Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GUIMARÃES ACOLHE CIÊNCIA AOS SÁBADOS

‘Sábados h(á) Ciência’ regressa ao gnration. Sessão decorre a 2 de Dezembro, às 15h00

No próximo dia 2 de Dezembro, a Ciência está de volta ao gnration com mais um conjunto de sessões do projecto que conquistou as famílias Bracarenses. ‘Luz para comer’ é o tema da próxima sessão do ‘Sábados H(á) Ciência’, uma iniciativa promovida pelo Município de Braga em colaboração com a Fundação Bracara Augusta e com ‘O Laboratório da Li’.

CARTAZ CIENCIA DEZ

A sessão, agendada para as 15h00, é dirigida a crianças entre os 6 e os 12 anos que devem fazer-se acompanhar por um adulto. As inscrições devem ser feitas até 30 de Novembro. As vagas são limitadas, devendo ser realizadas presencialmente no gnration. O custo da actividade é de 15 euros para o conjunto de adulto + criança ou de 20 euros, no caso de levar duas crianças.

Recorde-se que o projecto ‘Sábados h(á) Ciência’ tem como objectivo estimular o gosto das crianças e jovens pela ciência, através da realização de actividades e experiências científicas acompanhadas por muita diversão.

Com este projecto, o Município de Braga alarga a oferta lúdico-educativa, ao mesmo tempo que promove a ciência e o convívio inter-geracional. O projecto tem proporcionado às crianças uma verdadeira viagem pelo mundo da Ciência através da realização de diversas experiências científicas com actividades totalmente práticas, onde os jovens podem ficar a conhecer várias ciências.

VIMARANENSES DEBATEM AUTISMO

Ciência Viva de Guimarães debate Autismo

No dia 24 de novembro, pais, profissionais de saúde, docentes e investigadores conversam com o público sobre uma perturbação complexa que afeta uma em cada mil crianças

DSC_7530

O que é o autismo? Como se faz o seu diagnóstico e o seu tratamento? O que pensam os pais e os terapeutas? São algumas das questões que estarão em foco na tertúlia “Entender o Autismo”, organizada pelo Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães.

A iniciativa realiza-se no dia 24 de novembro, às 21:00 horas, no Bar da Ramada (Instituto de Design de Guimarães). Pais, profissionais de saúde, docentes e investigadores conversam com o público sobre o complexo universo do autismo, uma perturbação complexa que afeta uma em cada mil crianças.

Vinícius Silva, investigador universitário na área da robótica aplicada às perturbações do espectro autista e Patrícia Guimarães, terapeuta ocupacional da CERCIGUI (Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados do Concelho de Guimarães) são alguns dos convidados da conversa moderada pela jornalista Sofia Pires, do projeto Plural&Singular, um projeto editorial dedicado à temática da deficiência.

A tertúlia sobre autismo integra o programa da Semana da Ciência e Tecnologia 2017 que o Centro Ciência Viva de Guimarães organiza entre 21 e 26 de novembro. Com esta ação, aberta a todo o público, o Curtir Ciência pretende motivar o debate e a troca de ideias e experiências em torno de uma perturbação que afeta muitas crianças. A definição de autismo; as formas de diagnóstico e de tratamento e os projetos de educação e inserção – são alguns dos tópicos para a conversa aberta a todo o público. 

O modelo da tertúlia inclui uma primeira fase destinada a intervenções e debate entre os vários especialistas convidados, seguindo-se, numa segunda fase, um período de questões colocadas pelo público.

image001

"CURTIR CIÊNCIA" EXPÕE EM GUIMARÃES SOBRE FRUTOS SECOS

Exposição sobre frutos secos no Curtir Ciência, produzida pelo Centro Nacional de Competências dos Frutos Secos, está patente até 26 de novembro

image001

Sabia que o maior castanheiro da Europa, com mais de 400 anos, está em Portugal, mais concretamente na Guarda?

Sabia que alfarroba é um bom substituto do chocolate?

Já reparou que o miolo de uma noz se parece com o nosso cérebro?

Há muitas questões, com as respetivas respostas, na exposição Trinca-Secos: um mundo a descobrir, que o Curtir Ciência tem patente até ao dia 26 de novembro.

Trata-se de uma exposição itinerante, muito interativa, que chama a atenção para os benefícios do consumo de frutos secos: castanhas, nozes, amêndoas ou alfarrobas. A exposição dá a conhecer a ciência e algumas curiosidades associadas aos frutos secos e surge no âmbito do projeto “Portugal Nuts”. É uma produção do Centro Nacional de Competências dos Frutos Secos, com a colaboração do Centro Ciência Viva de Bragança e de três nutricionistas da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança.

Ao longo de toda a exposição é possível contar com informação botânica e nutricional sobre a alfarroba, a amêndoa, a avelã, a castanha, a noz e o pistácio, com jogos e ainda algumas curiosidades sobre a história dos frutos secos.

A visita é livre para quem visita a Exposição Permanente do Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães. De terça a sexta, das 10:00 às 18:00; fim-de-semana, das 11:00 às 19:00.

VIMARANENSES "CURTEM" CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Uma semana repleta de Ciência & Tecnologia

Duas tertúlias - uma sobre Autismo, outra sobre a ligação da Ciência à floresta; um workshop de Produção de Sabão artesanal; a mostra de robótica e um “Show de Ciência” no Centro Juvenil de S. José – eis a Semana da Ciência e Tecnologia organizada pelo Centro Ciência Viva de Guimarães. De 21 a 26 de novembro. Entrada livre.

image001

O programa deste ano da Semana da Ciência & Tecnologia volta a juntar atividades dentro e fora do Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães. Entre 21 e 26 de novembro, não faltam razões para passar pela Zona de Couros.

A Semana abre (dia 21) com mais uma edição da Feira de Ciência, entre as 14:00 e as 17:00 horas: um conjunto de atividades interativas ligadas à Química, Magnetismo e Impressão 3D.

No dia seguinte (22), pelas 10:00 horas, no Agrupamento de Escolas de Caldas das Taipas, realiza-se a primeira de duas tertúlias agendadas para esta edição: “A ciência ao serviço da floresta”. Com esta iniciativa dirigida a alunos do ensino básico, o Curtir Ciência pretende contribuir para uma cidadania ativa relativamente à floresta, colocando o público escolar em contacto com os responsáveis pela preservação florestal.

Nos dias 23 e 24, entre as 14:00 e as 17:00 horas, o Curtir Ciência recebe mais uma Mostra de Robótica. Um palco para dar a conhecer projetos de robôs concebidos pelos vários clubes de robótica de Guimarães.

No dia 24, às 21:00 horas, no Bar da Ramada (Instituto de Design), o público é convidado para a tertúlia “Entender o Autismo”. Pais, profissionais de saúde, docentes e investigadores conversam com o público sobre autismo. Vinícius Silva, investigador universitário na área da robótica aplicada às perturbações do espectro autista e Patrícia Guimarães, terapeuta ocupacional da CERCIGUI, são alguns dos convidados desta conversa com moderação da jornalista Sofia Pires.

À semelhança da edição anterior, a Semana 2017 volta a apostar (dia 25, às 15:00 horas) num workshop dirigido ao público adulto: “Produção de Sabão Artesanal” é uma oficina que explora os processos químicos que levam à formação do sabão, nomeadamente, a saponificação. Esta atividade tem lotação limitada a 10 participantes adultos.

Para encerrar a Semana da C&T (dia 26), o Curtir Ciência faz as malas e instala-se temporariamente no Centro Juvenil de São José, uma Instituição Particular de Solidariedade Social de Guimarães, dedicada ao acolhimento e inserção social de crianças e jovens sem o apoio familiar essencial ou em risco de exclusão. A partir das 10:30, e para uma plateia composta por utentes e profissionais do Centro Juvenil, tem lugar o “Show de Ciência” composto por um conjunto de experiências científicas educativas e recreativas.

BRAGA APOSTA NO ENSINO DA CIÊNCIA

Alunos aprendem a interpretar a Natureza através da Ciência. Projecto chega a 970 participantes de 30 escolas do Concelho

Compreender o mundo que nos rodeia através da ciência, é o principal objectivo do projecto ‘Natureza Sob Investigação’, que se iniciou esta Quarta-feira, 8 de Novembro, no qual os alunos Bracarenses realizam diversas experiências diversas científicas.

CMB08112017SERGIOFREITAS0000009617

Desenvolvido pelo Município de Braga através do Serviço Educativo Integrado (SEI), e em parceria com o ‘Laboratório da Li’, este projecto irá decorrer durante todo o ano lectivo e as suas actividades vão desde o pré-escolar ao 2.º ciclo. As experiências são pensadas à medida de cada desafio proposto, adaptando-se à faixa etária e ao contexto em que se desenvolve.

“Com este projecto estamos estimular o gosto das crianças e jovens pela ciência, através da realização de actividades e experiências científicas num contexto lúdico. Esta é a demonstração de um mundo repleto de ciência, apresentado de forma prática e entusiasmante, numa lógica de partilha e informalidade”, referiu Lídia Dias, vereadora da Educação da Câmara Municipal de Braga, no arranque dos trabalhos, onde participaram as crianças do Jardim-de-Infância do Fujacal.

O projecto apenas tem interrupção durante as pausas lectivas e desenvolve-se todas as Quartas-feiras, na Estufa do Parque da Ponte de S. João. Ao longo do ano, esta iniciativa irá abranger um total de 970 participantes, oriundos de 30 escolas do Concelho.

Estão previstas inúmeras actividades dinâmicas que ajudarão os alunos a perceber, consciencializar e reflectir sobre diversos aspectos científicos, tais como: a Luz; a Electricidade; as Plantas; os Estados físicos da Matéria; os Fósseis; a Ciência no dia-a-dia; a Actividade interna da Terra e a Biodiversidade.

“Estas actividades experimentais complementam o ensino das Ciências e vão ao encontro das metas e orientações curriculares de cada ciclo, estipuladas pelo Ministério da Educação”, concluiu Lídia Dias.

CMB08112017SERGIOFREITAS0000009619

CMB08112017SERGIOFREITAS0000009620

BRAGA SERÁ “LABORATÓRIO VIVO” PARA A DESCARBONIZAÇÃO

Projecto será implementado na Urbanização do Pachancho e Areal de Baixo

Braga foi uma das 12 Cidades cuja candidatura foi seleccionada pelo Fundo Ambiental para a primeira fase de desenvolvimento do plano de implementação de um Laboratório Vivo para a Descarbonização. A assinatura dos contratos decorreu esta Segunda-feira, 6 de Novembro, em Matosinhos, numa sessão presidida pelo ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, e que contou com a presença de Miguel Bandeira, vereador do Município de Braga.

CMB06112017SERGIOFREITAS0000009599

O Programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização – Living Labs - tem múltiplos objectivos, nomeadamente fomentar a descarbonização das cidades através de soluções tecnológicas que aumentem a eficiência e reduzam o consumo de energia e co-criar cidades inovadoras, sustentáveis e inclusivas que visem a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos e das comunidades.

Em Braga, este Laboratório terá a sua implementação na zona que abrange a Urbanização do Pachancho e o Areal de Baixo, estendendo-se ao Nó de Infias e ao Bairro das Enguardas. “Estamos a falar de um projecto-piloto que será desenvolvido em parceria com diversas entidades e que vai ter grande impacto no quotidiano dos Bracarenses”, referiu Miguel Bandeira, explicando que, posteriormente, “as medidas serão replicadas noutras zonas críticas da Cidade”.

Sendo a descarbonização e a redução do consumo energético “pilares essenciais” deste projecto, o Vereador sublinhou que esses objectivos só podem ser alcançados com o envolvimento da população, sendo os próprios cidadãos “parte activa” desta mudança. “Este é um ensaio que só terá sucesso se houver receptividade dos cidadãos. Estamos a falar de medidas que vão originar mudanças de comportamentos no quotidiano de cada um. No entanto, e através da vertente tecnológica, será fácil mostrar às pessoas os efeitos positivos que a descarbonização terá nas suas vidas”, concluiu.

Mecanismos de acalmia de trânsito, redução de velocidade, melhoria no estacionamento e da relação da Cidade com os transportes públicos, farão parte de todo este processo. O plano a desenvolver terá de ser apresentado até 7 de Dezembro e a sua implementação no terreno terá que estar concluída no final de 2018.

Projectos como o ‘School Bus’ - que visa garantir o transporte dos alunos em autocarros gratuitos entre vários interfaces e as respectivas escolas - ou o ‘Eu já Passo Aqui’ - que permite o levantamento de situações existentes no espaço público que condicionam a mobilidade dos cidadãos -, serão algumas das iniciativas já implementadas pelo Município e que irão integrar este Laboratório permitindo, assim, criar um conjunto de práticas e normas de execução permanentes em todo o universo municipal.

O presente aviso do Fundo Ambiental – 1ª fase - tem uma dotação orçamental de um milhão de euros, a dividir pelas 12 candidaturas, que irão receber o montante fixo de 80 mil euros cada. Na segunda fase do concurso, prevista para o próximo ano, o apoio do Fundo Ambiental será de 3 milhões de euros, montante que servirá para a implementação dos planos dos Laboratórios Vivos para a Descarbonização.

As candidaturas foram avaliadas tendo por base três critérios: excelência, inovação e impacto e, além de Braga, também Almada, Seixal, Águeda, Matosinhos, Figueira da Foz, Maia, Évora, Loulé, Mafra, Alenquer e Barcelos, figuram entre as candidaturas seleccionadas. Recorde-se que a este Plano concorrerem 35 municípios representando cidades de pequena e média dimensão (entre 50 e 200 mil habitantes).

CMB06112017SERGIOFREITAS0000009592

CMB06112017SERGIOFREITAS0000009595

CMB06112017SERGIOFREITAS0000009598

PONTE DE LIMA APRESENTA O UNIVERSO A CONTRARRELÓGIO

Ignite Astro, O Universo em contrarrelógio numa digressão por Portugal. Em Ponte de Lima, no dia 11 de novembro – 21h30 – Auditório Municipal

O Município de Ponte de Lima acolhe no próximo dia 11 de novembro, a digressão nacional “Ignite Astro, O Universo em contrarrelógio”, coordenada pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

IgniteIAstro_PonteLima_HD

Trata-se do 14º evento de uma digressão inédita em Portugal e que trará a Ponte de Lima oito cientistas do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço que vão falar sobre a sua investigação, expondo em menos de uma hora, cerca de uma dezena de temas atuais da investigação em ciências do espaço feita em Portugal. Vamos ouvir falar, por exemplo, sobre o nosso Sol, deteção de exoplanetas e energia escura.

Nos eventos Ignite IAstro, os cientistas apresentam a sua investigação em apenas cinco minutos cada. Cada um terá uma sequência de 20 slides, que avançam automaticamente de 15 em 15 segundos. A diversidade e a rapidez das apresentações criam momentos de espetáculo e entretenimento, ao mesmo tempo que os cientistas partilham o seu conhecimento.

A não perder “Ignite Astro, O Universo em contrarrelógio” no Auditório Municipal de Ponte de Lima, 11 de novembro, às 21h30.

Saiba mais em http://www.iastro.pt/ignite e em www.lagoas.cm-pontedelima.pt.

PONTE DE LIMA VIAJA NO "UNIVERSO EM CONTRARRELÓGIO"

Ignite Astro, O Universo em contrarrelógio numa digressão por Portugal. Em Ponte de Lima, no dia 11 de novembro – 21h30 – Auditório Municipal

O Município de Ponte de Lima acolhe no próximo dia 11 de novembro, a digressão nacional “Ignite Astro, O Universo em contrarrelógio”, coordenada pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

IgniteIAstro_PonteLima_1400x650px

Trata-se do 14º evento de uma digressão inédita em Portugal e que trará a Ponte de Lima oito cientistas do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço que vão falar sobre a sua investigação, expondo em menos de uma hora, cerca de uma dezena de temas atuais da investigação em ciências do espaço feita em Portugal. Vamos ouvir falar, por exemplo, sobre o nosso Sol, deteção de exoplanetas e energia escura.

Nos eventos Ignite IAstro, os cientistas apresentam a sua investigação em apenas cinco minutos cada. Cada um terá uma sequência de 20 slides, que avançam automaticamente de 15 em 15 segundos. A diversidade e a rapidez das apresentações criam momentos de espetáculo e entretenimento, ao mesmo tempo que os cientistas partilham o seu conhecimento.

A não perder “Ignite Astro, O Universo em contrarrelógio” no Auditório Municipal de Ponte de Lima, 11 de novembro, às 21h30.

Saiba mais em http://www.iastro.pt/ignite e em www.lagoas.cm-pontedelima.pt.

GUIMARÃES VIVE NOITE DAS BRUXAS COM CIÊNCIA

TERÇA, 31 OUT

Guloseimas “arrepiantes”, pinturas faciais, uma visita à Casa Assombrada e brindes surpresa em 3D: motivos para não perder a Festa Halloween – Noite das Bruxas do Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães. 

image001

Na terça-feira, 31 de outubro, entre as 20:30 e as 22:30, vamos transformar a Antiga Fábrica de Curtumes Âncora num cenário fantástico de “arrepiar”, mas sem perder nunca o contacto com a Ciência. 

O programa promete. O “workshop” “Guloseimas Arrepiantes” (sessão dupla, às 20:30 e 21:30) consiste na confeção de gomas de múltiplas cores e formatos alusivos à Noite das Bruxas, tendo sempre presente o lado científico subjacente – os estados físicos da matéria e o processo de gelificação. Por outro lado, os participantes podem dar um cunho pessoal à caixa destinada a acondicionar as gomas.

A visita “Casa Assombrada” (duas visitas a realizar entre as 20:30 e as 22:30) propõe um percurso diferente pelo espaço da Antiga Fábrica de Curtumes Âncora, pontuado por decorações especiais que exploram a temática científica da fluorescência. Ao longo do trajeto os participantes têm direito a pequenas pinturas faciais feitas com tinta fluorescente e podem ainda fazer um “pega-monstro”.

Todas as atividades têm inscrição obrigatória e a lotação dos workshops está limitada a 16 participantes por sessão (a idade mínima é de seis anos). Todas as crianças participantes recebem um brinde surpresa em três dimensões produzido na sala de prototipagem rápida do Centro Ciência Viva de Guimarães.

Informações e reservas: no Curtir Ciência, em Couros; pelo telefone 253510830 e por email: geral@ccvguimaraes.pt.

VIMARANENSES CURTEM CIÊNCIA

Curtir Ciência aproximou público dos investigadores

Centenas de pessoas passaram pela Noite Europeia dos Investigadores do Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães, no passado dia 29 de setembro. Ao longo de sete horas, o Centro foi palco de atividades científicas para os mais novos, um workshop de Impressão 3D, visitas guiadas gratuitas e encontros com investigadores.

DSC_7479

O “Ciência no Pátio”, entre as 17:00 e as 20:00 horas, serviu de “aquecimento” e de amostra do que se seguiria até depois da meia-noite: os pais vieram trazer os filhos e não resistiram a fazer, também eles, “Bolhas de Sabão XXL” e “Pega-Monstros”.

A NEI 2017 destacou, contudo, a divulgação de trabalhos de investigação científica. Nessa área, foram bastantes concorridas as conversas com Vinícius Silva, investigador da UMinho que desenvolve estudos sobre o uso da robótica na relação com crianças que sofrem de perturbações do espectro autista e com Pedro Alves, dinamizador do projeto “Charcos com Vida”, que visa sensibilizar para a importância dos habitats presentes nos charcos ou nas pequenas massas de água. O céu escuro não permitiu realizar a sessão de astronomia, mas a conversa sobre o tema, conduzida pela investigadora Carla Pereira, da ORION – Sociedade Científica de Astronomia do Minho, mais do que lotou a sala do Curtir Ciência, numa sessão de perguntas por parte do público mais novo.

DSC_7549

Na sessão de abertura, Amadeu Portilha, em representação da Câmara Municipal de Guimarães, salientou o papel desempenhado pelo Centro Ciência Viva na divulgação do conhecimento. Por seu lado, Pedro Souto, da UMinho, fez questão de destacar o estatuto que o Curtir Ciência alcançou a nível nacional, com um lugar cimeiro no grupo dos mais dinâmicos da rede nacional composta por duas dezenas de centros Ciência Viva. Paulo Pereira, coordenador técnico do Curtir Ciência, destacou o contributo da equipa do centro para os bons resultados alcançados.

No primeiro ano de funcionamento, 2016, o Curtir Ciência registou 13 mil visitantes. Este ano, até ao final de setembro, o número de visitantes já ultrapassou a fasquia dos 16 mil.

DSC_7549

INL SUMMIT DEBATE EM BRAGA O FUTURO DA NANOTECNOLOGIA

Maior evento dedicado à Nanotecnologia em Portugal realiza-se dias 19 e 20 de Outubro no Theatro Circo, em Braga

INLSUMMIT2017_A3POSTER 2

O terceiro INL Summit, evento organizado pelo Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) e que conta com a parceria do Município de Braga, decorre nos próximos dias 19 e 20 de Outubro, no Theatro Circo, em Braga, sob o tema “Nanotecnologia: a nova economia”.

De cariz anual, este é o maior evento dedicado à Nanotecnologia em Portugal, que reúne dezenas de conceituados especialistas nacionais e internacionais de diferentes sectores para debater o impacto e o contributo da nanotecnologia na sociedade actual e, sobretudo, no futuro. Até este Sábado, dia 30 de Setembro, os ingressos podem ser adquiridos com 50% de desconto. Mais informação e inscrições no seguinte portal: www.summit2017.inl.int.

Durante dois dias, académicos, a indústria, entidades governamentais, economistas, investidores e empreendedores portugueses e estrangeiros, entre outras personalidades de diferentes áreas, debatem a forma como a nanotecnologia, enquanto convergente dos mundos digital, físico e biológico, está a redefinir e a transformar o futuro da economia mundial.

Com apresentação de tendências, case studies, desafios e os desenvolvimentos mais recentes na aplicação da nanotecnologia em diferentes áreas, o programa do INL Summit inclui temas como “Ciência. Não ficção”, “A nanotecnologia e a 4.ª revolução industrial” e “Como transformar a nanotecnologia em negócio”, ambos no primeiro dia. 

Já na Sexta-feira, as intervenções decorrem sob o tema da “Nanotecnologia, Arte, Design e Educação”, prosseguindo com um debate sobre o “Impacto da Nanotecnologia na Economia”. Com uma presença cada vez mais relevante no dia-a-dia, a nanotecnologia introduz alterações significativas e céleres na forma como a sociedade produz, consume, comunica e vive. Implantes celulares, nanomáquinas capazes de entrar no corpo humano e navegar para identificar e eliminar vírus, bactérias ou células cancerígenas, impressão a 3D de órgãos humanos, materiais ultra-resistentes e auto-reparáveis, sensores subcutâneos, nano óptica aplicada à realidade aumentada e outras inovações que podem ser criadas num futuro muito próximo.

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia é o principal hub em Portugal e um dos maiores do Mundo para investigação e desenvolvimento de nanotecnologia em benefício da sociedade, em quatro áreas estratégicas: Saúde, Alimentar, Ambiente e Nanoeletrónica. Num ambiente multicultural convivem equipas multidisciplinares de 28 nacionalidades.

NOITE EUROPEIA DOS INVESTIGADORES REGRESSA AO CURTIR CIÊNCIA EM GUIMARÃES

Um workshop de Impressão 3D, uma conversa sobre robótica aplicada a crianças com autismo, observação de estrelas, atividades científicas para os mais novos e encontros com investigadores preenchem o programa do dia 29 de setembro (sexta-feira), no Centro Ciência Viva de Guimarães.

image001

O Centro Ciência Viva de Guimarães volta a ser o palco do programa que assinala, sexta-feira, 29 de setembro, a Noite Europeia dos Investigadores (NEI). Um workshop de Impressão 3D, uma conversa sobre as potencialidades da robótica em atividades com crianças autistas, atividades científicas divertidas para os mais novos, música e encontros com investigadores, são as principais propostas desta noite que visa aproximar o público da ciência.

Situado na antiga Fábrica de Curtumes Âncora, em Couros, o Curtir Ciência assinala a NEI com um programa diversificado, entre as 17:00 e as 23:30 horas, dirigido a todos os públicos. A participação é livre.

A escolha é diversificada. Pode ir da participação nas várias atividades do “Ciência no Pátio” - entre outras, fazer “Bolhas XXL” – até à participação numa oficina de trabalho sobre Impressão 3D a ter lugar na Sala de Prototipagem Rápida do Curtir Ciência (projeto financiado pela Bosch e UMinho). Pelo meio é ainda possível manter encontro com jovens investigadores que apresentam os seus trabalhos.

Vinícius Silva, investigador da UMinho, vem ao Curtir Ciência (21:00) apresentar o seu trabalho de investigação sobre a aplicação da robótica na relação com crianças que sofrem de perturbações do espectro autista. Mais tarde (22:30) o encontro é com o investigador Pedro Alves que apresenta o projeto “Charcos com Vida”, apostado em sensibilizar para a importância dos habitats presentes nos charcos ou nas pequenas massas de água.

Mas há mais: visitas gratuitas aos principais módulos da Exposição Permanente do Centro Ciência Viva, uma observação astronómica no pátio do Centro assegurada pela ORION – Sociedade Científica de Astronomia do Minho, momentos musicais e uma sessão de abertura com a presença de representantes da Câmara Municipal de Guimarães e da Universidade do Minho.

O Curtir Ciência associa-se desta forma ao programa da NEI coordenado pela agência Ciência Viva, em parceria com o i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, o Instituto de Tecnologia Química e Biológica e Universidade de Coimbra. Este ano conta com a parceria do Planetário – Casa da Ciência de Braga.

Todas as atividades são gratuitas. A inscrição pode ser feita através do correio eletrónico reservas@ccvguimaraes.pt ou pelo telefone 253510830.

NOITE EUROPEIA DOS INVESTIGADORES REGRESSA AO CURTIR CIÊNCIA EM GUIMARÃES

Um workshop de Impressão 3D, uma conversa sobre robótica, observação de estrelas, atividades científicas para os mais novos, música e encontros com investigadores são algumas das propostas para o dia 29 de setembro (sexta-feira), no Centro Ciência Viva de Guimarães. Participação livre.

image001

O Centro Ciência Viva de Guimarães volta a ser o palco do programa que assinala, sexta-feira, 29 de setembro, a Noite Europeia dos Investigadores (NEI). Um workshop de Impressão 3D, uma conversa sobre robótica, atividades científicas divertidas para os mais novos, música e encontros com investigadores, são as principais propostas desta noite que visa aproximar o público da ciência.

Situado na antiga Fábrica de Curtumes Âncora, em Couros, o Curtir Ciência assinala a NEI com um programa diversificado, entre as 17:00 e as 23:30 horas, dirigido a todos os públicos. A participação é livre.

A escolha é diversificada. É possível fazer “Ciência no Pátio”, entre as 17:00 e as 20:00 horas, incluindo atividades científicas divertidas como fazer “Bolhas XXL”; participar na oficina de trabalho sobre Impressão 3D (na Sala de Prototipagem Rápida do Curtir Ciência), na palestra interativa sobre Robótica (com o investigador Vinícius Silva, da UMinho) ou na conversa sobre Biodiversidade com o investigador Pedro Alves, da Campanha “Charcos com Vida”. Mas há mais: visitas gratuitas aos principais módulos da Exposição Permanente do Centro Ciência Viva, uma observação astronómica no pátio do Centro assegurada pela ORION – Sociedade Científica de Astronomia do Minho, momentos musicais e uma sessão de abertura com a presença de representantes da Câmara Municipal de Guimarães e da Universidade do Minho.

O Curtir Ciência associa-se desta forma ao programa da NEI coordenado pela agência Ciência Viva, em parceria com o i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, o Instituto de Tecnologia Química e Biológica e Universidade de Coimbra. Este ano conta com a parceria do Planetário – Casa da Ciência de Braga.

Todas as atividades são gratuitas. A inscrição pode ser feita através do correio eletrónico reservas@ccvguimaraes.pt ou pelo telefone 253510830.

CERVEIRA CRUZA ARTE COM NANOTECNOLOGIA

Programa ´Scale Travels´ estende-se até 2020: gnration e INL renovam parceria que cruza a arte com a nanotecnologia

Com vista à continuidade do trabalho conjunto desenvolvido desde Abril de 2016, o gnration e o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) anunciaram hoje, dia 14 de Setembro, a renovação da parceria por mais três anos.

1

Assim, de 2018 a 2020, a galeria INL – localizada no edifício gnration - continuará a apresentar trabalhos artísticos que aproximam arte e nanotecnologia, colocando artistas junto de investigadores, propagando a aproximação da comunidade à nanotecnologia e à arte. A renovação da parceria permitirá também a introdução de novas variáveis, onde se incluirá uma componente pedagógica a partir de 2018.

Fruto de um projecto-piloto intitulado ´Scale Travels´, a galeria INL foi visitada por cerca de 5000 pessoas no primeiro semestre de 2017 e alcançou um alcance mediático estimado de 3.858.218 pessoas, tendo recebido instalações sonoras e audiovisuais dos artistas portugueses Rui Dias e Fernando José Pereira, do norte-americano Pierce Warnecke, do holandês Tarik Barri e, mais recentemente, do português Pedro Rebelo.

De acordo com Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, esta parceria é ´extremamente importante´ porque permite ao gnration ´ligar a componente artística e cultural à inovação, juventude e criatividade´. “É um bom testemunho do que queremos que seja o papel do edifício no contexto da nossa comunidade. Ao mesmo tempo permite ao INL reforçar a sua abertura à comunidade tornar acessível a ciência e o conhecimento que produzem”, afirmou, referindo também que este projecto é uma ´mais-valia´ para a candidatura de Braga a Cidade Criativa da Unesco na área das media arts.

Segundo o Director do INL, Lars Montelius, o programa Scale Travels permite alcançar a comunidade e, em especial, uma audiência que normalmente não visitaria o INL ou trabalharia com os seus investigadores.

“Estamos muito felizes com os resultados das duas primeiras fases do programa, alcançados não só aqui em Braga, mas também junto dos cerca de 4 milhões de pessoas em todo o mundo através de várias actividades de disseminação. Gostaríamos de levar o projecto Scale Travels ainda mais longe na próxima fase do programa. A duração de três anos possibilitará novas dimensões e caminhos a serem explorados, incluindo experiências de co-criação, não só entre um artista e um cientista, mas também através de programas interativos no gnration”, referiu.

Em 2017 a galeria INL encerrará com uma obra audiovisual do conceituado artista japonês Ryoichi Kurokawa, vencedor do Golden Nica – Prix Ars Electronica e com trabalho exibido na Bienal de Veneza, Tate Modern ou Transmediale. O conceituado artista esteve em residência artística em Maio deste ano na cidade de Braga. Durante uma semana, Kurokawa esteve em contacto directo e constante com investigadores do INL, onde teve a oportunidade de aprofundar conhecimentos sobre nanotecnologia que o permitiram elaborar o trabalho artístico que apresentará em estreia mundial.

As visitas à galeria INL são gratuitas e decorrem no período normal de funcionamento do gnration.

3

5

GUIMARÃES APRESENTA CIÊNCIA COMO OFERTA EDUCATIVA

OFERTA EDUCATIVA 2017-2018

Curtir Ciência desenvolve atividades para todos os públicos

São 26 propostas que abrangem diversas áreas da Ciência; 26 atividades dirigidas a todos os públicos: crianças que frequentam o pré-escolar, alunos dos 1º, 2º, 3º ciclos do ensino básico, mas também seniores. É assim a Oferta Educativa do Centro Ciência Viva de Guimarães para o ano letivo 2017-2018: 26 oficinas que aliam diversão e aprendizagem científica.

image001

Fazer sabonetes perfumados e gomas, confecionar pão, fazer caixas-abrigo para aves que podem ser usadas nos quintais ou jardins, mas também atividades que visam fomentar nos mais novos o interesse pela preservação ambiental e que promovem a importância de boas práticas amigas do ambiente – a diversidade impera na Oferta Educativa 2017-2018.

Aberto ao público desde dezembro de 2015, o Curtir Ciência lançou a sua primeira Oferta Educativa no ano letivo 2016-2017. Segundo Sérgio Silva, Diretor Executivo do Centro Ciência Viva, “funcionou como projeto-piloto e permitiu conhecer as necessidades das escolas e para testar algumas das propostas”.

Em matéria de novidades, destaca-se a oficina “Histórias com Ciência”, destinada ao pré-escolar, que propõe uma leitura das histórias infantis pelo prisma científico. “A maioria das propostas anteriores mantém-se, uma vez que estão em perfeita sintonia com os programas curriculares e porque tiveram bastante aceitação por parte do público-alvo”, explica Sérgio Silva.

Para as crianças do ensino pré-escolar, a Oferta Educativa inclui um conjunto de oficinas divididas por áreas temáticas adaptadas a esta faixa etária. A novidade (e que representa uma aposta do centro), prende-se com a oficina “Histórias com Ciência”. Trata-se de uma leitura das histórias infantis através das “lentes da ciência” e com realização de experiências científicas.

“Rochas e Minerais”; “Propriedades Físicas e Químicas dos Materiais”; “Reações Químicas”; “Sistemas Elétricos” e “Microscopia e a Célula” são as propostas para alunos do 3º ciclo do ensino básico. Para os 1º e 2º ciclos, o Curtir Ciência disponibiliza as oficinas “Meteorologia e Alterações Climáticas”; “Ciclo da Água e seus Estados Físicos”; “Rochas e Solos”; “Corpo Humano”; “O Mundo das Plantas”; “Eletricidade e Magnetismo” e “Qualidade do Ambiente”.

Construir caixas abrigo para aves, aprender a fazer velas aromáticas e sabonetes perfumados ou perceber como se processa a reciclagem do papel – são algumas das oficinas destinadas aos seniores.

Oferta Educativa 2017-2018 em www.ccvguimaraes.pt/ofertaeducativa

GUIMARÃES LEVA CIÊNCIA À PRAÇA

Curtir Ciência encerra esta tarde programa Ciência na Praça

Mais de 500 pessoas, entre participantes e curiosos, passaram pelo espaço do Curtir Ciência no Centro Histórico de Guimarães durante as sessões do programa “Ciência na Praça”. Ao longo do mês de agosto, todas as quintas-feiras, entre as 16:30 horas e as 18:00 horas, o Curtir Ciência esteve no Centro Histórico vimaranense a dinamizar sessões interativas de cariz científico destinadas a público de todas as idades. A última sessão realiza-se hoje, 31 de agosto.

image001

Inserida no programa nacional Ciência Viva no verão em Rede, coordenado pela Ciência Viva, a atividade do Centro Ciência Viva de Guimarães concretizou a sua principal missão de plataforma de divulgação de Ciência junto de todos os públicos. Os níveis de adesão por parte dos público e o contributo dado pelo Curtir Ciência para a animação de um dos espaços da cidade mais procurados pelos visitantes, fazem com que os responsáveis do Centro instalado em Couros equacionem uma edição mais alargada do programa “Ciência na Praça” com vista ao verão de 2018.    

Nas sessões “Ciência na Praça”, que são gratuitas, os participantes podem executar várias experiências de cariz prático e científico, abordando conceitos de Física, Química e Biologia, de forma lúdica e divertida. A última sessão decorre esta quinta-feira, 31, a partir das 16:30 horas. 

CAFÉ MEMÓRIA DE GUIMARÃES DEBATE O MOVIMENTO FÍSICO E SUAS IMPLICAÇÕES NA SAÚDE MENTAL

ESTE SÁBADO, DAS 10 ÀS 12 HORAS

Sessão com entrada livre realiza-se este sábado de manhã, no Lar de Santa Estefânia. Encontro informal destina-se a pessoas com problemas de memória ou demência, bem como aos respetivos familiares e cuidadores.

Lar_Santa_Estefania

A problemática do movimento físico e suas implicações na saúde mental é o tema escolhido para a sessão de agosto do Café Memória de Guimarães, que se realiza este sábado, dia 26, entre as 10 e as 12 horas, excecionalmente, no Pavilhão do Lar de Santa Estefânia, por impedimento, devido a férias de verão do Café Concerto do Centro Cultural de Vila Flor, habitual local onde decorre esta iniciativa com entrada livre e sem necessidade de marcação prévia.

Com a presença de diversos especialistas, os participantes poderão colocar questões, dúvidas ou mesmo partilhar experiências vividas. Antes, porém, haverá um espaço introdutório com apresentação informal dos presentes, café, chá, bolo e distribuição de recordações. As sessões realizam-se sempre no quarto sábado de cada mês, exceto em dezembro que decorrerá no dia 16, entre as 10 e as 12 horas.

O Café Memória pretende contribuir para a melhoria da qualidade de vida e redução do isolamento social das pessoas com problemas de memória ou demência, bem como dos respetivos familiares ou cuidadores. Pretende, ainda, sensibilizar a comunidade para a relevância crescente do tema das demências, reduzindo, assim, o estigma que lhe está associado.

Até agora, o Café Memória de Guimarães, momento de partilha de experiências e de suporte mútuo, tem sido um sucesso, demonstrado na satisfação de todos os que já participaram nas sessões já realizadas. Num contexto informal, acolhedor, reservado e seguro, esta ação oferece apoio emocional e informação útil, sempre com o auxílio de profissionais de saúde e de colaboradores que trabalham no âmbito social.

O Café Memória de Guimarães, que nasceu numa parceria estabelecida entre a Câmara Municipal de Guimarães, Lar de Santa Estefânia, Rotary Club de Guimarães, Lions Clube de Guimarães e Hospital Senhora da Oliveira, resulta de uma iniciativa da Alzheimer Portugal e da Sonae Sierra, tendo como parceiros institucionais a Fundação Montepio, Instituto de Ciências da Saúde (Universidade Católica) e a Fundação Calouste Gulbenkian.

GUIMARÃES LEVA CIÊNCIA AO CENTRO HISTÓRICO

Curtir Ciência no Centro Histórico de Guimarães

Todas as quintas-feiras do mês de agosto, a partir das 16:30 horas, o Curtir Ciência vai estar no Centro Histórico de Guimarães com sessões interativas de cariz científico para público de todas as idades e num cenário de eleição.

Com as sessões “Ciência na Praça” o Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães vai de encontro aos milhares de pessoas que passam por este emblemático espaço reconhecido pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade. 

“A nossa principal missão passa por levar a Ciência a todos os públicos. Com estes encontros no belíssimo Centro Histórico de Guimarães, estamos a cumprir a nossa missão de polo divulgador da Ciência junto do público”, justifica Sérgio Silva, Diretor Executivo do Centro Ciência Viva de Guimarães.

Os monitores do Curtir Ciência mostram várias experiências de cariz prático e científico, abordando conceitos da Física, Química e Biologia. Um programa para explorar a ciência em família, de forma lúdica e divertida.

Esta é uma das muitas atividades que o Curtir Ciência promove até setembro no âmbito do programa “Ciência Viva no verão em rede 2017”. Deteção de morcegos, oficinas sobre a qualidade da água que chega às nossas casas, observação de estrelas, entre outras, também fazem parte do programa que o Curtir Ciência promove entre julho e setembro.

CIÊNCIA EM GUIMARÃES SAI À RUA NO VERÃO

Ciência Viva no Verão em Rede. Curtir Ciência marca presença neste programa nacional

Deteção de morcegos, oficinas sobre a qualidade da água que chega às nossas casas, encontros com a Ciência no Centro Histórico de Guimarães, observação de estrelas, entre outras, são algumas das atividades que o Curtir Ciência promove no âmbito do programa “Ciência Viva no verão em rede 2017”.

Capturarcienguima.PNG

Tal como acontece todos os anos, entre julho e setembro, a Ciência sai à rua com mais de 800 acções de participação gratuita em todo o país, organizadas por centros ciência viva, instituições e associações científicas, autarquias e empresas.

O programa “Ciência Viva no verão em rede” é coordenado pela Rede de Centros Ciência Viva, num total de 20 em todo o país, entre os quais o de Guimarães. Este ano o Curtir Ciência reforçou a sua presença no programa com iniciativas próprias e em parceria com diversas instituições: Planetário - Casa da Ciência de Braga, ORION – Sociedade Científica de Astronomia do Minho, Vimágua, Empresa Intermunicipal, Laboratório da Paisagem de Guimarães e Taipas Turitermas.

Do diversificado conjunto de atividades destacamos os encontros “Ciência na Praça”, todas as quintas-feiras de agosto a partir das 16:30 horas, no Centro Histórico de Guimarães (Praça de S. Tiago  e Largo da Oliveira); os percursos “Geologia na Cidade” centrados no Centro Histórico de Guimarães (dias 12 de agosto e 10 de setembro a partir das 10:30 horas); a oficina “Interpretação das formações rochosas da Serra da Penha”, em parceria com o Laboratório da Paisagem de Guimarães (dia 12 de setembro a partir das 9:30 horas); as “Oficinas da Água”, em parceria com a Vimágua (dias 9 de agosto e 5 de setembro, na Estação de Tratamento de Água de Prazins Santa Eufémia a partir das 15:00 horas) e a visita à Taipas Turitermas com uma oficina sobre “Sabonetes de água termal” (dia 15 de setembro a partir das 16:00 horas).

A participação é gratuita, mas algumas das atividades requerem inscrição prévia. O programa completo e inscrições aqui: http://www.cienciaviva.pt/veraocv/2017/