sensação dos presentes! ‘CHOCOLATE SEM FRONTEIRAS’ é o mote da ação que vai permitir recriar a antiga Fábrica de Chocolate da Vila de Castro Laboreiro, em Melgaço, do qual todos poderão fazer parte, durante os dias 26, 27 e 28 de maio. A proximidade com a natureza, as entidades envolvidas e os próprios residentes, convida os participantes a entenderem a cultura e as vivências de Castro Laboreiro noutros tempos.

chocolate sem fronteiras.png

Será um fim de semana diferente, em harmonia com a história, os usos e os costumes locais. A organização vai proporcionar experiências únicas, de contacto com a tradição e com o Património da vila Melgacensecomo sendo as visitas ao castelo de Castro Laboreiro, ao Núcleo Museológico de Castro Laboreiro e a recriação da história da Fábrica de Chocolate, conseguida com a ajuda do grupo de teatro Casca de Noz, da Associação Académica e Cultural de Ermesinde. Também o Centro de dia de Castro Laboreiro se associa ao evento, reavivando a tradição da Carpeada (ciclo da lã), lembrando que no final havia chocolate no lanche tradicional.

A abertura decorre no centro cívico de Castro Laboreiro com uma Welcome Drink, seguida da passagem de alguns excertos de filmes onde Castro Laboreiro desempenhou um papel central, o que permitirá relembrar pessoas, lugares e tradições de outros tempos. No final haverá chocolate quente. No sábado haverá um trilho ao Castelo de Castro Laboreiro, com oferta de pão com chocolate, especialmente produzido para aludir à temática do dia. Este trilho será animado pelo grupo de teatro Casca de Noz que irá surpreender com pequenas encenações e animações ao longo do percurso.

MT_Castro Laboreiro (1) (1).jpg

A tarde será nostálgica, onde o CHOCOLATE será mesmo SEM FRONTEIRAS…: Castro Laboreiro vai recuar no tempo e os participantes vão ser transportados para 1908, data a que é atribuída a fundação da Fábrica do Chocolate. A partir das 14h00, no Museu de Castro Laboreiro, vai ser possível conhecer mais da história da Fábrica de Chocolate e será levado a cabo um pequeno percurso pelas ruas da Vila e espaços com envolvência à história. O Jornal ‘A NEVE’ será igualmente lembrado e recriado, a fim de importar para o presente, este periódico da época, propriedade da Fábrica e onde eram anunciados os seus esmerados chocolates. De seguida, os utentes do Centro de Dia de Castro Laboreiro vão recriar a CARPEADA - transformação da lã depois de tosquiada e lavada até à obtenção do fio. Uma representação de usos e costumes das gentes de Castro Laboreiro de outrora. No final haverá um workshop de chocolate caseiro. A par das atividades é possível deliciar as iguarias da região, patentes numa Feira de produtos. A peça de teatro ‘Crise a quanto obrigas’ e uma Queimada galega, vinda do lado espanhol, fecham o dia.

No domingo haverá uma caminhada solidária, de livre participante e onde cada participante poderá contribuir, com o que pretender, a favor dos Bombeiros Voluntários de Melgaço. Esta caminhada será também ela temática, com a abertura à comunidade de Geocachers (caça ao tesouro por georreferenciação). Os geocachers participantes poderão fazer algumas caches ao longo do percurso.

MT_Castro Laboreiro (2) (1).jpg

Programa:

sexta dia 26 (Centro Cívico de Castro Laboreiro)

21h00 Welcome Drink

22h00 Noite de cinema com chocolate quente

sábado dia 27

10h30 Trilho ao Castelo de Castro Laboreiro, com tetro (encontro: Pastelaria Castrejinha)

14h00 Fábrica do Chocolate com animação teatral (Núcleo Museológico de Castro Laboreiro)

17h00 Carpeada tradicional (Centro de Dia de Castro Laboreiro)

18h30 Workshop de Chocolate artesanal (Centro Cívico de Castro Laboreiro)

20h00 Petiscos e feira de produtos regionais (Centro Cívico de Castro Laboreiro)

21h30 ‘Crise a quanto obrigas’ - Teatro (Centro cívico de Castro Laboreiro)

23h00 Queimada

domingo dia 28

11h00 Trilho solidário Geocaching (Museu)

MT_Castro Laboreiro (3) (1).jpg

Castro Laboreiro é uma das localidades mais emblemáticas do Parque Nacional Peneda-Gerês-PNPG. A freguesia está localizada no planalto com o mesmo nome, em plena serra da Peneda, numa extensa área dentro do PNPG, distando vinte e cinco quilómetros da sede do concelho.

A aldeia possui ainda um milenar e riquíssimo legado histórico, arqueológico e arquitetónico, designadamente os monumentos megalíticos, o Castelo de Castro Laboreiro - classificado como monumento nacional, as pontes e igrejas medievais, os fornos comunitários, os moinhos, a atividade agro-pastoril e as singulares brandas, inverneiras e lugares fixos, testemunhos, também aqui, da prática da transumância.

A saber…Castro Laboreiro, juntamente com Branda da Aveleira, são aldeias candidatas às 7 Maravilhas de Portugal® – Aldeias, as únicas no Norte de Portugal, na categoria de Aldeias Remotas.

O concurso pretende demonstrar que Portugal tem um património valioso e diferenciador, que inspira quem visita e as duas aldeias melgacenses têm. A partir de 3 de julho, durante 7 semanas, todos os domingos, a RTP vai transmitir uma Gala dedicada a cada uma das 7 categorias. Os portugueses poderão votar na sua aldeia favorita durante a semana que antecede a gala (de segunda a domingo), através de um telefonema para um número a designar. A primeira Gala tem lugar a 9 de julho. Cada categoria, aldeias monumento, aldeias de mar, aldeias ribeirinhas, aldeias rurais, aldeias remotas, aldeias autênticas e aldeias em áreas protegidas, estará a votação apenas uma semana, entre 3 de julho e 20 de agosto, apurando todos os domingos duas finalistas de cada categoria. A lista final das 14 finalistas fica assim fechada na última Gala, a 20 de agosto e seguem-se duas semanas de votação para as 14 finalistas. A Declaração Oficial das 7 Maravilhas de Portugal® – Aldeias tem lugar a 3 de setembro, altura em que serão reveladas as 7 vencedoras, as 7 aldeias mais votadas, uma por categoria.

Sobre a Fábrica de Chocolate…

«Domingos ‘Carabel’ fundou a Fábrica de Chocolate de Castro Laboreiro em 1908. A Família Carabel tinha vários ofícios: o fabrico de chocolates constituía a sua principal fonte de rendimento, mas, não contente com o que ganharia com isso, ainda tinha loja aberta, em Castro Laboreiro para venda de tamancos, miudezas e fazendas, e também arranjava tempo para tratar de caixões e funerais, além de publicar um jornal.

Ainda hoje ninguém sabe explicar o porquê de Domingos António Alves, ‘Carabel’ (alcunha pela qual era conhecido), ter criado uma fábrica de chocolates em Castro Laboreiro, terra onde o cacau não se produzia. A verdade é que a imprescindível matéria-prima subia à aldeia serrana de Castro Laboreiro, vinda do Brasil. Corria o ano de 1908, quando Domingos Carabel, se pôs a fazer tabletes de um saboroso chocolate, que ganhou fama em Melgaço, Monção e Valença, tendo chegado, mais tarde, aos olhos e ouvidos dos ingleses, que até mandaram pedir, por carta, amostras dos rótulos do dito produto, vá lá saber-se porquê.

As primitivas instalações da Fábrica que ocupavam parte do edifício em pedra do atual Núcleo Museológico de Castro Laboreiro, não tinham ao tempo energia elétrica, e o carvão, a que o pai Domingos Carabel sempre recorrera, onerava os custos. Abílio Carabel consegue então autorização dos Serviços Hidráulicos, onde chegou a trabalhar, para um barracão no rio Laboreiro, e aproveita a força motriz da água.

Após o falecimento do fundador, os dois irmãos, Abílio e Germano, deram-se bem no negócio dos chocolates. As encomendas de cacau eram feitas a importadores do Porto, os pedidos iam por carta, quem as escrevia era sempre Abílio Carabel. Forneciam os chocolates a casas comerciais da região, mas dedicavam-se também à venda direta pelas feiras e romarias. As tabletes iam metidas em papel especial, que nunca se soube onde o arranjavam, mas que conservava o chocolate com a mesma eficácia das pratas.

Foi por adorar o Chocolate Carabel que Aurora Rodrigues, uma bonita viúva de Melgaço com bens no Brasil, se enamorou de Germano Carabel. Foi em setembro de 1920, no fim da romaria da Senhora da Peneda. Aurora tinha ido lá com a mãe e, antes de regressar a Melgaço, quis comprar chocolates. Germano estava em fim de feira e só tinham sobrado duas tabletes. Aurora insistiu que precisava de mais. Germano e o irmão Abílio arrumavam a banca dos chocolates. Aurora fora lá cumprir promessa e não queria regressar a casa sem levar tabletes de chocolate para oferecer a amigos e caseiros. Até parecia mal não levar nada, pensava ela, mas só sobravam duas tabletes. Era pouco. ‘Quando é que fazemos mais chocolates?’, perguntara Germano ao irmão. ‘Para a semana...’, retorquiu Abílio. ‘Pois minha senhora: na próxima semana sou eu mesmo que lhas levo a sua casa, a Melgaço. Fique descansada.’ Aurora e Germano não paravam de se entreolhar nesse fim de feira. Em 25 de dezembro, dia de Natal, desse mesmo ano, casavam-se. Amaram-se até ao fim da vida.

Mais tarde, começara a publicar um jornal, ‘A Neve’. Utilizava-o até para anunciar os seus esmerados chocolates. A  publicidade era também deliciosa nos dizeres: ‘Quereis um bom casamento? – Tomai o chocolate da afamada fábrica “Caravelos” de Castro Laboreiro, que atrai a simpatia’. A alcunha era “Carabel”, mas vá-se lá hoje saber qual o porquê da designação de ‘Caravelos’ no dito anúncio. O jornal surge já quando a fábrica estava sob a gerência dos irmãos Abílio e Germano Carabel. Ambos eram redatores do jornal, tinham jeito para a escrita. Sobretudo, o Abílio Alves Carabel. O diretor era um tal Abílio Domingos, professor primário, que depois se radicou em Braga, onde morreu. Seriam os três que financiavam o jornal, mas que deixou de se publicar, quando Germano Carabel foi dirigir a filial em Melgaço da Fábrica de Chocolates Carabeis Sucessores, antes de ter viajado para o Brasil, com a mulher e filhos, onde permaneceu alguns anos para gerir os bens da esposa. Em 1945, a Fábrica desloca-se para os moinhos do Poço Verde, onde atualmente funciona um espaço de turismo rural, e mais tarde para Melgaço. Não há informações muito claras sobre a data de fecho da Fábrica mas acredita-se que tal tenha ocorrido há cerca de 70 anos.»

‘CHOCOLATE SEM FRONTEIRAS’ é uma organização conjunta de Sónia Nogueira, Gestora da Página de facebook Turismo Parque Nacional Peneda-Gerês: stakeholders, redes e relacionamento (www.facebook.com\turismopnpg) e Doutorada em Marketing de Turismo, de Filipe Esteves, da Divisão da Cultura do Município de Melgaço, e da turma do 3º ano de Atelier de Marketing  (Comunicação Aplicada), da Universidade Lusófona. Conta com o apoio do Município de Melgaço e da União de Freguesias de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro e acontece no âmbito das  comemorações do Dia Internacional dos Museus.

Todas as atividades são de participação livre e gratuita.

MUSEU DE CASTRO LABOREIRO.png

ROSCAS E PAPUDOS DELICIAM MUNICIPES E VISITANTES EM MONÇÃO

Segunda edição da Festa da Rosca e do Papudo, sem pingo de chuva a contrastar com o ano passado, realizou-se este domingo, durante todo o dia, na Praça Deu-la-Deu Martins, sala de visitas da localidade raiana que recebeu munícipes e visitantes em número significativo.

Roscas 01 (Large).JPG

Além da animação musical e demonstrações em forno a lenha, o certame englobou exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em anis, chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas que “puxaram” pelo paladar dos presentes.

Logo ali, uns apreciavam a qualidade do produto. Outros deixavam para mais tarde, levando no saquinho meia dúzia ou uma dúzia. Pelos comentários, as roscas e os papudos estavam no ponto certo. Algo que facilmente se comprovada pelo escoamento do produto. 

O certame, com organização conjunta da Junta de Freguesia de Cambeses, Grupo Popular “Os Teimosos” e Associação “Ardina”, teve apoio da Câmara Municipal de Monção e Associação de Artesãos de Monção - Post`Arte. O autarca monçanense, Augusto de Oliveira Domingues, deu as boas vindas aos presentes e sublinhou a aposta do município na defesa e valorização das tradições locais.

Além da animação musical, a cargo de agrupamentos tradicionais de Portugal e da Galiza, decorreram demonstrações, em forno a lenha, da confeção da rosca e do papudo. De acordo com a organização, a iniciativa pretende mostrar e potenciar as várias vertentes de uma das atividades mais genuínas do concelho no que respeita à confeção de doçaria tradicional.

Roscas 02 (Large).JPG

Roscas 03 (Large).JPG

Roscas 04 (Large).JPG

MONÇÃO REALIZA FESTA DA ROSCA E DO PAPUDO

Este domingo, 14 de maio, na Praça Deu-la-Deu Martins. Além da animação musical e demonstrações em forno a lenha, certame engloba exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas para agradar a todos os paladares. 

Roscas.JPG

Numa organização conjunta da Junta de Freguesia de Cambeses, Grupo Popular “Os Teimosos” e Associação “Ardina”, a segunda edição da Festa da Rosca e do Papudo realiza-se este domingo, durante todo o dia, na sala de visitas de Monção, Praça Deu-la-Deu Martins.

O certame, apoiado pela Câmara Municipal de Monção e Associação de Artesãos de Monção - Post`Arte, engloba exposição/venda daquela doçaria típica, encontrando-se disponíveis roscas e papudos tradicionais mas também em chocolate, cacau e canela. Versões mais contemporâneas para agradar a todos os paladares. 

Além da animação musical, a cargo de agrupamentos tradicionais de Portugal e da Galiza, estão previstas demonstrações, em forno a lenha, da confeção da rosca e do papudo. De acordo com a organização, a iniciativa pretende mostrar e potenciar as várias vertentes de uma das atividades mais genuínas do concelho no que respeita à confeção de doçaria tradicional.

A cerimónia de abertura realiza-se às 9h45, seguindo-se a entrada e atuação do Grupo de Bombos de Pias. Ao início da tarde, atua a Rusga “Cantares da Ribeira” e, ao final, os grupos populares “Ronco & Folk” e “Os Teimosos”. A meio da tarde, faz-se silêncio para se ouvirem os passos devotos de quem participa na procissão solene em honra a Nossa Senhora da Rosa.

A Festa da Rosca e do Papudo coincide com esta tradição muito acarinhada pela população local, permitindo que munícipes e visitantes possam participar nos atos religiosos e apreciar os tapetes floridos ao mesmo tempo que desfrutam do sabor caraterístico de uma rosca e papudo feito com o saber de quem valoriza a tradição.

Rosca 01.JPG

PRIMAVERAEMCERVEIRA.COME CHEGA ESTE FIM-DE-SEMANA

Vila Nova de Cerveira celebra a Primavera com um evento que convida todas as faixas etárias para um conjunto de experiências sensoriais. O PRIMAVERAEMCERVEIRA.COME sugere gastronomia, arte floral e artesanal e animação musical e dança.

PROVA CARTAZ PRIMAVERA (1).jpg

Cerca de 30 mercadores de áreas como doçaria, arte floral, decoração e artesanato vão expor e vender, durante dois dias, no centro histórico, os seus produtos, num ambiente de cor e alegria. 

O programa do PRIMAVERAEMCERVEIRA.COME é complementado com momentos de dança protagonizados pela ADEIXA e Citius Fit (sábado, 10h30 e 12h00, respetivamente), e concertos com atuação da Banda de Música de Fornos (sábado às 15h00), Pauta de Caprichos e Academia de Música Fernandes Fão (domingo, 15h00 e 16h00, respetivamente).

Promovido pela Câmara Municipal, o evento primaveril decorre entre as 10h00 e as 22h00 de sábado, e as 10h00 e as 19h00 de domingo, com entrada livre.